Issuu on Google+

bUSINESS

HISTÓRIA DA MARCA

FOtOS dIVulGAÇãO

à fronteira com a Suíça), resolveu mudar-se para jeto, assumiu diversos trabalhos temporários para se manter. Nessa empreitada, habilidoso, dominou Quando sua fama de perfeccionista chegou ao ounaquele ambiente da aristocracia francesa o celeiro qualidade e, a reboque, alvo de imitadores e falano o primeiro logo da grife, que passou a gravar carteiras e bagagens da maison cruzaram épocas, vencendo fronteiras e modismos. Entre os ilustres e aventureiros a dândis, príncipes e artistas. O mabradava um slogan datado de 1921. A frase, para quem entende das coisas boas, evoca mais do que a íntima relação que temos com nossos pertences com os olhos a poética da originalidade. E quem

Louis Vuitton Por Eduardo Dantas

A nobre trajetória de uma grife que cruzou épocas e fronteiras, sempre atenta às necessidades de cada geração

a carruagem, os passageiros sofriam para chegar ao destino. Com a popularidade do então recente mercado turístico, um astuto jovem artesão suíço mente para as carroças, precisavam se adequar em design e em conceito aos novos tempos. Ele, tampas curvas para facilitar o empilhamento, criou compartimentos internos para os mais diversos ticouro do revestimento por lona, que, além de mais Vuitton, chamava-se o artesão, dono de sensibili-

As melhores marcas trazem consigo, comumente, histórias de superação. Não menos raro é encontrar nas grifes de sucesso o motivo que iniciou

panorama de mudanças sociais, uma oportuni-

falhas na prestação de serviços de suas respectivas dável com o advento do trem e do barco a vapor. Antes disso, até o século 19, o turismo traduzia-se

1858. Em 1867, a empresa já participava da Feira a história começa bem antes, quando, em 1835,

88

SÃO PAULO

MARÇO/ABRIL 2012


Louis Vuitton