Page 1

rtro magazine NÂş 20

3 anos

a repensar a Moda


Há qualquer coisa de mágico em Março que parece transcender-nos. Será por marcar as semanas da Moda, com as suas propostas para o Outono? Será porque os raios de sol começam a fazer-se sentir, muito timidamente? Ou será porque é o mês que celebra o nosso aniversário? É verdade, há 3 anos que andamos a repensar a Moda e a divulgar novos talentos. São 3 anos a fomentar ainda o gosto pela Cultura, pela cor, pela maquilhagem e pela Arte, no seu sentido mais lato. São 3 anos de partidas e de chegadas, de avanços e retrocessos, mas sempre com uma filosofia: aprender. Mais, mais e mais. É difícil adoptar o olhar de quem está de fora, mas, da minha parte, posso dizer que a nossa evolução, sobretudo a nível gráfico, tem sofrido progressos notáveis. Tal deve-se ao nosso designer Manuel Costa, que, a cada mês, trabalha incansavelmente para inovar em pequenos grandes detalhes, com a preocupação permanente de manter os valores que compõem a nossa identidade.

rtro

Relembro ainda o trabalho dos nossos redactores, actuais e antigos, que, com as suas perspectivas inovadoras e o seu olhar crítico, povoam a RTRO de artigos cativantes e, esperamos nós, que acrescentem algum valor à rotina dos nossos leitores.

magazine

Editorial

Leitores sem os quais não sabemos viver e que, espero, estejam connosco para acompanhar os nossos pequeninos, mas firmes, passos rumo ao crescimento enquanto revista, projecto e pessoas.

Como tal, a nota dominante desta edição é a chegada da Primavera, com a sua promessa de dias solarengos e repletos de actividade. Que cor melhor do que o Rosa Chiclete para simbolizar esta estação? E porque ela convida a uma atitude mais brincalhona, a rubrica Smells Like… propõe-nos uma fragrância bem… doce. Descubram qual mais à frente. E porque estamos todos ansiosos por retirar o pó às nossas peças mais frescas e soltas, deixamo-vos um guia que sintetiza as tendências Primavera-Verão 2013. Tudo acompanhado por uma banda sonora de que os nossos amigos parisienses Duellum são protagonistas – descubram o seu novo EP nas próximas páginas.

E mais não dizemos – frisamos apenas que os vossos lábios estarão eternamente agradecidos a esta edição e que temos um novo contributo a nível fotográfico. Para proporcionar um excelente início de estação, só faltam vocês! A TODOS OS NOSSOS COLABORADORES E LEITORES, OBRIGADA POR TUDO! Boa leitura 

Margarida Cunha Editora


rtro staff

editora Margarida Cunha redactores Ana Rodrigues Catarina Oliveira Beatriz Subtil Helena Lopes Joana Vilaça Margarida Cunha Mariana Sá Mónica Dias layout /paginação Manuel Costa fotografia Catarina Oliveira Ricardo Costa foto de capa Selma Malhadas

www.rtromagazine.com

A rtro está sempre à procura de modelos, fotógrafos, stylists, maquilhadores, designers, que queiram colaborar, expor os seus trabalhos, se achas que tens o que é preciso contacta-nos para o nosso email.

geral@rtromagazine.com


6

10

14

Focus on Designer Elie Saab

Color me Rosa Chiclete

Blogger Chat Sofia Reis

50

54

56

64

it girl Kate Who?

Smells like... Candy by Prada

Sessão Lights

Vitamina D Drift by Duellum

Índice


22

24

28

42

Just DIY

Maquilhagem Colorida

Sessão rtro

Tendências Primavera / Verão 2013

66

68

Ler. Ver. Ouvir.

Wishlist Chic vs Cheap!


Focus on Designers por Helena Lopes


Elie Saab

De Beirute a Paris 6 – 7 | rtro


Focus on designers

Elie Saab nasceu em 1964 no Líbano, mas rapidamente conquistou o mundo inteiro com o seu talento. Em criança começou a costurar e desde cedo soube que era aquilo que queria fazer da sua vida. Rapidamente percebeu que, o que realmente o fascinava, eram os vestidos. A sua irmã tornou-se a sua modelo e assim começou a fazer vestidos, invadindo o armário da sua mãe à procura de tecidos para os seus trabalhos. Tudo o que fez aprendeu sozinho e, mesmo assim, ninguém conseguia ficar indiferente ao seu talento. Com apenas 18 anos, Saab lançou a sua marca com uma equipa de 15 funcionários. No início, no seu atelier apenas fabricava vestidos de noiva, vestidos com tecidos ricos, rendas, bordados detalhados, pérolas, cristais e fios de seda. Sem estudos na área, em 1981, mudou-se para Paris, para onde foi estudar moda. Em 1998 apresentou uma linha de pronto-a-vestir em Milão, e no mesmo ano, realizou um desfile de moda no Mónaco que contou com a presença da princesa Stéphanie do Mónaco. Saab tornava-se, aos poucos, cada vez mais conhecido. Mas foi apenas numa noite, apenas com um vestido, apenas com um evento, que tudo mudou. O designer libanês tornou-se um sucesso do dia para a noite quando Halle Berry usou um dos vestidos da sua colecção para a noite dos Óscares em 2002. Halle Berry não só venceu o Óscar para o qual estava nomeada, como também venceu nas listas das mais bem vestidas da noite. Após essa noite, Saab foi bombardeado com entrevistas e ainda hoje esse vestido faz História. As suas colecções de alta-costura e de pronto-a-vestir são apresentadas todas as estações na Semana da Moda em Paris e a


primeira fila dos seus desfiles está sempre repleta com as pessoas mais ilustres do mundo da moda. As suas criações podem ser encontradas em todo o mundo e os seus desenhos são vendidos em 22 países. Em 2011, Elie Saab lançou a sua primeira fragrância “Le Parfum”, que se tornou um best-seller em 15 países (e que apresentámos na edição anterior da RTRO, na rubrica Smells Like…). Elie Saab sabe como fazer valer a silhueta de cada mulher, sem nenhuma excepção. Sabe, caindo no clássico, mas nunca no monótono, criar movimentos e linhas que aperfeiçoam a figura feminina e por isso temos a certeza que Elie Saab ficará para sempre preso à fórmula que vence nas passadeiras vermelhas, e nós agradecemos. Pois com um vestido preto nunca me comprometo, mas com um vestido Elie Saab é impossível não brilhar e muitas são as celebridades que comprovam esta nova teoria.

8 – 9 | rtro


Color me

por Catarina Oliveira


Já vemos a Primavera a espreitar um pouco por todo o lado. Nas montras, nas esplanadas que nos trazem memórias, nos pássaros que não param de cantar, e na luz do sol que parece surgir com uma intensidade maior. Falta o calor, mas temos a certeza que qualquer dia ele virá. Enquanto não chega, podemos distrair-nos com a renovação do guarda-roupa! Começar a pensar nas cores primaveris e estar preparada para a próxima estação. Vem aí uma mistura de minimalismo com padrões fortes, o preto e branco estão em força, e neste contexto surge uma tendência de cor à qual é impossível resistir: cor de rosa chiclete. Não é choque, não é infantil, é aquela tonalidade certa para ter a sensualidade e profissionalismo que queremos demonstrar na próxima Primavera. Se vimos o rosa chiclete no cabelo de muitas fashionistas o ano passado, ele parece não querer desaparecer e renova-se, sem se tornar exaustivo. Prova disso é a nova campanha da Benetton, que aposta no cabelo cor de rosa para dar a conhecer uma nova imagem, mais moderna. Os maiores designers pegam nessa cor e aplicam-na de maneiras arrojadas, primando pela originalidade e pela frescura das formas. Christopher Kane reinventa a silhueta numa abordagem geométrica e apetecível. Faz o rosa chiclete parecer avant-garde e conseguimos imaginar-nos numa versão mais terrestre para usar para o trabalho. Céline aposta num look muito sensual, que não ronda o exagero graças à cor. O rosa aqui complementa uma sedosa saia lilás e a frescura do decote não deixa dúvidas: queremos abusar das alças spaghetti nos próximos tempos. Dior quase nos transporta para um resort de luxo com um top tão simples, mas ao mesmo tempo com uma forma magnífica que leva ao desejo de a experimentar em diversos conjuntos e ocasiões. Para os homens, Givenchy arrisca um rosa total que não retira masculinidade; os mais aventureiros não perderão tempo em explorar as dimensões do rosa nos looks masculinos. Ficam, por fim, as sugestões da RTRO para não deixarmos escapar esta cor!

10 – 11 | rtro


Color me

harveynichols.com 195€

Jill Sanders 695€

Allsole.com 206€


matchesfashion.com 534€

Blanco 9,99€

solestruck.com 189€ 12 – 13 | rtro


Blogger Chat por Helena Lopes

A RTRO continua Ă descoberta de bloggers de moda nacionais cheios de talento. Desta vez a escolhida foi Sofia Reis, a blogger por detrĂĄs do blog Mexiquer.


14 – 15 | rtro


Blogger chat


1. Mexiquer é o nome do teu blog. É um nome bastante invulgar, mas também muito original. De onde surgiu este nome? O meu nome é Sofia Reis mas a minha alcunha é Mexiquer. Na verdade, fiquei com esta alcunha há já bastantes anos quando andei a ler um livro do Che-Guevara e começaram-me a chamar Mexicana, Mexiquer e pronto! Foi um nome que pegou e que desde então identifico-me bastante com ele. O nome do blog foi uma associação mais que previsível e foi desde logo uma certeza na identificação do blog. 2. O que é para ti a moda? E como e quando decidiste criar o blog? Já algumas pessoas o perguntaram mas, como costumo dizer, o design de moda e o dito styling são amigos de infância para mim. Desde muito nova que tenho um fascínio pela produção de moda e pela transformação de conceitos e ideias em peças de roupa/sapatos/acessórios, etc. O facto é que, apesar de não ter seguido academicamente esse curso, o bichinho ficou cá. Comecei por explorar e seguir alguns blogs mas há cerca de um ano decidi partilhar eu mesma aquilo que procurava noutros blogs. 3. No teu blog fazes diversos tipos de posts. Desde posts de outfits a posts sobre algo que te inspira. Que tipo de posts preferes publicar? Não vou negar, gosto imenso de fazer outfit posts! Como estudante de multimédia, a fotografia é uma parte muito importante no meu percurso e, por isso, os outfits posts são, de facto, os posts onde posso explorar mais a minha identidade através da fotografia. No entanto, tento variar e tornar o conteúdo do meu blogue ecléctico e diversificado, porque acho que é cada vez mais isso que as pessoas procuram. Procuram um site/blogue em que possam ter uma sensação de novidade diariamente, que não canse nem deixe enfadar. 4. Começas agora a fazer também vídeos para o blog. É algo que pretendes explorar? É realmente um aspecto que quero imenso explorar! O facto é que estes meios mais dinâmicos de captar e transmitir imagens fascinam-me e, por vezes, tornam-se muito mais interessantes para quem os vê do que apenas fazer scroll em algumas imagens estáticas. Sinto que os vídeos conseguem transmitir mais de mim e daquilo que capto por vezes e, de facto, consigo perceber que os leitores gostam e partilham o seu agrado quando publico este tipo de post!

16 – 17 | rtro


Blogger chat


5. Tens alguma história caricata devido ao blog? Caricata… Não sei se é a palavra certa mas algo com que tenho de lidar por vezes são os anónimos "maldosos". Há muitas palavras que me fazem rir… Se é que me entendem. 6. Qual é para ti a grande diferença entre a moda portuguesa e a moda internacional? Sou uma grande fã de alguns dos nossos criadores mas, sobretudo, acho que em Portugal falta muito apoio à divulgação e ao incentivo na produção. A impressão que tenho é que as pessoas têm da moda nacional uma imagem pequenina, não lhe dão muita importância. A moda internacional vai ser sempre muito mais cobiçada (infelizmente), o que é uma consequência da cultura global em que vivemos actualmente. 7. Como caracterizas o teu estilo? Pode parecer caricato, mas para mim é sempre difícil caracterizá-lo. Gosto de muita coisa, mas sobretudo de padrões, peças étnicas mas também de um estilo mais simples e minimal. Acho que me enquadro sempre muito entre estas combinações, tendo a ser algo camaleónica. 8. O que estás a vestir neste momento? Acabadinha de chegar de um almoço de família ainda estou de um mini dress da Romwe, umas leather trousers da Zara e os meus velhos e amigos creepers. 9. O que são para ti as tendências? São algo que segues à risca ou algo a que não ligas mesmo nada? Honestamente, acho que as tendências são aqueles fenómenos pelos quais as pessoas se deixam ir demais. Claro que adopto algumas tendências mas quando gosto sinceramente delas. Penso que o mais importante é vestirmos peças com que nos identifiquemos verdadeiramente e nos façam sentir bem. Já vesti imensa coisa que muita gente vê de lado, que não se insere em nenhuma tendência em específico no momento… E então? Acho que cada um é livre de escolher a sua própria tendência.

18 – 19 | rtro


Blogger chat

10.Quais são os básicos que não dispensas no teu armário? Casaco de cabedal (sintético), calças pretas e plataformas! 11. Qual é a figura pública portuguesa que mais te inspira? Em termos de moda são definitivamente os criadores da dupla Marques' Almeida - Marta Marques e Paulo Almeida. 12. Há alguma peça de roupa que te recusas a usar? Ouyeah. Meias com folhinhos... 13. Qual a mensagem que gostavas de transmitir a todos os teus seguidores? Tenho um sentimento enorme de gratidão e carinho por cada seguidor e leitor daquele cantinho. 14. E o que dirias às pessoas que só agora conheceram o teu blog? Keep reading it ;) 15. Onde esperas estar daqui a 10 anos? Não sei onde vou estar, mas espero sentir-me realizada e feliz com aquilo que estarei a fazer! 16. A nossa revista chama-se RTRO. O que é, para ti, ser "retro"? Associo muito essa palavra à dualidade entre algo que sentimos que não é actual mas ao mesmo é moderno e original pela abordagem que assume no presente.


20 – 21 | rtro


Just

DIY!

por Beatriz Subtil

Todas nós mulheres sabemos a importância que tem um batom hidratante na nossa vida. Andamos com eles para todo o lado, às vezes, esvaziamos as carteiras e encontramos não um nem dois mas três ou mais batons destes. Eu sou puro exemplo disso, desde lip balms em stick, em boiões, em caixinhas... tenho um pouco de tudo. No entanto, antes de aplicar um batom hidratante, deveríamos ter o cuidado de exfoliar os lábios. Tal como exfoliamos a pele antes de aplicar um creme hidratante esse cuidado é também fundamental para os lábios. Nesta edição, venho mostrar-vos um DIY simples e bastante acessível de um lip scrub que podem fazer em casa com coisas que encontram na vossa dispensa. A receita é muito simples, bastam os seguintes ingredientes: • 1 lip balm • Açúcar • 4-6 Gotas de Azeite • 1 Frasco de lip balm Basta misturar todos os ingredientes, até se formar uma pasta, acondicionar a pasta no frasquinho, e deixar repousar no frigorífico durante cerca de 20 minutos. Depois basta aplicar nos lábios e ir massajando suavemente até remover todas as células mortas.


No entanto, existem outras opções no mercado, mas nunca saem tão em conta como fazer esta receita que dura bastante tempo. Podem encontrar lip scrubs à venda na Lush por cerca de 7,50€.

Uma ideia apetitosa e acessível a todas, e como tudo na vida…porque não Do It Yourself?

Home Made Raspberry Lipscrub Ingredientes • 1 Lipbalm artigo com aroma (eu usei o de framboesa da Agata Ruiz De La Prada) • 2as Medidas de Açucar (usar a embalagem do Lipbalm como medidor) • 4 a 6 Gotas de Azeite

Preparação • Misturar numa taça o lipbalm com o açucar (podem acrescentar um pouco de batôm de cieiro para dar mais consistência e hidratação. • Acrescentar as gostas de azeite e misturar muito bem até apastar estar uniforme. • Colocar a mistura no frasco com uma faca. • Podem criar mini etiquetas para os frascos e oferecer como prenda. • Se conservarem no frigorifíco a consistência será mais firme.

22 – 23 | rtro


MAQUILHAGEM

COLORIDA por Joana Vilaça

A Primavera está quase a bater à porta, e por esta altura é tempo de refrescar o guarda-roupa, mas não só, pois as cores vibrantes invadem os nossos dias. Assim, porque não utilizar uma maquilhagem colorida?! Como fazê-lo, no entanto, sem aparentar um arco-íris ambulante?! A RTRO fez uma pequena selecção de produtos e dicas para que não vos falte nada, muito menos cor e alegria nos próximos meses.

Dicas simples e úteis Uma regra fundamental na maquilhagem é optar ou por carregar nos olhos ou nos lábios. Esta regra é um básico de bom gosto e aplica-se a praticamente todas as situações e contextos, sendo uma importante regra também numa maquilhagem colorida.


Lábios – Os lábios são sempre uma opção segura quanto a uma maquilhagem colorida, pois muito facilmente se encontram batons coloridos, de variadas cores e texturas, sendo bastante fáceis de aplicar. O rosa-choque, o laranja vivo ou o sempre infalível vermelho são cores bastante apropriadas para uma festa cocktail ou simplesmente para uma saída com as amigas.

24 – 25 | rtro


Maquilhagem Colorida

Olhos – A forma mais fácil de criar uns olhos chamativos de uma forma simples e bonita é através de um eyeliner ou de um lápis cremoso nos olhos, traçando linhas rectas ou puxadas para obter o efeito “gatinho”. Aqui as cores que se destacam são o azul, verde, roxo, mas poderá ser utilizada qualquer uma, consoante a cor dos olhos e a preferência de cada um.


Produtos Batons MAC A MAC tem um imensa diversidade de produtos e texturas, sendo esta marca bastante conhecida pela óptima qualidade dos seus batons, aos quais nem as celebridades resistem. Cores como “Cockney”, “Neon Orange”, “Something New”, “Style Curve” são bastante coloridas e pigmentadas, perfeitas para uma maquilhagem original e marcante.

Sleek Paint Pout Um produto revolucionário da Sleek, aparentemente assemelha-se a um lip gloss, no entanto, a sua pigmentação é bastante mais elevada. Permite ainda que se misturem as várias cores disponíveis, para se criar uma cor nova e completamente original. O seu maior próposito é para os lábios, mas pode ser utilizado para várias partes do rosto, incluindo bochechas.

Jumbo Liner Sephora Os jumbos têm uma consistência super cremosa e por isso são ideiais para tracejar linhas, ou para esfumar, dando um ar mais colorido ao olho. São fáceis de usar, a sua durabilidade é relativamente longa, por isso uma óptima opção para a próxima estação.

Blush líquido da Benefit O Benetint, Cha cha tint e o Posie tint são três blushes líquidos da mítica marca Benefit. Três cores diferentes para ocasiões distintas. São óptimos para a Primavera/Verão, pois sendo líquidos a sua durabilidade é bastante elevada e resistente ao calor e ao suor.

26 – 27 | rtro


Sessão

rtro

28 – 29 | rtro


Sess達o rtro


30 – 31 | rtro


Sess達o rtro


32 – 33 | rtro


Sess達o rtro


34 – 35 | rtro


Sess達o rtro


36 – 37 | rtro


Sess達o rtro


38 – 39 | rtro


Sess達o rtro


Fotografia: Catarina Oliveira Modelo: Selma Malhadas Local: PalĂĄcio da Ajuda

40 – 41 | rtro


TEN


EN Tendências Primavera/ Verão 2013 por Ana Rodrigues

São várias as propostas que nos fazem quando damos uma olhadela nos desfiles Spring Summer 2013 para esta temporada que se aproxima. Os temas em destaque desta estação são o preto-e-branco, o cinza, transparências, Deep V-Necks.

42 – 43 | rtro


Tendências Primavera/Verão 2013

Preto-e-branco Depois de estilos bastante ornamentados, com padrões variados, tecidos e cortes, desta vez voltamos ao básico. Riscas e jogos de padrões black and white estão em alta. Destacamos, por exemplo, alguns conjuntos da Jil Sander e Narciso Rodriguez que optam por misturar os dois tons em peças simples e clean.


Cinza Nesta temporada voltamos a redobrar a atenção para o less is more mas desta vez, para além do branco, cru e preto surge o cinza como cor de eleição. Peças muito elegantes, sem olhar ao tecido e à forma, são uma novidade que podemos encontrar em algumas das propostas nas colecções de Maison Martin Margiela e Céline.

44 – 45 | rtro


Tendências Primavera/Verão 2013

Transparências Não é uma novidade. As transparências combinadas com tecidos acetinados e cores cruas ou branco vão continuar em alta nesta estação, tal como na temporada passada de primavera/verão. Num estilo leve e clássico, a Akris apresentou na sua nova colecção várias opções que utilizam este tipo de combinações. Podemos ver outras propostas, igualmente cativantes, nas colecções da Rag & Bone e Helmut Lang.


Deep V-Necks Nesta temporada surge o decote em V, favorecendo ainda mais a elegância e simplicidade dos conjuntos. Foram várias as propostas apresentadas nos desfiles desta estação entre os quais, da Chalayan, Christopher Kane e Donna Karan.

46 – 47 | rtro


Tendências Primavera/Verão 2013

Acessórios Os acessórios em destaque são os sapatos da Chanel e bolsa da Dries Van Noten, que completam a tendência desta estação de conjugar o preto-e-branco de variadas formas e da utilização de transparências. Numa onda mais simples e minimalista surgem os sapatos Alexander Wang e, a acompanhar, as malas 3.1 Phillip Lim. Depois dos objectos de desejo, mostramo-vos outras propostas que surgiram nos desfiles, igualmente apaixonantes e que, a RTRO não podia deixar passar despercebidas: sapatos e bolsa Christian Dior; sapatos Michael Kors e bolsa Rochas.


48 – 49 | rtro


it girl

Kate Who? por Helena Lopes


Ter o nome próprio de Kate parece ser sinónimo de ter um estilo fantástico. Entre a Hudson, a Moss e a Beckinsale, a Kate Bosworth foi a escolhida para provar esta teoria. Além de ser uma excelente actriz, tem também um estilo invejável que a faz estar impecável sempre que é captada pelas mais rigorosas objectivas. Foi com um papel secundário no filme "O Encantador de Cavalos", ao lado de Scarlett Johansson, que Kate iniciou a sua carreira de actriz, em 1998 e, desde então, tem tido uma relação muito próxima com a indústria da moda, quer por estar na front row dos desfiles dos mais conceituados designers de moda, quer por ser co-fundadora da JewelMint (loja de joalharia que vende exclusivamente online), ou quer por ter recentemente colaborado com a Topshop. É considerada uma das estrelas com mais noção de elegância em Hollywood. Bosworth encontra inspiração nas viagens que faz, que lhe permitem observar as coisas diferentes que há no mundo de hoje. Esta inspiração não só a transporta para os seus looks, como também para a JewelMint, loja que além de ter preços acessíveis, está também aliada a uma vertente solidária, onde parte dos proveitos revertem a favor de uma nobre causa. Bosworth diz que o que a faz continuar é ver as pessoas a usar as jóias que desenhou. Algo sobre Kate Bosworth não ficaria completo sem referir que a actriz tem os olhos de diferentes cores. Um dos olhos é verde e outro é azul, algo que esconde quando interpreta algum papel no grande ecrã, mas que mostra ao mundo quando está off duty. Não é fácil ficar indiferente à sua beleza fora do normal. Não é fácil ficar indiferente aos seus looks. Não é fácil não querer parecer uma Kate. Uma qualquer Kate... Moss, Hudson... mas em particular, uma Bosworth.

50 – 51 | rtro


It girl


52 – 53 | rtro


Smells like…

Candy by Prada por Mónica Dias


O perfume escolhido para esta edição é Prada Candy, lançado em Agosto de 2011. Neste perfume para elas, Prada pretende elevar ao máximo a ideia de sedução, charme e prazer, conduzindo-nos para uma abordagem mais selvagem da mulher que prefere conquistar a ser conquistada. Na base desta fragrância está um toque a caramelo que dá a assinatura ao perfume. Um aroma doce e refinado traduzido também para as cores do frasco: rosa e dourado. Com Prada Candy, Prada eleva a ideia da mulher que ultrapassa os limites, procurando o excesso para alcançar a felicidade.

54 – 55 | rtro


Sess達o

Lights


56 – 57 | rtro


Sess達o Lights


58 – 59 | rtro


Sess達o Lights


60 – 61 | rtro


Sess達o Lights


Modelos: Anastasiia Makarova, Jéssica Sebastião, Ricardo Malta Fotografia: Ricardo Costa - http://www.rcostafoto.com Assistente: Pedro Pais Makeup e HairStyle: Filipa Oliveira - http://www.facebook.com/filipaoliveiramaquilhadora, Lara Sousa - http://www.facebook.com/larasousamaquilhadora Roupa: Rabo d'Saia, Cantanhede http://www.facebook.com/rabodsaia Local: CLIMAR, Industria de iluminação, SA, Barrô - Àgueda - http://www.climar.pt

62 – 63 | rtro


Vitamina D Drift by Duellum por Margarida Cunha

Fecham os olhos. O sol, lá no alto, resplandece. O ar é fresco, tocado por um suave aroma frutado. A mente vagueia. Um som contagiante começa levemente a apoderar-se dos nossos ouvidos. Não é indie. Não é electrónico. É Duellum.


Depois de For Some Reasons I Want To Talk, lançado em 2011, o quarteto parisiense volta com um novo trabalho. Drift, o título do EP lançado a 25 de Fevereiro, é o resultado de uma viagem descomprometida por destinos tropicais. Se a primeira produção de originais era claramente orientada para uma sonoridade indie, neste EP os quatro amigos (que já tocaram em diversos pubs de Londres e Paris – tendo inclusive tocado no metro da capital francesa) incorporaram elementos de outras sonoridades. Citando influências como Wild Beasts, Ali Farka Touré ou Steve Reich, os Duellum aventuraram-se por locais tão distintos quanto o indie-pop europeu, as raízes africanas e o minimalismo contemporâneo. O resultado final é uma salada de frutas de alto teor vitamínico, de onde se destaca, por exemplo, “ISLD”, o single promocional do EP. O videoclipe da faixa reitera visualmente o estado mental que esta cria. Assim, a palavra “Play”, a surgir em letras luminosas logo no início, marca o tom dos restantes 3 minutos: uma viagem aos trópicos, marcada por muita cor, boa disposição e, claro, muita fruta. Realizado por Nicolas Davenel (que trabalhou, por exemplo, com o artista francês Gaetan Roussel) e Thomas Delebecque, o vídeo de “ISLD” surge como um verdadeiro batido de optimismo, numa evasão natural para contornar a crise. Se músicas como “Pineapple” e “Madras” apresentam uma sonoridade claramente Duellum, com as suas notas de guitarra esperançosas e batidas ousadas características do indie, é em “Nothing But Noise” que o verdadeiro drift se concretiza. Protagonizada por um vocoder – recurso habitual nas músicas contemporâneas – esta faixa rompe com a nota dominante do EP – o indie optimista – para se aventurar no mundo da electrónica. É, portanto, a produção mais ousada e dançável de Drift. Fãs de Daft Punk poderão ser invadidos por um sentimento de familiaridade. Apesar de ter sido produzido, de acordo com a banda, a partir de ingredientes como coco, banana, felicidade e néon, Drift não é propriamente um EP de ruptura, mas antes a continuidade de uma sonoridade entusiasta e refrescante, que ousa aventurar-se (mas não muito) por outros roteiros. Uma viagem sem passaporte até ao nosso lado mais optimista e dinâmico. Um suplemento multivitamínico a consumir sem moderação.

64 – 65 | rtro


Ler. Ver. Ouvir. por Mariana Sá

Ler “Pânico” Autor: Jeff Abbot Editora: Civilização Ano: 2006

"A vida não poderia estar a correr melhor a Evan Casher: com apenas 24 anos, é já um realizador de documentários famoso e é feliz com a namorada, Carrie. Após um telefonema urgente da mãe, faz uma viagem inesperada a Houston. Aí encontra a mãe brutalmente assassinada e escapa por pouco a uma tentativa de homicídio. Raptado do local do crime por um mercenário enigmático movido por razões desconhecidas, Evan vê-se confrontado com a dura realidade: toda a sua vida não passa de uma mentira meticulosamente construída." Assim é introduzida a história de “Pânico”. Um livro que nos envolve rapidamente, numa trama enrolada, dinâmica, repleta de segredos e aventura. Numa madrugada, tudo muda. A vida “perfeita” de Evan desaba. As pessoas que o rodeavam, em quem confiava, afinal não são quem ele julgava. Sobrevive, mas é perseguido pelo que a família era e pelas informações que tinham. A namorada afinal era uma agente infiltrada e o pai desaparece... No entanto, tudo o que Evan quer é descobrir a verdade e encontrar o pai…será que vai conseguir?


Ver

Ouvir

Die Hard: Nunca é Bom Dia para Morrer

Comedown Machine

Realização: John Moore

Autor: The Strokes

Elenco: Bruce Willis, Jai Courtney

Editora: RCA

Ano: 2013

Ano: 2013

Género: Acção/ Crime/ Thriller

Género: Indie rock, Rock alternativo

A expectativa era elevada. No entanto, repetição em demasia acaba por dar asneira. Mesmo quando a receita inicial é mesmo boa e dá rendimento. Die Hard, de 1988, é bom. Os seguintes também. Há história, há envolvimento com as personagens, há acção e o John McClane é “badass”, mas não abre a boca só para soltar piadas forçadas, como neste quinto filme.

Os nova-iorquinos The Strokes estão de volta. Desta vez, não deixaram os fãs a ressacar por muito tempo. Nem permitiram que o rumor de fim eminente da banda, pelas respectivas incursões a solo ou em projectos alternativos, fosse alimentado.

Apesar disto, o filme poderia ter potencial para ser bom. Bastava contextualizar um pouco mais as novas personagens, ao invés de introduzi-las à pressão e esperar que o espectador vá ligando os pontos. Há um filho numa situação difícil e o detective McClane está lá para resolver a situação. Vai atrás dele até à Rússia e aí atrai confusão como de costume. Há acção que sobra e muitos carros destruídos. Aliás, é incrível a sequência de perseguição inicial, que acaba por introduzir o filho de McClane, Jack (Jai Courtney). Para quem gostar de filmes de acção, aqui tem que chegue, e até pode ser que compense a confusão inicial.

O nome do quinto álbum é “Comedown Machine”. Ainda não saiu oficialmente, mas já são conhecidas duas músicas. “All the Time”, o single oficial, foi anunciado no final de Janeiro por uma rádio americana e lançou a curiosidade. Mas o burburinho começou a sério com o download oferecido aos fãs, no site oficial, de “One Way Trigger”. O tema foi lançado como isco e foi bem pescado pelos media e fãs… O som diferente, com ênfase nas teclas e sintetizadores, aliado ao falsete inicial de Julian Casablancas lançou a discórdia e colocou o mundo da música rock/alternativa em alvoroço. Afinal de contas, os salvadores do rock estavam de volta e com um estilo estranho, ainda que na onda de alguns temas do álbum anterior “Angles”. Seja como for, o single oficial veio acalmar as hostes, já que é mais som clássico Strokiano. Resta saber o que mais vem por aí. Quem já ouviu (NME, por exemplo), comenta que vêm por aí 37 minutos e 49 segundos de material bem diferente…Atenção ao dia 26 de Março!

66 – 67 | rtro


Wishlist

1

2

Jil Sander, aprox. 215€

Maison Martin Margiela, aprox. 455€

por Ana Rodrigues

3

4

3.1 Phillip Lim, aprox. 452€

Saint Laurent, aprox. 603€

1

2

Chic 3

4

v


1

2

Zara, aprox. 20€

COS, aprox. 89€

3

4

Zara, aprox. 40€

Zara, aprox. 40€

vs 1

2

Cheap! 3

4 68 – 69 | rtro


RTRO 20  

20ª ediço da RTRO, que celebra o nosso 3º aniversrio! Obrigada a todos os que nos acompanham :) 20th RTRO edition, which celebrates our 3r...