Page 1

R$ 5,00 Ano 2 Edição Nº 30

Aeronaves

Fábrica de aviões e compósitos se instala em Lençóis Paulista

Página 3

São Saruê

Festival do Livro recebe mais de 20 mil visitantes em 11 dias

Página 5

Novela

Ministério Público é favorável à liberação das sacolas plásticas A Serviço da Comunidade.

Página 6

Inscrições

Design Gráfico e Moda Íntima estão entre os 20 cursos do CMPF

Página 10

Leia + Paulinha Maciel...........7 Antonio Coleone..........8 Luciana Casali..............9 Marcos Santana.........10 Pavãozinho................11 Aline Souza ...............12 Cristiano Medola .......18

Mônica Pelegrin ........19 Ivan Sader .................22 Dona Mariquinha ......28 Vera Martins..............29 Matheus Pereira ........30 Danilo Bonalume ......31 Gina Foganholi ..........33

14 de Julho

REVISTA

Lençóis Paulista Julho de 2012

Dia da Liberdade de Pensamento A primeira vez em que foram definidos a liberdade e os direitos fundamentais do homem foi por meio da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, aprovada pela Assembleia Nacional Constituinte da França em 1789. O dia 14 de Julho remete também à Queda da Bastilha. Foi inspiração para as constituições francesas de 1848 e atual, também foi base para Declaração Universal dos Direitos Humanos, promulgada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948. Nos artigos 18 e 19 estão dispostas as seguintes observações: “Todo homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular”. “Todo homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e ideias por quaisquer meios e independentemente de fronteiras”.


2

Publicidade

Len莽贸is Paulista Julho de 2012


No ar

Acontece :: Emprego

Lençóis Paulista Julho de 2012

Empresa de aviação deve se instalar em Lençóis Paulista dentro de três meses; diretor do Senai diz que trabalha por qualificação e garantia de mão de obra

A

empresa Volato, especializada em produção de aeronaves e compósitos, deve se instalar em Lençóis Paulista dentro de três meses. A fábrica vai funcionar nas proximidades do aeroporto municipal, às margens da rodovia Osny Matheus (SP-261). Os diretores da empre-

sa, Zizo Sola e Marcos Vilela, estiveram reunidos com a prefeita Bel Lorenzetti e o diretor de Desenvolvimento, Altair Toniolo, o Rocinha, para definir detalhes. “Escolhemos Lençóis Paulista, pois a cidade mostrou ter condições necessárias para estruturar a Volato”, acrescentou Sola.

A produção do modelo Volato 400, com capacidade para quatro passageiros começará no início de 2013. O novo empreendimento deverá gerar perto de 80 empregos diretos e indiretos e terá capacidade para produzir um avião por mês. A administração mu-

3

Foto: Revista O Comércio

Prefeitura de Lençóis Paulista e diretores da empresa de aviação reunidos para confirmar parceria

nicipal também fará melhorias no Aeroporto. Serão desapropriados 29 mil metros de área e está prevista a construção de um estacionamento com capacidade para até quatro aeronaves. Os investimentos serão da ordem de R$ 100 mil para esta obra e os recursos virão da Prefeitura.

Capacitação

Em reunião com a prefeita Bel, o diretor do Senai/Lençóis, Marcel Adriano Pereira, anunciou que a escola já trabalha para trazer qualificação para a indústria de aeronaves. Ele comentou que o Senai está encarregado pela preparação de quatro carretas – unida-

des móveis – que serão utilizados para cursos na área de aviação e de compósitos. “Essas carretas, inicialmente, serão enviadas para São José dos Campos, mas temos certeza que se fizermos o pedido poderão ser utilizadas para atender a empresa que está se instalando e a comunidade lençoense”.

Estão abertas as inscrições para o Prêmio MPE Brasil

C

om o objetivo de estimular melhorias na gestão de empreendimento que faturam até R$ 3,6 milhões ao ano, o Sebrae abre as inscrições para a edição 2012 do Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas - MPE Brasil. Para participar, é necessário ter pelo menos 12 meses de funcionamento e fazer o cadastro pelo si-

te da competição. O prazo para se inscrever vai até o dia 31 de agosto. O nome dos vencedores será divulgado em novembro. O Prêmio se divide em oito categorias, sendo cada uma delas relacionada a uma área de atuação: Agronegócio, Comércio, Serviços, Indústria, Serviços de Saúde, Serviços de Educação, Serviços de Tecnologia da Informação e Serviços de Turismo. O

MPE Brasil tem ainda dois destaques: Boas Práticas em Responsabilidade Social e Inovação. Ao fazer a inscrição, os participantes respondem a um questionário baseado nos conceitos de excelência em gestão da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), com o objetivo de autoavaliar a gestão. O questionário envolve diversas áreas de funcionamento de um ne-

gócio, desde o relacionamento com os funcionários até indicadores de resultados. A ideia é ter um panorama completo da situação em que se encontra a empresa. Depois de realizada a inscrição, o participante recebe um relatório de avaliação que funciona como um diagnóstico para planejar ações futuras de melhoria na gestão do negócio. As 40 empresas selecio-

nadas que obtiverem um melhor resultado na avaliação concorrem ao prêmio. Em seguida receberão um avaliador no mês de outubro, que irá validar pessoalmente as informações e desenvolver um relatório personalizado da administração dos negócios, apontando melhorias específicas para cada necessidade. As vencedoras de cada categoria no estado estarão automaticamente selecio-

nadas para participar da etapa nacional, que será realizada em Brasília em março de 2013. As inscrições podem ser feitas de maneira gratuita pela internet (http://www.premiompe.sebrae.com.br). O Prêmio é uma iniciativa do Sebrae em parceria com a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), o Movimento Brasil Competitivo (MBC) e a Gerdau.


4

Opinião

REDE DE DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Ø Jd. das Nações • Padaria Padoka: Av. Estados Unidos, nº 289 Ø Jd. Nova Lençóis • Padaria Qually: Rua das Araras, nº 481 Ø Núcleo H. L. Zillo • Padaria Padoka: Av. Vereador Dr. Hermínio Jacon, nº 624 • Farmácia Ludovico: Rua Luiz Baptistella, nº 287 • Padaria Padoka: Av. Nações Unidas, nº 117 Ø Pq. Rondon • Padaria Padoka: Rua Momo Tranqüilo, nº 194 • Azulão Supermercados: Rua Luiz Ferreira, nº 168 • Padaria Pão de Mel: Av. Prefeito Jácomo Nicolau Paccola, nº 254 Ø Jd. Júlio Ferrari • Mercado Bom Jesus: Rua Emílio Rossi, nº 358 • Padaria Nativa: Av. Maestro Oliveira Capucho, nº 295 Ø Vila Santa Cecília • ASP: Rua César Giacomini, nº 241 Ø Jd. Cruzeiro • Mercado Avenida: Av. Cruzeiro do Sul, nº 276 Ø Jd. Alvorada • Padaria Alvorada: Rua Bahia, nº 468 Ø Jd. São João • Mercadinho do Rachid: Rua Camilo da Cunha, nº 20 Ø Vila Contente • Mercado Fontes: Rua Rodrigues Alves, nº 241 • Mercado Econômico: Rua Regente Feijó, nº 114 Ø Vila Mamedina • Padaria Nova Sensação: Rua Dr. Gabriel de Oliveira Rocha, nº 397 Ø Jd. Primavera • Mercearia VM: Av. Luiz Boso, nº 110 • Mercearia Primavera: Av. Luiz Boso, nº 214 Ø Cecap e região • Padaria Trigo de Ouro: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 554 • Padaria Trigo de Ouro: Av. Procópio Ferreira, nº 557 • Padaria Trigo de Ouro: Rua Bandeira Tribuzi, nº 330 • Padaria Pão de Mel: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 1.234 • Vita Farma: Rua Henrique Losinskas Alves, nº 1.312 Ø Jd. Príncipe • Padaria Primícias dos Pães: Rua Luiz Vaz Pinto, nº 451 Ø Jd. Monte Azul • Padaria Nossa Senhora Aparecida: Rua Guaianazes, nº 669 • Azulão Supermercados: Rua Guaianazes, nº 585 Ø Santa Terezinha II • Padaria Pães & Sabor: Rua Antonio José Paccola, nº 186 Ø Jd. Caju I e II • Padaria Hot Pão: Av. Jácomo Augusto Paccola, nº 76 • Supermercado Placa: Rua Joaquim Gomes Machado, 224 Ø Jd. Bela Vista • Mercado Pag Menos: Rua Jalisco, nº 93 Ø Jd. Ubirama • Padaria Cantinho do Pão: Rua Marechal Dutra, nº 420 • Padaria Art Pão: Av. Marechal Castello Branco, nº 415 • Padaria Trigal: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 994 Ø Centro e região • Armazém Supermercado: Av. Pe. Salústio Rodrigues Machado, nº 206 • Padaria Pão & Opção: Av. Brasil, nº 810 • Padaria Art Pão: Rua 7 de Setembro, nº 484 • Revistaria Marquinho Correa: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 663 • Didática Papelaria: Rua Dr. Antonio Tedesco, nº 252 • Farmais: Rua Ignácio Anselmo, nº 846 • Cíntia Fotografias: Rua Anita Garibaldi, nº 1.127 • Quitanda Avenida III: Rua Pedro Natálio Lorenzetti, nº 729 • Acilpa: Rua Piedade, nº 161 • Padaria Trigal: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 697 • Churrascaria Estância Grill: Rua Geraldo Pereira de Barros, nº 1.054 • Farmais: 15 de Novembro, nº 812 • Lençóis Revistas: Rua Ignácio Anselmo, nº 189 • Vivo: Rua Ignácio Anselmo, nº 100 • Chiquinho Sorvetes: Rua 15 de Novembro, nº 534 • Ramblas Livraria e Papelaria: Rua 15 de Novembro, nº 216.

Lençóis Paulista Julho de 2012

Editorial

A polêmica continua Depois de muito vai-e-vém, campanhas informativas, brigas judiciais, a polêmica retorna ao ponto de partida. A Apas (Associação Paulistas de Supermercados) pretende entrar com recurso contra a decisão da juíza Cynthia Torres Cristófaro, da 1ª Vara Central de São Paulo, que exigiu dos estabelecimentos a distribuição gratuita das sacolinhas plásticas ao consumidor. A entidade pode apresentar alternativas à determinação, como redução no preço do saco de lixo e o reembolso na próxima compra do valor pago pelas embalagens feitas com materiais menos agressivos ao meio ambiente, como papel, materiais reciclados e biocompostáveis. A juíza também estabeleceu que está proibida a cobrança por embalagens para acondicionamento de compras e que os supermercados terão 30 dias para fornecer gratuitamente embalagens de material biodegradável ou de papel adequadas, sem onerar o consumidor. Fica difícil tomar partido nessa disputa. É óbvio que o consumidor não deve ser onerado. O que se espera, de verdade, é que toda essa polêmica tenha chamado a atenção para o consu-

mo excessivo e descarte indiscriminado de materiais que não são biodegradáveis. Ou seja, independente do que aconteça, se possível, dispense a sacola plástica. A Revista O Comércio também traz uma cobertura do Festival do Livro, realizado na praça da Concha Acústica. Leitura, teatro, diversão, gastronomia fizeram a cabeça de quem passou pelo evento. Na busca pelo desenvolvimento – tanto individual, quanto coletivo – mostramos as ações do poder público que garantem capacitação profissional e trazem a esperança de mais empregos para Lençóis Paulista e região. Para completar a leitura desta edição de um julho, matérias sobre saúde, casa, decoração, guia de filmes e livros e, claro, os personagens que dão vida as nossas páginas: nossos queridos mestres, os graciosos animais de estimação, a história de sucesso dos empreendedores, sejam eles jovens ou veteranos. A força do voluntariado e o equilíbrio do planeta. Ainda em clima de Festival do Livro – do qual a Revista O Comércio teve a satisfação por participar – desejamos a todos uma boa leitura!

A diferença entre o falar e o fazer Uma verdade parece inconteste: “para falar há muita disposição, para fazer nem tanto”. Infelizmente, há um senso muito claro nas pessoas de falar com intuito de julgamento. O que mais se encontra pelas ruas são juízes que apontam o dedo às pessoas no sentido de criticá-las. Aliás, é mesmo vício do ser humano essa atitude. Na época de Jesus não era diferente. No evangelho de Marcos há relato de situação semelhante envolvendo o Senhor Jesus: “estando Ele em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com perfume de nardo puro, de muito preço e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus”(Mc. 14:3/6). Nota-se como é curiosa a reação daqueles que ali estavam ao dizerem: “alguns dos presentes se indignaram e diziam uns para os outros: para que se fez este desperdício de bálsamo? Este perfume poderia ser vendido por mais de trezentos denários e ser dado aos pobres. E murmuravam contra ela”. As críticas foram muitas, mas nenhum dos presentes se dispôs a dar nada aos pobres para “ensinar uma lição” àquela mulher. Há algumas conjecturas a serem feitas: Seria ela uma mulher rica que vendeu seu patrimônio para comprar o perfume? Ou era uma herança? O texto apenas relata que era uma pecadora. Presumo tratar-se de uma prostituta. Se estiver certo surgem outras conjecturas: será que eram “clientes” do estabelecimento onde a mulher pecadora prestava seus “serviços”? Jesus os repreendeu dizendo: “ela praticou boa obra para comigo”, e sua repreensão vale para os nossos dias. A lição que o texto deixa é real e muito séria: É mais fácil chamar de desperdício do que admirar. É mais fácil murmurar do que incentivar. É mais fácil falar do que fazer. Marcos Ap. de Toledo Advogado, empresário e teólogo

EXPEDIENTE EDITORA RESPONSÁVEL: Gazeta Paulista Empreendimentos Editoriais Ltda. | CNPJ: 01.782.039/0001-70. COMERCIALIZAÇÃO E PRODUÇÃO: Bistrô Serviços de Publicidade Ltda. - ME. Rua 13 de Maio, Nº 1.347, Centro, Lençóis Paulista, CEP: 18683-370, CNPJ: 10.744.028/0001-97. TIRAGEM: 5.000 exemplares. CIRCULAÇÃO: Agudos, Borebi, Lençóis Paulista e Macatuba. DIRETORES: Anderson Prado de Lima e Breno Medola. EDITORA CHEFE: Kátia Gisele Sartori (MTB 46.650). REVISTA O COMÉRCIO: (14) 3264-8187 e 3263-6886 | ocomercio@revistaocomercio.com.br | www.revistaocomercio.com.br. Artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, portanto, podem corresponder ou não à opinião desta revista.


Acontece :: Festival do Livro

Lençóis Paulista Julho de 2012

5

Festa do livro Cerca de 20 mil pessoas participaram de atividades culturais na Concha Acústica; evento já é um marco cultural lençoense

Fotos: Revista O Comércio

O Festival contou com esculturas de renomados escritores, estandes de livrarias da cidade, café, peças teatrais e até com a presença da sociedade italiana

O

4° Festival do Livro levou cerca de 20 mil pessoas à praça Comendador José Zillo, a Concha Acústica, nos 11 dias de feira. O evento, que já vem se tornando tradição no calendá-

rio cultural da cidade, este ano foi realizado no mês de junho. O Festival é marcado pelo encontro com escritores, mostras teatrais, feira do troca-troca, comercialização de livros, e

outras apresentações artísticas. Também foi criada uma praça de alimentação para os visitantes. “Foi uma grande festa que privilegiou o livro e valorizou ainda mais a leitura”, resume o diretor de

Cultura, Nilceu Bernardo. Comparado com os anos anteriores, o Festival cresceu, tanto em número de visitantes, quanto em atrações. Destaque para a parceria do Senai (Serviço Nacional

As crianças que passaram pelo Festival ficaram fascinadas pelos livros

de Aprendizagem Industrial), que foi responsável pela floresta de São Saruê, tão elogiada. “Participar do Festival proporciona um contato com artistas renomados, como tivemos esse

ano: Rosa e Rosinha, Gigi Anhelli e tantos outros. Através desses contatos adquirimos experiências muito ricas”, avalia Deivison Oliver, agente administrativo do Espaço Cultural Cidade do Livro.


6

Acontece :: Meio Ambiente

Lençóis Paulista Julho de 2012

Fim das restrições O que fazer e como aproveitar a queda dos juros? Depois do anúncio de taxas de juros mais baixas por parte dos bancos estatais, os bancos privados resolveram entrar na disputa e também ofereceram juros menores. Vale a pena mudar de banco? Como ficam os consumidores diante dessa história? Começou como “decisão histórica” e terminou como um movimento de mercado. A queda nas taxas de juros cobradas pelos bancos estatais, originada a partir da pressão do governo por crescimento econômico, foi seguida por seus concorrentes privados. As taxas de juros cobradas de consumidores e empresas caíram mesmo? Caíram, sim! Os bancos públicos seguiram a ordem federal e “derrubaram” suas taxas de juros, permitindo aos consumidores acesso à linhas de crédito mais baratas e com prazos maiores. Não se trata de um convite ao consumo? Oferecer crédito mais barato tem o propósito óbvio de movimentar a economia. A questão merece reflexão em dois aspectos. Primeiro, o consumidor consciente, educado financeiramente e que sabe seus limites econômicos, poderá tomar mais dinheiro emprestado sem que as parcelas deste empréstimo fiquem maiores que as já contraídas. Por outro lado, o “convite ao consumo” pode levar muitos brasileiros a se endividar simplesmente porque “agora as parcelas ficaram mais baratas”. Um aspecto que ganha um peso fundamental nessa nova época de juros mais baixos é a renegociação de dívidas. Aproveitar que as linhas de credito tiveram suas taxas cortadas pode significar parcelas e/ou prazos de pagamento menores. Você tem que ir até o banco e conversar. E, claro, pesquisar outras instituições e modalidades. O planejamento financeiro realizado com cuidado, acompanhado de um orçamento doméstico revisto, ainda é a chave para a realização de sonhos e para uma vida sustentável no longo prazo. O dinheiro deve ser sempre um meio, uma ferramenta, não um fim. Silvio Medeiros Contabilista e Educador Financeiro

Supermercados podem voltar a distribuir sacolinhas, decide Ministério Público Foto: Revista O Comércio

A

s sacolinhas plásticas estão liberadas nos supermercados do Estado de São Paulo. O Conselho Superior do Ministério Público suspendeu o TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), feito pelo próprio MP, que bania as sacolinhas. Para o Conselho, a regra coloca o “consumidor em desvantagem exagerada diante do fornecedor”. Na prática, cabe agora os supermercados e redes decidir se farão a distribuição. O TAC estava em vigência havia quase três meses, para descontentando de muitos consumidores. A medida de acabar com as sacolas partiu da Apas (Associação Paulista de Supermercados) e o acordo foi firmado com o MP, tendo o apoio do Procon e da Secretaria do Estado de Meio Ambiente. Mas o Conselho Superior, que deveria homologar o documen-

As sacolinhas plásticas estão novamente disponíveis para o consumidor

to, decidiu não validá-lo em decisão unânime. O Conselho entendeu que o acordo provoca um “desequilíbrio” entre mercados e consumidor. Com o fim das sacolinhas, os supermercados vendiam sacolas não descartáveis. “A situação do consumidor, após o termo do compromisso, sofreu um prejuízo”, cita a decisão, assinada pelo procurador Marco An-

tônio de Campos Tebet. “O fornecedor deixou de ter de arcar com o custo do fornecimento das sacolas plásticas descartáveis ao consumidor, passando a cobrar pela compra de sacolas reutilizáveis, sem deduzir do custo de seus produtos o valor antes embutidos referente ao fornecimento de sacolas plásticas gratuitas”. O Conselho Superior do Ministério Público reconhe-

ce a importância ambiental de retirar do mercado de consumo as sacolas plásticas, mas pede que a Apas e os supermercados encontrem uma forma que não cause prejuízo ao consumidor. O inquérito sobre o assunto continua aberto na promotoria e pode acabar em um novo acordo. Por enquanto, as grandes redes de supermercados não voltarão a distribuir as sacolas. A Apas informou em nota que avalia uma nova proposta a ser apresentada ao MP. A associação informou que aguardava intimação para se posicionar ao MP, mas, em nota, criticou a decisão do Conselho. “A Apas lamenta que interesses menores estejam na contramão do respeito ao cidadão e às gerações futuras ao defender a continuidade de políticas de desperdício, poluidoras e insustentáveis”.

Confira palestras e oficinas do Centro do Empreendedor em julho Palestra Empretec - apresentação do programa voltado ao desenvolvimento e capacitação empresarial • Dia 17, das 19h às 21h Palestra - Entendendo Custos, Despesas e Preços de Venda • Dia 26, das 19h às 21h

Oficina - Sei Vender • Dia 30, das 19h às 21h Palestra - Processo de Administração de Estoque • Dia 31, das 19h às 21h • Mais informações pelo telefone: 3264-3955

As palestras e oficina serão realizadas no Centro do Empreendedor que fica na rua Coronel Joaquim Gabriel, nº 11


Jovem Empreendedor

Lençóis Paulista Julho de 2012

Pincéis, cores,

dedicação Fotos: Revista O Comércio

Paulinha Maciel se esforçou para ter o trabalho reconhecido em Lençóis Paulista e região

E

m matéria de beleza, Ana Paula Maciel, a Paulinha, como é carinhosamente conhecida, tira nota dez, sobretudo no quesito maquiagem. Aos 12 anos de idade, começou ajudar seu irmão Gesner em uma loja de vestidos e serviços para noivas. “Por necessidade tive que trabalhar desde criança. Não tive a opção de parar e pensar: qual profissão vou seguir quando crescer. Foi uma carreira que surgiu naturalmente”. A convivência com o irmão foi decisiva para Paulinha aprender a profissão que, além de retorno financeiro, traria reconhecimento e satisfação. Quando ajudava Gesner a arrumar as noivas, tinha especial satisfação em maquiá-las. “Tudo que sei, aprendi com meu irmão, sou muito grata a ele”. Aos 25 anos e já com bastante experiência, Paulinha decidiu abrir seu próprio salão de beleza. “Embora seja um mercado com bastante procura, trabalhar neste segmento é bastante sacrificado. Ou eu trabalhava ou saia para me divertir, por exemplo. No começo foi bem difícil, abri mão

Paulinha Maciel está há 19 anos no mercado da beleza; hoje, divide com sua irmã Flávia as rotinas de trabalho

de muita coisa, mas compensou”, comenta. Atualmente, Paulinha trabalha com a irmã Flávia. Elas realizam diversos tipos de serviço relacionados à beleza e estética e ainda atendem muitas noivas por mês. Paulinha está sempre falando da satisfação em preparar as noivas para o tão esperado dia do casamento. Afinal, foi assim que tudo começou. “É muita responsabilidade, por isso, faço com muito amor. A maior alegria do meu tra-

balho é ver as clientes satisfeitas”, avalia. Dentre todos os serviços prestados, ela tem um carinho especial pela maquiagem. “Quando vou fazer uma maquiagem não sei qual será o resultado final. Sou surpreendida tanto quanto a cliente. Não tem um roteiro a ser seguido, deixo fluir. A mistura de cores é fascinante”. Atualmente com 31 anos, Paulinha sonha longe. Embora realizada profissionalmente, não deixa de pensar em abrir franquias do salão que leva seu nome.

7


8

Empresário do Mês

Lençóis Paulista Julho de 2012

Energia O empresário Antonio Coleone comemora 18 anos de sua empresa, a Acelco Foto: Revista O Comércio

A

ntonio Celso Coleone sempre foi obstinado e lutou muito para conquistar o que tem hoje. Ele é natural de São Manuel, onde iniciou as atividades da Acelco, loja especializada em materiais elétricos. Agora, os serviços e produtos da empresa também chegam a Lençóis Paulista. O segredo do empresário sempre foi nunca ter medo do trabalho. Começou ajudando o pai, que tinha uma pequena lanchonete em São Manuel, quando era ainda adolescente. Ainda bastante jovem, foi tentar a vida na capital, São Paulo. “Naquela época, a região não oferecia oportunidades de emprego como hoje. Tinha que ir para capital”, recorda. Dedicado, acabou passando num concurso da Light, companhia de energia, onde trabalhou por 22 anos. “Foi assim que me interessei por esse ramo de elétrica e nasceu o sentimento, o sonho de ter uma loja”, resume. Em 1994, ele resolveu

A alegria de Antonio é ter a familia engajada nos negócios da empresa

que teria seu próprio negócio. A loja começou a funcionar no dia 20 de julho, portanto, há 18 anos. “Meu pai deixou a herança comercial. Somada ao interesse profissional, despertado no período que trabalhei na Light, resultou na loja. A Acelco começou como distribuidora de ca-

bos e fios elétricos, e eu ainda morava em São Paulo”, conta. “Mesmo trabalhando fora de São Manuel, nos finais de semana retornava para visitar amigos e família. Minha intenção sempre foi voltar, por isso, estabeleci a empresa na minha cidade natal”, completa. A Acelco foi crescen-

do. A empresa começou com quatro colaboradores e hoje tem 23. A loja já conta com uma filial em Lençóis Paulista. “No começo foi difícil, pois ainda trabalhava em São Paulo, mas em nenhum momento pensei em desistir, sempre pensava em crescer. Escolhemos Lençóis Paulista para instalar a filial como forma de retribuição à cidade. Além de eu ter passado ótimos momentos da minha adolescência aqui, foi onde meu filho André, que administra a filial, teve a primeira oportunidade de emprego”. Com alegria, Antonio festeja o crescimento, a família unida e a oportunidade que tem de criar opções para o consumidor. “É muito gratificante ver um objetivo realizado. Meu sonho é que meus filhos quando estiverem na minha idade, com 58 anos, tenham a mesma gana que tenho de trabalhar. Agradeço a Deus, minha família e os colaboradores. Essas pessoas são essenciais nesse processo”.


Lençóis Paulista Julho de 2012

Pulso firme

S

egui o exemplo do meu pai e da minha mãe que nunca desistiram”. A afirmação é da lençoense Luciana Machado Casali, mãe, esposa, empresária, integrante do Coral Zillo Lorenzetti e professora de catequese. Junto com o marido Ivens Casali, ela administra, com pulso firme, um posto de combustíveis em Lençóis Paulista, o Auto Posto 295. A veia empreendedora de Luciana é genética. Seu pai tinha um frigorífico e envolvia toda a família no trabalho. “Com 16 anos, ajudava minha irmã no escritório do frigorífico. Meu pai incentivou as quatro filhas a trabalhar cedo, todo mundo tinha que aprender as funções da empresa”, conta. E foi assim, na prática, que Luciana escolheu sua carreira. “Não foi uma decisão que tomei de uma hora para outra, as coisas foram fluindo. Não cursei faculdade, tomei conhecimento da rotina administrativa de uma empresa no cotidiano mesmo, colocando a mão na massa, é a melhor faculdade que tem”, comenta. São 10 anos de Auto Posto 295. Tempo suficiente para Luciana, com

Com seriedade, a empresária Luciana Casali administra posto de combustíveis Foto: Revista O Comércio

Luciana confessa o jeito general de ser; com pulso firme, mas sem perder a feminilidade, ela impõe respeito no trabalho

seu trabalho, conquistar a confiança dos clientes. “É a parte mais difícil, porém, a mais importante

e satisfatória. Tem que se empenhar”, diz. A empresária acredita também que é preciso

encarar o trabalho de forma austera. “Trabalho em um ramo onde os homens dominam, por isso, tenho que buscar meu espaço. Nunca tive problemas com colaboradores, sempre me respeitaram. Ser exigente faz parte da minha personalidade”, explica. “E a confiança que meu marido deposita em mim ajuda para aumentar a minha autoconfiança”, completa. No começo foram diversos obstáculos, mas nunca passou pela cabeça de Luciana desistir. “Infelizmente, as dificuldades são maiores que os benefícios. Tenho como inspiração Graça Foster, presidente da Petrobrás. Sua história é linda. Ela foi criada no morro e hoje administra uma das maiores empresa do Brasil. É estimulante, um exemplo a ser seguido”, enfatiza. A prefeita Bel também é inspiração para a empresária. O sonho de Luciana para os negócios é o mesmo de qualquer empresário: crescer. Para isso, ela aposta no amor ao trabalho como ferramenta motivadora. “Quando se coloca esse sentimento tão nobre em tudo que se faz, não tem como dar errado, é sucesso na certa”.

Empresária do Mês

9


10

Emprego & Carreira

Lençóis Paulista Julho de 2012

Inscrições abertas Marcos Augusto Santana é determinado e obstinado. Ele recorda como foi sua primeira experiência profissional.O gerente da cooperativa de crédito Sicoob Cred-Acilpa começou a trabalhar aos 14 anos de idade, ajudando no comércio da família. “Minha família tinha uma vídeo locadora e eu ajudava de vez em quando. Ali, dei meus primeiros passos no mercado de trabalho”, conta. Aos 18 anos, com o objetivo de cursar a faculdade de administração de empresas, Marcos foi em busca do primeiro emprego. Encontrou a oportunidade na Viação Mourão, empresa de ônibus da cidade. “Comecei como cobrador, mas logo fui para a área administrativa da empresa. Sempre gostei de mexer com dinheiro e tinha a visão de trabalhar em banco. Foram três anos de aprendizado”, resume. Quando saiu da empresa de ônibus, fez estágio no antigo Banespa (atualmente Santander), e foi para Botucatu trabalhar em outro banco, até retornar para

Lençóis Paulista e assumir a função de gerente da Siccob Cred-Acilpa. Os desafios como cobrador de ônibus ficaram marcados na memória de Marcos. “Cumprir horário era complicado. Às vezes, o turno começava às 5h. Em épocas de festas, estava trabalhando enquanto os outros estavam festejando e aproveitando os momentos em família. Porém, o sacrifício valeu a pena, principalmente, para dar valor às conquistas que alcancei depois dessa experiência”, Marcos está na gerência da Sicoob Cred-Acilpa há quatro anos e meio. “De repente a vida me mostrou que dentro de um ônibus era possível dar início a minha carreira dos sonhos. E deu certo, está dando certo”, conclui. Foto: Revista O Comércio

Marcos Augusto Santana é gerente da Sicoob Cred-Acilpa

CMFP abre vagas para 20 cursos; design gráfico e moda íntima são novidade na grade Fotos: divulgação

E

ntre 30 de julho e 2 de agosto acontecem as inscrições para os cursos do CMFP (Centro Municipal de Formação Profissional) Prefeito Ideval Paccola. Destaque para as capacitações em design gráfico e moda íntima. Estas duas qualificações atendem à demanda do mercado. O curso de design gráfico está na segunda turma. No ano passado, 32 alunos se formaram, entre eles a estudante Vanessa Martins. Ao final do curso, ela conseguiu emprego na área. “Ter participado do curso foi uma oportunidade para aprender coisas indispensáveis para meu emprego atual”, diz Vanessa. O técnico em treinamento informática do CMFP, Donizete Evandro Santagelo, professor do curso, explica que com as lições, o aluno adquire conhecimento em corel draw, indesign e photoshop. “Vamos trabalhar com criação e tratamento de imagens. O aluno vai apren-

O professor do curso de design gráfico com a primeira turma; as aulas são duas vezes na semana

der a criar logomarcas, cartão de visita, estampar camiseta e faixas”, comenta o professor. “Também ensinamos os estudantes a ter responsabilidades e mostramos como é o mercado de trabalho”, complementa. A carga horária é de 90 horas. As aulas serão ministradas duas vezes na semana. O aluno recebe certificado, material didático e tem à disposição uma sala com toda infraestrutura necessária para as aulas. “Até um lan-

chinho na hora do intervalo é oferecido. O aluno só precisa ter boa vontade”, convida Donizete. Ele ressalta que os interessados devem ter acima de 14 anos e as vagas são limitadas.

Costura

O curso de moda íntima é novo. “É a primeira turma, então, a responsabilidade é grande”, afirma a técnica em treinamento em costura industrial Rosemara Oliveira. Ela será a professora respon-

Confira o calendário de inscrições 30/7 :: Inclusão Digital; Operador de Microcomputador; Design Gráfico e Manicure.

31/7 :: Informática Básica; Moda Íntima; Marcenaria; Assistente Administrativo e Costura Industrial.

1/8 :: Mecânica de Bicicleta; Mecânica de Autos e Eletricidade Residencial. 2/8 :: Biscuit; Pedraria; Pintura em Tecido; Pintura em Madeira; Pintura Country em Madeira; Macramê; Bordado e Crochê.

sável do curso de 180 horas, que será dividido em 90 horas de modelagem e 90 horas de confecção. “Primeiro o aluno vai aprender a modelar e adaptar os modelos. A segunda parte do curso é a de costura e confecção das peças”, explica Rosemara. Os interessados devem ter acima de 18 anos, primeiro grau completo e noções básica de costura.

Serviço

As vagas são limitadas e serão preenchidas por ordem de chegada. O horário de atendimento é das 8h30 às 16h. Os documentos necessários para a inscrição são RG, CPF, cartão cidadão e comprovante de endereço, todos originais. O CMFP fica na Av. Lázaro Brígido Dutra, nº 101. O telefone para contato é (14) 3264-3598. Mais informações pelo site www.cmfp.com.br


Personagem

Lençóis Paulista Julho de 2012

De bem com a vida

Fotos: Revista O Comércio

Conhecido pela voz e o jargão “Que alegriaaa”, Pavãozinho é um eterno apaixonado pela vida

A

voz grave é inconfundível e produz um efeito calmante. A sabedoria é exemplo. A educação e simpatia conquistam. A felicidade é contagiante. Características de Edevar Moretto, carinhosamente conhecido como Pavãozinho, o professor – radialista mais querido de Lençóis Paulista. Ele é um apaixonado. “Apaixonado por Deus, pela família, pelos números, pela natureza, pela vida”. O apelido adquiriu na época em que trabalhava na RM 87. Certa ocasião, o locutor bauruense Jota Júnior, ao vivo, o comparou à ave e passou chamá-lo de Pavãozinho. O apelido pegou. Pavãozinho nasceu em 1942. É lençoense de nascença e de coração. Passou a infância no sítio, em contato com árvores e animais. Quando chegou o momento de escolher a profissão, decidiu ser professor. Cursou Física, com habilitação em Matemática e Química, na Universidade Federal de São Carlos. Voltou para Lençóis Paulista e por dez anos lecionou na escola estadual Virgílio Capoani. “Sempre gostei de ensinar. Minha maior motiva-

ção era quando o aluno tinha dificuldades para entender a matéria, mas depois, com minha explicação, passava a entender”, comenta. Empenhado nos projetos da igreja católica, fez parte de diversas pastorais da Paróquia São José. Também deu cursos de formação para ministros extraordinários da comunidade eucarística regional e da Diocese de Botucatu. Aliás, um de seus filhos, decidiu ser padre e hoje é pároco na igreja de São Sebastião, em Pirajú. Já a carreira de radialista aconteceu meio que por acaso. Pavãozinho foi convidado a apresentar dois programas na rádio Difusora: o ‘Mensagem da Manhã’ e o ‘Gente de Progresso, Trabalho, Ação e Fé’. “Fiquei surpreso com o convite, mas encarei o desafio”, resume. O ‘Mensagem da Manhã’, como o próprio nome diz, trazia frases de otimismo, escritas pelo próprio Pavãozinho. “Minha inspiração era a natureza”, revela.

Pavãozinho é lembrado com carinho como professor e locutor de rádio

Quando recebeu convite para trabalhar na RM, a voz de Pavãozinho já era conhecida. Por nove anos apresentou o programa ‘Café com Viola e Alegria’ – que tinha o mesmo conceito de mensagens otimistas que apresentava na Difusora -, e o ‘Estrada do Interior’. “Trabalhei com muita dedicação”, garante Pavãozinho. Devido a problemas de saúde, desde junho de 2010 Pavãozinho está afastado da locução. “Graças a Deus estou recuperado, mas não esqueço jamais dos meus queridos ouvintes”, manda o recado. Hoje, aos 70 anos, dedica atenção total à família.

“Tenho uma netinha linda de dez meses. Passo horas cuidando dela. Aproveito o tempo livre também para observar acontecimentos da natureza, ouvir o cantar dos pássaros e admirar a beleza das árvores”. Há pouco tempo descobriu outra paixão, ou melhor, um hobby: a gaita de boca. “Estou achando tudo tão bonito. A partitura é pura matemática. Me arrependo de não ter começado antes”, enfatiza. Com tanta história, Pavão quer deixar tudo registrado no papel. “Pretendo escrever um livro sobre o amor e a felicidade que é viver”, conclui.

11


12

Campeã de Vendas

Lençóis Paulista Julho de 2012

Vendas & Sonhos

É

com comunicação e simpatia que Aline Rose de Souza realiza suas vendas. Ela acredita que para sobreviver no ramo comercial tem que transmitir com propriedade e conhecimento as informações sobre o produto. “O sucesso da venda está na comunicação. Se o vendedor é tímido e desinformado ele não terá êxito”, afirma. A opinião é de uma vendedora experiente. Aline tem 33 anos e desde os 14 trabalha com vendas. “Praticamente, metade da minha vida passei vendendo. Trabalhei cinco anos em uma papelaria e quatro em uma loja de calçados”, contabiliza. Começou trabalhar cedo, pois tinha ânsia pela independência. Com seu jeito carismático, conquistou vagas de emprego, patrões e clientes. “Sempre falei demais. Tinha que arrumar uma profissão que me permitisse falar”, brinca. Atualmente, na companhia de viagens CVC, atende em média 150 pessoas por mês. E não importa o dia, a hora, o clima, Aline está sempre com sorriso no rosto e disposta atender. “Aqui vendo realização de sonhos. Como vender sonhos emburrada? Aliás, é inaceitável um vendedor emburrado. Cara feia só serve para dar ru-

Aline Souza nasceu com habilidade para lidar com pessoas; comunicativa e sorridente, ela conquista quem atende

Foto: Revista O Comércio

Fotos: Revista O Comércio

“Temos modelos exclusivos para gordinhas e jovens senhoras. Nosso público já é diferenciado, então, damos toda atenção merecida para nossos clientes”. Edna Morelli; Talento Jeans Modas.

“Atendo o cliente com um seja bem vindo e um sorriso sincero. Procuro tratá-lo com igualdade e simpatia. Deixo o cliente à vontade para ele se sentir em casa”. Maíra Angélico; Sense Cosméticos.

“Com simpatia e sinceridade exponho o melhor que a empresa oferece buscando atender a expectativa do cliente. Tudo em vista da excelência no atendimento”. Rodrigo da Silva; Claro.

A vendedora Aline Souza trabalha há 19 anos com venda; atualmente é agente de vendas da CVC Lençóis Paulista

gas no rosto. A venda não é impulso, tem que ser tratada com carinho”, comenta. “É por ter essa personalidade que a Aline conquista além da venda, a amizade e a confiança dos clientes. É por merecimento que ela recebe elogios. Fico feliz por tê-la na equipe há dois anos”, expressa Priscila Dal

Bem, proprietária da CVC Lençóis Paulista. A vendedora de sonhos, que é esposa e mãe dedicada, também tem sonhos. Ela compartilha a vontade de conhecer o Canadá de costa a costa e ter, por meio do seu trabalho, um número suficiente de clientes para se estabili-

zar financeiramente no ramo. “Eu amo meu trabalho. Amo o contato com as pessoas, a proximidade com o público. Gosto de ficar amiga para realmente conhecer o cliente e seu gosto. Com muita alegria posso falar que sou realizada com minha profissão. Vender é um dom”, conclui.

“Com sorriso no rosto busco entender as necessidades do cliente. Sempre prezo pelo bom humor.” Ana Paula Máximo Bitu; Lojas Colombo.

“Com calma e paciência mostro os produtos e todas as opções que a loja oferece para o cliente. Ser simpática é fundamental na hora da venda”. Thais Sabetta de Souza Tudiçaki; Mix Biju


Informática & Tecnologia

13

Tecnologia 4G Lençóis Paulista Julho de 2012

Confira as perguntas e respostas que explicam o que é a 4G; tecnologia que promete web móvel e ultraveloz O que é internet 4G?

4G é a sigla para 4ª geração de telefonia móvel. Ela designa tecnologias que oferecem conexões à internet de altíssima velocidade. De modo geral, redes móveis 4G alcançam velocidades próximas a de conexões fixas via cabo ou modem ADSL. Existem pelo menos duas tecnologias consideradas 4G: WiMax (utilizada em alguns países asiáticos) e LTE (utilizada nos EUA e alguns países europeus). No Brasil, querem implementar 4G com tecnologia LTE.

Por que é importante a tecnologia 4G?

Em tese, a implantação de redes 4G no Brasil proporcionará acesso de alta velocidade a lugares em que não chega infraestrutura de cabo. Alguns especialistas acreditam que o 4G será para a internet o que a telefonia móvel foi para a telefonia. Atualmente, mesmo cidades longínquas, contam com acesso à rede móvel para celular. Outro ponto é que o aumento de velocidade permitirá o uso de novas aplicações que envolvem conteú-

do multimídia. Dependendo da velocidade oferecida, será possível, por exemplo, ouvir músicas diretamente pela internet (sem interrupções) ou mesmo carregar vídeos em alta definição. Isso deve gerar novos tipos de negócios que explorem a alta velocidade de internet.

Qual será a velocidade da internet 4G?

No papel, as velocidades de tecnologia 4G podem chegar à casa dos 100 Mbps (Megabits por segundo). As operadoras brasileiras ainda não comentam qual será a velocidade real da internet móvel de 4ª geração. A título de comparação, os Estados Unidos têm oferecido planos com velocidades que variam entre 10 Mbps e 12 Mbps (dez vezes mais rápida que a internet 3G, que tem média de 1 Mbps). Na Dinamarca, a velocidade fica entre 30 Mbps e 35 Mbps.

O que é possível fazer com a internet 4G?

Considerando a hipótese de que a velocidade do 4G no Brasil será de 10 Mbps (Megabits por se-

gundo) e que não vai haver grande instabilidade no sinal, o usuário poderá baixar um filme de 100 MB (Megabytes) em pouco mais de um minuto. Além disso, será possível usar serviços de streaming de vídeo (como o YouTube ou mesmo ver filmes completos no Netflix sem engasgos), fazer videoconferências diretamente do celular e ouvir músicas diretamente da internet.

Quais países têm 4G?

Países como Estados Unidos, Portugal, Coreia do Sul, Alemanha, Canadá, Porto Rico, Suécia, Finlândia, entre outros. Na América do Sul, a Colômbia também está em processo para implantação e usará a mesma faixa de frequência do Brasil.

Vou precisar trocar de aparelho por causa do 4G?

Quem quiser usufruir das altas velocidades de dados pela conexão 4G, sim. Deverá comprar algum smartphone ou tablet que suporte 4G nas frequências brasileiras. No entan-

to, quem tiver smartphones 3G poderá usufruir de redes HSPA+, que podem alcançar velocidades de até 5 Mbps, cinco vezes mais rápida que a média do 3G.

Aparelhos 4G serão mais caros que os da tecnologia 3G?

pesar de várias fabricantes (Samsung, Nokia, Motorola, HTC, etc) terem apa-

relhos 4G em outros países, ainda não há previsão de preço no Brasil. Nos EUA, os telefones 4G, geralmente, são vendidos atrelados a planos de internet. Quanto maior for o limite de dados, mais barato o consumidor pagará pelo aparelho.

Quando vai começar a ter 4G no Brasil?

Até abril de 2013 as em-

presas devem ter conexões 4G nas cidades-sede dos jogos da Copa das Confederações. São elas: Fortaleza, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Já as sedes e sub-sedes da Copa do Mundo deverão ter cobertura 4G até o fim de 2014. As cidades são: São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Manaus, Cuiabá, Natal.


14

Automercado

1º - Aston Martin Vantage

Lençóis Paulista Julho de 2012

Os conversíveis Confira ranking com os 10 carros conversíveis mais populares do mundo, de acordo com uma pesquisa realizada pelo site AutoTrader.co.uk.

2º - Mercedes-Benz SL

3º - Jaguar XK

4º - Porsche 911

5º - Mazda MX-5

6º - Ferrari California

7º - BMW Série 3

8º - Audi TT

9º - Lotus Elise

10º - VW Golf Cabriolet


Automercado

Lençóis Paulista Julho de 2012

Novo giro Foto: divulgação

A

Chevrolet lançou oficialmente sua mais nova minivan, a Spin. O modelo partirá de R$ 44.590 na versão manual de entrada LT com cinco lugares, e com sete lugares na versão LTZ a partir de R$ 50.990. A versão topo de linha, com câmbio automático, sai a partir de R$ 54.690. A Spin chega para substituir de uma só vez Meriva e Zafira que, segundo a GM, ainda não possuem data de despedida. No entanto, ambas devem deixar o mercado até o final do ano. Com a mesma carroceria, o modelo pretende atacar rivais como os Nissan Livina e Grand Livina com espaço para cinco ou sete ocupantes. Sob o capô, a minivan da Chevrolet virá equipada com o velho motor 1.8 8V já conhecido, mas que agora ganhou melhorias no sistema de admissão de ar e escape e leva o nome Econo. Flex. Ele rende agora 108 cv de potência e até 17,1 kgfm a 3.200 rpm com etanol. O câmbio pode ser manual de 5 velocidades ou automático de 6 velocidades com trocas sequenciais, a mesma caixa de transmissão utilizada no sedã médio Cruze. Todas as versões da Spin virão equipadas com ar-condicionado, direção hidráulica, freios ABS, airbag duplo

Chevrolet Spin, nova minivan da GM, chega a partir de R$ 44.590

A minivan Spin é nova aposta da GM.Ela vai substituir Meriva e Zafira

e trio elétrico. As rodas podem ser de ferro ou de liga, sempre aro 15 e com pneus 195/65. A dianteira é moderna e e tem faróis esticados que lembram os da picape S10. A lateral traz linhas muito semelhantes às do Cobalt, que começam no farol e na lanterna, terminando nas portas. O porte é mais para Zafira do que para a Meriva, enquanto a traseira causará divergências por privilegiar o espaço e não o visual. Com 2,62 m de distância entre-eixos, a Spin ficou com espaço limitado nos bancos traseiros, embora a montadora alegue que seu foco é a versatilidade. Mesas do tipo avião? Esqueça, os bancos traseiros sequer possuem sistema de correr, tudo para evitar alto preço. Na terceira fileira de bancos, o modelo da Chevrolet le-

va a melhor comparado ao Nissan. O banco rebate por meio de uma alça na parte inferior do encosto, e o acesso é fácil. O espaço para a cabeça é excelente. Há 23 combinações de posicionamento dos bancos na versão de sete lugares, o que facilita o transporte de bagagens. Levar pequenos objetos também é simples, por conta dos 32 porta-trecos espalhados pela cabine. O porta-malas, de acordo com a GM, é o maior da categoria: 710 l na versão de cinco lugares, podendo chegar a 1.168 l com os bancos rebatidos. A sensação de espaço é boa na frente, mas há costuras falhas e falta uma simples lâmpada nos espelhos do quebra-sol. A posição de dirigir ficou mais alta, graças ao ponto H (localizado na junção entre o assento e o encosto dos ban-

cos) erguido em 6 cm em relação ao Cobalt. suspensão é a mesma do sedã, com calibragem específica do conjunto de amortecedores e molas. A Spin é firme e segura nas curvas, com pouca rolagem da carroceria. Nem mesmo a elevada posição de dirigir passa insegurança. Sofre apenas quem viaja no banco de trás. Como o assento fica praticamente em cima do eixo, os impactos são sentidos com maior intensidade. O volante regula apenas em altura, e a direção é leve e precisa. O câmbio manual tem engates precisos e cai bem ao motor 1.8. O resultado é que, na pista de testes, o desempenho foi apenas razoável – o consumo ficará para um teste futuro, pois o carro não pôde sair do Campo de Provas da GM em nosso teste. A versão manual acelerou de 0 a 100 km/h em 11,8 s, com o motor girando a 3.500 rpm a 120 km/h em quinta marcha. A Spin compartilha ainda a moderna transmissão automática GF6 do Cruze. Essa foi a 100 km/h em 12,9 s. Na onda de sucesso do Cobalt, a GM espera emplacar 2.800 unidades da Spin por mês, número até conservador. Ela tem tudo para bater a meta, mas não empolga tanto com o sedã.

15


16

Ambiente & Decoração

Lençóis Paulista Julho de 2012

Quentinho no inverno Fotos: ilustração

A estação mais fria do ano chegou. Confira dicas fundamentais para cuidar dos cobertores e edredons

E

o inverno chegou. É hora de tirar do armário os edredons e cobertores bem quentinhos. Mas lembre-se: este tipo de roupa de cama requer cuidados na hora de limpar e lavar – antes e depois do uso – bem como na hora de guardar. Confira as dicas simples e práticas para tratar com cuidado e eficiência esses itens da casa, imprescindíveis na estação mais fria do ano. A lavagem pode ser realizada em casa, se a máquina de lavar roupas supor-

tar o peso das peças. Geralmente os de tamanho king ou queen não cabem nos eletrodomésticos caseiros por serem mais volumosos. Não insista, porque corre-se o risco de edredons e cobertores não ficarem realmente limpos e, além disso, sobrecarregar a lavadora. Verifique as instruções na etiqueta da roupa de cama. Se você puder lavar os itens em casa, deixe o edredom ou o cobertor de molho antes de colocá-los na máquina. Use sabão líqui-

do ou dissolva o sabão em pó para que a peça não fique com resíduos do produto de limpeza. A secagem varia de acordo com o tecido e volume do acolchoado ou das fibras dos cobertores. Lave em dias quentes e seque preferencialmente ao sol. Em apartamentos, onde normalmente a incidência de luz e calor solares não é intensa e constante, o edredom ou cobertor podem levar de dois a três dias para ficarem enxutos. Antes de retirar do varal, certifique-se de que a peça esteja completamente seca, porque microrganismos podem se propagar devido à umidade.

Uso e armazenagem

Se a peça ficou guardada no armário por meses sem nenhuma proteção, o recomendável é lavá-la antes de usar, porque pode haver acúmulo de poeira. Caso o edredom ou cobertor tenha sido guardado em um saco sem nenhuma ventilação, o ideal é higienizá-lo também. Para resguardar os tecidos do pó, embale-os em pacotes apropriados. O

Lavar o cobertor com sabão líquido e deixá-lo secar ao sol são cuidados que preservam as fibras do tecido

ideal são os sacos de TNT, que permitem a ventilação, ou os plásticos especiais, que possibilitam retirar o ar da embalagem. Este sistema a vácuo evita o acúmulo de pó nas peças e elimina a possibilidade de propagação de microrganismos. Usando esse tipo de invólucro não é necessário lavar novamente as peças quando for usar a roupa de cama.

Basta deixá-las expostas ao sol ou mesmo à sombra em um local bem ventilado para arejá-las. Caso utilize um saco plástico comum para a armazenagem, a recomendação é fazer um pequeno corte ou deixar uma fresta para haver ventilação no interior na embalagem.

Sem umidade

Para evitar a umidade no

armário onde as peças estão armazenadas, coloque uma pedrinha de cânfora dentro de uma tampa de garrafa pet ou de qualquer outro recipiente. Se o aroma da cânfora não agradar, substitua por giz de lousa ou até carvão em um saquinho de tule e disponha-os com cuidado para não manchar ou sujar os itens. Estes produtos eliminam a umidade do guarda-roupa.


Casa & Construção

Lençóis Paulista Julho de 2012

Mundo mágico

17 Foto: ilustração

Na brinquedoteca os brinquedos ficam organizados; ela estimula a criança ter senso de organização

Brinquedoteca em casa: espaços são pensados para a diversão da criançada e, principalmente, para aprendizados seguro

U

m “cenário de aventuras ou de contos de fadas: colorido, criativo, acolhedor e seguro, muito seguro”. A definição do arquiteto Aquiles Nícolas Kílaris talvez seja a mais correta para o que se espera de um quarto de brincar atual, projetado para a casa. Conhecido também como brinquedoteca, este ambiente está tomando o lugar do velho “canto da bagunça” e é o sonho de consumo de pais e filhos. Além de se apresentar como a solução encontrada por muitas famílias para que as crianças tenham um espaço adequado para brincar, sem desorganizar a casa inteira. Segundo Kílaris, os clientes que em geral solicitam uma brinquedoteca são famílias com crianças de até 10 anos. Nesse

espaço, projetado de acordo com a faixa etária dos pequenos, os brinquedos ficam mais organizados, pois existe um lugar para cada coisa. “A criança aprende a brincar e depois guardar”, defende a arquiteta Ludmila Grammount.

Brinquedoteca, meu reino

O mais importante é que o ambiente é pensado para a criança e quem “manda” ali é ela – mesmo que haja a orientação e a supervisão necessária dos adultos. “Como é um local dedicado à brincadeira, as mamães não ficam naquela tensão que não pode estragar isso ou aquilo, coisa que acontece no restante da casa”, explica Grammount. Mais lúdico e funcional que o canto de brinquedos, o novo espaço

vem se confirmando nos projetos residências como um “ambiente muito importante para o desenvolvimento da criança”, ressalta a arquiteta Brunete Fraccaroli, que ensina: “neste espaço, os pequenos devem encontrar todos os aparatos necessários para aprimorar diversas habilidades com total segurança e diversão”, portanto brinquedos educativos devem estar presentes. A designer de interiores Maria di Moura concorda com Fraccaroli sobre o papel educativo da brinquedoteca, e vai além, recomenda a introdução de um banheirinho - se possível – ou um local para lavar as mãos e trocar as fraldas, além de área que incentive a triagem do lixo e mesinhas para pequenas refeições.

Bonita e segura

Para Brunete Fraccaroli, a brinquedoteca deve ser colorida e muito atraente. No entanto, questões de segurança e conforto precisam ser priorizadas. O ideal é que a área tenha boa circulação, para que a criança possa brincar, mas também seja clara - com iluminação adequada - ventilada e com temperatura agradável. A quantidade de objetos

e móveis a serem dispostos dentro da brinquedoteca será determinada pelo espaço disponível. Mas, “armários e prateleiras para guardar e organizar os brinquedos são indispensáveis”, afirma a arquiteta Paula Andrade, da ALN Arquitetos. Bancada e lousa para explorar a criatividade e estudar também são importantes e, se houver espaço, um sofá (ou pufes e cadeirinhas), é recomendá-

Acabamentos adequados ao ritmo da criançada

Fraccaroli recomenda que esse espaço receba acabamentos resistentes ao desgaste, como tintas laváveis nas paredes e, talvez, um piso vinílico que não acumula poeira e é um bom amortecedor para quedas e impactos. Laminados e superfí-

cies lisas, laváveis e com cantos arredondados são opções desejáveis. “O ideal é projetar os móveis fixos com cores claras ou tons crus. Os matizes vivos devem ser aplicados aos objetos fáceis de serem trocados, como tapetes, almofadas e os próprios brin-

vel. “O sofá é uma peça versátil que pode servir a um hóspede”, destaca Andrade. Porém, é fundamental que os móveis tenham medidas compatíveis com altura e a idade da criança que utilizará o ambiente. Grammount aconselha que o usuário mirim tenha certa autonomia para pegar um brinquedo, por exemplo, sem precisar subir em um banco, correndo o risco de se machucar.

quedos das crianças, usados (também) como decoração. O importante é que o resultado final atenda as necessidades dos filhos e ofereça tranquilidade aos pais. Quando atingimos estas duas metas, temos a certeza do trabalho bem realizado”, pondera Kílaris.


18

Viagem & Aventura

Lençóis Paulista Julho de 2012

Destino dos sonhos Fotos: arquivo pessoal

O casal Cristiano Medola e Márcia Maganha está acostumado a viajar; última aventura foi em Cancún

O

Márcia e Cristiano aproveitaram a primavera de Cancún; o casal se encantou com as nuances de azul do mar

A pirâmide maia Chichen Itza guarda vários mistérios; entre eles, rituais, homenagens e sacrificios religiosos

casal Cristiano Medola e Márcia Maganha ama viajar. Já explorou as belezas tropicais do Brasil e se encantou com as majestosas cidades europeias. Mas foi em Cancún, no México, e Panamá, que os dois tiveram uma das melhores aventuras de suas vidas. Devido à fama das belas praias, Márcia e Cristiano resolveram conhecer o litoral mexicano. Cancún é uma cidade de apenas 42 anos, mas com mais de um milhão de habitantes, e cuja principal atividade econômica é o turismo. Foram quase dez horas de avião para chegar no destino paradisíaco. Nos 11 dias de viagem, o casal se deparou com paisagens de tirar o fôlego. “Não existe mar com nuances da cor azul como em Cancún. A areia da praia é superfina e branca. É maravilhoso”, comenta Márcia. Eles se hospedaram no hotel Fiesta Americana Condesa, que se destaca pela comida e o bom atendimento. “A maioria dos funcionários dos hotéis de lá é maia (civilização pré-colombiana). A recepti-

vidade e educação deles é um primor. Conhecemos um funcionário chamado Emanuel que do primeiro ao último dia nos atendeu de forma muito cortês”, enfatiza Cristiano. “A comida mexicana é muito boa, é caliente. Além da culinária local, encontramos cardápios italiano, japonês. Comer foi um outro aspecto inesquecível da viagem”, completa Márcia. O casal destaca os passeios nos arredores de Cancún. O parque aquático Xcaret, de acordo com Márcia, é maravilhoso. Nele estiveram em contato com a fauna e flora locais e visitaram um cemitério maia. “Vimos animais diferentes como tartaruga gigante. Tivemos contato com curiosidades da cultura. Por exemplo, entre os maias, é costume deixar balas para os mortos. Nadamos num rio de água azul como o céu. Uma delícia”, detalha Márcia. Para Cristiano, conhecer as pirâmides maias foi fantástico. “É um lugar sagrado onde eram feitos rituais

religiosos como cultos, sacrifícios e homenagens. Reza a lenda que duas vezes ao ano, os corpos das serpentes que ficam no pé das escadarias das pirâmides aparecem quando há incidência da luz do sol. Nosso guia contou que ali foi encontrada a sexta das 13 caveiras de cristal, famosas em todo o México. Eles acreditam que quando forem encontradas todas as caveiras, os deuses descerão para terra. É um lugar todo místico”. No Panamá, o casal ficou por três dias. “O intuito mesmo foi conhecer o Canal do Panamá”, confirma Márcia. O canal liga o Oceano Atlântico ao Oceano Pacífico e é considerado ponto importante para o comércio internacional. “Em média 30 a 40 navios passam por dia pelo canal. Eles arrecadam em torno de 50 a 500 mil dólares por navio”, informa Cristiano. Na bagagem, muitas fotografias, memórias e histórias que o casal jamais vai esquecer. É sem dúvida o destino dos sonhos.

Sugestões para a editoria Viagem & Aventura? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Bolas Lençóis Paulista Julho de 2012

Meu Melhor Amigo

19

Fotos: Revista O Comércio

de pelo Athos chegou à vida de Mônica Pelegrin como presente de dois amigos; Reia veio depois para fazer compania ao outro

A

thos e Reia (leia-se Réia). Nomes gregos para dois buldogues ingleses. Para a empresária Mônica Pelegrin, os cães são como filhos adotivos, tamanho o amor e alegria que representam em sua vida. “São meus pequenos, os amores da minha vida”, declara. Desde pequena, Mônica é apaixonada por cães. Mas depois de adulta, devido a correria do trabalho e responsabilidades, chegou a pensar em desistir dos bichinhos de estimação. “Sem tempo para cuidar, resolvi não ter mais cachorros”, explica. Athos foi um presente dado por dois amigos que a fez mudar de ideia. “Não resisti quando o vi. Uma bolinha de pelo, gordinho, cheio de dobrinhas, a coisa mais lin-

da”, recorda. Como Athos passava muito tempo sozinho, Mônica decidiu comprar Reia para que ele tivesse companhia. Os cães da raça buldogue possuem fama e aparência de bravos. Mônica diz que não é assim. Pelo contrário. “Eles são amigáveis e adoram brincar. Meus filhos são muito inteligentes e fiéis”, garante. Outra característica é que os cães desta raça exigem cuidados especiais. “O buldogue, principalmente o branco, dá bastante trabalho. Ele tem alergias, então tenho que usar produtos específicos na limpeza da casa, lavar a roupa de cama dele com sabão de coco, levar para tomar banho toda semana, caminhar, entre outras responsabilidades”,

comenta. “Os cuidados são os mesmos ou até maiores que se deve ter com uma criança”, completa. Mônica faz o possível para passar bastante tempo com seus cães. “Pelo menos cinco horas por dia tenho que ficar ao lado deles. Por isso, são criados dentro de casa. Na verdade, eles são os donos da casa e permitem que eu more com eles”, brinca. O amor e dedicação que tem por Athos e Reia é incondicional. “Alguma pessoas até criticam porque brinco que eles são meus filhos. Mas costumo falar que são meus filhos porque o sentimento de carinho e fidelidade que eles demonstram por mim é puro e verdadeiro. Sentimentos que às vezes faltam aos seres humanos”.

Mônica Pelegrin passa mais de cinco horas diárias brincando com seus dois buldogues ingleses; Reia e Athos

Reia era uma titã da mitologia grega, já Athos, que também vem do grego, significa aquele que nada teme


20

Bebê Show

Lençóis Paulista Julho de 2012


Lençóis Paulista Julho de 2012

Bebê Show

21

Fotos: Cíntia Fotografias


Pop rock

22

Mural Artístico

Lençóis Paulista Julho de 2012

Fotos: divulgação

Mesmo morando em São Paulo, Ivan Sader tem o coração em Lençóis Paulista; o cantor conquista com seu som diferente

I

‘ nfinito’ é o novo álbum solo do cantor Ivan Sader. Com uma pegada pop rock e levadas groove, o CD chega às lojas com 12 faixas, sendo todas músicas de sua autoria. O show de lançamento será em São Paulo, no final de julho ou começo de agosto, ainda sem data definida. A oportunidade de gravar o novo trabalho surgiu logo após o fim da ban-

Após oito anos como vocalista da banda Mestre Duca, Ivan lança projeto solo com pegada pop rock

da. “Minha empresária me convenceu de seguir esse novo projeto. Relutei um pouco, pois meu sonho era ter banda e assimilar um trabalho sozinho foi um pouco complicado, mas acabei encarando e criando gosto pelo novo projeto. Hoje eu digo que não poderia ter sido melhor”, diz. Ivan nasceu em São Paulo, viveu em Lençóis Paulista e, atualmente, mora na capital, mas tem família aqui na cidade. O pai é empresário local. De vez em quando vem matar as saudades do interior, parentes e amigos. No feriado de Corpus Christi passou pela cidade. O cantor se apresentou muito por aqui com a sua antiga banda, Mestre Duca. Ele foi vocalista no grupo por oito anos. “A experiência foi muito boa. Tive a oportunidade de conhe-

cer várias cidades do Brasil e fazer mais de dois mil shows. Fiz muitos amigos e adquiri experiência nesse período”, comenta. Ele conta que começou cantar e tocar ainda garoto, com 10 anos de idade. “Meu pai tinha um violão em casa e resolvi aprender sozinho. No entanto, profissionalmente, foi com 19 anos”, lembra. Apaixonado por música, Ivan tem Beatles, Jimi Hendrix, Lulu Santos, Barão Vermelho como principais referências. “Se listar todas vai virar um livro, mas atualmente o que tenho escutado bastante é John Mayer, 3 Doors Down, O Rappa, Maroon 5 e David Cook”, compartilha. Sempre que passa por Lençóis Paulista, recebe o carinho dos fãs. “Carinho que procuro retribuir com boa música, boas letras”, conclui.

Sugestões para a editoria Mural Artístico? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Lençóis Paulista

Moda & Estilo

Julho de 2012

Íntima Pela primeira vez, Moda & Estilo faz ensaio com lingeries e pijamas mostrando como é possível ficar bela em casa

O

ensaio deste mês é no mínimo íntimo. A Revista O Comércio convidou a jovem Bruna Badesso, 19 anos, para protagonizar uma sessão de fotos com figurino da Sancher Moda Íntima. Para completar o visual, calçados da Impacto Calçados, tudo registrado pelas lentes da Cíntia Fotografias. A Garota da Capa chama a atenção pela beleza: loira, olhos verdes, lindíssima. Despojada e bem-humorada, ficou super à vontade durante o ensaio. “Já realizei alguns trabalhos como modelo”, explica. O pai, a mãe e os irmãos são os grandes amores da vida de Bruna. Bruna diz que é apaixonada por chocolate e que não é muito ligada em atividades fí-

Longo romance

sicas, mesmo assim, se considera uma entusiasta do voleibol. “Mas só para assistir”, brinca. No momento não tem namorado. Está focada em um objetivo profissional: quer cursar a faculdade de Psicologia, para entender melhor a natureza humana, principalmente. No momento, ela se considera fã da britânica Adele. A canção favorita é ‘Make you feel my love’, mas todas as músicas da cantora a agradam. Para leitura, indica o livro ‘Sherlock Holmes Um estudo em vermelho’. Fissurada em comédia romântica, adora o filme ‘Amizade Colorida’. “Vi umas 300 vezes. É muito bom”, garante. A jovem ainda confessa o desejo de viajar. O lugar dos sonhos é a capital francesa, Paris.

Toda mulher deve ter o prazer de usar uma camisola longa, de seda e esvoaçante. Em estampa floral, a camisola traduz uma mulher romântica e moderna que não abre mão do conforto nos momentos especiais. Esta peça acompanha um robe transparente com fita floral.

23


24

Moda & Estilo

Lençóis Paulista Julho de 2012

Conforto diário

Em malha de algodão, este pijama é tradicional e uma ótima opção de presente. A estampa divertida lembra o universo infantil e agrada muitas mulheres. Dê preferência para usar pijamas assim no dia a dia.


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Julho de 2012

A Garota da Capa Julho de 2012 • Nome Bruna Oliveira Badesso • Aniversário 8 de Março (19 anos) • Signo Peixes • Mãe Ivanilza Ap. de O. Badesso • Pai Valdeci B. Badesso • Educação 2º grau completo • Profissão Empresária • Filme Amizade Colorida • Perfume Euphoria; Calvin Klein • Livro Sherlock Holmes vol. 6; Arthur Conan Doyle • Hobby Assistir filmes • Música Make you feel my love; Adele • Prato Lasanha • Viagem dos Sonhos Paris; França • Facebook Bruna Badesso

O Kimono e o lindo sapato azul

Os robes são peças práticas e super usáveis para acompanhar lingeries. Chique, elegante e sofisticado o robe de cetim preto tem a modelagem de um kimono japonês. Modelagem esta que nunca sai de moda. Dê preferência para usar por cima de lingeries mais casuais. Para a produção desta foto usamos o scarpin azul, a cor é tendência e você vai poder usar por várias temporadas.

25


26

Moda & Estilo A estampa preferida

Onça, oncinha! Quatro em cinco mulheres tem preferência por esta estampa. A lingerie moderna adaptou esta estampa para que ela se torne mais romântica e menos sensual. É bom lembrar que a vulgaridade não é necessária a nenhuma mulher. Por isso, o corset (ou corselet) deve ser usado com uma calcinha correta ao tamanho do corpo para que o conjunto fique bonito.

• Roupas: Sancher Moda Íntima • Sapatos: Impacto Calçados • Consultora de Moda e textos técnicos: Carolina Ferreira • Cabelo e Maquiagem: Paulinha Maciel • Fotografia: Cíntia Fotografias

Lençóis Paulista Julho de 2012


Moda & Estilo

Lençóis Paulista Julho de 2012

Preto e pink

Romântica, moderna e com uma pitada nos anos 20. Este conjunto pode ser usado em noites especiais. Seu corset (a parte de cima) pode até fazer uma boa produção quando usado com uma camisa e uma bela calça jeans. Este conjunto em renda e cetim de seda pink pode ser resumido em duas palavras: puro sonho.

27


28

Melhor Idade

Lençóis Paulista Julho de 2012

Dona Mariquinha

Foto: arquivo pessoal

Maria Navarro dos Santos chegou aos 81 anos de idade esbanjando vitalidade, bom humor e vontade de viver

A

os 81 anos de idade, Maria Navarro dos Santos, a Dona Mariquinha, não para um minuto. Até mesmo quando se envolve numa boa e gostosa conversa, ela gesticula com as mãos. Sua história sempre foi marcada por muito trabalho, fé e amor à família. Por isso, ela é um exemplo de Melhor Idade. Dona Mariquinha nas-

ceu em Borebi, em uma fazenda que na época era território de Agudos, segundo ela própria explica. Foi casada com Geraldo Francisco dos Santos. Com ele teve cinco filhos, sendo quatro mulheres e um homem. A família ainda foi crescendo com a chegada de 11 netos e quatro bisnetos. Há dez anos Dona Mariquinha ficou viúva. ApoFoto: Revista O Comércio

O canteiro de flores e a gatinha Pérola são os mimos de Dona Mariquinha

sentada, atualmente mora com a filha caçula, mas mantém sua independência. “Eu lavo a minha roupa, limpo meu quartinho, preparo uma comidinha”, diz. Ela está sempre de bom humor e se orgulha de ter uma saúde praticamente perfeita. “Só tomo remédio para a pressão. Também faço caminhada. Venho do Santa Terezinha (bairro onde vive com a filha) até a Cecap a pé (na casa da outra filha, ou para participar de atividades do Centro do Idoso)”, comenta. Além da caminhada, que é recomendação médica, ela adora participar das aulas de ginástica. O coração está ótimo, em todos os sentidos. Assim fica difícil resistir a certas tentações. “Eu gosto de uma gordurinha. Adoro um churrasco. Tem como participar de um e não comer uma carne com aquela gordurinha”. Em casa, além dos afazeres domésticos, sempre arruma alguma coisa para fazer. Pode ser uma costura. “Não gosto de dormir durante o dia, não consigo. Se tenho um tempo livre

Sempre bem humorada, Dona Mariquinha adora uma comemoração; na foto, estava pronta para festa junina

vou para a máquina consertar ou embainhar alguma coisa”, relata. Ela também tem verdadeira devoção por seu canteiro de flores e adora mimar a sua gatinha, a Pérola. Dona Mariquinha conta que sempre trabalhou na lavoura. “Cortei cana, carpi, apanhei café. Trabalhei até mais de 60 anos. Aí comecei a ter problemas com a pressão. Resolvi que era hora de parar de trabalhar”, explica. Ela se apo-

sentou do emprego formal e só não assume mais tarefas domésticas porque as filhas não permitem. Esta senhora está sempre bem-humorada e adora uma festa. No último 10 de maio, a família se reuniu para comemorar seus 81 anos. Nessas ocasiões, Dona Mariquinha faz questão de tomar um cálice de vinho ou uma cervejinha. Ela tam-

bém entra no espírito de outros eventos. Se vestiu de caipira e pintou o rosto para comemorar a festa junina com os colegas do grupo de controle de pressão. De onde vem tanto bom humor, força de saúde e vontade de viver, dona Mariquinha não sabe. Ela só pede a Deus em suas orações de católica que continue assim por muito tempo.

Sugestões para a editoria Melhor Idade? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Vida de Professor

Lençóis Paulista Julho de 2012

29

Uma aula de amor

Fotos: Revista O Comércio

Apaixonada pela sala de aula, Vera Martins se realizou como educadora e acredita ter cumprido sua missão

A

s aulas da professora de biologia Vera Lúcia Portes Martins Tagliatela ficaram marcadas pelo dinamismo. O ciclo da água, os processos de divisão celular, entre outros segredos da ciência eram explicados por desenhos que chamavam atenção da plateia. “É interessante encontrar alunos que, mesmo de-

pois de tanto tempo, lembram com exatidão das aulas e explicações. Vera diz que escolheu a profissão por amor. “Desde pequena achava bonito ser professora”. Fez faculdade de biologia, conseguiu um estágio e, posteriormente, assumiu a primeira turma. “No primeiro dia como

professora, eu fiquei tão nervosa que não queria ir. Minha mãe me empurrou para fora de casa com o seguinte sermão: foi isso que você escolheu, então siga em frente. Foi o incentivo que precisava”, relembra com bom humor. A professora lecionou por 30 anos, sempre atuando em escolas estaduais de Lençóis Paulista e região. Hoje, aos 55, está aposentada. Chegou a dar aula em Itapevi – localizada a 300 quilômetros de distância. Para ela foi uma experiência de vida. “Deparei-me com problemas sociais. Tive que enfrentar alunos com problemas com drogas. Foi difícil, mas serviu para crescimento pessoal”, diz. Quando retornou para Lençóis Paulista, virou coordenadora na escola Rubens Pietraróia. A professora viveu fases da educação: antes e depois da progressão continuada. “Antigamente, o aprendizado era valorizado. O aluno tinha temor em reprovar, se interessava pelos estudos. Hoje os interesses são diferentes. Com essa ‘aprovação automática’ aconteceu uma defasagem, uma

A maior satisfação da professora é saber que os ex- alunos estão formados e bem encaminhados na vida

mudança trágica que todos sentiram na pele”, opina. “Na minha época dava conselhos para os alunos e recebia até carinho que é dado à mãe de alguns estudantes. Hoje não existe mais esse respeito, infelizmente”, complementa. Vera está aposentada

há três anos. Para ela, sua missão como professora foi cumprida. “Tenho alunos que são médicos, advogados, padres, pastores, empresários. Fico muito feliz com isso. É extremamente satisfatório”, expressa. Ela deixa a dica para os colegas de profissão que estão

no começo da caminhada. “Tem que gostar de ser professor. Quando entrava em sala nem me lembrava do salário, não pensava nas condições para que isso não afetasse o meu desempenho. Amar a profissão é fundamental para ser feliz”, conclui.


30

Craque do Mês

Lençóis Paulista Julho de 2012

De três Matheusão foi revelado nas quadras de Lençóis Paulista; atualmente joga em Limeira e pela segunda vez foi convocado para representar a seleção brasileira sub 18

Foto: Revista O Comércio

U

m garoto de 17 anos, com 2,05 metros de altura. Este é o perfil do atleta Matheus Henrique Pereira, o Matheusão. O adolescente nasceu em Macatuba, iniciou como jogador de basquete nas quadras de Lençóis e atualmente é pivô da equipe Winner, de Limeira. Outra conquista do jovem é a convocação para a seleção brasileira sub 18. No mês de junho, Matheus voltou a Lençóis Paulista para rever amigos, colegas e treinadores. Acabou atraindo muitas pessoas ao ginásio do Tonicão, onde foi recepcionado. Com 12 anos, Matheusão já chamava a atenção pela estatura. “Minha mãe me incentivou a treinar basquete. No começo, não gostava muito do esporte, mas com o passar do tempo fui me apaixonando e passei a me dedicar cava vez mais. Nem imaginava que um dia o basquete seria minha profissão”. Matheusão treinou por quatro anos em Lençóis Paulista, dois deles na equipe cadete da Federação Paulista de Basquetebol Alba. “Conquistamos o título

Pela segunda vez Matheusão jogará pela seleção brasileira sub18

do Campeonato do Interior”, recorda o atleta. A mudança para Limeira aconteceu no início de 2012. “É a segunda vez que tenho de ficar longe da família para investir na carreira profissional. Para aguentar a saudade, acima de tudo, tem que ter força de vontade e realmente gostar do que faz”. O sacrifício realmente vale a pena. Pela segunda vez, Ma-

theusão foi convocado para a seleção brasileira sub18. “Representar o país é uma sensação indescritível”, expressa. Mas o sonho é estar no time principal, quem sabe disputar uma olimpíada com a camisa do Brasil. “Tenho alguns jogadores como inspiração. Nenê é um deles. Tem outros também. Só sei que quando entro em quadra, esqueço de tudo. Basquete hoje é minha vida”.

Sugestões para a editoria Craque do Mês? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


Força

Voluntários do Bem

Lençóis Paulista Julho de 2012

31

Foto: Revista O Comércio

jovem

Aos 23 anos, Danilo Bonalume é voluntário na RM 87 e também participa das atividades desenvolvidas pelo TLC

P

ara o trabalho voluntário não existe limite de idade. Nunca é cedo ou tarde para doar seu tempo e energia com o intuito de ajudar outras pessoas. Que o diga Danilo Bonalume, 23 anos, que atua pela RM 87, rádio comunitária da comunidade católica em Lençóis Paulista e também participa das atividades solidárias do TLC (Treinamento de Liderança Cristã). Ser locutor na RM 87 é ao mesmo tempo um exercício solidário e uma paixão para Danilo. Ele está na emissora há cerca de dois anos. Doa pelo menos uma hora do seu dia, durante a semana e apre-

senta um programa ao vivo aos sábados pela manhã. O rádio sempre foi uma paixão. “Escutava os locutores mais tradicionais de Lençóis Paulista e me imaginava fazendo o mesmo. O locutor sempre me inspirou a vontade de conhecer a rádio, de fazer parte desse universo, de poder me comunicar dessa forma”. Atualmente, ele é estudante de Finanças e trabalha como comprador. Ainda não está formado porque interrompeu a faculdade para fazer o curso técnico de rádio. Como locutor da RM 87, assumiu o compromisso de ajudar a comunidade. “A comunitária tem

exigências que as rádios comerciais não têm. Aqui você tem que saber que vai trabalhar pelo bem da comunidade, pela prestação de serviço. É nossa missão. As pessoas que se dispõem a trabalhar aqui têm que ter esse espírito. Não temos remuneração. Fazemos por amor ao trabalho e por amor à comunidade”, avalia. “Vim trabalhar com o sonho de ser locutor, mas depois eu pude entender que a comunidade necessita do voluntariado. A rádio não tem condições de ter apenas funcionários remunerados, precisa de voluntários. E não sou o único que pensa assim. Tem aquele que chega

Danilo, com sorriso no rosto e satisfação, realiza trabalhos voluntários; o rádio sempre foi sua paixão

às 6h para abrir a rádio e coloca-lá no ar. Tem aquela pessoa que vem para fechar. Graças a eles a RM pode ter uma programação o dia todo”, completa. Danilo também é voluntário pelo TLC, que realiza atividades com o asilo e entidades de cuidam de crianças carentes, por exemplo. “Você brinca com uma criança, a recompensa é o sorriso. Você vai visitar um idoso, a experiência que ele trans-

mite é o pagamento”. De acordo com Danilo, o voluntariado ajuda a ter uma percepção diferente da realidade. “Por mais que nossa cidade tenha uma infraestrutura legal, com bons índices sociais, ainda existe muita gente que precisa de ajuda. Muitas vezes, são pessoas carentes de atenção, de afeto mesmo. Se todo mundo fi-

zesse uma pequena parte, tudo seria melhor”. Só quem já ajudou outra pessoa, se comprometeu em ser solidário, conhece a satisfação. “A recompensa vem de Deus. Hoje em dia as pessoas pensam muito em ter, ganhar. E muitas vezes você pode se satisfazer, se sentir bem, fazendo algo sem esperar nada em troca”, conclui.

Sugestões para a editoria Voluntários do Bem? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


32

Culinária & Gastronomia

Lençóis Paulista Julho de 2012

Chocolate quente Fotos: ilustração

Atum ao molho

de tomates

Foto: ilustração

Rendimento: • 4 pessoas

Tempo de preparo: • 1 hora e 30 min.

Ingredientes para o peixe:

• 1 kg de atum; • Molho de tomate; • Azeite extra virgem; • Pimenta do reino; • Cheiro verde; • Limão; • Cebola; • Alho; • Sal.

Modo de Preparo:

Ingredientes • 6 colheres de sopa de achocolatado Orsi • 1 lata de creme de leite

Modo de preparo

• 1 lata de leite condensado

1. Misture o leite, o leite condensado, o chocolate, o amido

• 1 litro de leite

de milho, a noz-moscada, o cravo e a canela.

• 1 colher de sopa de amido de milho

2. Coloque no fogo e espere ferver.

• 1 colher de café de noz-moscada

3. Retire do fogo e misture o creme de leite.

• 2 unidades de canela em pau

4. Coe para retirar os pedaços de canela e o cravo.

• 6 unidades de cravo-da-índia

5. Decore com chantilly.

• Chantilly para decorar

6. Sirva.

Lave o atum e deixe-o de molho em água com limão por duas horas na geladeira. Em uma panela, cozinhe o atum com cheiro verde, alho, cebola e sal durante uma hora e meia. Deixe escorrer a água do peixe e esfriar. Corte o atum em lascas grandes. Faça o molho de tomate bem grosso e tempere-o com azeite extra virgem. Arrume o atum em um recipiente e coloque o peixe em camadas com o molho. Leve ao forno ligeiramente, apenas para aquecer. Ademir Elizeu Sebrian Cozinheiro e proprietário do Bichano Pescados


Planeta Sustentável

Lençóis Paulista Julho de 2012

33

A Floresta Azul

Valores como a sustentabilidade e a participação democrática estão presentes em obra de Orígenes Lessa para o público infantil Fotos: Revista O Comércio

U

m dos grandes problemas contemporâneos que ameaçam o equilíbrio de nosso planeta está no excesso de poder, em suas diferentes esferas. Por exemplo, se toda a humanidade consumisse como nos países ricos, precisaríamos de quatro planetas para suprir essas demandas. A obra do escritor Orígenes Lessa, resgatada durante mais uma edição do Festival do Livro, mostra como esta relação pode ser destrutiva. O Grupo Atos & Cenas traz a mensagem com a adaptação do livro ‘A Floresta Azul’.

Conta a história que a Floresta Azul vivia em perfeita harmonia. Todos se respeitavam e inclusive zelavam pela saúde um dos outros. Bicho que quisesse comer carne de outro bicho tinha que caçar em outro lugar. Mas a dona Onça tinha ambições maiores. Cansada de ser apenas comadre, se proclamou rainha. Com apoio dos caitetus, instaurou o poder de polícia. Dessa forma, passou a promover a matança de outros animais. Não apenas para o próprio sustento, mas como uma forma de regalar-se. “Rainha não tem refeição, tem ban-

O grupo teatral Atos & Cenas em apresentação no Festival do Livro; a peça voltada para o público infantil ensinou conceito de sustentabilidade

quete”, gritou aos quatro cantos da floresta. A notícia de que seriam devorados caiu como uma bomba para os demais habitantes da Floresta Azul. Um sagui ouviu tudo e espalhou a notícia. Para evi-

tar virarem comida, o velho Sagui, o velho Jaboti, e o Vovô Coelho deram uma de amigo da onça e usaram da inteligência para restabelecer o equilíbrio e a liberdade para os habitantes daquele lugar tão especial.

A dona Onça, que desejava o mesmo status da rainha da Inglaterra, acabou sendo traída pela própria vaidade. Usando a as-

túcia e a inteligência, os animais da Floresta Azul provaram que é possível buscar um mundo mais justo e melhor de se viver.

Sugestões para a editoria Planeta Sustentável? Envie um e-mail para: jornalismo@revistaocomercio.com.br.


34

Saúde & Comportamento

Cai, cai balão J

Lençóis Paulista Julho de 2012

Brincadeiras nesta época do ano escondem alguns perigos que exigem cuidados redobrados

Foto: ilustração

unho e julho são meses de brincadeiras relacionadas a fogueiras e fogos de artifício. Por isso é comum nessa época do ano aumentarem as ocorrências de queimaduras nos prontos-socorros. Com base nas estatísticas, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e a Diretoria de Saúde de Lençóis Paulista lançaram um alerta à população para evitar que as festas tradicionais terminem no hospital. Dados da Sociedade Brasileira de Queimaduras mostram que, durante as festas juninas, os atendimentos a pessoas que sofreram queimaduras nas emergências dos hospitais chegam a dobrar. Mais de 80% das vítimas são crianças. Os motivos para esta alarmante incidência: a

Os fogos de artifícios são os principais causadores de acidentes com queimaduras nas festas juninas e julinas

imprudência no uso de materiais inflamáveis e explosivos (fogos de artifício, balões) e brincadeiras perto das chamas das fogueiras.

O primeiro passo, e talvez mais importante, para que a brincadeira não termine com ninguém ferido, é observar a origem dos fo-

gos de artifício adquiridos. Não se deve usar materiais de fabricação caseira. Também não se deve armazenar grande quantidade de

fogos em um único local, pois isto pode ocasionar explosões e incêndios. Não existem fogos de artifício inofensivos. Esses produtos causam, geralmente, queimaduras de segundo grau que necessitam de uma média de 15 dias de tratamento médico. Além disso, eles podem explodir nas mãos, mutilando o usuário. As populares bombinhas e os traques podem ser vendidos, pois estão regulamentados. Por outro lado, a venda de bombas, pólvora e rojões para menores pode acarretar em pena de seis meses a dois anos de reclusão. Os cuidados devem ser redobrados também na hora de acender fogueiras, conforme lembra o diretor de Saúde de Lençóis Paulista, Márcio Santarém,

“Existe o risco de acidentes quando não se toma os devidos cuidados”. Vale resaltar que as bebidas típicas de festa junina, como o vinho quente e o quentão, também são inflamáveis e sua proximidade às fogueiras pode resultar em acidentes. E é sempre bom lembrar sobre a perigosa combinação álcool e fogos de artifício: se beber, não solte fogos ou mesmo brinque nas proximidades de fogueiras. As orientações da Saúde também requerem atenção às crianças nesta época do ano, principalmente, com as tradicionais ‘biribinhas’ ou traques. As faíscas podem acabar atingindo substâncias com potencial para incêndio, como o álcool utilizado para iniciar a chama das fogueiras, por exemplo.

Algumas dicas para evitar acidentes com fogos: • Jamais carregar bombinhas no bolso; • Nunca acender rojões próximos ao rosto; • Não reaproveitar bombinhas ou rojões que falharam; • Prender o rojão em uma armação e afastar-se na hora de acender; • Nunca associar bebida alcoólica com o uso de fogos e nem entregar fogos de artifício a crianças, pessoas alcoolizadas ou pessoas inabilitadas para o uso; • Compre fogos de artifício apenas em lugares especializados e evite a aquisição junto a camelôs; • Observe se os estabelecimentos comerciais que vendem esse tipo de mercadoria têm licença de funcionamento da prefeitura. Observe ainda, se no local há restrição de venda dos fogos, de acordo com a idade; • Não solte fogos perto de hospitais, sob copas de árvores ou perto de fiações elétricas;

• Atentar para o tipo e a quantidade de pólvora existente no produto, pois quanto mais pólvora, maior é a periculosidade; • Seguir atentamente as instruções do fabricante (transporte, uso, armazenamento, composição, data de validade e os riscos que os fogos podem causar). Além disso, essas informações devem estar em língua portuguesa, mesmo que o produto seja importado, e de maneira clara, precisa e ostensiva nas mercadorias, conforme o artigo 6º do Código de Defesa do Consumidor; • Prefira soltar os fogos de artifício em locais abertos, de preferência em áreas amplas e sem vegetação por perto; • Nunca aponte para pessoas e verifique se não existem materiais combustíveis nas proximidades; • Atentar para a classificação por idade e habilitação de cada tipo de fogos de artifício.


Lençóis Paulista Julho de 2012

Resistente Saiba como alguns alimentos ajudam a aumentar a imunidade contra doenças

Fotos: ilustração

C

om a menor mudança de temperatura algumas pessoas acabam pegando uma gripezinha ou outros tipos de doenças, como herpes. Isso quer dizer que a resistência está baixa. Uma alimentação correta pode ajudar a saúde. O sistema imunológico é uma complexa rede de tecidos, órgãos, células e substâncias que nos protegem de infecções e doenças. Nosso corpo está constantemente sob ataque de micro-organismos, incluindo bactérias, vírus e fungos. A melhor defesa contra eles é ter um sistema imunológico forte. A capacidade do seu organismo de lutar contra esses invasores é que vai determinar se você vai desenvolver a infecção. Se você fica doente com facilidade, são grandes as chances de estar com a imunidade baixa.

O que comer?

Primeiro e mais importante é ingerir no mínimo dois litros de água por dia. Uma dica interessante é beber em garrafinhas de 500 ml e estipular a meta de no mínimo quatro garrafinhas por dia. Sem água, os nutrientes não conseguem entrar

A ingestão de frutas, legumes e sementes ajuda no fortalecimento do sistema imunológico e evita doenças

nas células e nosso corpo fica sem combustível. A cenoura é rica em betacaroteno, aumenta as defesas contra qualquer infecção bacteriana ou viral. Outros alimentos com a mesma propriedade são: mangas, mamão, laranjas, melão e vegetais verdes (couve, rúcula e mostarda). A castanha do Brasil é rica em muito nutrientes, como o magnésio e o selênio, que são nutrientes importantes. Com apenas três castanhas por dia você alcança o índice que o cor-

po necessita. Em excesso, a castanha pode fazer mal. Outro alimento indispensável é o peixe, que possui bastante ômega 3. Essa substância ajuda a combater as infecções. Fique atento para alimentos que contém zinco. Ele atua na reparação dos tecidos e na cicatrização de ferimentos. Carnes, cereais integrais, sementes (linhaça), leguminosas (feijão, grão de bico, ervilha) são alimentos ricos em zinco e importantíssimos para a nossa alimentação.

Atenção

!!!

Magreza excessiva e obesidade estão associadas a um sistema imunológico debilitado. A obesidade parece aumentar o risco de infecções. Uma dieta com restrição severa de calorias prejudica o sistema imunológico. Os efeitos negativos no sistema imunológico podem diminuir se a pessoa pratica exercícios físicos regulares e melhora a alimentação.

Saúde & Comportamento

35

A adolescência A adolescência é uma fase que pode ser bacana e vivenciada de forma intensa. Descobertas, mudanças, escolhas e muitas aventuras para contar. O som é alto, a distração é grande, as conversas são bem engraçadas e a turma chegou para ficar. É tudo acontecendo ao mesmo tempo. É a fase de grandes oportunidades para o crescimento pessoal, do desenvolvimento da autonomia, da expansão das experiências afetivas e sexuais, da busca de uma autoestima positiva e da escolha profissional. Posso escrever mais um tanto de coisas que acontecem nesta fase e também acrescentar muitos riscos a que os adolescentes estão expostos. Sabe que até deu vontade de escrever um livro de tudo o que o jovem deveria saber para sair para a vida. Começando pelo exercício de falar “não”. É uma época maravilhosa, de emoções intensas, de descobertas e de achar que nada vai dar errado. É a suposição de invulnerabilidade que faz com que se sintam especiais (Eles pensam: “Os outros ficam viciados nas drogas, mas não eu”). Ao mesmo tempo, nós adultos, sabemos que os riscos são enormes: comportamentos sexuais de risco, gravidez indesejada , conflitos familiares, violência juvenil, depressão, suicídio, drogadição, fracasso escolar, consumismo, entre muitos outros. Pensando no papo que terei esta semana com uma turma de garotas adolescentes, pensei em finalizar este artigo enfatizando que a nossa vida acontece de acordo com as nossas escolhas e omissões. Podemos escolher estudar e trabalhar numa área bacana e perder tudo quando permitir uma relação sexual sem preservativo. Com toda a liberdade que desfrutam hoje, quando o tabu da virgindade passou a ser um conto do século passado e a droga é oferecida pelo colega, a maior segurança ainda é a informação. Acho que vou pensar no manual. Dra. Salete Cortez Psicóloga clínica, pós graduada e especialista em pânico e depressão.


36

Beleza & Estética

Lençóis Paulista Julho de 2012

Bela e com estilo TRANSFORMAÇÃO

Na hora de mudar o visual é possível buscar inspiração até mesmo nas estrelas da TV Antes

A

transformação desse mês vem para impulsionar e incentivar as mulheres que querem colocar o estilo das celebridades no visual. A escolhida do mês foi a empresária Gina Mara Foganholi. “Ela já é uma mulher bonita, mas mesmo assim queria mudar o visual. Há muito tempo estava com o mesmo corte de cabelo e a mesma cor”, explica Geise Barbosa, da Spage Hair Estetic Lounge. Primeiro, Geise fez uma análise nos fios, para conferir a compatibilidade de texturas e cores. Foi escolhido um cabelo liso natural de 60 cm, loiro, pois era o que mais se encaixava com os fios de Gina. “Para a cor dos cabelos foi feita a mistura de três tons, para que ficasse o mais natural possível. O método adotado foi o mega hair com polímero de queratina. Mas antes, os fios passaram por uma sessão de luzes, para deixar a raiz mais clara e uniforme e finalizamos este processo matizando os fios para que ficasse com um tom de loiro chique, termo que as próprias clientes usam quando querem um cabelo de arrasar”, diz Geise.

Em seguida, para dar um acabamento perfeito, e deixar o mega hair bem prático para o dia a dia, foi feita uma escova progressiva. “Nossa modelo, além de vaidosa, é muito disciplinada em tudo, faz exercícios físicos, tem uma alimentação equilibrada, exibindo assim a sua beleza e simpatia por onde passa. Gina resolveu fazer também carboxiterapia facial, para renovar as células. Essa técnica tem o poder de clarear olheiras e trabalhar o colágeno da pele de todo o corpo”, ressalta Geise. Para a sessão de fotos, Gina ganhou uma maquiagem especial. Os cabelos

foram modelados com baby liss, o que conferiu um ar de celebridade ao visual. Para quem pensa em adotar a tão difundida técnica do mega hair, Geise tem um conselho importante. “Não se deve jamais esquecer que os cuidados são os mesmos tanto para quem usa mega hair, quanto para quem não usa. O cabelo precisa ser hidratado semanalmente, você deve usar bons produtos em casa, uma linha de manutenção ‘home care’ e não deixar jamais de usar o famoso óleo de Argan. Espero que tenham gostado do resultado, pois foi feito com muito carinho”.

Fotos: arquivo pessoal

Depois


Beleza & Estética

Lençóis Paulista Julho de 2012

37

Unhas de veludo A novidade mais comentada do inverno são as unhas de veludo; elas conquistaram as brasileiras pela aparência e textura

U

ma dúvida pairava no mundo da moda: será que as unhas de veludo vão virar tendência? Sim, elas viraram tendência. As unhas aveludadas apresentadas na semana de moda de Nova York no começo do ano, no desfile da marca Ruffian, estão fazendo a cabeça das brasileiras. Elas são conhecidas por vários nomes: unhas de camurça, pelúcia, veludo, plush nails, peludinhas, fuzzy nails ou flocadas. Como foi criada nos Estados Unidos, ainda não são vendidas no Brasil e as cores disponíveis da marca americana são apenas vermelho, azul marinho e violeta. No entanto, as profissionais brasileiras trataram de criar o modo “abrasileirado” de fazer as unhas aveludadas, usando um pó de artesanato, o pó de flocagem. Ele pode ser encontrado em lojas de produtos específicos para artesanato ou pela internet. A manicure Roseli Tangerino diz que as cores rosa e preto são as que estão em alta. “Tem todas as cores. Mas o rosa claro, rosa escuro e preto são as mais pedidas”, confirma. Roxo e ver-

Fotos: ilustração

de também são tendências. A estudante Camila Campesato aderiu à moda. “Eu passei um azul claro que ficou parecendo pelagem de urso de pelúcia. Ficou lindo”, comenta a estudante. De acordo com Roseli o processo é simples. Ela explica passo a passo. “O procedimento é o mesmo de uma unha normal. Cortar, lixar e tirar cutícula. O segredo está quando chega a hora de passar o esmalte. Na segunda camada do esmalte – com ele ainda molhado –, mergulhe a unha no pó (que deve ser da mesma cor do esmalte). Para tirar o excesso, eu costumo assoprar, mas também pode usar o pincel do

blush”, explica. “Pode também passar apenas a base e aplicar o pó, mas pode evidenciar alguma falha. Então o mais indicado é passar o esmalte da mesma cor do pó”, complementa. É possível fazer as unhas em casa, porém exige tempo e paciência. E muitas vezes o resultado não fica igual do salão. “Fiz em casa, mas ficou com várias falhas e borrados. É complicadinho porque tem que esperar secar o pó”, diz Camila. A manicure alerta que após fazer as unhas de veludo não pode ter contato com água por duas horas e meia. O preço varia entre 11 e 25 reais e dura até uma semana, em média.

Disponíveis em todas as cores, as unhas de veludo duram até uma semana e seus preços variam entre 11 e 25 reais


38

Utilidade Pública

Lençóis Paulista Julho de 2012

AÇOUGUE

LANCHES

RAÇÕES

ÁGUA E GÁS

MARCENARIA

RAÇÕES

AUTO PEÇAS

MEDICAMENTOS

TRANSPORTE

BORDADOS

PET SHOP

TERCEIRIZAÇÃO

CAÇAMBAS

PIZZAS

USADOS


Cultura & Entretenimento

Lençóis Paulista Julho de 2012 Fonte: UOL

Fonte: Publish News

1º LUGAR Eu Sem Você Paula Fernandes 2º LUGAR Call Me Maybe Carly Rae Jepsen 3º LUGAR

M Ú S I C A S

L I V R O S

Dance Again (feat. Pitbull) Jennifer Lopez feat. Pitbull

FILMES

4º LUGAR

5º LUGAR

6º LUGAR

1º Madagascar 3 2º

E Aí... Comeu?

Prometheus

Sombras da Noite

Branca de Neve e o Caçador

Os Vingadores - The Avengers

9º LUGAR

Homens de Preto 3

Rolling in the Deep Adele

Para Sempre

10º LUGAR

Deus da Carnificina

Boyfriend Justin Bieber

10º

Apenas uma Noite

A Verdade Fernando & Sorocaba 8º LUGAR Lê Lê Lê João Neto & Frederico

2º 3º

AGAPINHO Padre Marcelo Rossi Globo Livros • Infanto-juvenil A ESCOLHA Nicholas Sparks Editora Novo Conceito • Ficção DIÁRIO DE UM BANANA CASA DOS HORRORES Jeff Kinney Editora Vergara & Riba • Infanto-juvenil

Fonte: UOL

Assim Você Mata o Papai Sorriso Maroto

7º LUGAR

Começar de Novo Eduardo Costa

Where Have You Been Rihanna

39

6º 7º 8º 9º 10º

O PRISIONEIRO DO CÉU Carlos Ruiz Zafon Editora Suma de Letras • Ficção PARA SEMPRE A HISTÓRIA QUE INSPIROU O FILME Kim Carpenter e Krickitt Carpenter Editora Novo Conceito • Ficção O FILHO DE NETUNO Rick Riordan Editora Intrínseca • Infanto-juvenil GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DA FILOSOFIA Luiz Felipe Ponde Editora LeYa • Não-ficção O COLECIONADOR DE LÁGRIMAS Augusto Cury Editora Planeta do Brasil • Ficção PULMÃO DE AÇO Eliana Zagui Editora Belaletra • Autoajuda JOGOS VORAZES Suzanne Collins Editora Rocco • Infanto-juvenil


40

Publicidade

Len莽贸is Paulista Julho de 2012


Revista O Comércio - Julho de 2012  

Edição de Julho de 2012 da Revista O Comércio

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you