Page 1

Luísa Amorim-Braun

e fora de sério Da parada à paródia é um passo, de alto a baixo é desastre. De contralto a contrabaixo: dois registos em contraste. Duetos desconcertados: dois pontos desencontrados. Com amor ou menos cor: tom maior ou tom menor.

www.sitiodolivro.pt ISBN 978­‑989-8821-68-3

SOBREPOSIÇÕES SOBREPOSIÇÕES

Trovas em série

Luísa Amorim-Braun

SOBREPOSIÇÕES SOBREPOSIÇÕES i.  eromania ii.  dois

pontos

Convite ao leitor, pintor ou cantor: Com um traço ou pincelada, com mais voz bem modulada se reforce a estrutura de dura caricatura.


SOBREPOSIÇÕES SOBREPOSIÇÕES i.  eromania ii.  dois

pontos


edição: Edições Vírgula® título: Sobreposições

(Chancela Sítio do Livro)

autora: Luísa Amorim-Braun capa e paginação:

Paulo S. Resende

1.ª edição Lisboa, março 2018 isbn:

978­‑989-8821-68-3 438049/18

depósito legal:

© Luísa Amorim-Braun publicação e comercialização

www.sitiodolivro.pt


Luísa Amorim-Braun

SOBREPOSIÇÕES SOBREPOSIÇÕES i.  eromania ii.  dois

pontos


EROMANIA Parada de amores: pares e ímpares


sobreposições

Amado Amor Amas tantas - um milhão! esta muito, aquela mais, uma vem, essoutra vai-se: com porfiada paixão amas só tua ficção. Tu porfias, não encontras o amor nesta demanda: as amadas são sem conta Amor é quem te comanda.

.  9   .


luísa amorim-braun

Cupidos e cúpidos Amores adorados: frecheiros plumados, anjinhos brejeiros de asas ligeiras ou asas quebradas, conforme as carreiras das voltas aladas. Acertam as setas dos arcos lançadas com olhos matreiros, com olhos vendados: espalham tormentos, penas e lamentos nos alvos visados. A vossa espantosa ingenuidade, a vossa assombrosa infantilidade: é vossa natura crua divindade, ou só portentosa, pura crueldade?

.  10   .


sobreposições

Amor & Psique Amor da Alma que ele tanto ama, quanto ela o testa, experimenta: em tentações, em privações e provações de toda a sorte. De prova em prova amor imenso, amor intenso por essa Alma (a desalmada) que amor consente: até à morte experiente.

.  11   .


luísa amorim-braun

À primeira vista Amor de repente, amor imprevisto: vi-te sem te ver, amor nunca visto. Amor repentino, quase não te vi: sem siso, sem tino fiquei preso a ti. Amor só dos olhos, amor catrapisca, amor sem abrolhos a perder de vista.

.  12   .


sobreposições

Amor incipiente Terno, hesitante: uma promessa interrogando. Incipiente: botão de rosa desabrochando.

.  13   .


luísa amorim-braun

Amor aprendiz De tentação em tentativa, de tentativa em tentação, sempre a tentar, sempre a colher experiência, informação. Amor tentador, amor aprendiz: amor sabedor, amor Amadis.

.  14   .


sobreposições

Amor temporão Por quê prematuro, por quê temporão? Perdi o relógio do meu coração. Não sei do horário, não o tenho à mão: falta-me futuro, desejo emoção. Se o tempo tem tempo, eu não tenho não.

.  15   .


luísa amorim-braun

Amor inocente Não sei, não sei por que te quero tanto, não sei, não sei por que te espero sempre: sou inocente, sou ignorante. Só sei, só sei que te desejo imenso, só sei, só sei que quero um beijo intenso: sou um sabido inconsciente.

.  16   .


sobreposições

Amor palpitante Palpita-me, amor, (palpite) que me queres surpreender e apareces sem convite. Pouco me importa a surpresa, mais importa que te veja: o meu palpite é certeza. Sinto o pulso na garganta: minha ânsia palpitante.

.  17   .


luísa amorim-braun

Amor sincero Assim como digo, assim eu te quero, sem mais nem aumentos, amor só sincero: desprezo adjectivos, dispenso argumentos.

.  18   .


sobreposições

Amor simplório Amo-te e quero tão simplesmente: quero-te e pronto.

.  19   .


luísa amorim-braun

Amor discreto Vai descansada, não me declaro, não te revelo nome nem nada. Só um sussurro muito em segredo: quanto te quero, amor secreto. Ninguém nos viu, ninguém ouviu o que te disse: sem compromisso.

.  20   .


sobreposições

Amor modesto Eu com pouco me contento, com pouquinho e é um pau: não exijo cem por cento, dez por cento não é mau. Não me queres dar a mão que beijei com devoção: guarda o beijo, rapariga, dá-me um dedo e já me chega.

.  21   .


luísa amorim-braun

Amor prudente Toma cuidado, não adiantes passo folgado, que te arrependes. Vai de mansinho, calma, talvez… só um passinho de cada vez. Reconsidera, pensa melhor: que vais fazer ao teu amor? Dá tempo ao tempo, ouve a prudência: mais um momento, tem paciência! Dá-lhe ternura, dá-lhe carinho: sê maneirinho!

.  22   .


sobreposições

Amor comedido Olha e vê, mede e pesa: passo e gesto comedido. E as palavras não as gastes sem sentido. Não te excedas, não te excites com excessos de fartura. O que faças: com candura, com medida.

.  23   .


luísa amorim-braun

Amor à medida A meia estreita a apertar, pé insistente a perfurar, até chegar ao calcanhar. Pé avançando do seu vagar dobrou o cabo, ganhou o mar! Eis pé com meia: perfeito um par.

.  24   .


sobreposições

Amor bailarino A girar, rodopiando, mais um passo e siga a dança: acompanho-te a compasso a bailar a contradança. Com tontura, com vertigem siga a valsa, voltejando! Rodopio ao desafio: nova volta com mais brio.

.  25   .


luísa amorim-braun

Amor frágil Mesmo a dançar não agitar, não balançar: pode cair, pode partir, esfanicar. Amor é frágil, pode escapar-se de teus abraços: pode escacar, pode quebrar-se em mil pedaços.

.  26   .


sobreposições

Amor platónico Amor só possível sem a possessão: amor intangível para além da mão. Longo amor estável, suma perfeição: saudade infindável em teu coração.

.  27   .


luísa amorim-braun

Amor puro Amor essência, concentração: sem diluência, sem distração. Extremo estreme de sensação: sobreexcelente pura indução. Amor de idade: imparidade.

.  28   .


sobreposições

Amor devoto Amor devoto, ajoelhado: em devoção. Amor beato, rosto inclinado: adoração. Leve, enlevado, amor devoto: abençoado.

.  29   .

Sobreposições  

Trabalhadas em moldes clássicos e atuais, filigranas de muitos amores e desamores. A sério e a brincar, como convém à arte duradoira, a ilus...

Sobreposições  

Trabalhadas em moldes clássicos e atuais, filigranas de muitos amores e desamores. A sério e a brincar, como convém à arte duradoira, a ilus...