Page 1

novidade A revista para quem tem conteúdo

Agora a QShow tem cruzadinhas para você se divertir e exercitar sua mente! p.69

não podemos mais nos dar o luxo de gerar tanto lixo.

Aeroportos

Desenvolvimento e praticidade para o sul de Minas. p.28

Zika

Entenda a doença que está assombrando os brasileiros. p.50

Encare o Leão

Informações básicas para você declarar seu Imposto de Renda. p.66

Diocese de Guaxupé

100 anos de fé. p.26


2


3


NOSSO TIME

Leonardo Miranda Jornalista

Isabella Alves Redatora

EXPEDIENTE

Amanda Naves Revisora

DIREÇÃO GERAL VALMIR RODRIGUES EDITOR CHEFE MARCELO BERCHEZ

Angélica Arakaki Designer

Wagner de Souza Designer

Jeferson Arantes Designer

Paulinha Terra Publicitária & Fotógrafa

JORNALISTA RESPONSÁVEL LEONARDO MIRANDA MTB 46.302/SP DIREÇÃO DE ARTE ANGÉLICA ARAKAKI CAPA WAGNER DE SOUZA

Flaviani Isabel Garcia Comercial

DESIGNERS PAULINHA TERRA WAGNER DE SOUZA JEFERSON ARANTES

Elizangela Rodrigues Comercial

REDATORES ISABELLA ALVES LEONARDO MIRANDA

COLABORADORES QSHOW Nesta edição fomos agraciados pela gentileza do escritor Alexandre Rangel, autor do livro “As Mais Belas Parábolas de Todos os Tempos” que cedeu um de seus textos para publicação na Revista QShow.

André Luiz Professor Universitário, Advogado e Gerente de Operações

José Marcos Costa Ufólogo, Escritor e Psicólogo

FOTOS PAULINHA TERRA ISABELLA ALVES LEONARDO MIRANDA REVISÃO AMANDA NAVES DEPTO. COMERCIAL ELIZANGELA RODRIGUES FLAVIANI ISABEL GARCIA IMPRESSÃO GRÁFICA 3 PINTI CIRCULAÇÃO SUL DE MINAS

Antônio José Lourenço Estudante de Direito

Denise Prado Jornalista e Assistente Social de Segurança Pública

Felipe França Psicólogo

4

Marília Bar Jornalista

REDAÇÃO RUA LEÃO DE FARIA, 86 3º ANDAR, SALA 5 CENTRO - ALFENAS - MG CEP 37130-000

Noler Heyden Flausino Profissional de Educação Física

Ronaldo Venâncio Consultor de Marketing Digital

RevistaQShow qshowrevista

A Revista QShow não tem responsabilidade editorial pelos conceitos emitidos nos artigos assinados e informes publicitários.


EDITORIAL

Lixo e muito mais Por Leonardo Miranda

A

produção de lixo aumenta ao atender demandas do mercado mundial há quase duzentos anos, isto é, desde o final do século XVIII e início do século XIX, com o advento da Primeira Revolução Industrial. Durante a maior parte desse tempo, a população viveu em um contexto de extrema alienação, quanto às consequências da geração descontrolada de lixo, situação que começou a mudar há apenas algumas décadas, principalmente devido às suas próprias consequências, as quais são: destruição ambiental, escassez de recursos naturais e altos custos para destinação final do lixo. São mazelas que vêm evidenciando a importância da reciclagem. Atualmente, os gastos dos países para “dar um fim” ao lixo são

muito maiores que os investimentos para diminuir a geração de resíduos. Além disso, a correta destinação do lixo movimenta a economia, gera empregos e renda, reaproveita recursos naturais e preserva o meio ambiente. Porém, mesmo atendendo novas demandas de mercado, esse processo de conscientização está apenas em seu início e a maior parte dos habitantes do planeta ainda está distante de possuir a consciência e o aparato público, para gerar menos lixo e dar um fim adequado a ele. Como são necessárias outras tantas décadas de conscientização e intensa mobilização popular, contribuímos destacando o assunto em nossa matéria de capa, na qual apresentamos um panorama sobre a geração e destinação de lixo no mundo, no país e na região. Nesta edição vocês também vão saber tudo sobre o aeroporto de Varginha e mais informações sobre

os riscos da transmissão do Zika Vírus e suas consequências. A Companhia de Dança Adágio, comemora seus 20 anos de história com a apresentação do “Lago dos Cisnes”. E, para quem curte cinema, selecionamos os principais lançamentos de 2016, para os fãs do universo nerd. Vocês ainda vão conhecer um pouco sobre Senador Amaral, município mineiro que se destaca devido à sua diversidade agrícola e riquezas naturais. É claro que o centenário da diocese de Guaxupé não poderia ficar de fora da nossa edição de fevereiro. Além de diversas matérias exclusivas, graças ao nosso time de articulistas, oferecemos também artigos abordando outros assuntos, tais como: qualidade de vida, empreendedorismo, comportamento e, até mesmo, ufologia. Naveguem por nossas páginas e tenham uma excelente viagem! Boa leitura.

5


QUEM ESTÁ LENDO

Marcus Caetano Designer (Alfenas, MG) Foi uma experiência enriquecedora ter feito parte desse time maravilhoso. E hoje, acompanhando a evolução da revista à distância, me surpreendo a cada edição. A qualidade do conteúdo e o refi namento no design já conquistaram defi nitivamente os leitores e anunciantes da região. E eu tenho certeza que ainda vem muita coisa boa por aí. Parabéns equipe QShow! Vocês são demais!"

6

21ª Edição Dez 2015 Confira também a Revista QShow online. /revistaqshow

Comentários dos participantes do Concurso Cultural QShow e Cine A Star Wars, O Despertar da Força: Porque Star Wars é show? Precisaria estar a anos luz e em outra galáxia para poder tentar descrever esta saga. Agora me dê o meu sabre de luz e minha pipoca! Ah e apague a luz e faça silêncio, que comece o show!

Em uma galáxia muito distante, em um planeta chamado Terra, fi zeram um belíssimo fi lme com uma história fascinante e com os efeitos especiais mais que espetaculares, que em nenhuma outra galáxia ou planeta poderia se ver igual. Já foi bom em saber que esse mito dos cinemas está de volta e para fi car muito show vou esperar que de todos os jedis que estão concorrendo eu seja um deles para me aventurar de novo nesta incrível saga com meus amigos.

Gustavo Gonçalves (via facebook)

Maycon Pereira (via facebook)


O Documentarista Por Leonardo Miranda

C

erto dia, um estranho chegou à cidade, veio correndo pela avenida principal, apontava uma câmera para o interior dos comércios e perguntava: “Onde está o amor? Alguém viu o amor?”. Correu o dia todo com a filmadora em punho, parava apenas para ir ao banheiro e se alimentar. Vestia-se com simplicidade e carregava um embornal surrado, no qual guardava baterias e cartões de memória para seu equipamento. Entre tropeços nas calçadas desgastadas e tombos nos buracos do asfalto, perguntava em todos os comércios, ruas e praças pelas quais passava: “Onde está o amor?”. Insistia surpreendendo os transeuntes com “Alguém viu o amor?”, ninguém escapava de sua pergunta. Documentou todas as reações, abordando diferentes gêneros, idades, classes, cores e credos: “Onde está o amor? Alguém viu o amor?”. Muitos simplesmente ignoravam, outros se irritaram com a insistência, ameaçavam “partir para cima” ou chamar a polícia, enquanto outros se divertiam e respondiam com sarcasmo e ironia. Apenas a minoria se sensibilizava com a pergunta e tentava respondê-la. Contudo, o documentarista nunca se satisfazia com as respostas. Para ele, não passaram de argumentos da mesmice, revelando apenas o museu de “novidades” da consciên-

cia coletiva daquela pequena cidade entre as montanhas. No prédio da prefeitura, não encontrou ninguém disposto a falar, sendo absolutamente desconsiderado. Perguntou também em outras repartições públicas: “Onde está o amor? Alguém viu o amor?”, mas recebeu a instrução de que a questão era assunto de outro departamento. Das agências bancárias, foi convidado a se retirar. Na delegacia, após ser ignorado, foi ameaçado. No fórum, não conseguiu sequer entrar, pois alegaram que estava mal vestido e advertiram-no que ali só eram tratados assuntos sérios. O documentarista fez uma rápida e furtiva filmagem nas escolas, flagrou a maldade ingênua das criancinhas durante as brincadeiras do recreio. Filmou colegiais medindo uns aos outros em competições consumistas e alienadas na hora do intervalo. Por meio das frestas de portas entreabertas das salas de aula, flagrou cenas de professores despreparados, repletos de moral retrógrada, tratando alunos como sacos vazios. Ao passar pelos hospitais e postos de saúde, documentou a angústia dos olhares aflitos daqueles que enfrentavam a fila, como bebês birrentos, mães tristes, pais quebrados e indignados. Uma menina de 14 anos com complicações na gravidez sentada ao lado de um velho delirante em dor, os dois es-

Nighthawks, do pintor norte-americano Edward Hopper, famoso por retratar em suas obras a solidão na contemporaneidade.

perando vaga. “Onde está o amor? Alguém viu o amor?”: ninguém ousou responder. O documentarista repetiu a pergunta mais uma vez e se retirou. O inusitado estranho continuou correndo pela cidade com sua câmera em punho até o cair da noite. Só então, ele se aquietou para procurar o amor em igrejas e templos. Procurou em prédios imponentes repletos de ornamentos e em simples galpões de tijolo baiano e cimento. Documentou a demagogia imaculada, inúmeras diferenças materiais e literárias e a ausência de qualquer diferença na essência, aquela essência que está para além das doutrinas institucionalizadas. Nestes locais consagrados e sagrados, ele conseguiu registrar, ao menos, gente à procura do amor... No dia seguinte, acordou com o sol e deu continuidade à sua incansável busca. Correu para outra cidade, vagando por aí até hoje, sempre procurando esclarecer por meio da sinceridade de sua dúvida: “Onde está o amor? Alguém viu o amor?”. 7


Sumário CliQShow

9 Phóton Fotografia & Imagética

#oqrolou FILANTROPIA 12

16 Adoção

UFOLOGIA

18 ARTIGO | 20 Anos do Incidente em Varginha

CULTURA

20 ARTIGO | 2016: Ano Nerd nas Telonas

SOCIAL

24 20 Anos Servindo a Dança

Centenário de Fé INFORMATIVO 26

28 Sul de Minas Decolando

TURISMO

30 Senador Amaral 32 Monte Sião 34 Vivas Hotel | Monte Sião

fábulas

Comportamento 38 ARTIGO | Por que é tão difícil terminar um relacionamento?

LIFESTYLE 40 Tatuagem

SAÚDE

PHÓTON FOTOGRAFIA & IMAGÉTICA photonfotografia@hotmail.com

35 98882-0777 (Oi e whatsapp) 35 98701-2146 (Oi e whatsapp) foto:

Ensaio promocional do Quarteto Sentinela, 2015

50 Zika Virus 52 ARTIGO | Tudo Sobre Drenagem Linfática 54 ARTIGO | Ecologia humana

Empreendedorismo 58 XC Bikes 60 ARTIGO | Crie relacionamentos e aumente suas vendas 62 Minas EPS

64 e-Ficanceira 66 Declaração do Imposto de Renda

ARTIGOS 14 Dia da Mulher 35 Esperar ou Esperançar? 56 Método APAC 68

Nossos parceiros

36 Que tipo de pessoa vive neste lugar?

CAPA

O LUXO DO LIXO 44 Não podemos mais nos dar ao luxo de produzir tanto lixo. 8

por:

PARTICIPE! CliQShow é uma seção criada para você, fotógrafo, aspirante e admirador da arte de fotografar. Todos os meses a Revista QShow escolhe a melhor foto enviada pelos leitores para estampar duas páginas da revista. Você tem um registro bacana? Envie pra gente! Em dezembro, o vencedor de cada mês irá concorrer ao livro Tudo Sobre Fotografia, de David Campany e Juliet Hacking. Regulamento: Os interessados em publicar sua foto – que será avaliada pela equipe da QShow devem enviar suas obras pelo email: contato@revistaqshow.com.br.As fotografias serão analisadas considerando critérios como qualidade e originalidade. As obras devem ser enviadas em alta resolução e sem manipulação digital, sendo de responsabilidade única e exclusiva do participante a autoria e o conteúdo da imagem, devendo ele observar a legislação autoral vigente. A Revista QShow, ao receber as fotos, está autorizada pelos autores a publicar o material, de forma integral ou manipulada. O tema da fotografia é livre, e estará concorrendo até o final do concurso.


9


TITULO

Revista

Com um editorial polivalente, a Revista QShow é estruturada com responsabilidade jornalística e conta com a colaboração de profissionais capacitados para desenvolver um conteúdo idôneo e de interesse sulmineiro.

Onde estamos

Pontos de distribuição: Varginha Três Corações Três Pontas Elói Mendes Pouso Alegre Borda da Mata Inconfidentes Ouro Fino Jacutinga Monte Sião Santa Rita do Sapucaí Itajubá Gonçalves Senador Amaral Poços de Caldas

Andradas Ibitiura Santa Rita de Caldas Águas da Prata São João da Boa Vista Santo Antônio Jardim Espírito Santo do Pinhal Passos Areado Alterosa Carmo do Rio Claro Alpinópolis Capitólio Guaxupé Juruaia

qshowrevista

Nova Rezende Muzambinho Monte Belo Divisa Nova Serrania Alfenas Paraguaçu Machado Campo Gerais Campo do Meio Boa Esperança Ilicínea Guapé

RevistaQShow

Distribuição pela Viação Santa Cruz

Alfenas Alfenas Alfenas Alfenas Alfenas

-

São Paulo Passos Poços de Caldas Juiz de Fora Três Corações

revistaqshow 11


#OQRolou Aqui você confere um pouco do que aconteceu no mundo, no Brasil, em Minas Gerais e na região. Fatos interessantes, descobertas e vitórias que fizeram notícia. Tudo isso e muito mais no #OQRolou!

Jovem rede

Wendell Lira, brasileiro vencedor do Puskás Wendell Lira, goiano, jogador do Vila Nova, viveu dias de glória ao ganhar o “Prêmio Puskás” com o gol mais bonito de 2015. O atacante superou Messi e Alessandro Florenzi, com um lance incrível, oriundo da época em que defendia o time de Goianésia. Wendell venceu por votação popular e chamou a atenção de muitos por sua humildade e alegria ao concorrer ao prêmio. Após muitas campanhas incentivando o jogador, ele atingiu 46,7% dos votos.

Crise na folia Minas Gerais sempre atraiu muita gente quando o assunto é carnaval. Porém, neste ano, a folia vai ser menor em nosso estado, pois muitas prefeituras cancelaram o carnaval de suas cidades, para evitar gastos durante a crise ou por outros motivos. Mais de vinte cidades, entre elas, Alpinópolis, Lavras, Bom Despacho, Varginha, Itajubá e Guapé, não terão eventos de carnaval em 2016. 12

Você sabia que a rede social Facebook já possui 12 anos de existência? Em quatro de fevereiro de 2004, Mark Zuckerberg colocava no ar um site destinado para estudantes da Universidade de Harvard, o qual se tornaria, futuramente, a maior rede social do planeta. Até 2015, o Facebook possuía 1,55 bilhão de usuários mensais ativos e mais de 1 bilhão de pessoas visitando, usando a rede social ao menos uma vez por dia. Você curte o “face”?

Extrema em destaque O Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal (IFDM), criado pelo Sistema FIRJAN para avaliar as condições de educação, saúde, emprego e renda dos municípios brasileiros, apontou Extrema, uma cidade do sul de Minas, como a mais desenvolvida do Brasil. Foram avaliados 5.517 municípios e, pela primeira vez, a primeira colocada do ranking não foi uma cidade do estado de São Paulo. “Extrema é um caso especial, pois conseguiu reverter justamente suas conquistas econômicas para a área social”.


The Oscars, 2016 O principal prêmio da noite foi para Spotlight - Segredos Revelados. Confira abaixo os vencedores do Oscar: Melhor Filme Spotlight - Segredos Revelados Melhor Ator Leonardo DiCaprio - O Regresso Melhor Atriz Brie Larson - O Quarto de Jack Melhor Diretor Alejandro G. Iñárritu - O Regresso Melhor Canção Original "Writing's on the Wall" - Sam Smith para 007 Contra Spectre Melhor Trilha Sonora Ennio Morricone - Os 8 Odiados Melhor Longa Estrangeiro Filho de Saul - Hungria Melhor Curta-Metragem Stutterer Melhor Documentário em Longa-Metragem Amy Melhor Documentário em Curta-Metragem A Girl in the River: The Price of Forgiveness

O ano do “Macaco de Fogo” O ano novo chinês se inicia em fevereiro e será regido, em 2016, pelo “Macaco de Fogo”. Tradicionalmente, é o ano preferido dos chineses, pois representa muitas conquistas. Também está associado às boas oportunidades, inovação nos negócios, busca de objetivos e reconhecimentos. Contudo, deve-se tomar cuidado com o impulso de ambição, avareza e egoísmo. Já pensou em usar um pouco da filosofia chinesa para alavancar seus negócios?

Melhor Ator Coadjuvante Mark Rylance - Ponte dos Espiões Melhor Animação Divertida Mente Melhor Curta em Animação A História de Um Urso Melhores Efeitos Visuais Ex Machina Melhor Mixagem de Som Mad Max - Estrada da Fúria Melhor Edição de Som Mad Max - Estrada da Fúria Melhor Edição Mad Max - Estrada da Fúria Melhor Fotografia O Regresso Melhor Maquiagem e Cabelo Mad Max - Estrada da Fúria

Vinil de volta Você se recorda com saudades da época dos discos de vinil? Pois eles estão prestes a voltar com força total para o universo musical brasileiro! A Vinil Brasil, nova fábrica que aproveitou as antigas prensas da extinta gravadora Continental para montar seu maquinário, promete quadruplicar a capacidade de produção dos discos no nosso país. O proprietário Michel Nath, que é produtor e DJ, aguarda com muito entusiasmo a repercussão de seu trabalho e garante a qualidade do som dos lendários vinis.

Melhor Design de Produção Mad Max - Estrada da Fúria Melhor Figurino Mad Max - Estrada da Fúria Melhor Atriz Coadjuvante Alicia Vikander - A Garota Dinamarquesa Melhor Roteiro Adaptado Charles Randolph, Adam McKay - A Grande Aposta Melhor Roteiro Original | Josh Singer, Tom McCarthy Spotlight - Segredos Revelados 13


| ARTIGO

Dia da Mulher Celebrar e engrandecer o feminismo e todas as mulheres do mundo. Por Isabella Alves

Mas, vamos começar do básico. O que, afinal, significa ser feminista? Não tem muito a ver com deixar seus pelos crescerem ou não usar maquiagem. De acordo com o dicionário Michaelis, a palavra “feminismo” vem do latim (junção de “femina” e “ismo”) e é um “movimento iniciado na Europa com o intuito de conquistar a equiparação dos direitos políticos e sociais de ambos os sexos”. Ou seja, é um movimento social que tem como luta a busca por direitos e liberdade de escolhas das mulheres. Entre as principais lutas, atualmente, estão: o direito por salários iguais aos dos homens no desempenho da mesma função; a aceitação do corpo da mulher, sem a obrigatoriedade dos “padrões de moda e beleza”; cessar a violência e o assédio sofrido nas ruas e em casa constantemente; o respeito à diversidade, seja por orientação sexual, cor ou raça; além de muitas outras.

Muitos anos de luta Apesar de muitas pessoas não conhecerem o movimento feminista ou não entenderem bem como ele funciona, a busca pelos direitos das mulheres é um papo bastante antigo em nossa sociedade. Em 1771, Olympe de Gouges, escritora e militante francesa, já escrevia a “Declaração dos Direitos da Mulher”, em plena Revolução Francesa. O documento foi uma crítica à “Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão” e foi ignorado até 1986. Muitas outras publicações foram escritas por longos anos, questionando a falta de acesso das mulheres ao voto e à educação. Em 1893, a Nova Zelândia foi o primeiro país a aprovar o voto feminino, sendo aprovado no Brasil

14


somente em 1932. Em 1910, na “II Conferência Internacional de Mulheres”, a proposta de Clara Zetkin foi aceita, criando o “Dia Internacional da Mulher”, a fim de, segundo ela, estipular uma ação internacional pela emancipação das proletárias e pelo sufrágio universal. Depois disso, muitos encontros e grupos que permanecem até os dias de hoje foram criados. Nomes como Simone de Beauvoir, Las Mariposas, Pagu, Isabelita Péron e Margarida Maria Alves marcaram as lutas pela representatividade das mulheres, cada uma em seu contexto social. Em 1988, por meio do chamado “Lobby do Batom” (organizado por diversas feministas e pelas 26 deputadas federais constituintes), os movimentos de mulheres garantem que a Constituição Federal inclua a igualdade formal de direitos entre mulheres e homens no Brasil. No mesmo ano, ocorreu o “I Encontro Nacional de Mulheres Negras”. A “Marcha Mundial de Mulheres” surge em 2000, como uma grande mobilização de mulheres para uma campanha contra a pobreza e a violência no mundo. Em 2001, a “1ª Marcha das Vadias” é organizada no Brasil, representando um movimento internacional, o qual protesta, principalmente, contra a violência e a “culpabilização” das mulheres. A Lei Maria da Penha, uma das mais importantes conquistas do movimento de mulheres, foi aprovada em junho de 2006. Em 2010, Dilma é eleita a primeira mulher presidente do Brasil. Esses são apenas alguns fatos marcantes da luta que é propagada até hoje e que se encaixa à sua época com protestos constantes. Atualmente, diversas celebridades internacionais representam a causa, como Emma Watson, Beyoncé e Angelina Jolie. Lem-

brando que existem várias vertentes do movimento, como o feminismo negro, o feminismo radical e o feminismo liberal. Para saber mais, é só procurar em sites confiáveis na internet!

Ok, mas, e os homens? Onde entram nessa história? Para começar, o feminismo não é o contrário do machismo. Novamente, o dicionário vem nos explicar que o machismo é a “ideologia segundo a qual o homem domina socialmente a mulher”, sendo que essa ideologia é propagada tanto por homens quanto por mulheres.

O feminismo pode (e deve) ser pregado por todos, sem distinção de gênero, mas, a princípio, a consciência de que as mulheres devem ser respeitadas e escutadas sempre, assim como os homens, já é um grande passo. Buscar igualdade e menos violência deverá ser um ideal seguido por todos, em busca de um mundo melhor. Endossando esse discurso, a ONU Mulheres (Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres) apresenta os “Princípios de Empoderamento das Mulheres”, com foco no “fortalecimento das economias, o impulsionamento dos negócios, a melhoria da qualidade de vida de mulheres, homens e crianças, e para o desenvolvimento sustentável”.

Os sete princípios são:

2

Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível;

1

Tratar todas as mulheres e homens de uma forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não discriminação;

3

Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa; Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres;

5

4

Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres por meio das cadeias de suprimentos e marketing; Promover a igualdade de gênero por meio de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social; Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero.

6

7

Foram usados como fontes os sites: revistacapitolina.com.br; cartacapital.com.br; istoe.com.br e feminismo.org.br.

15


| FILANTROPIA

ADOÇÃO Família: existem variadas formações desse grupo de pessoas vivendo sob o mesmo teto, mas, mesmo assim, muitas crianças esperam, todos os dias, pela oportunidade de vivenciar uma rotina em família. Em educandários, casas de apoio e até em hospitais, crianças abandonadas por diversos motivos aguardam pela adoção.

Por Isabella Alves

Educandário

A

Associação Alfenense de Proteção à Criança, mais conhecida como Educandário Santa Inês, fundada em 11 de abril de 1949, é uma entidade filantrópica, sem fins lucrativos, com sede em Alfenas. Foi idealizada pelo conhecido médico Emílio da Silveira. Outra personagem importante em sua criação foi a irmã Beatriz, filha do médico idealizador. O educandário surgiu da possibilidade de fundar uma creche nos fundos da casa de Dr. Emílio. Após um tempo, o médico comprou um terreno e realizou o sonho de sua filha, com a construção de um prédio para abrigar meninas. Para

concluir a obra, eles contaram com a fundamental ajuda da Casa de Caridade do Perpétuo Socorro (Santa Casa) e da Associação Alfenense de Proteção à Criança. Em 1951, as obras foram finalizadas. Desde então, o Educandário Santa Inês apresenta como objetivo proporcionar proteção provisória e excepcional às crianças e aos adolescentes em situação de risco pessoal e social. Ou seja, o espaço acolhe diversas crianças e oferece todo o apoio psicológico e estrutural para o bem-estar dos pequenos. Atualmente, o espaço acolhe sete crianças e todas elas foram encaminhadas pelo Ministério Público, por meio do Conselho Tutelar. Para promover um bom trabalho, a as-

Quem pode ser adotado: Crianças ou adolescentes com, no máximo, 18 anos de idade à data do pedido de adoção e independentemente da situação jurídica; Pessoa maior de 18 anos que já estivesse sob a guarda ou tutela dos adotantes; Maiores de 18 anos, nos termos do Código Civil. Quem pode adotar: Homem ou mulher maior de idade, qualquer que seja

16

o estado civil, desde que seja 16 anos mais velho do que o adotando; Os cônjuges, em conjunto, desde que sejam casados civilmente ou mantenham união estável, comprovada a estabilidade da família; Os divorciados ou separados judicialmente, em conjunto, desde que entrem em acordo sobre a guarda e o regime de visitas e desde que o


sociação conta, hoje, com uma equipe de dez pessoas. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), atualmente, há mais de 31,6 mil pretendentes a pais e mães em diferentes partes do Brasil e cerca de 5,5 mil crianças disponíveis para adoção. O que acontece é que o perfil das crianças que estão na fila de adoção é bastante diferente do perfil desejado por muitos adotantes. Além disso, em virtude, entre outros, da burocracia envolvida a fim de assegurar a integridade dos envolvidos e um relacionamento duradouro entre as partes, os processos são demorados. Confira o passo-a-passo para adotar, de acordo com o site Portal Adoção:

estágio de convivência tenha sido iniciado na constância da sociedade conjugal; Tutor ou curador, desde que encerrada e quitada a administração dos bens do pupilo ou curatelado; Família estrangeira residente ou domiciliada fora do Brasil; Todas as pessoas que tiverem sua habilitação deferida, e inscritas no Cadastro de Adoção.

Não podem adotar:

Importante:

• Avós ou irmãos do adotado; • Adotantes cuja diferença de idade seja inferior a 16 anos do adotando. Então, se você pode adotar, o que fazer? • Veja qual fórum ou comarca se encontra na sua jurisdição e leve o seu documento de registro geral (RG) e comprovante de residência para saber como dar início ao processo. Depois disso, toda a documentação exigida deve ser apresentada; • Os documentos apresentados serão minuciosamente analisados para aprovação. Em seguida, ocorre a avaliação das motivações e expectativas dos requerentes à adoção. Os interessados em adotar serão entrevistados por uma equipe técnica da Vara da Infância e da Juventude, composta por profissionais da área da Psicologia e do Serviço Social. Assim, o objetivo é avaliar, por meio de uma cuidadosa análise, se o pretendente à adoção poderá vir a receber uma criança na condição de filho e qual lugar ele ocupará, além de identificar possíveis dificuldades ao sucesso da adoção e fornecer orientações; • Os interessados em adotar participam de um curso preparatório de 10 horas. Após passarem na entrevista e frequentarem todo o curso, passam a fazer parte do cadastro de habilitados; • Será feito um estudo para confrontar crianças com cadastros;

é muito mais fácil encontrar uma criança que se adapte ao perfil de um candidato à medida que haja poucas restrições quanto à criança (ou adolescente), a qual o adulto se disponha a adotar. • Após a apreciação favorável, a criança poderá ser encontrada na própria Vara, no abrigo ou no hospital, conforme a decisão do juiz. “O tempo que transcorre até que a criança seja levada para o lar adotivo varia, respeitando as condições da criança. Recomenda-se uma aproximação gradativa, tendo em vista que a adoção é um processo mútuo, que exige tanto uma despedida dos vínculos amorosos estabelecidos até então, seja no abrigo, seja na família guardiã, quanto um tempo de construção de novas relações”, finaliza o Portal.

Para ajudar o Educandário Santa Inês: Depósitos em conta da Associação Alfenense de Proteção à Criança: Banco do Brasil Agência: 0168-6 Conta: 5010-5

17


| ARTIGO | UFOLOGIA

Por José Marcos Costa

S

e você sair passeando pelo centro da nossa querida vizinha Varginha, certamente observará uma estranha torre em forma de disco e, próximo a ela, também verá um simpático boneco marrom, ao qual muitas crianças atribuem ser um personagem de um desenho animado, cujo nome não me recordo nesse momento. Somente uma decoração excêntrica, cuja existência poucas pessoas atribuiriam a algum fato de certa relevância. Na verdade, o que a maioria das pessoas pensa quando se fala sobre o caso do “extraterrestre de Varginha” é que tudo não passou de uma confusão, envolvendo duas adolescentes que, ao se depararem com um morador de rua agachado em frente a um muro, acreditaram ser um alienígena e saíram gritando pelas ruas que tinham encontrado um tipo de “monstro”. Todavia, essa é (nada mais que) uma ridícula versão criada por algumas pessoas que, certamente, possuem interesse em “abafar” o caso, por alguns meios de comunicação compromissados com es-

18

sas mesmas pessoas. O incidente em Varginha jamais começou a partir dos relatos de Kátia Andrade Xavier e Liliane Fátima da Silva, as adolescentes que disseram ter avistado tal alienígena. Na verdade, existem documentados mais de mil depoimentos de pessoas idôneas que disseram ter visto algo muito diferente acontecendo na cidade, em 20 de janeiro de 1996. Eu, como ufólogo, me sinto obrigado a apresentar alguns acontecimentos reais e oficialmente registrados sobre o caso, posto que a grande maioria das pessoas não entende a gravidade

dos acontecimentos envolvidos. Da mesma forma, eu também gostaria de revelar a minha teoria a respeito do tema, que está se baseando em minha experiência de 10 anos como estudioso do fenômeno “óvni”. O incidente começou, oficialmente, com os relatos do casal de trabalhadores rurais, Eurico Rodrigues de Freitas e Oralina Augusta de Freitas, pessoas muito religiosas, honestas e trabalhadoras, as quais jamais tiveram os seus nomes envolvidos em algum tipo de fraude ou mentira, e ainda afirmam, até hoje, ter visto em sua fazenda, a 10 quilômetros da cida-


de de Varginha, um enorme objeto voador não identificado, muito luminoso, a mais ou menos 20 metros de altitude, sobrevoando os pastos. O óvni não fazia nenhum barulho e soltava fumaça das laterais, como se estivesse pegando fogo. Da mesma maneira, esse mesmo casal afirma, também, que o óvni parecia que iria cair a qualquer momento, pois aparentava estar muito avariado. Com o passar de menos de uma hora após dado avistamento, o corpo de bombeiros foi acionado a partir de uma chamada, também registrada e documentada, de que um objeto havia caído do céu, no bairro Jardim Anderê, e que haveria corpos no local. Várias testemunhas acompanharam a ação dos bombeiros e afirmaram ter visto o corpo de bombeiros retirando, ao menos, dois corpos do local do acidente. Logo após a chegada dos bombeiros, dezenas de testemunhas, muitas das quais forneceram seus relatos ao registro em cartório, afirmam que a cidade de Varginha virou um verdadeiro caos, com centenas de veículos do exército, polícia e bombeiros. Tudo parecia um cenário de filme. É aí que entra o relato das jovens que teriam visto o estranho ser escondido em um terreno baldio, nesse mesmo bairro, o Jardim Anderê. É agora, leitor, que eu entro na parte mais polêmica do caso: uma pessoa morreu em decorrência desses acontecimentos. Marco Eli Chereze, um jovem de 26 anos que passava de automóvel, em proximidade ao local onde as adolescentes afirmaram ter visto o suposto alienígena, teria descido do carro e tido contato físico com essa criatura. Passados poucos dias após esse fato, Marco faleceu de causas desconhecidas.

Pasmem: Marco foi enterrado sem velório em um local até hoje desconhecido. Tudo isso registrado e passível de investigação por qualquer pessoa interessada. Bom, agora revelarei algumas coisas curiosas acontecidas após essa noite. Na data de 29 de maio de 1996, acontece um fato inédito, nunca registrado no Brasil! Pela primeira vez em nossa história, um ministro do governo se reúne com o alto comando do exército fora de uma capital. O então Ministro da Defesa (General Zenildo Zoroastro de Lucena), acompanhado de mais 29 generais, incluindo o Chefe do Estado-Maior (General Délio de Assis Monteiro), o Comandante Militar do Sudoeste (General Paulo Neves de Aquino), os chefes de diretoria e departamentos e os oito comandantes militares de áreas se reuniram em um quartel, que se localiza à Escola de Sargentos das Armas (ESA), na cidade de Três Corações. Essa reunião foi confidencial e sua pauta só poderá se tornar pública daqui a 50 anos, de acordo com a lei. Contudo, não foi apenas isso o que aconteceu de interessante... Nesse mesmo ano, o Diretor da Agência Espacial dos Estados Unidos, Daniel Goldin, visitou as instalações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), assinando os acordos de cooperação espacial entre as duas entidades. Foi a primeira vez que um diretor da Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) veio ao Brasil. E quais os resultados desse acordo? O Brasil poderia enviar o então anônimo e inexpressivo astronauta Marcos César Pontes, o Tenente-Coronel da Força Aérea Brasileira (FAB), em alguma das missões espaciais oriundas da NASA, e só isso. Porém, tudo pare-

ceu mais uma espécie de presente da NASA para o governo brasileiro. Entretanto, eu gostaria de perguntar ao leitor: qual a razão desse presente? E é agora que eu gostaria de apresentar meu ponto de vista nessa história toda. Bem, acredito que os alienígenas não vêm até o nosso planeta viajando pelo espaço, pois isso é impossível, em vista das grandes distâncias do universo. Em meu entendimento, eles viajam a partir de uma tecnologia capaz de proporcionar o que, em Física Quântica, chamamos de “buracos de minhoca”. Não posso explicar essa teoria, aqui e agora, posto que não haveria o espaço suficiente nesta revista, mas o leitor curioso pode procurar saber mais a respeito na internet. Os motivos de sua visita ainda são obscuros. Eu também acredito que os supostos extraterrestres, que foram vistos e capturados na cidade de Varginha, não são necessariamente astronautas, mas alguma espécie criada em laboratório pelos alienígenas, com a finalidade de utilização em missões de reconhecimento e coleta de materiais do nosso planeta. Além disso, penso que, de alguma forma, a nave que os transportava foi acometida por algum tipo de falha e eles acabaram caindo em Varginha. E, de resto, é o que tentei colocar aqui, nessas poucas linhas.

José Marcos Costa Ufólogo, escritor e psicólogo. jose.cognitivo@yahoo.com.br

19


& APRESENTAM:

SAIBA QUAIS SÃO OS FILMES QUE VÊM AÍ E QUE VÃO LEVAR TODO MUNDO PARA OS CINEMAS. ANTÔNIO JOSÉ LOURENÇO POR

20


T

erminamos o ano passado vendo “Star Wars: O Despertar da Força” alcançar o recorde de maior bilheteria de estreia da história. Além de recebermos uma chuva de trailers dos filmes que serão lançados nesse ano, começamos 2016 contando os dias para podermos ir aos cinemas e assistir aos filmes tão aguardados. Esse ano poderá ser chamado de extremamente nerd, já que, dentre os filmes mais aguardados do ano, seis deles são de super-heróis ou de ficção científica. Claro, não são filmes apenas para os nerds e a maioria deles é para toda a família, e, sendo assim, não há desculpas para deixar de assisti-los. Sem dúvidas, esse vai ser um ano movimentado, considerando que, em quase todo mês, teremos um grande lançamento. Por isso, nada melhor do que se organizar para não perder absolutamente nada. De acordo com o site americano de venda de ingressos online “Fandango”, o filme mais aguardado do ano é o derivado de “Star Wars”, previsto para 15 de dezembro, chamado “Rogue One”. Esse título surge de dentro do universo de “Star Wars” e simplesmente é o nome dado ao líder de um esquadrão de pilotos, os quais lutam juntamente à Aliança Rebelde. O filme, portanto, trata exatamente disso, isto é, da história do grupo de rebeldes que conseguiram colocar suas mãos nos planos da primeira Estrela da Morte, estação de batalha criada pelo Império Galáctico e que tinha o poder de destruir um planeta inteiro. O segundo lugar fica para a animação da Disney “Procurando Dori”, que já tem data de lançamento marcada para 30 de junho e conta novas aventuras de Dori, Nemo e Marlin, os peixinhos que,

há 13 anos (sim, você está velho desse jeito), conquistaram a infância de muita gente grande. Tudo começa quando Dori, a “peixinha” com perda de memória, lembra de sua família em um sonho que teve. Assim, ela decide ir atrás de sua família, tendo que lidar com seu passado, o que vai garantir muitas risadas para o público. O primeiro filme de heróis da lista é um dos maiores confrontos já vistos no planeta. Morcego contra aço, sim, estou falando de “Batman vs Superman: A Origem da Justiça”, que chega aos cinemas em 25 de março e promete ser um dos maiores filmes desse ano, pois os dois maiores heróis da DC Comics partirão para cima um do outro e quebrarão tudo. As consequências dessa batalha não ficaram muito claras, mas tudo indica que a briga é iniciada por Lex Luthor, principalmente depois que as autoridades americanas começaram a se perguntar sobre o papel do Superman na sociedade. Quais os limites de seu poder? Quem garante que é seguro tê-lo, assim, por perto? Bom, parece que o Batman se pergunta essas coisas e também deseja muito saber a resposta. Uma das franquias de ação mais admiradas foi a série de filmes de Jason Bourne estrelada por Matt Damon. Após o lançamento de “O Legado Bourne”, em que Matt Damon não é mais o protagonista, a produtora responsável resolveu trazer de volta o ator e lançar o quinto filme. Sua estreia está marcada para 28 de julho e figura no quarto lugar da lista. O segundo filme de super-heróis também é um confronto entre vários grandiosos nomes, mas, desta vez, da Marvel. “Capitão América: Guerra Civil” é o terceiro filme de Steve Rogers, o super-soldado, 21


Capitão América: Guerra Civil está com estréia prevista para 28 Abril de 2016.

e parece ser o mais grandioso, pois apresenta um número grande de super-heróis, como, por exemplo, Homem de Ferro, Pantera Negra, Feiticeira Escarlate, Falcão, Homem-Formiga e, pela primeira vez de volta a Marvel Studios, o Homem-Aranha. Todos eles, uns contra os outros, quando o governo americano resolve catalogar todos os super-heróis para evitar riscos futuros e garantir a segurança de todos,

porém, o Capitão América se põe contra esse programa, enquanto o Homem de Ferro se coloca a favor. Bom, já dá para ver a briga que vai rolar, certo? O filme sairá em 28 de abril. Nosso sexto lugar é “Star Trek: Sem Fronteiras”, o terceiro filme da franquia que foi revitalizada por J. J. Abrams e, hoje em dia, faz um enorme sucesso. O primeiro trailer, divulgado no final do ano passado, trouxe mui-

ta ação e mostra bem a qualidade trazida para todos os filmes da franquia, além de demonstrar o bom humor sempre presente nos filmes da tripulação da famosa nave Enterprise. O filme entrará em cartaz em 21 de julho. O filme que segue “Star Trek” também é uma ficção científica e traz de volta Jeff Goldblum no papel de David Levinson, pronto para defender a Terra contra o ataque alienígena em “Independence Day: Ressurgimento”, que estreará em 23 de junho. Desta vez, sem Will Smith, o filme vai mostrar o que aconteceu com a Terra após a tentativa de destruição de nosso planeta por parte dos alienígenas, porém, diferentemente do primeiro filme, este terá muito mais ação espacial, tudo graças à tecnologia de efeitos especiais atual. Quase perto do final da lista, temos “X-Men: Apocalipse”, que apresentará o primeiro mutante da Terra e também o mais poderoso. Ambientado nos anos 80, ele mostra os X-Men em sua juventude, trazendo de novo aquela trama em que eles têm que enfrentar um grande perigo enquanto ainda começam a conhecer seus poderes. Dirigido por Bryan Singer, o responsá-

Culinária

BRASILEIRA & JAPONESA 3536982124 Almoço: quarta à domingo 11h às 15h Jantar: terça à sábado 19h às 23h

22


vel por “X-Men 1”, “X-Men 2” e “X-Men: Dias De Um Futuro Esquecido”, traz no elenco Jennifer Lawrence e Sophie Turner (a Sansa Stark, em “Game of Thrones”) como Jean Grey e chegará no dia 19 de maio. O penúltimo da lista é a continuação da comédia “Zoolander”, estrelada por Ben Stiller e Owen Wilson, que conta a história do modelo masculino Derek Zoolander. Ainda não há muitas informações sobre o filme, que estreará em 3 de março. O último lugar ficou para “Mogli: O Menino Lobo”, um clássico da Disney que agora será feito em live action, ou seja, com atores de verdade. A história é a mesma, mas deve ter pequenas adaptações para o novo formato de filme, além de contar com um elenco forte, formado por Bill Murray, Lupita Nyong'o, Christopher Walken e Scarlett Johanson. A adaptação estreará em 14 de abril. É claro que a lista ainda pode sofrer várias mudanças, já que temos outras grandes estreias marcadas, como, por exemplo, a volta da magia de Harry Potter com o filme “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, roteiri-

zado pela própria J. K. Rowling e que conta a história do Magizoologista Newt Scamander em sua viagem para a América, com uma maleta cheia de animais fantásticos. Temos ainda, em fevereiro, o filme “O Regresso”, estrelado por Leonardo DiCaprio e dirigido pelo ganhador do último Oscar e Golden Globe (de 2016), o mexicano Alejandro Gonzalez Iñárritu, uma mistura de velho oeste com sobrevivência e vingança, prometendo muita ação. Temos, ainda, “Esquadrão Suicida”, com os piores vilões da DC Comics (estreará em 5 de agosto); a adaptação feminina de “Os Caça-Fantasmas”, prevista para 15 de julho; “Doutor Estranho”, da Marvel, em 4 de novembro; e, por fim, temos a volta do universo de Tim Burton com “Alice Através do Espelho”, em 27 de maio. O ano está cheio de filmes, muitos deles nerds, mas que divertem qualquer um, pois, convenhamos, todo mundo já quis ser um super-herói ou uma super-heroína, e somente o cinema pode nos proporcionar essa sensação.

Mogli: O Menino Lobo está com estréia no Brasil prevista para 14 de Abril de 2016.

Antônio José Lourenço é estudante de direito, gosta de cinema e quadrinhos.

ço o m l A utivo exec tir de a par R$ 12

/RestauranteMensore mensorealfenas

Av São José 229 - Campinho

23


24


25


Foto: Marcelo De Podestá

| INFORMATIVO

Centenário de Fé Diocese de Guaxupé comemora 100 anos

N

Lançando redes, gerando comunidades! 26

o dia 03 de fevereiro a Diocese de Guaxupé, circunscrição eclesiástica da Igreja Católica Apostólica Romana, completou seu primeiro centenário. A área de atuação da Diocese é toda região sul e sudoeste de Minas Gerais, que possui mais de 15 mil quilômetros quadrados. No total são 86 paróquias distribuídas em 41 municípios e 11 distritos, tudo para atender uma população aproximada de 900 mil habitantes. O lema para as celebrações do centenário escolhido pela Diocese foi: “Lançando redes, gerando comunidades!”. A frase foi escolhida por refletir os propósitos que a Diocese de Guaxupé se esforça em transmitir às comunidades por meio do trabalho do bispo,

padres, diáconos e fiéis engajados no trabalho pastoral. Já o símbolo escolhido para as comemorações, a Catedral de Guaxupé, exalta à unidade e à fé de todos os fiéis, clérigos e leigos, que são acolhidos com generosidade na Igreja Mãe de todas as comunidades.

Histórico A criação da Diocese, no ano de 1916, se deu após a região ser desmembrada da então Diocese de Pouso Alegre pela bula “Universalis Ecclesiae Procuratio” do papa Bento XV. Em novembro de 1913, o bispo da Diocese de Pouso Alegre, dom Antônio de Assis, se decidiu por realizar uma mudança de sua residência episcopal da sede diocesana para Guaxupé.


Após três anos de morada fixa de dom Assis na nova cidade, no dia 3 de fevereiro de 1916, por decreto do papa Bento XV e em conformidade com o pedido do bispo, é erigida a Diocese de Guaxupé, separando-se integralmente do território da Diocese de Pouso Alegre. Nomeado como primeiro bispo da diocese, dom Assis tomou posse em maio do mesmo ano, trabalhando ardorosamente pelo estabelecimento das instituições diocesanas, como o estabelecimento da Cúria Diocesana e a estruturação das paróquias. Pioneiro, regeu a diocese entre os anos de 1916 e 1919. Papa Bento XV, criador da Diocese de Guaxupé.

Após este período, governaram os bispos: dom Ranulpho da Silva Farias (1920-1939); dom Hugo Bressane de Araújo (1940-1951); dom Inácio João Dal Monte (19521963); dom José de Almeida Batista Pereira (1964-1976); dom José Alberto Lopes de Castro Pinto (19761989) e dom José Geraldo Oliveira do Valle (1989-2006). Na sucessão episcopal, foi nomeado dom José Mauro Pereira Bastos pelo papa Bento XVI em abril de 2006, empossado em junho e morto num acidente trágico em setembro do mesmo ano. No dia 13 de junho de 2007, o papa Bento XVI nomeou dom José Lanza Neto o novo Bispo de Guaxupé, tomando posse no dia 22 de julho de 2007 na Catedral Nossa Senhora das Dores, em Guaxupé. Fonte: Diocese de Guaxupé Edição: Leonardo Miranda

Interior da antiga catedral de Guaxupé

27


INFORMATIVO

O sul de Minas decolando Por Isabella Alves

D

esde a construção do primeiro avião, o “14 Bis” do brasileiro Santos Dumont, o universo da aviação evoluiu muito. Tendo como principal vantagem a rapidez, os aviões são utilizados em todo o mundo, facilitando o comércio e o lazer, com um fluxo de viagens cada vez maior. O sul de Minas Gerais, com uma população que gira em torno de três milhões de habitantes, também recebe um grande fluxo de pessoas em busca de estudos, trabalhos ou por lazer. Para facilitar essa movimentação, Varginha, cidade que é referência em toda a região, se prepara novamente para “decolar”.

28

Varginha O aeroporto da cidade de Varginha, com o nome de Major Brigadeiro Trompowsky, volta a receber, a partir de dois de março, voos da companhia Azul Linhas Aéreas. De acordo com informações da equipe do aeroporto, o voo, já aprovado pela ANAC, terá como destino o Aeroporto de Confins, em Belo Horizonte. Serão três voos semanais (na aeronave ATR 72-600), com duração de aproximadamente uma hora, às segundas, quartas e sextas-feiras. A grande vantagem é que essa mesma aeronave percorrerá um caminho até a Bahia. Além disso, o horário é propício para realizar conexões para os aeroportos de Congonhas, Cabo Frio, Brasília e até Orlando, nos Estados Unidos. Rogério Evaristo, diretor aeroportuário do aeroporto de Varginha e há 12 anos no ramo da aviação, explica que, além da im-

portância para os passageiros, a aeronave da Azul Linhas Aéreas também possui a capacidade de transportar cargas, aumentando o interesse dos empresários da região. Localizado ao lado do porto seco da cidade, o serviço de transporte de cargas é um avanço para o aeroporto. Além disso, já se estuda outra parceria, para expandir o número de aeronaves destinadas ao transporte de cargas. A Prefeitura Municipal também está aberta às negociações, partindo do subsídio no combustível, com a redução de ICMS de 18% para 6% sobre o valor oferecido pelo estado de Minas Gerais. O aeroporto apresenta pista asfaltada, com 2.100 metros de extensão e altitude de 923 metros. É homologado para receber aeronaves dos modelos ATR, Fokker, A318 e 319, entre outras aeronaves me-


Projeto do Aeroporto de cargas e passageiros de Pouso Alegre.

Saguão do Aeroporto de Varginha

Aeroporto de Varginha, que volta a receber voos regulares em Março

nores. Com a administração da Secretaria de Turismo, o local passou por reformas e adaptações para voltar a receber os voos regulares, que não aconteciam desde 2014. Agora, conta com uma área de embarque e desembarque moderna, com a capacidade para até 150 pessoas, além de um balcão de check in, uma sala de inspeção e espaço para lanchonetes. Outra novidade compreende os caminhões para brigada de incêndios. A equipe de brigada passa por treinamentos constantes para cumprir com êxito todas as normas da ANAC.

Pouso Alegre Uma outra cidade que está se preparando muito bem para receber os aviões é Pouso Alegre. Já está em construção o projeto do Aeroporto Internacional de Cargas e Passageiros Padre Senador

José Bento Leite Ferreira de Mello, na referida cidade. O projeto tem iniciativa público-privada, com investimentos da Prefeitura Municipal, da Cone PP e FGV. De acordo com o informativo emitido pela Prefeitura de Pouso Alegre, “quando estiver devidamente pronto, o empreendimento terá cerca de cinco milhões de metros quadrados que ajudarão a desafogar a demanda de importantes aeroportos do país, como Viracopos, Cumbica, Congonhas e Galeão. A pista deste aeroporto terá 4.100 metros, já considerada a maior do Brasil. O local oferecerá capacidade de armazenagem de cargas de 78.125 toneladas, em uma área de 12.500 m², que poderá receber uma média de 9.456 passageiros por ano”. A construção está localizada na zona rural do município,

no bairro Curralinho, que fica às margens da Rodovia Fernão Dias. A área vai abrigar aviões de grande porte, além de contar com pista de manobra e estacionamento. Também já estão em construção um condomínio de galpões e um porto seco, que terá repartições das receitas estadual e federal, entre outros serviços. Toda a população já se prepara para essas boas mudanças, as quais esse projeto proporcionará para Pouso Alegre e região.

Informações: Prefeitura Municipal de Pouso Alegre, Aeroporto de Varginha e g1.globo.com. Imagens: Reprodução.

29


FOTO: WAGNER ROCHA

| TURISMO

Qualidade cultivada no alto da Serra O peculiar e diversificado potencial de Senador Amaral.

N

a edição de janeiro, mostramos como a cidade se tornou uma referência nacional em gestão em saúde. Contudo, esse é apenas um dos aspectos que fazem de Senador Amaral uma referência. São pouco mais de cinco mil habitantes vivendo na Serra da Mantiqueira, a mais de 1.500 metros de altitude, onde é possível desfrutar do que é considerado um dos melhores climas do mundo. A temperatura amena, com máximas e mínimas entre 26°C e -5°C, somada ao solo e à geografia com características raras, garante um potencial agrícola exclusivo. Além de o município ter conquistado fama e reconhecimen-

to graças ao cultivo de flores de diversas espécies, tamanhos e cores, Senador Amaral é um dos maiores produtores de hortaliças da região, tais como a batata, mandioquinha e brócolis. O solo e a geografia também são considerados ideais para a plantação de frutas vermelhas, como morango, framboesa, amora preta, ameixa e mirtilo. O clima também potencializa essa produção durante todo o ano, garantindo um sabor mais açucarado e maior durabilidade das frutas. Outra característica fundamental para o sucesso agrícola é a proximidade com a Rodovia Fernão Dias (18 km), que possibilita economia e agilidade no escoamento da produção.

Turismo: Montanhas ideais para prática de caminhadas e montanhismo entre cachoeiras de águas límpidas e vistas deslumbrantes são os principais atrativos turísticos do município. O mirante oferece uma visão panorâmica da Serra da Mantiqueira, de onde é possível avistar o ponto mais alto da região, a Pedra de São Domingos, 30

e, ao fundo, a Pedra do Baú, já no estado de São Paulo, na região de Campos do Jordão. Um dos destaques é a Pedra da Onça, local propício para a prática de rapel. Tudo isso constitui um verdadeiro paraíso natural capaz de garantir momentos de reflexão, aventura e integração com a natureza.

Por Leonardo Miranda

Breve Histórico: A história de Senador Amaral tem início no século XVIII, quando a família Borges doou ao município de Cambuí uma área para a construção de uma igreja em honra a São Sebastião. Logo, as primeiras residências compuseram o lugarejo, batizado primeiramente de “São Sebastião da Lagoa Grande”, devido ao santo padroeiro da região e pela existência de uma grandiosa lagoa nas imediações. Tempos depois, com a ocorrência da extinção (quase total) da lagoa, o povoado veio a se chamar “São Sebastião dos Campos” ou “Capelinha”, para só depois ser nomeado “Senador Amaral”, em homenagem ao Senador Eduardo Amaral. Todas essas mudanças de nomes antecederam a elevação a distrito em 1948. Mas, foi só no ano de 1992 que o município finalmente adquiriu sua independência político-administrativa.


31


| TURISMO

Riquezas da região entre as montanhas do sul de Minas. Por Isabella Alves

N

o sul de Minas, bem pertinho do estado de São Paulo, encontra-se uma cidade acolhedora, com lindas paisagens e um comércio fortalecido: Monte Sião, com pouco mais de 21 mil habitantes, é um destino completo para o turista. Conhecida em todo o Brasil como a capital nacional do Tricô, a cidade recebe com a tradicional hospitalidade mineira. A especialidade de Monte Sião é oferecer compras e tranquilidade para quem procura descanso ou negócios.

Monte Sião, com o Morro Pelado ao fundo

Por Cláudio Faraco Divulgação Prefeitura de Monte Sião 32

A cidade Localizada na Serra da Mantiqueira, é rodeada por belas montanhas e trilhas. Possui um clima ameno, com temperatura média de 21ºC, podendo chegar a 0°C no inverno. A praça central, Prefeito Mário Zucato, chama a atenção pelas “esculturas ao ar livre”, herdadas do jardineiro italiano Estevão Comune. É a arte da topiaria, preservada pela Prefeitura Municipal em um belo projeto arquitetônico, com animais e silhuetas desenhadas nos arbustos. O Santuário de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, também localizado na praça central, atrai muitos devotos em busca de milagres e histórias. O Sagrado Coração de Jesus,


Praça Prefeito Mário Zucato

Comércio e produção

em tamanho grande, na Capela do Santíssimo, também é muito procurado, principalmente na “Semana da Novena”, que ocorre em novembro. Na data, é possível presenciar a chegada da romaria a pé, vinda de Aparecida (SP), as missas e a procissão luminosa pela cidade. Para quem aprecia a tranquilidade e paz, em um ambiente em contato com a natureza, o Mosteiro Santíssima Trindade supera as expectativas. No mosteiro, são encontrados uma lojinha com um artesanato criativo e um ateliê com os trabalhos manuais feitos em tricô, pelos próprios monges e monjas. O Museu Histórico e Geográfico de Monte Sião também merece uma visita! Com um rico acervo da história da cidade e da sociedade brasileira do século passado, ele guarda documentos e objetos marcantes, desde a sua fundação em 1985. Em seu interior, foi construída, também, uma caverna artificial, com 15 metros de extensão, a única do Brasil que reproduz estalactites e estalagmites para que o turista “sinta” o ambiente de vida em uma gruta.

O turismo de compras é outro ponto forte de Monte Sião, que pode ser muito bem aproveitado por quem visita o local. A cidade é nacionalmente conhecida como a “capital nacional do tricô”, pois seu parque fabril produz moda o ano todo, acompanhando as tendências mundiais e abrangendo tamanhos e modelos variados, para todos os gostos. Recentemente, a cidade de Monte Sião foi comparada ao maior centro de compras de confecções do país, São Paulo, tal o número de lojas e fábricas locais, que exportam seus produtos para todo o Brasil. São mais de 1.500 confecções, que podem ser visitadas com calma, em uma cidade preparada para receber os seus visitantes. Uma prova disso é “Polo da Moda Antonieta”, um bairro novo no qual se concentram mais de 100 fábricas, a grande maioria com um design conceitual, que reflete nas peças produzidas em suas fábricas. Além das confecções, Monte Sião é conhecida pela produção de peças de porcelana. A fábrica é muito tradicional, fundada em 1959, e produz diversos produtos pintados a mão. Seu segredo vem de tempos atrás, quando uma louça portuguesa serviu de inspiração para a produção de outras

peças de utilidades domésticas, adornos decorativos e canecas. O sucesso da porcelana foi tão grande que a produção nunca mais parou. É possível visitar a fábrica e realizar suas compras na loja, no mesmo local. A produção de queijos e doces também é destaque na cidade, como, um exemplo, o laticínio Queijos e Doces Sônia, que apresenta produtos frescos e com bons preços.

Região Além das atrações locais, a localização dessa cidade é estratégica, situando-se entre Minas Gerais e São Paulo. Assim, o turista também poderá passear na região, escolhendo entre, aproximadamente, dez cidades e tipos de atividades que preferir: gastronomia de qualidade, com ótimo custo-benefício, laticínios com o verdadeiro queijo mineiro, de vários tipos, aventuras, naturezas exuberantes, montanhas, compras de confecções que estão na moda, bons hotéis com bons preços, bem como diversas praças, igrejas e museus belíssimos para conhecer. Borda da Mata, Ouro Fino, Bueno Brandão e Águas de Lindóia são roteiros muito recomendados para compras, passeios culturais, programas de aventura ao ar livre e em família, além de muito mais.

33


| TITULO

Vivas Hotel

Aconchego, qualidade e bom preço Após descobrir tantas coisas sobre Monte Sião e sua região, a vontade é de agendar uma viagem o mais rápido possível! A Revista QShow indica o Vivas Hotel, localizado no bairro Polo da Moda Antonieta. O empreendimento foi inaugurado em setembro de 2014, pelos empresários Benê Godoy e Renato Mendonça. De acordo com os sócios e com a equipe do hotel, o Vivas (Hotel e Casa) surgiu com a intenção de oferecer ao mercado um nível de hospedagem do qual Monte Sião ainda não usufruía, com alto padrão e ótimo custo. Aparelhos de ar-condicionado na maioria dos apartamentos, varandas com uma vista para as montanhas e cafeteria com café expresso de cortesia são apenas alguns diferenciais do hotel, que já atrai grande público. Entretanto, o grande charme do hotel é a sensação de estar em casa: o projeto arquitetônico é muito moderno, privilegiando a luz natural e a indireta; edredons fofos e mimos especiais nos quartos; as camas são box, com colchão do tipo queen size e molas ensacadas uma a uma, a roupa de cama é de 180 fios de algodão, os travesseiros são de penas de gansos e, nos banheiros, os produtos são

34

personalizados, com perfumes especiais. As refeições também são pontos fortes. São produzidos com carinho, para o café da manhã, pães doces e salgados, sempre com um bolo feito naquela manhã, além de doces e geleias, biscoitinhos com o tradicional pão de queijo da terra e um cardápio de ovos preparados naquela hora: frito (por inteiro), omeletes e mexido, puro ou com presunto e queijo, sem contar as tapiocas doces ou salgadas. Nos feriados prolongados, o restaurante é aberto ao público durante a noite, com cardápio contemporâneo e à luz de velas. O outono/inverno é a alta temporada da região, e o Vivas não foge à regra. Principalmente por estar localizado em uma das principais regiões das confecções dessa cidade, os 35 apartamentos do hotel são bastante disputados, necessitando de reserva antecipada. Além do lazer dessa região montanhosa do sul de Minas, os negócios atraem muitos visitantes. Por isso, o hotel conta com um lobby para reuniões de negócios e um restaurante para 60 pessoas, para festas e pequenas recepções.

Para conhecer mais sobre Monte Sião, as belezas da região e o Vivas – Hotel e Casa acesse: hotelvivas.com.br


ARTIGO

Esperar ou Esperançar?

S

im, existe um verbete na Língua Portuguesa que confesso nunca ter conjugado como verbo, nem mesmo na primeira do singular, menos ainda na terceira do plural. Enfim, conhecia-o apenas em sua forma de substantivo abstrato: “esperança”. A minha descoberta foi como esse verbo, o tal do “esperançar”, ainda que desconhecido para muitos, pode ser útil em nossas vidas, sobretudo em momentos de crise. Primeiramente, não podemos nos enganar, nem misturar “esperar” com “esperançar”. Não podemos achar que são simples sinônimos e, portanto, podem ser facilmente substituídos entre si. Não, não dá. Mas, acalme-se! Você já esperançou bem mais do que imagina. Vamos às diferenças! Você chegou a uma agência bancária ou a uma repartição pública e está aguardando a chegada de sua vez, atrás de, por exemplo, umas 15 pessoas... Um exemplo típico de “esperar”, e, se for em órgão público, “esperar” e muito. Se você não estiver grávida, o que limita, potencialmente, 50% de nossos leitores, ou com idade superior a 60 anos, ou ainda com alguma deficiência física, esqueça! Você vai esperar e não há nada a fazer, a não ser ficar “zapeando” no smartphone enquanto não é chamado. Por essa razão, a fila do banco é um lugar de espera e não de esperança. Agora, imagine que você convidou um colega de trabalho para

um almoço na sua casa, que seria preparado única e exclusivamente por você. Você levanta mais cedo, compra ingredientes frescos, pede o melhor corte das carnes, compra frutas para uma ou duas opções de suco. Ou seja, deixa tudo no jeito. Enquanto seu colega não chega, você prepara tudo, corta os legumes em pedaços diametralmente iguais, escolhe os melhores temperos, usa o melhor azeite. Prova. Tempera. Esquenta. Congela. E, de repente, você ouve o tão esperando “dindon”. “É ele!”, você diz. E era mesmo. Poderia não ser. Poderia ser um carteiro, um vizinho pedindo gelo ou açúcar... Contudo, toda a sua esperança se concretizou no momento em que o tal companheiro de labuta colocou os pés em sua casa: “Que bom que você veio, seja bem-vindo!”. Todo mundo acha que o futuro é assim, que existe, por exemplo, um “ano novo” de verdade. É como se alguma coisa que viesse do futuro fosse ao nosso encontro, e que, em um determinado mês, semana, hora e minuto, “isso” fosse nos encontrar, seja lá qual for o nome que você dê para “isso” (uma promoção no trabalho, uma casa nova, um namorado ou namorada, e a lista segue...). Não, o futuro não existe! Há uma sucessão de variáveis

que não controlamos. Nem tudo o que fazemos hoje nos dá a certeza do futuro que planejamos. Entretanto, entre o “esperar” o futuro chegar e nos alcançar, como um ato mágico de absoluta predestinação, que tal “esperançar” para colocar em prática o futuro que podemos fazer acontecer? Para isso, temos que substituir o “esperando” pelo “esperançando”. Esperar é pausa. Esperançar é movimento. Esperar é aguardar ansiosamente. Esperançar é agir enquanto se espera, com paz no coração. Não é ficar na fila com o celular na mão, mas é entender que há muito o que fazer enquanto o que se espera não chega. E a paz vem justamente pelo fato de entendermos que, mesmo que a visita não chegue como planejamos, teremos em nossas mãos uma excelente refeição e teremos vivido a experiência de fazer enquanto se esperava. Um 2016 bem esperançoso a todos! E um bom apetite!

André Luiz é professor Universitário, Advogado e Gerente de Operações. 35


ESPECIAL | PARÁBOLA

Que tipo de pessoa vive neste lugar? Conta uma popular lenda do Oriente que um jovem chegou à beira de um oásis, próximo a um povoado, e, aproximando-se de um velho, perguntou-lhe: – Que tipo de pessoa vive neste lugar? – Que tipo de pessoa vive no lugar de onde você vem? – perguntou, por sua vez, o ancião. – Oh! Um grupo de egoístas e malvados – replicou-lhe o rapaz. – Estou satisfeito de haver saído de lá. A isso o velho retrucou: – A mesma coisa você haverá de encontrar aqui. No mesmo dia, outro jovem se acercou do oásis para beber água e, vendo o ancião, perguntou-lhe: – Que tipo de pessoa vive por aqui? O velho respondeu com a mesma pergunta: – Que tipo de pessoa vive no lugar de onde você vem? O rapaz respondeu:

36

– Um magnífico grupo de pessoas amigas, honestas, hospitaleiras. Fiquei muito triste por ter de deixá-las. – O mesmo encontrará aqui – respondeu o ancião. Um homem, que havia escutado as duas conversas, perguntou ao velho: – Como é possível dar respostas tão diferentes à mesma pergunta? O velho respondeu: – Cada um carrega no seu coração o ambiente em que vive. Aquele que nada encontrou de bom nos lugares por onde passou não poderá encontrar outra coisa por aqui. Aquele que encontrou amigos ali, também os encontrará aqui. Somos todos viajantes no tempo, e o futuro de cada um de nós está escrito no passado; ou seja, cada um encontra na vida exatamente aquilo que traz dentro de si mesmo. O ambiente, o presente e o futuro, somos nós que criamos, e isso só depende de nós mesmos.


G

ostou do texto? Ele é uma parábola presente no livro de Alexandre Rangel. Segundo o autor, as parábolas são breves narrativas que possuem um contexto moral, seja ele explícito ou implícito, e que, com a demonstração de um pouco da cultura de um povo, ajudam a decidir questões morais do dia a dia. Rangel é empresário, ex-professor universitário, ex-consultor e possui formação nas áreas de computação, administração, filosofia e direito. Ele esteve presente na lista de “best sellers” da Editora Leitura com três livros em 2010. Além dos 16 livros já produzidos por Alexandre, o empresário atua como consultor independente,

dedicando-se à pesquisa da vanguarda em cenários e tendências da gestão das organizações, especialmente em temas ligados a estratégias competitivas, perfil profissional, criatividade e inovação, bem como o desenvolvimento do capital intelectual. O primeiro volume do livro “As Mais Belas Parábolas de Todos os Tempos”, o qual abriga a história há pouco apresentada aos leitores da QShow, conta, ao todo, com 155 textos de autores anônimos e/ ou desconhecidos disponíveis na literatura mundial, apresentando uma organização feita por Rangel de maneira muito atrativa e dinâmica. As outras duas edições publicadas contaram com a grande

participação do público, que, ao ler o primeiro livro, enviou inúmeras sugestões de parábolas. Todas foram publicadas pela Editora Vozes e são obras dignas de apreciação por todos, em momentos nos quais a vida necessita de reflexão. É um ótimo presente para algum amigo e possui uma leitura flexível, sem uma obrigatoriedade de ordem a seguir. O autor, Alexandre Rangel, ainda se preocupa em não apresentar suas próprias conclusões sobre as parábolas do livro, justamente para não limitar o pensamento do leitor, o qual poderá, assim, utilizar uma história em diversos contextos, de acordo com a sua própria vivência.

Você pode comprar as três edições de “As Mais Belas Parábolas de Todos os Tempos” no site www.alexandrerangel.com.br e em livrarias por todo o Brasil.

37


ARTIGO

Por que é tão difícil terminar um relacionamento? Por Felipe França

E

ntendemos que todo fim de ciclo causa angústias, seja o término de uma faculdade, a passagem de uma idade para outra, a mudança de escola quando criança, a perda de um ente querido, a transição de um emprego para outro, a despedida dos amigos que se mudam para outra cidade... Enfim, as perdas da vida nos colocam frente à nossa própria finitude. Entretanto, uma das perdas mais significativas que acompanho no consultório é em relação aos términos de relacionamento e como alguns indivíduos temem esses momentos, mesmo que estejam desgostosos de suas relações. Diante disso, levantarei alguns pontos para refletirmos sobre os receios de se romper um relacionamento amoroso.

38

juntos, ainda que estejam insatisfeitos com tal relação. O fato de pensar em estar só causa um certo temor a esses indivíduos. Eles se sujeitam a qualquer “entulho” para não passar por essas sensações.

Esperança que o parceiro mude: Já dizia o velho ditado: “A esperança é a última que morre”. Partindo desse princípio, muitos acreditam que seu companheiro possa mudar com o passar do tempo. Lamento em informar que “mudar” não é algo tão simples assim... A mudança é uma transição complexa, que exige aceitação e autocrítica, inteligência emocional, flexibilidade e coragem.

Medo de ficar sozinho:

Relacionamento como centro:

O medo da solidão é um dos maiores motivos, o que faz com que vários casais permaneçam

Muitos casais colocam seus relacionamentos como o centro de todas as ações da vida. Não fazem

A vida é assim: uns vão, outros vêm, mas só os que estão dispostos permanecem.


nada um sem o outro e, muito menos, desprendem um tempo para si próprios. Quando surge o pensamento “terminar o relacionamento”, encontram-se sozinhos e perdidos. Diante disso, percebem-se sem alternativas, já que a vida se restringiu somente à relação.

Medo de ser substituído: O fato de imaginar o seu parceiro com outro alguém e que esse mesmo alguém possa fazê-lo tão feliz tanto quanto você o faz também causa receio, principalmente quando há possibilidade do término. O ego ferido leva tempo para digerir a situação. Tal motivo causa arrepios em muitos. Interessante seria se pensássemos na autenticidade do próprio ser, ou seja, fazer valer seus valores pessoais e, principalmente, acreditar neles. Muitas pessoas se

sujeitam a relacionamentos que não são saudáveis, por não confiarem em si próprios, por pensarem que não são tão bons para o estabelecimento de outros vínculos ou, simplesmente, que não são indivíduos interessantes. A vida é assim: uns vão, outros vêm, mas só os que estão dispostos permanecem. Boa permanência a todos!

Felipe França, psicólogo clínico, palestrante e consultor de recursos humanos.

39


| LIFESTYLE

pele marcada e muito estilo. Por Isabella Alves

A

história da tatuagem acompanha a história do mundo, pois, há mais de 3 mil anos, a técnica de se aplicar tintas na pele, por meio das agulhas, existe. De acordo com o dicionário Michaelis, o verbete “tatuagem” significa “a arte de introduzir debaixo da epiderme substâncias corantes, vegetais ou minerais, para produzir desenhos indeléveis”. Assim, a tatuagem evoluiu em termos de desenhos, formas de aplicação e, principalmente, em relação à sua aceitação na sociedade. O que era estereotipado, antigamente, é amplamente apreciado, atualmente, entre as mais diversas classes sociais, culturas, identidades, entre outros. O site Gizmodo conta que as tatuagens já foram utilizadas com variados simbolismos. A civilização Moche, no Peru, as usava para demonstrar liderança. As tribos nativas da América do Norte se

40

Megan Massacre, tatuadora de NYC e Co-Fundadora GritNGlory brand clothing & tattoo.


tatuavam por questões religiosas ou como medalhas de vitórias nas guerras. Várias outras tribos estampavam, nos corpos dos seus membros, o número de pessoas que executavam em guerras, ou, simplesmente, utilizavam as tatuagens para se embelezar. Além disso, as tatuagens eram comumente usadas entre as mulheres da corte dos faraós. Na Ásia, elas sempre foram muito apreciadas, como, por exemplo, entre o povo indígena japonês (Ainu) ou na máfia (Yakuza). Durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas tatuavam um número no corpo dos judeus, a fim de identificá-los nos campos de concentração. Não podemos esquecer da tribo Maori, com sua tatuagem tribal. Muitos membros da aristocracia europeia eram tatuados, entre eles, o rei inglês Eduardo VII e o czar Nicolau II, da Rússia. Os marinheiros dos Estados Unidos aderiram fortemente ao estilo como uma forma de expressão pessoal, bem como de reconhecerem os corpos dos que permaneciam perdidos no oceano e se protegerem do recrutamento forçado na Inglaterra. Em 1959, o dinamarquês Knud Gegersen se tornou o primeiro tatuador profissional a atuar no Brasil.

Estilos em alta

Significados

Maori, tribais, animais repletos de simbolismos, frases em outros idiomas. Existem as tatuagens tradicionais, que não saem de moda, mas, cada vez mais, surgem estilos diferentes, que fascinam os que entendem do “riscado”. A tatuagem 3D, que já era produzida na década de 80, voltou com tudo e atrai pelo realismo que transmite. Com ela, são criados objetos, que parecem estar em movimento, e ilusões, que simulam uma pele arrancada, dentre outros. O estilo da aquarela, em que a tatuagem é preenchida com cores vivas, dentro do desenho escolhido para se tatuar, também ganhou espaço, atualmente. A técnica colore com manchas leves, respingos e fusão de cores, como em uma tela de pintura. As geométricas utilizam traços finos e pequenas formas para criar um desenho maior e o pontilhismo abusa dos detalhes em torno das imagens tatuadas. Esses três estilos têm sido frequentemente usados com desenhos de animais selvagens e flores.

Apareceu a vontade de fazer uma “tattoo”? Veja o significado de alguns modelos populares de tatuagem e inspire-se: Âncora: Era utilizada por marinheiros, porém, foi amplamente difundida. Pode ser interpretada como segurança, firmeza e esperança. “La Catrina”: A caveira mexicana, que está em alta, surgiu da ilustração do artista José de Guadalupe Posada e possui como objetivo lembrar que mesmo os mais ricos enfrentam a morte. Além disso, remete à paz de espírito daqueles que já se foram, não com pesar, mas com alegria. Carpa: O peixe colorido, tradicional da cultura oriental, simboliza prosperidade e alegria. Alguns o tatuam simbolizando a força para lutar e alcançar seus objetivos (apontado para cima) ou que seus objetivos já foram alcançados (apontado para baixo). Flor de Lótus: Simboliza superação de dificuldades. É considerada sagrada na Ásia, e, no hinduísmo, está relacionada à criação do universo e é um dos oito símbolos mais promissores do ensino budista.

COMO AS TATUAGENS SÃO FEITAS? Nos métodos mais antigos, cortava-se a pele da pessoa e aplicava-se cinzas sobre o ferimento. Depois disso, as tribos passaram a fazer uso de palitos, pregos, cinzéis e lanças para perfurar a pele e injetar os pigmentos na derme. Em 1891, Samuel O’Reilly adaptou uma máquina de gravação, inventada por Thomas Edison, e criou a máquina de tatuar rotativa.

Pouco se alterou depois da invenção de O’Reilly, que contava com um motor elétrico para guiar o eixo rotatório, levantando e abaixando a agulha. As máquinas mais modernas possuem uma bobina que aumenta a eficiência do condutor e causam menos danos à pele. O que o mercado oferece de mais moderno compreende as máquinas pneumáticas, movidas a gás e com riscos mínimos de infecção.

Foto: Knud Harald Lucky Gregersen mais conhecido como Lucky Tattoo, o primeiro tatuador profissional no Brasil.

41


42


43


CAPA

N達o podemos mais nos dar o luxo de gerar tanto lixo. Por Leonardo Miranda

44


A

população mundial produz 30 bilhões de toneladas de lixo por ano, uma produção que cresce em ritmo descontrolado. De acordo com o estudo recentemente publicado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), cerca de três bilhões de pessoas no mundo não têm acesso aos locais apropriados para o descarte de lixo, o que equivale a mais de 41% da população mundial, que, hoje, é de 7,3 bilhões de pessoas. O estudo também revelou que a produção de lixo cresce mais rapidamente que a população e, para os próximos 30 anos, a estimativa de crescimento do lixo é de mais de 70%. Segundo o PNUMA, a produção de lixo está diretamente ligada ao desperdício, ao crescimento populacional, ao processo de urbanização e ao consequente aumento do consumo, configurando um problema não somente ambiental, mas, também, de saúde pública e de economia. De acordo com o estudo, a principal limitação apontada para a implantação de um sistema eficiente de coleta e reciclagem de lixo compreende os altos custos e a falta de competência administrativa. Neste sentido, é importante destacar que os estudos comprovaram que o aumento na geração de lixo custa muito mais, isto é, custa aos países a média de cinco a dez vezes mais do que custariam os investimentos para o manejo e destinação final adequados do lixo.

De onde vem o lixo do mundo? Do total de 30 bilhões de toneladas de lixo geradas anualmente no planeta, segundo o informativo jornalístico Estado de São Paulo, 39% vêm da pecuária, 38% da indústria de mineração, 19% da agricultura, 4% da indústria. O entulho corresponde a 3% e apenas 2,5% do total corresponde aos resíduos sólidos urbanos, representando quatro bilhões de toneladas ao ano. Isso não significa que a responsabilidade da população é menor, uma vez que, segundo a estimativa do sociólogo Maurício Waldman, para cada saco de lixo produzido em residências, outros sessenta foram gerados antes.

Lixo brasileiro No Brasil, como é comum em países subdesenvolvidos, muito do lixo não possui destinação final adequada e os índices de reciclagem são baixíssimos. De acordo com a pesquisa divulgada no ano passado pela Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), os brasileiros jogaram fora aproximadamente 80 milhões de toneladas de lixo no ano de 2014. Foram 32 milhões de toneladas a mais que no ano de 2009, quando a geração de lixo registrada foi de 57 milhões de toneladas. Em média, cada brasileiro é responsável pela geração de

mais de 1,062 quilograma de lixo diariamente. A produção de lixo brasileira já supera o crescimento populacional em cinco vezes, com um aumento registrado de 29% entre os anos de 2003 e 2014, enquanto a taxa de crescimento populacional, nesse mesmo período, foi de 6%. Ainda segundo a ABRELPE, outro dado alarmante é que, do total de lixo produzido no país, menos de 3% é reciclado, sendo que 80% dos lixos brasileiros poderiam ser reciclados. Trata-se de um prejuízo incalculável, tanto para o meio ambiente, quanto para a economia do país.

45


CAPA

Destinação final do lixo brasileiro Nos últimos anos, os municípios passaram a se preocupar mais com a destinação do lixo e também a desenvolver programas de reciclagem, principalmente após o advento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), de acordo com a Lei 12.305, instituída em agosto de 2010. Tal lei diz respeito à prevenção e à redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que possui valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado). Porém, muitos municípios ainda não conseguiram se adequar à legislação, situação que levou à prorrogação do prazo final para o atendimento das normas de 2014 para 2018.

Em 2008, dois anos antes da aprovação da PNRS, mais de 50% dos municípios brasileiros possuíam como destinação final de seus resíduos sólidos os lixões. Atualmente, segundo a ABRELPE, cerca de 60% do lixo brasileiro é direcionado a aterros sanitários ou aterros controlados. Comparando os resultados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico (PNSB), realizada pelo IBGE em 2008, com a pesquisa da ABRELPE, divulgada no ano passado, constata-se uma redução de 10% no volume de lixo destinado a lixões. Contudo, os lixões ainda recebem cerca de 32 milhões de toneladas de lixo anualmente, o que corresponde a 40% do total de 80 milhões de toneladas geradas no país. O relatório revelou também que 78 milhões de brasileiros, quase 40% da população, ainda não têm acesso aos serviços de tratamento e destinação adequada de lixo. Dos 5.570 municípios do país, mais de 1.500 ainda depositam o lixo ao céu aberto, dos quais 834 estão no nordeste, a região que concentra o maior número de cidades nas quais ainda se destina os resíduos para lixões. O sudeste lidera o ranking das regiões que mais possuem cidades enviando seus resíduos para aterros sanitários ou controlados, com 820 municípios. Em contrapartida, o sudeste também lidera o ranking das regiões brasileiras que mais produzem lixo, sendo responsável por cerca de 50% da produção do país.

Minas e os lixões Em Minas Gerais, o processo de adequação dos municípios à destinação correta do lixo é um grande desafio. Apesar de o estado concentrar o maior número de municípios do país, com 853, a maioria é de pequeno porte, o que inviabiliza a implantação de aterros sanitários ou controlados. Desta maneira, os aterros em cidades maiores recebem os resíduos sólidos dos municípios próximos. No sul de Minas não é diferente, os aterros, geralmente construídos por meio de concessão pública em cidades maiores, assumem a produção de lixo de microrregiões. Alfenas ilustra muito bem essa realidade. O aterro sanitário do município foi inaugurado em 2012, por meio do programa Novo Somma Eco e do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG), contando com um investimento de seis milhões de reais. Isso ocorreu no final do ano de 2013, depois de um complicado processo de implantação e adequação de todo o sistema sanitário do aterro. As principais modificações para obter a Licença Ambiental (LA) do COPAM incluem, por exemplo, o tratamento do chorume (um resíduo tóxico que escorre do lixo), por meio de piscinas anaeróbicas, e os serviços de reparo e instalação de drenos. Com essa licença ambiental, o aterro de Alfenas passou a atender a oito outros municípios da região: Poço Fundo, Areado, Carvalhópo-

A produção de lixo brasileira já supera o crescimento populacional em cinco vezes. 46


lis, Machado, Lavras, Monte Belo, Serrania e Santana da Vargem. Só da cidade de Alfenas, o aterro recebe cerca de 1.500 toneladas por mês de lixo, ao custo de R$99,98 por tonelada. Segundo o Secretário de Meio Ambiente desse município, John Strauss, além de o aterro de Alfenas contribuir diretamente para a preservação do meio ambiente regional, ele também alavanca as arrecadações do município. Com a licença definitiva para o tratamento dos resíduos sólidos, no município, a arrecadação com ICMS Ecológico praticamente duplicou, passando de R$17 mil para R$34 mil, já no primeiro mês. Contudo, falta muito para Alfenas se adequar completamente à PNRS. A coleta seletiva, por exemplo, está muito distante de fazer parte da vida dos

alfenenses. A cidade de Varginha, por outro lado, está entre as muitas que ainda não se adequaram à PNRS, depositando os seus resíduos em lixões. O processo de adequação começou em dezembro do ano passado, quando a Prefeitura Municipal celebrou um contrato com a Copasa para a regularização do espaço no qual funcionará o aterro sanitário convencional do município. Tal aterro ficará na Fazenda das Posses, na zona rural do município, a 6 quilômetros do Posto Pedra Negra, localizado na Avenida dos Imigrantes. O investimento estimado é de cerca de R$500 mil para a adequação e impermeabilização da plataforma do aterro, lagoa de armazenamento de chorume, poço de monitoramento da qualidade

LIXÕES

LIXÕES, ATERROS SANITÁRIOS E ATERROS CONTROLADOS:

Recebem resíduos vindos de residências, indústrias, hospitais e feiras. Tudo é simplesmente amontoado em grandes depósitos a céu aberto, oferecendo riscos ao meio ambiente, como a contaminação da água, do ar, do solo e do lençol freático. Os lixões comprometem a saúde da população, pois são focos de germes patológicos, moscas, mosquitos, baratas e ratos, gerando doenças, como: dengue, febre amarela, febre tifoide, cólera, disenteria, leptospirose, malária, esquistossomose, giardíase, peste bubônica, tétano e hepatite. Muitos lixões são clandestinos, visto que, nesta destinação, não existe nenhum critério sanitário de proteção ao meio ambiente. O chorume, liberado da decom-

da água do lençol freático, instalações elétricas e hidráulicas, além do prédio da administração, dentre outros serviços. O início dessas obras está previsto para meados de fevereiro e a previsão é que tal aterro comece a funcionar já no segundo semestre deste ano, momento em que a Copasa também assumirá essa operação por um período de 26 anos. Além da adequação do aterro sanitário, a referida companhia realizará as ampliações necessárias no local, bem como avaliará a utilização de novas tecnologias de reciclagem que possibilitem o aumento da vida útil do espaço. Com a ativação do aterro sanitário, o “lixão” de Varginha, que recebe cerca de 3,9 mil toneladas de lixo orgânico por mês, será desativado.

posição dos resíduos, escorre com o auxílio da chuva e penetra na terra, chegando aos lençóis freáticos localizados abaixo do lixão e contaminando as águas. Além do biogás, outro poluente é liberado pela decomposição do lixo, sendo formado por gases (como o metano, o gás carbônico e vapor d’água) e liberado diretamente para a atmosfera (sem antes passar por algum tipo de tratamento).

ATERROS SANITÁRIOS

Seguem as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Assim, o solo precisa de tratamento de impermeabilização, adequado para receber tanto o lixo residencial quanto o industrial, que foram impermeabilizados. O terreno é nivelado e a selagem das bases é feita com a argila e mantas de PVC. Os aterros sani-

47


CAPA

48

tários também possuem sistema de drenagem para o chorume (líquido preto e tóxico que resulta da decomposição do lixo), que é levado para tratamento, sendo, depois, devolvido ao meio ambiente sem risco de contaminação, além de captação dos gases liberados (como o gás metano), seguida de sua queima. Ao cobrir o lixo com o solo e compactar com tratores, os aterros sanitários dificultam o acesso de agentes vetores de doenças e de oxigênio. Há, também, poços de monitoramento, abertos em proximidade aos aterros, para que se avalie constantemente a qualidade das águas e haja verificação de eventuais contaminações. Os aterros sanitários se apresentam como uma evolução da destinação final do lixo no Bra-

Não são tão eficientes quanto os aterros sanitários e nem tão contaminados quanto os lixões. Trata-se de uma categoria intermediária, na qual o lixo é disposto de uma forma controlada e os resíduos recebem uma cobertura de solos. Entretanto, não recebem impermeabilização do solo nem sistema de dispersão de gases e de tratamento do chorume gerado. Não promove coleta e tratamento

Reduza, reutilize e recicle:

Dicas para gerar menos lixo no seu dia a dia

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) destaca que a redução da produção de lixo deve ser antecedida por uma tomada de consciência de proporções mundiais, em que a população esteja disposta a mudar o padrão de consumo baseado no “pegue, use e descarte”, para um padrão sustentável, baseado no princípio do “reduza, reutilize e recicle”. Nesse sentido, além de implicar diretamente na redução da produção de lixo, o excedente e os restos gerariam empregos, renda e diversos outros benefícios econômicos.

Reduza os descartáveis da sua vida:

sil. Entretanto, têm vida útil curta, girando em torno de 20 anos e, quando são desativados, as áreas ficam estéreis e ainda produzem gases e chorume.

ATERROS CONTROLADOS:

Por mais que possa parecer mais prático utilizar elementos descartáveis, o uso desses utensílios gera uma quantidade imensa de resíduos. Portanto, dê preferência ao copo de vidro em vez do copinho de plástico e, nas festas, use os pratos de louça e use talheres não descartáveis.

Dê preferência a comprar produtos a granel:

Evite comprar produtos nas embalagens tradicionais. Você pode encontrar, em supermer-

do chorume por inteiro, nem coleta e queima do biogás. Embora seja uma técnica preferível ao lançamento dos lixos ao céu aberto, não substitui o aterro sanitário. Outra destinação para os resíduos sólidos é a incineração, tática que é pouco utilizada no Brasil. Este processo apresenta a vantagem de diminuir muito o volume dos lixos, destruir várias substâncias e materiais perigosos, além de produzir energia. Entretanto, esse método também apresenta certas desvantagens, como a emissão de substâncias tóxicas durante o processo. É importante pontuar que aterros controlados e sanitários significam uma evolução para a destinação final dos resíduos, porém, em nada colaboram para a diminuição da produção de lixo.


cados e feiras, produtos a granel. Com isso, você só compra o que de fato precisa e ainda evita estragar os alimentos.

Produtos com refil:

Como o que interessa é o conteúdo e não a embalagem, uma boa dica é investir em produtos com refil. Nesses casos, você pode usar uma embalagem outras vezes antes de descartá-la para reciclagem e economiza, já que os produtos em refil costumam ser mais em conta.

Desperdício de alimentos:

Compre somente os produtos que você acredita que irá consumir antes da próxima compra. Na hora do preparo, procure utilizar os alimentos por completo. Você pode utilizar talos, sementes e cascas dos alimentos para variar o cardápio.

Sacola reutilizável: Leve a sua própria sacola para carregar as compras em vez de utilizar as sacolinhas plásticas dadas no supermercado. Você vai gerar menos lixos à base de plástico.

Recuse correspondências desnecessárias:

Devolva as correspondências que não sejam solicitadas por você e cancele todos os tipos de revistas e catálogos que, quase sempre, não lhe interessam ou chamam atenção. Se você é como aquelas pessoas que permanecem acumulando extratos bancários, saiba que existem bancos que enviam apenas a sua versão online. Avalie a substituição de todo tipo de correspondência por e-mail.

Faça uma composteira doméstica:

Reduza a produção de resíduos orgânicos fazendo uso da compostagem. Você vai poder jogar todo tipo de lixo orgânico, como cascas de alimentos, sementes, restos de alimentos, e transformá-lo em um adubo natural. Para mais informações sobre as composteiras, entre em contato com a PISO, que oferece composteiras com manual de reaproveitamento de alimentos e cartilha educativa. Contatos: www.piso.eco.br | piso@piso.eco.br (35) 99225-5414 ou 3011-8058.

Conserte em vez de descartar:

É muito comum jogarmos fora o que se quebrou. Não deixe de fazer um orçamento para saber se realmente não compensa consertar o equipamento danificado. Você ainda pode acabar economizando algum dinheiro. Pense também em doar o que não usa mais. Esse produto pode ser útil a alguém.

Separe todos os materiais recicláveis:

Pode até dar um pouco de trabalho no começo do processo,

mas, muito rapidamente, você transformará essas práticas em um hábito. Amasse as latas de alumínio e as garrafas plásticas sem tampas para que ocupem menos espaço no lixo. Separe todo papel, plástico, metal e vidro, para que eles possam ser reciclados. Algumas estações de reciclagem e organizações não governamentais já aceitam óleos de cozinha usados. Jamais jogue esse resíduo nos ralos. Também é importante estar atento à destinação de lixo eletrônico, como pilhas e baterias. Na região, por exemplo, redes alfenenses como a Farmácia Bernardes coletam pilhas e baterias, conscientizando a população, à medida que preservam o meio ambiente e saúde. É, também, importante ficar atento para não separar o que não pode ser enviado para a reciclagem, como papéis sujos, fraldas descartáveis, absorventes, papel higiênico, guardanapos de papel, papel-toalha e embalagens metalizadas de salgadinhos. Fonte: PNUMA

Próximas edições A produção de lixo é um luxo o qual não podemos mais nos dar. Para tanto, a conscientização da população e gestores públicos é fundamental para estimular a redução da produção de lixos, por meio do consumo consciente. Pensando em contribuir com a divulgação desse ideal, nas próximas edições, traremos matérias com alguns temas relacionados aos objetivos de mostrar exemplos que provam que é possível e muito viável viver de uma maneira mais sustentável.

49


Imagem: Behance lucas FAraujo

SAÚDE

D UM NOVO VILÃO. “Minas Gerais começa 2016 com alerta por causa da dengue. Em apenas 11 dias, foram registrados 1.604 prováveis casos de dengue, o que corresponde a uma média de 145,8 notificações por dia. No ano passado, foram registrados 4.773 somente em janeiro, média 153,9 registros por dia. Nesta terça-feira, a Secretaria de Estado de Saúde (SES) realizou a primeira reunião com o Comitê Gestor Estadual de Políticas de Enfrentamento à Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, para traçar ações para o controle do mosquito Aedes aegypti.” Fonte: Jornal Estado de Minas

50

Por Isabella Alves

e acordo com o site do Governo Federal, “Portal da Saúde”, as fêmeas do mosquito Aedes Aegypti sugam sangue a fim de produzir seus ovos, após a fecundação. A maioria dos mosquitos suga apenas uma pessoa a cada lote de ovos feitos, porém, o Aedes Aegypti sofre uma espécie de mutação genética, podendo, assim, picar mais de uma pessoa para produzir seus ovos. Se o mosquito se apresentar infectivo, ele poderá transmitir quatro doenças, tais como: a Dengue, a Febre Amarela, Chikungunya e Zika Vírus. Todas essas doenças citadas causam inúmeros transtornos à saúde do infectado, contudo, uma delas vem chamando a atenção de todos ultimamente: o Zika Vírus. Ela não é contagiosa, porém, se um Aedes Aegypti (sem apresentar o vírus) picar uma pessoa que está com a doença, o mosquito poderá ser contaminado e passará a transmiti-la.


Vacina contra a dengue Dengvaxia®

Faixa etária: Uso pediátrico e adulto Dos 9 aos 45 anos de idade.

Proteção A dose protege contra sorotipos 1, 2, 3 e 4 do vírus da dengue. Não imuniza contra os vírus Chikungunya e Zika.

Administração Aplicação de três doses, com intervalo de 6 meses entre cada uma. • A imunização começa a partir da primeira dose. • A eficácia só está garantida com as três injeções.

Contraindicações • Pessoas que são alérgicas (hipersensíveis) aos princípios ativos ou a qualquer outro ingrediente da Dengvaxia®. • Pacientes que desenvolveram alguma reação alérgica após a administração prévia. • Gestantes e crianças com menos de nove anos não podem ser vacinadas. • Dengvaxia® não deve ser administrada com nenhuma outra vacina.

Fonte: Anvisa

Os sintomas são parecidos com os da dengue, mas em menor intensidade. Em geral, há febre em torno de 38°C, dor nas juntas, vermelhidão nos olhos e, como seu principal sintoma, manchas avermelhadas que causam coceiras. O tratamento também é semelhante ao da dengue, com medicações sintomáticas, uma vez que ainda não existe nenhum tipo de medicamento específico para combater o Zika Vírus. Entretanto, a principal diferença desta para as outras doenças transmitidas pelo “mosquito da dengue” compreende as sequelas que ela poderá gerar. As grávidas e seus bebês são os que correm maior risco. O vírus passa pela corrente sanguínea da mãe, entra pela placenta e atinge o cérebro do bebê, provocando alterações que geram a microcefalia. Segundo o Portal da Saúde, “trata-se de uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a 32 cm”. Entre algumas das consequências, estão: o atraso na aquisição da linguagem, o atraso no desenvolvimento motor e as dificuldades para aprendizagem. Se a criança adquirir o Zika Vírus após o nascimento, ela não mais correrá o risco de ter a microcefalia. Até janeiro, mais de três mil casos suspeitos de malformação – possivelmente ligados ao Zika Vírus – já haviam sido registrados, grande parte no nordeste do Brasil. Outra sequela que o vírus pode causar é a Síndrome de Guillain-Barré, uma doença autoimune. A síndrome leva à inflamação dos nervos, gerando fraqueza muscular. A dica é sempre a de combater o Aedes Aegypti, evitando ao máximo a doença.

ANVISA registrou nova vacina contra a dengue.

Reações adversas

Febre, dor de cabeça, dor no local da injeção, mal-estar e dor muscular.

51


| ARTIGO | SAÚDE

A drenagem linfática popularizou-se muito nos últimos anos, mas a técnica ainda gera algumas dúvidas. Entenda sobre o assunto e não caia em mãos erradas! Por Marília Bar

V

amos começar com um pouco de história: os estudos sobre a linfa e os vasos linfáticos datam do ano 450 a.C., quando Hipócrates, lá na Grécia, descobriu o sistema linfático no corpo humano. Apesar de muito antigo, este conhecimento ficou parado durante séculos, pois o estudo da anatomia foi proibido durante a Idade Média. Somente em 1936, o fisioterapeuta dinamarquês Emil Vodder desenvolveu o método da drenagem linfática manual, ao realizar

52


Muita gente acredita que a drenagem faz emagrecer, mas, na verdade, ela basicamente elimina as toxinas acumuladas no sistema linfático.

as experiências nos pacientes que sofriam de resfriados e sinusites, executando movimentos de rotação, sendo muito suaves e repetitivos (por isso, ela não é considerada uma massagem) nos gânglios do pescoço e, com isso, desobstruindo as áreas congestionadas. No mesmo ano, Vodder apresentou os resultados de suas pesquisas em “Sauté de Beauté”, um congresso em Paris. Nessa época, muitos médicos torceram o nariz para a novidade, contudo, as esteticistas compreenderam, na hora, os benefícios que o tratamento oferecia para a desintoxicação e o rejuvenescimento do rosto e do corpo. Ao aplicar a pressão e o bombeamento em pontos específicos, ela desintoxica e desincha o corpo, por isso, muita gente acredita que a drenagem faz emagrecer, mas, na verdade, ela basicamente elimina as toxinas acumuladas no sistema linfático. Portanto, quem deseja perder peso deve ficar atento à alimentação e, claro, praticar atividades físicas! Associar a drenagem a tratamentos estéticos ou ao processo de emagrecimento pode oferecer excelentes resultados, uma vez que ela colabora para nutrir os tecidos e, consequentemente, prevenir a flacidez, tornando-se uma ótima aliada para manter a beleza e a tonicidade da pele. Entre os inúmeros benefícios da drenagem linfática, observa-se a melhora no aspecto da pele, a redução da celulite, o alívio de traumas pós-cirúrgicos, entre eles, a redução de edemas e hematomas, além de ser altamente indicada no período menstrual e durante a gestação, pois diminui o inchaço do corpo. Mas, atenção: o procedimento

não poderá ser realizado em pessoas com problemas cardíacos, renais, trombose, febre, dores de garganta ou câncer. O ideal, nesses casos, é conversar com o seu médico para esclarecer qualquer dúvida. Lembrando que essa é uma técnica altamente especializada e deverá ser realizada somente pelos profissionais que conheçam sobre a anatomia e a fisiologia do sistema linfático. Recomenda-se que a drenagem linfática seja realizada a partir da puberdade, considerando que o processo de inflamação das células, que dá origem à temida celulite, começa nessa fase da vida. O ideal é que seja realizado um mínimo de dez sessões de drenagem linfática, na sequência de outros tratamentos, com a finalidade de realmente eliminar essas impurezas e obter um resultado perfeito para a beleza e a saúde do corpo!

Marília Bar é jornalista e maquiadora apaixonada por beleza e autoestima! Acredita que a beleza e a moda (sem futilidade) podem transformar o mundo de quem aprende a usar essas armas a seu favor! Atualmente, ela escreve no closetblog.com.br e vive inventando novos projetos. Converse com ela pelo e-mail: mariliabar@gmail.com. Foto de perfil: Vanessa Aprá www.closetblog.com.br closetblog @closetblog @closetblog

53


| ARTIGO | SAÚDE

Ecologia Humana

Aonde tudo começa? Por Noler Heyden Flausino

54

J

á é de longa data que conversamos sobre a ecologia do ser humano. Falamos em diminuição de agrotóxicos, despoluição dos rios, problemas de saneamento, crescimento desordenado e tantos outros. A ecologia compreende a ciência que estuda o meio ambiente e os seres vivos que vivem nele, ou seja, é o estudo científico da distribuição e abundância dos seres vivos e das interações que determinam a sua distribuição. As interações do meio ambiente e o ser humano são de suma importância para o equilíbrio ambiental. Ainda assim, os recursos podem ser esgotados causando problemas. Algum tempo atrás, abordei uma teoria ecológica para o desenvolvimento humano, com a qual o desenvolvimento motor está diretamente ligado. As relações ao longo do desenvolvimento humano estabelecem condições de respeito ao corpo. A corporeidade é o estudo das dimensões físicas, bem como a sua relação de entendimento e respeito para com o corpo, ou seja, podemos falar de ética corporal. Tal raciocínio pode ser abordado de uma maneira holística, em que o próprio homem irá se conduzir, necessariamente, ao conceito de ecologia. A parte da biologia que estuda as relações dos seres vivos e o meio ambiente em que vivem, do mesmo modo que suas recíprocas influências, comporta duas dimensões: a macroecologia, ou ecologia do ambiente, e a microecologia, também chamada de ecologia do corpo. O que adianta falar de macroecologia se o homem fuma muito, come mal, dorme pouco, vive estressado e se esquece que é um corpo? Além disso, o homem depende desse corpo para a sua sobrevivência enquanto ser vivo, enquanto pessoa que trabalha, estuda e se movimenta. No diagrama ao lado (esq.), es-


boçamos as relações de interação do ser humano dentro do macrossistema. O macrossistema é o englobamento de tudo, fazendo haver uma relação de equilíbrio entre os meios que norteiam o ser humano. A abordagem ecológica vem das relações estabelecidas ao longo de uma vida, educação para o entendimento das funções físicas, fisiológicas e interações. Por exemplo: você escova os dentes? É lógico que a resposta seja sim, porque esse comportamento foi trabalhado, encontrando-se consolidado. Hoje, assistimos a muitas pessoas se utilizando de atividades físicas, porém não observamos comportamentos conscientes em todos, ou seja, um hábito consciente. Tal prática surge da consciência e, não, como a incorporação dos hábitos inconscientes, em que as pessoas tomam as coisas sem pensar, tratam seus corpos sem entender as demais relações... O exercício físico é uma interação total nesse macrossistema, mas, para isso, são necessárias abordagem e compreensão. A microecologia é a compreensão de apenas uma pequena parte, pois o entendimento do todo precisa ser provido por meio dela, isto é, a microecologia. Os comportamentos alimentares, a água que bebemos, o ar que respiramos, o banho que tomamos e os demais movimentos trabalham a favor da compreensão de uma ecologia “micro”, mas que está inserida na macroecologia. Este assunto é de grande discussão, contudo, essa pequena abordagem traz a você algumas reflexões mostrando as relações do corpo humano com um sistema maior. Um forte abraço, vamos movimentar com consciência e inteligência!

Como matéria, pode ser dividida em: Autoecologia (é um dos dois grandes ramos em que Schot dividiu a ecologia), Demoecologia e Sinecologia Entretanto, diversos ramos têm surgido utilizando diversas áreas do conhecimento, tais como: Biologia da Conservação, Ecologia da Restauração, Ecologia Numérica, Ecologia Quantitativa, Ecologia Teórica, Macroecologia, Ecofisiologia, Agroecologia e Ecologia da Paisagem. Ainda se pode dividir a ecologia em Ecologia Vegetal e Animal (que se divide ainda em Ecologia Terrestre e Aquática). É verdade que a percepção da importância das relações entre o homem e o ambiente é algo que encontramos nos antigos documentos chineses, hindus e cristãos, porém, a Ecologia Humana e o entusiasmo por essa nova área de conhecimento cresceram. É a fase da chamada “Escola de Chicago”, a qual, apesar da quantidade de trabalhos produzidos, subestimou a importância do meio físico, concentrando-se apenas no social e cultural. O cientista alemão Ernst Haeckel usou pela primeira vez o termo “ecologia” em 1869 para designar o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente em que vivem.

Noler Heyden Flausino

CREF/6 MG 5930

Profissional de Educação Física, personal trainer, membro de ISAK (International Society for the Advancement of Kinanthropometry), terapeuta holístico e consultor em exercícios físicos, estilo de vida e wellness.

55


| ARTIGO

Método APAC! Um exemplo de ressocialização que ainda enfrenta resistência da sociedade.

D

Por Denise Prado

urante meus discursos na tentativa de fazer com que a sociedade enxergue com outros olhos a metodologia da “Apac”, sempre vem questionamentos como “se é tão bom, por que não se expande este método por todo o Brasil?” “Se o custo de um recuperando é irrisório diante do valor altíssimo de um detento, por que não expandir o número de Apacs?” Diante destes questionamentos, tentarei – neste espaço - pontuar algumas questões. A APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) é uma entidade sem fins lucrativos, que tem como objetivo auxiliar a Justiça na execução da pena, recuperando o preso, protegendo a sociedade, socorrendo as vítimas e promovendo a Justiça restaurativa. A Apac nasceu em São José dos Campos (SP), mas, com o fechamento da mesma, foi em Minas Gerais que a metodologia se tornou forte, caindo nas graças do Tribunal de Justiça de MG que criou o programa Novos Rumos. Este programa tem como missão propagar a metodologia apaqueana, fortalecendo assim, a humanização do cumprimento de pena no estado. Atualmente, a Apac instalada em Itaúna – onde tudo começou – é referência nacional e internacional no que diz respeito à humanização.

O que faz a diferença é que a metodologia é composta por tópicos como participação da comunidade, ajuda mútua entre recuperandos, religiosidade, assistência jurídica e saúde, valorização humana, família, o voluntariado etc. Assim, o principal objetivo é a humanização das prisões, sem deixar de lado a finalidade pu-

ários, como uma alternativa para humanizar a execução penal e o tratamento penitenciário. Poderia enumerar vários outros fatores que demonstram que a metodologia apaqueana é inovadora e eficaz, no que diz respeito à ressocialização dos condenados. Mas deixarei aqui duas informações importantes e que geram os questionamentos já citados. O índice de pessoas que voltam a praticar crimes ao sair do sistema prisional convencional é de 85%, já na APAC, este número é de 8 a 10%. Cada preso custa cerca de quatro salários mínimos para o estado, já o valor de um recuperando não chega a um salário mínimo. Sobre o índice de recuperação em uma Apac, vale ressaltar que este número só não é maior pela descrença da própria sociedade e de um envolvimento maior das prefeituras. Hoje, um dos grandes desafios da Fbac (Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados), que fiscaliza as Apacs, é envolver mais a comunidade, pois a união de esforços é fundamental para que a metodologia avance. Já no que diz respeito ao custo de um recuperando, o valor é baixo porque a comida é feita na própria instituição e pelos próprios recuperandos; as verduras e legumes saem das hortas comunitárias, as carnes saem das criações

Atualmente, a Apac instalada em Itaúna – onde tudo começou – é referência nacional e internacional no que diz respeito à humanização.

56

nitiva da pena. O intuito é evitar a reincidência no crime e, para tanto, a Apac proporciona condições para que o preso se recupere e consiga sua reintegração social. Além de Minas, a APAC está presente em outros estados e se espalhou também em outros países como Bolívia, México, Noruega, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha etc. Atualmente, a metodologia foi reconhecida pelo Prison Fellowship International, organização não governamental que atua como órgão consultivo da ONU em assuntos penitenci-


Produtos feito pelos recuperandos da APAC de Governador Valadares.

APAC de Alfenas.

Associação de Proteção e Assistência aos Condenados de Alfenas.

de porcos e aves, e de doações de comerciantes. Já nos presídios, o fornecimento de marmitas para a maioria dos presos no País se tornou um negócio da China. Para se ter uma ideia, em 2014, a revista CartaCapital trouxe uma matéria denunciando esta fonte de corrupção. Segundo a reportagem, “parte das empresas contratadas sequer paga funcionários, pois os presos trabalham na cozinha dos presídios, mas cobra do poder público pelas refeições fornecidas, preços até duas vezes superiores aos praticados do lado de fora”. Além disso, os contratos são renovados sem qualquer critério o que dá para suspeitar que parte das em-

Produtos feito pelos recuperandos da APAC de Alfenas.

presas são importantes doadoras de campanhas eleitorais. Por fim, vale ressaltar a operação “Laranja com Pequi”realizada pela Polícia Federal, que desbaratou um esquema responsável pelo desvio de ao menos um terço dos 166 milhões de reais pagos pelo governo de Minas Gerais aos fornecedores de alimentação aos presos entre 2009 e 2011 (fonte: Carta Capital). Deu para explicar os questionamentos?

Denise Prado, jornalista, assistente social na área de Segurança Pública, atualmente trabalhando na Apac de Alfenas.

57


EMPREENDEDORISMO

XC Bikes

Modernidade e atendimento personalizado são as grandes apostas para o novo empreendimento de Varginha. Por Isabella Alves Oficina especializada para atender as bikes.

H

á pouco mais de um mês, o empresário Gustavo Arno Silva Schroeder resolveu mudar totalmente seu ramo de atuação e abrir o mais novo empreendimento de bikes de Varginha, a XC Bikes. Com formação em Administração de Empresas e com pós-graduação em Gestão Empresarial, Gustavo trabalhou dez anos no mercado financeiro, mas sempre teve o sonho de possuir seu próprio negócio. Paralelamente à sua vida “engravatada”, ele sempre participou dos campeonatos de mountain bike, destacando-se nessa categoria e pedalando, sempre que podia, também em outras modalidades. Após sair do antigo emprego, Gustavo emplacou o sonho rumo à XC Bikes: fez diversos cursos, em São Paulo, para se especializar, contratou os serviços de uma arquiteta para dar um visual especial para sua loja e, em dois meses, realizou a inauguração do empreendimento. Com a proposta de oferecer bem-estar e modernidade a seus clientes, o empresário se

58

inspirou bastante em lojas as quais observou pelo exterior, tanto é que quem chega à sua loja já percebe, logo de cara, que o espaço é diferenciado.

Serviços A loja realiza venda e montagem de bikes, acessórios e equipamentos, além da manutenção das bikes, que é feita por Gustavo e um mecânico especializado. Os produtos comercializados pela XC Bikes são de alta qualidade, com um preço acessível, pensando no custo-benefício para o cliente. Gustavo explica que a maioria das pessoas que se interessam pelo tipo de produtos/serviços que ele comercializa compreende os apaixonados pelas suas bikes, que estão sempre em busca de equipamentos que se encaixem exatamente aos seus gostos e às suas necessidades. Para tanto, a loja XC Bikes disponibiliza bicicletas personalizadas, que são montadas após uma avaliação das necessidades do comprador. Na loja, são

encontradas bikes de dois a seis mil reais, uma média de preço que Gustavo acredita ser ideal para seu público. Quando o assunto é manutenção, a empresa de Gustavo apresenta inovação e atendimento personalizado. Ao levar sua bike para manutenção pela primeira vez, o cliente preenche uma checklist, juntamente ao mecânico, relatando como estão, por exemplo, a suspensão, os freios, as rodas, entre outros. Nessa lista, consta a data da primeira visita à XC Bikes, servindo como acompanhamento, pois a equipe saberá exatamente quando o cliente irá precisar novamente de seus serviços. Além disso, a organização é um elemento essencial para a empresa de Gustavo. Sua oficina tem padrões de limpeza e organização invejáveis. Os produtos utilizados para a mecânica e limpeza são de primeira linha, com ferramentas da marca Parktool, torquímetro para ajustar todas as peças e itens que são usados inclusive no “Tour de France”.


Gustavo, proprietário da XC Bikes.

A loja foi planejada para atender vários tipos de público

Urbana Para o leitor que se interessou e quer montar sua nova bike, vejamos alguns modelos e seus diferentes usos:

Normalmente fabricada com rodas de aro 700, que são mais confortáveis que as de aro 26. A geometria é voltada para o conforto e estabilidade, constantemente mantendo uma posição do ciclista mais em pé, o que diminui a facilidade de manter alta velocidade e vencer subidas. Urbana simples Uma tendência atual é a bicicleta simples, sem marchas (single speed), com quadro de aço e rodas de aro 700. São leves e rápidas, ideais para o uso na cidade. Mountain bike com suspensão dianteira / Mountain bike com suspensão dianteira e traseira Fabricadas para uso na terra, podem ser pedaladas em qualquer terreno e em qualquer condição. Normalmente, são montadas com rodagem de 26 polegadas, mas, atualmente, existem modelos com rodagens de 29 e 24. O mercado oferece desde os modelos mais simples, de nível amador, até modelos muito sofistica-

dos, para o nível profissional. As com suspensão dianteira e traseira são as mountain bikes full system. Fabricadas para o uso em terra, vão desde as desenvolvidas para maratonas (mais leves) às de utilização extrema (mais pesadas). Atualmente, existem as versões de 26 e 29". Speed, bicicleta de corrida, bicicleta de estrada Com aro 700, são as bicicletas específicas para uso em asfalto, de preferência em estrada. As rodas são leves, com pneus finos e com a pressão bastante alta. Possuem pouca aderência ao solo, o que requer técnica e prática. Aceleram rápido e não são recomendáveis para ciclistas iniciantes, uso urbano ou piso escorregadio. BMX Tipo de bicicleta especialmente desenhada para a prática do esporte (BMX). É o melhor início que uma criança pode ter no ciclismo. É exatamente como o kart para o automobilismo. Fonte : escoladebicicleta.com.br

59


| NEGÓCIOS & EMPREENDEDORISMOS

CRIE RELACIONAMENTOS E AUMENTE SUAS VENDAS Por Ronaldo Venâncio

O

comportamento do consumidor mudou: isso é um fato que não pode mais ser ignorado. O consumidor não mais chega em uma loja desinformado, comprando imediatamente aquilo que você apresenta a ele. O consumidor, hoje, é munido de muito conhecimento, pois a internet é um vasto campo para adquirir informações detalhadas sobre um determinado produto ou serviço. As decisões de compra do consumidor têm sido regidas por um relacionamento, em que ele e as pessoas próximas a ele compartilham o mesmo sentimento por determinada marca, produto ou serviço. Há uma grande diversidade de canais nos quais o consumidor pode se aventurar na busca por informações, e isso define o comportamento do processo, que se dá em 4 partes:

1 Busca informativa, usando mecanismos de busca, como Google, Bing, etc; 2 Busca social, baseada nas redes sociais, com seus amigos do Facebook, Instagram, Youtube, etc; 3

O indivíduo consome conteúdos, acessando sites, blogs e outros;

4 Ele lê e-mails, cadastra-se em

newsletters para receber informações, promoções de lojas, sites da televisão, receitas e outros.

60


Tal constatação nos faz pensar em um grande caso de marketing de conteúdo: a Rede Globo. Isso mesmo, você não leu errado! As organizações da Globo são um excelente caso de conteúdo. Em 2013, a Globo já havia testado uma geração de conteúdo por nichos, com o lançamento do Portal G1, no qual são gerados conteúdos jornalísticos, e do Portal Globo Esporte, o qual apresenta conteúdos voltados ao esporte. Porém, a grande sacada foi que, em 11 de janeiro de 2014, a Globo lançou o portal de maior conteúdo de entretenimento até então: o GShow. Assim, os amantes do canal poderiam acompanhar seus programas preferidos, acessar vídeos e desempenhar outras atividades, tudo dentro desse portal. O sucesso foi tanto, que ela não parou por aí, lançando jogos interativos no portal de novelas, bem como os aplicativos para escolher seus cantores preferidos nos programas de música, e a lista segue... Isso trouxe grande relevância para a marca da empresa de televisão, se dando pela geração de conteúdo. Com essa estratégia, o assinante virtual da Globo paga R$12,00 ao mês para ter acesso a um conteúdo exclusivo. A melhor tática das empresas é exatamente gerar conteúdo de valor, que leve o consumidor a tomar uma ação de compra, gerando aumento em suas vendas e crescendo seu faturamento constantemente.

O marketing de conteúdo é uma excelente ferramenta para posicionar e gerar autoridade para marcas, produtos, empresas e, até mesmo, profissionais. Tornou-se indispensável para quem quer levar seu negócio a um outro nível, gerando maiores resultados. É preciso conhecer a fundo seu público, saber quais são os seus problemas e gerar conteúdo que resolva tais problemas: isso, sim, é conteúdo de qualidade, de valor.

E como se faz isso? 1

Chame a atenção do seu público para um problema recorrente e apresente a ele uma solução prática. Isso fará com que o público o veja como autoridade no assunto;

2

Publique pequenas dicas nas redes sociais, como o Facebook, e chame o cliente para saber mais, dentro do seu site. Isso aumentará o tráfego do seu site e entregará valor ao consumidor;

3 Tenha conteúdo variado, alternando entre infográficos, textos, listas, vídeos e outros;

Tenha sempre em mente que, ao gerar conteúdo, você deverá seguir esses quatro passos, para que haja um resultado positivo e que gere conversão, isto é, gere vendas:

• Chame a atenção • Desperte o interesse • Crie desejo • Chame pra ação, faça-o conhecer algum produto/serviço seu O marketing de conteúdo é uma ferramenta muito forte para gerar campanhas de engajamento com o público, levando-o para a venda. Gerar conteúdo sem um propósito específico – que não seja gerar vendas – é perda de tempo. É claro que você não vai vender nos seus artigos, por exemplo, mas poderá direcionar o seu cliente para uma ação, tornando essa estratégia o início de sua campanha de vendas. Assim, uma campanha de vendas estruturada, com base no engajamento com o consumidor e uso da internet como principal meio de comunicação, será a salvação do mundo dos negócios. Afinal, o mercado sobrevive de vendas.

4 Promova e-books, pequenos treinamentos, vídeos de “como fazer”, entre outros; 5 Tenha um canal no Youtube, se for produzir vídeos. Você poderá subi-los tanto no Youtube, quanto no Facebook; Ronaldo Venâncio, consultor de marketing digital, especialista em vendas online e parceiro da agência Markethink.

61


EMPREENDEDORISMO

Conheça a Minas EPS, empresa que produz e comercializa isopor com responsabilidade ambiental. Por Isabella Alves

“P

oliestireno expandido”, “EPS” ou, simplesmente, “isopor”. Você está acostumado a ver caixinhas desse material para manter produtos alimentícios gelados e nas papelarias em geral, mas o seu uso é muito mais abrangente do que se imagina. Além disso, os produtos feitos de EPS podem ser 100% reciclados e, para compreender um pouco mais sobre esse material, conversamos com o pessoal da Minas EPS, uma empresa que é filial do Grupo Isofort. O Grupo Isofort é uma empresa especializada na manufatura do EPS, sendo fundado em setembro de 2005. A sede se localiza na cidade de Ibirité, na grande Belo Horizonte, e dis-

62

põe de maquinários modernos, precisos e de alta qualidade. As filiais, como a Minas EPS, localizada em Varginha, também seguem esse padrão de qualidade. Atualmente, é uma das principais empresas do ramo em Minas Gerais, se destacando pela tradição mineira que prioriza as palavras, o trabalho, a dedicação e o respeito. Os segmentos que fazem utilização do isopor são variados, como, por exemplo, áreas de indústria, construção civil, isolação térmica, refrigeração, ar condicionado, embalagens, soluções para embalagens, caixas de isopor para acondicionamento de alimentos, laboratórios, supermercados, pescados e muito mais.


O isopor da fábrica e de outras empresas é triturado e reciclado

Mas quais as vantagens de utilizar o isopor ? A matéria-prima do EPS chega até a fábrica de Varginha em pequenas esferas de poliestireno, que serão expandidas com calor até que alcancem a densidade necessária para cada tipo de produto. Depois disso, elas passam por uma série de processos e são transformadas em grandes blocos de isopor, os quais serão cortados nos tamanhos e modelos que a fábrica possuir demanda. A filial de Varginha possui clientes por todo o sul de Minas, atendendo aos mais variados públicos, entre eles, o Via Café, novo shopping da cidade. Esses produtos, principalmente quando usados na construção civil, que compreende o grande mercado da Minas EPS, são bem mais econômicos que outros tipos de materiais, ainda mais com o seu fácil manuseio e diversas possibilidades de utilização. Entre os principais produtos para a construção civil, podemos citar o assentamento de solos, blocos para

as lajes, blocos para moldagem de diversas densidades, juntas de dilatação, lajes, regularização de pisos e telhas-sanduíche. Nos outros setores de comercialização, são produzidos berços para mudas, bolas de isopor, calços para embalar, produtos para camping e lazer, cantoneiras, cones, caixas para laboratórios e vacinas, placas de isopor para papelarias, placas para balcões frigoríficos, moldes especiais e cortes especiais, como letras e desenhos, que são produzidos em parceria com o Grupo Isorecort. Após as produções de todos esses produtos, são recolhidas muitas sobras de materiais, as quais são recortadas, sendo esse o momento no qual se inicia o processo de reciclagem da Minas EPS. Uma máquina tritura o isopor e novamente o manda, juntamente com o produto virgem. A mistura em questão irá resultar em um EPS que contém 30% de isopor usado, mas que não perde em qualidade. O tempo de degradação do EPS na natureza é indeterminado, então, o descarte em locais

inapropriados poderá ocasionar um enorme transtorno à natureza. Pensando nisso, a fábrica de Varginha possui uma licença ambiental para buscar e receber o material de indústrias e comércios de todo o sul de Minas. Esses materiais passam pelo mesmo processo das sobras da própria fábrica, o que muito contribui na produção da Minas EPS e resolve o problema de muitos empresários que possuem responsabilidade ambiental.

O tempo de degradação do EPS na natureza é indeterminado, então, o descarte em locais inapropriados poderá ocasionar um enorme transtorno à natureza.

63


EMPREENDEDORISMO

O fisco está de olho em você e na sua empresa: eis que surge a e-Financeira Afinal de contas que bicho é esse? É um bicho novo?

A

e-Financeira é um arquivo obrigatório para os bancos, seguradoras, planos de saúde, distribuidora de títulos e valores mobiliários, bem como para as demais instituições financeiras. Esses arquivos deverão ser enviados para a Receita Federal, com toda a movimentação financeira das pessoas e das empresas (mês a mês, os saldos ao final de cada ano), além de todas as operações que foram realizadas no ano (foi instituída pela Instrução Normativa RFB nº 1.571, de 2 de julho de 2015). A obrigatoriedade da e-Financeira acontece para fatos ocorridos a partir de 1º de dezembro de 2015. Portanto, isso já está valendo. Importante é que não mais interessa somente o saldo em 31/12 de cada ano, pois a informação trará toda a movimentação (de mês a mês) de todo valor financeiro que o contribuinte movimentar em suas contas bancárias. No caso da pessoa física, isso se aplicará a uma movimentação acima de R$2.000,00 por mês e, no caso da pessoa jurídica, o valor será de R$6.000,00 por mês. O propósito é conhecer a movimentação financeira detalhada de cada contribuinte brasileiro (seja pessoa física ou jurídica) e, assim, confrontar os valores informados com os declarados pelo cidadão (declaração de Imposto de Renda) ou pelas empresas (diversas declarações) por meio de um cruzamento fiscal.

64

Por Valmir Rodrigues

Não é um “bicho novo”, pois, desde 2008, pela Lei Complementar nº 105, de 10 de janeiro de 2001, foi instituída a Declaração de Movimentação Financeira (DIMOF), nos termos da Instrução Normativa RFB nº 811, em que todos os dados sobre a movimentação financeira eram transmitidos à Receita Federal. É importante que se destaque que, mesmo antes da DIMOF, as informações sobre os recolhimentos da CPMF permitiam o monitoramento das operações em conta corrente bancária dos contribuintes. A diferença é que a e-Financeira estará na plataforma do SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), que capta dados em tempo real e é capaz de fazer cruzamentos fiscais com outras informações disponibilizadas pelas pessoas físicas e pessoas jurídicas. Com alto índice de precisão, faz com que o alvo da Receita Federal seja acertado digitalmente, não importando fatores como a distância ou o tamanho do movimento financeiro das pessoas e das empresas. Todos nós deveremos estar atentos e declarar com precisão nossas rendas e movimentação de recursos, sob a pena de sermos intimados a prestar esclarecimentos à Receita Federal. Trata-se de uma nova fase no cerco aos contribuintes, como um Big Brother Brasil (BBB) eletrônico, e estaremos todos no mesmo

aquário, não importando se somos peixes grandes ou pequenos. As pessoas e empresas deverão se adequar, urgentemente, à movimentação bancária com a movimentação fiscal. Precisa estar justificada toda movimentação por rendimentos compatíveis ou estar devidamente esclarecida por documentos idôneos, como contratos, notas fiscais, por exemplo. Na discrepância de dados, prevalecerá a presunção de sonegação fiscal, com a consequente autuação. Em resumo, tanto para as pessoas, quanto para as empresas, a movimentação financeira deverá estar condizente com a movimentação fiscal, e tudo que estiver fora disso terá um enorme risco. O Aparato tecnológico para fiscalizar o fisco possui, os recursos os governos tem, o que falta é uma gestão competente dos recursos públicos, o Brasil não precisa de mais impostos, o Brasil precisa simplificar as leis e ter gestores públicos competentes.


65


| INFORMATIVO

Chegou a hora de realizar sua Declaração de Imposto de Renda Mas você não sabe nem por onde começar? Saiba que muita gente passa pelo mesmo problema, então vamos tentar ajudar um pouco. Por Isabella Alves

N

ós sabemos que pagamos impostos sobre todos os produtos e serviços que utilizamos no dia-a-dia. Dos dias 1 de março a 29 de abril, a Receita Federal disponibiliza um sistema para que você declare seus rendimentos e gastos do ano que passou, como salários e aluguéis. O trabalhador envia sua declaração para que a Receita averigue se ele pagou mais ou menos do que deveria e, em determinados casos, recebe uma restituição. Quanto mais cedo a pessoa realizar a declaração, mais cedo recebe sua restituição. Idosos, portadores de doença grave e deficientes físicos ou mentais têm prioridade. Os valores começam a ser pagos em junho de cada ano pelo governo e seguem até dezembro. Neste ano, é obrigatório declarar Imposto de Renda a pessoa que, em 2015, morava no país e se encaixa em alguma das situações abaixo, de acordo com o site da Receita Federal: Recebeu rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma anual foi superior a R$ 28.123,91; Recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40.000,00. Obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; Optou pela isenção do imposto sobre a renda incidente sobre o ganho de capital auferido na venda de imóveis residenciais, cujo

66


produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 (cento e oitenta) dias contados da celebração do contrato de venda, nos termos do art. 39 da Lei nº 11.196, de 21 de novembro de 2005. Relativamente à atividade rural, obteve receita bruta anual em valor superior a R$ 140.619,55 ou pretenda compensar, no ano-calendário de 2015 ou posteriores, prejuízos de anos-calendário anteriores ou do próprio ano-calendário de 2015. Teve a posse ou a propriedade, em 31 de dezembro de 2015, de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300.000,00. Passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nessa condição se encontrava em 31 de dezembro de 2015.

Para que a declaração se torne ainda mais descomplicada, confira algumas dicas de organização:

Este ano, a Receita também apresenta novidades na declaração, ficando ainda mais rígida e certeira. A nova funcionalidade “Entregar Declaração”, unifica os processos de verificar pendências, gravação para entrega e transmissão em uma só etapa. Também foi unificado na ficha de identificação do contribuinte os dados do cônjuge, solicitando apenas o CPF deste. Precisarão informar, individualmente, o CPF e os valores recebidos dos pacientes ou clientes para os quais prestaram serviços, profissionais das áreas de saúde, odontologia e advocacia que receberam rendimentos de pessoas físicas (antes o valor era informado de forma global). Há também a obrigatoriedade de informar o CPF de dependentes/alimentandos com 14 (quatorze) anos ou mais e de preencher o campo NIT/PIS/ PASEP para declarantes (titular ou seus dependentes) que sejam profissionais liberais (natureza

de ocupação 11 na ficha Identificação do Contribuinte) e que tenham recebido de pessoas físicas, no ano-calendário de 2015, rendimentos de trabalho não assalariado. A declaração de 2016 vai importar uma quantidade maior de dados da declaração de 2015. Antes, apenas o CNPJ das fontes pagadoras eram puxados; agora, serão preenchidos automaticamente também os campos com CNPJ nos casos de participação de lucros e resultados, poupança e aplicações financeiras. A declaração de seu Imposto de Renda é feita pelo computador, por meio dos programas de declaração e entrega, que estão disponíveis para download no site da Receita Federal (www.receita. fazenda.gov.br). O preenchimento e o envio também podem ser feitos por tablets e celulares, por meio do aplicativo APP IRPF, que são encontrados nas lojas Google Play (sistema Android) e APP Store (iOS).

• Organize seus documentos com a maior antecedência possível;

• Confirme se todos os comprovantes de despesas estão com você;

• A declaração do ano anterior fica salva no programa da Receita. Resgate-a para facilitar o processo de preenchimento;

• Exija sempre os informes das fontes pagadoras, como a empresa e instituições financeiras.

• Verifique mudanças nas fontes pagadoras e receitas extras que precisam ser informadas;

67


Nossos Parceiros A

AllfenGlass 35 9 88339567 allfenglass.com.br AllfenGlass Alfenas MG

Cia de Dança Ballet Adágio 35 3292-2845 Alfenas MG D

Drogaria Santa Maria 35 32927080 Drogaria-Santa-Maria Alfenas MG Academia da Bike

9 8805-3332 9 8852-0400

G

Auto Escola Ipê 35 3291-9052 autoescolaipe.com.br Alfenas MG C

Construai 35 3292-1313 | 35 3698-1450 Alfenas MG

Q

Qual Marcas 35 3291-2007 falecom@grupocompetencia.com.br Alfenas MG

Alfenas MG

Anttônio Marcos 35 9828-8290 anttoniomarcos.com.br amsertanejo

PISO 35 9225-5414 | 3011-8058 PisoAmbiental piso.eco.br Alfenas MG

Grupo Competência 35 3291-2007 grupocompetencia.com.br Alfenas MG

Qui Delícia, Lanchonete 35 3291-1710 Alfenas MG

Gomes

R

Gomes Alumínios 35 3292-4551 gomes.aluminios Alfenas MG

Rádio Mais

Alumínios

L

Líder Consultoria de RH 35 8701-3518 psicologofelipefranca.com.br Alfenas MG M

35 3295-2651 contato@mais.com.br mais.com.br S

Sequóia Loteamentos 35 3011-2343 | 19 3933-3137 Sequóia Loteamentos sequoialoteamentos.com.br Alfenas MG

Cascafina

35 9196-0100 | 35 9177-5806 cascafina.com.br Alfenas MG

Mensorê, Restaurante 35 3698-2124 RestauranteMensore N

Super Magazine 35 3292-5323 | Alfenas MG supermagazine1

Noler Heyden Flausino CEDVET - Clínica Veterinária Espaço Pet - PetShop 35 32927033 | 35 8858-7033 cedvet.com Alfenas MG

68

Cine A cinea.com.br Alfenas MG

35 9 9922 9192 nolerheyden@yahoo.com.br Alfenas MG P

Paulinho Veronezi 35 3011-3903 35 9 8845-4852 paulinhoveronezi.com.br Alfenas, MG

Serpram

35 3299-2525 | Alfenas MG 35 3422-1003 | Pouso Alegre 35 3222-1227 | Varginha serpram.com.br


CRUZADINHA

PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br

Sonetto 35 3297-4470 sonettosoundmusic Alfenas MG

Machucados Ex-deputado que delatou o esquema do Tática do Mensalão time que só joga no contra-ataque (fut.)

Top Cel (VIVO) 35 3291-1070 Alfenas MG U

Dois Tempero marinho desertos Filho de africanos japoneses, no Brasil

O chamado “amigo da onça” (gíria)

Torneio do Grand Slam realizado em Melbourne O plano alternativo

Período regido por um signo (Astrol.)

Marca de cerimônias oficiais

T

© Revistas COQUETEL

“Explorer”, em IE (Inform.)

Letra que, em geral, indica o plural

Estola usada por atrizes em musicais

Fim, em inglês

Letra do dígrafo de “barro” (Gram.)

Relevo; saliência

S E M

Ruim

Pratica a regata Vulcão da Sicília

A dieta rica em gordura trans, para a saúde

(?) Ribeiro, baixista brasileiro

Potássio (símbolo) Golpe como o “jab”

Enviou o robô Curiosity a Marte

Uninter Instituto Empreendente

Estereótipo (fig.) Ponto, no basquete

Ficou enterrado na lama (o carro) O comportamento fora dos padrões

35 3292-5633

V

O som do “ph” em palavras inglesas Âmago; Forma do cerne barbeador

(?) sanfona, resultado de dietas extremas

Braço, em inglês Retumbam; ecoam Capacidade mental evoluída no porco

BANCO

Relações Internacionais (sigla)

Doente, em inglês Prefixo de “ensacar”

(?) assada: é servida com molho madeira

Interjeição de chamamento

48

Solução I T M O A C T E

F T E T R R M A I I M R E M A N A T U L O S T A N O R M A L

E F A A L A R N I GE S A N L I S E S E B I O A T

S C A D A D R S A L E N K N A S O L O C A CO I H V A TA A R I L E E N C I

XC Bikes

D A A U S T R A L I A TO

A B E R

35 3212-8817 xcbikes@hotmail.com Varginha MG

“A Espada Era a (?)”, animação da Disney

R F O B S E R E T R O J C E F E FE A R S O I N

X

Triturar (o queijo) Ponto de saque

3/ace — arm — boa — end — ill. 6/avatar — nissei. 7/falange.

35 3292-1999 viadoterno.com.br Alfenas MG

Traço que não existe mais em “autoajuda” Foto do perfil de redes sociais

Vida Ambiemte 35 3292-3449 VidaAmbienteService Alfenas MG

Via do Terno

(?) de vidro: proteção de muros que pode ferir aves e gatos Osso do dedo (Anat.)

69


Revista QShow fevereiro/março 2016 - O Luxo do Lixo  
Revista QShow fevereiro/março 2016 - O Luxo do Lixo  
Advertisement