Issuu on Google+

1ª EDIÇÃO DE

AGOSTO / 2013

Roberto Parizotti / CUT

Semanário do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região - nº 718 - Rua Júlio Hanser, 140. Lajeado - Sorocaba/SP - CEP: 18030-320

JUNTOS CONTRA O PL 4330 Centrais sindicais iniciam agenda de manifestações contra o projeto de lei que amplia a terceirização

Divulgação FEM/CUT

Campanha Salarial: Grupos 3, 8 e 10 iniciam negociações com a FEM/CUT

Primeira negociação coletiva deste ano foi com o G3, no último dia 1º; novas reuniões da FEM com o grupo já estão marcadas

O presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), Valmir Marques, Biro-Biro, esteve no Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba nesta segunda-feira, dia 5, para debater estratégias da campanha salarial da categoria este ano. A data-base da categoria é 1º de setembro. Por enquanto, dos sete grupos patronais metalúrgicos, três já agendaram negociações com a FEM: G3, G8 e G10. PÁG.3

PÁG.7

ESCÂNDALO

PT pede CPI para investigar corrupção tucana em SP PÁG.2

DESENVOLVIMENTO

Seminário na FUA vai discutir Região Metropolitana PÁG.5


Pág. 2 Edição 718 Agosto de 2013 TUCANATO PAULISTA

FEM luta por avanços efetivos Deputados do PT querem CPI

Folha Metalúrgica Diretor responsável: Ademilson Terto da Silva (Presidente) Jornalista responsável: Paulo Rogério L. de Andrade Redação e reportagem: Felipe Shikama Paulo Rogério L. de Andrade Fotografia: José Gonçalves Fº (Foguinho) Diagramação e arte-final: Lucas Eduardo de Souza Delgado Cássio de Abreu Freire

Capas da revista IstoÉ que denunciaram rombo de quase meio bilhão nos cofres do estado

Nos últimos dias, a bancada do PT na Assembleia Legislativa pediu a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar a responsabilidade ou omissão de agentes públicos e políticos do PSDB relacionados às denúncias de formação de cartel entre empresas para obras e manutenção de equipamentos do Metrô e da CPTM. De acordo com reportagem publicada há duas semanas pela revista IstoÉ, com base em denúncia da multinacional Siemens feita ao Cade por meio de delação premiada, o cartel teria promovido um esquema de corrupção que envolve o governo do estado de São Paulo, liderado pelo PSDB, desde a gestão Mário Covas, passando pelas gestões José Serra e Geraldo Alckmin. Entre os deputados estaduais da região, apenas o deputado Hamilton Pereira (PT) já assinou o pedido de abertura da CPI. O deputado Carlos Cezar (PSB) e a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB) disseram que a decisão depende de orientação de seus respectivos partidos. Segundo Hamilton, uma das principais prerrogativas do Poder Legislativo, além de fazer lei, é também fiscalizar os atos do Executivo. “Diante das denúncias sobre o ‘propinoduto’ e formação de cartel com fartos elementos, agora feitas pela própria empresa que atua no transporte de trens, temos

Informativo semanal do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região Sede Sorocaba: Rua Júlio Hanser, 140. Tel. (15) 3334-5400 Sede Iperó: Rua Samuel Domingues, 47, Centro. Tel. (15) 3266-1888 Sede Regional Araçariguama: Rua Santa Cruz, 260, Centro. Tel (11) 4136-3840

a obrigação de investigar”, afirma Hamilton. “Denúncias graves” O deputado estadual Carlos Cezar (PSB) considera as denúncias graves e, segundo ele, precisam ser apuradas rapidamente. “Obviamente que se o Estado for lesado, precisa ser ressarcido e se há algum agente político envolvido, o mesmo terá de ser punido exemplarmente”, afirma. Quanto ao pedido de abertura de CPI, Cezar afirma que a decisão ainda dependerá da orientação de seu partido. “Posso afirmar que me reunirei com a bancada do meu partido, o PSB, a fim de avaliarmos qual decisão tomar sobre a questão”. Posição oculta Já a deputada Maria Lúcia Amary (PSDB) preferiu não revelar seu posicionamento em relação à CPI bem como comentar as denúncias que atingem o seu partido. “Não vou tomar nenhuma decisão isolada do meu partido. Esse encaminhamento vai depender da bancada do PSDB, cuja reunião prevista para esta terça (dia 6) foi remarcada para amanhã (dia 7)”, declarou. A deputada Rita Passos (PSD), de Itu, foi contatada e os questionamentos enviados por email a pedido de sua assessoria de imprensa, porém até o fechamento desta edição, nenhuma das perguntas foi respondida. Divulgação

ou prêmios de produção. Tanto para a FEM como para o Sindicato, é papel do movimento sindical politizar a categoria no sentido de que é preciso haver luta coletiva e consciência de classe para mexer nas estruturas da precarização do trabalho. Para isso, é necessário alterar leis ou criar mecanismos legais para combater ações nocivas do Capital, como a rotatividade e a terceirização nas empresas. A rotatividade, por exemplo, anula a maior parte dos ganhos salariais que os trabalhadores — inclusive metalúrgicos — conquistam nas campanhas salariais. Como a legislação permite aos patrões demitir livremente, sem dar satisfações a ninguém, as empresas renovam parte do quadro

Parlamentares da região se posicionam sobre escândalo

Divulgação

Os patrões têm muitas artimanhas para anular ganhos salariais de um ano para outro

para investigar propinoduto

de funcionários ao longo do ano, contratando trabalhadores com salário inferior aos dos demitidos, mantendo a folha de pagamento sempre adequada para o nível de ganância da empresa. A atenção excessiva dedicada a abonos e remunerações variáveis, como a participação nos resultados, também acaba enfraquecendo a mobilização por melhoria financeira efetiva ao trabalhador, como uma política de cargos e salários que seja transparente, justa e que valorize de fato o trabalho. Para avançar nas conquistas, o metalúrgico deve resgatar sua capacidade de se engajar em lutas coletivas, ser solidário com todos os outros trabalhadores e ter consciência de que é preciso entender os meandros da política (ser politizado) para reduzir essa capacidade patronal de impedir avanços sociais e trabalhistas no País. Que fique claro: nem FEM nem Sindicato vão abrir mão de conquistar ganhos salariais para os metalúrgicos este ano, mas pretendem, também, organizar e estimular a categoria para participar de lutas mais amplas, que signifiquem avanços efetivos hoje e no futuro.

Divulgação

Muito oportuna e gratificante a reunião do presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), Valmir Marques, o Biro-Biro, com a direção do Sindicato dos Metalúrgicos nesta segunda-feira, dia 5. O encontro confirmou que Sindicato e Federação continuam afinados em seus ideais de unir os trabalhadores em lutas que signifiquem avanços efetivos à categoria metalúrgica e à classe trabalhadora em geral. É inegável que as campanhas salariais da categoria têm sido bem sucedidas no que se refere a aumentos reais de salários. Porém, somente essa conquista já não basta. Os patrões têm muitas artimanhas para anular ganhos salariais de um ano para outro. Os trabalhadores têm que estar unidos e com boa consciência política para combater os artifícios patronais. O mesmo se pode dizer a respeito das cláusulas sociais da Convenção Coletiva. Os metalúrgicos sempre foram referências para outras categorias em termos de conquistas sociais. Porém, há uma tendência atual ao imediatismo e ao individualismo, o que esfria as lutas mais amplas e troca conquistas duradouras por abonos

Sede em Piedade: Rua José Rolim de Goés, 61, Vila Olinda. Tel. (15) 3344-2362 Site: www.smetal.org.br E-mail: diretoria@smetal.org.br Impressão: Gráfica Taiga Tiragem: 42 mil exemplares

Hamilton Pereira do PT: sim à CPI

Carlos Cézar do PSB: não sabe

Maria Lúcia do PSDB: não sabe


Edição 718 Pág. 3 Agosto de 2013 NEGOCIAÇÕES

Solidariedade “Sabemos que acordos locais garantiram reposição da inflação e aumento real em várias empresas no estado. Mas em geral esses acordos atingem só grandes fábricas”, afirma Biro, que pede a solidariedade dos metalúrgicos das grandes empresas nas lutas coletivas da campanha salarial. “Sem essa solidariedade na luta, será muito difícil os trabalhadores das pequenas fábricas conquistarem avanços”, alerta o dirigente. Ademilson Terto, presidente do Sindicato em Sorocaba, também lembra que os metalúrgicos que já garantiram reposição da inflação e algum índice de aumento real também precisam se unir para garantir as cláusulas sociais da convenção. As cláusulas incluem a estabilidade à vítima de acidente ou doença ocupacional, garantias às gestantes, aos estudantes, aos trabalhadores em vias de aposentadoria, entre outras. Sorocaba foi a primeira

Reunião, na sede do Sindicato, foi presidida por Ademilson Terto; deputado Hamilton e vereador Izído também participaram do encontro

de 14 regiões do estado que Biro vai visitar nos próximos dias para reforçar a unidade dos metalúrgicos da CUT nesta campanha salarial. Convite de Hamilton O deputado estadual Ha-

Grupos 3, 8 e 10 iniciam negociações A Federação dos Metalúrgicos da CUT (FEM), à qual o SMetal é filiado e faz parte da direção, representa 250 mil metalúrgicos no estado. A FEM negocia com sete bancadas patronais: Grupo 2 (Máquinas e eletroeletrônicos); Grupo 3 (autopeças, forjaria e parafusos); Mon-

tadoras ; Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; equipamentos ferroviários, entre outros); Grupo 10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, entre outros); Estamparia de metais; e Fundição. Até agora, apenas os grupos 3 e 10 marcaram negociações da campanha

salarial deste ano. A database da categoria é 1º de setembro. A primeira reunião foi com o G3, no dia 1º deste mês. A FEM pediu agilidade nas negociações e reforçou aos empresários a necessidade de avançar nas cláusulas sociais da Convenção Coletiva.

milton Pereira (PT) também participou da reunião no Sindicato nesta segunda-feira e colocou-se à disposição da categoria na campanha salarial. O parlamentar sorocaba no também convidou os diri-

VEJA AGENDA DAS PRÓXIMAS NEGOCIAÇÕES: GRUPO 3 – dia 8, 15, 20 e 29 de agosto, sempre às 10h

gentes do SMetal e da FEM para participarem de uma sessão solene na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) na manhã do dia 2 de setembro, que vai homenagear a CUT pelos seus 30 anos de fundação.

Divulgação FEM/CUT

O presidente da Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM), Valmir Marques, Biro-Biro, esteve em Sorocaba na manhã desta segunda-feira, dia 5, para conversar com a diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos local sobre o andamento da campanha salarial, que teve sua primeira negociação deste ano na semana passada, com o Grupo 3. A FEM já teve uma primeira negociação com o Grupo 3, na semana passada e tem novas reuniões agendadas com o próprio G3 e também com o Grupo 10 (veja agenda nesta página). Os demais grupos metalúrgicos ainda não agendaram negociações. Na reunião em Sorocaba, Biro-Biro afirmou que, como todos os anos, os patrões dão sinais que não vão ceder avanços com facilidade. Por isso, o dirigente espera contar com a união de todos os metalúrgicos, em todas as bases da CUT no estado.

Foguinho

Presidente da FEM veio a Sorocaba debater estratégias da campanha salarial

GRUPO 8 – dia 9 de agosto, às 10h GRUPO 10 –dia 12 de agosto, às 10h As negociações geralmente são realizadas nas sedes dos sindicatos patronais em São Paulo ou na sede da FEM, em São Bernardo.

Foguinho

Confira as principais reivindicações da categoria

Pauta de reivinvidações foi entregue aos patrões na FIESP no final de julho

Apauta de reivindicações dos sindicatos filiados à Federação Estadual dos Metalúrgicos da CUT (FEM) foi protocolada nos sindicatos patronais do setor no dia 29 de junho. A data-base da categoria é dia 1º de setembro. O protocolo da pauta foi acompanhado de um ato público dos sindicalistas

em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na avenida Paulista, em São Paulo. Uma caravana com cerca de 120 metalúrgicos de Sorocaba e região participou do ato. O vice-presidente do SMetal, João Farani, é também secretário geral da FEM.

As principais reivindicações dos metalúrgicos da FEM este ano são: reposição da inflação dos últimos 12 meses, aumento real de salários, valorização dos pisos, redução de jornada de trabalho sem redução de salário, ampliação e unificação dos direitos das convenções coletivas dos grupos metalúrgicos.


Pág. 4 Edição 718 Agosto de 2013

meira foi implantada em 1993, na antiga Cooper Tools (atual Apex Tool), também instalada em Sorocaba. “Essa comissão representa um avanço na história da representação dentro da fábrica. Esperamos e torcemos que os membros eleitos assumam suas responsabilidades e, durante essa gestão, defendam os seus companheiros trabalhadores”, afirma o diretor do Sindicato, Joselito Mansinho. A CCTSMA terá oito membros e a gestão tem duração de um ano. A Pries produz componentes de fogões, geladeiras e outros produtos da linha branca e tem aproximadamente 400 funcionários.

Veja quem foram os eleitos: 1º Israel Diego de Melo (69 votos) 2º Valmir Batista de Almeida (27 votos) 3º Renan Frasatto (24 votos) 4º Francisco de Assis Marcelino (21 votos) 5º Moacir de Souza Reis (18 votos) 6º Aparecido Donizeti de Lima (17 votos) 7º David Roberto Faustino (14 votos) 8º Oscar Evaristo Santana Filho (12 votos)

Nova comissão mais abrangente substitui antiga Cipa

Trabalhadores da YKK aprovam proposta de PPR Em assembleia realizada na tarde de sexta-feira, dia 2, trabalhadores das três fábricas do grupo YKK (Zíper, Mecânica e Alumínio), instaladas na zona industrial de Sorocaba, aprovaram proposta de Programa de Participação de Resultados (PPR) de 2013 O acordo foi aprovado em assembleia única, que reuniu cerca de 800 funcionários das três plantas do grupo. No dia 30 de julho, a proposta inicial de PPR apresen-

tada pela empresa foi rejeitada pelos trabalhadores. “A empresa só melhorou a proposta depois que percebeu que os funcionários se mobilizaram”, afirma João Farani, vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos. A primeira parcela será paga no final de agosto e a segunda em maio de 2014. O valor do PPR não é divulgado para não atrapalhar outras negociações semelhantes ainda em andamento.

Foguinho

Trabalhadores da Tecnomecânica Pries, instalada na zona industrial de Sorocaba, elegeram nesta terçafeira, dia 6, os oito representantes que vão compor a Comissão de Condições de Trabalho, Saúde e Meio Ambiente (CCTSM). A Comissão dará lugar à atual Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e, além de ser mais abrangente em sua atuação, passa a ser composta exclusivamente por representantes eleitos pelo voto direto dos trabalhadores. Criada após um ano de negociações entre o Sindicato dos Metalúrgicos e a Pries, essa será a segunda CCTSMA do Brasil. A pri-

Divulgação

Trabalhadores elegem Comissão de Condições de Trabalho na Pries

Mobilização fez empresa melhorar valor do PPR nas três plantas

WWW.SMETAL.ORG.BR


Edição 718 Pág. 5 Agosto de 2013

Agora está confirmado. A partir de 2014, Sorocaba vai contar com um Instituto Federal de Educação (IFE), que vai oferecer cursos técnicos, de tecnólogo e licenciatura gratuitos para estudantes da região. A unidade de ensino deverá ser construída junto ao campus da UFSCar em Sorocaba, na rodovia João Leme dos Santos (SP-264). A instalação do IFE, que no estado de São Paulo passa a se chamar Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia São Paulo (IFSP), foi garantida em uma reunião nesta segunda-feira, dia 5, entre o Prefeito de Sorocaba, Antônio Carlos Pannunzio; a deputada federal Iara Bernardi (PT); o diretor da UFSCar, Isaías Torres; e os vereadores Izídio de Brito e Carlos Leite, ambos do PT. Os parlamentares do PT e a direção da universida-

de também propuseram, na reunião com o prefeito, que os primeiros cursos do IFSP comecem a funcionar já em 2014, provisoriamente no Núcleo de Educação, Tecnologia e Cultura (ETC) da UFSCar de Sorocaba, no bairro Santa Rosália. Integração com a UFSCar Há meses a prefeitura de Sorocaba vinha procurando local adequado para o IFSP, mas foi a deputada Iara quem articulou a utilização do terreno da UFSCar para construção da nova unidade de ensino, bem como a instalação provisória no ETC. O IFSP definitivo, para 1.200 vagas, deverá ter 900 metros de área construída, sob responsabilidade do governo federal. A Prefeitura vai contribuir com a infraestrutura, como rede de água e esgoto, rede elétrica e asfalto.

Assessoria / Iara Bernardi

Sorocaba terá Instituto Federal de Educação a partir de 2014

Iara, Pannunzio, Hamilton, Isaías, Izídio de Brito e Carlos Leite após reunião no Paço que confirmou a vinda do IFSP

Ambas instituições, UFSCar e IFSP poderão ter estruturas de uso comum. Essa integração entre as universidades não é inédita. Em São Carlos, a UFSCar e o IFSP já funcionam nesses moldes.

Prazo e consulta popular A expectativa é que o prédio definitivo, na SP-264, demore de dois a três anos para ficar pronto. Até lá, os primeiros cursos poderão funcionar no bairro Santa Rosália.

Segundo Iara Bernardi, uma audiência pública de consulta popular, que será realizada nas próximas semanas, vai definir quais os cursos que serão oferecidos pelo IFSP no município.

DESENVOLVIMENTO

Seminário com a participação de prefeitos e parlamentares da região vai discutir mais uma vez a criação da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). O evento, parte de uma série organizada pela Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), será nesta sexta-feira, dia 9, das 9h às 13h, no auditório da FUA. O deputado Hamilton Pereira, que trabalha pela metropolização da região há 8 anos, participará do encontro. Com base em estudos do Núcleo de Planejamento de Sorocaba (Nuplan), além de Sorocaba, a cidade-

sede, outros 21 municípios já foram apontados com características e potenciais suficientes para integrarem a futura Região Metropolitana. Este número, no entanto, pode aumentar ao longo dos debates que acontecerão durante a elaboração do projeto de lei que criará a RMS. No seminário desta sexta, por exemplo, deverão participar prefeitos de cidades que ficaram de fora da lista das 22 cidades até então marcadas para se metropolizarem. Sarapuí e São Miguel Arcanjo são duas delas. “O seminário da FUA

Divulgação / Assessoria

Seminário na FUA volta a discutir Região Metropolitana de Sorocaba

lidade urbana com exemplo de política pública que beneficiaria os moradores de toda uma região integrada. Para reforçar a tese da importância da ‘metropolização’, Hamilton fala da liberação de dinheiro do Programa de Aceleração do

Local: Auditório externo da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), av. Engenheiro Carlos Reinaldo Mendes, 2.800 - Alto da Boa Vista. Quando: Sexta-feira, dia 9, das 9h às 13h. Público: convidados e imprensa

Região forte e diversificada

Deputado Hamilton Pereira trabalha pela RMS há 8 anos

que acontece sexta e outros tantos encontros que virão serão fundamentais para que possamos construir uma proposta substancial, bem

embasada e que contemple todos os municípios que tenham de fato vocação para integrar a nossa Região Metropolitana”, diz Hamilton.

Importância da ‘metropolização’ para o desenvolvimento Hamilton Pereira, autor do projeto de lei apresentado na Assembleia Paulista em 2005, diz que a formação da RMS é de extrema importância para o fortalecimento de toda a região e não apenas de um município isolado. Ele cita a melhoria da mobi-

Evento: Seminário de Desenvolvimento Regional: Conceitos, Desafios e Impactos no Contexto da Macrometrópole

Crescimento (PAC 1 e 2) do Governo Federal. “De todos os recursos disponibilizados pelo PAC até o momento, 60%, algo em torno de R$ 63 bilhões, foram destinados às regiões metropolitanas”. Além de facilitar a captação de mais recursos do

Governo Federal e Governo Estadual, a ‘metropilização’ da região de Sorocaba facilitará a implantação de políticas públicas regionais integradas em prol do meio ambiente, da educação, do transporte públio, da saúde e de diversas outras áreas.

A Região Metropolitana de Sorocaba, que o governo do Estado promete criar até 2014, nascerá forte e representativa. Serão no mínimo 22 municípios; 1,7 milhão de pessoas e um PIB (Produto Interno Bruto) de R$ 42 bilhões. Ela ainda nasce diversificada, cujos municípios apresentam diversos perfis econômicos, como industriais, agrícolas, turísticos e outros. Municípios já relacionados: Alumínio -Araçariguama Araçoiaba da Serra - Boituva Capela do Alto - Cerquilho Ibiúna - Iperó - Itu - Jumirim Mairinque - Piedade Pilar do Sul - Porto Feliz - Salto Salto de Pirapora - Sorocaba São Roque - Tapiraí - Tatuí Tietê - Votorantim Municípios a serem relacionados: São Miguel Arcanjo Sarapuí e outros


Pág. 6 Edição 718 Agosto de 2013 NOTAS

Vagas para colônia de férias

Novo site do Sindicato dos Metalúrgicos já está no ar Desde o dia 1º de agosto, o Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região está com novo site no ar, totalmente reformulado e com novas ferramentas que, além de facilitar a navegação, amplia as possibilidades de interação com as redes sociais. Nos próximos dias, novas ferramentas serão agregadas ao site.

Com o mesmo endereço, o www.smetal.org.br tem aparência mais leve, quantidade maior de fotos e vídeos e espaço para comentários de notícias por meio da rede social Facebook. “Além de ser mais ágil, essa ferramenta aumenta a interatividade entre o internauta e o Sindicato com mais transpa-

rência”, afirma o jornalista Paulo Rogério de Andrade, responsável pela Imprensa SMetal. Entre as novidades que entrarão no ar nas próximas semanas, está um simulador de cálculo para rescisão de contrato de trabalho. “Esperamos que todos os metalúrgicos - e também internautas

de outros setores sociais gostem do nosso site. Procuramos, com a reformulação, facilitar o acesso às informações que possam interessar não apenas aos trabalhadores metalúrgicos, mas toda a sociedade”, afirma Ademilson Terto da Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região.

Um convênio firmado entre o Sindicato dos Metalúrgicos e a Faculdade Pitágoras vai dar desconto de 15% na mensalidade para sócios e dependentes matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação oferecidos pela instituição de ensino. O convênio foi assinado nesta terça, dia 6, pelo diretor administrativo do Sindicato, Alex Sandro Camargo; e o diretor da faculdade, Francisco Pereira França Neto.

Para ter o desconto, o interessado deve apresentar holerite, cartão de sócio ou dependente do Sindicato e uma declaração a ser retirada na sede da entidade. Entre os cursos oferecidos estão Administração, Engenharia Mecânica, Engenharia de Produção e Ciência da Computação. A Faculdade Pitágoras fica na avenida Juscelino Kubitscheck de Oliveira, 279, Votorantim. A faculdade também ofe-

sagem escolar em relação à idade. As inscrições podem ser feitas na sede do Sindicato às terças-feiras, das 17h30 às 20h30; e às quartas-feiras das 18h30 às 20h30. A sede fica na rua Julio Hanser, 140, Lajeado.

A Amaso (Associação dos Metalúrgicos Aposentados de Sorocaba e Região) informa que faz gratuitamente cálculo de tempo de serviço de aposentadoria para metalúrgicos sindicalizados. A associação, que funciona em um prédio ao lado do Sindicato dos Metalúrgicos em Sorocaba, também tem serviços pagos como dentista, podologia, advogado previdenciário e plano de saúde Sanamed. Informações (15) 3031-4271.

Futebol Society em Araçariguama

Convênio vai ajudar na formação profissional de metalúrgicos sindicalizados

rece, até a próxima semana, bolsas de estudo de 50% para os cursos de Administração no período da ma-

nhã (30 bolsas) e Ciência da Computação (40 bolsas) no período noturno. Informações (15) 3416-7000.

Telecurso do Sesi está com inscrições abertas no SMetal Estão abertas as inscrições para o Telecurso do Sesi que funciona na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba para conclusão do Ensino Fundamental e Ensino Médio. O curso é gratuito e destinado a pessoas com defa-

Serviços da Amaso

Foguinho

Convênio dá desconto de 15% em mensalidade da Faculdade Pitágoras

Sócios do Sindicato interessados em ocupar a colônia de férias, em Ilha Comprida, no mês de setembro devem se inscrever para sorteio até o dia 14 de agosto. Caso o número de inscritos seja superior ao número de vagas, haverá sorteio dia 20, às 19 horas. Em virtude de obras de reforma e ampliação, atualmente estão disponíveis apenas dez apartamentos. Para fazer a inscrição, o sócio deve comparecer pessoalmente na sede de Sorocaba com o cartão de sindicalização, das 8h às 18h. A sede do Sindicato em Sorocaba fica na rua Júlio Hanser, 140, Lajeado. Mais informações: (15) 3334-5443.

Cedrinho Além de manter um telecurso em sua sede, o Sindicato também apoia o Telecurso do Sesi no bairro Cedrinho, na Zona Norte de Sorocaba. As inscrições no Cedrinho também estão abertas e

devem ser feitas no próprio local, que fica no salão comunitário do bairro, na rua Maria Cesarina da Costa s/n. Há turmas nos períodos da manhã e da noite. Mais informações: (15) 3388-0444 ou (15) 3388-0417.

Em setembro o Sindicato realiza o 1º Torneio de Futebol Society dos Metalúrgicos de Araçariguama. Os times devem ser formados exclusivamente por sócios do Sindicato ou dependentes. As inscrições deverão ser feitas entre os dias 12 e 30 de agosto na sede do Sindicato em Araçariguama, de segunda a sexta, das 8h às 18h. A sede do Sindicato em Araçariguama fica na rua Santa Cruz, 260, Centro . Mais informações com Rogéria pelo telefone: (11) 4136-3840.


Edição 718 Pág. 7 Agosto de 2013 PROJETO DE LEI 4330

Mais de três mil trabalhadores de diversos ramos, da CUT e demais centrais sindicais, se reuniram em frente ao prédio da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) na avenida Paulista, na manhã de terça-feira, dia 6, para protestar contra o projeto de lei 4330 que tramita no Congresso Nacional. Além de São Paulo, foram realizados atos durante todo o dia nas principais metrópoles e capitais do país, em frente às federações e confederações patronais. Novas manifestações contra a terceirização estão previstas para o dia 13 em todo o país, incluíndo Brasília. O objetivo é pressionar os deputados federais a enterrarem o PL 4330. Já no dia 30, a CUT programa protestos em várias cidades do Brasil em defesa da pauta da classe trabalhadora. De acordo com Vagner Freitas, presidente da CUT Nacional, o PL 4330 é uma clara tentativa da classe em-

Roberto Parizotti / CUT

Centrais sindicais protestam em todo o país contra terceirização

Trabalhadores ocuparam o trecho da Paulista em frente à Fiesp nesta terça e preparam novas manifestações para pressionar a classe patronal a desistir do PL

presarial de precarizar ainda mais os postos de trabalho e diminuir os custos. “Se o projeto for votado no dia 14 de agosto, a classe trabalhadora vai ocupar Brasília e o

Congresso Nacional”, enfatizou. O alvo das manifestações nesta terça foram os empresários, que possuem maioria no Congresso Nacional,

reforçando a unidade das centrais em torno da pauta da classe trabalhadora. “Em São Paulo, fizemos este ato em frente à Fiesp porque são os empresários que finan-

ciam a maioria dos deputados em Brasília e fazem o lobby contra os interesses da classe trabalhadora”, destacou Adi dos Santos Lima, presidente da CUT-SP.

Se aprovado, o projeto de lei 4330 vai ampliar a terceirização para todas as atividades das empresas. Se isso vier a acontecer, as empresas poderão dispensar trabalhadores para recontratá-los como prestador de serviço, rebaixando seus direitos e seus salários.

Estudo da CUT e do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), de 2011, constatou que o trabalhador terceirizado fica 2,6 anos a menos no emprego, tem uma jornada de três horas a mais semanalmente, e ganha 27% a menos. A cada 10 acidentes

de trabalho, oito ocorrem entre terceirizados. Além disso, o PL da terceirização enterra a responsabilidade solidária – aquela em que a contratante arca com as obrigações trabalhistas, caso a terceirizada não as cumpra – e acarretará ainda mais insegurança para a classe trabalhadora.

Foguinho

Projeto quer tirar direitos do trabalhador: saiba o que está em jogo

Foguinho

Vicentinho vem a Sorocaba nesta sexta falar sobre terceirização

Palestra do deputado Vicentinho será na sede dos Sindicados dos Metalúrgicos

O deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), estará em Sorocaba, na sede do Sindicato dos Metalúrgicos, às 19h desta sexta-feira, dia 9, para falar sobre o Projeto de Lei 4330/2004, de autoria do deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que está tramitando na Câmara dos

Deputados e amplia a possibilidade de terceirização nas empresas. Vicentinho, conhecido pela defesa dos interesses dos trabalhadores na Câmara, é contrário ao projeto na forma como está redigido atualmente e apoia as manifestações populares contra o PL 4330.

Vicentinho vai explicar detalhes do projeto, os riscos de sua aprovação e quais os projetos alternativos que já existem para regularização de terceirizados. A palestra de Vicentinho é aberta ao público em geral. O Sindicato fica na rua Júlio Hanser, 140, perto da rodoviária.


Pág. 8 Edição 718 Agosto de 2013

Campeonato de Skate arrecada leite para entidades assistenciais Foguinho

Evento realizado no Parque das Águas teve apoio do Sindicato dos Metalúrgicos por meio do coletivo de Juventude Mais de cinco mil pessoas e cerca de 150 atletas, segundo os organizadores, prestigiaram a segunda edição do campeonato “Skate and Constroy”, realizado neste sábado, dia 3, no Parque das Águas em Sorocaba. O evento foi organizado pelo projeto Jovens Radicais e teve apoio do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região por meio do Coletivo Juventude Metalúrgica. A organização do evento arrecadou mais de 200 litros de leite, que serão entregues ao Fundo Social de Solidariedade e, por sua vez, repassados às entidades assistenciais de Sorocaba. “Estamos realizando esse evento pelo segundo ano, para que a imagem do skate seja mudada, pois muitas pessoas ainda têm uma

Evento levou diversão e entretenimento para milhares de pessoas durante todo o sábado

Manobras radicais chamaram a atenção do público

Melhores desempenhos receberam prêmios e brindes

imagem negativa do skate”, afirma João Paulo Balthazar, Jhonny, membro do projeto Jovens Radicais e organizador do evento. O campeonato começou às 8h e terminou às 20h. Além do campeonato de skate, com várias modalidades e categorias, o público assistiu a apresentações musicas e exibição de atletas profissionais. Juventude solidária “O Sindicato dos Metalúrgicos, com o seu conceito de Sindicato Cidadão, entende que esse tipo de evento, que dialoga diretamente com a juventude, com a solidariedade e com a transformação social merece todo o apoio”, explica Everton da Silva Souza, diretor do Sindicato e membro da Juventude Metalúrgica.

Familiares do Bebê Heitor — garoto nascido em Sorocaba com má formação — estão mobilizando a sociedade em busca de ajuda financeira para que no futuro o menino, que nasceu sem os braços e o fêmur da perna esquerda, possa se tornar um homem independente fisicamente. Os pais, Talita Linda Cordeiro e Marcos Adriano Cordeiro, metalúrgicos no grupo Schaeffler, estão empenhados na busca de recursos para dotar o menino de próteses que lhe garantam mobilidade e independência. “Toda criança é dependente, mas ele vai crescer e nós queremos que ele cresça com independência”, diz a mãe. “Temos que começar desde agora, não podemos esperar quietos até o futuro chegar”, completa a avó materna Vilma Ribeiro, que

sonha em ver o neto independente quando ele crescer. Além da visita a especialistas para descobrir que tipos de próteses o menino terá que usar ao longo da infância e quando estiver adulto, a família também realiza eventos para angariar fundos para custear o tratamento. No próximo dia 17, por exemplo, eles farão uma quermesse, às 17h, na rua Sebastião Pires Pinto, jardim Imperatriz, zona norte de Sorocaba, onde moram, para arrecadar fundos. A família também comercializa camisetas com foto do garoto para ajudar no tratamento. “Não temos a mínima ideia de quanto iremos gastar nos próximos anos; o que sabemos é que vamos fazer de tudo para que ele um dia tenha a maior independência física possível”, reforça a mãe.

Xodó da rede Mesmo antes do nascimento, Talita criou uma página no Facebook - A pró de adaptação para o bebê Heitor - como forma de preparar e dar visibilidade às necessidades do menino. Em 5 meses a página conta com 15 mil seguidores de todos os estados brasileiros e diversos outros países, como Portugal, Espanha e Japão. “Temos recebido solidariedade de muita gente, isso nos conforta e nos dá mais ânimo para lutarmos pelo bem-estar do nosso filho”, conclui Talita. Profissão do pai A má formação de Heitor pode mudar até os rumos profissionais do pai. Estudante de engenharia na Fatec, Marcos Cordeiro pensa em se especializar em área que lhe permita a aprender a construir próteses [braços mecâ-

Foguinho

Família de bebê com má formação mobiliza sociedade para garantir tratamento médico

Bebê Heitor recebe o carinho da mãe Talita e da avó Vilma

nicos] para o filho. “Não só para ele [Heitor], claro, mas para tantas outras pessoas que necessitam de próteses para garantir mobilidade e independência”, diz Talita. Ela conta, ainda, que com o aprendizado que o filho

dará a toda à família, não está descartada a hipótese da criação de uma ONG para auxiliar pessoas que passam pela dificuldade de ter um filho com má formação. “Mas isso ainda é um sonho, algo um pouco mais distante”, diz.

Você também pode ajudar a dar independência ao bebê Heitor, basta depositar qualquer quantia na Caixa Econômica Federal, agência 3255 op 13 conta 7153-3.


Folha Metalúrgica 718