__MAIN_TEXT__
feature-image

Page 1

www.pack.com.br

162

ANO•13 FEVEREIRO

2 0 1 1

R$ 15,00

EMBALAGEM

TECNOLOGIA

DESIGN

INOVAÇÃO

ENTREVISTA Maria Eugenia Proença Saldanha, da Abipla, fala sobre os desafios sustentáveis e o papel da indústria de embalagem

ESPECIAL EMBALAGENS PLÁSTICAS A evolução das embalagens plásticas para atender as necessidades do setor de higiene e limpeza

HIGIENE E LIMPEZA

A indústria brasileira de higiene e limpeza tem crescido acima do PIB nos últimos anos. A inovação é um dos pilares dessa expansão


carta ao leitor CARTA AO LEITOR

LIMPEZA FÁCIL E PRÁTICA

O

ritmo frenético do dia a dia de trabalho da população brasileira reduz o tempo dedicado às tarefas domésticas. Por isso, a indústria de higiene e limpeza vem desenvolvendo produtos que facilitam a vida dessas pessoas. Hoje a conveniência e a praticidade ditam os atributos dos itens de limpeza e das embalagens desenvolvidos para atender as necessidades das consumidoras. Uma vez que eficiência sozinha não gera produtos mais vendáveis na gôndola. O desempenho do segmento de multiusos mostra sua consolidação como sinônimo de praticidade. É o que mostram os dados da Nielsen. A categoria foi a segunda que mais cresceu em 2009, registrando índice de 14,3% em volume de vendas em relação a 2008 e 17,3% em faturamento. Hoje também os produtos do setor de higiene e limpeza estão pegando carona nas tendências de outro segmento: o de cuidados pessoais. As embalagens estão cada vez mais bonitas no shape e na rotulagem, mas também as indústrias estão investindo em fragrâncias naturais, o que sinaliza que é um produto suave para o ambiente. Essa inovação vem atender a demanda de bem-estar. Os brasileiros não querem mais somente um produto para limpar. Eles querem produtos indulgentes. Prova disso é o expressivo crescimento das vendas de purificadores de ar, com aumento de 21,7% em volume e 31,2% em faturamento. Assim como em outros mercados de consumo,

cada vez mais é preciso desenvolver produtos que têm a ver com o estilo de vida dos consumidores para gerar itens com mais chances de sucesso nas gôndolas. Um exemplo desse cenário é o crescente número de pessoas que vivem sozinhas e fazem pelo menos uma refeição fora de casa, neste último caso, isso quer dizer que elas estão lavando menos louças, ou seja, consumindo menos produtos de limpeza. Em contraponto, a pujança da indústria de higiene e limpeza, que movimentou R$ 12,2 bilhões em 2009, também foi influenciada pelo maior poder de compra das classes de baixa renda. Essas pessoas estão se permitindo aumentar os itens de sua cesta de limpeza. Elas passaram a consumir mais e com maior desembolso. Esse é o assunto da matéria da capa. Ouvimos as grandes empresas do setor de higiene e limpeza para saber para onde caminham as tendências e oportunidades de crescimento. Na entrevista do mês, a revista Pack entrevistou Maria Eugenia Proença Saldanha, presidente-executiva da Abipla e do Sipla, que falou sobre os desafios do setor e a questão da sustentabilidade. No especial sobre embalagens plásticas, estendemos a discussão sobre o mundo da limpeza, falando com os fabricantes sobre a evolução do setor para atender as novas necessidades da indústria. Em outro especial, Assunta Napolitano Camilo traz a sua visão sobre a K, maior feira mundial sobre plásticos. Até a próxima edição.

MARGARET HAYASAKI

EDITORA-CHEFE

| margaret.hayasaki@banas.com.br


162

sumário

A N O • 1 3

16

ENTREVISTA

Foto: Luiz Machado - Imagem Corporativa

“Há sete anos, o setor de higiene e limpeza vem crescendo acima do PIB”

FEVEREIRO

MATÉRIAS

2011

16 ENTREVISTA Maria Eugenia Proença Saldanha, presidente executiva da Abipla e do Sipla diz que a proximidade com os fornecedores de embalagens é fundamental na questão da sustentabilidade

As indústrias de produtos de higiene e limpeza apostam em novas formulações e embalagens para oferecer praticidade e sustentabilidade

30 ESPECIAL EMBALAGENS PLÁSTICAS

EMBALAGEM TECNOLOGIA DESIGN INOVAÇÃO

24 MATÉRIA DE CAPA

HIGIENE E LIMPEZA

24

A importância da indústria de higiene e limpeza para o setor de embalagens plásticas está nos números. Ela responde por 7,1% do mercado brasileiro de transformados plásticos. E o mundo das embalagens não para de investir para atender as novas necessidades desse segmento

MATÉRIA DE CAPA

Limpeza fácil e inovação

34 ESPECIAL K

Foto: iStockphoto

É crescente a participação dos plásticos nas embalagens, assim como cresce a importância do segmento de embalagens para a indústria plástica!

SEÇÕES 8

aGENDA

7

pACK ONLINE

10 ATUALIDADES

20 vANGUARDA

30 Foto: iStockphoto

ESPECIAL EMBALAGENS PLÁSTICAS HIGIENE E LIMPEZA

Evolução a olhos vistos

6

Editora Banas

22 LANÇAMENTOs INTERNACIONAIS 38 NOTAS TÉCNICAS

Fotos: Divulgação

14 POR DENTRO DAS LEIS


www.pack.com.br

nline

POR TATIANA GOMES | tatiana.gomes@banas.com.br

O SITE DA PACK TRAZ NOTICIÁRIO ATUALIZADO DIARIAMENTE, ARTIGOS EXCLUSIVOS E TUDO SOBRE O MERCADO DE EMBALAGEM. MAIS: VÍDEOS, FOTOS E A VERSÃO DIGITAL NA ÍNTEGRA DA EDIÇÃO DO MÊS, ALÉM DAS ANTERIORES! [CONEXÃO WEB ] as mais lidas no pack.com.br

[ENQUETE ]

A Diamond, consultoria especializada em gestão nos mercados farmacêutico, veterinário, cosmético e alimentício, acaba de fechar contrato com a CSI, líder mundial no fornecimento de tampas plásticas, para realizar estudo de mercado para identificar oportunidades de negócios.

A sua empresa vai fazer investimentos em 2011?

1 2 3 4

Sim - (100,00%) Não - (0,00%)

RESULTADO JA N E I RO / 2 01 1

100,00%

CSI fecha contrato com Diamond para estudo do mercado de tampas plásticas

CSI é a líder mundial no fornecimento de tampas plásticas e busca conhecimento da Diamond para desenvolver estudo de potencial do mercado brasileiro.

NESTE MÊS Interaja! Confira a enquete do mês e vote na home do site!

Rigesa participa da Fruitilogística 2011 em Berlim

Durante a feira, empresa apresentará suas soluções inovadoras em embalagem.

Onde achar? http://www.pack.com.br

Verallia inova com garrafa ecológica de 1500 ml

A nova embalagem foi especialmente desenvolvida para atender ao mercado de vinhos.

CeMAT SOUTH AMERICA, em parceria com o Instituto Logweb, apresenta Fórum Internacional de Intralogística e Supply Chain

5 +

“Soluções para logística, movimentação e armazenagem de materiais” são o tema do Fórum que contará com apresentação de cases, minicursos, palestras e debates com profissionais de renome em âmbito mundial.

Suzano assume controle integral do Conpacel

Aquisição da participação acionária da Fibria reforça a competitividade da Suzano Papel e Celulose.

Confira a lista das dez notícias mais acessadas no site e as leia na íntegra!

[DESTAQUES] Os anúncios desta edição acompanhados dos ícones  têm informações extras no www.radarindustrial.com.br. Lá você encontra mais detalhes dos produtos, especificações técnicas e informações da empresa anunciante. Acesse! www.radarindustrial.com.br

Dúvidas sobre o mercado?

Nossos consultores esclarecem os mais diversos temas do setor. Envie sua pergunta e leia as respostas para nossos internautas no Blog da Pack. E-mail guru@pack.com.br PERGUNTE, ELE RESPONDE!

O NEWSLETTER SEMANAL DA INDÚSTRIA

Toda semana, a newsletter entrega no seu e-mail as notícias mais importantes da indústria de embalagens. Cadastre-se no site! Acesse! www.banas.com.br/banasinforma

Foto: Divulgação

Fonte: Google Analytics* Período de 15/12/10 a 27/01/11 Onde achar? http://www.pack.com.br/maisnoticias.aspx

Embalagem premiada A Tahitian Noni International (TNI) conquistou o First Place Winner do prestigiado prêmio internacional de propaganda Mobius para o novo design de embalagem. O prêmio foi concedido para as novas garrafas do novo Tahitian Noni® Bioactive, bem como para o dispenser refrigerador de 4 litros. Vários usos para uma mesma embalagem A premiada agência de design Orhan Irmak Design desenvolveu uma nova solução de embalagem para a marca de tecidos para casa Taç Freemood com ênfase no segundo uso. A embalagem de alumínio foi usada pela primeira vez no setor têxtil da Turquia e atraiu a atenção de jovens consumidores nas prateleiras. Onde achar? http://www.pack.com.br/blog

EDITORA BANAS

7


agenda

62 anos

EM DESTAQUE Foto: FCE Pharma

A FCE Pharma, promovida pela NürnbergMesse Brasil, já se consolidou como palco de tendências, negócios e encontros de relacionamento para o país e para a América Latina. Este ano, o evento será realizado de 24 a 26 de maio, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

FEIRAS NO BRASIL DATA

FEIRA

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

De 4 a 7 de abril de 2011

Cemat South America – Feira Internacional de Movimentação de Cargas e Logística

Centro de Exposições Imigrantes, São Paulo, SP

Hannover Fairs Sulamerica Tel.: (11) 3521-8000 www.cemat-southamerica.tmp.br

De 9 a 13 de maio de 2011

Brasilplast – Feira Internacional da Indústria do Plástico

Parque de Exposições do Anhembi, São Paulo, SP

Reed Exhibitions Alcantara Machado Tel.: (11) 3060-5000 www.brasilplast.com.br

De 24 a 26 de maio de 2011

FCE Pharma – Exposição de Tecnologia para Indústria Farmacêutica

Transamérica Expo Center, São Paulo, SP

NürnbergMesse Brasil Tel.: (11) 3205-5000 www.fcepharma.com.br

De 24 a 26 de maio de 2011

FCE Cosmetique – Exposição de Tecnologia para a Indústria Cosmética

Transamérica Expo Center, São Paulo, SP

NürnbergMesse Brasil Tel.: (11) 3205-5000 www.fcepharma.com.br

De 7 a 10 de junho de 2011

Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Embalagens, Processos e Logística para as Indústrias de Alimentos e Bebidas

Parque de Exposições do Anhembi, São Paulo, SP

Brazil Trade Shows Tel.: (11) 3598-7800 www.fispal.com

De 5 a 7 de julho de 2011

Brasil Brau – Feira Internacional de Tecnologia em Cerveja

Transamérica Expo Center, São Paulo, SP

Fagga Eventos Tel.: (11) 3044-4410 www.brasilbrau.com.br

EMBALAGEM | TECNOLOGIA | DESIGN | INOVAÇÃO Fundador: Geraldo Banas (1913 – 1999) Publisher: Cristina Banas Editora: Elizabetha Banas (1923 – 2007) Editora-chefe: Margaret Hayasaki – margaret.hayasaki@banas.com.br Assessora Técnica: Assunta Camilo (FuturePack) – assunta@futurepack.com.br Revisão: Nazaré Baracho Consultoria Técnica: Guilherme Sergio Maradine Secretária: Sandra Gomes – sandra.gomes@banas.com.br Projeto gráfico: Editora Banas Produção: Luciano Tavares de Lima (gerente) – producao@banas.com.br Designer: Ana Claudia Martins – ana.martins@banas.com.br Capa: Ana Claudia Martins – ana.martins@banas.com.br

CONSELHO EDITORIAL André Vilhena – Diretor CEMPRE – Compromisso Empresarial para Reciclagem; Assis Garcia – Diretor do Centro de Tecnologia de Embalagem – CETEA; Eduardo Yugue – Gerente de embalagens da Nestlé; Geraldo Cardoso Guitti – Presidente da Refrigerantes Convenção; Lincoln Seragini – Diretor – presidente da Seragini Farné; João Batista Ferreira – CEO da J2B Innovation to Business, Luiz Belloli Neto – Presidente da Câmara setorial de máquinas para a indústria alimentícia, farmacêutica e refrigeração industrial da Abimaq – Luis Madi – Diretor - geral do ITAL - Instituto de tecnologia de Alimentos

DEPARTAMENTO DE VENDAS Diretores Comerciais: Oswaldo Nakamura – oswaldo.nakamura@banas.com.br Paulo Galante – paulo.galante@banas.com.br

Executivos de Negócios – São Paulo Cláudio Alves Freire | João Domingues | Marcia Rios Tel.: (11) 3500-1900 – publicidade@banas.com.br

Belo Horizonte M Lage Vendas e Representações. Contato: Marcio Lage Av. Raja Gabaglia, 4000 – sl. 207 – CEP 30494-310 – Belo Horizonte-MG Tel.: (31) 2127-3854 - (31) 9612-8028 – publimg@banas.com.br

Rio de Janeiro Art Comunicação S/C Ltda. Contato: Francisco Neves Rua Des. João Claudino Oliveira e Cruz, 50 – cj. 607 – CEP 22793-071 – Rio de Janeiro-RJ Tels.: (21) 2269-7760 – (11) 9943-5530 – Fax: (21) 3899-1274 – banasrj@uol.com.br

Rio Grande do Sul Interface Comunicação e Propaganda Ltda. Contato: Vera Anjos Av. Taquara, 193 – Cj. 406 – CEP 90460-210 – Porto Alegre-RS Tel./Fax: (51) 3330–2878 – banassul@terra.com.br

Paraná e Santa Catarina Print Technology Representações Comerciais Ltda. Contato: Gilberto Kugnharski/Marilisa da Rocha Av. Luiz Xavier, 68 – 11ªand. – cj. 1118 – CEP 80020-020 – Curitiba-PR Tel. (41) 9942-2569 – gilberto@banas.com.br / marilisa@banas.com.br

São Paulo – Interior Aqueropita Intermediações de Negócios Ltda. Contato: Aparecida A. Stefani Tel.: (11) 3500-1910 – Fax: (11) 3748-1800 – aparecida.stefani@banas.com.br

FEIRAS NO EXTERIOR DATA

FEIRA

LOCAL

ORGANIZAÇÃO

De 12 a 18 de maio de 2011

Interpack – Feira Internacional de Embalagem

Dusseldorf, Alemanha

Messe Dusseldorf GmbH Tel.: +49 (0) 211456001 www.interpack.com

De 21 a 24 de junho de 2011

Expo Pack México – Exposição de Máquinas para Envase, Embalagem e Processamento

Centro Banamex, Cidade do México, México

PMMI Tel.: (+52 55) 5545-4254 www.expopack.com.mx

De 13 a 15 de julho de 2011

Propak China – Feira Internacional de Embalagem, Processamento e Impressão

Shanghai New International Expo Centre (SNIEC) - China

China International Exhibitions Ltd Tel.: +86 21 6209 5209 www.propakchina.com

REPRESENTANTE INTERNACIONAL Argentina 15 de Noviembre 2547 – C1261 AAO – Capital Federal – Republica Argentina Tel.: (54-11) 4943-8500 – Fax y Mensajes: (54-11) 4943-8540 www.edigarnet.com

ACORDO DE COOPERAÇÃO Phone: +1 312/2221010 – www.packworld.com

Rua Edward Joseph, 122 – 11º andar – Edifício Passarelli Jardim Suzana – São Paulo-SP – CEP 05709-020 CNPJ 60.432.796/0001-83 – I.E. 104.259.747.116, C.C.M. 1.249.632-4 NOVO TELEFONE (11) 3500-1900 Impressão: Gráfica Modelo

Erramos

Circulação nacional: Tiragem – 10 000 exemplares Periodicidade: mensal

FEVEREIRO 2011 PACK – EMBALAGEM | TECNOLOGIA | DESIGN | INOVAÇÃO é uma publicação mensal da Editora Banas Ltda.

E

IO

B

2008

EDITORA BANAS

M

DA

END.

Rua Edward Joseph, 122 – 11º andar – Edifício Passarelli São Paulo-SP – CEP 05709-020

B2

A

D

IA

T

A

R

O

8

11 3500-1925 | FAX 11 3500-1935

D E M ÍD IA S E G

TA

EG

TELEFONE

EC

C AT

PARA SE CORRESPONDER COM A REDAÇÃO E-MAIL redacao@banas.com.br

AT

N

Filiada à

AN

A PACK é dirigida aos profissionais que ocupam cargos técnicos, de direção, gerência e supervisão em empresas fornecedoras, convertedoras e usuárias de embalagens, bem como prestadores de serviços relacionados à logística, design e todos os processos relacionados a indústrias de embalagem.

IV P R Ê M

Ao contrário do que foi publicado na edição 161, na seção atualidades, a linha de coberturas Bazzar foi conceituada e teve seu projeto desenvolvido pela consultoria FuturePack que, além do conceito inovador up side down, optou pela conveniente tampa flip top e a decoração com rótulos termoencolhíveis para dar maior visibilidade e aumentar a barreira contra a luz.

Assinatura: Anual (Brasil) = R$ 97,00 • Nº Avulso = R$ 15,00

RE

V I S TA S E G M

EN

É permitida a divulgação das informações contidas na revista desde que citada a fonte. PACK reserva-se o direito de publicar somente informações que considerar relevantes e do interesse dos leitores da revista.


Prática e moderna Para a dona de casa que busca receitas de fácil preparo e uma opção saborosa para o lanche da tarde, a Nita Alimentos disponibiliza a mistura Nita Bolinho de Chuva, uma alternativa para que quem não quer perder tempo na cozinha. O produto está disponível em embalagem prática e moderna, em formato stand up pouch, de 300 gramas. A embalagem é produzida em polietileno linear de baixa densidade (PELBD), adesivo e poliéster metalizado pela Cristal Embalagens, com impressão em flexografia. Com design desenvolvido pela Branding8 Publicidade e Marketing, a embalagem segue a linha de comunicação de Nita Alimentos, com destaque para seus elementos gráficos tradicionais: a logomarca Nita, com assinatura da Linha Cook logo abaixo e arcos com inserção de desenhos de trigo (baixo relevo), elementos que compõem uma forma estilizada das roldanas no processo de moagem do trigo buscando transmitir diferenciação e dinamismo para a marca. O produto final também é apresentado em foto, além de dicas e forma de preparo nos painéis laterais.

Formato lembra uma fruta As novas garrafas dos sucos concentrados Dafruta já estão no mercado com novo shape em PET, criado por Inah Olyntho e Maurício Speranzini da Speranzini Design. As garrafas de 500 ml possuem formato exclusivo que lembra uma simpática fruta, gravação de logo em relevo, texturas, pega para facilitar seu manuseio. O projeto teve desenvolvimento modular que iniciou com o redesign da identidade Dafruta, dos rótulos e, agora, a migração das embalagens em vidro para PET que foi finalizado na Alemanha. A Speranzini também foi autora dos sucos prontos para beber da Dafruta com embalagens cartonadas e latas. Speranzini Design, tel.: (11) 5685-8555.

Explorando a tradição mineira

Foto: Divulgação

Nita Alimentos, tel.: 0800-171134.

10

Editora Banas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

atualidades

A marca Forno de Minas, líder no segmento de pães de queijo, vai entrar em novos segmentos de mercado respaldada por nova comunicação visual. A linha de folhados - nos sabores frango, presunto e queijo, palmito, banana com canela e chocolate -  juntamente com os palitos de queijo e broinhas de milho – já está com nova identidade visual assinada pela 100% Design. Em março, chegam às prateleiras as linhas de tortas, empadas e empanadas e na sequência a linha de waffles. Segundo Patricia Oliveira, diretora de criação da 100%Design, o projeto gráfico envolveu a construção de uma arquitetura de embalagens e foi pautado na tradição mineira da marca, buscando retratar a união da excelência com o tecnológico.  Ela conta que a nova construção gráfica trouxe para o topo direito das embalagens, imagens das cidades históricas com um tratamento que remete ao consumidor a sensação de aconchego e retorno às origens em uma alusão às raízes da culinária mineira. “Além disso,  exploramos o produto e seu appetite appeal e, no lado esquerdo das embalagens, valorizamos a marca Forno de Minas, que cresceu e ganhou destaque sobre pano de fundo branco.” 100% Design tel.: (11) 3032-5100.


O novo desenho da embalagem do Ketchup Hellmann’s foi desenvolvido pela Usina Escritório de Desenho. O objetivo do projeto era destacar as qualidades do produto feito de ingredientes naturais que agregam sabor e textura às refeições. Para isso, a agência desenvolveu um novo desenho que destaca a quantidade de tomates na receita. “Com a aplicação de diversas fotos de tomates frescos como elementos do rótulo traduzimos para a embalagem a naturalidade do produto, reforçando a comunicação aos consumidores sobre a quantidade de tomates presentes em sua composição”, relata Patrícia Coser, diretora do escritório. Usina Escritório de Desenho, tel.: (11) 5571-6788.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Cheiro de sofisticação A nova linha de cuidados com a pele Phytonatural, fabricada pela Biotropic Cosmética, composta por loção hidratante corporal e sabonete líquido, chega às gôndolas em embalagens que transmitem naturalidade e sofisticação. O design do rótulo foi desenvolvido pela agência Scalla do Rio de Janeiro. O hidratante ganhou embalagem de polietileno de alta densidade (PEAD) com soft touch produzida pela Frascomar e o sabonete líquido é embalado em embalagem PET, ambos com válvula pump formecida pela Calmar e silkadas na courscreen.

Transparência e portabilidade

Antenada às exigências do consumidor e às tendências de mercado, a Trio Alimentos fez uma reestruturação na sua linha de cereais matinais, com o objetivo de oferecer transparência, sustentabilidade e portabilidade. As embalagens foscas e semitransparentes permitem aos consumidores a visualização do produto antes da compra. Todas as embalagens da linha Trio Zero são 100% recicláveis e as barras são acondicionadas em cartuchos, com três unidades, que facilitam o transporte e permitem o seu consumo a qualquer hora ou lugar. As embalagens plásticas são produzidas em BOPP com impressão em flexografia ou rotogravura pela Emflex. Já os cartuchos de papel cartão são produzidos pela Gráfica São Luis Gonzaga com impressão offset.

Fotos: Divulgação

Foto: Divulgação

Traduzindo a naturalidade do produto

Trio Alimentos, tel.: (15) 3229-3030.

Biotropic, tel.: 0800-7021701.

Maior apettite appeal A Nordeste Alimentos reformulou as embalagens. O reestudo desenvolvido pela Design21, empresa do Grupo MTCom, potencializa o alcance e a presença da marca no PDV. Para garantir uma unidade gráfica ao mix da empresa e, ao mesmo tempo, marcar a mudança proposta pela Design21, as inovações contemplam a sistematização no uso da marca para massificá-la. “Desenvolvemos embalagens que evidenciam ainda mais o apettite appeal, utilizando a imagem da sugestão de receita que valoriza o produto e o tira do patamar de commodities”, explica Marcos Guimarães, designer da Design21. Segundo ele, a Nordeste tinha embalagens bonitas, que funcionavam bem individualmente, mas em conjunto, conferiam menos força de marca no ponto de venda. Foram mais de 50 embalagens revitalizadas, contemplando todas as linhas: doméstica, profissional e industrial. Todo o estudo foi pensado para otimizar a utilização dos insumos (papel, plástico e filme laminado). As novas embalagens ganharam ênfase na utilização dos produtos por meio de imagens altamente chamativas para pratos e quitutes, nos quais os produtos podem acrescentar qualidade superior. Nordeste Alimentos, tel.: 0800-9790102.

Editora Banas

11


notícias

Demanda global de tampas deve chegar a US$ 40 bilhões em 2014

Vaivém do mercado

a

Jaime araújo é o novo gerente de desenvolvimento de mercado e assistência técnica da Polo Films, reportando-se a davide Botton em são Paulo. o executivo será responsável por diversos projetos de desenvolvimento e inovações em filmes biorientados (BoPP), como no crescimento do setor de embalagens flexíveis. Ele acumula mais de 20 anos de vivência em filmes e embalagens flexíveis.

em regiões em desenvolvimento. o crescimento na Ásia, américa do sul, américa Central, no oriente Médio e na Europa oriental vai superar o índice mundial. as tendências de industrialização e a melhoria no padrão de vida vão conduzir a expansão do mercado de tampas de alimentos e bebidas, farmacêuticos e cosméticos. a China, maior consumidor mundial de tampas em termos de volume, vai continuar assistindo o crescimento acelerado em função do maior rendimento e gastos dos consumidores, combinado com as tendências de urbanização e a maior demanda de produtos de consumo embalados. Esses fatores irão conduzir os requerimentos de tampas na China, bem como vão aumentar as exportações de produtos chineses para economias mais avançadas (criando a necessidade de embalagens de alta qualidade que atendem os padrões internacionais). a Índia também vai experimentar rápido crescimento da demanda de tampas até 2014, mas os ganhos terão uma DEMANDA GLOBAL DE TAMPAS base menor. (EM MILHÕES DE US$) as tampas plásticas 45.000 vão continuar expe40.000 2009 2014 2004 rimentando a maior 35.000 taxa de crescimento. Essa demanda será be30.000 neficiada pelo maior 25.000 uso de embalagens 20.000 plásticas em relação aos potes e garrafas de 10.000 vidro (especialmente 5.000 em alimentos e bebidas). apesar da perda 0 de participação de DEMANDA AMÉRICA EUROPA ÁSIA/PACÍFICO OUTRAS DE TAMPAS DO NORTE OCIDENTAL REGIÕES mercado para os plás8.7% ticos, as tampas de 6.9% 7.0% 6.3% 6.2% 4.6% metal irão conti-nuar 5.5% 4.2% 3.0% 2.5% respondendo pelo 2004-2009 2009-2014 maior market share da demanda total.

12

Editora Banas

5.170

3.960

2.830

13.740

9.970

6.570

9.130

8.060

6.960

11.730

9.560

CRESCIMENTO ANUAL

6.860

39.500

31.550

23.220

Fonte: Freedonia

demanda global de tampas deve crescer 4,6% ao ano, atingindo Us$ 40 bilhões em 2014. os avanços serão estimulados pelo crescimento da produção global (que vai impulsionar os requerimentos de embalagem), tendências de urbanização e contínuo desenvolvimento de tampas de alto valor, como à prova de crianças, violação e tipo dispensing. algumas dessas melhores oportunidades para tampas estão na região da Ásia/Pacífico, que vai responder por mais de dois quintos desse mercado entre 2009 e 2014. Bebidas – cerveja e bebidas carbonatadas em particular – vão manter os principais consumidores de tampas, mas os ganhos mais rápidos são esperados em mercados pequenos, como alimentos e farmacêuticos. Essas tendências são apresentadas no estudo da Freedonia. Enquanto os Estados Unidos são de longe o maior consumidor de tampas do mundo em termos de valor, o crescimento mais rápido acontece

JAIME ARAÚJO É O NOVO GERENTE DE DESENVOLVIMENTO DE MERCADO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA DA POLO FILMS

HENKEL ANUNCIA NOVA LIDERANÇA GLOBAL PARA A ÁREA DE ADESIVOS

Jan-dirk auris deixa o cargo de vicepresidente sênior de tecnologias em adesivos e presidente da Henkel na região da Ásia-Pacífico para assumir a vice-presidência executiva de tecnologias em adesivos, substituindo thomas Geitner. auris entrou para a equipe da Henkel em 1984 e já ocupou várias posições de gerenciamento internacional para a empresa, incluindo cinco anos nos Estados Unidos e cinco anos na China.

ROBERT M. MCNUTT É ELEITO CHEFE FINANCEIRO E VICE-PRESIDENTE DA GREIF

a Greif inc. acaba de nomear robert M. Mcnutt para o cargo de vicepresidente e chefe financeiro. Ele vai substituir donald s. Huml que se aposentou. o executivo atuou na Boise inc. como vice-presidente e chefe financeiro.

MATTHIAS NIEMEYER E MARC HARTMANN TÊM NOVAS POSIÇÕES NA KHS

a alemã KHs está fazendo mudanças em seu quadro de executivos. Matthias niemeyer é o novo CEo da KHs GmbH a partir de 1º de abril de 2011. Ele vai substituir roland Flach que vai se aposentar a partir de 31 de março deste ano. Marc Hartmann, atual chefe representativo da empresa, foi apontado como membro do corpo de gerentesexecutivos. Ele será responsável pelo gerenciamento de projetos, bem como de qualidade e processo. O-I ANUNCIA NOVA VICE-PRESIDENTE GLOBAL DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA

deborah Hockman é a nova vicepresidente global de meio ambiente, saúde e segurança da owens-illinois (o-i). Ela vai liderar os esforços para melhorar a segurança, os processos de saúde, os padrões e as métricas, além de atender as normas ambientais. a executiva também vai liderar um programa global de segurança, uma das iniciativas de sustentabilidade.


entrevista

Auri Marçon, presidente da Associação Foto: Sonia Mele

Brasileira da Indústria do PET (Abipet)

Há quanto tempo a Abipet vem pensando no desenvolvimento do novo site para ampliar a coleta de embalagens PET? A criação do LevPET é uma iniciativa que foi agregada ao extenso trabalho que promovemos há mais de 15 anos no Brasil para ampliar a coleta, a reciclagem e a destinação adequada das embalagens de PET pós-consumo. Trata-se de uma iniciativa que vem sendo analisada e preparada pela Abipet há pelo menos três anos. Como nasceu a concepção do novo site? O LevPET une conceitos de educação ambiental à modernidade da internet,

além de facilitar a logística reversa. A ferramenta geo-localizadora do Google Maps já era conhecida, muito prática e se encaixa adequadamente com o atual momento da indústria de reciclagem de PET no Brasil. Ela informa ao consumidor onde ele poderá dar a destinação correta à sua embalagem pós-consumo. De certa forma, nos antecipamos às diretrizes previstas na recém-aprovada Política Nacional de Resíduos Sólidos, que estabeleceu as responsabilidades dos três elos envolvidos na questão – cidadão, poder público e indústria. O consumidor/cidadão precisa dar a destinação adequada aos seus resíduos. O poder público precisa oferecer o serviço de coleta que leve esse resíduo até a indústria que, por sua vez, dará a destinação final ao material. De que forma o novo serviço vai permitir o crescimento da rede de coleta de embalagens PET no mercado brasileiro? O LevPET consolida em um único serviço informações sobre uma rede de coleta já existente, onde o consumidor pode dar a destinação correta para suas embalagens. Mas o sistema tem um caráter colaborativo, o que permite aos próprios usuários agregar informações sobre novos pontos de coleta. Com isso, a abrangência do serviço poderá crescer e ser atualizada frequentemente. Só para dar uma ideia, em pouco mais de um mês de operação, o LevPET, que começou com quase mil pontos identi-

ficados, já registra um aumento de 20% na quantidade de endereços registrados em todo o Brasil. Há regiões do Brasil onde há maior deficiência de pontos de coleta de embalagens PET e que nesse primeiro momento será feito um trabalhão especial nesse sentido? O que existe são regiões onde temos mais pontos de coleta cadastrados, como é o caso das regiões Sul e Sudeste, por exemplo. Mas o nosso sistema é nacional e, portanto, contamos com a colaboração dos usuários de todo o Brasil para que utilizem o LevPET. Trata-se de uma ferramenta de utilidade pública. Todos sairão ganhando a partir do momento em que um número maior de pessoas colaborarem com o trabalho que está sendo realizado. Como a Abipet pretende divulgar esse novo serviço para o consumidor final? Isso já está sendo feito e esta entrevista é prova deste trabalho. Abipet tem conseguido um importante apoio da imprensa na divulgação do serviço. Também são frequentes as mensagens trocadas entre os usuários de redes sociais, como o Twitter. Cada vez mais, o LevPET deixa de ser uma ferramenta da Abipet para se tornar um espaço público, onde o consumidor/cidadão terá todo o espaço para se informar e ajudar a educar os seus pares. Quanto mais essa rede se fortalecer, mais benefícios vamos levar à sociedade.

Editora Banas

13


por dentro das leis

Camex aumenta brinquedos Foi publicada em dezembro último, no Diário Oficial da União (DOU), a Resolução nº92 da Câmara de Comércio Exterior (Camex) que eleva de 20% para 35% a alíquota do Imposto de Importação (II) para 14 tipos de brinquedos acabados. O aumento estará em vigor até 31 de dezembro de 2011 e atende a uma solicitação da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) para combater o aumento das importações. A medida atinge principalmente os brinquedos fabricados na China, origem de quase 80% das importações brasileiras. Atualmente, o Brasil importa brinquedos de várias faixas de preços. Os produtos importados, segundo os fabricantes, estão competindo com os nacionais em nichos específicos e não apenas no mercado de brinquedos de menor valor.

Selo de segurança A partir de janeiro de 2012, toda caixa de medicamento comercializada no Brasil conterá um selo de segurança fornecido pela Casa da Moeda que será reconhecido por leitores óticos em todas as farmácias e drogarias do país. A autenticidade do produto será indicada quando o consumidor aproximar a etiqueta de segurança ao visor do terminal ótico. O modelo de etiqueta desenvolvido é simples e de fácil reconhecimento pelo usuário final. Os selos autoadesivos serão aplicados diretamente nas caixas dos medicamentos e terão um marcador especial, único e exclusivo, reconhecido apenas pelo Leitor Específico de Autenticação. Cada etiqueta terá, ainda, uma numeração individual não repetitiva Identificador Único de Medicamento – (IUM), que será a ferramenta de base para o sistema eletrônico de rastreabilidade.

Santos proíbe venda de bebidas em garrafas de vidro na praia O vereador Adilson Júnior (PT), da Câmara Municipal de Santos (SP), comemorou a vigência de mais uma lei de sua autoria, que proíbe a comercialização de bebidas em garrafas de vidro nas barracas que são montadas na areia da praia da cidade. “A proibição com certeza diminuirá os acidentes atendidos nos postos de salvamento”, afirma o vereador. A proibição entrou em vigor com a sanção do prefeito João Paulo Tavares Papa à Lei Complementar nº 711/2011, publicada na edição do dia (11/1/11) do Diário Oficial do Município, na página 6. A nova lei passa a vigorar com a seguinte redação: Art. 7° Desde que atendidas às exigências tributárias e de saúde pública, será possível a comercialização de produtos comestíveis e de bebidas, exceto em garrafas de vidro, exclusivamente aos associados da entidade responsável ou aos hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros.

Uso de sacolas plásticas em estabelecimentos comerciais pode ser proibido A agência de notícias da Assembleia Legislativa de São Paulo informou que a deputada estadual de São Paulo, Célia Leão (PSDB), deu entrada, no final de 2010, ao projeto de lei 830/2010, que proíbe a utilização de embalagens, sacolas plásticas e similares, feitas de resina sintética originada de petróleo por estabelecimentos comerciais do Estado, permitindo-se o uso de sacolas biodegradáveis e oxibiodegradáveis. A proibição visa garantir a defesa do meio ambiente através da implementação de política preventiva e de caráter educativoambiental, em prol da proteção dos interesses das gerações futuras. Os estabelecimentos tratados nesta lei terão prazo de um ano para se ajustarem aos termos da presente lei, a contar da sua vigência.

Foto: Sxc.hu

imposto de importação de


Foto: Sxc.hu

Justiça nega liminares contra selo de segurança de medicamentos O juiz federal Antonio Corrêa, da 9ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal, negou liminar em mandado de segurança coletivo para associações de indústrias farmacêuticas contra selo de segurança, que garante autenticidade de medicamentos comercializados no Brasil. A decisão é válida para mandado de segurança impetrado pelo Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo (Sindusfarma), pela Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma) e pela Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais (Alanac). Na ação, as entidades alegaram que as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que regulamentam o tema (Resolução RDC 59/2009 e IN 11/2009) tinham vícios de origem, argumento que não foi aceito pelo juiz. O Sindusfar e a Interfarma também perderam o pedido de liminar em ação cautelar contra a Instrução Normativa 11/10 da Resolução RDC 59/09 da Anvisa. Neste caso, o Juíz da 13ª Vara Federal indeferiu o pedido por não verificar inconstitucionalidade/ilegalidade nos atos normativos editados pela Anvisa. De acordo com a decisão, “não houve qualquer extrapolação do poder regulamentar da referida autarquia de regime especial, haja vista que a própria lei delegou ao ente de vigilância sanitária federal o estabelecimento da forma do sistema de rastreamento.”


entrevista

A proximidade com os fornecedores de embalagens

é fundamental na questão da sustentabilidade

O Margaret Hayasaki

Com o Movimento de Limpeza Consciente, a Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins (Abipla) traça um futuro verde para o setor

mote de praticidade na indústria de higiene e limpeza caseira é eterno. Mas o consumidor do futuro vai continuar buscando inovação e produtos diferentes que possam agregar valor e qualidade de vida no seu dia a dia. É o que pensa Maria Eugenia Proença Saldanha, presidente-executiva da Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins (Abipla) e do Sindicato Nacional das Indústrias de Produtos de Limpeza (Sipla). “Uma das grandes dificuldades é desenvolver produtos inovadores na questão ambiental, com performance, segurança e preço comparáveis aos atuais”, afirma a executiva. “Eu espero que a consumidora seja mais consciente do ponto de vista ambiental. Mesmo que o produto tenha uma diferença de preço que ela comece a valorizar mais esse produto que tem sustentabilidade.” É com esse olhar sobre o futuro que a entidade já trabalha o tema verde e as inovações em todas as suas linhas de frente. Em entrevista à revista Pack, Maria Eugenia fala da crescente prosperidade do setor e dos desafios.

PACK: Como a indústria de higiene e limpeza tem evoluído nos últimos anos? MARIA EUGENIA: Há sete anos, o setor de higiene e limpeza vem crescendo acima do PIB (Produto Interno Bruto). No ano passado, fechamos pela primeira vez, na casa dos dois dígitos de crescimento. Ainda não fechamos os números totais, mas a previsão é de crescimento em torno de 11% e faturamento de R$ 13,5 bilhões. É um número bastante significativo para o setor.

Foto: Luiz Machado - Imagem Corporativa

PACK: Esse crescimento é atribuído a quais fatores? MARIA EUGENIA: A renda da população impacta no faturamento do setor de higiene e limpeza. Nos últimos anos, temos assistido um contínuo aumento da renda dos consumidores. Outro fator é o bem-estar. Hoje os brasileiros têm associado o produto de limpeza com saúde, bem-estar e qualidade de vida. Por isso, eles passaram a comprar produtos, como os purificadores de ar, que em 2009, cresceram 21,7% em volume de vendas em relação a 2008. Outro exemplo bem típico desse movimento foi o crescimento, nos últimos seis anos, da categoria de amaciantes. Esses produtos promovem maior conforto no toque da roupa e deixam o tecido mais cheiroso por mais tempo. O terceiro fator super importante é a inovação da indústria de higiene e limpeza que se intensificou bastante agora. Ela está fazendo bastante inovação na formulação, nos aromas e nas embalagens. Esses três fatores aconteceram quase que em sucessão nos últimos sete anos. No ano passado, houve um efeito da crise mundial, ou seja, o mercado interno ficou aquecido. Os outros setores começaram a fabricar mais, vender mais e isso movimentou o nosso mercado. Um exemplo disso é o mercado de construção civil. As pessoas reformaram mais casas, o que demandou maior consumo de produtos para fazer limpeza. Também foi o ano em que o setor lançou mais produtos na feira realizada pela Associação Paulista de Supermercados (Apas).

16

Editora Banas


Editora Banas

17


Foto: Luiz Machado - Imagem Corporativa

entrevista

PACK: O maior poder de compra das classes de baixa renda ajudou no crescimento da base de consumo de produtos de higiene e limpeza? MARIA EUGENIA: Elas diversificam a cesta de limpeza e/ou sobem um nível do tipo de produto comprado. Não consigo falar de premium e não premium, pois não é uma questão de qualidade, mas de preço. Existe um aspiracional de ter um produto top ainda que seja para uma roupa especial, por exemplo, já que no fundo as consumidoras gostam de cuidar bem da família. Elas gostam de receber elogios pela casa bem cuidada ou a roupa bem lavada. PACK: As marcas mais baratas têm aumentado a sua participação em relação às líderes? MARIA EUGENIA: Sim. É só olhar para os dados da categoria de detergente em pó para lavar roupa, por exemplo. O crescimento percentual em faturamento é frequentemente menor do que o volume. O que isso quer dizer? Aumentou o volume em marcas mais baratas, que não reflete tanto no faturamento. PACK: Essas marcas mais baratas são regionais? MARIA EUGENIA: Há alguns fenômenos de regionalização de marca mesmo de empresas que atuam nacionalmente e há exemplos de marcas regionais. No ano passado (2009-2010), por exemplo, foi um momento importante para o micro e pequeno empreendedor. Se ele teve a percepção do que estava acontecendo em termos mercadológicos, ou seja, a ascensão do mercado interno e colocou o seu produto na gôndola, com qualidade, ele ganhou mercado. A gente tem casos de empresas que cresceram 35%, entre 2009 e 2010. Esse pequeno empresário teve percepção de que poderia fazer a sua marca crescer. PACK: O setor de higiene e limpeza investe bastante em pesquisa e desenvolvimento? MARIA EUGENIA: É um setor que tem muito investimento em pesquisa, inovação e desenvolvimento. Mas, às vezes, com pouca percepção do consumidor. É difícil perceber que tem toda uma tecnologia para desenvolver um perfume que fica encapsulado na fibra do tecido e, à medida que a

18

Editora Banas

consumidora utiliza a roupa, o cheiro é liberado. Ela sente a melhora do odor, mas não sabe o quanto isso teve de pesquisa e desenvolvimento para ter essa substância. Agora a gente está tendo a possibilidade de mostrar o investimento com os produtos de nicho. Um detergente líquido para lavar roupa já existe nos Estados Unidos, mas a nossa água é diferente, nossos hábitos são diferentes, nossos consumidores são diferentes. Então o produto é totalmente diferente. Essa foi uma inovação fácil de perceber. PACK: O que você considera inovações importantes para o consumidor de produtos de limpeza? MARIA EUGENIA: Todas as inovações que trouxeram praticidade e facilitaram a vida do consumidor foram importantes. Agora o grande desafio é ter produtos de qualidade, com segurança e melhor performance ambiental. PACK: E o papel da indústria de embalagem para ajudar a cumprir esse desafio do setor? MARIA EUGENIA: Há várias vertentes. Uma delas é como ter embalagens com quantidades maiores de material reciclado, até atingir 100%, sem que a estabilidade do produto seja perdida. Como desenvolver embalagens com menor quantidade de material (como um todo) e não somente reduzir a gramatura, assegurando a sua resistência. Como desenvolver embalagens menores para produtos concentrados. Tenho certeza que a proximidade da indústria de higiene e limpeza junto com os fornecedores de embalagem é fundamental na questão de sustentabilidade que está cada vez mais presente. No campo de tecnologia, acredito que não é só o produto atual que tem que ter uma embalagem melhor, mas o produto que vai vir também. No campo da inovação, muita matériaprima nova vem sendo desenvolvida para mudar o perfil ambiental e isso resulta num produto final diferente que tem que ter compatibilidade com a nova embalagem. Então não é só o produto atual com uma embalagem melhor, mas o produto novo com uma embalagem compatível. Os desafios são constantes. PACK: Produtos que oferecem praticidade continuam sendo um movimento forte no setor de higiene e limpeza? MARIA EUGENIA: Nas últimas déca-

das, os produtos de limpeza multiuso (tudo num produto só) ganharam popularidade, já que as mulheres saíram de casa para trabalhar ou estudar. E precisavam ter um trabalho em casa mais fácil de ser realizado. Também entram nesse movimento de praticidade os produtos que facilitam passar as roupas e os tira-manchas. Mas apesar de todos esses produtos que oferecem praticidade, bem-estar e saúde, o sabão em pedra ainda é um hábito arraigado das consumidoras, especialmente, na região Nordeste. Mas aqui no Sudeste, onde as consumidoras empregam mão de obra doméstica, o sabão em pedra também tem mercado cativo, já que ela gosta desse tipo de produto. Ela tem o hábito de esfregar a roupa e deixar de molho antes de passar para a máquina de lavar. PACK: A praticidade também se reflete nas embalagens.... MARIA EUGENIA: Sem dúvida. Um exemplo disso é o detergente líquido com dosador para lavar louça. Não existe mais aquele detergente que a consumidora virava a embalagem e um enorme volume de produto era derramado. Antigamente se perdia muito produto. Na categoria de água sanitária existia o problema do respingo, por isso nos corredores dos supermercados eram disponibilizados saquinhos plásticos para embalar o frasco. Hoje dificilmente você vai ver


Foto: iStocphoto

isso. Foi feito investimento em embaduto não só porque é mais barato, mas lagem para evitar uma preocupação também porque desconhecem o perigo que o consumidor tinha de respingar a que estão se expondo. O outro pilar é a água sanitária na roupa e mancháo projeto Dê a Mão para o Futuro que la. Têm alças mais fáceis de segurar e prevê o uso correto dos produtos de verter, principalmente, em produtos limpeza e o recolhimento das embade grandes volumes, como amaciantes lagens pós-consumo. Temos parcerias de 2 litros. O investimento em emcom os municípios que têm a incumbalagem no nosso setor é frequente. bência de melhorar ou implementar a Mas também tem o investimento em coleta seletiva. Nós da indústria capaembalagem para atender a demanda citamos gerencial e operacionalmente de sustentabilidade, como a busca com equipamentos as cooperativas de pelo uso de maior quantidade de catadores para que eles possam fazer material reciclado. Já temos linhas melhor o seu trabalho. inteiras de produtos com embalagens PACK: Onde a coleta seletiva já foi 100% recicladas. Mas nem todos os implementada? produtos de limpeza podem utilizar MARIA EUGENIA: Hoje nós estamos essas embalagens porque existe uma em 12 municípios no Paraná e em questão de compatibilidade química. seis no Rio de Janeiro, esta última, em É um desafio para o setor. parceria com a Associação Brasileira A indústria já vem percebendo a necesda Indústria de Hisidade de trabalhar com giene Pessoa, Perfuembalagens recicladas. maria e Cosméticos O grande desafio Não é por causa da impo(Abihpec). O nosso sição da lei que a gente vai é ter produtos de projeto seleciona as começar a trabalhar agora. qualidade, com cooperativas e estaHá empresas menores, no Paraná, por exemplo, segurança e melhor belece metas para que em dois anos que têm o ciclo fechado. performance elas sejam autossusEla vende o produto e ao tentáveis. Há casos, mesmo tempo traz a embalagem de por exemplo, em Londrina, no Paraná, volta para fazer a reciclagem e utilizar de catadores que ganhavam R$ 300/ novamente em sua linha de produção. mês e passaram a receber R$ 900/mês, O objetivo da Abipla, por meio do Mocom a capacitação operacional e de vimento de Limpeza Consciente, é ser gerenciamento. E também exemplos um facilitador de tudo isso porque não de cooperativas que conseguiram doé um processo barato, principalmente, brar o volume de material reciclável quando a gente fala de produto de e coletado pelos catadores. Só traconsumo que está disperso em todo balhamos com cooperativas formais o Brasil. e não permitimos mulheres grávidas PACK: Como nasceu o Movimento de e crianças. Um outro exemplo de Limpeza Consciente? vertente social são os casos de alcoolisMARIA EUGENIA: Ele nasceu em 2008, mo. Quando percebemos um catador da necessidade do setor de ter práticas com algum problema, a prefeitura em sustentáveis e também pensando nas parceria conosco manda um assistente micro, pequenas e médias empresas social para a cooperativa que começa que compõem a indústria de higiene e a desenvolver toda a conscientização limpeza. Têm dois pilares básicos – de sobre saúde, bem-estar, antitabagismo regularização das empresas informais e alcoolismo. em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e com PACK: Qual é a expectativa de crescio Serviço Brasileiro de Apoio às Micro mento em 2011? e Pequenas Empresas (Sebrae). Existe MARIA EUGENIA: A expectativa é informalidade nas categorias com manter um crescimento na casa dos baixa barreira tecnológica, como a dois dígitos. Salvo algum sobressalto água sanitária. Há 10 anos, um estudo muito grande, a gente não tem nerevelou que 42% da água sanitária nhuma perspectiva de algo que vai comercializada no Brasil era informal impactar o nosso setor de modo a não e as consumidoras compram esse proalcançar esse índice.

Editora Banas

19


vanguarda

Hidratação

em tempo real A Cambridge Consultants está introduzindo a garrafa inteligente i-dration que diz aos atletas a hora certa de consumir mais água mineral e ajuda a otimizar a performance

N

O i-dration é um instrumento que trabalha em sincronia com o smartphone

DA REDAÇÃO

ão faz tanto tempo que a internet surgiu, revolucionando a relação das pessoas com o novo mundo da tecnologia virtual. Hoje, tão imprescindível em nossas vidas. Ela democratizou o acesso às informações de uma forma fácil e rápida com um simples clique. Atualmente, a web se configura em um espaço para todo tipo de negócio e toda forma de comunicação.

O que dirá do telefone celular que também mudou a vida da sociedade. Cada vez mais o aparelho traz novas funções (fotografia, vídeo, e-mail, internet) e se tornou indispensável no mundo moderno. Ele acaba de ganhar uma nova função que promete agradar os amantes de práticas esportivas. A novidade é uma invenção da Cambridge Consultants, uma empresa especializada em tecnologia, desenvolvimento e design de produto, que acaba de apresentar ao mercado a garrafa inteligente i-dration. O i-dration é um instrumento que trabalha em sincronia com o smartphone visando a ajudar os esportistas a manter um ótimo nível de hidratação e aumentar a sua performance. A companhia desenvolveu o conceito para demonstrar o potencial total das aplicações móveis e como elas podem quebrar paradigmas por meio de instrumentos dedicados. Fisicamente a demanda de nível de hidratação pode ter um impacto significativo na performance e o hardware i-dration encoraja os atletas a consumir a bebida

20

EDITORA BANAS

quanto eles precisam, muito mais do que quando eles sentem sede. Beber muita ou pouca água pode ter um efeito negativo no desempenho dos esportistas, por isso a Cambridge Consultants desenhou o i-dration para garantir que os consumidores tenham um nível de hidratação adequado para um ótimo desempenho. De que maneira funciona o instrumento? Ele dá conselhos baseados nos dados colhidos em tempo real pela garrafa e transmitidos para o smartphone. Sensores inteligentes podem ser usados para monitorar a temperatura externa, a frequência e a quantidade de consumo da bebida, além disso, os dados são enviados via Bluetooth para o usuário do smartphone. O telefone


Foto: Divulgação

benefícios, como checar os resultados da performance em um esporte no mundo virtual. Entretanto, nós acreditamos que nos próximos 12 a 18 meses, vamos ver muitos novos hardwares dedicados, como a garrafa inteligente i-dration”, afirma Rachel Harker, gerente de desenvolvimento de negócios da Cambridge Consultants. “Os smartphones têm excelente capacidade, mas nem sempre são práticos de usar para a coleta ou apresentação dos dados. Baratos, os hardwares sem fio têm um potencial para ampliar a versatilidade dos telefones. No caso da garrafa i-dration, isso também foi relevante para aumentar o número de consumidores que visualizam os dados integralmente no smartphone para manter a sua saúde.” A Cambridge Consulintegra um acelerôtants tem a tecnolometro e um giroscópio Vamos ver muitos gia e a expertise para que mede o nível de novos hardwares desenvolver o hardware exercício e reúne com para uma ampla gama dedicados, como os dados sobre o corade funções, incluindo o ção e as informações a garrafa inteligente processamento do sinal são utilizadas na inrequerido para o procesi-dration terface do smartphone samento dos algoritmos (peso, altura e idade), em tempo real, que popermitindo fazer a avaliação do nível de dem ser aplicados para vários mercados, hidratação do usuário. A garrafa i-dration como medicina e segurança. responde de acordo com uma luz azul que acende se o atleta precisa consumir mais água. O i-dration demonstra que o trabalho da Cambridge Consultants é um empreendimento que trouxe a aplicação móvel para a vida. “Mais pessoas agora percebem que a tecnologia pode trazer

INFORMAÇÕES CAMBRIDGE CONSULTANTS tel.: +442084088000.


Foto: Divulgação

lançamentos internacionais

Marca protegida A BrandWatch Technologies em parceria com a Prooftag desenvolveu uma ferramenta sofisticada de marketing e de proteção para aplicação na indústria de vinhos e de bebidas alcoólicas para ajudá-las a combater a falsificação desses produtos em mercados externos, como a China. A tecnologia de proteção multicamada Bubble Seal™ integra as seguintes tecnologias: overt, covert, track & trace e forensic. A tecnologia overt inclui códigos de barras, tintas e rótulos especiais, hologramas, marcas d´água e filme à prova de falsificação. A tecnologia covert inclui uma etiqueta RFID e tintas especiais. Já as marcações forensic (um sistema que garante a legalidade do produto) são integradas na embalagem ou no produto e podem ser lidas somente com leitores ou detectores proprietários. Já o sistema track & trace realiza rastreabilidade do produto em qualquer ponto da cadeia. A parceria também permite que distribuidores e consumidores possam verificar a autenticidade do produto por meio do iPhone. Ao fazer uma foto do selo Bubble Seal™, os dados são cruzados para confirmar a autenticidade dos produtos.

Inovação

Foto: Divulgação

plástica

22

A Milliken, divisão da Milliken & Company, superou um de seus maiores desafios na indústria plástica, o bem-sucedido nucleante de polietileno (PE). O Hyperform ® HPN-20E é capaz de atingir o pico da temperatura de cristalização, o que reduz o ciclo de tempo e aumenta a produtividade entre 10 a 20%. Também pode aumentar a barreira ao oxigênio e ao vapor de água entre 20% a 40%, proporcionando a possibilidade de aumentar a vida de prateleira de produtos perecíveis, como alimentos secos, laticínios, vitaminas e nutracêuticos. Essa tecnologia é adequada para polietileno de alta densidade (PEAD) utilizado no sopro de filme, extrusão sopro e molde e injeção, bem como polietileno linear de baixa densidade (PELBD), especialmente na fase C4 gás. Está disponível como aditivo em pó ou solução de masterbatch. Milliken, tel.: +32 9 265 1136.

Editora Banas

Coleção única A parceria mundial da L´Oréal com a Rexam segue em expansão com a fragrância Ralph Lauren que utilizou a válvula pump da Rexam Personal Care para o lançamento mundial da nova linha Big Pony Collection. Essa coleção única de quatro fragrâncias para homens foi desenvolvida para acompanhar a linha de roupas Ralph Lauren Big Pony destinada ao público masculino com mais de 30 anos. “Nossa combinação de tecnologia, vendas e suporte da cadeia de fornecimento ajuda no sucesso do lançamento internacional”, afirma Samira Chmiti, gerente de produto da Rexam Personal Care. A Rexam utilizou a válvula pump Rexam TNP com sistema Crimpless (TCS) inventado e patenteado pela empresa em 1988. O colar pode ser ajustado para se adequar ao design do frasco. É entregue pré-montado com a pump para fácil ajuste e pode aumentar a produtividade de envase em até 40%. Além de não apresentar nenhum componente de borracha que pode afetar a fragrância. Rexam Personal Care, tel.: +33158475600.

Foto: Divulgação

BrandWatch Technologies, tel.: +1 (503) 285-3890.


Foto: iStockphoto

matéria de capa

Marcas focam em inovação CATEGORIAS DE HIGIENE E LIMPEZA EM DESTAQUE (2006 A 2009) 120 100

SABÕES EM PEDRA 80

DETERGENTES LÍQUIDO DETERGENTES EM PÓ

60

AMACIANTES INSETICIDAS

40

ÁGUAS SANITÁRIAS

20

ESPONJAS SINTÉTICAS CERAS PARA PISO

0 2006 2007 2008 2009 PENETRAÇÃO (PONTOS PERCENTUAIS)

24

Editora Banas

2006 2007 2008 2009 GASTO MÉDIO (EM R$)

2006 2007 2008 2009 FREQUÊNCIA

LIMPADORES Fonte: Kantar Worldpanel


As indústrias de produtos de higiene e limpeza apostam em novas formulações e embalagens para oferecer praticidade e sustentabilidade

Margaret Hayasaki

A

limpeza caseira tem conquistado cada vez mais importância no consumo dos brasileiros. Prova disso são os gastos com produtos de limpeza. Segundo pesquisa da Ipsos, em janeiro do ano passado, 98% dos consumidores mantiveram gastos com produtos de higiene e limpeza, com uma média mensal de R$ 29. Esse comportamento de compra dos consumidores mostra que esses produtos são essenciais no seu dia a dia, movimentando um mercado de R$ 12,2 bilhões, em 2009, um crescimento de 7% em comparação com o ano de 2008. Em volume de vendas, o crescimento ultrapassou 8%, de acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Produtos de Limpeza e Afins (Abipla). Para gerar produtos mais vendáveis, as indústrias investem constantemente em produtos de valor agregado que oferecem praticidade e eficiência aos consumidores. Aliás, as categorias que investem em inovação são as que têm maior chance de sucesso na gôndola. Um bom exemplo disso são os multiusos que caíram no gosto das donas de casas pelo seu atributo de oferecer tudo num só produto: limpar, desinfetar e odorizar. Em 2009, a categoria de multiusos foi a segunda que mais cresceu, com um índice de 17,3%, atingindo um faturamento de R$ 590,8 milhões. Mas os consumidores também têm requerido, cada vez mais, produtos específicos para o seu tipo de sujidade. Para atender essa demanda, as indústrias estão investindo em pesquisa e desenvolvimento e colocando no mercado maior número de lançamentos de produtos de limpeza caseira. É o caso da Bombril que, em 2010, se estruturou para inovação. Depois de fazer pesquisas com consumidores, a empresa desenhou um plano agressivo de três anos. No ano passado, ela lançou 110 novos produtos, atingindo 405 itens. Para 2011, a companhia quer chegar a 520 itens. “Os consumidores estão buscando produtos power que realmente diminuam o tempo de atuação e retiram completamente as sujeiras. Prova disso é a linha crescente de alvejante sem cloro. Também com o aumento do poder de compra do consumidor, a migração para produtos de maior valor agregado é fato”, explica Marcos Scaldelai, diretor de marketing, pesquisa e desenvolvimento da Bombril. Na divisão brasileira da SC Johnson, a área de limpeza caseira está em franca expansão. Além das marcas Pato e Bravo, que oferecem soluções para o banheiro, pisos e móveis, a empresa lançou, no final de 2010, a linha Mr. Músculo, com um portfolio inicial de sete produtos. Leandro Pereira, gerente de home cleaning da SC Johnson, afirma que apesar da tendência da busca por produtos especialistas em função do tempo e praticidade, o brasileiro ainda tem o hábito de preparar

coquetéis de limpeza. “Por exemplo, mistura água, sabão em pó e água sanitária e, dependendo do local onde será aplicado, esse coquetel ainda pode ter detergente, limpador multiuso ou desinfetante. Nossa ampliação do portfolio nesse segmento vem, principalmente, da necessidade de oferecer soluções para uma limpeza profunda muito mais rápida e eficaz realizando desde a limpeza diária até as mais pesadas com máxima praticidade, qualidade e eficiência. Uma linha de produtos especialistas para atender a complexidade e a necessidade de higienização e limpeza própria de cada área da casa.” Na opinião de Silvia Andrade, gerente de marketing de Ace e Ariel, da Procter & Gamble, o mercado brasileiro de higiene e limpeza está em forte crescimento devido, principalmente, às últimas inovações que buscam atender às necessidades do consumidor. “Entre elas, estão o Ariel Líquido que, além de dissolver melhor, penetra mais facilmente no tecido, não deixa resíduos nas roupas, e permite pré-tratamento em manchas”, diz. A categoria de produtos para o cuidado com as roupas é responsável por cerca de 1/3 do faturamento da Unilever Brasil e está presente em 96% dos lares brasileiros. “Sempre à frente das demandas de sua época, Omo inova com tecnologias de

Editora Banas

25


matéria de capa

Entre os lançamentos feitos pela companhia para atender as necessidades de suas consumidoras, está o omo Multiação tanquinho, desenvolvido em 2009, especificamente para as consumidoras de tanquinho. “o produto cobriu uma lacuna do mercado, uma vez que 57% das consumidoras brasileiras que usam máquina de lavar têm o modelo tanquinho. o diferencial é proporcionar até três lavagens perfeitas na mesma água, tornando o processo mais econômico”, revela o executivo. no ano passado, a Unilever Brasil também trouxe para o Brasil a tecnologia dos detergentes líquidos concentrados com o lançamento de omo líquido super concentrado. “o objetivo foi atender às mães e especialistas domésticas engajadas no consumo de produtos cada vez mais sustentáveis e que, ao mesmo tempo, ofereçam performance superior ou igual aos produtos que já conhecem”, acrescenta.

NOVOS FORMATOS E TIPOS DE EMBALAGENS

24,2% 11.8%

BRASIL 32.6% 12.9%

2004 - 2009

26

Editora Banas

RÚSSIA 105.8% 17.1%

2004 - 2014

3.3

4.5

3.9

7.2

6.4 MUNDO

ÍNDIA

25.0%

53.5%

Fonte: Euromonitor International

2014

4.2

136.9

122.5

(EM BILHÕES DE US$)

11.4

MERCADO MUNDIAL DE PRODUTOS DE HIGIENE E LIMPEZA

a inovação se estende para a área de embalagem. não só novos produtos chegam ao mercado, mas também novos formatos e tipos para atender os consumidores das classes C, d e E. Marcos Scaldelai, diretor de marketing, a Bombril trabalha em duas frentes. pesquisa e desenvolvimento da Bombril “Para a classe média, a empresa desenvolveu galões de 5 outra tendência são as litros para produtos Para a classe embalagens menores básicos, pois geram média, a empresa ou econômicas (como maior economia. Para sachês)”. inovações são os prodesenvolveu galões NOVOS HÁBITOS dutos que não têm de 5 litros para DE CONSUMO grande penetração. produtos básicos as versões menores Um exemplo de suajudam no primeiro cesso nas gôndolas da passo. Exemplo é o nosso sachê de Bombril é a linha Ecobril que foi landose única de alvejante sem cloro”, çada em embalagem do tipo stand-up revela scaldelai. pouch e parece que mudou o hábito de compra de produtos de limpeza. Muitos dos itens de limpeza da sC segundo scaldelai, ela está crescendo Johnson apresentam versão em refil, mês a mês. “a consumidora entendeu que possui menor desembolso, com a mensagem”, acrescenta. a mesma qualidade e eficiência. “assim, também conseguimos atender a sC Johnson lançou, nos últimos diferentes perfis de consumidores, anos, dois produtos inovadores e mas que compartilham a busca pelos de grande sucesso para limpeza do melhores resultados na limpeza dobanheiro: Pato Pastilha e Pato Gel méstica”, diz Pereira. adesivo. “os dois produtos ajudam na limpeza do vaso, pois trazem um na opinião de Fernanda formato inovador para a categoria, Belfort, gerente de maexplorando exatamente a praticidade rketing da reckitt Bene higiene na limpeza do vaso sanitário, ckiser, as indústrias estão pois não é necessário usar as cestinhas investindo para atender plásticas e ficar trocando o refil, o que diferentes demandas ou sabemos é um problema para os conclasses sociais. “Uma sumidores”, afirma Pereira. clara tendência é a de 8.0

Para a produção de omo líquido super concentrado, a Unilever investiu em uma nova linha de produção na já existente fábrica de Vinhedo, no interior de são Paulo. a fábrica, que produz os amaciantes Comfort Concentrado e Fofo Concentrado e produtos de outras categorias da empresa, passou a

2009

Foto: Divulgação

contar com uma área dedicada exclusivamente à nova tecnologia. “a mudança na formulação é resultado de mais de dois anos de extensas pesquisas, pois mudamos profundamente a forma de produção. de uma tecnologia usada pela Unilever há anos, passamos para outra tecnologia totalmente nova”, destaca o diretor de marketing.

ponta, embalagens modernas e uma propaganda eficiente. rastrear cada movimento da rotina doméstica é vital ao processo de inovação”, ressalta robert schermers, diretor de marketing da área de higiene e limpeza da Unilever Brasil.

CHINA 53.8% 41.7%

embalagens maiores, que oferecem melhor custo-benefício para o consumidor. Elas são um grande sucesso, já que o consumidor não quer abrir mão da qualidade.

os aparelhos automáticos lançados em Bom ar air Wick e em sBP, da reckitt Benckiser, são exemplos de inovações que mudaram a forma dos consumidores usarem o produto, trazendo mais conveniência e benefícios. “nas evoluções mais simples, podemos


o lançamento do detergente líquido para roupas Ariel, no final de 2008, com a proposta de mudar para melhor o comportamento dos consumidores. “O desafio de explicar para a consumidora por que o líquido pode ser tão melhor que o pó (por remover mais manchas e não deixar resíduo de sabão nas roupas) continua e ainda levará certo tempo para concluir este processo de conversão”, afirma Silvia. “Outro ponto importante é educá-las sobre o rendimento do produto.

Junto com o formato inovador do produto, a empresa trouxe também uma embalagem totalmente inovadora para o mercado de detergentes para roupas. Já que a grande maioria do mercado trabalhava apenas com as embalagens de papel cartão. “Precisamos mudar um hábito ao fazer com que as consumidoras começassem a usar o produto em garrafas PET. Um grande diferencial que este formato possibilitou foi a transparência Sachês: embalagens na embalaeconômicas gem. Assim

Fotos: Divulgação

citar as embalaRastrear cada movimento da rotina gens econômicas, doméstica é vital ao processo como os sachets de refil de Veja de inovação desengordurante Muitas ainda duvidam quando mencioou banheiro, ou as namos que o líquido rende mais que o embalagens em tamanhos maiores pó. Para isso precisamos continuar com de Vanish ou Veja, que tornaram um esforço de mídia e de materiais de mais acessíveis as inovações das ponto de venda para educar a consumimarcas”, acentua Fernanda. dora”, continua. Silvia, da Procter & Gamble, destaca

Robert Schermers, diretor de marketing da área de Higiene e Limpeza da Unilever

a consumidora consegue visualizar o produto e ainda ter a noção exata de quando o produto está acabando e quando será necessária a re-compra. Com as embalagens tradicionais isto não era possível”, ressalta Silvia. Outro exemplo é o da Unilever Brasil

Editora Banas

27


matéria de capa

que relançou as embalagens maiores de 2kg em diante. “Isso se deu devido ao aumento do poder de compra dos consumidores brasileiros que puderam planejar melhor suas necessidades mensais de consumo, migrando de compras picadas de embalagens menores para compras planejadas, de embalagens mais condizentes com o consumo mensal”, afirma Schermers.

SUSTENTABILIDADE: UM CAMINHO SEM VOLTA Diante dessa demanda imperativa no mundo corporativo, as indústrias do setor de higiene e limpeza estão se mobilizando para um planeta melhor. Um bom exemplo dessa nova era é a divisão brasileira da SC Johnson que conta com uma área de pesquisa e desenvolvimento e já vem trabalhando há algum tempo no desenvolvimento de materiais alternativos, com características sustentáveis, como o papelão ondulado produzido com fibras do bagaço de cana, cartões que utilizam

28

Editora Banas

celulose oriunda de remanejo florestas e resinas recicladas pós-consumo, como PET PCR em frascos plásticos e bolhas para blisters. “A empresa tem tido participação ativa em iniciativas de nossos clientes, nas quais trabalhamos a nacionalização de materiais, processos e simplificação de cadeias de suprimentos, proporcionando economia de materiais, redução de consumo de energia, combustíveis fósseis e emissão de CO2”, explica Pereira. Fernanda, da Reckitt Benckiser, afirma: “Estamos avaliando a cadeia de fornecimento dos nossos fornecedores e, junto com eles, trabalhando nos seus processos produtivos para reduzir perdas, consumo de energia, aumento da utilização de material reciclado, operações in house, otimização do transporte até nossa planta, redução de consumo de materiais de paletização etc.” A parceria da Unilever Brasil com os fornecedores visa ao desenvolvimento de embalagens cada vez mais

sustentáveis. Um exemplo disso é a mudança na embalagem do formato vertical para o formato horizontal do sabão em pó Omo, além do novo formato líquido concentrado. “Para este produto, por exemplo, todos os componentes são recicláveis, sendo a tampa de polipropileno, o frasco de polietileno e o rótulo de PET. É importante ressaltar que tanto a embalagem de Omo em pó quanto do Omo líquido superconcentrado são recicláveis”, finaliza Schermers.

INFORMAÇÕES BOMBRIL tel.: 0800-7076161 | www.bombril.com.br PROCTER & GAMBLE tel.: 0800-7015515 | www.procter.com.br RECKITT BENCKISER tel.: 0800-7030304 | www.reckittbenckiser.com.br SC JOHNSON tel.: 0800-7076789 | www.scjohnson.com.br UNILEVER tel.: 0800-7073553 | www.unilever.com.br


Foto: iStockphoto

especial embalagens plásticas higiene e limpeza

Evolução a olhos vistos HIGIENE E LIMPEZA DOMÉSTICA - USO FINAL POR PESO (2008) (TONELADAS)

HIGIENE E LIMPEZA DOMÉSTICA - USO FINAL POR VALOR (2008) (US$ MILHÕES)

300.765

153

7.422

25.690

80.411

FLEXÍVEIS

Fonte: Relatório Brazil Pack 09

Editora Banas

700

PLÁSTICOS

TOTAL PLÁSTICOS PAPEL

30

1038

TOTAL

187.242

A importância da indústria de higiene e limpeza para o setor de embalagens plásticas está nos números. Ela responde por 7,1% do mercado brasileiro de transformados plásticos. E o mundo das embalagens não para de investir para atender as novas necessidades desse segmento

METAIS FLEXÍVEIS

PAPEL

94

METAIS

90

Fonte: Relatório Brazil Pack 09


Existe uma forte tendência para o uso de embalagens de maior volumetria num futuro próximo

C

apaz de ganhar as mais variadas formas, o plástico traduz as inovações em embalagens nas prateleiras dos produtos de higiene e limpeza que visam a atender a tendência imperativa de facilitar a vida da consumidora. Mas não é só isso. As embalagens também estão cada vez mais bonitas para se destacar na gôndola.

A indústria de higiene e limpeza tem uma fatia importante – 7,1% - no bolo total da produção de produtos transformados plásticos, que totalizou 5,19 milhões de toneladas em 2009, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast). E o mercado brasileiro de embalagem plástica acompanha continuamente a evolução desse setor para atender as suas novas necessidades. O mercado de embalagens plásticas sopradas para produtos de higiene e limpeza é bastante representativo em volume e variedades. Segundo Daniel Richena, gerente comercial da Globalpack, empresa que atua nesse mercado há mais de 38 anos, existem embalagens produzidas em diferentes materiais e processos, bem como grande diversidade de cores e acabamentos. “As embalagens plásticas sopradas evoluíram e continuam evoluindo no segmento de produtos de higiene e limpeza, principalmente, devido à forte pressão de custo. Nesse sentido, hoje temos embalagens muito mais resistentes com menor peso, máquinas e moldes altamente produtivos, além de uma busca forte pela qualidade assegurada”, afirma Richena. “A engenharia de produto ganhou muito espaço nesse cenário, pois o trabalho de criação dos produtos é fundamental para esse ganho de produtividade e redução de custo. Além disso, o ganho logístico de uma operação full-service também é muito bem-aceito pelo mercado. Nós temos essa operação em nossa planta fabril, em Recife, Pernambuco, onde produzimos as embalagens, envasamos os produtos e entregamos em sua embalagem definitiva”. Hoje, segundo ele, o setor de higiene e limpeza é o terceiro principal negócio da companhia, representando 15% do total. Evolução a quatro mãos. Em parceria com os fornecedores, a Greco & Guerreiro, que atua nesse mercado há 21 anos, realiza a troca constante de conhecimento e experiência para atender o segmento de higiene e limpeza. Um exemplo de sucesso do seu negócio, segundo Alexandre Gusson, gerente comercial da Greco

Editora Banas

31


especial embalagens plásticas higiene e limpeza

2.0%

COSMÉTICOS E FARMACÊUTICOS AUTOMOBILÍSTICO

1.3%

BRINQUEDOS 0.1% ALIMENTÍCIO

17.5%

CONSTRUÇÃO CIVIL

15.6%

OUTRAS

14.8%

EMBALAGENS

14.5%

AGRÍCOLA

10.6%

UTILIDADES DOMÉSTICAS

9.3% 7.1%

HIGIENE E LIMPEZA CALÇADOS ELETROELETRÔNICO

4.8% 2.4%

Fonte: Anuário Indústria Química Abiquim

& Guerreiro, é a crescente penetração das embalagens recicladas. “no primeiro momento, elas não eram bemaceitas pelas grandes empresas, mas esse paradigma foi quebrado quando essas companhias conheceram melhor os benefícios e até mesmo o apelo ecológico”, afirma.

INOVAÇÃO CONTÍNUA

Foto: Divulgação

Com tantos iguais no ponto de venda e os inúmeros lançamentos, a capacidade de inovar na área de embalagem é fundamental. Quem compartilha desse pensamento é alessandro Mastrogiuseppe, diretor-comercial da igaratiba, empresa que tem 10% de participação no mercado de higiene e

limpeza. “o setor acompanha a dinâmica mercadológica imposta pela competitividade como em qualquer outro segmento. o processo de inovação é contínuo e deve acompanhar suas mudanças de valores. oportunidades sempre existirão e cabe a nós identificá-las e atendê-las”, afirma.

na opinião de Gusson, da Greco & Guerreiro, a inovação na área de embalagem está voltada para o futuro sustentável do planeta. “as crianças já aprendem temas como sustentabilidade, reciclagem, ecologia e meio ambiente nas escolas. Elas serão nossos futuros consumidores, cada vez mais

conscientes e exigentes, por isso as empresas mais responsáveis com seus resíduos e embalagens saem na frente na sua preferência”, explica. Ele continua: “as embalagens recicladas terão uma demanda cada vez maior no Brasil, como já aconteceu em alguns países da Europa. nós estamos adiantados, pois nosso volume de reciclados já responde por mais de 80% da produção.”

TENDÊNCIAS

32

Editora Banas

Alexandre Gusson, gerente-comercial da Greco & Guerreiro

dos produtos. “antigamente, elas eram estritamente funcionais. Hoje, elas estão cada vez mais complexas e inspiradas em produtos de cuidados corporais, garantindo maior atratividade na prateleira”, afirma. “Começamos a ver também o lançamento de refis de produtos em standup pouch. internacionalmente, já vemos a utilização de embalagens retornáveis e reutilizáveis. os consumidores compram o refil em pastilhas com uma fórmula concentrada e apenas adicionam água”, acrescenta o diretor-comercial.

O segmento de higiene e limpeza representa um desafio constante para o fornecedor de embalagens

na Globalpack, as novidades são guardadas a sete chaves. richena acredita que sempre há possibilidades de inovação. “Estamos trabalhando em alguns projetos nesse sentido para 2011”, despista o gerente comercial.

Marcelo Vieira de Sá, gerente de negócios da Canguru Embalagens

Foto: Divulgação

SEGMENTAÇÃO DO MERCADO DE TRANSFORMADOS PLÁSTICOS POR APLICAÇÃO

E quais são as próximas tendências em embalagens plásticas sopradas no mercado brasileiro? na opinião de Mastrogiuseppe, da igaratiba, as embalagens da categoria de higiene e limpeza estão cada vez mais focadas em oferecer e reforçar os benefícios

Para richena, da Globalpack, existe uma forte tendência para o uso de embalagens de maior volumetria num futuro próximo, seguindo o conceito de sustentabilidade e melhor aproveitamento do material. Quem também acredita que a tendência é a sustentabilidade é Gusson, da Greco & Guerreiro. Ele explica: “o segmento de higiene e limpeza é bastante singular. Ele representa um desafio constante para o fornecedor de embalagens que cada vez mais tem que desenvolver embalagens mais


leves e com materiais reciclados, além de garantir a qualidade. Afinal quem quer um frasco de água sanitária, por exemplo, vazando no banco do seu carro?”. Esses novos tempos mostram que existem soluções adequadas para resolver a equação sustentabilidade e demandas das indústrias de higiene e limpeza e dos consumidores.

FLEXÍVEIS GANHARAM AS GÔNDOLAS DE SABÃO EM PÓ A categoria de sabão em pó e líquido é a de maior penetração no mercado brasileiro, mantendo cerca de 30% do faturamento, estimado em R$ 3,5 bilhões, em 2009, segundo dados da Nielsen. De olho no potencial de consumo do consumidor de renda mais baixa, as grandes marcas apostaram nas embalagens flexíveis para colocar o seu sabão em pó nas gôndolas. Esse mercado deve continuar crescendo,

pois está diretamente relacionado ao aumento do consumo de sabão em pó. Marcelo Vieira de Sá, gerente de negócios da Canguru, diz que o custo foi o fator que mais contribuiu para o crescimento da embalagem flexível, já que ela é relativamente mais barata em comparação aos outros tipos de embalagens para sabão em pó. “Se considerarmos todo o processo – embalagem, empacotamento, logística etc. – a embalagem flexível oferece boas possibilidades de baratear o custo do produto na gôndola”, afirma. “Ainda existem possibilidades de crescimento para as embalagens flexíveis dentro da categoria de sabão em pó, considerando o aumento do poder aquisitivo das famílias com baixa renda, que até pouco tempo não tinham acesso ao sabão em pó e muito menos às máquinas de lavar.”

Na opinião de Vieira de Sá, a inovação em embalagens flexíveis de sabão em pó deveria ser concentrada em proporcionar conveniência e praticidade na armazenagem e utilização do produto, pois cada vez mais as famílias terão menos tempo para desenvolver as tarefas domésticas. “Além disso, com a população mais consciente com relação aos efeitos do homem a natureza, desenvolver embalagens com apelo sustentável é extremamente importante e necessário”, finaliza. (M.H.) INFORMAÇÕES CANGURU tel.: (48) 3461-9000 | www.canguru.com.br GLOBALPACK tel.: (11)3908-1253 | www.globalpack.com.br GRECO & GUERREIRO tel.: (11) 4014-4400 | www.grecoeguerreiro.com.br IGARATIBA tel.: (19) 3821-8000 | www.igaratiba.com.br

Editora Banas

33


especial K

A relação simbiótica entre as indústrias de embalagens e plásticos É crescente a participação dos plásticos nas embalagens, assim como aumenta a importância do segmento de embalagens para a indústria plástica!

duto. a top model brasileira Gisele Bündchen, garota-propaganda da marca Pantene, da Procter & Gamble, apareceu na revista BioPlastics, fazendo publicidade do xampu, que deverá ser um dos primeiros a utilizar a nova matéria-prima. a Cromex apresentou sua linha de concentrados de cor e aditivos para os novos polímeros, usando, inclusive, o polietileno verde da Braskem. a Carnevalli, uma das maiores empresas fabricantes de máquinas para filmes marcou presença. segundo seu diretor Wilson Carnevalli, o nível de negócios foi bom e o clima muito positivo não só para as empresas brasileiras. Eles contaram com o trabalho da abimaq e da aPEX. a romi já octogenária, conforme o diretor Hermes Lago Filho, tinha que estar presente para mostrar ao público que a sandretto (adquirida em 2008) está em forma. Eles estão trabalhando na união das linhas para obter os benefícios da sinergia. a rullistandart participa a nove edições e declarou que continua exportando bastante para quase 30 países, por isso, estar presente na K é quase uma obrigação.

o

ASSUNTA NAPOLITANO CAMILO* fechamento dos números do ano de 2010 para essas indústrias consolida a relevância de uma para a outra. a Feira K 2010, realizada em outubro, também demonstrou essa delicada relação. o evento que acontece a cada três anos, na alemanha, e é a mais importante feira do setor plástico, traz máquinas, processos, materiais e insumo. Essa edição atraiu mais de 220 mil visitantes.

na Europa, os principais setores nos quais o plástico é utilizado são embalagens (35%); construção (24%); automotivo (9%); eletroeletrônico (7%); móveis (4%); agricultura (3%) e medicina (2%).

Foto: Divulgação

no Brasil, as embalagens são ainda mais relevantes para a indústria plástica e para o mercado de embalagens. o segmento de plástico é o que mais gera empregos. segundo dados da associação Brasileira da indústria do Plástico (abiplast), o setor empregou, em 2009, 323.727 pessoas.

34

Pela importância da K, muitos expositores brasileiros marcaram presença por lá: Braskem; Carnevalli, CBCril, Cromex, Eletro Forming, Europackne, inbra, Primotécnica, robel, romi, rullistandart, Wortex, e Wutzl. a Braskem apresentou o polietileno verde e o projeto de polipropileno verde. Marcas mundiais como Procter&Gamble e shiseido vão utilizar o novo proEditora Banas

Empresas presentes no Brasil, embora de capital multinacional, que expuseram na feira: Bayer; Basf, Bekum, Bosch, optima, oystar, Coim, Clariant, Polytype, illig, Milliken, Hudson sharp, Karville, Krauss Maffei, Kuka, Kurz, novamont, symphony, radiciPlastics, solvay, Krones, KHs, siPa, Battenfeld, reifenhauser, Husky, W & H, Piovan, dow, aoki, asB, arburg, rotomec, KHs, du Pont, Comexi, Goglio e sidel. alguns destaques: a Battenfeld/Wittmann centralizou suas operações na Áustria e focou na máquina injetora, a Macropower (injeção para até 1000 toneladas); a KraussMaffei mostrou equipamentos processando matérias-primas “verdes” como “woodplastic” (mistura de madeira e plástico, às vezes reciclado).


A Piovan também destacou o processamento de bioresinas, mas não deixou de apresentar toda a sua linha de periféricos. A Comexi, conforme o diretor Roberto Bilichuc, apostou em equipamentos de banda média, como a F4 Flexo, que promete eficiência desde o nome. É esperar para conferir. A W& H continua se dedicando mais em grandes tiragens e desafiando cada vez mais os limites de velocidade em todas as linhas. Os números são fortes: 360 sacolas/minuto; 400 tubos/minuto. A Startinger ® destacou o sistema PET “bottle-to-bottle” (sistema no qual entram garrafas PET usadas e saem novas, sem a perda de suas características). A Basf continua apostando no Ecovio® e Ecoflex®, mas também apresentou a linha Stirolux® de filmes de poliestire-

no para rótulos termoencolhíveis.

superior ao dry off set.

A Dow apostou em “especialidaA Aoki defendeu o seu lema de des”, como materiais com selantes, menor custo em uso ou custo efetivo que permitem fácil abertura sem por produto. comprometer a segurança. Porém A Sidel apresentou uma máquiinvestiu também na na ISBM (injeção/ linha de PVC, isento estiramento/e molNo Brasil, as de ftalatos. por sopro) embalagens são ainda dagem A Clariant preferiu a de alta produtivimais relevantes para dade para polietidiferenciação: trouxe aditivos especiais para leno (PE), além de a indústria plástica a área médica e sermanter suas estrelas e para o mercado de para processamenviços de certificação para plantas dedicato de PET. Aliás, a embalagens das a essa área. empresa foi uma das sensações para emA Husky lançou um novo sistema balagens: embalagem PET grande (2/3 para médias e pequenas tiragens que litros) com alça numa única peça. é compacto e de baixo consumo de energia. Lançou também a Ecobase, Andrios Passos, gerente comercial uma tecnologia que consegue frascos da Sipa destacou o crescimento da até 2,5% mais leves. “onda” de saudabilidade constatada A Polytype apresentou o sistema de impressão flexo+offset, que é muito

pela busca de máquinas para água e sucos com envase a quente.

Editora Banas

35


Fotos: Divulgação

especial K

D2W distribuiu na feira água mineral em garrafas oxidegradáveis

Muitos países adotam a cerveja em PET por segurança e custo

Garrafa de PP com transparência de PET

A KHS destacou a tecnologia Plasmax de barreira para produtos sensíveis. A Krones, sempre presente ao evento, mostrou novas tecnologias, como o aquecimento das preformas por micro-ondas, o que economiza até 50% do consumo de energia, ressaltou Ayrton Irokawa, supervisor comercial. A Weili de Honk Kong apresentou tecnologia capaz de produzir garrafas de PP com transparência de PET (usaram aditivos clarificantes da Milliken) e sem bisphenol! Com o crescimento do mercado de stand up pouches, a Hudson Sharp apresentou novas máquinas que também estarão disponíveis para o mercado brasileiro, afirmou Juliano Criscuolo, diretor comercial. A tônica da feira foi a retomada econômica mundial, ainda que desigual. Como se poderia supor, países como Alemanha, Itália e Japão, tradicionais fornecedores de máquinas, estão perdendo espaço para a China. No entanto, muitas empresas que hoje produzem na China têm capital e tecnologia europeus. A imagem da indústria plástica e seus produtos foi muito atingido perante a opinião pública pela questão da sustentabilidade e, como isso come36

Editora Banas

aspecto de seus processos para dizer que são “sustentáveis” ou “verdes”. Ora porque usavam menos água no processo ou porque seu processo não deixava resíduo. Ora porque usavam mais isso ou aquilo... Enfim, há que se tomar cuidado ou logo nada mais será crível. Aumentando ainda mais as opções, a D2W distribuía água aos participantes em garrafas feitas de material oxidegradável.

Crescimento dos rótulos in mold label

çou a refletir nos resultados dessas empresas, as associações da Europa, principalmente, a Plastics Europe, se mobilizaram para um trabalho de valorização da indústria do plástico. No centro da feira, montaram um estúdio que transmitia ao vivo vários debates que discutiam as contribuições do plástico para a vida moderna, passando por grandes cientistas, como Newton e Einstein, até chegar aos dias atuais. Mostravam a importância de sua presença em vários setores, como medicina, automóveis, eletroeletrônicos e embalagens, sem a qual não seria possível a vida como é hoje.

A delicada relação com a sustentabilidade Um olhar do ponto de vista de quem visitou a feira nas últimas quatro edições: o que era feito e escondido, como as máquinas de reciclagem, agora virou vedete! Muitas empresas apresentaram novos polímeros. Os “verdes” nunca foram tão explorados, fato que, no mínimo, levanta suspeita. Havia até um certo “ar” de “Greenwashing”. Em toda esquina, novos plásticos de fonte renovável, os “bios” (por qualquer aspecto) ou biodegradáveis ou compostáveis. Muitas empresas “usavam” qualquer

Válidas eram as propostas de menor peso ou espessuras mais finas para seus produtos. Nunca antes as máquinas para reciclagem tinham sido vedetes como agora. Menor consumo de energia e de água ganhou destaque. Além de máquinas que possibilitam utilização de material reciclado ou de “novos” materiais. Os chamados “Blue-Green” estavam em alta. Propostas para maiores barreiras em embalagens e de inovação com base na nanociência também foram apresentadas. Para se readquirir respeito é preciso que a indústria e os centros de pesquisa trabalhem no sentido de dar maior contribuição com utilização de menos recursos. É hora de se fazer mais com menos e para mais pessoas. Especificamente em relação às embalagens, destacaria o crescimento das embalagens flexíveis, da tecnologia para rótulos in mold label (IML) e para os termoencolhíveis, e a diversidade de formatos cada vez mais complexos e mais leves dos frascos (o que exige muita tecnologia). A valorização de formatos é acompanhada pela valorização de transparências e cores, atributos que encantam os consumidores e são alvos de pesquisas que apresentam, a cada momento, novos insumos para tornar produtos mais irresistíveis e a experiência de consumo mais agradável. *Assunta Camilo é diretora do Instituto de Embalagens e da consultoria FuturePack.


notas técnicas

BALDES INDUSTRIAIS A Jaguar Plásticos desenvolveu baldes industriais com fechamento hermético para evitar vazamento. Possuem boa resistência ao impacto e empilhamento de até cinco embalagens. Os baldes de 5 e de 7,5 litros estão disponíveis com as seguintes dimensões (com tampa): altura total (228,5 mm e 251,5 mm); diâmetro externo da base (171 mm e 195 mm); diâmetro externo da boca (207 mm e 232,5 mm). JAGUAR PLÁSTICOS. Tel.: (19) 3311-2831 | www.jaguar.ind.br

IMPRESSORA DIGITAL A impressora digital HP Indigo WS6000, comercializada pela Comprint, é indicada para tiragens médias de etiquetas e embalagens. O processamento em uma passada assegura registro perfeito, acumulando todas as separações de imagens na manta e transferindo-as simultaneamente para o substrato. Aceita impressão com comprimento de repetição de 317 x 980 mm, usando o substrato com eficiência e diminuindo o desperdício. O rebobinador possui painel com tela sensível ao toque e fácil de usar e a mesa de separação e o suporte à bobina tornam a mudança de substratos rápida e fácil. O cilindro da manta ajuda na alta velocidade de impressão e o seu controle externo assegura controle preciso da temperatura local, melhorando o processo de impressão conforme o tipo de substrato. Dispõe de gabinete com sete compartimentos de tinta, recipientes grandes de tinta e densitômetro em linha. Além de sistema de reciclagem de óleo usado na formação de imagens, indicadores luminosos de atenção, desbobinador e guia da bobina. COMPRINT Ind. Com. Materiais Gráficos Ltda. Tel.: (11) 3371-3371 | vendas@comprint.com.br

CORTADORA DE FOLHAS A cortadora de folhas S1600 Sheeter, comercializada pela Sertec, é indicada para filmes plásticos e PVC, papéis laminados e outros até 2 mm de espessura. Possui contador eletrônico para controle de número de peças cortadas, mesa coletora com ajuste de ângulo e altura, corte longitudinal e transversal e eixos do material para fixação pneumática. Admite largura de corte de 1600 mm. SERTEC Eletro Mecânica e Comércio. Tel.: (11) 2013-3672 www.sertecmecanica.com.br

EXTRUSORA Com rosca em aço SAE 8550 nitretada e canhão em aço SAE 8550 nitretado e brunido, a extrusora ES, comercializada pela Seibt, opera com capacidade de produção de 8 até 350 kg/h. O acionamento é feito por motor elétrico trifásico, motovariador eletromagnético ou motor de corrente contínua. Possui comando elétrico completo 220v e 380 v. SEIBT Máquinas para Plásticos Ltda. Tel.: (54) 3281-6000 seibt@seibt.com.br

38

Editora Banas


ENVASADORA

CODIFICADOR JATO DE TINTA

Totalmente automática, a envasadora DMS-4000, da Dmom, envasa iogurtes, água mineral, requeijão, doce de leite, entre outros produtos, em copos ou potes. Construída em aço inoxidável e acabamento sanitário, a máquina opera com capacidade de até 4 mil potes/h. Possui alimentação automática de potes ou copos, dosador volumétrico, alimentação automática do selo, selagem automática e alimentação automática de sobretampa. Além de esteira de saída de potes ou copos. DMOM Máquinas Ltda. Tel.: (16) 3852-2001 | dmom@dmom.com.br

O codificador jato de tinta de grandes caracteres 5800, da Markem-Imaje, representa a nova geração da tecnologia hot melt Touch Dry ® , oferecendo excelente qualidade de impressão em papelão corrugado, laminado e filme de embalagem. As tintas hot melt não têm solventes e as impressões de códigos e logotipos secam instantaneamente ao contato, sem manchar nem desbotar, proporcionando códigos 100% legíveis, conforme códigos GS1. Opera com comprimento de impressão de 1000 mm. MARKEM-IMAJE Identificação de Produtos Ltda. Tel.: (11) 3305-9455 | www.markem-imaje.com.br

FILME TERMOENCOLHÍVEL EM ROLO A linha de filme termoencolhível em rolo Polyphane™ Fit, da Avery Dennison, oferece alto índice de encolhimento, entre 20% e 50%, em uma gama mais ampla de garrafas e embalagens. Mesmo nas formas achatadas e nas curvas abruptas, o filme garante um visual elegante e livre de irregularidades, além de alto brilho e transparência. Admite todos os sistemas de impressão: flexografia, rotogravura, offset e digital. Pode ser aplicado utilizando o processo de rotulagem tradicional com fusão a quente ou colagem UV. Está disponível em três versões: Polyphane™ Fit HA, Polyphane™ Fit ST e Polyphane™ Fit STS. AVERY DENNISON do Brasil Ltda. Tel.: (19) 3876-7600 | www.averydennison.com

Editora Banas

39


informe publicitário

“NENHUMA EMPRESA ALCANÇA O SUCESSO SEM A CONTRIBUIÇÃO DE SEUS PARCEIROS” A cadeia de embalagem no Brasil já sabe disso FABIO MESTRINER*

40

EDITORA BANAS

inclusive os de embalagem, e sem eles, nada seriam. Essa conscientização levantada pelo mestre Kotler por sua simplicidade nos chama a atenção para o fato de que coisas tão simples são fundamentais e, muitas vezes, acabam passando despercebidas. O futuro da embalagem passa justamente pela integração da cadeia produtiva que deve trabalhar de forma integrada para o sucesso de todos. Cadeias que trabalham unidas têm mais força e acabam vencendo a competição pela força de seus integrantes. O mesmo pode ser dito sobre os materiais utilizados para a fabricação de embalagens, no qual as antigas barreiras, que confirmavam cada um deles em seu nicho, estão caindo. Hoje, novas perspectivas e possibilidades estão surgindo na integração de materiais e tecnologias. É nessa integração que estão as oportunidades de gerar novas proposições de embalagens que atendam as demandas do consumo contemporâneo. No futuro, existirão mais embalagens porque o modo de vida da sociedade atual e suas características assim o exigem. Nesse contexto, a questão da sustentabilidade ganha destaque, pois o manejo adequado do descarte de embalagens, a reciclagem e a recuperação da energia que nelas estão contidas

originam uma nova indústria, cujo resultado final tem um impacto positivo ao reduzir os eventuais danos que elas poderiam causar, caso fossem dispostas de forma incorreta no meio ambiente. Essa é uma nova atividade que se integrará à cadeia com suas empresas se tornando parceiras dos fabricantes dos produtos, que claramente, terão que responder perante a sociedade pelo destino de suas embalagens. Como disse o mestre, o sucesso das empresas dependerá cada vez mais do trabalho integrado de seus parceiros e da cadeia produtiva a que pertence. O Brasil é o único país do mundo onde a cadeia produtiva da embalagem está reunida numa única entidade com o mesmo objetivo. Aqui, esta integração já tem uma base sólida para acontecer. O que nos aponta para um futuro melhor para este setor.

Foto: Divulgação

E

m sua recente passagem pelo Brasil, Philip Kotler, considerado o papa do marketing, afirmou em sua palestra que nenhuma empresa pode alcançar o sucesso sem a contribuição de seus parceiros. Em poucos setores, isto é tão verdadeiro, como no segmento de embalagem, no qual um conjunto de componentes se junta para formar o produto final. É importante lembrar que a embalagem encontrada no ponto de venda é o resultado da ação de uma cadeia complexa e multidisciplinar que começa na matéria-prima, passa pelos equipamentos, pela linha de produção, a integração de tecnologias, processos e materiais, que serão reunidos pelas empresas usuárias de embalagem, que por sua vez, consolidam o produto final que chega ao mercado. Por exemplo, para um frasco de xampu chegar até a gôndola é necessário o trabalho de quatro indústrias. Uma delas produz o frasco utilizando um tipo de material e tecnologia específicos. Para a confecção da tampa, outro material e uma tecnologia diferente são adotados. O mesmo acontece com o rótulo, e finalmente, com a caixa de papelão ondulado, que transportará o frasco até o ponto de venda. O sucesso da indústria do xampu depende de seus fornecedores,

*Fabio Mestriner é professor coordenador do Núcleo de Estudos da Embalagem ESPM e coordenador do Comitê de estudos Estratégicos da ABRE.


painel de negócios

embalagens, máquinas, equipamentos e acessórios

ANUNCIE AQUI! PAINEL DE NEGÓCIOS

LIGUE OU ENVIE EM E-MAIL

(11) 3500-1910

publicidade@banas.com.br

A REVISTA DE NEGÓCIOS DO

MERCADO DE EMBALAGEM

aguarde a nossa próxima edição > PACK 163 > EDIÇÃO DE MARÇO/2011

Saudabilidade. Alimentos e bebidas orgânicos. CARTUCHOS DE PAPEL CARTÃO

PACK 164> EDIÇÃO DE ABRIL/2011

Conveniência e praticidade

Mercado de fast food e conveniência. PRÉVIA BRASILPLAST

PACK 165> EDIÇÃO DE MAIO/2011

Indulgência

O prazer por meio da embalagem e o papel da embalagem TELEFONES

(11) 3500-1910 para anunciar (11) 3500-1925 para notas técnicas (gratuito) (11) 3500-1931 para receber a Pack ou renovar assinatura publicidade@banas.com.br

www.pack.com.br

CIRCULAÇÃO ESPECIAL (FEIRA DE NEGÓCIOS) BrasilPlast 2011 9 a 13 de maio de 2011 (São Paulo-SP)


índice de anunciantes página

empresa

site

página

empresa

site

9 ............... ANTILHAS.....................................www.antilhas.com.br

19 . ........... MDK................................................ www.interpack.com

38 . ........... ART-TEC...........................www.arttecmaquinas.com.br

37 ............. MGM..................................................www.mgm.com.br

5 ............... BRAGA..............................................www.braga.com.br

41 ............. MOLTEC.......................................... www.moltec.com.br

29 . ........... COGNEX.................................. www.cognex.com/plusid

21.............. NOVELPRINT.............................www.novelprint.com.br

4ªCapa ..... COLACRIL...................................... www.colacril.com.br

35 . ........... PAK TECH................................... www.paktech-opi.com

33 . ........... FASCREEN...................................www.fascreen.com.br

41 ............. PLASVIPACK.............................www.plasvipack.com.br

41 ............. FLUIR PNEUMÁTICA......... www.fluirautomacao.com.br

43 . ........... REED EXHIBITIONS..................www.brasilplast.com.br

13 ............. HAVER BRASIL........................www.haverbrasil.com.br 41 ............. IGARATIBA...................................www.igaratiba.com.br 23 e 28

39 . ........... RENOVE......................... www.renovemaquinas.com.br 2ª Capa e 3 RIGESA.......................................... www.rigesa.com.br 15 . ........... SELOVAC........................................www.selovac.com.br

INSTITUTO DE

.................... EMBALAGENS. ......www.institutodeembalagens.com.br

33 . ........... STRAPET........................................ www.strapet.com.br

39.............. MAGNETEC................................www.magnetec.com.br

33 . ........... TRANSERG.................................. www.transerg.com.br

41 ............. MAINARD........................... www.mainard.com.br/shop

27.............. ULMA................................www.ulmapackaging.com.br

edição 163

US$ 50 bilhões

É o total de vendas mundiais de alimentos orgânicos por ano

março 2011

SAUDABILIDADE

Alimentos e bebidas orgânicos ESPECIAL

Cartuchos de Papel Cartão

Esse é o assunto da edição de março da revista Pack.

42

Editora Banas

Não perca a oportunidade de destacar sua empresa na Edição de março da Revista Pack sobre Saudabilidade - Alimentos e Bebidas Orgânicos.

publicidade@banas.com.br


Profile for Revista Pack

Revista Pack 162 - Fevereiro 2011  

Revista PACK ed. 162q

Revista Pack 162 - Fevereiro 2011  

Revista PACK ed. 162q

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded