Page 1

.

use

REVISTA

CARTA DA EDITORA

Desejos em design

FORMAS E FORMATOS

A ARTE INVADIU AS CASAS E AS RUAS

CHIQUES E ATEMPORAIS Os cobogós realçam a sofisticação e beleza de ambientes contemporâneos

1

Revista USE.


CARTA DA EDITORA

VIVER COM INSPIRAÇÃO.

2

Revista USE.


Conheรงa nossos produtos! WWW. DIVEROESTOFADOS.COM.BR 47 3644.0414

Revista USE.

3


4

É melhor ter ou ser?

High Design - Home & Office Expo: inovação e negócios

Chiques e atemporais

A ARTE INVADIU AS CASAS E AS RUAS

VIDAS E CORES

#NAREDE

55 26 50 14

20

68

@espasso A dining area designed by @estudiogutorequena featuring a set of ‘Cantu’dining chairs by Sergio Rodrigues

Revista USE.

@dopedecors Beach House Designed by Content Architecture, In North Carolina, #usa @ dopedecors

/samarabarbosaarquitetura Preto no décor! O que acha? Mobiliário e detalhes em preto deixam qualquer ambiente mais charmoso e elegante. ;)


32

A cadeira Master aborda várias referências, resumindo a história das cadeiras modernas em um design novo e coerente.

70

39

O conceito arquitetônico moderno e inusitado do Indaiá Restaurante valoriza o diálogo entre o ambiente exterior e interior

20

As novidades em decoração da Casa Cor Paraná

36 www.revistause.com.br /revistause @revistause 41 3225.5015

Revista USE.

5


Poltrona e Puff Moliรงosa Rejane Carvalho Leite

Cadeira JOAQUIM

Poltrona VIP

Bernardo Senna

Bruno Faucz

Sofรก BRERA

Sofรก TETRIS

Angelo Duvoisin

Angelo Duvoisin

#curadoriaanayajima

ana@moora.com.br

+ 55 (19) 3312.0019 | (19) 9 9242.8480


Revista USE.

7


CARTA DA EDITORA

M

esmo com as temperaturas frias desta época do ano e a situação econômica que retrai o país, ainda temos muito o que comemorar. 2016 é um ano importante para todos nós que trabalhamos em prol da arte, da decoração, da melhoria da qualidade de vida das pessoas e, logicamente, da beleza. É um marco a visibilidade do mobiliário brasileiro alcançada em outros países; a busca pela democracia real; os 30 anos de Casa Cor no Brasil; novas oportunidades de negócios por meio de feiras e eventos que buscam, no inusitado, a sua força; as Olimpíadas no Rio de Janeiro, que para alguns trata-se de apenas gastos, mas para outros, oportunidade de vitórias, negócios e marketing positivo do país pelo mundo a fora; entre tantos outros. Contudo, o que realmente tem poder de modificar nossas vidas são os detalhes, a dedicação, o amor pelo que se faz e a vontade de superar as dificuldades. Sem falar nos momentos em família, o sorriso inesperado, ou aquele abraço apertado de alguém que não vemos há muito tempo. Nestes últimos meses, tivemos um mix de todas estas sensações. Dores e amores. Este período transitório nos deixa apreensivos, mas ao mesmo tempo, menos acomodados, e automaticamente mais corajosos. Aprendemos a trabalhar mais próximos a realidade de outros países, dos quais seus lucros são menores e a criatividade ampliada a cada dia. E ainda que o inverno tenha começado há pouco, nossa equipe de redação já sente um friozinho na barriga. Sim, aquele da emoção! Este é um momento em que novas pautas surgem, novas cores, modelos, a preocupação com os assuntos do final do ano, a reposição e a inovação. Chegam agora os preparativos para novas vitrines, com os tons de vermelho que invadem também as casas, os períodos das reformas e o momento decisório para entender o que continua em alta e o que precisa ser substituído. Para nossa equipe, um momento de ansiedade. Já que daqui até o final do ano, teremos lançamentos ultraelaborados e destaques da nova temporada. Um esforço extra neste mês de julho, já que quase todas as tendências da temporada já foram trabalhadas. Contudo, ainda é preciso vender novas ideias e lotar as casas dos consumidores afoitos por luxo, conforto e muita beleza. Trouxemos matérias inéditas, com inspiração no luxo sublime, no brasileirismo e por meio da inovação, diversos motivos para comemorar um novo tempo. Fugindo do óbvio, uma receita requintada do chef Gustavo Piffer; abertura de mercado; entrevistas exclusivas; uma boa dose de bom humor e ousadia, para que possamos nos diferenciar dentre a multidão. Então, não importa onde você está. Fique conosco até a última página! Se preferir a internet, acompanhe tudo o que acontece no mundo da decoração, paisagismo e arquitetura pelo portal: revistause.com.br.

SOLANGE ANDREASSA EDITORA

8

Revista USE.


O essencial pode ser incomparรกvel.


estofados

47 3644.6741 www.haydeemoveis.com.br Revista USE.

11


use. EDITOR JORNALISMO PROJETO GRÁFICO JORNALISMO, CRIAÇÃO E DIAGRAMAÇÃO REVISÃO

Solange Andreassa sol@grupomultimidia.com.br Carlla FErmino FILUS (MTB: 0010901/PR) jornalismo@grupomultimidia.com.br FERNANDA SAMIZAVA SOLANGE ANDREASSA Fernanda Samizava (MTB: 0079631/sp) fernanda@grupomultimidia.com.br Carlla FERmino filus Fernanda Samizava Solange Andreassa

DIRETORIA

Solange Andreassa Marcelo Colaço marcelo@grupomultimidia.com.br

COMERCIAL

Luiz Tonello tonello@grupomultimidia.com.br

TI CONSELHO

COLABORADORES

ADILSON ALVES DA CRUZ Ângelo Duvoisin Aurélio Sant’nna Ivo Cansan

CARLOS BARCELOS IVAN ROBERTO LIEBL JULIANA PIPPI LUCIANA DE MORAES MARIA HELENA ANTONIADIS MILKA VERÍSSIMO RAFAEL ZIN ROSE RADKE SABRINA CORDEIRO TALITA CORBETT THIAGO DUARTE VÂNIA SLAVIERO

GRUPO

MULTIM IDIA comunicação corporativa

EDITORA GRUPO MULTIMÍDIA R. Raul Obladen, 939 - São José dos Pinhais - CEP 83.020-500 - PR - Brasil Tel: (41) 3235-5015 / (41) (41) 3556-3068 Ano II - Nº 2 - Julho 2016 A revista é uma publicação com versão impressa e digital! O Grupo Multimídia Comunicação Corporativa Ltda não se responsabiliza pelos conceitos e opiniões emitidos por conteúdos das empresas. Proibida a reprodução.

12

Revista USE.

Filiada a


CARTA DA EDITORA Produtos Indicados para ambientes atuais e modernos. Acrescentam distinção, personalizam e humanizam todos os ambientes!

A Tendência ea modernidade evidenciadas em peças feitas à mão!

13

Revista USE.

Estilos e cores são acrescentados Móv em cada peça Mandalas eeis Painéis para que o Rua do Santuário, 627 resultado final Bairro São Cristóvão proporcione sa Arte, 89196-000 | Salete SC s o N verdadeiros www.tminsight.com.br Insight's Seu Estilo! 47 3563 0004 de beleza contemplativa!


ACONTECE 2016

High Design Home & Office Expo: inovação e negócios Por Solange Andreassa

Para o empresário Lauro Andrade, que ajudou a fortalecer o setor de revestimentos, louças e metais sanitários, o mercado brasileiro poderá aproveitar a High Design para estreitar relações com público internacional

14

Revista USE.


Revista USE.

15


ACONTECE 2016

“Nossas pesquisas e experiência garantem que o mercado está ávido por este tipo de plataforma, integrando negócios e conteúdo.”

Na segunda semana de agosto, São Paulo receberá um evento que promete revolucionar os negócios no setor e se tornar a principal ferramenta brasileira de exportações de móveis, decoração e design. Criada a partir da Casa Brasil, a High Design - Home & Office Expo está integrada também ao DW! São Paulo Design Weekend, festival urbano que promove a cultura do design e suas conexões. O profissional que repaginou o evento, em sociedade com a multinacional inglesa Informa Exhibitions e com o Sindmóveis de Bento Gonçalves, é o catarinense Lauro Andrade. Hoje Lauro é uma das maiores referências em plataformas de negócios, quando se refere a eventos B2B. Revista USE: Chega a São Paulo uma nova feira, com ações singulares para gerar negócios. Conte-nos detalhes dessa mudança na Casa Brasil, que agora é High Design. Lauro Andrade: A Casa Brasil foi criada pelo Sindmóveis Bento Gonçalves, como uma estratégia de agregar valor aos produtos do setor moveleiro da região. Complementar à Movelsul, ela tinha como objetivo promover as empresas do segmento junto a arquitetos, designers de interiores, varejo de móveis de alto padrão e compradores internacionais. Foi brilhantemente realizada na Serra Gaúcha, por quatro edições bienais, e precisava se transformar em uma plataforma global de negócios. Nossa experiência de sucesso com a Expo Revestir e DW!, eventos complementares e não concorrentes, com públicos-alvo semelhantes, somada à capacidade de articulação, mobilização e captação de investidores, criou o ambiente perfeito para a continuidade da Casa Brasil em outro patamar, nascendo assim a High Design – Home & Office Expo. R U: Por que São Paulo foi escolhida como sede? L A: São Paulo é a capital dos negócios e maior “hub” financeiro e logístico da

16

Revista USE.

América Latina. Sozinho, o estado responde por cerca de 40% do PIB nacional. A região metropolitana da cidade de São Paulo tem economia similar à do Chile e o estado é quase do mesmo tamanho da Argentina. Em um raio de 100 km, quatro aeroportos têm voos diretos para as 150 maiores cidades do país e para as 100 cidades mais importantes do mundo. Não há como comparar a capital paulistana a nenhuma outra cidade brasileira no que tange o potencial de negócios e facilidades logísticas, sendo o local ideal para um evento que pretende, em cinco anos, ser um dos mais importantes do mundo no segmento. R U: O que você, Lauro, espera deste novo evento? L A: Somos especialistas em realizar eventos de grande porte e altamente qualificados, em termos de visitação. Nossas pesquisas e experiência garantem que o mercado está ávido por este tipo de plataforma, integrando negócios e conteúdo. Um ótimo case de sucesso é o da Expo Revestir, que mantém um ciclo de crescimento em todos os indicadores em suas últimas 12 edições. Isso fortaleceu o setor e o deixou mais competitivo, inserindo o Brasil como importante player e no calendário mundial de eventos do segmento. Contudo, mais do que esperar algo, nossa equipe tem trabalhado incansavelmente para mostrar ao setor moveleiro como um evento deste porte pode elevar o patamar da indústria. R U: Quais as atrações desta primeira edição? L A: Tudo é novidade! Não existe evento similar na América Latina que reúna as principais marcas de moveis planejados, ”soltos”, autorais, cozinhas, iluminação e superfícies. A interação destas marcas com milhares de profissionais arquitetos e designers de interiores, além de lojistas e compradores internacionais, sem dúvida gerará negócios e causará experiências inéditas e exclusivas aos participantes.


High Design Expo na Expo Revestir 2016 (Imagem: Divulgação)

R U: Há quem diga que as feiras são modelos obsoletos de negócios, especialmente em países em desenvolvimento e em processo de abertura de mercados. O que a High Design oferece para os que buscam um evento original? L A: Qualquer mídia, seja presencial (feiras), impressa ou digital, morrerá se não apresentar uma proposta relevante, adequada ao seu público. Acreditamos em plataformas múltiplas e integradas. O momento do país, sem dúvida, tira a confiança de todos e reduz a velocidade de investimentos. É neste momento que as estratégias de longo prazo devem guiar as ações, enquanto se “sobrevive com criatividade” no curto. A partir dessa premissa, a High Design busca integração e posicionamento setorial em um novo patamar de valor. Para apresentar um ambiente de negócios e conteúdo inédito no segmento moveleiro nacional, foi necessário reunir uma grande força de trabalho: empresas e profissionais do design e decoração, com vasta experiência em eventos de arquitetura e construção no Brasil e no mundo. Convidamos expositores comprometidos com o design, inovação e qualidade, que proporcionarão experiências presenciais únicas aos visitantes. Entendemos que o relacionamento próximo com o público qualificado e formador de opinião, tornou-se essencial para marcas que buscam diferenciar-se dos concorrentes. R U: Como avalia o reflexo das mudanças no mercado nesse primeiro trimestre? L A: Infelizmente todas as mudanças no mercado são para pior. A macroeconomia é cruel: não há crescimento do todo. Quem cresce, cresce em cima do desfalecimento de outros. É terrível em termos setoriais. Por isso, mais do que nunca, é fundamental que as empresas se diferenciem, mostrem para seus clientes por que são especiais e participem de atividades como a High Design.

Somos, mais do que nunca, essenciais para quem quer ser “campeão”! R U: Em sua opinião, as ações políticas têm influência direta nas atividades do setor de móveis e decoração junto ao varejo? L A: Sim, tem influência diretíssima. O setor de móveis e decorações está profundamente ligado à atividade da construção civil, que por sua vez, depende de quatro fatores: crédito disponível, juros baixos, inflação controlada e confiança de longo prazo. Infelizmente, não temos nada disso no atual contexto econômico, por causa da péssima condução das políticas públicas nacionais. Precisamos de mudanças imediatas. Temos convicção que qualquer “sopro de esperança” mudará o ânimo dos empreendedores e empresários brasileiros. R U: São Paulo é o maior mercado consumidor de móveis nacional. Como você vê o consumo destes produtos na cidade, diante da evolução e mudanças no perfil da região, ao longo dos anos? L A: Mais do que observar mudanças no perfil da região, eu acho que o que se pode notar atualmente é que, com a crise econômica e redução da venda de imóveis novos, surge a necessidade de atualização e decoração dos ambientes para aumentar a vida útil dos mesmos. E isso pode levar a uma maior demanda por móveis e artigos de decoração. O consumidor vai buscar produtos que tenham a capacidade de se adequar ao seu estilo, aumentando ainda mais a importância do arquiteto e do designer de interiores neste processo. Mas a pergunta é muito ampla e precisaríamos de mais 10 páginas para responder sobre isso. Quer saber como se adaptar às mudanças do mercado paulistano (e brasileiro)? Venha para a High Design Expo, de 09 a 11 de Agosto de 2016!

Revista USE.

17


EXPANSÃO

O ESSENCIAL PODE SER INCOMPARÁVEL

Clássicos e contemporâneos marcam a história da empresa catarinense Haydee Estofados, em um conceito exclusivo na fabricação de poltronas, sofás, cadeiras, estofados retráteis e reclináveis, Recamiers, e sofás Chesterfield. A estofaria reúne elementos naturais, tecidos e matérias-primas nobres e, especialmente, arte. A produção de peças especiais do mobiliário com nuances douradas, cores fortes como o vermelho e o bordô, tons pasteis e amadeirados permitem o máximo do requinte nos produtos criados pela marca. A sintonia entre seus criadores e a decoração, conduzem seus móveis aos mais distintos ambientes residenciais. Contudo, a versatilidade permite a disposição em espaços empresariais, como halls de entrada, salas do presidente, e ainda, em eventos sociais com peças-chave, conquistando os gostos mais requintados.

Um toque de cor Projeto cuja sofisticação é reforçada com cores vibrantes, essenciais para gerar fluidez e impacto nos ambientes clássicos.

Moderno & Confortável Um espaço para receber os amigos. Com uma atmosfera moderna, tons escuros marcam o ambiente, aliados ao conforto e jovialidade.

18

Revista USE.

Vintage Estética e funcionalidade. Com alto grau de personalização, o ambiente é reflexo de seus moradores, que optaram por peças retrô e muita criatividade.

Sobre a Haydee Com experiência de mais de 20 anos de seus diretores no mercado do mobiliário de luxo, a empresa catarinense traduz as mais distintas aspirações em design, conforto e sofisticação. Personalidade para atrair e encantar. Do clássico ao contemporâneo, a evolução do mobiliar.


CARTA DA EDITORA

A BELEZA TRADUZIDA EM MÓVEIS E DECORAÇÃO

19

Revista USE.


EXPRESSO

Imagem:

para pensar no futuro

O Museu do Amanhã, projetado pelo premiado arquiteto espanhol Santiago Calatrava, foi recentemente inaugurado no Rio de Janeiro. A proposta é ser um museu de artes e ciências, alertando sobre mudanças do clima e a degradação do meio ambiente. A construção, que se tornou um novo ícone arquitetônico na cidade, tem uma característica especial: todas as suas estruturas são em curvas. Isso tudo para que possam se mover, adaptando-se às condições ambientais e climáticas.

20

Revista USE.


Viagem

à China

Recentemente tivemos notícias de um edifício chinês que está sendo construído com madeiras brasileiras. Nas redondezas de Shangai, a construção já recebeu mais de 100 containers das espécies Saligna e Dunni. Victor Iensue, diretor comercial da Madvei, empresa paranaense que forneceu as madeiras, diz que as exportações para a China se iniciaram em 2008. “Temos grande interesse de entrar cada dia mais nesse mercado, que contempla grande parte da cadeia produtiva mundial. Para manter o crescimento da nossa empresa, é fundamental estar vinculado a esse mercado”, explica.

CONCORRA BANCO CUPUAÇU

COLEÇÃO FOLHAS DA AMAZÔNIA

POR ASSINE 1 ANO CORRA N O C E 0 R$ 1D5IÇ0Õ,0 ES) (6 E

21

Revista USE.

AO

BANCO CUPUAÇU


CARTA DA EDITORA EXPRESSO

MÓVEL BRASIL PREPARA EDIÇÃO 2017 O polo moveleiro do Planalto Norte Catarinense estará na vitrine nacional com a realização da 11ª edição da Móvel Brasil Em 2017, a feira acontecerá entre 16 e 19 de maio, no Centro de Eventos Promosul, em São Bento do Sul. Serão 8,5 mil metros quadrados de exposição de móveis, especialmente voltados ao segmento da média e média alta decoração. Mais de 60% dos espaços já estão comercializados, principalmente pelos fabricantes que participaram das edições anteriores. A feira permanecerá com foco no mercado nacional e os produtos expostos serão direcionados ao gosto do consumidor brasileiro. O polo é reconhecido pela alta qualidade de seus produtos, fabricados com madeira maciça, cuidados especiais e acabamentos nobres. Nos últimos anos, o design também

tem se destacado por apresentar móveis que reúnem beleza e funcionalidade. Para José Antonio Franzoni, presidente da comissão organizadora, o atual momento econômico recessivo deverá ser superado até a realização da Móvel Brasil. “Passamos por um período transitório. Acreditamos na retomada do mercado e devemos estar preparados para essa nova fase da economia brasileira. Fabricantes e lojistas encontrarão na feira oportunidades viáveis de negócios”, aposta.

Cadeira Copacabana A cadeira Camaleão Copacabana,da Movelaria Paranista possui o desenho das famosas calçadas da praia carioca, gravado em marchetaria, em ambos os lados do encosto. A peça foi escolhida para compor o mobiliário de uma das unidades da rede Nau Frutos do Mar, em Natal, no Rio Grande do Norte. Com todo o seu charme, realça a brasilidade do ambiente.

EXCLUSIVIDADE TEM NOME

Inovação e criatividade não têm limites para a Divero Estofados. Com design patenteado, o produto desenvolvido por Walmor Cristofolini, oferece sistema exclusivo de catraca na peseira do assento retrátil, com cinco posições para o descanso completo dos usuários. Sua estrutura fabricada em madeira de eucalipto tratada, também dispõe de encosto de cabeça reclinável. As percintas italianas entrelaçadas e molas espirais oferecem maior qualidade aos que primam pela exclusividade.

22

Revista USE.

Design ecológico O conceito ousado e criativo da Cadeira Lótus se destaca pelo detalhe do encosto, com tramas de corda. Assinada pelo estúdio Asa Design, a peça possui estrutura em eucalipto, certificado FSC 100%, e acabamento em verniz, garantindo uma decoração inusitada e ecologicamente correta. Está disponível nas cores natural, cinza, rosa, verde militar, azul marinho e marsala.


Self Portrait – Frida Kahlo

Paixão

pela arte

Um dos grandes símbolos da luta feminista no mundo, faz aniversário. Frida Kahlo foi uma artista mexicana, que através da pintura expressava suas convicções políticas pela liberdade. Numa produção total de aproximadamente 150 pinturas, Frida descreveu a visão que tinha da vida como uma série de embates dialéticos entre o pessoal e o político. Frida nasceu em 6 de julho de 1907.

SURPREENDENTE EM CADA DETALHE

CONJUNTO TITANIUM

TORNEADOSFLEISCHMANN.COM.BR (47) 3644-3696


EXPRESSO

ARTE, INOVAÇÃO E NEGÓCIOS NA ILHA DA MAGIA Beleza, infraestrutura e potencial turístico reforçam a escolha de Florianópolis como capital dos negócios para o design de interiores no cenário nacional

Posicionada a exatos 251 quilômetros da Curitiba, Florianópolis ganha ainda mais destaque no Brasil como capital catarinense que foi escolhida para a realização da Casa Sul. Uma vez eleita como uma das cidades mais dinâmicas do mundo em 2006, a Ilha da Magia oferece rede hoteleira bastante diversificada, gastronomia regional, turismo e logística de pessoas, produtos e serviços extremamente desenvolvida. Entre outros atributos, foi de comum entendimento de que a cidade está preparada para assumir a responsabilidade de bem receber os visitantes da feira, já que o Aeroporto Internacional Hercílio Luz também serve à cidade. Um fato bastante importante para os visitantes e também para os negócios realizados é o fator data de realização da feira. “Nossas atividades comerciais se iniciam numa quinta feira e só terminam no domingo - o que fortalece a participação de todos aqueles que buscam pela inovação e desejam aliar suas atividades do dia a dia” reforça o diretor comercial Manolo Esteves. Além das belas dunas e águas dos mais variados tons de azul, o perfil exigente dos que visitam a cidade a negócios, reforçam a necessidade de um evento completo: mobiliário, decoração, planejados, linha office e complementos. Sobre a Feira Casa Sul Acontecerá entre os dias 18 e 21 de maio de 2017, no Centro de Convenções Centrosul, em Santa Catarina. Além do perfil de negócios, a feira está muito bem posicionada geograficamente, por ser um polo turístico bastante desejado no Brasil e no mundo. Reunirá grandes expositores, lojistas e profissionais do decor.

24

Revista USE.


A trajetória da decoração

Imagem: ABD

Aos apaixonados por design de interiores, uma leitura obrigatória: Brasil Porta Adentro. A publicação inédita, realizada pela ABD – Associação Brasileira de Designers de Interiores, apresenta os 100 anos da profissão no país. Além de retratar a visão histórica da decoração no Brasil, o livro reúne fotos antigas e destaca os primeiros profissionais da área, abordando desde os trabalhos iniciais realizados por aqui, até os mais atuais. O texto é da jornalista Cristina Dantas e a curadoria de conteúdo, do designer de interiores Roberto Negrete, com coordenação de Renata Amaral.

Nine MSN

"Volez, Voguez, Voyagez"

Louis Vuitton conta sua história em exposição de malas e baús O Grand Palais, Paris, recebeu as primeiras peças da marca desde a sua criação, em 1854. Com a curadoria de Olivier Saillard, a “Volez, Voguez, Voyagez” exibiu a evolução dos antigos baús de viagem em 12 salas temáticas.

Beleza azul Por se tratar de uma peça de área externa, Faucz buscou formas orgânicas, que remetessem a um conceito mais natural. O desenho é sutil, com o encosto em balanço e uma área aberta, para que a leveza do vento possa passar entre ela.

Revista USE.

25


FORMAS E FORMATOS

A ARTE INVADIU AS CASAS E AS RUAS

Por Carlla Fermino Filus

1990

4 6 2

semana 22

2016

a n os

1900: funcionamento da primeira linha do bonde elétrico; 1910: inauguração do Teatro Municipal; 1922: Semana da Arte Moderna; 1933: inauguração do Mercado Municipal; 1940: inauguração do MASP; 1950: criação do projeto do auditório do Ibirapuera, por Oscar Niemeyer; 1968: Tom Zé ganha o IV Festival de Música popular brasileira com a música “São Paulo, meu amor” ; 1974: início das operações do metrô; 1980: Papa João Paulo II visita São Paulo; 1995: Museu Brasileiro de Escultura (MuBE) é inaugurado; 2006: primeira apresentação do Cirque Du Soleil no Brasil e em São Paulo; 2016: ano da arquitetura em São Paulo.

26

Revista USE.


@ana.biselli

São Paulo exibe radiante suas vertentes na arte de mobiliar

A povoação de origem europeia em terras paulistas teve início em 1532. Os padres jesuítas, que desembarcaram no país tropical, junto com a caravana portuguesa, ultrapassaram a serra e a fim de catequizar os índios, construíram

um colégio no planalto de Piratininga. Fundaram, então, a Vila São Paulo de Piratininga. Uma missa foi realizada pra celebrar. Era 25 de janeiro de 1554, data que marca o aniversário de São Paulo. Portugal ainda não havia instalado uni-

dades manufatureiras, portanto, não existia produção moveleira nesse período. Os primeiros móveis chegaram junto com os colonizadores. Eram fabricados lá, com a matéria-prima extraída daqui.

Revista USE.

27


FORMAS E FORMATOS

andrecrins

No início do século 19, em 1815, a cidade se tornou capital da Província de São Paulo. E, desde então, muitas mudanças começaram. A fabricação de móveis teve seu início a partir da madeira e, aos poucos, foi se difundindo no sul e no sudeste. Mais tarde, já no século 20, iniciaram as maiores transformações urbanas. As empresas moveleiras se espalharam pela capital paulista e trouxeram, além do desenvolvimento, grande potencial comercial para a região. A indústria passou a impulsionar a economia. Aliado à expansão industrial, estava o progresso da cidade. Segundo Thiago Duarte,

28

Revista USE.

arquiteto e urbanista da Moble Arquitetura de Móveis, a década de 1930 foi um período chave para a modernização da mobília brasileira. “O fim da República Velha, a reforma do ensino na Escola Nacional de Belas Artes e a transformação para uma cultura urbana, trouxeram novas perspectivas e um ambiente muito favorável para a arquitetura e o mobiliário moderno. A verticalização da cidade a partir daí, revelou uma nova demanda para a produção da arquitetura, assim como do mobiliário”, ressalta. Nesse processo, São Paulo se delineou por meio de diversos interesses, que caracterizam e

constroem diariamente a megalópole que conhecemos hoje. E que vive em constante movimento. Para Rafael Zin, sociólogo e pesquisador do Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política (Neamp – PUC SP), as dinâmicas de transformação social que geram esse movimento urbano, caminham lado a lado com a arte. “Hoje, em um momento em que a população reivindica cada vez mais o direito à cidade, e de ocupar os espaços públicos, ampliando as áreas de convivência, há um aumento significativo de artistas que se colocam nessa perspectiva, explorando as possibilidades de interação dos munícipes com as ruas”, explica. São Paulo saiu da rotina e criou uma nova visão sobre o espaço público, o que a tornou uma galeria de arte a céu aberto. E isso, influi diretamente no dia a dia dos cidadãos. “As expressões artísticas estão constantemente presentes na vida das pessoas, é inegável que sejam verdadeiras aliadas para tornar a vida da população mais alegre e mais interessante, além de aguçarem o senso crítico e novas possibilidades de reflexão”, aponta Zin. Nesse contexto, podemos citar o Design Weekend, um festival urbano que promove a cultura do design e suas conexões com a arquitetura, arte, urbanismo, inclusão social, negócios e inovação tecnológica. De uma forma prática, o DW! revolucionou a maneira de integrar o design ao meio urbano. Diversos bairros paulistanos recebem as ações do DW!, que compreende palestras em instituições de ensino, visitas guiadas, exposições, intervenções artísticas e urbanas, circuitos temáticos, concursos, festas e lançamentos de produtos em lojas e showrooms. Estabelecimentos como ateliês, museus e galerias que participam dos eventos paralelos ficam sinalizados com adesivos “aqui tem DW!”.


Auditรณrio do Ibirapuera, por Oscar Niemeyer (Imagem: @andrecrins)

CARTA DA EDITORA

29

Revista USE.


@andrecrins

FORMAS E FORMATOS

Cadeira Iaiá, Gustavo Bittencourt

A arte transbordou suas expressões - a pintura, a dança, a literatura, a escultura e todas as suas vertentes - para o âmbito da vida, em um contexto muito amplo. Zin afirma que, em toda produção humana, é possível encontrar a influência da arte, mas é o valor estético que a revela. “No caso dos mobiliários, sejam os mais antigos, sejam os contemporâneos, é evidente, também, que encontramos esse poder de influência da arte. Geralmente, as peças são pensadas, projetadas e desenhadas para incorporar o belo à funcionalidade de um determinado produto”, destaca. E cada vez mais, os móveis vêm sendo produzidos com a mesma lógica das obras de artes, pois ganham valor além do interesse estético. Passaram a ser elaborados de forma exclusiva, com a preocupação de lançar tendência no mercado e ditar novos rumos e linguagens para a fabricação das peças. Para Duarte, o nosso mobiliário percorreu um caminho paralelo à arquitetura moderna brasileira. Porém, entre tantas mudanças, que abordam novos padrões e linguagens, algo ainda é comum aos antigos móveis coloniais: a utilização da madeira. “A extraordinária oferta das madeiras brasileiras gerou uma escola criativa e muito competente na execução de móveis. Contudo, a introdução de materiais como aço, vidro, compensados e fórmicas foi aos poucos sendo absorvida pela indústria moveleira e abrindo novas perspectivas para o mobiliário contemporâneo”, esclarece.

30

Revista USE.

Solange Andreassa

A arte e a produção moveleira

Rua Teodoro Sampaio Localizada no bairro Pinheiros, a Rua Teodoro Sampaio, teve seu desenvolvimento notado com a instalação dos primeiros estabelecimentos, na década de 1950. Ao longo dos anos, a rua ganhou uma característica particular na cidade. Hoje ela é famosa, especialmente, pela concentração de lojas de móveis e decoração, e ainda, instrumentos musicais. O comércio prosperou na Teodoro Sampaio. A rua é referência nacional no segmento e lá é possível encontrar desde móveis antigos e restaurados a peças luxuosas de design. Essa grande variedade é o que atrai o público e movimenta o comércio local.


Carlla Fermino Filus

Alameda Gabriel Monteiro da Silva Em 1948 a rua recebeu o nome de Gabriel Monteiro da Silva, porém, somente no final da década de 1970, instalaramse ali as primeiras galerias de arte. Com a ocupação de grandes escritórios na Faria Lima, a Gabriel M. da Silva recebeu as primeiras lojas de decoração para atender essas empresas. A via é conhecida por reunir lojas nacionais e internacionais de móveis e decoração de alto padrão. É considerada ponto de encontro de arquitetos e decoradores, já que oferece peças exclusivas e criações de designers renomados.

Revista USE.

31


“ ALÔ DESIGN!

Por Fernanda Samizava

“...OS MATERIAIS NOS DIZEM ATÉ QUE PONTO PODEM E QUEREM SER TRANSFORMADOS”. Humberto Campana

Fernando e Humberto Campana, Brasil

A Cadeira Vermelha causou furor logo na sua primeira aparição, em 1993. Na ocasião, em uma galeria em São Paulo, muitos a consideraram bizarra e vários fabricantes ficaram inseguros de produzir o móvel - tarefa assumida pela italiana Edra. Os irmãos a descrevem como uma representação do caótico caldo de culturas do Brasil. Robusta e confortável, é feita por centenas de aneis frouxos trançados manualmente para formar o encosto e revestir o assento. O trançado não é aleatório e demanda cerca de 50 horas de trabalho minucioso. A obra é um ícone da inventividade do design brasileiro.

Max Bill, Alemanha/Suíça Criado para o relojoeiro alemão Junghans, o relógio incorpora o design de toda uma geração. Bill foi arquiteto, artista, designer e o maior defensor da filosofia da “boa forma”: o designer tem a responsabilidade moral e social de criar objetos funcionais que conjuguem a simplicidade e qualidade. Sem algarismos, ponteiros leves e brilhantes de barras de metal cromado, borda lisa de alumínio: o estilo minimalista de reduzir o objeto à sua essência não excluía a legibilidade e a boa execução. O relógio deu origem à vários outros modelos de pulso e de parede na metade do século e continua sendo símbolo da pureza do design suíço e alemão da década de 1950.

“A ABORDAGEM MATEMÁTICA NA ARTE NÃO É DE FATO MATEMÁTICA. É O DESIGN DE RITMOS E RELAÇÕES.” 32

Revista USE.


“MENOS E MAIS SE UNEM EM UM SÓ PRODUTO”.

Rody Graumans, Holanda

São 85 lâmpadas incandescentes, bocais de plástico e 85 fios reunidos em um feixe no topo. Embora bem aceito, despertava críticas devido ao alto consumo elétrico. Hoje, as lâmpadas incandescentes foram substituídas por LEDs de 1,5 watts (antes 15 watts). O lustre 85 Lamps instiga um olhar renovado sobre o cotidiano e mostra como muitos designers holandeses trabalhavam na década de 90: dar sobrevida a produtos antigos ou desgastados com um toque de provocação.

“LINHAS HISTÓRICAS SE SOBREPÕEM E SE CRUZAM NA CRIAÇÃO DE UM DESIGN ORGÂNICO MAIS COMPATÍVEL COM NOSSO CORPO ATUAL”. Philippe Starck, França

Diferente daqueles que buscam apresentar algo totalmente original, a cadeira Master aborda várias referências, resumindo a história das cadeiras modernas em um design novo e coerente. O conceito foi baseado nas formas contrastantes de três cadeiras icônicas: a ampla Tulip (Saarinen); a Eiffel (Charles e Ray Eames); e a Series 7 (Arne Jacobsen). Philippe justapôs as linhas distintivas dos encostos dessas peças e as incorporou na sua criação. O resultado é uma cadeira confortável, leve e prática. Originalmente disponível apenas em preto ou branco, hoje é produzida também em cores vibrantes.

Revista USE.

33


EXPANSÃO

Benvenuti in Italia

A busca pela elegância leve e rigorosa é o ponto de partida de ação do Estudiobola

Localizado em uma antiga fábrica no Alto da Lapa, o estúdio funciona como um laboratório: ali é possível o contato entre a equipe e o público consumidor. Para os arquitetos e sócios, Mauricio Lamosa e Flavio Borsato, fundadores do Estudiobola, essa interação é essencial quando se fala em desenho industrial. “Na loja, as informações e o retorno vêm sem filtros de terceiros”, afirma Mauricio. A escolha de um galpão fabril para a exposição e atendimento surgiu da necessidade de criar um espaço informal, que seria importante para a apresentação do trabalho. O ambiente rústico do local favorece a exibição das peças com acabamento industrial. “Gostamos dessa combinação de informalidade, técnica e alto padrão de produtos”, aponta Flavio.

Imagem: divulgação

O crescimento

O Estudiobola atua com seis fábricas e em seu portfólio há mais de 700 itens, entre sofás, camas, cadeiras, e também artigos de decoração como luminárias, tapetes e revestimentos cerâmicos. Mas o mercado brasileiro ficou pequeno para o estúdio, que está em plena expansão. Referência em design e mobiliário autoral, e reconhecido como um dos mais inovadores do país, o Estudiobola deve inaugurar uma unidade em Milão, na Itália. O projeto já estava em desenvolvimento há dois anos. Os arquitetos perceberam a oportunidade e foram atraídos pelo câmbio favorável às exportações. Essa nova unidade vai integrar a marca ao circuito de design de Milão e ainda, representará designers brasileiros, que encontrarão portas abertas para expor seus trabalhos na Europa.

O conceito

A proposta dos produtos é a máxima adaptação ao processo fabril, gerando linhas que se comunicam e ampliam o leque de itens em uma mesma ideia de desenho.

A criação

O primeiro passo é a identificação de nichos de mercado desassistidos de bons desenhos. No Estudiobola, os desenhos são feitos à mão livre, sempre buscando ampliar o mix de produtos e aprimorando as soluções para todos os ambientes.

34

Revista USE.


35

Revista USE.


Contando tudo

MARTA MANENTE: UM STORYTELLING INTERESSANTE A CADA TRAÇO Com 17 anos de experiência no setor moveleiro, Marta Manente atende grandes players da indústria brasileira de móveis.

36

Revista USE.

À frente do Studio Marta Manente Design há mais de uma década, a designer gaúcha viaja pelo mundo buscando tendências e inspirações. Seu trabalho consiste em materializar as experiências e sensações, concretizando-as para desenvolver projetos, que resultam nos mais belos produtos. Destaque, é de que recentemente, Marta foi selecionada para mais um programa internacional de design, o Design na Pele, promovido pela Agência Brasileira


de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Nos próximos meses a designer tem a missão de criar projetos de móveis com couro. Com sua brasilidade aflorada, Marta resume para nossa equipe de jornalismo sua vida e habilidades desenvolvidas, afinadas com seus laços familiares. Confira a entrevista exclusiva com a designer de produtos, cujo nome e sobrenome são reconhecidos no Brasil e no mundo. A PROFISSÃO Revista USE: Quando surgiu a inspiração para atuar neste segmento? Marta Manente: Minha família trabalha no setor moveleiro. Com eles aprendi o amor e a dedicação de trabalhar com a madeira. Minha grande inspiração para a decisão da minha formação e profissão. R U: Conte-nos sobre suas primeiras peças. Onde foram criadas e como foi o processo de inspiração? M M: Iniciei minha carreira em 1998, trabalhando em uma grande indústria moveleira de planejados. Desde aquela época, as feiras italianas eram minhas grandes inspirações. Mais tarde, iniciei minhas pesquisas e viagens a Milão. Já são 13 anos viajando para a Itália, em busca de conhecimento e novas ideias. KNOW-HOW R U: Fale um pouco sobre sua experiência profissional. Qual foi o momento ideal para iniciar as atividades em seu estúdio? M M: Em 2004, com a procura do meu trabalho por diversas indústrias moveleiras, optei por abrir o Studio Marta Manente Design, um momento importantíssimo em minha vida profissional.

to disso foram as exposições nas feiras ISaloni, na Itália e ICFF, em Nova York, recentemente. PONTO A PONTO R U: Quantas peças você já criou? Existem parcerias neste aspecto? M M: Já perdi as contas (risos)! 12 anos após iniciar as atividades no Studio Marta Manente Design, são mais de 50 diferentes indústrias atendidas e diversas coleções inteiras de produtos lançadas ao mercado, em trabalhos desenvolvidos com assessorias de design estratégico. R U: Como você enxerga a evolução do design de mobiliário no Brasil? M M: O design brasileiro evoluiu muito nestes últimos anos. Graças a união do talento dos profissionais de criação, e às indústrias que investiram em tecnologias de ponta para produção de qualidade e em alta escala. R U: Como se compõe um móvel de luxo para o brasileiro? M M: Produtos bem pensados, confortáveis, com matérias-primas minuciosamente manufaturadas. R U: Quais profissionais do design mais te inspiram? M M: Admiro profissionais que, assim como eu, dedicam suas criações para proporcionar qualidade de vida aos consumidores.

R U: Sobre o design, quando percebeu que as peças deviam suprir uma necessidade do consumidor final e também precisavam ser economicamente viáveis para seus idealizadores e fabricantes? M M: Sempre explorei de forma concreta esta necessidade, pois como minha formação é diretamente ligada à indústria que produz móveis, entendo como fundamental aliar técnica ao custo-benefício. R U: Quando começou a participar de exposições e mostras? Como foi o início desse processo e como aconteceu a primeira feira internacional? M M: Participo desde o início da minha carreira de feiras do segmento. Entre elas a Movelsul, Casa Brasil e Abimad - sempre com peças que crio para meus clientes. Há dois anos, participamos do Projeto Raíz da Apex Brasil e Sindmóveis, onde passamos por uma grande seleção de estúdios para representar o design brasileiro no exterior. Fru-

Revista USE.

37


Contando tudo DEMANDA & MERCADO R U: O mercado brasileiro vem expandindo sua atuação em diversos países, incluindo os mundialmente conhecidos pelo design intrínseco em suas criações do mobiliário e outros segmentos. Como você vê o processo de desejos em design do consumidor brasileiro, e dos novos admiradores, por móveis do Brasil, que vemos nas feiras internacionais? M M: O design brasileiro é apreciado em diversas partes do mundo, tanto pela diversidade quanto pela riqueza da nossa cultura, e isso tem potencializando as exportações por aqui. Entretanto, mais que isso, os consumidores brasileiros também apreciam o nosso design, que chega ao principais palcos do mundo, aumentando a credibilidade e consumo do design brasileiro pelos próprios brasileiros.

38

Revista USE.

Entrevistamos: Marta Manente. Formação:Tecnologia em Produção Moveleira e Pós Graduação em Design de Produto com Ênfase em Móveis. Idade: 36 anos. Descendência: italiana. Características marcantes: comprometida, determinada, persistente. Viagens: profissionais - 13 vezes para Milão, Londres, Nova York, Colônia Alemanha. Ação de maior aprendizado profissional: ser selecionada pelo Projeto Raíz, onde participei de um concurso de design com avaliação feita por americanos. Essência profissional: criar tudo com amor. Sobre seus produtos: sempre tem um storytelling interessante antes de um traço. Pilares do trabalho: pesquisa, técnica e inovação. Missão de vida: perpetuar, em cada traço de um projeto, a felicidade para quem usufruirá do meu design.


CARTA DA EDITORA

.

REVISTA

use Desejos em design

39

Revista USE.

HOME OFFICE POR LARISSA GOMES

COBERTURA


COBERTURA CASA COR PR

Highlights da Casa Cor PR Por Solange Andreassa

São 30 anos de Casa Cor no Brasil. Considerada a maior mostra de decoração, arquitetura e paisagismo do país, a Casa Cor agora se prepara para alçar vôo. O novo destino? Miami.

Em 2016, a mostra paranaense completa sua 23ª edição. Com foco na melhoria da qualidade de vida e revoluções nos hábitos dos brasileiros, no que tange a arte de bem morar, o evento no Paraná, com toda certeza, alcançou o ponto alto da beleza e perfeição. O ano de 2016 vai ficar marcado como um dos mais importantes da trajetória da mostra. A imponência dos ambientes e o envolvimento de cada profissional constroem memórias no coração dos visitantes. Ao todo, são seis mil metros quadrados, divididos em 48 ambientes inusitados e modernos, que criam desejos em design, provocando nossa imaginação pelo bom gosto e sofisticação. SOBRE A CASA COR PR Em sua 23ª edição no Paraná, a Casa Cor convida os profissionais para pensarem a casa como espaço de celebração da vida. A mostra acontece de 19 de junho a 31 de julho, na capital paranaense. O edifício histórico da Editora Grupo Paulo Pimentel, sede de grandes jornais impressos do estado, foi o local escolhido para receber o evento.

40

Revista USE.


Marcelo Stammer

LIVING PRINCIPAL Sofisticado e elegante, o Living, projetado pelo arquiteto Ivan Wodzinsky, é marcado pelo estilo vintage. Aqui, o arquiteto deu destaque à estampas e texturas dos tecidos, além de realçar o espaço com obras de arte luxuosas.

Revista USE.

41


COBERTURA CASA COR PR

42

Revista USE.


Marcelo Stammer

BIBLIOTECA Janaina Macedo utilizou traços contemporâneos para compor o ambiente, que é uma homenagem a Sérgio Moro. Chama atenção a lareira, desenhada pela própria profissional. A ideia é que o espaço possa ser utilizado também em momentos descontraídos entre família e amigos.

Revista USE.

43


Marcelo Stammer

COBERTURA CASA COR PR

LOBBY DO HOTEL Com destaque à monocromia, o ambiente de Walkiria Nossol e Jéssica Brandão, apresenta uma pluralidade cultural. Tendo como referência grandes hotéis do mundo, a arte se sobressai por aqui.

44

Revista USE.


Marcelo Stammer

JARDIM DA PISCINA Neste projeto de Nadia Bentz, Vanderlan Farias e Beto Lemos temos uma bela piscina. O acabamento em pastilhas de vidro não passa despercebido. O mobiliário é composto por cores claras, para harmonizar com o deck e a vegetação.

Revista USE.

45


Marcelo Stammer

COBERTURA CASA COR PR

STUDIO DO RAPAZ Com uma ambientação íntima, a decoradora Romy Schneider valorizou a funcionalidade no studio. Um espaço elegante, que se destaca por sua personalidade e é composto por acessórios vintage e rústicos, que marcam a identidade masculina.

46

Revista USE.


CARTA DA EDITORA

47

Revista USE.


COBERTURA CASA COR PR

48

Revista USE.


Revista USE.

49

Marcelo Stammer / Solange Andreassa


NOSSA CAPA

Chiques e atemporais

Por Carlla Fermino Filus

50

Revista USE.


A utilização de cobogós em projetos de interiores realça a sofisticação e beleza de ambientes contemporâneos Os cobogós foram criados na década de 20, no Recife. Desde então, se tornaram populares e foram muito utilizados nas construções, principalmente em fachadas, até 1950. Depois desse período caiu em desuso, pois eram feitos de tijolo e cimento, o que não lhes tornavam peças esteticamente atrativas. Hoje em dia, os cobogós estão em alta novamente e já é possível notá-los como parte da arquitetura moderna. Para Patrícia Maia, sócia diretora da Manufatti, “além do atrativo efeito estético, construções com cobogós permitem a passagem de luz e ventilação no ambiente sem comprometer a privacidade do local, o que pode promover o conforto termo acústico e, ao mesmo tempo, valorizar o visual das edificações”, explica. Esses elementos transformam o espaço em que são inseridos, pois além de funcionais, passaram a ser produzidos com materiais que lhes permitem ser verdadeiras peças de decoração. Para exemplificar que os cobogós podem ser utilizados em qualquer ambiente - dependendo da necessidade do consumidor e do objetivo do projeto, apresentaremos o projeto da arquiteta Adriana Piva, com cobogós Manufatti.

Revista USE.

51


NOSSA CAPA A arquiteta optou por seguir o conceito moderno e contemporâneos, com alguns detalhes clássicos, como os cristais e as cadeiras, que têm pés torneados. “A ideia era abranger um número maior de pessoas, por não ter um cliente final muito específico, colocando tons e objetos mais neutros”, comenta Adriana.

A missão de Adriana era desenvolver um projeto que fosse interessante para todas as idades e perfis, já que o apartamento seria posto à venda. Por isso, ela preferiu utilizar tons e tecidos neutros, que não prejudicassem o cliente final.

52

Revista USE.


CARTA DA EDITORA

Os cobogรณs da Manufatti foram utilizados para dividir os ambientes, entre a รกrea social e a entrada de serviรงo. Formaram uma divisรณria,de forma inusitada e esteticamente agradรกvel, de acordo com Adriana.

53

Revista USE.


NOSSA CAPA

Adriana relata que os cobogós da Manufatti sempre estão presentes em seus projetos. “São elementos que garantem a passagem de luz e ventilação entre os espaços; conferem privacidade, sem tirar totalmente o visual; permitem a criação de jogos de luz e sombra com efeito interessante, e seu apelo estético - formas e cores que atraem por sua beleza”, afirma.

Nesse projeto, a arquiteta optou pela utilização de cobogós do modelo Margarida Manufatti, na cor Branco.

54

Revista USE.

Sobre a Manufatti A Manufatti faz parte de um conglomerado de empresas reconhecido pela experiência e tradição no setor cerâmico, atuando no mercado brasileiro como sinônimo de qualidade e excelência para a fabricação e comercialização de cobogós e de revestimentos especiais. Empresa 100% brasileira, oferece aos profissionais diversas opções de produtos que unem design e funcionalidade para a criação de projetos em arquitetura, decoração de interiores e design contemporâneos.


NOVOS RUMOS

Vida e cores

de um certo mineiro

Nascido em Tupaciguara – de origem tupi significa “Terra da mãe de Deus”, o artista plástico José Gonçalves Júnior, mais conhecido com J. Mangabeira, que comemora seus 15 anos de carreira, compartilha conosco todo seu entusiasmo em viver, e vai muito além de suas telas. Conheça mais sobre sua vida, obras e conviver em nosso bate-papo com esse talento, que aos 54 anos preserva sua alma e coração de menino.

Revista USE.

55


Revista USE: Existe um melhor horário, dia ou período para suas criações? J. Mangabeira: O relógio não me limita. Tem dias que eu não faço nada, estou travado. Mas tem dias que eu pinto de maneira explosiva. Agora, o melhor é a catarse. A hora que você termina. Eu olho para a tela e pergunto “foi bom para você?” (risos).

R U: Quando desenvolveu sua primeira tela? J M: Em 2001 pintei minha primeira tela. Era um peão, de criança. Gastei 15 minutos para vender, depois que acabei. Mas eu também fui professor de cursinho (pré vestibular) por mais de 20 anos, e para descansar dessa minha rotina, que era de segunda à segunda, eu peguei uma parte do dia para fazer o que eu queria, que era pintar.

R U: Suas obras possuem características específicas como, por exemplo, a combinação entre cores suaves e detalhes em cores vivas e vibrantes. O que espera transmitir com sua arte? J M: Você pode observar que toda tela minha tem um círculo disfarçado. Eu adotei o círculo. Por que ele não tem começo e nem fim. Representa o infinito, e a nossa vida tem infinitas possibilidades. Outra mensagem que eu passo nas minhas obras, é que tudo tem uma janela. O que são janelas? São pontos de fuga. Por pior que seja a vida, por pior que seja a situação, há sempre uma saída. Você sempre vai ver um ponto de fuga na minha obra.

R U: Seus primeiros quadros foram pintados a partir das técnicas de pátina. Ao longo dos anos, que outras técnicas desenvolveu e passou a utilizar? J M: Óleo sobre tela. A minha pintura é muito eclética, porque eu gosto da mistura de elementos. Eu trabalho com tinta, ferro moído, materiais que as pessoas normalmente não utilizam. Por que eu gosto desse encontro da criação, da construção da obra, e tem também a arte digital.

R U: Como e quando você se descobriu artista plástico? J M: Desde os meus 12, 13 anos eu trabalho com as mãos e com criatividade. Minha primeira casa, eu comprei fazendo sandálias trançadas. Eu fui criado na fazenda, em roça e eu tinha aquela coisa de ver a cor da palha de milho – você já viu que bege mais lindo? A inspiração do pôr-do-sol, que cores! Já parou para imaginar quantos tons de verde existem em uma árvore? Isso ia me fascinando e eu sentia necessidade de reproduzir de alguma forma. E consegui! R U: Qual a sua cor preferida? J M: Amarelo. E eu uso pouco, mas é minha cor.

56

Revista USE.

R U: Como você se descreve enquanto artista? J M: Contemporâneo e com traços de primitivismo. Por que quando eu exploro tonalidades, estou trabalhando o subconsciente das pessoas. R U: Quais são suas referências artísticas? J M: Tudo que é belo, todo artista que pinta algo bonito é uma referência. Se eu falar de um artista em especial, eu vou estar ferindo outros. Mas posso dizer que tenho admiração por Giovana Osmarini, que é uma artista da minha região e trabalha com um vermelho perfeito. (Só ela tem aquele vermelho!). E também, Ezio Monari, que pinta arte sacra no cubismo. R U: Quais são as temáticas mais exploradas em suas telas? Por quê? J M: Horizontes. Fico feliz ao pinta-los.


CARTA DA EDITORA R U: Fora da vida artística, qual foi o seu ponto alto? J M: Foram dois momentos. O nascimento da Laís e da Maria Júlia, minhas filhas. R U: Quais são os seus planos, seus anseios? Você pensa nisso? J M: Não sei, não parei para pensar nisso não. Eu acho que eu sou mais “carpe diem”. A gente tem que viver a vida, viver o momento. Dizer para as pessoas que as ama. Eu pego minhas netinhas no colo e digo “eu te amo demais, você é muito importante para mim”. Porque eu vou pensar no futuro? Então, se eu me preocupar com o hoje, amar e viver intensamente e sempre dizer para as pessoas que as amo... Isso não tem preço! (...) Eu odeio piscina, mas minhas netas me fazem nadar com elas todos os dias. Isso é amor, do mais puro! R U: Você tem suas obras na sua casa? J M: Tenho. Minha morada é uma casa-galeria. R U: Já aconteceu de você pintar uma tela e não ficar satisfeito? J M: Já, muitas vezes. E chega alguém e fala ”é a tela da minha vida”. E as que eu amo de paixão, às vezes não acontece. Porque a tela é muito pessoal, cada um tem uma vibração nela. E tem aquelas comuns, que todo mundo ama. Não tem uma regra. R U: O que a arte te traz? J M: Superação, pois quando você consegue provocar um sentimento em alguém que aprecia o que você faz, você está superando a si mesmo. E ao mesmo tempo, você está ampliando seu processo de criação. R U: Sua família trabalha com você. Como isso começou? J M: A minha esposa também é artista plástica, eu comecei por ela. Ela sempre fez trabalhos manuais. E eu, quando estava corrigindo provas e preparando aula do cursinho, a via trabalhando e chegou uma hora em que meu lado artístico explodiu. Na verdade, eu acho que ela foi a gota d’água que faltava. As filhas foram apreciando o trabalho e, como nós fazemos tudo em família, ficaram cada dia mais envolvidas. E, à medida que foram casando, os genros também foram nos acompanhando. R U: E para finalizar, nos parece que em sua casa mora a alegria, não é mesmo? J M: Sim, minha casa é vibrante! Eu fiz a minha casa de tal modo, que em um andar mora uma filha, no outro mora a outra, em cima é um espaço gourmet e embaixo outro espaço com piscina e a minha oficina fica para o outro lado da rua, tudo junto. Eu estou ali pintando e escutando elas na piscina. Eu paro de trabalhar, largo tudo, vou lá e tomo um banho de piscina com elas.

Revista USE.

57


#NAREDE

58

The London Design Festival Getting Your Hands Dirty is an exhibition, curated by Martino Gamper in collaboration with Actant Visuelle, that builds itself around a close group of people. These friends will present new domestic objects, developed by experimenting with materials and making by hand. See more at: http://bit.ly/ 29jLwai #LDF16

estudio_iludi Luminária Muda - Edição Especial Exclusividade Espaço 670 @espaco670 Fotografia: @hqueiroga #contemporaneo #decor #design #decorado #decoração #decorating #designdeinteriores #interiors #inspiração #instadecor #interiores #interiorstyle #interiordesign #interiorlovers #interiordecoration #homedecor #home #homedecoration #homeaccessories #livingroom #arquitetura #architecture #estudioiludi #iluminação #designbrasileiro #furnituredesign #luminariamuda

designmilk #kitcheninspo in the Kelvin House, designed by @fmdarchitects \\\ Photo by @peterbbennetts

adesignersmind Who needs a mirror... #architecture #homedesign #lifestyle #style #buildingdesign #landscapedesign #conceptdesign #interiors #decorating #interiordesign

Revista USE.


diegoodriozola09 Design Brazil Chair design by Sérgio J.Matos #designbrasileiro #instadesign #brasil #furniture #instadecor #design #chair #furniture #decor #home #designers #wood #furnituredesigner #living #interiordesign #house #cool #elledecor #livingdecor #idealhome #architecture #casavogue #interiordecor @sergiojmatos #beautydesign #instaphoto

dopedecors Tree Trunk Kitchen Designed by Werkhaus Architect’, In Raubling, #germany @dopedecors

sergiojmatos A luminária Bacuri acende memórias. Das coisas do Sertão, das casas do interior, da simplicidade. #LuminariaBacuri #Luz #ColeçãoFeira #Regionalidade #Decor #Design #Identidade #SergioJMatos

rldesignstudio Esboço da poltrona Pestana =) #rldesignstudio #workinprogress #poltrona #design #armchair #designbrasileiro #concept #industrialdesign #designmoveis #chair #chairdesign

Revista USE.

59


COBERTURA iSALONI

brasileirices em Milão

Por Juliana Pippi

A equipe de redação da Revista USE contou com a participação exclusiva de uma profissional mais que especial para a cobertura do Salone del Mobile 2016 - ISaloni: a arquiteta catarinense Juliana Pippi. Acompanhe suas experiências e impressões desta edição do evento. “Observo que nos últimos sete anos que acompanho presencialmente a Feira de Milão, o envolvimento dos brasileiros vem crescendo. Há 10 anos, falar de Brasil estava associado diretamente ao trabalho dos irmãos Campana. Hoje, o que se vê é um cenário bem diferente. Seja dentro do Salone ou Fuore Salone, a participação do Brasil é mais presente. No ISaloni os destaques foram a ousadia e criatividade de Pedro Paulo Franco, da A Lot of Brasil, que se instalou no pavilhão 20, o mais badalado das grandes marcas mundiais junto com Vitra, Kartel e outras. De autoria de Franco estava exposta a poltrona de couro Kaos, que parte de um cubo básico e vai se desconstruindo para oferecer conforto e ergonomia ao usuário. Já em outros pavilhões encontramos também a marca Butzke, que apostou nas peças de Zanini de Zanine e Carlos Motta. A Moora Mobília Brasileira apresentou a criação de vários designers, entre eles Bruno Faucz, assinando a poltrona VIP, com detalhes em cobre e madeira. Bruno também participou do Espaço Raízes com a poltrona Trentine e, no Fuore Salone, na Mostra Brazil S/A, com a poltrona Barão. E por falar em espaço “Fora do Salão”, porém no circuito badalado das exposições na semana do design, o designer catarinense Jader Almeida e Sollos armaram uma exposição individual, em Brera, e atraíram os olhares atentos da imprensa internacional.”

60

Revista USE.


CARTA DA EDITORA

61

Revista USE.


INOVAÇÃO

DESIGN THINKING PODE ACONTECER NA SUA EMPRESA Por Rose Radke

62

Revista USE.

ção

a ide

defini ção

Uma nova forma de pensar que tem como foco a solução de problemas, e está centrado no ser humano. O termo significa “pensamento do design”, ou pensar como designer, e propõe uma inovação em vários segmentos, na indústria, saúde, bens de consumo, serviços, entre outros. Fala-se em “inovação”. Prefiro descrever este tema como um “mergulho” para entender as necessidades do outro. Precisamos reconhecer carências, medos, frustrações e possíveis expectativas diante da utilização de determinados produtos e serviços que oferecemos ao consumidor final, e com este entendimento aumentar a nossa perspectiva de acerto, de oferecer o melhor e a nossa capacidade de assumir a perspectiva do outro na busca de soluções criativas, inteligentes e rentáveis, independente da área de atuação. O Design Thinking, é um processo mental que envolve sensações, percepção, atenção e se desenvolve através de várias etapas entrelaçadas entre si. A empatia é a primeira etapa. Aliás, tanto se fala em empatia, e muito se mistura com simpatia. Qual a diferença? Empatia, conecta, simpatia, dependendo do ponto de vista, desconecta. E, o Design Thinking não acontece sem conexão. Precisamos dela para formar o elo comum entre todas as pessoas envolvidas na solução de um determinado projeto. Após este envolvimento, relembrando o que foi dito acima, tudo é pensado e elaborado com o ser humano no centro de todo o processo. Logo após, provoca-se a exposição de ideias (brainstorming) do grupo sobre determinado problema e/ou projeto, onde todos vão relatar suas necessidades e desejos. Nesta etapa, leva-se em consideração a experiência de cada um, e, é neste momento que se faz as escolhas e o levantamento das melhores opções, o que vem culminar com o grande desafio de criar soluções inovadoras e rentáveis. O problema em si, passa a ter uma intervenção direta desta nova forma de pensar, e junto vem a etapa de implementação, prototipagem e testagem até a conquista da solução final. Todas as etapas interagem

entre si, o que significa, que não há um trabalho isolado, e nada para quando aparece um problema, porque o foco principal do Desing Thinking, é buscar soluções criativas (pensar como designer) de longo prazo, e que sejam ao mesmo tempo tecnologicamente e economicamente viáveis. O Design Thinking pode ser aplicado em um projeto já existente ou em outro totalmente novo. É o verdadeiro “Aprender fazendo”, que segundo David Kelley, fundador da lendária empresa americana de consultoria de design de produtos IDEO, e que apesar de não ter inventado o termo, foi uma das primeiras empresas formadoras de opinião sobre o assunto, e para ele, ainda é mais importante, desbloquear o potencial criativo das pessoas e organizações, para que estas inovem rotineiramente. Agora demonstro um exemplo de aplicação do “Design Thinking” na área da saúde, para melhor entendimento sobre esta nova forma de pensar: Doug Dietz, designer de produtos da General Eletric, tinha orgulho das máquinas de ressonância magnética que ele projetava. Eram as mais avançadas do mundo. Mas, acompanhando alguns procedimentos reais nos dias de exames, ele notou que as crianças ficavam aterrorizadas com o equipamento. Era um túnel frio, sombrio, estranho, e 80% das crianças tinham que ser sedadas para fazer os exames. Após esta experiência, Doug resolveu testar outra solução. Procurou pessoas da área educacional, e a solução encontrada foi a transformação da máquina de ressonância magnética em uma aventura na Ilha

prototipar criar opções

ser humano

test

ar

centro

A EMPATI

ETAPAS DESIGN THINKING


jsonline.com

do Pirata. A taxa de crianças sedadas passou a ser de 10%. Com isto, algumas crianças até acham a aventura divertida, e querem voltar num outro dia. Segundo ele, este é o valor de entender o cliente. Esta história, está descrita no livro: Creative Confidence by Tom Kelley & David Kelley. Observo que o Design Thinking é uma opção inteligente para acertar projetos e serviços que deram errado ou que estão com a sua cotação muito aquém do desejado. Não raro, nos deparamos com produtos e serviços que não nos encantam, e que nos fazem riscar de nossas vidas – de forma definitiva - o nome de determinadas empresas que nos trazem amargas lembranças. É hora de desmistificar a premissa que fazer o certo e atender as necessidades de quem vai utilizar determinado produto ou serviço, sai muito caro. Torna-se oneroso o investimento feito em produtos e serviços que trazem prejuízos para as empresas, e frustração permanente para quem vai utilizá-los. É hora de repensar, e lançar mão de opções inteligentes, de escutar o outro, dentro de uma visão macro, e não isolada. É hora de respeitar os valores do outro, escutá-lo, e importar-se de fato com o que está oferecendo ao mercado, porque não há outra forma de conseguir a tão almejada excelência, sem aprender como fazer e oferecer de forma correta. Nosso cliente final, sempre terá as respostas na ponta da língua, vamos continuar ignorando os fatos? O

cliente? Amargar com os prejuízos? O que também sempre será uma opção. A escolha sempre será nossa! um convite à reflexão: Mergulhe em sua empresa, e depois convide suas equipes de trabalho para um mergulho coletivo num local onde possam expor suas ideias sobre os produtos, e serviços oferecidos, o que está bom, o que não está, o que de fato precisa melhorar. Peça opiniões, inove, se proponha ao desafio, saiba escutar, e sua empresa poderá receber de forma espontânea grandes ideias criativas. E, o melhor, muitas virão acompanhadas de baixos custos para a implementação do novo, o que poderá elevar a sua empresa ao patamar das mais queridas e mencionadas pelos clientes em todas as redes sociais. Aliás, é bom lembrar que este é o local para disseminar Brasil a fora, nossa opinião e experiência sobre determinados produtos e serviços, e, é ali que tudo que é bom, ou muito ruim se torna público. Será que vale a pena desperdiçar este mergulho e a explosão de ideias que podem surgir com esta nova forma de pensar e agir? Reclamamos do cenário nacional, claro, é verdade que o mar não está para peixes, mas tenho certeza que podemos mudar o local da pesca, e a forma de pescar, e desta forma neutralizamos os problemas, e direcionamos o foco para as soluções. Pense nisto!

roseradke@gmail.com; cel (11) 98209-7994

Revista USE.

63


VITRINE DE LUXO Sofá Brera O Sofá Brera traduz a jovialidade para os ambientes, um mix de muitos materiais como aço carbono, couro, madeira e tecido. Uma peça moderna, que traz conforto. A tradução perfeita da inovação. Por Angelo Duvoisin.

Poltrona Aura Desenvolvida para um ambiente com aspecto industrial, Angelo Duvoisin teve sua inspiração em um estilo minimalista. Foi projetada para o essencial, com traços leves e formas tubulares, sem deixar de lado o conforto que uma peça dessas contempla. O couro dá um toque especial, com pequenos detalhes que, trabalhados junto ao meta,l reforçam a leveza da Poltrona Aura.

64

Revista USE.


VITRINE DE LUXO Poltrona Pilão Ligada às raízes de nosso país, esta peça assinada por Bruno Faucz, tem como inspiração o pilão, uma ferramenta usada para moer grãos e que está relacionada a um café de qualidade, feito artesanalmente. Os traços do pilão são claramente percebidos no desenho dos pés da peça, sobretudo nos frontais. Um conceito de forte expressão e inspiração única tornam a Poltrona Pilão objeto de desejo imediato.

Cadeira Benne Baseada em uma análise simples da estética e das sensações, a Cadeira Benne traduz o movimento e leveza, que vai da beleza comum do cotidiano, quando aplicada um revestimento simples até uma bossa mais sofisticada aos ambientes, quando vestida de tecidos nobres e assinados. Por Angelo Duvoisin.

Revista USE.

65


VITRINE DE LUXO Cadeira Espartilho Com inspiração na clássica peça do vestuário feminino, a Cadeira Espartilho foi desenvolvida pela Movelaria Paranista para restaurantes e salões de festas, podendo também compor a decoração de salas de jantar. Produzida em madeira maciça proveniente de reflorestamento, é empilhável, inclusive na versão com braços, o detalhe da costura na madeira é feito com uma peça em couro natural.

APOIO ORGÂNICO COM INOX O Apoio Orgânico com inox cortado a laser, pode ser utilizado também como mesa de centro ou banco. Versatilidade e beleza para quem gosta da exclusividade da natureza.

66

Revista USE.


VITRINE DE LUXO MESA DE CENTRO VITÓRIA-RÉGIA Da Coleção Folhas da Amazônia, reproduz a exuberância da planta regional. A natureza impressa compõe a sensibilidade do artista em suas peças.

Difusores Aromáticos e Umidificadores Os Difusores Aromáticos possuem ação estimulante e envolvente, e remetem a boas lembranças, por meio de aromas gravados na memória. Já os Umidificadores, desenvolvidos no Japão, contam com a tecnologia ultrassônica para fragmentar a solução de água e óleos essenciais em micropartículas, que se difundem no ar em forma de vapor frio, preservando suas propriedades naturais. Os produtos Pura Essência são ideiais para perfumar todos os ambientes que sua imaginação permitir.

puressencearomas.weebly.com

Revista USE.

67


&saudรกvel

CHIQ

68

Revista USE.


É melhor ter ou ser? Por Vânia Lúcia Slavieiro

“Este dilema é milenar. Basta ver os clássicos da história da humanidade, os filósofos e cientistas do comportamento humano, mostrando-nos claramente o conflito existencial de ontem, hoje e amanhã. Intrínseco ao Ser”. Este espaço valioso possibilitará uma reflexão existencial a você, leitor. Como se alcança o equilíbrio entre ter e ser no mundo atual? Convido você para uma jornada interna. Para dentro de sua primeira casa: o seu lar, chamado corpo e mente, onde habita sua alma. Você, em contato com o Grande Arquiteto do universo, materializando-se em suas conquistas diárias. Quando conseguimos realmente passear por estes espaços, vislumbramos flashs de felicidade autêntica que nos preenchem o coração! E é isto que queremos levar para todos os ambientes. Mesmo como profissinais que oferecem soluções para moradias, somos antes de mais nada, essência. E então, quando pensamos em nossa casa, sentimos a presença de familiares, amigos, bichinhos de estimação, plantas... A vida está presente! É o nosso lugar sagrado, onde descansamos, recuperamos nossas energias e sentimos a presença do amor pelo outro e amor por si mesmo. E ali, revela-se também sua identidade. Identidade esta que mostra nossas características mais profundas. É neste “ponto de mutação”, como diz o físico F. Capra, que quero chegar. A busca pela felicidade é algo comum a todos. É o que move nossa jornada. Mas nesse caminho, cada indivíduo escolhe como deseja trilhar. Agora vamos analisar e levar esse contexto à realidade do mobiliário e artigos decorativos. Estudos apontam que os consumidores estão movimentando um processo de mudança em seus hábitos. Diferente de tempos passados, já não se compra apenas por comprar. É necessário um real motivo, uma utilização, cada vez mais específica e com finalidade. Ouve-se falar em “consumo consciente”, onde as pessoas estão mais preocupadas e engajadas com questões relacionadas à responsabilidade ambiental e social. Isso reflete no modo como o mercado percebe esses consumidores e trata os assuntos que, para eles, são importantes. A decisão de compra também passa a ser mais rigorosa e os consumidores avaliam se a empresa tem boas relações com a comunidade, se não realiza testes em animais, se possui selos de proteção ambiental, se

está atenta aos seus resíduos industriais, e até mesmo se promove a redução do consumo de energia elétrica. O que eu quero dizer é que o consumo tem um papel transformador na nossa sociedade. Seja para o bem ou para o mal. E o seu cliente está atento a isso. A reflexão, então, recai sobre a sua marca. Ela está atendendo os requisitos do consumo consciente? Os desejos do consumidor de design são simples. Eles valorizam a peça única, a exclusividade, principalmente quando há a preocupação com a natureza, aproveitamentos e cuidados reais com o meio ambiente. São inclusive as peças mais apreciadas, pois além de não existir nenhuma outra igual, são ecologicamente corretas. Quantos produtos sua empresa está oferecendo com estas características? Eis uma oportunidade para avaliar se suas estratégias de mercado estão de acordo com os atuais anseios dos consumidores e com suas perspectivas de felicidade, que estão muito além de apenas ter, mas se concretizam na realização do ser. Reflita: - Quais são meus valores mais importantes? - Estes valores contribuem com a consciência saudável e planetária? - O que posso fazer por mim e pelo meio em que habito, para que se torne mais autossustentável e harmônico? - “Seja você a Transform...Ação que deseja ao mundo”! (Segundo Gandhi) Sobre Vânia Lúcia Slaviero: Autora de livros, palestrante, consultora, presidente e coordenadora geral das pósgraduações do Instituto Educacional De Bem Com a Vida. Pós-graduada em Programação Neurolinguística Sistêmica com Qualidade de Vida: Practitioner; em Yoga Pedagógico com Neuroaprendizagem; em Antroposofia com Bases para a Saúde; em Master/Trainer em PNL e a Arte da Comunicação. Formação em World Health Community. Especialista em Morfo Análise e Consciência Corporal. www.educacionaldebemcomavida.com.br instituto@educacionaldebemcomavida.com.br vanialuciaslaviero@gmail.com whatsapp: 41 9903-8519 (receba áudios de autoconhecimento)

Revista USE.

69


BRAVO!

Polvo ao molho de trilogia de alho

Por Carlla Fermino Fillus

70

Revista USE.


Com um sabor distinto, o polvo é apreciado pela qualidade de sua carne, que possui alto valor nutritivo e baixo índice de gordura. No Brasil, o fruto do mar conquistou seu espaço na gastronomia catarinense. Temperado com alho e recebendo o toque final do tomilho, essa receita ganha um aroma agradável e atrai os mais diversos paladares. O preparo é simples, mas o prato é sofisticado e esbanja requinte.

Revista USE.

71


BRAVO! INGREDIENTES Para o polvo - 1kg de tentáculos de polvo - 2l de água - 50g de sal - Manteiga para grelhar Para o molho de alho - 3 cabeças de alho - 50 g de manteiga - 100 g de requeijão - 50 ml de leite Para o alho confit - 2 cabeças de alho - 200 ml de óleo - 4 ramos de tomilho Para finalização: 3 dentes de alho negro 1 ramo de tomilho

PREPARO

Molho: Descasque o alho e refogue na manteiga, até ficar bem dourado. Adicione o requeijão e o leite; ajuste com sal e pimenta. Bata no liquidificador até ficar com uma textura lisa e cremosa; Alho confit: Coloque todos os ingredientes em uma panela funda, de maneira que o alho fique totalmente coberto com o óleo. Ligue o fogo bem baixo e não deixe ferver. Deixe em uma temperatura de 80 graus por cerca de duas horas;

Polvo: Em uma panela funda coloque a água e o sal, ligue o fogo e deixe ferver. Quando estiver fervendo coloque o polvo. Deixe cozinhar por uma hora ou até ficar macio. Após, seque e grelhe com a manteiga. Finalização: Coloque o molho no fundo do prato. Coloque as três cabeças de alho separadamente e de forma que respeitem a mesma distância. Coloque o polvo bem no centro do prato e decore com um ramo de tomilho. Essa porção serve duas pessoas.

72

Revista USE.


BRAVO!

O prato é assinado pelo Chef Gustavo Piffer e é servido no Indaiá Restaurante, em Itapema, Santa Catarina.

Revista USE.

73


CARTA DA EDITORA

74

Revista USE.


Modelo fixo, com estrutura em madeira, o Sofá Dropp é sofisticado e atemporal. Revestido em Couro Ecológico e com acabamento liso, este estofado é versátil e flexível para diversas possibilidades de decoração.

Revista USE.

75


IMAGEM: XXXX

BRAVO!

O visual moderno e inusitado do Indaiá Restaurante é resultado de uma reforma, realizada no ano de 2012. O novo conceito arquitetônico foi trazido pelo Studio Methafora. A estrutura metálica foi usada como solução para valorizar a construção e principalmente, harmonizar o diálogo entre o exterior e o interior do restaurante. O piso escolhido foi o de concreto polido, que tem alta resistência e traduz a sobriedade do cinza com elegância.

76

Revista USE.


Linhas e formas leves compõem a Mesa de Jantar Delta, fabricada em madeira maciça Eucalipto Grandis. Com toda sua estrutura em madeira, a Cadeira Xis, possui um encosto em formato da letra que deu origem ao seu nome. O assento é feito de Rattan sintético, garantindo resistência e conforto. Esse conjunto de peças traz um estilo clássico e autêntico ao mesmo tempo.

O Pendente Up and Down foi escolhido para priorizar a originalidade e insinuar leves traços de design industrial nos componentes de iluminação. Com sistema para regulagem de altura, os pendentes foram produzidos em alumínio, por ser um material resistente para regiões litorâneas. Os pendentes, assim como as cadeiras, mesas e sofás, foram todos adquiridos na loja Zaika, de Balneário Camboriú, SC.

Revista USE.

77


AGENDE-SE Salvador Data: 15 de setembro a 23 de outubro

ORGATEC 2016 Local: Colônia - Alemanha Data: 25 a 29 de outubro

CASA COR PARANÁ Local: Rua João Tschannerl, 880 Vista Alegre - Curitiba Data: 21 de junho a 31 de julho

CASA COR MATO GROSSO Local: Rua Presidente Prudente de Moraes, s/n - Cuiabá Data: 16 de setembro a 30 de outubro

22ª ABIMAD 2016 Local: Expo Center Norte - SP Data: 12 a 15 de julho

LONDON DESIGN FESTIVAL Local: Londres, Inglaterra Data: 17 a 25 de setembro

CASA COR CEARÁ Local: Rua General Sampaio 1632 (Casa do Barão de Camocim) Fortaleza Data: 03 de novembro a 13 de dezembro

LAS VEGAS MARKET 2016 Local: Las Vegas - Estados Unidos Data: 31 de julho a 04 de agosto

DECOREX INTERNATIONAL 2016 Local: Syon Park London, Reino Unido Data: 18 a 21 de setembro

CASA COR RIO GRANDE DO SUL Local: Rua Faria Santos, 451 - Petrópolis - Porto Alegre Data: 28 de junho a 21 de agosto

53ª House & Gift Fair Local: Expo Center Norte - SP Data: 06 a 09 de agosto High Design – Home & Office Expo Local: Expo Exhibition & Convention Center - SP Data: 09 a 11 de agosto Design Weekend – DW! Local: São Paulo Data: 10 a 14 de agosto CASA COR MATO GROSSO DO SUL Local: Av. Afonso Pena, 4025 Campo Grande Data: 26 de agosto a 09 de outubro CASA COR MINAS GERAIS Local: Alameda das Latâneas, 30, esquina de Av. Otacílio Negrão de Lima - Pampulha Data: 30 de agosto a 04 de outubro FURNITURE CHINA 2016 Local: Shangai World Expo Exhibition & Convention Centre, China Data: 8 a 11 de setembro CASA COR BAHIA Local: Rua Baronesa de Sauipe, 382 - Largo do Campo Grande,

78

Revista USE.

100% design Local: Olympia London Data: 21 a 24 de setembro CASA COR BRASÍLIA Local: SHIS QI 09 LOTE D – Lago Sul (Antigo Hospital Inacor) Data: 22 de setembro a 13 de novembro CASA COR PERU Local: a definir Data: 23 de setembro a 01 de novembro CASA COR ESPÍRITO SANTO Local: Hotel Canto do Sol - Avenida Dante Michelini, 3957 Praia de Camburi - Vitória Data: 28 de setembro a 08 de novembro HIGH POINT MARKET FALL 2016 Local: High Point, Carolina do Norte - Estados Unidos Data: 15 a 20 de outubro CASA COR SANTA CATARINA Local: Balneário Camboriú Prédio Marina Beach Towers, Rua 3.700, 425 - Centro Florianópolis - Rua Esteves Junior, 546 - Centro Data: 23 de outubro a 04 de dezembro

2017 LIVING KITCHEN Local: IMM Cologne - Alemanha Data: 16 a 22 de janeiro JANUARY FURNITURE SHOW Local: NEC, Birmingham - Reino Unido Data: 22 a 25 de janeiro INTERNATIONAL FURNITURE FAIR SINGAPORE Local: Singapore Expo, Singapura Data: 09 a 12 de março HIGH POINT MARKET SPRING Local: High Point, Carolina do Norte - Estados Unidos Data: 22 a 27 de abril MÓVEL BRASIL Local: Centro de Eventos Promosul - São Bento do Sul, SC Data: 16 A 19 de maio INTERZUM Local: Cologne - Alemanha Data: 16 a 17 de maio CASA SUL Local: Centro de Convenções Centrosul - Florianópolis, SC Data: 18 a 21 de maio HIGH POINT MARKET FALL Local: High Point, Carolina do Norte - Estados Unidos Data: 14 a 19 de outubro


79

Revista USE.


A MAIOR E MAIS LUXUOSA COLEÇÃO A

PRONTA-ENTREGA.

Somos a Treelux Brazil, importadora com mais de 10 anos no mercado de iluminação e decoração. A maior variedade de abajoures e lustres finos que incrementarão as suas vendas.

CONSULTE POR:

TREELUX10 RUA GASPAR MARTINS, 188 - PORTO ALEGRE - RS (51) 3062.3233 | Whatsapp: (51) 9988.6975

e receba brindes.

Revista USE - 2ª edição  
Revista USE - 2ª edição  

revistause.com.br

Advertisement