Page 1

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

1


NCM 06/13

WEBTV SENAC A evolução da educação profissional. Cursos 100% virtuais, em formato de videoaulas e com a excelência da marca Senac.

• Portfolio diversificado. • Tutores especialistas para dar o suporte necessário. • Cursos a distância, em formato de videoaulas. • Ferramenta streaming – moderna tecnologia de transmissão de dados. Na velocidade de um clique, você tem acesso a todo o conteúdo do curso. Acesse www.ead.senac.br/cursos-livres e faça já sua inscrição.

Cursos Livres • Cursos Técnicos • Graduação • Pós-Graduação • Extensão Universitária 2

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


NCM 06/13

Palavra do presidente Investimento

Grandes eventos e histórias de sucesso

E

sta edição traz como reportagem de capa o sucesso alcançado pelos alunos do Colégio Sesc São José na busca pela realização de seus sonhos profissionais. Três turmas já se formaram, cada vez mais demonstrando o acerto da nossa iniciativa em transformar o tradicional colégio em unidade do Sesc, para filhos e dependentes de comerciários, graças também ao apoio pedagógico e o método de ensino do Grupo Bom Jesus. Ainda na área do Sesc, temos a cobertura dos eventos do Mesa Brasil, do Femucic e do Dia do Desafio, entre outras atividades. Já o Senac nos traz a notícia da inovação representada pelas matrículas online, a parceria com a Itaipu Binacional para qualificação profissional dos habitantes da Vila C, em Foz do Iguaçu, os fóruns regionais realizados em conjunto com a Secretaria do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, mobilizan-

do as prefeituras do interior para levar à população dos cursos do Pronatec, o curso de sommelier viabilizados com o restaurante Madero também com recursos do Pronatec e, não menos importante, as atrações da Semana da Gastronomia Italiana. As inaugurações das novas unidades do Senac, em Francisco Beltrão e Pato Branco, e da unidade integrada Sesc Senac, em Ivaiporã, foram acontecimentos marcantes, como mostramos em uma grande reportagem entre as páginas 24 e 31. Foi mais uma demonstração da capacidade empreendedora dos empresários do comércio paranaense e dos staffs do Senac e do Sesc. O resultado tem sido elogiado por todos os que já tiveram oportunidade de conhecê-las. O 29º Encontro Nacional dos Sindicatos Patronais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo reuniu mais de 1,5 mil líderes em Curitiba, entre 15 e 17 de maio. O evento foi um sucesso, tanto que ficou decidido sua transformação em Congresso, já a partir do próximo ano, em Belo Horizonte. Outro destaque foi o acordo de cooperação entre a Fecomércio e o governo do estado, por meio da Fomento Paraná, abrindo aos pequenos e micro empresários linhas de crédito em condições facilitadas e atrativas. O presidente do Sistema Ocepar e do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, João Paulo Koslovski, nos conta sobre as possibilidades que se abrem para que empreendedorismo e cooperativismo se deem as mãos e juntos promovam o desenvolvimento do estado. Isso e muito mais você vai ler nesta edição nº 94 da Revista Fecomércio. Espero que você leia e goste. Boa leitura! T

Darci Piana

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

3


NESTA EDIÇÃO

Capa 15

Ano XIII Nº 94 Maio | Junho 2013

Colégio Sesc São José Caminhos do futuro

3

Palavra do presidente Grandes eventos e histórias de sucesso

5

Artigo O destino cinzento do Mercosul

6

Notas

14

Crédito mais barato ao comércio

16

A preconizada morte do dinheiro

19

23

Sincomércio Ivaiporã, vetor de investimentos para o Vale do Ivaí

24 32

50 52

www.fecomerciopr.com.br www.sescpr.com.br www.pr.senac.br

Fecomércio PR

Rua Visconde do Rio Branco, 931, 6º andar CEP 80410-001 Curitiba PR 41 3883-4500

DNA de empreendedor

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR Darci Piana

34

Diretor Regional do Sesc PR José Dimas Fonseca

Educação profissional na pauta das prefeituras

Diretor Regional do Senac PR Vitor Monastier

35

NÚCLEO DE COMUNICAÇÃO E MARKETING jornalismo@fecomerciopr.com.br 41 3883-4530

Heróis da Lapa

36

Encontro reuniu líderes sindicais de todo o país

38 40

Um toque contemporâneo na cozinha da nona

45

Bom para cachorro

54

O passeio pelo Brasil em tempo real

60

Sindimercados, força do setor

62

Destino Brasil

66

Dia do Desafio mobiliza mais de 4 milhões de paranaenses

Senac PR implanta matrículas online

O caminho da educação e da empregabilidade

Energia para o trabalho

Sommelier: provador do rei

Sistema amplia atuação no Paraná

Cooperativismo e empreendedorismo de mãos dadas

20

48

Homenagens aos doadores do Mesa Brasil

70

As aventuras de uma chef brasileira na terra da rainha

Coordenador do Núcleo de Comunicação e Marketing Cesar Luiz Gonçalves Coordenador de Jornalismo Ernani Buchmann Jornalistas Responsáveis Karla Santin DRT-PR 6657 Silvia Bocchese de Lima DRT-PR 6157 Redação e Revisão Carolina Lara Fernanda Ziegmann Isabela Mattiolli Karen Bortolini Karla Santin Silvia Bocchese de Lima Fernanda Brisky – Estagiária Silvana Kogus – Estagiária Fotos Ivo José de Lima Arte e Diagramação Vera Andrion Impressão CTP Graciosa Gráfica – Curitiba Tiragem 10 mil exemplares

4

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Investimento Artigo

Crisitna Bocayuva

O destino cinzento do Mercosul

A

ideia da criação de uma zona de livre comércio na América do Sul, a começar com os quatro países vizinhos – Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai – foi concebida com base teórica visando alcançar maior dimensão de escala do mercado, da complementação dos recursos naturais e do favorecimento da expansão industrial. A organização pioneira da ALALC foi iniciada em 1960 e o sucesso comercial alcançado levou à ALADI, com extensão da base territorial aos dez países da América do Sul, mais o México, transformando a inicial zona de preferência tarifária em mercado comum regional. A experiência desses antecedentes, de alguma forma prejudicada pela crise do endividamento externo que afetou primeiro a Argentina, depois o México e logo em seguida o Brasil, resultou na proposta de criação do Mercosul, Mercado Comum do Sul, conforme o Tratado de Assunção, em 1991, um projeto que, embora em escala geográfica menor, propõe-se a um alcance mais ambicioso de integração econômica, reunindo os parceiros iniciais Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai. O Tratado de Assunção previa que o mercado comum estaria estruturado ao fim de 1994, assentado em quatro pilares: livre circulação de bens, serviços e fatores de produção, a fixação de uma tarifa externa comum em relação a terceiros

países, a coordenação da política macroeconômica e das políticas setoriais entre os Estados Membros e o compromisso de harmonizar as legislações nacionais para facilitar o processo de integração. Nos primeiros anos de sua implantação, o Mercosul produziu um importante crescimento das trocas comerciais entre os países membros, o que certamente explica o interesse de novas adesões por outros países da região, na forma de Estados Associados. Entre 1996 e 2004, foram agregados ao Mercosul, nessa condição, o Chile, a Bolívia, o Peru, a Colômbia, e o Equador. A associação se fez por meio de Acordos de Complementação Econômica, os quais estabelecem uma escala de tempo para implantar a zona de livre comércio entre o Estado Signatário e os Estados Membros. Mais recentemente, surgiu a Venezuela, como membro integral do Mercosul, em um contexto político marcado pela extravagante ideologia política de seu ex-presidente Hugo Chaves, levando à exclusão inexplicável do Paraguai, parceiro desde a primeira experiência da ALALC. Em termos de resultados, é auspicioso registrar que nos primeiros dez anos de sua implantação o comércio intrazonal do Mercosul experimentou uma promissora expansão da ordem de 400%, com destaque das exportações brasileiras para a Argentina, cujo crescimento chegou a quase 1.000%, propiciando, além disso, o aumento da escala industrial em alguns setores, nos dois países, como foi o caso da indústria automobilística argentina e de bens de consumo duráveis no Brasil. Lamentavelmente, contudo, começaram a surgir, muito além do que poderíamos chamar de tecnicalidades, uma série de problemas e tensões de toda sorte que, na contramão do espírito de integração, estão criando atritos e prejuízos comerciais, gerando incertezas jurídicas e falta de confiança que promovem a retração dos negócios. Está se agravando o contencioso entre a Argentina e o Brasil, motivado pelos rumos da política econômica posta em mar-

cha pelo governo de Buenos Aires. Em consequência das constantes barreiras não tarifárias impostas pela Argentina aos produtos brasileiros, por um ultrapassado regime de licenças prévias, está havendo uma significativa redução nas trocas bilaterais. No ano passado, as exportações do Brasil para a Argentina caíram 20,7%, e as importações tiveram queda de 2,7%. Em 2012, as exportações brasileiras para o Mercosul sofreram queda de 15%. A questão da exploração de potássio pela Vale, na Patagônia, constitui mais um exemplo dos atritos que estão sendo gerados no relacionamento entre os dois países. Problemas diversos também estão agravando as relações da Argentina com o Uruguai e o Paraguai. De outro lado, estão se ampliando os acordos multilaterais de abertura comercial, seja no continente, com o Acordo da Aliança do Pacífico firmado pelo Chile, Peru, Colômbia e México, seja no campo amplo das relações comerciais entre os Estados Unidos e a Europa, assim como dos muitos acordos que vêm sendo firmados na franja asiática, sob a influência da China, atualmente o maior parceiro global. As restrições do Mercosul, impostas pela Argentina nas negociações de acordos multilaterais e na administração do regime da Tarifa Externa Comum (TEC) estão criando sérios prejuízos potenciais ao Brasil, como têm alertado nossos experientes diplomatas Luiz Felipe Lampreia, Botafogo Gonçalves e Roberto Abdenur. Isto nos leva a aceitar a proposta, recentemente formulada por outro experiente diplomata, Luiz Augusto de Castro Neves, presidente do (CEBRI), no sentido de reverter o Mercosul do atual projeto de integração regional, que não está dando certo, para um projeto de menor alcance, porém menos problemático e mais eficaz, de uma Zona de Livre Comércio, como concebida em 1960.

T

Antonio Oliveira Santos Presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

5


Investimento Notas

COMÉRCIOem MOVIMENTO COMÉRCIOem

Sindicomércio de Pato Branco empossa nova diretoria

MOVIMENTO Criatividade e produtividade para éoo projeto Sete e Meia, O Sesc PR está prestes a lançar um produto Outra ação prevista aprimoramento do comerciário. voltado exclusivamente para empresários e com oficinas, estudos de caso e debates comerciários: o Comércio em Movimento, mediados por colaboradores do Sesc PR, ofertado por 18 unidades da entidade, com o objetivo para de ampliar Criatividade e produtividade o o conhecimento do promoverá a ampliação do repertório edu- comerciário aprimoramento do comerciário. e de empresários do comércio. O cacional, social e cultural do público-alvo, novo produto conta ainda com outros projetos: além da sua qualidade de vida. Desta forma, Grupo de caminhada e corrida, o Sesc Saúde o Sesc garante atendimento ao trabalhador do comércio e mantém sua identidade nas Empresas, e a disponibilização de convites e vale-ingressos para peças de teatro, institucional.

A nova diretoria do Sindicato do Comércio Varejista de Pato Branco (Sindicomércio) foi empossada em 9 de maio, durante jantar que reuniu empresários e convidados para uma tripla comemoração: a inauguração do novo Senac na cidade, a posse festiva da nova diretoria do sindicato e, antecipadamente, o Dia do Comerciante (16/7). A nova diretoria é composta pelo presidente Ulisses Piva e pelos diretores Neuri Nilo Garbin, Ciro Conte Chioquetta, Blademir Sérgio Martinelli, Olívio Chioquetta, Olcimar José Parzianello, Luiz Antônio Dall´Oglio, Aldo Burin, Nelvo Ody, Celso Sbardelotto, Guilherme Parzianello, Milton Marcante, Carlos Cesar Canestraro, Valdecir Francisco Demezuk, Vinícius Lachman e Ivo Jacob dos Santos. O sindicato conta com 620 associados e representa 40 dos 42 municípios da região de Pato Branco.

Desenvolvido pelas Divisões de Educação e Cultura, Esporte e Lazer, e Saúde e Ação Social o produto terá diversas atividades tanto nas unidades de serviço, quanto nas empresas. O Idiomas na Empresa é um deles e ofertará curso de inglês para comerciários, por meio do Programa de Comprometimento e Gratuidade do Sesc (PCG).

shows musicais, danças, cinema, entre outros. Essas e outras atividades estarão disponíveis em editais publicados no site do Sesc PR (www.sescpr.com.br) e nas 18 unidades de serviço que aderiram ao Comércio em Movimento. O lançamento do produto está marcado para os dias 26, 27 e 28 de julho, no Teatro do Sesc da Esquina, em Curitiba.

Missão Técnica em Nova Iorque A Fecomércio PR, em parceria com o Sebrae/PR, está oferecendo a empresários a oportunidade de trocar experiências em uma missão técnica do comércio, vivenciando na prática as principais fórmulas de sucesso de lojas que são referência no comércio varejista de Nova Iorque, nos Estados Unidos. A programação da missão, que será realizada de 17 a 25 de agosto, inclui visitas pré-agendadas a centros comerciais, shoppings centers e lojas, oportunidade em que os participantes terão contato com executivos que apresentarão soluções e inovações para seus negócios. Ao fim de cada visita serão realizados workshops para aprofundar os conhecimentos adquiridos. Podem participar empresários do comércio varejista de bens e serviços do Paraná. Serviço: Data: 17 a 25 de agosto Investimento: U$3.500,00 à vista ou U$4.000,00 em 6x Pacote inclui: Passagens aéreas TAM, sete noites de hospedagem, visitas técnicas Informações e inscrições: (41) 3028-8086 / 0800 570 0800

6

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Compartilhe calor com quem precisa “O calor não tem preço: tem solidariedade”, este é o tema da campanha do agasalho 2013, do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR em parceria com o Instituto GRPCOM e com apoio do Sindicato de Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi). As doações

foram iniciadas em maio e se estenderão até 31 de agosto. Podem ser doados agasalhos e cobertores novos e usados, que serão destinados a comunidades necessitadas e instituições de amparo em diversos municípios do estado. Os

postos de coleta estão fixados em todas as unidades dos Sesc, Senac, GRPCOM, além de condomínios filiados ao Secovi, situados em Curitiba, Maringá, Cascavel e Londrina. A Campanha também conta com o apoio do Exército Brasileiro.

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

7


Investimento Notas

Sesc reaviva cultura junina no Paraná No dia São Pedro, 29 de junho, nem mesmo a chuva espantou o público que aproveitou as festas juninas organizadas pelo Sesc PR e pela RPC TV nas cidades de Curitiba, Londrina e Foz do Iguaçu. Na capital do estado, mais de dez mil pessoas participaram das brincadeiras, feira gastronômica, shows e apresentações culturais promovidas durante toda a tarde de sábado. De acordo com o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, as festas juninas são populares em todo o território brasileiro e fazem parte do ciclo de comemorações aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. O tema junino é o segundo mais festejado nacionalmente, fica atrás somente do Carnaval. “Os festejos juninos são uma tradição de nosso país e estavam meio esquecidos no Sul. O Sesc, junto à RPC, quer retomar a valorização dessa manifestação popular, repassada de pai para filho”, afirmou. Dimas enfatizou a ampliação do projeto neste ano, realizado simultaneamente nas cidades de Curitiba, Foz do Iguaçu e Londrina. Para a coordenadora de eventos da RPC TV, Marina dos Santos, a parceria entre as duas instituições foi fundamental para o sucesso das festas. “A RPC quer se aproximar cada vez mais telespectador, levando a cultura a todas as comunidades de forma gratuita. Enquanto a emissora tem um grande poder de mobilizar a população, o Sesc é referência na promoção da cultura”, avaliou. Além de muita música e das típicas quadrilhas, os arraiás do Sesc trouxeram manifestações folclóricas paranaenses, feiras de artesanato e a gastronomia típica do período, em que o pinhão e o quentão não poderiam faltar. As crianças também puderam se divertir com brincadeiras tradicionais como a corrida no saco, pescaria e arremesso de argolas. Para encerrar os festejos, os eventos contaram com shows de artistas de renome da região e do país. Em Curitiba, Gaúcho da Fronteira, ícone da música riograndense, fez todo mundo dançar o vanerão, ritmo característico do Sul.

8

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

9


Investimento Notas Novo cônsul honorário do Reino Unido no Paraná é apresentado a entidades representativas

Da esquerda para a direita: o novo cônsul do Reino Unido no Paraná, Allan Marcelo de Campos Costa; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o embaixador do Reino Unido, Alan Charlton; e o cônsul geral do Reino Unido no Brasil e diretor do UK Trade & Investment, John Doddrell O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, recebeu no dia 27 de maio o embaixador do Reino Unido, Alan Charlton, e o cônsul geral e diretor do UK Trade & Investment, John Doddrell, em um café da manhã que teve por objetivo apresentar o novo cônsul honorário britânico no Paraná, Allan Marcelo de

Campos Costa. O encontro contou com a presença de líderes de entidades representativas, reitores de universidades, diretores do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, representantes políticos e membros da imprensa. O novo cônsul, Allan Marcelo de Campos Costa, que na oportunidade ainda era o diretor superintendente

do Sebrae/PR, explicou que o trabalho como cônsul será calcado em relacionamento. “A minha função é ser os olhos e os ouvidos do Reino Unido aqui no Paraná. Para isto, estarei em permanente contato com as entidades públicas e privadas, atentando para as oportunidades de cooperação que podem surgir entre as duas regiões”, disse.

Missão empresarial do Uruguai visita a Fecomércio PR

A Fecomércio PR recebeu em maio uma missão empresarial do Uruguai. O grupo chamado de Uruguai XXI apresentou alguns números do país e a região de Maldonado, conhecida por seu potencial turístico. Por possuir particulari-

10

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

dades geográficas, empresas de espetáculos, centros de férias e convenções, praias, entre outros, o país acaba atraindo visitantes do mundo inteiro, desse modo 60% das exportações de serviço vem do turismo.

maio | junho 2013

A Federação do Comércio do Paraná aproveitou a oportunidade para apresentar a entidade, além do Sesc e do Senac e ainda abriu as portas para negociações e mencionou a realização de uma missão empresarial Brasil – Uruguai.


Por um Brasil transparente

Os representantes do Observatório Social do Brasil, Ater Carlos Cristófoli e Roni Enara, e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, durante assinatura do termo de cooperação técnica O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, e o presidente do Observatório Social do Brasil (OSB), Ater Carlos Cristófoli, assinaram termo de cooperação técnica, que regulamenta o repasse mensal de recursos da Fecomércio PR ao OSB. Em contrapartida, o Observatório oferecerá suporte técnico aos observatórios sociais instalados no Paraná, com o objetivo de monitorar as contas públicas municipais para promover

maior transparência na gestão dos recursos públicos, avaliando licitações e atos públicos que envolvam despesas e investimentos financeiros. “Os observatórios sociais têm prestado relevantes serviços em prol da comunidade local, com ações de controle e vigilância social e de educação fiscal. Com isso, contribuem para a transparência e pela melhor qualidade na aplicação dos serviços públicos”, pontua Piana. O OSB também realizará eventos de capa-

citação de empresas para participação nos processos licitatórios, divulgando os editais às empresas e fazendo o registro e emissão de relatórios por meio do Sistema Informatizado de Monitoramento das licitações (SIM). “No Brasil, existem 77 observatórios sociais e 30 destes estão no Paraná. Com isso, é possível acompanhar as contas públicas, desde a publicação dos editais de licitação até a entrega das compras”, salienta Cristófoli.

Senac e Supermercados Condor reúnem 330 aprendizes

O Senac PR e os Supermercados Condor proporcionarão a 330 jovens de Curitiba e Região Metropolitana inscritos no curso de Aprendizagem em Serviços de Supermercado a oportunidade de aprender uma profissão e ainda ter o primeiro registro na carteira de trabalho. No dia 21 de junho, os aprendizes e seus familiares lotaram o ginásio de esportes do Sesc Portão para a aula inaugural. A parceria entre o Senac PR e a rede de supermercados Condor Super Center, do empresário e presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Mercados, Minimer-

cados, Supermercados e Hipermercados de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Litoral do Paraná (Sindimercados), Pedro Joanir Zonta, teve início em 2009 e já formou 150 turmas em Curitiba. As 11 turmas que terão início nos meses de junho e julho compõem a meta do Senac PR de atender a sete mil aprendizes em 2013. Esse número ajudará o Paraná a atingir o desafio de inserir 60 mil aprendizes no mercado de trabalho. No entanto, atualmente apenas 12 mil jovens estão matriculados em cursos de aprendizagem. Estiveram presentes no evento, o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci

maio | junho 2013

Piana; o superintendente regional do Trabalho e Emprego do Paraná, Neivo Beraldin; o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; o diretor administrativo dos Supermercados Condor, Wanclei Benedito Said; o vice-presidente da Fecomércio PR, Paulo Cesar Nauiack; a diretora dos Supermercados Condor, Sandra Zonta; o superintendente substituto do Trabalho e Emprego do Paraná, Luiz Fernando Favaro Busnardo; o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca; a gerente executiva do Senac Curitiba, Daniela Rosa de Oliveira, e demais gestores do Sesc e do Senac no estado.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

11


Investimento Notas

Três soluções para melhorar os seus negócios O comércio de bens, os serviços e o turismo não param de crescer e o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e o Sebrae/PR oferecem três soluções de varejo para tornar o seu negócio mais atrativo. Um dos programas é o Varejo Mais, que auxilia o empresário a se tornar mais competitivo no varejo, apresentando novos conhecimentos e

oportunidades para crescer. Organizar o entorno para tornar o comércio local mais atrativo é a função do Programa de Revitalização de Espaços Comerciais, que faz com que mais pessoas circulem, aumentando a lucratividade. As missões técnicas do comércio, organizadas pelas duas instituições, ajudam a trazer novas

ideias por meio de viagens ao redor do mundo, conhecendo boas práticas em empresas que são referências. Conheça mais sobre os programas acessando o site da Federação do Comércio do PR pelo www.fecomerciopr.com.br, ou visite a página do Sebrae/PR www.sebraepr.com.br.

Sebrae/PR

Minimercados de bairros mais competitivos

Da esquerda para a direita: Julio Agostini, diretor de Operações do Sebrae/PR; Vitor Tioqueta, diretor-superintendente do Sebrae/PR; Darci Piana, presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR; Cesar Moro Tozetto, presidente da Apras; e Julio Inácio Correa, vice-presidente do Sinca O Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e o Sebrae/PR firmaram convênio para a execução do Projeto Varejo TOP Loja Minimercados. A iniciativa propõe qualificar e elevar a performance das micro e pequenas empresas do segmento

12

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

para competir com grandes redes que passaram a atuar também no formato de minimercados nos bairros. O segmento corresponde, no Brasil, a mais de 400 mil empreendimentos, e é o segundo maior em número de lojas no

maio | junho 2013

setor do comércio varejista, ficando atrás do segmento de vestuário, acessórios e calçados. Participaram também da assinatura do termo de cooperação técnica do projeto, na sede do Sebrae/PR, em Curitiba, outros dois parceiros desta iniciativa, o Sindicato do Comércio Atacadista (Sinca) e a Associação Paranaense de Supermercadistas (Apras). O Varejo TOP Loja Minimercados será realizado em quatro municípios paranaenses, inicialmente. Em Ivaiporã e Francisco Beltrão, o Projeto já está em andamento. Em Curitiba e Ponta Grossa, iniciará no mês de julho. Em cada município, podem participar 25 minimercados que possuam até 400 metros quadrados de área física e quatro check-outs (caixas operando), 20 funcionários, atendam 580 clientes por dia e faturem até R$ 3,6 milhões anualmente. O lançamento do projeto em Curitiba ocorreu no dia 9 de julho. As inscrições estão abertas para participação de minimercados dos municípios de Pinhais, São José dos Pinhais, Araucária e Campo Largo.


Comércio de peças e acessórios para veículos ganha Câmara na CNC

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, assume a coordenação da CBCPAVE Reconhecer a importância de um segmento econômico que, além de estar compreendido nas atividades do comércio de bens, participa com significativa parcela para a economia e a geração de empregos no Brasil. Esse foi um dos motivos que levaram a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) a instalar a Câmara Brasileira do Comércio de Peças e Acessórios para Veículos (CBCPAVE).

A reunião para que a nova Câmara fosse instalada aconteceu no Rio de Janeiro, no dia 24 de abril. Designado pelo presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos, o segundo vice-presidente da entidade e presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, é o coordenador da CBCPAVE. “Negociações em apartado desgastam e nenhum grupo pode restar prejudicado na esfera sindical. Os sindicatos, cada vez

mais, precisam de credibilidade”, disse Piana. As Câmaras do Comércio são órgãos consultivos da Presidência da CNC que realizam estudos e fornecem sugestões para a atuação política da entidade. Integram os grupos empresários atuantes do setor, representantes da Confederação em organismos governamentais correlatos, com técnicos e diretores da entidade de diversas partes do país.

Paraná recebe a música clássica no Sonora Brasil O Sonora Brasil – Formação de Ouvintes Musicais, projeto do Sesc, realizado em todo o território nacional, chega a sua 16ª edição e traz ao Paraná o tema “Edino Krieger e as Bienais de Música Brasileira Contemporânea”. Durante todo o ano, as regiões Sul e Sudeste do Brasil receberão os músicos do Quarteto Belmonte, Quinteto Brasília, Octeto do Polyphonia Khoros e do Duo Cancionâncias, que executarão músicas de Edino Krieger e obras de compositores diversos que foram apresentadas em bienais, enquanto os estados das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste recebem o tema “Tambores e Batuques”. Em 2014, procede-se a inversão para que os grupos concluam o circuito nacional. O projeto tem a proposta de despertar um olhar crítico sobre a produção e sobre os mecanismos de difusão de música no país. Todas as apresentações são essencialmente acústicas, valorizando a qualidade das obras e de seus intérpretes. Em todo o Brasil serão realizados neste ano, 450 concertos, em 128 cidades. A programação completa do Sonora Brasil está disponível no site www.sesc.com.br/sonorabrasil.

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

13


Investimento Parceria

De acordo com Darci Piana essa é uma boa oportundiade para que os empresários do comércio de bens, serviços e turismo melhorem seus negócios

Crédito mais barato ao comércio Acordo de cooperação técnica entre Fecomécio PR e governo do Paraná aproxima empresas a financiamentos do Banco do Empreendedor Texto: Isabela Mattiolli | Fotos: Ivo Lima

O

Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e o governo do Paraná firmaram convênio que garante acesso das empresas filiadas à entidade às linhas de crédito do Banco do Empreendedor, da Fomento Paraná. O acordo de cooperação técnica foi assinado no dia 17 de junho, no Palácio Iguaçu, em Curitiba, e contou com a presença do presidente do Sistema Fecomércio Sesc

14

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Senac PR, Darci Piana, do governador Beto Richa, do presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho, do diretor de mercado e relações intitucionais da Fomento Paraná, Alexandre Teixeira, e do presidente do Sindicato dos Representantes Comerciais do Paraná (Sirecom) e o vice-presidente da Fecomércio PR, Paulo Cesar Nauiack. De acordo com a Fomento Para-

maio | junho 2013

ná, as linhas de crédito do Banco do Empreendedor apresentam as taxas de juros mais baixas do Brasil, para financiar investimentos produtivos entre 0,51% e 1,07% ao mês. Pela parceria, serão qualificados agentes de crédito entre os 59 sindicatos filiados à Fecomércio para apresentarem os serviços disponibilizados. De acordo com Piana, as empresas necessitam desse crédito para melhorar


seus negócios. “Temos aproximadamente 500 mil empresas representadas pela Fecomércio PR. Desse total, estimamos que 98% estejam entre micro e pequenas. São necessários recursos para que elas deem continuidade e aprimorem seus negócios. Estes empréstimos financiam desde a compra de novos equipamentos e maquinários, até reformas de pontos comerciais, enfim atendem boa parte das necessidades”, afirmou. Para o presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho, uma das formas de aquecer a economia é disponibilizar crédito aos empreendedores, gerando não só a melhoria da renda das famílias, mas o número de empregos no estado. Ele também destacou o interesse em disponibilizar não apenas aos empresários do comércio, mas sobretudo aos da área de serviços. “No Paraná, 62% dos empresários está exatamente nessa atividade econômica formal. Nada mais justo do que nós ofertarmos a esses empreendedores a linha de crédito”, enfatiza. O governador Beto Richa comentou sobre as parcerias com a Fecomércio PR e destacou a importância

do acordo de cooperação assinado em junho. “Democratizando o acesso ao crédito para fortalecer ainda mais essas atividades econômicas”, disse. Ele também explicou sobre as capacitações em gestão empresarial que serão ofertadas por meio do programa Bom Negócio Paraná e outros cursos de capacitação promovidos tanto pela Fecomércio PR quanto por outras entidades parceiras credenciadas ao programa. Desde 2011, a Fomento Paraná ampliou sua atuação no mercado, passando a atender também empresas de médio porte. Hoje, os empréstimos variam de R$ 300 a R$ 3 milhões, dependendo do tipo de investimento e a potencialidade do empreendimento. Para 2013, a agência prevê um capital de R$ 100 milhões em financiamentos.

FINANCIAMENTO PARA REPRESENTANTES COMERCIAIS

A agência oferecerá ainda uma linha de crédito especial para atender profissionais que atuam como representantes comerciais, semelhante ao

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, durante assinatura do acordo de cooperação técnica com a Fomento Paraná

que já é praticado pela linha ofertada pelo Banco do Empreendedor aos taxistas. A nova linha permitirá aos profissionais adquirirem veículos novos ou adaptá-los para melhor atender seus clientes e transportar seus produtos de venda. “Nós somos um canal de geração de negócios. Quando temos uma linha de crédito como essa ofertada pela Fomento Paraná, isso facilita para melhorar as condições de trabalho desse profissional”, avaliou o presidente do Sirecom-PR e vice-presidente da Fecomércio PR, Paulo Cesar Nauiack. O presidente da Junta Comercial do Paraná, Ardisson Akel; o secretário estadual do Turismo, Jackson Pitombo; o deputado federal, Eduardo Sciarra, o deputado estadual, Ademir Bier, o vice-presidente da Fecomércio PR, Ari Faria Bittencourt, o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, diretores e presidentes de sindicatos filiados à Fecomércio PR e gerentes executivos e diretores do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e representantes do governo do estado acompanharam a assinatura do acordo. T

O governador Beto Richa enfatizou as capacitações em gestão empresarial que também serão ofertadas pelo acordo no programa Bom Negócio Paraná

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

15


Investimento Artigo

A preconizada morte do dinheiro Dieter H. Lengning Diretor de Planejamento da Fecomércio PR

Q

uem vive em uma sociedade movimentada pelas mais variadas formas de trocas entre clientes e fornecedores, jamais consideraria a possibilidade de que o dinheiro pudesse deixar de existir. Todavia, a gradual eliminação do dinheiro do nosso meio parece ser uma tendência real. Pelo menos na forma tradicional como o conhecemos, ou seja, cédulas e moedas. A história da origem do dinheiro é tão controversa quanto o futuro dele. Alguns historiadores consideram o filósofo grego Aristóteles como o primeiro pensador a contemplar a criação de “dinheiro” como forma de atribuir valor real aos itens comercializados por escambo, lá por volta de 350 anos a.C. Outros especialistas, baseados em achados arqueológicos, apresentam evidências que já se atribuía valor a mercadorias, através de alguma forma de moeda, há mais de cinco mil anos. Alvo de todo tipo de ataque por causa de roubos, falsificações, extravios e do próprio custo de fabricação, não tem sido poucas as formas de se buscar novas alternativas que substituam o dinheiro em espécie e o próprio cheque. Embora pareça pouco provável que o papel-moeda efetivamente desapareça em um período previsível, as alternativas como os cartões de crédito e de débito e os mecanismos via telefone celular e outros meios eletrônicos estão se tornando cada vez mais populares. Em um dos seus artigos, a Revista Isto É também aponta para o desaparecimento do dinheiro na forma como o conhecemos.

16

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

O fim do dinheiro

$

Pouco seguro, o dinheiro de papel vislumbra uma derrota cada vez mais próxima para as novas tecnologias. Com um mercado de pagamentos móveis com potencial para movimentar US$ 600 bilhões por ano até 2016, nos cálculos da consultoria Gartner, o celular é a próxima fronteira a ser explorada pelos bancos. Lançado recentemente pelo governo brasileiro, o Sistema de Pagamento Móvel promete ser uma alternativa para quem ainda não está incluído no sistema financeiro, além de reduzir os custos das transações eletrônicas e aumentar a concorrência, reinventando assim a forma como se utiliza a moeda no país. As regras do novo marco regulatório serão definidas pelo Congresso em 2013. O alcance da medida é amplo. Afinal, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), quase 70% dos brasileiros acima de dez anos de idade têm celular. A perspectiva da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) é que, até 2018, os aparelhos móveis tenham o mesmo peso que a internet nas transações bancárias. Com o avanço da classe média e o aumento da renda da população, a substituição do papel é resultado direto da expansão dos meios digitais. Nos últimos cinco anos as movimentações virtuais tornaram a internet o principal meio para transações financeiras. Segundo a Febraban, o número correspondeu a 24% do total em 2011 (último dado disponível), enquanto as transações em terminais de autoatendimento e agências caíram para 13,5% e 10,9%, respectivamente. Ao redor do mundo, o dinheiro virtual se transformou também no principal campo de disputa das gigantes da tecnologia, sedentas por abocanhar uma fatia de um universo trilionário. Enquanto a moeda do Facebook, chamada de Facebook Credits, amplia sua função original de comprar aplicativos e bens virtuais, para se integrar a promoções de empresas físicas, como lojas e restaurantes, Apple e Google investem na criação do que chamam de “carteira universal.” Graças a essa tecnologia, um simples aplicativo de celular vai reunir e armazenar versões digitais de cartões de crédito, de fidelidade e cupons de descontos num lugar só. Fonte: Revista Isto É – edição 2.251, de 4 de janeiro de 2013, “Dez tendências que irão mudar sua vida”

Enquanto as novidades do mundo virtual ainda não se popularizam, o mecanismo que está se tornando cada vez mais comum no comércio são os cartões de crédito e de débito. A medida que consumidores passam a reduzir o volume de dinheiro físico que carregam em

maio | junho 2013

suas carteiras, amplia-se o espaço ocupado com tais cartões, motivados por sua praticidade e modernização do seu uso através de novos mecanismos de crédito. Dados do Banco Central indicam que em 2010 já contávamos com 628 milhões de cartões trafegando na economia bra-


sileira, sendo 225,3 milhões de cartões de lojas e redes, 249,3 milhões em cartões de débitos e o restante em cartões de crédito.

Baseado em estudo feito pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS), em dezembro de 2010, o Brasil já se

encontrava entre os dez principais países no ranking do volume financeiro transacionado por cartões de crédito (medido em dólares):

Ranking – Volume financeiro (U$) transacionado por cartões de crédito

1º 2º 3º 4º 5º

Estados Unidos China Japão França Coreia do Sul

6º 7º 8º 9º 10º

Canadá Inglaterra Austrália BRASIL Turquia Fonte: ABECS

Em número de transações, o cartão de crédito e de débito ultrapassou o cheque há muito tempo. Ambos se equivaliam no ano de 2003, porém o volume de pagamentos com cartões cresceu 576% nos últimos dez anos, enquanto o crescimento dos pagamentos com

cheque, no mesmo período, foi de modestos 14% em valores. Ainda, de forma comparativa, enquanto o uso do cartão de crédito e de débito cresce 21% ao ano, o uso do cheque cai em média 8% ao ano. A distribuição dos cartões entre e população brasileira também

tem mostrado uma forte tendência de socialização nos últimos dez anos. Embora ainda menor para as classes de renda mais baixa, o ganho de representatividade no seu uso é significativo e indica que ainda existe um grande potencial de crescimento.

Posse de itens financeiros por classe de renda (2009)

Possui conta bancária

D/E C A/B

Cartão de débito

Cartão de crédito 0%

10%

20%

30%

40%

50%

60%

70%

80%

90%

100% Fonte: ABECS

O volume de transações com cartões de crédito e de débito continua crescendo. Os dados de 2012 demonstram um faturamento total de R$ 724,3 bilhões, 18 % superior ao ano de 2011

e totalizando mais de 8 bilhões de transações. As projeções para 2013 apontam para um faturamento total de R$ 847 bilhões, gerando um crescimento de aproximadamente 17%.

maio | junho 2013

O comércio varejista, que concentra o maior faturamento e maior volume de transações, ainda é liderado pelo segmento de varejo alimentício.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

17


Investimento Artigo

Faturamento e transações em 2012 Comércio Varejista Varejo Alimentício Comércio Automotivo

FATURAMENTO

TRANSAÇÕES

R$ 190.303.000

R$ 1.321.743.000

R$ 139.568.000

R$ 2.457.299.000

R$ 75.369.000

R$ 1.002.490.000

Demais Comércios Turismo e Entretenimento Setor Primário

R$ 141.542.000

R$ 1.325.444.000

R$ 104.130.000

R$ 1.501.678.000

R$ 13.326.000

R$ 80.576.000

Outros serviços

R$ 45.775.000

R$ 371.371.000 Fonte: ABECS

Observando-se o gasto médio por cartão, nota-se uma clara diferença entre as duas modalidades – crédito e débito. Apesar do volume total de transações com cartão de débito seja similar as do cartão de crédito, o segundo apresenta um gasto médio duas vezes superior, na ordem de R$ 126, enquanto no débito é de R$ 61. As razões para tal crescimento e popularidade dos cartões e, certamente, para os novos mecanismos eletrônicos como celular, iPod, internet, etc., são várias. A primeira está exatamente na praticidade da operação. Usados em pequenas transações no dia a dia dos consumidores para compras de menor valor, permitem também uma obtenção imediata de crédito, caso necessário. Outro ponto que atrai tanto o consumidor como o lojista é a segurança que os cartões apresentam. Para o lojista, reduz o risco de não recebimento, facilita imensamente os controles financeiros de sua atividade e conta com depósitos em sua conta corrente sem a necessidade dos antigos depósitos de dinheiro e cheques no banco. Para o consumidor, elimina o risco de carregar consigo dinheiro em espécie, reduzindo o risco de roubos ou per-

18

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

das. Além desses aspectos práticos, surgem diariamente os incentivos indiretos de uso do cartão através dos tão populares programas de milhagem. Evidentemente, tudo isso tem um custo que, no final das contas, é pago pelo consumidor. Todavia, ainda existe uma variável nessa complexa equação que também

merece atenção. Se o dinheiro em espécie, em forma de cédulas de papel, plástico ou outro material realmente está morrendo, por que, então, a maior empresa de produção desse “produto” tem batido recordes de crescimento nos últimos anos? Enfim, o fim do dinheiro, como o conhecemos, parece não estar tão perto quanto parece. T

$

“Poucos negócios se beneficiam de um clima de instabilidade política global e

desconfiança em relação aos bancos. A De La Rue, a maior empresa de impressão de dinheiro do mundo, é uma dessas. Os lucros da empresa, sediada em Basings-

toke, na Inglaterra, aumentaram em 20% em 2003 graças em parte a um contrato para fornecer uma nova moeda para o Iraque. A empresa também criou uma moe-

da para o país mais jovem do mundo, o Sudão do Sul, quando de sua independência no ano passado. A desintegração da zona do euro seria terrível para a maioria dos negócios, mas representaria uma ótima oportunidade para a De La Rue.

Com efeito, a crise financeira teve um efeito geral positivo sobre as gráficas que

imprimem dinheiro. O colapso do Lehman Brothers em 2008 gerou um aumento na demanda por notas, que ainda não foi arrefecida. Taxas de juros baixas reduziram

o custo da manutenção de reservas em dinheiro vivo. Face à situação questionável dos bancos, muitas pessoas preferem guardar seus fundos debaixo do colchão, o

que gera mais demanda por cédulas. Após cair continuamente nas décadas de 70 e 80, conforme o uso de cheques e cartões de crédito se disseminava, a circulação de dinheiro em espécie vem subindo novamente.”

maio | junho 2013

Fonte: Economist - Cash machine


Internet Investimento

Senac PR implanta matrículas online Opção já representa 9% das inscrições em todo o estado Texto: Karla Santin

O

comércio eletrônico no Brasil cresce paralelamente ao número de internautas. O e-commerce faturou R$ 22,5 bilhões em 2012 segundo relatório da Webshoppers, enquanto o número de pessoas com acesso à internet no local de trabalho ou em residências chegou a 70,9 milhões de pessoas. Seguindo essa tendência, desde abril o Senac PR deu início às vendas online para os cursos de todas as suas 36 unidades. Em pouco mais de dois meses, foram realizadas 2.135 matrículas pelo site da instituição, o que representa 8,8% do total de inscrições em todo o estado. Em maio, na unidade Curitiba Centro esse percentual foi de 16,8%, na de Maringá, 10,4%, e na unidade Curitiba Portão chegou a 17,6%. A procura dos clientes surpreendeu o Núcleo de Comunicação e Marketing e a Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Processos do Senac PR, responsável pela implantação do novo processo. O aumento gradativo das matrículas virtuais reforça a disposição dos paranaenses em optar por soluções mais práticas de compras, incluindo a aquisição de conhecimento. As matrículas online podem ser feitas para cursos presenciais nos tipos aperfeiçoamento, socioprofissional e sociocultural e ações extensivas à educação profissional. O Senac PR ainda oferece descontos de 10% e 15% para os alunos que se matricularem pelo site www.pr.senac.br. T maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

19


Investimento Educação

Dos 219 alunos formados em 2012, 137 foram aprovados em vestibulares

O caminho da educação e da empregabilidade Formados em 2012 pelo Colégio Sesc São José comemoram aprovações em vestibulares Brasil afora Texto: Isabela Mattiolli | Fotos: Ivo Lima

20

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Daniel Calvo

D

esde 2009, o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e o Grupo Educacional Bom Jesus oferecem educação gratuita e de qualidade por meio do Colégio Sesc São José. A parceria já formou duas turmas – a última delas em dezembro do ano passado, na qual 219 alunos concluíram o Ensino Médio. Referência na área social e educacional, o Colégio Sesc São José comemora a aprovação de 137 alunos em vestibulares realizados em diversas instituições de ensino superior do país. Dos aprovados, 34 estudantes se destacaram por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), feito a partir da participação no Exame Nacional do Ensino

Médio (Enem). Eles foram contemplados com bolsas de estudo em instituições de ensino particulares, 17 com bolsa integral e outros 17, com 50%. Os passos de futuros comerciantes, engenheiros, advogados, jornalistas, pedagogos, nutricionistas, arquitetos, fisioterapeutas, psicólogos, entre tantas outras profissões trilham agora mais confiantes, pois levam consigo a aprendizagem trabalhada ao longo do Ensino Médio e as vivências e valores repassados por toda a equipe do Colégio, que além de profissionais em potencial, também forma cidadãos. “Os resultados obtidos pelos alunos do Colégio Sesc São José e pelo projeto como

maio | junho 2013

um todo, demonstram a importância do investimento no desenvolvimento humano e em possibilitar a ampliação do repertório social e cultural aos estudantes, para além de suas futuras escolhas”, comenta a gerente de Educação do Sesc PR, Celia Regina Jede. A gestora do Colégio Sesc São José, Lucinéia Appel, acredita que o diferencial desses alunos está associado à educação voltada para a cidadania. “Esses alunos querem e buscam um mundo melhor, sabem de suas responsabilidades na construção desse mundo e em decorrência disso, serão universitários e cidadões mais dedicados, engajados e preparados”, opina.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

21


Educação

A aluna Letícia Pilger da Silva, um dos destaques do Colégio Sesc São José

NOVAS APRENDIZAGENS

A aluna Letícia Pilger da Silva se destacou durante o período em que cursou o Ensino Médio e foi aprovada em primeiro lugar nos vestibulares que fez para Letras/Inglês, na UFPR, UTFPR e PUC. Ela está no primeiro semestre do curso na Universidade Federal do Paraná e embora as aulas tenham começado em abril, ela sente as diferenças entre o Ensino Médio e o superior. “Os professores conseguiram nos preparar para esse novo mundo. Entrei na universidade com toda a bagagem que adquiri no colégio, não só com relação aos conteúdos para a aprovação no vestibular, mas toda a preparação moral, ética e outros valores que foram essenciais e serviram como diferencial”, pontua. Os professores foram grandes referenciais para que Letícia optasse pelo curso de Letras. O sonho dela, agora, é ser professora para ensinar outras pessoas. Quem também almeja se tornar professora é a ex-aluna do Colégio Sesc São José, Amanda Rodrigues da Rocha. Ela foi aprovada em primeiro lugar no curso de Matemática pela UFPR. “Eu sempre tive dificuldade em matemática no Ensino Fundamental. Na 4ª série, tive o privilégio

22

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

de ter aula com uma professora que me fez apaixonar pelas exatas. A partir daí, minhas notas e o desenvolvimento na matéria foram exemplares e os resultados inesperados. Nos anos seguintes tive a sorte de ter sempre excelentes professores da disciplina. Até que no terceiro ano, no Colégio Sesc São José, ainda com dúvidas sobre o que prestar no vestibular, meus professores me fizeram ter a certeza: é matemática que eu quero e vou seguir”, conta. Amanda acredita que o Colégio foi essencial para a aprovação no vestibular. “O Colégio Sesc São José, nos dá um preparação para passar em qualquer vestibular, sem a necessidade de cursinho. A experiência foi gratificante, ainda mais sabendo que cumpri minha missão”, diz. A mãe, Cleuseni Rodrigues da Rocha, aprova o ensino que a filha teve durante os três anos do Ensino Médio. “A Amanda é minha única filha. Eu sou muito grata ao projeto, acredito que ele dá muito certo para quem quer estudar e ter uma oportunidade. O Sesc e o Bom Jesus deram a ela uma chance que com certeza não teria”, pondera. De acordo com a gestora do Colégio Sesc São José a maioria dos alunos são oriundos de escolas públicas e, apesar de algumas defasagens, há muito interesse e vontade de aprender. “Muitos alunos veem uma oportunidade de mudança de vida. Temos uma equipe de professores engajada com a filosofia do projeto, e que acredita no que fazem, aliada à estrutura pedagógica do Grupo Bom Jesus e ao apoio total do Sesc e Senac. A soma de tudo isso justifica o sucesso do projeto”, explica.

EMPREGABILIDADE

Além do ensino de qualidade e professores comprometidos,

maio | junho 2013

o Colégio também prepara para o mercado de trabalho, por meio do Jovem Profissional, ofertado pelo Senac PR com a cooperação de sindicatos filiados à Fecomércio PR. Desde o 1º ano, os alunos participam de cursos profissionalizantes. No último ano do Ensino Médio, os jovens são encaminhados para estágios nas empresas parceiras dos ramos imobiliário, saúde e comércio, e distribuição de veículos. “A participação do Senac é efetiva no processo e traz aos alunos um conhecimento técnico que vai ajudá -lo a compreender desde cedo como é o mundo do trabalho, suas obrigações e necessidades. O interessante é que o aluno está apto ao mercado de trabalho. Isso é um grande diferencial, pois possibilita que nossos alunos façam a opção em ingressar em uma faculdade ou buscar um emprego que já garantirá uma qualidade de vida melhor para si e sua família”, esclarece Lucinéia Appel. Célia Regina Jede reforça as parcerias mantidas pelo projeto. “O Sesc é o grande promotor do encontro, chamando grandes parceiros para a sua realização, e, através do seu Programa de Bolsas Gratuitas, promove também o encontro do jovem com o seu futuro, seja na sua escolha profissional em carreira universitária ou na sua carreira profissional. O importante é que o projeto possibilita ao estudante a escolha do caminho com maior consciência e experimentação”, pontua a gerente de Educação do Sesc PR. Segundo Amanda Rodrigues da Rocha participar das diversas ações ofertadas pelo Colégio Sesc São José serão um diferencial. “No São José eu tive curso de auxiliar administrativo ofertado pelo Senac, viagem para SP, participação no Programa miniempresa da Junior Achievement, pontos positivos que farão o diferencial no meu currículo”, garante. T


Sindicato Investimento

Sincomércio Ivaiporã, vetor de investimentos para o Vale do Ivaí Fundado há quase 23 anos, o Sincomércio trabalha em prol do desenvolvimento de Ivaiporã e mais 17 municípios da região Texto: Carolina Lara | Foto: Ivo Lima

Trazer divisas para o município”, esse é o principal objetivo do Sindicato do Comércio Varejista de Ivaiporã e Região (Sincomércio) desde sua fundação, em agosto de 1990. A afirmação é do presidente do sindicato, Luis Carlos Favarin, à frente da entidade desde o início. Por “divisas” entende-se transações comerciais, recursos. Um dos primeiros projetos realizados pelo Sincomércio desde sua criação foi levar um escritório da Junta Comercial, há 19 anos, para Ivaiporã. “Antes, os empresários ou contadores tinham que ir pra outras regiões para poder fazer esse serviço. Após a instalação da extensão da Junta na cidade, em apenas seis horas é possível formalizar uma indústria ou uma empresa”, informou. “Em função disso, três, quatro e até cinco contadores vêm por dia até a nossa região. Eles acabam trazendo divisas, com alimentação e outros gastos”. Além de Ivaiporã, cidade com população estimada de 31.781 habitantes, onde comércio e serviços representam aproximadamente 80% da

Luis Carlos Favarin, presidente do Sincomércio de Ivaiporã e Região

atividade econômica, o Sincomércio possui em sua base mais 17 municípios da região. Para os 30 associados, o sindicato oferece assessoria jurídica e convênio médico. Outro projeto desenvolvido é a organização de eventos com palestrantes de renome, como o que foi promovido em 2012 com o psicólogo reconhecido internacionalmente, Augusto Cury.

Inaugurada pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac PR em 10 de maio, com a colaboração do sindicato, a unidade de 4.621 m² levará mais qualificação profissional e qualidade de vida para uma população de 150 mil habitantes de Ivaiporã e região. Para 2013, o sindicato prepara ainda a fundação do segundo escritório da Junta Comercial na região. A cidade contemplada é Jandaia do Sul, que também faz parte da base do sindicato. T

2013

Uma das conquistas que marcou o ano de 2013 foi a instalação da primeira unidade integrada Sesc Senac do Brasil, em Ivaiporã.

maio | junho 2013

Sincomércio Patronal Sindicato do Comércio Varejista de Ivaiporã e SERVIÇO

Região, Avenida Castelo Branco, nº 1090

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

23


Inaugurações Investimento

Sistema amplia atuação no Paraná Inauguração de três novas unidades contribui com o desenvolvimento do estado Texto: Carolina Lara e Silvia Bocchese de Lima | Fotos: Ivo Lima

O presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos, durante cerimônia de inauguração do Senac Francisco Beltrão

O

projeto de expansão e interiorização do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR pelo estado chegou a uma nova etapa, em maio, com a inauguração de três unidades, nas cidades de Francisco Beltrão, Pato Branco e Ivaiporã. Com isso, cumpre sua missão de promover o bem-estar e o progresso social, promovendo o desenvolvimento do Paraná e beneficiando os mais de 10 milhões de paranaenses, distribuídos pelos 399 municípios.

24

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

A primeira cerimônia de inauguração ocorreu em 8 de maio, em Francisco Beltrão, e contou com a presença do presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Antonio Oliveira Santos, que ficou impressionado com a entrega dos três empreendimentos em uma única semana. “Uma inauguração, seja do Sesc ou do Senac, em qualquer lugar do Brasil é motivo de orgulho, agora, assistir a duas ou três,

maio | junho 2013

isso é muito raro”, comentou Oliveira Santos. Segundo o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, a expansão do sistema é uma resposta à contribuição dos sindicatos. “O dinheiro dos empresários está sendo colocado em benefício deles, para a qualificação da mão de obra e, no caso do Sesc, para a melhoria da qualidade de vida dos empregados do comércio de bens, serviços e turismo”, pontuou.


O novo Senac Francisco Beltrão atenderá uma região composta por 26 municípios, que agrega 330 mil habitantes

SENAC FRANCISCO BELTRÃO

Construída em terreno doado pelo município, a nova escola do Senac em Francisco Beltrão deu início à série de inaugurações. A unidade foi entregue à população no dia 8 de maio, em uma cerimônia que contou com a presença de diversas autoridades locais, estaduais e nacionais. A estrutura oferta qualificação nas áreas de beleza, saúde, informática, gastronomia, comércio, gestão e

comunicação, e triplicou sua capacidade de atendimento, que pode chegar a 1.200 alunos por dia. As parcerias público-privadas são essenciais para o desenvolvimento do país e para levar melhoria de vida às populações, na avaliação do prefeito de Francisco Beltrão, Antônio Cantelmo Neto. “Na gestão passada, foi doado ao Sistema Fecomércio, pelo então prefeito, Wilmar Reichembach, o terreno onde foi construída esta

importante obra, que trará as melhores condições para a aprendizagem de nossa população”, enfatizou. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Francisco Beltrão, Gilmar Passaia, ressaltou que a obra é um resultado do empenho e da dedicação do poder público municipal, do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e do empresário do comércio, que contribui mensalmente com seus impostos.

Brinde de inauguração, após o descerramento das placas. Da esq. para a dir., o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac AL, Wilton Malta de Almeida; o ex-prefeito de Francisco Beltrão, Wilmar Reichembach; o presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o prefeito de Francisco Beltrão, Antonio Cantelmo Neto; o vice-presidente da Fecomércio PR, Ari Faria Bittencourt; o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Francisco Beltrão, Gilmar Passaia; o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; e o diretor-presidente da Fomento Paraná, Juraci Barbosa Sobrinho

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

25


Inaugurações Inaugurações Investimento

Francisco Beltrão • População estimada: 78.943 • População maior de 14 anos (público do Senac): 61.416

• IDH: 0,791 • Renda Per capita: R$ 16.471,15 • Comércio e Serviços representam 61,74% da atividade econômica da cidade

• Número de estabelecimentos: 2.688 • 85,44% da população é urbana • Taxa de Crescimento Geométrico: 1,63% Fonte: IBGE e Ipardes

O assessor parlamentar da CNC, Roberto Velloso; o diretor geral do Departamento Nacional do Sesc, Maron Emile Abi-Abib; o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca; o diretor do Jornal de Beltrão, Ivo Pegoraro; o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Pato Branco e diretor para Assuntos Sindicais da Fecomércio PR, Ciro Conte Chioquetta; e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

26

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


A nova escola Senac de Pato Branco está localizada entre as unidades do Sesc e do Sebrae

SENAC PATO BRANCO

A inauguração da unidade de educação profissional do Senac de Pato Branco foi realizada em 9 de maio. O prédio de 2.148m2 também foi construído em terreno doado pelo poder público municipal. No espaço é possível ofertar cursos nas áreas de gastronomia, na cozinha pedagógica e na confeitaria-escola, e de beleza, nas salas de cabeleireiro, de manicure e de depilação. A escola conta também com

salas de aula convencionais e laboratórios para cursos de informática, comércio, saúde, gestão e comunicação. Com isso, a unidade triplica sua capacidade de atendimento, chegando a 1.272 alunos por dia, em três turnos. Para o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi o município tem sido referência por seu desenvolvimento econômico e nos indicadores sociais. “A inauguração desta obra tão importante para Pato Branco e região mostra

o quão pujante é o setor do comércio e de serviços em nossa cidade. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Pato Branco, Ulisses Piva, falou da importância do Senac na qualificação da mão de obra, que beneficiará não apenas Pato Branco, mas a região em seu entorno. Ele também lembrou o empenho do ex-presidente do Sindicomércio, Neuri Nilo Garbin, para que a concretização deste sonho local fosse realizado com a vinda do Senac.

Pato Branco • População estimada: 72.370 • População maior de 14 anos (público do Senac): 56.186 • IDH: 0,849 • Renda Per capita: R$ 19.176,95 • Comércio e Serviços representam 70,54% da atividade econômica da cidade • Número de estabelecimentos: 2.905 • 94,08% da população é urbana • Taxa de Crescimento Geométrico: 1,52% Fonte: IBGE e Ipardes

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

27


Inaugurações Inaugurações Investimento

Desenlace da fita inaugural. Da esq. para a dir., Ana Maria Monastier, acompanhando o esposo, o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi; o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca; a ex-primeiradama de Pato Branco, Neuza Amadori Viganó; o ex-prefeito de Pato Branco, Roberto Viganó; e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, acompanhado da esposa, Maria José Piana

O presidente do Sescap PR, Mauro Cesar Kalinke; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi; e o presidente do Sindilojistas Paranaguá, Said Khaled Omar

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o presidente da CNC, Antonio Oliveira Santos; o prefeito de Pato Branco, Augustinho Zucchi; o ex-presidente e o atual presidente do Sindicomércio Pato Branco, Neuri Nilo Garbin e Ulisses Piva

28

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


SESC SENAC IVAIPORÃ

Depois das inaugurações no Sudoeste, Ivaiporã, localizada no Centro-norte do estado, recebeu a primeira unidade integrada Sesc Senac do Brasil, no dia 10 de maio. Com área de 4.621 m², o complexo construído em terreno doado pela prefeitura já está levando mais qualidade de vida e qualificação profissional para 150 mil habitantes de Ivaiporã e dos 16 municípios da região. O Sesc dispõe de ginásio, academia de esportes, espaço para Educação Infantil, salas multiuso para cursos, sala de vídeo, biblioteca e clínica odontológica. O diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, acredita que, onde a instituição se instala, ela passa a fazer parte de uma transformação social. “Não faremos nenhu-

ma modificação sozinhos, mas seremos, por certo, a mola mestra dessa mudança importante que ocorrerá aqui em Ivaiporã e região”, afirmou. O Senac, por sua vez, oferta qualificação profissional para os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo. A estrutura conta com salas de aula convencionais, cozinha pedagógica e confeitaria-escola, laboratórios de informática, ambientes pedagógicos para cursos de cabeleireiro e manicure, laboratório de enfermagem e auditório. Segundo o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier, as novas unidades fazem parte do projeto de interiorização da instituição. “É um propósito da nossa diretoria, e do nosso conselho, oferecer, também no interior, todos os cursos, com a mesma qualida-

de e com as mesmas condições que nós temos na capital”, pontuou. Para o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ivaiporã, Luis Carlos Favarin, a unidade integrada representa uma indústria de mão de obra qualificada que vem acompanhada de um grande desenvolvimento na área social. “Esta foi uma luta de vários anos, mas valeu esperar”, comentou. O prefeito de Ivaiporã, Luiz Carlos Gil, acredita que, com a instalação da unidade integrada Sesc Senac no município, a educação profissionalizante e a qualidade de vida da população aumentarão significativamente, fazendo com que as pessoas que saíam da cidade em busca de oportunidades permaneçam no município. T

Ivaiporã • População estimada: 31.816 • População maior de 14 anos (público do Senac): 25.167 • IDH: 0,764 • Renda Per capita: R$ 9.317,89 • Comércio e Serviços representam 80,37% da atividade econômica da cidade • Número de estabelecimentos: 900 • 70,68% da população é urbana • Taxa de Crescimento Geométrico: -0,14% Fonte: IBGE e Ipardes

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

29


Inaugurações Inaugurações Investimento

Desenlace da fita inaugural. A presidente da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Ivaiporã (CMEG Ivaiporã), Nadir Maciel (esq.); o prefeito de Ivaiporã, Luiz Carlos Gil, e a esposa, Gertrudes Bernardy; Maria José Piana, acompanhando o esposo, o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o presidente do Sincomércio Ivaiporã, Luis Carlos Favarin; Ana Maria Monastier, acompanhando o esposo, o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; e o ex-governador do estado do Paraná, Orlando Pessutti (dir.)

Coletiva de imprensa com o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier (esq.); o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o presidente do Sincomércio Ivaiporã, Luis Carlos Favarin; os gerentes executivos do Sesc e Senac Ivaiporã, Roberto Cardoso e Reginaldo Inacio Coelho; e a presidente da CMEG Ivaiporã, Nadir Maciel

O deputado federal, Alex Canziani; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o prefeito de Ivaiporã, Luiz Carlos Gil; e o presidente do Sindicato dos Despachantes do Estado do Paraná (Sindepar), Everton Calamucci

30

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Descerramento das placas inaugurais. Da esq. para a dir., o presidente do Sincomércio Ivaiporã, Luis Carlos Favarin; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; a presidente da CMEG Ivaiporã, Nadir Maciel; o deputado federal, Alex Canziani; o ex-governador do estado do Paraná, Orlando Pessutti; o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; o deputado federal e vice-presidente da Câmara dos Deputados, André Vargas; o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca; e o vice-presidente da Fecomércio PR, Ari Faria Bittencourt

Em funcionamento As três unidades inauguradas em maio estão em pleno funcionamento. A população já pode usufruir de cursos de qualificação profissional e atividades que promovem a qualidade de vida. No Senac Francisco Beltrão, 18 turmas estão em andamento, sendo que sete são ofertadas por meio do Programa Senac de Gratuidade (PSG), duas pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), e duas pelo programa de Aprendizagem. Para o segundo semestre, 27 turmas já estão com vagas abertas, das quais 12 são para cursos gratuitos, sendo oito pelo PSG e quatro pelo Pronatec. O novo Senac Pato Branco já está

atendendo a mais de 300 alunos, dos quais aproximadamente 65% ocupam vagas gratuitas. Para o segundo semestre, 25 turmas já estão programadas, sendo nove pelo Pronatec e sete pelo PSG. Além disso, a partir de julho a Unidade Móvel de Informática e Gestão ofertará duas turmas de Operador de Computador por meio do PSG no município de Mariópolis, que faz parte da área de abrangência da unidade. Desde a inauguração, o Senac Ivaiporã atendeu a 190 alunos, dos quais 70 em cursos gratuitos. Para o segundo semestre já estão previstas mais 700 vagas para cursos de qualificação, sendo 294 direcionadas para cursos gratuitos

maio | junho 2013

ofertados por meio do PSG e Pronatec. O Sesc Ivaiporã, por sua vez, vem desenvolvendo uma série de atividades para proporcionar qualidade de vida para os comerciários e seus dependentes. Entre as atividades já ofertadas há o projeto Futuro Integral, com cerca de 150 participantes, e os encontros do Grupo de Convivência de Idosos. Além disso, um acervo de três mil livros já está à disposição da população e, em agosto, iniciam-se as atividades da Educação Infantil e o ensino de línguas estrangeiras. Para o segundo semestre está previsto também o início de diversos projetos de Esporte e Recreação, Cultura e Turismo Social.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

31


Perfil

DNA de empreendedor O tino para os negócios vem de casa, atravessando gerações da família Tozetto Texto: Silvia Bocchese de Lima | Fotos: Ivo Lima

A

experiência da família Tozetto na comercialização de produtos já chegou aos 85 anos. E tudo começou com um armazém de secos e molhados, em 1928, em Ponta Grossa. Vinte e sete anos depois nasceu a “Tozetto e Cia.”, hoje uma rede de supermercados que conta com quatro lojas, mais de 60 mil metros quadrados de área e 1.300 colaboradores, bem diferente do espaço inicial: um barracão de 200m2. Há quase 30 anos trabalhando na empresa de sua família, César Moro Tozetto, diretor comercial do grupo e presidente da Associação Paranaense de Supermercados (Apras), desempenhou funções em todos os setores do supermercado, e em cada uma delas aprendeu o funcionamento do todo.

QUALIFICAÇÃO

Apesar da experiência familiar no ramo e da adquirida na empresa, Tozetto não deixou de buscar a capacitação e a qualificação profissional. Graduou-se em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), cursou pós-graduação em Administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e em Gestão Estratégica do Varejo, pela Fundação Instituto de Administração (FIA). E a visão de necessidade de qualificação também se estende aos demais colaboradores. “Entendemos que a capacitação visa a excelência nos serviços. Especialmente nas áre-

32

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

“Não há fórmula de sucesso no mundo empreendedor que dê certo se nela não for empregada perseverança.” César Moro Tozetto - Presidente da APRAS

maio | junho 2013

as gerenciais desenvolvemos treinamentos, em parcerias com a Apras e com o Senac para as áreas técnicas. Também ofertamos treinamentos e reciclagem na própria empresa”, pontua Tozetto. Além da rede de supermercados, Tozetto diversificou sua atuação empresarial e hoje é sócio e diretor de empresas do ramo de empreendimentos imobiliários, atendendo desde o público beneficiado pelos programas de incentivo do governo federal, como o “Minha Casa Minha Vida”, até aqueles que desejam imóveis em condomínios fechados de alto padrão. Tozetto acredita que o segredo para o sucesso está ligado à perseverança e ao investimento. “Não se obtém êxito em um negócio se for buscado o imediatismo, cada coisa acontece a seu tempo. O importante é não desistir e investir, acreditar e conhecer no potencial do ramo, atualizar-se constantemente e gostar do que se faz”, revela. Ele também destaca que o empreendedor brasileiro precisa ter o perfil para correr riscos. “Muitas vezes a própria legislação trabalhista e fiscal trata o empreendedor como um especulador. No passado, quem empregava tinha um valor social diferenciado, pois se entendia que ele trazia benefício para a sociedade. Hoje, um empresário com 100 colaboradores muitas vezes é tratado como aquele que explora a mão de obra”, desabafa.


LIDERANÇA

O empresário, à frente da Apras – uma organização não governamental que defende os interesses dos supermercadistas concorrentes entre si – salienta a importância de buscar os objetivos comuns da classe. Para atender a estes empresários, o presidente revela o serviço prestado pela associação em levar informações sobre as legislações e interpretações legais que envolvam o setor. Pelo Instituto Escola Paranaense de Supermercados (IESPAR), a Apras oferta formação, qualificação e treinamento aos colaboradores dos associados. “As nossas defesas são diversas. Buscamos qualificar o empresário, fazer negócios, representá-lo, confraternizar e fazer com que empresários sentem-se juntos à mesa e se vejam como concorrentes e não como inimigos”, diz. Tozetto enfatiza que as habilidades do comerciante contemporâneo não se resumem aos simples comprar e vender mercadorias e serviços. “Hoje, o empresário precisa dominar a legislação vigente, entender de todo o processo burocrático e da organização da empresa”, compartilha. Ele também lembra que o empresário do setor supermercadista enfrenta desafios da ordem tributária e burocrática, além da escassez da mão de obra, especialmente ao comércio que abre aos domingos e feriados.

MUDANÇAS DE HÁBITOS

Bem diferente do armazém de secos e molhados que o avô de Tozetto possuía no início do século passado, os supermercados precisam se adaptar às constantes mudanças de hábitos dos consumidores, e neste aspecto, são pioneiros. O empresário nota que o uso de cartões de crédito e

César Moro Tozetto - Presidente da APRAS

maio | junho 2013

de código de barras foi implementado inicialmente em supermercados, aliado ao autosserviço representam ganho de produtividade. Ele salienta que é desafiador atender às diversas necessidades de quem consome, principalmente no Brasil, com diferentes classes sociais. “Temos o público que está entrando no mercado com o valor que recebe do programa Bolsa Família e quer melhorar de consumo, incluindo em seu carrinho de compras um refrigerante e um iogurte, por exemplo. Também precisamos atender o cidadão que não tem tempo, está em trânsito e quer um alimento pronto para o consumo. Isto cria nichos de mercado”, lembra. Além disso, um ramo que teve grande crescimento em 2012 foi o de atacarejo, ou seja, os supermercados que têm a característica de prestar menos serviços e proporcionar um preço mais agressivo. “Existe o consumidor sensível a preço, outro que gosta de frequentar o supermercado e nesta categoria encontra-se a maioria, que vê o supermercado como um grande shopping, um local de compra e de lazer e esta necessidade do público precisa ser atendida”, conclui. T SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

33


Investimento Pronatec

Educação profissional na pauta das prefeituras Onze Fóruns Regionais de Apoio à Formação e Qualificação Profissional pretendem levar o Pronatec para todos os municípios do estado Texto e fotos: Carolina Lara

N

os meses de junho e julho, 11 Fóruns Regionais de Apoio à Formação e Qualificação Profissional para as Mesorregiões do Paraná ocorrem em todo o estado com o objetivo de possibilitar o acesso dos municípios às políticas de qualificação profissional. Idealizado pelo Senac PR em parceria com a Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, o evento engloba todos os atores envolvidos em políticas de qualificação profissional, com ênfase para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). A mesorregião do Norte Pioneiro foi a primeira a receber o fórum, no dia 7 de junho, em Cornélio Procópio. Ao todo, 46 municípios foram representados por meio de seus prefeitos, secretários e gerentes da Agência do Trabalhador. Durante o fórum, representantes do Senac PR, do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Senat), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Instituto Federal do Paraná (IFPR), além de líderes das secretarias

34

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Luiz Claudio Romanelli, secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária

Darci Piana, presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR

de Estado parceiras do evento (da Educação; da Família e Desenvolvimento Social; da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos; do Turismo; da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul; da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior) apresentaram suas instituições, seus programas de educação profissional e explicaram como funciona o Pronatec. O secretário de Estado do Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Luiz Claudio Romanelli, acredita que, com essa iniciativa, o Pronatec estará em todo o Paraná até o fim de 2013. “O nosso desafio é fazer com que os cursos de qualificação profissional possam chegar a todos os municípios, por isso estamos iniciando essa mo-

maio | junho 2013

Vitor Monastier, diretor regional do Senac PR

bilização em todo o estado”, afirmou. Para o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, é importante mostrar aos prefeitos como os municípios podem se beneficiar com o que cada uma das instituições tem a oferecer. “Nós precisamos cumprir a nossa meta, dando oportunidade às pessoas para que consigam um trabalho ou um salário melhor. Isso favorece os nossos empresários e favorece a sociedade de um modo geral”, destacou. O diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier, que participou do 1º Fórum, introduziu a apresentação do Senac PR e os programas de educação profissional ofertados pela instituição. T


Homenagem

Heróis da Lapa

Comenda é entregue a personalidades que contribuem para a cidade Texto e fotos: Karla Santin

O

presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, recebeu a comenda “Heróis da Lapa” durante cerimônia realizada no histórico Theatro São João, no dia 15 de junho. O comandante do 15º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (15º GAC AP), tenente coronel Marcelo Maia Quiesa, lembrou a sólida parceria entre o Sistema Fecomércio e o Exército Brasileiro. “No passado, os heroicos lapeanos combateram bravamente ao lado dos militares na defesa de um ideal, a república. Hoje todos lutam por um município mais próspero e melhor. Os agraciados com a homenagem contribuem para o fortalecimento da Lapa”, reiterou. A medalha recebida é circundada por 26 estrelas que representam os dias em que a cidade resistiu ao cerco dos maragatos, contrários ao regime presidencialista, em 1894. Além de Piana, também receberam a comenda, o professor de educação física Antonio Jorge Fávaro e o sociólogo e piloto de avião, Antonio Borges. A prefeita da Lapa, Leila Klenk, ao justificar a indicação dos homenageados, destacou a liderança decisiva que Piana exerce para o desenvolvimento econômico e social do Paraná. “O fortalecimento do comércio decorrentes das ações da Fecomércio, do Sesc e do Senac também chegam à Lapa e estimulam nosso município”, avaliou.

Cerimônia de entrega da comenda foi realizada do Theatro São João

O presidente da Câmara de Vereadores, João Carlos Leonardi Filho, também salientou o papel de Darci Piana à frente do Sistema Fecomércio. “Esta comenda é uma das maiores e mais valiosas homenagens da Lapa e se torna ainda especial ao ser entregue nesta data, quando comemoramos o aniversário de 244 anos do município e o dia de seu padroeiro, Santo Antônio”, afirmou. “Congratulo-me com esta comenda porque significa que estou cumprindo meu papel enquanto presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac, levando o desenvolvimento ao Paraná e a cada município deste estado”, disse Piana em seu discurso de agradecimento. A solenidade também contou com as presenças do diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier; da de-

maio | junho 2013

Comandante do 15º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado (15º GAC AP), tenente coronel Marcelo Maia Quiesa, e o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana

putada federal Rosane Ferreira; do juiz substituto da Comarca da Lapa, Antonio Evangelista de Souza Neto, e do tenente da Polícia Militar, Sérgio Struve, entre outros. T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

35


Investimento Sindicato

Encontro reuniu líderes sindicais de todo o país Texto: Maria Emília Staczuk | Fotos: Ivo Lima, Nilson Santana e Shigueo Murakami

Quase 1,5 mil pessoas participaram do evento

E

m torno de 1,5 mil líderes sindicais e dirigentes de entidades de todo o país participaram do 29º Encontro Nacional de Sindicatos Patronais do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (29º ENSP), realizado de 15 a 17 de maio, em Curitiba. Integraram o encontro delegações vindas dos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal, e mais de 20 presidentes de federações. O evento, promovido pelo Sindicato dos Lojistas do Comércio e do Comércio Varejista de Maquinismos, Ferragens, Tintas, Material Elétrico e Aparelhos Eletrodomésticos de Cuririba e Região Metropoliotana (Sindilojas Curitiba) e pelo Sindicato dos Representantes Comerciais do Paraná (Sirecom-PR), teve como tema central a sustentabilidade empresarial. “A avaliação do evento foi positiva. As temáticas ficaram lotadas, todos os palestrantes que partici-

36

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

param do encontro foram convidados para fazer a apresentação em outras cidades e isso demonstra o alto nível do evento”, destacou o presidente do Sindilojas Curitiba, Ari Faria Bittencourt. Para o presidente do Sirecom-PR, Paulo Nauiack, o evento em Curitiba ficará na história do encontro nacional. “Nós tivemos a presença de congressistas interessados em debater, mudar e reformular questões importantes que envolvem o sindicalismo patronal, numa troca de conhecimento riquíssima. Eu diria que foi um evento inspirador. Nós mostramos a força do comércio paranaense”, ressaltou. “Com certeza esse foi um dos maiores eventos que já ocorreram no país. Isso é um exemplo que o estado do Paraná tem dado da sua organização. É importante que se continue mantendo esse diálogo entre as entidades associativas e as federações

maio | junho 2013

para que se possa melhorar cada vez mais a qualidade do sindicalismo patronal no país”, comentou o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná, Darci Piana. Para o presidente da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Antonio de Oliveira Santos, “esse foi um momento de congraçamento em que nos reunimos para trabalhar para um novo país, mais moderno, que está em transformação. Por isso, nós temos que mudar com ele. A força do trabalho fará essa transformação”. O vice-governador do estado do Paraná, Flávio Arns, enfatizou o peso da participação do setor na economia do estado. “O comércio tem papel de destaque porque gera emprego, renda e participa do PIB de uma maneira significativa, tendo no governo do Paraná um parceiro”, disse.


Antonio de Oliveira Santos, presidente da CNC

PROGRAMAÇÃO

Flávio Arns, vice-governador Os anfitriões, Paulo Nauiack, Darci Piana do Paraná e Ari Faria Bittencourt

Os debates foram organizados de duas formas: grupos para a discussão de temas específicos ligados ao comércio e sindicalismo e palestras com assuntos de interesse geral. O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Caputo Bastos, abordou as principais súmulas que envolvem as relações trabalhistas dos sindicatos. O advogado e ex-secretário Estadual da Fazenda, Heron Arzua, tratou da substituição tributária.

Os mecanismos para trazer sustentabilidade aos negócios foram apresentados pelo assessor para assuntos internacionais do Sebrae/PR, Luiz Antonio Rolim de Moura. O economista José Pio Martins apresentou as perspectivas econômicas para o país nas próximas décadas. Ainda no evento, foi realizada uma feira de produtos e serviços com a participação de cerca de 20 expositores, entre empresas e entidades. O encontro nacional contou ainda com

maio | junho 2013

uma programação especial destinada aos acompanhantes, com city tour e desfile de moda. O 29º ENSP teve o patrocínio da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Fecomércio PR, Sebrae, Caixa Econômica Federal, Fomento Paraná, Compagás, Copel, Sanepar e Sicoob. O apoio foi da Ocepar, Água Timbu, Curitiba Convention &Visitors Bureau e governo do Paraná. A organização ficou a cargo da Mark Messe. T SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

37


Investimento Liderança

Cooperativismo e empreendedorismo de mãos dadas Reconhecido como uma das principais lideranças do cooperativismo no país, o presidente do Sistema Ocepar, João Paulo Koslovski, assume a presidência do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR Texto: Silvia Bocchese de Lima | Foto: Rodolfo Buhrer

O

cooperativismo paranaense tem há mais de quatro décadas um árduo defensor, o engenheiro agrônomo João Paulo Koslovski, presidente do Sistema Ocepar, integrado pela Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e pela Federação das Cooperativas do Estado do Paraná (Fecoopar). Além disso, é diretor da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e, desde março deste ano, é presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR. Esta é a primeira vez no Brasil que o presidente de uma organização de cooperativas assume o comando estadual do Sebrae/PR, uma oportunidade única do cooperativismo e do empreendedorismo andarem juntos no estado. “O cooperativismo e o empreendedorismo têm muitas coisas em comum, ajudam a melhorar a vida das pessoas, gerando mais empregos, mais e melhor distribuição de renda. Assumir a presidência do Sebrae/PR foi um fato inédito, que

38

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

João Paulo Koslovski, presidente do Sistema Ocepar e presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR

representa o reconhecimento pelo importante trabalho que fazem as cooperativas paranaenses”, pontua Koslovski. Assumir o comando do Sebrae/ PR é um desafio para Koslovski, que ao lado das entidades que compõem o Conselho Deliberativo e da diretoria executiva do Sebrae/PR, pretende im-

maio | junho 2013

plementar uma gestão que possa ouvir os anseios do segmento em todo o estado, potencializar as ações e programas que promovam o empreendedorismo e as micro e pequenas empresas. Além disso, o presidente pontua como desafiador despertar nos jovens universitários o interesse por empreender. “Os jovens precisam de uma atenção


especial nas universidades, talvez com uma disciplina formal em empreendedorismo. Certamente teremos pessoas preparadas para criar e investir em novas alternativas de negócios com visão empresarial e de resultados”, enfatiza.

BANDEIRAS

Para os próximos dois anos, Koslovski pretende prosseguir com o trabalho já desenvolvido pela equipe técnica do Sebrae/PR e garantir uma participação cada vez mais ativa dos conselheiros. Ele revela que nos anos de 2011 e 2012, foram atendidos pela instituição mais de 100 mil pequenos negócios. “Os microempreendedores individuais, aqueles pequenos empreendedores recém-formalizados e que desempenham funções como pintor, cabeleireiro, artesão, marido de aluguel também precisam de apoio para se fortalecer e se tornarem empresários de micro e pequenas empresas, empregando assim mais pessoas e movimentando a economia”, acredita. O presidente destaca que será dada continuidade ao trabalho visando o planejamento estratégico da instituição para 2022, quando o Sebrae/PR e o Sebrae Nacional completarão 50 anos de atuação no estado e no Brasil. “Quero que este planejamento reflita

os anseios da comunidade empreendedora. O nosso lema é sempre saber o que querem aqueles que precisam do trabalho do Sebrae e este planejamento precisa ser seguido rigorosamente. É o Projeto Sebrae 2022 que ditará o tom da organização nos próximos anos”, acrescenta o dirigente.

DESAFIOS E DIFICULDADES

Representando um universo de 99% dos estabelecimentos formais no Paraná e no Brasil, as micro e pequenas empresas respondem por 60% dos empregos com carteira assinada e 40% da massa salarial. Este universo de empresas tem desafios a serem superados e um deles é a participação no Produto Interno Bruto (PIB). “Tanto no Paraná quanto no Brasil, as micro e pequenas empresas geram mais empregos que as médias e grandes. Temos o desafio de aumentar a participação do segmento no PIB. As micro e pequenas empresas movimentam atualmente 25% do PIB brasileiro. Em outros países este percentual é bem maior”, revela. No Paraná, as micro (com faturamento bruto anual de até R$ 360 mil) e as pequenas empresas (com faturamento maior que R$ 360 mil e menor que R$ 3,6 milhões) representam meio

milhão de empreendimentos e outros cerca de 150 mil microempresários individuais faturam até R$ 60 mil ao ano. Embora o mercado paranaense seja amplo e pujante, 25% das micro e pequenas empresas fecham as portas no estado nos dois primeiros anos de vida, período este considerado o mais crítico para um pequeno negócio. “Quase a totalidade dessa mortalidade se deve à falta de orientação técnica. Muitas pessoas, com o desejo de tornar realidade o sonho de empreender, esquecem-se que precisam de informações de entidades como o Sebrae/PR para se tornarem sustentáveis e lucrativas”, acredita Koslovski.

UNIÃO

As entidades representativas do setor produtivo do Paraná, como a Fecomércio PR, Fiep, Ocepar, Sebrae/PR, Faciap, Faep, entre outras, têm programas e propostas que podem proporcionar o desenvolvimento do estado. Para Koslovski é a união dessas entidades que faz a diferença no Paraná. “Unidas estas entidades passam a ter mais abrangência, efetividade e poder de fogo para mudar realidades. O diálogo é o melhor caminho para essa construção coletiva. Queremos fortalecer ainda mais este trabalho”, pontua. T

Nova Diretoria A nova diretoria executiva do Sebrae/ PR é composta pelo diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta; pelo diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini, e pelo diretor de Gestão e Produção, José Gava Neto. Da esquerda para a direita: o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini; o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/PR, João Paulo Koslovski; o diretorsuperintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta; e o diretor de Gestão e Produção, José Gava Neto

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

39


Gastronomia Investimento

40

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Um toque contemporâneo na cozinha da nona Senac traz chef diretamente da Itália para a Semana de Estudos e Pesquisas da Gastronomia Italiana Texto: Fernanda Ziegmannn | Fotos: Ivo Lima

A

origem da culinária contemporânea está nas tradicionais cozinhas que conquistaram o mundo, como a francesa, italiana, espanhola e oriental. Tem como principal característica a flexibilidade de ingredientes e apresentação dos pratos. O cardápio assinado pelo chef italiano Mario Ferrara não é diferente disso, pois tem como lema que a comida precisa ser saudável, boa e bela. O chef, que veio da Itália especialmente para a Semana de Estudos e Pesquisas da Gastronomia Italiana, promovida pelo Senac entre os dias 3 e 8 de junho, criou um cardápio com receitas típicas mas com um toque de contemporaneidade. A vinda do chef fez parte do calendário do Mia Cara Curitiba 2013. Pelo segundo ano consecutivo o Senac PR, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e o apoio do Consulado Italiano em Curitiba, participou da programação do evento. Em 2012 a instituição trouxe o chef Giuliano Tassinari, da Casa Artusi, que apresentou pratos originais da Itália. Nes-

Chef italiano Mario Ferrara

se ano a proposta do chef Ferrara, do Ristorante Scacco Matto, localizado em Bologna, foi adaptar os pratos italianos ao paladar dos paranaenses. “Procuro sempre utilizar as leguminosas da época na cozinha, isso foi um desafio muito grande, pois os produtos brasileiros são diferentes dos nossos, mas o resultado agradou a todos que provaram”, explicou Ferrara.

maio | junho 2013

Aproveitando a estadia do chef no Paraná, o Senac ofereceu palestras gratuitas em Curitiba, Maringá e Foz do Iguaçu para alunos de gastronomia, profissionais da área e apreciadores da cozinha da nona, com o tema “A gastronomia italiana por Mario Ferrara: os sabores da Basilicata para o mundo”. Durante as festividades, a Fecomércio PR, que teve como anfitrião

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

41


Gastronomia Investimento

Presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, durante jantar italiano

o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, ofereceu um jantar italiano no Restaurante-Escola do Senac Curitiba para diversas autoridades, entre elas o vice-cônsul geral da Itália em Curitiba, Rosario Grenci e o vice-reitor da UFPR, Rogério Andrade Mulinari, que destaca-

ram a importância de parcerias com o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR. “Essa iniciativa do Senac trazer um chef da Itália para apresentar a real gastronomia é muito interessante, pois o brasileiro adora comida italiana e poder provar um prato preparado por um chef de lá é promover

Palestra do chef Mario Ferrara no Senac Curitiba

42

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013

cultura”, comentou Grenci. “A Fecomércio sempre está à frente de eventos de cultura, educação, esporte e saúde e no Mia Cara Curitiba não poderia ser diferente. Trazer um chef italiano para ensinar suas técnicas é uma experiência única”, destacou Mulinari.


Investimento COLÓQUIO

A instrutora do Senac Curitiba, Giana Coró; o chef italiano, Mario Ferrara; o coordenador do Restaurante-Escola do Senac, Lúcio Chrestenzen; o chef da Cantina do Délio, Délio Canabrava, e a chef do Restaurante Manu, Manu Buffara

Fazendo parte da programação da Semana, o Senac promoveu um Colóquio Gastronômico com o tema “A Gastronomia Italiana no Brasil: uma história de imigração, costumes, ingredientes e técnicas em busca de uma Gastronomia de Origem”, que reuniu chef dos mais renomados restaurantes de Curitiba para debaterem o assunto. O chef destacou que sua culinária é caracterizada pela autenticidade dos seus pratos ao aliar saúde, paladar e beleza. “Como a nossa vida mudou, os pratos também precisam ser repaginados, sempre procuro dar leveza sem perder o sabor original”, disse Ferrara. A chef do restaurante Manu, Manu Buffara, ressaltou a importância de utilizar bons produtos em uma receita. “Para um chef de cozinha ter um diferencial é preciso ir em busca de novos produtos e não esperar ele bater a sua porta. Com um bom produto é possível chegar a um resultado melhor ainda”, destacou Manu. O chef Délio Canabrava, da Cantina do Délio, outro convidado, levantou questões sobre as diferentes cozinhas italianas servidas pelo mun-

do. “Existe uma grande diferença nas receitas, cada um tem um jeito especial de preparar cada prato e isso também acontece na Itália, onde cada família e cada restaurante tem uma receita diferente”, comentou Délio. Ao fim do debate foi servido um menu degustação composto de sete pratos preparados pelo chef Mario Ferrara, todos com harmonização de vinhos cedidos pelo Empório 4 Estações. Para finalizar as atividades, a Vinícola Franco Italiano ofereceu

um Limon Cello de fabricação própria. O competidor do Senac PR na WorldSkills, Ueslei Felipe de Oliveira, e o instrutor Gilberto Pereira Dias serviram os pratos. Participaram do colóquio o coordenador do Restaurante-Escola do Senac, Lúcio Chrestenzen, que fez as apresentações e conduziu o debate; a instrutora do Senac Curitiba, Giana Coró; o chef da Cantina do Délio, Délio Canabrava; a chef do Restaurante Manu, Manu Buffara; o chef de cozinha do Senac, Christian Tamayo; o chef do restaurante Gardeno, Mario Friggi; o coordenador de Gastronomia da PUC, Alexandre Roberto Dhein; o professor Ailton Almeida, representando a OPET e a Positivo, o proprietário do Empório 4 Estações, Willian Chipon; o empresário da Forneria e Pizzaria Alberto Massuda, Silvano Silva; o proprietário da Vinícola Ítalo Franco, Fernando Camaro; o chef da Pizzaria Pizzicato, Rafael Zanlorenzi Nicolella, e representando o Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, o assessor da presidência, Edson Guariza.

Prato preparado pelo chef italiano: bacalhau ao forno a 70ºC no azeite, acompanhado de sorbet de pimenta vermelha

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

43


Luis Fernando Frandoloso

Gastronomia Investimento

Mia Cara Curitiba

“Janelas Líricas” no Paço da Liberdade, interpretadas por cantores da Escola de Música e Belas Artes do Paraná

MIA CARA CURITIBA

Entre os dias 25 de maio e 9 de junho de 2013 ocoreu na capital paranaense a terceira edição do Festival Mia Cara Curitiba, realizado em parceria do Consulado Geral da Itália em Curitiba e a Universidade Livre da Cultura. O festival surgiu da necessidade de trazer um pouco mais da Itália para o sul do Brasil, contemplando a maior comunidade de imigrantes italianos fora de seu país de origem e homenageando o dia da República Italiana, proclamada em 2 de junho de 1946. Para isso, durante duas semanas antecedendo a chegada do inverno, Curi-

tiba abrigou diversos programas culturais e manifestações artísticas como leituras dramáticas de textos italianos, semana de cinema, feira gastronômica, além de shows da Zizi Possi e da Associação dos Músicos da Orquestra Sinfônica do Paraná. O Sesc PR também foi parceiro na realização do evento, com a promoção do show Dolce Vita, uma apresentação de trilhas sonoras dos clássicos do cinema italiano interpretadas pela Orquestra Sinfônica do Paraná com a participação do Maestro Giuliano Di Giuseppe e violoncelista Pierluigi Ruggiero, vindos da Itália. Ainda abriu o Paço da Liberda-

de para a exibição do “Janelas Líricas”, apresentação de árias de óperas italianas interpretadas por cantores da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. O evento teve patrocínio do Banco CNH Capital, Havan, Sanepar, Whirlpool, e apoio institucional do Grupo Uninter, Nosso Time, Restaurante Alfredo’s Gallery Alla Scrofa Roma, Câmara Ítalo Brasileira de Comércio e Indústria do Paraná, Curta Curitiba, Instituto Curitiba de Turismo, Fecomércio, Senac, Sesc, Fundação Cultural de Curitiba, Teatro Guaíra, prefeitura de Curitiba e governo do estado do Paraná. T

Culinária Alemã é tema no Senac Seguindo a linha contemporânea europeia, de 15 a 20 de julho o Senac PR em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), realizará a Semana de Estudos e Pesquisas da Gastronomia Alemã. Quem prepara esta culinária típica, porém com traços modernos, é o chef alemão Heiko Grabolle. Radicado no Brasil, mais especificamente em Santa Catarina, o chef do Restaurante-Escola do Senac Blumenal, Heiko Grabolle, possui um conhecimento gastronômico diversificado e multicultural e apresentará seus pratos ao público no estilo buffet ou empratado.

44

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013

A semana acontecerá em paralelo ao Festival de Inverno do Centro Histórico. Em razão disso, o Senac realizará um ciclo de palestras gratuitas no Paço da Liberdade, abordando diversos tipos de gastronomia. A culinária Alemã será debatida no dia 13 de julho no Memorial de Curitiba, pelo chef Grabolle. As inscrições poderão ser feitas pelo 0800 643 6 346. Para mais informações sobre a Semana Alemã basta acessar o site www.pr.senac.br. Garanta o seu lugar e faça já sua reserva pelo telefone (41) 3219-4854. T


Responsabilidade Investimento Social

Homenagens aos doadores do Mesa Brasil Com dez anos de atuação e altos números de repasse de donativos, programa presta homenagem, desta vez aos doadores de Cascavel Texto: Karen Bortolini | Fotos: Vanderson Faria

E

m meio à fome de tantos e ao desperdício de alimentos, a esperança traduzida em responsabilidade social. O Mesa Brasil é um dos programas de repasse de doações do Sesc, que entrega os mais altos números de alimentos no Brasil a quem mais precisa. Desenvolvido pelo Departamento Nacional do Sesc, conta com 82 unidades em todo o país, distribuídas entre os 26 estados e o Distrito Federal, para atender 400 municípios. No Paraná são oito unidades, responsáveis por atender 55 municípios da área de abrangência. Mas, para que este programa exista é necessário que de um lado haja o doador e do outro o receptor. Por apresentar altos volumes de doações o Sesc elaborou uma sequência de homenagens a empresários, cooperativas e agricultores que fazem o Mesa Brasil acontecer. A última cerimônia aconteceu em Cascavel, no dia 12 de junho, na unidade do Sesc, onde 24 doadores receberam a placa de honra ao mérito. Eles doam a produção excedente ao Mesa Brasil, que redireciona e distribui os alimentos às entidades sociais cadastradas. Segundo o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, esta é uma retribuição do Sesc pelo empenho desses doadores, fundamentais para

a existência do programa. De janeiro a maio deste ano eles foram responsáveis por doar quase 97 toneladas de alimentos em Cascavel. “O objetivo é estender esta homenagem a todas as cidades onde está implantado”, frisou o diretor regional. O Mesa Brasil, somente em Cascavel, beneficia 72 instituições sociais. Implantado em 2006, também atende aos municípios de Corbélia, Ubiratã, Nova Laranjeiras, Lindoeste, Santa Tereza do Oeste, Céu Azul, Ibema e Diamante do Oeste. “Estas doações que recebemos são de extrema importância. Somente assim conseguimos fazer nosso trabalho social. Atendemos

maio | junho 2013

cerca de 150 famílias em vulnerabilidade, com programas de enfrentamento à pobreza. Graças aos donativos conseguimos reativar uma panificadora, e, com o que produzimos, complementar o lanche dessas pessoas”, disse a assistente social da Sociedade Espírita Paz Amor e Luz, Monica Pereira Guerra, que representou todas as instituições sociais no evento. O proprietário da panificadora A Camponesa, Gilberto Bordin, diz que o sentimento ao ajudar a sociedade é de gratidão. “E uma honra atuar em conjunto a este trabalho que merece parabéns, e nos gratifica com seus números impressionantes”, disse.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

45


Responsabilidade Gastronomia Investimento Social

Na solenidade de abertura da homenagem, o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca. À mesa, da esquerda para a direita, o gerente executivo do Sesc Cascavel, Geraldo Cavanhari; o presidente do Sindec, Paulo Moraes; o vice-presidente da Fecomércio PR, Plinio Destro, que representou o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o presidente do Sincopeças, Sandro Sabadin; a representante dos receptores, Monica Pereira Guerra, e o representante dos doadores, Gilberto Bordin

O Mesa Brasil é um dos projetos mais bem sucedidos do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR. “Defino o programa como um grande ato de solidariedade, que ajuda a manter muitas instituições sociais, além de contribuir para evitar o desperdício. Assim como o Sistema Fecomércio, o Mesa Brasil se aproxima cada vez mais dos empresários e aumenta ano a ano sua abrangência no estado”, destacou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Oeste do Paraná (Sinfarma), Nelcir Ferro.

46

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

MESA BRASIL NO PARANÁ

O programa completa dez anos de atuação no estado, tendo distribuído 9,9 milhões de quilos de alimentos, que complementaram mais de 25 milhões de refeições. A iniciativa está presente também em Curitiba, Francisco Beltrão, Cascavel, Paranaguá, Londrina, Guarapuava, Campo Mourão e Maringá. Somente de janeiro a maio deste ano, foram distribuídos pelo estado 1.069.562 quilos, que complementaram mais de dez mil refeições. Ao todo são 739 instituições sociais ca-

maio | junho 2013

dastradas que recebem os donativos oriundos de 231 doadores.

DESTAQUES

Também estavam presentes no evento o Tenente Pontes, da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada; o presidente da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic), Nelson Casarotto; a presidente da Câmara Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Cascavel, Inês Maba Bombonato; e a representante da Secretaria de Ação Social de Cascavel, Luzia Soares. T


O coral de surdos abriu a cerimônia de homenagem aos doadores

Empresas homenageadas em Cascavel • COAPROCOR

• MUFFATÃO

• COMPANHIA NACIONAL DO

• PANIFICADORA A CAMPONESA

ABASTECIMENTO (CONAB)

• PANIFICADORA GABBY

• COOPAFI REALEZA

• PANIFICADORA JARDIM CRISTAL

• COOPAFI SANTO ANTÔNIO DO

• PANIFICADORA NOVA REAL

SUDOESTE O gerente executivo do Sesc Cascavel, Geraldo Cavanhari, entregou homegem aos doadores

• PANIFICADORA CANCELLI

• COOPAFI CAPANEMA

• PANIFICADORA PALADAR

• GATTI SUPERMERCADO

• PANIFICADORA PÃO NOBRE

• JOÃO REUS BONETTI

• PANIFICADORA VITÓRIA

• LIZIANE TEODOROVITZ

• PANIFICADORA WEBBER

• MAÇÃ VERDE

• SUPER BEAL

• MENEGATTI SUPERMERCADO

• SUPER MUFFATO

• MERCADO WEBBER

• ZILDA MARIA ARAÚJO

Mesa Brasil em Cascavel O diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca, participou da solenidade

96.943 quilos de alimentos distribuídos 1.112.902 refeições complementadas

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

47


QualificaçãoInvestimento Profissional

Energia para o trabalho Parceria entre o Senac, Itaipu Binacional e Conselho Comunitário levam desenvolvimento profissional para a Vila C, em Foz do Iguaçu Texto: Karla Santin | Fotos: Arquivo Senac Foz do Iguaçu

Q

uando o assunto é a usina hidrelétrica Itaipu Binacional os números são faraônicos. Na maior usina geradora de energia do planeta, são produzidos 98,28 milhões de megawatts/ horas pelas 20 unidades geradoras. Sua construção demandou a força de trabalho de aproximadamente 100 mil homens, brasileiros e paraguaios. Para abrigar a massa dos trabalhadores, a Itaipu criou três vilas residenciais, ocupadas conforme o cargo exercido: a Vila B para engenheiros; a Vila A para funcionários com cargos técnicos e administrativos; e a Vila C para os chamados “barrageiros”, trabalhadores ligados à construção civil, tais como serventes, carpinteiros, pedreiros, etc. Na Vila C, as estruturas eram mais simples e só as ruas principais tinham asfalto. As demais eram de cascalho, pois deixariam de ser usadas quando o projeto de Itaipu fosse finalizado. Os barracões de blocos de concreto e cobertura de zinco formavam quatro residências separadas, também destinadas às famílias desses operários. A vila chegou a ter 40 mil moradores. Mas o que era para ser provisório acabou se tornando um bairro de Foz do Iguaçu. De acordo com o presidente do Conselho Comunitário da Vilac C, Claudio Vilmar Schneider, aproximadamente 33 mil pessoas vivem no local, grande parte ex-operários e seus filhos. “Vivenciamos a transformação da Vila C, agora te-

48

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Turma de Cabeleireiro Assistente

mos tudo”, afirma Schneider. Além das melhorias na infraestrutura e no visual das casas, o bairro presencia outra grande mudança provocada pelo conhecimento. Uma parceria entre a Itaipu Binacional, Conselho Comunitário e entidades do Sistema S, entre elas, o Senac, está levando cursos de qualificação profissional gratuitos para a população. A ação integra o Programa Energia Solidária, da hidrelétrica, que mesmo não sendo mais responsável pela administração da Vila C – antes tinha que trocar até uma lâmpada queimada – busca contribuir para o desenvolvimento social e econômico desta comunidade por meio do fortalecimento de lideranças locais e agentes de mudança. “Acreditamos que somente a organização da comunidade pode garantir o desenvolvimento sustentável e o atendimento das suas demandas. Temos compromisso com o desenvolvimento da cidade, especialmente das

maio | junho 2013

comunidades formadas no entorno do que foi o gigantesco canteiro de obras da usina”, avalia o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Miguel Samek.

A VALORIZAÇÃO DA VILA C COMEÇA COM AS PESSOAS

Filha de barrageiro e moradora da Vila C há 30 anos, Rosangela José dos Santos está matriculada na capacitação de Cabeleireiro Assistente. Ela já atua na área da beleza como esteticista autônoma e quer ampliar a gama de serviços ofertados às clientes. “Estou gostando muito do curso. Sempre deveriam surgir oportunidades como essa, pois abrem frentes de trabalho ou dão a oportunidade para o aluno montar seu próprio negócio”, relata. Rosangela já havia pesquisado locais para fazer o curso, mas achou as mensalidades muito caras. “O curso tem proporcionado uma renovação. Estou aprendendo diversas técnicas,


Turma de Recepcionista

plinas de relações interpessoais e atendimento ao cliente. A gente pensa que atende bem, que tem simpatia e isso basta. Mas no curso descobre outras maneiras de abordagem, a lidar com clientes mais exigentes e a sair de uma situação de conflito”, explica.

ESCOLHA DOS CURSOS

O Conselho Comunitário da Vila C formatou uma pesquisa para saber quais cursos os moradores têm mais interesse. Em março também foi organizada uma feira de profissões, na qual o Senac e demais instituições profissionalizantes apresentaram suas opções. “Com a feira de profissões, tivemos uma participação expressiva dos moradores e muitos realizaram a matrícula no mesmo dia”, diz a técnica de relações com o mercado do Se-

Acervo Itaipu

desde os cuidados com higiene e noções sobre a gestão de um salão de beleza. Talvez eu abra meu próprio salão um dia”, projeta. Com dois filhos, uma menina de seis anos e um bebê de quase dois, Luciane Maehler faz o curso de Recepcionista no Conselho Comunitário, permitindo que ela se qualifique para voltar ao mercado de trabalho. “É ótimo ter cursos aqui, ainda mais gratuitos. Senão, eu gastaria com transporte e seria mais difícil por causa das crianças, pois a Vila C é longe do centro”, conta. Todas as noites ela deixa os filhos com uma vizinha, a quem dá uma pequena ajuda financeira, e participa das aulas. “O curso está ajudando a evoluir não apenas profissionalmente, mas na área pessoal, principalmente as disci-

Vista aérea da Vila C

maio | junho 2013

nac Cataratas, Joelma Corrêa Simão, que informa já ter lista de espera para futuros cursos. Atualmente a instituição oferta os cursos de Recepcionista, Cabeleireiro Assistente e Manicure e Pedicure, que contam com 60 alunos, a maioria, mulheres. Segundo o gerente executivo do Senac de Foz do Iguaçu, Jayme Gilberto Ferreira, a unidade ofertará novas turma até dezembro e também no próximo ano. “O Programa Senac de Gratuidade possui forte viés social, ao levar conhecimento, qualificação e enriquecimento pessoal e profissional para os moradores daquele bairro, outrora esquecido, porém em pleno estágio de desenvolvimento”, pondera, ressaltando o êxito da parceria.

POTENCIAL DA VILA C

O diretor-geral da Itaipu Binacional acredita que a Vila C, pela sua localização privilegiada em relação ao futuro Campus da Unila e pelo próprio nível populacional, tem potencial para expandir o setor de serviços, especialmente na área de alimentação e hospedagem. “A presença do Senac nesta comunidade vem em muito boa hora e poderá ter um impacto real no seu desenvolvimento. A criação de oportunidades de emprego e renda é vital para o desenvolvimento da comunidade da Vila C. Os cursos de capacitação que estão sendo ofertados pelo Senac são extremamente importantes para a inclusão no mercado de trabalho. Esta iniciativa, que a Itaipu apoiou desde o início, vem preencher uma das principais carências enfrentadas pelas comunidades da Vila C, São Sebastião e Bela Vista, que é a ampliação das oportunidades de capacitação para o trabalho”, avalia Samek. T SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

49


Profissão Investimento

Sommelier: provador d

Colaboradores do restaurante Madero assistem à primeira aula do curso de Sommelier

Senac PR em parceria com o restaurante Madero lança turma de Sommelier pelo Pronatec Copa na Empresa Texto: Fernanda Ziegmann | Foto: Ivo Lima

A

marrador das cargas, mais conhecido como sommelier: a palavra que deriva do francês vem da época dos carroceiros dos castelos e palácios que ao transportarem as pipas de vinho, precisavam provar o seu conteúdo antes que a bebida fosse servida aos reis, para certificar-se que não foram envenenadas durante o

50

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013

transporte. Mas foi no século XVIII, com a popularização dos restaurantes em Paris, que esses trabalhadores ganharam destaque, pois além de garantir que o vinho era seguro precisavam conhecer o produto para vender. Hoje o sommelier é o responsável pela escolha, compra, recebimento, guarda e pela prova do vinho antes de ser servido ao cliente, seja em restaurantes,


do rei

bares, lojas ou importadoras. A profissão, regulamentada recentemente no Brasil, através da Lei nº 12.467, de 26 de agosto de 2011, vem contribuindo para a valorização dos profissionais. Em contrapartida, passou-se a exigir mais em relação à formação profissional, como a realização de cursos específicos na área. Segundo o Ministério de Trabalho e Emprego, em 2012 foram contratadas cerca de 60 profissionais do vinho, em Curitiba e Região Metropolitana, com um salário inicial de R$ 1.000, mas ainda faltam pessoas especializadas na área. Na capital paranaense, o restaurante Madero, em parceria com o Senac PR, está

oferecendo essa formação aos seus colaboradores, por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), com a realização do curso de Sommelier, na modalidade Senac na Empresa. O curso que terá uma carga horária de 244h foi moldado de acordo com as necessidades do Madero. “Realizamos diversas reuniões com o Madero e ajustamos as aulas de acordo com o que eles precisavam assim os alunos aprenderão a fazer harmonização dos pratos a partir da adega do estabelecimento”, comentou a assistente de gerente do Senac Curitiba, Mayara Mafra. São 20 funcionários, sendo 16 da unidade Madero Comendador e quatro da unidade Relógio das Flores, que durante seu tempo livre se dedicam às aulas que abordam desde fundamentos de turismo, regiões produtoras de vinho, até o funcionamento de uma adega. “Tivemos mais colaboradores interessados do que vagas ofertadas, pois este geralmente é um curso caro, que está sendo ofertado gratuitamente pelo Senac. É uma grande oportunidade de aprendizado”, ressaltou o gestor da unidade Madero Comendador, Carlos Eduardo Mascigrande. A funcionária do Madero Comendador, Graziele Zaramella, 19 anos, que veio de Itararé (SP) há cinco meses para trabalhar no restaurante, abraçou a oportunidade e viu no curso de Sommelier uma oportunidade de crescer na profissão. “Quero me formar em hotelaria e eventos, acredito que conhecer o mundo dos vinhos e saber fazer harmonização dos pratos será muito útil, além de levar um conhecimento para o resto da minha vida”, destacou Graziele. T maio | junho 2013

Pronatec Copa na Empresa O Pronatec Copa na Empresa é um programa destinado a atender gratuitamente a demanda de qualificação de mão de obra das empresas ligadas ao turismo. Nessa modalidade o estabelecimento escolhe o curso que melhor se adequa a sua necessidade e os alunos participantes ainda recebem um auxílio estudantil no valor de R$ 2 por hora/aula assistida. No Paraná, empresas de nove cidades podem participar dos cursos dos segmentos de hospedagem, alimentação, agenciamento de viagens, organização de eventos, aluguel de veículos, transporte de turistas, corporações de segurança pública para qualificação em idiomas, além de funcionários dos aeroportos, portos e terminais rodoviários nacionais e internacionais. As cidades contempladas são Curitiba, Antonina, Guaraqueçaba, Lapa, Morretes, Paranaguá, Ponta Grossa, São José dos Pinhais e Foz do Iguaçu.

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

51


Investimento Comércio

Sindicato

Bom para cachorro Aumento de renda e o forte apelo emocional são alguns dos fatores que fazem do mercado pet um sucesso Texto: Silvana Kogus

B

em mais que um simples bicho, os animais de estimação são xodós de seus donos. Alguns deles são tão queridos que chegam a ser considerados membros da família. Este carinho sem limites aquece, além dos corações dos humanos, o mercado pet na economia nacional, tornando-o um dos mais lucrativos e promissores. Nos últimos anos, é cada vez maior o número de produtos e serviços oferecidos para manter a saúde, o bem-estar e a beleza dos animais de estimação. O número de lojas no país evidencia o sucesso do setor, que cresce em média 17% ao ano. De acordo com dados da Junta Comercial do Paraná, na capital existem 550 empresas cadastradas com atividades ligadas ao alojamento, higiene e embelezamento de animais. Segundo a Associação Nacional de Fabricantes de Alimentos para Animais de Estimação (Anfal Pet), o brasileiro gasta em média 70% do salário mínimo com seus pets, o que explica o crescimento de R$ 9 milhões na área de produtos veterinários no ano passado. A projeção para este ano é que o crescimento continue.

Para a proprietária do pet shop Penélope, Claiton Stelle, as mudanças no comportamento e no estilo de vida são fatores que influenciam o processo de expansão neste segmento. “Até pouco tempo, os animais viviam na parte externa da casa e se alimentavam principalmente das sobras de comida. Hoje o vínculo é tão forte que os animais passaram a ser tratados como “gente”, explica. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), só no ano passado as indústrias de comida, medicamentos, serviços e cuidados para animais de estimação faturaram juntas mais de R$ 14 bilhões, superando a previsão de R$ 13,8 bilhões. Esse bom número refletiu nas exportações do setor alimentício pet, que teve alta de 11,7% em relação a 2011, resultando numa receita de US$ 184,329 milhões. Já as importações tiveram uma queda de aproximadamente 60% no mesmo período.

30%

8% 1º EUA

52

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013

2º Brasil e Japão

7% 3º Reino Unido

6% 4º França e Alemanha

4% 5º Itália


NO PRATO DO PET

No mercado nacional, o setor de alimentação é o representa a maior parte do faturamento, com a produção de rações. De acordo com dados Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações), a produção estimada de alimentos para cães e gatos deve crescer aproximadamente 5%, alcançando cerca de 2,4 milhões toneladas em 2013. Neste sentido, a médica veterinária Kelly C.P. de Melo ressalta a importância da alimentação adequada ao pet. “A ração é um alimento completo e balanceado. Ela contém nutrientes importantes para cada etapa da vida do animal. A ração também proporciona ao proprietário do animal praticidade e conforto, pois não precisa perder tempo preparando a comida do pet”, explica. A médica observa ainda que a escolha da ração deve ser criteriosa e com orientação médica. ”O animal tem carências nutricionais diferentes das nossas, por este motivo sua dieta deve ser direcionada para atender essas necessidades”, alerta.

POPULAÇÃO DE ANIMAIS

A população de cães cresceu 4% totalizando 37,1 milhões e a de ga-

tos cresceu o dobro, chegando a 21,4 milhões em relação ao ano de 2011. A crescente procura pelos felinos se dá, na maioria das vezes, por quem mora em apartamentos pequenos e busca um animal mais silencioso e independente.

NOVO MODELO DE FAMÍLIA

O miado persistente denuncia a xodó da família da administradora de empresas Márjorie Almeida Migdalski Silva. Há dez anos a gatinha Frida chegou na casa e desde então mudou o estilo de vida dela e do esposo, Eduardo Sant’Ana da Silva. Eles fazem parte do novo perfil de família brasileira. Márjorie e o marido optaram em focar em suas carreiras, adiando os planos de ter filhos. A gata Frida acabou ocupando o papel que seria de uma criança. Eles gastam pelo menos R$200 por mês com medicamentos, vacinas, banhos, tosas e alimentação. Segundo Márjorie, todo esse cuidado é recompensado. “Sempre tive animais. Mas ela é a nossa companheirinha de todos os dias e de todos estes anos, espero que ela permaneça conosco por muito tempo ainda”, comenta. T

• O Brasil conta com 40 mil pet shops. • Em 2012, o mercado de animais de estimação empregou mais de 220 mil pessoas. • O setor de serviços para animais fatura em média R$ 2,2 bilhões. • O segmento de produtos de higiene e embelezamento fatura R$ 910 milhões.

Faturamento Nacional Pet Food (Comida)

7% 8,3%

Pet Vet (Medicamentos Veterinários) 1 2

16,2%

3 Pet Care (Equipamentos, Acessórios, 4 Produtos de Higiene e Beleza Animal)

68,5%

5

Pet Serv (Serviços) Fonte: Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet)

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

53


Investimento Cultura

O passeio pelo B

54

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Investimento

o Brasil em tempo real Femucic completa 35 anos e leva a diversidade musical do país também pela internet Texto: Isabela Mattiolli e Karen Bortolini | Fotos: Paulo Matias

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

55


Investimento Cultura

A

música sempre foi boa companheira dos habitantes de Maringá (PR). Desde sua fundação, em 1947, ela se faz presente na história da cidade. Conta-se que desbravadores do município, localizado no Norte Pioneiro do estado, inspiraram-se na canção de Joubert de Carvalho, que exaltava a cabocla “Maria do Ingá”, para dar nome ao local. O título de Cidade Canção veio sem seguida, marcando para sempre os passos daqueles que nela viviam. Exatos 30 anos depois, era realizada a primeira edição do Festival Sesc de Música Cidade Canção, o Femusesc, que reuniu compositores paranaenses e amantes de música em uma disputa inesquecível. De lá para cá, o festival cresceu, se diversificou,

deixou de ser competitivo, foi até as escolas e atraiu músicos de todo o país. Promovido pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, por meio do Sesc, pela prefeitura de Maringá e apoio institucional da RPCTV, o Festival de Música Cidade Canção 2013, foi realizado entre os dias 22 e 25 de maio, no Teatro Calil Haddad. Com coordenação geral do gerente executivo do Sesc Maringá, Antonio Vieira, dos técnicos de cultura Emersonn Amaral e Erico Bondezan, e direção artística-geral de Dirceu Saggin, o festival chegou a 35ª edição de difusão da música brasileira. “Embora seja o mesmo evento, o Femucic nunca se reedita da mesma forma. Nesses 35 anos, acumulamos uma experiência muito grande e acredito que estamos cumprindo o nosso papel junto à comunidade, levando a

De Manaus (AM), Djuena Tikuna apresentou “Ngetchautumau” na primeira noite do Femucic 2013

PANORAMA MUSICAL

Neste ano, 804 músicas foram inscritas para a mostra, representando 24 estados brasileiros, mais o Distrito Federal. Dessas, 52 foram selecionadas e trouxeram ao palco o som produzido na Bahia, Rio Grande do Norte, São Paulo, Amazonas, Roraima, Tocantins, Mato Grosso, Paraná, Paraíba, Rio Grande do Sul, Pará, Santa Catarina, Sergipe, Maranhão,

56

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

De Cuiabá (MT), os músicos Estela Ceregati, John Stuart, e Juliane Grisólia, do Grupo Monofoliar, se apresentaram com as músicas “Mundo Som”, “Madalena” e “Segundo Quarto”

Acre, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. Para o diretor artístico-geral, Dirceu Saggin, o Femucic é uma boa oportunidade de conhecer a música brasileira. “O grande passo que o festival vem dando é criar um espaço para que realmente tenhamos orgulho da música que fazemos. Os trabalhos mais aplaudidos durante o Femucic foram aqueles totalmente

maio | junho 2013

verdadeira musicalidade brasileira”, comenta Vieira. O maior evento de música realizado pelo Sesc Paraná exige planejamento antecipado. “O ano 35 do festival começou a ser pensado em maio do ano passado. Para que isso tudo ocorra e seja realizado com a qualidade esperada, há o envolvimento de cerca de cem profissionais em todos os setores. O Femucic abrange não só a equipe do Paraná, mas permite o envolvimento com todo o Brasil por meio do Departamento Nacional e técnicos de música de outros regionais do Sesc”, revela Emersonn Amaral. A edição contou também com o apoio das rádios Maringá FM, CBN Maringá, Mix FM e UEM FM, e do jornal O Diário do Norte do Paraná.

fora do eixo, a exemplo da música indígena e a dupla de embolada. Não é necessário estrutura para fazer uma boa música e sim talento”, completa.

HISTÓRIA ADAPTADA

Também durante as quatro noites do evento, o Circo Teatro Sem Lona contou ao público um pouco da história de Maringá e do Femucic, por meio de esquetes entre uma música e outra.


Segundo o diretor do grupo, Pedro Ochôa, a inspiração para os textos vieram dos livros “Terra Crua”, de Jorge Duque Estrada, “O Fenômeno Urbano numa Zona Pioneira”, de France Luz, e “Canção para uma Cidade”, de Raquel de Oliveira Coelho. “Para adaptar essa história, contei também com depoimentos do gerente executivo do Sesc Maringá, Antonio Vieira, e do historiador do Patrimônio Histórico da Prefeitura de Maringá, João Laércio Lopes Leal”, pontua. O texto adaptado e representado por nove atores e dois apresentadores, trazia desde a história do desbravamento da cidade, a ocasião em que Luiza Elizabeth Baságlia anotou as primeiras ideias para o festival de música, até a conversa em que ela teve com a diretora do Sesc na épo-

ca, Olga Bácaro, com o proprietário de uma loja da instrumentos musicais do município, Shiniti Ueta, com o compositor Frambel Carvalho e com os colaboradores do Sesc: Eliásene Peres, Luarez Perdigão e Arlene da Silva, além de Nelson Santana, Beto Colasso. A adaptação de Ochôa também trouxe à plateia a primeira música a vencer o Femusesc: “O último aboio”, de Frambel Carvalho e o fervor das competições entre os músicos – que seguiu até 1993, quando o Femucic passou a ser mostra musical. Além das intervenções teatrais, músicos que se destacaram nesses 35 anos de festival retornaram ao palco para cantar e celebrar a boa música. Os maringaenses Geraldinho do Cavaco e Rubens Neves (Boi), já participaram inúmeras vezes do Femucic.

Rubens Neves, popularmente conhecido como Boi, voltou a se apresentar no Festival de Música Cidade Canção e também prestou homenagem à cidade com a música “Maringá”, de Joubert de Carvalho

Boi, inclusive, sagrou-se campeão na 3ª edição, em 1981, com a música “Paraiano”. Ele se apresentou na edição 35 com a canção “Notícias do Norte” e também homenageou a cidade natal no encerramento do Femucic 2013, cantando o segundo hino da cidade: “Maringá”. “Eu participei da primeira edição do então Femusesc, em 1977, com a música “Memórias de meu pai” e foi uma experiência muito boa. De lá para cá percebi a evolução técnica do festival, os equipamentos, a estrutura, entre outros aspectos, o tornou ainda mais sensacional. Por meio de festivais como esse, temos a oportunidade de mostrar nosso trabalho ao vivo para o público. Isso nos dá orgulho e satisfação”, comenta o cantor e compositor Rubens Neves (Boi).

O Circo Teatro Sem Lona trouxe esquetes contando a história de Maringá e do Femucic durante as quatro noites do festival

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

57


Investimento Cultura

Maryanne Francescon

BÔNUS PARANAENSE

O primeiro DVD do Femucic foi gravado e distribuído em 2008, em edição comemorativa aos 30 anos da mostra musical. Além de registrar as músicas apresentadas, o arquivo de mídia também deu espaço para músicos ou grupos de destaque no cenário musical no Paraná e pela importância de seu trabalho para a cultura do país. “O objetivo do Bônus Paranaense era aumentar o contato e convivência do público com esse artista de destaque do cenário paranaense consequentemente com a produção musical do estado”, explica Emersonn Amaral. De lá para cá, fizeram parte do Bônus, o violeiro e rabequeiro de fandango de Morretes, Martinho dos Santos (2008); o violinista de Curitiba, Fabricio Mattos (2010); o duo Corpo de Lata, formado pelo eufonista Fernando Deddos, de União da Vitória, e pelo saxofonista Rodrigo Capistrano, de Curitiba (2012); e o duo Palheta ao Piano, formado pela pianista Clenice Ortigara, e pelo clarinetista Jairo Wilkens – ambos da capital do estado.

58

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Em 2013, com a produção do 5º DVD comemorativo aos 35 anos de realização do Festival de Música Cidade Canção, a jovem acordeonista Maryanne Francescon, de Medianeira, foi convidada a integrar o Bônus Paranaense. Com apenas 17 anos a musicista já coleciona diversos prêmios nacionais e ganhou o título de Campeã Mundial Junior, na Categoria Acordeão Diatônico (gaita ponto) no campeonato World Trophy Accordion, realizado nos Estados Unidos. Maryanne, além de ser convidada para o Bônus Paranaense de 2013, participou do projeto Femucic nas Escolas e apresentou-se em duas noites do Festival com as músicas “Dia de chuva” e “Ana Luiza”, do paranaense Fellip Mazzola, e “Pomodhoro”, do italiano Riccardo Tesi. “É uma emoção participar do festival, me apresentar com estes músicos vindos do Brasil todo, e ser o Bônus Paranaense deste ano, que além de ser uma alegria muito grande, é uma responsabilidade. É uma troca de experiência ao levar um pouco da cultura do Paraná que conheço, e tro-

maio | junho 2013

car com o pessoal que veio de outras regiões”, diz. Ao lado da Banda Femucic, Maryanne também apresentou o Tema de Abertura do Femucic, durante as quatro noites do evento. A segunda filha do casal Geni Francescon e Oly Francescon iniciou os estudos de gaita ponto aos oito anos de idade no Centro de Tradições Gaúchas Sentinela dos Pampas, em Medianeira (PR). “Embora o começo tenha sido sofrido, com a gaita, maior do que ela, o talento foi nascendo cada vez mais forte nela, graças a sua dedicação”, recorda a mãe. Geni Francescon acredita que muitas portas foram abertas para a filha pela dedicação e dom que ela tem de encantar. “A Maryanne quando toca transmite sentimento, segurança, tranquilidade. Cada dia mais, nós como pais, nos surpreendemos. Este é um momento único que estamos vivendo e vê-la participar do Tema de Abertura do Femucic em comemoração aos 35 anos é uma emoção muito grande”, diz orgulhosa.


Maryanne Francescon levou a sonoridade da gaita ponto a alunos de escolas municipais de Maringá

FEMUCIC NAS ESCOLAS

O Femucic não para durante o ano. Buscando estreitar a relação entre a música e as pessoas, alguns projetos paralelos se sustentam fora do teatro. Um deles é o Femucic nas Escolas que, desde 2008, convida músicos participantes da mostra para criar ações didáticas para os alunos, proporcionando o contato dos jovens com instrumentos, musicalidade e poesia. Nesta edição, 21 escolas de Maringá receberam o projeto no período de 14 a 24 de maio, atendendo 3.068 alunos. “O Femucic nas Escolas possui uma estrutura simples, porém com uma representatividade artística

O violonista Fernando Deghi também se apresentou durante o Femucic nas Escolas

muito grande. No momento em que a criança tem contato em ouvir, ver um bom músico tocando, o resultado é o despertar. O interesse vem dessa chama acesa que pode fazer uma grande diferença na vida da pessoa”, observa Saggin. Para o diretor regional do Sesc Paraná, Dimas Fonseca, o projeto vem ao encontro da formação de novas identidades culturais, um dos pilares da entidade. “O Sesc é um fomentador da difusão da cultura em todo o Brasil, principalmente na questão da formação de plateias. Estamos há 35 anos realizando este festival com grande sucesso, envolvendo de uns anos para cá, também

Alunos do Sesc Educação Infantil de Maringá receberam o projeto

a questão educacional, para que estes jovens possam aprender a trabalhar na cultura, contribuindo para seu crescimento”, declara. O secretário de Cultura de Maringá, Jovi Barbosa, acrescenta que a excelência do projeto está relacionada à cultura e aos pontos que, segundo ele, não se desvinculam dela como a educação e o turismo. “Quem vem de fora leva uma boa imagem da cidade, de como foi acolhida aqui. Quem é da cidade, no caso das crianças que receberam o Femucic nas Escolas, esta participação permite que ela entenda um pouco o que é a cultura e como ela se encaixa na sua vida”, pondera.

UM FESTIVAL GLOBAL Pela primeira vez, o evento foi transmitido pela internet. Veiculado em tempo real pela Rede Globo de Televisão, por meio do site da RPCTV (www.rpctv.com.br), o festival comemora essa nova fase, pois também se trata da primeira transmissão online ao vivo feita pela emissora no Paraná. O blog do festival (www.sescpr. com.br/femucic) também foi um espaço interativo com o público. Nele, foram disponibilizados desde a história do Femucic, até documentos e curiosidades de cada uma das 35 edições

maio | junho 2013

realizadas. Neste ano foram contabilizados mais de 19 mil acessos somente no período de março a maio. A tecnologia empregada no festival não parou por aí. Até o ano passado, mais de 400 músicas foram gravadas e mais de 43 mil cópias distribuídas por todo o país. Foram quatro LPs, 17 CDs e quatro DVDs produzidos. Em breve, o Femucic disponibilizará três mil cópias do 18º CD e 5º DVD. Em média 18 músicas farão parte do CD e 20 músicas no DVD. T

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

59


Investimento Sindicalismo

Sindimercados, força do setor Base sindical é composta por cerca de quatro mil empresas de Curitiba e Região Metropolitana Texto: Karen Bortolini | Foto: Ivo Lima

O

Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Mercados, Minimercados, Supermercados e Hipermercados de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Litoral do Paraná (Sindimercados), é um dos mais do estado, com uma base quatro mil empresas associadas. Este grande volume se dá em função do número de estabelecimentos desse setor, conforme explica o presidente do Sindi- Pedro Joanir Zonta, presidente mercados e empresário, Pedro Sindimercados Joanir Zonta. exclusivamente aos empresários Ele conta que o sindicato foi fundado em 1993, pelo em- desta classe, de Curitiba e Região presário e primeiro presidente Rui Metropolitana”, explica Zonta. No início a sede ficava localizaSenff. O Sindimercados surgiu de uma cisão do Sindilojas, presidido da no prédio do Senac, no Centro na época por Alceu Abage. Até en- de Curitiba, onde permaneceu por tão, era este sindicato que também alguns anos. Em 2001, após a venda atendia o comércio mercadista. de seu estabelecimento comercial, “Em épocas de dissídio, por exem- Senff deixou o cargo para o atual plo, cada segmento ou categoria presidente. “Assumi o sindicato. Fui tinha interesses diferentes. Por reeleito, e me ausentei. Desde 2007 isso surgiu a necessidade de estru- retornei como presidente e permaneturamos um sindicato para atender ço até hoje”, conta.

60

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013

SERVIÇOS

Entre os serviços prestados pelo Sindimercados, destacam-se o Departamento Jurídico e a Câmara de Conciliação, que prestam apoio aos empresários. Além disso, realiza anualmente a convenção coletiva. “Também atuamos em conjunto aos empresários para conscientizá-los sobre leis e normativas do segmento. Por exemplo, o cliente não pode aguardar mais de 40 minutos na fila de um supermercado, entre outras regras e regulamentações que repassamos ao empresariado, e sanando as dúvidas deles”, explica. Para ele, a definição e disposição dos preços é um sério problema nos estabelecimentos. “É uma falha humana. Ou do trabalhador ou até mesmo do cliente. Há muitos que trocam ou retiram as etiquetas, ou provocam algum tipo de tumulto. Este tipo de situação resolvemos particularmente em conjunto à Associação Brasileira Supermercadista (Abras) e à Associação Paranaense Supermercadista (Apras), da qual sou vice-presidente”, diz. O sindicato está pronto para defender os empresários em criação


PARCERIA

Zonta, que é também um dos vice-presidentes da Fecomércio PR, conta que são muitas as ações realizadas em parceria entre as duas entidades, como em cursos e feiras, representado pela Apras. “Este vínculo é excelente, pois sempre estamos em contato principalmente para esclarecimentos jurídicos. Tanto o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, quanto a equipe, nos prestam apoio contínuo”, comenta. Segundo Zonta, as ações de fomento ao comércio realizadas pela Federação contribuem muito para o desenvolvimento do setor. Ele destaca

que importantes projetos foram levados a diversas cidades, como o VarejoMais, e que são fundamentais para o aquecimento da economia local. Durante dois anos os colaboradores da base de empresários filiados ao Sindimercados puderam participar de forma gratuita de cursos ofertados pelo Senac, na área de atendimento ao cliente. A intenção é que esse curso em parceria com a entidade se repita por outras vezes. O presidente completa que o sindicato também atua em parceria com a Apras para realizar cursos de qualificação profissional para os colaboradores da classe mercadista. T

Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios, Mercados, Minimercados, Supermercados e Hipermercados de Curitiba, Região Metropolitana de Curitiba e Litoral do Paraná Sede: Alameda Prudente de Moraes, 291 – Curitiba PR

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

Shutterstock

de leis que venham contra o setor. “Recentemente uma lei estava em processo de aprovação na Câmara de Vereadores, em desfavor ao setor. Ela ditava que todos os produtos do supermercado tinham ser apresentados em Braile. Imagine 40 mil itens, com todas as informações disponíveis desta maneira. Seria impossível. Lutamos então, por uma medida que resolvesse o problema. Hoje, é obrigatório que um funcionário do mercado acompanhe toda a compra de um deficiente visual, sem impactos no trabalho do comerciante”, conta o presidente, ao frisar que esta é uma das maiores conquistas recentes do sindicato.

61


Nilton Rolin

Investimento Turismo

O presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, durante cerimônia de abertura do 8º Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu

Destino Brasil 8º Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu apresentou programação variada. Fecomércio PR e CNC patrocinaram o evento Texto e fotos: Carolina Lara

C

om mais de seis mil inscritos, a oitava edição do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu ocorreu entre 12 e 14 de junho, em Foz do Iguaçu. Patrocinado, entre outras entidades, pela Fecomércio PR e pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o

62

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

evento apresentou programação diversificada que incluiu a tradicional Feira de Negócios e Turismo, e o 1º Seminário Latino Americano de Turismo de Fronteira, uma das atividades paralelas do festival. Levar para Foz do Iguaçu as principais novidades e atrativos do setor foi um dos objetivos do festival, que

maio | junho 2013

visou ainda promover a integração entre os gestores públicos e privados, estreitar relacionamentos entre clientes e fornecedores, gerar negócios e difundir novas técnicas de gestão e promoção de turismo. Durante a cerimônia de abertura, o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, defendeu


a importância de se trabalhar para que o turista permaneça mais tempo nas cidades visitadas como forma de aumentar os ganhos proporcionados pelo Turismo. “É muito pouco o tempo que o turista fica em nossas cidades. Precisamos encontrar elementos para fazer com que essas pessoas permaneçam pelo menos três dias, reforçando o ganho da nossa rede hoteleira, bares, restaurantes e comércio em geral”, afirmou. Para o presidente do Conselho de Turismo da CNC e presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, o turismo representa um fator de integração social, de desenvolvimento econômico e cultural. “Foz do Iguaçu é um exemplo dessa convivência harmônica, do desenvolvimento proativo e da geração de riquezas na integração de três povos.” De acordo com Sampaio, a partir do exemplo de Foz e das discussões do Seminário de Turismo de Fronteira, será possível potencializar outros cases similares no Brasil. Segundo dados apresentados pelo secretário nacional de Políticas do Turismo, Vinicius Lummertz, que representou o ministro do Turismo, Gastão Vieira, o Brasil, apesar de ocupar o primeiro lugar mundial em belezas naturais, é o 51º país em competitividade no turismo. Para o secretário, um dos fatores que impede a vinda de turistas para o país é a falta de produtos turísticos. Ele citou como exemplo a Amazônia. “O mundo inteiro quer conhecer a Amazônia. Nós deixamos? Nós temos produtos?”. Apesar da resposta para esses questionamentos ser negativa, de acordo com Lummertz, a solução está na relação público-privada, dependendo da desburocratização para facilitar os investimentos. “Quem faz o arcabouço jurídico são os governos, mas quem faz os investimentos são os empresários”, concluiu.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Samek; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o prefeito de Foz do Iguaçu, Reni Pereira; e o secretário nacional de Políticas do Turismo, Vinicius Lummertz

Durante a cerimônia de abertura do 8º Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu, foram entregues placas de reconhecimento pelo apoio e ações de fomento ao turismo de Foz de Iguaçu e parceria na realização do Festival. Entre os homenageados, o presidente do Conselho de Turismo da CNC e presidente da FBHA, Alexandre Sampaio, recebeu o troféu em nome do Sistema CNC Sesc Senac

Da esq. para a dir., o deputado estadual Frederico Antunes (PP–RS); o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o tributarista Maurílio Schmitt; e o deputado federal Sérgio de Oliveira (PSC–PR), durante debates da mesa temática Comércio e Free Shops do 1º Seminário Latino Americano de Turismo de Fronteira

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

63


Investimento Turismo FEIRA

A feira de Turismo e Negócios teve 500 expositores distribuídos em 190 estandes. O Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, com a CNC, a FBHA e o Sindicato Patronal do Comércio Varejista (Sindilojas) de Foz do Iguaçu, contou com um estande na feira. Nele, a unidade Foz do Iguaçu do Senac PR promoveu uma degustação de risoto ao funghi. Em 25 minutos, mais de 250 pratos foram servidos às pessoas que circulavam pela feira.

SEMINÁRIO

O 1º Seminário Latino Americano de Turismo de Fronteira, um dos eventos paralelos do festival, promoveu discussões em quatro mesas temáticas, que abordaram os temas Infraestrutura; Faixa de Fronteira e Mobilidade Urbana; Roteiros Integrados; e Comércio e Free Shops. Essa última mesa foi coordenada pelo presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana, e reuniu o tributarista

Maurílio Schmitt; o deputado federal Sérgio de Oliveira (PSC-PR), e o deputado estadual Frederico Antunes (PP-RS). O debate girou em torno da regulamentação da Lei nº 12.723/2012, que autoriza a instalação de free shops em cidades de fronteira, e como transformá-la em estratégia para o desenvolvimento do segmento do turismo de compras em faixa de fronteira sem prejudicar o comércio local.

O Senac PR, por meio da unidade Foz do Iguaçu, promoveu uma degustação de risoto ao funghi no estande da feira de Turismo e Negócios

O presidente do Sindilojas Foz do Iguaçu, Carlos Nascimento; o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR, Darci Piana; o presidente da FBHA e presidente do Conselho de Turismo da CNC, Alexandre Sampaio; e o diretor regional do Senac PR, Vitor Monastier

64

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


Desenlace da fita inaugural da Hotel Show 2013

HOTEL SHOW 2013

Empresários de serviços de hospedagem, gastronomia e turismo encontraram na sétima edição da Hotel Show – Feira de Produtos de Hotelaria, Motelaria e Gastronomia, nos dias 13 e 14 de junho, as inovações específicas do setor, além de palestras e capacitações voltadas para o atendimento ao cliente e a melhoria dos serviços. A Hotel Show é promovida pelo Sindhotéis Foz do Iguaçu e pelo Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação de Curitiba (SEHA), com patrocínio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), da Fomento Paraná, e apoio do Sistema Fecomércio Sesc Senac PR e da CNC. Para o presidente Darci Piana, eventos como a Hotel Show colocam Foz do Iguaçu no cenário turístico nacional e internacional. “Sem dúvida a cidade está preparada para atender bem aos turistas dos grandes eventos que ocorrerão no país”, destacou. T

Inovação Uma das inovações apresentadas na Hotel Show 2013 foi a máquina para hotéis que lava até 50 kg de roupa por processo de 30 a 45 minutos. Quando instalada junto à Máquina de Ozônio, torna o processo mais ecológico, economizando 40% de água, 30% de energia e 50% de produtos químicos. Além de baratear os custos das lavagens de cama, mesa e banho, o processo mais limpo diminui a probabilidade dos hóspedes desenvolverem processos alérgicos, além de aumentar a vida útil do enxoval em até 50% do tempo. Lançada em 2013, a máquina segue as normas técnicas da NR12 de Segurança do Trabalho.

O diretor comercial da Desbot Clean, Celso Pereira, faz uma demonstração do funcionamento das máquinas

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

65


Atividade Investimento física

Dia do Desafio mobiliza mais de 4 milhões de paranaenses Entre os 348 municípios participantes no estado, 274 foram vencedores

Arquivo Sesc PR

Texto: Karen Bortolini | Fotos: Ivo Lima

66

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

maio | junho 2013


C

ombater o sedentarismo ao estimular a prática de atividades físicas. Este foi o objetivo cumprido no Dia do Desafio (DDD), realizado em 29 de maio. Coordenado e realizado pelo Sesc PR, contou com o envolvimento de 348 cidades do estado, tirando do sofá 4.634.334 pessoas. Este número representou a participação de 46,40% das cidades paranaenses que aderiram ao DDD. O resultado estadual foi muito positivo, entre os participantes, 274 municípios foram vencedores. Mais uma vez a capital venceu, com 42,25% de participação dos curitibanos, contra 33,47% dos porto-alegrenses. Isso significa que em Curitiba 740.120 pessoas se exercitaram e que a capital gaúcha mobilizou 471.959. “O Sesc mais uma vez cumpriu com seu papel social de promover o esporte e assim incentivar práticas por uma melhoria

da qualidade de vida da população”, comenta o diretor regional do Sesc PR, Dimas Fonseca. O DDD é uma competição saudável realizada desde a década de 1980 entre cidades com volumes de habitantes parecidos, sempre na última quarta-feira de maio, e que conta com grande envolvimento da comunidade. Em Curitiba é realizado desde 2003. A iniciativa é da Associação Internacional de Esporte para Todos (Tafisa), sediada em Frankfurt, na Alemanha, uma instituição reconhecida pela Organização Mundial da Saúde, Unesco, Comitê Olímpico Internacional, entre outros órgãos. Em 1997, o Sesc passou a coordenar as atividades na América Latina. No estado, as participações foram registradas pela central telefônica (0800 643 6690) e pelo site da entidade (www.sescpr.com.br).

maio | junho 2013

OBJETIVOS ATINGIDOS

Segundo o coordenador estadual do Dia do Desafio, Guilherme Nunes, o evento cumpriu sua proposta, ao divulgar a ideia de que não é difícil praticar atividades físicas, e que mudanças de hábito com vistas à melhoria na saúde podem ser facilmente inseridas no dia a dia das pessoas. “Além desse impacto sobre o indivíduo, também há o lado da ação sobre a comunidade. Obtivemos um retorno muito positivo dos municípios, sobretudo do interior do estado. Muitas pessoas nos relataram que a partir do DDD adotaram alguma prática ou programa permanente de atividade física, como grupos de caminhada, academias ao ar livre”, conta. O evento traz uma enorme representatividade institucional e política para o Sesc. Com o trabalho das unidades do Sesc, a entidade esteve presente em 87,2% do estado. “Foram

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

67


Atividade Investimento física firmadas parcerias com prefeituras, capacitação de lideranças comunitárias e o desenvolvidas atividades nas cidades sede”, conta Nunes. Além disso, os valores trazidos pelo Dia do Desafio vêm ao encontro da missão e da visão institucional do Sesc PR, que têm foco na qualidade de vida dos comerciários e dependentes, e população em geral, conforme completa o coordenador. “O Paraná é reconhecido em todo Brasil como um dos estados que melhor desenvolve o Dia do Desafio, então todos esperam um bom resultado do Paraná e da capital Curitiba”, diz. Esses resultados só são possíveis graças ao empenho e dedicação da equipe do Sesc PR, tanto na Administração Regional quanto nas unidades.

68

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

PROGRAMAÇÃO

Neste ano, 25 unidades do Sesc ofereceram programações desportivas gratuitas à população. A população foi convidada a correr, pular, dançar, caminhar, pedalar e se movimentar. Foram oferecidas gratuitamente diversas atividades físicas e esportivas. “Na capital, na Rua XV de Novembro, a população participou da ginástica, oficinas circenses, paredão de escalada e aulas abertas de artes marciais, realizadas em parceria com a Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Juventude (SMELJ)”, conta a coordenadora do DDD pela SMELJ, Leloir Santos. As empresas do comércio e instituições de ensino, e unidades do Sesc: Centro, Esquina, Portão e Água Verde também contaram com programação

maio | junho 2013

desenvolvida por monitores. Já no interior foram feitas caminhadas, festivais esportivos e de dança, e participações de atletas renomados, como o ex-maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, que participou do DDD em Cascavel.

CONCORRENTE

Neste ano, Curitiba venceu em níveis nacional e internacional: Porto Alegre, no Rio Grande do Sul; e Doha, capital do Qatar – país situado no Oriente Médio, que contou com a participação de 0,01% da população. Esta foi a primeira vez que a capital do estado competiu com uma cidade brasileira. Curitiba atualmente conta com 1,75 milhões de pessoas enquanto a capital gaúcha com pouco mais de 1,4 milhões.


A Divisão de Esporte e Lazer do Sesc Paraná garante que um projeto com estas diretrizes pode conscientizar sobre a importância da prática de alguma atividade física como promotora de saúde, boa forma, convívio social, e bem-estar psicológico. O relatório de Estatísticas Mundiais de Saúde 2012, da Organização Mundial de Saúde, aponta que a obesidade é a causa da morte de 2,8 milhões de pessoas ao ano, e que 12% da população do mundo é obesa. Já as doenças decorrentes do sedentarismo matam anualmente cinco milhões de pessoas no mundo. De acordo com Nunes, sedentarismo é um dos grandes vilões do século XXI, pois está relacionado a diversos problemas de saúde, como doenças cardiovasculares, diabetes, problemas posturais e de coluna, além da própria obesidade. “Manter um estilo de vida fisicamente ativo, caminhar, pedalar, praticar alguma modalidade esportiva ou ginástica no dia a dia,

é essencial para o bem-estar do ser humano”, afirma.

ORGANIZAÇÃO

O processo de organização inicia seis meses antes do Dia do Desafio, com o envio de ofícios e fichas de inscrição a todas as prefeituras do Paraná, convidando-as a participar do evento. Recebidas as afirmativas, os dados dos municípios são lançados no sistema integrado do DDD na América Latina, gerido pelo Sesc SP, que também organiza e sorteia os confrontos, conforme explica Nunes. O próximo passo é firmar as parcerias, capacitar os agentes municipais, tomar as providências operacionais e repassar o material de divulgação. Paralelamente, contratase o callcenter, para os registros do Dia do Desafio. No pós-evento, são organizados e divulgados os resultados aos municípios, feita avaliação das ações nas unidades e entregues ofícios e placas de agradecimento às cidades participantes.

São muitas as áreas envolvidas. No Sesc, as principais são as de lazer, recreação e ação comunitária, além dos gerentes de unidades, que participam de forma muito efetiva em todo desenvolvimento do evento. Para as ações nas unidades também são contratados e capacitados instrutores, para atuar nas praças, empresas, escolas e demais ambientes. Estima-se que cerca de 700 instrutores atuaram neste DDD em todo Paraná. “É um trabalho muito positivo. Como o projeto tem uma abrangência muito grande e envolve muitas pessoas em todo o estado, exige uma grande concentração de esforços e tempo de planejamento. No entanto, com o empenho dos gerentes executivos, técnicos e dos colaboradores das unidades em geral, em 2013 obtivemos mais um sucesso na realização do evento”, avalia. Confira o resultado das demais cidades e outras informações no site www.diadodesafio.org.br. T Arquivo Sesc PR

SAIA DO SOFÁ

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

69


Case Investimento de sucesso

As aventuras de uma chef brasileira na terra da rainha Ex-aluna do curso de Cozinheiro conquista o mercado em Londres Texto: Carolina Lara | Fotos: Arquivo Meiry Gomes

M

eiry Gomes, ex-aluna do curso de Cozinheiro do Senac Maringá, mora e trabalha como cozinheira em Londres há cinco anos. A decisão de fazer o curso no Senac veio com o desejo de mudar de profissão e recomeçar a vida após uma separação. “Eu precisava começar de algum jeito, então resolvi fazer o que gosto. E deu muito certo”, comemorou. Primeiro ela fez o curso e depois surgiram os convites de trabalho em Maringá mesmo. Como a família toda

70

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

estava morando na Europa, Meiry resolveu aventurar-se e escolheu Londres porque a fazia lembrar de Curitiba, onde morou durante um tempo. A brasileira ganha a vida como muitos outros chefs que moram em Londres, organizando dinner parties, ou seja, festas e jantares privados. “Sempre que faço um jantar procuro mostrar algum item de nossa culinária. Compro os ingredientes em lojas de produtos brasileiros”, contou. No início, Meiry precisou acostumar-se com as diferenças na cocção

maio | junho 2013

dos alimentos, os temperos e ingredientes diversos, além dos hábitos ingleses. Com o tempo e aprendizado que teve no Senac, foi aos poucos conquistando seu espaço e começou a trabalhar para pessoas famosas, como parentes da princesa Camila, esposa do príncipe Charles. “Nada que me assuste, são pessoas que gostam de comida caseira com tempero brasileiro”, disse. Planos para o futuro? A chef brasileira planeja entrar para a escola de culinária Le Cordon Bleu, uma rede francesa com unidade em Londres. T


Investimento

maio | junho 2013

SISTEMA FECOMÉRCIO SESC SENAC PR

71


Revista Fecomércio PR - nº 94  

Revista Fecomércio PR - nº 94

Advertisement