__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

NONONONON

2 0ª

E di ção

-

Ano

VI

-

R $

7 ,0 0

-

w w w.revi s t a ze l o . c o m . b r

Casa Cor Mostra traz projetos inspirados no universo fashion

Móveis Tendências apresentadas na Feira de Milão

Zelo Destino Roteiro dos melhores agitos noturnos de Floripa

Moda

Mix de texturas e sobreposições domina inverno

1


NONONONON

2


NONONONON

3


NONONONON

12 Editorial

N

ão é novidade que moda e decoração andam cada vez mais ligadas. Grandes nomes do mundo fashion, como Fendi, Moschino, Armani e Hermès não hesitam em aventurar-se pela decoração. Criam coleções especiais que vão de roupas de cama, objetos de design até mobiliário. Por outro lado, a moda tem se apropriado da arquitetura. Estilistas buscam, por meio de referências da arquitetura, mostrar suas coleções nas passarelas. No último SPFW, a Forum desfilou estampas inspiradas em ícones da arquitetura nacional. Na versão 2012 da Casa Cor Goiás, as cores e as formas do universo da moda também foram a fonte para criação de projetos assinados por arquitetos, decoradores e designers. E como moda e decoração estão no DNA da Zelo, nos debruçamos nesses dois universos. Trazemos projetos de uma leva de profissionais que exploraram com inventividade e talento o tema moda, estilo e tecnologia. Quem também está presente neste número é a arquiteta paulista Fernanda Marques, que veio recentemente a Goiânia para o lançamento do Parque Flamboyant 56, a convite da Toctao Rossi. Você ainda vai conhecer um pouco da história das empresárias Abadia e Daniela Haick, que falam sobre suas paixões pelo design e decoração. O empresário Paulo Vaz, que comanda a Portobello Shop, empresa de revestimentos, também tem muito para contar. Confira ainda o que a Feira de Milão apresentou de mais funcional e tecnológico. No caderno Zelo Destino, o registro dos spots de Florianópolis. De Madri, Roberta Brum preparou um roteiro pelos principais museus da Europa. Um belíssimo ensaio fotografado assinado por Ivan Erick e produzido por Philippe Mortosa também recheia este número. E mais: se delicie com as colunas Ícones, Zelo Mais, Carros, CTRL, Agenda Verde, Zelo Indica, Só para Homens, além dos artigos de nossos colaboradores. Enfim, uma profusão de ideias e novidades para você se divertir. Aproveite!

Rosângela Motta 4

Decoração

Fernanda Marques ultrapassa fronteiras com trabalho inovador

20 38

Casa Cor

Proximidade da moda com a arquitetura

Perfil

Paulo Vaz comemora sucesso da Portobello

80

Turismo

Luxo e elegância de Florianópolis fOTO: ivan erick

62 Moda

Texturas e sobreposições dominam o inverno


NONONONON

5


colaboradores

expediente Edição geral Rosângela Motta Edição Ranulfo Borges Edição de Fotografia Ângela Motta Diagramação Vinícius Alves Revisão Fátima Tolêdo Projeto Gráfico Carlos Sena Estagiária Hannah Motta

Ranulfo Borges

Ângela Motta

Max Miranda

Astero Motta

Pablo Kossa

roberta brum

Kell Motta

daniel almeida

adevania silveira

Jô Almeida

João Camargo Neto

Reggie Moraes

Nathália Fiorotto

William Hanna

Alice Galvão

geovane gomes

Iris Bertoncini

maria cristina furtado

Vinícius Alves

Fátima Tolêdo

Jornalista Responsável Astero Motta (JP - 2233) Zelo em Brasília Kell Motta (61) 9915 5115 Impressão Gráfica Formato Motta Editora Ltda Telefone: (62) 3259 6510 www.revistazelo.com.br redacao@revistazelo.com.br Rua T-36 nº 695, Sl. 506, Ed. Aquarius Center - CEP.: 74.223055 - St. Bueno - Goiânia-GO A Revista Zelo não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nas colunas e artigos assinados por seus colaboradores e não tem vínculo empregatício com os mesmos.

moda

fOTO: ivan erick

Fotografia: Ivan Erick Styling: Philipe Mortosa Modelo: Larissa Arantes Make up: Alessandra Nunes Cabelo: Janaina Mendes Agradecimentos: Casa Cor Goiás Lucíola correa

6


7


artigo

Joia ao alcance de todos Jô Almeida

D

e prima pobre da joia a irmã gêmea da quase joia, a bijuteria virou arroz de festa com direito a entrar pela porta da frente nas grandes produções. Claro que tudo depende de gosto e de bolso. A verdade é que os adornos são tão antigos quanto a vaidade humana. Colares e braceletes feitos com dentes, conchas, madeiras e sementes encontrados por geólogos remontam 25 mil anos antes de Cristo. E desde o século VII a.C., os egípcios já esnobavam suas criações em vidro e cerâmica. O cristal foi introduzido pelos italianos no século XV. A origem das bijuterias talvez esteja simbioticamente ligada à religiosidade, no uso de amuletos para proteção pessoal, medalhas, escapulários, cruzes, imagens de santos. Mas isso foi só o começo. Tido como o período da luxúria, o início dos anos 1900 foi promissor em broches de borboletas e muitas pérolas, com a cartela de cores exaltando o violeta, o branco, o creme e o verde clarinho. Nos anos 20, era raro encontrar uma mulher que não usasse acessórios. Com a grande depressão norte-americana, em 1929, a bijuteria se consolida como alternativa aos tempos de vacas magras. Graças à versatilidade e à variedade dos materiais que dão asas à imaginação, as peças pouco nobres foram conquistando o mercado tanto pelo preço quanto pela facilidade de adaptar-se à moda e às tendências do mercado. Assim, como os tempos exigiam, as bijuterias eram produzidas por matérias- primas de baixo custo, mas agregavam grande valor visual. Talvez aí, junto com a bijuteria, nascesse a democratização da moda. O alpinismo social da bijuteria prossegue, especialmente de 1931 a 1940, com Coco Channel, que usava e abusava de broches em material plástico, alfinetes e

8

gargantilhas. E vem guerra de novo! De 1941 a 1950, a moda fica em último plano. Mas Carmen Miranda não perde tempo e cria a fantasia da brasileiríssima com suas saias de babados multicoloridos e mil penduricalhos. No período pós-guerra, os acessórios ficam surreais, mas a moda incorpora a tecnologia e avanços científicos adquiridos até por causa dela, a guerra. Surgem materiais como poliéster, PVC e plásticos para a fabricação de acessórios. De 1961 a 1970, entra em cena o movimento psicodélico e a multiplicidade de estilos, a maioria marcados pelos excessos: colares (vários em um mesmo look), tachas, morcegos, caveiras e muitos crucifixos. Nos anos 80, a moda aumentou o exagero e a ostentação. Peças imensas, muito metal, pulseiras, turbantes, lenços e perucas tão exóticos quanto espalhafatosos. No final da década, as bijuterias seguem as tendências ditadas pelas joalherias: amuletos étnicos, pingentes, medalhas e correntes. O estilo Madonna impera no globo. Os materiais ficam imensamente diversificados: plásticos, madeiras, metal, vidro, couro. Chegamos a 2000 sob o manto da tecnologia e da globalização. Paris e Milão continuam decretando as tendências da moda, mas Nova York e Tóquio também estão no páreo. A tecnologia de um novo tempo novo traz a moda virtual, uma ampla liberdade de escolha aliada à consciência ecológica. O bom mesmo desse novo tempo novo é que o colar, a pulseira, o modelo de brinco que está hoje nas passarelas de Paris e Milão pode ser encontrado amanhã no comércio popular ou nas bancas de feiras. Os que torcem o nariz para a democratização da moda que me desculpem, mas moda é fundamental e por isso mesmo é maravilhoso vê-la ao alcance de todos. Z


9


artigo

O problema é quando

a empolgação bate Pablo Kossa pablokossa@bol.com.br

A

novidade me seduz. Em certas situações, prefiro o duvidoso pelo certo só pelo prazer de conhecer algo novo. Por exemplo, se vou a um restaurante que já conheço e gostei do que pedi na última vez, é certo que não vou comer novamente aquilo que já foi aprovado. Vou tentar um prato diferente, mesmo com o risco de arrependimento. Quem não arrisca, não se dá mal. E se dar mal é uma possibilidade que sempre considero como factível. O problema é quando me empolgo. Quando encontro algo novo que realmente me acachapa, que acho genial, engraçadíssimo ou qualquer outra virtude extraordinária, sai de baixo. Aí acaba o espaço para qualquer outra coisa. Só tenho olhos, ouvidos e coração para aquilo que me surpreendeu. Até que a rotina lhe supere, a atenção se dilua novamente com as atividades do dia a dia e apareça algo que me arrebata outra vez. O último exemplo é um vídeo do YouTube chamado Indiretas Já. Trata-se de uma paródia feita pelo pessoal do Comédia MTV, capitaneados por Marcelo Adnet, da histórica apresentação de Chico Buarque e MPB4 da canção Roda Viva. No esquete de humor, o grupo lá batizado de Chique com Arte e MTV4 vai cutucando tudo quanto é tipo de gente onde a coisa realmente aperta para o cara. Então sobra para políticos, artistas, programação televisiva e várias outras piadas que você perde por não entender o contexto. E esse é o aspecto viciante do vídeo: cada vez que você o assiste novamente, quer ver se consegue pescar alguma informação que perdeu. Quando voltamos no

10

original com Chico, explicita o quanto a interpretação de Adnet e seus companheiros é perfeita. Em todos os detalhes. Coitada da minha mulher. Fiquei com dó de meus companheiros de trabalho. De hora em hora, coloco o vídeo para rolar outra vez, numa empolgação sem fim. Não falei que era um problema? Outra coisa que viciei ultimamente é em almoçar sozinho, sem estar com compromisso apertando a agenda logo no início da tarde. Sento-me em uma casa de massas (sempre a mesma, é claro!), peço uma entrada e vou ler um pouco. Quando bate aquela fome moderada após o lanchinho inicial, vou ao cardápio e solicito o prato principal. Sem o bom entretenimento do bate-papo e sem o estresse de ter uma reunião às 14 horas, aprecio cada detalhe do prato, coloco a leitura em dia, penso um pouco na vida e nos planos... E volto revigorado para o segundo tempo de trabalho. Ao menos uma vez por semana faço isso e, como me empolguei, dificilmente largo esse hábito por agora. Você pode até observar algum tipo de problema nesse meu hábito. Provavelmente tem algo a ver com um transtorno obsessivo compulsivo. De boa. Até agora não está me causando nenhuma dor de cabeça ou incômodo social para que eu mobilize uma assistência especializada. E é até provável que minha família tenha uma opinião diferente em relação a isso... Mas enquanto não sou intimado pelos que amo ou não me torrar o saco, vou curtindo minhas empolgações. Uma de cada vez. Até que apareçam outras que a suplantem. Z


11


inovação

fOTO: divulgação

Fernanda Marques: “Cada trabalho meu é retrato do seu tempo”

12


Na vanguarda da

modernidade

Saiba quem é Fernanda Marques e como a contemporaneidade do trabalho dela influencia o mercado brasileiro de arquitetura e design Alice Galvão

C

lasse, beleza, funcionalidade e inovação. Estas são apenas algumas das muitas qualidades do trabalho desenvolvido pela arquiteta e urbanista Fernanda Marques, que mora em São Paulo, mas tem uma reputação que atravessa as fronteiras geográficas e se espalha Brasil e mundo afora. Referência no mercado de luxo, Fernanda também faz parte do casting de profissionais da Mostra Black, em São Paulo, que propõe a criação de novas tendências a partir da liberdade de pesquisa para além do que a moda está ditando. E neste barco de vanguarda e contemporaneidade, a artista navega confortavelmente. Admiradora declarada da conceitual arquiteta iraquiana Zaha Hadid, Fernanda Marques mantém-se em sintonia com o que acontece no seu tempo e aprimora cada vez mais sua relação com o mercado consumidor, desenvolvendo peças exclusivas e novas plataformas de interação com o público. No mês de maio, a arquiteta esteve em Goiânia para o lançamento do empreendimento imobiliário Parque Flamboyant 56, da Toctao Rossi, cujo decorado terá sua assinatura. Leia entrevista com Fernanda para a Zelo. Zelo – Como surgiu sua relação com a arquitetura? Fernanda Marques – Vem da infância. Meu pai era construtor e inevitavelmente o assunto era recorrente em casa. Logo me vi em meio a montanhas de lápis de cor e crayons e fui incentivada a olhar com mais cuidado para as coisas, tentando reproduzi-las. Datam daí meus primeiros contatos com a arquitetura e com a percepção do espaço construído. Zelo – Quando você analisa o conjunto de sua obra, que reflexões aparecem? Fernanda Marques – Quando digo ser contemporânea, me refiro exatamente a isso: à permanente necessidade que sinto de estar conectada com meu tempo e fazer disso matéria-prima de meu trabalho. Talvez por isso eu olhe tão pouco para trás e muito mais para

frente. Cada trabalho meu é retrato de seu tempo. Como uma fotografia em movimento. Zelo – Na Casa Cor do ano passado, você lançou um site para exposição e comercialização virtual de peças escolhidas para compor seus projetos, o SD Online + Fernanda Marques, uma inovação no segmento de design de interiores. Fale um pouco do seu histórico com lançamento de novos conceitos e tecnologias. Fernanda Marques – Sim, em boa medida representa uma revolução no setor, uma vez que meu site não se ocupa apenas de comercializar produtos, mas de fornecer subsídios para que o público possa escolhê-los e fazer boas compras, construir seu próprio espaço, enfim. Como pontuei, meus trabalhos são reflexos destas transformações: fui uma das primeiras, por exemplo, a abordar o tema lofts em mostras, em compor cozinhas e varandas gourmets. A construir ambientes wireless. Zelo – Como as transformações urbanas, a demanda por funcionalidade e a valorização imobiliária interferem na sua criação? Fernanda Marques – De forma direta. Acredito que são valores que vieram para ficar. Não podemos pensar um projeto sem levar estes fatores em consideração. Zelo – É muito diferente criar para mostra, criar para um indivíduo e criar para um empreendimento imobiliário? Fernanda Marques – Não é muito diferente. A essência criativa é a mesma. O que muda são as bases e os objetivos. Fundamentalmente, é construir algo que vai permanecer por muito tempo ou apenas ser temporário. Zelo – Você esteve em Goiânia para o lançamento de um empreendimento imobiliário cujo decorado terá sua assinatura. Quais foram as suas impressões? Fernanda Marques – Sim, estive, gostei da experiência, fui bem recebida. Sinto uma abertura pelo novo na cidade. Isso me agrada muito. Z 13


ícones

Premiada e sustentável, essa poltrona é a síntese do estilo de vida do seu criador. Ele adora surf, pescaria e marcenaria – com madeiras certificadas ou de demolição. Poltrona Astúrias. Desenho: Carlos Motta. ARMAZÉM DA DECORAÇÃO

daniel almeida arq.danielalmeida@hotmail.com

fOTOs: ângela motta

Sozinho ou em grupo, esse pendente de efeito ótico incrível insere o dourado e o âmbar em ambientes mais sofisticados. Pendente Cooper Shade. Assinado por Tom Dixon. ILUMINATO

Para sonhar A

coluna Ícones desta edição convida o leitor a um passeio pela Casa Cor Goiás 2012, a maior mostra de decoração e arquitetura de Goiás. O evento deste ano tem como inspiração a moda, presente nas texturas, cores e tecnologia. O Brasil, claro, também merece homenagens, já que está no alvo da moda mundial. Selecionamos aqui peças-chave para você exercitar a criatividade, sonhar e se inspirar no décor.

Para os disque-jóqueis dos “bons drinks”, essa peça é garantia de sucesso em qualquer ambiente inspirado. Bar americano. Feito de caviúna. Década de 50. Design americano. ELEMENTOS 14


Inspirada em retalhos de espelhos, uma série de peças assinadas pelos irmãos Campana rendeu mesas, luminárias e esse pendente superbacana. Só para iniciados no design. Pendente Campana. Irmãos Campana. Chapas irregulares de alumínio. INTERPAM

O desenho simples e a aposta de dois em um são a grande sacada dessa mesa/abajur. De madeira e cúpula de linho branco. Design naif tailandês. BOSSA BOUTIQUE

Democrática. Serve bem em qualquer fundo de quintal, laje, penthouse ou casa de condomínio. Uma das maiores preferências nacionais, tem lugar garantido no design atual. Churrasqueira Weber One Touch Silver (a carvão). ARMAZÉM DO CHURRASQUEIRO

Para pontuar o décor e encantar olhos lúdicos. Escultura The lover 2, The lover 3. Em porcelana. Artista espanhol Jayme Hayon. BOSSA BOUTIQUE

De uma série limitada e desenho único, esse novo ícone do cerrado rouba a cena em qualquer tribo, além de forte candidato a hit. Escultura Kaipó. Fibra de vidro. Artista: Rodrigo Flávio. SOB ENCOMENDA

Poucos casamentos hoje em dia dão tão certo como esse. Dois clássicos do design: as cadeiras Panton e Mackintosh. Cadeira Pantosh. Leva a assinatura de Leonardo Lattavo e Pedro Moog. Lattog Design. ARMAZÉM DA DECORAÇÃO

Essencial e versátil. Essa é a proposta desse sofá modular. Pode ocupar um ambiente inteiro ou um canto da sala. A imaginação é que manda. Sofá Campo. Módulos. Ovo Design. ARMAZÉM DA DECORAÇÃO 15


CTRL

Reggie Moraes reggiemoraes@hotmail.com fOTOs: divulgação

Arte metafísica Esteve em cartaz no Masp durante o mês de maio, a mais expressiva coleção de obras do mestre da arte metafísica, Giorgio De Chirico (1888-1978), já exposta no País. Grego, porém cidadão do mundo, viveu em Nova York e em outras cidades da Europa, inclusive Paris. Fez parte do movimento chamado Pintura Metafílistica, considerado um precursor do Surrealismo. A atmosfera é de melancolia e enigma, que os títulos das obras reafirmam, e a arquitetura está sempre presente como um dos motivos centrais da obra do artista.

Talento da joalheria Fernando Jorge é considerado um dos talentos emergentes do design de joias do momento, sendo o único brasileiro entre os dez joalheiros selecionados para expor na última edição London Fashion Week, em fevereiro passado, como parte da British Fashion Council. Esta organização visa promover novos talentos de joias finas da Grã-Bretanha. Nasceu em Campinas, passou por São Paulo e, atualmente, reside em Londres, onde formou-se mestre em design de joias. Uma de suas marcas registradas é o uso de pedras brasileiras com lapidações superespeciais. http://fernandojorge.co.uk/

Gloria Coelho Gloria Coelho lançou sua primeira coleção resort verão 2012-2013, para a imprensa e seleto grupo de convidados, no último dia 29/05, na Casa Electrolux nos Jardins. As inspirações originaramse de desenhos abstratos, bordados, joias, flower-power, anos 70, náuticos e navais. Os tecidos vieram leves e as cores incrivelmente suaves. A proposta é que as peças cheguem às lojas a partir de junho, mês que ocorre também o desfile oficial da marca no SPFW. http://www.gloriacoelho.com.br 16

Background de peso Não é exagero dizer que o D-Edge é o melhor clube de São Paulo! Já foi também eleito o 9º melhor clube do mundo, e está na ativa desde 2003. Com um background de mais de 1.000 artistas internacionais de peso já bookados. Minha noite favorita, sem sombra de dúvida, é Freak Chic, que acontece às sextas-feiras, reunindo o público mais moderno da cidade, sempre embalado pelos melhores DJs. Difícil ver pista com vibe tão boa como essa por aí. http://www.d-edge.com.br/

Sónar SP O Sónar, um dos mais consagrados festivais de música avançada do planeta, foi criado em Barcelona em 1994, onde ocorre anualmente. Desde 2002, o evento acontece em outras cidades do mundo, e em maio foi a vez de receber sua versão paulista. O Sónar SP nasceu com o objetivo de se estabelecer e ter continuidade, com programação musical e audiovisual grandiosa e componente experimental marcante. A atração mais esperada do festival foi a dos alemães do Kraftwerk. O show em 3D baseou-se na performance realizada pelo grupo em abril no MoMA, em Nova York. Apesar dos 40 anos de carreira, o Kraftwerk mostrou que ainda é um dos grandes nomes da música contemporânea. http://www.sonarsaopaulo.com.br


só para homens joão camargo neto joaoncamargoneto@gmail.com

fOTOs: divulgação

Febre No Brasil, elas estão chegando devagar, mas em Londres, Paris, Nova York e Tóquio já caíram no gosto dos descolados, usadas até com trajes formais. As meias coloridas são uma questão de estilo e humor, porque deixam as peças em evidência. O modelo apareceu por conta da onda do color blocking, que consiste em usar camisa, calça e sapato em tons fortes e diferentes. Como na moda masculina acertar nesta combinação não é tarefa fácil, as meias simplificaram a ideia. Por outro lado, o uso de calças com a barra mais curta também.

Acessório

Praia Sunga é uma peça que causa desconforto à maioria dos homens porque nunca estamos na forma física que gostaríamos. Mas alguns detalhes podem suavizar o constrangimento. Por exemplo, sungas com a lateral mais larga e com corte que se assemelha aos modelos da década de 1970 são excelentes para qualquer homem, tanto acima do peso ou em forma, pois são mais discretas.

Sedução Guess lançou nova fragrância masculina. Guess Seductive Homme foi desenvolvido focado em homens autoconfiantes, sedutores, sofisticados e de espírito livre. O lançamento, terceiro do ano, marca a primeira parceria com a Coty para fragrâncias masculinas.

Gravatas slim conferem aparência social moderna. Elas são mais estreitas que as convencionais e aceitam looks sem o formal terno ou blazer. Podem ser usadas com calças jeans, tênis e bermuda alinhada. A gravata tradicional tem entre dez e 12 centímetros na parte mais larga. A de tamanho médio, de oito a nove. Já a skinny ou slim tem de cinco a sete centímetros de largura. Num look clássico, deve ser usada com camisa de botão por dentro da calça e sapato. Em um visual despojado, porém arrumadinho, combina com calça jeans, camisa social e tênis All Star.

2013 Para o Verão, a TNG apresenta coleção inspirada no s trabalhos de fotógrafos e radiolo gistas. A inspiração em raio-X aposta em texturas e lavagens dif erentes no jeans, carro-chefe da marca. Gravata borboleta e alfaiataria em tons claros, black ou jeans, calça cropped, mais curta, com a canela à vista, e sapato Oxford bicolor são a tendência.

Premier n Recém-inaugurado, o hotel Mercure é o novo destino dos executivos, artistas e demais personalidades que pousam em Goiânia.

n O publicitário Marcelo Vitorino participou de batepapo sobre redes sociais promovido pelo Flamboyant na Casa Cor. Ele é autor do blog 18

Pergunte ao Urso, que figura na lista de leitura virtual de nove a cada dez mulheres.

n Depois do sucesso do Dinner in the sky no Parque Flamboyant, com refeições a 50 metros do chão para convidados da Toctao Rossi, o Goiânia Shopping estuda instalar um restaurante no Vaca

Brava com a mesma estrutura.

n O Pão de Açúcar Flamboyant, erguido na Avenida E, no Jardim Goiás, é o hit dos antenados que precisam fazer supermercado. A loja verde, com conceito sustentável, é a primeira do grupo fora de São Paulo.

n Macacão jeans, estampas psicodélicas em bermudas e camisas e tênis estampados marcam a próxima coleção da Coca-Cola Chothing.

n O equilíbrio do estilo nerd despojado é a aposta da Reserva, consagrada no público feminino.


19


simbiose

Casa para vestir

fOTOs: ricardo lima

Sala de jantar homenageia Chanel, com releitura do clássico

Espaço sebrae: painel de MDF assinado por reinaldo lourenço

Adevania Silveira

Projetos apresentados por 49 profissionais na Casa Cor 2012 traduzem, de forma prática e funcional, tendências do universo fashion

20

L

inhas, sinuosidades, texturas, cores, estampas, tramas. A proximidade entre moda e arquitetura não é de hoje. Coco Chanel, que se inspirava nas obras do arquiteto moderno Le Corbusier e da Escola Bauhaus, dizia que “Fashion is architecture: It is a matter of proportions”. No Brasil, as coleções de Gloria Coelho apresentam referências do futurista norte-americano Frank Gehry. Danielle Jensen, estilista da Maria Bonita, lançou, em 2010, coleção inspirada no trabalho de Lina Bo Bardi, arquiteta do Museu de Arte de São Paulo, sua obra mais conhecida. Pedro Lourenço tem forte conexão com os traços de Oscar Niemeyer. Outra infinidade de estilistas tem se lançado na criação de linhas Home, em parceria com grandes marcas, e por aí vai. Por outro lado, muitos arquitetos se apoderaram da dinâmica da moda para estabelecer fluidez e movimento aos seus projetos. O próprio Oscar Niemeyer, que inspirou a tantos, buscou no corpo feminino a curva

“livre e sensual” para expressar sua obra. Agora, mais do que nunca, esse casamento tem se mostrado indissolúvel. A Casa Cor 2012, o maior evento de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas, e o segundo maior do mundo, incorporou o tema “Moda. Estilo. Tecnologia”, em forma de homenagem à modelo internacional Gisele Bündchen, em suas 22 mostras em todo o Brasil. Se moda é arquitetura em outra proporção, como dizia Chanel, a versão goiana da Casa Cor soube expressar esta máxima muito bem. Os seus 41 ambientes, projetados por 49 renomados arquitetos, decoradores, designers e paisagistas, materializaram as tendências do universo fashion em ambientes reais e funcionais. Na mansão de 2,7 mil metros quadrados, fincada num dos cantos da Praça T-23, no Setor Bueno, todos os ambientes exploram a conectividade entre moda e decoração e demonstram que o retrô desponta como principal tendência. A italiana


Restô e lounge celebra estilo brasileiro com mobiliário de traço nacional

Missoni, a marca do famoso zigue-zague e da incrível mistura de cores e estampas – e que desde 1981 detém uma linha exclusiva para a casa –, inspirou as arquitetas Georgia Silveira e Tayná Gonçalves para projetar o Ponto de Encontro. No Espaço Sebrae, Augusto Thomé e Júnior Roriz apresentam em duas paredes um painel de MDF padrão chamalote marfim, assinado por Reinaldo Lourenço. A tendência Color Block, com peças que contrastam tons frios com quentes ou harmonizam os semelhantes, aparece no Studio Elle, de Fred Adejar, a começar pelo carpete no tom de verde água, e na Varanda Color, onde Jefferson Castro aplicou o conceito de forma lúdica e dinâmica. A própria Chanel é reverenciada com uma releitura do clássico na Sala de Jantar, de Fátima Mesquita, Márcia Albieri e Regina Amaral, e no Bar, assinado por Larissa Mafra e Marina Bastos, que reproduz a atmosfera da Galeria Vittorio Emanuele II, o shopping mais antigo

Studio elle: tendência color block contrasta tons frios e quentes

do mundo, localizado em Milão, a capital mundial da moda e do design. A modelo Gisele Bündchen, a grande homenageada da mostra brasileira de decoração, ganhou espaço na Varanda Jeans, das arquitetas Gabriella Saback e Ana Paula Munhoz, e no Lounge de Entrada e Bilheteria, dos arquitetos Ozair Riazo e Vanessa Garcia, com réplicas em papel de vestidos usados pela über model, e também no Quarto do Estudante de Arquitetura, concebido pela designer de interiores Giovana Leão Guerra. O patchwork, técnica artesanal bastante usada na moda, ganhou destaque na Cozinha das arquitetas Arytana Stefenoni e Ticiana Stefenoni Tartuce, em um painel de azulejos azuis. Na Circulação e Escada, a designer de interiores Lorena Tahan e a arquiteta Synara Coelho utilizaram vários objetos que remetem ao universo da moda, como bustos, espelhos, sapatos, assim como a iluminação feita por trilhos que lembram passarelas de desfile. Ralph

Lauren, que consagrou o estilo preppy, caracterizado por roupas e acessórios clássicos, inspirou Camila Braga na concepção do Quarto do Bebê. Texturas, estampas e cores da atual temporada de moda, como as variações de cinza, grays e prata, foram aplicados ao ambiente Uma Sala para Mônica, criado pela designer Meire Santos em homenagem à psicóloga Mônica Quinan, apaixonada por moda e antiga moradora da residência que sedia a mostra. O festejado estilista mineiro Ronaldo Fraga assina, juntamente com o designer Genésio Maranhão, o Restô e Lounge. A dupla celebra o estilo brasileiro, ponto forte no trabalho de ambos, e comprova a perfeita simbiose entre decoração e moda. O mobiliário que carrega o traço nacional eleito por Genésio, somado às estampas mais expressivas das coleções de Ronaldo, proporciona o cenário ideal para desfrutar de prazeres gastronômicos e afetivos, tal qual a roupa que aquece em um dia de inverno. Z 21


aconchegante

Oásis na cidade Loft com jeito de casa traz a natureza para dentro de ambiente e se torna refúgio para quem vive nas grandes cidades fOTO: ângela motta

Márcia Varizo e André Brandão, criadores do Refúgio urbano

Plantas, horta e cores da terra equilibram sofisticação do ambiente

Maria Cristina Furtado

E

ra para ser mais um loft da Casa Cor 2012. Mas os arquitetos André Brandão e Márcia Varizo conseguiram captar os anseios de quem vive nas grandes cidades e transformar o espaço de 80,50 m² em um “Refúgio Urbano”. O nome não poderia ser mais adequado. O lugar tem alma de casa e traz elementos típicos de uma, como plan-

22

tas e até uma horta. “Gostar de casa é uma característica do goiano. Partimos de referências como esta para criar o ambiente, mas sem cair nos estereótipos”, pontua André. Esta é a nona edição da Casa Cor que os arquitetos participam. Os primeiros traços dos projetos desenvolvidos por eles surgem da observação do cotidiano das

pessoas. “O arquiteto é como uma antena parabólica. Temos que captar e perceber como está o mundo”, diz André. As cores da terra predominam no “Refúgio”. Para contrapor a imagem de modernidade e pragmatismo comuns a um loft, a dupla recorreu à natureza. Logo na entrada, o visitante se surpreende. A impressão é de que a TV e o home teather estão flutuando. Os aparelhos ficam em um rack transparente acima do espelho d'água que abriga peixes brancos e alaranjados. Ao fundo, a parede é revestida com pequenas pedras de mica – que é um mineral de aparência brilhante. A sala inclui ainda um sofá bege e dois exemplares da poltrona Paraty, do designer de móveis brasileiro Sérgio Rodrigues, que assina ainda a poltrona Mole e as cadeiras Oscar, também presentes no loft. O ponto focal do ambiente é a “Dueto”, uma mesa de centro desenhada por André e Márcia. Na lateral, outra peça da dupla: uma mesa da linha Lou Lou que tem a parte interna em


Foto: ricardo lima

verde. Ela faz referência a Christian Louboutin, estilista que ficou conhecido por criar sapatos femininos com o solado vermelho. Apesar da integração típica de um loft, a divisão dos ambientes existe com demarcações sutis. Ao lado da poltrona Mole, que faz a divisão entre o espaço de refeições e a sala, uma banqueta de cortiça apoia a luminária da linha Kelvin, do designer de produtos francês Philippe Starck. A assinatura dele aparece também nos pendentes que ficam acima da mesa de jantar. Parte desta mesa foi revestida com laca laranja terracota. Além da função convencional, este móvel tem um outro papel. “Ele impede a passagem direta ao quarto, dando mais privacidade ao espaço íntimo”, destaca Márcia. A bancada da cozinha também se transforma em bufê. Nela, um discreto fogão elétrico passa imperceptível aos olhares desavisados. Os armários e as prateleiras superiores foram revestidos com laca fosca laranja terracota. Em um dos nichos, estão peças

do artista plástico brasileiro Romero Britto. O tapete marrom de lã natural tem nove metros de comprimento e delimita os ambientes e as áreas de circulação. Ele atravessa a sala de estar, sala de jantar e chega ao quarto. Jardim secreto A ideia era colocar a cama em meio a um jardim. Nada convencional para um quarto que tem diversos vasos de plantas dispostos em nichos de uma estante. E ela divide o espaço da sala de jantar. Esse móvel em madeira faz parte de uma pérgula que inclui um dossel e finaliza em duas estantes que formam os apoios laterais da cama. A peça, que é o ponto alto do ambiente, foi desenhada por André e Márcia e desenvolvida pela Todeschini. De acordo com os arquitetos, o dossel tem a função de diminuir o pé direito alto do local e, assim, dar sensação de aconchego ao quarto. Várias coroas metálicas nas estantes

dão um toque feminino. Elas também aparecem nas almofadas com as frases “God save the queen” e “Once upon a time”. “A intenção foi dar um pouco de humor ao ambiente”, explica Márcia. A estátua de uma onça-pintada figura do lado esquerdo da cama. O objeto kitsch confere charme e harmonia no ambiente. Para equilibrar, uma mesa redonda lateral em laranja terracota compõe a simetria pelo lado direito. O banheiro também tem o formato de pérgula. O espelho está fixado no teto. Ele divide o quarto do banheiro e a penteadeira da pia. O fator surpresa do ambiente é a torneira que surge do chão. Apoio: Armazém da Decoração, Bossa Boutique de Casa, Casa Mix, Aldeia, Bela Arte, Delta Alumínio, Interpam, Mármores e Cia, Plissé e Todeschini. Z André Brandão e Márcia Varizo Fones: (62) 3285 6554 / 8406 5880 / 8406-5872 E-mail: contato@brandaovarizo.com 23


Foto: ricardo lima

relaxante

Sóbrio e descolado

revestimentos que remetem a materiais naturais são lançados na mostra

Jeans inspira “Sala de Banho do Estudante”, pensada para jovens antenados com a moda Alice Galvão

fOTO: ângela motta

“E

u já nasci assim, criadora, criativa.” Foi com esta convicção que Rose Campos Vaz descreveu sua relação com a arquitetura. Em entrevista à Zelo, revelou detalhes do processo criativo da “Sala de Banho do Estudante”, que está na edição 2012 da Casa Cor Goiás. Pensado para um estudante de arquitetura antenado à moda e ao estilo, o conceito teve o jeans Ellus como inspiração. “A marca foi escolhida por que identifica o rapaz que eu queria ser se tivesse que ser um rapaz”, gargalha. O uso de vegetação natural humaniza o ambiente de 15 m². Rose pesquisou peças da coleção outono/ inverno da grife para a escolha dos elementos que compõem o espaço. O resultado é um ambiente sóbrio e descolado. As cores predominantes são azul como mote; cinza, preto e branco como pano de fundo. O estilo animal print aparece representado pelo caesarstone crocodile white – que é um quartzo de superfície e foi usado nos nichos e na bancada, remetendo à aparência natural do couro – e está sendo lançado no Brasil com esta exposição. As pastilhas de pedra e resina, emoldurando espelho, nicho e arandelas, também são lançamentos, assim como o porcelanato com textura de madeira usada no deck, que é resultado da técnica de impressão em HD - alta definição. Cada peça recebe uma imagem exclusiva, dando naturalidade ao conjunto. Música ambiente, iluminação difusa

24

Rose Campos Vaz: referências em coleção de grife famosa

central no teto, pontos de luz na banheira, arandelas e nichos possibilitam a criação de um cenário de relaxamento. Basta apagar as luzes do teto. Para os adeptos da cromoterapia, a banheira oferece iluminação em LED com sistema RGB. “Ela é linda e só precisa de uma tomada, uma saída simples de esgoto e uma entrada de água”, atesta Rose. Residente em Goiânia há 12 anos, a artista conta 13 participações em mostras da Capital, sendo este o seu quinto ano de Casa Cor Goiás. É graduada em Design de Interiores e Artes Plásticas pela UFG, com especialização em Iluminação e Paisagis-

mo, além de mestrado em Arquitetura. Ao atender seus clientes, busca respeitar todas as limitações e colocar seu know how a serviço do aprimoramento estético. “Mas, na mostra, eu sou meu próprio cliente, então o céu é o limite”, brinca entre risos. Patrocinadores: EBM Mármores e Granitos, Revestic, Versato, Atmosfera Casa e Luz, Studio House, Ellus, Provence, Casa Mix, Bossa, AZ, Deborah Caldeiera, Ubá, Palazzo, GR, Cristais Munique. Z Rose Campos Vaz Fones: (62) 3932 5776 / 9607 5700 E-mail: rose@rosecamposvaz.com.br


25


praticidade

varanda se torna um dos locais mais aconchegantes da casa: espaço tanto para o dia a dia como para festas

Com a versatilidade do

jeans

Iris Bertoncini

Arquitetas inserem conceito atemporal na varanda da Casa Cor e prestam homenagem quase imperceptível a Gisele Bündchen

26

N

ão se engane pelo rótulo “Varanda Jeans”. Nesse ambiente não cabem rótulos. O jeans está presente apenas nas almofadas e na manta do chaise long. Na realidade, as arquitetas Ana Paula Munhoz e Gabriella Saback adotaram o conceito do tecido mais cultuado do mundo da moda por sua versatilidade, praticidade e resistência, que cai no gosto de todos os estilistas. Apesar de jovens, as profissionais mostraram maturidade e experiência – afinal, já é a sétima vez que apresentam seus trabalhos na Casa Cor – no cômodo que tem a pretensão (e consegue!) de tornar a varanda o lugar mais aconchegante da casa.

Todo o conforto da sala, a animação da cozinha e o frescor que vem do quintal. “Aqui é um espaço tanto para ocasiões festivas quanto para o dia a dia. Ou seja, versátil, como o jeans”, disse Ana Paula Munhoz. Os 44 metros quadrados são suficientes para receber a família e amigos com conforto. As arquitetas tiveram o cuidado de escolher móveis e objetos que não se degradam com as ações do tempo. O sofá tem tecido impermeável. O armário da área gourmet tem aparência de laca, mas não é. Uma alternativa plastificada, que garante a durabilidade. O chão é de porcelanato, mas imita madeira de demolição, de tom claro. Algo que, se fosse de verdade, seria o pesadelo na hora da limpeza.


fOTO: ângela motta

Foto: ricardo lima

Ana Paula Munhoz e gabriella saback estão presentes pela sétima vez na mostra, com projeto varanda jeans

A madeira também vira referência no enorme painel de PVC. A mesa tem os pés de alumínio. A escolha de materiais práticos e resistentes (lá vêm mais duas características do jeans) permite que o ambiente seja mantido com a cara de novo por muito tempo. “A decoração foi pensada de forma que agrade diferentes públicos, além de atemporal, ou seja, nunca sai de moda”, explica Gabriella Saback. As cores neutras do sofá são quebradas pela tranquilidade do azul-marinho e pela energia do vermelho. O bronze da mesa de centro e de alguns objetos dá o toque de sofisticação. O aconchego da madeira (seja de verdade ou não) está presente nos móveis, no piso, na parede. Em tons diferentes, mas de forma harmoniosa. A humanização do ambiente fica por conta do verde das plantas, distribuídas do lado onde estão os sofás, além das cacactuas de porcelana e do cachorro de latão, que, aliás, é a grande vedete da decoração. Não há quem não faça um “carinho” na estátua do animal melhor amigo do homem. As arquitetas não se prenderam ao que está disponível no mercado. Ana Paula e

Gabriella mandaram fabricar a bancada de mármore. A peça da área gourmet se encaixa perfeitamente a uma mesa redonda, aproveitando ainda mais o espaço e dando uma forma sinuosa e moderna ao móvel, que tradicionalmente é reto. A iluminação desta área conta com uma luminária desenhada por uma designer francesa, que dá um ar zen e sustentável ao ambiente. É feita de fibra, fita crepe e tem pendentes de pedras, que parecem estar levitando. Duas telas dão charme ao ambiente. A primeira parece um sonho: árvores azuis, da artista plástica Helena Alves, uma goiana que reside em Nova York. A outra, arte abstrata em que predomina a cor vermelha, do paulista Alfredo Oliveira. Jogo Seguindo o tema da Casa Cor, “Moda. Estilo. Tecnologia”, as arquitetas Ana Paula e Gabriella homenagearam uma das personalidades mais celebradas dos últimos tempos: Gisele Bündchen. Engana-se quem acha que tem uma foto ampliada da modelo na parede. O lance é tão discreto que é quase um jogo de “Onde está

Wally”. Não vale o retrato dela que está em uma das mesas. Tente olhar de forma minuciosa a trama de PVC branca, uma espécie de painéis de elementos vazados que fecham um pouco o ambiente, sem impedir a luz e o vento que vêm do quintal. É lá que a celebridade está presente, em uma pose polêmica da propaganda de uma marca de lingerie – em que segura uma fita métrica. As próprias arquitetas desenharam a silhueta de Gisele Bündchen no AutoCAD. Depois, o processo de fabricação das peças ocorreu de forma computadorizada, no qual os cortes da estrutura foram feitos por meio de jato d’água com pressão ultraelevada. O resultado é uma ideia criativa e de bom gosto, assim como toda a Varanda Jeans, criação de Ana Paula Munhoz e Gabriella Saback. Z

Ana Paula Munhoz Fone: (62) 7813 5239 Gabriella Saback Fones: 3225 2565 / 7813 8851 E-mail: saback.munhoz@hotmail.com 27


Foto: ricardo lima

charme

Eliane Mendonça deixa sua marca em varanda: ambiente é separado em espaço gourmet e de estar fOTO: ângela motta

Estilo bem

definido

Varanda Gourmet marca preferência de arquiteta por tons claros, verde e madeira Alice Galvão

V

eterana na mostra, Eliane Mendonça completa este ano sua 12ª participação na Casa Cor Goiás. Conhecida por compor ambientes claros, fez a Varanda Gourmet rica em peças brancas, presentes nos tampos de mesa, revestimentos de sofá e objetos de decoração. “O ambiente claro exige menos iluminação artificial e remete à vida”, defende a arquiteta em entrevista à Zelo. Preparado para que as pessoas se sintam à vontade, o ambiente é separado em espaço gourmet e de estar. Eliane valeu-se 28

deste recurso para aproveitar um pilar e uma viga que passam no meio da estrutura. A ideia deu certo e o resultado ficou sofisticado. “Eu costumo tirar partido dos problemas da obra para definir meus projetos”, conta orgulhosa. A decisão então foi fechar o espaço gourmet. Como o pilar era largo e não podia ser quebrado, serviu como parede divisória e base para a construção de um balcão, que, aliado a banquetas altas, deu um ar mais despojado e estiloso ao conjunto. Este recurso evitou o isolamento da área de preparo dos alimentos, garantindo a vivência entre visitantes e cozinheiro. “O dono do espaço é culto, gosta de cozinhar e aprecia vinhos”, descreve Eliane, chamando atenção para a estante branca baixa, com livros de gastronomia, posicionada na parede oposta ao balcão e logo abaixo de um painel escuro, feito de madeira de demolição e tiras de vidro pintado. No estar da Varanda a arquiteta instalou um enorme jardim vertical de plantas naturais próprias para ambientes cobertos, com irrigação automática. Instalada e montada pela In Plant Paisagismo, empresa especializada em jardins verticais, a peça é emoldurada por uma pérgula de madeira desenvolvida pela própria arquiteta, que cobre todo o teto. Fixada diretamente no forro, a peça se adéqua ao baixo pé-direito e sua madeira combina com a dos sofás. Nas laterais do jardim, duas grandes luminárias pendentes finalizam a moldura. “A combinação de verde e madeira é perfeita para a composição de uma varanda”, sintetiza Eliane, satisfeita com o resultado. Dentre as cores que estiveram em alta este ano, a arquiteta elegeu o verde-água para as almofadas. As cores possuem papel coadjuvante no projeto, para dar charme ao ambiente. Exemplo disso é o composé de pufes que a arquiteta montou entre os sofás, usando peças de diferentes estampas e tamanhos. A tecnologia também aparece discretamente, representada por uma TV LCD afixada em frente ao balcão. A arquiteta conta que a Casa Cor já faz parte de sua história e que sente-se realizada quando seu estilo é reconhecido de imediato pelos frequentadores mais assíduos da mostra e pelos seus clientes. Z

Eliane Mendonça Fones: (62) 3241 8529 / 9975 3322 E-mail: elianearqmendonca@gmail.com


NONONONON

29


Foto: ricardo lima

Loft

Livros, jogo de panelas, perfumeiras e aparelho de chá humanizam o ambiente fOTO: ângela motta

Sinta-se

em casa

Ana Maria Miller: projeto para quem tem de passar períodos mais longos no trabalho

Inspirado em uma produtora de TV, Ana Maria Miller mostra como o local de trabalho pode ser funcional e aconchegante Alice Galvão

T

rabalhar na produção de um programa jornalístico é tarefa dinâmica e a profissão acaba por influenciar o estilo de vida do profissional que a exerce. Una-se a isto o fato de que a personagem é uma mulher e trabalha na TV Anhanguera. Pois este foi o panorama que inspirou a arquiteta Ana Maria Miller a traçar um perfil arquetípico e criar o Studio Tecnológico TV Anhanguera para a edição 2012 da Casa Cor Goiás. “Eu pensei em uma mulher que mora em condomínio horizontal, mas que eventualmente precisa dormir, tomar banho ou comer no local de trabalho”, revela a arquiteta, apresentando à Zelo seu ambiente. É um loft, com área íntima isolada por porta de vidro refletente. “Quando a porta está fechada e as luzes do quarto apagadas, quem está no escritório e na sala de estar não enxerga nada lá dentro”, demonstra Ana Maria. Predominam os tons pastéis e bege, salpicados por alguns objetos nas cores cinza e vermelho. Almofadas e telas com temas que remetem à moda trazem descontração. Na cortina, as cores e linhas horizontais quebram a verticalidade geral e dão uma cara

30

mais “estilosa” ao local. Livros, jogo de panelas colorido Le Creuset, aparelho de chá de prata e perfumeiras da Renata Arantes humanizam o lugar, compondo um cenário familiar com o painel de fotos dos colegas reais de trabalho da produtora fictícia. Este painel tornou-se interativo, pois os visitantes foram convidados a afixar nele recadinhos para os jornalistas retratados. No espelho do banheiro, um efeito visual flutuante. “É uma brincadeira muito fácil de fazer. Fixei um pedaço quadrado de madeira na parede e coloquei o espelho por cima, só isso”, orgulha-se a arquiteta. Prevalecem as linhas retas, suavizadas por uma cristaleira de aspecto antigo no quarto, com função de guarda-roupas. Cama grande, com cabeceira encostada em parede revestida de papel, da Silvia Heringer, imitando tecido de linho. Para a iluminação, não poderia faltar o charme dos reflexos, que desde o ano passado representam uma marca registrada da artista. O efeito é causado por duas mesas com tampo de espelho ao lado da cama. Sobre cada uma delas, Ana Maria posicionou uma luz, cujo reflexo forma desenhos na parede e no teto. É uma espécie de luminá-

ria alternativa, ilusória. Peças de design cedidas pela Ventura Interiores dão personalidade ao conjunto, que tem no mobiliário uma inovação, graças à parceria com a Bontempo. “Eu fiz uma bancada que é móvel dentro do ambiente”, explica, completando que o projeto da peça permite que ela seja embutida, para baixo de uma estante, girando sobre o próprio eixo, sem que as gavetas e armários da peça sejam prejudicados. Por fim, fogão cooktop de vidro e duas chamas, torneira com filtro embutido na pia, forno micro-ondas e minigeladeira embutidos nos armários da cozinha. Tudo muito prático e limpo. A arquiteta Ana Maria Miller participa pela décima-primeira vez da Casa Cor Goiás e conta com o apoio de Bontempo, Cosentino/Silestone; Cozin-Air; GR High End; Renata Arantes Casa; Silvia Heringer Decorações; Studio Luz; Ventura Interiores, Versato Acabamentos e TV Anhanguera. Z

Ana Maria Miller Fone: (62) 3945 7460 E-mail: mahanaim.arquitetura@gmail.com


NONONONON

31


vinhos

Para degustar tranquilidade e

sofisticação Requinte e simplicidade se harmonizam em Adega projetada para encher os olhos e oferecer bem-estar a apreciadores da bebida fOTO: ângela motta

Alice Galvão

A

Karine Espírito Santo e Carine Rocha: projeto reúne conceitos de moda, estilo e tecnologia

32

liviar o peso da rusticidade, imprimir leveza e sofisticação ao ambiente de armazenamento e degustação de vinhos foi a missão assumida por Karine Espírito Santo e Carine Rocha na elaboração da “Adega”, para Casa Cor Goiás 2012. Como resultado, um ambiente que consegue acalmar até o mais inquieto dos visitantes, combinando tons escuros, texturas aveludadas, iluminação difusa e discretos brilhos. Animadas para a mostra, as artistas conversaram com a Zelo, revelando detalhes do projeto. “Não queríamos criar um projeto mirabolante, porque a adega funciona de verdade durante a mostra”, esclarece Carine Rocha sobre o cuidado em equilibrar conceito e funcionalidade. Para isso, as sócias investiram nos detalhes. A pesquisa de elementos dentro do universo enológico faz jus ao tema da mostra, que este ano é: Moda. Estilo. Tecnologia. As cores e texturas foram pensadas observando tendências do mundo fashion para o inverno, como tons de marrom, cinza, bronze e bordeaux. Em harmonia, materiais como veludo, madeira, pedra e couro convivem com espelhos, vidros, cristais e LED. Mas a novidade mais charmosa fica na parede de fundo, atrás do balcão do bar e de frente para a entrada, responsável pela primeira sensação do visitante: um painel de mármore italiano translúcido com iluminação especial. Para as arquitetas, a peça é uma


Foto: ricardo lima

Combinação de tons escuros, texturas aveludadas e discretos brilhos dão toque de sofisticação ao ambiente. ao fundo, painel com iluminação especial

alternativa mais acessível e tão requintada quanto o ônix italiano. Outro mimo, desenhado especialmente para o evento, é o painel matelassado, que fica do lado esquerdo de quem entra no ambiente. Feito de uma combinação de módulos, cada um reproduzindo o desenho de taça ou garrafa, a peça forma um mosaico temático. As pontas das “garrafas” receberam pontos de fibra óptica, dando um efeito visual de céu estrelado. A escolha do tecido em matelassê teve como inspiração o estilo clássico empregado por grifes importantes como Channel e Dior. “Esta composição tem tudo a ver com vinho, porque cria um cenário romântico”, abstrai Karine Espírito Santo. A mesa em frente ao balcão do ambiente protagoniza um dos seus efeitos mais bonitos: o espelho na parte inferior do móvel se inclina em direção ao balcão, forjando continuidade para o piso de madeira. É como se uma peça completasse a existência da outra, oferecendo naturalidade e fluência visual. Do lado de fora da adega,

as arquitetas criaram um ambiente complementar, colocando na parede um painel de madeira que dá a ilusão de mosaico de rolhas, combinado a dois vasos da Ubá, poltronas design e mesas de Eero Saarinen. Sintonia Segundo as idealizadoras, que se formaram juntas em 2002, sua sintonia criativa e o engajamento dos fornecedores foram fundamentais para a concretização do conceito em um espaço de tamanho (36m²) e estrutura desafiadores. “Tiramos partido do teto para criar um efeito curvo nas laterais, partindo do conceito de cave”, começa Carine Rocha, “...e usamos os dois pilares e a viga, que ficam no meio do ambiente, a favor do conceito”, completa Karine Espírito Santo. A dedicação à mostra foi grande e os clientes da dupla compreenderam a ausência das profissionais neste período. “No último mês de produção, ficamos quase que exclusivamente por conta da mostra”, enfatiza Carine. Dentre as adaptações do projeto, des-

taca-se ainda a garrafeira de vinho, que tem mecanismo especial de armazenamento. “É um sistema belga, com uma inclinação que deixa o vinho em contato com a rolha”, explicam as arquitetas, ressaltando ainda a versatilidade do objeto, que pode ser colocado em adega climatizada, ocupa menos espaço do que as garrafeiras tradicionais e oferece visualização dos rótulos sem manuseio das garrafas. Visitar a adega da Casa Cor Goiás 2012 é mergulhar em tranquilidade e sofisticação. Significa percorrer o universo criativo de Carine Rocha e Karine Espírito Santo e conhecer novas possibilidades de composição entre tradição e contemporaneidade. Z

Carine Rocha Fones: (62) 8407 8218 / 7815 3080 E-mail: carinerocha@terra.com.br Karine Espírito Santo Fones: (62) 9249 8080 / 7812 8042 E-mail: karinearquitetura@gmail.com 33


Foto: ricardo lima

convidativo

Elegante e prático, ambiente decorado por Simone Sebba harmoniza o luxo e a questão ambiental

fOTO: ângela motta

E que Closet!

Decoração amplia Espaço de apenas 14 metros quadrados

Geovane Gomes

Q

uem passa pelo “Closet” decorado pela designer Simone Sebba, na Casa Cor Goiás 2012, não percebe o quanto o espaço é pequeno. O ambiente de apenas 14 metros quadrados é uma representação do contemporâneo com um toque clássico. Simone conta que a “proposta foi fazer um espaço intimista, elegante, prático e que, acima de tudo, atendesse a todas as necessidades do usuário”. Pensado e analisado em função do espaço, a designer desenvolveu a proposta ideal para o ambiente. O armário foi todo desenhado de acordo com a disposição do lugar. O material usado na construção foi o MDF, revestido com uma lâmina de madeira dando efeito de riscato na pintura, uma inovação no mercado apresentado pela empresa Neumann. Para compor o espaço, ela criou um nicho em formato de caixas onde podem ser acomodados bolsas, joias e outros objetos. Paralelo ao armário, uma parede de espelho dá a amplitude necessária ao closet. Sobre a penteadeira, Simone abusou da criatividade, uma chapa de acrílico em dourado foi desenhada exclusivamente com elementos que combinam com a cortina, toda feita à mão. E por falar em trabalho ma34

nual, a poltrona preta em veludo, que dá o toque clássico ao ambiente, é carregada de histórias e serviços manuais. A manta acomodada à poltrona é fabricada com restos de tecidos, assim como as almofadas em formato de bola. Trabalho feito por um grupo de mulheres presidiárias no oeste do Paraná. Simone Sebba sempre buscou pautar seu trabalho pensando na questão ambiental. Na iluminação, foram usadas lâmpadas fluorescentes, que ajudam na economia de energia e não esquentam o espaço. As gotas de cristais que descem pelas luminárias deram ainda mais luxo ao closet. Outro detalhe é um sensor de presença que liga automaticamente os LED presentes em todos os cabideiros. O papel de parede na cor dourada, com textura de tecido, foi aplicado nas paredes e no teto para dar claridade ao ambiente, novidade trazida de fora do Brasil pela Revestic. Ao entrar no closet, é fácil notar todo luxo e elegância, mas só ao sair do espaço é que se percebe que o ambiente conta com uma porta envelhecida, trabalho feito pelo artista plástico Hanilson Divino Silva, da cidade de Pirenópolis. Na porta, a representação de uma criança de rua mostrando toda a submissão e o contraste entre o

simone Sebba: contemporâneo com toque clássico

luxo e o lixo. Assim é o projeto de Simone, um espaço caracterizado pela riqueza de detalhes. O ambiente é o lugar que traz literalmente a proposta da Casa Cor 2012. Afinal, a moda que está nas passarelas não teria outro lugar mais convidativo para ficar, a não ser no Closet de Simone Sebba. Z

Simone Sebba Daher Fones: (62) 3092-2261 / 7811-4307 E-mail: simonesebba@hotmail.com


35


Foto: ricardo lima

Quadros

Obras de artistas de Goiás são destaque nos ambientes da Casa Cor (loft)

fOTOs: hektaphoto’s

Arte emoldurada Obras de goianos ganham destaque nas paredes da mostra Geovane Gomes

obra de Siron Franco faz parte do acervo (garagem)

Nonatto retrata Frida Kahlo (quarto da moça )

36

E

les vão do clássico ao contemporâneo, do abstrato ao traçado real. Os quadros sempre despertam a curiosidade do imaginário e conseguem expressar sensações. Na 16ª edição da Casa Cor Goiás, essas obras tiveram grande destaque. A lista de artistas locais inclui nomes conhecidos, como Marcelo Solá, Pitágoras, Antônio Poteiro, Helena Alves, Carolina Isaac e Siron Franco. As curvas perfeitas da top model Gisele Bündchen ganharam destaque em uma tela feita exclusiva para a exposição. E por falar em moda, o artista plástico Mangabeira inspirou-se nesse universo para compor a tela que remete à marca inglesa Burberry. Até mesmo a maior pintora do século XX, Frida Kahlo, foi imortalizada nas mãos do artista Nonatto. A arte, em cada um dos cantos representados, parece ter se encaixado facilmente ao ambiente. Difícil passar pela Casa Cor e não levantar os olhos para reverenciar essas obras. Z

Gisele Bündchen no olhar de Pitágoras (quarto do estudante de arquitetura)

obras de marcelo solá (studio mariotto)


37


fOTO: ângela motta

expansão

ânia. Fomos felizes porque pegamos um momento bom em Goiás, que foi o início dos condomínios horizontais. Qual a tradição que a Portobello sempre buscou seguir? Somos um grupo que primou desde o início por ter um produto de vanguarda. Ela preferiu sempre fugir daquela coisa do mais barato e fazer um produto realmente de qualidade. Quando se fala em produto cerâmico, a imagem de excelência que vem sempre é Portobello.

Sucesso no mercado faz Paulo vaz acenar com aumento de franquias no Estado

O investimento e o revestimento que deram certo Munido de um produto de vanguarda, Paulo Vaz atribui ao crescimento imobiliário o sucesso da Portobello em Goiás Geovane Gomes

D

epois de 15 anos morando fora da capital goiana, Paulo Vaz encontrou na Portobello Shop a oportunidade perfeita para retornar às origens. Com o mercado imobiliário em alta, ele não teve dificuldades para lançar a primeira franquia da Portobello na cidade, ainda no ano de 1999. Com a empresa já consolidada, veio a proposta para a criação de outras três lojas no Estado. Paulo acredita que a inovação seja responsável pelo sucesso dos revestimentos comercializados pela empresa. 38

Como foi sua chegada à Portobello e a arrancada no Estado de Goiás? A Portobello tinha iniciado seu projeto de expansão de redes em 1998. Em 1999, eu estava há 15 anos longe de Goiânia, e fiquei sabendo desse interesse da Portobello de abrir a sua primeira loja na cidade e me credenciei. Abrimos a primeira loja em 1999. Depois disso, abrimos a segunda loja, a de Anápolis, em 2006. Em 2008, abrimos a terceira loja, em Rio Verde, e a última loja, a mais moderna que nós temos, que fica no Setor Marista, em Goi-

Como a empresa hoje busca conquistar todos os públicos, desde o pequeno até o grande consumidor? Há pouco tempo, sempre falavam que a Portobello era um belo de um produto, mas caro. O consumidor, o cliente, até os profissionais da área tinham um pouco essa visão. De uns cinco anos para cá, houve um esforço muito grande da franqueadora, da nossa marca, para criar o que nós chamamos de escala. Se você quer um produto mais em conta, sem abrir mão da qualidade Portobello, temos um produto um pouco mais simples com um design não tão elaborado, mas é um Portobello. Quais as preocupações da Portobello em relação às questões ambientais? Eu acho que somos a marca de cerâmica que mais se preocupa e mais tem atuado nessa área. Quando a jazida, por exemplo, é esgotada, há todo um trabalho de recomposição da flora daquela área. Até no reaproveitamento de produtos que não seriam reaproveitados. A linha Gold, por exemplo, nem é um lançamento, mas é um produto inspirado em madeira de demolição. São porcelanatos que reproduzem madeiras, e com isso você tem um produto cerâmico com a mesma reprodução estética da madeira, sem ser a madeira. Os próximos projetos da empresa? A questão da sustentabilidade é uma preocupação que vai aumentar cada vez mais. Também estamos preocupados em continuamente ser uma empresa de inovação, ser reconhecida como uma marca de ponta. A rede vai continuar o movimento de expansão. Há a possibilidade de mais uma loja aqui no Estado de Goiás, mas ainda não temos a definição de qual cidade. Z


NONONONON

39


evento fOTOs: ricardo lima e hekta photo’s

Pedro Ernesto Gualberto e Leandra Castro

Cláudia Zuppani e Daniela Haick Mallard

Sheila De Podestá, Eliane Martins e Valéria Perillo

Fabiana Bellini e Marcu Bellini

Fernando Galvão e Adriana Mundim

André Brandão e Márcia Varizo

paulo vaz

Simone Sebba e Wellyngton

Arquitetura em parceria com a moda A 16ª edição da Casa Cor Goiás busca um diálogo entre a moda e a arquitetura, e apresenta o tema “Moda. Estilo. Tecnologia.” Na festa de lançamento, arquitetos, designers e personalidades políticas, como a primeira-dama do Estado, Valéria Perillo, marcaram presença. Quem passou pela casa mais charmosa da cidade, localizada na Rua T-34 com a Praça T-23, no Setor Bueno, foi recebido com um jantar italiano. A exposição é comandada pelas arquitetas Eliane Martins e Sheila Podestá.

Ednara Braga, Ana Paula e Flávio Paraguassú

mauro camilo, Beatriz Arruda e mardem emídio

Danilo Ludovico, Carol Gubert, Daniela Loudovico e Luanne Tahan

Marcus mestre e andré leite

Eliane Mendonça e Marcos Patti Katia Novak , Nando Nunes e Regina Coeli 40


Léo Romano e Maria Abadia Haich

ana paula munhoz e gabriela saback

Ana Paula de Castro e Sanderson Porto

paulo e Patrícia Martins Sepulveda

Augusto Thomé, Júnior Roriz, Clarismar Machado, Jefferson Castro e Leonardo Fleury

márcio e rose vaz

Tayná Gonçalves e Geórgia Silveira Rose Pinheiro e Cida Marcante

Alessandra Isaac

genésio maranhão

Mônica Chaves e Karina Siqueira

driano Mello e Frederico Adjar

NAna Núbia Jacob

Roberto Lima e Ricardo Lima

Daniel Henrique e carlo batistella

helen simone e flávio pereira

wanessa rodrigues

fátima mesquita e regina amaral

41


evento fOTOs: ricardo lima e hekta photo’s

hilberto santana e edmara cavancante andré luis e priscila rassi

mônica quinan

Rafael Mesquisa, Sérgio Marques e madalena marques

andreia rocha lima e cláudia ducatti

Sílvia Heringer e ana maria miller

Tana Lobo e Cristal Lobo

luciano tavares e renata dias

synara coelho e lorena tahan

ana luiza costa simone sebba e maria eloisa silva

alessandra lobo e jorge kunzier

42

meire santos


NONONONON

43


afinidade

Labirinto de

diversidade

©Não para se perder, mas para se encontrar

diante do admirável. Ambientes tão diferentes, tão costurados num desenho colorido e poético que o olhar se esparrama com vontade para todos os lados. Esse lugar é o AZ Armazém da Decoração Max Miranda

A

li, objetos de desejos múltiplos são parte a parte estruturados num grande Armazém. Assim é o espaço, assim são Abadia e Daniela Haick, mãe e filha demonstram claramente a paixão pela parte que as toca: o Armazém. Numa poltrona confortável, cappuccino e vários “boa-tarde” passaram por mim. Bebi um, e o chocolate animou mais a pequena espera. Aguardava uma entrevista com Abadia. Ela chegou, organizou rápido nosso canto para a conversa. Mais café, “coado no coador, por favor”, pede Abadia. Tomamos e naturalmente um sempre “por que” na conversa. “O porquê do Armazém?”, ela pergunta. “A concepção do nome vem da minha formação como pessoa nesse mundo, que foi criada dentro de um armazém de secos e molhados do meu pai, em Uberlândia, Minas.” Mineira, chega a Goiânia em 1972. Muitas histórias de trabalho e vida. No final dos anos 1990, nasce o Armazém, “em homenagem ao meu pai, Talific Haich”. Três palavras, segundo Abadia, também definem a loja: “Abundância, generosidade e prosperidade. “Convivi no armazém do meu pai com todas essas palavras”, conta ela, que confessa ser o pai o maior inspirador. Uma história anterior para explicar ainda melhor o porquê do nome: “Quando fomos à Espanha, 44

eu e minha filha Daniela, no Sul da Espanha, tive uma experiência única, isso em 1997. Vi um armazém colonial, antigo, poético e emocional. Ali eu sabia o nome da loja em que íamos inaugurar em breve.” Mulher diante de muito trabalho, comenta que não trabalha com unidade, “me direciono à diversidade de produtos”. O espaço é interior de muitas linguagens. “Lido com a curadoria de pessoas com uma visão de mundo traduzida em objetos, porque o Armazém não tem fronteiras. Acredito nesse trazer constante de referências, criações desse mesmo mundo inteiro. A dinâmica é a diversidade, não é etnia, mas sim a cultura. A casa tem essa essência”, completa. Abadia não esconde a admiração e o sentimento pelos afazeres administrativos, e fala com prazer e contentamento: “Temos nosso jeito de receber, é um espaço livre, aberto às mudanças, uma casa de amigos. Nossa sobrevivência aqui tem poesia, afetividade e intimida-


fOTO: ângela motta

Abadia e Daniela Haick: Mãe e filha se empenham em receber bem os clientes

de.” Afirma que um dia de trabalho não só se faz com meta e objetivos, “mas envolvimento, paixão”. Abadia traduz sua envoltura com o Armazém de “visceral”. Diz ter a mesma afinidade com os três filhos: “E todos são envolvidos de uma forma ou de outra, mas Daniela tem um apuro estético mais afinado com tudo isso.” A mãe não deixa de dizer: “Temos afinidades de alma gêmea.” O Armazém, segundo Abadia, tem essa grata síntese: “Emoção, amor, paixão.” Uma mulher de sensível equilíbrio mostra esta explosão de paixão nos espaços que estruturam o todo do ambiente. “Amo. Não sei até aonde vai Abadia e não sei até aonde vai o Armazém. Não me confundo, claro, sei onde está cada pessoa em cada papel.” O lugar, de acordo com Abadia, provoca um anseio por pesquisa, “às vezes absolutamente ousado porque nas linguagens estão todos os níveis da arte”. Sobre a Casa Cor Goiás, comenta ser um

acontecimento importante: “Um empreendimento para o Estado. É uma resposta aos parceiros, um grande desfile, uma intensa mostra com resultado positivo. Uma forma sólida de proporcionar satisfação aos parceiros que apostaram na gente. Um momento de pesquisa, motivação e encontro; que não é uma disputa, é um contato com o todo, um palco fraterno.” Sala Conceito Entre as divisas de um labirinto colorido, quadrado e sinuoso, está a Sala Conceito. “Concebida pelo arquiteto Leo Romano, que conhece bem a identidade da loja, desenhou a essência do Armazém numa sala.” A sala era um depósito que foi transmutado noutro ambiente. “A expectativa era que fosse uma sala museu, não no sentido estático, mas com o compromisso de mostrar a beleza plástica. A sala é um teatro de objetos.” E um valoriza o outro, que formam um todo inspirador. “É uma sala mágica, e todo dia ela me emociona porque é diversa, móvel.” A Sala Conceito ganhou o II Prêmio Casa Cláudia Design de Interiores, entre as melhores lojas do Brasil. Abadia completa: “O ambiente é uma síntese, um presente atualizado emocionante.” Deixa claro que “o Armazém é tudo que eu posso”. Para escolher tudo que está à mostra, ela não tem dúvida: “Olhar tem que bater o coração, se não pulsar não vale.” Mulher de bagagens sempre prontas para algum continente, comenta o porquê de levar o olhar para viajar: “Viajo, no mínimo, duas vezes por ano. Me qualifica mais. Me vejo pesquisando o tempo e esse excesso de criatividade que o mundo tem.” A emoção diária movimenta a vida de Abadia. “Tenho envolvimento com tudo com pura intimidade. Delicadeza e carinho com os clientes são uma constância que preservamos, pois entramos na casa de nossos clientes, e eles frequentam a nossa também. Tem que haver uma intimidade hospitaleira.” Abadia retoma: “Não é faz de conta não. Nasci mesmo hospitaleira porque meu pai era muito assim.” Para ela, a expressão do Armazém apresenta hospitalidade, bom gosto e referência estética. Sobre uma possível mudança e tal, de lugar, Abadia traz a presteza do sentimento: “É aqui que a gente está, é aqui que a gente pode estar.” Vida cotidiana cheia de compromisso, ela ensina que “a disciplina” ajuda muito. “Acordo cedo. Tenho um corpo que precisa de mim: faço pilates, malhação, caminhada e terapia. Sou empresária, avó, mãe, mulher, amiga...” Estudar enriquece: “Ser o que sou me faz estudar. Leio muito. O Armazém me faz mergulhar nas pesquisas constantes. Um pé na poesia, um pé na realidade. Estudar o mercado, que tem uma linguagem muito rápida. O varejo é o termômetro do mercado.” Daniela, sumida, aparece na sala e uma pergunta apenas sobre o espaço que comanda: “Miscelânea, sonho, design. Garra para trabalhar e criar.” Voltamos à entrevista: “Leio muito, atualmente, Osho. E também leio revistas várias, assisto à TV. Lazer? Uma sessão de cinema. No domingo à noite, nas últimas sessões.” Nos levantamos e fomos ao passeio pela loja. Andamos, conversamos, andamos, paramos, conversamos. “Teatro de objetos, teatro de desejos, forma, poesia, diversidade, beleza, bem-estar e emoção” foram algumas palavras ditas durante a viagem. Paramos e encontramos o idealizador da Sala Conceito, Leo Romano: “É uma galeria que coloca o mobiliário, com uma divisão importante, e a função de valorizar o produto. A sala tem um jeito livre.” É imenso, colorido e ainda tem um bosque para fumantes. Sim, bosque para clientes fumantes. Armazém é ainda respeito. Z 45


fOTOs: divulgação

Fashion

coleção da Missoni Home, lançada oficialmente durante o salão de milão

Missoni:

Uma ideia de sucesso A convergência entre a moda e a arquitetura por meio das estampas Geovane Gomes

H

á mais de 60 anos começava a história de sucesso da estampa Missoni. Assim como em 2012, no ano de 1948, Londres sediava as Olimpíadas. Foi nesse período que Rosita Jelmini conheceu Ottavio Missoni, um atleta italiano e fabricante de uniformes. Juntos, mais tarde o casal veio a se tornar um ícone da moda, com a criação de estampas em formato de listras coloridas e super-harmônicas. Rosita, que também passou a carregar o sobrenome Missoni, tornou-se referência no mundo fashion ainda nos anos 60. A irreverência de seu trabalho tinha uma forte presença do estilo hippie, mas por outro lado era sofisticado e original. Não demorou muito para as estampas ganharem as

46

passarelas. Logo em seguida, já podiam ser vistas na decoração de ambientes. Com a diversificação desta ideia simples, a Missoni se tornou uma rede de produtos. A empresa é responsável pela comercialização de móveis, itens de cama, mesa e banho, cortinas, tapetes e almofadas. Hoje, a loja italiana está espalhada por todo o mundo, inclusive no Brasil. O estilo caleidoscópio com cores vibrantes está presente também na Casa Cor Goiás 2012. As arquitetas Georgia Silveira e Tayná Gonçalves apostaram no estilo Missoni para compor o ambiente de descanso. Os móveis de madeira em estilo rústico da varanda ganharam irreverência ao se contrapor com o mais famoso traçado italiano. Z

converse/ missoni


home/missoni

acessรณrios missoni

cOCA-COLA /MISSONI

Stella McCartney/missoni prada/missoni

fOTO: ricardo lima

As arquitetas Georgia Silveira e Taynรก Gonรงalves apostaram no estilo Missoni para compor o ambiente na casa cor

havaianas/ missoni

47


z mais redacao@revistazelo.com.br

fOTOs: ricardo lima

varanda jeans

Aposta no mix de produtos

ponto de encontro

A Summerflex aportou no mercado goiano há seis anos, e o sucesso não demorou muito. Já no primeiro ano, ela chegou à Casa Cor e não saiu mais. Na mais recente edição, nove ambientes carregaram o nome da marca. No lounge de entrada da mostra, o piso laminado e o painel branco pertencem à empresa. Os papéis de parede produzidos pela Summerflex conquistaram os ambientes do Banheiro Público, Varanda Jeans, Varanda Collor, Lavabo do Café e a Circulação/Escada. Clarismar Machado, representante da Summerflex, destaca a forte presença de painéis e toldos nesta edição, o que tem chamado a atenção do visitante. E por falar em atenção, o tecido no estilo Missoni, que cobre uma das paredes do ponto de encontro, merece destaque. Clarismar acredita na importância da mostra para a empresa. “Nosso objetivo principal é fortalecer parcerias e aumentar o número de vendas em relação ao consumidor.”

varanda collor

Prima Iluminação marca presença na Casa Cor Goiás 2012 Na edição deste ano da Casa Cor Goiás, na principal mostra de decoração do Estado, a Prima Iluminação retoma a parceria de sucesso com a dupla criativa Alessandra Lobo e Simone Sebba em dois ambientes. Alessandra ficou encarregada de conceber o “Banho do Bebê”, um ambiente que é um misto de banheiro e sala auxiliar para o quarto do bebê. Para criar um clima aconchegante e lúdico, a arquiteta fez uma aposta muito bem acertada: na parede do fundo, inseriu uma sanca superior que ilumina o ambiente e dá mais profundidade ao espaço, ao mesmo tempo que deixa o teto livre e cria um sofisticado efeito de luz indireta com lâmpadas fluorescentes. Para a alegria da garotada, ela usa plafons embutidos com lâmpadas LED que mudam de cor e dão um toque especial com as microlâmpadas embutidas, que deixam o banho do bebê charmoso e tranquilo para os momentos relaxantes do banho e da 48

closet

amamentação. Já Simone Sebba faz uma proposta bem marcante para o “Closet”. Sonho de muitos, o “walk’n closet” é iluminado pelas geniais peças embutidas com lâmpadas fluorescentes que, além de ter um preço bem acessível, cria um elemento gráfico retangular no teto e contribui para deixar o ambiente mais longilíneo.

Detalhista, Simone investiu pesado no último grito da moda em iluminação, as fitas de LED. Usou e abusou das fitas nos nichos e nos armários, onde cria efeitos iluminando vidros. Destaque para o espelho que é iluminado pelo fundo. Para dar mais personalidade ao ambiente, também foram usadas lâmpadas dicroicas embutidas com elementos em cristal.


milão Cipós são usados como peça de decoração no projeto de Laciana Taquary

fOTOs: divulgação

fOTO: edgar césar

fOTO: arquivo pessoal

Sob a mesa, cipó vira elemento decorativo em Milão

Forma artística de armários e coifa em forma de luminária também estão entre as tendências apresentadas

PROJETO 2009 - LACIANA Taquary

A Milão que eu vi! Traçando um paralelo entre a capital goiana e Milão, a arquiteta Laciana Taquary apresenta seu ponto de vista sobre a maior feira de design de móveis do mundo Laciana Taquary

N

o mundo da arquitetura, tudo o que vemos na Feira de Milão é tido como tendência para aquele ano. Partindo desse princípio, posso afirmar que a produção arquitetônica brasileira e goiana está muito bem representada. Temos trabalhado bem dentro das tendências mundiais. O conceito de cozinhas e banheiros como ambientes de estar, que já trabalhávamos, foi ainda mais explorado. O uso reduzido de revestimento, a forma artística de composição dos armários, que já fazíamos, continuam, mas ganham novos aliados. Os eletrodomésticos desaparecem, recebendo portas do mesmo material dos armários. As coifas cada vez

mais se parecem com luminárias pendentes. Nos banheiros, as bacias sanitárias e bidês aparecem nesta edição da feira camuflados com design e função de bancos; alguns ganham até estrado de madeira e podem receber futôns. Para mim, a grande inspiração foi a união, cada vez mais interligada, da moda com a arquitetura. Percebo que um pode e está a cada dia mais influenciando e enriquecendo o outro. Nos salões da feira, vi, por exemplo, tapetes formados por etiquetas de roupas. Já nas ruas do quadrilátero da moda, vi cadeiras de design servindo de showcase para demonstração de bolsas em vitrines.

Laciana Taquary na feira de milão: novidades

Elementos da natureza usados como peças-chave da decoração continuam sendo uma aposta para ambientes cada vez mais acolhedores. E a imaginação segue... Procurando a cada dia reproduzir melhor e de forma mais original os desejos e necessidades dos nossos clientes. Z 49


fOTOs: divulgação

milão

Cadeiras Broom Chair: plástico reciclado

Show de cores e formas Reutilização de materiais e produtos para cozinha são novidades apresentadas pelo Salão Internacional de Milão

Lucíola Correa

B

em-vindos a mais uma edição do Salão Internacional do Móvel, realizado há 51 anos em Milão, na Itália. Em 2012, o evento apresentou ao mundo, em abril, o que há de mais funcional e tecnológico à disposição no mercado da decoração. A reutilização de materiais para criar novos produtos chamou a atenção, como a cadeira Broom Chair criada pelo designer francês Philippe Starck em par-

ceria com a Emeco, que tem sede na Pensilvânia (EUA). Lá, 90% do plástico utilizado para a fabricação das peças, que podem ser produzidas em diversas cores, é reciclado. Buscando sempre surpreender, os pavilhões, que em anos pares abrigaram a Eurocucina e o Salão Internacional do Banho, também trouxeram pela primeira vez as últimas tendências de equipamentos e acessórios para cozinha. Z Fotos: Divulgação Cosmit

Cozinha Mobiliário em madeira, em linhas retas, e utensílios de cozinha que assumem a função de objeto de decoração: tendências apresentadas pela Eurocucina em 2012. 50


Contraste Propostas marcadas pela presença de cores impactantes, como o vermelho, contrastam com projetos discretos em tons off white. A busca pelo conforto e pela organização é percebida sutilmente pela participação da madeira, em tom natural ou colorida, em estantes que se tornam as estrelas do ambiente.

Pedras O banheiro se transforma em um novo ambiente da casa, tornando-se um local de repouso, quase um spa. O uso da madeira, em diversas tonalidades, aliado à exploração do potencial artístico de pedras naturais como mármore e ônix, reflete a tendência de tornar materiais básicos em peças de design, marcados pela presença de iluminação embutida no mobiliário ou nos espelhos. 51


lOJA

Rústico às claras Peças de demolição se destacam entre materiais utilizados na composição de espaço comercial pensado para proporcionar conforto e praticidade fOTOs: ricardo lima

tIJOLOS DE DEMOLIÇÃO se destacam de forma imponente entre materiais utilizados em espaço projetado por Nando Nunes: conforto e praticidade

Max Miranda

N

ando Nunes, designer de interiores, outra vez aplica habilidade em mais um projeto brilhante. Brilhante de ser um espaço com a claridade presente no ambiente da loja: um lugar para exposição de produtos e com uma atmosfera favorável ao aconchego do cliente. Liu é a segunda loja idealizada por Nando. Liu, que também é a proprietária, comenta que a parceria é produtiva: “A inspiração dele foi certeira; acertou na hora de unir o rústico com pitadas elegantes de glamour. Nando não só oferece a formação da ideia, dá assistência total.” O designer adianta que a terceira loja já está sendo concretizada. Para esse projeto, Nando compôs sofisticação aliada ao rústico, e ainda elementos não só chiques, não só luxuosos, “mas práticos e confortáveis para o bem-estar do cliente”. Usou tijolos de demolição – “que 52

não foram tão fáceis de encontrar” – que ficam aparentes em pilastras de cinco metros de altura. “Essa imponência dos tijolos se mistura ao acabamento que foi idealizado totalmente para ressaltar as marcas que circulam pelo ambiente claro. Claro para servir de exposição permanente de um mix de acessórios de qualidade.” Para pisar, Nando escolheu passagens claras, como o branco, “para valorizar o produto. A composição pedia um piso assim”. A loja tem faces que dividem os ambientes: “Um lounge para maior comodidade de quem espera, com TV e poltrona confortável.” E ainda, aos sábados, segundo ele, evento gastronômico para degustação – sempre com a presença de um novo chef. Ao lado, o rústico se apresenta novamente em forma de madeira de demolição, que serve de expositor, ao lado de prateleiras de vidro, para sapatos e bolsas. “A intenção é sempre mostrar o produto com perceptibilidade. Sempre na altura dos olhos dos clien-

tes.” Luzes entre as prateleiras colaboram com a iluminação da exposição. “Prateleiras brancas também elevam a presença dos produtos expostos. E as paredes são claras para integrar, ter a mesma finalidade.” No todo, mesas e tapetes circulares, lustres de antiquário ajudam a compor a loja. “Caixas estilizadas também são suportes favoráveis para uma melhor mostra dos produtos.” Na entrada, um espelho causa efeito e volume, “devido à iluminação direcionada por toda loja”. Dois aspectos peculiares nos projetos de Nando Nunes, segundo ele, são a simetria e a duplicidade. E explica: “A harmonia das peças se encaixa quando alguns objetos aparecem duplos no ambiente, criando linha de ligação entre um espaço e outro.” Nando comenta que esse projeto confirma uma parceria de sucesso com a empresária Liu. “O conjunto final é sempre uma satisfação para ambos.” Ele adianta ainda que a última coleção será lançada, simultaneamente, com a loja Liu. Z


Ao lado, expositores de madeira reciclada e prateleiras de vidro: combinação entre o rústico e o sofisticado

fOTO: ângela motta

NANDO NUNEs: parcerias de sucesso em projetos comerciais

53


54


fOTOs: hektaphoto’s

personalizado

Do Oriente ao

retro vintage

Casa Mix: Objetos relacionados a hobbies deixam ambiente com a cara do cliente

Decoração temática é opção para dar mais charme e originalidade a ambientes

William Hanna

C

ada pessoa tem os seus hobbies e costumes. São brinquedos, filmes, livros, bandas, esportes que ajudam a compor as preferências e refletem o espaço em que se vive. E é pensando nisso que a escolha de temas para decorar cria uma atmosfera interessante e a similaridade com os elementos faz com que as pessoas se sintam ainda mais confortáveis em casa. A decoração temática ajuda a reforçar a personalidade do morar bem e ainda cria ambientes mais autênticos e agradáveis. Os próprios arquitetos e designers de interiores têm buscado informações sobre gostos de seus clientes, a fim de retratar essas em espaços singulares, harmonizando com iluminação, cores e plotagens. Personalize o seu quarto, a sala de jogos, o living e deixe-os com a sua cara. O legal é que você pode ter um espaço do seu jeito. Para isso, basta reunir alguns objetos referentes ao seu hobby ou preferências, como uma viagem ou time de futebol, e usar a criatividade, dando

Haus: Cores, iluminação e plotagens também dão toque especial ao ambiente

asas à imaginação. O segredo é ter bom gosto na hora da escolha das peças e saber onde colocá-las. Nada de móveis, papel de parede, adornos, e outras peças do mesmo tema. O interessante é deixar pontos fortes que caracterizem o ambiente, sem, contudo, pesar o espaço. É uma decoração te-

mática e não, cenográfica; tudo deve ser demonstrado de forma leve e com toques charmosos e dosados. E então?! Que tal escolher alguns objetos de que você goste, para deixar a decoração da sua casa ainda mais especial e, assim, poder desfrutar de todas as sensações e possibilidades do seu doce lar? Z 55


56


tendências

Os poderes da

cor

Para cada tom, uma sensação diferente. Saiba como fazer a escolha certa

Geovane Gomes

fOTO: ângela motta

P

rimárias, secundárias ou terciárias, não importa a categoria, elas são poderosas! Podem ser quentes ou frias, aliviam ou sobrecarregam e acima de tudo são capazes de mudar o estado de espírito. Cores chamam a atenção por si só, e ainda possuem o poder de unir universos distintos. A brincadeira com as cores deixou de ser uma exclusividade da moda e ganhou espaço na arquitetura. As tintas de parede conquistaram destaque e acompanharam a evolução. Com a moda e a arquitetura cada vez mais próximas, já era de se imaginar a influência de uma sobre a outra. Sendo assim, fomos ao teste. A revista Zelo procurou o arquiteto Daniel Almeida para saber o que estaria em alta nas próximas estações no quesito tinta de parede. “Acredito nos cítricos, nos tons ácidos e ocres da natureza”, respondeu Daniel. No final de semana seguinte, a surpresa. Um dos principais eventos de moda do Brasil, o Fashion Rio mostrou que as cores que vão estar mais presentes nas próximas coleções são os tons pastel, algo muito semelhante ao que já havia adiantado o arquiteto. Foi o casamento perfeito! “Conceitos, desenhos, cálculos de estrutura e geometria sempre fizeram parte da moda. Em contrapartida, cores, texturas, estampas, ornamentos e a própria forma do corpo humano também são inspirações para a arquitetura”, afirma o arquiteto. É importante lembrar que, na hora de escolher a tinta certa para pintar um ambiente, deve-se levar em consideração a luz, as sensações que você pretende causar e até mesmo a atividade que será desenvolvida naquele espaço. Daniel Almeida alerta para o cuidado na mistura de cores, pois “o ousado pode cair no mau gosto facilmente”. Z

Dicas Se por um lado cores escuras ajudam a afinar a silhueta, por outro lado, os tons mais claros dão amplitude e engordam. Nas paredes, essas sensações não poderiam ser diferentes. A Luztol separou algumas dicas para você não errar na hora da pintura: • Se o ambiente tiver o formato retangular e comprido, o ideal é pintar as paredes menores com uma tonalidade mais escura. • Se a intenção é alongar o ambiente, o ideal é pintar paredes opostas (uma de frente para a outra) com cores escuras. • Para elevar a altura do teto, pinte-o com uma cor mais escura. Mas se a proposta for deixá-lo mais baixo, faça o oposto, pinte-o com uma cor mais clara que a das paredes. • Um objeto da mesma cor das paredes fica sem destaque no ambiente. 57


z mais redacao@revistazelo.com.br

fOTOs: ricardo lima

A natureza sobe às paredes Componente em alta na Casa Cor Goiás, o jardim vertical é a possibilidade de fazer da natureza um elemento de decoração. Em um momento em que a questão ecológica está em evidência, a Green Wall Ceramic oferece todo o serviço de construção, manutenção e irrigação, de maneira fácil e rápida, com o mais importante: eficiência. Os jardins verticais apresentam um design simples e inovador, com um sistema de peças modulares, aliado à tecnologia de ponta para irrigação automatizada. Em Goiás, a empresa In Plant é a responsável pela comercialização desse serviço. Os jardins verticais, além de trazer a natureza para dentro de casa, ajudam a refrescar o ambiente, seja ele interno ou externo. Essa novidade na decoração mostra que no paisagismo não há limites para a humanização dos ambientes. Mais informações: Fone: (62) 3249-3043 - Sites: www.inplant.com.br e www.greenwallceramic.com.br

A matriarca da Casa Impossível passar pelo Bar da Casa Cor Goiás e não perceber a ilustre presença de uma árvore no centro do ambiente. Plantada no início da década de 90 pela paisagista Neusa Baiocchi, a Acacia Seyal ou esponjinha amarela chegou a fazer parte do acervo de plantas de Roberto Burle Marx, e por pouco não foi parar no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Passadas duas décadas, o jardim manteve sua concepção original mesmo com a troca de proprietários. Neusa se surpreende com o sucesso. “Não foi projetado por mim um jardim efêmero, transitório e acompanhando modismos, ao contrário, ultrapassou este conceito e permaneceu atemporal no espaço externo.” Quando chegou à Capital, a árvore de cores avermelhadas era uma novidade. Hoje, incorporada na paisagem urbana da cidade, ela é motivo de elogiosos comentários. fOTO: divulgação

Morando em alto estilo Luxo e sofisticação. Estas são as palavras que melhor definem o novo empreendimento da EBM Incorporações. O prédio Über Luxury Style traz aos goianos o conceito de superioridade e exclusividade. Localizado em frente à Praça da T-23, no Setor Bueno, a área privativa conta com a metragem de 590 m2 divididos em apenas 29 unidades. Sem precisar sair de casa, os privilegiados a morar nessa novidade vão ter à disposição uma série de serviços, como pet service, posto de coleta de costura e lavanderia, terapias e massagens e personal trainner. De olho em um público exigente, o Über representa a evolução do conceito LifeStyle, prezando por um estilo de vida saudável. Todas as vantagens ficam à escolha do morador, que só pagará pelos serviços que utilizar, com taxas adicionais, independente do condomínio. 58


59


NONONONON

62


NONONONON

63


NONONONON

64


NONONONON

65


NONONONON

66


NONONONON

67


NONONONON

68


NONONONON

69


NONONONON

70


NONONONON

71


ZELOINDICA NATHÁLIA FIOROTTO natgr@ig.com.br

Anel em zircônia e pedra rutilo vermelho Herreira Preço sob consulta

Mais leveza

Jogo de serviço três peças da Missoni Margherita para Moreira e Glorinha. R$ 3.561

fOTOs: hektaphoto’s

A volta dos tons pastel... Eles chegam com tudo na próxima estação e prometem suavidade e romantismo para as roupas, acessórios e também aos objetos de decoração.

Colete agon rose Carol Arbex para Vis-à-Vis. R$ 340

Vaso cerâmica butterfly Armazém da Decoração. R$ 798

Toalha de banho casa by buddemeyer para Amsterdam. R$ 49,90 cada

Porta-retrato Paris Oldway para Moreira e Glorinha .R$ 45

72

Cadeira oliva verdepiscina Armazém da Decoração. R$ 798


Lanterna Turca Projeto Luz R$1.246,60

Tapete pet work de persa lavado tamanho 2,48 m por 3,54 m. R$ 15.145

Bolsa legaspi nude para Ambreé. R$ 916

Sandália com glitter italiano em cetim Ambreé. R$ 3.480

Manta zigteen para Moreira e Glorinha. R$ 379

Colar pérolas Vis-à-Vis. R$ 395

Bolsa de crista Vis-à-Vis. R$ 450

Brinco de quartzo rosa Herreira. Preço sob consulta

73


hightech astero motta astero@revistazelo.com.br

fOTOs: divulgação

Filmadora Sony HDR-PJ200

Samsung lança o Galaxy S III

A Sony lança a filmadora Full HD com projetor integrado HDR-PJ200, que possibilita a captura de imagens e projeção imediata em uma parede ou telão, sem precisar de cabos ou outros acessórios. Capaz de projetar imagens de até 100 polegadas a até três metros, o equipamento tem captação de vídeos em resolução Full HD, lentes profissionais Carl Zeiss, estabilizador de imagem e possui zoom ótico de 25x e digital de 30x. A PJ200 tem ainda 16GB de memória, o que permite até 4 horas de gravação Full HD contínua em modo LP. Preço sugerido de R$ 1.999.

Samsung lançou a terceira geração Galaxy S, o Galaxy S III. O smartphone tem processador de 1,4 GHz, câmera de 8 MP, tela Amoled de 4,8 polegadas e processador de quatro núcleos (quad core). Concorrente direto do iPhone 4S, da Apple, o Samsung Galaxy S III é alimentado por Android 4.0, Ice Cream Sandwich, com maior usabilidade e praticidade para facilitar a vida. O Galaxy S III melhora a experiência de interação com o usuário. Esperto o bastante para detectar o seu rosto, voz e movimentos, o Galaxy S III proporciona uma experiência mais conveniente e natural. Preço sugerido de R$ 2.099.

Ultrabook Sony

Iphone 5 O smartphone da Apple, último projeto em que Steve Jobs esteve envolvido diretamente, deve chegar até o mês de outubro às lojas. O Iphone 5 terá tela de 4 polegadas widescreen no mesmo formato dos televisores de alta resolução. Segundo o analista de mercado Mingchi Kuo, da empresa KGI, em relatório obtido pelo site Apple Insider, a tela terá proporção 16:9, como a dos televisores atuais, e resolução de 1.136 por 640 pixels. 74

O primeiro modelo de Ultrabook da Sony Série T é o produto ideal para quem busca mobilidade absoluta. Ultraleve, pesando apenas 1,6 kg e com chassi em alumínio escovado, vem com a 3ª Geração do processador Intel Core (TM) i5, memória híbrida de 320GB de HD (com HDD protection) e 32GB de SSD, o que permite realizar tarefas com muito mais rapidez, memória de 4GB e até 7 horas de autonomia de bateria para garantir ainda mais portabilidade. O produto chega ao mercado brasileiro na cor prata, com preço sugerido de R$ 3.199.


75


lançamento fOTOs: divulgação

Maquete do outlet construído em Alexânia, a uma hora da capital: 72 lojas

Centro-Oeste ganha outlet de marcas premium Centro de compras reúne grifes famosas com até 80% de desconto Rosângela Motta

A

outlet de São Paulo: formato consagrado internacionalmente

76

convite da General Shopping Brasil, a revista Zelo foi conhecer o Outlet Premium São Paulo, um oásis de compras a céu aberto localizado a uma hora da capital paulista e a 20 minutos da Cidade de Campinas. Construído nos formatos dos outlets consagrados lá fora, o Outlet Premium São Paulo possui mais de 90 lojas – reunindo grifes nacionais e internacionais –, com descontos de até 80% o ano inteiro. No casting de marcas estreladas, nomes como Giorgio Armani, Daslu, Calvin Klein, Ermenegildo Zegna, Ricardo Almeida, Nike, Adidas e Osklen e Trousseau. A melhor notícia? O Outlet Premium não é mais uma exclusividade de São Paulo: moradores do Centro-Oeste vão ganhar o Outlet Premium Brasília. Como no caso do outlet paulista, a lo-


fOTOs: ângela motta

Outlet Prem ium São Paulo possui mais de 90 lojas – re unindo grifes nacio nais e internaciona is

Lojas do Outlet Premium Brasília calização escolhida para o Centro-Oeste é bem estratégica. O novíssimo outlet será inaugurado no dia 18 de julho, em uma área localizada na BR-060, em Alexânia – a 50 minutos do plano piloto, a 1 hora de Goiânia e a 50 minutos de Anápolis. Os consumidores terão a chance de pagar por marcas como Diesel, M Martan, Nike, VR, TNG, Levi’s, Calvin Klein a preços menores do que os encontrados em shoppings tradicionais. São 72 lojas, que funcionarão todos os dias, das 9 às 21 horas. As vantagens não param por aí. Além de muitas ofertas, o visitante ainda encontrará outros serviços, como praça de alimentação, sorveterias, restaurantes e cafeterias. De acordo com o diretor de marketing do empreendimento, Alexandre Lopes

Dias, o fluxo diário na rodovia, o sucesso do Outlet Premium São Paulo e a condição socioeconômica da região – o dobro da média nacional – foram os grandes atrativos para o novo investimento da General Shopping Brasília. “Vamos levar aos moradores do Centro-Oeste o conceito dos outlets internacionais, que é reunir em um só lugar grifes mais renomadas com descontos de até 80%”, afirma Dias. O Outlet Premium Brasília foi inspirado na arquitetura do Planalto Central. A construção é em forma de Y e concentra ao centro praça de alimentação climatizada e restaurantes. As lojas estarão distribuídas em corredores abertos e de fácil circulação. No seu entorno ficará o estacionamento gratuito, com capacidade para 2 mil veículos. Z

• Animale • Any Any • Aramis • Sergio K. • Brasolin Óticas • Carlos Miele • Carmen Steffens • Shoulder • Cavalera • Calvin Klein Jeans • Calvin Klein • Underwear • Ellus • Home & Cook • Lacoste • Le Lis Blanc • Little Mark Camisas • Levi’s • Polo Wear • Polo Usa • Olympikus

• M Martan • Mandi • Nike • Track & Field • Mercatto • Brasolin Relógios • TNG • Planet Girls • Polishop • TVZ • Upper • Richards • Roncato • VR • Tip Top • Sunglass Hut • Casa das Calcinhas • Barred’s • Hering • Zinzane

77


fOTOs: divulgação

carros astero motta astero@revistazelo.com.br

Toyota compacto Etio s

Veloster 2013 Turbo A Hyundai lançou o novo Veloster 2013 Turbo, em estreia mundial no North American International Auto 2012 Show (NAIAS), com diversas mudanças no conjunto visual, mas a alteração mais importante está debaixo do capô, um motor 1.6 turbocharged com 204 cavalos de potência. O Veloster 2013 Turbo chegará ao Verão de 2012 enfrentando concorrentes dignos, como a GTI Volkswagen, Honda Civic Si e Cooper / Mini Clubman S, com uma melhor relação potência-peso do que todos eles. O carro, que será vendido inicialmente nos Estados Unidos, vai custar US$ 21.950 e ainda incluem assentos em couro com aquecimento, volante esportivo e rodas aro 18.

Aston Martin DBS Ultimate A marca inglesa anunciou a produção do DBS Ultimate Edition, edição limitada do superesportivo, que deve sair no próximo ano. O Ultimate estará disponível nas versões Coupé e Volante, com uma transmissão manual ou automática. O modelo mantém a mesma base com motor V12, rodas especiais, pinças de freio pintadas em vermelho ou amarelo, espelhos e retrovisores em fibra de carbono, lanternas escurecidas e adesivos alusivos à série. Equipado com motor V12 de 6,0 litros, com 517 cv de potência e 570 Nm de torque máximo, o DBS Ultimate atinge velocidade máxima de 307 km/h e acelera de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos.

78

A Toyota lançou o primeiro compacto da marca para o mercado bra sileiro, o Etios, em versões sedã e hatch, já como modelos 2013, cujo início da produ ção em sua nova fábrica em Sorocaba (SP ) e das vendas está confirmado para o segund o semestre de 2012. Na dianteira, a gra de marcante, com a insígnia da Toyota ao cen tro, e um filete central largo harmonizam com o conjunto óptico e com a grande entrada de ar. As linhas do capô mostram vincos centrais marcantes e com personalidade única. O novo Toyota Etios terá dois tipos de motorização. A versão hatchback será equipada com propu lsores de 1.3L e 1.5L flex, ambos 16 válvul as. Já o modelo três volumes virá com o motor 1.5L.

Chinesa Changan em Goiás O Estado de Goiás, que já conta com unidades produtoras da Mitsubishi, Hyundai e Suzuki (em instalação), abrigará em seu solo a mais tradicional montadora chinesa, a Changan International Corporation, a maior fabricante de veículos da China. A empresa, que vai investir R$ 150 milhões nos próximos dois anos na fábrica que será instalada em Anápolis, prometeu gerar 1.500 empregos diretos e produzir 50 mil unidades/ano, na fase inicial de instalação. De acordo com Zhu Huarong, a previsão é de que os primeiros carros sejam fabricados no primeiro semestre de 2014.


fOTOs: osmar regis

turismo

Quando Florianópolis

alucina! Osmar Régis

I

magine um deck com piscina à beira-mar, cercado por espreguiçadeiras almofadadas e um DJ (gringo, de preferência) agitando a moçada. Imaginou? Agora pense em um lugar onde circulam milionários – ou bi – com seus carrões importados e suas festas regadas a champanhes com preços de quatro dígitos. Beverly Hills? Não mesmo! Esse lugar é no Brasil e se chama Florianópolis. Conhecida como ilha da magia, Florianópolis é daquelas cidades onde você vai e não quer deixar nunca mais, pelo menos no verão. Ela carrega o status de um lugar tranquilo para se viver, o que tem atraído gente de grande poder aquisitivo, mas, também, os amantes de uma vida meio “natureba” que querem ficar bem longe do caos nos grandes centros urbanos. Cheia de extremos, mas sem afetação, consegue comportar bem todos os estilos de vida. Mas o que tem de especial nessa cidade praiana? Além do verão, existe na ilha da magia uma noite alucinante. Dentro do espírito de valorizar as boas – e mais sofisticadas – coisas da vida, Florianópolis vê também surgirem espaços conceituais que trazem o melhor da vida noturna. São restaurantes, cafés, festas e baladas que garantem diversão para todos os gostos e bolsos. Nesta edição, a Zelo Destino leva você para dançar até o mundo acabar no Jivago Lounge, tomar uma cerveja Blues Velvet ou esbanjar elegância no P-12, em Jurerê Internacional. Escolha sua turma e venha cair na festa! Jivago Lounge Localizado na área executiva mais nobre da cidade, Jivago Lounge traz um toque cult e cosmopolita às noites da ilha da magia, 80

No verão ou no inverno, conheça os lugares onde a diversão é garantida, a bebida é gelada e a festa não tem hora para acabar!

Conhecida como ilha da magia, Florianópolis oferece vida noturna agitada com baladas para todos os gostos

abrindo sempre de quinta-feira a sábado, a partir das 23h. Com vasto cardápio de drinques, espumantes e destilados, inclusive com opção de Clube da Vodka, o Jivago é uma ótima opção para desfrutar de uma noite com pessoas descoladas e ultramodernas, um lugar que reúne os hipsters de Florianópolis, que se juntam para dançar até o dia nascer. E o melhor: os preços são justos. P-12 As festas mais comentadas do verão começam ainda com a luz do sol, nas barracas de praia, sempre regadas a muito champanhe: em Jurerê Internacional, entre os destinos mais badalados está o Parador 12. Seguindo a linha dos maiores day clubs mundiais, adequado às características locais e direcionado a um público exi-

gente, o espaço, para 2 mil pessoas, tem área fechada, exclusiva, onde é oferecido serviço de alta qualidade em entretenimento, lazer e gastronomia. O P-12 Parador Internacional Floripa conta com piscina, praia artificial com camas confortáveis, bangalôs, espaço lounge, deck de frente para a praia, restaurantes e bares. The Black Swan A Lagoa da Conceição concentra várias casas de show de rock. Uma delas é o The Black Swan Pub. Mais eclético, o lugar apresenta decoração inspirada nos pubs ingleses. Diariamente, o local, que é queridinho dos gringos que chegam na cidade, é embalado ao som de música ao vivo. Para os aficionados por esportes, é possível conferir a transmissão dos campeo-


Parador 12 oferece serviço de alta qualidade em lazer e gastronomia, com piscina, bangalôs e espaço lounge

natos nacionais e internacionais de futebol, rugby, tênis, entre outros. Pacha A Pacha chegou a Florianópolis em novembro de 2008, sendo a terceira filial aberta em solo brasileiro – São Paulo, Búzios e, mais recentemente, Goiânia são algumas das cidades onde o clube está presente. Com mais de 40 anos de história e espaços espalhados pelos principais cantos do mundo, como Ibiza, Marrakesh, Londres, entre outros. Com passar do tempo, a Pacha virou mais que um lugar para visitar, e, sim, uma maneira de se divertir. O clube de 110 mil metros quadrados tem capacidade para atender até 12 mil pessoas. A Pacha Floripa conta com pista interativa – onde o gênero eletrônico house pre-

domina e há 25 camarotes com entrada e estacionamento exclusivos —, e um terraço com espaço para as outras sonoridades da música eletrônica. A casa também disponibiliza um palco livre para shows de artistas internacionais. Nove bares, um espaço gourmet, que serve pizza e sushis, e estacionamento com capacidade para três mil veículos completam os serviços oferecidos. Concorde Club O público gay marca presença em uma das melhores programações de música eletrônica da cidade, o Concorde, uma opção para curtir a noite em Floripa. O club é consagrado por trazer grandes DJs nacionais e internacionais do circuito.

O melhor da casa são duas pistas principais que giram enquanto a festa acontece. Há um terraço para área de fumantes e cinco bares. Um deles, na área VIP, é conhecido como Hype, onde há destilados, espumantes e drinques. Acesso à internet e mesas reservadas. Blues Velvet No centro de Floripa, o Blues Velvet é um lugar agradável para desfrutar de boa música, boa bebida, e encontrar os amigos, além de misturar artes com exposições e jazz, blues, rock, com videoclipes (vários raros) e DJs. O ambiente assemelha-se ao de um PUB britânico e reúne a galera indie da cidade. Z 81


conexãoeuropa roberta brum robertabrum@hotmail.com

Roteiro

com arte

Arquitetura do Velho Continente fascina qualquer marinheiro de primeira, segunda ou mais viagens que vem do Brasil. Mas não se esqueça de que está na terra das melhores exposições e museus do mundo. Reserve tempo no passeio turístico para ver criações de grandes mestres. Eu ajudo.

Renascença Italiana British Museum – Londres, até 25 de julho. Uma coletânea do século XV com desenhos de Leonardo da Vinci, Fra Angelico, Jacopo, Botticelli, Michelangelo, entre outros.

fOTOs: divulgação

Yves Saint Laurent Petit Palais – Paris, até 29 de agosto. Uma descoberta dos 40 anos de trabalho do designer que mudou a cara da moda do século XX.

Lucian Freud Tate – Liverpool, até 30 de agosto. Um mergulho na vida de ativista político e luta por liberdade do artista com 150 pinturas (1944-1973).

Frida Kahlo Martin Gropius Bau – Berlin, até 9 de agosto. Uma extensa exibição de pinturas e desenhos da artista mexicana com mais de 120 peças. 82

Turner and the Masters Museu do Prado – Madri , de 22 de junho a 19 de setembro. Uma seleção de cerca de 100 pinturas de JMW Turner (1775-1851).


1, 2, 3… Ibiza! A ilha branca será palco este ano para um novo festival. O Ibiza 123 festival acontece no Sunset Strip, perto do Café Mambo, e tem capacidade para 20 mil pessoas por dia. Artistas já confirmados são: Sting, Labrinth, David Guetta, Fatboy Slim, Tiesto, Japanese Popstars, DJ Pippi, no dia 1º de julho; Elton John vs Pnau, Tinie Tempah, Axwell, Steve Angello, 2ManyDJs, Pete Tong, Rob Da Bank, Heritage Project – Alredo & Jaime Fiorito, no dia 2 de julho; e Lenny Kravitz vs Luciano, M83, Luciano, Azari & 111, Totally Enormous Extinct Dinosaurs, Mr. Blake, Troublemakers, no dia 3 de julho. O preço para três dias de evento é de €168 ou de €73 por dia.

Jantares secretos

derground nses experimentam as “un alturas, londrinos e parisie nas tar jan à mesa para é -se da do mo a tan ia sen desconhecido e Enquanto em Goiân um de a cas na do ran ent na contramão dos ideia, imagine-se custo. O novo conceito vem dinners”. Para se ter uma de ço pre a , nto me mo e, seduzindo os mais tar preparado no secreta e clandestinament deliciar um sofisticado jan , vão e s ole tróp me as lugares limitados oferecidos por est o secret super clubs, têm sofisticados restaurantes com s dre Lon em os cid gostam de paladares. Conhe anfitriões são pessoas que descolados e exigentes , só no boca a boca. Os ços ere ranhos e end est s a ado par put am dis inh nas horas vagas coz e para chegar a estes e sas coi ras out com rou a intimidade e a paixão, trabalham Quem experimentou, ado al. cozinhar, mas, apesar da teri ma do to cus o rir is! 15 libras para cob algum endereço, conto ma cobram por isso cerca de s… Quando eu descobrir soa pes as nov er hec oportunidade de con

Ofertas de ouro Quem pensou em excluir Londres do roteiro de verão durante os dias de Olimpíadas, aparentemente pensou igual a muita gente. Uma pesquisa feita na Inglaterra apontou que um terço dos quartos de hotéis da capital ainda está vazio nas datas do evento. De acordo com eles, os turistas “normais” vão evitar o destino por motivos de transporte, segurança e hospedagem. As reservas para julho e agosto caíram 35% em relação ao ano passado – parece que o esperado “boom” econômico em consequência do evento, pelo menos por este lado, saiu pela culatra. Enquanto isso, a França, que perdeu o direito de sediar os jogos para a Inglaterra, ganhou 50% a mais de reservas turísticas. Também foram privilegiadas cidades como Berlim e Barcelona. Para os viajantes de última hora, fica a dica: os hotéis em Londres já estão em promoção e, ao que tudo indica, os locais turísticos vão ter menos filas do que num verão normal. Quem quiser aproveitar, foi colocado à venda mais um lote de entradas para os eventos mais disputados, como a cerimônia de abertura, por exemplo. 83


fOTOs: divulgação

ZELODESTINO

redacao@revistazelo.com.br

Para amantes do vinho A The Vines of Mendoza, empresa argentina idealizadora e gestora de uma área de 600 hectares de vinhedos privados na região vinícola de Mendonça, está construindo um luxuoso Resort & Spa, que, além de seguir o conceito de boutique, fica em um cenário cinematográfico: em meio a extensas plantações de videira, ao pé dos Andes, onde o território argentino apresenta uma das suas mais belas paisagens. Com previsão de entrega da primeira fase já para dezembro deste ano, The Vines Resort & Spa será um conjunto de chalés que conta com serviço completo de hotelaria e uma sofisticada estrutura de bom gosto: wine bar, espaços para tratamentos de beleza e saúde à base de vinhos, fitness center, piscina e restaurantes.

Club Med Rio das Pedras No segundo semestre deste ano, o Club Med Rio das Pedras terá novidades para o público. Um novo solar será construído com 22 quartos, aumentando para 346 o número de apartamentos no Village. Uma piscina calma também fará parte da reforma. Um conceito já bastante utilizado nos resorts do exterior, a piscina será afastada da área social e não será permitida a entrada de crianças. Além disso, o Village receberá outros 22 novos quartos da categoria deluxe, somando um total de 102 apartamentos Deluxe. Os quartos Deluxe possuem um projeto exclusivo do arquiteto francês Marc Hertrich, que une o luxo ao conforto. Além de um design diferenciado, a categoria também traz amenities especiais, como leitor de MP4.

Porto de Galinhas Sol em pleno inverno, programação especial com muita diversão e lazer para toda a família. São 11 praias distribuídas em 18 km de areia branca e batida, das contemplativas às adequadas para esportes náuticos como surfe, kitesurfe e stand paddle. Já as piscinas naturais permitem que pais, avós e crianças desfrutem do prazer de ver ao vivo o habitat natural de uma infinidade de peixes. Outro programa para se fazer em família é o passeio de jangada pelo Pontal do Maracaípe, onde é possível conhecer um verdadeiro berçário de cavalos-marinhos de diversas tonalidades – que passam pelo marrom, amarelo e vermelho. 84


NONONONON

Destino de luxo no México Localizado na região de praia mais exclusiva na costa do pacífico mexicano e contemplando a Riviera Nayarit, o St. Regis Resort Punta Mita é um hotel de luxo que oferece atendimento perfeito. É sofisticado, mas tem na alma dos mais de 230 funcionários a meta do fazer. Quem gerencia esse fantástico empreendimento é o “quase brasileiro” Carl Emberson. Ele já atuou no Brasil e na Argentina e aposta que Punta Mita deverá ser o novo roteiro de turismo de luxo para os brasileiros.

La Lenãs abre temporada A estação de esqui argentina de Las Leñas abre a temporada de inverno no país com boas notícias para os brasileiros apaixonados por neve. A partir do dia 20 de junho, nossos esquiadores vão contar com um novo lift, o Minerva, e vão poder brigar por troféu em suas pistas no Campeonato Brasileiro Amador de Esqui e Snowboard. Em pleno coração da Cordilheira dos Andes, distante 1.200 km de Buenos Aires, encontra-se um dos mais importantes centros de esqui e snowboard da Argentina, o Vale de Las Leñas. A magia deste lugar, situado no interior da Cordilheira dos Andes, ao sul da província de Mendoza e noroeste de Malargue, é o resultado da combinação entre natureza, conforto, aventura e relaxamento.

Berço dos festivais Ponto de encontro cultural da Colômbia, Cartagena das Índias não é apenas sinônimo de belezas naturais. Escritores, músicos, atores e jornalistas escolhem o local para as interações culturais. O ambiente histórico da arquitetura de Cartagena, aliado a sua influência cultural no país, atrai diversos eventos internacionais, como o Festival Internacional de Música Clássica, Festival Internacional de Cine e o Hay Festival de Literatura e Artes, que torna a cidade o epicentro cultural que reúne grandes nomes da literatura, cinema, música e jornalismo. 85


agendaverde ranulfo borges ran.borges@ig.com.br

Mercado sustentável G

oiânia já tem seu primeiro supermercado verde. Trata-se da unidade do Pão de Açúcar da Avenida E, no Jardim Goiás. A loja oferece mais de 250 produtos orgânicos, como frutas, chás, cafés, verduras, legumes, mercearia, congelados, carnes e aves, frios e laticínios. O açougue conta com laboratório para processamento de carnes de origem orgânica. Os freezers, comuns nos grandes mercados, perderam espaço para balcões abastecidos a gás. O calor gerado pelo ar-condicionado é aproveitado para o aquecimento da água e utilização nas torneiras, o que produz economia de 40% de água. Na estação de reciclagem, os clientes depositam materiais como papel, plástico, vidro, metal e óleo de cozinha usado, e a empresa os entrega para cooperativas de reaproveitamento do lixo. No caixa verde, os frequentadores do supermercado podem descartar embalagens de produtos.

Nova Loja do pão de açúcar em GOiÂnia investe no conceito de gestão e consumo consciente

notas n A temporada do Araguaia 2012 já começou. E mais uma vez, ONGs e órgãos públicos tentam proteger o rio dos turistas. Este ano, equipe formada por 300 jovens visita cidades ribeirinhas, esclarecendo os turistas quanto às normas de preservação, que muita gente ainda insiste em não cumprir. Deixam lixo para trás e não tomam outros cuidados.

n O que predomina em Goiânia é o transporte individual e motorizado, por isso a Capital tem se tornado cada vez mais desumana. Aqui, os mais frágeis, como idosos, crianças e deficientes físicos, não têm vez. As ruas são das motos e carros. Nem mesmo 86

as calçadas, quando existem, oferecem segurança ao pedestre. Imagine a situação para quem tem algum tipo de problema físico.

n Empresa consolidada no mercado, a Luztol, fabricante de tintas genuinamente goiana, foca na sustentabilidade. Um exemplo é a água utilizada no processo de produção. Após ser tratada, a água é usada tanto para limpeza quanto para irrigação das plantas ornamentais do parque industrial da empresa. n O estúdio de design novaiorquino Pensa desenvolveu o charge street, carregador de celular alimentado por energia solar que pode ser acoplado a

postes e placas de sinalização. Os pedestres conectam seus dispositivos portáteis em saídas USB para recarregá-los. Durante a noite, o poste de iluminação também funciona com energia solar.

n São Paulo e Rio de Janeiro dão o exemplo de como tornar o problema do esgoto uma solução. Sabesp (SP) e Cedae (RJ) vendem água de reúso, obtida do esgoto tratado, para prefeituras e empresas privadas como insumo para lavagem de pistas, rega de jardins, desentupimento de bueiros, resfriamento de máquinas e equipamentos e outros destinos. n Pesquisa do Ministério do Meio Ambiente mostra que

13% dos brasileiros estão preocupados com questões ambientais. As outras principais preocupações são pela ordem, saúde (81%), violência (65%), desemprego (34%), educação (32%) e políticos (23%). Os principais problemas lembrados foram desmatamento, poluição de rios e poluição do ar. Apenas 10% citaram mudanças climáticas.

n A legislação brasileira segue frouxa em relação a questões que envolvem o meio ambiente e o agronegócio. Nas lavouras brasileiras, são usados pelo menos dez produtos proibidos na União Europeia, Estados Unidos e até no Paraguai. Outro problema ignorado é a questão dos transgênicos.


NONONONON

87


ZELObeleza geovane gomes redacao@revistazelo.com.br

s TO fO ul iv :d o çã ga

Envolvente O sucesso da fragrância Egeo de “O Boticário” fez a empresa investir em uma nova coleção, a “Egeo Provoke”. O produto pretende inspirar os casais a criarem um clima envolvente e divertido no momento a dois. A Egeo Provoke Woman traz uma mistura de frutas amarelas, framboesa e cassis. Por outro lado, a Egeo Provoke Man combina frutas com sedutoras notas de madeira de sândalo, vetiver e cedro.

Flores A Givenchy Le Makeup, inspirada nos campos de flores, lança a coleção Instant Bucolique. Com uma suave mistura de cores, a linha segue uma aparência leve e aveludada.

Mer Cosmetique Sensual Um tempero na relação é sempre bom, ainda mais quando se exala o cheiro de amor. A Natura dá uma forcinha para a mulher que pretende espalhar pelo ar este doce aroma. Chega às lojas a colônia feminina Amó Chamego. A fragrância irreverente é marcada pelo contraste de especiarias borbulhantes e intensas. Sem esquecer, é claro, de um toque todo sensual.

Quem procura produtos de beleza e perfumes das melhores marcas importadas não precisa mais ir tão longe. As empresárias Jaqueline Mendes e Selma Fleury escolheram o Shopping Bougainville para sediar a loja Mer Cosmetique prêt-à-porter. A novidade foi lançada no início de junho e contou com a presença do maquiador e fotógrafo Fernando Torquatto.

Edição limitada Inspirada no universo marítimo, a MAC lança a nova coleção Hey, Sailor! As linhas navy foram o ponto inspirador para o lançamento. A Hey, Sailor! é uma edição limitada, com opções de sombras, blushes, bronzers, batom, gloss, esmaltes, lápis para boca e olhos, lip balm, iluminador, óleo corporal e pincel. 88


Foto: hektaphoto’s

por aí redacao@revistazelo.com.br

Joia rara

A 14ª edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica 2012) será realizada, de 26 de junho a 1º de julho, na Cidade de Goiás. O artista homenageado nesta edição é Paulo Bertran, economista e historiador de Goiás, falecido em 2005. Sua obra terá espaço especial nos Pontos de Leitura, presentes durante toda a programação do Fica. Há ainda as mostras Competitiva, Paralela, Infantil e ABD, Fóruns de Cinema e Meio Ambiente, Fica na Comunidade, Empório Sebrae/ Fica e Espaço das Artes. Na cena musical, 24 bandas goianas recheiam o festival todos os dias. As atrações nacionais Nando Reis, Orquestra Imperial e Caetano Veloso fecham as noites de sexta, sábado e domingo.

Arquitetos soltam a voz na Casa Cor Pela quinta vez, a Casa Cor Goiás desafiou os arquitetos e designers a soltar a voz. O show “Lado B – Chique ou Brega?” fez os participantes da mostra apresentarem outro talento, o da música. Cynara de Siqueira, Ednara Braga, Karina de Siqueira, Marcos Queiroz, Marília Teixeira e Regina Amaral interpretaram o melhor da música brega brasileira. Todo o valor da bilheteria foi em prol do Núcleo de Proteção aos Queimados – NPQ. Sempre preocupadas com a responsabilidade social, as empresas Persiflex Persianas e Solaris Toldos foram as patrocinadoras do show.

Homenageada A estilista jataiense Maísa Eliane Gouveia será homenageada com o Título de Honra ao Mérito na Câmara Municipal de Jataí. O evento aconteceu no último dia 22 de junho, no Toríbio Eventos. Com dois ateliês em Goiânia, sendo um deles voltado para noivas, Maísa tornou-se referência na moda produzida no Estado.

Mostra Artefacto Um almoço descontraído marcou o lançamento da 8ª Mostra Artefacto, no dia 2 de junho. Convidados muito especiais, entre eles formadores de opinião, imprensa e profissionais do segmento de arquitetura, foram recepcionados pela empresária Andrea Torminn Senna. Na programação, sonorização do DJ Françoise Calil e ambientes que inspiram leveza, versatilidade e conforto. Este ano, a mostra de interiores apresenta 14 ambientes, assinados por 18 renomados arquitetos e designers de interiores.

90

Joseneide Queiroz Assunção e Patrícia Pessoa Caramaschi

Foto: nelson pacheco

Festival

Foto: divulgação

Há quatro anos, as empresárias Joseneide Queiroz Assunção e Patrícia Pessoa Caramaschi se uniram e criaram a Herreira. Especializada na produção de joias alternativas, a empresa rapidamente conquistou o mercado. A marca começou a participar das feiras voltadas para o mercado de joias, organizadas pela Folheados e Associados, em São Paulo. No evento, para enfrentar as 204 concorrentes, as empresárias apostam em novidades. Itália, França e Estados Unidos, todos esses países já passaram pelo roteiro das idealizadoras em busca de novas ideias. Recém-chegada de uma feira em Milão, Patrícia Pessoa trouxe na bagagem novos projetos de joias. “Se você não está ‘antenada’, não vai conseguir se destacar. É um mercado que vive em constante mudança”, conta Patrícia. O diferencial da Herreira é investir somente em pedras preciosas verdadeiras, o que tem sido pouco feito em Goiás.

Mariana Torminn Senna, Pedro Torminn e Andrea Torminn Senna


Evento Foto: divulgação

marly siqueira e sebastião josé

dj simone junqueira

Jantar romântico O Victória Almoço e Eventos preparou um jantar especial para o Dia dos Namorados. Os casais tiveram uma noite requintada regada a espumante, vinho tinto e o melhor escocês 12 anos. A chef Waléria Noleto criou o cardápio da noite e Marly Siqueira ficou a cargo da organização. Já Valéria Junqueira assinou a decoração e a DJ Simone foi a responsável pela trilha sonora romântica da noite.

cléria pimenta e alex franco

marly siqueira, josY RAbelo e Leonardo Simionato

ariane cecílio e rodrigo caiado

eduardo oliveira e valéria junqueira

Baltazar de Castro júnior e Anuska Mendes de Castro

LOrena e Ibraim Facuri darlene liberato e álvaro

beatriz arruda e mardem emídio

gabriela e Nilson faria

Rua 137 com Rua 147, nº 90 - Setor Marista Fone: 62 3432-7727 - www.victoriago.com.br

91


evento fOTOs: divulgação

Frederico Kessler e Bruno Alvarenga

Eduardo Lovro, da equipe do Dinner In The Sky

Ilésio Inácio Joyce Furtado

Um jantar nas alturas O lançamento do novo empreendimento da construtora Toctao Rossi, o Parque Flamboyant 56, chamou atenção. Tudo porque os convidados foram levados para jantar a 50 metros de altura. A ação “Dinner in The Sky”, sucesso fora do Brasil, conquistou os goianos. A convidada especial foi a renomada arquiteta Fernanda Marques, responsável pelo decorado do prédio. Durante toda a ação, foram levadas 1.144 pessoas a essa experiência única.

cHEF hUMBERTO mARRA

Eduardo Rotella, gustavo braga e daniel fontes

Eduardo Rotella

Viviane Bandeira e ana paula silva

felipe moura

Whisky e música O Café de La Musique foi o local escolhido para um encontro dos apreciadores do whisky Chivas. Eduardo Rotella, embaixador do whisky para o Brasil, aproveitou o evento para lançar em Goiânia seu novo livro, ‘Whisky Book — Manual Básico do Scotch Whisky’. O jantar foi marcado pela trilha sonora do DJ John John.

92

daniel fontes e leandro figueiredo


evento fOTOs: ângela motta e cristiano borges

aline lobo, daniella aidar, juliana Cecilio e Aline Orsini

bruna urzeda Aracelly Cantuari

Um happy hour diferente Daniella Aidar, proprietária da loja Vis-à-Vis, buscou uma novidade fora do Brasil para atrair as goianas, o Nail Bar. Com uma proposta de um happy hour diferente, quem passou pelo local pôde desfrutar de um momento de beleza. De quebra, ainda saboreou deliciosos drinques. Na ocasião, o espaço apresentou desconto nas peças da coleção outono/inverno. ana lúcia amorim e daniella aidar

juliana yamim João Luís curado

fernanda cunha, daniella aidar e ana maira cunha

patrícia nascimento e daniella aidar

93


artigo

Construindo construído Max Miranda

S

ó de começar está começado. Sobem as palavras que, em profusão única e nossa, as frases vão rumo a rumo buscando a linha cotidiana. Uma veia com sangue quente e frio às vezes desenhando o desenhado porque estamos num algo-mundo criado para nós e para os outros e, por isso, a matéria é pura ilusão dentro de nós? Somos um sentido em meio a um conjunto de rumores em diversidade múltipla e de partes gastas e de partes suaves. Construir um a um está construído tudo a tudo. Só uma história que entregamos porque se escreve em nós o mesmo que escrevem pelo vácuo. Sentimento de alegria é construído pela ponte-tentáculo vinda de muitos lados, talvez construindo o construído-sentido. Nessa edificação, frente a frente com o corpo, é a existência nos levando a nos construir por dentro e por fora. Tentar organizar o alicerce é uma impossibilidade de alcançar o completo equilíbrio – há um alicerce-ímã que vai atraindo as garras, cravando a estação que vamos descer. Não é fatal. É a vida tomando forma e beleza. Tomando rios e limpeza. São crocodilos leões e a presa; e o protetor do bando? Com a vontade de todos, cria-se a forma de construir uma barreira, apenas, contra os crocodilos. Leões são os animais do sol e matam a fome a qualquer hora. Não há dia a construir para um leão faminto. A fome está. Elefantes, formigas e o mundo microscópico estavam na primeira aventura no criar espaço para construir

94

cenários-desenhos; e não uma emboscada-sombra. Leoas caçam em equipe. Armadilhas de nós mesmos em meio a nós próprios são caçadas sempre ameaçadoras e hábeis? Construir uma perseguição à proteção quente adquire-se o direito de exigir da patrulha-íntima uma construção focada entre carne e parte do mundo em torno. A grama, a pele, as longas horas são parte de uma pulsação incontrolável e esparramam tempo ao construído esvaído no ar, na pata de um leão-sol; é corajoso atravessar um rio infestado de crocodilos. Pressentir os perigos também influencia nessa constituição. Constituímos, apesar dos ferimentos, campos com margaridas. Forma simples de construir o tempo com margaridas e outras folhas quaisquer. O importante no plantar constrói-se mesmo o que está para ser construído. E de amor, fazer jardim-diário florido para um beijo e outra flor. A representação do cenário doce e sobre a bravura de mexer com todas as cores é para gente. Gente planta. O organismo-múltiplo que envolve o cenário de cor abre caminhos para pisar colorido numa visão com menos abismos. Desconstruir é tão neutro perante um processo começado e ainda refeito-feito nos traços que atravessamos dia a dia. Pura forma de um pássaro livre que voa voa voa – voos que dão ao ar a natureza de ser um ser a cada dia de voo; voltar a ser é o retorno reconstruído. Após e após a mansidão dos mares que levam para a areia um desenho para ver ao sol, como lua cheia no coração de amor que fica à

beira de nós como riacho suave o tempo todo. É amor? É beleza nas certezas visões de íris sadias. Palavra na forma clara é brinquedo e escrever e ser entendido para anunciar a vida na estrutura menos suja e mais limpa ao construir o construído no centro da leitura, atravessa o papel de ser. Adiar os tijolos ou sujar as mãos ou pelo peso ou pelo serviço braçal-Brasil acontece mesmo assim porque o construído ainda está em terminação brusca e terna – caso as perguntas não consigam conectar uma a uma até alguma fortaleza-nossa, gaste mais um pensamento em reflexo-dia. Essa repetição sistemática está perto do começo agora e agora consiga seguir passos a passos nessas linhas; justamente os nervos abertos esperam cada gota de calma e tolices vão se acumulando, caso de pouca compreensão, dá vida a essas raízes. Quem dá ao broto a construção do corpo até o sol? Não há divisão entre um e outro tempo que se vai até o topo dos contragolpes nunca respondidos; num até logo cumprindo a missão de existir. Desapegar para construir para inteirar-se numa estrutura futura-incerta é pulo atrás do outro até apagar-se ao que está sendo refeito. Um minuto pode ser refeito? Numa avalanche capaz de cultura e indústria um retorno do retorno do retorno que vão inteiramente nessa construção – uns nem escapam, mas de lado enxergam o lado direito e esquerdo do consumo de nós, armas dos instrumentos. Ter-se em natureza-móvel e espalhada semente e, dentro de um desarmamento completo, a neutralidade de novo se renova. Somos indo. Z


NONONONON

95


NONONONON

96

Profile for Revista Zelo

Zelo 20  

Vigésima edição da Revista Zelo

Zelo 20  

Vigésima edição da Revista Zelo

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded