Page 1

ANO XXII Nº 992 26 DE MARÇO A 1º DE ABRIL DE 2012 SUPLEMENTO ESPECIAL APOSENTADOS

Aposentadoria integral por invalidez Senado aprova, por

unanimidade, pagamento de benefícios integrais para os aposentados por invalidez. União, estados e municípios terão até 180 dias da entrada em vigor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 5/2012) para revisar as aposentadorias e pensões concedidas a partir de 1º de janeiro de 2004. Página 3

Contribuição de aposentados e pensionistas

A PEC 555/2006, que põe fim à cobrança de contribuição previdenciária sobre os proventos dos servidores públicos aposentados, continua parada no Congresso Nacional. A medida foi aprovada com a reforma da previdência social e é considerada uma das mais cruéis impostas pelo governo a uma categoria de trabalhadores. Página 3

Os tempos mudaram e o conceito de envelhecer também Página 4

Oficinas do SINTUFRJ

Mexa-se: cante, dance, faça ginástica, terapia, pinte e borde. Página 2

Reunião dos aposentados

Dia 24 de abril, terça-feira, às 10h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ (Fundão). Participação do pró-reitor de Pessoal, Roberto Gambine.


2 – ESPECIAL APOSENTADOS

QUALIDADE DE VIDA

Estamos de volta e com todo gás Estamos de volta, companheiros. E convidamos todos vocês a reassumirem conosco as atividades desta coordenação. A ideia é tornar este ano mais dinâmico do que foi 2011. Mas para isso precisamos contar com a parceria de todos vocês. Está nos nossos planos organi-

zar uma agenda de eventos definitiva até dezembro. Na nossa pauta de prioridades está a realização de passeios culturais, viagens, reuniões festivas, seminários e encontros para discutir com especialistas temas do nosso interesse, entre outros even-

tos. Para que possamos contemplar minimamente as expectativas da maioria, propomos construir conjuntamente o calendário anual de atividades. O que vocês acham? Esta e outras propostas serão discutidas na nossa próxima reunião da Coordenação de Aposen-

tados. Como vai ser a primeira do ano, a tradição será mantida: o próreitor de Pessoal participará. Não faltem. Temos muito que conversar e decidir. E pelo que lutar. Por isso é que também não podemos deixar de ficar atentos às ações dos nossos companheiros que con-

tinuam na batalha diária na universidade. Mexeu com eles, mexeu com a gente. Um grande abraço e até a nossa reunião. Eliane Nascimento e Petronila Diniz, coordenadoras de Aposentados

Viva com saúde Não perca tempo, procure o Espaço Saúde SINTUFRJ, na Cidade Universitária, faça uma avaliação com um dos profissionais de plantão (fisioterapeutas ou instrutores de educação física) e inicie sua série de exercícios de musculação, massagens, ginástica, drenagem linfática, RPG. Exercitar o corpo é uma prática que deve ser adotada por pessoas de todas as idades. Sedentarismo definitivamente saiu de moda. Praticar esportes, fazer exercícios (ginástica) e fortalecer os músculos (musculação) evita doenças e favorece a longevidade, porque é qualidade de vida. O Espaço Saúde SINTUFRJ também oferece Auriculoterapia. Uma técnica terapêutica de estimulação de pontos estratégicos da orelha, que tem por objetivo tratar doenças dos sistemas nervoso, cardiovascular e circulatório, além de aliviar o estresse. Massagem relaxante Todos merecem uma massagem relaxante pelo menos uma vez por semana. As fisioterapeutas do Espaço Saúde SINTUFRJ dão show de técnica ao aplicarem os movimentos firmes e suaves sobre o corpo, proporcionando relaxamento muscular, melhoria da circulação sanguínea, alívio de tensões no pescoço

Cuidado com a carne vermelha

e ombros entre outros benefícios. Drenagem linfática É um dos métodos de terapias manuais mais utilizados atualmente por profissionais da área de saúde. Além de melhorar o bem-estar físico, auxilia na recuperação de lesões ou alterações nos diferentes segmentos corporais. Massagem turbinada Técnica de movimentos rápidos e repetitivos – podendo ser

utilizado rolo bambu – aplicada no tratamento de fibroedemagenoide (celulite) e lipodistrofia (gordura localizada). RPG A reorganização postural global (RPG) é recomendada para escoriose, lordose, sifose, hérnia de disco, protusões discais e também para melhorar a postura. Saiba mais sobre os tratamentos oferecidos pelo Espaço Saúde ligando para (021) 3194-7123.

O alerta foi dado nas últimas semanas através dos meios de comunicação (rádio, televisão, jornais, sites) tão logo foi divulgado o resultado do estudo sobre carne vermelha realizado pela Universidade de Havard, uma das instituições de ensino superior americanas mais conceituadas. De acordo com os pesquisadores, o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de doenças graves que podem levar à morte precocemente. Foram quase 30 anos acompanhando 120 mil pessoas para chegar a essa conclusão. O estudo mostrou que comer uma porção de carne vermelha diariamente eleva a possibilidade de morrer mais cedo em 13% e aumenta o risco de desenvolver doenças do coração, câncer e dois tipos de diabetes. E a porção que os cientistas consideraram nesse estudo não é

Oficinas do SINTUFRJ Cantar, dançar, tocar um instrumento, desenvolver habilidades manuais criando coisas bonitas e úteis, aprender a arte oriental das flores (Ikebana) com certeza faz bem para o corpo, a mente, o espírito e nos torna pessoas mais sensíveis, tolerantes e generosas. Então, arranje um tempinho e inscreva-se em quantas oficinas do SINTUFRJ você quiser. Os dependentes do trabalhador sindicalizado também têm direito a todos os serviços e benefícios oferecidos pela entidade de classe. Confira os dias e horários das oficinas.

Dança

Às terças e sextasfeiras, das 17h às 20h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ.

grande não. Apenas 85 gramas de carne. Se essa carne for processada, os riscos são ainda maiores. Linguiça, salsicha e hambúrguer podem aumentar a mortalidade prematura em 20%. Substituir – Para diminuir esses riscos, os pesquisadores recomendam substituir as porções de carne vermelha por peixe, frango, verduras e legumes ricos em ferro, como feijão, lentilha e espinafre. “Mas isso não significa que todos nós agora precisemos virar vegetarianos”, chama a atenção um dos pesquisadores. Ele explicou que, se o consumo de carne fosse reduzido para pelo menos meia porção ao dia, entre 7% e 9% das mortes de pessoas acompanhadas pelo estudo poderiam ter sido evitadas. “Diminuir o consumo para duas ou três vezes por semana já seria um bom começo”, diz ele.

Coral

Às segundas-feiras, das 16h30 às 18h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ.

Música

Às quartas-feiras, das 17h às 19h30, na sede do SINTUFRJ (Fundão). Às quintas-feiras, das 18h às 20h30, Praia Vermelha (ao lado da subsede do SINTUFRJ).

De segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, sede do SINTUFRJ. Praia Vermelha: Terapias, às segundas, quartas e sextasfeiras, das 9h às 15h.

Pintura

Ikebana

Às quartas-feiras, das 9h às 12h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ.

Às quintas-feiras, das 8h às 16h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ.

Patchwork

Às segundas-feiras, das 8h às 12h, na sede do SINTUFRJ. É intenção da direção sindical levar à Praia Vermelha esta oficina, para facilitar o acesso de quem mora nos bairros próximos do campus. O que você acha da ideia? Fale conosco. Ligue para o telefone 2592-9143.


ESPECIAL APOSENTADOS – 3

NOSSOS DIREITOS

Servidor público já tem direito à aposentadoria integral por invalidez O Senado Federal aprovou, por unanimidade, em sessão extraordinária realizada no dia 20 de março, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 5/2012) que garante aos servidores públicos das três esferas (federais, estaduais e municipais), o pagamento dos proventos integrais ao se aposentarem por invalidez. A proposta vai ser promulgada em sessão solene do Congresso Nacional nos próximos dias, informou a senadora Marta Suplicy (PT-SP), que presidiu a sessão. A PEC 5/2012 assegura ao servidor público que tenha ingressado no serviço público até 31 de dezembro de 2003 o direito de se aposentar por invalidez com proventos integrais e garantia de paridade. Dessa forma, o servidor público poderá receber proventos equivalentes à sua última remuneração, conforme a proposta, que determina vincula-

PLENÁRIO da votação no Senado

ção permanente entre proventos de aposentados e a remuneração da ativa, com extensão aos inativos de todas as vantagens concedidas aos ativos.

Prazo para correções A PEC determina que a União, o Distrito Federal, os estados e os municípios, com suas respectivas autarquias e

fundações, procedam, prazo de 180 dias da entrada em vigor da emenda, revisão das aposentadorias e pensões delas decorrentes, concedidas a partir de 1º de

janeiro de 2004. Se a revisão não ocorrer no prazo determinado, o servidor deve ingressar na justiça para garantir seu direito.

Contribuição de aposentado e pensionista (PEC 555/2006) Esta Proposta de Emenda à Constituição pretende reverter etapa inaceitável da reforma da previdência. A PEC 555/06 continua tramitando na Câmara dos Deputados e prevê alterações no parágrafo 21 do artigo 40 da Constituição Federal, como também no artigo 4º da Emenda Constitucional 41/2003 (EC 41/03), modificando a fórmula de cobrança previdenciária sobre os proventos e as pensões de aposentados e pensionistas do Regime Próprio de Previdência Social. Conforme explica o advogado especialista em Direito do servidor público ouvido pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Rudi Cassel, há dois regimes previdenciários no Brasil: o Regime Geral da Previdência Social (RGPS), administrado pelo Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), e o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), administrado pela União e demais entes federativos. Aos RPPS estão vinculados os servidores estatutários: os servidores que não são regidos pela

Consolidação das leis do Trabalho (CLT), mas por regimes jurídicos específicos criados por lei, a exemplo da Lei nº 8.112/90. No âmbito do RGPS, o artigo 195, inciso II, da Constituição, impede a incidência previdenciária sobre os rendimentos de aposentados e pensionistas. Em relação ao RPPS, essa era a realidade até a vigência da EC 41/2003, que passou a prever a tributação no parágrafo 18 do artigo 40, com as ressalvas de base de cálculo do parágrafo 21, estendendo essa previsão aos que se encontravam na condição de aposentados ou pensionistas à época da publicação da emenda. A rigor, por força da combinação de previsões específicas do RPPS com a aplicação subsidiária das garantias do RGPS, houve evidente violação ao direito adquirido de aposentados e pensionistas que ingressaram nessa condição antes da EC 41/2003, porém, o Supremo Tribunal Federal (STF) admitiu a nova tributação também aos antigos, posição que se consolidou no

julgamento de ações diretas de inconstitucionalidade movidas contra a reforma. Como alternativa, restou a alteração da emenda constitucional por nova emenda, missão cumprida pela redação original da PEC 555/2006, que previa a revogação do artigo 4º da EC 41/2003 e, consequentemente, a extinção imediata do ônus aplicado aos inativos e pensionistas que estavam nessa condição ou adquiriram o direito antes da cobrança. Mudança A atual redação da PEC, em substitutivo aprovado em 2010 pela Comissão Especial da Câmara dos Deputados, a proposta sofreu alterações para prever o seguinte: 1 - Aposentados por invalidez permanente não deverão contribuir. 2 - A partir dos 60 anos de idade, todos os aposentados e pensionistas terão reduzida a alíquota de contribuição em 20% ao ano, até sua completa extinção aos 65 anos.

3 - Aposentados e pensionistas que adquiriram o direito antes da EC 41/2003 também terão reduzida em 20% a contribuição em questão, incidente sobre o que exceder ao teto de benefício do RGPS, até sua extinção aos 65 anos. 4 - Aplicação imediata das novas regras, vedando-se efeitos retroativos. Em resumo, não se atingiu a situação ideal anterior à EC 41/2003, mas se reduziu gradativamente o desconto até seu desaparecimento aos 65 anos, independente da época em que houve a aposentadoria ou a instituição da pensão. Também se afastou a possibilidade de incidir o desconto sobre aposentadorias por invalidez permanente, modalidades de benefício mais prejudicadas com a emenda de 2003.

Por outro lado, a PEC 555/2006 representa considerável avanço, que deve ser atribuído à formidável conjugação de forças de aposentados e pensionistas de todo o país, reunidos em associações e sindicatos que souberam obter a vitória em momento importante para o futuro previdenciário do servidor público, quando novas emendas ameaçam nublar ainda mais o horizonte. Agora, a PEC 555/2006 aguarda inclusão na ordem do dia do plenário da Câmara para depois rumar para o Senado. Espera-se dos legisladores a sensibilidade necessária para observar que a aposentadoria digna é requisito indispensável para a manutenção de servidores dedicados, sem os quais não há Estado ou cidadania.

Informe da Coordenação

Os processos sob a responsabilidade do jurídico do Sindicato estão on line; acessando o site da entidade (sintufrj@sintufrj.org.br) é possível acompanhar o andamento.


4 – ESPECIAL APOSENTADOS

Comportamento

C

hico Buarque de Holanda, o compositor da trilha sonora de nossas vidas, aos 68 anos se apaixonou pela cantora ruiva Thais Gulin, 31 anos. O romance inspirou o maravilhoso blues Essa pequena, onde Chico, a despeito dos ciúmes da mulherada, abre seu coração e expõe sua felicidade, mas também a quase certeza de que esse amor, pela diferença de idade, ainda lhe vai causar dor. A paixão do nosso Chico pontuada na letra do blues gerou uma resposta da escritora feminista Rosiska Darcy Vargas, que escreveu a crônica “Um tempo sem nome”, que fala sobre o novo conceito de envelhecer. Sugestão: leia primeiro a composição do Chico e depois o texto da feminista. Vale à pena.

Envelhecer. Como é isso? Essa pequena Chico Buarque

Meu tempo é curto, o tempo dela sobra Meu cabelo é cinza, o dela é cor de abóbora Temo que não dure muito a nossa novela, mas Eu sou tão feliz com ela Meu dia voa e ela não acorda Vou até a esquina, ela quer ir para a Flórida Acho que nem sei direito o que é que ela fala, mas Não canso de contemplá-la Feito avarento, conto os meus minutos Cada segundo que se esvai Cuidando dela, que anda noutro mundo Ela que esbanja suas horas ao vento, ai Às vezes ela pinta a boca e sai Fique à vontade, eu digo, take your time Sinto que ainda vou penar com essa pequena, mas O blues já valeu à pena

Um tempo sem nome Rosiska Darcy de Oliveira

Com seu cabelo cinza, rugas novas e os mesmos olhos verdes, cantando madrigais para a moça do cabelo cor de abóbora, Chico Buarque de Holanda vai bater de frente com as patrulhas do senso comum. Elas torcem o nariz para mais essa audácia do trovador. O casal cinza e cor de abóbora segue seu caminho e tomara que ele continue cantando “eu sou tão feliz com ela” sem encontrar resposta ao “que será que dá dentro da gente que não devia”. Afinal, é o olhar estrangeiro que nos faz estrangeiros a nós mesmos e cria os interditos que balizam o que supostamente é ou deixa de ser adequado a uma faixa etária. O olhar alheio é mais cruel que a decadência das formas. É ele que mina a autoimagem, que nos constitui como velhos, desconhece e, de certa forma, proíbe a verdade de um corpo sujeito à impiedade dos anos sem que envelheça o alumbramento diante da vida. Proust, que de gente entendia como ninguém, descreve o enve-

lhecer como o mais abstrato dos sentimentos humanos. O príncipe Fabrizio Salinas, o Leopardo criado por Tommasi di Lampedusa não ouvia o barulho dos grãos de areia que escorrem na ampulheta. Não fora o entorno e seus espelhos, netos que nascem, amigos que morrem, não fosse o tempo “um senhor tão bonito quanto a cara do meu filho”, segundo Caetano, quem, por si mesmo, se perceberia envelhecer? Morreríamos nos acreditando jovens como sempre fomos. A vida sobrepõe uma série de experiências que não se anulam, ao contrário, se mesclam e compõem uma identidade. O idoso não anula dentro de si a criança e o adolescente, todos reais e atuais, fantasmas saudosos de um corpo que os acolhia, hoje inquilinos de uma pele em que não se reconhecem. E, se é verdade que o envelhecer é um fato e uma foto, é também verdade que quem não se reconhece na foto, se reconhece na memória e no frescor das

emoções que persistem. É assim que, vulcânica, a adolescência pode brotar em um homem ou uma mulher de meia-idade, fazendo projetos que mal cabem em uma vida inteira. Essa doce liberdade de se reinventar a cada dia poderia prescindir do esforço patético de camuflar com cirurgias e botoxes – obras na casa demolida – a inexorável escultura do tempo. O medo pânico de envelhecer, que fez da cirurgia estética um próspero campo da medicina e de uma vendedora de cosméticos a mulher mais rica do mundo, se explica justamente pela depreciação cultural e social que o avançar na idade provoca. Ninguém quer parecer idoso, já que ser idoso está associado a uma sequência de perdas que começam com a da beleza e a da saúde. Verdadeira até então, essa depreciação vai sendo desmentida por uma saudável evolução das mentalidades: a velhice não é mais o que era antes. Nem é mais quando era antes. Os dois ritos de passagem que anuncia-

vam o fim do trabalho e da libido, estão, ambos, perdendo autoridade. Quem se aposenta continua a viver em um mundo irreconhecível que propõe novos interesses e atividades. A curiosidade se aguça na medida em que se é desafiado por bem mais que o tradicional choque de gerações com seus conflitos e desentendimentos. Uma verdadeira mudança de era nos leva de roldão, oferecendo-nos ao mesmo tempo o privilégio e o susto de dela participar. A libido, seja por uma maior liberalização dos costumes, seja por progressos da medicina, reclama seus direitos na terceira idade com uma naturalidade que em outros tempos já foi chamada de despudor.Esmaece a fronteira entre as fases da vida. É o conceito de velhice que envelhece. Envelhecer como sinônimo de decadência deixou de ser uma profecia que se autorrealiza. Sem, no entanto, impedir a lucidez sobre o desfecho. “Meu tempo é curto e o tempo

dela sobra”, lamenta-se o trovador, que não ignora a traição que nosso corpo nos reserva. Nosso melhor amigo, que conhecemos melhor que nossa própria alma, companheiro dos maiores prazeres, um dia nos trairá, adverte o imperador Adriano em suas memórias escritas por Marguerite Yourcenar. Todos os corpos são traidores. Essa traição, incontornável, que não é segredo para ninguém, não justifica transformar nossos dias em sala de espera, espectadores conformados e passivos da degradação das células e dos projetos de futuro, aguardando o dia da traição. Chico, à beira dos setenta anos, criando com brilho, ora literatura, ora música, cantando um novo amor, é a quintessência desse fenômeno, um tempo da vida que não se parece em nada com o que um dia se chamou de velhice. Esse tempo ainda não encontrou seu nome. Por enquanto podemos chamá-lo apenas de vida.


ANO XXI - Nº 974 - 17 A 23 DE OUTUBRO DE 2011 - JORNAL DO SINTUFRJ

“A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, ria e viva intensamente.” (autor desconhecido)

Um ano de bons momentos

No mês de setembro a Coordenação de Aposentados completou um ano de gestão. O período foi marcado principalmente pelas reuniões mensais realizadas na subsede sindical no HU ou no Espaço Cultural do SINTUFRJ. A pauta destes encontros é inesgotável. Vai desde informes e esclarecimentos sobre processos na Justiça pelos advogados do Sindicato, debates sobre a carreira, discussão de encaminhamentos de reivindicações à palestras. Especialistas da UFRJ ou de fora da universidade são convidados a falar sobre variados temas, como saúde, comportamento, violência doméstica, sexualidade, vida saudável, lazer, dieta e outros assuntos da atualidade.

A cada reunião cresce o número de participantes. E a responsabilidade das coordenadoras Eliane Nascimento e Petronila Diniz também. Elas se desdobram em tornar cada vez mais agradáveis os encontros mensais, que são sempre abertos com alguma atividade lúdica e encerrados com um coffee break. Nestes 12 meses, a Coordenação de Aposentados também organizou reuniões festivas, em comemoração, por exemplo, ao Dia do Amigo, Dia dos Avós, Dia dos Pais, Dia das Mães e Dia do Trabalhador. Datas em que não faltam música, dança e homenagens. A agenda de um ano do SINTUFRJ com os aposentados culminou com o passeio à cidade de Raposo, nos dias 23, 24 e 25 de setembro. E, segundo a Rádio Corredor, a viagem recebeu nota 10 de todos os participantes. Para os técnicos-administrativos em atividade, a presença dos aposentados na universidade e junto com o SINTUFRJ é a certeza de que podem contar com eles nas lutas reivindicatórias.

Reunião mens a

l dos Aposenta

Dia 25, terç a-feira, às 10 SINTUFRJ , na Cidade h, no Espaço Cultura l do Universitá Comemora ria. remos o Dia Internacion Dia do Fun al do Idoso cionalismo eo Público.

dos


2 – CADERNO DE APOSENTADOS

Vem aí o sabadaço

Saúde

Vitamine seu cérebro Dia 3 de dezembro passeio de saveiro em Angra dos Reis: 80 vagas. As inscrições estão abertas. Corra! Valor: R$130,00, com almoço e transporte.

Aniversariantes do mês A Coordenação de Aposentados e Pensionistas parabeniza os aniversariantes de outubro. Muitas felicidades!

Cadastre-se no SINTUFRJ

Se ao se aposentar for do seu interesse continuar recebendo o Jornal do SINTUFRJ, cartas, telegramas e outras correspondências despachadas pelo Sindicato aos sindicalizados, passe na entidade e faça o seu cadastro.

Saiba como manter a mente em forma Leitura, palavras cruzadas, quebra-cabeças são alguns exemplos de tarefas que deixam o cérebro funcionando a todo o vapor. Mas a ciência recomenda colocar um item importantíssimo nessa lista: as atividades físicas. De acordo matéria publicada na revista Saúde, o resultado de uma pesquisa realizada pela Universidade de Gotemburgo, na Suécia, prova que indivíduos mais em forma obtiveram melhores resultados nos testes cognitivos (que envolvem atenção, percepção, memória e raciocínio). Mas todos os levantamentos feitos que mostram a relação entre um corpo bem condicionado e uma mente mais esperta usam como parâmetro as atividades aeróbicas, como correr, nadar ou pedalar. Até o momento, segundo os estudos publicados na revista, pouco se sabe, por exemplo, dos efeitos da musculação sobre as células nervosas. “De qualquer jeito, ela é fundamental por preparar o corpo de quem pretende fazer qualquer esporte aeróbico”, pondera a educadora física Tânia Benedetti, da Universidade Federal de Santa Catarina.

As vitaminas D e E ajudam, e muito, a manter as pessoas longe da demência e da perda cognitiva na maturidade. Estudos científicos comprovam que a vitamina D impede a produção de radicais livres, que propiciam o surgimento de doenças neurodegenerativas. Já a E combate essas moléculas. Fontes de viramina D: Salmão, sardinha, atum, leite integral. Fontes de vitamina E: Amêndoas, avelãs, gema de ovo, couve.

Brócolis barra o câncer Um estudo do Instituto de Pesquisa Alimentar do Reino Unido desvenda como o sulforafano, um fitoquímico encontrado aos montes no brócolis, é capaz de proteger o corpo contra tumores na próstota, o segundo câncer que mais tira vidas no Brasil. “Ele bloqueia a transmissão de alguns sinais que ligam e desligam determinados genes, o que resultaria em um crescimento celular desordenado”, explica o pesquisador Richard Mithen, autor do estudo. Couve-flor, repolho, couve e couvechinesa são outros bons fornecedores de sulforafano.

Dançar é o máximo Para manter a mente em forma, os especialistas recomendam exercícios aeróbicos três vezes por semana, praticados com intensidade moderada. Uma corrida ou caminhada de passos apertados, desde que realizadas frequentemente, dão conta do recado. Entretanto, há maneiras de dar mais gás extra ao cérebro. Segundo Tânia Benedetti; “Atividades que envolvem movimentos complexos e exigem muita coordenação motora, como a dança, potencializam os benefícios”. Especialistas lembram que, se seguirmos essas orientações à risca, podemos até nos proteger de doenças neurodegenerativas. Levantamento realizado por cientistas da Universidade Europeia de Madri, na Espanha, mostra que pessoas ativas têm 20% menos risco de desenvolver Alzheimer, mal conhecido por apagar nossas lembranças. Além de prevenir contra essa doença, a prática esportiva contribui para controlar o problema. “O exercício melhora a habilidade de pacientes com essa demência para lidar com as tarefas do dia a dia”, afirmou à revista Saúde o

fisiologista Alejandro Lúcia, autor do trabalho espanhol. Um dos principais motivos para esse benefício é que, quando a gente se exercita, caem as concentrações de homocisteína no organismo. Essa substância provoca a morte dos neurônios, porque, entre outras coisas, ajuda a formar placas que se alojam entre eles, dificultando a chegada de nutrientes e o tráfego de dados. “Além disso, muitos indivíduos com a doença apresentam insônia, apatia e depressão. Quando praticam algum esporte, eles conseguem dormir melhor, além de ficarem mais animados”, relata José Luiz Riani Costa, clínico-geral e coordenador do Grupo de Atividade Física para Alzheimer da Universidade Estadual Paulista, em Rio Claro. “E está claro que pessoas praticantes de atividades físicas desde a juventude estão mais blindadas contra esse tipo de distúrbio”, informa Riani Costa. Mas isso está longe de ser uma desculpa para que os sedentários mais maduros não tentem trocar o sofá pela esteira. Manterse ativo traz benefícios à cabeça

em todas as idades. Basta apostar no esporte aeróbico de que gosta e curtir suas virtudes por anos a fio – com a mente sã, firme e forte. Depois de todas estas descobertas, que tal uma passadinha

no Espaço Saúde do SINTUFRJ? Lá, sob a orientação de profissionais de educação física e fisioterapeutas, você dará início à largada rumo a uma vida mais saudável. Não pense, aja. Fotos: Divulgação


CADERNO DE APOSENTADOS – 3

Saúde

Alimentos que favorecem a cicatrização Boas fontes de proteínas, como as carnes, e de vitamina K, encontrada na couve-de-bruxelas e nos brócolis, beneficiam a coagulação e estimulam a resposta imune após um corte. “E alimentos ricos em vitaminas A e C, como cenouras e abóboras, em ferro, caso do fígado, e zinco, presente na castanha, contribuem para a síntese do colágeno, que renova a pele”, ensina a nutricionista Fabiane Honda, da PB Consultoria Nutricional. Já álcool, café e refrigerantes devem ser evitados, porque atrapalham a chegada dos nutrientes à área ferida.

Varie nos vegetais para prevenir tumores Incluir frutas e legumes na alimentação não basta: é preciso diversificar o que se come a cada dia para prevenir um câncer pulmonar. Deixar o prato colorido, com frutas e hortaliças de diferentes tipos, é um caminho para evitar o desenvolvimento de tumores nos pulmões, garantem médicospesquisadores. “Os vegetais possuem muitas substâncias capazes de reduzir ação de células cance-

Aposentados avaliam a Coordenação

“Nunca as oficinas estiveram tão bem. Antes desta coordenação tudo era muito difícil”, elogia a aposentada e professora de Patchwork do SINTUFRJ, Débora Oliveira da Silva. Ela sugere que a comunicação das reuniões de aposentados seja feita com bastante antecedência, porque o jornal da entidade chega muito atrasado à residência da maioria. “Se eu esperasse pelo jornal em casa, perderia todos os eventos. Além disso, as pessoas precisam se programar”, disse Débora.

José Cristiano Soares avalia como excelente a atuação da coordenação. Ele destaca principalmente a forma de trabalho em parceria das coordenadoras, que sempre ouvem a opinião dos aposentados sobre o que pretendem fazer. “A Eliane, por exemplo, é muito atuante, troca ideias com a gente, não tem o rei na barriga. Esta coordenação, sem dúvida alguma, é muito diferente das anteriores. Só lamento não ter mais tempo para participar de todos os eventos, porque mesmo aposentado há 14 anos não paro”. Ao se aposentar, Cristiano tornou-se um pequeno empresário, canta em corais e é diretor social da Velha Guarda da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel. Na sexta-feira, por exemplo, ele ajudava a enfeitar o andar de Nossa Senhora de Fátima, na Igreja São Judas Tadeu, em Bangu.

rosas. Portanto, quanto mais diversificado for seu consumo, maiores as chances de prevenção”, afirma Fredrike Büchner, que é pesquisador do Centro de Nutrição e Saúde do Instituto Nacional de Saúde Pública da Holanda. Misture Brancos: banana, cebola e alho. Vermelhos: tomate, morango e pimentão. Verde-claro: alface crespa, alface lisa, repolho verde. Verde-escuro: chicória, rúcula, espinafre.

Ao completar um ano de atividades, a Coordenação de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ quis saber se o que tem feito até agora atende às expectativas da categoria.

Nelson Alves Marins gostaria que a coordenação programasse serestas dançantes, umas duas vezes por mês, no Espaço Cultural do SINTUFRJ. “Muitos aposentados cantam e todos dançam, então seria um programa que agradaria a todos”, acredita. Nelson afirma que as coordenadoras “estão acertando com as atividades e na forma de se relacionar com os sindicalizados”. Mas reivindica maior empenho nos convites aos aposentados e pensionistas para as reuniões mensais.

“As coordenadoras são maravilhosas, nos tratam muito bem e com carinho. Faço votos para que continuem assim, providenciando e organizando eventos diversificados e passeios para todos nós. Nada tem que mudar, apenas seguir em frente”, opinou a aposentada Auristela Borges de Lemos.

Elza Bastos Borges entrou em 1972 na UFRJ e frequentou a primeira turma do Pré-Vestibular do SINTUFRJ, que lhe garantiu acesso ao ensino superior. Formada em biblioteconomia, a aposentada pretende arranjar tempo para contribuir com a coordenação, que ela analisa como muito atuante. “Tenho uma história bonita com esta universidade e o Sindicato. O meu primeiro filho inaugurou a Creche da UFRJ; o segundo também foi para lá. Me faz bem circular pelos campi e frequentar a entidade”, diz.

“Gosto de trabalhar no SINTUFRJ” Há seis anos Maria de Fátima Malha Ruivace ensina pintura em tecido para técnicosadministrativos, professores e dependentes de sindicalizados. A oficina que comanda é uma das mais movimentadas, porque a atividade é adotada pela maioria como uma terapia de relaxamento para esquecer os problemas cotidianos e de sociabilidade. “Os alunos ficam mais calmos com o passar das aulas e criam vínculos de amizade entre eles”, exemplifica a professora. Maria de Fátima observa que a oficina de pintura tornouse também um espaço de conversas e de encontro de

amigos: “Às vezes o funcionário não tem tempo de assistir à aula, mas não deixa de dar uma passadinha para ver a turma, contar sobre como está sendo o seu dia”. Por conta disso, quando a coordenadora sugeriu que ela ensinasse outro tipo de arte, já que é professora de artesanato, Fátima preferiu continuar com a pintura em tecido. Satisfeita com a coordenação, a artesã espera ver seu espaço de atuação na entidade ampliado. As aulas de pintura em tecido são ministradas às quintasfeiras, das 9h às 16h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ, na Cidade Universitária.

Fotos: Divulgação


4 – CADERNO DE APOSENTADOS

Raposo

Uma viagem que vai ficar na lembrança O primeiro passeio turístico organizado pela atual Coordenação de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ foi a Raposo, nos dias 23, 24 e 25 de setembro. A cidade é a menor instância hidromineral que temos, situada entre os estados de Minas Gerais e Espírito Santo. Imprensada entre altas colinas, não chega a ser um vale, mas, com seu clima tropical e uma população pra lá de receptiva a visitantes, a localidade fez a felicidade dos viajantes técnico-administrativos. As viagens organizadas pela coordenação são abertas a toda a categoria. “Eu me agradei de tudo. O planejamento da viagem foi de profissional, tudo deu certo, desde a

saída até a chegada. Estou acostumado a viajar, mas essa viagem foi muito boa. Todos elogiaram”, diz Nelson Alves Marins. Ele conta que até a seleção musical no ônibus, intercalada com filmes antigos de Roberto Carlos, foi feliz e emocionou a maioria. Sem falar no lanche servido, nas brincadeiras de adivinhações que ajudaram passar as horas e a aproximar todos. “Parabenizo as coordenadoras de Aposentados e Pensionistas pelo excelente planejamento do passeio e pelo carinho dispensado a todos nós”, faz questão de registrar o aposentado. Nelson levou na viagem um casal de amigos com o filho de 11 anos, e garante que não faltou nada para

eles. Ao contrário, todos ficaram muito satisfeitos e felizes com a oportunidade oferecida pelo SINTUFRJ de conhecer uma instância hidromineral no estado do Rio de Janeiro. O aposentado sugere às coordenadoras Eliane Nascimento e Petronila Diniz que organizem uma ida às Serras Gaúchas, Crussaí ou Campos do Jordão. Para Débora Oliveira da Silva, o passeio foi excelente, sem senões. “O ônibus era confortável, a estadia ótima e a organização cem por cento eficiente. Realmente saímos da rotina. Descontraímos com as brincadeiras, as danças, os passeios, as compras. Tivemos tempo de ir à missa e conhecer a cidadezinha, que é mui-

to acolhedora. Como é professora do SINTUFRJ da Oficina de Patchwork, Débora sugere que a próxima viagem seja a Belo Horizonte, onde é realizada uma feira de artesanato famosa. Mas também indica as cidades de Campos do Jordão, São Lourenço e Buenos Aires, para uma visita à Feira de San Telmo. Auristela Borges de Lemos, 85 anos, era a aposentada com mais idade no grupo. Mas chamava a atenção nas noites dançantes do hotel pela vitalidade e graciosidade dos passos que improvisava. Por conta disso, ela foi homenageada pelos anfitriões. “Fiquei muito emocionada. Isso nunca tinha acontecido comigo. Todos

queriam ser fotografados comigo, até um garotinho”, contou. O que mais chamou a atenção da aposentada foi a limpeza da cidade e o bom humor dos habitantes – “todos sorriam”. Também gostou muito dos passeios ao ar livre e da atenção recebida dos companheiros de viagem, em especial da coordenação do Sindicato. Auristela gostaria que a próxima excursão fosse a Parati. “É uma cidade tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e eu acho que as nossas viagens devem oferecer, além de lazer, a oportunidade de se aprender sobre coisas que antes não tivemos acesso”, justificou Auristela.

Fotos: Divulgação


Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – N DE 12 A 18 DE SETEMBRO DE 2011

o

968 - 5 a 11 de setembro de 2011 - www.sintufrj.org.br - sintufrj@sintufrj.org.br – 1

CADERNO ESPECIAL APOSENTADOS

Reunião festiva lota o Espaço Cultural Encontro mensal promovido pelo SINTUFRJ é recorde de público A próxima reunião será no dia 11 de outubro, às 10h, na subsede sindical no HU Fotos: Emanuel Marinho

A PROFESSORA Maria Auxiliadora, do IN, deu conselhos para uma vida saudável

Cerca de 150 pessoas participaram da reunião comemorativa ao Dia dos Pais organizada pela Coordenação de Aposentados do SINTUFRJ, na terça-feira, dia 30 de agosto, no Espaço Cultural da entidade. A coordenadora-geral do Sindicato, Neuza Luzia, saudou os companheiros afirmando: “O que o SINTUFRJ faz agora pelos aposentados foi um compromisso nosso de campanha. Esse encontro uma vez por mês é um reencontro, e tudo é feito com muito carinho para vocês. A gente se reúne, mata as saudades e fica sabendo dos nossos direitos: mas hoje vamos festejar. Tenham um dia muito feliz”. A agenda festiva dos aposentados começou com a esclarecedora palestra da professora e chefe do Departamento de Nutrição Social e Aplicada do Instituto de Nutrição Josué de Castro da UFRJ, Maria Auxiliadora Santa Cruz Coelho, sobre o tema Envelhecimento com Qualidade de Vida. Em seguida, o microfone foi franqueado para quem quisesse se manifestar. Um recital de poesia foi improvisado, mas alguns dos presentes preferiram saudar a ini-

ciativa do SINTUFRJ em promover, uma vez por mês, esse encontro de aposentados. O casal de bailarinos Liady Couto Rechinho, 74 anos, e Gilberto Vianna Rechinho, 84 anos, que há 42 anos administra um restaurante no Instituto de Psiquiatria da UFRJ (Ipub), na Praia Vermelha, dançou um bolero com muitas firulas, arrancando aplausos pela beleza dos passos e pelo vigor que demonstravam, embora ele esteja lutando contra um câncer de pulmão, o terceiro que enfrenta. Os dois são muito queridos pela categoria, que os consideram parte da universidade. Alunos e os três professores da Academia de Dança do SINTUFRJ, David Vieira, Luiz Ferreira e Edson Paixão, mais uma vez deram um show para os aposentados, apresentando números de samba de gafieira, salsa, chá-chá-chá, valsa e dança de salão. A reunião festiva foi encerrada com um lanche. Sorteio de livro e de brindes Enquanto era servido o lanche, as coordenadoras de Aposentados, Eliane Nascimento e Petronila Diniz, sorteavam presentes para

Eliane e Cristiano

os pais: exemplares do livro Economia doméstica em tempos de crise, da palestrante Maria Auxiliadora Santa Cruz Coelho, Bella Feiks e Patrícia Fonseca dos Reis, cestas de produtos de higiene pessoal e perfumaria e arranjos de ikebana. Os sorteados foram: Orlando Pereira da Silva, Severino Lino, Francisco Telles, Petrolino Jerônimo, João Joaquino e Ivo Mário.

O casal Liady e Gilberto dão show


2 – Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – No 968 - 5 a 11 de setembro de 2011 - www.sintufrj.org.br - sintufrj@sintufrj.org.br

DE 12 A 18 DE SETEMBRO DE 2011

CADERNO ESPECIAL APOSENTADOS

Viver em harmonia na terceira idade Cuidar da saúde, ser alegre, ter amigos e exigir seus direitos são dicas para uma vida saudável A palestra da professora Maria Auxiliadora Santa Cruz Coelho, do Instituto de Nutrição da UFRJ, abordou aspectos fisiológicos e bioquímicos do processo de envelhecimento, com direito a dicas de alimentação e outros conselhos para uma vida saudável. Ela explicou, por exemplo, que as coisas vão ocorrendo aos poucos. “Há dias que trememos, estamos mais emocionados, talvez. Mas essas mudanças são normais na nossa idade. Eu tenho 66 anos e isso acontece muito”, disse. “Envelhecimento é a perda da capacidade de aptidão frente à diminuição de reserva funcional”, resumiu. Prevenir doenças na terceira idade é o mais importante, recomendou a professora: “Doenças podem ser evitadas se a gente comer bem e menos. Podemos comer menos açúcar e evitar a diabetes; a hipertensão pode ser controlada se comermos menos sal e fizermos exercícios. Minha mãe, dona Zita, tem 98 anos e faz pilates”. Aposentadoria Em vez de tristeza, a aposentadoria deve ser encarada como o começo de uma nova vida. “É o trabalho chato que está ficando para trás, não ser obrigado a acordar cedo mas a hora que se quer, dizer o que pensa sempre, ter liberdade e respeitar nossos cabelos brancos.” Mas para aqueles que se aposentam e têm de voltar a trabalhar, porque o dinheiro da aposentadoria não dá para viver, muito menos viajar, passear, comer bem, Maria Auxiliadora sugeriu que façam uma reflexão: “Estou preparado para retornar a minha antiga função ou devo me arriscar em outra?” Uma dica importante: “Rir. Rir muito é a melhor coisa do mundo. Alegria é tudo”. Mais uma vez, Maria Auxiliadora citou como exemplo dona Zita: “Minha mãe perdeu um filho assassinado pela ditadura militar há 40 anos, mas continuou lutando e com esperança na vida. Criou o PT e o Movimento de Mulheres de Olinda, em Pernambuco. Recentemente foi ao Planalto pedir o corpo do seu filho a Lula e a Dilma. Ela ainda espera enterrá-lo”. Um aviso: “Depois dos 60 anos temos que fazer mais para correr contra o tempo. Tudo deve ser motivo de alegria e felicidade, como um beijo de um filho ou o nascimento de um neto”.

Poesias de Casemiro de Abreu

Nelson Alves Marins, 70 anos, e Nathércia de Andrade Dutra, 87 anos, foram os aposentados que, com muita eloquência, recitaram poemas do romântico poeta fluminense, Casemiro de Abreu. Nathércia de Andrade

Deus

Suspiros

À minha terra formosa que eu amo de coração, quero enviar uns suspiros/ nas asas da viração nas asas da viração. Nelson Alves

(poema escrito em 1858) Eu me lembro! eu me lembro! - Era pequeno E brincava na praia; o mar bramia E, erguendo o dorso altivo, sacudia A branca espuma para o céu sereno. E eu disse a minha mãe nesse momento: “Que dura orquestra! Que furor insano! “Que pode haver maior que o oceano, “Ou que seja mais forte do que o vento?!” Minha mãe a sorrir olhou pros céus E respondeu: “Um Ser que nós não vemos É maior do que o mar que nós tememos, Mais forte que o tufão! meu filho, é Deus!”

Depoimento de um companheiro “Este é o nosso pequeno espaço dentro da universidade. Por isso, dê sempre um jeitinho de vir às reuniões mensais. Se não estivermos aqui, a Coordenação de Aposentados não tem a quem

representar. Venha para compartilhar, festejar e cobrar do Sindicato. Mas venha.” José Cristiano Soares, 61 anos, aposentado há 13 da UFRJ, continua trabalhando por conta própria em

seu bufê. Ele ainda encontra tempo para participar de três corais: da Coppe, da Paróquia São Judas Tadeu, em Bangu, e da Candelária, e é diretor social da Velha Guarda da Escola de Samba Unidos de Padre Miguel.

Envelhecemos todos iguais? A palestrante sugeriu que as pessoas se comparassem com outras da mesma idade para verificar que a idade cronológica não anda junto com a idade biológica. As diferenças físicas estão ligadas a vários fatores, inclusive a condições sociais econômica e regional. “O envelhecimento começa ao nascer. Ao longo dos anos acontecem as modificações orgânicas, por isso o cuidado com a saúde e a alimentação. Há diminuição de massa muscular e perda de musculatura ao longo das décadas.” Beber sempre muita água, usar filtro solar, passar um creme hidrante no rosto. São cuidados, indicados pela professora, que contribuem para minimizar os efeitos externos da velhice. Para prevenir doenças, a pessoa deve ser acompanhada por um cardiologista e um clínico, e a cada seis meses fazer todos os exames.

mão, pois garante o cumprimento dos direitos da terceira idade que é um dever de todos: “Poucos sabem, mas, pela lei o idoso tem direito a acompanhante na internação pelo plano de saúde ou pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”. Ela recomenda que todo abuso deve ser denunciado aos órgãos e instituições de defesa do idoso. Também ensinou que o Bolsa Família não deve ser encarada como uma benesse do governo, mas como cumprimento da lei, porque nenhum país pode ter gente com fome.

ENTUSIASMO

DIREITOS Maria Auxiliadora lembrou aos aposentados a existência do Estatuto do Idoso, que deve estar sempre à

SINDICATO “As lutas do SINTUFRJ são muito importantes; por serem militantes é que vocês estão aqui. Esse lanche é uma demonstração de afeto e carinho do Sindicato com todos nós, com a nossa história”, afirmou Maria Auxiliadora, lembrando aos presentes que “muitos ficaram pelo caminho para se ter hoje até essa universidade”. A professora reivindica que a UFRJ crie a universidade da terceira idade, a exemplo de outras instituições públicas.

Fotos: Emanuel Marinho

ORISTELA BORGES DE LEMOS tem 85 anos, mora em Sulacap e não perde uma reunião dos aposentados


Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – N DE 12 A 18 DE SETEMBRO DE 2011

o

968 - 5 a 11 de setembro de 2011 - www.sintufrj.org.br - sintufrj@sintufrj.org.br – 3

CADERNO ESPECIAL APOSENTADOS

Encontro em Brasília Mais de Três mil pessoas de todo o país participaram no dia 31 de agosto, em Brasília, do Encontro dos Servidores Públicos Ativos, Aposentados e Pensionistas, que objetivou conscientizar e mobilizar pela aprovação das PECs 555/2006 e 270/2008. O SINTUFRJ esteve presente no evento com nove servidores, sendo quatro aposentados e cinco ativos, dentre estes a coordenadora de aposentados do Sintufrj, Eliane do Nascimento. O Encontro foi organizado pelo Movimento dos Servidores Aposentados e Pensionistas (Mosap) e realizado no auditório Petrônio Portela, no Senado nacional. Vários políticos e líderes de bancadas no Congresso Nacional estiveram no evento e se comprometeram a votar a favor das PECs. A partir dessa grande reunião em Brasília, a expectativa é que cresça nos estados as mobilizações que garantirão a vitória dos trabalhadores. As PECs A PEC 555/2006 acaba com a contribuição previdenciária para os aposentados do serviço público, que foi instituída na reforma da Previdência Social em 2003. A PEC 270/2008 põe fim a outra absurda injustiça cometida contra o servidor público, também das três esferas (federal, estadual e municipal), em vigor desde 2003, que é não conceder aposentadoria integral para quem se aposenta por doença grave

Delegação da UFRJ no encontro

ou invalidez. Isso não ocorre com os trabalhadores regidos pela CLT. Avaliações Para a coordenadora de aposentados do SINTUFRJ, Eliane Nascimento, “o encontro reforçou a tese de que temos que lutar contra os ataques dos governos aos nossos direitos, pois não somos responsáveis pelo déficit público.” Segundo a sindicalista, “estamos vivendo as consequências da instalação do Estado, que tira direitos

dos servidores públicos. E o mais triste ainda é assistir sendo tirados os direitos previdenciários dos que se aposentam. Precisamos dar um basta a tudo isso. Mobilização já.” Kátia Conceição, coordenadora de Comunicação do SINTUFRJ, afirmou que o encontro foi ótimo, principalmente pela grande presença das forças políticas sindicais do país. Ela espera que agora seja fortalecida a luta pela aprovação das duas PECs em todas as

bases de trabalhadores sob a liderança de seus sindicatos. A técnica-administrativa aposentada da UFRJ, Elza Bastos Borges, participou pela primeira vez de uma atividade sindical fora da base a convite do SINTUFRJ. “Gostei muito das discussões políticas, fiquei sabendo dos movimentos país afora, pois nem tudo passa na TV e sai no jornal do Sindicato. Conheci o Senado Federal e pessoas. Portanto, esse encontro foi

muito importante para mim.” Risaneide Alves, representante da bancada técnico-administrativa no Conselho Universitário da UFRJ, avaliou o encontro organizado pelo Mosap como excelente pela grande mobilização nacional que representou. “Fiquei impressionada com o vigor e a disposição de luta dos aposentados oriundos de várias partes do país. Com todos os trabalhadores juntos somos muitofortes”,concluiuacompanheira.

Números da terceira idade O Brasil não é mais um país de jovens. De 2 milhões em 1960, pulou para 7,4 milhões em 2000, e em 2020, serão 26,3 milhões de idosos no país. Em Copacabana, a população de idosos é de 30%, igual ou superior a qualquer país desenvolvido e de longa tradição em população idosa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera idoso com 65 anos ou mais (países desenvolvidos) e 60 anos ou mais (países em desenvolvimento).

Telefones e endereços úteis para as pessoas da terceira idade no Rio de Janeiro Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade (Deapti): Posto Avançado Metrô Siqueira Campos/Copacabana. Tel.: (021) 2333-9260/2333-9261. Ligue-Idoso (recebe denúncias de maus-tratos e dá orientações em geral): das 9h às 18h, de segunda a sextafeira. Tel.: (021) 2334-5577. Núcleo Especial de Atenção ao Idoso (Neapti)clai). Tel.: 0800-235267. Rua General Justo, 335, loja A/térreo. Centro do Rio. ()21) 23326342/6343/6338/6224. Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do Rio de Janeiro (Cedep) (Criado para esclarecimento de dúvidas em relação às leis): Rua da

Ajuda, 5/11º andar – sala 1.108. Tel.: (021) 2333-0190/ fax 2333-4100. Detran (Posto de Atendimento Especializado para a Terceira Idade): Av. Presidente Vargas, 817 - Centro - atendimento das 8h às 17h, de 2ª a 6ª feira. Obs.: Para renovar a carteira ou fazer a 1ª habilitação, basta levar um documento que comprove idade superior a 60 anos. A gratuidade do exame médico só valerá caso o idoso tenha mais de 65 anos. Ligue Idoso Ouvidoria Praça Cristiano Otoni, s/nº, 6º andar, sala 614. Centro - Rio de Janeiro. Cep.: 20221-250 E-mail: ouvidoria@social. rj.gov.br Te l . : (21) 23345577/5587/5591 (Central de

Atendimento).

9275/ 9277.

Delegacia de Atendimento e Proteção ao Idoso Das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. Rua Figueiredo Magalhães, 526, Copacabana. (21) 2333-

Associação Nacional de Gerontologia do Rio de Janeiro. TV. Gal. Justo, 275, 5º anda, sala 515. Tel.: (021) 2210-1050.


DE 12 A 18 DE SETEMBRO DE 2011

CADERNO ESPECIAL APOSENTADOS Mergulhe em uma correnteza de águas cristalinas participando do passeio organizado pela Coordenação de Aposentados, de 23 a 25 de setembro, ao custo de R$ 450,00, que pode ser pago em três vezes. As acomodações são em apartamentos duplos ou triplos. A coordenação informa que as vagas são destinadas aos aposentados, assim como aos ativos. Informações via e-mail sintufrj@sintufrj. org.br ou em nossa sede e subsedes.


ANO XXI - Nº 979 - 21 A 27 DE NOVEMBRO DE 2011 - JORNAL DO SINTUFRJ

Segunda-feira, dia 21, às 9h

Aprenda a lidar

com o seu corpo A fisioterapeuta Cíntia Dantas, da Amil, e o SINTUFRJ convidam para a palestra sobre postura corporal, que será realizada nesta segunda-feira, dia 21, às 9h, no Espaço Cultural, que fica ao lado da sede do Sindicato, na Cidade Universitária. A especialista vai falar sobre as vantagens de uma boa postura corporal e ensinará a forma correta de dormir, sentar, carregar peso, entre outros movimentos repetidos a toda hora. Também vai fazer uma exposição sobre os benefícios à saúde garantidos pelos hábitos corretos de higiene. Conhecer os limites de nosso corpo é importante, segundo Cíntia, para sabermos como usá-lo no dia a dia. E adianta: “A postura ideal é aquela que promove o melhor alinhamento das estruturas corporais como menor gasto energético possível”. Por tudo isso, não dá para perder essa chance de aprender mais para garantir uma vida saudável.

Confraternização de fim de ano A Coordenação de Aposentados está preparando a festa de encerramento das atividades de 2011 e promete brindar os companheiros com muitas novidades. Aguardem!

Passeio de escuna imperdível em Angra dos Reis. Saiba como participar. Página 4


2 – CADERNO DE APOSENTADOS

Aposentada brilha como escritora Vem aí o sabadaço

Foto: Divulgação

Zeze Barcelos, 68 anos, depois de se aposentar da UFRJ, resolveu trilhar o caminho das letras, e não parou mais. Poetisa e escritora, participa de várias antologias nacionais e algumas internacionais. Na Bienal do Livro, no Rio de Janeiro, lançou sua segunda obra infantil: O milagre do anjo azul e receberá, no dia 22 de novembro, no auditório da OAB-Niterói, o Troféu Destaque 2011 da Academia Niteroiense de Belas Artes. Com o primeiro livro de poesias, Emoções, Zeze participou de vários concursos e ganhou projeção. Em 2010 recebeu o prêmio destaque do

ano na categoria livro infantil com a obra O menino maltrapilho e seu cãozinho de luxo, lançado na Bienal do Livro de São Paulo. “Com este livro iniciei uma nova trajetória de vida”, afirma Zeze. Ponto de partida Após o lançamento do primeiro livro, a vida tranqüila de Zeze ganhou novo ritmo. Convites para palestras em escolas foram muitos. Uma prova de que O menino maltrapilho e seu cãozinho de luxo caiu no gosto de professores e estudantes é a rede Santa Mônica ter encomendado 500 exemplares para distribuir aos alunos. Zeze já faz parte da Academia de Artes de Cabo Frio (Artrop) e, mais recentemente, foi empossada na Academia de Letras y Artes de Valparaiso (Chile). A aposentada é uma apaixonada pelas letras, o que a levou à literatura. Hoje, Zeze tem livros vendidos até na Suiça. Em 2012, ela participará de uma antologia de autores pela Academia de Cabo Frio, que será levada ao Salão do

Livro da França. “Estou feliz pelo meu trabalho me aproximar das crianças e pelo reconhecimento público”, afirmou Zeze. A autora participa do Projeto Literário Delicatta, que tem como tarefa organizar concursos literários, recitais, antologias e outros eventos culturais, além de revelar novos talentos, publicando, divulgando e comercializando obras inéditas.

ria participou do enquadramento da categoria na nova carreira e por duas vezes foi eleita dirigente do SINTUFRJ. Ela tem um recado para a UFRJ: “Gostaria que a universidade garantisse espaço para os funcionários mostrar sua produção artística e cultural. Meu livro, O menino

maltrapilho fala de um órfão pobre e um cachorro rico. Muitas crianças se identificam com ele. Não há preço em levar esperança e felicidade para elas. Geralmente fico muito emocionada nas palestras e a depressão vai ficando para trás”.

Prata da casa “O que vivo hoje é uma surpresa. Tudo foi muito rápido. Comecei a escrever para sair de uma depressão e não parei mais. Ninguém deve se sentir inútil. Mesmo com as dificuldades, o prazer da realização é maior do que qualquer dor”, ensina Zeze. Zeze é prata da casa. Ela é técnica-administrativa aposentada da UFRJ que durante 15 anos trabalhou como auxiliar de escritório na Escola de Engenharia. Depois foi convidada para assumir o cargo de administradora do PUR (hoje Ippur). Também foi chefe de Pessoal. Após a aposentado-

Ler, a melhor opção Em seu livro O prazer de ler (Casa da Palavra), a escritora Heloisa Seixas discorre sobre como a leitura mexe com o emocional e influencia as pessoas. Segundo depoimento do escritor Ruy Castro a Heloisa, ler é a segunda melhor coisa do mundo. A primeira”, diz ele, “é escrever – e ‘aquilo que você está pensando é hors-concours’. Brincadeira à parte, para nós, escritores, é de fato difícil saber o que é melhor, se escrever ou ler. Mas não tenho dúvidas de que sentar numa poltrona confortável, sem ninguém por perto, com uma música instrumental suave ao fundo e, como diria o poeta Vinícius de Moraes, ‘um gato para passar a mão’, é uma das coisas mais deliciosas da vida – para qualquer pessoa”. Ainda Ruy para o livro de

Heloisa: “O prazer de ler é, como alguém já disse, fenômeno parecido com um ser inoculado por um vírus. A partir do momento em que isso acontece, não há mais volta. Nunca mais, pelo resto de nossas vidas, conseguiremos ficar sem um livro por perto. Há uma crônica muito engraçada de Luis Fernando Verissimo em que ele conta suas peripécias num quarto de hotel, sem nada para ler, tendo que apelar para a Bíblia na gaveta ou para a bula de um remédio. Mas, para que tudo isso aconteça, é preciso primeiro se expor ao vírus”. Livros com alma – Diz Heloisa: “E se as livrarias são lugares de amor, o que dizer dos sebos? Muita gente diz que nos sebos os livros têm alma. É verdade. Os livros usados, que pertenceram a

outras pessoas, que foram tocados por mãos desconhecidas, exibem uma aura, uma personalidade que os novos não têm. É como se deles se desprendessem os eflúvios de seus antigos donos, que ali naquelas páginas buscaram refúgios, nelas deixando impressas suas dores, alegrias, esperanças, inquietações”.

SUGESTÕES DA ESCRITORA Heloisa Seixas, escritora carioca com mais de dez livros editados, recomenda como leituras imperdíveis, as seguintes obras: As viagens de Gulliver (1726), de Jonathan Swift – “É impressionante pensar que esse livro – uma crítica ácida, demolidora, ao ser humano – foi escrito na primeira metade do século XVIII. É irônico que seja visto mais como um livro para crianças.” Orgulho e preconceito (1813), de Jane Austen – A autora também escreveu outra obraprima, Razão e sensibilidade. O morro dos ventos uivantes (1847), de Emily Bronté – Um clássico da literatura inglesa do século XIX. A ilha do tesouro (1883), de Robert Louis Stevenson – “Uma delícia de ler”, garante Heloisa. Histórias extraordinárias (1839), de Edgar Allan Poe – “Qualquer conto de Poe que seja levado para uma ilha deserta será capaz de nos alimentar durante muitos anos”, diz a escritora. Ela (1887), de Henry Rider Haggard – “Desafio qualquer um a ler as três primeiras páginas desse livro e não continuar devorando-o até o fim”, promete Heloisa.


CADERNO DE APOSENTADOS – 3

Imagens do dia

25 de outubro

Nessa data, os aposentados e pensionistas se reuniram no Espaço Cultural do SINTUFRJ para comemorar o Dia Nacional do Idoso, o Dia do Funcionário Público e festejar os aniversariantes do mês Fotos: Emanuel Marinho


4 – CADERNO DE APOSENTADOS


Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – No 962 – 25 a 31 de julho de 2011 – www.sintufrj.org.br – sintufrj@sintufrj.org.br – 1

ESPECIAL

A P O S E N T A D O S

Trabalhadores

reivindicam da PR-4 Foto: Emaunuel Marinho

O último encontro

promovido pela Coordenação de Aposentados do SINTUFRJ foi cheia de novidades. Eles tiveram a oportunidade de se reunir com o novo superintendente de Pessoal, Agnaldo Fernandes, quando fizeram várias reivindicações e festejaram o Dia do Amigo ou da Amizade.

Leia neste Encarte Vem aí o Dia dos Pais Dicas de como se vestir de acordo com a ocasião

Próxima reunião dos aposentados: Terça-feira, de Terça-feira, diadia 16 de16 agosto, agosto, às 10h, às 10h, na subsede sindicalna no HU subsede sindical no HU

Passeio a Raposo e Eugenópolis A Coordenação dos Aposentados e Pensionistas está organizando o primeiro passeio chamado “paz, saúde e lazer, na estância hidromineral”. Será entre os dias 23 e 25 de setembro, em Raposo e Eugenópolis, lugares de parques com águas de fontes radioativas, com direito a passeios por belas paisagens e manhãs de compras. O passeio custará R$ 450,00 e pode ser pago em três vezes. As acomodações podem ser em apartamento duplo ou triplo. A coordenação informa que 70% das vagas serão destinadas aos aposentados. As demais serão para os ativos. Caso a cota dos aposentados não seja completada, as vagas serão ocupadas com os demais. Informações e inscrições até 17 de setembro, via e-mail: sintufrj@sintufrj.org.br.


2 – Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – No 962 – 25 a 31 de julho de 2011 – www.sintufrj.org.br – sintufrj@sintufrj.org.br

ESPECIAL

A P O S E N T A D O S

SERVIÇOS

Alzheimer e outras desordens mentais na velhice O Instituto de Psiquiatria da UFRJ (Ipub) oferece um atendimento especial para pessoas acima de 60 anos. Trata-se do Centro de Doenças de Alzheimer e outras Desordens Mentais na Velhice (CDA). É um setor multidisciplinar que atende idosos com qualquer tipo de problema na esfera psicológica, psiquiátrica e neuropsiquiátrica (demência, depressão, psicose e ansiedade). O CDA também atende a casos de alcoolismo ou abuso de drogas. A equipe é composta por médicos psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas, fonoaudiólogas, terapeutas ocupacionais, musicoterapeutas e secretárias, sob a coordenação do médico Jerson Laks. O Ipub fica no campus da Praia Vermelha, na Rua Venceslau Brás, 71, fundos. Telefones: 3873-5540 e 3873-5507. E-mail: ipub@ipub.ufrj.br. O CDA tem um ambulatório para idosos e um centro-dia para pessoas com demência. Primeiro atendimento:

toda quarta-feira, às 8h. A primeira consulta é feita por um grupo de acolhimento formado por psiquiatras, enfermeiros e assistentes sociais, que colhem a história do paciente e dos familiares, aplicam testes simples para avaliar e quantificar as queixas eventuais de memória e outros problemas existentes e pedem exames necessários a cada caso. Depois há também uma consulta de orientação voltada para aspectos sociais pelas assistentes sociais. As consultas seguintes são marcadas e encaminhadas para as diversas equipes de acordo com o caso (psicologia, família, enfermagem, fisioterapia, oficinas terapêuticas). Psicologia – Atendimentos individuais com psicoterapia em demência, depressão, transtornos de ansiedade e psicoses. Atendimento em grupo de idosos. Família – Atendimentos visando à orientação dos cuidadores e familiares para a melhor compreensão da doença, apoio entre os próprios familiares e

Foto: Imagem UFRJ

com os profissionais envolvidos. Grupos de familiares com palestras psicoeducacionais. Às sextasfeiras, das 13h30 às 15h30. Fisioterapia – Voltado unicamente para a manutenção das capacidades de independência e motricidade dos pacientes já em atendimento no CDA. O atendi-

Dia dos Avós Nesta terça-feira, 26 de julho, comemora-se o Dia dos Avós. A data foi escolhida porque é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo. Conta a História que, no século I a.C., Ana e seu marido, Joaquim, viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. Apesar da idade avançada do casal, um anjo apareceu e comunicou a Ana que ela estava grávida, e nasceu Maria. Santa Ana morreu quando a menina tinha apenas três anos.

ou demência vascular leve ou moderada em módulos de oficinas terapêuticas. Objetivo: manutenção e reabilitação das atividades de vida diária. Os pacientes passam tardes em atividades, como culinária, jardinagem, oficinas de memória e interação social.

Dia dos Pais Padroeiros Devido à sua história, Santa Ana é considerada a padroeira das mulheres grávidas e dos que desejam ter filhos. Maria cresceu conhecendo e amando a Deus, e foi por Ele a escolhida para ser mãe de seu filho Jesus. São Joaquim e Santa Ana são os padroeiros dos avôs e avós. A data da festa de São Joaquim sofreu várias alterações ao longo dos tempos. Inicialmente era celebrada no dia 20 de março, associada à de São José, tendo sido depois transferida para o dia 16 de agosto, para associar-lhe ao triunfo da filha na celebração da

Assunção, no dia precedente. Em 1879, o papa Leão XIII, cujo nome de batismo era Gioacchino (versão italiana de Joaquim), estendeu sua festa a toda a Igreja. Finalmente, o Papa Paulo VI associou num único dia, 26 de julho, a celebração dos pais de Maria Santíssima.

Muitas ajudam na educação dos netos, cuidam deles na ausência dos pais e fazem de tudo para se aproximar e dar carinho. Elas agora são modernas, mergulham nas ondas da internet, respondem a e-mail, entram em redes sociais como Facebook, se

relacionam com outras avós no site velhosamigos. Não há regras nem limites para cumprir a missão de avó, um universo cheio de histórias. Por isso que as avós ganharam de presente um dia especial no calendário mundial, para serem sempre lembradas.

Vovós modernas A figura da avó não é mais daquela mulher que descansa numa cadeira de balanço, faz crochê ou prepara bolinhos de chuva à tarde. Elas são mamães duas vezes, são a voz da experiência, algumas cozinheiras de mão cheia.

mento é feito em grupo. Fonoaudiologia – Atendimento ambulatorial para problemas de fala e deglutição decorrentes dos processos demenciais. Grupos ligados às oficinas terapêuticas. Centro-Dia – Atende pacientes com doença de Alzheimer

No Brasil, o Dia dos Pais é comemorado no segundo domingo de agosto, portanto, está bem perto. Dizem que a data foi criada pelo publicitário Sylvio Bhering, em meados da década de 1950, festejada pela primeira vez no Brasil em 14 de agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família (de acordo com a tradição católica, é o dia em que se comemora também o Dia do Padrinho. Dia dos Pais (Brasil) ou Dia

do Pai (Portugal) tem origem na antiga Babilônia, há mais de 4 mil anos. Um jovem chamado Elmesu moldou em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai.

Oficinas do SINTUFRJ Patchwork – Às segundas-feiras, das 8h às 12h (subsede no HU). Pintura em Tecido – Às quintasfeiras, das 8h às 16h (subsede no HU). Ikebana – Às quartas-feiras, das 9h às 12h (subsede no HU). Também pode ter horário à tarde, depende da procura. Escultura em Legume, Frutas, Verduras e Mesa de Frios – Às terças-feiras, das 9h às 16h (subsede no HU). Música – Aulas de violão, banjo e

cavaquinho. Fundão: às quartasfeiras, das 17h às 19h (Espaço Cultural); e às quintas-feiras, das 18h às 20h, na Praia Vermelha (subsede sindical). Inscrições com os professores. Dança – Às terças e quintas-feiras, das 18h às 20h (Espaço Cultural do SINTUFRJ, no Fundão). Coral – Às segundas-feiras, das 16h30 às 18h (subsede sindical no HU).


Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – No 962 – 25 a 31 de julho de 2011 – www.sintufrj.org.br – sintufrj@sintufrj.org.br – 3

ESPECIAL

A P O S E N T A D O S

REIVINDICAÇÕES

Servidores expõem suas dificuldades Superintendente de Pessoal diz que o centro da PR-4 são os interesses dos servidores Os aposentados que participaram da reunião do SINTUFRJ no dia 19 de julho tiveram a oportunidade de conversar com o recém-nomeado superintendente de Pessoal. Como seu antecessor e atual pró-reitor de Pessoal, Agnaldo Fernandes é técnicoadministrativo e também já foi militante sindical, tendo participado da direção do nosso Sindicato em mais de uma gestão. A presença de Agnaldo atendeu a uma demanda dos próprios aposentados, explicou a coordenadora sindical Eliane Nascimento. “Temos muito orgulho de tê-lo como superintendente, assim como também de termos um técnico-administrativo na Pró-Reitoria de Pessoal”, festejou a sindicalista ao apresentá-lo aos presentes. “Reafirmo o compromisso de campanha desta direção, e o mesmo já fez Roberto Gambine quando esteve na assembleia da categoria, e repetiremos na reunião que estamos agendando com o SINTUFRJ e a Adufrj. A marca desta Reitoria será a defesa dos interesses dos trabalhadores”, afirmou Agnaldo. Espaço privilegiado A dinâmica adotada na reunião foi a de pergunta e resposta ao superintendente. Assim, cada um dos aposentados que participarem da reunião teve a oportunidade de questionar Agnaldo sobre o problema pessoal com a UFRJ. A diversidade de temas expostos foi grande, desde processos de insalubridade, política de saúde do trabalhador a estacionamento gratuito para todos no campus do Fundão. “É muito bom saber que eu ao me aposentar, daqui a quatro anos, vou ter um espaço para conversar na universidade”, disse a coordenadora-geral do SINTUFRJ, Noemi Andrade, ao saudar os integrantes da reunião e o convidado especial, referindo-se à rotina de encontros organizados pela Coordenação de Aposentados da entidade sindical. Questionamentos Ronaldo Lima, 53 anos, aposentado por invalidez desde 2005, quis saber como anda seu processo de insalubridade. Ele trabalhou no HU como auxiliar de enfermagem. Apesar dos problemas de saúde (gasta R$ 200 ao mês com remédios), já se graduou em Enfermagem, cursa o 5º período de Direito, concluiu o aprendizado de inglês e espanhol e ainda trabalha por conta própria. Em outra pergunta, ele se queixa queixa que a UFRJ não ofe-

Foto: Emanuel Marinho

AGNALDO FERNANDES, superintendente de Pessoal (ao centro), disse que a PR-4 fará seminário dias 28 e 29 de julho

rece atendimento médico e realização de exames aos funcionários nos oito hospitais universitários da instituição. “Eu vim da federal de Mato Grosso do Sul é lá o HU atende os aposentados”, comparou. O aposentado Antônio da Nóbrega, representante do grupo de bombeiros que há anos aguarda o pagamento dos atrasados, também cobrou solução do superintendente. “Fomos rebaixados do nível médio para o de apoio e perdemos 10% do salário, na década de 90, no reenquadramento. A situação é humilhante”, afirmou. “Qual a posição da nova Reitoria em relação à Comissão Interna de Supervisão da Carreira (CIS)?, perguntou Carmem Lúcia. Belizária Ferreira da Silva, assistente de administração da PR-4 durante vários anos, reclamou do atendimento ao aposentado nessa Pró-Reitoria:“Faltaservidorparacuidar dos processos dos aposentados, que são muitos. Informação por telefone também não dá certo.” Ela sugeriu que alguém do setor de Legislação e Normas fosse à reunião explicar sobre mandado de injunção. Contagem de tempo para aposentadoria, exames periódicos, lazer e cultura foram outros assuntos observados pelos aposentados na reunião com o superintendente de Pessoal. Houve quem não fizesse cobranças, apenas contasse parte de sua história pós-aposentadoria. Como Dionísio Antônio Telles, que conseguiu arranjar uma ocupação prazerosa na própria UFRJ. Ele atua no Projeto Esportivo da PR-4,

que atende crianças e adolescentes e realiza campeonatos de futebol durante todo o ano. Já Antônio da Silva Paixão fez um apelo ao SINTUFRJ: “Gostaria que o Sindicato fosse mais objetivo sobre as ações judiciais e informasse no jornal da categoria a situação verdadeira dos processos”. Valdir da Silva reclamou da falta de uma sala na entidade para os aposentados: “É bom termos um espaço só para a gente e a Coordenação de Aposentados”. Compromisso Agnaldo anotou número de processos, pensou junto com os dirigentes sindicais soluções para alguns problemas, e explicou que “estava encarando aquela estrutura agora”, que é grande mas limitada em face da demanda que envolve mais de dez mil processos só dos trabalhadores na ativa. “Não é uma tarefa fácil por conta disso, mas estamos analisando todas as situações. Do ponto de vista da carreira, o objetivo é pôr a CIS para funcionar, realizando eleições no início de agosto e dando infraestrutura. E a carreira não é só plano de cargos e salários, ela tem previsão de evolução do ponto de vista de tabela e de capacitação”, lembrou o superintendente. A PR-4 “fecha para balanço” nos dias 28 e 29 de julho, ou melhor, dá uma parada para realizar um seminário interno que vai apontar as deficiências e as soluções para os problemas internos de todos os setores, informou Agnaldo.

Sugestões de Belizária A assistente administrativa Belizária Ferreira da Silva entregou à Coordenação de Aposentados um raio-x sobre a situação desse segmento na UFRJ e, por conta da sua avaliação, sugere à PR-4 que crie um setor para auxiliar os aposentados. Veja a análise de Belizária: O setor na PR-4 exclusivo para os aposentados deve dispor de assistentes sociais e psicólogos para atender o servidor antes dele requerer a aposentadoria. Ela explica por quê: 1 – O trabalhador precisa saber que a sua remuneração vai ficar menor com a exclusão de adicionais noturnos, vale-refeição, vale-transporte, insalubridade, abono de permanência etc. E que ele estaciona na mesma referência e padrão na qual se encontra; 2 – Noventa por cento dos servidores estão pagando empréstimos por um período de cinco anos; 3 – Muitos não frequentam as reuniões de aposentados no Fundão porque não conseguem se locomover sozinhos, com medo da violência urbana; 4 – Nos oito anos do governo

FHC ficamos sem data-base e com os salários congelados. Como se isso não bastasse, houve várias exclusões de vantagens, tais como progressão, anuênio, licençaprêmio, abono pecuniário, e ainda nos empurraram goela abaixo um PDV (pedido de demissão voluntário); 5 – Noventa por cento dos aposentados sustentam filhos e netos e o salário não chega até o fim do mês; 6 – Noventa por cento dos aposentados estão tão endividados com bancos e financeiras que não têm condições de pagar plano de saúde e comprar remédios. Muitos nessa situação estão em depressão e se isolam dos colegas. Esse é também um dos motivos da ausência nas reuniões do SINTUFRJ. Nada faz levantar seu astral; 7 – Por isso o servidor precisa ser esclarecido no momento da aposentadoria. Porque existe a ilusão que ao se aposentar o trabalhador ou a trabalhadora vai descansar, passear etc. Mas a maioria tem filhos em situação difícil, que precisam de ajuda para se qualificar, como cursar faculdade.”


4 – Jornal do SINTUFRJ a serviço da categoria – No 962 – 25 a 31 de julho de 2011 – www.sintufrj.org.br – sintufrj@sintufrj.org.br

ESPECIAL

A P O S E N T A D O S Foto: Internet

CONFRATERNIZAÇÃO

é festejado com flores e O último encontro dos aposentados do SINTUFRJ coincidiu com a véspera do Dia do Amigo, comemorado em 20 de julho. A coordenadora Petronila Diniz ofereceu arranjos de ikebana para todos. Com flores vivas, a data se tornou ainda mais festiva. De acordo com a enciclopédia livre Wikipédia, a palavra amizade – do latim amicus (amigo), possivelmente se derivou de amore (amar) – é uma relação afetiva, a princípio sem ca-

racterísticas romântico-sexuais, entre duas pessoas. Em sentido amplo, é um relacionamento humano que envolve conhecimento mútuo e afeição, além de lealdade ao ponto do altruísmo. Valor da amizade Muitas vezes os interesses dos amigos são parecidos e demonstram um senso de cooperação. Mas também há pessoas que não necessariamente se interessam pelo mesmo tema, mas gostam

de partilhar momentos juntos, pela companhia e amizade do outro, mesmo que a atividade não seja a de sua preferência. A amizade é uma das mais comuns relações interpessoais que a maioria dos seres humanos tem na vida. Em caso de perda da amizade, sugere-se a reconciliação e o perdão. Carl Rogers, um dos mais importantes psicólogos do século passado, diz que a amizade “é a aceitação de cada um como realmente ele é”.

COMPORTAMENTO

Use o traje adequado para cada ocasião Que tal algumas dicas do significado de cada traje social, muitas vezes solicitado em convites de festas e eventos sociais? Esporte: É o vestuário comum para o almoço com amigos, exposições, aniversários, batizados e churrascos. Não é necessária uma produção sofisticada, porém, não é motivo para ir desleixado à festa. Portanto, não apareça com a mesma roupa que vai à academia. Homens: Calças jeans estão liberadas, combinadas com camisas esportivas ou polo. Se o clima estiver frio, aposte em jaquetas, suéteres ou blazers esportivos feitos de couro ou veludo. Complete o visual com mocassins ou sapatênis. Mulheres: Vestidos curtos ou na altura dos joelhos são ideais para a ocasião, além de outras opções como saias, calças de tecido, jeans e bermudas. As composições pedem tecidos leves e sem brilhos. Nos pés, sandálias de saltos médios ou baixos, sapatilhas ou botas. Já as bolsas, médias ou grandes, podem ser de um material mais esportivo. Atenção ao toque final da produção: invista na maquiagem discreta e nos cabelos bem penteados e tratados. Isso vale também para qualquer ocasião. Passeio ou Esporte Fino:

Nesse caso, a sofisticação fica no meio-termo. Porém, não permite o uso de jeans. Geralmente, o tipo de traje é aconselhado para almoços, conferências, vernissages (pré-estreias de exibições) e eventos à luz do dia. Homens: se o evento for noturno, o paletó escuro ou médio, usados com gravata, é boa pedida. Durante o dia, vale optar por blazer e calça mais claros, podendo escolher entre usar ou não gravata. A composição calça de sarja com camisa e blazer também pode ser uma ótima opção para o dia. Nos pés, sapato social ou mocassins pretos ou marrons. Em ótimo estado, please! Mulheres: vestidos, terninhos, tailleurs, pantalonas, calças, saias, túnicas, batas e peças com estilo são ideais para o evento. Os tecidos pedem menos sofisticação e, para a noite, é permitido um pouco de brilho. Salto alto ou médio combinado com bolsa média ou grande completam o visual. Para a noite, lenços e echarpes dão o toque final. Os cabelos devem estar bem alinhados e a maquiagem, suave. Social ou Passeio Completo: Para esse tipo de evento, o traje é sofisticado e elegante. Coquetéis e jantares especiais, óperas e casamentos são os que mais pedem

esse tipo de traje. Homens: o costume (dupla calça e paletó) escuro, camisa social e gravata formam a combinação ideal para esse tipo de ocasião, além do sapato social e cinto. O terno (calça, paletó e colete) também é outra alternativa. Mulheres: o uso do longo não é obrigatório, podendo ser utilizado o longuete (vestido na altura do joelho), tailleurs, saias e blusas ou terninhos. Mas sempre com tecidos sofisticados. As fendas e decotes estão liberados, mas sem exageros. O mesmo vale para bordados e brilhos nos trajes. Boleros,

casaquetos, peles falsas e xales são ideais, se o clima estiver frio. Os acessórios pedem saltos altos e bolsas pequenas. Nesse caso, a ida ao cabeleireiro é indispensável para produzir o penteado e a maquiagem mais elaborados. Rigor ou Black Tie: O traje para esse tipo de evento deve possuir alto grau de formalidade e sofisticação. Costuma ser escolhido para premiações e bailes de formatura. Homens: o uso de smoking é imprescindível, além de sapatos de amarrar pretos, de verniz ou couro liso.

Mulheres: segundo os especialistas em moda, os vestidos longos são os mais comuns para a ocasião. Vestidos curtos também podem ser usados, desde que tenham glamour no tecido. O uso de decotes, transparências e fendas está liberado e adequado ao estilo. Evite o excesso de informação. Se for o caso de parecer mais sexy, opte somente por um dos itens. Nos pés, invista nas sandálias com tiras delicadas e saltos altos e finos. Quanto aos cabelos, a dica é apostar em um penteado preso. Fonte: Fabiana Schreiner http://www.muitobonitta.com


JUNHO DE 2011

ANO XXI

Nº 955

DE 6 A 12 JUNHO DE 2011

www.sintufrj.org.br

sintufrj@sintufrj.org.br

Aposentados CADERNO DE

Celebração e discussão sobre reenquadramento

Fotos: Nando Neves

Este foi o foco da reunião de maio dos aposentados, que também teve saúde e qualidade de vida como temas. PÁGINAS 3 E 4

POESIA E MÚSICA EMBALANDO AS EMOÇÕES Zezé Barcelos, Marylena Salazar, Djalma, Eliu dos Santos, Jackson Moura são alguns dos poetas, compositores e escritores que sempre abrilhantam os encontros mensais de aposentados promovidos pelo SINTUFRJ. Nesta edição, uma pequena mostra de alguns destes nossos talentos.

Alegria “Qual seria a definição de alegria? Seriam muitas luzes, muito som, cores? Muitos risos...Talvez uma grande ilusão? Mas não importa... Ser feliz é contagiante! Zezé Barcelos

A Volta Entrarás silenciosa porta adentro Sem sussurros nem murmúrios ...só amor. Te deitarás a meu lado E com cuidado Percorrerás o corpo que habito ...sem grito. Marylena Salazar

Leia mais Espaço Saúde do SINTUFRJ será ampliado e terá sala para massagens e terapias corporais. Saiba mais a respeito com as fisioterapeutas Lurdes e Fabiana, que também dão dicas de cuidados sobre postura para os aposentados. PÁGINA 4

Oficinas do SINTUFRJ

Dança – Aulas na sede do Sindicato: às 3ª e 5ª feiras, das 18h às 20h, com os professores Edson, Luiz e David. Dança – Campo da Educação Física (Praia Vermelha): às 4ª e 6ª feiras, das 17h às 19h, com os professores Edson, Luiz e David. Música – Espaço Cultural do SINTUFRJ: às 4ª feiras, das 17h às 19h, com Marcelo e Ronaldo. Música – Subsede sindical na Praia Vermelha: às 5ª feiras, das 18h às 20h, com Marcelo e Ronaldo. Academia – Na sede do SINTUFRJ: às 2ª e 6ª feiras, das 7h às 10h; às 2ª e 5ª feiras, das 15h às 19h, com Carla. Coral do SINTUFRJ – Ensaios às 2ª feiras, das 16h30 às 18h, na subsede sindical no HU (Fundão). Mamãe você merece, mamãe eu amo você Patchwork – Subsede sindical no HU: às 2ª feiras, das 8h às 12h, com Débora. estamos aqui reunidos, mamãe, Pintura – Subsede sindical no HU: às 5ª feiras, das 8h às 16h, com Fátima. para cantar parabéns para você. Ikebana – Subsede sindical no HU: às 4ª feiras, das 9h às 12h (ainda não Tudo o que damos é pouco, se fosse preciso pagar formou turma). Pois não há nada no mundo, mamãe, Escultura em legumes, frutas, verduras e mesa de frios – Subsede que possa o seu amor pagar. sindical no HU: às 3ª feiras, das 9h às 16h (ainda não formou turma). Eliu dos Santos

Mamãe


2 – CADERNO DE APOSENTADOS - No 955 - de 6 a 12 de junho de 2011 - www.sintufrj.org.br - sintufrj@sintufrj.org.br

Assuntos não faltaram no encontro dos aposentados Homenagens, cultura, saúde, reenquadramento, dinâmicas e surpresas do Sindicato foram temas da reunião no mês de maio Fotos: Nando Neves

A reunião do mês de maio dos aposentados foi realizada no dia 24 de maio e contou com uma agenda cheia e muitas novidades. As coordenadoras sindicais Eliane Nascimento e Petronila Diniz organizaram uma homenagem às companheiras pelo Dia das Mães e anunciaram a inauguração do anexo do Espaço Saúde SINTUFRJ. Poetas, cantores e fisioterapeutas foram destaques na reunião, bem como os esclarecimentos jurídicos do advogado do Sindicato,

Alexandre Flecher, sobre reposicionamento dos aposentados e pensionistas na nova carreira. A atividade foi encerrada com uma confraternização entre os presentes. Nos dias 6 e 7 de junho os integrantes das oficinas de pintura e patchwork do SINTUFRJ estarão expondo seus trabalhos no pátio do prédio da Reitoria. E a próxima reunião dos aposentados será dia 14 de junho, no mesmo horário e local: às 10h30, na subsede sindical no HU.

PÚBLICO atento no auditório da subsede sindical no HU

UM delicioso lanche para ninguém botar defeito

ELIANE, PETRONILA, ALEXANDRE, NOEMI, falam aos aposentados

Reposicionamento dos aposentados De acordo com o advogado Alexandre Flecher, desde que entrou em vigor a Lei nº 11.091 instituindo a Carreira dos Técnicos Administrativos em Educação, os aposentados manifestam insatisfação pelo fato de terem sido enquadrados de forma diferente dos trabalhadores na ativa. Para eles somente valeu para o enquadramento o tempo de trabalho no serviço público. Por isso buscam o reenquadramento no mesmo padrão do plano de carreira antigo (PUCRCE). Mas, segundo o advogado, “não há notícia de que qualquer ação judicial ajuizada tenha tido sucesso”. Além disso, informou, “a Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) editou a Normativa nº 7 que, entre outras questões, de-

termina que o enquadramento dos aposentados seja feito na forma da lei, sob pena de serem revistos esses atos e determinado ressarcimento ao erário.” O que fazer A forma correta, e sem correr riscos futuros de reparar a injustiça cometida é alterar o plano de carreira. Esta é a posição da direção do SINTUFRJ com base em parecer do seu Departamento Jurídico. Buscar a aprovação do Conselho Universitário (Consuni) para promover o enquadramento nos moldes reivindicado pela maioria dos aposentados é um risco que a entidade prefere não impor aos sindicalizados. “Não iremos ao Consuni, porque caso a instância aprove e implemente o reposicionamento e haja o corte depois, se ajuizarmos uma ação judicial para exigir o

cumprimento do que foi determinado pelo Conselho, acreditamos que o resultado não nos será favorável e os ‘beneficiados’ arcarão com a responsabilidade de devolver o que foi pago”, alertou Alexandre Flecher. Debate Como é um tema polêmico, houve discussão, e o advogado teve que responder a muitas perguntas. A maioria é a favor de que a direção sindical encaminhe o reenquadramento para uma solução administrativa (Consuni), não considerando como real a possibilidade de devolução do dinheiro pago por esta via aos cofres públicos. Segundo o advogado, argumentos do tipo “irredutibilidade dos vencimentos” para justificar o reposicionamento dos aposentados junto às reitorias são frágeis. “Por-

que não houve redução de remuneração dos aposentados na nova carreira, portanto, não precisa de reposição”. Marylena Salazar, ex-coordenadora de Aposentados do SINTUFRJ, contou que antes de terminar o seu mandato sindical entrou com processo coletivo na PR-4 solicitando o reenquadramento. “Fiz isso por três razões: porque considero que é um atributo de decisão administrativo; muitas universidades já conseguiram; e essa história de devolver dinheiro é mais uma lenda do serviço público”. SINTUFRJ é a favor do reposicionamento Alexandre reafirmou aos aposentados que a diretoria do SINTUFRJ é favorável ao reposicionamento da categoria na nova

carreira e explicou como a entidade trabalha para alcançar esse objetivo: “O Sindicato e o Departamento Jurídico querem que a reivindicação seja atendida, e temos uma estratégia: se os tribunais são contrários na forma que estamos querendo (via administrativa), então vamos por outro caminho”. O advogado acrescentou ainda que é ponto de honra da Fasubra desde a implantação da nova carreira dos técnicos-administrativos em educação reparar a injustiça cometida. Noemi Andrade, coordenadora-geral do SINTUFRJ, afirmou que “todo mundo diz que não pode, mas é dever do Sindicato lutar para que o reenquadramento vire lei, porque é justo, legal e então vamos fazer virar verdade”.


CADERNO DE APOSENTADOS - No 955 - de 6 a 12 de junho de 2011 - www.sintufrj.org.br - sintufrj@sintufrj.org.br – 3

Um assunto puxa outro Poucos foram os aposentados que não aproveitaram a presença do advogado do SINTUFRJ para perguntar sobre processos, reclamar, criticar ou simplesmente desabafar pelo tempo de espera para pôr no bolso um dinheiro que é seu de direito de ações já ganhas e ainda não pagas. “Quando é que a PR-4 vai pagar os atrasados dos 28,86%? Eles (PR4) têm a chave do cofre e é justo que paguem aos que confiaram no SINTUFRJ e não fizeram acordo com o governo FHC”, quis saber a ex-chefe de Pessoal da Faculdade Nacional de Direito, Nathércia de Andrade Dutra, 87 anos. Apesar de chateada e preferir saber o dia de receber o dinheiro acumulado ao invés de ser informada pelo site do SINTUFRJ sobre o total

da dívida do processo, a aposentada elogiou a entidade e o Departamento Jurídico: “Fiquei contente em constatar que o Sindicato está se movimentando e parabenizo e reconheço o trabalho dos advogados”. “Sou aposentada há quase 30 anos e cheguei à conclusão que é difícil interpretar nossos direitos, porque os advogados costumam apresentar verdadeiros tratados em lugar de uma resposta objetiva”, queixou-se Noêmia Guimarães Pereira, 89 anos. “Sugiro que nossas dificuldades sejam encaminhadas individualmente para uma resposta mais objetiva”, reivindicou a técnica-administrativa à Coordenação dos Aposentados. As coordenadoras explicaram que isso já ocorre, mas que iriam provi-

denciar que o Departamento Jurídico se organizasse para disponibilizar um advogado para atender os aposentados e pensionistas no dia e horário da reunião, na subsede no HU. E também prometeram convidar para a próxima a reunião o futuro pró-reitor de

APOSENTADOS acompanham atentos explicações de coordenadores e advogados

Pessoal e atual superintendente da PR-4, Roberto Gambine. Herdeiros Dona Noêmia levantou uma dúvida que era comum à maioria dos aposentados na reunião. Ela

quis saber se seus herdeiros terão direito de receber pelos processos, em caso de sua morte. “Os herdeiros recebem pelos processos independentemente de abertura de inventário”, garantiu Alexandre Flecher.

Fotos: Nando Neves

Elas são especialíssimas

Noêmia Guimarães Pereira, 89 anos, e Nathércia de Andrade Dutra, 87 anos, foram homenageadas e receberam flores da Coordenação de Aposentados. Elas foram escolhidas para simbolizar todas as mães aposentadas da categoria. Sorteio de arranjos florais e outros mimos As premiadas foram as aposentadas Lenir Cristaldi Devote e Edith Freiha.

O que ocorreu na implantação da carreira A Lei nº 11.091/2005 reestruturou o Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino, antes disciplinado na Lei nº 7.596/87 e no Decreto nº 94.667/87, instituidores do Plano Único de Classificação e Retribuição de Cargos e Empregos (PUCRCE). Ao serem enquadrados na nova tabela, os trabalhadores da ativa que estavam no final da tabela anterior vieram para níveis inferiores da carreira, pois foi feita conta considerando apenas o tempo de serviço público e a capacitação e qualificação até aquele momento. Com artifícios como o vencimento básico Complementar (VBC), por exem-

plo, foi assegurada a irredutibili- dos apresentados pelos aposenta- enquadrados pelo PCCTAE não gência do PUCRCE. Foram redade da remuneração. Mas apesar dos, embora legítimos, não servi- tiveram equiparação dos níveis e posicionados em nível inferior padrões de vencimentos ocupa- ao que já haviam chegado disso, eles, por estarem na ativa, ram de nada. Aposentados e pensionistas dos anteriormente, durante a vi- quanto na ativa. tinham e têm a possibilidade de continuar subindo e melhorando sua situação salarial. ORIENTAÇÃO N ORMATIVA Nº 7, Por sua vez, ao serem enquaDE 15 DE JULHO Estabelece orientaç ão às Instituições DE 2010 çã o, Federais de Ensin quanto aos proced drados na nova tabela, os aposeno, vi im nculadas ao M en tos relativ Plano de Carreira tados que já tinham cumprido dos Cargos Técnic os ao enquadramento de aposenta inistério da Educao-Administrativos nº 11.091, de 12 de em Educação – PC dos e pensionistas no toda a tabela antiga também fojaneiro de 2005. CTAE, de que trata (...) a Lei ram rebaixados na nova, mas sem § 2º Quando do en qu condição de subir, porque não esad ra mento a que se re relativa à classe e fere o ca pa tavam mais na ativa. Além disso, de 2005 (tabela PU drão em que se encontrava o aposen put, é vedado correlacionar a posiç tado na data da ed ão CRCE), com os no na nova proposta de tabela havia iç (tabela PCCTAE), devendo o seu po vos padrões de vencimento de cada ão da Lei nº 11.091, sic acordo com o te toda uma promoção por qualifimpo de efetivo ex ionamento ocorrer no padrão de ve nível de classificação nc ercício no servico ap os en tadoria, em confor cação, mas muitos aposentados público federal, co imento calculado de midade com as Ta 20 ntado 05 . belas constantes do não tiveram acesso por conta de s Anexos V e VII da até a data da Ar Lei nº 11.091, de t. 4º O enquadra que a nova lei trazia uma série de nível de capacitaçã mento do aposentado não enseja dese o regras sobre certificados e cargaou Progressão por e de padrão de vencimento, mediant nvolvimento na carreira, mudanca Mérito Profissiona horária que antes não havia. Asl, de acordo com o e Progressão por Capacitação Profiss de (...) Duvanier Paiv inciso I do art. 23 ional a Fe rr eira sim, muitos dos cursos e certificada Lei nº 11.091, de 2005.


Viver com saúde O Sindicato investe mais no Espaço Saúde de olho no bem-estar dos aposentados

D

epois da academia de ginástica, o SINTUFRJ prepara outra boa surpresa para a categoria voltada para a melhoria da qualidade de vida. As coordenadoras sindicais Eliane Nascimento, Petronila Diniz e Noemi Andrade anunciaram para breve a inauguração de mais uma sala do Espaço Saúde. A nova sala será equipada para tratamento corporal, como drenagem linfática, massagens de vários tipos – desde relaxante a emagrecedora –, terapias, RPG. Fisioterapeutas farão o atendimento, inclusive orientarão os aposentados para que consigam um bem-estar completo.

Oficina de leitura Faz parte também dos planos do SINTUFRJ ampliar os programas socioculturais, inaugurando a Oficina de Leitura. A ideia está sendo trabalhada para ser posta em prática junto com as novas modalidades de atendimento à categoria no Espaço Saúde.

Lucidez e vigor “A aposentadoria deve ser entendida como o início de uma nova vida. O corpo não pode parar, mas não podemos esquecer que a mente é tudo. Por isso é preciso trabalhar mente e corpo ao mesmo tempo”, ensinou a fisioterapeuta Maria de Lurdes do Carmo Pereira. Exercícios físicos para fortalecer os músculos e ganhar flexibilidade, como ginástica, ioga, dança, musculação, hidroginástica, correr, caminhar, por exemplo, e ler um bom livro são essenciais na terceira idade, recomendou a fisioterapeuta. O melhor tratamento para o cérebro é mantê-lo sempre ocupado. Ler um bom livro, por exemplo, segundo Lurdes, é um bom remédio. “Além do prazer que proporciona, a leitura ainda diminui o risco do mal de Alzheimer, uma doença degenerativa que provoca perda de memória”. “Ficar em casa sentado e esperando o dia de ir ao banco receber a aposentadoria pode levar à depressão e à morte”, alerta a fisioterapeuta.

Corpo bem cuidado As fisioterapeutas Lurdes e Fabiana Alexandre Cardoso explicaram aos aposentados os benefícios das massagens corporais e das tera-

pias: “A massagem relaxante, por exemplo, trabalha o equilíbrio energético e o relaxamento muscular, e é ótima para tratar doenças como o estresse. Já a massagem turbinada melhora esteticamente o corpo, e a drenagem linfática retira as toxinas do organismo”. O tratamento de RPG, que também será ministrado no Espaço Saúde do SINTUFRJ, consiste na reeducação postural global. “Traz de volta o corpo de antes, porque trata a desarmonia do corpo”, disse Lurdes. Lesão por esforço repetitivo (ler), que consiste em grande queixa de incapacidade funcional, será visto pelos terapeutas do Sindicato. Há vários anos, diversas tipos de terapias estão à disposição das pessoas de todas as idades, disseram as fisioterapeutas, citando as técnicas que utilizam bambu e o toque, por exemplo, e há ainda a auricular e a reflexologia. O importante é que todas elas atuam diretamente no bem-estar físico dos indivíduos e até auxiliam na cura de doenças aliadas a tratamentos médicos.

Dicas Orientações e dicas estão no roteiro das fisioterapeutas para os aposentados. Na dinâmica que

prepararam para a reunião, Lurdes mostrou como é importante aprender como abaixar corretamente para apanhar qualquer coisa do chão e para evitar uma hérnia de disco. Também ensinou como sentar para melhorar a postura corporal e como deitar sem desencadear dor na cervical e nas costas. “Travesseiro tem que ser baixinho. É errado deitar de barriga para baixo, porque favorece uma cervicalgia ou lombalgia, e também faz muito bem formar grupos de dança, reunir amigos para passeios, organizar um clube de leitura. Enfim, é preciso redescobrir os valores da vida e torná-la o melhor possível”, aconselhou Lurdes, que é técnica-administrativa do IPPMG.

Autoestima “Nós, Coordenação dos Aposentados, e toda a diretoria do SINTUFRJ só queremos ver esse segmento da categoria feliz e caminhando em busca dos objetivos, como fizeram hoje aqui”, afirmou Eliane Nascimento. Petronila Diniz acrescentou: “Algo só é impossível até que alguém prove o contrário”. A coordenadora de Organização e Política Sindical, Gerly Miceli, complementou as informações sobre a ampliação do Espaço Saúde: “A sala para a fisioterapia ainda está sendo construída e funcionará de acordo com as necessidades e demandas apresentadas pelos trabalhadores”.


CARREIRA TERCEIRA IDADE

Novo começo com união e bem-estar Neste mundo globalizado, onde se tenta impor uma ordem voltada para o mercado e não para o ser humano, a procura por transformá-lo deve ser incessante. Se o futuro para os jovens torna-se incerto, o que dirá para aqueles que já viveram a maior parte de suas vidas? Como lidar com essa etapa da vida? Esse é o trabalho que o SINTUFRJ quer desenvolver com os aposentados e pensionistas da categoria. Seguir o fluxo normal da vida de maneira natural e tranquila, criar nossos filhos e netos com dignidade, sem a pressão da luta cotidiana pela sobrevi-

vência são direitos a serem conquistados e de forma coletiva. Como ninguém é Dom Quixote (personagem de Miguel de Cervantes que luta contra moinhos de vento), o trabalhador sabe que a força que move a classe é sua união. São nos encontros, nas trocas de experiências e nas batalhas contra as arbitrariedades do governo que cada um cresce, amadurece e ganha fôlego para caminhar . A Coordenação de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ pretende realizar um trabalho este ano que reafirme o compromisso de valorização da categoria. Mas para isso precisamos caminhar juntos.

MOBILIZAÇÃO em junho de 2002: aposentados presentes

Dica de saúde A água ajuda na perda de peso e, se ingerida diariamente, como tem que ser, impede o estoque de gordura no corpo (em forma de pneuzinho) e combate a retenção de água, que provoca inchaço abdominal e aumento dos ponteiros na balança. Cuidar para não engordar não só uma questão de vaidade, mas de bem-estar. Durante o plano de ema-

grecimento, a água ganha cada vez mais destaque. Isso porque ela oferece outras vantagens quando o assunto é a perda de peso: restabelece o equilíbrio de água do organismo, mantém o estômago razoavelmente preenchido e favorece as reações químicas do corpo, como digestão, absorção de nutrientes e excreção. Além disso, a água ajuda o organismo a eliminar as toxinas.

Beba à vontade É preciso ficar atento à quantidade ingerida. Em geral, os profissionais da área de nutrição recomendam beber de 2 a 2,5 litros de água por dia, podendo

Anote na agenda

variar de acordo com a umidade e a temperatura do ambiente, a atividade física praticada e os alimentos ricos em água consumidos ao longo das refeições.

Cuidados com a próstata A próstata é o maior causador de câncer entre os homens. A consulta com o urologista tornou-se uma rotina nos dias de hoje. O câncer de próstata é o tumor maligno mais detectado no sexo masculino e atinge grande parcela da população após os 50 anos. A utilização dos novos meios de diagnóstico e tratamento do câncer de próstata permite a detecção precoce e a cura desta doença. O exame de toque faz parte do exame físico e não dói. É necessário, porque na fase em que a do-

ença pode ser curada não ocorrem manifestações clínicas. Porém, ausência de sintomas não representa ausência da doença. O tumor inicial é muito pequeno para provocar desconforto nos indivíduos. Se esperarmos o crescimento do tumor a ponto de produzir sintomas, perderemos a oportunidade de curar o câncer de próstata. Por isso é necessário procurar pelos primeiros sinais que o câncer de próstata produz, antes que ele se manifeste. Fonte: Sociedade Brasileira de Urologia. Site Cada Dia Net.

A Coordenação de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ apresenta o seu trabalho para 2011, pretendendo reafirmar o compromisso de valorização desta categoria. Por isso pensamos em vocês, para juntos caminharmos na construção de um olhar na pessoa idosa, visando valorizar a identidade e o seu lugar social representativo na sociedade atual. Contamos sua participação e integração com nossa proposta, que também passa pela consolidação de um Sindicato cada vez mais forte e atuante. Sendo assim, venha participar da primeira reunião, que será realizada dia 5 de abril, às 10h, na subsede do HU, com muitas novidades.

Nossas oficinas Patchwork – Às segundas feiras, das 9h às 12h, na subsede do HU, com a professora Débora. Pintura em tecido – Às quintas-feiras, das 8h às 16h, na subsede do HU, com a professora Fátima.

Aposentadoria especial em debate no Museu Por solicitação dos trabalhadores, o técnico-administrativo da unidade responsável pelo Setor de Recursos Humanos, Wander Siqueira, tomou a iniciativa de organizar uma reunião com a participação do SINTUFRJ, de técnicos do INSS e da Pró-Reitoria de Pessoal para esclarecer dúvidas sobre a aposentadoria especial e o adicional de insalubridade. O auditório lotou, com técnicos-administrativos e professores em busca de informações . A coordenadora-geral do SINTUFRJ Noemi Andrade, a advogada da entidade Mara Vasquez e o técnico do INSS, Walter Camacho, cumpriram a tarefa. Dúvidas As principais dúvidas levantadas na reunião foram relacionadas à contagem de tempo em insalubridade e/ou periculosidade, para a aposentadoria especial, e a aplicação do mandado de injunção. Mara explicou que, por falta de regulamentação, o mandado de injunção obti-

Fotos: Cícero Rabello

do pela Fasubra garante a contagem diferenciada e a concessão de aposentadoria especial de acordo com as regras gerais da Previdência Social: 25 anos de trabalho em atividade perigosa ou insalubre, ininterruptos, porém sem a integralidade. “O servidor deve ficar atento a este último detalhe”, alerta a advogada. Mara lembrou que o servidor que se aposenta por invalidez não tem integralidade e paridade totais. Já a aposentadoria proporcional é com base no tempo de contribuição e o cálculo é feito sobre a média das últimas 80 maiores contribuições. A boa notícia foi dada por Noemi. A dirigente informou que a Pró-Reitoria de Pessoal encontrou mais de 7 mil laudos de insalubridade que estavam perdidos. Somados aos mais de 2 mil recuperados pelo SINTUFRJ, habilita muitos trabalhadores que reivindicam o benefício a dar prosseguimento ao processo. “Sempre lutamos pela aposentadoria especial nos moldes pelo menos da CLT. Hoje a

AUDITÓRIO cheio na reunião promovida pelos companheiros do Museu

matemática faz com que perdemos 27% do nosso salário”, avisa Noemi. As perdas ocorrem porque o cálculo é feito por uma média, além da não concessão da paridade e integralidade. Walter, técnico do INSS, esclareceu que a certidão do órgão que computa o Regime Geral

da Previdência, que é o período de trabalho na iniciativa privada, não converte para contagem de tempo especial. “A certidão é obrigatória para o servidor que trabalhou antes na iniciativa privada para averbação no órgão do serviço público (neste caso, a UFRJ),” complementou.


CADERNO DE APOSENTADOS 23/3/2010 Aposentadoria especial: Fasubra ganha mandado de injunção A Fasubra ingressou em 2009 com ação do mandado de injunção para contagem de tempo para aposentadoria especial. O mandado é um dispositivo jurídico para o Supremo declarar que há omissão legislativa do Governo. No dia 18 de fevereiro sentença do ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, confirmou a vitória para o conjunto da categoria: ativos, aposentados e pensionistas. O Mandado de Injunção (MI) 1533 garante a contagem especial de tempo de serviço para fins de aposentadoria. Com o MI, todo servidor da base da Fasubra que trabalhou em atividade insalubre, perigosa ou penosa terá direito a contagem especial: 20% para as mulheres e 40% para os homens, como adicional para o tempo de contribuição. Os que trabalharam 25 anos sob essas condições que comprometem a saúde terão direito a se aposentar com integralidade dos salários. A íntegra da sentença pode ser conferida no site da Fasubra (www.fasubra.org.br), no Informe nacional MAR 03. A Federação chamará reunião do coletivo jurídico nacional para estudar a sentença do ministro e elaborar orientações para as entidades de base sobre os procedimentos que devem ser adotados para garantir o direito. “Na nossa opinião é a maior vitória da Fasubra depois da conquista da Carreira. Esperamos há anos por uma legislação. O que o supremo está fazendo nada mais é do que reconhecer o que a iniciativa privada já tem. Agora há tratamento mais isonômico. Depois da decisão do STF, o Estado brasileiro vai ter que fazer uma legislação”, avaliou a coordenadora da Fasubra Léia de Oliveira. “Era uma injustiça tratar os segmentos de forma diferenciada. Que com essa decisão começa a ser corrigida. Mas os interessados devem esperar mais um pouquinho”, alerta a coordenadora, orientando que se aguarde a reunião em breve do coletivo jurídico com representante de cada entidade de base para uma orientação única dos procedimentos que serão divulgados de forma bem didática. 1/12/2009 Aposentados liderarão ato e campanha por ações judiciais Dia 8 de dezembro, às 10h, na subsede no HU, reunião de organização das atividades No dia 9 de dezembro, uma quarta-feira, os técnicos-administrativos aposentados da UFRJ vão liderar ato em frente à 30ª Vara Federal, no Centro do Rio de Janeiro, pela agilização do processo dos 3,17%. Nesse mesmo dia, o SINTUFRJ lança a campanha pelo pagamento de todas as ações judiciais que aguardam há anos uma decisão favorável da Justiça, mostrando ao Judiciário que os funcionários estão morrendo sem que seus direitos sejam pagos. A organização da campanha e da participação dos aposentados no ato na 30ª Vara Federal serão os assuntos da reunião de aposentados na terçafeira, dia 8 de dezembro, às 10h, na subsede sindical no HU. A proposta do SINTUFRJ é que sejam produzidos materiais específicos para a campanha, como camisetas, faixas, panfletos e cartazes. O objetivo da ação é chamar a atenção dos juízes, desembargadores, procuradores de que as pessoas da terceira idade têm pressa em receber o dinheiro das ações judiciais.


Pressão total As duas propostas – da manifestação e da campanha – foram levadas pelo coordenador-geral do Sindicato, Francisco de Assis, à reunião dos aposentados na quarta-feira, 25 de novembro, segundo dia de paralisação dos técnicos-administrativos em defesa da carreira; mudança na lei para reenquadramento dos aposentados na nova carreira; e pelo atendimento da pauta de reivindicações interna entregue ao reitor Aloísio Teixeira pela diretoria executiva da entidade. As propostas foram aprovadas por unanimidade pelos presentes. Francisco de Assis explicou aos aposentados que a proposta de realização do ato em frente à 30ª Vara Federal tem por finalidade pressionar a juíza que assumiu a ação dos 3,17% em substituição ao magistrado anterior, a não travar o andamento do processo, conforme ela deixou transparecer que faria à assessoria jurídica do SINTUFRJ. "Essa ação já está no final; o SINTUFRJ cumpriu toda a parte a técnica, inclusive pagou pela realização dos cálculos judiciais. Portanto, são absurdas as exigências que a atual juíza passou a fazer. E como nesta ação tem um grupo grande de aposentados, estamos propondo produzir fatos de impacto", disse Francisco. O que Francisco propôs e que foi aceito pelos aposentados, relacionado à campanha, é diariamente um grupo de até 20 aposentados, com camisetas e faixas, dar plantão em frente á 30ª Vara Federal. "O espaço é pequeno, por isso não é possível se levar muita gente. Mas acho que esta é uma forma lúdica e que cria impacto", afirmou o dirigente, lembrando que existe lei amparando o direito da terceira idade a receber antes de qualquer outra pessoa o que lhes é devido judicialmente. Poesia e denuncia A reunião dos aposentados na quarta-feira, dia 25, não tratou somente de luta por garantia de direitos. A poesia estava no ar. Fernando Pessoa foi recitado pela coordenadora Petronila Diniz e a aposentada e poetisa Zezé Barcelos brindou os presentes com três poemas de sua autoria, e foi homenageada com versos pela coordenadora e também escritora Marylena Salazar. Zezé Barcelos que é ex-coordenadora de Aposentados do SINTUFRJ descobriu a literatura quando se aposentou. Ela foi na reunião dar seu testemunho de que há muito a se fazer após a aposentadoria, inclusive estudar e adotar uma nova atividade profissional, porém mais prazerosa. Zezé já foi premiada várias vezes e agora se prepara para lançar um livro de contos infantis e mais um de poemas. "Não estou aqui para me exibir, mas como incentivo a que todos escrevam sobre suas experiências de vida e adocem a vida com poesia", incentivou Zezé. A psicóloga Alzira Monteiro participou da reunião para agradecer a moção de apoio dos aposentados ao desrespeito ao seu trabalho profissional na UFRJ. Em fevereiro ela foi afastada da DVST, onde coordenava um grupo de psicodrama, e posta em disponibilidade. "Estou há 32 anos no serviço público e estou sendo achincalhada por uma gestão, porque sou impedida de exercer minha função no meu posto de trabalho", denunciou. 5/10/2009 Encontro Estadual dos Aposentados das Ifes Dias 14 e 15 de outubro, na Unirio (salão Vera Janacopoulos). Inscrição até o dia 8 de outubro Este encontro vai discutir questões importantes para a vida dos servidores aposentados das Ifes. Como neste momento se fala muito em reposicionamento na carreira, os servidores devem procurar estar bem informados para não correr riscos de perder direitos conquistados em anos de trabalho na instituição. O evento também será preparatório para o Encontro Nacional de Aposentados que a Fasubra realizará de 4 a 6 de novembro. Portanto, a participação do maior número possível de trabalhadores aposentados é fundamental para a organização de movimentos futuros por manutenção e ampliação das atuais conquistas. No Rio de Janeiro, o encontro reunirá os companheiros da UFRJ, UFF, Rural e Unirio. As inscrições devem ser feitas até o dia 8 de outubro pelo telefone (21) 3866-6939 (secretaria da subsede sindical no HU). Mais informações com Marylena Salazar (21) 7827-4318 e Arnaldo Bandeira (21) 7827-2835. Atuação do SINTUFRJ - A Coordenação de Aposentados do Sindicato tem sido autora de várias ações de interesse da categoria. Uma delas é pela aprovação da PEC 270/2008, que modifica a PEC 441e garante ao servidor público aposentadoria integral em caso de invalidez. Correspondências foram enviadas a parlamentares no Congresso Nacional e feitos contatos pessoalmente. A coordenadora Marylena Salazar aproveitou suas idas a Brasília em atividades na Fasubra para visitar gabinetes de deputados e senadores na busca de apoio para a aprovação da PEC. O esforço da sindicalista tem rendido frutos: o SINTUFRJ tem recebido correspondências dos parlamentares confirmando que apoiarão a reivindicação. Planejar para ter qualidade de vida A terapeuta holística Ivanilce Marques de Souza, que trabalha com medicina alternativa, fechou a reunião dos aposentados nesse dia. Ela utilizou teorias da Lei de Atração para dar dicas que potencializam as pessoas a concretizar suas metas. Numa folha em branco de papel, os presentes desenharam um círculo e o dividiu como se fosse uma pizza. Cada pedaço representava um setor da vida. A partir desse exercício, a terapeuta ensinou como planejar os momentos e não apenas esperar que Deus resolva todos os problemas. "Planejar com emoção o nosso cotidiano é o mesmo que pensar: estou plantando uma sementinha na terra e cuidar dela é necessário para que floresça. Ao acordarmos, temos que pensar em coisas boas. A vida melhora desde que se planeja com emoção", aconselhou. Outra dica de Ivanilce foi encher uma caixa com coisas que nos fazem bem, como fotos de lugares e pessoas, uma lembrança agradável. "Essa seria a nossa ‘caixa do bom-dia’ para ser consultada e os objetos manipulados todas as manhãs." Criar o "diário de vitórias" foi outra sugestão. Consiste em se resumir em uma única frase anotada num papel o que nos ocorreu naquele dia, durante 21 dias. À noite, a pessoa deve rever a caixa do bom-dia e o diário de vitórias, para que a sensação de plenitude permaneça durante o sono. "A gente nasceu para ser luz, o reflexo de Deus. A gente tem que conduzir a própria vida; deixar de ser passivo para ser agente da situação. Planejar dá trabalho, mas é fundamental para se alcançar metas", disse Ivanilce, encerrando sua exposição com uma dica prática: "Se queremos melhorar financeiramente, devemos guardar 10% do que se ganha, haja o que houver. Fazer um ninho de dinheiro, porque dinheiro atrai dinheiro. Comprar a vista tudo o que for possível, por exemplo. O planejamento se traduz em felicidade para a nossa vida." Veja a programação do Encontro Estadual


Dia 14/10 Às 8h: Credenciamento e mesa de abertura. Às 9h: Abertura. Às 9h30: Palestra "Os aposentados e a conjuntura política no país", com o ex-deputado e ex-diretor da Fasubra, Babá. Às 14h30: Palestra "Projeto Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati-Uerj)", com a professora Sandra Rabello. Dia 15/10 Às 9h: Palestra "Carreira e aposentadoria", com Vânia Gonçalves, da Comissão Nacional de Supervisão (CNS), e Vera Miranda, ex-diretora da Fasubra. Às 14h30: Palestra "As leis da aposentadoria e aposentadoria especial", com o juiz Fábio Souza e Silva. Às 16h: Encerramento. Depoimento A aposentada Noemia Guimarães, 87 anos, gostou do que ouviu sobre o futuro da UFRJ e, menos cética que a maioria, disse que a utopia sempre embalou as lutas dos trabalhadores da universidade por mudanças. Ela citou como exemplo a Creche da UFRJ, um sonho de 26 anos atrás e que se tornou realidade hoje. “Temos que trabalhar pelo amanhã e não pensando apenas no momento atual.”

11/11/2008 Organização dos aposentados avança Em mais uma matéria especial, a Coordenação de Aposentados apresenta suas prioridades, propostas e atividades desenvolvidas nos últimos meses. Esse breve balanço mostra que tem avançado a organização do segmento. A Coordenação é formada pelos companheiros Arnaldo Bandeira, Marylena Salazar e Petronila Diniz e busca a participação cada vez maior dos companheiros aposentados no SINTUFRJ. “Nós somos 4.600 sindicalizados entre os 15 mil da base do SINTUFRJ. Quase a terça parte. Mas os aposentados da UFRJ são seis mil e há também mais 1.300 pensionistas. Ou seja, há 2.700 pessoas que ainda podem se aproximar do Sindicato para fortalecer nossa entidade e contar com esse importante instrumento de luta”, explicou Marylena. Segundo ela, à medida que a Coordenação e o GT-Aposentados buscam dar valor ao aposentado e ao pensionista e estes são tratados com educação e consideração, mais se aproximam do Sindicato. Coordenação atuante Consolidar o GT-Aposentados, buscar assento para o segmento no Conselho Universitário da UFRJ, buscar a possibilidade de votação simbólica dos aposentados para reitor, propor doações para Casa-Retiro do Aposentado da UFRJ e acompanhar a tramitação das emendas constitucionais que afetam os aposentados: todas essas propostas estão entre as ações prioritárias relacionadas pela Coordenação. Avanço O GT-Aposentados elegeu Djalma de Souza Cabral para o encontro nacional do grupo de trabalho da Fasubra, dias 11 e 12 de outubro. “A reunião enfocou bastante a questão de que aposentados e aposentandos estão no mesmo barco”, comentou Djalma, avaliando que o encontro foi muito proveitoso e rico, porque não se limitou apenas à questão da Previdência, mas também à do plano de saúde e à dos exames periódicos. O eixo da discussão foi a criação de uma cartilha para circular em nível nacional, e o pontapé inicial foi essa reunião em outubro, em Brasília. “A experiência que eu tiro é a importância da discussão. A criação do GT foi um grande avanço no movimento dos trabalhadores das universidades brasileiras, até porque é uma parcela dos funcionários constantemente ameaçados pelo governo”, concluiu o integrante do GT-Aposentados. O grupo marcou a data para a próxima reunião, 26 de novembro, às 10h, na subsede no HU, que deverá ser um bonito encontro de encerramento das atividades do ano. Assento no Consuni O processo de assento no Conselho Universitário (Consuni) para os aposentados, idealizado pelo companheiro Manoel Dantas, prossegue em sua tramitação. O processo tem aproximadamente 200 assinaturas recolhidas em assembléias de base com aposentados. Segundo informou o superintendente da Pró-Reitoria de Pessoal, Roberto Gambine, em reunião no dia 22 de outubro, o processo aguarda inclusão na pauta do Consuni. Voto para reitor Segundo a Coordenação, o voto para reitor para o segmento dos aposentados já foi conquistado em outras universidades, como a Federal de São Carlos, por exemplo. “Trata-se de um voto simbólico e, entretanto, uma maneira de conseguirmos dar cidadania àqueles que contribuíram por longos anos – com seus esforços e trabalho – para a atual qualidade da Universidade, explicou Marylena. Com a possibilidade do voto, a grande massa de aposentados poderá, mesmo que simbolicamente, manifestar sua posição no processo eleitoral. E na avaliação da coordenadora, será uma demonstração de respeito e consideração que pode favorecer a aproximação do segmento à Universidade e ao Sindicato. Retiro do Aposentado A Casa-Retiro do Aposentado (e pensionista da UFRJ) poderá ser também um símbolo de que a Universidade acolhe aqueles que no fim da carreira (à qual se dedicaram por tantos anos) têm necessidade de amparo. Esta proposta – que seria concretizada com doações e funcionaria sob o regime de autogestão – surgiu no seminário de nivelamento da Fasubra para os aposentados, dias 26 e 27 de julho, em Brasília. A tarefa da instituição de abrigar seus pares também está prevista no Estatuto do Idoso e do Aposentado, portanto a pertinência da proposta de criação da Casa-Retiro do Aposentado (e pensionista) da UFRJ. A Coordenação relaciona, entre os fundamentos da proposta, sua alta finalidade social, tendo em vista o Estatuto do Idoso e o reconhecimento, com


igualdade para todos, do valor do trabalho de uma classe: “Será um avanço nas atribuições da Universidade e também exemplo aos jovens alunos, promovendo respeito e reflexão”, disse Marylena. Atuação no Parlamento Na oportunidade do último encontro nacional em outubro, em Brasília, o grupo atuou junto a deputados e comissões da Câmara, entregando em mãos ofícios sobre as propostas de emendas constitucionais. Entre elas, a PEC 555, de 2006, e 152, de 2007, que revoga o artigo 4o da Emenda Constitucional 41 de 2003. A PEC 270 (de janeiro de 2008) acrescenta o parágrafo 9o ao artigo 40 da Constituição Federal de 1988, garante ao servidor que se aposentar por invalidez permanente o direito a proventos integrais com paridade. APEC deu entrada no Congresso Nacional em julho de 2008 e a Comissão de Constituição e Justiça determinou que ela tenha tramitação especial. Oficinas em funcionamento A Coordenação relaciona as oficinas em funcionamento, cujas inscrições serão objetos a partir do dia 26 de novembro, para turmas na Praia Vermelha em 2009: Patchwork, com Débora (média de 24 alunos), Pintura em Tecido, com Fátima (cerca de 15 alunos) e Ikebana, com Petrolina, ainda a ser montada, também com previsão de turma para a Praia Vermelha. “O número de alunos é flutuante porque as pessoas têm condições de vida variáveis. Entretanto, são alunos dedicados e tudo sai bem feito”, explicou a coordenadora. Anote na agenda e participe da próxima reunião de aposentados No dia 26 de novembro, quarta-feira, às 10h, na subsede no HU, comemoraremos o encerramento do ano de trabalho, com uma programação animada. Depois dos informes, haverá um café da manhã, apresentação do filme Linha de montagem e apresentação das oficinas e do coral. 15/10/2008 Saiba o que tem feito a Coordenação A Coordenação de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ está atuando a todo o vapor. Um exemplo do dinamismo e organização dos atuais dirigentes da área foi a instalação do GT-Aposentados já na primeira reunião realizada pela Coordenação nesta gestão sindical, dia 17 de setembro, às 10h, na subsede do Sindicato, no HU. Nesta reunião os coordenadores relataram aos presentes as discussões e os encaminhamentos aprovados na Oficina de Nivelamento da Fasubra, dias 26 e 27 de julho, em Brasília. Dirigentes e aposentados de todo o país da base da Federação participaram do evento. Ao final da Oficina de Nivelamento, coube aos coordenadores do SINTUFRJ entregar à Fasubra a Carta de Intenções dos aposentados sobre nivelamento e outros pontos debatidos na reunião. O conteúdo na íntegra do documento foi socializado para toda a categoria pela Internet.

Mudanças na Coordenação Por motivos profissionais, um dos coordenadores de Aposentados e Pensionistas, o companheiro Paulo Roberto Ferreira, renunciou ao cargo de dirigente. Ele foi substituído pela companheira aposentada que era suplente, Petronila Diniz. Seja bem-vinda. Compõem ainda a Coordenação os companheiros Marylena Barreiros Salazar e Arnaldo Gonçalves Bandeira.


Plano de Trabalho A Coordenação de Aposentados e Pensionistas também já tem seu plano de trabalho até 2010 – quando termina os dois anos desta gestão sindical. As propostas elaboradas pelos coordenadores da área foram aprovadas pelo conjunto da direção do Sindicato na reunião geral do dia 12 de agosto. O plano de trabalho foi exposto pelos coordenadores de aposentados e pensionistas na reunião do dia 17 de setembro. Constam do plano as seguintes metas, sendo que algumas já estão em execução: 1 – Continuidade das oficinas em funcionamento. 2 – Inclusão digital. 3 – Plantões na sede e subsedes. 4 – Empréstimo de livros. 5 – Curso de alfabetização (durante os plantões). 6 – Assento no Conselho Universitário. 7 – Voto no reitor. 8 – Criação da Casa do Aposentado. 9 – Instituição do GT-Representação Fasubra, entre outras propostas. Calendário de reuniões O encontro mensal da Coordenação de Aposentados e Pensionistas e do GT-Aposentados ocorre sempre na penúltima quarta-feira do mês. Excepcionalmente, em virtude da reunião das Coordenações de Políticas Sociais e de Aposentados (GTs-Saúde e Seguridade e de Aposentados) da Fasubra, dias 11, 12 e 13, em Brasília, este mês o encontro será dia 8 de outubro, às 10h, na subsede sindical do HU. Toda a categoria está convidada, principalmente aposentados e pensionistas. Esta reunião terá como tarefa prioritária a elaboração de uma carta contendo sugestões e reivindicações a serem levadas à reunião das Coordenações de Políticas Sociais e de Aposentados da Fasubra (10, 11 e 12 de outubro) e entregue a um dos coordenadores da área da Federação. Constará da carta, por exemplo, itens como: 1 – Não desvinculação dos aposentados da folha de pagamento dos ativos. 2 – Constar em todos os contracheques o dinheiro da Saúde Complementar (plano de saúde do governo). 3 – Reexame, caso a caso, da alocação dos aposentados na nova tabela. 4 – Efetiva implementação do enquadramento nos contracheques dos aposentados e pensionistas. 16/6/2007 Encontro estimula aposentados à luta Questões como isonomia fizeram parte da pauta das discussões no encontro que teve participação de especialistas

ENCONTRO. Uma das mesas do I Encontro de Aposentados realizado na semana passada O I Encontro de Aposentados e Pensionistas do SINTUFRJ, realizado de 12 a 14 de junho na subsede sindical do HU, no Fundão, discutiu temas de interesse específico dos dois segmentos, propiciou troca de experiências e serviu principalmente como chamamento à participação deles para as lutas da categoria. O evento foi encerrado com um baile animado pelo grupo Tá Ligado. “Temos que nos envolver com as atividades do nosso Sindicato, pois só assim continuaremos na ativa”, disse a coordenadora de Aposentados da entidade, Neucy Oliveira da Silva, ao instalar com o outro coordenador da área, Afonso Rodrigues, o encontro. Os coordenadores-gerais do SINTUFRJ, Ana Maria Ribeiro, Francisco de Assis e Marcílio Lourenço, e os históricos militantes Manoel Dantas (também diretor) e Paulo Melo participaram da mesa de abertura.


Saudações dos dirigentes “O objetivo deste Encontro é trazer o aposentado para a vida ativa do Sindicato. Estamos sentindo a ausência desses companheiros nas atividades de mobilização da nossa greve”, disse Francisco de Assis. “Somos a única categoria do serviço público que tem paridade e integralidade, por isso a importância da unidade na luta dos dois segmentos: ativos e aposentados”, afirmou Ana Maria Ribeiro. Marcílio Lourenço destacou a importância da convivência entre os ativos e os aposentados, e da participação deles nas assembléias da categoria. “Nós conseguimos manter até agora a isonomia, mas não sabemos o que poderá ocorrer no futuro”, alertou. Paridade em risco A estrela do primeiro dia do Encontro foi o coordenador de aposentados da Fasubra, Luiz Francisco Martins Alves, que falou sobre o tema “O aposentado na atual conjuntura política”. O dirigente chamou a atenção para o perigo que ronda à categoria quanto a manutenção da integralidade e paridade entre ativos e aposentados. “Existe um plano de cargo do Executivo com piso na média de R$ 1.800 e com duas tabelas, uma para os trabalhadores na ativa e outra para aposentados e pensionistas, e está em análise pelo Comando Nacional de Greve da Fasubra”, alertou, completando: “O governo quando apresenta um projeto deste, sabendo que hoje o piso da categoria é de R$ 701, sinaliza para a quebra da paridade e da gratificação por produtividade, paga para a maio-ria do Executivo”. Alves lamentou a pouca participação dos aposentados na Fasubra e nos sindicatos, e fez um apelo para que engrossassem a greve. “Temos que lutar pela manutenção da nossa paridade e para estendê-la a todo o serviço público”, disse. Confraternização Ao final dos trabalhos do primeiro dia, os participantes confraternizaram em torno de uma mesa de guloseimas regada a suco de frutas e refrigerantes. No segundo dia do Encontro a discussão foi sobre qualidade de vida e as condições da velhice no Brasil, temas tratados pelos integrantes do Conselho Esta-dual de Defesa da Pessoa Idosa, Sandra Rabello e Serafim Fortes Paz. Eles destacaram a luta permanente dos aposentados para assegurarem os direitos já conquistados e a importância da pessoa envelhecer em atividade. Dança e avaliação

O terceiro dia do Encontro foi reservado para música, dança, abraços e avaliações pessoais. A maioria mostrou-se satisfeita com tudo o que ouviu e falou nos três dias do evento. E também por saber que o SINTUFRJ precisa e faz questão da presença dos aposentados nas atividades sindicais. “Isso é muito bom, porque no Brasil o idoso é tratado como alguém descartável e que só serve para ficar encostado na família”, afirmou Marylena Salazar. A Energia do Bem Viver Quanto mais se vive aprendendo Mais se tem pra ensinar Quanto mais se ensina na vida Mais se aprende a se reciclar A vida é um estímulo ao eterno otimismo Onde cada segundo é milagre e segredo Onde não se limita gestos de coragem Sem desprezar os segredos do medo É agora o tempo exato De vencer obstáculos pseudo-sérios De simplificar o difícil da vida Se emocionando no desmistificar grandes mistérios Vamos, vamos olhar e seguir adiante Porque o ontem sem que se notasse já passou Renove toda energia que possa Para reviver em dobro o que ontem amou. Eliezer Higino Pereira Instituto de Microbiologia 21/11/2006 Aposentados elegem seus representantes Chegou a hora de os técnicos-administrativos aposentados elegerem seus representantes de base. A eleição vai ocorrer em dois dias: na terça-feira, 28 (depois da reunião), e na quarta-feira, 29, das 10h às 17h. Os companheiros aposentados poderão votar nas urnas instaladas no hall do prédio da Reitoria e nas subsedes do SINTUFRJ, no HU e na Praia Vermelha. Esta é a chapa de Delegados Sindicais de Base (titulares e suplentes) que os aposentados irão escolher ou não, marcando na cédula Sim ou Não: Titulares – Paulo Carmo, Débora de Oliveira da Silva, Arnaldo Gonçalves Bandeira, Helena Vicente Alves, Marilena Barreiros Salazar, Rosilda Pereira Genovese e Paulo Roberto Ferreira. Suplentes – Jorge Totta de Castro e Bettina Alice Laufer Calafat.


21/11/2006 Excursão a São Lourenço A excursão a São Lourenço levou cerca de 60 pessoas, entre aposentados, ativos e pensionistas, no dia 10, para um encontro de confraternização. Na ocasião, houve a entrega de brindes para todos que participaram do passeio e sorteio especial. No sábado à noite o hotel ofereceu queijos e vinhos, o que agradou bastante aos excursionistas. A coordenação de aposentados agradece a presteza aos seguintes sindicalizados: Márcia Alves (HUCFF), Tânia Maria Lopes (HUCFF), Lúcia Helena Lírio (HUCFF), Soraia Aparecida de Jesus (HUCFF) e à aposentada Vitória Régia Alves. 21/11/2006 Notas de falecimento • Comunicamos a perda de nossa companheira aposentada Rebecha Zaltman. Ela faleceu no dia 10 de novembro, aos 79 anos. Rebecha entrou na UFRJ em 1950, onde se dedicou à profissão de farmacêutica. 13/11/2006 Curso de Artesanato e Patchwork A Coordenação de Aposentados abriu inscrições para o Curso de Artesanato para pintura em tecido, decompag em tecido (aplicação de guardanapos de papel em roupas) e aplicação de mariander (técnica de aplicação de qualquer desenho ou figura em roupas). As inscrições podem ser feitas na sede e subsedes, de segunda a sexta-feira. O curso será ministrado toda sexta-feira, na subsede do HU, das 9h às 12h, pela professora Fátima e terá início dia 17 de novembro. O Curso de Patchwork está também com inscrições abertas. Será ministrado às segundas, na subsede do HU, das 9h às 12h, pela professora Débora. É totalmente gratuito. A Coordenação promove entre os inscritos uma campanha para doação de leite em pó e fralda descartável para as crianças do IPPMG. Informações: 2260-9343 (sede) e 3866-6939 (subsede). 9/11/2006 Eleição dos delegados dia 28 de novembro de 2006 30/10/2006 Eleição dos delegados foi adiada para 28 Na reunião do último dia 25, os aposentados decidiram que a eleição dos delegados sindicais de base será no dia 28 de novembro, das 10h às 17h, na subsede HU. O coordenador-geral Francisco de Assis prestou informes e esclarecimentos sobre as ações judiciais. 30/10/2006 Curso de artesanato A Coordenação de Aposentados abriu inscrições para um curso de artesanato para pintura em tecido, decompag em tecido (que é a aplicação de guardanapos de papel em roupas) e aplicação de mariander (que é a técnica de aplicação de qualquer desenho ou figura em roupas). As inscrições podem ser feitas na sede e subsedes, de segunda a sexta-feira. O curso será ministrado toda sexta-feira na subsede HU, no horário das 9h às 12h, pela professora Fátima e terá início dia 17. É totalmente gratuito. A Coordenação promove entre os inscritos uma campanha para doação de leite em pó para as crianças do IPPMG. As inscrições também poderão ser feitas pelos telefones: 3866-6939 (subsede HU), 2260-9343 (sede), 2542-9143 (subsede Praia Vermelha) e 3852-1026 (subsede IFCS).


16/10/2006 Reunião dos aposentados na subsede do HU Duas atividades movimentam os companheiros aposentados na próxima semana: reunião e eleição de delegados. O evento será no dia 25 de outubro, quarta-feira, às 10h, na subsede do HU. Na reunião será apresentado o novo coordenador da pasta, Alexandre Botelho dos Santos. Na pauta: ações judiciais e assuntos gerais. A reunião será oportuna para a realização da eleição dos delegados sindicais aposentados. Os aposentados têm direito a 7 (sete) delegados e se inscreveram 10 (dez) companheiros aposentados. Na reunião se decidirá como será o processo de eleição. Conheça os candidatos: Marylena Barreiros Salazar, Paulo Roberto Ferreira, Helena Vicente Alves, Maria Teresa Ribeiro de Oliveira, Rosilda Pereira Genovese, Arnaldo Gonçalves Bandeira, Paulo do Carmo, Débora Oliveira da Silva, Jorge Totta de Castro e Bettina Alice Laufer Calafate (suplente) 16/10/2006 Diretoria executiva do SINTUFRJ tem substituição A companheira Maria José Barcelos Pereira, que tomou posse na diretoria executiva do SINTUFRJ para o biênio 2006/2008, na Coordenação de Aposentados e Pensionistas pela Chapa 1 – Fortalecer o SINTUFRJ, solicitou seu afastamento da direção por questões de saúde, por tempo indeterminado. A comunicação foi feita na reunião da diretoria executiva do dia 18/9/2006. A companheira poderá voltar logo que se restabeleça, pois sua contribuição tem sido muito grande na organização dos aposentados e pensionistas. Em conformidade ao previsto no artigo 28, parágrafo único, do Estatuto do Sintufrj, o companheiro Alexandre Botelho dos Santos, que estava na suplência, assumirá integralmente as atribuições na Coordenação de Aposentados e Pensionistas, a partir do dia 25 de outubro. 11/9/2006 A melhor idade A “I Jornada Envelhecimento e Atividade Física” ocorrerá no dia 12 de setembro, das 9h às 17h, no Fórum de Ciência e Cultura (FCC) da UFRJ, no campus da Praia Vermelha. O evento, que objetiva difundir o conhecimento no âmbito do envelhecimento e da atividade física, com foco na prevenção de quedas, foi organizado pelo pesquisador da UFRJ, Edmundo de Drummond, em parceria com o FCC; Grupo de Pesquisa ANIMA/UFRJ; Associação Nacional de Gerontologia e Brazil Foundation. As inscrições são gratuitas e serão efetivadas no dia do evento. São apoiadores da “Jornada” o Grupo de Pesquisa Envelhecimento e Atividade Física da UFF e o SINTUFRJ. 31/7/2006 Aposentados e pensionistas vítimas de golpe, alerta MPOG Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento encaminhou aos departamentos de pessoal dos órgãos e das entidades da administração federal o seguinte alerta: A Ouvidoria do Servidor, da Secretaria de Recursos Humanos, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, recebeu nos últimos meses várias denúncias de um golpe que está sendo aplicado nos servidores públicos federais aposentados e pensionistas, em todo o país. Após escolher sua vítima, uma pessoa liga e se identifica como sendo funcionário do Conselho Nacional de Previdência Privada e fala sobre uma quantia de dinheiro elevada que o servidor, supostamente, teria direito a receber, de processo de 28,86% ou de outra natureza qualquer. A partir disso, começa a aplicação do golpe. É pedido ao servidor o pagamento de uma quantia, baixa em relação ao valor do suposto benefício, a título de honorários advocatícios, para que seja realizada a liberação do valor que o servidor teria para receber. Todo esse processo, segundo os golpistas, seria realizado pelo Conselho Nacional de Previdência Privada, um órgão que ainda não existe, cuja PEC para a sua criação, ainda, está na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, impossibilitando, assim, de prestar qualquer tipo de atendimento ao servidor. Vale ressaltar que o pagamento de qualquer processo judicial é feito com autorização da Justiça Federal, comunicado pela mesma, geralmente, por correspondência oficial ou por meio de precatórios, pagos diretamente ao advogado contratado pelo servidor. O procedimento do servidor que receber esse tipo de telefonema deve ser o de tentar acumular o maior número de informações possíveis e se dirigir à delegacia de polícia mais próxima, para fazer um boletim de ocorrência, oficializando assim a tentativa de fraude. Além disso, o servidor deve procurar a Ouvidoria do Servidor, por meio do sítio www.ouvidoriadoservidor.gov.br, a fim de receber orientação em como proceder nestes casos. Ouvidoria do Servidor Secretaria de Recursos Humanos 10/7/2006 Reunião de Aposentados - 25 de julho de 2006, Subsede do HU, 10 horas Pauta: Enquadramento; Ações judiciais; Apresentação da nova Coordenação e Assuntos gerais. 24/4/2006 APOSENTADOS ESPECIAL Atividades físicas para viver bem na melhor idade A atividade física é fundamental para a qualidade de vida na terceira idade. Não só porque melhora o condicionamento físico, mas porque a pessoa adquire muito mais disposição para as atividades diárias, como fazer compras no supermercado ou subir escadas. Sem falar no importante aspecto da socialização, saindo do isolamento e participando de uma atividade coletiva. Quem dá as dicas é a professora da Escola de Educação Física Eliete Mota Cardoso. A tese dela de mestrado foi sobre a atividade física para a terceira idade e baseou-se em um estudo com 38 pessoas com mais de 60 anos. Eliete é orientadora dos monitores dos alunos de terceira idade do curso de natação do projeto Águavida. O chefe do departamento de ginástica da Faculdade de Educação, Alex Pina de Almeida, complementa destacando que a prática da atividade física é importante para a manutenção da autonomia. “O idoso vai perdendo, ao longo do tempo, força, equilíbrio, diminui a velocidade, enfim, uma série de capacidades com as quais contou ao longo da vida. Às vezes um degrau enorme dificulta a entrada num ônibus. É preciso tanto força nas pernas quanto nos braços”, explica o professor, de 54 anos. Segundo o professor, junto com a perda da funcionalidade vem a perda da confiança, que leva a pessoa a limitar as atividades, como evitar pegar ônibus ou andar longas distâncias. “O objetivo da atividade física é fortalecer, aumentar a resistência do indivíduo, e, como conseqüência, melhorar a auto-estima, a confiança e, como objetivo final, a manutenção da autonomia.” Ele indica a prática de atividades como hidroginástica, caminhada, natação e musculação adaptada para o idoso. Também a ioga, alongamento, relaxamento e dança de salão. Mas orienta para a


necessidade de consultar um médico antes de iniciar qualquer atividade e a realização de check-up. “É importantíssimo manter o cérebro vivo e o corpo respondendo, trabalhando a auto-estima”, lembra. Água é vida O projeto Águavida oferece ao público em geral natação e hidroginástica, mas há programa voltado especificamente para a terceira idade, com um horário exclusivo: às segundas, quartas e sextas-feiras, às 10h, no campus da Praia Vermelha. As inscrições podem ser feitas no campo de futebol da Praia Vermelha, onde fica a administração da Escola de Educação Física. É preciso atestado médico informando que a pessoa está apta à prática de atividade física, 1 foto 3x4 e pagamento da taxa. Para a comunidade interna, a freqüência de duas vezes por semana custa R$ 105 o período (de 6 de março a 14 de julho); três vezes por semana, R$ 125; e todos os dias, R$ 175. O público externo paga R$ 20 a mais em todos os valores. Quem quiser pode dividir em três vezes, no cheque. No Fundão, o projeto também oferece horários para natação, mas não é específico para a terceira idade. Mais detalhes na página <http://www.eefd.ufrj.br>. Agite no SESC Cinco unidades do Sesc oferecem atividades de esporte e lazer para a terceira idade, a preços bem em conta, variando entre R$ 30 e R$ 50. Veja só algumas delas: Sesc/Madureira (telefone 3350-4253) – curso de tai chi chuan a R$ 20 duas vezes por semana, oficina de percussão para a terceira idade e hidroginástica. Sesc/Tijuca (telefones 3238-2083 e 3238-2141) – aula de ioga custa entre R$ 30 e R$ 50. Oferece ainda hidroginástica, tai chi chuan e dança. Sesc/Ramos (telefones 2290-2171 e 2290-2214) – hidroginástica, tai chi chuan e dança de salão. Sesc/Engenho de Dentro (2596-3173) – cursos e oficinas. SESC na praia – O projeto oferece ginástica, alongamento e caminhada para a terceira idade, tudo gratuito, nas praias de Copacabana (entre as ruas Santa Clara e Constante Ramos) e Leblon (entre as ruas Almirante Guilhem e Carlos Góis). A ginástica é das 7h às 8h e das 8h às 9h. Além dos esportes, são oferecidas orientação nutricional, aferição de pressão arterial, avaliação de peso e altura e prescrição de exercícios grátis. Informações sobre cada uma das unidades ou sobre o projeto Sesc na Praia podem ser obtidas no site <http://www.sescrio.org.br> ou na gerência de Esporte e Lazer, pelo telefone 3138-1031. Excursão ao Sesc de Grussaí A Coordenação de Aposentados informa que ainda há algumas vagas (poucas) para esta excursão. Data: de 11, quinta-feira, a 14 de maio, Domingo. Local: São João da Barra, em Campo dos Goytacazes. Preços: adulto/adolescente – R$ 210,00; menores entre 3 e 10 anos – R$ 105,00. Esses valores incluem acomodações confortáveis em apartamentos com tevê, frigobar e opções de lazer diversas para encantar e divertir: parque aquático com amplas piscinas, toboáguas, saunas, quadras poliesportivas, parque infantil etc. Atração especial: passeio em uma autêntica “Maria Fumaça” (trem antigo) por 10 estações. Curiosidade Brócolis, um santo remédio O brócolis é repleto de nutrientes capazes de inibir tumores e ajudar a barrar a osteoporose. Ele é rico em betacaroteno, vitaminas C e A, e também uma excelente fonte de cálcio e mineral ,que mantêm os ossos fortes. Além disso tudo, o brócolis contribui para a redução de câncer no colo do útero, pulmões, próstata, esôfago, laringe e da bexiga. Age no bloqueio à ação dos hormônios que estimulam a evolução dos tumores. Cozinhar no vapor é uma das melhores formas de preservar os nutrientes desse alimento. Uma xícara de brócolis contém 130 mg de cálcio, 1,2 mg de ferro e 5 g de proteína. Fonte: Marcos Stem – jornal Extra Culinária Cuca de maçã Ingredientes Massa - 1 xícara (chá) de açúcar - ¾ xícara (chá) de manteiga ou margarina - 2 ovos - raspa de limão - 2 xícaras (chá) de farinha de trigo - 1 colher (chá) de fermento em pó - 2 maçãs Farofa - ¾ xícara (chá) de manteiga - ½ xícara (chá) de açúcar - ½ xícara (chá) de farinha de trigo - canela em pó a gosto Modo de fazer Na vasilha da batedeira coloque o açúcar e a manteiga. Bata até obter um creme. Desligue. Junte os ovos e bata novamente. Agregue a farinha e as raspas de limão. Torne a bater. Adicione o fermento em pó e mexa delicadamente com uma espátula. Coloque a massa obtida em uma assadeira de fundo falso (n° 25), untada e polvilhada. Distribua sobre a massa fatias de maçã e farofa. Leve ao forno pré-aquecido a 180°C por 20 a 25 minutos. Farofa Em um recipiente coloque a farinha, o açúcar e a manteiga picada e gelada. Mexa com auxílio de um garfo até obter uma farofa. Adicione canela em pó a gosto. Fonte: TV Culinária Saúde Reumatismo e pneumonia: olho neles Os especialistas alertam que doenças reumáticas podem ocorrer desde o nascimento. Mas com a idade avançada aumenta a incidência dos reumatismos degenerativos, como a osteoartrose (desgaste das cartilagens) e a osteoporose (que significa “osso poroso”: osso mais fraco e suscetível a fraturas). Existem cerca de 150 tipos diferentes de reumatismos, assim como outras doenças que também têm sintomas articulares. Dor, inchaço nas juntas, fraqueza, dor muscular, febre, manchas na pele, dificuldade de executar movimentos são sintomas de doenças reumáticas. Já a pneumonia é uma doença infecciosa, causada por grande variedade de bactérias. A instalação da pneumonia é repentina, com febre elevada, calafrios e delírio. Ataca também a pleura, membrana que envolve os pulmões e que é altamente sensível, provocando dor em toda a região torácica, e que aumenta quando se respira. Durante qualquer fase da doença, o repouso é necessário, e os líquidos ingeridos ajudam a abaixar a febre e desprender o catarro. Para se prevenir contra a pneumonia é preciso evitar a queda da resistência natural do organismo, através de boa alimentação, agasalhos, higiene e, às vezes, com a administração de glicosídios cardioativos. O tratamento consiste em repouso, alimentação livre e uso de antibióticos para bloquear o avanço da doença. A recaída é extremamente perigosa. Então, cuidado. Vacinação contra gripe começa dia 2, na DVST As pessoas idosas e as portadoras de doenças crônicas são mais suscetíveis a complicações de uma gripe forte ou mal curada, como pneumonia.


Por causa disso, a Divisão de Saúde do Trabalhador (DVST) da UFRJ estará vacinando contra a gripe a partir de 2 de maio, de segunda a sextafeira, das 8h às 14h. A DVST conta com 1.500 doses. A vacina contra a gripe reduz o risco de infecção pelo o vírus influenza e, conseqüentemente, previne seus desdobramentos. A gripe é transmitida de uma pessoa para outra por via respiratória, provoca febre, causa dores de cabeça, no corpo e na garganta, coriza e tosse seca. Prioridade – De acordo com informações do Centro de Vacinação de Adultos da UFRJ, a vacina contra a gripe mais utilizada é a injetável, que é elaborada a partir do vírus influenza cultivado em ovos de galinha. Por ser produzida com vírus inativo, a vacina pode ser administrada com segurança em pessoas com deficiência do sistema imunológico e em gestantes, pois não representa risco para o feto. A prioridade na vacinação contra a gripe é das pessoas com 60 anos ou mais e portadores de doenças crônicas, como insuficiência cardíaca, enfisema pulmonar e doenças que causam deficiência do sistema imunológico. Reações – O efeito da vacina é de um ano, porque o vírus da gripe é capaz de mudar suas características com freqüência, e a cada 12 meses é necessário o desenvolvimento de nova vacina. Mesmo vacinada, a pessoa pode pegar a gripe; porém, será menos grave e há poucas chances de complicação. A vacina pode causar reações como dor, vermelhidão e endurecimento no local de aplicação, nas primeiras 72 horas. A febre ocorre em menos de 1% dos casos e as reações alérgicas graves (anafilaxia) são incomuns. Não pode – A vacina é contra-indicada para pessoas com histórico de reação alérgica grave à vacina contra a gripe, ou a algum de seus componentes. Sua administração deverá ser adiada nos pacientes com doenças ainda sem diagnóstico, assim como em doentes crônicos sem controle médico. Há outras vacinas importantes para as pessoas idosas, como a anti-pneumocócica, que previne pneumonia, e a dT contra tétano e difteria. 14/3/2006 Aposentado Especial Gratuidade nos ônibus: direito difícil de ser respeitado Os brasileiros maiores de 65 anos são hoje exemplos de como neste país as leis continuam não sendo cumpridas. Apesar de o Estatuto do Idoso garantir a gratuidade nos transportes coletivos públicos urbanos e semi-urbanos para os cidadãos a partir dessa faixa etária, como também a reserva de 10% dos assentos para eles, fica cada dia mais difícil exigir esse direito. O Estatuto diz que basta que apresentem um documento comprovando a idade de 65 anos para que tenham direito à gratuidade, porém as empresas de ônibus exigem que apresentem o cartão magnético. No caso dos microônibus, os empresários se negam a respeitar o Estatuto, tanto no que diz respeito à gratuidade como na reserva de assentos. Mas o direito à gratuidade é garantida em todos os ônibus intermunicipais e até nos interestaduais, cujas empresas são obrigadas a reservar duas passagens gratuitas para quem tem 65 anos, em cada veículo, e que comprovem renda igual ou inferior a dois salários mínimos; ou, no caso de excederem as vagas gratuitas, têm direito a desconto de 50%, no mínimo, no valor das passagens. Saiba onde fazer a sua reclamação Vários órgãos da sociedade civil e o Ministério Público estão atentos ao desrespeito às leis que protegem o cotidiano dos idosos. Fique atento na defesa dos seus direitos. Conselho Estadual do Idoso - 2299 – 2551 Delegacia de Atendimento à Pessoal da 3ª Idade - 3399 – 3181 Idoso Ouvidoria - 2299 – 5700 Coordenação no GT-Aposentados em Brasília No dia 27, às 10h, está prevista a realização de reunião da Coordenação de Aposentados, no Centro Cultural do SINTUFRJ, quando as companheiras Débora e Petrolina apresentarão os seus relatórios sobre o encontro do GT-Aposentados, em Brasília, realizado nos dias 14 e 15 de fevereiro. Débora e Petrolina foram escolhidas para representar os aposentados da UFRJ nesse encontro na reunião da Coordenação de Aposentados do SINTUFRJ no dia 10 de fevereiro, que contou com a presença dos seguintes companheiros: Manoel Dantas, Débora, Helena, Vicente, Elza Bastos, Maria José, Rosilda, Arnaldo e Petrolina. Excepcionalidade – Como a decisão de participar do GT-Aposentados foi decidida em última hora, não houve tempo de levar para a aprovação de assembléia os dois nomes tirados para participar do encontro, cabendo à Coordenação de Aposentados e aos presentes à reunião a tomada de decisão conjunta de garantir representação lá em Brasília. Cantinho da Poesia Revolta (Esta poesia foi pré-selecionada em recente concurso que reuniu 1.400 trabalhos de vários autores, ficando entre as 500 melhores) Com força imensurável da dor Da diferença do ser Querendo arrebentar, matar e bater. Para assim aparecer... Quando afastada Esta força revoltada da dor, Surge no rosto estampado A imensa força do amor Do amor que tenta esconder As ações de respeito e bondade Escondidas no Ser Que tenta parecer maldade A maldade camuflada Com aparência ostensiva Mas na verdade calada Expressava ação defensiva...


Se me bater, eu bato. Se me amar, eu amo. Não sei trocar maltrato, Nem aceitar desengano Por isto, peço ao mundo Que olhe pra mim urgente Com um olhar bem profundo Para que eu possa ser...gente! Zezé Barcelos Culinária Tiramissu Ingredientes 3 gemas peneiradas 150g de açúcar 700g de queijo cream cheese 3 claras batidas em ponto de neve 300ml de café forte sem açúcar 1/3 xícara (chá) de grappa (pode ser conhaque, cachaça ou uísque) 50 biscoitos champagne Cacau em pó para polvilhar Modo de preparo Numa batedeira, bata as três gemas peneiradas com 150g de açúcar até obter um creme esbranquiçado. Acrescente os 700g de queijo cream cheese e bata. Desligue a batedeira e com o auxílio de um pão duro incorpore levemente (no creme) as três claras batidas em ponto de neve. Reserve. Num recipiente raso misture 300ml de café forte sem açúcar com 1/3 xícara (chá) de grappa (ou conhaque). Molhe 50 biscoitos champagne, um por um, nesta mistura. Montagem: Numa forma retangular (22cm x 35cm) faça uma camada com os biscoitos embebidos no café. Cubra com uma camada do creme de queijo. Faça novamente outra camada de biscoitos embebidos no café e finalize com uma camada de creme. Leve para gelar por mais ou menos quatro horas. Na hora de servir, polvilhe cacau em pó usando formas decorativas se quiser fazer desenhos. Propaganda enganosa para aposentado é suspensa A publicidade sobre empréstimos baratos e fáceis para os aposentados que virou uma febre e vem resultando numa verdadeira máquina de fazer dinheiro para os bancos foi suspensa. A medida é resultado de liminar impetrada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Assembléia Legislativa do Rio (Alerj) na 3ª Vara Federal do Rio de Janeiro e atinge 15 instituições de crédito consignado para aposentados. As empresas têm até dez dias, a partir da notificação, para fazer a suspensão das inserções publicitárias ou estarão sujeitas a multa de R$ 50 mil por cada inserção publicitária. Vale para todo o país. A liminar só confirma a situação que vem sendo detectada há muito tempo: o abuso das instituições financeiras diante da boa fé dos idosos. Eles acabam sendo ludibriados com o anúncio de taxas mais baixas e facilidades que na realidade não existem quando da efetivação do empréstimo. A liminar determina ainda que os 15 bancos e financeiras que atuam com esse tipo de empréstimo (entre eles BB, Caixa, BMG, Unibanco e Cacique) terão 30 dias para fornecer aos consumidores folhetos e anúncios claros nas agências, com detalhes da operação. Há algum tempo a imprensa vem denunciando que as taxas cobradas por bancos e financeiras a aposentados eram de até o triplo da informada. Com base nessas denúncias, o Ministério Público Estadual entrou em ação e convocou as instituições citadas nas matérias para que assinassem um termo de ajustamento de conduta e se comprometessem a aumentar a transparência nas informações prestadas. Que é dengue? A dengue é uma doença causada por um vírus e transmitida pela picada de um mosquito, o Aedes aegypti. Qualquer pessoa, criança ou adulto e de qualquer idade, está sujeita à dengue. Há dois tipos de dengue: a clássica e a hemorrágica. Geralmente, quando contaminada pela primeira vez, a pessoa contrai a dengue clássica. Em uma segunda contaminação, existe o risco muito maior de se contrair a dengue hemorrágica, que é muito mais grave e pode levar à morte. Como se pega dengue? O mosquito Aedes aegypti pica uma pessoa com dengue. O vírus se desenvolve dentro do mosquito que, depois de 8 a 12 dias, passa a ser transmissor da doença e pica outra pessoa, e por aí vai... A prevenção Tome pequenos cuidados todos os dias, pois os ovos do mosquito continuam vivos até por um ano. Aquelas latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes que ficam jogados por aí acumulam água e viram um ótimo esconderijo para que o mosquito ponha ovos e se desenvolva. O mesmo ocorre com pneus velhos que são jogados em qualquer lugar e ao alcance da chuva. Jogue fora, também, as garrafas PET e de vidro vazias (se possível faça uso da coleta seletiva de lixo). Se precisar guardar alguma, vire-a de cabeça para baixo, assim não armazenará água. Não deixe a água se acumular em vasinhos de plantas e jarros de flores. A dica é colocar areia no suporte. Caixas d’água, tambores, latões e cisternas devem ficar bem fechados, sem nenhuma fresta, para impedir a entrada do mosquito. Feche bem os sacos plásticos e mantenha a lixeira bem tampada e seca. Sexo na Terceira Idade Já dizia um provérbio: “O jovem não sabe tudo o que pode e o velho não pode tudo o que sabe.” Será? Muitas vezes os provérbios traduzem e consolidam preconceitos que atravessam várias gerações, referendados por uma aura de sabedoria, que sabe-se lá de onde saiu. Ditos populares à parte, pelo menos em relação à sexualidade parece que o maior problema é mesmo o preconceito. “O mito de uma velhice assexuada sem dúvida se constitui no maior empecilho ao sexo”, diz o sexólogo mineiro Gerson Lopes, que ressalta haver outras limitações importantes como as doenças, principalmente cardiovasculares (hipertensão, coronariopatias), obesidade, diabetes, depressão, bem como o uso de medicamentos para tratá-las, e, mais raramente, doenças neurológicas centrais, reumatológicas ou ortopédicas. Vida sedentária também pode ser um fator coadjuvante, além, é claro, da viuvez. “É perigoso generalizar pois temos que examinar cada caso. Mas tanto os fatores físicos como os psicológicos limitam a expressão da sexualidade”, afirma o sexólogo. O melhor é tratar o assunto de forma global, sem preconceitos, evitar a forma conservadora e “asséptica” ao lidar com o sexo, e principalmente não se prender às questões físicas, como a dificuldade de ereção, ressecamento da vagina etc., mesmo porque há “remédio” para todas essas mazelas.


Basta perguntar ao médico, no caso de haver reais empecilhos de ordem física. Na maioria dos casos, algumas dicas comportamentais já trazem bons resultados. No site da Linex Produtos de Saúde pode-se encontrar dicas preciosas. A primeira e mais importante é a de manter-se ativo sexualmente. 17/1/2006 Aposentados alvo de golpe A Pró-Reitoria de Pessoal da UFRJ faz um alerta aos aposentados e pensionistas da universidade. Segundo a responsável pelo setor na PR-4, Gildélia de Oliveira, uma pessoa que se identifica como Jean Carlos, de Brasília, através do telefone tem procurado aposentados com a informações falsas sobre o processo dos 28%. Em seguida, o golpista pede para confirmar alguns dados, como números do CPF e da conta bancária. A PR-4 recomenda a aposentados e pensionistas não dar, sob nenhuma hipótese, as informações solicitadas por telefone a ninguém. Segundo Gildélia de Oliveira, a UFRJ só se comunica com os seus aposentados e pensionistas através de cartas e do contracheque. “Os aposentados e pensionistas não devem passar o número de sua conta por telefone a ninguém”, insistiu Gildélia. 7/11/2005 Reunião dos Aposentados Dia 18 de novembro, às 10h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ. Pauta: Plano de carreira/greve, ações judiciais e assuntos gerais. Passeio foi um sucesso Excursão a Campos do Jordão agradou a todo mundo. A viagem promoveu lazer e aproximação entre as pessoas Sucesso de público e de crítica. Este é o balanço que a Coordenação de Aposentados faz da excursão a Campos do Jordão. Se mais esta viagem de lazer foi um sucesso, segundo os próprios excursionistas, o maior mérito sem dúvida coube aos participantes. Todos tiveram um comportamento exemplar, por isso o passeio a essa maravilhosa cidade foi inesquecível. “A excursão a Campos do Jordão foi uma experiência maravilhosa, pois integrou e agregou as pessoas. A organização foi de grande responsabilidade. Espero que o Sindicato mantenha essas atividades.” Nancy Blum, funcionária da Escola de Música “Já fui a cerca de cinco excursões, mas a última, a Campos do Jordão, foi 90% espetacular. O lugar é maravilhoso. Só não conseguimos visitar um museu, porque não nos programamos direito. Eu e o meu marido, que ainda está na ativa, pretendemos ir às próximas excursões.” Eliete Leite, aposentada do Instituto de Matemática “Foi a primeira vez que fui a uma excursão organizada pelo Sindicato e adorei. Conversei muito com os meus colegas. Foi muito proveitoso, e pretendo ir aos próximos passeios.” Terezinha de Jesus Santos, pensionista Cantinho da Poesia Primavera Tempo alegre e feliz de renovação. Não negue! A folha que cai nos diz que flores virão em breve. Flores, frutos, canto de pássaros e de amores. A natureza em festa engalana-se toda em cores. É tempo de sorrir e viver emoções. Do renascer do reflorir e de alegria nos corações. A primavera chegou trazendo novas esperanças, desafio e novas metas para moços, velhos e crianças. Zezé Barcelos Culinária light Leite condensado diet (310 calorias) Ingredientes: 1½ xícara de chá de água fervente, 2 colheres de chá de margarina light, ½ xícara de chá de adoçante para forno e fogão e 2 xícaras de chá de leite em pó desnatado. Modo de fazer: coloque no liquidificador os ingredientes pela ordem: água fervente, margarina light, adoçante e o leite em pó. Bata por cinco minutos. Retire, deixe esfriar e utilize. Pudim de leite condensado diet Ingredientes: 1 receita de leite condensado diet, a mesma medida de leite desnatado e 3 ovos inteiros. Modo de fazer: bata no liquidificador os ingredientes rapidamente e coloque em forma de pudim untada com margarina light ou em forminhas pequenas untadas com margarina light. Asse em banho-maria por 1h15. Saúde


Diabetes, que doença é essa? Diabetes é um distúrbio do metabolismo caracterizado pela redução de insulina, associado ao mau funcionamento do pâncreas. Caracteriza-se principalmente pelo aumento de glicose no sangue, glicosúria (açúcar na urina) e dificuldade na cicatrização de ferimentos. A doença pode degenerarse em distúrbios circulatórios, baixa resistência às enfermidades, cegueira, impotência sexual, cãibra e infarto. Os primeiros sintomas são sede e apetite excessivos, micção freqüente, perda de peso, debilidade geral e dificuldade de cicatrização de ferimentos. Mas, atenção: apesar dos sintomas, muitas pessoas adultas têm diabetes e não sabem. Quem se torna diabético – Fatores hereditários contribuem para o diabetes. Pessoas cujos pais ou parentes próximos são diabéticos quase sempre possuem tendência ao diabetes. O início do diabetes, em geral, requer associação dos fatores genéticos com o ambiente e o estilo de vida do indivíduo. Os mais comuns são a obesidade (principalmente em quem tem mais de 45 anos), o sedentarismo e as infeções. Outros fatores também levam à doença. O estresse pode fazer com que o diabetes surja em indivíduos predispostos. Prevenção – Procure o médico e faça controle regular das taxas de glicemia. O especialista que cuida do diabetes é o endocrinologista. Existem tratamentos naturais para a doença, mas que não dispensam os tratamentos alopatas receitados pelo médico. A pessoa com diabetes que se cuida leva uma vida normal como qualquer outra. Dicas saudáveis para os diabéticos – Suspenda o uso de alimentos à base de massas, os cárneos, os doces, refrigerantes e os condimentos em geral. Adote alimentação simples e natural, composta de legumes crus, frutas frescas da época e cereais integrais. Beba água pura e fresca abundantemente e procure orientação médica.

Estatuto, conquista do idoso O Estatuto do Idoso é uma conquista dos cidadãos com mais de 60 anos. O projeto levou sete anos tramitando no Congresso Nacional até ser aprovado e sancionado em 2003 pelo presidente da República. O estatuto é mais abrangente que a Política Nacional do Idoso, lei de 1994 que dava garantias à terceira idade. Atualmente, quem desrespeitar ou abandonar pessoas protegidas pelo estatuto estará sujeito a penas severas impostas pelo estatuto. Estes são os principais pontos do Estatuto do Idoso: Saúde – O idoso tem direito a atendimento preferencial no Sistema Único de Saúde (SUS). O idoso internado ou em observação em qualquer unidade de saúde tem direito a acompanhante e pelo tempo determinado pelo profissional de saúde que o esteja atendendo. Remédios, principalmente de uso contínuo, como para diabetes e hipertensão, assim como próteses e órteses, devem ser distribuídos ao idoso gratuitamente. É também proibido aos planos de saúde privados reajustar as mensalidades de acordo com o critério idade. Transportes coletivos – Antes do estatuto, apenas algumas cidades garantiam aos idosos o direito a viajar gratuitamente nos transportes coletivos públicos. Agora, em todas as regiões do país, esse benefício é obrigatório. As empresas de ônibus são obrigadas a reservar 10% dos assentos para os idosos e de forma legível. O estatuto garante, para os transportes coletivos interestaduais, a reserva de duas vagas gratuitas em cada veículo para idosos com renda igual ou inferior a dois salários mínimos. Se o número de idosos exceder o previsto, as empresas são obrigadas a conceder 50% de desconto no valor da passagem, considerando a renda. Violência e abandono – De acordo com o estatuto, nenhum idoso poderá ser objeto de violência, negligência, discriminação, crueldade e opressão. O estatuto diz que quem discriminar o idoso, impedindo ou dificultando seu acesso a operações bancárias, aos meios de transporte ou a qualquer outro meio de exercer sua cidadania, pode ser condenado a penas que variam de 6 meses a 1 ano de reclusão, além de pagamento de multa. Também estão sujeitas a penalidades as famílias que abandonem o idoso em hospitais e casas de saúde, sem dar respaldo para suas necessidades básicas. Condenação prevista pelo estatuto de penas de 6 meses a 3 anos de detenção e multa. Os responsáveis por submeter idosos a condições desumanas, privados da alimentação e de cuidados indispensáveis, estão sujeitos a prisão de 2 meses a 1 ano, e a multa. Se houver morte do idoso, a punição será de 4 a 12 anos de reclusão. Fica passível de condenação, com pena que varia de 1 a 4 anos de prisão, e mais multa, qualquer pessoa que se aproprie ou desvie bem, cartão magnético (de conta bancária ou de crédito), pensão ou qualquer rendimento do idoso. Entidades de atendimento ao idoso – O dirigente de instituição de atendimento ao idoso responde civil e criminalmente pelos atos praticados contra o idoso. A fiscalização dessas instituições fica a cargo do Conselho Municipal do Idoso de cada cidade, da Vigilância Sanitária e do Ministério Público. A punição em caso de mau atendimento aos idosos vai de advertência e multa até a interdição da unidade e a proibição do atendimento ao idoso. Lazer, cultura e esporte – Todo idoso tem direito a 50% de desconto em atividades de cultura, esporte e lazer. Trabalho – São proibidas a discriminação por idade e a fixação de limite máximo de idade na contratação de empregados, sendo possível de punição quem o fizer. O primeiro critério de desempate em concurso público é o da idade, com preferência para os concorrentes com idade mais avançada. Habitação – É obrigatória a reserva de 3% das unidades residenciais para os idosos nos programas habitacionais públicos ou subsidiados por recursos públicos. Nossas Oficinas Dezenas de aposentados participam das várias oficinas organizadas pelo Departamento de Aposentados do SINTUFRJ. A maioria encontrou nas atividades manuais o caminho eficaz para uma higiene mental completa. Além das vantagens terapêuticas, eles têm oportunidade para aprender a fazer coisas bastante interessantes para decoração da casa. “Nos últimos três meses eu freqüentei a oficina de exercícios terapêuticos. Além de me sentir fisicamente muito bem, foi muito gratificante. Gostaria que as outras pessoas valorizassem o curso como eu.” Alda Oliveira de Souza, aposentada do Instituto de Fisiologia e Pneumologia. “A oficina de pintura é ótima porque além de servir como terapia, aprendemos a fazer trabalhos muito bonitos. Atualmente estamos pintando para presentear nossos amigos e familiares no Natal.” Elza Bastos Borges, aposentada do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais. “O patwork é um curso maravilhoso para exercitar a mente. Os retalhos não podem ser colocados de qualquer maneira, mas em seqüência. Varo a madrugada costurando. Os trabalhos ficam muito bonitos, que tenho até pena de usá-los.” Lenir Cristaldi, aposentada do HU.

29/8/2005


Como não confiar em ninguém com mais de 60 anos? O Rio de Janeiro abriga 12,8% da população com mais de 60 anos no país, e o bairro de Copacabana é o ponto do Planeta com maior concentração de idosos Hoje, no Brasil, cerca de 17 milhões da população brasileira é constituída de pessoas com mais de 60 anos de idade (quase 10% contingente populacional). As mulheres são maioria e vivem oito anos a mais que os homens. Segundo ainda o estudo sobre o perfil do idoso feito pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), aproximadamente 70% dos idosos são responsáveis pelos domicílios e têm, em média, 69 anos de idade. Com rendimento médio de R$ 657,00, os idosos ocupam, cada vez mais, um papel de destaque na sociedade. A projeção do Instituto é que nos próximos 20 anos a população de idosos no país ultrapasse os 30 milhões de pessoas. O crescimento da proporção de idosos tem sido mais rápido que o de crianças. A queda da taxa de fecundidade ainda é a principal responsável pela redução do número de crianças, e a longevidade vem contribuindo progressivamente para o aumento de idosos na população. Entre as capitais, o Rio de Janeiro se destaca por abrigar 12,8% dessa população com mais de 60 anos, e o bairro de Copacabana é o ponto do Planeta com maior concentração de idosos. Fenômeno mundial – De acordo com as projeções dos estatísticos, no mundo, em 2050, um quinto da população será de idosos, ou seja, 1,9 milhão de pessoas, o equivalente à população infantil de 0 a 14 anos de idade. O crescimento da população de idosos, em números absolutos e relativos, é um fenômeno mundial, e está ocorrendo em um nível sem precedentes. Atualmente, uma em cada dez pessoas tem 60 anos de idade ou mais, e estima-se que a relação será de uma para cinco pessoas em todo o mundo, e de uma para três nos países desenvolvidos. Realidade exige mudanças - Para a presidente do Conselho Estadual do Idoso, Isabel Lopes Monteiro, a sociedade não está se preparando para essa realidade. Inclusive as cidades que são as regiões onde se concentram o maior contingente de pessoas acima de 60 anos. Ela defende a inclusão nos cur-rículos das universidades da gerontologia — ciência que estuda o problema do idoso sob todos os seus aspectos: biológico, clínico, histórico, econômico e social. “O envelhecimento é um fenômeno, mas no Brasil as pessoas envelhecem sem qualidade de vida”, frisa. Apesar de a Constituição de 1988 garantir a gratuidade aos idosos e o Estatuto do Idoso em vigor desde 2004 instituir penas severas para quem desrespeitar os direitos desses cidadãos, Isabel não tem dúvidas de que ainda vai demorar muito para que as instituições e a iniciativa privada cumpram a lei. A assistente social insiste que faltam equipes de planejamento preparadas para lidar com o envelhecimento, como também admite que não houve tempo para os órgãos de defesa se organizarem para fiscalizar a aplicação do Estatuto. Para ela um dos maiores absurdos no momento é o Biocard. “O idoso tem direito à gratuidade no transporte, mas sem o cartão ele não pode viajar e ainda paga pela segunda via, em caso de perda. Além disso, as roletas dos ônibus próximas ao capô do motorista dificultam o acesso do idoso aos coletivos”, acusa. “O envelhecimento é um fenômeno, mas no Brasil as pessoas envelhecem sem qualidade de vida” Izabel Lopes Monteiro Direito se conquista, não se ganha A secretária-executiva do Conselho Nacional do Idoso, Jurilza de Mendonça, defende que os idosos se organizem e se mobilizem para fazer valer seus direitos. “Vivemos numa sociedade onde o idoso é protagonista da ação, mas não tiveram cidadania. Temos que criar a cultura da cidadania e o idoso aprender que tem direito a ter direito”, afirmou. Com exceção dos aposentados, no entendimento de Jurilza, os idosos de maneira geral só se unem e se organizam para atividades de lazer, quando deveriam estar mais ativos para fazer valer seus direitos. O Ministério Público é um dos caminhos, segundo a secretária, para que os maiores de 60 anos acionem em sua defesa. Oficinas em andamento Desenho e Pintura Aulas semanais, às quartas-feiras, das 10h às 12h. Ikebana – Arranjo floral de origem japonesa. Únicas aulas nos dias 1º de setembro e 15 de setembro, às 10h. O aluno contribuirá com R$ 10,00 para a compra de flores e vasos. Patwork – Arte de unir retalhos. Aula toda última sexta-feira do mês, às 10h Exercícios terapêuticos - Às terças e quintas-feiras, às 10h. Custo: R$ 30,00 mensais. Professor Marcos Nicolau, fisioterapeuta. Possibilita melhor utilização dos músculos, beneficia os sistemas cardíaco e respiratório, promove o combate e prevenção do sedentarismo, estresse, depressão e ansiedade, melhora a flexibilidade, força, coordenação, ritmo, agilidade e a resistência física. Também contribui para uma boa postura e relaxa todo o corpo. Local - Espaço Cultural do Sindicato. Tireóide, o que é isso? É uma glândula localizada na parte anterior do pescoço, bem abaixo do pomo-de-adão. Ela produz hormônios que afetam a maioria dos órgãos, incluindo o coração, cérebro, fígado, rins e pele. Se o médico disse que você está com hipotireoidismo, ele quer dizer que a glândula tireóide está produzindo pouco hormônio. Pesquisas mostram que cerca de 5 milhões de brasileiros têm hipotireoidismo, a grande maioria não diagnosticada. Sintomas como cansaço e desânimo são atribuídos a problemas da idade, no entanto podem ser sintomas de hipotireoidismo. A incidência da doença aumenta com a idade, tanto em homens como em mulheres, sendo quatro vezes mais freqüentes nas mulheres. Um simples exame de sangue comprova o diagnóstico e o tratamento correto garante boa saúde. O importante é procurar logo o médico quando os sintomas aparecerem: cansaço, depressão, pele ressecada, cabelos ásperos, unhas quebradiças, prisão de ventre, anemia, fadiga, perda de apetite, aumento de peso, tornozelos e rosto inchados, colesterol elevado e, às vezes, pressão baixa. Quem é mais vulnerável Mulheres acima de 40 anos, homens 65; mulheres no pós-parto; pessoas com colesterol alto; com história familiar de tireóide de Hashimoto; em tratamento de radioterapia de cabeça e pescoço; que foram tratadas anteriormente de hipertireoidismo; estejam usando lítio ou amiodarona; quem apresenta outras doenças auto-imunes, como diabetes tipo I, lúpus e artrite reumatóide; e que sofra de depressão e/ou crise de pânico. Ação Sindical Pensionistas – Se você se tornou pensionista procure o SINTUFRJ, associe-se e informe-se sobre os benefícios a que tem direito. Aposentados – Ao se aposentar, companheiro, não deixe de informar sua nova condição ao SINTUFRJ, para que você passe a receber o jornal da entidade em casa. Enquadramento – Uma boa notícia para alguns aposentados. Com autorização da PR-4, a Comissão Interna de Enquadramento validou os certificados de quem concluiu o curso de treinamento do PCC. Cantinho da Poesia Não quero ser A terrível Limitação De que vive apenas Do que passível


De fazer sentido. Eu não: Quero é Uma verdade Inventada Clarice Lispector Próxima reunião dos Aposentados Segunda-feira, dia 12 de setembro, às 10h, no Espaço Cultural do SINTUFRJ. Pauta: esclarecimentos sobre o enquadramento; informes das ações judiciais e assuntos gerais. Neste dia também será apresentada a peça A Procura. Culinária Nossa receita/Pudim econômico Ingredientes: Pão amanhecido em fatias (duas bisnagas) Banana - d’água bem madurinhas (12 aproximadamente) Dois copos de leite adoçado Modo de fazer: Forre a fôrma de furo no meio com açúcar caramelizado (se preferir derreta o açúcar na própria fôrma e cubra todo o espaço com cuidado para não se queimar). A seguir arrume em camadas as fa-tias de pão e de bananas cortadas em tiras. Vá alternando as camadas até a última, que deve ser bananas (tudo seco). Quando terminar a última camada, despeje o leite adocicado de forma uniforme. Deixe descansar por meia hora e coloque no forno por 30 minutos. Após esfriar, desenforme. Além de ficar muito gostoso, as fatias ficam decorativas. 25/7/2005 Aposentados Inscrições abertas para as oficinas A Coordenação de Aposentados informa aos interessados em participar das Oficinas de Patchwork, Artes Visuais e de Atividade Física que as inscrições continuam abertas. Elas podem ser feitas no mesmo dia em que as oficinas acontecem na secretaria do Sindicato. Confira mais detalhes: PATCHWORK – Esta oficina ensina a arte de unir retalhos. Uma ótima terapia ocupacional, porque é uma técnica que requer treinamento, criatividade e bom gosto para combinação dos tecidos. Aula mensal – sempre na última sexta-feira do mês, com a professora Débora. O curso é gratuito. ARTES VISUAIS – Abrange duas áreas artísticas, o desenho e a pintura, mas trabalhados simultaneamente. Pinturas em papel, tecido e quadros, entre outras modalidades. A aula é semanal, às quartas-feiras, das 9h às 11h, com a professora Ismênia. Também é gratuito. ATIVIDADE FÍSICA – Oficina todas as terças e quintas, a partir da primeira semana de julho, às 10h, no Espaço Cultural. Reunião dos Aposentados Às 10h de terça-feira, 16 de agosto, no Espaço Cultural. PAUTA: Enquadramento, ações judiciais e assuntos gerais. 19/7/2005 Aposentado Especial Saúde As estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram dados impressionantes A inatividade física leva a morte mais de dois milhões de pessoas por ano;um terço dos casos de câncer podem ser prevenidos com a adoção de alimentação saudável, manutenção do peso normal e atividade física ao longo da vida;oitenta por cento das cardiopatias coronárias prematuras devemse a falta de atividade física, aliadas á alimentação inadequada e ao tabagismo. Você Sabia? Que combater o excesso de peso ajuda a diminuir a pressão alta? - Sim, porque emagrecer contribui de modo decisivo para baixar os níveis de pressão arterial e o conseqüente risco de insuficiência cardíaca. Cursos Continuam abertas as inscrições para os cursos de Patchwork, Desenho e Pintura e exercícios terapêuticos. Obs: as aulas já estão em andamento Informações e inscrições na Secretaria ORGANIZAÇÃO. A Coordenação dos Aposentados realiza reuniões regulares no Espaço Cultural do Sindicato Excursão a Campos do Jordão Nossa excursão está programada para entre 14 e 16 de outubro. Hotel Leão da Montanha site: www.leaodamontanha.com.br Lotaremos somente um ônibus devido ao número restrito de vagas no hotel A procura pelo passeio superou nossas expectativas.Restam poucas vagas. Inscrições já para a lista de espera podem ser feitas na secretaria Reunião dos Aposentados Às 10h, de terça-feira, 16 de agosto, no Espaço Cultural PAUTA: Enquadramento, ações judiciais e assuntos gerais Depois da reunião, reapresentação da peça A Procura Cantinho da Poesia ...Há quem diga Que todas as noites São de sonhos. Mas há também quem Garanta que nem todas. Mas somente as de verão


Mas no fundo isso Não tem importância O que interessa Não são as noites em si São os sonhos. Sonhos que o homem Sonha sempre Em todos os lugares. Em todas as épocas do ano Dormindo ou acordado. William Shakespeare Culinária diet Mousse de Morango 1 envelope de gelatina dietética de morango já preparada e endurecida. 2 xícaras de morangos cortados 1 xícara de iogurte natural Modo de preparar Bater todos os ingredientes até ficar homogêneo. Leve a geladeira para endurecer 7/7/2005 EXCURSÃO À CAMPOS DO JORDÃO Suíça Brasileira 14 de setembro de 2005 Estamos realizando mais uma excursão, desta vez iremos à Campos do Jordão Observações - Ao fazer sua inscrição é necessário efetuar o pagamento da 1ª parcela para efetivá-la, caso contrário a inscrição ficará na fila de espera, sem compromisso desta coordenação de garantia de vaga. Após o dia 10 de agosto, o excursionista não poderá desistir de seu passeio. O que poderá ser feito é a substituição de sua inscrição para um colega (sendo esse sindicalizado) ou seu dependente para que não perca o valor já pago. Esse procedimento é necessário por conta dos compromissos assumidos com o hotel. Excepcionalmente avaliaremos desistências por motivo de doença. A distribuição de pessoas será feita em apartamentos duplos e triplos. Sugerimos que ao inscrever-se coloque sua opção de companhia. Faremos uma reunião com todos para os ajustes 15 dias antes do evento. VALORES: ADULTO – R$ 280,00 - CRIANÇA DE 6 A 12 ANOS – R$ 90,00 INSCRIÇÕES PREFERENCIALMENTE ÀS SEGUNDAS, QUARTAS E SEXTAS-FEIRAS COM A SECRETARIA OU COORDENAÇÃO DE APOSENTADOS. TELEFONES 2260-1435/2290-2484/2560-8615 ATENÇÃO ! AS INSCRIÇÕES NÃO PODERÃO SER FEITAS POR TELEFONE HOTEL LEÃO DA MONTANHA – 5 estrelas O hotel dispõe de excelentes acomodações; área de lazer com piscina térmica coberta, playground, salão de jogos, piano’s bar com DVD e música ao vivo no sábado, aptos de luxo com calefação, frigobar, tv á cabo. As refeições estão incluídas. Data do evento: 14/10/05 (sexta feira) a 16/10/2005 (domingo) Visualize o hotel pelo site: www.leaodamontanha.com.br Coordenação de Aposentados email: aposentados@sintufrj.org.br sintufrj@sintufrj.org.br www.sintufrj.org.br 4/7/2005 Campos do Jordão A Coordenação de Aposentados está organizando excursão a Campos do Jordão. Mais detalhes e inscrições na secretária do SINTUFRJ, às 2ª, 4ª e 6ª feiras, ou pelos telefones 2560-8615 e 2260-9343, ou com a Coordenação dos Aposentados: 9766-0011. Reunião dos Aposentados Dia 7 de julho, às 10h. Pauta: segunda fase do enquadramento, informes sobre ações judiciais e assuntos gerais. Local: Espaço Cultural do Sindicato. Após a reunião, estréia da peça A Procura. 20/6/2005 Aposentados elegem delegados para o 8º Congresso


Reunião dos aposentados elegeu sete delegados para participar do 8º Congresso do SINTUFRJ. Veja os companheiros delegados eleitos na reunião da semana passada na lista ao lado. Além do congresso sindical, a reunião dos companheiros aposentados no salão nobre do CT, na semana passada, serviu para a discussão de temas específicos do segmento, como a realização de cursos e outras atividades, e também para tirar várias dúvidas sobre o plano de carreira em processo de implantação. ELEIÇÃO. Reunião na semana passada elegeu os delegados que vão participar do Congresso - Foto; Niko júnior 1- Arnaldo Gonçalves Bandeira 2 - Manoel Dantas de Oliveira 3 - Débora Oliveira da Silva 4 - Maria José Barcelos Pereira 5 - Paulo Roberto de Andrade 6 - Marli da Silva 7 - Eliete Leite Obesidade é sinônimo de viver mal Estudiosos do mundo todo alertam para os perigos da obesidade, em todas as idades, e garantem que a gordura corporal em excesso causa doenças graves. Mas mudanças básicas na dieta e exercícios físicos podem diminuir consideravelmente o risco de contrair doenças crônicas como diabetes, câncer e doenças coronarianas em apenas seis semanas, segundo um estudo do professor americano Steven Aldana. Outra pesquisa indica que pessoas de meia-idade que estão acima do peso têm maior probabilidade de desenvolver demência. Cientistas ponderam que a obesidade pode elevar a probabilidade de desenvolver a doença por causa de um efeito direto sobre o cérebro ou por sua associação com outros problemas como diabetes e doenças cardiovasculares. Alerta aos adultos – Segundo cientistas, a obesidade dos pais pode significar um risco genético, porque a criança compartilha da experiência familiar de comer muito. As pesquisas dizem que o ambiente influi na obesidade. Cantinho da Poezia PAZ Nem alegria, Nem dor Nem nostalgia Nem amor É algo diferente Difícil pra muita gente É como acabar a guerra Em toda a face da terra. Ela vem depois do pranto Como num doce encanto Faz passar todo tormento Que nos traz o sofrimento. De uma palavra tão pequena Fiz nascer esse poema Que uma mensagem traz Revelar a toda gente, a grandeza Da PAZ. Autor: Zezé Barcelos. CULINÁRIA BOLO SALGADO AMERICANO Ingredientes 6 ovos inteiros 2 xícaras (chá) de leite 1 colher (chá) de sal 6 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado 12 colheres de farinha de trigo 2 colheres (sopa) de fermento em pó 2 latas (pequenas) de sardinhas em óleo 3 tomates orégano Modo de fazer: Bater no liquidificador ligeiramente os ovos. Untar o tabuleiro com óleo. Cortar os tomates (reserve). Amassar as sardinhas com o garfo. Acrescentar os demais ingredientes (menos o orégano). Colocar a massa no tabuleiro já untado. Salpicar as sardinhas, arrumar as rodelas de tomate e orégano por cima. Levar ao forno quente para assar (+ 30minutos). Receita da colega Margareth Figueiredo (Maternidade Escola). Inscrições abertas para as oficinas PATWORK – Esta oficina ensina a arte de unir retalhos. Uma ótima terapia ocupacional, porque é uma técnica que requer treinamento, criatividade e bom gosto para combinação dos tecidos. Aula mensal – sempre na última sexta-feira do mês (a próxima será dia 24/6), das 9h30 às 12h30, com a professora Débora. O curso é gratuito. ARTES VISUAIS – Abrange duas áreas artísticas, o desenho e a pintura, mas trabalhados simultaneamente. Pinturas em papel, tecido e quadros, entre outras modalidades. A aula é semanal, às quartas-feiras, das 9h às 11h, com a professora Ismênia. Também é de graça. OFICINA DE IKEBANA – Arte originária da Índia, mas que foi expandida através do Japão. Inscrições até o dia 15 de junho. Aula única, dia 17/6, e de graça. Apenas é necessário trazer R$ 10,00 para a compra do vaso e das flores. Professora: Petronila. ATIVIDADE FÍSICA – Oficina todas as terças e quintas-feiras, a partir da primeira semana de julho, às 10h, no Espaço Cultural.


13/6/2005 Inscrições abertas para as oficinas A Coordenação de Aposentados informa aos interessados em participar das Oficinas de Patchwork, Artes Visuais, Ikebana e de Atividade Física que as inscrições continuam abertas. Elas podem ser feitas no mesmo dia em que as oficinas acontecem ou na secretaria do Sindicato. Confira mais detalhes: PATCHWORK – Esta oficina ensina a arte de unir retalhos. Uma ótima terapia ocupacional, porque é uma técnica que requer treinamento, criatividade e bom gosto para combinação dos tecidos. Aula mensal – sempre na última sexta-feira do mês (a próxima será dia 24/6), das 9h30 às 12h30, com a professora Débora. O curso é gratuito. ARTES VISUAIS – Abrange duas áreas artísticas, o desenho e a pintura, mas trabalhados simultaneamente. Pinturas em papel, tecido e quadros, entre outras modalidades. A aula é semanal, às quartas-feiras, das 9h às 11h, com professora Ismênia. Também é de graça. OFICINA DE IKEBANA – Uma arte milenar na elaboração de arranjos florais (natural), originária da Índia, mas que foi expandida através do Japão, país este que melhor desenvolveu essa arte. Inscrições até o dia 15 de junho. Aula única, dia 17/6, e de graça. Apenas é necessário trazer R$ 10,00 para compra do vaso e das flores. Professora: Petronila. ATIVIDADE FÍSICA – Oficina todas as terças e quintas-feiras, a partir da primeira semana de julho, às 10h, no Espaço Cultural. 6/6/2005 Aposentados Excursão ao sítio Atenção, companheiros: a próxima excursão será ao Sítio Jonasake, no dia 18 de junho. Os interessados devem procurar a secretaria do SINTUFRJ para se inscrever, ou ligar para mais informações. Os telefones são: 2270-3348/2290-2484/2560-8615 – ramal 2. Data: 18 de junho Saída: às 7h30 Atenção: quem chegar após o horário perderá o passeio. O rigor com a hora é para que aproveitemos mais o passeio. Participe! Inscrições abertas para as oficinas PATWORK – Esta oficina ensina a arte de unir retalhos. Uma ótima terapia ocupacional, porque é uma técnica que requer treinamento, criatividade e bom gosto para combinação dos tecidos. Aula mensal – sempre na última sexta-feira do mês (a próxima será dia 24/6), das 9h30 às 12h30, com a professora Débora. O curso é gratuito. ARTES VISUAIS – Abrange duas áreas artísticas, o desenho e a pintura, mas trabalhadas simultaneamente. Pinturas em papel, tecido e quadros, entre outras modalidades. A aula é semanal, às segundas-feiras, das 9h às 11h, com a professora Ismênia. Também é de graça. OFICINA DE IKEBANA – Uma arte milenar na elaboração de arranjos florais (natural), originária da Índia, mas que foi expandida através do Japão, também o país que melhor desenvolveu essa arte. Inscrições até o dia 15 de junho. Aula única, dia 17/6, e de graça. Apenas é necessário trazer R$ 10,00 para a compra do vaso e das flores. Professora: Petronila. Todas as atividades anunciadas acontecem no Espaço Cultural do SINTUFRJ. Aposentados: próxima reunião Dia 14 de junho, às 10h, no Salão Nobre do CT. Pauta: informes e eleição de delegados para o Congresso do SINTUFRJ. 19/4/2005 Grussaí: interação absoluta NO LAZER. A última excursão promovida pela coordenação em Grussaí foi êxito total. Ambiente agradável, paisagem belissima e integração entre as pessoas produziram química infalível e que estimularam projetos de novos passeios O saldo positivo dos três dias passados no Sesc mineiro de Grussaí confirmou o sucesso da programação turística dos aposentados do SINTUFRJ. Foi mais uma viagem inesquescível, em que os passeios aos pontos históricos da cidade de Campos dos Goytacazes se destacaram entre todos os eventos programados para excursão. Os integrantes da Coordenação de Aposentados e Pensionistas fazem questão de registrar as manifestações de carinho recebidas dos excursionistas e também aproveita a oportunidade para elogiar o comportamento exemplar de todos, quando só a alegria sobressaiu. A próxima excursão já tem local e data definidos, vai ser no Sítio Mônica e Márcia, no dia 18 de junho, com direito a arraiá. Afinal, vamos estar em meio aos festejos de São João. Outros detalhes no nosso próximo encarte. A coordenação reconhece e agradece à prestimosa colaboração dos funcionários do SINDICATO (da Secretaria, Decos, Contabilidade, Reprografia, entre outros) na execução das tarefas programadas. Muito obrigado a todos. Opinião O que diz a categoria sobre as atividades realizadas pela Coordenação de Aposentados e Pensionistas. "Eles estão fazendo um excelente trabalho. A excursão é uma ótima oportunidade para se trocar idéias, conhecer outras pessoas e de entrar em contato com os mais jovens e nos atualizarmos. Tudo isso faz muito bem para a saúde dos idosos. A excursão para Grussaí foi maravilhosa; durou três dias, mas eu gostaria que durasse um ano", afirmou Jacira Lopes Fernandes de 76 anos. Já para a aposentada Dila Oliveira da Silva, 57 anos, a última excursão "foi dos deuses, uma verdadeira terapia". O lugar escolhido, segundo Dila, é para se ficar no mínimo 15 dias. "Nas atividades organizadas pela coordenação acabo conhecendo mais pessoas do que nos 30 anos que trabalhei no CPMG. Alguns acham que é bagunça, mas nos eventos não há espaço para acontecer bagunça". Cantinho da Poesia Gosto de dizer Direi melhor: gosto de palavra As palavras são para mim


Corpos intocáveis Sereias visíveis Sensualidade incorporada Fernando Pessoa Vida e Saúde Saiba mais sobre o câncer de colo do útero O câncer de colo do útero é o mais comum entre as mulheres no Brasil, correspondendo a aproximadamente 24% de todos os cânceres. Os principais fatores de risco são: baixo nível socioeconômico, relação sexual precoce, promiscuidade, parceiro sexual de risco, multiparidade, gestação precoce, tabagismo, radiação prévia, infecção por papilomavírus e herpes-vírus. A prevenção passa por cuidados e informações, como por exemplo sobre o uso de preservativos, doenças sexualmente transmissíveis, promiscuidade, malefícios do cigarro. Toda mulher tem que fazer o exame preventivo de câncer do colo do útero anualmente, a partir da primeira relação sexual ou após os 18 anos de idade. Mulheres acima de 60 anos tendem a deixar de fazer o exame preventivo do câncer uterino, muitas vezes por orientação médica ou porque deixam de se consultar com o ginecologista. Por isso, elas têm mais risco de desenvolver esse tumor, já que não o diagnostica na fase inicial. Próxima reunião mensal dos aposentados técnico-administrativos Dia 27 de abril, às 10h. Pauta: 2ª fase do enquadramento; Projetos da coordenação Informes das ações jurídicas; Assuntos gerais Noticiário sobre o desconto do PSS no suplemento jurídico

4/4/2005 Aposentados Reunião às 10h, no dia 27 de abril, no Salão Nobre do CT (Bloco A). 7/3/2005 Encarte dos aposentados março de 2005 Aposentados e a Carreira

Até dia 14, a próxima segunda-feira, todos devem ter assinado o Termo de Opção e guardar o recibo. Quem não assinar estará fora do novo Plano de Carreira. Os postos de atendimento para os aposentados são: atrás do restaurante no térreo da Reitoria (próximo ao Salão Azul) e na Praia Vermelha, na sala 33 da decania do CFCH. Os aposentados têm que assinar o termo de opção ao novo Plano de Carreira? Como são detentores de cargos, todos têm que optar pelo plano. Os pensionistas têm que assinar? Como os pensionistas não são detentores de cargos, não podem optar pelo novo plano. Segundo o relatório divulgado pela Fasubra, a Constituição Federal que estabelece a paridade entre ativos, aposentados e pensionistas garante a vinculação compulsória dos vencimentos dos pensionistas com a dos ativos, vinculando assim todos estes automaticamente ao novo plano. Aposentados têm postos para entrega do termo de opção O movimento de aposentados foi grande na semana passada na Comissão de Enquadramento, na Reitoria. Mais de uma centena por dia. Isso sem que nem todos tivessem recebido a correspondência enviada pela Reitoria. Segundo a aposentada Mariza Fortes, da Comissão, muitos foram alertados pelo Jornal ou por amigos. Há preocupação da comissão com o segmento: "A principal dificuldade é com relação aos aposentados, muitos deles ainda não receberam o termo em casa, pelo Correio, e estão com dificuldade. Muitos estão em local que não se consegue achar", alertou o coordenador do grupo, Nilson Barbosa, explicando que aqueles que têm dificuldade de locomoção vão ser visitados por uma equipe. Afastados – "A gente tem uma relação de aposentados com dificuldade de locomoção. A partir da semana que vem haverá um rodízio. A comissão vai visitar em casa, entrar em contato por telefone, com parentes, para tentar receber os termos. Aqueles em local ignorado é que vão ser problema", alertou o coordenador da Comissão de Enquadramento. Passo a passo 1 – Dirija-se até o dia 14 de março aos postos definidos pela Comissão de Enquadramento na Reitoria (primeiro andar, na sala atrás do restaurante, próximo ao Salão Azul) e na Praia Vermelha (sala 33 da Decania do CFCH). 2 – A PR-4 enviou pelo Correio um kit com a simulação do enquadramento, a cartilha do SINTUFRJ e o Termo de Opção. Se não recebeu o seu, não espere. Vá ao posto mais próximo para assinar seu termo. 3 – No caso de o Tempo de Serviço Público Federal não estar correto, a PR-4 é quem deverá localizar a averbação existente e, com a Comissão de Enquadramento, proceder aos acertos necessários. Contagem de tempo Será considerado somente o tempo de serviço no serviço público federal. Como é considerado o tempo de efetivo exercício público federal, a licença sem remuneração não será computada como tempo de serviço. A licença-prêmio não será contada em dobro para contagem do tempo efetivo de serviço público. CANTINHO DA POESIA NÓS VOS PEDIMOS COM INSISTÊNCIA


NÃO DIGAM NUNCA: ISSO É NATURAL! DIANTE DOS ACONTECIMENTOS DE CADA DIA NUMA ÉPOCA EM QUE REINA A CONFUSÃO! EM QUE CORRE O SANGUE EM QUE O ARBITRÁRIO TEM FORÇA DE LEI EM QUE A HUMANIDADE SE DESUMANIZA NÃO DIGAM NUNCA: ISSO É NATURAL! PARA QUE NADA POSSA SER IMUTÁVEL! AUTOR: BRECHT REUNIÃO MENSAL DE APOSENTADOS Técnico-administrativos DIA 23 DE MARÇO DE 2005 PAUTA: PLANO DE CARREIRA (2a ETAPA); INFORME DOS PLANOS JUDICIAIS EM ANDAMENTO; PROJETOS DA COORDENAÇÃO; ASSUNTOS GERAIS. EXCURSÃO A GRUSSAÍ ESTÃO ESGOTADAS AS VAGAS PARA NOSSA EXCURSÃO NO PRÓXIMO DIA 1º A 3 DE ABRIL EM GRUSSAÍ (SÃOJOÃO DA BARRA/CAMPOS). ATENÇÃO: NÃO HAVERÁ DEVOLUÇÃO DE PAGAMENTO EM CASO DE DESISTÊNCIA DO EXCURSIONISTA (SALVO EXCEÇÕES). A EXCURSÃO DEVERÁ SAIR DO SINDICATO ÀS 7h30 DO DIA 1º DE ABRIL, DEVENDO RETORNAR ÀS 12H30 (SAÍDA DE CAMPOS) NO DIA 3 DE ABRIL. Reunião para acertos de viagem dia 17 de março ás 10h30, no Espaço Cultural/Sindicato (conhecimento das acomodações, programação das atividades). 31/1/2005 aposentado especial Os riscos do cigarro O fumo provoca câncer, doenças cardiovasculares e coronarianas, devastação pulmonar e afeta o metabolismo. O fumo é responsável por 30% das mortes por câncer e 90% das mortes por câncer de pulmão. Os outros tipos de câncer relacionados com o uso do cigarro são: câncer de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo do útero. São dados devastadores que devem ser levado em conta pelos consumidores de cigarro de todas as idades. Mas o fumo não causa só câncer. Ele também é responsável por um grande número de outras doenças que levam à morte. Doenças Coronarianas - 25% das mortes causadas pelo uso do cigarro provocam doenças coronarianas, tais como angina e infarto do miocárdio. Doenças Cerebrovasculares - O fumo é responsável por 25% das mortes por doenças cerebrovasculares entre elas derrame cerebral. Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas -Nas doenças pulmonares obstrutivas crônicas tais como bronquite e enfisema, 85% das mortes são causadas pelo fumo. Outras doenças também relacionadas ao uso do cigarro ampliam a gravidade das conseqüências de seu uso. O porquê de não fumar - Fumantes têm 10 vezes mais de chances de ter câncer de pulmão; Fumantes têm 50% a mais de chances de terem infarto que os não fumantes; Fumantes têm 5 vezes mais chances de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar que os não fumantes; Dependendo do grau de enfisema pulmonar, mesmo que o indivíduo suspenda o uso do cigarro se torna irreversível o processo. Vida saudável A importância de comer fibras? Quando as pesquisas começaram a mostrar que pessoas adeptas de dietas ricas em gorduras e pobres em fibras são mais propensas a doenças cardiovasculares, diabetes e câncer de colo do útero, o mundo passou a olhar com outros olhos um prato de verduras. Veja, a seguir, os alimentos ricos em fibras. CEREAIS – farelos de trigo, aveia, arroz integral, farinha de centeio e trigo integral. LEGUMINOSAS – feijão, soja, grão-de-bico, lentilha, ervilha. SEMENTES OLEAGINOSAS – castanha-do-pará, amendoim, amêndoa, coco, girassol e gergelim. FRUTAS SECAS - figo, pêssego, ameixa, uva-passa, tâmara, damasco FRUTAS – goiaba, jabuticaba, amora, figo, abacate, ameixa, maçã, pêra, pitanga, acerola, manga, papaia, kiwi, maracujá, uva, laranja, tangerina e banana. VERDURAS E LEGUMES – abóbora, alho-poró, alcachofra, pimentão, broto de soja, brócolis, couve-de-bruxelas, couve flor, vagem, aspargos, palmito, cenoura, beterraba, milho, ervilha verde, folhas verdes (couve, espinafre, agrião, bertalha). Receita sem gordura Mousse de melancia Ingredientes 600 gr de polpa de melancia 2 envelopes de gelatina sem sabor (cor vermelha) 1 xícara de água morna, dividida 6 envelopes de adoçante 8 colheres de sopa de passas amolecidas em meia xícara de vinho branco seco.


Modo de fazer Numa panela, amoleça a gelatina em meia xícara de água. Leve ao fogo baixo mexendo até dissolver. No liquidificador, bata a polpa da melancia com a água restante. Adicione a gelatina e adoce a gosto. Divida a mistura em 8 taças e leve à geladeira para firmar. Na hora de servir, numa panelinha leve ao fogo as passas com ovinho até levantar fervura e despeje, dividindo igualmente, sobre cada porção. Fonte: Vigilante do Peso Notas As inscrições para a excursão em Grussaí no próximo dia 1º de abril continuam abertas na secretaria do SINDICATO. Não perca essa oportunidade de passar um fim de semana maravilhoso "curtindo o Sesc-Mineiro e as praias em São João da Barra, em Campos. Preço: adultos R$ 150,00 (parcelados em 3 vezes)e crianças R$ 70,00 (incluindo refeições e bebidas). Passeios de trem Maria Fumaça, pagos à parte. Inscrevam-se já. Vagas são limitadas. Maior informações na secretaria do sindicato. Uma poesia Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias a Que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial Industrializou a esperança, fazendo-a Funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano Se cansar e entregar os pontos. Aí o milagre da renovação e tudo começa outra vez, Com outro número e outra vontade de acreditar Que daqui para diante vai ser diferente. Carlos Drummond de Andrade Reunião dos Aposentados Dia 16 de fevereiro Pauta: Plano de Carreira (esclarecimentos sobre a nova lei, situação dos aposentados). Informações sobre ações judiciais (FGTS, 28%). Projetos da Coordenação de Aposentados. Assuntos gerais Atenção: esclarecimentos e informações sobre o Plano de Carreira no Guia Especial 16/8/2004 O que muda para os aposentados da UFRJ com a aprovação do confisco pelo STF COM O REI NA BARRIGA. "Sábios" ministros do STF votaram contra os aposentados - Foto: Niko Júnior Na quarta-feira, dia 18, o Supremo Tribunal Federal (SPF) votou pela constitucionalidade do confisco dos servidores públicos aposentados, mas elevou o teto de isenção para R$ 2.508,72. Como os aposentados e pensionistas da UFRJ foram beneficiados com uma liminar da Justiça antes mesmo do início da cobrança da taxação, em maio, devido ao mandado de segurança impetrado em abril pela assessoria jurídica do SINTUFRJ, agora resta à categoria saber o seguinte: Se os aposentados e pensionistas da UFRJ que ganham acima de R$ 2.508, 72, que é o novo teto da isenção, terão de pagar, através de descontos retroativos nos seus salários, o que deixaram de contribuir desde maio, quando o imposto começou a vigorar. Fala o advogado O assessor jurídico do Sindicato, André Viz, que cuidou da ação que livrou os aposentados da taxação até agora, não sabe quantos beneficiados serão atingidos pela decisão do Supremo, a partir da ampliação da faixa de isenção. Em relação a um eventual desconto retroativo, André informou que essa é uma questão com a qual ele vai se deparar nas próximas semanas. Mas como a decisão tem efeito vinculante, quem recebe acima do piso de isenção, deverá ser descontado. André admite que se trata de uma questão polêmica. O governo vai devolver o dinheiro aos aposentados e pensionistas que foram descontados desde maio e que ganham menos do que R$ 2.508,72. Expectativa O advogado explicou que a expectativa no momento se volta para a publicação da decisão do Supremo Tribunal sobre a taxação, que para vigorar vai depender da publicação do acórdão no Diário Oficial, o que deve ocorrer dentro dos próximos dias. "Um acórdão pode levar até 30 dias para ser publicado, mas como trata-se de uma matéria de interesse do governo, esse prazo pode ser reduzido". Ele disse também que os tribunais de instâncias superiores, com sentenças que livravam os aposentados da taxação, também devem ser oficiados (informado oficialmente) da decisão do STF. Histórico do nosso caso A assessoria do Sindicato entrou com mandado de segurança em abril contra a taxação dos aposentados e pensionistas da UFRJ aprovada pela reforma da Previdência Social. Antes do início da cobrança da contribuição em maio, a Justiça concedeu liminar ao mandado. Em 12 de julho, o juiz da 27ª Vara Federal, Washington Juarez de Brito Filho, considerou procedente o mandado de segurança e proferiu sentença determinando a isenção da taxação. Agora, com a decisão do STF, instância máxima, a sentença será reformada. Governo pressionou O pronunciamento do Supremo foi provocado por uma ação de inconstitucionalidade movida pelo Ministério Público. A ação defendia a tese segundo a qual a taxação era inconstitucional (portanto, ilegal) porque feriria direitos adquiridos. O julgamento do STF começou em maio, com o governo perdendo de 2 a 1 na votação. Diante disso o Palácio do Planalto pressionou e a continuidade do julgamento foi transferida para maio. O governo ganhou tempo, pressionou os ministros e ganhou a parada. A decepção com o governo e a justiça Murillo de Carvalho dedicou sua vida profissional à UFRJ, e só parou de trabalhar na Divisão de Recursos Humanos do Hospital Universitário


Clementino Fraga Filho em 1995, quando se aposentou. Murilo considerou como "uma grande desilusão para a categoria" o Supremo Tribunal Federal aprovar o que queria o governo federal, que é a cobrança da contribuição previdenciária dos servidores inativos. A decepção dos técnicosadministrativos, segundo Murillo, não muda com a elevação do teto de isenção para R$ 2.508,00. O aposentado define a política do atual governo como casuística e desprovida de planejamento para o desenvolvimento do país e a melhora das condições de vida da classe trabalhadora. "Acho que esse governo se esqueceu das idéias que defendia e também os deputados. Pois os mesmos que obstruíam no Congresso Nacional as votações para cobrança de contribuição dos aposentados, no governo de FHC, aprovaram agora esse absurdo." Para o aposentado, a taxação é inconstitucional e injustificável. "Eles passaram por cima da lei e da Constituição, punindo aqueles que contribuíram uma vida inteira para construir um fundo de aposentadoria. E, ainda por cima, usarão esse dinheiro para cobrir o rombo atual da Previdência Social, causado pelo próprio governo, que deixou de recolher a sua parte e pelos sucessivos desvios praticados pelos poderosos desse país. Essa é a coisa mais escandalosa que eu já vi." 16/8/2004 Alerta aos aposentados e pensionistas O superintendente da Pró-Reitoria de Pessoal, Roberto Gambini, faz um alerta aos trabalhadores aposentados e aos pensionistas para o golpe do cadastro. E informa que a UFRJ não está realizando nenhum trabalho de atualização cadastral e que também não é prática da universidade procurar o servidor em sua casa. A recomendação é que, em caso de receber a visita de um dos golpistas, denuncie imediatamente à polícia e informe o fato à Pró-Reitoria. Uma pensionista que quase caiu no golpe contou que foi procurada por um homem que se disse chamar William e que estava a serviço da Pró-Reitoria de Pessoal para atualizar seus dados cadastrais e financeiros. De acordo a Pró-Reitoria, a tática dos golpistas para ganhar a confiança da vítima é adiantar alguns dados sobre o servidor. Depois parte para arrancar informações sobre seu cadastro funcional e financeiro. Desconto nos aposentados A PR4 informa também que houve erro no pagamento dos aposentados. Eles foram descontados no PSS, o que não pode ocorrer pois há uma ação do Sindicato que garante o não desconto. Segundo a PR-4 a devolução será feita na próxima folha de pagamento. 9/8/2004 Excursão a Conservatória dias 5 e 7 de novembro Os interessados devem se inscrever na secretaria do SINTUFRJ o mais rápido possível, pois há limite de vagas. A Coordenação dos Aposentados informa que o Sindicato está bancando as passagens de ônibus e que os valores cobrados apenas cobrem as despesas com hospedagem em hotel. Portanto, a iniciativa não visa lucro. Confira os valores cobrados pelos hotéis Acalento e Vilarejo: Apartamento exclusivo (1 pessoa) – R$ 350,00. Apartamento duplo (2 pessoas ou casal) – R$ 230,00 por pessoa. Apartamento triplo (3 pessoas) – R$ 220,00 por pessoa. Estes custos incluem as refeições de sexta-eira à Domingo. 26/7/2004 Todos os aposentados e pensionistas da universidade estão livres da taxação confiscatória de11% Vitória na Justiça Desde maio, aposentados e pensionistas da UFRJ estão livres da taxação instituída pela reforma da Previdência. Essa isenção foi conseguida por meio, primeiro, de uma liminar e, depois, de um mandado de segurança. A validade da taxação dos aposentados também estava sendo julgada pelo Supremo Tribunal Federal, entretanto, uma manobra do governo paralisou a votação. A reforma da Previdência, promulgada pelo Congresso no dia 19 de dezembro de 2003, estabeleceu, entre outros, que a partir de 20 de maio deste ano aposentados e pensionistas seriam descontados em 11%. Mas em cumprimento a uma liminar expedida pela 24ª Vara Federal os aposentados e pensionistas da UFRJ não estão sendo descontados. A liminar foi concedida atendendo a um mandado de segurança impetrado pelo Departamento Jurídico do SINTUFRJ. Semana passada, o juiz Washington Juarez de Brito Filho, da 24.ª Vara Federal, julgou o mérito do mandado de segurança impetrado pelo SINTUFRJ e o considerou procedente, e emitiu sentença determinando a isenção da taxação dos aposentados e pensionistas, sindicalizados ou não. O governo pode recorrer da decisão do juiz Washington Filho, mas por enquanto aposentados e pensionistas da UFRJ não serão descontados. A decisão final sobre a taxação de 11% de aposentados e pensionistas só será conhecida após o julgamento do Supremo Tribunal Federal. O Supremo é que decidirá se a cobrança é válida ou não. A decisão estava próxima de ocorrer, pois a constitucionalidade do desconto já estava sendo julgada pelo Supremo, mas uma manobra jurídica do governo adiou a votação. No dia 26 de maio, os ministros do Supremo Tribunal estavam julgando a validade da taxação quando um dos ministros, César Pelluzo, pediu vistas do processo e adiou a votação. O adiamento fez parte de uma manobra do governo para ganhar tempo e tentar convencer os ministros do Supremo a votar a favor da cobrança. Até o momento em que foi suspensa, a votação estava em 2 votos a 1 contra a cobrança. Além disso, cinco dos onze ministros do Supremo demonstravam ser contra a cobrança. Os ministros Carlos Ayres Britto e Ellen Gracie Northfleet, relatora da ação, votaram contra a taxação. Já o ministro Joaquim Barbosa foi favorável ao desconto de 11% dos aposentados e pensionistas. Segundo a relatora da ação, Ellen Gracie Northfleet, a cobrança fere a Constituição. Em seu voto, a ministra considerou que com essa cobrança o governo estaria impondo aos trabalhadores uma bi-tributação. Os argumentos do governo de que os servidores não contribuíram o suficiente e de que há déficit na Previdência não são legítimos para justificar a tributação, de acordo com a relatora Ellen Gracie. Entenda o que é: Liminar - O objetivo da liminar é evitar que a pessoa que entrou com o processo seja prejudicada enquanto a Justiça não julga a ação. No caso dos aposentados e pensionistas da UFRJ, foi uma liminar que impediu o desconto de 11%. Assim, evitou-se a taxação antes de a ação ser julgada, o que causaria prejuízo aos aposentados.


Mandado de segurança - O mandado de segurança tem como objetivo assegurar, em juízo, que se cumpra um direito. O mandado de segurança é utilizado quando o direito do cidadão está ameaçado por ato ilegal ou inconstitucional de uma autoridade. A taxação dos aposentados está sendo considerada inconstitucional por isso, é utilizado o mandado de segurança. Supremo Tribunal Federal - O Supremo Tribunal Federal é a última instância de julgamento de uma ação. É o Supremo que julga se as leis feitas pelo Poder Executivo estão de acordo com a Constituição. Como o Ministério Público entrou com uma ação pedindo a inconstitucionalidade da taxação, é o Supremo Tribunal Federal o responsável pelo julgamento. Conheça o perfil dos aposentados e pensionistas da UFRJ Reunião discutiu greve Na reunião de 24/6 discutimos: greve e campanha salarial, ações judiciais, Encontro Nacional de Aposentados e criação do Grupo de Trabalho (GT) de Aposentados. Em relação à greve, ressaltamos a importância da manutenção da paridade entre ativos e aposentados, o não-cumprimento dos acordos por parte do governo com os setores do funcionalismo público e a importância da participação efetiva nas atividades e assembléias da categoria. Debatemos as dificuldades encontradas no atendimento prestado pela Reitoria aos aposentados, assim como na Justiça, em todos os âmbitos, no encaminhamento dos processos e o não, cumprimento do Estatuto do Idoso. Para que estes e outros direitos sejam respeitado faz-se necessária a organização dos aposentados, e, neste sentido, estamos discutindo a realização dos Encontros Regionais. Na discussão sobre Encontro Nacional, foi reafirmada a defesa da universidade como patrimônio da sociedade e do respeito que deve ser dado aos trabalhadores que ajudaram a construí-la, bem como o acompanhamento atento aos projetos da reforma universitária em andamento. Abrimos a discussão sobre a criação do GT de Aposentados, aberto a todos que queiram contribuir, realizar estudos sobre assuntos de aposentadoria, atuando como forma de representação e somando esforços na unificação dos trabalhos realizados pelo Sindicato e pela Reitoria. Voltaremos a discutir o assunto nas próximas reuniões - participem e tragam suas contribuições! Acordo é para o setor privado Os aposentados da UFRJ não serão atingidos pelo acordo de parcelamento das correções das aposentadorias anunciado pelo governo semana passada. "Essa questão só tem a ver com os aposentados do setor privado que se aposentaram entre os anos de 94 e 97", disse o advogado André Viz. Culinária Bolo de Abacaxi Ingredientes: 3 ovos - 200g de manteiga (ou margarina) - 3 xícaras de farinha de trigo - 2 xícaras de açúcar - 1 colher de sopa de fermento em pó - 1 xícara de leite 1 abacaxi cortado em fatias Modo de fazer Bater (na batedeira ou manualmente) as gemas. - Junte a margarina e o açúcar, e bata bem. - Acrescente a farinha, o fermento, o leite e por último as claras batidas em neve, e misture bem. À parte Coloque 1 xícara e meia de açúcar numa fôrma redonda e derreta o açúcar até ficar caramelizado. - Coloque as fatias de abacaxi (cru) em toda fôrma (centro e lateral) já caramelizada e ponha em cima do abacaxi a massa do bolo. - Deixe assar em forno quente por uns 30/40 minutos. - Dica: enfiar um palito no bolo; saindo seco, o bolo estará assado. - Desenforme quando estiver bem frio. O efeito é muito bonito. Cantinho da Poesia SEMENTE DE UM AMOR PERDIDO Certo dia alguém partiu E eu morri, Antes de viver, Uma fuga silenciosa e fria Um vazio imenso Vontade de não ser Que fazer...Penso. Renascer sim reviver E a semente do amor perdido Começou a nascer Regava-a com pranto dorido Para depressa crescer Finalmente, floriu De uma pequenina semente Que dá destruição surgiu, De um grande amor ausente. Espero doces frutos colher Do desencanto, da decepção Para a ilusão não morrer E, renovar sempre um coração. Zezé Barcelos


Reunião de Aposentados 18 de agosto de 2004 Pauta: Campanha salarial/greve, Informes das ações judiciais, GT de Aposentados (discussão) e Assuntos Gerais Excursão Hotel-Fazenda Acalanto/inscrições até 30/7/2004 Venha curtir excelente fim de semana em Conservatória Pacote incluindo pensão completa (jantar de 6a-feira até ao almoço de Domingo), festividades, música ao vivo, recreação (crianças e adultos), caminhadas ecológicas entre os dois hotéis à disposição dos hóspedes. Acomodações com banheiros privativos, TV em cores, ar-condicionado, telefone (acomodações a partir de 3 pessoas por quarto). Passeios a Conservatória (serestas). Obs.: passeios de pedalinho, charrete e pescaria serão cobrados à parte (tabela na secretaria) Preços: adultos R$ 220,00 em 4 vezes (1ª em agosto) Criança: R$ 90,00 (de 5 a 10 anos) em 4 vezes (1ª em agosto) ESPAÇO DO APOSENTADO/PENSIONISTAS Solicitamos que nos envie matéria para este espaço com críticas, sugestões, opiniões. 21/6/2004 Encontro em Brasília A pauta envolveu o impacto da reforma universitária na sociedade e a taxação dos aposentados Servidores aposentados se reuniram no dia 3 de junho em Brasília no Encontro de Coordenadores de Aposentados das entidades filiadas à Fasubra. O evento debateu o país, a reforma universitária e seu impacto na sociedade, pontos do Projeto de Universidade da Fasubra e a taxação previdenciária dos aposentados. De acordo com a avaliação feita pelos 23 servidores das 18 entidades presentes, houve crescimento na participação dos aposentados nos fóruns, como nos seminários regionais. Esse aumento foi atribuído à atual preocupação com os rumos da política econômica, com ênfase nos assuntos de aposentadoria. O SINTUFRJ esteve representado no fórum por Márcia Rocha. A diretora apresentou informes sobre os projetos em andamento desenvolvidos pela Coordenação de Aposentados do Sindicato, como reuniões e encartes mensais, atividades de lazer, entre outros. O fórum aprovou duas moções de repúdio. A primeira ao posicionamento do governo, que tem pressionado o Supremo no sentido de manter a taxação previdenciária de 11% dos aposentados. A última ação do governo neste sentido foi conseguir que o julgamento da ação de inconstitucionalidade contra a taxação só fosse reiniciada em agosto. A outra moção foi endereçada ao ministro da Previdência, Amir Lando, que, ao ser questionado sobre o longo prazo para pagamento dos atrasados das aposentadorias, respondeu que milhares de aposentados já teriam falecido até o final deste período. Outro indicativo tirado foi de que a Fasubra continue defendendo na Mesa Nacional de Negociação a manutenção dos aposentados na folha de pagamento das IFES e a paridade entre ativos e aposentados. Todas as resoluções tiradas foram encaminhadas à Plenária da Fasubra dos dias 4 e 5 de junho. Os servidores estão discutindo um Encontro Nacional dos Aposentados, a ser encaminhado pela Federação e que deverá ser precedida por Encontros Regionais. A recomendação do encontro é que as discussões sobre os rumos da política econômica relacionados com a aposentadoria devem ser feitas por todos os servidores, ativos e aposentados. Nos próximos números informaremos sobre os desdobramentos destas discussões. Fórum aprovou moções de repúdio. Uma contra o governo que pressiona o STF. A outra contra o ministro da Previdência Social, Amir Lando Excursão foi um sucesso Cerca de 100 pessoas – companheiros ativos e aposentados de nossa comunidade – participaram do passeio ao Sítio Jonosake, em Itaguaí, no sudeste do Estado do Rio. A excursão acabou se transformando num espaço de divertimento e integração, criando momentos inesquecíveis – como atestam as fotos – para os 76 adultos e 24 crianças que ocuparam os dois ônibus que alugamos. A Coordenação dos Aposentados agradece o apoio do Sindicato e do Gabinete do Reitor, que contribuíram para o aluguel do transporte, o que reduziu os custos para os sindicalizados. Queremos registrar um agradecimento especial à equipe da Secretaria do SINTUFRJ e a todos aqueles que contribuíram para a organização da excursão. Estamos preparando um próximo passeio para outubro. Desta vez o destino será a cidade de Conservatória. Mais informações na página seguinte e nas edições do Aposentados/Especial em julho. Como cuidar da Hipertensão Médico alerta que enfermidade pode passar despercebida. Idosos devem redobrar cuidados Hipertensão, ou pressão arterial alta, é uma doença crônica. Por não provocar sintomas, é uma enfermidade que muitas vezes passa despercebida. Algumas pessoas só descobrem que são hipertensas quando começam a ter lesões em órgãos como coração, rim, retina, cérebro, que são chamados pelos médicos de órgãos alvo. No caso dos idosos, o problema é freqüente, e os cuidados devem ser redobrados. Existem dois tipos de hipertensão, a causada em decorrência de outras doenças e a que é resultado da herança genética e do estilo de vida, que é a que atinge 95% das pessoas. "Uma pessoa que tem uma história familiar de hipertensão, que come bastante sal, que aumenta de peso corre o risco de ter a hipertensão primária, que é a união da herança genética com o estilo de vida", afirmou Armando da Rocha Nogueira, coordenador do Programa de Hipertensão do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho e segundo secretário da Sociedade Brasileira de Hipertensão Como prevenir


Para prevenir a hipertensão ou controlá-la, é fundamental ter uma alimentação com pouco sal, muitas frutas e verduras frescas, fazer exercício físico durante 40 minutos pelo menos 4 vezes na semana, manter o peso e evitar beber bebidas alcoólicas e fumar. No caso dos idosos, o ritmo dos exercícios tem de ser menor. "A bebida alcoólica aumenta a pressão arterial. Não se deve tomar mais que 30g de bebida alcoólica por dia. Quem bebe o equivalente a 600ml de cerveja vai se tornar hipertenso", disse o médico Armando Nogueira. A pressão arterial considerada normal é a que está abaixo de 120 de pressão sistólica por 80 de diastólica (popularmente conhecida como 12 por 8). Quando a pressão está entre 120/80 e 139/89 aumenta o risco da pessoa ter hipertensão. Quem está nesse caso deve fazer um acompanhamento médico e iniciar uma dieta pobre em sal e rica em potássio, além de fazer exercícios. Já as pessoas que têm pressão igual ou superior a 140/90 são consideradas hipertensas. Esses indivíduos têm de fazer dieta e exercícios físicos, e, tomar remédios para controlar a pressão por meio de remédios. Como controlar "Quem não se tratar vai acabar tendo lesão de órgão alvo. Quando isso ocorre, pode-se tratar a hipertensão, mas o dano causado nos órgãos já ocorreu", afirmou o médico. Para controlar a pressão, é fundamental que, no mínimo, uma vez por ano se verifique a pressão arterial. Já os que estão na faixa de risco ou que são hipertensos devem fazer um aferição constante da pressão arterial. "Trinta e quatro por cento das mortes no Brasil são decorrentes de doenças cardiovasculares. E o principal fator que leva a essas doenças é a hipertensão. É fundamental que em todo atendimento de saúde se verifique a pressão arterial. Pois essa seria a forma de todas as pessoas controlarem como está sua pressão arterial", concluiu o médico Armando Nogueira. Poesia Arrebentação Autor: Cláudio Cutylada (Semeador de Poesia) Jorre do erro a dor e o sangue Dilacere meu peito com a tua lembrança na qual impossível reconstrução de tudo o que fomos nós ... Tua imagem caminha com os meus passos Tomo cuidado para não esmagá-la sob os meus pés Olho o céu repleto de estrelas Sinto a saudade doída da tua ausência Deus me esmaga com a sua criação Teus olhos claros brilham na minha escuridão Lanço um grito gutural Teu nome ecoa no vazio da noite sem resposta Tua voz soa no vento e não me serve de alento Arrebento os postigos dos meus olhos O mar invade a minha noite E traga a tua imagem da minha lembrança Imagens do Hotel-Fazenda na cidade de Conservatória, destino da próxima excursão que será organizada pela Coordenação dos Aposentados 31/5/2004 Palácio do Planalto atua no Supremo Tribunal Federal para tentar manter taxação dos aposentados Taxação dos inativos Governo manobra no Supremo Por meio de uma jogada jurídica o governo conseguiu suspender, na última quarta-feira, o julgamento sobre a validade da taxação dos aposentados e pensionistas instituída pela reforma da Previdência. A votação do Supremo Tribunal Federal (STF) estava em 2 votos a 1 contra a cobrança quando um dos ministros do Supremo, César Pelluzo, pediu vistas do processo e suspendeu a votação por dez dias. Votaram contra a cobrança dois ministros: a relatora da ação Ellen Gracie Northfleet e Carlos Ayres Britto. Já Joaquim Barbosa votou a favor da taxação dos inativos. O adiamento da votação deu ao governo tempo para conseguir convencer os ministros do STF a votarem a favor da cobrança. Até o momento em que foi suspensa a votação cinco ministros, dos dez do Supremo (ao todo são 11, porém uma cadeira está vaga devido à aposentadoria de um dos ministros), davam indicações de que votariam contra a taxação. Para conseguir cinco votos a favor da cobrança e empatar a votação, o governo tem que contar com o voto do presidente do STF, Nelson Jobin. O desempate seria feito de duas formas: ou se espera a nomeação de Eros Grau, que já se posicionou contra a cobrança, para o lugar vago no STF ou convoca um ministro do Supremo Tribunal de Justiça. Relatora justifica voto - A relatora da ação no STF, ministra Ellen Gracie Northfleet, em seu voto considerou que a cobrança fere a Constituição. Segundo ela o governo estaria impondo uma bitributação aos trabalhadores. Ellen disse ainda que os argumentos do governo para a taxação, de que há déficit da previdência e de que os servidores não contribuíram o suficiente, não são legítimas para justificar a tributação. Aposentados da UFRJ não serão taxados Como noticiamos com detalhes na edição (nº 618) anterior do Jornal do SINTUFRJ, os aposentados da UFRJ não sofrerão a taxação de 11% instituída na Reforma da Previdência. Uma liminar concedida pela 24ª Vara Federal atendeu ao mandado de segurança impetrado pelo SINTUFRJ e suspendeu a cobrança dos aposentados e pensionistas da UFRJ. A decisão beneficia em torno de 8 mil aposentados e pensionistas da UFRJ. A reforma da Previdência, aprovada ano passado pelo Congresso, determinou que a partir de 20 de maio aposentados e pensionistas teriam um desconto de 11%. O governo, através da Advocacia-Geral da União (AGU), está esperando um pronunciamento do Supremo sobre o assunto, para saber se recorre da decisão que beneficiou os aposentados da UFRJ. Em 1996, quando Fernando Henrique tentou estabelecer essa cobrança por meio de medida provisória e uma ação semelhante proposta pela assessoria jurídica do SINTUFRJ conseguiu que o Supremo Tribunal Federal declarasse a cobrança inconstitucional. Na época os aposentados e pensionistas da UFRJ não sofreram o desconto, pois estavam amparados por liminar conseguida pelo SINTUFRJ.


Cada vez mais esta fórmula é adotada país afora com resultados positivos, estímulo ao conhecimento e à atividade física Universidade da Terceira Idade Os projetos de Universidade Aberta da Terceira Idade têm sido adotados por várias instituições públicas no país. No Rio, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) tem uma experiência positiva. Um dos projetos pioneiros foi desenvolvido pela USP (Universidade de São Paulo), no campus Luiz de Queiroz , em Piracicaba. Na Uerj e na USP o objetivo é possibilitar ao idoso aprofundar conhecimentos em alguma área de seu interesse e ao mesmo tempo trocar informações e experiências com os jovens. A idade mínima de participação nos projetos é de 60 anos, seguindo classificação estabelecida pela ONU e pela Unesco. Os alunos são vinculados ao projeto, com direito a receber certificado de participação. Disciplinas muito específicas requerem exame prévio de currículo ou entrevista com o docente responsável. Na maioria delas nada é exigido, desde que haja por parte dos candidatos condições suficientes de aproveitamento. Além das atividades pedagógicas, os idosos contam com uma vasta programação que inclui lazer e exercícios físicos, para manter a saúde física e mental. Idosos são bem tratados. Na China Caminhada orientada e condicionamento físico Na China visitada recentemente pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo os dados da Administração Estatal de Estatísticas, neste ano, a população com idade superior aos 60 anos alcançou 130 milhões de pessoas e ocupa 10% da toda a população chinesa. Quando o número de idosos ocupa 10% de toda a população, a sociedade é caracterizada como em "fase de envelhecimento". Portanto, a China está nesta fase. A pesquisa publicada pelo Centro de Pesquisa Científica de Idosos da China aponta, também, a existência de 10 milhões de idosos com mais de 80 anos de idade, e entre os idosos urbanos pesquisados, 98% possuem meios de sustento próprios. O principal tipo de educação para idosos na China, desde a década de 80 do século 20, é o desenvolvido pela Universidade da Terceira Idade. Na China, A Universidade da Terceira Idade é considerada uma nova obra educacional e corresponde às exigências do envelhecimento da população. Com a adoção da reforma e abertura e dos progressos científicos e culturais, as universidades de idosos chineses estão mais populares em todo o País, demonstrando sua ampla base social e força. Todos os cursos de universidade enriqueceram a vida de idosos. Um senhor com 68 anos de idade disse à nossa reportagem: "Estou aposentado há 8 anos. Acho que na vida humana, deve-se estudar sem parar até morte. A universidade de idosos forneceu esta boa oportunidade."A universidade faz com que elevem o nível de sua vida, seu ambiente e estudos mais científicos. Na construção da civilização material, política e espiritual do socialismo, através da universidade, os idosos mostram sua nova fisionomia espiritual. Receita do mês Torta Diet de Espinafre e Ricota sem Massa (Equivale a 1 porção de carne magra e ½ de vegetal) 1 ½ xícara de espinafre cozido e picado ½ xícara de cebola picada 2 ovos 1 ½ xícara de ricota ¼ de colher (chá) de sal light (opcional) ¼ de colher (chá) de pimenta-do-reino ¼ de colher (chá) de noz-moscada 2 colheres (chá) de farinha de trigo 1 pitada de páprica Numa caçarola com capacidade para 1 ½ litro misture o espinafre e a cebola. Cozinhe em potência alta por 4 a 6 minutos, mexendo 1 vez. Escorra bem. Em uma tigela, bata os ovos com um garfo. Junte a ricota, o sal, a pimenta, a noz-moscada e a farinha. Acrescente o espinafre e a cebola e misture. Espalhe a mistura em uma fôrma refratária de 22,5 cm de diâmetro. Polvilhe com a páprica. Cozinhe em potência alta por 4 minutos, girando o prato a cada 2 minutos. Reduza a potência para média e cozinhe por mais 8 a 11 minutos, ou até ficar firme no centro. Deixe descansar por 5 minutos. Rendimento: 8 porções. Consultório Sono Alimentos que contenham cafeína estimulam o sistema nervoso central e prejudicam o sono. A cafeína está presente no chá, café preto e refrigerantes de cola. Já os chá de alface e de maçã servem como calmantes. Chá digestivo O chá de canela é um excelente digestivo e estimula a função hepática. Para fazer um bom chá de canela basta ferver, por vinte minutos, dois copos de água com duas colheres de sopa de cascas picadas de canela. Coe e beba três xícaras de chá ao dia. Serviços Veja abaixo alguns sites voltados para a terceira idade: Velhos amigos – www.velhosamigos.com.br Clube da Terceira Idade – www.clubedaterceiraidade.com.br Banco de leis de idosos www.pbh.gov.br/leisdeidosos Reunião dos aposentados 24 de junho – quinta-feira 10 horas – Sede do Sindicato 10/5/2004


Aposentados Mandado contra desconto Deve sair esta semana a decisão judicial sobre o mandado de segurança impetrado pelo SINTUFRJ para impedir o desconto de 11% sobre as aposentadorias e pensões. O assessor jurídico do SINTUFRJ, André Viz, espera que a decisão seja favorável aos 8 mil técnicos-administrativos aposentados e pensionistas filiados ao Sindicato. Vários sindicatos já entraram na Justiça propondo ação semelhante. A Associação Norte-Rio-Grandense dos Auditores Fiscais já conseguiu liminar contra a contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas. A Anfip (Associação Nacional dos Fiscais da Previdência) pretende usar os argumentos dessa liminar para convencer os ministros do Supremo Tribunal Federal a suspender o desconto para os assessores fiscais de todo o país. A reforma da Previdência aprovada ano passado pelo Congresso determinou que a partir de 20 de maio aposentados e pensionistas teriam um desconto de 11%. Em 1996, quando Fernando Henrique tentou estabelecer essa cobrança por meio de medida provisória, uma ação semelhante proposta pela assessoria jurídica do SINTUFRJ conseguiu que o Supremo Tribunal Federal declarasse a cobrança inconstitucional. Na época os aposentados e pensionistas da UFRJ não sofreram o desconto, pois estavam amparados por liminar conseguida pelo SINTUFRJ. Um dos objetivos da reforma da Previdência foi atender a orientação da política econômica de reduzir despesas para pagar juros da dívida pública Taxação dos inativos SINTUFRJ vai à luta Em 1996, o SINTUFRJ conseguiu brecar na Justiça o desconto proposto por FHC A assessoria jurídica solicitou a listagem de todos os aposentados e pensionistas filiados ao SINTUFRJ para propor ação na Justiça para impedir o desconto que incidirá sobre as aposentadorias e pensões. A Constituição passou a determinar o desconto a partir da reforma da Previdência aprovada pelo Congresso no ano passado. O início da cobrança será a partir de 20 de maio. A assessoria está colecionando um conjunto de decisões judiciais distribuídas pelo país favoráveis a aposentados e pensionistas. O assessor André Viz informa que tem integrado o grupo de estudo da FASUBRA que montou uma rede de informações de assessores criando um canal de comunicação em nível nacional. Os advogados buscam decisões favoráveis ou não para embasar sua argumentação ao rebater a cobrança na Justiça. No caso da UFRJ, especificamente, que conta com um número bastante expressivo de aposentados técnico-administrativos e docentes e pensionistas filiados, a ação se refletirá de modo bastante representativo: "Estamos avaliando o que fazer diante da importância dessa ação, para que tenhamos condições de obter um resultado positivo como o de 1996, quando conseguimos brecar o desconto de inativos que Fernando Henrique Cardoso queria estabelecer através de uma medida provisória", disse André. Liminar protetora O Supremo Tribunal Federal se pronunciou, à época, sobre a inconstitucionalidade da medida. Mas até que isso acontecesse, muitos servidores inativos sofreram o desconto durante alguns meses. Muita gente teve seu dinheiro confiscado e não se sabe se foi restituído. Não foi o caso dos aposentados e pensionistas da UFRJ, que estavam amparados por uma liminar, fruto de ação bem sucedida movida pelo SINTUFRJ na época. Oito anos depois, o Sindicato reage mais uma vez à taxação de aposentados e pensionistas. "O jogo político foi ganho ano passado quando conseguiram aprovar a emenda. Resta agora saber se os 11 ministro de outro poder – o Supremo – entendem que a matéria é inconstitucional como da outra vez. Mas desta vez tem reflexos econômicos e outros elementos de uma conjuntura que tornam o jogo mais amplo. A gente vai lutar, essa é a promessa que vou fazer, como sempre lutou por tudo, para tentar barrar a taxação como conseguimos em 96", avaliou o assessor do SINTUFRJ. Queridos companheiros aposentados: Direciono a vocês estas palavras que, espero, possam alcançar os seus anseios e desejos. Precisamos urgente resgatar a nossa identidade de aposentados da UFRJ. Não podemos agir como excluídos. Quando falo excluído, dirijo-me a você mesmo que está distante dos problemas da nossa Universidade, como se ela não lhe pertencesse mais. Você que passou sua vida dedicada a esta universidade, agora é hora de lutar também junto aos companheiros da ativa para que nós aposentados possamos contribuir com mais presença, mais força e com a dignidade que a nossa experiência pode dar, não só para atingir a nossas "causas" financeiras - 28%; 26%; FGTS etc.., mas também lutar para a nossa reintegração nas atividades físicas, de educação e de lazer que poderão ser proporcionadas pelo nosso sindicato. "Vamos acordar" e viver intensamente a nossa "melhor idade". Nossa proposta é despertar em vocês a garra e a vontade de iniciar uma nova etapa, exigindo o "direito" de ser respeitado, enquanto cidadão e parte integrante desta Universidade e do Sindicato que pretende, cada vez mais, pensar, agir e conquistar sempre para o conjunto da nossa categoria – trabalhadores ativos e aposentados. Maria José - Coordenação dos Aposentados Mais trabalho Há 50 anos David Dorigo saiu de Minas Gerais e veio morar no Rio de Janeiro com seus pais. Professor de matemática, dedicou toda sua vida profissional ao trabalho no serviço público. De 1967 até 1995 David trabalhou no Instituto de Matemática da UFRJ. Aposentado, com 61 anos de idade, David continua dando aulas para poder complementar a aposentadoria. "Eu tenho que lecionar em universidades particulares para poder complementar minha renda e manter minha família", afirmou David. Para o aposentado, os funcionários públicos estão sendo desprestigiados pela União. Segundo Davi Dorigo os servidores estão perdendo seus direitos. "Ao longo do tempo estamos perdendo direitos. Quando eu era da ativa tínhamos mais direitos, que agora estamos perdendo como é o caso da taxação dos inativos. Essa é uma cobrança injusta. Durante o período em que fomos ativos já pagamos a contribuição. Quando estava na ativa como professor eu descontava a contribuição do meu salário. Não é justo cobrar agora dos aposentados e pensionistas. O que eles estão fazendo é cobrar de novo", disse David. Você sabia? Que a tuberculose não afeta apenas os pulmões?


Contrariamente à crença popular, a tuberculose é uma doença que pode afetar qualquer órgão, tornando-o um foco infeccioso. Especialmente porque a doença é geralmente adquirida por inalação ou ingestão de material infectado, o pulmão é o órgão mais provável de ser comprometido pela tuberculose. Texto extraído do livro "OH Duvida Cruel" de Priscila Arida. Excursão à vista Estamos preparando uma excursão ao sítio Jonosake para o mês de maio. O sitio oferece café da manhã, piscinas, recreação, dança, bebidas e salgadinhos à vontade e almoço (churrasco) a preços módicos e parcelados. Divulgaremos detalhes no próximo jornal. Aguarde!!! Cantinho da Poesia Velhice Para muita gente, vejam só a tolice Acham que após certa idade Perdemos a capacidade ... Tratam-nos sem seriedade E até com maldade Só porque chegou a velhice!!! No entanto não percebem O grande valor da maturidade Aprendemos e muito bem A viver a melhor idade Porque dizemos melhor idade Ao contrário do que pensam Não somente na juventude É que se tem felicidade Ninguém é velho demais Que não possa reagir E dizer a sociedade Parem de nos agredir, Pois temos dignidade. O sonho não pode morrer Se existir um ideal Sempre é tempo de querer Poder torna-lo real Deixo aqui uma mensagem Para ser bem resolvida Do mundo aproveite a breve passagem Pra melhor aproveitar a vida! Autor Zezé Barcelos Culinária Torta de Limão Ingredientes 1 lata de leite condensado 1 lata de creme de leite 1 pacote de biscoitos de maisena 2 limões 3 colheres de açúcar 3 claras em neve Modo de fazer Moer o biscoito maisena e misturar com uma massa homogênea (igual a massa de empada) forrar a forma e assar durante cinco minutos. Recheio Misturar em uma vasilha o leite condensado, o creme de leite e o suco dos limões. Não colocar no forno. Cobertura Bater as claras em neve aos poucos, acrescentando o açúcar até o ponto de suspiro. Coloque o recheio misturado na forma preparada com a massa de biscoitos e as claras batidas por cima. Leve ao forno por vinte minutos. Coloque para esfriar e leve à geladeira até a hora se servir.

Cadernos Aposentados  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you