Page 1

2 8 ª

E di ção

-

Ano

V III

-

R $

7 ,0 0

Casa Cor

Liberdade criativa e autoralidade em ambientes possíveis

Pitágoras Sem papas na língua, artista fala de suas obras e estilo “lonely guy”

Gourmet Receitas tradicionais com chocolate transformadas em alta gastronomia

Moda Um passeio pelas cores, leveza e frescor

-

ww w.revi s t a ze l o . c o m . b r


4


6


7


To l d o A q u i l e s

www.solaristoldos.com.br

+ 55 62

3998 9900


Magic Light

Para decorar e encantar


Sumário

26

36

56 26 pitágoras

Controverso e solitário por opção, artista fala sobre sua exposição Totalitarium, faz críticas à onda hipster e questiona paradigmas sociais

36 chocolate gourmet Conheça as características deste produto, que é capaz de transformar receitas tradicionais em confeitaria de altíssimo padrão

42 sementes da vez Entenda quais são e como estes pequenos ingredientes podem auxiliar na prevenção de doenças e no emagrecimento saudável

10

54 fernando peixoto Novo catálogo para o Inverno 2014 do estilista foi fotografado em diferentes cenários da Itália, produzindo noivas glamourosas

56 Moda Muita leveza, frescor e um leque de cores vibrantes fazem parte das inspirações que compõem nosso editorial

64 cinema Na crista da onda, releituras e adaptações contemporâneas de contos de fadas ganham a simpatia do público e são sucesso de bilheteria


67

98 53 lenny mattos

Estilista, que comemora 30 anos de sua marca de luxo este ano, demonstra profunda compreensão da alma feminina e discute o mercado brasileiro de moda

67 casa cor Edição 2014 trouxe como tendências os tons neutros, com cores nos detalhes, materiais naturais, alta tecnologia e presença da natureza nos interiores

84 jardins verticais Exuberantes e diversos, estes ornamentos aparecem com tudo em ambientes internos e externos, oferecendo beleza e frescor

106 98 sônia pinheiro Socialite recebe a Zelo em seu apartamento duplex para mostrar seus ambientes preferidos, objetos de desejo, falar sobre a família e estilo de vida

100 milão Veja quais foram as tendências que se destacaram nesta edição da feira internacional mais importante do mercado de design de mobiliário

106 nova zelândia O empresário Hélio Junior relata a viagem que fez com a esposa, Mirela Rebouças, sobre duas rodas, pelas paradisíacas estradas deste país da Oceania

11


Editorial Edição Geral Rosângela Motta Edição Alice Galvão Edição de Fotografia Ângela Motta Edição de Beleza Hannah Motta Tratamento de Imagens Adilson Moraes

Rosângela Motta

Ângela Motta

Diagramação Juliano Rodrigues Revisão Fátima Tolêdo Projeto Gráfico Carlos Sena Estagiário Lucas Pereira Jornalista Responsável Astero Motta (JP - 2233) Zelo em Brasília Kell Motta (61) 9915 5115 Impressão Gráfica Formato Motta Editora Ltda Telefone: (62) 3259 6510 (62) 8407 6213 www.revistazelo.com.br redacao@revistazelo.com.br Rua T-36 nº 695, Sl. 506, Ed. Aquarius Center - CEP.: 74.223-055 St. Bueno - Goiânia-GO NOSSA CAPA :

Pollyanna Stemut foi fotografada por João Augusto, beleza de João Pedro e produção de Barbara Honorato. A Revista Zelo não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nas colunas e artigos assinados por seus colaboradores e não tem vínculo empregatício com os mesmos.

12

“A sabedoria é filha da experiência”

A

citação de Leonardo da Vinci cai muito bem nesta edição. Na redação da Zelo, compartilhamos desse pensamento, pois a cada publicação decodificamos melhor nosso DNA, sempre com a preocupação de levar uma revista cada vez com melhor qualidade. Neste número, há bons exemplos de gente com boas experiências para contar. Um atributo que não falta ao artista plástico Pitágoras, nosso entrevistado, que já ganhou prêmios, expôs no mundo inteiro e tem um olhar agudo e sensível para tudo que o rodeia: casamento, arte, solidão e busca da felicidade. Experiência também é um traço comum na vida de quatro chocolatiers goianas, que dominam com competência a seara do chocolate gourmet, iguaria que ganhou upgrade com receitas cada vez mais sofisticadas. Temos também uma entrevista com o estilista Lenny Matos, que vai construindo um legado singular. Dono de uma carreira invejável, sua marca exclusiva, a Lenny & Cia, comemora seu trigésimo aniversário este ano. Outro que vem tecendo o fio da trama de forma inarredável é o estilista goiano Fernando Peixoto. Ele buscou nas paisagens naturais italianas inspiração para a coleção “Splendore Collezzione”, linha de vestidos de noiva de alta-costura. A empresária Sônia Pinheiro nos recebeu em sua casa e falou sobre a família e suas paixões. “Este é meu mundo. É aqui que escuto minha música, leio meus livros e faço minhas orações”, revela. Tem mais, bem mais. No caderno Zelo Beleza e Saúde, você vai conhecer os benefícios das sementes, que fazem bem à saúde, ajudam a emagrecer e podem ser facilmente incorporadas às refeições do dia a dia. Ainda neste espaço, um bate-papo com o maquiador goiano Marcos Costa, que entrega seus segredos de beleza, lista os produtos e tendências que estão em alta. Esta edição é dedicada também à apresentação dos ambientes que se destacaram na Casa Cor Goiás, onde arquitetos, designers e paisagistas definem a melhor expressão de morar bem. Ainda na seção Casa Zelo, trazemos uma matéria sobre jardins verticais, que vieram com toda força na mostra goiana de decoração. E atravessamos o Oceano para mostrar as últimas tendências de Milão. Diretamente da Nova Zelândia, o fotógrafo Hélio Junior nos conta, em primeira pessoa, os detalhes da sua experiência, de pedalar naquele país, conhecendo novas culturas e lugares na companhia da esposa. Um editorial fotografado por João Augusto de Oliveira também recheia a nossa edição. E ainda muita informação sobre cinema, livros, carros, arte, gente e lugares para se deleitar e ficar por dentro. É tudo feito para você, leitor. Divirta-se! Rosângela Motta


Portobello

pbs_Campanha_lancamentos_2014_Anuncio_20x28cm.indd 1

3/18/14 12:32 PM


Colaboradores

Ranulfo Borges

francisco barros

Juliano rodrigues

14

Alice Galvão

Hannah motta

Alexandre Parrode

Pablo Kossa

William Hanna

Astero Motta

sandro torres

Kell Motta

Fátima Tolêdo

Reggie Moraes

Osmar Régis

João Pedro

João augusto

Igor leonardo

barbara honorato

lucíola correa

maria cristina furtado

Daniel Almeida

Lucas Pereira


feito à mão. exclusivo. atemporal.

Av. 136, n. 761, Sala A-187, Ed. Nasa Business Style Setor Sul, Goiânia - Goiás | (62) 3626 5315

15


opinião

O centenário do argentino nascido na Bélgica que virou francês Foto: divulgação

Francisco Barros

N

16

o próximo mês de agosto, o mundo comemora uma efeméride literária: 100 anos de nascimento de Julio Cortázar. Ao lado de seu conterrâneo Jorge Luis Borges, do colombiano Gabriel García Márquez, do peruano Mario Vargas Llosa e do mexicano Carlos Fuentes, o argentino figura entre os maiores escritores de língua espanhola do século 20. A obra ‘O jogo da amarelinha’ (Sudamericana, 1963) é considerada uma obra-prima e um marco na produção literária do autor. Este ano, também será lembrado pelo aniversário de 30 anos de sua morte. Cortázar é uma figura literária cercada de mistérios e fantasias. Até mesmo a sua data de nascimento é uma incógnita: foi dia 24 ou 26 de agosto? A verdade é que não se teve acesso à sua certidão de nascimento para dirimir a dúvida. Mas o argentino nasceu em um subúrbio de Bruxelas, na Bélgica, poucos dias após ter sido deflagrada a Primeira Guerra Mundial. Mas se nasceu na Bélgica, por que é considerado argentino? É bom explicar: os seus pais eram argentinos. O pequeno Julio deixou a Bélgica com pouco mais de um ano (claro, por causa da guerra). A família se transferiu para a Suíça e, depois, para a Espanha. E regressou, logo depois do fim da guerra, para a Argentina, onde Cortázar viveu toda a infância e a sua adolescência (em Bánfield, subúrbio de Buenos Aires). Uma história muito difundida, porém inexata, é que o pai de Cortázar, Júlio José Cortázar, era diplomata. Na verdade, era comerciante do segmento de importação de móveis de luxo, mas não tinha nenhuma ligação com missões diplomáticas da Argentina. O pai separou-se da mãe, María Herminia Descotte de Cortázar. Quando? Também é um mistério. O certo é que a partir de 1920, quando a família se instalou no subúrbio de Buenos Aires, o pai já não integrava o núcleo familiar. Entre 1923 e 1937, Julio frequentou o primário na Escola Elementar Inferior Nº 10 de Bánfield. Em 1928, ingressou em uma Escola Normal para tornar-se professor. Obteve o título de professor normal em Letras em 1935. Aos 22 anos, conquistou seu primeiro emprego: lecionou na pequena cidade de San Carlos de Bolívar, situada a quase 400 quilômetros da capital, Buenos Aires. Na segunda metade da década de 40 e início de 50, o autor viveu um período fértil em sua carreira: publicou contos, romances e estudos de crítica literária. É quando apareceu o seu primeiro livro de contos, ‘Bestiário’, em 1951. Naquele ano, mudou-se para Paris. Deixa-se influenciar pelos grandes músicos de jazz dos EUA que viviam na capital francesa. Cortázar publicou em 1959 o livro ‘As armas secretas’. Na obra, aparece o

conto ‘O perseguidor’, possivelmente uma das produções mais marcantes desse período. Do final dos anos 50 ao início dos anos 60, surgem os seus trabalhos mais marcantes: ‘Os prêmios’ (romance), ‘Histórias de cronópios e de famas’ (contos) e, na sequência, ‘O jogo da amarelinha’ (romance). Com esta obra de 1963, Cortázar obteve o status de escritor do primeiro time, de fama mundial, que o consagrou como um dos grandes nomes do chamado “boom” literário latino-americano. Como todo bom argentino, Cortázar também se inspirou no tango para compor as suas obras, como aconteceu em ‘Queremos tanto a Glenda’, livro de contos de 1980. Um dos relatos é ‘Tango de Volta’, uma analogia com a sua situação de exilado em Paris. A ambivalência e a dúvida são ingredientes de um jogo, que lembra, também, o delicado e trágico momento vivido pela Argentina, governada por uma ditadura militar. E foi justamente essa contrariedade com os governantes do país que o levou a solicitar, e obter, em 1982, a cidadania francesa. Os últimos escritos de Cortázar foram ‘Deshoras’ (no Brasil, ‘Fora de hora’), publicado em 1982, e o livro de poemas ‘Salvo el crepúsculo’, escrito em 1983, mas que só foi editado uma década depois, em 1993. O grande escritor argentino fez uma última viagem a seu país, em 1983, para visitar a mãe e a irmã. Em dezembro, ao retornar a Paris, já estava bastante debilitado pela leucemia. Internou-se no hospital Saint-Lazare em janeiro de 1984. No mês seguinte, no dia 12, faleceu. Foi enterrado no cemitério Montparnasse, em Paris. Nascia o mito: escritor genial cuja vida foi rodeada de mistérios, como o enredo de sua obra literária. Francisco Barros é jornalista, escritor e diretor da Editora Interativa


17


Poema

Doutor

ou artista

Sandro Torres Queria ter me formado doutor Feito jus a um diploma na parede Queria ter seguido carreira Com escritório em bairro chique Queria ter sobrenome importante Quando jovem, devia ter sido engajado Ter feito coro às minorias Queria ter aderido a alguma causa nobre Pintado a cara em protesto, Tirado a roupa em público Ostentando cartazes panfletários Mas a vida me encruzilhou Em sete ou oito caminhos Como num jogo de azar Desses de cara ou ímpar Escolhi a porta pelo verniz E eis que se abriu um mundo Não sabia se era real Sob um céu de cerúleo Já de cara tinha um cara Um tipo estranho Com nariz de palhaço De fralda, pedindo esmola Desconfiei da minha escolha Pensei em retornar ao início Perder os passos que já tinha dado Mas vislumbrei ao longe Claro que esfreguei os olhos Pra me certificar do que via Vindo na minha direção

18

Uma charanga iluminada Um farol aceso outro não Dentro, uma trupe inteira Do malabarista ao mágico Com direito a cartola e coelho Até um tocador de tuba Se espremendo num assento pequeno Dedilhando nervosamente Os botões do instrumento gigante O som não era dos melhores Mas a imagem era interessante Tinham todos um sorriso no rosto E envergavam um uniforme surrado Desses que imitam as fardas Com galões e falsas medalhas Passaram por mim como um tiro Deixaram cair um folheto Esperei baixar a poeira Me abaixei, peguei o papel Amassado, sujo de tinta Em letras garrafais pude ler O que seria a epifania E me faria chorar: ESQUECE O RESTO, VOCÊ É ARTISTA!

Sandro Torres é ator e artista visual


ZELOIN redacao@revistazelo.com.br

Showroom iluminado Uma das maiores fabricantes de iluminação técnica do mundo, a Milimike Lighting abre em julho as portas de sua loja goiana. No showroom, 99% da iluminação é em LED e há uma variedade de pendentes em Murano. “São peças fabricadas em fornalhas da ilha de Murano por artesãos de famílias tradicionais”, chancela o empresário Rômulo Castro. A marca esteve na Casa Cor Goiás 2014, no Spa da Casa, Praça e Recanto dos Verticais, além da escada de acesso à Sala de TV. Distribuidora exclusiva no Brasil das marcas Milimike e Axo Light, a loja, que fica na Rua 147, 635, Setor Marista, trabalha apenas com produtos de altíssimo padrão.

Caminhar com tradição

FotoS: divulgação

De origem artesanal, a Sapataria Mujalli nasceu de um caso de amor familiar e do resgate às tradições. Em 1925, em busca de uma nova oportunidade de vida, o patriarca da família emigrou do Líbano trazendo a arte de fazer sapatos. Fixaram-se no interior do Brasil, enfrentaram períodos difíceis e seguiram com o trabalho. Os filhos cresceram, vieram os netos, os bisnetos, chegando assim à quinta geração da família. Até que duas irmãs, Mariana e Taciana Mujalli, resgataram a essência dessa tradição, materializando-a em uma marca elegante e atemporal, que inspira um novo jeito de caminhar à mulher moderna: a Sapataria Mujalli.

Novos voos A QUIM lançou a coleção primavera/verão 2015 “Os Pássaros” com estamparia digital exclusiva assinada pelos ilustradores do Bicicleta sem Freio, no GOFashion, em Goiânia. “A ideia é mexer com os sentimentos mais íntimos, aqueles pensamentos que não verbalizamos, sem perder o colorido da vida. Por isso trabalhamos com azul-marinho e marrom – tons mais sóbrios, trazendo o colorido com as cores laranja e verde-limão”, explica a estilista Lara Vaz, diretora da marca, mestre em Design pela Universidade Anhembi Morumbi/SP e professora na Faculdade Cambury/GO.

Para gringo ver e levar Como lembrança do maior evento futebolístico do mundo, os gringos desejam levar um pedacinho do País para casa. Para que possam sair do convencional, a escritora Patrícia Innocenti lança o primeiro volume do minibook Brasil. Com 770 páginas, traz imagens das paisagens, arquitetura e pontos turísticos, além de textos curtos e instrutivos traduzidos para o inglês e espanhol. Um presente compacto, original e prático. 20


SWITCH TO GREEN

PASSIONE, EQUILIBRIO, ENERGIA

Importadora e distribuidora exclusiva MILIMIKE e AXO LIGHT em todo o Brasil.

Rua 147, n. 653 Setor Marista, Goiânia Fone: 62 3088-4400 e-mail: milimike@milimike.com.br www.milimike.com.br EM JULHO, ATENDIMENTO TAMBÉM PARA VAREJO.

21


ZELOIN redacao@revistazelo.com.br redacao@revistazelo.com.br

La Dolce Vita A Belmond lançou uma série de experiências vintage nos seus hotéis em Portofino, Veneza, Florença, Ravello e Sicília para marcar a reabertura da temporada de verão. Projetadas para englobar a graça e o glamour da Itália nos anos 1950 e 1960, período conhecido como ‘La Dolce Vita’, as excursões são inspiradas nas atrizes da era dourada de Hollywood, que visitavam a Itália nas férias. Hóspedes podem começar ou terminar sua jornada a bordo de vagões vintage Art Déco do Venice Simplon-OrientExpress, seguindo os passos de alguns dos mais famosos ícones do cinema.

FotoS: divulgação

Primeiro mundo

Energias renovadas

Goiânia conta com uma nova opção, que chama a atenção pela qualidade e design, no segmento de ópticas. É a rede de franquias paulista Ópticas Ipanema, cuja história compreende mais de 30 anos em Campinas/SP e abriu recentemente as portas da sua primeira loja na capital goiana. Localizada na Avenida T-4, no Setor Bueno, o compromisso da empresa é com o conceito de “óptica de primeiro mundo para todo mundo”. Além de grifes fortes e conhecidas como Ray Ban, Vogue, Gucci, Hugo Boss e outras, a franquia evidencia a marca própria S. Ferreira. A pretensão é atingir até o fim deste ano 50 unidades no Brasil e exterior.

Você já conhece o Extra Power Energy Drink, mas provavelmente não viu a nova roupagem do energético. Líder no setor atacadista, o produto agora ruma para a conquista de novos horizontes. As novidades vão além da embalagem da lata, que ganhou um design mais moderno e inovador, e agora reluz mais intensamente no escuro. A composição também ganhou uma turbinada, com mais insumo, o que proporciona um efeito mais forte. O Extra Power promove benefícios de resistência e desempenho físico, além de concentração e velocidade. O produto foi lançado exclusivamente em Goiás, no Goiás é Show, com camarote exclusivo no evento.

Foto: Arquivo zelo

Inovação goiana Em tempos de Copa do Mundo no Brasil, tecnologia de ponta para ver os jogos faz diferença. Goiânia desponta no segmento com um painel de LED subterrâneo de 300 polegadas desenvolvido pelo diretor da GR Cine Áudio, Gláucio Rocha. A tecnologia foi feita sob encomenda para um cliente que queria assistir à Copa com toda pompa. “Ele queria que o painel fosse subterrâneo e fora da casa”, explica. Gláucio Rocha, usou tecnologia nacional e profissionais goianos. É o primeiro painel de LED outdoor subterrâneo do mundo. Com resistência a efeitos climáticos, o aparelho pesa uma tonelada e é coberto por teto solar. Para a elevação da tela, foi desenvolvido um elevador, além de um dreno no solo. Fora a inovação, a praticidade do projeto também chama a atenção, porque o acionamento do painel pode ser feito pelo iPad ou pelo próprio iPhone. A ideia de Gláucio já rodou o mundo. O empresário recebeu mais encomendas e despertou o interesse de empreendedores e curiosos. 22


23


Para torcer

OSMAR RÉGIS osmar.regis@hotmail.com

Quem não conseguiu os concorridos ingressos para assistir às partidas da Copa nos estádios ainda tem tempo de torcer. Diversos eventos na cidade prometem ser tão animados quanto os jogos do Maracanã. Entre as novidades está o Parque da Bola Rio, área exclusiva dentro do Jockey Club, na Gávea, onde o público apreciará os jogos por um telão e desfrutará de bares, exposições e shows. A Marina da Glória, que sediou em 2010 as transmissões dos jogos do Brasil, seguidas de shows, já confirmou retorno.

Colorida

Gigantes da arte

Apaixonado por cores e estampas fortes, em 1995 o surfista Fred d’Orey abriu sua primeira loja Totem em Ipanema, com a linha praia masculina. Diante dos pedidos femininos, passou a oferecer também para as cariocas uma cartela de cores com os desenhos exóticos e contrastantes que viraram marca da grife.

O Rio recebe até 21 de julho a exposição “Visões na Coleção Ludwig”, que comemora 25 anos do Centro Cultural Banco do Brasil. Com entrada gratuita, a mostra traz 64 obras de uma das mais importantes coleções particulares de arte no mundo. São obras de diferentes períodos, assinadas por artistas como Picasso, Andy Warhol, Jean-Michel Basquiat, Roy Lichtenstein, Gerard Richter, Claes Oldenburg, Jasper Johns, Jeff Koons, entre outros.

RIOmais

FotoS: divulgação

Lugar de bambas A Pedra do Sal, Morro da Conceição, faz parte da região conhecida por “Pequena África”. Ali nasceu o samba urbano carioca, surgiram sambistas populares e antigos ranchos carnavalescos. Hoje o lugar é palco das rodas de samba do grupo Roda de Pedra, entre simpáticos casarios coloridos, ladeados por uma escadaria e a ladeira de pedra. A festa acontece sempre de segunda a sexta-feira, às 20 horas.

Rock com doçura Estreou no dia 29 de maio, uma quinta-feira, o espetáculo “Cássia Eller – O Musical”, no Centro Cultural Banco do Brasil. A direção é de João Fonseca e Vinicius Arneiro e, na montagem, Tacy de Campos interpreta Cássia. A peça conta a trajetória da artista desde antes do início da carreira e tem direção musical de Lan Lan. Fazem parte do repertório músicas como “Malandragem” (Cazuza/Frejat), “Por enquanto” (Renato Russo), “All Star e “Luz dos Olhos”. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia). As sessões vão até 20 de julho, de quarta a domingo, às 19h.

Celebrando o design A Urca recebe de volta um tradicional espaço do bairro. Após revitalização, foi reaberto o prédio em que ficava o antigo Cassino da Urca, agora ocupado pelo Istituto Europeo di Design do Rio. Para celebrar, foi inaugurada a exposição Protagonistas do Design Italiano, com entrada franca. A mostra reúne mais de 100 peças da coleção de móveis e luminárias da Fondazione Sartirana Arte, de Pavia. O evento faz uma homenagem especial a Giotto Stoppino, um dos mais importantes designers italianos. 24


artes plásticas

A conspiração

do solitário

Em entrevista à Zelo, durante a exposição “Totalitarium” no MAC, Pitágoras critica, questiona e se diverte com situações da vida moderna

26

Foto: Ângela MOtta

exposição traz obras voltadas para o “jeito totalitário de ser” do artista


Alexandre Parrode

C

amiseta preta, jeans e um senso de humor afiadíssimo. Pitágoras recebeu a reportagem da revista Zelo em sua exposição no Museu de Arte Contemporânea de Goiás como se estivesse em casa. Sem amarras e zero afetação, o goiano, que já ganhou prêmios e expôs no mundo inteiro, nem parecia ser o autor da exposição “Totalitarium”, que decora as paredes do museu, no Centro Cultural Oscar Niemeyer. Hiperativo, Pitágoras até tentou manter certa postura de entrevistado “sério”, mas já na primeira pergunta se soltou, atacou e questionou sobre os mais diversos assuntos possíveis, sempre mantendo a simpatia no mesmo nível da acidez. Em vez de erudição e longas explicações remetendo

ao Renascentismo, o artista prefere debater suas obras e define o trabalho como a externalização de suas vivências. O que deveria ser uma entrevista sobre a nova exposição no MAC acabou tratando de casamento, sociedade, busca pela felicidade e solidão. Tudo sob um olhar muito divertido e até jocoso da realidade. Até mesmo quando o assunto clamava por seriedade, Pitágoras soltava uma palavra ou expressão em inglês ou francês – línguas que aprendeu sozinho –, desconstruindo a densidade do tema. Inclusive, leitor, pedimos que não estranhe a inclusão de vários “(risos)” pelo texto. A verdade é que, caso fôssemos transcrever literalmente o encontro, talvez toda esta edição não seria suficiente. Confira (e divirta-se)!

ZELO - Como surgiu a ideia da exposição? Por que Totalitarium? Pitágoras - Eu formatei o projeto e decidi que se chamaria Totalitarium. Nós vivemos tempos totalitários, paralelos ao que vivemos. Além disso, o título pode também expressar a tirania do meu trabalho. Eu misturei um monte de trabalhos e coisas que me representam, obras voltadas para mim mesmo, sem pesquisas contemporâneas. Eu fui mesmo Totalitarium. Trabalhos que remetem ao passado, readquirir a pintura, o desenho, tudo outra vez. Embora tenha muito de história, a exposição representa meu presente, minhas memórias não ficam voltando. Seriam registros.

ambicionar uma felicidade utópica, acho isso muito careta.

ZELO - Há alguma linearidade ou cronologia nas obras? Pitágoras - Não mesmo. Na verdade, eu quero me afastar cada vez mais dessa ideia, embora acredite que farei a mesma coisa a vida inteira. Dizem, inclusive, que todos os artistas são assim. Eu tento mudar o máximo de um quadro para o outro. É um exercício pessoal. Mudo e mudo para mim. ZELO - Como se dá seu processo de criação? Pitágoras - Ultimamente até as atividades de recreação, beber, sair com amigos - tenho pouquíssimos amigos - são na minha casa. Eu faço a linha ‘lonely guy’, entende? (Risos) Moro na mesma casa, no Setor Fama, desde que nasci. ZELO - Por que continua morando lá? Pitágoras - Sou um pouco conservador, eu diria. Moro ao lado da minha mãe, sou solteiro e serei para sempre. Não vou me casar com ninguém, eu odeio casamentos! ZELO - Mesmo? E namoros? Pitágoras - Eu amo o ‘tótum’, a essência, as coisas, amo minha agressividade, meus interlúdios e os sentimentos, como a profunda tristeza e a alegria. Estou pleno, sem

ZELO - Mas se diz conservador e afirma, agora, que a “busca pela felicidade” é algo muito careta? Pitágoras - Eu acho a luta pela felicidade uma angústia humana boba. Você fica cego e passa a sentir o estigma dos que não são felizes. Eu sou amor fati de Nietzsche. Vivo com intensidade as coisas, mas da minha maneira conservadora, pois não vou mais a festas, não vou a lugares badalados, não sou hipster, meus amigos não são hipsters, não ando com bolsa Louis Vuitton e encontro meus amigos afetados... Não tenho amigos chiques, são ótimos, mas se você chamar algum deles de chique, eles te olharão torto. Meus amigos são elegantes, não têm nada de chique. O chique é cafona hoje em dia. ZELO - E como seria isso? Pitágoras - Nós estamos passando por um período de muita decadência, sabe? É um excesso de ter e decadência de significado. A sociedade é um pouco escusa no que concerne à educação, à degradação do meio ambiente, ao amor ao próximo, à compreensão dos novos comportamentos. É um tempo estúpido que estamos vivendo. Mas eu entendo. Entendo a juventude “rolezinho”, por exemplo. Acho todas essas modinhas bobas, mas as entendo. ZELO - Por falar na juventude, como você se relaciona com as redes sociais? Pitágoras - Eu tive e excluí porque uma professora “barbuda” da universidade encrencou comigo e acabei por sair (risos). Mas adoro o mundo online, não sou nada careta. A internet oferece acesso a coisas que muita gente não tinha no passado. Você pode acessar bibliotecas... Vejo de tudo, até essas coisas mais trash, eu acesso. ZELO - E como todas essas ideias, essa personalidade 27


Fotos: reprodução/catálogo da exposição

forte e opiniões formadas se traduzem no seu trabalho? Pitágoras - É bem voltado para meu selfie mesmo. Não vou pesquisar a angústia de outro artista, por exemplo, não vivo perseguindo as estéticas de outros artistas. Minhas obras são materializadas através de minhas sensações, minha experiência solitária, mas nunca infeliz. ZELO - E o que seria felicidade para você? Pitágoras - Então, acho o conceito de felicidade muito pobre, atualmente. Vivo o segundo próximo. Não dá para viver de ideologia, como Cazuza, que “disparo minha metralhadora cheia de mágoas”. Eu não sou o tipo de artista que passa por aquela fase de “poeta de final de século”, mesmo porque estamos no começo de um século. Sei que tudo está se degradando, mas, ao mesmo tempo, se renovando, umas ideias vêm e outras vão. ZELO - Como é sua vida na comunidade artística goiana, como você se relaciona no meio? Pitágoras - Nenhum dos meus amigos é artista. Não tenho amizade com artista nenhum de Goiânia. Insiro-me no meio com meu trabalho. A verdade é que você não precisa conviver com outros artistas para fazer arte. Aliás, conheço pessoas que fazem arte e não são artistas. ZELO - Você consegue dizer o que há nos seus quadros? Pitágoras - Eu não consigo te dizer o que é, mas posso afirmar que é um conteúdo que vai e volta dentro de mim. Há espaço para todo tipo de sentimento. Os sombrios assim são por força de estética e não porque haja algum tipo de confronto interno meu. Não mesmo. Reafirmo que não sofro o ‘angst’ (conflito intenso de angústia). Acre-

obra de 2013, 300 x 150 cm, sem título, mista sobre tela

obra de 2013, 125 x 195 cm, sem título, mista sobre tela

28


obra de 2014, 310 x 158 cm, sem título, mista sobre tela

dito que a gente precisa ficar triste, precisa beber mesmo uma cerveja, precisa sentir a tristeza. A perda dos amores, dos humores. É preciso sentir a juventude se esvair, o número da idade aumentar, mas no fundo saber que é o mesmo. A sociedade atual não aceita o envelhecer, trata isso como algo deteriorante. Como se isso não fosse digno. ZELO - Para você, como é morar em Goiânia? Pitágoras - Vivo bem aqui. Claro que faço minhas viagens. Vou a São Paulo, estou indo para Venezuela e é possível que faça uma exposição na Espanha. Viajo muito também em literatura. Recentemente retomei a leitura de Nietzsche e Oscar Wilde, o que me tem feito questionar as relações da sociedade e do Estado. Seria legal ter uma sociedade na qual as pessoas tivessem acesso à educação e se tornassem perigosas e corrosivas. Não com armas na mão, sim com pensamento.

Sou um artista, o “profissional” meu é um pouco trágico. Sou profissional porque cumpro meus prazos, mas quase não acredito no artista profissional. O profissionalismo talvez seja organizar a carreira. Outra palavra que tenho muito medo. Sou obstinado pelo que faço. Única palavra que realmente me agrega. ZELO - Uma aspiração de trabalho para o futuro. Pitágoras - Queria fazer uma exposição em que os quadros fossem mudando de acordo com os humores do dia. Todos os dias eu iria lá e os editaria. Se ela durar 30 dias, por exemplo, eu mudaria a exposição 30 vezes. Vou fazer isso aqui ainda. ZELO - Por falar nisso, como você sabe que uma obra está pronta? Pitágoras - É um processo, não tem exatidão. Na verdade, todas as obras estão sempre prontas, no sentido de que, quanto mais eu estiver trabalhando nelas, mais elas vão mudar.

ZELO - O que você espera do futuro? Pitágoras - Como eu vivo o amor fati, não espero nada do futuro. O futuro pode ser daqui 20 minutos só, então, como já sou muito ansioso, procuro não pensar nele. Porque se eu paro para pensar, como vivo disso, entro em crises, crises... Daí empaca. E não quero empacar. Quero viver como um garoto, que acredita que tudo vai dar certo no final. Meio paradoxal, mas esse sou eu. É a conspiração do solitário. ZELO - Vale ser só? Pitágoras - Gosto muito. Vivo assim, sem reclamar. Mesmo amando todos, sou só. O lance é encarar isso! Como não quero me tornar religioso, aceito a cruz que carrego. ZELO - No campo profissional, você... Pitágoras - Olha (antes que pudesse terminar a pergunta, que seria sobre ter alguma aspiração, Pitágoras já lança outro questionamento), eu acho essa palavra “profissional” perigosa.

obra de 2013, 125 x 195 cm, sem título, mista sobre papel

29


ZELOINDICA HANNAH motta hannah@revistazelo.com.br

Geometria Nas roupas, azulejos, araras ou no tapete da sala, mais uma vez moda e decoração se unem em nome de uma mesma tendência. Estampas e recortes geométricos nunca estiveram tão em alta. As versões bicolores ainda são as queridinhas, mas as minimalistas e extremamente coloridas têm ganhado cada vez mais força.

Abajour Meninas de Pano

Almofada decorativa - Mac móveis

panela my lovely kitchen - tramontina

macacão - studio session

Puff Casa Valeria Salvador

Fotos: Divulgação

Banco Olie - Ventura Interiores 30

Bolsa Fendi Primavera-Verão 2014

Valentino - Paris - InveRno 2015


Foto: cristiano borges / painel: rubin

conceito

Gastronomia

irmãos e empreendedores, fernando e prienne bittar: conceito de gastronomia como arte

para o bem-estar Shiitake Restaurante aposta na cozinha oriental contemporânea, com equilíbrio e respeito ao alimento

Lucas Pereira

J

á reparou que a correria do dia a dia tem feito do momento das refeições algo mecânico? Os orientais voltam este instante para a reflexão. Abraçando a doutrina desta cultura milenar, o Shiitake Restaurante destaca a harmonia e a tranquilidade essenciais à hora de comer. Sob o comando dos irmãos e empreendedores Prienne e Fernando Bittar, a casa passou por reestruturação e investe no conceito de gastronomia como arte. O Shiitake Restaurante aposta na cozinha oriental contemporânea, com equilíbrio e respeito ao alimento. “Está tudo interligado! A comida, a música ouvida enquanto se come, o ambiente e a estima ao alimento ingerido”, analisa Fernando. A culinária oriental é um culto artesanal ao alimento, abrange seu corte, suas cores e formato. No restaurante, o estudo da cultura asiática engloba iluminação baixa, ambiente intimista e plantas ornamentais, que suscitam frescor e aconchego. Os tradicionais sushi e sashimi dividem espaço com a cozinha contemporânea, para promover

longevidade, empregar o resgate das tradições orientais em uma alimentação saudável e balanceada. O almoço é servido das 11h30 às 15h e o jantar, a partir das 18h. A sazonalidade é um diferencial e o carro-chefe, sempre o que há de mais fresco na cozinha. Contra o ritmo acelerado da atualidade, o restaurante lançou o Happy Moments, um menu com preços especiais oferecido de segunda a sábado, das 18h às 20h, para proporcionar um agradável fim de tarde. “A ideia é atrair as pessoas para a tranquilidade, para relaxar, fugir das refeições maquiadas. Aqui tudo é preparado na hora”, garante Fernando. Com cardápio renovável, o Happy Moments oferece desde sushis até opções de sobremesa e drinks. “A localização daqui também é um atrativo. Estamos no coração de Goiânia, então não é contramão e tem a praça (do Sol) em frente, que permite uma vista agradável”, completa Prienne. shiitake restaurante rua joão de abreu nº 301, setor oeste - praça do sol - goiânia telefone: (62) 3215 2288 @shiitake_restaurante

31


ZELOINDICA HANNAH motta hannah@revistazelo.com.br

Brilho

folha em poliresina casa mix e bossa

Fotos: Divulgação

em alta O look metalizado saiu das passarelas e invadiu a decoração. Esta onda já há algum tempo ganha versões ainda mais ousadas em ouro e prata, azul, laranja e cor-de-rosa. Na decoração, a tendência costuma ganhar ares um pouco mais descontraídos.

Cachorro Dourado - casa mix e Bossa

Carpa - casa mix e bossa

abajour - kartel para armazém da decoração

Bolsa Mina Christian Louboutin

Pat Pats - SPFW Verão 2015

32

Banqueta - Ventura Interiores

globo - casa mix e bossa


ZELOINDICA HANNAH motta hannah@revistazelo.com.br

Flores em você

A temporada de verão 2014 serviu para mostrar que nas semanas de moda internacionais o floral continua com tudo! Seja em versões máxi ou superdelicadas, a ordem é não faltar esta estampa em seu closet e na decoração da casa. Invista!

Almofada floral - Plissê

jogo de jantar - vestindo a casa

Óculos mosaico Dolce & Gabbana

The Petal Bag - Burberry

Fo

havaianas - edição limitada para farm

to

s: D

ivu

lg

ão

jarro - fina casa

Aparelho de jantar Gisele Cream - Villa Bueno

Amapô - SPFW Verão 2015

34

Cadeira Época Decorações com estampa exclusiva Silvia Heringer


35


confeitaria

Universo

gourmet

Chefs goianos exploram receitas com chocolates de alta qualidade, técnicas sofisticadas e capricho na apresentação

36

Texto: Alice Galvão Fotos: Ângela Motta

V

ocê já percebeu como vem crescendo o número de lojas especializadas em confeitaria gourmet em Goiânia? E a vedete deste universo é o chocolate. Nos brigadeiros, bombons, brownies e mais uma enormidade de guloseimas, esta deliciosa iguaria agrega valor à medida em que os criativos chefs desenvolvem receitas cada vez mais sofisticadas e usam chocolates de qualidade superior. Os belgas ganham destaque porque são feitos com cacau selecionado e resultam em chocolate de altíssima qualidade. E a bola da vez entre as marcas, unanimidade entre os chocolatiers, é Callebault.


Para a chef Camila Caiado, da Poema Gourmet, além da matéria-prima de alta qualidade, “quanto mais técnica o confeiteiro souber empregar e quanto mais bela e exclusiva for a preparação, mais premium será o produto final, consequentemente, mais gourmet.” A apresentação também tem papel importante para encantar e dar aquele ar requintado à sobremesa. E o consumidor percebe a diferença! “Quando o cliente identifica no produto todas essas características, ele não se importa em pagar o preço justo para degustar ou ter em seu evento um produto final rico em sabor e diferenciais”, orgulha-se a chef. Dentre os diferentes tipos de doces, o brigadeiro se destaca. “A ideia de investir no brigadeiro (não especificamente, mas principalmente) surgiu da intenção de tornar uma receita clássica e exclusiva dos brasileiros em um produto especial, valorizando assim nossa cultura”, explica Camila. Sua produção conta hoje com a ficha técnica de mais de 60 sabores de brigadeiros. Outra adepta dos chocolates belgas é Ana Luiza Valladares, da Brigadeiria Bistrô. No ambiente, decorado por ela e pra lá de charmoso, a empresária e confeiteira aposta em novidade, requinte e harmonização. “Os cafés mais amargos geralmente combinam com os brigadeiros mais doces e vice-versa. Mas afinal, como em qualquer harmonização, quem manda é o gosto de cada um, pois o paladar é algo muito pessoal. Então, minha dica é: experimentar muito!”, aconselha. com amor O chocolate também é símbolo de afetividade, afinal, quem nunca pensou em bombons para presentear? “Acho que os principais ingredientes na gastronomia são a afeição, a doação e a entrega. Se você faz com paixão e prazer, só pode ter retorno positivo. As múltiplas possibilidades de trabalhar com o chocolate gourmet estimulam minha criatividade e paixão por essa área”, revela Ana Luiza. Esta relação de amor é comum entre os criadores da gastronomia gourmet. Para alguns, como a chef Ana Paula Duarte, da Brigadeiria das Meninas, é herança de família. Influenciada pela mãe e pela avó, ela se interessou desde pequena pela arte de cozinhar. “Sempre gostei de fazer misturas diferentes e as chamava de ‘experiências’. Minha mãe se perguntava em que ia dar aquela bagunça! ”, brinca a profissional. Louca por brigadeiros, ela

Quanto mais técnica o confeiteiro souber empregar e quanto mais bela e exclusiva for a preparação, mais premium será o produto final” camila caiado, chef da poema gourmet

37


ana paula duarte: paixão pela gastronomia é herança de família, com influências diretas da mãe e da avó

acredita que o sucesso de seu trabalho está diretamente relacionado ao prazer e amor que tem pelo que faz. mercado Mas a opção pelo chocolate gourmet requer cuidado redobrado com a manipulação e processo de fabricação. De acordo com Luciana Pires, que comanda a criação gastronômica da Luí Chocolates e Doces Gourmet, a grande vantagem de se trabalhar com estes produtos é que qualquer pessoa consegue perceber a qualidade e sabor diferenciados do chocolate gourmet. “Sendo assim, conquistamos nossa clientela pelo paladar”, anima-se. Na loja entram exclusivamente chocolate puro e livre de gordura hidrogenada. Além disso, a produção é artesanal, feita em baixa escala e sem conservantes. Apaixonada pela guloseima, Luciana fez muitas pesquisas e viagens à Europa antes de

38


se decidir pelo empreendimento. “Estudei os produtos e, em seguida, fiz um Plano de Negócios para testar a viabilidade de abertura em Goiânia”, revela. Mesmo sendo bom, o resultado ainda lheparecia duvidoso, mas ela apostou em uma pitada de sorte, misturada com uma porção bem servida de aceitação do mercado goiano, que se mostrou receptivo, tanto para encomendar produtos em ocasiões especiais quanto para o consumo diário. Se comer é um prazer, degustar as delícias feitas com chocolate é catártico! Além disso, o ingrediente é fonte de energia, redutor de ansiedade e benéfico para o coração. Apesar da grande quantidade de calorias, o chocolate, consumido em porções próprias para degustação, pode ser aliado e não vilão. Quanto mais amargo, menos açúcar e gordura ele tem, além de oferecer mais benefícios cardiovasculares, devido à presença de flavonoides em sua composição. Esta substância pode prevenir a incidência de câncer e as doenças do coração. No dito popular, “a diferença entre o veneno e o remédio está na dose”. Então, use o chocolate a seu favor, consuma com moderação, dê preferência aos produtos de alta qualidade e bon appétit!

luciana pires só usa chocolate puro, livre de gordura hidrogenada

trabalhar com chocolate gourmet estimula a criatividade de ana luiza valladares

Os cafés mais amargos geralmente combinam com os brigadeiros mais doces e vice-versa” ana luiza valladares, da brigadeiria bistrô

39


CTRL SP REGGIE MORAES reggiemoraes@hotmail.com

“Os gêmeos” na Copa! O avião que transportará a seleção brasileira durante a Copa foi decorado pelos grafiteiros e artistas plásticos gêmeos Otávio e Gustavo Pandolfo, conhecidos internacionalmente. Para a realização da obra, eles gastaram cerca de 100 horas de trabalho, além de mil latas de spray de tintas, que vieram da Espanha. A nova aeronave da Gol que serviu de suporte para a arte é a transportadora oficial da CBF. Após a competição, ela será incorporada à frota da empresa. http://www.osgemeos.com.br/

BMW JAZZ FESTIVAL No fim de maio, São Paulo recebeu a quarta edição do BMW Jazz Festival. O maior festival brasileiro de jazz aconteceu no HSBC Brasil e, após três dias de atrações pagas, o último show foi gratuito, no palco externo do Auditório do Parque Ibirapuera. Bobby McFerrin, ganhador de dez Grammy Awards e conhecido por “Don’t Worry, Be Happy”, foi a atração principal. Pela primeira vez a marca investiu fora do eixo RioSão Paulo, com um show de McFerrin em Belo Horizonte. www.bmw.com.br/br/pt/insights/events/jazz_festival/2014/showroom

Fotos: Divulgação

Virada Cultural 2014 Criada para refletir o espírito paulistano de uma cidade que “nunca para”, a Virada Cultural é um evento da Prefeitura de São Paulo. Com duração de 24 horas, oferece gratuitamente atrações culturais para todos. Porém, esta, que foi a segunda edição sob gestão petista, foi alvo de críticas pela falta de organização, perda de parte da essência e de atrações culturais clássicas. Vamos torcer para que recupere o fôlego no próximo ano. http://viradacultural.prefeitura.sp.gov.br/2014

“Obsessão infinita” A exposição de Yayoi Kusama chega a São Paulo, no Instituto Tomie Ohtake, de 22 de maio a 27 de julho, depois de passar pelo Rio e Brasília. São pinturas, esculturas, vídeos, trabalhos em papel e grandes instalações da artista japonesa, oferecendo um extenso panorama de seu trabalho. Confira mais no site do instituto: http://www.institutotomieohtake.org.br/programacao/exposicoes/yayoi-kusama

40


BELEZA & SAÚDE

Nutrição Conheça as sementes que emagrecem e fazem bem

Maquiagem Marcos Costa apresenta produtos inovadores e técnicas para arrasar no outono-inverno Foto: João Augusto

41


Fo

to

ng el am

ot

ta

Sementes

da vez Entenda como cada uma pode ajudar na sua saúde Hannah Motta

L

inhaça, quinoa, semente de abóbora e chia. Você já deve ter ouvido falar sobre elas, mas será que sabe para que servem? Por fazer bem à saúde, devem ser incorporadas às refeições do dia a dia, pois são ricas em nutrientes, fibras, vitaminas e minerais e podem até ajudar a eliminar peso. Suas fibras estão associadas ao bom funcionamento intestinal, controle do colesterol e glicemia sanguínea. Ricas em ácidos graxos monoinsaturados e poli-insaturados que auxiliam no controle dos triglicerídeos, colesterol total, LDL (mau colesterol), diminuindo o risco de doenças cardiovasculares. Pós-graduanda em Nutrição Esportiva, a nutricionista Naiara Rochet ressalta que a função de auxiliar na perda de peso deve ser interpretada da maneira correta. “As sementes, na sua maioria, são calóricas e, quando consumidas em excesso, podem até causar efeito inverso. A perda de peso está relacionada ao

42

elevado teor de fibras desse alimento, que retarda o esvaziamento gástrico, reduzindo o apetite e aumentando a sensação de saciedade”, explica. As sementes também apresentam poderosos antioxidantes, como vitamina E, selênio e magnésio, que participam de inúmeros processos em nosso organismo, como a absorção adequada de cálcio nos ossos, contração muscular, ação anti-inflamatória e regulação da pressão arterial. Confira como funciona cada uma delas e de que forma fazer uso na alimentação: Linhaça Possui alto conteúdo de ácidos graxos, ômega-3, lignana e fibras, benéficos na redução dos fatores de risco das doenças cardiovasculares, câncer e hipercolesterolemia. Auxilia no funcionamento intestinal, reduz a absorção do colesterol e melhora o controle da glicemia. O ácido graxo ômega-3 tem ação anti-inflamatória, fortalece o sistema imunológico e reduz o colesterol total.

Semente de chia

se m en te

de

li nha ça

nutrição


te en m Se

óbora ab

inoa qu

de

de

e nt me se

vitaminas, iogurte. E a farinha: como substituta da farinha de trigo em diversas preparações.

Naiara Rochet dá a dica de como consumir a linhaça: “Experimente acrescentá-la nas frutas do café da manhã, sucos, iogurte, vitaminas, saladas, bolos, tapioca, enfim, use a criatividade! Se preferir consumir a farinha, é melhor triturá-la e consumi-la imediatamente, pois a semente oxida facilmente, perdendo seus nutrientes.” Quinoa É um cereal que produz semente rica em proteínas, vitaminas e minerais, fonte de carboidratos de baixo índice glicêmico e gorduras boas. Rica em vitaminas do complexo B, C e E, ferro, cálcio e fósforo. Sua composição de proteínas de alto valor biológico auxilia na recuperação de tecidos e células e estimula a produção de enzimas e hormônios. É fonte de triptofano, aminoácido ligado à produção de serotonina no cérebro, responsável pela modulação do humor, disposição e bem-estar. “A quinoa não possui glúten, então, indivíduos intolerantes podem consumir pães, tortas e bolos feitos com sua farinha”, ressalta Naiara. À mesa, pode ser consumida na forma de grãos: cozida para substituir o arroz, misturada em hambúrguer de carne caseiro, quibe vegetariano, tabule. Na forma de flocos: como substituta da aveia, em frutas,

Semente de Abóbora Rica em potássio, mineral capaz de auxiliar no controle da pressão arterial. Fonte de fibra, que funciona regulando o intestino, e vitamina A, boa para os olhos e sistema imune. Além disso, apresenta alto teor de ácidos graxos essenciais, zinco e fitoesterol, importante substância no combate ao colesterol. Além de ser opção de petisco para o fim de tarde, outra maneira de aproveitar as qualidades da semente é triturá-la, adicionando-a na forma de farinha em diversas preparações. Pode ser salpicada na salada de frutas, batida com sucos naturais ou incorporada em saladas de folhas ou em massas de tortas. Chia Novidade nas prateleiras brasileiras, a chia, encontrada no sul do México, é fonte de ômega-3, que ajuda a evitar doenças cardiovasculares, tem ferro, cálcio, magnésio, vitaminas do complexo B e zinco. Tem também fibras e proteínas. Por isso contribui para a prevenção de doenças cardiovasculares, funcionamento intestinal, maior saciedade e controle da glicemia. Naiara explica que a saciedade é causada pelo fato de a chia ser uma semente mucilagionosa, ou seja, em contato com líquidos se transforma em gel, graças ao grande teor em fibras. “É consumida principalmente na forma de sementes. Experimente hidratar uma colher de sopa de chia em duas colheres de sopa de água. O gel formado pode ser batido com iogurtes e frutas, cacau e leite. Os grãos podem ser adicionados a frutas, saladas, tapiocas ou bolos”, indica a nutricionista. Todos os benefícios se potencializam quando associados a uma dieta equilibrada e saudável, com a ingestão adequada de água. 43


ZELObeleza hannah motta hannah@revistazelo.com.br

Flor

NOVIDADES

Chega ao Brasil o Cheek Pop, da Clinique, em formato de flor e quatro cores superdelicadas: Pop Berry, Pop Ginger, Pop Peach e Plum Pop. Com toque suavemente acetinado, colore as maçãs do rosto com ar fresco e saudável, sem pesar.

tem de ter! O Baby Doll, máscara que superalonga cílios, da Yves Saint Laurent, cria cílios redefinidos um por um com brilho e volume gráfico, em quatro tons: Noir Fétiche, Brun Enjôleur, Bleu Audacieux e Violet Indiscret.

Fotos: divulgação

barroco tropical Make B. Barroco Tropical ganhou novos itens para o alto inverno. Na Palette de Maquiagem, mais de 70 itens: 48 sombras, quatro iluminadores, quatro blushes, oito batons, quatro pós faciais, uma máscara para cílios, um brilho labial e um lápis para os olhos.

uau A Vichy lança um produto para sumir com poros abertos, tonalidade irregular, linhas de expressão e perda de viço. O Idéalia Life Serum promove transformação na qualidade da pele e tem resultado em quatro dimensões, com eficácia comprovada em 28 dias.

impecável O Teint Miracle, da Lâncome, chega este mês às lojas brasileiras, para mulheres que se maquiam todo dia e buscam uma base com resultado natural. A luminosidade da pele é realçada em 25% e hidratada por 18 horas. O produto chega ao Brasil em seis tons.

Decide aí! A Dior acaba de lançar a nova coleção da linha Verniz, que traz 20 tons com nova fórmula de longa duração e acabamento efeito gel. Com tantas opções lindíssimas e megacoloridas, vai ser difícil escolher uma só. 44


Corrija-se! A La Roche-Posay lança o Pigmentclar Olhos para combate às olheiras. A novidade é sua ação nas duas causas das olheiras, as vasculares ocasionadas pela má circulação e as melânicas, pelo excesso de melanina.

bb cream A Sephora apresentou os novos lançamentos para junho, dentre eles o BB Cream Naked Skin da Urban Decay, que proporciona benefícios anti-agings, percebidos em oito semanas, enquanto os outros possuem apenas cor para dar cobertura.

tudo azul Depois de Purr, Meow e Killer Queen, Katy Perry lança o “Killer Queen’s Royal Revolution”, uma variação mais floral de seu último perfume: notas de frésias rosas, romã, coração de sândalo, flor de laranjeira e pétalas de jasmim. A nova fragrância da cantora chega às lojas em julho.

perfume de mulher O novo perfume Giorgio Armani abre com notas de Bergamota siciliana, óleo de tangerina e licor de cassis, com acordes de alecrim, neroli e jasmin egípcio. Nuances quentes carregam nota chipré, óleo de Patchouli, madeiras claras, amber e OrcanoxTM. Para fechar, o doce odor da baunilha.

M.A.C e Pedro Lourenço A coleção da M.A.C lançada em parceria com Pedro Lourenço traz nudes suaves e acabamentos inusitados, como o gloss com brilho dourado ou prateado e base multiúso cintilante, que funciona como iluminador. São 11 itens, em embalagem premium e edição limitada.

45


Foto: Ângela MOtta

make-up

Marcos

Costa

sem truques! Maquiador apresenta as novidades da coleção outono-inverno da linha Natura Una em chá da tarde Hannah Motta

M

arcos Costa, maquiador oficial da Natura, vive cercado por mulheres, seja na beleza dos principais eventos e editoriais de moda do País, no backstage dos maiores desfiles nacionais ou em um chá da tarde com jornalistas em Goiânia para apresentar novidades da linha Natura Una. A nova coleção de outono-inverno é inspirada nas belezas do fundo do mar. Azuis misteriosos, verdes profundos, corais fechados e rochosos criam uma cartela de cores que lembra o silêncio e a fluidez dos oceanos. Quando perguntado sobre as tendências para a estação, Marcos Costa é incisivo: “Vale tudo!” Mas a proposta da marca pode ser traduzida em brilhos metálicos, olhos megacoloridos, pele iluminada, boca matte e maçãs com colorido natural. As novidades da linha são três trios de sombras, um blush rosa, um kit de minipincéis para a área dos olhos, dois lápis para olhos, uma base mousse e seis cores de batons de longa duração em formato stick. O destaque está na exclusiva

46

multiefeitos, longa duração e excelente acabamento em evidência

tecnologia prisma, inédita no Brasil, que proporciona multiefeitos na aplicação e acabamento tridimensional em sua textura. Marcos explica que esta tecnologia “possui em sua fórmula a junção da cobertura perfeita da sombra em pó, com a alta cintilância das sombras baked e a longa duração das sombras cremosas. Isso significa que a sombra prisma confere cor, longa duração e facilidade na aplicação”. Já o blush multiefeito tem um colorido mais natural. “A brasileira, em geral, não gosta de blush muito forte, então esse tem transferência mais suave, só para dar aquele ar saudável, de pele viçosa”, diz. Natura Una traz ainda a Base Mousse Efeito Pó, que une os benefícios da textura mousse, com sensação aveludada, com o acabamento matte do pó, tão desejado pelas brasileiras. A grande novidade dessa base é que, assim que entra em contato com a pele, o mousse se transforma em pó, facilitando a aplicação e permitindo o toque seco até nas peles mais oleosas. Além disso, Marcos Costa explica que a base não transfere, ou seja, não fixa nas roupas após contato.


AV. T-1 Nº 2.326 – Setor Bueno - Goiânia - GO - TEL: 62 3251-7794 | 3251-2240


Um sorriso para

cada face

Oval - Organizado, perfeccionista, artista, abstrato, tímido, reservado.

Retangular - Determinado, objetivo, explosivo, intenso, interativo, passional.

Triangular - extrovertido, comunicativo, entusiasmado, dinâmico, impulsivo.

Quadrado - Diplomático, pacifico, místico, espiritualizado, conformista, discreto.

48


49


Qualidade

para a pele

Multipeel + Exoplastia, tratamento que reúne duas tecnologias, representa uma evolução biotecnológica dos peelings de fenol

C

aracterizado pela reorganização das camadas profundas da pele em curto período, com efeito de lifting, o Multipeel + Exoplastia representa uma evolução biotecnológica dos peelings de fenol, reunindo duas tecnologias em um só tratamento. De acordo com o oftalmologista e cirurgião oculoplástico Bernardo Magacho, a técnica apresenta excelentes resultados, tanto na qualidade e reorganização do colágeno como na retração da pele, “não havendo, até o momento, nenhum outro agente que o supere na remoção das rugas e no tratamento do envelhecimento cutâneo”. Após os anos 80, inúmeros cientistas focaram seus estudos em pesquisas com o fenol,

para diminuir efeitos indesejáveis das formulações clássicas dos peelings de fenol com máscara. O Brasil vem se destacando nestes estudos, por desenvolver uma família de peelings fenólicos de alto desempenho, com aceitação na Europa, EUA, Rússia e Coréia do Sul. A tendência traz tratamentos “fast treat” mais econômicos e performáticos, com destaque para a relação entre ação terapêutica e recuperação. No “Multipeel” ou “Fenol light”, a quantidade de fenol utilizada por procedimento é pequena, conferindo mais segurança ao paciente. Outro destaque deste peeling é o seu autocontrole, ou “auto-stop” na sexta camada da pele, nível ideal deste peeling profundo. Por último, o método é totalmente aber-

Por um rosto

mais

jovem Quantidade: MiniLifting facial trata a queda e flacidez da face e pescoço, com técnica minimamente invasiva

50


to, não demandando máscara oclusiva de esparadrapo como na antiga técnica, o que dá mais conforto para o paciente. Defensor do REMIN ou rejuvenescimento minimamente invasivo, Dr. Bernardo Magacho acredita que o Multipeel + Exoplastia vem para somar, trazendo mais segurança e naturalidade. “Acreditamos que a ciência da jovialidade é infinita. Não existe técnica ideal para todos. Tentar deter o maior número de informações sobre rejuvenescimento e também poder associá-las, dependendo do caso, realmente contribuem para alcançar os resultados e expectativas dos pacientes. Tentamos fechar um ciclo, unindo a nova técnica ao REMIN”, revela o especialista. Dr. Bernardo ressalta que, além do efeito lifting, correção de sulcos e rugas faciais, a técnica também é empregada em manchas profundas e resistentes, além das cicatrizes de acne. O médico ressalta ainda que “cada paciente deve ser avaliado individualmente”. Hospital ver - av. americano do brasil, qd. 253, lt.12-E, Setor marista - goiânia/go - (62) 3096 9696 - www.drbernardomagacho.com.br

A

busca pela beleza eterna e pelo “elixir da juventude” está presente ao longo das civilizações, mas a ciência ainda não conseguiu desvendar este mistério. Apesar disso, já é capaz de retardar o processo natural de envelhecimento. O ritmo frenético e a competitividade do mundo moderno impõem certos padrões, dentre eles a aparência sempre jovem e bela. Na face, as manifestações da idade começam no nascimento e vão até o fim da vida. A busca por procedimentos não cirúrgicos e cirúrgicos começa quando o autorretrato conflita com a imagem real. As alterações ou imperfeições faciais e corporais ocorrem devido a vários fatores: características familiares, efeitos cumulativos da exposição solar, hábitos de vida (alimentares, práticas esportivas, sono, cigarro, etc.), informações genéticas preestabelecidas, idade e saúde geral. Estas alterações se manifestam em diversos planos: 1) Pele (rugas, queda e flacidez decorrente da perda da elasticidade, perda do turgor, perda do tônus, atrofia dos anexos, etc.), 2) Tecido celular subcutâneo (modificações no volume e contornos), 3) Músculos (queda, atrofia em algumas regiões e hipertrofia em outras, etc.), 4) Ligamentos faciais (perda da elasticidade levando à frouxidão), 5) Ósseo (absorção alveolar na boca, crescimento e diminuição em áreas específicas,

etc.), 6) Cartilaginoso (crescimento nasal e auricular), e 7) Anexos cutâneos (queda e branqueamento dos cabelos, atrofia de glândulas sudoríparas, hiperplasia de glândulas sebáceas no nariz, etc.). Para reduzir ou atenuar os efeitos do envelhecimento sobre a pele do rosto, sem provocar grandes modificações, apenas suavizando pequenas imperfeições ou marcas de expressão, surge o MiniLifting Facial. Trata-se de uma cirurgia plástica estética minimamente invasiva da face e diferencia-se do Lifting de Face Convencional por permitir cicatrizes menores ou reduzidas, o suficiente para atuar especificamente em determinadas áreas do rosto.

RT DR. Bernardo Magacho CRM GO 9933 Graduado pela Universidade Federal Fluminense, residente pela UFG, fellowship em Cirurgia Plástica Ocular pela USP, pósgraduado em Medicina e Cirurgia Estética pela International Association of Aesthetic Medicine. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica Ocular e membro da American Society of Ophtalmology.

51


ZELOBELEZA HANNAH motta hannah@revistazelo.com.br

ultra-hidratante Baby Lips, os hidratantes labiais hit da Maybelline, garantem oito horas de hidratação. Três deles são incolores e outros três nos tons pink, cereja e pêssego, todos com gostinho e FPS 20.

banho

Hidratação no inverno

Natura Tododia apresenta o creme desodorante hidratante de banho cereja e avelã. O produto cria uma barreira, evitando a evaporação da água, é rico em manteiga de karitê e óleos vegetais.

sérum É sempre tempo de hidratar a pele, mas a atenção deve ser redobrada com a chegada do inverno. Uma pele macia e iluminada é o desejo de toda mulher durante todas as estações do ano. Pensando neste cuidado especial com o corpo, separamos alguns produtos que não podem ficar fora da sua nécessaire nesta época.

A SkinCeuticals lança o Retexturing Activator, sérum com ação dupla, para renovar a superfície cutânea com suave esfoliação química e equilibrar a hidratação facial. Preserva a função barreira: mantém estável a concentração de água da epiderme.

sabonete O Lipikar Surgras é um sabonete líquido da La Roche Posay, com textura cremosa. Sua fórmula apresenta vitamina B3, que permite a reposição de lipídios, nutrindo e protegendo a pele seca, ressecada e sensível.

para as mãos A Vichy lança no Brasil Essentielles, hidratante para as mãos e cotovelos produzido com polifenóis de rosas. Esta substância é responsável por proteger a flor das agressões externas. Imagine então o que pode fazer com sua pele!

52

balm Benetint, da Benefit, é um bálsamo vermelhinho para os lábios. Na sua composição, tem Vitamina E, filtro solar e suave fragrância de rosas. Protege e tinge os lábios. Ótimo para levar na bolsa.

Pérolas A La Façon traz ao mercado o hidratante corporal Pérolas, com alta concentração de extrato de chá branco, manteiga de karité, óleo de macadâmia, óleo de argan, ureia, orgamel e pantenol. A composição apresenta ainda acquaporina, proteína nutritiva que hidrata a pele.


bodas

A moda é dele Estilista mineiro Lenny Mattos comemora este ano o trigésimo aniversário da sua marca de acessórios de luxo e conta à Zelo detalhes da sua trajetória Lucas Pereira

D

Foto: divulgação

Um tanto quanto niilista, Lenny é mais um adepto da teoria de que “menos é mais”. Apesar da calma, o olhar atento e curioso do profissional é uma das primeiras evidências do seu gênio detalhista. “É importante ter olho, olhar com calma. Se você é seu próprio styling, tem de se conhecer”, ensina o estilista. Ele ainda revela que existem truques para seguir a moda e não se tornar um escravo fashion. “Você pode deixar de ser consumista consumindo só o que te faz viver bem”, filosofa. Lenny Mattos pode ser chamado de estilista, empresário ou shoe designer, mas se considera antes de tudo um artista. “Não sabia que queria trabalhar com moda, mas sempre soube que teria a ver com arte”, garante ele. Sua inspiração está nos olhos. Sim, observando o diferencial das mulheres que vê é que nascem suas ideias. “Quando eu vejo uma mulher que tem um savoir faire, eu capto, guardo e uso. Pode ser uma mulher que cruza as pernas com elegância, que sabe carregar uma joia ou usar uma saia-lápis e subir esca-

izem que o mineirinho come pelas beiradas. Se for assim, o lavrense Lenny Mattos foi muito além. Dono de uma carreira invejável, sua marca exclusiva, a Lenny & Cia, completa 30 anos de existência em 2014. No início, tratava-se de um grande magazine de acessórios, mas em pouco tempo o empresário fez sua marca emplacar como grife de bolsas e calçados. Sistemático, reservado e seletivo, ele é do tipo que faz questão de participar de todo o processo de produção, desde a escolha da estampa e do tecido até as tachinhas. Lenny já havia trabalhado em várias outras grifes e confecções e foi na Alameda Lorena, em São Paulo, que o primeiro showroom de sua marca foi aberto, em 1992. Na época, ele já despontava pela criatividade e alta qualidade dos seus produtos. Em pouco tempo inaugurava a próxima loja, no Shopping Iguatemi, e firmava Lenny Mattos: “o brasileiro fica ‘broxa’ quando as coisas chegam muito seu nome como referência em perto dele. ainda existe uma necessidade de sair e gastar em dólar” sofisticação – não só dos paulistanos. A partir daí a marca dedas”, exemplifica. colou e não parou mais. Unindo sua filosofia de trabalho baseada na ponderação e Em todos esses anos, Mattos afirma que aprendeu a não seu olhar apurado, Lenny diz que a expansão do mercado de se desesperar. Gosta de trabalhar com uma paz que ele acremoda brasileiro não o afeta da mesma maneira que o cenário de dita ser essencial para obter sucesso. Avesso à insistência do varejo. Para ele, é como se a praticidade que impera hoje no ceser humano em descobrir o segredo do sucesso, garante que nário de luxo do País ainda não fosse bem aproveitada. “O brasiisso não existe. Mas se tem um segredo é o de conhecer proleiro fica ‘broxa’ quando as coisas chegam muito perto dele para fundamente a essência feminina. “As mulheres têm necessidacomprar. Ainda existe a necessidade de sair e gastar em dólar”, de de comprar. Eu não pressiono, quero que elas comprem pontua ele, que esteve em Goiânia a convite da Vanda Calçados. com amor para eu vender com amor.”

53


Fotos: Tainá Frota de Novion/ Chá das Duas Photo e Design

noivas

Coliseu, em Roma: arquitetura e moda intimamente ligadas

estilista cria noivas românticas e ousadas

Esplendor italiano Estilista goiano Fernando Peixoto utiliza solidez do clássico e leveza da arte italiana para construir seu Inverno 2014 Carrosel da Piazza della Repubblica em FlorençA

54

toscana: um toque de simplicidade sublime


Lucas Pereira

O

pôr-do-sol, a sofisticação da alta-costura, o cenário lúdico de Romeu & Julieta e as formas arquitetônicas mesclando-se às paisagens naturais italianas. Foi essa a atmosfera que o estilista Fernando Peixoto imprimiu à sua coleção Inverno 2014. Intitulada “Splendore Colezzione”, a linha de vestidos de noiva de alta-costura teve catálogo fotografado em Roma, no interior da Toscana , Florença e Vaticano, entre outros. “A Itália é a guardiã dos valores ocidentais e da beleza em sua forma pura. Eu fui buscar um cenário romântico, aquela coisa da antiguidade com o clássico e o contemporâneo, e a alegria, porque os italianos são muito alegres”, explica Peixoto. Quase todos os vestidos foram vendidos em menos de três semanas após o lançamento. “Éramos uma equipe de oito pessoas com 20 vestidos gigantes rodando mil quilômetros pela Itália. Foi um divisor de águas para mim”, conta o estilista em conversa no seu ateliê, no Setor Marista, em Goiânia. O designer herdou da mãe a paixão por roupas e iniciou sua carreira ainda adolescente. Há 18 anos à frente do seu ateliê na capital goiana, além da Maison, em Brasília, Fernando Peixoto é referência e sabe disso. Se leva sua assinatura, é bom. O estilista está sempre no radar de mulheres que não querem um simples vestido de noiva, mas um diferencial. “A mulher que veste a minha roupa vem em busca de alguém que possa traduzir o seu sonho de uma forma ímpar”, garante. Como lança anualmente sua temporada de inverno, o designer tem o dom camaleônico de, a cada coleção, trazer uma visão completamente nova sobre um tema tão tradicional: o casamento. Com a Splendore, ele apostou

na solidez do clássico e da arquitetura, cujo resultado é a leveza de rendas francesas sobre a transparência do tule ilusion, fazendo os bordados “flutuarem” sobre o corpo. “Ao mesmo tempo em que eu me preocupo em estruturar uma roupa, me preocupo em desestruturar essa roupa. Bateu um vento, ela precisa balançar”, diz ele. Os cenários da Itália não serviram apenas como pano de fundo para o catálogo. Florença entrou com o sopro da arte e da poesia, enquanto a Toscana influenciou com o toque da simplicidade sublime, fora a arquitetura romana. As peças chamam atenção com seu corpo marcado e saias em linha A, corte sereia e volumes de renda e tule. Peixoto não abre mão do branco e do off white, dos bordados com cristais Swarovski, vidrilhos e pérolas. “A noiva tem que ser elegante, ela vai querer olhar as fotos anos depois e se achar fina”, comenta. Quem vê a zibeline de seda, tecido mais explorado em toda a coleção, com sua maciez, brilho e caimento delicados, pode não ter ideia da influência das formas arquitetônicas ali. “Em todos os períodos pelos quais a arquitetura passa, ela tem um ideal de perfeição, de estrutura. Eu equiparo muito isso à roupa. Posso fazer a roupa mais linda do mundo por fora, mas por dentro ela tem que ter uma estrutura, um estudo”, garante. Fernando Peixoto cria para mulheres decididas e antenadas e assegura que desenvolveu uma coleção que atende aos mais variados perfis. “São noivas diferentes, que precisam de vestidos diferentes”, alega o designer, que costuma criar personagens na hora de desenvolver uma nova coleção. Sobre a experiência na Itália, ele não esconde o fascínio e promete repetir a dose em grande estilo. “No próximo ano, vamos fotografar na Grécia”, revela. E se ele já está ansioso, nós também estamos. Fontana di Trevi, em Roma, cenário do filme “La Dolce Vita”, de Fellini

55


Fo t Mo 처gr de afo lo - P Jo찾 o oll A ya nn ugu a S sto tem / M a ut / P quia ro d du or to ra Jo찾 o -B P ar ba edro ra Ho no ra to

LO RS

TR U CO E L


macac達o redley para mente criativa


top dress to e short vybora para Wanessa Lopes

58


Jardineira dress to e top espaรงo fashion para Wanessa Lopes

59


blusa ellen one e calca lia barros para Wanessa Lopes e sandรกlia Sapataria Mujalli


blusa luxo espaรงo fashion e short e saia espaรงo fashion para Wanessa Lopes

61


macaquito lia barros para Wanessa Lopes e sandรกlia Sapataria Mujalli


conjunto espaรงo fashion para Wanessa Lopes e sandรกlia animale

63


Já não era

só uma vez

Contos de fadas invadiram a telona e enfeitiçaram bilheterias. Sucesso está relacionado ao resgate inconsciente do imaginário infantil

Lucas Pereira

A

floresta encantada do nosso imaginário infantil já não é mais a mesma. O Mágico de Oz agora é um charlatão de circo mambembe, Chapeuzinho Vermelho é disputada por dois amores, João e Maria são caçadores, Alice está fugindo de um casamento arranjado e Malévola não é tão má assim. Os contos infantis caíram na graça dos roteiristas e invadiram o cinema. Não que seja um recurso recente, mas os últimos filmes se afastam da atmosfera lúdica das versões em desenho da Walt Disney e se assemelham mais às histórias de super-heróis. A crítica reclama do empobrecimento dos roteiros em detrimento dos efeitos especiais. O cerne

64

da questão talvez esteja na nova geração, que já não se contenta com os padrões de décadas atrás, quer explosões realistas, dragões digitalmente bem construídos e lutas com sons nítidos. A primeira adaptação de fábula infantil da história do cinema data de 1903. É um filme mudo britânico de “Alice no País das Maravilhas” que se tornou memorável por já utilizar efeitos especiais. A mais recente traz a história de “A Bela Adormecida”, sob o ponto de vista da vilã da trama. “Malévola” reconta a história criada pelos Irmãos Grimm sem grandes alterações, mas envolta em um festival de imagens digitais e efeitos sonoros. A modernização se dá mais na forma do que no conteúdo.

Fotos: divulgação

cinema


“Oz, Mágico e Poderoso” retrata o protagonista como um charlatão de circo mambembe

Com Angelina Jolie no papel da bruxa má que dá nome ao longa, o filme liderou as bilheterias dos Estados Unidos e se tornou a maior abertura da carreira da atriz. De acordo com dados da Exhibitor Relations, o longa arrecadou US$ 70 milhões na estreia. A utilização de atores populares é outra estratégia que pode influenciar nos números das produções. As crianças já são adultas, então o atrativo não pode ser mais somente infantil. Muitas pessoas usam o argumento de que essas versões “estragam as histórias da nossa infância”, mas a fórmula tem agradado, vide o sucesso de bilheteria de produções como “Oz, Mágico e Poderoso”, “João e Maria – Caçadores de Bruxas”

joão e maria aparecem como justiceiros de aluguel

e “Branca de Neve e o Caçador”. De fato estas histórias acompanharam a contemporaneidade e as modificações, quando inseridas, são nítidas. O novo João, por exemplo, é diabético, enquanto a Branca de Neve de “Espelho, Espelho Meu” luta por justiça social em seu reino. De acordo com a psicanalista Denizye Zacharias, os contos revelam os desejos e frustrações inconscientes, desse modo, a nova versão funciona se trouxer ao público tramas conscientes e inconscientes. “Sempre teremos a criança dentro de nós, os sentimentos de inadequação e a nostalgia da perda da infância. Esses elementos são determinantes para que essas histórias continuem”, analisa.

nova versão traz chapeuzinho vermelho em luta contra lobisomem

65


ZELOCLAQUETE LUCAS PEREIRA redacao@revistazelo.com

Na academia Durante a 12ª Mostra ABD Cine Goiás, dentro da programação do Fica 2014, dois filmes com participação de professores da Faculdade Cambury foram exibidos no Cine Teatro São Joaquim: “O cartão de natal de 1957”, de Alyne Fratari; e “É proibido reservar lugares”, de Alberto Maia, Marcus Vinas e Lorena Moraes. O primeiro, enquadrado no gênero ficção, tem 15 minutos de duração e entrou no programa “Ensaio e experimentação”. O segundo, um documentário de 10 minutos, entrou no programa “Personagens e seus.

Cinema brasileiro em debate Beto Brant e Eryk Rocha, filho do saudoso cineasta Glauber Rocha, marcaram presença no Fica 2014 para discutir os rumos do cinema brasileiro atual, em debate mediado por Lisandro Nogueira. Uma das questões levantadas foi produção em massa em contraponto à qualidade de conteúdo. Os dois diretores concordam que se vê atualmente uma democratização técnica e uma hibernação do idealismo, marcas do cinema brasileiro dos anos 60. Eryk falou da urgência de modificação do espaço social do cinema, sobre o fato de existirem poucas salas de cinema pelo País e da distribuição deficitária dos filmes brasileiros. Mas nem tudo foram reclamações. Os profissionais também levantaram o resgate artesanal do cinema nos últimos anos.

Fotos: Flávio Isaac

Homenagens e prêmios A abertura do Fica, na cidade de Goiás, teve uma série de homenagens. O ator, diretor e crítico de cinema José Wilker, que participou do festival em 2012 e faleceu recentemente, a goiana Ingrid Guimarães, que marcou presença no evento, e o escritor goiano José Mendonça Teles. Além de ter seu filme, o “De Pernas pro Ar 2”, exibido, Ingrid recebeu das mãos do governador Marconi Perillo a placa em sua homenagem. No encerramento, o principal prêmio da Mostra ABD Cine Goiás, Beto Leão, de melhor filme de ficção, foi para o curta “Sem Você”, escrito e dirigido por Lidiana Reis, que também faturou melhor roteiro e melhor atriz. 66

Defesa da natureza A atriz e agora cineasta Christiane Torloni participou do 16º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), na cidade de Goiás. Pela primeira vez em 16 anos, houve um fórum debatendo cinema e meio ambiente conjuntamente. Torloni contou que sua forte relação com política vem de berço, mas que foi com as “Diretas Já” que ela se engajou mais efetivamente. Ela falou sobre sua luta com o “Amazônia Para Sempre”, sobre a importância da preservação, além de frear a devastação do ecossistema. Hoje, o projeto já conta com mais de um milhão de assinaturas. Christiane também aproveitou para divulgar seu novo trabalho, o documentário “Amazônia: da cidadania à florestania – um despertar”.


Foto: Ricardo Lima

Casa Cor Goiás

Jardins verticais

Milão

Morar bem com estilo e personalidade

Elementos naturais que fazem a diferença na decoração

Destaques da maior feira de design de móveis


mostra

Espaços

possíveis

Casa Cor Goiás 2014 aposta nas diferentes possibilidades de morar bem, em ambientes cheios de personalidade Alice Galvão

T

écnica e criatividade se unem na melhor combinação entre desejos, necessidades e viabilidade para que o arquiteto possa materializar o estilo de vida das pessoas. A Casa Cor Goiás 2014 apostou nesta relação e delegou aos 70 profissionais participantes a missão de inspirar e surpreender os visitantes, levando propostas inovadoras aos 47 ambientes, que durante 35 dias estiveram expostos à visitação no Setor Marista, em uma casa com 3,5 mil m². Este ano, o slogan “Um olhar muda tudo” foi evidenciado na forma como arquitetos, designers de interiores e paisagistas abordaram seus ambientes, trazendo ao

68

público novas perspectivas, algumas inusitadas, outras perturbadoras e, muitas delas, encantadoras. Projetos autorais, alta tecnologia, produtos de design assinados e forte presença dos elementos naturais marcaram esta edição, que antecipou tendências e celebrou o prazer de morar bem. Destaque para os jardins verticais, que apareceram sob diferentes leituras. Os tons neutros predominaram em todo o percurso e as cores vibrantes foram deixadas para os detalhes da decoração. Materiais naturais mesclaram-se a produtos de alta tecnologia e a água também foi elemento recorrente. Tudo isso aliado aos conceitos de conforto e funcionalidade, para a criação de espaços possíveis.


Fotos: jomar bragança

predominância dos tons neutros proporcionou aos visitantes um passeio harmônico, onde as surpresas se apresentavam nos detalhes e na assinatura dos arquitetos, designers de interiores e paisagistas responsåveis pela obra

69


interiores

Um negro

Sala íntima projetada para provocar sensação de dubiedade e perplexidade nos visitantes

segredo Designer Nando Nunes cria ambiente sombrio e controverso, gerando polêmica na Casa Cor 2014

70


nando nunes: “minha ideia de Casa Cor, de mostra, é produzir algo conceitual, diferente e arrojado.

Foto: Ângela MOtta

Foto: elton rocha

Alexandre Parrode

S

e tem uma coisa que não falta a Nando Nunes é ousadia. Na Casa Cor 2014, como sempre, o designer de interiores transformou a Sala Íntima, um ambiente que tinha tudo para passar despercebido, em um controverso universo sombrio. Inspirado por encontros secretos, misturando o real com o imaginário, o profissional inseriu imagens de seres humanos, cavalheiros da aristocracia, com cabeças de bode. Os quadros gigantescos fazem parte da coleção Les Dandys, da marca francesa iBride, e adornam duas paredes da sala. As paredes também recebem duas cabeças sintéticas de veado – que quase passam por empalhadas –, além de várias arandelas que, propositalmente, pouco iluminam o ambiente. É neste ar de mistério, que começa desde o pé da escada, coberta por um carpete de fio de seda preto, que o visitante da mostra adentra. O papel de parede, também negro, dá a sensação de que se entra em uma caverna, com pequenos pontos cintilantes. Aves empalhadas, cães negros, chifres, cobras e até mesmo

uma espécie de cabeça humana não são exatamente a definição do belo. No entanto, o objetivo, segundo o designer, é criar esta sensação de dubiedade e perplexidade nas pessoas. “A sala íntima conta uma estória pesada, densa. Eu não gosto da palavra fúnebre, mas seria algo neste nível”, confessa ele. Obviamente um ambiente dessa magnitude é, no mínimo, controverso. Realmente, a transgressão contida no espaço atinge patamares não comuns de se ver em lugares que não uma mostra tão importante quanto a Casa Cor. “O que é uma sala íntima? É um ambiente de passagem. O que tem nela? Quase nada. Então, eu quis mesmo contar uma estória aqui que não fosse bege, óbvia”, ressalta Nando. Os quadros dos homens-bode, destaques do ambiente, necessitaram, inclusive, de permissão para serem reproduzidos. “A Casa Mix, que me cedeu os móveis e objetos do ambiente, foi buscar os direitos autorais das obras para que elas pudessem ser usadas aqui”, contou ele. No entanto, não se engane pensando que a Sala Íntima é apenas um ambiente estritamente conceitual e imaginário. “Há referências de Clássico, mas é um ambiente contemporâneo e, efetivamente, confortável”, explica Nando. Seja no tapete persa de estilo medieval ou nas poltronas de modelo pavão, o aconchego está presente no espaço. O ambiente é, sim, confortável e, segundo Nando, o visitante pode levar várias ideias e utilizar em casa. “Não há problema nenhum em ter um hall de entrada, por exemplo, ousado e imponente, sem abrir mão da usabilidade”, elucidou. Como o gostar é subjetivo, não há como afirmar, com certeza, que a sala do designer é um dos locais mais bem avaliados pelos que passam pela mostra. Entretanto, uma coisa é indiscutível: Nando levou mais uma vez à Casa Cor o inédito, surpreendendo nas escolhas, sem necessariamente se perder em megalomanias ou lugares comuns. Nas palavras do escritor Oscar Wilde: “A única coisa pior do que falarem de você é não falarem de você.”

Nando Nunes Escritório de Arquitetura e Design de Interiores av. t-63 nº 1.296, quadra 145, lotes 8 e 9, sala 903 setor bueno - ed. new world - goiânia telefones: (62) 3434 4910 / (62) 9296 4720 nando.nandonunes@gmail.com

71


criatividade

Com café

e com afeto

mix de banco e escultura promove integração e ganha destaque em projeto feito para a casa cor goiás 2014

72

Espaço dos arquitetos Fabíola Naoum e Wilker Godoi harmoniza elementos naturais, alta tecnologia e peças afetivas


Foto: Ricardo lima

L

uz, natureza e aconchego foram os componentes que chamaram a atenção de quem circulou pelo Café da Casa Cor 2014, projetado pelos sócios e amigos Fabíola Naoum e Wilker Godoi. Desde o piso até o teto, os elementos escolhidos pela dupla construíram uma atmosfera de acolhimento e convivência, a partir de uma combinação que une materiais naturais como couro, fibras, pedras e madeira a peças assinadas, quadros modernos, itens de alta tecnologia e revestimentos neutros como base. No mobiliário, o grande destaque foi para o banco modular feito de compensado naval. Com 13 metros de comprimento, o móvel foi concebido pelos próprios arquitetos, preocupados não apenas com o design, mas também com o conceito de sustentabilidade e estudos sobre Ergonomia. Em um exemplo de criatividade a serviço do bom gosto, foi criada uma extensão do móvel a partir de lâminas de compensado que partem do encosto, sobem pelo teto e descem pelo outro lado do ambiente, onde existe um lounge, composto por sofá e pufes de couro. Os tons escuros também estão presentes nas cadeiras Maid, assinadas pela designer eslovena Nika Zupanc. Com detalhes de laços, as peças deram um toque feminino e foram posicionadas ao longo da maior parede do espaço (oposta ao balcão de atendimento), acompanhadas de mesas de alimentação com tampo de mármore. O conjunto imprime sofisticação ao ambiente, que tem 67m². Mas quem imagina que o espaço tenha ficado escuro ou sombrio por causa dos materiais aqui descritos se engana. A palavra adequada é intimista. Mais do que isso, graças à composição de telas e antiguidades fixadas na parede com pintura especial Belle Epoque, aliada ao porcelanato Gris Armani, o ar é afetivo. Tanto que ganhou de seus criadores a carinhosa alcunha de “Galeria dos Afetos”. Mas alguns itens também foram pensados para proporcionar leveza e bem-estar. O uso de espelhos ajudou a ampliar e iluminar o ambiente. A água que jorrava da fonte, em harmonia com um exuberante jardim vertical interno, proporcionou sensação de refresco para o clima quente e seco da nossa Capital. Instalado na lateral do balcão, o painel natural ganhou um recorte para que os atendentes da confeitaria Doce Doce pudessem ter acesso visual aos clientes e vice-versa. Ainda na composição da área de atendimento, um vidro inteligente e polarizado foi instalado em uma das paredes, em frente às mesas. Com apenas um toque, o vidro torna-se opaco, proporcionando privacidade aos funcionários da cozinha, ou transparente,

Foto: ângela motta

Alice Galvão

sócios comemoram sua primeira participação na mostra, com projeto de 67 m² rico em detalhes

oferecendo aos clientes acesso à produção. Estreantes na Casa Cor, Fabíola e Wilker mostraram a que vieram. O ambiente que criaram é cheio de personalidade, demonstra maturidade e segurança na escolha dos detalhes. As pinceladas de diferentes tons de vermelho, por exemplo, aparecem no jardim, em ornamentos na parede e nas luminárias que ficam logo na entrada do Café. Tudo muito harmonioso, elegante e confortável. fabíola naoum e wilker godoi telefones: (62) 3099 5575 / 9974 1993 - (fabíola) / (62) 8139 8088 (wilker) fabiola@tgs.com.br / wilkergodoi@amaisarquitetura.com.br patrocinadores: Innatura Design, Casa Mix e Bossa, Portobello Shopp, Araguaia Paisagismo, Lume Decor, Engenharia das Águas, Piscinas e Aquecedores e Revestic Papel de Parede

73


homenagem

Belo e

Cores neutras, elementos sacros e quadros que retratam joias se destacam no ambiente

suave Arquiteta Carine Rocha faz homenagem à designer de joias Carla Amorim com um espaço leve e sofisticado

74


Maria Cristina Furtado

N

Foto: elton rocha

o final de uma das escadarias da Casa Cor Goiás 2014, surge um espaço iluminado com cores claras e suaves. O visitante se surpreende com a beleza e plasticidade do Studio. Criado pela arquiteta Carine Rocha Machado como um refúgio para reflexão e trabalho, é uma homenagem à designer de joias brasiliense Carla Amorim. O projeto une elementos ligados à natureza, arquitetura e sagrado. “Esses três itens são essenciais às criações da Carla, que tem um trabalho fantástico, e que se aproxima do que eu pretendia transmitir no Studio”, explica Carine. Com 27 m² bem aproveitados, o espaço tem papel de parede Summerflex com textura de tecido em tons perolados. No piso, um porcelanato italiano reproduz com perfeição o mármore Calacata. A sala traz um suntuoso sofá de veludo, mas o ponto focal do ambiente é o tapete Aubusson. Com traços florais, é uma joia da tapeçaria francesa e bordado à mão, o que agrega valor material e cultural. Uma mesa de centro feita de acrílico deixa o tapete à mostra. Na parede oposta ao sofá, um espelho recostado garante amplitude ao local. O espelho, os cristais, as pratas e os muranos são da Villa Bueno, e com os croquis de Carla Amorim, emoldurados e expostos acima do sofá, compõem com harmonia o espaço. À direita da entrada, uma agradável surpresa: o “cantinho da inspiração”. A antiga sacada dá lugar a uma berlinda baseada no conceito de “bay window”. Banhado por luz natural, o espaço se projeta para o exterior, onde é possível ver o jardim através dos vidros. Eles estão protegidos por persianas de tecido Summerflex emolduradas por

xales. Futons brancos garantem o conforto para a contemplação. “A Carla costuma buscar inspiração no jardim, e foi dessa forma que ele se incorporou ao espaço”, completa. Ao lado, o “cantinho sagrado” traz uma imagem religiosa na parede. Uma escrivaninha de antiquário, que faz referência ao estilo Luís XVI, se transformou em um oratório. Para chegar ao “cantinho da criação”, a arquiteta fez dois pórticos com molduras de gesso em estilo Art Nouveau. Entre eles, um armário exibe joias feitas por Carla Amorim, fotografias e pedras preciosas. Identidade A mesa de trabalho em Silestone Daria, desenhada pela própria Carine, dá identidade ao Studio. “Escolhi fazer a mesa em pedra porque esta, em outras composições, também é matéria-prima para o trabalho da designer de joias. O desenho ousado de um dos pés da mesa foi um limitador para concretização deste mobiliário, porque envolvia recortes complexos e lapidação, mas a Marmorarte realizou um trabalho primoroso, o que resultou em uma mesa única e bem acabada.” Acima, 18 pendentes de vidro transparente da Studio Luz saem do teto e garantem uma composição estética com vários formatos, mas ao mesmo tempo leve. Além dos pendentes, luminárias focais dão conforto visual ao Studio. Carine Rocha Telefone: (62) 8407-8218 carinerochaarquiteta@gmail.com patrocinadores: marmorarte (3280-2123), studio luz (3541-8600), summerflex (3942-7820) e villa bueno (3086-6212)

Foto: igor leonardo/hektaphoto’s

75


sustentabilidade

Aconchego

Ambiente da arquiteta Karine Espírito Santo oferece tranquilidade proveniente da natureza

Alexandre Parrode

E

stresse do dia a dia, cansaço e rotina da vida moderna levaram a arquiteta Karine Espírito Santo a se inspirar na natureza para criar o Spa da Casa Cor 2014. Um levantamento da International Stress Management Association (Associação Internacional do Controle do Estresse), publicado em 2013, aponta o Brasil como o segundo país com o maior nível de estresse do mundo. De cada dez trabalhadores, três pelo menos sofrem da chamada síndrome de Burn Out - que é o esgotamento mental intenso causado por pressões no ambiente profissional. Sendo assim, o spa tornou-se muito mais do que um sonho de consumo: é uma realidade e necessidade de quem tem uma rotina pesada. Em sua quarta participação na mostra, a veterana mis-

76

Foto: ricardo lima

no Spa turou sustentabilidade e contemporaneidade, criando um espaço dedicado ao casal, ou mesmo à família, que promete relaxar tanto o corpo quanto a mente. “Quero que as pessoas sintam o ambiente acolhedor, o ‘calor’ da madeira, e não apenas um ambiente bonito e frio”, explica. Para tanto, a profissional selecionou cada material usado, de maneira que a natureza fosse prestigiada, sem perder o frescor e a atualidade - necessários para uma mostra como a Casa Cor. Entre eles, destaque para o piso Hitam, importado pela Aldeia Acabamentos, um revestimento natural obtido pela extração de lava vulcânica, prateleiras em troncos da Nobre Rústico, o Piso Fortiori de bambu prensado e o Decopainel da Summerflex em madeira cumaru que reveste a parede principal. O espaço privilegia o uso de elementos naturais, como madeira, pedras e a própria queda d’ água nos nichos ver-


Foto: ângela motta

ticais em aço corten. Karine conta que a ideia foi desenvolvida a partir de árvores que já estavam no local. “Comecei a planejar a partir das léias que já existiam no terreno. O efeito, depois de pronto, é que elas estão em vasos e foram colocadas ali, mas não, já estavam aqui antes. É uma maneira de respeitar a natureza e aproveitar o que já se tem. Uma tendência atual”, revela a arquiteta. O spa conta com hidromassagem e encostos de cabeça para duas pessoas. “A sensação de calmaria e tranquilidade quando se está no spa é única. Soma-se ao conforto e ao entretenimento da TV e o difícil é querer sair”, brinca. Percebida em vários ambientes, a iluminação cênica também tem seu lugar. Sem luz direta, o ambiente ganha charme extra à noite. Vale mencionar as luminárias de fibra para área externa da Illuminato e a projeção de sombras das obras de arte em forma de pássaros, assi-

nadas pelo artista plástico Rogério Fernandes. Ele transforma matérias orgânicas em esculturas, que, presas ao teto, conferem uma sensação de flutuação e leveza. “O trabalho dele é incrível. Rogério utiliza apenas raízes de árvores em decomposição para produzir sua arte”, ressaltou ela. Mobiliário elegante Mac na mesma madeira cumaru, envolvido na fibra sintética, aliado ao requinte e design harmônico e funcional, transmite a verdadeira arte de viver bem. Destaque para as camas Zen Dondo, que combinam elegância no design com muito conforto. Tecidos em diferentes texturas e cores sóbrias conferem o contraste do claro e escuro, revelando um toque de sofisticação.

arquiteta aposta em madeira e iluminação cênica para o spa da casa

Karine espírito santo Telefone: (62) 9249 8080 karinearquitetura@gmail.com

77


autoralidade

Gelateria

solar

Foto: Cristina Dourado

Foto: Jomar bragança

Jefferson Castro combina clima lúdico, funcionalidade e pegada autoral em sua terceira participação na Casa Cor Alice Galvão

E

m entrevista à Zelo, o jovem profissional Jefferson de Castro, que participa pela terceira vez da Casa Cor Goiás, apresentou o que trouxe para a Gelateria da mostra: o toque lúdico que permeia o universo dos sorvetes. O ambiente de 60 m² exala criatividade em um mix de peças assinadas, revestimentos temáticos e tecnologia sustentável. “O mobiliário foi escolhido a dedo”, enfatiza o arquiteto, passando as mãos sobre as poltronas brancas Out In, by Philippe Starck. Chama a atenção, ainda, o canto criado com duas versões da poltrona Eames Lounge Chair, dialogando com uma reprodução gigante da luminária da Pixar. “Estas poltronas incríveis são feitas em polietileno, que permite sua exposição à chuva e ao sol. E pode cair sorvete que

78

não tem problema”, brinca. A luminária e os bancos que circundam a mesa são da holandesa Mal Furniture, dos designers Bob Copray and Niels Wildenberg. “Goiânia é uma cidade quente e as pessoas apreciam a convivência ao ar livre”, conjectura. Pensando nisso e também em uma estética própria para a função sorveteria, o arquiteto optou pela predominância da cor amarela e fugiu da óbvia combinação amarelo-vermelho, recorrente nos projetos do segmento de alimentos. Além disso, em suas palavras, o “amarelo é mais alegre, solar e diurno”.

Jefferson castro telefone: (62) 9925 3909 jcarquiteto@gmail.com www.jeffersoncastro.com.br patrocinadores: La Bella Casa Ambientes Planejados/Casa Mix e Bossa/Vivá Revestimentos Especiais/Squaddro Ambientes

cor amarela e objetos assinados fazem parte da composição lúdica e contemporânea da gelateria desenvolvida por jefferson castro


leveza

Foto: jomar bragança

mobiliário e revestimento de piso com acabamento em pátina dão charme ao espaço

La vie en rose

Alexandre Parrode

A

pesar da semelhança do nome, a arquiteta Rose Campos Vaz só assumiu a paixão pelo cor-de-rosa já adulta. Foi na terceira gravidez, de uma menina, que começou a usar e se inspirar na cor. Com ares dos românticos solários franceses, o Solarium do paisagista trouxe as apostas da também paisagista para a Casa Cor 2014. Não faltaram sensações e muita vegetação. Não ao acaso, as grandes estrelas do ambiente são as orquídeas e hortênsias cor-de-rosa. Concebido para uma mulher amante da natureza e romântica, o espaço preza pela tranquilidade e acolhimento. Da escolha do mobiliário aos acessórios, o objetivo da também designer de interiores foi manter a linearidade. Para conferir aconchego e plenitude, foram utilizados materiais semelhantes no piso amadeirado e no mobiliário asiático. Ambos têm acabamento em pátina que acaba se misturando - propositalmente - ao olhar. “A pincelada de cor fica mesmo com as flores, e com o azul, que é tendência nesta temporada.” Em parceria com o projeto Jovens do Futuro - que atende adolescentes e crianças com arte, esporte e cultura -, Rose criou uma instalação de painéis-cachepô. A peça piloto foi esculpida por ela em argila, depois foi gerada uma fôrma em fibra de vidro, que possibilitou a modelagem das placas em cimentício pelos jovens

Foto: ângela motta

Rose Campos Vaz usa peças exclusivas e leva tranquilidade ao Solarium da Casa Cor

rose vaz insere responsabilidade social no solarium do paisagista

do projeto, mantido pela Prefeitura de Quirinópolis, que, montadas como um painel, recebem orquídeas spathoglottis. “O uso do cimentício em relevo é uma tendência atual. Eu quis criar algo novo para áreas externas, fugindo um pouco dos jardins verticais. Daí tive a ideia de introduzir o cachepô nas peças de concreto”, afirmou Rose. rose campos vaz Telefones: (62) 3932 5776 / 9607 5700 rose@rosecamposvaz.com.br patrocinadores: summerflex / versatto acabamentos / gruta/ mármores e granitos / sim metais / rigonato / studio luz / jp paisagismo / al drywall

79


cozinha

ambiente exibe panelas e utensílios domésticos como se fossem souvenirs ou obras de arte

Foto: Jomar bragança

desejo Ana Paula Munhoz e Gabriella Saback trocam armários fechados por cristaleiras

Osmar Régis

D

e acordo com o antropólogo Roberto da Matta, em ‘A casa e a rua’, antigamente a cozinha ficava no fim da casa. O pouco destaque não era por ser menos importante, mas para proteger o ambiente dos intrusos. “Cozinha era intimidade”, define o pesquisador. De uns tempos para cá, esse cenário mudou. Hoje a cozinha virou vitrine de peças modernas e arrojadas. E às vezes até se une com outras partes importantes da casa. Mas como fazer um espaço que abriga pratos, panelas, garfos e colheres ser tão interessante e atraente? Em sua nona participação na Casa Cor Goiás, as arquitetas Gabriella Saback e Ana Paula Munhoz ficaram encarregadas de elaborar o projeto da Loja Conceito, um espaço de 24 m² que expõe produtos da Tramontina. O primeiro passo foi conhecer de perto tudo o que a marca oferece, principalmente seu design collection. Logo em seguida, traçaram um plano para transformar o local

80

Foto: Ângela motta

Objetos de

arquitetas saem do convencional, transformando a cozinha em showroom de alto padrão

em uma loja que mostrasse o melhor de todos os equipamentos, mobiliários e produtos oferecidos. A vontade das arquitetas era sair do convencional. “A cozinha sempre foi uma área clássica na casa, mas era preciso inovar”, afirmam. Na entrada do ambiente, o visitante encontra uma cuba com encaixe perfeito de acessórios como tábua, escorredor e porta-sabão, e um cooktop gourmet, dispostos de forma criativa na bancada orgânica de silestone branco que se une a uma mesa centralizada. De um lado, três cristaleiras com portas de vidro, feitas sob medida, substituem velhos armários que escondiam panelas e utensílios. Na loja, a função dos móveis é exibir as peças como souvenirs ou obras de arte. gabriella saback e ana paula munhoz Telefones: (62) 3225 2565 / 8622 8851 (gabriella) / 8582 0404 (ana Paula) saback.munhoz@hotmail.com www.sabackmunhoz.com.br patrocinadores: Portobello Shop/Ventura/Casa Mix/Maxim’s/ Tramontina/ EBM Mármores/Studio Luz


juventude

Foto: jomar bragança

e arte Ousadia e elegância são apostas para o Quarto do Rapaz

Alexandre Parrode

A

liberdade e a rebeldia da adolescência foram os temas abordados por Mariana Carvalho no Quarto do Rapaz da Casa Cor 2014. Inspirada pelo trabalho de Marcelo Amorim, artista plástico goiano radicado em São Paulo, a arquiteta levou à mostra quadros e esculturas que mesclam o lúdico da pré-adolescência com a sofisticação de um jovem culto e apaixonado por arte. Prova disso é a iluminação, toda cênica. Cada obra merece ser apreciada individualmente. E a arte não está só nos objetos. A parede toda preta, em revestimento de porcelanato - montado manualmente, peça por peça -, é um evento por si só. “Não queria apenas um papel de parede, queria dar um toque moderno e que traduzisse esse instinto radical”, explica a arquiteta. Incomum em quartos, o revestimento é uma aposta da profissional para esta edição da Casa Cor. “Não é necessário ficar só no básico.

Foto: ângela motta

Rebeldia

criatividade na parede: revestimento de porcelanato preto, montado peça por peça

É possível, sim, investir em novos materiais e revestimentos, como uma forma de inovar na decoração”, frisou. Como hoje a juventude passa mais tempo no quarto e preza por privacidade e liberdade, o local foi projetado para atender às necessidades do dia a dia. Mesa de estudos e suporte para laptop, reprodutor de música e um frigobar. Segundo Mariana, o letreiro “crazy dreams” (“sonhos loucos”) define bem o ambiente. “É um jovem cheio de questionamentos e com alma rebelde, mas que preza pela funcionalidade e elegância, sem abrir mão do aconchego”, descreve.

mariana carvalho telefones: (62) 9996 7902 / 9205 8474 marianacarvalhoarquitetura@hotmail.com Patrocinadores: época decorações, studio luz, versatTo, saioge, schneider eletric, roberta oliveira, casa valéria salvador, síria solange tapetes

81


ícones

Múltiplas

daniel almeida - arq.danielalmeida@hotmail.com

Desenho da criativa e competente empresa portuguesa Mood, que produz objetos de iluminação. Pendente South 1 e 2 . MDF laminado branco. Interpam

inspirações A

coluna Ícones desta edição esteve na Casa Cor Goiás 2014. A mostra, que fez 18 anos, é responsável pelo crescimento do mercado de arquitetura e decoração no Estado e traz mais uma vez a importância do bem-viver. Ambientes versáteis, aconchegantes e com muita personalidade foram marca da Casa Cor este ano. Viu-se o melhor do design nacional, que, cada vez mais presente e predominante, enche os olhos, os sonhos e as casas da cidade.

Da nova safra do design nacional. Mesa de centro AC. Assimétrica, com formas e cortes angulares, em muito lembra a arquitetura desconstrutivista, o que lhe confere beleza e contemporaneidade. Desenho de André Cruz. Ventura interiores

ta

Mot

82

gela s: Ân

Convidado pela Schuster para desenvolver uma linha de móveis, o estilista Jum Nakao mostrou sensibilidade e muita inspiração em uma coleção lúdica para casa. Cadeira Nuvem. Casa mix e Bossa

Foto

O nome é uma homenagem à década que serviu de inspiração para esta poltrona com debruns e pés palito feita de madeira de reflorestamento, estofado de polipropileno e algodão reciclado. Poltrona 50. Desenho de Zanini de Zanine. Casa mix e Bossa


aparador Isay. Eclético, cenográfico, criativo e fora do comum como seu criador, Isay Weinfeld, um dos arquitetos mais importantes da sua geração. Produzido pela Etel. Armazém da Decoração Bonito e escultural como o Guggenheim de Nova York de Frank Lloyd Wright. Pendente Le Soleire do espanhol Vicente Garcia Jimenez. Produzido pela Foscarine. Light Design

Clássica do desenho nacional, a Chaise Rio de 1978 é desenho de Oscar Niemeyer e colaboração de sua filha, Anna Maria Niemeyer. Feita de madeira laminada e curvada no calor com tecido de vime, tem um desenho contemporâneo e ao mesmo tempo atemporal. Produzida pela Etel. Armazém da decoração

Com inspiração oriental e madeira entalhada. Armário anos 40 garimpado pela Casa mix e Bossa

Cadeira easy. Desenho de outro importante designer brasileiro, Jader Almeida. Conhecido por desenvolver linhas simples de marcenaria e estrutura arrojada. Via Condotti

83


Fotos: ricardo lima

paisagismo

recanto dos verticais traz exuberância, diversidade de espécies e formatos para decorar

Paisagem

natural Grandiosos, imponentes e criativos, os jardins verticais marcam maciça presença na Casa Cor Goiás 2014

84


Foto: divulgação

varanda das gaivotas provoca sensação de frescor, leveza e aconchego

paisagistas. A estrutura dá sustentação às plantas com qualidade, durabilidade, e tem um acabamento impecável. Impossível não notar também a exuberância verde instalada na parede da Varanda das Gaivotas, de onde saltam esparsos buquês de flores rosa, sob um pergolado com móbiles pendentes brancos, que reproduzem o pássaro homenageado. Destaque também para o teto do ambiente, em parte coberto por samambaias. Elaborado pelas arquitetas Andréia Spessatto e Náira Sá, o projeto provoca sensação de frescor, leveza e aconchego, unindo sala de estar, jantar e jardim em 40 m². Conceitos como liberdade, sustentabilidade, natureza e excelência em design ficam evidentes ao primeiro olhar. E ao caminhar pelo interior da casa, um encontro inusitado chama logo a atenção do visitante. No Estúdio 3, da arquiteta Ana Maria Miller, a parede que faz fundo para o sofá ostenta um frondoso jardim vertical salpicado por orquídeas brancas.

Alice Galvão

A

lém de conquistar cada vez mais destaque no paisagismo brasileiro, os jardins verticais são uma das tendências que vieram com toda força na 18ª edição da Casa Cor Goiás. Presentes em pelo menos 15 dos 47 ambientes da mostra, com diferentes leituras, estes ornamentos permeiam todo o trajeto do visitante, construindo ao longo do passeio uma atmosfera ao mesmo tempo moderna e bucólica. Eles aparecem sob diferentes leituras, cores e texturas. Em composições predominantemente naturais, trouxeram para a mostra todo o frescor das plantas e estão presentes em áreas internas e externas com a mesma graça. Imponência e diversidade marcam, por exemplo, o Recanto dos Verticais, projetado pelos irmãos paisagistas Ricardo e Roberto Lima. No espaço aberto, a dupla instalou em uma das paredes um enorme e iluminado painel de plantas ornamentais, que divide as atenções com um conjunto de três mandalas verticalmente posicionadas em outra das paredes. O ambiente tem 80 m² e traz como inovação a estrutura de fibra de vidro desenvolvida e patenteada pelos próprios

jardim vertical no EStúdio 3 dá vida ao espaço, onde predominam tons neutros

85


Fotos: ricardo lima

no café, ornamento interage com parede e balcão de atendimento

sustentabilidade e responsabilidade social no solarium do paisagista

86

As cores da peça trazem alegria e vida para o ambiente de 47 m², em que prevalecem os tons neutros. Mas se você quiser fazer uma pausa para o lanche, continuará percebendo a presença destas verdes vedetes. No projeto de Fabíola Naoum e Wilker Godoi, a parede lateral ao balcão de atendimento do Café serve de apoio ao jardim vertical do ambiente, que recebeu um recorte para que clientes e funcionários possam se ver e se comunicar. Mesclando tons de vermelho e verde, o ornamento compõe um clima de frescor em um ambiente predominantemente composto por elementos em madeira e couro. Adequadas para ambientes internos, as plantas mantêm-se vistosas, como se estivessem ao ar livre. Criatividade e sofisticação não faltaram nesta edição da mostra. Exemplo disso foi o espaço de 58 m² criado por Adriana Mundim e Fernando Galvão. Na área externa do Home Theater, um painel formado por fileiras de pedra Hitam Palimanam em tons de cinza e plantas ornamentais compõe uma sequência intercalada, formando um jardim vertical estilizado. A instalação dialoga de forma elegante com os demais itens da decoração distribuídos pelas áreas interna e externa do ambiente, bem como com a extensa cartela de tons verdes que nele marcaram presença. No Solarium do Paisagista, Rose Campos Vaz apostou na responsabilidade social e ecológica. Inspirado nos clássicos jardins internos franceses, o espaço traz um grande painel de cimentício branco, feito a partir de uma peça criada e esculpida pela própria profissional e reproduzida por crianças e jovens do projeto social Jo-


jardim sensorial ganha fonte, feita de canos naturais e jarros

vens do Futuro, da Secretaria de Assistência Social da cidade de Quirinópolis/GO. Do meio de cada peça brota um cachepô com ramos verdes, em um efeito visual limpo e impactante. Momentos de relaxamento e reflexão são inspirados pela composição do arquiteto Giovanni Borges na Varanda Sensorial. No espaço, o jardim vertical, dividido em duas partes, ganha ares refrescantes com a instalação de fontes, criadas a partir de canos que surgem por entre as folhas e jorram água para enormes vasos escuros. Além do jardim, nichos de diferentes espécies de plantas decorativas foram instalados em outras paredes. Uma delas recebeu uma pequena horta suspensa, com pimenta e ervas. Para o grand finale, destacamos o grandioso jardim vertical que orna o Lounge EBM e enche os olhos tanto de quem entra quanto de quem sai da mostra, pois inicia e encerra o trajeto. Elaborada pelo casal de arquitetos Pedro Ernesto e Leandra Castro, a peça pode emoldurar a TV, gerando uma paisagem natural em meio à enxurrada de informações televisivas.

beleza e exuberância marcam presença no jardim vertical instalado pelo arquiteto pedro ernesto no espaço ebm

87


relax

Fotos: Jomar bragança

Uma pausa para

tons claros e iluminação sofisticada compõem o espaço lazer

relaxar Espaços próprios para o descanso aparecem como tendência na arquitetura contemporânea Alice Galvão

S

abe aquele lugar da casa que usamos como refúgio para colocar as ideias no lugar, ou simplesmente respirar, pôr as pernas para cima e não pensar em nada? Em meio ao tumultuado dia a dia, é neste espaço que conseguimos descansar um pouco e retomar o fôlego. Como diria o poeta Carlos Drummond de Andrade: “A vida é feita de pausas.” E nestas pausas, exercitamos trazer para a nossa rotina cada vez mais qualidade de vida. A necessidade crescente de se ter um cantinho

88

como este está evidente na arquitetura contemporânea e, circulando pela Casa Cor Goiás 2014, conseguimos notar esta tendência. Alguns dos ambientes são completamente projetados para o bem-estar, como os spas, espaços de lazer, livings e varandas. Outros apenas recebem, como incremento, um cantinho com mobiliário confortável e ambientação própria para o relax. Destacamos aqui alguns deles para inspirá-los. Em meio a quedas d’água, vegetação, iluminação cênica e mobiliário aconchegante, o Spa da Casa, assinado por Karine Espírito Santo, exala serenidade e proporciona o contato com a natureza. O ambiente de


Foto: jomar bragança

espaço i leo you: criatividade a serviço do descanso

61 m² é um convite ao descanso. No Espaço Lazer, a designer de interiores Meire Santos integra áreas interna e externa a serviço do ócio e da convivência a dois. Inspirado no casal Jorge (da dupla Jorge e Mateus) e Ina Freitas, a parte externa acomoda uma banheira de hidromassagem, sob um pergolado decorado com tecidos, estampados com grafismos florais em branco e azul. No interior, grandes sofás repletos de almofadas, em tons claros, criam o clima de aconchego. Mas para quem gosta de relaxar acompanhado dos amigos, o Lounge Resort oferece uma excelente combinação de mobiliário confortável e opções de balanço, criando uma atmosfera lúdica e acolhedora. O projeto de 50 m² da arquiteta Andréia Rocha Lima Rassi também traz integração entre áreas externa e interna. Veterano da mostra, o arquiteto Leo Romano criou em seu Studio I Leo You um espaço caracterizado como um refúgio de convívio e relaxamento. A rede que pende sobre a piscina cria uma espécie de cama suspensa, em composição convidativa. Por fim, destacamos os esáços Studio da Designer de Joias, da arquiteta Carine Rocha e a Varanda do Artista, projetada por Ninfa Canedo e pela designer de interiores Karla Oliveira. No primeiro, Carine destaca uma bay window, que serve como “cantinho da inspiração”; e no segundo as profissionais fazem homenagem à cantora goiana Maria Eugênia. em um refúgio, todo nas cores branco e azul, com um balanço que dá o toque final.

arquiteta carine rocha cria cantinho da inspiração para o studio da designer de joias Foto: ricardo lima

lounge resort oferece opções de pausa individual ou em grupo

spa da casa mescla água, natureza e tons de madeira para o completo relax azul e branco dão o clima de conforto à varanda do artista

89


social

Fotos: Igor Leonardo / HektaPhoto´s

Eliane Martins, Fabrina Müller e Sheila Podestá

as honras da casa O coquetel de lançamento da Casa Cor Goiás 2014 foi regado a tudo do bom e do melhor. O evento apresentou as novidades da mostra, que em sua 18ª edição trouxe ao público 47 ambientes projetados por 70 profissionais. As anfitriãs, Eliane Martins e Sheila Podestá, receberam os convidados em evento beneficente, que arrecadou fundos para a OVG e o Cevam.

Rodrigo Meirelles e Roberta Alves

Rômulo Castro e Sabrina Tannus

Flavianny Guimarães e Leonardo Bueno

Ana Paula Munhoz e Karine Espírito Santo

Jefferson Castro e Ricardo Machado

90

Márcio Vaz e Rose Campos Vaz

Mônica Dionízio Vaz e Paulo Vaz

Nando Nunes

Wilker Godoi e Fabíola Naoum

Sérgio Marques e Rafael Mesquita

Fábio Augusto, Carla Amorim, Carine Rocha e Raul Filho


atualidade

K-Chaçaria e Artesanato esbanja cores em homenagem a frida khalo

Personalidade Espaços sóbrios exprimem a exuberância e a vida globalizada William Hanna

A

Casa Cor Goiás 2014 trouxe espaços elegantes, com estética limpa e sem ostentações, permitindo leitura mais pessoal e criativa dos ambientes. A personalidade está estampada em combinações particulares. Imperam a “não tendência” e a “não regra”. Os profissionais criaram espaços que exprimem seus gostos e desejos, aplicando essa liberdade em situações únicas de texturas e cores que resultam em harmonia visual, contemplativa e funcional. A globalização permite que objetos e lembranças, físicas ou fotográficas, estejam intrínsecas nos espaços. Tons sóbrios e terrosos dominaram as texturas e a cartela de cores. Na Sala de Banho do Casal, Camila Braga delimita de forma harmoniosa e aconchegante o espaço para que o usuário possa se despir das sensações do dia a dia turbulento através do contato com elementos naturais, como a madeira e as plantas. Invasão de cores marcou a “K-Chaçaria e Artesanato”, da designer Ednara Braga e do arquiteto Flávio Paraguassu, que, baseada nos conceitos artesanais, esbanja cores e texturas em homenagem à artista plástica mexicana Frida Khalo. E Nando Nunes criou atmosfera intimista e reservada na Sala Íntima. Com cores escuras, adornos e mobiliário impactantes, o profissional expressou os mistérios e encantos de tempos passados. O valor de cada espaço está em trazer características únicas. Ousadia e tendências cedem lugar à criação intimista e particular, tão declarada na Feira de Milão de 2014.

madeira e plantas constroem aconchego no banho do casal sala íntima traz composição misteriosa que sugere segredos do passado

91


identidade visual

Fotos: danilo marques

Ousadia

santafé hall: amplitude, aconchego e iluminação estratégica são pontos fortes do projeto

e tradição Lucas Pereira

À frente dos projetos da Santafé Hall e Bahrem, o arquiteto William Hanna mostra toda sua versatilidade na hora de criar

92

S

exta à noite, hora de sair para a balada. Já parou para pensar na quantidade de detalhes minimamente preparados para o seu conforto e diversão? Desde a utilização de tijolos recheados com areia para garantir excelência na acústica até luzes de LED nas torneiras dos banheiros. O projeto arquitetônico de uma casa noturna compreende e exige minúcias que muitas vezes passam despercebidas ao olhar das pessoas. William Hanna, arquiteto responsável pelo projeto da nova Santafé Hall, localizada no Setor Marista, é quem desvenda para a Zelo os bastidores dessa labuta criativa. Marcas de seu trabalho, o minimalismo e o aconchego foram pontos de partida do planejamento. “A identidade visual para mim é muito importante. Eu procuro aguçar os sentidos da pessoa”, garante Hanna. Amplitude define bem o novo espaço. Por mais que reine à noite, a boate é solar. No paisagismo da entrada, o arquiteto optou por


uma palmeira lateral para trazer frescor. A palheta de cores é articulada em um movimento sutil que evidencia o tom alaranjado. Além disso, o brilho da malha de aço recortada a laser, com a logo da casa, ao fundo do palco, não disputa atenção com a banda. A iluminação do lugar, repleta de luzes quentes, harmoniza com espelhos, principalmente no hall de entrada, e varia conforme as necessidades do ambiente. “O caixa precisa de luz, já o restante pede iluminação baixa. Então, cada ponto recebe a luz de sua demanda”, explica o arquiteto. “Harmonizar um projeto desse porte requer diálogo entre iluminação, climatização, acústica, qualidade do som e espaço. Detalhes que evitam possíveis problemas”, enfatiza William. Dois aspectos que ele abraça são funcionalidade e praticidade. O camarim, minimalista por completo, se adéqua às exigências de cada artista e tem acesso exclusivo ao camarote, que, por sua vez, possui escadas próximas às saídas de emergência, facilitando o fluxo de pessoas. A atenção do arquiteto com detalhes é nítida. Pormenores da boate, como o couro no estofamento dos bancos dos camarotes, conversam com o revestimento em madeira de parte das paredes e do palco, imprimindo glamour e sofisticação. O lustre acima da cabine do DJ, por exemplo, não está ali para roubar atenção, mas cumpre sua missão de iluminar com charme. “A boate adquiriu uma linguagem única da fachada até o interior”, pondera. O segredo? Ele não tem receio de revelar: “Se você compreende o seu cliente, é muito difícil errar.”

bahrem: harmonia entre tradição e requinte

Foto: Ângela Motta

Tradição renovada William Hanna não é homem de um projeto só. E se com a nova Santafé há ousadia, com o novo Bahrem, ele desenha um colóquio entre tradição e inovação. O arquiteto sabe que o público gosta de um bom bar no final da tarde, de preferência com mesas na calçada, amplitude, frescor e movimento. “Goiano gosta de ver quem está passando na rua e de ser visto”, brinca. O lugar já tem esta tradição e o projeto agregou requinte à roupagem de boteco. Com capacidade para até 500 pessoas, o novo Bahrem, que antes não atingia a família, agora agrega todos os públicos. A brinquedoteca ao lado da mesa proporciona liberdade aos pais. Os ambientes foram ampliados, o bar foi estendido e adquiriu mais ventilação. Tanto do pavimento superior quanto do inferior, os olhos atingem a rua. “O fluxo define o projeto inicial, e o Bahrem é um exemplo de boa execução do elemento”, diz. Aos saudosistas vale dizer que a nova roupagem não matou o boteco de outrora. Os quadros, que são marca registrada do bar, ainda estão lá, dispostos de forma mais harmônica. “É como se a amplitude proporcionasse mais atenção aos detalhes”, analisa Hanna. O projeto é uma releitura do antigo bar. Sua identidade foi preservada e repaginada em detalhes de puro charme e funcionalidade. “Minha proposta é aconchego e identidade, é o tipo do lugar pensado para se sentir à vontade”, destaca o arquiteto. E William não para por aí. Já está começando a desenvolver o projeto de uma boate no Setor Sul e acaba de fechar contrato para idealizar a maior casa noturna de Belém, no Pará.

minimalismo e funcionalidade são características do arquiteto william hanna

93


decoração

Fotos: nelson pacheco

Sutileza

e detalhes

Flavianny Guimarães usa sua criatividade inata para decorar casa onde, além da beleza, cada peça tem uma razão de ser 94

Lucas Pereira

Q

uem casa quer casa, já diz o ditado. E dar cara ao primeiro apartamento de um casal jovem, empregando identidade, aconchego e a dose necessária de sofisticação e sutileza, foi a missão da decoradora Flavianny Guimarães em seu mais recente trabalho. O projeto partiu de um conceito intimista - criar um ambiente família sempre pronto para receber amigos -, com decoração envolta por praticidade. “Tudo é prático e

tem utilidade, não há peças só para embelezar gratuitamente”, explica a profissional. O olhar atento de Flavianny denuncia sua afeição por detalhes, e no projeto eles saltam aos olhos. Os ambientes são compostos, em sua maioria, por tons sóbrios como cinza e bege, mas as cores estão inseridas de forma sutil. O diferencial está aí, na forma como a decoradora utiliza a sutileza atrelada às cores e elementos chamativos, criando charmosos pontos de luz. Ao mesmo tempo em que a cortina de linho traz ares mais praianos, os papéis de


Foto: ângela motta

equilíbrio entre cores vibrantes e tons sóbrios é marca registrada da profissional, que busca requinte nas texturas e revestimentos, deixando a ousadia para os detalhes da decoração

parede com pedrarias imprimem requinte. A iluminação foi minimamente pensada para cada cômodo, com destaque para as luminárias foscas de aço escovado. O paisagismo é ímpar e cada planta tem a missão de dar vida e frescor ao ambiente. O quarto do bebê, por sua vez, tornou-se o xodó do projeto. É todo revestido em papel de parede floral, e desde os porta-retratos até os sapatinhos que enfeitam o mobiliário remetem à presença de uma princesa. “Eu não tive filha, então me realizo com as das minhas clientes”, brinca.

Cada projeto de Flavianny é único. Ela não se repete. Sua particularidade é respeitar as particularidades do cliente. Ela assume que vai de encontro a essa história de marca registrada, de assinatura pessoal. “Eu gosto de ver o cliente feliz, essa é minha assinatura. Deixar o cliente satisfeito é muito melhor do que deixar alguma coisa que lembre você”, garante a decoradora. Falar em inspiração com ela é falar em cotidiano. Sua mente criativa não para. “Eu penso e crio o tempo inteiro. Nunca me faltam ideias.” Além disso, não nega que co-

loca a mão na massa. Desde as primeiras conversas, no início do projeto, até o último quadro disposto na parede, ela faz questão de assessorar o seu cliente. “Ele (o cliente) me contrata, daí o quebra-cabeça começa a se movimentar aqui dentro”, diz, aos risos. Se Flavianny ama o que faz? O brilho no olhar e a gargalhada expansiva ao falar sobre o trabalho não deixam dúvidas. Flavianny Guimarães telefones: (62) 3942 8467 / (62) 8414 1187 flavianny@outlook.com Endereço: Rua 140 nº 26, St. MArista

95


varanda

Foto: mantovani

Foto: viviane veloso

mobiliário varanda gourmet sob medida projetado pela maxim’s

Coração

da casa

Cobertura em frente ao Parque Flamboyant foi projetada para uma família que gosta de receber amigos

E

m um dos seus mais recentes projetos, a arquiteta Cláudia de Oliveira deu um toque mais do que especial ao ambiente que considera “o coração da casa”: a varanda gourmet. Na concepção da profissional, os espaços dedicados ao home/jantar e estar são voltados para uma porta de correr envidraçada que convida o visitante a entrar na varanda. “O proprietário gosta de cozinhar para os amigos e o fogão locado na ilha, em mármore travertino, o posiciona próximo 96

aos convidados, que se assentam à mesa em madeira maciça, nas confortáveis cadeiras em Malaca”, ressalta Cláudia de Oliveira. E completa: “Apreciadores de vinhos, o casal costuma fazer noites especiais para degustação, e nada melhor do que fazê-lo em um ambiente que convide a ficar.” Os armários projetados e executados pela Maxim’s dão o suporte necessário ao espaço. Módulos superiores e inferiores em MDF e vidro dão apoio às gavetas e nichos na cor fendi, além de receberem

arquiteta cláudia de oliveira cria varanda gourmet integrada aos ambientes home/jantar e estar

elementos decorativos sob a ilha. “Abaixo do fogão, optamos por gavetas gourmet com corrediças laterais para abrigar todo o equipamento de uso exclusivo do chef”, ressalta a profissional, que se preocupa com o equilíbrio entre beleza e funcionalidade na concepção de todos os seus projetos.

cláudia de oliveira Telefones: (62) 9635 4510 / 9852 2056


Goiânia - Brasília www.maximsambientes.com.br


Fotos: ângela motta

adega com rótulos afetivos faz parte das paixões de sônia pinheiro, que sempre ao sair leva uma de suas maletinhas

conjunto de louças antigas arr

lenços e objetos de desejo no closet

98


lifestyle

Toque exclusivo e

pessoal

Em seu apartamento duplex, no Setor Bueno, Sônia Pinheiro recebe a Zelo para falar sobre a família e suas paixões

arrematadas em leilão antes do casamento

Alice Galvão

E

livros mesclam psicologia, religiosidade e música

quadro de pintura cusquenha é destaque no hall de entrada

ntrar na casa de Sônia Pinheiro é para poucos. Em seu closet então, nem se fala! Mas a Zelo esteve lá, para conversar com esta mulher forte, carinhosa e radiante. “Este é meu mundo. É aqui que escuto minha música, leio meus livros, faço minhas orações e às vezes choro sozinha”, revela a socialite, que não nega o rótulo e se orgulha das opções que fez ao longo da vida. Acompanhada por Luciano, maquiador do Studio Y, que ainda fazia os últimos retoques quando chegamos, Sônia nos recebeu produzidíssima. “Eu gosto de exclusividade e, como tenho toda a estrutura, prefiro fazer minha produção aqui do que ir ao salão”, explica, sentada em frente a um enorme espelho de camarim, nos olhando pelo reflexo. Em meio a uma infinidade de sapatos e cintos, as peças que mais se destacam são as que ela traz de suas inúmeras viagens. Sobre uma das prateleiras, uma bolsa-joia da Bvlgari, um cinto exclusivo da Hermès e a bolsa Dolce & Gabbana chamam a atenção. “Gosto de peças que têm toque exclusivo, coisas diferentes, que pouca gente tem. Já que eu estou viajando, quero trazer algo que não é facilmente encontrado aqui”, conta. No closet, um santuário divide espaço com peças de grife, perfumes e lenços. Além dos ícones religiosos, sobre o móvel também há um pingente em forma de coração, do início de seu namoro com o empresário Edmo Pinheiro, além de uma caixa com cartas de amor e amizade. O casal tem 33 anos de história. Sônia contabiliza sete anos e oito meses de namoro e 25 anos de casamento. “Nós somos muito companheiros. Sem o Edmo, eu não consigo me enxergar”, revela. Todos os ambientes do duplex, que fica no Setor Bueno e onde vivem também seus dois filhos,

estão repletos de quadros sacros, fotos de família, objetos de valor afetivo e antiguidades. Um quadro cusquenho (arte originária em Cuzco/Peru) chama a atenção no hall de entrada e, na estante, as louças antigas arrematadas em leilão antes do casamento. As peças dividem espaço com Poteiros e um Siron, que Sônia ganhou quando seu primeiro filho nasceu. Amante confessa dos vinhos, ela tem uma adega recheada de rótulos com dedicatórias dos amigos. “Este vinho a gente ganhou ano passado, em Viena, da Cláudia e do Ivo Roveda. Foi presente de aniversário de casamento”, explica Sônia, empunhando o italiano Saffredi. Sônia também compra muitos vinhos e para onde vai leva uma de suas maletinhas. Os chilenos Cabo de Hornos e Dom Melchor, além do português Crasto, fazem parte do seu rol de prediletos. “Recentemente aprendi a tomar vinho branco, durante um almoço com Adriana Panarello. Experimentei e gostei”, confessa, mostrando o rótulo do lusitano Pêra-Manca. “Comer, rezar e amar, assim como no livro, parecem ser atualmente o meu lema”, brinca Sônia. E por falar em literatura, sua cabeceira tem títulos como ‘Conversando com Deus’ (Neale Donald Walsch), ‘É tudo tão simples’ (Danuza Leão), ‘Quem ama não adoece’ (Marco Aurélio Dias da Silva), ‘Os prazeres da alma’ (Francisco do Espírito Santo Neto), ‘Eu sei que vou te amar’ (Arnaldo Jabor) e ‘Eric Clapton – A Autobiografia’. Mas Sir Eric Clapton não figura apenas no livro que Sônia nos mostrou. O cantor e compositor é um de seus artistas preferidos. A música é parte importante da vida dela e está onipresente na casa. Durante nossa entrevista, por exemplo, soavam ao fundo os clássicos de Elvis Presley. “Para renovar os votos do meu casamento, quero essa música como tema”, interrompe a conversa, chamando a atenção para “Always on my mind”.

99


tendências

Fotos: divulgação

O melhor de

Milão Por Lucíola Correa

V

ocê curte novidades ligadas à arquitetura, arte, criatividade e design? Então mais uma vez esperou pela produção anual do Salão Internacional do Móvel (iSaloni), que este ano celebrou sua 53ª edição movimentando os pavilhões onde o evento foi realizado e fez a cidade respirar mais intensamente nesta atmosfera. Este ano, as grandes inovações ficaram sob a responsabilidade das bienais direcionadas para os segmentos de cozinha (EuroCucina) e banho (Bagno). A revista Zelo esteve na Itália e trouxe para você um pouquinho do que logo estará disponível no mercado brasileiro, inclusive em Goiás.

100


Fotos: divulgação

101


Fotos: divulgação

opinião

Destaques do

iSaloni Lucas Pereira

O

Salão Internacional do Móvel de Milão é um evento que reúne as maiores tendências de decoração e o que há de melhor no design mundial. Confira o que arquitetos e designers goianos que estiveram lá viram e destacaram na edição deste ano.

“A luminária Amália exposta na mostra paralela nos jardins do Museu Triennale di Milano me encantou. A peça é resultado do projeto de final de curso dos designers Giada Chervatin, Fanziska Baier, Anastasia Voronstova and Veekrit Palarit, graduados no Istituto Europeo di Design, produzido pela Italamp em parceria com a Swarovski. A luminária possui um movimento relaxante e convidativo ao descanso” Ana Maria Miller, arquiteta

102

“Aquela produção em massa perdeu força. Está se criando uma identidade estética mais particular das peças do design. A Grandene criou uma linha que tem forma de peças e customização diferenciada. São peças que possuem o seu elemento particular, cada qual com seu diferencial. E não uma produção em larga escala. Aquilo não é a identidade de tal designer, é uma particularização do processo criativo” William Hanna, arquiteto


“O iSaloni é um evento famoso por reinventar a arquitetura, lançando novos olhares e novas tendências. Este ano, as criações chamaram a atenção pela ousadia nas formas e nas cores, além das diversas instalações que adicionaram cultura e inspiraram ainda mais os visitantes. As criações de Paola Lenti, em especial, me agradaram por ter ousado no design sem deixar de priorizar o conforto e a praticidade” Madalena Marques, empresária

“Ir a Milão faz parte de minha agenda anual há 12 anos. A cada ano, abrimos os olhos para novos designers e novas experiências. Este ano, o salão satélite trouxe vários designers orientais com um trabalho experimental e maduro, pronto para ocupar o mercado. Destaco também o trabalho de Marcell Wanders. Como diretor criativo da Moooi, mostrou um stand impecável e inspirador pelo segundo ano seguido. Sua colaboração com o espaço da Barovieri e Toso também foi assertiva e bastante poética” Leo Romano, arquiteto

103


imóveis Fotos: Cristiano borges

novas instalações convergem produtos e serviços, além de centralizar o atendimento

Upgrade

Imobiliária inaugura novo ponto e concentra força de vendas na capital goiana

E

mpreender é preciso e se organizar estruturalmente é de suma importância para uma empresa alcançar sucesso com seu público. A Brasil Brokers Tropical Imóveis, imobiliária que faz parte de um dos maiores grupos de venda imobiliária do País, o Grupo Brasil Brokers, inaugurou recentemente sua nova sede em Goiânia. Em uma área com cerca de três mil metros quadrados, a proposta é concentrar a força de vendas em um único espaço e centralizar o atendimento. “Todos os nossos serviços e assessorias para a área de locação, lançamentos ou de imóveis prontos, seja para quem quer comprar ou vender, estarão reunidos em um só lugar. Os negócios serão fechados de maneira mais rápida e prática”, explica o diretor-geral da empresa, Valoni Procópio. Nos últimos quatro anos, a Brasil Brokers Tropical Imóveis foi a imobiliária goiana que participou do maior volume de lançamentos imobiliários no Estado, totalizando aproximadamente R$ 5 bilhões. Além da sede recém-inaugurada, a imobiliária conta com outros dois pontos de venda em funcionamento na Capital, as lojas Aldeia do Valle, Flamboyant e stand Eldorado. 104

Júlio Pina, PAULO ROBERTO COSTA e Valoni Procópio Foto: ângela motta

Pedro Luiz, Romero Fonseca, Samara Lopes, Juarez Firmino, Victor Hugo e Cloves Neto

Moacyr Moreira, Ilésio Inácio e Mário Valois


Nova Zelândia Roteiro de bike pelas belas paisagens do país

Toscana Passeio em carros de luxo e degustação de vinhos

Piscinas à beira-mar Hotéis oferecem como atrativo deslumbrantes piscinas com borda infinita

Foto: agência fotosite

105


destino

Nova Zelândia

de bike

Diário de viagem: um casal aventureiro nas incríveis paisagens da Oceania Texto e fotos: Hélio Junior

T

odo jovem tem o sonho de fazer “mochilão”, ir para a Europa, Ásia ou Oceania, conhecer países e pessoas. Um dos grandes sonhos que compartilho com minha esposa, Mirela Rebouças, é continuar rodando o mundo, conhecer outras culturas e lugares. Na viagem que irei relatar, tentamos unir o sonho de viajar e um dos nossos hobbies: pedalar. Antes de ganhar o mundo, fizemos um check-up. Fomos ao cardiologista e com ele realizamos todos os exames necessários. Como gostamos muito de pedalar e correr, não foram apontados problemas físicos. Pegamos duas semanas de férias e voamos para a Oceania, com o intuito de pedalar 700 km em 11 dias. Desembarcamos em Wellington e pegamos o ferry para Picton. Lá montamos na “bike” e, rodando entre 50 e 97 km por dia, completamos a viagem. A alta quilometra-

ponte sobre o maruia river ba, cidade de springs junction

106

gem não foi difícil, pelas paisagens motivadoras. Entre Picton e Wairau Valley, nos deparamos com grandes fazendas de uva. Passamos por um vale, apreciando, dos dois lados, grandes montanhas e, ao seu pé, lindas vinícolas. Como já sabíamos que a ilha sul é pouco habitada, levamos todo o aparato de camping, usado no primeiro pernoite em Wairau Valley. Na manhã seguinte, seguimos para Saint Arnaud, pequena cidade à margem de um grande lago, que nos rendeu fotos maravilhosas. Seguindo, fomos para Murchison, onde ficamos em um backpacker, curtimos um bom vinho e conversamos com um grupo de alemães, ingleses e australianos. Nos perguntaram por que não fizemos este pedal no Brasil, pois acham nosso País lindo. A resposta foi: falta segurança. Eles entenderam do que falávamos. A próxima parada foi em Springs Junction. O pedal foi difícil, com muita montanha, mais de 1.000 metros


wairau valley, região repleta de vinhedos

650 km de distância percorridos até a vinícola de blenheim

de elevação e 85 km de distância. Seria um dia tranquilo se não fossem os 38 kg de peso extra em cada bicicleta, as quebras em bagageiro e bike, e a grande variação de temperatura: na base da montanha estava de 30 a 35 graus Celsius, e no topo chegava a 10 graus. Mas o mais difícil foi entre Spring Junction e Hanmer Springs. Foram 96 km com 1.800 metros de elevação e muito vento contra. Foram oito horas de pedal. Hanmer Springs é fantástico! Cidade termal, com cara de Europa e povo muito receptivo. Encontramos várias pessoas fazendo ciclo turismo, assim como nós. Muitos estavam há meses pedalando, e isso nos motivou demais. Aproveitamos a cidade aconchegante para ficar mais um dia e fazer uma revisão nas bicicletas. Descansados, seguimos para a segunda metade do pedal. Fomos até Uaiau, onde dormimos novamente em camping. A cidade, muito pequena, não tinha hotel ou restaurante, apenas um supermercado na beira da estrada. De lá, fomos para Kaikoura, um pedal cheio de altos e baixos. Cansados, subíamos e descíamos montanhas, com a temperatura oscilando entre muito alta e muito baixa. Kaikoura é uma cidade lindíssima, com mar frio e belo. Atrás da cidade há uma cadeia de montanhas com neve no topo. Ficamos um dia a mais, vimos uma baleia na praia e aproveitamos para fazer uma trilha de bicicleta, para conhecer a costa sul da cidade. Quando saímos, fomos avisados de que ao longo da estrada veríamos vida marinha, e assim foi. Logo nos primeiros 20 km, vimos uma colônia de focas e che-

gamos a poucos metros delas. Passados mais 10 km, aproximadamente, nos deparamos com uma placa sinalizando uma colônia de bebês foca. Deixamos as bicicletas e fomos ver de perto. Após uma caminhada de mais ou menos 10 minutos, chegamos a uma linda cachoeira, repleta dos animaizinhos. Soubemos que, quando as mães saem do mar, levam os bebês para esta cachoeira, depois saem para pescar em alto-mar e voltam para alimentá-los. Eles ficam sozinhos e brincam uns com os outros. Retomando a estrada, vimos uma barraquinha que parecia de cachorro-quente. Como estava frio, nublado e chuvoso, decidimos parar para comer algo quente. Entramos e descobrimos que era um restaurante de lagosta. Por não ser uma região muito habitada, acampamos à beira-mar. No outro dia seguimos para Blenheim, onde conhecemos um malaio prestes a começar a viagem, com o mesmo trajeto que fizemos, mas no sentido oposto. Por fim, retornamos a Picton. Fomos conhecer melhor a cidade, que possui um lago lindo! Caminhamos pelo calçadão e visitamos os restaurantes. Durante todo o trajeto, tivemos tempo para refletir sobre a vida que temos e queremos. Muitos querem viajar, mas nunca planejam, sempre colocam o dinheiro à frente de tudo. Sempre que podemos, nós pegamos a estrada, conhecemos um país novo, uma região nova e isso nos faz melhores como pessoas e profissionais. Nossa próxima viagem de bicicleta será o caminho de Santiago de Compostela. Quem sabe no ano que vem?

em kaikoura: paisagens paradisíacas ao longo de toda a estrada

107


itália

Toscana

em grande estilo Viagem dos sonhos com roteiro de alto padrão é dica imperdível para os apreciadores de vinho

N

ão é segredo que a Toscana possui uma das paisagens mais deslumbrantes do mundo. E para explorar o que há de melhor na região, a Cieli di Toscana, operadora de turismo de luxo, apresenta nova edição do roteiro temático Sabores & Vinhos. Entre os dias 14 e 21 de setembro, cada viajante poderá realizar em seu ritmo essa viagem dos sonhos. Percorrer as famosas paisagens da Toscana, seus vinhedos e oliveiras, colinas verdes, construções medievais e cidades históricas. Saborear a gastronomia local e degustar os melhores vinhos produzidos no Chianti, em Montalcino, Montepulciano e na Maremma, regiões de renomadas vinícolas. As experiências vão desde as enogastronômicas, como um almoço harmonizado com vinhos Antinori, em uma propriedade dos Antinori; jantares exclusivos nos restaurantes dos sofisticados hotéis Borgo San Felice e L’Andana, do chef Alain Ducasse; até hospedagem no Grand Villa Cora, mansão aristocrática do século XIX. A proposta é vivenciar a Toscana a bordo de conversíveis de luxo. A Cieli di Toscana, que fica em Florença, apresenta roteiros temáticos e personalizados, com serviços de alto padrão. Para os amantes de vinho, Sabores & Vinhos é uma dica iimperdível, afinal são sete dias degustando mais de 26 rótulos, incluindo os mundialmente famosos supertoscanos.

passeio por paisagens deslumbrantes e degustação dos melhores vinhos da região 108

Fotos: divulgação

turistas terão traslado em conversíveis de luxo


méxico

Imensidão de piscina nuna, no four seasons, Tem 2.500 m² e parece desaguar no mar

beleza Fotos: divulgação

Conheça opções de resorts que oferecem piscinas com borda infinita para o mar

E

xiste um pedacinho do paraíso na Terra, e ele está na costa pacífica do México. A Riviera Nayarit exibe belas praias, hotéis e resorts luxuosos, com clima de verão, atmosfera de sossego e excelente gastronomia. Quer mais? Os hotéis têm uma profusão de piscinas com bordas infinitas, que parecem terminar dentro do mar. A ideia desses hotéis é essa, proporcionar encantos. O Imanta Resorts Punta de Mita, com arquitetura sustentável, tem seis confortáveis suítes, uma praia privada, spa e lounge bar com vista para o mar. Entre novembro e abril, pode-se avistar as baleias Jubartes e apreciar a vista da floresta tropical em caminhadas guiadas. De junho a dezembro, as tartarugas marinhas invadem a costa e se tornam a atração da vez. Quem quer aconchego pode visitar o Four Seasons, com apartamentos ao estilo das residências mexicanas e amplos terraços. Seu ponto alto é a piscina Nuna, que no dialeto Huichol, dos índios da região, significa “água nova”. Tem 2.500 m² e parece desaguar no mar. No St Regis Punta Mita Resort pode-se jogar golfe ou tênis, relaxar no spa e aventurar-se em um passeio até as Ilhas Marietas. Mas não há nada como relaxar saboreando drinks .em uma das três piscinas de borda infinita. Já no Iberostar Playa Mita reúne a palavra de ordem é entretenimento. São quadras, teatro, biblioteca, campo de golfe, spa e um complexo aquático de 1.740 m².

Iberostar Playa Mita oferece um complexo aquático de 1.740 m²

arquitetura sustentável no Imanta Resorts Punta de Mita St Regis Punta Mita Resort: três piscinas de frente para o mar

109


carros astero motta astero@revistazelo.com.br

Rally dos Sertões A 22ª edição do Rally dos Sertões, maior competição off road do País, terá largada dia 24 de agosto, no Autódromo Internacional de Goiânia, e chegada em Belo Horizonte (MG) no dia 30. Em Goiás, os municípios de Caldas Novas e Catalão se unem à capital goiana. Minas Gerais terá Belo Horizonte, Diamantina, Paracatu e São Francisco como representantes. Em um total de 2.679 quilômetros da competição em 2014, 1.623 serão de trechos especiais. As inscrições seguem abertas até dia 1º de julho pelo site www.sertoes.com.

Novo Challenger SRT Após se reunificarem, as marcas Dodge e SRT apresentam a linha 2015 do Challenger SRT. Sua versão apimentada, com motor Hellcat, desenvolve mais de 600 cv e foi totalmente modificada em termos mecânicos. O SRT é equipado com 392 HEMI V8 e sua potência subiu de 477 cv para 492 cv. O Hellcat possui um motor V8 6.2 sobrealimentado que gera mais de 600 cv de potência, sendo o mais potente V8 na história do Grupo Chrysler.

Novo Volvo XC90 A Volvo Cars revelou imagens do novo XC90, que tem a sua estreia marcada para setembro, no Salão do Automóvel de Paris. O novo interior do carro combina materiais como couro macio e madeira com detalhes produzidos à mão, como a alavanca de câmbio feita de cristal. Um dos grandes diferenciais são os controles acionados por toques em uma tela touchscreen, com display interativo, e um tablet, eliminando o tradicional conjunto de botões no painel.

Stock Car - Corrida do Milhão Goiás vai sediar novamente mais uma etapa da maior categoria do automobilismo nacional, a Stock Car – Corrida do Milhão. A prova será dia 3 de agosto, no Autódromo Internacional de Goiânia, válida pela quinta etapa. Estará em jogo um cheque de R$ 1 milhão. O autódromo foi reinaugurado dia 1º de junho, com apresentação da quarta etapa da Stock Car Goiânia. Cerca de 50 mil pessoas prestigiaram o evento. 110


high-tech astero motta astero@revistazelo.com.br

Primeira TV OLED curva do mundo A marca LG Electronics lançou no dia 29 de maio, na Primetek, o novo padrão da imagem – a TV OLED Curva (EA9800) de 55 polegadas, ultramoderno. A primeira TV OLED do mundo possui 4mm de espessura, mais fina que um smartphone, e cores perfeitas, graças à tecnologia proprietária WRGB. Ela também é 3D e conta com todos os recursos de uma Smart TV - uma plataforma de entretenimento completa com uma vasta oferta de aplicativos.

Transformer Book Flip A Asus revelou na Computex 2014, maior feira de eletrônicos em Taiwan, sua grande novidade, o ultrabook Transformer Book Flip, que vem com configurações que utilizam processadores Intel Core e opções com GPU integrada NVIDIA GeForce GT840M para multitarefa e alto desempenho. O modelo tem custo acessível com Windows 8.1 e tela que gira até 360 graus, permitindo seu uso como notebook ou tablet. No exterior, estará disponível a partir do final de junho. No Brasil, em 2015.

Casas inteligentes A automatização é uma tendência no mercado de arquitetura e decoração. Você já imaginou controlar iluminação, arcondicionado, persianas e som pelo celular? A Apple lançou, na WWCD, o Home Kit, plataforma para controlar, a partir do iPhone, dispositivos de automação residencial, como lâmpadas, fechaduras eletrônicas, portões automáticos, termostatos e sistemas de segurança e iluminação.

Torneio X5 Mega Arena Depois de 55 mil pessoas visitarem o maior campeonato de Games e E-sports da América Latina, o XMA X5 Mega Arena, vem aí sua segunda edição, de 25 a 28 de setembro, no Centro de Convenções Imigrantes, São Paulo. Os jogos já confirmados para a próxima rodada são League of Legends, Cross Fire, Combat Armas e Point Blank, com a presença dos melhores gamers do Brasil. 112

Worldwide Developers A Apple realizou sua tradicional Conferência Mundial de Desenvolvedores - WWDC, de 2 a 6 de junho, em San Francisco (Califórnia). No evento, anunciou novidades como novas versões do iOS, sistema operacional para iPhone, iPod Touch e iPad, e do MacOS X. A Apple também apresentou um app (Health) para centralizar informações de saúde e remodelou seu programa de mensagens para se tornar mais competitivo contra o rival WhatsApp.


ranulfo borges ran.borges@ig.com.br

pouca oferta e altos preços ainda dificultam o consumo consciente

Luta para difundir alimentos orgânicos

O

governo federal promove a campanha “Brasil Orgânico e Sustentável”, que vai divulgar produtos orgânicos, da agricultura familiar, em pontos de degustação, canais de venda direta, participação em eventos de projeção nacional e internacional, sempre com a marca Brasil Orgânico e Sustentável. Esses produtos estarão presentes também em eventos esportivos e nos demais eventos paralelos à realização dos jogos da Copa do Mundo de 2014. Iniciativas como essa se tornam cada vez mais necessárias para reverter um problema grave. O agronegócio é um dos principais motores da economia brasileira e da goiana, e nosso meio ambiente paga um preço alto por isso. O País é campeão mundial no uso de agrotóxicos, embora não o seja em produção agrícola. Segundo matéria publicada na revista ‘Galileu’, no Brasil ainda são utilizados diversos produtos proibidos em outros países. A soja, tão preciosa para os cofres do nosso Estado e nação, é uma das principais responsáveis por esse quadro. As

sementes melhoradas do grão já são pensadas para usar agrotóxicos. Mas pouca gente se importa em consumir os produtos envenenados. Os alimentos orgânicos são a alternativa para evitar nosso envenenamento. Mas o consumo do produto encontra duas barreiras difíceis de transpor: o preço e a dificuldade de acesso a estes alimentos. Poucos supermercados disponibilizam essa linha em suas gôndolas. A produção de alimentos sem agrotóxicos encontra campo fértil na agricultura familiar. Um exemplo bemsucedido vem do Entorno de Brasília, onde pequenos agricultores formaram um Clube de Produtores, sendo 160 do Centro-Oeste no total. Em um espaço reservado só para produtos da agricultura familiar, a rede de supermercados obtém 17% das vendas de hortifrúti. O Clube de Produtores apoia 10 mil famílias em 19 Estados. Para participar, é preciso comprovar a origem e a qualidade da matéria-prima usada nas agroindústrias.

Fotos: Todaemforma.com.br

agendaverde

l Na moda, a palavra orgânico também vem se destacando. Para serem classificados como orgânicos, algodão, juta e bambu devem ser produzidos sem o uso de inseticidas ou pesticidas. O cultivo de algodão pelo sistema convencional consome um quarto do inseticida produzido no mundo. Já na versão orgânica, é cultivado sem a utilização de pesticidas, fertilizantes químicos e reguladores do crescimento. l O Parque Estadual João Leite já existe oficialmente por força de lei sancionada pelo governador Marconi Perillo. Englobando áreas dos municípios de Goiânia, Goianápolis, Nerópolis e Terezópolis de Goiás, o parque se destina a proteger fauna e flora do Ribeirão João Leite. Serve também como proteção de seu reservatório, que abastece toda a Capital. l O Vapt Vupt Ambiental já está em funcionamento na 11ª Avenida, no Setor Leste Universitário, em Goiânia. A unidade oferece ações para atender a população nas licenças e outorgas para desenvolvimento de atividades econômicas, sem diminuir o controle e fiscalização sobre as atividades licenciadas. A média de outorgas de uso de água é de 663 mensais, de 2.129 processos ambientais que passam pela Semarh mensalmente. l A Justiça determinou que a prefeitura da Capital e a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma) façam a contenção das margens do Córrego Cascavel, processo conhecido como retaludamento. A decisão é resultado de ação civil pública proposta pelo Ministério Público. Os órgãos também deverão promover a revegetação da mata ciliar do córrego e a recomposição florística de toda área utilizando espécies do Cerrado, limpeza de galerias pluviais e recuperação dos processos erosivos na nascente do córrego. Devido a estes problemas, o Lago Cascavel está praticamente seco. l Mais uma etapa do Plano Estadual de Resíduos Sólidos está pronta. Esta parte segue orientações de contrato celebrado entre a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) e a Fundação de Apoio à Pesquisa da Universidade Federal de Goiás (Funape/UFG). 113


social Fotos: Igor Leonardo / HektaPhoto´s

20 anos DE

moda Referência em moda, a artista goiana Rucélia Ximenes preparou uma coletânea especial com os trabalhos que realizou ao longo de mais de 20 anos como figurinista de novelas da TV Globo. O lançamento do livro aconteceu no Palácio das Esmeraldas, onde Rucélia recebeu entre seus convidados a primeiradama do Estado Valéria Perillo, além de parceiros e amigos. Para compor o ambiente do evento, foram utilizadas peças criadas pela artista.

Valéria Perillo, Rucélia Ximenes e Beth Filipeck

Neide e José Carlos Siqueira

Cristina Lopes e Eliana Frota

Nathália Rocha, Ana Cláudia Rocha e Alessandra Antonioli

114

Rosa Alzira, Valéria Perillo e Geralda Albernaz

José Cláudio Romero e Iris Bertoncini

Carla Cardoso, Mariana Cardoso e Ana Elizabeth Piccolo

Fernando Eurípedes de Souza e Mônica Navarrete


social

Clicquot

O Clicquot Yellow Trailer chegou a Goiânia para encantar os degustadores de champagne. O coquetel de lançamento foi realizado pelo Flamboyant Shopping Center e o Veuve Clicquot e chamou a atenção por sua exclusividade inusitada e estilosa. O trailer funciona como bar trendy com serviço especial de Veuve Clicquot e está instalado no Garden Flamboyant.

Fotos: Marcos Cardoso

party Ruben Fontes, Ana Gequelin, Emmanuele Louza e Salvador Pinto

Patrícia Bittencourt, João Bittencourt, Patrícia Prado e Marco Prado

Rosângela Motta e Ângela Motta

Alex Dumbrosck, Dener Justino e Tatyana Justino

Maria Alice Batista e Marcelo Marquez Batista

Ione Rodrigues, Luiz Aleixo e Aline Guedes

Adriana Mundim, Leandra Castro, Débora Ziller e Daniela Carrijo

Marie Proffit e Sibylle Proffit

115


social

Fotos: Ângela motta

TOQUE

FEMININO A GPL promoveu evento para o público feminino no hall do INOVE Intelligent Place. As convidadas conheceram a beleza arquitetônica, praticidade e tecnologia inteligente do empreendimento. Foram apresentadas receitas de drinks deliciosos pela sommelier Marina Libardi, de Porto Alegre, e realizada oficina de maquiagem pela maquiadora Nayara Fogaça, parceira da marca NYX. Adriana Caetano e Andrea Carrijo

Mariana Caetano

Natália Veloso

Marcos Vinícius e Edna Rocha Lima

Iardena Helou e Ciça Carvello

Laís Cunha

116

Wanessa Chaveiro

Kelma Gouvea e Ana Paula

Neuza Mathias e Eleuza Cunha

Adriana Caetano, Mônica Barros, Glauce Camargo e Andrea Carrijo

Marilei Silva

Ana Cláudia Oliveira


social

Certificação

para hgg O Hospital Alberto Rassi (HGG) é o primeiro hospital público do Centro-Oeste a receber certificação de qualidade e excelência. O título, conferido pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), contempla instituições de saúde que cumprem rigorosos protocolos para a segurança dos pacientes. A cerimônia de entrega contou com presenças ilustres.

Rosana Carvalho , Marcus Abdulmassihdel Del Papa, Tereza Cristina Del Papa e e José Cláudio Romero

Lúcio Dias, Wadson Arantes e José Cláudio Romero

Glorinha Drummond e Carlos Roberto Sampaio Drummond

Lili Moreira, Lúcia Helena Hohl e Joana Darc Abrão

Selvo Afonso e Argus Ridan

Luciene Diniz e Alexandre Liah

Susana Peixoto e Rafael Nakamura

Vanice Costa e José Cláudio Romero

Padre Rafael Magul, José Alberto Alvarenga, Giovana Rassi Alvarenga e Nabyh Salum


social

Cerimônia

Intimista Quem é que não gostaria de se casar em uma paradisíaca praia no Caribe? Pois Bené e Letícia Pires realizaram este sonho. “Resolvemos nos casar, mas não queríamos nada convencional. A ideia na praia pareceu o ideal”, conta Letícia. Em uma cerimônia intimista, os pombinhos disseram “sim” diante de um pastor e do fotógrafo Nephilie Hann. A noiva trajou uma saia longa de renda e usou acessórios de Gabriela Tannus. Fotos: Nephilie hann

Bené e Letícia Pires realizaram o casamento dos sonhos, em uma das mais belas praias do caribe

confraternização

especial

Guilherme Pinheiro, Emanoel Camargo e Wagner Cabral

118

Da parceria entre GPL Incorporadora e Penta Incorporadora, pertencente ao grupo da dupla Zezé Di Camargo e Luciano, surgiu o empreendimento corporativo INOVE Intelligent Place. Destaque em tecnologia de ponta, beleza arquitetônica e praticidade, as instalações foram cenário de um happy hour de apresentação do produto. O evento, que foi regado a deliciosas comidinhas de boteco e discotecagem do DJ Kadu Faria, reuniu sócios do empreendimento e formadores de opinião.


social Fotos: Igor Leonardo / HektaPhoto´s

Golden Shopping Os irmãos incorporadores Rodrigo e Rogério Queiroz Silveira, da Queiroz Silveira Incorporadora, foram os anfitriões da festa de lançamento do Golden Shopping, no Oliveira’s Place, em parceria com a Partner Corporate. Um gigantesco telão exibiu documentário sobre o empreendimento e as transformações que ele irá proporcionar na região leste de Goiânia.

Rodrigo Queiroz da Silveira, Geraldo Rocha e Rogério Queiroz da Silveira

Renata Evangelista, Carmen Rocha e Letícia Queiroz

Rafael Lousa, Rodrigo Queiroz da Silveira, Geraldo Rocha e Bernardo Carvalho

Rodrigo Dias, Gabriel Silveira, João Paulo Reis e Alexandre Aguilar

Meire Araújo e Karine Queiroz

Carlos Luciano Ribeiro e Regina Lisboa Ribeiro

Rodrigo Seronni Frota, Rogério Queiroz da Silveira, Igor Sebba e Pedro Seronni Frota

Rafael Rabelo e Josiane Lozi

José Roberto Rassi e Patrícia Sebba

119


social Fotos: Igor Leonardo / HektaPhoto´s

noivas

luxuosas “O estilista goiano Fernando Peixoto lançou sua coleção Noivas 2014 no Oliveira’s Place, em evento pra lá de requintado. A Splendore Collezzione é composta por 19 vestidos, com inspiração na Itália. O catálogo foi fotografado durante 11 dias em diversas locações naquele país. Todo o desfile foi embalado por músicas italianas, em um clima de total intimidade com o tema. O evento arrecadou fraldas geriátricas e latas de leite NAN para instituições de caridade.”. Fernando Peixoto recebe o carinho do público ao final do desfile

Cristal Lobo, Alexandre Lozi e Juliana Moura

Ricardo Souza e Beatriz Godoy

Fernando Peixoto e José Bonfim

Fotos: divulgação

Aluno

Gourmet Giuseppe Vecci prestigiou a 23ª edição do Aluno Gourmet da Faculdade Cambury, realizada no dia 24 de maio. Baseado em frutos do mar, o cardápio teve inspiração na culinária caribenha. Entrada, prato principal e sobremesa com pratos frios e quentes encantaram alunos, professores e convidados. A professora chef Tatiana Mendes supervisionou o menu.

Sebastião Tejota e Giuseppe Vecci

120

Giuseppe Vecci, Dária Rodrigues e Eliane Pinheiro

Giuseppe Vecci e Luciana Daher


social

vida

Fotos: Cristina Diniz

social A Casa Cor Goiás 2014 recebeu a jornalista e colunista social Ana Cláudia Rocha, que debateu o tema Vida Social com diversos convidados no espaço K-Chaçaria. O evento fez parte do Momento Magazine, série de encontros sobre Jornalismo, Cultura e Entretenimento, que teve a participação de renomados profissionais da imprensa goiana.

Eliane Martins e Meire Santos

Sheyla Doumit, Ana Cláudia Rocha e Alessandra Antonioli

Ednara Braga e Sheila Podestá

Fotos:Luciana Moreira

Taça da Copa

em Goiânia A Taça da Copa do Mundo Fifa 2014 visitou a Capital e permaneceu exposta por um dia no Centro de Convenções de Goiânia. Esta é a primeira vez que o objeto percorre todas as capitais de um paíssede. Durante todo o dia, o consagrado ícone recebeu a visita de ilustres personalidades e de grande público. Foram 41 dias de viagem, levando o troféu de Norte a Sul e Leste a Oeste do Brasil. Marconi Perillo e José Alves Filho

Túlio Maravilha, Taynara de Jesus, Marcos Roberto Silveira e Alessandra Mattus

Luiz Antônio de Faria, Rui Barreto, Douglas Lacerda, Cristiano de Araújo e José Alves Filho

121


social Fotos: Pamyla Ionara/Essence Fotografia

Finesse e

Tradição

A Sapataria Mujalli inaugurou sua primeira loja em Goiânia. Destaque pela elegância, atemporalidade e amor à tradição. O coquetel de lançamento, realizado na sede da loja, na Avenida 136, Edifício Nasa Business Style, no Setor Sul, foi regado a muito champagne e bombons da Richesse, tudo com muito bom gosto e sofisticação. Antônio Frias, Mariana Mujalli, Taciana Mujalli e Túlio Calaça

Taciana Mujalli e Lorena Vieira

Marina Carvalho, Surama Bittencourt, Taciana Mujalli e Sejana Bittencourt

Taciana Mujalli, Maria Cristina Mujalli e Mariana Mujalli

Fotos: João Carlos

Conceito moony O empresário Fernando Pacheco acaba de inaugurar o Moony Restaurante, com projeto arquitetônico assinado por César Neto. O conceito incorporou a ideia cosmopolita da diversidade, do respeito e da interação entre as pessoas e o ambiente.

Sophia Dalla Voguet e Isabela Gismondi

122

Gabriel Teodoro e Layla Monteiro

Fernando Pacheco e César Neto

Moony oferece alta gastronomia em cardápio contemporâneo


123


artigo

As lembrancinhas mais insuportáveis do mundo Pablo Kossa

E

u entendo que vem de bom coração. Entendo que a intenção é boa. Entendo que a pessoa só quer agradar. Mas existem duas lembrancinhas que acho realmente sacais e preciso me controlar para não ser deselegante ao extremo quando as recebo. A pessoa vem com a melhor das intenções, me entrega o objeto e, no mesmo momento, um sorriso forçado ganha meu rosto. Por favor, se quiser me agradar não me venha com garrafinha squeeze ou caneca. Eu acho que esses devem ser os souvenirs mais baratos de todos. Só pode ser isso. Pois não é possível que a razão de tanta gente dar essas tranqueiras aos outros seja gosto, seja a real vontade de agradar. Tenho convicção de que a questão é puramente econômica. A garrafinha squeeze disputa com a bomba atômica e o novo padrão de tomada brasileiro como a pior invenção da humanidade. Aquele plástico passa gosto para a água, esquenta o líquido mais que um caldeirão no inferno e a rosca nunca veda suficientemente bem. Quando você vai beber, inevitavelmente vai ficar como um velho babão, deixando sua camiseta uma beleza. Se eu fosse um black bloc usaria os montes de garrafinha squeeze que tenho na minha casa só para fazer coquetel molotov. Os atiraria a esmo não por raiva contra o

124

sistema, mas só para me ver livre daquele badulaque que, ainda por cima, ocupa um espaço gigantesco no armário. As canecas também merecem destaque pela sua característica odiosa. Trambolhos pouquíssimo usados, mas que de forma ardil apelam para o lado sentimental: por que diabos toda escola tem que presentear os progenitores no Dia dos Pais com uma infame caneca? Aí você fica com aquele objeto inútil pela única razão de ser um presente de seu pimpolho. E as canecas vão juntando no fundo do armário sem o menor uso – afinal de contas, nem o maior dos bezerros bebe tanto leite e o serve para suas visitas para tantas que ganhamos. Por que não nos presenteiam com canecas para beber chope? Se a questão é ser politicamente correto, poderia ser xícara de café. Mas não, tal qual a plantação de eucalipto mata tudo ao seu redor, as odiosas canecas não deixam espaço para nenhuma lembrancinha. Se você discorda, me faça um favor: passe aqui em casa para pegar um tanto de garrafinhas mais um monte de canecas (menos as que são de Dia dos Pais). Mas venha em um carro com carreta, por favor. Pablo Kossa é jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG


Em Goiás, o trabalho não para.

MAIS DE 4 MIL KM DE RODOVIAS RECUPERADOS

OUTROS 2 MIL KM ESTÃO EM CONSTRUÇÃO

Anúncio governo RODOVIAS DUPLICADAS E ILUMINADAS

6 NOVOS VIADUTOS NA GRANDE GOIÂNIA

Obras que transformam e melhoram a vida dos goianos. É assim que o Governo de Goiás vai seguir trabalhando.

125


ENERGIA EXTRA PARA VOCÊ

Profile for Revista Zelo

Zelo 28  

Vigésima oitava edição da Revista Zelo

Zelo 28  

Vigésima oitava edição da Revista Zelo

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded