Page 1

Informativo Bimestral do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região Edição 4 Fevereiro / 2016

Ministro da Agricultura reconhece potencial da pesca catarinense e pede união do setor pesqueiro


2

Palavra do Presidente

Chega de pessimismo A chegada de um novo ano, independente do setor ou da a vidade econômica, deve servir como um alicerce para a construção de uma nova fase, deve ser vista como uma oportunidade de rever o que não deu certo no ano que passou e planejar ações que possam fazer a diferença e trazer resultados durante os meses que virão. É com este espírito que a diretoria do SINDIPI começa 2017. É com esta determinação que o setor precisa caminhar a par r de agora. Não temos mais tempo para o pessimismo ou para as reclamações diárias. Este deve ser um tempo de ação, de planejamento estratégico, de metas, de foco. As lamentações precisam dar lugar as perspec vas, precisamos avançar como seres humanos que somos. Muitas vezes me torno repe vo, mas é preciso evoluir, como pessoa, empresário e gestor de empresa. No começo deste ano vemos nesta casa a visita do nosso representante no Governo Federal, ministro Blairo Maggi. E de acordo com o ministro, o nosso setor vive um momento de desunião e desorganização. Uma afirmação que não é novidade para nenhum de nós. Então, por que não mudar? Por que não fazer de 2017 um ano de união, um ano de fortalecimento de uma equipe que precisa deixar de lado o olhar micro e passar para uma Jorge Neves - Presidente do SINDIPI visão macro? Sei, assim como todos os nossos associados, que 2016 foi um ano di cil, mas as dificuldades refle ram em vários setores da economia. Os entraves do ano passado, não podem criar raízes em 2017, não podem ser usados como desculpas. Precisamos sim, trabalhar, produzir, buscar incen vos, lutar pela nossa pesca. Para fazer de 2017 o ano de resultados e do fim do tradicional pessimismo da nossa categoria. É esta energia que desejo para o nosso grupo de associados, diretoria, colaboradores e técnicos. Que possamos fazer deste ano, um momento de conquista e de valorização da nossa pesca.

Expediente

Diretoria do SINDIPI: Presidente:

Conselho fiscal:

José Jorge Neves Filho

Neury Antônio Caldeira

Vice Presidente:

Suplente de conselho fiscal:

Maria Elena Vitali

Fábio Isleb dos Santos

Secretário:

Suplente de conselho fiscal:

Manoel Silvestre Marques

Marcos Augusto Onishi

Tesoureiro:

Suplente de conselho fiscal:

José Fonseca

Gizelle Perão

Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região – SINDIPI Rua Lauro Muller, 386 l CEP 88301-400 l Itajaí SC Fone: +55 (47) 3247 6700 sindipi@sindipi.com.br www.sindipi.com.br

Suplente de secretário:

Delegado:

Beatriz da Costa Neves

José Jorge Neves Filho

Textos

Suplente de tesoureiro:

Delegado:

Mul mídia Assessoria de Imprensa Projeto e Comercialização TVN Informa vos & Comunicação 47 | 3366-5897 8433-6680 tvn@redel.com.br

Dulcemar Anastacio Costa

Dario Luiz Vitali

Conselho fiscal:

Suplente de delegado:

Luiz Machado

Edemilson Miguel de Jesus

Conselho fiscal:

Suplente de delegado:

Luzaldo Pscheidt

Valmir Fabricio Peron


3

Ministro da Agricultura visita indústrias pesqueiras em Itajaí

A vinda do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, Blairo Maggi, à Itajaí, segue o roteiro que o representante do ministério vem realizando nas regiões do Brasil com a finalidade de conhecer e incen var os setores produ vos brasileiros. Na cidade, reconhecida como o maior polo pesqueiro do país, o ministro visitou a empresa Gomes da Costa e, em Navegantes, a Costa Sul. Nas duas, ele teve acesso aos locais de beneficiamento de pescado e conferiu de perto o passo a passo da ro na de trabalho dos funcionários de uma fábrica, desde a recepção do peixe no cais até a saída dos produtos para o mercado consumidor. A agenda de visitas, realizada no dia 21 de dezembro de 2016, iniciou pela Gomes da Costa, durante a manhã. Na empresa, o ministro Blairo Maggi foi recepcionado pela diretoria e teve acesso às informações sobre produção, mercado, consumo de pescado enlatado e também fez uma visita ao interior da fábrica para conversar com os trabalhadores e entender a dinâmica do processo de enlatados. Na sequência, o

ministro acompanhado de lideranças do setor, representantes do MAPA de Santa Catarina e de Brasília, da Câmara Setorial da Pesca da Federação das Indústrias de Santa Catarina- FIESC e Marinha do Brasil seguiu para Navegantes a bordo do barco escola do Ins tuto Federal de Santa Catarina - IFSC, para a visita a empresa Costa Sul. Blairo Maggi permaneceu na empresa de Navegantes por mais de uma hora e depois, o grupo seguiu ainda no barco para a Capitania dos Portos, onde desembarcou por volta das 13h. A programação do ministro em Itajaí terminou com um almoço, onde ele teve a chance de conversar com empresários das indústrias da pesca e também com o presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca, Jorge Neves, que mais uma vez reforçou ao representante do Governo Federal o desejo do setor pesqueiro de Santa Catarina de ser reconhecido e tratado de maneira igualitária aos outros setores produ vos do Brasil. Neste mesmo dia, o ministro deixou agendada a visita seguinte, realizada no dia 9 de janeiro de 2017.


4

Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento reconhece potencial da pesca catarinense e pede união do setor pesqueiro

A

declaração do Ministro Blairo Maggi do MAPA, sobre o potencial e a relevância da pesca para economia do país marcou o encontro entre o ministro, armadores e representantes do SINDIPI no mês de janeiro deste ano em Itajaí. Blairo Maggi reconheceu que o setor é forte, mas que é preciso se organizar, se unir e debater sobre propostas viáveis e que estejam dentro de uma margem aceitável e viável de execução. Na conversa que teve com os armadores e representantes de indústrias no auditório do SINDIPI o ministro deixou claro que este é um governo de mudanças e que o setor não pode olhar o ministério da pesca como um adversário e sim como um aliado. O presidente do SINDIPI, Jorge Neves, concorda com o ministro e desde que assumiu o sindicato vem alertando o grupo de associados sobre a importância desta união. “ Quando eu visitei a região de Chapecó, no final do ano passado para acompanhar a vinda de Blairo Maggi eu fiquei surpreso com os envolvidos nos setores de frango, suíno, soja e leite pela sua união. É o exemplo da união destes setores que eu gostaria de

ver na pesca. Eu acredito que depois do que muitos associados viram e ouviram, eles vão mudar seus pensamentos. Precisamos perceber que a união faz realmente a força. No úl mo ano o sindicato por meio da sua diretoria vem promovendo a aproximação e o fortalecimento da relação da en dade com outros órgãos representa vos, como por exemplo, Capitania dos Portos, CEPSUL e IBAMA. Nós precisamos construir estas pontes para que todos possam auxiliar o setor”, finalizou Jorge Neves. O convite para a vinda do ministro à Itajaí, foi feita pelo presidente do SINDIPI no final do ano passado. A intenção foi proporcionar aos associados esta aproximação e garan r ao grupo um momento de esclarecimento sobre os problemas que afligem os empresários do setor. Logo depois do protocolo oficial onde as autoridades presentes realizaram o discurso, foi aberto um espaço exclusivo para as perguntas dos associados e de órgãos ligados a a vidade pesqueira, como por exemplo a CEPSUL - Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Marinha do Sudeste e Sul.


5

Todas as perguntas e dúvidas dos armadores e representantes das indústrias foram respondidas pela equipe que representa a pesca dentro do Ministério da Agricultura. Cada ques onamento foi acompanhando de perto pelo ministro Blairo Maggi, que durante as explicações da equipe se comprometeu com os prazos e com as promessas feitas pelos seus diretores e secretários. Na relação de perguntas, destaque para situações como: a demora na renovação de licenças de pesca, lista com as espécies que estão proibidas de captura, obrigação do mapa de bordo, u lização do PREPS - Programa Nacional de Rastreamento de Embarcações Pesqueiras por Satélite como ferramenta de fiscalização, comportamento e abordagem dos fiscais do Ministério da Agricultura nas indústrias de pesca, evisceração a bordo, insegurança jurídica e Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal – RIISPOA. Os responsáveis pelas declarações do ministério foram: o secretário-execu vo do Mapa, Eumar Novacki, além do secretário

Informa vo do

Diretores e Secretários do Ministério da Agricultura respondem ques onamentos dos armadores e representantes das indústrias da pesca

Diretor de Pesca do MAPA esclarece dúvidas dos armadores

da Aquicultura e Pesca Dayvson de Souza, diretor do Departamento de Registro, Monitoramento e Controle da Aquicultura e Pesca, Márcio Cândido, Secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel e Secretário de Relações Inter-nacionais do Agronegócio, Odilson Ribeiro.

MAPA oficializa criação de GTI e liberação de recursos para par cipação em feiras de pesca A passagem pela cidade de Itajaí serviu ainda para o Ministro Blairo Maggi oficializar três anúncios importantes para o setor da pesca. Com o discurso de que o pescado é uma das grandes alterna vas para aumentar a par cipação do Brasil no agronegócio mundial, Maggi anunciou recursos para a par cipação brasileira em duas feiras internacionais, a de Boston (EUA) e em Bruxelas (Bélgica), no período de 25 e 27 de abril.Foi assinada ainda a portaria Nº 50/2017, entre o Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Agricultura, que pretende revisar e aprimorar o sistema de permissionamento de pesca para acesso e uso sustentável dos recursos pesqueiros. Outro anúncio importante feito por Blairo Maggi foi a confirmação sobre a extensão por mais Assinatura dos documentos aconteceu durante encontro no SINDIPI 120 dias das autorizações temporárias de pesca com vencimento no mês de janeiro.O anúncio foi acompanhado pelos associados, de Santa Catarina, superintendente do MAPA em Santa Catarina, lideranças polí cas e órgãos representa vos. Estavam presentes, presidente da Federação das Indústrias de Santa Catarina e senadores, deputados, prefeito de Itajaí, secretário de agricultura delegado da Capitania dos Portos em Itajaí, além de vereadores.

- Redes - Mul filamentos - Panagens em Nylon - Mul filamentos sem nó para pesca profissional amadora e psicultura.

www.testilsauter.com.br Fone (11)

4823-9890

9943-1075

R. Zenki Fukui, 160 - Ouro Fino - Ribeirão Pires / SP


Informa vo do

6

Secretário de Pesca promete agilidade na liberação de licenças para a pesca da tainha

O secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA, Dayvson de Souza deixou Santa Catarina com a missão de desburocra zar e agilizar os processos de liberação de licenças de pesca para a safra da tainha deste ano. De acordo com o responsável pela pasta, o Brasil passa por um momento econômico di cil e é preciso fomentar e garan r aos trabalhadores o direito de trabalho e renda, independente do setor em questão. Por isso, de acordo com o secretário, desde o final do ano passado existe um planejamento dentro do ministério para garan r que as portarias para a safra de 2017 estejam prontas até o final do mês de fevereiro e, que a par r deste mesmo mês, as equipes possam analisar os pedidos dos armadores. Com esta agilidade, a secretaria pretende evitar que a situação da safra de 2016 se repita, onde muitas embarcações catarinenses ficaram de fora e registraram prejuízos. “Eu tenho certeza que neste ano a pesca vai ser um sucesso, o setor vai se fortalecer e nós vamos virar esta página e esquecer o que passou. Queremos que no futuro a gente já tenha a emissão de licenças de maneira automá ca, com uma

duração de 3 anos, por exemplo, sem precisar fazer esta renovação anual, fazendo a manutenção quando for necessário”, finalizou Dayvson de Souza. A promessa do secretário foi feita durante o encontro do Ministro Blairo Maggi com o setor pesqueiro no SINDIPI. Durante a entrevista, Dayvson de Souza falou também da par cipação do Ministério Público Federal nas regras do ordenamento pesqueiro. “ O MP tem uma par cipação importante no ordenamento geral do país, mas a gente precisa entender que é preciso fazer um ordenamento técnico, é preciso de substâncias técnicas, para isso existem os comitês dentro do governo. Não pelo simples fato da gente entender que existe um apelo mundial. Claro que existe, nós temos esta consciência ambiental e sustentável. Nós acreditamos que a pesca só vai se sustentar se ela for feita de forma não predatória, mas isso quem vai analisar é o comitê permanente lá no Ministério. Depois nós vamos discu r com o Ministério Público para que a gente faça o que é melhor economicamente para o país, mas de forma sustentável”, pontuou o secretário.


7

MAPA concede Autorização Temporária de Pesca a embarcações e pescadores Medida é válida por 120 dias e respeita período de defeso O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) concedeu a autorização temporária de pesca, pelo período de 120 dias, para pescadores e embarcações pesqueiras que tenham protocolado pedido de renovação junto às Superintendências Federais de Agricultura, Pecuária e Abastecimento dentro do prazo previsto. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU), do dia 13 de janeiro de 2017. De acordo com o diretor do Departamento de Registro, Monitoramento e Controle da Aquicultura e Pesca, Márcio Cândido, a portaria permite que os pescadores deem con nuidade às suas a vidades enquanto processos herdados

do ex nto Ministério da Pesca, incorporado pelo MAPA, são analisados e executados. “A publicação vem dar um fôlego e é posi va para os pescadores, enquanto estamos analisando processos, como o período de pesca do camarão ou do atum, por exemplo, que poderiam gerar filas para a renovação do pedido de autorização. Ela permite que as embarcações con nuem operando, mas respeitando o período de defeso dessas espécies, ao mesmo tempo em que dá tranquilidade ao setor pesqueiro”, explicou. Fonte: Ministério da Agricultura Foto: Fábio Queiroz Agência AL

Governo altera prazo das licenças de pesca O decreto nº 8.967, publicado nesta terça-feira (24) no Diário Oficial da União - DOU, altera o tempo de validade das autorizações de pesca das embarcações em todas as modalidades. A par r de agora, a validade será de três anos e não mais de um ano como acontecia anteriormente. Já os pedidos de prorrogação de permissão e de autorização devem ser apresentados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA até 30 dias antes do final do prazo de vencimento de cada permissão ou autorização. A mudança, de acordo com a Secretaria de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura - MAPA, é para reduzir a burocracia que nos úl mos anos contribuiu para o acúmulo dos pedidos de registros. O documento emi do pela Presidência da República também traz mudanças sobre o Registro Geral da A vidade Pesqueira – RGP. Com a publicação do decreto, a emissão e a autorização do RGP que antes eram feitas em Brasília, passam a ser emi das pela Superintendência Federal de Pesca e Aquicultura de cada estado. Até a publicação desta mudança, a superintendência só recebia a solicitação do registro e encaminhava para o ministério em Brasília. Para o presidente do Sindicato dos Armadores e das Indústrias de Pesca de Itajaí e Região – SINDIPI, Jorge Neves, as mudanças

publicadas no decreto seguem o discurso e a promessa do Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, que se comprometeu com o setor a reduzir a burocracia em alguns procedimentos.“O Ministro deixou claro durante as novas conversas que a burocracia emperra o sistema, independente da a vidade. Mas também frisou que o ministério, não tem como fazer todas as mudanças necessárias e desejadas pelo setor de uma só vez. É preciso analisar os pedidos, as possibilidades de mudanças e consultar os órgãos envolvidos, já que a pesca segue um modelo compar lhado de gestão. Mas, como representante desta en dade, fico sa sfeito em saber que as nossas demandas estão sendo ouvidas e dentro do possível atendidas”, finalizou Jorge Neves

Estamos com vocês!

www.oliani.com.br Fábrica de gelo 3367-3874


Informa vo do

8

Armadores discutem altera va de sistema de cotas para a Safra da Tainha

A

tradicional pesca da tainha e que no estado de Santa Catarina é tão esperada pelos consumidores, armadores e pescadores, pode contar com novidades para as próximas safras. A intenção do setor pesqueiro do estado é promover mudanças para garan r a sustentabilidade da a vidade e dos recursos pesqueiros. A proposta é adotar o sistema de cotas para a captura da tainha. O assunto foi tema de uma reunião com armadores que integram a Câmara Setorial do Cerco do Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região – SINDIPI. O encontro foi realizado no dia 16 de janeiro deste ano no auditório do sindicato em Itajaí. Durante a reunião o coordenador da Câmara Setorial Agnaldo Hilton dos Santos, explicou que a sugestão de adotar um sistema de cotas surgiu dentro Comitê Pe r m a n e nte d e G e stã o e d o U s o Sustentável dos Recursos Pelágicos do Sudeste e Sul (CPG Pelágicos) promovido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA e o Ministério do Meio Ambiente – MMA em outubro do ano passado. No encontro do CPG realizado em Brasília foi apresentado pela ONG Oceana, um estudo de avaliação de estoque da tainha. De acordo com os dados da ONG, a cota para a safra envolvendo a pesca artesanal e industrial é de 4.300 to-neladas.

Embora a proposta de cota seja inferior às produções realizadas nos anos anteriores o setor entende que o atual Plano de Gestão que prevê a redução da frota de cerco em 20% ao ano, corredores de proteção, datas de início da safra não condizente com o processo migratório, entre outras medidas restri vas que afetam todos os segmentos envolvidos na a vidade, deve ser revisto já para esta safra de 2017. Para que esta revisão seja possível os envolvidos na pesca da tainha nas regiões sudeste e sul precisam apresentar sugestões de como deve funcionar o novo plano, considerando vários fatores como a forma de acesso, área de pesca, controle de produção e períodos de captura da tainha. Aqui em Santa Catarina as sugestões serão entregues a Câmara Setorial da

Pesca que integra o Conselho de Desenvolvimento Rural – CD Rural da Secretaria de Agricultura e Pesca do estado de Santa Catarina, que será o responsável por compilar as propostas e apresentar na próxima reunião do CPG. De acordo, com o Coordenador Técnico do SINDIPI, Marco Aurélio Bailon, que acompanha as reuniões do CPG e estava no encontro entre os armadores, a alterna va de cotas é considerada hoje a melhor medida para a manutenção da pesca da tainha por parte da frota industrial. Porém alerta que sem os inves mentos necessários no monitoramento das pescarias, na avaliação do estoque e, principalmente, no controle da produção para uma gestão eficiente e responsável o novo plano poderá não sur r os resultados esperados.

CRISMAR COMERCIAL Material Para Embarcação Ferramentas em Geral Cris ano Bianchini EPP Fone: (47) 3348-2468 | Fax 3348-6070 e-mail: crismarcomercial@terra.com.br

47 3348-1127

R. Francisco Czarneski,221 Bairro São João E-mail: lheusi@gmail.com


9

Votação do novo estatuto altera o nome do CONEPE No úl mo encontro de 2016 foi realizado em Brasília assembleia para votação do novo estatuto do CONEPE, visando atualizar o estatuto atual que data do ano de 2004. A intenção com o novo estatuto é deixar claro as atribuições e a vidades do CONEPE, que teve até o seu nome alterado, passando a se chamar Cole vo Nacional de Pesca e Aquicultura; a mudança no nome se fez necessário pois o termo Conselho levava muitas vezes a entender que este se tratava de conselho consul vo do Governo, ou Conselhos profissionais, como CREA, CRM, etc. Outra proposta incluída no novo estatuto é a criação do cargo de Diretor Técnico visando o alinhamento à proposta da atual diretoria em encaminhar os temas relacionados ao CONEPE baseado em decisões técnicas, com

a ciência e a orientação para a sustentabilidade socioambiental da a vidade fim deste Cole vo. Em virtude deste cargo não exis r quando da eleição da diretoria atual foi realizada, o presidente do CONEPE nomeou o Oceanógrafo Carlos Eduardo Villaça como diretor técnico até o fim do atual mandato, sendo que na próxima eleição este cargo irá compor a chapa. Também foi estabelecido que os sindicatos que possuem carta sindical terão um peso maior nos casos de votação e que as empresas que atualmente são filiadas e adimplentes ao CONEPE irão permanecer com esse status, porém não serão admi das a filiação se novas empresas diretamente, devendo as mesmas se filiarem aos sindicatos membros do CONEPE.

Plano de ação pretende definir metas para o CONEPE até 2019 A elaboração de um plano de ação para os próximos três anos do CONEPE foi discu da durante a quarta reunião extraordinária realizada em Brasília antes do encerramento de 2016. O primeiro passo é definir um planejamento estratégico e orçamentário para o ano de 2017 e paralelo a isso, as metas até o fim do mandato da atual gestão. Neste plano de ações, devem constar as principais demandas e entraves do setor pesqueiro nacional, as definições referentes as ar culações necessárias junto ao Governo Federal e parceiros da en dade, e o que o conselho pretende efe vamente para a pesca até 2019. Na reunião da diretoria do conselho foi apresentado o demonstra vo financeiro e

também o layout do novo site do CONEPE, que vai contar com a contribuição de todos os sindicatos filiados na área de produção de conteúdo. Também foi relatada a 20ª Reunião Especial da Comissão Internacional para Conservação do Atum do Atlân co - ICCAT, realizada em Portugal no mês de novembro, a qual contou com a par cipação de representantes do CONEPE, como membros da delegação brasileira. Além disso, foi apresentada pela diretoria a consulta feita pelo Governo Federal sobre o interesse das indústrias pesqueiras, empresas e armadores em par cipar de feiras de negociação fora do país no ano de 2017.


10

Secretaria de Pesca pretende inves r em ações preven vas nas empresas de pescado de Itajaí

O resultado da ação de combate à dengue, direcionada para as empresas de pesca de Itajaí, foi tão posi vo que a intenção da secretaria de pesca municipal é repe r as visitas e criar um cronograma de palestras. De acordo com o diretor da pesca, Nilson José, a inicia va que contou com o apoio da secretaria de saúde, Marinha do Brasil e do SINDIPI conseguiu a ngir o obje vo que era de levar a informação aos trabalhadores da pesca e aos proprietários das empresas. Durante as visitas realizadas no mês de janeiro, os pescadores industriais receberam informações sobre os riscos da proliferação do mosquito Aedes Aegyp e o perigo das viagens para locais com registros da doença, como, por exemplo, Rio de Janeiro e São Paulo. Este des no de viagens é uma das principais preocupações da secretaria de saúde relacionada aos pescadores, por isso, o pedido foi para que os trabalhadores usem repelente. Além do trabalho de repasse de informações, os agentes de saúde iden ficaram e eliminaram possíveis criadouros do mosquito nas embarcações e pá os das empresas.

PESCADOS

Registro SINDIPI Realizada no dia 03 de janeiro a primeira reunião da nova diretoria do SINDIPI. No encontro os diretores discu ram a vinda do Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi a Itajaí e a necessidade de alterar pontos do Estatuto do sindicato, que estão defasados. Este tema voltará a ser tratado na próxima reunião de diretoria.

Armadores que integram a Câmara Setorial da Vara da Isca Viva par ciparam no começo do mês de janeiro de uma reunião com o Coordenador Técnico do SINDIPI sobre os resultados da reunião do CPG de Atuns e Afins realizada em dezembro do ano passado. Durante a reunião realizada na sala da coordenadoria técnica do sindicato os armadores veram acesso as informações a respeito da pesca do bonito listrado, principalmente com relação ao problema da captura de isca-viva e a introdução do cerco para a captura do bonito listrado.

Foto: Marcos Porto| Prefeitura de Itajaí

O navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do Brasil passou por Itajaí na primeira quinzena de janeiro. A embarcação ficou atracada na Delegacia da Capitania dos Portos e durante a permanência na cidade recebeu a visita de moradores e turistas que veram a oportunidade de conhecer o convés do veleiro. O Cisne Branco foi encomendado para a comemoração dos 500 anos do Descobrimento do Brasil e construído na Holanda. Foi entregue e incorporado à Armada no ano 2000.


11

Aniversariantes de Janeiro e Fevereiro Parabéns aos associados do SINDIPI! Saúde, paz e felicidades!!!

Bombas - Motores - Pistões - Vedações e Correias


Tradição de 25 anos na Pesca.

Aqui a qualidade faz a diferença.

(47)

3348-3553

Rua Otílio Dalçóquio, 600 - Itajaí /SC

A sua melhor opção em cabos de aço para pesca.

www.cabofercabosdeaco.com.br

Profile for Sindipi da Pesca

Informativo SINDIPI 04 | 2017  

Informativo SINDIPI 04 | 2017  

Advertisement