Page 1

A busca pelo corpo perfeito está em constante aceleração e com isso a insatisfação tornatorna-se uma inimiga das pessoas. As academias estão sempre lotadas. Quais são os maiores vilões que viram a cabeça das mulheres e homens vaidosos? Confira na matéria da jornalista Karine Alonso.

ma saída que vem sendo encontrada para não deixar de utilizar os veículos é o abastecimento com etanol, que recentemente teve redução da alíquota do Imposto para 14%. Já a gasolina teve um aumento no imposto de 27% para 29%. Confira as vantagens do etanol na matéria do jornalista Felipe de Jesus na editoria Economia.

a Argentina, brasileiros fazem bonito e entram para história do xadrez nacional. Um dos destaques foi o mineiro Mestre Internacional Evandro Barbosa que garantiu o primeiro lugar no 46º Torneio de Mar Del Plata. Confira a matéria do jornalista Frederico Gazel na editoria de Xadrez.

Se a torcida do Clube Atlético Mineiro já é conhecida por sua devoção e fanatismo em meio aos milhares de fanáticos presente nas arquibancadas dos estádios, encontraencontra-se uma senhorinha de delicados cabelos brancos empurrando o time do coração. Com 94 anos, Dona Ana Cândida de Oliveira não deixa a desejar e marca ponto em todos os jogos do Galo. Confira mais no artigo da colunista Jô Amaral.

Leia na página 6

Leia na página 5

Leia na página 4

Leia na página 10

U

N

Edição 29 - ANO 6 - Março, Abril e Maio de 2015 -

R$ 1,00

Publicação da Agência de Comunicação e Publicidade Correio Eletrônico (ACPCE) www.jornalcorreioeletronico.com.br Todos os Direitos reservados

Revista

Foto do cantor: Ed Capa

INDELÉVEL

RAFAEL DIAS

D

epois de viajar por alguns países para difundir a sua arte, o cantor e compositor mineiro Rafael Dias retorna ao cenário musical da capital mineira. No dia 16 de abril (quinta-feira), às 20h30, o artista sobe ao palco do Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec (Rua Carijós, 258, Praça 7, Centro) para divulgar o seu trabalho e novo repertório, que integra o show ‘Indelével’, nome do seu segundo disco. Confira!

Leia mais:

Página

8

Muito além do ‘Kid Abelha’

A abolição da escravatura no Brasil foi decretada há 125 anos. No entanto, nem mesmo a modernidade foi capaz de apagar alguns vestígios dessa época. Isso porque o trabalho escravo ainda existe em diversas empresas, de acordo com relatório da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Confira!

Página 3

Paula Toller lança seu quarto disco solo

A

Terceirização em contratos de trabalho (ou a desvalorização do trabalho formal, diminuição de ganhos e salários, como é tratada) vem sendo um dos temas mais debatidos na imprensa brasileira nas últimas semanas. Para alguns especialistas, a Lei 4330 poderá ser um retrocesso. O articulista Paulo Moreira Leite fala do tema de uma forma abrangente e lembra que em tempos de crise, a Terceirização é mais uma maneira de privilegiar os empresários e onerar os trabalhadores brasileiros. Leia mais no Editorial do jornalista Felipe de Jesus.

Página 2

Portal Sucesso

Neílton Sávio

Trabalho escravo gera lucros de US$ 12 bi para empresas no país

Página 7


Revista

Editorial

2

Felipe de Jesus

Presidente /Jornalista e Design Responsável

Terceirização: retrocesso ou avanço para o Brasil?

Felipe José de Jesus Jornalista (JP) - (FENAJ:15.263-MG - SJPMG) - (Federação Nacional dos Jornalistas - Brasília) Design - (APPB:3.040- RP/SP) - (Associação dos Profissionais de Propaganda do Brasil - RP- SP) Editor Geral do JCE: Diretor de Redação / Editor de Economia e Finanças e Entretenimento Extensão Universitária: Comunicação Empresarial Pós graduado (Lato Sensu) em Administração e Marketing Mestre em Comunicação Social: Especialização em Jornalismo e Ciências da Informação TI Bacharelando em Teologia - (Teologia) - Faculdade Esabi/BH/MG

A

Terceirização em contratos de trabalho (ou a desvalorização do trabalho formal, diminuição de ganhos e salários, como é tratada) vem sendo um dos temas mais debatidos na imprensa brasileira nas últimas semanas. Para alguns especialistas, a Lei 4330 poderá ser um retrocesso. O articulista Paulo Moreira Leite fala do tema de uma forma abrangente e lembra que em tempos de crise, a Terceirização é mais uma maneira de privilegiar os empresários e onerar os trabalhadores brasileiros. O projeto defendido por muitos políticos e empresários e ignorado por muitos especialistas, pode representar um retrocesso civilizatório como descreve o articulista Paulo Moreira Leite. “Nem a ditadura militar de 1964, articulada e promovida pelos adversários históricos da Consolidação das Leis do Trabalho, e que assegurava suas vontades com fuzis e canhões, ousou promover um ataque dessa natureza. Como novidade legal, o regime militar a aboliu a estabilidade no emprego, que impedia demissões de quem completava dez anos na empresa. Mas a ditadura criou o FGTS, que permitiu a cada assalariado fazer suas economias e, em caso de demissão, sacar um dinheiro para enfrentar uma maré previsível de dificuldades e até pagar a casa própria”, comentou. Segundo Leite, os custos do emprego formal se tornaram incompatíveis com os investimentos e o crescimento. “Sem muitos retoques, o que se quer é o retorno do escravo de ganho. Vamos receber por cocada vendida, por roupa costurada? Na década de 1990, quando a elite brasileira importou as propostas da contra revolução conservadora de Margaret Thatcher e Ronald Reagan, os célebres analistas de recursos humanos diziam que o trabalho de vendedor ambulante, desses que vende guardaguarda-chuva numa barraquinha, podia ser mais conveniente e promissor do que de um operário registrado na indústria de automóveis, com férias e 13o. Isso era dito em palestras, reproduzido em jornais e revistas”, diz. Na conjuntura brasileira atual, a Terceirização pode ser uma oportunidade econômica de crescimento, mas uma forma de confirmar as perdas financeiras (dividas bilionárias do Governo Federal) contraídas em 2014 por falta de uma política mais enérgica e voltada para os interesses do povo e não para o ‘ego’ de um partido. Hoje sem referências, o partido ‘DOMINANTE’ tenta levantar uma tese de que com eles, nos seus 10 anos de governo, os brasileiros alcançaram metas e melhorias. No entanto, quais metas, já que a educação está sucateada, a inadimplência e a inflação altíssima e o desemprego nas pautas diárias de diversos jornais? Será que a Lei 4330 pode ser um avanço como dizem, ou mais uma vez um problema que cairá sobre as costas dos trabalhadores brasileiros?

Conselho Editorial RCE - Jornalistas (JP) Karine Alonso Jornalista (JP) - (FENAJ:16.315.MG - SJPMG) - (Federação Nacional dos Jornalistas - Brasília) Diretora / Editora de Esportes e Fotografia (Imagem em Pauta) Pós graduando em Jornalismo Esportivo Frederico Gazel Jornalista (JP) (FENAJ:15.423-MG - SJPMG) - (Federação Nacional dos Jornalistas - Brasília) Diretor / Editor de Xadrez - (Xadrez) Mestre FIDE (Mestre da Federação Internacional de Xadrez)

Parceiros/ Colunistas Jô Amaral - Colunista - (Coluna: Em Campo)

Comercial JCE (Marketing - Publicidade) Felipe de Jesus - Jornalista (JP) e Design (P) Karine Alonso - Jornalista (JP)

Distribuição da Revista e Diagramação Jornalista (JP) e Design: Felipe de Jesus

Fotografia: Equipe da RCE e Divulgação Colaboradores desta Edição Revisão dos artigos - Coluna Em Campo e Comportamento: Frederico Gazel / Pedro Soares (colunista) - (sem fins lucrativos)

Fala leitor.. Este espaço é para os leitores da ‘Revista Correio Eletrônico’ deixarem seus comentários sobre as nossas matérias, artigos e capa preferida . Participe, o seu comentário pode sair na próxima edição!

Felipe de Jesus Editor Geral E-mail: jornalcorreioeletronico@gmail.com

https://www.facebook.com/pages/Jornal-eRevista-Correio-Eletr%C3%

Site do Jornal Correio Eletrônico www.jornalcorreioeletronico.com.br

31- 8561– 5255

Assinatura da revista e anúncio (Anuncie na revista e ganhe sua publicidade no site do JCE) agenciadecomunicacaocorreio@gmail.com e jornalcorreioeletronico@gmail.com Impressão: Gráfica IMAGE - Artes Gráficas - Belo Horizonte - Minas Gerais Uma publicação da Agência de Comunicação e Publicidade (ACP Correio Eletrônico) Contatos: OI (031) 8561 - 5255 - OI:8570-7347 (BH-MG) e CLARO: (031) 8254 - 5811

CNPJ: 17.169.522/000117.169.522/0001- 14 - MEI (ATIVO) Todos os Direitos Reservados - 2012

S

empre curti o Jota Quest e nesta capa consegui entender a força da música deles. São grandes artistas e isso ninguém pode negar. O último disco realmente é muito bom e traz algumas coisas do primeiro CD, gravado na década de 1990. Quero parabenizar a equipe pela escolha da capa, por que Minas é um celeiro de grandes artistas e isso mostra que a música mineira continua forte no cenário nacional. Além desta capa, outras já me chamaram a atenção, mas essa para mim é especial por que gosto muito do trabalho deles e a matéria descreve bem sobre o disco, o que para mim é fundamental, já que hoje poucas publicações falam de música tão profundamente e com um olhar critico. Parabéns! César Mesquita - Marketing e Publicitário

FilieFilie-se e adquira a carteira de associado - Contato BH: (031) 82548254-5811 / 85618561-5255


Trabalho em foco.... Jornalista (JP) Felipe José de Jesus

A

abolição da escravatura no Brasil foi decretada há 125 anos. No entanto, nem mesmo a modernidade foi capaz de apagar alguns vestígios dessa época. Isso porque o trabalho escravo ainda existe em diversas empresas, de acordo com relatório da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE). Para se ter uma ideia, quase 2.500 pessoas foram resgatadas em situações semelhantes à escravidão em 2013/2014, e a sujeição tem gerando lucros para muitas empresas privadas. Segundo o relatório, Estimativas Econômicas Globais do Trabalho Forçado, da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a exploração gera para as companhias US$ 150 bilhões ao ano. Desse montante, o Brasil lucra quase US$ 12 bi e Minas Gerais cerca de R$ 20 milhões, já que o estudo do Ministério Público do Trabalho (MPT-SP) revela que as corporações economizam com a mão de obra escrava até R$ 2 milhões com cada empregado. Em entrevista, o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho - 3ª Região (abrangência MG), Emerson José Alves Lage, um dos responsáveis pela criação da “Campanha Estadual de Enfrentamento ao Trabalho Escravo ou Degradante”, fala sobre a ação e afirma que o SRTE vem intensificando as fiscalizações. “A morte dos auditores fiscais na cidade de Unaí e a imigração no Brasil que cresce cada vez mais, nos ajudou a criar a campanha. A imigração traz uma vulnerabilidade muito grande no mercado, pois essas pessoas que vem para o país têm um conceito muito diferente de trabalho e aceitam qualquer ocupação. Existe uma resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que regulariza a situação do irregular, mas a vulnerabilidade não. Queremos olhar a segurança, as condições humanas de trabalho, etc. Tanto que de janeiro a maio de 2014 conseguimos encontrar em Minas mais de 240 pessoas em situação de escravi-

Desembargador Emerson Lage: “A nossa expectativa é interiorizar a ação e mapear o Estado”

Questionado sobre quais setores o SRTE vem encontrando mais casos de abuso, o desembargador destaca que a agroindústria domina. Porém, ele garante que o interior de Minas será mais fiscalizado. “A nossa perspectiva é interiorizar a ação e mapear o Estado. Muitos dos casos acontecem na zona rural, apesar de que nos grandes centros é possível encontrar situações humilhantes. A ideia é fazer uma inspeção pesada na região Sul, onde se encontra mais o plantio de café e no Triângulo Mineiro, onde temos o cultivo de cana. Existem locais onde os trabalhadores são cercados por capatazes, privados de falar com a família e, às vezes, mortos por falta de obediência. Inclusive já encontramos diversas ossadas”, informa. Lage conta que depois de encontrada a pessoa, o SRTE detecta a situação, faz a auditoria e a retira dali. “Após

Uma publicação mineira de cultura, lazer, xadrez, fotografia, eventos, finanças-economia e turismo.

Peça já a sua pelo: agenciadecomunicacaocorreio @gmai.com

Receba a revista em sua residência e ganhe também a

3

Trabalho escravo gera lucros de US$ 12 bi para empresas no país

Assine a ‘Revista Correio Eletrônico’

Ou pelos telefones: (031) 8561-5255 (031) 8570-7347

Foto: Neílton Sávio

Apenas: R$ 50 por ano

o resgate, a empresa tem que pagar tudo o que deve e ainda liberar o seguro desemprego. No entanto, a vulnerabilidade volta em seguida, pois na outra esquina tem um trabalho nas mesmas condições. Vamos fazer uma frente com a sociedade civil para averiguar isso, porque ainda não temos um pós-resgate. Uma empresa do setor imobiliário entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo para que as empresas na lista negra pudessem voltar às atividades. E o ministro Ricardo Lewandowski aceitou e deu à liminar. Agora, vamos ver o que pode ser feito para combater isso”, salienta. Números que assustam >> Durante as inspeções ocorridas de janeiro a maio de 2014, a regional mineira emitiu mais de 229 autos de infração cerca de R$ 372.711,68 em indenizações aos trabalhadores. Em apenas um ano, o trabalho forçado na economia privada gera cerca de US$ 150 bilhões de lucro. Lage comenta que em Minas Gerais esse número deve ser expressivo. “Esperamos que o índice de resgatados aumente ainda mais para que possamos barrar esses ganhos desonestos. No país, mais de 2 mil trabalhadores foram resgatados e queremos que esse indicador cresça em 2015”.O desembargador finaliza dizendo que as denúncias podem ser feitas por meio dos órgãos competentes como o Ministério do Trabalho de cada região, ou também pelos órgãos das Superintendências de Trabalho da cidade. “As pessoas devem entender que isso é sério, que demanda muita gente e, além disso, tem um custo alto, por isso devem ser feitas com seriedade. Esperamos que exista um re-

ceio maior das empresas”, conclui.


Xadrez...

Fotos: Divulgação

4

Mineiro Evandro Barbosa vence competição na Argentina Brasileiro é campeão de um dos torneios mais tradicionais da América Jornalista (JP) Frederico Gazel

U

m dos eventos mais fortes do continente sem dúvidas vai ficar marcado para a história do Brasil. O jovem talento e Mestre Internacional Evandro Amorim Barbosa sagrou-se campeão ao desbancar mais de 187 concorrentes em Mar del Plata, cidade costeira da província de Buenos Aires na Argentina. O 46º Torneio Aberto Internacional de Xadrez “Cidade de Mar del Plata - Marcel Duchamp 2015 contou com 39 atletas titulados: destaques para 3 Grandes Mestres, e 11 Mestres Internacionais. Contou também com atletas locais da cidade além de jogadores do Uruguai, Chile, Peru, Paraguai, Colômbia, Bolívia e outros. Do Brasil, a delegação foi de 13 enxadristas. O mineiro de São Sebastião do Paraíso, venceu 8 adversário e cedeu dois empates terminando a prova invicto e ganhou pontos do ranking da Federação Internacional de Xadrez (FIDE). Em entrevista exclusiva à Revista Correio Eletrônico, Evandro diz ter se preparado para a competição de forma bem específica. “Durante o torneio, eu tentei focar o máximo e preparar o

O campeão Evandro e toda a delegação Brasileira na competição.

dia todo para meus adversários, já que havia uma partida por dia então fica mais tranquilo para se preparar”, relata o Mestre. Além da bagatela cifrada em $12mil pesos (cerca de R$4mil), Evandro fala sobre o evento e seu desempenho “Apesar de algumas falhas no lançamento dos resultados e não terem passado partidas ao vivo, foi sem dúvida um torneio muito bem organizado, um tradicional torneio. Foi um dos melhores torneios que já fiz e estou subindo os

pontos chegando 2500” ressalta.

aos

Brasileiros completam o bom desempenho Além do primeiro lugar do brasileiro, outros atletas tiveram notáveis destaques.O paulistano e Mestre FIDE Renato Quintiliano terminou a prova em 4 lugar ao somar 7 pontos com 7 vitórias e duas derrotas. Uma delas para o segundo colocado -que é a jovem promessa latina, o Grande Mestre Jorge Cori

MI Evandro x GM Jorge Cori (peru) última partida que deu o titulo ao brasileiro.

MI Evandro Amorim Barbosa

e perdeu também para o Campeão. Outro brasileiro de destaque foi o Mestre Internacional e mineiro Roberto Molina que alcançou a 8ª colocação. Venceu 6 concorrentes, empatou duas e perdeu outras duas, sendo uma delas também para o campeão. Semanas antes, ambos jogadores disputaram um torneio em Buenos Aires, somando excelentes resultados individuais. Renato conseguiu sua última norma para se tornar Mestre Internacional (MI) enquanto Roberto Molina chegou a sua segunda norma de Grande Mestre Internacional (GMI) Roberto Molina em 8º lugar.


S

Foto: Rodrigo Martinez

5

Economia... Com queda do ICMS etanol fica 65% mais barato que a gasolina Baixa poderá ajudar o setor sucroalcooleiro já que ele demitiu mais de 8 mil nos últimos 5 anos em Minas Gerais

Jornalista (JP) Felipe José de Jesus

C

om o aumento expressivo do preço da gasolina, o trabalhador brasileiro tem precisado cada vez mais apertar o seu orçamento familiar para conseguir abastecer o seu automóvel e por isso, muitos estão aderindo ao transporte público, ou mesmo as bicicletas para evitar o gasto excessivo. Todavia, uma saída que vem sendo encontrada para não deixar de utilizar os veículos ‘Total Flex’, é o abastecimento com etanol, que recentemente teve redução da alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 19% para 14%. Já a gasolina teve um aumento no imposto de 27% para 29%. Enquanto o litro da gasolina custa em média R$3,39, o etanol custa R$2,29 em postos da capital e Minas Gerais, quase 65% a menos. Em entrevista, o economista, professor da faculdade Isabela Hendrix e vicepresidente do Sindicato dos Economistas do Estado de Minas Gerais (Sindecon-MG), Gelton Filho, explica que no momento o etanol vem sendo extremamente vantajoso para os consumidores, principalmente pelo preço. “Para ser mais vantajoso, o litro do etanol deve custar acima de 70% do litro da gasolina, como está agora. Esta queda do imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 19% para 14% pode ser uma forma de aliviar o bolso do consumidor já que a gasolina tem deixado muitos carros na garagem, Hoje é possível economizar, já que o etanol custa em média até R$2,40 em alguns postos, quase R$1,15 a menos que a gasolina. Fora isso, com esta queda, o etanol pode ajudar o setor sucroalcooleiro que não está muito bem”, analisa. Segundo o economista, a queda da alíquota ajudará a retomar os diretamente os investimentos do setor sucroalcooleiro em Minas Gerais, já que ele estava registrando muitas demissões. “Há o problema recorrente das dívidas e das renegociações. Com essa nova política adotada no caso do ICMS para o Etanol, uma retomada é possível no médio e longo prazo. Mas é preciso avançar também em tecnologia, na

Economista Gelton Filho: “Se essa política do etanol se confirmar no médio prazo, os investimentos virão com certeza para o setor sucroalcooleiro”

escolha de terras mais planas para o plantio e principalmente na parceria com as universidades para a ampliação e melhora do setor como um todo. Se essa política do etanol se confirmar no médio prazo, os investimentos virão com certeza e isso é ótimo para o setor”, acredita. O setor demitiu nos últimos 5 anos, mais de 8 mil pessoas. De olho na escolha Apesar de ser mais barato que a gasolina, especialistas da área financeira dizem que o etanol é consumido mais rapidamente pelos veículos que a gasolina, o que eleva a frequência de visitas aos postos. O vice-presidente do Sindecon-MG, lembra que mesmo sendo consumido rapidamente, o motorista deve analisar e fazer um cálculo para ver qual aditivo é mais vantajoso. “O etanol têm mais potência, gera mais explosão em termos de km, ele roda menos, mas é compensado pelo valor que é bem menor. Já a gasolina gera menor potência, mas maior autonomia, ou seja, mais kms com um tanque. Para descobrir qual deles pesa menos no bolso, é preciso fazer um cálculo simples. Basta dividir o valor do litro do etanol pelo

da gasolina. Se o resultado for menor que 0,7, abasteça com o primeiro. Se for maior, a pessoa pode optar pelo segundo”, ensina. A Agência Nacional do Petróleo (ANP) divulgou no dia 20 de março uma pesquisa com os preços em 95 postos de Belo Horizonte. Em nota, ela afirmou que os efeitos da redução do ICMS do etanol e o aumento do mesmo tributo para a gasolina ainda não foram totalmente analisados.


6

Comportamento......

Imagens: Divulgação

A ditadura da estética

Jornalista (JP) Karine Alonso

A

busca pelo corpo perfeito está em constante aceleração e com isso a insatisfação torna-se uma inimiga das pessoas, ninguém nunca está em harmonia com o seu corpo e existe sempre o que melhorar. As academias estão sempre lotadas e as clínicas de estéticas ganharam maior destaque entre os principais tratamentos para o corpo. Ser admirado pelo próximo faz bem para autoestima e ajuda a manter um corpo saudável. Mas quando isso se torna uma obsessão o fim pode ser infeliz. Quais são os maiores vilões que viram a cabeça das mulheres e homens vaidosos? Podemos encontrar diversos exemplos que nos levam a vários caminhos. Mas, existe uma resposta que encontramos há muitos anos e que se reafirma a cada ano. A psicóloga Ana Eliza Cavalcanti acredita que as mulheres especialmente se espelham em musas que a mídia coloca em destaque “As pessoas ficam tão “neuradas” pela busca do corpo perfeito que não percebem que estão fazendo mal para si mesmos. Muitas mulheres querem ter o corpo como o das panicat’s, por exemplo, e querem adquirir os produtos como suplementos para ficarem iguais. E a autoestima só aumenta

curar orientação certa de acordo com a cirurgia a ser realizada”, afirma. Recentemente o Brasil acompanhou o caso da apresentadora Andressa Urach e do modelo Celso Santebanes, mais conhecido como “Ken Humano” que fizeram aplicação de hidrogel para aumentar o volume das coxas. Andressa realizou aplicações e tempos depois começou a sentir fortes dores nas pernas e o diagnóstico foi comprovado que o seu corpo estava rejeitando a substância. Sendo assim, teve que submeter a cirurgias e internação na UTI para retirada do produto e mesmo com tratamento, as pernas da apresentadora começaram a ficar deformadas. No caso do modelo Celso foi mais grave. Ao concluir todos os exames, constatou que o modelo estava com leucemia. Não há confirmações que a doença é derivada da aplicação do hidrogel, mas com a aplicação do produto surgiram várias outras complicações ocasionaram durante o tratamento. Casos como este servem como alerta a todos aqueles que extrapolam na hora de cuidar dos padrões de beleza. Há um limite entre o corpo saudável e o exagero. O limite é percebido quando começam a surgir prejuízos em casos pessoais, sociais, financeiros ou de saúde.

quando chegar ao resultado bem próximo, ou melhor, ao da celebridade em que se espelhou. Quando o processo de emagrecimento ou vaidade em excesso torna-se um vício que ultrapassa a saúde, o ideal é buscar ajuda médica e psicológica”, afirma. A mídia é apontada por psicólogos e estudiosos por criar padrões de beleza e aquele ou aquela que fugir do que é vendido em novelas, seriados e afins, sentem -se excluídos por uma parte da sociedade. A jovem Laila Stéphanie, 22, colocou silicone nos seios para aumentar a autoestima e adequar a qualquer tipo de roupa. Fez a operação no ano de 2013 e garante não ter feito nenhum exagero para conseguir realizar o seu sonho. “Eu acho uma loucura exageros estéticos, vira uma obsessão. Eu Psicóloga Ana Eliza Cavalcanti me sinto muito feliz com a “As pessoas ficam tão “neuradas” pela cirurgia que busca do corpo perfeito que não percebem eu fiz e não que estão fazendo mal para si mesmos” preciso de mais nenhuma. Acho que esses casos mal sucedidos se devem ao descaso do próprio paciente em não procurar um bom médico ou procurar orienta-


7

Foto: Portal Sucesso

Novidade nas lojas... vocalista do Vanguart. Ele participa da música Será Que eu Vou Me Arrepender. Ele, de certa forma representa a nova geração no disco, pois é um artista que tem uma voz reconhecível no primeiro segundo, isso é precioso. É o sangue novo no disco. Além dele tive o grande prazer de convidar o João Barone, baterista do Paralamas do Sucesso, que é um amigo antigo. Nós temos cumplicidade, de certa forma vivemos coisas parecidas e é muito bom ter ele registrado em meu disco na música Ohayou”, revela. Participam do disco também, Arnaldo Antunes e Bebi Borja.

Muito além do ‘Kid Abelha’ Paula Toller lança seu quarto disco solo com participações especiais

Entre as canções que recheiam o disco, Toller comenta que três são bem marcantes incluindo a faixa titulo, Transborda. “A faixa-título surgiu depois que vi de um avião, as matas da região serrana fluminense com as marcas das fortes chuvas de janeiro de 2011, que deixou muitos mortos. De certa forma, inspiração vem de qualquer lugar, isso é fato a gente não controla. Eu fico atenta a tudo que acontece, e escrevo quando acho que tenho algo interessante a dizer”, diz. Além das duas faixas, Toller destaca a canção Já Chegou a Hora, que é uma das músicas que retratam o universo feminino. “Fico muito satisfeita quando um homem e uma mulher se entendem. Acho que podemos conseguir isso hoje em dia, depois de tanta batalha”, filosofa. Kid Abelha e turnê >>

Jornalista (JP) Felipe José de Jesus

E

la é loura alta e além de tudo, bonita, mas o estereótipo de 'loura burra' passa bem longe de sua carreira. Paula Toller, 52, que ficou conhecida nos vocais do grupo Kid Abelha nos anos de 1980, vem conseguindo provar cada vez mais que seu profissionalismo pode ultrapassar barreiras. Prova disso, é que ela volta ao cenário musical depois de sete anos com seu mais novo e quarto álbum solo intitulado por Transbordado. O disco foi produzido por Liminha (produtor de grupos como Titãs, Paralamas, Capital Inicial e etc) e marca os seus 32 anos a frente do grupo Kid Abelha. Além ter sido gravado no formato de CD, o disco deverá chegar às lojas de todo Brasil em vinil. A cantora se apresenta em Belo Horizonte possivelmente no meio do ano. Em entrevista, Paula Toller fala sobre esta nova fase da carreira e afirma que seu novo disco é mais Rock que seus CD´s lançados em 1998, 2007 e 2008. Para ela os fãs vão se surpreender com o resultado. “Eu queria fazer um disco que fosse a minha cara, na verdade que mostrasse como a música pode ser capaz de rejuvenescer e o CD Transbordada tem isso, um pouco diferente dos meus discos anteriores. No meu primeiro disco solo que eu gravei, eu

queria mesmo era mostrar a voz em um repertório de Standards. Já no disco SoNós eu construí de certa forma uma rede de amigos e parceiros que até hoje me acompanham. Já o CD Nosso foi um show ao vivo, na verdade o primeiro que estive a frente. Todos estes discos tem algo que eu nunca havia feito, só que o CD Transbordada é o resultado de toda a minha carreira até agora e estou mais próxima de mim mesma artisticamente”, relata. Perguntada sobre a possibilidade de gravar um disco no formato de vinil em tempos de MP3 e downloads grátis, Paula, afirma que o ‘bolachão’ é algo para ser admirado, por isso vale à pena ser gravado. “O álbum foi lançado em primeiro lugar no formado digital que é rápido e claro, abrangente. Já o CD tem um som melhor e não posso deixar de falar sobre o vinil, formato ao qual eu mais convivi com os discos do Kid Abelha. Ele em minha opinião é para ser admirado, é um produto de luxo em minha opinião. Sobre a divulgação por downloads digitais, eu gosto de música, da arte de fazer as pessoas felizes com sinceridade, vigor e alegria, ou seja, contando minha história para todos”, completa. Participações e destaques >> Para a concepção do álbum Transbordada, Paula comenta que alguns parceiros foram essenciais. “No disco trago o músico Helio Flanders,

Perguntada sobre quais são os planos para 2015, a cantora afirma que a turnê de Transbordada está a todo o vapor e passará por diversas cidades, incluindo Fortaleza, Passo Fundo, Rio de Janeiro, Vitória, Natal e outras ainda neste ano. “A turnê que começou praticamente depois do Carnaval não tem data para acabar. Vamos passar por diversas cidades ainda neste ano. Já com o grupo Kid Abelha, por enquanto o que posso dizer é que não temos planos ainda. O grupo está de férias, dando apenas uma respirada”, conclui. Outras informações sobre agenda, músicas, discografia, fotos e shows de Paula Toller pelo: www.paulatoller.com.

“O disco Transbordada é o resultado de toda a minha carreira até agora, é uma longa inspiração “


S

Foto: Ed Capa

Capa RCE... Rafael Dias apresenta o show ‘Indelével’ ‘Indelével’ com novo repertório em BH Após turnê internacional, músico músico mineiro retorna à capital mineira para apresentação no dia 16 de abril no Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec

e outros ritmos ao seu “fazer artístico”. O artista destaca a passagem que fez pela Inglaterra como um momento decisivo para a sua carreira, pois teve contato com músicos africanos, com a música do caribe, o rock, perpassando por ritmos e idiomas distintos, incorporando outras referências musicais como reggae, rock, música latina e R&B, o que o permitiu somar mais ritmos e culturas ao seu trabalho. Um dos momentos marcantes da carreira foi o convite para gravação do CD/DVD da banda ‘Playing for Change’, nas músicas ‘Get up stand up’ - Bob Marley e ‘Clandestino’ - Mano Chao, realizada em fevereiro de 2012. Este trabalho o projetou ainda mais internacionalmente. Dias ainda foi Intérprete da música “Congo”, no CD Identidades, dirigido por Chico Amaral e também participou da trilha sonora do documentário francês “Copas in Bresil” e do CD “Coletânea” – NUC.

Serviço

D

epois de viajar por alguns países para difundir a sua arte, o cantor e compositor neiro Rafael Dias retorna ao cenário musical da capital mineira. No dia 16 de abril (quintafeira), às 20h30, o artista sobe ao palco do Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec (Rua Carijós, 258, Praça 7, Centro) para divulgar o seu trabalho e novo repertório, que integra o show ‘Indelével’, nome do seu segundo disco. Com dois CDs lançados, "Identity” e “Indelével”, o músico realiza pesquisas e experimentações em seu trabalho, buscando influências musicais de diferentes culturas, mesclando sons latinos, africanos, americanos, europeus e brasileiros. O artista, em seu novo show,

propõe um rico repertório, composto por canções autorais além de releituras da MPB e Wolrd Music. No show ele é acompanhado por profissionais respeitados e reconhecidos no cenário da música, como Léo Pires (bateria), Gilles Villeneuve (baixo) e Ernane Jr (guitarra). Todos eles possuem experiência de mais de 10 anos de trabalho e já acompanharam grandes nomes da música popular brasileira. Rafael Dias iniciou sua carreira no bairro Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte. Sua forte atuação em projetos sociais reflete nas composições, com letras que valorizam as realidades sociais, a ancestralidade e a cultura do nosso povo. Com diversas viagens pelo Brasil e o mundo, o músico agregou conhecimentos de outros instrumentos

Rafael Dias apresenta o show ‘Indelével’ em BH Data: 16 de abril de 2015 Horário: 20h30 Local: Teatro de Câmara do Cine Theatro Brasil Vallourec - Rua dos Carijós, 258, Centro - Praça 7 Telefone de informações ao público: (31) 3201-5211 Ingressos: R$ 15,00 (inteira) Pontos de vendas de ingressos: Compra de ingressos na bilheteria do Cine Theatro Brasil Vallourec Segunda a Sábado de 11h ás 21h Domingo de 11h ás 19h Compra pela internet: compreingressos.com Classificação etária: livre Assessoria de Imprensa: Grupo Balo de Comunicação – www.grupobalo.com Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com – (31) 3077- 0606 – (31) 8855 1219

8


Foto: Arquivo Pessoal

Biblioteca Digital: a trilha sonora que faltava para os cineastas mineiros Site disponibiliza gratuitamente 230 títulos para download

utilização. Contudo, esclareço que no link ‘biblioteca’(em português) e ‘library’ (em inglês), encontram-se as músicas com a assinatura em áudio ‘cinemusic’. Isto inviabiliza seu uso em pós-produção audiovisual, por exemplo. Quem gostar de alguma composição e decida utilizá-la em algum outro trabalho deve entrar em contato, que será enviado um link para baixar o arquivo sem a voz gravada por cima (Voice Over). O modo tradicional seria contratar um compositor. Este por sua vez contrata músicos e técnicos, aluga estúdio que grava, mixa e masteriza o trabalho, para finalmente entregar a música ao usuário final”, relata.

Jornalistas (JP) Felipe José de Jesus e Pedro Soares

T

itanic, E o Vento Levou, Forrest Gump, O Guarda Costas e outros grandes sucessos do cinema mundial ganharam notoriedade pelas histórias, mas principalmente por suas trilhas sonoras. Quem não se lembra de My Heart Will Go On, de Celine Dion ou mesmo de I Will Always Love You, de Whitney Houston? As trilhas sonoras vêm se tornando cada vez mais, uma peça chave para os filmes, tanto que, a partir dessa ideia, o mineiro Andersen Viana, Ph.D em Música pela Universidade Federal da Bahia, maestro, compositor, produtor cultural e professor na Fundação

Clóvis Salgado em Belo Horizonte, criou o Cinemusic. O portal disponibiliza arquivos de música em alta qualidade digital gratuitamente, como, trilha sonora para cineastas, vídeo maker e etc. A biblioteca tem o patrocínio da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte (FMC). Em entrevista, Andersen explica que a ideia surgiu após ele ter feito esse mesmo tipo de trabalho no Reino Unido e nos Estados Unidos. Para chegar ao resultado do Cinemusic, ele trabalhou cinco anos. “A ideia surgiu do trabalho que desenvolvi junto a outras bibliotecas digitais de música no Reino Unido e nos Estados Unidos, bem como de pesquisas realizadas na web e em sites de bibliotecas musicais de outros países, tais como: Alemanha, Japão França e Suíça. Além de observação das fichas técnicas de diversos filmes internacionais. Trabalhei neste projeto, especificamente cinco anos ininterruptos. No entanto, dois anos se contarmos a partir do patrocínio da FMC. Contudo, como apenas agora gravei músicas escritas em partituras no ano de 1979, poderíamos considerar quase 35 anos de trabalho”, explica. Para Andersen, o Cinemusic veio para facilitar a vida dos cineastas, já que ele é gratuito e de fácil acesso. “Com ele se economiza tempo e dinheiro, já que as músicas estão prontas para

Iniciativa aprovada Sobre como conseguiu os direitos de uso das trilhas, já que elas são disponibilizadas gratuitamente para os cineastas através do portal, Viana diz que detém o direito autoral de 340 títulos e que algumas trilhas já foram utilizadas em outros longas. “Essa iniciativa somente é possível porque detenho os direitos autorais e conexos sobre os fonogramas, bem como sobre minha obra musical de 340 títulos. Algumas das faixas constantes nesta biblioteca foram utilizadas nos seguintes filmes nacionais e estrangeiros: A Cartomante, Corações Ardentes, 3:00 AM, O Próximo Passo, Minas Portuguesa, Filhos de Adão, Perdidos em Abbey Road, Vivalma, Manuelzão e Bananeira, Ofélia, Opostos, Jogando para o Amanhã, Trem Fantasma, O Homem da Cabeça de Papelão, Bem Próximo do Mal, Um Dia Qualquer, Nego, Ser Humano, Sozinho no Inferno, Reenactment, Desafios e Oswaldo França Júnior”, revela. Para o mineiro Henrique Camargos, 32, diretor de cinema que atualmente está trabalhando no projeto, O Senhor É o Meu Pastor, ligado a valorização do Folclore, diz que a iniciativa do maestro Andersen é providencial. “Acho a idéia de suma importância, principalmente para os produtores que às vezes estão com um orçamento baixo. Eu morei por cinco anos em Los Angeles e lá vi alguns sites que já trabalhavam com isso e achei fenomenal. Aqui no Brasil, ele vai com certeza ajudar muitos os profissionais que são independentes. Com certeza é um formato que vai ser copiado, por que funciona. Eu valorizo demais esse tipo de iniciativa e para mim, são pessoas assim que farão a indústria audiovisual crescer cada vez mais”, comenta. De acordo com Viana, o Cinemusic tem livre direito autoral. “É importante dizer que o acesso é público, gratuito e universal para audição. Qualquer um pode acessar a biblioteca e escutar as atuais 230 Outras informações sobre o Cinemusic pelo: www.cinemusic.com.br

9


10

Em Campo...

Torcedora especial Uma vovó em meio a massa atleticana

Dona Ana Cândida de Oliveira não deixa a desejar e marca ponto em todos os jogos do Galo

relembrar um por um. A filha Maria Aparecida, com quem a mãe mora, conta que a Dona Ana fica emburrada quando algum contratempo os impedem de ir ao estádio e a solução é ver pela televisão. Com semblante meio triste, a senhora confirma que fica mesmo decepcionada de não comparecer, mas que isso raramente ocorre. Um dos últimos confrontos do time alvinegro disputados fora da cidade, lá estava a Vovó do Galo, em Ipatinga, debaixo de um temporal. A alegria de sair de sua casa e viajar quase 215 quilômetros, tem um gosto especial, ainda mais com a vitória por 3 a 0 em cima da Tombense.

S

e a torcida do Clube Atlético Mineiro já é conhecida por sua devoção e fanatismo em meio aos milhares de fanáticos presente nas arquibancadas dos estádios, encontra-se uma senhorinha de delicados cabelos brancos empurrando o time do coração. Com 94 anos, Dona Ana Cândida de Oliveira não deixa a desejar e marca ponto em todos os jogos do Galo, seja em Belo Horizonte, no Horto ou Mineirão, como nas partidas em que o time atua fora da capital mineira. Faça sol ou faça chuva, a noite ou nas tardes ensolaradas, nem mesmo o tempo fechado desanima a nobre torcedora que não mede esforços para estar junto da massa alvinegra. Corpo franzino e andar firme, vestindo a camisa, lá vai ela atrás do clube, levando seu pensamento e sua vibração positiva em busca de mais uma vitória. O amor alvinegro aflora em Belo Horizonte Conhecida como a Vovó do Galo, a senhora natural de Lamim, distrito de Conselheiro Lafaiete é reconhecida por onde passa. A fama da torcedora se espalhou a ponto de se tornar uma celebridade nas arquibancadas. A paixão pelo time, aumentada após sua mudança para a capital de Minas, nos anos 48, foi compartilhada pelo marido, imigrante português, que fazia questão de levar a esposa em dias de jogos do Galo. Nem mesmo o falecimento do companheiro afastou Dona Ana dos estádios. Desde a década de 50, sua presença constante acompanhando de perto o clube do coração, contagiou toda a família. Atualmente, a filha Maria Aparecida, os netos Marcelo e Sabrina e o genro Élcio, são os companheiros fiéis de arquibancada. Por

onde passa, torcedores de todas as idades fazem questão de abraçar e elogiar a disposição da Vovó do Galo, algo de dar inveja a qualquer jovem que é ligado em futebol. Quando a dificuldade em comparecer aos jogos acontece, a família de Dona Ana se reúne em casa para assistir pela TV. Vestidos com o “manto sagrado”, ficam juntos na espaçosa sala da casa onde residem no bairro São Luiz, região da Pampulha, localizada a apenas duas quadras do Estádio do Mineirão. Da varanda da casa, Dona Ana se emociona com a grande movimentação dos fanáticos atleticanos, que invadem os arredores do estádio com bandeiras, músicas e a animação. A Vovó confessa sua ansiedade nas vésperas que antecedem os jogos, onde a rotina é tomada por emoção e o desejo de ver o apito iniciar a partida. Entre casos contados com riqueza de detalhes, Dona Ana relata que já ajudou um jovem vizinho a pegar um galo vivo e levar com ela em uma partida de futebol. Achando graça, lembra que o galo cantou bonito dentro do Mineirão, e que valeu a pena a vizinha, dona do animal ter descoberto a façanha e ficado anos sem conversar com ela. Outro fato interesse que Dona Ana protagonizou foi o adiamento de uma importante cirurgia ao qual ela teria de ser submetida por conta do jogo da final da Copa do Brasil que o Atlético disputaria contra o maior rival. Com o aval do médico atleticano, a operação médica aconteceu após o time levantar a taça.

Sonhos realizados Outro recente acontecimento que permeia a cabecinha da Sra Ana Cândida, foi a visita que fez ao CT do Atlético, conhecido como Cidade do Galo, em Vespasiano. Acompanhada da filha, visitou as instalações do centro de treinamento e se emocionou ao conhecer de perto os craques do time alvinegro. Recebida com carinho e com camisa autografada pelos jogadores e pelo técnico Levir Culpi, a Vovó guarda na memória o carinho afetuoso do abraço de Marcos Rocha, lateral do Galo. Para a senhorinha de quase um século de vida, ainda haverá muito tempo para acompanhar o clube, mas para isso,trata da saúde com todos os cuidados necessários e a gratidão de sua família que abraça seu jeito de torcer. O jovem neto Marcelo, de 22 anos, formado em engenharia, é o fiel escudeiro de Dona Ana. Ele é o responsável por fazer companhia diariamente à avó e é mentor da página criada no Facebook, “Vovó do Galo” hoje com quase de 23 mil seguidores. Marcelo tem um carinho especial com a avó e cuida de tudo o que permeia a vida e a rotina dela. A Copa Libertadores da América também é um sonho que toda a família espera confiante de mais uma conquista no ano de 2015. Se depender da presença e da torcida da Vovó, o Galo levantará muitos troféus.

Vovó celebridade por onde passa A Vovó do Galo que já foi personagem de várias matérias em jornais da cidade e programas esportivos na TV, participou da recente festa de comemoração dos 107 anos do Atlético, convidada pelos Embaixadores do Galo. Em carreata pelas ruas de Beagá, Dona Ana seguiu junto a multidão que tomou conta da porta da sede, em Lourdes e ajudou a abrilhantar a festa. Os casos da Vovó com o Galo são muitos, e a boa memória auxilia a

Jô Amaral Colunista Esportiva e Editora da coluna ‘Em Campo’ no JCE


Sertanejo de primeira...

Banner: Divulgação evento

11

Festival Brasil Sertanejo apresenta grandes nomes da música na Esplanada do Mineirão

O

s maiores nomes da música brasileira estarão reunidos em um só lugar. No dia 9 de maio (sábado), a partir das 14h, a Esplanada do Mineirão (Av. Antônio Abrahão Caram, 1001, Pampulha), que tem se revelado cada vez mais um espaço multiuso e recebido grandes shows nacionais e internacionais, recebe a primeira edição do Festival Brasil Sertanejo. Henrique e Juliano, Jads e Jadson, César Menotti e Fabiano, Victor e Fabiano e Henrique e Diego são as duplas que agitarão o evento, além do grupo Aviões do Forró, com a sua incrível mistura de ritmos que promete não deixar ninguém parado. O Festival Brasil Sertanejo estreia em Belo Horizonte com realização das empresas Nenety Eventos e João Wellington Promoções, que são referência em grandes eventos em Minas Gerais. A grade de shows foi montada com o objetivo de atender os gostos do público exigente de Belo Horizonte e, por isso, os maiores nomes da música sertaneja foram convidados para integrar o evento. Food Trucks - Além das diversas atrações musicais, o público que for ao festival poderá contar com um setor de alimentação composto por Food Trucks, ou os ‘caminhões de comida’, sensação do momento em todo o país. Os veículos que estarão no evento são os mesmos que levaram as delícias da gastronomia para o Lolapalooza. Já os que estiverem no ‘Camarote Woods’, poderão desfrutar do ‘Open Food’ que também será abastecido por vários Food Trucks, oferecendo o melhor da gastronomia. Henrique e Juliano - Influenciados por João Paulo e Daniel, a dupla que nasceu na pequena cidade de Palmeirópolis, no Estado do Tocantins, começaram a aparecer com força em 2013, quando lançaram seu primeiro DVD, de onde saíram algumas músicas de destaque como: "Mistura louca", "Recaídas" e "Não Tô Valendo Nada". Atualmente a dupla Henrique e Juliano está entre as mais pedidas nas rádios de todo o país devido ao sucesso da música “Até Você Voltar”.

Jads e Jadson - Nascidos na cidade de Catanduva/PR, os irmãos começaram a carreira ainda crianças fazendo shows em diversas cidades do Brasil. Em 1999 eles se separa-

ram, mas em 2003 a dupla se uniu novamente para gravar o seu primeiro CD, Jads e Jadson Acústico. Depois disso a dupla não parou mais e de lá para cá foram lançados oito discos. Em 2013 eles gravaram o CD e DVD Ao Vivo em Maringá, estourado nas rádios brasileiras com alguns sucessos como, Jeito Carinhoso, Na Sua Estante, Eucalipto e Amor Não Deixa.

Chupa Que é de Uva e Tome Tome o grupo liderado por Solange Almeida e Alexandre Avião, completou 13 anos de carreira e para comemorar, lançou recentemente para os fãs seu mais novo DVD, Ao Vivo em Fortaleza, que traz grandes hits e participações especiais.

César Menotti e Fabiano - Os irmãos que completaram 10 anos de carreira viveram em Ponte Nova/MG até a adolescência, e mudaram-se para Belo Horizonte onde começaram a ganhar espaço tocando em bares frequentados por universitários. Mas o sucesso só veio mesmo quando eles assinaram um contrato com a gravadora Universal Music e lançaram o DVD Ao Vivo Palavras de Amor, com os sucessos, Caso Marcado e Leilão. Recentemente eles lançaram o CD Memórias 90 que traz grandes hits como, Nuvens de Lágrimas, Talismã e etc.

Festival Brasil Sertanejo Local: Esplanada do Mineirão – Av. Antônio Abrahão Caram, 1001, Pampulha Atrações: Henrique e Juliano, Jads e Jadson, César Menotti e Fabiano, Aviões do Forró e Henrique e Diego Data e horário: 9 de maio (sábado), a partir das 14h Valores dos ingressos: Pista: R$ 60,00 Área vip com acesso a frente do palco: R$ 90,00 Camarote Atléticas Liga Universitária: R$ 160,00 (masculino) e R$ 140,00 (Feminino) Open bar com Ice, jurupinga, cerveja, refrigerante e água Camarote Nosso Botequim : R$ 190,00 (masculino) e R$ 150,00 (feminino) Open bar com vodka, mojito, cerveja, citrus, suco,refrigerante, e água Camarote Woods Premium: R$ 350,00 (masculino) e R$ 280,00 (feminino) Open food em Food Trucks e open bar com whisky 8 anos, energético, vodka premium, espumante, cerveja, citrus, suco, refrigerante e água

Serviço

Victor e Fabiano - Nascidos em Sete Lagoas, a dupla vem ficando conhecida por causa de suas batidas dançantes, como: “Sou o rei da mulherada”, “Ninguém Me Acompanha”, “Muleke Piranha” e “Atraente Envolvente” que estão estouradas nas rádios nacionais. Mas além do sucesso nas rádios, eles estão conhecidos no Youtube com a música “Muleke Piranha”, que já tem mais de 20 mil acessos. Henrique e Diego – Vindos de Cuiabá, capital do Mato Grosso, os jovens iniciaram na vida artística separadamente. Diego despertou o interesse pela música quando criança, já Henrique começou a cantar no grupo de jovens da escola. O encontro entre os dois aconteceu em 1998 e em 2009 eles gravaram o primeiro disco, Te Peço de Volta e de lá para cá mais três álbuns. Todavia, o sucesso só aconteceu mesmo neste ano, após a gravação do disco, Tempo Certo / Ao Vivo em Campo Grande, que traz os sucessos 5 Horas da Manhã, Safadim, Safadim, Festa Boa e Oh Delícia, que estão estouradas nas rádios brasileiras. Aviões do Forró – Com mais de 10 CD´s gravados e quatro DVD´s Ao Vivo, a banda que foi criada em Fortaleza em 2002, vem sendo uma figura marcada nas novelas brasileiras. Conhecido pelos sucessos: Correndo Atrás de Mim,

*Os valores podem mudar sem aviso prévio

Vendas: www.nenety.com.br Nenety Eventos: Shopping 5 avenida ( Rua alagoas 1314 loja 16 - Savassi) Lojas Boundless: Shopping Del rey, Boulevard Shopping, BH Shopping, Buritis Classificação: Pista: 14 anos Área vip: 16 anos Camarotes: 18 anos Informações: (31) 3281 2737 Assessoria de imprensa: Grupo Balo de Comunicação – www.grupobalo.com Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com (31) 3077 0606 | (31) 8855 1219


Divulgação

O jornalismo se modificou, as máquinas de escrever foram trocadas pela tecnologia. Os computadores e a Internet, hoje reinam no século 21. Porém, algo ainda continua o mesmo: jornalismo sério com profissionalismo e credibilidade, poucos conseguem oferecer para os leitores. (Felipe José de Jesus)

Revista

Conheça também o site do jornal: www.jornalcorreioeletronico.com.br E-mail: jornalcorreioeletronico@gmail.com

Revista Correio Eletrônico 29ª Edição - Março, Abril e Maio de 2015  

Uma publicação de Entretenimento: Xadrez, Cultura e Educação, Economia, Editorial, Saúde e Vida, Shows, Futebol, Fotografia, Política, Lazer...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you