Page 1

LENÇÓIS PAULISTA // MARÇO DE 2014 // ANO 1 // EDIÇÃO Nº 1 // PUBLICAÇÃO SEMESTRAL

A REVISTA DA MULHER LENÇOENSE

Jovens EMPREENDEDORAS CADA VEZ MAIS CEDO, A MULHER CONQUISTA SEU ESPAÇO

BEM ESTAR SAÚDE, ESTÉTICA, BELEZA E MUITO MAIS...

SEXO FORTE ELAS ENCARAM PROFISSÕES PESO PESADO

Elas ESTÃO NO

PODER EXECUTIVO, JUDICIÁRIO E POLÍCIA MILITAR

Benê NARESSI

POLIVALENTE: MULHER, MÃE, AVÓ, ESPOSA, AMIGA E EMPRESÁRIA

COMÉRCIO ELAS DÃO AS CARTAS

Amazonas LENÇÓIS PAULISTA É CELEIRO DE TALENTOS

POLÍTICAS NA DÉCADA DE 70, ELAS JÁ ESTAVAM NO LEGISLATIVO LENÇOENSE

Leoas

A MULHER VAI À LUTA


DIRETORES Anderson Prado de Lima [prado@revistaocomercio.com.br] // Breno Corrêa Medola [breno@revistaocomercio.com.br] JORNALISTAS RESPONSÁVEIS [jornalismo@revistaocomercio.com.br] Anderson Prado de Lima | MTB 75.180/SP // Sandro Roberto Alponte | MTB: 46.373/SP COMERCIAL [comercial@revistaocomercio.com.br] Anderson Prado de Lima // Patrícia Prado de Lima // Regina Mello PRODUÇÃO [arte@revistaocomercio.com.br] Breno Corrêa Medola // José Augusto Rodrigues DIAGRAMAÇÃO Breno Corrêa Medola ILUSTRAÇÃO José Augusto Rodrigues FOTOGRAFIA Cíntia Fotografias COLABORAÇÃO Alcimir Antonio do Carmo // Beatriz de Souza Vieira // Juraci Rodrigues // Railson Rodrigues IMPRESSÃO Grafilar | CNPJ: 60.333.853/0002-58 TIRAGEM 5 mil unidades CIRCULAÇÃO Agudos // Borebi // Lençóis Paulista // Macatuba Revista O Comércio // CNPJ: 10.744.028/0001-97 // Rua 13 de Maio, nº 1.347 // Centro // Lençóis Paulista // São Paulo // CEP: 18.683-370 // Telefone: (14) 3264-8187 // Site: www.revistaocomercio.com.br

8 DE MARÇO UMA DATA DE HISTÓRIA E LUTA

Que você mulher é guerreira, batalhadora, que arregaça a manga quando se exige mais de você, que não se deixa abater com obstáculos, que encara jornadas longas de trabalho se for preciso, que cuida da casa, do marido, dos filhos e ainda tem tempo para sorrir, sonhar, viver, todo mundo, se não sabe, deveria saber. Mas o que não podemos nos esquecer é que você também é frágil, símbolo da sensibilidade, delicada, que precisa de carinho, de compreensão, de parceria, de um ombro, nem que seja só amigo, para se deitar, enfim, que você é mulher e faltaria espaço nestas páginas para definir suas qualidades. O dia 8 de março, dia adotado pela ONU – Organização das Nações Unidas – para lembrar as conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres, deve ser comemorado sim. Mas as demonstrações de carinho e reconhecimento por aquilo que você mulher é, deve ecoar durante todos os outros dias do ano. A história conta que o dia internacional da mulher, data que tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho no ano de 1917, foi esquecido nos países ocidentais por longo tem-

po. A data só foi recuperada pelo movimento feminista na década de 60. Na atualidade a celebração perdeu parcialmente o seu sentido original e adquiriu um caráter mais festivo e comercial. E por falar em comercial, a participação das mulheres no mercado de trabalho vem crescendo nos últimos anos e, consequentemente, o poder de compra delas também evoluiu. E com o crescimento da classe C no país, que hoje representa mais de 52% da população brasileira, a participação da mulher no mercado de consumo ganha ainda mais destaque. É nessa faixa que as mulheres têm a maior decisão de compra ou influência na família. Isso porque nessa faixa de renda social cerca de 70% das mulheres são responsáveis pela família. São elas que tomam mais decisões e exercem maior responsabilidade sobre a família e têm mais autonomia social, econômica e de consumo. A verdade é que faz menos de um século que as mulheres conquistaram o direito ao trabalho remunerado, ao voto, aos estudos e até ao prazer. E nesse curto período de tempo, já praticamente alcançaram os homens, que durante milhares de anos tiveram a exclusividade desses privilégios.


ELAS ESTÃO NO PODER 9

PODEROSA

O mundo do trabalho, que até então era desenhado para os homens, tem mudado. Nas últimas décadas, as mulheres vêm ganhando espaço e ocupando cada vez mais cargos de liderança e chefiam mais lares no Brasil. Mas em que medida o poder feminino é diferente? Dados recentes apontam que aqui, mulheres, mesmo em altos cargos executivos, continuam ganhando em média 25% menos que homens. Ao mesmo tempo, elas têm a maioria dos diplomas de 15 dos 20 cursos universitários mais populares do Brasil. Elas também são maioria nas universidades brasileiras (ocupam quase 60% das vagas) e têm mais pós-graduação. Só que, apesar da melhor formação, seguem trabalhando em cargos mais baixos e ganhando menos que irmãos e maridos. De acordo com pesquisa divulgada pelo IBGE – Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística –, as mulheres chefiam 37% das famílias brasileiras, têm maior presença na política – passou de 7,4% em 1992 para 13,3% em 2012 – e hoje estão

ELAS ESTÃO NO PODER

nos mais altos cargos do Poder Executivo federal – presidenta, ministra. Uma participação inédita. Mas se tal situação representa avanço, por que ainda é tão difícil mudar comportamentos masculinos para ocupá-los? O que pensam as mulheres que ‘chegaram lá’? Para responder essas questões, Poderosa ouviu três mulheres de diferentes idades, origens e trajetórias profissionais, em posições de comando em Lençóis Paulista: a prefeita Izabel Cristina Campanari Lorenzetti, 62 anos, a juíza de direito, Ana Lúcia Graça Lima Aiello, e a tenente da Polícia Militar, Letícia Marestoni, 32.

“NADA É POR ACASO”

AS MULHERES, CADA VEZ MAIS, OCUPAM CARGOS DE PODER E DEMONSTRAM HABILIDADE COM AS TAREFAS DESIGNADAS A ELAS; SERÁ QUE EXISTE UM ‘JEITO FEMININO’ DE EXERCER O PODER?

Bel Lorenzetti, é a primeira prefeita da história de Lençóis Paulista, e acredita que todos os passos que são dados na vida são responsáveis pelos acontecimentos futuros. “Tenho certeza de que o fato de hoje estar aqui (no comando do Poder Executivo) se deve aos caminhos que fui trilhando e as escolhas que fiz em toda a minha vida. Nada é por acaso”, ressalta a prefeita.


TENHO CERTEZA DE QUE O FATO DE HOJE ESTAR AQUI (NO COMANDO DO PODER EXECUTIVO) SE DEVE AOS CAMINHOS QUE FUI TRILHANDO E AS ESCOLHAS QUE FIZ EM TODA A MINHA VIDA

Prefeita Bel: “A responsabilidade que tenho como mulher é a mesma que teria se fosse um homem”

Professora de profissão, Bel foi diretora de Cultura, depois de Educação e o trabalho realizado nas duas diretorias lhe credenciaram a ser candidata e ser eleita prefeita em 2008. “Encaro essa missão como um grande peso, mas ao mesmo tempo um grande presente de Deus. Sobrecarregada, a vida particular é reduzida, a gente não é dono da nossa vida, mas ao mesmo tempo é preciso saber que eu fiz essa escolha, e é uma escolha que me coloca a serviço da população e isso dá uma satisfação muito grande quando vejo bons resultados e os projetos sendo realizados”, comenta Bel. “Sinto-me realizada e sei que essa missão tem tempo para começar e terminar, por isso me dedico por inteira”. A equipe mais próxima de Bel também é formada por mulheres. Ela escolheu a dedo a chefe de gabinete, Juliana Cardenas Machado Gonçalves, e a secretária Thais Alessandra de Oliveira. “Conheço as duas há muito tempo e sabem muito bem como é meu jeito de ser”, elogia. Além delas, outras mulheres compõem a assessoria de Bel. “A maioria ainda é homem, mas percebo que com suas características femininas elas correspondem


ELAS ESTÃO NO PODER 11

PODEROSA

muito bem. Entretanto a minha maneira de lidar e de cobrar é igual com todos”, diz. “Mas sinto que a resposta do homem e da mulher diante de algumas situações de trabalho, às vezes, é diferente”. Bel diz que se incomoda em responder questões que envolvem o papel dela como prefeita. “Acho absurda a surpresa de uma mulher ser prefeita e a responsabilidade por ser do sexo feminino. A responsabilidade que tenho como mulher é a mesma que teria se fosse um homem. O que existe é uma maneira diferente de fazer as coisas porque são características diferentes. Nenhum é melhor ou pior por causa disso”, afirma. Mas ela se cobra em fazer uma boa administração também pelo fato de ser mulher. “Quando fui candidata existia uma interrogação por parte de muita gente sobre se seria capaz. E a partir do momento que há uma cobrança, existe um desafio”, diz. “Então, desde que assumi como prefeita, sempre senti sobre meus ombros a responsabilidade de defender a mulher aqui no Executivo. As pessoas vão me tomar como exemplo, como figura símbolo de todas as mulheres, se eu não der certo pode ficar o recado de que a mulher não dá certo, a mulher não é capaz”.

AMBIENTE MASCULINO

Para a tenente Letícia Marestoni o ambiente tipicamente masculino dos batalhões nunca foi problema. Há 14 anos na Polícia Militar ela encara o dia a dia sem maiores problemas. “Desde que entrei para a Polícia as diferenças já

eram menores. Pelo menos no que diz respeito aos batalhões. Já estavam unificados. Antes eram separados e homens e mulheres ficavam em ambientes diferentes”, explica. Quando mais jovem, ela não sonhou em ser policial. Porém, o histórico familiar parece ter pesado na sua decisão. “Num primeiro momento não foi algo que pensei em fazer, mas com o passar do tempo fui vendo essa carreira com mais carinho e acreditei que seria uma boa opção. Ainda bem que deu certo”, conta ela. Tenente Letícia é da cidade de Pederneiras. Prestou vestibular e ingressou na Academia de Polícia Militar do Barro Branco aos 18 anos. Foi aspirante na capital paulista, depois atuou em Campinas e quando surgiu a vaga para trabalhar em Lençóis Paulista não pensou duas vezes. Na cidade mais quatro mulheres fazem parte do batalhão. O convívio com as colegas é o mesmo que tem com os homens. “Não vejo diferença entre os assuntos que trato com as mulheres e os homens. Aqui somos todos profissionais”, diz ela. Na rua, a tenente também nunca percebeu diferença. “Em algum momento pode ser que a população olhe um pouco estranho, mas só onde não havia mulheres atuando. Porém, tem também aqueles que vêem com mais simpatia”, comenta. Quanto ao tratamento a gente recebe treinamento para as situações de rua e sabemos como evitar qualquer gracinha”. O início de carreira é considerado pela tenente o momento de maior dificuldade. “Ficar em São Paulo, longe da família, novo ambiente, novas pessoas, eu


NÃO VEJO DIFERENÇA ENTRE OS ASSUNTOS QUE TRATO COM AS MULHERES E OS HOMENS com apenas 18 anos, enfim, foi preciso ter paciência para a adaptação”, lembra. “Estava acostumada com minha casa, com meus pais, e de repente morar num quartel, alojamento, com meninas que nunca tinha visto, foi um pouco complicado”.

CARINHO E DEDICAÇÃO

A tenente Letícia afirma que o ambiente tipicamente masculino dos batalhões nunca foi problema

A juíza Ana Lúcia não vê diferença entre o seu cargo e as demais profissões. Avalia que cada um tem o seu grau de importância para a sociedade. “No meu trabalho tenho o máximo de responsabilidade e cuido do que faço com muito carinho e dedicação”, afirma ela. “Devemos estar sempre estudando, trabalhando muito e avaliando cada caso”. Mais do que o lado feminino, ela procura ver nos casos que julga o lado humano e particular de cada um. “Tenho esse perfil não só por ser mulher, mas por ser uma característica minha mesmo. Olho as particularidades da pessoa, se é perigosa, se deve ficar em cárcere, independente de como a lei classifica no geral. Há casos e casos e vejo individualmente as situações”, comenta. “Mas é uma característica minha e não por ser mulher”. A juíza de direito de Lençóis Paulista iniciou sua carreira em uma época em que aumentou a procura de


DEVEMOS ESTAR SEMPRE ESTUDANDO, TRABALHANDO MUITO E AVALIANDO CADA CASO mulheres pelo Poder Judiciário. “A tradição no judiciário foi sempre de ter mais homens, mas em 1998, no ano em que passei no concurso, o número de homens e mulheres estava equilibrado”, lembra doutora Ana Lúcia. “Hoje há concursos em que existem mais mulheres do que homens”. Ela avalia positivamente a mulher ganhando mais espaço em todos os setores. “Até o final dos anos 60 a mulher não tinha capacidade civil. Felizmente foi conquistando seus direitos, como o voto, e hoje temos mulheres na política, no Poder Legislativo e aqui em Lençóis no Poder Executivo”, diz. “E também é positivo muitos homens realizando tarefas que até então eram feitas só por mulheres, como na cozinha, por exemplo”. Fora do fórum, a juíza diz que sua vida é como de qualquer outra mulher. À noite fica com as crianças, ajuda nas tarefas escolares e no período da manhã faz ginástica, vai ao mercado e cuida da casa. E é enfática em dizer que se sente realizada, apesar de ter planejado ser promotora. “Quando terminei a faculdade pensei em seguir carreira no Ministério Público. Prestei concurso em 96, mas não passei. Em 97 novamente não passei, mas já prestei para magistratura. Em 98 fui aprovada e esse foi meu destino. Sou muito feliz”, afirma.

A doutora Ana Lúcia disse que pensou em ser promotora, mas o destino lhe preparou o cargo de juíza


ANA LÚCIA RANZANI PRIMEIRA SECRETÁRIA

PRISCILA BOARATO PRIMEIRA TESOUREIRA

CÍNTIA DUARTE SEGUNDA TESOUREIRA

Comércio mais feminino ACILPA TÊM TRÊS MULHERES NA DIRETORIA EXECUTIVA; ENTIDADE ABRE CALENDÁRIO DE CAMPANHAS HOMENAGEANDO O DIA INTERNACIONAL DA MULHER

A mulher tem papel importante no comércio de Lençóis Paulista. Nesta nova diretoria da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) elas ocupam três cadeiras na diretoria executiva. Participam efetivamente dos rumos da entidade. O trabalho é voluntário. Se imaginarmos o comércio de Lençóis como um grande jardim, é como se elas abrissem mão do pequeno jardim que poderiam plantar para si mesmas e ajudassem a cuidar do jardim inteiro, de todos. É assim que podemos classificar a atuação de Ana Lúcia de Conti Barbosa Ranzani (Óticas Guarani), primeira secretária, Priscila Orsi Moretto Boarato (Truck Center), primeira tesoureira e Cíntia Terezinha Duarte de Souza Silva (Cíntia Fotografias), segunda tesoureira. O objetivo, segundo o presidente da Associação, Anderson Prado, é o olhar da mulher ser presença marcante nas reuniões que discutem as ações do comércio local. “Cada uma de nós está em uma fase de vida, se apresenta com uma história diferente, cada uma de um segmento diferente, então a gente agrega valor e percebo que somamos forças”, comenta Cíntia. “Como mulher temos algumas peculiaridades. Em algumas situações colocamos o coração, afinal somos um pouco mãe e os homens são mais a razão”. Para Priscila, não poderia haver diferença entre ho-

mem e mulher. “Teria que ser uma coisa natural, mas a história nunca foi assim né? Então, agora que as coisas estão mudando estamos crescendo, dando a cara para bater e fazendo bem feito”, diz. “Estou na Acilpa, colaborando com todo o grupo, porque sei que tenho algo para oferecer. Estou ali para colaborar, somar e fazer cada vez mais para o crescimento de Lençóis. Nosso objetivo é fazer com que nosso comércio seja forte e as pessoas gastem aqui”. A reação das comerciantes com três mulheres na diretoria executiva da Acilpa foi positiva, segundo Ana Lúcia. “A maior parte do comércio tem mulheres à frente. E elas reagiram bem porque sabem que estamos lá para ajudar mesmo. Queremos uma união de todos para sermos fortes”, ressalta ela. “Temos nos últimos anos uma associação estruturada, organizada, mais transparente e isso é legal porque motiva a gente participar cada vez mais”.

PRIMEIRA CAMPANHA

Para homenagear as mulheres, a primeira ação da Acilpa em 2014 foi a campanha ‘Buenos Aires aí vou eu’, que entre vários prêmios sorteou uma viagem com acompanhante para Buenos Aires. O dia das mães é a próxima data festiva para a entidade.


EDITORIAL 05

PODEROSA!

AS BELAS DA FACILPA EVENTO SÓ PODE TER PARTICIPAÇÕES DE GAROTAS DE LENÇÓIS PAULISTA; PRÊMIOS EM DINHEIRO SOMAM R$ 7,5 MIL As interessadas em participar do concurso Rainha da Facilpa 2014 tem até o final deste mês de março para se inscrever. O número de candidatas nesta primeira fase é ilimitado. Todas as participantes que preencherem os critérios terão suas vagas garantidas para concorrer. A taxa de inscrição é de R$ 25. No ato da inscrição, que pode ser feita na Cíntia Fotografias ou através do site www.rainhadafacilpa.com.br, serão agendados os dias e o horário para o ensaio que definirá as três fotos que vão para a votação virtual. Em 2013 o evento registrou os maiores índices digitais já vistos em Lençóis Paulista e região. Ao todo foram mais de 65 mil votos que partiram de 25 mil computadores diferentes. Neste ano, a premiação em dinheiro aumentou. Ao todo são R$ 7,5 mil. A rainha recebe R$ 3 mil, a princesa R$ 2,5 mil e a madrinha R$ 2 mil. O que também mudou é o número de finalistas, que passou de 10 para 12, e a participação que agora é restrita a garotas que moram em Lençóis Paulista ou que trabalham no município há

pelo menos um ano. O sucesso do evento no ano passado fez com que a Associação Rural de Lençóis Paulista, responsável pela realização do concurso, mantivesse os parceiros do ano passado. Por isso a organização e coordenação continuam a cargo da Revista O Comércio e a produção com a Cíntia Fotografias. No dia 21 de abril, a partir das 9h, será anunciado quem são as 12 finalistas que foram escolhidas através da votação virtual na fanpage www.facebook.com/rainhadafacilpa. A escolha das três primeiras colocadas ficará a cargo de um júri soberano, no dia 28 de abril. O concurso Rainha da Facilpa tem por objetivos fundamentais divulgar a Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista (Facilpa) em todos os meios de comunicação, representar a beleza lençoense e promover os aspectos de cidadania no que tange à valorização da mulher e do município. Os detalhes do regulamento e o formulário de inscrição estão disponíveis no site www.rainhadafacilpa.com.br.


PODEROSA

24

HORAS

NATÁLIA E CARLOS MORELLI ADMINISTRAM JUNTOS AS QUATRO LOJAS DA FAMÍLIA E ELA AFIRMA: “A GENTE SE RESPEITA MUITO E ACREDITA UM NO OUTRO”

SEMPRE JUNTOS 19

Casais que trabalham juntos são mais compreensivos e o relacionamento é mais agradável. Esta é a conclusão de um estudo realizado pela ISMA-BR, associação internacional que se dedica à prevenção e ao tratamento do estresse, com 608 casais. Foi analisado se fazia diferença estar na mesma empresa ou ocupação para diminuir o conflito entre o trabalho e a família. De acordo com os dados, 80% dos casais da mesma ocupação e empresa lidam melhor com a demanda, se dão mais apoio e têm menos desgaste emocional. Foi sugerido que aqueles que trabalham juntos como donos ou sócios de uma empresa, devem definir muito claramente os papéis que exercerão para que não haja competições que, quando ocorrem, acabam desviando o foco dos interesses da empresa para os interesses da relação amorosa do casal. O casal Natália Morelli, 32 anos, e Carlos Morelli, 33 anos, proprietários da OK Modas e mais três lojas de roupas e calçados, parecem ter estudado bem essa lição quando decidiram trabalhar juntos há 14 anos. “A parte de planejamento e a administração fica a cargo do Carlos. A minha parte é mais o contato com as meninas das lojas, com a venda ao cliente”, revela Natália. “A gente se dá bem no trabalho por causa disso. Talvez se eu ficasse no escritório com ele, pode ser que houvesse algum choque de ideias. Mas dessa maneira, cada um atuando em uma área, nosso relacionamento é muito bom”.

Foto: Cíntia Fotografias

O casal Natália e Carlos trabalha há 14 anos juntos e garantem que ficar perto um do outro os torna mais felizes

HARMONIA EM CASA

Evidentemente trabalhar junto fica muito mais fácil quando o casal se dá bem em casa. “A gente sempre se deu muito bem. Gosto de estar perto dele, a gente se entende bem, o trabalho é meio que a extensão de casa”, afirma Natália. “Nós nos policiamos um pouco para não levar os problemas da loja para a casa e nem os de casa para a loja. Isso evita desgastes. A gente se respeita muito e confia um no outro”. Mas mesmo trabalhando juntos, têm dias em que os dois só se vêem de manhã, antes de ir para o trabalho e à noite, quando já estão em casa. “Temos horários diferentes. O Carlos sai primeiro de casa e eu fico com nossa filha (Izadora, 4 anos)”,

diz Natália. “A gente trabalha juntos, mas, às vezes, também não trabalha. São quatro lojas para tomar conta. Eu fico ano escritório, mas a Natália percorre as quatro. Então, às vezes, nos falamos só por telefone”, completa Carlos. Natália e Carlos, que são casados há

nove anos, demonstram que conviver em harmonia requer atenção, sensibilidade e cuidado com o outro. Conviver simultaneamente numa relação amorosa e profissional requer, além de tudo isso, a habilidade de passar de um papel para o outro com a destreza de um equilibrista.


20 100% MULHER

elas

PODEROSA

AGORA É QUE SÃO

A novela ‘Agora é que São Elas’ exibida pela Rede Globo no ano de 2003 tinha como fio condutor da trama as mulheres e suas histórias. Uma cooperativa organizada por mulheres produzia couro e DUAS EMPRESAS DE calçados na cidade e revelava a importância da economia dominada pelas LENÇÓIS PAULISTA mulheres no vilarejo de São Francisco SÃO COMPOSTAS das Formigas. As mulheres ficaram cada vez mais ativas e acabaram asEXCLUSIVAMENTE POR sumindo o papel dos homens no muMULHERES; AS DUAS nicípio, e eles, por falta de emprego, terminaram se dedicando às tarefas PROPRIETÁRIAS AFIRMAM domésticas, o que abalou as estruturas QUE NÃO SE TRATA DE patriarcais do poder de Bocaiúvas (cidade fictícia). COINCIDÊNCIA É claro que a ficção do autor Ricardo Linhares parece estar longe de acontecer. Porém, em algumas empresas, a preferência exclusiva por mulheres é real. Aqui em Lençóis Paulista, a Mimolé Modas e


100% MULHER 21

PODEROSA Fotos: Cíntia Fotografias

NUNCA FOI NADA PROGRAMADO PARA TERMOS SÓ MULHERES Espaço Noivas e a Farmácia Homeopática só contratam pessoas do sexo feminino. Maria Benedita Lopes Naressi, proprietária da Mimolé, diz que em suas duas lojas não teria espaço para homens. “Poderia até contratar cabeleireiro ou colocar em alguma outra atividade administrativa, mas prefiro mulher”, diz. “Tenho três cabeleireiras, maquiadora, mas elas acompanham na prova do vestido e outras tarefas e não seria legal. É mais serviço para mulher mesmo e se tivesse que optar entre um e outro, optaria pela mulher”. Célia Regina Aiello Dal Bem, da Farmácia Homeopática, concorda com a colega empresária. “Nunca foi nada programado para termos só mulheres, mas

Célia disse que já tentou trabalhar com homens, mas não deu certo

Benê diz que nas suas duas lojas o espaço tem que ser preenchido por mulheres

sempre na hora de contratar acabou sendo mulher. E de repente temos 20 meninas trabalhando aqui com a gente. E como percebemos que trabalhar assim dá certo, então sempre que é preciso reposição a preferência é por mulher”, conta ela. “Já tentamos colocar homem aqui, mas o relacionamento para gerenciar é melhor com a mulher. Como sempre deu certo, não me arrependo”. Ela acredita que a sensibilidade da mulher ajuda no dia a dia do trabalho. “A mulher vem avançando neste espaço de trabalho e o relacionamento fica mais humanizado. Como o mercado foi abrindo espaço, a gente foi entrando”, avalia Célia. “A mulher é mais preparada. A nossa cultura é assim”, completa Benê.

... SE TIVESSE QUE OPTAR ENTRE UM E OUTRO, OPTARIA PELA MULHER


PODEROSA

SALTOALTO

NA INDÚSTRIA Foi-se a época em que pilotar fogão era a única especialidade das mulheres. De maneira mais delicada, mas não menos competente, as mulheres já conquistaram espaço e respeito no meio industrial de Lençóis Paulista e região e o ambiente dominado por homens não as incomoda mais. Hoje, as novas tendências mundiais em

relação ao trabalho e o aumento da qualificação da mulher, são fatores que proporcionam algumas oportunidades para a ascensão das mulheres nas organizações, especialmente, em cargos de comando. Porém, Maria Luiza Boso, 64 anos, desde 1978 no comando da empresa Belmont Alimentos e Ivana Maria Tre-

INDÚSTRIA FEMININA 23

MARIA LUIZA BOSO E IVANA MARIA TRECENTI SANTOS ADMINISTRAM DUAS IMPORTANTES EMPRESAS DO MUNICÍPIO: BELMONT ALIMENTOS E THOMRISS EMBALAGENS PLÁSTICAS; ELAS NARRAM SUAS TRAJETÓRIAS PROFISSIONAIS

centi Santos, 51 anos, há 15 à frente da Thomriss Embalagens Plásticas, já ocupam cargos de comando há vários anos. Elas compartilham conosco suas conquistas, relembrando eventuais adversidades e preconceitos que tiveram que superar para continuarem firmes no comando de suas respectivas organizações.

ENCAROU O DESAFIO

O Vinagre Belmont veio para Lençóis em 1977. A empresa era de Piracicaba. A vinda para a cidade foi para produzir e engarrafar. E para isso, era preciso alguém para administrar o novo negócio. Maria Luiza encarou o desafio. Deixou o Banespa, onde era concursada e tinha um bom salário, para cuidar dos negócios da família. E os negócios cresceram. Nesses 36 anos, a hoje Belmont Alimentos, passou de 1.500 caixas engarrafadas por mês para 8 mil por dia. “É uma empresa que cresceu aqui na cidade”, diz ela. “Temos cerca de 80 funcionários e vendemos para estados como Paraná, Belo Horizonte, Minas Gerais”. Em 1978 não era algo tão comum uma mulher assumir a administração de uma empresa. Ela é uma das primeiras mulheres, senão a primeira, do município a assumir o comando de uma empresa. “Me sinto realizada e feliz. Deixei tudo para buscar o sonho que era administrar uma empresa”, conta Maria Luiza. “Sofri bastante no início porque ninguém acreditava na mulher. Mas venci, provei o valor da mulher. E os números da empresa demonstram isso”. Filha de Hugo Boso, 92 anos, empreendedor que trouxe a Vinagre Belmont para Lençóis, Maria Luiza têm mais três irmãos. “A nossa família se reúne todo final de semana. Todos! É algo que mantemos e que nos alegra muito”. Fotos: Cíntia Fotografias

EM FAMÍLIA

Ivana Trecenti divide seu tempo entre o mundo dos negócios e família. É casada com Tomaz Sebastião dos Santos (diretor presidente da Thomriss), com quem tem um casal de filhos (Daniel e Mariana), genro (Rui) e neta (Maria Fernanda). Ela é diretora administrativa da Thomriss e no dia a dia é responsável geral pela empresa. “A gente acaba fazendo tudo. Na verdade nunca há uma rotina a ser seguida, pois sempre surgem imprevistos para serem resolvidos e isso faz com que eu esteja presente nas decisões de diversas áreas da empresa”, comenta. “Aliás, esse é um dos desafios na minha função, ou seja, tomar as decisões mais corretas possíveis e, por isso, sempre conto com o apoio da minha equipe”. O fato de ser mulher e estar no comando de uma empresa, não é um empecilho. “Acredito que a aceitação da mulher nos cargos de liderança está cada vez melhor, sei que ainda existe preconceito por parte de alguns homens, mas isso tem ficado para trás”, avalia Ivana. “No meu caso, sempre fui tratada com muito respeito”. Para ela, as mulheres estão desempenhando cada vez mais e melhor cargos de liderança. “Somos muito determinadas e conseguimos desenvolver várias tarefas ao mesmo tempo”, diz. “Pesquisas apontam que as mulheres estudam mais que os homens e estão colocando a carreira profissional em primeiro plano”.


24 NO COMANDO

Sensibilidade

PODEROSA

PARA COMANDAR EMPRESAS APOSTAM EM GERENTES MULHERES; PESQUISA APONTA QUE ELAS SÃO MAIS JUSTAS, COMUNICADORAS E TRABALHAM EM EQUIPE!

Ana Lúcia não vê diferença em liderar homens e mulheres: temos que ser companheiros uns dos outros

As mulheres, a cada dia, avançam na conquista de espaços no mercado de trabalho e onde mais houver brechas para entrarem. Pesquisa publicada pelo Jornal Britânico de Psicologia Social revela que em momentos de crise, as corporações preferem contratar mulheres para assumir cargos de chefia. E qual o motivo disso? Diferentemente dos homens, que segundo o estudo, possuem características de competitividade e independência, as mulheres são mais justas, comunicadoras e trabalham em equipe com mais facilidade. Além dessas características, muitas mulheres também possuem a capacidade de desempenhar inúmeras tarefas ao mesmo tempo, o que ajuda a reverter o quadro de crise, sem perder o controle sobre as ativida-


NO COMANDO 25

PODEROSA

des rotineiras da empresa. A sensibilidade para lidar com situações mais delicadas e compreender pessoas em momentos de maior tensão é um dos grandes segredos no gerenciamento de crise. Ana Lúcia Vieira, 44 anos, é gerente geral da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) há seis anos, mas há 20 está na entidade. Começou como gerente administrativa. “Acredito que as mulheres enxergam de maneira mais aceitável. Encarei o desafio aqui com naturalidade, pois já atuava como gerente no Supermercado Santa Catarina”, comentou. Está sob a supervisão de Ana Lúcia outros colaboradores, a maioria mulheres. “Não vejo diferença entre um e outro. Mas entendo que mulher é mais emoção e coração e os homens mais razão. E independente do sexo temos que liderar e ser companheiros uns dos outros”, afirma. Experiência também não falta para Daniela de Andrade Almei-

Fotos: Cíntia Fotografias

da, 34 anos, gerente comercial da HOT 107 FM. Há 16 anos ela atua na área de venda. “Acho que não importa se é homem ou mulher. No ramo em que atuo, hoje o mercado exige mais do que apenas uma simples venda de anúncio. Me considero consultora de venda. Isso porque o cliente quer um atendimento personalizado. Temos que criar a propaganda, o planejamento de marketing, a criação do texto”, comenta. O fato de ser mulher não a impede de estar presente em várias cidades onde há emissora têm clientes. “Isso nunca foi obstáculo pra mim. Até acho que dirigir é o meu lado masculino”, brinca ela. “Atendo sete cidades da região e muitas vezes preciso estar presente. Às vezes, até à noite, no caso de faculdades. Mas encaro numa boa. Me sinto realizada e o que consegui em minha vida foi graças à minha profissão”. Dani Almeida muitas vezes tem que viajar a região e não vê problemas por ser mulher


MERCADO 27

PODEROSA

Capacidade de superação, dedicação maior que o homem, mais sensitiva, mais qualificada, informada, organizada e planejada e facilidade para resolver vários assuntos ao mesmo tempo. Estas são algumas das características apontadas pelo gerente do escritório regional do Sebrae-SP, em Bauru, Milton Debiasi, como prováveis responsáveis pelo aumento de empreendedoras no mundo dos negócios. Os números comprovam que elas são maioria entre os novos empreendedores, aqueles com menos de três anos e meio de atividade. Segundo dados revelados pelo Sebrae a partir da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 52% dos novos empreendedores no Brasil são mulheres. As mulheres que apostam em novos empreendimentos são maioria em quatro das cinco regiões brasileiras – só no Nordeste ainda não ultrapassam os homens, mas já chegam a 49% de participação entre os novos empresários. “O advento da classe média fez com que mais pessoas precisassem de recursos e, consequentemente, mais gente no mercado e trabalhando. As mulheres identificaram aí a oportunidade de trabalho e abraçaram isso”, comenta o gerente do Sebrae. “E cuidando de seu próprio negócio a mulher percebeu que ela tem mais flexibilidade nos horários. E entre a carteira assinada, onde tem que ficar no local de trabalho e a possibilidade de ter seu negócio e cuidar da casa, ela preferiu ter sua empresa”.

MERCADO

COR DE ROSA

CADA VEZ MAIS MULHERES ESTÃO ABRINDO SEU PRÓPRIO NEGÓCIO; GERENTE DO SEBRAE AFIRMA QUE O PERFIL FEMININO COMBINA COM O ATUAL CENÁRIO ECONÔMICO

FEMININO E ESCOLARIZADO

Foto: arquivo pessoal

MAIS PREPARADAS

O perfil feminino combina com o atual cenário econômico. As mulheres procuram estudar mais, ter especializações, querem ter qualificação para empreender. “O fato de estarem acostumadas a resolver vários assuntos ao mesmo tempo (trabalho, casa, filhos) também ajuda no comando das empresas”, diz Milton. “E muitos jovens já saem da faculdade com a visão de empreendedorismo. E como a maior parte é mulher, isso contribui para essas estatísticas”.

A pesquisa mostra também que 66% das mulheres começam uma nova empresa após identificar oportunidade de mercado e não apenas pela falta de alternativas no mercado de trabalho. A flexibilidade para administrar o próprio negócio e a força do mercado interno brasileiro, com a expansão da classe média, estão entre as explicações para o número de mulheres empreendedoras. A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, segundo Milton Debiasi, colaborou para a formalização dos negócios das mulheres. “Nós tínhamos muitos negócios na informalidade e essa lei proporcionou um ambiente melhor para o micro empreendedor individual”, explica. “Com o benefício de pagar um pequeno valor de imposto, muita gente começou a se formalizar e as mulheres entraram nessa estatística. Afinal, elas já trabalhavam muito com estética, beleza, alimentos, artesanato, venda porta a porta, enfim, eram serviços que não eram identificados anteriormente”.

Milton Debiasi é gerente do escritório regional do Sebrae-SP, em Bauru

Para o gerente do Sebrae, o sexo feminino mostra que superação e dedicação são qualidades presentes em todas as empreendedoras. “Algumas características, tipicamente femininas, fazem a diferença. Além de usar muito o lado sensitivo, as mulheres tem um diferencial no que diz respeito a serviços, área em que é preciso ter facilidade de relacionamento com clientes”, diz. “A cada ano, o pefil do empreendedor brasileiro se torna mais feminino e mais escolarizado. As mulheres investem em qualificação, buscam acesso às informações, não permitem amadorismo”. Uma prova é o índice de escolaridade: 49% dos donos de novos negócios – em que as mulheres são maioria – têm pelo menos o segundo grau completo. Já entre os donos de negócios estabelecidos (com mais de três anos e meio de atividade) – em que os homens são maioria – o índice é de 41%.


COMPORTAMENTO 29

PODEROSA

A MULHER HOMEM? É O NOVO

DONAS DE SUAS PRÓPRIAS PERSONALIDADES, O SEXO FEMININO CADA VEZ MAIS DOMINA E CONQUISTA ESPAÇO NAS MAIS DIFERENTES ÁREAS; ATÉ ONDE ANTES SÓ SE VIA HOMENS, ELAS ESTÃO LÁ! A mulher é o novo homem? Depois da Nova Mulher, da Mulher X, da Mulher Y, da Mulher Polvo, agora se fala que a mulher é o novo homem. A mulher saiu do conforto do lar. Está em todos os setores. Mesmo naqueles em que jamais podíamos imaginar. É forte, guerreira, briga por seu espaço. Mas será que ela é mesmo o novo homem? A pergunta feita por Freud no início do século passado (o que quer a mulher?) não só se-

gue sem resposta, como agora vale também para os homens: o que quer o homem? Aliás, se pensarmos que masculinidade e feminilidade andam com contornos um tanto borrados, a própria afirmação ‘a mulher é o novo homem’ não elucidaria muita coisa, já que ninguém mais sabe ao certo o que é ser homem também. Para abordarmos essa dúvida sobre o que é coisa de homem e o que é coisa de

mulher, buscamos três exemplos de mulheres que exercem funções que até pouco tempo eram realizadas exclusivamente por homens. Fomos ouvir as experiências da pastora Sônia Cruz, da Igreja Presbiteriana Renovada, Anaísa Basili Abade, presidente da Liga Lençoense de Futebol Amador, e Gisele Toledo, delegada regional do Creci (Conselho Regional de Corretores de Imóveis) e sócia-proprietária da Toledo Imóveis.

SALVANDO ALMAS

Sônia Cruz diz que é uma honra ser pastora. “É algo que exige muito da gente. Precisa renunciar muita coisa e sentir o chamado de Deus”, explica. “A gente estuda muito, mas se não tiver um chamado não vai ser pastora”. Ela conta que ser pastora é uma atividade exercida em todo momento. “Muitas vezes preciso deixar família de lado para cumprir com minha obrigação. Fiz esta escolha em minha vida”, relata Sônia. “Ajudo meu marido na igreja, que é o pastor, mas quando ele não está tenho liberdade para fazer a pregação, batismo e casamento”. O papel da mulher nos dias de hoje é elogiado pela pastora, mas ela faz um alerta. “Gostaria que as mulheres pudessem levar Deus para dentro de casa. Porque muitas vezes nos esquecemos e se preocupamos muito com nossa parte exterior e temos que nos preocupar com o nosso coração, nosso interior e fazer do nosso lar um pedacinho do céu”, comenta. Fotos: Cíntia Fotografias

A PRESIDENTA

Anaísa Abade entrou num território tipicamente masculino. Apesar de o futebol feminino já engatinhar, ser presidenta da Liga Lençoense de Futebol Amador, foi corajoso. “Para mim o futebol vem de sangue. Meu pai (Alcides) era apaixonado por futebol e a gente desde criança já o acompanhava no futebol varzeano na capital”, lembra ela. “Não foi jogador profissional porque meu avô não deixou. E por causa dessa tradição é que conheci o Cláudio Abade, meu marido”. Quando vieram para Lençóis, Cláudio começou um trabalho de escolinha de futebol e Ana estava sempre junta. Os dois integraram a Liga e hoje ela é presidenta há quatro anos. “Às vezes sou questionada como tenho coragem. Mas mesmo sendo um ambiente totalmente masculino, me sinto à vontade. O Cláudio me ajuda muito”, explica. E ela se sente realizada. “Nunca pensei que fosse entrar numa área que gostasse tanto, apesar de ter feito curso técnico em administração e formação em Gestão Pública”, ressalta.

ELA É QUEM COMANDA

Gisele Toledo há dez anos é delegada regional do Creci e não gosta de analisar a competência através do sexo. “Não vejo como cargo ocupado somente por homens ou mulheres, todos os cargos podem e devem ser ocupados por pessoas competentes e moldadas para aquele mister, sejam elas homens ou mulheres, o que importa é a competência e não o sexo”, afirma. “Todo poder tem duas faces, aquela exercida pelo homem e aquela exercida pela mulher, cada qual com seu jeito peculiar”. Ela afirma que não tem encontrado dificuldade em impor o seu modo de trabalhar. “Tive a sorte de poder contar com colegas de profissão que têm exercido a corretagem dentro de uma ética inquestionável. E a rotina é bem simples, aliás, sem muitos problemas felizmente”, diz. Gisele também elogia o empenho da mulher no mercado atual. “A mulher têm feito um grande esforço no mundo de hoje, não com intuito de se equiparar aos homens, mas de ver uma pátria mais amada e mais gentil”, afirma.


30 TALENTO JOVEM

JOVENS

PODEROSA

EMPREENDEDORAS

À FRENTE DE NEGÓCIOS PRÓPRIOS OU DA FAMÍLIA, JOVENS MOSTRAM TALENTO EM ADMINISTRAR; DESEJO DE TER O PRÓPRIO NEGÓCIO É COMUM ENTRE ELAS

Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas e publicada na revista Exame no final de 2013 aponta que os jovens brasileiros desejam empreender e ter o próprio negócio. Cerca de 80% dos entrevistados esperam se tornar empreendedores dentro de 10 anos. E entre a maioria desses jovens estão as mulheres. É cada vez mais comum vê-las à frente de negócios próprios ou da família. Gina Mara Foganholi, 35 anos, é uma dessas mulheres. Mãe de três filhos, ela divide o seu tempo entre administrar o Hotel Passer e cuidar das crianças. Mas afirma: “acho que faço pouco. Quero voltar a estudar”. Para ela, tempo não é problema. “Quem faz o tempo é a gente. Por isso quero voltar

para a escola e estudar psicologia”, diz. Ela e a mãe cuidam do hotel. Gina na administração. O cargo de gerência também é preenchido por uma mulher, e de 21 anos. “Fiz questão da gerente ser mulher”, afirma Gina. “Acho que é melhor se relacionar com mulher, a gente se entende melhor. Dos 20 funcionários que temos aqui, apenas dois são homens”. Outra jovem empreendedora, Priscila Dal Bem Dellamura, 31 anos, proprietária da Viagem & Cia. de uma franquia da CVC, também optou por ter mulheres ao seu lado. “A CVC pede para mesclar homens e mulheres, mas tenho dificuldades aqui na cidade. A maioria dos currículos é de mulher. Tenho quatro trabalhando comigo”, diz ela. Lígia Gabriel Saranholi Silva, 32 anos, diretora administrativa da São José Madeiras e Construção, empresa fundada pelos seus pais, assim como suas colegas empreendedoras, também tem seu quadro


Fotos: Cíntia Fotografias

Priscila Dal Bem há sete anos é dona de seu próprio negócio

Gina Foganholi cuida do hotel da família e tem mais mulheres trabalhando na empresa

Lígia Silva assumiu a administração da madeireira e implantou seu jeito de trabalhar

Andrea Silva diz que desafio é cuidar bem da casa e atender bem os clientes


32 TALENTO JOVEM

de funcionários preenchido em sua maioria por mulheres. Dos 13 colaboradores, sete são do sexo feminino. Mas ela afirma que não vê diferença entre um e outro. “As experiências que tive trabalhando com homens e mulheres me mostraram que as diferenças só ocorrem quando existe uma distinção pessoal dentro de cada um”, comenta. Andrea Luzia da Silva, 37 anos, proprietária do Escritório Regional, é outra mulher que destaca o papel feminino no mundo dos negócios. “Não somos mais vistas apenas como dona-de-casa, professora, enfermeira, enfim, aquelas profissões femininas. Hoje estamos em vários segmentos, até naqueles que só tinham homens”.

DESAFIOS DA PROFISSÃO

A São José Madeiras e Construção foi criada em 1989, mas só em 1996 Lígia integrou a equipe. “Minha contribuição para a empresa foi iniciar a profissionalização, reestruturando todos os departamentos, estabelecendo maiores controles necessários para as decisões tomadas. E hoje o objetivo é o mesmo, ou seja, sempre implementar melhorias que visem uma gestão atual que garanta o futuro da empresa”, explica. Sobre o fato de ser uma mulher à frente dos negócios, Lígia diz que nunca sofreu

PODEROSA

preconceitos e acredita que não há diferenças entre os sexos. “De forma simplista, penso que não há diferenças entre mulheres e homens nos quesitos de capacidade intelectual, principalmente aplicado ao profissional”, avalia ela. “O potencial das mulheres vem sendo reconhecido, pois adquirimos a possibilidade de desenvolver e desempenhar atividades profissionais de diferentes naturezas”. Gina Foganholi também não enfrentou problemas por ser mulher. O hotel foi inaugurado há dois anos e desde então ela é quem cuida de tudo. E vê que a capacidade de cada um é maior do que o sexo. “Hoje homem e mulher se igualaram. E acredito que a vantagem do homem é que ele pode se dedicar mais ao serviço porque cuida pouco das coisas da casa. Para a mulher são mais tarefas. A gente faz mais coisas durante o dia”, diz. A dificuldade dela foi outra. “O meu maior problema antes de administrar o hotel sempre foram os horários. Trabalhei com meu pai dez anos na Divelpa (concessionária de carros) e era difícil conciliar os horários. Mas, agora, aqui no hotel ficou mais fácil. Minha casa é aqui do lado e consigo ter flexibilidade para cuidar da casa, dos filhos e da empresa”, comenta a empresária. Priscila encarou cedo o desafio de ter sua

própria agência de viagens. Depois que se formou fez estágio numa empresa de Bauru, mas logo percebeu que podia ter seus próprios clientes em Lençóis Paulista. Há sete anos abriu a Viagem & Cia. e enfrentou os desafios de ser jovem na profissão. “No começo foi meio complicado porque as pessoas vinham aqui na agência e questionavam se eu era a dona e percebia um certo preconceito por ser jovem”, lembra. “Mas esperava por isso e hoje todo mundo me conhece e sabe da eficiência da empresa”. A jovem empreendedora acredita que o preconceito foi pelo fato da sua idade e não por ser mulher. “Acho que as pessoas não vêem tanta diferença no atendimento de mulher e homem aqui”, diz. “Se bem que pela experiência que tive acho as mulheres mais atentas, detalhistas e capazes de desenvolver mais tarefas ao mesmo tempo”. Empresária e dona-de-casa, o desafio para Andrea é ser perfeita em casa e no atendimento aos clientes. “Gerenciar um lar não é tão fácil como alguns podem pensar, então é preciso empenho. Acredito que as mulheres são capazes de realizar bem várias tarefas”, diz ela. “Temos que enfrentar aqueles que não acreditam na gente, que nos descriminam e tem certo preconceito. São os desafios do dia a dia que vamos vencendo”.


PODEROSA

O MUNDO DO TRABALHO É PARA OS HOMENS? HUM... PELO NÚMERO DE MULHERES CRESCENTE EM CURSOS TÉCNICOS PARECE QUE ISSO NÃO TEM FUNCIONADO MUITO BEM

QUALIFICAÇÃO 33

As mulheres têm, cada vez mais, ganhado espaço nas empresas e, por isso, a procura por cursos técnicos e faculdades tem aumentado consideravelmente. O Censo de 2010 mostra que elas têm a maioria dos diplomas de 15 dos 20 cursos universitários mais populares do país, incluindo medicina e administração. Também têm mais pós-graduação. E aqui em Lençóis Paulista, nos cursos do Senai, o número de mulheres cresce a cada ano. De acordo com Everson de Aro Capobianco, diretor do Senai, em cursos que participavam exclusivamente homens, hoje há um público feminino representativo. São cursos de marcenaria, mecânica de usinagem, técnico em mecânica de manutenção, calderaria e


34 QUALIFICAÇÃO

PODEROSA Fotos: Cíntia Fotografias

solda. “Observando friamente parece que são profissões que exigem muita força física, mas não são. Com os maquinários e novos equipamentos ficou mais fácil para as mulheres e não há tanto peso, sujeira”, explica o diretor do Senai. “E as mulheres apresentam algumas vantagens em relação aos homens quanto a atenção, qualidade, e isso tem valorizado bastante a profissional mulher no mercado de trabalho. Por isso, aumentou a procura por cursos”.

POUCAS NA TURMA

Everson diz que até pouco tempo atrás, quando tinha mulheres nos cursos do Senai, era uma ou duas por turma. Hoje há cursos com presença de 20%, 30% na turma. É um número expressivo. “Sei de algumas empresas que em determinadas áreas antes só trabalhavam homens, hoje há casos em que a empresa prefere mulheres”, avalia. Ele informa que nunca houve restrição do Senai para mulheres realizarem cursos tidos como de homens. “É que hoje o mercado tem absorvido mão-de-obra feminina. Tanto que a gente não via banheiro para mulheres em alguns lugares, como oficina, e hoje essa realidade está mudando. Isso porque a mulher está dentro da oficina”, ressalta. “A mulher percebeu essa abertura no mercado de trabalho e tem buscado cada

Senai oferece cursos em diversas áreas e há mulheres participando em cinco que até pouco tempo eram preenchidos só por homens

vez mais se especializar. Por isso o volume maior aqui nos cursos do Senai”. O salário de algumas profissões também fez com que as mulheres se especializassem em algumas áreas. “O soldador, por exemplo, tem uma média salarial alta em relação a outras profissões. E é extremamente requisitada por diversas empresas. E em todas as 92 escolas do Senai em São Paulo há aulas de solda, a demanda é grande e se abrir aula de madrugada vai ter gente para fazer”, relata Everson.

JARDINAGEM E PAISAGISMO

Duas adolescentes do Senai de Lençóis Paulista irão representar o Estado de São Paulo em uma competição nacional de jardinagem e paisagismo. Miriam Aparecida Dias, 17, e Letícia Rodrigues, 16, foram segundo lugar na etapa estadual e agora treinam pesado para a disputa que ocorrerá em agosto. “A nossa expectativa é ganhar a competição nacional. Estamos bastante ansiosas e vamos fazer de tudo para trazer o ouro”, afirma Letícia. “Recebemos um projeto, es-


QUALIFICAÇÃO 35

PODEROSA

Fotos: Cíntia Fotografias

A MULHER PERCEBEU ABERTURA NO MERCADO DE TRABALHO E TEM BUSCADO CADA VEZ MAIS SE ESPECIALIZAR Everson de Aro Capobianco

tudamos e agora treinamos para deixar do jeito que imaginamos ser o melhor”, completou Miriam. As duas faziam parte da turma do curso de mecânica de usinagem e foram resolveram encarar o desafio da competição. “Agora acho difícil a gente voltar para o curso. Percebemos que é isso que queremos fazer a partir de agora”, diz Letícia. “Procurei me informar sobre faculdade de arquitetura e urbanismo pra poder se especializar nessa área. Vamos fazer juntas. É um mercado que tem crescido muito”. As duas constroem o jardim do zero. Nivelam o terreno e depois montam toda a estrutura da praça com o piso, bancos, pergolaro, lago, plantam mudas, grama, árvore, enfim, entregam o jardim pronto. “Não é um trabalho leve. Temos que trabalhar com areia, materiais, às vezes, pesados, como pedras que precisam ser quebradas na marreta ou talhadeira”, explica Letícia. “Mas é bastante gratificante”.

Letícia e Miriam se dedicam na construção de jardim que participará de competição nacional em agosto


36 COMUNICADORAS

PODEROSA

ALESSANDRA LIBANÓRIO E RAFAELA SANTANA SÃO AS VOZES FEMININAS DO RÁDIO EM LENÇÓIS PAULISTA; ELAS ESTÃO NO AR DIARIAMENTE PELA VENTURA E HOT 107 Diria um antigo locutor do Rio de Janeiro: “elas perfumam as ondas do rádio com suas vozes”. Ele estava se referindo, claro, às mulheres locutoras. Elas, que dão um colorido todo especial às grades de programação das emissoras de rádio de todo o Brasil. E em Lençóis Paulista, as duas FMs da cidade contam com mulheres em seus quadros de colaboradores. Alessandra Libanório, 25 anos, da Ventura FM, e Rafaela Santana, 23 anos, da Hot 107 FM, estão no dar diariamente.


PODEROSA

A presença da voz feminina nas ondas do rádio não é novidade dos tempos modernos. A primeira locutora do país foi Maria Beatriz Roquette Pinto, que atuou na Sociedade Rádio do Rio de Janeiro, a PRA-2, fundada por seu pai, o professor Edgard Roquette Pinto, em 1923. Em São Paulo, a primeira mulher a abraçar a carreira foi Zenaide Andrea, na Rádio Record de São Paulo, a PRB-9, no início dos anos 30. Alessandra está no rádio há seis anos. Começou a carreira aos 15 anos na Tropical FM, de Jaú, com um programa apresentado só nos finais de semana. “Quando decidi que era o que queria mesmo larguei minha profissão, que era auxiliar contábil e fui trabalhar diariamente numa rádio comunitária de Mineiros do Tietê, a Centenário FM, onde a gente praticamente pagava para trabalhar”, lembra. “Mas não me arrependo. Aprendi muito lá com o diretor artístico da emissora, Nereu Marques. Foi uma escola”. Há quatro anos a jauense mora em Lençóis Paulista. Veio para fazer parte do time da Ventura FM. “Nunca tinha vindo aqui na cidade. Só conhecia a rádio pela fama que tem na região. Mas encarei e estou muito feliz”, diz ela. “Amo Lençóis tanto quanto Jaú. Me sinto cidadã lençoense”. Rafaela é da cidade. Participou de um concurso realizado pela Ventura, um tipo caça talentos, e a menina que na época tinha 17 anos, se destacou. Entrou no ar e não saiu mais. Teve o convite da Hot e está na casa há quatro anos. “Antes de ser locutora ouvia muito rádio. Acho que é influência do meu avô. Era muito ligado a ele e ouvia junto a programação do rádio AM. Depois de uma idade virei ouvinte de ligar todo dia nas rádios para participar e pedir música. Nunca imaginei que faria parte de uma emissora”, conta ela. “Hoje é o que quero para minha vida. Quem trabalha no rádio parece que é ‘picado’ e se apaixona. Não quer mais sair”.

COMUNICADORAS 37

O LOCUTOR NÃO TEM DIA TRISTE E NO NOSSO CASO ‘NÃO’ TEM TPM Foto: Cíntia Fotografias

Alessandra Libanório é locutora da Ventura FM


38 COMUNICADORAS

NÃO ME VEJO FAZENDO OUTRA COISA. AMO MEUS OUVINTES Foto: Cíntia Fotografias

PODEROSA

PSICÓLOGAS NO AR

Quem trabalha com rádio sabe. Não se pode transmitir baixo astral ou problemas pessoais. Elas sabem disso. Tanto que, às vezes, precisam superar seus problemas para ajudar a minimizar o dos outros. São como psicólogas no ar. “Tem muitas ouvintes que ligam só para contar seus problemas. A gente vira confidente. E a maioria são mulheres. Às vezes me pedem para tentar arrumar o namoro que não vai bem, para tocar uma música e falar com jeitinho pra tentar acertar”, diz Alessandra. Rafaela tem a mesma opinião da colega. “Acho que a mulher é mais sensível e delicada e se apega um pouco mais que o homem no contato com o ouvinte. Sou um pouco psicóloga. As pessoas desabafam com a gente e se cria um vínculo com uma pessoa que se conhece só pela voz. A mulher se diferencia do homem nesta parte”.

TRANSFORMAÇÃO

Rafaela Santana está há quatro anos na Hot FM

Ambas são categóricas em dizer que há uma transformação quando a luz do ‘No Ar’ se acende. “Quando o microfone está ligado é a Alessandra Libanório locutora que está ali. Tenho que estar bem. O locutor não tem dia triste e no nosso caso ‘não’ tem TPM. Posso até estar mal, mas a partir do momento que atendo o telefone ou falo no microfone não posso

passar nenhum problema”, ressalta ela. Para Rafaela, as pessoas esperam alto astral no rádio. “Quando liga a luz que indica que estamos no ar, sou outra pessoa. Me concentro e sou cem por cento aquilo. Amo meus ouvintes”, afirma. Alessandra Libanório está na Ventura FM de segunda a sábado com o Ventura Show das 13h às 16h. Rafaela Santana fica no ar pela Hot de segunda a sexta-feira, das 11h às 16h, com os programas Hot Love, Hot Parade, Gênio da Hot, Power Hot e Liga-Liga.


Pesado

PODEROSA

FLORES DO CAMPO 39

MULHERES NO VOLANTE

O trabalho pode ser duro, mas O PLANTIO E A COLHEITA DE CANA-DE-AÇÚCAR CADA pectivos patrões como profissionais cada vez mais empresas que traba- VEZ MAIS SÃO FEITOS POR MULHERES; ELAS ESTÃO de grande competência e dedicação. O transporte de cana, em usinas do lham no plantio e corte de cana-deNO VOLANTE DE TRATORES E COLHEDORAS Estado de São Paulo, é um dos seg-açúcar têm contratado mulheres mentos em que as mulheres têm se para executar o serviço e operar sobressaído, principalmente ao volante de composições pesadas e máquinas agrícolas durante o período de safra. Elas oferecem ainque exigem muita perícia e atenção na condução. da treinamento e condições especiais para garantirem desempe“Trabalhar com mulheres é ter a certeza de que são mais prunho e rentabilidade. dentes na operação, além de cuidarem melhor dos equipamentos”, Não é mais novidade, e isso já há algum tempo, mulheres no voafirma Marcos Luiz Geraldi, sócio-proprietário da Agrícola 3 Lagoas, lante de veículos pesados, porém agora elas são elogiadas pelos res-


40 FLORES DO CAMPO

PODEROSA

que tem cinco mulheres trabalhando na empresa. “As PRETENDO ME mulheres começaram a se candidatar mais para o trabalho rural, embora não signifique falta de homens capaAPERFEIÇOAR CADA VEZ citados. É que elas vêem nessa área a oportunidade de MAIS NESTE SETOR ganharem mais”. Selma Sobreira dos Santos Ribeiro Todos os funcionários do grupo passam por programa de capacitação, conforme a área em que atuam, independente do sexo. Selma Sobreira dos Santos Ribeiro, 43 anos, é uma das motoristas que trabalha para a 3 Lagoas. Há quatro anos é tratorista e há seis meses está na empresa. Antes disso era copeira no CEA (Centro Empresarial Agrícola). “Fui convidada para fazer o teste com trator, gostei e encarei o novo desafio. Agora me deram a chance de estar nesta empresa e espero retribuir”, diz ela. “Pretendo me aperfeiçoar cada vez mais no setor, embora não tenha encontrado dificuldade com o trabalho até agora. Acho que é vocação mesmo”. Duas condições foram importantes para ela decidir deixar o serviço de fazer café: salário maior e profissão. “O ser humano não pode se acomodar. Tem que, cada vez mais, procurar o melhor. que via aqueles caminhões grandes, tratores, colhedoras, ficava me Aqui ganho um salário que dá para tocar a vida com um pouco imaginando dirigindo um deles”, conta ela. mais de tranquilidade”, explica. “Estou começando a trabalhar com Somadas força de vontade e dedicação, candidatou-se à vaga a colhedora e as dificuldades enfrentadas são amenizadas com o da empresa para obter capacitação e experiência no segmento. Ela apoio dos amigos que nos ensinam. Quando o trabalho é em equisabia do desafio e que não seria fácil. Mas encarou. Após ser contrape tudo dá certo”. tada passou por treinamento dentro da empresa e só depois que dirigiu o trator acompanhada pelos instrutores é que iniciou o trabalho sozinha. “Tenho bastante para aprender ainda. E vou me dedicar EM BUSCA DA EXPERIÊNCIA bastante para estar na colhedora”. Adriele Catarina Justo, 24 anos, é exemplo de motorista de trator Jaqueline Pereira Lima, 28 anos, é outra que adora o que faz. Traque ingressou recentemente no transporte de cana-de-açúcar. Ela balha há um ano com trator. Antes de ingressar na profissão, atuava está há sete meses no novo serviço. “Antes trabalhava no laboratório na área de viveiro de mudas de eucalipto. “Aqui me realizei profissiode análise de solo da Ascana. Era um trabalho interno. Mas sempre Foto: Cíntia Fotografias


FLORES DO CAMPO 41

PODEROSA

Fotos: Cíntia Fotografias

nalmente. Era o que sonhava. Amo o que faço”, afirma. Para AQUI ME REALIZEI cada atividade que realiza, utiliza um tipo de trator. Diz que PROFISSIONALMENTE. aprendeu a trabalhar com váERA O QUE SONHAVA rios modelos. “A empresa nos Jaqueline Pereira Lima capacita para várias tarefas”. Além de fazer o que gosta, o salário também é algo que agrada Jaqueline. “Ganho o dobro do que recebia antes. Isso também nos anima”, diz. “É um trabalho totalmente diferente dos outros e gosto do que faço. Não me importo pelo fato de ser mulher e algumas pessoas possuírem preconceito quanto a isso. Moro com minha avó e ela fica toda empolgada de saber que trabalho com trator. O importante é ser profissional e ser reconhecida na minha área”.

VOU ME DEDICAR BASTANTE PARA ESTAR NA COLHEDORA

Adriele Catarina Justo


44 O DINHEIRO É DELA

PODEROSA

CRESCE COMPRA da mulher O PODER DE

É fato! As mulheres aumentaram sua participação no mercado de trabalho nos últimos anos e isso fez com que o poder de compra também evoluísse. Segundo dados do FecomercioSP – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo –, a participação da mulher no mercado de consumo ganha ainda mais destaque com o crescimento da classe C no país, que hoje representa cerca de 52% da população brasileira. E é nessa faixa que as mulheres têm a maior decisão de compra ou influência na família. No Brasil, as mulheres representam mais de 99 milhões de brasileiros enquanto que os homens somam aproximadamente 95 milhões. E a expectativa é de que a predominância do sexo feminino aumente ainda mais nos próximos anos. Estima-se que em 2020 serão quase cinco milhões a mais de mulheres em relação aos homens no país.

A Fecomercio também avaliou que aumentou o número de empregos para a mão de obra feminina, principalmente em cargos de liderança. Em relação à renda, infelizmente, as mulheres ainda continuam ganhando menos que os homens, em torno de 82,8% dos salários masculinos. Porém, deve-se destacar que existe uma grande mudança cultural e, como as mulheres estão mais independentes, elas passam a ter melhores condições de competitividade. Essa nova realidade contribui ainda mais para que elas procurem dar o melhor para os filhos. Como não dependem exclusivamente dos recursos dos homens, elas podem oferecer algo a mais para os filhos, tanto na escola como naquilo que é preciso no dia a dia. E, por causa da ausência muitas vezes durante parte do dia, procuram dedicar maior atenção quando estão em casa.


PODEROSA

CADA VEZ MAIS MULHERES DECIDEM O QUE COMPRAR OU INFLUENCIAM NA DECISÃO FAMILIAR; ELAS DECIDEM PELOS MARIDOS E, PRINCIPALMENTE, PELOS FILHOS

MULHER PARTICIPATIVA

Segundo dados do índice de confiança do consumidor da Fecomercio, é na classe C que a mulher ganha destaque. Afinal, nesse extrato de renda social cerca de 70% delas são responsáveis pela família, tomam mais decisões e exercem maior responsabilidade econômica, social e de consumo. Até no setor automotivo, onde há predominância dos homens, as mulheres também surgem como nova força. No ano passado representaram pouco mais de 45% das compras de carros no país, confirmando que são presença obrigatória no comércio de automóveis. Não é à toa que as mulheres estão influenciando cada vez mais as campanhas de vendas, padrões dos produtos e estratégias de mercado. Para os comerciantes, identificar as necessidades das mulheres é crucial, pois elas estão, cada vez, mais ganhando força e contribuindo para o crescimento da economia no país.

O DINHEIRO É DELA 45


SEGURANÇA PESSOAL 47

PODEROSA

ACENDA O SINAL AMARELO Tem circulado pelas redes sociais, principalmente no Facebook, um texto com o título ‘Conselhos de uma Delegada’. De acordo com o que está escrito ali, a mulher que elaborou o conteúdo do e-mail é diretora de uma empresa de segurança no Rio de Janeiro e foi aconselhada a tomar tais medidas de segurança por uma delegada, • As mulheres estão sempre procurando ser prestativas. Não use o celular à toa. Essa característica poderá resultar em que você seja assassinada! Um assassino sequencial, homem de boa aparência, com boa formação acadêmica, declarou em seu depoimento que sempre explorava a

CONSELHO DE UMA DELEGADA, SEGUNDO CIRCULOU PELAS REDES SOCIAIS, É PARA DESPERTAR A ATENÇÃO DE MULHERES, MAS TAMBÉM SERVE PARA OS HOMENS PARE COM ISSO!

simpatia e o espírito condescendente das mulheres. Ele andava com uma bengala ou mancava e consequentemente pedia ‘ajuda’ para entrar ou sair de seu carro. E era nesse momento que ele raptava sua próxima vítima. • Durante o dia, ande de óculos escuros.

após registrar um boletim de ocorrência. Como a autoria é anônima, a Revista Poderosa procurou pessoas ligadas a segurança pública para saber se tais conselhos são válidos. Como a resposta foi positiva, transcrevemos a seguir o que é sugerido em várias situações que possam deixar a mulher mais suscetível a crimes. O agressor nunca saberá para onde você está olhando. • Celular: só em lugar seguro. • Use sempre o elevador ao invés das escadas. Escadarias são lugares horríveis para se estar só, são lugares perfeitos para um crime.

OS TRÊS MOTIVOS PELOS QUAIS AS MULHERES SÃO ALVOS FÁCEIS PARA ATOS DE VIOLÊNCIA SÃO:

Falta de atenção: você tem que estar consciente de onde você está e do que está acontecendo em volta de você. Linguagem do corpo: mantenha sua cabeça erguida e permaneça em posição ereta, jamais tenha uma postura ‘frágil’. • Lugar errado, hora errada: não ande sozinha em ruas estreitas, nem dirija em bairros mal-afamados à noite. • •

NUNCA FAÇA ISSO! As mulheres têm a tendência de entrar em seus carros depois de fazerem compras, refeições e sentarem-se no veículo (fazendo anotações em seus talões de cheques ou escrevendo em alguma lista). O bandido sempre estará observando você. Essa é a oportunidade perfeita para ele entrar pelo lado do passageiro, colocar uma arma na sua cabeça e dizer a você aonde ir. No momento em que você entrar em seu carro trave as portas e vá embora, não fique ajeitando o cabelo ou passando batom. Algumas dicas acerca de entrar em seu carro num estacionamento: • Esteja consciente, olhe ao redor, olhe dentro de seu carro, olhe no chão dianteiro e traseiro de seu carro, olhe no chão do lado do passageiro e no banco de trás. • Se ao lado da porta do motorista do seu carro estiver estacionada uma Van grande, entre em seu carro pela

porta do passageiro. Importante: A maioria dos assassinos que matam em sequência, ataca suas vítimas empurrando-as ou puxando-as para dentro de suas Vans, na hora em que as mulheres estão tentando entrar em seus carros. • Nunca deixe para procurar as chaves do seu carro, quando estiver parada em frente a porta dele. • Dirija-se ao veículo com a chave em punho, pronta para abrir a porta e dar a partida. Observe os carros ao lado do seu. • Se uma pessoa do sexo masculino estiver sentado sozinho no assento do carona do carro dele que fica mais próximo do seu carro, você fará bem em voltar para o shopping ou para o local de trabalho e pedir a um segurança ou policial para acompanhar você até seu carro. • É sempre melhor estar segura do que estar arrependida. Não tenha vergonha de pedir ajuda.


R I G I R I D A M A N I S N ELAS E AUTOESCOLA DE LENÇÓIS PAULISTA TRABALHA SÓ COM INSTRUTORAS; PROPRIETÁRIA DIZ QUE MULHER PREFERE MULHER PARA ENSINAR


NO VOLANTE 49

PODEROSA

O QUE FALTA PARA A MULHER SE SENTIR VERDADEIRAMENTE LIVRE? É óbvio que com tantos ganhos e avanços da mulher no mundo atual, isso também seria sentido no meio automobilístico. Com a busca pela habilitação por mulheres aumentando a cada dia, a quantidade delas no trânsito ganha um número considerável de adeptas. O aumento é evidente. É só dar uma olhadinha nos carros ao seu lado quando estiver ao volante. A proprietária da Autoescola Pegasus, Marina Farão, 46 anos, confirma essa informação. E vai além. Mulher gosta de aprender com outra mulher. “O homem não faz questão de saber quem vai dar aulas pra ele. Mas a mulher pergunta se é mulher e prefere ter aulas com alguém do mesmo sexo”, comenta. “Então, estamos em vantagem”. Ela diz isso porque em sua autoescola só trabalha mulheres. E isso começa pelas sócias. São duas. Além dela, tem a amiga Marilda Fortes. E a equipe tem a atendente Simone e as instrutoras Marilda, Adriana e Ramira. “Homem só se for para trocar a lâmpada ou fazer algum reparo”, brinca Marina. “Não foi nada programado. Acho que o entrosamento que tivemos é que nos

levou a esse desfecho, a gente acaba se entendendo melhor. Sou adepta da situação de ter mulher no comando. Aposto nisso, a mulher é bastante centrada”. Marina diz que já trabalhou com homens instrutores, mas tudo caminhou para ter só mulheres e diz que a equipe tem dado conta do recado. “E em time que está ganhando não se mexe, não é o que dizem?”, diz ela. “Embora já tivemos ótimos instrutores, que realizaram um bom trabalho, sinto diferença em trabalhar com mulheres. A gente tem mais liberdade de conversar e o ambiente de trabalho fica mais gostoso. Hoje, se precisar contratar mais alguém, esse alguém vai ser outra mulher”. E os resultados, segundo Marina, demonstram que estão no caminho certo. “Os alunos gostam das instrutoras, pois são bastante aplicadas e temos resultados muito bons. Nosso índice de aprovação é muito alto. É raro termos alguém reprovado tanto no técnico como no prático”, comenta. A expressão popular de que mulher não sabe dirigir, é contestada por Marina. “A mulher não sabe só dirigir como também ensina, e muito bem”, ressalta ela.

“Acredito que a mulher vai se sentir verdadeiramente livre quando se tornar independente financeiramente. Aí faz o que quer, do jeito que quer, a hora que quer”. Liamara Paccola. “A mulher tem que se aceitar como é e não se importar com a opinião dos outros. Mulher não pode fazer isso porque é mulher e não fazer aquilo porque não é homem”. Izabella Mendes. “O que falta é a mulher ser melhor valorizada. Hoje a mulher tem a liberdade que o homem tem. Não vejo nada que impeça ela de ser livre”. Leiliane Dias. “Precisa diminuir o preconceito que ainda existe e o homem admitir que a mulher é capaz. A mulher é trabalhadora, cuida da casa, dos filhos, enfim, faz muita coisa”. Fernanda Montanheiro.


50 MULHER E PODER

PODEROSA

MULHERES NA POLÍTICA EM 155 ANOS, APENAS QUATRO MULHERES PASSARAM PELO PODER LEGISLATIVO DO MUNICÍPIO; MAS ELAS DEIXARAM SUA MARCA NA HISTÓRIA POLÍTICA DE LENÇÓIS PAULISTA

O dia internacional da mulher sempre reacende o debate de várias questões, e entre elas o desafio sobre a participação feminina na política. Apesar de representarem 51,95% do eleitorado no país, ou seja, a maioria, o percentual de mulheres no Congresso Nacional não chega a 10%, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dos 153 deputados federais, 45 mulheres foram eleitas nas últimas eleições gerais em 2010, o que representa 9% do total. Aqui no município não temos uma mulher vereadora desde 2004. No entanto, temos uma prefeita. Isabel Cristina Campanari Lorenzetti foi eleita em 2008 e reeleita em 2012. Entrou para a história como a primeira mulher a comandar o Poder Executivo da cidade. O país também elegeu sua primeira

presidenta em 2010: Dilma Rousseff. Quatro mulheres passaram pela Câmara de Vereadores de Lençóis. A primeira delas Lídia Bertoli. Em seguida vieram Maria Luiza Martins (Lú), Soely Paccola e Cleuza de Fátima Ribeiro Spirandeli. A Revista Poderosa conversou com elas. Apenas Lídia não foi encontrada por nossa reportagem em contatos por telefone e pessoalmente. Todas foram unânimes em dizer que não é fácil a tarefa de fazer parte do Poder Legislativo. Lú Martins tinha 23 anos quando foi eleita pela primeira vez. “Naquela época era uma guerra entre Arena e MDB. Eu era do MDB e o pessoal nos considerava quase comunistas”, lembra. Filha de Vicente Martins e neta do Coronel Joaquim Anselmo Martins, a política estava na veia da família. “Nossa, meu pai adorava política”, diz. Lú foi eleita em 1972 e foi dez anos vereadora. Um mandato de quatro anos (1973 a 1976) e um de seis (1977 a 1982). “A gente não ganhava nada para ser vereador naquela época”.

DOIS MANDATOS

Soely Paccola também foi vereadora de dois


Fotos: Cíntia Fotografias

Soely Paccola diz que o cargo fez parte de um momento bom de sua vida

mandatos: de 1993 a 2000. “Sempre fui ligada a educação e gostei de novos horizontes, novos desafios. E sempre vi na política uma forma diferente de focar a educação. Daí criei coragem de ir para uma disputa eleitoral, gostei do desafio e de repente me tornei vereadora”, lembra. “Foi um período muito bom, cresci muito. Como vereadora a gente trabalha em todos os setores, mas como professora minhas atenções se voltaram mais para a educação”. Quando ganhou a eleição chorou durante dois dias. “Não sabia o que me esperava. Passei minhas férias, dezembro e janeiro, estudando o regimento interno e

Lú Martins foi vereadora em Lençóis Paulista de 1973 a 1982

a lei orgânica. Entrei sabendo das leis. Pesquisei tudo antes de começar meu trabalho”, conta Soely. Hoje Soely comanda o colégio Prevê Objetivo, que há dez anos está no município.

VONTADE DO PAI

Cleuza se mudou para Lençóis Paulista em 1988. O pai, Oliveiro Emiliano Ribeiro, queria a filha na política. Em 1996, a pedido do então candidato José Prado de Lima, o Pradinho (morto em 2012), o pai convenceu Cleuza a ser candidata. “Disse que se não fosse candidata seria uma punhalada no coração dele. Não queria magoar meu

Cleuza defende participação maior da mulher na política

pai e aceitei”, lembra. “E me pediu para conseguir uma creche no Júlio Ferrari. Achava muito perigoso as mães e crianças atravessarem a avenida Jácomo Nicolau Paccola. Mas o destino não permitiu o pai ver nem o santinho da filha. “Quando ele foi buscar meu material de campanha, ao atravessar a avenida, que ele achava perigosa para as mães e crianças, o carro teve problemas mecânicos e ele foi atingido por um caminhão. Morreu sem me ver candidata”, lamenta Cleuza. Ela perdeu aquela eleição. Mas, em 2000, foi eleita e assumiu uma cadeira na Câmara. Em 2012 foi candidata a prefeita.


52 A DONA DO SAQUE

PODEROSA

Brasil

DE AGUDOS PARA O ATLETA DO VÔLEI AGUDENSE JOGA EM UMA DAS MELHORES EQUIPES DO PAÍS E É TREINADA PELO TÉCNICO DA SELEÇÃO BRASILEIRA

Bruna Honório da Silva, 24 anos, 1,80 metros de altura, não imaginava que dez anos depois de começar a treinar vôlei, na cidade de Agudos, faria parte de um dos elencos mais respeitados do país e a equipe mais vencedora da história da Superliga de Vôlei: o time da Unilever/Rio de Janeiro. A timidez talvez teria afastado a menina de 14 anos das quadras da cidade. “Me mudei para Agudos em 2003 e desde pequena sempre fui muito grande e forte. E uma amiga me chamava sempre para ir jogador vôlei. Mas tinha vergonha e recusei durante muito tempo”, lembra ela. “Porém, um dia chamei minha irmã e fomos. A partir daquela dia percebi que era o que queria para a minha vida”.

Já no ano seguinte Bruna foi para São Paulo. Nos anos seguintes fez uma peregrinação por vários times do Estado e país. E desembarcou no Rio de Janeiro para a temporada 2012/2013 e agora participa da segunda temporada, 2013/2014. “Fico feliz por estar no melhor time do Brasil e com um técnico que dispensa comentários. Já provou que é campeão por onde passa”, diz a atleta se referindo ao técnico Bernardinho, da seleção masculina de vôlei. “O dia que sair daqui, levarei comigo uma bagagem enorme. Ele sempre tem o que nos ensinar”. Sobre o temperamento do técnico, que é tido como bastante esquentado, ela ameniza. “Tem um coração enorme, garra, espírito


A DONA DO SAQUE 53

PODEROSA

de luta, pra ele, sempre dá para fazer mais. E ele briga mesmo”, diz. “Ele pega no pé e não tem como justificar. É o jeito dele. Uma das melhores pessoas com quem convivi”.

QUANDO PARAR

A atacante oposta do Rio de Janeiro, não sabe dizer exatamente o que pretende fazer quando parar de jogar, mas uma coisa tem certeza. Quer voltar para o interior de São Paulo. “Quero viver em Agudos, Bauru ou Lençóis Paulista. Só moro em cidade grande por causa do vôlei. Não tem jeito, tenho que estar aqui. Mas sinto muita saudade da tranquilidade do interior e principalmente dos meus familiares que estão aí na região”, comenta Bruna. Ela conta que vem pouco para Agudos. “Quando jogava em São Paulo era mais fácil. Mas a gente treina muito, até de domingo, quando não tem jogo, e não tem vôos diretos do Rio para Bauru”, lamenta. O sonho de Bruna é voltar a estudar e concluir a faculdade de psicologia que começou e precisou trancar a matrícula por causa dos compromissos com o time.

SINTO MUITA SAUDADE DA TRANQUILIDADE DO INTERIOR


AMAZONAS 55

PODEROSA

MONTADAS NO SUCESSO Fotos: Cíntia Fotografias

LENÇOENSES SÃO AS PIONEIRAS EM MONTAR CAVALOS DE COMPETIÇÃO E SERVEM DE EXEMPLO PARA QUEM É APAIXONADA POR PROVA DOS TRÊS TAMBORES

Ana Cristina é parceira da irmã e as duas participam juntas de competições desde 1988

A Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Quarto de Milha, a ABQM, é a responsável pela vinda da prova dos três tambores para o Brasil. É uma prova cada vez mais presente nas festas tradicionais de peão e feiras agropecuárias, que vem conquistando cada vez mais adeptos. No Brasil, é comum que essa prova seja disputada por mulheres, sendo por isso, considerada a mais charmosa categoria do segmento. Belas e audaciosas, as mulheres brilham na prova dos três tambores, uma vez que, não perdendo o charme natural, elas entram no espaço que antes era predominantemente masculino, mostrando força e habilidade exigidas pelo esporte. E Lençóis Paulista têm três das melhores competidoras do país. Ana Paula Zillo, 35 anos, que já foi campeã mundial em 2009 e quatro vezes campeã brasileira, e Ana Cristina Zillo, 40 anos, e Letícia Amélia de Oliveira, 25 anos, ambas campeãs regionais e estaduais. Todas começaram cedo em competições. Ana Paula e Letícia com oito anos. Ana Cristina, um pouco mais tarde, mas ainda jovem, aos 13 anos. “Montar em cavalo acho que monto desde os dois anos de idade. Como a família tinha a fazenda Santo Antonio do Rio Claro, desde pequena meu pai levava a família para ver as competições que lá aconteciam. Então, não tinha como não se apaixonar por cavalos”, lembra Ana Paula. “Aí, em 1995 eu e minhas irmãs fundamos o Rancho 3 Meninas e, em 1998, o Marco Toledo Filho, com quem me casei em 2004, veio para fundar o Centro

Letícia é médica veterinária, mas tem o esporte como estilo de vida

Ana Paula já foi campeã mundial na prova dos três tambores em 2009

de Treinamento. Foi a união perfeita”.

AS PRIMEIRAS

As três foram as primeiras da cidade a desbravar o esporte, como já dito antes, dominado historicamente por homens. Mas Ana Paula e Ana Cristina foram além. Participaram da primeira prova oficialmente realizada pela ABQM em 1988. “Quando começamos tinha no máximo umas dez mulheres competindo. Fui a primeira a ganhar o campeonato na categoria feminina”, diz Ana Paula. “Hoje deve haver pelo menos umas 250 meninas na competição. Está se tornando uma coisa cada vez mais normal mulher no cavalo. Aqui mesmo na cidade, aumentou muito o número de participantes”, completa Ana Cristina. Letícia não compete há tanto tempo como as irmãs Zillo, mas completa, neste ano, 18 anos de provas. “Meu pai influenciou bastante. Como é do ramo agropecuário e cria animais, me levou para as competições. A primeira aqui na Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista). Viu que fui bem e procurou um treinador. A princípio fui para Bauru e estou aqui no Rancho 3 Meninas há 12 anos. Fiquei uns seis anos

treinando fora”, conta a médica veterinária. Mesmo o ambiente sendo basicamente rústico devido à influência do homem e apesar de hoje a mulher praticamente se equiparar aos homens no número de participantes em competições, elas dizem que nunca houve preconceito por parte deles. “Acho que o preconceito é de mulher para mulher. Aquela mulher que só anda no salto e que vive em shopping, vê a gente com certa restrição. Não entendem nossa paixão por cavalos”, comenta Ana Paula. “Nós montamos cavalos, mas não deixamos de lado o nosso feminino. Usamos chapéu, mas também batom, brinco, usamos selas estilizadas, com brilho, cores, enfim, damos nosso toque de mulher”, acrescenta Letícia. O número de competições não exige que as meninas estejam todos os dias treinando. “Quem treina é o cavalo. Eles precisam de condicionamento físico todos os dias. A gente vem para galopar, ganhar condicionamento. Mas não é uma rotina diária. Agora o Marquinho (marido de Ana Paula) treina os animais todos os dias”, explica Ana Paula. O Rancho 3 Meninas tem 48 cavalos. Marco Toledo conta com a colaboração de seus funcionários e de assessores de treinamento para dar conta das tarefas diárias que exigem esforço e disciplina. As três são unânimes em dizer que se sentem realizadas e felizes. As irmãs Ana Paula e Ana Cristina trabalham diariamente no rancho. Já Letícia trabalha como médica veterinária da Frigol e tem o esporte como estilo de vida.


O A Ã T NFAL

56 FORÇA FEMININA

Larissa Angélico, 20 anos, agente de saúde da Prefeitura de Lençóis Paulista, deve ser considerada mulher atleta ou atleta mulher? Difícil separar uma coisa da outra já que desde os 10 anos de idade ela está nos tatames. Foi convidada por uma amiga para conhecer o caratê e desde então nunca mais largou o esporte. Deixou de lado o basquete, handebol e tênis para se dedicar única e exclusivamente as artes marciais. O técnico Raphael Blanco é o treinador e incentivador de Larissa. “Comecei a gostar e ganhar campeonatos desde que comecei a treinar com ele. Passei a amar o caratê”, diz ela. “Teve uma época em que trabalhava, estudava e treinava todo dia. Saía do trabalho, pegava

PODEROSA

A R R A G

minhas coisas em casa, treinava uma hora mais ou menos, tomava banho na academia e ia para a escola”. Tricampeã paulista, quinta melhor atleta do Brasil em sua modalidade – sub-21 com menos de 60 quilos –, Larissa acredita que vai perder essas posições neste ano. “Estou grávida de seis meses e em 2014 não vou poder competir. Então, com certeza outras atletas conseguirão resultados melhores que o meu”, prevê a carateca. “Mas não tem problema, vou ser mãe e logo volto a treinar. Acredito que em 2015 já posso voltar a participar de campeonatos”. Mesmo grávida ela não abandona os treinamentos. Claro que só aqueles que não prejudicam a gestação. “O Raphael me acompanha


GRÁVIDA DE SEIS MESES, CARATECA LENÇOENSE CONTINUA TREINANDO; TRICAMPEÃ PAULISTA DIZ QUE O ESPORTE É ESSENCIAL EM SUA VIDA

TÊM MULHERES QUE PENSAM QUE IRÃO BATER OU APANHAR, MAS NÃO É BEM ASSIM

de perto e me orienta o que posso ou não fazer. Por exemplo, exercícios com saltos eu evito”, diz. “É mais alongamento e um ou outro trabalho de perna e braço.Apenas para não parar com tudo mesmo”. Larissa comenta que muitas mulheres têm procurado aulas de caratê. E de acordo com ela não se trata de um esporte violento. “Têm mulheres que pensam que irão bater ou apanhar, mas não é bem assim. Não é força, é só técnica. E é difícil se machucar”, afirma ela. “Tem luva, caneleira, proteção dos seios, do tórax, protetor bucal. O soco não é violento, só encosta. Se der o soco e o rosto virar é falta”. Ela conta que em dez anos de treinamento e competição teve apenas uma fratura. “Quebrei o dedo da mão e foi de bobeira. Estava treinando com o professor, ele chutou e defendi com a mão aberta. Meu dedo enroscou na calça do quimono dele e quebrou. Mas só”, relata. “Acontece de machucar o nariz, cortar a boca, mas não é comum”. E para as mulheres que querem o corpo em forma, ela recomenda o caratê. “É ótimo para a mulher que quer perna e barriga bem definidas”, garante.

Foto: arquivo pessoal

ESPORTE FEMININO

De acordo com Larissa o caratê é ótimo para a mulher que quer perna e barriga bem definidas


I A V

58 DEFESA PESSOAL

PODEROSA

? R A R A C EN

Thaís diz que as aulas exigem bastante preparo físico: e ainda perdeu 31 quilos em oito meses

ES LHER U M UE AÍS OM Q C Z AL; TH A O F S A S PE NÇ GURA SU EFESA E D S E E D D IU-JIT J S A T A E L L S A F AU NÊ E CHI UREM X C O O B R P FAZ SILVA

Foto

: Cín

tia

Foto

gra

fias

Está se tornando cada vez mais comum. Academias de todo o país presenciam o movimento de aumento da demanda das mulheres por lutas e artes marciais. Por trás da escolha por um exercício físico, está o desejo de dominar técnicas de defesa pessoal com o objetivo de aprenderem um modo de se protegerem da violência a que estão suscetíveis no dia a dia. Dados da Acad (Associação Brasileira de Academias) demonstram que, desde 2012, há um aumento de 40% na procura pela prática de lutas nas academias. Informações da associação apontam que as mulheres já representam cerca de 30% do novo público que quer praticar alguma modalidade de luta. A professora de Educação Física, Thaís Aparecida Josias da

3264-4323

3263-7019

3263-2868

99701-1852 / 98163-1067

3263-4750

3263-7112

3263-2243 / 99679-8296

3263-2144 / 3264-5766

3263-3963 / 99854-9569

3264-8094 / 99791-7895

RESTAURANTE DOS VIAJANTES 3263-2610

3264-4337

3263-1974

3263-4723 / 99799-9249

PROJETOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

3263-1567

3263-0192

3263-1740

3264-1409

3263-2412 / 3264-2079

SERVICE

3263-0989


DEFESA PESSOAL 59

PODEROSA

Silva, 28 anos, faz parte dessas estatísticas. Há dois anos e meio começou a frequentar as aulas de boxe chinês, um esporte que melhora as condições cardio-respiratórias, a percepção, concentração, condições físicas e a autoestima, característica comum das artes marciais, e há oito meses pratica jiu-jitsu. “O objetivo foi o de melhorar a qualidade de vida e me preparar caso ocorra algo comigo. Se precisar, sei me defender”, conta. Thaís diz que as lutas exigem bastante preparo físico. “Precisa de fôlego. Uma é em pé e a outra é mais de chão. Trabalham bastante a parte aeróbica”, comenta. “Gosto das duas e hoje são essenciais na minha vida”. As aulas de jiu-jitsu são diárias, de segunda-feira a sábado. Já o boxe, três vezes por semana: segundas, quartas e sextas-feiras. E vale a pena para quem também quer emagrecer. Em oito meses Thaís emagreceu 31 quilos. Hoje ela pesa 62 quilos e mede 1m67cm. “Hoje me sinto muito mais motivada e empolgada”, ressalta. “Sempre pratiquei alguma atividade física, mas sem o sobrepeso me sinto bem melhor”.

pessoas íntimas das vítimas. Os dados são da pesquisa “Violência contra a mulher: feminicídios no Brasil”, divulgada no final do ano passado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Depois do Piauí, Santa Catarina (3,28) e São Paulo (3,74) figuram entre as unidades da federação com as menores taxas do país. O Nordeste é a região brasileira com as piores taxas: 6,9 mortes a cada 100 mil mulheres.

VIOLÊNCIA

A procura por aulas de defesa pessoal é um reflexo da falta de segurança e também da sociedade. O Mapa da Violência, lançado pelo Instituto Sangari, aponta que o Espírito Santo é o estado brasileiro mais violento para as mulheres. A taxa de mortes femininas por violência doméstica no estado foi de 11,24 mortes para cada 100 mil mulheres - bem acima da média brasileira, de 5,82, e seis vezes maior que a do Piauí (2,71), o estado com menos registros deste tipo de violência, geralmente praticada por

facebook.com/Atelie Festa Provencal

3263-4407 / 98128-2092

99649-5929 / 32647183

3263-3055

3263-2920

98153-6183

3264-1819 / 3263-0711

3263-6809

3264-3573

Agora com a Farmácia Popular!

99737-8505

3263-0217

Cirurgiã Dentista Ortodontista

3269-3300

3263-7098

3269-3800

3269-3800

3264-9500

3264-3029

3263-5000 / 3264-8000

3264-8768 / 99632-0231

3263-6218

3263-3539 / 99712-4255


60 MALHAÇÃO

PODEROSA

EU ERO R! U Q ALHA ÉM

E DAD I V I A AT ESSI; M U R ALG IA NA O ANA D D M Á N E S ICA ARA N OR P RAT P S P ER U TE IA O A PRAZ IFEREN M D DE AR ACA E DÁ P DADES A N U VI AR O Q ÊS ATI EST É CA TR FÍSI ATICA PR ELA


MALHAÇÃO 61

PODEROSA

A procura por uma vida saudável está cada vez mais evidente e as academias cada vez mais lotadas. Se no passado a mulher era valorizada somente pelo fato de ser uma boa mãe e esposa dedicada, com o passar dos anos a evolução da mulher representou novos valores e conquistas, principalmente na área do trabalho e da moda. E a prática de ginástica é classificada como sinônimo de saúde e lazer. É assim que a assistente financeira Nádia Helena Naressi, 28 anos, encara a atividade física. “Há dois anos comecei a levar a sério a prática de musculação. Gosto e acho que é bom para o corpo e para a saúde”, diz ela. “No começo o objetivo era emagrecer, então mudei meus hábitos Nádia malha praticamente alimentares e aumen- todo dia e diz que tei o gasto com exercí- atividade tem que ser considerada compromisso cios físicos”. Depois de uma viagem que fez com a família pela Europa, onde comeu exageradamente, Nádia decidiu que iria compensar os excessos. Começou musculação e logo em seguida entrou para o grupo ‘Vigilantes do Peso’. Emagreceu sete quilos e viu que a reeducação alimentar aliada a atividade física dava resultado. “Não paro nunca mais”, promete ela.

Hoje com 56 quilos – considerado ideal –, ela pratica atividades físicas duas vezes ao dia. São aulas de musculação, pilates e tênis. Recentemente deixou de lado o Combat, aula que combina movimentos de diversos tipos de artes marciais e auxilia na queima de gordura, melhora a coordenação muscular, dá força, flexibilidade e agilidade. “O professor parou de dar aulas e estou a procura de uma nova atividade porque acho que está faltando fazer mais alguma coisa”, diz ela. Nádia garante que seu objetivo não é ficar bombada. “Hoje faço para manter meu peso. Não tomo nenhum suplemento para ganhar massa muscular. Só quero ter alguma atividade para queimar calorias”, afirma. Para não desanimar e abandonar a academia, ela diz que a prática tem que ser encarada como compromisso. “Acordo as 5h30 para fazer academia de manhã. Não posso falhar”, conta ela. “A gente fala que não dá tempo ou que não tem tempo, mas se fizer como compromisso, dá tempo sim. Nem que for meia hora de caminhada tem que ter como compromisso. Ajuda muito na disposição. Minha vida mudou muito depois que comecei a praticar mais atividades físicas”. Foto: Cíntia Fotografias


MANDAMENTOS PARA MANTER UMA ATIVIDADE

Escolha um exercício que já tenha tido experiências positivas no passado, com o qual tenha afinidade e sinta prazer.

Determine dias e horários fixos para se exercitar. A atividade precisa ter tempo e espaço certos na sua vida. Inicie pela aula mais básica e vá aumentando a dificuldade apenas quando perceber que o nível no qual já está é fácil para você.

Estabeleça metas em médio e longo prazo. Descreva o que você precisa fazer para alcançá-las e qual será a recompensa depois.

Registre a sua evolução. A cada dia verifique e registre a sua nota para a percepção de esforço e construa um quadro das suas mudanças. Estabeleça a presença nas aulas ou nos treinos como uma meta semanal, e procure se recompensar por estar cumprindo-a.

Escolha um ambiente em que se sinta confortável para se exercitar. Se não gosta das pessoas da sua academia, procure outra. Inclua diversão na atividade física, convidando as amigas para treinar com você e ouvindo as músicas que você gosta.

Compartilhe suas metas com pessoas que você sabe que estarão torcendo por você. Elas serão o seu apoio nas horas de desmotivação. O profissional de educação física tem um valor muito importante, não apenas por sua formação, mas porque pode turbinar a sua motivação.


ESPORTE E SUCESSO 63

PODEROSA

MULHER ESPORTISTA SE DÁ MELHOR NA CARREIRA É o que aponta o relatório Women leaders’ perspectives on sport and high-performance teams da Ernst & Young que constatou que 67% das executivas C-level praticam esportes com regularidade, ante 55% das mulheres em outras posições de liderança. No geral, a maioria das mulheres ouvidas (90%) praticaram esportes em idade escolar ou durante a faculdade; a proporção aumenta para 96% entre as executivas. A pesquisa constatou ainda que 72% das mulheres acreditam que indivíduos envolvidos com alguma prática esportiva, presente ou passada, são mais eficientes trabalhando em equipe. Um número próximo de mulheres (76%) também crê que comportamentos trazidos do esporte podem melhorar o desempenho das equipes no ambiente corporativo.

“Esta pesquisa valida o papel fundamental que os esportes têm para líderes femininas em desenvolvimento”, aponta Beth Brooke, vice-presidente global de Políticas Públicas na Ernst & Young e apontada pela revista Forbes como uma das 100 mulheres mais poderosas do mundo. O estudo faz parte da iniciativa Women Athletes Global Leadership Network, que teve início em março de 2013, para ajudar atletas femininas de elite a explorar seu potencial de liderança depois de se aposentar das competições. A Ernst & Young, uma das patrocinadoras oficiais dos Jogos Olímpicos Rio 2016 está fazendo a ponte entre as atletas, como a nadadora olímpica, Fabiola Molina, a medalhista de vôlei de praia, Adriana Behar, entre outras, e sua ampla rede de altas executivas e empreendedoras pelo mundo, muitas delas com experiência no esporte. Fonte: site baguete.com.br


64 MULHER DE VERDADE

VERDADEIRAMENTE

PODEROSA A mulher que estampa a capa da Revista Poderosa, por nascimento, Maria Benedita Lopes Naressi, por carinho, chamada de Benê, é a personificação da proposta editorial que a equipe da Revista O Comércio idealizou para falar com a mulher lençonse. Proprietária das lojas Mimolé Modas e Espaço Noivas, é exemplo para o público feminino – e também masculino – de pessoa que encarou os desafios, traçou seus objetivos e não mediu esforços para realizá-los. Ainda assim, depois de mais de duas décadas atuando como empresária e líder de mais de vinte colaboradoras, é fácil encontrá-la em sua sala, bordando, com as próprias mãos, pedrarias em lindos vestidos. Aos 35 anos, mãe de dois filhos pequenos e com o apoio do marido, encarou a difícil missão de ser empreendedora. Ela tinha a oportunidade de voltar a trabalhar no Hospital Nossa Senhora da Piedade, lugar onde havia trabalhado desde menina e que saiu para cuidar das suas crianças. O esposo, gerente de banco, trabalhava fora e ela queria estar com seus filhos em tempo integral. Quando decidiu voltar ao mercado de trabalho, foi convidada a retomar seu antigo emprego, mas Benê queria algo a mais e foi em busca do sonho de adolescente: ser dona do próprio negócio.

PODEROSA

Atualmente, Benê lidera mais de vinte mulheres em seu negócio


MULHER DE VERDADE 65

PODEROSA

Mãe, avó, esposa e empresária dedicada às empresas e à família

Fotos: Cíntia Fotografias

Enquanto pensava em que investir as pequenas economias da família, recordou de que quando se casou precisou ir a São Paulo alugar seu vestido. Não existiam lojas de aluguel em Lençóis Paulista. Pronto! A ideia estava formada em sua cabeça. Relembra também que foi perguntar sobre o empreendimento que pretendia inaugurar a um empresário da cidade, pois ainda restavam dúvidas. O que ele disse foi determinante segundo ela: “Não existe negócio bom ou ruim, o que existe é determinação e competência. Com isso, qualquer negócio terá sucesso!”. Essa frase jamais saiu da sua memória. No inicio, apenas uma funcionária a ajudava nos negócios. Hoje, com 23 de experiência, as duas lojas da empresária contam com 21 colaboradoras. Não há homens nas empresas. Ela optou por ter só mulheres trabalhando ao seu lado. A mulher, que durante muitos anos da sua vida se dedicou à área da saúde, se tornou uma mulher de negócios, onde afirma que se realizou profissionalmente. É exemplo que de que o sexo feminino vem conquistando seu espaço com foco e maestria. É como diz a música de Erasmo Carlos ‘Mulher’: “dizem que a mulher é o sexo frágil, mas que mentira absurda. Eu que faço parte da rotina de uma delas, sei que a força está com elas”. Aos 56 anos, Benê é digna de aplausos e reconhecimento por sua ascensão profissional. No início da década de 90, mais precisamente em 21 de fevereiro de 1991, quando abriu a porta da sua primeira loja, o mundo ainda era um universo dominado por homens de negócios. Hoje, a empresária é referência absoluta em Lençóis Paulista e região. Casada com Antonio José Naressi, mãe de Nádia Helena e Humberto Antonio e avó da pequena Maria Cecília, ela é, verdadeiramente, poderosa!


66 MODA

PODEROSA

APOSTE NA ROUPA CERTA PARA SEU TIPO DE CORPO Foto: Cíntia Fotografias

SABENDO O SEU TIPO FÍSICO E O QUE USAR CORRETAMENTE É POSSÍVEL TER UM VISUAL MAIS AGRADÁVEL NA CONSTRUÇÃO DA PRÓPRIA IMAGEM. VEJA A SEGUIR ALGUMAS DICAS DA CONSULTORA DE MODA DA REVISTA O COMÉRCIO, CAROLINA FERREIRA, QUE PODEM TE AJUDAR NA HORA DE SE VESTIR E TE DEIXAR MAIS BONITA!

// VOCÊ É BAIXA E QUER PARECER MAIS ALTA?

Carolina Ferreira é consultora de moda da Revista O Comércio. Mais informações no site www.carolinablues.com.br

Se você for baixa e magra mesmo assim tem que ter cuidado na hora de se vestir, parecer mais alta é sempre um caminho que este tipo de mulher procura. Evite estampas amplas e listras horizontais. Para saias, dê preferência àquelas que ficam acima do joelho e se o caso for usar saias longas, seja no dia a dia ou vestidos longos de festa, lembre-se de optar por cores escuras e de apenas uma cor, evitando conjuntos em que a parte de cima tem a cor diferente da parte de baixo. Outras dicas que você pode seguir é não usar calças de cós muito baixo, pois dão a ilusão de que seu tronco é maior que suas pernas. No caso dos sapatos, opte sempre por saltos e sandálias que deixem o peito do pé livre e no caso das botas que estas sejam sempre de cores parecidas com a calça ou a meia calça que você usará junto. Blazers, casacos e coletes sempre abertos para serem usados como terceira peça e calças jeans de tons mais escuros. Nos acessórios o que pode te ajudar são os que dão destaque para a parte de cima do corpo, estes detalhes podem ser nos ombros, nos cabelos, ou com o uso de um lenço colorido amarrado ao pescoço.

// VOCÊ TEM QUADRIL LARGO E DESEJA DISFARÇÁ-LOS? Para saias e vestidos o ideal é que estas peças não sejam volumosas nessa região do seu corpo. Opte por modelagens mais retas e de bom caimento. Se o caso for uma saia longa, por exemplo, prefira que ela seja reta e de cor escura. No caso da tendência das saias armadas, prefira as que não são muito amplas e pouco godês. Calças e shorts folgados também te ajudarão nessa missão, se forem de alfaiataria é melhor ainda! No caso dos jeans, os modelos mais adequados são os shapesflare (com a perna e barra mais abertas) e os de pernas retas, combinadas sempre com camisas e blusas mais folgadas ao corpo. Infelizmente para disfarçar essa região é preciso deixar de lado coisas como cintos largos, saias e calças estampadas e calças jeans muito “certinhas ao corpo”.

// DISFARÇANDO OS SEIOS GRANDES O primeiro passo neste caso é você saber se usa o sutiã no tamanho correto, seios grandes necessitam de sutiãs com alças largas e reforçados para que não pareçam maiores. Decotes na medida certa e colares longos ajudam no disfarce, já a tão famosa camisa de botões que são muito usadas é preciso ter cuidado, pois podem dar destaque nessa região, prefira as mais folgadas. Golas com detalhes e laços na região do peito também não são permitidos, assim como, tecidos muito volumosos e brilhos, prefira cores escuras e deixe para chamar atenção na parte debaixo da roupa. Decotes ‘tomara que caia’ apenas se você for magra nos braços e costas e cinturas marcadas também costumam disfarçar no mesmo caso.

// DICAS PARA AS GORDINHAS Para disfarçar as gordurinhas indesejadas é necessário sempre usar blusas com mangas, tanto curtas quanto longas, calças retas e respeitar os comprimentos. Nunca use peças curtas, sempre um pouco acima dos joelhos para saias, shorts e bermudas. O cós alto é um grande aliado, pois disfarça a barriguinha e você também pode contar com a ajuda de lingeries modeladoras, como cintas e compressores, principalmente, se for usar vestidos. Sobre as estampas evite as muito amplas e listras horizontais, já as listras verticais e diagonais ajudam a disfarçar e decotes em V e vestidos são dicas valiosas. Use o bom senso, não use roupas largas demais nem apertadas, pois ambas são prejudiciais, encontre o meio termo.


68 ESTÉTICA

PODEROSA

CUIDAR DA pele E DA alma UM DOS INDICATIVOS MAIS BELOS DA SAÚDE E VITALIDADE DO CORPO É O CUIDADO COM A CÚTIS OU, COMO É MAIS CONHECIDA, A PELE; ALGUMAS DOENÇAS PODEM AFETÁ-LA!

Nestes tempos nos quais o que mais falta é, justamente, tempo, a vida agitada e a correria do dia a dia trazem reflexos em nosso corpo e afetam a saúde física e mental. As mulheres não estão imunes a essas consequências dos tempos modernos e os reflexos podem surgir em forma de manchas na pele, conhecida como melasma. Essa enfermidade é, conforme explica a médica dermatologista, Marisa Moretto, decorrente da exposição solar, gravidez e também como re-


ação ao uso contínuo de anticoncepcionais. Não apenas essas manchas são a preocupação das mulheres, mas, também a acne que não acomete apenas as adolescentes, mas, a adulta, em razão, sobretudo de desequilíbrios hormonais, segundo a médica.

VÁRIAS DOENÇAS DERMATOLÓGICAS PODEM SER DESENCADEADAS PELO ESTRESSE

E O ESTRESSE?

Outras doenças dermatológicas podem ser desencadeadas pelo estresse, estado psicológico que senão causador é o que agrava, por exemplo, a queda de cabelos ou, como destaca a dermatologista, piora o quadro de acne. Nesse mesmo âmbito, também podem ser consideradas as reações alérgicas, com manifestações de coceiras. A dermatologista, contudo, diz que em seu consultório o maior número de queixas é de melasma e acne, seguido de marcas do tempo. Quanto mais cedo o tratamento, melhor. “Há várias opções de tratamento clínico, com cremes e protetores dermatológicos e solares”, avisa a médica.

CUIDADO PRECOCE

As mulheres precisam ficar atentas ao corpo e observar mudanças. “Cada vez mais, as mulheres procuram cedo por tratamento clínico à pele, com o objetivo de alternativas que permitam retardar ao máximo procedimento invasivo, como a cirurgia plástica, no caso do rejuvenescimento”, diz a médica. Além dos cremes e protetores solares, existem os tratamentos médios invasivos, como laser e botox.

A médica dermatologista Marisa Moretto recomenda cuidados clínicos e tratamento a base de cremes e protetores e o retardamento dos invasivos


70 ESTÉTICA

PODEROSA

CUIDADO com o melasma!

Melasma ou cloasma é uma mancha de pele escura que aparece em áreas do rosto exposto ao sol, um tipo de distúrbio de pele muito comum. É mais comum em mulheres jovens com tom de pele amarronzado, mas pode afetar qualquer um. A esteticista Mariane Dutra Waldemar Lisboa foi procurada pela Revista Poderosa para explicar como tratar e evitar esse tipo de mancha que incomoda muitas mulheres. A causa, segundo ela, geralmente é associada aos hormônios femininos, estrógeno e progesterona. É mais comum em mulheres grávidas, mulheres que utilizam pílulas anticoncepcionais e mulheres que realizam terapia de repo-

sição hormonal durante a menopausa. “Mas não são apenas nessas condições que essa mancha surge. O sol também tem culpa. As células da pele acumulam os efeitos da radiação no decorrer da vida e, de repente, depois daquele verão bem aproveitado na praia, você nota uma marca no rosto”, explica ela. “Mais do que isso, a simples exposição à luz, inclusive aquela fluorescente do escritório, piora a mancha”. O tratamento pode incluir cremes contendo uma combinação de vários ativos que tem mostrado melhoras na aparência do melasma. Tratamentos a laser também podem ser utilizados para


ESTETICISTA DÁ DICAS DE COMO EVITAR OU TRATAR AS INDESEJADAS MANCHAS QUE APARECEM EM SEU ROSTO remover os pigmentos escuros se o problema for grave. “É preciso interromper medicamentos hormonais que podem estar causando o problema”, alerta Mariane. “Cápsulas que protegem a pele do sol aumentam a resistência da pele à radiação e é de grande valia. Hoje, cápsulas ricas em antioxidantes são bem eficazes. Vale lembrar que são bons coadjuvantes, mas não substituem o filtro solar. As cápsulas antioxidantes podem ser manipuladas com prescrição”. Peeling dá resultado e é bastante seguro. PROTETOR SOLAR “O peeling superficial seriado (mais leve e realizado em diversas sessões) continua sendo a É FUNDAMENTAL primeira opção, pois muitos consideram a práCONTRA DOENÇAS, tica mais segura”, comenta a esteticista. “Mesmo que você faça tratamentos potentes no PRINCIPALMENTE, O consultório, vai precisar usar um creme com CÂNCER DE PELE ação clareadora por, pelo menos, três meses”. Segundo Mariane, o melasma frequentemente desaparece em alguns meses se você parar de tomar medicamentos hormonais ou se a gravidez terminar. O problema pode retornar em gravidezes posteriores ou se o uso destes medicamentos recomeçar. Ela frisa que o paciente não pode se expor ao sol e precisa usar um filtro potente no dia a dia. Também deve evitar calor excessivo - vapor e mormaço, por exemplo, pioram o problema. “Utilizar protetor solar todos os dias auxilia a prevenção do melasma. O protetor solar também ajuda a prevenir o câncer de pele e rugas”, ressalta.

Fo to

:C

ínt

ia

Fo to

gra

fia

s

A esteticista Mariane Lisboa


72 FOFURA

38

E DAÍ?

NÃO USO

Gabriela afirma que sua autoestima é alta e que se sente feliz como é

PODEROSA

MESMO COM O BOMBARDEIO PUBLICITÁRIO DE MODELOS PERFEITAS, HÁ PESSOAS QUE VIVEM BEM COM SEU CORPO; A PSICÓLOGA GABRIELA ANDRADE É UMA DELAS

O mundo insiste em fazer com que a maior parte das mulheres se sinta mal com o próprio corpo. A imagem que vende, apresenta mulheres de proporções ‘perfeitas’ em revistas, anúncios, comerciais de tevê. É a modelo com 90 de quadril, 60 de cintura, 90 de busto, usando um manequim 38. Vendem saúde, bronzeado em dia, sorriso branquíssimo e curvas perfeitas. Porém, segundo levantamento feito pela antropóloga norte-americana Jean Kilbourne, que analisa a imagem do corpo feminino na publicidade há mais de duas décadas, esse tipo de mulher diz respeito a apenas 5% da população. Como é então que as outras 95% podem se sentir normais? A psicóloga Gabriela Andrade, 26, não


FOFURA 73

PODEROSA

tem as medidas citadas acima, mas garante que vive muito bem com o próprio corpo. Tanto é que em 2013 encarou as câmeras dos fotógrafos no concurso Rainha da Facilpa e ficou entre as dez mais votadas pelo público na internet. “Foi uma experiência inesquecível. Fiz questão de participar para sair dos padrões e me surpreendi porque a repercussão foi muito grande. Fizeram campanha para votarem em mim no Facebook, tive torcida, enfim, foi bem legal”, lembra ela. “E acredito que esse carinho que recebi foi pelo meu carisma com o público, e por eu ser ousada e corajosa. Me amo do jeito que sou e as pessoas que convivem comigo sabem disso”. Para ela, a mulher precisa estar com sua autoestima elevada. “Sei de meninas e mulheres que mesmo magras, com corpos tidos como bonitos, não são felizes. Se acham horríveis e ficam depressivas”, comenta.

LONGE DAS ACADEMIAS

Gabriela não é ligada em academia. “Mas não sou sedentária, pelo contrário, tenho saúde, levo uma vida saudável e sou super ativa. Estou bem comigo mesma. Caminho de vez em quando, e pratico dança, mas não sou encanada com

NÃO SOU SEDENTÁRIA, PELO CONTRÁRIO, ME ACHO SUPER ATIVA

academia e regimes absurdos. Não sou regrada a isso”, afirma ela que prefere sair para caminhar na companhia de um livro para poder parar em algum local confortável e fazer uma leitura. A psicologia ajudou Gabriela. “Estudei essa área primeiramente para me conhecer, entender o ser humano, sua mente. E a psicologia me ajuda a superar as dificuldades do dia-a-dia, coisas corriqueiras que todo mundo passa e é essencial em minha vida”, comenta. “O que precisamos entender é que temos que nos amar como somos. Se a gente não se amar, quem é que vai fazer isso? Temos que nos amar para poder amar outras pessoas”.


74 BELEZA

PODEROSA

PREPARADAS PARA

ARRASAR!

ELAS SEMPRE ESTIVERAM NO SALÃO DE BELEZA, MAS EM UM MUNDO CADA VEZ MAIS EXIGENTE POR MULHERES BONITAS, ESTAR MAQUIADA, COM UM CABELO BEM CORTADO E BEM TRATADO É QUASE QUE OBRIGAÇÃO

// HIDRATAÇÃO COM ALINE GOULART Cabelo saudável é sinônimo de cabelo bem hidratado. E todos concordam que uma mãozinha profissional ajuda a potencializar os efeitos do tratamento. “Hidrate os fios semanalmente usando uma máscara adequada para seu tipo de cabelo. Antes de começar a hidratação, use sempre xampu de limpeza profunda e, em seguida, um específico para o seu tipo de cabelo – seco, oleoso ou normal. A função do primeiro é limpar e o segundo de equilibrar”, diz. “Para os cabelos crescerem rápido massageie o couro cabeludo, isso estimula a oxigenação e a circulação sanguínea do local. Enxague bem os cabelos após lavar, até remover todos os resíduos do creme e do xampu”. Ela também sugere uma alimentação saudável, pois alguns nutrientes são essenciais para o crescimento dos fios. E para aquelas que fumam, Aline diz que além de fazer mal para a saúde também prejudicam os fios que ficam mais fragilizados e quebradiços.


BELEZA 75

PODEROSA

Fotos: Cíntia Fotografias

// TIPOS E CORES DE CABELOS COM ARLETE CAMARGO

A aposta vem na liberdade dos fios e o corte é escolhido de acordo com a personalidade e o formato do rosto. “O comprimento médio (long bob) continua em alta, a franja em alta também, seja lateral ou dividida no meio, na altura da ponta do nariz. E para as mulheres de atitude, os pixies (corte bem curto e repicado), já usado por várias famosas”, comenta Arlete. Os tons achocolatados, acobreados e marrons serão a nova aposta. “As morenas e loiras que não abrem mão das luzes, ganharão luzes bem finas desde a raiz e vão clareando mais até as pontas”, conta ela. Os ondulados estão com tudo, o liso chapado está em baixa e as tranças continuam bombando.

// MAQUIAGEM COM PAULINHA MACIEL

Mulheres maquiadas e com uma boa aparência no ambiente de trabalho demonstra mais organização e autoconfiança. Uma maquiagem bem feita faz toda a diferença e colabora positivamente na imagem e marketing pessoal. Para as mulheres, não basta apenas o aspecto comportamental e experiência profissional. A aparência pesa, e muito! Se trabalha na área de venda e atendimento ao cliente, então, é essencial. “É importante lembrarmos que uma maquiagem no ambiente de trabalho é bem diferente daquelas usadas para festas e eventos sociais. Por isso, deixe de lado os tons fortes como o preto, os brilhos e os batons vermelhos. Prefira as cores frias, como marrom, bege e rose para os lábios. Os tons cor de boca são os mais indicados”, sugere Paula. “O blush pode ser nas cores pêssegos ou malva. Não exagere nos contornos dos olhos, na máscara dos cílios e no excesso da pele. Assim você estará bem maquiada para um ambiente de trabalho”.


76 BELEZA

PODE PARECER BRINCADEIRA, MAS NÃO É À TOA QUE AS MULHERES ADORAM UM CABELO LISO... ESTE É O PREFERIDO DOS HOMENS TAMBÉM. MAS CALMA, AFINAL, TEM PARA TODOS OS GOSTOS. ELES TAMBÉM SÃO FÃS DE FIOS ONDULADOS, CACHEADOS, CRESPOS E ATÉ CURTOS. CONFIRA EM DETALHES O RESULTADO DA PESQUISA FEITA PELA REVISTA CORPO A CORPO COM 100 HOMENS.

PODEROSA

56

%

AMAM O EFEITO CHAPADO

Não tem jeito, praticamente seis em cada dez homens preferem o liso. Pode ser loiro ou escuro. Não importa. Ele ainda é o cabelo que mais seduz os brasileiros.

8

%

DEBAIXO DOS CARACÓIS DOS SEUS CABELOS

Quem disse que os homens não apreciam os cachos? Sendo bem cuidados, eles garantem a preferência.


BELEZA 77

PODEROSA

5

%

SENSUALIDADE DA NUCA À MOSTRA

Muitos homens acreditam que os curtos chamam a atenção pela sensualidade que passam com o pescoço e a nuca expostos.

28

%

ADORAM O BALANÇO DAS ONDAS

É, se você é do tipo que gosta da ondulação natural, saiba que eles também se lembram disso na hora da escolha deste tipo de fio.

o ã ç u Sed nos

3

%

Não é porque eles apare- CRESPOS, cem em último lugar na SIM SENHORA! lista que a mulherada deve abrir mão do seu crespinho e entregar-se à chapinha ou aos relaxamentos. Afinal, os homens também apreciam um crespo bem cuidado.


78 BELEZA

PODEROSA

// CUIDADOS BÁSICOS PARA DEIXAR SEUS CABELOS LINDOS Ter cabelos lindos, brilhantes e sedosos é praticamente o sonho de todas as mulheres. E tudo porque, ao longo dos anos, a imagem de um cabelo bem tratado, longo e com um ar natural acabou por se tornar um símbolo de feminilidade e sensualidade. Todos os tipos de cabelos conseguem ser bonitos. O importante é usar produtos adequados ao seu tipo de fio de cabelo e couro cabeludo. E não é necessário gastar uma fortuna para se ter cabelos iguais aos das famosas. Bastam alguns cuidados básicos adotados como rotina, para deixar o cabelo de qualquer mulher com um jeito bem saudável e muito mais bonito. • Tenha cuidado com a temperatura da água na lavagem. Quando é muito quente, danifica, tornando-o muito mais frágil. • Evite lavá-lo diariamente, exceto quando se faz atividade física, vai para a praia ou para a piscina, pois o suor, o sal e o cloro são inimigos públicos!

Foto: Cíntia Fotografias

• No verão não se esqueça de usar um produto protetor sem enxágue e de renovar a aplicação sempre que vai para a água.

Depois do xampu, e se conseguir, use sempre água fria no último enxague, pois ajuda a fechar as cutículas. •

Quanto ao condicionador, não deve colocá-lo na raiz, mas apenas nas pontas.

• Se costuma utilizar o secador, prancha de alisamento, é obrigatório usar um produto protetor. Para dar brilho e suavidade sem pesar.

Shirley Prandini é cabeleireira e dá dicas de coomo deixar seus cabelos lindos

Após secar todas as mechas, dê um jato de ar frio com o secador para evitar o frizz.


PODEROSA

// DICAS DA PODEROSA!

DICAS 79

// BAGUNÇA DO BEM

Você vive procurando as chaves do carro? Nunca sabe onde deixou os óculos de sol? Paga multa todo mês porque se esquece das contas de casa? Então, já deve ter percebido como a desorganização leva ao desperdício de tempo e energia e pode atrapalhar os relacionamentos. Em vez de maldizer sua bagunça, use-a a seu favor. A desordem perturba e faz com que, mais tempo, menos tempo, você deseje mudar. Assim, funciona como uma mola no fundo do poço, que leva à luz novamente. Não sabe por onde começar? Anote as demandas de cada dia e faça de tudo para terminá-las. Reserve um dia só para organizar e limpar bolsas, gavetas e armários. E coloque os compromissos na agenda, com hora marcada, para ter noção do tempo disponível para cada coisa. Uma rotina organizada exige disciplina, mas elimina a ansiedade e a sensação de falta de controle sobre a própria vida.

// O PASSO ANTERIOR AO BATOM COLORIDO Coral, magenta, lilás e rosinha. Os batons nesses tons apareceram em diversos desfiles de verão e são as apostas dos experts em beleza para a temporada. Vai aderir? Ótima escolha! Mas saiba que para exibir uma boca colorida impecável é necessário antes manter os lábios bem hidratados e afastar possíveis rachaduras e pelinhas soltas – especialmente se o seu batom eleito tiver acabamento mate. Os maquiadores têm um truque: antes de preparar a pele e começar o make, lambuze os lábios com vaselina ou balm encorpado. Depois, na hora de colorir a boca, remova o excesso do hidratante labial. Funciona e você não perde tempo.


80 DICAS

// REFRESQUE SUA CASA

O verão é sempre bem-vindo, mas as temperaturas cada vez mais altas podem transformar a casa em uma estufa, já percebeu? Para dar tchau ao clima abafado e aumentar o prazer de ficar no seu ninho, use truques simples, capazes de abaixar o termômetro. Reduza os objetos – almofadas, mantas e tapetes dão charme à casa, mas, em excesso, aquecem o ambiente. Pelo menos até o fim da estação, guarde-os. O mesmo vale para cortinas pesadas, que impedem a circulação do ar. Tecidos leves, de cores claras, refrescam o local. Use a luz certa – troque as lâmpadas incandescentes pelas fluorescentes. Além de mais econômicas, elas são esquentam a sala enquanto você assiste à novela ou à sua série preferida. Umedeça o ar – o ventilador sozinho não está dando conta do calor? Dê uma mãozinha colocando uma toalha úmida no batente da janela nos dias e nas noites escaldantes para umedecer e refrescar o ar.

PODEROSA

// COMA DEVAGAR E NÃO ENGORDE

Mais um estudo confirma que não ter pressa na hora da refeição, dar mordidas pequenas e mastigar bem os alimentos são atitudes que ajudam no controle do peso. Os pesquisadores da Texas Christian University, nos Estados Unidos, dividiram os voluntários em dois grupos: um deles fez refeições aceleradas e o outro, em ritmo lento. Os participantes do segundo grupo ingeriram, em média, 88 calorias a menos por dia do que os do primeiro. Em uma semana, são menos 616 calorias! Quem comeu com calma também relatou menos fome uma hora mais tarde. O cérebro recebe os sinais de saciedade apenas após 20 minutos de refeição. Um truque para comer devagar é soltar os talheres enquanto mastiga e descansar as mãos na mesa.

// HORA DE CUIDAR DOS PÉS Vestir dia após dia a rasteirinha ou o chinelo de borracha, andar descalça na grama, dar uma corridinha na areia quente... Tudo isso é uma delícia no verão, mas gera um saldo negativo na sola dos pés: ressecamento, calosidades e rachaduras. De volta à rotina, é hora de dar a atenção que eles merecem. O ritual começa no banho. Não precisa usar lixa nem pedra, que são muito agressivas. Com as mãos e um sabonete esfoliante, esfregue os pés. Já é o suficiente para remover as células mortas. A dica é da dermatologista Carla Vidal. Depois, aposte num óleo ou creme que devolva a hidratação à pele. Se quiser, pode enrolar os pés num plástico filme após espalhar o cosmético e removê-lo ao acordar. Não adianta comprar o produto e usá-lo apenas por um dia. Tem que ter disciplina. É como escovar os dentes.


DICAS 81

PODEROSA

// OS SUPERALIMENTOS QUE VÃO BOMBAR // FAÇA-SE UMA MASSAGEM

Quer coisa mais gostosa do que chegar em casa e ganhar uma massagem? Se não der para contar com um profissional – ou com marido ou namorado habilidoso –, vire-se sozinha com essa terapia craniana, em que você só toca o rosto e a cabeça. Os movimentos diminuem o estresse, aliviam a dor de cabeça e devolvem a energia. Como é bem simples, dá para fazer no outro também. 1. Sente-se confortavelmente. Respire, esfregue as mãos e massageie as mandíbulas com a ponta dos dedos. 2. Deslize os quatro dedos de cada mão (não use os polegares) pela testa, do meio às laterais. Termine com uma fricção circular na região das têmporas. 3. Com os polegares, pressione levemente o canto interno dos olhos. Faça o mesmo no canto externo e no ponto entre as sobrancelhas. 4. Pressione o canto externo das sobrancelhas e massageie os globos oculares, como uma pressão leve nas pálpebras. 5. Esfregue o couro cabeludo com a ponta dos dedos. 6. Dê leves batidinhas com a ponta dos dedos na cabeça. 7. Com os polegares, pressione abaixo da cabeça (onde começa a nuca) e deslize a ponta dos dedos do pescoço aos ombros.

A cada temporada, surgem boas novidades à mesa para favorecer a saúde. No ano passado, as estrelas foram a Chia, a Goji Berry e a Batata Yacon. Veja agora as apostas para 2014, segundo alguns nutricionistas. Romã – A fruta, que é sinônimo de sorte na virada do ano, tem tudo para brilhar ao longo de toda a temporada. Rica em antioxidantes, ajuda a neutralizar quase duas vezes mais radicais livres que o vinho tinto e sete vezes mais que o chá verde. E, segundo nutricionistas, ainda ajuda a acelerar o metabolismo. Freekeh – Tradicional na culinária árabe, esse trigo verde se destaca por apresentar um alto teor de proteínas, vitaminas, minerais e ter até cinco vezes mais fibras que o arroz integral. O sabor é levemente defumado e pode ser usado em salada e sopa ou substituir o arroz. Virou moda entre os gourmets nos Estados Unidos e na Europa. Kefir – Azedinho e refrescante, o alimento probiótico pode ser usado em shakes e vitaminas. Deve ser cultivado em casa, como a coalhada, o que demanda um pouco de trabalho. A expectativa é que em breve a indústria crie um produto com o ingrediente para facilitar o uso. O produto tem ação anti-inflamatória e é rico em fósforo, magnésio e vitaminas B12 e K.


82 DICAS

PODEROSA

LENÇOS ANTIOLEOSIDADE

BB CREAM

Eles são ótima pedida porque eliminam o brilho do rosto sem retirar o make – o que ocorre quando você usa um lencinho de papel comum.

AMPOLA DE HIDRATAÇÃO

O N E U Q PE S A D I V A SALV

Em viagens, produtos multifunções ganham pela praticidade. O creme do tipo BB protege contra o sol, hidrata e uniformiza o tom da pele. Mas não há milagre. Ele não substitui, por exemplo, o protetor solar específico para a praia.

Ela age rápido e oferece benefícios semelhantes ao da máscara de tratamento. As ampolas atuam na regeneração dos fios e na melhora da resistência deles. O poder delas vem da alta dosagem de ativos.

PRODUTO CALMANTE

Trata irritações, descamações, alivia ardência de queimaduras e até diminui a coceira das picadas de insetos. Os responsáveis pelos benefícios são o pantenol e a vitamina B5, que têm ação anti-inflamatória e analgésica.

PRODUTO PARA MANTER O BRONZE

KIT DE MAKE

Na hora de viajar, menos é mais. Foque no básico: um batom rímel, blush, batom e sombras básicas. De preferência, providencie uma paleta compacta que tenha tudo isso. Com um kit básico desses, você consegue fazer o make do dia e da noite.

VAI PASSAR ALGUNS DIAS LONGE DE CASA? RECHEIE O NÉCESSAIRE COM SABEDORIA, PARA TER TUDO QUE PRECISA À MÃO, SEM PESAR NA MALA

Pele bem hidratada ‘segura’ mais o bronzeado. Você ainda pode levar um creme que contenha óleo de cenoura ou de urucum, ativos que prometem prolongar a cor – e também estão em sabonetes e produtos pós-sol.

O QUE NÃO PODE FALTAR NA BOLSA DE UMA MULHER?

KIT DE MANICURE

Não há mulher que não se incomode com uma unha quebrada aqui ou um pelinho a mais ali. Um minikit de manicure já resolve isso e muito mais. O ideal é que o conjunto tenha uma lixa, uma tesourinha, uma pinça, um alicate e um empurrador de cutícula.

XAMPU A SECO

É um verdadeiro curinga: ‘limpa’ os fios em situações de emergência, disfarçando o aspecto oleoso (que fica mais aparente no calor), dá textura às pontas e ainda aumenta o volume na raiz – para aqueles momentos em que você quer criar um penteado express.

LIP BALM COM PROTEÇÃO

Ele não colore a boca, mas ressalta o tom natural dos lábios (e ainda hidrata), sendo uma boa saída para quem não fica sem nada na boca. Escolha um balm com manteigas e vitamina E na fórmula.

“Sem dúvida é a maquiagem. A gente não sabe quando vai precisar usar durante o dia e é essencial pra gente se sentir bem”. Jéssica Lazarini. “Maquiagem e perfume não ficam fora de minha bolsa nunca. Se abrir a minha bolsa sempre vai encontrar lá. Ah, e escova de dente também sempre carrego comigo”. Jaqueline Araújo. “Não pode faltar batom e outras maquiagens. Gosto de estar sempre maquiada. A gente sempre precisa dar um retoque e ficar com a aparência boa”. Andresa Vacchi. “Nunca pode faltar batom e um belo rímel. Temos que deixar o nosso rosto sempre com uma aparência boa e é o que nos faz ficar radiante. Nos deixa com a autoestima maior”. Nanda Gimenes.


Poderosa - A Revista da mulher lençoense  

Edição n˚ 1 da Revista Poderosa.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you