Page 1

COMUNICA! COMUNICA!

Jornal mural do Curso de Com. Social - Jornalismo - Universidade Federal de Uberlândia - Ano 4 - Número 07

O Centro Acadêmico do curso está organizando a 2ª edição do Intensivão, evento que propõe mostrar a profissão além dos olhares da sala de aula. Agendado para 12, 13 e 14 de dezembro, com programação prevista para preencher o dia todo, o local ainda não foi definido. O Intensivão promoverá três mesas de debate, uma oficina, um sarau literário e um cine debate, mas a presidente do CA, Raissa Dantas, diz que mudanças poderão ocorrer. Com foco em midialivrismo, o evento pretende trazer nomes relacionados ao grupo Fora do Eixo, ao Coletivo de Comunicadores Populares e ainda jornalistas como José Arbex Jr. e Xico Sá. O estudante Lucas Angoti, do 1° período, acredita que eventos deste tipo são importantes, pois enriquecem o aprendizado. Já o graduando Ugo Flores, acha que o sucesso do Intensivão dependerá de uma boa organização e divulgação.  Felipe Flores e Lara Lacerda

Curso sofre por espaço

Descentralização dificulta integração das turmas

FOTO MAYSA VILELA

O Jornalismo da UFU recebe sua 4ª turma e enfrenta, desde sua abertura em 2009, problemas de infraestrutura e descentralização. Apesar dos alunos e docentes terem laboratórios exclusivos para seu uso, eles são insuficientes para suprir a demanda e não há um prédio que centralize todas as salas. O re­ sultado disso é percebido na dificuldade de socialização entre as turmas. O curso foi aberto nos termos do Reuni e o dinheiro investido só foi aplicado após a abertura da 1ª turma. Por esse motivo, a coordenadora Adriana Omena explica que a turma foi prejudicada pela falta de laboratóri­ os específicos e professores. Isley Borges, aluno da 3ª turma, diz que a concentração dos ambientes daria mais visibilidade ao curso e aos alunos. Porém, para ele, não existem dificuldades de locomoção para os lo­ cais usados e ressalta que mesmo ha­ vendo a carência de laboratórios e salas para os diretórios do curso, a UFU consegue cumprir seu papel mais im­ portante: formar jornalistas com capaci­Dimensões reduzidas da sala dificultam atividades dade crítica e reflexiva. 

Foi realizado, em novembro deste ano, o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), prova do Ministério da Educação que avalia o conteúdo agregado pelos discentes du­ rante a graduação. A avaliação foi efetuada pela primeira turma em 2009, enquanto a segunda só fez a prova agora. Os alunos obtiveram conceito 4,2 de um total 5,0, considerado alto pela coordenadora Adriana Omena. Segundo ela, foi grande a ex­ pectativa para essa edição, já que se esperava uma média maior ou, no mínimo, igual à anteri­ or. Cindhi Belafonte, que realizou o exame, con­ corda e acrescenta: “Eu acho que nós vamos ter uma nota boa e vamos conseguir manter esse pa­ drão”. Maria Tereza Borges, do quinto período, considera que sua turma estava se sentindo pres­ sionada devido ao resultado obtido na edição an­ terior. Apesar disso, a estudante diz que ficou mais tranquila ao ver as provas já realizadas e conversar com quem já fez o exame. O Enade é constituinte do Sistema Nacio­ nal de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que avalia a qualidade das instituições de ensino superior e gera o conceito preliminar de curso. Além do exame, o Sinaes também é constituído pelo Índice Geral de Cursos (IGC) – que os clas­ sifica de acordo com sua qualidade – e pelo Conceito Institucional (CI), obtido através do es­ tudo da infraestrutura da instituição.

O manual do exame foi divulgado em ju­ nho e a prova, aplicada em 18 de novembro. O Enade é componente curricular obrigatório para todos os cursos de graduação.  Paula Nascimento e Ugo Flores

Nayane Dominique e Priscila Diniz

Alunos aprendem na prática Produções das disciplinas agregam experiência

Fonte: http://emec.mec.gov.br/

Leidiane Campos, Marina Colli, Paula Nascimento e Ugo Flores

Criado estatuto da Atlética Associados fazem planos para 201 2

A Atlética do Jornalismo, fundada em 2011, por Augusto Ikeda e Suzana Arantes, aprovou seu estatuto. O documento possibilitará a arrecadação finan­ ceira e a organização de equipes para disputas. Para Ikeda, o estatuto é importante porque registra a existência da entida­ de, mas ainda é necessário atrair associados.A situação financeira também é pouco satisfatória. Para arrecadar fundos e criar uma identidade será produzido um kit, com uma camiseta e um chaveiro. A instituição espera disputar os campeonatos promovidos pela Divisão de Esportes e Lazer Universitários (DIESU). Caio Nunes, diretor da Atlética, afirma que serão inscritas equipes para futsal e peteca masculinos, vôlei e han­ debol femininos e competições individuais. Com os resultados, a direção espe­ ra que o número de associados aumente.  Leonardo Hamawaki, Lucas Manaf e Thais Scarlet

tocoliza, orienta e informa ações e dados do poder público. A professora de Mídias e Comunicação, Christiane Pitanga, sugere a criação no curso de Jornalismo de uma matéria optativa que enfatize as várias possibilidades de atuação no cenário mercadológico — entre elas como a lei deverá ser aplicada na mídia de forma compreensível. Entretanto, a coordena­ dora do curso, Adriana Omena, afirma que a disciplina Legislação e Direito à Comunicação, do 6º período, já abordaria os seus resultados. Através da lei, são levantados questionamentos sobre sua influência na formação jornalística. Para Victor Albergaria, estudante de Jornalismo, a nova norma possibilitará notícias com mais veracidade devido à clareza dos dados divulgados. 

O curso de Jorna­ lismo oferece duas no­ vas opções de práticas jornalísticas. O Circuito Universitário, produto da disciplina optativa Produção Audiovisual e uma revista eletrônica, coordenada pelas disci­ plinas de Jornalismo Di­ gital e Especializado, do 7º período. Para Felipe Salda­ nha, da 1ª turma, o Cir­ O Circuito é totalmente produzido pelos estudantes cuito é uma ótima experiência. A responsá­ vel, Christiane Pitanga, considera que os alunos praticam as técnicas e co­ nhecimentos adquiridos e melhoram profissionalmente. A revista eletrônica também inova. Segundo a professora Rose Vidal, o intuito é fugir dos moldes atuais com a participação de outras áreas, como as Artes e a Ciências da Computação. Os alunos do jornalismo cuidarão do conteúdo. Lucas Jerônimo tem grande expectativa para os resultados, pois acre­ dita que a prática será importante para se qualificar. O mesmo argumento foi utilizado quando se propôs a implantação da revista, diz Adriana Ome­ na, pois o conteúdo produzido será anexado ao portfólio do aluno. 

FOTO MAYSA VILELA

Segunda edição contará com debates e oficinas

Lei de acesso é aprovada Estudantes da UFU realizam ENADE oportunidades à formação jornalística Exame de desempenho integrante do SINAES ocorre no fim Novas A Lei de acesso à informação, que visa tornar a informação pública um direito da sociedade, entrou em vigor no dia 16 de maio. Para garantir o seu do ano cumprimento, foi criado o Serviço de Informações ao Cidadão (SIC), que pro­

ARTE: UGO FLORES

CACoS organiza Intensivão

FIQUE LIGADO! Rádio na web

Língua

Vagas ociosas

Mariana Goulart, da 2ª turma de Jornalismo, está desenvolvendo um projeto de iniciação científica sobre a rádio na internet. O trabalho orientado pela professora Sandra Garcia, pretende analisar o comportamento dos usuários nos sites Last FM e Blip FM, além de permitir o contato entre a aluna e a área de pesquisa.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais promoveu curso de português para profissionais e estudantes da área. O tema foi “Escreva certo, não erre mais”, com o objetivo de esclarecer dúvidas na escrita jornalística. O evento ocorreu em março na Câmara Municipal em Uberlândia.

A UFU realizou duas chamadas extras das listas de espera no vestibular. Para o curso de jornalismo foram oferecidas 30 vagas em sete chamadas. Ainda há duas em aberto, que podem ser preenchidas por portadores de diplomas e com vagas ociosas. Inscreveram­se 315 pessoas na lista, sendo convocadas 62.

José Elias Mendes, Lorena Martins, Maysa Vilela e Paulo Machado

Expediente O jornal mural COMUNICA é uma produção laboratorial do primeiro semestre do Curso de Comunicação Social – Jornalismo da Universidade Federal de Uberlândia. Reitor: Alfredo Julio Fernandes Neto / Diretor da FACED: Marcelo Soares Pereira da Silva / Coord. do curso de Jornalismo: Adriana Cristina Omena dos Santos / Pro­ fessora responsável: Ana Spannenberg (MTb 9453) / Reportagem, redação, edição e fotografias: alunos da disciplina Projeto Interdisciplinar em Comunicação I / Arte e Diagramação: Ricardo Ferreira de Carvalho / Telefone: (34) 3239­4163

COMUNICA 07 - dezembro 2012  

Jornal-mural do curso de Comunicação Social - Jornalismo - FACED/UFU - Ano 4 – Número 7 – Uberlândia, MG – dezembro de 2012 O jornal-mural C...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you