Page 1

Anuรกrio 2012/2013


BEM VINDO A UM MUNDO MELHOR


Todos juntos por um futuro melhor Quando olho para todos os desafios superados durante este ano, as palavras não são suficientes para expressar o que meu coração tem a dizer. São em momentos de reflexão, como os que ocorrem na época de Natal, que as minhas forças se renovam, relembrando todos os projetos que juntos pudemos realizar pelas famílias de Campos do Jordão e de São Bento do Sapucaí, no Estado de São Paulo, e de Caldas, em Minas Gerais. Sinto-me privilegiada pela oportunidade de, a cada dia, viver o sonho que por tanto tempo em meus pensamentos planejei. Há quatro anos, quando a Fundação saia do papel para a realidade, por um momento pensei que poderia não dar certo, mas hoje vejo que tudo realmente é possível. É pensando assim que agradeço a toda minha fiel equipe de profissionais que faz do meu antigo projeto uma organização exemplar, que ensina às pessoas o poder do conhecimento e o valor da vida, abrindo para eles uma porta de possibilidades e um caminho diferente para um futuro melhor. É por isso e por muito mais que só me resta deixar minha homenagem a todos que realizam todos os dias o meu sonho e fazem da minha causa seus motivos para lutar. A todos esses, o meu muito obrigada e toda a minha admiração.

Lia Maria Aguiar Presidente

Nosso propósito é tornar a sociedade mais justa e, para isso, focamos nas pessoas, porque, ao longo desses anos de trabalho, a Fundação redescobriu a capacidade transformadora do ser humano quando tratado com respeito e com igualdade. O sucesso nos alcançou graças ao poder da cidadania, que está deixando de ser apenas uma palavra para ser um princípio de vida, o acesso para se fazer parte do mundo. E em breve, poderemos dizer, com alegria, que fizemos parte de uma transformação antes considerada impossível.

Luiz da silva Goshima Gerente Social


TODOS UNIDOS PELA INCLUSÃO Acreditando no potencial do ser humano, nós da Fundação Lia Maria Aguiar continua-mos percorrendo os surpreendentes caminhos da inclusão e da transformação social por meio da cultura. Estamos focados na construção de uma realidade mais justa para aqueles que vivem excluídos do conceito de cidadania na sociedade brasileira, sempre guiados por uma constante análise do cenário atual e por um projeto ideal de futuro. Avançamos a cada dia com a implantação de novos programas sociais ao longo desses quatro anos, que nos renderam experiência e inspiração para a evolução de nossos indicadores. Cada pessoa envolvida em nossos projetos foi capaz de nos mostrar as diretrizes que devemos seguir e nos deu a oportunidade de ver a concretização de um trabalho feito a muitas mãos. Os obstáculos que vamos enfrentar ainda serão muitos, estamos conscientes, mas nossa missão é justamente dar exemplo ao povo de Campos do Jordão e de Caldas, mostrando que munidos das ferramentas corretas é possível ultrapassar nossos próprios limites e vencer.

Auto Realização

Ser humano preparado Descoberta do universo em que está inserido Socialização Auto conhecimento

4 - SER HUMANO PREPARADO PARA SUPERAR DESAFIOS,

com autonomia, senso crítico, auto estima e comprometido em disseminar o conceito de sociedade sustentável

3 - DESCOBERTA DO UNIVERSO EM QUE ESTÁ INSERIDO

Mobilizar conhecimentos e potencialidades desenvolvidas para aplicabilidade da prática consciente do respeito ao ser humano, ao meio ambiente e exercício do senso crítico

2 - SOCIALIZAÇÃO

Reconhecimento de si e conhecimento do outro ; Respeito às regras e relacionamento em grupo

1 - AUTO-CONHECIMENTO

Prover saúde física; Descobrir e conhecer o eu , seu potencial, seu limite e aceitar as diferenças; Favorecer o desenvolvimento da linguagem que permita a expressão do seu pensamento, sentimento e valores

Vamos continuar na jornada da inclusão com coragem e perseverança, refletindo a força de uma nação marcada pelas desigualdades sociais, mas vitoriosa por não desistir. Para tanto, é fundamental a participação e a mobilização de toda sociedade, assim a bandeira da igualdade e da oportunidade ganha maior representatividade e, consequentemente, as dificuldades diminuem. Venha caminhar conosco e tenha uma ótima leitura!

equipe Fundação Lia Maria Aguiar Todos os projetos e programas da Fundação Lia Maria Aguiar são elaborados, desenvolvidos e aprovados exclusivamente pela diretoria da própria entidade.


Este ano foi um período de muito aprendizado para a Fundação Lia Maria Aguiar, e graças ao comprometimento de toda a nossa equipe vencemos os desafios e conquistamos muitas vitórias Luiz da Silva Goshima, Gerente Social


Em 2013 um novo sonho começa... e você é nosso convidado!


A Banda Marcial da Fundação Lia Maria Aguiar, ou apenas BAMFLIMA como é mais conhecida, nasceu da iniciativa de pessoas comuns, que foram capazes de realizar um trabalho especial. O compromisso com a cidadania falou mais alto do que as dificuldades no coração de alguns moradores da Vila Santo Antônio, quando decidiram ensinar música às crianças e adolescentes do bairro para formar uma fanfarra. A ideia surgiu depois que eles perceberam a falta de perspectiva dos jovens daquela vila, que passavam a maior parte do tempo pelas ruas na ociosidade. Não fazer nada por eles seria o mesmo que entregá-los as drogas e a violência. Em 2009, comovida pela essência do trabalho, a Fundação viu no projeto a possibilidade de conceder assistência aos alunos e, ao mesmo tempo, ampliar o conceito para os outros bairros da cidade.


A Fundação, então, investiu em novos instrumentos musicais e uniformes e a fanfarra passou a ser banda marcial. Atualmente, o grupo tem cerca de 50 componentes de toda a cidade entre músicos, dançarinos e equipe de apoio, que se apresentam em vários festivais. Desde então, a BAMFLIMA cresce a cada ano, superando desafios e batendo novas metas. Em 2012, o projeto inspirou a inauguração do CEMFLIMA – Centro de Estudos Musicais Fundação Lia Maria Aguiar. Impressionada com os resultados positivos do programa BAMFLIMA, a Fundação sonhou com algo maior, um projeto capaz de atender mais pessoas, levando às crianças, aos adolescentes e aos jovens da região, um ensino de qualidade de música erudita e popular.


O CEMFLIMA oferece cinco professores graduados, assistente social e psic贸loga aos alunos inscritos


Eu quero agradecer à Fundação por realizar o meu sonho que é atender a todas as comunidades carentes da cidade, abrindo um espaço para formar profissionais da música Fulvio Mendonça, Maestro da BAMFLIMA


Flauta transversal, clarineta,

Em outubro de 2012, o sonho tornou-se realidade e o Centro de Estudos Musicais

oboé, saxofone, fluguel

Fundação Lia Maria Aguiar abriu as portas para todas as comunidades do nosso município.

horn, trompete, trompa, trombones, caixas, bumbos, pratos, bateria, quintom,

Muito mais do que inclusão social e cultural, o projeto deseja oferecer um futuro diferente para esses alunos, mostrando que a arte pode transformar suas vidas. O

tímpanos, marimba,

objetivo é preparar músicos para uma carreira profissional, capacitados para enfrentar

vibrafone, xilofone,

processos seletivos de conservatórios e faculdades, estimulando o constante

glockenspiel, campanas

aperfeiçoamento individual e coletivo. Outra meta do projeto é fortalecer a identidade

tubulares, violões, cordas clássicas e acessórios de percussão estão à disposição de alunos e professores no Centro

cultural de Campos no cenário musical e fazer do CEMFLIMA um centro educacional de referência no ensino da música. A expectativa do CEMFLIMA para 2013 é atender a 250 alunos entre 6 e 21 anos, estudantes de escolas públicas, provenientes de famílias de baixa renda e em condição de vulnerabilidade social, com aulas de teoria musical e de instrumentos de sopro e de cordas. Para as crianças iniciantes, o planejamento é lecionar aulas de musicalização, um trabalho que procura despertar os sentidos através do primeiro contato com os instrumentos.


As turmas serão divididas de acordo com o grau de desempenho individual, nas seguintes fases: Iniciação Musical, Formação Musical e Desenvolvimento Musical Avançado. Para que tudo isso fosse possível, a Fundação disponibilizou um espaço totalmente estruturado e adaptado para atividades de ensino de música, inclusive para receber alunos cadeirantes. Também adquiriu todo o material necessário para as aulas, como equipamentos e instrumentos musicais profissionais, e contratou uma equipe de professores altamente qualificados. Porém, os planos para o futuro são ainda mais audaciosos. “O nosso desejo é em breve formar grupos permanentes de musicalização, começando por uma banda sinfônica, depois uma camerata de violões e de cordas clássicas, uma big band e, finalmente, a tão esperada orquestra” explica Willian Anaia Bonafé, professor do CEMFLIMA. Todas as atividades de música, inclusive os ensaios da Banda Marcial, já estão concentradas no prédio do Centro, que fica ao lado do famoso Portal de entrada da cidade.


Campos do Jordão tem na Fundação alguém que realiza trabalhos de prevenção com crianças, adolescentes e jovens, a fim de contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade mais humana e pacífica, baseada em valores morais e éticos e com menos contrastes sociais e econômicos William Anaia Bonafé Professor de teoria musical do CEMFLIMA


Basta acessar e descobrir o poder do conhecimento na construção de uma nova sociedade Visitar um museu com um dos mais diversificados acervos de obras primas da história medieval, moderna e contemporânea ficou fácil e rápido desde a criação do portal MARE – Museu de Arte para Educação e Pesquisa (www.mare.art.br), em 2010. Idealizado pelo Prof. Luiz Marques, do Departamento de História da Unicamp, o projeto MARE nasceu com o desejo de tornar a história da arte e da humanidade acessíveis a todos pelo maravilhoso poder da internet. No site é possível interagir


com as diferentes manifestações artísticas, como a pintura e a escultura presentes nas mais de 1200 imagens, além das composições e músicas, separadas por 10 categorias. O projeto é uma realização da Fundação Lia Maria Aguiar, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo – FAPESP, desde 2010. É o conhecimento cultural transpondo as fronteiras através da tecnologia. A Fundação Lia Maria Aguiar, que enxerga a cultura como fonte de transformação, deseja expandir o MARE, buscando parcerias com cartunistas, desenhistas e ilustradores renomados, que possam contribuir com suas criações para atrair a atenção de mais jovens e auxiliar na expansão da acessibilidade do portal. O desejo é que o projeto seja um sucesso nas salas de aula, incentivando os professores a utilizarem o portal em benefício da qualidade do ensino, viabilizando a disseminação cultural de maneira didática, divertida e prática.

A arte diz o indizível; exprime o inexprimível, traduz o intraduzível Leonardo da Vinci

Desde a sua implantação, o portal passou por mudanças para tornar a navegação mais simples e efetiva como fonte de pesquisa. Em 2011, por exemplo, o portal ganhou ferramentas de compartilhamento nas redes sociais, como Twitter e Facebook


a Dança atinge a alma e abre o coração para um horizonte repleto de boas possibilidades, onde nada é realmente impossível, apenas está mais distante do que desejariamos que estivesse


“Um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade”, já dizia o grande poeta das melodias, Raul Seixas. Para o Grupo de Dança Fundação Lia Maria Aguiar (GDFLMA) essa frase é uma verdade na vida dos 216 dançarinos, entre crianças e adolescentes, que juntos compartilham, criam e vivem seus sonhos dançando. Implantado em 2009 para levar inclusão social através da arte, o programa superou grandes desafios, avançou em técnica e em qualidade, surpreendendo pais, alunos, professores e a comunidade jordanense.


Educação, disciplina, amor e cidadania são algumas das lições que esses pequenos levam para casa depois das aulas de dança, poderosas agentes na formação de adultos socialmente responsáveis. Para Elizabeth Reis, coordenadora geral do grupo, a Fundação encontrou a melhor maneira de levar inclusão. “A arte proporciona um horizonte maior, então eles se apaixonam e se deixam apaixonar, mudando o comportamento e os objetivos para o futuro”. O Grupo de Dança atende crianças e adolescentes de 3 a 20 anos, que recebem aulas de balé clássico e contemporâneo, de jazz, além de condicionamento físico e história da dança, tudo isso com o acompanhamento psicológico, feito a partir de terapias de grupo para garantir aos alunos saúde e condições iguais de aprendizado.

O trabalho que a Fundação realiza é fundamental para o crescimento da comunidade. É o projeto social mais completo, que eu tive a oportunidade de conhecer Elizabeth Reis, Coordenadora Geral do Grupo de Dança


O espetáculo de dança ‘o corsário’ e ‘in natura’ foi o auge do grupo de balé em 2012, com a participação dos alunos e também dos professores


O que a Fundação esta fazendo é realizar o meu sonho. Ter a chance de trabalhar com balé é uma satisfação enorme porque eu amo o que eu faço. No futuro, eu me imagino como uma grande coreógrafa Débora Cristina, 18 anos estagiária do Grupo de Dança


No início de 2012, a Fundação abriu 100 vagas para formar novas turmas de iniciantes e contratou três estagiárias para integrarem a equipe, depois de apoiar uma ideia que surgiu entre os professores quando a dedicação de algumas alunas veteranas despertou interesse. O estágio tem como objetivo auxiliar na formação profissional dessas alunas, proporcionando a experiência necessária de um trabalho remunerado como garantia de um futuro melhor. Talento e técnica uniram-se no grande momento do ano para a equipe do GDFLMA: os espetáculos de dança Le Jardim Animé e In Natura, que ocorreram em setembro de 2012 e que celebraram a importância da preservação ambiental. Os alunos, professores e a coordenadora formaram um só grupo de bailarinos e encantaram Campos do Jordão. A dança rompeu as barreiras da desigualdade e despertou a admiração de pessoas que, provavelmente, não teriam oportunidade de conhecer os benefícios da dança.


Somos gratos e honrados pelo trabalho desenvolvido com amor e dedicação pelos profissionais da Fundação Equipe Ceprocom

O balé está rendendo bons frutos para a vida das 100 crianças e adolescentes que participam do grupo de dança do Centro Promocional Comunitário de São Bento do Sapucaí – CEPROCOM, entidade sem fins lucrativos que, em parceria com a Fundação Lia Maria Aguiar, ajuda a levantar a bandeira da inclusão na cidade vizinha. A arte está levando aos alunos o desenvolvimento da autoestima, da responsabilidade, da postura e da coordenação motora. O programa recebe crianças a partir de dois anos e pessoas portadoras de necessidades especiais, permitindo aos alunos vencerem suas limitações físicas através da socialização e da motivação, que a arte é capaz de promover. O êxito da parceria resultou em um novo projeto: a formação de uma fanfarra regida por um maestro cedido pela Fundação.


As atividades do Grupo de Dança da Fundação não param por aí. As crianças da creche e da préescola da Sagrada Família, na Vila Albertina, estão recebendo aulas de balé. O trabalho, em parceria com a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, teve início em março de 2011 e contempla um total de 150 crianças, com idade entre 2 e 6 anos que, com muito carinho e imaginação aprendem, além do balé, os valores da amizade e da cidadania.

As crianças que desejarem podem dar sequência aos estudos da dança na sede do GDFLMA

Em uma comunidade carente como a nossa, poucas crianças teriam as possibilidades que esta Fundação oferece Equipe Sagrada Família


O mundo da dança também foi apresentado às crianças da cidade de Caldas, em Minas Gerais, onde está situada a Empresa de Mineração Ouro Novo – EMON, adquirida pela Fundação Lia Maria Aguiar em 2008. Em parceria com a prefeitura local, a EMON tem implantado vários projetos sociais e concedido incentivo a eventos culturais, com foco em desenvolver na comunidade uma nova mentalidade aonde as oportunidades vão além da realidade local. Para receber o programa de balé, foi construído um prédio moderno e totalmente adaptado para portadores de necessidades especiais. Hoje, são 60 crianças com idades entre 6 e 12 anos, que juntamente com as famílias estão mudando suas perspectivas de vida.

Nossa meta sempre será prover valores e oportunidades às pessoas da comunidade caldense Conrado Braz de Faria Gerente da EMON


Para A Fundação Lia Maria Aguiar o termo sustentabilidade vai além do compromisso com o meio ambiente . é o segredo para a construção de um futuro bem sucedido


O termo preservação ambiental ganhou espaço nas discussões políticas e sociais no cenário brasileiro e internacional. Hoje, até as camadas da população que vivem a margem da sociedade estão começando a conviver com as preocupações mundiais que cercam o futuro do meio ambiente. A sustentabilidade, termo distante para uma grande maioria, passou a ser comum nos programas de televisão, na internet e até nos produtos comercializados em supermercados e centros comerciais. Toda essa popularização nos faz repensar sobre a relação homem e planeta. Mas será que realmente conhecemos o verdadeiro significado da palavra sustentável? O termo sustentabilidade define todas as ações, que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer as condições de vida das futuras gerações. É a maneira correta de utilizar os recursos naturais que o planeta terra nos oferece, garantindo crescimento econômico e, ao mesmo tempo, proteção ambiental. Mas, diferente do que muitos imaginam, desenvolvimento sustentável não está apenas ligado a questões ambientais. Todos os projetos da Fundação Lia Maria Aguiar são norteados pelos critérios que promovem esse desenvolvimento também nas áreas econômica, social e cultural.

Pensar em sustentabilidade é agir nas áreas: Ambiental, que utiliza os recursos naturais necessários, conservando o equilíbrio natural do planeta; Cultural, que promove o respeito aos diferentes valores entre os povos e incentiva melhorias sociais que mantenham as especialidades locais; e Social, que procura melhorar a qualidade de vida da população, diminuindo as diferenças sociais


Qualidade de vida é o jeito “Fundação” de crescer

O ambulatório oferece tratamento odontológico, ginecológico e clínico geral, incluindo medicamentos, exames e procedimentos de enfermagem. Tudo planejado para acompanhar a evolução dos pacientes e também para atender raras situações de emergência na comunidade


A Mineração Corrêa, empresa da Fundação Lia Maria Aguiar, está promovendo o desenvolvimento social através da implantação de projetos voltados para a saúde e bem estar da comunidade do bairro da Pedra Mármore, na divisa entre Piranguçu, cidade sul-mineira e Campos do Jordão. Um dos programas é o ambulatório médicoodontológico, que hoje é referência no atendimento de qualidade junto à comunidade local. O processo de ampliação do projeto para outras famílias da região só foi possível graças aos bons resultados obtidos com o trabalho preventivo realizado pela equipe de especialistas, por meio da conscientização dos pacientes que mudaram seus hábitos diários para a manutenção da própria da saúde. Desde então, a comunidade passou a refletir essa mudança: as pessoas estão motivadas e confiantes para depositar suas esperanças num futuro com qualidade de vida. Depois que a equipe do ambulatório identificou um déficit de nutrientes na alimentação dos pacientes, nasceu o projeto de uma horta comunitária. A iniciativa deu certo e continua fazendo sucesso. Atualmente, a horta fornece alimentos orgânicos para o novo refeitório da Mineradora, que iniciou suas atividades em janeiro deste ano. O restaurante serve café da manhã e almoço de segunda a sexta-feira aos 36 funcionários da mineração e aos 11 profissionais do ambulatório, cuidando para que todos possam viver com mais saúde e mais variedades saborosas no cardápio. A turma de alunos do Programa Escola para Adultos, desde julho de 2010, prossegue vivendo os prazeres da leitura. Muito mais do que o simples fato de ler, esses adultos, entre 30 e 80 anos, estão redescobrindo o significado da dignidade e da autoestima, através do acesso ao conhecimento e à cultura.


Além de presentear o público com quatro mil envelopes contendo sementes de ipê acompanhados de vasinhos de garrafa pet, a Fundação incentivou práticas sustentáveis durante seus últimos eventos, oferecendo oficinas de instrumentos musicais criados a partir de materiais recicláveis, coleta seletiva e profissionais especializados tirando dúvidas do púbico sobre o futuro do ambiente


Uma missão clara e muito importante rege as atividades da Fundação Lia Maria Aguiar, desde seus primeiros passos rumo à inclusão socioeconômica: difundir e trabalhar pelos ideais que garantam a proteção do meio ambiente e da vida. Para ampliar esses conceitos e reafirmar o seu compromisso com a sustentabilidade, todos os eventos da Fundação foram certificados ambientalmente com o selo “Holovida/asc/aff”. O Holovida é uma ferramenta de gestão da Saírabiossocial, que permite adequar eventos, empresas e produtos às práticas ambientalmente responsáveis, com o intuito de alcançar um desenvolvimento sustentável. A certificação, por meio da coleta de dados sobre o consumo de matéria prima e produção de resíduos, gera um relatório de emissões de gases do efeito estufa, baseado em normas internacionalmente reconhecidas. Essa ação possibilita neutralizar todo o carbono lançado na atmosfera, por meio da conservação de florestas nativas, localizadas nas propriedades da Fundação. Para somar ao selo, outras ações de incentivo a atitudes conscientes em relação ao planeta foram implantadas durante os eventos por meio de minifeiras de ciências e oficinais educativas.


É vislumbrando um horizonte cheio de possibilidades e acreditando no poder transformador do conhecimento, que a Fundação Lia Maria Aguiar realiza o Encontro da Cidadania desde 2009. Um grande evento, onde toda a comunidade da região é convidada a pensar e a discutir novos rumos para nossa cidade e nosso país, olhando para o futuro como um sinônimo de oportunidade. Este ano, o Encontro aconteceu entre os dias 27 e 31 de agosto, no Convention Center, Vila Capivari, e reuniu nomes reconhecidos no país, como mestres das ciências e das relações humanas. Dráuzio Varella foi quem voltou ao palco do evento para abrir a semana, alertando o público sobre os riscos do sedentarismo e de uma dieta supercalórica. Na terça-feira foi a vez de Mário Sérgio Cortella conquistar a plateia com uma análise profunda sobre o papel da família. Nuno Cobra, preparador físico do campeão Ayrton Senna, ensinou valiosas dicas para uma vida plena, na quarta-feira. Max Gehringer, na quinta-feira, aconselhou os profissionais da cidade e Augusto Cury encerrou o evento, na quinta à noite, incentivando os participantes a conhecerem e a cuidarem das muitas faces de suas mentes.


Não existe alternativa para a manutenção de uma vida saudável que desconsidere a necessidade de praticarmos exercícios físicos

Um evento como o Encontro da Cidadania só poderia ter uma pessoa tão especial quanto a ocasião para iniciar o ciclo de palestras: Dr. Dráuzio Varella, médico cancerologista. Famoso por suas séries na televisão, onde esclarece de forma simples e simpática os enigmas da medicina, Dr. Dráuzio alertou o público sobre os inúmeros riscos que os excessos com alimentação e drogas, ao longo do tempo, trazem para o organismo. Também lembrou que o sedentarismo é o principal responsável por uma população mais vulnerável, que tende a conviver com as crescentes complicações e doenças oriundas dos maus hábitos. Segundo o médico, uma cidade saudável depende, primeiramente, da consciência preventiva de cada cidadão e depois de uma assistência médica pública de qualidade.

Eu estive aqui no ano passado e estou de volta a Campos pra deixar claro que cada um de nós tem muito o que fazer pela própria saúde. Não podemos contar somente com os serviços públicos de saúde


O mundo que vamos deixar para os nossos filhos depende dos filhos que deixaremos para o mundo. Que passado queremos ter daqui 20 ou 30 anos? Teremos nós orgulho do que estamos fazendo?

Para discutir sobre educação e família na segunda noite de debates, o Encontro da Cidadania 2012 recebeu o filósofo e professor da PUC de Campinas, Mário Sérgio Cortella. Ele destacou a importância do Encontro, uma vez que acredita na reflexão sobre os desafios de cuidar e educar como fatores decisivos para uma sociedade participativa, que procura constantemente melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos. Segundo Cortella, os princípios da família devem ser o amor e a coragem, porque quem ama cuida e não desiste. Cabe, então, a cada um enfrentar os medos, que a imensa responsabilidade de ser pai ou mãe pode causar, lutar para manter vivas a persistência, a resistência e a paciência. Assim a família garante a continuidade de um ideal, suporta as dificuldades e espera pelos resultados de um belo trabalho. Com a certeza de que os frutos serão valiosos para que todos vivam um futuro feliz no amparo das relações familiares.


A terceira noite do evento foi comandada pela descontração de Nuno Cobra, um profissional reconhecido mundialmente pelo excelente trabalho como preparador físico de atletas de alta performance, incluindo o tricampeão mundial de Fórmula 1, Ayrton Senna. Nuno, que tem como ideal de vida saudável a evolução do corpo para o desenvolvimento da mente e da alma, compartilhou com os presentes valiosos princípios de uma pessoa vitoriosa. Numa palestra cheia de irreverência e alegria, ele convocou Campos do Jordão a voltar à essência da vida, que é a felicidade. Para Nuno aquela pessoa que durante a vida não conseguiu ser feliz, não conseguiu nada. Aprender a valorizar o corpo e o momento que estamos vivendo, pode gerar grandes transformações em nossa alma e mudar nossa atual realidade, negligente para nós mesmos. Portanto, escolha seus métodos e desvende os segredos de uma família feliz, uma cidade justa e uma sociedade bem sucedida, porque nada é impossível quando estamos dispostos a lutar.

Através do corpo físico eu desenvolvo o corpo mental, sentimental e espiritual, mas o resultado só depende de cada pessoa individualmente. Para alcançar a felicidade plena de corpo, alma e mente nós precisamos aprender a transformar o ambiente em que vivemos. A felicidade está dentro de cada um de nós, então faça de uma decepção uma oportunidade e viva a vida da melhor maneira possível


Campos do Jordão tem potencial como poucas cidades do Brasil. Ela conquistou uma imagem reconhecida dentro e fora do país. É preciso apenas mostrar tudo o que essa cidade é capaz de oferecer

Max Gehringer, que participou pela segunda vez do Encontro, foi o palestrante da quarta noite. Administrador de empresas e comentarista da Rádio CBN e da Rede Globo, Max traçou um perfil do mercado profissional de Campos do Jordão e mostrou todas as potencialidades de nosso cenário econômico. Na visão de Max, para construir um município motivado e criativo, que desenvolva seus atrativos e amplie o mercado de eventos, precisamos começar a plantar nossa credibilidade nos esforços coletivos como o Encontro da Cidadania e as diversas associações de classes. Mais do que qualquer outra necessidade, a população precisa ter “confiança” em todas as áreas da vida, porque Campos do Jordão oferece espaço para que todos tenham sucesso como empreendedores, basta apenas acreditar e se preparar.


AS PESSOAS podeM evitar muitos conflitos e desilusões de maneira inteligente e prática, diminuindo a expectativa em relação ao outro

Para encerrar a semana de encontros, a Fundação convidou o médicopsiquiatra Augusto Cury, autor de diversos livros de sucesso nacional e internacional. Ele mostrou ao público como é importante se atentar para a saúde da mente, para que as armadilhas da nossa emoção não nos aprisionem. Atualmente, o homem moderno trabalha para garantir uma vida segura e confortável e, nesse sentido, direciona todos os seus esforços, muitas vezes sem se atentar para a necessidade de zelar pela saúde da própria mente. De acordo com Cury é importante ser o autor de suas próprias histórias, guardando o seu íntimo das desilusões da vida e se posicionando ativa e conscientemente diante das questões que envolvem o futuro da humanidade e do planeta. Tudo isso, principalmente, ensinando os nossos filhos e alunos que as tristezas existem, mas podem ser superadas.

Precisamos entender que não há céu sem tempestades e nem caminho sem acidente


Todos os dias do Encontro foram apresentados pela jornalista Solange Moraes, que tambĂŠm fez o papel de mediadora no jogo de perguntas e respostas entre o pĂşblico, os representantes da sociedade e os palestrantes


O festival de música 2012 provou que a cultura é capaz de promover um universo rico, sem distinção entre raças, povos, classes socias e estilos musicais


A programação especial do Festival de Música da Fundação Lia Maria Aguiar encantou a plateia, que pelo terceiro ano pôde aproveitar momentos de entretenimento e cultura, durante o feriado do dia 15 de novembro, no Convention Center, localizado no centro de Vila Capivari. Nos quatro dias de evento, o público prestigiou as apresentações, oficinais e workshops, lotando o espaço, com capacidade para três mil pessoas. Um programa para toda a família, onde pais e filhos se divertiram juntos curtindo a boa música e a ótima companhia.


Para animar o festival, a Art Invest – produtora do evento – convidou artistas consagrados do mundo da música. Na primeira noite de apresentações, a Fort Worth Jazz Orchestra, de Dallas, subiu ao palco para emocionar a todos, com seu tradicional repertório de jazz americano. A atração brasileira, Zizi Possi foi quem surpreendeu positivamente o público na segunda noite, cantando algumas músicas ainda inéditas na sua voz. No dia 17, a plateia conferiu a nova parceria entre a orquestra de câmara Cantilena Ensemble e o violinista popular Ricardo Herz, em um repertório infantil com canções típicas do folclore nacional, que misturou os sons do violino e dos instrumentos de brinquedo. No período da noite, quem brilhou foi o renomado violonista Yamandu Costa e seus convidados Alessandro Kramer e Guto Wirtti. O grupo Minaz Rock homenageou os mais famosos artistas do rock como Queen e Beatles, no domingo dia 18, num show que contagiou os amantes desse estilo musical.


Mais do que realizar um grande evento, a Fundação promoveu a inclusão social e cultural por meio de oficinais e workshops, com uma programação rica em conteúdo e totalmente gratuita. O objetivo, este ano, era disseminar o conhecimento sobre questões ambientais e motivar a sensibilidade através da música, com oficinas de musicalização infantil, de percussão corporal e de instrumentos recicláveis, além de uma exposição com instrumentos musicais, do espaço Meio Ambiente, onde o público aprendeu sobre o que é lixo e o que é material reciclável, e de conhecer o relógio da sustentabilidade. Uma maneira cultural de incentivar ações conscientes para a saúde do planeta e o bem-estar da comunidade.

Quem participou das oficinais ambientais levou para casa sementes de plantas nativas da região, simbolizando o compromisso individual que devemos ter com a preservação do nosso planeta


Tudo que envolve a Fundação é bom e o Festival foi mais um exemplo. Foi realmente emocionante! João Carlos de Oliveira, pai de alunas de projetos sociais da Fundação


O espírito natalino chega em dezembro enchendo os corações de esperanças para o próximo novo ano. Nesse período, onde tudo parece encantado, algumas famílias não conseguem enxergar essa magia diante das dificuldades do dia a dia. A Fundação Lia Maria Aguiar, sempre focada em promover a inclusão social, distribuiu no natal de 2012, 300 cestas e 1500 brinquedos para famílias de alguns bairros da periferia da cidade. Essas famílias fazem parte de um projeto do Grupo Família e Amigos Unidos em Ação, que realizam uma festa natalina com distribuição de brinquedos e guloseimas para crianças que provavelmente não têm comemorações em suas casas. Um trabalho de nove irmãos – com seus maridos, esposas e filhos – que também receberam ajuda na infância e, há 16 anos, se mobilizam na luta contra a desigualdade social. Depois de receber uma visita de cadastramento, as famílias provenientes dos bairros do Umuarama, Vila Britânia, Monte Carlo, Acampamento dos Pumas, Vila Paulista Popular, entre outros, recebem seus convites, verdadeiros passaportes da felicidade para a grande festa que acontece há quase duas décadas em uma oficina mecânica da família.


Nós somos os frutos da parábola do semeador e quem plantou esse espírito de solidariedade em mim e nos meus irmãos foi o Frei Orestes, que sempre trabalhou em prol das crianças de Campos do Jordão Sueli Marli de Souza Muniz, uma das irmãs do Grupo Família e Amigos Unidos em Ação


A Fundação realizou dois concursos que estimularam a população de Caldas: a Árvore de Natal Mais Bonita entre os comerciantes da cidade e a Rena de Natal Mais Bonita entre cinco artesãos locais, que receberam renas e as decoraram de forma criativa

A Fundação Lia Maria Aguiar presenteou a população de Caldas, pelo segundo ano, com a realização do Natal dos Sonhos, em parceria com a Prefeitura local, fazendo de momentos simples, lembranças mágicas. Este ano, a decoração natalina superou todas as expectativas, com uma superiluminação da praça central, que possui cerca de 500 metros quadrados. A ideia foi criar um passeio encantado pelo Reino dos Doces, onde os visitantes puderam conhecer a casa e o trenó do Papai Noel, se emocionar com um lindo presépio e visitar várias casas em tamanho real, onde as crianças tiveram momentos de recreação com atividades natalinas. Uma verdadeira Vila de Natal, cercada por caixas de presentes gigantes, por soldadinhos de chumbo, por esquilos e pela presença do bom velhinho, que distribuiu 2.000 presentes às crianças que visitaram a sua casa. Além de uma decoração inesquecível, a Fundação preparou uma programação especial para o Natal e o Réveillon de Caldas.


Foi incrível ver nos olhos das crianças e também dos adultos a magia e o encanto, que a Fundação proporcionou aos caldenses, realizando o Natal dos Sonhos Dirceu (Painha) Ribeiro Borges, empresário caldense


A abertura ocorreu no dia 15 de dezembro com uma linda queima de fogos e com a alegria contagiante do Coral Minaz, muito popular entre os caldenses. O palco coberto, instalado no centro da praça, recebeu também o Grupo de Dança da Fundação, a escola Expressão em Movimento, um coral de 40 vozes e, na virada do ano, um espetáculo com queima de fogos de 12 minutos. Apresentações que emocionaram o público com mensagens valiosas sobre o amor e a vida.

Nós não podemos mudar o mundo, mas podemos tocar o coração da população com uma mensagem de Natal que permanecerá para sempre Adolfo Kratza Júnior Cenógrafo e produtor do Natal dos Sonhos de Caldas


Façamos da interrupção um caminho novo. Da queda um passo de dança,do medo uma escada, do sonho uma ponte, da procura um encontro! Fernando Sabino


Sara Crewe é uma linda menina, órfã de mãe, que vê sua vida mudar completamente quando o seu pai deixa a Índia para mudar-se para a Inglaterra, deixando a filha em um colégio interno, dirigido pela temível Senhorita Minchin. Vivendo uma nova realidade longe de seu pai,

a sensibilidade das crianças e adolescentes do grupo de teatro produziu um espetáculo sublime em beleza e emoção

o explorador de diamantes Capitão Crewe, Sara vence as adversidades com coragem, imaginação e bondade. Essa é a incrível obra “A Princesinha”, da autora inglesa Frances Hodgson Burnett, que deu vida ao 4º Natal dos Sonhos, projeto de fim de ano da Fundação Lia Maria Aguiar. Na história, que acontece no período pós 1ª Guerra Mundial, a Princesinha ensina valiosas lições como: superar as dificuldades e transformar o seu destino, provando que se você acreditar com verdade até milagres podem acontecer na noite de Natal.


A Princesinha foi um desafio delicioso de se enfrentar. Impossível não aprender e não se emocionar com a história de Sara, que têm seu caráter e sua fé testados, e nos ensina que não existe aprovação sem provas. Uma história mágica, mas repleta de verdades e ensinamentos reais! Thiago Gimenes Diretor Cênico e Musical


Um espetáculo como “A Princesinha” mereceu uma superprodução, assinada pelos diretores Thiago Gimenes e Keila Fuke, com cenários de Duda Arruk e figurinos de Carol Lobato. Além disso, o espetáculo contou com um ilustre elenco formado pelos atores Júlio Rocha e Rafael Almeida e pelas atrizes Fafy Siqueira e Mara de Carvalho, tendo, ainda, a participação especial da cantora Tânia Mara


Foi uma alegria imensa contracenar com 130 crianças. Esse foi o meu presente de Natal Fafy Siqueira, atriz do Musical

Para Leonardo Faé, produtor geral do musical, mais que emoção, o espetáculo conseguiu passar a esperança proposta pela Fundação. “A Princesinha é uma história, que transmite uma mensagem de superação e ensinamentos que se identificam com o trabalho realizado pela fundação, com um foco social e educacional”, enfatizou. Estrelar um musical exige muitas habilidades trabalhadas em conjunto. Para preparar os alunos do Grupo de Dança, transformando bailarinos em atores e em cantores, as crianças e adolescentes iniciaram as aulas de canto, sapateado, teatro e jazz musical em maio de 2012.


Sinto um enorme carinho e uma profunda gratidão pela Fundação Lia Maria Aguiar, que nos proporcionou “A Princesinha”, a chave para abrir as portas deste mundo de sonhos, de esperança, generosidade e amor Keila Fuke Diretora Cênica e Coreógrafa


Depois de cinco meses de preparo, os alunos passaram por testes para a definição de cada personagem. Ao todo foram 130 crianças e jovens protagonizando o quarto Natal dos Sonhos, depois de intensas cargas horárias de ensaio semanais com o desafio de unir corpo, voz e alma em um único movimento. Que a arte é capaz de transformar vidas, todos nós sabemos, mas na vida dessas crianças e adolescentes foi uma mudança ainda mais especial. O que o público presenciou foi um espetáculo de altíssima qualidade, com direito a efeitos especiais que fizeram chover e nevar dentro do Convention Center, principal centro de eventos da cidade, em Vila Capivari. Uma mistura perfeita de movimentos entre o rock londrino e a dança contagiante da Índia, acompanhados do som da orquestra do musical, fizeram a trilha sonora do espetáculo. “A Princesinha”, durante 90 minutos, emocionou a todos, resgatando os mais profundos valores do ser humano como a lealdade, a amizade, a coragem, o respeito e o amor.

“A Princesinha” ganhou vida com a interpretação de seis alunas do Núcleo de Teatro Musical da Fundação: Ana Clara Barbosa Nunes, Evelyn da Silva, Juliana Ferreira, Maria Tereza Pezoto, Paloma Prado e Patrícia Prado


Agradecemos a todos os pais que colaboraram para a realização desse lindo espetáculo, que acreditaram em nossos ideiais incentivando a dedicação de seus filhos. A todos vocês, o nosso muito obrigado! Fundação Lia Maria Aguiar


Para mais informações sobre nossas atividades e como colaborar entre em contato

Av. Dr. Victor Godinho, 455 Vila Capivari - CEP 12460-000 Campos do Jordão - SP (12) 3663 4293 / 3663 4658 www.fundacaoliamariaguiar.org contato@fundacaoliamariaguiar.org


© REVISTARIA EDIÇÕES CUSTOMIZADAS, 2013

ANUÁRIO 2012/2013 presidente LIA MARIA AGUIAR gerente social LUIZ DA SILVA GOSHIMA EDItor Wagner rosa wagner@revistariaedicoes.com.br FOTOGRAFIAS GIL RENNÓ Henrique rodrigues TEXTOS ANNE ELISE SILVA DIREÇÃO DE ARTE WAGNER ROSA DESIGNER GRÁFICO MARCIO FELIPE ROSA RONALT WILLIAN REVISÃO E PADRONIZAÇÃO SCRITTA CONSULTORIA PROJETO GRÁFICO REVISTARIA EDIÇÕES CUSTOMIZADAS COLABORADORES VANESSA MARIA DA COSTA, GISELLE BRITO, Camila Alvino, CONRADO BRAZ DE FARIA, RODRIGO LÓSSIO, RENATO ABE, Marcelo leite , FLÁVIO MARUYAMA, Alessandra damas, aNA cATARINA KRETLY

AV. Januário miraglia, 1750 Shopping Abernéssia, SALA 19 CAMPOS DO JORDÃO, SP CEP 12460-000 12 3662 2457 www.revistariaedicoes.com.br


CAMPOS DO JORDÃO, SEU FUTURO É O NOSSO PRINCIPAL PRODUTO!

ANUÁRIO 2012 - FUNDAçÃO LIA MARIA AGUIAR  

Anuário 2012 - Fundação Lia Maria Aguiar

Advertisement