Issuu on Google+

O jornalista Frederico Gazel, fala em sua coluna de Xadrez, sobre as possíveis possibilidades de trapaças no jogo e como nos campeonatos menos importantes, as suspeitas de fraude tornaram-se comuns.

A importância da Edição de fotos. Veja no artigo da jornalista Karine Alonso, como a montagem de uma foto pode alterar o foco de uma matéria.

A dupla sertaneja, Fernando Augusto e Fabrício estiveram no Espírito Santo no dia 12 de maio. O jornalista Felipe de Jesus embarcou na viagem e traz os detalhes

Leia na página 7

Leia na página 10

Leia na página 3

Edição 4 - ANO 3 - Maio de 2012 Publicação da Agência de Comunicação e Publicidade Correio Eletrônico (ACPCE) Todos os Direitos reservados

Revista

Foto: Jornalista (JP) Karine Alonso

Transporte de qualidade

Coopertar: Locação, Fretamento e Turismo A empresa tem 9 anos e vem se destacando no setor de transportes em Minas Gerais, por sua qualidade no atendimento e respeito aos clientes. Conheça um pouco mais sobre a história da empresa, a diretoria, funcionários e as expectativas para

2012.

Da esquerda para a direita: direita Orlando, Aparecida e Rafael Equipe da Coopertar: Qualidade em 1º Lugar

Leia mais: Página Empreendedorismo

11

Jovem Rock D´La Rua lança seu EP

Página 8

A banda lançou o primeiro CD no dia 11 de maio, na casa de show Matriz - Centro de Belo Horizonte. O local que é conhecido entre os roqueiros da Capital, recebeu mais de 170 pessoas que foram curtir o gênero extremamente autoral do Rock D’ La Rua. Os jornalistas: Frederico Gazel e Karine Alonso estiveram presentes no show. Confira!.

Página 5

Página 9

SEBRAE

A força do Açaí

Karine Alonso

Estudiosos não se cansam de vasculhar a composição desse fruto. A nova descoberta é o poder na criação de barreiras protetoras para os neurônios, a redução de alguns tipos de câncer e a diminuição dos níveis de colesterol. Veja na coluna da nutricionista Mariana Urias.

De acordo com a pesquisa ‘Evolução do Empreendedorismo no Brasil’ realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE) juntamente com a o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), não são os mais velhos que dominam este mercado autônomo, mas sim os jovens entre 18 até 34 anos, a conhecida geração Y, abrangendo 52%. Leia a entrevista realizada pelo jornalista Felipe de Jesus, com o economista Ricardo Pereira.

Saúde e Bem Estar


Editorial

2

Revista

Felipe de Jesus

Inadimplência Com

Presidente e Jornalista Responsável (JP) Felipe José de Jesus - Jornalista (DRTJP:15.263-MG - SJPMG - FENAJ) Editor e Diretor de Redação: Editor de Economia e Finanças - Diagramador (criação)

a abertura de crédito

para a Classe C, a economia brasileira tem sido impulsionada, mesmo com os indícios de uma crise internacional, que poderá bater na porta brasileira. Para os governantes, o consumo é bem visto, pois movimenta o comércio, gera empregos. Contudo, o grande problema hoje em relação ao consumo, é que a inadimplência está aumentando demais no país. Na semana passada, o jornal Folha de São Paulo publicou em sua capa, uma chamada que preocupa os economistas, a inadimplência cresceu 5% em relação a março de 2012. Porém, para impulsionar ainda mais o consumo e manter a economia em seus eixos, a nossa presidenta Dilma Rousseff rebateu, dizendo que a probabilidade da crise internacional é remota, e que o Brasil tem 100, 200, 300% de chance de não ser atingido. Tomara que a previsão esteja correta, pois uma crise agora, é o que muitos especialistas não desejam. Vamos aguardar!!

Conselho Editorial RCE - Jornalistas (JP) Karine Alonso (DRTJP:16.315.MG - SJPMG-FENAJ) Diretora e Editora do Imagem em Pauta Frederico Gazel (DRTJP:15.423-MG - SJPMG - FENAJ) Diretor - Revisão de Textos e Editor de Xadrez - (criação) Comercial (Marketing - Publicidade) Karine Alonso (JP) e Felipe de Jesus (JP) Apoio Jornalista (JP) Geize Pires Agenciadora Captação de Eventos para revista e jornal Fernando Roger Diretor de Distribuição Jornalista (JP) - Felipe de Jesus (JP) Fotografia: Equipe RCE e Divulgação Assinatura (anual) da revista agenciadecomunicacaocorreio@gmail.com Impressão: Gráfica IMAGE - Artes Gráficas - Belo Horizonte - Minas Gerais Uma publicação da Agência de Comunicação e Publicidade (ACP Correio Eletrônico) Contatos: (031) 8561-5255 - 8570-7347 - (BH-MG)

Fala leitor.. Este espaço é para os leitores da ‘Revista Correio Eletrônico’, deixarem seus comentários sobre as nossas matérias e artigos. Participe, o seu comentário pode sair na próxima edição!

Felipe de Jesus Editor Geral

CNPJ: 03.379.599/0001-04 Todos os Direitos Reservados - 2012

“Li a revista por acaso, pois estava procurando artigos de economia para por no meu Blog. Logo tive a oportunidade de ver a ‘Revista Correio Eletrônico’. No entanto, o que me chamou a atenção foi a matéria de capa, pois se trata de jovens que foram para fora do Brasil, para mostrar a força do Xadrez, na República Tcheca. O que me chamou a atenção também, é que eu achava que a revista já era uma publicação antiga, mas quando vi, era a 1ª edição. Parabéns pelos artigos e pelas matérias, todas muito bem feitas, e o melhor, com paixão jornalística. Ana Dias - Administradora de Empresas


Xadrez

3

Trapaças até no Xadrez?? www.scacchierando.net

Marcado não somente pelo cordialismo, o xadrez completa-se pela lealdade e honestidade dos jogadores. Certo? – Nem sempre....... _________________________________ Frederico Gazel

T

em como roubar no xa-

drez?. E quando você vai ao banheiro, ou simplesmente levanta-se da mesa?. Em campeonatos promovidos por federações e organizações que regem o xadrez, é permitido ao jogador levantar de sua partida para seus afins – água, banheiro, fumar, etc. Para que não haja roubos ou surrupias, os jogadores são obrigados a registrar as partidas por meio da “notação enxadrística”. Com este recurso, é possível saber como a partida seguiu até seu final. A Planilha de xadrez, como é conhecida, é a forma legal da organização do evento controlar estes registros. Com tudo, dentro do salão de jogos, existem árbitros acompanhando o decorrer do torneio observando como se portam os jogadores. Mesmo assim, há outras formas de “burlar” estes precedentes. No passado, uma das poucas maneiras de trapacear no xadrez era pedir ajuda a jogadores mais experientes, por meio de sinais e códigos secretos. Atualmente, com a chegada das novas tecnologias, muitos jogadores querem trazer para suas disputadas, vantagens deste avanço. Em competições, tornou-se corriqueiro surpreender jogadores usando telefone celular ou outro tipo de aparelho de comunicação sem fio para receber instruções sobre os melhores lances, quase sempre recomendadas por programas de computador. Nos campeonatos menos importantes, as suspeitas de fraude tornaramse comuns. No World Open, disputado nos Estados Unidos, um jogador americano chamado Steven Rosenberg foi pego com um receptor sem fio na orelha e expulso do torneio. Outro participante, o americano Eugene Varshavsky, um dos últimos colocados em sua categoria, despertou suspeita por derrotar em seqüência dois grandes mestres. Uma análise de suas últimas 25 jogadas mostrou que eram idênticas às recomendadas pelo programa de computador Shredder,

Vladimir Kramnik

um dos mais avançados para xadrez. Não havia como provar, mas Varshavsky foi vigiado de perto até o fim do campeonato e não conseguiu mais nenhuma vitória. Em outubro de 2006, uma denúncia de fraude quase levou à suspensão do Campeonato Mundial de Xadrez, na Rússia. O empresário do húngaro Veselin Topalov, que já foi primeiro no ranking da Federação Internacional de Xadrez, reclamou que o russo Vladimir Kramnik, campeão mundial de xadrez clássico, estava trapaceando na série de doze jogos entre os dois. A suspeita era que Kramnik estava usando as suas idas ao banheiro – uma média de cinqüenta por partida – para receber instruções.

Assine a ‘Revista Correio Eletrônico’

Uma publicação mineira de cultura, lazer, xadrez, fotografia, eventos, finanças-economia e turismo.

Peça já a sua pelo: agenciadecomunicacaocorreio @gmai.com

Ou pelos telefones: (031) 8561-5255 (031) 8570-7347

Receba a revista em sua residência e ganhe também a assinatura digital


www.chess-theory.com

4

O banheiro era o único local da competição não vigiado por câmeras. Depois de os organizadores limitarem o uso do toalete, Kramnik irritou-se e não compareceu à partida seguinte, dando a liderança ao húngaro. No final da série, Topalov perdeu o título devido aos próprios erros. Não se sabe se Kramnik de fato roubou.

No xadrez, o vencedor é quem comete o penúltimo erro! (Tartakower, Grande Mestre -

1887/1956).

Veselin Topalov

*FONTE: Revista VEJA*

Frederico Gazel é jornalista (JP) Graduado em Comunicação Social pela Faculdade Estácio de Sá - BH - MG - Assessor da Federação Mineira de Xadrez (FMX) - Professor de Xadrez no Colégio Santo Antônio e no Colégio Magnum em BH– MG.


5

Economia e Finanças

Foto: SEBRAE

Empreendedorismo cresce 52% entre jovens brasileiros Crescimento da população brasileira e concorrência no mercado, vem impulsionando os jovens _________________________________ Felipe José de Jesus

C

Ricardo Pereira: “Ter a ajuda de um especialista pode melhorar o andamento do negócio”.

Soluções em comunicação para o seu negócio ( Assessoria de Imprensa – Fotografia - Publicidade e Marketing )

Agende uma visita com o nosso ‘Comercial’ e conheça os nossos serviços. Contatos: (031) 8561-5255 - 8570-7347 - BH/MG - agenciadecomunicacaocorreio@gmail.com

om o crescimento acelerado da população brasileira, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a entrada de classes sociais como a C no ensino superior, uma das saídas que vem sendo utilizadas pelos brasileiros, para se manter no mercado de trabalho, é o empreendedorismo. De acordo com a pesquisa sobre ‘evolução do empreendedorismo no Brasil’ realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) juntamente com a o Global Entrepreneurship Monitor (GEM), não são os mais velhos que dominam este mercado autônomo, mas sim os jovens entre 18 até 34, a conhecida geração Y, abrangendo 52%. De acordo com experts, este cenário deverá aumentar, já que este grupo supera os adultos de 55 até 64 anos que representam apenas 4,3%. Segundo especialistas um dos fatores que vem acrescentando pontos para este aumento do empreendedorismo entre os jovens, deve-se a entrada da globalização com o advento da internet, que vem abrindo um leque de oportunidades para as gerações, especialmente a Y. Para falar mais sobre o assunto, em entrevista, Ricardo Pereira, economista, mestre em administração e gerente da unidade de educação e empreendedorismo do SebraeMinas, lembra que este grupo vem ativando o cenário econômico no país. Portanto ele deixa algumas dicas importantes. “A economia globalizada faz com que as oportunidades se tornem completas e com o advento da internet, foram-se as barreiras comerciais, e de consumo. O jovem da geração Y, nascido após 1980, está hoje em um mundo dominado pela tecnologia com games, celulares, TV a cabo e cresceram em contato com culturas, hábitos e realidades diversas. Acredito que os motivos que levam este grupo a empreender são uma economia favorável, acesso fácil e rápido à informação e conhecimento, alterações no modelo de consumo e mercado, além da necessidade de “fazer acontecer” e “fazer diferente”, por isso este quadro pode aumentar” disse. Devido ao crescimento dos jovens empregadores perante a concorrência acirrada no mercado por trabalho, o economista deixa claro que o autônomo pode ajudar diretamente na geração de empregos, mas


6

Helbert: “Firmar totalmente no mercado, esta é a minha meta”

Foto: Marcos Produções

ção com certeza. Deste modo fiz o curso de eletrônica e entrei no meu negócio próprio. Estou tendo um lucro médio, às vezes mais que R$ 500, mas poderia ser maior. O problema é que não procurei uma instituição para auxilio, montei também por necessidade e por isso, uma das dificuldades que tive foi no planejamento. Firmar no mercado está é a minha meta. Contudo, depois de alguns meses, vejo que faz a diferença ter ajuda de um especialista”, afirma. O economista chama a atenção para os autônomos que montam seu negócio sem o auxilio de especialistas, por necessidade e lembra que ter estratégia é o ponto forte no mercado. “Apenas 5% das pessoas que montam negócio procuram o Sebrae e etc. O índice no Brasil é de 1,6 empreendimentos por oportunidade para 1 por necessidade, comparado com os países de alta renda esta relação é de 7,7 por 1. O fato de empreender por necessidade, resulta quase sempre na falta de planejamento e consequentemente uma falta de plano de negócios, controle na gestão, estratégia, visão mercadológica, fora ferramentas que levem a aumentar a competitividade”. Segundo a análise feita pela Global da Entrepreneurship Monitor (GEM), as jovens mulheres brasileiras já estão ultrapassando os homens no mundo dos negóFelipe José de Jesus é jornalista (JP) cios. Dos 18,8 milhões de pessoas à frente Graduado em Comunicação Social de empreendimentos em estágio inicial ou pela Faculdade Estácio de Sá—BH com menos de 42 meses de existência no Especializações: país, 53% são mulheres e 47%, homens. - Extensão Universitária em Uma das novidades é que pela primeira vez Contabilidade e Finanças - Extensão Universitária em a proporção de mulheres empreendendo Comunicação Empresarial por oportunidade supera a de homens na - Pós- graduando em mesma condição. Sobre este aspecto, o Administração e Marketing estudo constatou que dos empreendedores Professor de Português e Filosofia Licenciado pela Secretaria de Educação - MG por oportunidade, 53,4% são mulheres e 46,6%, dos homens.

Felipe José de Jesus

ele alerta que para isso é importante investir em qualificação. “Mais pessoas empreendendo, mais emprego teremos. Segundo peritos, se o Brasil crescer a uma taxa média de 4,6% ano até 2015, será necessário um adicional de 8 milhões de pessoas qualificadas para assumir funções que exijam competências técnicas e específicas. Desta forma, o investimento em capacitação é crucial e de muita importância para o desenvolvimento, pois faz com que cada vez mais tenhamos pessoas além disso qualificadas no mercado empreendedor”, lembra. Helbert de Assis Lopes, 24 anos, geração Y, hoje administrador da ‘Musical Street’ loja de instrumentos musicais, aproveitou a oportunidade de mercado após sair da loja que trabalhava, e investiu no curso de eletrônica para montar o seu negócio próprio. Contudo, ele lembra que ainda existem algumas dificuldades. “O rapaz do Facebook de 25 anos foi minha inspira-

Conheça a melhor dupla de sertanejo universitário de Minas Gerais

Contatos Shows : (031) 8632 8632--9570 Assessoria de Imprensa: (031) 8561 8561--5255


7

Karine Alonso: Editora

Edição de fotos: lado A e lado B

Divulgação

Fotógrafos e jornalistas buscam recursos digitais para seus trabalhos

_________________________________ Karine Alonso

A

era digital trouxe diversos benefícios para muitas áreas, em especial nos setores de comunicação. Fotos são publicadas em revistas, jornais e sites em altíssima qualidade para acompanhar as matérias e valoriza o texto do repórter. Mas, até que ponto uma edição pode atrapalhar na veracidade dos fatos? Esse é um debate constante vivenciado pelas faculdades e fotógrafos experientes que buscam a “imagem perfeita” para dar credibilidade á informação. Para a fotógrafa Sheila Cassiane que também é editora de imagem, afirma que a foto é capaz de mudar o foco de um assunto. Ela afirma que um recurso muito usado atualmente são as montagens. “A fotomontagem é um artifício mágico. Ela pode ser usada para enfeitar e dar mais visibilidade ao objeto fotografado, no caso de festas, é uma forte aliada ou pode ser uma grande inimiga para o jornalismo se for usada de forma indevida”, diz. A escolha das fotos para acompanhar matérias geralmente é definida pelo editor e o modo de como são publicadas também. Por exemplo, as fotos de esportes são valorizadas closes e expressões dos atletas ou da própria torcida, sendo assim, não é necessário editar ou cortar o fundo da foto. Afinal, estádio cheio e emoções fazem parte do espetáculo. Em reportagens ‘especiais’, aquelas que trazem um grande furo ou foco em um determinado momento que comove a sociedade, os fotojornalistas e editores costu-

mam “economizar” nas edições, deixando tudo o mais claro possível para fácil compreensão, aproximar a foto do real e causar reflexão. É quase impossível fugir das tendências, as redes sociais a cada segundo é um bombardeio de montagens, brincadeiras e declarações entre as pessoas. As revistas de fofocas e os paparazzi são especialistas em fotografar famosos em momentos de privacidade para depois lançar fotos ‘exclusivas’ que na maior parte vão para a internet. Esse tipo de foto o recurso de edição é muito usado, seja para dar ênfase em decotes femininos ou para gerar polêmica, que na maioria das vezes são discutidas nas redes sociais. Se houver um acompanhamento diário e uma pesquisa sobre a função dos fotógrafos e dos jornalistas percebe-se que, ao escolher um ângulo e clicar já é o começo de uma edição. Portanto, não é possível ficar longe dela por completo. Em resumo, o estilo de fotografia publicada em matérias, envolve vários fatores relevantes para um veículo de comunicação sério. Os fotojornalistas usam de criatividade para ajudar a transmitir à informação, os recursos digitais estão disponíveis no mercado para facilitar, eles podem e devem ser usados por repórteres, desde que seja para o bem, ou seja, cumprir com as atividades corretas da profissão. A editora Karine Alonso é jornalista (JP) Graduada em Comunicação Social pela Faculdade Estácio de Sá - BH.MG. Sua tese de formatura em Jornalismo, foi sobre o Fotojornalismo Brasileiro.

Conheça o site: www.consep21bh.webnode.com Contato:3077-3233- BH-MG


Fotos: Divulgação

Saúde e Bem Estar

8

Açaí: a força do fruto.. Estudiosos não se cansam de vasculhar a composição desse fruto. A nova descoberta é o poder na criação de barreiras protetoras para os neurônios, a redução de alguns tipos de câncer e a diminuição dos níveis de colesterol. Pesquisadores descobriram que o consumo regular de açaí reduz a exposição das células nervosas a processos degenerativos e inflamatórios recorrentes, fenômeno que abre caminho ao colapso do tecido cerebral. Na certa que os antioxidantes presentes no fruto são responsáveis por esta grande façanha combatendo os radicais livres presentes no organismo. Em 1 litro de polpa, há 33 vezes mais antioxidantes que encontrado em um mesmo litro de vinho tinto. E não fica apenas nisto, além dessa propriedade o fruto tem poder anti-inflamatório, o que faz com que as estruturas cerebrais funcionem corretamente. Desta forma, o açaí tem o poder de prevenir doenças de Parkinson e Alzheimer. A ação antioxidante contribui também para vencer a formação de

placas nos vasos sanguíneos, o que pode levar a derrames e infartos. Pesquisas revelam que indivíduos que ingerem regularmente açaí apresentam taxas mais elevadas de HDL, a fração boa do colesterol, enquanto os níveis de LDL, o colesterol ruim, apresentam níveis aceitáveis e melhores do que os índices dos não consumidores da fruta.

Artigo de autoria de Mariana Urias Nutricionista CRN: 11.619 Contato: (031) 8794-0542


Cultura e Entretenimento

Fotos: Jornalistas(JP): Karine Alonso e Frederico Gazel

9

Rock D’ La Rua lota Matriz no lançamento do seu 1º CD As influências da música popular brasileira com o som do rock de rua, animaram o público presente

Yuri, Maurício e Polaco com o CD: “Para chegarmos a este resultado, trabalhamos muito” POLACO - vocalista _________________________________ Karine Alonso

A

banda Rock D’ La Rua lançou o primeiro CD no dia 11 de maio na casa de show Matriz, no centro de Belo Horizonte. A casa que é conhecida entre os roqueiros da Capital, recebeu mais de 170 pessoas que foram curtir o gênero extremamente autoral do Rock D’ La Rua. A banda está na estrada há 11 anos em busca do fortalecimento do próprio som. ‘Velho novo oeste’, ‘Natoradex’, ‘Beijo de televisâo’ e ‘Lua’ mostraram aos presentes a qualidade de um bom rock brasileiro. As músicas são composições do vocalista Polaco Nolasco e contam histórias que fazem parte da vida do cantor. Uma das letras mais conhecidas é velho novo oeste que faz uma homenagem à região oeste de Belo Horizonte, local onde tudo começou. O trabalho apresentado pela banda foi fruto de três meses de muita dedicação, Polaco conta as dificuldades enfrentadas e a rotina de gravação até tudo ficar pronto para o grande dia. “Todos nós temos jornada dupla, além da banda, trabalhamos em outros locais, com isso, nossos horários foram complicados. Íamos para o estúdio após ás 19h e quase sempre terminávamos tarde. Além da gravação do CD, continuamos com nossos ensaios rotineiros, que também são realizados fora de horário”. O vocalista ainda ressaltou a surpresa positiva quanto aos fãs: “Ver todo aquele público voltado para um trabalho de uma banda de rock autoral realmente foi fantástico”.

A evolução da banda é notória e chama atenção de pessoas que conheceram a primeira formação. O fã João Paulo Marques acompanha o grupo desde as primeiras apresentações no bairro Salgado Filho e afirma o crescimento e profissionalismo do Rock D’ La Rua. “Acompanho a carreira do Polaco desde o começo e vejo que ele leva tudo muito a sério e tem um amor muito grande pelo o que faz. As dificuldades existem, mas a banda soube atravessar todas elas. Hoje para mim, é um privilégio estar presente nessa festa que é uma realização do Rock D’ La Rua”, disse João em entrevista a Revista Correio Eletrônico no dia do evento.

O show do Rock D´La Rua animou o público presente

Foto tirada no camarim da Casa Cultural Matriz, antes do show de lançamento. Agência Correio Eletrônico

Compre já o CD da Banda Rock D’ La Rua: Postos de vendas: Musical Brother: (31) 3201 7391 Trip Studio: (31) 2127 0917 Polaco: (31) 8714 8478 Valor: R$ 10,00

Acompanhe a banda nas redes sociais: Myspace.com/rockdlarua Facebook/rockdlarua Twitter: @rockdlarua Youtube: http://www.youtube.com/polnool


Cultura e Entretenimento

Fotos: Jornalista (JP) Felipe de Jesus

10

Fernando Augusto e Fabrício fazem VIAGEM

apresentação animada no Espírito Santo Show foi realizado no dia 12 de maio em Rio Bananal

_______________________________ Felipe José de Jesus

U

ma viagem longa, mas com muita, mas muita animação. Assim foi a ida da dupla sertaneja Fernando Augusto e Fabrício para o Estado do Espírito Santo, local onde eles fizeram um show marcante na cidade de Rio Bananal. Na viagem, os cantores levaram também um time de músicos de qualidade: Lulu, (baixista) Marcos (tecladista), Léo (percussão) Geraldinho (guitarra) e Júnior (bateria). Fora os integrantes da banda, acompanharam os cantores, a produtora Geize Pires, os pais e empresários, Dirceu e Denise. Além dos empresários, Gisele, (roadie) da dupla, o radialista, Henrique Barbosa, que apresentou a dupla ao público e a assessoria de imprensa (Agência Correio Eletrônico) com este jornalista. Em entrevista a ‘Revista e TV Correio Eletrônico’ que esteve presente no show, Geize Pires, produtora, disse que a oportunidade de tocar fora de Minas, poderá abrir mais portas para os irmãos. “Representa o início de uma carreira promissora. Poder tocar em outro Estado, mostra o esforço de um trabalho de equipe, da produção, dos músicos e no mais, de todos. A dedicação é o fruto do que eles estão colhendo aqui hoje. Em relação ao CD, até o início de julho deste ano, o disco da dupla já estará nas mãos dos fãs, podem aguardar”, completou. Já para os pais, Dirceu e Denise, a viagem da dupla até o Espírito Santo, foi uma benção de Deus. “Para nós foi um milagre. Conhecemos o padre Ângelo há pouco tempo. Logo o procuramos, e através de uma conversa, surgiu uma amizade maravilhosa. Assim, fomos convidados para tocar nesta cidade linda. Se puder, vamos voltar, pois Deus está abençoando os meninos. Só temos que agradecer a Deus por tudo, por esta oportunidade de estar aqui”, disseram os pais sorridentes.

A dupla animou os presentes Para o padre Geraldo Magela, do seminário ‘Rio Bananal’, a apresentação foi excelente. “A alegria é muito grande, pois as pessoas gostam, tem esta cultura sertaneja. Esperamos receber novamente esta dupla, que além de cantar muito bem, são músicos que se identificaram com o público daqui. E isso é ótimo”, disse. Fernando Augusto e Fabrício >> Para a dupla, a viagem foi ótima. “A viagem foi longa, 12 horas, mas temos que agradecer a Deus pela oportunidade. Fora isso, à banda que temos, eles são maravilhosos, tocam muito, estar com músicos como estes é gratificante demais, eles são profissionais de primeira. Temos sorte de ter uma equipe tão boa. A cidade é linda e a receptividade das pessoas aqui, foi de extrema qualidade”, ressaltaram os irmãos. Banda >> Para Geraldinho, guitarrista, foi bom poder tocar com a dupla na cidade. “Eles cantam bem, são bem afinados, vale a pena estar nesta equipe”, disse. Já para Leo, percussionista, foi gratificante. “Eles mandam bem e tocar com eles aqui foi sensacional”. Para o baixista, Lulu, a dupla tem futuro. “Eles são bem entrosados, tem futuro na música sertaneja”, concluiu o baixista.

Conheça os serviços:

O Diva in Black é um espaço onde você vai encontrar novidades, informações diversas, inspiração, um mundo cheio de estilo e personalidade!

Ligue: (031) 8632-5970

Acesse o Blog: www.divainblack.blogspot.com


Turismo em Minas

11 Fotos: Jornalistas (JP) Felipe de Jesus e Karine Alonso

Coopertar: Mão de obra qualificada e segurança em 1º

lugar

_____________________________________________

Felipe José de Jesus

Q

ualidade, segurança e preste-

za. Estes são alguns dos atributos da Coopertar, empresa de fretamento, transporte e turismo localizada em Raposos, Minas Gerais. Fundada no ano de 2003, a empresa conta uma equipe qualificada e pronta para atender o cliente. Na presidência - José Ribeiro e como vice - presidente, Rafael Flor de Maio e como secretaria, Aparecida. A Revista Correio Eletrônico esteve na empresa para conhecer um pouco mais sobre a história da cooperativa. De acordo com Rafael Flor de Maio, vice-presidente da Coopertar, a fundação da empresa, era um sonho antigo dos diretores. “Fazíamos um transporte, na época bem alternativo. Era comum em Raposos o pessoal oferecer o transporte clandestino. Tinham muitas vans. Nós trabalhávamos com Cômbi, contudo para legalizar a situação, nós fundamos em 2003 a cooperativa, Coopertar. Deixamos de fazer um transporte alternativo, para nos tornarmos enfim, uma empresa séria e com qualidade para os clientes. Estamos com 9 anos de mercado”, completou. Perguntado sobre quantos cooperados estão na empresa hoje, o presidente, José Ribeiro, disse que agora são mais de 30. “Atualmente nós temos 42 cooperados. A maioria é de Raposos, mas temos de Nova Lima, Betim e Belo Horizonte, fora outros locais. Estamos bem espalhados na grande RMBH”, disse. Questionado sobre como é feito o processo de contratação para motorista na Coopertar, José Ribeiro lembra que o candidato passará por uma avaliação. “Para trabalhar aqui, o motorista passará por uma avaliação. Nesta avaliação a diretoria vai ver as suas qualificações. Logo nós chamaremos o motorista para ele conhecer a empresa, para conhecer melhor a equipe. Fora isso, olhamos a documentação exigida”.

A Coopertar tem mais de 42 cooperados espalhados na grande RMBH

Para contratar a Coopertar: Pelos telefones: (031) 3543-3632, Presidente: 9138- 5863 - Vice: 9429- 7347 e-mail:coopertar@oi.com.br. A empresa é filiada a OCEMG.

Assessoria de Comunicação: Agência Correio Eletrônico agenciadecomunicacaocorreio@gmail.com Telefones: (031) 8561-5255 - 8570-7347 Belo Horizonte Minas Gerais

Diferencial >> Em relação ao diferencial da Coopertar, Rafael lembra que a mão de obra é o maior destaque da empresa. “Nossa mão de obra é o que nos ajuda. Isso, por que somos os próprios proprietários, assim a responsabilidade é maior ainda, prestamos o serviço com mais atenção. Além disso, todos os nossos carros são cadastrados no DER, o que com certeza traz segurança para o passageiro. Ou seja, nos preocupamos 100% no atendimento do cliente”, ressaltou Rafael. Expectativas >> Para Rafael e José Ribeiro, a Copa do Mundo de 2014 vem para esquentar este mercado. “Com a Copa do Mundo, vamos treinar os cooperados para atender este público que virá de fora. É um evento de grande proporção e que não podemos ficar de fora. Teremos muitas oportunidades com o evento”, concluíram os diretores.

Contatos: (031) 3626-4213 (031) 9603-3638 (031) 9645-6144


Divulgação

O jornalismo se modificou, as máquinas de escrever foram trocadas pela tecnologia. Os computadores e a Internet, hoje reinam no século 21. Porém, algo ainda continua o mesmo: jornalismo sério com profissionalismo e credibilidade, poucos conseguem oferecer para os leitores. Revista

Conheça também o site do jornal: www.jcorreioeletronico.webnode.com.pt


Revista Correio Eletrônico 4ª Edição - Maio de 2012a