Page 1

Dossieˆ

Dia Internacional da Mulher

Vale do Paraíba e Litoral Norte

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA VENDA PROIBIDA

www.revistavitti.com.br Edição 147 - Ano 13 Março, 2018 Foto: Lucas Nascimento

Capa e Entrevista

Sans Souci Proprietários da Maison Genève e do espaço Sans Souci apresentam as particularidades do ambiente Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 1


2 | Vitti | revistavitti.com.br

Marรงo, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 3


Índice

Março 2018 | Edição 147 | Ano 13

Mercado

Home office: a tendência de mercado de trabalho.....................10

Economia

Embora tenha crescido no primeiros meses de 2018, Indicador de Confiança do Consumidor ainda permanece baixo.....................................................................12

Lucas Nascimento

Dossiê - Dia Internacional da Mulher

Entrevista

Café e Bistrô Sans Souci.....................................8

Proprietários da Maison Genève e do espaço Sans Souci, em Campos do Jordão, apresentam as particularidades do ambiente.

1. A desigualdade salarial sob uma perspectiva histórica; 2. O feminismo como ferramenta empoderadora; 3. O combate à violência contra a mulher; 4. A participação feminina na política brasileira......................24

Gastronomia

Veganismo: hambúrguer de pinhão...........................................44

Educação

Educadores de Taubaté viajam para os EUA a fim de conhecer modelo de aprendizagem...................................46

História

Março celebra internacionalmente o combate à discriminação racial.................................................................47

Esporte

Com novidades no percurso, Indomit Pedra do Baú chega à quinta edição.............................................................52

Pet

Conheça cinco aplicativos direcionados ao mundo pet.........53

Editorial

A singularidade do fim do verão

M

arço é um mês repleto de força e significados, principalmente porque nele é celebrado o Dia Internacional da Mulher. Pensando nisso, a revista traz um dossiê com temas extremamente atuais. Conhecer a trajetória histórica das mulheres é fundamental para refletirmos sobre a necessidade de uma sociedade cada vez mais justa e igualitária. Na edição deste mês, você também se encantará com os detalhes do Café e Bistrô Sans Souci, de Campos do Jordão. A entrevista, feita com os proprietários e com o chef da casa,

4 | Vitti | revistavitti.com.br

revela que o charme e a qualidade estão nos pequenos detalhes. Excelência em gastronomia e estilo, o espaço jordanense desperta curiosidade e traz aconchego. Vale a pena ler, e conhecer pessoalmente também! Para saber o que aconteceu no Vale, dê uma olhada nas colunas sociais, que estão recheadas de momentos legais e eventos bacanas. No mundo da moda, conheça as tendências da nova estação. No mais, a revista do mês de março traz muita informação, várias curiosidades e dicas, e, também, algumas sugestões culturais – para que você aproveite o melhor da região.

Boa leitura!

Marcela Vitti Diretora “Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e salvarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.” SALMO9:1-2

Março, 2018


diretora Marcela Vitti Comercial Isaura Silva assistente Murilo Baracho diagramação e Criação Bruno Moura Jornalista responsável Amanda Victor Simpson do Amaral - MTB: 77.916/SP Foto da Capa: Proprietários da Maison Genève e do espaço Sans Souci (Foto: Lucas Nascimento) Fotógrafa: Lucas Nascimento Colunistas: São José dos Campos: Gilberto Freitas Taubaté: amanda ayello, isaura Silva e José luiz (luizinho) Aparecida: ligia Ballot - Guaratinguetá: Benê Carvalho.

CartaS “Curto muito a parte informativa desta revista, e a parte social enfeita e valoriza as demais páginas.” Elisa Bueno Nogueira, via Facebook

Colaboradores: Adilson Peloggia, Arcione Viagi, Érico Di Santis, Renata El, Tom Moschen. dirEtora CoMErCial Marcela Vitti (12) 98122-3000 - marcela@revistavitti.com.br SÃo JoSÉ doS CaMPoS / taUBatÉ / PiNda / UBatUBa Isaura Silva (12) 98270-0019 - isaurasilva@revistavitti.com.br SÃo JoSÉ doS CaMPoS / taUBatÉ / UBatUBa Marcela Vitti (12) 98122-3000 - marcela@revistavitti.com.br GUaratiNGUEtÁ / aParECida / lorENa Benê Carvalho (12) 98270-0069 - benecarvalho@revistavitti.com.br diStriBUiÇÃo: Rodrigo Melo Gratuita e dirigida às cidades de Taubaté, São José dos Campos, Caçapava, Pindamonhangaba, Tremembé, Guaratinguetá, Lorena, Cruzeiro, Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal e Ubatuba

“Parabéns, professor Rogério. Com a revista em mãos, vou mostrar a todos e dizer: 'esse fera aqui foi meu professor'!” Marica Lima, via Facebook “A Revista Vitti faz com que o Vale do Paraíba tenha cada vez mais prestígio.” Arlete Diaz, via Facebook

Impresso no parque gráfico da Resolução Gráfica Ltda. atENdiMENto ao CliENtE (12) 3632-3060 / (12) 98270-0018 - Rua dos Operários, 118 Taubaté - SP - Os artigos, matérias, opiniões e anúncios aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, e não refletem necessariamente a opinião da Revista Vitti. - Os conteúdos veiculados nos anúncios publicitários são de inteira responsabilidade dos anunciantes. - É proibida a reprodução total ou parcial da revista sem autorização da Revista Vitti.

CaPa

Fevereiro, 2018

www.revistavitti.com.br

Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 5


Nossa equipe

Equipe

iSaUra SilVa

BENÊ CarValHo

rodriGo MElo

BrUNo MoUra

lUCaS NaSCiMENto

aMaNda aMaral

Comercial e Colunista

Diagramação e Criação

Vendas e Colunista Guará

Fotógrafo

Distribuidor

MUrilo BaraCHo Assistente

Jornalista

Colunistas

aMaNda aYEllo Taubaté

GilBErto FrEitaS São José dos Campos

6 | Vitti | revistavitti.com.br

JoSÉ lUiZ Taubaté

liGia Ballot Aparecida

Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 7


Lucas Nascimento

Lucas Nascimento

Entrevista

Café e Bistrô Sans Souci

P

amanda Simpson

roprietários da Maison Genève e do Café e Bistrô Sans Souci, Lélio Gomes e Paula Padovan, estão atentos a cada detalhe de seus estabelecimentos. Lélio, com seu olhar empreendedor, e Paula, com sua criatividade ímpar. Os empresários paulistanos, donos de um dos lugares mais charmosos de Campos do Jordão (SP), enxergaram na Serra da Mantiqueira a possibilidade de inovar. Em 1973, com muitos sonhos, poucas costureiras e uma pequena máquina de tecer, surgia a Genève. Com o tempo, a empresa cresceu, a fábrica foi ampliada e, quando já possuía mais estabilidade na região, Lélio idealizou o Boulevard Genève no coração do Capivari – que foi presenteado, então, com uma construção inspirada na arquitetura europeia. Inicialmente concebido pelo sonho do empresário, hoje o prédio é um dos pontos mais visitados da cidade.

8 | Vitti | revistavitti.com.br

A malharia foi reestruturada, e o casal decidiu explorar uma outra área da cidade: a Vila Jaguaribe. Em 2011, com o intuito de ser uma concept store e proporcionar outras experiências ao público, nascia a loja mais recente da Maison Genève. Hoje, o ambiente transmite diversas sensações, desperta curiosidade e fica registrado na memória de quem o visita – já que é um dos locais mais fotografados de Campos do Jordão. O sucesso da loja fez com que os proprietários fechassem o estabelecimento do Capivari, e se dedicassem, com exclusividade, à nova proposta. Aos poucos, além da malharia, o espaço passou a investir no setor gastronômico. Hoje, contando com o talento do chef Thiago Fegies, o Sans Souci reúne sofisticação, excelência em atendimento, e inovação nas áreas de decoração, moda e gastronomia. Confira a entrevista.

Vitti: Como foi o processo que inseriu a loja no segmento gastronômico? Lélio: Começamos essa trajetória em meados de 2012. O projeto foi idealizado por minha enteada, a chef Ornella Padovan, que materializou seu conhecimento em deliciosos sabores. Surgiu, então, o Café Sans Souci – que contava, desde o início, com o setor de confeitaria. O sucesso foi imediato! Em 2013, por exemplo, nosso café foi eleito o melhor pela Veja Comer & Beber, edição Vale & Montanha. Pouco tempo depois, com a partida da Ornella para Paris, onde continua atuando como chef confeiteira, sentimos que dava para aprimorar ainda mais. Foi com a chegada do Chef Thiago Fegies, que já trabalhou em renomadas cozinhas no Brasil e no exterior, que criamos o Bistrô Sans Souci. Na confeitaria, a equipe foi reMarço, 2018


"Quem nos visitar, será recebido em um ambiente despojado e extremamente encantador"

Aprimorando o atendimento e corrigindo algumas falhas, que, diga-se de passagem, são poucas! Para nós, é um grande prazer estar aqui e receber as pessoas.

Lucas Nascimento

Arquivo Pessoal

Arquivo Pessoal

Vitti: A decoração, de fato, é uma das características mais marcantes do local. Paula, você é idealizadora de todos os mínimos detalhes. De onde você tira inspiração? Paula: Como o Lélio contou, a ideia do Café Sans Souci partiu de uma das minhas filhas. Então, no início, eu comecei comprando coisas para decorar o café da Ornella. Tudo o que eu escolhia para preencher o espaço, carregava carinho e cuidado maternal. E foi assim que, aos poucos, fomos dando personalidade ao espaço. Eu jamais teria aberto um restaurante se não fosse para seguir com essa filosofia, sabe? De dedicar atenção. Aqui, o mais interessante é o que ninguém vê. Tudo o que compõe a decoração do espaço é reaproveitado. São xícaras que se quebram, são tecidos e malhas que se aproveitam, são restos de pedraria, são as meias que vêm da fábrica do meu irmão... Então, tudo isso faz parte dos bastidores. São essas particularidades que constituem o conjunto de encantamento, e Chef Thiago Fegies na horta do Sans Souci constroem a nossa identidade.

forçada com a chegada da portuguesa Tatiana Santos, que também teve passagens por renomados estabelecimentos dentro e fora do país. O espaço foi reinaugurado em março de 2015, contabilizando, hoje, três anos desse novo conceito. Vitti: Qual você diria que é o diferencial do espaço Maison Genève, que engloba o Café e Bistrô Sans Souci? Lélio: Eu diria que nossos diferenciais são muitos! Nossa malharia é uma das mais tradicionais da cidade, sempre moderna e atual, produzindo camisas e tricôs refinados. Além disso, acredito que é o nosso ambiente, a decoração minuciosa e os pratos de alto nível que se diferenciam dos outros estabelecimentos da região. Há algum tempo, recebemos um casal de clientes que disseram que o Sans Souci foi indicado a eles pelo chef Laurent Suaudeau. Quando o Laurent indica, é porque é bom! Isso é uma grande alegria. Nossos funcionários, é claro, também contribuem para alcançarmos esse diferencial. No mais, eu e a Paula estamos sempre atentos e presentes... Março, 2018

Vitti: O que você acha que o espaço Sans Souci transmite ao público? Paula: Eu acredito que a gente tenha resgatado, em Campos do Jordão, o prazer de sair de casa para tomar um café, ou jantar, por exemplo. Nosso ambiente descolado, mas sofisticado, desperta muito conforto em quem visita. Aqui, as pessoas se sentem acolhidas. A gente se sente parte disso. Eu, mesmo proprietária, não sou o topo. Sou parte! Assim como toda a equipe. Embora saibamos que alguns grupos frequentem mais do que outros, reforço que o Sans Souci é um ambiente extremamente democrático, para todos. Aqui oferecemos almoço executivo nos dias de semana, bem como opções de café da manhã, fora o café e a confeitaria, porque assim, além dos turistas, também recebemos cidadãos jordanenses – que são cada vez mais frequentes. Vitti: Thiago, qual prato você diria que é o carro chefe da casa? E o que destaca a cozinha do Sans Souci em Campos do Jordão? Thiago: Na verdade, nós não nos prendemos muito ao cardápio. Temos, sim, um

cardápio fi xo. Porém, toda semana fazemos algo novo, diferente. Às vezes, essas refeições inusitadas acabam se tornando as preferidas de alguns clientes, e passam, assim, a fazer parte das opções da casa. A gastronomia jordanense é muito turística, e, no fim, acaba oferecendo praticamente a mesma variedade de refeições. Aqui, no Sans Souci, nós focamos muito no produto e em técnicas bem executadas. Tudo o que servimos aqui, fazemos aqui também! Desde pães, massas, geleias, vinagre, etc. Também temos uma horta própria, livre de agrotóxicos, de onde saem os vegetais que incluímos nas refeições. Hoje, quando você compra uma folhagem, ela já tem pelo menos dois dias de colhida – decorrente do processo de transporte para os centros de distribuição. Aqui, tendo uma horta à disposição, as folhas são colhidas diariamente. O que deixa a salada muito mais fresca, crocante e saborosa! Além disso, contamos com a colaboração de produtores locais previamente selecionados, que contribuem com queijo, truta, azeite, cogumelos, etc. No Sans Souci, cozinhamos o que gostamos de comer. Trata-se de uma cozinha de autor, com foco em qualidade e em uma refeição prazerosa e reconfortante. Vitti: Por que as pessoas que ainda não conhecem, devem visitar o Café e Bistrô Sans Souci? Lélio: Bom, quando você vai a algum restaurante que um arquiteto decorou, o ambiente vai ter a cara do arquiteto. Aqui, no Sans Souci, o espaço tem a nossa cara! A Paula faz tudo. É tudo manual, único e muito pessoal. Cada canto da nossa loja foi cuidadosamente elaborado. A fachada do prédio nos transporta a outros lugares, e os mínimos detalhes compõem um painel cheio de cores – que preenchem e agasalham todo o prédio. Com relação à gastronomia, posso garantir que será uma experiência indescritível. Tudo aqui é preparado com muito zelo, priorizando sempre a qualidade do que será servido. Quem nos visitar, será recebido em um ambiente despojado e extremamente encantador. Inclusive, deixo aqui uma dica, pois vale a pena! Reúna seus amigos, parentes ou colegas de trabalho, e venham juntos em uma van almoçar ou jantar no Sans Souci. Preocupem-se apenas em aproveitar o passeio. Façam uma reserva com antecedência, e será um grande prazer recebê-los com um "welcome drink". Será uma experiência inesquecível. revistavitti.com.br | Vitti | 9


Mercado

Home office: a tendência no mercado de trabalho

C

amanda Simpson

ada vez mais presente nas profissões do século XXI, o home office é umas das várias possibilidades do mercado de trabalho. Apesar da tradução literal do termo sugerir que sua casa se transforme em seu escritório, na verdade ele indica um espaço alternativo à empresa – podendo ser, ou não, um escritório inserido no lar. Trata-se, portanto, de um trabalho remoto, a distância e portátil. Para as empresas, a prática tem despertado cada vez mais interesse, já que é possível economizar capital financeiro com empregados e encargos sociais, usufruir das vantagens fiscais para as microempresas e, ainda, otimizar diversas atividades. Existem duas maneiras de trabalhar com a modalidade: sendo contratado por uma empresa que permita tal flexibilidade, ou atuando como empreendedor ou autônomo. Para quem está iniciando no ramo do empreendedorismo, por exemplo, adequar-se ao modelo home office é uma boa tática para viabilizar a ideia. Pode ser tentador imaginar organizar sua própria rotina longe de um escritório formal, mas não se engane: trabalhar remotamente, ou até mesmo ser o seu próprio chefe, exige muita disciplina e dedicação. Engana-se quem pensa que, trabalhando home office, as tarefas rotineiras 10 | Vitti | revistavitti.com.br

serão amenizadas. Com muita frequência é possível observar o oposto: o trabalho se torna mais intenso. Por isso, é fundamental estabelecer horários e implementar uma rotina profissional – seja você dono do próprio negócio, ou apenas um prestador de serviços. Acordar às 11h da manhã ou maratonar aquela série sensacional no meio da tarde, jogando o trabalho para "daqui a pouco", pode ser um grande erro. O home office também exige produtividade, e, para isso, o profissional precisa estabelecer quando começar e terminar o expediente – gerenciando as tarefas e estando atento aos prazos. Além de organizar uma agenda semanal, recomenda-se que o profissionalismo refl ita, também, nas vestimentas do indivíduo. Trabalhar de pijama no sofá pode ser convidativo, mas está longe de ser ideal. Acredita-se que o desleixo pode prejudicar a seriedade do serviço, refletindo, inclusive, na qualidade das tarefas e na autoestima do colaborador (levando, às vezes, à depressão). Dependendo da política da empresa, ternos, camisas sociais e gravatas são dispensáveis. O importante é transmitir competência e, ainda assim, estar confortável. Principalmente para aqueles que trabalham em casa, também é necessário evitar que distrações familiares quebrem o ritmo de produção. Com isso, o ideal seria reservar um espaço para desempe-

nhar as atividades profissionais – sem sofrer interferência das atividades domésticas. Separar o espaço pessoal do profissional é fundamental para que as duas áreas não se misturem de forma prejudicial. Uma dica: caso haja possibilidade, monte um escritório em algum cômodo. Apesar dos desafios pontuais, o home office só oferece benefícios a quem consegue administrar o tempo e se organizar longe do ambiente corporativo. O trabalho remoto, poupando horas no trajeto entre a casa e a empresa, proporciona ao colaborador a possibilidade de aproveitar melhor o dia: praticando esportes, levando os filhos à escola, se alimentando de forma mais saudável, conseguindo comparecer a consultas médicas, adiantando tarefas a fim de conquistar um tempo livre depois, etc. Em 2016, envolvendo 325 empresas dos mais diversos segmentos no âmbito nacional, um levantamento realizado pela SAP Consultoria em RH apontou que 80% das empresas praticantes implantaram a modalidade home office nos últimos cinco anos. No Brasil, 67% das empresas atuantes no segmento são multinacionais, enquanto 33% são nacionais. Dessa quantia, 85% das empresas que aplicam a prática estão localizadas na região Sudeste. O estudo também informou que, para 71% da classe empresarial, o que importa são os resultados, não a presença física. Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 11


Economia

Embora tenha crescido nos primeiros meses de 2018, Indicador de Confiança do Consumidor ainda permanece baixo

D

amanda Simpson

e acordo com dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a esperança do consumidor brasileiro cresceu modestamente. Embora ainda pertença a um patamar baixo, o Indicador de Confiança do Consumidor (ICC) marcou, em janeiro de 2018, 43,6 pontos – indicando um aumento de 4% se comparado a janeiro do ano passado, quando atingiu 41,9 pontos. A metodologia determina que, abaixo de 50 pontos, não há confiança. Composto por outros dois indicadores: o de Condições Atuais e o de Expectativas, o Indicador de Confiança analisa tanto o cenário momentâneo da econo12 | Vitti | revistavitti.com.br

mia (geral e pessoal), quanto as previsões para os próximos seis meses. Segundo o levantamento, 78% dos brasileiros avaliam como "ruim" o atual momento econômico do país, contra apenas 3% que o consideram "ótimo" ou "bom". Os outros 19% enxergam de forma "regular" a economia brasileira. Já no que diz respeito à própria vida financeira, 40% dos entrevistados classifica como "ruim" a situação. A avaliação positiva atingiu apenas 14%. A pesquisa apurou que as altas taxas de desemprego (59%) ainda representam a principal causa da avaliação negativa a respeito da economia brasileira. A inibição do consumo também foi justificada pelos altos preços (55%) e pelas elevadas taxas de juros (43%). Além disso, mais da metade dos entrevistados alegam que o alto custo de vida tem interferido negativamente na

vida financeira familiar. Os dados indicam que o valor dos combustíveis, da conta de luz e das compras nos supermercados, são os mais sentidos pelo consumidor. Entre os que manifestam pessimismo com o campo econômico, 63% alegam que os escândalos de corrupção representam a principal dificuldade para o país se recuperar da crise – e 29% dos entrevistados discordam das medidas econômicas adotadas pelo atual governo. Ainda em termos percentuais, com relação à própria vida financeira, as expectativas otimistas atingiram 59%. Com isso, é possível analisar que, embora o quadro da economia atual seja negativo para a maior parte dos consumidores, alguns brasileiros ainda acreditam que, nos próximos seis meses, possa haver uma melhora no setor. Março, 2018


Emprego

Contratação de jovens aprendizes se manteve estável em 2017

Brasil fechou o ano passado com 386,7 mil contratações

O

amanda Simpson

ba lanço de 2017 indicou que, de janeiro a dezembro, 386.791 jovens foram contratados na modalidade Aprendizagem Profissional. Comparando os números com o ano anterior, quando 386.773 pessoas foram admitidas, nota-se que houve estabilidade com relação à inserção dos jovens no mercado de trabalho. São Paulo foi o estado que mais contratou, seguido por Minas Gerais e, depois, Rio de Janeiro. A legislação brasileira determina que, com cotas que variam de 5% a 15%, todas as empresas de médio e grande porte devem incluir jovens aprendizes de 14 a 24 anos em seus quadros de funcionários.

Março, 2018

Desde quando a lei entrou em vigor, em 2005, o Brasil já contabilizou mais de 3,2 milhões de aprendizes. Segundo o levantamento, divulgado pelo Ministério do Trabalho, a maior parte das contratações diz respeito ao setor comercial, que corresponde a 25,26% das oportunidades. Também foi informado que as funções de auxiliar de escritório e de assistente administrativo, representam as melhores posições no resumo. O sexo masculino ocupou 52,65% das vagas, mas, na contramão do resultado nacional, o Mato Grosso do Sul e o Rio Grande do Norte contrataram mais funcionárias. Acredita-se que, embora 2017 não tenha fechado com uma avaliação negativa, o potencial de contratações seja o triplo das admissões registradas.

A

aprendizagem profissional foi instituída pela Lei nº 10.097/2000, mas só entrou em vigor após ser regulamentada pelo Decreto nº 5.598/2005. O texto determina que jovens entre 14 e 24 anos sejam contratados, desde que frequentem a escola ou curso técnico, e não excedam seis horas de trabalho diário. A remuneração é proporcional ao número de horas trabalhadas, tendo como base o sa lário mínimo. As empresas que não cumprirem a lei estão sujeitas a multa e outras penalidades.

revistavitti.com.br | Vitti | 13


Negócios

Mudanças e suas consequências

A

arcione Viagi

s mudanças assustam. Elas vêm de onde não esperamos e somos pegos normalmente de surpresa, porque não nos preparamos para elas. Fomos criados para acreditar que nosso destino está definido e que não pode ser controlado. Por isso, na grande parte das vezes, somos pegos desprevenidos. A vida não é fácil quando queremos mudar essa realidade, e precisamos ser conservadores em nossas ações, não podemos nos deixar levar por modismos ou pelo impulso. Devemos ser prudentes. Entretanto, na área de planejamento, ser prudente pressupõe preparar-se muito bem para os eventuais cenários prováveis que podem nos afetar. Cenário é tido como a construção de uma ficção em relação à situação, definindo como podem ser as consequências do que está acontecendo naquele momento. Por exemplo, nos Emirados Árabes, ricos possuidores de reservas de petróleo têm uma grande preocupação quanto ao tempo de riqueza que lhes resta. Os cenários, podem ser: 1. Mais pessimista: O petróleo acaba em 30 anos e não há meios de sustentar a riqueza atual com o comércio e transporte como era no passado, de forma que garanta sua sustentabilidade e a provisão

14 | Vitti | revistavitti.com.br

de todos. Nesse caso, as ações devem ser urgentes, como: cortar gastos, otimizar os recursos atuais, poupar as reservas de petróleo, etc. Em alguns casos, quem detém o poder pode também decidir por garantir a riqueza para si, deixando o futuro obscuro para os demais. 2. Mais otimista: As expectativas anteriores mudaram e mais reserva de petróleo será encontrada. Nesse caso, porque a sobrevivência está garantida, eles podem agir com desprendimento, investindo em palácios grandiosos, monumentos para o bem dos seus soberanos – como o passado demonstrou com as construções grandiosas deixadas pelos poderosos da época. 3. Mais provável: Esse é o cenário mais importante, porque deve considerar a situação atual, os problemas que vêm ocorrendo, quais soluções têm sido dadas, e entre outras, qual é a chance de o futuro ser muito melhor ou pior do que o presente. Nesse caso, o planejamento é o melhor caminho para otimizar recursos e criar as bases para a sustentabilidade. Não sabemos se eles utilizam essa abordagem para analisar sua situação atual e futura, mas podemos notar pelas ações que os atuais detentores do poder, naquele conjunto de Estados integrados, estão planejando um futuro a despeito da existência do petróleo, aproveitando

a riqueza para construir atrativos comerciais e turísticos que possam garantir a vida em uma região de clima e solo tão desfavoráveis. Tomemos como exemplo o aeroporto de Dubai, que está entre os maiores do mundo e, ainda assim, está sendo ampliado. Já é um dos aeroportos de ligação de cinco dos seis continentes (só não atende a Antártida), com cerca de 6000 voos por semana para 220 destinos em todos o mundo, e operado por 130 companhias aéreas. Não é fácil construir uma nação forte e sustentável no deserto, mas eles estão empenhados em garantir seu futuro a qualquer preço. Do mesmo modo, enfrento desafios o tempo todo. Nunca irão ouvir “isso eu não consigo fazer”, antes que eu de fato tente. Passei a gostar de mudanças, sempre, em tudo que faço, e não posso ser diferente. Aprendi desde cedo que a nossa única certeza é a de que tudo muda. Prefiro antecipar-me para evitar chegar a um túnel sem luz no fundo. Prefiro pedir desculpas por ter errado, ou por ter falhado em promover boas mudanças, mas nunca me desculpar porque fui omisso e deixei de tentar. Em que cenário você se encontra em sua vida e suas atividades? Arcione Viagi é consultor empresarial. vitalconsultoria@gmail.com Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 15


Vitti Acontece

Ana, Maria Eugênia e Marta Maria Eugênia reuniu amigos e família para a grande colheita de azeitonas, em Santo Antonio do Pinhal.

Claudio degustando um charuto na Tabacaria Toscana, em Taubaté.

Andrea, Carla, Mirian e Marcela

É tanto amor!

Coquetel de lançamento da coleção Outono/Inverno da Arezzo, no Taubaté Shopping.

Sophie e Munike Alessandra, Antonio Cozzi, Palloma e Fernando

16 | Vitti | revistavitti.com.br

Inauração da unidade de Pinda do Senac. Mais uma conquista do Sincomércio.

A importância do abraço de amigos.

Juliana, Thiago e Isabela

Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 17


Viagem

Cinco motivos

pelos quais fazer um intercâmbio vale a pena

A

redação

prender um novo idioma sempre é uma aquisição positiva, e, quando existe a possibilidade de vivenciar o exterior, a experiência pode se tornar ainda mais valiosa. Listamos cinco motivos pelos quais vale a pena investir em um intercâmbio.

1. Desbrave o mundo.

A oportunidade de conhecer o mundo, ainda que seja aos poucos, é o maior dos motivos. Estudando no exterior, você conhecerá um país completamente novo. E essa descoberta fará com você entre em contato com outras pessoas, nacionalidades, perspectivas, costumes, comidas e culturas. Por mais que o objetivo seja, inicialmente, o de estudar, um intercambista também é um turista. Por isso, mais do que aprimorar um novo idioma, a experiência fará com que você volte para casa carregando uma mala cheia de novos aprendizados. 18 | Vitti | revistavitti.com.br

2. Aprenda a se comunicar

Mergulhar em um novo universo é a melhor maneira de assimilar a linguagem local. Estudar no exterior, portanto, fará com que você esteja verdadeiramente inserido em um contexto internacional. O convívio com outros estudantes de diferentes nacionalidades, por exemplo, é um bônus! Eles também estarão ali para aprender, e essa troca de experiências é extremamente positiva. Principalmente porque, além de explorar o país que você escolheu conhecer, os relacionamentos permitirão que você aprenda um pouco sobre outros lugares do mundo. Isso sem falar que conversar com outros intercambistas te ajudará a treinar o idioma, já que os sotaques serão diversos.

3. Oportunidades profissionais.

A realização de um intercâmbio soma muitos pontos na elaboração de um currículo. O domínio de um outro idioma, bem como as demais habilidades adquiridas

com a experiência, são vistos com bons olhos por um potencial empregador. Assim, além de aprimorar seus conhecimentos, viver um intercâmbio também pode incrementar suas titulações profissionais.

4. Faça amigos.

Sem dúvida, a oportunidade de conhecer novas pessoas e fazer grandes amigos, de diferentes nacionalidades, é mais um dos pontos positivos. O convívio diário em um ambiente, inicialmente, estranho, pode fortalecer muitas relações.

5. Descubra-se.

Viver em um país diferente, longe de casa, dos amigos de infância e da família, faz com que o intercambista se arrisque mais. Aventurar-se por aí pode fazer com que você identifique outras habilidades e interesses, antes desconhecidos. Às vezes, a solidão pode ser um motor para novas descobertas.

Março, 2018


Intercâmbio

inscrições para o intercâmbio de jovens do rotary estão abertas

O

amanda Simpson

processo seletivo para ingressar no Programa de Intercâmbio de Jovens do Distrito 4600 do Rotary Clube, já tem data marcada para acontecer. A prova, agendada para o dia 21 de abril, possui duas categorias: a paga, e a que concederá uma bolsa de estudos por meio do Jovem Destaque - Prêmio Benedito Olegário Rezende Nogueira de Sá. As inscrições já estão abertas e serão encerradas no dia 16 de abril. A seleção acontecerá na Casa da Amizade de Taubaté, localizada na Avenida da Saudade, nº 81. Os jovens aprovados passarão por diversos treinamentos que visam prepará-los para a experiência internacional, cujo embarque acontecerá em 2019. O destino poderá ser escolhido entre os seguintes países: Alemanha, Áustria, República Tcheca, Eslováquia, França, Canadá, Estados Unidos, México, Taiwan, Índia, Romênia e Finlândia. O processo seletivo consiste em uma avaliação oral de inglês e uma prova escrita, que engloba gramática, conhecimen-

Março, 2018

Edésio, chair do programa de intercâmbio, Rosana, vice-chair, e Orvile, governador do Distrito 4600, no ano de 2000.

tos gerais e rotarianos, e uma redação. As modalidades de intercâmbio podem ser de longa ou curta duração. O Programa de Intercâmbio de Jovens do Distrito 4600 do Rotary Clube englo-

ba a região que vai de Guararema (SP) até Três Rios (RJ), passando pelo Litoral Norte paulista e indo até Angra dos Reis (RJ). Os interessados devem entrar em contato com o Rotary de sua cidade. revistavitti.com.br | Vitti | 19


Vitti Acontece

Barbara Tuan, em viagem a Portugal. Na foto, está em uma das muralhas de Óbidos. Chef Dani degustando uma das suas delícias, no Paestum, em Guará.

Encontro das amigas na França.

20 | Vitti | revistavitti.com.br

Dra. Karla Cabarite, no Congresso da EMS Farmacêutica.

Reencontro das divas: Marelena Goffi, Sandra, Marlene e Judith

Nicole comemorou seus 16 anos com amigos e familiares, em Taubaté.

Teco e Claudia, com seus filhos, passando férias na Disney.

Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 21


Social Carnaval

Festas de Carnaval Confira alguns cliques de carnaval da região.

Andrea Meirelles - Desfile das escolas de samba em Guará

Katia e Mirian - Quiririm

João e Roberto Migotto Sambódromo do Anhembi

22 | Vitti | revistavitti.com.br

Liz Mello - Guará

Adriana Credidio - Desfile das escolas de samba em Guará

As irmãs Fátima e Juliana Pires curtiram alguns segundos do carnaval com os chefs, Emmanuel Bassoleil e Roberto Ravioli

Milena Pires - Guará

Ana Cristina Viviane - Desfile das escolas de samba em Guará

Jessica, Preto e Anna Dennz

Renata e Romeu

Ana e Cláudio Nicolini - S. L. Paraitinga

Mi, Tatiana e Graziela - Quiririm

Março, 2018


Fotos: Lucas Nascimento

A Revista Vitti e o Botequim Maricota reuniram mais de 140 mulheres para comemorar o dia delas.

Lu, Marcela, Valéria, Alexandra e Pollyanna

Drª Yara, Regina, Luciana, Lenna e Valéria

Rose, Marcela, Sueli, Regiane, Suzete e Nina de Sá

Sheila e Luciana com equipe Vesso

Rita, Ligia, Helenice, Drª Yara e Valéria

Rose, Marcela, Drª Gisele, Eliza, Andrea e Marly

Lu e Amanda Ayello

Karla

Rafael e Valéria

Alexandra

Ivonete

Alice, Patrícia, Drª Cristiane e Ana

Jessica, Ana Paula e Fernanda

Angélica, Marcela, Marisa e Jacqueline

Maria Isabel, Lygia, Grace, Maris e Roberta

Virginia e Pollyanna

Nara, Romana, Lilian, Nádia, Socorro e Suzete

Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 23


Dossiê

Dossie - Dia Internacional da Mulher amanda Simpson

C

A desigualdade salarial sob uma perspectiva histórica

elebrado no dia 08 e oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975, o Dia Internacional da Mulher é, na verdade, uma data política – que representa, basicamente, a busca por igualdade completa de direitos. Contextualizando de forma breve, ressalto que, de fato, existem alguns desencontros nas versões que originaram a data. Há quem defenda o relato de que, em 1910, a militante Clara Zetkin propôs a criação de um Dia Internacional da Mulher durante um Congresso Internacional de Mulheres Socialistas, em Copenhague, na Dinamarca. No entanto, a versão mais popular alimenta a ideia de que o dia simboliza a morte de cerca de 150 operárias que, entre os séculos XIX e XX, foram carbonizadas em um incêndio numa fábrica têxtil de Nova Iorque, nos Estados Unidos. Independente da narrativa por trás da história, acredita-se que, sobretudo, uma perspectiva deva ser prioritariamente explorada: a de que o Dia Internacional da Mulher representa, principalmente, a história de luta das mulheres e de mobilização das operárias, que se posicionaram contra a estrutura patriarcal, pleitearam igualdade de direitos e exigiram melhores condições de trabalho. Muito além do trágico incêndio, defende-se que foram a forte postura política e as enfáticas reivindicações trabalhistas que motivaram a criação de um dia para exaltar a atuação das mulheres na sociedade. Por isso, embora hoje seja celebrada de forma festiva e capitalista, é fundamental não desvincular, da data, a complexidade do contexto histórico – porque, na época, ao invés de flores e mimos, as mulheres almejavam o próprio protagonismo. Acredito, inclusive, ser impor24 | Vitti | revistavitti.com.br

tante associar os acontecimentos da época com a organização do capitalismo industrial, que obviamente foi estruturado a partir da desvalorização da mão de obra e da subordinação das mulheres. Hoje, em pleno século XXI, a depreciação do trabalho feminino continua sendo refletida, já que a desigualdade salarial entre homens e mulheres ainda é muito presente no mercado de trabalho. Mas por quê? Esse questionamento é importante para refletir sobre algo naturalizado na sociedade e, acima de tudo, propor mudanças para que a igualdade caminhe rumo à viabilização. A desigualdade salarial, decorrente da desigualdade de gênero, é um problema estrutural. O Censo 2010 (IBGE) apontou que, em dez anos, o nível de instrução das mulheres permaneceu mais elevado que o dos homens. Contudo, de acordo com um estudo realizado pela Organização para Cooperação do Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 2015, homens e mulheres com nível de escolaridade semelhante encaram elevadas disparidades de rendimentos no mercado de trabalho brasileiro. Segundo o levantamento, a renda média de uma mulher brasileira com educação superior equivale somente a 62% do faturamento de um homem com o mesmo nível de formação. De acordo com o estudo de trabalho e rendimento, divulgado pelo Censo 2010, existem seções de forte predominância masculina ou feminina. As atividades que se destacaram pela atuação feminina foram: a dos Serviços Domésticos (92,7%), a da Educação (75,8%) e a da Saúde e Serviços Sociais (74,2%). A participação das mulheres ainda foi

mais elevada que a dos homens na seção das Outras Atividades de Serviços (62,5%), e na de Alojamento e Alimentação (54,9%) – representando, também, um pouco mais da metade da atuação nas Atividades Financeiras, de Seguros e Serviços Relacionados (50,3%). No entanto, setores como o da Construção (3,5%), do Transporte, Armazenagem e Correios (9,7%), das Indústrias Extrativas (11,6%) e da Eletricidade e Gás (16,9%), correspondem a menores índices de participação feminina. Acredita-se que a escolha das carreiras é influenciada, principalmente, pela imposição de papeis sociais. Isso significa que a ordem social acaba excluindo as mulheres das tarefas mais nobres, atribuindo a elas posições inferiores com o argumento de que são as diferenças biológicas que impõem as diferenças sociais. Por isso, defende-se que tais porcentagens são decorrentes da reprodução de estereótipos dentro do mundo corporativo, que alimentam a ideia de que, no mercado, a mulher não possui a força de um líder – uma vez que "tem um perfi l mais sensível". Porém, na contramão do imaginário de que mulheres não nascem para liderar, Março, 2018


um estudo do Peterson Institute for Internacional Economics, divulgado em 2016, apontou que as empresas que têm mais mulheres em posição de comando tendem a ser as mais rentáveis. A pesquisa, que analisou 21.980 empresas em 91 países, informou que o desempenho empresarial melhora quanto maior for a atuação de mulheres em lideranças corporativas. O resultado mostrou que, empresas que empregam pelo menos 30% de mulheres em cargos seniores, apresentam um lucro de 15% se comparadas com aquelas lideradas exclusivamente por homens. Outro aspecto importante que deve ser abordado é o fato de que as mulheres possuem, sim, múltiplas jornadas. O trabalho daquelas que prestam serviços

a empresas, não termina quando chegam em casa. Pelo contrário. De acordo com o Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça, produzido pelo Ipea em parceira com a ONU Mulheres, exercer atividade remunerada não afeta as responsabilidades assumidas pelas mulheres no que diz respeito às atividades domésticas. Segundo o levantamento, a dupla jornada pode ser mensurada pela totalidade da jornada de trabalho, cujo cálculo é feito com a soma do tempo dedicado ao serviço remunerado e das horas dedicadas às atividades domésticas não-remuneradas. Em 2015, o estudo apontou que a jornada média semanal das mulheres possuía 7,5 horas a mais que a dos homens. Hoje, pode-se dizer que a caminhada

rumo à igualdade salarial é uma corrida contra o tempo. O Fórum Econômico Mundial mostrou que 2016 não avançou o trajeto, e sugere que, nesse ritmo, a verdadeira equidade de salários entre os gêneros só aconteceria daqui a 170 anos. Durante muitas décadas, não foi possível discutir a questão com a objetividade e a força que os debates proporcionam atualmente. Logo, é importante refletir e buscar mecanismos que valorizem a mão de obra feminina. A desigualdade de gênero está inserida na amplitude da desigualdade social, e, por isso, é necessário combater o machismo no mercado de trabalho – repensando, principalmente, os papeis culturais previamente definidos e estruturados por sistemas de subordinação.

O feminismo como ferramenta empoderadora

A

pesar da ideologia existir há dezenas de anos e ser abordada em inúmeras obras tidas como referência, o século XXI veio para consolidar o movimento de mulheres. Só na última década, por exemplo, o feminismo foi apresentado e inserido na vida de muitas pessoas. E isso se deve, principalmente, ao fortalecimento do ciberespaço e, consequentemente, ao advento das redes sociais. Com a democratização da informação e a ampla possibilidade de buscar conhecimento, a internet se tornou uma aliada no processo de desconstrução de estereótipos. O mais comum dos argumentos contrários a essa fi losofia, se respalda na defesa de que as diferenças sociais impostas pelo gênero são, na verdade, naturais. Justamente por isso, questionando a ideia de que a biologia traça o destino social das mulheres, as feministas enfatizaram a distinção entre sexo e gênero. Sexo, portanto, diz respeito às características biológicas e às diferenças naturais entre fêmeas e machos. Gênero, no entanto, trata-se de um termo cultural – referindo-se aos papeis que a sociedade atribui a homens e mulheres, como os padrões ideais de masculinidade e feminilidade, por exemplo. Assim, defende-se que a desigualdade de gênero é, sim, social e politicamente construída. Outro questionamento muito comum diz respeito à raiz etimológica da palavra. Diferente da crença popular, o feminismo não é equivalente ao machismo. Clamando

Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 25


O combate à violência contra a mulher

P por igualdade entre os sexos, o feminismo luta pelo fim da dominação de um gênero sobre outro – diferente do machismo, que consiste, basicamente, em um sistema de dominação. Então, ao invés de feminismo, por que não falamos de igualitarismo, ou humanismo? O igualitarismo se sustenta na igualdade absoluta entre todos os seres humanos, e o feminismo busca anular a subordinação feminina e corrigir as desigualdades de gênero. Ambos andam de mãos dadas, mas, para que o igualitarismo se consolide, as pautas feministas precisam avançar. O humanismo, no entanto, diz respeito a uma fi losofia que coloca o ser humano como centro de tudo, ou seja, apresenta uma perspectiva antropocêntrica. Excluindo o protagonismo divino, o humanismo valoriza o pensamento e a produção humana. Por isso, justamente por não se tratar de um movimento social ou político, não é correto equipará-lo às propostas feministas. Conhecido como a primeira onda do feminismo, em meados do século XIX, o movimento sufragista reivindicou que as mulheres tivessem os mesmos direitos políticos e legais dos homens. Acreditava-se que, se as mulheres pudessem votar, as demais formas de discriminação sexual desapareceriam também. Em 1893, o sufrágio feminino foi conquistado e garantido pela primeira vez na Nova Zelândia. Em 1920, a 19ª Emenda à Constituição dos Estados Unidos concedeu o direito de voto às mulheres norte-americanas. Nos anos 60, o movimento se regenerou e surgiu a segunda onda feminista. Reconhecendo que a conquista de direitos políticos e legais não foi suficiente para equiparar as questões das mulheres na sociedade, a segunda onda buscava a libertação feminina – dando atenção aos aspectos pessoais, psicológicos e sexuais da opressão patriarcal. A partir da década de 80, acredita-se que tenha emergido a terceira onda 26 | Vitti | revistavitti.com.br

feminista – que se aprofundou em temas já debatidos nas fases anteriores e focou na quebra de alguns padrões. Há quem diga que a terceira onda se estende até a atualidade, mas também há quem defenda que a contemporaneidade tem se construído com a quarta onda. Particularmente, concordo mais com a segunda perspectiva. Diversos movimentos de resistência insurgiram nas ruas e nas redes na última década. A Primavera das Mulheres, em 2015, é um bom exemplo de força e presença coletiva. Organizando-se das mais diversas formas, no Brasil e no mundo, as mulheres têm conseguido reivindicar políticas públicas e protestar contra posturas machistas intrínsecas à sociedade. A geração dos anos 2000 cresceu ouvindo que homens e mulheres tinham direitos iguais, mas, com um pouco de maturidade, é possível perceber que ainda não. Em 2018, dizer que há igualdade de gênero é uma ilusão. Por isso, a fim de compreender melhor o próprio movimento e abordar questões específicas que exigem prioridade, o feminismo se impõe de forma plural. O movimento de mulheres do século XXI é composto por grupos distintos, cada um com suas visões e estratégias, mas que, no fim, possuem um propósito em comum: lutar por igualdade, liberdade, respeito e emancipação feminina.

assando a simbolizar, de forma efetiva, a maior ferramenta de empoderamento da sociedade contemporânea, o feminismo trouxe à tona muitas questões pertinentes que, antes, não eram abertamente discutidas porque a estrutura social não dava espaço às vozes femininas. Pautas como desigualdade salarial, liberdades individuais, direitos reprodutivos, assédio e sororidade, ganharam cada vez mais lugar nas rodas de conversa, nos ambientes acadêmicos e, também, nas mídias – preenchidas com frequência, infelizmente e felizmente, por notícias que dizem respeito a denúncias de agressão e estupro. Infelizmente, óbvio, porque nenhuma mulher deve ser violentada ou constrangida. E, por outro lado, felizmente: porque agora a coletividade nos encoraja a denunciar, nos dando a certeza de que, de alguma forma, seremos ouvidas. De acordo com o 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, publicado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em 2016, 49.497 estupros foram registrados. É importante frisar que apenas 10% dos crimes de estupro são notificados. Seja por vergonha ou medo, muitas vítimas não registram ocorrência, principalmente quando o autor do crime é um conhecido ou familiar. Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) apontam, por exemplo, que mais de 50% dos estupros sofridos por crianças e adolescentes são praticados por pessoas próximas ao círculo social. Desde 2009, com a mudança no Código Penal, o

O Ligue 180 é um serviço de utilidade pública, gratuito e confidencial, oferecido pela Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres do Ministério dos Direitos Humanos. Recebendo denúncias de violência e reclamações sobre serviços da rede de atendimento à mulher, a Central consegue orientar as vítimas tanto sobre seus direitos, quanto sobre legislação vigente – encaminhando-as para outros serviços quando necessário. Março, 2018


crime de estupro, além da prática sexual não consentida, também passou a incluir ato libidinoso e atentado violento ao pudor. Embora o estupro não seja uma violência destinada, exclusivamente ao sexo feminino, é fato que as vítimas são majoritariamente mulheres – representando de 85% a 88% dos casos. Com relação aos agressores, no entanto, estima-se que mais de 90% sejam homens. Segundo o anuário, também em 2016, uma mulher foi morta a cada duas horas – totalizando 4.606 mortes. Dessas, apenas 621 foram enquadradas como feminicídio, demonstrando as dificuldades do primeiro ano da implementação da lei. O feminicídio é um termo utilizado para definir o homicídio de mulheres quando envolve menosprezo ou discriminação à condição da mulher, bem como quando há violência doméstica e familiar. Trata-se, basicamente, de um assassinato motivado por razões da condição de sexo feminino. Estipulado pela Lei nº 13.104/2015, o artigo 121 do Código Penal foi alterado e determinou o feminicídio como um agravante, incluindo-o na lista de crimes hediondos. Acredita-se que essa forma de assassinato não representa um evento isolado ou inesperado, pois pertence a um processo contínuo de violências, desde verbais, físicas ou sexuais. É importante frisar, também, que desde 2006 existe a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340/2006), que cria mecanismos para coibir a violência doméstica e familiar contra a mulher. O estado de São Paulo concentra o maior número de Delegacias de Defesa da Mulher do país, sendo, também, o primeiro estado no Brasil a contar com uma delegacia especializada no atendimento de mulheres vítimas de violência, em 1985. Contudo, o número de unidades voltadas à mulher ainda é baixo – principalmente se levarmos em consideração que nem todas as cidades possuem uma.

Março, 2018

A participação feminina na política brasileira

H

oje em dia, o movimento feminista está consolidado como uma força política fundamental no cenário da resistência mundial. No Brasil e em todo o mundo, além de reivindicar suas próprias pautas, as mulheres também têm conseguido barrar projetos de lei e outras propostas que ferem sua emancipação. Em todos os anos de democracia brasileira, apenas uma mulher foi eleita presidente da República. No que diz respeito ao poder Legislativo Federal, dos 513 deputados, apenas 54 são mulheres. Já no Senado, dos 81 senadores, somente 13 mulheres. Em um país no qual mais da metade da população é constituída pelo sexo feminino, a representatividade no Congresso Nacional e na política, como um todo, ainda é baixíssima – principalmente se levarmos em consideração as nomeações para cargos em Ministérios e Secretarias. Em fevereiro de 1932, o voto feminino foi iniciado no Brasil. Porém, foi só a partir de 1965, com a edição do Código Eleitoral, que o sexo deixou de interferir efetivamente nos direitos eleitorais. Hoje, mesmo com o voto garantido, o desafio é aumentar a presença feminina na política brasileira. Principalmente porque, para que políticas públicas sejam realmente pensadas e desenvolvidas para as mulheres, é necessário que elas interfi ram na estrutura do poder público, exponham suas ideias e contribuam com suas perspectivas. revistavitti.com.br | Vitti | 27


Saúde

Como reconhecer se você precisa usar aparelho ortodôntico

O

raquel Hussne

s motivos para usar aparelho dentário podem variar de acordo com a idade e as necessidades da pessoa. Se você nota que seus dentes não estão alinhados, reconhece problemas de saúde que podem ser ocasionados por problemas dentários, ou então quer melhorar a estética da sua dentição, é hora de procurar mais informações sobre o assunto. Você também deve prestar atenção em alguns sinais que indicam a necessidade de correção dentária: - Dentes encavalados: Isso acontece quando o tamanho dos dentes é maior que o tamanho dos ossos, deixando pouco espaço e acarretando na sobreposição de um dente no outro. Além do problema estético, dificulta a higienização e facilita o aparecimento de cárie e gengivite. - Dentes afastados: Ocorre quando a quantidade de dentes é menor que a arcada, deixando espaço entre eles. Pode acontecer por conta da extração de dentes ou dentes que não nasceram. O prejuízo é estético e funcional. - Mordida profunda: Também conhecida como sobremordida, acontece quando os dentes anteriores superiores, na

28 | Vitti | revistavitti.com.br

hora da mordida, cobrem todos ou quase todos os dentes anteriores inferiores. Se não for tratado, pode causar desgastes nos dentes e dores musculares. - Mordida aberta: Os dentes anteriores inferiores ficam afastados dos superiores, com espaço entre eles. Chupeta, sucção dos dedos e interposição da língua podem causar este problema. - Mordida cruzada anterior: Neste caso, os dentes anteriores superiores ficam atrás dos anteriores inferiores. Dificulta a mastigação e a fala. - Mordida cruzada posterior: Aqui, os dentes posteriores superiores ficam para dentro em relação aos posteriores inferiores. Além da estética, prejudica a respiração, fala e mastigação. - Mordida topo-a-topo: Os dentes batem no topo um do outro. Causa problemas na mastigação e pode gerar perdas ósseas e algumas disfunções na articulação tempôro-mandibular. É importante saber que o tratamento ortodôntico não é somente estético, ele auxilia também na melhoria da saúde bucal, pois trabalha para que as funções da fala, mastigação e respiração sejam normalizadas. O aparelho dentário tem como propósito corrigir o posicionamento dos dentes, para evitar problemas fu-

turos com articulação da face, perda dos dentes e doenças na gengiva. A duração de um tratamento ortodôntico vai depender de como estão seus dentes, ou seja, cada caso é um caso. Vários fatores podem determinar o tempo de uso, como o tipo de problema ortodôntico, a resposta do organismo, o tipo de aparelho e a colaboração do paciente durante o tratamento. Existem dois tipos de aparelhos: os fi xos e os removíveis. O primeiro é indicado para tratamentos prolongados, já o segundo para correções mais simples. Entre os aparelhos fi xos, já existem diferentes tecnologias que atualmente diversificam as opções de escolha. Usar aparelho dentário requer cuidados. Somente um dentista com especialização em ortodontia poderá avaliar a necessidade do paciente, e indicar o tipo de aparelho ideal para você. Dra. Raquel Hussne é cirurgiã-dentista formada pela USP/Bauru, proprietária da Dom Odontologia, especialista em Ortodontia e palestrante internacional. Avenida Itália, 485, Jardim das Nações, Taubaté/SP (12) 3624.7828 www.domodontologia.com.br Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 29


Social Taubaté

Whats up! Folia de carnaval.

amanda ayello amandaayello@gmail.com

Renato Indiani, Paula Ponce, Lorena Queiroz e Junior Sousa

Os arquitetos, Gustavo Moura e Débora César

Rodrigo e Milena Roman

Laurinha, Edelmo, Amanda Gonçalves, Marco Aurélio Sala, Manu e Valentina

CM Arquitetos recebendo o certificado "Parceiro Solidário", pela doação do projeto de interiores para a recepção do Centro de Reabilitação de Piracicaba.

Bruninha e Aninha

As amigas reunidas no aniversário Aniversário da Bruninha Teixeira Pinto, da Carol Rebeque e da Isadora Araújo.

30 | Vitti | revistavitti.com.br

Daniel, Lucas, Raul, Bruno, Pavan e Minhoto

Março, 2018


䴀䴀䴀䴀䴀䴀椀搀愀搀攀

伀 ᰠ倀倀倀ᴠⰀ 愀戀爀攀瘀椀愀漀 搀攀 倀爀ⴀ倀愀爀琀漀⼀ 倀愀爀琀漀 攀 倀猀ⴀ倀愀爀琀漀Ⰰ  甀洀 愀洀戀椀攀渀琀攀 切渀椀挀漀 攀洀  焀甀攀 愀 最攀猀琀愀渀琀攀  愀挀漀洀漀搀愀搀愀 搀攀猀搀攀 猀甀愀 愀搀洀椀猀猀漀⸀ 一攀猀琀攀 氀漀挀愀氀Ⰰ 攀氀愀 瀀攀爀洀愀渀攀挀攀  搀甀爀愀渀琀攀 漀 琀爀愀戀愀氀栀漀 搀攀 瀀愀爀琀漀 攀 愀猀 瀀爀椀洀攀椀爀愀猀 栀漀爀愀猀 愀瀀猀 漀 渀愀猀挀椀洀攀渀琀漀 搀漀 戀攀戀⸀  伀 愀洀戀椀攀渀琀攀 搀愀 䴀愀琀攀爀渀椀搀愀搀攀 搀漀 䠀漀猀瀀椀琀愀氀 ㄀  搀攀 䨀甀氀栀漀  爀攀挀攀瀀琀椀瘀漀 攀 愀搀攀焀甀愀搀漀Ⰰ  愀氀洀 搀攀 椀渀挀氀甀椀爀 漀 䌀倀一䤀 ⴀ 䌀攀渀琀爀漀 搀攀 倀愀爀琀漀 一漀爀洀愀氀 䤀渀琀爀愀ⴀ栀漀猀瀀椀琀愀氀愀爀 焀甀攀 瀀攀爀洀椀琀攀 愀  攀猀瀀攀挀椀昀椀挀椀搀愀搀攀 搀漀 瀀愀爀琀漀 攀 渀愀猀挀椀洀攀渀琀漀 栀甀洀愀渀椀稀愀搀漀 攀 瀀漀猀猀椀戀椀氀椀琀愀 焀甀攀 漀 瀀攀爀漀搀漀  挀氀渀椀挀漀 搀漀 瀀愀爀琀漀 猀攀樀愀 愀猀猀椀猀琀椀搀漀Ⰰ 渀漀 洀攀猀洀漀 愀洀戀椀攀渀琀攀 瀀爀ⴀ瀀愀爀琀漀Ⰰ 瀀愀爀琀漀 攀 瀀猀ⴀ瀀愀爀琀漀Ⰰ  瀀漀爀 甀洀 愀挀漀洀瀀愀渀栀愀渀琀攀⸀   䄀氀洀 搀愀 䴀愀琀攀爀渀椀搀愀搀攀Ⰰ 漀 䠀漀猀瀀椀琀愀氀 ㄀  搀攀 䨀甀氀栀漀  瀀漀猀猀甀椀 唀⸀吀⸀䤀⸀ 一攀漀渀愀琀愀氀 攀  唀渀椀搀愀搀攀  䄀氀洀 搀攀 䌀甀椀搀愀搀漀猀 䤀渀琀攀爀洀攀搀椀爀椀漀猀Ⰰ  挀漀洀 漀猀 洀愀椀猀 洀漀搀攀爀渀漀猀  攀焀甀椀瀀愀洀攀渀琀漀猀 瀀愀爀愀 琀漀琀愀氀  猀攀最甀爀愀渀愀 搀漀 猀攀甀 戀攀戀⸀

Março, 2018

䄀瘀⸀ 䄀爀椀猀琀椀搀攀猀 䨀漀愀焀甀椀洀 搀攀 伀氀椀瘀攀椀爀愀Ⰰ ㄀㄀㔀   一⸀匀⸀ 倀攀爀瀀琀甀漀 匀漀挀漀爀爀漀 ⴀ 倀椀渀搀愀   ⠀㄀㈀⤀ ㌀㘀㐀㐀ⴀ㌀㐀   revistavitti.com.br | Vitti | 31


Social Taubaté

Viver!

isaura Silva isaurasilva@revistavitti.com.br A pequena Beatriz, ao lado dos pais, aguarda ansiosa a chegada do irmãozinho. Parabéns à família!

Rafael Ferreira, Beatriz e Mirian Ferreira

No dia 7 de março, o Senac Taubaté celebrou 70 anos da Unidade. Como parte das comemorações semanais, a gerente Karina falou sobre a alta representatividade que a unidade tem, tanto para a cidade quanto para os municípios próximos, assim como as ações culturais e sociais voltadas à comunidade.

Wilson Carpegiane Chef e monitor de Educação Profissional, Vinicius Cassariotti, e Karina Marcon, gerente da unidade Senac Taubaté

Isabelle Tuchband e Newton Lima

O designer de interiores joseense foi conhecer o novo atelier da artista plástica, Isabelle Tuchband, em São Paulo. "A gente faz história...". Os amigos curtindo o Bar do Pereba, em Taubaté.

Hebert, Brisola e Xepa

32 | Vitti | revistavitti.com.br

Eduardo e Marcelo participaram da Convenção de Vendas, em Dubai. Março, 2018


Social Taubaté

Empório toscana

Fotos: Lucas Nascimento

O restaurante Toscana proporcionou, para seus clientes, uma experiência incrível no mundo da gastronomia portuguesa.

Manuel Beleza, Pedro Ferreira, Paula, Guilherme e Andrea

Andrea e Guilherme

Neide e Arthur

Rosa Celano, João Ebram e Filippo Ebram

Regiane, Hélio, Ricardo e Andreia

arena taubaté

Fotos: Lucas Nascimento

No dia 8 de março, o prefeito Ortiz Jr. apresentou o prejeto da Arena para potenciais investidores. A construção, cujo financiamento partirá da iniciativa privada, conceberá um espaço multiuso para receber diversos eventos.

José Carlos, Vincenzo, Sergio, Zepinho, Otavio, Renato, Pedro e Rodrigo

Prefeito de Taubaté, Ortiz Jr

Vinicius Gholmie, Diego Fonseca e Rogerio

Sydiene, Edson, Ricardo, Georgia e Marcela

Stefano, Bruna, James, Jomar e Wilber

Marcela, Patrícia e Andreza

Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 33


Social Taubaté

Flash

José luiz de almeida luizinho-cafe@hotmail.com facebook.com/luizinholanches

Virgínia Machado e Lílian Mansur, marcaram presença no evento de noivas.

No último mês, o restaurante Santa Figueira realizou sua famosa feira de noivas, contando com a presença de vários amigos e parceiros. Entre eles, Walmir e Flavia Mattos (Holiday Festas), que emprestaram sua filha, Leticia Fiorio, para ser noiva por um dia. Parabéns aos organizadores pelo impecável evento.

O restaurante Rock and Ribs deu início ao projeto Sunset Rock em grande estilo, com a presença de muita gente bonita, chopp gelado e boa música. A festa acontecerá um domingo por mês, a partir das 16h, no ROCK IN RIBS, localizado no Via Vale Garden Shopping. Fiquem ligados, vem novidade por aí!

Os amigos Andréia Dias, André Guedes e Luiz Dias, apreciando as delícias do bar Santa Terezinha. Os queridíssimos Andrea Valles, Fernanda Malheiros, Marcos Paulo e Lucimara Fernandes, também passaram pelo bar Santa Terezinha para tomar aquele drink e colocar o papo em dia. 34 | Vitti | revistavitti.com.br

A belíssima Juliana Madeira, exibindo seu charme no Madame Surtô. Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 35


Social São José dos Campos

atitude News

Gilberto Freitas gilfreitasff@hotmail.com

David Ferreira, Luiz Antonio e Marcos Tsukamoto, reinauguram o Casa Branca Eventos, em Jacareí.

Iva, Juliana Molina e Rodrigo Getz, na inauguração da Santa Casa Saúde, agora em Taubaté. Marcus Vinicius Ribeiro e Luis Fernando Barbarossi, na 2ª Edição da festa Alforria, no Hangar 1925.

Amanda Junqueira e Tais Cesar organizaram a "Noite Peruana" no Restaurante Boulangerie Tunica, em Caçapava. Cezar Mazzoni, Eder e Giovana Silva, na inauguração do playground do Colégio Solare de São José dos Campos. Marcelo Carlos organizou festa surpresa para a esposa, Cristina Souza, no Santonofre, em São José dos Campos. Mariana Roberti, Elcio Vieira de Ataíde e Stefano Ahmedd, na 1ª Roda de Samba do Bar do Xuxu, em São José do Campos.

Patricia Couto recebeu os parabéns de Fabrizio Marini, em festa, em São José dos Campos. 36 | Vitti | revistavitti.com.br

Março, 2018


GANHE O MUNDO, FAÇA INTERCÂMBIO. O sonho de fazer intercâmbio está mais perto do que você imagina. Procure a Experimento, a expert em intercâmbio, e boa viagem! INTERCÂMBIO DE FÉRIAS

HIGH SCHOOL Faça uma parte do ensino médio no exterior. Mais de 10 países para você escolher e viver essa grande experiência. Embarque agosto de 2018.

TASTE OF LONDRES + BARCELONA

• Londres, Inglaterra no campus da University of Central London – South Bank • 2 semanas de curso de inglês • + 6 dias de viagem a Barcelona • Acomodação em residência estudantil • De 27.06 a 16.07.18 • Para jovens de 13 a 17 anos

Março, 2018

VANCOUVER ROCKY MOUNTAINS MALIBU CALLING • Vancouver, Canadá no campus da UBC – University of British Columbia • 3 semanas de curso de inglês • 4 dias de viagem pelas Rocky Mountains, muitos passeios e atividades bacanas • Acomodação em residência estudantil • De 3 a 24.07.18 • Para jovens de 13 a 17 anos

• • • • •

Malibu, California no campus da Pepperdine University 3 semanas de curso de inglês em Malibu Acomodação em residência estudantil De 24 de junho a 14.07.18 Para jovens de 13 a 17 anos

WWW.EXPERIMENTO.COM.BR

TAUBATÉ PRAÇA FELIX GUISARD, 229 - SL. 6 PLAZA MALL - CENTRO T (12) 3621 8659 | TAUBATE@EXPERIMENTO.ORG.BR SÃO JOSÉ AV. PAULO BECKER, 151, LJ. 4 - VILA ADY-ANA DOS CAMPOS T (12) 3923 5005 | SJC@EXPERIMENTO.ORG.BR

revistavitti.com.br | Vitti | 37


Social Aparecida

Luis Gustavo, Ana Carolina e João Paulo, em ritmo de carnaval para comemorar o aniversário da Ana Beatriz.

ligia Ballot liballot@hotmail.com Wilson Silvaton

Dinho Azeredo

abalou

A gerente do Memorial da Devoção, Natália Moreira, o apresentador do programa Kombina, Rogerinho, e o gerente administrativo do Memorial, Fábio Cardoso, registram uma foto com a recém-lançada estátua de cera do cantor Daniel.

O carnaval no Hotel Santo Graal foi de arrasar! A turma animada caiu na folia!

Muitas cores e alegria para comemorar o primeiro aninho da Livia, ao lado dos pais, Camila e Felipe. Saúde e amor sempre em sua vida!

Tal mãe, tal filha. Arrasando na avenida: as divas, Carla e Keylla Nogueira. Como sempre, lindas demais! 38 | Vitti | revistavitti.com.br

Uma verdadeira boneca. Isabella Dias Macedo rumo ao Miss São Paulo. Vai arrasar! Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 39


Social Guará

Guará em Pauta

Benê Carvalho benecarvalho@revistavitti.com.br Bia Veras Muller, natural de Guará, comemorou em grande estilo seus 50 anos, entre amigos e familiares, no dia 19 de fevereiro.

Mãe e filha curtindo uma noite animada de festa em Guará. Juliana e Thiemy Keiko, lindas e queridas. 40 | Vitti | revistavitti.com.br

Os irmãos, Marcelo e Luiz Fernando Areco, unidos à escola do coração no desfile de terça-feira.

Julia Cabett anda fazendo arte na make das mulheres de Guará. Sendo uma autodidata, ela dá várias dicas de maquiagens em seu blog. Beto Issa

As queridas irmãs Kalil: Elisabeth, Cecília e Maria Aparecida, fizeram uma parada pra ver a Banda Mole passar no sábado de carnaval, em Guará.

Beto Issa

Mariana Junqueira e João Carlos Maia, curtindo a viagem de carnaval nos EUA.

Adriana Vaz e João Pedro, super animados, na concentração da Escola de Samba Tamandaré, na terça-feira de carnaval.

A encantadora Maria Clara, na comemoração dos seus 4 anos, no dia 25 de fevereiro. Março, 2018


Um livro de Albedaran

Lançamento

à venda em nossa loja online: http://loja.tachion.com.br Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 41


Fotos: Lucas Nascimento

Na noite de 15 de março, a Revista Vitti e o Paestum Forneria Bar realizaram, em Guará, um evento para a degustação do novo cardápio do local.

Didi, Helena, Chef Dani, Sarah, Benê, Marcela, Luciano e Milre

Marcela, Drª Virginia, Isa, Benê e Adriana

Benê, Marcela e Gustavo

Renato, Teresa e Benê

Fabricio, Thaíse e Benê

Gugu e Renata Carvalho

Benê, Adriana e Demily

Felipe, Camila e Benê

Antonio, Monique e Benê

Luiz Marcelo, Ana Claudia e Benê

Silvia e Benê

42 | Vitti | revistavitti.com.br

Março, 2018


Março, 2018

Antonio, Clarice, Walter e Benê

Benê, Camila e Guilherme

Benê e Renata

Celso, Ana Maluhy e Benê

Benê e William

Martinho, Renata e Benê

Benê e Luiz Felipe

Benê e Dra Virginia

Chef Dani e Sarah

Didi, Marcela e Benê

João Vaz, Ana Luiza e Benê

Benê, Juliana e Helena

Adriana, Helena, Benê e Julia

Milre , Felipe e Luciane

revistavitti.com.br | Vitti | 43


Foto: André Fronza

Gastronomia

Veganismo:

hambúrguer de pinhão

O

amanda Simpson

veganismo é, basicamente, a decisão de não consumir nada que derive de exploração e de crueldade contra animais – tanto no setor alimentício, quanto no segmento de vestuário. Na teoria, isso significa que um indivíduo vegano não consome nada de origem animal: nem carne, laticínios, ovo e mel, ou produtos como o couro, por exemplo. Agora você pode estar se perguntando: "mas então eles comem o quê?". Ao contrário da ideia que o senso comum propaga, quem adota uma vida vegana consegue comer bem e, inclusive, de forma variada.

ingredientes: 1. Pinhão cozido e sem casca (3 xícaras); 2. Farinha de rosca (1/3 xícara); 3. Pimentão vermelho em cubinhos (1/3 xícara); 4. Salsinha (1/4 xícara); 5. Azeite (2 colheres de sopa); 6. Água (3 colheres de sopa); 7. Páprica defumada (1 colher de chá); 8. Sal (1 colher de chá); 9. Pimenta do reino a gosto (opcional). * rende 4 hambúrgueres!

44 | Vitti | revistavitti.com.br

Existem centenas de alimentos naturalmente veganos e muito acessíveis. Os queridos arroz e feijão, presentes nos pratos dos brasileiros, são bons exemplos – bem como todos os legumes, vegetais, hortaliças, cogumelos, castanhas e frutas. Há, inclusive, diversos pratos tradicionais, das mais diversas nacionalidades, que não incluem alimentos de origem animal em suas receitas. Porém, para aqueles que têm vontade de consumir alguma comida que, originalmente, leva carne, ovo, ou derivados de leite, existe a possibilidade de adaptar os ingredientes! Além de estabelecimentos voltados, exclusivamente, para o público vegano,

Modo de preparo: 1. Exceto a farinha de rosca, adicione os demais ingredientes em um processador e triture até a mistura se apresentar de forma homogênea. 2. Depois, acrescente a farinha de rosca na mistura e bata até a massa ter liga. Se necessário, adicione água. 3. Divida a massa em quatro porções iguais e modele os hambúrgueres. 4. Em uma frigideira antiaderente, adicione um fio de azeite e frite até os dois lados do hambúrguer dourarem.

atualmente muitos restaurantes, lanchonetes e hamburguerias têm incluído no cardápio opções que não contém produtos de origem animal – o que facilita bastante a vida de quem opta por comer fora de casa. Fugindo um pouco do tradicional hambúrguer de soja e pensando em um ingrediente que pode ser facilmente encontrando tanto em Campos do Jordão, quanto em Santo Antônio do Pinhal, por exemplo, o hambúrguer de pinhão pode ser um excelente substituto na hora de montar um lanche. André Fronza, autor do livro e dono do site Tempero Alternativo, compartilhou conosco uma de suas receitas:

Cas o queiram adi c i onar queijo, existem várias receitas veganas na internet – sendo que a base costuma ser o leite vegetal. Hoje em dia, esse tipo de leite pode ser encontrado em supermercados ou em lojas de produtos naturais, mas os preços costumam ser altos. Por isso, a forma caseira de produzir o leite vegetal é a mais comum, e consiste, basicamente, em hidratar grãos ou castanhas, batê-los no liquidificar com água e, depois, coar para que o resultado fique homogêneo.

Março, 2018


Consumo

Páscoa: expectativa comercial é otimista

E

amanda Simpson

m 2018, a Páscoa será comemorada no dia 01 de abril. Simbolizando, inicialmente, uma festividade religiosa, o feriado tende a ser mais explorado por uma perspectiva consumista no ramo alimentício. Vista pelos supermercados e por lojas de chocolates como uma das principais datas comemorativas do ano, a Páscoa também é o período em que confeiteiros e outros profissionais autônomos conseguem ganhar uma renda extra produzindo bombons, trufas e ovos caseiros. Tendo em vista o resultado desfavorável dos últimos anos, a Associação Paulista de Supermercados (APAS) acredita que, com a retomada do crescimento da economia, os consumidores devem voltar a procurar, nos supermercados, produtos tradicionais relacionados à Páscoa – como os pescados e os chocolates, por exemplo.

Março, 2018

Segundo Thiago Berka, economista da APAS, a projeção de vendas gerais nos supermercados aponta um crescimento de 4% em relação ao mesmo período do ano passado. Embora a expectativa comercial seja otimista, outro indicativo sugere que o aumento dos preços dos ovos de páscoa deve girar em torno de 3% em cima dos valores de 2017. Já as barras e outras variações de chocolates, estarão com preços mais contidos em 2018. De acordo com os dados fornecidos pela APAS, os doces em geral apresentaram deflação de - 0,84%. Ainda assim, mesmo que a expectativa econômica seja boa, para os consumidores que desejam gastar menos ou querem fugir das opções convencionais, existem outras opções além das expostas nos comércios tradicionais. É possível encontrar ovos de páscoa simples, trufados ou de colher, assim como outras variações de chocolates, longe dos supermercados e das marcas. Várias docerias

aceitam encomendas específicas direcionadas para essa época do ano, bem como muitas pessoas também produzem em casa e vendem, dali, os próprios doces. Nos últimos anos, principalmente por causa do desemprego, a produção de ovos caseiros se tornou uma opção para aqueles que precisavam conquistar capital financeiro. A confecção de ovos artesanais é estimulada, também, pelo preço mais acessível da matéria-prima no atacado. De qualquer forma, vale analisar o custo e o benefício. Tanto os ovos das marcas tradicionais, quanto outros itens de chocolate, estarão à venda em estabelecimentos comerciais para quem optar por algum deles. Da mesma forma que produtos caseiros de qualidade também poderão ser encontrados, adoçando o paladar do cliente e, ainda, agregando renda no orçamento familiar de outra pessoa. No final, o mercado conseguirá atender quem pretende, de alguma forma, consumir. revistavitti.com.br | Vitti | 45


Educação

Educadores de taubaté viajam para os EUA a fim de conhecer modelo de aprendizagem

A

amanda Simpson

convite da Fundação Lemann, organização familiar sem fins lucrativos, que apoia e desenvolve projetos inovadores em Educação, 16 educadores brasileiros viajaram para Chicago, Estados Unidos, a fi m de participar de um workshop com o professor japonês Akihiko Takahashi. Desse grupo, 15 atuam em escolas públicas, sendo três de Taubaté, São Paulo. Os encontros com o professor Takahashi, constituem um conjunto de iniciativas da Fundação para apoiar os educadores da rede pública de ensino. O evento ocorreu entre os dias 26 de fevereiro e 02 de março. É a primeira vez que o Akihiko, referência mundial no método, desenvolve essa interação com profissionais brasileiros – sendo, portanto, uma grande oportunidade de conhecer e se aprofundar na metodologia de aprendizagem que 46 | Vitti | revistavitti.com.br

revolucionou o ensino de matemática no Japão (Lesson Study). Durante 2018, os participantes implementarão a proposta em suas escolas com o suporte do especialista, que, no final do ano, virá ao Brasil para avaliar o processo. De um total de 70 nações, o Japão ocupa, atualmente, a 5ª posição no ranking de matemática do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), enquanto o Brasil está classificado na 66º posição. O grupo que esteve nos Estados Unidos é formado por professores de matemática, coordenadores pedagógicos e diretores escolares. Os profissionais que representaram a rede municipal de ensino de Taubaté foram: Marina Dias, da EMEF Professor José Ezequiel de Souza, Welder Batista, da EMEF Lafayette Rodrigues Pereira, e César dos Reis, da EMEF Emílio Simonetti – todos participantes do programa Formar, que buscar melhorar as práticas de gestão da rede e oferece formação específica de matemá-

tica aos professores em parceria com a Secretaria de Educação.

Basicamente, a metodologia Lesson Study consiste nas seguintes etapas: definição do tema de pesquisa, revisão teórica, redação do plano, observação de sala de aula, discussão, e retomada. Partindo dessa proposta, um grupo de professores defi ne um problema de ensino e aprendizagem, e, montando uma plano detalhado de pesquisa, busca alternativas a fim de solucioná-lo. Potencializando a aprendizagem dos alunos, a metodologia propõe uma formação continuada colaborativa, aprimorando técnicas didáticas a partir de um problema comum. Março, 2018


História

Março celebra internacionalmente o combate à discriminação racial

O

amanda Simpson

dia 21 de março, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), celebra a luta internacional contra a discriminação racial. A data resgata a dolorosa lembrança do massacre de Sharpeville, quando, nos anos 60, um protesto pacífico entrou para a história por causa de seu desfecho violento. Na ocasião, o protesto acontecia em Joanesburgo, na África do Sul, e reivindicava a extinção da Lei do Passe – uma determinação que estipulava por onde os negros poderiam transitar. Caso eles não apresentassem o passe, além de serem impedidos de circular, eles ainda eram detidos. A manifestação, que caminhava por Sharpeville, foi reprimida com arma de fogo e ocasionou a morte de mais de 60 pessoas, ferindo aproximadamente 180 indivíduos. A data, que entrou para a história com a tentativa de abolir as leis segregacionistas do apartheid, merece destaque por simbolizar a luta contra a discriminação racial em busca de uma sociedade igualitária. O Brasil, apesar de ser um país multicultural e multirracial, carrega um histórico de discriminação racial bem extenso. Na América, foi o último país a abolir a escravidão – em 1888, com a Lei Áurea. Os negros representam mais da metade da população brasileira e, por mais que, hoje em dia, existam algumas medidas que visam a inclusão, a raça ainda enfrenta grandes batalhas na luta pelo fim da discriminação. Sociologicamente falando, quando abordamos a discriminação, nos referimos ao processo de diferenciação arbitrária que classifica indivíduos por grupos com a finalidade de generalizar carac-

Março, 2018

terísticas indesejáveis – no aspecto social, político, religioso, sexual e, também, racial. O racismo é um exemplo, já que, com muita frequência, oportunidades sociais e econômicas são restringidas com base na cor da pele, por exemplo. Segundo uma nota técnica publicada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), no Brasil atual, os negros ainda estão incluídos nos estratos sociais mais baixos. De acordo com o levantamento "Vidas perdidas e racismo no Brasil", publicado em 2013, tal fato se deve às raízes históricas que remetem à escravidão. Depois da abolição da escravatura, os afrodescendentes foram lançados à própria sorte e, sem condições minimamente dignas de recomeçar, perpetuou-se o processo de discriminação que resulta na persistência da pobreza e na estrutura desigual de oportunidades. A ideologia que sustentava o regime escravocrata, que defendia a existência de raças superiores e inferiores, não foi abolida com a escravidão – perpetuando-se, ainda, em inúmeras manifestações culturais. O estudo divulgado pelo IPEA aborda, também, o condicionamento de fatores estruturais, como, por exemplo, o status econômico, a mobilidade residencial e o acesso à Justiça. Segundo a pesquisa, as populações mais vulneráveis socioeconomicamente são aquelas sujeitas à vitimização violenta. Com o objetivo de refletir a respeito das evidências empíricas que envolvem os assassinatos, o relatório afirma que o racismo interfere nos índices de homicídios contra negros. Os cálculos publicados apontaram que mais de 39 mil pessoas negras foram assassinadas anualmente no Brasil, contra 16 mil homicídios envolvendo as outras raças. Acredita-

-se, ainda, que a discriminação motivada pela cor da pele interfere na demanda por trabalho, bloqueia oportunidades profissionais, e cria estereótipos negativos que afetam a identidade. Que a sociedade brasileira possui uma dívida antiga com a parcela afrodescendente de sua população, é fato. Todo o aspecto da segregação racial simboliza feridas escravocratas ainda abertas no país. A extensa divulgação de indicadores socioeconômicos registra que as diferenças raciais se impõem em todos os campos da vida social: seja no setor de educação, saúde, renda, acesso a empregos estáveis, violência ou expectativa de vida, os negros ainda se encontram submetidos às piores condições. Em alguns desses segmentos, é possível observar uma redução gradativa das desigualdades. Porém, diante da longa trajetória, os indícios de discriminação ainda são reduzidos de forma lenta e modesta. Desde os anos 2000, as iniciativas inclusivas vêm ganhando força no âmbito nacional – com os programas de cotas, que visam ampliar o acesso de estudantes negros no Ensino Superior, com iniciativas de combate ao racismo institucional, ou com, por exemplo, incentivos à valorização da cultura e da história negra. Ainda que bastante significativas, a pontualidade dessas ações não diminui, de forma considerável, os obstáculos em busca da equidade racial. Para isso, a intervenção pública se faz necessária. O processo da reprodução da desigualdade racial não corresponde a um fenômeno simples. Se suas origens se encontram no processo histórico escravocrata, hoje ela se sustenta em mecanismos de discriminação – que restringem, muitas vezes, o lugar social dos afrodescendentes. revistavitti.com.br | Vitti | 47


Saúde

tese de doutorado aborda causas de óbito relacionadas à lipoaspiração

N

Érico Pampado di Santis

o dia 02 de fevereiro de 2018 defendi minha tese de doutorado. O estudo foi sobre causas de óbito relacionadas à lipoaspiração. A lipoaspiração é a técnica cirúrgica que remove parte da gordura da pele por meio de cânulas ocas. Essas cânulas são ligadas a máquinas, ou a seringas, que geram uma pressão negativa fazendo com que a gordura seja aspirada. No Brasil, é um dos procedimentos estéticos mais realizados. Só no ano de 2016, foram realizadas quase 210 mil lipoaspirações. O mundo todo também realiza muito esta cirurgia. Neste mesmo ano, foram realizadas aproximadamente 1,5 milhão de lipoaspirações. Os números impressionam, e infelizmente as mortes relacionadas à lipoaspiração também chamam a atenção da imprensa e do meio científico. Vários trabalhos tentaram levantar o número de mortes que ocorreram em lipoaspirações com basicamente duas metodologias: questionários enviados aos médicos que participaram da cirurgia, e 48 | Vitti | revistavitti.com.br

levantamentos realizados em institutos necroscópicos. Os dois métodos se mostraram falhos por questões técnicas e científicas. Utilizamos, então, um novo método para detectar os casos fatais por meio de pesquisa em documentos. Investigamos, na grande imprensa escrita, as notícias que reportavam mortes em lipoaspirações. Registramos 102 casos noticiados pela imprensa no Brasil. O maior estudo, de autores americanos, detectaram 95 mortes. Conseguimos a maior casuística mundial. Com os nomes das pessoas e as cidades onde haviam falecido, buscamos nos cartórios de registro civil a certidão de óbito, que contém um campo obrigatório que é a causa mortis. Com esses dados, saberíamos as principais causas de mortes relacionadas à lipoaspiração e desenvolveríamos, assim, diretrizes para prevenir esses acidentes. No entanto, mais um problema foi detectado pelo trabalho: apenas 7% das certidões nos mostrou as causas. A grande maioria foi preenchida de maneira incorreta ou com causas indeterminadas. Para solucionar esse problema, propusemos em audiência pública no Congresso Na-

cional, a convite da Deputada Pollyana Gama, que todas as complicações que ocorrerem em procedimentos estéticos, clínicos ou cirúrgicos, sejam obrigatoriamente notificadas às autoridades de saúde. A proposta foi aceita nessa audiência e agora é um projeto de Lei. Acreditamos que, como é realizada na aviação, onde todos os problemas são compulsoriamente notificados, na medicina esta medida terá grande importância. Começamos com os procedimentos estéticos e poderá abranger todas as cirurgias e suas complicações. Esta medida visa proteger os pacientes, os médicos, que podem ser condenados injustamente por complicações que não tiveram imperícia, imprudência ou negligência, e, também, a ciência, que, conhecendo as complicações, terá condições de combatê-las para que a evolução não seja fatal. Fui aprovado pela banca examinadora na Universidade Federal de São Paulo, por unanimidade e com louvor. Dr. Érico Pampado Di Santis é médico Dermatologista. CRM: 96546/RQE: 21582 Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 49


Ambiente construído

Serra do Palmital

S

adilson Pellogia

erra do Palmital, braço da Serra da Mantiqueira e importante componente da Mata Atlântica, está a uma altitude de 1059 m, com coordenadas no seu ponto central especificadas em 23°0'44"S 45°47'49"W, sendo o divisor sudoeste do Vale do Paraíba paulista entre as cidades de São José dos Campos e Caçapava. A Serra da Mantiqueira faz parte dos planaltos residuais norte-amazônicos, e está localizada em três estados: em Minas Gerais, com 60%, em São Paulo, com 30%, e no Rio de Janeiro, com 10% de sua extensão. Sua cadeia montanhosa é formada a partir de maciço rochoso e, devido a sua altitude, a Serra da Mantiqueira possui temperaturas mais amenas durante o dia. As massas de ar e as chuvas que ocorrem nas suas escarpas, bem como as temperaturas próximas ou abaixo de zero nos invernos (podendo ocorrer geadas e até neve em seus picos), fazem com que o clima 50 | Vitti | revistavitti.com.br

seja classificado como tropical de altitude. Sua área é de transição de biomas da Mata Atlântica e Mata de Araucárias, tendo acentuada diversidade no ecossistema, vegetação arbórea densa (resta apenas 8.5%) e araucárias (resta apenas 3%), e, ainda, sofrendo com desmatamentos originados pela ação antrópica (agropecuária e utilização da madeira) de suas áreas originais. A flora é muita rica em espécies endêmicas, entre as quais estão o pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifólia), pau-brasil (Caesalpinia echinata), e jequitibá (Cariniana ianeirensis e Eugenia itacarensis), que estão ameaçadas de extinção. Dentro da riquíssima fauna desse bioma, algumas espécies como a onça pintada, onça parda, cateto, papagaios, corujas, queixada, anta e muitos outros, possuem ampla distribuição e são encontradas em outros biomas. A quantidade de espécies endêmicas da Mata Atlântica é grande em toda extensão. A situação dessa alta biodiversidade é, atualmente, muito grave, pois a maioria dos

animais ameaçados de extinção vive na Mata Atlântica. Entre os animais endêmicos desse bioma e ameaçados de extinção estão os primatas muriqui-do-sul (Brachyteles arachnoides) e muriqui-do-norte (Brachyteles hypoxanthus), o papagaio-da-cara-roxa (Amazona brasiliensis), a lagartixa-da-areia (Liolaemus lutzae), a jiboia-de-cropan (Corallus cropanii) e a tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). O mico-leão-dourado (Leontopithecus rosalia) faz parte dessa categoria, e virou símbolo na luta pela preservação da fauna brasileira. Apesar de muitas áreas serem consideradas regiões de preservação ambiental, esse bioma ainda sofre com o mau uso do solo e com o desmatamento sem controle pelos órgãos responsáveis pela preservação do meio ambiente em nosso Brasil. “Instruir as pessoas, faz crescer um país”. Adilson Pelloggia é doutor em Ciências e consultor ambiental. Contato: adilsonpeloggia1@gmail.com. Março, 2018


Utilidade

Horta vertical:

a solução para os pequenos espaços

C

amanda Simpson

om a verticalização dos imóveis, muitos podem pensar que está cada vez mais inacessível ter uma horta em casa. Mas a tendência das hortinhas verticais provam o contrário. Principalmente para quem mora em apartamento, esse tipo de cultivo é extremamente eficaz, porque, além de ocupar pouco espaço, também consegue ser prático. Pensando na harmonização do espaço e, é claro, na durabilidade da horta, às vezes pode ser vantajoso contar com a orientação de um paisagista, pois, além de melhorar o visual do projeto, o profissional indicará os procedimentos necessários para a conservação do ambiente. Além de determinar a parede na qual você deseja aplicá-la e o tipo de recipiente no qual ela estará inserida, também é fundamental pensar em quais plantas você deseja ter na sua horta. Alguns vegetais possuem maior ou menor necessidade de sol e água, por exemplo. Assim, é importante que você analise qual tipo de plantio se adequaria melhor no ambiente escolhido.

Março, 2018

Acredita-se que a forma mais simples de começar uma hortinha orgânica em casa, seja plantando temperos utilizados na cozinha. Para quem não tem muita intimidade com o mundo do plantio, essa pode ser uma estratégia que incentive a prática – já que na hora de preparar uma refeição, sempre haverão ingredientes frescos para incrementar a receita. De cultivo e manutenção fáceis, algumas plantas podem ser colhidas em até 30 dias. Pensando nesse ponto de partida, os temperos mais comuns são: - Manjericão: deve ser cultivado em lugares com temperatura superior a 18°C, podendo ser cultivado o ano todo em regiões onde o clima quente predomina. Requer alta luminosidade, e a muda deve receber irrigação diária e moderada. - Alecrim: se adapta a diferentes temperaturas e pode passar até três dias sem ser regado, o que é ótimo para quem não tem tanto tempo para se dedicar à horta. - Salsa: para que não floresça precocemente, precisa ser plantada em lugar com clima ameno, que não ultrapasse os 22°C. A salsa necessita de luz solar, mas é importante evitar a exposição nos horários mais quentes do dia. Solo úmido, mas

não encharcado, é fundamental. - Tomilho: no quesito temperatura, trata-se de uma planta extremamente adaptável. Recomenda-se a irrigação a cada dois dias, porque quanto menor a umidade do vaso, melhor o aroma do tomilho. A muda necessita de alta luminosidade. - Orégano: também é adaptável a diferentes temperaturas, e não suporta excessos no solo – nem muito seco, nem muito úmido. Quanto mais luz solar receber, mais aromáticas serão as folhas. - Hortelã: devido à raiz profunda, recomenda-se que seja plantada isolada em um vaso, não atrapalhando o desenvolvimento das plantas vizinhas. Gosta de estar protegida do vento, prefere temperaturas amenas, e precisa de um solo úmido. - Pimenta: assim como a hortelã, também deve ser plantada em vaso isolado – já que precisa de espaço para se desenvolver. Como existem diferentes espécies, é preciso estar atento às particularidades dessas variações, pois podem apresentam necessidades diferentes. Todas, porém, se desenvolvem melhor em ambientes iluminados. revistavitti.com.br | Vitti | 51


Fotos: Divulgação

Esporte

Com novidades no percurso, indomit Pedra do Baú chega à quinta edição www.indomit.com.br

D

amanda Simpson

estacando-se pelas paisagens que o coração da Serra da Mantiqueira oferece aos atletas, a Indomit é uma das provas mais tradicionais do circuito trail running do país. A 5ª edição do evento acontecerá em São Bento do Sapucaí (SP), no dia 07 de abril, a partir das 7h, largando da Praça do Coreto rumo ao Heliponto Pousada do Quilombo Resort. Em 2018, a novidade será o percurso – que oferecerá aos participantes alguns desafios pelas trilhas da cidade. Atraindo cada vez mais atletas em busca de melhorias na performance e de pontos para o UTMB (Ultra-Trail du Mont-Blanc), que é uma ultramaratona de montanha realizada uma vez por ano nos Alpes, atravessando a França, a Itália e a Suíça, a Indomit Pedra do Baú contará com trajetos de 50 km, 35 km, 21 km e 12 km. Aos interessados, as inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo site oficial do evento (www.indomit.com.br/saobento), onde também podem ser encontradas outras informações sobre o regulamento, os percursos, a altimetria, os kits e os valores, por exemplo. 52 | Vitti | revistavitti.com.br

Março, 2018


Pet

Conheça

5aodirecionados mundo pet

aplicativos

H

amanda Simpson

oje em dia, tudo fica mais fácil com o auxílio de aplicativos. Seja na hora de se comunicar, de fazer anotações, planejar seu mês, registrar informações sobre a sua saúde, realizar transações bancárias, etc. Por que, então, seria diferente na hora de cuidar do seu pet? Conheça cinco aplicativos que podem te ajudar a se organizar e, ainda, aproveitar melhor a companhia do seu animal de estimação.

3. Pet Poison: Esse aplicativo lista quais alimentos podem ser nocivos para cães e gatos. Seu conteúdo está em inglês, mas, caso você não domine o idioma, as imagens são de fácil identificação.

Março, 2018

1. Pet Anjo: Nesse aplicativo, você conseg ue procura r um serviço de acordo com a sua necessidade, como, por exemplo: pet sitter, dog walker, hospedagem familiar ou banho em domicílio. Basta inserir seu endereço para visualizar o perfil dos profissionais próximos.

4. DogWalk: Enquanto você caminha com seu cão, o aplicativo gera informações semelhantes a de um rastreamento de corrida. Gravando a rota, a distância e a duração de cada passeio, o app registra todo o exercício feito pelo animal.

2. Guia Pet Friendly: Com ele você acessa opções de passeio e se informa a respeito de quais ambientes permitem a entrada do seu pet, como restaurantes, hotéis, e outros estabelecimentos comerciais.

5. 11Pets: Trata-se, basicamente, de uma agenda digital direcionada aos cuidados com o pet. Permite incluir a hora dos medicamentos, o prazo para os vermífugos, visualizar o cronograma de vacinas, registrar banhos, etc. Além disso, também consegue armazenar exames e gerenciar, assim, o histórico veterinário do seu animal.

revistavitti.com.br | Vitti | 53


Moda

Reprodução: Instagram Maju Trindade

anos 90 segue como trend favorita do inverno

E

renata El

quando todo mundo achava que os anos 90 não conseguiria ganhar fôlego para mais uma estação, ao mesmo tempo as ruas e as passarelas – em um zeitgeist talvez – pipocaram com estampas xadrez em cores primárias ou na padronagem País de Gales. O Instagram bomba de fotos estilo analógicas, o Facebook, pela primeira vez na história, tem baixa no tempo de uso, e escrevo esse texto com um disco debaixo do braço. Ser analógico, ou principalmente parecer, é cool. Talvez seja uma reação das pessoas aos 54 | Vitti | revistavitti.com.br

vários gadgets e aplicativos que surgem todos os dias, ou talvez seja porque a indústria decidiu assim. De qualquer maneira, não se sinta manipulada se você adotou os óculos slim, ou os sliders da Rihanna! Todo mundo adora uma tendência pontual, e são elas que revelam o que vamos levar como clássicos do nosso closet pessoal. Afinal, a única forma de saber é testando! E sabe quem sempre testava vários looks antes de escolher um? Cher Horowitz, protagonista de As Patricinhas de Beverly Hills. Pode admitir que você sempre sonhou com aquele closet smart! A notícia boa é que ele pode ser seu, não a tecnologia, e sim o conteúdo. A es-

Desfile Versace AW 18

tética nineties que vai dominar o inverno é exatamente a do filme, pense no conjuntinho xadrez amarelo do começo do longa! De Versace à Maju Trindade, todo mundo está apostando em peças de xadrez maxi e espaçado em cores primárias, ora plissadas, ora em conjuntos – aqui no Brasil, Amaro, Manacá e Saloon 33 já contam com ótimas peças. Outra tendência xadrez que volta forte é a País de Gales, o acinzentado com carinha de brechó, que aparece em várias coleções em peças de alfaiataria, como calças e blazers. Renata El é jornalista e especialista em Imagem de Moda. Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 55


Agenda

Mapa Cultural SAUDE Práticas posturais e meditativas Com o auxílio de instutores de atividades físicas do Sesc, os participantes poderão vivenciar o equilíbrio do corpo e da mente por meio de práticas posturais que proporcionam flexibilidade, força e resistência muscular aliados. Onde: Sesc - Taubaté/SP. Quando: de 01 a 29/04, aos sábados e domingos, das 16h30 às 17h30. Gratuito.

Stand Up Comedy Dihh Lopes é antissocial Onde: Teatro Galpão Pindamonhangaba/SP. Quando: 08/04, às 19h. Ingressos: de R$ 25 a R$ 60. Público: a partir de 14 anos.

MUSICA

VARIEDADES Família no Museu - Felícia Poeta

Maiara e Maraisa Onde: Recinto Exposições de Guará Guaratinguetá / SP. Quando: 02/04, às 19h.

A atividade se inicia com um diálogo sobre a Felícia Leirner e sua atuação artística como pintora e cantora lírica. Os visitantes, então, serão apresentados aos textos poéticos produzidos pela artista e convidados a caminhar pelo Museu relacionando poesia, esculturas e natureza. Onde: Museu Felícia Leirner - Campos do Jordão / SP. Quando: 31/04, às 10h30. Ingresso: R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).

56 | Vitti | revistavitti.com.br

Março, 2018


AUDIOVISUAL As Sufragistas Lançado em 2015, o filme As Sufragistas retrata o movimento sufragista no Reino Unido. A fim de que a voz das mulheres seja ouvida, um grupo de militantes cria estratégias para combater a desigualdade de direitos políticos.

A Teoria de Tudo O filme, lançado em 2014, conta a história de Stephen Hawking. O astrofísico, que faleceu aos 76 anos no dia 14 de março, fez descobertas extremamente relevantes no mundo da ciência. O longa, que possui caráter biográfico, explora, também, o romance do físico com Jane Wilde.

LITERATURA Extraordinárias - Mulheres que revolucionaram o Brasil No mês das mulheres, a dica de leitura vai para o livro Extraordinárias - Mulheres que revolucionaram o Brasil, das autoras Aryane Cararo e Duda Porto de Souza. Contando com ilustrações de diversas artistas, o livro apresenta brasileiras que, embora raramente apareçam em publicações, impactaram a história do nosso país. Resultado de uma extensa pesquisa, o conteúdo visa reconhecer os feitos de mulheres que merecem destaque - exaltando a força extraordinária que todas tiveram para lutar por seus ideais e transformar o Brasil. Preço: R$ 59,90.

Sonhos Yanomami Produzida entre os anos 1970 e 1980, a obra de Claudia Andujar trouxe para os campos fotográficos um olhar pessoal, aliando intenções documentais com uma busca estética bastante apurada. A exposição é composta por três séries fotográficas (Sonhos Yanomami, O Invisível e Reahu), e conduz um mergulho na cosmologia e no modo de vida do povo Yanomami, aglutinando aspectos de sua cultura e dissolvendo as fronteiras entre os seres humanos, seus deuses e a natureza. Onde: Sesc - São José dos Campos/SP. Quando: de 07/03 a 17/06. Exposição gratuita. Março, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 57


Cinema

N

Tom Moschen

a maior premiação do cinema, cuja cerimônia (bem morna, por sinal) aconteceu na noite de 04 de março, surgiram algumas surpresas. Se você é uma das pessoas que assiste ao Oscar do começo ao fim, com um papelzinho do lado e uma caneta na mão para verificar os palpites, certamente também foi surpreendido. Até porque, é relativamente “fácil" acertar quem leva os prêmios nas categorias principais. O Oscar é cheio de manias quando premia. Gosta de dar as estatuetas para quem já foi indicado mil vezes, mas nunca ganhou; gosta de premiar quem é velho o suficiente, com a intenção de que seja a última indicação da carreira; gosta de inovar premiando um filme que não é melhor que os outros, desde que este aborde um tema polêmico. Não gosta de ficção-científica, nem de terror. Gosta até de premiar filmes independentes, principalmente se estes se tornarem sucesso de público. Isso sem contar que, praticamente todo ano, há pelo menos um filme favorito – que você assiste e fala: "esse vai ser indicado a 10 categorias, e vai ganhar 11!". Mas a premiação deste ano não foi assim. Em 2018, todos os filmes indicados foram excelentes, cada um com suas peculiaridades – o que dava a entender que, de certo modo, todos sairiam vitoriosos. Cada um levaria uma categoria, nos conformes que a Academia costuma premiar. "A Forma da Água" levaria o prêmio como roteiro original, "Dunkirk" ganharia com o melhor diretor, "Lady Bird" se classificaria como o melhor filme, e por aí vai. Porém, logo no começo da noite já começaram as surpresas. Sam Rockwell recebeu o prêmio por sua atuação em “Três Anúncios Para Um Crime”. Mesmo sendo ótimo, eu, particularmente, pensava que não superaria Christopher Plummer, interpretando Paul Getty – justamente por ser um ator de 88 anos, que aceitou o papel aos 45 do segundo tempo, e que não era indicado desde 2012, quando venceu

da premiação. Ver Peele no palco foi, para mim, a melhor surpresa da noite. Contudo, com essa última nomeação, aumentou a dúvida de quem levaria o prêmio de melhor filme. Até então, da mesma maneira que Del Toro já havia levado o prêmio pelo filme "O Labirinto Do Fauno", a "Forma Da Água" também seria premiado por seu roteiro original – uma vez que uma ficção científica como essa, supostamente, tem poucas chances de ganhar a estatueta na categoria de melhor filme, ainda mais com opções tão boas como, por exemplo, o ótimo Lady Bird, que infelizmente não foi premiado. Este ano, Guillermo Del Toro ganhou, merecidamente, como melhor diretor. Como costuma acontecer em outras premiações, o diretor vencedor também ganhou a estatueta de melhor filme. A premiação de "A Forma Da Água" acabou sendo uma surpresa, por melhor que o longa seja. Seria menos surpreendente se "Três Anúncios Para Um Crime" vencesse, já que tinha ganhado o Globo de Ouro. Porém, quem sabe esta seja a maneira da Academia mostrar que está se reinventando, abraçando as diferenças, incluindo as minorias, ouvindo e respeitando as mulheres (e pagando a elas o mesmo salário que o dos homens) – assim como Hollywood passou a exigir com o movimento “Time’s Up”. Talvez. Talvez possamos ver cerimônias cada vez mais inclusivas. Talvez veremos mais afrodescendentes agradecendo ao prêmio. Talvez veremos mais mulheres tendo o merecido reconhecimento, e disputando em categorias dominadas, antes, pelos homens. Talvez premiar o belo romance de contos de fadas, no qual uma moça muda se apaixona por um homem-peixe, seja o começo dessa boa mudança. Ou talvez, quem sabe, essa mudança já tenha começado no ano passado, quando "Moonlight" desbancou o preferido "La La Land". De qualquer forma, torçamos para que essas mudanças e surpresas continuem, tanto no Oscar, quanto no cinema, e se não for pedir muito, no mundo.

Oscar 2018

58 | Vitti | revistavitti.com.br

o único Oscar de sua longa carreira. Dali em diante, qualquer envelope aberto poderia trazer um resultado inesperado. Algumas categorias premiaram como era previsto. Allison Janney, como atriz coadjuvante, "Trama Fantasma", sendo premiado devido ao figurino, e "O Destino De Uma Nação", com o prêmio da maquiagem. As categorias técnicas também não surpreenderam. Basicamente, a disputa era entre "Dunkirk" e "Blade Runner 2049" – e ambos levaram estatuetas. E até com o prêmio de melhor roteiro adaptado, dado para "Me Chame Pelo Seu Nome", voltei a pensar que tudo seria previsível. Até o momento em que anunciaram "Corra!", como vencedor do prêmio de melhor roteiro original. Oscar merecidíssimo, na minha opinião! O filme do diretor Jordan Peele é excelente, e aborda o racismo de maneira muito interessante. Na realidade, a Academia tende a esquecer dos filmes que estrearam muito antes da cerimônia, e "Corra!" estava em cartaz em fevereiro de 2017. Além do mais, suspenses não costumam ser os favoritos

Tom Moschen é publicitário e especialista em Cinema. Março, 2018


Marรงo, 2018

revistavitti.com.br | Vitti | 59


60 | Vitti | revistavitti.com.br

Marรงo, 2018

Revista Vitti, Março 2018 Edição n147  

Nesta edição entrevistamos Lélio Gomes e Paula Padovan, proprietários da Maison Genève e do espaço Sans Souci, em Campos do Jordão, que apre...

Revista Vitti, Março 2018 Edição n147  

Nesta edição entrevistamos Lélio Gomes e Paula Padovan, proprietários da Maison Genève e do espaço Sans Souci, em Campos do Jordão, que apre...

Advertisement