Page 1

Marian Vejcik/Istock

nº 119 – outubro de 2017

REAJUSTE

A briga agora é na Assembleia

carlotoffolo/iStock

Página 3

Governo pressiona e aprova limite para licenças classistas Páginas 6 e 7


Diretoria Executiva

Paulo Sebastião Gonçalves Olympio Presidente

Luís Fernando Alves da Silva 1º Vice-Presidente

Dione Vargas Pinto Burlamarque 2ª Vice-Presidente

Aguinaldo Sotto Mayor Prates 3º Vice-Presidente

Sandra Regina Frantz Füelber 4ª Vice-Presidente

Paulo Chiamenti Secretário-Geral

Marisa Comin 1ª Secretária

Valentina Emilia Martignago 2ª Secretária

Luciane Canella Tesoureira-Geral

José Carlos Felippin 1º Tesoureira

Geraldo Fumo Warth 2º Tesoureiro

Conselho Fiscal

Ana Maria Torres Porto Eduardo Santos da Silva Luiz Gonzaga Rodrigues Souza Nair Bez Zélio Antonio Freitas dos Santos Titulares

João Carlos Lopes Brum Kathia Rejane Faria Prado Marcio Bressane Suplentes

Conselho Deliberativo

Gilson Renato Fernandes de Azevedo João Batista Colle Fenalti Roco Antonio Cosenza Rimolo Vera Beatriz Seelig Franzen Titulares

Jornalista Responsável: Carolina Jardine (Reg. Prof. 9.486) Colaboração: Bruna Karpinski, Letícia Breda, Letícia Szczesny, Jezica Bruno, Thiana Ruiz Projeto Gráfico: Rodrigo Vizzotto Produção e Editoração Eletrônica: Samuel Guedes - stastudio.com.br Impressão: Ideograf Tiragem: 4.000 exemplares Fechamento dessa edição: 21/10/2017 As informações publicadas nesse jornal são de responsabilidade da ASJ

2

Editorial

Sede Administrativa: Rua Vigário José Inácio, nº 630/502 Fones: (051) 3224-4421e 3221-4585 CEP: 90020-110 - Porto Alegre RS www.asjrs.org.br e-mail: asj-rs@via-rs.net

C

A difícil arte de lutar

omo prega o dito popular, às vezes é preciso recuar e perder algumas batalhas para vencer a guerra. Na luta cotidiana da sociedade, é preciso paciência, perseverança e olhar ao longe. Dizemos isso porque viver um dia a dia de batalhas não é fácil. E é assim que quem lida com a guerra classista se sente em momentos como esse. Os últimos meses têm sido marcados por incessantes conflitos: é Reforma na Previdência, revoluções na legislação trabalhista, mudanças das licenças classistas, retirada de direitos dos servidores. Um rol de entraves que faz de nós verdadeiros soldados da modernidade. O que deve ficar claro é que guerras como essa não podem ser travadas, e muito menos vencidas, por um homem só. São lutas que precisam contar com unidade, com multidão e vozes em coro. Lutar em conjunto é mais fácil, legitima o movimento, engrandece as causas. No entanto, sabemos que cada indivíduo sempre reage de uma forma distinta aos problemas. Há aqueles que se unem ao

Frases

Expediente

movimento e há os que se limitam a assistir de longe convictos de que há quem faça por eles. No entanto, há alguns que não se movem a não ser para reclamar daqueles que o fazem. E isso nada mais é do que injustiça. Toda a crítica é bem vinda desde que chegue com consistência e coerência. Não em um misto de raiva e infundadas acusações. É claro que o reajuste de que trata a capa desta edição do Jor nal da ASJ não traz o valor pleiteado pela categoria nem tampouco o que os servidores mereceriam estar recebendo pelo trabalho de excelência que o Judiciário gaúcho demonstra país afora. Contudo, o momento não é de virar as costas. Precisamos unir a categoria para, antes de mais nada, garantir a implementação dos 5,85% propostos pela Administração do Tribunal de Justiça. As negociações já são duras que cheguem. Não precisamos carregar nas costas uma mochila de reclamações e ingratidão que só nos puxa para trás. É hora de caminhar para frente.

“Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível.” Sun Tzu, general e filósofo chinês “A meta de uma discussão ou debate não deveria ser a vitória, mas o progresso.” Joseph Joubert, escritor francês “Somos feitos de carne mas temos de viver como se fôssemos de ferro.” Freud


Reposição

E o nosso salário? Jezica Bruno

Reposição é tema de reunião no TJ

A

hora, agora, é de garantir mobilização na Assembleia Legislativa. Deve chegar ao parlamento nas próximas semanas projeto de lei que prevê recomposição dos vencimentos dos servidores do Poder Judiciário. Apresentado pelo presidente do TJ, Luiz Felipe Silveira Difini, o texto prevê aumento de 5,58% a contar de 1º de janeiro de 2018 sem retroatividade. Apesar de estar abaixo do pleito da categoria, o momento é de assegurar que os deputados validem a proposta que compreende apenas a correção inflacionária (IPCA) de abril de 2015 a novembro do mesmo ano. “Precisamos que os colegas se mobilizem. Procurem seu deputado, mandem email e alertem sobre a importância de garantir esses vencimentos”, conclamou o presidente da ASJ, Paulo Olympio. A proposição foi aprovada na reunião

do Órgão Especial do Tribunal de Justiça no dia 9 de outubro por unanimidade. Ao defender seu encaminhamento, Difini alegou que a reposição não pode alcançar o patamar pleiteado pelas entidades classistas devido às dificuldades vivenciadas pelos servidores do Poder Executivo e às restrições orçamentárias que vêm sendo impostas aos poderes. “A recomposição é um direito dos servidores e não reflete ganho salarial”, justificou o presidente aos colegas e a uma plateia composta de cerca de 20 servidores. Entre eles, o presidente da ASJ e os diretores Paulo Chiamenti, Dione Burlamarque, José Carlos Felippin e Valentina Martignago. Ao final dos trabalhos, Olympio falou com o presidente Difini sobre os encaminhamentos do projeto e a relevância de manter os vencimentos dos servidores ao longo do tempo.

Diretoria da ASJ acompanhou aprovação do projeto no Órgão Especial

ASJ na Vigília Vera Regina da Silva Corrêa

Projeto foi apresentado pelo presidente Luiz Felipe Difini

O presidente da ASJ, Paulo Olympio, reuniu-se no dia 30 de agosto com o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Luiz Felipe Silveira Difini, para discutir a reposição salarial dos servidores. Na ocasião, Olympio destacou que o pleito é de extrema importância para a categoria e que a pauta é umas das prioridades da entidade. O secretário geral da ASJ, Paulo Chiamenti, também participou da reunião. Além disso, estiveram presentes representantes da Associação dos Contadores Escrivães e Distribuidores da Justiça (Acedijus), Associação dos Oficiais de Justiça (Abojeris), Centro dos Funcionários do Tribunal de Justiça (Cejus) e do Sindicato dos Servidores da Justiça (Sindjus).

Em apoio ao movimento capitaneado pelo Sindjus, o presidente da ASJ, Paulo Olympio, esteve em vigília realizada na praça em frente ao Tribunal de Justiça no dia 5 de outubro. Ele participou do acampamento, unindo-se aos colegas de luta como Davi Pio.

3


Pelas Ruas

Passeatas

e muitas lutas

Jezica Bruno

Caminhada pelas ruas de Porto Alegre marcou ato no final de junho

4

Os últimos meses têm sido de muita luta para quem está à frente dos movimentos classistas. Na ASJ não foi diferente. No dia 29 de setembro, entidades de classe, centrais sindicais, servidores públicos e apoiadores se reuniram no Lago Glênio Peres, em Porto Alegre, em mobilização contra os pacotes do governo que atacam o funcionalismo público. Entoando palavras de ordem, os manifestantes caminharam até o Palácio Piratini, onde, de forma pacífica, finalizaram o movimento. A Associação dos Servidores da Justiça do RS (ASJ) esteve representada no ato pelo seu presidente, Paulo Olympio, pelo primeiro vice-presidente, Luís Fernando Alves da Silva, pela segunda vice-presidente, Dione Burlamarque, e pelo secretário-geral, Paulo Chiamenti. A participação de atos foi uma constante de 2017. Ao lado de centenas de pessoas, Olympio integrou caminhada pelas ruas de Porto Alegre no dia 30 de junho durante dia de mobilização nacional contra as reformas da Previdência e Trabalhista propostas pelo governo Michel Temer. Empunhando faixas, os manifestantes se concentraram em frente à prefeitura de Porto Alegre. A caminhada começou pela Avenida Borges de Medeiros e seguiu pela rua


Letícia Breda

No dia 29 de setembro, servidores realizaram mobilização contra pacotaço do governador José Sartori ASJ, paralisaram naquele 28 de abril. Ao subir no carro de som, Olympio reforçou que a união da categoria em um período de ameaça aos direitos dos trabalhadores é fundamental para que as mudanças possam ser traçadas a favor da população. “Os trabalhadores foram os mais atingidos pelas reformas e precisam dar uma resposta como a que estamos dando com essa Greve Geral. Os atos são importantes também para que os que permaneceram em casa possam refletir sobre as mudanças pelas quais precisam lutar”, afirma. “Hoje é um dia emblemático. Paramos a cidade, o Estado e o país.” Também participaram dos atos o 1º secretário da ASJ, Vitor Polett, e o secretário-geral da ASJ, Paulo Chiamenti. Jezica Bruno

Jerônimo Coelho até o Palácio Piratini. Com carro de som, o movimento pedia atenção aos trabalhadores e a suspensão dos projetos que tramitam no Congresso. Preocupado com o momento político do país, Paulo Olympio salientou a urgência de os servidores partirem para o enfrentamento contra as reformas. “A sociedade precisa reagir contra essas ações que tiram nossos direitos”, disse, empolgado com as novas lideranças que a cada manifestação se somam ao movimento. Mobilização similar foi vista na Greve Geral realizada ainda no primeiro semestre, quando milhares de servidores estiveram reunidos em um ato em frente ao Foro Trabalhista de Porto Alegre, posteriormente, seguiram em caminhada até a Esquina Democrática, onde permanecem concentrados. Profissionais de cerca de 50 entidades, entre elas a

De cima do caminhão de som, Olympio conclamou por reação da sociedade durante a greve geral de 28 de abril

5


A

pesar da intensa mobilização das entidades de classe e de manifestações inflamadas em favor dos servidores na Assembleia Legislativa, o Projeto de Lei (PL) 148/2017, que trata de limitações referentes à licença de servidores públicos para atividade classista, foi aprovado. A decisão saiu em 17 de outubro, com 27 votos favoráveis e 21 contrários. O plenário também aprovou emenda que prevê número maior de cedências do que o proposto no projeto original, que citava apenas uma liberação por entidade. No caso de entidades associativas de servidores civis, limita-se a um dirigente, quando a entidade não atingir mil associados; a dois dirigentes, quando congregar de mil a dois mil, até o limite de três dirigentes, quando congregar acima de dois mil associados. O presidente da ASJ, Paulo Olympio, e o vice-presidente, Luís Fernando Alves da Silva, lamentaram a aprovação, defendendo que a decisão é um grande prejuízo para as lutas do movimento associativo e sindical no RS.

Apesar de articulação intensa dos servidores, deputados aprovaram o projeto que enfraquece o movimento classista no Estado

6

Leticia szczesny

Lideranças

Aprovado PL da licença classista


Uma questão em xeque Depois de muitas reuniões e enfrentamentos, o governo do Estado abriu negociação com as entidades de classe sobre o projeto de lei 148/2017 no dia 11 de setembro. Na data, viabilizou-se o adiamento da votação do tema no plenário da Assembleia Legislativa na tentativa de alinhar propostas de ajustes na matéria. As lideranças foram recebidas pelo secretário da Casa Civil, Fabio Branco, em reunião que também contou com o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Gabriel Souza. Sem ter suas necessidades garantidas pelo projeto do governo, as entidades e os integrantes do Movimento Unificado buscaram os deputados da oposição para solicitar mais tempo no debate do PL. Também foram recebidos pelo presidente Edegar Pretto. O presidente da ASJ, Paulo Olympio, esteve em todos os encontros e ainda fez articulação com deputados e assessores parlamentares destacando a relevância de não se enfraquecer os movimentos nem a representatividade dos servidores perante a sociedade.

Em encontro coordenado pelo presidente da AL, Edegar Pretto, lideranças manifestaram contrariedade à matéria

Entenda o PL 148 mero de O texto limita o nú ores para o dispensa de servid to eletivo exercício de manda , federação, em confederação e ou assosindicato, entidad . O PL fo i ci aç ão de cl as se rno para a enviado pelo gove tiva, após Assembleia Legisla to co m as de sc on te nt am en e sindicais. forças associativas

Reunidos com chefe da Casa Civil e líder do governo na AL, servidores abriram negociação sobre cedências

7


Polêmica Carnaval

Servidores reclamam de falta de diálogo sobre projeto do novo IPE

P

O presidente do Conselho Deliberativo do IPE, Luís Fernando Alves da Silva, que representa as entidades integrantes da União Gaúcha em Defesa da Previdência, criticou a proposta. “Nos parece que, ao longo das gestões do IPE, o Conselho Deliberativo tem tido um papel meramente decorativo. Apesar disso, temos trabalhado diuturnamente pelo Instituto tanto na área de Previdência quanto na de Saúde”, declarou. Alves da Silva informou que, em relação ao IPE Saúde, há um anteprojeto que, desde 2013, vem sendo trabalhando no colegiado. “O Conselho do IPE se de-

Leticia Breda

egos de surpresa com um novo plano de reformulação do Instituto de Previdência do Estado (IPE), servidores reagiram ao projeto apresentado pelo governo do Estado. A reestruturação, que foi separada em cinco projetos de lei, prevê a divisão da autarquia em IPE Saúde e IPE Prev, com gestões especializadas. Se o projeto for aprovado, o órgão passa a ser IPE Prev, que fica como gestor único do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS), com foco exclusivo na previdência dos servidores estaduais.

Dirigente ainda esteve no Esfera Pública da Rádio Guaíba

8

Luís Fernando Alves da Silva participou

bruçou sobre essa matéria e retirou um entendimento médio de consolidação do IPE Saúde focado no fundamento principal do Instituto: a proteção à família do servidor. Ao que parece, o governo do Estado, na elaboração dos projetos, desconsidera a necessidade da construção coletiva, impondo verticalmente a matéria.” Durante o lançamento do projeto no dia 15 de agosto, o diretor-presidente do IPE, Otomar Vivian, disse que a proposta trata de uma linha de modernização do Estado para atender melhor as duas áreas. “Na questão da previdência, vai garantir os benefícios dos servidores que fazem a contribuição e ajudar na retomada da capacidade de investimento do Estado do Rio Grande do Sul. E, na área da saúde, a responsabilidade de construir realmente um plano que garanta a assistência para mais de 1 milhão de gaúchos, o que significa 10% da população, e, ao mesmo tempo, dar aos prestadores de serviço, uma remuneração digna, inclusive contribuindo para o financiamento do sistema de saúde como um todo”, afirmou.


Reunião com presidente Leticia Breda

Jezica Bruno

Ainda em maio, Silva esteve com presidente Otomar Vivian

de ato e fez manifestações na imprensa

O vice-presidente da Associação dos Servidores da Justiça (ASJ) e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPERGS), Luis Fernando Alves da Silva, esteve com o presidente do IPE, Otomar Vivian, na manhã de 16 de maio. A reunião aconteceu na sala da presidência e teve como foco as questões previdenciária e do IPE-Saúde. Silva elencou ao presidente os assuntos que já haviam sido debatidos nos encontros do conselho e entregou para a análise da diretoria do Instituto a ata realizada pelos conselheiros, em que, entre diversos assuntos, constava o encaminhamento do anteprojeto de reforma da legislação do IPE-Saúde, o patrimônio do IPE-Saúde, a participação do Conselho Deliberativo nas negociações do Grupo Paritário e os pontos referente à proposta de alteração da lei 7.672/82.

Fique de Olho Reunião dos acampados

Renovação sempre

Encontro com aposentados

O presidente da ASJ, Paulo Olympio, e o secretário geral, Paulo Chiamenti, estiveram em reunião dos acampados dos Festejos Farroupilhas realizada na Câmara de Vereadores no dia 29 de junho. No encontro, a Acampar, dirigida pelo Ademir Moraes, pediu maior voz dentro Parque da Harmonia e na organização do evento.

É sempre revigorante estar na ativa e encontrar gente nova se unindo às lutas classitas. No dia 12 de setembro, durante mobilização na Assembleia Legislativa, o presidente da ASJ, Paulo Olympio, esteve com jovens ligados ao movimento estudantil.

O presidente da ASJ, Paulo Olympio, e a diretoria da associação são presenças constantes nos almoços promovidos pelo Grupo de Aposentados todos os meses na Churrascaria Galpão Crioulo. Nos encontros, ele sempre aproveita para esclarecer aos colegas sobre as mudanças na previdência e projetos em tramitação que alteram a vida dos servidores. Leticia Breda

Pesar

Faleceu, no dia 16 de setembro, o médico Paulo Mário Wohlgemuth. Profissional de excelência, dedicou-se a atender os servidores da Justiça associados à ASJ por mais de 20 anos. Segundo o presidente da ASJ, Paulo Olympio, é uma perda irreparável para a sociedade gaúcha. “Era um profissional dedicado que estava sempre pronto a ajudar”, lamentou.

9


IPE

Dinheiro da Previdência não pode ir para obras públicas O

10

Conselho Deliberativo do Instituto de Previdência do Estado (IPE) reuniu-se em 4 de outubro para debater o Projeto de Lei Complementar (PLC) 422/17. Se aprovada, a proposta deve permitir que os estados e municípios utilizem recursos dos fundos previdenciários próprios para investimentos em obras públicas. “Esse projeto particularmente me gerou uma grande preocupação”, disse o vice-presidente da Associação dos Servidores da Justiça (ASJ) e presidente do Conselho Deliberativo do Instituto de Previdência do Estado (IPE), Luís Fernando Alves da Silva, ao apresentar o caso aos conselheiros.

O Fundo Previdenciário – FundoPrev, gerenciado pelo IPE, foi um dos assuntos debatidos durante a reunião. Os servidores públicos temem que, se o PLC 422 for aprovado, o governo do RS possa ter a possibilidade de mexer na quantia depositada no fundo. “Isso representa, além de grande perigo à consistência dos fundos, um retrocesso na própria definição dada pelo Parlamento Brasileiro à questão previdenciária. Os legisladores, ao criarem juridicamente o conceito dos fundos previdenciários nos regimes próprios, tiveram o cuidado de blindá-los das tentativas de desvio dos recursos para outras finalidades. A flexibilização da

Lei para utilização dos recursos pelos entes públicos, mesmo que por empréstimo, avilta a finalidade dos fundos”, afirmou Silva, preocupado com o impacto da proposta, que está em tramitação na Câmara. O FundoPrev é responsável pela aposentadoria dos servidores públicos, civis e militares que ingressaram no sistema após 2011. O grupo de conselheiros discutiu possíveis medidas que devem ser tomadas para que o projeto não seja aprovado. De acordo com Silva, serão encaminhadas providências como reunião com as entidades dos segurados, pedido de audiência pública na Assembleia Legislativa, contatos com outros


Uso de imóveis gera controvérsia Reunido com o diretor administrativo financeiro do IPE, Nilton Donato, em 6 de setembro, o Conselho Deliberativo debateu o uso dos imóveis do instituto. O vice-presidente da Associação dos Servidores da Justiça (ASJ) e presidente do Conselho Deliberativo, Luís Fernando Alves da Silva, comandou a reunião, questionando o dirigente sobre a capacidade de o instituto gerir o seu patrimônio. Segundo o presidente, várias são as indagações sobre a gestão e sobre o destino a ser dado aos imóveis do instituto, já que são lastros patrimoniais do sistema IPE Saúde. “Existe uma preocupação por parte do conselho em relação ao direcionamento político dado ao instituto e as suas instâncias”, relatou Silva. Em sua apresentação aos conselheiros, Donato explicou que atualmente tem se deparado com dificuldades para administrar as duas centenas de imóveis do instituto. Por um lado, está a burocracia para gerir a papelada referente aos bens e, por outro, soma-se uma legislação restritiva referente à alienação dos imóveis, uma vez que o Estado está retirando do instituto a gestão. Durante o encontro, os conselheiros citaram quatro imóveis de grande expressão para o instituto: a Fazenda Santa Rita, o Colégio Maria Thereza da Silveira, a Antiga Sede do instituto e o Teatro do IPE. E questionaram o diretor administrativo sobre as prováveis medidas a serem tomadas para viabilizar a utilização eficiente desses imóveis. "Alguns desses prédios foram ocupados ou estão em péssimas condições de uso e manutenção", pontuou Donato. Segundo o presidente do Conselho do IPE, o colegiado tem sido sistematicamente surpreendido com medidas impostas pela administração do Instituto sem a devida discussão. “Exemplo disso foi a edição da Lei 14.954/2016, que repassa a outro órgão a gestão dos imóveis, sem a necessária discussão na instância do Conselho”, reclamou. Fotos: Leticia Szczesny

fundos e inserções na mídia. Além disso, os conselheiros questionaram a importância da existência do Conselho Deliberativo do IPE que, segundo eles, está praticamente sem voz, uma vez que o Governo do Estado vem tomando iniciativas sem considerar a relevância e o papel dessa instância do Instituto. O PLC 422 foi protocolado no dia 13 de setembro, na Câmara Federal, pelo deputado federal Alceu Moreira (PMDB/RS). Segundo Silva, a proposta prevê alterações na lei de responsabilidade fiscal para que possam ser autorizadas operações de empréstimos dos entes públicos junto aos fundos de previdência.

Conselheiros pediram informações sobre destino de prédios importantes como o Teatro do IPE

11


ASJ 73 anos

Baile com samba e muita diversão A

12

comemoração dos servidores da Justiça ganhou os salões da Sogipa, em Porto Alegre no mês de agosto. O já tradicional baile de aniversário da ASJ, realizado no dia 5 de agosto, reuniu atrações diversas em uma noite de boa música, gastronomia de primeira e samba no pé. Comandado pela Aeroporto Banda Show, o baile reuniu cerca de 300 pessoas e entrou madrugada adentro. Para surpresa dos participantes, a escola Imperadores do Samba chegou para empolgar ainda mais a pista. Passistas caracterizadas posaram para fotos e mostraram muito ziriguidum. A festa teve requintado menu assinado pelo economato Bettino. A programação ainda contou com sorteio de dez brindes, incluindo televisores, notebook e desktop. Ao fazer a abertura do evento, o presidente da ASJ, Paulo Olympio, saudou os participantes. “Apesar de muita gente dizer que não estamos em momento de festa, este evento demonstra a união da categoria”, pontuou o dirigente. Segundo ele, a ASJ está pronta para as lutas que vêm pela frente, principalmente em relação às reformas que querem retirar direitos dos servidores públicos.

Olympio pontuou que encontro demonstra união da categoria em tempos difíceis


Entrega de prêmios foi um dos grandes momentos da noite de comemoração nos salões da Sogipa

Jantar foi oportunidade de rever os colegas e confraternizar

Escola Imperadores do Samba levantou o público e encheu o salão

13


DTG

História dos Lanceiros Negros é sucesso de público

D

isposta a dar voz a personagens que muitas vezes ficam esquecidos na história da Revolução Farroupilha, a ASJ levou aos Festejos Farroupilhas de 2017 o projeto Lanceiros Negros: Heróis do Silêncio. A ideia foi contar a crianças e adultos um pouco da história desses bravos guerreiros por meio de uma peça teatral encenada pela Entreteniarte Produções. Com pesquisa realizada pela equipe da ASJ, o projeto foi sucesso de público. Já na estreia, no dia 8 de setembro, mais de 60 pessoas assistiram a encenação no DTG Morro da Tapera. Durante os festejos, o espaço recebeu inúmeros grupos da região metropolitana, como a tur ma da Obra Social Imaculado Coração de Maria (OSICOM) e da Escola Municipal Décio Martins Costa, de

Crianças de escolas da região metropolitana acompanharam a peça teatral

14


Como em outros anos, o projeto cultural da ASJ sempre atrai atenção da imprensa durante o Acampamento Farroupilha. Neste ano, TV Tradição e TVE estiveram acompanhando a programação do DTG Morro da Tapera. “A imprensa é importante porque divulga um trabalho sério e detalhado realizado anualmente pela ASJ”, reforçou o vice-presidente da ASJ, Luís Fernando Alves da Silva.

Leticia Breda

Projeto atrai atenção da imprensa

Apresentação passou por avaliação Antes de o roteiro elaborado para a peça Lanceiros Negros – Heróis do Silêncio ser encenada às crianças nos Festejos Farroupilhas, uma junta de servidores ligados ao DTG Morro da Tapera validou o texto em apresentação exclusiva realizada na Sede campestre da ASJ. No dia 25 de agosto, foram alinhados os principais ajustes e referências. “Foi um momento rico de interação, onde nossos colegas puderam colaborar com esse trabalho que sempre é feito com tanto carinho todos os anos”, reforçou o presidente da ASJ, Paulo Olympio.

Leticia Breda

Porto Alegre. “As vivências são muito melhores do que só o quadro, o giz e o texto. A gente procura que eles possam verificar os conteúdos de outras formas como a que se oportuniza aqui, quando se vê a história viva”, pontuou a professora Maria Luciana Nazário, que acompanhou um grupo de 45 alunos do quinto ano. Os representantes trazidos ao acampamento ser virão como multiplicadores do conteúdo aos colegas que ficaram em sala de aula. Segundo o 1º vice-presidente da ASJ e capataz do piquete, Luís Fernando Alves da Silva, a proposta não foi revisar a história mas sim apresentar algumas versões dos fatos. “Queremos aguçar o espírito crítico das crianças. Já é uma marca do DTG fazer algo que consiga propagar um pouco da nossa história”, comentou. As crianças ainda levaram para casa cartilha com o conteúdo teórico sobre o tema, que aprofunda o debate sobre a Batalha dos Porongos e o papel dos lanceiros na revolução. Além do projeto cultural, o piquete ainda foi palco de muitos encontros festivos entre servidores, churrascos e culto às tradições. Na segundafeira (11/9) foi o dia de dirigentes da ASJ prestarem uma homenagem às tradições gaúchas durante a Guarda da Chama Crioula. Representando o piquete do DTG Morro da Tapera, casais se revezaram na vigília trajados a caráter.

15


Dia das Crianças

Tarde horripilante na Sede Campestre

Tunel do terror foi a grande atração da festa de Halloween realizada no dia 21 de outubro

U

16

ivos e gritos foram ouvidos na tarde de sábado (21/10) na Sede Campestre da ASJ, na Avenida Juca Batista, em Porto Alegre. Foi a comemoração do mês das crianças que, neste ano, foi realizada com um Halloween horripilante. Perseguidos por um time de monstros, filhos de sócios e integrantes do grupo de escoteiros Tupi Guarani divertiramse com brincadeiras, muita música e tobogãs infláveis. A grande atração foi o Túnel do Terror. Com fumaça e sonoplastia especial, o espaço rendeu gritos e gargalhadas. Muitas crianças mal saíam do circuito já corriam para recomeçar a brincadeira. Lá dentro, para quem teve coragem de entrar, uma decoração aterrorizante servia de esconderijo para uma múmia e seus

Brincadeiras e tobogãs garantiram muita diversão na Sede Campestre


amigos zumbi, bruxa e macaco. Na porta do túnel para receber os visitantes estava ninguém menos do que o conde Drácula. As crianças também deram um show com as fantasias. Além das tradicionais bruxinhas, chamaram atenção uma Arlequina e as gêmeas de pijama. Com apenas um mês de idade, a pequena Alice Andrade, neta do segurança aposentado Carlos Fernando de Andrade, já dava o

Alice e sua mãe Fernanda

ar da graça fantasiada de esqueleto. No colo da mãe Fernanda Andrade, tirou foto ao lado das abóboras iluminadas que decoraram o salão. Gostou tanto da festa que a mãe já faz planos para as próximas: “vai estar aqui correndo”. Outra a se divertir com o Halloween foi Eduarda Barth, a Duda. Presença constante nas festas da ASJ a menina de apenas sete anos comemorou uma conquista impor-

tante na festa: “Eu superei meu medo e até falei com a múmia”. O Dia das Crianças está na agenda de eventos da ASJ. Segundo o presidente Paulo Olympio, que acompanhou a programação aos lado dos diretores Dione Burlamarque, Valentina Martignago e Geraldo Warth, este é “um momento tradicional de integração entre os sócios e muita diversão”.

Duda interagiu com os monstros e fez tatuagens para completar o visual

Diretoria está sempre atenta para inovar nas festas para as crianças

17


Escoteiros

Agenda movimentada no Tupi

No dia 7 de outubro de 2017, foi realizada a 11ª saída do Desafio Sênior e Pioneiro na Sede Campestre da ASJ. Segundo a chefia, cerca de 500 jovens de diferentes regiões do Rio Grande do Sul estiveram presentes.

Nos dias 20, 21 e 22 de outubro, a Tropa Escoteira Bechuanas, a Tropa Sênior Arani e o Clã Sepé Tiaraju participaram do Jamboree Mundial pela Internet (Joti). Foram praticamente 48 horas de atividades ininterruptas. Parabéns aos guerreiros que aguentaram firmes e fortes as duas noites sem dormir. Alessandra Rychescki

Madrugada na Internet

Carmem Vera Albuquerque

Desafio Sênior e Pioneiro

Acantonamento de lobinhos Fotos: Regina Ribeiro

Nos dias 13, 14 e 15 de outubro, a Alcateia Guará Mirim esteve participando do Acantonamento Regional de Lobinhos (ARL), que contou com quase 600 crianças entre seis e 10 anos. O tema deste ano foi “Deu a Louca nos Contos de Fada”. “Foi uma atividade maravilhosa, onde nossos lobinhos se divertiram e aprenderam muito”, pontuou a chefe Alessandra Rychescki.

Corrida pela Vida Regina Ribeiro

No dia 22 de outubro, a Alcateia participou da Corrida pela Vida. Parabéns aos lobinhos.

ELO Nacional

18

Nos dias 28 e 29 de outubro, será realizado o ELO Nacional na Sede Campestre da ASJ. O encontro contará com vários grupos do Distrito, reunindo em torno de 200 jovens.


Nacional

O

Gozze e Olympio reeleitos para a Fenasj e ANSJ conta com o vice-presidente da ASJ, Luís Fernando Alves da Silva, como tesoureiro-geral. José Carlos Felippin foi eleito conselheiro da Fenasj e Dione Burlamarque da ANSJ. A reunião, que contou com a presença de representantes das diversas entidades do judiciário, também deliberou sobre a realização de encontro entre as lideranças nos dias 26 a 29 de outubro, mesma data do evento da Confederação Nacional de Servidores Públicos do Estado de São Paulo, onde deverão ser debatidos assuntos de interesse do funcionalismo. Dina Villamaior

servidor paulista e presidente da Associação dos Servidores do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (Assetj), José Gozze, foi reeleito para comandar a Federação Nacional dos Servidores do Poder Judiciário dos Estados e Distrito Federal (FENASJ) e a Associação Nacional dos Servidores do Judiciário (ANSJ) no biênio 2017/2019. A gestão conta ainda com o gaúcho Paulo Olympio como 1º vice-presidente de ambas entidades, além de acumular o cargo de diretor da Região Sul. A eleição foi realizada no dia 20 de julho, em São Paulo. O grupo ainda

Assembleia foi realizada em 20 de julho em São Paulo

19


sx c.h u

Convênios

nº 119 – outubro de 2017

ASJ oferece

Seguro Viagem

A

Associação dos Servidores da Justiça do RS (ASJ) está oferecendo um novo serviço a seus associados. A partir de agora, quem for viajar já pode contar com o Seguro Viagem ASJ Affinity, uma iniciativa diferenciada para sócios ASJ e de fácil contratação que prevê atendimento especializado para viagens nacionais e internacionais. Além de rapidez e preços diferenciados, o serviço oferece atendimentos aos segurados 24h por dia em Português em qualquer lugar do mundo, 365 dias por ano. Os planos incluem despesas médicas por acidente ou enfermidade, atendimento emergencial para doenças preexistentes ou para gestantes até a 34 semana, fisioterapia, atendimento odontológico, translado médico e até reembolso de gastos por extravio de bagagem. O seguro ainda prevê cobertura para práticas recreativas de esporte em todos os planos sem nenhum acréscimo de tarifa, o que permite ao servidor manter práticas saudáveis mesmo em viagem a trabalho ou a lazer. Para simular uma proposta e adquirir o Seguro Viagem ASJ basta acessar o link no site da ASJ e preencher os campos solicitados. Sem burocracia e com pagamento por cartão de crédito em até 5x sem juros ou com boleto, o servidor pode contratar seu seguro rapidamente e viajar tranquilo com uma das melhores coberturas disponíveis no mercado. Após confirmação do pagamento, o bilhete de seguro é remetido diretamente ao smartphone do segurado. A parceria entre a ASJ e a Affinity, que também prevê planos familiares econômicos, foi firmada recentemente e já está disponível no website www.asjrs.org.br ou por meio do link www.goaffinity.com.br/ASJRS.

Quem é a Affinity A Affinity é uma empresa formada por profissionais especializados no mercado de assistência e seguro viagem, que atua neste segmento há mais de 30 anos, e está ligada ao grupo internacional Sompo Seguros. Sua Central de Atendimento está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana, com uma equipe totalmente preparada para prestar o melhor e mais moderno atendimento aos viajantes, seja a lazer, estudos ou negócios, em viagens aéreas, marítimas ou terrestres.

Asj ed 119 site  

Informativo 119

Asj ed 119 site  

Informativo 119

Advertisement