Issuu on Google+

CAMINHOS PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL Núcleo Regional de Guaçuí 2ª Edição | 2016


carta ao leitor Lançamos há dois anos a série Caminhos para o Desenvolvimento Regional, iniciativa inédita da Federação das Indústrias do Espírito Santo que mapeou os diferentes setores produtivos do Estado. De lá para cá, muita coisa mudou no Brasil e no mundo, mas uma certeza foi preservada: a economia capixaba possui grande potencial de crescimento e uma das indústrias mais relevantes do país. Cientes disso, iniciamos em nossa gestão um trabalho intenso de interiorização das ações do Sistema Findes, não apenas instalando novas diretorias regionais, mas ouvindo, de fato, o que cada região tem a contribuir. Como resultado, desenvolvemos projetos para a ampliação da competitividade da indústria local, principalmenMarcos Guerra te por meio da qualificação profissional. Presidente do Sistema Findes / Cindes Conhecendo a vocação de cada município, percebemos a necessidade de criar novas diretorias regionais. Assim nasceram as unidades de Guaçuí (que abrange oito municípios da região do Caparaó); Vila Velha; Serra; Cariacica (que também engloba Viana); Santa Maria de Jetibá (representando seis cidades); e Barra de São Francisco (composta por seis municípios do norte do Estado). A atualização do Caminhos para o Desenvolvimento Regional joga luz sobre o perfil das novas diretorias, destacando a atuação da indústria em cada região, sua influência na economia local e importância para a geração de renda. O trabalho de inteligência do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) auxilia no planejamento da iniciativa privada e dos poderes constituídos, orientando ações futuras. O Espírito Santo está passando por grandes mudanças, atraindo investimentos focados nas cadeias globais de valor. É preciso conhecer em detalhes a riqueza criativa e natural de cada município capixaba, estimulando o aperfeiçoamento das micro e pequenas indústrias – maiores empregadores do Estado – e sua inclusão nos novos nichos de negócios e nas oportunidades que surgirão. Nosso Estado é muito pequeno para ser dividido entre Grande Vitória e interior. Com a força institucional da Findes, munidos de informações robustas como esta publicação, conseguiremos sempre intermediar o diálogo com as grandes indústrias, aproximá-las das micro e pequenas, criando novas oportunidades para os trabalhadores e para quem gera empregos no Espírito Santo.


1 2

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ

8

CARACTERIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL 9 DE GUAÇUÍ 2.1. A ECONOMIA DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO 10 NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ

3 4

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ

12

PERFIL DOS SEGMENTOS NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ

14

3.1. AGRICULTURA

14

3.2. INDÚSTRIA

14

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS

21

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ

22

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO

22

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM)

25

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO

27


5 6

PERFIL FINANCEIRO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ 29 5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA

29

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA

33

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018

36

CARACTERIZAÇÃO DO PLANO DE INVESTIMENTOs DO SISTEMA FINDES

37

6.1 Agência de Treinamento Municipal

38

6.2 Escola Móvel

39

6.3 Unidade Integrada de Ações Móveis

40

lista de tabelas Tabela 1. Dados econômicos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí | 10 Tabela 2. Participação do valor adicionado | 11 Tabela 3. População, empresas e empregos | 12 Tabela 4. Participação de empresas nos principais setores de atividade | 13 Tabela 5. Participação de empregos nos principais setores de atividade | 13 Tabela 6. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 15 Tabela 7. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 16 Tabela 7. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes (Parte 2) | 17 Tabela 8. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 18 Tabela 8. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes (Parte 2) | 19 Tabela 9. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 20 Tabela 10. Evolução da receita total | 30


Tabela 11. Valor e composição da receita total - 2014 | 31 Tabela 12. Desempenho da receita total | 32 Tabela 13. Desempenho do gasto com pessoal | 34 Tabela 14. Valor e composição da despesa total - 2014 | 34 Tabela 15. Desempenho dos investimentos públicos | 36

lista de gráficos Gráfico 1. Valor Adicionado total dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí - 2013 | 11 Gráfico 2. Pirâmide Etária - Alegre - 2010 | 23 Gráfico 3. Pirâmide Etária - Apiacá - 2010 | 23 Gráfico 4. Pirâmide Etária - Bom Jesus do Norte - 2010 | 23 Gráfico 5. Pirâmide Etária - Divino de São Lourenço - 2010 | 23 Gráfico 6. Pirâmide Etária - Dores do Rio Preto - 2010 | 24 Gráfico 7. Pirâmide Etária - Guaçuí - 2010 | 24 Gráfico 8. Pirâmide Etária - Ibitirama - 2010 | 24 Gráfico 9. Pirâmide Etária - São José do Calçado - 2010 | 24 Gráfico 10. Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 | 27 Gráfico 11. Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 | 28 Gráfico 12. Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 | 28 Gráfico 13. Evolução da receita total dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí | 29 Gráfico 14. Receita per capita dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí - 2014 | 30 Gráfico 15. Evolução do volume total de investimentos públicos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí | 35

lista de figuras Figura 1. Distribuição do parque industrial | 21 Figura 2. Distribuição do IDHM médio | 25 Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade | 25 Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação | 26 Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda | 26 Figura 6. Agência de Treinamento Municipal | 38 Figura 7. Escola Móvel | 39 Figura 8. Unidades móveis (carretas) | 40


introdução Escolher o caminho é tão importante quanto definir aonde se quer chegar. Pensando nisso, o Sistema Findes criou o projeto Caminhos para o Desenvolvimento Regional, que se encontra em sua 2ª edição em 2016. Com seu propósito de interiorização, a Findes realizou novo dimensionamento de suas diretorias regionais, que agora contam com quinze regiões. O Núcleo de Guaçuí é constituído por oito municípios: Alegre, Apiacá, Bom Jesus do Norte, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibitirama e São José do Calçado. Nas próximas páginas, reunimos Bruno Moreira Balarini informações relevantes sobre os municípios que comVice-presidente institucional põem a nossa área de atuação, bem como apontada Findes em Guaçuí e região mos futuros investimentos e demandas econômicas, e mostramos o que o Sistema Findes planeja fazer para contribuir com o desenvolvimento capixaba. Espera-se com esse trabalho, oferecer a empresários e investidores um panorama das características e vocações regionais que sirva como uma bússola para auxiliar a tomada de decisões e maximizar os resultados esperados. São 12 publicações que estão disponíveis aos interessados em conhecer as potencialidades do Estado e as oportunidades que ele oferece. Porque para cada destino, há sempre um melhor caminho. E o percurso que convidamos você a fazer, nas próximas páginas, é por um Estado promissor, que oferece oportunidades únicas para aqueles que trabalham com afinco e confiam que, com empenho e conhecimento, ajudarão a construir o Espírito Santo com o qual sonhamos.

Boa leitura! Município

Distância de Vitória (em km)

Alegre

192 km

Apiacá

201 km

Bom Jesus do Norte

215 km

Divino de São Lourenço

241 km

Dores do Rio Preto

243 km

Guaçuí

235 km

Ibitirama

170 km

São José do Calçado

150 km


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ Na análise dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí do Sistema Findes, sob o ângulo dos empregos formais gerados e da composição do valor adicionado (base para o cálculo do PIB) por setor econômico, desenha-se o seguinte perfil: • Esse Núcleo Regional é formado pelos seguintes municípios urbano-industriais: Alegre e Guaçuí. • Os demais municípios podem ser caracterizados como agrourbanos, com atividades agroindustriais, de comércio e serviços, o que lhes vem tirando as características de unidades locais estritamente rurais ou economicamente dependentes da agropecuária, destacando-se a produção de laticínios, o cultivo do café e a produção de gado leiteiro. Quanto às finanças públicas dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí, em 2014 o município de Alegre se destacou em participação na receita (25,2%), seguido por Guaçuí (24,2%) e São José do Calçado (11,2%), que polarizam as principais atividades econômicas. Os investimentos públicos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí acumularam um aumento de 5,9% no período entre 2009 e 2014, a uma taxa anual média de 1,2%. No mesmo período as receitas cresceram 25,7%, a uma taxa anual média de 4,7%, enquanto os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 25,5%, a uma taxa anual média de 4,6%. Em 2014, a participação das despesas com pessoal na receita dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí foi, em média, de 50,6%, ou seja, não ultrapassou o limite máximo de 60%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Porém, Alegre mostrou participação mais preocupante (59,9%).

8


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2

CARACTERIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Guaçuí compreende uma população total estimada em 2015 de 112.927 habitantes, Os municípios que compõem o Núcleo Regional, além das respectivas sedes, são compostos por 16 distritos, distribuídos conforme a seguir: • Alegre: Anutiba, Araraí, Café, Celina, Rive, Santa Angélica e São João do Norte. • Apiacá: José Carlos e Bonsucesso. • Bom Jesus do Norte: sem distritos. • Divino de São Lourenço: sem distritos. • Dores do Rio Preto: Mundo Novo e São Raimundo da Pedra Menina. • Guaçuí: São Pedro de Rates e São Tiago. • Ibitirama: Santa Marta. • São José do Calçado: Airituba e Alto Calçado.

9


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2.1. A ECONOMIA DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ Em 2013, últimos dados do IBGE sobre a economia dos estados e municípios, as cidades pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí eram responsáveis, no total, por 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com cerca de R$ 1,3 bilhão. O município de Alegre concentrava pouco mais de um terço do dinamismo dos municípios da Regional, com a

participação de 31,8% no total do PIB. No PIB per capita, considerando o PIB de 2013 e a estimativa de população para 2013, os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí também se destacam, com R$ 11.670, sendo essa média pouco inferior ao PIB per capita do município de Dores do Rio Preto, de R$ 13.566. (Ver tabela 1.)

Tabela 1. Dados econômicos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí Município

Alegre

População (1) (Habitantes)

Produto Interno Bruto (PIB) (2) (R$ mil)

Posição do Município (PIB)

Participação do PIB na Regional (%)

PIB per capita (3) R$/Habitante

Posição do Município (PIB per capita)

32.205

416.273

28

31,8

12.901

53

Apiacá

7.924

69.335

75

5,3

8.759

75

Bom Jesus do Norte

10.176

103.936

71

7,9

10.296

66

Divino de São Lourenço

4.649

47.358

78

3,6

10.102

67

Dores do Rio Preto

6.890

92.616

72

7,1

13.566

49

Guaçuí

30.685

374.975

30

28,6

12.439

56

Ibitirama

9.386

88.864

73

6,8

9.454

72

São José do Calçado

11.012

117.430

68

8,9

10.688

63

Total Regional Guaçuí

112.927

1.310.787

-

100,0

11.670

-

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2) PIB de 2013/Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) (3) PIB per capita de 2013 (ISJN) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em relação ao valor adicionado em 2013, os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí apresentaram maior peso para

as atividades de comércio e serviços, com 37,1%, seguidas da administração pública, com 35,5%; indústria, construção e serviços industriais de utilidade pública (SIUP), com 17,6%; e agropecuária, com 9,8% (gráfico 1).

10


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 1. Valor Adicionado total dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí - 2013 9,8%

Agropecuária

17,6%

37,1%

Indústria, Construção e SIUP* Administração Pública

35,5%

Os municípios de Divino de São Lourenço, Apiacá e Ibitirama apresentaram as melhores participações no setor da administração pública, com 47,0%, 46,4% e 45,8%, respectivamente. Na indústria, construção e SIUP sobressaíram-se Alegre e Dores do Rio Preto, com 27,9% e 25,3%, respectivamente. Na agropecuária, os municípios de Ibitirama (22,8%), Divino de São Lourenço (16,1%) e Apiacá (15,1%). Nas demais atividades de comércio e serviços, destacaram-se Guaçuí (49,5%), Bom Jesus do Norte (39,9%), Alegre (33,7%) e São José do Calçado (33,6%). (Ver tabela 2.) Tabela 2. Participação do valor adicionado Município Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Agropecuária (%) 7,2 15,1 2,9 16,1 14,1 7,7 22,8 11,8 9,8

Indústria, Demais Atividades de Construção, Administração Pública (%) Comércio e Serviços (%) SIUP¹ (%) 27,9 7,7 16,1 14,3 25,3 9,9 5,9 16,4 17,6

31,2 46,4 41,1 47,0 30,9 32,9 45,8 38,2 35,5

33,7 30,8 39,9 22,6 29,7 49,5 25,5 33,6 37,1

Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0

Fonte: PIB Municipal ES 2013/ Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹ SIUP - Serviços Industriais de Utilidade Pública (Eletricidade, Gás e Água)

11


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de 2014, os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí tinham 1.870 empresas (indústria, SIUP, comércio e serviços), empregando formalmente 9.115 trabalhadores. (Ver tabela 3.) Quanto ao total de empregos formais em relação ao total da população de cada município, os maiores empregadores são Alegre e Guaçuí, ambos com 11% da população

empregada, seguido de Bom Jesus do Norte, com 7%, enquanto os municípios pertencentes ao Núcleo Regional empregavam 8% dos habitantes. Em relação à quantidade de empregos por empresa, os principais destaques foram os municípios de Alegre, com 6,2 empregos em média, Bom Jesus do Norte (5,2) e Guaçuí (5,0). No núcleo Regional como um todo, a média foi de 4,9 empregos por empresa. (Ver tabela 3.)

Tabela 3. População, empresas e empregos População habitantes (1)

Total de Empresas (2)

Total de Empregos (3)

População Empregada (%)

Média de empregos por empresa

Alegre

32.205

555

3.415

11

6,2

Apiacá

7.924

82

292

4

3,6

Bom Jesus do Norte

10.176

132

682

7

5,2

Divino de São Lourenço

4.649

60

167

4

2,8

Dores do Rio Preto

6.890

130

365

5

2,8

Guaçuí

30.685

688

3.465

11

5,0

9.386

79

178

2

2,3

11.012 112.927

144 1.870

551 9.115

5 8

3,8 4,9

Município

Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2,3) Rais 2014/Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Em relação à distribuição das empresas por setor de atividade, segundo as informações da Rais em 2014, os municípios que pertencem ao Núcleo Regional de Guaçuí apresentaram as seguintes participações: comércio (52,1%), serviços (30,1%) e indústria (17,8%). (Ver tabela 4.) Na análise por município, o setor comercial é o que mais se destaca, ficando Ibitirama com 64,6% nesse setor; São José do Calçado, com 54,9% das empresas; Dores do

Rio Preto com 54,6%; e Bom Jesus do Norte com 53,0%. No setor de serviços destacam-se os municípios de Alegre (34,8%), Apiacá (32,9%) e Bom Jesus do Norte, com 31,8%. No setor industrial destaca-se Divino de São Lourenço, com 36,7% das empresas nesse setor. Em Guaçuí, a quantidade de empresas ficou distribuída da seguinte forma entre os setores: comércio (51,3%), serviços (28,8%) e indústria (19,9%).

12


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 4. Participação de empresas nos principais setores de atividade Município

Indústria¹ Quant. Empresas

Comércio

Empresas (%)

Quant. Empresas

Serviços²

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

Total

Alegre

80

14,4

282

50,8

193

34,8

Apiacá

13

15,9

42

51,2

27

32,9

82

Bom Jesus do Norte

20

15,2

70

53,0

42

31,8

132

Divino de São Lourenço

27

45,0

11

18,3

60

555

22

36,7

Dores do Rio Preto

25

19,2

71

54,6

34

26,2

130

Guaçuí

137

19,9

353

51,3

198

28,8

688

Ibitirama

9

11,4

51

64,6

19

24,0

79

São José do Calçado

27

18,7

79

54,9

38

26,4

144

Total Regional Guaçuí

333

17,8

975

52,1

562

30,1

1.870

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Quanto à distribuição dos empregos formais por setor de atividade, ainda de acordo com a Rais em 2014, os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí apresentaram as seguintes participações: serviços (44,7%), indústria (17,4%) e comércio (37,9%). (Ver tabela 5.) Em Alegre o emprego formal é suprido, em grande parte, pelo setor de serviços (60,0%), seguido pelo município de Guaçuí onde o setor empregava 42,3%. O comércio teve destaque em Ibitirama (60,1%), São José do Calçado (51,6%) e Apiacá (43,8%). O setor industrial se destacou nos municípios de Divino de São Lourenço (46,1%), Bom Jesus do Norte (41,5%), São José do Calçado (27,2%) e Dores do Rio Preto (25,2%). Em Guaçuí, o emprego se distribuía entre comércio (42,9%), serviços (42,3%) e indústria (14,8%). Tabela 5. Participação de empregos nos principais setores de atividade Município

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Alegre

387

11,3

981

28,7

2.047

60,0

3.415

Apiacá

57

19,5

128

43,8

107

36,7

292

Bom Jesus do Norte

283

41,5

241

35,3

158

23,2

682

Divino de São Lourenço

77

46,1

66

39,5

24

14,4

167

Dores do Rio Preto

92

25,2

156

42,7

117

32,1

365

Guaçuí

513

14,8

1.488

42,9

1.464

42,3

3.465

Ibitirama

30

16,9

107

60,1

41

23,0

178

São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Empregos (%)

Total

Quant. Empregos

150

27,2

284

51,6

117

21,2

551

1.589

17,4

3.451

37,9

4.075

44,7

9.115

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

13


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3

PERFIL DOS SEGMENTOS NOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ 3.1. AGRICULTURA A maioria dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí possui um dinamismo econômico com base na agropecuária, distribuído entre a pecuária bovina (com predominância da produção de leite) e o cultivo de café. A estrutura fundiária é predominantemente de pequenas propriedades rurais, sendo 80% delas com área inferior a 50 hectares. Destaca-se, ainda o desenvolvimento do ecoturismo, agroturismo, turismo de aventura e artesanato, entre outras atividades.

3.2. INDÚSTRIA No conjunto dos sindicatos que compõem a Findes existiam, em 2014, 1.963 empregados em 469 empresas localizadas nos municípios pertencentes a este Núcleo Regional. (Ver tabela 6.) Somente o setor industrial (extrativa, transformação e construção) totalizava 312 empresas e 1.399 trabalhadores. Em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) quanto aos segmentos industriais, a indústria de transformação era constituída por 112 empresas, tendo gerado 998 empregos. Os principais destaques foram os municípios de Guaçuí, com 41 indústrias e 322 empregos gerados, e Alegre, com 25 indústrias e 247 empregados.

14


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

A indústria da construção contemplou 189 empresas, empregando 375 trabalhadores. Nesse segmento, Guaçuí é o município com maior número de empresas industriais (94) e 157 empregos gerados, seguido de Alegre, com 42 empresas e 68 trabalhadores.

Na indústria extrativa, os municípios que pertencem ao Núcleo Regional de Guaçuí aparecem com 11 empresas industriais, proporcionando 26 empregos. Alegre se destaca, com 19 pessoas em seis empresas.

Tabela 6. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Município Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte

Indústria Extrativa

Indústria de Transformação

Empresas Empregos Empresas Empregos 6 19 25 247 1 2 8 52

Indústria de Construção Empresas Empregos 42 68 3 1

Outros setores cujos sindicatos pertencem à Findes¹ Empresas Empregos 41 151 6 23

Total Empresas Empregos 114 485 18 78

2 2

4 1

7 3

226 27

9 16

42 47

13 1

42 2

31 22

314 77

0 0

0 0

10 41

64 322

14 94

26 157

9 69

32 280

33 204

122 759

São José do Calçado

0 0

0 0

4 14

13 47

5 6

17 17

8 10

12 22

17 30

42 86

Total Regional Guaçuí

11

26

112

998

189

375

157

564

469

1.963

Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Setores: Reparação de Veículos; Panificação; Indústria Gráfica; Serviços de Informática.

Quanto às divisões dos setores, na indústria extrativa (11 empresas), todas são do segmento de extração de minerais não-metálicos, com destaque para Alegre (seis empresas). (Ver tabela 7.) Na indústria de transformação (112 empresas), sobressaíram-se a fabricação de produtos alimentícios, com 26 indústrias; confecções de artigos do vestuário e acessórios, com 16 empresas; e fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, com 15 indústrias. O município

de Guaçuí foi o que mais se destacou nos dois primeiros segmentos, com respectivamente, 12 e oito empresas. Já no último, Alegre se sobressaiu, com seis empresas. Do total de 189 indústrias da construção, 128 pertencem ao segmento da construção de edifícios, 50 aos serviços especializados para construção e 11 às obras de infraestrutura. Nos dois primeiros casos, destacou-se Guaçuí (74 e 18 empresas, respectivamente). Em obras de infraestrutura, São José do Calçado foi o destaque, com três empresas.

15


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

1 0 0 0 1

Bom Jesus do Norte 2 0 0 0 2

Divino de São Lourenço 2 0 0 0 2

Dores do Rio Preto 0 0 0 0 0

0 25 2 0 1 6 0 1 0 1 0 0 0 0 3 0 6 0 0 0 0 0 1 1 3 42 34 2 6 41 25 15 0 1 0

0 8 2 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 2 0 1 0 0 0 1 0 1 1 0 3 1 2 0 6 4 2 0 0 0

0 7 2 0 1 1 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 0 9 5 2 2 13 6 7 0 0 0

0 3 0 0 0 0 0 3 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 16 1 0 15 1 0 1 0 0 0

0 10 2 0 0 0 0 3 0 0 0 0 0 0 2 0 1 0 0 0 0 0 0 1 1 14 7 0 7 9 3 6 0 0 0

114

18

31

22

33

Alegre

Apiacá

6 0 0 0 6

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

16


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes (Parte 2) Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

0 0 0 0 0

São José do Calçado 0 0 0 0 0

Regional Guaçuí 11 0 0 0 11

0 41 12 0 1 8 1 2 0 5 0 1 0 0 3 0 3 0 0 0 1 0 2 1 1 94 74 2 18 96 45 17 1 4 2

0 4 1 0 0 0 0 2 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 5 4 0 1 8 5 3 0 0 0

0 14 5 1 0 1 0 0 0 0 0 1 0 0 3 0 3 0 0 0 0 0 0 0 0 6 2 3 1 10 3 7 0 0 0

0 112 26 1 3 16 2 12 0 6 0 2 0 0 13 0 15 0 0 0 1 0 5 5 5 189 128 11 50 157 91 58 1 5 2

17

17

30

469

Guaçuí

Ibitirama

0 0 0 0 0

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

17


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

2 0 0 0 2

Bom Jesus do Norte 4 0 0 0 4

Divino de São Lourenço 1 0 0 0 1

Dores do Rio Preto 0 0 0 0 0

0 247 2 0 20 108 0 8 0 4 0 0 0 0 74 0 20 0 0 0 0 0 3 1 7 68 60 1 7 151 59 91 0 1 0

0 52 3 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 8 0 1 0 0 0 0 0 1 38 0 1 0 1 0 23 21 2 0 0 0

0 226 10 0 207 5 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 2 0 42 6 20 16 42 31 11 0 0 0

0 27 0 0 0 0 0 27 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 47 0 0 47 2 0 2 0 0 0

0 64 10 0 0 0 0 28 0 0 0 0 0 0 12 0 1 0 0 0 0 0 0 8 5 26 8 0 18 32 22 10 0 0 0

485

78

314

77

122

Alegre

Apiacá

19 0 0 0 19

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

18


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes (Parte 2) Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

0 0 0 0 0

São José do Calçado 0 0 0 0 0

Regional Guaçuí 26 0 0 0 26

0 322 88 0 1 147 2 10 0 26 0 6 0 0 19 0 8 0 0 0 6 0 3 4 2 157 120 4 33 280 192 63 0 17 8

0 13 0 0 0 0 0 11 0 0 0 0 0 0 0 0 2 0 0 0 0 0 0 0 0 17 17 0 0 12 4 8 0 0 0

0 47 7 26 0 2 0 0 0 0 0 2 0 0 7 0 3 0 0 0 0 0 0 0 0 17 3 13 1 22 3 19 0 0 0

0 998 120 26 228 262 3 85 0 30 0 8 0 0 120 0 35 0 0 0 6 0 8 53 14 375 214 39 122 564 332 206 0 18 8

759

42

86

1.963

Guaçuí

Ibitirama

0 0 0 0 0

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

19


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Na análise dos empregos por segmento, na indústria extrativa (26), todos estão no segmento de extração de minerais não-metálicos, sobressaindo-se o município de Alegre (19 empregados). (Ver tabela 8.) Na indústria de transformação (998 empregos), a indústria de confecção de artigos do vestuário e acessórios empregava, em 2014, 262 pessoas, com destaque para Guaçuí (147) e Alegre (108). A indústria de fabricação de produtos têxteis possuía 228 trabalhadores, sobressaindo-se Bom Jesus do Norte (207). Já o segmento de fabricação de produtos alimentícios empregou 120 pessoas, sendo 88 somente em Guaçuí. A indústria de fabricação de produtos de minerais não-metálicos também contabilizou 120 postos de trabalho, sendo a maioria em Alegre (74), seguido de Guaçuí (19) e Dores do Rio Preto (12). A indústria da construção empregou 375 trabalhadores, sendo 214 na construção de edifícios e os destaques foram: Guaçuí (120)

e Alegre (60). As obras de infraestrutura absorveram 39 trabalhadores e os serviços especializados para construção, 122 pessoas. São José do Calçado se destacou no primeiro segmento, com 13 trabalhadores, e Guaçuí no segundo, empregando 33 pessoas. Quanto ao porte do segmento industrial, os municípios que pertencem ao Núcleo Regional de Guaçuí são compostos, em sua maioria, por micro e pequenas empresas (468). Apenas uma empresa é de porte médio, situada em Bom Jesus do Norte e responsável por 207 empregos, segundo dados da Rais 2014/MTE. (Ver tabela 9.) Os municípios de Guaçuí e Alegre são os que mais se destacam em número de empresas e empregos. O primeiro, com 198 microempresas e 556 empregados, e seis pequenas empresas com 203 empregos. O segundo com 109 microempresas e 291 empregados, e, cinco empresas de médio porte, com 194 trabalhadores.

Tabela 9. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Micro

Município

Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Pequena

Média

Empresas Empregos Empresas Empregos

Grande

Empresas Empregos

Total

Empresas Empregos

Empresas Empregos

109 17

291 40

5 1

194 38

0 0

0 0

0 0

0 0

114 18

485 78

30 22

107 77

0 0

0 0

1 0

207 0

0 0

0 0

31 22

314 77

33 198

122 556

0 6

0 203

0 0

0 0

0 0

0 0

33 204

122 759

17 29

42 60

0 1

0 26

0 0

0 0

0 0

0 0

17 30

42 89

445

1.295

13

461

1

207

0

0

469

1.963

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

20


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí possuem um parque industrial composto pelos setores de minerais

não-metálicos, madeira e móveis, confecções e têxtil, derivados da pecuária e alimentos (figura 1).

Figura 1. Distribuição do parque industrial

Ibitirama

Dores do Rio Preto

Divino São Lourenço

Alegre

Guaçuí

Legenda Minerais não-metálicos São José do Calçado

Derivados da pecuária Confecções e têxtil Madeira e Móveis

Bom Jesus do Norte

Apiacá

Alimentos

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS Nos municípios que pertencem ao Núcleo Regional de Guaçuí o setor de comércio e serviços também é dinâmico, em função de sua integração com a Região Metropolitana da Grande Vitória. No que se refere ao valor adicionado no município de Guaçuí, a participação desses setores era de 49,5% no total do município em 2013. Além de Guaçuí, vários municípios possuem percentuais acima de 30% nas atividades de comércio e serviços no valor adicionado: Alegre, Apiacá, Bom Jesus do Norte e São José do Calçado. (Ver tabela 2.) Em relação à quantidade de empresas e empregos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí, os setores de serviços contemplavam em 2014, segundo o MTE, 562 empresas e 4.075 empregados,

e o setor comercial, 975 empresas gerando 3.451 empregos. (Ver tabelas 4 e 5.) Quanto à participação das empresas no setor de serviços, os principais destaques foram os municípios de Alegre (34,8%), seguido de Apiacá (32,9%) e Bom Jesus do Norte (31,8%). As principais participações do setor comercial foram dos municípios de Ibitirama (64,6%), São José do Calçado (54,9%) e Dores do Rio Preto (54,6%). (Ver tabela 4.) Os municípios que concentravam a maioria dos empregos do setor de serviços em 2014 eram Alegre (60,0%), Guaçuí (42,3%) e Apiacá (36,7%). As maiores participações do setor comercial foram dos municípios de Ibitirama (60,1%) e São José do Calçado (51,6%). (Ver tabela 5.)

21


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ 4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO Segundo informações do IBGE referentes a 2010, a composição por idade da população sinaliza importantes características sobre a utilização dos equipamentos públicos de saúde e educação, a adequação do mercado de trabalho e as políticas de seguridade social. Populações compostas por uma participação relativa de jovens e adultos superior à de crianças e idosos encontram-se em um contexto demográfico favorável denominado janela demográfica. Nesse cenário, existe uma proporção maior de pessoas em idade ativa favorecendo a realização de investimentos adicionais para promover o crescimento econômico e reduzir a pobreza. As características demográficas dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí são bastante diversificadas e, em sua maior parte, apresentam pirâmides etárias típicas de populações que iniciam o processo de entrada na janela demográfica, com estreitamento da base e alargamento do corpo. É observada uma população de crianças e jovens mais expressiva nos municípios de Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto e Ibitirama. Destacam-se as pirâmides etárias mais alargadas nos municípios de Apiacá, Bom Jesus do Norte e Guaçuí, cuja população de jovens e adultos vem apresentando crescimento superior ao de crianças. As pirâmides etárias dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí estão dispostas a seguir:

22


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 2. Pirâmide Etária - Alegre - 2010 Mulheres Homens

Gráfico 4. Pirâmide Etária - Bom Jesus Mulheres do Norte - 2010 Homens

80+

80+ 70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

Faixa Etária (anos)

70 a 79 anos 60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

10 a 19 anos

10 a 19 anos

0 a 9 anos

0 a 9 anos

Gráfico 3. Pirâmide Etária - Apiacá - 2010

Gráfico 5. Pirâmide Etária - Divino de São Lourenço - 2010 Mulheres

Mulheres Homens

Homens

80+

80+

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

Faixa Etária (anos)

70 a 79 anos

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

10 a 19 anos

10 a 19 anos

0 a 9 anos

0 a 9 anos

23


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 6. Pirâmide Etária - Dores do Rio Preto - 2010 Mulheres

Gráfico 8. Pirâmide Etária - Ibitirama - 2010 Mulheres

Homens

Homens

80+

80+ 70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

Faixa Etária (anos)

70 a 79 anos 60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

10 a 19 anos

10 a 19 anos

0 a 9 anos

0 a 9 anos

Gráfico 7. Pirâmide Etária - Guaçuí - 2010 Mulheres Homens

Gráfico 9. Pirâmide Etária - São José do Calçado - 2010 Mulheres Homens

80+

80+

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

60 a 69 anos

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

10 a 19 anos

10 a 19 anos

0 a 9 anos

0 a 9 anos

24


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) No país, o Espírito Santo registrou um salto de 46,5% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre 1991 e 2010, um avanço consistente puxado pela melhora acentuada dos municípios menos desenvolvidos nas três dimensões acompanhadas pelo índice: longevidade, educação e renda. Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP), com base nos censos demográficos do IBGE de 1991 a 2010. A composição do IDH compreende indicadores de longevidade, educação e renda, pois assume que, para viver do modo que desejam, as pessoas precisam pelo menos ter a possibilidade de levar uma vida longa e saudável, acesso ao conhecimento e a oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O IDHM ajusta o IDH para a realidade dos municípios e reflete as especificidades e desafios regionais no alcance do desenvolvimento humano no Brasil. Para aferir o nível de desenvolvimento humano dos municípios, as dimensões são as mesmas do IDH Global – longevidade, educação e renda - e mais 250 indicadores. O índice varia entre 0 (valor mínimo) e 1 (valor máximo) e são utilizados os seguintes níveis de classificação: Muito Alto (0,800 a 1), Alto (0,700 a 0,799), Médio (0,600 a 0,699), Baixo (0,500 a 0,599) e Muito Baixo (0,000 a 0,499). Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade

Figura 2. Distribuição do IDHM médio

Ibitirama

Ibitirama

0,622 Dores do Rio Preto

0,654

0,821

Divino São Lourenço

Dores do Rio Preto

0,632

0,813

0,819

Alegre

0,721

Guaçuí

0,703

Alegre

0,839

Guaçuí

0,846

São José do Calçado

0,688

Apiacá

Bom Jesus do Norte

0,734

Divino São Lourenço

0,673

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

São José do Calçado

0,814

Apiacá

Bom Jesus do Norte

0,841

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

0,689

25


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

O IDHM médio dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí em 2010 registrou alto índice de desenvolvimento humano nos seguintes municípios: Alegre, Guaçuí e Bom Jesus do Norte. (Ver figura 2.) O IDHM dimensão longevidade foi o que mais contribuiu, em termos absolutos, para o nível do IDHM do Estado em 2010. Foi também o componente que apresentou a menor distância até 1. Esse índice apresentou nível muito alto de desenvolvimento da dimensão longevidade para todos os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí, exceto Bom Jesus do Norte (figura 3). O IDHM dimensão educação foi o que teve os menores níveis de contribuição e também o que apresentou o pior índice. Divino de São Lourenço e Ibitirama registraram nível “muito baixo” em 2010. Nos municípios de Alegre e Bom Jesus do Norte, esse índice registrou nível médio de desenvolvimento quanto ao acesso ao conhecimento e nível baixo de desenvolvimento nos demais municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí (figura 4.) No IDHM renda, em 2010 foi observado nível de alto desenvolvimento apenas em Alegre. Os demais municípios apresentaram nível médio de desenvolvimento quanto à oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O método de cálculo do IDHM renda utiliza uma fórmula logarítmica que aproxima os maiores valores de renda per capita dos menores e, com isso, reduz a disparidade de renda existente na perspectiva intramunicipal (figura 5.)

Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação

Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda

Ibitirama

Ibitirama

0,609

0,481 Dores do Rio Preto

0,542

Divino São Lourenço

Dores do Rio Preto

0,496

0,635 Alegre

0,630

Guaçuí

0,595

São José do Calçado

0,599

Apiacá

Bom Jesus do Norte

0,677

0,549

Divino São Lourenço

0,622 Alegre

0,708

Guaçuí

0,691

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

São José do Calçado

0,669

Apiacá

Bom Jesus do Norte

0,659

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

0,689

26


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO Um país vive uma situação de bônus demográfico quando a população economicamente ativa (PEA) supera com boa margem a de dependentes. O aproveitamento desse bônus demográfico pode gerar crescimento econômico, caso a PEA esteja preparada em termos educacionais e de qualificação profissional de qualidade para atuar no mercado de trabalho atual. No mundo globalizado, o mercado de trabalho mostra-se cada vez mais exigente, ou seja, à medida que o tem-

po passa e o mundo evolui, muito além da experiência profissional, é preciso adquirir e renovar o conhecimento. No início da década de 2010, praticamente a totalidade dos jovens e adolescentes de 15 a 24 anos dos municípios do Núcleo Regional de Guaçuí encontrava-se alfabetizada. Bom Jesus do Norte e Guaçuí registraram percentuais superiores a 99%, segundo dados do censo demográfico de 2010 do IBGE (gráfico 10).

Gráfico 10. Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 98,2

99,5

98,1

97,7

Quanto aos índices de frequência à escola por crianças e adolescentes no Ensino Fundamental (idades entre sete e 14 anos), a maioria dos municípios do Núcleo Regional de Guaçuí – com destaque para Bom Jesus do Norte (98,6%), Alegre (97,7%) e Divino de São Lourenço (97,5%) – possuem excelentes indicadores, que podem garantir melhor am-

99,2 97,3

96,1

97,9

biência para o crescimento (gráfico 11). Ainda assim, melhorar os níveis de qualificação do capital humano se faz necessário para a promoção do desenvolvimento econômico dos municípios desse Núcleo Regional, que só será atingido com a elevação na qualidade do ensino.

27


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 11. Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 97,7

97,4

98,6

97,5 94,7

97,0

97,3

97,2

Os municípios que apresentaram os melhores índices de frequência à escola no Ensino Médio por jovens entre 15 e 17 anos foram: Alegre (75,1%), Dores do Rio Preto (75,3%) e Apiacá (70,1%). Os municípios de Bom Jesus do Norte (58,9%) e Ibitirama (57,0%) apresentaram as menores taxas de frequência dos jovens à escola (gráfico 12). Gráfico 12. Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 75,1

70,1

58,9

64,9

75,3

66,0

57,0

67,2

28


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5

PERFIL FINANCEIRO DOS MUNICÍPIOS PERTENCENTES AO NÚCLEO REGIONAL DE GUAÇUÍ 5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA Para os municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí, a receita total registrou um crescimento de 8,6%, passando de R$ 269,9 milhões, em 2013, para R$ 293,1 milhões, em 2014 (gráfico 13). Gráfico 13. Evolução da receita total dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí em R$ milhões - IPCA médio de 2014

233,2

248,2

2009

2010

278,2

294,6

269,9

293,1

2011

2012

2013

2014

Quanto ao desempenho em 2014, destacaram-se os municípios de Alegre e Bom Jesus do Norte, que apresentaram crescimento superior a 10% em relação a 2013. Em Alegre, a receita total foi de cerca de R$ 73,9 milhões em 2014, 12,0% a mais do que em 2013, e o município concentrou aproximadamente 25,2% de toda a receita do Núcleo. Guaçuí também se sobressaiu, com uma receita aproximada de R$ 71,1 milhões, 9,2% a mais que em 2013, concentrando 24,2% da receita do Núcleo Regional em 2014. (Ver tabela 10.)

29


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 10. Evolução da receita total 2009

2010

Alegre

65.637

65.057

73.284

Apiacá

17.984

19.274

21.904

Bom Jesus do Norte

19.059

21.621

22.389

Município

2011

2012

Variação Partic. rec. 2014 / 2013 total¹ 2014 em%

2013

2014

74.155

65.951

73.854

12,0

24.734

22.743

22.107

-2,8

7,5

24.386

21.706

24.653

13,6

8,4

em R$ mil - IPCA médio de 2014

25,2

Divino de São Lourenço

12.446

14.048

15.955

18.023

16.494

17.975

9,0

6,1

Dores do Rio Preto Guaçuí

16.284 56.441

17.945 59.861

19.604 68.635

22.487 68.440

20.279 65.107

22.260 71.068

9,8 9,2

7,6 24,2

Ibitirama

18.973

22.668

25.892

27.594

27.446

28.495

3,8

9,7

São José do Calçado Total Regional Guaçuí

26.423 233.247

27.725 248.199

30.552 278.215

34.736 294.555

30.192 269.918

32.712 293.123

8,3 8,6

11,2 100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

A receita per capita média dos municípios do Núcleo Regional, em 2014, foi de R$ 2.603, alcançando o maior valor por habitante em Divino de São Lourenço (R$ 3.850) e o menor em Alegre (R$ 2.291), com populações de 4.649 e 32.205 habitantes, respectivamente,

segundo estimativa do IBGE. (Ver tabelas 1 e 3.) Pode existir certa discrepância entre as receitas das cidades, em termos populacionais, ficando os municípios menores com as maiores receitas per capita (gráfico 14).

Gráfico 14. Receita per capita dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí - 2014

Divino de São Lourenço

3.850,0

Dores do Rio Preto

3.245,0 3.034,0

São José do Calçado

2.974,0

Apiacá

2.791,0

Núcleo Regional Guaçuí

2.603,0

Bom Jesus do Norte

2.432,0

Guaçuí

2.336,0

Alegre

2.291,0

30


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

receitas próprias, aliado às atividades de extração de pedra, areia e argila nos territórios desse Núcleo Regional, o que gera um valor adicionado fiscal (VAF) considerável em relação à receita total desses municípios. Os royalties e participações especiais compuseram 6,3% da receita total do Núcleo Regional, sendo que em Divino de São Lourenço essa participação foi de 11,6% da receita total do município. Os tributos municipais representaram apenas 5,3% da receita total dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí, em 2014. Em Alegre e Guaçuí as participações foram acima de 7%. A principal explicação para isso é o fato de possuírem uma pequena base de tributação de impostos como IPTU, ITBI, IRRF e ISS. O restante da receita (45,8%) se compõe de contas menores, como receitas de contribuições, patrimoniais,de capital, entre outras.

Boa parte da receita dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí é composta pelas transferências federais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), com cerca de 26,0% na receita total desse Núcleo Regional em 2014. Em todos os municípios as transferências do FPM superam a QPM-ICMS, com destaque para Divino de São Lourenço e Apiacá, onde as transferências corresponderam a 37,5% e 30,5%, respectivamente, de suas receitas totais. (Ver tabela 11.) Em seguida, aparecem as receitas da quota-parte municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) transferida pelo governo estadual (16,6% em 2014). Em Divino de São Lourenço, Ibitirama e Dores do Rio Preto, essas transferências têm sido elevadas, respondendo, em 2014, por 24,5%, 20,3% e 20,2%, respectivamente. Isso ocorre devido ao baixo volume de suas

Tabela 11. Valor e composição da receita total - 2014 Tributos Município

Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

FPM

QPM-ICMS

Royalties e participações especiais

Outros

Receita total¹

Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) 5,4 0,7 1,0 0,5 0,7 5,0 1,2 1,2 15,7

7,3 3,2 4,2 2,5 2,9 7,0 4,2 3,6 5,4

18,0 6,7 6,7 6,7 6,7 15,7 6,7 9,0 76,3

24,3 30,5 27,4 37,6 30,3 22,1 23,5 27,5 26,0

12,1 4,0 3,4 4,4 4,5 8,9 5,8 5,5 48,6

16,4 18,1 14,0 24,6 20,2 12,5 20,3 16,8 16,6

2,9 2,1 2,1 2,1 2,1 2,8 2,1 2,2 18,3

3,9 9,4 8,5 11,6 9,4 4,0 7,4 6,7 6,3

35,5 8,6 11,4 4,3 8,3 38,7 12,7 14,8 134,2

48,1 38,8 46,2 24,0 37,2 54,4 44,6 45,4 45,8

73,9 22,1 24,6 17,9 22,3 71,1 28,5 32,7 293,1

100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

31


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Todos os municípios apresentaram expressivo acréscimo na receita, entre 2009 e 2014, fruto da estabilização e fortalecimento da economia. Nesse Núcleo Regional também não foi diferente. Nesse período, a receita total do Núcleo teve um aumento acumulado de 25,7%, a uma taxa anual média de 4,7%, destacando-se Ibitirama e Divino de São Lourenço, com percentuais de 8,5% e 7,6%, nessa ordem. O menor crescimento ocorreu em Alegre: 2,4%. (Ver tabela 12.) Tabela 12. Desempenho da receita total

Município Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Receita Total¹ Receita per capita 2014 em R$

Aumento acumulado 2009 /2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

2.291,0 2.791,3 2.432,2 3.849,8 3.245,4 2.336,4 3.033,6 2.973,9 2.602,5

12,5 22,9 29,4 44,4 36,7 25,9 50,2 23,8 25,7

2,4 4,2 5,3 7,6 6,5 4,7 8,5 4,4 4,7

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

32


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Saiba Mais Principais itens da receita municipal Tributos: Formado pela arrecadação do IPTU, ISS, ITBI, IRRF e taxas municipais. FPM: Transferência constitucional da União, formada por 23,5% da arrecadação federal do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A cada dez dias (normalmente nos dias 10, 20 e 30 de cada mês), o governo federal credita o FPM na conta dos municípios. O volume de recursos que cada cidade recebe depende de seu coeficiente no FPM, que é atribuído de acordo com a população do município. QPM-ICMS: A Constituição Federal determina que os estados devem transferir 25% da arrecadação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos respectivos municípios. Toda semana (normalmente às terças-feiras) o governo estadual credita na conta dos municípios sua parcela do ICMS, de acordo com seu índice de participação (IPM). Esse índice tem vigência anual e o principal critério adotado para seu cálculo é o valor adicionado fiscal (VAF) gerado pelas empresas instaladas nos territórios do município. Assim quanto mais “rica” a cidade, mais ela recebe de transferência estadual do ICMS. Fonte: Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Acompanhando o ritmo acelerado da receita, as despesas com pessoal também se elevaram nos últimos anos, em compasso semelhante ao da receita. A taxa anual média das despesas, entre 2009 e 2014 foi de 4,6%. (Ver tabela 13.) No período entre 2009 e 2014, os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 25,5%. As maiores elevações com essa despesa ocorreram em São José do Calçado, Bom Jesus do Norte, Dores do Rio Preto, Alegre e Ibitirama. Já em Guaçuí o aumento acumulado foi de 3,3%, o menor. Apesar do aumento das despesas com pessoal, esses municípios não têm ultrapassado o limite máximo de 60% em relação à participação na receita, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em 2014, esse indicador, no total da Regional, tem flutuado em torno dos 50,6%. Porém, Alegre mostrou participação mais preocupante (59,9%).

33


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 13. Desempenho do gasto com pessoal Gasto com pessoal

Município

Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

36,2 19,6 45,5 37,5 17,4 35,8 61,5 25,5

Participação na receita total - 2014 (%)

6,4 3,7 7,8 6,6 3,3 6,3 10,1 4,6

59,9 53,7 53,6 46,4 49,7 51,1 57,3 50,6

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Na composição das despesas dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí em 2014, o maior peso coube ao item pessoal (55,0%), seguido de custeio (34,6%), investimento (8,9%) e encargos e amortizações da dívida (1,5%). Alegre apresentou o maior valor em despesa com pessoal (R$ 44,2 milhões), correspondendo a 61,5% da despesa total do município. No item custeio, o maior valor foi do município de Guaçuí, com R$ 24,2 milhões, correspondendo a 35,1% de sua despesa total. Na despesa com investimento também vale destacar Guaçuí (R$ 7,5 milhões), com 10,9% da despesa total do município nessa rubrica. No item encargos e amortizações da dívida novamente o município de Guaçuí se destaca, com R$ 1,9 milhões, correspondendo a 2,7% de sua despesa total. (Ver tabela 14.) Tabela 14. Valor e composição da despesa total - 2014 Pessoal Município

Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Custeio

Investimento

Encargos e amortizações da dívida

Despesa Total

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

44,2 11,8 13,2 10,3 35,3 14,6 18,8 148,2

61,5 55,7 51,3 52,4 51,2 51,1 56,0 55,0

21,9 8,5 8,2 7,1 24,2 11,6 11,7 93,2

30,5 40,1 31,9 36,0 35,2 40,7 34,9 34,6

4,8 0,7 4,2 2,0 7,5 2,1 2,7 24,0

6,6 3,2 16,4 9,9 10,9 7,4 8,1 8,9

1,0 0,2 0,1 0,3 1,9 0,2 0,3 4,0

1,5 0,9 0,4 1,7 2,7 0,6 0,9 1,5

71,9 21,2 25,7 19,7 68,9 28,5 33,5 269,4

100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes

34


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Visto que a maior parte das despesas já está atrelada a custos fixos (pessoal e demais custeios), a opção mais comum é o corte nos gastos com investimentos públicos, paralisando obras ou atrasando a compra de equipamentos, entre outros. Outro indicador que se destacou foi o de investimentos públicos, que são recursos aplicados em realizações de obras, desapropriações e aquisições de equipamentos. Em 2014, os investimentos públicos dos municípios pertencentes ao Núcleo Regional de Guaçuí apresentaram um crescimento de

87,5%, passando de R$ 12,8 milhões, em 2013, para R$ 24,0 milhões, em 2014 (gráfico 15).

Gráfico 15. Evolução do volume total de investimentos públicos dos municípios pertencentes ao Núcleo de Guaçuí em R$ milhões - IPCA médio de 2014 35,2 29,7

33,8 24,0

23,3 12,8

2009

2010

2011

2012

2013

2014

4

35


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

O volume total de investimentos públicos nos municípios pertencentes ao Núcleo registrou um aumento acumulado de 5,9% no período entre 2009 e 2014, sendo a taxa anual média de 1,2%. As melhores performances em termos de crescimento foram verificadas em Alegre, Bom Jesus do Norte, Dores do Rio Preto e Ibitirama, onde os investimentos tiveram um aumento acumulado superior a 10%. (Ver tabela 15.) Tabela 15. Desempenho dos investimentos públicos Município Alegre Apiacá Bom Jesus do Norte Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibitirama São José do Calçado Total Regional Guaçuí

Investimento Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na despesa total 2014 (%)

10,1 -58,0 80,7 32,0 -6,0

2,0 -15,9 12,6 5,7 -1,2

6,6 3,2 16,4 9,9 10,9

85,7 -27,0 5,9

13,2 -6,1 1,2

7,4 8,1 8,9

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018 Não estão previstos grandes investimentos industriais nos municípios pertencentes ao Núcleo da Findes em Guaçuí e região para o período entre 2016 e 2018.

36


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6

CARACTERIZAÇÃO DO PLANO DE INVESTIMENTOs DO SISTEMA FINDES O plano de investimentos do Sistema Findes, elaborado nas gestões 2011/2014 e 2014/2017, cuja execução irá até 2017, está estimado em um total de R$ 200 milhões na modernização dos laboratórios do Senai, na expansão da rede de prestação de serviços de educação básica, educação profissional, educação corporativa, saúde, segurança e qualidade de vida do trabalhador, com reformas, ampliações e construções de novas unidades do Sesi e do Senai. Estão sendo realizados investimentos para modernização tecnológica da ordem de aproximadamente R$ 82 milhões em laboratórios do Senai, nas áreas técnicas de alimentos, automobilística, elétrica residencial e industrial, ensaios destrutivos (construção civil), hidráulica, informática, marcenaria, mecânica, automação industrial, plásticos, meio-ambiente, vestuário e segurança e saúde do trabalho.

37


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 6. Agência de Treinamento Municipal

6.1 Agência de Treinamento Municipal A Agência de Treinamento conceitua-se como um estabelecimento instalado e equipado para o atendimento às demandas de educação, educação profissional, educação tecnológica e para o trabalho, objetivando atender à prestação de serviços para as indústrias da região e do município. É uma parceria realizada entre as prefeituras municipais e o Sesi/Senai/IEL objetivando ampliar o acesso da população aos cursos profissio-

nalizantes, elevando a qualificação da m��o de obra local para a inserção e manutenção no mercado de trabalho. Atualmente estão em funcionamento as ATMs de Santa Teresa, Itarana-Itaguaçu, Sambão do Povo em Vitória, Ibiraçu, São Gabriel da Palha e Guaçuí. A Agência de Treinamento de Castelo está prevista para iniciar suas atividades ainda neste ano de 2016.

38


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 7. Escola Móvel

6.2 Escola Móvel O Sistema conta com a Escola Móvel, nome comercial dado ao Centro Integrado de Ações Móveis do Sesi/Senai/IEL do Espírito Santo, que compreende as ações das entidades que se deslocam para atendimentos em locais onde, preferencialmente, não existem atuações em unidades fixas, levando produtos e serviços do sistema indústria a toda

a população capixaba, independentemente das distâncias e das dificuldades de acesso, incrementando assim a interiorização do desenvolvimento. A Escola Móvel já passou pelos municípios de Baixo Guandu, Governador Lindenberg, Santa Maria de Jetibá e passará também pelo município de Cariacica.

39


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6.3 Unidade Integrada de Ações Móveis Unidade Integrada de Ações Móveis é a unidade operacional com metas e orçamentos próprios, que coordena, controla e administra todas as Ações Móveis do Sesi e Senai voltadas para a educação com o recurso de kits, módulos educacionais e Unidades Móveis (carretas, ônibus e vans). As Unidades Móveis levam a educação

profissional para localidades que não contam com escolas fixas do Senai ou para atender às demandas da indústria. Ao todo, são 16 Unidades Móveis em funcionamento, contemplando os segmentos de construção civil, vestuário, madeira e mobiliário, metalmecânico e a unidade frigorífica recentemente inaugurada.

Figura 8. Unidades móveis (carretas)

40


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Saiba Mais FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESPÍRITO SANTO - FINDES Endereço: Avenida Nossa Senhora da Penha, nº 2.053, Ed. Findes – 3º andar Site: sistemafindes.org.br Bairro: Santa Lúcia, Vitória/ ES – CEP: 29.056-913 Telefone: (27)3334-5600/ 3334-5733 DIRETORIA REGIONAL DA FINDES EM GUAÇUÍ Endereço: Parque Industrial BR- 482 Bairro: Guaçuí/ ES – CEP: 29560-000 Telefone: (28) 3522-3080 / (28) 3521-7726

41


Publicação do IDEIES | setembro 2016 | Nº 2 | Ano 02 Diretoria Plenária 2014 – 2017 Presidente da Findes - Marcos Guerra 1º Vice-presidente da Findes - Gibson Barcelos Reggiani Vice-presidentes da Findes - Aristoteles Passos Costa Neto, Benízio Lázaro, Clara Thais Rezende Cardoso Orlandi, Elder Elias Giordano Marim, Egídio Malanquini, Houberdam Pessotti, Leonardo Souza Rogerio de Castro, Manoel de Souza Pimenta Neto, Sebastião Constantino Dadalto 1º Diretor administrativo da Findes - José Augusto Rocha 2º Diretor administrativo da Findes - Sérgio Rodrigues da Costa 1º Diretor financeiro da Findes - Tharcicio Pedro Botti 2º Diretor financeiro da Findes - Ronaldo Soares Azevedo 3º Diretor financeiro da Findes - Flavio Sergio Andrade Bertollo Diretores Almir José Gaburro | Atilio Guidini | Elias Cucco Dias | Emerson de Menezes Marely | Ennio Modenesi Pereira II | Jose Carlos Bergamin | José Carlos Chamon | Luiz Alberto de Souza Carvalho | Luiz Carlos Azevedo de Almeida | Luiz Henrique Toniato | Loreto Zanotto | Mariluce Polido Dias | Neviton Helmer Gasparini | Ocimar Sfalsin | Ortêmio Locatelli Filho | Ricardo Ribeiro Barbosa | Samuel Mendonça | Sérgio Rodrigues da Costa | Silésio Resende de Barros | Tullio Samorini | Vladimir Rossi Superintendente corporativo - Marcelo Ferraz Goggi Vice-presidente institucional: Bruno Moreira Balarini Diretor adjunto: Elias Carvalho Soares Composição do Conselho: Em processo de estruturação Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo - Ideies Presidente - Marcos Guerra Diretor para Assuntos do Ideies - Egídio Malanquini Diretor-executivo - Antonio Fernando Doria Porto Gerência Executiva de Economia Criativa Sesi/Senai/ES Gerente-executivo - Antonio Fernando Doria Porto Unidade de Defesa de Interesses (UDI) - Elizângela de Souza Rodrigues Unidade de Economia Criativa (UEC) - Karina Goldner Fideles Biriba Unidade de Gestão do Conhecimento (UGC) - Aline Elisa Cotta d’Avila Unidade de Gestão da Informação (UGI) - Cintia Busato Franco Equipe de Produção - Antonio Fernando Doria Porto | Cíntia Busato Franco Andressa Kelly de Oliveira | Cleide Maria Perin Motta | Nathan Marques Diirr | Flaviana Silva de Oliveira Santos | Taíssa Farias Soffiatti


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Caminhos para o Desenvolvimento Regional Núcleo Regional de Guaçuí © 2016

44


Caminhos para o desenvolvimento regional - Guaçuí e região