Page 1

CADERNO IDEIES DE INFORMAÇÕES MUNICIPAIS SISTEMA FINDES Diretorias Regionais da Grande Vitória 2ª Edição | 2016


carta ao leitor Lançamos há dois anos a série Caminhos para o Desenvolvimento Regional, iniciativa inédita da Federação das Indústrias do Espírito Santo que mapeou os diferentes setores produtivos do Estado. De lá para cá, muita coisa mudou no Brasil e no mundo, mas uma certeza foi preservada: a economia capixaba possui grande potencial de crescimento e uma das indústrias mais relevantes do país. Cientes disso, iniciamos em nossa gestão um trabalho intenso de interiorização das ações do Sistema Findes, não apenas instalando novas diretorias regionais, mas ouvindo, de fato, o que cada região tem a contribuir. Como resultado, desenvolvemos projetos para a ampliação da competitividade da indústria local, principalmente Marcos Guerra por meio da qualificação profissional. Presidente do Sistema Findes/ Cindes Conhecendo a vocação de cada município, percebemos a necessidade de criar novas diretorias regionais. Assim nasceram as unidades de Guaçuí (que abrange oito municípios da região do Caparaó); Vila Velha; Serra; Cariacica (que também engloba Viana); Santa Maria de Jetibá (representando seis cidades); e Barra de São Francisco (composta por seis municípios do norte do Estado). A atualização do Caminhos para o Desenvolvimento Regional joga luz sobre o perfil das novas diretorias, destacando a atuação da indústria em cada região, sua influência na economia local e importância para a geração de renda. O trabalho de inteligência do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies) auxilia no planejamento da iniciativa privada e dos poderes constituídos, orientando ações futuras. O Espírito Santo está passando por grandes mudanças, atraindo investimentos focados nas cadeias globais de valor. É preciso conhecer em detalhes a riqueza criativa e natural de cada município capixaba, estimulando o aperfeiçoamento das micro e pequenas indústrias – maiores empregadores do Estado – e sua inclusão nos novos nichos de negócios e nas oportunidades que surgirão. Nosso Estado é muito pequeno para ser dividido entre Grande Vitória e interior. Com a força institucional da Findes, munidos de informações robustas como esta publicação, conseguiremos sempre intermediar o diálogo com as grandes indústrias, aproximá-las das micro e pequenas, criando novas oportunidades para os trabalhadores e para quem gera empregos no Espírito Santo.


Diretoria de Vitória

1 2 3 4 5

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

16

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

17

2.1. A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

17

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

18

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

20

3.1 INDÚSTRIA

20

3.2. COMÉRCIO E SERVIÇOS

24

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

25

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO

25

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM)

25

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO

27

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

28


6 1 2 3

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA

28

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA

30

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018

31

CARACTERIZAÇÃO DO PLANO DE INVESTIMENTOs DO SISTEMA FINDES

32

6.1 Agência de Treinamento Municipal

32

6.2 Escola Móvel

33

6.3 Unidade Integrada de Ações Móveis

34

6.4 Investimentos no município de Vitória

34

diretoria de vila velha O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

35

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

36

2.1. A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

36

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

37

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNÍciPIO DE VILA VELHA

39

3.1 AGRICULTURA

39


4 5 6

3.2. INDÚSTRIA

39

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS

43

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

44

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO

44

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM)

45

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO

46

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

47

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA

47

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA

49

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018

50

INVESTIMENTOS DO SISTEMA FINDES NA 51 DIRETORIA DE VILA VELHA

diretoria de serra

1

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE SERRA

52


2

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SERRA

53

2.1. A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE SERRA

53

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE SERRA 54

3 4 5

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNICÍPIO DE SERRA 56 3.1 INDÚSTRIA

56

3.2. COMÉRCIO E SERVIÇOS

60

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE SERRA

61

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO

61

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM)

62

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO

63

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE SERRA

64

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA

64

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA

66

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018

67


6

INVESTIMENTOS DO SISTEMA FINDES NA DIRETORIA DE SERRA 69

diretoria de cariacica e viana

1 2 3 4

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DOS 70 MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA

CARACTERIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA 71 2.1. A ECONOMIA DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA

71

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA

73

PERFIL DOS SEGMENTOS DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA

75

3.1 AGRICULTURA

75

3.2. INDÚSTRIA

75

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS

80

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DOS 81 MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA 4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO

81

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL 82 (IDHM)


4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO

5

83

PERFIL FINANCEIRO DOS MUNICÍPIOS DE 85 CARIACICA E VIANA 5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA

85

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA

88

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018

90

LISTA DE TABELAS DIRETORIA DE VITÓRIA Tabela 1. Dados econômicos do município de Vitória | 17 Tabela 2. População, empresas e empregos | 18 Tabela 3. Participação de empresas nos principais setores de atividade | 19 Tabela 4. Participação de empregos nos principais setores de atividade | 19 Tabela 5. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 21 Tabela 6. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 22 Tabela 7. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 23 Tabela 8. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 24 Tabela 9. Evolução da receita total | 28 Tabela 10. Valor e composição da receita total – 2014 | 29 Tabela 11. Desempenho da receita total | 29 Tabela 12. Desempenho do gasto com pessoal | 30 Tabela 13. Valor e composição da despesa total - 2014 | 30 Tabela 14. Desempenho dos investimentos públicos | 31

DIRETORIA DE vila velha Tabela 1. Dados econômicos do município de Vila Velha | 36 Tabela 2. População, empresas e empregos | 37 Tabela 3. Participação de empresas nos principais setores de atividade | 38


Tabela 4. Participação de empregos nos principais setores de atividade | 38 Tabela 5. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 40 Tabela 6. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 41 Tabela 7. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 42 Tabela 8. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 43 Tabela 9. Evolução da receita total | 47 Tabela 10. Valor e composição da receita total – 2014 | 48 Tabela 11. Desempenho da receita total | 49 Tabela 12. Desempenho do gasto com pessoal | 49 Tabela 13. Valor e composição da despesa total - 2014 | 49 Tabela 14. Desempenho dos investimentos públicos | 50

DIRETORIA DE serra Tabela 1. Dados econômicos do município de Serra | 53 Tabela 2. População, empresas e empregos | 54 Tabela 3. Participação de empresas nos principais setores de atividade | 55 Tabela 4. Participação de empregos nos principais setores de atividade | 55 Tabela 5. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 56 Tabela 6. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 58 Tabela 7. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 59 Tabela 8. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 60 Tabela 9. Evolução da receita total | 64 Tabela 10. Valor e composição da receita total – 2014 | 65 Tabela 11. Desempenho da receita total | 65 Tabela 12. Desempenho do gasto com pessoal | 66 Tabela 13. Valor e composição da despesa total - 2014 | 66 Tabela 14. Desempenho dos investimentos públicos | 67 Tabela 15. Investimentos industriais previstos em 2016/2018 | 68

DIRETORIA DE cariacica e viana Tabela 1. Dados econômicos dos municípios de Cariacica e Viana | 71 Tabela 2. Participação do valor adicionado municipal - Diretoria de Cariacica e Viana | 72 Tabela 3. População, empresas e empregos | 73


Tabela 4. Participação de empresas nos principais setores de atividade | 73 Tabela 5. Participação de empregos nos principais setores de atividade | 74 Tabela 6. Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 76 Tabela 7. Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 77 Tabela 8. Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 78 Tabela 9. Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes | 79 Tabela 10. Evolução da receita total | 85 Tabela 11. Valor e composição da receita total – 2014 | 87 Tabela 12. Desempenho da receita total | 87 Tabela 13. Desempenho do gasto com pessoal | 89 Tabela 14. Valor e composição da despesa total – 2014 | 89 Tabela 15. Desempenho dos investimentos públicos | 90

LISTA DE GRÁFICOS DIRETORIA DE vitória Gráfico 1. Valor adicionado total do município de Vitória | 18 Gráfico 2. Pirâmide etária Vitória - 2010 | 25 Gráfico 3. Taxa de alfabetização de jovens e adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 | 27 Gráfico 4. Taxa de frequência líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) | 27 Gráfico 5. Taxa de frequência líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 | 27 Gráfico 6. Evolução da receita total¹ do município de Vitória | 28 Gráfico 7. Receita per capita do município de Vitória - 2014 | 29 Gráfico 8. Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Vitória | 31

DIRETORIA DE vila velha Gráfico 1. Valor adicionado total do município de Vila Velha | 37 Gráfico 2. Pirâmide etária Vila Velha - 2010 | 44 Gráfico 3. Taxa de alfabetização de jovens e adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 | 46 Gráfico 4. Taxa de frequência líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 | 46 Gráfico 5. Taxa de frequência líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 | 46


Gráfico 6. Evolução da receita total¹ do município de Vila Velha | 47 Gráfico 7. Receita per capita do município de Vila Velha- 2014 | 48 Gráfico 8. Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Vila Velha | 50

DIRETORIA DE serra Gráfico 1. Valor adicionado total do município de Serra | 54 Gráfico 2. Pirâmide etária Serra - 2010 | 61 Gráfico 3. Taxa de alfabetização de jovens e adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 | 63 Gráfico 4. Taxa de frequência líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 | 63 Gráfico 5. Taxa de frequência líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 | 63 Gráfico 6. Evolução da receita total¹ do município de Serra | 64 Gráfico 7. Receita per capita do município de Serra - 2014 | 65 Gráfico 8. Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Serra | 67

DIRETORIA DE cariacica e viana Gráfico 1. Valor adicionado total dos municípios de Cariacica e Viana - 2013 | 72 Gráfico 2. Pirâmide etária de Cariacica – 2010 | 81 Gráfico 3. Pirâmide etária de Viana - 2010 | 81 Gráfico 4. Taxa de alfabetização de jovens e adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 | 83 Gráfico 5. Taxa de frequência líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 | 84 Gráfico 6. Taxa de frequência líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 | 84 Gráfico 7. Evolução da receita total¹ dos municípios de Cariacica e Viana | 85 Gráfico 8. Receita per capita dos municípios pertencentes à Diretoria de Cariacica e Viana – 2014 | 86 Gráfico 9. Evolução do volume total de investimentos públicos dos municípios de Cariacica e Viana | 90

LISTA DE FIGURAS DIRETORIA DE VITÓRIA Figura 1. Distribuição do parque industrial | 24 Figura 2. Distribuição do IDHM médio | 26 Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade | 26 Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação | 27


Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda | 27 Figura 6. Agência de Treinamento Municipal | 33 Figura 7. Escola Móvel | 33 Figura 8. Unidades móveis (carretas) | 34

DIRETORIA DE VILA VELHA Figura 1. Distribuição do parque industrial | 43 Figura 2. Distribuição do IDHM médio | 45 Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade | 45 Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação | 46 Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda | 46 Figura 6. Sesi em Cobilândia – Ampliação e reformas | 51 Figura 7. Senai Araçás Centromoda | 51 DIRETORIA DE SERRA Figura 1. Distribuição do parque industrial | 60 Figura 2. Distribuição do IDHM médio | 62 Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade | 62 Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação | 63 Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda | 63 Figura 6. Sesi Saúde Laranjeiras | 69 Figura 7. Senai Civit | 69

DIRETORIA CARIACICA E VIANA Figura 1. Distribuição do parque industrial | 79 Figura 2. Distribuição do IDHM médio | 82 Figura 3. Distribuição do IDHM dimensão longevidade | 82 Figura 4. Distribuição do IDHM dimensão educação | 83 Figura 5. Distribuição do IDHM dimensão renda | 83


introdução Escolher o caminho é tão importante quanto definir aonde se quer chegar. Pensando nisso, o Sistema Findes criou o projeto Caminhos para o Desenvolvimento Regional, que se encontra em sua 2ª edição em 2016. Com seu propósito de interiorização, a Findes realizou novo dimensionamento de suas diretorias regionais, que agora contam com quinze regiões. Espera-se com esse trabalho, oferecer a empresários e investidores um panorama das características e vocações regionais que sirva como uma bússola para auxiliar na tomada de decisões e para maximizar os resultados esperados. São 12 publicações que estão disponíveis aos interessados em conhecer as potencialidades do Estado e as oportunidades que ele oferece. Porque para cada destino, há sempre um melhor caminho. E o percurso que convidamos você a fazer, nas próximas páginas, é por um Estado promissor, que oferece oportunidades únicas para aqueles que trabalham com afinco e confiam que, com empenho e conhecimento, ajudarão a construir o Espírito Santo com o qual sonhamos. Boa leitura!

Vladimir Rossi Vice-presidente institucional da Findes em Vila Velha

José Carlos Zanotelli Vice-presidente institucional da Findes em Serra

Rogério Pereira dos Santos Vice-presidente institucional da Findes em Cariacica e Viana


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DIRETORIA DE VITÓRIA

Na análise do município de Vitória, sob o ângulo dos empregos formais gerados e da composição do valor adicionado (base para o cálculo do PIB) por setor econômico, desenha-se o seguinte perfil: O município é urbano/industrial e está voltado para as atividades da indústria, comércio, serviços e portuárias/turismo, principalmente o de negócios, além de ser sede de vários eventos nacionais e internacionais; A capital capixaba conta com dois portos que são dos mais importantes do país: o de Vitória e o de Tubarão. Esses portos, junto com vários outros do Estado, formam o maior complexo portuário do Brasil. Os investimentos públicos do município de Vitória acumularam uma queda de 51,0% no período entre 2009 e 2014, a uma taxa anual média negativa de 13,3%. No mesmo período, as receitas cresceram 10,9%, a uma taxa anual média de 2,1%, enquanto os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 18,1%, a uma taxa anual média de 3,4%. Em 2014, a participação das despesas com pessoal na receita do município de Vitória foi, em média, de 50,2%, ou seja, não ultrapassou o limite máximo de 60%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

16


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DIRETORIA DE VITÓRIA

O município de Vitória tem uma população total estimada em 2015 de 355.875 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e é composto pelo distrito de Goiabeiras.

2.1.A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA Em 2013, últimos dados do IBGE sobre a economia dos estados e municípios, Vitória era responsável por 19,0% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com cerca de R$ 22,3 bilhões. O PIB per capita do município, considerando o PIB de 2013 e a estimativa de população para 2013, é de R$ 64.002. (Ver tabela 1.)

Tabela 1 - Dados econômicos do município de Vitória Município

Vitória

População (1) (Habitantes)

Produto Interno Bruto (PIB) (2) (R$ mil)

Posição do Município (PIB)

Participação do PIB na Regional (%)

PIB per capita (3) R$/Habitante

Posição do Município (PIB per capita)

355.875

22.289.815

1

100,0

64.002

5

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2) PIB de 2013/Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) (3) PIB per capita de 2013 (ISJN) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em relação ao valor adicionado em 2013, o município de Vitória apresentava maior peso para o setor de comércio e serviços, com 63,5%, seguido da indústria, construção e serviços industriais de utilidade pública (SIUP) com 25,5%; administração pública, com 10,9%; e da agropecuária, com 0,1% (gráfico 1).

17


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 1 - Valor adicionado total do município de Vitória

0,1% 25,5%

Agropecuária Indústria, Construção e SIUP* Administração Pública 10,9%

63,5%

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de 2014, o município de Vitória tinha 13.809 empresas (indústria, SIUP, comércio e serviços), empregando formalmente 164.457 trabalhadores. (Ver tabela 2.)

Considerando o total de empregos formais em relação ao total de habitantes de Vitória, a população empregada era de 46,2%. Já em relação à quantidade de empregos por empresa, Vitória possuía, em média, 11,9 empregos por empresa. (Ver tabela 2.)

Tabela 2 - População, empresas e empregos Município Vitória

Total de População habitantes (1) Empresas (2) 355.875

13.809

Total de Empregos (3)

População Empregada (%)

Média de empregos por empresa

164.457

46,2

11,9

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2,3) Rais 2014/Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Em relação à distribuição das empresas por setor de atividade, segundo as informações da Rais em 2014, Vitória apresentava as

seguintes participações: serviços (60,1%), comércio (31,0%) e indústria (8,9%). (Ver tabela 3.)

18


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 3 - Participação de empresas nos principais setores de atividade Município Vitória

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

1.228

8,9

4.279

31,0

8.302

60,1

Total 13.809

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Quanto à distribuição dos empregos formais por setor de atividade, ainda de acordo com a Rais em 2014, Vitória apresentava as

seguintes participações: serviços (67,3%), indústria (14,7%) e comércio (18,0%). (Ver tabela 4.)

Tabela 4 - Participação de empregos nos principais setores de atividade Município Vitória

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

24.196

14,7

29.604

18,0

110.657

67,3

Total 164.457

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

19


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DIRETORIA DE VITÓRIA

Capital do Espírito Santo, o município de Vitória possui um dinamismo econômico com base nas atividades portuárias, no comércio, na prestação de serviços e na indústria, principalmente. A participação do setor de agricultura no valor adicionado do município é ínfima, de apenas 0,1%.

3.1 INDÚSTRIA Em Vitória se localizam diversas indústrias, com destaque para as usinas de pelotização de minério de ferro da Vale e para a fabricante de aço ArcelorMittal Tubarão (antiga CST), que se constituem em âncoras para o desenvolvimento do município. Outro fator econômico importante são as atividades de turismo, principalmente o de negócios, em setores como o de mármore e granito e os direcionados para as atividades de petróleo e gás, além de vários eventos setoriais nacionais e internacionais. No conjunto dos sindicatos que compõem a Findes existiam, em 2014, 30.663 empregados em 2.002 empresas no município de Vitória. (Ver tabela 6.) Somente o setor industrial (extrativa, transformação e construção) totalizava 1.239 empresas e 20.888 trabalhadores. Em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), quanto aos segmentos industriais, a indústria da construção contemplava 757 empresas, empregando 10.884 trabalhadores em Vitória. Em seguida, a indústria de transformação era constituída por 466 empresas, tendo gerado 5.232 empregos. A indústria extrativa aparecia com 16 empresas industriais, proporcionando 4.772 empregos. (Ver tabela 5.)

20


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 5 - Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Município

Indústria Extrativa

Indústria de Transformação

Empresas Empregos Empresas Empregos

Vitória

16

4.772

466

5.232

Indústria de Construção Empresas Empregos

757

10.884

Outros setores cujos sindicatos pertencem à Findes¹ Empresas Empregos

763

9.775

Total Empresas Empregos

2.002

30.663

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Setores: Reparação de Veículos; Panificação; Indústria Gráfica; Serviços de Informática.

Quanto às divisões dos setores, na indústria extrativa (16 empresas) destacavam-se as atividades de apoio à extração de minerais, com seis empresas, e a extração de minerais não-metálicos, com quatro indústrias. (Ver tabela 6.) Na indústria de transformação (466 empresas), sobressaíam-se os segmentos de fabricação de produtos alimentícios, com 77 indústrias; confecções de artigos do vestuário e acessórios, com 70, e de impressão e reprodução, com 63. Do total de 757 indústrias da construção, 459 pertenciam ao segmento da construção de edifícios, 220 aos serviços especializados para construção e 78 às obras de infraestrutura. Na análise dos empregos por segmento, na indústria extrativa (4.772 empregados), em 2014, o destaque ficou com a extração de minerais metálicos (2.579) e extração de petróleo e gás natural (1.679). (Ver tabela 7.)

Na indústria de transformação (5.232 trabalhadores), a fabricação produtos alimentícios empregava 1.529 trabalhadores. Já a fabricação de produtos de borracha e de material plástico empregava 1.199 pessoas, seguida do segmento de impressão e reprodução, com 641, e o de confecções de artigos do vestuário e acessórios, com 363 trabalhadores, principalmente. A indústria da construção empregava 10.884 trabalhadores, sendo 6.772 na construção de edifícios, seguida dos serviços especializados para construção, com 2.756 pessoas. Quanto ao porte do segmento industrial, Vitória é composta, em sua maioria, por micro (1.739) e pequenas empresas (224); 32 empresas são de porte médio e sete empresas são de grande porte, segundo dados da Rais 2014/ MTE. Em número de empregos se destacavam as pequenas e grandes empresas, com 9.236 e 8.119 postos de trabalho, respectivamente. (Ver tabela 8.)

21


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 6 - Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Vitória

Indústria Extrativa

16

Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

3

Extração de minerais metálicos

3

Extração de minerais não- metálicos

4

Atividades de apoio à extração de minerais

6

Indústria de Transformação

466

Fabricação de produtos alimentícios

77

Fabricação de bebidas

0

Fabricação de produtos têxteis

14

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

70

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

9

Fabricação de produtos de madeira

4

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

2

Impressão e reprodução de gravações

63

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

0

Fabricação de produtos químicos

2

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

1

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

5

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

17

Metalurgia

4

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

27

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

3

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

4

Fabricação de máquinas e equipamentos

12

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

5

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

1

Fabricação de móveis

27

Fabricação de produtos diversos

61

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

58

Indústria da Construção

757

Construção de edifícios

459

Obras de infra-estrutura

78

Serviços especializados para construção

220

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

763

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

373

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

148

Edição e edição integrada à impressão

29

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

149 64

Total

2.002

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

22


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7 - Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Vitória 4.772

Indústria Extrativa Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

1.679

Extração de minerais metálicos

2.579

Extração de minerais não- metálicos

10

Atividades de apoio à extração de minerais

504

Indústria de Transformação

5.232

Fabricação de produtos alimentícios

1.529

Fabricação de bebidas

0

Fabricação de produtos têxteis

85

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

363

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

28

Fabricação de produtos de madeira

4

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

10

Impressão e reprodução de gravações

641

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

0

Fabricação de produtos químicos

45

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

1

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

1.199

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

236

Metalurgia

74

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

142

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

11

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

71

Fabricação de máquinas e equipamentos

113

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

20

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

1

Fabricação de móveis

143

Fabricação de produtos diversos

205

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

311

Indústria da Construção

10.884

Construção de edifícios

6.722

Obras de infra-estrutura

1.406

Serviços especializados para construção

2.756

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

9.775

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

3.022

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

1.061

Edição e edição integrada à impressão

1.576

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

3.532 584

Total

30.663

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

23


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8 - Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Micro

Município

Pequena

Empresas Empregos Empresas Empregos

Vitória

1.739

7.671

224

Média

Grande

Total

Empresas Empregos

Empresas Empregos

Empresas Empregos

9.236

32

5.637

7

8.119

2.002

30.663

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Vitória possui um parque industrial composto pelos setores de confecções, logística,

produtos metalúrgicos, minerais não-metálicos e construção civil (figura 1).

Figura 1 - Distribuição do parque industrial Vitória

Legenda Minerais não-metálicos Construção Civil Logística Cimento Confecções Produtos de metal

3.2. COMÉRCIO E SERVIÇOS O setor de comércio e serviços de Vitória também é muito dinâmico, tendo o valor adicionado desses setores representado 63,5% do total, em 2013. O artesanato capixaba se destaca: tecelagem, cerâmicas, fibras e trançados, objetos em coco e madeira são alguns exemplos, além dos trabalhos com conchas e sementes. Também é relevante a produção de panelas de barro, a partir da técnica secular que as

mulheres da região de Goiabeiras herdaram dos índios. Em relação à quantidade total de empresas e empregos do município de Vitória, o setor de serviços contemplava em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), 8.302 empresas e 110.657 empregados, e o setor comercial, 4.279 empresas gerando 29.604 empregos. (Ver tabelas 3 e 4.)

24


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

DIRETORIA DE VITÓRIA

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO Segundo as informações do IBGE referentes a 2010, a composição por idade da população sinaliza importantes características sobre a utilização dos equipamentos públicos de saúde e educação, a adequação do mercado de trabalho e as políticas de seguridade social. Populações compostas por uma participação relativa de jovens e adultos superior à de crianças e idosos encontram-se em um contexto demográfico favorável denominado janela demográfica. Nesse cenário, existe uma proporção maior de pessoas em idade ativa, favorecendo a realização de investimentos adicionais para promover o crescimento econômico e reduzir a pobreza. O município de Vitória apresenta pirâmide etária típica de populações que iniciam o processo de entrada na janela demográfica, com estreitamento da base e alargamento do corpo. Destaca-se uma pirâmide etária mais alargada, cuja população de jovens e adultos vem apresentando crescimento superior ao de crianças. A pirâmide etária do município de Vitória está disposta a seguir: Gráfico 2 – Pirâmide Etária Vitória - 2010 Mulheres Homens 80+ 70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

4

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos 10 a 19 anos 0 a 9 anos

25


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) No país, o Espírito Santo registrou um salto de 46,5% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre 1991 e 2010, um avanço consistente puxado pela melhora acentuada dos municípios menos desenvolvidos nas três dimensões acompanhadas pelo índice: longevidade, educação e renda. Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP), com base nos censos demográficos do IBGE de 1991 a 2010. A composição do IDH compreende indicadores de longevidade, educação e renda, pois assume que, para viver do modo que desejam, as pessoas precisam pelo menos ter a possibilidade de levar uma vida longa e saudável, acesso ao conhecimento e a oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O IDHM ajusta o IDH para a realidade dos municípios e reflete as especificidades e desafios regionais no alcance do desenvolvimento humano no Brasil. Para aferir o nível de desenvolvimento humano dos municípios, as dimensões são as mesmas do IDH Global – longevidade, educação e renda - e mais

250 indicadores. O índice varia entre 0 (valor mínimo) e 1 (valor máximo) e são utilizados os seguintes níveis de classificação: Muito Alto (0,800 a 1), Alto (0,700 a 0,799), Médio (0,600 a 0,699), Baixo (0,500 a 0,599) e Muito Baixo (0,000 a 0,499). O IDHM médio do município de Vitória em 2010 registrou nível “muito alto” de desenvolvimento (figura 2). O IDHM dimensão longevidade foi um dos que mais contribuiu, em termos absolutos, para o nível atual do IDHM do Estado, apresentando a segunda menor distância até 1 (figura 3). O IDHM dimensão educação foi o que teve o menor índice de contribuição em 2010, mas registrou nível muito alto de desenvolvimento quanto ao acesso ao conhecimento (figura 4). No IDHM dimensão renda, em 2010 também foi observado nível muito alto de desenvolvimento quanto à oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno, o índice de maior contribuição. O método de cálculo do IDHM renda utiliza uma fórmula logarítmica que aproxima os maiores valores de renda per capita dos menores e, com isso, reduz a disparidade de renda existente na perspectiva intramunicipal (figura 5).

Figura 2 - Distribuição do IDHM médio

Figura 3 - Distribuição do IDHM dimensão longevidade

Legenda

Vitória

0,845

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Legenda

Vitória

0,855

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

26


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 5 - Distribuição do IDHM dimensão renda

Figura 4 - Distribuição do IDHM dimensão educação

Legenda

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Vitória

0,805

Vitória

0,876

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO Um país vive uma situação de bônus demográfico quando a população economicamente ativa (PEA) supera com boa margem a de dependentes. O aproveitamento desse bônus demográfico pode gerar crescimento econômico, caso a PEA esteja preparada em termos educacionais e de qualificação profissional de qualidade para atuar no mercado de trabalho atual. No mundo globalizado, o mercado de trabalho mostra-se cada vez mais exigente, ou seja, à medida que o tempo passa e o mundo evolui, muito além da experiência profissional, é preciso adquirir e renovar o conhecimento. No início da década de 2010, praticamente a totalidade dos jovens e adolescentes de 15 a 24 anos do município de Vitória encontravaGráfico 3 - Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010

-se alfabetizada, com percentual de 99,1%, segundo dados do Censo Demográfico de 2010 do IBGE (gráfico 3). Vitória possuía um excelente índice de frequência à escola por crianças e adolescentes no Ensino Fundamental (97,5%), o que pode garantir melhor ambiência para o crescimento (gráfico 4). Ainda assim, melhorar os níveis de qualificação do capital humano se faz necessário para a promoção do desenvolvimento econômico do município, que só será atingido com a elevação da escolaridade da população. O município de Vitória também apresentava excelente índice (97,8%) de frequência à escola no Ensino Médio por jovens entre 15 e 17 anos (gráfico 5).

Gráfico 4 - Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010

Gráfico 5 - Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) 2010

99,1 97,8 97,5

Vitória

Vitória

Vitória

27


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE VITÓRIA DIRETORIA DE VITÓRIA

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA A receita total do município de Vitória registrou um crescimento de 4,8% passando de R$ 1,453 bilhão, em 2013, para R$ 1,524 bilhão, em 2014, conforme gráfico 6 e tabela 9. Gráfico 6 - Evolução da receita total¹ do município de Vitória em R$ milhões - IPCA médio de 2014

2009

2010

2011

2012

2013

2014

Tabela 9 - Evolução da receita total Município

2009

2010

1.373.661

1.480.000

2011

2012

2013

2014

1.453.397

1.523.469

em R$ mil - IPCA médio de 2014

Vitória

1.556.774

1.704.534

Variação Partic. rec. 2014 / 2013 total¹ 2014 em%

4,8

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

A receita per capita média (gráfico 7) do município de Vitória, em 2014, foi de R$ 4.326,8 para uma população de 355.875 habitantes, segundo estimativa do IBGE. (Ver tabela 1.)

28


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 7 - Receita per capita do município de Vitória - 2014

Vitória

4.326,8

tavam cerca de 7,1% da receita total do município de Vitória em 2014. Os royalties e participações especiais contribuíam com 1,7% e o restante da receita (29,8%) era composto de contas menores, como receitas de contribuições, patrimoniais e de capital, entre outras. (Ver tabela 10.)

Boa parte da receita do município de Vitória era composta pelos tributos municipais, que representavam, em média, 35,7%. Em seguida vinha a quota-parte municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) transferida pelo governo estadual (25,7% em 2014). As transferências federais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) represen-

Tabela 10 - Valor e composição da receita total – 2014 Tributos Município

Vitória

FPM

QPM-ICMS

Royalties e participações especiais

Outros

Receita total¹

Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%)

543,9

35,7

109,0

7,1

391,2

25,7

25,9

1,7

453,5

29,8

1.523,5

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes

O município de Vitória apresentou um expressivo acréscimo na receita, entre 2009 e 2014, fruto da estabilização e fortalecimento

da economia. Nesse período, a receita registrou um aumento acumulado de 10,9%, a uma taxa anual média de 2,1%.(Ver tabela 11.)

Tabela 11 - Desempenho da receita total Município Vitória

Receita Total¹ Receita per capita 2014 em R$

Aumento acumulado 2009 /2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

4.326,8

10,9

2,1

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total ajustada dos efeitos do Fundeb

29


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Acompanhando o crescimento da receita, as despesas com pessoal também se elevaram nos últimos anos, porém em compasso superior ao da receita. No período entre 2009 e 2014 os gastos acumulados com pessoal tiveram um aumento de 18,1%, a uma taxa anual média de 3,4%. (Ver tabela 12.)

Apesar do aumento das despesas com pessoal, o município de Vitória não ultrapassou o limite máximo de 60% em relação à receita, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em 2014, esse indicador flutuou em torno de 50,2%.

Tabela 12 - Desempenho do gasto com pessoal Gasto com pessoal

Município

Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Vitória

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

18,1

Participação na receita total - 2014 (%)

3,4

50,2

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Na composição das despesas do município de Vitória em 2014, o maior peso coube ao item pessoal (51,3%), seguido

de custeio (37,1%), investimento (8,9%) e encargos e amortizações da dívida (2,7%). (Ver tabela 13.)

Tabela 13 - Valor e composição da despesa total - 2014 Pessoal Município

Vitória

Custeio

Investimento

Encargos e amortizações da dívida

Despesa Total

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

765,3

51,3

553,8

37,1

133,2

8,9

39,4

2,7

1.491,8

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes

Visto que a maior parte das despesas já está atrelada a custos fixos (pessoal e demais custeios), a opção mais comum é o corte nos gastos com investimentos públicos, paralisando obras ou atrasando a compra de equipamentos, entre outros. O indicador de investimentos públicos,

que são recursos aplicados em realizações de obras, desapropriações e aquisições de equipamentos, apresentou em 2014, no município de Vitória, uma queda de 11,8%, passando de R$ 151,0 milhões, em 2013, para R$ 133,2 milhões, em 2014 (gráfico 8).

30


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 8 - Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Vitória

em R$ milhões - IPCA médio de 2014 271,8

316,6

283,0

254,6

151,0

2009

2010

2011

2012

2013

133,2

2014

Fonte: Balanços Municipais/Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2014. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

O volume total de investimentos públicos de Vitória registrou um decréscimo acumulado de 51,0% no período entre 2009 e 2014,

sendo a taxa anual média de -13,3%. (Ver tabela 14.)

Tabela 14 - Desempenho dos investimentos públicos Município Vitória

Investimento Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na despesa total 2014 (%)

-51,0

-13,3

8,9

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018 Dos investimentos industriais esperados para o Espírito Santo no período entre 2016 e 2018, há previsão de retomada das obras do Aeroporto de Vitória até o final de 2017, pelo consórcio da Jota Ele Construções Civis, Damiani e Empo Governo Estadual / Federal.

Foram anunciados investimentos da Vale numa usina termelétrica movida a gás natural (Tubarão), com previsão para 2018, porém não há informações recentes sobre o andamento do projeto.

31


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6

CARACTERIZAÇÃO DO PLANO DE INVESTIMENTOS DO SISTEMA FINDES DIRETORIA DE VITÓRIA

O plano de investimentos do Sistema Findes elaborado nas gestões 2011/2014 e 2014/2017, cuja execução irá até 2017, está estimado em um total de R$ 200 milhõesna modernização dos laboratórios do Senai, na expansão da rede de prestação de serviços de educação básica, educação profissional, educação corporativa, saúde, segurança e qualidade de vida do trabalhador, com reformas, ampliações e construções de novas unidades do Sesi, do Senai. Estão sendo realizados investimentos para modernização tecnológica da ordem de aproximadamente R$ 82 milhões em laboratórios do Senai, nas áreas técnicas de alimentos, automobilística, elétrica residencial e industrial, ensaios destrutivos (construção civil), hidráulica, informática, marcenaria, mecânica, automação industrial, plásticos, meio-ambiente, vestuário e segurança e saúde do trabalho.

6.1 Agência de Treinamento Municipal A Agência de Treinamento conceitua-se como um estabelecimento instalado e equipado para o atendimento às demandas de educação, educação profissional, educação tecnológica e para o trabalho, objetivando atender à prestação de serviços para as indústrias da região e do município. É uma parceria realizada entre as prefeituras municipais e o Sesi/Senai/IEL objetivando ampliar o acesso da população aos cursos profissionalizantes, elevando a qualificação da mão de obra local para a inserção e manutenção no mercado de trabalho. Atualmente estão em funcionamento as ATM’s de Santa Teresa, Itarana-Itaguaçu, Sambão do Povo em Vitória, Ibiraçu, São Gabriel da Palha e Guaçuí. A Agência de Treinamento de Castelo está prevista para iniciar suas atividades ainda neste ano de 2016.

32


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 6 - Agência de Treinamento Municipal

6.2 Escola Móvel O Sistema conta com a Escola Móvel, nome comercial dado ao Centro Integrado de Ações Móveis do Sesi/Senai/IEL do Espírito Santo, que compreende as ações das entidades que se deslocam para atendimentos em locais onde, preferencialmente, não existem atuações em unidades fixas, levando produtos e serviços do sistema indústria a toda a popu-

lação capixaba, independentemente das distâncias e das dificuldades de acesso, incrementando assim a interiorização do desenvolvimento. A Escola Móvel já passou pelos municípios de Baixo Guandu, Governador Lindenberg, Santa Maria de Jetibá e passará também pelo município de Cariacica.

Figura 7 - Escola Móvel

33


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6.3 Unidade Integrada de Ações Móveis Unidade Integrada de Ações Móveis é a unidade operacional com metas e orçamentos próprios, que coordena, controla e administra todas as Ações Móveis do Sesi e Senai, voltadas para a educação, com o recurso de kits, módulos educacionais e Unidades Móveis (carretas, ônibus e vans). As unidades móveis levam a educação

profissional para localidades que não contam com escolas fixas do Senai ou para atender às demandas da indústria. Ao todo, são 16 Unidades Móveis em funcionamento, contemplando os segmentos de construção civil, vestuário, madeira e mobiliário, metalmecânico e a unidade frigorífica recentemente inaugurada.

Figura 8 - Unidades móveis (carretas)

6.4 Investimentos no município de Vitória Além das obras que já foram entregues, como o Sesi Saúde e a reforma do edifício-sede da Findes, os investimentos previstos

serão para a criação do Sesi Galeria. O espaço está localizado no térreo do Edifício Findes e encontra-se em fase de projeto.

34


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

1

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA DIRETORIA DE VILA VELHA

Na análise do município de Vila Velha do Sistema Findes, sob o ângulo dos empregos formais gerados e da composição do valor adicionado (base para o cálculo do PIB) por setor econômico, desenha-se o seguinte perfil: O município urbano/industrial está voltado para as atividades da indústria, comércio, serviços e portuárias/turismo. Os investimentos públicos do município de Vila Velha acumularam um crescimento de 11,2% no período entre 2009 e 2014, a uma taxa anual média de 2,1%. No mesmo período, as receitas cresceram 33,3%, a uma taxa anual média de 5,9%, enquanto os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 43,5%, a uma taxa anual média de 7,5%. Em 2014, a participação das despesas com pessoal na receita do município de Vila Velha foi, em média, de 46,2%, ou seja, não ultrapassou o limite máximo de 60%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

35


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA DIRETORIA DE VILA VELHA

O município de Vila Velha tem uma população total estimada em 2015 de 472.762 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e é composto por quatro distritos: Argolas, Ibes, Jucu e São Torquato.

2.1. A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA Em 2013, últimos dados do IBGE sobre a economia dos estados e municípios, Vila Velha era responsável por 8,6% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com cerca de R$ 10,0 bilhões. O PIB per capita do município, considerando o PIB de 2013 e a estimativa de população para 2013, é de R$ 33.039. (Ver tabela 1.) Tabela 1 - Dados econômicos dos municípios pertencentes à Diretoria de Vila Velha. Município

Vila Velha

População (1) (Habitantes)

Produto Interno Bruto (PIB) (2) (R$ mil)

Posição do Município (PIB)

Participação do PIB na Regional (%)

PIB per capita (3) R$/Habitante

Posição do Município (PIB per capita)

472.762

10.047.416

3

100,0

33.039

7

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2) PIB de 2013/Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) (3) PIB per capita de 2013 (ISJN) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em relação ao valor adicionado em 2013, o município de Vila Velha apresenta grande peso para o setor de comércio e serviços, com 57,4%, seguido da indústria, construção e serviços industriais de utilidade pública (SIUP), com 22,9%; administração pública, com 19,5%; e da agropecuária, com 0,2% % (gráfico 1).

36


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 1 - Valor adicionado total do município de Vila Velha. 0,2% 22,9%

Agropecuária Indústria, Construção e SIUP* Administração Pública 57,4%

19,5%

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE VILA VELHA Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de 2014, o município de Vila Velha tinha 10.724 empresas (indústria, SIUP, comércio e serviços), empregando formalmente 101.659 trabalhadores. Considerando o total de empregos formais

em relação ao total da população de Vila Velha, a população empregada é de 21,5%. Já em relação à quantidade de empregos por empresa, Vila Velha possui uma média de 9,5 empregos por empresa. (Ver tabela 2.)

Tabela 2 - População, empresas e empregos Município Vila Velha

Total de População habitantes (1) Empresas (2) 472.762

10.724

Total de Empregos (3)

População Empregada (%)

Média de empregos por empresa

101.659

21,5

9,5

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2,3) Rais 2014/Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

37


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Em relação à distribuição das empresas por setor de atividade, segundo as informações da Rais em 2014, Vila Velha apresentou as

seguintes participações: serviços (42,1%), comércio (41,7%) e indústria (16,2%). (Ver tabela 3.)

Tabela 3 - Participação de empresas nos principais setores de atividade Município Vila Velha

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

1.736

16,2

4.469

41,7

4.519

42,1

Total 10.724

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Quanto à distribuição dos empregos formais por setor de atividade, ainda de acordo com a Rais em 2014, Vila Velha apre-

sentou as seguintes participações: serviços (48,1%), indústria (20,9%) e comércio (31,0%). (Ver tabela 4.)

Tabela 4 - Participação de empregos nos principais setores de atividade Município Vila Velha

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

21.278

20,9

31.467

31,0

48.914

48,1

Total 101.659

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

38


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNicÍPIO DE VILA VELHA DIRETORIA DE VILA VELHA

3.1. AGRICULTURA O município de Vila Velha possui um dinamismo econômico com base nas atividades portuárias, no comércio, na prestação de serviços e na indústria, principalmente. A agricultura é o setor menos relevante da economia do município, com participação no valor adicionado de apenas 0,2%. Destacam-se a pesca marítima e a produção de cana-de-açúcar, mandioca, milho, feijão, coco, laranja, café e palmito, além da borracha em forma de látex coagulado.

3.2. INDÚSTRIA Em Vila Velha se localizam diversas indústrias, com destaque para a Chocolates Garoto, que se constitui em âncora para o desenvolvimento do município. Também concentra empresas de alimentos, confecções e construção civil. No conjunto dos sindicatos que compõem a Findes existiam, em 2014, 25.793 empregados em 2.486 empresas no município de Vila Velha. (Ver tabela 5.) Somente o setor industrial (extrativa, transformação e construção) totalizava 1.704 empresas e 20.205 trabalhadores. Em 2014, segundo o MTE, quanto aos segmentos industriais, a indústria de transformação contemplava 976 empresas, empregando 12.021 trabalhadores em Vila Velha. Em seguida, a indústria da construção era constituída por 711 empresas, tendo gerado 8.006 empregos. A indústria extrativa aparecia com 17 empresas industriais, proporcionando 178 empregos. (Ver tabela 5.)

39


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 5 - Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Município

Indústria Extrativa

Indústria de Transformação

Empresas Empregos Empresas Empregos

Vila Velha

17

178

976

12.021

Indústria de Construção Empresas Empregos

711

8.006

Outros setores cujos sindicatos pertencem à Findes¹ Empresas Empregos

782

5.588

Total Empresas Empregos

2.486

25.793

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Setores: Reparação de Veículos; Panificação; Indústria Gráfica; Serviços de Informática.

Quanto às divisões dos setores, na indústria extrativa (17 empresas) destacavam-se a extração de minerais não-metálicos, com 13 indústrias, e as atividades de apoio à extração de minerais, com três empresas. (Ver tabela 6.) Na indústria de transformação (976 empresas), sobressaíam-se os segmentos de confecções de artigos do vestuário e acessórios, com 252 empresas; fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, com 113 indústrias; e fabricação de produtos alimentícios, com 108 empresas. Do total de 711 indústrias da construção, 354 pertenciam ao segmento da construção de edifícios, 298 aos serviços especializados para construção e 59 às obras de infraestrutura. Na análise dos empregos por segmento, na indústria extrativa (178 empregados) o destaque ficou com a extração de minerais não metálicos (165). (Ver tabela 7.) Na indústria de transformação (12.021 trabalhadores), a fabricação de produtos

alimentícios possuía 3.791 trabalhadores e a de confecções de artigos do vestuário e acessórios, 2.752. Já a fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, empregava 819 pessoas. A preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos p/ viagem e calçados ocupava 764 trabalhadores e a de fabricação de produtos de minerais não-metálicos empregava 676 pessoas, principalmente. A indústria da construção era responsável por 8.006 empregos, sendo 4.844 na construção de edifícios, seguida dos serviços especializados para construção, com 1.989 trabalhadores. Quanto ao porte do segmento industrial, Vila Velha era composta, em sua maioria, por micro (2.195) e pequenas empresas (272); 16 empresas são de porte médio e três empresas são de grande porte, segundo dados da Rais 2014/MTE. Em número de empregos também se destacavam as micro e pequenas empresas, 9.503 e 10.151, respectivamente. (Ver tabela 8.)

40


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 6 - Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Vila Velha

Indústria Extrativa

17

Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

1

Extração de minerais metálicos

0

Extração de minerais não- metálicos

13

Atividades de apoio à extração de minerais

3

Indústria de Transformação

976

Fabricação de produtos alimentícios

108

Fabricação de bebidas

3

Fabricação de produtos têxteis

37

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

252

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

14

Fabricação de produtos de madeira

19

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

18

Impressão e reprodução de gravações

50

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

1

Fabricação de produtos químicos

16

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

2

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

20

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

69

Metalurgia

6

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

113

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

3

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

6

Fabricação de máquinas e equipamentos

13

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

11

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

4

Fabricação de móveis

85

Fabricação de produtos diversos

65

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

61

Indústria da Construção

711

Construção de edifícios

354

Obras de infra-estrutura

59

Serviços especializados para construção

298

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

782

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

466

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

218

Edição e edição integrada à impressão

10

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

52 36

Total

2.486

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

41


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7 - Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Vila Velha 178

Indústria Extrativa Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

3

Extração de minerais metálicos

0

Extração de minerais não- metálicos

165

Atividades de apoio à extração de minerais

10

Indústria de Transformação

12.021

Fabricação de produtos alimentícios

3.791

Fabricação de bebidas

7

Fabricação de produtos têxteis

294

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

2.752

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

764

Fabricação de produtos de madeira

202

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

123

Impressão e reprodução de gravações

245

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

17

Fabricação de produtos químicos

155

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

15

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

267

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

676

Metalurgia

419

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

819

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

16

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

294

Fabricação de máquinas e equipamentos

107

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

117

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

57

Fabricação de móveis

357

Fabricação de produtos diversos

201

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

326

Indústria da Construção

8.006

Construção de edifícios

4.844

Obras de infra-estrutura

1.173

Serviços especializados para construção

1.989

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

5.588

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

3.254

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

1.707

Edição e edição integrada à impressão

43

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

430 154

Total

25.793

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

42


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8 - Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Micro

Município

Pequena

Empresas Empregos Empresas Empregos

Vila Velha

2.195

9.503

272

10.151

Média

Grande

Total

Empresas Empregos

Empresas Empregos

Empresas Empregos

16

2.753

3

3.386

2.486

25.793

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Vila Velha possui um parque industrial composto pelos setores de alimentos, confecções, calçados, construção civil, produtos

de metal, minerais não-metálicos, madeira e móveis, principalmente (ver figura 1).

Figura 1 - Distribuição do parque industrial

Legenda Minerais não-metálicos Alimentícios Vila Velha

Construção Civil Madeira e móveis Confecções Produtos metalúrgicos Calçados

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS O setor de comércio e serviços de Vila Velha também é muito dinâmico. Quanto ao valor adicionado, esses setores representavam 57,4% do total em 2013 (gráfico 1). No setor terciário, os destaques são o comércio e o turismo. Os principais pontos comerciais são as diversas feiras livres de Vila Velha, presentes em vários pontos da cidade e o chamado Polo de Moda da Glória, que reúne diversas lojas e galerias. As avenidas situadas na orla também concentram a grande maioria das pousadas, hotéis e restaurantes. O município também se destaca e tem potencialidade nas áreas de comércio exterior e sistema portuário. O Terminal Portuário de Vila Velha é um dos maiores do Sudeste bra-

sileiro, sendo que o Espirito Santo é considerado como uma área privilegiada para o desenvolvimento da atividade, por localizar-se na região central do Brasil e ter fácil conexão com o resto do país. Dele são exportados, para vários estados e países, produtos siderúrgicos, mármores e granitos, café, automóveis, granéis sólidos, bobinas de papel e celulose. Em relação à quantidade total de empresas e empregos do município de Vila Velha, os setores de serviços contemplavam em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), 4.519 empresas e 48.914 empregados, e o setor comercial, 4.469 empresas gerando 31.467 empregos. (Ver tabelas 3 e 4.)

43


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

DIRETORIA DE VILA VELHA

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO Segundo informações do IBGE referentes a 2010, a composição por idade da população sinaliza importantes características sobre a utilização dos equipamentos públicos de saúde e educação, a adequação do mercado de trabalho e as políticas de seguridade social. Populações compostas por uma participação relativa de jovens e adultos superior à de crianças e idosos encontram-se em um contexto demográfico favorável denominado janela demográfica. Nesse cenário, existe uma proporção maior de pessoas em idade ativa favorecendo a realização de investimentos adicionais para promover o crescimento econômico e reduzir a pobreza. O município de Vila Velha apresenta pirâmide etária típica de populações que iniciam o processo de entrada na janela demográfica, com estreitamento da base e alargamento do corpo. Destaca-se uma pirâmide etária mais alargada, cuja população de jovens e adultos vem apresentando crescimento superior ao de crianças. A pirâmide etária do município de Vila Velha está disposta a seguir: Gráfico 2 – Pirâmide Etária Vila Velha - 2010

Mulheres Homens

80+ 70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

4

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos 10 a 19 anos 0 a 9 anos

44


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) No país, o Espírito Santo registrou um salto de 46,5% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM)entre 1991 e 2010, um avanço consistente puxado pela melhora acentuada dos municípios menos desenvolvidos nas três dimensões acompanhadas pelo índice: longevidade, educação e renda. Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP), com base nos censos demográficos do IBGE de 1991 a 2010. A composição do IDH compreende indicadores de longevidade, educação e renda, pois assume que, para viver do modo que desejam, as pessoas precisam pelo menos ter a possibilidade de levar uma vida longa e saudável, acesso aoconhecimento e a oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O IDHM ajusta o IDH para a realidade dos municípios e reflete as especificidades e desafios regionais no alcance do desenvolvimento humano no Brasil. Para aferir o nível de desenvolvimento humano dos municípios, as dimensões são as mesmas do IDH Figura 2 - Distribuição do IDHM médio

Global – longevidade, educação e renda - e mais 250 indicadores. O índice varia entre 0 (valor mínimo) e 1 (valor máximo) e são utilizados os seguintes níveis de classificação: Muito Alto (0,800 a 1), Alto (0,700 a 0,799), Médio (0,600 a 0,699), Baixo (0,500 a 0,599) e Muito Baixo (0,000 a 0,499). O IDHM médio do município de Vila Velha em 2010 registrou nível “muito alto” de desenvolvimento (figura 2). O IDHM dimensão longevidade foi um dos que mais contribuiu, em termos absolutos, para o nível atual do IDHM do Estado, apresentando a segunda menor distância até 1 (figura 3). O IDHM dimensão educação foi o que teve o menor índice de contribuição em 2010, mas registrou nível alto de desenvolvimento quanto ao acesso ao conhecimento (figura 4). No IDHM dimensão renda, em 2010 também foi observado nível muito alto de desenvolvimento quanto à oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O método de cálculo do IDHM renda utiliza uma fórmula logarítmica que aproxima os maiores valores de renda per capita dos menores e, com isso, reduz a disparidade de renda existente na perspectiva intramunicipal (figura 5). Figura 3 - Distribuição do IDHM dimensão longevidade

Legenda

Vila Velha

0,800

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Legenda

Vila Velha

0,864

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

45


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 4 - Distribuição do IDHM dimensão educação

Figura 5 - Distribuição do IDHM dimensão renda

Legenda

Legenda

Vila Velha

0,734

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Vila Velha

0,807

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO Um país vive uma situação de bônus demográfico quando a população economicamente ativa (PEA) supera com boa margem a de dependentes. O aproveitamento desse bônus demográfico pode gerar crescimento econômico, caso a PEA esteja preparada em termos educacionais e de qualificação profissional de qualidade para atuar no mercado de trabalho atual. No mundo globalizado, o mercado de trabalho mostra-se cada vez mais exigente, ou seja, à medida que o tempo passa e o mundo evolui, muito além da experiência profissional, é preciso adquirir e renovar o conhecimento. No início da década de 2010, praticamente a totalidade dos jovens e adolescentes de 15 a 24 anos do município de Vila Velha Gráfico 3 - Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 98,7

encontrava-se alfabetizada, com percentual de 98,7%, segundo dados do censo demográfico de 2010 do IBGE (gráfico 3). Vila Velha possuía um excelente índice de frequência à escola por crianças e adolescentes no Ensino Fundamental (97,4%), capaz de garantir melhor ambiência para o crescimento. Ainda assim, melhorar os níveis de qualificação do capital humano se faz necessário para a promoção do desenvolvimento econômico do município, que só será atingido com a elevação da escolaridade da população (gráfico 4). O município de Vila Velha também apresentava um bom índice (85,6%) de frequência à escola no Ensino Médio por jovens entre 15 e 17 anos (gráfico 5).

Gráfico 4 - Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010

Gráfico 5 - Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) 2010

97,4 85,6

Vila Velha

Vila Velha

Vila Velha

46


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE VILA VELHA DIRETORIA DE VILA VELHA

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA A receita total do município de Vila Velha registrou um crescimento de 1,6% passando de R$ 780 milhões, em 2013, para R$ 793 milhões, em 2014, conforme gráfico 6 e tabela 9. Gráfico 6 - Evolução da receita total¹ do município de Vila Velha em R$ milhões - IPCA médio de 2014

595,2

678,3

2009

2010

744,6

2011

806,1

780,8

793,6

2012

2013

2014

Tabela 9 - Evolução da receita total Município

2009

2010

595.207

678.332

2011

2012

2013

2014

780.824

793.630

em R$ mil - IPCA médio de 2014

Vila Velha

744.587

806.122

Variação Partic. rec. 2014 / 2013 total¹ 2014 em%

1,6

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

Segundo estimativa do IBGE (gráfico 7), a receita per capita média do município de Vila Velha, em 2014, foi de R$ 1.704,2 para uma população de 472.762 habitantes. (Ver tabela 1).

47


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 7 - Receita per capita do município de Vila Velha-2014

Vila Velha

1.704,2

Participação dos Municípios (FPM) representavam, em 2014, cerca de 7,2% da receita total do município de Vila Velha. Os royalties e participações especiais contribuíam com 2,5% e o restante da receita (41,1%) era composto de contas menores, como receitas de contribuições, patrimoniais e de capital, entre outras. (Ver tabela 10.)

Boa parte da receita do município de Vila Velha era composta pelos tributos municipais, que representavam, em média, 34,2%. Em seguida, vem a quota-parte municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) transferida pelo governo estadual (15,0% em 2014). As transferências federais do Fundo de

Tabela 10 - Valor e composição da receita total – 2014 Tributos Município

Vila Velha

FPM

QPM-ICMS

Royalties e participações especiais

Outros

Receita total¹

Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%)

271,4

34,2

57,4

7,2

119,3

15,0

19,6

2,5

325,9

41,1

793,6

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

O município de Vila Velha apresentou um expressivo acréscimo na receita, entre 2009 e 2014, fruto da estabilização e fortalecimen-

to da economia. Nesse período, a receita registrou um aumento acumulado de 33,3%, a uma taxa anual média de 5,9%. (Ver tabela 11.)

48


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 11 - Desempenho da receita total Receita Total¹

Município

Receita per capita 2014 em R$

Aumento acumulado 2009 /2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

1.704,2

33,3

5,9

Vila Velha

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total ajustada dos efeitos do Fundeb

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Acompanhando o crescimento da receita, as despesas com pessoal também se elevaram nos últimos anos, em compasso superior ao da receita. No período entre 2009 e 2014 os gastos acumulados com pessoal tiveram um aumento de 43,5%, a uma taxa anual média de 7,5%. (Ver tabela 12.)

Apesar do aumento das despesas com pessoal, o município de Vila Velha não ultrapassou o limite máximo de 60% em relação à receita estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em 2014, esse indicador flutuou em torno de 46,2%.

Tabela 12 - Desempenho do gasto com pessoal Gasto com pessoal

Município

Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Vila Velha

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

43,5

Participação na receita total - 2014 (%)

7,5

46,2

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Na composição das despesas do município de Vila Velha em 2014, o maior peso coube ao item pessoal (47,8%), seguido de custeio

(39,6%), investimento (10,8%) e encargos e amortizações da dívida (1,8%). (Ver tabela 13.)

Tabela 13 - Valor e composição da despesa total - 2014 Pessoal Município

Vila Velha

Custeio

Investimento

Encargos e amortizações da dívida

Despesa Total

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

366,9

47,8

304,1

39,6

83,0

10,8

13,3

1,8

767,3

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes

49


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Visto que a maior parte das despesas já está atrelada a custos fixos (pessoal e demais custeios), a opção mais comum é o corte nos gastos com investimentos públicos, paralisando obras ou atrasando a compra de equipamentos, entre outros. O indicador de investimentos públicos,

que são recursos aplicados em realizações de obras, desapropriações e aquisições de equipamentos, apresentou em 2014, no município de Vila Velha, uma queda de 6,7%, passando de R$ 89,0 milhões, em 2013, para R$ 83,0 milhões, em 2014 (gráfico 7).

Gráfico 8 - Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Vila Velha em R$ milhões - IPCA médio de 2014 142,3

162,2

137,9

74,7

2009

2010

2011

2012

89,0

83,0

2013

2014

Fonte: Balanços Municipais/Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2014. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

O volume total de investimentos públicos de Vila Velha registrou um aumento acumulado de 11,2% no período entre 2009

e 2014, sendo a taxa anual média de 2,1%. (Ver tabela 14.)

Tabela 14 - Desempenho dos investimentos públicos Município Vila Velha

Investimento Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na despesa total 2014 (%)

11,2

2,1

10,8

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018 Dos investimentos industriais previstos para o Espírito Santo no período entre 2016 e 2018, o município de Vila Velha receberá o projeto de um terminal portuário offshore da Nisibra (Grupo

Otto Andrade). A instalação desse projeto, além de contribuir para a criação de novos postos de trabalho, também contribuirá para uma maior dinamização da economia da região.

50


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6

INVESTIMENTOS DO SISTEMA FINDES NA DIRETORIA DE VILA VELHA DIRETORIA DE VILA VELHA

No caso da Diretoria de Vila Velha os investimentos serão destinados para reformas e ampliação do Sesi Cobilândia e da nova unidade conceitual do Senai Araçás Centromoda. Figura 6 - Sesi em Cobilândia – Ampliação e reformas

Figura 7 – Senai Araçás Centromoda

51


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

1

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DO MUNICÍPIO DE SERRA DIRETORIA DE SERRA

Na análise do município de Serra, sob o ângulo dos empregos formais gerados e da composição do valor adicionado (base para o cálculo do PIB) por setor econômico, desenha-se o seguinte perfil: O município é urbano/industrial e está voltado para as atividades da indústria, comércio, serviços e portuárias/turismo. Os investimentos públicos do município de Serra acumularam um decréscimo de 32,9% no período entre 2009 e 2014, a uma taxa anual média negativa de 7,7%. No mesmo período, as receitas cresceram 23,3%, a uma taxa anual média de 4,3%, enquanto os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 31,2%, a uma taxa anual média de 5,6%. Em 2014, a participação das despesas com pessoal na receita do município de Serra foi, em média, de 46,1%, ou seja, não ultrapassou o limite máximo de 60%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

52


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2

CARACTERIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SERRA DIRETORIA DE SERRA

O município de Serra tem uma população total estimada em 2015 de 485.376 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e é composto por quatro distritos: Calogi (ex-Itapocu), Carapina, Nova Almeida e Queimado.

2.1. A ECONOMIA DO MUNICÍPIO DE SERRA Em 2013, últimos dados do IBGE sobre a economia dos estados e municípios, Serra era responsável por 13,2% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com cerca de R$ 15,4 bilhões. O PIB per capita do município, considerando o PIB de 2013 e a estimativa de população para 2013, é de R$ 31.810.(Ver tabela 1.) Tabela 1 - Dados econômicos do município de Serra Município

Serra

População (1) (Habitantes)

Produto Interno Bruto (PIB) (2) (R$ mil)

Posição do Município (PIB)

Participação do PIB na Regional (%)

PIB per capita (3) R$/Habitante

Posição do Município (PIB per capita)

485.376

15.439.727

2

100,0

31.810

7

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2) PIB de 2013/Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) (3) PIB per capita de 2013 (ISJN) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em relação ao valor adicionado em 2013, o município de Serra apresentou maior peso para o setor de comércio e serviços, com 49,5%, seguido da indústria, construção e serviços industriais de utilidade pública (SIUP) com 35,1%; administração pública, com 15,2%; e da agropecuária, com 0,2% (gráfico 1).

53


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 1 - Valor adicionado total do município de Serra 0,2% Agropecuária

35,1%

Indústria, Construção e SIUP* 49,5%

Administração Pública

15,2%

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NO MUNICÍPIO DE SERRA Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de 2014, o município de Serra tinha 8.254 empresas (indústria, SIUP, comércio e serviços), empregando formalmente 129.896 trabalhadores.(Ver tabela 2.)

Considerando o total de empregos formais em relação ao total da população de Serra, o percentual de pessoas empregadas é de 26,8%. Já em relação à quantidade de empregos por empresa, Serra possui, em média, 15,7 empregos por empresa. (Ver tabela 2.)

Tabela 2 - População, empresas e empregos Município Serra

Total de População habitantes (1) Empresas (2) 485.376

8.254

Total de Empregos (3)

População Empregada (%)

Média de empregos por empresa

129.896

26,8

15,7

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2,3) Rais 2014/Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Em relação à distribuição das empresas por setor de atividade, segundo as informações da Rais em 2014, Serra apresentou as

seguintes participações: comércio (44,5%), serviços (33,7%) e indústria (21,8%). (Ver tabela 3.)

54


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 3 - Participação de empresas nos principais setores de atividade Município Serra

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

1.803

21,8

3.671

44,5

2.780

33,7

Total 8.254

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Quanto à distribuição dos empregos formais por setor de atividade, ainda de acordo com a Rais em 2014, Serra apresentou

as seguintes participações: serviços (41,1%), indústria (34,8%) e comércio (24,1%). (Ver tabela 4

Tabela 4 - Participação de empregos nos principais setores de atividade Município Serra

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

45.156

34,8

31.354

24,1

53.386

41,1

Total 129.896

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

55


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3

PERFIL DOS SEGMENTOS NO MUNICÍPIO DE SERRA DIRETORIA DE serra

O município de Serra possui um dinamismo econômico com base nas atividades industriais, no comércio e na prestação de serviços. A participação do setor de agricultura no valor adicionado do município é ínfima, de apenas 0,2%.

3.1 INDÚSTRIA No município de Serra se localizam diversas indústrias, com destaque para a ArcelorMittal Tubarão (antiga CST), que se constituem em âncora para o desenvolvimento do município. No conjunto dos sindicatos que compõem a Findes existiam, em 2014, 46.831 empregados em 2.447 empresas localizadas no município de Serra. (Ver tabela 5.) Somente o setor industrial (extrativa, transformação e construção) totalizava 1.721 empresas e 41.684 trabalhadores. Em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), quanto aos segmentos industriais, a indústria de transformação era constituída por 858 empresas, responsáveis por 22.148 empregos. A indústria da construção contemplava 844 empresas, empregando 19.186 trabalhadores. A indústria extrativa aparecia com 19 empresas industriais e 350 empregos. (Ver tabela 5.)

Tabela 5 - Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Município

Indústria Extrativa

Indústria de Transformação

Empresas Empregos Empresas Empregos

Serra

19

350

858

22.148

Indústria de Construção Empresas Empregos

844

19.186

Outros setores cujos sindicatos pertencem à Findes¹ Empresas Empregos

726

5.147

Total Empresas Empregos

2.447

46.831

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Setores: Reparação de Veículos; Panificação; Indústria Gráfica; Serviços de Informática.

56


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Quanto às divisões dos setores, na indústria extrativa (19 empresas) destacavam-se as atividades de apoio à extração de minerais não-metálicos, com 18 indústrias. (Ver tabela 6.) Na indústria de transformação (858 empresas), sobressaíam-se os segmentos de fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (187); manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (125); fabricação de produtos de minerais não-metálicos (124); fabricação de produtos alimentícios, com 72 indústrias, e confecções de artigos do vestuário e acessórios, com 57. Do total de 844 indústrias da construção, 339 pertenciam ao segmento da construção de edifícios, 321 aos serviços especializados para construção e 184 às obras de infraestrutura. Na análise dos empregos por segmento, na indústria extrativa (350 empregados) o destaque ficou com a extração de minerais não-metálicos (348). (Ver tabela 7.) Na indústria de transformação (22.148 trabalhadores), a metalurgia empregava 5.668

trabalhadores. Já a fabricação de produtos de minerais não-metálicos ocupava 4.582 pessoas, seguida da fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (2.939); da manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos (2.568); da fabricação de produtos químicos (878); e da fabricação de produtos alimentícios (703), principalmente. A indústria da construção empregava 19.186 trabalhadores, sendo 10.731 em obras de infraestrutura, 5.309 em serviços especializados para construção e 3.146 na construção de edifícios. Quanto ao porte do segmento industrial, o município de Serra é composto, em sua maioria, por micro (2.096) e pequenas empresas (276); 62 empresas são de porte médio e 13 empresas são de grande porte, segundo dados da Rais 2014/MTE. O total de empregos ficou distribuído da seguinte forma: microempresas (9.014), pequenas (11.341), médias (11.982) e grandes empresas (14.494). (Ver tabela 8.)

57


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 6 - Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Serra

Indústria Extrativa

19

Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

0

Extração de minerais metálicos

1

Extração de minerais não- metálicos

18

Atividades de apoio à extração de minerais

0

Indústria de Transformação

858

Fabricação de produtos alimentícios

72

Fabricação de bebidas

4

Fabricação de produtos têxteis

10

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

57

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

5

Fabricação de produtos de madeira

11

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

10

Impressão e reprodução de gravações

35

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

2

Fabricação de produtos químicos

37

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

1

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

40

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

124

Metalurgia

13

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

187

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

4

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

12

Fabricação de máquinas e equipamentos

30

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

16

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

3

Fabricação de móveis

38

Fabricação de produtos diversos

22

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

125

Indústria da Construção

844

Construção de edifícios

339

Obras de infra-estrutura

184

Serviços especializados para construção

321

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

726

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

495

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

197

Edição e edição integrada à impressão

4

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

22 8

Total

2.447

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

58


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7 - Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais

Serra 350

Indústria Extrativa Extração de carvão mineral

0

Extração de petróleo e gás natural

0

Extração de minerais metálicos

2 348

Extração de minerais não- metálicos

0

Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação

22.148

Fabricação de produtos alimentícios

703

Fabricação de bebidas

159

Fabricação de produtos têxteis

119

Confecção de artigos do vestuário e acessórios

342

Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados

17

Fabricação de produtos de madeira

141

Fabricação de celulose, papel e produtos de papel

149

Impressão e reprodução de gravações

229

Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível

291

Fabricação de produtos químicos

878

Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos

136

Fabricação de produtos de borracha e de material plástico

1.768

Fabricação de produtos de minerais não-metálicos

4.582

Metalurgia

5.668

Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos

2.939

Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos

63

Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos

304

Fabricação de máquinas e equipamentos

364

Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias

165

Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores

129

Fabricação de móveis

350

Fabricação de produtos diversos

84

Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos

2.568

Indústria da Construção

19.186

Construção de edifícios

3.146

Obras de infra-estrutura

10.731

Serviços especializados para construção

5.309

Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes

5.147

Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas

3.717

Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes

1.287

Edição e edição integrada à impressão

24

Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação

77 42

Total

46.831

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

59


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8 - Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Micro

Município

Pequena

Empresas Empregos Empresas Empregos

Serra

2.096

9.014

276

Média

Grande

Total

Empresas Empregos

Empresas Empregos

Empresas Empregos

11.341

62

11.982

13

14.494

2.447

46.831

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

O município de Serra possui um parque industrial composto pelos setores de produtos de metal e metalurgia, construção civil, manutenção, reparação e instalação de máquinas

e equipamentos, minerais não-metálicos, produtos alimentícios, confecções, energia e logística, principalmente (figura 1).

Figura 1 - Distribuição do parque industrial Legenda Minerais não-metálicos Construção Civil Manut., repar., instalação máquinas e equipamento Produtos alimentícios Serra

Cimento Confecções Energia Logística Produtos de metal e metalurgia

3.2. COMÉRCIO E SERVIÇOS O setor de comércio e serviços do município de Serra também é muito dinâmico, tendo o valor adicionado desses setores representado 49,5% do total em 2013. Em relação à quantidade total de empresas e empregos do município de Serra, o setor

de serviços contemplava em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), 2.780 empresas e 53.386 empregados, e o setor comercial, 3.671 empresas com 31.354 empregados. (Ver tabelas 3 e 4.)

60


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

DIRETORIA DE serra

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO Segundo as informações do IBGE referentes a 2010, a composição por idade da população sinaliza importantes características sobre a utilização dos equipamentos públicos de saúde e educação, a adequação do mercado de trabalho e as políticas de seguridade social. Populações compostas por uma participação relativa de jovens e adultos superior à de crianças e idosos encontram-se em um contexto demográfico favorável denominado janela demográfica. Nesse cenário, existe uma proporção maior de pessoas em idade ativa favorecendo a realização de investimentos adicionais para promover o crescimento econômico e reduzir a pobreza. O município de Serra apresenta uma pirâmide etária típica de populações que iniciam o processo de entrada na janela demográfica, com estreitamento da base e alargamento do corpo. É observada uma população de crianças e jovens bastante expressiva nesse município, mas a população de jovens e adultos vem apresentando crescimento superior ao de crianças. A pirâmide etária do município de Serra está disposta a seguir: Gráfico 2 - Pirâmide Etária Serra – 2010

Mulheres Homens

80+ 70 a 79 anos

Faixa Etária (anos)

4

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE serra

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos 10 a 19 anos 0 a 9 anos

61


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) No país, o Espírito Santo registrou um salto de 46,5% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM)entre 1991 e 2010, um avanço consistente puxado pela melhora acentuada dos municípios menos desenvolvidos nas três dimensões acompanhadas pelo índice: longevidade, educação e renda. Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP),com base nos censos demográficos do IBGE de 1991 a 2010. A composição do IDH compreende indicadores de longevidade, educação e renda, pois assume que, para viver do modo que desejam, as pessoas precisam pelo menos ter a possibilidade de levar uma vida longa e saudável, acesso ao conhecimento e a oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O IDHM ajusta o IDH para a realidade dos municípios e reflete as especificidades e desafios regionais no alcance do desenvolvimento humano no Brasil. Para aferir o nível de desenvolvimento humano dos municípios, as dimensões são as mesmas do IDH

Global – longevidade, educação e renda -e mais 250 indicadores. O índice varia entre 0 (valor mínimo) e 1 (valor máximo) e são utilizados os seguintes níveis de classificação: Muito Alto (0,800 a 1), Alto (0,700 a 0,799), Médio (0,600 a 0,699), Baixo (0,500 a 0,599) e Muito Baixo (0,000 a 0,499). O IDHM médio do município de Serra em 2010 registrou nível alto de desenvolvimento (figura 2). O IDHM dimensão longevidade foi um dos que mais contribuiu, em termos absolutos, para o nível atual do IDHM do Estado, apresentando nível “muito alto” e a menor distância até 1 (figura 3). O IDHM dimensão educação foi o que teve o menor índice de contribuição em 2010 e registrou nível médio de desenvolvimento quanto ao acesso ao conhecimento (figura 4). No IDHM dimensão renda, em 2010 também foi observado nível alto de desenvolvimento quanto à oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O método de cálculo do IDHM renda utiliza uma fórmula logarítmica que aproxima os maiores valores de renda per capita dos menores e, com isso, reduz a disparidade de renda existente na perspectiva intramunicipal (figura 5).

Figura 2 - Distribuição do IDHM médio

Figura 3 - Distribuição do IDHM dimensão longevidade

Legenda Serra

0,739

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Legenda Serra

0,844

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

62


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 4 - Distribuição do IDHM dimensão educação

Figura 5 - Distribuição do IDHM dimensão renda Legenda

Legenda Serra

0,664

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Serra

0,720

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO Um país vive uma situação de bônus demográfico quando a população economicamente ativa (PEA) supera com boa margem a de dependentes. O aproveitamento desse bônus demográfico pode gerar crescimento econômico, caso a PEA esteja preparada em termos educacionais e de qualificação profissional de qualidade para atuar no mercado de trabalho atual. No mundo globalizado, o mercado de trabalho mostra-se cada vez mais exigente, ou seja, à medida que o tempo passa e o mundo evolui, muito além da experiência profissional, é preciso adquirir e renovar o conhecimento. No início da década de 2010, praticamente a totalidade dos jovens e adolescentes de 15 a 24 anos do município de Serra enconGráfico 3 - Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010

trava-se alfabetizada, com percentual de 99,0%, segundo dados do censo demográfico de 2010 do IBGE (gráfico 3). Serra possuía um excelente índice de frequência à escola por crianças e adolescentes no Ensino Fundamental (97,4%), capaz de garantir melhor ambiência para o crescimento (gráfico 4). Ainda assim, melhorar os níveis de qualificação do capital humano se faz necessário para a promoção do desenvolvimento econômico do município, que só será atingido com a elevação da escolaridade da população. O município de Serra também apresenta um bom índice (81,4%)de frequência à escola no Ensino Médio por jovens entre 15 e 17 anos (gráfico 5).

Gráfico 4 - Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010

Gráfico 5 - Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) 2010

99,0 97,4

Serra

Serra

81,4

Serra

63


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5

PERFIL FINANCEIRO DO MUNICÍPIO DE SERRA DIRETORIA DE SERRA

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA A receita total do município de Serra registrou um crescimento de 12,5% em 2014,alcançando R$ 1,028 bilhão frente aos R$ 914 milhões de 2013 (gráfico 6 e tabela 9). Gráfico 6 - Evolução da receita total¹ do município de Serra

em R$ milhões - IPCA médio de 2014

834,1

937,3

2009

2010

986,3

2011

1.026,1

913,7

1.028,1

2012

2013

2014

Tabela 9 - Evolução da receita total Município

2009

2010

2011

2012

2013

2014

913.702

1.028.139

em R$ mil - IPCA médio de 2014

Serra

834.068

937.337

986.257

1.026.076

Variação Partic. rec. 2014 / 2013 total¹ 2014 em%

12,5

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

A receita per capita média (gráfico 7) do município de Serra, em 2014, foi de R$ 2.158 para uma população de 485.376 habitantes, segundo estimativa do IBGE. (Ver tabela 1.)

64


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 7 - Receita per capita do município de Serra - 2014

Serra

2.158,0

Participação dos Municípios (FPM) representavam cerca de 5,6% da receita total do município de Serra em 2014. Os royalties e participações especiais contribuíam com 3,0% e o restante da receita (42,6%) era composto de contas menores, como receitas de contribuições, patrimoniais e de capital, entre outras. (Ver tabela 10.)

Boa parte da receita de Serra era composta pela quota-parte municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) transferida pelo governo estadual (25,6% em 2014). Em seguida, vinham os tributos municipais, que representaram, em média, 23,2%. As transferências federais do Fundo de

Tabela 10 - Valor e composição da receita total – 2014 Tributos Município

Serra

FPM

QPM-ICMS

Royalties e participações especiais

Outros

Receita total¹

Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%)

238,7

23,2

57,4

5,6

263,3

25,6

30,5

3,0

438,2

42,6

1.028,1

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

O município de Serra apresentou um expressivo acréscimo na receita, entre 2009 e 2014, fruto da estabilização e fortalecimento

da economia. Nesse período, o aumento acumulado foi de 23,3%, a uma taxa anual média de 4,3%. (Ver tabela 11.)

Tabela 11 - Desempenho da receita total Município Serra

Receita Total¹ Receita per capita 2014 em R$

Aumento acumulado 2009 /2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

2.158,0

23,3

4,3

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total ajustada dos efeitos do Fundeb

65


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Acompanhando o crescimento da receita, as despesas com pessoal também se elevaram nos últimos anos, em compasso superior ao da receita. No período entre 2009 e 2014, os gastos acumulados com pessoal tiveram um aumento de 31,2%, a uma taxa anual média de 5,6%. (Ver tabela 12.)

Apesar do aumento das despesas com pessoal, o município de Serra não ultrapassou o limite máximo de 60% em relação à receita, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em 2014, esse indicador flutuou em torno de 46,1%.

Tabela 12 - Desempenho do gasto com pessoal Gasto com pessoal

Município

Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Serra

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

31,2

Participação na receita total - 2014 (%)

5,6

46,1

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Na composição das despesas do município de Serra em 2014, o maior peso coube ao item pessoal (48,0%), seguido de cus-

teio (36,8%); investimento (12,6%); e encargos e amortizações da dívida (2,6%). (Ver tabela 13.)

Tabela 13 - Valor e composição da despesa total - 2014 Pessoal Município

Serra

Custeio

Investimento

Encargos e amortizações da dívida

Despesa Total

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

473,9

48,0

364,1

36,8

124,4

12,6

25,8

2,6

988,2

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes

Visto que a maior parte das despesas já está atrelada a custos fixos (pessoal e demais custeios), a opção mais comum é o corte nos gastos com investimentos públicos, paralisando obras ou atrasando a compra de equipamentos, entre outros. O indicador de investimentos públicos,

que são recursos aplicados em realizações de obras, desapropriações e aquisições de equipamentos, apresentou em 2014, no município de Serra, um crescimento de 96,2%, passando de aproximadamente R$ 63 milhões, em 2013, para R$ 124 milhões, em 2014 (gráfico 8).

66


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 8 - Evolução do volume total de investimentos públicos do município de Serra em R$ milhões - IPCA médio de 2014 185,4

168,7

158,0

126,0

124,0 63,0

2009

2010

2011

2012

2013

2014

Fonte: Balanços Municipais/Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2014. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Apesar disso, o volume total de investimentos públicos do município de Serra registrou um decréscimo acumulado de 32,9% no perío-

do entre 2009 e 2014, sendo a taxa anual média de -7,7%. (Ver tabela 14).

Tabela 14 - Desempenho dos investimentos públicos Município Serra

Investimento Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na despesa total 2014 (%)

-32,9

-7,7

12,6

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018 Dos investimentos industriais previstos para o Espírito Santo no período entre 2016 e 2018 para esta Regional, serão contemplados os setores de energia, plástico, metalmecânica, siderurgia, máquinas e equipa-

mentos e construção civil, o que além de contribuir para a criação de novos postos de trabalho, também contribuirá para uma maior dinamização da economia da região.

67


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 15 - Investimentos industriais previstos em 2016/2018 Investidor

Projeto

Setor

Perfilados Rio Doce

Fábrica de tubo galvanizado, poste padrão e de iluminação pública, em uma área de76 mil metros quadrados.

Energia

Alladin Grupo Pacific Market International (PMI)

Instalação da multinacional americana fabricante de garrafas térmicas.

Plástico

TSA

Centro Industrial para a produção de tubos de aço.

Metalmecânica

ArcelorMittal Tubarão

Centro de pesquisa e desenvolvimento (P&D) na unidade de Tubarão.

Siderurgia

Perma-Pipe

Fase 1 da instalação e ampliação da fábrica de revestimento para isolamento térmico de dutos.

Máquinas e equipamentos

Perma-Pipe

Fase 2 da instalação e ampliação da fábrica de revestimento para isolamento térmico de dutos.

Máquinas e equipamentos

Perma-Pipe

Fase 3 da instalação e ampliação da fábrica de revestimento para isolamento térmico de dutos.

Máquinas e equipamentos

Hidremec

Ampliação da fábrica de dormentes ferroviários.

Metalmecânica

Fortlev

Fábrica Fortlev Engenharia

Plástico

Almaviva

Construção de call center.

Construção Civil

Fibrasa

Ampliação da fábrica para produção das embalagens de café em cápsula.

Plástico

68


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

6

INVESTIMENTOS DO SISTEMA FINDES NA DIRETORIA DE SERRA DIRETORIA DE serra

No caso da Diretoria de Serra, além da obra já entregue do Sesi Saúde Laranjeiras, os investimentos serão destinados para reforma e ampliação da unidade Senai em Civit. Figura 6 – Sesi Saúde Laranjeiras

Figura 7 – Senai Civit

69


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

O PERFIL DO DINAMISMO ECONÔMICO DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA DIRETORIA DE CARIACICA E VIANA

Na análise dos municípios de Cariacica e Viana, sob o ângulo dos empregos formais gerados e da composição do valor adicionado (base para o cálculo do PIB) por setor econômico, desenha-se o seguinte perfil: • A economia de Viana tem como principais bases de sustentação a indústria, o comércio e os serviços, mas também se destaca pela produção agropecuária, especialmente a banana, o café e o gado, que abastece parte do mercado consumidor da Grande Vitória. • A economia de Cariacica é voltada principalmente para os setores terciário e industrial. O município possui o maior porto seco da América Latina, além de várias empresas de logística. Também concentra um grande número de artesãos. Quanto às finanças públicas dos municípios de Cariacica e Viana, o primeiro concentra a maior parte da receita da Regional (76,5%) e polariza as principais atividades econômicas. O total dos investimentos públicos dos municípios de Cariacica e Viana acumulou uma queda de 27,7% no período entre 2009 e 2014, a uma taxa anual média de -6,3%. No mesmo período, as receitas cresceram 37,6%, a uma taxa anual média de 6,6%, enquanto os gastos com pessoal tiveram um aumento acumulado de 52,6%, a uma taxa anual média de 8,8%. Em 2014, a participação das despesas com pessoal na receita total dos dois municípios foi, em média, de 50,0%, ou seja, não ultrapassou o limite máximo de 60%, estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

70


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2

CARACTERIZAÇÃO DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA DIRETORIA DE CARIACICA E VIANA

A Diretoria de Cariacica e Viana do Sistema Findes abrange esses dois municípios, com uma população total estimada em 2015 de 456.301 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os municípios que compõem a Regional, além das respectivas sedes, são compostos por dois distritos, distribuídos conforme segue: • Cariacica: Itaquari. • Viana: Araçatiba.

2.1. A ECONOMIA DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA Em 2013, últimos dados do IBGE sobre a economia dos estados e municípios, Cariacica e Viana eram responsáveis, no total, por 7,1% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com cerca de R$ 8,4 bilhões. O município de Cariacica concentrava grande parte do dinamismo da Regional, com a participação de 82,6% no total do PIB da Regional. Considerando o PIB de 2013 e a estimativa de população para 2013, a Regional registrou um PIB per capita de R$ 18.668, sendo essa média inferior ao PIB per capita do município de Viana, de R$ 20.217. (Ver tabela 1.) Tabela 1 - Dados econômicos dos municípios de Cariacica e Viana Posição do Município (PIB)

Participação do PIB na Regional (%)

PIB per capita (3) R$/Habitante

Posição do Município (PIB per capita)

6.907.020

5

82,6

18.371

22

1.457.956

15

17,4

20.217

16

8.364.976

-

100,0

18.668

-

População (1) (Habitantes)

Produto Interno Bruto (PIB) (2) (R$ mil)

Cariacica

381.802

Viana

74.499

Total Regional

456.301

Município

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2) PIB de 2013/Instituto Jones do Santos Neves (IJSN) (3) PIB per capita de 2013 (ISJN) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

71


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

De acordo com informações divulgadas pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN), em relação ao valor adicionado em 2013, os municípios de Cariacica e Viana apresentaram maior peso para as atividades de comércio

e serviços, com 57,0%, seguido pela administração pública, com 22,2%; indústria, construção e serviços industriais de utilidade pública (SIUP), com 20,5%; e agropecuária, com 0,3% (gráfico 1).

Gráfico 1- Valor adicionado total dos municípios de Cariacica e Viana - 2013 0,3% 20,5% Agropecuária Indústria, Construção e SIUP* Administração Pública

57,0%

O município de Cariacica apresentou as melhores participações nas atividades de comércio e serviços (60,1%) e da administração pública (22,4%), enquanto o

22,2%

município de Viana se sobressaiu nos setores da indústria, construção e SIUP, com 34,5%, e na agropecuária, com 1,4%. (Ver tabela 2.)

Tabela 2 - Participação do valor adicionado municipal - Diretoria de Cariacica e Viana Município Cariacica

Agropecuária (%) 0,1

Indústria, Demais Atividades de Construção, Administração Pública (%) Comércio e Serviços (%) SIUP¹ (%) 17,4

22,4

60,1

Total 100,0

Viana

1,4

34,5

21,6

42,5

100,0

Total Regional

0,3

20,5

22,2

57,0

100,0

16,5

34,7

100,0

5,5 Neves (IJSN) 43,3 Fonte: PIB Municipal ES 2013/ Instituto Jones do Santos Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹ SIUP - Serviços Industriais de Utilidade Pública (Eletricidade, Gás e Água)

72


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

2.2 EMPRESAS E EMPREGOS NOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA município, o maior empregador foi Viana, com 16,1% da população empregada, enquanto Cariacica empregava 13,6% dos habitantes. Em relação à quantidade de empregos por empresa, Viana também se destaca, com 13,9 empregos em média. Cariacica possuía em 2014 uma média de 9,9 empregos por empresa. (Ver tabela 3.)

Segundo a Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) de 2014, os municípios de Cariacica e Viana totalizavam 6.101 empresas (indústria, SIUP, comércio e serviços), empregando formalmente 63.784 trabalhadores.(Ver tabela 3.) Quanto ao total de empregos formais em relação ao total da população de cada Tabela 3 - População, empresas e empregos Município

Total de População habitantes (1) Empresas (2)

Total de Empregos (3)

População Empregada (%)

Média de empregos por empresa

Cariacica

381.802

5.235

51.771

13,6

9,9

Viana

74.499

866

12.013

16,1

13,9

Total Regional

456.301

6.101

63.784

14,0

10,5

Fonte: (1) Estimativa de população para 2015/Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2,3) Rais 2014/Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

Em relação à distribuição das empresas por setor de atividade, segundo as informações da Rais em 2014, os dois municípios pertencentes a essa Diretoria apresentaram as seguintes participações: comércio (48,2%), serviços (34,1%) e indústria (17,7%). (Ver tabela 4.)

Na análise por município, o setor comercial era o que mais se destacava, representando 48,4% das empresas em Cariacica e 47,2% em Viana. No setor serviços o destaque foi o município de Viana, com 35,7% de empresas nesse setor. Já no setor industrial, foi o município de Cariacica, com 17,8%.

Tabela 4 - Participação de empresas nos principais setores de atividade Município

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Empresas (%)

Quant. Empresas

Empresas (%)

Quant. Empresas

Cariacica

932

17,8

2.534

48,4

1.769

33,8

5.235

Viana

148

17,1

409

47,2

309

35,7

866

1.080

17,7

2.943

48,2

2.078

34,1

6.101

Total Regional

Empresas (%)

Total

Quant. Empresas

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Ind. Extrativa, de Transformação, Construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública. ²Não inclui Adm. Pública e Agropecuária

73


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Quanto à distribuição dos empregos formais por setor de atividade, ainda de acordo com a Rais em 2014, os municípios de Cariacica e Viana totalizavam as seguintes participações: serviços (41,2%), comércio (37,1%) e indústria (21,7%). (Ver tabela 5.)

Em 2014, o emprego formal em Cariacica era suprido, principalmente, pelo setor de serviços (42,0%), seguido pelo setor comercial (37,0%). O mesmo ocorria em Viana, com 38,0% dos empregos no setor serviços e 37,1% no setor comercial.

Tabela 5 - Participação de empregos nos principais setores de atividade Município Cariacica

Indústria¹

Comércio

Serviços²

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

Quant. Empregos

Empregos (%)

10.860

21,0

19.182

37,0

21.729

42,0

Total 51.771

Viana

2.993

24,9

4.454

37,1

4.566

38,0

12.013

Total Regional

13.853

21,7

23.636

37,1

26.295

41,2

63.784

74


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3

PERFIL DOS SEGMENTOS DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA DIRETORIA DE cariacica e viana

3.1. AGRICULTURA Os municípios de Cariacica e Viana possuem um dinamismo econômico com base na indústria, comércio e serviços. O setor de agricultura participa com apenas 0,3% do valor adicionado total e a forma de gestão predominante nas propriedades é a agricultura familiar. O município de Viana possui 60% de área rural e sua produção agropecuária é especialmente de banana, café, mandioca, feijão, milho e gado, que abastece parte do mercado consumidor da Grande Vitória. A pecuária existente no município é mista, com gado leiteiro e de corte, além de rebanho suíno. Há também o plantio da seringueira e, na horticultura, destacam-se o quiabo e a alface hidropônica. Já na fruticultura, destaca-se a banana, seguida de citros, coco, goiaba, mamão e maracujá. As agroindústrias existentes são de polpa de frutas, queijo, mandioca congelada, empacotamento de leite e carne suína.

3.2. INDÚSTRIA Nos municípios de Cariacica e Viana se encontram importantes indústrias, destacando-se as de beneficiamento de café, de bebidas, fertilizantes e rações para animais. No conjunto dos sindicatos que compõem a Findes existiam, em 2014, 16.750 empregados em 1.644 empresas localizadas nos municípios pertencentes à Regional. (Ver tabela 6.) Somente o setor industrial (extrativa, transformação e construção) totalizava 1.027 empresas e 12.441 trabalhadores. Em 2014, segundo o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego), quanto aos segmentos industriais, a indústria de transformação era constituída por 593 empresas, responsáveis por 8.644 empregos. Cariacica se destacava, com 495 indústrias e 5.966 empregos gerados. A indústria da construção contemplava 429 empresas, empregan-

75


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

do 3.608 trabalhadores, com destaque novamente para Cariacica, que registrava 386 empresas industriais e 3.348 empregados. Na indústria extrativa, os dois municípios

pertencentes à Regional apresentavam somente cinco empresas, proporcionando 189 empregos. O destaque era Cariacica, com quatro indústrias e 189 trabalhadores.

Tabela 6 - Quantidade de empresas e empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Município

Indústria Extrativa

Indústria de Transformação

Empresas Empregos Empresas Empregos

Indústria de Construção Empresas Empregos

Outros setores cujos sindicatos pertencem à Findes¹ Empresas Empregos

Total Empresas Empregos

Cariacica

4

189

495

5.966

386

3.348

503

3.275

1.388

12.778

Viana

1

0

98

2.678

43

260

114

1.034

256

3.972

Total Regional

5

189

593

8.644

429

3.608

617

4.309

1.644

16.750

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes Nota: ¹Setores: Reparação de Veículos; Panificação; Indústria Gráfica; Serviços de Informática.

Quanto às divisões dos setores, na indústria extrativa (cinco empresas) o maior peso era o da extração de minerais não-metálicos, com quatro indústrias, sendo três em Cariacica. (Ver tabela 7.) Na indústria de transformação (593 empresas), sobressaíam-se os segmentos de fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, com 87 indústrias, sendo 76 em Cariacica; fabricação de produtos alimentícios, com 86 empresas (67 em Cariacica e 19 em Viana); confecção de artigos do vestuário e acessórios, com 69 empresas (61 em Cariacica); e fabricação de produtos de minerais não-metálicos, com 66 indústrias (50 em Cariacica e 16 em Viana). Do total de 429 indústrias da construção, 255 pertenciam ao segmento de serviços especializados para construção, 134 ao da construção de edifícios e 40 às obras de infraestrutura. Em todos os casos, destacava-se Cariacica (231, 122 e 33 empresas, respectivamente). Na análise dos empregos por segmento, na indústria extrativa (189 trabalhadores) o destaque ficou com a extração de minerais não metálicos (185), todos no município de Cariacica. (Ver tabela 8.) Na indústria de transformação (8.644),

a fabricação de produtos alimentícios empregava, em 2014, 2.629 trabalhadores, sendo 1.271 em Cariacica e 1.358 em Viana. O setor de bebidas também se destacava, com 653 empregos (556 em Cariacica), seguido da fabricação de produtos de borracha e de material plástico (649 empregados, sendo 504 em Cariacica); metalurgia, com 644 postos de trabalho (389 em Cariacica e 255 em Viana); e minerais não-metálicos, ocupando 630 pessoas (397 em Cariacica e 233 em Viana). A fabricação de móveis empregava, em 2014, 617 pessoas, com destaque para Cariacica (604). A fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos, contabilizava 571 empregos, sendo 548 em Cariacica. A fabricação de produtos químicos respondia por 543 empregos (309 em Viana e 234 em Cariacica) e a confecção de artigos do vestuário e acessórios também se destacava nos empregos gerados na Regional, com 495 trabalhadores, sendo 465 em Cariacica. A indústria da construção empregava 3.608 trabalhadores, sendo 1.549 na construção de edifícios, 1.329 nos serviços especializados para construção e 470 em obras de infraestrutura. Cariacica se destacava em todos esses segmentos, com 1.629, 1.429 e 550 trabalhadores, respectivamente.

76


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 7 - Quantidade de empresas dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

Cariacica

Viana

Total Regional

4 1 0 0 3

1 0 0 0 1

5 1 0 0 4

0 495 67 2 5 61 7 11 3 17 0 13 0 22 50 4 76 2 3 13 13 0 65 22 39 386 122 33 231 503 374 101 5 14 9

0 98 19 1 0 8 0 2 2 4 0 3 0 6 16 2 11 0 0 0 10 0 6 4 4 43 12 7 24 114 99 14 1 0 0

0 593 86 3 5 69 7 13 5 21 0 16 0 28 66 6 87 2 3 13 23 0 71 26 43 429 134 40 255 617 473 115 6 14 9

1.388

256

1.644

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

77


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 8 - Quantidade de empregos dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Setores Indústriais Indústria Extrativa Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não- metálicos Atividades de apoio à extração de minerais Indústria de Transformação Fabricação de produtos alimentícios Fabricação de bebidas Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabr. arte de couro, artigos p/ viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, de produtos deriv. petróleo e biocombustível Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos Fabricação de produtos de borracha e de material plástico Fabricação de produtos de minerais não-metálicos Metalurgia Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos Fabricação de equip. de informática, prod. eletrônicos e ópticos Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equip. de transporte, exc. veículos automotores Fabricação de móveis Fabricação de produtos diversos Manutenção, reparação e instalação de máquinas e equipamentos Indústria da Construção Construção de edifícios Obras de infra-estrutura Serviços especializados para construção Outros Setores Cujos Sindicatos Pertencem à Findes Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas Comércio varejista de prod. padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes Edição e edição integrada à impressão Atividades dos serviços de tecnologia da informação Atividades de prestação de serviços de informação Total

Cariacica

Viana

Total Regional

189 4 0 0 185

0 0 0 0 0

189 4 0 0 185

0 5.966 1.271 556 26 465 183 49 14 81 0 234 0 504 397 389 548 2 15 278 97 0 604 101 152 3.348 1.549 470 1.329 3.275 2.588 629 6 34 18

0 2.678 1.358 97 0 30 0 6 50 44 0 309 0 145 233 255 23 0 0 0 67 0 13 3 45 260 80 80 100 1.034 970 63 1 0 0

0 8.644 2.629 653 26 435 183 55 64 125 0 543 0 649 630 644 571 2 15 278 164 0 617 104 197 3.608 1.629 550 1.429 4.309 3.558 692 7 34 18

12.778

3.972

16.750

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

78


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Quanto ao porte do segmento industrial, os municípios de Cariacica e Viana eram compostos, em sua maioria, por microempresas (1.485) e pequenas empresas (139). Apenas 19 empresas eram de porte médio e uma de grande porte, segundo dados da Rais 2014/ MTE. (Ver tabela 9.) O município de Cariacica era o de maior destaque em número de empresas industriais e empregos, sendo 1.266 microempresas com 5.606 empregados, seguidas de 110 pequenas empresas com 4.180 empregados, 11 empresas de médio porte com 2.437 empregados e uma empresa de grande respondendo por 555 postos de trabalho. Tabela 9 - Quantidade de empresas e empregos por porte dos setores cujos sindicatos são filiados à Findes Micro

Município

Pequena

Empresas Empregos Empresas Empregos

Cariacica Viana Total Regional

Média

Grande

Total

Empresas Empregos

Empresas Empregos

Empresas Empregos

1.266

5.606

110

4.180

11

2.437

1

555

1.388

12.778

219

983

29

1.123

8

1.866

0

0

256

3.972

1.485

6.589

139

5.303

19

4.303

1

555

1.644

16.750

Fonte: Rais 2014/ Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Os municípios de Cariacica e Viana possuem um parque industrial composto pelos setores de alimentos, minerais não metálicos, madeira e móveis, produtos de metal, logística, construção e confecções, principalmente (figura 1). Figura 1 - Distribuição do parque industrial

Cariacica

Legenda Minerais não-metálicos Alimentos Logística Madeira e móveis

Viana

Construção Confecções Produtos de metal

79


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

3.3. COMÉRCIO E SERVIÇOS O setor de comércio e serviços dos municípios de Cariacica e Viana também é muito dinâmico. O município de Cariacica sedia o Grupo Águia Branca, um dos maiores grupos empresariais do país. Também se destaca nesse município o Grupo Coimex. A grande variedade de lojas tornaram a região da Av. Expedito Garcia, localizada no bairro Campo Grande, o maior shopping a céu aberto de todo o estado do Espírito Santo. Quanto ao valor adicionado, esses setores representavam 57,0% em 2014. (Ver tabela 2.) Em relação à quantidade de empresas e empregos totais dos municípios de Cariacica e Viana, os setores de serviços contemplavam em 2014, segundo o MTE, 2.078 empresas e 26.295 empregados, e o setor comercial, 2.943 empresas com 23.636 empregados. (Ver tabelas 4 e 5.) Quanto à participação das empresas no setor de serviços, em Viana eram 35,7% nesse setor e em Cariacica, 33,8%. No setor comercial as participações foram de 48,4% em Cariacica e de 47,2% em Viana. (Ver tabela 4.) A participação dos empregos do setor de serviços nesses municípios em 2014 foi de 42% em Cariacica e de 38,0% em Viana. Já no setor comercial, foi de 37,1% em Viana e de 37,0% em Cariacica. (Ver tabela 5.)

80


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4

INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS NOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA DIRETORIA DE cariacica e viana

4.1. ASPECTOS DA POPULAÇÃO Segundo informações do IBGE referentes a 2010, a composição por idade da população sinaliza importantes características sobre a utilização dos equipamentos públicos de saúde e educação, a adequação do mercado de trabalho e as políticas de seguridade social. Populações compostas por uma participação relativa de jovens e adultos superior à de crianças e idosos encontram-se em um contexto demográfico favorável denominado janela demográfica. Nesse cenário, existe uma proporção maior de pessoas em idade ativa favorecendo a realização de investimentos adicionais para promover o crescimento econômico e reduzir a pobreza. Os municípios de Cariacica e Viana apresentam pirâmides etárias típicas de populações que iniciam o processo de entrada na janela demográfica, com estreitamento da base e alargamento do corpo. É observada uma população de crianças e jovens bastante expressiva nesses municípios, mas a população de jovens e adultos vem apresentando crescimento superior ao de crianças. As pirâmides etárias dos municípios de Cariacica e Viana estão dispostas a seguir: Gráfico 2 – Pirâmide Etária de Cariacica – 2010 Mulheres

Gráfico 3 – Pirâmide Etária de Viana - 2010 Mulheres Homens

80+

80+

70 a 79 anos

70 a 79 anos

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

Faixa Etária (anos)

Faixa Etária (anos)

Homens

60 a 69 anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 20 a 29 anos

10 a 19 anos

10 a 19 anos

0 a 9 anos

0 a 9 anos

81


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

4.2. ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL (IDHM) No país, o Espírito Santo registrou um salto de 46,5% no Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre 1991 e 2010, um avanço consistente puxado pela melhora acentuada dos municípios menos desenvolvidos nas três dimensões acompanhadas pelo índice: longevidade, educação e renda. Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano Brasil 2013, apresentado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (IPEA) e a Fundação João Pinheiro (FJP), com base nos censos demográficos do IBGE de 1991 a 2010. A composição do IDH compreende indicadores de longevidade, educação e renda, pois assume que, para viver do modo que desejam, as pessoas precisam pelo menos ter a possibilidade de levar uma vida longa e saudável, acesso ao conhecimento e a oportunidade de desfrutar de um padrão de vida digno. O IDHM ajusta o IDH para a realidade dos municípios e reflete as especificidades e de-

safios regionais no alcance do desenvolvimento humano no Brasil. Para aferir o nível de desenvolvimento humano dos municípios, as dimensões são as mesmas do IDH Global – longevidade, educação e renda - e mais 250 indicadores. O índice varia entre 0 (valor mínimo) e 1 (valor máximo) e são utilizados os seguintes níveis de classificação: Muito Alto (0,800 a 1), Alto (0,700 a 0,799), Médio (0,600 a 0,699), Baixo (0,500 a 0,599) e Muito Baixo (0,000 a 0,499). O IDHM médio, em 2010, dos municípios dessa Regional registrou alto índice de desenvolvimento humano em Cariacica e nível médio em Viana (figura 2). O IDHM dimensão longevidade foi o que mais contribuiu, em termos absolutos, para o nível atual do IDHM do Estado. É também o componente que apresenta a menor distância até 1. Este índice apresentou nível muito alto de desenvolvimento da dimensão longevidade para os municípios de Cariacica e Viana (figura 3).

Figura 2 - Distribuição do IDHM médio

Figura 3 - Distribuição do IDHM dimensão longevidade

Cariacica

0,718 Viana

0,685

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

O IDHM educação foi o que teve os menores níveis de contribuição e também o que registrou nível baixo de desenvolvimento, em 2010, no município de Viana, e nível médio de desenvolvimento quanto ao acesso ao conhecimento em Cariacica (figura 4). No IDHM renda, em 2010, foi verificado nível médio de desenvolvimento quanto à oportu-

Cariacica

0,844 Viana

0,816

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

nidade de desfrutar de um padrão de vida digno, tanto em Cariacica como em Viana. O método de cálculo do IDHM renda utiliza uma fórmula logarítmica que aproxima os maiores valores de renda per capita dos menores e, com isso, reduz a disparidade de renda existente na perspectiva intramunicipal (figura 5).

82


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Figura 4 - Distribuição do IDHM dimensão educação

Cariacica

0,628

Cariacica

Legenda

0,699

0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

Viana

0,589

Figura 5 - Distribuição do IDHM dimensão renda

Viana

0,672

Legenda 0,800 a 1,000 (Muito Alto) 0,700 a 0,799 (Alto) 0,600 a 0,699 (Médio) 0,500 a 0,599 (Baixo) 0,000 a 0,499 (Muito Baixo)

4.3. ASPECTOS DA EDUCAÇÃO Um país vive uma situação de bônus demográfico quando a população economicamente ativa (PEA) supera com boa margem a de dependentes. O aproveitamento desse bônus demográfico pode gerar crescimento econômico, caso a PEA esteja preparada em termos educacionais e de qualificação profissional de qualidade para atuar no mercado de trabalho atual. No mundo globalizado, o mercado de trabalho mostra-se cada vez

mais exigente, ou seja, à medida que o tempo passa e o mundo evolui, muito além da experiência profissional, é preciso adquirir e renovar o conhecimento. No início da década de 2010, praticamente a totalidade dos jovens e adolescentes de 15 a 24 anos dos municípios de Cariacica e Viana encontrava-se alfabetizada, ambos com percentuais de 98,6%, segundo dados do censo demográfico de 2010 do IBGE (gráfico 4).

Gráfico 4 - Taxa de Alfabetização de Jovens e Adolescentes de 15 a 24 anos (%) - 2010 98,6

98,6

Cariacica

Viana

Os municípios de Cariacica (95,3%) e Viana (95,1%) possuíam excelentes índices de frequência à escola por crianças e adolescentes no Ensino Fundamental, o que pode garantir melhor ambiência para o crescimento (gráfico 5). Ainda assim, melhorar os níveis de qualificação do capital humano se faz necessário para a promoção do desenvolvimento econômico desses municípios, que só será atingido com a elevação da escolaridade da população.

83


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 5 - Taxa de Frequência Líquida de 7 a 14 anos no Ensino Fundamental (%) - 2010 95,3

95,1

Cariacica

Viana

Os municípios de Cariacica e Viana apresentaram os seguintes índices de frequência à escola no Ensino Médio por jovens entre 15 e 17 anos: 82,9% e 76,3%, respectivamente (gráfico 6).

Gráfico 6 - Taxa de Frequência Líquida de 15 a 17 anos no Ensino Médio (%) - 2010 82,9

Cariacica

76,3

Viana

84


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

5

PERFIL FINANCEIRO DOS MUNICÍPIOS DE CARIACICA E VIANA DIRETORIA DE cariacica e viana

5.1. CARACTERIZAÇÃO DA RECEITA A receita total dos municípios de Cariacica e Viana registrou um crescimento de 4,3%, passando de R$ 691,1 milhões, em 2013, para R$ 720,5 milhões, em 2014 (gráfico 7). Gráfico 7 - Evolução da Receita Total¹ dos Municípios de Cariacica e Viana 523,7

549,0

2009

2010

613,1

2011

696,6

691,7

720,5

2012

2013

2014

Quanto ao desempenho em 2014, Viana apresentou um acréscimo de 15,0% em relação a 2014, enquanto Cariacica registrou crescimento de apenas 1,4%. Entretanto, Cariacica concentrou aproximadamente 76,5% de toda a receita dos municípios da Regional. Em Cariacica a receita total foi de cerca de R$ 551,3 milhões, ao passo que a de Viana foi de R$ 169,2 milhões. (Ver tabela 10.) Tabela 10 - Evolução da receita total 2009

2010

Cariacica

412.216

434.703

479.691

Viana

111.504

114.256

133.426

Total Regional

523.720

548.959

613.117

Município

2011

2012

Variação Partic. rec. 2014 / 2013 total¹ 2014 em%

2013

2014

548.503

543.888

551.298

1,4

76,5

148.110

147.200

169.210

15,0

23,5

696.613

691.088

720.508

4,3

100,0

em R$ mil - IPCA médio de 2014

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

85


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

A receita per capita média dos municípios de Cariacica e Viana, em 2014, foi de R$ 1.593, alcançando o maior valor por habitante em Viana (R$ 2.308), cuja população é de 74.499 habitantes. A receita per capita média de Cariacica foi de R$ 1.455 para uma população

de 381.802 habitantes, segundo estimativa do IBGE. (Ver tabela 3.) Pode existir certa discrepância entre as receitas das cidades, em termos populacionais, ficando os municípios menores com as maiores receitas per capita (gráfico 8).

Gráfico 8 - Receita per capita dos municípios pertencentes à Diretoria de Cariacica e Viana – 2014

Viana

2.308,0

Regional Cariacica e Viana

1.593,0

Cariacica

1.455,0

Boa parte da receita dos municípios de Cariacica e Viana era composta pela quota-parte municipal do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (QPM-ICMS) transferida pelo governo estadual (22,7% em 2014). Em Cariacica, essa transferência tem sido elevada, respondendo, em 2014, por 24,5% da receita municipal. Isso ocorre devido ao baixo volume de suas receitas próprias, o que gera um valor adicionado fiscal (VAF) considerável em relação à receita total. Os tributos municipais contribuíam, em média, com 16,9% da receita total dos dois municípios. Somente em Cariacica essa participação foi um pouco acima, 18,2%.

A principal explicação para isso é o fato de possuírem uma pequena base de tributação de impostos como IPTU, ITBI, IRRF e ISS. As transferências federais do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) representavam cerca de 12,0% da receita total dos municípios dessa Regional em 2014. Em Viana, essa participação foi 17,2% da receita municipal. Os royalties e participações especiais contribuíam com 1,7%, sendo que em Viana essa receita correspondeu a 4,9% do total do município. O restante da receita (46,7%) é composto de contas menores, como receitas de contribuições, patrimoniais e de capital, entre outras. (Ver tabela 11.)

86


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 11 - Valor e composição da receita total – 2014 Tributos Município

FPM

Royalties e participações especiais

QPM-ICMS

Outros

Receita total¹

Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da Valor Partic. da em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita em R$ Receita milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%) milhões Total (%)

Cariacica

100,5

18,2

57,4

10,4

135,2

24,5

4,2

0,8

254,0

46,1

551,3

100,0

Viana

21,1

12,5

29,2

17,2

28,1

16,6

8,2

4,9

82,6

48,8

169,2

100,0

Total Regional

121,6

16,9

86,6

12,0

163,3

22,7

12,4

1,7

336,6

46,7

720,5

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total descontadas as receitas intraorçamentárias

Os municípios de Cariacica e Viana apresentaram um expressivo acréscimo da receita entre 2009 e 2014, fruto da estabilização e fortalecimento da economia. Nesse período,

a receita total teve um aumento acumulado de 37,6%, a uma taxa anual média de 6,6%, destacando-se Viana com a maior taxa, 8,7%. (Ver tabela 12.)

Tabela 12 - Desempenho da receita total Município

Receita Total¹ Receita per capita 2014 em R$

Aumento acumulado 2009 /2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Cariacica

1.454,9

33,7

6,0

Viana

2.307,9

51,8

8,7

Total Regional

1.593,2

37,6

6,6

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/ Sistema Findes Nota: ¹Receita total ajustada dos efeitos do Fundeb

87


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Saiba Mais Principais itens da receita municipal Tributos: Formado pela arrecadação do IPTU, ISS, ITBI, IRRF e taxas municipais. FPM: Transferência constitucional da União, formada por 23,5% da arrecadação federal do Imposto de Renda (IR) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A cada dez dias (normalmente nos dias 10, 20 e 30 de cada mês), o governo federal credita o FPM na conta dos municípios. O volume de recursos que cada cidade recebe depende de seu coeficiente no FPM, que é atribuído de acordo com a população do município. QPM-ICMS: A Constituição Federal determina que os estados devem transferir 25% da arrecadação do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) aos respectivos municípios. Toda semana (normalmente às terças-feiras) o governo estadual credita na conta dos municípios sua parcela do ICMS, de acordo com seu índice de participação (IPM). Esse índice tem vigência anual e o principal critério adotado para seu cálculo é o valor adicionado fiscal (VAF) gerado pelas empresas instaladas nos territórios do município. Assim quanto mais “rica” a cidade, mais ela recebe de transferência estadual do ICMS. Fonte: Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015.

5.2. CARACTERIZAÇÃO DA DESPESA Acompanhando o ritmo acelerado da receita, as despesas com pessoal também se elevaram nos últimos anos, em compasso superior ao da receita. A taxa anual média das despesas, entre 2009 e 2014, foi de 8,8%. (Ver tabela 13.) No período entre 2009 e 2014, os gastos acumulados com pessoal tiveram um aumento

de 52,6%, sendo que se elevaram mais em Viana (62,9%) do que em Cariacica (49,4%). Apesar do aumento das despesas com pessoal, esses municípios não têm ultrapassado o limite máximo de 60% em relação à receita estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Em 2014, esse indicador, no total da Regional, flutuou em torno de 50,0%.

88


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Tabela 13 - Desempenho do gasto com pessoal Gasto com pessoal

Município

Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na receita total - 2014 (%)

Cariacica

49,4

8,4

Viana

62,9

10,2

53,7

Total Regional

52,6

8,8

50,0

48,8

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Na composição das despesas totais dos municípios de Cariacica e Viana em 2014, o maior peso coube ao item pessoal (51,9%), seguido de custeio (37,4%), investimento (9%) e encargos e amortizações da dívida (1,7%). Cariacica apresentou os maiores valores em todos os itens: na despesa com pessoal, R$ 269,1 milhões, correspondendo a 51,7% da despesa total do município; no

item custeio, o valor foi de R$ 205,5 milhões, representando 39,5% da despesa total; e o valor da despesa com investimento foi de R$ 39,0 milhões, correspondendo a 7,5% da despesa do município. No item encargos e amortizações, Cariacica aparece com R$ 6,7 milhões, representando 1,3% da despesa total do município. (Ver tabela 14.)

Tabela 14 - Valor e composição da despesa total – 2014 Pessoal Município

Cariacica

Custeio

Investimento

Encargos e amortizações da dívida

Despesa Total

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

Valor em R$ milhões

Partic. na despesa Total (%)

269,1

51,7

205,5

39,5

39,0

7,5

6,7

1,3

520,3

100,0

Viana

90,9

52,4

53,8

31,1

23,7

13,7

4,9

2,8

173,3

100,0

Total Regional

360,0

51,9

259,3

37,4

62,7

9,0

11,6

1,7

693,6

100,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

Visto que a maior parte das despesas já está atrelada a custos fixos (pessoal e demais custeios), a opção mais comum é o corte nos gastos com investimentos públicos, paralisando obras ou atrasando a compra de equipamentos, entre outros. Outro indicador que se destacou foi o de investimentos públicos,

que são recursos aplicados em realizações de obras, desapropriações e aquisições de equipamentos. Em 2014, os investimentos públicos totais dos municípios de Cariacica e Viana apresentaram um crescimento de 7,0%, passando de R$ 58,6 milhões, em 2013, para R$ 62,7 milhões, em 2014 (gráfico 9).

89


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

Gráfico 9 - Evolução do volume total de investimentos públicos dos municípios de Cariacica e Viana

112,5 86,7

90,7

75,1

58,6

2009

2010

2011

2012

2013

62,7

2014

Fonte: Balanços Municipais/Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2014. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

O volume total de investimentos públicos nos dois municípios registrou um decréscimo acumulado de 27,7% no período entre 2009 e 2014, sendo a taxa anual média de -6,3%.

Somente Viana registrou uma boa performance, pois cresceu 34,2% nesse período, a uma taxa média anual de 6,1%. (Ver tabela 15.)

Tabela 15 - Desempenho dos investimentos públicos Município

Investimento Aumento acumulado 2009 / 2014 (%)

Taxa anual média 2009 / 2014 (%)

Participação na despesa total 2014 (%)

Cariacica

-43,5

-10,8

7,5

Viana

34,2

6,1

13,7

Total Regional

-27,7

-6,3

9,0

Fonte: Balanços Municipais/ Revista Finanças dos Municípios Capixabas 2015. Elaboração: Ideies/Sistema Findes

5.3. CARACTERIZAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INDUSTRIAIS PREVISTOS 2016/2018 No município de Cariacica, há previsão da implantação de uma fábrica de cosméticos, que além de contribuir para a criação de novos postos de trabalho, também contribuirá

para uma maior dinamização da economia regional. Para o município de Viana, não há investimentos previstos no período.

90


Caminhos para o Desenvolvimento Regional

CONTATOS: FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESPIRITO SANTO - FINDES Endereço: Avenida Nossa Senhora da Penha, nº 2.053, Ed. Findes – 3º andar Bairro: Santa Lúcia, Vitória/ ES – CEP: 29.056-913 Telefone: (27) 3334-5600/ 3334-5733 Site:sistemafindes.org.br

91


Publicação do IDEIES | setembro 2016 | Nº 2 | Ano 02 Diretoria Plenária 2014 – 2017 Presidente da Findes - Marcos Guerra 1º Vice-presidente da Findes - Gibson Barcelos Reggiani Vice-presidentes da Findes - Aristoteles Passos Costa Neto, Benízio Lázaro, Clara Thais Rezende Cardoso Orlandi, Elder Elias Giordano Marim, Egídio Malanquini, Houberdam Pessotti, Leonardo Souza Rogerio de Castro, Manoel de Souza Pimenta Neto, Sebastião Constantino Dadalto 1º Diretor administrativo da Findes - José Augusto Rocha 2º Diretor administrativo da Findes - Sérgio Rodrigues da Costa 1º Diretor financeiro da Findes - Tharcicio Pedro Botti 2º Diretor financeiro da Findes - Ronaldo Soares Azevedo 3º Diretor financeiro da Findes - Flavio Sergio Andrade Bertollo Diretores Almir José Gaburro | Atilio Guidini | Elias Cucco Dias | Emerson de Menezes Marely | Ennio Modenesi Pereira II | Jose Carlos Bergamin | José Carlos Chamon | Luiz Alberto de Souza Carvalho | Luiz Carlos Azevedo de Almeida | Luiz Henrique Toniato | Loreto Zanotto | Mariluce Polido Dias | Neviton Helmer Gasparini | Ocimar Sfalsin | Ortêmio Locatelli Filho | Ricardo Ribeiro Barbosa | Samuel Mendonça | Sérgio Rodrigues da Costa | Silésio Resende de Barros | Tullio Samorini | Vladimir Rossi Superintendente corporativo - Marcelo Ferraz Goggi Diretoria Regional de Vila Velha Vice-presidente institucional: Vladimir Rossi Diretor adjunto: Luiz Carlos Azevedo De Almeida Composição do Conselho Adriano Alves | Albano Trigo | Alfredo Viana Barcelos | André Barbosa De Barros | Bianca Campinhos | Celso Zanotti Xavier | Claudia Mara Da Silva | Cristiana Scelza | Eduardo Dalla Mura Do Carmo | Elias Cucco | Émilio Augusto Barbosa | Geraldo Bastianello | Gilson Dalmazio Tassinari | Hélcio Rezende Dias | Helder Knidell | João Alberto Da Silva | João José Augusto | João Maduro Saramela | Jorge Vieira De Mattos Junior | José Antônio Melotti | Juscelino José De Oliveira | Kleber De Jesus Duarte | Leonardo Duque | Lucas Izoton | Mabilis Karina Pimenta Soares | Manoel Ameida Junior | Marco Aurélio De Oliveira | Marcos Prezotti Palassi | Maria Antonia Denadai | Nenger Braga Lima | Nicea Maria Bortolotti | Paulo Magno Moreira Rocha | Renato Bragança Domingues | Rodolfo Breda Vieira | Tadeu Zanoteli | Valeria Faccini | Valter Zopelaro | Victor Faé Machado Diretoria Regional de Serra Vice-presidente institucional: José Carlos Zanotelli Diretor adjunto: Gilmar G. Regio


Composição do Conselho Aloísio de Oliveira Barros | Aloísio do Pinho Oliveira | Charles Patrocínio | Eudes Salvador | George Ricardo Batista Pires | Gustavo Peters Barbosa | Izaias Entringer | José Carlos Toscano | Marcelo de Oliveira Carvalho | Mariluce Polido Dias | Maurício Silva Ribeiro | Neviton Helmer Gasparin | Rogério Castorino Barros | Romário José Corrêa de Araújo | Rubens Carlos Côrtes | Sergio Rodrigues da Costa | Tadeu Zanotelli | Teresa Cristina Gomes | Pascoli Tongo | Wellington Pesca Diretoria Regional de Cariacica e Viana Vice-presidente institucional: Rogério Pereira Dos Santos Diretor adjunto: Álvaro José Bastos Miranda Composição do Conselho Adilson Ruela Cunha | Dionisio Elasio Marianelli | José Vasconcelos Junior | Marta Rosana Silva | Martha Elizabette Colodetti Albermaz | Raphael Cassaro Machado | Welinton Simões Filho Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo - Ideies Presidente - Marcos Guerra Diretor para Assuntos do Ideies - Egídio Malanquini Diretor-executivo - Antonio Fernando Doria Porto Gerência Executiva de Economia Criativa Sesi/Senai/ES Gerente-executivo - Antonio Fernando Doria Porto Unidade de Defesa de Interesses (UDI) - Elizângela de Souza Rodrigues Unidade de Economia Criativa (UEC) - Karina Goldner Fideles Biriba Unidade de Gestão do Conhecimento (UGC) - Aline Elisa Cotta d’Avila Unidade de Gestão da Informação (UGI) - Cintia Busato Franco Equipe de Produção - Antonio Fernando Doria Porto | Cíntia Busato Franco | Andressa Kelly de Oliveira | Cleide Maria Perin Motta | Nathan Marques Diirr | Flaviana Silva de Oliveira Santos | Taíssa Farias Soffiatti


Caderno Ideies de Informações Municipais Sistema Findes Diretorias Regionais da Grande Vitória © 2016

Caminhos para o desenvolvimento regional - Grande Vitória  

Nov/2016. Série com 12 publicações lançadas no último trimestre de 2016 para auxiliar a tarefa de encontrar informações sobre o Espírito San...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you