Page 1

Edição Jan-Abr/2021 - Órgão Oficial da Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas

ESPECIAL

Médicos estão cada vez mais presentes nas redes sociais. E você?

ACONTECE Departamento Acadêmico cria mais uma Superliga Canal da SMCC no Youtube disponibiliza conteúdo de alta qualidade Começa o Congresso Permanente de Especialidades da SMCC

DESTAQUE

FÓRUNS, PROTOCOLOS, CAMPANHAS E CADASTRO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE: Ações da SMCC impactam positivamente no enfrentamento da pandemia


SUMÁRIO EDITORIAL

03 Quando os desafios ficam ainda maiores A presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos, faz uma análise da atual situação da saúde na região e comenta ações da entidade

OPINIÃO

04 Coluna – Destaque Científico Pandemia e as novas variantes do SARS-Cov-2, pelo Dr. Antonio Condino Neto

05 Departamento Jurídico / Defesa Profissional Com base na LGPD, advogados explicam cuidados que devem ser tomados

MEMÓRIAS SMCC

06 Surto de meningite e um Novo Hospital na Cidade SMCC ACONTECE

07 Começa o Congresso Permanente de Especialidades Médicas da SMCC 07 Canal do Youtube da SMCC tem conteúdo de alta qualidade 08 SMCC fortalece parceria com poder público em defesa da classe médica

ESPECIAL

10 e 11 Médicos utilizam cada vez mais as redes sociais – confira os cuidados e as dicas para garantir uma boa presença digital

DESTAQUE

Edição Jan-abr/2021 Fundada em 1º de Dezembro de 1925 Filiada à Associação Paulista de Medicina Órgão de Utilidade Pública: Lei Municipal 04966/1979 Lei Estadual nº 6/1981 Rua Delfino Cintra, 63 • Centro • 13013-055 Campinas, SP • Fone/Fax: (19) 3231-2811 smcc@smcc.com.br | www.smcc.com.br sociedademedicinacirurgiacampinas smcccampinas Diretores Presidente Dra. Fátima Maria Ap. F. Bastos | 1º Vice Presidente Dr. José Roberto Franchi Amade | 2º Vice Presidente Dr. Waldir Favarin Murari | Secretário Geral Dr. Eugênio Sergio Riani Casanova 1º Secretário Dra. Andrea Dias T. Momente | Dir. de Finanças e Patrimônio Dr. Walter Maleronka | Dir. de Finanças e Patrimônio Adj. Dr. Luiz Inácio Quaglia Passos | Dir. Científico Dr. Antonio Condino Neto Dir. Científico Adj. Dr. Carlos A. Reis Oliveira | Dir. Eventos Dra. Carmen Sylvia Ribeiro | Dir. Eventos Adj. Dr. Cesar Alex de Oliveira Galoro Dir. Administrativo Dr. Marco Aurélio Bussacarini | Dir. Administrativo Adj. Dr. Antonio Cesar Antoniazzi | Dir. Comunicação e Marketing Dr. Marcelo Amade Camargo | Dir. Comunicação e Marketing Adj. Jose Helio Zen Junior Dir. Defesa Profissional Dr. Jorge Carlos Machado Curi | Dir. Defesa Profissional Adj. Dr. Arlindo Nasc. de Lemos Junior Dir. Sede de Campo Dr. Flávio Leite Aranha Junior | Dir. Sede de Campo Adj. Dr. Irineu Francisco Debastiani

12 Campanha de valorização médica entra na segunda fase 13 SMCC cria cadastro emergencial para profissionais

Delegados APM Dr. Mauro Duarte Caron | Dr. Sandor Dosa Acras | Dra. Silvia Helena R. Mateus

de saúde na linha de frente da Covid-19 14 Fórum “Situação da Covid-19” chega à 20ª edição 15 Protocolos de prevenção à Covid-19 são atualizados 16 SMCC publica Carta Aberta à População com mais 18 instituições 16 Prêmios Científicos batem recorde de inscrições

Conselho Fiscal Dr. José Jorge Facure | Dr. José Martins Filho | Dr. Antonio Vanderlei Ortenzi | Dr. Arlindo N. de Lemos Junior | Dr. Eugênio Sergio Riani Casanova | Dr. Marco Antonio Beluzzo

DEPARTAMENTO ACADÊMICO

17 Mais uma Superliga: Oftalmologia ENOTURISMO

18 Amarone, Ripasso e Valpolicella, pelo DipWSET Bruno Vianna

Comissão Editorial Dr. Marcelo A. Camargo | Dra. Fátima Maria Ap. F. Bastos | Dra. Carmen Sylvia Ribeiro | Patrícia Capovilla | Stela Maia | Branca Braga Editor-Chefe: Dr. Marcelo A. Camargo Jornalista Responsável: Patrícia Capovilla - MTb 31.445 Analista de Comunicação: Branca Braga Projeto Gráfico: Skanner Projetos Gráficos Tiragem: 2.700 exemplares Periodicidade: Trimestral Fale com a redação: comunicacao@smcc.com.br

AGENDA SMCC & CLASSIMED

19 Confira Agenda de Eventos e os Classificados Médicos 02 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

A revista não se responsabiliza pelo conteúdo das matérias assinadas, entrevistas e nem pelos anúncios veiculados.


EDITORIAL

Quando os desafios ficam ainda maiores Prezados colegas, Se 2020 surgiu como um ano de grandes desafios, 2021 parece ter vindo para superarmos todos os nossos limites. A pandemia causou grandes impactos em todas as áreas, mas na saúde, gerou uma crise sem precedentes: serviços médicos atendendo acima da capacidade, fila de espera para enfermarias e UTI´s, escassez de medicamentos e insumos, número de contaminados e mortes sendo superados dia a dia, gestores errando e acertando em medidas de prevenção, população que nem sempre faz sua parte, politização... E os profissionais de saúde no meio disso tudo, chegando ao limite físico e psicológico. Mas essa situação tão adversa trouxe também muito ensinamento. Instituições de saúde se uniram e se ajudaram. Profissionais de saúde viram o quanto são fortes e fundamentais. E nós, como sociedade médica, nos reinventamos para dar suporte e continuar levando conhecimento nessa fase marcada por tantos problemas e pelo distanciamento social. Trabalhamos muito para encontrar novos caminhos e desenvolver ações com várias frentes de atuação: valorizar médicos, conscientizar a população, promover debates, divulgar conhecimento e atender, dentro de nossas possibilidades, todas as demandas que chegaram até nós. Sem dúvida, os “Fóruns da SMCC: Situação Atual Covid-19”, criados no ano passado para discutir assuntos da pandemia, estão entre as ações mais significativas. Conseguimos reunir profissionais e instituições que são referência na saúde regional para discutir temas e esclarecer a população. Em março, tivemos uma edição histórica, com cerca de três mil visualizações no Youtube, para discutir o colapso dos serviços de saúde, com a participação do prefeito de Campinas, Dário Saadi, e de representantes de quase 20 instituições médicas. Relatos reais e chocantes, que ganharam uma grande repercussão na mídia regional. Este fórum também desencadeou outras ações, como a Carta Aberta à População, assinada pela SMCC e por mais 18 serviços de saúde públicos e privados e faculdades de medicina, com um apelo para que todos sigam os protocolos de segurança, tão fundamentais para conter a disseminação do vírus neste momento. Outra ação que merece destaque é o Cadastro Emergencial que nós desenvolvemos para médicos e demais profissionais da área de saúde interessados em atuar no atendimento aos pacientes com Covid-19. Em poucos dias, mais de 150 profissionais já estavam inscritos e a relação foi requisitada por serviços públicos e privados. Nosso objetivo foi, como Sociedade, servir como um elo entre profissionais e os serviços de saúde que encontravam dificuldade para este tipo de contratação, o que inviabilizava a abertura de novos leitos e a ampliação do atendimento. Mais uma vez, ganhamos apoio e uma grande cobertura da imprensa. Continuamos, ainda, com eventos de atualização virtual e com nossa campanha de valorização do profissional de saúde. Sabemos que enquanto não tivermos uma vacinação em massa, outros desafios surgirão e, com muita união, conseguiremos vencer um a um. Não vejo outra forma de encerrar este editorial que não seja agradecendo. Em nome de toda a diretoria da SMCC, quero fazer um agradecimento especial a todos os profissionais de saúde por tamanha dedicação. Vocês são, sem dúvida, o lado bom dessa pandemia. São exemplos de resistência, dedicação, resiliência, competência, empatia e amor ao próximo.

Dra. Fátima Bastos Presidente da SMCC

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 03


DESTAQUE CIENTÍFICO

A pandemia COVID-19 e as variantes do novo coronavírus Dr. Antonio Condino Neto Completamos pouco mais de um ano da pandemia COVID-19. Desde o início, epidemiologistas, infectologistas, virologistas, imunologistas e muitos outros profissionais da saúde se lançaram a grandes desafios. Temos convicção que o uso da máscara cobrindo nariz e boca, o distanciamento social e a lavagem frequente das mãos com sabão, álcool ou álcool gel são medidas eficazes na prevenção do contágio. A corrida para o desenvolvimento das vacinas teve início imediato, estudos clínicos foram conduzidos, e hoje chegamos a um conjunto de vacinas com eficácia e segurança comprovadas que incluem: vacinas RNA (Pfizer, Moderna), vetores virais geneticamente modificados e inativados (Oxford / AstraZeneca, Janssen e Gamalyea – Sputinik V), vacinas proteicas recombinantes (Novavax), e vacinas com coronavírus inativados (CoronaVac, SinoPharm). No Brasil, aplicamos a CoronaVac (Instituto Butantã) e Oxford AstraZeneca (Fiocruz). Apesar de toda evidência científica robusta, infelizmente enfrentamos a atuação persistente de negacionistas e pessoas com baixo nível de instrução que insistem em afrontar as medidas de segurança sanitária, pregar contra as vacinas e a favor do uso de medicamentos comprovadamente ineficazes ao combate da COVID-19, incluindo médicos, o que expõe a fragilidade da formação científica de muitos médicos, dentro e fora do Brasil. O ritmo lento da vacinação e o comportamento negacionista e imprudente de boa parcela da população brasileira que insiste em contrariar as medidas sanitárias, usar medicamentos ineficazes e fazer campanha contra vacinas, abriram caminho para a circulação do coronavírus e hoje assistimos a tragédias como aquela que ocorreu em Manaus e mesmo aqui no Estado de São Paulo, que atravessa a pior fase a pandemia, sendo decretada zona vermelha em todo o Estado. A grande maioria dos vírus evolui ao circular entre seus hospedeiros, especialmente vírus RNA, como o novo coronavírus, que vem circulando intensamente dentro e fora do

04 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

Brasil. Resultado? O aparecimento de variantes genéticas do novo coronavírus, a destacar 3 delas: B1.1.7 (identificada no Reino Unido), B.1.351 (identificada na África do Sul), e P.1 (identificada em Manaus, Brasil). O que elas têm em comum é a maior taxa de contágio, ou seja, o vírus se transmite mais facilmente, e uma menor carga viral já causa a doença. Em paralelo, a gravidade e mortalidade entre jovens e crianças subiram. Ainda não sabemos se as vacinas disponíveis protegem contra as atuais variantes. Estudos preliminares de algumas delas indicam que sim. Contudo, o estabelecimento formal de protocolos científicos é necessário para responder essa questão a longo prazo. Felizmente, a tecnologia recombinante da maioria das vacinas permitirá sua rápida atualização. Urge a intensificação das campanhas educativas e o aumento do ritmo da vacinação para o controle da pandemia. Somente assim retornaremos ao “novo normal” e retomaremos nossa economia. Dr. Antonio Condino Neto – CRM 51204 Professor Titular de Imunologia e Medicina Experimental ICB USP Presidente do Departamento de Imunologia da Sociedade Brasileira de Pediatria Diretor do Centro Jeffrey Modell de Imunodeficiências de São Paulo Diretor Científico da SMCC


DEPARTAMENTO JURÍDICO / DEFESA PROFISSIONAL

LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados e a Telemedicina Márcia Conceição Pardal Côrtes Lucas Selingardi Estamos diante de uma transformação na era digital e as inovações tecnológicas, visando a atenção à saúde a distância, tornou- se presente no consultório médico. Os pacientes e médicos tiveram sua rotina alterada e este cenário mudou o olhar jurídico e científico nesta relação. A Telemedicina mudou o ambiente do consultório médico e se tornou uma importante ferramenta para o enfrentamento da pandemia da COVID-19, contudo, o seu emprego deve estar atento aos cuidados e, em especial, ao dever do sigilo profissional e da garantia de proteção de todos os dados/informações do paciente. Há um consenso de que as novas tecnologias promoveram uma “digitalização do corpo humano”, na exata medida em que houve a possibilidade de estruturação de dados genéticos e da saúde do indivíduo através de uma plataforma digital. Tal fato gerou uma dimensão virtual que exteriorizou os direitos da personalidade dos pacientes, os quais são protegidos pela Constituição Federal e legislações esparsas. A LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados, lei nº 13.709/2018, passou por seu processo de regulamentação e sofreu algumas alterações e, ao final, veio a vigorar em nosso país recentemente, com ampla abrangência na atividade médica. A norma acima descreve inúmeros detalhes sobre as informações colhidas dos pacientes, a forma de controle de tais dados e as vedações quanto à disponibilização para fins de seleção de riscos pelas operadoras de plano de saúde ou indústria farmacêutica, entre outros pontos. Em síntese, há uma infinidade de detalhes, mas alguns merecem extrema atenção.

Em singelo raciocínio, é necessário dizer que antes de qualquer detalhe, o CONSENTIMENTO do paciente deve existir para o uso da telemedicina e da consulta a distância. Assim, como primeiro ponto, temos que o paciente deve assinar o termo de consentimento livre e esclarecido para o uso desta ferramenta e, ademais, deve expressar sua concordância quanto ao modo pelo qual sua consulta será realizada e de que forma seus dados serão tratados, preservados e disponibilizados. Além do consentimento como pressuposto básico, é necessário que o médico ou sua clínica tenha uma segurança quanto ao armazenamento dos dados em sistema, de modo a evitar o compartilhamento indevido, o seu uso para finalidades ilegais ou o “roubo” destes. Ademais, é necessário criar níveis de acesso como forma a limitar para os profissionais da saúde o amplo acesso aos dados clínicos, resultados de exame e anotações de prontuário, entre outros, excluindo, assim, o acesso de pessoas estranhas a tais informações. Todos estes detalhes devem estar presentes no sistema utilizado, bem como devem estar inseridos no contrato de prestação de serviços do profissional médico com a empresa titular do sistema utilizado, de modo a indicar a responsabilidade civil e os efeitos decorrentes de cada parte contratante. Em resumo, deve o médico permanecer com o respeito ao sigilo das informações e não deve facilitar o acesso dos dados ali inseridos, além de que deve se atentar à sua responsabilidade quanto usuário de um sistema, o qual deve ser seguro, confiável e com certificação adequada.

Márcia Conceição Pardal Côrtes | Lucas Selingardi Advogados SMCC O Departamento Jurídico e de Defesa Profissional está à disposição do associado para orientações e esclarecimentos. Agende uma consulta! (19) 99230-5539 / juridico@smcc.com.br

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 05


MEMÓRIAS SMCC

Surto de Meningite e um Novo Hospital na Cidade A coluna Memórias desta edição lembra um fato que aconteceu meio século atrás, mas que tem muitas semelhanças com a realidade que estamos vivendo atualmente Museu da Saúde Pública Emílio Ribas

N

o início da década de 1970, teve início um surto de meningite que se alastrou de forma preocupante e impactante no Estado de São Paulo. O governo paulista foi então motivado a deflagrar uma vacinação em massa para a população. Em 1975, solicitada a cooperar, a SMCC, em conjunto com a Sociedade dos Amigos da Cidade de Campinas, requisitou entre os associados colaboração voluntária para enfrentar o mal que se propagava. Houve grande adesão. Um plano logístico foi elaborado e, com a participação do povo, a iniciativa obteve sucesso. Uma importante parcela da população foi vacinada, em Campinas e em todo o Estado. O surto declinou. Apesar de autoridades sanitárias negarem a existência da epidemia na época, em razão do regime militar, os médicos da Secretaria Estadual da Saúde tentavam controlar a doença em duas frentes: aprimorando o conhecimento sobre a quimioprofilaxia e avaliando a eficácia de novas vacinas. Em 1972, a vacina foi testada no Estado de São Paulo em crianças de seis meses a seis anos, mas apenas produziu resposta imunológica para crianças a partir dos dois anos. Nesse período, a distribuição etária da doença, quando comparada ao período endêmico, apresentou alterações. Deslocou-se em direção a grupos etários mais velhos, embora as crianças menores de cinco anos ainda fossem o grupo de maior risco. Em 1974, a distribuição etária se alterava mais uma vez, com aumento de incidência entre as faixas etárias de 15 a 29 anos. Essa tendência acentuou-se ainda mais e as taxas atingiram níveis escandalosamente altos: 563 casos por 100 mil habitantes em menores de um ano e 51 casos em pessoas com 50 anos ou mais. Tal tendência foi resultado da sobreposição das duas

06 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

Acervo/Centro Médico Campinas

ondas epidêmicas. A distribuição etária da letalidade também sofreu modificações. As taxas mais altas continuaram entre os menores de um ano, mas houve elevação no grupo de 10 a 14 anos e redução nos grupos acima de 19 anos. O aumento da incidência nos grupos acima dos 14 anos ocorreu apenas no sexo masculino. Provavelmente, pela maior exposição a situações de risco de transmissão relacionadas ao trabalho. POLO MÉDICO LOCAL

Na mesma época, período do segundo mandato de Costa Lima, um grande passo para o fortalecimento do polo médico local, com a inauguração em março de 1973 do Centro Médico de Campinas (CMC), fruto da iniciativa de um grupo de médicos, liderados pelo Dr. John Lane. Foi fundamental, para a materialização do novo hospital, o apoio do então diretor da unidade da Bosch, Wolfgang Sauer. De fato, a concretização e o funcionamento do CMC representam o maior investimento social já feito pela empresa alemã no Brasil. O hospital é um dos únicos na região de Campinas a ter escola de enfermagem reconhecida pelo MEC, capacitando mais de mil auxiliares e técnicos em 40 anos. Com informações do livro SMCC - 90 anos na história da saúde em Campinas: memórias e legados; do dr José Cássio de Moraes, epidemiologista, e da dra Rita de Cássia Barradas Barata, especialista em Medicina Preventiva. Ambos são autores da obra “O livro da meningite, uma doença sob a luz da cidade”, em conjunto com a jornalista Cristina Fonseca. O texto original está no site www.cremesp.org.br

Acesse o livro digital SMCC 90 anos de história


SMCC ACONTECE

Congresso Permanente de Especialidades da SMCC inicia sua programação em 2021 CONGRESSO PERMANENTE DE

ESPECIALIDADES MÉDICAS DA SMCC Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas

A

SMCC deu início, no dia 23 de março, à programação do seu Congresso Permanente de Especialidades (CPE), um evento novo e virtual, que envolve interação entre todas as especialidades médicas. O congresso acontecerá toda 4ª terça-feira do mês, à noite, com transmissão pelo Zoom e ao vivo pelo canal da SMCC no Youtube. Não há necessidade de inscrição prévia para participar. “A SMCC sempre realizou, periodicamente, o congresso presencial de Medicina e Cirurgia de Campinas, multidisciplinar, envolvendo todas as especialidades médicas e cirúrgicas. Por causa da pandemia, surgiu a ideia de transformá-lo em on-line e fazer de maneira seriada para dar oportunidade de todas as especialidades contribuírem”, explica o Dr. Antônio Condino Neto, diretor científico da SMCC e idealizador do projeto. “Em vez de fazer um evento de três ou quatro dias, em tempo integral, faremos uma terça-feira por mês, no período noturno. Por ser se-

riado, atribuímos o nome ‘permanente’, pois faremos isto ao longo dos próximos três anos da atual gestão. Nós pretendemos fazer atualizações sobre os avanços nos grandes temas da medicina”, completa. O primeiro capítulo do CPE foi organizado pelo Departamento de Alergia e Imunologia, do qual Dr. Condino Neto também é o atual coordenador. Além dele, que abordou o tema “Triagem neonatal ampliada para erros inatos da imunidade”, participou o Dr. Antonio José de Pinho Junior, 1º secretário do Departamento, com uma explanação sobre “Urticária crônica espontânea e o uso de anticorpos monoclonais”. A programação mensal dos Congressos Permanentes pode ser acessada em nosso site (www.smcc.com.br) ou nas redes sociais @smcccampinas e facebook.com/sociedademedicinacirurgiacampinas.

Canal do Youtube da SMCC disponibiliza vídeos com conteúdo científico Desde o início da pandemia, a SMCC intensificou sua programação on-line, com a realização de diversos encontros e discussões, além de vídeos institucionais e de orientação. Todo este material, composto por muito conteúdo científico de qualidade, está disponível no nosso canal do Youtube e pode ser acessado gratuitamente. Os vídeos científicos contam com a participação de profissionais capacitados e reconhecidos, sempre abordando temas de interesse e atuais. Para facilitar o acesso, os vídeos são divididos em 19 playlists, conforme o Departamento Científico (Especialidade) ou o tema, e também disponibilizados pela data de publicação. O canal já teve cerca de 40 mil visualizações e mais de 150 vídeos postados, entre material público e privado.

Para receber as notificações sempre que um vídeo novo for postado, basta se inscrever no canal e clicar no sininho de notificações.

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 07


SMCC ACONTECE

SMCC fortalece parceria com a Prefeitura de Campinas em defesa dos médicos

M

embros da diretora executiva da SMCC estiveram reunidos com o prefeito de Campinas, Dr Dário Saadi, em seu gabinete, no dia 19 de fevereiro, para alinhar as necessidades dos médicos no município. Dr. Walter Maleronka (Diretor Financeiro), Dr. José Roberto Amade (1º Vice-Presidente) e Dra. Fátima Bastos (Presidente) apresentaram e alinharam diversos temas importantes como: possibilidades para adequação do ISSQN para médicos; rumos da pandemia e estrutura de assistência no âmbito municipal e estadual; estratégias de fiscalização para evitar as aglomerações na cidade, além de reafirmarem parceria no Núcleo Médico de Combate à Covid-19, criado na SMCC e que reúne representante das principais instituições da saúde da região. Dr. Dário já esteve reunido com a Diretoria da SMCC em outras oportunidades, incluindo a participação em uma Live da SMCC no dia 26 de janeiro, juntamente com o secretário de Saúde, Dr. Lair Zambon, e o presidente da Rede Mário Gatti, Dr. Sérgio Bisogni, o que mostra uma parceria importante para a defesa da categoria médica nos próximos anos. O vice-presidente da SMCC, Dr. José Roberto F. Amade, foi quem moderou a Live e apresentou os questionamentos aos convidados. Dr. Amade também reforçou o apoio institucional, mas sobretu-

08 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

do científico e educacional que a Sociedade de Medicina pode promover neste momento, a exemplo do que foi realizado em 2020. “A Sociedade (SMCC) está sempre aberta e procura colaborar inclusive nesta pandemia. Historicamente, tivemos uma contribuição (com a pandemia) no final do século passado e estamos tentando contribuir a contento nesta pandemia”, disse.

Acesso para a Live no Youtube


EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 09


ESPECIAL / REDES SOCIAIS

Presença de médicos nas redes s

Apesar de ser muito importante, é preciso ter cuidados com qu

A

presença de médicos nas redes sociais, seja para fortalecimento de sua imagem profissional, para se comunicar melhor com seus pacientes, para gerar autoridade no assunto ou para tudo isso junto, é cada vez maior. A comunicação digital chegou para ficar e, apesar dos profissionais estarem cada vez mais conectados e familiarizados com este tipo de divulgação, é importante planejar sua presença digital com segurança e em atendimento às ordenanças legais. Do ponto de vista de um profissional de marketing, conforme explica Éber Feltrim, especialista em gestão de negócios para a área de saúde, autor do livro Marketing Hospitalar e professor de marketing da FGV, “a maior mudança no marketing médico em 2021 é o branding, principalmente o personal branding, precedendo o marketing, pois a comunicação digital com o paciente agora é centrada em bases emocionais, pontos de conexão e identificação. Nesse cenário, o reforço da marca pessoal do médico, o personal branding, é o caminho indicado para o profissional que deseja atuar onde não há ´guerra de preços´”. Um dos pontos importantes da presença digital é que o profissional pode ser facilmente encontrado, já que, atualmente, a internet é a primeira fonte de busca das pessoas. “O fácil acesso às informações proporcionado pela internet está, literalmente, ao alcance da mão, visto que dispositivos móveis fazem disso uma tarefa simples, prática, acessível, por isso, o primeiro passo é que você seja encontrado. Se as pessoas estão atrás de informações sobre um problema de saúde ou um tratamento que você, como profissional, domina e lida no seu dia a dia, o ideal é aparecer como resultado de busca. Mostre-se para o seu público. Torne-se uma referência”, orienta. Feltrim explica que o momento atual é de fortalecimento de pessoas reais, e isso inclui médicos. Mas ele alerta sobre os cuidados dessa divulgação. “Algumas pessoas se expõem demais nas redes sociais, postando fotos de sua casa, seus pertences, viagens. E pior, muitas até avisam quando estarão viajando dando todas as dicas para que pessoas mal-intencionadas possam agir”, exemplifica. Ele orienta que este tipo de informação seja banido das redes, assim como dados a respeito de família, eventos, etc. Informações financeiras, como compras de um determinado bem, também devem ficar longe das redes sociais. Outro ponto destacado por Feltrim é o comportamento virtual. “Às vezes, dá vontade de falar pra todo mundo o que se pensa de pessoas que fizeram algo que você não aceitou ou se sentiu ofendido, mas este é um grande perigo que se corre, pois a pessoa pode inverter a situação, até mesmo usando a postagem como prova de injúria de difamação”, diz.

10 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

Profissional de marketing digital dá dicas para publicações Para quem vai começar, Stella Wilderom, fundadora e sócia de uma boutique de marketing digital com mais de 11 anos de experiência no mercado, orienta a fazer duas opções: “Inicialmente atualizar seu currículo profissional, foto, informações de onde trabalha no LinkedIn (rede social de negócios). Isso ajuda a conferir autoridade e as pessoas, sim, gostam de ver e procurar isso nas redes antes de ir a uma consulta. E, em segundo, criar conteúdo para o Instagram (rede social de compartilhamento de fotos e vídeos), que é uma das redes favoritas do brasileiro, espelhando esse conteúdo – você pode deixar isso já como uma opção no aplicativo – para, eventualmente, atingir audiência também do Facebook (rede de relacionamento social)”, diz. “Apesar de parecer algo ‘difícil’, é tudo uma questão de disciplina e de ir tornando isso parte do dia a dia”, comenta. O médico também deve produzir um conteúdo que, de fato, seja compatível com o seu dia a dia. “No final das contas, é importante cada profissional desenvolver ‘o seu jeito’ de ser nas redes. Não copie estilos, formatos de outros médicos maiores nas redes em termos de tamanho, porque isso frustra a primeira visita do paciente feita pessoalmente”, comenta Stella. “Encare escrever ou aparecer no vídeo imaginando como você falaria com as pessoas em seu consultório no dia a dia. Hoje a maior riqueza das redes sociais é podermos conviver ‘proximamente’ com profissionais que admiramos virtualmente, então encare dessa maneira sua postura nas redes, como uma extensão do seu dia a dia”, orienta Stella.


ESPECIAL / REDES SOCIAIS

sociais é cada vez maior

uestões éticas e planejar a presença digital

E a questão ética? O uso das suas redes sociais é importante, mas ele jamais deve se sobrepor às disposições legais e vedações éticas, que, no caso de médicos, estão bem estabelecidas na resolução 1.974/11, do Conselho Federal de Medicina (CFM). O descumprimento a qualquer disposição à norma acima comentada, bem como ao Código de Ética Médica, pode desencadear uma sindicância ou até um processo ético-profissional no Conselho Regional de Medicina (CRM) do Estado em que o médico tiver sua inscrição. Há, ainda, a possibilidade de ser realizado, no procedimento do CRM, um TAC (termo de ajustamento de conduta), em que o médico se compromete a fazer as alterações necessárias em sua publicidade, sendo que, caso não o faça, abre-se automaticamente um PEP (Processo Ético-Profissional). Por isso, ao iniciar um trabalho de divulgação em redes sociais, seja feito de maneira pessoal ou com a contratação de um profissional, é importante estar atento ao que prevê o Código de Ética Médica e as regras aplicáveis. De acordo com Edoardo Battimo, conselheiro e coordenador de comunicação do CREMESP (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo), a resolução determina quais práticas são vedadas aos médicos em relação à publicidade, inclusive nas redes sociais. Segundo ele, entre os erros mais comuns, estão divulgação de marcas de aparelho, promoção de especialidade médica sem mencionar RQE (Registro de Qualificação de Especialização), divulgação de imagem de possível paciente com conotação de promessa de resultados e publicação de imagens de “antes e depois”.

COM A PALAVRA, O DEPARTAMENTO JURÍDICO DA SMCC

“Sabemos que há uma necessidade de avanço na legislação para o nosso contexto atual, contudo trata-se de um processo cultural, o qual é regional, moroso e dinâmico. Assim, as vedações existentes e toda a legislação pertinente devem ser rigidamente seguidas, sob pena de o profissional obter questionamentos sobre suas postagens e publicações”, esclarece Dr. Lucas Selingardi, advogado do Departamento Jurídico (DEJUR) da SMCC. “Em palavras sucintas, é necessário elencar que a medicina é uma atividade dotada de seriedade e respeito e, por assim ser, não deve se equivaler a uma atividade puramente mercantil ou com o objetivo comercial. Antes de qualquer conotação, o exercício profissional deve se pautar aos princípios fundamentais, tais como: bom conceito da profissão, seu alvo ser a saúde do ser humano, praticar o bem e com o máximo de sua capacidade técnica, zelar pelo bom desempenho de seu ofício, exercer sua função com respaldo técnico e científico, não contrariar a sua consciência, não exercer sua profissão como comércio e resguardar o sigilo profissional, entre outros”, afirma Dra. Marcia Conceição Pardal Côrtes, também do DEJUR SMCC. E alerta: “Ademais, todo o material de redes sociais e aplicativos de comunicação têm sido meio de provas em processos judiciais ou administrativos, fazendo com que o Julgador aprecie todo o conteúdo lá exposto”. O Departamento Jurídico e de Defesa Profissional da SMCC coloca-se à disposição dos associados para orientação e esclarecimentos necessários.

Mais algumas dicas responsáveis • Não prometer ou insinuar resultados; • Não interagir com indústrias; • Não propor financiamento e/ou parcelamento de procedimento de forma mercantilista; Resolução • Não expor o paciente sob qualquer pretexto; 1.874/11 – CFM • Não fazer propaganda de método ou técnica não aceita pela comunidade cientifica; • Em sua postagem/rede social faça menção ao seu nome, CRM, registro na especialidade, endereço completo. Lembre-se: o paciente é seu maior triunfo e ele deve ser preservado em toda e qualquer situação, não podendo ser exposto em suas redes.

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 11


DESTAQUE SMCC

A

Campanha ‘Seja um Herói Junto com a Gente’ entra na segunda fase

importância dos médicos e dos demais profissionais de saúde nunca esteve tão em evidência. A pandemia trouxe à tona diversos problemas na saúde e mostrou o quanto as equipes que trabalham diariamente nessa área são importantes e precisam de reconhecimento. Atenta a este cenário, a SMCC deu início à segunda fase de sua campanha de valorização do trabalho médico, intitulada “Seja um herói junto com a gente” e veiculada em emissoras de rádio e televisão. A campanha contou com o apoio das emissoras de televisão EPTV e BAND e da Rádio CBN Campinas. Todo o material foi desenvolvido pelo Departamento de Comunicação da SMCC, com assessoria da Fênix Soluções em Comunicação. “Nem sempre os médicos têm o reconhecimento que merecem. Mas, nessa pandemia, em que todos puderam ver o quanto colocam suas vidas em risco diariamente, houve uma mudança. Ficou nítido o quanto se dedicam, o quanto abrem mão de suas vidas pessoais... tudo para salvar vidas. Essa campanha é, ao mesmo tempo, um reconhecimento e uma homenagem a todos, principalmente aos que estão na linha de frente do atendimento à Covid-19”, explica o diretor comercial e de marketing da SMCC, Dr. Marcelo Amade Camargo. Todas as peças da campanha podem ser acessadas no site www.smcc.com.br

12 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

Acesse os vídeos da campanha


DESTAQUE SMCC

SMCC cria cadastro emergencial para profissionais de saúde em apoio aos hospitais

N

o mês de março, a SMCC criou um cadastro emergencial de profissionais de saúde com interesse em trabalhar na linha de frente da Covid-19 em hospitais de Campinas e região. Com o objetivo de se tornar um banco de dados para facilitar a contratação de profissionais em um momento crítico da pandemia, quando este tipo de mão-de-obra se tornou tão escasso, o cadastro foi disponibilizado para os serviços de saúde mediante pedido formal. Inicialmente, o cadastro foi direcionado apenas a médicos, mas com a grande repercussão na imprensa e ampla divulgação pelos canais de comunicação da entidade, a SMCC decidiu ampliar para os demais profissionais de saúde. Em pouco mais de uma semana, o cadastro já tinha mais de 150 profissionais cadastrados, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, psicólogos, terapeutas ocupacionais, biomédicos e auxiliares de enfermagem. Vários hospitais interessados requisitaram o acesso aos dados. “Com o aumento de atendimentos e de leitos, o mercado de trabalho para todos os profissionais de saúde está aquecido e, muitas vezes, os serviços de saúde estão com dificuldade para encontrar esses profissionais para preencher as vagas. Isso, certamente, atrapalha a abertura e a ampliação do atendimento”, explica a Dra. Fátima Bastos, presidente da SMCC. “Nós ficamos muito felizes com os resultados, com o interesse dos profissionais e dos serviços de saúde. Este é um momento em que todos nós precisamos unir forças. E a SMCC, como sociedade, acabou desenvolvendo um papel importante ao servir como elo entre as duas pontas”, comenta. Os dados fornecidos no cadastro são para uso exclusivo desta ação. Após a solicitação formal realizada pelo serviço de saúde, o cadastro é disponibilizado para que a instituição entre em contato diretamente com o candidato e dê continuidade ao processo de contratação, que deve ser acordado entre ambos, sem qualquer interferência da SMCC. Durante toda a divulgação, a SMCC reforçou a importância de os interessados estarem vacinados contra a Covid-19 e de terem disponibilidade para atuar neste cenário. Outro ponto reforçado

SMCC AMPLIA cadastro emergencial para OUTROS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Cadastre-se e participe desta ação! Informações: cadastroemergencial@smcc.com.br

pela SMCC é que os contratados precisaram ter boas condições de trabalho, principalmente no que se refere à sua segurança, como é o caso dos EPI´s (Equipamentos de Proteção Individual). “Trabalhar em um momento como este exige demais dos profissionais, tanto física quando psicologicamente. Portanto, é muito importante que eles recebam o respaldo necessário. Não é exagero dizer que esses profissionais são os heróis da pandemia. Arriscaram a própria vida, muitas vezes precisaram abdicar do convívio com a família e se dedicar, horas e horas, diariamente, a salvar vidas”, destaca. Os candidatos que precisarem de informações podem entrar em contato pelo e-mail da SMCC: cadastroemergencial@smcc.com. br. O cadastro, com informações básicas do candidato, pode ser acessado no site da instituição e preenchido rapidamente.

Contribuição associativa é reajustada bem abaixo do índice oficial Preocupada com as várias dificuldades, inclusive financeiras, impostas pela pandemia, a SMCC optou por fazer o reajuste anual de suas mensalidades com um índice bem abaixo do IGP-M. O índice, aprovado pelo Comitê Deliberativo, será de apenas 5,5%, o mínimo possível para se adequar aos custos fixos da instituição que também se elevaram, apesar de diversas ações de contingenciamento. “Importante destacar que no ano passado (2020), a Diretoria não fez nenhum reajuste na mensalidade. Se dividido entre os 2 anos, trata-se de apenas 2,25% ao ano, muito abaixo até mesmo da inflação do período”, comenta a presidente, Dra. Fátima Bastos.

Os valores vigentes por categoria a partir de 1º de abril são: Associado Efetivo...............................................R$ 88,00 Associado Acadêmico........................................R$ 44,00 Associado Especiais............................................R$ 44,00 Contribuinte Pessoa Física.................................R$ 61,60 Associado Pessoa Jurídica..................................R$ 264,00

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 13


DESTAQUE SMCC

Fórum ‘Situação Atual da Covid-19’ da SMCC chega à 20ª edição, com 50 horas de discussão e mais de 20 mil visualizações

E

m 20 edições (completadas em março deste ano), foram quase 50 horas de discussão sobre diversos temas relacionados à pandemia Covid-19, com a participação de diversos especialistas e gestores convidados para expor suas opiniões e dividir informações atualizadas sobre cada um dos temas. Com um nível tão alto de convidados e temas, os Fóruns da SMCC já tiveram cerca de 20 mil visualizações apenas no canal do Youtube, sem contabilizar os telespectadores que entram ao vivo pela plataforma ZOOM. O recorde de visualizações e de participação foi na 19ª edição, que contou com 20 representantes de várias instituições, além da participação do prefeito de Campinas, Dr Dário Saadi. Ele foi visto por mais de três mil pessoas, que continuaram acessando seu conteúdo dias depois da realização. Outro Fórum que ganhou muito destaque foi o que teve como tema principal “Imunidade e Imunizações”, com dúvidas e orientações sobre as vacinas, seguido pelo que abordou a “Volta às Aulas” e pelo que levantou a discussão sobre as novas variantes do coronavírus. “Nós sempre buscamos temas importantes e pertinentes para o momento. Quando decidimos falar sobre o colapso da saúde, em um momento que estávamos na fase mais crítica da pandemia até então, tivemos uma grande adesão das instituições convidadas que, certamente, viram aquilo como uma oportunidade de revelar o drama que estavam vivenciando e, paralelamente, alertar tanto a população quanto as autoridades que, de fato, estavam no limite”, avalia o Diretor Comercial e Marketing da SMCC e moderador dos Fóruns, Dr. Marcelo Amade Camargo. Pela importância do tema, o Fórum ganhou grande reper-

cussão na imprensa, com matérias nos principais veículos de comunicação da região. “Nós estamos muito satisfeitos por poder, como Sociedade, contribuir em um momento como este. Inicialmente, o Fórum tinha como objetivo promover discussões mais voltadas para a classe médica, mas ele foi crescendo e, hoje, também tem a função de prestar serviço para a população. É um evento sério, sem conotação política, que dá espaço para todos os pontos de vista. Por isso já é tão aguardado”, observa a presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos. “As discussões são muito enriquecedoras. Muitas propostas que surgiram originalmente nos Fóruns da SMCC se tornaram recomendações oficiais mais tarde ou influenciaram decisões importantes na condução da pandemia em nossa região. Todos esses temas foram apresentados em momentos de muitas dúvidas, por isso, não tenho dúvida de que contribuímos muito, tanto com os profissionais de saúde quanto com a população em geral”, ressalta Dr. Marcelo. Os Fóruns são resultado do trabalho contínuo de um Núcleo Médico de enfrentamento à pandemia, criado na SMCC em 17/03/2020 e que reúne representantes de quase todas as instituições ligadas à saúde em nossa região: hospitais, day-hospitals, operadoras de saúde, faculdades de medicina, CRM, governo e vigilância em saúde, além da própria SMCC. Todos os fóruns estão disponíveis no canal do Youtube da SMCC e podem ser acessados em uma playlist específica ou mesmo na lista geral de vídeos. A programação dos fóruns é divulgada com antecedência em nosso site www.smcc.com. br e através das nossas redes sociais (Instagram, Facebook e LinkedIn). O acesso é aberto a profissionais de saúde e à população em geral.

Acesse todos os nossos fóruns

14 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021


DESTAQUE SMCC

SMCC atualiza seus protocolos de prevenção à Covid-19 e intensifica campanha de divulgação

Acesse os arquivos de todos os protocolos

C

om o aumento de casos de Covid-19 e o grande impacto nos serviços de saúde, a SMCC atualizou seus protocolos de prevenção à Covid-19 e intensificou a divulgação em seus canais de comunicação, inclusive com uma nova campanha nas redes sociais. O objetivo é reforçar à população o quanto essas medidas são importantes e fundamentais para combater a disseminação do coronavírus. No total, são cinco protocolos, com orientações simples e efetivas. Neles, é possível encontrar os cuidados que a pessoa deve ter ao: 1) sair de casa, 2) entrar em casa, 3) utilizar o transporte público, 4) na suspeita ou confirmação de Covid-19 e 5) como conviver com uma pessoa contaminada dentro da residência. Os protocolos podem ser baixados gratuitamente para impressão e fixação em elevadores, condomínios e estabelecimentos comerciais. “Desde o início da pandemia, os cuidados vêm sendo divulgados em momentos diferentes, então nós decidimos centralizar todos para que fique mais fácil para a população se informar de maneira segura”, explica a presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos. “Esse material está disponível para todos

e pode ser baixado, impresso e fixado em locais com grande circulação de pessoas”, orienta. De acordo com Fátima, com o passar do tempo, a população acaba ficando mais tranquila e deixando de tomar os cuidados necessários. “Nem sempre a pessoa pode ficar dentro de casa, por isso, é importante que esteja atenta em situações com mais riscos”, comenta. O Diretor Comercial e de Marketing da SMCC, Dr. Marcelo Amade Camargo, explica que os temas foram escolhidos levando em conta situações que atingem a população de uma forma geral e são atualizados de acordo com a evolução das recomendações. “É fundamental que a gente pratique, diariamente, as medidas de prevenção. São cuidados simples que fazem toda a diferença e podem evitar a contaminação”, afirma. “Com o aumento de casos, é muito mais fácil estar em contato com uma pessoa contaminada. E precisamos saber como agir”, comenta. Os protocolos podem ser baixados no site da SMCC, clicando no banner na homepage ou na página de ‘Formulários’. As campanhas nas redes sociais podem ser conferidas no Instagram @smcccampinas e no Facebook /sociedademedicinacirurgiacampinas.

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 15


DESTAQUE SMCC

A

SMCC e mais 18 instituições divulgam Carta Aberta à População

SMCC, em conjunto com 18 serviços de saúde pública e privada e faculdades de medicina, divulgou, em março, uma Carta Aberta à População com um apelo para que os moradores da RMC (Região Metropolitana de Campinas) cumpram as medidas de prevenção à Covid-19, sob o risco de faltarem leitos e atendimento médico para os pacientes contaminados. A carta trazia como destaque que os hospitais de nossa região estavam trabalhando há várias semanas acima de sua capacidade máxima de operação e que mesmo com a abertura de novos leitos, serviços públicos e privados possuíam listas de espera para internação, especialmente em Unidades de Terapia Intensiva (UTI). “Infelizmente, a pandemia foi muito politizada em nosso país, mas esse documento é um apelo de profissionais

de saúde, que estão na linha de frente, numa busca diária para garantir atendimento digno em meio ao caos. Não é a mídia pedindo, não é o poder público pedindo, somos nós, médicos, que estamos pedindo para a população cumprir a prevenção básica contra a Covid-19”, destacou na ocasião a presidente da SMCC, Dra. Fátima Bastos. O documento ressaltava, ainda, que a oferta de leitos estava chegando ao seu limite de ampliação. “As pessoas sempre dizem que os médicos e demais profissionais da saúde são os heróis dessa pandemia, e são mesmo, porque é muito difícil estar ali na linha de frente, mas esta é uma oportunidade para todos serem heróis, cada um fazendo a sua parte para reverter esse quadro tão dramático”, afirma diz o diretor comercial e de marketing da SMCC, Dr. Marcelo Amade Camargo.

Instituições que assinaram a carta: •Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas •Hospital de Clínicas da Unicamp •Hospital e Maternidade Dr. Celso Pierro - Puc Campinas •Faculdade São Leopoldo Mandic •Grupo UniEduk (UNIMAX/UNIFAJ) •Rede Mário Gatti •Vera Cruz Hospital •Vera Cruz Casa de Saúde •Hospital Centro Médico de Campinas •Hospital Maternidade de Campinas

•Hospital e Maternidade Madre Theodora •Hospital Irmãos Penteado/Santa Casa de Campinas •Associação dos Day Hospital de Campinas •Hospital e Maternidade Santa Tereza •Hospital Unimed Campinas •Real Sociedade de Beneficência Portuguesa Campinas •Hospital e Maternidade Galileo – Valinhos •Hospital Municipal Walter Ferrari – Jaguariúna •Hospital Augusto Oliveira Camargo – Indaiatuba

Prêmio Mérito Científico bate recorde de inscritos P R Ê M I O M É R TO

CIENTÍF Co SMCC 2021

O Prêmio Mérito Científico 2021 registrou um recorde de inscritos, com 50 trabalhos. O número é 61% maior que na edição 2020, quando foram feitas 31 inscrições. Já o Prêmio Mérito Acadêmico teve dez trabalhos inscritos, um a mais que no ano passado. As inscrições terminaram no último dia 31. Os vencedores serão conhecidos no dia 15 de junho, em uma cerimônia especial. Todos os trabalhos inscritos foram encaminhados para avaliação de suas respectivas bancas examinadoras. No total, serão premiados três trabalhos de cada uma das categorias. No caso do Prêmio Mérito Científico, o júri vai escolher os três melhores traba-

16 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021

P R Ê M I O M É R TO

AcadÊm co SMCC 2021

lhos, que receberão R$ 2 mil cada. No Prêmio Mérito Acadêmico, o 1º lugar receberá um prêmio de R$ 1 mil. O 2º e o 3º lugares serão homenageados com Honra ao Mérito e receberão, respectivamente, R$ 600 e R$ 400. “Nós ficamos muito satisfeitos com o resultado deste ano. Recebemos trabalhos de excelente qualidade e teremos o desafio de selecionar os melhores. O objetivo desses prêmios é realmente incentivar e reconhecer a produção científica regional, desenvolvida por médicos e acadêmicos de medicina de Campinas e região”, comenta o diretor científico da SMCC, Dr Antonio Condino Neto.


DEPARTAMENTO ACADÊMICO

Dep. Acadêmico cria Superliga de Oftalmologia

O

Departamento Acadêmico da SMCC acaba de criar mais uma Superliga: a de Oftalmologia. Esta é a terceira em atividade, juntamente com Departamento as Superligas de Cirurgia e de Clínica ACADÊMICO Médica. A nova Superliga é formada pelas ligas acadêmicas de oftalmologia das Faculdades de Medicina da Puc-Campinas, Unicamp e São Leopoldo Mandic. A novidade faz parte de um esforço para aumentar o número de Superligas dentro da Sociedade e, assim, ampliar ainda mais a participação acadêmica. O projeto “Superligas” foi concebido em 2016, pelo Dr. Marcelo Amade Camargo, na época exercendo o cargo de Diretor Científico da SMCC, com o objetivo de oferecer conteúdo mais amplo e diferenciado para os alunos da graduação que participam de ligas acadêmicas e têm interesse em conhecer ainda mais sobre a especialidade pretendida, além de promover a integração entre os estudantes. “Imagine uma grande liga acadêmica, com a diferença que os ‘ligantes’ dela são as próprias Ligas de várias faculdades e seus docentes responsáveis, todas juntas, sob o teto da SMCC. Esse é o espírito! Na Superliga de Cirurgia da SMCC, por exemplo, já temos 14 ligas de seis faculdades do interior e contamos com o apoio do CBC-SP”, explica Dr. Marcelo Amade. “Estamos felizes que este projeto esteja crescendo. A SMCC é uma entidade médica neutra, que congrega todas as faculdades de medicina e hospitais, entre outras instituições de saúde. Trazemos, no nosso DNA, a divulgação de conhecimento científico”, destaca. De acordo com o coordenador do Departamento Acadêmico (D.A.) da SMCC, o acadêmico Giuseppe Zangrandi Coppola, em breve, outras Superligas devem ser criadas. “Nós já temos outras Superligas em negociação e outras já devem entrar em atividade, como a Superliga de Medicina de Família e Comunidade e a Superliga de Oncologia. Também temos a Superliga de Neurologia e Neurocirurgia, que está um pouco mais atrasada em relação às outras, mas fazendo progresso”, antecipa. Segundo ele, o Projeto Superligas pertence tanto à SMCC quanto aos próprios alunos. “O D.A. sempre vai apoiar e ajudar na criação de novas Superligas”, diz. A adesão a uma Superliga é voluntária e deve contar com o apoio do docente responsável pela liga dentro da faculdade. As Superligas são coadministradas pelos presidentes das ligas acadêmicas participantes, sob a gestão do Departamento Acadêmico da SMCC. Quem tiver interesse em participar das superligas atuais ou de sugerir novas pode entrar em contato com a Secretaria Científica da SMCC ou diretamente com Coppola, pelo e-mail gzancop@gmail.com. Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas

Coppola explica que a ideia é transformar esse projeto em um hub, onde os alunos possam se reunir e discutir sobre tópicos e assuntos de caráter médicos que forem do seu interesse. Ele conta que as primeiras Superligas criadas, de Cirurgia e Clínica Médica, já estão bem estabelecidas, com a participação de muitas ligas acadêmicas. “São um exemplo de sucesso. A ideia da Superliga na Sociedade, como foi originalmente pensada, era uma forma de trazer os acadêmicos para a SMCC e conectar algo que é muito separado: as faculdades de medicina de Campinas e região”, comenta. “E nós estamos conseguindo fazer isso”, completa. O PROJETO SUPERLIGAS DA SMCC

O projeto Superligas da SMCC consiste na reunião de várias ligas acadêmicas de diferentes faculdades dentro da Sociedade, que têm em comum uma área de atuação ou especialidade. Cada Superliga possui um coordenador médico que é associado da SMCC e administra as atividades propostas por ligantes e docentes. Os alunos, após se desligarem da liga acadêmica da sua respectiva faculdade, se quiserem continuar aprendendo sobre sua especialidade preferida, podem acompanhar as atividades da Superliga se tornando um associado acadêmico da SMCC. Segundo Dr. Marcelo Amade, o projeto original da SMCC vem despertando interesse em várias entidades e até mesmo sociedades de especialidade em todo o Estado de São Paulo.

EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 17


ENOTURISMO

Amarone, Ripasso e Valpolicella - Tendências Evento inédito on-line enviou amostras para 25 países, onde 100 profissionais provaram simultaneamente diferentes estilos de vinhos, ilustrativos das novas tendências! A Conferência Anual da Valpolicella, que ocorre na época da Anteprima Amarone, quando é apresentada a nova safra deste vinho ícone italiano, paixão de muitos enófilos, Bruno Vianna, DipWSET este ano foi bem diferente. Ao Presidente da SBSomm, Professor, invés do convite para ir a Ve- Jornalista de Vinhos, Jurado, rona e apreciar os lançamen- Consultor e Palestrante em Vinhos tos na presença dos produtores, fui surpreendido com um aviso do Consorzio di Tutela Vini Valpolicella de que seriam entregues em minha casa 12 amostras de vinho, para serem degustadas simultaneamente por profissionais de inúmeros países, em fusos horários totalmente diferentes, com apresentações e comentários feitos por Masters of Wine (MW), enólogos, professores de enologia e outros especialistas. Quando chegou a primeira entrega, tive que pagar um imposto de 10 vezes seu valor estimado antes de ver o conteúdo, que era apenas o material impresso e quatro taças... ossos do ofício. Fiquei imaginando o que iria ocorrer quando recebesse os vinhos, mas felizmente as amostras de 20 ml, envasadas na França, chegaram precisamente na véspera do evento, em perfeito estado – e sem mais impostos, ufa!!! Nos dias 26 e 27/02/21, além das três degustações técnicas de altíssimo nível, diversas palestras trouxeram temas como distribuição, e-commerce, políticas de suporte a mercado, posicionamento dos vinhos e influências do aquecimento global. Os vinhos da região de Valpolicella são divididos em 3 grandes tipo-

logias: Amarone, Ripasso e Valpolicella. Os dois primeiros são definidos como “vinhos de método” e o Valpolicella, como “vinho de território”. O Amarone é altamente centrado nos processos de appassimento e envelhecimento, enquanto o Ripasso, ao refermentar um Valpolicella nas borras do Amarone, beneficia-se dos dois estilos extremos, tornando-se o best-buy da família. De fato, alcançou um enorme sucesso e explosão de demanda, a ponto de exigir uma legislação mais rigorosa para evitar seu crescimento desordenado e queda de qualidade. O Amarone é sempre a estrela mais esperada do show e estava presente já nas quatro primeiras amostras a serem degustadas, cuidadosamente selecionadas para exemplificar quatro estilos diversos, com diferentes usos de madeira, tempos de appassimento, safras, teor alcoólico, açúcar residual, proporção de Corvina/ Corvinone/Rondinella e outras, exibindo interessantes variações no perfil aromático. Durante o tempo de secagem das uvas nos fruttai, o Amarone lentamente desenvolve aromas cada vez mais intensos de tabaco, balsâmico e pimenta negra, enquanto diminuem os componentes florais. Com as mudanças climáticas, as uvas desidratam mais rápido e o vinho perde complexidade. Por isso, vêm sendo utilizados ambientes com controle climático. O mercado da China desperta o interesse de todos, mas é cheio de desafios. Segundo Lin Liu MW, na culinária chinesa, “há vários ingredientes de difícil harmonização, como açúcar, shoyu e especiarias”. Além disso, os chefs não têm a cultura do vinho e os pratos costumam ser servidos ao mesmo tempo, fato que complica a montagem de sequências de harmonização. As preferências vão para “vinhos leves e frutados, com menos taninos e madeira. A presença de açúcar residual é bem-vinda para harmonizar com a doçura frequentemente presente”. Entretanto, “concentrar muitos esforços nos detalhes da harmonização pode ser inútil, pois a cultura chinesa na verdade não tem a preocupação de harmonizar”, conclui. Se gostou do tema, veja matéria completa em www.sbsomm. com.br/novidades.

DESCONTO ESPECIAL DE 15% para a SMCC no Curso Básico online: A porta de entrada para o mundo do vinho. 5 aulas, às quartas-feiras, 15 vinhos comentados passo a passo pelos professores. Em videoconferência ao vivo! Entrega gratuita dos vinhos. Utilizar o cupom SMCC15 na compra pelo site. TECNOLOGIA DE GÁS INERTE: A SBSomm desenvolveu um processo utilizado em vinícolas, com tecnologia de gás inerte no envase das doses em garrafinhas de vidro, de modo que os vinhos do curso não entram em contato com o ar e se mantém protegidos da oxidação por um longo período, permitindo assim o envio para as casas em uma única remessa, para todo o território nacional. Participe também das degustações virtuais da SBSomm e receba os vinhos antes em casa. Acompanhe a programação de eventos: www.sbsomm.com.br, F. 3233-8611,@SBSommeliers

18 | REVISTA MEDICAÇÃO | EDIÇÃO JAN-ABR/2021


CLASSIMED ALUGUEL DE SALA PARA ÁREA DA SAÚDE Aluga-se sala para área da saúde, no bairro Botafogo, mobiliada e com toda estrutura para iniciar o trabalho imediato. Temos 2 salas de tamanhos diferentes e valores também. 19 98186-7599 LOCAÇÃO - 250 M2 P/ CLÍNICA EM HORTOLÂNDIA Aluga-se andar exclusivo de 250 m2, no Edifício Lótus na Avenida Santana, 2260. Localização estratégica, próximo ao IATec e UNASP. Possui 10 consultórios (9-19 m2) com ar-condicionado, salas de espera, reunião, recepção, copa e WC’s. Edifício recém-construído, com elevador Atlas Schindler, piso granito e acessibilidade total. Garagem coberta e estacionamento anexo para clientes. Isenção de taxa de condomínio e IPTU. Negociação direta com o proprietário Sr. Paulo. 19 98818-1555 LOCAÇÃO DE SALA PARA ÁREA DA SAÚDE Alugo sala por período, com toda infraestrutura, wi-fi; secretária; cozinha para refeições rápidas, ambientes harmoniosos, estacionamento e ótima localização na Rua dos Bandeirantes. Cambuí 19 991261630 PERÍODOS DISPONÍVEIS PARA MÉDICOS NO CAMBUÍ Dispomos de períodos no consultório, buscando principalmente colegas dermatologistas, endocrinologistas, neurologista, reumatologistas, psiquiatras, vasculares, otorrinos e cirurgião plástico. Interessados favor contatar Sr. José Antônio 19 997227303

Agenda 15/06/2021 CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO - PMC - PMA 2021 25/05/2021 Congresso Permanente da SMCC: Maio Amarelo 22/06/2021 Congresso Permanente da SMCC: Estamos preparados para cuidar dos novos idosos 27/07/2021 Congresso Permanente da SMCC: conhecendo as principais causas de deficiência visual em países emergentes 24/08/2021 Congresso Permanente da SMCC: Câncer Colorretal

Clube de Benefícios da SMCC Você, associado, tem uma série de benefícios e descontos em vários parceiros nossos. Confira as empresas participantes no nosso site www.smcc.com.br EDIÇÃO JAN-ABR/2021 | REVISTA MEDICAÇÃO | 19


Faça seu evento virtual ou presencial* com a SMCC Oferecemos estrutura completa Zoom com Webinar e salas de reuniões para 500 pessoas, com capacidade para até três eventos ao mesmo tempo, além de suporte técnico durante as aulas Internet de fibra ótica de 100Mbps Cabeamento rede Cat6e em todas as salas da Sede Social e Sede do Clube de Campo Auditório da Sede Social reformado, com capacidade para mais de 100 pessoas, com sala de controle, modernos equipamentos audiovisuais e acessibilidade, além de espaço para recepção e café

Em breve Estúdio de Gravação com chroma-key, ilha de edição e tecnologia 4K para produção de conteúdo digital * Eventos presenciais com público apenas após liberação dos órgãos competentes e com todos os protocolos de prevenção à Covid-19

Mais informações: comercial@smcc.com.br ou (19) 99530.2429

Revista MedicAção Ed. Abril 2021  

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded