Page 1

R$ 5,00 Ano 2 Edição Nº 28

Marcos Frota

Cultura realiza palestra sobre superação com ator global Página 3

Modelos

Pernambucanas e Ford Models abrem inscrição para concurso

Página 3

Nova Matriz

São Pedro e São Paulo prepara sua 37ª Festa do Milho Verde Página 5

Polícia Militar

Instituição oferece 120 vagas para formação de oficiais

A Serviço da Comunidade.

Página 10

REVISTA

Lençóis Paulista Junho de 2012

Leia + Fábio Melo .........................7 Fabrício Ribeiro ..................8 Camila Andreotti................9 Taís Caroline dos Santos ...10 Padre Marcelinho .............11 Elaine Cristina Varejano....12 Luiz Carlos Moretto ..........16 Laís Souza ........................18 Ana Carolina Dal Bem.......19 Rafael Castro ....................22 Dona Mema .....................28 Dona Graça.......................29 Maria Rosa Conti ..............31 Luciano Ravaneli ..............33 Norberto Pompermayer ...34 Chico Martucci .................35


2

Utilidade Pública

Lençóis Paulista Junho de 2012

AÇOUGUE

CARIMBOS

RAÇÕES

ÁGUA E GÁS

LANCHES

RAÇÕES

AUTO PEÇAS

MARCENARIA

TRANSPORTE

BORDADOS

MEDICAMENTOS

TERCEIRIZAÇÃO

CAÇAMBAS

PET SHOP

USADOS


Acontece :: Agenda

Lençóis Paulista Junho de 2012

Dia 23 de junho tem

jantar da Adhonep

Foto: arquivo pessoal

3

Associação realiza passeata

em defesa dos animais A Associação Protetora Amigos dos Animais de Lençóis Paulista realiza uma passeata em protesto à morte de cães e gatos ocorridas no município, principalmente, no Jardim Ibaté,

no domingo, 3 de junho. A passeata está marcada para às 9h. A saída será na praça Comendador José Zillo, a Concha Acústica. Quem quiser, pode levar cartazes contra a ma-

Diretoria de Cultura

tança de animais ou vestir camisetas sobre o tema. Entretanto, os organizadores lembram que o movimento será pacífico. Mais informações pelo telefone (14) 3263-1379. Foto: divulgação

traz Marcos Frota Diretores da Adhonep se encontraram com representantes da Revista Voz, para apresentação do veículo

A Adhonep (Associação de Homens de Negócio do Evangelho Pleno) promove jantar em Lençóis Paulista no dia 23 de junho. O evento está marcado para às 20h, no Saint James Hotel, no Paulista Shopping. O jantar terá a presença do preletor Ademar Pawlowski, que falará sobre sua experiência co-

mo empresário do ramo da construção civil, hotelaria e agropecuária na cidade de Palotina, Paraná. O convite individual custa R$ 35. As aquisições podem ser feitas pelos telefones 8151-3156 (Carlos Dias), 9734-9514 (José Prado), 9793-4649 (Daniel Machado) ou 9162-9882 (Márcio Sanches).

Revista Voz

Durante a 35ª Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) fez a apresentação da Revista Voz para a comunidade lençoense, com a distribuição de mil exemplares. Trata-se da quinta revista mais lida no mundo, editada em vários idiomas e distribuída em todos os continentes.

Rotary organiza 9º Boi no Rolete No dia 10 de junho o Rotary Club de Lençóis Paulista promove a nona edição do Boi no Rolete. O evento é beneficen-

te. A arrecadação será revertida para a Legião Mirim. Além de churrasco, o cardápio também tem salada. A festa começa ao meio-

-dia, na sede do clube. Ingressos custam R$ 25 por pessoa e estão à venda no Posto Avenida, Hot Sound e Iracema Flores.

A Diretoria de Cultura de Lençóis Paulista traz palestra com o ator e artista circense Marcos Frota. O evento será no dia 5 de junho, no auditório da Casa da Cultura. A palestra será às 10h. Marcos Frota falará sobre temas como superação,

motivação, espiritualidade, Unicirco, deficiente, deficiência na empresa, entre outros assuntos. O evento é gratuito, mas as vagas são limitadas. Informações sobre reserva na Casa da Cultura, que fica na rua 7 de Setembro, nº 934, Centro ou pelo telefone 3663-6525.

Pernambucanas promove

concurso de modelos As Pernambucanas e a Ford Models estão em busca de novos talentos para brilhar nas passarelas. O concurso Faces vai revelar a mais nova estrela do mundo da moda, tanto meninos quanto meninas, entre 14 e 25 anos de idade.

O concurso é dividido em fases. Primeiro, é necessário se inscrever até dia 8 de junho para participar da seletiva regional. O casal vencedor estará na final do concurso Supermodel Brazil 2013, terá direito a um contrato de um ano

de agenciamento pela Ford Models, ganhará um book e 100 composits, além de um vale-compras de R$ 1 mil. Também tem premiação para os segundos colocados. O regulamento completo está disponível no site www.pernambucanas.com.br/faces.


4

Opinião

REDE DE DISTRIBUIÇÃO GRATUITA ¾ Jd. das Nações r Padaria Padoka: Av. Estados Unidos, nº 289 ¾ Jd. Nova Lençóis r Padaria Qually: Rua das Araras, nº 481 ¾ Núcleo H. L. Zillo r Padaria Padoka: Av. Vereador Dr. Hermínio Jacon, nº 624 r Farmácia Ludovico: Rua Luiz Baptistella, nº 287 r Padaria Padoka: Av. Nações Unidas, nº 117 ¾ Pq. Rondon r Padaria Padoka: Rua Momo Tranqüilo, nº 194 r Azulão Supermercados: Rua Luiz Ferreira, nº 168 r Padaria Pão de Mel: Av. Prefeito Jácomo Nicolau Paccola, nº 254 ¾ Jd. Júlio Ferrarir Mercado Bom Jesus: Rua Emílio Rossi, nº 358 r Padaria Nativa: Av. Maestro Oliveira Capucho, nº 295 ¾ Vila Santa Cecília r ASP: Rua César Giacomini, nº 241 ¾ Jd. Cruzeiro r Mercado Avenida: Av. Cruzeiro do Sul, nº 276 ¾ Jd. Alvorada r Padaria Alvorada: Rua Bahia, nº 468 ¾ Jd. São João r Mercadinho do Rachid: Rua Camilo da Cunha, nº 20 ¾ Vila Contente r Mercado Fontes: Rua Rodrigues Alves, nº 241 r Mercado Econômico: Rua Regente Feijó, nº 114 ¾ Vila Mamedina r Padaria Nova Sensação: Rua Dr. Gabriel de Oliveira Rocha, nº 397 ¾ Jd. Primavera r Mercearia VM: Av. Luiz Boso, nº 110 r Mercearia Primavera: Av. Luiz Boso, nº 214 ¾ Cecap e região r Padaria Trigo de Ouro: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 554 r Padaria Trigo de Ouro: Av. Procópio Ferreira, nº 557 r Padaria Trigo de Ouro: Rua Bandeira Tribuzi, nº 330 r Padaria Pão de Mel: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 1.234 rVita Farma: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 1.312 ¾ Jd. Príncipe r Padaria Primícias dos Pães: Rua Luiz Vaz Pinto, nº 451 ¾ Jd. Monte Azul r Padaria Nossa Senhora Aparecida: Rua Guaianazes, nº 669 r Azulão Supermercados: Rua Guaianazes, nº 585 ¾ Santa Terezinha II r Padaria Pães & Sabor: Rua Antonio José Paccola, nº 186 ¾ Jd. Caju I e II r Padaria Hot Pão: Av. Jácomo Augusto Paccola, nº 76 r Supermercado Placa: Rua Joaquim Gomes Machado, 224 ¾ Jd. Bela Vista r Mercado Pag Menos: Rua Jalisco, nº 93 ¾ Jd. Ubirama r Padaria Cantinho do Pão: Rua Marechal Dutra, nº 420 r Padaria Art Pão: Av. Marechal Castello Branco, nº 415 r Padaria Trigal: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 994 ¾ Centro e região r Armazém Supermercado: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 206 r Padaria Pão & Opção: Av. Brasil, nº 810 r Padaria Art Pão: Rua 7 de Setembro, nº 484 r Revistaria Marquinho Correa: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 663 r Didática Papelaria: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 252 r Farmais: Rua Ignácio Anselmo, nº 846 r Cíntia Fotografias: Rua Anita Garibaldi, nº 1.127 r Quitanda Avenida III: Rua Pedro Natálio Lorenzetti, nº 729 r Acilpa: Rua Piedade, nº 161 r Padaria Trigal: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 697 r Churrascaria Estância Grill: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 1.054 r Farmais: 15 de Novembro, nº 812 r Lençóis Revistas: Rua Ignácio Anselmo, nº 189 r Vivo: Rua Ignácio Anselmo, nº 100 r Chiquinho Sorvetes: Rua 15 de Novembro, nº 534 r Ramblas Livraria e Papelaria: Rua 15 de Novembro, nº 216.

Lençóis Paulista Junho de 2012

Editorial

Hora de pensar o meio ambiente O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente anunciou que o Brasil, dono de uma das economias que crescem mais rápido no mundo, será a sede das celebrações globais do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado anualmente no dia 5 de junho. A notícia chega em meio a discussões de um polêmico novo Código Florestal – legislação que passou por diversas alterações e vetos do Executivo – e agora volta para a Câmara Federal. Controvérsias à parte, o Brasil necessita urgente de legislação e fiscalização rigorosa no que diz respeito à preservação do meio ambiente. Os dados são preocupantes. No Brasil, ao contrário do cenário mundial, o desmatamento ocupa o primeiro lugar no ranking de emissão de CO2, concentrando 75% das emissões nacionais. A brecha para que desmatadores escapem ilesos é uma das grandes polêmicas do Código Florestal, por falar nisso. Outros dados sobre nossas florestas também são motivo para perder o sono. O Deter, sistema do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que mede o desmatamento mensalmente,

registrou uma área de 385,5 Km2 de corte raso e degradação da floresta amazônica até outubro do ano passado. A Mata Atlântica, bioma mais ameaçado do Brasil, perdeu 13.312 hectares no período de 2010 a 2011. Dados apresentados pelo Inpe e pela Ong SOS Mata Atlântica mostram que os estados da Bahia e de Minas Gerais foram os que apresentaram maiores índices na perda de florestas. Em Minas Gerais, foram desflorestados 6.339 hectares, enquanto a Bahia desflorestou 4.686 hectares. Quanto mais se aprofunda o assunto, maior a preocupação. O país que já sediou a Eco 92 e que se prepara para receber a Rio + 20 – ambas conferências mundiais sobre preservação dos recursos naturais, da fauna e da flora - deve ter a proteção ao meio ambiente como prioridade para o desenvolvimento. Mas sempre há motivo para ter esperança e, muitas vezes, o exemplo vem do cidadão comum e não do poder público. Por isso, terminamos o texto convidando o leitor a seguir o exemplo de Luciano Ravaneli, que construiu um cantinho para si onde a natureza é colocada em primeiro lugar.

Há tempo pra tudo Debaixo do céu há tempo para tudo. Existe o tempo de plantar e colher, de nascer e morrer. O que não podemos confundir é nosso tempo com o tempo de Deus. As pessoas exigem que suas petições sejam atendidas de imediato. O nosso tempo é registrado minuto a minuto, hora a hora, mês a mês, ano a ano e vai por aí afora. O tempo de Deus é diferente. A Bíblia diz que: “aos olhos de Deus mil anos são como o dia de ontem que passou”(Sl. 90:4). Ele vive de eternidade em eternidade, isto é, não teve começo e nem terá fim. A mente humana é limitada, por isso não consegue entender, uma vez que as coisas de Deus em parte são reveladas, somente pela fé se chega à compreensão. Usar a razão humana pode esfriar a fé. O Evangelho de João, capítulo 17, versículo 1, diz: “Tendo Jesus falado estas coisas, levantou os olhos ao céu e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a teu filho, para que o filho te glorifique a ti”. Infelizmente as pessoas querem tudo a seu tempo. Quando deparamos com uma lição como essa é que nos sentimos pequenos. Nem o próprio Jesus exigiu do Pai que Sua vontade fosse feita antes da hora. Ao contrário, Ele disse: “é chegada a hora”, e hora que Ele diz é a hora do Pai. É difícil não se emocionar diante dessa lição, em que Jesus se mostra obediente. Quantas vezes temos gritado ao coração do Pai num ato de exigência. Quem somos nós para ditar o que fazer? Não devemos viver com ansiedade. É preciso ouvir a voz de Deus. Tudo tem um tempo oportuno, porque Deus está no controle. É preciso meditar se é melhor perder, dilatar ou apertar o prazo. Jesus nos dá o exemplo. Aos 30 anos começou seu ministério. Foram apenas 3 anos, e sabendo o fim horrível, morrendo inocente no lugar dos culpados (eu e você), nem assim deixou de reconhecer que o tempo chegado havia sido estabelecido pelo Pai. Jesus é nosso modelo e referência. Marcos Ap. de Toledo Advogado, empresário e teólogo

EXPEDIENTE EDITORA RESPONSÁVEL: Gazeta Paulista Empreendimentos Editoriais Ltda. | CNPJ: 01.782.039/0001-70. COMERCIALIZAÇÃO E PRODUÇÃO: Bistrô Serviços de Publicidade Ltda. - ME. Rua 13 de Maio, Nº 1.347, Centro, Lençóis Paulista, CEP: 18683-370, CNPJ: 10.744.028/0001-97. TIRAGEM: 5.000 exemplares. CIRCULAÇÃO: Agudos, Borebi, Lençóis Paulista e Macatuba. DIRETORES: Anderson Prado de Lima e Breno Medola. EDITORA CHEFE: Kátia Gisele Sartori (MTB 46.650). REVISTA O COMÉRCIO: (14) 3264-8187 e 3263-6886 | ocomercio@revistaocomercio.com.br | www.revistaocomercio.com.br. Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, portanto, podem corresponder ou não à opinião desta revista.


Acontece :: Evento

Lençóis Paulista Junho de 2012

5

Salve Santo Antonio, São Pedro e São João Foto: Revista O Comércio

Mês de junho chegou e com ele as festas em honras aos santos padroeiros; comércio de produtos típicos se prepara para atender aos consumidores

O

arraiá já está montado para receber as festas de junho. É hora do milho virar pamonha, beber quentão e pular fogueira. Comemorar Santo Antonio (dia 13), São João (dia 24) e São Pedro (dia 29). O lençoense Rafael Souza está animado para saborear os produtos típicos. “Eu não resisto ao pé de moça, bolo de milho e doce de abóbora. São doces que combinam com es-

sa época fria do ano”, diz. Como consumidor, ele procura sempre o melhor preço. “Geralmente, faço o bolo de milho em casa, pois fica mais gostoso e gasto menos”, comenta. Maria Aparecida Ferreira, proprietária da Big Doces, também está animada. A expectativa da comerciante é um aumento de 10% nas vendas em comparação a 2011. Já aumentou até o estoque. “Nessa épo-

ca os doces somem. Oriento os clientes a encomendarem, principalmente, se for para festas de comunidades”, aconselha. Os produtos mais procurados são os doces em potes. “Os mais desejados são a famosa paçoca, o irresistível pé de moleque, e o tradicional doce de batata e abóbora”, afirma. Cada pote, com 50 unidades, de qualquer um desses doces custa R$ 8,50 na loja de

Maria. O preço nas lojas especializadas costuma ser um pouco menor do que nos supermercados. Outros produtos que também têm gosto da tradição junina são o vinho, mandioca, o milho e o gengibre. Em média, o valor da garrafa de vinho (para fazer o quentão e o vinho quente) sai a partir de R$ 6. O milho usado para fazer pipoca está custando em média R$ 1,50 o quilo.

Paróquia do Núcleo realiza Festa do Milho Entre os dias 9 de junho e 1º de julho a Paróquia São Pedro e São Paulo, no Núcleo Habitacional Luiz Zillo, realiza a 37ª

Festa do Milho Verde. Serão quatro finais de semana de evento. A quermesse oferece uma variedade de produtos, doces e salga-

dos, à base de milho verde: pamonha, cural, bolos, pastel, milho cozido, suco, cuscuz, pizza e a tradicional sopa. Tudo produzido

por voluntários da paróquia. A expectativa é receber 800 pessoas por final de semana. A festa acontece no salão paroquial. Consumidores já estão em busca dos doces para as festas juninas

Sebrae programa duas

palestras em junho O Sebrae programou duas palestras para empreendedores lençoenses no mês de junho. No dia 6, às 19h, o tema em destaque será: Lançamento de novos produtos.

No dia 11, os empreendedores estão convidados para a palestra: Administração do Capital de Giro. O evento acontece às 19h, no Centro do Empreendedor. As inscrições são gratui-

tas, mas devem ser feitas com antecedência, já que as vagas são limitadas. Interessados podem ligar para 3264-3955 (ramal 3) ou encaminhar e-mail para: paelencois@lpnet.com.br.

Revista O Comércio traz edição

especial pelo Dia dos Namorados No dia 8 de junho, a Revista O Comércio circula mais uma edição especial. Desta vez, para comemorar o Dia dos Namorados. A veiculação vem repleta de declarações de amor, feitas por casais apaixona-

dos e também traz um guia completo de presentes. Para o comércio, o Dia dos Namorados é considerado a terceira melhor data em vendas, ficando atrás apenas do Natal e do Dia das Mães. Os empresários apostam em

produtos e serviços diferenciados para agradar os casais, promoções e horário estendido para funcionamento do comércio. Veja, na página 4, os ponto de distribuição gratuita perto da sua casa.


6

Acontece :: Cidade

Quem não gosta de ser bem tratado? Quem não gosta de ser bem tratado? É com essa pergunta que inicio o artigo. Todo mundo gosta de ser bem atendido, bem conduzido em uma negociação de compra e venda. E se a pergunta fosse: você trata bem seus clientes? Em uma aula de marketing com o professor João Elias essa questão ficou me incomodando. Procuramos tratar bem nossa clientela, mas está sendo suficiente, o que podemos fazer a mais? O conceito cliente já não existe no mundo empresarial. Nos dias atuais são tratados como parceiros, amigos que contribuem para o crescimento da empresa e, como oferta, contribuímos para as suas necessidades. Aquelas célebres frases: “obrigado pela preferência”, “parabéns pela compra”, “volte sempre”, devem ser substituídas por: “o que mais posso fazer por você?”, “em que mais posso te ajudar?”, por: “tem certeza que quer levar este produto, temos algo melhor para você”; ou ainda: “você acaba de ganhar um amigo, conte sempre comigo”. Parte deste compromisso fica na mão do vendedor ou atendente. Na busca pelo aprimoramento profissional, surge uma pergunta: ser vendedor ou atendente? Qual a diferença? O atendente apresenta o que o lhe é solicitado, enquanto o vendedor oferece muito além do que o parceiro precisa. Ao contratar um profissional de vendas, a empresa espera que ele tenha domínio na área, seja objetivo, use de empatia, saiba conduzir e gerenciar a venda e o pós-venda. Porém, na contramão está um profissional despreparado, que quer receber um bom salário, sem comprometer-se. Resigna-se a entregar o que o cliente está pedindo, agindo roboticamente, sem dar muita importância. Mal sabe que o cliente muitas vezes não procura apenas um produto. Quer realizar um sonho, resolver um problema, trocar ideias. O vendedor não deve oferecer produtos, deve vender soluções, satisfazer as necessidades dos clientes. E é nesta linha de raciocínio que devemos priorizar nossas parcerias para que sejam fidelizadas, duradouras e de qualidade. Silvio Medeiros Contabilista e Educador Financeiro

Lençóis Paulista Junho de 2012

Feito à mão Casa do Artesão abre espaço para lençoenses comercializarem seus produtos Foto: Revista O Comércio

D

epois de inaugurar o projeto Escola de Negócios, a prefeita Bel Lorenzetti e o diretor de Desenvolvimento, Geração de Emprego e Renda, Altair Toniolo, o Rocinha, apresentaram à comunidade a Casa do Artesão. A inauguração aconteceu no dia 17 de maio. A Casa do Artesão é uma loja que comercializará produtos confeccionados por lençoenses. A Prefeitura investiu R$ 20 mil na adequação do local. O estabelecimento também passa a figurar como ponto de visitação do Circuito Turístico Caminhos do Centro-Oeste Paulista. De acordo com levantamento da Diretoria de

Recém-inaugurada Casa do Artesão vai funcionar das 9h às 18h

Desenvolvimento, Lençóis Paulista tem aproximadamente 150 artesãos. Cinquenta e um estão organizados em uma espécie de conselho. “Eles poderão se organizar em associação, em cooperativa,

a forma que acharem melhor”, explica Rocinha. Luís Antonio Moreira foi eleito presidente do conselho e explica que o objetivo da Casa do Artesão, mais do que fortalecer o grupo, a união pretende agregar va-

lor os produtos, para conquistar mais mercados. Moreira trabalha com artesanato há aproximadamente cinco anos. Se envolveu ajudando a mulher, que também é artesã. Gostou e acabou fazendo cursos de marcenaria. Segundo o presidente do conselho, a realização de feiras regionais ajudou a conquistar clientes. “De uma forma geral, os artesãos têm obtido bons lucros nessas feiras”.

Serviço

A Casa do Artesão funciona junto ao Centro do Empreendedor, com entrada pela rua Ignácio Anselmo. O horário de atendimento é das 9h às 18h.

Centro do Empreendedor traz oficinas em junho O Centro do Empreendedor realiza duas oficinas no mês de junho. No dia 14, a temática será ‘Desenvolva sua Empresa’. A capacitação acontece das 17h às 20h. O curso visa auxiliar empreendedores a identificar as principais habilidades para a boa gestão,

com vídeos, atividades individuais e dinâmicas de grupo. A oficina é voltada a empresários, informais e futuros empreendedores. No dia 21 de junho tem a oficina ‘Invista no Planejamento’, que também será realizada das 17h às 20h. Os participantes receberão noções sobre as

principais características empreendedoras: iniciativa, motivação, conhecimentos e habilidades, e aprenderão a avaliar as necessidades e expectativas de mercado, a concorrência, o público-alvo, os fornecedores, ferramentas de marketing e a estratégia inicial para o negócio.

Serviço

As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas antecipadamente. Interessados podem entrar em contato pelo e-mail paelencois@lpnet.com.br ou pelo telefone (14) 3264-3955, ramal 3. O Centro do Empreendedor fica na rua Coronel Joaquim Gabriel, nº 11.


Jovem Empreendedor

Lençóis Paulista Junho de 2012

Brincadeira

de adulto Com descontração, o jovem empreendedor Fábio Melo administra a i9Sex, loja especializada em produtos eróticos

Foto: Revista O Comércio

D

esde criança, o paranaense Fábio Melo é apaixonado por vendas. Ainda muito jovem começou a trabalhar neste segmento comercial para ajudar a família e acabou se apaixonando. “Vendas é minha vida. Metas me atraem”, define. Ele nasceu em Rosário do Ivaí, interior do Paraná, onde viveu até os 14 anos. “Vim para Lençóis Paulista acompanhando meus pais”, explica. Há três anos, Fábio administra a loja i9Sex, especializada em artigos eróticos. Trata-se de um segmento novo, que é visto com entusiasmo e, às vezes, preconceito. “Quando abri a loja foi quase por obrigação, pois na verdade aluguei o espaço para montar um escritório. Porém, no local não podia ser estruturado um escritório, então tive que optar pela loja”, comenta. “No começo foi complicada a aceitação do público, e só deu para sobreviver porque não dependia exclusivamente da loja. Muita gente fica desconfiada, envergonhada, antes de entrar num sex shop. Mas depois de entrar é só diversão”, completa. O empresário roda mais de 12 mil quilômetros por mês, pois trabalha como representante comercial de produtos eróticos. “Mesmo tendo a loja não consigo ficar preso e parado em uma sala fechada. Antes de vender artigos eróticos ven-

Fábio Melo adora trabalhar com comércio e já tem a própria empresa

dia brinquedos, mudei o público, mas continuo me divertindo. Através do meu trabalho já conheci três estados do Brasil: São Paulo, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. É unir o útil ao agradável”, garante. Aos 31 anos, Fábio Melo está feliz. Ele agradece o apoio da esposa e da irmã, e garante que não existe maior alegria que trabalhar com o público, principalmente, neste segmento. “Dou risada o tempo todo. Meu trabalho

é meu entretenimento”. Para Fábio, ter gana e coragem é imprescindível no ramo empresarial. Sua loja em Lençóis Paulista é uma das primeiras no segmento erótico. “Decidi arriscar. Essa é a diferença do jovem, mete a cara não tem medo de errar”, opina. “Considero que ainda tenho muito o que conquistar e o mais interessante é que os meus sonhos vão mudando de acordo com o que vou vivendo”, emenda.

7


8

Empresário do Mês

Lençóis Paulista Junho de 2012

A vida num olhar A paixão de Fabrício Ribeiro pela imagem, que começou ainda na infância, virou um grande empreendimento; Cíntia Fotografias inaugura nova loja em junho Foto: Cíntia Fotografias

Q

uando tinha oito anos de idade, Fabrício Ribeiro da Silva construiu um projetor de filmes a partir de uma caixa de sapatos. “Sempre gostei de imagem”. A paixão que começou na infância ainda culminaria no sucesso de um grande empreendedor. Este mês, Fabrício inaugura as novas instalações da Cíntia Fotografias, empresa que construiu com a esposa Cíntia Duarte. Embora apaixonado por imagens, a fotografia e as filmagens só se tornariam um ganha pão anos mais tarde. Fabrício quase seguiu carreira como torneiro mecânico. “Trabalhei 14 anos numa empresa, já estava de encarregado”, lembra. Até que certo dia Fabrício ganhou um novo companheiro de trabalho, que nas horas de folga, era fotógrafo freelancer. “Ele me convidou para acompanhar, foi passando algumas dicas e eu fui gostando mais ainda. Aí eu comprei a primeira câmera: uma Pentax K 1000”. Fabrício começou fotografando batizados e festas de aniversário, basicamente. “Eu mandava revelar as fotos e ia entregar nas casas”.

Fabrício Ribeiro anuncia nova loja da Cíntia Fotografias ainda este mês

O trabalho começou a aumentar e ele ganhou a companhia de Cíntia nos eventos. “Para não ficar em casa, ela me acompanhava, ia dando dicas, conversando e conhecendo pessoas. E o nome dela foi ficando mais forte que o meu”, brinca. Rapidamente Cíntia aprendeu o ofício. Também fez de tudo um pouco: tirava fotos, levava para revelar em Bauru, fazia a

entrega para os clientes. “Aí surgiu a ideia de partir para esse ramo: pensamos em vários nomes, Cíntia, Cíntia Fotos, Cíntia Duarte Fotografias. E depois de quatro anos trabalhando informalmente, resolvemos inaugurar a Cíntia Fotografias”. Hoje, Fabrício e Cíntia se dedicam exclusivamente a empresa. O momento é de ansiedade pela abertura da nova loja, bem mais espa-

çosa, aposta necessária para atender o mercado. “Vamos agregar mais serviços. Teremos dois sets de estúdio, um infantil e um adulto. Vamos poder atender mais pessoas. E a área de vendas está sendo ampliada. Pretendemos ter mais quiosques de revelação na hora. E teremos mais espaço e conforto para o atendimento da noiva”, enumera. E essa família de fotógrafos não para de crescer. A empresa que começou com o casal hoje conta com nove pessoas no quadro fixo de colaboradores. O número sobe para 14 se forem contabilizados os freelancers. E por falar em família, o filho mais velho, Murilo, de 13 anos, também é um apaixonado por imagem, para alegria do paizão. Neste segmento o segredo para o sucesso está na dedicação, no comprometimento. “Fotografar não é apenas ter a melhor máquina, o melhor equipamento, mas ter sensibilidade para fazer o trabalho e gostar do que faz. Começamos pequenos, mas desde o início almejamos o que estamos entregando para os nossos clientes hoje”.


Empresária do Mês

Lençóis Paulista Junho de 2012

Direção nota 10 Camila Andreotti começou a trabalhar no segmento de autoescolas bastante jovem, aprendeu tudo sobre as rotinas e hoje tem sua própria empresa Foto: Revista O Comércio

C

amila Andreotti Pietro de Vasconcelos tem 34 anos e trabalha com o segmento de autoescolas há 16 anos. Como já fez de tudo um pouco, conhece as rotinas da empresa como poucos. Atualmente, Camila é sócia da Auto Escola Marinho e comanda o empreendimento ao lado do esposo, o popular Milão. “Eu comecei trabalhando na autoescola há quase 17 anos. Fiz os cursos, me tornei instrutora, depois me tornei diretora de autoescola. Passei a coordenar o Centro de Formação de Condutores que é de ensino teórico e, depois disso, retornei para a autoescola, mas como sócia”, relembra a trajetória. A empresária do mês vem de uma família que gosta de trabalhar com comércio e prestação de serviços. Vale lembrar que antes de entrar para a autoescola, Camila trabalhou nos empreendimentos das tias Rosângela e Joana Andreotti. Primeiro, como ajudante numa papelaria. Ela destaca que esta experiência era bastante informal. Depois, Camila foi trabalhar na funerária com a tia Rosângela, onde passou a

Antes de ter sua empresa, Camila foi instrutora, diretora de autoescola e trabalhou no Centro de Formação

atender o público. Um dos maiores desafios do segmento de autoescola é acompanhar as mudanças. Camila destaca que é preciso ter organização administrativa. “Temos muitas regras. A autoescola presta serviço para o Estado. Você tem que ter regras desde o atendimento. Tudo tem que seguir uma sequência”, explica. Ela recorda com carinho a experiência no Cen-

tro de Formação de Condutores, que lhe proporcionou uma visão de toda a cadeia empresarial. Entretanto, as mudanças são desafiadoras para ela. “Eu digo que fui me aprofundando cada vez mais porque eu gosto. Gosto da legislação, gosto de acompanhar as mudanças, gosto de atender o público, de trabalhar com os alunos, ver a satisfação deles”. A vida de empresária é

apenas uma parte da rotina de Camila. Como a maior parte das mulheres retratadas nesta editoria, ela também é mãe – do adolescente Mateus, que já completou 13 anos -, esposa e dona de casa. “Tenho a vida corrida de toda dona de casa. Começo de manhã com a escola do filho, sigo para a empresa e quando chego em casa depois do expediente ainda tem muita coisa para fazer”.

9


10

Emprego & Carreira

Lençóis Paulista Junho de 2012

Futuro na Polícia Amante dos animais, a lençoense Taís Caroline dos Santos arrumou o primeiro emprego dos sonhos. Quando completou 16 anos foi trabalhar em um pet shop. Desde criança ela é apaixonada por animais. “Sempre tive cães e gatos. Sou extremamente fissurada neles”, expressa. “Quando minha irmã começou a trabalhar em um pet shop, eu estava cursando o ensino médio, mas estava muito a fim de trabalhar. Então ela me ajudou, arrumou uma vaga para eu ficar meio período na loja”, conta. Os animas motivavam Taís. “Nunca fui para o serviço brava ou desgostosa. Era prazeroso”, resume. Tosar, dar banho, cortar as unhas, perfumar, secar, escovar, foram práticas que ela aprendeu em sua primeira experiência no mercado de trabalho. “Aprendi tudo colocando a mão na massa, até então nunca tinha dado banho em um cachorro”, comenta. Quando terminou o ensino médio passou a trabalhar o período inteiro no pet shop. Aumentou a confiança e as responsabilidades. “Comecei ajudar nas consultas e cirurgias”, resume. Taís ficou por oito

anos em seu primeiro emprego e até hoje com imenso carinho lembra das lições aprendidas. “Não tem preço ter a primeira oportunidade de emprego no ramo que realmente gosta. Fui agraciada com pessoas pacientes, que me ensinaram e permitiram que crescesse profissionalmente”, ressalta. Há dois anos Taís abriu o próprio pet shop. E possui clientes que conquistou à época de seu primeiro emprego. “Eu já tinha amor pelos animais. Quando fui trabalhar no pet, esse amor só aumentou. Os clientes percebem o sentimento e confiam no meu trabalho. Tenho cachorrinhos que há dez anos estão comigo e outros que infelizmente cuidei desde filhote, mas vi morrer de velhice”, compartilha. Aos 26 anos ela está realizada e garante: “não tem coisa melhor que trabalhar com os animais”. Foto: Revista O Comércio

Taís Caroline dos Santos é proprietária do Pet Shop Dog Star

Polícia Militar de São Paulo abre 120 vagas de nível médio; funções são para o Curso de Formação de Oficiais, tanto para o sexo masculino quanto feminino Foto: Revista O Comércio

Base da Polícia Militar em Lençóis Paulista; organização abriu concurso para formação de oficiais e inscrições vão até o final do mês de junho

A

Polícia Militar do Estado de São Paulo abriu concurso para 120 vagas de aluno oficial no bacharelado em ciências policiais de segurança e ordem pública, no Curso de Formação de Oficiais, masculino e feminino. Os candidatos devem ter, no máximo, 26 anos de idade - exceto se integrante da Polícia Militar do Estado de São Paulo -, ter concluído o ensino médio ou equivalente e altu-

ra mínima de 1,65 m para homens e de 1,60 m para mulheres. O valor do salário não foi divulgado. As inscrições deverão ser feitas pelo site www. vunesp.com.br até às 16h do dia 26 de junho. O edital completo está disponível na seção ‘concursos’. No momento da inscrição, o candidato deve escolher a cidade de realização da prova escrita e a língua estrangeira (língua inglesa ou língua espanhola).

As cidades que terão provas são Araçatuba, Bauru, Campinas, Piracicaba, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, São Paulo e Sorocaba. A taxa de inscrição é de R$ 130. Terá direito à redução de 50% do pagamento da taxa de inscrição o candidato que cumulativamente for estudante regularmente matriculado e receber remuneração mensal

inferior a dois salários mínimos ou estiver desempregado. Nesse caso, a inscrição deve ser feita até às 23h59 de 29 de maio. O concurso terá provas escritas (objetiva e de redação), prova de condicionamento físico, exames de saúde, exames psicológicos, investigação social e avaliação de títulos. As provas escritas devem acontecer no dia 5 de agosto, no período da manhã e da tarde.


Personagem

Lençóis Paulista Junho de 2012

Servo de Deus Padre Marcelinho chegou em Lençóis Paulista, na Paróquia São Pedro e São Paulo, há oito anos, e fez como seu principal projeto o término da nova matriz Foto: Cíntia Fotografias

A

comunidade católica do Núcleo Luiz Zillo e bairros vizinhos encontrou no cônego Marcelo Paes, mais conhecido como Padre Marcelinho, um líder espiritual e um amigo. Desde que assumiu a Paróquia São Pedro e São Paulo, há oito anos, tomou para si a missão de concluir a nova matriz. Padre Marcelinho é natural de Botucatu. Concluiu os estudos para ordenação em Marília e foi destacado para a paróquia de Anhembi antes de chegar aqui. “Quando cheguei, aqui já havia o alicerce da igreja, mas a obra estava parada. Eu resolvi formar uma equipe para a construção. Criamos um slogan, para envolver a comunidade, e lançamos: um tempo novo, uma nova igreja. Em todas as missas mostrávamos o projeto em 3D e iniciamos a arrecadação”. A opção por ser padre aconteceu de forma natural. Botucatu é uma cidade de tradição católica e ele sempre esteve envolvido com as atividades da igreja. “Fiz a primeira comunhão e depois de cinco anos voltei. Comecei a ser coroinha dos padres capuchinhos em Botucatu. Todo sábado tinha

Padre Marcelinho conquistou a comunidade católica de Lençóis Paulista

formação. Eu entrei no seminário, primeiramente, por curiosidade. Éramos um grupo de quatro jovens. Após dois anos, o único que permanecia era eu”. Devido ao empenho para a construção da matriz e o seu carisma, rapidamente conquistou a comunidade. As celebrações de suas missas são sinônimo de casa cheia. “Todo desafio que é imposto, seja por Deus, seja a partir de Deus, temos que cumprir. Temos de supri-lo. Houve a necessidade de se construir um templo maior, com mais recursos, por vários aspectos, não só pelo números de pessoas. É um

desafio para o crescimento. Todo desafio abraçado e vivido dá a oportunidade de crescimento. Os fiéis estão muito otimistas, com muita esperança. Esta obra será realizada. A nova matriz é o centro da comunidade e esta é uma realidade próxima”. Ao longo de 13 anos de vida sacerdotal, Padre Marcelinho aprendeu que é preciso saber administrar a igreja física e a espiritual, para um mundo mais justo. “A igreja é fundamental para a sociedade atual. É um tempo em que não só o paganismo, mas a indiferença, o capitalismo, o hedonismo, o materialismo,

tudo predomina. Então a igreja católica, que é universal, na figura do papa Bento 16, tem a missão de dialogar. Porque até mesmo os fiéis estão embutidos ou envolvidos nessa realidade. De outubro deste ano, até outubro do ano que vem viveremos o ano da fé, justamente para reformular aspectos da vivência cristã. Vamos discutir comportamentos, coisas que podem ser mudadas, mas sem desvirtuar dos princípios”, avalia. “E existem as microestruturas da igreja, que têm que atingir as bases. No conselho municipal de saúde deve ter um representante da igreja católica, assim como na ONU (Organização das Nações Unidas). Eu vejo a sociedade como um grande deserto, e a igreja como João Batista. É a voz que clama no deserto, e que nunca deixa de clamar, porque tem convicção de que aqueles valores, princípios, aquelas realidades mais profundas, são condição para que a sociedade possa ser melhor, promotora da defesa da vida e, sobretudo, da dignidade da pessoa humana. E eu vejo isso porque eu experimento diariamente”, conclui.

11


12

Campeã de Vendas

Lençóis Paulista Junho de 2012

Psicologia do

consumidor

Foto: Revista O Comércio

P

or opção, a lençoense Elaine Cristina Silva Varejano, 37 anos, resolveu ser vendedora. Ela conta que quando criança ia a lojas e admirava o trabalho das colaboradoras. “Eu pensava: quando crescer quero ser como elas”. Com 11 anos, começou a trabalhar como babá, escondida de seu pai. “Ele queria que eu estudasse, mas eu queria trabalhar. Quando descobriu, arrumou um emprego em uma farmácia para mim. Naquele momento, entrei no comércio e nunca mais saí”, lembra. Há seis anos, ela trabalha na Comai, estabelecimento que comercializa materiais para construção. Elaine adora atuar neste segmento. “Não me imagino fazendo outra coisa. Eu amo madeiras, tijolos, e tudo que é ligado à construção”, garante. Elaine está num segmento de mercado que já foi dominado por vendedores do sexo masculino. Mas com empenho e expertise no assunto, prova que não existe tarefa que as mulheres sejam capa-

Desde pequena, Elaine Varejano trabalha no comércio; “para vender, é preciso saber ouvir os clientes”, ensina

Elaine, vendedora da Comai, entende bastante de construção civil

zes de exercer com extrema competência. Lidar com o público é encantador para Elaine. Ela afirma que é preciso saber escutar os clientes, mais ou menos como um psicólogo faz. Às vezes os consumidores também estão em busca de conselhos, pois têm dúvida sobre qual a melhor alternativa para sua obra. “Ouço, converso, dou conselhos, sou amiga

da maioria dos meus clientes e amo isso. Por isso que não me vejo sentada atrás de uma mesa, dentro de um escritório, parada, sem esse tipo de contato”, compartilha. Com essa filosofia de trabalho, conquistou amizades para a vida inteira. “Ouvir, o vendedor tem que saber ouvir”, completa. Por quatro anos a lençoense morou em Bocaina, cidade de 10 mil habi-

tantes, a 80 quilômetros de distância de Lençóis Paulista. Lá, trabalhou também em uma loja de materiais para construção e levou a experiência que tinha acumulado na Comai. “Bocaina é bem pequena, bem cidade de interior, onde a venda ainda é garantida na conversa e confiança. Foi uma boa experiência”, resume. Quando voltou a Lençóis Paulista, foi recontratada pela Comai. “Nunca sabemos o dia de amanhã, por isso é essencial para o funcionário deixar a porta aberta por onde passar”, ensina. Com a competitividade do mercado de trabalho, Elaine busca se especializar por meio de cursos que a empresa disponibiliza. Ela une conhecimento e paixão para que suas 44 horas semanais sejam frutíferas. “Tem que ter jogo de cintura, força de vontade e correr atrás do objetivo, não ficar esperando o cliente, mas fazer de tudo para atraí-lo. Sou apaixonada por esses desafios do meu trabalho, sou muito feliz”, conclui.

Fotos: Revista O Comércio

“Procuramos atender bem o cliente e tratá-lo como amigo. Sempre na base do sorriso, dou atenção ao cliente e tento deixá-lo à vontade”. Sueli Pescara D’ávila; Bezziê.

“Especificar bem as qualidades do produto é fundamental. Busco entender e atender as necessidades do cliente, com simpatia e sorriso”. Adenílson Estevan; Retimotos.

“No meu ramo, tenho que opinar na venda, mostrando o benefício do produto. Preservar a segurança é nosso intuito”. Tatiana Carolina de Carvalho; Extintores Asterix.

“Atendo o cliente com um bom dia, boa tarde, boa noite e deixo fluir o papo. Ofereço o produto de acordo com o paladar do cliente”. Leandro Pereira de Souza; Sorveteria Skimell.

“Com sinceridade e simpatia apresentamos opções de produto prezando sempre pela qualidade e facilidade no pagamento. Se precisar, vamos atrás do cliente”. Pinheiro de Freitas; AquaShop Piscinas.


Informática & Tecnologia

Lençóis Paulista Junho de 2012

Navegando

13

Sites de busca são uma das principais fontes para encontrar informação, mas conteúdos disponíveis na rede mundial podem ser falsos ou estar incorretos

H

á quem diga que a maior função do ensino nos dias de hoje é preparar o aluno para saber buscar a informação de que necessita. Certamente, as pesquisas são cada vez mais importantes para o aprendizado e a Internet está se tornando uma das fontes mais ricas de consulta. Mas não é toda pesquisa que tem valor educacional. Tudo depende de como ela é feita. Para que as suas pesquisas na grande rede sejam produtivas, é preciso saber procurar adequadamente. Seguem algumas dicas para não absorver informação falsa ou incorreta, dos profissionais do Portal Educacional (www.educacional.com.br).

Agilidade que atrapalha

A facilidade de ir rapidamente de um link a outro é uma das maiores qualidades da Internet, mas pode se tornar um grande problema. Veja se uma história parecida com esta já aconteceu com você: um aluno começou pesquisando sobre a extinção dos dinossauros e terminou numa página para colecionadores de cartões telefônicos. É ótimo ir rapidamente de uma página a outra, mas você tem de se disciplinar se quiser alcançar algum resultado. Senão, vai saber de quase tudo um pouco e quase tudo mal. Ao começar uma pesquisa, fixe-se no seu ob-

jetivo e não se deixe seduzir pelas centenas de links legais dos sites.

Qualidade das informações

A Internet permite que qualquer pessoa com um pouco de preparo publique informações na rede. Isso é ótimo, pois democratiza a divulgação de ideias. O lado ruim é que o internauta fica com a tarefa de selecionar a informação de qualidade e separar o que merece crédito do que é apenas um palpite de amador. Quando fizer pesquisas na Internet, procure se informar sobre quem mantém o site. A pessoa ou instituição que publicou a informação conhece o as-

sunto? É uma fonte confiável? Infelizmente, ainda existe entre os internautas a ideia de que, pelo simples fato de estar publicada na Internet, a informação merece todo o crédito.

Poluição informativa

Nem tudo que está na Internet merece nossa atenção. O problema é que as informações de qualidade aparecem misturadas com as descartáveis. Esse é um dos desafios do estudante de hoje. Se no passado havia dificuldade em obter as informações, o problema agora é selecionar as de qualidade. Seja bastante seletivo ao navegar na grande rede. Prefira endereços

recomendados por quem conhece bem o assunto. Troque informações com seus conhecidos sobre os melhores sites. Não se esqueça de adicionar à lista de favoritos os endereços que mais chamaram sua atenção. Se você não fizer isso, talvez nunca mais consiga encontrar o endereço novamente.

Créditos

Ao usar sites da Internet nas suas pesquisas lembre-se de que eles são fru-

tos do trabalho de outras pessoas, que consumiram tempo e criatividade para desenvolvê-los. A maioria dos sites permite o uso do seu conteúdo em trabalhos individuais, desde que se cite a fonte. Isso vale para textos, imagens, programas, arquivos de áudio e de vídeo. Respeite o autor do trabalho, pois você mesmo pode ter trabalhos divulgados na rede e não vai querer que outros os copiem sem ao menos dizer que foi você quem os fez.

Google lança mecanismo para afinar buscas O Google estreou nos EUA um mecanismo para tornar sua ferramenta de busca mais inteligente. A partir de agora, os resultados da pesquisa serão acompanhados de uma barra lateral com informações

relacionadas ao tema, para que o usuário possa escolher exatamente o que lhe interessa, evitando que perca tempo clicando em link por link. O sumário conterá informações de um banco de dados montado pelo Google

com mais de 500 milhões de personalidades, lugares e solicitações frequentes. O trabalho durou dois anos e começou quando a gigante adquiriu a Metaweb, em 2010, e recebeu um banco de dados com 12 mi-

lhões de itens de pesquisa. O restante foi levantado em fontes como a enciclopédia colaborativa Wikipédia. Chamado de Gráfico do Conhecimento pelo Google, a exibição de informações é uma tentativa de for-

necer respostas mais rápidas aos usuários. Recentemente, o Google passou a incluir nos resultados da pesquisa informações de seus outros serviços como a rede social Google e o YouTube.

A Microsoft anunciou que passará a integrar o Bing, seu buscador, com o Facebook. Os site incluirá uma barra lateral com amigos que poderão auxiliar nas pesquisas, indicando links.


14

Automercado

Lençóis Paulista Junho de 2012

Dez carrões do cinema

Confira o ranking elaborado pelo icarros dos veículos que estão na telona e mexem com a imaginação dos telespectadores

1ºDeLorean DMC 2º Herbie É a máquina do tempo mais famosa do mundo, da trilogia De volta para o futuro. Nos anos 80, o DeLorean DMC-12 do Dr. Emmet Brown se tornou sinônimo de estilo. Hoje, colecionadores e fãs do filme pagam fortunas para ter um original, podendo custar até US$ 75 mil em bom estado.

6º Ecto 1 Os Caças-Fantasmas dirigiam um Cadillac Miller-Meteor Ambulance 1959. O Ecto 1 tem o interior todo em vermelho e branco com a marca do grupo nas portas e está cheio de parafernálias. Vem equipado com um motor V8 de 350 cv e uma transmissão automática.

Se o Volkswagen Fusca é um dos carros mais conhecidos do mundo, Herbie é o mais conhecido dos Volkswagen Fusca. O Fusca começou a ser produzido na Alemanha em 1963 pela Volkswagen. Herbie era o modelo 63, mas ao contrário dos Volkswagen normais, era equipado com o motor do Porsche 356.

3ºBumblebee 4ºGeneral Lee 5ºBatmóvel Bumblebee é o herói. O Transformer é inicialmente um Chevrolet Camaro 1977, mas se transforma em uma versão conceito do modelo, inédita, e que rapidamente se tornou sonho de consumo tanto dos fãs do Camaro como dos fãs dos Transformers.

É o Dodge Charger 1969 praticamente indestrutível da série “Dukes of Hazzard” ou “Os Gatões. Encontrado pelos Dukes praticamente em ruínas, foi reconstruído para se assemelhar a um carro da Nascar, tem suas portas soldadas, e sua marca registrada é a bandeira dos Confederados.

Foram cinco modelos feitos para o cinema, cada um com sua característica. O modelo atual é equipado com um motor de 5,0 litros da Vauxhall/GM , tem cerca de 500 cv de potência e atinge de 0 a 100 km/ h em 5 segundos. Pode se transformar no Batpod, uma moto inspirada na lendária Dodge Tomahawk.

Mystery Machine 8º Aston Martin 007 9ºChristine A Supermáquina 7º 10º O carro assassino

Quatro jovens, um cachorro que fala e uma van com uma pintura psicodélica. O veículo dos amigos de Scooby-Doo é um desenho, e seu modelo inspirador nunca foi revelado pelos autores da série. No primeiro filme “Scooby-Doo” foi utilizado uma Bedford CF 1972.

Se tem alguém no cinema que entende de carros é James Bond. O último utilizado foi o DBS V12, que apareceu em dois filmes: Cassino Royale e Quantum of Solace. Com um motor de 6,0 litros, o DBS chega a ter 510 cv e faz de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos.

O filme de 1983 é baseado em um livro de Sthepen King e conta a história de um Playmouth Fury de 1958, restaurado por um garoto e que exige uma devoção total do dono. O veículo existiu somente na versão cupê e trazia um V8 de 5,0 litros (303 pol³) que fazia 240 cv brutos a 4.800 rpm.

K.I.T.T. ou a supermáquina foi o carro mais famoso da TV nos anos 80. Ele protegia Michael Knight, um ex-agente no combate ao crime. Era um Pontiac Firebird 1982. Seu motor V8 acoplado a um câmbio de cinco marchas tinha 145 cv de potência e chegava a 100 km/h em 10 segundos.


Automercado

Lençóis Paulista Junho de 2012

Bom para o bolso Motor com corrente de comando garante maior economia para o consumidor na hora da revisão

E

m diversos modelos de veículos, a correia dentada está sendo substituída pela corrente de comando. A medida tem resultado em economia na hora da revisão. A principal diferença entre as duas é a durabilidade. “A correia dura aproximadamente dois anos, enquanto que a corrente de comando tem durabilidade bem maior”, explica Márcio Humberto Galli, encarregado chefe da oficina da Via Marconi, concessionária Fiat de Lençóis Paulista. A novidade começou a ser adotada no passado em alguns modelos da Fiat, como o Linea, Doblô, Punto e Idea. A corrente de comando está localizada den-

Foto: Revista O Comércio

tro do motor E.torq 1.6 ou 1.8, considerado uma das maiores evoluções da Fiat. Ele é silencioso sem perder a potência. “Como é uma corrente, um material muito resistente, ela só é trocada quando apresenta algum defeito”, frisa Galli. Já a correia dentada tem que ser trocada após o veículo atingir 60 mil quilômetros. Se quebrar por falta de manutenção, pode travar o motor.

A mão de obra para trocar a correia fica em torno de R$ 400. “Na hora da revisão, não vai precisar me-

xer no motor. É feita apenas a limpeza do bico e a troca de óleo, o que reduz bastante o custo”, conclui Galli.

Comprou carro antes da redução do IPI? Ainda pode ter jeito... Comprou um carro zero há poucas semanas e quer arrancar todos os cabelos do corpo com a medida do governo de reduzir o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Nem tu-

do está perdido, camarada. É que os clientes que compraram o carro, mas ainda não o receberam – ou seja, o carro não foi emplacado nem nada –, podem pedir para as montadoras emitirem novas notas fiscais

com os valores reduzidos. Isso vale tanto para quem levou o carro em Feirões ou pela internet, quanto para quem adquiriu o carro direto na concessionária. A reemissão da nota fiscal não traz

qualquer prejuízo para a loja ou a fabricante, já que a redução no valor deve-se à isenção ou redução de um imposto. Os compradores nessa situação devem correr para as lojas.

15


16

Ambiente & Decoração

Lençóis Paulista Junho de 2012 Foto: Revista O Comércio

Fotos: ilustração

Morettinho dá a dica: você pode usar cores diretamente nas paredes ou abusar dos acessórios

COR: um estado de espírito Decorador dá dicas para quem está precisando de uma nova pintura em casa; tons dependem da personalidade

S

e a proposta é trocar as cores do ambiente, o ideal é que a nova decoração reflita a personalidade de quem vive na casa ou apartamento. O decorador da loja Cores Vivas, Luiz Carlos Moretto, o Morettinho, dá algumas dicas para não errar na escolha. Morettinho explica que as cores que estão disponíveis no mercado seguem tendências mundiais. “Eu, como profissional da área, levo em consideração os estudos feitos pelas grandes fabricantes. Eles viajam para o exterior em busca dessas tendências, que levam em consideração inclusive o que acontece no mundo da moda”. Mas, de acordo com o decorador, mas do que tendências, é preciso levar em conta a personalidade dos moradores, e até aspectos regionais. “Eu percebo aqui em Lençóis Pau-

lista que as pessoas preferem tons mais neutros ultimamente. A maioria das casas segue a mesma tendência. É diferente de Bauru, que você encontra, por exemplo, prédios residenciais com três, quatro cores diferentes”. Também é preciso ficar atento ao gosto pessoal do morador. “A cor é um estado de espírito. Eu estudo muito a personalidade dos meus clientes antes de sugerir uma cor para eles. Não adianta você sugerir um vermelho, se o cliente não vai gostar. Se a tendência é vermelho, você tem que amar o vermelho para pintar sua casa dessa cor”.

Possibilidades

É possível ter uma decoração diferenciada optando por uma cor neutra nas paredes. “A tonalidade neutra te dá possibilidades de várias situações. Você pode trabalhar uma pare-

de de uma cor diferenciada, que depois você pode mudar com mais facilidade. Ou você pode ousar em acessórios: tapetes, almofadas, quadros, cortinas e adesivos. A tinta nesse caso como pano de fundo”. Outra dica para não errar é pedir ajuda de um profissional. Com tantos produtos no mercado, nem sempre a tinta mais cara é melhor. “Hoje existe uma variedade muito grande de produtos. Mas tem que considerar a palavra do vendedor. Muitas vezes a propaganda mostra um produto que não é real. Hoje tem demonstrações que pintar é abrir a latinha, pegar o pincel, espalhar e está pronto. Na prática não é assim. Precisa de profissional especializado. Procure pessoas que conheçam o produto, que entendam do assunto, e que possam atender suas necessidades”.


Casa & Construção

Lençóis Paulista Junho de 2012

Imóvel ecológico

17

Fotos: ilustração

Confira algumas novidades da construção civil que visam preservar o meio ambiente

C

asa verde, biocasa, casa ecológica, casa sustentável. São termos utilizados para definir moradias construídas a partir de estruturas que causem o menor impacto possível ao meio ambiente. “Esse tipo de moradia deve ter o consumo de recursos bem mais baixo do que a construção convencional. Isso significa que a casa ecológica deve consumir metade da água potável gasta em uma residência convencional e dissipar metade da energia”, explica a estudante de arquitetura Cibele Cesalp. Ela participa de um projeto acadêmico sobre moradias sustentáveis. Cibele esclarece que não basta diminuir gastos convencionais. Os recursos e materiais utilizados na fundação - a fase inicial de uma casa - têm que se enquadrar nos padrões sustentáveis. “Não há um critério estético a ser seguido, mas

as construções verdes possuem a preocupação com o meio ambiente, por isso usar materiais orgânicos como madeira e tetos verdes é fundamental”, diz.

Acima, casa construída com tijolo solo-cimento, e sistema de aquecimento solar, que economiza energia elétrica

Termos corretos

Há certa confusão para interpretar os termos que definem as construções sustentáveis. No entanto, pequenos aspectos diferenciam cada um deles. As casas verdes (que derivam do inglês eco house) objetivam causar o mínimo possível de prejuízos ao meio ambiente, usando materiais como tijolos de solo-cimento (tijolos que são secos ao sol e não ao forno, logo poupando à queima de árvores) e sistemas de aquecedores de água. “Com eles gasta-se menos de 30% de energia elétrica”, afirma Cibele. As biocasas têm como conceito substituir energia elétrica por solar e implan-

tar sistemas que reutilizam a água da chuva. “O reaproveitamento da água de chuva é bem simples. A água é captada antes que chegue ao solo ou entre em contato com pessoas e animais, para evitar contaminação. Logo, é dirigida para o filtro onde serão removidos os detritos. Então vai para a cisterna e com a pressão de uma bomba alimenta os pontos de consumo. Vale lembrar que há algumas restrições para a utilização desse ti-

po de água, pois se trata de água não potável”, resume. Ou seja, não pode ser utilizada para consumo ou preparo de alimentos, mas não há contra-indicação para a limpeza doméstica. A construção que respeita o meio ambiente, e tira maior partido do que a natureza oferece, é a casa ecológica. “Ela leva em consideração aspectos como a orientação da construção, do terreno e da natureza que a rodeia. São desenvolvidas para serem

autossuficientes. Seus materiais de construção, que são cerâmicas, isolamentos naturais (fibras vegetais, celulose, cânhamo), tintas biológicas, plásticos ecológicos e pedra, causam baixo impacto ambiental”, comenta Cibele. As casas sustentáveis englobam os critérios utilizados pela eco house e a biocasa. Os valores gastos para a construção de uma casa verde são altos, principalmente no Brasil, mas se deve levar em consideração o custo beneficio. “O sistema de

captação de água de chuva, que além de ajudar a economizar, poderá se tornar garantia de abastecimentos futuros, quando a água se tornar um bem mais escasso e caro. Há também a utilização das lâmpadas fluorescentes, que comparadas às convencionais custam seis vezes mais, porém, segundo especialistas, possuem vida útil infinitamente mais longa e ainda poupam energia”, enfatiza Cibele. Cada vez mais os profissionais da área da construção civil estão focados em sustentabilidade. As universidades estão preparando profissionais com consciência ambiental, que pensem em seus projetos mais verdes. “Sem sombra de dúvidas, soluções sustentáveis, construções que não agridem o meio ambiente, são o caminho para o futuro da humanidade”, conclui.


18

Viagem & Aventura

Lençóis Paulista Junho de 2012

o d a t n a c n e o d n Mu Na Disney, a jornalista Laís Souza voltou a ser criança; ela visitou o parque temático da Flórida, o mais famoso dos Estados Unidos, por duas vezes

Fotos: arquivo pessoal

A jornalista Laís já esteve na Disney em duas ocasiões: em 2010 e 2011

M

innie, Mickey, Pooh, Branca de Neve. Quem nunca assistiu ou ouviu histórias do mundo criado por Walt Disney? Direta ou indiretamente toda criança tem contato com esses personagens, ligação que faz aflorar o sonho de conhecer um dos principais parques temáticos dos Estados Unidos: a Disneylândia, em Orlando, Flórida. A jornalista Laís Souza, 24, tinha esse sonho e conseguiu realiza-lo. Ela visitou a Disney em duas oportunidades. “Desde criança sonhava com a Disney, amava os personagens. Em 2010 e 2011 surgiu a ocasião de ir

Com a Minnie e outros personagens do parque temático de Orlando, mesmo adultos se sentem como crianças

com minha tia e meus primos. Foi sensacional”, comenta. “Voltei a ser criança, enfrentava todas as filas para tirar foto com todos os personagens”, complementa. A diversão é garantida, mas a viagem não é tão simples. Só para se ter uma ideia, são 16 horas de voo. Entretanto, uma vez na Disney, segundo ela, é pouco. “O complexo é muito grande, não dá para aproveitar e ver tudo de uma só vez”, diz. Na primeira viagem, de aproximadamente uma semana, Laís se encantou com o castelo da Cinderela e os desfiles dos personagens, a famosa parada. A segunda viagem durou

15 dias. Ela destaca o museu do Titanic, o Ripley’s Believe it or Not (Acredite se quiser), que é um museu com peças exóticas e inusitadas que causam ilusão de ótica, e o castelo do Harry Potter - Laís é apaixonada pela série escrita pela britânica J. K. Rowling. Leu os sete livros e assistiu os oito filmes. “Ainda deu para dar uma volta em Tampa, cidade nos arredores de Orlando, que também tem um parque”, conta. A experiência mais emocionante, no entanto, foi no Sea World Park, maior parque de vida marinha do mundo. “Não tem explicação ficar perto

de uma baleia e vê-la fazer acrobacias ao comando do treinador. É maravilhoso”, ressalta. “Só na Disney pude ver coisas que não é possível ver aqui no Brasil, como urso polar e outros bichos”, justifica. O parque é atração para crianças, mas os adultos também se divertem muito. “A primeira vez que viajei tinha 22 anos, e na segunda, 23, e mesmo não sendo mais criança curti demais o parque. Além de tudo dá para fazer compras, tem produtos baratos. A Disney também é o paraíso das compras. E com todo certeza voltarei com meus filhos. Vale muito a pena!”.

A beleza do Sea World, com seus maravilhosos animais, foi uma das memórias inesquecíveis da viagem


Meu Melhor Amigo

Lençóis Paulista Junho de 2012

19

Fotos: Revista O Com

ércio

Enquanto suas amigas brincavam com gatos e cachorros fofinhos, Ana Carolina escolheu ter bois e vacas como animais de estimação

C

astor, Laranja, Girzinha, Heroína, Sabrina, Esperança, Beiço, Branquinho, Savana, Rebeca, Sofia e Neblina. São três bois, seis vacas e três bezerras que têm em comum o amor de uma estudante de 17 anos. Os nomes foram todos escolhidos por ela. “Eu mesma os batizei”, brinca a adolescente. Mas, o que mais impressiona, é que esses animais – dos quais a maioria das pessoas sente medo – atendem ao chamado da menina e aparecem para pegar o alimento de suas mãos. Ana Carolina Aiello Dal

Bem cuida com amor de seus inusitados animais de estimação. Aos finais de semana, é normal a garota passar longos períodos alimentando e brincando com seus grandes amigos. Além disso, também gosta de bajular as três bezerrinhas que acabaram de nascer. O amor pelos animais parece estar nos genes da família. “Quando eu era criança, não podia ver um gato perdido que levava o bicho para casa. Quem não gostava muito era meu pai”, conta, sorrindo, Célia Regina, mãe da jovem Ana. De lá para cá, não mudou muita

coisa de mãe para filha. Ana lembra que estava em uma lanchonete da cidade e apareceu uma cachorra com a pata ferida. A menina, mais que prontamente, alimentou e deu carinho para a cadelinha. Quinze dias depois, em outra lanchonete, a cachorra reapareceu ainda mais debilitada e, dessa vez, a jovem não aguentou. Levou a cachorra para casa, convenceu seus pais a cuidarem do animal e até um veterinário a família precisou chamar por causa da insistência da

menina. Hoje, a cadela Nina divide as atenções com mais três cães: Dery, Angel e Coragem. “Graças a Deus consegui salvar a vida dela”, comenta Aninha, emocionada. O amor de Ana Carolina pelos animais parece não ter fim. Fora os bois, vacas e cães, ela também cuida de dois cavalos (Sherikan e Canário) e de duas éguas (Safira e Pop). A menina que sabe de cor o nome de todos seus bichos, diz que

uma das coisas que mais gosta é dar carinho, amor e comida para todos os seus animais de estimação. Ela também diz que não tem um animal preferido. “Gosto deles igualmente, cada um tem seu jeito. Não sei viver mais sem eles”, comenta. Enquanto concedia entrevista à Revista O Comércio, ela acariciava a cachorra que recuperou das ruas, sua querida Nina. Ciumento, o Barbudo,

cachorro do vizinho, chorava ao lado da cadeira em que a Aninha estava sentada, pedindo chamego e afeto. É um amor sem medida, que os animais sentem e que é um exemplo para a humanidade. Sugestões para a editoria Meu Melhor Amigo? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


20

Bebê Show

Lençóis Paulista Junho de 2012


Lençóis Paulista Junho de 2012

Bebê Show

21

Fotos: Cíntia Fotografias


22

Mural Artístico

Lençóis Paulista Junho de 2012

Indie caipira

E

le é um artista no mínimo irreverente. Isso fica perceptível nas letras que ora fazem críticas sociais, ora apelam para o bom humor – e também no modo como ele brinca com

a própria imagem, nas capas dos discos, nos videoclipes. Ele é Rafael Castro, principal representante lençoense do indie caipira. “Quase indie, quase caipira, um anulando o outro”.

Rafael esbanja irreverência na composição das letras e nas produções

A veia musical de Rafael Castro aflorou ainda bem jovem. Ele conta que mais ou menos aos seis anos de idade passou a se relacionar com o piano. “Fiz aulas de música até uns dez anos, depois parei”. Parou de estudar, mas nunca parou de tocar. E de compor. Rafael Castro começou a fazer carreira e ficar regionalmente conhecido a partir de 2006, se apresentando com Os Monumentais. Depois de lançar oito discos virtuais, se prepara para lançar seu primeiro CD. O álbum já tem nome: Lembra? O itinerário de turnês por cidades do interior era pouco para Rafael Castro. Seu som alternativo ganhou o concurso Trama Virtual/Peligro de novas bandas e mais ou menos dessa forma ele descobriu a capital paulista. Mais recentemente, descobriu também o estado do Paraná. Ano passado fez diversos shows na fronteira. As apresentações em São Paulo se tornaram regulares a partir de 2009. A cidade oferece oportunidade e espaço para todos os estilos. Desde então, ele tem dois endereços. Passa uma parte do mês na capital e a outra parte em Lençóis Paulista.

Podia deixar o interior de vez, mas diz que gosta daqui e vai continuar pegando a estrada. Por enquanto, a agenda de shows está tranquila. “Estamos planejando as apresentações para o disco novo”.

Rafael Castro saiu de Lençóis Paulista para conquistar o mundo com seu repertório alternativo Rafael Castro é um artista que acredita na mudança do mercado fonográfico. Todo seu trabalho está disponível pela internet, de graça. “Não tem como não distribuir a músi-

ca gratuitamente. Se você não distribui, acaba sendo pirateado e distribuído da mesma forma”. Por isso, todos os álbuns estão disponíveis para download em www.rafaelcastro.com.br. Fotos: arquivo pessoal

Raízes

Rafael Castro nasceu paulistano, mas se mudou para Lençóis Paulista aos 10 anos de idade. “Devido ao trabalho do meu pai, mudávamos muito. Ele tinha família aqui em Lençóis Paulista”. Aos 26 anos, acredita ter incorporado o espírito de cidade pequena. “Minhas letras são bem interioranas, têm uma naturalidade do interior”. Uma das vantagens de estar na capital é fazer apresentações só com músicas próprias. Rafael nunca parou para contar quantas canções já compôs, mas estima serem mais de 200. Antes de despontar no cenário alternativo, fazia covers em barzinhos. “Para o artista, fazer cover é um trabalho braçal”. Em São Paulo, além de se apresentar, têm a oportunidade de checar o que os outros artistas estão fazendo. “Vou ver gente nova, às vezes também procuro por coisas mais antigas. Estou sempre pesquisando”.

Depois de álbuns digitais, artista prepara o lançamento do CD Lembra?

Sugestões para a editoria Mural Artístico? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Lençóis Paulista

Moda & Estilo

Junho de 2012

Match point! João Luiz Zillo do Prado apresenta a moda esportiva

N

ão é de hoje que a moda está crescendo dentro do universo esportivo. Grandes marcas, esportistas e praticantes de atividades físicas estão tornando este segmento cada vez mais usável, vendável e tecnológico”, explica a consultora de moda, Carolina Ferreira. O editorial Moda e Estilo deste mês mostra produções da All Sports - roupas, tênis e acessórios - vestidas pelo estudante e tenista João Luiz Zillo do Prado, de 16 anos. João Luiz é um jovem rapaz de chamativos olhos verdes. Durante o ensaio, apresentou um jeito bastante despojado e brincalhão, capaz de conquistar todos ao seu redor. O modelo escolhido para o ensaio deste mês está em sintonia total com o mundo dos esportes. Apesar de bastante jovem, o tênis é uma de suas grandes paixões, dentro e fora das quadras. Só para

ter uma ideia, a biografia de Roger Federer, escrita por René Stauffer, é seu livro de cabeceira. “Quero ser o número um do mundo no tênis”, confessa seu sonho. Palmeirense de coração, influenciado pelo avô, acredita em um futuro brilhante dentro do esporte. O jovem está cursando o primeiro ano do ensino médio. É do signo de capricórnio e se dá super bem com as câmeras. Inclusive já realizou diversos trabalhos como modelo. Ele também diz que adora ficar em casa e ver um filme - é sua atividade preferida nas horas vagas. Gosta muito por música eletrônica e rock’n’roll. Quando está em casa, também não dispensa a companhia de seus cães, Jackie e Max - os melhores amigos de quatro patas. Considera a família o grande amor da sua vida.

Diferente para os meninos

A camiseta Nike com estampa de caveira com o número 13 atrás é uma opção criativa para os meninos usarem com suas calças de esporte. Feita de malha de algodão leve, é uma peça moderna que fica bacana para os jogadores mais jovens. Também é uma ótima opção para tardes no clube, piscina e campo.

23


24

Moda & Estilo

Lençóis Paulista Junho de 2012

O agasalho

Pioneiras nesse segmento, a Nike e a Adidas criaram para a nova coleção de agasalhos (ou abrigos, como você preferir dizer) com um toque de seriedade, ideal para a prática do tênis, esporte tão tradicional que exige que os looks sejam perfeitamente escolhidos, pois não existe tenista moderninho, tenista clubber, etc e tal. Tenista é tradicional e ponto final. O agasalho ideal é aquele que fica certo no seu corpo, não pode ser largo. Repare bem na costura dos ombros e no tamanho das barras na hora da compra.

O uniforme ideal

Os conjuntos formados por tecidos desenvolvidos para maior mobilidade - que não pesam no corpo e deixam a transpiração fluir - estão entre os mais vendidos para os tenistas. Normalmente, estes tecidos têm baixa porcentagem de algodão, por isso, são leves e secam rapidamente. O ideal é sempre optar por cores sóbrias. Conjuntos com as peças na mesma cor são modernos e saem do comum do preto e branco.


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Junho de 2012

O Garoto da Capa Junho de 2012 t/PNF João Luiz Zillo do Prado t"OJWFSTÈSJP 7 de Janeiro (16 anos) t4JHOP Capricórnio t.ÍF Ana Fabíola Zillo t1BJ Wanderley Luiz do Prado t&EVDBÎÍP Cursando 1º ano do ensino médio t'JMNF As Branquelas t1FSGVNF Bleu; Chanel t-JWSP A Biografia de Roger Federer; René Stauffer t)PCCZ Jogar tênis e videogame t.ÞTJDB Justin Bieber t1SBUP Massas t7JBHFNEPT4POIPT Europa t'BDFCPPL João Luiz del Prado

O comum revisado

Bermuda preta de listras laterais da Adidas, peça que muitos homens têm no guarda-roupa, se transforma com camiseta polo de corte mais ajustado, o que é uma ótima dica para tardes no clube. Troque a camiseta comum de malha por uma polo para usar com sua bermuda esportiva. Lembre-se também que se você não estiver praticando esportes, é desnecessário mostrar a meia. Prefira meias curtas, que quase não aparecem no tênis.

25


26

Moda & Estilo

Lençóis Paulista Junho de 2012

Os tênis

Feitos para todos os tipos de esportes, nesta edição foram usadas as marcas Nike e Adidas, para jogos de tênis e basquete. Cada vez mais modernos, os pares estão chegando com toques de cores em neón e modelagem de passante dos cadarços mais largos, o que esteticamente fica bem bonito nos pés dos jogadores. A durabilidade de um tênis esportivo também agrada os esportistas, tanto que essas duas principais marcas investem cada vez mais em pesquisas para criar o calçado perfeito. Para o jogo de tênis dê preferência sempre ao tênis branco e seja criativo, procure combinar detalhes de cor do seu calçado com as cores de sua raquete e de seus acessórios.


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Junho de 2012

r3PVQBT BDFTTÓSJPTFDBMÉBEPTAll Sports r$POTVMUPSBEF.PEBF  UFYUPTUÊDOJDPTCarolina Ferreira r$BCFMPF.BRVJBHFNPaulinha Maciel r'PUPHSBêBCíntia Fotografias

DĂŞ “curtirâ€? em nossa pĂĄgina no Facebook e veja mais fotos deste e de outros ensaios. www.facebook.com/revistaocomercio

27


28

Melhor Idade

Lençóis Paulista Junho de 2012

Uma história de 105 anos Nelson Faillace

D

ona Noêmia completou 105 anos de uma grande vida. Nasceu em Bom Jardim, Vila de Nova Friburgo na Serra do Mar, Rio de Janeiro, hoje com 24.500 habitantes. Filha de João José Tavares e de Clara Tavares, cedo sentiu atração pelas águas e dava suas braçadas no Riacho Grande. Atração que a seguiu nos mergulhos do Lago Azul da Serra de Itatiaia. Quando no Rio de Janeiro, nos passeios de barca à Ilha de Paquetá, as braçadas eram até a ilhota de Brocoió, partindo da praia da Moreninha, em 300 metros. De uma família de quatro irmãos e duas irmãs, entre elas a tia Alda, deficiente auditiva, com quem conversava na linguagem dos improvisados gestos. Noêmia já mocinha seguiu para o Rio de Janeiro para trabalhar junto à família do Dr. Álvaro Monteiro de Castro e sua esposa Haidée. Ele foi meu padrinho de batismo na Matriz de Nossa Senhora da Glória, no Largo do Machado. Entrementes chegava à Cidade Maravilhosa um jovem italiano com 20 anos, Vicenzo Faillace, da Calábria. Veio com dois irmãos que levaram o

Filha de João José Tavares e de Clara Tavares, Noêmia cedo sentiu atração pelas águas e dava suas braçadas no Riacho Grande, no estado do Rio de Janeiro Foto: arquivo pessoal

Escritor lençoense presta homenagem para dona Noêmia e relembra curiosidades da infância em lugares históricos do estado do Rio de Janeiro

nome Faillace para outras regiões. Vicenzo fixou-se no bairro das Laranjeiras com venda e conserto de sapatos. Os dois jovens terminaram por enamorar-se, e desse romance nasceu este cidadão carioca. Porém, deixou Vicenzo esta vida muito cedo, de maneira fulminante. Dona Mema se introduzia na família de Luca e fomos para Rezen-

de. Nicoláu de Luca casado com Kerma, tinha duas filhas, Maria Carmem e Cléo. Agíamos como quaisquer crianças. De Luca morava no Largo do Rosário em um cobiçado palacete. Até que comprou um sitio, o “brejão”, que alagava na época das chuvas. Lá existia a turfa, uma argila negra que depois de seca era usada como combustível, em um tal de “gasogênio”,

na 2ª Grande Guerra. Nas crateras que restaram formaram-se lagoas com lambaris e traíras, onde passava minhas férias pescando, acompanhando a lida com o gado leiteiro e as plantações de tomate e batata, com japoneses e seu sistema de irrigação manual. Dona Mema trabalhou no consultório dentário do irmão do Nicoláu, o Dr. José de Luca, afamado profissio-

nal no Rio de Janeiro. Anexo funcionava uma oficina de prótese dentária e minha mãe acabou por tornar-se protética prática. Ela lutava pela minha educação. Passei pelo Colégio São Vicente de Paulo um internato de freiras, onde fui coroinha, dialogando em latim com os

padres. Depois o Colégio Pan Americano, no Meier, na Zona Norte, com regime semimilitar. Um desejo de minha mãe se completara quando entrei para o Colégio Pedro II. Morávamos na pensão de Dona Rosa, na rua do Matoso, Praça da Bandeira. Era amigo de seus filhos, Edson e Hugo. Fiz a Escola Nacional de Química. Dona Rosa era ativa e alegre e cuidava da ordem com rigor. Promovia bailes e jogos e lá aprendi a dançar, os segredos do baralho e das corridas de cavalo, apesar de adolescente. Certa ocasião, ganhei 300 cruzeiros, quase um salário mínimo. Mudamos para o Engenho de Dentro, em uma pequena vila. Pela primeira vez morávamos em uma casa. Depois de formado, o dr. Guerreiro que era diretor do Instituto do Açúcar e do Álcool e cliente do dr. de Luca me colocou na autarquia, recomendando que prestasse concurso de fiscal. Passei, e lá fiquei até minha aposentadoria. Mais um desejo da incansável Dona Mema se realizou. Uma de suas frases favoritas: “Gosto de viver porque todos gostam de mim!”.

Sugestões para a editoria Melhor Idade? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Dona Graça

Vida de Professor

Lençóis Paulista Junho de 2012

29

Foto: Revista O Comércio

Com aulas diferenciadas, a professora Maria da Graça conquistou os alunos; até hoje é amada e respeitada por eles

O

colorido do mapa atraia olhares atentos para a lousa. A explicação sobre a queda do muro de Berlim aguçava a curiosidade de todos que ouviam a história. Assim eram as aulas de Geografia da professora Maria da Graça Lorenzetti Rocha Lopes, atrativas e apaixonantes. Hoje, aos 62 anos, aposentada, lembra como começou a carreira de educadora e o motivo que a fez permanecer em sala de aula. “Eu não escolhi ser professora, foi uma eventualidade. Fiz magistério por falta de opção de cursos em Lençóis Paulista. Depois de formada, não tinha opção de carreira universitária, então escolhi biblioteconomia, mas não me

encontrei na área. Influenciada por amigas que moravam comigo no pensionato em São Paulo, decidi fazer Geografia”, recorda. “O contato com crianças, adolescentes e jovens me encantou, me apaixonei definitivamente”, completa. Antes de se formar, Graça casou. “Tinha 24 anos”, lembra. Para acompanhar o marido, a lençoense se mudou para Manaus (Amazonas) e não teve oportunidade de trabalhar na área. Porém, no oitavo mês de gravidez, retornou para Lençóis Paulista e, nessa época, começou a dar aulas. “Prestei concurso para escola estadual, mas não havia vaga. Fiquei sabendo que o Virgílio Capoani precisava de professor substituto, assumi então a responsabilida-

de e, como estava me sentindo bem, lecionei até o dia do nascimento do meu filho”, conta. Enquanto era substituta em Lençóis Paulista, Graça também dava aulas em uma escola de Macatuba, até ser transferida definitivamente para o Virgílio Capoani. Por 20 anos, a professora trabalhou na escola estadual. Exonerou o cargo para lecionar na escola particular Dinâmica de Ensino (atualmente, Cooperelp Anglo). “Dava quase 60 aulas por semana. Por excesso de aulas que pedi exoneração da rede estadual”, explica. Acostumada até então com o ritmo do ensino médio, Graça viveu novas sensações com as crianças do ensino fundamental. “As crianças eram dife-

Dona Graça aguçou o interesse dos alunos pela Geografia e até hoje guarda lembranças dos estudantes

rentes, me beijavam a toda hora, eram mais apegadas. Foi interessante esse contato, estava acostumada apenas com o colegial”, lembra.

Criatividade e dedicação

“Eu acreditava que era responsável pela educação e bagagem de conhecimento dos meus alunos”, confessa Graça. Por isso, sentia necessidade de estar sempre atualizada. “Fiz pós na PUC (Pontifícia Universidade Católica) e muitos cursos que a própria es-

cola particular patrocinava. Essa busca pelo conhecimento que gera autoconfiança no professor”, opina. Criativa, a professora inventou o “Dia da rosca” – com uma saborosa rosca doce que ela mesmo preparava - e interagia com outras matérias para a criação de teatros e trabalhos que estimulavam o raciocínio dos alunos. “A principal diferença da educação de ontem com a atual é a motivação. Nunca tive os problemas que os professores enfrentam hoje com os

alunos, como a droga, por exemplo. Aliás, a relação é de total companheirismo e amizade, tanto que muitos mandam lembranças pessoais ou pelo Facebook da minha filha, demonstrando carinho e consideração”, comenta. A professora retribui o carinho guardando todos os presentes, bilhetes e cartas que recebeu dos alunos durante todos esses anos. E ela garante que será eternamente apaixonada pela profissão. “O sentimento de educar é insubstituível”, finaliza.


30

Craque do Mês

Lençóis Paulista Junho de 2012

Bons de bocha A equipe do Clube Marimbondo treina há 12 anos e já acumula diversos títulos

Foto: Revista O Comércio

O

quadro de troféus e medalhas da equipe de bocha do Clube Esportivo Marimbondo é de encher os olhos. Entre as conquistas mais recentes está o segundo lugar no Campeonato Paulista de 2011. Motivo de orgulho para os bochófilos lençoenses, já que as equipes que entram na seleção têm elencos bastante competitivos. “Cada jogador da equipe de Lençóis Paulista tem uma profissão, ou seja, a dedicação à bocha não é 100%. Mesmo treinando apenas duas horas por dia conseguimos vencer equipes consideradas favoritas”, diz o atleta Gilberto Prâmio. Eles também colecionam quatro títulos em Jogos Regionais. A equipe é heterogênea. Tem jogadores de diversos estados do Brasil, com idade entre 50 e 75 anos. Eles se conheceram em Lençóis Paulista, no clube, jogando bocha. “São 12 anos de amizade, 12 anos de time. O esporte nos uniu”, garante Gilberto. Engana-se quem considera a bocha um esporte da melhor idade. Existem atletas bastante jovens disputando campeonatos nacionais e estaduais, tanto na categoria feminina quan-

Orlando, José e Mário (em pé), Anizo, Gilberto, Valentim e Cléudio (agachados) são da equipe

to na masculina. “Em Lençóis Paulista a equipe ainda tem uma faixa etária mais alta. Nas grandes cidades, no entanto, essa concepção está mudando”, explica Gilberto. “Quando começamos a jogar, também éramos jovens, é que o tempo passou um pouquinho”, brinca Valentim Toniolo. O jogo é simples. “O objetivo é lançar as bochas (bolas) mais perto possível do bolim (bola pequena), que foi previamente lançado. Cada cor de bola equivale a um ponto. Quem fizer 18 pontos primeiro, ganha. O importante é ter

concentração e paciência”, avalia Gilberto. Antigamente, a bocha era praticada em canchas de areia. Hoje a disputa acontece em canchas sintéticas. “No Estado de São Paulo, o esporte deu um salto quando o campo passou de areia para sintético”, afirma Gilberto. Agora a equipe está focada no Campeonato Paulista 2012. Os atletas sempre esbanjando confiança. E os treinos não param. A fim de ganhar rit-

mo, a equipe está envolvida nas competições internas promovidas pelo Clube Marimbondo. A equipe campeã do Marimbondo é formada por Anizo Rodrigues, Antonio Estrela, Cléudio Prâmio, Edevar Ferrari, Geraldo dos Santos, Gilberto Prâmio, Ivanir Mosele, José Luiz Souza, José Rosa, Laércio Correa, Mario Diegoli, Norberto de Oliveira, Orlando Bento, Pedro Ferrari, Valentim Toniolo e Vladimir Casali.

Sugestões para a editoria Craque do Mês? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Voluntários do Bem

Lençóis Paulista Junho de 2012

31

Celebração da vida Rosa Conti dedica seu tempo livre ajudando a Pastoral da Criança e a Apae; “você aprende muito com o voluntariado”, diz

M

aria Rosa Conti, 64 anos, aprendeu o valor do trabalho voluntário colaborando com a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Lençóis Paulista. Ela faz parte de um grupo de mulheres que produz artesanato para o bazar da entidade. Além disso, desde 2001, atua pela Pastoral da Criança. Atualmente, é coordenadora diocesana. A Pastoral da Criança constitui um desafio e uma motivação na vida de Rosa. A entidade fundada pela médica Zilda Arns completa 30 anos em 2013. A idealizadora acabou falecendo há alguns anos, no trágico terremoto que devastou o Haiti, mas seu exemplo de humanidade continua. Os voluntários da Pastoral da Criança desenvolvem ações de saúde, nutrição, educação, cidadania e espiritualidade de forma ecumênica nas comunidades pobres. As atividades visam promover o desenvolvimento integral das crianças, desde a concepção aos seis anos de idade e a melhoria da qualidade de vida das famílias. De acordo com Rosa, embora em pequeno nú-

Foto: Revista O Comércio

mero, sempre aparecem famílias que necessitam do apoio da Pastoral. “Aqui em Lençóis nós temos a pastoral na Paróquia São Pedro e São Paulo, na Paróquia Nossa Senhora Aparecida e no Santuário Nossa Senhora da Piedade. E faltam voluntários”, explica. A base do trabalho da Pastoral está mesmo nas comunidades onde está inserida. A figura da líder é primordial. São mulheres que realizam visitas as famílias, para checar o bem-estar das crianças. “A líder tem que ter carisma, tem que ter entrega. A nossa visita é diferente da visita de um agente de saúde, por exemplo, que tem um olhar mais técnico. Ela tem que conquistar a confiança da mãe, verificar se as crianças estão sendo cuidadas corretamente, se estão felizes, se têm espaço para brincar”, enumera. Em Lençóis Paulista, entre 150 e 180 famílias são atendidas pela Pastoral. No último sábado de cada mês as líderes se reúnem com a comunidade para que seja feita a pesagem das crianças. É um momento de confraternização e, muitas vezes uma oportuni-

dade de levar informações novas para as mães. “Nós chamamos de celebração da vida”, define Rosa.

Bordado

Rosa Conti também faz parte de um grupo de mulheres que toda quinta-feira se reúne para bordar. A iniciativa tem um propósito bastante nobre. Tudo que é confeccionado por elas é vendido em um bazar, realizado no final do ano. A renda é revertida para a Apae. “O trabalho de voluntariado para a Apae não é feito dentro da entidade. Além do bordado, também ajudamos na barraca da Facilpa (Feira Agropecuária, Comercial e Industrial de Lençóis Paulista) e em outros eventos, como a festa da Piedade. Colocamos a mão na massa mesmo. Trabalhamos na carne seca, ficamos na chapa, viramos a noite”, brinca. Essas ações acabam trazendo lições importantes. “Você aprende muito com o voluntariado, aprende a se doar. Isso te ajuda como pessoa. Auxiliando o próximo você está ajudando a si mesmo. Tem muita gente que fica em casa sem

No trabalho da Pastoral da Criança, voluntárias tentam conscientizar mães sobre cuidados com os filhos

fazer nada e poderia doar seu tempo em favor do próximo. Muita gente chega a ter depressão por causa disso. Se ela se dedicar, a depressão some. Não que a

gente faça trabalho voluntário para curar a depressão dos outros. Mas é gos-

toso estender a mão a quem precisa. É melhor ajudar do que ser ajudado”, defende.

Sugestões para a editoria Voluntários do Bem? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


32

Culinรกria & Gastronomia

Lenรงรณis Paulista Junho de 2012

Macarrรฃo especialรญssimo

cremoso de forno Foto: ilustraรงรฃo

Tucunarรฉ com ervas Rendimento: tQFTTPBT

Tempo de preparo: tI

Ingredientes para o peixe:

Ingredientes

Modo de preparo

rHEFNBDBSSรˆPQBSBGVTP&TQFDJBMรŽTTJNP0STJ

"RVFร‰BBรƒHVBFDP[JOIFPNBDBSSรˆPQBSBGVTP0STJDPO

rDPMIFSFTEFTPQBEFNBSHBSJOB

GPSNFBTJOTUSVร‰ร—FTEBFNCBMBHFN BUรŠRVFรชRVFiBMEFOUFu

rDFCPMBQJDBEB rDPMIFSFTEFTPQBEFGBSJOIBEFUSJHP rDPMIFSFTEFTPQBEFNBTTBEFUPNBUF rYรŽDBSBTEFDIรƒEFMFJUFRVFOUF rHEFSFRVFJKรˆP

/BQBOFMB BRVFร‰BBNBSHBSJOB EPVSFBDFCPMBFNJT UVSFBGBSJOIBEFUSJHP $P[JOIFTFNQBSBSEFNFYFSBUรŠEPVSBSBGBSJOIB +VOUFBNBTTBEFUPNBUFF BPTQPVDPT PMFJUFRVFO UF.FYBTFNQBSBSBUรŠFOHSPTTBS .JTUVSFPSFRVFJKรˆP PTBMFBQJNFOUB

r4BMFQJNFOUBBHPTUP r.BSHBSJOBQBSBVOUBS

6OUFVNSFGSBUรƒSJPDPNNBSHBSJOB DPMPRVFDBNBEBT EFNBDBSSรˆP QSFTVOUPFNPMIP

rHEFQSFTVOUPDPSUBEPFNDVCPTQFRVFOPT

1PMWJMIFPRVFJKPSBMBEPFMFWFBPGPSOP QSรŠBRVFDJEP

rYรŽDBSBEFDIรƒEFRVFJKPQBSNFTรˆPSBMBEP

Bย$ EVSBOUFNJOVUPTPVBUรŠEPVSBS

Dica: substitua o presunto por peito de frango cozido e desfiado.

rUVDVOBSรŠ BLH  rYรŽDBSBEFDFCPMJOIBQJDBEB rYJDBSBEFTBMTB rGPMIBTEFMPVSPQJDBEBT rHBMIPEFBMFDSJNQJDBEP rDFCPMBTNรŠEJBTQJDBEBT rDBCFร‰BEFBMIPQJDBEP rDFOPVSBTNรŠEJBTQJDBEBT rYรŽDBSBTEFWJOIPCSBODP rYรŽDBSBTEFB[FJUF r1JNFOUBFTBMBHPTUP

Modo de Preparo:

-JNQFPQFJYF MBWFCFNFUFNQFSFDPNPTJOHSFEJFOUFT $PMPRVFPJOUFJSPFNVNBBTTBEFJSB DVCSBPFEFJYFNB SJOBSQPSTFJTIPSBT1SรŠBRVFร‰BPGPSOPBย$3FDIFJF PQFJYFDPNPUFNQFSPEBNBSJOBEBFDPTUVSF3FHVFPQFJ YFDPNB[FJUFFMFWFBPGPSOPQPSEV BTIPSBTFNFJB BUรŠรชDBSNBDJP3F HVFPQFJYFDPNPQSร“QSJPDBMEPRVF TBJSEFMF5JSFBQFMFEPQFJYFFTJSWB Ademir Elizeu Sebrian Cozinheiro e proprietรกrio do Bichano Pescados


Planeta Sustentável

Lençóis Paulista Junho de 2012

33

Pedacinho do céu Em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, ciclistas lençoenses vão pedalar até chácara sustentável em Alfredo Guedes Fotos: Revista O Comércio

Vista da chácara Fim da Picada, idealizada por Luciano Ravaneli (à direita); complexo foi construído privilegiando a natureza

N

o bairro rural de Alfredo Guedes, a chácara Fim da Picada é sinônimo de beleza, paz e respeito ao meio ambiente. O lugar foi idealizado pelo proprietário rural Luciano Ravaneli. No dia 3 de junho, domingo, ciclistas de Lençóis Paulista estão convidados a conhecer e entender melhor este pedacinho de céu. A chácara entrou no roteiro do 11º Passeio Ciclístico do Dia Mundial do

Meio Ambiente. A data é comemorada em 5 de junho. De acordo com Maurício Diniz, organizador da aventura, o local foi escolhido porque tem tudo a ver com a data e com a filosofia do grupo Bike & Saúde. “Nossos passeios têm a proposta de unir esporte, ecologia e voluntariado”. Ravaneli construiu um recanto que parece ter saído da imaginação de uma criança. O local começou a ganhar forma há mais ou

menos cinco anos. Para começar, o nome da chácara é Fim da Picada porque aqui foi um dos últimos lotes a ser vendido. “Ninguém queria porque diziam que o terreno era muito úmido. No meu caso, essa umidade só ajuda”. Ele fez terraplanagem e paisagismo. Construiu fontes, fez o plantio de grama, árvores e flores. Trouxe água direto da mina para a propriedade. Também projetou um pequeno solar. Isso sem

contar a piscina. Tudo feito a partir de materiais reaproveitados. Tudo feito por suas próprias mãos. O lugar está disponível para aluguel, desde que os visitantes respeitem o espaço. De acordo com Ravaneli, ainda há trabalho a ser feito na chácara. Ele quer ampliar a área de lazer, com a construção de um deque sobre a piscina, para aproveitar o fim da tarde e quer aumentar a área verde. “Eu gosto de árvores, flores e plantas”.

Serviço

Para participar do Passeio Ciclístico pelo Dia do Meio Ambiente é preciso se inscrever na diretoria de Esportes, na secretaria do ginásio Tonicão. O custo da inscrição são três litros de leite longa vida, que serão revertidos para entidades assistenciais. Mais informações pelo telefone (14) 3264-1444. Sugestões para a editoria Planeta Sustentável? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


34

Saúde & Comportamento

Lençóis Paulista Junho de 2012

Segurança em primeiro lugar Acidentes de trabalho causaram uma morte por dia em 2011 no Estado de São Paulo; prevenção depende de consciência Foto: Revista O Comércio

O

Brasil avançou muito nos critérios de segurança e saúde no trabalho. Embora já tenha perdido o título de país com mais acidentes de trabalho no mundo, as estatísticas ainda estão longe do ideal. Dados da Divisão de Saúde do Trabalhador, órgão da Vigilância Sanitária Estadual, mostram que São Paulo registrou em média uma morte de trabalhador por dia em 2011. As taxas vêm apresentando redução. Dados do Ministério da Previdência Social indicam que, de 2008 a 2010, houve uma redução de 7% no número absoluto de acidentes de trabalho. Mas, para Norberto Pompermayer, médico e coordenador de saúde da empresa Ambiental, especializada na gestão da segurança e saúde no trabalho, os números ainda estão muito além do ideal. “É uma morte evitável. Mesmo que o índice estadual fosse de um por ano,

O médico Norberto Pompermayer e o engenheiro de segurança do trabalho, Carlos Gustavo Jacóia falam sobre a importância da prevenção de acidentes

a morte causada por um acidente de trabalho é evitável”, avalia. “Os acidentes de trabalho podem ser evitados, se houver controle dos ambientes e das condições oferecidas ao trabalhador. Por isso, a investigação dos acidentes tem como principio prevenir que outros, iguais ou semelhantes, se repitam”, complementa Simone Alves dos Santos, diretora Técnica da Divisão de Saúde do Trabalhador da Vigilância Sanitária Estadual. A legislação que regulamenta a saúde e segu-

rança do trabalhador começou a ganhar forma no governo militar, quando o país buscou financiamento junto ao Banco Mundial para a construção da usina hidrelétrica de Itaipu. “O Brasil não tinha legislação específica. Aí teve que correr atrás das NRs (Normas Reguladoras). As NRs versam sobre todas as medidas de segurança e saúde que devem ser aplicadas em todas as atividades exercidas no país. Em 1994 – e só dez anos depois essa lei veio pegar - a NR 7 criou os programas de saúde médica e

educacional dentro das empresas. Houve grande impacto a partir daí, quando os trabalhadores passaram a ter programas de risco ambiental e o engenheiro de segurança vai aos locais de trabalho, fazer as mensurações, dos agentes químicos, físicos, biológicos, e a partir dos riscos, o médico do trabalho passa a fazer o controle”, resume.

Avanços e conscientização

Muitas empresas já absorveram os programas de saúde e segurança do traba-

lhador como fundamental para garantia de alta produtividade. “O ponto inicial que leva a empresa a tomar essas atitudes é o cumprimento da legislação. Mas as empresas que vem fazendo isso, ao longo do tempo perceberam que esses programas trazem resultados: diminui absenteísmo, diminui rejeição ao posto de trabalho. Não é uma despesa, passa a ser um custo que faz parte do processo de produção e traz melhores resultados. Em todos os níveis de trabalho e de gestão”, diz. Para Norber-

to, a atividade do mercado de prestação de serviços na área de saúde e segurança do trabalhador é um indício. “A Ambiental, empresa voltada a prestar serviços de segurança e saúde, está no mercado há 10 anos. Hoje prestamos serviços para aproximadamente 350 empresas. Somos responsáveis por 15 mil trabalhadores, em diversos estados do território nacional”. Entretanto, o sucesso de programas de saúde e segurança dependem da conscientização do próprio trabalhador. “É preciso fazer o uso corretos dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva), mas o ideal é trabalhar também eliminando o risco. O leão é um bicho perigoso, mas quando está na jaula não oferece risco. O que não pode é o trabalhador enfiar a mão dentro da jaula. Todo trabalhador tem o direito de voltar para casa do jeito que saia para trabalhar. Mas também tem a obrigação de verificar os perigos e riscos no seu ambiente de trabalho, de usar os EPIs, de manter EPCs. Quantas vezes o trabalhador tira a proteção do equipamento e não recoloca. É com esse foco devemos trabalhar”, finaliza.


Lençóis Paulista Junho de 2012

Mal silencioso Sem sintomas, hepatite C pode ter contaminado mais de seis milhões de brasileiros

Fotos: Revista O Comércio

Teste rápido para detecção de hepatite C é disponibilizado pelo SUS

O

s dados preocupam: um em cada 30 brasileiros possuem hepatite C, ou seja, são seis milhões de pessoas doentes. A taxa de mortalidade chega a 12 óbitos por dia, o que representa cinco mortes a mais do que as causadas pela Aids. Mas o dado mais grave é que a maioria das pessoas contaminadas pelo vírus da hepatite C podem não saber que possuem a doença. Afinal, não existem sintomas. De acordo com Chico Martucci, diretor da Ong “C tem que saber C tem que curar”, a hepatite C ataca o fígado. “Como sintoma, o portador da doença apresenta o fígado cirrotizado apenas 20 anos depois de ter sido infectado com o vírus”, explica. “Daí então o doente apresenta água na

barriga, varizes no esôfago, convulsão mental e pode ter câncer de fígado. E o único caminho para a cura nesse caso é o transplante, o que gera outro problema, já que apenas quatro fígados são disponíveis por 1 milhão de habitantes, ou seja, 95 por cento de pessoas nessa situação morrem”, completa Chico. O grupo de risco para hepatite é composto que fizeram transfusão de sangue antes de 1993, têm tatuagem, piercing, que usou drogas injetáveis, ou se cortou com material não-esterilizado. Chico alerta para as formas de prevenção. “Sexo seguro com preservativo, não compartilhar navalhas, barbeadores, material de tatuagem e instrumentos de manicure, evi-

Chico Martucci entrou na luta contra a hepatite C após descobrir a doença

tam o contato com o vírus. Ele é bastante resistente: fica até três dias vivo dentro de uma acetona ou esmalte”, enfatiza. Desde 2004 a Ong está detectando, orientando e encaminhando portadores da hepatite C para tratamento. Começou quando Chico descobriu que tinha a doença. “Com 42 anos tomei conhecimento que estava infectado. Meu tratamento durou um ano”, resume. A Ong leva 300 mil

pessoas para tratamento público e recebeu o prêmio na China como a organização mais influente do mundo sem nenhum recurso público. Desde agosto do ano passado, o SUS (Sistema Único de Saúde) passou a oferecer testes rápidos para detecção da hepatite C. Basta apenas uma gota de sangue para realizar o teste, cujo resultado fica pronto em 30 minutos. O teste está disponível na rede pública.

Saúde & Comportamento

35

Invente e reinvente-se Sempre que abro uma página nova penso na aventura que está por vir. De certa forma, um tema ou fragmentos ficam rodeando a minha cabeça e algo da minha vida pessoal ou profissional faz a conexão. Uns diriam que pode ser por influência do horóscopo, dos astros, mas o fato é que nesta mesma época, todos os anos, uma força maior me empurra para a renovação. Tem certos momentos em que determinadas situações ou pessoas que estão em nossas vidas podem não estar nos fazendo bem. Pode ser uma ótima pessoa e com as melhores das intenções do mundo, mas às vezes a forma com que nos relacionamos com ela não está legal. Mas veja bem, não quero dizer que somos melhores que ninguém. Chega de balelas dizendo que as pessoas te decepcionam. Acontece que nos decepcionamos por esperarmos demais dos outros ou que as coisas fossem diferentes do que aconteceu. Mas tenho a certeza de que também decepcionamos muito. Fazer o quê? No fim das contas, não podemos fazer sempre o que esperam de nós. Mas voltando a falar da renovação, acredito que esta só é possível se aceitarmos a impermanência das coisas. Citando Ana Jácomo, “muitas dádivas que nos encontram, que nos encantam, têm seu tempo de viço, sua hora de recado, e seu momento de transformação em outro jeito de lindeza. Lutar contra a impermanência da cara das coisas é feito tentar prender o azul macio das tardes, segurar o viço risonho das flores, amordaçar as ondas. É inútil”. Para finalizar, traga para perto de você o que faz sintonia com o seu jeito de ser neste momento da vida. Desapegue-se. Mas lembre-se, o que é maravilhoso agora tem o seu tempo de viço e poderá ser transformado para o bem do seu desenvolvimento pessoal no futuro. Tudo de novo. Novas opiniões, novos conhecimentos, novos assuntos, novos interesses, novos endereços, novos hábitos. Renovação sempre! Dra. Salete Cortez Psicóloga clínica, pós graduada e especialista em pânico e depressão.


36

Beleza & Estética

Lençóis Paulista Junho de 2012

Pele de inverno Conheça os cuidados específicos para a pele durante a temporada de frio; hidratação é fundamental

C

om a chegada do inverno, a pele tende a ficar mais ressecada, devido às temperaturas mais baixas, ao vento e ao clima seco. “Áreas mais sensíveis, como os lábios, são as que mais sofrem e podem até apresentar fissuras. É comum aparecerem rachaduras nos cotovelos, joelhos e calcanhares. Para quem sofre de psoríase ou dermatite seborreica, o tempo frio agrava o quadro, com a piora das lesões”, afirma a dermatologista e membro da Academia Americana de Dermatologia, Vanessa Metz. Para por um fim a esse problema, uma boa do-

se de hidratação é fundamental em tempos de frio. “Use cremes em todo corpo, em especial nas áreas sensíveis. Além disso, incorpore produtos in shower ou óleos corporais à rotina diária de banho. Outra dica é ter um bálsamo para os lábios na bolsa para reaplicar várias vezes ao dia”, recomenda a médica. Mais exposta, a pele do rosto merece um cuidado extra. “Invista num hidratante mais potente para a noite, como os chamados cold cream (por terem alta concentração de água, transmitem uma sensação de frio à pele) ou com alta concentração de ácido hialurônico, por exemplo”, sugere. Soluções caseiras à par-

Dicas de inverno

te, os consultórios oferecem diversas máscaras nutritivas e revitalizantes como um tratamento de choque de hidratação. “Alguns exemplos são as máscaras de óleo de argan, rico em Vitamina E, as de ácido hialurônico ou com pérolas”, pontua Metz. Um ponto a favor da chegada do frio é que alguns tratamentos mais agressivos são recomendados para essa época do ano, já que a exposição solar é reduzida e os raios solares não são tão intensos. “Peelings químicos e laser fracionados ablativos ou não ablativos são mais tolerados pela paciente num clima mais ameno e possuem menos riscos de efeitos colaterais”, diz a dermatologista.

r Substitua o sabonete em barra pelo sabonete líquido. O sabonete em barra retira a camada protetora da pele, tornando-a seca. r É difícil evitar tomar um banho quente, mas devemos resistir. Prefira água morna. r Após o banho, aplique um creme hidratante pelo corpo todo. r Consuma bastante líquidos (caldinhos, sopas, chás e, principalmente, água) para manter a hidratação interna do corpo. r É essencial usar o protetor solar.


Beleza & Estética

Lençóis Paulista Junho de 2012

37

Dupla dinâmica

Foto: arquivo pessoal

Entre no verão com tudo em cima: carboxiterapia aliada ao tratamento infra-red promete eliminar medidas e celulite

P

ara muitas pessoas, o outono é a estação ideal para cuidar do corpo, investir em tratamentos estéticos e entrar na primavera/verão com tudo em cima. A fisioterapeuta Caroline Sacilotto Paccola apresenta dois tratamentos: a carboxiterapia e o infra- red (calor por raios infravermelhos) que, aliados, prometem acabar com a celulite, estrias e gordura localizada. A fisioterapeuta indica os dois tratamentos ao mesmo tempo. A carboxiterapia, como o próprio nome diz, utiliza-se do gás carbônico – aquele que é eliminado na

respiração. Ela explica que o CO2 destrói mecanicamente células de gordura atuando como um vasodilatador. “Ele aumenta a circulação sanguínea e facilita a eliminação de fluidos tóxicos entre as células. Estimula também o colágeno e novas fibras elásticas, deixando a pele mais firme e saudável”. Com uma agulha fina (como a usada para aplicar insulina) é aplicado o CO2 na região a ser tratada. Ele é rapidamente difundido para as regiões próximas. Caroline garante que o procedimento é pouco doloroso, mas o paciente pode ter sensação de desconforFoto: ilustração

Gás carbônico pode ser aplicado em todo o corpo, inclusive no rosto

to, e pequenos hematomas decorrentes da punção da agulha. “Os efeitos colaterais das aplicações, que duram de 15 a 20 minutos, dependem da sensibilidade de cada pessoa. O gás carbônico pode ser aplicado em qualquer região do corpo ou do rosto. Ele também trata olheiras e rugas finas ao redor dos olhos, boca e papada do pescoço”, indica. O tratamento engloba de 10 a 20 sessões. O ideal é que sejam realizadas de duas a três vezes por semana, de acordo com o grau de necessidade e resultado desejado, principalmente no caso das estrias. “Em alguns casos, as estrias até somem, se as marcas forem recentes. Se forem marcas mais antigas, amenizam bastante”, diz Caroline. A fisioterapeuta diz que os efeitos são observados após a quarta sessão, quando ocorre grande produção de colágeno, retração do tecido e queima da gordura. Nos pacotes oferecidos atualmente, cada sessão sai em torno de R$ 50. O tratamento é contra-indicado para gestantes, pessoas com

CO2 é aplicado por meio de uma agulha bastante fina; fisioterapeuta diz que efeitos colaterais são mínimos

graves doenças pulmonares ou cardíacas, obesidade mórbida, infecções na pele e rejeição à agulha.

Alta temperatura

É possível gastar caloria sem fazer exercícios? A fisioterapeuta responde que

sim. “O tratamento infra-red provoca gasto calórico por meio do calor, pois o paciente é envolto com um plástico, como se fosse uma manta, até o pescoço. Quando estamos em contato com uma temperatura maior que a temperatura

corporal, o organismo tem que trabalhar muito além do normal para manter o equilíbrio térmico. E é exatamente isso que irá eliminar a gordura e reduzir medidas”, diz Caroline. O preço da sessão de infra-red custa entre R$ 30 e R$ 35.


38

Cultura & Entretenimento

Lençóis Paulista Junho de 2012 Foto: ilustração

Hora do cinema Cinemóvel John Deere traz filmes para o público infantil

A animação Rio, indicada ao Oscar de canção original, é uma das atrações do projeto Cinemóvel John Deere

L

ençóis Paulista recebe o Cinemóvel John Deere – Mostra Itinerante de Filmes Nacionais, promovido há três anos pela Fundação John Deere. As sessões de cinema gratuitas ocorrerão de 4 a 6 de junho. O objetivo do projeto é incentivar o acesso à cultura e ao entretenimento e, ao mesmo tempo, valorizar as produções brasileiras. “O programa é voltado para estudantes de escolas da rede pública de municípios sem salas de cinema cuja principal atividade econômica é a agricultura. Nossa prioridade é atender as escolas rurais”, diz Fernanda Schaurich, secretária-executiva da Fundação. A terceira temporada

do Cinemóvel John Deere terá produções nacionais, que contemplam o público infantil e adulto: Eu e Meu Guarda Chuva, O Grilo Feliz e os Insetos Gigantes, Rio: o filme, Turma da Mônica – Cine Gibi 5: Luz, câmera, ação!, Uma Professora Muito Maluquinha, O Menino da Porteira, As Melhores Coisas do Mundo e Tropa de Elite 2.

Festival do Livro

Entre os dias 18 e 29 de

junho, a diretoria de Cultura de Lençóis Paulista realiza mais uma edição do Festival do Livro. A programação ainda não foi fechada, mas além da feira, haverá apresentações de teatro e de dança. A abertura está marcada para o dia 18 de junho, na praça Comendador José Zillo, a Concha Acústica. Mais uma vez, o festival resgata a fantasia dos livros do escritor lençoense Orígenes Lessa.

Sessões de cinema

4/6 (segunda-feira): 10h - 13h30 - 15h30 - 17h - 19h30 5/6 (terça-feira): 8h - 10h - 13h30 - 15h30 - 17h - 19h30 6/6 (quarta-feira): 8h - 10h - 13h30 - 15h30 - 17h Local: Avenida Marechal Dutra, ao lado da EMEF Lina Bosi Canova, Jardim Ubirama. Telefone: 3264-4442.

ƭ2ƺѬ6&ǖƸ2 Áries

21/03 a 20/04

Aproveite o mês para resolver dúvidas e fazer acordos comerciais. Um tom mais sério nas comunicações fortalecerá seus relacionamentos.

Câncer

21/06 a 20/07

Mês com força para realizar sonhos, criar planos atraentes e começar nova etapa. Sucesso no trabalho aumentará seu prestígio e segurança.

Libra

21/09 a 20/10

Sua competência atrairá novas oportunidades de trabalho: seu prestígio social estará em alta. No amor, a construção de uma relação estável.

Capricórnio

21/12 a 20/01

A fase trará posicionamentos claros no trabalho, maior poder de liderança e renovação. Ideias criativas ganharão formas profissionais.

Touro

21/04 a 20/05

Mês de expansão e oportunidades. No amor é fase de estabilidade e projetos em comum. Se estiver só, um novo envolvimento poderá acontecer.

Leão

21/07 a 20/08

Fonte: internet

Gêmeos

21/05 a 20/06

Foco principal na área financeira e oportunidade de novos planos. Seu poder de decisão aumentará e irá impulsionar projetos pessoais.

Virgem

21/08 a 20/09

Coincidências e afinidades marcarão esse mês. Novos relacionamentos, programação divertida com amigos e clima mágico no amor.

Um sonho de viagem poderá se realizar neste mês. Pense em novas propostas com carinho. A carreira poderá tomar novos rumos.

Escorpião

Sagitário

Aparecerão oportunidades para começar uma nova relação. Aproveite para buscar mudanças no cotidiano e novas oportunidades.

O amor será o assunto principal neste mês. Se estiver só, novo romance poderá começar de maneira inesperada. Trace estratégias financeiras.

21/10 a 20/11

Aquário

21/01 a 20/02

Aposte em ideias criativas e impulsione projetos pessoais. A vida social ficará intensa e trará também oportunidades de trabalho.

21/11 a 20/12

Peixes

21/02 a 20/03

Um sonho antigo poderá se realizar Novos relacionamentos trarão aprendizado e oportunidades comerciais. Renove seus sentimentos.


Cultura & Entretenimento

Lenรงรณis Paulista Junho de 2012 Fonte: UOL

Fonte: Publish News

1ยบ LUGAR Eu Quero Tchu, Eu Quero Tcha Joรฃo Lucas & Marcelo 2ยบ LUGAR As Mina Pira Ronny & Rangel 3ยบ LUGAR

M รš S I C A S

L I V R O S

Long Live Taylor Swift

FILMES

4ยบ LUGAR

5ยบ LUGAR

6ยบ LUGAR

1ยบ Os Vingadores 2ยบ

Battleship - A Batalha dos Mares

3ยบ

Piratas Pirados!

4ยบ

O Corvo

5ยบ

Plano de Fuga

6ยบ

American Pie - O Reencontro

9ยบ LUGAR

7ยบ

Paraรญsos Artificiais

Fora da Casinha Yudi & Leandro

8ยบ

O Exรณtico Hotel Marigold

10ยบ LUGAR

9ยบ

Um Homem de Sorte

Video Games Lana del Rey

10ยบ

Espelho, Espelho Meu

Minha Estrela Restart 8ยบ LUGAR Dance Again (feat. Pitbull) Jennifer Lopez feat. Pitbull

2ยบ 3ยบ

Fonte: UOL

5ยบ

You da One Rihanna

7ยบ LUGAR

1ยบ

4ยบ

Where Have You Been Rihanna

Pra Vocรช Paula Fernandes

39

6ยบ 7ยบ 8ยบ 9ยบ 10ยบ

AGAPINHO Padre Marcelo Rossi (MPCP-JWSPTr*OGBOUPKVWFOJM O FILHO DE NETUNO Rick Riordan &EJUPSB*OUSรŽOTFDBr*OGBOUPKVWFOJM A ESCOLHA Nicholas Sparks &EJUPSB/PWP$PODFJUPr'JDร‰รˆP GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA FILOSOFIA Luiz Felipe Pondรฉ &EJUPSB-F:Br/รˆPรชDร‰รˆP O MELHOR DE MIM Nicholas Sparks &EJUPSB"SRVFJSPr'JDร‰รˆP JOGOS VORAZES Suzanne Collins &EJUPSB3PDDPr*OGBOUPKVWFOJM DESPERTE O MILIONรRIO QUE Hร EM VOCรŠ Carlos Wizard Martins &EJUPSB(FOUFr/FHร“DJPT UM HOMEM DE SORTE Nicholas Sparks &EJUPSB/PWP$PODFJUPr'JDร‰รˆP A GUERRA DOS TRONOS George R. R. Martin &EJUPSB-F:Br'JDร‰รˆP NIETZSCHE PARA ESTRESSADOS Allan Percy &EJUPSB4FYUBOUFr"VUPBKVEB


40

Publicidade

Len莽贸is Paulista Junho de 2012

Revista O Comércio - Junho de 2012  

Edição de Junho de 2012 da Revista O Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you