Issuu on Google+

R$ 5,00 Ano 2 Edição Nº 22

EF.BSÎPt%JB*OUFSOBDJPOBMEB.VMIFS Tu és divina e graciosa Estátua majestosa No amor! Por Deus esculturada E formada com ardor...

Teu coração Junto ao meu lanceado Pregado e crucificado Sobre a rosa e a cruz Do arfante peito teu...

Da alma da mais linda flor De mais ativo olôr Que na vida é preferida Pelo beija-flor...

Tu és a forma ideal Estátua magistral Oh! alma perenal Do meu primeiro amor Sublime amor... ... ... Rosa; composição de Pixinguinha e Otávio de Souza

Se Deus Me fora tão clemente Aqui neste ambiente De luz, formada numa tela Deslumbrante e bela...

Novidade

Acilpa democratiza sistema de votação do horário do Comércio Página 5

Síndrome de Down

Entidade lençoense promove caminhada a favor da inclusão A Serviço da Comunidade.

Página 35

17ª Semana do Teatro

Projeto estadual de cultura acontece entre os dias 19 e 25 Página 38

Márcia Pompermayer é

A Dama da Capa

Página 23

Lençóis Paulista Março de 2012

Leia + Priscila Dal Bem .................7 Cléudio Prâmio...................8 Nardina Martins......... ........9 Benedito Tangerino..........10 Bete Athanásio.................11 Elisabete Leme.................12 Diego José Ramos ............18 Telma Romão ...................19 Olívia Buzzo......................22 Carolina Ferreira...............26 Cláudio Pasquarelli...........28 Edwaldo Bianchini ...........29 Diusaléia Oliver ................30

REVISTA


2

Utilidade Pública

Lençóis Paulista Março de 2012

ÁGUA E GÁS

CHAVEIROS

MARCENARIA

AUTO PEÇAS

DOCES

MEDICAMENTOS

BORDADOS

EMBUTIDOS

RAÇÕES

CAÇAMBAS

LANCHES

RAÇÕES

CARIMBOS

LANCHES

PET SHOP


Acontece :: Facilpa

Lençóis Paulista Março de 2012

Sem reajuste

3

Diretoria da Facilpa não reajusta preços dos ingressos para 2012 e anuncia novas atrações artísticas para a feira; confira a programação e valores no quadro abaixo

O

s preços dos ingressos para a 35ª Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) não sofrerão reajustes em relação aos valores praticados no ano passado – entre R$ 20 e R$ 30 (entrada inteira). Convites do primeiro lote serão mais baratos. A comissão organizadora da feira informou que a decisão deve-

Data Abril 26 deQuinta-feira Abril 27 deSexta-feira Abril 28 deSábado Abril 29 deDomingo Abril 30 deSegunda-feira Maio 1º deTerça-feira Maio 2 deQuarta-feira Maio 3 deQuinta-feira Maio 4 deSexta-feira Maio 5 deSábado Maio 6 deDomingo

rá facilitar o acesso ao evento. Este ano a festa acontece entre os dias 26 de abril e 6 de maio (confira programação e preços abaixo). Outra novidade anunciada para este ano é a Área Vip – espaço reservado bem em frente ao palco e limitado a um público de mil pessoas por show. Esse passaporte tem que ser comprado separadamente

Show

do ingresso, pois não dará direito a entrada no recinto. Os pontos de venda ainda não foram divulgados.

Grade

A comissão organizadora também anunciou mais dois shows. Os sertanejos João Bosco & Vinícius se apresentam no dia 27 de abril. A data havia ficado em aberto. Além dis-

Antecipado Meia entrada

Renovados, Alpha Rock e Suicidal Dog

so, no dia 1º de maio, tem Anjos de Resgate. Além dos pontos físicos, a venda de ingressos também será realizada pela internet, diretamente no site www.facilpa.com.br e no Facebook (www.facebook.com/facilpa). Mais informações no site da feira (www.facilpa. com.br) ou pelo telefone (14) 3263-1411.

Inteiro

Área VIP

Entrada gratuita

João Bosco & Vinícius

R$ 20,00

R$ 12,00

R$ 24,00

R$ 20,00

Milionário & José Rico

R$ 20,00

R$ 12,00

R$ 24,00

R$ 20,00

Edu Lencioni Michel Teló

Entrada gratuita R$ 25,00

R$ 15,00

R$ 30,00

Anjos de Resgate e André & Matheus

Entrada gratuita

Cassiane

Entrada gratuita

R$ 30,00

Munhoz & Mariano

R$ 20,00

R$ 12,00

R$ 24,00

R$ 20,00

Paula Fernandes

R$ 25,00

R$ 15,00

R$ 30,00

R$ 30,00

Thiaguinho

R$ 25,00

R$ 15,00

R$ 30,00

R$ 30,00

Leonardo

A cantora Paula Fernandes é atração no dia 4 de maio da 35ª Facilpa

Entrada gratuita Foto: ilustração


4

Opinião

Aqui tem Revista O Comércio! ¾ Jd. das NaçõesrPadaria Padoka: Av. Estados Unidos, nº 289 ¾Jd. Nova Lençóisr Padaria Qually: Rua das Araras, nº 481 ¾ Núcleo H. L. Zillo r Padaria Padoka: Av. Vereador Dr. Hermínio Jacon, nº 624 r Farmácia Ludovico: Rua Luiz Baptistella, nº 287 r Padaria Padoka: Av. Nações Unidas, nº 117 ¾ Pq. Rondon r Padaria Padoka: Rua Momo Tranqüilo, nº 194 r Padaria Pão de Mel: Av. Prefeito Jácomo Nicolau Paccola, nº 254 ¾ Jd. Júlio Ferrarir Mercado Nascimento: Rua Emílio Rossi, nº 358 r Padaria Nativa: Av. Maestro Oliveira Capucho, nº 295 ¾ Vila Santa Cecília r ASP: Rua César Giacomino, nº 241 ¾ Jd. Cruzeiro r Mercado Avenida: Av. Cruzeiro do Sul, nº 276 ¾ Jd. Alvorada r Padaria Alvorada: Rua Bahia, nº 468 ¾ Jd. São João r Mercadinho do Rachid: Rua Camilo da Cunha, nº 20 ¾ Vila Contente r Mercado Fontes: Rua Rodrigues Alves, nº 241 r Mercado Econômico: Rua Regente Feijó, nº 114 ¾ Vila Mamedina r Padaria Nova Sensação: Rua Dr. Gabriel de Oliveira Rocha, nº 397 ¾ Jd. Primavera r Mercearia VM: Av. Luiz Boso, nº 110 r Mercearia Primavera: Av. Luiz Boso, nº 214 ¾ Cecap e região r Padaria Trigo de Ouro: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 554 r Padaria Trigo de Ouro: Av. Procópio Ferreira, nº 557 r Padaria Trigo de Ouro: Rua Bandeira Tribuzi, nº 330 r Padaria Pão de Mel: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 1.234 ¾ Jd. Príncipe r Padaria Primícias dos Pães: Rua Luiz Vaz Pinto, nº 451 ¾ Jd. Monte Azul r Padaria Nossa Senhora Aparecida: Rua Guaianazes, nº 669 ¾ Jd. Caju I e II r Padaria Hot Pão: Av. Jácomo Augusto Paccola, nº 76 r Supermercado Placa: Rua Joaquim Gomes Machado, 224 ¾ Jd. Bela Vista r Mercado Pag Menos: Rua Jalisco, nº 93 ¾ Jd. Ubirama r Padaria Cantinho do Pão: Rua Marechal Dutra, nº 420 r Padaria Art Pão: Av. Marechal Castello Branco, nº 415 r Padaria Trigal: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 994 ¾ Centro e regiãorArmazém Supermercado: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 206 r Padaria Pão & Opção: Av. Brasil, nº 810 r Padaria Art Pão: Rua 7 de Setembro, nº 484 r Revistaria Marquinho Correa: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 663 r Didática Papelaria: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 252 r Farmais: Rua Ignácio Anselmo, nº 846 r Cíntia Fotografias: Rua Anita Garibaldi, nº 1.127 r Lavabem Lavador: Av. Nove de Julho, nº 890 r Acilpa: Rua Piedade, nº 161 r Padaria Trigal: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 697 r Churrascaria Estância Grill: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 1.054 r Farmais: 15 de Novembro, nº 812 r Lençóis Revistas: Rua Ignácio Anselmo, nº 189 r Vivo: Rua Ignácio Anselmo, nº 100 r Chiquinho Sorvetes: Rua 15 de Novembro, nº 534 r Ramblas Livraria e Papelaria: Rua 15 de Novembro, nº 216.

Lençóis Paulista Março de 2012

Editorial

Para todas as mulheres do mundo “Toda mulher quer ser amada. Toda mulher quer ser feliz”. Sobre isso não existem dúvidas. Mas, muito além de carinho e alegria, as mulheres brigam por seu lugar ao sol. Querem o direito de trabalhar, de terem salários justos, de serem mães, cidadãs com qualidade de vida. Enfim, querem ser reconhecidas por sua luta diária. A edição da Revista O Comércio deste mês foi contaminada pelo clima de 8 de março, Dia Internacional da Mulher e conta histórias de mulheres guerreiras, batalhadoras, vitoriosas como mães, empresárias, profissionais liberais. São pessoas que encontramos todos os dias, que com profissionalismo, empregam seu talento para transformar a cidade num lugar melhor. Apresentamos a Dama da Capa, personificada pela empresária Márcia Pompermayer. Numa breve retomada histórica, o Dia Internacional da Mulher remete a 8 de março de 1857. Nesta data, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte-americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a indústria e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fá-

bricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho. A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. A luta não foi em vão. Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas ainda há muito por fazer. Convidamos as leitoras, e claro, leitores da Revista O Comércio, a um momento de reflexão por nossas páginas. E claro, também uma viagem pelo mundo da cultura e do entretenimento.

E o vento levou No livro de Ezequiel Cap. 18, vs.22, há uma lição interessante: “De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele, pela justiça que praticou, viverá”. O que Deus quer ensinar é que Ele não se lembra dos pecados já perdoados. É o mesmo que dizer: “E o vento levou os meus pecados”. Entre memória e lembrança há sutil diferença. É claro que o nosso Deus não sofre de Alzheimer, amnésia e nem tampouco de apagão mental. É lógico que os nossos pecados estão guardados na memória de Deus, mas, pelo Seu imenso amor permanecerão esquecidos. Diferentemente de nós que vez por outra remoemos amarguras capazes de causar tristeza ou ódio. Em nossa vida há acontecimentos que são difíceis de serem esquecidos, outros impossíveis. A perda de um ente querido, uma tragédia qualquer. Inúmeros os casos que a nossa memória resiste em abandonar. Mas, memória e lembrança nem sempre devem andar juntas. Proceder como Deus é andar no centro da Sua vontade. Se a nossa memória resiste em esquecer, devemos resistir em trazê-los a lembrança. Isto porque, tudo que nos atrapalha a seguir em frente, precisa ser colocado de lado. Que bom se pudéssemos distanciar de tudo que causou ódio ou tristeza. O certo é que não conseguiremos, mas, também é certo que devemos resistir em trazer à mente aquilo que um dia nos trouxe dor ou mágoa. Pois, só assim, estaremos olhando para frente e crescendo espiritualmente. Marcos Ap. de Toledo Advogado, empresário e teólogo

EDITORA RESPONSÁVEL: Gazeta Paulista Empreendimentos Editoriais Ltda. | CNPJ: 01.782.039/0001-70. COMERCIALIZAÇÃO E PRODUÇÃO: Bistrô Serviços de Publicidade Ltda. - ME. Rua 13 de Maio, Nº 1.347, Centro, Lençóis Paulista, CEP: 18683-370, CNPJ: 10.744.028/0001-97. TIRAGEM: 5.000 exemplares. CIRCULAÇÃO: Agudos, Borebi, Lençóis Paulista e Macatuba. DIRETORES: Anderson Prado de Lima e Breno Medola. EDITORA CHEFE: Kátia Gisele Sartori (MTB 46.650). REVISTA O COMÉRCIO: (14) 32648187 e 3263-6886 | ocomercio@revistaocomercio.com.br | www.revistaocomercio.com.br. Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, portanto, podem corresponder ou não à opinião desta revista.


Acontece :: Comércio

Lençóis Paulista Março de 2012

5

Mulheres Democracia Associação dos Servidores Públicos homenageia funcionárias com coquetel, desfile e palestra; evento será no dia 9 de março

Empresários decidirão por meio de assembleia quais os melhores horários e dias para funcionamento do comércio

Foto: Revista O Comércio

Foto: Foto Carlos

Comerciantes lençoenses vão escolher dias e horários para funcionamento do comércio por voto secreto Evento realizado no ano passado contou com a participação de aproximadamente 500 servidoras públicas

P

elo quinto ano consecutivo a ASP (Associação dos Servidores Públicos de Lençóis Paulista) realiza festa em comemoração ao Dia Internacional da Mulher. O evento está marcado para o dia 9 de março, a partir das 19h30, no Centro de Convivência da Melhor Idade, na Cecap. Todas as servidoras públicas municipais que integram a Associação estão convidadas a participar. A entrada é de graça, mas é preciso retirar o convite com antecedência. O Dia Internacional da

Serviço

Mulher é comemorado em 8 de março. A data remete à greve de operárias norte-americanas que trabalhavam numa fábrica de tecidos em Nova Iorque. Elas realizaram uma paralisação por melhores salários e condições de trabalho mais justas, mas o movimento foi combatido com muita violência. Estima-se que pelo menos 130 tecelãs morreram carbonizadas dentro da fábrica. Será oferecido um coquetel para homenagear as mulheres. Além disso, a festa será animada por

DJ, também haverá palestra com a terapeuta Salete Cortez e desfile de modas. As roupas do desfile serão da OK Modas e Príncipe Shopping. No ano passado, a festa contou com a participação de aproximadamente 500 mulheres. “Todos os anos fazemos questão de dedicar este evento especialmente para as mulheres, por sua força no mercado de trabalho e poder de transformação social. É uma justa homenagem”, resume o presidente da ASP, Jonadabe José de Souza.

Para retirada dos convites as associadas devem passar na ASP. O endereço é rua César Giacomini, nº 241. O telefone da associaçãoé (14) 3264-8998.

A

diretoria da Acilpa (Associação Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) convida os empresários associados para participar de uma assembleia no dia 12 de março, a partir das 18h30, na sede da entidade. Durante o encontro os participantes vão escolher as datas e horários para funcionamento do comércio em dias estratégicos, como dia das mães, dia dos namorados, dia dos pais e final de ano. Outra novidade é que a escolha será feita por meio de votação secreta e apuração imediata. Antes, as decisões eram tomadas por meio de aclamação. O presidente da Acilpa, José Antonio Silva, o Neno, lembra que é fundamental a participação dos comerciantes. “Estamos promovendo mudanças para tor-

nar o sistema o mais democrático possível. Queremos que esta seja uma marca da administração e convidamos os associados a participar”, explicou. Os horários e dias que as lojas ficarão abertas são determinados pelo sindicato que defende os interesses dos funcionários do comércio. Também é função do sindicato fiscalizar e multar as empresas que descumprem as regras estabelecidas. A Acilpa atua como agente facilitador. Anderson Prado de Lima, primeiro-secretário da Acilpa, explica algumas das mudanças introduzidas com o sistema de cédulas. “Por meio de aclamação, os associados tinham que levantar o braço para votar. Acreditamos que isso fazia com que muitas pesso-

as deixassem de expressar sua vontade. Agora o voto é secreto. Ninguém precisa conhecer sua preferência se você não desejar”, avalia. Outra novidade, de acordo com Prado, é que foi ampliado o número de opções. “Num exemplo rápido, na sexta-feira que antecede o dia das mães, o empresário poderá optar se quer abrir das 9h às 22h, das 10h às 22h, se quer manter o horário normal. Ampliamos a possibilidade de escolhas”, enfatiza. “Entretanto, para que o processo seja realmente democrático precisamos da participação dos associados no dia da assembleia”, completa.

Serviço

Para mais informações, entre em contato pelo telefone (14) 3263-0837


6

Acontece :: Sustentabilidade

Acertando as contas A entrega da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física (DIRPF) poderá ser feita a partir de 8h do dia 1º de março, até às 23h59 de 30 de abril, no site da Receita Federal, mediante a utilização do programa de transmissão Receitanet, ou em disquetes nas agências do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal. Pensando nisso elaborei um manual para orientar os leitores sobre o assunto. No quesito ‘doa��ões’, existe possibilidade de destinação, usando o código 44 na Ficha “Pagamentos e Doações Efetuados”, para instituições enquadradas no Estatuto do Idoso, tendo como limite 6% do valor do imposto devido. Serão aceitas, para abatimento na declaração, as doações feitas entre 1º de janeiro e 30 de abril de 2012 enquadradas no Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA. O valor doado por cada contribuinte poderá ser de até 3% do imposto devido, observado o limite global de 6%. A partir do IR 2012, passa a ser obrigatória a inserção do CPF dos contribuintes, maiores de 18 anos, que se enquadrem nas categorias de filho ou enteado em qualquer idade, quando incapacitado física e/ou mentalmente para o trabalho, irmão, neto ou bisneto sem arrimo dos pais, do qual o contribuinte detém a guarda judicial, em qualquer idade, quando incapacitado física e/ou mentalmente para o trabalho e pessoa absolutamente incapaz, da qual o contribuinte seja tutor ou curador. A Receita utilizou o índice de 4,5% para reajustar os valores das declarações. Com base no reajuste, só estará obrigada a apresentar a DIRPF 2012 a pessoa física que recebeu no ano-calendário 2011 rendimentos tributáveis com soma superior a R$ 23.499,15, ou que recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil. Vale lembrar que o contribuinte que não entregar a declaração no prazo ficará sujeito à multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido. Terá como valor mínimo R$ 165,74; máximo, 20% do IR devido. Silvio Medeiros Contabilista e Educador Financeiro

Lençóis Paulista Março de 2012

Reserva hídrica Matriz de São Pedro e São Paulo terá cisterna para armazenamento de água

Foto: divulgação

N

o mês em que se comemora o Dia Mundial da Água (22 de março), o cônego Marcelo Aparecido Paes, pároco da comunidade de São Pedro e São Paulo, traz novidades sobre a nova matriz. O projeto prevê a construção de uma cisterna, sistema utilizado para reservar água da chuva. Será a primeira paróquia de Lençóis a reaproveitar o recurso. De acordo com o cônego, a cisterna está projetada para captar 100 mil litros de água. O projeto do reservatório está orçado em aproximadamente R$ 20 mil. A água da cisterna deverá ser utilizada para limpeza do templo e para jardinagem, inicialmente. Mas seu uso poderá ser ampliado. “Estamos pensando não somente numa economia de água, mas também numa forma de preservar este recurso tão importante e que tem

A comunidade católica do Núcleo Luiz Zillo e demais bairros da região buscam recursos para concluir o projeto

se tornado tão escasso, como a água. Elaboramos um projeto moderno para nossa comunidade e uma cisterna não poderia ficar de fora”, avalia o pároco. A comunidade de São Pedro e São Paulo nasceu com uma capela fundada no Núcleo Luiz Zillo, em 1980. Os fiéis cresceram até se tornarem uma paróquia, com fiéis de toda a região: Parque Rondon, Júlio Ferrari, Nova

Lençóis, Jardim Nações, Jardim América e Maria Luiza. Para atender tantos católicos, foi necessária a elaboração de um projeto para uma nova matriz. “Estamos construindo mais do que uma igreja. Este é o símbolo de uma comunidade unida”. O templo terá capacidade para mais de mil fiéis. Etapas como as fundações, alvenaria, ferragens e levantamentos e cúpulas já

foram finalizados. O cônego Marcelinho espera que até o fim do ano toda a obra já esteja concluída. A construção é possível graças à contribuição da comunidade e de empresas. Quem quiser colaborar de alguma forma pode entrar em contato na secretaria da paróquia, pelo telefone (14) 3264-4324. O endereço é rua dos Professores, nº 10, no Núcleo Luiz Zillo.

Lençóis vai sediar 16º Jori Lençóis Paulista será sede do 16º Jori (Jogos Regionais do Idoso) entre os dias 18 e 22 de abril. A competição deve reunir mais de mil atletas de quase 50 cidades.

Participam municípios das regiões de Bauru, Botucatu e Lins. De acordo com a diretora de Assistência Social, Elisabeth Ortado Athanásio, a abertura oficial do

evento está marcada para o dia 19 de abril, com presença da primeira-dama e presidente do Fundo de Solidariedade Estadual, Lu Alckmin. As modalidades em

disputa serão atletismo, coreografia, dama, bocha, buraco, dança de salão, dominó, malha, natação, tênis, tênis de mesa, truco, vôlei adaptado e xadrez.


Jovem Empreendedor

Lençóis Paulista Março de 2012

Vendendo sonhos Com duas agências de viagens, Priscila Dal Bem se sente privilegiada por ter uma profissão que só traz alegrias Foto: arquivo pessoal

A

empresária e turismóloga Priscila Dal Bem Dellamura reúne todas as características de um jovem empreendedor. Ousadia, qualificação e independência. Com apenas 30 anos de idade, ela administra duas agências em Lençóis Paulista: a CVC e a Viagem & Cia. A influência para o ramo comercial vem de família. “Meu primeiro emprego foi em uma loja. Na verdade, meu pai e minha avó sempre trabalharam com vendas e isso de certa forma influenciou na minha escolha”. Já a escolha por fazer faculdade de Turismo vem da paixão por conhecer novos lugares. “Trabalhei em hotel e sempre gostei de ler sobre países, cidades, ambientes diferentes”, define. Após concluir a faculdade e fazer estágio em uma agência de Bauru, Priscila decidiu começar seu próprio empreendimento. Assim, em 2006, nascia a Viagem & Cia. “Na época havia apenas uma agência na cidade. Resolvi então me especializar, fiz pós-graduação em turismo e abri a empresa”, recorda. “Se você tem uma ideia, tem que colocar em prática mesmo correndo o risco de dar certo ou não”, avalia. O começo foi difícil, como acontece na maioria das histórias de sucesso. “Eu tinha apenas 24 anos. As pessoas demonstravam algum receio, mas não esmoreci e fui atrás de aprendizado. A prática é diferente do que se aprende na faculdade. Fiz um grande esforço para me aperfeiçoar”, avalia. “Os jovens precisam ir atrás de conhecimento e das novidades para assim buscar seu lugar no mercado, ao contrário dos mais velhos, que já conquistaram seu espa-

Priscila Dal Bem Dellamura comanda a CVC e a Viagem & Cia.

ço”, complementa. Durante os seis primeiros meses Priscila comandou a Viagem & Cia. sozinha. Depois desse período contratou uma estagiária. A empresária acredita que a agência cresceu gradativamente, atendendo principalmente o público adolescente. “Começamos a fazer excursão para escolas. Os pais conheciam nosso trabalho e vinham fechar viagens com a gente. Gosto dos adolescentes porque são animados, aproveitam ao máximo. É muito divertido”. A oportunidade de abrir a CVC surgiu em 2010. Para Priscila foi o maior reconhecimento do seu trabalho, já que se trata de uma renomada franquia. “O dono da CVC me ofereceu a compra da loja. Eu não esperava, fiquei surpresa, porém lisonjeada, pois foi prova de confiança no meu trabalho”. Mesmo com duas lojas para administrar e grandes responsabilidades assumidas, como ser presidente do Comtur (Conselho Municipal de Turismo), a jovem adotou métodos para separar trabalho da vida pessoal. “Prefiro ficar até mais tarde

no trabalho do que levá-lo para casa. Acho importante ter momentos de lazer”. Com o passar do tempo ela acredita que adquiriu maturidade suficiente para aprender com os erros e melhorar na administração e no atendimento. “Hoje tenho propriedade para vender. Costumo dizer que vendo sonhos, pois muitas pessoas passam anos juntando dinheiro para fazer uma viagem que poderá ser a única da vida dela. Por isso, saber orientar o cliente é fundamental”. Priscila diz que procura passar sua experiência para seus quatro funcionários. “Dividir experiências, deixà-las à vontade e até mesmo estabelecer uma relação de amizade fazem toda a diferença no ambiente de trabalho”. A jovem empresária conta com o apoio moral da família e se sente privilegiada por ter uma profissão que possibilita unir o útil ao agradável. “Eu amo viajar e conversar. Nesse ramo posso atender clientes, conhecer pessoas e fico próxima de promoções e oportunidades de viagens. Fica mais fácil conhecer lugares”.

7


8

Empresário do Mês

Lençóis Paulista Março de 2012

Tempero gaúcho O

destino tratou de enviar direto do Rio Grande do Sul para Lençóis Paulista o empresário Cléudio Luis Prâmio. Hoje aos 52 anos, junto com o irmão Gilberto Roque Prâmio, administra a pizzaria que leva o sobrenome da família e a churrascaria Estância Grill. Cléudio começou a trabalhar aos nove anos no sítio onde morava com os pais e os cinco irmãos. “Levávamos uma vida simples. Trabalhava na lavoura para ajudar meu pai”. Ele conta também que a veia comerciante é genética, pois seu pai tinha uma churrascaria no Sul, local onde deu os primeiros passos de uma carreira de sucesso. Junto com sua família, Cléudio mudou-se quatro vezes até chegar em Lençóis. Em resumo, ele recorda um pouco dos lugares onde morou. “Os pontos comerciais já me levaram a morar no Rio de Janeiro, Curitiba, Embu e Americana. Em todos eles trabalhei junto com meu pai e meus irmãos no ramo de churrascaria”, comenta. “Em Americana, abri a churrascaria com meu irmão Gilberto. Decidimos vender e ir para São Paulo ficar com meu pai e procurar um novo ponto para os negócios. Daí que fomos apresentados a Lençóis

O empresário Cléudio Prâmio empresta o tempero gaúcho para pizzas, e claro, o tradicional churrasco dos Pampas Foto: arquivo pessoal

Quando não está trabalhando, Cléudio Prâmio gosta de pescar

Paulista”, explica ele. Até então Cléudio e o irmão não sabiam da existência de Lençóis. Um corretor disse a eles que teria um ponto em Bauru, porém apresentou uma padaria lençoense que estava à venda, fato que não animou muito os dois. “Nunca tínhamos tido uma padaria, por isso até oferecemos uma oferta abaixo do que o dono na época estava pedindo. Para nossa surpresa, ela foi aceita”. Acostumado com o ritmo de cidade grande, foi difícil o processo de adaptação no interior. “Quando mudamos para cá não havia

tanta infraestrutura e para completar, eu e meu irmão não entendíamos nada do ramo de panificação. Foi um período de 30 dias para aprendermos tudo. Resolvemos ficar”. Cerca de seis anos depois surgiu uma nova ideia. O hábito de ir na Faria Lima, em São Paulo, comer pizza, originou a iniciativa de abrir um negócio neste segmento. “Em Lençóis, as pizzarias usavam forno a gás e elétrico. Não tinha o forno à lenha. Percebendo a falta de um produto que estávamos adaptados a comer mas não tinha na cidade, re-

solvemos fechar a padaria e abrir a pizzaria”, descreve. Na época Cléudio contratou apenas um pizzaiolo, vindo de fora, para produção das massas. O restante do serviço, como atender mesas e limpar, era realizado por ele, o irmão e as esposas. “Não foi tão difícil porque já entendíamos de fabricação de massas e a população já nos conhecia. A aceitação foi boa”, recorda. São 18 anos de pizzaria e a Prâmio já virou referência na cidade. Mais tarde, surgiu a oportunidade de abrir a Estância Grill. Com experiência na área, novamente Cléudio, o irmão e mais um sócio voltaram para o ramo de churrascaria. Os negócios vão bem, o trabalho nunca termina, mesmo assim, ele diz que sempre encontra tempo para espairecer. Gosta de jogar bocha e sempre que tem oportunidade passa dias em uma propriedade que tem em Mato Grosso do Sul. O empresário enfatiza que a maior alegria como comerciante é ter o retorno dos clientes. “Sou realizado. Eu e minha família devemos tudo à Lençóis. Aqui fizemos um círculo de amizades com clientes que passaram a ser queridos. Já tivemos várias oportunidades de sair daqui, mas não saímos”.


Empresária do Mês

Lençóis Paulista Março de 2012

Retrato de uma

guerreira

Foto: Revista O Comércio

O

s moradores da região do bairro Júlio Ferrari acordam todos os dias com o cheiro dos pães fresquinhos da Padaria Nativa, administrada pela paranaense de nascença e lençoense de coração, Nardina Aparecida Martins, conhecida carinhosamente por Preta. O apelido é de infância, dado pelo pai ainda quando Nardina morava em Santa Tereza, cidade do Oeste do Paraná. Caçula de seis irmãos, mudou-se para Lençóis Paulista aos nove anos de idade. “Meus pais arrumaram uma boa oportunidade de emprego em Lençóis, por isso, decidiram mudar”, lembra a empresária. Quando completou 15 anos, Preta tomou a decisão que considera a mais radical de sua vida: largar os estudos para trabalhar e casar. “Fui morar na seção da usina e comecei a trabalhar na roça, no corte de cana. Na vida temos opções, eu tive várias, mas optei por essa”. Com essa escolha, Preta aprendeu a ser audaciosa e não se arrepende da decisão. “Trabalhar na roça é para quem tem coragem, não para quem quer. Todo traba-

A empresária Nardina Martins já foi trabalhadora rural, mas hoje é conhecida pelos pães saborosos

Preta conquista seus clientes com simpatia e com pães fresquinhos

lho é digno e precisa ser feito com amor”, enfatiza. “Se precisar, volto a cortar cana sem problema algum”, completa. Com o tempo ela foi percebendo e sentindo as dificuldades do trabalho no campo. Novamente, por opção e oportunidade, largou a lavoura para cuidar da casa e dos filhos. Preta tem muita história para contar. Casou-se uma segunda vez e em consequência desse novo relacionamento começou a nascer a ideia de um empreendimento próprio. “Quando me casei novamente trabalhei como promotora de vendas em um mercado da cida-

de, mas como tinha que viajar bastante ficava longe dos meus filhos. Então saí e junto com meu marido, decidi fazer curso de panificação”. O curso durou três meses e era preciso conciliar aulas e trabalho. “Saía de casa às 6h e chegava às 20h. Mesmo com todo cansaço, conheci pessoas maravilhosas”. Preta até então nunca havia experienciado as rotinas e desafios do ramo comercial. “O começo foi muito difícil, tive que me adaptar, não tinha noção de nada. O que me fortaleceu foi o apoio do meu marido que já tinha tido contato com esse ramo. Nada tirava da minha ca-

beça a ideia de ter a padaria. Quando comecei o curso, já fui decidida a vender minha casa no Monte Azul e comprar o estabelecimento no Júlio Ferrari”. Assim não demorou muito para o empreendimento sair do papel. A Padaria Nativa já completou aniversário de cinco anos. Foram tempos de felicidade e também de fatos tristes, como a morte do marido. “Para prosseguir, tive que me agarrar em Deus e nos meus filhos. Só assim consegui ficar forte”. E Deus ajuda quem cedo madruga, conforme diz o ditado popular. Mesmo com seis funcionários à disposição, a empresária continua com o mesmo pique do início: acorda 4h para fazer pão, entregas, cuida da parte burocrática e atende nobalcão. “É muita loucura ter um comércio, toma bastante tempo, mas a verdade é que sempre gostei, adoro a agitação e lidar com o povo. Tem que ter fé em Deus, porque Ele quem me deu tudo que conquistei. Administro para Ele. Sempre vai ter empecilhos, pessoas negativas no caminho, mas não se pode desanimar nunca”, conclui.

9


10

Emprego & Carreira

Lençóis Paulista Março de 2012

Escola do futuro Na família do lençoense Benedito Aparecido Tangerino, o Dito da Extrema, todos começaram a trabalhar bem jovens. “Para termos nosso próprio dinheiro e comprarmos o quiséssemos”, explica. Ele próprio começou a trabalhar informalmente, vendendo sorvete na rua e engraxando sapatos. “Quando você trabalha na rua aprende a ser independente. Eu tomei conhecimento dessa independência bem cedo”. Aos 10 anos de idade ele ingressou na Legião Mirim – o que era comum na época – e foi contratado por um escritório de contabilidade. “Comecei na rua, indo ao banco, carregando malote, essas coisas. Na época, os registros, livros e duplicatas não eram informatizados, tinha que escrever tudo. Os chefes gostaram da minha caligrafia e me promoveram. Deixei a rua e comecei a trabalhar internamente”, lembra Dito. Com a nova posição, aumentaram as responsabilidades. Ele tinha de cuidar do departamento pessoal. “Sempre fui dedicado, desde a época em que vendia sorve-

te na rua. Acho que essa qualidade foi fundamental para adquirir confiança dos patrões”. Dito trabalhou por três anos no escritório. Depois que deixou o escritório, Dito foi trabalhar em um banco. Lá permaneceu por mais de dez anos. “Acredito que conquistei uma maturidade com minha primeira experiência que me ajuda até hoje em meus relacionamentos profissionais”, avalia. Dito, hoje empresário, ressalta que aprendeu lições extremamente importantes para ter sucesso no mercado de trabalho com sua primeira experiência profissional. “Hoje com meu negócio próprio, mesmo sendo chefe, procuro manter e passar para meus funcionários a essência do meu primeiro emprego: responsabilidade, educação e postura”, conclui. Foto: Revista O Comércio

Benedito Ap. Tangerino é proprietário da Extrema Equipamentos

Começa construção da unidade do Sesi; alunos serão atendidos em tempo integral

Foto: Revista O Comércio

Obras da escola do Sesi seguem a todo vapor na região do Jardim Maria Luiza; sem atrasos, previsão é de que aulas comecem em janeiro de 2013

S

eguem a todo vapor as obras da escola do Sesi (Serviço Social da Indústria) em Lençóis Paulista. A expectativa é que a unidade que está sendo construída na região do Jardim Maria Luiza fique pronta até outubro deste ano. A construção da escola foi possível graças a uma parceria entre o poder público municipal, Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Grupo Lwart e empresas lençoenses, segundo infor-

ma o diretor de Desenvolvimento, Geração de Emprego e Renda, Altair Toniolo, o Rocinha. O investimento na unidade gira em torno de R$ 14 milhões. Deste total, R$ 11 milhões serão utilizados na execução do projeto. Outros R$ 3 milhões vão para a aquisição de mobiliário e equipamentos. O convênio foi assinado em dezembro de 2010. A área total é de 24 mil metros quadrados. A estrutura contará com 16 salas de aula. A estimati-

va é de que a unidade vá atender cerca de 500 alunos por ano, no ensino fundamental e médio. O ensino médio será integrado com cursos do Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). “Pela manhã o aluno tem aulas no Sesi e a tarde segue para um curso profissionalizante no Senai. É um modelo de escola em período integral”, explica Rocinha. A escola ainda terá laboratórios de química, física e informática. O projeto também prevê a construção de

uma quadra poliesportiva coberta, que, além dos estudantes, também poderá ser utilizada por trabalhadores das indústrias. “Será um grande investimento na cidade. A obra está nos trazendo muita expectativa, por conta da quantidade de salas de aula e o ensino que irá oferecer com nova metodologia, utilizando material específico. Com o Sesi, além da educação de qualidade, outras coisas boas virão, como a evolução cultural e social”, conclui Rocinha.


Personagem

Lençóis Paulista Março de 2012

11

Coração grande

Diretora de Assistência Social, presidente da Apae, mãe, professora aposentada; Beth Athanásio sempre acolhe quem precisa

P

elo trabalho desenvolvido frente à presidência da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Lençóis Paulista e no comando da Diretoria de Assistência Social, Elisabeth Ortado Athanásio, a dona Beth, é símbolo de solidariedade e generosidade para a comunidade lençoense. Assumir uma diretoria municipal consiste num verdadeiro compromisso e desafio para Dona Beth. Mais ou menos como aconteceu com a Apae. Isso porque toda sua vida foi devotada à educação. “Eu sou uma professora aposentada. Dei aula de história. Foram quase 27 anos na sala de aula”, recorda. Dona Beth é natural de Ipaussu, mas está em Lençóis há bastante tempo. “Vivi em Ipaussu até nove anos. Na adolescência mudei para Ourinhos, onde morei até me casar e iniciei o curso superior. Meu marido (Luiz Jeronymo) foi transferido para Maringá (Paraná) assim que nos casamos e eu também transferi a faculdade”.

Foto: Revista O Comércio

Depois de Maringá, Dona Beth e a família ainda moraram em Piracicaba. No começo dos anos 80, os Athanásio vieram para Lençóis. Aqui, a professora recebeu convite para lecionar história na escola estadual Professora Vera Braga. “Comecei em 1984 e me aposentei em 2003”. Como professora, presidente da Apae ou diretora de Assistência Social, Dona Beth sempre passou a imagem de uma pessoa solidária, capaz de acolher a todos que precisam. As experiências pessoais e profissionais comprovam isso. Só para se ter uma ideia, Dona Beth tem seis filhos, sendo que apenas dois são biológicos. Os demais são do coração. Ela assumiu a criação dos sobrinhos que perderam os pais num acidente. Todos a chamam de mãe. “Eu já vou ser bisavó, de um neto de minha sobrinha”, comemora. Também é comum a comunidade associar Dona Beth ao trabalho desenvolvido pela Apae. Ela presidiu a entidade por dois mandatos, logo após se aposentar

como professora. “Depois de parar com as aulas decidi que ficaria em casa fazendo crochê, tricô, coisa que eu sempre gostei. E no começo foi assim mesmo. Quando ia completar um ano essa rotina passou a me incomodar um pouco. Pensava: vou fazer isso até quando? Não vou vender nada que eu faço?”. Mais ou menos nessa época veio o convite para encabeçar a chapa que concorreria à diretoria da Apae. A princípio ela diz ter refutado a ideia. Depois acabou concordando. “Foi um trabalho desafiador, mas com pessoas ótimas. Existe um grupo de voluntariado muito bom, muito forte atuando pela Apae e foi maravilhoso estar com essas pessoas”.

Novos desafios

O seu mais recente desafio é à frente da Diretoria de Assistência Social, cargo que assumiu após convite da prefeita Izabel Cristina Campanari Lorenzetti. “Fiquei surpresa com o convite porque meu ramo é a educação. Aceitei o de-

Beth Athanásio conquistou pessoas como professora, presidente da Apae e diretora de Assistência Social

safio. Acredito que as coisas não acontecem por acaso. Tudo tem a mão de Deus”. O grande obstáculo, para a diretora, é acabar de uma vez por todas com a cultura do assistencialismo e dar condições de desenvolvimento para as famílias de baixa renda. “Quando você fala em assistência social associa-se a assisten-

cialismo. Mas hoje a política tenta mudar esse aspecto. O desafio é trabalhar a prevenção em grande escala e dar uma condição de vida para as pessoas. Trabalhar a autoestima. Assim você consegue ver o resultado. E esses resultados não vêm a curto prazo”, avalia. “De repente, você escuta na avaliação de fim de ano

um testemunho: ‘isso fez a diferença na minha vida’, ‘estamos tendo uma relação melhor lá em casa’, ‘eu consegui enxergar como a droga pode facilmente me conquistar’. Ouvir isso não tem dinheiro que pague. Esses testemunhos trazem alegria para o trabalho da gente. Mas é um trabalho de conquista”, completa.


12

Campeã de Vendas

Lençóis Paulista Março de 2012

Apaixonada Com 12 anos de experiência no comércio, Elisabete garante que atenção é característica fundamental para concluir uma venda e conquistar os clientes Foto: Revista O Comércio

E

nquanto as outras crianças brincavam de médico ou boneca, Elisabete Leme, 38 anos, divertia-se brincando de vender. “Ainda pequena, já tinha essa ideia na cabeça”, afirma. Pela vocação que aflorou quando ainda era criança, Elisabete, da Bia Decor, foi escolhida a Campeã de Vendas desta edição. Quando teve o primeiro contato com o comércio, Elisabete sentiu paixão e medo. “Adorei pela interação e me assustei porque era tudo muito novo. O fato de lidar com vários tipos de pessoas”, confessa. Porém, não demorou muito para a vendedora conquistar a confiança de todos, em especial da clientela. “Tenho um relacionamento com minhas clientes que vai além do balcão, muitas são amigas. Eu adoro todas”, expressa. O reconhecimento das clientes é fruto do atendimento que Elisabete oferece. Calma e atenciosa, ela busca colocar-se no lugar das consumidoras. “Quando procuro um serviço, prezo pelo bom atendimento. Qualquer pessoa gosta de

Paixão de infância: Elisabete desde criança brincava de ser vendedora

ser bem tratada”, argumenta. “O essencial é ter sensibilidade para captar o que o cliente busca. Vender é sentir e, particularmente, não se aprende essa sensibilidade. Acredito que é um dom”. Ela começou trabalhando no ramo de decoração e permanece até hoje. Começou na extinta Art Mania. A loja mudou de nome e de administração, mas a ven-

dedora permaneceu. “Tive sorte de ter patroas que estimulavam o crescimento do funcionário. Hoje, na Bia Decor, a Eliana Marçal me dá incentivo para fazer faculdade de design de interiores. É muito bom ter o apoio dela”, comenta. Elisabete chegou a abandonar o comércio por cinco anos. Foi trabalhar na área de saúde, mas

acabou voltando. “Precisei sair do comércio para dar valor e perceber que está no meu sangue”. Na Bia Decor, a vendedora também tem oportunidade de trabalhar com noivas, produzindo listas e realizando a entrega de presentes. Para ela é uma emoção inexplicável. “Nunca tinha trabalhado com esse público, é muito comovente poder participar de um momento tão especial na vida de um casal”, alegra-se. Apaixonada pelo que faz, Elisabete agradece todos os dias por sua realização. “Qualquer trabalho exige dedicação. A rotina é cansativa, então para exercer bem o papel de vendedora, tem que se esforçar bastante. Mas mesmo com alguns contras não consigo ficar longe da movimentação, das clientes e até dos embrulhos e embalagens que são o diferencial desse ramo”, avalia. Tenho sorte, pois trabalho em uma loja bonita e agradável. Isso facilita bastante. E só tenho que agradecer a Deus por me dar forças, dias de vitórias e pessoas maravilhosas do meu lado”.

Fotos: Revista O Comércio

“Conhecer o cliente e seu gosto garante satisfação tanto para quem está vendendo quanto para quem está comprando. Busco tratar meus clientes com exclusividade”. Thaiane Mary de O. Pereira; Menina Mulher “Busco manter uma relação de amizade com meus clientes, perguntar se está tudo bem com seu animal de estimação, conversar e oferecer produto de qualidade. O mais importante é sorrir sempre”. Rafael Souza; Reino Encantado “Minha intenção é deixar as mulheres fascinantes, por isso sempre ofereço novidades e dou opiniões de acordo com suas necessidades, que complementem a compra da cliente”. Tatiane Teixeira; Fascínio Acessórios “Indicar o produto certo para o cliente é fundamental, por isso priorizo conhecer realmente o produto que estou vendendo. Falar com prioridade faz toda diferença no atendimento”. Sérgio Gomes Junior; Corpo em Forma “O diferencial de um atendimento está na simpatia, carisma e exclusividade. Procuro focar 100% no cliente e sempre entender sua necessidade, apresentando opções de produtos”. Meri Costa; Z’linda Fashion


Lençóis Paulista Março de 2012

Informática & Tecnologia

13

Comentar

e curtir Baobá realiza gerenciamento de redes sociais para empresas e órgãos públicos; serviço é novidade em Lençóis Paulista e busca otimizar relação com clientes

I

O empresário Logan Caversan gerencia redes sociais

nteragir com o consumidor por meio do Facebook, Twitter, Youtube, Flickr e outros canais da internet é importante. Mas esta ferramenta tem que ser usada de forma responsável e consciente. A Baobá, empresa que atua com gerenciamento de redes sociais, traz este novo serviço para Lençóis Paulista e região. A iniciativa é do empresário Logan Humberto Caversan. A Baobá atua em quatro frentes: projetos e sustentabilidade, redes sociais e SMM, educação e eventos, e produtos sustentáveis. Caversan explica que tanto pequenas quanto

grandes empresas e também o poder público, podem e devem fazer uso das redes sociais. “Quem pensa em ter um relacionamento mais próximo com o cliente, ou com a população, no caso de prefeituras e outros órgãos públicos, deve saber o que as pessoas desejam, o que pensam”. O empresário explica que o tipo de serviço oferecido varia de acordo com o tamanho da empresa. “No caso de uma loja, por exemplo, pode e se deve fazer o uso das redes sociais. Nossa função é orientar sobre as melhores estratégias e instruir os proprietários ou funcionários dessa loja a como usarem essa mídia”. No caso de grandes empresas e de entidades públicas, o serviço vai desde

a criação e customização dos canais de redes sociais até monitoração quantitativa, qualitativa e gestão de relacionamento. “Com empresas maiores fazemos uma análise do cenário e uma estratégia de conteúdo. Por exemplo, com uma indústria de alimentos. Poderíamos usar as redes para dar dicas de alimentação saudável e receitas em dias pré-estabelecidos”, explica. Segundo o empresário, o importante e que a rede social funcione como um canal de interação com o consumidor e não se torne um serviço de atendimento ou ouvidoria. Outro detalhe importante é conhecer bem cada rede social. “Facebook, Twitter, Youtube, Flickr,

temos várias redes, que pedem conteúdos específicos e que têm públicos diferentes”. Por último é preciso fazer o monitoramento quantitativo e qualitativo. “Saber se estão falando da sua empresa e como estão falando da sua empresa: de forma positiva, negativa ou neutra. Estão falando bem do seu produto? Os comentários estão elogiando ou criticando? Ou estão apenas citando a sua marca? Apresentamos todos esses dados em forma de relatórios. Por meio das ferramentas de monitoramento conhecemos os ambientes e as discussões mais importantes para encontrar novas oportunidades de comunicação e relacionamento”.


14

Automercado

Lençóis Paulista Março de 2012

Quem gasta menos? A quarta edição do Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro lista o consumo de 51 modelos 2012/2012 por versões. São 157 veículos de oito fabricantes voluntárias (Fiat, Ford, Honda, Kia, Peugeot, Renault, Toyota e Volkswagen). As notas variam de A (mais eficiente) até E (menos eficiente) e têm de ser exibidas no para-brisa. Confira 10 notas A

Fiat Mille Economy

8,9/12,7 km/l na cidade 10,7/15,6 km/l na estrada (etanol/gasolina)

VW Polo Bluemotion

7,4/10,8 km/l na cidade 10,5/15 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Fiat Uno Evo Economy

8,7/12,5 km/l na cidade 10,4/15,2 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Fiat Siena Fire

8.2/12 km/l na cidade 9,8/14.1 km/l na estrada (etanol/gasolina)

VW Gol G4 Ecomotion

8,4/12 km/l na cidade 9,8/14,1 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Renault Logan 1.0

8/12,1 km/l na cidade 8,8/13 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Renault Sandero 1.0

8/12,1 km/l na cidade 8,8/13 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Honda Civic (todos)

7,3/10,5 km/l na cidade 10/13,4 km/l na estrada (etanol/gasolina)

Imagens ilustrativas

Honda Fit (todos)

8,1/11,8 km/l na cidade 9,2/13,3 km/l na estrada (etanol/gasolina)

10º

Toyota Corolla 1.8

7/10,2 km/l na cidade 9,6/13,5 km/l na estrada (etanol/gasolina)


Lençóis Paulista Março de 2012

Internacional Montadoras estrangeiras fazem malabarismo para ter carros 65% brasileiros e ficar isentas em 30% do IPI; decreto está valendo desde setembro de 2011

C

ausou surpresa a rápida certificação de nacionalização de componentes e processos do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), concedida em 31 de janeiro passado para todas as 18 fabricantes de veículos instaladas no Brasil e associadas à Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores). Para o MDIC, todas atendem às exigências de uso mínimo de 65% de conteúdo local, na média dos produtos fabricados, e execução de seis de 11 processos industriais, que vão da estampagem do aço, armação, pintura à montagem final. Dessa forma, as empresas ficaram isentas de pagar 30 pontos porcentuais extras sobre o IPI dos veículos produzidos aqui ou trazidos do México e países do Mercosul, conforme determina o Decreto 7567, baixado em setembro passado para proteger as montadoras ditas nacionais. Algumas das montadoras certificadas pelo MDIC nunca esconderam que trabalham com grandes volumes de componentes importados, entre elas a Hyun-

Foto: ilustração

Empresas estrangeiras dizem que negociam com governo nacionalização escalonada para seus veículos

dai/CAOA, Honda, Mitsubishi e Toyota. O exemplo mais agudo é o da Hyundai/ CAOA, que desde 2007 importa veículos desmontados da Coreia do Sul para montá-los em Anápolis (GO), até 2010 informava que utilizava não mais que 25% de conteúdo nacional e, apenas um ano depois, conseguiu comprovar mais de 65%. Depois do processo de certificação em tempo recorde do MDIC, fica difícil entender por que acham tão difícil cumprir as exigências de nacionalização do Decreto 7567 todas as montadoras que estão chegando agora ao país, ainda não associadas à Anfavea, e que já anunciaram a construção de novas

fábricas (caso da Chery, Paccar/DAF, Hyundai, JAC Motors e Suzuki), além de outras que ensaiam vir (como BMW e Land Rover). O estranhamento é ainda maior quando se trata de marcas chinesas, que no país de origem têm obrigação de começar a produção com o mínimo de 85% de conteúdo local. Todas essas empresas dizem que estão negociando com o governo brasileiro uma fórmula de nacionalização escalonada, com prazos mais elásticos para atingir o porcentual mínimo exigido. Está sobre a mesa de negociação a garantia de erguer linhas de montagem em troca de importar

e produzir aqui sem pagar a penalidade do IPI maior -- que seria recolhido, mas depois devolvido na forma de crédito tributário para aqueles que cumprirem todas as metas de produção e nacionalização dentro dos prazos acertados.

No papel

A elasticidade do conceito de nacionalização no Brasil é tão grande que, na prática, qualquer fábrica de veículos com menos de 20% de peças nacionais pode chegar aos 65% do chamado conteúdo local com algumas manobras, segundo estimativas do Sindipeças, que reúne cerca de 500 fornecedores de autopeças no Brasil.

Automercado

15


16

Ambiente & Decoração

Lençóis Paulista Março de 2012

Aconchego do bebê Confira dicas de decoração para o quarto do bebê. O mercado apresenta opções funcionais que podem aliviar o bolso dos pais Foto: Revista O Comércio

A

espera por uma criança é emocionante. Envolve expectativa, ansiedade alegria e preparação do quarto do bebê. A empresária Elisa Giacóia, proprietária da Elisa Baby – loja especializada em artigos para recém-nascidos e crianças até nove meses dá algumas dicas para decorar o quarto do neném. É fundamental que os pais se preocupem com o produto que está comprando, atentando para o controle de qualidade. Elisa alerta para a medida padrão da lateral do berço que deve atingir no máximo seis centímetros, caso contrário pode causar acidentes envolvendo as mãos ou pernas da criança. “Se o tamanho for maior, a perna ou mão do bebê pode passar, machucando assim os membros”, explica. Outro fator de segurança indispensável é o protetor de tomadas e quinas, assim como os tapetes antiderrapantes. Nos primeiros meses de vida, a criança pode desenvolver alergias, por isso as roupas de cama, toalhas, almofadas e travesseiros devem ser também motivo de atenção. Elisa recomenda o uso do percal, por ser macio, e aconselha

Com um orçamento pequeno e criatividade é possível montar um quarto dos sonhos para o bebê que está para chegar; especialista em decoração infantil dá dicas de segurança

não usar cortinas no quarto, já que acumulam poeira. Em relação às cores, os pais devem optar por tons neutros. “As cores carregadas poluem o ambiente, assim como os bichos de pelúcia e os protetores das laterais dos berços”. Com a modernidade, a padronização de cores não existe mais. “Aquele negócio que quarto de menina tem que ser rosa e de menino azul é ultrapassado. Os

pais estão mais modernos e investindo principalmente no colorido”, comenta.

Mobília

Com as paredes pintadas é hora de escolher os móveis. Elisa revela que é possível mobilhar gastando R$ 720. No quarto deve ter apenas o fundamental: o berço, o guarda-roupa, uma poltrona ou a cama babá. “Pode escolher entre a poltrona ou a

cama, porque as duas têm a mesma função de acomodar a mãe para amamentar e ficar próxima do bebê”. Para ocupar menos espaço e economizar ainda mais, os pais podem optar pelos berços modernos que viram minicamas e são aproveitados até os quatro anos da criança, diferente dos berços convencionais, que são proveitosos até um ano de idade. Já os quartos mais re-

quintados podem ser mobilhados a partir de R$ 1,5 mil. “Os quartos planejados estão em alta. Apesar de serem mais caros, eles são usados por crianças e até mesmo adultos. É só trocar o berço pela cama”, argumenta Elisa. Outra boa opção para os pais que podem gastar um pouco mais é o berço maternidade. Ele é específico para o neném até cinco meses, e é colocado ao lado da

cama dos pais. Por último, a decoração da parede fica por conta dos nichos. Em diversos tamanhos, são excelentes para guardar os objetos que são usados com frequência, como escovinha, remédio e kit fralda. “O ideal é que a partir do sexto mês esteja tudo pronto para a chegada do bebê e que os pais levem em consideração tranquilidade e segurança para seu filho”.


Casa & Construção

Lençóis Paulista Março de 2012

17

Foto: ilustração

Imponente O lustre Ê considerado imponente na arte de iluminar devido à sua riqueza de informação. Normalmente, Ê usado sobre mesas de jantar, base de cama em quartos, mesa na lateral de sofås, mesa de centro, e tambÊm em ambientes amplos com pÊ direito duplo, os quais a liberdade de uso Ê maior. AlÊm do seu design trabalhado, desde o estilo clåssico ao moderno, hå uma grande variedade de características:

Um luxo! Lustres e luminĂĄrias que dĂŁo charme ao ambiente; veja dicas para toda a casa

U

ma das peças mais clåssicas da decoração, o lustre, Ê sinônimo de sofisticação. Ele tem o poder de enriquecer o ambiente e Ê capaz de criar combinaçþes que vão do clåssico ao contemporâneo, passando pelo båsico atÊ o irreverente. Na sala de jantar, o acessório Ê indispensåvel, mas Ê preciso ter cuidado: a escolha errada da luminåria pode deixar o espaço sem harmonia e transmitir

a mensagem contråria à intenção do morador. Outro ponto a ser avaliado na hora de escolher o lustre Ê o tipo de iluminação. A sala de jantar permite flexibilidade para criar diferentes cenas. Se a intenção for um clima mais romântico e sereno, as peças pendentes são mais indicadas. Por outro lado, o tipo embutido Ê melhor no caso de reuniþes em família. Com a variedade que exis-

te no mercado requer um certo cuidado para não distorcer a decoração de cada ambiente. A iluminação deve valorizar os objetos decorativos e proporcionar ao mesmo tempo um ar aconchegante e agradåvel. Para aqueles ambientes onde amigos e familiares se reúnem Ê interessante o uso de dimer na iluminação, que proporciona o controle da intensidade de luz, podendo ser maior quando hou-

ver vårias pessoas no ambiente, ou menor, quando quiser estar a dois, ou atÊ mesmo só para descansar. Espelhos ajudam na perspectiva da luz, mas não se deve exagerar na quantidade. Quando a opção for luzes viradas para o teto, lembre-se que sempre deve haver luzes com interruptores separados para iluminar para baixo. Com isso você deixa o ambiente propício para vårias ocasiþes.

t'PSNBUP Volumetrias grandes ou pequenas; redondas, retangulares, quadradas, cônicas ou ovais, mas todas com um único objetivo de emocionar com luz. Estes formatos podem ser reflexo de peças jå existentes, como por exemplo, acima de uma mesa redonda um lustre redondo ou elipsoidal e acima de uma mesa retangular dois lustres quadrados para iluminar toda a extensão. t$PSFT Sóbrias, vibrantes, pålidas ou neutras formam composiçþes adequadas para diferentes gostos e propostas. A translucidez do lustre tambÊm Ê uma forma de transmitir maior leveza ao ambiente e o que proporciona isto Ê a definição do material. Dependendo da forma de execução do lustre, a sua cor consegue ser reproduzida em superfícies próximas com auxílio da incidência da luminosidade, criando um toque lúdico. t.BUFSJBJT rústicos, sofisticados, frågeis e rígidos. Trazem o real motivo de sua especificação. O tecido liso ou estampado, fios de seda, cristais, murano, polietileno, aço, vidro e cerâmica são alguns exemplos de materiais. O lustre tambÊm pode ser trabalhado em material reciclado e sustentåvel, pois jå estå mais que comprovado que ser sustentåvel não Ê sinônimo de ser simplório. t-VNJOPTJEBEF AlÊm da iluminação geral proporcionada com uma ou mais lâmpadas (sendo fluorescentes ou incandescentes) o direcionamento da luz depende da composição dos materiais, rasgos inferiores, laterais e superiores, definição das lâmpadas e proximidade da peça com qualquer superfície.


18

Viagem & Aventura

Lençóis Paulista Março de 2012

Atleta em terra estrangeira Fotos: arquivo pessoal

Professor de jiu-jitsu lençoense viaja para os Estados Unidos para ensinar arte marcial brasileira a norte-americanos

D

iego José Ramos, 28 anos, está vivenciando uma grande aventura, tanto no aspecto pessoal quanto profissional. Pelos próximos três meses ele ficará nos Estados Unidos, onde vai dar aulas de jiu-jitsu. Veterinário por formação, Diego conta que descobriu nesta arte marcial uma grande paixão. “Comecei a treinar jiu-jitsu logo que entrei para a faculdade, como uma forma de aliviar o estresse dos estu-

dos. Mas fui me dedicando, me graduando e me apaixonei. Então comecei a dar aulas para ter o prazer de treinar”, resume. O atleta já fez um intercâmbio para dar ensinar jiu-jitsu nos Estados Unidos. Na ocasião, morou na Califórnia. Viajou por todo o estado norte-americano, conhecendo lugares maravilhosos e também pessoas. “O jiu-jitsu é uma arte brasileira, por isso não vamos para os Estados Unidos para aprender, vamos

para ensinar. Mas eles têm avanços em outras áreas mais técnicas, como nutrição, por exemplo. E isso é muito importante”. Desta vez Diego está na cidade de Tampa, no Estado da Flórida. “Nunca estive na Flórida, então vai ser uma nova experiência com certeza. Sei que fica no litoral, está próxima de Orlando e próxima, mas não muito, de Miami”. Como turista e como profissional do esporte, Diego tem boas recorda-

Diego em academia norte-americana e explorando a neve durante o gelado inverno dos Estados Unidos

ções e coisas ótimas para falar dos Estados Unidos. Em suas viagens anteriores, conquistou amigos. Além disso, na terra do Tio Sam é possível viver somente do jiu-jitsu. “Aqui no Brasil eu preciso ter um outro emprego além da academia para poder me manter. Nos Estados Unidos é possível

viver só dando aulas”. Outro ponto positivo daquele país, segundo Diego, é a economia. “É um país que você tem a possibilidade de conquistar as coisas mais facilmente, onde bens de consumo estão mais acessíveis, existe valorização profissional. Um lugar muito bom de se viver, desde que você respeite

a cultura norte-americana”. Com muita saudade e disposição na bagagem, Diego diz estar pronto para esta nova aventura. “Vou sentir falta da minha família e amigos, dos alunos. Mas vou retornar com muitas novidades, então isso motiva. É uma oportunidade que não pode ser desprezada”, finaliza.


Lençóis Paulista Março de 2012

Quatro patas

Telma Romão e Boomer brincando de tirar foto; paixão por animais começou ainda na infância e só aumentou

D

esde criança a professora Telma Regina Romão Barbosa é apaixonada por animais, principalmente, cachorros. O motivo para tamanha paixão é a importância que eles têm em sua vida. “Esses bichinhos completam minha alegria de viver, são companheiros e se tornam importantes por nos fazer importantes para eles”, expressa. Reconhecendo o valor que os animais exercem na vida dos seres humanos, a Revista O Comércio abre espaço para a editoria Meu Melhor Amigo.

Telma é dona de dois cachorros: um labrador chamado Kaiki e um cão da raça Pug que responde por Boomer. Para a professora eles merecem carinho fraternal. “Com eles por perto tenho a certeza que meu dia começará e terminará bem, mesmo que aconteçam coisas difíceis. Sempre terei lambidas e rabinhos agitados me esperando, e é essa certeza que me faz viver dia após dia com mais entusiasmo”. Ao longo da vida Telma teve muitos animais de estimação. Tantos que até perdeu as contas. “Quan-

do criança gostava muito de gatos. Sempre tive animais em casa”. Mas ter um animal de estimação também implica em responsabilidades. Ela alerta para os cuidados indispensáveis que se deve ter com os cães, ou qualquer outro bichinho. “A partir do momento que se tem um cachorro em casa, é fundamental se preocupar com ração balanceada, veterinário regularmente, passeios diários, ossinhos, banhos semanais, enfim, procurar retribuir todo o carinho que eles transmitem”.

Meu Melhor Amigo

19

A lençoense Telma Romão é professora, mas garante que quem ensina lições de vida são seus cães Fotos: arquivo pessoal

O labrador Kaiki adora receber um carinho da dona; ela é recebida com festa quando chega em casa

Mesmo sendo irracionais, os animais têm muito a ensinar. A professora acredita que eles possuem inúmeras características, inclusive lealdade, habilidade de amar incondicionalmente e a alegria que proporcionam. “Com meus cachorros aprendo a ser mais feliz e solidária com os cães que não possuem um lar. Acho até que venho aprendendo a ser mãe”. A sensibilidade dos cães é aguçada, tanto que alguns são usados para recuperação de pacientes com doenças terminais e outros

para serem guias de cegos. “Meus cachorros entendem como foi meu dia, se estou chateada, alegre ou cansada e se desdobram para que eu fique melhor. O mais interessante é que cada um tem seu jeito especial de me fazer sentir uma pessoa importante e especial. Essa amizade e convivência não tem preço”. A professora ainda sugere a reflexão sobre os maus tratos com animais, fundamentada numa frase de Chico Xavier. “Nós, seres humanos, estamos na natureza para auxiliar o progres-

so dos animais, na mesma proporção que os anjos estão para nos auxiliar. Por isso, quem chuta ou maltrata um animal é alguém que ainda não aprendeu a amar”. No Brasil existem leis que protegem os animais. Quem testemunhar uma agressão pode e deve comparecer a uma delegacia e abrir um boletim de ocorrência. “Ninguém é obrigado a gostar de cachorros ou qualquer outro tipo de bicho, mas também não precisa maltratar. Eles não merecem pelo enorme amor que oferecem”.


20

Bebê Show

Lençóis Paulista Março de 2012


Lençóis Paulista Março de 2012

Bebê Show

21

Fotos: Cíntia Fotografias


22

Mural Artístico

Lençóis Paulista Março de 2012

Garota

Foto: divulgação

prodígio Com música tocando nas rádios e videoclipe rolando no Youtube, Olívia Buzzo é jovem promessa musical de Lençóis Paulista; ela começou a cantar aos nove anos de idade

A

os nove anos de idade, Olívia Buzzo pediu para o pai um violão de presente de Natal. O desejo foi atendido e despertou o talento de uma artista. Olívia desponta como aposta de sucesso no cenário pop rock. A jovem, atualmente com 19 anos, se dedica a duas paixões: a música e o curso de Direito. Em 2012, iniciou o segundo ano de faculdade em Londrina, no Paraná. “Direito é outra paixão. Nos últimos anos não me dediquei 100% à música para focar no vestibular. Uma das coisas que planejei para minha vida foi cursar uma universidade pública. Gosto de ter os pés no chão. Se no futuro não for possível ga-

Olívia Buzzo em estúdio (à esquerda) e durante apresentação (acima); violão é companheiro inseparável

nhar a vida com a música, me agrada a ideia de poder seguir uma outra carreira”, avalia. Seja qual for a escolha, Olívia tem apoio total da família. A adolescente é natural de Blumenau, Santa Catarina, mas se mudou para Lençóis Paulista há cinco anos. Ela se apresenta em bares desde os 15 anos. Também era presença obrigatória nos eventos da escola. Aqui em Lençóis construiu uma relação de amizade com um grupo de jovens talentos que trazem uma proposta pop rock, como Cleiton Rolo e Rafael Castro. Aos poucos, o talento demonstrado ao estilo um banquinho e um violão vai conquistando adeptos. Olí-

via também está em busca da profissionalização. Atualmente, quem cuida de sua carreira artística é o produtor musical Campos Júnior, que reconhece o potencial da garota. “A primeira vez que vi a Olívia se apresentando fiquei impressionado. Ela é a nossa Alanis Morissete”, resume. Dos bares para os estúdios, Olívia já gravou sua primeira música de trabalho: Mais Além, composição própria. Cantora e produtor também estão preparando um videoclipe, para facilitar a divulgação da canção pela internet. O resultado já pode ser conferido pelo youtube.com. Basta digitar Olívia Buzzo no campo de busca. O próximo passo deve ser a gra-

vação de um CD. Vale ressaltar que a música Mais Além é executada nas rádios, inclusive na Hot 107, e conquista ouvintes em toda a região. “Sei, por exemplo, de uma pessoa de Santa Maria da Serra que ligou pedindo a música. A canção está sendo executada quase todos os dias”, comemora a jovem. Independente de como será o futuro, Olívia tem na música uma forte motivação. E o violão como amigo inseparável. As experiências que vive agora, vão durar para sempre. “O maior prazer para mim é quando as pessoas ouvem minha música e se identificam. Uma canção que você compôs no seu quarto. É maravilhoso, é inexplicável”.


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Março de 2012

23

Para comemorar o Dia Internacional da Mulher, a Revista O Comércio deste mês apresenta A Dama da Capa na editoria Moda & Estilo Carolina Ferreira

N

o dia 8 de março, o mundo vai comemorar a mulher, o poder feminino, a capacidade de transformação que vem com doçura e meiguice. A Garota (tradicional atração da nossa revista) abre espaço para a Dama da Capa e quem traduz esse universo é ninguém menos que a empresária Márcia Pompermayer. Ela é a personificação da beleza, exemplo de mãe e de mulher moderna que enfrenta o mercado de trabalho. É dona de um estilo impecável, de uma simpatia ímpar. Márcia vestiu como ninguém as produções da Shock e os sapatos da Impacto. A inspiração para o style foi a musa Jacqueline Kennedy, rainha dos clássicos da moda. Make up e cabelo foram produzidos pela profissional Paulinha Maciel. A proposta é reviver no volume dos cabelos e grandes cílios postiços toda a magia femi-

nina dos anos 50 e 60. Para compor os looks ainda foram usados óculos Ray Ban e Ana Hickman, das Ópticas Contente. Tudo sob o olhar clínico da equipe Cíntia Fotografias. Clássicas ou modernas, independente de como somos, temos a moda em comum! Neste ensaio, temos modelagens clássicas, como os vestidos e saias em shape (modelo) “A”, godês e retas. É a moda feminina com cara de mulher e isso é uma tendência que resistirá por coleções futuras. Vista desde já! Opções ultra-femininas para o dia, noite, momentos especiais e até para o trabalho. Aliás, compromisso é algo que – nós mulheres – tiramos de letra. Casa, profissão, família, marido... Não importa o quão cansativa a rotina seja, para passar por tudo apostamos em cores revisadas, que já vimos e estão de volta como o marinho (um clássico!), áquas (verdes a azuis bem claros, que lembram mar e piscinas) e os tons dos corais ou salmão. Não podemos esquecer os looks brancos ou off whi-

te, que é aquela cor entre o branco e o bege, quase um branco “sujo”. Chique! Fica nossa homenagem às mulheres, pois são todas maravilhosas. Cada uma do seu jeito, com seu estilo, com seu traço de feminilidade que atravessa estações e corações. Que sorte – essa nossa – ser mulher, mãe, rainha...

Um lindo vestido faz a sua festa não é? De ombros de fora, decote e cintura marcada, sua saia ampla e a estampa com fundo escuro deixa a mulher mais magra. Neste caso, opte por um scarpin, sandália ou peep toe encapados e delicados. Um luxo!


24

Moda & Estilo

Este vestido é um show! Acinturada e de saia godê com o famoso e desejado decote tomara-que-caia, esta peça é um coringa para os armários das mais arrumadas. Opte por sapatos mais altos e com visual moderno, como este peep toe de tachas.

Lençóis Paulista Março de 2012


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Março de 2012

A Dama da Capa Março de 2012 t/PNF Mårcia Martins da Silva Pompermayer

r3PVQBTFBDFTTĂ“SJPT4IPDL r4BQBUPT*NQBDUP$BMĂŽBEPT rÂśDVMPT3BZ#BOF"OB)JDLNBO   ÂťQUJDBT$POUFOUF r$POTVMUPSBEF.PEB$BSPMJOB'FSSFJSB r$BCFMPF.BRVJBHFN1BVMJOIB.BDJFM r'PUPHSBĂŞB$Ă“OUJB'PUPHSBÄ•BT

t"OJWFSTĂˆSJP 12 de Novembro (52 anos) t4JHOP EscorpiĂŁo t.Ă?F Laide Boso da Silva t1BJ Joaquim Martins da Silva t&EVDBĂŽĂ?P Letras (InglĂŞs e PortuguĂŞs) t1SPÄ•TTĂ?P Gerente administrativo e financeiro na Ambiental t'JMNF Em nome de Deus t1FSGVNF CĂ­tricos, no momento Light Blue; Dolce & Gabbana t-JWSP De Machado de Assis a Peter Drucker t)PCCZ Ler t.ĂžTJDB Aquarela; Toquinho t1SBUP CamarĂľes na Moranga e um ovinho frito mole com arroz e feijĂŁo, Ă s segundas t7JBHFNEPT4POIPT JĂĄ a realizei; ItĂĄlia t'BDFCPPL MĂĄrcia Martins da Silva

A facilidade da camisa nesta peça traz tambÊm o diferencial da cor, um verde perfeito para destacar o bronzeado deste verão.

25


26

Moda & Estilo

A partir desta edição a Revista O Comércio passa a contar com uma nova colaboradora para a editoria de Moda & Estilo. Quem assina os ensaios agora é Carolina Ferreira. A jovem é produtora de moda e programadora visual para o varejo. É formada em Moda e Estilo pelo Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), onde também faz parte do corpo docente de História da Moda. No currículo, ainda acumula desfiles, direções e produções fotográficas de grandes lojas da região. A indicação de Carolina Ferreira foi feita por nosso antigo colunista, Fabiano Grama. Por motivos profissionais, não poderá mais assinar a coluna. Toda a equipe da Revista O Comércio lamenta a saída do personal, mas deseja que sua trajetória profissional continue embasada no sucesso. A equipe também ratifica os votos de boas-vindas para Carolina Ferreira. A profissional chega esbanjando vontade de trabalhar, criatividade e assinando um dos ensaios mais inusitados já propostos.

Lençóis Paulista Março de 2012

O vestido off white é de modelagem fácil de usar, pois se adapta a vários corpos. Nessa escolha, a cor da peça acompanha o tom do sapato, hit da estação.

Dê “curtir” em nossa página no Facebook e veja mais fotos deste e de outros ensaios. www.facebook.com/revistaocomercio


Lençóis Paulista Março de 2012

Moda & Estilo

O vestido utilizado neste look une três tendências que estão prontas para usar: o decote com um ombro só, os babados e a estampa floral.

A camisa de linho verde é trocada por esta blusa em cetim, mantendo a mesma bermuda azul marinho. É uma opção mais arrumada para as noites de verão e ótima para usar com saltos mais grossos em tons de terra.

27


28

Melhor Idade

Lençóis Paulista Março de 2012

Fonte da

juventude Foto: Revista O Comércio

Aos 66 anos, seu Pasquá vende disposição. Ele corre, joga vôlei e é adepto do Lian Gong

O

lhos azuis, 1,76m de altura, cabelos brancos, magro, descendente de italiano, 66 anos, cinéfilo - tem mais de 200 DVDs. Coloque na lista esportista, pessoa calma, corintiano, apreciador de samba, fã de Airton Senna, Gandhi, Chico Xavier e Madre Teresa de Calcutá. Este é um resumo de Cláudio Paschoarelli, carinhosamente conhecido por seu Pasquá, exemplo de quem sabe aproveitar a melhor idade. Ele vivenciou passeatas na rua 15 de Novembro, domingueiras no jardim, bandas no coreto, cresceu assistindo filmes de bang-bang e seriados do Zorro e Capitão Kid no Cine Guarani. “Minha juventude só teve bons momentos”, resume seu Pasquá. Também provou da vida na cidade grande quando resolveu fazer faculdade de Geologia em São Paulo. “O curso é muito bonito. Estuda a terra, parte de mineração e petróleo”, explica. Mas, no meio do caminho, acabou desistindo do curso. De volta a Lençóis começou a trabalhar com o tio em uma funilaria, onde ficou por 33 anos até se aposentar. A partir daí, começa uma nova vida, com novos desafios. A aposentadoria trouxe tempo para a prática de esportes. Ele confessa que é apaixonado por atividade física desde criança e que a paixão o seguiu pela vida adulta. “A saúde que tenho hoje é graças à prática esportiva”, afirma. Como a maioria dos garotos, quando pequeno Pasquá jogava fute-

Seu Pasquá diz que segredo da longevidade é alimentação e exercícios

bol. “Minha posição era goleiro”, comenta. Cansado de defender as metas, trocou o gramado pelas quadras e pistas: começou a treinar basquete e depois atletismo, que lhe trouxe grande realização pessoal. “Participei da primeira equipe de atletismo da cidade, correndo os 110 com barreiras”, lembra. Com muito fôlego, participou de competições regionais e estaduais. Ganhou cinco vezes a prova dos 400 metros com barreira e foi considerado o sexto melhor corredor do Estado de São Paulo. Hoje, além de caminhar oito quilômetros por dia e correr três, treina três vezes na semana com o time de vôlei da terceira idade. Energia para dar e vender.

Hobby oriental

Há um ano, seu Pasquá é adepto da prática terapêutica chinesa conhecida como Lian Gong. Conheceu a técnica pela televisão. “Assistindo a TV Cultura me deparei com uma chinesa dando aula em pleno parque Ibirapuera, em São Paulo. Comecei então a fazer na

sala de casa, mas era muito difícil memorizar as posições, então esperei a técnica chegar a Lençóis para fazer pessoalmente”. O Lian Gong é tão simples que segundo seu Pasquá parece que não vai fazer efeito, mas ele pode comprovar ótimos resultados: as dores na coluna sumiram e a concentração aumentou. Para complementar as atividades físicas, investe em uma alimentação balanceada. “Se alimentar bem e cuidar da saúde é fundamental”, enfatiza. Outro fator importante em sua vida é o Espiritismo. Por meio da religião aprendeu a não ter medo da morte. Acredita que é uma simples passagem de um estado material para outro. “Aprendi a fazer as coisas com calma e agir com os outros da mesma forma que gosto que ajam comigo”, diz. “Sou realizado com minha vida. Alcancei todos objetivos como ser humano e hoje alcancei uma gama de sabedoria suficiente para ter uma vida espiritual melhor. E só pretendo parar o dia que Deus decidir me levar”.


Vida de Professor

Lençóis Paulista Março de 2012

Mestre dos

números

O professor Edwaldo cativou alunos e teve seu trabalho reconhecido por meio dos 50 livros de matemática publicados Foto: Revista O Comércio

A

os 76 anos, Edwaldo Bianchini é educador reconhecido nas salas de aulas de Lençóis Paulista e de todo o Brasil. Além de emprestar seu nome para a escola Professor Edwaldo Bianchini, já escreveu e publicou mais de 50 livros de matemática. Foram 30 anos de profissão, lecionando em escolas públicas de Ourinhos, Lavínia, Santo Anastácio, Bernardino de Campos e Lençóis Paulista. Bianchini conta que decidiu ser professor de matemática pelo alto valor educativo que a matéria representa. “Optei pela matemática por ela ser uma instrumentalização para a vida, elemento de sustentação científica e importante no desenvolvimento intelectual. E era aí que residia minha maior alegria: poder satisfazer meus alunos, provando a veracidade de propriedades matemáticas, principalmente, geométricas”. Para ele, ensinar é algo prazeroso. Bianchini afirma que nenhuma outra profissão, mesmo que mais rentável, traria o sentimento que goza atualmente, de dever cumprido. “Decidi ser professor por uma satisfação íntima que ainda hoje me fascina. É maravilhoso poder estimular a mudança de comportamento”, expressa. O professor salienta que uma das principais diferenças da instituição escolar de sua época para a atual era o interesse dos alunos em aprender. Ele destaca que o apoio da família ao estudante garantia respeito e um retorno da disposição dos professores em ensinar. “Atualmente, as famílias se preocupam com que seus filhos passem de ano e não que aprendam. Elas colocam toda educação aos cuidados do professor e este se vê na obrigação de ensinar e fazer o papel que caberia aos pais”, avalia. O relacionamento de

O professor Edwaldo Bianchini exibe um de seus livros de matemática

amizade estabelecido com os alunos em sala é mantido até hoje. O professor comenta que fatos e acontecimentos daquela época são lembrados com carinho quando encontra os estudantes. “Recebo visitas, reconhecimento e testemunhos emocionantes pelo que representei na vida deles”, compartilha. Outro sentimento partilhado pelo professor é o de orgulho por ter uma escola com seu nome. “Sinto-me abraçado pela cidade onde depositei minhas raízes, construí minha família e de onde saí para, através de aulas e livros, exercer minha paixão mais gratificante: a educação”. Para o mestre, a maior recompensa pelos anos dedicados ao ensino da matemática é mesmo a publicação dos livros. Nas duas primeiras edições as obras não fugiam muito do tradicional, porém, a partir do quarto volume, Bianchini começou a introduzir algumas mudanças. “Posso dizer que ajudei a mudar a cara do livro didático de matemática, deixei-o mais alegre, com figuras e fotos. Os problemas e a história da matemática passaram a ser em quadrinhos. Tudo isso exigiu que os livros fossem publicados a quatro cores, coisa que até então não

existia. A editora investiu bastante, mas foi muito compensatório. Valeu a pena”. Os títulos foram publicados pela Editora Moderna. Os livros do ensino médio encheram de orgulho o mestre, não somente pela receptividade nas escolas, mas também por serem indicados como auxiliar em várias faculdades. Professor Bianchini considera a leitura um dos fatores de sucesso na aprendizagem. “A leitura por certo desenvolverá o hábito de estudo e estimulará os alunos à capacidade autodidática. Nos dias atuais isso se torna muito importante, porque tanto na vida particular como profissional, o cidadão irá depender do grau do hábito de leitura que ele adquiriu na escola”, opina. Apesar de lecionar constituir uma profissão desafiadora, com a sobrecarga de aulas e os salários em defasagem, a alegria de educar jovens e mostrar uma nova perspectiva são um grande estímulo. Para os estudantes, a mensagem é que a educação é capaz de trazer grandes transformações. “Que aprendam a aprender, para poderem adquirir novas competências e sejam capazes de adaptar-se aos novos rumos com iniciativa, autonomia e criatividade”.

29


30

Craque do Mês

Lençóis Paulista Março de 2012

Medalha de ouro Diusaléia Oliver bate o recorde brasileiro nos 100m rasos para cadeirantes; pedagoga e estudante de jornalismo, atleta vê esporte como aliado para inclusão Foto: divulgação

N

a equipe de atletismo PCD (Pessoa Com Deficiência) de Lençóis Paulista existe uma jovem, chamada Diusaléia Oliver, que garante medalha de ouro dentro e fora das pistas. Além de atleta, Diusa, como é conhecida, é pedagoga e estudante de jornalismo. Como cidadã, acredita que o esporte é um instrumento importante para inclusão social. A última medalha de Diusaléia nas pistas foi conquistada durante a etapa regional São Paulo do Circuito Loterias Caixa Brasil de Atletismo. Junto com o ouro veio o recorde brasileiro nos 100 metros rasos, na categoria T34. Todo o grupo lençoense obteve destaque. Foram nove medalhas ao todo, sendo duas de ouro, cinco de prata e uma de bronze. Diusa se locomove com auxílio de muletas. Uma paralisia cerebral ocorrida durante seu nascimento prejudicou o equilíbrio. Mas a deficiência nunca foi empecilho para que ela estudasse, trabalhasse e se relacionasse com outras pessoas. Formada em pedagogia, é funcionária pública municipal. Atualmente, está ce-

Diusaléia, o treinador Raphael Blanco e a colega Lilian Nascimento

dida para a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), onde exerce a função de coordenadora pedagógica. Este ano ela conclui a faculdade de jornalismo, mas já atua meio período no jornal Tribuna Lençoense. Além disso, tem tempo para se dedicar a outros hobbies, como a literatura. Ela já escreveu diversos contos e gostaria de lançar um livro infantil. O primeiro contato de Diusa com o esporte aconteceu em 1999. “O Estado realizou os jogos paradesportivos e Lençóis acabou sendo sede do atletismo por causa da pista do To-

nicão. Estava disputando dominó quando um técnico chegou para mim e disse que eu tinha potencial para disputar os arremessos”, lembra. Atualmente, ela disputa os 100 metros, arremesso de disco e peso. A partir de 2005, iniciou a formação da equipe de atletas PCD para a disputa dos Jogos Regionais. Em 2006, aconteceu a estreia das representantes femininas na competição. Desde então, foi uma sequência de bons resultados em Regionais e Jogos Abertos, tanto para Diusa quanto para outros atletas. Os treinos que costu-

mavam ser mais esporádicos acabaram se tornando mais frequentes. Houve evolução dos atletas dentro e fora das pistas. Hoje, a equipe também conta com mais apoio, tanto do poder público quanto da iniciativa privada. “Só para ter um exemplo, no arremesso eu me sentava numa cadeira normal. Hoje existe um banco específico para isso. O mesmo aconteceu na corrida”, avalia. Segundo Diusa, o esporte trouxe nova motivação para sua vida. “Ganhar medalhas é bom, é um reconhecimento. Mas antes de vencer os adversários estou empenhada em bater minhas próprias marcas. Quando comecei a competir descobri o verdadeiro sentido de inclusão. Em Jogos Regionais, por exemplo, fiquei alojada no quarto de atletismo, sem critérios de modalidades. No refeitório, sentávamos todos juntos. Nosso grupo está mais unido”, destaca. “Sem contar que você conhece pessoas diferentes, lugares diferentes. O esporte é o caminho para um mundo inclusivo. Nos aproxima de um mundo onde a inclusão é algo natural”, completa.


Voluntários do Bem

Lençóis Paulista Março de 2012

31

Rede solidária Rede do Câncer troca sacola retornável por isotônico; entidade também realizará show de prêmios no dia 23 de março Foto: Revista O Comércio

N

a Rede do Câncer de Lençóis Paulista é possível ajudar o meio ambiente e pessoas que estão doentes com a mesma ação. A entidade está promovendo a troca de uma ecobag por isotônicos. A campanha já está valendo e continuará enquanto houver sacolas retornáveis. As sacolas foram doadas à entidade por uma empresa que prefere continuar no anonimato. A coordenadora da Rede, Angela Silvana Fermino, explica que as bebidas isotônicas são importantes para pacientes que estão em quimioterapia. “Como o tratamento é agressivo, é comum as pessoas ficarem sem apetite. Isotônicos nutrem e hidratam o corpo, além de ajudar a reforçar as defesas do organismo”, resume. Nesse processo de recuperação, também é importante para a alimentação leite integral e um composto conhecido como Nutrem. A Rede do Câncer de Lençóis Paulista foi fundada em 1997. Já são 15 anos de trabalho voluntário. Além de assistir pes-

tempo. “Uma vez por semana, temos voluntárias que se reúnem para trabalhos artesanais. Posteriormente, esses trabalhos são vendidos e o dinheiro ajuda no custeio de nossas despesas”, lembra Odete Moreira Cruz Pietraróia, presidente da Rede.

Show de prêmios

Como parte dos eventos para angariar fundos para a Rede do Câncer de Lençóis, no dia 23 de março tem show de prêmios beneficente. O evento será às 20h, no Lions Clube. Adesões já estão à venda. Quem quiser, também pode contribuir com brindes.

Serviço Angela Fermino, Odete Pietraróia e Neide Maria Dias, da Rede do Câncer de Lençóis Paulista: sacolas retornáveis podem ser trocadas por isotônico

soas doentes com cadeira de rodas, cadeira de banho, cestas de frutas, cestas básicas, leite, remédios e fraldas - itens que vão ajudar a recuperação de quem está lutando contra a doença -, a entidade também presta apoio psi-

cológico às famílias e leva informações, como direitos dos pacientes atendidos pela rede pública. “Procura oferecer melhoria na qualidade de vida, promovendo a socialização e resgatando a autoestima de quem está do-

ente”, define Angela. Atualmente, existem 160 pessoas cadastradas na Rede. Desse total, 61 recebem cestas básicas. A entidade conta com subvenção municipal, mantém um bazar de roupas, acessórios e outros utensílios em tem-

po integral, mas as doações da comunidade e participação nos eventos promovidos são fundamentais para que o trabalho continue. Rotary e Lions são parceiros importantes. Também é possível ajudar doando um pouco

Quem se sensibilizou com o trabalho da Rede do Câncer e pretende colaborar de alguma forma, pode procurar a sede da entidade na rua Novembro, nº 981. O atendimento é de terça à sexta-feira, das 13h às 17h. Outras informações pelo telefone (14) 3263-2399.


32

Culinรกria & Gastronomia

Lenรงรณis Paulista Marรงo de 2012

Fotos ilustrativas

Badejo empanado Rendimento: tQPSรŽรœFT

Tempo de preparo: tNJOVUPT

Ingredientes:

Pavรช de Morango :: Ingredientes: rMBUBTEFMFJUFDPOEFOTBEP rPWPT DMBSBFHFNBTTFQBSBEBT  rDPMIFSFTEFTPQBEFNBOUFJHB rMBUBTEFDSFNFEFMFJUF rQBDPUFTEFCJTDPJUPDIBNQBOIF rYรŽDBSBTEFNPSBOHPTQJDBEPT rDPMIFSFTEFBร‰ร™DBS r.PSBOHPTJOUFJSPTQBSBEFDPSBS

:: Modo de preparo: .JTUVSFPMFJUFDPOEFOTBEP BTHFNBTQFOFJSBEBT PDIPDPMBUFFNQร“FBNBOUFJHBFNVNBQBOFMB-FWFBPGPHP CBJYP NFYFOEPBUรŠDPNFร‰BSBTPMUBSEPGVOEP3FUJSFEP GPHPFNJTUVSFDPNMBUBEFDSFNFEFMFJUF&NVNSFGSBUรƒSJP JOUFSDBMFDBNBEBTEFCJTDPJUP PDSFNFRVFQSFQBSPVFEFNPSBOHP5FSNJOFBDBNBEBFNDSFNF#BUBBT DMBSBTFNQPOUPEFOFWFFBEJDJPOFBร‰ร™DBSBPTQPVDPT BUรŠ GPSNBSVNTVTQJSP.JTUVSFEFMJDBEBNFOUFDPNBPVUSB MBUBEFDSFNFEFMFJUF TFNTPSP FFTQBMIFTPCSFPQBWร‹ %FDPSFDPNPTNPSBOHPTJOUFJSPTFMFWFร†HFMBEFJSBQPS IPSBTBOUFTEFTFSWJS

rLHEFรชMรŠEFCBEFKP rย˜YรŽDBSBEFDIรƒEFMFJUF rYรŽDBSBTEFDIรƒEFGBSJOIBEFSPTDB rDPMIFSFTEFNBOUFJHBEFSSFUJEB rPWPT r"MDBQBSSB r4BMFQJNFOUBBHPTUP

Modo de Preparo:

5FNQFSFPQFJYFDPNPTBMFBQJNFOUB#BUBPPWP DPNPMFJUFBUรŠรชDBSVNBNJTUVSBIPNPHร‹OFB&NQBOFPQFJYFDPNFTTBNJTUVSBFBGBSJOIBEFSPTDB 6OUFBBTTBEFJSBDPNBNBOUFJHBFEJTUSJCVBPQFJYF 'SJUFBBMDBQBSSBOBNBOUFJHBFSFHVFPTรชMรŠT -FWFPQFJYFBPGPSOPBMUPQBSBBTTBSQPSNJOVUPT%FJYFEPVSBS 4JSWB DPN BSSP[ CSBODP F TBMBEBWFSEF Ademir Elizeu Sebrian Cozinheiro e proprietรกrio do Bichano Pescados


Planeta Sustentável

Lençóis Paulista Março de 2012

33

Água preciosa

Foto: Revista O Comércio

O Rio Lençóis exerceu influência politica e econômica. Hoje, precisa de consciência para ter suas águas preservadas

E

m comemoração ao dia Mundial da Água (22 de março), a Revista O Comércio retrata o Rio Lençóis. Além de abastecer a cidade, este fluxo d’água tem importância histórica, econômica e mesmo política. Muito se evoluiu em termos de preservação, mas o rio ainda pede socorro. Segundo o analista ambiental Sidney Aguiar, é possível dizer que o rio tem uma história de 150 anos. Pois foi exatamente há um século e meio que começou

a colonização da região. Aguiar já usou o Rio Lençóis como inspiração para diversos trabalhos, inclusive uma monografia de conclusão de curso. Ele explica que antigamente o rio era um meio de localização. Os primeiros colonizadores se guiaram por este fluxo d’água para desbravar o interior. É provável que o nome do rio tenha dado nome à cidade. As nascentes do rio lençoense estão localizadas na Serra da Jacutinga, em

Agudos – município que já foi território lençoense no passado. Em sua geografia, traz características peculiares. “Ele nasce na superfície e por dois ou três quilômetros segue um curso subterrâneo. Depois aflora novamente”. O Rio Lençóis desemboca no Tietê, na divisa entre os municípios de Macatuba e Igaraçu do Tietê. O rio é fundamental para o desenvolvimento econômico e social do município, uma vez que abastece a maior parte da cidaFoto: Google Earth

Vista do Rio Lençóis na região do Parque Paradão: muitas pessoas aproveitam a tranquilidade para pescar

de. “O Rio Lençóis é responsável pelo abastecimento de mais de 60% das residências. Só para se ter uma ideia, isso corresponde a retirada de 540 metros cúbicos de água por hora”.

Preservação

Na vista por satélite, o Rio Lençóis deságua no Rio Tietê, na divisa entre os municípios de Macatuba e Igaraçu

Ao longo dos anos, segundo explica Aguiar, o curso do rio passou por intervenções. As consequências desses atos vão desde assoreamento, erosões, até enchentes. “O rio perdeu vazão por causa de assoreamento. Com isso ele passa a suportar cada vez menos água, provocando enchentes em épocas

de grandes quantidades de chuvas. Temos problema de solo misto também, que causa instabilidade. A perda de capacidade de vazão do rio traz consequências para captação da água”, alerta Aguiar. Mas, de acordo com o analista ambiental, há conquistas a serem comemoradas. Projetos como o Nascente Viva, do Instituto Nossa Terra, garantiram a recuperação e preservação das nascentes, em Agudos. Outros programas vem aos poucos resgatando a mata ciliar. Além disso, Aguiar cita as mudanças políticas,

que impediram que empresas continuassem descartando seus dejetos diretamente no rio, e o tratamento de esgotos, como cruciais nesse processo de preservação. O que falta agora é consciência da própria população. “É necessário um trabalho em conjunto, multissetorial, envolvendo sociedade, poder público e empresas privadas. A conscientização do cidadão lençoense também é fundamental já que ele paga pelo tratamento e distribuição da água que consome. Essa água vem do Rio Lençóis, um bem público muito precioso”.


34

Saúde & Comportamento

Lençóis Paulista Março de 2012

Prevenção feminina Foto: ilustração

Fique atenta para as doenças que mais afetam as mulheres brasileiras

S

e existe um assunto que nenhuma mulher pode ignorar é a saúde. E com o passar dos anos, os cuidados precisam ser redobrados. Listamos os quatro males que mais afetam as mulheres brasileiras para você ficar sempre alerta e blindar o organismo contra doenças indesejadas.

Doenças cardiovasculares

Englobam as enfermidades que alteram o funcionamento dos vasos sanguíneos. Entre as mais comuns estão o enfarte do miocárdio, a angina de peito, a arteriosclerose e os AVCs (Acidentes Vasculares Cerebrais). Cerca de 15 milhões de pessoas morrem no mundo a cada ano vitimadas pelas doenças cardiovasculares, o equivalente a 30% do total de óbitos no planeta. Seus principais fatores de risco são o tabagismo,

estresse, vida sedentária, hipertensão arterial e obesidade. A melhor forma de prevenção é parar ou reduzir o fumo, manter níveis saudáveis da pressão arterial, reduzir os níveis de triglicérides e do colesterol ruim (LDL), prevenir e tratar o diabetes, praticar exercícios físicos regulares e manter uma alimentação equilibrada.

Câncer

Os seis tipos de neoplasias responsáveis pela maior taxa de mortalidade entre mulheres são os câncer de mama, de pulmão, de estômago, de fígado, de cólon e de colo de útero. Estima-se que 30% dos tumores possam ser diagnosticados precocemente, sendo que 40% dos casos de câncer de pulmão podem ser evitados a partir da eliminação do tabagismo. O câncer de mama é o que mais atinge as mulheres. A doença é mais rara em mulheres de faixa etária abaixo dos 35 anos, mas acima dessa idade o risco de incidência aumenta a cada ano. Seus fatores de risco englobam a genética (se há

casos na família), a menarca precoce, a menopausa tardia, a não ocorrência de filhos e gravidez após os 30 anos, além da ingestão regular de álcool e o uso de contraceptivos orais durante muitos anos. As formas mais eficazes para o diagnóstico precoce da doença são o exame clínico da mama feito por um médico ou enfermeiro e a mamografia.

Doenças infecciosas

Entre as mais incidentes nas mulheres está o HPV papilomavírus humanos. Pesquisas apontam que 50 a 80% das mulheres sexualmente ativas serão infectadas por um ou mais tipos de HPV em algum momento de suas vidas. Trata-se da doença sexualmente transmissível mais comum entre o sexo feminino e fator de risco para o câncer de colo de útero. Estima-se que esteja presente em 90% dos casos da doença. Segundo o Inca, a cada ano 500 mil mulheres descobrem sofrer da doença no mundo. A enfermidade é responsável por 230 mil mortes ao ano. Sua incidência torna-se evidente na faixa etária de 20 a 29

anos e o risco aumenta rapidamente até atingir seu pico na faixa etária de 45 a 49 anos. De acordo com o Ministério da Saúde, pode haver redução de cerca de 80% da mortalidade por este câncer, entre mulheres na faixa etária de 25 a 65 anos, com o exame regular de prevenção, conhecido como Papanicolau.

Diabetes

A doença se caracteriza pela falta de insulina no organismo, um poderoso transmissor, responsável por processar a glicose, o combustível que faz nosso corpo funcionar a todo vapor. O diabetes pode se manifestar em duas versões: o diabetes tipo 1, mais comum na idade infantil e na adolescência, está ligado a uma autoimunização do organismo às células beta do pâncreas, logo a insulina deixa de existir. No diabetes tipo 2, o corpo produz insulina, mas as células não conseguem metabolizá-la de forma eficiente. O tipo 2 tem como principal fator de risco a obesidade. Cerca de 60% a 90% dos portadores da doença são obesos.


Saúde & Comportamento

Lençóis Paulista Março de 2012

O mundo precisa

conhecê-los Em Lençóis Paulista, Dia Universal da Síndrome de Down será lembrado com caminhada

P

or meio do trabalho voluntário e da união, Lençóis Paulista reforça a luta pela inclusão social. Desde setembro de 2011, o município conta com o GapsDown (Grupo de Apoio a Pessoas com Síndrome de Down). De acordo com a médica Irene de Andrade, coordenadora de saúde preventiva da Unimed Lençóis e integrante do grupo, o objetivo do GapsDown é mostrar que pessoas com down têm plena capacidade aprender e têm direito à inclusão. “A diferença entre uma criança com Síndrome de Down para uma criança que chamamos de normal é que o tempo de aprendizado é diferente, e os estímulos têm que ser diferentes. Eles têm direito a frequentar a esco-

Foto: ilustração

la e totais condições de serem inseridos no mercado de trabalho. As pessoas que têm um caso de Síndrome de Down na família precisam saber que Lençóis conta com um grupo de apoio, que vai ajudar a levar informações, esclarecer dúvidas e garantir direitos”, resume. O GapsDown conta com apoio da Unimed para realização de suas ações e atua em parceria com a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais). Existe uma preocupação especial em acompanhar o desempenho das crianças na escola. A médica explica que quem tem Síndrome de Down precisará de acompanhamento fonoaudiológico e terapia ocupacional por toda a vida, o que tem

O ex-jogador e deputado federal Romário é um dos principais representantes do movimento no Brasil; em Lençóis Paulista, grupo de apoio nasceu em setembro com a proposta de levar informação para famílias

que ser garantido pelo sistema público de saúde. O trabalho começa em esclarecer que a Síndrome de Down não é uma doença, mas uma anomalia genética que ocorre no momento da concepção, e que está relacionada a diversos fatores. Diante disso não há como delimitar um grupo de risco ou agir preventivamente. De acordo com Irene, o Brasil tem papel desbravador nessa luta que privilegia a informação para proporcionar uma vida melhor para todos. O país elegeu o dia 21 de março como dia da Síndrome de Down. A data se escreve como 21/3 (ou 321), o que faz alusão à trissomia do cromossomo 21. A partir de 2012, a ONU (Organização das Nações Uni-

das) passa a reconhecer a data universalmente. Este ano a data traz o tema: “O mundo precisa nos conhecer”. O ex-jogador e deputado federal Romário, que tem uma filha com Down, é um dos representantes do movimento.

Ações locais

Em 18 de março, o GapsDown propõe uma caminhada pelas ruas de Lençóis Paulista. O passeio está marcado para as 8h. Estão convidados a participar famílias, crianças e pessoas com síndrome de down. O GapsDown Lençóis atualmente conta com 16 famílias. A ideia partiu de mães que tinham filhos com Síndrome de Down. Todo mês tem uma palestra com advogados, psicólogos, terapeutas ocupacionais e outros profissionais que compartilham seus conhecimentos sobre o assunto.

35

Coragem para arriscar Aprendemos a caminhar porque tentamos e não desistimos nos primeiros tombos que levamos, ou seja, nos primeiros fracassos. Será que hoje desanimamos mais facilmente diante de pequenos obstáculos ou será que a vida está mais desafiante e os riscos se multiplicaram à medida que o tempo passa, que ficamos mais velhos? Seguimos em frente e, na maior parte das vezes, tentamos percorrer os caminhos menos arriscados, mais seguros, mais tranqüilos, os que nos provocam menos medo, mas logo descobrimos uma valiosa lição – bem antiga, porém sempre muito atual – quem não arrisca não petisca. Em nosso cotidiano somos acompanhados de pequenos riscos. Fazemos negócios, compramos, vendemos, participamos de reuniões, entrevistas de emprego, provas na escola, às vezes, até enfrentamos o chefe nervoso e vamos conduzindo nossas vidas da melhor forma que dispomos no momento. Mas há os que arriscam além disso. Buscam realizar projetos pessoais ou profissionais acima das próprias expectativas. Ousam sonhar e a investir a própria auto-estima neles. Pessoalmente, acredito que enfrentar riscos pode ser um ato de coragem ou de imprudência. Mas o corajoso mesmo não é um imprudente. Ele tem medo sim, entretanto, se prepara para enfrentar as dificuldades que foram sinalizadas pelo medo. Avalia a situação, mede seus limites, organiza as alternativas e assume os próprios riscos para realizar algo novo, ou para concretizar um sonho, ou para mudar os próprios parâmetros do seu cotidiano. Tenho um amigo que diz “o não eu já tenho, vou buscar um sim”. Acho que aprender a colher as oportunidades pode, gradativamente, nos transformar naquela pessoa que tanto se deseja, que tanto queremos ser. Na pessoa que tem medo de desafios, mas, os enfrenta com as ferramentas que tem. Temos sempre cinqüenta por cento de chance de dar certo. Seja otimista! Dra. Salete Cortez Psicóloga clínica, pós graduada e especialista em pânico e depressão.


36

Beleza & Estética

Lençóis Paulista Março de 2012

Escolha íntima

Veja dicas de como escolher e aproveitar a lingerie para não cometer erros de figurino e até mesmo evitar problemas

A

Bodies são uma boa opção para quem quer disfarçar culotes e a indesejável barriguinha; ideal para usar com vestidos

escolha da lingerie certa garante um visual elegante e também pode evitar problemas de saúde. Peças íntimas como calcinhas, sutiãs e cintas devem levar em conta as características físicas de cada mulher. Está comprovado que lingerie apertada prejudica a circulação e pode trazer inclusive problemas de coluna. De acordo Cibele Moretto Zanelatto, gerente da Sancher, loja especializada em roupas íntimas, esses erros são mais comuns do que se imagina. “Por exemplo, muitas mulheres erram na escolha do sutiã por não identificarem o tamanho ideal dos seios. O ideal é seguir o padrão internacional de medidas, que contempla a proporção de tamanho entre as costas e os seios”, avalia. Ainda segundo Cibele, já existem linhas específicas de lingerie que são capazes de modelar o corpo e garantir saúde, ao mesmo tempo. Ela cita a Liz Fit Sense como exemplo. “Se uma garota quer aumentar o volume dos seios, mas sem colocar si-

licone, já existe um sutiã específico para isso. São opções que, mesmo provisórias, ajudam a elevar a autoestima”, explica.

Fotos: ilustração

Solução

Cibele lembra que já existem modelos de lingerie capazes de esconder até celulite, ideal para quem quer estar elegante no verão. Os vestidos leves e soltos pedem o uso dos bodies e bermudas, pois têm efeito redutor. “Tem uma bermuda com fio de emana que disfarça culotes e modela o bumbum. A novidade é que esse fio tem cristais bioativos que ajudam a pele a respirar, queimar calorias e reduzir celulite”. Cuidado redobrado com roupas brancas. Nessas situações deve-se usar lingerie de cores neutras e tecidos que não marcam. “O fio dental é uma boa opção, mas tem gente que acha que é a único recurso para não marcar e se sentir mulher. Nesse caso, compre uma peça de um tamanho maior que o habitual. Porém, existem calcinhas com corte a laser que são confortáveis e sexies”.

Outros erros comuns são deixar o sutiã à mostra em blusinha estilo ‘nadador’, alça de silicone aparecendo e calcinha marcando a roupa. “Hoje em dia existem inúmeras opções de lingeries que podem ser usadas de todas as formas. É possível comprar um sutiã para usar com até quatro tipos de blusas diferentes”.


Beleza & EstĂŠtica

Lençóis Paulista Março de 2012

37

Transformação Antes

O

s cuidados com o corpo, com a pele e os cabelos refletem o comportamento de uma pessoa saudåvel, totalmente em paz com a vida. Às vezes, uma mudança no visual traz benefícios que não se esperava. Com a confiança e a autoestima elevadas, os relacionamentos pessoais e profissionais vão fluir melhor. Com base nisso, a partir desta edição, a Revista O ComÊrcio apresenta a sÊrie Transformação. A nova seção Ê possível graças a uma parceria com o Spage Estetic Lounge. A escolhida para fazer a primeira transformação foi a estudante lençoense Natålia Bernardes, de 17 anos. De acordo com a empresåria Geise Barbosa, a jovem estava descontente com seus cabelos. Natålia jå havia feito processos de clareamento, o que havia deixado os fios danificados. Inspirada numa cantora famosa, a estu-

dante queria alongar os fios. Geise explica que usou a tĂŠcnica mega hair, mĂŠtodo micro link. “A NatĂĄlia quis um cabelo longo, de 60 centĂ­metros, em dois tons castanho com mechas mel -, que estĂĄ super em alta. É importante ressaltar que a escolha do cabelo ĂŠ fundamental para que o resultado final fique perfeito. Os dois tĂŞm que ter a mesma texturaâ€?, resume. “Antes de tudo, tivemos que preparar o cabelo de NatĂĄlia, fazendo uma coloração e progressiva para que ficasse com um resultado natural e um belo acabamento e com as emendas imperceptĂ­veis. Finalizamos a transformação com uma maquiagem para ressaltar a beleza da jovemâ€?. De acordo com Geise esse tipo de cabelo e maquiagem ĂŠ muito pedido para casamentos, formatura e eventos do gĂŞnero. AlĂŠm de fazer a cabeça das celebridades.

Confira a maquiagem usada em NatĂĄlia r#BTF.BSZ,BZOÂ? r0MIPTDPNCBTFFTDVSB QSFUPFB[VM QBSBEBSQSPGVOEJEBEFOPPMIBS r#MVTIDPNFGFJUPCSPO[FBEPFCBUPNSPTBRVFEB VNSFTVMUBEPTVQFSTFYZ

Cuidados para quem usa mega hair r6TBSQSPEVUPTBEFRVBEPTQBSBUSBUBSPTêPT r "P EFTFNCBSBÉBS  TFNQSF DPNFÉBS QFMBT QPOUBT usando a escova raquete. r6TBSDSFNFEFQFOUFBSTFNQSF r2VBOEPGPSFTDPWBS TFRVFDPNQMFUBNFOUFPTêPTF em seguida modele. r%VSBCJMJEBEFEFBNFTFTFNFJP

Depois

Fotos: divulgação


38

Cultura & Entretenimento

Lençóis Paulista Março de 2012

Em cena

Foto: divulgação

17ª Semana do Teatro acontece de 19 a 25 de março

O

Projeto Ademar Guerra, da Secretaria de Estado da Cultura, traz para Lençóis Paulista a 17ª Semana do Teatro. A programação acontece de 19 a 25 de março com espetáculos diários. Serão apresentações com grupos de diversas cidades do Estado, com trabalhos e pesquisas distintas, para mostrar ao público uma variedade de peças e estilos. Uma das atrações do circuito é a peça ‘A Hora da Estrela’, adaptada da obra de Clarice Lispector. Na peça, a parca existência de Macabea é narrada pela construção do escritor Rodrigo S.M., seu criador. Datilógrafa, a cândida moça conhece o sentimento quando encontra o operário Olímpico, mas logo o vê furtado pela colega de trabalho Glória, que a indica uma consulta a sua cartomante. As revelações decorrentes despertam o misterioso destino

Cena do espetáculo ‘A Hora da Estrela’, um dos destaques da programação

da imaculada personagem e nos levam a íntimas indagações sobre a relevância do ‘ser’ para o mundo. A montagem fica a cargo de Báquicos Cia. De Teatro, grupo da cidade de Adamantina. A direção é de Rafael Teixeira. Se o tempo colaborar, “A Barca do Inferno”, adaptação livre da obra ‘O Auto da Barca do Inferno’, de Gil Vicente, será encenada na Concha Acústica. O espetáculo é composto por uma sequência de quadros humorísticos em que o Diabo e o Anjo, em saborosos diálogos, defrontam-se com as almas recém-mortas que vão embarcar para a eternidade. Em

cada um desses quadros, as personagens contextualizam conhecidos grupos ou classes sociais na montagem do Grupo Teatral Athos, da cidade de Batatais, que une o teatro popular, técnicas circenses e o teatro de rua.

Serviço

A programação completa da 17ª Semana do Teatro está disponível na agenda cultural, nesta página. Quem quiser saber mais sobre os espetáculos pode se informar pelo telefone (14) 3264-1311.

ƭ2ƺѬ6&ǖƸ2 Áries

21/03 a 20/04

Com ambição em alta, ótimo momento para motivar suas ações. Converse sobre os seus planos imediatos com as pessoas próximas.

Câncer

21/06 a 20/07

Seja cauteloso com problemas de família que poderão surgir. Com ambição em alta aproveite para colocar projetos em prática.

Libra

21/09 a 20/10

Encontre soluções práticas para problemas. Coloque a cabeça para funcionar de maneira objetiva para resolver problemas amorosos.

Capricórnio

21/12 a 20/01

Concentre-se nas atividades que tragam resultados financeiros. Aproveite o período para refletir sobre assuntos pendentes.

Touro

21/04 a 20/05

Seja inteligente na maneira como executa suas tarefas. Peça ajuda de pessoas. Um novo amor pode chegar, porém seja cauteloso.

Leão

21/07 a 20/08

Fonte: internet

Gêmeos

21/05 a 20/06

Bom momento para pensar em novas estratégias e realizar sonhos. Vida financeira em alta. Velhas amizades reaproximarão.

Virgem

21/08 a 20/09

Bom momento para se aproximar ainda mais dos amigos. O amor trará uma surpresa. Sua mente estará fértil e cheia de ideias.

O conselho de pessoas mais experientes ajudará você a concluir uma tarefa. Fique alerta com a saúde e aproveite para viajar.

Escorpião

Sagitário

Bom momento para fechar negócio ou lidar com finanças. Sua mente estará mais ágil do que o normal. Novas amizades serão feitas.

Compreenderá rapidamente o que as pessoas querem dizer. Explore esse dom em favor do seu trabalho e de seus interesses.

21/10 a 20/11

Aquário

21/01 a 20/02

Zele por sua autonomia, assim conseguirá ter ideias claras antes de elaborar novos projetos. Encontrará uma antiga paixão.

21/11 a 20/12

Peixes

21/02 a 20/03

É necessário conversar e trocar confidências com o pessoal de casa. No trabalho poderá surgir uma promoção. Amor em equilíbrio.


Cultura & Entretenimento

Lençóis Paulista Março de 2012 Fonte: UOL

Fonte: Publish News

1º LUGAR Someone Like You "EFMF 2º LUGAR Férias em Salvador Fernando & Sorocaba 3º LUGAR

M Ú S I C A S

L I V R O S

Long Live feat. Paula Fernandes 5BZMPS4XJѫ

FILMES

5º LUGAR

Fantasma 1º Motoqueiro Espírito de Vingança

6º LUGAR

Cada um tem a Gêmea que Merece

A Invenção de Hugo Cabret

A Dama de Ferro

7JBHFNr"*MIB.JTUFSJPTB

'JMIBEP.BM

9º LUGAR

"MWJOFPT&TRVJMPT

Talk That Talk 3JIBOOB

0T%FTDFOEFOUFT

10º LUGAR

3FJTF3BUPT

Rolling in the Deep "EFMF

10º

.JMMFOOJVNr0T)PNFOT2VF /ÈP"NBWBNBT.VMIFSFT

8º LUGAR Eu Nunca Amei Alguém Como Te Amei *WFUF4BOHBMP

Assim Você Mata o Papai 4PSSJTP.BSPUP

Sensações 1BVMB'FSOBOEFT

Criminal #SJUOFZ4QFBST

7º LUGAR

O FESTIM DOS CORVOS George R. R. Martin &EJUPSB-F:Br'JDÉÈP O X DA QUESTÃO &JLF#BUJTUB &EJUPSB1SJNFJSB1FTTPBr"VUPBKVEB UM DIA %BWJE/JDIPMMT &EJUPSB*OUSÎOTFDBr'JDÉÈP

Fonte: Adoro Cinema

4º LUGAR

Marry the Night Lady Gaga

39

6º 7º 8º 9º 10º

STEVE JOBS 8BMUFS*TBBDTPO &EJUPSB$PNQBOIJBEBT-FUSBTr/ÈPêDÉÈP O CEMITÉRIO DE PRAGA 6NCFSUP&DP &EJUPSB3FDPSEr'JDÉÈP OS HOMENS QUE NÃO AMAVAM AS MULHERES 4UJFH-BSTTPO &EJUPSB$PNQBOIJBEBT-FUSBTr'JDÉÈP É TUDO TÃO SIMPLES Danuza Leão &EJUPSB"HJSr"VUPBKVEB A PRIVATARIA TUCANA Amaury Ribeiro Jr. &EJUPSB(FSBÉÈP&EJUPSJBMr/ÈPêDÉÈP AS ESGANADAS +Ô4PBSFT &EJUPSB$PNQBOIJBEBT-FUSBTr'JDÉÈP O MONGE E O EXECUTIVO +BNFT)VOUFS &EJUPSB4FYUBOUFr/FHÓDJPT


40

Publicidade

Lençóis Paulista Março de 2012


Revista O Comércio de Março de 2012