Issuu on Google+

Capa

Modelo Camila Mussi

www.revistavitti.com.br Edição 133 - Ano 12 Janeiro, 2017 Foto: Thais Almeida

lavia Alonso Ayala

Social

O melhor do Réveillon 2017

Turismo

Cunha, conhecendo seus encantos

Homenagem Adeus, Ocílio Ferraz

Gastronomia Para o Verão, Salada de Ceviche

Entrevista

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA VENDA PROIBIDA Vale do Paraíba e Litoral Norte Janeiro, 2017

Rafinha Acústico

Músico e compositor fala sobre sua vida, parcerias, projetos e realizações

revistavitti.com.br | Vitti | 1


2 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 3


Índice

Janeiro 2017 | Edição 133 | Ano 12

Ponto de Vista

Onde Estávamos.......................................................... 26

Turismo

Destinos Internacionais para Férias............................. 40

Gastronomia

Salada de Ceviche....................................................... 44

Saúde

Cuidados com o Câncer de Pele................................. 46 Divulgação

Tecnologia

Painéis Solares em Rodovias....................................... 50

Economia

Por mares nunca de antes navegados................................60

Negócios

Entrevista

Rafinha Acústico..........................................................10

O Brasil do Bem e do Mal............................................ 61

Músico e compositor abre seu livro pessoal e conta como começou na música, da batalha para viver da profissão que escolheu, parcerias, projetos e realizações. Um bate-papo descontraído com um dos músicos mais requisitados de toda a região.

Adeus, Ocílio Ferraz..................................................... 62

Memória Região

Conhecendo Cunha..................................................... 64

Homenagem

Dom Paulo, o Estadista da Paz.................................... 66

Editorial

Um novo começo

C

hegamos com a primeira edição da Revista Vitti de 2017 com ânimos renovados, sentimento de prosperidade e vontade de continuar fazendo nosso trabalho da melhor forma possível. Depois de recarregar as energias, festejar com a família e amigos as celebrações de fim de ano, é hora de mirar o futuro. Janeiro começa com tudo, Verão, férias, preparativos para o aguardado carnaval e muito mais. Em nossa entrevista do mês, trazemos uma figura bem conhecida do meio artístico da região. Rafinha Acústico, músico, compositor e hoje um dos mais requisitados artistas locais, falou em entrevista sobre a sua história, as vivências no palco e no estúdio, e da recente participação do 4 | Vitti | revistavitti.com.br

último Programa do Jô, na TV Globo, onde teve a honra de cantar uma canção de sua autoria homenageando o apresentador e toda a trupe que trabalhava no programa. Um bate-papo imperdível. Trazemos também os melhores registros do Réveillon em toda a região, em especial nas celebrações da sempre badalada Ubatuba. Festas incríveis, gente bonita e imagens belíssimas da virada no Litoral. Nossos colunistas sociais também marcaram presença e trazem os melhores cliques do Réveillon pelas cidades do Vale e Serra. Esperamos que este janeiro quente e ensolarado, temperado com as refrescantes chuvas de Verão, possa ser a porta de entrada para um ano melhor, mais feliz e de renovação para todos. Nossa equipe deseja um ótimo 2017 a todos os amigos leitores e parceiros. Boa leitura.

Marcela Vitti Diretora “Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; contarei todas as tuas maravilhas. Em ti me alegrarei e salvarei de prazer; cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.” SALMO9:1-2

Janeiro, 2017


Que 2017 traga recordações memoráveis para você e quem você ama

Valorize você Valorize seus desejos Valorize a vida!

Tel: 12 3663 6358

www.platinvm.com.br

@platinvmjoias

@platinvmnidiaoliveira

Av. Macedo Soares, 457 - Capivari - Shopping Center Suíço - Loja 17 - Campos do Jordão - SP Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 5


Diretora: Marcela Vitti Assistente: Isaura Silva Diagramação e Criação: Bruno Moura Jornalista Responsável: Danielle Martins da Silva - MTB: 37796 Foto da Capa: Camila Mussi (Foto e Make: Thais Almeida) Repórter Fotográfico: Monicuee Alvez Colunistas: São José dos Campos: Gilberto Freitas - Caçapava: Jéssica Denz Taubaté: Socorro Pinto e José Luiz (Luizinho) - Aparecida: Ligia Ballot - Guaratinguetá: Benê Carvalho. Colaboradores: JULIANA BUENO, CARLOS MARCONDES, ADILSON PELOGGIA, ÉRICO PAMPADO DI SANTIS, FABIANA FERREIRA, FELIPE GUARNIERI, ARCIONE VIAGI, RAFAEL FERRO E LUIS NASSIF. DIRETORA COMERCIAL: Marcela Vitti (12) 98122-3000 - marcela@revistavitti.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS / TAUBATÉ / PINDA / UBATUBA: Isaura Silva (12) 98270-0019 - isaurasilva@revistavitti.com.br SÃO JOSÉ DOS CAMPOS / TAUBATÉ / UBATUBA: Marcela Vitti (12) 98122-3000 - marcela@revistavitti.com.br GUARATINGUETÁ / APARECIDA / LORENA: Benê Carvalho (12) 98270-0069 - benecarvalho@revistavitti.com.br DISTRIBUIÇÃO: Rodrigo Melo Gratuita e dirigida às cidades de Taubaté, Quiririm, São José dos Campos, Caçapava, Pindamonhangaba, Tremembé, Guaratinguetá, Lorena, Cruzeiro, Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal e Ubatuba Impresso no parque gráfico da Resolução Gráfica Ltda. ATENDIMENTO AO CLIENTE: (12) 3632-3060 / (12) 98270-0018 - Rua dos Operários, 118 - Taubaté - SP Os artigos, matérias, opiniões e anúncios aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, e não refletem necessariamente a opinião da Revista Vitti. Os conteúdos veiculados nos anúncios publicitários são de inteira responsabilidade dos anunciantes. É proibida a reprodução total ou parcial da revista sem autorização da Revista Vitti.

Cartas “Achei muito interessante a matéria sobre as coisas que estão perdendo valor. A modernidade realmente vai transformando nossa vida, e temos de nos acostumar com isso. O exemplo é a polêmica que a entrada do Uber em algumas cidades da região está causando. É inevitável que um serviço que tem boa aceitação entre usuários seja impedido de funcionar. Sugiro uma reportagem sobre esse assunto. Abraços.” Geraldo Gonçalves, por e-mail “Linda edição da Vitti este mês. Natal, férias, viagens, boa comida e pensamento positivo. Gostei demais. Ótimo 2017 a todos.” Leandra Tordelli, via Facebook

“Incrível, lindas, exuberantes, inesquecíveis as imagens que estamparam a coluna de esportes com a matéria sobre o Circuito KTR 2016. Fabiana Ferreira está de parabéns pelo trabalho e dá gosto de ver a Vitti dando destaque para uma corrida tão maravilhosa.” Maurício Brenni, por e-mail “Já fiz alguns passeios pelo exterior e por diversos pontos do litoral brasileiro, e realmente Ubatuba é especial. Adorei a ideia de vocês de indicar as 10 praias mais belas para se conhecer na cidade. Sou de São José dos Campos e frequento Ubatuba praticamente o ano todo. Amo a cidade e todas as belas praias. Parabéns pela matéria, ótimo 2017!” Rubia Marcelle, via Facebook

CAPA

Dezembro, 2016

CORREIO VITTI

Fale conosco: opine, critique e dê sugestões. Escreva para: redacao@revistavitti.com.br 6 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 7


Nossa equipe

Equipe

ISAURA SILVA

BENÊ CARVALHO

BRUNO MOURA

MONICUEE ALVEZ

Assistente e vendas

Diagramação e Criação

Vendas e Colunista Guará

RODRIGO MELO Distribuidor

Fotógrafa

Colunistas

SOCORRO PINTO Taubaté

ANDRÉ FLEMING

São José dos Campos

Taubaté

GILBERTO FREITAS

JÉSSICA DENZ

FABIANA FERREIRA

LIGIA BALLOT

São José dos Campos

Esporte

8 | Vitti | revistavitti.com.br

JOSÉ LUIZ

Caçapava

Aparecida

Janeiro, 2017


INGLÊS A PARTIR DOS 6 ANOS

LUIGI BARICELLI

TOEFL® & TOEIC® A Rockfeller é um centro aplicador oficial dos testes internacionais de proficiência TOEFL IBT®, TOEFL® ITP, TOEFL Junior® e TOEIC®.

rockfellerbrasil.com.br

3635.6306

Praça General Salgado, 124 - Jardim das Nações Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 9


Divulgação

Entrevista

Rafinha Acústico

R

Da Redação

afael Correa Gasparin tem 31 anos, é natural de Tremembé, criado em Taubaté e hoje faz da sua música seu meio de vida e sua paixão maior. Sua identidade musical ficou de tal forma enraizada, que acabou ficando conhecido como Rafinha Acústico, nome artístico que adotou. Este taubateano celebra 15 anos de carreira contando sua história de muita batalha e suor para fazer o que gosta. O começo por influência do pai, a primeira banda com os amigos, as primeiras composições próprias, as parcerias de sucesso e o reconhecimento. Rafinha hoje colhe os frutos de muito trabalho e tornou-se até referência para artistas mais novos. Confira a entrevista.

O sentimento foi diferente, de poder mostrar para as pessoas uma composição minha e elas gostarem. Desde então não parei de compor. ....

10 | Vitti | revistavitti.com.br

Vitti - No fim de 2016 você teve o privilégio de participar do último Programa do Jô, na TV Globo. Como aconteceu de você ser convidado justamente para o último programa e tocar a música em homenagem ao Jô e aos integrantes do programa? R.A. - Na verdade começou há 10 anos, quando comecei a tentar ser entrevistado lá. Em 2013, fiquei sabendo que uma das produtoras do programa, a Renata Hidalgo, é de Taubaté e consegui o contato dela por meio do meu cunhado, Guilherme Freitas. Mandei meu material e o caminho foi estreitado, apesar da concorrência ser enorme. Em 2016 foi anunciado o fim do programa, e ficou bem difícil. Em julho, tive uma ideia de fazer a música de despedida. Enviei para a Renata, e ela mostrou a canção para o Jô. Passaram alguns meses, ela me respondeu que ele havia gostado e me queria no programa até o fim da temporada. Faltando uma semana para a gravação do último programa, ela me ligou e confirmou que eu participaria cantando a música. Foi muito emocionante fazer parte desse momento histórico. Vitti - E como foi o clima lá nos bastidores da gravação?

R.A. - O Jô Soares foi muito atencioso e carinhoso, conversamos após a gravação no camarim, foi muito legal. Em geral, o clima era triste, todo o pessoal da equipe dele estava com um sentimento bem melancólico na despedida. Ao fi m do programa, ele saiu do palco, cumprimentou algumas pessoas no caminho, e havia um grande silêncio em todo o estúdio. O clima era mais de tristeza mesmo. Vitti - Como a música entrou em sua vida? R.A. - Meu pai, José Roberto, toca violão e teclado, e com uns três anos eu já brincava no piano. Com 11 anos comecei a tocar violão, em casa mesmo. Lembro de ver um garoto na rua da minha casa tocando violão, e todo o pessoal em volta dele. Pensei em como aquilo era legal, e me interessei pelo instrumento. Fui aprendendo e praticando, e com 14 anos tive minha primeira experiência com banda. Junto de alguns amigos da minha rua, formamos a banda Draxtther. Vitti - Você se lembra quando subiu num palco pela primeira vez para um show? R.A. - Foi com 16 anos, com a banda Draxtther, fizemos nosso primeiro show que consideramos profissional, recebendo um cachê. Foi numa festa de aniversário na rua onde eu morava. Não sabíamos nem quanto cobrar, aí alguém do grupo disse Janeiro, 2017


que diess por R$ 150,00 nós poderíamos comprar uma mesa de som usada, que seria importante para nós. Decidimos então pedir esses R$ 150,00 de cachê. A cliente aceitou e compramos a mesa, felizes da vida. Vitti - Quando você começou a compor suas músicas próprias? R.A. - Foi ainda na adolescência, e o sentimento foi diferente, de poder mostrar para as pessoas uma composição minha e elas gostarem. Desde então não parei de compor. Algumas músicas dessa fase inicial eu ainda toco, e algumas delas foram inclusive gravadas nos meus discos. Vitti - Quais são as suas influências básicas, aquelas que formaram sua identidade como músico? R.A. - Na adolescência ouvia muito pop rock, como Jota Quest, Paralamas do Sucesso, Charlie Brow Jr., CPM 22, essas coisas. Meu pai gosta de música clássica, e sempre escutei isso em casa. Me encontrei mesmo quando conheci a MPB de nomes como Djavan, Nando Reis e Teatro Mágico. Gosto bastante também de reggae, como Cidade Negra. Em questão de estilos, não tenho restrições, escuto de tudo. Aprecio músicas que passam mensagens de paz e amor.

Divulgação

Vitti - Você tem três discos lançados até hoje: “Viveria Tudo Outra Vez” (2007) “Vida Preferida” (2010), e “Inteiro Metade” (2015). Quais as diferenças que você destaca entre um e outro? R.A. - O primeiro, “Viveria Tudo Outra Vez”, foi gravado só com voz e violão, num esquema bem simples em Bragança Paulista. Eu estudava Psicologia em Itatiba, tocava numa banda formada por amigos da faculdade, e o pessoal conheceu minhas primeiras composições. Muitos

Janeiro, 2017

me incentivaram a fazer um disco, e com a ajuda de um amigo registrei essas canções em CD. O “Vida Preferida” gravei em Tremembé, no estúdio do Rodrigo Di Giorgio, com produção do guitarrista Helton Fagundes, e pré-produção do Marcelo Amaral. Nesse caso fizemos arranjos completos de bateria, baixo, guitarra e piano. O investimento foi maior, e o resultado me agradou. Já era um momento diferente da minha carreira e o disco era um material importante, houve um show de lançamento e posteriormente essas canções estavam no DVD “Vida Preferida ao Vivo”, de 2013. O “Inteiro Metade” foi gravado no DPX Studios, em Taubaté, que são meus parceiros atualmente. A grande diferença é que nesse disco eu fiz a produção, com a minha banda executando as músicas. Eu criei todos os temas, e com alguma experiência já em produção, a coisa fluiu legal e ficou bem com a minha cara. Vitti - Você gostou dessa experiência de produzir um disco? R.A. - Sim, muito. Vale muito o aprendizado de que em dado momento você precisa “desistir”, no bom sentido, de uma música. Se você quiser mexer nela todo dia, vai acabar estragando e o trabalho não terá fim. Outro ponto importante é o capricho nos detalhes, pois isso faz uma grande diferença no resultado final. A relação do produtor com o disco é complexa, é preciso que ele entenda o que o artista quer passar, o espírito daquelas músicas, enfim, é uma relação de muita intimidade. No caso de eu mesmo produzir, torna-se um desafio e uma realização muito pessoal. Vitti - Em relação a parcerias e participações, com quais artistas você mais gostou de ter trabalhado junto, seja no palco ou em estúdio?

R.A. - Recentemente a Banda Cheiro de Amor, da Bahia, gravou uma música minha, “Fim de Ano”. Foi algo bem legal e diferente, pois é uma banda de Axé Music, gravando uma música romântica. A Aline Rosa, que era vocalista da banda, foi quem ouviu a música e quis gravar. Eu participei com eles da gravação. Depois eles regravaram com a nova vocalista, a Vina Calmon, e a música entrou no DVD deles. Vitti - Você está envolvido também num trabalho de parcerias com músicos da região, num coletivo de artistas. Como é esse trabalho? R.A. - Sim, o Coletivo Música Taubateana foi idealizado pelo Renato Teixeira, e reúne vários artistas da cidade. A meta é fomentar a música local, e incentivar a composição de músicas que falem de Taubaté. Participo também da Confraria Musical, um grupo de músicos bem legal, formado por nomes como Pedro Freire, Gustavo Cruz, Gui Lessa, Diego Luz e Thiago Aguiar, e compomos muita coisa em parceria. Vitti - Para 2017, quais são os planos e projetos do Rafinha? R.A. - Como fiz 15 anos de carreira, pretendo gravar um novo DVD. Estamos analisando participações de convidados, quero que seja uma celebração da música, um show cheio de homenagens. E de resto seguir tentando voos maiores, tocando e levando minha música onde for possível. Vitti - Hoje você vive exclusivamente da sua música. Que conselho você daria para um músico iniciante que sonha em ser profissional? R.A. - Acho que é preciso buscar um equilíbrio entre o coração e o empreendedorismo. Se a pessoa quer viver de música, vai ter de tocar de graça no começo, fazer parcerias etc, mas para ser reconhecido como profissional, é preciso se portar como um. Ter um cartão de visita, material de divulgação com músicas bem gravadas, é legal investir em bons equipamentos também. Cumprir a agenda de compromissos, chegar no horário, essas posturas também ajudam. Mas não pode perder a poesia, a música é um sentimento. Existe um meio termo, é possível viver de música sem cair nos extremos de ou ser um coitado ou um milionário. A maioria dos artistas de sucesso tiveram uma história de anos de batalha. Dedicação sempre. revistavitti.com.br | Vitti | 11


Social São José dos Campos

Mobile Top Interiores

Fotos: Divulgação Mobile Top

Em dezembro de 2016 a Mobile Top Interiores, unidade localizada entre as avenidas Barão do Rio Branco e São João, passou por uma reestruturação. Esta nova fase contou com a participação de arquitetos, designers de interiores, paisagistas, clientes e amigos que prestigiaram este evento. A 1ª Mostra Mobile Top Interiores está de portas abertas para receber você!

Família Mobile Top

Said, Ahmed, Sr. Khaled e Saade

Sr. Khaled e esposa Mona Majzoub

Hani, Luay, Walid e Kossay

Ambientação Marcia Quaglia

Ambientação Daniela Carneiro

Perfumaria exclusiva Mobile Top

Ambientação Gustavo Martins

Ambientação Marilia Lacerda

Ambientação Alexandre Harrisberg e Antônio Martinelli

1ª Mostra Mobile Top 12 | Vitti | revistavitti.com.br

Fachada Reinauguração Janeiro, 2017


Sr. Khaled e Walid, filho e braço direto do pai

Andreia Petini, Bia Ferreira, Luciana Valladares, Daniela Morais com o filho, Carmem Alvim, Alexandre Harrisberg , Tiago Rocha e Antonio Martinelli

Awatef, Ahmed, Wafaa (gerente da loja), Amir, Rajaa e Mazen

Arquiteta Marilia Lacerda, Sr. Khaled e Coordenadora Raquel Rocca

Peças de decoração Mobile Top

Robson, Julio Volp e Sr. Khaled

Ambientação Junior Pacheco

Ambientação Nathalia Traunmuller e Lucas Sonnewend

Ambientação Marcelo Guedes

Ambientação Lu Bernardes e Dalila Grabriela

Ambientação dos novos talentos Décio Felipe Bragion e Rafael Nogata Janeiro, 2017

Ambientação Marcelle Duarte revistavitti.com.br | Vitti | 13


Reflexão

2017

Uma nova energia para problemas ‘não resolvidos’

N

Por Juliana Bueno

este novo ano que se inicia, problemas não resolvidos poderão se tornar mais intensos, mas talvez (que ótimo!) tenham condições de serem solucionados da melhor maneira possível. Segundo a astróloga Rosana Ortiz, o ano de 2017 regido por Saturno poderá trazer a energia necessária para resolvermos nossas questões pessoais, talvez as mais antigas, “carmicas”. Saturno rege o signo de Capricórnio, que dará às pessoas deste signo uma força interior ainda maior, mais disciplina, determinação e responsabilidade. Essas qualidades poderão ser fortalecidas para todos os signos. Por outro lado, a regência de Saturno traz à tona tudo aquilo que precisa ser corrigido por leis humanas e divinas. Portanto, os chamados “malfeitos” que conhecemos muito bem em nosso país, se tornarão conhecidos e corrigidos... punidos. Mais informações sobre a regência deste signo no ano de 2017 eu lhe aconselho a procurar no Facebook a pagina de Rosana Ortiz. Ela é astróloga e terapeuta holística.

14 | Vitti | revistavitti.com.br

Certamente ela tem muito a nos ensinar sobre todos esses trânsitos planetários e as energias cósmicas, mentais e emocionais com as quais estaremos em contato. O que me parece bem claro aqui, e isso também tem a ver com a regência de Saturno em 2017, é que é chegado o momento de realizarmos o grande aprendizado nesta vida atual. Sim, nossos problemas e carmas podem e merecem ser resolvidos. Mas, o que aprendemos de fato com eles? Esta é a grande pergunta. Este é o momento de sermos muito fortes interiormente. Isso é possível, depende de nós. Olhar os problemas com a energia do de amor, fé e boa vontade, deixando de lado emoções destrutivas, palavras ferinas, conclusões irônicas que nada constroem ainda que possam ser inteligentes e oportunas. Recentemente assisti a um ótimo fi lme: “O vendedor de sonhos”, baseado no livro de sucesso de Augusto Cury. As “lições de vida” se aplicam a todos nós. Especialmente a todos aqueles que por caminhos errados e injustos conseguiram “prosperar, enriquecer”, esquecendo as razões mais fortes da alma e do coração. Tornaram-se tão poderosos, mas

com um enorme vazio interior. Saturno então vem agora para cobrar, para resolver esta situação. Para preparar-se para 2017, com suas cobranças, seus resultados e bênçãos (para aqueles que trabalharam, semearam e cuidaram das mais férteis e abençoadas sementes), procure assistir este fi lme. Algumas frase são inesquecíveis, uma delas coloco aqui. “Ainda que o mundo desabe ao seu redor, você sempre poderá escrever a sua própria historia”. É o que devemos fazer nestes tempos tão difíceis que enfrentamos. Escrever e reescrever tantas vezes quanto for necessário a nossa história. Para nós, que estamos vivendo dessa forma, a regência de Saturno poderá ser a mais abençoada possível. Seremos felizes, vencedores e prósperos. Talvez isso não aconteça, com aqueles que viveram e ainda vivem de outra maneira, sem limites para o próprio egoísmo, a vaidade e a ambição. Juliana Bueno é jornalista e escritora. Seu mais recente livro é “Passageiros da Nave Terra” (Besouro Box edições). Contato: julianabuenorbio@terra.com.br Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 15


Social Tremembé

A Fazendinha do Paulo Neto

Uma linda festa com o tema “Fazenda”, a paixão do Paulinho, celebrou seus 3 aninhos de idade. Sua mãe Bruna e seus avós receberam familiares e amigos no espaço Rancho Amaral, em Tremembé, no último dia 03 de dezembro para a animada comemoração. Fotos: Paula Ferro

Decoração de Cristiane Sodré

Paulo Neto

Wanderly, Paulinho, Paulo Neto e Bruna

Bruna, Paulo Neto, Daniel, Paulinho, Ana Luz, Mariah e Wanderly

Rita, Joana, Marialva, Ives, Paulo Neto, Luiza, Nathália e Thainá

Bruna e Paulo Neto

Paulo Neto e Marcela 16 | Vitti | revistavitti.com.br

Wandercy, Paulo Neto e Marcela

Paulo Neto, Celina e Bento

Nicholas, Bruno, Pedro e Paulo Neto

Paulo Neto, Patrícia e Bruna Coimbra

Paulo Neto e Luiza

Paulo Neto e Rafaela Janeiro, 2017


Rafaela, Mariana, Bruna, Nathália, Nicolas, Luiza e Bruna Coimbra

Vovó Wanderly, Rosemiro abraçando Paulo Neto

Joana e Paulo Neto

Padrinho Ives, Wanderly, madrinha Nathália, Paulo Neto e Bruna

Bruna, Ives, Paulo Neto e Paulinho

Paulo Neto e Vinícius

Bisa Marialva e Paulo Neto

Cláudia e Paulo Neto

Ana Lúcia, Marilda, Wanderly, Marcela, Beta e Cláudia

Junior, Gabriela, Regina, Camila, Paulo Neto e Felipe Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 17


Vitti Acontece

Edgard Soares Filho e Rafael Damy, sua produtora Vapt Filmes foi a mais premiada no Prêmio Colunistas Brasília 2016.

Lena, Liane, Regina, Lili, Roberto Migotto, Renata e Maria Eugênia Roberto recebeu irmãs e primas em sua casa para um almoço em família.

Sofia, Michel e Katy Katy passando férias com sua família no Bryce Canyon, em Las Vegas - EUA.

Beto Carvalho e Mel Natália, Nilton, Nelson, Nádia e Nídia curtindo férias em Londres.

Quando a filha descobre o atelier do pai.

Sr. Valter com muito entusiamo, mais uma vez, participou da 92ª São Silvestre, em São Paulo.

Milca e Alessandra ficarão quase 1 mês estudando Ayurveda em regime integral no The Arya Vaidya Pharmacy Training Academi, na cidade de Coimbatore - Índia.

Fernando passeando com seus filhos no Taubaté Shopping. 18 | Vitti | revistavitti.com.br

"Bem que falam que não é água com açúcar que acalma.. é água com sal" Curtindo com seu marido, em Ubatuba.

Geraldinho e Licinha Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 19


Social Taubaté

Torteria Haguanaboka

Fotos: Monicuee Alvez

Inaugurou, no mês de dezembro, no Taubaté Shopping, sob o comando de Carla Lessa, a deliciosa franquia Torteria Haguanaboka. Especializada em tortas caseiras, salgadas e doces, ela chega a Taubaté já caprichando em um coquetel onde muitos convidados puderam saborear algumas tortas. A Torteria Haguanaboka é imperdível para quem tem um paladar exigente e gosta de encantar convidados!

Alexandre Thibes, Carla e Valéria Verdi

Cristiane, Vitor, Alexandre, Valéria e Carla

Paulo, Carla e Amanda

Socorro, Arlete, Marcia, Beth e Marlene

Ariade, Arlete, Marcia e Beth

Gabriela, Barbara e Liane

20 | Vitti | revistavitti.com.br

Erico, Carla e Juliana

Marcela e Andreia

Marcela, Marlene, Andreia e Socorro

Roberta e Célia

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 21


Social Taubaté

Bazar Beneficente do CAST

Fotos: Monicuee Alvez

O Cast agradece a todos que trabalharam ao longo do ano em prol do Natal das famílias carentes. Agradecemos também aos visitantes do bazar que colaboraram para que o projeto continue suas atividades.

Marina, Luiza, Cecília, Denise e Cris

Luiza e Sr. Benedito Dias Jr.

Maria Elisa, Tato e Cecília

Miriam e Valéria

Ana e Richelle

Paula e Noely

Maria Elisa e Dirceia

Cecília e Sr. Benedito Dias Jr.

22 | Vitti | revistavitti.com.br

Valéria, Cecília, Maria Elisa e Mônica

Janeiro, 2017


Sandra, Natália, Edneia e Neide

Analurdes, Heloísa Helena, Cecília e Cristina

Maria Aline e Lina

Andreia, Isa e Cecília

Cristina e Marilda

Ana e Ana

Zuzu, Didi e Silvia

Fabiana e Luiza

Marina, Luiza e Denise

Keila e família

Daniel e Luiza

Maria Elisa, Ya San, Cecilia e Lilian

Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 23


Isa, Cristiana, Ya San, Cecília, Mara e Marlene

Cecilia e Lizete

Dr. Paulo e Cecília

Mirian, Marina e Cecília

Keila e Cecília

Elias, Cláudia, Cecilia, Lucia e Luiza

Cecilia, Marcela, Walesca, Maria Carol, Luiza

Turma do CAST

Helenice, Liane, Salete, Marilda e Marlene

Mirian e Edna

Cecília, Luiza, Dani e Vanessa

24 | Vitti | revistavitti.com.br

Equipe CAST

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 25


Ponto de vista

Onde estávamos?

A

Por Carlos Marcondes

enxurrada de notícias escabrosas envolvendo os mais diversos setores de atividade em nosso país, leva-nos a uma profunda reflexão: onde estávamos, todos nós, à medida que a casta de privilegiados aumentava a cada instante, entre integrantes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário? Onde estavam os diligentes jornalistas da chamada imprensa investigativa, ao longo dos anos, oportunidade em que os privilégios concedidos a uns poucos brasileiros beiram as raias do absurdo? Imaginar que um engraxate da Câmara Municipal de São Paulo possa receber mais de R$ 12.000,00 ao mês, por exemplo, e ainda usufruir de todas as benesses advindas do regime estatutário do funcionalismo público, chega a ser uma afronta

gravíssima aos milhões de trabalhadores comuns, que pagam seus impostos e vivem em uma nação cujo salário mínimo mensal gira em torno de R$ 800,00. Como explicar a farra desenfreada com o dinheiro público, praticada por Senadores, Deputados e seus milhares de assessores apaniguados, sendo que, nestas casas legislativas, alguns servidores de carreira acumulam benefícios – fazendo com que, entre salários e vantagens adicionais, percebam acima de R$ 100 mil mensais, mesmo sob a égide da Legislação, proibindo ganhos superiores a R$ 32 mil (o teto máximo permitido a qualquer servidor público)? Como justificar ao mundo o fato de um Presidente da República possa ter articulado, com seus comparsas de partido político e aliados, uma rede de corrupção jamais vista em toda a história da nação brasileira e ainda ter sido apontado pelo

presidente americano, Barack Obama, como: “Este é o cara”. Sim! É verdade, um grande cara de pau que, a pretexto de defender os pobres, enriqueceu-se criminosamente, levando seus familiares e amigos a se locupletarem também; levando, por exemplo, a maior empresa brasileira – Petrobrás – a uma situação pré-falimentar... empresa esta que, além de já ter sido motivo de orgulho nacional, possui entre seus acionistas milhões de trabalhadores que investiram suas economias, advindas inclusive do FGTS , e agora vêem seu suado dinheiro virar pó pelos ralos da corrupção. Enfim, não dá para entender esta letargia vivida por todos nós, durante anos. Como foi possível tudo isto e muito mais estar acontecendo e nós, verdadeiramente, anestesiados? Lamentável... Creio que só Freud explique!

10

95

75

25 5 0

26 | Vitti | revistavitti.com.br

PRESENTES_PARA_TAUBATE_VITTI_210X140

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 27


Social Taubaté

Socorro in Foco

Lício Jr, Deise e família Muita alegria, diversão e emoção na festa de 20 anos do Colégio Progressão. Pais, mestres e colaboradores estiveram presente neste grande dia de glória e sucesso. Que venham muitos outros.

Por Socorro Pinto helpkoka@hotmail.com

Murilo Ayello Parabéns ao querido Murilo que comemorou, no dia 22 de Dezembro, mais um aniversário em grande estilo ao lado de familiares e amigos.

A queridíssima Célia, ao lado do seu marido Marcos, esbanjou bom gosto e sofisticação ao receber amigos e convidados em sua maravilhosa fazenda para um delicioso jantar acompanhado de boa musica, bons vinhos alem de excelentes companhias.

Marcos, Célia, Dayse Ardito e Plínio

Gustavo Ubarana, Socorro, Lais Di Angelis e Marisa Pirágine Aconteceu no dia 6 de dezembro mais um glamouroso desfile de moda que teve a participação de lojas e marcas famosas de destaque na região. O evento foi realizado com muito sucesso no belissímo Vivá Restaurante e contou com a presença de um público seleto e o apoio dos queridos Gustavo e Lais. 28 | Vitti | revistavitti.com.br

Nilda Sales Sousa e Wilson

Sonia Di Angelis, Carlos Soares,Valgiza Ribeiro, Marcos, Marina e voluntários

O belo casal Wilson e Nilda aproveitou suas merecidas férias para passear e conhecer as belezas e o requinte da aconchegante Bruxelas. Foi uma viagem incrível que com certeza ficou gravada na memória.

Nos dias 2 e 3 de dezembro, aconteceu o “Dia da Solidáriedade” evento realizado pelo Pão de Açucar Independência que, com o apoio dos funcionários voluntários e amigos, arrecadou alimentos que foram entregue a instituição APAE pelos gerentes Carlos e Valgiza. Parabéns pela bela campanha! Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 29


Social Taubaté

Flash

Por José Luiz de Almeida luizinho-cafe@hotmail.com facebook.com/luizinholanches

Cyntia Galvão e Joaquim Schalch

Nara e amigas - Festa de Pré Natal no Spazio Club, em Taubaté.

Thais e Luiz Marcelo Negrini A estudante do décimo semestre do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Taubaté, Fernanda Vasconcellos Prado realizou como Trabalho de Graduação um projeto arquitetônico de um centro recreativo para idosos na cidade com o objetivo de inclusão do idoso na sociedade.

Meu querido brother Santiago inaugurou sua primeira filial da Cacau de Campos no Taubaté Shopping. Trouxe a tradição do chocolate de Campos do Jordão para o Vale. Sucesso total! 30 | Vitti | revistavitti.com.br

Vinicius e Patrícia Machado comemoraram mais uma festa Bye Bye 2016 no Restaurante Vila Santa, em Taubaté.

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 31


Social Caçapava

Caleidoscópio

Por Jéssica Denz jessicadenz@hotmail.com Interina

Fé - emoção e beleza com uma linda mensagem de amor na apresentação do Musical de Natal "A Máquina do Tempo", realizada na Igreja da Cidade, em Caçapava. Posse - o radialista Cesar Nascimento, ladeado dos amigos Elisabete Alvarenga e Jorge Treinador durante diplomação como vereadores de Caçapava.

Férias - curtindo os dias no Brasil, o fotógrafo e publicitário Glauber Bassi dividiu seu disputado tempo com alguns dos amigos de long time, entre os quais o arquiteto Léo Shehtman. Pé na areia - a artista plástica Elisa Bueno Nogueira recebeu a fotógrafa Francine Urquide Farfan para brindar entrada do ano novo em sua residência de São Sebastião.

Emoção - em dose dupla, foi o reencontro da empresária Amanda Queiroz Pacheco com o Maestro João Carlos Martins, durante apresentação do coral com 21 crianças refugiadas da Angola, Siria e Congo. Três x Parabéns - ao casal Fatima e Anderson Rutigliani o meu pacote de felicitações pelo aniversário de ambos e passagem do ano novo, tendo como local escolhido a cidade maravilhosa que - entre tantos cantos e encantos - tem os charmosos Arcos da Lapa. Adoro! 32 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 33


Social São José dos Campos

Atitude News

Por Gilberto Freitas gilfreitasff@hotmail.com

Fauez Rachid e Hyltom de Carvalho Jr. na Estância Nativa Sertaneja, em Caçapava.

Carolina Nakagawa e Gustavo Carvalho na inauguração da casa noturna The Room, em São José dos Campos.

Cláudio Giordane e João Carlos Saad receberam os futuros prefeitos da região na BAND Vale de Taubaté.

Guilherme Carmona e Jorge Peronelli na inauguração do El Tequileiro, em Taubaté, na Av. Itália.

Marcelo Banhara e Renata Mariana Silveri na 3ª edição do Mr. Moo Churrasco, em São José dos Campos.

O Rei Roberto Carlos fez show no Centervale Shopping, em São José dos Campos.

34 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 35


Social Aparecida

Aparecida Rodolfo Magalhães

Por Ligia Ballot liballot@hotmail.com

Silvia, Joelma, Cristiane, Bel, Edilene e Fabio arrasando em uma tarde mais que especial na Loja Armazém da Moda, em Guaratinguetá

Erasmo Ballot

Paola Di Mônica: sempre gata e arrasando!

Todo o sucesso de Thamyris Bucharles na Solares Caraiva, na paradisíaca Caraiva - Bahia. 36 | Vitti | revistavitti.com.br

Socorro, Daniela, Manuela e Horácio, todos cheios de orgulho na formatura do lindo Horacinho. Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 37


Social Guará

Guará em Pauta

Por Benê Carvalho benecarvalho@revistavitti.com.br

Anderson e Regiane Coelho comemoram orgulhosos a primeira formatura do filho Enzo que concluiu a Educação Infantil.

Nelisa e Priscila realizaram um Editorial de Natal com sua empresa de Eventos. Para essa época de festas natalinas, prepararam uma decoração natalina com itens decorativos e muitos doces e bolos personalizados com a ajuda de seus parceiros.

Sheila Uchoas Finger junto dos filhos Claiton Junior e Henrich marcaram presença no Baile de formatura do seu outro filho, Willlian. Leandro e Juliana Marcondes inauguraram seu mais novo negócio: O Quiosque Brahma, nas dependências do Buriti Shopping.

Ao lado dos filhos Marcel e Ariane, o querido casal Helenice e Cori Nogueira comemoram os 40 anos de casados. Só risos e alegria nesta foto! 38 | Vitti | revistavitti.com.br

Alexandre Rocha e Laura Ramos junto de toda sua equipe e participantes, comemoraram o sucesso de mais um evento Guará Vale Food Truck Festival que aconteceu no fim de semana dos dias 09 a 11 de dezembro, no Dip Auto Posto. Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 39


Turismo

Melhores Destino para as Férias Da Redação / Fotos Divulgação

Ilhas Maldivas Sol, areia e mar, mais de mil ilhas. Não há lugar tão azul na Terra, nem com tantos azuis. Maldivas é um arquipélago de 1190 ilhas divididas por 26 atóis caprichosamente espalhados ao sul da Índia, 98 % deste território é coberto pelo mar. Duzentas destas ilhas são inabitadas e 100 delas em sua grande maioria rodeadas por mar azul turquesa e praias de areia muito branca que comportam alguns dos resorts mais luxuosos do mundo. Com uma enorme quantidade de vida marinha e uma água transparente que chega a atingir 30ºC, este é lugar é ideal para a pratica do mergulho do surfe ou mesmo só para relaxar.

Punta Del Este - Uruguai Praia de Pipa, RN

Localizada no município de Tibau do Sul-RN, a Praia da Pipa é um dos destinos nacionais mais famosos para a virada de ano. No Réveillon, brasileiros, portugueses, holandeses, espanhóis, suecos, argentinos, uruguaios, norte americanos, asiáticos, africanos... Enfim, gente do mundo todo tem escolhido nosso destino para os festejos de Ano Novo. Seja pela beleza natural de suas paisagens exuberantes, pela segurança e tranquilidade de cidade pequena, a Pipa vem atraindo cada vez mais pessoas para participar dessa procissão festiva e de paz. 40 | Vitti | revistavitti.com.br

Localizada em um estreita faixa de areia entre o Atlântico e o Rio da Prata, a 1h30 de Montevidéu, Punta del Este reúne praias para todos os estilos, oferece ampla variedade de lojas de grifes e galerias para os visitantes de bolsos mais folgados. Conta, também, com calçadões e vias de pedestres. Destinos próximos mais tranquilos como José Ignacio ainda fazem a viagem valer a pena. Situado a 45 quilômetros de Punta, esse antigo vilarejo de pescadores se transformou em um destino hippie-chique que reúne praias mais vazias, bares pé na areia e um estilo rústico típico das cidades de interior do Uruguai.

Istambul - Turquia

A cidade de 12 milhões de habitantes vive um momento em que mantém as belezas históricas, ao mesmo tempo em que vive uma efervescência cultural. Graças à juventude rica que estudou nas mais cosmopolitas cidades européias, como Londres, Berlim e Paris, e trouxe de volta para casa um estilo descolado de viver a vida. Você vai se surpreender com a quantidade de restaurantes modernistas, clubes noturnos bacanas, lojas de design e galerias de arte. Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 41


Social Ubatuba

Novidades all mare

Fotos: Redação

Foi inaugurada a loja mais charmosa de acessórios femininos do Litoral! A Proprietária Carol Vieira investiu em qualidade e estilo na escolha dos produtos. Peças lindas e diferenciadas foram apreciadas por seus convidados VIP na noite de 21 de dezembro de 2016.

Carol Vieira

Andreia Kemp, Carol Vieira, Denise, Katia Saviolli e Inês Saviolli

Homero Rodrigues Leite, Carol e Maíra Motta

Silvia Fanciullacci e Tania Sene

42 | Vitti | revistavitti.com.br

Renata e Junior, Daniel Lucena, Andreia - os proprietários Arthur Junior e Carol Vieira, Inês, Denise, Samantha e Yvete

Os proprietários - Arthur Junior e Carol

Carla Campos, Carol Vieira, Talita Canutto, Mônica, Tania Senne e Virginia Balestra

Larissa Escobar e Carol Vieira

Talita Canutto e Leandro Camargo

Ligia, Carol e Alcione

Samantha Lucena, Renata Bellei, Virginia Balestra e Carol Vieira

Alberto e Yvete

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 43


Gastronomia

Q

Ceviche Por Rafael Ferro

ue preparações frias são leves todos sabemos. O problema é sair da mesmice da alface com tomate, motivo pelo qual, talvez, não sejamos habituados a comer esse tipo de preparação com maior frequência, mesmo residentes de um país tipicamente quente. A gastronomia em si busca oferecer uma experiência agradável para o momento de se alimentar. A partir daqui refletimos: como tornar uma preparação fria uma refeição prazerosa? Alguns pontos devem ser citados em relação à cozinha fria, o que chamamos de Garde Manger. Assim, a comida deve conter sempre: Um visual atrativo: A sugestão para saladas é apostar na altura da montagem e na composição das cores; Texturas diversas: A maioria das receitas de saladas não focam neste item. É importantíssimo que a preparação disponha de texturas opostas, como o macio e o crocante; Sabores e gostos inusitados: afi nal, por que comer o mesmo de sempre? Aposte na presença de todos os sabores e gostos combinados - picância, amargor, salgado, doce, azedo. Aqui dou exemplo de uma preparação que se utiliza de todos os pontos acima. O ceviche possui o azedo do limão, a picância da pimenta, o umami do caldo de peixe, e demais composições. Outras receitas podem ser criadas ou encaixadas nesses parâmetros. Vamos sair da mesmice!

44 | Vitti | revistavitti.com.br

Salada de ceviche Ingredientes - Alface americana - 300g peixe branco em cubos (St Pierre, Tilápia ou Robalo) - 2 limões Taiti - 1 pimenta dedo de moça - 10g de gengibre ralado - 1 dente de alho bem picado - 1/2 cebola roxa em tiras finas - Coentro e sal a gosto

Para a marinada: - 250ml caldo peixe - 1 limão Taiti - 1 talo de salsão - 1 dente de alho picado - 40g de gengibre ralado - 1/2 cebola roxa picada - 1/2 pimenta dedo de moça bem picada - Coentro e sal a gosto

Modo de preparo Para a marinada, junte o caldo de peixe, o suco do limão, salsão, alho, gengibre e cebola e bata no liquidificador. Coe essa mistura e volte a bater com as folhas de coentro e pimenta. Faça isso muito rápido para evitar que a pimenta e o coentro soltem a cor. Deixe refrigerado. Para o ceviche, tempere o peixe com sal, gengibre, alho, suco de limão e a pimenta dedo de moça. Misture bem todos esses ingredientes para que absorvam os sabores. Adicione as folhas de coentro, a marinada refrigerada e a cebola roxa em tiras. Deixe descansar por pelo menos meia hora para pegar sabor. Sirva bem gelado sobre as folhas de alface. Rafael Ferro é Chef de cozinha e Professor na graduação em Gastronomia da UNIVAP - Contato: rafaelferro@univap.br

Janeiro, 2017


Caju Bar e Restaurante

A verdadeira harmonia entre entre visão, audição, tato, olfato e paladar

Janeiro, 2017

Estrada da Almada, 129 - Praia da Almada, Ubatuba/SP (12) 98122-0044 | www.bardocaju.com.br Caju Bar e Restaurante revistavitti.com.br | Vitti | 45


Saúde

Câncer de Pele mata?

Sim

I

Por Érico Pampado Di Santis

nfelizmente, a esta pergunta tenho que ser muito objetivo. O câncer de pele é letal. Alguns tipos geram metástases de maneira rápida e agressiva. Em dezembro, a comunidade médica se mobilizou alertando para o grave problema. Dezembro Laranja é uma campanha de detecção precoce ao câncer da pele. De forma geral classificamos o câncer da pele em MELANOMA e NÃO-MELANOMA. Os cânceres que não são melanomas são representados principalmente pelo CARCINOMABASOCELULAR e CARCINOMAESPINOCELULAR, CBC e CEC, respectivamente. No Brasil, temos um Sistema de Informação sobre Mortalidade, o SIM, que visa reconhecer as causa das mortes que ocorrem no território nacional. Em 2013, 3316 pessoas morreram devido a este tipo de câncer, 1547 devido ao melanoma e 1769 ao não melanoma.

46 | Vitti | revistavitti.com.br

No ano passado o Instituto Nacional do Câncer estimou 5.670 novos casos de melanoma e 175.760 casos novos de cânceres não melanoma. Comparando separadamente os dados, fica claro que o melanoma é muito mais perigoso. Com uma aproximação e considerando que são anos diferentes, temos mesmo assim uma ideia da agressividade do tumor. O contrário é visto nos não-melanomas. Comparando os dados, podemos ver que são tumores pouco letais. No entanto, veja, prezado leitor, que em números absolutos o câncer não-melanoma mataram mais em 2013 do que o melanoma. Aqui, nós médicos, às vezes, cometemos um erro: desvalorizamos o câncer mais comum que afeta o ser humano, o CARCINOMABASOCELULAR. Tratamos este tipo como um “tumorzinho”, um “basinho” (relativo ao nome basocelular) ou “cancerzinho” de pele sem importância. O prognóstico é excelente, mas é um câncer e ponto final. Deve ser

tratado e encarado como tal. A cirurgia deve ter o caráter oncológico como prioridade. Eliminar o tumor de forma efetiva removendo aquilo que for necessário. Costumo acompanhar pacientes que desvalorizam tanto o seu “tumorzinho” que já chegam perguntando como é que a cicatriz vai ficar e se vai sumir. Claro que temos enorme preocupação com o resultado estético da cirurgia, mas aqui trata-se de um caso de oncologia cutânea. A preocupação não é tirar um pouco menos para que fique mais bonito, mas, sim, retirar todo o tumor para que seja tratado. O câncer de pele, seja ele qual for, deve ser acompanhado por um longo período e a alta é dada após 5 anos. A prevenção e a detecção precoce são as nossas armas contra o câncer mais comum que nos afeta. Dr. Érico Pampado Di Santis é médico Dermatologista. CRM: 96546/RQE: 21582 www.facebook.com/dr.ericopdisantis Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 47


Social Ubatuba

Coquetel

Fotos: Divulgação

No dia 3 de dezembro Eduardo e Fernanda, proprietários da loja MAR Cenário, ofereceu um coquetel aos amigos e clientes, em Ubatuba. A loja traz móveis em Pinho de Riga sob medida, objetos de decoração para projetos indoor/outdoor e presentes.

Eduardo (proprietário) e Carol

Alfredinho, Tiago, Alfredão, Tadeu e José

Carol entrevistando as crianças

Elisa e Mônica

Vanessa e Fernanda (proprietária)

Adriana, Erika e Vanessa

Fernanda, Roberta, Claudia e Renata 48 | Vitti | revistavitti.com.br

Rui Noronha e Luciano Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 49


Tecnologia

Primeira estrada com painéis solares é inaugurada na França

U

Da Redação

ma pequena cidade francesa na região da Normandia estreou no último mês de dezembro o uso da primeira estrada do mundo equipada com painéis solares. A intenção de Tourouvre-au-Perche é gerar energia o suficiente para que não seja preciso usar métodos adicionais para fornecer eletricidade para os postes de energia locais. O trecho de estrada equipado com a tecnologia tem uma extensão total de

50 | Vitti | revistavitti.com.br

aproximadamente 1 quilômetro, construído ao custo de US$ 5,2 milhões (R$ 17 milhões). A iniciativa deve servir como um teste (com duração de dois anos) para que soluções semelhantes possam ser aplicadas em outras partes do país. O objetivo da iniciativa é garantir que os painéis, que são recobertos com uma camada protetora para lidar com o tráfego diário de aproximadamente 2 mil veículos, gerem energia suficiente para iluminar as ruas da cidade de 3,4 mil residentes. Antes de a tecnologia ser implementada no local ela foi testada em qua-

tro estacionamentos ao redor da França pela empresa Colas, parte do grupo de telecomunicações Bouygues. "Este novo uso da energia solar aproveita grandes extensões de infraestrutura rodoviária já em uso para produzir energia sem ocupar novos espaços", disse Ségolène Royal, ministra do Meio Ambiente da França. A ideia, que também está sendo explorada na Alemanha, Holanda e Estados Unidos, é que as estradas sejam ocupadas por carros em apenas 20% do tempo, oferecendo vastas extensões de superfície para absorver os raios solares.

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 51


Decoração

Cortinas para a Casa de Praia

I

Da Redação

nspirar-se em modelos decorativos para a sua casa de praia implica buscar em todos os estilos algo que você possa se identificar para compor a residência de verão. Do conforto ao estilo e do frescor às prevenções para driblar um clima tão imprevisível quanto o praiano. As cortinas para casa de praia contri-

52 | Vitti | revistavitti.com.br

buem para que você obtenha os melhores benefícios desse providencial item decorativo e cheio de funcionalidades, como, por exemplo, controlar a claridade dos dias de verão ou segurar as brisas firmes litorâneas carregadas de maresia. Cortinas para casa de praia podem combinar perfeitamente com o estilo da sua decoração. Pode-se seguir pelo clima praiano, com estampas que inspirem as

características litorâneas, ou cores claras. Um ponto de divergência diz respeito à tonalidade das cortinas para casa de praia. Enquanto uns apontam a preferência pelas cores claras e tecidos translúcidos, para que a claridade não seja interrompida de invadir o lar, outros já destacam que cortinas para casa de praia pesadas e capazes de bloquear completamente a claridade podem ser mais proveitosas para criar a ambientação desejada. A escolha das cortinas para casa de praia reside um pouco no seu gosto pessoal, valorizando as estampas e cores para tornar a decoração mais harmônica, e outra parte nas necessidades que você busca para o seu lar. Ao escolher as cortinas, uma boa ideia pode ser buscar a resistência do linho, que cria um efeito blecaute característico das cortinas pesadas, caso você deseje mais privacidade e menos claridade. Além disso, a limpeza do linho é consideravelmente mais prática. As estampas podem se revezar nas características litorâneas, como barcos, peixes e cores que traduzam o calor tão cobiçado nas estações mais quentes do ano.

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 53


Opinião

Conquiste com leveza, abandone o sofrimento Cesar Di Lascio é Filósofo e Coaching da Ativa www.cesardilascio.com.br

M

Por Cesar Di Lascio

ais um dia o despertador toca cedinho e temos que levantar e ir para a academia. Sabemos claramente que deveríamos simplesmente levantar, trocar de roupa e ir. Gostaríamos de ter o desejo de seguir nosso plano meticulosamente criado na noite anterior, entretanto, não é exatamente isso que acontece. Ao mesmo tempo existe outra força que compete com nossa decisão que muitas vezes acaba ganhando e nos levando a tomar um rumo diferente. Ao tocar o despertador, nossa cama tão fofinha e quentinha parece suplicar para que fiquemos mais um minutinho e, assim escolhemos ficar. Neste momento, quando o confl ito entre o que sabemos que deveríamos fazer e o que desejamos fazer aparece, nos restam apenas duas alternativas: Seguimos em frente com o plano, indo contra o nosso desejo, pois sabemos que aquilo é o melhor para nós, justificando que, conquistas a médio e longo prazo, vem mesmo com doses de sofrimento; ou abortamos o plano e fazemos o que desejamos, sacrificando nossas metas, e agora com a justificativa de que a vida é muito curta, e merece ser vivida de acordo com nossas vontades,

54 | Vitti | revistavitti.com.br

afinal merecemos... “É só uma veizinha!”. O exemplo da academia é apenas para ilustrar, mas serve quando resolvemos entrar numa dieta, na hora de escolher o que comer, para a escolha profissional, quando temos que nos dedicar ao estudo, e até mesmo no nosso relacionamento, quando sacrificamos nossos planos em prol daquilo que é o desejo do companheiro. Olhando dessa maneira é fato que a escolha de qualquer uma das alternativas vai representar o sacrifício de algo valioso para nós, logo, inevitavelmente, sairemos perdendo. Agora, imagine se fosse possível alinhar essas duas forças. Imagine se fosse possível desejar fazer aquilo que realmente acreditamos ser o melhor a fazer e sem sofrimento! Para tornar isso possível, precisamos entender a origem do desejo e entender o porquê das metas que definimos sobre o que devemos fazer. Certamente se há um confl ito, é porque cada uma dessas forças está te puxando para uma direção diferente. Identificar uma direção única é fundamental. O segundo passo é identificar aonde realmente queremos chegar, mas perceba que não tem certo ou errado, o importante é saber aonde VOCÊ quer chegar. Munido destas duas informações fica muito mais fácil alinhar desejos e metas. Entretanto, ainda

temos algo sombrio que tende a nos atrapalhar, que são as nossas “crenças limitantes”. Crenças limitantes representam tudo que acreditamos e que foi programado por nós, de forma consciente ou não, para termos como premissa de nossas escolhas. Esta programação é feita da seguinte forma: temos um pensamento sobre algo, por exemplo, “sou preguiçoso”, daí estamos constantemente procurando evidências que comprovem tal fato, como faltar na academia, dormir até mais tarde, entre outros. Aí que mora o perigo. Acreditamos que nossas crenças são verdades absolutas, quando, de fato, elas são apenas uma das verdades possíveis. Os processos de Coaching, que estão em ascensão em todos os meios, visam, justamente, identificar quais são os reais objetivos que movem as pessoas, identificando crenças limitantes e reprogramando-as mentalmente para o sucesso. Esta é a razão pela qual as pessoas mergulhadas neste processo têm grandes saltos de produtividade e felicidade em suas vidas. Uma das grandes sacadas é identificar a sua crença que te limita a ser o seu máximo. Para isso, basta olhar para dentro, o que pode ser simples, mas nem sempre é fácil. O que te impede? Comece hoje a transformar sua vida, desejando aquilo que você deveria e, sem sofrer! Grande Abraço. Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 55


Social Réveillon

Réveillon 2017

Um giro pelas cidades da região e os melhores cliques da virada em diversos destinos.

Luana e Camila, em Ubatuba

Letícia, Lays, Isabel e Fernando, em Ubatuba

Ricardo, Giorgia e Mariella, em Ubatuba

Renata e Paula, em Ubatuba

Eduardo, Daniel, Adriana, Ramiro e Fábio, em Ubatuba

Gabriela Sodré, em Ubatuba

Eduardo e Carla Pita, em Ubatuba

Dulce, Camila e Sérgio, em Ubatuba

56 | Vitti | revistavitti.com.br

Luciana com a sua família, em Ubatuba

Família Abirached - Andrea, João, Eduardo, Rafaela, Marli, Cristina, Gabriel, Marina, Marcela e Danilo, em Ubatuba

Ike, Roberto e Giorge - Mercearia, em Campos do Jordão

Michelli, Evelin e Sandra - Mercearia, em Campos do Jordão

Janeiro, 2017


Adriana, Carolina, Márcia, Cláudia, Regina e Lena, em Taubaté

Natália e Rogério, em Taubaté - Cataguá

Maria Lucia, Aurea, Isabel e Ruth, Réveillon na fazenda da família Landranchi, em Taubaté

Rafael, Cláudia e Reginaldo, em Taubaté - Cataguá

Ronaldo, Natália e Valéria no TCC, em Taubaté

Ana Cândida e Maria Fernanda, em Taubaté

Luiz e Vera, em Tremembé, comemorando em sua casa com a família

Família Tallavasso comemora a passagem do ano em sua casa, em Jacareí, Gabriela, Gislene, Lorenso, Marcos e Victor

José Antonio e Rita, na Bahia

Julia, Alfredo Kobbaz, Luiza e Rose, em Trancoso - Bahia

Lucas e Amanda, no Rio de Janeiro

Paulo Roberto e Debora, em Punta del Leste

Viviane, Giovana e Wagner, em Orlando - FL

Janeiro, 2017

Bruna Burti, em São Miguel do Gostoso - RN

revistavitti.com.br | Vitti | 57


Social TaubatĂŠ

Good Times

Fotos: Luizinho

Montamos uma superfesta da Ho Ho Ho Good Times para finalizar o ano. Gostariamos de agradecer aos parceiros, amigos e colaboradores por mais um ano de muito sucesso. Feliz Ano Novo para todos. SaĂşde, paz e prosperidade. Simplesmente um luxo!

58 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 59


Economia

2017

Por mares nunca de antes navegados

C

Por Felipe Guarnieri

omeço pelo fim. Há um ano, eu terminava o artigo de forma proposital desejando um “ótimo 2017”; alguns não perceberam, outros acharam que se tratava de um erro de digitação, mas a verdade é que a mensagem implícita era que não tinha como 2016 ser ótimo. A boa notícia é que se estruturalmente não foi um bom ano, o mercado financeiro antecipou algumas expectativas futuras desde que o processo de impeachment avançou e fez um ótimo ano para os investidores. Propus duas grandes estratégias no ano passado: proteção contra inflação e exposição a risco. No primeiro caso, sugeri títulos públicos indexados à inflação com uma possível migração para pré-fi xados quando os juros começassem a cair. Uma olhada rápida nas NTN-Bs longas (a compra destes títulos está a um clique do mouse e pode ser feita a partir de R$ 30,00 no endereço www.tesourodireto.gov.br) mostra que esta foi uma boa estratégia, a NTN-B Principal com vencimento em 15/05/2035 (mas você pode vendê-la antes se precisar do dinheiro) valorizou 52% ao longo do ano enquanto que a NTN-B que vence em 15/08/2050 valorizou 29%. Nada mal para uma renda fi xa! O mercado entendeu que com um governo novo e mais responsável com os gastos, diminuiu a chance do calote, e considerando que lá na frente vai ser di60 | Vitti | revistavitti.com.br

fícil encontrar algo que pague juros de 6 a 7% acima da inflação, o preços destes títulos têm que ser mais caros. No caso da segunda estratégia, sugeri que “a hora de se expor ao risco é agora. Quem investiu numa carteira baseada no Ibovespa (o índice que representa a valorização da bolsa) conseguiu um rendimento de 43%. Nada mal para um ano onde a economia real caiu e o desemprego subiu. Novamente aqui é o mercado antecipando uma expectativa de melhora futura. Mas e daqui para frente? Muito difícil separar economia de política, mas a única coisa certa é que estamos realmente entrando em terreno desconhecido, em “mares nunca de antes navegados”, onde previsões baseadas em situações similares são impossíveis pela inexistência de situações similares. Temos um governo que, se por um lado está tendo a força no Congresso para fazer as mudanças e reformas necessárias, ninguém sabe se fica até o fim. Muitos estados brasileiros estão quebrados, sem dinheiro até mesmo para pagar funcionários, muitos municípios se encontram na mesma situação, mas por outro lado há toda uma turma nova de prefeitos que está assumindo as cidades com força e mandato para implementar mudanças. Conversando com um economista-chefe de uma multinacional no final do ano, ele garantiu que o desemprego ainda aumenta antes de voltar a cair - o que é péssimo para a economia real. A inflação está caindo e convergin-

do para a meta de 4,5% o que permitiria uma redução forte nos juros. Mas a grande questão continua sendo a possibilidade dos juros caírem dentro de um cenário onde o Tesouro ainda precisa atrair capital para conseguir fechar as conta. Dado o grau de incerteza política, que leva a uma incerteza econômica, creio que a hora seja de adotar uma estratégia de maior proteção e outra de ataques “cirúrgicos” na esfera de exposição ao risco. Proteção novamente com títulos públicos indexados à inflação e com uma parte da carteira já montada nos pré-fi xados (que se beneficiarão ainda mais de uma provável queda acentuada nos juros); ataques cirúrgicos aplicando em empresas selecionadas que tem potencial de crescimento e aumento de lucro no caso da retomada da economia real. Dá trabalho selecionar estas empresas, mas uma boa análise e um bom gestor conseguem fazer isso. Por último, se encontrarmos uma tempestade no meio do caminho? E se o presidente atual cair, as reformas não passarem, a economia real demorar mais ainda a voltar, o mercado global se esquecer do Brasil ou uma nova guerra colocar pânico no mundo? É difícil prever agora o que fazer, mas nestes casos, vamos conversando ao longo do ano. Excelente 2017 para todos nós! Felipe Guarnieri é administrador de empresas, executivo financeiro e especialista em finanças. Contato: felipe.guarnieri@gmail.com Janeiro, 2017


Negócios

O Brasil do Bem e do Mal Por Arcione Viagi / Foto: José Cruz

O

recém terminado 2016 ficará na memória do povo como o ano em que ficou claro que o Estado brasileiro está nas mãos de um grupo de falsos representantes e defensores do povo, que usam o cargo para benefícios próprios ao invés de fazer valer o juramento realizado no momento da diplomação. Uma tradição legal que passou a representar somente um rito de passagem, sem valor moral algum. Não sou ninguém para julgar os fatos que têm vindo à tona com as diversas investigações em andamento, porém, como cidadão, trabalhador, honesto, dedicado e consciente, sinto vergonha de ver a que ponto chegamos. Fico triste também ao ver que a situação da maioria dos brasileiros, cujas oportunidades são mínimas e o ambiente em que vivem são desfavoráveis para enxergarem o todo que os cercam, ficam à mercê da distribuição de migalhas pelos milhares de “Reis” que de fato que se

Janeiro, 2017

apropriam das riquezas nacionais. Um país em que as leis são feitas para dar vantagens para quem as fez. País onde os iguais são tratados de forma diferente, dependendo de quão perto estejam do poder. Absurdo sem fim em que chegam a mudar a interpretação da Constituição para manter uma pessoa que está sob investigação, no poder de um dos cargos mais importantes do país. É desanimador tomar conhecimento de evidências de que a corrupção é muito maior do que imaginávamos. Conhecer uma realidade horrível em que a pessoa comum precisa usar seu tempo livre para ajudar os necessitados quando o país tem riqueza sendo desviada do verdadeiro fim para os bolsos de alguns. O alento é que nossa natureza, tanto geográfica quanto pessoal, é rica e paciente. Temos tempo para retomar o rumo em direção a um país mais justo e perfeito para nascer, crescer e morrer. Quem sabe 2016 seja o fim dessa desavergonhada postura dos políticos e gover-

nantes e tenhamos o início de uma nova era de prosperidade, sem que tenhamos que decidir se acreditamos que o empresário é corruptor ou se é levado a pagar para poder gerar emprego e riqueza. Sem olhar para os políticos com nojo pela falta de moral e ética ao mesmo tempo em que eles nos olham com nojo porque se sentem superiores. E fazem um esforço incomum uma vez a cada dois ou quatro anos, saindo para fazer campanha, abraçando e beijando a todos como se fossem amigos antigos. Esperemos que a crise que está eliminando postos de trabalho e levando muitas empresas à falência seja pelo menos um divisor de águas entre uma situação opaca e perniciosa e uma nova realidade social que efetivamente respeite os direitos e imponha os deveres a todos de forma igualitária em que o bem comum esteja acima dos individuais. Arcione Viagi é consultor empresarial. Contato: afviagi@gmail.com revistavitti.com.br | Vitti | 61


Reprodução

Memória

Adeus, Ocílio Ferraz Escritor e culinarista faleceu aos 78 anos deixando um legado de valorização da cultura valeparaibana

O

Da Redação

escritor, sociólogo e culinarista Ocílio José Azevedo Ferraz, 78 anos, faleceu na manhã do último dia 18 de dezembro, em Caçapava. Há um ano ele se tratava de problemas no intestino. Natural de Silveiras (SP), Ocílio era reconhecido por preservar os costumes e tradições da cultura do Vale do Paraíba e por defender a gastronomia caipira. Ocílio é autor de livros como "São Paulo - Caminhos da colonização: viagem de tropeiros entre serras", "A culi-

62 | Vitti | revistavitti.com.br

nária Tradicional do Vale do Paraíba" e também foi consultor gastronômico do livo "À mesa com Monteiro Lobato". Também foi autor de uma infinidade de artigos para a imprensa e crônicas sobre a vida no campo e o tropeirismo. Sempre requisitado para palestras, oficinas e entrevistas, sempre fez questão de levantar a bandeira do orgulho valeparaibano, refletido na vasta e deliciosa cozinha caipira. Ele chegou a ocupar uma cadeira na Academia Brasileira de Gastronomia e era proprietário de um restaurante em Silveiras, onde o cardápio apresentava pratos exclusivamente cai-

piras, com destaque para os tradicionais pratos com o içá. Em dezembro de 2014, Ocílio foi entrevistado pela Revista Vitti (ed. 108), onde falou sobre sua trajetória e das atividades de promoção do turismo, gastronomia e estilo de vida regional. Ele deu considerável enfoque ao troipeirismo, onde destacou que “aqueles interessados em Brasil, não podem ignorar a contribuição do tropeirismo praticamente em todo o território nacional. As manifestações da cultura tropeira estão presentes diariamente”. Ocílio Ferraz partiu deixando dois filhos e a esposa.

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 63


Turismo

Conhecendo Cunha

Os encantos naturais e a cultura da bela cidade do Vale Histórico são atrativos para quem busca uma boa opção de passeio nas férias Da Redação / Fotos Divulgação

C

onhecida como a terra dos ceramistas, o município de Cunha abriga charmosos ateliês em suas íngremes ladeiras. Algumas pousadas estão distribuídas pela região central, enquanto outras se

escondem entre as montanhas, ideais para casais em busca de sossego. Nas curvas da estrada que leva até Paraty, belas paisagens surgem a todo momento, fazendo da experiência de visitar esta bela cidade encravada entre montanhas, algo muito agradável. Além das atividades na cidade propriamente, o tu-

rista que vai até Cunha tem uma boa diversidade de programas mais afastados, como bons restaurantes e atrações que permitem contato com a natureza, como o Parque Estadual da Serra do Mar, que tem diversas trilhas e cachoeiras. Destacamos aqui algumas atrações para o seu roteiro.

Parque Estadual da Serra do Mar (Núcleo Cunha-Indaiá)

C

achoeiras e plantas nativas da Mata Atlântica podem ser contempladas em três trilhas: a do Rio Paraibuna (1700m, 50 minutos), que não precisa de guia, passa por três cachoeiras, poços para banho. A do Rio Bonito tem 7,6 km de percurso, quase todo em área de floresta secundária; e a das Cachoeiras, a mais longa, com 14,5 km - nesse caso, metade do caminho pode ser percorrido em veículo próprio. As duas últimas duram cerca de 3h30 (ida e volta) e pedem melhor preparo. Na sede do Parque há uma sala 64 | Vitti | revistavitti.com.br

de exposições, com mostras sobre o meio-ambiente. Acesso Estrada do Paraibuna, km 20, acesso pelo km 56,2 da SP-171 p/ Paraty, 30 km (20 km de terra). O verão é a melhor época para este passeio. Informações: (12) 3111-1818/3111-2353. A entrada é grátis, assim como as trilhas, e o agendamento só é necessário para passeios durante a semana. Se o plano é passar o dia no local, é recomendável levar lanche, pois não há restaurante ou lanchonete. www.fflorestal.sp.gov.br

Cerâmica

A

maioria dos ateliês usa a técnica noborigama, que consiste em queimar as peças por duas vezes em fornos de alta temperatura. Um mapa detalhado com a localização dos principais ateliês está disponível na maioria das pousadas e no Posto de Informações Turísticas, localizado no Portal da cidade.

Janeiro, 2017


Pedra da Marcela

A

impressionante vista do alto da pedra, na divisa dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, alcança a Ilha Grande e as baías de Paraty e Angra dos Reis. A partir do estacionamento, são 2 km de caminhada íngreme até o topo. O esforço só não valerá a pena se o céu estiver encoberto, neste caso você não verá nada além de nuvens.

Abertura de Fornada e Queima de Raku

P

ara encher de peças um noborigama, forno a lenha que pode atingir 1 400 °C, são necessários até três meses de trabalho dos ceramistas. Depois de moldados, os objetos são queimados e esfriam por alguns dias até a Abertura de Fornada, que pode ser acompanhada pelo público. O evento, grátis, costuma ocorrer cinco vezes ao ano, em datas como o Carnaval, a Páscoa, o início das férias de julho, o feriado da Independência e a primeira semana de dezembro (consulte a programação no site da prefeitura, www.cunha.sp.gov.br). Na técnica que utiliza o forno raku, peças ainda incandescentes recebem acabamento. Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 65


Homenagem

Dom Paulo,

o estadista da paz

S

Por Luis Nassif

ó quem viveu nos anos de chumbo poderá aquilatar o papel de Dom Paulo Evaristo Arns (1921-2016) para o país. Naqueles anos terríveis, recém-casado, eu morava em uma quitinete na Bela Vista (em São Paulo). Jornalista iniciante, toda manhã acordava com o fantasma de Jacarta nos assombrando. Dizia-se que os militares tinham preparado uma lista de 300 nomes para serem liquidados, repetindo o banho de sangue de Jacarta. Quando morreu Vladimir Herzog, o fantasma se materializou. Fomos os jornalistas para nosso Sindicato, presidido por Audálio Dantas. Parecíamos crianças embaixo de uma coberta assistindo filmes de terror e procurando uma apoiar a outra. O que nos dava esperança era a voz de Dom Paulo Evaristo Arns, figura maior de uma aliança ecumênica em que participavam também os inesquecíveis reverendo Wright, pelos protestantes, o rabino Henry Sobel pelos judeus, o pastor Manoel de Mello pelos evangélicos. Era a 66 | Vitti | revistavitti.com.br

religião cumprindo sua missão histórica de enfrentar a barbárie. Pouco antes, na revista Veja, fui incumbido de traçar um perfil de dom Paulo, assim que assumiu o cardinalício em São Paulo. Fui à casa episcopal. Em vez de depoimentos das cúpulas, procurei um quadro mais realista com os funcionários. Estavam encantados com dom Paulo por várias razões. Uma delas, pelo fato de ser um príncipe em contato direto com o povo, onde o sinal mais enfático era a torcida apaixonada pelo Corinthians. Outra, por ter devolvido à Igreja de São Paulo uma importância política que, antes dele, apenas o Cardeal Motta, conservador, tivera. A terceira, por sua determinação contra os esbirros do regime. Um dos funcionários me contou o dia em que dom Paulo, ainda arcebispo, calou um débil dom Agnelo Rossi com um murro na mesa, pela recusa dele em admitir publicamente a tortura aos dominicanos presos no DOPS. No início dos trabalhos em meu blog, publiquei um artigo sobre dom Paulo. Um leitor deixou um testemunho elo-

quente nos comentários. Contou que estava preso, com outros companheiros, quando receberam a visita de dom Paulo. Vendo sua situação, dom Paulo aproximou-se da cela e passou um recado: - Tenham coragem! As palavras de dom Paulo aqueceram o coração dos presos, da mesma maneira que os nossos, na inesquecível missa da Catedral da Sé, pela morte de Herzog. A campanha das diretas revelou muitos vultos da pátria, Ulisses, Tancredo, Lula, Teotônio, Covas, Montoro. Por aqueles tempos, nenhum alcançou a dimensão de dom Paulo. Depois dele, a Igreja ainda produziu algumas lideranças de envergadura. Hoje em dia, não mais. Na greve dos jornalistas de 1979 fui detido e levado ao DOI-Codi. Imediatamente seguiram para lá o cardel Arns, o senador André Franco Montoro e outras pessoas. O porteiro do DOI-Codi impediu a entrada de todos, como exemplo do que era o país naqueles tempos. Publicado por jornalggn.com.br / Reprodução autorizada. Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 67


Ambiente Construído

Metanol, Etanol e Gasolina: Não se combinam! Etanol combustível vem sendo adulterado de forma fraudulenta

A

Por Adilson Peloggia

crise de abastecimento dos combustíveis no final da década de 1980 foi gerada pela incapacidade de atendimento à demanda de veículos movidos a álcool, o que motivou o governo federal a autorizar a importação de metanol (álcool metílico), para ser adicionado ao etanol e à gasolina. O metanol é uma substância altamente tóxica, dotada de uma capacidade de gerar risco a vida, bem como a integridade física e ao patrimônio das pessoas. Em exames detalhados, pareceres técnicos, a palavra de especialistas brasileiros e estrangeiros na área de saúde pública e apoio técnico-jurídico, resolve um Juiz Federal com base nos sólidos argumentos técnicos de resguardo da saúde pública, indicando, inclusive o Relatório de Impacto Ambiental – Rima produzido pela Universidade de São Paulo – USP, liberar o uso do álcool metílico, em face a uma ofensa à ordem, à segurança e à economia públicas, alegando que: “o uso do metanol misturado ao álcool e à gasolina, em proporção e prazo considerados toleráveis por órgãos idôneos encarregados do controle e fiscalização ambientais, não ameaça de grave risco a saúde pública, desde que observadas as recomendações científicas expedidas a respeito”.

68 | Vitti | revistavitti.com.br

O metanol, álcool da madeira, deriva da destilação seca de madeiras ou pela reação do gás natural. Este processamento consiste em uma redução catalítica do monóxido de carbono, operado à temperatura aproximada de 300 °C e pressões entre 200 a 300 atm. É utilizado como catalisador no processo uma composição de óxidos metálicos como óxido de cromo (III) (Cr2O3) e óxido de zinco (ZnO), considerados prejudiciais à saúde, tais como: efeito tóxico no sistema nervoso, particularmente no nervo óptico, dor de cabeça, náusea, vômito, cegueira, coma e óbito. O etanol (álcool etílico), produto de origem vegetal, tem grande disponibilidade no país. É utilizado em bebidas alcoólicas e serve como base para o álcool combustível disponível nas bombas dos postos de abastecimento no Brasil. O etanol é menos tóxico do que o metanol, sendo considerado como ambientalmente correto, com um agravante aos consumidores: “Quem opera seus veículos com etanol gasta mais produto em cerca de 40%, além do desgaste maior”. Hoje há uma combinação de fatores, como a preocupação com o meio ambiente e a futura escassez de combustíveis fósseis, que tem levado a um interesse muito grande pelo uso do etanol. Desde 16 de março de 2015, o percentual obrigatório de etanol anidro combustível na gasolina comum é de 27%, conforme Portaria Nº

75, de 5 de março de 2015, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e Resolução Nº 1, de 4 de março de 2015, do Conselho Interministerial do Açúcar e do Álcool (CIMA). Após esta data, o etanol, sendo utilizado na sua forma hidratada (teor alcoólico mínimo de 96%) e na sua forma anidra (teor alcoólico mínimo de 99,3%) em mistura na gasolina A, formando a gasolina C, com teor alcoólico entre 20 e 25%. Atualmente o etanol combustível vem sendo adulterado de forma fraudulenta com metanol. O metanol, além de tóxico, não é regulamentado. A adulteração é realizada a fi m da obtenção de vantagens econômicas. Os indivíduos acham que o etanol e o metanol são iguais, e que podem ser adicionados à gasolina. Essa mistura química irregular tende a prejudicar o consumidor e a máquina. Execute a manutenção regularmente recomendada pelos fabricantes de automóveis, devendo sempre ficar atento a alguns sintomas como: dificuldade de partida, umidade no óleo do motor, cheiro forte no escapamento. Esses cuidados básicos podem evitar posteriormente uma pane do motor do seu carro. Prof. Dr. Adilson Peloggia é Consultor Ambiental Contato: peloggia.adilson@gmail.com Janeiro, 2017


Gastronomia

Hamburguerias

mais do que moda, uma nova realidade

I

Da Redação

mpulsionadas pelo crescimento dos estabelecimentos segmentados, as lanchonetes especializadas em hambúrgueres adotaram uma nova denominação, virando “hamburguerias”. Para se ter uma ideia, na cidade de São Paulo entre os anos de 2005 e 2015, este segmento de comércio teve um crescimento de 575%. Os modismos no segmento da gastronomia são comuns, de tempos em tempos vemos nascer, multiplicar, e, não raro, desaparecerem modelos de lanchonetes ou restaurantes segmentados (aqueles que vendem um tipo de produto apenas). Mas e as hamburguerias? Até

Janeiro, 2017

onde este crescimento absurdo significa que não será só mais um modismo? Fato é que para sair da mesmice, criatividade e diferencial de ingredientes são as principais armas para se ter destaque nesse ramo. Um toque artesanal tem sido primordial, bem como o uso de carnes de alta qualidade, temperos, bons queijos e pães especiais. Presentes no país desde a década de 1950, as lanchonetes especializadas em hambúrgueres já enfrentaram diversas mudanças em seu perfil, passando pela febre dos fast-foods, as lojas de bairro e os tradicionais lanches de rua, vendido em trailers ou “carrocinhas”. Mais recentemente, o hambúrguer ganhou incontáveis versões “gourmet”, com ingredientes re-

quintados, cortes de carne nobre, queijos e molhos especiais e pães especialmente preparados para esta finalidade. Tudo isso agregou valor ao hambúrguer, que deixou de ser um lanche rápido e barato para se tornar uma refeição completa. Essa mudança, mais do que um puro modismo, é o retrato do que o mercado consumidor de alimentos quer. Não basta apenas um sanduiche preparado com carne industrializada e um monte de condimentos. Boa parte do público busca por um produto de maior qualidade, mais saboroso e até mais saudável, já que existem hamburguerias que oferecem receitas direcionadas ao público que consome poucas calorias. O sucesso parece que veio para ficar.

revistavitti.com.br | Vitti | 69


Bem estar

Otimismo e Transformação

T

Por Alessandra Gabriel

oda sua energia flui onde está sua atenção. Então pare tudo agora! Respire, sinta seu corpo, coloque atenção somente em você. O que você tem feito para você? O que te traz satisfação pessoal? Quem você é? O que você quer? Se não achou todas as respostas, é preciso mudar. É preciso olhar somente para você até se fortalecer em essência, sair da zona de conforto e ter a consciência de que se você chegou aqui até agora, vivo ou sobrevivendo com atenção em outra coisa ou lugar, imagine como tudo será melhor se colocar todo foco e atenção em si mesmo. Será capaz de transformar, fazer e viver tudo o que quiser. Mudar é fácil? Não! Mudar dói, requer esforço, comprometimento, disciplina, amor próprio e ao próximo, mas vale a pena, qualquer um, por melhor que seja, sempre pode mudar e melhorar. Quebre todos os padrões antigos de pensamento, sentimento, comportamen70 | Vitti | revistavitti.com.br

to e vivência, permita-se ao novo, seja otimista, procure olhar sempre o lado bom de todas as coisas, sinta e faça tudo o que realmente quiser, não se esqueça que você tem toda energia do universo em você! A atenção agora é somente sua. Isso não é egoísmo, é sabedoria, porque quando você está bem, tudo a sua volta também está bem, transformando tudo ao seu redor. Tudo é energia, tenha essa consciência, assim você cuida de você e do próximo e é capaz de contagiar tudo e todos com sua frequência. Então, viva todos os momentos, seja a melhor pessoa que puder ser, em todas as ocasiões e situações, independente de classe social, cor ou crença, reconheça essa energia em tudo: no ar, na água, na terra, nas pessoas, nas plantas, nas flores, nos animais, em todo ser vivo. Não se preocupe em TER se preocupe em SER, porque quando você É você Tem. Ouse, faça, mude e seja feliz! E que 2017 seja um ano repleto de conquistas, realizações e transformações.

Alessandra Cristina Gabriel Prazeres Terapeuta Ayurvédica - ABRA-RJ 399 SPA LUZ E VIDA Fone: 12 98811-8266 Tremembé - SP Janeiro, 2017


Livros

DicaS De Leitura

Forrest Gump Winston Groom Ed. Aleph 392 páginas

A

indispensável obra de Winston Groom, que inspirou o clássico do cinema de Robert Zemeckis, completa 30 anos. “Forrest Gump!” é um idiota. Ou ao menos é assim que a sociedade o considera. Estigmatizado por seu QI baixo, Forrest não acredita ter nascido para grandes feitos. Mas as situações em que se envolve desde a juventude são tudo, menos comuns. Ainda na escola, o jovem gigante do Alabama é promovido a prodígio do futebol americano, em um primeiro sucesso que rapidamente o leva a outras aventuras. Do Vietnã à China Comunista, da Nova Guiné a Hollywood e até no espaço, inusitadas circunstâncias vão guiando Forrest em uma trajetória de vida impressionante e nada corriqueira. A obra chega às livrarias com acabamento em capa dura, 13 ilustrações de Rafael Coutinho, e um ensaio comparando o livro à sua adaptação cinematográfica, feito pela francesa Isabelle Roblin. Também merece destaque a capa dupla-face: uma sobrecapa de papel, com impressão em ambos os lados, que permite ao leitor escolher o seu design favorito. Janeiro, 2017

Da Redação

Born To Run – Autobiografia Bruce Springsteen Ed. Leya C.P. 496 páginas

B

ruce Springsteen por ele mesmo: a autobiografia que está sacudindo o mundo. Um dos artistas mais admirados e influentes da história do rock, Bruce Springsteen passou os últimos sete anos escrevendo secretamente a história de sua vida. O resultado é Born to Run, uma autobiografia extraordinária. O livro carrega a mesma honestidade, humor e originalidade que Bruce imprime a suas canções. Nele, o músico descreve sua criação católica, a obsessão pela carreira musical, do início em bares ao apogeu da E. Street Band. Born to Run será reveladora para qualquer um que goste de Bruce Springsteen, mas vai muito além das memórias de um legendário astro do rock. Este é um livro para trabalhadores e sonhadores, pais e filhos, apaixonados e solitários, artistas, loucos, e qualquer um que já tenha desejado ser batizado nas águas do rio sagrado do rock and roll. E se torna indispensável por trazer a reflexão sobre o posicionamento do artista e o papel da cultura em um contexto de crise e perda de valores humanos.

Crônicas – Vol. 1

Bob Dylan Ed. Planeta do Brasil 328 páginas

"

E

u tinha vindo de muito longe e começado muito de baixo. Mas agora o destino estava prestes a se manifestar. Senti como se ele estivesse olhando direto para mim e para mais ninguém.” Nestas notáveis memórias sobre os primeiros anos de sua carreira, Bob Dylan nos guia pela Nova York dos anos 1960, a cidade mágica cheia de possibilidades que encontrou ao buscar o sucesso – festas esfumaçadas atravessando na noite; descobertas literárias; amores passageiros e amizades verdadeiras. Crônicas: Volume 1 é uma coleção íntima e pessoal de lembranças de um tempo extraordinário, de descobertas e resistência. Lançado originalmente em 2004, foi considerado um dos livros do ano por jornais e revistas conceituados. Revelador, poético, apaixonado e bem-humorado, “Crônicas: Volume 1” é uma janela fascinante dos pensamentos Bob Dylan, escancarando suas influências. Com seu dom inigualável para contar histórias, Dylan faz desta obra uma reflexão sobre as pessoas e os lugares que ajudaram a moldar sua vida e sua arte. revistavitti.com.br | Vitti | 71


Esporte

Por Fabiana Ferreira fabycanoagem@hotmail.com www.luzcameraesporteacao.blogspot.com

Luz, Câmera, Esporte e Ação

Ubatuba sediou Meia Maratona encerrando o calendário 2016

O

evento encerrou a programação esportiva oficial de 2016 da cidade e reuniu atletas profissionais e

72 | Vitti | revistavitti.com.br

amadores em três provas diferentes: 21 km, 10 km e 5 km. Também teve percursos de 500 metros para as crianças de até 12 anos, e de 1 km para adolescentes.

Mais de 400 atletas de diversas regiões estiveram presentes para fortalecer esse evento que a partir do próximo ano entra para o calendário de eventos esportivos da cidade.

Janeiro, 2017


Tacadas de superação 1º Torneio de Golfe Adaptado para Cadeirantes do Brasil

S

uperação e garra. Esses foram os ingredientes principais do 1º Torneio de Golfe do Brasil Adaptado para Cadeirantes, que aconteceu no Clube de Campo Santa Rita, em São José dos Campos. O torneio, organizado pela Associação Esportiva São José, com apoio da Federação Paulista de Golfe, reuniu 6 equipes, que foram formadas por um cadeirante, um profissional golfista e três caminhantes. A modalidade do torneio foi no formato Scramble, onde no tee shot e no green somente os cadeirantes jogaram e nos tiros intermediários todos puderam participar utilizando o conceito de best ball. Foram disputados 9 buracos em 7 raias. O grupo que completou os 9 buracos com menos tacadas foi o campeão. No final, vitória da equipe liderada pelo cadeirante Valdir, de Itu, que foi composto ainda por Acácio Jorge Pedro, Valdir Marques, Giulianna Scarinzi e Josué Pimentel. Eles completaram o percurso com 33 gross. Em segundo lugar ficou a equipe do cadeirante Evandro BoJaneiro, 2017

nocchi (34 gross) e em terceiro Matheus Sampei (38 gross), ambos de São José. A profissional de educação física Juracy Barros é a responsável pelo projeto do golfe adaptado para cadeirantes. “O Projeto de Golfe Adaptado, categoria funcional cadeirantes, inédito no Brasil, teve seu início em agosto de 2012 em São José dos Campos, no campo de golfe do clube Santa Rita, com a finalidade de oportunizar, desenvolver e fazer a inclusão social de pessoas com deficiência física (PCDs) no esporte golfe.”. Para ela, torneios como o realizado são importantes para fomentar o projeto, tornando-o conhecido, incentivando outros profissionais e campos de golfe a promoverem a inclusão social de PCDs no esporte. O presidente da AESJ, Sebastião Blanch, o Kako, prestigiou o evento e ficou impressionado com a força e determinação dos atletas. “Foi emocionante ver a garra e a força de vontade dos cadeirantes. Nosso clube está de portas abertas para o projeto, pois é uma forma de ajudar a inclusão da pessoa com deficiência por meio do esporte”, disse. revistavitti.com.br | Vitti | 73


74 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Janeiro, 2017

revistavitti.com.br | Vitti | 75


76 | Vitti | revistavitti.com.br

Janeiro, 2017


Revista Vitti, Janeiro 2017 Edição n133