a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1

Ano XII | Número 601 Direção: Antonio Carlos Sobral Praia Grande, 27 de fevereiro a 2 de abril de 2020

JUSTIÇA vs GRIPE | Página 11

Juiz alega 'pandemia de coronavírus' para soltar acusada de assassinato Fotos: Arquivo Pessoal

Uma mulher acusada de matar uma jovem de 22 anos com um tiro acidental, durante uma briga com o companheiro, foi liberada para aguardar o julgamento em liberdade por conta da pandemia de coronavírus. O juiz da 2º Vara Criminal de Mongaguá entendeu que, por conta da pandemia e da interrupção dos trabalhos não urgentes, não há previsão para que ela seja julgada e, por isso, ela poderá responder em liberdade. Zilma Rodrigues do Amaral, de 38 anos (foto da esquerda), foi presa após um homicídio que ocorreu em outubro de 2017. Ela estava em uma casa de veraneio em Mongaguá com amigos quando, durante uma discussão com o marido, sacou uma arma e, segundo apurado, atirou acidentalmente em Andressa Silva Gouveia (foto da direita).

SAÚDE | Página 4

IMPOSTO ZERO | Página 2

Agência Brasil

SECOM

PG terá hospital de campanha com cerca de 100 Brasil zera imposto de importação leitos voltados aos atendimentos do coronavírus da cloroquina e azitromicina para uso exclusivo de hospitais

COTAÇÕES

O governo federal zerou o imposto de importação da cloroquina e azitromicina para uso exclusivo de hospitais em pacientes em estado crítico. DÓLAR EM 26/03

1,00 = R$ 5,02

US$

EURO EM 26/03

1,00 = R$ 5,53

EU$

Previsão do tempo para o dia 27/03 em Praia Grande


2 Redação

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

COVID-19 | Não é tão fatal

Nobel de Química afirma que coronavírus não será tão fatal Michael Levitt diz: ‘Precisamos controlar o pânico’ O biofísico Michael Levitt, Nobel da Química em 2013, afirma que o surto de Covid-19 não terá efeitos tão devastadores na sociedade como aqueles que têm sido mencionados. Por isso, declarou ao “The Times”, é necessário “controlar o pânico”: “Nós vamos ficar bem”. Em janeiro, o biofísico calculou que a China controlaria o surto em fevereiro e que em março já estaria a recuperar a sua economia. Nesta semana, a economia chinesa opera a 75 por cento da sua capacidade, de acordo com dados da empresa de créditos e seguros Euler Hermes,

AFP

Em janeiro, o biofísico calculou que a China controlaria o surto em fevereiro e que em março já estaria a recuperar a sua economia

que aponta ainda para um retorno total até final de abril. Levitt prevê que, assim como a China, os EUA e o resto do mundo ocidental vão sair rapidamente da crise, ao contrário do que vários investigadores têm afirmado. Michael Levitt analisa a quantidade de números de infetados que são identificados todos os dias e o valor percentual do crescimento comparativamente ao dia anterior. Foi assim que analisou a evolução dos casos na China e previu o pico máximo do surto naquele país, e que estimou ainda que este iria terminar com cerca de 80 mil infetados e 3.250 mortes. (NIT)

COVID-19 | Imposto zero

O governo federal zerou o imposto de importação da cloroquina e azitromicina para uso exclusivo de hospitais em pacientes em estado crítico. A medida, de acordo com o presidente Jair Bolsonaro, tem objetivo de facilitar o combate ao coronavírus. “Essa redução também se estende a outros produtos e vai fazer toda a diferença em nossa luta”, declarou o presidente. Também foram suspensos temporariamente os direitos antidumping para importações de seringas descartáveis e tubos para coleta de sangue. “Assim, poderemos adqui-

rir esses equipamentos essenciais por preços menores e deixá-los acessíveis para a população mais vulnerável”, disse Bolsonaro. O dumping é a prática de exportar um produto a preço inferior ao praticado no mercado interno do país exportador com o objetivo de conquistar mercados ou dar vazão a excessos de produção.

“Essa redução também se estende a outros produtos e vai fazer toda a diferença em nossa luta”, declarou o presidente

O Regional PG é uma publicação da PGN9 Editora, CNPJ 57.736.316/0001-63 - Fundada em 07/03/1989 E-mail: contato@pgn9.com.br | Diretor Responsável: Antonio Carlos Sobral | Editoração Gráfica: Rogério Sobral Jornalistas responsáveis: Antonio Carlos Sobral - MTB 63062 | Rogério Sobral - MTB 62970 Departamento Jurídico: Joaquim Fernandes Advocacia - OAB/SP 142187 - Rua Martin Afonso, 148 - Santos Impressão: Gráfica Diário do Litoral, Rua Gal. Câmara, 254 - Centro - Santos, CEP: 11.010-122 Matérias assinadas são de responsabilidade de seus autores, assim como opiniões emitidas em artigos assinados

Agência Brasil

Brasil zera imposto de importação da cloroquina e azitromicina para uso exclusivo de hospitais


Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

Cidade 3

PRAIA GRANDE | Atendimento suspenso

Espaço do Empreendedor, PAT e outros equipamentos suspendem atendimento presencial Atendendo às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) para conter o avanço dos casos de coronavírus (COVID – 19), a Prefeitura de Praia Grande está aderindo a várias medidas de prevenção, e considerando que o Governo do Estado de São Paulo decretou situação de Calamidade Pública, através do Decreto Estadual 64.881, o Município de Praia Grande anunciou no Decreto nº 6929/20, a suspensão dos atendimentos presenciais dos serviços públicos relacionados à Secretaria de Assuntos Institucionais (SEAI), bem como o atendimento presencial no Espaço do Empreendedor, no Banco do Povo Paulista, no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) e no posto do Sebrae Aqui. O subsecretário de De-

senvolvimento de Projetos Institucionais da Seai, Itamar Marciano, explica que a medida é necessária por conta do enfrentamento ao coronavirus e tem como objetivo evitar aglomerações. A ideia é que a situação permaneça nestes moldes de atendimento até o dia 30 de abril. “O Munícipio está seguindo atentamente às orientações sobre o Covid-19, e o intuito do Decreto é precaver todos os munícipes, zelando pela saúde de cada um, e tentar minimizar os impactos causados pela pandemia. Mas ressaltamos que continuaremos dando suporte necessário, porém o atendimento será à distância, via telefone e ou email. Acreditamos que após o dia 30 de abril os atendimentos se normalizem, ou quem sabe, até antes”.

SECOM

Medida deve permanecer até dia 30 de abril

O Município de Praia Grande anunciou no Decreto nº 6929/20, a suspensão dos atendimentos presenciais dos serviços públicos

Os equipamentos funcionarão da seguinte maneira: Espaço do Empreendedor – O empreendedor que precisar de auxílio neste período, poderá acessar o site www.portaldoempreededor. gov.br, ou através do email empreendedorismo5@praiagrande. sp.gov.br, e até mesmo com os atendentes de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, pelo telefo-

ne 3496-5393 e 3496–5739. Posto de Atendimento ao Trabalhador – Os serviços de pedido de seguro-desemprego, Carteira de Trabalho e Previdência Social e de intermediação de mão de obra por meio do site www.gov.br/trabalho e

dos aplicativos SINE Fácil e CTPS Digital. Em caso de dúvidas, ou quaisquer informações, o contato poderá ser feito com a Secretaria de Assuntos Institucionais por intermédio do e-mail pat@praiagrande.sp.gov.br, ou de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h , através dos telefo-

nes 3496-5402 ou 3496-5403 Banco do Povo Paulista (BPP) – O atendimento será realizado pelos telefones 34965408 ou 3496-540801, segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, ou através do email: praiagrande@bancodopovo.sp.gov.br

Sebrae Aqui - O equipamento permanece com os cursos online, na plataforma EAD, através do site www.sebrae.com. br/sites/PortalSebrae/cursosonline. Duvidas poderão ser sanadas através do 0800 570 0800, ou pelo WhatsApp (13) 99103-6256

PRAIA GRANDE | Voluntariado

Praia Grande disponibiliza cadastro online para trabalho voluntário Caso haja necessidade, cadastrados serão chamados para atuar em diversas áreas Praia Grande está realizando diversas ações para atuar tanto na prevenção como no enfretamento ao COVID-19. Pensando nisso, está disponível no site www.praiagrande.sp.gov.br um banner chamado: Coronavírus – Cadastro de Voluntários. Basta clicar e preencher o formulário. Esse cadastro ficará disponível à Administração Municipal para uma eventual necessidade de mão-de-obra.

Os voluntários realizarão apoio em serviços de diversas áreas no enfrentamento à propagação do novo coronavírus. O trabalho de apoio acontecerá em diversas áreas, e não somente na saúde. “Provavelmente, iremos precisar de gente para aju-

Clique no banner conforme essa indicação

dar a separar e montar kits de alimentação que estamos enviando para os alunos em situação de vulnerabilidade social, por exemplo, entre outras demandas”, explica o prefeito Alberto Mourão. O candidato deverá informar nome, endereço, telefone, período em que está disponível para prestar o trabalho voluntário, grau de instrução e demais informações que achar necessárias.


4 Cidade

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

PRAIA GRANDE | Saúde

PG terá hospital de campanha com cerca de 100 leitos voltados aos atendimentos do coronavírus Estrutura será montada no Ginásio Falcão, Bairro Mirim Para melhorar o fluxo de atendimento de possíveis casos do covid-19, a Prefeitura de Praia Grande confirmou que terá um hospital de campanha com cerca de 100 leitos. A estrutura será montada no Ginásio Falcão, equipamento municipal localizado no Bairro Mirim. As obras de montagem dos leitos no espaço terão início nos próximos dias. O prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão, e o secretário de Saúde Pública da Cidade, Cleber Suckow Nogueira, vistoriaram o Ginásio Falcão na segunda-feira (23). Os dois analisaram as estruturas necessárias que serão montadas no local e debateram também o fluxo de atendimento voltados aos pacientes. “A Prefeitura de Praia Grande está agindo de forma preventiva. Torço para que esses leitos não precisem ser utilizados. De qualquer forma, o poder público está fazendo sua parte. Vamos ter uma estrutura aqui para atender de forma mais humanizada os pacientes. É importante que a população faça sua parte e não saia de casa”, comentou o prefeito. Os 100 leitos implantados no Ginásio Falcão serão destinados ao atendimento de pa-

cientes que se encontram no quadro moderado da síndrome respiratória. Desta forma, o Município isolará casos mais graves no Hopspital Irmã Dulce. A Prefeitura também se prepara para adquirir equipamentos normais existentes em leitos clínicos que estarão disponíveis para os serviços no hospital de campanha. “Sabemos que alguns pacientes não precisarão de UTI mas sim de leitos comuns. Por isso a Cidade montará essa estrutura no Ginásio Falcão. Com esta medida vamos desafogar também a nossa unidade hospitalar e atender de forma ainda mais humanizada”, analisou o secretário de Saúde Pública de Praia Grande. Este trabalho que será colocado em prática no Ginásio Falcão conta com a interface entre a Sesap, o setor de Urgência e Emergência e o Hospital Irmã Dulce. Uma equipe de médicos reguladores da Cidade analisará os casos e definirá para qual serviço municipal de saúde o paciente será encaminhado. Ginásio Rodrigão – A Prefeitura Praia Grande também conta com projeto aprovado semelhante de criação de novos leitos no Ginásio Rodrigão, que

SECOM

Os 100 leitos implantados no Ginásio Falcão serão destinados ao atendimento de pacientes que se encontram no quadro moderado da síndrome respiratória

fica no Bairro Tupi, para o atendimento de possíveis pacientes com covid-19. Caso necessário, neste espaço está programada a implantação de 88 novos leitos. 162 - Em Praia Grande, os telefones 162 e 3495-1527 estão realizando o atendimento de triagem e enfrentamento ao

coronavírus. O novo serviço ocorre diariamente, das 8 às 22 horas, por equipe multidisciplinar da Secretaria de Saúde Pública (Sesap) da Cidade, composta por médicos, enfermeiros e outros profissionais do setor. Por telefone qualquer pessoa da Cidade pode explicar sua condição de saúde para

uma identificação e classificação de risco de contagio do coronavírus. Os profissionais aplicam o protocolo estabelecido pelo Ministério da Saúde no aplicativo Coronavírus-SUS. A pessoa identificada como suspeita é agendada já no atendimento telefônico para consulta na Usafa de seu bairro.

PRAIA GRANDE | Quarentena

Feiras livres só terão barracas de gêneros alimentícios em Praia Grande Medida tomada pela Prefeitura visa a prevenção ao COVID-19 A Prefeitura de Praia Grande, por meio do Decreto nº 6929/20, determinou novas medidas adicionais, de caráter emergencial, em complemento às medidas temporárias de prevenção ao contágio e enfrentamento da pandemia decorrente do Coronavírus (COVID-19) previstas nos Decretos nº 6.922 e 6.928/2020. Uma delas refere-se às feiras livres, que somente poderão ser montadas as barracas que comercializem

SECOM

gêneros alimentícios. Como explicou o secretário em exercício da Secretaria de Urbanismo (Seurb), Leonardo Conti Santos, na montagem, as barracas deverão, obrigatoriamente, guardar uma distância mínima, umas das outras,

feiras livres somente poderão ser montadas as barracas que comercializem gêneros alimentícios

equivalente aos seus próprios comprimentos. “Os fiscais da Seurb estarão nas feiras orientando os permissionários. No que se refere à Boutique de Peixes (Bairro Canto do Forte) e Mercado de peixes (Bairro Ocian), considerando a natureza da atividade, o disposto no art. 5º, do Decreto Municipal nº6.929/2020, não se aplica aos pescadores artesanais, quando no estrito exercício de suas atividades econômicas”.


Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

Região 5

BAIXADA SANTISTA | Criatividade

Motoristas de aplicativo criam 'bolha' dentro dos veículos para evitar COVID-19 Especialista explica que medida diminui, mas não zera risco de contágio Motoristas de aplicativo encontraram uma solução curiosa para continuar trabalhando em meio à pandemia. Tentando evitar uma possível transmissão comunitária do novo coronavírus, eles construíram um isolamento para os passageiros viajarem no banco de trás sem ter contato com os motoristas na Baixada Santista. “É uma forma de se precaver tanto nossa, quanto do passageiro”, defende o motorista Gerson Alexandre, de 35 anos. Ele é de Itanhaém, mas faz viagens em Santos, São Vicente e Praia Grande. “Faço higienização a cada duas horas com uma mistura de álcool, água e depois um pouco de cloro. Deixo secar e recomeço as corridas”, conta. A barreira de plástico criada por Gerson permite que os passageiros entrem e saiam do veículo sem ter contato com o motorista. E ele garante: passageiros, só no banco de trás. “Não pego viagem com mais de três pessoas. Ninguém mais se senta ao meu lado”, diz. O dinheiro é passado pelo porta-copos, e ele higieniza as mãos com álcool em gel depois de guardá-lo. O ar-condicionado fica desligado e todas as janelas do veículo ficam abertas, de acordo com o motorista. Assim, o ar circula e não fica concentrado dentro do carro. “Não precisa ter conhecimen-

Arquivo Pessoal

Aviso para passageiros diz que medida visa a prevenção

to para montar [a barreira]. Soltei as laterais dos cintos de segurança, prendi por dentro e usei pregos bem finos, que não estragam o carro”, conta. De acordo com Gerson, passageiros e outros motoristas gostaram da ideia. “Estão perguntando como fiz, o que comprei e dicas para montar. Acho que a moda pega”. Outro motorista que aderiu ao isolamento dentro do próprio carro foi André Lucas, de 38 anos,

de Peruíbe, que faz viagens em Praia Grande. A ideia veio a partir de um meme. “Vi um meme de um cara isolado com insulfilme para fazer graça e pensei: dá pra fazer direitinho”, conta. André é filho de tapeceiro e, para ele, isso ajudou na hora de construir o isolamento, que ele apelidou de ‘bolha’. “Trabalhei com o meu pai por muito tempo. Consegui fazer de uma forma que dá pra tirar e colocar, usando

velcro”, explica. O motorista diz que gastou R$ 60 em todo o material usado e, além disso, desinfecta a parte de trás do veículo a cada viagem. “Como estamos com poucos passageiros, toda corrida que acaba, eu coloco máscara e borrifo álcool e desinfecto a parte de trás.” Os passageiros parecem ter aprovado a ‘bolha’ do carro de André. “Eles gostaram, acham legal. Antes de entrar pergunto se

não incomoda. Até agora, apenas um se sentiu incomodado e não quis ficar no carro”, relata. A assessoria da empresa Uber, por onde os motoristas trabalham, informou que não há problemas com o uso do isolamento dentro dos veículos, contanto que não infrinja as leis de trânsito. O infectologista Dr. Michel Soane explica que a medida adotada pelos motoristas reduz o risco de contágio deles, mas não zera. “O passageiro que ficaria falando atrás, jogando perdigotos para frente, fica isolado. Dificulta para chegar no motorista, mas ainda há risco”, observa. Mesmo assim, é preciso ter atenção no momento de fazer a limpeza. “Ele precisa tomar cuidado na hora de limpar a parte de trás e garantir que essa limpeza será eficiente”. O especialista recomenda o uso de borrifadores com álcool 70% com pano ou papel descartável, além do uso de luvas e prestar atenção para não se apoiar com as mãos nos bancos traseiros antes da limpeza. Durante as viagens, deixar os vidros abertos. Para os passageiros, no entanto, o risco de contágio seria o mesmo que ao usar transporte público. “Precisa limpar entre cada viagem, senão um passageiro pode ser contaminado pelo outro, ao entrar no carro”.

SANTOS | Aviso nas ruas

Carros de som transmitem alertas sobre o coronavírus em Santos Carros de som com mensagens de conscientização sobre o novo coronavírus circulam desde esta terça-feira (24), em Santos, no litoral de São Paulo. A medida é uma iniciativa da prefeitura e visa alertar a população sobre a importância de se adotar medidas de combate à doença. Ao todo, quatro modelos de mensagens foram produzidos

para chamar a atenção dos moradores a respeito do isolamento social e a necessidade de se evitar aglomerações durante a pandemia do Covid-19. Os veículos da Guarda Civil Municipal (GCM) já passaram pela orla da praia e também pela Avenida Conselheiro Nébias e Rua Carvalho de Mendonça, na altura do Gonzaga, durante esta

terça-feira. Para esta quarta-feira (25), o roteiro inclui novamente a orla da praia e o Gonzaga, além da região da Zona Noroeste. Segundo a Prefeitura de Santos, a cada dia, os carros da GCM vão percorrer o roteiro do dia anterior e também novos, conforme o número de reclamações e denúncias de pessoas e sobre o comércio irregular.

Prefeitura de Santos

Mensagens falam sobre a importância do isolamento social e o perigo de aglomerações

Carros passam pelos bairros de Santos (SP) com mensagens de conscientização sobre o coronavírus


6 Região

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

BAIXADA SANTISTA | “Toque de recolher”

Após decreto, fiscais mandam fechar os comércios que estão abertos na Baixada Estabelecimentos foram alvo de fiscais nas cidades da região. Determinação de fechar comércio por conta do coronavírus entrou em vigor no sábado (21)

Ariane Rocha

As prefeituras das cidades da Baixada Santista estão realizando fiscalizações nos estabelecimentos que permanecem abertos durante a pandemia do coronavírus. Operações foram feitas em seis cidades da região, com o objetivo de fiscalizar os estabelecimentos. Um decreto, anunciado no sábado (21) pelo Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), obriga os comércios a fecharem as portas. De acordo com as prefeituras, o objetivo é evitar aglomeração, diminuindo chance do contágio do novo coronavírus entre moradores da Baixada Santista. Fiscais orientam empresários e comerciantes durante o dia pedindo o fechamento dos estabelecimentos. A Prefeitura de Santos iniciou uma força-tarefa nesta terça-feira (24). De acordo com nota divulgada, operação foca no fechamento total dos estabelecimentos, mantendo apenas farmácias, mercados e comércios essenciais. A força-tarefa tem apoio da Guarda Civil Municipal (GCM). Os estabelecimentos abertos serão intimados o fechar imediatamente. No caso de resistência, poderá ser usada

Prefeitura de Guarujá

Policias durante fiscalização em Guarujá

a força policial. O balanço da operação será divulgado nesta quarta-feira (25). Denúncias podem ser feitas pelos telefones da Ouvidoria, 162, de segunda a sexta, das 10h às 16h, pela Ouvidoria Digital ou pelo telefone da GCM, 153. Guarujá faz uma operação

desde o último final de semana. Fiscais da Prefeitura, Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar realizam a fiscalização. Eles percorrem diversos comércios, estabelecimentos e condomínios. Entre sábado (21) e domingo (22), os estabelecimentos e condomínios foram

orientados a cumprirem o decreto. De acordo com a prefeitura, no total já foram visitados 23 supermercados, 3 casas lotéricas, 11 restaurantes, 12 associações e condomínios e 1 farmácia. Também foram fiscalizados 45 igrejas e templos religiosos vistoriados, assim como os shoppings. Dois casamentos foram adiados, um aconteceria em um restaurante, que foi notificado, e o outro seria no sábado (21) para 150 pessoas. Fiscais também orientam as pessoas que circulam pela Praça 14 Bis, em Vicente de Carvalho. A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Comércio, Indústria e Negócios Portuários (Secinp), informou que, no período da manhã

Comércios deverão ficar fechados na Baixada Santista

desta terça-feira (24), atuou no Centro da Cidade e na orla da praia. Já no período da tarde, a ação ocorreu na Área Continental da Cidade. De acordo com a prefeitura, comerciantes foram orientados a manter fechados os estabelecimentos que se enquadram em medidas anunciadas. Ao longo do dia, entre outros, a Secinp encontrou abertas marcenaria, casa de materiais para churrasco e chocolaterias, além de ferros-velhos. Todos os estabelecimentos fiscalizados fecharam as portas assim que receberam as orientações. A ação vai durar a semana inteira ou até que todos os empreendimentos que se enquadrem nas medidas já adotadas atendam às determinações. De acordo com a Prefeitura de Cubatão, toda a cidade foi alvo da fiscalização. Foi criada uma força-tarefa com atuação da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Cidadania, e policiais da Operação Delegada. Em Cubatão, pelo menos 500 comerciantes foram alertados sobre a necessidade de fechamento dos locais e prontamente atenderam a solicitação. Moradores podem denunciar via WhatsApp pelo número 3362-4403, das 7h às 19 h. Após as 19h, os munícipes podem denunciar pelo 190. Na cidade de Bertioga, até a tarde desta terça-feira, foram feitas 331 ações de fechamento e orientação. Os comércios de produtos essenciais também recebem orientações, 42 já foram orientados. Sete equipes de fiscalização trabalham diariamente das 8h às 22h. Peruíbe informou que a fiscalização está sendo feita por meio de denúncias e rondas pela cidade. São dois veículos de fiscalização para atender a demanda. Seis notificações e um auto de infração foram feitos, e em média 250 comércios receberam orientações entre sábado (21) e terça-feira (24). Mongaguá reiterou que todas as atividades comerciais e prestação de serviços terão que suspender as atividades e apenas alguns estabelecimentos como mercados e farmácias poderão abrir.


522

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

O vinho uruguaio

Bem-estar 7

Nutrição & Sabor

Sopa De Ervilha

Da Vovó

Você vai precisar de: Com uma localização privilegiada e uma terra particularmente apta para o cultivo da videira, o Uruguai é um país vitivinícola por excelência. O alto consumo de vinho entre os habitantes é uma história mais que centenária e as saborosas uvas fazem parte da tradição. O Uruguai está na mesma latitude que as melhores regiões vitivinícolas da Argentina, Chile, África do Sul e Austrália. Localizado entre a Argentina e o Brasil e voltado para o Oceano Atlântico e o Rio de la Plata, possui um território de 177 mil km2 equivalente a duas vezes o tamanho da Áustria ou quase uma vez e meia a superfície do estado do Alabama, nos Estados Unidos. Sua localização em particular o torna a porta de entrada para toda a região do Cono Sur; por outro lado, seus vários portos, seu bem desenvolvido sistema bancário e o alto nível de serviços permitiram a afirmação de seu papel de país exportador confiável, com particular projeção na região, mas também na Europa. País de grande homogeneidade étnica, cultural e educativa e de continuo esforço industrial, mesmo que de escassa população (apenas três milhões de habitantes), foi sempre considerado apto para o desenvolvimento de um comercio estável e de qualidade. A produção de vinhos no Uruguai teve início no final do século XIX, com a imigração de bascos e franceses para a região. Um deles, Pascual Harriague, teria sido o introdutor da variedade Tannat na região, que até hoje se vê sendo produzida no país. Não somente sua produção é admirável, mas também a cultura do país no que diz respeito ao consumo de vinhos. O país apresenta consumo de aproximadamente 33 litros anuais per capita, que é

uma quantidade considerável, ainda mais se comparado ao Brasil, que chega a somente 3 litros anuais per capita. Semelhante ao Brasil, boa parte da produção de vinhos de mesa é feita com uvas não-viníferas (espécies americanas ou híbridas), mas essa produção tende a inverter-se devido ao esforço de substituição coordenado pelo INAVI - Instituto Nacional de Vitivinicultura, que pretende inserir no solo uruguaio também grande parte de uvas viníferas. O surgimento de vinhas no território uruguaio origina-se da expansão de vinícolas concentradas nos arredores de Montevidéu. Seguindo essa expansão, e apoiados pela sólida base que a Tannat reflete na produção, grandes enólogos locais e estrangeiros têm criado vinhos mais complexos e sofisticados, inclusive com a adição de Merlot, Cabernet Sauvignon e Franc, Pinot entre outras. Clima - Seu clima temperado, suas planícies úmidas e sua situação marítima o tornaram propício para o cultivo da videira. Por sua situação geográfica, entre os paralelos 30º e 35º de latitude sul, o cultivo de vinhas se estende por todo o país. Trata-se de uma viticultura de clima temperado com 18º C de temperatura média anual, 1.000 mm de precipitação anual, boa insolação, de verões medianos e noites refrescantes. São quatro regiões vitícolas: · a região sul, de grande influência marítima e solos moderadamente profundos; · o litoral sudoeste com a influência do Rio Uruguai e solos mais profundos de excelente drenagem natural; · a região norte e nordeste, com clima mais quente e solos de texturas leves e muito favoráveis; · o centro, com o vale do Rio

Negro, configura uma região com solos que combinam texturas finas, pedras e um clima especial. A região sul concentra 90% da superfície vitícola do país e a região sudoeste apenas 5%, o restante é dividido entre todas as outras regiões.

500 g de ervilha desidratada (de pacote) 300 g de bacon 300 g de costelinha defumada 1 cebola bem picada 3 colheres de óleo

Viticultura - A renovação dos vinhedos uruguaios a partir da década de setenta fez coexistir uma viticultura tradicional e outra moderna. O vinhedo uruguaio tem em sua maioria, 62%, mais de quinze anos produzindo vinhos de qualidade. Hoje cerca de 30% está no melhor período de sua produção, entre cinco e vinte anos. A atual renovação, tanto dos vinhedos como das vinícolas, é baseada na mais avançada tecnologia. A tecnologia das vinícolas uruguaias, em geral, é clássica ou tradicional, combinando produções com maceração pré-fermentativa a baixa temperatura para vinhos brancos, a elaboração por maceração carbônica e a ênfase sempre colocada na fermentação dos mostos à temperatura controlada. A totalidade das vinícolas conta com assessoramento técnico permanente. A capacidade total instalada é de dois milhões de hectolitros. A atenção e o cuidado dos vinhedos e da tecnologia permitem tanto o controle da propagação de portadores de vírus, graças ao Programa de Certificação de Videiras Livres de Vírus, bem como uma vigilância do produto uruguaio. Por outro lado, desde 1957 funcionam no país sistemas de Advertências de Pragas e Enfermidades da Videira.Tudo isso, em conjunto, faz da tradição um ensinamento e pesquisa enológica que remonta ao começo do século.

Modo de preparo: Na panela de pressão coloque o óleo refogue a cebola, e frite o bacon; Deixe fritar bem o bacon até sair toda a gordura; Após o bacon bem frito, acrescente a costelinha defumada e refogue um pouco; Depois coloque a ervilha e encha a panela de água abaixo da marca do cabo da panela; Cozinhe por 25 a 30 minutos; Após cozida mexa para dissolver os pedaços de ervilha que restaram; Sirva com o pão de sua preferência.


8 Região

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

SÃO VICENTE | Pega ladrão

Homem é baleado ao tentar fugir da Polícia Militar em São Vicente Segundo a Polícia Militar, ele ameaçou tirar uma pistola da cintura ao fugir da viatura, momento que policial efetuou disparo, o atingindo na perna um rapaz de bicicleta que, ao perceber a viatura, tentou fugir. De acordo com os policiais, eles deram ordem para que ele parasse, mas o rapaz não obedeceu. Nesse momento, o homem se desequilibrou da bicicleta, caiu e continuou a fuga a pé. Ele teria puxado uma arma que estava na cintura e, ao ver a pistola, um dos policiais disparou, atingindo a perna do suspeito que caiu novamente e foi detido. Os policiais acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o homem foi socorrido ao Hospital

Municipal de São Vicente, medicado e liberado. Após ser atendido, o suspeito foi conduzido ao Distrito Policial Sede de São Vicente para o registro da ocorrência, onde verificou-se que ele tinha diversas passagens e a arma portada era uma réplica de pistola, que ficou apreendida.

Ed Wendel/Arquivo Pessoal

Um homem de 32 anos foi baleado ao tentar fugir da viatura da Polícia Militar, em São Vicente, no litoral de São Paulo, nesta terça-feira (24). Segunda a PM, o suspeito ameaçou sacar uma arma da cintura, momento em que o policial o acertou com um disparo na perna. Na delegacia, os policiais identificaram que a arma era uma réplica e o homem foi detido. Conforme relata a PM, por volta das 13h45, equipes estavam em patrulhamento pela Rua Freitas Guimarães, bairro Boa Vista, quando avistaram

Segundo a PM, suspeito ameaçou tirar uma pistola da cintura, momento em que policial efetuou disparo contra ele

SÃO VICENTE | Será???

Obra na Ponte dos Barreiros começa na semana que vem Empresas interessadas terão 48 horas para enviar propostas O prefeito de São Vicente Pedro Gouvêa anunciou, nesta quarta-feira (25), que a Caixa Econômica Federal (CEF) terminou a análise do projeto executivo das obras emergenciais das 52 estacas da Ponte dos Barreiros. Empresas interessadas terão 48 horas para enviar as propostas. Na sexta-feira, às 12 horas, a vencedora será anunciada pela prefeitura, segundo Gouvêa. O projeto foi entregue à CEF no dia 7 de fevereiro e a entidade teve pouco mais de 30 dias para analisá-lo. A ponte dos Barreiros está interditada desde o dia 30 de novembro do ano passado, por determinação da Justiça, após relatório do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) apontar risco de um colapso estrutural. Cerca de 150 mil moradores da Área Continental da cidade

Nair Bueno/Diário do Litoral

sofrem desde então com o impacto da interdição. Para a obra, o Governo Federal aprovou junto ao Senado cerca de R$ 58 milhões para a recuperação da estrutura da Ponte dos Barreiros. A princípio, serão liberados R$ 48 milhões, previstos no orçamento da União para 2020. Porém, em uma primeira etapa, serão destinados R$ 5,5 milhões para as obras emergenciais, que devem durar 90 dias. Quando a primeira fase dos reparos emergenciais acabar, Pedro Gouvêa quer reabrir a ponte, o que, segundo ele, deve acontecer ainda neste semestre. O esquema deve ser siga e pare, em meia pista para os veículos.

Obra deve começar na segundafeira (30)


Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

Mundo 9

NOVOS TESTES | Pandemia

Coronavírus: os 4 tratamentos que a OMS está estudando para combater a covid-19 Estudo envolvendo dez países testará eficácia de quatro terapias para combater a doença causada pelo vírus; iniciativa busca coletar o máximo de informações em tempo recorde “Um plano agressivo para salvar vidas”. É assim que a Organização Mundial da Saúde (OMS) define seu novo esforço para combater a pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Nesta última semana, o novo coronavírus já havia infectado mais de 400 mil pessoas e matado mais de 18 mil em 170 países. E os números crescem a cada dia. Sem tratamento ou vacina com comprovada eficácia contra a doença, os médicos se concentram em aliviar os sintomas. Por esse motivo, a OMS lançou uma iniciativa chamada Solidarity (Solidariedade) e que consiste em um estudo clínico por meio do qual 10 países vão pesquisar simultaneamente a eficácia de quatro medicamentos para o tratamento de pacientes com covid-19. O objetivo é coletar o máximo de dados no menor tempo possível; portanto, em vez de trabalhar no desenvolvimento de novos medicamentos, um processo que pode levar anos, os envolvidos nesta pesquisa vão verificar se algum usado para combater outras doenças pode ajudar a neutralizar o coronavírus. E embora alguns desses medicamentos estejam disponíveis no mercado, os médicos reforçam que nenhum deles deve ser administrado sem indicação ou supervisão médica. Argentina, Bahrein, Canadá, França, Irã, Noruega, África do Sul, Espanha, Suíça e Tailândia aderiram ao estudo, pelo qual esperam contar com a participação de milhares de pacientes. “A virtude desse tipo de estudo é que podemos recrutar pacientes rapidamente”, diz à BBC News o epidemiologista George Rutherford, professor de bioestatística da Universidade da Califórnia (EUA). “Se, por exemplo, eu estivesse fazendo esses testes sozinho em meu laboratório, teria dois ou três pacientes por dia, mas com a participação de vários centros, você pode ter 100 pacientes por dia”,

EPA

Cientistas correm contra o tempo para descobrir uma vacina eficaz contra o vírus da pandemia

acrescenta. “Essa é uma boa maneira de ganhar eficiência”. Ana María Henao-Restrepo, pesquisadora do Departamento de Vacinas e Produtos de Imunização Biológica da OMS, disse que este projeto está sendo realizado “em tempo recorde”. Segundo Henao-Restrepo, a OMS espera ter centros de documentação e gerenciamento de dados para esta pesquisa a partir da última semana de março. Rutherford diz que, considerando uma “estimativa hiperotimista” e se não houver problemas logísticos, esse estudo poderá gerar resultados em um mês. Paralelamente a este estudo internacional, a OMS afirmou que cientistas de várias partes do mundo estão trabalhando no desenvolvimento de pelo menos 20 possíveis vacinas contra covid-19. Aposta - Para levar adiante esse estudo ambicioso, um painel de especialistas da OMS selecionou quatro tratamentos que consideravam os mais promissores para enfrentar a doença. Eles consideraram critérios como a qualidade das informações sobre eles e sua disponibilidade.

Essas terapias consistem em medicamentos ou combinações de medicamentos que foram usadas no tratamento do Ebola, malária ou HIV. Os tratamentos serão aplicados aleatoriamente, dependendo da disponibilidade em cada hospital, para pacientes com casos confirmados de covid-19. Após o início do tratamento, os médicos registram o progresso do paciente, incluindo a data em que ele deixa o hospital ou se ele não consegue se recuperar. Rutherford indica que, idealmente, o objetivo é administrar a terapia nas fases iniciais da doença, antes que o paciente seja levado à UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A epidemiologista elogia o projeto Solidariedade, mas alerta que trabalhar com vários centros em vários países ao mesmo tempo pode torná-lo logisticamente complicado. “Apesar do fato de os protocolos serem escritos com precisão, sempre haverá diferentes interpretações, que podem não levar a comparações reais”, diz. Conheça abaixo as quatro terapias sobre os quais os especialistas de todo o mundo se debruçam.

1. Remdesivir - A droga foi concebida para tratar o ebola, mas não se mostrou eficaz contra esta doença. No entanto, parece ter potencial contra os coronavírus com base em testes de células cultivadas em laboratórios. Também há relatos de que foi benéfico para pacientes com covid-19, mas isso não é suficiente para afirmar que o medicamento é eficaz. Entre os medicamentos incluídos no projeto Solidariedade, o remdesivir “parece ter a atividade anticoronavírus mais potente em testes de laboratório”, disse Stephen Morse, diretor do programa de Epidemiologia de Doenças Infecciosas da Universidade de Columbia (EUA) à BBC Mundo, o serviço de notícias em espanhol da BBC. 2. Cloroquina - A cloroquina foi utilizada por muitos anos no tratamento da malária, até que o parasita que produz essa doença gerou resistência ao medicamento. “Se funciona para a malária, não significa necessariamente que funcionará para covid-19”, diz Rutherford. Este medicamento tem a vantagem de ser administrado por via oral e é barato, mas também produz efei-

tos colaterais como dor de cabeça, tonturas, perda de apetite, dor de estômago, diarreia, vômitos e erupções cutâneas, dizem autoridades americanas. Por outro lado, por ser relativamente fácil de obter, sua citação no noticiário como possível cura para covid-19 levou a casos de envenenamento pelo mundo. No Brasil, muitos correram às farmácias e compraram o medicamento, que não exigia receita para ser vendido. Pacientes que necessitam da droga para controlar doenças autoimunes, como lúpus e artrite reumatoide, fizeram apelos nas redes sociais. No último sábado, a Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) restringiu a compra do medicamento. 3. Ritonavir e lopinavir - A combinação desses dois medicamentos tem sido usada para o tratamento do HIV. Especialistas consultados pela BBC Mundo concordam que esta mistura não mostrou resultados encorajadores contra o coronavírus. “Mas você nunca sabe, é razoável tentar novamente”, diz Rutherford. 4. Ritonavir / lopinavir e interferon-beta - A quarta opção de terapia a ser testada pelo estudo Solidarity é a mistura de ritonavir e lopinavir junto com interferon-beta, uma molécula que ajuda a controlar a inflamação e demonstrou ser eficaz em animais infectados pela síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers, na sigla em inglês). Os especialistas alertam que é essencial ter cuidado quando administrados, pois, se aplicados em estágios muito avançados, podem ser ineficazes ou até causar mais mal do que benefícios ao paciente. Agora é só uma questão de tempo para conhecer os resultados do projeto Solidarity, mas de acordo com Morse: “Este é um grande passo à frente”.


10 Divirta-se

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

CRÍTICA DE CINEMA | Bruno Passos (CCR)

Fotos: Divulgação

Partida Fria (Netflix, 2019): Ambiguidade da guerra Thriller polonês cria uma boa ambientação durante a Crise dos Mísseis entre EUA e URSS. Apesar de ficcional, a trama sabe usar a metáfora do xadrez em favor da espionagem

Nenhum outro período histórico foi tão usado para produções cinematográficas de espionagem quanto a Guerra Fria. Afinal, foram anos de disputas estratégicas e conflitos indiretos entre Estados Unidos e União Soviética, por isso é o pano de fundo ideal para tramas de suspense. Poucos anos abrem margem para tantas interpretações quanto 1962, momento em que “Partida Fria“ é ambientado – mesmo que a mídia explorasse cada ato, muitas informações de ambas as potências corriam em segredo. Estrelado por Bill Pullman, o filme acompanha a missão de uma delegação norte-americana com agentes infiltrados em uma competição de xadrez na Polônia contra o campeão russo. A peça principal da viagem é o atormentado e bêbado Joshua Mansky (Bill Pullman).

Considerado um gênio da matemática, o ex-professor de Princeton sofre com o passado e não consegue se livrar do vício. Então ele é levado a força e, mesmo contrariado, aceita competir porque seu antecessor e principal jogador dos Estados Unidos morreu misteriosamente pouco antes. Ele sabe que está sendo usado no conflito, mas não lhe resta outra opção a não ser enfrentar o soviético. Então ele e sua equipe ficam hospedados sob pressão em Varsóvia, precisando passar por cinco partidas em dias diferentes para chegar no grande vencedor. Enquanto os russos usam meios sujos para tentar distrair o protagonista e fazê-lo perder a competição, o esporte acaba encobrindo os planos para extrair dados de um informante infiltrado entre os soviéticos. O contexto

também serve de base para os agentes investigarem se os inimigos realmente tem ogivas nucleares sendo posicionadas em Cuba. Com isso, Mansky passa a perceber que seus compatriotas igualmente estão jogando sujo e que ele é só uma distração nesse jogo de informações. Afinal, não somente o resultado da disputa de xadrez está em xeque, mas também o controle mundial. Dentro dessa perspectiva, o jogo de gato e rato funciona muito bem. Embora a partida em si não seja explorada, cada resultado aumenta a tensão para ambos os lados. O general Krutov, interpretado pelo excelente Aleksey Serebryakov, está disposto a usar todos os métodos de dissuasão para pressionar Mansky e encontrar o espião infiltrado. Além da desvantagem em territó-

rio inimigo, o vício do enxadrista se agrava por conta das ameaças. Nesse aspecto, o longa explora bem a bebida como válvula de escape para a mente acelerada do homem. Contudo, a insistente expressão de bêbado do ator se torna repetitiva ao longo da história, ainda que ele divide a cena com com bons atores como Corey Johnson, James Bloor e Lotte Verbeek. Por esse motivo, as relações soam mal exploradas. Já os figurinos e locações são dignos de grandes produções de época. O filme ganha um charme especial com inserções reais de imagens de momentos chaves da Guerra Fria, ajudando a resumir o que se passa entre os dois países e deixa a competição ainda mais verossí-

mil. Em termos de execução, “Partida Fria” não fica atrás de “O Dono do Jogo”, de Edward Zwick, outra grande obra com a mesma abordagem. Por se tratar de uma premissa ficcional, a narrativa poderia ter explorado melhor a jornada de Mansky ao contrário de só retratá-lo como um ex-prodígio do xadrez. Aliás, o passado do personagem mal é abordado para justificar sua desilusão. A retratação também acaba pecando por não ser em sua língua original. Em contrapartida, a metáfora do esporte no centro do conflito traz urgência e ritmo. Junte a isso um gênio à beira de um colapso nervoso diante de um oponente impiedoso e o resulto é uma produção cruel como o conflito. E memorável.


Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

Região 11

MONGAGUÁ | Justiça (???)

Juiz alega 'pandemia de coronavírus' para soltar acusada de assassinato Juiz da 2ª Vara Criminal de Mongaguá determinou que acusada vá à júri popular por homicídio qualificado, mas também concedeu o benefício para que ela aguarde o julgamento em liberdade por conta da pandemia de coronavírus no país Uma mulher acusada de matar uma jovem de 22 anos com um tiro acidental, durante uma briga com o companheiro, foi liberada para aguardar o julgamento em liberdade por conta da pandemia de coronavírus. O juiz da 2º Vara Criminal de Mongaguá entendeu que, por conta da pandemia e da interrupção dos trabalhos não urgentes, não há previsão para que ela seja julgada e, por isso, ela poderá responder em liberdade. Zilma Rodrigues do Amaral, de 38 anos, foi presa após um homicídio que ocorreu em outubro de 2017. Ela estava em uma casa de veraneio em Mongaguá com amigos quando, durante uma discussão com o marido, sacou uma arma e, segundo apurado, atirou acidentalmente em Andressa Silva Gouveia, que foi atingida no peito. A jovem foi socorrida e levada para o Pronto Socorro de Mongaguá, mas não resistiu aos ferimentos. A acusada ficou cerca de um ano foragida e foi encontrada somente após a família da vítima ter informações, pelas redes sociais, do local onde ela estava

e denunciar para a polícia. Zilma foi presa de maneira preventiva e, após audiência, o juiz da 2ª Vara Criminal de Mongaguá decidiu que ela deverá ir a júri popular por homicídio duplamente qualificado por motivo fútil e meio que dificultou a defesa da vítima. Nessa mesma decisão, o magistrado também determinou que Zilma poderá aguardar ao julgamento em liberdade por conta da pandemia de coronavírus. Com a determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que as pessoas fiquem em casa, apenas serviços considerados urgentes estão sendo realizados no âmbito da Justiça e, com isso, não há previsão de quando a acusado poderá ser julgada. “Não obstante a presente decisão, entendo adequada a liberação da acusada, considerando o tempo que está presa preventivamente, que não aparenta ser pessoa voltada à prática de delitos e que, com a pandemia instalada, não há previsão mínima de quando será possível encerrar o procedimento com o conselho de

Fotos: Arquivo pessoal

Zilma responderá em liberdade por homicídio qualificado

sentença, caso a presente decisão transite em julgado”, determinou o juiz. De acordo com o advogado da família de Andressa, Bhauer

Bertrand de Abreu, foi dado cumprimento ao alvará de soltura no mesmo dia e Zilma já foi liberada para aguardar ao julgamento em liberdade com a obrigação de permanecer em recolhimento domiciliar no período noturno e nos dias em que não estiver trabalhando e comparecer ao fórum trimestralmente para informar e justificar suas atividades. Família - A mãe da vítima, Eunice Maria da Silva, disse que descobriu que a acusada de matar a filha seria solta por meio das redes sociais. “O que uma mãe espera na vida? Que seja feita justiça. A

Andressa levou um tiro acidentalmente e morreu em

Mongaguá

justiça é o que eu mais busquei na vida e ainda não houve justiça pra morte da minha filha. Ela tem que estar na cadeia, mais uma vez estou passando pela mesma dor”, desabafou. O advogado da família afirma que vai recorrer da decisão por conta da concessão de liberdade. Crime - O homicídio ocorreu em outubro de 2017, enquanto sete amigos de Diadema (SP) estavam reunidos em uma casa de veraneio no bairro Balneário Vila Seabra. Eles combinaram de passar o fim de semana no litoral. Durante uma discussão com o marido, Zilma sacou uma arma atirou acidentalmente em Andressa Silva Gouveia, que foi atingida no peito. Zilma e o marido, que seria o dono do revólver, fugiram após o crime. Eles não conheciam Andressa, que havia sido convidada para a viagem por uma amiga em comum. No momento em que foi atingida pelo projétil, a jovem cuidava dos filhos do casal, que estavam em uma piscina no imóvel.


12 Brasil

Praia Grande, de 27 de março a 2 de abril de 2020

PANDEMIA | Comércio local

"Comprem do comércio local", diz presidente do Sebrae em pandemia Carlos Melles afirmou que apóia pequenos negócios e soluções via aplicativo e internet. Ele fala ainda da importância da manutenção dos empregos O presidente nacional do Sebrae, Carlos Melles, defende que as pessoas comprem produtos durante a pandemia da covid-19 de pequenos empreendedores. “Nesse momento tão difícil de combate ao coronavírus, o Sebrae tem estimulado, de maneira vigorosa, a população a comprar de pequenos negócios. Vem apoiar o comércio local, perto de suas casas”, disse. Com o fechamento de alguns comércios e serviços considerados não essenciais nas cidades que estão em quarentena, comprar de pequenos negócios pode ser uma solução, uma vez que há disputa de produtos e prateleiras vazias, muitas vezes, em grandes redes varejistas. Algumas opções foram sugeridas pelos governos aos comerciantes, em especial o delivery ou drive thru para impedir que o negócio fique parado durante a restrição de circulação de pessoas nas cidades. O presidente do Sebrae destacou a importância de ini-

ciativas criativas como vendas por aplicativos ou pela internet e completou: “A melhor forma de nós enfrentarmos a crise é preservando os empregos”. Para ajudar micro e pequeno empreendedor, o Sebrae criou um guia de gestão financeira, que dá dicas de como enfrentar a queda no movimento e a redução da produção. Na página do Sebrae e nas redes, são feitas aulas online para esclarecimentos de dúvidas, como o que mudou em relação às regras trabalhistas, Simples Nacional, medidas macroeconômicas do governo para atravessar o momento atual e atitudes para diminuir danos. Carlos Melles destacou ainda que o Sebrae está monitorando todos os setores da economia mais afetados pela pandemia e garantiu que a rede de atendimento online funciona normalmente para as micro e pequenas empresas. “Estamos solidários com todos os empresários de pequenos negócios no Brasil”, concluiu.

Arquivo: Câmara dos Deputados

Sebrae trouxe iniciativas para pequenos negócios durante pandemia

PANDEMIA | Corte de salários

Corte em salários de servidores bancaria renda para 55 milhões Proposta já chamou a atenção de parlamentares e deverá ser apresentada como projeto no Congresso Nacional até a próxima semana A redução de 30% no salário de servidores federais, estaduais e municipais seria suficiente para bancar um programa de renda mínima para 55 milhões de brasileiros. É o que conclui estudo do economista Matheus Garcia, associado do Movimento Livres, que tem entre os integrantes economistas de viés liberal como a ex-diretora do BNDES Elena Landau e o ex-presidente do

Banco Central Pérsio Arida. A ideia é sugerir um programa que ampare a população que vai ficar sem renda com a pandemia do coronavírus, mas que tenha o menor impacto fiscal possível. “Nossa ideia é mostrar que dá para fazer um programa de renda básica, mas alguém tem que pagar. Viemos de uma situação fiscal difícil, a ideia é mostrar alternativas

para o país não sair tão fragilizado dessa crise”, afirmou. A proposta já chamou a atenção de parlamentares e deverá ser apresentada como projeto no Congresso Nacional até a próxima semana. Já há no Congresso projetos que preveem a redução de salário do funcionalismo para fazer frente à crise do coronavírus e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo

Maia defendeu a contribuição de todos os poderes. O plano de Garcia foi chamado de “CoronaMarshal”, em uma referência ao plano norte-americano para reconstruir os países afetados pela Segunda Guerra Mundial. A intenção é atender 55 milhões de brasileiros adultos que não têm emprego formal, não recebem aposentadorias nem são beneficiários de

programas de assistência social, como o Bolsa Família. O custo estimado para alcançar esse público é de R$ 11 bilhões por mês com o pagamento de R$ 200. Um programa de R$ 300 custaria R$ 17 bilhões por mês. Na semana passada, o governo propôs um programa de auxílio para informais de R$ 200, mas, segundo fontes, o valor pode subir para R$ 300 por mês.

Profile for O Regional PG

O Regional PG  

Edição 601

O Regional PG  

Edição 601

Advertisement