Page 1

Boletim Informativo

O RioMoinhense

Cais de Rio de Moinhos Recuperação e Valorização

pág. 3

Projecto “Tijeladas” Um sonho que vem de longe pág. 6

R E N A S C E R C O N C E L H O

A B R A N T E S S O L I D Á R I O

(des) respeito pelos cadáveres

Projecto de Luta Contra a Pobreza pág. 9

pág. 6

Recente estudo contesta 700 anos da Freguesia de Rio de Moinhos pág. 4 Rio de Moinhos participa nas II Jornadas de História Local.......pág. 3 Grupo LUARTE (Pucariça) nas Festas da Cidade de Abrantes.....pág. 3 APEOCA....................................................................................................pág. 4 Procissão do Senhor dos Passos...........................................................pág. 5 Obras da Junta de Freguesia.................................................................pág. 7

JULHO 2004 - Nº 1

Director: Rui André


2

O RioMoinhense

Julho 2004

editorial “O Riomoinhense” surge no ano de 2004 por iniciativa de várias personalidades da Freguesia de Rio de Moinhos com o intuito de divulgar a cultura da nossa terra e, sobretudo, das nossas gentes que (in)directamente contribuíram para a realização deste projecto. Para além da minha pessoa, tem a colaboração especial de duas jovens promissoras da comunicação em geral – a Sónia Pacheco e a Ana Sofia Caldelas, ambas de Rio de Moinhos. O (re)nascimento deste boletim local surge mais de cem anos após o aparecimento do primeiro jornal (4 de Setembro de 1896), na nossa freguesia e que se chamava “O Riomoinhense”, tendo a seguinte descrição:

“O Riomoinhense” “O Riomoinhense. Semanário scientifico, biographico, noticioso e litterario. Semanário regenerador publicado ao domingo, surge na defesa dos melhoramentos de Rio de Moinhos. Nele se escreve que não estamos adstrictos a nenhum partido politico, por isso mesmo na propaganda e na conquista dos interesses locaes, como tambem na defeza dos interesses das outras povoações, que constituem o Concelho d´ Abrantes, “O Riomoinhense” ha de pronunciar-se sempre com franqueza, mantendo uma situação independente e exprimindo a sua opinião sem a mais leve paixão. “O Riomoinhense” teve por colaboradores António Augusto Salgueiro, António Damas Mora, Albino S. Pires, Augusto Alves Tavares, F. Rijo Rosado, José Damas Mora, José de Oliveira Tavares Júnior, etc.” Esta iniciativa é concretizada em parceria com o Centro de Apoio a Idosos através do Projecto “Renascer Abrantes - Concelho Solidário”, sem o qual seria impossível a realização deste Bolhetim Informativo. O nosso principal objectivo não é, contudo, o mesmo do final do século XX, mas, pretende-se contribuir para um melhor desenvolvimento para a nossa freguesia divulgando as actividades do citado projecto, assim como, os acontecimentos da nossa freguesia. Esta ferramenta comunicativa é de todos e para todos. Com estas últimas palavras despeço-me informando que este projecto depende de todos nós. A freguesia de Rio de Moinhos merece-o. Como dizia John Fitzgerald Kennedy (1917-1963) “Não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, pergunta sim o que podes fazer pelo teu país.” Um grande abraço para todos Rui André

O RioMoinhense Propriedade: Projecto “Renascer Abrantes - Concelho Solidário” Director: Rui André Redacção: Sónia Pacheco; Rui André Paginação: Sónia Pacheco Publicidade: Ana Sofia Caldelas Telefone: 96 4184464 E-mail: oriomoinhense@iol.pt


2004 Julho

3

O RioMoinhense

Cais de Rio de Moinhos Rio de Moinhos nas Recuperação e Valorização II Jornadas de Após as cheias devastadoras do ano de 1902, História Local o Cais de rio de Moinhos foi totalmente reconstruído e a sua inauguração decorreu em 28 de Setembro de 1903. Na sua história local, Rio de Moinhos sempre viveu e sobreviveu do comércio marítimo, dos seus lagares e dos seus moinhos de água que se encontram espalhados pela freguesia. O rio Tejo está cheio de histórias, tendo contribuindo para a construção de uma cultura própria: a cultura do Tejo - as gentes ribeirinhas, as embarcações, os pescadores, os arrais, os calafates… Durante séculos, o Tejo foi a principal via de comunicação do país. O Cais era considerado um ponto de encontro onde passavam produtos da época que eram transportados até Lisboa. Nele construíram-se barcos chamados “varinos” que podiam atingir as 60 toneladas. A partir de 1950, o Cais começa a ser abandonado e esquecido pela maioria dos seus habitantes assim como o rio Tejo. A Junta de Freguesia de Rio de Moinhos apresentou um projecto à TAGUS que elaborou um anteprojecto para recuperar e valorizar o Tejo, as suas margens e sobretudo o Cais. No entanto, a autarquia abrantina ainda não se pronunciou sobre este projecto. Com a realização do AQUAPOLIS, o executivo não deverá perder muito tempo em avançar com a recuperação deste património que marcou a nossa história e faz dele o ex-libris da freguesia e até do concelho.

Realizaram-se nos dias 28 e 29 de Maio, no Auditório da Santa casa da Misericórdia de Abrantes, as II Jornadas de História Local, organizadas pelo Centro de Estudos de História Local da Palha de Abrantes (CEHLA). Para além do interesse pelos estudos histórico-patrimoniais, “havia a necessidade de que esses estudos fossem desenvolvidos”, revela Alves Jana, organizador das II Jornadas de História Local. Alves Jana comenta ainda que, há dois anos, a Palha de Abrantes soube que era uma boa oportunidade de desencadear um processo no sentido de mobilizar as pessoas a encontrarem-se avançando com um estudo, publicação, divulgação e circulação de informação na área de História Local. “É esse o objectivo do Centro de Estudos de História Local”, afirma. O CEHLA não é um centro de investigação, “procura ser um ponto de união entre as várias pessoas que estão a fazer coisas”. Para além do encontro de pessoas e instituições, este evento tem o objectivo de estimular as pessoas a poderem divulgar os seus projectos. Entre os vários trabalhos apresentados nesta segunda edição das Jornadas de História Local conta-se com a participação de Rio de Moinhos. Rui André, Presidente da Assembleia da Junta de Freguesia fez uma apresentação acerca da nossa freguesia evidenciando a nossa cultura. A vida marítima, os moinhos e azenhas, o cais… enfim, a nossa própria história foi o que Rui André partilhou com os presentes. Citando um provérbio chinês, termina dizendo: “Só se pode construir o Futuro com o Passado debaixo de olho”.

Grupo LUARTE (Pucariça) nas Festas da Cidade O Grupo LUARTE surge da união de vários amigos que fizeram cursos de artes decorativas. Elsa Cavaco, António Cavaco, Manuel Rosa Dias, Maria Rosa Dias, Júlia Gaspar

e António Luís Bretes são os artistas que realizam pinturas em gesso, pinturas decorativas, reparação de móveis antigos e várias obras de artesanato.

Apesar de os negócios não estarem a correr bem este grupo gosta daquilo que faz e, por isso, decidiu mostrar o seu trabalho nas Festas da Cidade de Abrantes.


4

O RioMoinhense

APEOCA Associação de Pais e Encarregados de Educação dos Estabelecimentos de Ensino do Oeste do Concelho de Abrantes Após várias reuniões realizadas durante o ano lectivo 2003/2004, os Pais e Encarregados de Educação dos Estabelecimentos de Ensino do Oeste do Concelho de Abrantes, constituíram uma Associação. Oito meses após o início dos trabalhos foram finalmente publicados os Estatutos no Diário da República no dia 2 de Junho de 2004. O nascimento desta Associação visa defender os interesses das nossas crianças, defender e promover os interesses dos associados em tudo quanto respeita à educação e ensino dos seus filhos e educandos desde o Pré-Escolar até ao 1º ciclo do Ensino Básico e finalmente ter uma representação legal em todas as reuniões escolares. Esta Associação engloba todos os Pais e Encarregados de Educação das Escolas e Jardins de Infância das freguesias de Martinchel, Rio de Moinhos, Aldeia do Mato e as aldeias de Abrançalha de Baixo e de Cima a fim de constituir a respectiva Associação. No dia 11 de Junho realizou-se uma reunião com o objectivo de eleger os corpos directivos da Associação sendo também traçados dois grandes objectivos para o próximo ano lectivo: * Acompanhar, apreciar e apresentar propostas relativo à proposta da Carta Educativa para o concelho de Abrantes * Elaborar e apresentar um projecto para o ATL A qualidade no ensino passa pela escola, pelos docentes e pelas condições materiais mas, no entanto, pensamos que o mais importante é a união de todos os Pais e Encarregados de Educação a fim de conciliar todos os esforços no sentido de traçar um caminho comum para que no fim o resultado seja positivo para a formação individual e colectiva das nossas crianças. A persistência, a determinação, a razão e o bom senso são quatro factores que estarão sempre presentes nas atitudes e comportamentos dos Pais e Encarregados de Educação das Escolas do Oeste.

Julho 2004

Recente estudo contesta 700 anos da Freguesia de Rio de Moinhos Têm-se vindo a afirmar, ao longo dos tempos, que Rio de Moinhos é freguesia há mais de 700 anos. No entanto, um estudo realizado por Helena Salvador, licenciada em História, contesta o que foi anteriormente afirmado: (…) com o livro de estatutos da Irmandade do Santíssimo Sacramento de 1747, constatamos que, nos documentos de 1712, se diz “Santa Eufémia de Rio de Moinhos, Curado annexo à mesma Igreja de S. Vicente de Abrantes”, em 1747 diz-se “Fregª de Santa Eufémia” e, em 1758, se fala em “Parochia” (…) No livro de P. Miguel de Oliveira “As paróquias rurais portuguesas: sua origem e formação” (1950) é dito que os termos freguesia e paróquia são sinónimos. Paróquia: termo de origem mais erudita, freguesia: com origem na expressão filii ecclesiae (feligreses ou fregueses), expressão mais popular. Se procurarmos num bom dicionário a palavra Cura ou Curadoria informa-nos que significam Padre, mas também, a partir do século XV, freguesia. Assim, em 1712, Santa Eufémia de Rio de Moinhos é ainda freguesia de S. Vicente de Abrantes e, em 1747 é já ela própria freguesia. (excerto do citado estudo) Deste modo, podemos concluir que Rio de Moinhos é freguesia independente, apenas, a partir de 1747 festejando assim cerca de 257 anos contrariamente aos afirmados 700 anos. Também foi revelado que Rio de Moinhos contava a existência de 256 moinhos. Mas, chega-se agora à conclusão que existiam apenas cerca de meia centena de moinhos. O documento onde está citado tal número (256) refere-se, não a 256 moinhos, mas, a 256 vizinhos, ou seja, 256 habitantes. O estudo, intitulado Igreja de Sta Eufémia de Rio de Moinhos - reflexão histórica, da autoria de Helena Salvador e colaboração de Sónia Pacheco encontra-se à venda, sendo um trabalho da responsabilidade de Maria Inês Pacheco e Maria do Rosário Lucas Vieira.


2004 Julho

O RioMoinhense

5

Procissão do Senhor dos Passos Realizou-se, no dia 4 de Abril, na aldeia de Rio de Moinhos a habitual Procissão dos Passos repleta de fiéis e acompanhada pela Filarmónica Riomoinhense. Ao longo do tradicional itenerário percorrido, os presentes puderam observar obras de arte dedicadas ao Senhor dos Passos através dos passos representados e ornamentados pela população que se empenhou por esta causa religiosa. O Amor e a Dedicação por Deus reflectiram-se nas mãos e nos corações destes artistas divinos que conseguiram realizar um excelente trabalho mostrando que a freguesia de Santa Eufémia está bem viva trazendo na alma a fé cristã. As ruas estavam decoradas e o cheiro a alecrim emanava vida e paz interior reflectindo no rosto de cada pessoa que passava. Este belo dia reflectiu a boa

vontade que o nosso Pai todopoderoso nos concedeu para que possamos unir numa só voz o respeito e a prática pela nossa religião. A vida só pode ser construída e virada para o futuro evidenciando a nossa identificação cultural. Aqui fica uma merecida homenagem a todos quantos se dedicaram a este evento religioso.

Primeira Comunhão e Profissão de Fé Realizou-se no dia 10 de Junho de 2004 a Primeira Comunão e a Profissão de Fé das crianças na Igreja Matriz de Rio de Moinhos.


6

O RioMoinhense

Projecto “Tijeladas” Um sonho que vem de longe No Outono de 2003, na nossa bela aldeia de Rio de Moinhos, nasceram “As Tijeladas”, um pequeno grupo de teatro que vem do nada, mas que conta dar muito. O meu nome é Viviana Rebecchi e sou a encenadora do grupo. Venho de Itália, um país onde o teatro tem uma grande tradição e onde é muito fácil assistir a peças do mais variado género. Desde pequenina tive muitas oportunidades de conhecer este mundo fascinante e de saborear a emoção de pisar o palco e quando vim viver em Portugal senti a falta deste contacto. Nasceu assim uma ideia que foi crescendo aos poucos na minha cabeça. Nesta aldeia há um grande potencial, fantasia e energia que precisam de ser desfrutados e tomei a decisão de dedicar um pouco de meu, já reduzido, tempo livre à realização dum sonho. Falei com um grupo de jovens que alinharam com a minha ideia e começámos a trabalhar com grande entusiasmo. No princípio trabalhámos uma peça dramática que ainda está em fase de projecto. Depois pensámos que começar com peças simples e crescer a pequenos passos seria a opção mais acertada. O que há de mais simples do que os contos de crianças? Todos gostam, dos mais pequenos até aos mais velhinhos. Um conto de crianças tem tudo: fantasia, sonhos, alegria, tristeza e, se bem encenada, pode ter muita piada. O nosso primeiro trabalho já teve estreia no passado mês de Maio na sede social de Rio

de Moinhos. A peça intitulada “O Capuchinho” é uma versão divertida e remodelada do conto clássico “O Capuchinho Vermelho”. Os actores que participaram foram o Luís, no papel da mãe de Capuchinho, o Daniel, no papel principal do Capuchinho, a Lídia (a minha filha), no papel de uma boneca muito inteligente, a Madalena, no papel de Loba Faminta (loba má), o Simão, no papel de Loba Santa (loba boa), a Juliana, no papel da avó (“vovó rock”), a Alice, no papel de Martinho, o pescador (namorado da avó), o Ivo (o técnico do som) e, naturalmente, eu no papel de uma jornalista. O trabalho teve um certo êxito e o grupo adorou pisar o palco. Vamos continuar a actuar. Já temos novos ingressos no grupo e trabalhos a realizar, se tudo correr bem, já no próximo mês de Setembro. Como todos os projectos, um grupo de teatro precisa de muito trabalho para crescer e continuar a proporcionar bons momentos. O tempo é sempre limitado e o trabalho, a escola e a família ocupam muito a vida de todos. O que resta é pouco e nem toda a gente está disponível a estudar e decorar guiões teatrais. Mas, nós temos uma pequena vantagem, como a nossa técnica de representação baseia-se na improvisação e na espontaneidade não é preciso dedicar imenso tempo e esforço ao teatro acabando por ser um tempo divertido e emocionante. As “Tijeladas” podem ser pequenas, mas dão sabor doce à vida. Viviana Rebecchi

Julho 2004

(des) respeito pelos cadáveres Como é do conhecimento público, os enterramentos até 1844 eram realizados nos adros das igrejas ou até dentro das próprias igrejas, no caso de pessoas importantes. Mas, a partir da citada data, este ritual foi proibido por questões de saúde pública. Deste modo, foram construídos cemitérios públicos, afastados da população. O caso de Rio de Moinhos também não foi alheio a uma situação idêntica. Existem ainda grandes quantidades de cadáveres, ainda completos, no adro da nossa Igreja Matriz a uma profundidade mínima. No entanto, estes restos mortais não são respeitados. Se ninguém estaciona, joga à bola, estende roupa, ou faz a casa de banho para cães em cima das campas do cemitério, porque o fazem no adro? O adro também é um cemitério! Por razões óbvias, apenas os carros funerários deviam ter o direito de pisar o chão do adro, simplesmente, porque não têm outra alternativa. Há quem sustente a possibilidade dos cadáveres serem transladados para o cemitério. Porém, todos nós sabemos que isso não é uma acção que se possa realizar de forma fácil, nem nós gostaríamos de ver os cadáveres serem desenterrados à porta da nossa casa. Por isso, o mais coerente seria deixar os seus restos mortais em paz respeitando-os da melhor forma possível. Maria Inês Pacheco


2004 Julho

7

O RioMoinhense

Obras da Junta de Freguesia Durante este mandato, o executivo da Junta de Freguesia tem-se empenhado, na medida do possível, em satisfazer as necessidades e o bem-estar da população. O facto de não se ter feito ainda

mais e melhor é, simplesmente, devido à política da autarquia abrantina, que se preocupa mais com o desenvolvimento urbano do concelho de Abrantes esquecendo a parte rural. Assim, as freguesias ru-

rais ficam abandonadas de qualquer projecto de desenvolvimento. No entanto, ficam aqui registadas algumas intervenções efectuadas pela Junta de Freguesia de Rio de Moinhos:


8

O RioMoinhense

Julho 2004

AGENDA III Feira de Actividades Económicas, Culturais e Sociais Nos dias 2, 3 e 4 de Julho, a Junta de Freguesia de Rio de Moinhos vai realizar a III Feira de Actividades Económicas, Culturais e Sociais. Este certame vai decorrer novamente nas instalações da STOARENSO, S.A. (Celbi) com apoio e colaboração de Casa do Povo de Rio de Moinhos, Centro de Apoio a Idosos, Comissão de Melhoramentos de Pucariça, Filarmónica Riomoinhense e Stoarenso, S.A. Este evento contará com muita animação, artesanato e tasquinhas. Aos leitores das Notícias de Rio de Moinhos fica o convite para quem quiser descobrir e provar a gastronomia riomoinhense. Dia 2 (Sexta-feira) 18.00h – Inauguração oficial das festas com a presença do presidente da C.M. de Abrantes, o Dr. Nelson Carvalho (acompanhada pela Filarmónica da terra). 21.30h – Concerto da Filarmónica Riomoinhense 23.00h – Actuação do Grupo Musical “Os Zés do Açúcar” 24.00h – Encerramento dos Expositores

15.00h 18.00h 18.00h 24.00h

Dia 3 (Sábado) – Abertura dos Expositores – Jogo de Futebol 5 no Polidesportivo – Veteranos (+35) & Jovens – Actuação do Grupo Musical de Montalvo “Carlos Catarino” – Encerramento dos Expositores

Dia 4 (Domingo) 09.00h – Passeio Pedestre (Organização da Filarmónica Riomoinhense) – Concentração no local da Feira 15.00h – Abertura dos Expositores 18.00h – Actuação do Rancho Folclórico “Os Moleiros” da Casa do Povo de Rio de Moinhos 22.00h – Actuação do Grupo de Música Tradicional e Popular “Cant´Abrantes” 24.00h – Encerramento da III Feira de Actividades Económicas, Culturais e Sociais.

DESPORTO Rio de Moinhos está a participar no torneio de futebol de Montalvo. A nossa terra é representada por duas equipas, uma da Casa do Povo de Rio de Moinhos e outra da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos. Sandro, um dos nossos jogadores revela que o importante não é ganhar, mas sim, participar no evento. No entanto, é sempre bom saborear uma vitória.


2004 Julho

O RioMoinhense

Projecto

Renascer Abrantes - Concelho Solidário [

Renascer Abrantes - Concelho Solidário é um projecto de Luta Contra a Pobreza que é promovido pelo Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos e financiado pela Segurança Social. Este projecto surgiu no seguimento da candidatura do Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos ao Programa de Luta Contra a Pobreza, sendo-lhe concedida a sua aprovação a 21 de Novembro de 2003, pelo Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Santarém. Este projecto terá a duração de dois anos, terminando em Dezembro de 2005. A candidatura a este programa surgiu na sequência dos incêndios ocorridos no Verão do ano transacto, tendo como objectivo geral contribuir para a minimização dos efeitos destrutivos causados pelos mesmos, para a recuperação/reconstrução de projectos pessoais e profissionais dos indivíduos afectados e para

procurar encontrar estratégias para as zonas afectadas, apostando na sensibilização para a prevenção e preservação da floresta. Sendo este projecto um projecto de Luta Contra a Pobreza pretende também dar resposta às situações concretas de pobreza e exclusão que ainda se registam, e assim contribuir para o processo de desenvolvimento das áreas de intervenção geográfica abrangidas. Outro dos nossos objectivos, e não menos importante, é contribuir para a dinamização da freguesia de Rio de Moinhos. É nossa convicção que a concretização dos nossos objectivos só será possível com a constituição de um grupo de actores locais, que fomente dinâmicas territoralizadas, para que possamos responder às necessidades específicas de cada elemento da população alvo. Desta forma, e porque só unindo recursos, experiências e conhecimentos, através de um trabalho em

9

Susana Gil - Chefe de Projecto] rede é que conseguiremos alcançar os nossos objectivos e definir estratégias inovadoras, e consequentemente ter mais força nesta luta, que é o combate à pobreza e exclusão social. Sendo este o primeiro número do nosso boletim, terá como intuito a apresentação dos objectivos, das actividades e dos parceiros do nosso projecto, dos trabalhos que já realizámos, e algumas notícias de acontecimentos que tiveram lugar na Freguesia de Rio de Moinhos. Não posso deixar de referir que este projecto só foi para a frente graças à persistência e convicção dos dirigentes do Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos, bem como graças à aprovação dada pelo Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Santarém, que é a entidade financiadora e sem a qual não poderíamos levar avante este projecto.

“Este projecto foi Criado para Todos Nós, porque acreditamos que é Agindo no Hoje que iremos Prevenir e Construir o Amanhã que Desejamos!” O projecto tem como lema ser SOLIDÁRIO… Para um Futuro Melhor! A área de intervenção geográfica do projecto divide-se em duas partes, ou seja, a freguesia de Rio de Moinhos é abrangida por todas as actividades que fazem parte do nosso plano de acção para 2004, e as Freguesias de Martinchel, do Carvalhal, das Fontes e do Souto só são abrangidas pelas actividades que estão relacionados com o apoio às vitimas dos incêndios do ano transacto e com a prevenção dos fogos florestais.

A população alvo do nosso projecto são: famílias ou indivíduos afectados pelos incêndios do Verão passado; famílias ou indivíduos a viver em habitações sem condições mínimas de habitabilidade e em situação económica precária; indivíduos beneficiários do rendimento social de inserção (ex. rendimento mínimo garantido); indivíduos excluídos pelas diferentes problemáticas sociais (Ex. Alcoolismo, deficiência, toxicodependência, família mono-parental, etc.); indivíduos desempregados ou em situação de precariedade laboral; pessoas idosas, a viverem sozinhas ou isoladas; indivíduos que tenham a sua subsistência económica associada à floresta; indivíduos vítimas de outro tipo de situações; e a população em geral.


10

O RioMoinhense

O projecto renascer Abrantes - Concelho Solidário está dividido em cinco grandes áreas de intervenção: 1. Diagnóstico/ Envolvimento de Parceiros/ Divulgação/ Organização; 2. Criação de equipamentos e serviços; 3. Melhoria das

Condições Económicas; 4. Melhoria das Condições de Bem-Estar; 5. Animação Sócio-Educativa, Cultural e Recreativa Através destas áreas de intervenão pretendemos ajudar a população a melhorar as suas

Gabinetes O nosso projecto tem à disposição da população três gabinetes de apoio: Gabinete de Serviço Social, Gabinete de Psicologia e o Gabinete Económico-financeiro. Estes Gabinetes destinam-se à realização de atendimentos, acompanhamentos e/ou encaminhamentos dos utentes que procurem os nossos serviços, bem como, contribuir para a promoção do desenvolvimento social. O gabinete de Serviço Social é constituído por uma Assistente Social, que apoiará os utentes na procura de soluções e no desenvolvimento de estratégias de forma a atenuarem ou erradicarem a situação de pobreza e exclusão social em que se encontrem. O gabinete de Psicologia é constituído por uma Psicóloga

Clínica, que apoiará os utentes na resolução de problemáticas do foro psicológico, através de intervenção terapêutica. Este gabinete é composto por três áreas de intervenção: Psicologia do Adulto/Idoso; Psicologia da Criança e do Adolescente e Consultas de Aconselhamento a Pais. O gabinete Económico-financeiro é constituído por um Economista, que apoiará os utentes na criação do autoemprego e na reactivação de actividades económicas afectadas pelos incêndios e disponibilizará informações relacionadas com o investimento económico. Os gabinetes de apoio encontram-se em funcionamento desde o dia 10 de Maio de 2004 e o atendimento é gratuito!

Voluntários Não podemos deixar de agradecer a todas as pessoas que já se tornaram voluntárias do nosso projecto e que muito têm ajudado e contribuído para o desenvolvimento do mesmo. A todas elas: Bem Hajam! Também podes ser voluntário(a) do nosso projecto e ajudar-nos a dinamizar e a realizar algumas actividades.

Para isso basta que venhas ter connosco! Não te esqueças: Este projecto foi Criado para Todos Nós! Todos juntos podemos contribuir para o seu desenvolvimento, bem como para o desenvolvimento social e cultural da Freguesia de Rio de Moinhos.

Julho 2004 condições de bem-estar e especialmente a sua qualidade de vida, e dessa forma contribuir para a atenuação das situações de pobreza e exclusão social e para o desenvolvimento social e comunitário da freguesia de Rio de Moinhos.

Parceiros O nosso projecto tem, actualmente, como parceiros a Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, a Câmara Municipal de Abrantes, a Santa Casa da Misericórdia de Abrantes, os Bombeiros Municipais de Abrantes, o Instituto Português da Juventude e o Nersant – Associação Empresarial. É nossa intenção estabelecer parcerias com a Associação de Agricultores do Concelho de Abrantes, Constância, Mação e Sardoal, para as acções relacionadas com a prevenção dos fogos florestais, com as Juntas de Freguesia de Martinchel, do Souto, do Carvalhal e das Fontes, para a realização de acções relacionadas a prevenção dos fogos florestais, e com o apoio às vítimas dos incêndios do ano transacto, que residam nestas freguesias. Pretendemos também oficializar a parceria com o Agrupamento de Escolas Abrantes Oeste, que já realizou algumas actividades em parceria com o projecto.

O projecto funciona nas instalações do Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos, de Segunda a Sexta-feira, das 09h30 às 13h e das 14h às 18h.


2004 Julho

11

O RioMoinhense

Actividades “O RioMoinhense” Este Boletim Informativo tem como objectivo dar a conhecer à população o que já foi realizado pelo projecto e o que se irá realizar, bem como, os acontecimentos da freguesia.

Terá a periodicidade Mensal, podendo passar, posteriormente a Bimensal, e será gratuito. Para realizarmos este boletim contamos com a ajuda incondicional do Rui André,

da Sónia Pacheco e da Ana Sofia Caldelas, que todos os residentes na Freguesia tão bem conhecem, e para os quais deixamos os nossos agradecimentos.

Apresentação do projecto à população Para que a população residente na Freguesia de Rio de Moinhos pudesse ter um pouco mais de conhecimento sobre o nosso projecto, foram realizadas três apresentações públicas: uma na localidade de Rio de Moinhos no dia 7 de Maio de 2004, outra na localidade de Amoreira a 14 de Maio de 2004 e a última a 21 de Maio de 2004 na Pucariça. Estas apresentações tiveram como principal finalidade explicar quem somos, o que queremos fazer, como o fare-

mos, a quem se destina e essencialmente podermos responder a questões e dúvidas que a população tivesse acerca do mesmo. A aderência da população às sessões de apresentação foi bastante grande, o que nos deixou muito contentes e satisfeitos porque um dos nossos grandes objectivos é conseguir divulgar o nosso projecto junto do maior número de pessoas, de modo a que estas possam recorrer aos nossos serviços e assim possamos trabalhar

todos em conjunto, para o bem de todos e da própria freguesia. Para realizarmos estas sessões tivemos todo o apoio da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos, da Associação de Moradores de Amoreira e da Comissão de Melhoramentos da Pucariça, que, gentilmente, nos cederam as suas instalações para realizarmos as sessões e para as quais deixamos, aqui, os nossos agradecimentos.

Sede Social da Junta de Freguesia de Rio de Moinhos

Sede da Associação de Moradores de Amoreira

Sede da Comissão de Melhoramentos da Pucariça

Obras nas Instalações do Centro de Apoio a Idosos As primeiras obras que se iniciaram a 21 de Junho de 2004, têm como finalidade o funcionamento dos Gabinetes de Apoio ao Utente do projecto. Com estas obras iremos apenas arranjar algumas salas do edifício, e uma casa de banho, bem como os corredores de acesso, as escadas e o te-

lhado. Mas, acreditamos que estas obras possam são ser o ponto de partida para a realização do sonho da instituição que é pôr de pé a grande obra de criação do Centro de Dia e Apoio Domiciliário do Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos.

Acreditamos que com força, determinação e o apoio de todos conseguiremos num futuro próximo, realizar este sonho que é tão bonito e um bem tão precioso e necessário para a Freguesia de Rio de Moinhos. Vamos continuar a lutar e nunca baixaremos os braços!


12

Julho 2004

O RioMoinhense

Comemoração do Dia da Árvore Porque acreditamos que é através da sensibilização que se consegue fazer prevenção, no dia 22 de Março de 2004, comemorámos o Dia Mundial da Árvore com o objectivo de conseguirmos que a nossa mensagem de apelo sobre a importância da conservação e preservação da natureza fosse ouvida por todos. Como acreditamos que a prevenção deve começar por ser feita junto das camadas mais jovens, visto que elas são o nosso futuro, apesar de não podermos descurar a importância do papel de todas as outras camadas etárias convidámos a estarem presentes nesta actividade todas as crianças que frequentam os estabelecimentos de ensino da freguesia de Rio de Moinhos, bem como toda a população residente nesta freguesia. Estiveram presentes os alunos das escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico de Rio de Moinhos, de Amoreira e da Pucariça, os alunos dos Jardins de infância de Rio de Moinhos, Amoreira e Pucariça, bem como um grande número de populares, que aceitou o nosso convite e veio participar na

actividade. Para assinalarmos este dia foram plantadas várias árvores pelos alunos, pelas professoras, pelos populares e pelos representantes de algumas entidades presentes, e que foram gentilmente oferecidas pela empresa Celbi. Estas árvores ficaram identificadas com pequenas etiquetas, representando quem as plantou. Foram também distribuídos pelos presentes folhetos alusivos à conservação da natureza e que tinham como slogan “A floresta é essencial à vida, vamos todos tomar conta da floresta”. No final, foi oferecido um pequeno lanche aos presentes, que entretanto ouviram uma pequena história contada por um idoso o Sr. Álvaro “Mata Ratos” e que se intitulava “A árvore que tinha vergonha das suas raízes”, e um poema intitulado “O Planeta Azul” da autoria de M.L.J. Por fim, não podemos deixar de referenciar todo o apoio prestado pela Junta de Freguesia de Rio de Moinhos na preparação e realização de toda esta actividade, e na gentileza que teve ao presentear

todas as crianças com um boné. Temos, ainda, de deixar os nossos agradecimentos ao Sr. José Eduardo Vizeu Nogueira que ofereceu gentilmente a cada uma das crianças um moinho de vento feito, com materiais recicláveis, pelas suas próprias mãos; à Associação de Agricultores dos Concelhos de Abrantes, Constância, Sardoal e Mação a sua presença bem como a disponibilização do seu representante em falar com todas as crianças, enquanto estas plantavam as árvores, sobre a importância das mesmas para o ambiente, bem como da importância da sua preservação e dos cuidados que podemos e devemos ter para as preservar; à Guarda Nacional Republicana (departamento do Ambiente); aos Bombeiros Municipais de Abrantes; à Celbi; ao Agrupamento de Escolas Abrantes Oeste; ao Monsenhor Cónego José Genro Carvalheira, e especialmente a todas as pessoas que estiveram presentes e que participaram na actividade, porque sem elas a sua realização não teria sido possível.


2004 Julho

13

O RioMoinhense

Comemoração do Dia Mundial do Ambiente Para assinalarmos este dia, realizamos uma pequena actividade com todos os alunos das Escolas do 1.º ciclo do Ensino Básico e dos Jardins de Infância da Freguesia de Rio de Moinhos, e com alguns populares, essencialmente pessoas idosas, com o objectivo de sensibilizarmos todos os presentes, especialmente os mais novos, para a importância da Conservação da Natureza e da Reciclagem na Protecção do Ambiente e do Mundo. A actividade realizou-se da parte da manhã, das 09:30 às 13:00 e começámos logo por ver um filme que falava sobre a importância da Conservação da Natureza e que foi gentilmente trazido, para o efeito, pela Guarda Nacional Republicana – Departamento do Ambiente. Com este filme pretendíamos despertar todos os presentes para as pequenas coisas que podemos fazer para ajudar a conservar o Mundo em que vivemos, e para verificarem que algumas das atrocidades que o Homem provoca e faz, muitas vezes sem se aperceber, têm um efeito ex-

tremamente nefasto no Ambiente e consequentemente no nosso Planeta. A seguir foi apresentado um trabalho, realizado pelas técnicas do projecto, sobre reciclagem. Esta apresentação teve como objectivo explicar o que é a reciclagem, porque é que é importante reciclarmos as embalagens, como é que o podemos fazer, tanto em casa como na escola, de forma simples, prática e sem gastarmos muito tempo, o que são os ecopontos, para que servem e que embalagens podemos colocar em cada um deles. Acreditamos que através desta apresentação todos os presentes tenham ficado a saber mais sobre reciclagem e aprendido que através deste pequeno gesto, que é reciclar, estamos a proteger o Ambiente e o Mundo em que vivemos. No final, as crianças foram divididas em vários grupos para, em conjunto com as professoras, realizarem um trabalho criativo com os materiais recicláveis que tinham à sua disposição e que estavam divididos por grupos (como devem ser divididos para pode-

rem ser reciclados): o grupo amarelo, do plástico e do metal, o grupo verde, do vidro e o grupo azul, do papel e do cartão. Estes materiais foram trazidos para a escola pelas crianças, durante a semana anterior à realização da actividade, e, posteriormente, divididos. Foram elaborados trabalhos extremamente criativos e interessantes. Não podemos deixar de agradecer à Junta de freguesia de Rio de Moinhos e à Guarda Nacional Republicana todo o apoio prestado na realização desta actividade. Por fim um agradecimento muito especial a M.L.J. que escreveu um magnífico poema, que transcrevemos para um pequeno panfleto que entregamos a todas as crianças, intitulado “Hino à Vida”. Por fim deixamos no ar uma pequena frase: “Se todos nós, mesmo através de pequenos actos, lutarmos para a conservação da natureza, estamos a ajudar a proteger o nosso Planeta e a torná-lo mais Saudável.”


14

Julho 2004

O RioMoinhense

Curso de Formação “Programa Pais a Pais” No passado mês de Junho, realizou-se nas instalações do Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos um curso de formação para pais, encarregados de educação ou outros educadores, que se intitulava de “Programa Pais a Pais”. Esta formação foi organizada pelo projecto Renascer Abrantes – Concelho Solidário e realizada pela Associação Portuguesa de Pais Intervenientes em Prevenção. A realização deste programa tinha como objectivo a prevenção do consumo de drogas (de todos os tipos, ex. estupefacientes, álcool, tabaco, medicamentos, entre outras) através do desenvolvimento das capacidades educativas dos pais. O curso teve a duração de nove horas, distribuídas por 3 sessões de 3 horas e realizouse nos dias 4,11 e 18 de Junho de 2004 das 20:00 às 23:00. Durante o curso foram abordadas seis temáticas: A

Família nos Dias de Hoje, Saber Lidar com o Adolescente, Ter Direito à Informação, Participar na Vida dos Nossos Filhos, Prevenção é: Evitar, Tratar e Inserir e, por último, Desfrutar a Vida. O nosso projecto decidiu realizar este curso de formação porque sabemos e acreditamos que, cada vez mais, nos dias que correm os pais não podem ignorar os riscos que os seus filhos correm no que diz respeito ao consumo de drogas. Como tal, acreditamos que têm toda a vantagem em desenvolver os seus conhecimentos, de forma a incentivarem nos seus filhos o gosto por uma vida realizada e saudável e que vale a pena conseguirem transmitir aos seus filhos que os jovens que abusam de drogas não só perdem a sua própria liberdade como comprometem o bem estar da família, dos amigos e da sociedade em geral. Como tal, a questão da dro-

ga, assim como outras questões (ex. educação sexual, segurança rodoviária, etc.) deve ser abordada desde os primeiros anos de vida, com naturalidade e compreensão, e melhor que ninguém, os pais estão na situação ideal para o fazer. Durante o curso, os pais puderam expor as suas dúvidas e interrogações e ter a oportunidade de conversar, quer com os outros pais, quer com a formadora, de forma a que no final se sentissem mais seguros e capazes de desempenhar o seu papel de pais e educadores. Esperamos que este curso tenha sido importante para os pais presentes, que com algum esforço estiveram presentes nestas horas de formação e deixaram de lado as tarefas que habitualmente têm que fazer nesse tempo. Mas, ninguém melhor que os pais para o dizer!

Actividades Agendadas Participação na III Feira de Actividades Económicas, Culturais e Sociais de Rio de Moinhos O nosso projecto e a instituição que o promove, ou seja, o Centro de Apoio a Idosos da Freguesia de Rio de Moinhos irão estar representados na III Feira de Actividades Económicas, Culturais e Socias.

Nesta Feira estarão expostas fotografias, trabalhos e folhetos, fruto de algumas actividades levadas a cabo pelo projecto, bem como, algumas plantas das futuras instalações do Centro de Apoio a Idosos da

Freguesia de Rio de Moinhos. Irão ser distribuídos folhetos do projecto e dos seus Gabinetes de Apoio ao Utente e será lançado o n.º 1 deste Boletim Informativo.


2004 Julho

15

O RioMoinhense

Realização de um Campo de Férias Se tudo correr como esperamos na semana de 19 a 24 de Julho de 2004 iremos realizar um campo de férias não residencial (as crianças vão dormir às suas casas) para crianças com idades compreendidas entre os 8 e os 12 anos e que residam na Freguesia de Rio de Moinhos. O campo de férias intitula-se “Curtindo, Aprendendo e Descobrindo” e é fruto da nossa candidatura ao Programa “Férias em Movimento” do Instituto Português da Juventude. O campo de férias tem o limite máximo de 25 inscrições e o mínimo de 13. É composto por diversas actividades, que vão desde as dinâmicas de grupo, à canoagem, ao tiro com arco, à orientação, ao btt,

ao slide, às brincadeiras em insufláveis, às idas à praia e às piscinas, às visitas a diversos locais ou monumentos, entre muitas outras…todas elas acompa n h a d a s p o r m o n i t o r e s especializados. As crianças que se inscreverem têm direito a duas refeições (almoço e lanche), ao transporte do ponto de encontro para os locais onde se realizam as actividades e a um seguro de acidentes pessoais. A taxa de inscrição é de 3,00 € por dia, o que perfaz um total de 18,00 € para os 6 dias. O ponto de encontro do campo de férias, bem como a realização de algumas actividades será na Escola do Ensino Básico de Rio de Moinhos. Desde já, deixamos

aqui as nossas desculpas aos jovens com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos que estavam entusiasmados e com vontade de participar num campo de férias. Devido às diversas dificuldades e entraves com que nos depáramos para a realização dos campos de férias, tivemos que desistir do nosso objectivo que era este ano realizarmos dois campos de férias, abrangendo os diferentes grupos etários. Esperamos e iremos lutar para que no próximo ano consigamos realizar dois campos de férias, um para crianças/jovens com idades compreendidas entre os 8 e os 12 anos e outro para jovens com idades compreendidas entre os 13 e os 16 anos.

Desfile “Passado, Presente e Futuro” No mês de Setembro, do corrente ano, iremos levar a cabo a realização de um desfile de moda e a apresentação de algumas pequenas representações teatrais, com o objectivo de dinamizarmos um convívio para todos: crianças, adultos e idosos, e de alguma forma contribuir para a diminuição do isolamento social e cultural. Os participantes nesta actividade têm que ser pessoas que residam na freguesia de Rio de Moinhos, de qualquer faixa etária.

Os fatos e adereços serão feitos por alguns populares e voluntários do projecto, que já se disponibilizaram para o efeito e outros que estejam interessados em ajudar. As representações serão ensaiadas pela Viviane, com o apoio das técnicas do projecto, e o desfile será ensaiado pelas técnicas, com o apoio da Viviane. Apesar da actividade só se realizar no mês de Setembro, decidimos fazer referência à mesma porque necessitamos de mais

voluntários para participar, ajudar na criação dos fatos e na organização e planeamento de toda a actividade. Para que a actividade seja um sucesso, temos que ser rápidos e começar já este mês com os ensaios e o trabalho de bastidores. Se tem entre 0 e 100 anos venha ter connosco e participar nesta espectacular actividade. Muitas surpresas ainda estão por desvendar!!!


16

O RioMoinhense

Julho 2004

Agência de Seguros José Manuel Lucas Vieira “Serralha” Rua José Maria Mora, 15 Tel. 241 881 127 Fax: 241 881 133 Telm. 96 7009588 - Apartado 5 2200 - 799 RIO DE MOINHOS ABT

“O RAMIRO”

restaurante Ramiro e Fernanda

Agência de Seguros

João Garrafão Rio de Moinhos Abrantes telm. 966262516

ENCERRA à 2ª FEIRA Rua 1º de Maio 2200-783 Rio de Moinhos ABT

Tel.: 241 881 263

Encerra para férias dia 12 de Julho de 2004 Reabre dia 28 de Julho de 2004

Zeferino Gama

Invista colocando aqui o seu anúncio

MÓVEIS E ELECTRODOMÉSTICOS

241 881 162 (Comércio) 241 881 372 (Residência)

Rua Avelar Machado, 20-24 2200 Rio de Moinhos ABT

Contacte: 96 5589318 (das 20H30 às 22H30)

Paulo Jorge Barrento Monteiro Rua Avelar Machado 14-rc 2200-785 Rio de Moinhos - ABT

Assinatura

(aceita-se cópia deste destacável)

Nome:_____________________________________________________________________ Morada:___________________________________________________________________ Telefone:_________________________ portes de envio: ______,____ euros apoio (facultativo): ______,____ euros

Torne-se assinante d’O RioMoinhense e contribua para o desenvolvimento da sua terra

O RIOMOINHENSE N.º 1  

Boletim Informativo O Riomoinhense n.º 1 publicado em Juhlo de 2004

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you