Issuu on Google+

ZELO

1 1 ª

E d i ç ã o

-

A n o

I V

-

R $

7 , 0 0

-

w w w . z e l o d i g i t a l . c o m . b r

GASTRONOMIA Prazer de descobrir novos sabores

TURISMO

Madri oferece mistura de tradição e modernidade

Moda Desejos ocultos vêm à tona


Apresente este anĂşncio e ganhe 15% de desconto

Rua 9, 2.309, St. Marista, Goiânia - GO (62) 3088-5919


ZELO

Editorial

U

ma igreja abandonada às margens da GO-020, próximo a Cristianópolis, foi cenário do ensaio de moda da 11ª edição da Zelo. Edificado em 1933, o templo foi, por vários anos, palco de grandes conflitos entre protestantes e católicos, o que lhe rendeu o nome de Igreja da Pirraça. Atualmente, o santuário encontra-se desativado e esquecido pela história. Aliás, história é o que não falta nesta edição. De Madri, a repórter Roberta Brum nos brinda com uma viagem à capital da Espanha, que alberga alguns dos museus mais importantes do mundo. As influências de décadas anteriores têm peso decisivo e fazem toda diferença também nos ambientes projetados por William Hanna e Tânia Franco. Dentro e fora das edificações, o resgate de elementos que remetem ao aconchego da casa dos nossos avós tem se firmado como um recurso poderoso para equilibrar a frieza do contemporâneo e da tecnologia de ponta. O chef André Barros, por sua vez, propõe contrastar a tradição e o novo pelo paladar. Experimentar sabores para descobrir sensações diferentes e sair da rotina é uma questão até de saúde mental, ensina o mestre da cozinha. Quem também tem uma boa história para contar é o empresário Giuliano Milano, proprietário da Milano de Brandi Inteligência Imobiliária, que prepara terreno para tornar sua empresa a maior de Goiás no segmento de negócios imobiliários. Na mesma direção, estão os empresários Michel Thomé, Renato Kuyumjian e Rafael Matheus, que acabam de inaugurar a Quinta Valentina, loja que se destaca pelo conceito de autosserviço. Também entrevistamos os empresários William Fernando Schwartz, 46 anos, e Victor Emanuel Machado Gonzaga, 22, sócios do Mega Place Eventos. Os dois reúnem experiência e inovação em um conceito gastronômico materializado nos pratos que servem. Para completar, entrevistas com Lourdes Cavalcante, Leila Finotti e Lorena Cavalcante, Ivan Grande, e matérias sobre tuning, beleza, moda e decoração. Boa leitura! Rosângela Motta ZELO 4


"Com atendimento especializado ao profissional e exclusivo ao cliente, a Revestic se antecipa aos lançamentos de novos produtos e tendências,

imprimindo sofisticação, beleza e acabamento primoroso aos projetos de decoração."

Ivan Grande, arquiteto urbanista, parceiro Revestic


ZELO  EXPEDIENTE Edição geral Rosângela Motta Edição Ranulfo Borges Edição de Fotografia Ângela Motta Diagramação Georthon Tolêdo Henrique Alves Revisão Fátima Tolêdo

Colaboradores Ranulfo Borges, Pablo Kossa, Adevania Silveira, João Camargo Neto, Ismael Alexandrino, Alice Galvão, Carol Magalhães, Avai Corrêa, Fátima Tolêdo, Marcos Manzutti, François Calil, André Moreira, Sandro Torres, André Barros, Ricardo Lima, Georthon Tolêdo, Roberta Brum, Nathália Fiorotto e Denise Vieira

Ângela Motta Ranulfo Borges

Carol Magalhães

Kell Motta Pablo Kossa

Avai Corrêa

João Camargo Neto Adevania Silveira

Jornalista Responsável Astero Motta (JP - 2233)

Astero Motta

Zelo em Brasília: Kell Motta (62) 9903-4808 Pré-impressão e Impressão Gráfica Formato Motta Editora Ltda Rua C-156 Quadra 328, Lote 18, Jardim América - CEP 74.275-160 Goiânia - Goiás Telefone: (62) 3259-6510 www.zelodigital.com.br contato@zelodigital.com.br

 BACKSTAGE

Roberta Brum André Moreira

Alice Galvão

Georthon Tolêdo Ricardo Lima

Fátima Tolêdo

Denise Vieira

Eduardo Amorim e Chico Macedo, iluminação; André Moreira, beleza; Lorena Arantes, modelo (Voga Model), Neto, making of e vídeo; Marcos Manzutti, styling, e fotografia, François Calil

François Calil

Ismael Alexandrino


EMPREENDEDORISMO

Grande salto da Milano de Brandi Giuliano Milano prepara terreno para tornar sua empresa a maior de Goiás no segmento de negócios imobiliários

O

João Camargo Neto gosto pela engenharia civil tomou conta do goianiense Giuliano de Brandi Godoy Milano ainda na adolescência. Ele cursou parte da high school nos Estados Unidos. Entre 1998 e 1999, morou na casa de construtores americanos no Estado de Idaho, ao norte do país, quando teve o primeiro contato com a área. Sempre envolvido com tudo o que o cerca, não se limitou ao intercâmbio para se aprofundar no inglês. O adolescente ajudava a família que o recebeu nos negócios. De volta ao Brasil, foi recepcionado pelo padrinho no Aeroporto Internacional de Guarulhos. Apesar da formação em Química, ele atuava como construtor de casas em condomínios horizontais na Grande São Paulo. Não por coincidência, Giuliano passou um dia inteiro com o tio, hoje falecido, e teve a oportunidade de vivenciar, novamente, mais um pouco do que o futuro lhe reservaria dali a 10 anos. Hoje, aos 29 anos, Giuliano é proprietário da Milano de Brandi Inteligência Imobiliária. Sua empresa, com fundação em 2004 e consolidação em 2008, atua na oferta de soluções em negócios de compra e venda de imóveis. Não foi desde o início, contudo, que Giuliano vislumbrou ser empresário do setor. Durante a faculdade, deu aulas de inglês com dois objetivos. Primeiramente, para não perder a fluência da língua, conquistada com muito estudo e imersão no exterior. Em segundo lugar, queria manter os gastos que sua formação lhe impunha. Como era professor da rede Wisdom, quando resolveu empreender, pensou, de início, em ser um franqueado do grupo, o

que logo deixou de cogitar. À época, a empresa estava passando por um processo de reformulação e não oferecia a segurança necessária para novos investimentos. Durante a faculdade, fez estágio no Buriti Shopping, administrado pelo grupo Terral. Em viagem com o pai, Juarez Milano, um dos professores fundadores do Instituto de Matemática e Física (IMF) da Universidade Federal de Goiás (UFG), Giuliano foi convencido de que empreenderia em Goiânia na sua área de formação, que estava ainda em curso. Neste cenário, em 2004, nascia a Milano de Brandi. Como nada na carreira dele aconteceu por acaso, terminada a graduação, em vez de retomar a Milano de Brandi, Giuliano preferiu trabalhar em outra empresa. Ele participou de processo seletivo para atuar como trainee na MB Engenharia. Foi selecionado e integrado ao recém-criado departamento de Holding Gestão de Ativos. “Senti que precisava de mais experiência no mercado. Ainda era menino querendo ser empresário, sem muita malícia. Precisava adquirir mais know how”, conscientizou-se. Na MB, lidava com gestão de ativos, realidade da qual ainda não possuía muito domínio. “Fui pela experiência. Financeiramente, era razoável, mas, na minha empresa, eu teria mais retorno econômico. No entanto, sentia que, para crescer, precisava aprender com os grandes”, conta. Ele sempre deixou claro que entraria para a empresa, vestiria a camisa, se empenharia ao máxi mo, mas que não faria carreira, pois o momento era transitório e de preparação para o retorno ao seu negócio, que planejava em um destino próximo alavancar. ZELO 8

Milano de Brandi: “Nosso negócio é alimentado de persistência, criatividade, otimismo e muito trabalho”


Foto: Ângela Motta

Ele credita à MB, que tem cultura acentuada de educação corporativa, um de seus períodos de maior aprendizado. “Foi lá que comecei a ter visão de negócios”, aponta. Depois de um ano, retornou ao grupo Terral para ser coordenador comercial, de novo, em Goiânia. Com a nova experiência, esteve sempre presente na Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) e desenvolveu relacionamento profissional com importantes nomes do setor. Novamente, um ano depois recebeu outra proposta que o completaria para, finalmente, retomar seu próprio negócio. Em 2007, ingressou na mineira Tenda como analista de incorporação, responsável pela aquisição de novas áreas, prospecção de terrenos, estudos de implantação e viabilidade técnico-financeira em Goiânia. A Tenda estava em processo de franca expansão em Goiás. Ele avalia que o momento foi muito oportuno. Foi aí que desenvolveu afinidade com a parte imobiliária e contato com corretores, segmento ainda carente de profissionais de alto nível. “Eles chegavam com projetos amadores, quase que rabiscados em papel de embrulhar pão, para viabilizar negócios. E eu precisava de estudos do uso do solo, mapa da área, etc.”, lembra Giuliano. Ele acredita que, até hoje, apesar do boom imobiliário, o mercado ainda não possui profissionais qualificados para atender toda a demanda. “O profissional que quer bons resultados tem de se qualificar, buscar conhecimento, novas tecnologias, para aprimorar o trabalho e desenvolvê-lo em alto nível”, ensina o que aprendeu na prática. Depois de um ano e meio na Tenda, desincompatibilizou-se da empresa em 2008, já com o projeto de reabrir a sua. Criada para executar obras, a Milano de Brandi passou por processo de reenge nharia. “Organizei de tal forma que hoje trabalhamos no segmento de consultoria imobiliária para desenvolver negócios de compra, venda de imóveis, incorporação, formação de área para incorporadoras e desenvolvimento de estudos preliminares para novos negócios, formatação e captação de investidores”, define. Um pouco de cada empresa por onde Giuliano passou foi inserido na filosofia da Milano de Brandi Inteligência Imobiliária. Os grandes empreendedores são, na ZELO 9

mesma proporção, ousados e planejados. Com esse foco, ele prospecta crescimento de 50% para 2010. E não é apenas em Goiás. Já com atuação na Bahia, Santa Catarina e Tocantins, ele pretende abocanhar mercados em outros Estados também. Reuniões semanais, capacitações quinzenais e metas trimestrais acompanham a equipe.

Realista

Ele não considera a meta de crescimento exagerada. “É projeção muito realista e com o pé no chão”, destaca. Ainda sem exageros, Giuliano crê na possibilidade de expandir o crescimento real deste ano para até 100%, o dobro do previsto. O histórico recente e as ações previstas para este ano apontam que é um caminho sem volta. Em dezembro, a Milano de Brandi ficou a três pontos percentuais de atingir a meta. As metas da empresa, contudo, não se limitam a 2010. Giuliano enxerga longe. 2025 é o ano em que pretende anunciar a Milano de Brandi como maior do segmento imobiliário de Goiás. Novamente, reflete o que aprendeu com os gigantes: “Quinze anos é o prazo que nós sabemos que as incorporadoras e imobiliárias de grande porte levaram para chegar ao tamanho em que estão.” Enquanto isso, ele executa ações para posicionamento da marca nos empreendimentos de médio e alto padrões, com foco, em Goiânia, nos setores Bueno, Marista, Oeste e Sul. No entanto, não deixa de atender clientes com outros perfis, apesar de deixar claro que não são a sua especialidade. Cerca de 20% do faturamento da Milano de Brandi é investido em mídia direcionada ao público-alvo, as classes A e B. Viabilizar negócios de compra e venda de imóveis, incorporação e consultoria imobiliária, de forma sustentável e inovadora, com excelente padrão de qualidade, sempre fundamentados na ética e profissionalismo, é a missão a que se propõe a Milano de Brandi. O foco, determinado por Giuliano, está na total satisfação dos clientes, colaboradores, parceiros e investidores. Com estes pilares, a empresa e o empresário se preparam para incomodar o mercado imobiliário e, em uma década e meia, se firmar como o principal nome do setor em Goiânia. “O nosso negócio é alimentado de persistência, criatividade, otimismo e muito trabalho”, finaliza.


ARQUITETURA & DESIGN DE INTERIORES

Tânia Franco e William Hanna: projetos combinam elementos do passado e do contemporâneo

Resgate do passado A

Influências de estilos retrô e vintage se firmam como tendência dentro e fora dos ambientes Carol Magalhães

ssim como na moda, as tendências em design de interiores e arquitetura são cíclicas. Isso porque as influências de décadas anteriores têm peso decisivo e fazem toda diferença nas mais diversas áreas. Dentro e fora das edificações, o resgate de elementos que remetem ao aconchego da casa dos nossos avós tem se firmado como um recurso poderoso para equilibrar a frieza do contemporâneo e da tecnologia de ponta. Nesta direção, entram em cena os estilos retrô e vintage. O primeiro se inspira no passado, aguçando as lembranças e a memória afetiva. Já o segundo tem como estímulo o clássico, de importância ou ZELO 10

qualidade reconhecida. Por isso, não estranhe ao se deparar com um récamier, poltrona cabriolet ou sofá Louis XV, adornado com detalhes em dourado, dividindo espaço com persianas e luminárias automatizadas, mesas em vidro e cadeiras de desenho arrojado. Cada vez mais presentes nas mostras de interiores, as misturas, quando bem elaboradas, podem proporcionar incontestáveis resultados. Mas tudo depende, essencialmente, do talento e do grau de profissionalização que envolve o projeto. Quando o assunto é estilo retrô, uma referência forte na atualidade vem da década de 1950, sobretudo no que se refere a


mobiliário. “Os anos 60 e 70 também oferecem subsídios interessantes para serem mesclados com os contemporâneos, mas as atenções estão começando a se voltar com mais intensidade para a década de 50”, comenta a arquiteta e designer de interiores Tânia Franco. Dentre os ícones dessa época estão a mesa com extensor embutido (a famosa mesa que estica), a cama com cabeceira reta, além das inevitáveis poltronas e mesinhas de pés-palito, assim como as estantes pequenas com utilidades quase infinitas. Também estão em voga as padronagens cinquentinhas, repletas de grafismos, temas abstratos, motivos florais e imitações de listras de zebras e pintas de leopardo.

Aconchego

O arquiteto William Hanna explica que o cotidiano estressante da maioria das pessoas fomenta a busca pela combinação de estilos, o que confere mais personalidade e conforto aos ambientes. “Atualmente, o que se procura são locais acolhedores, que favoreçam o bem-estar e o convívio em família. Para alcançar esse resultado, trabalhamos com cores, integração de espaços, bem como recorremos à iluminação, papel parede, fontes e espelhos d’água, mobiliários diferenciados, tapeçaria, adesivos, madeira e paredes verdes verticais.” Tânia Franco acrescenta: “É claro que, nos dias de hoje, tudo isso precisa ser desenvolvido em perfeita sintonia com conceitos como sustentabilidade e inclusão social. Por isso, em nossos projetos, priorizamos a releitura e o reaproveitamento de materiais, bem como incentivamos e valo rizamos trabalhos manuais, como o artesanato. Mantemos contato constante com associações e cooperativas que integram profissionais deste segmento.” Essa preocupação fez com que os sócios William Hanna e Tânia Franco se identificassem com a proposta da Morar Mais. Em 2009, eles elaboraram a sala de cinema, comentada, principalmente, pelo revestimento de parede desenvolvido exclusivamente para o evento, feito a partir de jornais de vários lugares do mundo. “Foi uma homenagem aos meios de comunicação”, frisa Tânia. O ambiente também se destacou pelos tons quentes, luminárias coloridas e por uma escultura procedente da “Central Mãos de Minas”.

Espaço do Chef, projetado para a Morar Mais, traz novidades como pedra diferente do mármore e do granito

Em 2010, a dupla participará novamente da mostra de interiores com o “Espaço do Chef”, uma cozinha idealizada a partir de uma parceria com a Dellanno. Tânia revela: “Teremos o lançamento de produtos da marca, a exemplo de uma madeira reflorestada e de uma laca, além do silestone ‘Bianco Rivers’, que é uma pedra industrializada, diferente do mármore e do granito, que são extraídos de rochas.” Os sócios adiantam que outras novidades serão apresentadas, mas que todas se pautarão pela funcionalidade. “A composição contará ainda com o apoio da Eucafloor, que estará mostrando, em primeira mão, na entrada, uma placa de 25 mm; da Via Condotti, com o mobiliário; de artesãos que criaram luminárias exclusivas, comercializadas pela Projeto Luz; e da Urban, com os revestimentos”, resume Tânia.

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Detalhe do Espaço do Chef: luminárias exclusivas comercializadas pela Projeto Luz

Obras

William e Tânia já marcaram presença também na Casa Cor 2005, com o “Lavabo”, e 2008, com o “Banheiro Público Feminino”. Eles são autores de centenas de obras residenciais, co merciais e industriais, nas áreas de ar quitetura, interiores e design de mobi liário. Também têm no portfolio as lojas Cone Pizza, Bahrem, Santafé Hall, restaurante Armazém do Sabor, fábrica Martha’s Pão de Queijo, além de casas em vários condomínios horizontais (Alphaville, Granville, Aldeia do Vale, Jardins Viena, dentre outros). ZELO 11

William Hanna e Tânia Franco Arquitetura e Interiores Rua João de Abreu, 19, sala 08, Setor Oeste – Goiânia-GO (62) 3622-6343


Morar Mais por Menos

Quarto dos filhos

A terceira edição da mostra Morar Mais 2010 – O chique que cabe no bolso apresenta 43 ambientes com ideias criativas, chiques, acessíveis e funcionais, a partir de produtos e materiais genuinamente brasileiros e sustentáveis. O evento acontece até dia 9 de maio, em um casarão de 1.200 m² no Setor Sul. Sala da imprensa

Espaço Persiflex

Apartamento do solteiro Refúgio de ideias do publicitário

Minha casa, minha vida

Varanda de estar do casal

Apartamento do jovem casal

Área de convivência ZELO 12

Escritório do empreendedor

Varanda rústica

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

 DECORAÇÃO


ARQUITETURA

Luz e sol na sala de estar Ivan Grande homenageia elementos da natureza em projeto para a Morar Mais

I

Alice Galvão

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Ivan Grande: “O projeto simboliza nova fase para mim”

Cores como branco, amarelo e dourado ajudam a deixar o ambiente mais claro

vã III “o Grande”, Grão Príncipe de Moscou de 1462 a 1505, foi conhecido por ter declarado a independência da Rússia do jugo mongol, sobre os degraus da Catedral de Assunção, no Kremlin, criada pelo arquiteto italiano Aristote Firaventi. O nosso personagem brasileiro, ao contrário do seu quase xará russo, tem na alma a arte e não a guerra. Ivan Grande, nascido em São Paulo, veio para Goiânia em 1995 e em 1996 foi para a UnB cursar Desenho Industrial. Influenciado pela arquitetura da cidade e pelos colegas arquitetos, decidiu que queria “trabalhar o macro”, palavras dele. Depois de graduado, voltou para São Paulo e foi trabalhar na aviação civil. Esta fase foi fundamental para conhecer vários países, observar como era a arquitetura no mundo e decidir cursar sua 2ª graduação. Desta vez em Arquitetura. Influenciado pelo modernismo da escola de Brasília, com suas formas mais retas e claras, em busca da perfeição formal, ele hoje trabalha em Goiânia, com desenvolvimento de projetos residenciais, comerciais, de interiores e de mobiliário exclusivo. Em uma das salas da Revestic, no final da Rua 88, Setor Sul, Ivan conversou com a Zelo sobre sua participação na mostra Morar Mais 2010, que acontece até 9 de maio, para a qual recebeu a incumbência de construir a sala de estar. Ele contou que, como mote inicial do trabalho, quis homenagear o mês de março, “esse mês ZELO 13

pisciano, que remete à água, à claridade, ao sol, ao azul”. Muito diferente do projeto escuro e intimista que desenvolveu para a mostra de 2009 e cujos elementos em cinza e bronze representavam a tendência da época. “Este ano o espaço simboliza também uma nova fase para mim, uma fase completamente clara. A fase do azul, do branco, do amarelo, do dourado, do brilho. Das peças laqueadas em branco, abajures completamente brancos, sem textura nenhuma, sem florais. Está representando uma fase muito boa”, empolga-se. Quando perguntado sobre as dificuldades de produção, contou que o maior desafio que percebe no mercado de Goiânia é a falta de compromisso dos profissionais responsáveis pela aplicação do projeto com a estética, com a criação. “A arte tem a função de encantar, mas hoje eu percebo que as pessoas andam tão bitoladas, tão preocupadas com o final, que esquecem a emoção do meio, a emoção da criação, do nascimento de um produto, seja um objeto macro ou micro”, desabafa. A sala de estar é um dos principais ambientes da mostra. Fica no segundo pavimento do prédio de número 444, na Rua 90, no Setor Sul. É a parte mais residencial, onde estão também os quartos e a cozinha. Contando com uma bela varanda, o espaço é dedicado à contemplação e à grande fase de Ivan Grande.


ARQUITETURA

Sustentabilidade no escritório Projeto utiliza lâmpadas mais econômicas e parede com palavras em adesivo

Espaço projetado para cliente de perfil jovem, a ser exibido na Morar Mais, utiliza parede revestida com tacos e material reciclado

Alice Galvão

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Lourdes, Leila e Lorena assinam o projeto “Escritório do consultor político”

Agradecimentos: Persifashion Persianas Casa & Interiores Eletro Light Portal do Led

L

ourdes Cavalcante, Leila Finotti e Lorena Cavalcante. Este trio feminino de profissionais goianas será responsável pelo “Escritório do consultor político”, que foi encomendado por Leopoldo da Veiga Jardim e será levado para apreciação do público. Quando perguntadas sobre estilo e influências, a resposta foi unânime e uma completou a ideia da outra. “Nossas influências são determinadas pelo perfil do cliente (Lourdes). O projeto é baseado no estilo dele, que nós estudamos e imprimimos funcionalidade e beleza (Leila). Eu, por exemplo, prefiro o estilo clean, mas também adéquo meu trabalho ao gosto do cliente (Lorena).” Para desenvolver o projeto, precisaram unir a personalidade do cliente, suas preferências e necessidades de sua profissão aos conceitos determinados pelo tema da mostra (Morar Mais por Menos – O chique que cabe no bolso), que acontece de 8 de abril a 9 de maio e está em sua terceira edição. Optaram pelo uso de materiais reciclados, econômicos e brasileiros em uma composição que ficará ao mesmo tempo acolhedora e atual, priorizando objetos de decoração acessíveis ao bolso. “A ideia do nosso trabalho como inacessível está mudando. As pessoas estão vendo que não é modismo, que com a ajuda de profissionais irão economizar no fim da obra, ficar mais satisfeitas. A mostra vem ZELO 15

para reforçar isso”, empolga-se Leila. Lourdes completa: “Nosso papel é organizar o sonho do cliente dentro do orçamento que ele tem.” Posicionado como terceiro ambiente da mostra, bem na entrada do prédio, após o cinema e o apartamento “rapaz solteiro”, o escritório terá como ponto principal uma parede revestida com tacos de mais de 30 anos de idade, de madeira ipê, que não existem mais comercialmente. “Nós vemos este material como obra de arte”, explicam. Serão usadas ainda lâmpadas de LED (Light Emitting Diode), mais econômicas e duráveis. Uma das paredes será dedicada aos conceitos profissionais do consultor político, representados por palavras feitas de adesivo. “O adesivo é muito bonito, tem preço acessível e alegra o ambiente. Pode ser feito pelo próprio cliente”, avisa Lorena. Outra parede será desenhada à mão, reproduzindo uma estante de livros. “O cliente é jovem, então vamos trabalhar bastante com vermelho e preto. A gente brincou um pouco com o ambiente para trazer esta ideia de jovialidade”, completam as artistas. Para esta equipe, a mostra significa a oportunidade de “sair do mundo particular, do escritório e ter mais contato com os colegas, fornecedores e outras linguagens. É prazeroso e alegre, apesar da correria e dos transtornos próprios da execução do trabalho”, encerra Lourdes.


A música na vida VIVER COM ZELO

I

Ismael Alexandrino

dr.ismaelalexandrino@gmail.com

mpressiona-me como a música é algo intrínseco ao ser humano. Chega a ser visceral. Literalmente! Basta observar quando nossas vísceras fazem algum barulho próprio do peristaltismo, logo dizemos que “nosso estômago está cantando”, ou roncando. Os bebês nascem cantando óperas. Desafinadas, é verdade, mas altissonantes. As mães, pais e avós lhes cantam canções de ninar. Logo que as crianças começam a esboçar as primeiras palavras, corremos para ensiná-las a cantar musiquinhas infantis; e nos emocionamos quando os pequeninos conseguem cantá-las completas. Ainda na infância, muitos são iniciados a algum instrumento: piano, violão, violino, bateria, gaita, saxofone, flauta. Na adolescência e juventude começam a “tietagem” e as idas a shows. E na velhice se ouve música para acalmar, pacificar a alma. Aí é coisa sublime, coisa de quem entende de vida, de quem já ouviu todo tipo de música a vida toda, e então seleciona as que de fato lhe dão prazer. Música faz parte das nossas emoções. Cantamos porque estamos alegres. Can tamos porque estamos tristes. Cantamos porque estamos angustiados. Cantamos porque estamos eufóricos. Cantamos por não ter nada para fazer. Cantamos, cantamos, cantamos... Shows musicais no mundo todo são feitos em prol de causas nobres. Raças, cores, credos são reunidos num mesmo estádio de futebol. Tudo pacificamente, em harmonia. Imagino que se as doutrinas religiosas fossem cantadas, não haveria tantas divisões, tantas facções, tantos conflitos no mundo. A tão sonhada “coexistência” entre os povos – pregada ZELO 16

pela banda U2 – talvez acontecesse. Dia desses fui almoçar num restaurante italiano, era um agradável dia de chuva da segunda quinzena de março. Quando fui pagar a comida, na minha frente um se-nhor comentou com o dono do restaurante sobre a chuva torrencial. Ao que o simpático comerciante respondeu: “São as águas de março encerrando o verão! Tom Jobim não erra; a natureza não erra.” Ouvindo aquilo dito de ímpeto, numa rapidez como que de um reflexo, encantei-me. No exato momento pensei como a música se faz presente em todos os momentos. Principalmente as músicas boas, aquelas que sobrevivem ao tempo. Elas se encaixam em cada detalhe da vida, do cotidiano, pre enchem o vazio. Fui para o carro para voltar ao trabalho e coloquei Águas de Março para molhar meus ouvidos enquanto dirigia. A voz de Tom foi minha companhia no restante daquele dia. Gostei do restaurante; gostei do jeito espirituoso do dono. Tive um dia feliz. Voltarei lá mais vezes. Não sou músico, mas os aprecio muito. Já toquei piano durante alguns anos, depois insisti no violão. Descobri a tempo que meu dom é somente para ouvir música, não para tocá-las, fazê-las. Fiquei muito feliz quando descobri isso; tirei o peso da obrigação. Porque música não deve ser obrigação, mas espontaneidade. É o fluir natural; assim como a vida. Assemelhamse tanto que, às vezes, música e vida se fundem, e se confundem. É a mais doce confusão que conheço. Pois é!... “É pau, é pedra, é o fim do caminho... São as águas de março encerrando o verão...”


Movida Madrileña TURISMO

Tradição, modernidade e diversão se misturam em uma capital comprometida com o bem viver

E

Roberta Brum De Madri

Fotos: E. M. Promoción de Madrid. S.A

Mercado San Miguel: templo de produtos gastronômicos

spanha é o terceiro país mais visitado do mundo e o primeiro quando se trata de viagem de férias. Em 2009, foram 52 milhões de turistas – uma queda de 8,7% em relação a 2008. O mais curioso é que, enquanto todo o país sofria os efeitos da crise econômica, Madri aumentou o número de visitantes, chegando a mais de 7 milhões. A crise mudou muito o panorama turístico dos europeus, diminuindo os roteiros de largas distâncias e estâncias e incrementando os “city breaks”, o que favoreceu as importantes cidades. Madri é uma capital atípica, que não “cheira a trabalho”. O motivo principal é a alegria dos espanhóis e a forma de encarar a vida - bem parecida com a nossa. Aquela filosofia de “trabalhar para viver” e não de “viver para trabalhar”. Assim, entre sestas (aquele famoso cochilo depois do almoço), muitos feriados e puentes (os feriados emendados) e longos almoços “de trabalho”, aqui se respira ares de uma grande cidade “leve”, descompromissada, cheia de qualidade de vida e de “movida” (para soar bem espanhol, leia-se “mobida!”). Ter “movida” é ter agitação, animação, muitas coisas acontecendo, muitas pessoas envolvidas. Quase sempre que escuto a palavra, ela vem acompanhada: “movida madrileña”. Assim sendo, estar em Madri presume energia e diversão. É como se você estivesse aqui para curtir a cidade e, de quebra, visita museus importantes, faz compras. Nada é regra, nada é imprescindível. Não se atenha a horários. Os espanhóis ZELO 18

estão sempre atrasados. Esqueça o relógio; peça uma “caña”! A caña é a cerveja de grifo, o chopp. Madrilenhos defendem que a melhor caña é a daqui pela forma como a servem e pelos copos que utilizam. Também segundo eles, um dos melhores lugares para apreciá-la é no Bar Cangrejero, que está localizado justamente em uma antiga fábrica da cerveja Mahou. Para acompanhar a cervejinha, vá de “tapas”, a grande tradição do lugar. Tapear é ir de bar em bar provando as especialidades. São pequenas porções, petiscos mesmo, geralmente bem menos servidos


Gran Via 8: região onde se pode comprar roupas a preços baixos

Plazza Maior: arquitetura e história

Tome um banho de cultura  Museu do Prado Abriga a melhor coleção de pintura espanhola do mundo.  Museu Reina Sofía Obras de Dalí, Miró y Juan Gris acompanham Guernica de Picasso em uma viagem pela arte contemporânea e de vanguarda.  Museu de Cera Presume um passeio divertido e fotos incríveis, com réplicas de figuras como Dalí, Picasso e Penélope Cruz Dicas Bons achados: Parfois (bolsas y bijoux), Calle Fuencarral, 95 É preciso ir: Um espetáculo de Flamenco Onde comer: La Gloria de Montera, Calle del Caballero de Gracia, 10. Lardy, Carrera de San Jerónimo, 8 Idioma: Atreva-se ao “portunhol”! que os nossos. Assim, peça muitas para ir provando. Tapas tradicionais são as batatas bravas e ali-oli, croquetas de pollo o jamon, pulpo à galega, calamares rebozados, jamón ibérico (batatas com um molho picante ou de alho, croquetes de frango ou de presunto, polvo, anéis de lula empanados e o presunto cru ibérico - o porco ibérico é mais nobre, pela região onde vive e a alimentação que tem). Ah, e, por favor, “aceitunas!” – são as melhores; aproveite para se fartar! Visite também o Mercado San Miguel, um templo de produtos gastronômicos. Para quem não curte museu (e para

Terrazas: pontos tradicionais de Madri para se encontrar com os amigos ZELO 19

os outros também!), passe algumas horas no Parque Retiro e visite o Palácio de Cristal. Veja também o Palácio Real, impressionante luxo e uma fachada lindíssima. Todos os pontos turísticos em Madri estão relativamente perto. Se gosta de caminhar (e o clima permitir), andar pelas ruas é uma linda opção, e também um costume muito europeu - um raro prazer em outras partes do mundo. Distâncias razoáveis, segurança e limpeza nas ruas tornam o caminho muitas vezes mais interessante que o destino. Área linda para andar de bobeira é o Passeio de Recoletos, que passa diante da biblioteca nacional, um edifício maravilhoso. “Aquí se come bien” – A expressão, muito usada pelos espanhóis para descrever e recomendar lugares, é uma confirmação de que, nesta cidade, gastronomia é tradição, lazer e negócio. Para se ter uma ideia, são 3.100 estabelecimentos catalogados. Um espanhol que se preze aprecia um bom peixe e frutos-do-mar. Maior mercado de pesca, Mercamadrid ocupa uma superfície total de 42 mil m2 e vende 217 mil toneladas por ano, o que o converte no segundo centro de vendas de peixes do mundo, atrás do Japão, e o primeiro em variedades. Como por aqui não existe muito a cultura dos shopping centers, o madrilenho anda nas ruas, vê vitrines, passeia e compra algum item no meio do caminho. Eles também são apaixonados pelo “El Corte Inglés”, uma loja de departamentos que vende desde roupas a eletrônicos. Ir de copas é um costume que os goianos conhecem bem: sentar em um barzinho com amigos. Só que as “copas” aqui são entendidas como bebidas de dose acompanhada de um refrigerante ou suco. A mais popular é o rum-cola (não tente pedir Cuba Libre porque não irão entender!). Quando o assunto é coquetel, há uma verdadeira paixão pelos Mojitos (rum, soda, limão, hortelã e açúcar). Experimente também o tinto de verano e a Sangria, bebidas à base de vinho tinto e extremamente populares. Se o programa é disco, há muitas opções. A que melhor agrada aos turistas é a Pacha. Ananda é provavelmente a discoteca mais glamorosa. Ah! Tenha fôlego, pois as madrugadas espanholas são longas. Antes de ir para casa, substitua o pit dog por Churros com Chocolate, esta é a tradição! Parece uma boa pedida, uma dose de glicose!


fashionmania Adevania Silveira

adevaniasilveira@terra.com.br

Clutches inspiradas nas criações de Alexandre McQueen

McQueen reina

O mundo da moda ainda nem se conformou com a morte súbita do celebrado estilista inglês Alexandre McQueen, e muitas marcas se apressam a render-lhe homenagens (e aproveitar a oportunidade, claro) com criações inspiradas no designer. Uma delas é a Accessorize, marca inglesa com lojas em todo o mundo, inclusive em São Paulo, que acaba de lançar uma nova linha de clutches, que lembram muito carteiras feitas pelo estilista que imortalizou a bandeira da Inglaterra como estampa em acessórios. Na versão atual, chegam inteiramente em paetê e, sem pedir licença, com variações nas cores da bandeira.

Apertem o cinto

As datas da 17ª edição do Fashion Rio e da 29ª edição do SPFW, ca lendário oficial da moda brasileira, para lançamento das coleções verão 2011, estão definidas. O Píer Mauá recebe de 27 de maio a 1º de junho o Fashion Rio. Em São Paulo, de 8 a 14 de junho, no Pavilhão da Bienal do Parque do Ibirapuera, é a vez do SPFW. A partir do dia 29 de maio, os armazéns do Píer Mauá abrigarão também a 16ª edição do Rio-à-porter, salão de negócios de moda e design oficial do Fashion Rio. O evento contará com mais de 200 marcas e estilistas consagrados de dife rentes Estados brasileiros.

Direto do sofá

Quem não está planejando assistir aos desfiles diretamente das duas cidades, mas que a-do-ra saber tudo sobre moda, pode acompanhar as novidades pela Fashion TV Brasil, rede de TV por assinatura com transmissão 24 horas da Turner Broadcasting System Latin America, que traz uma programação baseada em estilo de vida, entretenimento e moda. Sempre que posso, estou pregada lá. A FTV Brasil apresenta um mix de moda, turismo, gastronomia, comportamento, música e tendências de uma maneira moderna e atual. O canal está disponível pela Sky (canal 31) e NET (canal 95). Só falta mesmo a programação se estender ainda mais a temas fora do eixo Rio-São Paulo. ZELO 20

Look Missoni: primeiro desfile realizado no

Missoni no Cerrado

Brasil foi no Teatro Nacional de Brasília

A multicolorida grife italiana está mais perto de nós do que nunca. No mês de março, desfilou pela primeira vez no Brasil e o lugar escolhido foi o Teatro Nacional, em Brasília. A coleção foi a mesma apresentada em setembro de 2009 em Milão para a temporada primavera-verão 2010 e que já chegou à loja da grife em São Paulo, e em abril estará nas araras da nova loja do Shopping Iguatemi e na multigrife Magrella, ambas em Brasília, e M&Guia, em Belo Horizonte. As peças são leves e delicadas e trazem o refinado trabalho de malharia da marca; outras foram construídas em transparências e formas super slim. Vittorio Missoni, diretor de Marketing da empresa, e seu filho, Ottavio Missoni Jr., um dos responsáveis pela parte de produção da grife e que detém o segredo de fazer o ziguezague em cores mais famoso da moda mundial, vieram ao Brasil para o desfile.


Renda-se

Mim, Jesus

Na novíssima campanha da Ellus, o clima é mais selvagem do que nunca. Em meio à mata atlântica, em São Paulo, o namorado de Madonna, Jesus Luz, e a top Cíntia Dicker posaram para ensaio que sugere domínio total do macho sobre sua “presa”. As imagens de Lacques Dequeker focam o leather denin, o jeans com aparência de couro (lindo!!!) lançado na SPFW. Jesus Luz é o modelo brasileiro de maior projeção internacional no momento. Está na capa da RG Vogue de março e acumula em seu portfolio campanha para Dolce&Gabbana, capa da revista francesa L´Officiel Hommes e perfil no jornal americano The New York Times. Fotos: Divulgação

Não há como não surfar nesta onda. A renda dominou quase tudo no oceano da moda. Mas ainda bem, porque é clássica, elegante, feminina, vai a qualquer lugar e a qualquer hora do dia. Foi estrela na última temporada dos desfiles internacionais e está presente em várias coleções brasileiras, desde a alta costura à linha basiquinha. A Farm, por exemplo, propõe usá-la da cabeça aos pés, literalmente. Vá sem medo, mergulhe de cabeça neste hit.

Eleonora, na última viagem de pesquisa que

Sherlock

fez a Paris: nova coleção de acessórios

O charme do tênis rendado, da Farm: toque de elegância para qualquer hora do dia

Curvas e volumes

A Fundação Ema Gordon Klabin, em São Paulo, foi palco da nova coleção inverno 2010 da estilista Bianca Ranucci, que apresentou vestidos deslumbrantes. Para abrir e fechar o grande show, a lindíssima Ana Claudia Michels. Na pla teia, Laura Neiva e Daniella Sarahyba, linda e grávida, mas ainda sem nenhuma barriguinha. Na passarela, um perfume cinquentinha e muitas curvas que, inspiradas na arquitetura, criavam volumes sedutores e um shape moderno.

Jesus Luz e a top Cíntia Dicker estrelam nova campanha da Ellus: clima selvagem

Esse vale ouro

A designer Eleonora Hsiung, a Lola, guarda a sete chaves a coleção de acessórios, bem como o nome que a batizou e o local onde fará o coquetel de lançamento ainda este mês. Eu, que não sou boba nem nada, dei uma rápida espiada nas criações e fiquei alucinada com o grau de imaginação da menina de olhos puxados. Além das bijus, construiu uma linha de roupas que pretende provocar o imaginário feminino. Mas, neste jogo, só entram mulheres antenadíssimas, viu?!

Gente, olha que chique! A Dolce&Gabbana lançou modelos exclusivíssimos de óculos de sol e grau para esta estação, em edição limitada. A linha, batizada de Dolce&Gabbana Gold Edition, Óculos Dolce&Gabbana à toda prova de imitações possui armação feita com ouro 18 quilates! Ui, cadê meu segurança? As belezinhas vêm embaladas em um porta-joias e têm certificado de autenticidade e originalidade, design e qualidade do ouro usado nos modelos, além de uma placa dourada da assinatura “Dolce&Gabbana Gold Edition”. Ou seja, nenhuma chance para Chinetown. ZELO 21


ANIMALE

SACADA

IORANE

CAOS

CARMIM

CORPOREUM

FORUM

MORENA ROSA

NAME


Tratamento intensivo

ZELO BELEZA

Fotos: Divulgação

O novo Natura Chronos Sérum Politensor Intensivo promete devolver a firmeza e a elasticidade da pele em um tratamento cosmético intensivo. Com alta concentração de ativos de origem biotecnológica, como polímeros de origem vegetal e glicerina vegetal, propicia mais elasticidade e firmeza, além de um efeito tensor imediato. O Sérum Politensor Intensivo possui alta concentração de Elastinol +R (5%), um exclusivo sistema tecnológico da Natura, que estimula a síntese de colágeno e a renovação celular, regulando a produção de elastina, redensificando a pele e ajudando a suavizar as rugas.

Enquanto você dorme

As mulheres estão sempre à procura de cosméticos que auxiliem na prevenção do envelhecimento e que minimizem os efeitos do tempo. Pensando nisso, O Boticário traz inovação para a linha Active, com o lançamento de 11 produtos. Os lançamentos possuem as tecnologias exclusivas – Priox-In+ (*), Comucel+Matrixyl (*) –, desenvolvidas pelo Centro de Pesquisa da Idade O Boticário. Elas trabalham diretamente nos processos de envelhecimento da pele e reagem de forma proativa às mudanças climáticas, além de atenderem às necessidades em cada etapa da vida. As novidades também potencializam o tratamento antissinais de forma mais efetiva e direcionada.

Beauty

A Saad Maquillage é pioneira no segmento de cosméticos de luxo nacional. A linha oferece a qualidade exigida pela consumidora de beleza das melhores marcas mundiais. Suas texturas são adequadas ao clima e pele da mulher brasileira e proporcionam acabamento impecável. Para o Inverno 2010, a marca lança novas cores de batom (daikiri, frozen e sunset), de gloss (frozen) e de blush (daikiri). As cores antigas dos compactados ganham nova fórmula: mais leve e micronizada (mais fina). Destaca-se ainda o pó bronzeador, que surge com uma textura mais leve e delicada.

Pele perfeita

Shiseido lança a próxima geração da base hidrolíquida: a Advanced HydroLiquid Compact. Com uma formulação hidratante contínua, proporciona benefícios de tratamento à pele, deixando-a mais radiante e com aparência saudável. É recomendada para qualquer tom de pele e possui alto efeito de hidratação para não só maquiar como tratar a pele. Possui Pó Luminoso Refletor e Pó Óptico, que melhoram a opacidade, escondem suavemente olheiras, pigmentação irregular, sardas, linhas finas e poros visíveis. ZELO 23

Nova linha Adidas

Após quatro anos de pesquisa e desenvolvimento com a participação efetiva de atletas e especialistas, a Adidas, marca licenciada para a fabricante de perfumes e cosméticos norte-americana Coty, apresenta no Brasil a nova tecnologia Action 3 Dry Max para sua linha de desodorantes. Ao todo são 12 produtos, divididos em linhas masculina e feminina. São três versões de roll-on e três versões de aerossol para cada uma das linhas, incluindo os grandes lançamentos profissionais, desenvolvidos para atender com excelência as exigências e necessidades dos atletas profissionais - Pro Level para os homens e Pro Clear para as mulheres.


MODA

Liberdade de escolha para elas e para eles

Com mix feminino e masculino, a loja Quinta Valentina, fruto do empreendimento de três jovens paulistas, se destaca pelo conceito de autosserviço e grande estoque de calçados e acessórios

Quinta Valentina está instalada em prédio com quatro andares: autoatendimento com ajuda de monitores

A

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

João Camargo Neto

migos desde a infância, os paulistanos Rafael Matheus, 26, e Renato Grisi Kuyumjian, 24, não imaginavam que um dia morariam e teriam negócios juntos em Goiânia. Nem que a sociedade seria composta por Michel Fernandes Thomé, 25. Com formação em Administração de Empresas – os dois primeiros pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap) e o último pela Trevisan –, resolveram empreender em parceria após período de atuação no mercado de franquias. Público com alto potencial de consumo e sedento pelas tendências da moda e posição geográfica favorável ao projeto de expansão são os principais motivos que culminaram no primeiro projeto em conjunto do trio, que investiu aproximadamente R$ 1 milhão. De portas abertas desde março, a Quinta Valentina Shoe Store já se lançou no mercado goianiense com mais de seis mil pares de sapatos da coleção Outono-Inverno, além

ZELO 24

de cintos, bolsas e outros acessórios. Além do estoque grandioso e renovado semanalmente, exposto em quatro andares distribuídos em 900 metros quadrados, o principal diferencial da Quinta Valentina é o sistema de autosserviço, conceito inédito neste setor em Goiânia. “A loja não tem vendedores, mas tem monitores de showroom, que fazem todo o acompanhamento e solucionam as possíveis dúvidas do cliente. Eles não abordam ninguém”, explica Michel. Engana-se quem imagina, pelo nome, que Quinta Valentina veio para socorrer apenas as demandas femininas. “A palavra portuguesa Quinta remete à grandeza. Valentina vem de valente, para encararmos as naturais dificuldades que sabíamos que viriam”, esclarece Rafael Matheus, que, antes da loja, trabalhou na área de crédito de uma multinacional do ramo automobilístico e atuou no mercado imobiliário para uma das maiores construtoras do País. “Muitos homens levam em consideração a opinião feminina na hora de comprar vestuário ou calçado. O mercado de produtos masculinos é extremamente carente em Goiânia”, intervém Renato, que atuou três anos nas áreas de desenvolvimento de produtos e é consultor de desenvolvimento de canais de vendas de grandes marcas brasileiras. Ele não quer, porém, que os homens sejam meros acompanhantes das esposas. “Queremos que eles também venham às compras”, afirma. O mix de produtos para os dois gêneros é oferecido para atender às classes A e B. O objetivo é atingir público maior do que o de uma boutique, daí o volume de peças que diariamente chega à loja. Sem distinção de idade, a proposta é lançar em Goiânia a moda em tempo real, que estava demorando a chegar aqui. Com


a consultoria da designer de moda Sandra Silveira, com passagem por Daslu, Calvin Klein, Le Lis Blanc e outras, não há perfil que não seja contemplado pela Quinta Valentina, das mais jovens às senhoras, das mais antenadas às mais conservadoras. Apesar da sofisticação, os preços são acessíveis e até mais baratos do que os de muitas lojas com a mesma imponência e sofisticação. Na Quinta Valentina, é possível encontrar calçados a partir de R$ 39,90. Os jovens empreendedores explicam que há, sim, diferenças entre vender sapatos em São Paulo e em Goiás. “Todo mercado tem suas particularidades, sejam de cores, coleções ou outros fatores, como os climáticos”, aponta Michel. Ele diz que, por Goiânia ser muito quente, dificilmente sapatos de veludo, por exemplo, emplacariam, ao contrário da capital paulista, que possui clima ameno.

Ousadia

De início, a proposta era abrir a Quinta Valentina apenas com produtos femininos e, com a aceitação, expandir para o público masculino. A dúvida que o nome poderia gerar fez com que o trio decidisse inaugurar a boutique com o mix para eles e para elas. Ainda este ano, Michel, Rafael e Renato planejam lançar a Valentininha. Trata-se de linha desenvolvida em cima dos sapatos da mãe para a criança. Não é exclusivamente infantil, com motivos pueris. A proposta é criar, de olho nas filhas, também com numeração reduzida, o mesmo produto que é feito para a mulher adulta. A dimensão do prédio de quatro andares que a loja ocupa e a localização – Rua R11, no Setor Oeste – favorecem o projeto. A escolha de Goiânia não foi por acaso. Eles abriram a primeira unidade já com vistas à abertura de filiais. O projeto de expansão, no entanto, é mantido em sigilo absoluto, pois o grupo sabe que há concorrentes que pretendem se lançar na mesma empreitada. Quanto ao sistema de autosserviço, é aquele em que o cliente escolhe os sapatos expostos em prateleiras explicativas, sem a intervenção de vendedores, e os leva direto ao caixa. A Quinta Valentina oferece monitores que estão aptos a informar características dos produtos, já expostos com etiquetas com o preço, e orientados a abordar o consumidor apenas quando solicitados.

Michel, Rafael e Renato: trio aposta em produtos

Perfis

sofisticados a preços

Michel Fernandes Thomé, 25

acessíveis

Graduado em Administração de Empresas pela Trevisan Escola de Negócios. Participou de mais de 30 projetos em dez setores de mercado, com destaque para os segmentos de alimentação, educação a distância, indústria moveleira e hospitalar. É consultor da divisão de Planejamento da Growbiz desde 2007 Rafael Matheus, 26 - Graduado em Administração de Empresas pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap). Trabalhou numa multinacional do ramo automobilístico e para uma das maiores construtoras do País Renato Grisi Kuyumjian, 24 Graduado em Administração de Empresas pela Faap. Há quatro anos se tornou consultor de desenvolvimento de canais de vendas de grandes marcas do Brasil, com o objetivo de abrir as portas em lojas multimarcas para comercialização das grifes trabalhadas

Serviço Quinta Valentina Loja conta com estoque de seis mil pares de sapatos masculinos e femininos

www.quintavalentina.com.br Endereço: Rua R-11, 1.056, Setor Oeste Telefone: 3086-4866 Aberta todos os dias da semana, inclusive aos domingos

ZELO 25


Estilo e glamour Nathália Fiorotto - natgr@ig.com.br

H a i r lo o k

As madeixas loiras continuam em alta no inverno, para a felicidade de muitas. Mas a novidade nesse caso é o tom que fica levemente mais dourado, com camadas que caminham pelas tonalidades amarronzadas e mel, que deixam os loiros mais naturais e chics, o que combina muito com a estação mais elegante do ano e com as mulheres que sempre procuram um visual atualíssimo. O comprimento do momento é um chanel mais alongado, e se for acompanhado de um volume despojado, melhor ainda, pois deixa o penteado mais interessante para quem procura sempre inovar.

Maquiagem virtual

Existe um site americano na internet voltado para as apaixonadas por maquiagem e cabelo. Ele funciona da seguinte maneira: você baixa uma foto do seu computador direto na página do site – de preferência, a foto deve ser sem nenhuma maquiagem e de cabelo preso, dessa maneira a transformação é mais visível – e faz a maquiagem que quiser, podendo até colocar os cabelos das mais famosas de Hollywood. Você visualiza as melhores mudanças na sua aparência, e, o que é mais bacana, sem arrependimentos. Mulheres que gostam de mudanças radicais e ficam um pouco inseguras, agora podem fazer testes e conferir a melhor opção para o tom de pele. A única dificuldade é que o site é em inglês, mas mesmo assim vale muito a pena conferir essa novidade. Entre no site www.taaz.com e divirta-se. Fotos: Divulgação

Beauty for Oscar

A bela Charlize Theron, garotapropaganda do J´Adore, desfilou no tapete vermelho com um olhar deslumbrante, criado por Shane Paish, da Dior International Make-up Advisor. A atriz sempre dita moda e sem dúvida era uma das mais chics e bem maquiadas do Oscar 2010. Theron usou olhos bem suaves e delineados e, nesse caso, o destaque ficou para os lábios, que apareceram em um lindo tom de vermelho. Esta é uma forte tendência e uma das melhores opções de make-up para a elegante e fria estação. A dica serve para quem sempre gosta de brilhar em noites de muito glamour. ZELO 26

Glamorosa

A atriz internacional Mila Kunis fez a melhor opção de make-up, discreta e ao mesmo tempo muito chic. Uma dica importante para um visual megamoderno: sempre que os olhos estiverem em destaque, a melhor escolha é uma boca apagada com tons de nude, que é uma forte tendência da temporada. Se você tiver olhos bonitos e expressivos, como é o caso dela, então abuse dessa dica e arrase pelas festas da cidade.

Lábios em foco

Atualmente, os batons mais desejados pelas it girls são todos os tons arroxeados, que chegam até as mais claras nuances de lilás. A marca canadense MAC fez os batons mais bonitos desse segmento. O difícil é conseguir esses tons mais diferenciados aqui no Brasil, porque, quando chegam às lojas, rapidamente se esgotam. Mas não custa ficar na torcida ou ir em busca de outras marcas que tenham cores parecidas. A dica também serve para sombras no mesmo tom, o que dá um charme todo especial para os olhos, sendo as mais escuras para noite e as mais suaves para o dia.

Esmalte de desejo

Os esmaltes mais bacanas do momento são todos os tons metalizados, como prata e dourado. Se for cintilante, então arrasa mesmo, pois o brilho está em alta. É fácil encontrar essas cores atuais em todas as marcas, das mais caras às mais baratas. O bom dessa história é que todas podem e devem entrar nessa onda.


Cabelo e maquiagem: Fátima Bastos

Grinalda e acessórios: Inê Carvalho

Buquê: Inê Carvalho

Fotografia: Estúdio Fotográfico Ilidio Botafogo


Experiência e inovação GASTRONOMIA

Fotos: Ângela Motta

Restaurante da Morar Mais traz padrão de qualidade dos chefs responsáveis pelo Mega Place

William e Victor: em sintonia com os clientes

ZELO 28


A

Alice Galvão expressão “Como água para chocolate” dá título ao filme realizado em 1992 pelo mexicano Alfonso Arau. A obra retrata a relação alquímica entre os ingredientes culinários e os sentimentos humanos. Esta referência me parece obrigatória depois de conversar com William Fernando Schwartz, 46 anos, e Victor Emanuel Machado Gonzaga, 22, sócios do Mega Place Eventos. Os dois reúnem experiência e inovação em um conceito gastronômico materializado nos pratos que servem. “Gastronomia está no sangue da minha família. Desde São Paulo, eu me lembro da minha avó fazendo doce em tachos de cobre. Meu pai é europeu, mas sempre teve paixão pela culinária brasileira. Ele era chef em casa. No fim de semana tinha briga entre meu pai e minha mãe para saber quem pilotaria o fogão.” Esta fala é de William, que chegou a Goiânia há 17 anos, deixando em São Paulo, aos cuidados de seu filho, uma churrascaria. “Tenho 22 anos e sou graduado em Gastronomia. Na minha família, minha avó cozinhava muito bem. Minha mãe cozinha muito bem e eu acho que isso me fez gostar de gastronomia. Nasci em Brasília e me mudei para Goiânia com 7 anos de idade. Minha família tem comércio no segmento de alimentos e isso me incentivou a seguir esta carreira.” Com estas pa lavras, Victor se apresenta. O Mega Place completa quatro anos em abril, mas a sociedade foi firmada em novembro de 2009. Já alcançou tamanho sucesso que este ano a dupla foi convidada para montar um restaurante na mostra Morar Mais 2010. Segundo William, as reservas para uso do espaço vão até novembro de 2011. Após recente reforma, os empresários acreditam que 80% da meta de melhorias já foi atingida e revelam que o próximo investimento será no serviço de Buffet móvel. No mês de maio, Victor irá para São Paulo participar de cursos de culinária italiana, pois a dupla acredita que o sabor agrada muito o paladar do goiano, com seus molhos e especiarias. Os chefs atualizam-se sempre e se preocupam com a qualificação profissional da equipe. “Nós fazemos muitas oficinas

com a nossa equipe”, conta William. “E criamos a ficha técnica conforme a montagem do prato. Somos um buffet que respeita e segue à risca os preceitos da gastronomia”, completa Victor. Ambos pontuam que a gastronomia hoje está na moda, estão em voga as revistas sobre o assunto e os lançamentos imobiliários estão sendo projetados com cozinha, varanda ou bancadas gourmet. Eles acreditam que as pessoas querem aprender a fazer pratos diferentes em casa para servir aos amigos. Isso faz com que o público se qualifique e se torne cada vez mais exigente. O grande número de chefs de renome nacional abrindo bistrôs e restaurantes em Goiânia e as escolas de gastronomia contribuíram muito para esta mudança de comportamento. Victor acredita que o consumidor goiano está aprendendo a apreciar vinhos e degustar pratos, deixando de lado a ideia de comer apenas para matar a fome. Por isso, no Mega Place, o cliente participa de todo o processo de trabalho. Assiste à montagem do prato, vê como será servido, degusta todos os itens do cardápio e tem liberdade para mudar o que quiser. “Não adianta eu fazer um prato com carinho, com amor, colocando paixão naquilo ali e servir de qualquer jeito”, explica William. E Victor encerra dizendo: “Você passa a sua energia para o prato, o gar çom passa energia para o prato, o cliente passa a energia dele para o prato. Então, se estiver todo mundo em harmonia, sai perfeito!” É como água para chocolate. ZELO 29

William e Victor conferem no notebook a lista de pratos a serem utilizados na montagem de cardápio: no Mega Place, o cliente assiste à montagem do prato e tem liberdade para mudar o que quiser


SÓ PARA HOMENS João Camargo Neto

joaocamargoneto@gmail.com

Solução

Fotos: Divulgação

Redken acaba de trazer para o Brasil o Color Camo, uma coloração masculina que proporciona efeito tonalizante aos cabelos. Composto por grande concentração de pigmentação cinza, o produto disfarça todos os fios brancos, criando uma repigmentação natural, sem o aspecto de cabelos tingidos tão temido pelos homens.

Boemia

A Doctor Cooler tem caneca de chope estilizada que mantém a bebida gelada por até quatro horas, conservando-a na temperatura ideal. O gel térmico especial permite que sua parede interna alcance até -4° C após o congelamento.

Verão?

Quem adiantou as tendências do próximo verão ao público goianiense foi a Vicunha Têxtil. A marca mostrou sua referência em jeanswear com base em combinação das pesquisas realizadas nos principais centros mundiais da moda e inovação em seu processo industrial.

 Da costeleta até a mandíbula, o pelo cresce para baixo. Da mandíbula até o pescoço, o crescimento inverte.  É preciso cuidado na hora de barbear para não escanhoar (passar a lâmina no sentido contrário do pelo).  O creme de barbear é imprescindível, pois, além de amaciar os pelos, hidrata a pele.

Internacional

Inspirada na tendência outonoinverno da Europa, a Orbis Shoes traz com exclusividade para o mercado brasileiro a bota Lighthouse da renomada marca americana Sebago. Em tons terrosos e escuros, tendência no inverno, os detalhes elaborados mostram as peculiaridades desta bota de cano médio. Presença certa nos pés do homem antenado com o que é moderno.

Bebida santa

Intercâmbio

Designers da Chilli Beans, maior rede brasileira de acessórios e óculos escuros, atravessaram o globo em busca de inspiração para linha especial em edição limitada de relógios da marca. O grupo esteve em Tóquio, no Japão, para trazer referências e percepções dessa que é uma das cidades mais modernas e conectadas do mundo.

PREMIER

 A risca da barba deve ser feita na altura da mandíbula ou um centímetro abaixo dela.  O cuidado com a roupa de couro começa na hora de guardar. Em qualquer peça, nunca se deve usar sacos ou capas plásticas. O ideal é envolvê-la em capas de TNT .  Tecidos de lã só podem ser

Em 29 de março, os judeus iniciam as comemorações do Pessach, festa que celebra a libertação do povo de Israel no Egito. Pensando nisso, a Casa Valduga reuniu todo seu expertise numa linha de vinhos kosher de alto padrão, obedecendo às leis alimentares da kashrut.

lavados com detergente neutro, no processo “delicado” da máquina de lavar. O sabão em pó encolhe e endurece a lã.

a camurça e o chamois.

 O melhor tratamento para peças de cashmere é a limpeza a seco.

 Veludo côtelé pode ser lavado normalmente à máquina com sabão em pó, mas estufas e secadoras causam encolhimento.

 Assim como o couro, por se tratar de pele animal, o ideal é confiar o serviço a uma lavanderia especializada. Tratamentos caseiros normalmente estragam

 Rasgado, puído, casacos oversized e sobreposições invadem as coleções no inverno. A onda “miserável” chic é o hit desta estação.

ZELO 30


FETICHE

Cadeira Duna

Avai Corrêa avai@electramag.com.br Fotos: Divulgação

Jardim suspenso Criado pelos designers franceses Ronan & Erwan Bouroullec para a empresa italiana Terracrea, o jardim suspenso é feito com cordas de nylon e vasos cilíndricos em terracota. O jardim pode ser colocado em qualquer lugar, não dependendo de uma grande parede para apoio. Apelidado do Treille, o sistema de jardim suspenso mede 70 cm x 220 cm e 9 kg. +info: www.teracrea.com

Criação do designer dinamarquês Jonas Lyndby Jensen, a Cadeira Duna tem assento feito com fibra de vidro e base em carvalho. Segundo o designer, a inspiração veio da forma produzida quando nos sentamos na areia de uma duna. A cadeira é fabricada pela empresa sueca Skandiform e custa €1.270,00. +info: www.skandiform.se e www.mdd.dk

Cadeiras que crescem Uma forma diferente de encarar seu jardim. Criação do estúdio francês 5.5 Designers. +info: www.cinqcinqdesigners.com

Poltrona de papelão A poltrona Bravais e o sofá Radiolarian são feitos de papelão ondulado a partir da celulose reciclada e criados pelo designer inglês Liam Hopkins, compondo uma incrível linha de mobiliário de papelão, em colaboração do artista Richard Sweeney. O processo de fabricação envolve a experimentação, onde as formas da natureza serviram de inspiração, como ninhos de vespas e o esqueleto de um organismo marítimo e microscópios conhecidos como radiolários. Um computador foi utilizado para gerar formas triangulares móveis, e foram orientados a empregar as propriedades estruturais do papelão. Foram usados mais de dois mil componentes cortados e colados à mão para criar o Sofá do favo de mel. +info: www.lazerian.co.uk e www.richardsweeney.co.uk

Quadros jardim Tire os seus pôsteres e quadros das paredes e coloque esse incrível jardim de parede. O jardim vertical possui um sistema em grade com recipientes para cada planta. O quadro tem um mecanismo de irrigação que permite suprir todas as plantas com água e coletar o excesso por um recipiente na parte inferior do quadro. Para aqueles que não querem se desapegar dos quadros na parede, o kit vem com um suporte para colocar o jardim vertical no piso. +info: www.vertigarden.co.uk

Aquário labirinto Criação da Opulentitems, o aquário é um grande labirinto para os peixes e possui tudo que um reservatório normal tem: filtros, iluminação e plantas. Custa US$6.500,00. +info: www.opulentitems.com/ ZELO 31

Vestidos reciclados Vestidos fantásticos feitos inteiramente de materiais reciclados, criados pelo estilista Gary Harvey, foram apresentados em 2007 na London Fashion Week. Os vestidos são feitos com 42 pares de calças jeans, 37 camisetas pretas, 30 exemplares do Financial Times, 28 jaquetas de camuflagem do exército, 26 casacos de nylon de jogadores de basebol, 21 sacos de roupas, 18 casacos de chuva, 10 vestidos de noiva e 7 camisetas havaianas. Todos materiais usados. +info: www.garyharveycreative.com


GASTRONOMIA

Novas sensações

Nada melhor do que experimentar temperos e pratos diferentes para aguçar o paladar

O

paladar é uma verdadeira fábrica de sensações. Experimentar novos sabores para descobrir como exercitá-lo é importante até para a saúde mental. Quando perguntamos qual o prato favorito de alguém, a resposta geralmente vem temperada com alguma lembrança. O franguinho caipira que a avó fazia, a lasanha da casa da mãe, as rodas de pamo nha na fazenda, e assim por diante. É na infância, ou mesmo antes, que o paladar começa a se formar. Há uma linha de pesquisadores que acredita na formação do paladar ainda no útero e que a alimentação materna teria influência direta antes mesmo do nascimento do bebê. Pode até ser. Mas isso não deveria ser justificativa para não experimentarmos novidades na vida adulta, ou, pior, para carregarmos uma série de preconceitos ligados aos sabores. Claro que existem pratos e ingredientes de que realmente não gostamos. Talvez por medo de experimentar, não se identificar ou alguma má recordação. Confesso que acho um pouco triste adultos que teimam em restringir o paladar, limitando tudo o que comem ao que gostavam ou não na infância. Apesar de gostar do conforto do purê de batata ou do macarrão na manteiga, considero buscar novos sabores algo importante para a nossa ‘memória gustativa’. Assim como precisamos nos movimentar, caminhar, fazer ginástica, ioga, ou seja lá o que for para exercitar o corpo, deveríamos experimentar novos ingredientes, novos pratos, novas cozinhas para exer citar o paladar. Lembre-se de que ele é um sentido potente e tem capacidade de trazer impressões incríveis. Para facilitar a vida, algumas dicas para você ampliar os horizontes do céu da boca... Caso não curta cozinhar, pode exercitar seu paladar no restaurante que está

André Barros

Chef André Barros - Restaurante Malauí Brownie de cappuccino com castanha-do-pará: novos sabores ajudam a ampliar horizontes

Veja a receita em www.zelodigital.com.br

habituado a frequentar. Uma vez por mês, ao invés de pedir aquele prato de sempre, sem ao menos dar uma espionada no menu, quebre o jejum da leitura e coma o cardápio com os olhos. Investigue as opções e tente algo que normalmente você não pediria. Só não comece escolhendo pratos com ingredientes que você odeie. Quem não suporta beringela, não deveria iniciar com babaganouch! Sempre que alguém falar muito bem de um restaurante, tenha o hábito de anotar na agenda. Você já percebeu como toda vez que queremos ir a um lugar diferente dá um branco e acabamos indo no de sempre? Ir a lugares inusitados também ajuda a lapidar o paladar.

Na feira livre

Adquira o hábito de ir à feira pelo menos uma vez a cada 15 dias. Experimente degustar algo que chame a sua atenção. Pergunte ao feirante o que é e qual o ZELO 32

modo de preparo. Podemos tirar aprendizados bem interessantes dessa conversa. Feirantes costumam lidar com diversos tipos de alimentos e, normalmente, sabem como escolhê-los e armazená-los. Listas de compras pré-elaboradas são práticas, mas dificultam o exercício do paladar. Indo ao supermercado, experimente arriscar e comprar ingredientes novos. Que tal trocar o purê de batata por um de macaxeira e requeijão moreno? Se você nunca leva feijão fradinho, experimente fazer uma saladinha com atum ou bacalhau e raspas de limão siciliano ao azeite de oliva. Pesquise também ingredientes e tempe ros amplamente usados em outras culturas gastronômicas. Curry indiano, por exemplo. Ervas frescas fazem verdadeiros milagres na cozinha, mas raramente vamos além da salsinha, da cebolinha, do coentro e do manjericão. Experimente colocar um galhinho de alecrim na carne moída – fica irresistível.


Agenda Verde Ranulfo Borges ran.borges@ig.com.br

Refrigerante sustentável

Fotos: Divulgação

R

efrescos Bandeirantes, responsável pela fabricação dos produtos da Coca-Cola em Goiás e no Tocantins, investe em responsabilidade social com projetos que ajudam a preservar o meio ambiente e a promover cidadania. Douglas Lacerda, gerente de sustentabilidade da empresa, diz que programas serão ampliados.

Quais têm sido os resultados práticos desses programas da Refrescos Bandeirantes? É com imensa alegria que constatamos os resultados positivos que estamos tendo com nossos projetos sociais. No ano de 2009, por exemplo, a Refrescos Bandeirantes, juntamente com a Cooprec (Cooperativa de Reciclagem), recolheu 40,8 toneladas de embalagens pet, o que corresponde a 976 mil unidades de embalagens recolhidas. Ainda apoiou cinco escolas em Goiás e no Tocantins, através do Programa de Valorização de Jovem (PVJ), tendo como resultado evasão zero. Outro resultado positivo foi o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias, uma ação em que 100 voluntários, entre colaboradores

Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias: participação de 100 voluntários

da Bandeirantes e a sociedade em geral, foram para o Jardim Botânico e recolheram mais de 100 sacos de detritos.

O objetivo então é buscar alcance mais amplo do que apenas grupos sociais mais carentes? Investir em programas como esse é investir no meio em que vivemos, em prol de uma sociedade inteira. No caso do programa de reciclagem, além da inclusão social de ex-catadores de lixo e a educação ambiental da comunidade, significa investir no futuro do nosso planeta, é aumentar os índices de reciclagem, como, por exemplo, a reciclagem de latinhas de alumínio, área em que somos campeões

NOTAS

 Segundo relatório da ONU, a água poluída mata mais que todos os tipos de violência praticados no mundo, incluindo as guerras.

 O Brasil passa a ocupar, este ano, a quarta posição no ranking mundial de venda de carros, atrás apenas da China, EUA e Japão.

 Em Goiás, a contaminação dos mananciais e os custos elevados para tratamento da água estão levando à exploração de fontes subterrâneas. A principal delas é o Aquífero Guarani.

 E m G o i â n i a , j á s ã o c er c a d e 90 0 mil ve íc ulos circu lan do, co m a m é d i a d e o i to m i l no v o s veícu lo s, a maioria c ar ros e mot ociclet as, qu e passam a c i r c u l a r t o d o s o s m es e s n a s

mundiais, com 96% de reaproveitamento. E para 2010, novas ideias a caminho? Douglas Lacerda Em 2010 iremos implantar vários programas, como o “Gestão socioambiental das águas”, que tem por objetivo capacitar representantes da sociedade, usuários de água e gestores públicos e privados para a gestão integrada de recursos hídricos. Além disso, iremos aumentar a quantidade de cooperativas apoiadas e implantar o programa de “Pegada de Carbono”, no qual faremos a contabilização das emissões dos gases causadores do efeito estufa.

ruas da Capit al.  Rodízios e pedágios já estão sendo previstos. Mas, como se sabe, a solução de finitiva só virá com melhorias no transporte coletivo.  A luta pela preservação do Cerrado ganha mais força com o PPCerrado, plano de preservação que começou a ser

ZELO 33

implantado em março pelo Ministério do Meio Ambiente.  Segundo o ministro Carlos Minc, o projeto consiste em monitoramento semelhante ao que ocorre na Amazônia, além do controle, fiscalização, repressão aos crimes ambientais, incentivos a atividades sustentáveis e criação de áreas protegidas na região.


ARTIGO

Ferramentas para gestão socioambiental corporativa Denise Vieira denisevieira@cultura.com.br

Denise Vieira da Silva é mestranda em Desenvolvimento Regional, com ênfase em Responsabilidade Socioambiental Empresarial pela Faculdade Alfa

E

xistem várias formas de contribuir para o desenvolvimento sustentável, uma delas é direcionar as ações das empresas com alguma ferramenta que mi nimize os impactos negativos que a produção industrial causa ao meio ambiente. Diante do novo contexto de preocupações e incertezas, as pessoas estão exigindo das empresas uma nova maneira de agir. A gestão socioambiental estratégica é uma dessas, pois, além de minimizar o impacto negativo das atividades industriais, proporciona também vantagens competitivas. Tecnologias limpas, projetos responsáveis, gestão de resíduo, sistema de gestão da qualidade, ecoeficiência e reciclagem são ferramentas em evidência entre as empresas. A metodologia Produção Mais Limpa, por exemplo, mais conhecida como P+L, tem como objetivo eliminar os resíduos no início do processo produtivo, não ao final. Uma forma de comunicação entre a empresa e a sociedade é o Balanço Social, que disponibiliza as informações sobre as atividades de responsabilidade social das organizações. Entre as ferramentas mais importantes para manter uma comunicação na empresa está a análise de ciclo de vida, que consiste em uma técnica para avaliação dos aspectos ambientais e dos impactos potenciais associados a um produto, compreendendo etapas que vão desde a retirada da natureza das matérias-primas elementares que entram no sistema produtivo até a disposição do produto final. Ao longo dos anos, a “qualidade” passou por algumas mudanças, e uma delas foi acrescentar ao conceito básico de qualidade a preocupação com o meio ambiente. Neste novo conceito, as empresas terão que aprender a lidar com a glo balização, lucratividade dentro da nova cultura, tecnologia, capital intelectual e mudanças contínuas. Dentre as normas mais adotadas pelas empresas estão a OHSAS 18001, que preza pela série de Avaliação e Segurança ZELO 34

Ocupacional; a SA 8000, que monitora a Responsabilidade Social de uma organização; a norma ISO 9001, que preza pela qualidade dos produtos, enfatizando o planejamento da realização dos mesmos, análise crítica relacionada a cada etapa do processo produtivo e melhoria contínua; e a norma NBR ISO 14000, que tem como objetivo principal a orientação das organizações do âmbito ambiental, proporcionando transparência dos processos, utilizando avaliação de desempenho ambiental, rotulagem ambiental e análise do ciclo de vida dos produtos. As metodologias da Ecoeficiência e do Ecodesign estão alinhadas no que diz respeito ao Desenvolvimento Sustentável Corporativo. O Ecodesign propõe o desafio de criar produtos ecologicamente corretos, mantendo assim o equilíbrio entre a natureza e a tecnologia; já a Ecoeficiência é que faz essa ligação, sugerindo a eficiência dos recursos e a responsabilidade ambiental nas ações, projetando o uso mais eficiente de materiais e energia, resultando na redução de custos econômicos e impactos ambientais. Atuar de forma responsável, Responsible Care, é um princípio que foca a transparência de informação com parceiros e fornecedores na busca da responsabilidade socioambiental empresarial. Além de fazer a segurança dos processos e produtos, essa metodologia trabalha a saúde e segurança do empregado, protege o meio ambiente, traça logística de transporte e distribuição de produtos químicos, mantém diálogo com a sociedade e prepara a empresa para emergências. Esses são os pensamentos que toda empresa deve manter em evidência. As empresas inteligentes que buscam iniciativas “verdes” como os 5 R, que consiste em Repensar a cultura de comportamento, Reduzir produtos não recicláveis, Reaproveitar materiais, Reciclar os resíduos, Redesenhar processos e Reimaginar produtos, além de descobrir valores intangíveis, atraem clientes e aumentam a confiança e o valor da marca.


ARTIGO

O lado bom e o lado ruim de ter um cachorro no apartamento

H

Pablo Kossa pablokossa@bol.com.br

www.toonpool.com

á menos de um mês, eu e minha mulher temos um novo companheiro dentro de casa: o Xico. Ele é um filhote da raça lhasa apso e já conquistou toda a família. Nunca tivemos animais de estimação, afinal, as samambaias não contam, né? E a experiência de ter esse canino dentro de um apartamento tem sido, digamos, interessante. Como toda relação, a com nosso cachorrinho é permeada de altos e baixos. Vou tentar listar os pontos positivos e negativos mais significativos para que você, que ainda não sabe se quer ter ou não um canino dentro de casa, possa ter mais subsídios para decidir. Ponto positivo 1 – Um cachorro dentro de casa é alegria na certa. Você chega do trabalho com mil problemas ainda a resolver, 800 e-mails não lidos na caixa de entrada, aquela pilha de louça suja lhe aguardando desde o final de semana na pia, o trânsito sempre infernal e, quando abre a porta de casa, a festinha é certeira! Ele vai pular e comemorar sua chegada como se não o visse há séculos. Essa demonstração de alegria dá coragem para fazer tudo o que se tem para fazer ao longo do dia. Ponto negativo 1 – Ao abrir a porta de casa, com festinha e tudo, você verá que o cheiro do lugar não é mais o mesmo. O odor do cachorro estará presente de forma meio inconveniente. E não adiantam banhos semanais, faxinas gerais rotineiras – a biologia do cheiro do animal é mais forte que as saídas encontradas pelo ZELO 35

homem para diminuir esse chato companheiro dos cachorros. Ponto positivo 2 – Para os solteiros, ter um animal de estimação é uma ótima alternativa para conhecer novas pessoas. É simplesmente impossível dar uma voltinha de nada no quarteirão sem receber elogios pelo cachorro ou perguntas sobre a raça, características e coisas afins. Se você tiver uma boa dinâmica de papo, a história segue e, rolando um approach, quem sabe você não vai conhecer o bichinho daquela bela vizinha no apartamento dela... Ponto negativo 2 – Assim como tem quem ama os animais de estimação, tem também quem os odeia. Então, pode rolar a situação inversa. Você leva aquela gata para seu apartamento e, mantendo a tradição de pouca afeição entre gatas e cachorros, a garota espi nha com você e seu animalzinho, caindo fora na primeira oportunidade. Ponto positivo 3 – Ter um animal de estimação lhe força a ter uma rotina mais definida. A vida desregrada pode ser coisa de outros tempos quando você tem uma série de compromissos no sábado pela manhã, como levar o cachorro ao pet shop, passear com o bichinho, levar para a tosa... Ponto negativo 3 – Prepare-se para o súbito aumento de seus gastos com coisas que custam uma fortuna. Ração, banhos, tosas, brinquedinhos, consultas ao veterinário... Além disso, outra boa fatia do orçamento vai em coisas que você não gastaria se não tivesse um cachorro, como a reposição de chinelos destruídos, troca de fios elétricos mordidos, tênis arregaçados, poltronas rasgadas... E aí? Vai encarar a dura vida de quem tem um animal de estimação em casa?


FICHA TÉCNICA / Foto: François Calil / Modelo: Lorena Arantes (Voga Model) / Styling: Marcos Manzutti / Beleza: André Moreira / Assistente: Edu e Chico / Vídeo: Neto / Diagramação: Suzi Rodrigues


POR AÍ... Rosângela Motta

rosangela@zelodigital.com.br

Ayurveda

Fotos: Divulgação

O autor goiano Danilo Maciel Carneiro acaba de lançar o livro Ayurveda. De maneira simples e prática, ele explica como se beneficiar da “Ciência da Vida”, a tradução literal do sânscrito (ayus: vida, e veda: conhecimento).

Mulheres

A 9ª Edição do Encontro Nacional da Mulher Moderna, o Só Para Mulheres, acontece entre os dias 28 e 30 de maio, no Centro de Convenções. Na pauta, vida profissional, família, saúde, bemestar e autoestima. Uma das palestras mais esperadas pelo público é a da jornalista e escritora Thalita Rebouças, referência para o público adolescente.

Nova sede

Os arquitetos Marco Machado e Ana Paula Pascoal inauguraram um estúdio com 150 m2, na Av. 136, em frente ao Edifício Excalibur. Despojado e sofisticado nos detalhes, o espaço consta com Departamento de Atendimento, Criação, Projetos, Espaço Gourmet e Galeria de Arte. Ângela Motta

Decoração sustentável

Staff

Depois de inaugurar o Le Touche Spa de Jour, com um amplo menu de serviços, como massagistas, banhos relaxantes e terapêuticos, suíte da noiva, dentre outros, o Le Touche investe na contratação de novos nomes para o seu staff. Cláudio Passos e Aécio Mota (foto), profissionais sempre atualizados com as últimas tendências de beleza, passaram a fazer parte do time da casa.

Com o tema “Sua casa, sua vida, mais sustentável e feliz”, o grande desafio da 14ª edição da Casa Cor Goiás 2010 será o de provar que é possível criar ambientes originais, sofisticados, confortáveis, funcionais, de bom gosto e que inspirem felicidade. Aos poucos, a Casa Cor está implantando as práticas sustentáveis para que, em 2012, a mostra se torne referência mundial em sustentabilidade. ZELO 42

Reserva Natural

A Reserva Natural, marca mineira que faz moda pensando na preservação do meio ambiente, completa em abril um ano em Goiânia. A grife trabalha com roupas feitas totalmente com fibras naturais, caimentos leves e modelagens amplas, priorizando o conforto, com cores que vão desde o tradicional branco e cáqui, características da grife, até os tons de turquesa, hortênsia e verde. Outra novidade da marca é uma coleção de camisetas feitas com algodão orgânico, plantado sem pesticidas e substâncias nocivas à pele, o que torna a malha antialérgica. A Reserva Natural fica na Rua 9, no Setor Oeste.

Essência gótica

O cenário escolhido para estampar as imagens da nova coleção de inverno da Le Pink foi a antiga casa de Albert Einstein, na cidade de Pound Lake, em Nova York – EUA. O ambiente traduz exatamente o conceito da nova campanha e garantiu um resultado sensual e sofisticado. As imagens foram feitas pelo renomado fotógrafo americano Michael Creagh, que já realizou trabalhos com a MTV, Disney, Samsung, Vault49, dentre outros. A modelo argentina Florência Salvioni foi clicada somente de lingerie em uma temperatura de 3ºC.


Fotos: Ricardo Lima

Arte Plena

Pitágoras Gonçalves, Wanessa Cruz e Sandro Torres

Alex Mateus, Cristiano Mullins, Virginia Burlesque e Esley Zambel

O começo de 2010 marcou o início de um projeto ousado de ocupação da Arte Plena, inaugurado por Rôber Côrtes. Pitágoras é o segundo e na sequência entram dois artistas de rua que vêm se destacando na cena artística local: El Mendez e Rustoff. A exposição de Pitágoras marcou também o lançamento de nova coleção da grife Crioulo. O casamento do público da moda com o de artes foi uma das melhores combinações possíveis: gente bonita, interessante e que n��o arredou o pé enquanto o último DJ da noite não fechou seu case e encerrou as atividades. A noite foi pontuada por uma performance do ator Cristiano Mullins e seu grupo, que presentearam a todos com uma bela cena.

Tatiane Tavares

Ronan Gonçalves e Thiago Rocha

Marcos Gouveia e André Barros

Philipe Mortosa, Fernando Marques e Ivan Erick

Thaiane Matheus e Liz Oliveira

Vinicius,Tatiane Barros, Matheus Freire e Fagner Maciel

Lohan Fiorezzi, Priscila Araújo e André Nunes

Juquinha e Lilian Tôrres

Gilmar Camilo

João Queiroz e Gabriela Queiroz

ZELO 43


Morena Rosa Razzo Patogê Reivindique Kadosh DBZ Armazém Antix Disparate Studio 21 D´Metal

Av. Alberto Miguel, 373 - Sala 01 St. Campinas - Goiânia - GO (62) 3091-6497


MODA

Charme de Campinas

Feith Boutique oferece últimas tendências em roupas e acessórios para mulheres jovens

A

Alice Galvão na Maria Feitosa começa sua conversa com a Zelo, no lounge da sua Feith Boutique, após termos aguardado confortavelmente os seus vários sorrisos para os cliques da fotógrafa Ângela Motta. A espera, por sinal, foi agradabilíssima, ao sabor de cafezinho e pães de queijo oferecidos pela vendedora Luciene Teodora. O ambiente da loja, na Avenida Alberto Miguel, tem clima ameno, apesar do sol escaldante do lado de fora. Sentadas cada uma em um pufe, ela me conta sua trajetória empreendedora. “Nasci em Brasília, mas desde sempre morei em Goiânia, então me considero goiana. Tenho 33 anos e sou solteira”, diz. As vendas foram iniciadas com trabalho de atendimento pessoal e representação de apenas uma marca. As clientes sugeriam grifes que queriam usar e Ana Maria comprava. Percebendo o sucesso, resolveu montar sua loja. Escolheu ponto em Campinas porque lá Ana Maria, proprietária da Feith Boutique: estoque atualizado podia ter a exclusividade das mais mente. “Às vezes experimento, para ter de 20 marcas que representa hoje, tendo certeza da qualidade do que estou vencomo carro-chefe a Morena Rosa. dendo. Viajo de duas a três vezes por mês O desafio desta escolha foi o difícil para buscar mercadoria”, enfatiza. acesso. As pessoas reclamavam da falta Atenta às tendências, Ana cita a moda de vagas para estacionar o veículo. “Aí eu rock e punk, com tachas e metais, meias tive a ideia de fazer um convênio com três grossas e calças de cirré como o que estacionamentos particulares e isso já está está em voga neste inverno. Mas ressalta funcionando”, empolga-se. que as araras refletem sua personaliHoje a loja tem uma carteira respeitável dade: mulher jovem, ligada com a moda, de clientes, na maioria empresárias. Uma sem extravagâncias. São roupas do dia a das ilustres frequentadoras é Pollyanna dia, para trabalhar ou ir para a balada. Stemut, modelo que representará o Estado “Visto mulheres de 18 a 45 anos. Nada de Goiás no Miss Mundo Brasil 2010. para senhora”, reforça. Com acessórios A empresária viaja todos os meses e faz variados e alguns sapatos escolhidos a questão de escolher as roupas pessoal-

dedo, conta que muitas clientes já saem prontas da loja. Algumas peças são trazidas de São Paulo e outras de Belo Horizonte. Morena Rosa e as marcas de Minas têm a mesma característica: são para enfeitar o mostruário e dar ar sofisticado ao conjunto. Já as roupas de São Paulo são mais acessíveis, servem para dar cara nova e variedade, além disso, vêm de um mercado que muda muito rápido. “Lá, busco roupas de 15 em 15 dias”, detalha. A loja recebe muitas encomendas e a equipe tem um caderninho para os pedidos. Sempre que chega mercadoria nova, a vendedora Ana Carolina Dantas liga para as clientes avisando. Além disso, foi criado um perfil no Orkut. É só procurar por Feith Boutique e ela aparece como primeira opção na tela. “Essa ideia quem teve foi a Carol. As atualizações geram muitos comentários. É colocar a peça e vender”, diz Ana satisfeita. Quando pergunto sobre expansão, o rosto fica um pouco mais sério. “Penso nisso sim, com uma loja mais central, talvez no Setor Oeste ou Marista, mas não para este ano, talvez para o ano que vem. Eu e meu sócio ainda precisamos estudar melhor isso”, pondera. O sócio a que ela se refere é Francisco Feitosa, seu pai. Enquanto ele cuida da parte administrativa e financeira, ela fica com as compras, comercialização e relacionamento com clientes. Ana Maria refere-se a ele como a peça mais importante da loja. “Falou em organização, ele é quem pensa em tudo”, conclui.

Ângela Motta

ZELO 45


Fashion Day

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Os empresários Michel Thomé, Renato Kuyumjian, Rafael Matheus e Ana Paula Pinto realizaram o Fashion Day, na recéminaugurada Quinta Valentina Shoe Store. Além de clientes vips, o evento contou com a presença da design da Quinta Valentina, Sandra Silveira, que também é responsável por coleções de consagradas marcas de luxo, dentre elas, Reinaldo Lourenço e Calvin Klein. A arquiteta Nanda Rocha comandou as pickups.

Renato Grisi Kuyumjian, Sandra Silveira, Michel Fernandes Thomé e Rafael Matheus

Simone, Mônica Chaves e Olívia Palmeira

Lissandra Rebelo, Andrea Carrijo e Grece Kanjo

Priscila Rahif e Sila Montalvão

Marina Alvarenga e Raquel Montalvão

Renata Ribas

Ana Paula Pinto

Ana Paula e Silvia Dienys Rodrigues

DJ Nanda

ZELO 46

Renata Vieira e Juliano Evandro


Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Nova loja Silvia Heringer Decorações, loja especializada em colchas, almofadas, cortinas e acessórios, inaugurou filial na Avenida T-1, no Setor Bueno. O projeto é assinado pelo arquiteto Alexandre Milhomem. Alexandre Milhomem

Vanessa Chaveiro

Sílvia Heringer, Sílvia Helena Heringer, Kelly Heringer

Irma Leão e Andreia Carneiro

Ana Maria Miller e Antônio Carlos de Souza


Ideias criativas

A Persiflex expõe seus produtos na mostra de decoração que movimenta o setor no período de 7 de abril a 9 de maio, em Goiânia. Cortinas, persianas e outros artigos da marca ajudam a compor salas, quartos, escritórios, apartamentos, dentre outros. Arquitetos, decoradores, paisagistas e designers de interiores apresentam soluções e ideias criativas para linhas residenciais. Confira!

Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Isolda Gontijo e Luciana de Oliveira Costa

Vanessa Castro e Lú Mesala

Robledo Cássio e Lara Gomides

Madalena Morais e Sérgio, Soraia e Frederico Gomes

Sérgio, Cristiane de Deus e Wesley Guimarães

Ivan Grande

Rubiana Teixeira

Juliana Tavares, Camila Oliveira e Raquel Lopes

Wânia Alves

Hanna Lúcia, Flávia Damata e Beatriz Miranda ZELO 48

Tânia Franco e William Hanna

Lourdes Cavalcante, Leila Finotti e Lorena Cavalcante


Fotos: Ângela Motta e Ricardo Lima

Marcelo Medeiros

Geraldo Rodrigues e Camila Tainara Fernandes

Élber Araujo

Elaine Margareth

Eliani Ribeiro Fotos: Ângela Motta e Walter Folador

Naira de Sá

Marina Uchoa e Astero Motta

Juliana Castro, Tiago Cesar e Vanessa Rocha

Ana Cinthia, Silvia Siris e Patrícia Domingues

Alessandra Lobo

Marcilene de Castro, Brunno Silva e Kelly Roberta Cardoso ZELO 49


Sua casa com grande estilo e charme dos bons e velhos tempos. Móveis rústicos, objetos de decoração e madeira de demolição para painéis e revestimentos.

Av. Dep. Jamel Cecílio n° 1.832, Setor Pedro Ludovico, Goiânia-GO Fone: (62) 3278-2530 grandcasadecoracao@yahoo.com.br


Foto: Ângela Motta

Linha Intense

Cândida Maria Dias Gobbo e Jaci Dias Melo de

Modelo maquiada por Sadi Consati

Oliveira, franqueadas de O Boticário

Foto: Cristiano Borges

O Boticário recebeu 30 jornalistas no Deck Lounge para apresentar, de maneira diferenciada, a linha de maquiagem Intense. Eliza Marochi, gerente de produto responsável pela linha, e Sadi Consati, maquiador e consultor estratégico de maquiagem do Boticário há 12 anos, foram os anfitriões do encontro. Em ritmo de bate-papo e com muita experimentação, O Boticário apresentou maneiras de fazer a maquiagem ideal para realçar a beleza de todas as mulheres, de diferentes etnias. Sadi Consati conduziu um passo a passo para um look fácil, indicado para o dia a dia.

Jornalistas no Deck Lounge

Eliza Marochi, gerente de produtos Intense


CARROS

Apaixonados pelo tuning Astero Motta

asterofontenelle@yahoo.com.br

O

s carros tunados estão a cada dia mais ganhando as ruas. Esta é uma mania que existe há bastante tempo. O desenvolvimento da categoria no Brasil teve maior reconhecimento após o lançamento e a consagração pública do filme Velozes e Furiosos, uma obra-prima do cinema para amantes do tuning. Até então, a personalização dos veículos era limitada, tanto pela pequena variedade de acessórios e equipamentos disponíveis no mercado quanto pela própria cultura. Hoje em dia conta-se com uma gama imensa de acessórios tuning para o interior do carro. Desde manoplas, pedaleiras cromadas ou em alumínio, até instrumentos para medir pressão do turbo, voltímetros, nível de mistura ar/combustível etc. O tuning é uma expressão inglesa na arte de personalizar carros, não só em sua aparência, mas também na sua performance. Para os amantes do tuning, é um passatempo que consiste em alterar as características de fato de um automóvel a um nível de personalização extrema. Segundo Henrique Piza, coordenador do Clube do Palio Tuning Goiânia, existem cerca de 30 membros que frequentam os encontros semanais no clube, criado desde 2005. Dono de um Palio Weekend, Piza é adepto do tuning há 8 anos, no início do lançamento do primeiro Velozes e Furiosos. Henrique Piza explica que existem várias competições e modalidades do tu ning e dentro deles há as divisões. “Existem o Tuning Xtreme, que são aqueles carros bem no estilo velozes e fu riosos mesmo, inteiramente modificados; DUB Style, onde o que é levado em conta é o luxo – é um tuning mais ‘clean’, na maioria dos casos os carros têm rodas acima de aro 19'' interiores em couro, um som com bastante potência, mas sem extravagância, e suspensão bem baixa; e o tuning mais light, que é o que existe em maioria no Brasil, onde o dono do carro vai colocando aquilo que acha melhor no

veículo, de acordo com o bolso”, ensina. Quando se fala em alterações no motor que afetem a potência ou o tipo de combustível, estas devem ter sempre o aval do Detran local. “Antes de começar a tunar é preciso verificar os limites impostos pela lei. Insufilmes muito escuros, carros muito rebaixados e motores modificados incorretamente são fatores que podem acarretar multa. E não é só visando a lei que deve haver preo cupação com carros tunados, mas também com o fator segurança”, diz Piza. E para promover essas mudanças, os valores ultrapassam fácil a casa dos quatro dígitos. Um dos exemplos é o de João Miguel Cândido Neto. Membro há 5 anos do CPT Gyn, ele investiu R$ 10 mil em acessórios para transformar seu Palio EX em um tuning ao seu gosto. O carro possui jogo de rodas aro 17, suspensão fixa, além de som DVD e Xenon, um esportivo completo. Mas aficionados por personalização chegam a gastar R$ 40 mil nessa brincadeira. ZELO 52

Hyundai Genesis Coupe: um dos modelos que estarão expostos no SEMA Show 2010 (Associação do Mercado de Equipamentos Especiais, na sigla em inglês), de onde saem as criações mais incríveis. Evento acontece entre os dias 3 e 6 de novembro, em Las Vegas (EUA)


ARTE

Só para maiores O

Erotismo é tema de exposição de Pitágoras, que inspira também coleção da grife Crioulo Sandro Torres

Foto: Ângela Motta

Pitágoras: prostitutas, robôs e garças são alguns dos temas presentes na obra do artista

que ainda há para ser dito sobre um artista que subverteu toda sua ordem pessoal, conquistou a fama e o reconhecimento numa cena artística praticamente inexistente, figura num dos maiores periódicos nacionais como um dos dez artistas mais influentes e interessantes para ser visto e recusa-se a aceitar rótulos? Muito mais, principalmente em se tratando de Pitágoras. Conheci Pitágoras quando entrei em seu ateliê pela primeira vez. Claro que, frequentando a mesma cena, já o tinha visto, mas sabia pouco sobre ele além do que a maioria já sabe. Antes, talvez me atrevesse a falar apenas sobre o seu talento para o desenho e a pintura. Já tinha gasto alguns bons minutos admirando suas obras e me arrependendo do fato de não ter estreitado com ele quando fomos apresentados há 10 ou 12 anos. Mas o tempo se encarregou de nos alcançar e proporcionar esse encontro em seu ateliê há alguns meses. Encontrei uma figura cultíssima, educada, observadora, perspicaz e extremamente atualizada, apesar da sua resistência com celulares e computadores. Ele os usa, mas com parcimônia. Seu vício mesmo é a TV, que, em seu quarto, não desliga nunca. E é dela que extrai o inesgotável repertório de assuntos. Claro, isso aliado à leitura e à música. Pitágoras Lopes Gonçalves foi criado no Setor Fama, onde permanece até hoje em seu ateliê erguido dentro do lote da família e de onde não pretende se afastar a não ser por curtos períodos. São instalações simples; a complexidade fica por conta das mensagens de “caia fora” ou “não apareça sem antes ligar... e não ligue!” estampadas no muro e portão de entrada ou ainda pela quantidade e qualidade das obras armazenadas numa desarrumação muito particular. Ele produz em profusão; não para de pintar e desenhar, não importando o suporte. Pode rabiscar uma monalisa numa caixa de fósforos ou um jacaré no relógio de energia... não importa: ele quer é se ZELO 53

expressar! Na temática de Pitágoras está contido um universo de temas. Isolados ou misturados, desfilam cavalos, lâmpadas, prostitutas, astronautas, robôs, garças, vespas (uma de suas marcas registradas), maçãs, engenhocas, porcos, travestis, gatos... tudo misturado num colorido de desembaçar as retinas. É como se todo o mundo não coubesse na sua obra. E ele precisa fazer mais e mais. Desperdiça tintas, devora papéis, estraçalha bastões e canetas, tudo para replicar o universo de acordo com sua ótica fascinante. A arte erótica sempre fez parte de seu repertório. Participou em 2005 da polêmica e, por fim, censurada mostra Erótica - Os Sentidos da Arte, no Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo e Rio de Janeiro, curada por Tadeu Chiarelli, onde figurou entre grandes gênios das artes como Picasso e Rodin, além de outros mais de 100 artistas brasileiros e estrangeiros de várias gerações. Inicialmente chamada de “Sexual Healing”, em clara homenagem à música de Marvin Gaye, essa série inédita produzida especialmente para esse evento no Espaço Cultural Arte Plena levou o nome apenas de Pitágoras – Desenhos e Pinturas Inéditas, sua 19ª individual. São 40 trabalhos escolhidos por Gilmar Camilo e expostos em sala fechada na Arte Plena, cuidado dos organizadores da mostra para evitar problemas legais. Na entrada da exposição e no convite há um aviso: “Mostra de conteúdo adulto. Proibida a entrada de menores de 18 anos”; também na imprensa foi divulgada essa restrição e o que se viu na abertura foi o comparecimento em massa e o respeito por parte do público. Junto à exposição de desenhos eróticos, o estilista Marcos Queyroz, da grife Crioulo, fez o lançamento da sua coleção outono 2010 totalmente inspirada e com estamparia baseada na obra de Pitágoras.



Zelo 11