__MAIN_TEXT__

Page 1

Revista do

GIN NO BRASIL MERCADO MERCADO EM CRESCIMENTO

Nยบ 1 ANO 1


EDITORIAL

TEMPOS DE GIN

A

Revista do Gin surgiu pela paixão de 7 confrades aficionados por essa palavra com três letras GIN, expressão mundial, ou GIM, versão brasileira, onde ambas podem ser usadas em nosso país. Depois de tantas degustações às cegas de Gins importados e nacionais de diferentes estilos e origens, nosso Grupo, Gin on Mondays, decidiu juntar todo esse conteúdo e transmitir com credibilidade nessa primeira edição e nas demais, todas as informações necessárias para o leitor ficar por dentro do mundo desse destilado, que é a grande sensação do momento. A tendência de consumo do Gin nos últimos 10 anos aumentou na Europa, Estados Unidos e Canadá. Aqui no Brasil a busca do Gin começou à três anos e atingimos um crescimento de quase 500% em relação a 2018. Atrelada a essa demanda de consumo do GIN, surgem mensalmente novas marcas. Até Abril, atingimos o número de 63 rótulos importados, mas o que desperta a atenção é a explosão da indústria nacional de Gin, atingindo 51 tipos de Gins, onde todos vão ser detalhados nesta edição. O Gin impulsiona diversos outros segmentos, um deles é a da sua melhor parceira, tônicas e mixers, que hoje entre nacionais e importadas temos 40 tipos. Vieram os bares especializados, empórios, supermercados com suas prateleiras específicas só de Gin e também os sites de ecommerce e blogs especializados. Entramos na mesma onda e agora com a Revista do Gin, vamos contar toda essa história nas próximas páginas, sempre tendo a ética como prioridade e a responsabilidade de transmitir a informação precisa para o leitor. Quando realizamos uma avaliação de degustação às cegas de Gin e Tônicas, demonstramos os passo a passo de como isso é feito. Vamos explicar detalhadamente esses testes, o nosso selo de qualidade GoM, Gin on Mondays, recomendando a compra para o Gin, Tônicas e Mixers. Fique por dentro também de todas as novidades desse segmento, lançamentos nacionais, internacionais, gastronomia, visita a destilaria Beg, Negroni 100 anni, acessórios e insumos, alambiques, gin e saúde, dicas para um Gin Tônica perfeito. Gin para todos!

André Novaes Patury

Expediente PUBLISHER: André Novaes Patury

Revista do Gin é uma publicação trimestral do Gin on Mondays.

G

Mondays

on

PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO:

.

Creative Design Art Concept DESIGNER: Ana Claudia Martins

CONSELHO EDITORIAL, MEMBROS DO GIN ON MONDAYS: André Novaes Patury Domingos Meireles José Osvaldo Albano do Amarante Marcos Frugis Mário Separovic Rodrigues Marcos “China” Llopis Lee Newton Barros

FOTO DA CAPA: Gladstone Campos | Real Photos

DEPARTAMENTO COMERCIAL: ginintelligence@gmail.com

IMPRESSÃO: Graftec Gráfica

REDAÇÃO E CORRESPONDÊNCIA: revistadogin@gmail.com

O compartilhamento de informações do conteúdo dessa publicação é permitido desde que citada a fonte.

@revistadogin


SUMÁRIO

Destaques

IMPORTAÇÃO DE GIN PARA O BRASIL

2001

2011

2012

2014

2015

2016

2017

2018

1989

2001

2011

2012

2013

2014

2015

8.186.147

2.206.262

1.191.735

705.274

629.986

391.295

256.963

208.011

53.500

490.257

207.376

124.130 2013

107.608

76.035

13.264.789 1989

57.544

21.299

sobre o crescimento do mercado (gins importados e destilarias nacionais) de 1989 a abril/2019.

51.219

22 MATÉRIA DE CAPA - O MERCADO DE GIN NO BRASIL | Uma análise

Valor FOB (USD) 10.089.595

Em volume (litros)

4.779.587

1989 - 2018

Nº 1 ANO 1

2016

2017

2018

Fonte: MDIC - Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

18 ENTREVISTA | Lenízio

8 ATUALIDADES | Gins Importados no Brasil

Barbosa dos Santos, proprietário da Alambiques Santa Efigênia.

Foto: Divulgação

10 ATUALIDADES | Gins Nacionais 12 ATUALIDADES | Tônicas & Mixers Importados no Brasil LANÇAMENTOS INTERNACIONAIS |

Hendrick’s com dois novos lançamentos.

criação do autêntico Negroni na Itália.

Foto: Divulgação

16

36

HISTÓRIA - NEGRONI 100 ANNI DI STORIA | A

28

30 GINS COM

DEGUSTAÇÕES GIN ON MONDAYS | A confraria realiza

40

POR DENTRO DA DESTILARIA | Visitamos a

Foto: Divulgação

destilaria BEG no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas.

SELO DE QUALIDADE GOM

34

Foto: Divulgação

degustações temáticas às cegas de gins puros, sempre em uma segunda-feira, realizadas na sala privada do Empório Frei Caneca.

TÔNICAS COM SELO DE QUALIDADE GOM

Seções

6 NOTÍCIAS 39 A TÔNICA NO BRASIL 44 DEGUSTAÇÃO DE TÔNICAS 46 GIN & SAÚDE 48 DICA DE GIN 50 GIN & LEITURA 51 DRINKS COM GIN 52 ACESSÓRIOS E INSUMOS 54 COMIDINHAS & GIN

revista do gin

5


NOTÍCIAS

BCB São Paulo anuncia primeiros palestrantes confirmados para o evento

Foto: Divulgação

O

público que comparecer ao evento terá a oportunidade de degustar e conhecer mais sobre as marcas produzidas no Brasil e importadas de gin. São esperados até 15 expositores. Entre as marcas de gin já confirmadas estão as nacionais BEG, Hof, Draco, Vitória Régia e as importadas Beefeater, Monkey 47, Hendrick’s e Bombay Sapphire. “Nos últimos anos, o gin passou a ser a bebida base de maior importância nos bares do mundo inteiro e também no Brasil. Entre os destilados, foi o que ganhou mais visibilidade e teve suas receitas resgatadas e também novas criações autorais. É uma bebida de fácil preparo, refrescante e versátil”, comenta Marco de La Roche, embaixador do BCB São Paulo e mixologista do Riviera Bar, localizado na Zona Central de São Paulo. Segundo Marco, os grandes bares de coquetelaria já incorporaram gins nacionais em seu leque de produtos. “Não dá mais para voltar atrás: os clientes desses tipos de bares já perceberam que tem coisa boa no Brasil. Um gin nacional pode ser tão bom ou melhor que um gin importado e, muitas vezes, tem um preço mais interessante”. Ele ainda completa: “O BCB São Paulo vai explorar essa questão, trazendo marcas que envolvem processos industriais e artesanais, e convidar os visitantes entenderem a complexidade do gin”. Os melhores parceiros do gin, as tônicas e mixers também já tem presença confirmadas de algumas marcas, as inglesas Fever Tree e The London Essence e as nacionais Riverside, Prata e St.Pierre.

SOBRE O BCB SÃO PAULO O BCB - Bar Convent Berlin, que nasceu na capital alemã se consagrou internacionalmente na indústria de bares e destilados premium, agora ganha

a sua primeira edição brasileira. A feira acontece em São Paulo, nos dias 17 e 18 de junho de 2019, no espaço Expo Barra Funda e é uma oportunidade de networking e visibilidade para diversas marcas desse segmento. Fazem parte da programação workshops, palestras e painéis com renomados profissionais, além de demonstrações e degustações de drinks preparados por mixologistas e bartenders em um ambiente com a atmosfera de bar. A ideia é ampliar o conhecimento sobre as novas marcas, lançamentos e possibilidades de misturas para coquetéis. Entre os setores representados no evento estão o gin, cachaça, vodka, whisky, bitter, tônica, mixers, vermute, bourbon e xarope. Um dos objetivos do BCB São Paulo, que reunirá bartenders, proprietários de bares, restaurantes e empresários, é mostrar como o portifólio de bebidas de alta qualidade tem se expandido no Brasil em vários segmentos. A empresa Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do evento, pretende atrair mais de 100 marcas expositoras e um público de 3 mil pessoas do setor de bares e bebidas.

INCRIÇÕES As inscrições para participar como expositor ou como visitante já estão disponíveis no site oficial do BCB São Paulo: www.barconventsaopaulo.com.br

6

revista do gin


NOTÍCIAS

A

grande notícia no mundo do gin no mês de Maio foi a compra da gigante Pernot Ricard, da destilaria italiana, Torino Distillati, produtora do Malfy. As vendas em 2018, cresceram com abertura em novos países, atigindo um número superior de 100 mil garrafas comercializadas. Esse crecimento deve-se principalmente aos 3 novos lançamentos da Malfy. No Brasil mesmo com a compra da Pernot Ricard, o processo de importação e distribuição da Malfy ainda vai continuar sendo feita pela empresa BWC do Rio de Janeiro. O Malfy produzido pela Família Vergnaro, tem com base de todos os Gins, o malte de cereais, sempre com a infusão do tradicional limão-siciliano em todas as receitas, com uma destilação a vácuo, que é mistura com a água da montanha Mon Viso tirada de uma fonte na vila de Crissolo (altitude 1,300m). Atualmente aqui no mercado brasileiro só tinhamos o Malfy con Limone. Chegam 3 novidades, onde todos mantém o toque clássico no aroma e sabor de limão sicliano e Abv, 41%, com algumas diferenças:

MALFY GIN ORIGINALE: Mantém a caractéristica do Malfy Con Limone, mas com menor intensidade no aroma e sabor do limão siciliano, tonando-se mais suave e com maior intensidade do zimbro. MALFY GIN ROSA: A infusão natural de Pink

Grapefruit, juntamente com o limão siciliano, deram um toque extremante cítrico e coloração rosa.

MALFY GIN CON ARANCIA: A arancia, laranja siciliana, sofre um processo de maceração da sua casca no álcool, onde fica destilado por 36 horas, com o zimbro. Isso define sua cor vermelhor rubi. O segundo processo de destilação temos uma infusão a vácuo de mais sete botânicos. No aroma e sabor predomina o frutado da laranja com leve toque do limão-siciliano no final.

Pernod Ricard adquire marca italiana superpremium Malfy Gin

Foto: Divulogação

Uma Quadrifeta do Gin

A

Pernod Ricard comprou a marca, que é vendida em mercados internacionais como os Estados Unidos, o Reino Unido e a Alemanha, por uma quantia não revelada. O portifólio da Malfy, inclui quatro gins: Originale, Con Limone, Con Arancia e Gin Rosa, destilados pela família Vergnano na região italiana de Moncalieri, em Piedmont, utilizando ingredientes italianos genuínos, como as laranjas da Sicília. Christian Porta, diretor-gerente de desenvolvimento de negócios globais da Pernod Ricard, afirma que a aquisição reflete a estratégia de “investir em marcas com forte potencial em categorias em crescimento”. “Estamos entusiasmados em ver o gin Malfy mudar para a família de marcas Pernod Ricard. Acreditamos que, com sua administração e expertise na construção de marcas de destilados super premium, a Malfy continuará a crescer” afirma, lwyn Gladstone, fundador da Biggar & Leith.

revista do gin

7


ATUALIDADES |

Gins Importados no Brasil

TANQUERAY FLOR DE SEVILLA E RANGPUR, PRODUZIDOS PELA DIAGEO

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Na destilaria escocesa de Cameronbridge, são as novidades para 2019. Utilizando a mesma base do álcool de cereais dos clássicos da família Tanqueray Dry Gin e TEN, ambos sofrem infusão de frutas o que deixam o aroma e sabor mais cítrico, suave e refrescante. O próprio nome já diz Flor de Sevilla ‘’laranja sevilla’’ e Rangpur ‘’limão cravo’’. O Rangpur, por enquanto, encontra-se disponível somente nas lojas Duty Free dos aeroportos do Brasil. Com esses dois lançamentos, a Diageo agora tem 6 marcas de Gins no Brasil: Gordons London Dry Gin, Gordons Pink, Tanqueray London Dry Gin, Tanqueray Ten completam o portifólio.

8

revista do gin


ATUALIDADES | GINS IMPORTADOS NO BRASIL

BACARDI BRASIL VEM COM 3 LANÇAMENTOS DE SUAS DESTILARIAS Ampliando o portifólio de gins da Bacardi no Brasil para quatro rótulos: Bombay Saphire, Star of Bombay, Oxley e Bosford.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

STAR OF BOMBAY O estilo da garrafa manteve a cor tradicional do Bombay Saphire, com alguns novos detalhes. Mas o grande destaque do Star of Bombay, está na infusão de dois novos botânicos adicionados a fórmula tradicional, que colocam o Star of Bombay em uma categoria de gin, Super Premium. O tradicional floral prevalece, mas o que chama atenção é o toque cítrico da laranja italiana bergamota, colhida na Calábria, que deixam esse gin londrino com um toque levemente frutado e final ainda mais intenso.

OXLEY GIN BOSFORD O estilo e a receita são dos tradicionais ingleses, porém a produção em uma destilaria em Torino, na Itália. O Bosford tem a característica marcante do London Dry Gin, com grande presença do zimbro e final seco e médio amargor. O que chama atenção é a relação da qualidade e o custo benefício desse gin, que entra na briga diretamente nesse quesito com o Gordons. Foto: Divulgação

Esse outro gin Super Premium importado pela Bacardi, que comprou a Thames Distillers, em Londres, tem um equilíbrio muito grande entre os 13 botânicos. Característica do gin moderno, o Oxley, tem aroma bem floral e cítrico, com um sabor suave e levemente picante no final. Foi um dos primeiros gin a serem destilados a frio, com baixas temperaturas, onde são produzidos abaixo do congelamento da água, geralmente com -5C. Primeiro gin nesse estilo aqui no Brasil.

*André Novaes Patury, o AndreGINho, jornalista, gin specialist com formação Nível 1 Wine Spirits, Beer Sommelier Doemens, Especialista de Cerveja Artesanal e Mestre em Harmonização de Cerveja e Spirits. @andreginho revista do gin

9


ATUALIDADES |

Gins Nacionais

AMÁZZONI RIO NEGRO

Foto: Divulgação

Depois do sucesso com o Amázzoni Gin original, os sócios Arturo Isola e Alexandre Mazza, criam o Rio Negro. Seu rótulo ilustra a história e a lenda desse rio na Amazônia. O gin vem um conceito mais clássico e potente, a começar pelo seu teor alcoólico de 51%, contra 42% do Original. Outra grande diferença está na quantidade de zimbro, que possui 5 vezes mais e adicionados juntamente com os 8 botânicos que demonstram a grande potência da pegada de um clássico London Dry. Cada lote vai produzir 300 garrafas de 750ml, na própria destilaria da Amázzoni, em Porto Real, Rio de Janeiro. O laçamento oficial do Amázzoni Rio Negro será no BCB São Paulo, evento de bares e bebidas que acontecerá nos dias 17 e 18 de Junho, no espaço Expo Barra Funda.

HAMBRE GIN

Foto: Divulgação

Elaborado com 14 botânicos, esse novo gin artesanal brasileiro, tem como destaque as castanhas de caju e do Pará, limão-siciliano e laranja. O Hambre Gin é produzido em Curitiba.

10

revista do gin


ATUALIDADES | GINS NACIONAIS

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

GALAXY GIN E MUTATIS GIN Elaborados na Alkimia Destilaria, em Itaboraí, o Mutatis e o Galaxy são do estilo London Dry Gin. A diferença está na quantidade de botânicos e no preço, que chegam ao mercado para o consumidor final. O Mutatis mantém um perfil mais moderno, cítrico e com aroma marcante de frutas frescas, característica dos onze botânicos, R$ 80,00. Já o Galaxy possui aquele estilo mais clássico do London Dry, tem seis botânicos e com presença marcante do zimbro, menos cítrico, mais amargo, R$ 45,00. Inicialmente só vão ser comercializados no Rio de Janeiro.

Com o seu nome de origem holandesa, Zuur, que significa azedo e faz referência à um de seus ingredientes principais da receita, o limão capeta, também conhecido como cravo. O Zuur é um London Dry, em seu estilo, com toque cítrico de limão. Sua produção é feita em uma destilaria em Capim Branco, Minas Gerais.

Foto: Divulgação

ZUUR GIN

*André Novaes Patury, o AndreGINho, jornalista, gin specialist com formação Nível 1 Wine Spirits, Beer Sommelier Doemens, Especialista de Cerveja Artesanal e Mestre em Harmonização de Cerveja e Spirits. @andreginho revista do gin

11


ATUALIDADES |

Tônicas & Mixers Nacionais

Um mix de limão siciliano, limão tahiti e lima da pérsia. Aroma e sabor presente do quinino com o cítrico e frutado dos limões são as características marcantes dessa inovação da Antarctica. Uma harmonização perfeita para equilibrar com gins mais fortes na presença de zimbro e secos. O próprio nome já resume a sua característica bem forte de Gengibre, que juntamente com o quinino deu um equilíbrio bem interessante em seu sabor muito refrescante e leve picância no final. No Gin Tônica, harmoniza com os clássicos London Dry e os Gins mais florais e frutados, onde o toque do gengibre dá uma excelente combinação. A grande novidade é sua embalagem, garrafa 275ml. As latas de 350ml também vão continuar no mercado. Com relação ao sabor deu para perceber uma pequena mudança nessa nova formulação em garrafa, ficando um pouco mais amargo.

Fotos: Divulgação

AMBEV, APRESENTA TRÊS LANÇAMENTOS EM GARRAFA DE VIDRO 275ML: TÔNICA ANTARCTICA 3 LIMÕES, GENGIBRE E TRADICIONAL

YNDIÁ TÔNICA

Foto: Divulgação

Os sócios Arturo Isola e Alexandre Mazza, da Amázzoni, foram em busca do complemento perfeito para o seu Gin e laçaram a água tônica YNDIÁ. O conceito de criação da Yndiá assemelha-se ao seu ao Gin Amázzoni, a começar pela alma amazônica do seu nome. Produzido através da água natural das fontes brasileiras, a tônica tem ausência de conservantes e lenta carbonatação. Chega ao mercado em duas versões, que buscaram a perfeita harmonização do quinino e as notas cítricas de lima e toranja, tonando excelentes parceira para qualquer tipo de gin. A Yndiá Tônica possui 72kcal/100ml, enquanto a Yndiá Tônica Extra Dry, tem a mesma receita, mas com 60% de açúcar a menos, 28kcal/100ml. A fabricação da Yndiá é feita na Allegra Indústria de Bebida, em Curicica-RJ. As duas tônicas vão ser lançadas no BCB, São Paulo, evento de bares e bebidas que acontecerá nos dias 17 e 18 de junho, no espaço Expo Barra Funda.

12

revista do gin


ATUALIDADES |

Tônicas & Mixers Importados no Brasil

A líder mundial no segmento de Mixers Premium, depois do sucesso no Brasil nesses 2 anos, com as tônicas Fever-Tree Indian, Mediterranean, Naturally Light e o Ginger Ale e Ginger Beer, apresenta mais duas novidades, confirmadas pela Döhan Importadora e Distribuidora exclusiva da marca inglesa. Através do ‘’blend’’ do quinino, com a casca amarga da angostura sul-americana e os botânicos: cardamomo, pimenta e gengibre, surgiu a Fever-Tree Aromatic Tonic Water. Possui o aroma e sabor clássico de água tônica, mas com grande destaque do cítrico, que tornam esse mixers extremamente refrescante, com alta carbonatação. Harmoniza com gins mais clássicos London Dry, que são secos e amargos, com destaque do zimbro. O clássico club soda tracional, produzido de uma maneira artesanal com bicarbonato de soda. Quem acha que só é o par ideal para complementar um whisky premium, está enganado! A Fever-Tree Soda Water, por ser sem aroma, torna-se a harmonização ideal para os gins estilo Old Tom, Envelhecidos e Sloe Gin, com bastante gelo e a especiaria adequada.

Foto: Divulgação

FEVER-TREE TRAZ AO BRASIL A TÔNICA AROMÁTICA E O TRADICIONAL CLUB SODA ARTESANAL

THE LONDON ESSENCE CO. LANÇA MIXERS NO BRASIL

Foto: Divulgação

O mixers surgiu em Londres inspirado nas tradições do século XIX, buscando uma revolução na alquimia do sabor, através da destilação do verdadeiro sabor das frutas finas e essências botânicas. O grande diferencial nos mixers do The London Essence, estão na presença da essência destilada, que possibilidade um uso menor da quantidade de frutose. Isso produto fica naturalmente mais leve e com baixa caloria. Sendo até 20kcal/100ml. Não é light e leve em calorias. CHEGARAM RECENTEMENTE NO BRASIL: THE LONDON ESSENCE CLASSIC TONIC WATER - Cítrico com o amagor do quinino, que foi destilado junto ao zimbro, ideal para os London Dry Gin. THE LONDON ESSENCE GRAPEFRUIT & ROSEMARY TONIC WATER - Frescor da toranja e da essência destilada de alecrim, com leve toque de quinino. Harmoniza com gins mais cítricos e florais. THE LONDON ESSENCE ORGANGE & ELDERFLOWER TONIC WATER - O aroma floral de Elderflower com o cítrico laranja, equilibram o amargor do quinino e fazem esse mixer ainda mais cítrico e suave. Ideal para completar um G&T com Gins mais amargos e com final seco. THE LONDON ESSENCE GINGER BEER - Saindo um pouco da linha de tônicas e entrando no gingers. Esse mixer com destaque total para o gengibre em sua essência, fica muito bem quando combinado com um Bourbon ou Rum. *André Novaes Patury, o AndreGINho, jornalista, gin specialist com formação Nível 1 Wine Spirits, Beer Sommelier Doemens, Especialista de Cerveja Artesanal e Mestre em Harmonização de Cerveja e Spirits. @andreginho

14

revista do gin


LANÇAMENTOS |

Internacionais

Hendrick’s COM

DOIS NOVOS

LANÇAMENTOS Domingos Meirelles*

Foto: William Grant & Sons

S Lesley Gracie, a famosa master distiller da Hendrick’s, no laboratório onde cria os novos rótulos da famosa marca escocesa William Grant & Sons

16

revista do gin

e nos anos 90, a Hendrick’s já havia revolucionado o setor do gin, setor esse que era até então quase que exclusivamente constituído por gin do estilo London Dry, a famosa marca escocesa está agora preparada para novas revoluções. Foi nestes anos que Lesley Gracie, já então uma das mais famosas master destiller, criou uma nova categoria de gin, com um blend distinto de onze botânicos, onde incluiu as duas infusões que se tornaram a sua imagem de marca do Hendrick’s: pepino e pétalas de rosa, neste momento. Atualmente e depois de construir a sua nova destilaria state-of-the-art, a empresa William Grant & Sons ganhou capacidade para inovar como nunca no mundo do gin. Com a nova destilaria, foi criado também um novo laboratório dedicado exclusivamente aos novos projetos da marca Hendrick’s. Esta nova destilaria, que ficou conhecida como The Gin Palace, possui para além de dois novos alambiques, um jardim interior e duas estufas repletas de botânicos exóticos.


LANÇAMENTOS INTERNACIONAIS

Foto: William Grant & Sons

ORBIUM O primeiro gin a sair da destilaria com esta nova filosofia foi o Orbium, com uma pequena produção de apenas 3.000 garrafas, este gin associa a receita original do Hendrick’s incluindo o pepino e as pétalas de rosa e acrescentou o quinino, absinto e a flor de lótus. Para Lesley esta é uma forma de agradecer ao Trade Lesley, criando este gin experimental, o primeiro a gin a ser quininado, com dois elementos amargos arredondado com o intenso perfil floral. Orbium é considerado um ORBIUM MARTINI gin perfeito para um Martini devido aos seus sabores complexos que per- • 60 ml de Hendrick’s Orbium mitem fazer variadas combinações. • 3 ml de Dolin Dry Vermute Orbium é o plural de Orbis, que em latim quer dizer círculo, para Gracie isso é o que este gin representa uma COMO PREPARAR: vez que combina ingredientes do Colocar os ingredientes num copo misturador com mundo inteiro. A garrafa é a mesma gelo, misturar e coar para um taça de cocktail. garrafa icônica do Hendrick’s que Decorar com ‘’zest’’ de limão e uma fatia de pepino agora ganha uma cor azul escura, referência à flor de Lotus.

Eu sempre fui apaixonada pelo poder dos aromas da natureza no pique do verão, para este novo gin, selecionei manualmente cada um dos florais que conseguem transmitir esta intensidade MIDSUMMER SOLSTICE

Foto: William Grant & Sons

O mais recente lançamento da casa escocesa é o Midsummer Solstice, com produção pequena e limitada. Mais uma vez, das mãos de Lesley Gracie e do seu “laboratório de curiosidades” que fica no Hendrick’s Gin Palace, esta nova versão do Hendrick’s estará à venda por um período limitado nos principais aeroportos da Europa antes de ser vendido no Oriente Médio, Ásia, Estados Unidos e América do Sul. A produção do Midsummer é feita em peGIN & TÔNICA quenos lotes de 500 litros, quantidade que a master destiller considera ser o limite para conseguir controlar ao máximo a sua criação. O • 50 ml de Hendrick’s Midsummer Solstice tamanho dos lotes também são limitados pela • 200 ml de Água Tonica (Indian) quantidade de essência floral, que conseguem • Aromatizar com 3 fatias de pepino e colher no pique do verão. Por ser sazonal, ‘’zest’’ de laranja a recomendação para você apaixonado por gin é não perder tempo e comprar logo a sua COMO PREPARAR: garrafa assim encontrar. Afinal de contas vai Encher a taça com gelo, gelar a taça, aromatizar estar vivendo a experiência de apreciar um com o pepino e o ‘’zest’’ de laranja, colocar o pouco da historia escocesa do gin. gin, depois suavemente a água tônica e por fim Na análise sensorial do Midsummer, prevalece misturar levemente o drink. a forte expressão floral, no aroma e sabor. *Domingos Meirelles - MsC Wine Managment, Universidade de Paris, OIV. Diretor da Gin Club Brasil. Sócio dos bares Sóshots & Gin Club e Periquita & Gin Club. @ginclubbrasil revista do gin

17


ENTREVISTA

PRODUÇÃO DE

Gin

Alambiques

Lenízio Barbosa dos Santos, proprietário da Alambiques Santa Efigênia

Foto: Divulgação

Newton Barros*

18

revista do gin


ENTREVISTA

revista do gin

19


Foto: Divulgação

ENTREVISTA

Os alambiques da Santa Efigênia, utilizam o “banho maria”, ou sistema de “infusão a vapor”, com a passagem do destilado pelo pescoço de cisne

20

revista do gin

E

ste maravilhoso líquido que nasceu como remédio na Holanda por volta de 1650 e ao ser ministrada a soldados ingleses para tratamento de doenças renais, agradou muito mais como bebida, pelo sabor intenso, que seus efeitos medicinais e se popularizou na Inglaterra por volta de 1730 com a invenção do alambique continuo de Coffey. Eram produtos de baixa qualidade e com o passar do tempo foram decretadas medidas restritivas ao produto, fabricantes e comerciantes, tornado o gin mais refinado e puro. O gin nasce de um destilado neutro, em geral de grãos como trigo, cevada e hoje também de batata e uvas, destilado de forma fracionada em coluna para obter um álcool puro de 96%. Em seguida para ser tornar um gin na segunda destilação ou infusão, terá que ser adicionado o zimbro, os botânicos, sementes, bagas, raízes, frutas, cascas, especiarias e ervas, conforme a receita, mas predominam o coentro e a angélica em muitas receitas, especialmente nos gin London Dry. Nesta segunda destilação utiliza-se o método “embeber e ferver” ou “banho maria”, onde a mistura de zimbro e os botânicos são embebidos no destilado neutro por até 48hs, para maceração dos aromas e em seguida destilase a mistura em alambique. Outra opção interessante é a “infusão a vapor” onde esta mistura não entra em contato direto com o destilado neutro, este são colocados em cestas dentro do alambique e só encontram o destilado na passagem pelo cesto do vapor. Alguns produtores combinam os dois métodos e outros ainda fazem infusões dos botânicos separadas e depois misturam o resultado de cada destilação para obter o seu gin. Importante informar que em qualquer das situações acima não é utilizado o destilado gerado no princípio chamada de “cabeça” e nem do final “calda” , utilizando somente o “coração” para se transformar em gin. Nesse momento tem ainda um teor alcóolico muito alto, maior que 80%, onde é adicionando água purificada na proporção desejada para chegarmos ao teor alcoólico pretendido. Essa é a revolução do mundo do gin, que também chegou ao Brasil e devido o crescimento nos últimos 3 anos impressionante, uma empresa tradicional de Itaverava, Minas Gerais, fundada em 1948 pelo Sr. Geraldo Pereira dos Santos, a Fábrica de Alambiques


Foto: Divulgação

ENTREVISTA

Alambiques de cobre para detilação de Gin da Santa Efigênia

Santa Efigênia. Hoje são de suma importância no apoio das mais de 90 marcas nacionais de gin que surgiram em tão pouco tempo. Empresa tradicional na produção de alambiques para nossa indústria da cachaça, vodka, whisky, rum e também moedores, dornas de fermentação para cerveja, tanques de inox e outros, viu a três anos uma nova demanda surgir. Conforme palavras de um dos proprietários, Lenízio Barbosa dos Santos, rapidamente criou uma nova linha de alambiques voltados para a produção de gin. A principal diferença nos alambiques de gin é que o aquecimento não pode ser através do fogo, pois este pode queimar os botânicos, trazendo o amargor indesejado ao produto final. Seus alambiques utilizam o banho

maria, ou sistema a vapor, com a passagem do destilado pelo pescoço de cisne. Outra característica muito interessante dos alambiques é a utilização do cobre como matéria básica, muitos poderiam pensar que é pelo efeito estético. O cobre é parte importante no processo, pois quimicamente age como catalizador para promover a formação de ésteres que transmitem notas frutadas ao destilado e reage para remover compostos de enxofre, cujos aromas são muito indesejados. ‘’Desenvolvemos um projeto piloto em parceria com a UFSJ – Universidade Federal de São João dos Reis a TECDEF – Tecnologia em Destilados e Fermentação, que promove cursos, realiza ensaios e testes nos equipamentos, dá suporte para novos negócios

*Newton Barros - Sócio do North Bar e Gril, Shopping Frei Caneca.

na área e criação de receitas de gin’’, disse Lenízio Barbosa dos Santos. Quais os destiladores fabricados pela Santa Efigênia exclusivos para gin? A nova linha exclusiva para produção de gin, inicia com pequenos alambiques de 25l de carga, 40l, 200l e vai até de 1000 litros e tem desenvolvido projetos específicos para novos bares e consumidores que querem produzir o seu destilado. Em apenas 3 anos os alambique de gin já representaram 20% do faturamento da Alambiques Santa Efigênia. Após tanta informação e conhecimento nessa conversa com, Lenízio Barbosa dos Santos, só nos resta preparar um G&T e se deliciar com esta incrível e crescente revolução. Saúde!!!

@northgrillfreicaneca

revista do gin

21


MERCADO

IMPORTAÇÃO DE GINS José Osvaldo Albano

do

Amarante*

O principal fator de crescimento

E

no número de gins importados para o Brasil foi a mudança

m 1989, quando iniciei as degustações às cegas de gins puros, as importações deste produto eram ainda bem incipientes. Nestes últimos anos, o público brasileiro iniciou uma grande mudança nos hábitos de consumo, substituindo a vodca pelo seu primo mais nobre, o gim. Este fato pode ser comprovado por estes números de importação da bebida, segundo dados extraídos do MDIC Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

nos hábitos de consumo, os brasileiros estão substituindo a vodca pelo seu primo mais nobre, o gim.

IMPORTAÇÃO DE GIN PARA O BRASIL

2001

2011

2012

2013

2014

2015

2016

Fonte: MDIC - Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

22

revista do gin

2017

2018

1989

2001

2011

2012

2013

2014

2015

8.186.147

2.206.262

1.191.735

705.274

629.986

391.295

256.963

208.011

53.500

490.257

207.376

107.608

124.130

76.035

57.544

51.219

21.299 1989

10.089.595

Valor FOB (USD) 13.264.789

Em volume (litros)

4.779.587

1989 - 2018

2016

2017

2018


MERCADO

GINS IMPORTADOS ATÉ ABRIL DE 2019 Em 1989, praticamente só se encontravam no nosso mercado 4 rótulos britânicos: Beefeater, Bombay (que não é o Bombay Sapphire), Gordon’s e Tanqueray. Em Abril de 2019, este quadro estava totalmente alterado com a presença de 63 gins importados. A grande maioria deles, perfazendo mais da metade, sendo de britânicos, 29 ingleses e 8 escoceses. Estes gins estão relacionados por países. LEGENDAS

FAIXA DE PREÇO*

Importador

$ $$ $$$ $$$$ $$$$$

Disponível no Brasil

*Gins, considerando disponíveis no mercado.

ABV Produtor

Gordon’s London Dry Gin Tanqueray Gordon

Tanqueray Gordon

Diageo

Diageo

$

$$

Tanqueray London Dry Gin ABV 44%

ABV 47,3%

William Grant

Cameronbridge Distillery

Interfood

Tanqueray Flor de Sevilla

ABV 47%

Príncipe de Los Apóstoles Mate Gin ABV 40% Príncipe de Los Apóstoles

PernodRicard

Mr. Man

$$$$$

$$$$

Gin Mare Botanic Premium London Dry Gin

Botanic Ultra Premium London Dry Gin

ABV 40%

ABV 45%

Williams & Humbert

Williams & Humbert

Baid’nher

Baid’nher

Nordés Atlantic Galician

Xoriguer

ABV 42,7% Gin Mare Mr. Man

$$$$$

ESTADOS UNIDOS (1) Seagrams Extra Dry

ABV 40%

ABV 41% E.T.G. Mahón

Diageo

Atlantic Galician Spirits

ABV 40%

$$

Natique

Mr. Man

Pernod-Ricard USA

$$$

$$$$

Tanqueray No Ten

ABV 41,3%

ABV 47,3%

Cameronbridge Distillery

Cameronbridge Distillery

Diageo

Diageo

$$$

$$$$

Tanqueray Rangpur

Fotos: Divulgação

Gordon’s Pink ABV 43%

$$$

Monkey 47

ESPANHA (5)

ABV 43%

Hendrick’s

ARGENTINA (1)

Black Florest Distillers

50,00 - R$100,00 R$ 100,00 - R$150,00 R$ 150,00 - R$200,00 R$ 200,00 - R$300,00 acima de R$ 300,00 R$

ESCÓCIA (8)

ALEMANHA (1)

The Botanist Islay

ABV 41,3%

ABV 46%

Cameronbridge Distillery

Bruichladdich

Duty Free Brasil

Interfood

$

$$$$$

Pernod-Ricard

$$

HOLANDA (3)

Bobby’s Schiedam Dry Gin

Gin & Jonnie Gastrogin

Sylvius

ABV 42%

ABV 45%

ABV 45%

Bobby’s

Onder de Boompjes

Onder de Boompjes

GinFest

GinFest

GinFest

$$$$$

$$$$$

$$$$$

revista do gin

23


MERCADO

FRANÇA (6) Barmon’s

Citadelle

ABV 37,5%

ABV 44%

Prodis

Maison Ferrand

Carrefour

Carmosina

$

$$$

G’Vine Floraison

G’Vine Nouaison

ABV 40%

ABV 40%

Euro Wine Gate

Euro Wine Gate

Gin Club Brasil

Gin Club Brasil

$$$$$

$$$$$

Broker’s

Ish

ABV 45%

ABV 40%

ABV 41%

Beefeater Distillery PernodRicard

Broker’s Gin

The Poshmakers

Vinivino

Gin Club

$$$$

Beefeater Pink

$$$$

Bulldog

Ish Limed

ABV 37, 5%

ABV 40%

ABV 40%

Beefeater Distillery

Bulldog

The Poshmakers

PernodRicard

Campari

$$$

$$$

Gin Club Brasil

Beefeater Travellers Edition

E7 Escape

Impérial Silver

Saffron Gin

ABV 47,50%

ABV 40%

ABV 40%

ABV 40%

ABV 38%

Slaur Sardet

Gabriel Boudier

Beefeater Distillery

E7 Escape

J. Logan’s

Maison Lafite

Aurora

Duty Free

Diwisa

Brixis

$$$$

$$

$$

INGLATERRA (29) Adnams Copper House Dry Gin

Fotos: Divulgação

Adnams Rising Sun ABV 42%

Adnams Distillery

Adnams Distillery

Get Trade

Get Trade

$$$$$

$$$$$

Beefeater

J. Logan’s

$

Gibson’s London Dry

Martin Miller’s 9 Moons Barrell Aged

ABV 47%

ABV 37,5%

ABV 40%

Bombay Saphire Distillery

Gibson’s

The Reformed Spirits

Bacardi

GPA

Casa Flora

$$

$$

$$$$$

Bombay Saphire East

Harry’s Finest

Martin Miller’s Dry Gin

ABV 47%

ABV 42%

ABV 40%

ABV 40%

Adnams Distillery

Beefeater Distillery

Bombay Saphire Distillery

Harry’s

The Reformed Spirits

Get Trade

PernodRicard

Duty Free Brasil

Vom Fass

Casa Flora

$$$$$

$$

$$

$

$$$$

ABV 45,3%

revista do gin

Bombay Saphire

ABV 40%

Adnams First Rate - Triple Malt Dry Gin

24

Beefeater 24


MERCADO ITÁLIA (6) Martin Miller’s Westbourne ABV 45,20% The Reformed Spirits Casa Flora

St. Paul Gin

Barrymore

ABV 37,5%

ABV 38%

Peoduto St. Paul

Italcoral

$$$$$

Miles

Sipsmith London Dry Gin

Bosford ABV 37, 5% Pessione Torino (Bosford)

Orion Vinhos

Bacardi Brasil

$

$

Malfy Limone

Poli Marconi 46

ABV 40%

ABV 44,10%

ABV 41%

ABV 46%

Marie Brizard

Sipsmith Distillery

Torini Distillati

Poli Distillerie

Dubar

Duty Free Brasil

BWC

Zahil

$$

$$$

$$$

$$$$$

Thames Oxley

Star of Bombay

Vanity

ABV 38%

ABV 38% Perfino Nor-Import

ABV 47%

ABV 47,5%

Italcoral

The Thames Distillers

Bombay Saphire Distillery

Orion

Bacardi

Bacardi

$$$$$

$$$$

$$

PORTUGAL (3) The London No 1

ABV 41,20%

ABV 47%

The Black Friars Distellery

The Thames Distillers

PernodRicard

Aurora

$$$$

Rokeby’s Half Crown

$$$$

William Peel Gin

Friday Chic Gin

Savvy

ABV 40%

ABV 43%

Caves da Montanha

Monte Sharish

Orion

Get Trade

$$

$$$

Gin Sirrr

ABV 40,60%

ABV 38%

ABV 37,5%

Burlington Drinks

William Pitters

Caves da Montanha

GPA

Casa Flora

Orion

$$

$$$$

$

Fotos: Divulgação

Plymouth Original Strength

revista do gin

25


ESPÍRITO SANTO

MERCADO

Dry Cat Gin Seco

GINS BRASILEIROS ATÉ ABRIL DE 2019 Em Setembro de 1989, quando participei do painel de degustação às cegas de gins puros da revista Playboy, a disponibilidade de gins no nosso país era muito escassa. Provamos 8 gins, sendo 5 deles de produção nacional: Bols (Bols), Bosford (Martini & Rossi), Burnett’s (Seagram), Gilbey’s (na época da Cinter, depois da Diageo) e Seager’s (Stock do Brasil). Em Abril de 2019, este quadro estava totalmente alterado com a presença de 51 gins brasileiros, a grande maioria surgidos à partir do ano de 2017. O estado de São Paulo lidera facilmente este ranking com mais da metade deles, ou seja, 28 gins. A seguir estes gins estão descritos por Estados. LEGENDAS ABV Produtor

ABV 42% Dry Cat Microdestilaria (Vitória)

ABV 46% Dry Cat Microdestilaria (Vitória)

$$

$$

PARANÁ (1) Hambre Dry Gin

FAIXA DE PREÇO*

$ $$ $$$ $$$$

Dry Cat London Dry Gin

ABV 45%

ATÉ R$ 40,00 R$ 40,00 - R$80,00 R$ 80,00 - R$130,00 acima de R$ 130,00

Vesper Gin (Pinhais)

$$$

*Gins, considerando disponíveis no mercado.

MINAS GERAIS (6) Jungle Gin Seco ABV 45% Quinta das Castanheiras (Camanducaia)

$$$

RIO DE JANEIRO (3) Lebbos Hop Dry Gin

Amázzoni Gin

ABV 42% Cervejaria Backer (Belo Horizonte)

Galaxy London Dry Gin

Mutatis Gin ABV 42%

ABV 42% Galaxy Gin (Itaboraí)

$$$

$$$

Mutatis Gin (Itaboraí)

ABV 42%

Amázzoni (Barra Mansa)

$$$

$

RIO GRANDE DO SUL (7) Musa Blue Gin

Wings London Dry Gin

ABV 40% Musa Agroindustrial (Itajubá)

$

ABV 44% Wings Gin (Poços de Caldas)

ABV 46% Agrimar Agroindustrial (Nova Lima)

$$$

$$$

Zuur Gin

$

Sir Albin Gin

ABV 42% Zuur Gin (Capim Branco)

$

WH 48 Dry Gin

ABV 40% Bebidas Chiamulera (Lajeado)

$$

Rock’s Strawberry Gin Doce

ABV 38,5% Fante (Flores da Cunha)

ABV 41% H. Weber/ Maaz (Ivoti)

$$

Yvy Mar Gin

Rock’s Dry Gin

Geest London Dry Gin

$

ABV 38,5% Fante (Flores da Cunha)

WH 48 Amburana Dry Gin

ABV 48%

ABV 40%

Weber Haus (Ivoti)

Weber Haus (Ivoti)

$$

$$

SANTA CATARINA (4)

Fotos: Divulgação

Bridge Dry Gin

$

ABV 40% Distilaria Doble W (Porto União)

Eternity London Dry Gin

$

Kalvelage London Dry Gin

ABV 47,5%

ABV 43%

101 do Brasil (Joinville)

Kalmae (Blumenau)

$$

Temptation London Dry Gin

$

WH 48 Pink Dry Gin

ABV 47,5%

ABV 44%

101 do Brasil (Joinville)

Weber Haus (Ivoti)

$$


SÃO PAULO (28) Apogee London Dry Gin

Arapuru Gin

ABV 40% Piracaia Bebidas (Piracaia)

ABV 44% Arapuru (Cesário Lange)

$

$$

Decret89 London Dry Gin

Digníssimo Dry Gin

ABV 40% Villa Brunholi (Jundiaí)

$$

Florida Dry Gin

$$

$

Flowers London Dry Gin ABV 45% Comercial RS/ Quinta do Nino (São Roque)

Queen Royale Dry Gin

$

ABV 39% Casa di Conti (Cândido Mota)

Fotos: Divulgação

Torquay Pink Gin ABV 45% Destilaria Stolikoff (São Roque)

$$

Beg Brazilian Boutique Dry Gin ABV 44% Beg Destilaria (Campinas)

Dry Dawn Gin

$$

Beg Destilaria (Campinas)

Dubar London Dry Gin

ABV 39%

ABV 40%

Bebidas Taverna (Itú)

Dubar (Jundiaí)

$

$

ABV 45% Comercial RS/Quinta do Nino (São Roque)

ABV 54%

$$$

$$$

ABV 47% Destilaria Draco (Engenheiro Coelho)

Flowers Rosé Gin

Beg Navy Brazilian Boutique Dry Gin

G V Asteca Gin Seco ABV 39% Bebidas Asteca (Presidente $ Prudente)

Loki Dry Gin ABV 45% Destilaria Pinheiros (Taquaritinga)

$$$

Minna Marie Gin Carvalho Americano

Murdock’s Azul Dry Gin ABV 46% TatuzinhoVelho Barreiro (Piracicaba)

ABV 40% Hof Microdestilaria (Serra Negra)

ABV 40% Hof Microdestilaria (Serra Negra)

$$

Draco Dry Gin

$$

$$

Minna Marie London Dry Gin Cristal

ABV 46% TatuzinhoVelho Barreiro (Rio Claro)

ABV 40% Vinícola Salton (Jarinu)

ABV 44% Destilaria Sapucaia (Pirassununga)

$

Bara Dry Gin

$$

$$$

Seager’s Dry Gin

Silver Seager’s London Dry Gin

Virga Gin Seco

$$

$$$

Summer Spirit Dry Gin

$$

ABV 43% Ind. Pirassununga (Pirassununga)

$

Torquay London Dry Gin

ABV 45% Quinta do Nino (São Roque)

ABV 45% Destilaria Stolikoff (São Roque)

$$

Vitória Régia Gin

ABV 45%

ABV 44%

Virga (Pirassununga)

Carmosina (Taquaritinga)

$$$

Nick’s Dry Gin

ABV 46% TatuzinhoVelho Barreiro (Piracicaba)

ABV 45,3% Stock do Brasil (São Paulo)

ABV 45,3% Stock do Brasil (São Paulo)

$

Murdock’s Prata Dry Gin

*José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

$$$ revista do gin

27


GIN ON MONDAYS

DEGUSTAÇÕES José Osvaldo Albano

do

Amarante*

A

confraria Gin on Mondays foi por mim fundada em Janeiro de 2011, tendo sido oficializada em Junho de 2017. Os confrades titulares, por mim coordenados, são: André Novaes Patury (diretor da Get Trade Importadora), Domingos Meireles (sócio dos bares Sóshots & Gin Club e Periquita & Gin Club), Marcos Frugis (médico e consumidor), Mário Separovic Rodrigues (dono do Empório Frei Caneca), Marcos “China” Llopis Lee (ex-sócio do extinto bar Bar. e sócio da The Burger Store) e Newton Barros (engenheiro e consumidor). Nestes 8 anos, fizemos 29 encontros, onde bebemos 271 diferentes gins do mundo inteiro, nos quais a rotina repetiu-se com degustações temáticas às cegas de gins puros, sempre em uma segunda-feira, realizadas na sala privada do Empório Frei Caneca. Todo confrade entrega com antecedência uma garrafa de gim para a prova, de modo que todos possam ser servidos à uma temperatura de cerca de 18ºC. Quando chegamos às 18hs, todos os gins já estão servidos em taças de degustação numeradas padrão INAO/ISO, sem que saibamos quais gins estejam nelas. Ao final, os provadores divulgam suas respectivas ordens de preferência, resultado do preenchimento de suas fichas de degustação. Após somarmos a colocação de cada bebida, pela avaliação de cada confrade, chega-se ao resultado do painel. O gim com menor soma é o campeão e aquele com a maior soma é o último colocado. Em seguida, solicitamos que as garrafas sejam trazidas de outra sala, na ordem inversa da apreciação do grupo, para serem identificados. Posteriormente, eu elaboro o relatório da degustação com os resultados da prova e os divulgo no site da GoM.

RESULTADOS

Veja o resultado de todos os nossos painéis de degustação realizados, na seção “Blog Gins” do site: www.amarnte-vinhos.com.br

28

revista do gin


GIN ON MONDAYS

GINMondays Foto: Divulgação

ON

Da esquerda (em pé): Mário Separovic Rodrigues, André Novaes Patury, Domingos Meirelles, Marcos Lee “China” (sentados): Newton Barros, José Osvaldo Albano do Amarante e Marcos Frugis.

*José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

revista do gin

29


GIN ON MONDAYS - SELO DE QUALIDADE |

Gins

LEGENDAS ABV Produtor Importador Disponível no Brasil

GINS COM SELO DE QUALIDADE GOM ATÉ ABRIL 2019 José Osvaldo Albano

A

do

Amarante*

pós as inúmeras degustações às cegas de gins puros realizadas pela confraria Gin on Mondays, foi por mim atribuida uma classificação deles indo de 1* ao máximo de 5*. Aqueles gins que tenham tido avaliações de 3,5*, 4*, 4,5* ou 5* receberam o Selo de Qualidade GOM, que representa um atestado que nós recomendamos sua compra. Os gins com a bandeira do Brasil na legenda, encontra-se presentes no mercado brasileiro. Covém ressaltar que um certo número de marcas, tanto de gins nacionais quanto estrangeiros, disponíveis no mercado local ainda não foram avaliadas. Até o momento, já foi concedido este reconhecimento para os 87 gins abaixo relacionados, sendo 11 deles brasileiros. Porém, a Inglaterra domina amplamente o quadro com 31 gins.

ÁFRICA DO SUL (1)

Cape Town Classic

ABV 43% Cape Town Gin & Spirits

ALEMANHA (5) Berliner Brandstifer 2015

ABV 43,3% Berliner Brandstifer

Elephant Gin

Ferdinand’s Saar

ABV 45% Elephant Gin

ABV 44%

DINAMARCA (1)

Ferdinand’s

Ginscape London Dry

ABV 43,7% Scape Spirits Gin Sul

ABV 43% Gin Sul

Granit Bavarian

ABV 42%

BÉLGICA (1) HTK Belgian

Penninger

ABV 43,7%

30

revista do gin

HerteKamp


GIN ON MONDAYS - SELO DE QUALIDADE - GINS BRASIL (11)

ESCÓCIA (9)

Amázzoni Gin

Beg Brazilian Boutique Dry Gin

ABV 42% Amázzoni (Barra Mansa)

Digníssimo Dry Gin ABV 40% Vinícola Salton (Jarinu)

Flowers London Dry Gin ABV 45% Comercial RS/ Quinta do Nino (São Roque)

Vitória Régia Gin ABV 44% Carmosina (Taquaritinga)

Blackwoods Vintage 60º

Beg Navy Brazilian Boutique Dry Gin

ABV 60%

ABV 44% ABV 54%

Beg Destilaria (Campinas)

Draco Dry Gin

Beg Destilaria (Campinas)

Eternity London Dry Gin

ABV 47% Destilaria Draco (Engenheiro Coelho)

Lebbos Hop Dry Gin

Distil Co

ABV 42% Cervejaria Backer (Belo Horizonte)

Yvy Mar Gin

ABV 44%

101 do Brasil (Joinville)

Interfood

Tanqueray No Ten

ABV 46% Agrimar Agroindustrial (Nova Lima)

Hendrick’s

William Grant

ABV 45,3% Stock do Brasil (São Paulo)

ABV 43% Tanqueray Gordon Diageo

ABV 47,5%

Silver Seager’s London Dry Gin

Gordon’s London Dry Gin

Tanqueray Flor de Sevilla ABV 41,3% Cameronbridge Distillery Diageo

Tanqueray Rangpur

Tanqueray London Dry Gin ABV 47,3% Cameronbridge Distillery Diageo

Tanqueray Malacca

ABV 40% Diageo

The Botanist Islay

ABV 47,3%

ABV 41,3%

ABV 46%

Cameronbridge Distillery

Cameronbridge Distillery

Bruichladdich

Diageo

Duty Free Brasil

Interfood

ESPANHA (5) Nordés Atlantic Galician

Gin Mare Akori ABV 42% AKORI

Botanic Ultra Premium London Dry Gin

ABV 42,7% Gin Mare

ABV 45% Williams & Humbert

Mr. Man

Xoriguer

ABV 40%

ABV 41%

Atlantic Galician Spirits

E.T.G. Mahón

Natique

Mr. Man

Fotos: Divulgação

Baid’nher

revista do gin

31


GIN ON MONDAYS - SELO DE QUALIDADE |

Gins

ESTADOS UNIDOS (5) Seagrams Extra Dry

No. 209 Gin

Death’s Door

ABV 47% Death’s Door

3 Howls Navy

Uncle Val’s Botanical

ABV 46%

ABV 40%

ABV 57%

ABV 45%

Distillery No. 209

Pernod-Ricard USA

3 Howls

3 Badge Mixology

Pernod-Ricard

FRANÇA (4)

HOLANDA (6)

ABV 37,5%

ABV 44%

Prodis

Maison Ferrand

Carrefour

Carmosina

Magellan

G’Vine Nouaison

ABV 42%

ABV 45%

Bobby’s

Onder de Boompjes

GinFest

GinFest

No. 3 London Dry Gin

ABV 41,3%

Euro Wine Gate

Nolet’s

VL92 Moutwijn

ABV 41,5%

Berry Bros & Rudd

Nolet’s Silver

ABV 47,6%

V2C Dutch

ABV 46%

Magellan

ABV 40%

Gin & Jonnie Gastrogin

Bobby’s Schiedam Dry Gin

Citadelle

Barmon’s

V2C Spirits

ABV 41,7% H. Van Torr Jz.

Gin Club Brasil

INGLATERRA (31)

Beefeater 24

Beefeater

ABV 45%

ABV 47%

PernodRicard

City of London

ABV 40%

ABV 40% Bulldog

Campari

City of London

Bombay Saphire

Berkeley Square

ABV 47%

ABV 40%

Beefeater Distillery PernodRicard

Beefeater Distillery

Bulldog

Beefeater Crown Jewel

ABV 50%

PernodRicard

City of London Christopher Wren

ABV 45,3% City of London

Fifty Pounds

G&J Greenall

Bacardi

Ford’s

Geranium Premium

ABV 45%

ABV 43,5% Fifty Pounds

Bombay Saphire Distillery

The 86 Co

ABV 44% Hammer & Son


INGLATERRA (31)

Ish

ABV 40%

ABV 41% The Poshmakers

The Poshmakers

Gin Club

Gin Club Brasil

Old English

Wm Cadenhead

ABV 45,20%

The Reformed Spirits

The Reformed Spirits

Casa Flora

Casa Flora

Plymouth Original Strength ABV 41,20% The Black Friars Distellery

PernodRicard

Silent Pool Intricately

PernodRicard

Sipsmith London Dry Gin

Sipsmith V.J.O.P.

ABV 43%

ABV 44,10%

ABV 57,7%

Silent Pool Distillers

Sipsmith Distillery

Distilled Beverage

GPA

The Botanical’s Premium

ABV 40%

ABV 57%

Bacardi

Burlington Drinks

Portobello Road Gin

Martin Miller’s Westbourne

Plymouth Navy Strenght

The Thames Distillers

ABV 40,60%

ABV 42%

Langley

ABV 47% ABV 55%

Rokeby’s Half Crown

Portobello Road nº 171

ABV 41,7%

Oxley

Old Raj Blue Label

ABV 44% Hammer & Son

Martin Miller’s Dry Gin

Langley’s Nº 8

Ish Limed

Duty Free Brasil

Whitley Neill

Williams Chase GB Extra Dry

Williams Chase Elegant Crisp

ABV 42,5%

ABV 42%

ABV 40%

The Botanical’s

Whitley Neill

Chase Distillery

Williams Seville Orange

ABV 40% ABV 40%

Chase Distillery

Chase Distillery

ITÁLIA (5) Malfy Limone ABV 41% Torini Distillati BWC

NOVA ZELÂNDIA (1) Rogue Society

Malfy Originale

ABV 41%

ABV 44%

ABV 44%

Torino Distillati

Lorenzo Inga

Lorenzo Inga

PAÍS DE GALES (1) Brecon Botanicals

ABV 42,2% Rogue Society Gin

Panarea Sunset

Panarea Island

ABV 43% Penderyn Distilery

Thames ABV 38% Italcoral Orion

PORTUGAL (1) Savvy

ABV 43% Monte Sharish

*José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

Get Trade

revista do gin

33


GIN ON MONDAYS - SELO DE QUALIDADE |

Tônicas

TÔNICAS COM SELO DE QUALIDADE GOM ATÉ ABRIL 2019 José Osvaldo Albano

A

do

Amarante*

pós provarmos às cegas 48 tônicas disponíveis no mercado brasileiro (assinaladas com “br” última coluna abaixo) e outras ainda não presentes, nós a classificamos de 1* a 4*. Aquelas avaliadas com 3* ou 4* receberam o Selo de Qualidade GOM, que representa um atestado que nós recomendamos sua compra. Entretanto ainda nos falta provar um pequeno número de marcas de tônicas nacionais disponíveis no nosso mercado. Até o momento, já foi concedido este reconhecimento para as 13 tônicas, a seguir, relacionadas em ordem alfabética, sendo 6 delas brasileiras e 7 importadas (apenas duas delas ainda não presente em nosso mercado).

Tônica Antarctica “Nova fórmula”

Tônica Antarctica Três Limões

Tônica Antártica Zero

Regular

Sabor limão

Zero

350 ml

275 ml

350 ml

Disponível no Brasil

Canada Dry Tonic Water Regular 350 ml

Ambev

Canada Dry

Brasil

Brasil

Brasil

Canadá

Fever Tree Edelflower Fever Tree

Fever Tree Indian

Fever Tree Indian Light

Fever Tree

Regular

Light

200 ml

Regular

200 ml

200 ml

200 ml

Mediterranean

Inglaterra

Fever Tree

Fever Tree

Fever Tree

Edelflower

Inglaterra

Inglaterra

Inglaterra

1724 Tonic Tônica Mantovani Sabor limão

Fotos: Divulgação

Origem

Ambev

350 ml Socorro Bebidas Brasil

Regular 200 ml 1724 Tonic Chile

Schweppes Regular 350 ml Coca-Cola Brasil

*José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

revista do gin

Produtor

Ambev

34

LEGENDAS

Thomas Henry Tonic Water

Tônica 202

Regular

Edelflower

200 ml

200 ml

Thomas

Refrigerante Poty

Henry Alemanha

Brasil


IMPORTAÇÃO BEBIDAS PREMIUM Expertise de mercado e um completo portifólio de serviços para atender o setor de alimentos e bebidas. REGISTROS ANVISA E MAPA.

BEBIDAS

ACESSÓRIOS E INSUMOS

MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

NOSSOS SERVIÇOS: Frete internacional (marítimo, aéreo e rodoviário);

Manuseio (separação, etiquetagem e fracionamento);

Transporte;

Aplicação de selos de IPI e contra-rótulo;

Armazenagem;

Despacho aduaneiro.

/gettrade

@gettrade

www.gettrade.com.br


HISTÓRIA

Negroni

100Anni DI STORIA

Foto: Divulgação

Dr. Marcos O. Frugis*

36

revista do gin


HISTÓRIA

Caffè Giacosa, que posteriormente foi adquirido pelo estilista Roberto Cavalli, local da criação do Negroni

Foto: Divulgação

A

Itália possui infinitos marcos na História da humanidade: república romana, senado, aquedutos, outras obras de engenharia, música, arte, Ferrari, Lamborghini e enogastronomia. É impossível elencar tanta coisa. Mas neste ano de 2019, uma grande criação completa 100 anos. Não se sabe precisamente se foi 1919 ou 1920, mas certamente foi num final de tarde em Florença, num Pequeno Caffè na Via de Tornabuoni que nasceu um dos

“aperitivo”** mais saborosos e cultuados do mundo. O NEGRONI. Em Florença, um desses locais tradicionais chamava-se Caffè Casoni, que depois viria a se chamar Caffè Giacosa, que posteriormente foi adquirido pelo estilista Roberto Cavalli. Conta a História que certa tarde, o conde Camillo Negroni, frequentador assíduo do Caffè Casoni, onde sempre tomava o tradicional “Americano” (Vermuth + Campari + Club Soda); pediu ao amigo e Barman Fosco Scarselli, algo com mais “PERSONALIDADE” naquela dia.

revista do gin

37


Foto: Divulgação

HISTÓRIA

No ano de 2015 estive no Caffè Giacosa, e pude degustar o mais autêntico NEGRONI nesse local centenário

NEGRONI CAFFÈ GIACOSA • 1/3 de Vermuth Antica Formula • 1/3 de Campari • 1/3 de Gordon”s London Dry • Uma fatia de laranja e gelo

Foto: Divulgação

O autêntico Negroni no Caffè Giacosa

Negroni Antica Distilleria

Sendo assim, Fosco pegou o mesmo copo do “Americano”, trocou o Club Soda por gin, e acrescentou uma fatia de laranja...Pronto, nascia um drink mais que histórico e para batizá-lo, homenageou o próprio conde. O Negroni é apreciado há 100 anos no mundo todo. A família do conde, acabou por fundar uma destilaria em Treviso, a Indústria Liquori Negroni, onde produzia uma versão pré-fabricada

e engarrafada com o nome de ANTICO NEGRONI. Para tristeza dessa história toda, o Caffè Giacosa (Cavalli) fechou as portas em setembro de 2017. Mas a festa e as lembranças continuarão para sempre em qualquer lugar do mundo onde pudermos tomar um bom NEGRONI!

Salute!!!

*“Aperitivo” é mais um dos modos de vida italiano, tomar algo de preferência levemente amargo antes do jantar em algum caffè ou bar com os amigos.

*Dr. Marcos O. Frugis - Médico Cirurgião do Aparelho Digestivo.

38

revista do gin

@marcosfrugis


TÔNICAS

A tônica no Brasil

Foto: Divulgação

Um breve relato da melhor companheira do Gin.

Marcos Lee “China”*

O

namoro do brasileiro com a água tônica é ainda muito recente e não se trata daquela paixão aguda e explosiva como é com o gin. Há quem fale que o paladar brasileiro evoluiu e hoje tolera mais o sabor amargo, com certeza quem defende esta teoria, não está pensando fora do eixo Rio-São Paulo e muito menos em todas as classes sociais. O fato é que, o brasileiro em geral ainda tem um paladar doce e por isso a tônica ainda não é um produto de paixão nacional! Nossa história com esse mixer começa lá atrás quando ainda tínhamos 4 ou 5 rótulos de gin no Brasil e o ápice da coquetelaria era um sex on the beach ou uma piña colada. O consumo de amargos, praticamente não existia e a indústria rapidamente entendeu isso e começou a mudar a formulação das tônicas. Elas aos poucos, foram deixando o quinino de lado e ganhando mais limão e açúcar na sua composição, ou seja, foram deixando de ser tônica e virando mais um refrigerante de limão. Quase seis anos se passaram, e o cenário de consumo começou a mudar com o gin ganhando novos adeptos brasileiros. Vale lembrar que 80% do consumo de gin no mundo é

com tônica. O consumo do gin começou a crescer, a tônica veio de carona e a exigência por produtos também.

MAS TRAZER PRODUTOS IMPORTADOS DE QUALIDADE SEM TER UM VOLUME MUITO GRANDE FECHA A CONTA? Essa é a grande discussão, pois atualmente algumas marcas de tônica estão no mesmo preço do destilado. Levando em conta, que a proporção de um G&T é de 3 pra 1, a conta fica complicada e sem sentido. Por isso novas marcas nacionais estão surgindo pelo Brasil e quem ganha com isso é o consumidor, que vai começar a beber um produto de maior qualidade e mais barato.

*Marcos Lee “China”, Empresário e Consultor de A&B e Membro do Gin on Mondays.

@marcoslee_china

revista do gin

39


POR DENTRO DA DESTILARIA |

40

revista do gin

Especial Beg Gin


POR DENTRO DA DESTILARIA | ESPECIAL BEG GIN

Visitamos A

DESTILARIA

BEG José Osvaldo Albano

do

Amarante*

E

m 15/06/2018, alguns confrades da Gin on Mondays visitaram a Destilaria Beg, situada no distrito de Joaquim Egídio, em Campinas. Lá fomos recebidos muito amigavelmente pelos seus 3 sócios: Arthur Flosi, Felipe Santoro e Thiago Luz. No local, além de visitarmos todas as instalações, tivemos a oportunidade única de individualmente elaborarmos nossos próprios gins, segundo o gosto pessoal de cada um, sob a supervisão de um dos sócios. Meses depois, nós fizemos uma interessantíssima e divertida degustação às cegas das garrafas dos gins produzidas por cada um na Beg. Os confrades participantes desta alegre caravana foram: André Novaes Patury, Domingos Meireles, Marcos Frugis, Newton Barros e eu.

revista do gin

41


Especial Beg Gin

Foto: Divulgação

POR DENTRO DA DESTILARIA |

Destilaria Beg, distrito de Joaquim Egídio, em Campinas

42

revista do gin

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Beg Gin lançado em 2017 e o Beg Navy Gin em 2018. Distintos tanto no método de produção, quanto na composição dos botânicos e na graduação alcoólica

Alambique de cobre de 200 litros, fabricado pela Santa Efigênia

A destilaria dispõe de duas bebidas, o Beg Gin lançado em 2017 e o Beg Navy Gin em 2018. Elas são bastante distintas, tanto no método de produção, quanto na composição dos botânicos e na graduação alcoólica dos mesmos. O Beg Gin é elaborado à partir de um destilado base de álcool de cereais comprado da Diacol à 96%, logo diluído para 55%. Este álcool é introduzido num alambique de cobre de 200 litros, fabricado pela Santa Efigênia. Ele emprega 11 botânicos: bagos de zimbro, semente de coentro e raíz de angélica, principalmente estes três; cascas de limão-tahiti, cascas de mexerica, cascas de laranja, capimsanto, imbiriba, pacová, cumaru e semente de amburana. Oito destes


botânicos são macerados por até 24 horas, antes de cada batelada. As cascas frescas dos três cítricos são colocadas nas bandejas internas do destilador. O capim-santo colhido no local é parte macerado e parte sendo posto nas bandejas. Inicia-se então o aquecimento, ligando-se o recipiente de banhomaria à gás até chegar em 100ºC, o que leva cerca de 1h30-2h00, para propiciar uma lenta destilação. A destilação de cada lote dura cerca de 4 horas. É aproveitado apenas o coração da destilação, sendo descartados cabeça e cauda. Dos 200 litros iniciais de álcool a 96% obtém-se 190 litros de gim a 44% em volume, que vão gerar 200-210 garrafas de 750 ml. O Beg Navy Gin emprega 100% a mais de zimbro macerado e colocado também na bandeja. Após um primeiro estágio no alambique, o líquido é enviado para o destilador de coluna de cobre, também fabricado pela Santa Efigênia, onde após 1 hora atinge os 54% de álcool em volume requeridos. A sua produção dá um volume menor de apenas 105-110 garrafas por lote.

Foto: Divulgação

POR DENTRO DA DESTILARIA | ESPECIAL BEG GIN

Da esquerda: Marcos Frugis, José Osvaldo Albano do Amarante, Domingos Meirelles, André Novaes Patury e Newton Barros

A destilação de cada lote dura cerca de 4 horas. É aproveitado apenas o coração da destilação, sendo descartados cabeça e cauda. Dos 200 litros iniciais de álcool a 96% obtém-se 190 litros de gim a 44% em volume, que vão gerar 200-210 garrafas de 750 ml *José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

revista do gin

43


TÔNICAS

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Degustação de tônicas O aumento da diversidade de tônicas e mixers, entre nacionais e importadas despertou uma curiosidade em nosso grupo do Gin on Mondays, para irmos atrás das novidades nesse segmento.

André Novaes Patury “AndreGINho”*

A

lém da degustação às cegas de Gin, que realizamos uma vez por mês, resolvemos oficializar a degustação às cegas das tônicas e mixers. Nesse grupo, criado por mim, fazem parte os mesmos integrantes do Gin on Monday’s, José Osvaldo Albano do Amarante (engenheiro químico, autor do livro ‘’Os Segredos do Gim’’ e coordenador do Gin on Moday’s), Domingos Meireles (sócio dos bares Sóshots & Gin Club e Periquita & Gin Club), Marcos Frugis (médico e consumidor), Mário Separovic Rodrigues (dono do Empório Frei Caneca), Newton Barros (sócio do North Bar e Grill). O local da degustação é no North Bar e Gril, Shopping Frei Caneca-SP. A primeira rodada foi em Janeiro desse ano e até o momento foram realizadas quatro.

COMO FUNCIONA DEGUSTAÇÃO ÀS CEGAS DAS TÔNICAS E MIXERS? 1º- As bebidas são numerados em uma ficha de degustação, mencionando

o nome, origem, tipo/sabor, embalagem, fabricante e se está ou não no Brasil 2º- Todos os produtos tem que ser entregues pelo menos com 24 horas de antecedência no North Bar e Grill, para serem gelados. 3º- No dia da degustação todos recebem uma ficha com as tônicas e mixers a serem degustados e na posição de cada confrade tem um jogo americano, com o posicionamento numérico para serem colocadas as taças. 4º- Diferente da degustação às cegas dos Gins, quando chegamos, as taças encontram-se todas servidas no jogo americano, as tônicas e mixers são trazidos um por vez para cada um, na taça padrão de degustação INAO/ ISO, todas numeradas de acordo com sua respectiva amostra, que também tem o número igual na embalagem. As tônicas não são todas colocadas de uma vez, para na avaliação mantermos perfeitamente o índice de temperatura ideal e carbonatação. 5º- Utilizamos os seguintes critérios de avaliação; visual, aroma, sabor, retrogosto e carbonatação.

6º- Ao final os confrades divulgam as suas ordens de preferência, na somatória da ficha de degustação. Depois são somadas as notas de cada confrade, chegando ao resultado final. A bebida com menor soma é a vencedora e aquela com a maior soma é a última colocada. 7ª- As garrafas são trazidas da cozinha da cozinha, na ordem inversa da apreciação do grupo, para serem identificadas. 8ª- Posteriormente é elaborada a classificação final da degustação juntamente com os resultados e um relatório da prova. Nosso conceito é sempre ir atrás de novidades nacionais e internacionais que estejam ou não disponível no Brasil para o consumidor. Afinal ultimamente surgem em uma velocidade uma tônicas ou mixers novo, regular, dry, extra dry, classic, com sabor, ligh, diet e zero. Depois dessas degustações de praticamente todas as tônicas e mixers, que se encontram no mercado brasileiro, criamos o Selo de Qualidade GOM, onde representa um certificado recomendando para a sua compra.

*André Novaes Patury, o AndreGINho, jornalista, gin specialist com formação Nível 1 Wine Spirits, Beer Sommelier Doemens, Especialista de Cerveja Artesanal e Mestre em Harmonização de Cerveja e Spirits. @andreginho 44

revista do gin


GIN & SAÚDE

Zimbro,

um aliado à boa saúde Foto: Divulgação

Dr. Marcos O. Frugis*

F

alar sobre bebidas alcoólicas e saúde, não é uma tarefa fácil, visto que desde muito tempo, ingestões crônicas de bebidas alcoólicas, sempre ocasionaram graves problemas a saúde humana.Problemas hepáticos, pancreáticos, digestivos, cardiovasculares, neurológicos e até mesmo alguns tipos de Câncer tem relação direta com o consumo abusivo de álcool. Mas algumas bebidas ao longo da história, literalmente “salvaram” a vida de milhares de pessoas. O vinho que surgiu provavelmente onde hoje é a Georgia, há mais de 8.000 anos, foi responsável por abastecer exércitos durante suasjornadas de conquista desde a Grécia, passando pelos Romanos e até a idade média, pois uma forma de “combate” era contaminar as fontes de água.

46

revista do gin


Foto: Divulgação

GIN & SAÚDE

USO DO ZIMBRO O uso mais conhecido do ZIMBRO, é como o aromatizante principal do GIN, mas essa planta foi amplamente utilizada com fins medicinais: • o óleo das bagas foram e podem ser utilizados para o tratamento de doenças respiratórias (bronquite e asma); • o ZIMBRO tem funções digestivas, melhorando o esvaziamento gástrico; • o fruto tem algumas funções calmantes, ajudando na ansiedade; • tem também aplicações cosméticas para acne e até algumas formas de psoríase.

A cerveja, por exemplo, que surgiu provavelmente na Mesopotâmia há mais de 6.000 anos, foi responsável por servir como única e segura ingestão hídrica em várias civilizações antigas, pois a água frequentemente contaminada por dejetos era uma forma mortal de transmissão de doenças. Chegamos finalmente ao advento da destilação, do Latim “de-stillare” que significa “gotejar”. Não se sabe exatamente onde surgiu a destilação mas há relatos que remontam a 2000 AC, provavelmente na China, Mesopotâmia mas foram os Egípcios os primeiros povos a construir utensílios semelhantes a alambiques. Mas somente com os Alquimistas por volta de 800 DC, é que os processos destilatórios se desenvolveram. Eram utilizados produtos destilados com

ervas medicinais para tratamento de alguns males, tanto como tônicos ou bálsamos. Finalmente, por volta de 1500 a 1600, os químicos da época, na Holanda e Bélgica, fizeram uma destilação utilizando o mosto do vinho ou da cevada, e acrescentando uma pequena pinha do gênero Juniperus (zimbro Juniperus communis), que era também usada como especiaria em alguns pratos tradicionais, e aí se deu origem a GINEBRA, o precursor do gin. O gin é uma bebida mundialmente consumida, principalmente na Europa, no nosso meio teve presença nos anos 70, e atualmente vem se tornando o destilado com consumo mais crescente em bares e restaurantes.

*Dr. Marcos O. Frugis - Médico Cirurgião do Aparelho Digestivo.

Sua produção envolve além do zimbro, uma infinidade de outros botânicos e aromatizantes naturais. O álcool preferencialmente utilizado, deve ser oriundo de cereais, pois além de neutro, tem a possibilidade de diluição melhor. Nos drinks feitos com gin, são utilizados outros componentes como água tônica, Vermuth, Campari, suco de tomate, entre outros, e cada um deles tem propriedades benéficas para a saúde. Portanto, com consumo moderado e racional, todos poderão apreciar e aproveitar esse maravilhoso destilado com prazer.

Salut...

@marcosfrugis

revista do gin

47


DICA DE GIN

5 dicas para um Gin Tônica perfeito Por Gin Club Brasil PASSO 1

PASSO 2

Gelar a taça. PASSO 3

Retirar a água. PASSO 4

Aromatizar a taça. Utilizar o perfect serve de frutas e especiarias, que harmonizem com o Gin e tônica do G&T.

Colocar o Gin. Medida correta – 50ml.

Colocar a tônica, misturar levemente e finalizar. Medida correta – 200 ml. 48

revista do gin

Foto: Divulgação

PASSO 5


GIN & LEITURA

Os Segredos do Gim Foto: Divulgação

José Osvaldo Albano

O

primeiro contato sério do autor com o assunto gim deu-se em setembro de 1989. Por já ser membro efetivo dos painéis de degustação de vinho da revista Playboy, foi convidado a participar de uma prova de gins. Ele já era um amante dessa bebida, mas, com esse incentivo, começou a pesquisar o assunto mais profundamente. Tanto assim que foi incumbido pelo editor da matéria a escrever o boxe “As lições de um degustador”, onde teceu comentários técnicos sobre a degustação de gins. Nos últimos anos, foi professor do curso superior de Gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi e também ministrou aulas em mais de 650 cursos sobre queijos, vinhos e outras bebidas. Escreveu quatro livros sobre vinhos: Os segredos do vinho para iniciantes e iniciados (Mescla, 2005), Vinhos e vinícolas do Brasil (Summus, 1986), Vinhos do Brasil e do mundo para conhecer e beber (Summus, 1983) e Vinhos do Brasil (editado pela Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho, 1982). Atuou ainda como consultor do capítulo “Brazil” da sexta edição do livro The world atlas of wine (Mitchell Beazley, 2007) de Hugh Johnson e Jancis Robinson. Também escreveu um livro sobre queijos: Queijos do Brasil e do mundo para iniciantes e apreciadores (Mescla, 2015). Este livro é resultado dos vários estudos do autor sobre gim compilados em um “resumão”. Entretanto, como o material acabou ficando muito completo, justificou-se publicá-lo.

revista do gin

Amarante*

O LIVRO TEM O SEGUINTE SUMÁRIO: PREFÁCIO INTRODUÇÃO: História do gim. Legislação. Legislação brasileira. Legislação europeia. PRODUÇÃO: O destilado base. Os botânicos. O processo de destilação. O ajuste alcoólico. PANORAMA MUNDIAL: Posição no Reino Unido. Posição no mundo. Consumo per capita no mundo. Gigantes do setor. MARCAS DO BRASIL E DO MUNDO: Principais marcas. Marcas presentes no Brasil. Marcas favoritas. CONSUMO: Estilos de gim. Formas de consumo. Como degustar o gim. Ficha de degustação de gim. Painéis de degustações de gim. COQUETÉIS: Coquetéis clássicos de gim. Outros coquetéis de gim. Água tônica. Outros ingredientes. Coqueteleria. MELHORES BARES DE GIM: Bares no Brasil. Bares no exterior. GLOSSÁRIO BIBLIOGRAFIA ÍNDICE REMISSIVO AGRADECIMENTOS SOBRE O AUTOR VERSÃO EM PAPEL Mescla Editorial, 2016 TAMANHO: 192 páginas; formato: 19,0 x 21,0 cm; peso: 0,497 kg. ACABAMENTO: capa dura, papel couchê, fotos e mapa coloridos. PREÇO DE CAPA: R$98,90 ONDE ENCONTRAR: www.gruposummus.com.br/summus/ autor//Jos%C3%A9+Osvaldo+Albano+do+Amarante

*José Osvaldo Albano do Amarante - Engenheiro Químico, Autor do livro “Os Segredos do Gim”, Ed. Mescla e Coordenador da “Gin on Mondays”. www.amarante-vinhos.com.br

50

do


DRINKS COM GIN

Foto: Divulgação

Jep Gambardella

Marcos Lee “China”*

E

m maio de 2014, um pouco antes de começar a Copa do Mundo, a DIAGEO me incumbiu de uma tarefa: preparar um coquetel usando vodka Ketel One para um drink especial inspirado no evento. Quem me conhece sabe, não sou um amante deste tipo de destilado, mas assumi a tarefa e foi a partir daí que o Jep Gambardella surgiu, inicialmente com vodka, mas goles depois já estava sendo feito com gin (London dry). Se o coquetel tinha inspiração na Copa do Mundo no Brasil, obviamente ele deveria ser refrescante; mas mais do que isso, ele também precisava do verde e amarelo, afinal copa é um dos poucos momentos em que o brasileiro é patriota, não é?! Colocado as duas principais características do coquetel, parti para infinitos testes até chegar a um dos maiores sucessos do meu antigo bar, o BAR. Inicialmente o nome era outro, mas Jep Gambardella foi como ele foi batizado pelo meu sócio, quando decidimos colocá-lo em definitivo no cardápio.

RECEITA

*Marcos Lee “China”, Empresário e Consultor de A&B e Membro do Gin on Mondays.

@marcoslee_china

• • • • • •

2 ramos de manjericão fresco 15ml de suco de limão taiti 15ml de suco de laranja bahia 15ml de xarope de açúcar 50ml de gin London dry 15ml de Aperol

Em uma coqueteleira com bastante gelo, adicionar todos os ingredientes, exceto o Aperol. Bata o coquetel e faça uma dupla coagem para um copo tipo old fashioned, previamente resfriado e com gelo. Finalize o coquetel com 15ml de Aperol e como decoração um ramo de manjericão.

revista do gin

51


ACESSÓRIOS E INSUMOS |

Taça de Gin Tônica

Foto: Divulgação

Sabe qual é a taça ideal para o seu coquetel preferido?

52

revista do gin


ACESSÓRIOS E INSUMOS | TAÇA DE GIN TÔNICA

Marcos Lee “China”*

Não bebam GT de canudo, além de estragar a sua experiência com o coquetel, a natureza vai agradecer se você abandonar este hábito medonho!

*Marcos Lee “China”, Empresário e Consultor de A&B e Membro do Gin on Mondays.

Foto: Divulgação

M

uita gente tem dúvida sobre qual é a taça ideal para se beber uma boa Gin Tônica ou porque se bebe este coquetel em uma taça tão grande. No intuito de esclarecer estas dúvidas e fomentar mais o mercado brasileiro de coquetelaria, resolvi trazer aqui algumas respostas sobre o assunto. A Gin Tônica é uma bebida extremamente aromática e sendo assim, buscamos sempre uma taça de boca grande para que no momento do consumo, a taça “abrace” o seu rosto, levando todos os aromas (o tal bouquet) de encontro a você. Partindo desta premissa, NÃO BEBAM GT DE CANUDO, além de estragar a sua experiência com o coquetel, a natureza vai agradecer se você abandonar este hábito medonho! A segunda característica da GT, é sua refrescância, ou seja, bebe se gelada e por isso colocamos muito gelo, não é para enganar o cliente. Muitos acham que se bartender colocar menos gelo, ele vai compensar no destilado, o que obviamente não acontece. Por este motivo, a taça ideal é uma que tenha uma capacidade igual ou maior que 550ml; lá dentro precisa caber além do gelo, a dose de gin (50ml aqui no Brasil), mais três partes de água tônica, um gomo de limão e mais vários “fru-frus” que hoje colocam no drink. Vejo muitos lugares, usando taças de 300ml ou mesmo copo longo; se o drink estiver balanceado, muito provavelmente o bartender usou 30ml de gin, o que não é um problema, se isso refletir no preço que se paga. O único problema é que provavelmente a boca deste copo ou taça é menor e vai afetar um pouco na questão do aroma. Por fim, busque uma taça elegante, a GT é um drink esteticamente muito bonito, é importante valorizar isso; tenho certeza que você não vai querer comprar um coquetel e receber ele em um copo de requeijão, não é?

@marcoslee_china

revista do gin

53


COMIDINHAS & GIN

O que está em alta comer com Gin? Que tal uma bela gin tônica, feita de Tanqueray Rangpur e um prato de ostras frescas?

Marcos Lee “China”*

O

Ou ainda, um drink feito com Malfy Limone e camarões grelhados com salsa e alho?

Fotos: Divulgação

Gim está ganhando cada vez mais espaço nos copos das pessoas, a prova disso é que estamos aqui escrevendo a primeira revista digital dedicada ao destilado. Mas afinal, o que vai bem comer bebendo um drink de gim? Na minha opinião, tudo! Obviamente algumas coisas estão mais em alta, outras mais “esquecidas”. O fato é, que moramos em um país quente, festivo e que ainda tem um paladar mais para o cítrico do que para o amargo; então nada de drinks muito complexos e harmonizações chatíssimas estão em alta. O que realmente está pegando são os drinks cítricos e refrescantes, acompanhados de pratos de peixes ou frutos do mar.

54

revista do gin

Enfim, minha sugestão nas comidinhas é: invista nos coquetéis cítrico e muitos pratos de bichos aquáticos! Tenho certeza que a combinação vai sempre agradar. Bom apetite! *Marcos Lee “China”, Empresário e Consultor de A&B e Membro do Gin on Mondays.

@marcoslee_china


Revista do

GIN BRAZIL

Awards

OS MELHORES DE 2019*

Em novembro será realizado o primeiro GIN BRASIL AWARDS, que vai premiar todas as categorias de acordo com as pesquisas e avaliações realizadas pela nossa equipe do Gin on Mondays. Os resultados vão sair na edição especial do mês de Novembro da Revista do Gin e em uma cerimônia de premiação.

CATEGORIAS: GIN

BARES

MELHOR SITE E-COMMERCE

DESTILARIA E MASTER DISTILLER

RESTAURANTE

KIT BOTÂNICO PERFECT SERVE GIN&TÔNICA

Nacional Importado

Nacional

TÔNICA E MIXERS Nacional Importado

Melhor Carta de Gin, Tônicas e Mixers Mixologista

Melhor Carta de Gin, Tônicas e Mixers

LOJAS ESPECIALIZADAS Gin, Tônica e Mixers

VAREJO

Gin, Tônica e Mixers

INSUMOS E ACESSÓRIOS


Profile for Revista do Gin

Revista do Gin - Ed. 01  

A primeira revista brasileira para amantes de Gin. A Revista do Gin surgiu pela paixão de 7 confrades aficionados por essa palavra com três...

Revista do Gin - Ed. 01  

A primeira revista brasileira para amantes de Gin. A Revista do Gin surgiu pela paixão de 7 confrades aficionados por essa palavra com três...

Advertisement