Page 1

45ª Edição - Ano XIII - R$ 15,00 revistazelo.com.br

Comportamento

Colecionadores de discos de vinil compartilham suas histórias entre álbuns, vitrolas e muitas lembranças

Lar

Um panorama sobre os impactos da pandemia na ressignificação do morar e as tendências de habitação

Cultura

Artistas goianos revelam como a crise afetou seus processos criativos e interferiu na concepção de novas obras






SUMÁRIO

20

Cultura Isolados socialmente em consequência da Covid-19, artistas mostram como seus processos e produções foram afetados

48

74

Lar Zelo apresenta panorama sobre os impactos da pandemia na ressignificação do morar e as tendências de habitação atuais

Hora do chá Eloína Telho

dá dicas de harmonização entre a bebida oriental mais antiga do mundo e a literatura

26

56

78

Comportamento Colecionadores de discos de vinil mostram como hábito se mantém vivo através de gerações e por meio de memórias inesquecíveis

Mostra Casa Cor reuniu seu elenco

de profissionais em projeto que materializa a compreensão da moradia no período pós-pandemia

Viagem Acomodações espalhadas pelo Brasil são ótimas opções de destino para as férias de fim de ano

6

ZELO

38

60

86

Casa Projeto luxuoso assinado por Patricia Neto explora a mistura

de diferentes materiais para criar ambientes sofisticados e modernos

Fashion Diretamente da Arte Pela Casa e Galeria, belas roupas

se misturam perfeitamente a quadros, pinturas e esculturas

Esporte No mundo da velocidade, Família Varela soma títulos nacionais e internacionais, incluindo Rally Dakar e Sertões


7

ZELO


DIRETORA EDITORIAL Rosângela Motta DIRETORA EXECUTIVA Ângela Motta EDITORA Hannah Motta REPORTAGEM Alice Galvão Hannah Motta Julie Tsukada Lucas De Godoi Lucas Pereira Victor Lisita

ROSÂNGELA MOTTA

FOTOGRAFIA André Cywinski Antônio Carlos Cardoso Camila Cardoso Fabrício Cardoso

HANNAH MOTTA

E AGORA, JOSÉ?

DIAGRAMAÇÃO Gabriel Evan Borba TRATAMENTO DE IMAGENS Joãozimar Oliveira REVISÃO Fátima Tolêdo JORNALISTA RESPONSÁVEL Astero Motta (JP - 2233) ZELO EM BRASÍLIA Kell Motta (61) 9 9915 5115 IMPRESSÃO Cirgrafica

Mota Editora Ltda CNPJ 02.589.924/0001-09 Telefone: (62) 3259 6510 / (62) 98501 0333 www.revistazelo.com.br redacao@revistazelo.com.br Rua C-148 esq. C-136, Qd 304, Lt 12 Nº 868 - CEP: 74.250-010 Jardim América - Goiânia-GO A Revista Zelo não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nas colunas e artigos assinados por seus colaboradores e não tem vínculo empregatício com os mesmos.

CAPA

ÂNGELA MOTTA

A MODELO HERIKA NORONHA (MEGA MODELS) USA VITOR ZERBINATO PARA EMPORIUM LOLITHÁ. FOTOGRAFIA FABRÍCIO CARDOSO, DIREÇÃO CRIATIVA BEL JÚNIOR, STYLING EDNA LIMA, ASSISTENTE DE STYLING ALEF BERTOLUCCI E MAKE-UP E HAIR LUCIANO LIMA

"A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, a noite esfriou, e agora, José?", descrevia Carlos Drummond de Andrade, mesmo sem imaginar, na década de 1940, que uma pandemia levaria ao isolamento. No entanto, em meio a todas as incertezas, muitos se reinventaram e aproveitaram a oportunidade para estimular a criatividade. Nesta edição, Zelo conversou com um grupo de artistas goianos que saltou no desconhecido dos últimos meses e se redescobriu a partir de novas obras de arte para dar forma, cor, textura e sentido a um novo momento da vida. Na moda, não foi diferente. Para as marcas, foi imprescindível buscar saídas criativas para a temporada existir, já que os desfiles presenciais ainda são um capítulo à parte. Mais do que nunca, percebemos a importância do autocuidado e que manter a mente tranquila e calma nos traz paz de espírito e, claro, conserva a imunidade em alta. Nesta seara, batemos um papo com os gestores da Climma 21, espaço que busca o bem-estar físico, psíquico e social do paciente através de enfoques holísticos. Ainda falando em bem-estar, fomos conhecer, a convite da Matrix Fitness, a nova Academia Aldeia do Vale, espaço que surge como a solução para os moradores do condomínio, que queriam praticidade com qualidade. Neste período de reclusão, alguns hobbies voltaram a fazer parte do dia a dia dos brasileiros. A Zelo 45 traz uma matéria especial com um time de colecionadores apaixonados por discos de vinil. Eles compartilham um pouco da história de amor pela sua coleção, prática que atravessa gerações. Quem também cultiva bons hobbies é o odontólogo Rildo Lasmar, que, além de ser um entusiasta da velocidade, tem entre suas paixões colecionar obras de arte. E como esta edição bate na tecla da arte, a Casa Galeria Arte Plena foi cenário do nosso ensaio, fotografado por Fabrício Cardoso, produção de Bel Júnior, beleza de Luciano Lima, styling de Edna Lima e estrelado por Herika Noronha. Na seção Casa Zelo, um panorama sobre os impactos da pandemia na ressignificação do morar e as tendências de habitação no “novo normal”. Escritórios, áreas de lazer e privativas, espaços abertos, jardins, tudo está sendo revisto. Com a flexibilização das medidas de isolamento e a retomada gradual do turismo, viajantes priorizaram os destinos dentro do Brasil. Confira, nesta edição, uma lista de lugares incríveis para você se deleitar. Para nós, da Zelo, foi um desafio levar esta edição aos nossos leitores, tendo em vista todas as restrições que o momento nos impõe. Por isso, agradecemos ao time da Zelo e a cada anunciante que contribuiu nesta difícil e prazerosa jornada. Acreditamos que, neste tempo de pandemia, a esperança deve se sobrepor ao medo. O novo ano vai depender de cada um de nós, do modo como sairemos melhores desta situação. Feliz 2021.

ROSÂNGELA MOTTA



Colaboradores

LUCAS PEREIRA

@outlucas

ALICE GALVÃO

KELL MOTTA

@evanborba

LUCIANO LIMA

@lucianosmakeup

BELEZA

@lucasdegodoi

JORNALISTA

BEL JÚNIOR

DIREÇÃO CRIATIVA

@beljunior

FOTÓGRAFA

FABRÍCIO CARDOSO

@fabriciocardosofotografia

JOÃOZIMAR OLIVEIRA

@estudiojoaooliveira

TRATAMENTO DE IMAGEM

VICTOR LISITA

DESIGNER GRÁFICO

LUCAS DE GODOI

JORNALISTA

@alicegalvaogyn

@kelldamotta

GABRIEL EVAN

JORNALISTA

@lisitavictor

ASTERO MOTTA

@asterofontenelle

EDNA LIMA

@edna_limma

FOTÓGRAFO

CAMILA CARDOSO

@camilacardoso.inphoto

ALEF BERTOLUCCI

@alefbb

ASSISTENTE DE STYLING

10 ZELO

JORNALISTA

JORNALISTA

STYLIST

FOTÓGRAFA

ANDRÉ CYWINSKI

@andrecywinskioficial

JULIE TSUKADA

@julietsukada

JORNALISTA

FÁTIMA TOLÊDO

REVISORA

@mfatimatoledo03

PEDRO MOTA

@peeedromota

COMUNICAÇÃO DIGITAL

ANTÔNIO CARDOSO

@antoniocarloscardoso

FOTÓGRAFO

FOTÓGRAFO


11 ZELO


FOTO: REPRODUÇÃO - PINTEREST - @MINDYSCHROOR

Plantas & Pets & Prints & Patuás. O

título do texto traz, na vã tentativa de síntese – ou de se tornar um meme ou um tema pra podcast –, uma reflexão sobre complexidade dessa geração sob o olhar desse falacioso autor. Daria bom para uma camiseta, para uma caneca instagramável, para uma dissertação de mestrado ou para uma simples conversa encharcada de negronis no rolê ecumênico da gravação de lives ou na matinê do samba. O fato é que, olhando quase que equidistantemente de fora, é fácil perceber que aquela geração que aportava na fé de um dantes exótico, mas agora domesticado novo brega que surgia no horizonte das plataformas de streaming musical, dos movimentos de alocação dos lugares e empoderamento de falas, das insurgências das opiniões sobre penteados alternativos, moletons estonados e políticos bufarinheiros, está desembocando, sem pudor, nas redundâncias semióticas das plantas, dos pets, prints e/ou patuás. Para a camiseta, talvez fosse o caso de incluir o 5º P, de pandemia, mas, além de ser de extremado mau gosto, estou numas aqui de relutar a essas paradas de moda e não de me entregar sem relutância ao tema mais necessário da atualidade, que é a tal da enfermidade epidêmica amplamente disseminada. O Pinterest que nos desminta, mas se

não contém pelo menos três desses itens de uma lista de quatro não é hype, não é pra hoje, não é pra você que enverga entre 18 e 32 anos, com uma pequena margem de erro pra menos ou pra mais idade. Que os algoritmos virtuais me entuchem – ainda mais – de sugestões e propagandas em forma de simulacros de uma nova e melhor vida se eu estiver cometendo sandices em comparando e aglutinando na mesma pipeta o reino vegetal, o reino animal, o reino das impressoras gigantes e ultratecnológicas e o reino da mandinguices genérico-religiosa-amuletísticas. As observações acima praticamente não necessitam de decupagem, mas o texto ficaria curto só até aqui, logo, sigamos: 126% das pessoas querem plantas, ainda que, muitas vezes, não saibam o que fazer com elas e de qual lado fica a raiz e de qual lado fica o caule; 289% das pessoas ou já têm pets – principalmente “doguíneos” e “gatíneos” – ou tiraram esse resto de vida para tietar perfis de bichos em redes sociais; 412% da população mundial se apegou a um pôster, ou a cinco pôsteres ou a todos os pôsteres que conseguiu carregar da loja; 644% dos seres humaninhos envergam alguma crendice com portabilidade, podendo, facilmente, levar daqui pra ali, no exercício democrático e libertá-

SANDRO TÔRRES ARTISTA VISUAL E MESTRE EM HISTÓRIA

12 ZELO

rio da fé demais não cheira bem. Ter planta, pet, print e patuá no mesmo ambiente não diz sobre seu caráter, creio eu; diz sobre seu senso poético, sobre sua humanidade, sobre quão delirante pode conseguir ser, sobre um nada maquiavélico sistema de escolhas que o mundo moderno nos possibilita e condiciona. Meta tudo no mesmo saco, tire uma foto abraçado ao seu gato, deitado em sua rede, enquanto miniaturas de Jesus e um Buda gordo decoram sua prateleira onde jazem livros de constelação familiar, de arquitetura modernista e da filmografia dos irmãos Marx, dividindo espaço com uma esplendorosa samambaia renda francesa que compete em atenção com o divertido print de legos coloridos! O norte da questão é também um sudoeste de possibilidades, se atentarmos para o silêncio ensurdecedor dos paradigmas se quebrando. Na verdade, antecipo um alarido ranheta, vindo de supostos intolerantes assintomáticos. Mas isso não me demove da ideia de continuar observando o caminhão de informações e ruídos visuais que a humanidade não vai parar de produzir. Sugiro um cálice de um bom moscatel pra acompanhar o entrevero estético normativo do desenrolar do amadurecimento das convicções; escolha um bem docinho.


E X T R A O R D I N A R Y A COR E O DESIGN DEFINEM A FORÇA DE UM SORRISO

Rua Rio Quente Qd. C-4 Alphaville Flamboyant, Goiânia - GO

@rildolasmar rildolasmar.com.br 13 ZELO


FOTO: FRAME / FILME HISTÓRIA DE UM CASAMENTO

Dois passos para trás E

xperimente chegar bem perto de alguém, tão perto que é possível sentir o seu bafo quente. O que você consegue ver dessa pessoa, assim, extremamente próxima? Você pode lembrar de algo que ela sempre teve no rosto, como uma pinta, por exemplo (mas será que esse detalhe ainda está lá?); poderia também imaginar algo natural nela (por exemplo, que a pessoa está com uma mecha de cabelo atrás da orelha. E, de novo, será que a mecha está lá desta vez?) ou até inventar um detalhe (talvez seu queixo tenha um respingo de molho, quem sabe, sobra do almoço que acabou de ocorrer) –, mas ver a pessoa, assim, tão próxima... Duvido que você consiga. Para ver alguém é preciso separar, dar uma certa distância, dois passos para trás, e não se prender àquilo que foi um dia ou o que se imaginou ser. Reconhecer esse alguém é algo ainda mais trabalhoso, pois é um movimento de enxergar que naquele outro existem desejos e mesmo sofrimentos – por que não? – que são singulares e dizem quem ele é no mundo e onde se localiza naquele momento de sua trajetória. No filme História de um Casamento, sucesso recente da indústria do cinema, o que se vê é um casal onde não falta amor, mas falta enxergar o outro no que ele tem

de mais seu. Em relacionamentos, pelo laço que se vai construindo, é comum ver alguém ceder e ir cedendo até não mais reconhecer onde está o seu desejo. E assim se “mata” alguém, mesmo que a pessoa respire, coma e escove os dentes ao seu lado. O filme se inicia com Charlie e Nicole contando ao público todos os motivos, tão particulares e íntimos, para se amarem intensamente. E não são poucos! Mas o que se perdeu no caminho, então? A trama vai se desenrolando, e ali se vê de tudo um pouco, incluindo traição, mas não é isso o que interessa. O que vai ficando para trás na relação dos dois é justamente a existência de duas pessoas que se encontraram. E em certo momento só restou um. Poderia aquela mulher, tão irreconhecível até por ela mesma, ser a mesma de antes para Charlie? Ela que, como na música de Caetano Veloso, vivia o “pois quando eu te vejo eu desejo o teu desejo”? A histérica do fim do século 19, início do século 20, que instigou o psicanalista Sigmund Freud a pensar e a desenvolver toda uma teoria acerca do inconsciente, era aquela mulher que sofria principalmente de reminiscências, dizia ele. Aquilo que ela não podia falar e que não tinha o menor valor nem era reconhecido pela civilização vinha à tona em seu corpo, em

forma de dores, contrações, tosses, tudo aquilo que chamamos de sintomas. E era justamente a cultura da época, tão cerceadora da liberdade, que definia o local (de estátua) no qual a mulher poderia estar – e aqui falamos da família e de todas as demais estruturas sociais, que aprisionavam, sufocavam, impediam essa mulher de existir. De EXISTIR. E como a infelicidade é ruidosa, afinal! Tanto mudou, mas ainda somos tão os mesmos... Na arte de 2020, que recria a vida cotidiana, a negligência de Charlie (que não viu e não ouviu Nicole), o autoabandono de Nicole (que se deu ao outro até quase se perder), a proximidade que torna tudo sem contorno levaram o casal a um ponto sem retorno. Para existir, Nicole precisou se afastar, não dois passos, mas quilômetros de distância. A histeria, o “cale-se” de ontem, que parece tão distante de nós, seres evoluídos e habitantes da pós-modernidade, está bem ao nosso lado, em frente a nós, talvez dentro de casa. Existem saídas para ela, existem maneiras de sofrer menos. Muitas Nicoles engolem as perdas e seguem, adoecidas. Outras, como a do filme, abrem mão de algo para não perderem tudo. Mesmo que esse seja um processo doloroso – e, ao mesmo tempo, profundamente libertador.

LUCIENE GODOY E VALÉRIA BELÉM LUCIENE GODOY É PSICANALISTA, PESQUISADORA E ESCRITORA; VALÉRIA BELÉM É PSICANALISTA, ESCRITORA E JORNALISTA

14 ZELO



LGAÇÃO FOTO: DIVU

MODA EM METAMORFOSE U fa! Chegamos no último mês de um dos anos mais intensos e desafiadores que já vivenciamos desde a última Guerra Mundial. E a moda, sempre espelhando o mundo em que vivemos, também virou de cabeça para baixo. Com o distanciamento social e a mudança de prioridades, grandes nomes da indústria se viram obrigados a se reinventar – acelerando uma transformação que já há algum tempo engatinhava. Muito aquém de incentivos de consumo, a moda vem aprendendo que é necessário dialogar com o público e participar ativamente de suas vidas. É sobre agregar um valor não palpável, que se relaciona diretamente ao sentimento de pertencer. Nós queremos pertencer a comunidades que compartilham dos nossos valores de vida, nossos anseios e causas. Estamos cansados de ver mais do mesmo, de nos sentirmos manipulados e apenas “mais um” na multidão de interessados em produtos. Com mais tempo ocioso e em meio ao caos, nossas cabeças estão borbulhando e nossas expectativas são exigentes. A Gucci foi uma das primeiras marcas

que se propôs a escutar seus consumidores e traçar um planejamento inovador. Porém, a marca de luxo de origem italiana não fez isso do dia para a noite – com Alessandro Michele à frente de sua diretoria criativa, a Gucci já estava antenada na mudança de comportamento do público millennial, e há tempos vem fortalecendo a sua comunidade. Não à toa, é endossada por jovens famosos e influenciadores, como o cantor Harry Styles. Enquanto muitas marcas tradicionais mantiveram seus desfiles na semana oficial de moda, a Gucci abandonou o calendário italiano e lançou sua coleção, que não corresponde a uma temporada específica, com uma minissérie no YouTube. Além de respeitar o distanciamento social e manter a segurança de equipe, modelos e espectadores, a marca democratizou o acesso disponibilizando os vídeos na plataforma mais acessada do mundo, e ainda aproveitou o momento ascendente dos serviços de streaming – é fato que, com a quarentena, estamos consumindo mais séries e filmes. Uma jogada bem pensada e 100% inovadora. Seria o início de uma nova era para a indústria da moda?

MARIANA FARIA JORNALISTA, CONSULTORA DE IMAGEM E ESTILO E MESTRE EM GESTÃO DE MODA

FRAME DA MINISSÉRIE EXIBIDA PELA GUCCI PARA APRESENTAR SUA NOVA COLEÇÃO NO YOUTUBE

Ouso dizer que sim, mesmo não acreditando que os desfiles desaparecerão tão cedo – eles são importantes para o capital da indústria. Ainda assim, iniciativas como a da grife italiana nos fazem perceber que crises podem gerar oportunidades de transformação, e é esse olhar que precisamos dispor dentro da área. Não precisamos, inclusive, nos restringirmos às grandes e luxuosas marcas para buscar soluções criativas para a moda. Vamos voltar o nosso olhar para dentro. O que você, marca local, tem feito para valorizar o seu cliente? Quais estratégias tem utilizado para que ele se sinta pertencente, e não apenas mais uma fonte de lucro? E você, consumidor, tem apoiado marcas de moda locais? Entende e busca saber sobre a sua cadeia produtiva, sobre suas iniciativas a favor do meio ambiente, sobre seus valores? A mudança começa pequena, e cada passo de formiguinha importa. Enquanto assistimos grandes marcas da indústria darem exemplos, que tal começarmos a pensar no nosso próprio mercado? A metamorfose está só começando!


@i.lobojoalheria


S.O.S.CERIMÔNIA ALEXANDRE LOZI alexandre@grupolozi.com.br

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Você, cerimonialista? Sei que você adora festas e eventos, mas se arriscar, sozinha, a organizá-los é uma tarefa árdua. Planejar uma boa festa não é nada fácil e exige muito trabalho e energia. Por isso, não hesite em contar com profissionais especializados no assunto. Além de realizar um evento mais elaborado e estrategicamente pensado, você consegue aproveitar melhor o momento e não precisa se estressar. Por mais simples que seja, há detalhes que apenas um profissional pode resolver pra você. Deixe seu evento mais charmoso, leve e bem cuidado!

Pré-wedding Enquanto não chega o grande dia, uma boa opção para os casais entrarem no clima do casório é fazer um lindo ensaio pré-wedding. É uma forma de acalmar a ansiedade, reforçar os laços e se preparar para os momentos incríveis que estão por vir! É imprescindível que a escolha do local tenha relação direta com o perfil do casal.

Luxo!

Convite Nos últimos anos, os convites digitais ganharam força e substituíram os físicos em diversos casos. Porém, diante da situação atual e do uso constante do ambiente virtual, os convites físicos se mostram como uma tendência para o próximo ano, pois sua chegada pelo Correios pode marcar um momento emocionante e especial.

É fato que o mercado de luxo não é para todos. Aliás, esse segmento se destaca justamente por ser para poucos. Luxo se resume em experiência, exclusividade, engajamento e emoção. Os eventos não ficam fora dessa proposta. Cada vez mais detalhes luxuosos são implantados nas cerimônias e recepções e dão glamour e sofisticação. Isso não é sintetizado apenas a presentes e mimos. Alguns critérios do mercado de luxo que podem servir como inspiração para todos são atendimento primoroso, personalização e proximidade com o cliente. Uma equipe bem preparada e vestida, materiais de primeira linha, e explorar o sensorial no ambiente são fatores que geram esse luxo. 18 ZELO


19 ZELO


cultura

Arte da

catarse

Artistas goianos revelam como a pandemia afetou os seus processos criativos e concebem novas obras a partir de suas vivĂŞncias em um perĂ­odo de incertezas

20 ZELO


FOTO: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

OBRA DE SELMA PARREIRA


FOTO: KARVALIO

TÉCNICA MISTA SOBRE PAPEL POR SANDRO TÔRRES

SANDRO TÔRRES

FOTO: KARVALIO

FOTO: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

FOTO: KARVALIO

SELMA PARREIRA

GRAVURA COM INTERFERÊNCIAS EM PINTURA POR SELMA PARREIRA


O

Lucas Pereira

lhar para dentro de si pode não ser um exercício muito fácil. O cenário de pandemia da Covid-19 ao longo do ano convidou todos nós a uma visita profunda ao interior dos nossos medos, inseguranças, incertezas e ansiedades. Infinitos particulares e talvez até desconhecidos. Diante das orientações para manter o distanciamento social e evitar aglomerações como as principais formas de prevenção da doença, fomos forçados a rever não só o mundo, mas também as pessoas e a nós mesmos. Um convite obrigatório a refletir de modo latente sobre o presente e, para além disso, sobre um futuro incerto. O primeiro efeito desse mergulho no improvável foi a obrigatoriedade de rever processos, hábitos, prioridades e inspirações. E neste mosaico mundial de reconfigurações, de renovação e reinvenção, a reflexão sobre a arte e o seu poder catártico se fez urgente, ainda mais pulsante. E foi a partir desse viés que a Zelo conversou com um time de artistas goianos que saltou no desconhecido dos últimos meses e se redescobriu a partir de novas obras de arte para dar forma, cor, textura e sentido a um novo momento da vida. O RESSIGNIFICAR Para o artista Sandro Tôrres, 50, esse momento de reclusão compulsória e introspecção fez o seu processo criativo passar por uma reformatação. “Criar passou a ser, além do aspecto romântico e diletante, a urgente dose de humanidade de que o mundo tanto tem necessitado, apesar de imprecisa e abstrata no sentido da intangibilidade”, conjectura. Graduado em Direito e Artes Visuais, Sandro possui uma carreira bastante plural, com incursões pela literatura, cinema, publicidade, TV e artes visuais, com dezenas de exposições individuais e coletivas, importantes seleções e premiações, além de estar presente em coleções em todo o Brasil. Ele conta que a sua primeira reação foi de tentar entender o que estava acontecendo e de que forma reagiria enquanto profissional a respeito do isolamento inicial. “A resposta foi uma imersão no ateliê como há muito não tinha tempo para fazer”, garante. “A pandemia não mudou minha produção, mas interferiu no processo criativo e metodológico de trabalho, que também sofreu influência quanto às inspirações. Com uma pandemia assolando o mundo todo, as dinâmicas alteradas, a atmosfera mudou e, com isso, todo um processo

FLAVIA FABIANA EM AUTORRETRATO EM QUE FAZ USO DE MÁSCARA QUE BORDOU A PARTIR DA JUNÇÃO DE SEUS FIOS DE CABELO

criativo, a forma de imaginar o futuro da minha arte e da arte de uma forma geral”, revela o artista. A nova série criada por Sandro, intitulada “Eu sou o que eu não seria”, traz dez objetos tridimensionais e foi inteiramente confeccionada, entre março e maio de 2020, a partir de materiais armazenados e reaproveitados do próprio ateliê do artista. Assim, itens como madeira, pregos, pedaços de metal, correntes, rolhas, canetas, garrafas, e muitos outros, se fundem e renascem sob o prisma de Sandro acerca de um momento metamórfico, um ressurgir de dentro para fora. “O ressignificar já faz parte do cotidiano do artista, se valendo de materiais, referências, repertório e inspirações para caminhar no fazer artístico e almejar a criação, perseguindo o ineditismo, o registro do seu tempo e a autossatisfação. Alguns ingredientes do fazer artístico foram reformulados e passaram a se apresentar, inclusive para o artista, de forma ressignificada. Principalmente no que diz respeito ao uso e aproveitamento de materiais disponíveis. Cada objeto [da série] possui uma carga emocional e uma ironia própria na forma e/ou no conteúdo. Os afetos, as pulsões, os anseios e as frustrações são os ingredientes complementares

e determinantes, por fim”, conceitua Sandro sobre sua obra. EXPLOSÃO SILENCIOSA A artista plástica e educadora Flavia Fabiana, 47, conta que o início da pandemia foi um período difícil para ela. “Não pelo isolamento social, já que por vezes, quando estou produzindo, passo um final de semana, por exemplo, sem sair de casa dedicada à produção. Mas uma coisa é se isolar por opção e a outra é ser obrigado a isso. Tantas coisas acontecendo e deixando de acontecer. Eu tive bloqueio total. Não tinha a menor vontade de produzir. Comecei a confeccionar minhas próprias máscaras de proteção facial, à mão, já que não tenho máquina de costura, para me distrair e de quebra me proteger”, revela a artista. E foi a partir desse recurso, desse gesto, que surgiu o grito inaudível que a levou de volta à inquietação artística e que traduz a sua nova obra. Flavia assina um autorretrato, uma selfie registrada com dispositivo móvel durante o período de isolamento social, que evidencia uma máscara de proteção facial (recomendada pela OMS para limitar a transmissão da Covid-19) caseira, produzida pela própria artista. O item foi


OS DEVANEIOS DO IMAGINÁRIO A imersão no ateliê sempre fez parte do cotidiano da artista multimídia e pesquisadora em poéticas visuais Selma Parreira, 65. Mas ela conta que o período de isolamento e as incertezas sociais, financeiras e políticas do atual cenário em que vivemos fizeram com que a arte de criar se tornasse parte ainda mais fundamental da sua rotina. “Cerco-me de equipamentos que me ajudam a manter o corpo ágil e saudável, o que é necessário nesta metafórica viagem onde meu corpo é minha própria embarcação e o território é um mar de incertezas. Nessa viagem, o coração é a bússola e o leme, ou seja, a força e os sentimentos”, filosofa. Com mais de 40 anos dedicados à produção em poéticas visuais, Selma atua com curadoria, oficinas e projetos voltados à arte, participa do Coletivo Machina, ao lado do artista Antônio Bandeira, desde 2014 e

atuou como professora de pintura na Faculdade de Artes Visuais da UFG até 2016. Segundo ela, a subjetividade se instala na pintura através de cores, símbolos e desafoga os temores por meio do que a artista chama de devaneios do imaginário e da poesia. Selma criou uma produção autobiográfica, que denomina como um inventário de guerra e aprisionamento que compreende o período desde março de 2020. “E até quando?”, enfatiza, tendo em vista que a pandemia ainda não acabou. “Acredito que muitas [pessoas] se tornaram mais reflexivas, se cuidaram tanto emocional quanto fisicamente. Mas vejo que muitas não suportaram a solidão do isolamento. Desejo sinceramente que tenhamos mudanças positivas”, acrescenta. UMA RELEITURA BÉLICA O artista visual autodidata Edney Antunes, 54, se dedica à arte desde a década de 1980 e sempre teve a inquietação traduzida em suas obras. Pioneiro no uso das técnicas de grafite em Goiânia, ele já realizou exposições individuais e integrou mostras coletivas por todo o País, sendo premiado nacionalmente. Edney conta que a pandemia influenciou sua produção até mesmo no sentido de fluxo do trabalho, afinal, ele sempre esteve ligado aos

espaços culturais, aos projetos com as leis de incentivo e à frente de aulas de grafite para crianças. “E tudo isso foi interrompido. Então, nós, artistas, sentimos diretamente esse impacto”, afirma. “A influência da pandemia foi realmente bem forte, de modo que eu comecei a inserir o coronavírus como tema de trabalhos no meu ateliê nesse período de isolamento”, conta. Edney se dedicou à releitura de uma obra que integrou a exposição "A Vida é Bélica", de 2015, em que trazia uma imagem da atriz Marilyn Monroe sobre uma bomba atômica, compondo um jogo visual com humor. “O cogumelo da explosão da bomba agora é feito por imagens do coronavírus. É uma alusão a esta guerra que estamos enfrentando hoje. Não deixa de ser uma guerra contra um inimigo invisível e cruel”, caracteriza. “O mundo continua um caos, comandado pela ganância desmedida, regido pela lei da produção a qualquer preço, sem consciência. Com essa paralisação, é como se o mundo pudesse dar um respiro do efeito do homem, da poluição. E tem sido um período de reflexão em todas as áreas. Eu acredito que nenhum de nós sairá da pandemia como éramos e esse processo de evolução depende de cada um”, conclui.

FOTO: KARVALIO

costurado à mão e bordado com linhas feitas a partir da junção dos fios do cabelo da artista. “O caos instaurado, as verdades absolutas que não são absolutas, e que tão pouco são verdades, o medo, a indignação, as angústias e incertezas da pandemia, e tudo que já estava mesmo antes, sufocam. Provocam paralisia produtiva. É preciso dar um basta. Mesmo que ninguém ouça: grite. Foi uma catarse, um momento de explosão silenciosa. Eu tinha que colocar pra fora todas as coisas guardadas, acumuladas até aquele momento. Primeiro retrato convencional que faço”, explica. Amante do desenho desde a infância, Flavia se graduou em licenciatura na Faculdade de Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás (FAV/UFG), iniciando em seguida sua carreira de professora concursada em Artes Visuais pela Rede Municipal de Educação de Goiânia, tendo já 20 anos dedicados à Arte-Educação. Em 2015, retomou sua carreira artística e, desde então, vem participando de exposições coletivas e salões de arte. Em 2019, fez sua primeira exposição individual no Museu de Artes Plásticas de Anápolis. Ela acredita que a arte tem o poder de ajudar as pessoas a melhorarem quadros de tensão, tristeza e até depressão, provocados pelo período pandêmico. “Em momentos ditos ‘normais’, o que se espera da humanidade é evolução, rompimentos de paradigmas, invenção, inovação, criação. E é o que espero que aconteça pós-pandemia, que seja um período de aprendizado, e a arte sempre foi importante em tempos de crise”, afirma.

EDNEY ANTUNES

24 ZELO


FOTO: KARVALIO

TÉCNICA MISTA SOBRE TELA POR EDNEY ANTUNES

25 ZELO


miscelânea FOTO: CAMILA CARDOSO/ IN PHOTO

A doce sinfonia

do vinil

PARA O JORNALISTA LUIZ FERNANDO ROCHA LIMA, O LP "CARREGA NA SUA CAPA, NO SEU RÓTULO, E ATÉ NOS RUÍDOS DE SEUS ARRANHÕES, HISTÓRIAS, LEMBRANÇAS E EMOÇÕES QUE ENRIQUECEM E FAZEM BRILHAR AINDA MAIS A MELODIA QUE RESSOA DE SUAS LINHAS”

26 ZELO


O

Lucas Pereira

utra maneira de definir atemporalidade talvez seja como uma espécie de perpetuidade afetiva, algo que cativa e comove independentemente da passagem do tempo e de qualquer alteração de costumes. O hábito de colecionar, por exemplo, é uma dessas práticas que atravessam gerações, que são, principalmente, passadas através delas, de pai para filho, sob forte influência de laços afetivos. Entre tantos itens que tradicionalmente se tornam objetos de desejo e integram as mais distintas coleções pelo mundo, um deles tem um valor a mais nos dias de hoje. Mesmo diante da corrida tecnológica de lançamentos diários nas plataformas digitais de música, o vinil se mantém no mercado e voltou a fazer parte do nosso cotidiano. E os colecionadores de vinis antigos ainda contam com lançamentos que atraem todas as gerações e resgatam o ritual por trás de deliciar-se com o som em volta de uma vitrola. Com as pessoas em casa devido à pandemia, o desejo por consumir mais o produto teve um aumento expressivo. De acordo com pesquisa feita pela organização comercial Recording Industry Association of America (RIAA), a venda de LPs superou a de CDs no primeiro semestre de 2020, fato que não acontecia desde 1986. Os discos começaram, inclusive, a ser mais cobiçados pela geração millennial, que deu início a um movimento de continuidade das coleções de familiares e de reconectar-se com o passado, dando força para que muitos artistas atuais começassem a lançar vinis. Eis que ganha força o resgate dos característicos ruídos das vitrolas, sons que traduzem mais do que somente o passado, mas memórias de tradição e amor que vivem através do tempo e não apesar dele.

Zelo reuniu colecionadores aficionados por discos de vinil para compartilharem suas histórias entre álbuns, vitrolas, momentos e lembranças em uma ode à música

27 ZELO

MELODIA QUE RESSOA DAS LINHAS O jornalista Luiz Fernando Rocha Lima, 73, que hoje mantém pouco mais de uma centena de discos na sua coleção, conta que a música sempre animou os domingos da família, com sambas, tangos, boleros e valsas, todos saídos das eletrolas ou radiolas Philips ou Telefunken da época. “Equipadas com rádio de três ou mais faixas de ondas médias e curtas, que serviam para acompanhar os noticiários e os programas de auditório da Rádio Nacional, esses aparelhos tinham, como recurso principal, um toca-discos de três velocidades, 78 rpm tradicionais, 45 e 33 rpm, o que possibilitava a utilização do novo formato de disco. Utilizando esses recursos, convivia-se com os discos e, em minha casa, a música era uma constante, notadamente nos finais de semana”, relembra. Rocha Lima revela que foi na juventude


FOTO: CAMILA CARDOSO/ IN PHOTO:

SOBRE A PAIXÃO PELOS DISCOS, FERNANDO GALVÃO, QUE ABSORVEU O HÁBITO DE COLECIONAR DO PAI, ACREDITA NA PASSAGEM ATRAVÉS DE GERAÇÕES: “MEU FILHO GOSTA MUITO DE ESCUTAR E DE MEXER COM VINIL. É UMA DIVERSÃO PARA ELE”

28 ZELO

que a sua paixão pelo ambiente musical se tornou mais acentuada. Integrante do conjunto Os Zambis, no qual tocava bateria, ele também conduziu um programa especializado em jazz e bossa nova, na Rádio Independência de Goiânia. “O jazz era, e ainda é, uma maior preferência”, garante. Segundo ele, para levar o programa ao ar, eram necessários uma boa pesquisa e bons discos. “O programa me proporcionou a propriedade de uma belíssima discoteca dessa linha musical, rica em qualidade e em quantidade, oferecida como pagamento pelos serviços prestados à emissora após o encerramento do mesmo”, afirma ele, que chegou a impressionar sua mãe com o volume da paga recebida. Seu próximo grande encontro com os discos seria ao assumir o discotecário – termo que se refere ao que seria o ofício do DJ nos dias de hoje – de uma boate, a Kafuné, em frente ao Jóquei Clube de Goiás, a pedido de uma amiga que comandava o local. “Manuseando os LPs e compactos, eu animava – eventualmente desanimava – as noites e madrugadas dos inúmeros casais apaixonados da Capital. Em todas essas situações, o fundamental e único insumo da atividade era o disco de vinil”, comenta. O jornalista reconhece a praticidade das plataformas de streaming tão populares atualmente, mas pontua que a elas faltam o glamour e a cerimônia do manuseio dos vinis, como ele diz. “Tecnologias fantásticas, mas que certamente não concedem a sensação de prazer e de domínio sobre o objeto disco, quando, seguro pelas margens, é assentado no prato que o faz girar e o posiciona para receber a agulha que vai extrair suas sonoridades, ruídos e emoções”, descreve. Hoje, os discos acompanham Luiz Fernando, com um copo de whisky ou taça de vinho, nas tardes de sextas, sábados ou de qualquer dia, diante do confinamento promovido pela pandemia. Para ele, entre os rótulos mais marcantes da sua coleção estão o disco do show de Frank Sinatra no Brasil, os compactos com músicas do festival goiano ComunicaSom, que traz a execução de Outros Carnavais, de Renato Castelo e Guliver Leão, e o de Araguaia 1 e 2, com Marcelo Barra, assim como três álbuns do trio francês PlayBach, importantes para o despertar das filhas para gêneros como o jazz e o clássico, conforme ele conta. “No meu sentimento, o LP transcende o papel de objeto portador de trilhas sonoras. Ele carrega, na sua capa, no seu rótulo, e até nos ruídos de seus arranhões, histórias, lembranças e emoções que enriquecem e fazem brilhar ainda mais a melodia que ressoa de suas linhas”, conjectura.


CURIOSIDADE, PESQUISA, PACIÊNCIA E ATENÇÃO A história do servidor público Ricardo Freire, 47, com os discos de vinil começou no final da década de 1970, por meio dos LPs que seus pais tinham. “Em 1983, meus pais compraram um novo aparelho de som e levaram os filhos para comprar novos vinis. Eu tinha 10 anos de idade e a partir daí comecei a minha coleção, há 37 anos”, relembra ele, que descreve o colecionador como um ser curioso, pesquisador, paciente e atento. “A música em formato físico, analógico ou digital é de qualidade superior ao formato MP3 ou em streaming. Logo, eu sempre optei por escutar música em LP ou CD. Ouço música durante todo o dia e o meu ritual segue uma ordem de escutar as últimas aquisições e eventualmente repetir algum título mais apreciado”, afirma. Apesar de o hábito ter se dado através da família, Ricardo considera que o seu caminho junto a ela se tornou individual a partir da adolescência. “Acho que o gosto por colecionar é pessoal, não obstante a influência dos pais na infância seja imprescindível para despertar o hábito. Vejo a nova geração optar por escutar música em streaming em sua maioria pela facilidade. Uma pequena parcela coleciona vinis, embora poderia ser maior o número se os preços fossem mais acessíveis e se tivéssemos mais lançamentos em edição nacional. Como já dito, a curiosidade concedida permite-lhe vasculhar a internet e encontrar títulos mundo afora”, pondera. Freire revela que muitos dos vinis da sua coleção são especiais. De acordo com ele, entre os mais marcantes estão os primeiros ouvidos, como Chopin e Beatles; os primeiros que ele adquiriu, como Iron Maiden, Scorpions ou Whitesnake; aqueles mais difíceis de achar, como Bölzer, assim como os títulos mais caros. “Aproveito para dizer aos leitores que a experiência da música escutada é parte do conjunto da obra, que consta também das artes da capa e do encarte do álbum, além das informações escritas neste. Logo, o consumo da música para ser pleno deve provir do álbum em meio físico”, conclui. RITUAL ATRAVÉS DE GERAÇÕES Amigo de longa data de Ricardo, o arquiteto Fernando Rocha Galvão, 47, conta que uma de suas memórias com a música vem dos tempos do segundo grau, quando ia para a casa do amigo e se dedicavam a escutar e gravar fitas cassete com as melhores coletâneas da época. “Meu pai sempre gostou muito de música e já colecionava vinis, cassetes e CDs. Meus primeiros discos foram o Jailbreak, do AC/DC, e o Dire Straits, do Bro-

FOTO: CAMILA CARDOSO/ IN PHOTO

EM MEIO A SUA COLEÇÃO, RICARDO FREIRE EXPLICA QUE O GOSTO POR COLECIONAR É PESSOAL, MAS QUE A INFLUÊNCIA FAMILIAR NA INFÂNCIA FOI IMPRESCINDÍVEL PARA DESPERTAR ESSE HÁBITO

29 ZELO


te dessa nova geração não tem paciência e nem interesse nisso. Querem tudo pronto e rápido. Querem uma música? Tem no Spotify. Querem um filme? Netflix. O vinil virou item de colecionador e de apaixonados por música e qualidade de som”, vislumbra. ÁLBUM DE LEMBRANÇAS “A coleção de vinis é como se fosse um álbum de retratos para mim, então, cada disco me lembra uma coisa, é uma mistura. Quando eu vejo as pessoas fazendo suas coleções, eu identifico inúmeros motivos. O meu princípio é a música, não exatamente reunir o maior número de discos”, afirma o arquiteto Sanderson Porto, 53, nascido em 1967, ano de lançamento de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, álbum de Os Beatles. Ele ainda conta que cresceu ouvindo os discos de MPB de suas tias. “Eu tinha cinco ou seis anos, lembro que elas tinham Caetano Veloso, Maria Bethânia, mas tinham Beatles também. Então, a minha paixão começou pela música, o vinil foi uma decorrência. A partir desses discos que eu ouvia quando as visitava, comecei a ter interesse por ouvir rádio e os discos do meu pai na radiola que ele tinha em casa”, relembra. Porto enfatiza que uma questão que chama a sua atenção no vinil é a qualidade do som, a gama de frequências que o diferencia. Ele diz que não tem um ritual propriamente dito com os seus discos. “Eu escuto música enquanto trabalho, às vezes, ela me ajuda até durante o desenvolvimento de um projeto. Mas quando eu estou em casa, no meu estúdio, a relação é mais emocional. Se eu

FOTO: ARQUIVO PESSOAL

thers in Arms, comprados em 1985, na Mesbla, tradicional loja de departamentos fechada no final dos anos 1990. Um deles foi uma troca no clube do disco da própria Mesbla. A cada dez discos comprados, a gente ganhava um outro vinil ou cassete”, relembra. O arquiteto conta que gosta de apreciar seus discos sozinho, ouvi-los sem interferências, como diz. “O ritual do vinil é fantástico: tirar da embalagem, escolher o lado, ler o encarte enquanto o disco toca, ouvir o chiado e a alta qualidade de som, o que se perdeu com o CD. Gosto de escutar sozinho, sem barulho, afinal, um dos diferenciais do vinil é o chiado que ele produz. É um momento de pura descontração e prazer”, descreve. Além dos dois álbuns mencionados por ele, Fernando enumera clássicos como alguns de seus preferidos: Led Zeppelin, Queen, Dire Straits, David Bowie, The Clash, Free, Sly and Family Stone, Rolling Stones, Eric Clapton, Ramones, Santana, Neil Young, Black Sabbath e Pink Floyd. “Um dos especiais, talvez o mais, é a caixa dos Beatles, que ganhei do meu irmão, Marcelo Galvão. Mas, no geral, gosto de vários estilos. Não tenho um preferido, depende muito do momento. Para trabalhar, às vezes, escuto um rock mais pesado, ocasionalmente uma música erudita. Cada momento pede um estilo”, descreve. Tendo absorvido tanto o hábito de colecionar quanto a paixão pelos discos do pai, Galvão comenta que acredita nessa passagem através das gerações. “Meu filho gosta muito de escutar e de mexer com vinil. É uma diversão para ele. Totalmente diferente do que vemos hoje. Grande par-

pego um disco mais antigo, que me lembra de momentos marcantes, uma coisa puxa a outra. A música tem muito disso, essa relação emocional de reativar memórias de alguma fase da vida”, declara. “Nada se compara a você ter na sua coleção o álbum de um artista que você admira, é como um tributo”, afirma. O primeiro disco comprado por Sanderson, por volta dos seus 13 anos, foi o Slade Alive, álbum da banda britânica de rock Slade, e ele conta que o escuta frequentemente até hoje. Outro disco que o arquiteto menciona com carinho é o Hey Jude, dos Beatles. “Eu gostava muito de ouvi-lo, tinha em torno de 5 ou 6 anos, e todas as vezes em que ia até a casa dos meus avós e minhas tias, colocava para tocar”, relembra. Sanderson ainda cita um disco da sua coleção que tem forte apelo emocional, o próprio Sgt. Pepper's, dos Beatles. “É a prensagem do ano em que eu nasci, a versão mono. Ele já não toca, está desgastado pelo tempo, com a qualidade comprometida, mas eu o guardo como um souvenir muito especial.” O arquiteto enfatiza que a qualidade do vinil, para ele, está intimamente ligada à valorização por trás de todo o trabalho com a música, do esforço implicado ali. “Isso eleva a questão de colecionar não estar ligada ao hábito de acumular, mas de reunir memórias. Eu vejo que isso tem sido valorizado novamente, existe uma virada na indústria fonográfica de resgate dos lançamentos de discos. Então, para mim, não é simplesmente contar quantos vinis tem a sua coleção, mas ter um acervo que gera boas lembranças”, conclui.

ENTRE OS DISCOS PREFERIDOS DE SANDERSON PORTO ESTÁ UM EXEMPLAR DE SGT. PEPPER'S, DOS BEATLES, DESGASTADO PELO TEMPO E COM A QUALIDADE COMPROMETIDA, MAS QUE TEM EM SEU ANO DE PRENSAGEM ALGO INTIMAMENTE LIGADO À HISTÓRIA DO ARQUITETO

30 ZELO


PARAHOMENS LUCAS PEREIRA outlucasp@gmail.com

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Antiviral A pandemia ainda não acabou, e se cuidar é preciso. E se der para fazer isso com estilo e contando com o advento da tecnologia, melhor ainda. As máscaras antivirais da Insider Store ajudam a evitar a contaminação direta pelo coronavírus, assim como a contaminação cruzada, pelo contato com as mãos e superfícies contaminadas. Testada conforme a norma internacional ISO 18184, ela desativa 99,9% de vírus e bactérias em até cinco minutos. O modelo Performance tem eficácia antiviral permanente. Com tecido antibacteriano, evita também a proliferação de bactérias que causam o odor, não precisando ser lavada diariamente. E, ainda, por ter elastano, ela se adapta melhor ao rosto. Acesse: insiderstore.com.br e também o perfil no Instagram, @insiderstore.

Sucesso arco-íris Primeira loja do Centro-Oeste com posicionamento voltado ao público LGBTQIA+, a Inhaí? Look & Fashion celebrou um ano de portas abertas em Goiânia. Inaugurada como um espaço democrático, sob o comando dos sócios Ademar Moura, Jullyano Mendes e Fábio Dias, a Inhaí? conseguiu expandir o seu alcance convidando os mais diversos públicos à liberdade de expressão com muito estilo. A loja acaba de lançar uma nova coleção repleta de conjuntinhos com pegada tropical, calças, camisas, camisetas e regatas lisas e com estampas divertidas, croppeds para eles e elas, uma linha exclusiva de acessórios, macacões com muito brilho e sungas que são a cara do verão. Com delivery e envio para todo o Brasil, também conta com atendimento on-line pelo perfil no Instagram, @inhaibrasil, e ainda pelo site: inhaibrasil.com.br

Squad for Men Com proposta vibrante, calorosa e irresistível, a marca virtual goiana Squad for Men foi lançada pelos sócios Diego Oliveira e Vanderlan Dias há pouco mais de um mês e tem reunido um esquadrão cada vez maior. Voltada ao público masculino com sungas e acessórios, a grife aposta em customizações, estampas e cores marcantes. “A Squad surgiu inicialmente para atender a um grupo de amigos, mas logo que vimos a grande repercussão, sentimos que era uma oportunidade para inovar e expandir o negócio”, afirmam os empresários. Para conferir, basta acessar o perfil da loja no Instagram, @squadformen. 31 ZELO

Magnifique Presente da Dior garantido para o Natal! A marca lançou recentemente o e-commerce da sua linha de beleza na América Latina. Agora é possível comprar qualquer make, produto de skincare e fragrância da grife do conforto de casa com a mesma excelência da experiência em uma loja da grife. Basta acessar: shop.dior.com.br, escolher os produtos desejados e aguardar a chegada daquela icônica embalagem.


lifestyle

Família, arte e direção

FOTO: ANDRÉ CYWINSKI

Odontólogo Rildo Lasmar fala à Zelo sobre hobbies, paixões e de que forma concilia a rotina de trabalho com a vida em família

32 ZELO


FORA DO CONSULTÓRIO, ALÉM DA DIREÇÃO, RILDO LASMAR TEM GRANDE APREÇO POR FAZER ADAPTAÇÕES MECÂNICAS EM SEU PORSCHE

33 ZELO


Lucas de Godoi

O

tom de voz gentil de Rildo Lasmar contrasta com uma de suas várias paixões: a velocidade. Entusiasta do motociclismo, colecionador de obras de arte e consumidor fiel da alemã Porsche, o odontólogo reúne um misto de bom gosto e simplicidade. É frequentador assíduo da agenda social da Capital, mas não abre mão dos encontros intimistas com amigos. Na hora de apontar o roteiro de um dia perfeito, é preciso: exercer a profissão ao lado da família. A presença dos filhos e da esposa é a bússola que guia a vida do mineiro radicado em Goiânia há mais de 20 anos. Acostumado a ter ao lado a companheira dos últimos 32 anos, a fisioterapeuta Bel Lasmar, que dirige no mesmo prédio a franquia Pink Lash e seu espaço de estética, Rildo também faz questão de dividir o consultório com os filhos. O primogênito, João, 19, trilha os passos do pai na Faculdade de Odontologia. Matriculado no quinto período, tem acompanhado o trabalho do odontólogo com o olhar de quem não esconde sua principal fonte de inspiração. A caçula, Beatriz, 13, também tem lugar cativo no espaço e é sócia de Bel na famosa franquia de cílios. Também pudera: Rildo é referência no que faz à frente do instituto que leva o seu nome. São 23 anos dedicados a moldar sorrisos, sempre com técnica apurada, tecnologia de ponta e uma dedicação manual que se aproxima de uma das artes que mais gosta de contemplar: as pinturas. Na recepção do consultório, uma tela de Antônio Poteiro recebe pacientes com elegância e os traços que o artista refinou na capital goiana, cidade que o português escolheu viver até a sua morte, em 2010. No acervo que Rildo constrói há ainda esculturas e pinturas de outros artistas locais, como Siron Franco e Pitágoras Lopes, além de outras telas que percorrem caminhos distintos até integrar a coleção. “Há muitos anos que venho adquirindo obras e formando o nosso acervo. Gosto de valorizar os artistas regionais. Acho que, por ser uma confecção manual, identifica com

o trabalho que nós fazemos aqui. Sempre dou um toque pessoal ao tratamento, nas formas dos dentes, é um trabalho minucioso, criterioso e, claro, artístico”, conta. Fora do consultório, as mãos do odontólogo encontram outra distração: faz adaptações mecânicas no Porsche que gosta de dirigir pela cidade aos fins de semana. Corriqueiramente, pai e filho escolhem o Autódromo de Goiânia para acelerar um dos carros mais seguros do mundo e ao qual Rildo nutre uma paixão. A fidelidade do odontólogo pela marca foi reconhecida pela montadora alemã, que, recentemente, enviou a Rildo convite para o lançamento do novo modelo, o potente Taycan Turbo S, que chega aos 100 km/h em 2,8 segundos e até 200 km/h em 9,8 segundos. A seleta festa de que Rildo participou foi montada no Autódromo de São Paulo, em viagem oferecida cordialmente pela Porsche. Enquanto aguarda a produção da unidade que adquiriu, com entrega prevista para fevereiro de 2021, Rildo acelera uma motocicleta potente nas imediações da Capital. “A moto é só aqui por perto”, avisa. “Gosto de pilotar dentro da cidade, de encontrar os colegas, mas viajar só em pequenas distâncias. Não gosto de ficar longe da família, gosto de ficar por perto para participar mais com eles”, divide. Viajar mesmo, só em família, como as férias agendadas no réveillon em Punta Cana, na República Dominicana. O destino escolhido tem tudo que Rildo se interessa: a presença da família, novos cheiros e sabores e uma paisagem tão bela quanto os desenhos feitos ao ar livre pelo pintor francês Claude Monet. “Gostamos de conhecer novas culturas, novos sabores, novas tendências. As viagens são sempre ricas porque acabamos encontrando coisas positivas para trazer, inclusive, para o consultório. É o nosso jeito de contemplar o que há de mais belo da vida”, conclui Rildo cheio de razão. Afinal, com a devida licença para o uso da metáfora, a vida passa tão rápido quanto um esportivo em fuga.

34 ZELO


FOTO: ANDRÉ CYWINSKI

AO SER QUESTIONADO SOBRE PERCORRER LONGAS DISTÂNCIAS EM UMA MOTOCICLETA, O ODONTÓLOGO É CLARO: SÓ GOSTA DE PILOTAR O VEÍCULO DENTRO DA CIDADE, E VIAJAR É MAIS INTERESSANTE QUANDO ENVOLVE TODA A FAMÍLIA

35 ZELO


FOTO: UNSPLASH/ @SHIVENDU-SHUKLA

mercado imobiliário e o cenário atual

O

mercado imobiliário é um dos segmentos mais sensíveis aos impactos da economia, sejam eles positivos ou negativos. Os últimos dez anos foram uma montanha-russa, com diferentes cenários e aspectos quando o assunto era comprar e vender imóveis. Viemos de um carnaval em 2012, quando um boom imobiliário aconteceu no Brasil e o mercado estava totalmente aquecido. Na sequência, a resiliência e flexibilidade eram as palavras de ordem para incorporadoras e imobiliárias, em que crises econômicas e políticas interferiram fortemente no bom andamento dos negócios. Uma retomada à vista em 2018, com o mercado outra vez aquecido novos terrenos são comprados, lançamentos são realizados, investidores se voltam novamente para o segmento imobiliário e incorporadoras ampliam resultados. A crescente foi interrompida pela pandemia mundial de covid-19, e a preocupação em adaptar-se ao novo cenário instalado era grande. Focando no consumidor e no seu contexto atual,

as empresas mudam o rumo dos negócios com o objetivo de seguirem fortes e sólidas. A largada foi difícil, com tarefas árduas para o marketing e comercial que estavam à frente das estratégias de vendas. Manter o controle, estar antenado, ser rápido nas adaptações e entender o novo comportamento do consumidor são pontos necessários e fundamentais para a geração de bons resultados neste momento. E sim, eles são possíveis e são realidade para o cenário imobiliário. As ferramentas digitais se tornam cada vez mais importantes. Tours virtuais pelas localizações, visita virtual ao decorado, vídeos cada vez mais encantadores, realidade aumentada. Tudo isso na palma da mão dos clientes, para que a experiência de compra seja a mais agradável possível e o mais importante: segura para a saúde de todos. Quem ainda não estava no meio digital, agora está, e essa é a grande oportunidade da vez para mantermos o mercado imobiliário aquecido. Os resultados em atendimentos e vendas surpreenderam, de forma geral. Flexibiliza-

ADEMAR MOURA GERENTE DE MARKETING E COMERCIAL DA EBM DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO

36 ZELO

ção de condições, redução de taxa de juros, carência para começar a pagar. Essas foram apenas algumas das estratégias para mostrar ao consumidor as oportunidades de negócio mesmo em um momento tão instável. Uma ressignificação do morar mantém a vontade dos consumidores de comprar um apartamento, de encontrar um lugar maior, ou menor, de encontrar, de fato, um espaço que abrace as necessidades da família. É a partir desse desejo que o mercado imobiliário e as empresas que estão antenadas e atentas a todas essas novas tendências se adaptaram rapidamente ao novo comportamento do consumidor e têm extraído bons resultados em seus negócios. Não existe uma fórmula mágica e o cenário é de constante mutação. Estar sempre com foco no consumidor e entender que valores sobre moradia mudaram e continuarão mudando são pontos essenciais para o desenvolvimento de estratégias que modifiquem o rumo das coisas de forma positiva. O cenário é de inúmeras oportunidades e de perspectivas mais do que favoráveis.


Habitar FOTO: EDGARD CÉSAR

Profissionais da arquitetura e construção mostram como a pandemia ressignificou a moradia

Sublime

Arquiteta Patricia Neto apresenta projeto que alia tecnologia e sofisticação, em um lar funcional e elegante 37 ZELO


requinte FOTOS: EDGARD CÉSAR

UM DOS PONTOS ALTOS FICA POR CONTA DA SALA DE ESTAR, ABRAÇADA ELEGANTEMENTE POR UMA ESCADA CURVA, O CINZA PREDOMINANTE E OBJETOS COM CORES VIBRANTES

Do clássico ao contemporâneo Em projeto residencial no Alphaville, Patricia Neto explora tons neutros e a mistura de diferentes materiais para criar ambientes sofisticados e modernos 38 ZELO


COM AR NEOCLÁSSICO, A FACHADA TRADUZ A IMPONÊNCIA DO PROJETO

A ENTRADA É EMOLDURADA POR UMA ELEGANTE PORTA CINEXARCH EM VIDRO

OBRAS DE MARCELO SOLÁ TRAZEM IRREVERÊNCIA E SOBRIEDADE AO HALL DE ENTRADA

leiros ainda no período colonial. Com suas perfurações, o painel, na cor branca, quase lembra uma delicada renda, que contrasta com a frieza do metal. Para convidar os visitantes ao interior da casa, a escolha foi por uma grandiosa porta CinexArch em vidro, inserida em um painel de pé direito duplo de quartzito Veneto. Na fachada, também não se pode deixar de notar o belo trabalho de paisagismo. Gramíneas e pequenos arbustos são acompanhados de duas árvores tamareiras, que marcam a simetria da arquitetura da residência. Um singelo ipê branco, centralizado na entrada, resgata as raízes goianas e lembra a beleza de nosso Cerrado. O toque final fica por conta da iluminação cênica, cuidadosamente pensada para ressaltar a elegância do projeto a qualquer hora do dia.

tos mais vibrantes estão no sofá curvo, em tom bordô, da Decameron; no vermelho em destaque no desenho do tapete; e nas obras abstratas do artista goiano Marcelo Solá, que trazem irreverência à sobriedade do espaço. Outro ponto fundamental na sala de estar é a iluminação. A luz externa, proveniente da cobertura zenital da escada, chega até o ambiente e o suaviza — nele, ela é refletida nos metais, vidros e espelhos. Para complementar, a escolha foi pelos pendentes Penn, do designer Jader Almeida. Posicionados acima da mesa de centro, eles trazem um requinte especial para o espaço.

Julie Tsukada

O

postos complementares? Se na filosofia chinesa do yin-yang a máxima é verdadeira, na arquitetura não é tão diferente. Reconhecer o potencial, além do óbvio, e explorar os contrastes de estilos e materiais foram ações essenciais para a residência de 1.049 m2 projetada pela arquiteta Patricia Neto. À frente da concepção e da decoração de interiores, gerenciando e acompanhando o projeto durante toda sua execução, a moradia, localizada no Alphaville Cruzeiro do Sul, alia tecnologia a soluções inteligentes, pensadas para um lar funcional que não perde de vista a elegância. Ainda no papel, o primeiro passo para a concepção do projeto foi decidir como seria trabalhado o aclive de seis metros do terreno. Para comportar as necessidades e desejos da família, a opção foi deixar o pavimento inferior nivelado à rua e o superior na mesma altura do minicampo de futebol, onde os filhos se divertem nas horas de lazer. Imponente, a fachada faz valer o elogio com seu ar neoclássico e as linhas retas, destacadas pelas molduras nas platibandas. No entanto, se a simetria e os tons neutros imprimem uma sofisticação atemporal, a alma do projeto exterior está presente na mistura de materiais, como nas marquises metálicas e nos vidros dos parapeitos das varandas. O destaque da arquitetura externa fica para a brise muxarabi, estrutura da arquitetura árabe que conquistou os portugueses e, mais tarde, ganharia a graça dos brasi-

IRREVERÊNCIA E CONTEMPORANEIDADE Se eram as linhas retas que traziam sofisticação para a fachada, o destaque no pavimento interior da residência fica para as formas sinuosas. A majestosa escada curva no hall de entrada, com guarda-corpo de vidro, é imponente e ganha destaque com a iluminação natural, proveniente da cobertura zenital. No local, os tons neutros também prevalecem, mas dessa vez no cinza. A cor está presente no painel em laca metalizada grafite das paredes do hall, no espelho fumê, no tapete e no camurça aveludado das poltronas, também Artefacto. Os pon39 ZELO

SOLUÇÕES TECNOLÓGICAS A modernidade da residência não está apenas na sua decoração, mas no emprego de diferentes tecnologias em sua estrutura. Projetada com a sustentabilidade em mente, a casa conta com energia fotovoltaica, aquecimento solar e automação e irrigação com reservatório de água. Outras soluções, como o brise motorizado para controle do sol na fachada oeste e as esquadrias com isolamento acústico e trilhos drenantes, reforçam o uso estratégico de diferentes métodos construtivos.

PATRICIA NETO ARQUITETURA RUA 05 Nº 691, SALA 314 EDF. THE PRIME TAMANDARÉ OFFICE - SETOR OESTE CONTATO: (62) 9 9822 1515 CONTATO@PATRICIANETOARQUITETURA.COM.BR


FOTOS: FÁBIO LIMA

alto padrão Lançamento de novos produtos e adaptação das estratégias comerciais marcam crescimento da CinexArch Goiânia durante o ano 2020

E

Alice Galvão

m um ano em que o mundo precisou parar e se reinventar por causa da pandemia do novo coronavírus, fatores como um bom planejamento estratégico e foco na gestão de pessoas fizeram-se ainda mais indispensáveis para garantir a saúde das empresas, inclusive no segmento de alto padrão, que tem como características de atendimento a personalização da experiência e a proximidade com o cliente. Esse foi um desafio enfrentado com maestria pela CinexArch Goiânia, loja especializada em vidros e alumínios para projetos de alto valor agregado. “Mesmo neste momento de crise, tivemos lançamento de produtos novos e estratégias comerciais específicas para passar por este período”, relata Tatiane Barreto, gerente comercial da loja. De acordo com a gestora, o suporte oferecido pelo Grupo Cinex, bem como a relação de confiança com o diretor da unidade, Pedro Paulo P. Duque Estrada, foram fundamentais para a segurança e o engajamento da equipe. “A ferramenta que nós aprendemos a utilizar, porque até então ninguém havia trabalhado em home office, foi a internet. Foi uma grande aliada”, pontua a gestora. Oferecer atendimento on-line, com

apresentação de catálogo virtual e reuniões por videoconferência, foi uma das alternativas ao período de isolamento social. A visita à loja passou a ser a última etapa do processo de compra. Mas muitos fechamentos foram feitos 100% on-line. “Algumas vezes chegamos a deixar amostras higienizadas nos apartamentos dos nossos clientes para que eles pudessem ter contato”, complementa Tatiane. Como uma sofisticada “alfaiataria de alumínios e vidros”, a empresa oferece ao mercado goiano o design e a qualidade de produtos desenvolvidos na Itália, seguindo as normativas europeias de desempenho. Própria para casas de grandes vãos e fachadas, a porta pivotante Dolomia está entre as peças mais suntuosas do portfólio da Cinex-Arch. Une resistência e segurança à leveza do vidro e ao design limpo e primoroso. A empresa consegue atender fachadas de até 6 metros de altura, com compensação de metro quadrado em largura, para suprir o peso da porta. As esquadrias de alumínio também seguem o mais elevado padrão estético e tecnológico internacional, entregam alto desempenho e performance, proporcionando beleza, suavidade no manuseio, além de conforto acústico e térmico. 40 ZELO

ESPECIALIZADA EM VIDROS E ALUMÍNIOS, A MARCA POSSUI SOLUÇÕES DIFERENCIADAS QUE PODEM SER PERSONALIZADAS PARA CADA PROJETO


“Antes de qualquer produto ser lançado no mercado, ele é testado e avaliado, para que possamos colocá-lo com segurança na casa do cliente, no escritório ou onde quer que seja aplicado”, explica a profissional, que também é arquiteta e designer de interiores. A característica dos materiais anula a necessidade de manutenção, o que eleva a percepção e o valor. “Eu não tenho a dilatação e nem a manutenção, necessárias à madeira ou à laca, por exemplo”, ilustra. Esta durabilidade fideliza os clientes, gera indicações e, consequentemente, faz com que a boa reputação da marca seja disseminada entre compradores e profissionais. São produtos exclusivos para alto padrão, pelas características, pelo elevado desempenho, a forma como são projetados (a obra precisa ser preparada para receber o produto Cinex), o que exige um atendimento especializado. “Desde o fechamento do contrato, a empresa faz todo o acompanhamento do processo até a instalação: medição, instrução, liberação para montar em uma fase específica da obra, bem como entregar o produto para o cliente”, enumera Tatiane. Para 2021, as expectativas são de crescimento gradativo, acompanhando a recuperação do segmento da construção.

AS ESQUADRIAS DA CINEXARCH SÃO DESENHADAS NA ITÁLIA E SEGUEM ALTO PADRÃO ESTÉTICO, PROPORCIONANDO MÁXIMO CONFORTO ACÚSTICO E TÉRMICO FOTO: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

A EQUIPE COMERCIAL DA CINEXARCH GOIÂNIA: OS CONSULTORES DE VENDAS LUCIANA CASTRO, HELLEN MACHADO (EM PÉ) E GILMAR PAZZINI, E A GERENTE COMERCIAL, TATIANE BARRETO (CENTRO)

41 ZELO


moderno

Escritório com alma Com elementos que privilegiam o toque e a sensação de aconchego, William Hanna assina seu escritório corporativo cuja essência é de continuidade do lar

A

Lucas Pereira

carreira de 12 anos do arquiteto William Hanna traduz o seu olhar sensível e atento ao ser humano. As criações assinadas pelo profissional vão além do que é visível, do que é concreto, abrangem o subjetivo, o sensorial. E é seguindo essa essência que Hanna desenvolveu o projeto do seu novo escritório. Com 74 metros quadrados, o espaço privilegia o conforto não só da sua equipe, composta por oito colaboradores, mas acolhe cada um que por ali passa com uma atmosfera aprazível. Corporativo, mas sem perder o toque

de lar. Assim, a madeira predomina no projeto, abraçando todos os ambientes de maneira calorosa. A partir dela, outros elementos criam composições que oscilam entre a harmonização serena e os contrastes que saltam aos olhos, mas de maneira agradável. Essa é a alma da criação do profissional: o aconchego. A escolha de materiais e revestimentos feita por Hanna segue a mesma premissa. Desse modo, pedras e cimento queimado se associam à iluminação pontuada, que predomina em todos os espaços, para compor ambientações que acionam a memória afetiva de imediato.

A MADEIRA PREDOMINANTE E O CIMENTO QUEIMADO NO PISO EMOLDURAM O PROJETO

42 ZELO

Tons neutros, como preto, cinza e branco, predominam com sutileza e dialogam com o paisagismo. O verde não está restrito aos detalhes, é parte fundamental dos espaços, com muitos vasos trazendo frescor e leveza. “A ideia é privilegiar o que é de verdade, então a natureza não poderia ficar de fora. Esse contato com o frescor faz muito bem a todos nós e energiza a rotina de trabalho”, conjectura o arquiteto. Marcante, o hall de entrada traz um mobiliário de design assinado e é emoldurado por painéis de madeira com iluminação indireta, que se contrapõem com


FOTOS: LUCAS PANOBIANCO

elegância à pedra Hitam, inserida no piso em tons de cinza e preto. Outro contraste que colabora com a proposta suave do projeto é a harmonização da madeira nas estações de trabalho, com dimensões amplas, e os nichos em mármore, que também criam um jogo geométrico e dinâmico com persianas e janelas. O projeto também acompanha o crescimento do escritório – este é o terceiro espaço que o recebe – e ressignifica a própria carreira do arquiteto. O símbolo é o olhar voltado para o afago do lar, uma extensão do mesmo, como uma segunda casa. “A mensagem que eu busquei transmitir com esse projeto é de cuidado com o bem-estar, com o conforto e um atendimento humanizado”, afirma. É como convidar quem o adentra a se sentir em sua própria casa, mas sob a ótica delicada e a personalidade de William Hanna.

QUANDO ABERTA, A PORTA DE CORRER INTEGRA OS AMBIENTES E, CASO NECESSÁRIO, POSSIBILITA A DEVIDA PRIVACIDADE

ARQUITETO WILLIAM HANNA

WILLIAM HANNA ARQUITETURA @WILLIAMHANNAARQUITETURA FOCUS BUSINESS CENTER AV. T-2, 471, SALAS 1.804/1.805 SETOR BUENO, GOIÂNIA (62) 99901 8412/ 3926 1306

AS ESTAÇÕES DE TRABALHO RECEBERAM DIMENSÕES AMPLAS, O QUE PROMOVE MAIOR CONFORTO À EQUIPE

43 ZELO


lar FOTOS: STUDIO ONZE ONZE

SALAS DE ESTAR E JANTAR FORAM INTEGRADAS, TRAZENDO AINDA MAIS ACONCHEGO E A SENSAÇÃO DE QUE AS FUNÇÕES DE CADA AMBIENTE FORAM ENTRELAÇADAS, FORMANDO UM GRANDE ESPAÇO DE CONVÍVIO EM FAMÍLIA

A Receptividade Que Percorre Espaços Arquitetas Andréia Spessatto e Náira Sá projetam decorado da Casa Raruz para clientes que buscam novos horizontes

C

Victor Lisita

omo proporcionar a sensação de amplitude e receptividade de uma casa em um apartamento de 160 m²? A resposta: Casa Raruz, em Rio Verde. Pensando nos clientes que buscam mudar o tipo de moradia, as arquitetas Andréia Spessatto e Náira Sá projetaram um decorado que usa a sofisticação para mesclar a qualidade de vida que provém de uma casa à praticidade de um apartamento. Desenvolvido pela Habitat Incorporadora, o projeto não apenas mantém o foco no que é realmente essencial como também personaliza a combinação de detalhes para transitar do óbvio para o poético. Para as arquitetas, todo ambiente é um mundo, uma verdadeira tradução da ideia de que um sonho pode ser projetado em um lugar. Não à toa que, além do decorado, as pro-

fissionais ainda elaboraram mais três plantas possíveis para serem aplicadas no espaço do apartamento, tudo para garantir que o empreendimento esteja preparado para qual for a demanda do cliente. “Pensando ainda que os residentes precisam dar o próprio toque pessoal na casa, nós utilizamos materiais que conversam entre si e que são capazes de abraçar, posteriormente, a personalidade de cada morador”, explica Andréia. E por falar em materiais, todos estão acima da norma de desempenho, com tonalidades neutras que não deixam o requinte de lado e possibilitam decorações tanto minimalistas quanto maximalistas. “Além disso, também usamos muitos tons terrosos e amadeirados, para reforçar uma conexão com a natureza, que pode ser vista em outros momentos no apartamento”, frisa a 44 ZELO

profissional ao descrever que o verde pode ser encontrado tanto em plantas quanto na marcenaria. Esse último tópico, inclusive, foi todo executado pela Bontempo. Através de espelhos, usados para dar a sensação de amplitude nos ambientes, Andréia conta que até mesmo a natureza se reverbera pelo projeto. Só que essa não é a única forma de trazer esse tipo de impressão, e é aí que entra a chave do trabalho das arquitetas: a iluminação. Como a própria profissional diz, “esse item foi trabalhado de uma maneira especial, focando em pontos que queremos dar relevância e conectando ambientes”. Trata-se de um verdadeiro “abraço” entre os espaços, como é possível ver entre as salas de estar e de jantar. Para completar a ideia de qualidade de vida, o próprio condomínio oferece uma


O ARMÁRIO DA COZINHA LEVA UM VIDRO TEXTURIZADO, O QUE DEIXOU O LOCAL COM UM VISUAL CLEAN E CHIC

NA SALA, O VERDE FOI PRIORIZADO E VEM ACOMPANHADO POR UMA ESTANTE BEM ILUMINADA

O QUARTO DO CASAL RECEBEU CORES ACONCHEGANTES, COM DESTAQUE PARA A MARCENARIA DE PORTAS ESPELHADAS NO ARMÁRIO, QUE SE REVELAM A SURPRESA DO AMBIENTE. ENQUANTO OS QUARTOS DOS FILHOS GANHARAM DÉCOR EQUILIBRADO E CHEIO DE VIDA

45 ZELO

AS ARQUITETAS NÁIRA SÁ E ANDRÉIA SPESSATTO

área comum cheia de serviços, desde salão de festas e brinquedoteca a um espaço com churrasqueira, quadra de jogos e piscina aberta. Embora o apartamento possa muito bem atender a um cliente solteiro, ele também é capaz de chamar a atenção de recém-casados ou mesmo de uma família com filhos. Para esse último cenário, as profissionais preparam dois quartos, um para uma filha pequena, com marcenaria em rosa seco e um armário espelhado executados pela Bontempo, e outro para um filho que está entrando na fase adulta. Quando perguntadas sobre o porquê de chamar a empresa para elaborar toda a marcenaria, Andréia e Náira são diretas: qualidade e carinho. “Acho que resume bem a Bontempo. Do primeiro contato na loja até o pós-venda, todo o trabalho da marca é feito com muito zelo, eficiência e sempre com resultados. É uma empresa que gerencia com excelência todos os seus processos e a entrega final reverbera em ambientes encantadores e com toda qualidade”, avalia Andréia. No decorrer do projeto, os móveis personalizados da marca se destacam e trazem elementos inovadores. No armário da cozinha, por exemplo, foi utilizado um vidro especial texturizado, o Quadrett, que é todo quadriculado, e, na suíte master, o fundo do armário com portas de vidro carrega um revestimento que remete ao mármore. Sofisticado e aconchegante.


aprendizado

Conquistando sonhos De Palmeiras de Goiás, arquiteto e empresário Lucas Machado inaugura seu escritório no Órion Business Complex Victor Lisita ARQUITETO LUCAS MACHADO

NOVOS HORIZONTES Com ênfase em ambientes residenciais e 46 ZELO

FOTOS: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

A

mor. Amor pelos projetos, pela profissão e gratidão a Deus. Esses são os pilares que sustentam a vida do arquiteto Lucas Machado. A caminhada do profissional começou cedo, aos 18 anos, quando ele deixou Palmeiras de Goiás para se mudar para Goiânia e dar início à faculdade pela qual sentia um chamado: Arquitetura e Urbanismo. Se fosse possível resumir esse momento da vida de Lucas, a expressão “com a cara e a coragem” seria apropriada. Sem emprego quando veio para a capital de Goiás, ele explica que começou a perceber o caminho que Deus estava lhe preparando quando conseguiu passar em um processo seletivo em uma renomada companhia no Estado de Goiás com apenas três meses residindo na cidade. O trabalho? Estagiário na seção de projetos de Arquitetura e Interiores. Função que forjaria sua base de conhecimento para o profissional que se tornou hoje. Tudo por conta do seu foco, convicção de que estava no lugar certo, e, como ele mesmo diz, “pela bondade de Deus”. Mais velho e mais experiente, hoje em dia faz questão de lembrar que foi como estagiário que aprendeu a trabalhar como um verdadeiro arquiteto. O curso foi crucial, é claro, mas a convivência diária com profissionais experientes fez com que Lucas desenvolvesse uma visão ampla e diversa do mercado. Em 2017, estabeleceu sociedade com outra profissional, o que configurou ali o início da realização do seu sonho: seu escritório de arquitetura. É seguro dizer que foi graças a esse passo adiante que novas portas se abriram. A primeira delas veio durante a Mostra Morar Mais 2017, em que Lucas e a então sócia participaram com o projeto “Studio Container”. Dois anos depois, desenvolveu o espaço “Quarto do Jovem Tecnológico” para a Mostra Kzulo 2019, em Anápolis. E como prova de que seu impulso de criar continua inovador e forte, o arquiteto mal pode esperar para mostrar ao público o projeto “Espaço do Convívio”, que será um dos destaques da Casa Cor Goiás 2021. De acordo com ele, não fosse por Deus, nada disso seria possível.


OS POSTOS DE TRABALHO GANHARAM ILUMINAÇÃO DIRETA, POSSIBILITANDO MAIOR CONFORTO VISUAL

corporativos, o Studio Lucas Machado tem projetos executados tanto em Goiás quanto em outros Estados. O ano de 2020 serviu como um novo momento para a carreira dele: o de construir um conceito ainda mais inovador para seu novo espaço. No 36º andar do Órion Business & Health Complex, o arquiteto prepara um projeto contemporâneo, inspirado nos escritórios de Nova York, com ambientes integrados para acolher seus clientes. “Nosso diferencial é compreender e atender de forma humanizada, com projetos exclusivos e personalizados. Além de desenvolver ideias modernas e atuais, buscamos o que há de melhor dentro de um conceito tecnológico e sustentável”, explica. De acordo com o profissional, a principal intenção do novo escritório é fazer com que as pessoas se sintam em casa. É nele onde Lucas e os clientes terão a primeira conversa sobre os seus sonhos, e a ideia é que eles sintam que aquele é o lugar em que estão dando o primeiro passo para realizá-los. Com um olhar inovador para o que é a arquitetura, mas também sempre ressaltando a importância do que é ter nas mãos a oportunidade de realizar os desejos de outras pessoas, Lucas consegue passar duas sensações-chave em seu novo escritório: aconchego e modernidade. “Este é um projeto muito especial, sobretudo porque eu crio projetos para outras pessoas e, desta vez, desenvolvi para mim. Além de realizar o meu sonho, também era preciso elaborar um espaço com o propósito de atender cada cliente de maneira única”, ressalta.

PARA DAR MAIS COMODIDADE, A MESA DO ARQUITETO RECEBEU PAINEL RIPADO DE MADEIRA COM PERFIS DE LED, O QUE TROUXE ACONCHEGO E AMPLITUDE

47 ZELO

STUDIO LUCAS MACHADO ÓRION BUSINESS & HEALTH COMPLEX AVENIDA PORTUGAL, 1148, SALA C 3615 - SETOR MARISTA WHATSAPP: (62) 99620 8455 WWW.STUDIOLUCASMACHADO.COM


living

De volta para a casa

IMAGEM: HIDEO WATANABE

Um panorama sobre os impactos da pandemia na ressignificação do morar e as tendências de habitação no “novo normal”

48 ZELO


NO PERÍODO EM QUE SE AFASTAR DOS GRANDES CENTROS URBANOS É TÃO NECESSÁRIO, PROJETO ASSINADO POR LEO ROMANO PRIVILEGIA OS MOMENTOS DE CONTEMPLAÇÃO À NATUREZA

49 ZELO


FOTO: EDGARD CÉSAR

O HOME OFFICE DO ARQUITETO LEO ROMANO PARA O PROJETO "JANELAS CASA COR" TRAZ ELEMENTOS QUE REMETEM A UM AMBIENTE DE CASA, DE FORMA ACOLHEDORA E CONFORTÁVEL

D

Alice Galvão

esde março de 2020, o mundo tem ressignificado o que a banda carioca Los Hermanos dizia lá em 2003, em um trecho da música Último Romance, no disco Ventura: “Sair de casa já é se aventurar.” O contexto da canção era outro e Rodrigo Amarante provavelmente não imaginava seu sentido futuramente aplicado a uma pandemia. Mas a frase tornou-se atual e aplicável no ano em que o mundo precisou de isolamento social e a casa, mais do que nunca, passou a significar acolhimento e proteção. A lógica da vida moderna sofreu uma inversão e, nas palavras do arquiteto Kardec Delano Bonfim Borges, presidente da Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura Regional Goiás (AsBEA GO), “na história recente a gente nunca passou tanto tempo dentro de casa quanto neste período de pandemia”. Em entrevista à Zelo, ele ponderou que esse tempo fez com que as pessoas começassem a perceber as faltas e os excessos da sua estrutura de moradia e que, nesse sentido, a arquitetura tem o poder de curar ou adoecer, dependendo de como é projetada. “Bons arquitetos conseguem pensar em uma boa entrada de luz natural, grandes aberturas [importantes para amenizar o desconforto da região quente e seca em que vivemos]

e uma ventilação cruzada, por exemplo”, pontua. E explica que se estes aspectos não forem considerados, a sensação é de mal-estar e desconforto. Dentre as necessidades e preocupações surgidas neste período, o profissional elencou os espaços de descompressão, os cuidados com a alimentação e a imunidade, bem como a preocupação com a produção de lixo, higienização, sustentabilidade, eficiência energética e tecnologia. Itens também considerados importantes pelo arquiteto Leo Romano, que tem desenvolvido projetos adaptados a este “novo normal” para o segmento de alto padrão. Em um dos apartamentos que projetou recentemente, o hall de entrada passa a ser um espaço de higienização. “Nós inserimos uma pia, um suporte pra propés (sapatilhas descartáveis para cobrir os sapatos), um espaço de álcool em gel, de lixeira, de recepção dos sapatos”, descreve o profissional. Em outro projeto, um tanque foi instalado na garagem, para que os produtos que chegam do supermercado sejam devidamente higienizados antes de entrarem em casa. “Eu acho que esse é um caminho sem volta”, determina Leo. Ele acredita na reversão de um comportamento anterior de uso da casa como objeto de ostentação e 50 ZELO

que agora é pensada como um lugar para se habitar e construir significados afetivos. Alguns ambientes foram mais valorizados, como o office, pela necessidade do trabalho em casa, e os espaços dedicados ao relaxamento e à espiritualidade também ganharam evidência na sua percepção. “Outro elemento que eu acho importante é um espaço voltado para atividades físicas”, complementa o arquiteto. Convidado a imaginar como seria a casa do futuro, Leo Romano idealizou o Office Afeto, dentro do projeto Janelas Casa Cor Brasília 2020. “A gente chamou de afeto porque, ao mesmo tempo em que ele correspondia ao home office, trazia elementos sensoriais capazes de nos estimular para uma proximidade com o aconchego do lar”, explica o artista. O projeto também recebeu uma câmera, que captava as imagens dos visitantes e transmitia na televisão. “Como se a TV nesse espaço fosse o nosso suporte para algo muito comum nos dias de hoje, que são as lives”, conceitua. CASA DE TEMPORADA Por falar em casa do futuro, outra proposta chamou a atenção neste período: a Ayla Smart House, construída na Pousada Shambala Piri, em Pirenópolis, pelo empreendedor Neylon Jacob e seu pai, o ar-


FOTO: DIVULGAÇÃO

NO DECORADO DO EKO LIFESTYLE, DA EBM, HOUVE A INTEGRAÇÃO MÁXIMA ENTRE INTERIORES E ÁREAS SOCIAIS, POSSIBILITANDO MAIOR CONVÍVIO FAMILIAR

itens e foi testando até chegar à configuração ideal. Cada lâmpada da casa tem 16 mil cores, disponibilizando uma infinidade de cenários possíveis. Além de oferecer tranquilidade, conforto, praticidade e contato com a natureza, sua intenção foi aguçar a criatividade dos visitantes. O nome significa “luz do luar” em hebraico e a Ayla não tem cara de construção high-tech. Preparada para hospedar até duas pessoas, mantém as características de uma casa de campo. Para Jacob, inovação, economia e sustentabilidade são palavras de ordem deste novo jeito de pensar a hospedagem.

FOTO: DIVULGAÇÃO

tesão Nelton Xavier de Barros, com a colaboração do mestre de obras Adriano Lena. A angústia do isolamento e as restrições ao contato físico foram o ponto de partida na busca por uma alternativa inteligente de hospedagem segura. A casa permite que o hóspede programe remotamente lembretes para os compromissos do dia, iluminação, abertura de persianas e acionamento da cafeteria. Jacob precisou reinventar-se para fazer os investimentos necessários, quando o mercado de turismo e hospitalidade precisou parar. Ele estudou automação, programação e integração do sistema smart; comprou os

EMPREENDIMENTO DA BRASAL INCORPORAÇÕES, O MOOVE HOME, RECEBEU COWORKING E SALA DE ESTUDOS JÁ PENSANDO EM ATENDER À TENDÊNCIA DE CONSOLIDAÇÃO DO HOME OFFICE

51 ZELO

COMPORTAMENTO DE CONSUMO Com a pandemia, Leandro Baptista, gerente comercial da Brasal Incorporações, observa o crescimento da procura por imóveis com home office e a valorização do consumo consciente. “No pós-pandemia, acredito que o cliente continuará procurando imóveis onde ele possa ter mais espaço para ficar com a família”, ressalta. Ele aposta na demanda crescente por varandas e salas maiores. De acordo com Ademar Moura, gerente comercial e de marketing da EBM, houve uma mudança no comportamento de compra dos imóveis residenciais, pois as pes-


FOTOS: DIVULGAÇÃO

soas começaram a prestar mais atenção ao tempo gasto com deslocamento, a valorizar cada minuto em família e ao conforto para trabalhar e estudar em casa. Cresce a demanda por personalizações, pela busca por espaços bem definidos, práticos e mais preparados para os múltiplos usos e as diferentes configurações familiares. Projetos que permitem a transformação de um dos quartos em home office - ou até mesmo tirar um dos quartos para deixar a sala maior - e os que possibilitam integração da sala com a cozinha para ampliar a área social são algumas das opções. “Tempo, espaço e silêncio são as palavras de ordem do morar bem. Antes, es-

tes benefícios eram mais observados pelo público de alto padrão, mas isso foi democratizado”, reflete Ademar. Para ele, as pessoas começaram a pensar em como aproveitar melhor a casa também para receber, quando for novamente possível fazer isso com mais frequência, e acrescenta que morar perto de áreas verdes, ter contato com a natureza e com a possibilidade de realizar atividades ao ar livre também ganharam um significado ainda mais forte. Se sair de casa “ainda” é se aventurar, que possamos viver o nosso lar com qualidade. E quando tudo isso passar e pudermos sair, que seja para construirmos e habitarmos um mundo melhor. FOTO: DIVULGAÇÃO

OS AMPLOS ESTAR E JANTAR SEM PEÇAS ESTRUTURAIS APARENTES NO DECORADO DO MIAMI ONE LIFESTYLE PASSAM UMA AGRADÁVEL SENSAÇÃO DE AMPLITUDE E INTEGRAÇÃO

LEO ROMANO

KARDEC BORGES

LEANDRO BAPTISTA

ADEMAR MOURA

52 ZELO


Nos projetos de iluminação, conte com quem alia bom gosto, criatividade e personalização.

O INSTUTO RILDO LASMAR E A THE CLINIC RECEBERAM PROJETO LUMINOTÉCNICO EXECUTADO POR LUMIINA ILUMINAÇÃO

lumiina_iluminacao

(62) 3274 1819 / 98453 7083 53 ZELO


redacao@revistazelo.com.br

Luzes que abraçam Atendimento personalizado e um espaço aconchegante para que os clientes se sintam à vontade. São esses os pilares da Lumiina Iluminação. Há três anos no mercado, a marca está sempre atenta às novidades para levar não só o que há de mais bonito aos ambientes, mas também o sentimento de aconchego que apenas um sistema premium é capaz de oferecer. E em 2020, a empresa chega com clássicos da iluminação a dois espaços conceituados em Goiânia, o Instituto Rildo Lasmar, do odontólogo Rildo Lasmar, e a The Clinic, do biomédico esteta Dr. Dieick de Sá. No primeiro, a loja entrega um lustre imperial de cristal da linha Chandelie, imponente e sob medida para espaços amplos. Já na The Clinic, são os pendentes Spirale e Vertex G, ambos da Itamonte, que chamam a atenção tanto pelo formato que inova quanto pelo resultado que proporcionam ao ambiente.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

ZELODECOR


diferencial FOTOS: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

O EMPREGO DE UMA MARCENARIA INTELIGENTE, EXECUTADA PELA NL MÓVEIS PLANEJADOS, PROPORCIONOU AOS AMBIENTES SOFISTICAÇÃO E PRATICIDADE

AS ARQUITETAS LARISSE NAPOLI E FLÁVIA FERREIRA

Partilhando sabores Nascida do desejo de compartilhar a paixão pelas carnes, a Casa Dibs conta com projeto que se afasta de empórios convencionais Victor Lisita

D

efinida como um lugar onde uma das partes mais significativas da vida se desenrola, o termo “casa” carrega uma representação mais sentimental quando o trocamos por “lar”. E é visando se apresentar como um lar, como parte importante da vida dos clientes, que a Casa Dibs se posiciona no mercado. Direto do Setor Bueno, em Goiânia, o empório de carnes começou 2020 com um visual totalmente repaginado, projetado pelas arquitetas Larisse Napoli e Flávia Ferreira dentro de um único objetivo: compartilhar o amor pelas carnes e os temperos aperfeiçoados por gerações. Em meio aos 292m², o maior desafio das arquitetas foi criar um ambiente diferente de outras instalações do gênero, ao mesmo tempo que também traria uma sensação de família, aconchego e acolhimento. E a resposta era simples: setorização. “Criamos ambientes diferenciados para que o cliente possa ter diversas experiências”, revela Larisse, que exemplifica a decisão pontuando a separação entre o espaço reservado para cortes especiais do destinado aos cortes do

dia a dia. Tudo pensado de acordo com a necessidade do cliente. Só que essa não é a cereja do bolo, como aponta a arquiteta. Além de um pequeno mercado e uma adega executada pela NL Móveis Planejados para receber os melhores rótulos, as profissionais também tinham a missão de deixar “transparente” o processo de manuseio do produto. E é por isso que quem entra na Casa Dibs se depara com uma bancada toda de vidro e com revestimento em ACM preto. “Projetamos um espaço que permite a visão do cliente durante o processo de manipulação da carne pelo profissional açougueiro.” Uma decisão que faz toda a diferença quando o assunto é criar confiança no produto. Através de um design contemporâneo, com linhas retas, visual arrojado e mobiliário fluido, as arquitetas uniram o ferro à madeira para conseguir tanto simplificar o processo quanto manter a sofisticação. Uma sofisticação que, inclusive, é reforçada pelo jogo de luz e sombras, sendo a maioria focada nos produtos para agregar 55 ZELO

valor e gerar status de exclusividade. Larisse frisa ainda que foram criadas “áreas de circulação para que os sentidos pudessem ser ativados a todo momento, como quando os clientes caminham até as gôndolas e passam pelo freezer de congelados, onde o aroma das carnes ativa o desejo”. Como todo projeto tem um prazo a ser seguido, a responsabilidade da NL Móveis Planejados na execução do mobiliário da adega, no salão de atendimento e no espaço da administração foi o diferencial que as arquitetas buscavam. “Para materializar todo o sonho da Casa Dibs, trouxemos a NL pela segurança que temos com a empresa. Ela sempre esteve presente nas obras, acompanhando os processos para que tudo ficasse perfeito.” NL MÓVEIS PLANEJADOS @NLPROJETOSDEINTERIORES (62) 98187 5096/ 3432 7900 LARISSE NAPOLI (62) 98402 2294 FLÁVIA FERREIRA (62) 99265 4389


decor FOTO: EDGARD CÉSAR

FOTO: EDGARD CÉSAR

OFFICE AFETO - LEO ROMANO

INFINITO PARTICULAR - ALF ARQUITETURA

Janelas para o Mundo Vitrines espalhadas pelo Brasil materializam a casa pós-pandemia na visão do elenco de profissionais da Casa Cor FOTO: JOMAR BRAGANÇA FOTO: ESDRAS GUIMARÃES

BANHEIRO DECCA - ERICO MONTEIRO

FOTO: EDGARD CÉSAR

SLEEPING BOX - MIGUEL GUSTAVO ARQUITETURA

COZINHA DO BARISTA - CYNTHIA SILVA E ESTÚDIO MINERAL

56 ZELO


FOTO: EDGARD CÉSAR

HOME FITNESS - DENISE ZUBA ARQUITETOS

N

um ano em que as portas das casas foram fechadas devido à pandemia do novo coronavírus, muitas janelas se abriram para deixar o ar e o sol entrarem. Elas se tornaram um portal para ver o mundo de um jeito diferente. Com essa inspiração, a mostra Casa Cor criou o projeto Janelas Casa Cor. Um exercício criativo e de

reflexão, com o objetivo de tornar tangíveis conceitos e ideias de quem pensa a casa. No projeto, vitrines espalhadas pelo Brasil materializam a casa pós-pandemia na visão do elenco de profissionais da mostra. Esses arquitetos e designers de interiores têm como desafio refletir sobre o que mudou em nossas vidas e em nossos lares neste mo-

FOTO: SALVADOR CORDARO

FOTO: SALVADOR CORDARO

PRA QUE MAIS? - JOÃO ARMENTANO

SIMPLICIDADE - BRUNETE FRACCAROLI

57

ZELO

mento tão delicado e sobre quais são nossas novas necessidades. Afinal, tudo será digital ou ainda há espaço para o contato? Casa Cor convidou os mais destacados arquitetos e designers de interiores do Brasil a pensar nas respostas para essas perguntas e colocar tudo em janelas que permitam avistar a realidade do novo morar.


CARROS

ASTERO FONTENELLE astero@revistazelo.com.br

FOTO: DIVULGAÇÃO

Ferrari SF90 Spider

FOTO: DIVULGAÇÃO

A Ferrari apresentou o novo SF90 Spider, primeiro híbrido com capota rígida retrátil da linha criado para oferecer uma alegria inigualável ao ar livre. Possui um V8 biturbo de três litros e 780 cv, mais três motores elétricos que, juntos, entregam 220 cv. Combinados, esses motores entregam a potência total de 1.000 cv. O carro custa 418.000 euros (cerca de R$ 2,7 milhões sem os impostos de importação). Chega ao mercado europeu no segundo trimestre de 2021.

Nova Toyota SW4 A nova Toyota SW4 2021 chega com diversas novidades: novo design mais sofisticado e moderno e melhorias em sua conectividade, conforto, desempenho e segurança. Também ganhou 15% a mais de potência no motor 2.8L diesel, que passa a render 204 cv, além de novos faróis, grade e parachoques no exterior e uma combinação de cores no estofamento e nas portas.

McLaren 620R

FOTO: HEGON CORREA

Caoa vai investir R$ 1,5 bi em Goiás O anúncio foi confirmado durante visita do governador Ronaldo Caiado à montadora em Anápolis. O aumento da produção no Estado foi viabilizado pela reinserção do Centro-Oeste na política de incentivos fiscais para o setor automobilístico. A unidade goiana da Caoa tem capacidade para produzir 86 mil veículos por ano. Atualmente, gera mais de 25 mil empregos, entre diretos e indiretos, e produz cinco modelos: Camioneta HR, iX35 Flex 2.0, New iX35 (face-lift), New Tucson 1.6 T-GDI e Caminhão leve HD 80. 58 ZELO

FOTO: DIVULGAÇÃO

A grande novidade da McLaren é o superesportivo 620R, que chega na Europa, Oriente Médio e África com edição limitada. É inspirado no modelo de corrida 570S GT4, com o qual compartilha ajuste aerodinâmico e componentes do chassi. O interior possui elementos em fibra de carbono e o motor é um V8 biturbo M838TE de 3,8 com potência de 610 cv. A velocidade máxima é de 322 km/h. O único exemplar destinado ao mercado brasileiro foi pintado na cor Borealis com detalhes, na carroceria, do tradicional laranja da marca britânica. Valor sugerido: R$ 2,5 milhões.


(62) 3945-9652 (62) 3281-9652 (62) 9 9135-0376 R. 87, 553, Qd. F 27, Lt 65 St. Sul, Goiânia

contato@monalizaesqusdrias.com.br www.monalizaesquadrias.com.br monalizaesquadrias


DIREÇÃO CRIATIVA: BEL JÚNIOR STYLING: EDNA LIMA ASSISTENTE DE STYLING: ALEF BERTOLUCCI MAKE-UP E HAIR: LUCIANO LIMA FOTOGRAFIA DE MODA: FABRÍCIO CARDOSO MODELO: HERIKA NORONHA (MEGA MODEL – GOIÂNIA) AGRADECIMENTOS: ARTE PLENA CASA GALERIA E STUDIO Y

60 ZELO


VESTIDO VITOR ZERBINATO PARA EMPORIUM LOLITHÁ

61 ZELO


VESTIDO MARCELO QUADROS PARA EMPORIUM LOLITHÁ

62 ZELO


CALÇA CHEROY E BLAZER MORINA PARA LOJA DOIS, ANEL, COLAR E BRINCOS IGOR LOBO

63 ZELO


VESTIDO SKAZI PARA ENCANTARE, BRINCOS IGOR LOBO

64 ZELO


VESTIDO IORANE PARA ENCANTARE, BRINCOS E PULSEIRA IGOR LOBO

65 ZELO


CONJUNTO CAOS PARA LOJA DOIS, ANÉIS E BRINCOS IGOR LOBO

66 ZELO


transformação De modelo a terapeuta em saúde integral, Herika Noronha conversa com a Zelo sobre aprendizados e percepção de mundo Victor Lisita

D

estaque do editorial de moda desta edição, Herika Noronha conta à Zelo sobre o momento repleto de transformações que tem vivido. De volta ao Brasil, depois de uma carreira que lhe permitiu conhecer o mundo, a modelo e chef natural está pronta para viver o “agora”, mas sem se esquecer de tudo o que aprendeu. Leia abaixo: Zelo: O que 2020 representou para você? Herika: Foi um ano inesperado! Uma caixinha de surpresas seria a expressão certa. De muita dor, mas também de muito amor, autoconhecimento e dedicação ao próximo. Tem sido um momento muito construtivo para mim! E agora, chegando a Era de Aquário, eu, como aquariana, sinto realmente na pele. Será uma revolução e evolução. Zelo: Por falar em autoconhecimento, como é se descobrir ao redor do mundo? Herika: Sempre levo um pouquinho de tudo que conheço nos diferentes países. Acho que as experiências se acumulam em nosso DNA. De Israel e Turquia à África do Sul, Bali e Búzios, no Rio de Janeiro, minhas casas nesses últimos 20 anos, cada lugar foi extremamente diferente. Mas Bali foi um grande marco para mim. Foi minha crise de identidade dos 30 [risos]. Na época, eu estava no auge da minha carreira e joguei tudo para cima para tirar um ano sabático, enfrentar alguns traumas e dedicar um tempo para mim mesma. Surfar virou um hábito [risos]. Zelo: Com as inúmeras possibilidades pelo mundo, por que voltar para o Brasil? Herika: Depois de quase quatro anos vivendo entre Bali e a França, acabei conhecendo meu ex-marido, que é brasileiro. Ele me convenceu a morar em Búzios e eu vim para focar no meu casamento e nos estudos. Foi nessa época que eu estudei na NOS Escola, a primeira de saúde integral do Brasil. Foi lá que me formei como terapeuta em saúde integral, chef natural e raw chef. Zelo: O que você mais aprendeu? Herika: Conheci uma maneira diferente de cozinhar. Aprendi a transformar os

alimentos e potencializar os benefícios saudáveis através de uma cozinha sem fogão. Transformo e conservo as comidas naturalmente com desidratação. Zelo: Foi nessa época que surgiu a ideia de criar o Santhè Lab? Herika: As coisas foram acontecendo. Eu já estava produzindo produtos alimentícios em Búzios, mas aí veio a pandemia e logo no começo surgiu a ideia do Santhè Lab. É um laboratório criativo em que comecei a criar produtos que fazem bem para o corpo e para a alma. Por exemplo, um dos produtos é o “raspador de língua”, que veio diretamente da minha aula de Ayurveda na NOS Escola. Zelo: Por que esse raspador é importante? Herika: É um autocuidado diário. Basicamente, “raspar a língua” é a primeira coisa que se faz após acordar, assim você retira todas as toxinas criadas pelo corpo à noite. Isso faz com que nossos sentidos fiquem mais claros e saudáveis. O produto já existia, então eu decidi fazer um design especial, com detalhes em cristais e um material natural, antibactericida e antiviral. Zelo: É da sua própria casa que vêm alguns dos produtos do laboratório? Herika: Isso! Cheguei a morar em Portugal e lá também produzi sal artesanal com flores orgânicas e clorofila, além de sais para banhos biodinâmicos. Tudo plantado por mim com probióticos de kombucha, em um processo demorado, mas rico em vitaminas e minerais. Muito falamos do açúcar e da farinha, mas poucos falam do sal. Zelo: O que é mais importante: o presente ou o futuro? Herika: Estou focando no “agora”, que é o mais importante nesse mundo incerto. Tenho estudado muito empreendedorismo para poder entender as partes burocráticas e comandar meu negócio por inteiro. E, nesse meio-tempo, quero desenvolver meu primeiro grande projeto sustentável, que é um sonho para o futuro. É hora de colocar muito do que aprendi em prática e dividir felicidade e saúde. 67 ZELO


ZELOBELEZA

J-Beauty

HANNAH MOTTA hannah@revistazelo.com.br

Shiseido Makeup apresenta seu inovador LipLines InkDuo, um contorno e primer para os lábios com 12 cores. Segundo o diretor artístico global da marca, James Boehmer, “a ideia é ser livre e expressivo, não oprimido pelas regras convencionais”. O produto é um lápis labial 2 em 1 que prepara, delineia e realça os lábios para cores duradouras com superdefinição. A fórmula é leve e desliza sem esforço pelos lábios. O primer promete manter o lápis ultrafino de Shiseido intacto por até 8 horas.

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Purificador Frescor A L’Occitane au Brésil estendeu sua linha Capim-Limão com o lançamento de CapimLimão Alfazema. A novidade equilibra o frescor do capim-limão com o conforto e rusticidade da alfazema em uma linha que conta com deocolônia, sabonete líquido, loção corporal e um creme de mãos. O intuito da marca é levar uma sensação aconchegante para o Natal de todos os brasileiros. A embalagem foi desenvolvida em colaboração com o designer Marcelo Rosenbaum. Um charme!

No clima de virada de ano, a The Body Shop traz shower gel com fragrância de arruda, com fórmula 100% vegana. É uma composição floral bem delicada, feminina e suave. Dizem que na Grécia Antiga a arruda era utilizada para afastar o mau olhado. Por que não reforçar sua rotina de banho neste fim de ano com uma ajuda dessa?

Matte e confortável Nars apresenta em seu portfólio a nova base Soft Matte Complete Foundation. Com alta cobertura e acabamento matte natural, se propõe a manter sua cor real confortavelmente por até 16h. Regula o excesso de oleosidade enquanto mantém a pele hidratada com uma combinação de microalgas e ácido bio-hialurônico. Além de conter pós que absorvem o óleo e criam uma cútis sequinha e aveludada com efeito de segunda pele. Disponível em 34 cores.

68 ZELO


Antiacne Sallve acaba de apresentar seu Sérum Antiacne, um produto que ajuda a tratar e prevenir espinhas sem ressecar a pele. A fórmula é resultado de uma combinação de ácido salicílico, que desentope os poros; melaleuca com o 4-terpineol, que oferece benefícios bactericidas e anti-inflamatórios sem irritar a pele; niacinamida e o extrato de buchu, que, juntos, controlam a oleosidade e ajudam a minimizar poros dilatados. Apresenta textura levemente gelificada, permitindo que a aplicação seja pontual.

Cheia de luz Natura UNA lança sua coleção Luz, cheia de produções com muito brilho para as comemorações de fim de ano. Composta por batons, iluminador, pincel exclusivo e esmaltes, a novidade deixa o look radiante, dando um tom de sofisticação, além de hidratar a pele. O iluminador oferece radiância e alta pigmentação tanto para o rosto quanto para o corpo. Tem textura leve e não oleosa devido à fórmula com 60% de água e com ingredientes que contribuem para a fixação do produto na pele.

Vem verão! O novo Fusion Water Fps 60 é o principal lançamento do ano da espanhola ISDIN+. Com o grande diferencial da inovadora textura ultraleve à base de água, exibe o conceito 5 stars, com rápida absorção e controle de oleosidade. Pode ser aplicado na pele molhada e é Sea Friendy, ou seja, não prejudica a vida marinha. Além disso, não irrita os olhos e traz o benefício adicional da hidratação graças ao ácido hialurônico na composição.

Celebração Laura Mercier convida para celebrar a temporada de festas de fim de ano com a coleção em edição limitada Ballet à Paris. Inspirada pela elegância da dança e pelas raízes femininas da marca, homenageia as bailarinas do Teatro de Balé Francês, em Paris. Entre as boas opções, o icônico e premiado pó translúcido de Laura Mercier vem acompanhado do Velour Puff, para aplicação. A dupla promete uma pele impecável por 16 horas. Disponível nos tons Translucent e Translucent Medium Deep.

Gavassiers

69 ZELO

O Boticário se juntou a Manu Gavassi e traz novidades para a linha Intense. Moderna e divertida, apresenta 13 novos produtos, entre sombras, lápis de olho, delineadores e esmaltes. Supercoloridos e altamente pigmentados, os produtos estão em total sinergia com o lifestyle da Manu. Destaque para as sombras, que têm textura macia, são fáceis de espalhar e estão disponíveis em cinco cores: amarelo (pra deixar o dia feliz), pink (pra fazer o ex chorar), azul (pra meditar), coral (pra construir seu império) e verde (pra contemplar a natureza).


qualidade

Academia Premium FOTO:S: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

Facilidade de manuseio, atendimento personalizado, suporte imediato e garantia: os pilares que levaram a Matrix Fitness até o Aldeia do Vale

A MATRIX É DIFERENTE DE OUTRAS EMPRESAS DO SEGMENTO POR SE COMPROMETER A ESTAR À FRENTE DE TODAS AS ETAPAS DE PRODUÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E VENDAS, OFERECENDO TODO O SUPORTE NECESSÁRIO

O

Victor Lisita

desafio: agradar a um público que já conhece os melhores equipamentos e as melhores academias do mundo. A solução: Matrix Fitness. Equipada com a melhor linha da marca, a recém-aberta Academia Aldeia do Vale surge como solução para os moradores do condomínio fechado que queriam a praticidade de praticar exercícios físicos sem sair dali. Os equipamentos profissionais entre os três melhores do mundo e o atendimento meticuloso durante e após a venda foram o necessário para confirmar que a Matrix foi a escolha certa. De acordo com as representantes da Comissão da Academia, Patrícia Stabile e Kassiana Baptista, o processo de internalização da Academia do Aldeia do Vale se deu, primeiramente, por uma decisão da maioria dos moradores em ter uma academia própria, visto que, anteriormente, ela era terceirizada. A partir disso, foram reali-

zados estudos e pesquisas para a aquisição de equipamentos de qualidade que contemplassem a expectativa dos residentes. Com 70% de sua extensão sendo área verde, o Aldeia do Vale não só é um dos maiores condomínios fechados do Brasil em termos de espaço como também uma referência quando o assunto é moradia. E como tal, um serviço tão esperado pelos moradores também precisava estar à altura de toda essa popularidade. As representantes contam ainda que, com apenas dois meses de funcionamento, o nível de satisfação por parte dos condôminos tem sido muito alto. INTERNACIONAL Embora a Matrix tenha sido lançada em 2001, a história por trás do nome é bem mais antiga. Braço premium da Johnson Health Tech, que está no mercado desde 1975 levando todo tipo de equipamento de 70 ZELO

OS APARELHOS APRESENTAM UM DESIGN ACESSÍVEL ASSOCIADO À TECNOLOGIA E À DURABILIDADE, O QUE CONFERE A MELHOR EXPERIÊNCIA AOS USUÁRIOS


ginástica para o mundo, a Matrix se diferencia das outras empresas por estar à frente de todas as etapas de produção, distribuição e vendas. Como explica o gerente comercial da Matrix no Centro-Oeste, Daniel Miranda, “o processo integrado permite combinar tecnologias exclusivas com programas avançados para uma experiência rigorosa, dinâmica e facilmente acessível”. São mais de 250 pessoas trabalhando constantemente em pesquisas e em um painel de feedback de usuários composto por mais de 600 pessoas. “É um processo de inovação contínua. Quase todos os componentes essenciais do nosso portfólio vem da nossa própria rede de produção internacional”, conta Daniel. Esse aspecto, inclusive, foi um dos diferenciais para a escolha da Matrix no Aldeia do Vale. “Para nós, era muito importante encontrar uma marca que desse suporte imediato quando necessário. Já aconteceu de pedirmos assistência pela manhã e a equipe vir na parte da tarde”, lembra Patrícia. Patrícia Stabile ressalta que ficou surpresa com a velocidade de entrega dos equipamentos: o prazo inicial era de 30 a 45 dias, e a entrega foi realizada em apenas dez. Já Kassiana destaca que, na primeira quinzena após a entrega, técnicos da Matrix foram ao condomínio explicar o funcionamento de cada aparelho. “E a academia também conta com os manuais de cada um, todos muito simples e fáceis, disponíveis para os usuários caso um profissional não consiga dar o auxílio imediato.” Como o próprio Daniel diz, “ao esco-

KASSIANA BAPTISTA E PATRÍCIA STABILE, QUE FAZEM PARTE DA COMISSÃO RESPONSÁVEL PELA IMPLEMENTAÇÃO DA ACADEMIA, JUNTO A SÉRGIO CECÍLIO, PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DO RESIDENCIAL ALDEIA DO VALE (SAALVA)

lher a Matrix, a pessoa receberá um relacionamento contínuo, com atendimento completo, desde o projeto da academia e participações em reuniões até demonstração dos produtos”. Facilidade de manuseio, atendimento, suporte e garantia: os pilares que levaram a Matrix até o Aldeia do Vale. E se depender de Kassiana e Patrícia, assim que o mundo estiver seguro o suficiente para não precisar manter o distanciamento social, não só novos usuários são esperados como também mais equipamentos da marca.

OS GERENTES COMERCIAIS DA MATRIX EM GOIÂNIA E NO CENTROOESTE, RESPECTIVAMENTE, EVERALDO RIBEIRO E DANIEL MIRANDA

MATRIX FITNESS RUA TAMBURIL, QD 129, LOTE 57, SANTA GENOVEVA - GOIÂNIA GO (62) 3207 0078 DANIEL@JOHNSONFITNESS.COM.BR

71 ZELO


bem-estar

FOTO: ANTÔNIO CARLOS CARDOSO/ IN PHOTO

A EDUCADORA FÍSICA ÉRICA PEIXOTO SILVA E A FISIOTERAPEUTA CECÍLIA PEIXOTO SILVA

Corpo, Mente e Espírito Há 25 anos em Goiânia, o centro de saúde Climma 21 complementa a medicina tradicional através de técnicas para o equilíbrio energético e físico 72 ZELO


Victor Lisita

D

PILARES Dos quase 20 serviços oferecidos atualmente, três áreas representam os pilares da Climma 21. O primeiro deles, atividades médicas e complementares, alia métodos multiprofissionais às práticas médicas ortodoxas, ou seja, à medicina tradicional. Nessa área, Dr. Guilherme detalha que se encontram trabalhos relacionados à Clínica

Médica, Acupuntura, Homeopatia, Microfisioterapia, Nutrologia, Prática Ortomolecular e Psicoterapia, que pode ser dividida em Programação Neurolinguística e Terapia Regressiva de Vivências Passadas. Já o segundo pilar envolve as terapias energéticas, que nada mais são do que métodos naturais para o equilíbrio físico e emocional. É nesta área que encontramos a Técnica da Frequência de Brilho, trabalho utilizado pela primeira vez em Goiânia pelo médico. “É a maior habilitação de técnica singular de cura energética, que envolve a ativação de portais energéticos nas partes anterior e posterior do corpo", explica. Além dela, e ainda nesse pilar, a Climma 21 oferece a Dinâmica Energética do Psiquismo, ThetaHealing, Terapia do Cone Hindu, Barras de Access, Matrix Aromática, Constelação Familiar, Alinhamento Energético e a técnica de Reiki para a transmissão e equilíbrio do fluxo de energia vital do organismo.

E por meio do método de respiração Low Pressure Fitness, exercícios funcionais e pilates, a clínica fecha toda a sua essência com o terceiro pilar: atividades físicas. Sempre antenada às novidades, a Climma 21 mira alto quando o assunto é o futuro. E por falar em alto, a Dra. Cecília frisa que essa pauta abrange todo o Estado de Goiás. “Queremos ampliar nossa estrutura física e, em 2021, trazer novas tecnologias para agregar e auxiliar nos tratamentos existentes”, ressalta. Assim como o aprendizado nunca acaba, a Climma 21 nunca deixará de buscar formas para garantir equilíbrio ao corpo e à mente de seus pacientes.

FOTO: ERI JOHNSON

e 1995 para o futuro. Pensada para o atendimento global do ser humano, visando além da cura de doenças, a Climma 21 se posiciona no mercado como um centro integrado que trabalha na prevenção, promoção e manutenção da saúde com um formato diferente do usual. Bem no coração do Setor Marista, em Goiânia, o espaço busca o bem-estar físico, psíquico e social do paciente através de enfoques holísticos, que compreendem desde a prática da clínica médica ortodoxa até técnicas quânticas de equilíbrio energético e físico. Fundada pelo médico Guilherme Jorge da Silva, a Climma 21 tem um propósito simples, mas ao mesmo tempo complexo, desde a criação: complementar a medicina tradicional. E como fazer isso? No começo, através da prática Ortomolecular, abordagem que o Dr. Guilherme foi um dos pioneiros a fazer uso em Goiânia, e da Homeopatia, que visa não apenas aliviar e curar os sintomas, mas também levar equilíbrio energético ao organismo. “Nós percebemos o indivíduo como único, e isso permite um melhor direcionamento e conscientização até um viver mais pleno”, destaca o profissional. Além do amparo personalizado, o centro de saúde entrou em nova fase em 2019: integração de cuidados do próprio sistema familiar. “Unimos o conceito principal do espaço – mente, corpo e espírito – para promover o alinhamento do Psiquismo Bem Direcionado, da Alimentação Consciente e Atividade Física”, explica Dr. Guilherme. Foi neste momento, inclusive, que novos serviços foram introduzidos, alguns conduzidos pela psicóloga e educadora física Érica Peixoto Silva, e outros pela fisioterapeuta Cecília Peixoto Silva, ambas filhas do médico. Para aqueles que querem se tornar pacientes da Climma 21, Érica explica que o primeiro contato pode ser feito tanto por telefone quanto por WhatsApp ou presencialmente. “A pessoa pode marcar direto na especialidade de sua preferência, mas, dependendo do objetivo, será preciso passar por uma avaliação antes de ser atendida por um profissional.”

FUNDADOR DA CLIMMA 21, O MÉDICO GUILHERME JORGE EXPLICA QUE A CLÍNICA SURGIU DO PROPÓSITO DE COMPLEMENTAR A MEDICINA TRADICIONAL

73 ZELO

RUA T-53, 227, SETOR MARISTA GOIÂNIA - GO - 74150-310 (62) 3281 5453/ 3281 6781 CLIMMA21.COM.BR


comportamento

chá literário A harmonização perfeita com a bebida oriental nem sempre é feita com alimentos, muitas vezes os livros podem ser a melhor escolha na hora de apreciar uma boa xícara FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Mil Tsurus – De Yasunari Kawabata, escritor japonês que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1968, é um romance que percorre salas de chá. Tem mil referências à cerimônia, utensílios, porcelanas. Uma imersão na cultura japonesa e no caminho do chá. Como segunda indicação do mesmo autor, vale a pena ler Kyoto, para se sentir passeando pelas ruas da cidade japonesa. Dica de harmonização: vá de matchá, o preparo da tradicional cerimônia japonesa de chá.

Meu nome é Eloína Telho e sou completamente louca por chás. Acho que essa é a minha melhor versão/apresentação e todos que me conhecem podem atestar essa loucura. No meu cotidiano, ele está presente em xícaras, sim, muitas. Mas também na culinária, na decoração, nos produtos de beleza e, claro, na literatura. Nada combina mais com uma boa xícara do que um bom livro. E se os livros tiverem, de algum modo, a temática do chá presente na história, o coração bate mais depressa. E não tem a ver com a quantidade de cafeína ingerida. Nenhum momento é mais deliciosamente especial do que quando a gente se perde em pensamentos e narrativas na companhia de uma das bebidas mais antigas da humanidade e que carrega, em si, milênios de cultura e sabor. Para animar a sua listinha de leitura, escolhi títulos literários incríveis. E mais: sugeri, também, chás especiais, que harmonizam com cada um dos livros escolhidos. Escolhas acertadas para aproveitar o tempo no recesso de fim de ano, curtir aquela preguicinha de férias, presentear gente querida. Palavras, presença e sabor fazem uma combinação perfeita. Alguém duvida?

Como morrem os pobres e outros ensaios – Aqui, não se trata de um livro, mas de um ensaio específico dentro de uma coletânea, de autoria de um dos meus autores favoritos, George Orwell (sim, o mesmo autor de 1984 e A Revolução dos Bichos). Em Uma boa xícara de chá, o escritor descreve as etapas que percorre em busca da “perfeita xícara de chá”, bem como suas preferências pessoais. Adorei comparar com os meus hábitos – ou manias? Um texto curtinho, quase um manual de instruções. Bastante diferente do meu! Dica de harmonização: o seu chá preferido, do seu jeito, para comparar com o jeito Orwell de fazer!

74 ZELO


ÇÃO ODU EPR OS: R

FOT

O perfume da folha de chá – De Dinah Jefferies, uma promissora escritora criada na Inglaterra, é também um romance, mas que tem como locação o Ceilão/Sri Lanka, colônia britânica produtora de chá preto. Um drama familiar dos anos 1920, entre uma dama britânica e o proprietário de uma fazenda de chás. Dica de harmonização: chá preto do Sri Lanka, claro.

Wabi Sabi – O título refere-se a uma expressão japonesa muito complexa, quase intraduzível, como a nossa “saudade”. Seu conceito está presente em cada detalhe da cultura do Japão, e no chá, inclusive. O livro de Beth Kempton traz uma boa ideia para entendê-lo e ainda nos inspira a parar e contemplar os pequenos e poéticos acontecimentos do cotidiano. Dica de harmonização: um bom chá verde japonês, Sencha, que tem cheirinho de primavera no Japão.

A testemunha ocular do crime ou Crime no Hotel Bertram – Ou qualquer outro conto e romance de Agatha Christie, que, como boa inglesa, sempre dá um jeitinho de incluir o chá nas histórias. Melhor ainda se um dos personagens for Miss Marple, aparentemente uma idosa comum, que se veste com roupas de lã, coleciona bules e adora chás, mas que tem uma incrível capacidade de desvendar crimes (e que, para mim, é a própria Agatha!). Sim, estamos falando da temática policial, que vai além do Detetive Poirot (que preferia tisanas), e é das minhas favoritas. Combina demais com aquela xícara perfeita. Dica de harmonização: o bom e velho Earl Grey, ou um English Breakfast. Todos bem acompanhados de scones, aquele bolinho tipicamente inglês, obrigatório em todo chá das cinco. 75 ZELO


publizelo

Relação entre estética, saúde e bem-estar

FOTO: PRISCILA MARÇAL

76 ZELO


Farmacêutica esteta Renata Mendes, da Clínica Anis, fala sobre saúde física e mental aliadas à autoestima

A

saúde física e mental nunca estiveram tão em evidência quanto atualmente. Hoje as pessoas buscam constantemente por uma vida com qualidade, aliando o seu bem-estar à autoestima. Em vista desse cenário, tem se tornado cada vez mais frequente a busca por clínicas de estética que proporcionem conforto e realizem os desejos de melhorar a aparência física, dando ao paciente a sensação de felicidade, realização e amor-próprio. Para abordar um pouco sobre esse cenário, convidamos a farmacêutica esteta Renata Mendes, da Clínica Anis. Antes de tudo, que tal nos contar um pouco de como você buscou essa área como carreira. Quando se deu conta de que estava apaixonada pela estética? Pode ser meio clichê, mas foi Deus. Pedi a Deus para me iluminar e colocar no meu caminho um trabalho que pudesse me apaixonar e Ele me presenteou com a estética. Dei-me conta de que me apaixonei quando percebi que tudo se encaixava, tudo iluminava. Sabe quando tudo a sua volta conspira para você se apaixonar ainda mais? Deus é tão maravilhoso que só coloca pessoas de luz na minha vida e que me inspiram e me incentivam a trilhar o meu caminho. Espero de coração também ser luz na vida de outras pessoas. Qual a relação entre a estética e o bem-estar físico e mental? O importante é você estar bem com você. Autoestima é tudo nessa vida e pode, sim, ser melhorada. Podemos trabalhar o que incomoda o paciente e realçar o que há de mais interessante nele. O quanto você acha que o profissional em estética pode influenciar a vida de uma pessoa? Todos nós podemos influenciar a vida de uma pessoa. E o profissional da estética, ao receber seu cliente, além de auxiliar na melhora da sua autoestima, esse cliente torna-se parte da nossa família Anis. A Anis é a segunda casa de muitos dos nossos clientes, e não há algo mais prazeroso do que ver nossa família cada vez maior. Sabemos que o mercado da estética está em constante inovação. Quais são os

passos importantes que um profissional dessa área deve buscar? Sempre estudar muito. O que você faz para se manter atualizada nesse mercado? Estudo, participo de palestras, cursos, faço residência nos Estados Unidos na área estética e no próximo ano quero começar um mestrado. Como lidar com o medo e as expectativas dos clientes? Explica pra gente como é a sensação ao superar as expectativas deles em relação ao resultado. Tudo é baseado na conversa que temos. Explico tudo direitinho e falo a verdade sempre. Existem diversos procedimentos para o rejuvenescimento. Mas, para você, qual o melhor? O melhor vai depender do paciente, de sua necessidade. Cada um é único e não necessariamente o que um precisa, o outro vai precisar também. As pessoas estão cada vez mais procurando se cuidar e a prevenção é a forma mais fácil e eficaz para isso. Se um paciente apresenta, por exemplo, rugas dinâmicas na face, como os “pés de galinha”, a indicação para esse paciente é toxina botulínica, o famoso botox. Mas se o paciente exibe muita flacidez, ao esticar a bochecha e a pele vem com muita facilidade, a indicação seria um bioestimulador. Agora, se o paciente está com aspecto como se o seu rosto estivesse "derretendo", dependendo do grau, a indicação seria um preenchedor de ácido hialurônico ou fios e bioestimulador. Exatamente por isso é tão importante uma avaliação individual. Existe uma grande procura pela toxina botulínica (botox). Conta pra gente quais são os principais mitos a respeito desse procedimento. Muitas pessoas ainda possuem uma falsa ideia de que toxina botulínica é para pessoas mais velhas. A toxina também é preventiva. Mas qual idade podemos começar a aplicar? A verdade é que, se você tem rugas dinâmicas – aquelas rugas que aparecem quando faz uma expressão –, já há indicação para aplicação. Tenho pacientes com 24 anos que já fazem o uso da toxina botulínica. Se o paciente apresentar rugas estáticas 77 ZELO

– aquelas que aparecem sem expressão – significa que a pele "quebrou" e, dependendo do grau que essa pele estiver "quebrada", apenas a toxina não irá resolver, será necessário associar diversas técnicas, como skinbooster, por exemplo, para podermos melhorar o aspecto dessa pele. Em casos como esse, a toxina apenas iria suavizar. Muito se fala em botox preventivo. Como funciona? Qual a idade mínima para realizar esse procedimento? Basta ter rugas dinâmicas para já podermos fazer o botox preventivo. A idade dependerá se o paciente já apresenta ou não essas rugas. Como prolongar o efeito do botox? A minha dica para prolongar qualquer procedimento estético é beber bastante água. Água é vida. Especificamente para o botox, suplementação de fitase e zinco. Como uma clínica de estética pode influenciar positivamente em um tratamento estético? O que é indispensável para uma clínica de qualidade? Um conjunto de fatores que, associados, fazem toda a diferença. Como um atendimento eficiente desde a recepção até a chegada ao profissional, que pode atender com um sorriso, demonstrar sua satisfação em estar aqui, em oferecer todo aconchego e carinho e buscar demonstrar que aqui, na Anis, é o melhor lugar para o paciente. Quais são as expectativas para a Clínica Anis em 2021? Conta pra gente alguma novidade. Estamos planejando várias novidades e tenho certeza de que vocês irão amar. Infelizmente, não posso contar, ainda. Mas, garanto, vai ser incrível. Procurem nos acompanhar pelas redes sociais que em breve vamos divulgar!

CLÍNICA ANIS SAÚDE ESTÉTICA ED. NEW TIMES SQUARE, SALA 1.013, AV. T-10, 208, SETOR BUENO (62) 99652 3500 (WHATSAPP) (62) 3622 3280 @CLINICAANIS


viagem

FOTO: DIVULGAÇÃO

78 ZELO


Paraíso Nacional Resorts, lodges e hotéis boutique espalhados pelo Brasil são ótimas opções de destino para as férias de fim de ano e apresentam algo em comum: a proximidade com a natureza 79 ZELO


C

Hannah Motta

FOTOS: DIVULGAÇÃO

omeçar 2021 com o pé direito e deixar todas as questões que envolveram 2020 de lado por alguns dias são ações que exigem um pouco de esforço, mas a tradição de refletir sobre o ano que se vai e aguardar entre amigos e familiares uma nova página em branco que poderá ser mais facilmente preenchida que a última possivelmente fique mais descomplicada com uma viagem em território nacional. Por isso, nós, da Zelo, selecionamos destinos cercados de aconchego, natureza e, é claro, distanciamento social. São opções de resorts, lodges e hotéis boutique pelo Brasil para você desfrutar com segurança. Prenda-se aos seus desejos e transporte-se para o seu “feliz ano novo!”. NO CORAÇÃO COSMOPOLITA DE SP Hotel com maior área livre de São Paulo, o Palácio Tangará é cercado pelo Parque Burle Marx. É considerado um verdadeiro oásis no centro da vibrante paisagem urbana da capital cosmopolita. Conta com os restaurantes Jean-Georges e o recém-inaugurado Pateo do Palácio, localizado no terraço e cercado por árvores frutíferas. Ambos levam menu assinado pelos renomados chefs Jean-Georges Vongerichten e Felipe Rodrigues. Para as comemorações de fim de ano, os hóspedes poderão desfrutar as ceias do dia 24, do Ano-novo e brunch no dia 1°. Além da boa gastronomia, as noites prometem ser animadas com DJ e gifts especiais. Além disso, durante quase todo o dezembro o Palácio Tangará oferece o Chá da Tarde Natalino para hóspedes e não hóspedes. O menu traz opções como doces natalinos, macarons decorados, gingerbread, gâteau mollet de frutas cristalizadas, sanduíches de peru assado com cramberry, salmão defumado e dill. Vale ressaltar que, durante a pandemia, o hotel tem seguido protocolos de higiene e segurança elaborados pelo Hospital Albert Einstein. JOIA “VERDE” Localizado na desejada região da Serra da Mantiqueira, o Botanique Hotel & SPA – que em breve será Six Senses Botanique, tornando-se o primeiro hotel da luxuosa Six Senses no Brasil – é considerado uma joia verde circundada por montanhas, em uma área de 283 hectares de exuberante Mata Atlântica. O resort fica a 1.200 metros acima do nível do mar, na confluência de três rios, no coração das montanhas poeticamente denominadas de “montanhas que choram”, dada à abundância de rios e nascentes ao redor. Desfrutando de um clima temperado e de dias 80 ZELO


ensolarados, o Botanique alia a serenidade da vida na montanha com atrativos e luxos contemporâneos para aqueles que desejam se reconectar com a natureza. Para o Natal de 2020, o hotel oferecerá um menu natalino especial, desenvolvido pelo chef Gabriel Broide, no Restaurante Mina, com vista para as montanhas e acompanhado de muita música. O chef, que trabalhou com Alex Atala e com o francês Daniel Boulud, em Nova York, desenvolve uma culinária que prioriza alimentos frescos “do campo para a mesa”, colhidos diretamente da horta do hotel. Nada mais agradável para o momento do que belas paisagens e natureza envolvente em um refúgio silencioso. RELAXAR E CURTIR Que tal, na passagem do ano, poder desfrutar do aconchego de um bangalô, ouvindo o barulho do mar e apreciando uma paisagem de tirar o fôlego? Entre os primeiros hotéis boutique do Brasil, o Txai Resorts Itacaré pode ser uma ótima opção para aqueles que querem comemorar em família. Localizado na Bahia, a pouco mais de uma hora de Ilhéus, é o destino ideal para quem busca diversão, tranquilidade, boa gastronomia e contato com a natureza. Ao todo, são 38 bangalôs distribuídos em uma área de 92 hectares com seis piscinas, bares, sala de jogos e quadra de tênis, e diversas trilhas de contemplação à natureza com diferentes níveis de dificuldade. Outro ponto alto da hospedagem é a gastronomia: os restaurantes Orixás e Praia misturam paixão, ingredientes regionais e técnicas internacionais em pratos compostos com toques das culinárias de diversas partes do mundo misturadas ao tempero brasileiro. Sabor sem igual! EM MEIO À FLORESTA AMAZÔNICA Destinos que unem conforto à natureza nunca foram tão acolhedores como em 2020. No Cristalino Lodge, localizado no sul da Amazônia, é possível se conectar com as belezas da região e ter momentos inesquecíveis envoltos por um bioma rico e encantador durante o Natal e o Réveillon. Projetado em total harmonia com o seu entorno, o hotel está situado em uma área – que mantém preservada – seis vezes maior que o Arquipélago de Fernando de Noronha. Tudo isso mesclado a bangalôs confortáveis com vista para a natureza. As áreas comuns contam com restaurante à luz de velas, bar com fogueira e deck com vista para o frondoso Rio Cristalino. Para as festas de fim de ano, o hotel 81 ZELO


preparou menu especial em cinco etapas com o melhor da gastronomia brasileira e ingredientes da Amazônia. A exuberante paisagem inspira todo o charme e sofisticação da experiência gastronômica. E mais: é possível fazer passeios e explorações, ou ver o nascer e o pôr do sol do alto das torres, com a floresta acordando ou se despedindo aos seus pés. PÉS NA AREIA Já imaginou se hospedar em um rochedo sobre falésias? Essa experiência única com a natureza é possível no Carmel Taíba Exclusive Resort, localizado na praia da Taíba, no município de São Gonçalo do Amarante, a 75 km de Fortaleza. Com projeto arquitetônico arrojado, o resort nasceu com o propósito de proporcionar as melhores sensações, com uma paisagem deslumbrante, ventos frequentes e na medida, praia de mar quente, areia fina e coqueiros por todo lado. O superbônus fica por conta do SPA Carmel by Caudalie, que traz para o litoral cearense a tecnologia e a tradição francesa de tratamentos corporais e faciais com base nas propriedades da uva oferecida pela Caudalie. Para o Ano-novo, o Taíba preparou um pacote especial para aqueles que não dispensam uma celebração com segurança, privacidade e conforto à beira-mar, com ceia especial na noite do dia 31 embalada por banda, som de DJs e um show pirotécnico. O local é o cenário ideal para estar com amigos e família. MÁGICO O Castelo Saint Andrews Gramado, primeiro exclusive house do Brasil e membro da associação Relais & Châteaux, fica em meio à natureza do Vale do Quilombo, na Serra Gaúcha, e é ótima opção para quem procura o clima mais ameno da região sul do País. Este ano, a novidade fica por conta do roteiro Natal Encantado e Réveillon no Castelo. Excelente escolha para aqueles que querem conhecer, ou rever, os atrativos do já tradicional Natal Luz de Gramado, um dos maiores eventos temáticos do mundo, que nesta época deixa a cidade completamente no clima natalino, criando sensações e resgatando a simbologia da comemoração. Neste período, o habitual chá da tarde do Saint Andrews fica ainda mais especial. Na noite de réveillon, os hóspedes contarão com jantar preparado pelo premiado chef executivo do Castelo, Fernando Becker, seguido por queima de fogos especial, diretamente dos jardins do castelo. 82 ZELO


VEM VERÃO! Que tal passar os últimos dias do ano curtindo o verão em um resort que inclui diversão para todas as idades, várias opções de alimentação, piscinas e contato com a natureza aqui mesmo no Centro-Oeste? O Malai Manso, resort all inclusive localizado em frente ao Lago do Manso, na Chapada dos Guimarães (MT), pode ser o seu destino dos sonhos. Com 117 hectares de área e mais de 3 mil metros quadrados de piscinas, o resort conta com inúmeras opções de lazer em meio à natureza e ao cenário exuberante da Chapada. Arvorismo, tirolesa, escalada, trilha de aventura, arco e flecha são só algumas delas. Ainda há as atividades náuticas que podem ser feitas no lago, como stand-up padlle, wakeboard e caiaque; e os passeios no entorno do resort, como flutuação no Aquário Encantado de Nobres, passeio de barco para a Ilha de Bora Bora no meio do lago, entre outros. O grupo possui ainda equipe de recreação disponível para crianças com 4 a 11 anos de idade e um spa com assinatura L’Occitane. Um luxo! LOGO ALI! Se a intenção é aproveitar as datas comemorativas em um local que se preocupa com uma ocupação limitada e em seguir todos os protocolos de segurança neste momento tão delicado e, principalmente, se você não deseja se locomover por longas distâncias, as comemorações no Rio Quente Resorts, no município de Rio Quente, próximo a Caldas Novas, podem ser o seu ideal de paraíso. Este ano, o Natal no resort será ainda mais iluminado e repleto de shows e música para os pequenos. A música também estará presente na programação com as apresentações do Coral Natalino, da Orquestra dos Fuzileiros Navais durante o Pôr do Sol Sinfônico e nas ceias com som ao vivo. Oficina infantil de biscoitos natalinos, Cartinha ao Papai Noel e, claro, a chegada do bom velhinho e entrega de presentes também farão parte da programação. O complexo Rio Quente Resorts conta com o Hot Park, parque aquático em meio ao Cerrado totalmente abastecido com águas naturalmente quentes, e a Praia do Cerrado, a maior praia de águas quentes naturais do mundo. Tem também o Parque das Fontes, que concentra oito piscinas de águas quentes correntes e naturais renovadas a cada 20 minutos, e o Eko Aventura Park, que oferece atrações para todas as idades e adeptos de esportes de aventura, além de variadas opções em hospedagem. 83 ZELO


ZELOECO redacao@revistazelo.com.br

FOTOS: DIVULGAÇÃO

Cerrado Localizado no município de Niquelândia, no Norte de Goiás, o Legado Verdes do Cerrado, uma reserva particular de desenvolvimento sustentável de propriedade da Companhia Brasileira de Alumínio, é um grande laboratório de pesquisas a céu aberto para estudantes e profissionais que desenvolvem projetos relacionados ao Cerrado. Dentre as pesquisas realizadas ali atualmente, uma tem como objetivo inventariar a biodiversidade da fauna e flora locais. “É de suma importância estudar a biodiversidade. O Cerrado, desde o Brasil colonial, vem sofrendo com intervenções antrópicas e é urgente a necessidade de catalogar a diversidade desse bioma”, explica Dr. Marcos José da Silva, coordenador do projeto.

Faça você mesmo A estilista brasileira Fernanda Yamamoto lançou o kit Somamos. A intenção é nos instigar a costurar à mão como um momento de relaxamento e diversão. “Compartilhar é multiplicar boas ideias, conectar pessoas e manter viva a nossa essência”, afirma Fernanda. A iniciativa também reforça a importância do upcycling: todos os tecidos que compõem os kits são retalhos de coleções anteriores. E se você não sabe costurar, o canal do YouTube da estilista traz tutoriais com passo a passo sobre como montar um casaco, blusa ou lenço.

Moda sem ponto final Seguindo o novo posicionamento “Moda Sem Ponto Final”, recém-lançado pela Malwee, que busca reforçar o propósito em sustentabilidade e durabilidade, a marca acaba de lançar o Malwee Jeans. O produto é produzido com uma redução de no mínimo 80% de uso da água no processo fabril, que pode chegar a até 98% menos do líquido utilizado durante a sua produção (o equivalente a um copo de 200 ml). Outra novidade do novo jeito de fazer jeans da marca é que as peças são fabricadas sem químicos nocivos ao meio ambiente, comumente utilizados pela indústria têxtil.

FICA O Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2020) obteve o certificado de sustentabilidade Selo Verde Ecooar. Significa que, entre os dias 16 e 21 de novembro, houve a compensação de parte do dióxido de carbono (CO2) emitido pelo consumo de energia elétrica necessária para a realização remota da mostra. Em 16 atividades on-line, o evento precisou de 31 horas de transmissão pela internet. De acordo com levantamento realizado pela Ecooar, durante os seis dias de evento, foram emitidos cerca de 520 kg de CO2 – gás que mais contribui com o aquecimento global e que permanece na atmosfera por até 200 anos. 84 ZELO

Lacoste e National Geographic A Lacoste apresentou sua coleção cápsula em colaboração com a National Geographic. Unindo modelos atemporais e cortes emblemáticos da marca com estampas majestosas do reino animal, a linha celebra a Terra e todas as suas belezas e faz um apelo para reforçar a conservação da mesma. A inspiração partiu do ambicioso projeto Photo Ark da rede televisiva, dirigido por Joel Sartore, premiado fotógrafo e colaborador do canal.


publizelo

Para o Conforto dos Bebês IMAGEM: DIVULGAÇÃO

Com quase 1 milhão de seguidores no Instagram, Kid’s Brasil inaugura loja física e prevê lançamento de mais de 60 unidades espalhadas pelo País

C

om marcas americanas renomadas, como Carter’s, Kidz, Oshkosh e Gerber Childrenswear, a Kid’s Brasil inaugura, em dezembro de 2020, a primeira loja física da grife. Maior e-commerce de roupas infantis importadas do País, a empresa traz como destaque em novidades as opções de compra integradas com o portal digital, com a possibilidade de comprar no site e retirar na loja. E para falar mais um pouco sobre essa inauguração e as outras novidades, a Zelo conversou com o CEO e co-founder da Kid’s Brasil, Whelvis Naves. Confira: Zelo: O que podemos encontrar na inauguração dessa primeira loja? Whelvis: Carinho em cada detalhe. Desde soluções simples como a luva sem dedos que protege os bebês de se coçarem, o design especial dos ombros expansíveis nos bodies para facilitar as constantes trocas até as estampas coloridas e os personagens mais fofos.

Zelo: O que faz com que a Kid’s Brasil seja tão querida? Whelvis: A infância é uma celebração de conquista, cheia de desafios e mudanças. O primeiro sorriso, as primeiras palavras, os primeiros passos são momentos que marcam a vida dos pais. A Kid’s Brasil nasceu para trazer projetos de qualidade e inovação com um olhar cuidadoso em cada pequeno detalhe, para tornar o vestuário mais fácil para as mamães e a vida mais confortável para os bebês. Zelo: O que motivou a abertura de uma loja física? Whelvis: À medida em que nos movemos para o futuro, temos orgulho de ajudar famílias que estão iniciando a jornada da paternidade com produtos inovadores e novas maneiras de comprá-los. Os nossos canais de vendas se completam com a loja física. Nosso objetivo é participar desta fase apoiando be85 ZELO

bês, crianças e famílias com opções de compras. Estamos trazendo uma loja completa, com produtos com um excelente custo-benefício e todas as facilidades de pagamento já disponibilizadas no site. Zelo: Além de Goiânia, a Kid’s Brasil tem previsão de abrir lojas em outros locais? Whelvis: O lançamento da primeira loja física faz parte de um projeto arrojado de inaugurar, nos próximos cinco anos, no mínimo, mais 60 lojas no Brasil. As primeiras unidades estarão concentradas na região Centro-Oeste. Já em 2021 serão inauguradas duas unidades: uma em Brasília e outra no Shopping Flamboyant, em Goiânia. Mas temos o objetivo de estar presentes em todas as regiões do País. SITE: WWW.KIDSBRASIL.COM.BR BLOG: WWW.BLOG.KIDSBRASIL.COM.BR INSTAGRAM: @KIDSBRASIL.OFICIAL FACEBOOK: FACEBOOK.COM/KIDSBRASILIMPORTADOS


esporte FOTO: MARCELO MARAGNI

Filhos herdam paixão pelas trilhas Família soma dezenas de títulos nacionais e internacionais, incluindo Dakar, Sertões e três Mundiais

C

om mais de 60 títulos, entre campeonatos mundiais, continentais e nacionais, além da vitória no Rally Dakar, o clã da equipe Can-Am Monster Energy, chefiado pelo tricampeão mundial de Rally-Cross Country, Reinaldo Varela, escreve desde os anos 1980 um capítulo à parte nas competições fora de estrada brasileiras. A começar pelo próprio início da família, que surgiu do encontro entre o piloto e a esposa, Nani Varela, em uma prova vencida por Reinaldo em 1985. Era o princípio da Família da Poeira, apeli-

do carinhoso com o qual Reinaldo, Nani e os filhos Rodrigo, Gabriel e Bruno são conhecidos nos bastidores do esporte. BEBÊS NA TRILHA Já fã das corridas, Nani logo passou a apoiar e participar da carreira do marido, exercendo funções como a de motorista da carreta que levava o carro do piloto, condutora do carro oficial de apoio nas provas e responsável pela logística do time. Cena comum eram os filhos ainda bebês acompanharem os pais pelas trilhas do off-road continente adentro, em uma

imersão que naturalmente incutiu nos três a paixão pelo esporte. “Hoje estou realizada ao ver a família toda unida, em um trabalho conjunto”, diz Nani, aos 59 anos de idade. “Para nós, não importa quem vença ou chegue na frente. O importante é que o time todo esteja bem, e assim todos se ajudam do primeiro ao último dia de corrida. É algo muito bonito de se ver e um valor que nos une como equipe e, principalmente, como família”, completa, orgulhosa dos feitos do esposo e filhos – dos quais ela também tem grande mérito.


nais no Sertões. “O nosso time é o nosso orgulho”, completa o tricampeão mundial e campeão do Dakar.

FOTO: MARCELO MACHADO DE MELO

TEMPORADA RADICAL Reinaldo Varela, atualmente com 60 anos, continua a impressionar o mundo da velocidade. Em 2019, cumpriu a mais radical campanha de todos os pilotos brasileiros, disputando (e vencendo pela terceira vez) o Mundial de Rally-Cross Country na categoria UTV, sendo vice-campeão do Sertões na geral e campeão por categoria, além de terminar em nono no Dakar e firmar-se como o piloto com melhor campanha na lendária corrida nos últimos três anos – ele foi campeão em 2018 e terceiro no ano seguinte, depois de um problema mecânico lhe tirar a vitória. Qual é o segredo? “Minha família estava comigo em todos os momentos”, diz ele. “Sempre há alguém me apoiando e dando suporte. No Mundial, por exemplo, eles cuidam de tudo para que eu me concentre somente na pilotagem. E isso me dá força extra, com certeza.” No Sertões de 2019, a família Varela conquistou três dos quatro primeiros lugares na categoria UTV, outra façanha que o clã pretende repetir na edição 2020, como mostram as vitórias nos quatro primeiros dias e o revezamento na liderança entre Bruno e Rodrigo Varela.

FOTO: VICTOR ELEUTERIOEUTERIO

Os “meninos”, como ainda são chamados pelos pais, são campeões do Sertões em vários níveis. Bruno, por exemplo, é o mais jovem campeão da categoria UTV na classificação geral. E o trio ainda domina o Campeonato Brasileiro de Baja, que utiliza os mesmos carros empregados por eles no Sertões. Rodrigo, 29 anos, faturou os títulos de 2015 e 2018, enquanto Bruno, 24, foi o primeiro em 2017 e 2019, com Gabriel, 25, conquistando o campeonato de 2016. Com os filhos começando a competir ainda aos sete ou oito anos, a família soma, no total, mais de 60 títulos de campeão e vice de diversas competições importantes no segmento, além de premiações especiais, como o Capacete de Ouro e o Guidão de Ouro, os dois Oscars do esporte brasileiro. Somente Reinaldo tem 35 títulos e incontáveis vitórias ao longo das décadas. “Quando olho pra trás e vejo o que fizemos como equipe, eu me emociono”, admite ele. “Minha família é meu maior valor e devo muito ao nosso esporte por essa união. Não poderia desejar algo melhor na vida. E acho que os bons resultados que conseguimos nas corridas são consequência natural dessa união e sinergia, que eu e a Nani fizemos questão de incentivar e que sei que também contamina os demais membros da equipe”, diz Reinaldo, lembrando que a Can-Am Monster Energy conta com 45 profissio-

FOTO: VINICIUS BRANCA

RODRIGO, BRUNO, NANI, REINALDO E GABRIEL VARELA: FAMÍLIA UNIDA PELO ESPORTE


social FOTOS: LINIKER PIRES

Beneficente O designer de joias Igor Lobo realizou mais uma edição do seu já tradicional Baile do Lobo. Este ano, a celebração teve arrecadação destinada à ONG “De mãos dadas”. Os convidados contaram com a bela vista da cidade diretamente do Grá Bistrô, restaurante do chef Ian Baiocchi, que também comandou o buffet. A noite foi embalada pela música das DJs Sophia Dalla Voguet e Cris Proença e da cantora Cláudia Vieira.

CRIS PROENÇA E SOPHIA DALLA VOGUET

THIAGO, PRISCILA ABRANTES, IGOR LOBO, MUCIA CAROLINA E ROBERTO NEHME

IGOR LOBO E MEIRE SANTOS

JOSÉ HUMBERTO, ALEXANDRA PIVA, DANILO DI REZENDE E GERMANA PÓVOA

CANTORA CLAUDIA VIEIRA

MAX MENEZES E LUANA MENEZES

VIVIANE VALENTE, MARISA PERES, IGOR LOBO E ROSA DONZELI

WALÉRIO ARAÚJO

HUMBERTO QUEIROZ E LUCIENE DUTRA

88 ZELO

ALESSANDRO E GEÓRGIA ALARCÃO


social

ANA CAROLINA TEIXEIRA, IGOR LOBO E LIGYANE MARTINS

GABRIELLA PARRODE

ELIANE PINHEIRO E IGOR LOBO

JOSEPH LIZARDO, IGOR LOBO E RENATA DI GIÁCOMO

RAFAELA DUTRA E ULISSES BORGES

GILSON ALMEIDA E ESTER ROCHA

ANDRÉ SIQUEIRA E SABRINA BAPTISTA

LAURA SAYURI E JOÃO LASMAR

BIA LASMAR E VIRGÍNIA FONSECA

FOTOS: ANDRÉ CYWINSKI

THIAGO STABILE, SAMARA PINK, BEL LASMAR E RILDO LASMAR

Inauguração As empresárias Bel e Bia Lasmar receberam convidados para a inauguração da nova loja Pink Lash, referência no exercício de extensão de cílios. O evento contou com a presença VIP da influencer e youtuber Virgínia Fonseca. Confira quem passou por lá!

89 ZELO


social FOTOS: PATRICIA DUTRA

PEDRO ERNESTO GUALBERTO, GLAUCIO ROCHA E LUCAS MACHADO

PATRICIA NETO E DJ SOPHIA DALLA VOGUET

DJ MÚCIO GUIMARÃES

Inovação O empresário Glaucio Rocha convidou profissionais da arquitetura e do design para conferir tudo o que há de mais novo quando o assunto é automação no showroom da GR Exxxperience Group. A noite animada, no rooftop do Sky Gurume, contou com o som dos DJs Múcio Guimarães e Sophia Dalla Voguet.

C

M

Y

CM

MY

CY

JOSÉ ROSA, PATRICIA LEITE ROCHA E GLAUCIO ROCHA

ED CARLO E NAYHARA SIQUEIRA

CMY

K

FOTOS: MARINA FARIA

Espaço 14 Bis Goiânia recebe o Espaço 14 Bis, reduto cultural que traz uma galeria urbana sediada a partir de uma casa em demolição. O objetivo é propor uma ressignificação de espaços urbanos, fomentar o consumo de arte e cultura e incentivar uma relação de proximidade entre as pessoas e a cidade. Na ocasião, o arquiteto Marco Leal, o gerente de Marketing e Comercial da EBM, Ademar Moura, e o produtor cultural Caio Alê receberam um seleto time de convidados. MARCO LEAL, ADEMAR MOURA E CAIO ALÊ

JULLYANDERSON CARVALHO, JOÃO PAULO PIGOSSO E TATO LEMOS

DJ BRUNO CAVEIRA


CONHEÇA NOSSOS CURSOS E NOSSO MODELO DE ENSINO EXCLUSIVO CONHEÇA NOSSOS CURSOS E NOSSO MODELO DE ENSINO EXCLUSIVO Administração | Ciências Contábeis | Design de Interiores | Direito | Engenharia Civil | Estética e Cosmética | Eventos | Fisioterapia Administração | Ciências |Contábeis | Design |de Interiores | Direito | Engenharia Civil||Marketing Estética e |Cosmética Eventos | |Fisioterapia Fotografia | Gastronomia Gestão Comercial Gestão Financeira | Gestão Financeira Nutrição | |Pedagogia Processos Fotografia | Gastronomia | Gestão Comercial | Gestão Financeira | Gestão Financeira | Marketing | Nutrição | Pedagogia | Processos Gerenciais | Produção Publicitária | Psicologia | Recursos Humanos | Segurança Pública | Tecnologia da Informação Gerenciais | Produção Publicitária | Psicologia | Recursos Humanos | Segurança Pública | Tecnologia da Informação

UNICAMBURY - A FACULDADE DAS PROFISSÕES UNICAMBURY - A FACULDADE DAS PROFISSÕES

Estação Gastronômica Estação Gastronômica

Mostra UniCambury de Visagismo em Maquiagem e Corte Mostra UniCambury de Visagismo em Maquiagem e Corte Aconteceu no dia 20 de novembro a Mostra de Visagismo em Maquiagem e Corte O evento é promovido Aconteceu no dia 20 da de UniCambury. novembro a Mostra de Visagismo em pelo curso dee Estética Cosmética, com inovação nas áreas Maquiagem Corte dae UniCambury. O evento é promovido de e cortes. Também com realizado de nas maneira pelomaquiagem curso de Estética e Cosmética, inovação áreas online, através doecanal do Youtube UniCambury. de maquiagem cortes. Tambémdarealizado de maneira online, através do canal do Youtube da UniCambury.

Com o objetivo de trabalhar a gastronomia e os aspectos sociais ela associados para desenvolver o perfil aluno Com oaobjetivo de trabalhar a gastronomia e de os um aspectos com espírito empreendedor, criativo e capacitado interagir sociais a ela associados para desenvolver o perfil dea um aluno em no diacriativo 24 de enovembro comequipe, espíritoaconteceu empreendedor, capacitadoa aESTAÇÃO interagir GASTERONÔMICA UNICAMBURY. total na aedição! em equipe, aconteceu no dia 24Sucesso de novembro ESTAÇÃO GASTERONÔMICA UNICAMBURY. Sucesso total na edição!

39º Círculo do Conhecimento e Práticas UniCambury 39º Círculo do Conhecimento e Práticas UniCambury

Nesta edição do Círculo, os alunos de Estética e Cosmética atuam diretamente na prática realizando procedimentos de Nesta edição do Círculo, os alunos de Estética e Cosmética podologia, massoterapia, maquiagem e visagismo. O evento atuam diretamente na prática realizando procedimentos de proporciona que os alunosmaquiagem saiam dos laboratórios podologia, massoterapia, e visagismo.e apresenO evento tem seus conhecimentos aosaiam público geral. proporciona que os alunos dosem laboratórios e apresentem seus conhecimentos ao público em geral.

Simpósio de Fisioterapia UniCambury Simpósio de Fisioterapia UniCambury

Dentro do Modelo de Ensino Exclusivo, o novo curso de Fisioterapia é contemplado comExclusivo, o Simpósio de Fisioterapia Dentro do Modelo de Ensino o novo curso de UniCambury cujo objetivo é opermitir asdepráticas das Fisioterapia é ,contemplado com Simpósio Fisioterapia profissões. São, elas: e diagnóstica/RPG, traumatoloUniCambury cujo pericial objetivo é permitir as práticas das gia ortopédica desportiva, e acupunturta, profissões. Sãoe elas: pericialdermatofuncional e diagnóstica/RPG, traumatolofisioterapia neurológica, cardioerrespiratória gia ortopédica e desportiva, dermatofuncionale eintensiva. acupunturta, fisioterapia neurológica, cardioerrespiratória e intensiva.

Av. T-2 n°3531. St. Sol Nascente, Goiânia - GO Av. T-2 n°3531. St. Sol Nascente, Goiânia - GO

39º Círculo do Conhecimento e Práticas UniCambury 39º Círculo do Conhecimento e Práticas UniCambury

Alunos de Design de Interiores durante o 39º Círculo do Conhecimento e Práticas UniCambury, que traz Alunos de Design de Interiores durante oevento 39º Círculo do experiências segurança necessária evento para uma Conhecimentoe ea Práticas UniCambury, que vida traz profissional Oportunidade única para experiênciasde esucesso. a segurança necessária paraa integração uma vida de toda a comunidade e dos alunos comaaintegração prática da profissional de sucesso.Cambury Oportunidade única para profissão. de toda a comunidade Cambury e dos alunos com a prática da profissão.

II Simpósio UniCambury de Psicologia II Simpósio UniCambury de Psicologia

No dia 12/11 aconteceu o II Simpósio UniCambury de Psicologia. O evento foi transmitido online no canal do Youtube da No dia 12/11 aconteceu o II Simpósio UniCambury de Psicoloinstituição, voltado para acadêmicos e abertoda à gia. O evento foi transmitido online de no Psicologia canal do Youtube toda comunidade. da pandemia, um dos temasà instituição, voltado Por paraconta acadêmicos de Psicologia e aberto abordados foi nossaPor situação de isolamento toda comunidade. contaatual da pandemia, um ocasionada dos temas pelo novo Covid-19 suas consequências. abordados foi nossaesituação atual de isolamento ocasionada pelo novo Covid-19 e suas consequências.

(62) 3236-3020 | cambury.br (62) 3236-3020 | cambury.br


92 ZELO


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.