{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade.

Page 1

No final dos anos 50, as ondas estavam escassas no litoral da Califórnia. Então alguns surfistas pegaram patins, tiraram suas rodas e eixos e montaram em pedaços de madeira que tinham formato de pranchas de surf. Assim nasceram os primeiros skates. O Skate na década de 60 era ligado ao surf e influenciado por ele. Uma extensão da praia no asfalto. Durante a grande seca na Califórnia, entre os anos 60 e 70, as piscinas foram esvaziadas e os surfistas/skatistas descobriram que dava para se divertir nelas. Foi andando de skate nas paredes, que lembravam as transições das ondas, que eles criaram o skate vertical.


O Skate na década de 80 foi caracterizado por uma explosão de rampas de madeira feitas pelos próprios skatistas, em ruas, praças e quintais das casas. Com isso surgiu a modalidade Street, praticada em terrenos até então virgens para o Skate, com manobras em corrimões, paredes e escadas. A partir daí o Skate seguiu na direção do profissionalismo. Os equipamentos melhoraram, ficaram mais leves e deram suporte a um Skate mais técnico, gerando manobras maiores e mais poderosas. E passou a existir uma fome de reconhecimento nos skatistas. O Skate é um dos esportes mais praticados no mundo. No Brasil, só perde para o futebol. Andar de skate se tornou, ao longo dos anos, uma prática que vai além de fazer manobras sobre uma prancha com rodinhas. É uma forma de mobilização dentro das cidades. É uma maneira das pessoas, de diversas idades, se expressarem perante a sociedade. Retrata um cotidiano urbano de ir e vir com liberdade. Mas nem sempre foi assim. Os praticantes de skate já sofreram muito preconceito ao longo dos anos. Andar sobre a prancha de madeira já foi sinônimo de marginalidade e violência. Hoje em dia, pessoas de todas as idades e faixas sociais têm a chance de praticar o skate em suas várias vertentes. É possível dizer que o skate é mais que um esporte, é um estilo de vida!


Foto: Allison de Carvalho.

a i r Ăł t s i h Esta cabou! nĂŁo a Vamos andar de skate.


Costumo dizer que o Skate é uma leitura da vida. Pois quando caímos do skate, nós prontamente levantamos para continuar aquilo que estávamos fazendo. Se erramos uma manobra, desistimos? Não! Tentamos até acertar. E os obstáculos servem para nos parar? Não! Eles servem para irmos mais alto, mais rápido ou mais longe. O principal obstáculo não está à nossa frente, mas sim dentro de nós em nossas mentes. Geralmente aprendemos novas manobras observando os acertos e os erros dos outros. No skate o único adversário, mesmo em um campeonato, somos nós, as outras pessoas são amigos, irmãos e parceiros de rolê, ou seja, não torcemos pelos erros dos outros, mas sim para que nós não erremos. Muitas vezes comemoramos mais a manobra ou a linha do próximo do que a nossa. É um esporte individual, mas que tem seu verdadeiro sentido quando praticado no coletivo. O skate é um agente catalisador, ele une as diferenças, ele proporciona união, companheirismo e amizades, que sem ele seriam quase impossíveis de acontecer. Fazemos bons relacionamentos. Surgem amizades, namoros e até casamentos. A verdadeira vitória não é ganhar um campeonato ou realizar uma nova manobra, mas andar de skate por mais um dia, o que exige perseverança e amor.


Essa atitude de doar, de compartilhar, de servir, deveria ser em todas as áreas de nossas vidas: na família, no trabalho, na igreja, na comunidade e no nosso relacionamento com Deus. Leve essas coisas boas que você faz no skate para todos os aspectos de sua vida e viva o melhor para você e para as pessoas que te cercam. Deus te abençoe, Pr. Bruno Taioli Jr e Pra. Patrícia Taioli.

Foto: João P. Ferreira.

Deixamos marcas tanto nas pistas como nas pessoas que andam conosco. Fazemos barulho tanto nas linhas quanto na vida. Barulhos que se transformam em música aos nossos ouvidos. Dificilmente vendemos peças de skate usadas, pois quando trocamos por peças novas preferimos doar as velhas para quem precisa.


” o t a e g i l e d “ d Eddie “El Gato” E Elguera

a r e lgu

E

Foto: James Cassimus.

pastor e skatista profissional

Em 1979, Eddie recebeu o título de campeão da Associação de Skate Amador dos EUA. Em seguida chegou ao circuito profissional, tornando-se o skatista do ano, e no mesmo ano recebeu o prêmio de “Nova Manobra Espetacular”. Foi premiado por ter inventado a manobra Elguerial. No ano seguinte, em 1980, Eddie ganhou a série 1980 Gold Cup Series of Skateboarding e se tornou o Campeão do Mundo pelo segundo ano consecutivo. Juntamente com dois títulos mundiais, ele introduziu algumas das manobras de skate mais incríveis concebidas naquela época.


Em um período curto de tempo, Eddie tornou-se uma lenda no esporte. Respeitado e admirado pelos skatistas, ele foi inspiração para grandes nomes do esporte, como Tony Hawk, Steve Caballero, Christian Hosoi, Eric Koston entre outros. Algumas das manobras que Eddie inventou e o colocaram na história do skate são: Elguerial, o Rock-n-roll Frontside, o Fakie Ollie e o Frontside Invert.

Foto Arquivo Pessoal.

Em apenas dois anos, Eddie ganhou um título nacional, dois títulos mundiais e chegou a participar de um clip da maior banda de New Wave dos anos 80, o DEVO. Mesmo com todo esse sucesso ele sentia que alguma coisa estava perdida em sua vida e resolveu parar de andar de skate e começou a buscar realização em outras coisas. As más influências com relação ao sexo, drogas e álcool entraram em sua vida e o levaram para o fundo do poço. Depois de perder tudo e ficar em completa miséria, percebeu que precisava de Deus em sua vida. Em 1983, Eddie se tornou um cristão, nasceu de novo, começou a frequentar igreja sob o ensino e o discipulado de seu pastor. A partir desse ponto, o Senhor Jesus colocou a vida de Eddie de volta nos trilhos.


Depois de três anos, casou-se com Dawna, uma moça de sua igreja, e juntos formaram uma família com três filhos. Deus falou ao coração de Eddie para voltar a andar de skate, mas desta vez para honra e glória de Seu nome. Em 1988, criou o ministério Lost and Found Skateboard Ministry, uma nova maneira de chegar aos skatistas e falar sobre Jesus Cristo. “Através do dom que Deus me deu, tenho a honra de ver milhares de pessoas aceitando a Cristo”.

Foto: Allison de Carvalho.

Siga oisnhos cam Deus de

O skate abriu a porta para que Eddie ministrasse a milhares de pessoas em todo o mundo. Ele viajou por muitos países, pregando em igrejas, congressos, acampamentos e escolas. Viu muitas pessoas sendo salvas. Em 2010, começou a viajar pelo circuito de lendas do skateboard e lançou seu próprio evento, o El Gato Classic Legends Weekend na Califórnia. “O Senhor me abençoou abundantemente com um retorno, depois de muitos anos de ter deixado o skate. Do sucesso ao nada, e de volta ao sucesso com Jesus. Só Deus pode fazer tal coisa “. Eddie.


Ame as pessoas

Eddie e sua esposa Dawna, casados a mais de 30 anos, têm 3 filhos, 3 noras e 2 netos. A missão deles como família é “amar as pessoas para a vida”(loving people to life.) eddieelgatoelguera @eddieelguera

@eddieelguera www

elgatoclassic.com

Foto: Arquivo Pessoal.

Depois de servir como pastor dos adolescentes de 1992 a 2006 na The Rock Church e World Outreach Center em San Bernardino, Califórnia, é agora o Pastor líder na The Rock Church of Coachella Valley desde que ele e Dawna a criaram em 2006.


n a i t s i Christian r h C hosoi i o s Ho Foto: J. Grant Brittain.

pastor e skatista profissional

Nós éramos desprezados e rebeldes, aqueles que as pessoas pensavam que provocavam encrencas. Tínhamos paixão pelo que gostávamos de fazer, que era andar de skate. Nós criávamos novas manobras todos os dias, sempre havia algo novo sendo inventado. A atitude era “skate and destroy”. Eu comecei a andar de skate quando tinha cerca de sete anos e, a partir daí, o skate se tornou minha vida. Naquela idade, quando você ouve que é bom em alguma coisa, começa a aceitar e acaba se tornando o que ouviu o tempo todo.


Eu me tornei exatamente como meus ídolos Shogo Kubo, Tony Alva, Stacy Peralta e Jay Adams. Eu tinha 10 anos e já fumava maconha, aos 12 anos já usava LSD e aos 13 anos, comecei a usar cocaína. Eu vivia em Hollywood, era VIP em todos os lugares, era a pessoa mais jovem nas baladas, e tinha todas as mulheres que queria. Poderíamos dizer que eu tinha tudo, mas na verdade, por dentro estava morrendo.Estava procurando ser amado, buscava amor em dinheiro, fama e skate, mas na realidade, eu era como um balde cheio de buracos.

Foto: Lauren Muller.

Eu estava procurando por amor em mulheres e em tudo o que o mundo tinha para me oferecer. Toda vez que eu parecia estar bem, era como se tudo estivesse desmoronando. Nenhuma dessas coisas me satisfazia, era como um círculo vicioso. Eu estava vazio, e naquele momento vulnerável da minha vida comecei a usar metanfetamina. A partir desse momento, minha vida realmente começou a mudar. De 1995 a janeiro de 2000, usei metanfetamina todos os dias, o dia todo. Eu fumava, cheirava, injetava. Experimentei tudo que possa imaginar.


Basicamente, você poderia dizer que eu estava tentando destruir minha vida, mas eu costumava dizer que estava apenas me divertindo. Pensava: “Tenho que parar com tudo isso, tenho que me colocar nos trilhos novamente, surpreender a todos, eu vou ficar sóbrio e retomar minha caminhada!” Imaginava essa situação na minha cabeça, era uma sensação boa. Estava constantemente fazendo as mesmas coisas, mas na verdade eu estava sendo cada vez mais sugado para dentro desse buraco negro. Tentava esconder minha dor, minha vergonha e meu orgulho que estava queimando dentro de mim, dizendo que eu não era mais “o cara”. Finalmente, em 1999 eu disse a mim mesmo: “ Quer saber? Eu realmente não consigo!”

Foto: J. Grant Brittain.

Então fui preso saindo de um avião no aeroporto de Honolulu, no Havaí. No final da fila havia pessoas esperando por mim. Eu olhei para os lados e pensei: “Pra onde posso fugir?” – “Eles estavam por toda parte, foi então que uma pessoa veio até mim e disse: “Nós suspeitamos que você está transportando drogas”. Eu pensei: “Agora sim eu estou encrencado!”


Na cadeia as pessoas diziam: “Christian Hosoi, não podemos acreditar nisso! Como você veio parar aqui? Eu vi você no noticiário”. - “Cara, eu tinha você como exemplo quando era criança, eu tinha um poster seu!”. Aí eu perguntei a um deles: “Por que você está preso?” Ele respondeu: “Assassinato!” Eu pensei: “Cara, o que estou fazendo aqui?’’ A minha primeira ligação foi para minha namorada Jeniffer. “Querida, fui condenado a 10 anos!” Eu chorei, ela chorou! Então ela me disse: “Eu amo você e a única coisa que você tem que fazer agora é confiar em Deus.” Eu respondi: “Deus? Querida, eu preciso de um advogado! Alguém para me tirar daqui. Não estou morrendo. O que Deus fará por mim?”. Eu acreditava em carma, acreditava que Deus estava em todos os lugares e que meu bom comportamento seria uma garantia para este lugar chamado céu, se é que realmente existia um. Eu questionei minha existência e me perguntei: “Por que estou aqui?” Eu precisava de uma resposta, então minha namorada disse: Leia a Bíblia! Pensei comigo mesmo: “Leia a Bíblia?! Lembro de segurar uma Bíblia e orar: “Deus, se você é real, preciso da sua ajuda.” Abri a Bíblia e comecei a ler Gênesis e parecia o filme Star Trek, então pensei: “Não vou começar aqui!” Apocalipse, pensei: “Nunca tive uma revelação na minha vida!” Abri em João: “Quem é João?” Pulei para Salmos: “O que são Salmos e o que são Provérbios?” Então fui parar no livro de Reis e pensei: “Isso vai ser interessante, vou começar por aqui!” Eu acho que foi no segundo capítulo quando o Rei Davi disse a seu filho Salomão que se ele seguisse o Senhor todos os dias de sua vida, seus dias seriam abençoados.


Foto: J. Grant Brittain.

Para mim foi como se o mundo todo tivesse parado naquele momento, então compreendi porque minha vida estava daquele jeito. Entendi o motivo de Deus ter me criado, a razão de conhecêlo, de segui-lo, amá-lo e viver para Ele. Tudo fez sentido quando eu comecei ler a Bíblia. A partir desse momento, tudo o que fiz foi ler a Bíblia sem parar. Ainda na prisão de San Bernardino, enquanto falava ao telefone com meu tio, ele me perguntou: “Você quer entregar sua vida a Jesus?” Eu respondi: “Sim eu quero!”


Eu não entendi muito bem o significado daquilo, só sabia que queria tomar essa decisão. De repente eu chorei muito e foi como se toda a culpa, todo o sofrimento, toda a dor e toda a vergonha estivessem saindo dos meus ombros. E soube que estava entrando em um novo reino que era viver para Jesus. Eu estava renascendo! Eu me tornei uma pessoa muito feliz.

Foto: Allison de Carvalho.

As pessoas me perguntavam: “O que há de errado com você?” Eu respondia: “Eu estou livre!” Eles riam: “Você deve ter batido sua cabeça Christian. Você está em uma prisão!” Eu respondia: “Não! Eu estive em uma prisão por toda a minha vida, vivendo em pecado e morte.”

Seja

Livre


Foi dentro de uma cela na prisão, que aceitei Jesus como meu Salvador. Naquele lugar me tornei um homem livre. Meu objetivo passou a ser amar as pessoas e orar por elas e enquanto encarcerado, mudar a mim mesmo!

Foto: Christ’s Commission Fellowship.

Experimentei todos os níveis de amor que o mundo tem para oferecer, e não há amor maior que o Amor de Deus!

Leia a Bíblia Christian Hosoi foi libertado da prisão em 2004. Hoje ele viaja o mundo como skatista profissional e também como pastor na The Sanctuary Church em Costa Mesa, Califórnia. É casado com Jennifer e tem 4 filhos: James Hosoi, Endless Kealoha Hosoi, Rhythm Hosoi, Classic Hosoi. /christianhosoi www

@christianhosoi

http://mysanctuarychurch.com


s i n Dennis n e z e D n i Martinez t r a M Foto: Jim Goodrich

pastor e skatista lenda old school

Comecei a andar de skate no início dos anos 70 e me apaixonei pelo esporte. Com 12 anos de idade, quando ainda era bem jovem, coloquei na cabeça que me tornaria o melhor skatista do mundo. Eu alcancei meu objetivo em cinco anos. Eu vivi e cresci em um dos momentos mais memoráveis na história do skate, com a era do lendário Dog Town Z-Boys.


Em 1977, aos 17 anos, consegui meu sonho de ganhar o Campeonato Mundial de Skate e, em 1978, tornei-me campeão nacional (EUA). Na época, eu tinha muitos patrocinadores: G & S Skateboards, Gullwing Trucks, Kryptonics Wheels, Alva Skates, Town & Country Hawaii e Pepsi. Eu estava no topo do mundo. Minha popularidade estava crescendo rapidamente. Eu estava em capas de revistas de skate, cartazes, anúncios e comerciais de TV. Mas todos os meus sonhos estavam se transformando em um grande pesadelo, por causa de uma escolha errada. Comecei a me envolver com drogas. Tudo começou muito simples, em festas com amigos, vendo os skatistas profissionais usando, foi ai que decidi que eu queria ser como eles. Aos 18 anos de idade, as drogas tomaram conta da minha vida e, em apenas um ano, o melhor esporte que existe, o skate estava saindo de minha vida quando comecei a me envolver com metanfetamina. A metanfetamina é uma droga muito potente e altamente viciante, cujos efeitos se manifestam no sistema nervoso central, além de ser uma droga altamente destrutiva capaz de causar parada cardíaca em segundos, e isso não levou muito para me derrubar.

Foto: Jim Goodrich.

m o c e d n s o A g i m bons a


Foto: Allison de Carvalho.

Eu passei de uma vida de fama, dinheiro e aparições em filmes para um viciado notório em drogas na agulha. O vício em drogas me fez uma pessoa muito temida. O clímax foi quando cheguei a vender tudo em minha casa para manter meu vício. Meu sonho, meu troféu de campeão mundial, vendi por US $ 500. Neste momento crítico da minha vida, a agulha tornouse meu troféu e junto com ela veio a vida de miséria e crime que me levou a viver sem abrigo, sob uma ponte perdendo tudo o que eu tinha. O vínculo que existia entre mim e o skate foi quebrado. Nada fez mais sentido entre nós, mas naquele momento eu tomei uma decisão correta: Entreguei minha vida a Jesus! Hoje tenho propósito. Estou livre e limpo das drogas há mais de 21 anos. Deus não só me libertou, mas também me guiou ao ministério no qual trabalho hoje. Ajudo as pessoas a superarem o vício e a vida na prisão. Meu trabalho está dentro das prisões estaduais da Califórnia.


Foto: Allison de Carvalho.

Ajudo os detentos e os toxicodependentes a se recuperarem das mesmas drogas que eu usava. Meu trabalho é focado em detentos e membros de gangues. O amor de Deus é meu combustível, e nosso lema com eles é: “Deus o ama, sempre o amou, e sempre o amará”.


Foto: Jodie Royak.

Deus te ama

Dennis Martinez trabalha em conjunto com o governo do estado da Califórnia, em um centro de tratamento de reabilitação chamado Centro de Treinamento. Em 2016, Dennis realizou outro sonho em sua vida e criou sua própria marca de skate, Flying Aces Skateboard Company junto com seus parceiros Jodie Royak, sua filha Cristiana Martinez e seu filho Vincent. Eles procuram ser luz na vida de outros skatistas através do amor de Cristo. Dennis K Martinez @flyingacessd @dmartinez1904

www

www

prisionlife@gmail.com sdtrainingcenter.com flyingacesboards.com


e v e Steve St o r e Caballeroball Ca Foto: Allison de Carvalho

skatista profissional, músico e artista

Durante muito tempo, desde a minha juventude, eu tinha ouvido falar de Deus e de Jesus. Eu podia ouvir as diferentes opiniões das pessoas sobre o que era e não era verdade. Cheguei a um ponto na minha vida onde eu realmente não sabia por onde começar, no que realmente acreditar. Eu basicamente vivi uma vida sem Deus.


Foto: Steve Potwin

Quando eu tinha 15 anos, o gerente e treinador da minha equipe, quem me descobriu e me apoiou, era Stacy Peralta. Um dia ele veio até mim e disse: “Ei Cab, por que você não procura um “estado de espírito zen” para enfrentar a vida? Então comecei a ler sobre o que era o “estado de espírito zen” e eu acho que entendi um pouco o que ele estava tentando me dizer. Eu comecei a seguir o fluxo de coisas e de repente aceitei a vida. Comecei a viver e a mergulhar nesta filosofia de si mesmo. Auto realização, autoestima, automotivação e autoajuda. Tudo isso começou a me atrair, porque sempre procurei algo para melhorar minha vida.

a e u q Bus verdade Eu acreditei em coisas como “Não há nenhum tipo de criador como Deus”, ou, “Tudo gira em torno do agora.” “Não se preocupe com o passado, não se preocupe com o futuro, é tudo sobre o que está acontecendo agora.” Esta maneira de pensar me tornou ateu. Lembro de ter discussões e discussões com o skatista Lance Mountain porque ele sempre foi um homem de Deus.


Foto: Grant Brittain.

o a r b A eu coração s

Eu costumava dizer a ele: “Eu não acredito em Deus! Você sabe, Deus é para pessoas fracas ou é apenas porque elas precisam de algo para acreditar”. E esse orgulho me manteve incapaz de entender o quanto eu precisava de Jesus na minha vida. Quando as coisas estão indo bem, dizemos: “Deus, saia daqui!”, “Eu não preciso de Deus, estou fazendo isso sozinho e sem ele”, “Eu sou uma máquina que anda sozinha.” Uma coisa que eu não concordava no “estado de espirito zen” era: “Alguém viu a luz e algum dia você verá a luz também.” Depois de 7 anos lendo livros sobre o assunto, ainda não havia visto essa “luz”! Então comecei a questionar essa “visão da luz”. Precisei quebrar a dureza de meu coração para que Deus o suavizasse e me fizesse entender que eu precisava dEle. Foi quando Jesus entrou em minha vida e ai eu realmente pude ver a “luz”. A luz da verdade! Que só é possível através de Cristo.


Foto: Allison de Carvalho

Eu acredito que a rebeldia do skate e do punk rock andam de mãos dadas com o cristianismo, porque ser cristão no mundo moderno é uma das coisas mais punk rock que você pode ser. Não é popular e não é o que todo mundo quer. Hoje, para mim, o maior rebelde que andou na terra foi Jesus! Pois ele falou como se estivesse contra todos.

Steve Caballero vive com sua esposa Rachael em Carlsbad, Califórnia. Tem 3 filhos: Caleb Bela, Clover Lavie e Kayla Caballero e o neto Cairo. stevecaballero @stevecaballero

www

@stevecaballero stevecaballero.com


n a i Brian Br r e n Sumner um S Foto: Nick Wisda.

pastor e skatista profissional

‘’É isso!’’ Foi o que pensei quando me apresentaram um skate pela primeira vez. Vendo o primeiro ollie, eu sabia que aquilo era para mim. Três anos pelas ruas de Liverpool, e logo já era patrocinado, representando algumas das maiores marcas do mundo. Logo fui convidado para morar na Califórnia, andando de skate naquelas calçadas lisas e dando grind nas guias vermelhas, e naquela época a polícia não se importava. Representava a Birdhouse de Tony Hawk, com caras que eu sempre admirei. Literalmente o meu “sonho americano” estava se tornando realidade.


A vida de um skatista profissional era simples: andar de skate todos os dias, ir a festas, estreias de filmes, viajar pelo mundo conectando-se a todos. Eu tinha me apaixonado pelo skate aos 13 anos, mas aos 19 anos eu me apaixonei novamente. Desta vez foi por uma garota, que conheci através de Geoff Rowley, também de Liverpool. Nós nos apaixonamos imediatamente e, embora estivéssemos juntos por apenas quatro meses, decidimos ir para Las Vegas para nos casar e foi o que fizemos na primeira capela que encontramos na rua.

Foto: Nick Wisda.

Quando o pastor estava diante de nós, ele começou a ler 1 Coríntios 13, que fala sobre o amor. Estávamos apaixonados, mas nós sabíamos realmente o que era o amor? Amávamos a maneira como olhávamos um para o outro, o que sentíamos um pelo outro e como aquele sentimento nos fazia bem, mas será que não estávamos amando a nós mesmos? Começamos uma família e quando as coisas começaram a mudar, percebemos que não tínhamos noção nenhuma sobre o que era amor verdadeiro. Logo começamos a brigar, discutir, gritar um com o outro e em pouco tempo tudo estava fora de controle.


Foto: Zac Archuleta.

a d i v a A su tem valor

Nosso filho nasceu, os hormônios da minha esposa voltaram ao normal mas eu ainda estava me acostumando a ser pai. Éramos egoístas e imaturos. As coisas pioraram e logo estávamos nos questionando sobre nosso relacionamento. Queríamos que nosso casamento desse certo, mas não conseguíamos enxergar uma saída. Eu me tornei muito agressivo. Me envolvi em brigas e problemas com a polícia. Logo nos divorciamos e a frustração e mágoa levaram a pensamentos de suicídio. Eu estava em liberdade condicional fazendo trabalho comunitário em um bazar cristão de artigos usados e tinha como objetivo provar a não existência de Deus. Lendo a Bíblia comecei a compreender o plano de Deus e que todos nascemos em um mundo pecaminoso. Ele nos disse para não pecar, mas pecamos, e desde então todos nós somos designados para morrer uma só vez. Mas é ai que a história começa a ficar boa. Deus sabia que pecaríamos e com seu amor, ele enviou seu filho para pagar pelos nossos pecados, morrendo em nosso lugar, para que possamos ser perdoados. Eu estava tentando provar que Deus não existia, enquanto através de sua palavra, ele estava revelando sua verdade.


Eu pude ver Deus trabalhando em minha vida e em uma noite eu me sentei diante do Senhor e clamei por Ele. Naquela noite, quando confessei meus pecados pedindo perdão, pude sentir a graça e a misericórdia de Deus. Vou ser batizado, vou te dar meu skate, vou até casar novamente com essa mulher, se for da sua vontade – Eu dizia. Naquela noite senti a presença de Deus e tudo fez sentido para mim. Senti em meu coração que precisava compartilhar essa experiência com as pessoas. Em três semanas, minha ex-mulher entregou sua vida para Cristo também e nos casamos em seis meses. Nossas vidas, desde então, são completamente diferentes e nosso foco é viajar pelo mundo pregando o evangelho.

Pregue o evangelho

Foto Dane Johannsson.

Hoje em dia Brian vive com sua esposa Tracy e 3 filhos em Huntington Beach. Seu foco é: MISSÃO- CASAMENTO – MINISTÉRIO! É pastor voluntário em Huntington Beach e viaja internacionalmente pregando, ensinando e encorajando pessoas.

www

BrianSumnerOfficial briansumner.net www

@briansumner @brisumner

skatebible.com


o n u r Bruno B Taioli aioli T

pastor e skatista old school

Foto: Allison de Carvalho.

Comecei a andar de skate em 1975 quando ganhei de aniversรกrio um skate Bandeirantes e sรณ parei por conta do uso abusivo de drogas. Entrei nas drogas muito cedo, creio que por escolhas erradas.


Eu andava de skate em meu bairro onde tinha, na época, a maior pista de skate da América Latina. Lá passava boa parte do meu tempo e um dia um “amigo” me ofereceu maconha. Eu tinha 12 anos de idade. No início tive medo, mas depois vi que aquilo me fazia ser mais aceito e achava que me dava liberdade. Mal sabia eu que seria minha prisão. Com o passar do tempo, conheci na escola outra droga, a cocaína, então praticamente terminei meu namoro com a maconha e fui fiel a este novo relacionamento até o final da década de 80, quando conheci o crack.

Foto Arquivo Pessoal.

as lhas Deus u s Faça escocom

O relacionamento com o crack foi bem mais sério que o anterior, me roubou família, skate, trabalho, dignidade, identidade, vida... Passei a me envolver com coisas ruins que eram consequências da minha dependência (Salmo 42.7). Tornei-me um doente crônico, usei drogas por 22 anos. Nesses anos tive 15 internações nas mais diversas clínicas. Somando as internações, foram mais de 7 anos. Também tentei de tudo: tratamentos, remédios, terapias, simpatias, grupos... (Mateus 7.13-14).


Foto: Allison de Carvalho.

Quando já não tinha mais esperança de ter uma vida normal e cansado daquilo em que tinha me transformado (Mateus 11.28), conheci uma pessoa que passou a orar por mim sem que eu soubesse (Tiago 5.16), pois o Espírito Santo de Deus a acordava toda madrugada para orar (Zacarias 4.6). A partir daí, passei a me libertar de tudo em que eu estava envolvido, inclusive o tráfico e seus relacionamentos (1Pedro 1.16). Um dia resolvi procurar essa pessoa e ela me convidou para ir a uma igreja. Lembro que eu não queria ir, pois achava que igreja era muito cafona. Eu pensava que todo mundo era alienado, que tinham que se vestir diferente, e que religião era uma espécie de muleta para pessoas sem cultura e que tinham que inventar algo para compensar suas fraquezas. Mesmo assim resolvi aceitar o convite e fui! A igreja era simples mas senti algo que nunca havia sentido em toda a minha vida, algo que preenchia meu vazio interior. “Existe no homem um vazio do tamanho de Deus.” (Dostoievski).


Eu não entendia nada daquela reunião, mas sentia vontade de chorar e algo me dizia que eu deveria me entregar por completo, que eu tinha sido feito para aquilo (1Crônicas 28.9-10; Provérbios 20.27; 1Samuel 16.7). Naquele dia aceitei Jesus como meu único e suficiente Salvador e decidi não mais voltar atrás, iria viver para o verdadeiro Deus que me deu a Vida (João 3.16; 8.32; Lucas 9.62).(Mateus 28.18-20).

Foto: Allison de Carvalho.

Aprendi que, do meu jeito não estava dando certo e que eu deveria matar o velho Bruno e viver esta nova vida, dedicando-a totalmente a Cristo (Gálatas 2.20; 2Coríntios 5.17) Aprendi também que eu deveria me dedicar mais às coisas boas (Romanos 5.20; 16.19-20; Tiago 4.7) e que minha vida só faria sentido se eu transmitisse isso a outras pessoas (Mateus 28.18-20). Percebi que maior era o que estava em mim do que qualquer vício ou desejo e que com Jesus poderia passar por qualquer coisa (1João 4.4; Filipenses 4.13). E continuo aprendendo que a Bíblia é o melhor livro do mundo, é a Palavra de Deus, é o próprio Cristo (João 1.1-14). Entendi que se eu quisesse conhecer meu Senhor, teria que conhecer a Bíblia. Ela se tornou o meu manual de instruções (Oseias 6.3).


Foto: Petrônio Vilela.

Você deve estar curioso sobre quem é esta pessoa que orava por mim e que me levou para a igreja. Ela é a Patrícia, que hoje é minha esposa. Eu poderia ser louco, mas não era bobo! Casei com o canal de bênçãos de Deus para minha vida. Passei a estudar e me aprofundar na Palavra de Deus e me capacitar para este novo caminho (Ezequiel 3.1-4; Apocalipse 10.9-11). Em 2003 voltei a andar de skate, mas desta vez, com Jesus (1Coríntios 1.27).

Eu e minha esposa íamos aos skateparks e campeonatos com um foco: levar Jesus para esta população que vinha crescendo absurdamente no Brasil e no mundo (Mateus 5.13-15). Tínhamos um Pequeno Grupo em uma pista de skate que logo passaria a ser um fenômeno, pois além de umas 80 pessoas frequentarem, passamos a ser reconhecidos no meio do skateboard profissional e amador, e sendo pastores, naturalmente as pessoas vinham se aconselhar e pedir ajuda (Atos 2.46-47).


Foto: Allison de Carvalho.

Comecei a ter visibilidade por causa de Jesus, e ficava sempre bem colocado nos campeonatos do Brasil. Em 2010 ganhei o OSSJ (Old School Skate Jam), em Guaratinguetá, um dos campeonatos mais importantes do país (Atos 1.8; 1Pedro 2.9-10). Deus me permitiu andar de skate com os melhores do mundo e eu e a Patrícia tiramos proveito disto, levando o amor de Cristo a eles e às pessoas que os seguiam (Mateus 25.14-30). Hoje continuo a andar de skate com meus amigos e correr os campeonatos na categoria Legends. São mais de 40 anos de amor pelo skateboard e tudo que gira em torno dele, graças ao amor de Deus por nós skatistas.


Deus ama muito o skate, tanto que tem uma passagem na Bíblia de um rolê de skate em Ezequiel 1.19-21 (bom, pelo menos eu acho que é e quero continuar achando!).

Foto: Allison de Carvalho.

Apadrinhamos e apoiamos muitos ministérios que trabalham e acreditam no skate, tanto no Brasil como no mundo, implantando a cultura Cristã de amar a Deus e ao próximo (Marcos 12.30-31).

O pastor Bruno Taioli completou mais de 40 anos de skate. É casado com a pastora Paty Taioli e tem 3 filhos: Bruno, Vittorio e Anna. Seu propósito é levar o evangelho às pistas de skate apoiando e incentivando pessoas na formação de novos ministérios pelo mundo. /pastorbrunotaioli

@pastorbrunotaioli

pastorbrunotaioli@gmail.com skateboardbible@gmail.com


e m r e Gui uilh a G s o Barbosa b r Ba Foto: Allison de Carvalho.

skatista profissional e construtor de pistas

Meu nome é Guilherme Godoy Barbosa, tenho quarenta anos e sou engenheiro agrônomo. O skate entrou em minha vida no ano de 1987, aos doze anos, na cidade de Guaratinguetá, no Estado de São Paulo, Brasil. Na década de oitenta minha cidade foi considerada a Meca do skate brasileiro, onde ocorria o famoso campeonato brasileiro de skate em todas as categorias. Quem me inspirou a andar de skate foi meu irmão, que com doze anos já havia sido campeão brasileiro amador, e com catorze anos foi vice-campeão profissional.


Naquela época meus pais haviam se separado e fiquei um pouco perdido. Acabei tendo como referência de aprendizado meus amigos de sessão e muitos “malucos” que vinham de outras cidades para andar no famoso Itaguará Country Club. O tempo foi passando e arrumei patrocínio. Cheguei a competir como profissional, mas acabei optando pelos estudos sem nunca deixar de praticar o skate e tê-lo como estilo de vida. Com vinte anos comecei a namorar minha esposa Ana Maria e tivemos dois filhos, Catarina e Murilo. Com o tempo, me interessei pelos assuntos que envolviam o nome de Jesus, achava-o um homem fascinante e acredito que foi Ele quem me achou de verdade. Queria procurar respostas, o porquê desse interesse e então comecei a ler a Bíblia. Depois que abri esse livro pela primeira vez, minha vida nunca mais foi a mesma. Minha vida começou a tomar novo sentido, aprendi a ter esperança em Deus, a me tornar bom e honesto, exercer o perdão mesmo sendo muito difícil. Deus foi me iluminando. Depois do falecimento do meu pai, herdei um sítio e lá comecei uma grande jornada. Com pouco dinheiro e muita vontade, construí um halfpipe de concreto e com o tempo e ajuda de amigos como Gustavo Lesse (Sorriso), seu pai Domingos e seu amigo Carlos Niggli, melhoramos a pista até chegar ao ponto de ter um galpão. A pista tornou-se um sucesso e criamos o circuito chamado Vert in Roça que ajudou a moldar muitos skatistas, entre eles dois campeões mundiais: Pedro Barros e Rony Gomes e muitos outros campeões brasileiros. Alguns anos depois vendi praticamente tudo que tinha e construí outra pista chamada de quadribowl, uma pista de alta performance que foi palco de grandes campeonatos. Nesse tempo já havia me convertido a Jesus e passei a conhecer a verdade.


Ajudei a montar uma igreja em um terreno que tenho em outro bairro rural de Guaratinguetá, junto com um homem analfabeto, castigado pela vida, chamado Jeremias. Até hoje nesse lugar muitas pessoas aceitam o nome de Jesus.

Foto: Allison de Carvalho.

Quando realizava eventos sempre tentava pregar a palavra de Deus a todas as pessoas, mesmo sendo muito difícil de a aceitarem no meio do skate. Atualmente ajudo a construir pistas de skate por todo o país, levando minha experiência de skatista e de construção. Procuro levar uma vida tranquila, pedindo sempre orientação e ajuda de Deus em orações e no estudo das escrituras sagradas.

s u e D a o r i i g v é r l i e v S ri p m u é


Foto: Allison de Carvalho.

Creio que esse meu testemunho é uma porta que Deus está abrindo para eu falar brevemente sobre minha vida e a minha experiência de ter buscado esse grande livro chamado Bíblia. Estou certo que aquele que buscar em Espírito e Verdade vai obter as respostas e a PAZ necessária para viver.

Gui Barbosa vive com sua família em Ubatuba e seu foco não está apenas em andar de skate, mas também na construção de bowls e skateparks de alto desempenho em prol do skateboard.

Foto: Allison de Carvalho.

Vert In Roça Skate Camp


o d r Edudua E i h Franchi c n a Fr Foto: Allison de Carvalho.

Pastor, skatista e construtor de pistas

Minha história com skate começa em 1978 quando ganhei de meus pais meu primeiro skate. Era um Bandeirantes de cor azul, modelo muito diferente dos skates de hoje. Em 1982 mudamos para o centro da cidade de São Bernardo do Campo quando foi inaugurada a maior pista de skate da América Latina. Foi então que deixei muita coisa para trás, inclusive Deus, para me lançar no cativante skateboard. Mais tarde descobri que podia andar de skate sem deixar a companhia de Deus e esta mistura foi perfeita para que pudesse começar a traçar um ministério de skate.


Formei-me em Teologia em 2002, plantei algumas igrejas e pastoreei outras, mas segui o meu chamado mais forte que era para missões, até que em 2004 estive pela primeira vez no Egito. Lá descobri que além de outros projetos, também poderia trabalhar com skate. No ano de 2010, implantamos a primeira mini rampa de madeira em uma escola na cidade do Cairo e no ano seguinte montamos a primeira pista de skate do Egito. No Brasil, unido aos irmãos da cidade de Sorocaba, começamos o Papo Radical na pista de skate de São Bernardo do Campo. A galera começou a colar e com muita alegria compartilhávamos a Bíblia com os skatistas. Sob a direção do Espírito Santo começamos a sonhar com uma casa para servir a comunidade do skate. Foi assim que nasceu o projeto Skate House Brasil. Nesta casa temos recebido skatistas de várias idades e de diferentes segmentos religiosos para juntos estudarmos a Bíblia, conversarmos e andarmos de skate. A casa está aberta para receber pessoas para hospedagem, refeições, relacionamentos e principalmente para serem amadas. Eu e minha família estamos totalmente entregues à obra que Deus está fazendo no meio deste esporte que cresce a cada dia. Temos sido instrumentos de Deus para resgatar pessoas presas nas mãos do inimigo. O pastor Edu é casado com Luciene e tem 4 filhos: Danilo, Carolina, Bruno e Isabela. Mora em São Bernardo do Campo e serve à comunidade do skate através da Skate House Brasil. Constrói pistas e organiza oficinas de skate para crianças. Skate House Brasil


e k i Mike M s a Dias i D Foto: Rodrigo Berta.

skatista profissional

Comecei a andar de skate com 11 anos de idade, na zona sul de São Paulo onde eu cresci. Conquistei meu primeiro skate trabalhando meio período com meu pai. Antes disso eu jogava futebol. Quando parei de jogar futebol e comecei a andar de skate, minha família foi totalmente contra, mas não os culpo, pois o skate sempre foi mal visto pela sociedade e por isso eles achavam que eu era vagabundo e ladrão, entre outras coisas.


Todos em minha casa eram evangélicos e, graças a Deus, nunca se desviaram. Nasci e cresci na igreja, e lá as pessoas não tinham informação sobre o skate, só criticavam, olhavam feio, fofocavam e falavam que não estava certo. Mas no meio do skate tive bons exemplos, me espelhava em skatistas que andavam comigo como Ricardo Oliveira e Jonathan Santos. E mais tarde comecei a assistir vídeos de skate que me ajudaram a evoluir.

o n a i e Cr poder or h n e S do

Foto: Rodrigo Berta.

A maior dificuldade em andar de skate era falta de grana, pois minha família não tinha dinheiro para eu ter um bom material. Minha mãe sempre que podia me dava o pouco que tinha para me ajudar. Louvo a Deus pela vida dela! Nunca pensei em parar de andar de skate, pois sempre fui focado. Via meus pais trabalhando para conquistar, com muita fé em Deus, seus objetivos. E com esse exemplo segui minha vida. Deu certo! Com fé em Deus, tudo é possível!


Foto: Arquivo pessoal.

Conheci minha esposa Mary em uma viagem quando fui participar de um campeonato. Foi amor à primeira vista de ambas as partes. Foi lindo, nos casamos em 2012! Ela sempre me apoia e quando pode, me acompanha nas viagens. Em 2013 fiquei muito feliz em passar para a categoria profissional, pois nunca imaginei ser um skatista profissional. O Espírito Santo sempre fala comigo e me mantenho atento ao caminho correto. Jesus me ajudou na minha caminhada até aqui e com toda certeza Ele está em tudo que sou e tenho. Com fé no Criador dos céus e da terra, tudo dá certo na hora certa. Jesus é meu Salvador e eu o amo! O Skateboard era um hobby que se tornou trabalho e agradeço a Deus por ter me dado o dom de andar de skate.

Mike é casado com Mary Rocha e tem 2 filhos,Sophia Mel e Hugo. Eles seguem firmes na fé e na cena do skate. @mikediaskt


l e a f a Rafael R o j e Alentejo lent A Foto: Júlio Tio Verde.

skatista paralímpico

Nasci na cidade do Rio de Janeiro. Cresci em uma família cristã e, graças aos meus pais, que são pastores, conheci Cristo desde pequeno. Um dia, ainda muito novo, fui a um culto e aconteceu algo diferente, pois tive minha primeira visão: de olhos fechados, enquanto um homem tocava um shofar, vi um anjo ao seu lado. Não consegui ver o rosto do anjo, pois uma luz muito forte e branca saía de sua face. Era como olhar diretamente para o sol.


Nesse dia que tomei minha decisão de fé, de assumir diante dos homens que eu aceitava Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador. Os esportes de aventura sempre fizeram parte da minha vida, desde pequeno. Aos 7 anos de idade, ganhei minha primeira prancha de bodyboard, na ocasião moravamos na cidade litorânea de Vila Velha. Quando voltei para o Rio de Janeiro, ganhei meu primeiro skate. Era simples, sem marca, mas me trazia muita diversão. Só fui conhecer um skate “de verdade” aos 13 anos, quando dois garotos de cabelos compridos e jaquetas de couro entraram na minha igreja com o skate debaixo do braço. Observando os garotos andarem, fiquei fascinado com a quantidade de manobras que conseguiam fazer. Ali começou meu amor pelo esporte. Eu andava de skateboard todos os dias em um projeto social próximo de casa. Mas foi em uma noite de 2009 que vivi a experiência que mudaria o rumo de minha vida. Junto de alguns amigos, seguimos em direção à pista e, para ganhar tempo, cortamos caminho pela linha férrea. Caminhávamos próximo aos trilhos quando um trem passou e nos jogou para longe. As únicas coisas de que me lembro são a voz de um dos meus amigos gritando para corrermos e, depois, um paramédico batendo na minha cara para me acordar. Fui levado entre a vida e a morte para o hospital. Para me salvar, tiveram que amputar parte de minha perna esquerda. Após dias internado, e com os efeitos dos remédios baixando, recebi a visita de um fisioterapeuta que não garantiu que eu voltaria a andar de skate com o auxílio de uma prótese. Então eu disse: “Se tem gente que consegue fazer tantas coisas com o uso de uma prótese, por que eu não conseguiria andar de skate?”. Tinha como propósito a volta ao skate. Essa seria mais uma das batalhas enfrentadas na minha vida, e eu tinha certeza de que Deus estaria do meu lado.


Quando sofri esse acidente, não fiquei abalado, pois tudo que tinha passado na vida só serviu para me fortalecer, e sempre tive a certeza de que Deus estava comigo. Tinha em mente que não precisava me preocupar com os sofrimentos nesta erra. Meu pensamento sempre foi voltado para o que nos aguarda na vida eterna. Pretendo construir uma família com minha esposa, servir sempre a Deus e nunca parar de andar de skate. Treino muito com a intenção de representar o Brasil nas paralimpíadas e, quem sabe, um dia conhecer a Califórnia!

Foto: Dayanne Roberta.

O Senhor me dá forças para continuar. Minha fé em Deus está acima de tudo e só sou feliz por entender que a felicidade vem dessa fé, e não das coisas deste mundo.

Rafael Alentejo é casado com Maria Angélica e frequenta a igreja Projeto Céu, onde seus pais são pastores. @rafaelalentejo


Foto: Bárbara Pinheiro.

JESUS É O CAMINHO Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim. João 14:6

E EU VOU DE SKATE.


Pergunte ao

MINEIRINHO

O hexacampeão mundial Sandro Dias, o “Mineirinho”, e sua esposa Gabriella Dias respondem às dúvidas do pessoal. Confira as respostas e conheça um pouco mais sobre sua vida e suas superações.

Qual foi a maior dificuldade no início da carreira? Sando Dias – No início foi o preconceito. As pessoas não conheciam o skate e o associavam as coisas ruins, mas nunca me preocupei com isso. Sempre soube que quando estava com meu skate, nunca faria mal para ninguém.

Qual foi a maior realização que você já teve através do skate? E o que ele representa para você? SD – O skate nos dá diversas realizações, direta ou indiretamente, mas poder viver a vida fazendo o que mais gosta é uma realização imensa. O skate é um ponto de equilíbrio para mim! É um pouco de tudo: diversão, trabalho, terapia, amizade e família.


Foto: Marcelo Panizza.

O que significa pra você ser hexa campeão mundial de skate, e a que ou a quem você atribui estas vitórias? SD – Conquista de sonhos e objetivos traçados numa determinada passagem de minha vida e que hoje posso usar para mostrar às novas gerações que todos nós somos capazes de alcançar o que tomamos como objetivo. Atribuo isso a Deus que me preparou, disciplinou e colocou pessoas e parceiros ao meu lado para que eu pudesse um dia alcançar tudo isso.

Na sua casa vocês oram e pedem direção de Deus? SD – Sim, minha esposa diariamente inclusive ensina nossos filhos as orações de agradecimento.


Foto: fotospublicas.com.

Gabriella Dias – Ser esposa do Sandro Dias, significa orgulho. Nós vivemos a nossa vida de maneira simples e sempre baseada nas coisas boas! Tentamos agir com os outros sempre de maneira positiva e passar para os nossos filhos os valores da vida. Ao mesmo tempo que é legal ter o Sandro como ídolo das pessoas, pois sabemos o quanto esse carinho é importante pra ele, também temos o lado “ruim”, como por exemplo situações de pessoas se aproximarem da gente com segundas intenções. A falta de liberdade em alguns lugares e a questão das viagens longas que nos fazem ficar distantes por muito tempo. Ser esposa do Sandro me traz sempre muito amor, paz, compreensão, companheirismo, segurança e sensação de melhor família que eu poderia ter! Tenho certeza de que Deus nos uniu, pois somos complemento um do outro!

Foto: Marcelo Panizza.

Para a esposa do Sandro: Gabriella, como é ser esposa de um dos melhores skatistas do mundo?


Por que você quis fazer um esporte camp? SD – Para poder retornar ao esporte tudo o que o skate me proporcionou. Sei que com o Camp poderei aprender, ensinar e educar. Tudo isso compartilhando experiências com as pessoas que venham a frequentar meu espaço.

No Skate e na Vida... Qual sua manobra preferida? SD – No skate é o 540 e na vida é estar bem para transmitir o bem.

Foto:Arquivo Pessoal.

/@SandroDiasOficial @diassandro

www

@diassandro sandrodias.com.br


A tua palavra é lâmpada para guiar os meus passos, é luz que ilumina o meu caminho. Salmos 119:105

A Skateboard Bible é coisa real! A Bíblia é o livro mais vendido, traduzido e lido de todos os tempos. Ela contém conselhos e princípios para a vida e para os relacionamentos, além de explicar as razões de nossa existência. Mas, enquanto muitos têm acesso à Bíblia, poucos de fato a leem. Muito se fala a respeito de Jesus, dos seus princípios para a vida e da importância de se ter um relacionamento pessoal com o Criador, mas raramente isso é seguido e colocado em prática. Muitas pessoas dizem que acreditam em Deus, mas não têm um relacionamento com Ele e têm pouco conhecimento do seu plano para a humanidade.


Em termos de skate, isso seria o mesmo que ter um skate irado, com shape de maple canadense, rolamentos, rodinhas, trucks, lixa e até parafusos gringos e nunca dar um rolê com ele. Ou andar nas piores pistas, todas desniveladas e cheias de buracos e ainda, apesar de saber que tem pistas melhores e cobertas do outro lado, você se quer se aventurou a ir lá. Talvez seja como ler todas as revistas de skate, ter vários skates montados, mas nunca realmente andar. Nós queremos lhe dar uma Bíblia que se pareça com você: homem ou mulher, skatista streetero, bowlrider, freestyle, longboard, classic board, downhill, dono de skateshop, dono de marca de skate, fotógrafo e videomaker.

A Skateboard Bible é para todos!


Muitas pessoas dizem que acreditam em Deus, mas não tem um relacionamento com Ele... Desde os profissionais que correm na Street League, aos Old Schools que batalham para lidar com os machucados mais constantes ou mesmo os iniciantes forçando seus limites nas primeiras 45° da vida, todos os skatistas amam desafios. A Skateboard Bible desafia você skatista a não somente ler os testemunhos e admirar as fotos e depois colocá-la na estante, mas ler e estudar todo o seu conteúdo. Nela você encontrará o Criador de todas as coisas e entenderá de onde vem toda essa criatividade que o faz evoluir no skate. Esperamos que você aprenda sobre o plano de salvação para a humanidade e que passe vitorioso pelas sessões pesadas que a vida lhe trará.


LEIA SUA BÍBLIA DIARIAMENTE! Como um “manual do fabricante”, Deus lhe dará compreensão sobre esta nova vida que você começou. A palavra de Deus foi escrita para mudar sua vida, não apenas para aumentar seu conhecimento, então venha pronto para obedecer

Reme nessas páginas e faça a manobra de sua vida!


por onde comeÇar? A Bíblia é composta por 66 livros escritos em épocas e situações distintas. Se você quiser começar pelo primeiro livro, que é Gênesis, essa leitura pode ficar um pouco difícil. Então a pergunta é: por onde começar? Um plano de leitura é muito importante e necessário. No início há muita coisa que a gente não entende, o que é natural. Mas não pare, vá em frente, pois a Bíblia se explica por si mesma! À medida em que você for lendo, os textos vão se ligando uns aos outros. Segue uma sugestão de um método simples de leitura para você conhecer a Bíblia, a partir do Novo Testamento: 1º – 1 João (no final da Bíblia, depois de 2Pedro): Essa leitura dará a você a certeza da salvação e o fará saber que Deus o amou e o escolheu. Uma escolha gratuita, amorosa, sem merecimento! É a mais linda realidade da vida. 2º – O Evangelho de João (depois do Evangelho de Lucas, antes de Atos dos Apóstolos): “Estes, porém, foram registrados para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” (João 20.31). Apresenta ensinamentos, milagres e fatos da vida de Jesus para que não fiquem dúvidas quanto à sua identidade: Ele é o Cristo, o Messias esperado, o enviado do Pai.


3º – O Evangelho de Marcos (depois do Evange-lho de Mateus, antes do Evangelho de Lucas): Apresenta uma visão global de toda a vida de Jesus e seu ministério. 4º – As pequenas cartas de Paulo (depois de 2Coríntios): Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1ª e 2ª Cartas aos Tessalonicenses, 1ª e 2ª Cartas à Timóteo, Tito e Filemom. São cartas que Paulo enviou às comunidades que ele mesmo iniciou e consolidou. E depois, estando distante, ele complementou o seu trabalho através dessas cartas. 5º – O Evangelho de Lucas (depois do Evangelho de Marcos, antes do Evangelho de João): Lucas apresenta narrativas mais detalhadas dos eventos que precederam o nascimento de Jesus e sua infância. Diferentemente do evangelho de João, que é mais teológico e do de Marcos que é mais resumido. 6º – Os Atos dos Apóstolos (depois do Evangelho de João, antes de Romanos): É a continuação natural do Evangelho de Lucas. Narra a poderosa ação do Espírito Santo na vida dos apóstolos após a subida de Jesus ao céu, levando-os a dar início à Igreja do Primeiro Século. Revela as ações e os prodígios realizados por homens e mulheres muito simples, porém cheios do Espírito Santo.


7º – Romanos (depois de Atos dos Apóstolos, antes de 1Coríntios): É a carta mais rica em ensinamentos doutrinários. Apresenta um vibrante ensinamento sobre a salvação gratuita que nos é dada mediante a fé. 8º – Os demais livros do Novo Testamento: O Evangelho de Mateus, 1ª e 2ª Cartas aos Coríntios, Hebreus, Carta de Tiago, 1ª e 2ª Cartas de Pedro, 3ª Carta de João, Carta de Judas e, por fim, Apocalipse. 9º – Os livros do Antigo Testamento: Tendo lido todos os livros do Novo Testamento, você já terá uma boa base para poder ler e entender o Antigo Testamento. Pra. Patrícia Taioli.

Importante que você saiba: a Bíblia é um livro que você pode ler com o autor do seu lado. Convide-o e peça que Ele esteja com você nos momentos de leitura. Além de te dar entendimento, Ele passará a fazer parte de sua vida.


Foto: João P. Ferreria.

N TO O A T U O M DEUS A E ÚNICO U Q U R E S O “PO U E DEU Q , O A Q U ELE D O N D O MU T RA Q U E A P , M ORRA, O O H Ã N FIL R .” L E CR E E TERNA QU E NE A D I V NHA A MAS TE :16 JOÃO 3


Que tal então você entregar sua vida e seu caminho a Deus nessa oração a seguir? “Amado Deus, eu decido entregar a minha vida a Jesus Cristo. Perdoe todos os meus pecados, entre em todas as áreas da minha vida, tire tudo que não é Teu e me mostre o caminho que devo andar. Escreva o meu nome do Livro da Vida e dá-me o Teu Santo Espírito. Em nome de Jesus Cristo, amém!”

ASS


João Calvino

Foto: João P. Ferreira

Se alguém anseia pela sabedoria de Deus, terá de renunciar à própria sabedoria e pedir a luz divina.


a nossa missão é ser uma família. Foto de Capa e Contracapa: Allison de Carvalho. Projeto Gráfico, Ilustração e Diagramação: Luiz Bob Lee. Logo: Diego Sommariva / DWS Design Company. Traduções: Thiago Barreto, David Bello, João Paulo Salata, Juliana Moralles, Carolina Yasuda, Filipe Lopes, Jussara Neves, Raquel Vieira, Savana Tezza e Victoria Bethiol. Revisão de Textos: Leila de Carvalho, Allison de Carvalho e Eduardo Sigrist. Apoios: Pr. Eduardo Franchi, Pr. Marcelo Caldas, Macahuba Tocha, Brunna Pezzuti, Anderson Nim, Renan Cardoso e Fernando Yoshimura. Impressão e Acabamento: Geográfica Editora. Coordenação Geral: Pr. Bruno Taioli Jr e Pra. Patricia Taioli.

Agradecemos todos os colaboradores e voluntários, igrejas e ministérios que fizeram deste projeto uma realidade. O conteúdo de textos e imagens é propriedade intelectual da Missão Skateboard Bible. Todos os direitos reservados – LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 – BRASÍLIA-BR. Skateboard Bible – Segunda versão.

www.skateboardbible.com

Profile for skateboardbible

Skateboard Bible - Português Brasil  

Desenvolvida especialmente para os apaixonados pelo skate, a Skateboard Bible é uma edição da Bíblia Sagrada desenvolvida com o objetivo de...

Skateboard Bible - Português Brasil  

Desenvolvida especialmente para os apaixonados pelo skate, a Skateboard Bible é uma edição da Bíblia Sagrada desenvolvida com o objetivo de...

Advertisement