Page 1


noticias.indd 40

18/04/2017 01:27:33


EDITORIAL

A REVISTA TÊXTIL é uma publicação da

R. da Silva Haydu & Cia. Ltda. Inscr. Est.: 104.888.210.114 CNPJ/MF: 60.941.143/0001-20 MTB: 0065072/SP

Diretor-Presidente: Ricardo Haydu Diretora de Redação: Clementina Haydu Jornalismo: Carlos E. Bazela Designer: Carlos C. Tartaglioni Foto da capa: Divulgação Representantes Comerciais Europa – International Communications Inc. Andre Jamar 21 rue Renkin – 4800 – Verviers – Belgium Tel/Phone: + 32 87 22 53 85 / Fax: + 32 87 23 03 29 e-mail: andrejamar@aol.com Ásia (Asian) – Buildwell Int. Co., Ltd. Nº 120, Huludun, 2nd St., Fongyuan, Taichung Hsien - Taiwan 42086 - R.O.C. Tel/Phone: + 886 4 2512 3015 / Fax: + 886 4 2512 2372 Coréia (Korea) – Jes Media International 6th Fl., Donghye-Bldg. – 47-16, Myungil-Dong Kandong - Gu – Seoul 134-070 Tel./Phone: + (822) 481-3411/3 / Fax: + (822) 481-3414 Correspondente na Argentina – Ecodesul Av. Corrientes, 3849 – Piso 14° OF. A. Buenos Aires - Argentina Tel/Phone: (541) 49-2154 / Fax: (541) 866-1742 Órgão Oficial das entidades

Órgão de divulgação das entidades Abint – Associação Brasileira das Ind. de NãoTecidos e Tecidos Técnicos; Núcleo Setorial de Informação do SENAI/CETIQT; Redação/Administração Rua Albuquerque Lins, 1151 2º andar – Santa Cecília Cep 01230-001 - São Paulo - SP - Brasil Tel/Phone: +55-11-3661-5500 E-mail: revistatextil@revistatextil.com.br Site: www.revistatextil.com.br Publicação bimestral com circulação dirigida às fiações, tecelagens, malharias, beneficiadoras, confecções nacionais e internacionais, universidades e escolas técnicas. Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem, necessariamente, a filosofia da revista. A reprodução total ou parcial dos artigos desta revista depende de prévia autorização da Editora. Redação Releases, comentários sobre o conteúdo editorial, sugestões e críticas a matérias. Pedidos de informação relacionados às matérias e à localização de reportagens: e-mail: redacao@revistatextil.com.br Publicidade Anuncie na REVISTA TÊXTIL e fale diretamente com o público leitor mais qualificado do setor têxtil no Brasil e no mundo: e-mail: revistatextil@revistatextil.com.br

A HONRA

THE HONOR

Enquanto esta edição chega às mãos dos leitores, a Revista Têxtil entra em um dos momentos mais singulares de sua história. Ao trazer para o conhecimento da indústria os fatos mais relevantes do segmento por meio destas páginas, sempre pensamos na qualidade da informação e em como trazer retorno aos nossos clientes, amigos e parceiros, que desde 1931 confiam suas marcas às nossas páginas. E, agora, a única sensação possível é a de reconhecimento. No fim deste mês, durante a Tecnotêxtil Brasil 2017, será entregue a primeira edição do “Destaque Ricardo Haydu”pela FCEM - Febratex Group a expositores, jornalistas e entidades, que compõem toda a cadeia têxtil. A honra é imensa. Ser imortalizado em uma premiação que agracia os melhores em um segmento de tanto apreço é, certamente, um bálsamo para a alma em um ano tão conturbado. Mas, acima de tudo, significa que estamos conduzindo um trabalho de qualidade em um mercado que se estabiliza no presente e tem grandes planos para o futuro. E, por falar em futuro, veja em nosso preview da Techtextil/Texprocess como os tecidos técnicos ainda ajudarão ao homem a viver no espaço e em outras tarefas, como transplantes e até mesmo no dia-a-dia em casa. O tema ainda é explorado na Tecnotêxtil Brasil 2017, realizada aqui no Brasil, que traz diversas novidades para o segmento e também no seminário promovido pela ABTT, onde diversos fabricantes falaram sobre suas novidades em maquinário e processos. Obrigado por estar mais um edição conosco Boa leitura!

While this issue reaches the readers’ hands, Revista Têxtil enters in one of the most singular moments of its history. By bringing to industry knowledge, the most relevant facts of the segment through these pages, we always think about the quality of information and how to bring back value to our customers, friends and partners, who, since 1931 entrust their brands to our pages. And now, the only possible sensation is recognition. At the end of this month, during Tecnotêxtil Brasil 2017, the first edition of the “Ricardo Haydu Featured” will be presented to exhibitors, journalists and entities, which make up the entire textile chain by FCEM - Febratex Group. The honor is immense. Being immortalized in an award that recognizes the best on a segment of such appreciation is certainly a balm for the soul in such a troubled year. But above all, it means that we are delivering a quality work in a market that is stabilizing in the present and has great plans for the future. And, speaking of the future, see in our preview of Techtextil how technical fabrics will help the man to live in space and other tasks, such as medic transplants and even day-to-day work at home. The theme is still explored in Tecnotêxti Brasil 2017 l, held here in Brazil, which brings several novelties for the segment and also in the seminar promoted by ABTT, where several manufacturers spoke about their innovations in machinery and process. Thank you for being with us for another issue. Have a nice reading!

Assinaturas Para renovação e outros serviços, escreva para: e-mail: revistatextil@ revistatextil.com.br

Revista Têxtil #748 I 01

editorial - sumario.indd 1

18/04/2017 19:14:41


SUMÁRIO

ANUNCIANTES

MATÉRIAS FUTURO TÊXTIL ................................................. DIGITAL .............................................................. ENTREVISTA ....................................................... TECNOLOGIA ...................................................... FEIRAS E EVENTOS ............................................ ABTT ................................................................... NOTÍCIAS ........................................................... ABIT ....................................................................

04 16 24 28 30 37 38 40

RIETER ................................................................ ORIZIO ................................................................ PICANOL ............................................................ BRÜCKNER ......................................................... GRAF .................................................................. CACR .................................................................. LECTRA .............................................................. WEKO ................................................................. HAVIR ................................................................. SALÃO MODA BRASIL ........................................ SERIGRAFIA SIGN FUTURETEXTIL ..................... REVISTA TÊXTIL .................................................

03 05 07 13 15 19 21 23 27 31 33 39

TABATEX .................................................. CAPA 02 FEBRATEX ................................................ CAPA 03 SPGPRINTS ............................................. CAPA 04

02 I Revista Têxtil #748

editorial - sumario.indd 2

18/04/2017 19:14:43


FEIRAS & EVENTOS

Revista Têxtil #748 I 03

editorial - sumario.indd 3

18/04/2017 19:14:45


FUTURO TÊXTIL

TECHTEXTIL/TEXPROCESS 2017: MAIS FUTURISTA DO QUE NUNCA Feira alemã de tecidos técnicos e nãotecidos traz novidades para o mercado mundial e já mira em outras esferas

A

Techtextil, feira focada no mercado de tecidos técnicos e nãotecidos será realizada mais uma vez na cidade alemã de Frankfurt (Figura 1) entre os dias 9 e 12 de maio. O evento acontece em paralelo – e no mesmo lugar – que a Texprocess, voltada para o mercado de processamento de artigos têxteis, materiais flexíveis e suas aplicações, como o vestuário, por exemplo. Com o tema “Conectando o Futuro”, a edição deste ano, da Techtextil promete mostrar o papel do têxtil técnico no desenvolvimento da humanidade, que vai desde roupas de proteção para certas atividades (Figura 2), até sua importância em incursões fora da Terra. Mas, não é preciso ir tão longe para ver o que a Techtextil 2017 pode trazer de aplicações palpáveis. No segmento médico (Figura 3), por exemplo, é cada vez maior a participação de artigos têxteis e as expectativas são altas para os novos produtos à base de fibras, que podem ser usados em ​​ tratamentos médicos e cuidados terapêuticos. Profissionais da área médica e de saúde podem esperar por uma série de novas descobertas em pesquisas baseadas em fibras, juntamente com as soluções que delas derivam, na seção Medtech da Techtextil. As áreas de aplicação incluem hospitais, instituições de reabilitação e cuidados e / ou o cuidado dos idosos em suas casas. Em franca ascensão, o mercado de tecidos técnicos já constitui uma bela fatia do têxtil alemão, que por si só já é bem expressivo. De acordo com a Confederação da Indústria de Moda e Vestuário Alemã, o segmento é responsável

04 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 4

por

CARLOS EDUARDO BAZELA

por mais de 140 mil empregos em 1.400 empresas. Considerado um dos maiores segmentos de bens de consumo no país, movimentando algo em torno de 32 bilhões de euros anuais. E, segundo os organizadores da Techtextil e da Texprocess, o crescimento é guiado pelos tecidos técnicos. “As empresas alemãs são líderes mundiais em termos de têxteis técnicos. Durante anos, o volume de negócios tem crescido de forma constante, prova da inovação da indústria e dos excelentes produtos. A digitalização dos produtos e processos têxteis provocará, além disso, um impulso à inovação em outras indústrias”, afirma Manfred Junkert (Figura 4), gerente da entidade.

AO INFINITO E ALÉM Em parceria com a Agência Espacial Europeia (ESA) e o Centro Aeroespacial Alemão (DLR), a feira alemã trará uma área exclusiva para mostrar a aplicação dos tecidos técnicos para se viver no espaço e até na exploração de nosso vizinho mais próximo, o planeta Marte. “Estamos nos ramificando em direções completamente novas com a Techtextil deste ano”, comenta Olaf Schimdt (Figura 5), vice-presidente de Têxtil e Tecnologias Têxteis da Messe Frankfurt, organizadora da feira. “Além disso, o fato de termos conquistado novos parceiros fortes, como a ESA e o DLR, algumas das principais áreas de aplicação de têxteis técnicos, representa uma prova sólida da relevância da aplicação dos produtos e tecnologias mostrados na Techtextil”, reitera o executivo.

Fotos do artigo: Jean-Luc Valentin, Pietro Sutera e Divulgação

18/04/2017 14:43:54


FUTURO TÊXTIL

Revista Têxtil #748 I 05

TECHTEXTIL.indd 5

18/04/2017 14:43:55


FUTURO TÊXTIL Os organizadores estão montando um espaço especial sob o tema “Viver no Espaço” no hall 6.1, que irá mostrar têxteis de alta tecnologia, novidades em processamento têxtil e para o sector aeroespacial. O local também servirá como ponto de convergência para a feira paralela, a Texprocess. Nele, o destaque será a área interativa, que trará uma experiência de realidade virtual (Figura 6), na qual os visitantes da Techtextil e da Texprocess podem realizar uma viagem pelo espaço até chegar em Marte (Figura 7) e descobrir como os têxteis técnicos e sua tecnologia de processamento podem possibilitar a criação de comunidades no espaço. “O setor têxtil técnico oferece as soluções necessárias para se movimentar e sobreviver no espaço. Isto é o que vamos mostrar de uma forma profissional e ao mesmo tempo divertida em uma área dedicada na feira. Para os visitantes, a área vai oferecer inspiração e orientação”, diz Michael Jänecke (Figura 8), Diretor de Gestão de Marca

deTêxteis Técnicos e Processamento de Têxteis da Messe Frankfurt, organizadora da feira. Além disso, a “Galeria de Materiais” mostrará produtos têxteis e tecnologias de processamento de expositores da Techtextil ligados a viagens espaciais. Haverá também apresentações de start-ups que trabalham na interface de têxteis técnicos para essa finalidade. “Graças à sua extrema durabilidade e resistência à temperatura, muitos materiais desenvolvidos para viagens espaciais estão sendo usados no nosso cotidiano e vice-versa. Um bom exemplo são materiais desenvolvidos para trajes espaciais que regulam o calor e a umidade sendo usado em calçados esportivos, roupas e têxteis para o lar”, afirma o Dr Rolf-Dieter Fischer, diretor de marketing do DLR. A Revista Têxtil já está de malas prontas para a Alemanha e ainda preparou um preview com o que alguns dos expositores apresentarão no evento. Veja:

F01. A Techtextil acontece entre 09 e 12 de maio em Frankfurt, na Alemanha

F03. Vasos artificiais de tecidos técnicos são destaque para o segmento médico

F02. Roupas e equipamentos de proteção também terão destaque na Texprocess

F04. Manfred Junkert, da Confederação da Indústria de Moda e Vestuário Alemã

06 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 6

18/04/2017 14:43:56


FUTURO TÊXTIL

Revista Têxtil #748 I 07

TECHTEXTIL.indd 7

18/04/2017 14:43:57


FUTURO TÊXTIL

F06. No evento haverá uma experiência com realidade virtual

F05. Olaf Schimdt, vice-presidente de Têxtil e Tecnologias Têxteis da Messe Frankfurt

F07. Será possível visitar virtualmente o planeta Marte

ANDRITZ

so para simplificar funções. Atende a necessidades específicas, tais como capacidade de produção, largura, versatilidade, retorno do investimento e gama de tecidos configurando a linha de produção para atender exatamente às exigências. A empresa também promete tecnologia em seu estande, com uma apresentação em realidade virtual para revelar aos presentes detalhes de suas linhas de produção.

Especializada em nãotecidos, a Andritz leva para a Alemanha as novidades de sua linha de produção neXline (Figura 9). Além de permitir velocidades de trabalho de 205 m/minuto, a máquina reduz custos ao evitar desperdício de fibra. Além disso, o novo sistema “Dynamic Harmonic Shifter” (DHS), harmoniza a frequência de funcionamento do conjunto para minimizar efeitos de vibração, que possam danificar o conjunto. A neXline também abre as portas para fabricantes que atuam em nichos específicos, pois oferece produtos de fibras especiais, como aramida, carbono, microfibra de vidro, e outras. As aplicações vão desde agricultura e automotivo até aeroespacial, passando pelos segmentos médico e de saúde. A Andritz ainda exibe o simulador neXmatrix. Esse sistema identifica, configura e otimiza várias soluções de proces-

UCMTF A indústria têxtil francesa reuniu 30 empresas para expor na Techtextil 2017 por meio de sua associação. O presidente da associação, Bruno Ameline, revela o que faz com que as companhias da França se destaquem no universo dos tecidos técnicos. “O que nos faz parte da comunidade têxtil técnica é o fato de que temos que investir para o futuro, em R e D, na organização dos serviços que nossos clientes precisam

08 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 8

18/04/2017 14:43:59


FUTURO TÊXTIL

F08. Michael Jänecke, Diretor de Gestão de Marca deTêxteis Técnicos e Processamento de Têxteis da Messe Frankfurt

F09. A linha neXline da Andritz

F.10 A Laroche leva seu conceito de reciclagem de tecidos

onde quer que estejam localizados, na crescente expertise de nossas equipes. Como não competimos em máquinas de mercados de massa, temos que nos concentrar em nichos de mercado e muitas vezes projetar máquinas especiais para aplicações específicas. O tamanho de nossas empresas torna possível a integração de nossos departamentos de marketing e pesquisa e desenvolvimento”, finaliza. Sendo assim, a UCMTF leva alguns destaques como os sistemas da Laroche para reciclagem (Figura 10). Vestimentas usadas podem ser convertidas em fibras, depois de retirados botões e zíperes. Essas fibras são reutilizadas em novos fios, economizando matéria-prima de algodão, por exemplo, o que economiza uma série de recursos na produção. Desde água até pesticidas. No caso dos nãotecidos, as fibras podem ser reutilizadas em feltros para isolamento acústico em automóveis ou térmicos em edifícios.

Já a Superba, que desenvolve e produz soluções de tratamentos térmicos para processamento de fios utilizados na fabricação de tapetes, enviará a TVP3 (Figura 11), o principal produto da companhia que vem sendo aprimorado ano após ano. O segmento de sensores, por sua vez, estará representado pelo MYT-T (Figura 12) da Fil Control, que traz como principal característica a possibilidade de delimitar a influência da temperatura, evitando que o pico de tensão quebre a cabeça do sensor.

ACIMIT A ACIMIT, Associação Italiana de Fabricantes de Máquinas Têxteis é outra associação de fabricantes que confirmou a presença de seus associados na Techtextil deste ano. Serão dois estandes onde estarão reunidos 25 das empresas que compõem o grupo para mostrar suas novidades. São elas: Revista Têxtil #748 I 09

TECHTEXTIL.indd 9

18/04/2017 14:44:01


FUTURO TÊXTIL

F11. O TVP3 da Superba

F13. O Grupo Dilo levará uma linha de produção compacta

F12. O sensor MYT-T da Fil Control

F14. O recém-apresentado crosslayer horizontal DLSC 200 da DiloMachines

4M Plants, Beschi, Bianco, Bombi, Bonino, Canalair, Carù, Cogne, Cubotex, Dell’orco & Villani, Etv, Fadis, Mesdan, Monti-Mac, Noseda, Pmt Ribbons, Ratti, Rollmac, Sariel, Saspe, Sicam, Textape, Toscana Spazzole, Unitech, Zappa. Por enquanto, a ACIMIT não revelou à imprensa o que cada uma das empresas irá mostrar em Frankfurt. De acordo com a ACIMIT, as empresas presentes são apenas uma amostra. A associação revela que pelo menos 100 dos seus membros são companhias que estão produzindo maquinário voltado ao setor de tecidos técncos. A ACIMIT compreende em torno de 300 fabricantes de máquinas têxteis italianas.

DiloSystems. Entre o os produtos que apresentará na feira estão a carda VectorQuadroCard, o crosslayer horizontal DLSC 200 e uma linha compacta de produção (Figura 13), desenvolvida para produzir feltros de fibras especiais, como carbono. O recém-apresentado crosslayer horizontal DLSC 200 (Figura 14) da DiloMachines estabelece novos padrões em termos de tecnologia de cruzamento com uma bobina eletromecânica que pode ser alimentada a um velocidade de 200 m / min, dependendo das fibras utilizadas. A nova técnica de módulo de agulha do DiloMachines incorpora 22 agulhas em um suporte de plástico e é usada em placas com densidade de agulha muito alta. Estes módulos resultam em uma qualidade de superfície mais homogênea e superior. Esta tecnologia de módulo de agulha, desenvolvida por meio de uma parceria com a fabricante de agulhas Groz-Beckert, é específica para o trabalho com nãotecidos leves.

GRUPO DILO O Grupo Dilo também estará presente com suas unidades de negócios: DiloSpinnbau, DiloTemafa, DiloMachines e

10 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 10

18/04/2017 14:44:02


FUTURO TÊXTIL

MODA INOVADORA

F15. ECO-COAT

Outro ponto que evidencia a temática futurista da Techtextil e da Texprocess em 2017 é a segunda edição do Innovative Apparel Show, que como o próprio nome diz, traz ideias inovadoras e não convencionais ao segmento de vestuário (Foto). Neste ano, o evento, que também funciona em ritmo de competição, terá três temas: “Efeitos de tecidos”, “Engenharia Criativa” e “Moda Inteligente”. Entre os competidores/expositores, estão alunos de renomados centros de ensino com tradição no segmento, como a escola internacional de moda ESMOD de Paris, na França, a Academia Italiana, que traz cursos de moda, design e fotografia e fica em Florença, na Itália; a ESAD, escola de arte e design de Matosinhos, em Portugal e a Hochschule Trier, escola alemã de design de moda.

F16. A iMaster H2O é outro destaque da Thies

SCHOELLER A suíça Schoeller está empenhada em criar o tecido perfeito para o futuro. E não há lugar melhor do que a Techtextil pra mostrar suas criações. Neste ano, a empresa leva três conceitos para usos específicos à Frankfurt: tecidos para motociclistas, resistentes ao fogo e inteligentes. No campo dos inteligentes, o destaque vai para o E-soft-shell, que está em processo de desenvolvimento pela Schoeller. Este laminado inovador poderá ser vendido por metro e traz fios condutores especialmente incorporados para conduzir calor. O material também pode ser lavado. Já com a sua nova tecnologia pyroshell, a Schoeller conseguiu unificar proteção contra chamas com tecidos de poliamida leve ou poliéster. Sendo assim, esta inovação pode ser combinada com outra tecnologia da casa, a ceraspace, caracterizada pela alta resistência à abrasão. A novidade Revista Têxtil #748 I 11

TECHTEXTIL.indd 11

18/04/2017 14:44:03


FUTURO TÊXTIL pode ser empregada em uniformes de funcionários de siderúrgicas e toda e qualquer profissão que tenha contato com fogo ou faíscas. No campo do lifestyle, a linha de produtos para motociclistas traz uma vasta gama de materiais para ser usados em indumentárias, como calças e jaquetas por conta de seu alto grau de resistência à abrasão. Particularidade testada em quedas simuladas.

JAKOB MULLER

F17. A máquina de urdir Magma T12

F18. A Unival 100 da Stäubli

F19. O sistema TF oferece possibilidades de tecelagem

A Jakob Muller é mais uma fabricante suíça que estará em maio na feira de Frankfurt. Na ocasião, a empresa levará máquinas especializadas em trabalhar com tecidos estreitos. Os destaques ficam por conta da NH2 53 2/130 S2 tear de agulhas de malha estreita, controlado eletronicamente, para tecidos de estreitos, leves, elásticos e não elásticos com comprimentos de repetição ilimitados; da COMEZ ACOTRONIC 8B/600, máquina de crochet que utiliza agulhas compostas para fitas, artigos técnicos e médicos; e a UV60-W máquina para a medição e enrolamento de correias, cintos de segurança, tecidos estreitos e artigos tubulares. O tear de tecido estreito NH2 53 2/130 controlado eletronicamente, que oferece comprimentos de repetição virtualmente ilimitados, será mostrado produzindo uma fita de saco com cordão tecido. Os custos de produção da máquina são consideravelmente mais baixos devido ao seu consumo de energia de menos de 2kW, baixa manutenção e pouca necessidade de peças sobressalentes. Já a OMEZ ACOTRONIC 8B/600 é uma máquina de tricô eletrônica de alta eficiência que utiliza agulhas compostas para a produção de uma ampla gama de fitas, têxteis técnicos e médicos, elásticos e não elásticos. As agulhas compostas tornam a máquina altamente versátil, pois além de fios sintéticos clássicos (poliéster, poliamida) permitem o processamento de fios naturais (algodão, lã) e fibras especiais (Kevlar, fibra de vidro, carbono, basalto) na urdidura. A UV60 será mostrada pela primeira vez na feira com um novo trocador de ferramentas de cinco compartimentos. As ferramentas sentam-se em um trilho e são posicionadas de forma rápida e precisa sobre o cinto usando o controle SPS. Como resultado, a UV60 oferece uma vasta gama de possibilidades de produção. As marcações aplicadas automaticamente também facilitam o processamento posterior, uma vez que os parâmetros armazenados do produto podem ser encontrados facilmente e permitem a configuração e o ajuste rápidos e diretos da máquina.

12 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 12

18/04/2017 14:44:03


FUTURO TÊXTIL BRÜCKNER A companhia familiar também é forte no segmento de tecidos técnicos e nãotecidos. Sediada na Alemanha, a Brückner oferece sistemas de aplicação muito diferentes para o revestimento de têxteis técnicos e um deles é a unidade de aplicação mínima ECO-COAT (Figura 15), que estará exposta na feira. A fabricante ressalta ainda que todas as suas soluções são customizáveis por seus clientes.

THIES A Thies leva ao evento de Frankfurt máquinas que são utilizadas para processar uma vasta gama de fibras. Entre os destaques estão a iCone, HT-Jigger e iMaster H2O e soft-TRD SIII. O iCone branqueia fibras, flocos, fios, cabos e cintos. Usando funções especiais de eficiência energética, o iCone é capaz de tingir de uma forma mais econômica e ecológica. Podem ser utilizadas fibras de celulose para uso médico ou qualquer outro substrato, tais como poliéster, acrílico e poliamida. A variedade de iCone se reflete nas seguintes áreas de aplicação: tratamento de fios de costura, tingimen-

to e branqueamento de fios para a produção de velas solares, tendas e toldos. Já o HT-Jigger é usado para tingir tecidos, nãotecidos ou tecidos espaciais e foi projetado para oferecer tingimento uniforme. Adequado para processar têxteis a temperaturas até 143ºC, ele é recomendado para o tratamento de tecidos sensíveis a enrugamento, permeáveis ​​e não permeáveis. As aplicações chaves são o setor automotor com tratamentos dos interiores do veículo ou dos setores industriais, que usam materiais do filtro. A iMaster H2O (Figura 16) é ideal para todas as aplicações de tecido onde o consumo de água é uma consideração importante, juntamente com outras possíveis economias de energia, incluindo vapor, eletricidade mais produtos químicos e corantes. A máquina de tingimento iMaster H2O está provando ser bem sucedida com vários fabricantes de tecidos automotivos. Concebida para o tingimento universal de tecidos, malhas e nãotecidos, esta geração de máquinas soft-TRD estabelece novos padrões no uso eficiente de materiais e recursos. O fluxo de material livre e a baixa tensão na zona

Revista Têxtil #748 I 13

TECHTEXTIL.indd 13

18/04/2017 14:44:04


FUTURO TÊXTIL de transporte, garantem um relaxamento óptimo e um tratamento uniforme de todo o cordão de tecido.

STÄUBLI

F20. O TechnoCorder TC2 caracteriza-se pela sua flexibilidade

F21. SSM DURO-TD

A Stäubli apresentará duas máquinas que se encaixam muito bem no processo de produção de têxteis técnicos. Além disso, uma seleção de tecidos técnicos incluindo espaçadores e multicamadas com espessura variável que foram produzidos em conjunto com produtos Stäubli tais como sistemas de tecelagem TF, dobbies, máquinas Jacquard, equipamento de dobra ou amarração. Entre os destaques estão a Magma T12, a Unival 100 e o sistema de tecelagem TF. A máquina de urdir Magma T12 (Figura 17) para fios técnicos, monofilamentos, multi-filamentos grosseiros, fitas PP, fibras liberianas, fibras grossas e muitos outros tipos de fibras. Foi desenvolvida para a aplicação universal, que varia dos fios técnicos grossos à escala média da contagem do fio. O seu design rígido inclui um sistema óptico de detecção de dupla extremidade. A Unival 100 (Figura 18) é uma máquina jacquard de controle único, que oferece mais benefícios para têxteis técnicos sofisticados, como têxteis automotivos e aeronáuticos, têxteis técnicos nos setores esportivos, industriais, médicos e novas construções de tecidos, mesmo com fibra de vidro, carbono e Kevlar. O sistema TF (Figura 19) oferece possibilidades de tecelagem praticamente ilimitadas, para tecidos planos, espaçadores, ou complexos de várias camadas e tecidos 3D. este sistema permite a produção de alto volume de tecidos densos e o processamento eficiente de uma ampla variedade de fios técnicos e altamente sensíveis. Este sistema de tecelagem está disponível com várias combinações de máquinas e configurações para tecer qualquer aplicação e tecido técnico desejado. A Stäubli prometeu revelar ainda mais informações sobre seu sistema TF mais adiante.

SAURER

F22 . A RS-MSUS-G da Karl Mayer

A Saurer anunciou para a feira a última novidade da marca Allma, a TechnoCorder TC2 (Figura 20) que caracteriza-se pela sua flexibilidade em fios industriais. Isso é possível graças às unidades de fuso auto-suficientes, que podem dividir a produção em cada fuso separado. Com o inovador software FlexiPly, você pode produzir fios híbridos de forma econômica e assim atender às demandas do mercado. Por meio de diferentes materiais, como poliamida e

14 I Revista Têxtil #748

TECHTEXTIL.indd 14

18/04/2017 14:44:05


FUTURO TÊXTIL aramida, e diferentes torções, o TechnoCorder TC2 cria fios com novas características para têxteis técnicos, pneus e artigos de borracha mecânica. Com velocidade de trabalho de 400 m/min, padrão mundial em torcer fios industriais, o TechnoCorder TC2 garante qualidade de fio excelente e permite pacotes de torção com alta densidade e aparência perfeita graças ao monitoramento do processo, a ótima geometria do caminho do fio, bem como orientações de rosca suave e de baixa tensão. Para aumentar ainda mais a produtividade, foi desenvolvido o Pacote de Alta Velocidade (HSP), que aumenta a velocidade de desenrolar para 150 m/min e para 180 m/min (bobina rebaixada) ao usar um campanello.

SSM A SSM irá mostrar sua máquina de enrolamento para fios técnicos. Fios de alta performance feitos sob medida para substituir outros materiais clássicos, com grande variedade de aplicações. A DURO-TD (Figura 21) permite o enrolamento de vários fios, seu entrelaçamento garante torções livres de laços, assim como um ótimo desenrolamento durante a torção.

KARL MAYER Os materiais de reforço têxtil são alternativas melhores aos reforços de aço quando se constrói com concreto. Uma vez que os têxteis não enferrujam, apenas um material de revestimento fino é necessário. Isso economiza recursos, reduz a poluição ambiental e também permite que projetos de paredes finas sejam produzidos. Karl Mayer A Technische Textilien GmbH (Têxteis Técnicos) oferece para essa aplicação a máquina de urdir RS-MSUS-G (Figura 22) para produzir os têxteis que são usados como ​​ uma forma inovadora de reforçar o concreto. Esta máquina de alta velocidade com inserção de trama em linha e cursos de ponto, pode produzir grades pesadas de fibra de carbono. A Karl Mayer também levará máquinas consagradas à Techtextil. Usadas para processa fitas de fibra, a UD 500 e a UD 700 já fizeram um nome para si entre os fabricantes de compósitos para uso nas fases preliminares na produção de têxteis multiaxiais. O diretor da empresa, Jochen Schmidt, comentou sobre a importância da feira para a Karl Mayer “Ao lado do JEC World, a Techtextil é a feira mais importante para nós”, explicou. “Conhecemos muitos de nossos clientes lá, que são expositores frequentes, e também estamos esperando para ter algumas conversas interessantes com as RT pessoas que nos visitarem pela primeira vez”. Revista Têxtil #748 I 15

TECHTEXTIL.indd 15

18/04/2017 14:44:06


DIGITAL

F01. A ExpoPrint Digital / Fespa Brasil aconteceu entre 15 e 18 de março em São Paulo (SP)

EXPOPRINT DIGITAL/FESPA BRASIL QUEBRA RECORDE DE PÚBLICO Feira realizada em março no Expo Center Norte superou os 15 mil visitantes únicos

A

ExpoPrint Digital / FESPA Brasil 2017 (Figura 1), aconteceu entre os dias 15 e 18 de março, a Revista Têxtil registrou, pessoalmente, o enorme sucesso de público e de negócios gerados, com quebra de recordes em visitação. Foram 15.154 visitantes únicos, superando todas as outras três edições anteriores da feira no país, reforçando que o Brasil conta com uma indústria de impressão forte e competitiva. O evento abriu as portas no Pavilhão Azul do Expo Center Norte em São Paulo (SP) para mostrar o que há de novo nos mercados de serigrafia, impressão digital, sinalização e sinalização digital e estamparia digital. Neil Felton, CEO da FESPA, frisa o sucesso único da FESPA Brasil: “A FESPA Brasil 2017 é de longe umas das melhores feiras que já vi no Brasil ou ao redor do mundo. Bastava olhar os corredores. A forma que medimos se uma

16 I Revista Têxtil #748

fespa.indd 16

pela

REDAÇÃO

feira é boa é pela resposta dos clientes. E eles disseram de forma unânime que a feira foi fantástica. Nós temos aqui a melhor taxa ao redor do mundo de visitante por metro quadrado em uma feira. Isto é fantástico e mostra que a energia do mercado está muito forte”. No evento deste ano, a FESPA trouxe novidades e repete features que fizeram sucesso em edições anteriores, como os Congressos Educacionais (Figura 2). Entre os especiais que voltam para mais uma temporada estão o Sublimation Day, com ciclo de palestras sobre o processo de impressão digital por sublimação e, pela terceira vez na feira, um dia dedicado ao têxtil. Em 17 de março, o Fespa Digital Textile Conference trouxe painéis informativos contando aspectos que têm contribuído para o crescimento do setor. Entre os assuntos

Fotos do artigo: Divulgação

18/04/2017 14:44:08


DIGITAL

F02. O ciclo de palestras, que incluiu um dia voltado ao têxtil, continuam presentes

abordados, estava “Impressão Digital: Scanning ou Single Pass”, que teve como palestrante Jorgen Lindahl, Gerente de Vendas da SPGPrints e “Estamparia Digital como ferramenta na criação de moda”, com Felipe Sanchez, CEO da Global Química e Moda. “A palestra foi muito boa. Muitas pessoas vieram acompanhar com interesse. Mostramos a tecnologia de nossos novos produtos para que os clientes vejam qual é a melhor opção para o negócio deles”, comentou Jorgen Lindahl. Já Felipe Sanchez ressaltou o interesse por parte dos participantes. “Falamos da estamparia digital como ferramenta de criação de moda. Foi muito bom ver o interesse do participante. A palestra encheu rapidamente, tinha até gente do lado de fora assistindo. Isso mostra o quanto o mercado está interessado na impressão digital como um todo. Vimos tanto aqueles que estavam no mercado e podiam diversificar no digital como aqueles que queriam entrar na impressão digital. É legal ver que as pessoas têm a feira como um local de buscar conhecimento. E esta é nossa essência: agregar conhecimento técnico ao produto”, finalizou.

FESPA SHOWROOM Para esta edição, a novidade dentro do evento foi o Fespa Showroom, com exemplos de aplicação da impressão digital feitos pelos expositores da feira. De acordo com os organizadores, a proposta do FESPA Showroom foi ser

um espaço interativo, aberto à criatividade, onde os visitantes irão descobriram novas oportunidades através da exposição de peças apresentadas nos mais variados segmentos, como vestuário, decoração de interiores, sinalização, objetos e muito mais. Com o FESPA Showroom, o expositor pode mostrar ao público uma peça criativa ou uma aplicação diferente feita com sua solução, mostrando a tecnologia, capacidade e flexibilidade de seu produto. Para completar o ambiente, ao lado de cada peça exposta, uma ficha técnica contou detalhes da peça: tipo de impressão, impressora, substrato, tinta, dentre outros pontos relevantes. Alexandre Keese, diretor da FESPA Brasil, celebrou a novidade, “Tivemos a estreia com sucesso do FESPA Showroom, que inovou e mostrou ao profissional de comunicação visual novas aplicações e características para inovar também dentro de seu negócio”.

TECNOLOGIA EM DESTAQUE Você confere a seguir alguns dos destaques mostrados na edição deste ano da ExpoPrint Digital/ Fespa Brasil. Confira:

SHUMI-NO-IE Conhecida no segmento de costura, a marca Brother, representada no evento pela Shumi-no-ie (cujo nome, em Revista Têxtil #748 I 17

fespa.indd 17

18/04/2017 14:44:08


DIGITAL

F03. A DTG Brother GT-3 é a novidade da marca japonesa mostrada pela Shumi-no-ie

F05 A TrueVIS SG é a novidade da Roland DG

F06. A ColorWorks C7500G é a impressora de rótulos e etiquetas lançada pela Epson

F04. Impressão estável até em tecidos de menor espessura é o que promete a Tx300P-1800 da Mimaki

F07. Outra novidade da Epson levada pela GQM foi a SureColor F2000

japonês significa “Casa de Hobby”), marcou presença na feira paulistana com a impressora têxtil DTG Brother GT-3 (Figura 3). A máquina é utilizada em processos de personalização de vestuário e, além de camisetas, pode trabalhar com tênis, meias, chapéus, gorros, ecobags e toda uma variedade de tecidos de todas as cores. Ronaldo Lopes, Coordenador de Novos Negócios da Shumi-no-ie, acredita que a segmentação é o que torna o evento especial para atrair clientes. “Acreditamos ser um evento segmentado e especializado, o que nos leva a pensar em um estande moderno e funcional para que nossos clientes experimentem as possibilidades de produzir e empreender com qualidade sem deixar de lado assuntos importantes como custo, manutenção e utilização dos equipamentos” conta.

MIMAKI BRASIL Entre diversas máquinas e equipamento de uso industrial, a Mimaki Brasil esteve na Fespa com uma novidade

exclusiva para o nosso segmento. Trata-se da impressora têxtil Tx300P-1800 (Figura 4). O novo equipamento possui mecanismo de alimentação e nova cabeça de impressão, possibilitando uma impressão estável até em tecidos de menor espessura. Caroline Vieira, Marketing / Comunicação da Mimaki Brasil, reforçou o papel da FESPA em aproximar fornecedores e clientes: “A FESPA Brasil 2017 é uma excelente oportunidade de estreitar o relacionamento com os nossos clientes e parceiros. Apesar da situação econômica que o Brasil está passando, o setor de impressão digital vem ganhando cada vez mais espaço, com inúmeros mercados ainda a serem explorados”.

ROLAND DG Toda a gama de impressoras da marca pode ser vista na Fespa Brasil. Para o segmento Textil, a empresa traz a linha Texart, composta por impressoras sublimáticas de alta produtividade. Elas se destacam pelas tintas com cores

18 I Revista Têxtil #748

fespa.indd 18

18/04/2017 14:44:12


DIGITAL especiais como laranja, violeta, além de fluorescente. A Roland levou ainda para a feira os equipamentos mais vendidos da empresa, como a VersaEXPRESS RF (eco solvente e sublimática) e Plotter de recorte de grande formato. Contudo, a grande novidade da Roland no evento foi a impressora TrueVIS SG (Figura 5). Totalmente reinventada, a linha TrueVIS é composta por impressoras com recorte conjugado, novas cabeça de Impressão FlexFire, nova tinta com melhor custo-benefício, recorte com maior precisão para maior diversidade de mídias. Anderson Clayton, gerente de marketing da Roland DG do Brasil, falou sobre a participação da empresa na Fespa, que abriu o calendário nacional de eventos do setor. “Para a Roland é muito importante participar da primeira feira do ano. Nela temos a oportunidade de também iniciar 2017 expondo grandes lançamentos da empresa para os mercados Têxtil e Sign, com o melhor custo-benefício do mercado”.

gotas variáveis (2pl – 10pl) para obtenção de imagens perfeitas, que podem ser observados em desenhos geométricos, linhas nítidas e precisas, tons e chapados. As cabeças de impressão ficam a 4mm do tecido, eliminando assim os riscos de danificar as cabeças de impressão. Outro diferencial é a garantia de 30 meses para as cabeças de impressão bem superior ao que o mercado oferece hoje. A JAVELIN (Figura 8) tem capacidade de impressão de até 2 milhões de metros lineares por ano, e é ideal para empresas que querem dar o primeiro passo na impressão digital ou adicionar maior desempenho em sua capacidade atual. Além da largura atual 1,85m, a JAVELIN tem como novidade uma largura de impressão de 3,20m, ideal para atender principalmente o mercado de decoração. A PIKE é uma opção completa e automaticamente atrativa por sua capacidade de produção em mais de 10 milhões de metros lineares por ano. “Apostamos nos nossos diferenciais para

GLOBAL QUÍMICA & MODA Uma das grandes novidades do evento é a impressora de rótulos e etiquetas lançada pela Epson, que pertence à linha ColorWorks e leva o nome de C7500G. Sua capacidade de produção é de até 100 etiquetas por minuto (dimensões das etiquetas: 4” x 6”) em somente uma etapa, reduzindo os custos de pré- impressão, setup e armazenagem. Além da ColorWorks C7500G (Figura 6), a GQM esteve na FESPA Brasil com a SureColor F2000 (Figura 7), impressora Epson para sublimação, impressão direta (DTG) e eco-solvent. Esta última tecnologia é lançamento no portfólio da empresa - com mais de 40 anos de experiência no segmento têxtil – que se especializa para atender com máxima performance o mercado de comunicação visual.

SPGPRINTS A SPGPrints, líder mundial em impressão têxtil, foi um dos destaques da Fespa Brasil 2017 no segmento de impressão têxtil digital. A empresa investiu nos últimos anos em tecnologia de ponta para lançar no mercado as impressoras digitais de altas velocidade e resolução JAVELIN (scanning) e PIKE (single pass) - ambas expostas no evento - na ampliação da sua gama de tintas e nas unidades fabris na Áustria e Holanda. A empresa investiu pesado na tecnologia ARCHER, uma plataforma universal de jato de tinta exclusiva para a PIKE e JAVELIN que utiliza cabeças de impressão Fujifilm Dimatix Samba, projetada para resultados superiores, com Revista Têxtil #748 I 19

fespa.indd 19

18/04/2017 14:44:12


DIGITAL te. Trata-se da primeira tinta de sublimação de corante da DuPont, desenvolvida especialmente para impressoras rolo-a-rolo. Entre os atrativos, estão os padrões de cores excepcionais com pretos ricos e profundos, saturação de cor de alta qualidade, excelente performance de jateamento, reduzida necessidade de limpeza e o menor tempo de paradas durante a impressão.

FREMPLAST

F08. A JAVELIN tem capacidade de impressão de até 2 milhões de metros lineares por ano

alavancar novos negócios e consolidar nossa participação no mercado”, comentou José Maria Alves Junior, diretor da SPGPrints América Latina.

DUPONT A divisão de Digital Printing da DuPont participou destacando as tintas Artistri® para aplicações nos mercados têxtil, de desktops de consumo, escritórios com alta demanda e gráficas comerciais. O foco principal será destinado à nova linha DuPont Artistri Xite S1500 (Figura 9), uma tinta premium para sublimação, para impressão em substratos têxteis de poliéster, e que apresenta excelente performance para impressores e sistemas OEMs em comparação com outras tintas de sublimação de coran-

A Fremplast apresentou ao visitante da FESPA Brasil 2017 sua variedade de tintas e sua nova impressora. Versátil e com capacidade de imprimir até 80m² por hora, a Cromajet CS-1802 possui duas cabeças de impressão Micropiezo Epson Printhead 5113 que imprime em alta velocidade e qualidade com as tintas Subli-Eco Cromajet (Figura 10). A Cromajet CS-1802 (Figura 11), de acordo com o Diretor Comercial da Fremplast Rodrigo Andreasi, “é uma excelente opção para impressões sublimáticas de alta qualidade, com capacidade na resolução de até 3200 DPI, permite múltiplas resoluções de impressão e pode ser configurada com a qualidade e velocidade conforme o tipo de trabalho. Suas configurações de 04 cores (CMYK) possui excelente qualidade fotográfica, tons contínuos, transições suaves e grande aplicação nas cores”. Os cartuchos refiláveis Cromajet sistema Bulk Ink, permite o abastecimento durante a impressão com o menor custo benefício do mercado, além de colaborar com o meio ambiente no descarte de materiais. Já a linha Subli Eco, desenvolvida para proporcionar maior durabilidade, fluidez, alta performance e rendimento, além de ser uma linha de tintas a base de água e ecologicamente correta, ou seja, livre de metais pesados e fenóis que

F9. A DuPont revelou a nova linha Artistri Xite S1500 para impressão em substratos têxteis de poliéster F10. A linha Subli Eco foi desenvolvida para proporcionar maior durabilidade, fluidez, alta performance e rendimento

20 I Revista Têxtil #748

fespa.indd 20

18/04/2017 14:44:14


DIGITAL

Revista Têxtil #748 I 21

fespa.indd 21

18/04/2017 14:44:15


DIGITAL agridem o meio ambiente e que atende à todas as normas ambientais nacionais e internacionais contra o uso de substâncias químicas e restritas.

EFI REGGIANI O foco da marca na FESPA foi a nova NEXT. A impressora Reggiani NEXT imprime de forma eficiente em algodão, poliéster, poliamida e tecidos mistos, utilizando dispersão direta, reativa, ácido, dispersos de sublimação ou tintas pigmentadas. Proporciona níveis mais elevados de produtividade e qualidade, que são únicos em impressoras têxteis de entrada industrial, com impressão grayscale variável de 4 a 72 picolitros, uma resolução superior de 2.400 pontos por polegada e velocidades de produção de até 350 m² por hora. Voltada para o mercado de moda e decoração, a linha Reggiani agrada o público pela fidelidade das cores, alta qualidade de impressão, flexibilidade em aplicações de produção e velocidade avançada. A EFI Reggiani NEXT faz parte do ecossistema crescente dos produtos da linha EFI Reggiani que oferecem uma impressão têxtil com baixo custo operacional, incluindo tecnologias de front-end digital e máquinas pré/pós-tratamento.

lha em vários turnos e que a exigência por uma máquina com qualidade, velocidade e, principalmente, resistência é fundamental. Sua cabeça de impressão, a qual tem pontos variáveis de 4 a 72pL e carcaça reforçada, faz da HS FT a máquina para garantir uma impressão contínua de até RT 3.000 metros de papel em uma única bobina.

F11. Cromajet CS-1802 é capaz de imprimir até 80m² por hora

SIGN SUPPLY A Sign Supply lançou na FESPA com exclusividade no Brasil, a FT-1908 (Figura 12), grande lançamento do ano da fabricante da sul-coreana de impressoras digitais DGI (Digital Graphics Incorporation), marca internacionalmente reconhecida pela qualidade de seus produtos. A impressora vem para agregar valor ao portfólio de produtos da empresa, que tem o objetivo constante de contribuir para que seus clientes atinjam o melhor em suas impressões com as mais modernas tecnologias disponíveis, os melhores equipamentos, suprimentos e serviço de assistência técnica. Voltada para o mercado industrial, a impressora sublimática se destaca por sua robustez e capacidade de alta produtividade em ambientes que operam em três turnos. Também foi destaque na FESPA a já conhecida HS FT (Figura 13), repaginada com uma nova velocidade de resolução de rascunho: 230m2/h com largura de impressão de acima de 1,80, o que a torna uma das mais velozes do mercado, segundo a fabricante. Com modo de impressão exclusivo e patenteado DBF I, reduzindo feeding banding (faixa entre passadas), esta impressora industrial com cabeças Kyocera é ideal para estamparia digital que traba-

F12. A Sign Supply lançou na FESPA com exclusividade no Brasil, a FT-1908

F13. Repaginada, a HS FT passou a ser uma das mais velozes do mercado, segundo a Sign Supply

22 I Revista Têxtil #748

fespa.indd 22

18/04/2017 14:44:16


DIGITAL

Revista Têxtil #748 I 23

fespa.indd 23

18/04/2017 14:44:17


ENTREVISTA

JÉRÔME VIALA, DA LECTRA: TECNOLOGIA E OS DESAFIOS DE PRODUZIR

J

érôme Viala, Vice-Presidente Executivo, da Lectra falou com a Revista Têxtil e com Vivi Haydu, sobre os rumos da empresa no Brasil e no mundo, tecnologia e Indústria 4.0. Confira. RT - A LECTRA ACABA DE APRESENTAR A SUA ESTRATÉGIA PARA OS PRÓXIMOS DOIS ANOS, A “LECTRA 4.0”. COMO VOCÊS PLANEJAM AS SUAS ESTRATÉGIAS FUTURAS? Jérôme Viala - Na verdade, a estratégia Lectra 4.0 diz respeito aos próximos dez anos. O que foi apresentado há algumas semanas foram os primeiros passos e diretrizes da estratégia para os próximos dois anos. Para explicar as evoluções das estratégias da Lectra, vou voltar um pouco no tempo. A empresa foi fundada em 1973 e até 1989 eu diria que éramos a “Lectra 1.0”. O ano de 1990 foi um ano muito difícil para a Lectra, de quase insolvência. Foi quando Daniel Harari assumiu a companhia, trouxe novos aportes e tornou-se CEO em 1991. Ele já conhecia a empresa, pois trabalhava com seu irmão, André Harari, que era um antigo investidor de venture capital e acionista da Lectra desde 1975. Quando Daniel assumiu decidiu-se lançar a estratégia “Lectra 2.0”, que se baseava em contratos e receitas de longo prazo com nossos clientes e não mais apenas contratos por projetos. Nesta época três decisões foram tomadas: desenvolver receitas recorrentes dentro do modelo de negócios; aproveitar nossos conhecimentos em materiais têxteis, e entrar em novos setores além da moda, como o automotivo; e investir massivamente em pesquisa e desenvolvimento. Esses eram os três pilares da estratégia “Lectra 2.0”. Até 2008, quando a Lectra sofreu mais uma vez os efeitos da crise mundial, assim como outras companhias na Europa, EUA e Ásia. Saímos dessa crise com a convicção de que o mundo seria outro, que nossos clientes pensariam e agiriam de maneira diferente em um cenário de macroeconomia

24 I Revista Têxtil #748

entrevista lectra 2.indd 24

pela

REDAÇÃO

completamente diferente. Foi desta necessidade de adaptação que nasceu a estratégia “Lectra 3.0”, lançada no final de 2009. Ela baseou-se no fato de que, para sermos diferentes, precisaríamos trazer muito mais capacidade e especialização para os nossos clientes. Assim, deixamos de vender apenas soluções, baseadas em nossos softwares, hardwares e pequenos treinamentos, e passamos a criar projetos personalizados. Neste período, contratamos mais de 250 pessoas. Fomos de 1.300 pessoas em 2010, para 1.550 em 2016. Contratamos novos executivos de vendas, com pensamento diferente dos anteriores, muitos mais especialistas e consultores, e focamos nossos investimentos em pesquisa e desenvolvimento e em marketing. Essa foi, basicamente, a estratégia “Lectra 3.0”. RT - ENTÃO CADA ESTRATÉGIA SURGIU DE UM MARCO NO CENÁRIO ECONÔMICO OU DE NEGÓCIOS. O QUE ESTÁ ACONTECENDO AGORA PARA QUE TENHA SIDO CRIADA UMA NOVA ESTRATÉGIA? JV - Agora começamos a observar uma série de mudanças à nossa volta. Algumas grandes tendências que provavelmente afetarão nossos negócios e os de nossos clientes. Concluímos que quatro dessas grandes tendências serão as de maior impacto no cenário dos próximos anos para os setores dos quais participamos (moda, automotivo e mobiliário). A primeira grande mudança diz respeito à geração dos Millennials, pessoas nascidas nas décadas de 80 e 90, muito conectadas, impacientes, imediatistas e, principalmente, que consomem de maneira completamente diferente das gerações anteriores. A segunda grande mudança é a digitalização. Tudo passou a ser digital. Veja o impacto das mudanças trazidas pela Amazon ao varejo, graças à digitalização. Em terceiro lugar podemos citar a indústria 4.0. Ela começou na Alemanha, como 4.0 Industry, na França há outro movimento, chamado Usine du Futur e, por fim, existe uma iniciativa ex-

Fotos do artigo: Divulgação

18/04/2017 01:23:37


ENTREVISTA tremamente sólida e forte na China, a Made in China 2025. O quarto grande pilar das mudanças pelas quais estamos passando, e posso dizer isso pois conheço muito bem o país, são as modificações econômicas que estão ocorrendo na China. O país está passando do estágio de pátio industrial do mundo para se focar completamente no seu mercado doméstico. Eu fui dos pioneiros a estabelecer um escritório de representação na China, em 1994. Naquela época não podíamos investir diretamente no país, apenas por meio de parcerias ou joint ventures. Éramos apenas quatro pessoas no escritório. Atualmente, é algo impressionante ver as grandes cidades como Shangai e Pequim, avenidas enormes com shopping centers. Também chama a atenção, marcas mundiais como Prada, Fendi, Hermés, que reinavam sozinhas nas grandes avenidas, dividindo espaço com a enorme presença de marcas locais que já existem hoje em dia. Atualmente o salário que pagamos na China aos nossos funcionários com cargos administrativos e/ou de supervisão se igualaram aos salários destes mesmos cargos aqui na França, e em toda Europa. Até mesmo o custo de produção aumentou, hoje na China estes custos se equiparam aos custos de produção nos EUA. RT - DE QUE FORMA ESSAS QUATRO MEGATENDÊNCIAS INFLUENCIARAM A NOVA ESTRATÉGIA DA LECTRA? JV - Após analisar estes quatro fatores, concluímos que o modo de fazer negócios com nossos clientes, os produtos que oferecemos a eles e como nos relacionamos com o mercado, se modificará muito nos próximos anos. Concluímos que era imperativo que desenvolvêssemos e nos tornássemos um modelo de indústria 4.0, pois já possuíamos as habilidades para tanto. Começamos a atuar com Internet das Coisas (IoT) em 2007, embora naquela época ninguém conhecia, nem mesmo nós da Lectra, essa nomenclatura, não se conversava sobre esse assunto. Mas nós havíamos decidido, em conjunto com a área de pesquisa e desenvolvimento, que seria interessante colocar sensores na nova geração de máquinas que nos permitisse medir e analisar informações sobre o processo de produção. Depois começamos a conectar essas máquinas à internet de modo que elas enviassem relatórios para os nossos especialistas e, assim, começamos, quase intuitivamente, a aplicar o conceito de IoT, mesmo que na época não soubéssemos o que isso significaria. Estamos acompanhando o processo de digitalização há dez anos: lançamos uma nova geração de máquinas em 2012 e em julho de 2016 anunciamos que, novamente, decidimos acelerar nossa evolução expandido as áreas de pesquisa e desenvolvimento da Lectra.

O primeiro passo foi a contratação de novos profissionais. Decidimos contratar três grupos de 20 pessoas cada um, o que chamamos ondas de recrutamento. Iniciamos esse processo em julho e, até agora, já contratamos 40 novos colaboradores e finalizaremos a terceira onda de contratação até o final de abril. Talvez lancemos uma nova onda nos meses seguintes. RT - PODE-SE DIZER QUE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO É A BASE DESTA NOVA ESTRATÉGIA? JV - O que buscamos é investir massivamente em tudo que está ligado à indústria 4.0, desenvolver as qualidades e habilidades que já possuímos relativas a ela e, assim, nos tornarmos os primeiros a oferecer a nossos clientes máquinas completamente conectadas, capazes de gerar enormes quantidades de informação a serem analisadas por nossos times de especialistas. Esse é, eu diria, o pilar central da estratégia “Lectra 4.0”. O segundo pilar da nossa estratégia é modificar gradualmente a maneira como vendemos nossos Revista Têxtil #748 I 25

entrevista lectra 2.indd 25

18/04/2017 01:23:38


ENTREVISTA softwares, do modo clássico, licença ininterrupta e contrato, para o modo de software de serviços em nuvem. Não queremos apenas fornecer assinaturas de softwares, nós queremos adicionar e propor aos nossos clientes uma gama de serviços de inteligência que estarão a seu dispor. Eles terão acesso a serviços como análises de custos, para clientes da indústria da moda; será possível armazenar toda a operação das empresas na nuvem, permitindo um acesso mais rápido a informações mais antigas, como coleções passadas, por exemplo. Começamos a pensar e desenvolver esses novos produtos. Alguns deles já estão em fase de testes junto a alguns clientes previamente selecionados. Não estamos falando apenas de maquinário, mas de softwares e serviços de inteligência, pois futuramente eles estarão completamente interligados. Estes são nossos objetivos e ideias a serem implementados até o ano de 2019. RT - E DEPOIS DE 2019? JV - O fato é que ninguém sabe qual será a real velocidade dessas mudanças. Estava lendo um artigo no voo para o Brasil no qual alguns especialistas americanos afirmavam que essa revolução aconteceria inevitavelmente, mas que era impossível prever sua velo-

...COMEÇAMOS A CONECTAR ESSAS MÁQUINAS À INTERNET DE MODO QUE ELAS ENVIASSEM RELATÓRIOS PARA OS NOSSOS ESPECIALISTAS E, ASSIM, COMEÇAMOS, QUASE INTUITIVAMENTE, A APLICAR O CONCEITO DE IOT, MESMO QUE NA ÉPOCA NÃO SOUBÉSSEMOS O QUE ISSO SIGNIFICARIA...

cidade e seus desdobramentos. É impossível prever como o mundo digital será em cinco anos. Mas todos concordam que esse é o caminho a ser seguido e que sua força será tão relevante quanto a das outras três revoluções industriais anteriores. Apesar de estar ligada à indústria 4.0, a estratégia “Lectra 4.0” não se constitui unicamente pela digitalização industrial. Este é apenas um de nossos pilares para os próximos anos. RT - QUE PORCENTAGEM DE CLIENTES LECTRA QUE JÁ ESTÃO INSERIDOS EM UM CONTEXTO DE INDÚSTRIA 4.0? JV - Eu acredito que a situação é diferente em cada um dos setores de mercado em que atuamos. No setor automotivo, por exemplo, que já é completamente automatizado, gerido e administrado por engenheiros que têm a eficiência como objetivo, já se discute muito a implementação da indústria 4.0. Na indústria da moda já existe a percepção de que este modelo será necessário no futuro, que os ajudará imensamente a recolher informações e entender melhor seus consumidores, e que afetará o modo de se produzir e de se vender. Mas por tratar-se de uma indústria mais criativa, voltada para o design, o assunto ainda está em um estágio anterior ao da indústria automotiva. Mas, claramente, todos estão pensando e se planejando para esta transformação, alguns veem isso acontecendo em 10 anos, ao passo que, a indústria automotiva planeja se digitalizar nos próximos dois ou três anos. RT - VOCÊ PODERIA NOS FALAR UM POUCO SOBRE OS PLANOS PARA O BRASIL E/OU AMÉRICA DO SUL? JV - Nosso planejamento foi pensado mais por área de atuação do que por regiões geográficas. Não sabemos se esse processo será mais rápido na Alemanha, França, Itália ou Brasil, não estamos pensando nisso. Acreditamos que isso dependerá mais do perfil de atuação de cada cliente. Temos um cliente na China que está considerando seriamente investir e entrar na era 4.0. Ao mesmo tempo temos clientes europeus e americanos que sequer ponderaram sobre o assunto ainda. Na minha opinião ainda é cedo para dizer se o Brasil estará entre os primeiros a aderir à indústria 4.0. Esta será uma discussão que teremos individualmente com nossos clientes. No segmento de moda e vestuário algumas empresas já se mostraram bastante interessadas no assunto, mesmo com o atual cenário econômico do país. Estão começando a discutir, internamente, e tentar entender melhor esses novos processos. Minha opinião, no entanto, é que a China será, muito provavelmente, a primeira a realizar um RT grande movimento nesse sentido.

26 I Revista Têxtil #748

entrevista lectra 2.indd 26

18/04/2017 01:23:39


ENTREVISTA

Revista Têxtil #748 I 27

entrevista lectra 2.indd 27

18/04/2017 01:23:40


TECNOLOGIA

ABTT REALIZA

SEMINÁRIO DE TECNOLOGIA EM AMERICANA Fabricantes convidados falaram sobre o tema e suas inovações mais recentes

por

ANTONIO CÉSAR CORRADI

A

ABTT, Associação Brasileira de Tecnologia Têxtil, Confecção e Moda, cumprindo a sua missão de levar tecnologias aos associados e público da área Têxtil e confecção, realizou em Americana mais um seminário Tecnológico, coberto pela Revista Têxtil, trazendo as empresas como: Stäubli, Itema, Murata e Toyota para apresentar as suas mais recentes tecnologias e responder as dúvidas dos clientes e participantes.

STÄUBLI A Stäubli desenvolve e produz sistemas de alta qualidade para a indústria de tecelagem desde 1892, com soluções tecnológicas inovadoras que satisfazem as fábricas de tecelagem cuja demanda é alta em termos de grande produtividade, rentabilidade, confiabilidade e qualidade. A empresa apresentou uma gama de produtos com máquinas de última geração para atender as tecelagens mais modernas do Pais, seja por quadro ou Jacquard ou ainda, equipamentos de preparação. (Figura 1)

MURATEC A MURATEC trouxe o apelo de um mercado globalizado e que busca um sistema de valores de alta expressão, através de um produto diferenciado com um novo valor agregado. O “VORTEX spinning” é uma tecnologia que utiliza um vórtice de ar para girar o fio e que faz com que as fibras formadas por estes fluxos de ar possuam uma estrutura única, e isto proporciona ao fio uma grande variedade de funcionalidades. A VORTEX spinning, que só a Muratec implementou com sucesso, está criando uma nova onda no mundo da moda. Com a terceira geração da máquina Vortex 870 (Figura 2)

28 I Revista Têxtil #748

seminario.indd 28

para produção de fios de títulos finos e com menos pilosidade, traz grandes vantagens e melhor desempenho e qualidade. A resistência superior do pilling, a aparência externa, além de outras características dos fios e consequentemente dos tecidos feitos com o VORTEX, foram reconhecidos pelo mundo inteiro e expandiram possibilidades de desenvolvimento do produto. Atualmente, o fio é utilizado por algumas das maiores empresas de vestuário do planeta. Além da tecnologia VORTEX spinning, A MURATEC apresentou a consagrada conicaleira QPRO Plus que foi construída com base em quatro pilares: High Quality (Alta Qualidade), High Production (Alta Produção), Energy Reduction (Redução de energia), Easy Operation (Fácil Operação).

ITEMA A Itema se apresentou como o único fabricante no mundo a fornecer as três principais tecnologias de inserção de

Fotos do artigo: Divulgação

18/04/2017 03:48:13


TECNOLOGIA trama: pinça, jato de ar e projétil, com um amplo portfólio de produtos e um compromisso com a inovação contínua e o avanço tecnológico de suas máquinas de tecer. A companhia garante a máquina certa para uma ampla gama de tecidos: de commodities à moda high-end aos tecidos industriais. O fabricante mostrou a máquina de tecer a pinças que oferece aos clientes uma série de vantagens imbatíveis, tais como: alta versatilidade de tecelagem e padrões, alem de uma ampla gama de aplicações, qualidade perfeita de tecido, construção robusta e de alta precisão, niveis de vibração muito baixos em velocidades altas, plataforma eletrônica NCP e número reduzido de peças. Também apresentou a sua máquina de tecer a jato de ar A9500p (Figura 3), com características: facilidade de uso, maior versatilidade, consumo reduzido de ar comprimido e desempenho superior para as tecelagens de alta velocidade. Ressaltou ainda sua tecnologia de inserção de trama de projétil, tecnologia madura e adequada para qualquer matéria prima.

F01 A LXL é um exemplo de máquina jacquard da Stäubli

TOYOTA A Toyota trouxe as duas categorias de máquinas têxteis que produz: máquinas de fiação e máquinas de tecelagem, com especial menção aos teares air-jet. O filatório RX300 (Figura 4) oferece alta qualidade, alta produtividade, operabilidade superior e manutenção fácil exigida por uma fiação através de tecnologias avançadas da Toyota, como geometria de fiação patenteada, eletrônica confiável e painel de função de cor de 10,5 polegadas. Possui um sistema para lidar com toda a gama de fios diferenciados. Com operação simples e fácil, fios de fantasia podem ser fiados em todos os padrões, incluindo o novo mosaic. Além disso, o Sistema de Monitoramento Toyota (TMS), que permite a conexão à Internet, um projeto que economiza espaço (até 1.824 fusos) e eficiência energética (reduz o consumo de energia em aproximadamente 5%) em níveis de classe mundial e prometem satisfação e tranquilidade em todos os sentidos. Com base no conceito de design subjacente da série JAT de “tecer o tecido de alta qualidade ao menor custo possível”, o JAT810 possui uma gama diversificada de características originais da Toyota, incluindo um sistema de economia de ar que reduz o consumo de energia e o “E -shed “ eletrônico. Além disso, um painel de funções de um sistema de gerenciamento de fábrica, melhoram drasticaRT mente a operabilidade.

F02 A Vortex 870 utiliza um vórtice de ar para girar o fio

F03 FProduzida pela Itema, a A9500p confere desempenho superior para as tecelagens de alta velocidade

F04 O O RX300 da Toyota oferece alta qualidade, alta produtividade, operabilidade superior e manutenção fácil

Revista Têxtil #748 I 29

seminario.indd 29

18/04/2017 03:48:13


FEIRAS E EVENTOS

TECNOTÊXTIL BRASIL 2017

REÚNE PLAYERS IMPORTANTES E EVENTOS PARALELOS NO ANHEMBI Feira acontece em paralelo com Febratêxtil, Boné Show e FINTT

O

primeiro semestre de 2017 está movimentado em termos de feiras, o que reflete a volta da confiança da indústria no setor e o retorno da vontade dos empresários em investir. Depois da Fespa Brasil, São Paulo recebe mais uma feira têxtil, de 25 a 28 de abril, o Pavilhão de Exposições do Anhembi recebe a edição da Tecnotêxtil – Feira de Tecnologias para a Indústria Têxtil, que neste ano será acompanhada da Feira Brasil Têxtil (Febratêxtil), da Boné Show e da FINTT – Feira Internacional da Indústria de Nãotecidos e Tecidos Técnicos, todas promovidas pelo FCEM Febratex Group. Segundo seu presidente Helvio Roberto Pompeo Madeira “Nosso objetivo é unir forças para que o pais volte a ter um grande evento voltado para o setor têxtil focado nos confeccionistas de diversos segmentos” e “juntos os eventos representam a mais completa exposição direcionada à cadeia têxtil no Brasil”, finaliza.

CICLO DE PALESTRAS Na edição deste ano da TB 2017, a Associação Brasileira de Técnicos Têxteis (ABTT) irá promover seu tradicional “XXVII CNTT - Congresso Nacional de Tecnologia Têxtil, Confecção e Moda”; o “I CIMTT – Congresso Internacional de Moda e Tecnologia Têxtil”; e o “V CONTEXMOD – Congresso Científico de Têxtil e Moda”. “As feiras constituem uma ótima oportunidade para a relação custo/benefício de seus expositores; se houver um bom planejamento e critérios na sua participação no evento, estará em contato com um público dirigido e focado no

30 I Revista Têxtil #748

tecnotextil 2.indd 30

por

CARLOS EDUARDO BAZELA

mercado que deseja atingir. No caso da Tecnotêxtil Brasil 2017, a importância se multiplica, pois a feira é realizada dentro da capital industrial e financeira do país”, comenta César Corradi, presidente da ABTT. Outro destaque é o Denim Meeting, que acontece no dia 25 de abril, no Auditório Elis Regina, localizado no Anhembi, na Capital paulista, das 08h00 às 17h00. Em sua segunda edição – e com o tema “BRASIL AZUL DE NORTE A SUL: TRAÇANDO NOVOS CAMINHOS PARA O DENIM”, o encontro tem como objetivo unir todos os polos de denim do país, buscando o fortalecimento para que o Brasil continue crescendo e ocupando uma posição de destaque entre os líderes do segmento. Com uma programação mais robusta no conteúdo de informações sobre o setor - como o Fórum de Tecelagens, que vai discutir “Inovação, tecnologia e produtividade com valor percebido” – e a participação das empresas Canatiba, Capricórnio, Santanense, Santista e Cedro.  Durante o evento, serão apresentados, em primeira mão,o resultado de uma pesquisa global sobre o perfil do novo consumidor de jeans, realizada pela LYCRA® e o novo comitê Denim & Cia,  focado em profissionalizar e padronizar as lavanderias brasileiras diante das leis e demandas do mercado nacional. Alguns dos players mais importantes do segmento já confirmaram presença na Tecnotêxtil Brasil 2017 e na FINTT, como já adiantaram o que mostrarão em seus estandes. Veja alguns deles a seguir:

Fotos do artigo: Divulgação e Arquivo RT

18/04/2017 14:44:23


FEIRAS E EVENTOS

Revista Têxtil #748 I 31

tecnotextil 2.indd 31

18/04/2017 14:44:23


FEIRAS E EVENTOS

A Tecnotêxtil acontece entre 25 e 28 de abril no Anhembi

O tradicional ciclo de palestras da ABTT também acontecerá neste ano

AGABÊ

(por telefone, chat e e-mail) e atualização automática de todos os softwares inclusos no pacote. Perfeito para clientes que buscam produtividade numa realidade que muda o tempo todo.

A Agabê é uma das maiores empresas do mundo na fabricação de tecidos técnicos e monofilamentos de alta precisão e representante exclusiva no Brasil das mais importantes empresas internacionais no fornecimento de equipamentos para estamparia de camisetas, lençóis, toalhas e bandeiras planas e cilíndricas. Na TB 2017, a Agabê destaca novas emulsões para atender às tendências do mercado e produtos para a preparação e limpeza de matrizes com enfoque na sustentabilidade. Estarão em exposição no stand da marca as máquinas Grüning e SignTronic para esticagem, gravação, revelação, limpeza e recuperação  de telas, além das tintas à base de água Cresa.

AUDACES Com mais de 25 anos de atuação, a Audaces é uma empresa 100% brasileira, presente em mais de 70 países e líder na América Latina na automação de confecções, com equipamentos e sistemas inovadores. A empresa destaca na Tecnotêxtil Brasil o Audaces 360, uma solução que atua desde a inspiração da etapa criativa até o sucesso de comercialização da coleção. Conectado com o atual imediatismo da indústria da moda - que trabalha cada vez mais no formato “see now, buy now” - o Audaces 360 oferece todas as soluções da empresa em uma única plataforma, proporcionando maior facilidade de acesso e agilidade a empresas de pequeno, médio e grande portes. Além de ser fácil de aprender a usar, o Audaces 360 oferece suporte técnico

BARUDAN A Barudan lança na Tecnotêxtil Brasil sua nova linha de máquinas de bordar automáticas de 1 a 56 cabeçotes e equipamentos direcionados às indústrias automoti-

GEOSSINTÉTICOS SERÃO DESTAQUE NA FINTT Já entre os nãotecidos, um dos pontos de interesse da FINTT - Feira Internacional da Indústria de Nãotecidos e Tecidos Técnicos, que acontece em paralelo com a Tecnotêxtil Brasil 2017, será o setor de geossintéticos, que, bem como toda sua cadeia produtiva, está otimista quanto a suas projeções futuras com foco na inovação e desenvolvimento de novas aplicações. A FINTT promete ajudar a difundir o setor e as múltiplas aplicações para seus produtos, tais como: obras civis (muros de contenção, aterros, drenos, etc.), obras hidráulicas (barragens, canais de transporte de líquidos, etc.), lazer, instalações industriais e até mesmo na agricultura, entre outras. No evento, será possível conhecer de perto as novidades de empresas fortes no segmento, como a Dupont Cipatex, Fabril Scavone e Ober.

32 I Revista Têxtil #748

tecnotextil 2.indd 32

18/04/2017 14:44:26


FEIRAS E EVENTOS

Revista Têxtil #748 I 33

tecnotextil 2.indd 33

18/04/2017 14:44:27


FEIRAS E EVENTOS

O Denim Meeting promete ser outra atração imperdível da feira

va, boneleira e calçadista. Para atender à demanda por equipamentos com áreas de bordados maiores que as convencionais, a empresa aumentou o leque de possibilidades de escolha  para seus  clientes.  Com sede no Japão, a Barudan atua  no Brasil desde 1992, representando a única empresa do setor 100% especializada em equipamentos de bordar automáticos. Hoje, os bordados evoluíram para novos segmentos, como os equipamentos com acessórios de paetês e lantejoulas, que deram à moda um destaque ainda maior.  A produção de máquinas precisas e de simples operacionalidade faz com que o setor de uniformes seja também um grande cliente de bordadeiras Barudan.

CORREIAS SCHNEIDER Com 62 anos de mercado, a Correias Schneider é a maior importadora e distribuidora da América Latina das correias alemãs Optibelt e das norte-americanas Fenner Drives. Apresenta na TB 2017 sua linha de Correias Sincronizadas, abertas e fechadas, Correias em V e Correias Poly-V;Polias Sincronizadoras, Polias em V e Buchas Cônicas de fixação.

DA KONG ENTERPRISE Produtos do setor de geossintéticos, como os da Duci - Dupont Cipatex, serão destaque na FNTT

Fundada em 1956, a Da Kong fabrica máquinas de tricotar para a produção de peças como cachecóis, meias e lenços, entre outras. A empresa apresenta na TB 2017 a nova máquina DK-B521 (4 Feeds Hosiery Machine), com capacidade de campo de padrão ilimitada até 3 cores no mesmo curso mais cor do solo, ou até um total de 13 cores. Contém cilindro de 4 polegadas com 4 alimentações, operação simples e garante baixo custo de manutenção.

ETIQ PLASTI

A máquina SignTronic é destaque o estande da Agabê

A Etiq Plasti atua em todo território nacional atendendo a diversos segmentos - como têxtil, confecção, calçadista e frigoríficos entre outros -, oferecendo produtos para marcação, fixação e identificação. Na Tecnotêxtil 2017, a empresa destaca pinos plásticos, aplicadores, travas e agulhas, além do Grampo Elástico(VNS), um pino usado em empresas para fixar produtos em embalagens, tapetes, meias etc. Destaque para o Fix-Pin 100, um pino plástico anti-furto 100% seguro devido à sua cabeça redonda com 8mm de diâmetro, impossibilitando a troca da etiqueta entre peças de maior por menor valor; a Trava Anel Plus oferece uma aplicação bem diversificada, com

34 I Revista Têxtil #748

tecnotextil 2.indd 34

18/04/2017 14:44:29


FEIRAS E EVENTOS trava permanente em formato barril, ideal para unir ou fixar tags em roupas, bolsas, calçados, malas, joias, bijouterias etc.

INARMEG Empresa 100% nacional, a Inarmeg atua há mais de 35 anos produzindo máquinas acionamentos de altíssima qualidade e desempenho, atuando também na fabricação de máquinas especiais, redutores e motorredutores de velocidade, prestação de serviços e usinagem. A empresa está lançando na TB 17 duas máquinas para o segmento têxtil, uma usada dobrar e outra para embalar produtos têxteis. Em seu stand, a empresa apresentará, por vídeos, toda a sua linha de máquinas para a indústria têxtil, como a Máquina de Costura Longitudinal de Bainhas e a Máquina de Costura Transversal de Bainhas, entre outras.

O Fix-Pin 100 é um pino plástico anti-furto 100% seguro devido à sua cabeça redonda com 8mm de diâmetro

MICRODATA SISTEMAS Atuando no Desenvolvimento de Sistemas ERP (Enterprise Resource Planning), a Microdata Sistemas desenvolve sistemas para as indústrias Têxtil, de Tecelagem, Estamparia, Tinturaria, Fiação e Confecção, além de sistemas Integrados Fiscal, Contábil, financeiro. A empresa lança na Tecnotêxtil Brasil três novos sistemas integrados com o melhor ERP Têxtil do mercado, como o Smart Fashion para pequenas empresas de confecção; o Smart Têxtil, um sistema integrado Microdata para indústrias Têxteis; e o SIM Geovendas, um sistema de gerenciamento gráfico de representantes, uma ferramenta que contribui para que a empresa obtenha resultados geograficamente de suas vendas.

A VersaEXPRESS RF-640-s estará no estande da Roland DG na Tecnotêxtil Brasil

ROLAND DG A Roland DG Brasil é uma unidade de negócios da Roland DG Corporation, empresa japonesa líder mundial em soluções industriais para sinalização, artes gráficas, envelopamento de veículos, impressão UV, fotografia, gravação e modelagem 3D. A empresa leva para a Tecnotêxtil uma linha especial Texart, desenvolvida com foco exclusivo no mercado têxtil, utilizando tecnologia de impressão digital por sublimação: a Texart XT-640 e RT-640, além da VersaEXPRESS RF-640-s. A Texart XT-640 oferece excelente produtividade com qualidade excepcional de impressão. Ideal para uma ampla gama de aplicações, incluindo uniformes esportivos, moda, comunicação vi-

A Sun Special é a primeira máquina doméstica que já vem com sistema de corte para tecidos

Revista Têxtil #748 I 35

tecnotextil 2.indd 35

18/04/2017 14:44:31


FEIRAS E EVENTOS

RICARDO HAYDU A Tecnotêxtil deste ano terá um sabor especial para a Revista Têxtil. O FCEM Febratex Group fará o lançamento do “Destaque Ricardo Haydu”. A premiação será conferida a parceiros - como expositores, jornalistas e entidades - que já participaram de três edições do evento. A escolha do nome de Ricardo Haydu, diretor-presidente da Revista Têxtil, para a premiação foi feita pela grande relevância do seu trabalho - e de sua família - para a valorização do setor têxtil no Brasil. Criada em 1931, a editora R. da Silva Haydu conta hoje com duas publicações: a Revista Têxtil e a Textil Moda. “Ricardo e sua esposa, Vivi Haydu, são grandes incentivadores e apoiadores das feiras de negócios, parceiros de longa data do FCEM - Febratex Group”, declara o diretor-presidente da empresa, Helvio Roberto Pompeo Madeira. Sobre a homenagem, Ricardo Haydu declara: “é para mim uma grande honra receber essa homenagem, espexcialmente vinda de um grupo conceituado e atuante no setor têxtil como o FCEM Febratex Group. E esse reconhecimento nos mostra que estamos no caminho certo dentro de nosso objetivo maior de contribuir para a valorização e o crescimento da indústria têxtil nacional e internacional”. Cerca de 15 empresas receberão o “Destaque Ricardo Haydu” em sua primeira edição, destacando o próprio Ricardo Haydu, às 20h00 do dia 27 de abril.

sual, decoração de interiores, propaganda etc. Em combinação com a tinta Texart Ink, proporciona uma impressão incomparável, com nitidez e cores superbrilhantes. A Texart-RT 640 oferece poder refinado e expressivo até nos menores detalhes, proporcionando excelente qualidade, cores vibrantes e desempenho altamente estável. A impressora pode agregar valor ao negócio por meio de uma grande variedade de aplicações, como vestuário, comunicação visual, decoração para interiores e artigos personalizados.

SISPLAN SISTEMAS Com mais de 20 anos de atuação, a Sisplan Sistemas é uma empresa desenvolvedora de softwares para o segmento têxtil e atende atualmente a 50% das confecções catarinenses. Entre as soluções que apresenta na TB 17, destaque para o Aplicativo Força de Vendas que estará disponível para testes no stand da Sisplan durante o evento.

SÓCIO TEC Líder no setor de automação de jeans e similares, a Sócio Tec é a única empresa brasileira potencializada pela Mitsubishi Eletric, com máquinas automatizadas que modernizam a confecção, colocando-a em vantagem no mercado, pois a tecnologia utilizada proporciona o aumento de produção, redução de custos e padrão de qualidade nas peças produzidas. Na Tecnotêxtil Brasil 2017 a empresa apresenta em seu stand a Máquina de Dobrar Bolsos e Lapelas.

SUN SPECIAL Atuando no mercado desde 1986, a Sun Special é altamente especializada no comércio e na distribuição de máquinas de costura, corte, bordado, passadoria, peças de reposição e acessórios, entre outros materiais relacionados ao segmento de confecção. Apresenta na TB 2017 o novo modelo da SS-226C, forte e robusta, é a primeira máquina doméstica que já vem com sistema de corte para tecidos. Destaque também para as novas cores de máquinas de costura domésticas para overloque, quilting, patchwork e artesanato. Durante os quatro dias do evento, a Sun Special fará, em parceria com a ABRAMACO, a produção de bolsinhas para smartphones em máquinas adaptadas para deficientes físicos no Centro RT de Tecnologia Costure e Use.

36 I Revista Têxtil #748

tecnotextil 2.indd 36

18/04/2017 14:44:32


ABTT

XXVII CONGRESSO NACIONAL DE TECNOLOGIA TÊXTIL TRAZ TEMAS PARA FUTURO E PRESENTE

N

os últimos dois anos o segmento têxtil brasileiro tem sofrido uma recessão sem precedentes com grandes perdas, ainda assim a ABTT esta firme em seu compromisso de trazer mais um congresso de tecnologia para os profissionais da cadeia produtiva têxtil, confecção e moda. De 24 a 28 de abril estaremos realizando o XXVII CNTT, Congresso Nacional de Tecnologia Têxtil, Confecção e Moda, que ocorrera no Anhembi, junto com as Feiras Tecnotêxtil, Febratextil, FINTT e Boné show. O grande destaque será o Grafeno, material constituído por uma camada extremamente fina de grafite, com uma estrutura hexagonal cujos átomos individuais estão distribuídos, gerando uma fina camada de carbono. Este material aliado a uma técnica inovadora permite à indústria têxtil, a partir de agora, produzir roupas inteligentes que poderão incorporar em seu tecido: celular, leitor mp3, GPS, sensores de monitorização médica, dispositivos de segurança camuflados, entre outros.

A MODA E O MERCADO As marcas brasileiras agora sofrem com o acúmulo nas prateleiras de produtos “baratos”, vindos dos tigres asiáticos. Para isso uma mudança de cenário se faz necessária, adequando todos os produtos aos mercados aonde eles vão ser consumidos, preparando mão de obra para produzir com qualidade dentro de valores reconhecidos mundialmente, como sustentabilidade, inovação, responsabilidade social, reprodutibilidade, economia criativa, entre outros. Pensando nestas mudanças, preparamos um CIMTT, o primeiro congresso internacional de Moda e Tecnologia Têxtil, trazendo conceitos de moda de profissionais do Brasil e do Exterior, tecnologias avançadas, gestão e educação para serem discutidos em painéis.

por

ANTONIO CÉSAR CORRADI

Participarão órgãos de secretarias de Estado, com modelos de moda inclusiva, birôs de tendências de moda nacionais e internacionais, profissionais de design e estilo, gerentes de empresas de moda e varejo, profissionais de empresas que ditam a inovação na cadeia produtiva, etc.

CONTEXMOD Sem falarmos do CONTEXMOD, congresso voltado ao setor acadêmico em sua quinta edição, já consolidado e trazendo um grande número de trabalhos qualificados para apresentação por um corpo de profissionais doutores em têxtil, Moda e Gestão. Sempre falamos que o desenvolvimento passa pela educação e nossa associação não poderia ficar fora deste contexto. Nossa felicidade é o número de escolas da cadeia produtiva, sensibilizadas e engajadas com pessoas inscritas para participar do Congresso. Nosso próximo passo será fazer a integração entre o meio acadêmico e a indústria, para que ambos possam saber o que os pesquisadores estão desenvolvendo e praticando, trazendo um grande progresso para o nosso País. Os temas terão como forma básica de apresentação dos trabalhos, sessões de discussão em que os congressistas através do seu envolvimento e participação, comunicará brevemente os principais resultados científicos de sua pesquisa, contamos também com painéis e exposição de pôsteres e ainda com fóruns de temas relevantes ao setor, que ocorrerão pré congresso, abordados por professores e pesquisadores de alto nível profissional e experiência, com o principal objetivo de fomentar o debate cientifico. Por isso creio que o nosso grande desafio de fazer um congresso em época de crise, e uma crise tão intensa como a que estamos vivendo, foi cumprido e levando aos profisRT sionais do setor, os grandes avanços do meio têxtil. Revista Têxtil #748 I 37

abtt.indd 37

18/04/2017 01:24:38


NOTÍCIAS STÄUBLI EXPÕE PORTFÓLIO EM FEIRA ASIÁTICA

USTER REVELA EVOLUÇÃO DE TESTADORA PARA TECIDOS TÉCNICOS

A ITME India, que aconteceu em dezembro do ano passado mostrou todo o potencial do maior mercado têxtil do mundo. E este ano já começou com força para o continente asiático. Entre 23 e 26 de fevereiro aconteceu a 14ª edição da Dhaka International Textile & Garment Machinery Exhibition, em Bangladesh. No evento, alguns importantes players mostraram seus produtos. Foi o caso da Stäubli, com a Topmatic 201 e a SX Jacquard. A máquina de amarração de urdidura automática TOPMATIC 201 PC tem uma detecção de dupla extremidade integrada que funciona mesmo com deformações. Sua velocidade de amarrar pode tentar 600 nós por minuto. Além de sua rapidez e longa vida útil, ela ainda trabalha com uma faixa de fios de 0,8 a 500 tex. Já a Jacquard SX é adaptável a todos os tipos de jato de ar, pinças e máquinas de jato de água. A máquina produz excelentes resultados em tecidos felpudos, material decorativo, tapeçaria, tecido de seda, roupas ou capas de assento. Com sua carcaça otimizada e mecanismo de elevação performante, esta máquina funciona de forma confiável sob as mais exigentes condições das fábricas de tecelagem.

Falhas de qualidade, especialmente no parâmetro crítico de uniformidade do fio, podem ser caras, mas o Uster TESTER 6-C800 fornece testes rápidos e precisos para as tolerâncias mais estritas, protegendo os produtores de filamentos contra reclamações de clientes. A máquina combina confiabilidade com operação de alta velocidade. Todos os modelos operam à velocidade de teste de 800 m / min. Além das vantagens já descritas, o Uster TESTER 6-C800 oferece três novos recursos exclusivos para ajudar os produtores a aumentar a eficiência e melhorar a qualidade. A medição de entrelaçamentos é uma inovação para economizar tempo e evita variações na aparência de tecido subsequente. Um recurso de varredura automática da torção foi desenvolvida para ajudar a monitorar a qualidade do filamento tornando as configurações de torção mais fáceis. E o sistema baseado em conhecimento (KBS) rapidamente traça a causa de um problema de qualidade na máquina de fiação, sem necessidade de ajustes extras ou de entrada do fornecedor da máquina, com um único clique na exibição do espectrograma.

38 I Revista Têxtil #748

noticias.indd 38

Fotos: Divulgação

18/04/2017 19:10:41


NOTÍCIAS SSM APRESENTA SOLUÇÃO PARA TRABALHOS COM FIBRA DE CARBONO A SSM apresentou na JEC World, feira realizada em Paris, na França, entre 14 e 16 de março deste ano, sua mais recente solução para processar fibras de carbono. Em colaboração com o Institut für Textiltechnik da RWTH Aachen University (ITA) ea Gruschwitz Textilwerke AG, fabricante de fios técnicos, a SSM desenvolveu um conceito modular para melhorar as propriedades da fibra de carbono. A “máquina de carbono” SSM recentemente introduzida, apresenta um design modular e propaga, divide e enrola as fibras de carbono. A máquina espalha e divide pesados reboques feitos de fibras de carbono com até 50 kg, que são então divididos em hastes com um número definido de filamentos entre 3 kg e 12 kg. Graças a este novo processo da SSM, os custos no processo são reduzidos significativamente.

Revista Têxtil #748 I 39

noticias.indd 39

18/04/2017 19:10:42


ABIT

ABIT: SESSENTA ANOS DE LUTAS E CONQUISTAS

por

E

m seus 60 anos, comemorados em 2017, Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil) tem sido um referencial no âmbito do associativismo brasileiro, atuando em todas as frentes para a melhoria do ambiente de negócios e o fortalecimento das 33 mil empresas do setor existentes no País. Trata-se de um conglomerado que emprega 1,5 milhão de trabalhadores. Fundada em 1957, com o nome de Associação Paulista da Indústria Têxtil, a Abit é hoje uma das mais articuladas e influentes entidades de classe brasileiras. Além disso, dentro do setor, não há no mundo todo, nenhuma outra organização classista como ela, com um calendário tão amplo e diversificado de atividades, mobilização política e abordagem múltipla de temas. Ainda que atuante no setor desde 1977, foi em 1998 que pude testemunhar todo esse dinamismo, quando fui convidado a colaborar, voluntariamente, na reestruturação da entidade, que desenvolveu um modelo inigualável de associativismo. Os resultados da atuação da Abit têm sido muito positivos, com um posicionamento efetivo e ousado na defesa e projeção de nossa indústria e de sua condição de grande geradora de emprego e renda. Seu trabalho também fundamental para que a sociedade, o poder público e todos os setores da economia tenham uma correta visão da cadeia produtiva da indústria têxtil e de confecção e para que esta esteja integrada e sinérgica, desde a matéria-prima até o produto final. Em sua trajetória, a entidade obteve muitas e significativas vitórias, como o aumento do imposto de importação do vestuário para 35% e dos tecidos em 26%, num momento crítico de nossa indústria, em meados da primeira década deste século, quando enfrentávamos forte concorrência externa, num cenário de forte apreciação de nossa moeda. Teria sido trágico se tivéssemos passado

FERNANDO PIMENTEL

todo aquele período com as taxas de importação, então vigentes, de 20% para o vestuário. Outra vitória foi a criação e, depois, a reestruturação da Frente Parlamentar da Indústria Têxtil e de Confecção e a conquista da desoneração da folha de pagamentos das empresas, na qual fomos pioneiros. A medida, infelizmente revertida recentemente, contribuiu para que o setor enfrentasse de modo menos traumático um período duro do presente ciclo recessivo, acarretando muitos benefícios enquanto permaneceu em vigor. Também tem sido relevante a incansável luta contra a concorrência desigual de países que desfrutam de melhor ambiente de negócios e que convertem baixos níveis de compliance em distorcida vantagem competitiva. A Abit está sempre mobilizada para enfrentar tais ameaças e os ataques aos interesses de nossa indústria. O trabalho da entidade não para. Muitas agendas serão conduzidas, ao longo do próximo triênio, principalmente nas áreas internacional, trabalhista, tributária, de competitividade, compliance e integração, todas com metas ainda maiores e respeitando a cadeia produtiva. Também é grande o esforço e os movimentos voltados a contribuir para que o setor ingresse na era da manufatura avançada. Com o apoio e a força da Abit, a indústria têxtil e de confecção do Brasil saberá navegar nos mares revoltos de nosso país e do mundo. Sinérgica, coesa e forte em sua representatividade, a entidade seguirá na vanguarda da incansável luta RT pelo desenvolvimento da indústria brasileira.

* Fernando Valente Pimentel é presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

40 I Revista Têxtil #748

abit.indd 40

18/04/2017 14:44:41


noticias.indd 40

18/04/2017 01:28:06


noticias.indd 40

18/04/2017 01:26:37

Revista Têxtil 748  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you