Page 1

EM MAIO

SEXTA-FEIRA 1 DE FEVEREIRO - 2019 | R$ 1,00

Edição: 4.245 - Ano XXI - Fechamento: 17h10 - www.bomdiaonline.com

Sobreviventes da tragédia

Piracicabense conta como escapou da morte Divulgação / Dindão

Leonardo Silva Mendes viu a morte de perto, quando um mar de lama veio em sua direção. Um atraso de poucos minutos para o almoço, somados a mais alguns minutos para passar pela portaria da Vale e outros minutos para estacionar foi o tempo suficiente para que ele e seus colegas vissem o mundo desabando e sem sair do carro, aceleraram para a vida. Página 3

Dormindo com o perigo

‘Cura definitiva’ para o câncer pode ter sido descoberta Cientistas israelenses dizem ter conseguido criar um composto capaz de “curar completamente” o câncer em menos de um ano. “Acreditamos que daqui a um ano teremos a cura completa para o câncer. Ela será eficaz desde o primeiro dia, durará algumas semanas e não terá efeitos colaterais sérios. Página 7

Passagem mais cara: bilhete vai para R$ 3,90

P. 6

Após mais de 50 anos de exploração de minério de ferro na região, a atividade começa a cobrar um preço bem mais alto que além da degradação ambiental. Se por um lado a mineração gera emprego, renda e impostos, por outro vai deixando um legado perigoso para as presentes e futuras gerações – as barragens de rejeito. Páginas 4 e 5


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

BOM DIA

opinião

cidade

2.

3.

Região enterra seus mortos da tragédia de Brumadinho

EXPEDIENTE

BOM DIA • Diretor Geral:

com mortes confirmadas, dramas das famílias dos ainda desaparecidos e louvor pelo sobrevivente

Luiz Gonazaga de Castro • Comercial:

BOM DIA

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

UZT

comercial@bomdiaonline.com 3851-1515 • Diagramação/Arte: Sérgio Henrique Braga • Impressão: Gráfica Bom Dia • Colaboradores: Márcio Naoto Suzuki (Up Street) Thiago Titó (Giro) Marcos Martino (Cenários / Médio Pira) • Representante Comercial: Super Mídia Brasil - BH Central de Comunicação - SC Geraldo Magela Gonçalves (Dindão) - (31) 9965-4503

Dia desses estava conversando com um amigo, quando um jovem músico chegou oferecendo pra ele um CD de sua banda. Ele falou que não ia comprar por que não tinha em casa nenhum cd player mais. Tinha tudo no pen drive e no celular. Ai o cara falou pra ele. Então ouça nosso trabalho no youtube. Tem o CD lá - full album. E se der, por favor inscreva-se no nosso canal.O nome da nossa banda é UZT. Entendeu o trocadilho? UZT é “Os et”...os extraterrestres. entendeu? Leve-me ao seu líder!

Redação e Administração Rua Nossa Senhora Aparecida, nº 152, Sl. 305, Aclimação, CEP.: 35930-028 João Monlevade / MG / Brasil (31) 3851.1515 • Bom Dia online: www.bomdiaonline.com Circulação: Alvinópolis, Barão de Cocais, Bela Vista de Minas, Bom Jesus do Amparo, Catas Altas, Dionísio, Dom Silvério, Itabira, João Monlevade, Nova Era, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, São Domingos do Prata, São Gonçalo do Rio Abaixo, São José do Goiabal.

CD virou souvenir Toda banda acha que tem de ter. Se vc vai divulgar as pessoas perguntam: tem CD? Mas só que ninguém compra mais cds. Não tem mais apelo comercial. Realmente as pessoas estão utilizando outras maneiras de ouvir música e não fazem questão da materialidade. Tá tudo na tal nuvem. Banda Misteriosa

FUNDADO EM JULHO DE 1998

Bom Dia Comunicação Ltda - ME. FUNDADORES: Geraldo Magela Gonçalves João Bosco Roneyjober Alves Andrade CNPJ.: 24538633/0001-16 Todos os Direitos Reservados bomdia@bomdiaonline.com redacao@bomdiaonline.com

Em breve será lançada oficialmente a nova banda monlevadense que vem na fase de pré-temporada, se preparando bem pra se apresentar ao mercado. Tá tudo sendo feito com muito cuidado. Acho que o pessoal vai gostar bastante. A volta do rock Mesmo com toda a re-

pulsa contra a globo, não há como negar a influência das novelas em termos de costumes e moda. Vem ai uma novela da globo ambientada nos anos 90 e parece que vai ter muito muito rock. O clima vivido pelo país também inspira bastante. Rock é contra-cultura, dedo na ferida, verdades inconvenientes, a mosca da sopa do Raul. Carnalvipa vai ferver Esse ano tá sendo bacana pois a ACIA - Associação Comercial e Industrial de Alvinópolis resolveu abraçar o evento. E convocou muitos alvinopolenses da gema pra ajudar. A prefeitura passa por uma crise precedentes e não tinha recursos pra investir. Mas a ACIA mostrou sua força e agiu no sentido de preservar a cultura, promover a alegria do povo e ainda gerar emprego e renda. Assim, os Alvinopolenses, que

amam o carnaval terão uma folia bem bacana. E os amigos de fora também estão convidados a curtir um carnaval delicioso. ESSA É PARA VC QUE GOSTA DE COMPOR MARCHINHAS OU SAMBAS Até o ano passado promovemos o Festival Marchinhas de Minas. Mas esse ano resolvemos inovar. Teremos prêmio também para a melhor marchinha e para o melhor samba. E

vai virar FESTIVAL DE MARCHINAS E SAMBAS. Publicaremos o regulamento nos próximos dias. NOTICIOSO CULTURA Quero convidá-los a conhecer o NOTICIOSO CULTURA. O Noticioso é um canal no youtube que desenvolve conteúdos variados. Eu sou entrevistador essa parte de cultura, sempre conversando com personalidades da música e das artes em geral.

MEDIOPIRA no NOTICIOSO CULTURA Na próxima semana estarei entrevistando dois jovens talentos musicais da região que abraçaram o Samba. A cantora e compositora Duca Furtado da Dupla Dan e Duca e do Samba na Sola e o compositor, cantor e cavaquinista Leo Hosken, do Grupo Bambaia. UZT pode até ser um bloco de carnaval Com tinta fluorescente pra brilhar no escuro...

Geral – Minas Gerais vem colecionando tragédias e essas vão atingindo toda a população do estado. Após a tragédia da Samarco, em Mariana, onde um monlevadense morreu, mais uma vez a cidade despede de um de seus cidadãos, vitimado pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho. Dessa vez a vítima, o jovem técnico Márcio Flávio Silveira Filho, de 28 anos, que foi sepultado ontem, por ironia, trabalhava há cerca de sete meses na Vale na área de Segurança do Trabalho. Márcio, que estava entre os desaparecidos, teve seu corpo encontrado e identificado no Instituto Médico Legal (IML), em Belo Horizonte, no dia 30, sendo posteriormente trasladado para João Monlevade, onde reside sua família e sepultado no Cemitério do Baú. Natural de Barão de Cocais, Márcio veio para Monlevade ainda criança, permanecendo até sair para o trabalho. Bela Vista de Minas Na região, o primeiro sepultamento de vítimas do desastre de Brumadinho aconteceu em Bela Vistas de Minas, quando foi sepultado o corpo de Cristiano Vinicius na tarde quarta-feira. 30. Desaparecidos Enquanto a família de

Por questões de segundos piracicabense escapa da lama O monlevadense Márcio foi sepultado ontem no Cemitério do Baú

Márcio e de Cristiano choravam em seus sepultamentos, outras ainda na região permanecem apreensivas com o desaparecimento de seus entes, caso da família de Denilson Rodrigues do bairro Alvorada, em João Monlevade. Segundo informações a casa da família está fechada desde o último sábado e os telefones desligados; vizinhos acreditam que eles estejam em Brumadinho, em busca de notícias. Denilson que é filho de Roberto Rodrigues, ex-presidente do Real Esporte Clube. Também em Bela Vista, permanece entre os desaparecidos o supervisor de Minas Zilber Lage, de 38 anos, filho da ex-vice-prefeita de Bela Vista, Zenir Lage e na Vale desde 2004. Zilber é casado e pai de um menino de 3 anos. Outro na lista de desaparecidos dá região é Reginaldo Silva, natural de Dom Silvério. Reginaldo é operador de máquinas e residia atualmente em Itabirito, com a esposa e os três filhos.

Mais sorte teve o auxiliar de sondagens, Leonardo Silva Mendes, 26, natural de Rio Piracicaba e residente em Padre Pinto, Caxambu. Casado e pai de dois filhos, o mais novo de Leonardo, Tainã Valentin Mendes, estava completando 1 mês de vida naquele dia 25. Funcionário da Chammas Engenharia, contratada da Vale, Leonardo falou ao Bom Dia sobre o drama vivido naquele fatídico dia 25 de janeiro: “A imagem não sai de minha cabeça, foi tudo muito rápido, pessoas engolidas pela lama, árvores caindo em cima, muito sofrimento”, relata com olhos marejados. Leonardo que trabalha com sondagens, percorre mina por mina da Vale, já que a empresa que trabalha faz esse serviço para a mineradora há alguns anos. Na Mina Córrego do Feijão ele estava há quatro dias. Segundo Leonardo o tempo foi crucial para que ele e mais três colegas de trabalho se salvassem: “Geralmente parávamos para almoçar ao meio dia, mas esse dia esticamos alguns minu-

tos a mais para concluir um trabalho”, disse. Às 12:10 minutos eles terminaram o serviço e desceram: “Juntamos os equipamentos e descemos para o restaurante mas quando fomos passar na portaria, devido os equipamentos na carroceria da caminhonete, tínhamos que relacionar isso, onde demorou mais um pouco, era umas 12:30:. Liberando isso fomos para o estacionamento, pertinho da portaria, e o motorista se complicou para estacionar e fez varias manobras, quando terminamos de estacionar, já ia descer escutamos um estrondo, parecendo detonação, e veio aquela onda de lama, árvores tombando e eu faleii com o motorista – acelera... ele ligou a caminhonete rápido e nós saímos e a lama veio atrás da gente.... nós começamos a descer sentido Brumadinho e a lama do nosso lado, tombando caminhões, árvores – caminhão tombava como se fosse de papel... vi uma mulher perto, uma árvore caiu em cima dela... não dava tempo de socorrer ninguém... fomos descendo e vimos um sítio com uma mulher e três crianças pequenas, de uns 6, 7 anos de idade, gritamos para correr pro alto, encontramos

com caminhões subindo mandamos voltar, gritando para as pessoas que encontramos na estrada.. tudo muito rápido”, relatou. Leonardo relatou que além do restaurante estar cheio, as pessoas que haviam acabado de almoçar estavam na área de vivência, em uma praça em frente o restaurante, relaxando, descansando, muitos deitados na grama, nos bancos, sendo todos pegos de surpresa. Cercados pela lama, os sobreviventes foram obrigados desviar de rota, quando foram orientados por outros sobreviventes funcionários da Vale a subirem em um trecho onde posteriormente um trator entupiu uma vala criando uma passagem para as pessoas, onde forma todos para uma região que apresentava segurança: “Nessa área foi aparecendo muitas pessoas, fiquei feliz quando vi a

mulher e as crianças que havíamos avisado, tinha umas 60 pessoas no local, que conseguiram se salvar, mas acredito que só na mina mais de 300 morreram”, desabafou. Posteriormente todos foram resgatados e levados para instalações seguras e ele foi para Nova Lima onde estavam sediados, quando a empresa liberou a equipe para irem para suas casas tranquilizar as famílias. Abalado com a tragédia, Leonardo retornou na terça-feira à Belo Horizonte solicitando baixa da empresa. Ele nos disse que apesar de precisar do trabalho não vale a pena colocar a vida em risco: “Todos precisamos de trabalho, precisamos sustentar nossas famílias mas devemos colocar nossa vida em primeiro lugar. Essas barragens não oferecem segurança alguma, nenhuma oferece”, disparou.

Leonardo Silva Mendes, 26, natural de Rio Piracicaba e residente em Caxambu, por enquanto o único sobrevivente da região


sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

BOM DIA

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

ambiente

ambiente

4.

5.

Dormindo com o perigo

Nenhuma barragem é segura, afirmam especialistas

Rotina de acidentes com barragens desperta populações Preço

Geral - Acidentes com barragens vêm deixando um rastro de morte e destruição, rompendo fronteiras do estado de Minas Gerais e atingindo o mar. Enquanto os acidentes estavam acontecendo além dos olhos da maioria da população, matando 5 pessoas, atingindo córregos, ou levando a vida de apenas (sic) 9 pessoas, com pouco alarde, as populações que vivem abaixo de estruturas que podem matar – como Rio Piracicaba, São Gonçalo do Rio Abaixo, Itabira, Barão de Cocais e Santa Bárbara, permaneciam adormecidas. Entretanto, com o cheiro da morte chegando cada dia mais perto – com a tragédia da Samarco (Vale / BHP Billiton) em Mariana e agora com a tragédia da Vale (Vale) na Mina do Córrego do Feijão em Brumadinho, que ainda nem se tem as dimensões do desastre, as pessoas passaram a questionar sobre a segurança delas, de seus familiares e de suas respectivas cidades.

Após mais de 50 anos de exploração de minério de ferro na região, a atividade começa a cobrar um preço bem mais alto que além da degradação ambiental. Se por um lado a mineração gera emprego, renda e impostos, por outro vai deixando um legado perigoso para as presentes e futuras gerações – as barragens de rejeito. Agora não só os rios, enlameados, são reflexo da atividade; aos poucos as minas, antes longe dos olhos da cidade, vão aparecendo conforme a lavra vai avançando e apesar de deterem tecnologias para mudar o quadro, diante o lucro, as empresas teimam em manter as barragens ameaçadoras sobre as cabeças dos até então desavisados. Cidades ameaçadas se mobilizam cobrando segurança Diante a nova tragédia da Vale na Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho – ainda em andamento – todas as cidades que convivem com o perigo das barragens de rejeitos sob

suas cabeças iniciaram movimentos buscando informações e cobrando ações para a segurança dessas populações. Tanto os governos federal quanto o estadual também tomaram atitudes frente ao fato que tem repercutido negativamente mundo afora. O Governo Federal ordenou às agências federais de controle um total recadastramento de todas as estruturas de barragens e o Governo Estadual proibiu a permanência de barragens alteadas no modelo a montante, ordenando seus descomissionamentos ou seja- o esvaziamento das mesmas. Nas cidades não poderia ser diferentes e praticamente todas se movimentam em torno do trma. Em Rio Piracicaba, São Gonçalo do Rio Abaixo e Itabira, tanto o executivo quanto o legislativo se mobilizaram e iniciaram uma série de ações, conforme segue. Rio Piracicaba: Legislativo e executivo alinham ações Ainda na sexta-feira, 25, o presidente da Câmara Municipal, vereador Tayrone Guimarães,

convidou o secretário municipal de meio ambiente, Augusto Henrique da Silva para uma reunião no dia 28, objetivando alinhar ações frente a situação que a cidade vive, com uma barragem a poucos metros da população e um plano de ação de emergência que até então caminhava a passos lentos. Na reunião, que do dia 28, o secretário posicionou o presidente sobre as ações já tomadas, incluindo um pedido liminar para suspenção de alteamento previsto para a barragem do Diogo e ainda quanto ao andamento do Plano de Ação de emergência para Barragem de Mineração. Augusto ainda informou ao presidente Tayrone que estaria promovendo reuniões conjuntas com o Comdec e Codema para deliberarem sobre as providências a serem tomadas. A Câmara, por sua vez, oficiou o Ministério Publico, solicitando providências quanto ao alteamento da barragem – apontando seu cancelamento como forma mais racional no momento.

São Gonçalo do Rio Abaixo: Prefeitura e Câmara acionam empresa O presidente da Câmara Municipal de São Gonçalo do Rio Abaixo, vereador Flávio Silva de Oliveira, entrou em contato com a gerência da Vale solicitando uma reunião para tratar sobre a segurança da cidade, já que a mesma vive sob duas grandes barragens. A assessoria de comunicação da empresa informou que irá agendar e entraria em contato informando a data. O encontro deverá acontecer entre a Vale, Câmara Municipal, Prefeitura e Defesa Civil. Um ofício, assinado por todos os vereadores foi enviado à empresa solicitando que a reunião seja marcada entre os dias 31 de janeiro e 8 de fevereiro. Já a prefeitura, em um primeiro momento soltou uma nota declarando solidariedade ao município de Brumadinho e informando que o prefeito Antônio Carlos solicitou aos responsáveis laudos técnicos atualizados com um diagnóstico sobre as barragens. O prefeito informou ainda via comunicado que

A gingantesca Barragem Norte de Brucutu - sob a Represa de Peti, acima de São Gonçalo do Rio Abaixo.

solicitou junto a Agência Nacional de Mineração (ANM), providências relacionadas à fiscalização sobre a estabilidade e segurança dessas estruturas existentes no município. O prefeito de São Gonçalo faz coro com os demais prefeitos das cidades que se encontram na mesma situação quanto a morosidade da implantação dos planos de ações de emergência, solicitando a agilidade para conclusão dos mesmos. Itabira: jornal O Trem provoca população diante a grave situação da cidade Uma das cidades mais afetadas pela implantação de barragens talvez seja Itabira. Cercada por gigantescas estruturas que somadas ultrapassam aos 500 milhões de metros cúbicos de lama e rejeito – 10 vezes em relação ao material vazado da barragem de Fundão – que levou destruição e morte até o mar; Itabira vive hoje com um futuro incerto. Diante essa situação o jornal O Trem tem provocado debates entre os moradores e o fato atraiu a atenção da imprensa da capital que desenvolveu inúmeras matérias. Um dos principais questionamentos dos moradores das áreas de risco da cidade é quanto ao Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração – os PAEBM. Em nenhuma cidade o PAEBM, exigência de lei, foi concluído.

BOM DIA

Barragem do Pontal, uma gigante de lama em cima de Itabira

Conselhos se reúnem em Rio Piracicaba Os membros titulares e suplentes dos conselhos municipais de Defesa Civil e Meio Ambiente, COMDEC e CODEMA, respectivamente, reuniram-se na tarde desta terça-feira, 29, na Casa do Aprender em Rio Piracicaba, para deliberarem sobre a atual crise de segurança do setor minerário envolvendo barragens de rejeito. A reunião foi convocada e presidida pelo Coordenador da Defesa Civil Municipal e Secretário de Meio Ambiente e Agricultura, Augusto Henrique da Silva e contou também com a participação de representantes da Vale lotados na cidade. Durante a reunião o Conselho Municipal de Defesa Civil e o Conselho de Defesa do Meio Ambiente, através de seus membros, após debates definiram as seguintes ações a serem tomadas: – Solicitar ao Ministério Público para que seja proposta uma

Presidente do Comdec e Codema, Secretário Augusto Henrique durante reunião dos conselhos

ação de paralisação do alteamento da Barragem do Diogo até que seja apresentado ao poder público os documentos necessários e informações a respeito do alteamento e a realização de audiência pública para que a população possa opinar a respeito da barragem e da obra; – Solicitar à Vale revisão do atual PAEBM tendo em vista identificar e sanar problemas; – Solicitar a Vale para que a mesma realize estudos de novos métodos e tecnologias alternativos aos atuais, de forma a abandonar o atual método de “barragens de rejeitos”, apresentando ao município os resultados; – Solcitar ao executivo municipal contratação

de empresa externa e independente para realizar inspeção nas barragens de rejeito de Diogo, Porteirinha e Monjolo; – Criação e designação de uma Comissão de Barragens, composto por 7 membros, com autonomia para representar o município e atuar junto à Vale cobrando, investigando e exigindo melhorias nos processos que se referem à segurança da população ficando assim constituída: 3 membros indicados representando a Prefeitura Municipal e 4 membros do COMDEC e CODEMA, sendo estes, Augusto Henrique da Silva, Geraldo Viana, Ênio Júnior, Roberto Nascimento, Tarcísio Bertoldo, Thaisa

Emiliano e Valdetty Silva. Ao final da reunião, foi dado a palavra aos representantes da Vale, que primeiramente expressaram solidariedade aos colegas e população de Brumadinho e disseram que repassariam as informações obtidas durante aquela reunião à empresa. Augusto enfatizou que reconhece a mineração como essencial para a economia da cidade, mas nem por isso, os órgãos de Defesa Civil devam estar omissos em suas obrigações junto à população, desta forma, há de se encontrar soluções para ambas as partes.

O Estado tem mais de 400 estruturas voltadas para o armazenamento de rejeitos de minério, todas com algum risco de rompimento, segundo o superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) em Minas, Júlio César Grilo. Para Júlio, “as mais de 400 barragens que temos seriam seguras apenas se houvesse uma avaliação diária, o que não é possível. Além disso, as análises levam em conta aspectos superficiais. Mas o fato é que nenhuma barragem do Estado é segura”, afirmou. Ele já tinha, inclusive, alertado o governo do Estado sobre a possibilidade de desastre em Brumadinho. Outro engenheiro que concorda com essa afirmação entrou em contato com nossa redação e pedindo para que não fosse identificado informou: “Passei seis anos operando barragens a leiras de granulados, tal como agora dessas barragens que eles di-

zem a montante ou a jusante, para contenção de rejeitos. Entenda: esse tipo de contenção é feita para depósitos temporários e não fornecem segurança, demandando leiras de redundância, bacias de derramamento e isolamento de área, conforme procedimentos industriais internacionais. Tais procedimentos e aplicações são sequer conhecidos pelas nossas autoridades. Entretanto nossas “normas”, e agora o bando de “entendidos”, ainda continuam discutindo o uso de leiras de granulados como opções viáveis para barragens altas. Resumindo, barragens de material granulado, dispostos tanto a jusante ou de qualquer jeito, não são opções de segurança. Fiscalização nenhuma será capaz de garantir a segurança de uma barragem feita de material granulado. Somente estruturas armadas deveriam ser aceitas para contenção de qualquer material” disparou.

Em novembro o jornal já alertava sobre o risco eminentes das barragens com a manchete Bomba Relogio


BOM DIA

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

cidade

saúde

6.

7.

Passagem de ônibus sobe para R$3,90

Cientistas dizem ter achado cura definitiva para o câncer

Prefeita mantêm passagem social “congelada” em R$1,00 João Monlevade - Em reunião ocorrida na noite dessa terça-feira, 29, o CMT (Conselho Municipal de Transportes) recebeu proposta da Enscon, solicitando reajuste no preço da passagem para R$4,00 (quatro reais) em dinheiro. A justificativa da empresa para o reajuste foram os recorrentes aumentos nos preços dos combustíveis e salários, entre outras despesas. Todavia, a prefeita Simone Carvalho Moreira já havia comunicado aos conselheiros que não aceitaria esse novo valor, bem como não aceitaria aumentar o preço da tarifa social (de R$1,00). O Settran (Setor de Trânsito e Transportes) chegou

Divulgação

a apresentar uma planilha de composição de custos, cujo valor da tarifa em dinheiro passaria para R$3,95 (três reais e noventa e cinco centavos), com o que a prefeita também não concordou. Após reuniões ficou definido que a passagem de ônibus em João Monlevade passará a ter os seguintes valores: pagamento em dinheiro, o valor passa de R$3,65 (três reais e sessenta e cinco centavos) para R$3,90 (três reais e noventa centavos); o pagamento através do cartão foi de R$3,45 (três reais e quarenta e cinco centavos) para R$3,70 (três reais e setenta centavos); e o valor da tarifa social continua “congelado” em

BOM DIA

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Foto ilustrativa

Provedor do Hospital visita nova chefe da GRS

Segundo a prefeita Simone Moreira, João Monlevade continuará tendo a passagem mais barata da região

R$1,00 (um real). Segundo a prefeita Simone Moreira, João Monlevade continuará tendo a passa-

gem mais barata da região do Médio Piracicaba, da região do Vale do Aço e da região Metropolitana.

Os novos valores passam a vigorar no próximo domingo, dia 3. A Enscon afirmou que, na próxima

semana, estará colocando 12 novos ônibus nas linhas que servem os bairros da cidade.

“Acreditamos que daqui a um ano teremos a cura completa para o câncer”

Geral - Cientistas israelenses que trabalham na empresa Accelerated Evolution Biotechnologies (AEBi), fundada no ano 2000, dizem ter conseguido criar um composto capaz de “curar completamente” o câncer em menos de um ano. A informação foi divulgada pelo jornal israelense The Jerusalem Post. “Acreditamos que daqui a um ano teremos a cura completa para o câncer. Ela será eficaz desde o primeiro dia, durará algumas semanas e não terá efeitos colaterais sérios, além de ter um custo muito menor do que a maioria dos tratamentos existentes no mercado”, comenta o pesquisador Dan Aridor, diretor do conselho da AEBi, em entrevista para o periódico. O tratamento está sendo chamado de MuTaTo (multi-target toxin, ou toxina de múltiplos alvos, em tradução livre) e

consiste numa espécie de “antibiótico” contra o tumor, segundo o cientista. O composto anti-câncer potencialmente revolucionário é baseado na tecnologia SoAP, que envolve a incorporação do DNA de determinada proteína dentro de um bacteriófago (vírus que infecta bactérias). Essa proteína é então exposta na superfície do micro-organismo “hospedeiro”. Com isso, os pesquisadores podem usar as proteínas exibidas pelos bacteriófagos como forma de rastrear interações com outras proteínas, com material genético ou com pequenas moléculas. A ideia, segundo Aridor esclarece ao The Jerusalem Post, é que o tratamento seja capaz de atingir três alvos ou células cancerosas de uma só vez, o que o torna mais eficaz do que os remédios usados atualmente,

que, normalmente, são direcionados a um alvo específico e que pode sofrer mutações e metástase (multiplicação). O MuTaTo usa uma combinação de vários peptídeos para atingir cada tipo de célula cancerosa ao mesmo tempo, associada a uma toxina peptídica capaz de matar apenas o tumor. “Nós nos certificamos de que o tratamento não será afetado pelas mutações; as células cancerosas podem até sofrer mutações e ainda assim os receptores alvos acabarão sendo eliminados”, esclarece o pesquisador Ilan Morad, CEO da AEBi, também em conversa com o jornal israelense. Por enquanto, a novidade foi testada apenas em cobaias e o próximo passo é passar para os testes clínicos, em pacientes com câncer. Eles não informaram quando isso será feito.

Itabira - O presidente da Associação São Vicente de Paulo (ASVP) de João Monlevade, mantenedora do Hospital Margarida, José Roberto Fernandes, fará uma visita de cortesia para a nova chefe da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Itabira, Eliane Horta. O encontro está marcado para o próximo dia 4. Ela substitui Alexandre de Faria Martins da Costa, o “Banana”, que ficou à frente da GRS nos últimos quatro anos. Para José Roberto, a visi-

ta de cortesia e para desejar boas-vindas, também servirá para apresentar a atual situação da casa de saúde, além de pedir empenho para que o estado não deixe de repassar recursos ao hospital. “Vamos colocar o hospital à disposição, fazer a política de boa vizinhança e mostrar que não medimos esforços para estar perto de instituições, às quais o hospital precisa estar alinhado”, disse o provedor. Prestação de contas

O Conselho da ASVP vai realizar, nos próximos dias, a assembleia para prestação de contas da instituição. Mais uma vez, o evento será aberto a comunidade com o objetivo de apresentar as contas da casa de saúde com detalhes. A ação já é prática dessa gestão, que visa o trabalho com transparência, seriedade e responsabilidade. Assim que a data e o horário forem marcados, eles serão amplamente divulgados.

Santa Bárbara recebe o maior empreendimento habitacional de sua história Divulgação

Em 2018 a Prefeitura de Santa Bárbara entregou junto à Caixa Econômica Federal o maior empreendimento habitacional do Município. A entrega das unidades habitacionais do programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal, foi marcada por gestos de emoção e gratidão. O Residencial Campus Fidei representa um investimento de R$ 13 milhões, culminando para que mais de 800 pessoas alcançassem o sonho da casa própria.


Profile for sergiohenriquebraga

bd  

bd  

Advertisement