Page 1


2


[Proposta artística[

Arte.Descoberta da nossa cidade Espaços Imaginários

3


Arte.Descoberta da nossa cidade Espaços Imaginários Proposta artística

Descrição Um dos eixos de intervenção da oficina arte.descoberta é a Educação, é colaborar no projeto educativo de instituições de ensino formal e não formal: como escolas, escolas profissionais, academias ou conservatórios, câmaras municipais e juntas de freguesia, numa vertente artística, cultural, social e pedagógica. Procurando, desafiando com projetos artísticos que contribuam para: a inclusão social; reforçar a parceria entre escolas e instituições culturais; envolver comunidade educativa e famílias para desenvolver o gosto pelas diferentes formas artísticas; valorizar a arte como uma forma de conhecimento.

Mas no seu todo, O que fazemos?

_realização de workshop _instalações artísticas _oficinas artísticas _concepção e produção de projetos educativos projetos artísticos eventos culturais

Assim o que se propõe fazer com a comunidade é desenvolver, criar e apresentar instalações artísticas integradas, ou não, em eventos da cidade ou criados por nós. Trabalhando momentos artísticos colaborativos que: - Valorizem a participação das crianças mas também de outro público; - Valorizem a cultura e o património local; - Intervencionem espaços do quotidiano da cidade. Os objetos artísticos serão executados numa perspetiva assente no conceito de arte participativa, colaborativa e comunitária, onde todos possam usufruir de momentos em que a descontração e a aprendizagem interajam para proporcionar experiências enriquecedoras de partilha e convívio, unindo gerações e tradições.

4


É ambicionada a concepção de instalações de grande porte, que procurem unir massas na partilha da construção de um objeto de impacto visual positivo, cujo crescimento está intrinsecamente relacionado com a participação da comunidade.

Objetivos São desenhados como principais objetivos, os seguintes:

-Promover atividades no sentido da construção conjunta de uma identidade viva e vivida por todos, criando um espaço de educação para a Cidadania e de intervenção sócioeducativa; -Desenvolver um trabalho de inclusão e incentivo à participação cultural, artística e cívica da comunidade da cidade; - Motivar e implicar cada vez mais a criança/jovens na construção dos seus saberes, por via da prática artística; -Proporcionar a aquisição de atitudes mais autónomas no sentido de uma intervenção responsável e democrática na Comunidade; -Criar espaços de reflexão e análise crítica, implicando todos os intervenientes nos processos artístico-educativos; -Promover o desenvolvimento integral do indivíduo, pondo em ação capacidades afetivas, cognitivas, cinestésicas e provocando a interação de múltiplas inteligências; -Permitir afirmar a singularidade de cada um, promovendo e facilitando a sua expressão; -Usar como recurso elementos da vivência natural do ser humano que ele organiza de forma criativa; -Constituir-se como um terreno de prazer, de partilha de sentimentos, emoções, vivências e conhecimentos; -Apresentar uma obra artística única e irrepetível no final. Devido ao caráter inclusivo das propostas, a aplicação das mesmas levará não só a um sentimento de apropriação das instalações e espetáculos de cariz cultural que a cidade procura desenvolver, como também contribuirá para a fomentação de uma consciência cívica e valorativa perante a cidade e os eventos.

5


O que fizemos?

O projeto será coordenado e executado por uma equipa de trabalho (professores e artistas) já com uma larga experiência neste tipo de atividades artísticas educativas formais e não formais (ver anexos),

bem como na dinamização e coordenação de eventos artísticos,

exemplos: 2006- 2012 – “Projetarte – Leonardo Coimbra”, Projeto artístico Educativo na escola EB2/3 Dr. Leonardo Coimbra (filho), Porto. Projeto que promovia o desenvolvimento de competências artísticas em crianças provenientes de bairros considerados problemáticos; 2012 – “Noite Branca”, Braga 2012 – Capital Europeia da Juventude; "GuimarãesPlay" Guimarães2012 Capital Europeia da Cultura; 2013 – “Noite Branca”, Braga; 2015 – “Semear tradições” - Sonae, Guimarães; 2016 – “Strime” - Proposta vencedora do Concurso de Arte Performativa, Sonae, NorteShopping; “Rostos da minha Terra” – Projeto artístico Educativo, Braga em Risco – Encontro de Ilustração, Braga; “A linha de Braga” –workshop/instalação artística, Braga em Risco – Encontro de Ilustração, Braga; “Ilustrar com agulhas e linhas” –workshop/instalação artística, Braga em Risco – Encontro de Ilustração, Braga. 2017 – “Flores no nosso Jardim” – workahop/instalação artística, Festival dos Canais, Aveiro. 2018 – “Brincar com agulha e linhas” – Projecto artístico Educativo, Festival Internacional de Teatro de Rua - Imaginarius Infantil 2018, Santa Maria da Feira; “Desenhar no Imaginário”, “Ilustrar com agulha e linhas” e “Cubo” – workshop/instalações artísticas, Festival Internacional de Teatro de Rua - Imaginarius Infantil 2018, Santa Maria da Feira; “Lugar do Feitiço” – workshop/Instalação artística, Gueto Projeto Artístico integrado na Feira de Época, A Salvação do Corpo – Torres Novas.

Responsável: _Ricardo Da Silva 914407561 ricardo_zbr@hotmail.com ricardodasilva.pt facebook.com/ricardodasilvartista/

6


7


► Anexo 1_[O exemplo de imaginarius2018, Santa Maria da Feira] No evento artístico “imaginarius 2018” a oficina arte.descoberta participou com:

Brincar com agulha e linhas

- projeto artístico educativo colaborativo

Brincar...as crianças/jovens (jardins de infância, 1ºciclo e Curso Técnico Profissional de Juventude) foram desafiados a brincar/a desenhar “bordando” seres imaginários, seres divertidos e únicos que vivem num pedaço de tecido. Bordar sem cuidado de precisão ou domínio técnico, numa viagem à exploração e experimentação do bordado, tirando partido das formas, do contorno, da silhueta usando a linha para a “construção” do ser imaginário, que nasce de linhas coloridas que se unem, que se cruzam e que no seu todo formam um ser único. A linha está presente na nossa vida e em todas as coisas que nos rodeiam, é um meio de representação elementar essencial na composição visual. Representa a forma de expressão mais simples e pura, porém também a mais dinâmica e variada. Objetivo, levar a comunidade escolar a desenhar livremente, numa viagem à descoberta do desenho livre, explorando diversos tipos de linha, misturando cores e proporcionando momentos de entreajuda e aprendizagem, onde os mais destros na arte de bordar, poderão ensinar aqueles que mais dificuldade têm, numa partilha de saberes técnicos mas também saberes colaboração e partilha. O somatório das formas obtidas resultantes de um processo artístico colaborativo foi instalado num espaço emblemático da cidade “Rua Doutor Roberto Alves”, nas suas janelas e varandas permitindo, efemeramente, criar um momento de partilha, de alegria e de criatividade, um convite a todos para entrarem no maravilhoso mundo da imaginação.

8


9


Ilustrar com agulha e linhas

- workshop/instalação artística (arte colaborativa)

A proposta, “Ilustrar com Agulha e Linhas” é inspirada na tradição da arte de bordar, tão presente no nosso país como também em diversos trabalhos artísticos que “brincam” com o contorno e com a silhueta. Os tão conhecidos lenços dos namorados, foram também uma inspiração nesta proposta, que procura sobretudo unir gerações. Pretende-se levar a comunidade a desenhar, numa viagem à descoberta do desenho livre, explorando a forma das coisas, misturando cores e proporcionando momentos de entreajuda e aprendizagem, onde os mais destros na arte de bordar poderão ensinar aqueles que mais dificuldade têm, numa partilha de saberes e histórias, entre todos de todas as idades.

10


Desenhar no Imaginário

- workshop/instalação artística (arte colaborativa)

A proposta “Desenhar no Imaginário” é inspirada no documentário Le Mystère Picasso, onde o artista desenha num parede de vidro diversas formas com uma linha, tirando partido do contorno, das transparências, do reflexo, privilegiando o imediatismo, levando o observador a render-se aos jogos de linha, luz e plano na construção das figuras. A comunidade é convidada a participar desenhando, ilustrando, com marcadores numa base transparente, numa espécie de “janela”, animais, flores e rostos imaginários, elementos integrantes de uma cidade repleta de carisma e história. Pretende-se

também

explorar

momentos de interação e comunicação entre os diversos participantes, proporcionando empatia e espanto. Prespetiva-se que o produto final, reflita um objeto de arte urbana colaborativa, explorando a extenção e consciencialização dramática do potêncial do corpo em movimento.

11


12


► Anexo 2_[O exemplo do Lugar do Feitiço,

Feira de Época, A Salvação do Corpo – Torres Novas 2018 ]

Lugar do Feitiço - workshop/instalação artística (arte colaborativa)

Atividade artística integrada no projeto artístico “Gueto” do grupo artístico “Escória”, apresentado na Feira de Época, A Salvação do Corpo, Torres Novas 2018.

13


► Anexo 3_[O exemplo de Braga em Risco, Braga]

Rostos da minha terra

– Encontro de Ilustração

- projeto artístico educativo colaborativo

Na semana de 12 a 20 de Novembro o Município de Braga promoveu o evento “Braga em risco” - encontro de ilustração, do qual constava com um programa muito diversificado com oferta de: exposições, concertos, oficinas, instalações artísticas, colóquios, performances, entre outros. A oficina arte.descoberta participou com: - A instalação artística “Rostos da minha Terra”, no espaço arquitectónico “Torre de Menagem”, integrado no Projeto Educativo “À descoberta de Braga”, sendo esta, um convite a conhecer melhor as personagens icónicas de Braga. Desenvolvemos, em contexto pedagógico, uma atividade que mobilizou saberes transversais, valorizou a experimentação, exploração, desenvolveu a autonomia e estimulou a criatividade. Brincamos, transformamos, intervindo no rosto das personagens, pintando, recortando e colando. Desta brincadeira, com o objetivo de fazer um painel (criado pela equipa de trabalho responsável pelo projeto) de rostos únicos, mágicos, integrado num espaço que no seu todo desafie o nosso olhar e curiosidade, nasceu uma instalação artística que fez parte do evento. A instalação resultante atribuiu à Torre de Menagem, uma nova vida (embora efémera), repleta de cor e criatividade, transformando-a num ambiente onírico sob o olhar atento das personalidades icónicas, repletas de história, da cidade. Permitiu também uma maior aproximação do espaço às pessoas sendo visitada por muitos transeuntes em muitos casos pela primeira vez. Neste projeto, teve-se a colaboração de 1500 alunos distribuídos pelo 1º ciclo (3º e 4º anos), 2º ciclo (5º e 6º anos na disciplina de Educação Visual), 3º ciclo (7º, 8º, 9º anos na disciplina de Educação Visual), secundário (turmas de Artes) e Profissionais. A Torre de Menagem no 1º fim de semana após a inauguração foi visitada, pelo menos, por 900 pessoas.

14


15


Ilustrar com agulha e linhas

- workshop/instalação artística (arte colaborativa)

Uma atividade em que a comunidade, durante um dia, foi desafiada a desenhar “bordando” formas simples num pedaço de tecido, sem cuidado de precisão ou domínio técnico, numa viagem à exploração do bordado, tirando partido das formas, da linha, do contorno, da silhueta. Pretendeu-se levar a comunidade a desenhar livremente, quer manualmente, quer recorrendo à máquina de costura, numa viagem à descoberta do desenho livre explorando diversos tipos de linha, misturando cores e proporcionando momentos de entreajuda e aprendizagem, onde os mais destros na arte de bordar, puderam ensinar aqueles que mais dificuldade tinham, numa partilha de saberes e histórias, entre todos de todas as idades. O somatório dos produtos obtidos permitiu a construção de um objeto artístico urbano, onde foram expostas as peças obtidas. Participaram 500 pessoas.

16


► Anexo 4_[O exemplo do Festival dos Canais, Aveiro] Pintar a minha flor

– Encontro de Ilustração

- workshop/instalação artística (arte colaborativa)

Na semana de 13 a 17 de Julho o Município de Aveiro promoveu o evento “Festival dos Canais”, do qual constava com um programa com diversas ofertas culturais. A oficina arte.descoberta realizou um workshop/ instalação artística, no dia 17 de tarde, focado nas caraterísticas da Arte Nova, em particular nos elementos florais, um movimento muito enraizado na cidade. A atividade foi constituída por um workshop “Pintar a minha flor”, em que toda a comunidade foi convidada a colaborar pintando uma flor individualmente, com tintas guache, recorrendo a stencils numa base circular em cartão. Posteriormente, os participantes, forão convidados a plantar essa mesma flor num “canteiro”. Um canteiro que foi crescendo com a participação da comunidade, um canteiro com flores imaginárias, desconstruídas e diferentes do real, de todos para todos. Os resultados obtidos permitiram obter uma instalação artística, atribuindo a este espaço uma nova vida (embora efémera), repleta de cor e criatividade, espelhando a essência, a história, da cidade. Participaram 200 pessoas.

17


► Anexo 5_[O exemplo do ProjectArte]

– Projeto Artístico Educativo

ProjectArte De 2006 a 2012 desenvolveu-se, no Agrupamento de Escolas Dr. Leonardo Coimbra (filho), no Porto, um projeto de grande impacto na escola e na comunidade, designado “ProjectArte”. Constituía uma tentativa de minorar as dificuldades sentidas por professores, pais e alunos, num conjunto de escolas com índices de absentismo, indisciplina e insucesso enormes e com um decisivo défice de participação da comunidade. Uma pequena equipa de professores foi apresentando planos de atividades sucessivamente mais arrojados e desenvolvendo oficinas artísticas de expressão dramática, dança, percussão, expressão plástica e tecnológica, informática, fotografia, artes circenses, multimédia, entre outras, dinamizando projetos de interseção entre a escola e a comunidade, ou até com outras comunidades, como a Associação do Porto de Paralisia Cerebral ou o Centro de Iniciativa Jovem. Dinamizaram-se dezenas de eventos de grande dimensão e impacto na comunidade, como as Feiras Ecológicas (evento com dezenas de atividades, entre palestras, concertos, exposições, workshops, ciclos de cinema, etc.) ou o Dia Escolar da Não Violência e da Paz. O ProjectArte criou parcerias com instituições públicas e privadas, por forma a suprir as dificuldades de orçamento e aproveitou projetos como o “Porto de Futuro” da Câmara Municipal do Porto, para captar o interesse dessas instituições. Em poucos anos, os progressos do Agrupamento em todos os rankings de desempenho académico, a diminuição abrupta do absentismo e a mudança da imagem da escola fizeram com que o ProjectArte fosse convidado a apresentar-se em mostras de boas práticas em vários pontos do país, quer pelo Departamento do Ensino Básico do Ministério da Educação, quer pela Direção Regional e pela coordenação dos Agrupamentos em Territórios Educativos de Intervenção Prioritária. Foi também convidado a apresentar-se em palestras acerca de Educação e em aulas na Universidade Católica, no Porto. O ProjectArte foi ainda convidado a trabalhar com a banda “Clã”, no videoclip do tema “Asas nos Pés”, tendo desse trabalho resultado uma reportagem televisiva acerca do projeto (RTP – 30 minutos). Alguns exemplos deste trabalho: http://www.youtube.com/watch?v=1U4zyjdum_U http://www.youtube.com/playlist?list=PL11BF34A161C0DC47 http://www.youtube.com/watch?v=ZN0d2fi8QCc http://www.youtube.com/watch?v=l_Y0YjVooRc

18


â–ş Saber mais www.facebook.com/oficina-artedescoberta-1875147539478802/ â–ş Contato 914407561, Ricardo Silva

19


“As artes são elementos indispensáveis no desenvolvimento da expressão pessoal, social e cultural (...). São formas de saber que articulam imaginação, razão e emoção. Elas perpassam as vidas das pessoas, trazendo novas perspetivas, formas e densidades ao ambiente e à sociedade em que se vive. A vivência artística influencia o modo como se aprende, como se comunica e como se interpretam os significados do quotidiano. Desta forma, contribui para o desenvolvimento de diferentes competências e reflete-se no modo como se pensa, no que se pensa e no que se produz com o pensamento. As artes permitem participar em desafios coletivos e pessoais que contribuem para a construção da identidade pessoal e social, exprimem e enformam a identidade nacional, permitem o entendimento das tradições de outras culturas e são uma área de eleição no âmbito da aprendizagem ao longo da vida.” In Currículo Nacional do Ensino Básico – Competências Essenciais

20


Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo gráfico, de imagem, das peças demonstradas ou texto deste documento sem autorização prévia escrita da equipa.

O presente documento foi entregue no dia

de

de 2018

Pel´responsável

_______________________________________________________________________________ (Ricardo Da Silva)

21

oficina arte.descoberta_o que fazem  

A oficina arte.descoberta é um projeto assente no conceito de arte participativa, colaborativa e comunitária, onde todos possam usufruir de...

oficina arte.descoberta_o que fazem  

A oficina arte.descoberta é um projeto assente no conceito de arte participativa, colaborativa e comunitária, onde todos possam usufruir de...

Advertisement