Page 1

CENTENÁRIO DA GREVE GERAL

Há um século, uma greve geral marcou a história de todos trabalhadores. Num ato de desespero e heroísmo, trabalhadores pararam suas atividades e ocuparam a cidade para reivindicar condições melhores de trabalho.

100 mil operários, em sua maioria de origem italiana e espanhola, mobilizaram a sociedade paulistana e pararam a cidade. A greve foi duramente reprimida por soldados a mando do governador do Estado. Muitos trabalhadores foram presos, extraditados e outros mortos. O enterro de José Martinez torna-se um ato político e um símbolo da violência contra os trabalhadores.

A greve foi vitoriosa, muitos direitos, como conhecemos hoje, foram conquistados por cima do sangue dos grevistas. . Foi a partir daí que surge o sindicato como forma de resistência e de negociação forçada com o patrão. A união dos trabalhadores foi fundamental para mudar a realidade. E 100 anos depois nossos direitos estão sendo retirados. Vai lamentar ou vai lutar? Em um cenário contraditório, em que o Brasil se tornara exportador de alimentos, devida a 1ª guerra mundial, o cenário interno era de alta nos preços dos alimentos e desemprego. As poucas vagas de trabalho que tinham ofereciam condições precárias e insalubres, salários tão baixos que era impossível sustentar a família, obrigando as crianças a trabalhar para complementar a renda.

OS TRABALHADORES DE 1917 REIVINDICAVAM: • Redução da jornada de 16 horas; • Fim do trabalho infantil; • Aumento do salário em 10 %; • O direito de associação dos trabalhadores; • Aumento de 50% do trabalho extraordinário; • Proibição do trabalho noturno aos menores de 18 anos; • Pagamento dos salários fosse realizado pontualmente a cada 15 dias e no mais tardar 5 dias após o vencimento.

www.bancariosdecuritiba.org.br

Infográfico | Centenário da Greve Geral  
Infográfico | Centenário da Greve Geral  

Infográfico produzido pelo Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e região.

Advertisement