Issuu on Google+


SUMÁRIO

EDIÇÃO 72

ANO 6

NOVEMBRO 2013

08 | total Saúde

34 | Voc� é o que voc� come

TWITTER E FACEBOOK SÃO AS NOVAS ARMAS PARA COMBATER A DENGUE

FESTINHA IN NATURA

10 | total Saúde

38 | Voc� é o que voc� come SLOW FOOD

MELANOSE PERIORBITAL

40 | Voc� é o que voc� come

12 | total Saúde

CRIANÇA E FAST FOOD

PARA VER MELHOR

14 | total Saúde LIPOASPIRAÇÃO

16 | total Saúde AI, QUE DOR NAS COSTAS!

30

18 | total Saúde CÂNCER DE TIROIDE

58

44

14

20 | total Saúde/rejuvenescimento

44 | Voc� é o que voc� come

DRA. THAIS SAKUMA

SEM VENENO

22 | total Saúde/Dermatologia

52 | informe Publicitário

CIRURGIA DE IMPLANTES MAMÁRIOS

DA DOR NASCE O AMOR

66

24 | Voc� é o que voc� come

54 | Comportamento

VOCÊ É O QUE VOCÊ COME

DECORAÇÃO LEVA ARTE AOS ESPAÇOS DA VIDA

26 | Voc� é o que voc� come

56 | Decoraç�o

A VIDA SEM CARNE

LENDO MAIS COM SUSTENTABILIDADE

28 | Voc� é o que voc� come

58 | Cultura

AS MISTURAS E SABORES GASTRONÔMICOS NO CINEMA

O ESTADO EM VOZES E SIMPLICIDADE

30 | Voc� é o que voc� come

62 | Cultura

MITOS E VERDADES SOBRE O PEIXE CRU

EDITORA ALVORADA PROJETA AUTORES DE MS PARA O BRASIL

32 | Voc� é o que voc� come

66 | Culinária

QUAL O JEITO CERTO DE CONSUMIR LÍQUIDOS?

RÁPIDO E SABOROSO


CDC NUCLEAR: Inovação para garantir um diagnóstico preciso.

Exames de Cintilografia/Medicina Nuclear: precisão, rapidez e menor exposição à radiação. O CDC inaugura com exclusividade a sua nova ala dedicada ao exame de cintilografia, um método não-invasivo para avaliação de tratamentos cardiológicos, principalmente infarto e angina do peito. Dr. Adalberto Arão Filho Diretor Técnico / Medicina Nuclear CRM/MS 4584

www.clinicacdc.com.br


editorial

C

omer é uma necessidade fisiológica. É a fonte de energia para manter nosso corpo vivo e saudável, além de ser um momento de prazer, de reunir a família e os amigos. No entanto, a rotina da vida moderna vem influenciando muito na alimentação. Não temos mais tempo para sentir o aroma e o sabor dos alimentos. A onda do fast food invadiu o dia a dia de jovens, adultos e crianças. E, apesar do acesso às informações, poucos conseguem colocar em prática o hábito da alimentação saudável.

Coordenação de Comunicação: Kátia Kuratone (DRT/MS 293) - Comercial: Henrique Attilio - Marketing: Oscar Diego de La Rubia e Henrique Attilio - Arte, Diagramação e Editoração Eletrônica: Uimer Ronald Freire e TIS Publicidade e Propaganda - Redação: Anahi Zurutuza (DRT/MS 932); Andréia Nunes (DRT/MS 1013); Carol Alencar (DRT/MS593); Fernanda Monteiro (DRT/MS 177); Fernanda Valentim (DRT/MS 419); Jacklin Andreuce (DRT/ MS 095); Kátia Kuratone (DRT/MS 293); Luiz Felipe Fernandes (MTB 2013); Lucas Arruda (DRT/ MS 1212); Marina Nabarrete Bastos (MTB 14966); Michella Guijt (MTB/27592); Patrícia Belarmino (DRT/MS); Renato Lima (MTB/MS 489) - Revisão: Soraya Cunha Couto Vital - Conselho Editorial: Vera de Barros Jafar, Henrique Attilio, Kátia Kuratone, Oscar Diego de La Rubia, Lucas Arruda e Suelen Sirugi.

Atendimento ao Cliente: Lucas Arruda - Atendimento Comercial: Henrique Attilio Planejamento e Operações: Henrique Attilio - Fotografias: Henrique Attilio, Andréia Nunes, Luciano Muta, Mateus Regalzzi.

www.revistatotalsaude.com.br Participaram nesta edição: Nutricionista, Dra. Tatiane Savarese Attilio CRN 3/12175; Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Dr. Sandro Startari CRM/MS 4313 – CRM/SP 106149; Oftalmologista, Dra. Tatiana Sakuma CRM/MS 4841; Cirurgião Plástico, Dr. Marcelo André Brune CRM/MS 4054; Dermatologista, Dra. Daniela Velozo CRM/MS 5157; Dra. Thais Sakuma; Endocrinologista, Dra. Ana Carolina Wanderley Xavier CRM/MS 4926; Cinéfilo, Airton Raes.

Tiragem: 10.000 exemplares

Por isso, o tema do especial do mês de novembro da Revista Cinco + Total Saúde é, “Você é o que você come”, vem com uma dose de desafio para você, leitor. Comer mais frutas, legumes, verduras, carnes magras e menos gordura, sal e açúcar, tomar muita água e ainda praticar uma atividade física. A alimentação balanceada e nutritiva traz inúmeros benefícios, tanto no sentido de evitar doenças, como obesidade, diabetes, pressão alta, entre outras, quanto para proporcionar mais disposição, melhorar o humor, etc. A proposta da equipe Cinco + é: busque o equilíbrio! Coma bem e sentirá os resultados no corpo. Dê exemplo para as crianças e incentive uma dieta rica em vitaminas, sais minerais e fibras. Saboreie nossas dicas nas páginas a seguir e coloque-as em prática no seu dia a dia! Boa leitura!

Artigos assinados não representam, necessariamente, a opinião da revista. Total Saúde é uma publicação da Editora Total Saúde Ltda, com periodicidade mensal, distribuição dirigida gratuita e/ou mediante assinatura anual.

REVISTA IMPRESSA NA GRÁFICA E EDITORA ALVORADA LTDA. Rua Antônio Maria Coelho, 628 - Centro - Campo Grande/MS grafica.alvorada@terra.com.br - telefone: 67 3316 5500

Diretor: Mirched Jafar Junior Gerente de Produção: Paul Hudson

ATENDIMENTO AO LEITOR Críticas, dúvidas ou sugestões fale conosco: contato@revistacincomais.com.br / atendimento@revistatotalsaude.com.br Cartas: Rua Alberto Néder, 328, sala 35, Centro Empresarial Alto do Prosa, Cep 79020-336 / Rua Antônio Maria Coelho, 623, Centro, Cep 79008-450, Campo Grande - MS.

Para anunciar na revista fale com a gente: contato@revistacincomais.com.br / contato@revistatotalsaude.com.br

PARTICIPE DA REVISTA! Você tem curiosidade sobre algum tema relacionado à saúde? O que mais gostaria de saber? Escreva-nos! redacao@revistatotalsaude.com.br

DISTRIBUIÇÃO

Kátia Kuratone

A Revista Total Saúde é distribuída gratuitamente de forma dirigida e também disponibilizada mediante assinatura anual. Assine: www.revistatotalsaude.com.br


{ TOTAL SAÚDE }

Twitter e Facebook são as novas armas para combater a #Dengue por rEnATO LimA

A

dengue já se tornou um trauma do verão. Basta começar o período de chuva que a preocupação com a doença se alastra na mesma proporção que os casos. E lá vai a dengue virar Trending Topics entre os assuntos mais comentados nas redes sociais. Justamente por retratar a opinião pública, a rede social twitter virou objeto de pesquisa de cientistas da computação da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Eles desenvolveram o Observatório da Dengue, um software que rastreia e monitora as postagens com a palavra dengue pelo twitter. Foram três anos de pesquisa e a partir de agora será usado pelo Ministério da Saúde para ajudar no combate à doença de forma mais rápida e efetiva. “Os dados do twitter vão permitir regar relatórios diários, enquanto antes levávamos semanas para fazer o rastreamento dos focos. Isto porque o software irá monitorar todas as cidades com mais de 80 mil habitantes e vai emitir alerta quando uma cidade apresentar muitas postagens com a palavra dengue”, explica Lívia Vinhal, do Programa Nacional de Controle da Dengue do Ministério da Saúde. O projeto brasileiro é tão eficiente que vai permitir, inclusive, identificar o teor das postagens, descartando posts com piadas ou trotes. O reconhecimento da comunidade científica veio após a publicação da pesquisa no site da New Scientist.

+ | NOVEMBRO 88 | | TCINCO OTAL SAÚDE CINCO + |2013 NOVEM BRO 2013

Software vai monitorar postagens sobre a doença e antecipar ações do Ministério da Saúde nas cidades com focos.


CAMPO GRANDE Alívio para a capital de Mato Grosso do Sul, que – infelizmente – já carregou a alcunha de “capital nacional da dengue”. De janeiro a setembro de 2013, Campo Grande acumula 45.766 casos de dengue notificados e 12 óbitos causados pela doença, de acordo com o último boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde. Apesar da redução nos casos notificados em relação aos anos anteriores, a incidência de dengue continua alta e ultrapassa 5 mil casos por 100 mil habitantes. A administração da Capital já antecipou o combate à dengue para evitar nova epidemia. Foram contratados mais agentes, serão 1.547 pessoas e 17 caminhões borrifadores. Os bairros contemplados com mutirão de limpeza foram ampliados. As redes sociais também serão monitoradas porque, segundo a Secretaria de Saúde, o número de postagens e menções à dengue permite saber quem apresenta sintomas. “Alguém comenta que está com dores no corpo e manchas, em seguida vêm os comentários e isso indica um possível risco de dengue”, comenta a diretora de Vigilância em Saúde de Campo Grande, Márcia Dal Farro.

COMO USAR AS REDES SOCIAIS PARA COMBATER A DENGUE? TWITTER No twitter, a hashtag #combatadengue é ofical do Ministério da Saúde para relacionar os posts. Mas basta incluir a palavra “dengue” entre os 140 caracteres que o software inclui no rastreamento. Siga os perfis oficiais da campanha de Combate à Dengue do Ministério da Saúde. Você encontra sugestões para colocar em prática as ações diárias de combate à dengue. www.twitter.com/dengue_MS www.twitter.com/combatadengue

FACEBOOK Já no face basta pesquisar a palavra “Dengue” e encontrar as comunidades da sua cidade sobre o assunto. Existem também aplicativos (app), que você pode curtir e acompanhar tudo sobre a doença. São eles: • Combatentes da Dengue • Mapa da Dengue • Dengue – O combate está em suas mãos

EM BRO T OTA L SA Ú D EC ICNICNO C O+ +| |N OV N OV EM BRO2 021031 3| |9 9


{ TOTAL SAÚDE / DErmATOLOGiA }

por DrA. DAniELA VELOzO

A melanose periorbital, comumente conhecida como olheiras, é uma alteração muito frequente na pigmentação da pele das pálpebras.

A

pesar de não representar nenhum risco à saúde física, as olheiras incomodam e preocupam muito quem as têm. Não raramente, as pessoas que apresentam esse quadro, passam a ser designadas por apelidos incômodos e constrangedores, o que afeta sua autoestima e o convívio social. Ocorre principalmente em mulheres morenas, tendo caráter genético ou constitucional, como no caso de indivíduos que têm a pele mais fina do que os outros, o que permite que tanto a melanina quanto os músculos que se localizam abaixo dos olhos transpareçam através da pele dessa área. Entretanto, as olheiras sempre são agravadas pela exposição crônica ao sol e a “lentidão” da circulação venosa na região palpebral. Dentre os fatores que prejudicam a circulação venosa nas pálpebras, aumentando o acúmulo de líquido local que favorece a formação das “bolsas”, podemos ressaltar: a idade, uma vez que a flacidez cutânea acentua a estase venosa, a privação de sono ou a insônia, tensão emocional, bebidas alcoólicas, tabagismo, uso de produtos inapropriados na área dos olhos que, levam à inflamação e inchaço da re-

1 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

gião. Esse excesso de pigmentação nas pálpebras apresenta 2 componentes: • Vascular, representado pela dificuldade de retorno venoso na região e acúmulo de hemoglobina e/ou hemossiderina, o que confere às olheiras a cor azulada ou violácea. • Excesso de melanina na epiderme das pálpebras, que é o pigmento que dá cor à pele sendo responsável pela cor acastanhada das olheiras. Dependendo da predominância de um ou outro componente, as olheiras apresentarão variação na coloração de uma pessoa para outra e também diferentes opções de tratamento. Atualmente algumas substâncias vêm demonstrando resultados positivos no clareamento das olheiras como o chá verde, kombuchska, ácido kójico, ginkobiloba, as vitaminas C, E e K e, mais recentemente, destacando-se o coffeberry associado à cafeína. Além disso, o tratamento pode ser potencializado, com obtenção de resultados satisfatórios mais rapidamente, através de procedimentos médicos como peelings químicos, preenchimento com ácido hialurônico e, principalmente, a aplicação de luz intensa pulsada e outros lasers, como o CO2 fracionado e o Nd-YAG. Apesar de

não ser um laser propriamente dito, o aparelho de luz intensa pulsada também utiliza a luz como forma de ação e têm-se revelado uma grande arma na atenuação das olheiras. Usando-se faixa de luz compatível, ocorre a destruição tanto da melanina quanto da hemoglobina/hemossiderina com atenuação das olheiras. Vale ressaltar que por se tratar de um quadro com várias causas, haverá a necessidade de terapia de manutenção. Esta, por sua vez, será individualizada de acordo com as características de cada paciente e a resposta obtida na fase inicial do tratamento.

DrA. DAniELA VELOzO, Médica Dermatologista, Especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, CRM/MS 5157


{ TOTAL SAÚDE }

por Luiz Felipe Fernandes • foto Henrique Attilio

E

las podem ser a salvação para quem detesta usar óculos. Para quem pratica esporte, dão mais liberdade e ainda aumentam o campo visual. Há quem não se adapte, mas as poucas contraindicações absolutas ao uso das lentes de contato têm feito com que muita gente enxergue – literalmente – suas vantagens. A médica oftalmologista Tatiana Sakuma, explica que pessoas com alterações refracionais, como miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia, são potenciais candidatas ao uso de lentes de contato. Por desinformação ou desinteresse, o número de pacientes brasileiros que fazem essa opção está abaixo dos países como os Estados Unidos e o Japão. Evidente que o uso das lentes de contato requer uma avaliação oftalmológica criteriosa. “A escolha do tipo de lente vai depender da idade do paciente, do tipo de alteração refracional que ele tem, do seu estilo de vida e também deve ser a mais adequada para a saúde ocular”,

1 2 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

afirma Tatiana. As lentes variam de acordo com o material de que são feitas. São basicamente dois tipos – as hidrofílicas, conhecidas como gelatinosas, e as rígidas gás-permeáveis. Existem lentes que podem ser descartadas anualmente, mensalmente, quinzenalmente e até as que devem ser usadas apenas um dia. Segundo a oftalmologista, existem lentes com as quais o paciente pode dormir com elas, embora seja recomendado retirá-las, dependendo das condições oculares do paciente.

HIGIENIZAÇÃO Quem opta pelas lentes de contato deve ter consciência de que será necessário incorporar alguns hábitos diários. A maioria se refere à higienização. Isso porque, com o uso, as lentes acumulam detritos que podem fazer com que elas percam a qualidade ótica e, assim, causar desconforto ao paciente.


Por desinformação ou desinteresse, o número de pacientes brasileiros que fazem essa opção está abaixo dos países como os Estados Unidos e o Japão. Largamente usado no passado, o soro fisiológico deve ser abolido. Tatiana explica que existem, hoje, soluções multiuso específicas para higienizar, enxaguar e armazenar as lentes de contato. O soro é usado excepcionalmente, apenas para enxaguar a lente quando o paciente tem alergia ao produto de limpeza. Usar detergente, sabonete ou a própria saliva para fazer a higienização não devem ser práticas sequer cogitadas. No clube ou na praia, o uso de lentes de contato deve ser feito com cautela. Mergulhar ou pegar sauna são práticas proibidas. Além disso, nesses casos a higienização deve ser rigorosa. O cuidado, segundo a médica, é necessário pelo risco de contaminação. “A lente não deixa de ser um corpo estranho sobre a córnea, mas se bem adaptada, os riscos são mínimos. No entanto, complicações sérias podem acontecer." Por isso, a pessoa deve estar atenta a qualquer sintoma, como visão embaçada, olho vermelho, secreção ou desconforto. Alguns pacientes tornam-se intolerantes ao uso de lentes porque fizeram um mau uso anteriormente.

LENTES DE CONTATO E CERATOCONE Entre as finalidades das lentes de contato estão a correção visual, a terapêutica (pro-

teção da córnea) e a cosmética. Além disso, segundo a médica oftalmologista Tatiana Sakuma, em algumas patologias oculares a visão só melhora com as lentes. É o caso do ceratocone, uma distrofia não-inflamatória da córnea – a “capa” transparente que fica na porção anterior do olho. O ceratocone caracteriza-se pelo encurvamento e afinamento da córnea, o que gera uma distorção da imagem. Vários fatores estão implicados na causa. Além do componente genético, o ceratocone pode ser causado por traumatismo mecânico de repetição. Em outras palavras, o hábito de coçar os olhos. Tatiana explica que as lentes de contato – rígidas, na maioria das vezes – criam uma nova superfície na córnea. “O paciente consegue ter uma visão muito boa até em casos bem avançados.” Em casos assim, a melhora na visão é até mais significativa do que o simples uso dos óculos. Mas a adaptação das lentes, mais uma vez, deve ser feita por um oftalmologista.

DrA. TATiAnA SAKumA, Oftalmologista, CRM/MS 4841

C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 13


{ TOTAL SAÚDE } por Dr. SAnDrO STArTAri • foto LuciAnO muTA

A

lipoaspiração é uma cirurgia plástica para redução de volume de gordura corporal em áreas localizadas do corpo, de maneira rápida e eficiente, conferindo ao paciente uma melhor silhueta corporal. Ao contrário do que muitos pensam, a lipoaspiração não é feita para perder peso, mas, sim, para remodelar o corpo, retirar aquela indesejada gordura e, assim, realçar o contorno corporal. Na lipoescultura você retira a "gordurinha indesejada" de uma área localizada do corpo e enxerta essa gordura em regiões do corpo em que haja pouco volume ou depressão, como por exemplo, no bumbum. Esta técnica permite uma melhora considerável tanto no tamanho quanto nas formas dos glúteos, de uma maneira natural. Você também pode usar a gordura retirada para preencher os sulcos de expressão que se formam ao redor da boca. Parte da gordura enxertada é absorvida pelo organismo, mas essa absorção varia de acordo com cada paciente. A lipoaspiração vem evoluindo constantemente, não só pelo número variado de técnicas e desenvolvimento de táticas, como também por aparecimento de materiais, métodos e aparelhos. Sem dúvida a lipoaspiração é, de longe, o procedimento mais comumente efetuado pelos cirurgiões plásticos, seja isoladamente, seja associada a outras cirurgias, seja como complementação de outros tratamentos. Importante lembrar que muitos aparelhos que surgem no mercado, com promessas de uma melhora no contorno corporal sem cirurgia, não possuem comprovação científica e laboratorial, especificando a eliminação corporal da gordura da área onde foram usados estes equipamentos. Sabe-se que não são eliminados pelas fezes ou urina. Para onde irá essa gordura? Coração, fígado, vasos sanguíneos? Contudo, a cirurgia de lipoaspiração, devido à sua aparente simplicidade de realização e baixa morbida-

1 4 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


de, tem levado muitos médicos e cirurgiões, sem o devido preparo, a erros graves, por subestimarem seus riscos ou por desconhecerem a técnica em todos os seus aspectos, em todas suas minúcias. O método a ser utilizado é, preferencialmente, a lipoaspiração úmida, com o aspirador ou vibrolipoaspirador, em ambiente hospitalar e respeitando a relação do volume a ser aspirado com o peso do candidato ao procedimento. Como fator complicante, a lipoaspiração é, frequentemente, apresentada nos meios de comunicação, de forma absurdamente antiética. Muitas vezes é apontada como solução mágica para o emagrecimento, como cirurgia isenta de complicações, como procedimento

Dr. SAnDrO STArTAri, Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, CRM/MS 4313, CRM/SP 106149

tão simples que pode ser realizado impunemente em consultórios ou ambiente totalmente desprovido de recursos mínimos de segurança e higiene. Tudo isso faz com que os maus resultados se multipliquem e as complicações apareçam cada vez mais graves. Isso pode ser evitado em ambiente hospitalar e com todas as orientações e cuidados normatizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelo Ministério da Saúde. O paciente de cirurgia plástica estético-funcional está saudável e deseja que o resultado proporcione uma melhora na sua qualidade de envelhecer e viver, portanto quando bem feita e bem indicada, a lipoaspiração representa um ganho para a autoestima.

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 15


{ TOTAL SAÚDE }

Ai, que dor nas costas!

Como o uso do pilates pode colaborar no combate às dores nas costas.

por cArOL ALEncAr • fotos HEnriquE ATTiLiO

O

dia passa e não percebemos o quanto fizemos de mal para nossa coluna vertebral. Seja na má postura na cadeira do trabalho, no excesso de peso de nossas bolsas pessoais ou até mesmo no tipo de calçado, que pode causar danos a todo corpo, principalmente em nossa base estrutural, que é a coluna. A rotina que exige o nosso máximo, acaba provocando dores aqui e ali e, quando vamos ver, estamos com a saúde prejudicada. A fisioterapeuta Nádia Bitencourt, especialista no Método Pilates, afirma que a maioria de seus pacientes procuram-na por causa de diversas disfunções, como escoliose, hiperlordose lombar e hérnia de disco, entre outras. “A procura é grande. Inicialmente, as pessoas procuravam o método para complementar sua prática de atividade física, visando, obviamente, um bom resultado estético. Hoje, posso afirmar com toda propriedade, que pilates tem sido procurado com maior frequência por pessoas que necessitam fortalecer a musculatura da coluna vertebral e reeducar a postura. Todas com o objetivo de melhorar sua qualidade de vida e quando descobrem que pilates, além de proporcionar benefícios clínicos, proporciona benefícios estéticos, se apaixonam, pois, além de cuidar da saúde da coluna, costumo dizer que recebem de “brinde” um abdômen forte e definido”, explica. Iniciar exercícios físicos que colaborem para a melhora de dores na coluna é, sem dúvida, um bom começo para quem sofre disso. O pilates é uma grande alternativa para

1 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


esse combate. Ainda de acordo com a fisioterapeuta, a dor na coluna nunca é normal e os exercícios de pilates são indicados porque auxiliam com eficácia nesse combate. Todos os exercícios de pilates são indicados, até porque todos priorizam a contração dos músculos do abdômen, glúteo e da região lombar, que é o que chamamos “casa de força” e o autocrescimento da coluna durante todo o tempo. Para realização do método, é fundamental que o aluno/paciente tenha a consciência que a “casa de força” esteja sempre ativada, ou seja, não existe exercício de pilates sem o trabalho destes grupos musculares, até porque são fundamentais para a saúde da coluna”, avalia.

SAIBA MAIS Pilates é um método de exercício físico que busca principalmente a saúde do indivíduo como um todo, buscando reabilitar ou fortalecer o corpo com o auxílio de aparelhos. É um trabalho minucioso que fortalece a musculatura de dentro para fora, restabelecendo e aumentando a flexibilidade e força, que, juntamente com a respiração, é capaz de corrigir a postura e prevenir lesões.

O pilates é indicado para todas as pessoas, sem exceção. Da criança ao idoso, do atleta ao sedentário. Grávidas, pacientes que se encontram em fase de reabilitação ou, ainda, em desordem alimentar. Indicado também para pessoas com hipertensão arterial, diabete, osteoporose e doenças cardíacas. Enfim, todos podem fazer pilates, mas é importante ressaltar que estas pessoas devem procurar um profissional fisioterapeuta que aplique o método, para que exercícios sejam acompanhados e traçados de acordo com cada patologia, seguindo suas restrições.

nádia Bitencourt fisioterapeuta Especialista em Ortopedia e Traumatologia Esportiva; fisioterapeuta Especialista no Método Pilates; fisioterapeuta Especialista em Reeducaç�o Postural e Patologias da Coluna Vertebral

rua Arthur Jorge, 622, centro, em frente ao Belmar - (67) 3305 8099

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 17


{ TOTAL SAÚDE }

por DrA. AnA cArOLinA WAnDErLEY XAViEr • foto HEnriquE ATTiLiO

N

as últimas décadas observamos um aumento da incidência de nódulos tiroidianos devido à melhora dos aparelhos ultrassonográficos e a maior procura dos pacientes para exames de check up. Os nódulos podem ser detectados pelo exame de ultrassom em 17-67%, sendo que este número é maior com a idade e as mulheres são as mais afetadas. A importância deste assunto está na possibilidade do nódulo abrigar câncer de tiroide. Para suspeitarmos da doença, o paciente pode sentir um caroço no pescoço, dificuldade para engolir ou rouquidão. O médico fará a avaliação clínica e pedirá alguns exames que auxiliarão no diagnóstico, dentre eles: exame de sangue (TSH e T4livre), cintilografia, se necessário, ultrassom e punção por agulha fina, em casos selecionados. Depois de toda esta análise, o paciente poderá ser encaminhado para a cirurgia ou será acompanhado clinicamente com ultrassons seriados, geralmente a cada ano. A cirurgia da tiroide é relativamente simples e dará o diagnóstico final se o paciente é, ou não, portador do câncer. Os tipos existentes são os carcinomas diferenciado (papílifero e folicular), medular e anaplásico. O mais comum é o papilífero e o que possui o melhor prognóstico. Nesses casos, após a cirurgia, o tratamento pode ser complementado com iodoterapia. O câncer de tiroide raramente necessita de quimio ou radioterapia. Além das duas etapas citadas, a reposição do hormônio da tiroide (levotiroxina) é fundamental, pois ofe-

1 8 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

rece melhor qualidade de vida, além de complementar o tratamento, deixando adormecida alguma célula neoplásica ainda existente. O seguimento deste tumor é feito com o marcador do câncer diferenciado da tiroide, a Tiroglobulina, dosada em laboratórios de análises clinicas, através da amostra de sangue. Têm sido realizadas várias pesquisas com este marcador e ensaios cada vez mais sensíveis têm surgido. Outra linha de pesquisa é a procura de mutações no DNA desses pacientes, que podem ser feitos com sangue, material da punção aspirativa do nódulo ou na peça cirúrgica. Esperamos no futuro um ensaio específico para este carcinoma e dessa forma facilitar o diagnóstico e o tratamento desses tumores. Alguns poucos casos apresentam metástases para outros órgãos, porém, quando bem conduzido, geralmente o paciente alcança o controle da doença e tem uma vida normal.


C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 19


{ TOTAL SAÚDE / rEJuVEnEScimEnTO }

DRA. THAIS SAKUMA Médica Dermatologista CRM-MS 5868 / RQE 3854

A Dra. Thais Sakuma realizou Residência em Dermatologia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), é membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia (AAD). Pesquisadora Associada da Universidade da Califórnia, São Francisco, em 2011. Autora de diversos capítulos de livros e de artigos científicos nas principais revistas dermatológicas nacionais e internacionais. foto HEnriquE ATTiLiO

Para rejuvenescer o rosto de forma eficaz, é preciso antes de mais nada compreender a dinâmica do processo de envelhecimento. A Dra. Thais Sakuma, que é palestrante no Curso Internacional de Anatomia, realizado anualmente no M.A.R.C – Miami Anatomical Reasearch Center – esclarece: “O conhecimento da anatomia do envelhecimento permite uma avaliação global do paciente. Com o passar dos anos ocorre diminuição da sustentação e elasticidade da pele, reabsorsão e remodelamento ósseo, atrofia e deslocamento dos compartimentos de gordura e aumento da tensão muscular facial. Isto ocorre em graus variáveis, de acordo com cada pessoa, dependendo de fatores genéticos e também de fatores externos, tais como exposição solar, estresse, tabagismo etc”. A Dra. Thais explica que existem tratamentos minimamente invasivos para cada finalidade. A toxina botulínica tipo A (botox), por exemplo, relaxa os musculos hipercinéticos, os volumerizadores a base de ácido hialurônico devolvem os contornos faciais e o ácido poli-lático melhora a flacidez, tanto facial quanto corporal.

2 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


1) EM SUA OPINIÃO, QUAIS AS NOVIDADES NA DERMATOLOGIA ESTÉTICA?

2) QUAL A SUA FILOSOFIA DE TRABALHO?

A cada dia surgem novas tecnologias, tais como lasers, radiofrequência, ultrassom microfocado, etc., por isso, é importante estudar e frequenter congressos. Os preenchedores também evoluíram. O surgimento de apresentações mais espessas e duradouras nos permitem tratar o paciente de forma tridimensional. Há bem poucos anos, isso era feito de forma bidimensional, ou seja, tratavam-se apenas os sulcos e rugas que eram visíveis à frente do espelho, como, por exemplo, o famoso “bigode chinês”. Hoje em dia podemos devolver os contornos do rosto e tratar a causa desse “bigode”.

Proponho uma combinação de técnicas, a fim de proporcionar resultados naturais, sem exageros. O primeiro passo é uma consulta personalizada, na qual procuramos compreender os objetivos do paciente, para, então, traçarmos em conjunto um plano de tratamento.

“O nosso conceito é rejuvenescer com naturalidade.

O objetivo do tratamento não é ficar diferente, mas bem para a idade.”

3) QUAIS AS CARACTERÍSTICAS DE UM PROFESSIONAL BEMSUCEDIDO? Honestidade, a busca continua pelo conhecimento, habilidade para a àrea escolhida e compaixão, isto é, saber se colocar no lugar do paciente.

4) O QUE MAIS GOSTA NA SUA PROFISSÃO? A combinação arte e ciência e a oportunidade de interagir com pessoas de todas as idades me fascinam. Fico feliz em ver que pequenas coisas podem ter um impacto positivo e fazem a diferença na vida das pessoas. Isso é muito gratificante.

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 21


{ TOTAL SAÚDE }

Possíveis causas da perda auditiva Alguns dos possíveis sintomas da perda auditiva

por DR. MARCELO ANDRÉ BRUNE • foto HENRIQUE ATTILIO

C

onforme pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, a cirurgia de colocação de próteses de silicone nas mamas é a cirurgia plástica mais realizada no Brasil, seguida pela lipoaspiração. A cirurgia de prótese mamária é um procedimento cirúrgico muito seguro, com alto índice de satisfação das pacientes, com um trauma cirúrgico/anestésico pequeno e de repouso relativamente curto (em alguns casos podendo voltar ao trabalho ou ao estudo em 3 ou 5 dias). O procedimento, na maioria das vezes, é feito sob anestesia local, com sedação, mas pode ser realizado com peridural ou geral. Em todas elas a paciente está dormindo e não lembra nada do procedimento cirúrgico. O tempo cirúrgico normalmente é inferior a uma hora e ela, na grande maioria, pode ter alta no mesmo dia. A incisão para a colocação da prótese pode ser realizada no sulco mamário, na parte inferior das aréolas ou nas axilas. As cicatrizes neste procedimento tendem a ser de muito boa qualidade, sendo quase imperceptíveis. Caso a paciente

2 2 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

• Pedir às pessoas que repitam as frases; • Relacionamentos pessoais desgastados; • Sentimento de rejeição; • Isolamento social; • Cansaço e estresse; • Dificuldade em compreender a fala de crianças e adultos; • Necessidade constante de aumentar o volume da TV.

tenha flacidez nas mamas pode longo prazo deixa a mama enduser realizada a retirada de pele na recida). Com a tecnologia atual, as Perdadenominando-se Sensorioneural mesma cirurgia, boas próteses são feitas para durar pexia mamária. Nesses muito tempo, existeminterno inclusi- ou nas É causada porcasos algumhádano nasmais células do ouvido uma cicatriz de maior extensão. ve empresas de próteses que dão para fibras do nervo auditivo, que leva as informações sonoras Como em qualquer procedi- garantia vitalícia para os casos de o cérebro. Esses tipos de perda normalmente são permanentes mento médico, há riscos que de- contratura capsular ou ruptura. e não passíveis de tratamento por emeio de procedimentos vem ser discutidos entre a paciente O volume o formato da próe o cirurgião plástico,e mas os ín- tese a serestar utilizada no procedimenmédicos cirúrgicos. Pode relacionada a algumas dices de causas: ocorrência dessas com- to devem estar de acordo com o plicações na cirurgia de prótese desejo da paciente e com a expe• Associada ao avanço da idade mamária é uma das mais baixas na riência do cirurgião, de modo a • Exposição ao ruído trazer o máximo de benefício para cirurgia plástica. • atuais Doença/Trauma As próteses são de qua- ela, o que melhora muito sua autolidade muito melhor que há alguns estima e qualidade de vida. • Medicação anos. Elas possuem gel coesivo no seu Perda Condutiva interior (que impede vazamento), têm que interferem na condução do som através do Condições várias camadas exouvido externo, médio e interno. Algumas causas podem ser ternas, para maior tratadas por meio de medicamentos ou procedimentos proteção e durabicirúrgicos: lidade, sendo que a superfície da • prótese Infecção no ouvido pode ser texturizada • Doença/Trauma ou de poliuretano. • Cera no ouvido ou objetos Essas características permitiram uma diminuição importante na incidência de conCRFa. 2818 MS tratura capsular (uma Fonoaudiólogo complicação que a

Nelson Lam K. Fook


COMODIDADE, SEGURANÇA, PRATICIDADE E REFERÊNCIA EM APARELHOS AUDITIVOS. Cuidando da sua audição • Atendimento em todo o Estado de Mato Grosso do Sul; • Aparelhos auditivos digitais de ultra-tecnologia; • Laboratório técnico exclusivo; • Manutenção, revisão e consertos de aparelhos auditivos de

todas as marcas; • Confecção de moldes e aparelhos auditivos em 48 horas; • Pilhas e acessórios; • Condições de pagamentos facilitadas.

AGENDE UM HORÁRIO E SOLICITE UM TESTE DOMICILIAR SEM COMPROMISSO!

CAMPO GRANDE/MS

DOURADOS/MS

Rua 13 de Junho, 167 - Centro danavox@brturbo.com.br

Av. Pres. Vargas, 855 - Sala 4 Galeria Dourados Center danavox@brturbo.com.br

(67) 3325 6686 - 3325 7958

CINCO + (67) 3421 0015

TRÊS LAGOAS/MS Rua Bruno Garcia, 684 Sala 501 - 5º andar - Centro

(67) 3521 8066

| N OV E MBRO 2 0 1 3 | 23


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

Você é o que você come por TATiAnE SAVArESE ATTiLiO foto LuciAnO muTA

Q

ual a importância de comer? Esta é uma questão que poderia ser respondida de diversas formas: comemos para nos manter vivos, comemos porque temos fome, apesar de que mesmo sem fome comemos também, comemos por prazer, comemos por hábito, comemos para festejar, comemos porque estamos tristes. Todas as respostas estão corretas, porém o ato de comer é muito mais do que todas as respostas acima reunidas. A fome é um mecanismo fisiológico que demonstra claramente que o organismo necessita de alimentos/nutrientes, ou seja, a necessidade de comer, está diretamente relacionada às necessidades nutricionais que o corpo humano precisa receber diariamente para poder assim manter-se vivo, saudável e com energia.

2 4 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


Logo, o problema não está no ato de comer, mas sim na escolha do que se come, porque realmente NÓS SOMOS O QUE COMEMOS. Quando escolhemos os alimentos apenas por prazer alimentar, dificilmente escolheremos alimentos nutritivos e variados e, como consequência, teremos uma carência nutricional. A carência nutricional é uma das principais causas de desenvolvimento de sintomas e doenças como: sonolência, fadiga, cansaço físico e mental, depressão, obesidade, hipertensão (pressão alta), TPM, retenção de líquidos, constipação intestinal entre outras. Você deve estar pensando que a alimentação não pode ser responsável por tudo isso, e que o que escrevi é um exagero, não é? A verdade é que realmente a alimentação é, sim, responsável pelo equilíbrio do corpo humano. Quer uma evidência bem simples? Vamos lá. Você comeria uma maionese de legumes, que tenha sido preparada pela manhã e servida somente à tarde, e não recebeu refrigeração adequada? Comeria uma ostra sem procedência? Certamente que não, para as duas opções, pois você sabe o risco que a sua saúde corre caso você coma alimentos estragados, não é mesmo?

O outro lado da moeda, no caso da alimentação, é o ato de comer alimentos nutritivos, que contemplarão todas às necessidades nutricionais. Quando isso ocorre temos inúmeros benefícios: disposição, bom-humor, energia, controle do açúcar no sangue, do colesterol e da pressão alta, proteção das células, e com isso evitamos o envelhecimento precoce, alimentação correta, que no caso das crianças, garante crescimento e desenvol-

“Os alimentos processados, com pouco ou nenhum valor nutritivo têm ocupado a mesa dos brasileiros com uma frequência assustadora.”

vimento otimizado, recuperação de uma cirurgia com mais facilidade, melhora da resposta imunológica, entre outros. A cada dia que passa estamos nos alimentando de forma imprópria. Os alimentos processados, com pouco ou nenhum valor nutritivo têm ocupado a mesa dos brasileiros com uma frequência assustadora. É preciso resgatar o bom hábito alimentar, o prato trivial do brasileiro: salada, arroz, feijão e carne. Pois esta combinação, por mais simples que possa ser, traz consigo um equilíbrio nutricional bastante significativo. Por isso, invista na sua alimentação, pois você é o que você come!

DrA. TATiAnE SAVArESE ATTiLiO CRN 3/12175 Nutricionista, Especialista em Nutriç�o Clínica, Obesidade e Emagrecimento. Docente em cursos de extens�o na área da saúde.

contato: Rua franklin Roosevelt, 61 Sala 08 - (67) 3306 0608 e 9128 8484 www.atitudesaude.com.br

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 25


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

Entre dispensar um bife malpassado ou não usar nada de origem animal existe uma distância, saiba qual.

H

á quem não abra mão de um bom churrasco, mas há quem opte por uma vida sem carnes e para isso existe um nome: vegetarianismo. Entretanto, é preciso esclarecer que existem diversos níveis de vegetarianismo, que vão desde aquele em que não se come apenas carne vermelha, até o que não faz uso de nada com origem animal, os chamados veganos. Os motivos que levam algumas pessoas a optar por uma alimentação que não seja baseada na carne, variam. Pode haver uma causa por trás, como o sofrimento dos animais ou até mesmo não apreciar o gosto do alimento. A enfermeira Flávia Soares Berti se classifica ao que chamamos de ovo lacto-vegetariana, pois utiliza ovos, leite e laticínios na sua alimentação. “Desde pequena nunca fui de comer carne. A carne vermelha nunca me apeteceu, nunca senti o prazer em querer comer aquela 'carne sangrando'. Já senti o gosto de carne de boi, mas nunca de porco, por exemplo, e não me faz falta. Atualmente, nos churrascos, fico muito satisfeita com legumes e pão de alho. Já no dia a dia, arroz, feijão e algum refogado já me faz muito feliz.” Existem também os lacto-vegetarianos: é o vegetariano que não come

2 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

ovos, mas faz uso de leite e laticínios. Para o advogado Flávio Pereira, que adotou essa dieta há menos de um ano, o estranhamento é cultural. “Nós, brasileiros, temos o costume de comer arroz, feijão e uma mistura. Para muita gente, deixar de comer a carne vai tornar a refeição incompleta, mas basta um pouco de criatividade”, disse ele, que garante ter se tornado especialista em suflês e tortas. Já o vegetariano estrito é aquele que não utiliza nenhum derivado animal na sua alimentação. É também conhecido como vegetariano puro. Entre as restrições, estão as massas (pois contém ovos), o leite, o mel e os laticínios. E o vegano vai além, é o indivíduo vegetariano estrito, que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais. Esse é o caso do estudante Bruno Vicenzo: “Os animais não existem para nos servir”, justificou. Vale lembrar que ainda existem os crudivoristas: um vegetariano estrito que come alimentos crus ou aquecidos no máximo a 42°C. A utilização de alimentos em processo de germinação (cereais integrais, leguminosas e

oleaginosas) é comum nessa dieta. Os frugivoristas: vegetariano estrito que utiliza apenas frutos na sua alimentação inclui os cereais, alguns legumes e oleaginosos e, por fim, os macrobióticos, que têm a alimentação baseada em cereais integrais.

ESPECIALISTA INDICA A SUBSTITUIÇÃO DE ALIMENTOS De acordo com a nutricionista Mariana Tarricone Garcia, o vegetarianismo deve ser tratado de forma diferente, de acordo com o sexo e a faixa etária de cada pessoa. “Crianças têm uma necessidade maior de proteína para o crescimento, mulheres em idade fértil ou gestantes precisam de mais ferro”, exemplificou. Mariana afirmou, ainda, que não basta tirar as carnes do cardápio, é fundamental substituir por outros alimentos, fonte dos nutrientes que estão nas carnes, e adotar o consumo de alimentos mais nutritivos, “como sementes, castanhas, frutas e hortaliças, por exemplo.” Portanto, a dica que vale para todos é que antes de parar de comer carne (ou mesmo se você foi criado assim) é muito importante consultar a nutricionista.


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

As misturas e sabores gastronômicos no cinema N a gastronomia, ingredientes são misturados, criando um novo sabor. O mesmo ocorre no cinema, elementos são juntados para se criar um novo significado. Isso é exemplificado pela fórmula “A+B=C”. Significa que após a soma, A e B não são os mesmos, criando algo novo. Se na culinária, misturamos farinha, ovo, fermento e outros ingredientes, quando o bolo está pronto, eles não existem mais de forma singular, criando o C da equação. No cinema a mistura ocorre através da montagem, juntando imagem e som. O principio do “Efeito Kulechov” se baseia na premissa de que a justaposição de uma mesma imagem, sobre outras diferentes, cria diferentes significados. O cineasta soviético Sergei Eisenstein, em suas teorias de montagem intelectual, defendia a criação de ideias abstratas através da junção de quadros de objetos concretos. Usemos como exemplo a animação Ratatouille, que conta a história do rato Remy em busca do seu sonho de virar um chef de cozinha. Quando o crítico gastronômico, Anton Ego, vai provar o prato Ratatouille, apa-

por AirTOn rAES, Jornalista, produtor audiovisual e cinéfilo

recem imagens de sua infância para demonstrar o efeito que a comida estava tendo em suas emoções. A alimentação também está ligada ao ato de assistir um filme. O hábito de comer pipoca faz parte do ritual de frequentar o cinema. Atualmente, no Brasil, são consumidas 80 mil toneladas de pipoca por ano. A pipoca começou a ser comercializada em parques e feiras em meados do século XIX. Com a ascensão da sétima arte, os vendedores de pipoca, em busca de mais um mercado, passaram a estacionar seus carrinhos na porta dos cinemas. A popularização ocorreu durante a grande depressão americana. Com a população sem dinheiro, o ingresso de cinema e a pipoca eram opções baratas. Nas telas, o assunto sempre está presente. Seja por um jantar, por uma ida ao supermercado, por retratar o dia a dia de um restaurante ou a rotina da indústria alimentícia. A magia da sétima arte nos ajuda a relembrar através de imagens dos sabores que estão guardados na nossa memória. E como A+B= C, nossas experiências individuais entram na equação para criar a experiência cinematográfica única. Aquela cena de uma mãe retirando um bolo de fubá do forno, ou de uma criança comendo pastel no meio-fio, desperta em nossa mente momentos de felicidade e nostalgia.


ESTÔMAGO 2007 Direção: Marcos Jorge

Raimundo Nonato vai para a cidade grande na esperança de ter uma vida melhor. Contratado como faxineiro em um bar, logo ele descobre que possui um talento nato para a cozinha. Com suas coxinhas, Raimundo transforma o bar num sucesso.

CHOCOLATE (Chocolat) 2000 Direção: Lasse Hallstrom

O filme conta a história de uma jovem mulher que, junto com a sua filha, tenta adaptar-se a uma pequena cidade na França. Abre uma chocolataria em frente à igreja local e, aos poucos, vai conquistando a confiança da população local.

COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE 1992 Direção: Alfonso Arau

Tita nasceu na cozinha do rancho de sua família, quando sua mãe cortava cebolas. Ela é vítima de uma tradição local, que diz que a filha mais nova não pode se casar para que cuide da mãe até sua morte. Ao crescer, Tita se apaixona por Pedro Muzquiz, que deseja se casar com ela.

MUITO ALÉM DO PESO

TAXIDERMIA 2006 Direção: György Pálfi

Este filme não é para pessoas de estômago fraco. A história nos envolve numa insólita e fascinante narrativa, que atravessa várias décadas e nos revela três gerações de homens com obsessões e comportamentos muito peculiares.

O AMOR ESTÁ NA MESA (Cuisine Américaine) 1998 Direção: Jean-Yves Pitoun

Jovem cozinheiro serve os mais requintados pratos na Marinha Americana. Após discutir com um dos oficiais, ele termina por ser expulso da corporação e consegue uma vaga num dos mais badalados restaurantes da França, comandado pelo conhecido chef Louis Boyer e sua filha Gabrielle.

2012 Direção: Estela Renner

Este documentário estuda o caso da obesidade infantil, principalmente no território nacional, mas também nos outros países no mundo. Entrevista pais, representantes de escolas,

membros do governo e responsáveis pela publicidade de alimentos. A diretora disponibilizou o filme gratuitamente na internet em www.muitoalemdopeso.com.br.


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

Nutricionista tira dúvidas sobre o alimento muito utilizado na culinária japonesa. por AnAHi zuruTuzA

A

culinária japonesa é considerada uma das mais saudáveis do mundo e não há como negar que os sushis e sashimis caíram no gosto do campo-grandense. Não há registro oficial da quantidade de restaurantes especializados nas iguarias abertos na Capital nos últimos anos, mas é só dar uma voltinha pela cidade para perceber que os estabelecimentos fazem sucesso. Apesar de saborosa e nutritiva, para a comida japonesa também vale a máxima do “tudo que é demais não presta”. Fora que existem os mitos e verdades sobre comer o peixe cru. Vamos desvendá-los? Qualquer alimento submetido ao calor perde alguns nutrientes da sua composição. Neste ponto, é possível afirmar que sim, é mais nutritivo ingerir peixes crus do que grelhados ou cozidos. O salmão, o atum e o peixe branco, os mais utilizados para preparar os sushis e sashimis, são exce-

3 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

lentes fontes de proteínas. São ricos também em fósforo, vitaminas e gorduras de boa qualidade. Dependendo da quantidade consumida, a refeição pode ser de baixo teor calórico. Mas, é preciso tomar cuidado com os acompanhamentos. “O que vai diferenciar é o que é adicionado, como o cream cheese e o shoyu. Os sushis fritos têm de ser consumidos em pouca quantidade”, explica a nutricionista Débora Soria.

DOENÇAS É verdade também que o pescado é um alimento altamente perecível e ao ingeri-lo cru é mais fácil contrair infecções por bactérias ou contaminar-se, até mesmo com algum verme. Por isso, o recomendado é consumi-lo somente em locais confiáveis. A dica da nutricionista é observar se o balcão da confecção dos pratos, que nos restaurantes japoneses geralmente são expostos, está bem organizado e

limpo. “É bom sempre olhar como o peixe está conservado, se é deixado em local refrigerado ou não. O balcão muito exposto também não é legal. A pessoa precisa estar atenta à coloração do peixe, a aparência tem de ser úmida, não molhada. O cheiro não pode ser muito forte”, aconselha. Também não é mito que mulheres grávidas e crianças devem evitar o peixe cru. “Durante a gravidez há a diminuição da imunidade e crianças também têm resistência menor às infecções. Não é totalmente proibido, mas é bom evitar”, alerta Débora. As intoxicações alimentares, em geral, são causadas pelas bactérias estafilococos e do gênero salmonella. Os sintomas, que aparecem de 12 a 72 horas depois da ingestão do alimento contaminado, são diarreia, vômito, dor abdominal e mal-estar. “Neste caso, a pessoa tem de procurar um médico e informar que ingeriu o peixe cru”, orienta.


BUFFET YOTEDY

R

Yotedy na língua kadiwéu significa estrela, ou seja, nasceu para brilhar.

USO INFANTIL, ADULTO, FORMANDOS, NOIVOS, ANIVERSARIANTES, PARA TODAS AS IDADES. COMPOSIÇÃO Cada evento é revestido da melhor culinária do Estado, rico em sabor, espaço privilegiado com vista para um dos maiores parques do mundo e atendimento de excelência. INFORMAÇÕES TÉCNICAS Yotedy, cujos princípios ativos são pura emoção e qualidade, com sabores distribuídos na Estação Gourmet, Pratos Minimalista e cardápios deliciosos que aliviam o estresse, proporcionam o bem-estar e agem diretamente com nossas emoções. Usado e indicado no tratamento para realização de sonhos. A duração da ação é de 4 a 7 horas, dependendo do seu evento.

Mayra Neves

YOTEDY FAZ BEM À SAÚDE!

PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS Devido a sua ação de irresistível sabor, bom gosto e requinte, o Yotedy tem sua agenda lotada, então marque logo sua data para prevenir qualquer tipo de estresse. MODO DE USAR A dose usual é SEMPRE, sem restrições médicas. Superdose é recomendado para quem busca celebrar, se encantar e saborear a vida. EFEITO COLATERAL Para quem não aguenta com fortes e deliciosas emoções. O efeito colateral detectado foi a saudade após o término do evento. RESULTADOS Estudos comprovam que o Yotedy há mais de 14 anos no mercado, é um tratamento de sucesso que melhora o humor e a vida. Para os que já testaram os efeitos e benefícios do Yotedy afirmaram que os sonhos se tornaram realidade.

R: Antônio Maria Coelho, 6200 / Pq. das Nações Indígenas/ Campo Grande-MS / www.yotedy.com.br / facebook.com/yotedy

(67) 3326-7834 / vendas@yotedy.com.br

A sua vida passa por aqui.


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

A

por rEnATO LimA

s garrafinhas já fazem parte do nosso dia a dia, estão no carro, na mesa de trabalho, na bolsa, levamos para um passeio no parque, para a escola e, claro, para a academia. E tão variados como os tipos de garrafinhas é o que carregamos dentro. Houve um tempo em que a água, aquela do bebedouro, reinou absoluta na hidratação do organismo, hoje o mercado oferece uma prateleira de opções, como isotônicos, chá solúvel, clorofila líquida, proteína whay, shakes, água saborizada e por aí vai. Se, por uma lado, passamos a beber mais líquido, por outro diminuímos a ingestão de água e até mesmo de alimentos, como frutas, verduras e refeições. A Revista Cinco + Total Saúde fez um levantamento dos principais líquidos que disputam nossa hidratação com a água e revela algumas curiosidades sobre eles. E já que o assunto é líquido, nunca é demais reforçar que a ingestão durante a refeição é contraindicada. Isso por vários motivos. O excesso de líquido misturado aos alimentos pode dilatar o estômago, provocando uma sensação de “inchaço abdominal”, o corpo envia uma mensagem para o cérebro avisando que ainda existem espaços vazios para serem preenchidos, então você não se sente saciado e consome mais alimentos do que normalmente seria necessário. Outra consequência negativa de beber enquanto come, é a diminuição da concentração dos ácidos gástricos, fundamentais para a digestão, algumas enzimas são diluídas e prejudicam a digestão, podendo ocasionar indigestão, gases e flatulências. Mas o que muita gente não sabe é que o excesso de líquido também poderá diminuir a absorção de alguns nutrientes, como ferro, cálcio, zinco, vitamina B12, en-


tre outros, pois os alimentos passam mais rapidamente pelo intestino. Agora, se você não consegue ficar sem beber nada durante as refeições opte por água ou suco de frutas e apenas um copo, somente para limpar o paladar.

O JEITO CERTO DE BEBER ÁGUA. Que a água é insubstituível e faz bem para a saúde, ninguém contesta. Mas, como tudo na vida, existe a maneira correta até para ingerir a água. Os médicos recomendam, sim, o consumo diário de 2 a 2,5 litros de água. Mas o certo é ingerir aos poucos, muita água de uma vez causa sobrecarga renal. O aviso vale, principalmente, para quem passa horas tomando litros de tereré. A cor da urina é um bom indicador. O ideal é que esteja translúcida. Quanto mais amarela, mais a ingestão de água é indicada. Já para atletas e esportistas, repor as perdas apenas com água não é indicado. “Isso porque a atividade física provoca a perda de sais minerais junto com a água. O médico do esporte, Dr. Gustavo Malhorta, explica que beber muita, e apenas água, nessa ocasião, provoca a hiponatrimia, em outras palavras, aumenta o solvente no sangue, diminuindo a concentração do plasma. Nesse caso, é útil um isotônico ou uma reposição gradual de água.

Os médicos recomendam, sim, o consumo diário de 2 a 2,5 litros de água. Mas o certo é ingerir aos poucos, muita água de uma vez causa sobrecarga renal. os programas de pré e pós-treino. Mas jamais troque todas as refeições por esse líquido. “Se bater o almoço no liquidificador não é a mesma coisa que mastigar e engolir. Imagine substituir uma refeição com fibras, vegetais naturais, carne fresca, temperos orgânicos, por um composto químico?”, alerta a nutricionista Marilza Albani.

ISOTÔNICO. É a bebida três em um. Contém carboidrato, líquido e eletrólitos (sais minerais). É ideal para quem faz atividade física de forma regular. É indicado para repor o sódio, no entanto se usado fora dessa circunstância pode aumentar a quantidade de sódio no organismo e se tornar um risco para quem tem hipertensão. A quantidade de sódio em uma garrafinha de isotônico varia de 50 a 160mg, enquanto uma latinha de refrigerante, por exemplo, tem apenas 11mg de sódio.

ENERGÉTICOS. Esse líquido também tem finalidade específica: dar ganho de energia extra a partir da cafeína e da taurina. É consumido, geralmente, em festas e baladas, e é aí onde mora o perigo. Misturar álcool com energético é quase uma bomba para o organismo. O limite seguro para ingestão diária de cafeína é de 175mg. Um cafezinho, por exemplo, tem 60mg de cafeína, já uma latinha de energético tem 80mg. Acima de 250mg a pessoa já começa a apresentar sintomas como ansiedade, palpitação, insônia e até problemas gástricos.

SHAKES. Os shakes industrializados são muito procurados pelas pessoas que buscam emagrecimento rápido ou ganho de massa, como o Whey Protein, por exemplo. O shake pode ser um bom aliado da dieta se consumido na quantidade correta e nos horários específicos. Para emagrecer, à noite, na substituição da janta, por exemplo, é o ideal. Já para ganho de massa existem

CHÁ. O chá hidrata tanto quanto a água. É como fitoterápico, ajuda o sistema imunológico graças aos flavonoides e antioxidantes. Também apresenta efeitos específicos como diurético, auxilia na digestão, acelera o metabolismo, entre outros. O problema está no excesso! Tomar chá o dia inteiro, principalmente substituindo a água, aumenta concentração de cafeína no organismo, o que pode causar desidratação, além de ansiedade e problemas gástricos. O recomendado são três xícaras por dia. O ideal são 2 colheres de sopa para 1 litro de água. E se for abastecer sua garrafinha com chá, esqueça o açúcar. O mesmo serve para o bom e velho tereré! C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 33


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

por cArOL ALEncAr

Mesmo na era dos fast foods e refrigerantes, muitos pais optam por festas infantis mais saudáveis.

Q

uando alguém ouve falar em festa infantil logo lembra de cachorro quente, salgadinhos, refrigerante e brigadeiro, não é? Errado. Esse costume das festinhas infantis tradicionais pode estar ultrapassado. Hoje em dia, com o excesso de informação, principalmente no âmbito gastronômico, que faz a cabeça dos pequenos, esta prática já pode estar fora de moda. Alguns pais, mesmo os não vegetarianos, optaram em oferecer uma alimentação mais saudável aos convidados mirins das festinhas de seus filhos. A empresária Cris Vitoretti, mãe do pequeno Arthur, de 3 anos, e da Maria Fernanda, de 5 anos, é uma dessas mães naturais que se empenham nas festinhas leves. “As festinhas são sempre regadas a comidinhas mais naturais possíveis sem embutidos. Sempre faço substituição na escolha dos ingredientes, por exemplo, uso ovos caseiros e opto pelo hamburguer feito com carne moída, totalmente caseiro e sem conservantes. Faço o mesmo com os pãezinhos que servimos, todos assados em casa”, diz. O mesmo faz a mãe do João Pedro, 2 anos, Glê Schimitt, que além dos tradicionais docinhos de festa, faz os mousses de frutas no copinho, que são mais saudáveis para os convidados. “Não tem como deixar o brigadeiro e o beijinho de fora, porque é clássico para festa infantil, mas nada impede de fazer outros tipos de doces para complementar. Desde o primeiro aninho, eu e minha mãe fazemos os mousses de uva e maracujá e servimos

à parte. Fica uma delícia”, avalia. Ambas fizeram a festa dos filhos totalmente de maneira independente, sem contratação de buffet, e tudo feito com amor e muito carinho para seus “filhotes”. Uma dica simples para os salgados da festa é fazer uma pasta caseira de frango com legumes, acrescentar ao pão integral e enfeitá-lo com bandeirinhas e outros adereços que tenham a ver com o tema da festa. No lugar do temido refrigerante, as mães garantem, suco natural é o que há. “A gente faz jarras de suco da fruta e serve para a criançada, quando estão entretidas com a brincadeira e a magia do aniversário, nem percebem que não tem refrigerante”, brinca Cris. Além de saudável, a festa in natura dos pequenos pode sair bem mais em conta para o bolso. “Eu podia contratar um buffet, mas preferi economizar e fazer tudo sozinha, com a ajuda das amigas, saiu bem mais em conta”, revela a mãe de João Pedro.

^ João Pedro e sua mãe gle Schimitt

3 4 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


3 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 37


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

por rEnATO LimA

Movimento criado na contramão do fastfood valoriza maior apreciação da comida e a relação do prato com o planeta.

P

ara entender o movimento Slow Food é bem simples, basta lembrar do seu último almoço e responder a essas perguntas básicas: Quanto tempo você levou para mastigar os alimentos, apreciando a textura, o sabor e o aroma? Ao olhar seu prato conseguiria identificar a procedência de cada alimento que você escolheu para seu almoço? Aliás, você tem certeza de que escolheu seu almoço a partir do seu paladar e das necessidades do seu organismo ou optou pela refeição mais fácil e rápida? Independente das suas respostas, a proposta do Slow Food é desenvolver essa reflexão. A filosofia desse movimento, criado em 1986 pelo italiano Carlo Petrini, defende a necessidade de informação do consumidor e protege identidades culturais ligadas às tradições alimentares e gastronômicas. O alimento, portanto, deve ser bom, limpo e justo, o que significa que ele deve ser saboroso, deve ser produzido de forma a respeitar o meio ambiente e os preços devem ser justos, tanto para quem os produz quanto para

3 8 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

quem os consome. Fato é, que a cada dia esse movimento se aproxima do nosso “pão de cada dia”. Atualmente, o movimento conta com mais de 100 mil associados de 150 países, incluindo o Brasil. Em 2004, a Fundação Slow Food para a Biodiversidade assinou um acordo de cooperação internacional com o Ministério do Desenvolvimento Agrário do Brasil (MDA), para o desenvolvimento de projetos no País, com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial (SDT) do MDA. “O Slow Food opõe-se à tendência de padronização do alimento no mundo e defende a necessidade de que os consumidores estejam bem informados, tornando-se coprodutores”, explica o fundador Carlo Petrini.


PeStO De BArU “O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentaç�o, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produç�o.”

EDUCAÇÃO DO SABOR As habilidades sensoriais das pessoas deterioraram-se significativamente nos últimos tempos. “Nosso tato, paladar e olfato pioraram muito”, afirma Carlo. As pressões da falta de tempo e velocidade do nosso dia a dia estão nos privando das faculdades que podem nos dar um conhecimento mais profundo, variado e autêntico do mundo à nossa volta. Por esta razão, um elemento vital da filosofia do Slow Food é o re-treinamento dos sentidos e da percepção. Especialmente os jovens estão correndo sérios riscos de perder a noção do que significa comer. Slow Food ajuda as pessoas a redescobrirem o prazer de alimentar-se e a compreenderem a importância de entender de onde a sua comida é proveniente, quem faz e como é feita. Despertando e treinando nossos sentidos, o Slow Food ajuda na redescoberta do prazer de saborear um alimento.

ria, Itália, é feito O pesto original, da região da Ligu e azeite de ano pad com manjericão, pinoli, grana combina que oliva extra virgem. É molho clássico tro da Den . nca muito bem com massas e carne bra ura local. cult à -lo cultura Slow Food é possível adaptá dica é inserir a No caso do Mato Grosso do Sul a (do Cumbaru). castanha típica do Cerrado, Baru

INGREDIENTES

e 50g de castanha de baru torrada / ão jeric man de descascada / 2 maços queijo de 50g / em Azeite de oliva extra virg de minas curado ralado / Sal

MODO DE FAZER

idificador, usando Triture as castanhas de baru no liqu as de manjericão, a função "pulsar". Lave bem as folh ssos, e coloque no gro s separando-as dos cabinhos mai sopa de azeite e de liquidificador. Adicione 4 colheres " do aparelho. lsar misture tudo, usando a função "pu e ite volte a misturar. Coloque o queijo ralado, mais aze o liquidificador bata Adicione azeite até conseguir que mas sem deixar o conteúdo sem muita dificuldade, Coloque em muito líquido. Adicione sal a gosto. de vidro de geleia um recipiente (pode ser um pote reutilizado) e guarde na geladeira. OBSERVAÇ�ES Outras castanhas O baru é a castanha do Cerrado. zadas, como a de do Brasil também podem ser utili diferentes. Este cajú e do Pará, dando resultados cisa ser aquecido. molho é muito aromático e não pre te para cada Uma colher de sobremesa é suficien bom com pão, prato de massa cozida. Fica muito em sanduíches.

No entanto, o movimento já angaria críticas de que o Slow Food é contra alimentos produzidos em larga escala, monoculturas ou alimentos industrializados, e o acusam de estar desencorajando o uso de alimentos mais baratos. Carlo explica que o Slow Food discute de modo mais aprofundado qual é o real custo do alimento, questionando, por exemplo, qual o custo ambiental dos alimentos produzidos em escala industrial ou qual o custo para a saúde de quem consome alimentos industrializados.

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 39


{ Voc� é o que voc� come }

Uma relação nada saudável por MICHELLA GUIJT

S

eu filho dispensa um prato de arroz e feijão por um pacote de bolacha ou salgadinho? Calma! Com criatividade, incentivo e um pouquinho de insistência, ele pode se alimentar bem e crescer vendendo saúde. Quem acende esta luz no fim do túnel é a nutricionista funcional, Tatiana Pimentel. Porém, ela alerta que quem tem de pegar a lanterna – ou seja, apontar o caminho – são os pais. “Lógico que os alimentos prontos - os chamados fast foods - são muito mais práticos para uma mãe que trabalha fora e não tem tempo de cozinhar. Mas é preciso oferecer à criança uma dieta rica em vitaminas, sais minerais, fibras, além de ela ser variada.” O primeiro passo é tornar a refeição atrativa: montar um prato colorido – com legumes e salada - ajuda bastante. Vale também chamar os pequenos para a cozinha. “A criança pode ajudar a preparar a refeição, sempre com a supervisão de um adulto. Isso é um incentivo que funciona muito bem”, diz Tatiana. Na hora de montar o prato, use e abuse da criatividade. “A salada, por exemplo, pode ter formato de carinha, usando tomate cereja para fazer os olhinhos, o alface para dar formato ao rosto e por aí vai”, diz.

A maioria dos fast foods é rica em carboidratos e gordura, que consumidos em excesso causam a obesidade. Outro fator negativo é o alto índice de sódio nestes alimentos. 4 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


A nutricionista lembra que o clássico arroz e feijão nunca deve ser deixado de lado. “Esta combinação é muito nutritiva e, geralmente, bem aceita pelas crianças. Também é preciso acrescentar uma porção de proteína magra (carne e frango sem gordura ou peixe) e a saladinha. E, na hora da sobremesa, nada de doce. O certo é dar uma fruta.”

DICAS Se a criança tiver aversão a um tipo de alimento, a saída é introduzi-lo na dieta de outra forma. “A couve, a cenoura e outros alimentos podem ser inseridos em sopas, cremes, purês, e até em sucos, sem que a criança perceba”, orienta Tatiana. Ela dá algumas dicas. Uma delas é fazer o arroz com o caldo de legumes (feito em casa, não o pré-fabricado) ou as verduras picadinhas ou raladas. “Um arroz com cenoura ou brócolis é muito nutritivo e gostoso também. Outra dica é cozinhar o feijão com beterraba. Também sugiro o macarrão integral, como molho de tomate fresco e atum”, exemplifica a nutricionista.

RECEITA Tatiana dá uma receitinha mágica, rica em ferro e outras vitaminas. Trata-se de um suco verde que pode ser introduzido em outras bebidas. Anote os ingredientes: um maço de couve-manteiga e um maço de hortelã. Bata tudo com água no liquidificador, coe, despeje na forminha de gelo e bote no freezer. Depois, é só colocar um ou dois cubinhos do suco congelado no copo do suco de laranja ou de abacaxi e oferecer à criança. “Não fica gosto do suco verde e a criança vai ingerir um alimento rico em vitaminas e sais minerais”, garante Tatiana.

DESAFIO Você deve estar se perguntando, como vou convencer meu filho a comer uma fruta no lugar de chocolate, por exemplo? A resposta da nutricionista é franca e direta: educando. “É muito grande o número de crianças obesas que atendo no consultório. E isso é muito grave, porque além de gordas, elas estão desnutridas. Os pais têm de entender que é preciso reeducar a alimentação dos filhos. Como? Oferecendo alimentos nutritivos”, frisa Tatiana. Além da oferta, é preciso persistência. Isso quer dizer que nada de recompensar o filho com um doce porque ele ‘bateu’ o prato de comida. “A guloseima deve ficar restrita ao final de semana. E isso tem de ser de forma moderada. Uma criança não pode comer só fast food o dia inteiro. É preciso evitar exageros.” Ainda, segundo a nutricionista, o ideal é a criança fazer de cinco a seis refeições por dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia, se ela não dormir muito cedo. “As porções devem ser variadas, mas pequenas. O correto é comer de três em três horas. E isso também vale para os idosos”, finaliza. C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 41


4 2 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 43


{ VOc� é O quE VOc� cOmE }

4 4 | TOTAL SAÚDE CINCO + | NOVEMBRO 2013


Alimentos orgânicos são mais saudáveis e estão cada vez mais fáceis de encontrar. por AnAHi zuruTuzA

É

fato que a “onda saudável” está tomando conta do mundo e pessoas estão investindo na variedade de frutas, legumes e verduras no cardápio diário. Mas, na hora de fazer a feira, você já parou para pensar que os alimentos que consome podem não ser tão saudáveis assim? Pois é. Resíduos de adubos químicos e agrotóxicos podem estar indo parar no seu prato. Em ascensão no mercado de hortifrutigranjeiros e até de industrializados, os alimentos orgânicos são, hoje, a melhor opção para quem quer ter a certeza de que não está ingerindo “veneno”. Para cultivar em larga escala, acabar com as pragas e prolongar a validade dos alimentos, as lavouras e hortas utilizam substâncias químicas que contaminam a produção. Lavar bem o que é comprado in natura não resolve muito e, por isso, o consumo diário desses alimentos representa riscos à saúde. “Estudos científicos comprovam que o consumo crônico dessas substâncias

pode provocar uma série de doenças, inclusive os cânceres”, alerta o médico nutrólogo, Sandro Trindade, coordenador do Programa de Tratamento de Obesidade Infantil e do Centro de Vigilância Toxicológica (Civitox), que funcionam no Hospital Regional de Mato Grosso do Sul (HRMS). Trindade cita uma pesquisa realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), que mantém o Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA), em Campo Grande, apontando o pimentão, o morango, a uva, a cenoura, a alface e o tomate (nesta ordem) como os alimentos campeões em substâncias tóxicas para a saúde. A manga, a banana, a batata e a cebola são os hortifrutis menos “envenenados”. O médico acredita que vale a pena optar pelos alimentos orgânicos. “As pessoas falam que é mais caro, mas qual o bem mais precioso que temos? A nossa vida. Isso, sim, deve ser colocado na balança.”

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 45


4 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


ROTA DO ORGÂNICO ONDE ENCONTRAR? Outra desculpa para não ir atrás dos orgânicos é a dificuldade de encontrar, mas está cada vez mais difícil usar este argumento. Na Capital, vários estabelecimentos comercializam os produtos, desde pequenas hortas até franquias de loja “natureba”.

RECANTOS DAS ERVAS Rua Treze de Junho, 1.592 - Centro (esquina com a Rua das Garças) Feirinha de verduras e ervas acontece todas às sextas-feiras, a partir das 8h30

KI FRUTAS Rua Calarge, 948 (com Rua Pedro Celestino) Horário comercial

FEIRA - ESTACIONAMENTO DA PREFEITURA DE CAMPO GRANDE Avenida Afonso Pena, 3.297 - Centro Aos sábados, a partir das 7h

FEIRA - PRAÇA DO RADIO CLUBE Avenida Afonso Pena, entre as ruas Padre João Crippa e Pedro Celestino Às quartas-feiras, a partir das 7h

HORTA TRÊS BARRAS Em frente à rotatória da Avenida Três Barras com a Avenida Interlagos Horário comercial

ESPAÇO SEJA LEVE E LIGHT Rua Manoel Inácio de Souza, 2.153 (quase esquina com a Via Park) Horário comercial

SHANGAI FRUTAS Rua José Antonio, 2.268 - Centro Horário comercial

MEL ZEN Rua Bahia, 561 - Centro Horário comercial

MUNDO VERDE Avenida Mato Grosso, 3.770 - Santa Fé Horário comercial

C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 47


Na loja Mel Zen, além de trabalhar com a própria linha de produtos apícolas, produzidos em fazenda no Pantanal, os orgânicos também têm vez. O estabelecimento ainda não trabalha com hortifrutigranjeiros, mas, segundo o proprietário, Roberto Oliveira, 31 anos, em breve vai oferecer alimentos frescos também. O empresário conta que a Mel Zen surgiu da necessidade de atender clientes também no varejo e que com o passar do tempo ele decidiu comercializar não só o mel e subprodutos, mas também alimentos funcionais, agroecológicos e orgânicos. “A gente vai escutando o nosso público e transformando a loja. Por isso, queremos começar

a trabalhar com frios, congelados e hortifrutis. Hoje, temos sucos, geleias, molho de tomate, café, biscoitos, dentre outros produtos orgânicos, mas industrializados.” Alguns supermercados e sacolões também oferecem orgânicos. O Ki Frutas, sacolão tradicional da cidade, é um deles. Dá ainda para achar esses alimentos nas feiras e hortas. Todas as quartas-feiras, produtores de orgânicos reúnem-se para vender frutas, legumes e verduras na Praça do Rádio Clube e, aos sábados, as barracas são montadas no estacionamento da prefeitura. Segundo o Sindicato Rural de Campo Grande, a Capital tem, atualmente, 36 produtores de alimentos sem agrotóxicos.

INDUSTRIALIZADOS É de costume fazer a associação dos orgânicos com alimentos frescos e não processados. Mas, até a indústria já percebeu a crescente busca pela alimentação mais saudável e tem utilizado matéria-prima orgânica para fabricar produtos. Vale lembrar que duas tecnologias usadas nos industrializados comuns são proibidas na legislação e mecanismos

4 8 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

de controle de qualidade dos orgânicos: a irradiação e o uso de aditivos químicos sintéticos. As técnicas conferem sabor, cor, durabilidade e texturas artificiais, mas também podem fazer com que alimentos percam nutrientes, além de ainda haver controvérsias sobre o efeito tóxico que tais processos podem causar. A dica é sempre observar se o produto comprado tem certificação e selos de controle de qualidade.


LAVAR RETIRA OS AGROTÓXICOS DOS ALIMENTOS? Não completamente. O processo de lavagem dos alimentos contribui para a retirada de parte dos agrotóxicos. Os agrotóxicos podem ser divididos quanto ao modo de ação, entre sistêmicos e de contato. Os sistêmicos são aqueles que, quando aplicados nas plantas, circulam através da seiva por todos os tecidos vegetais, de forma a se distribuir uniformemente e ampliar o seu tempo de ação. Os de contato são aqueles que agem externamente no vegetal, tendo necessariamente que entrar em contato com o alvo biológico. E mesmo estes são também, em boa parte, absorvidos pela planta, penetrando em seu interior através de suas porosidades. Uma lavagem dos alimentos em água corrente só poderia remover parte dos resíduos de agrotóxicos presentes na superfície dos mesmos. (fonte: ANVISA)

POR QUE CONSUMIR ORGÂNICOS? • Porque é melhor para sua saúde, para a saúde dos agricultores e do planeta. • Porque você consome alimentos de melhor valor nutricional. • Porque são alimentos mais saborosos e que duram mais. • Porque você ingere menos contaminantes sintéticos. • Porque ao consumir orgânicos, você contribui para a promoção da qualidade de vida dos agricultores que produzem alimentos no meio rural. Isso repercute em cidades mais saudáveis também. • Porque você apoia um processo de transição ecológica e de proteção às futuras gerações. • Porque você apoia um sistema produtivo que respeita o bem-estar animal. • Porque você ajuda a minimizar os impactos da agricultura convencional sobre o clima e sobre a poluição do solo, da água e do ar. • Porque você apoia um sistema que preserva a biodiversidade do planeta, as sementes crioulas e as plantas nativas. • Porque você faz da alimentação além de um ato biológico e de prazer, um ato político e ambiental. FFonte: Dra. Eliane Azevedo, Portal Orgânico

C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 49


Saúde, conforto e bem-estar. A gente só pensa em você.


Com novas instalações, salas maiores e um amplo estacionamento próprio, a Angiocentro muda de endereço e reforça a preocupação que tem com o seu conforto e saúde. São mais de sete anos no mercado campo-grandense, trabalhando com equipamentos modernos e profissionais qualificados, tudo para o seu bem-estar. » Ecografia Vascular com Doppler » Angiorradiologia » Cirurgia Endovascular » Cardiologia Intervencionista » Neurorradiologia Intervencionista Fábio Moron | CRM-MS 3309 Giuliano Paiva | CRM-MS 3533 Guilherme Maldonado | CRM-MS 1969 Marcos Rogério Covre | CRM-MS 3206 Mauri Comparin | CRM-MS 1975 Maurício Jafar | CRM-MS 2073 José Fábio Almiro | CRM-MS 6302 Marcos Franchetti | CRM-MS 6057 Julio de Paiva Maia | CRM-MS 6281 Aliomar Coelho Pereira CRM-MS 3793 Edgard Nasser | CRM-MS 4806 Flávio Senefonte | CRM-MS 4918

Dr. Maurício de Barros Jafar Responsável Técnico CRM-MS 2073

Rua Antonio Maria Coelho, 2.728 - Jd. dos Estados - Campo Grande-MS - Fone: 67 3027.1900


{ inFOrmE puBLiciTÁriO }

Da dor nasce o amor N

É possível superar a dor da perda, a depressão e o desespero? Dr. Fábio Augusto lança livro surpreendente com mensagens de superação e fé, mostrando que sim. foto HEnriquE ATTiLiO

ão bastasse a rotina atribulada do cirurgião vascular e angiologista radicado em Campo Grande há 20 anos, Dr. Fábio Augusto dedica também o seu tempo à família, aos trabalhos solidários, à música, à poesia e à espiritualidade. Há dois anos deu os primeiros passos na literatura, como cronista de veículos de grande circulação, experiência que despertou o desejo de partilhar suas vivências junto aos comoventes casos com que se deparou em hospitais e no próprio consul-

Fábio Augusto Médico angiologista e cirurgi�o vascular desde 1991. Nascido em Bauru, atuou no estado de S�o Paulo e há 16 anos trabalha em Campo grande. Religioso, músico e escritor.

5 2 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

tório ao longo da carreira como médico. Foi assim que nasceu o livro “Da dor nasce o amor – Histórias emocionantes de fé, coragem e esperança”, lançado na Capital, em junho deste ano. Em seu primeiro livro, o Dr. Fábio Augusto estreia no meio editorial em grande estilo, pela Sextante, a maior editora brasileira do segmento de autoajuda, atingindo em poucos meses a marca de 4 mil exemplares vendidos em todo o Brasil. Número surpreendente, considerando o médico ser, até o momento, escritor pouco conhecido.


“Da dor nasce o amor” é um livro com histórias enriquecedoras, desfechos inesperados e envolventes, que convidam o leitor a enveredar pelas tramas e meditar sobre a própria vida, modificando sua maneira de pensar e enxergar o mundo. A cada capítulo, um novo protagonista empresta seus dramas pessoais como pano de fundo para profundas reflexões sobre temas atuais e polêmicos, como perda de entes queridos, casamento, relacionamento com filhos, dependência química e doenças físicas e emocionais.

O autor dá vida a esses fascinantes personagens e suas histórias e lança um novo olhar sobre o sofrimento e a fragilidade humana. Apresenta o enredo de forma original o poder da fé e do amor verdadeiro como fatores que contribuem decisivamente para a superação das adversidades. Enfatiza que o valor da vida e a vontade de viver aumentam na exata proporção em que nos fortalecemos na fé, não meramente por meio de palavras, mas principalmente com atitudes concretas e desinteressadas. “O ato de servir ao mais necessitado liberta-nos de nossas tragédias particulares, expande os nossos horizontes e nos torna gigantes, capazes de converter toda dor que sentimos em amor”, acrescenta. Acreditando na importância do trabalho solidário junto aos mais necessitados, Dr. Fábio Augusto é diretor clínico do Recanto São João Bosco (antigo asilo) e vice-presidente da Associação Beneficente dos Renais Crônicos de Mato Grosso do Sul (Abrec). Além disso, é médico voluntário da Fazenda da Esperança, instituição de assistência aos dependentes químicos, e da Casa dos Moradores de Rua São Francisco de Assis. “Meu maior desejo é, por meio da literatura, transmitir mensagens edificantes aos leitores, motivando-os a repensarem seus conceitos e sua realidade, transformando-a para melhor”, esclarece o médico. O mais novo escritor brasileiro ficou satisfeito com o resultado final da obra. “O livro foi escrito com muito carinho, utiliza uma linguagem fácil e transmite mensagens de esperança e fé. Sinto que atingi o meu propósito”, concluiu. Mas, o médico não pretende parar por aí. “Hoje estou apreciando o nascimento desse novo filho. No entanto, escrever tornou-se parte da minha vida, e entendo que publicar meus textos é o mesmo que compartilhá-los com o mundo, dando-lhes asas para voar livremente. Novos filhos virão.”

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 53


{ cOmpOrTAmEnTO }

por FErnAnDA mOnTEirO fotos HEnriquE ATTiLiO

A

mbientes decorados desenvolvem o senso de estética e a sensibilidade, estimulam a exteriorização de sentimentos, expandem a criatividade, fazem com que as pessoas se envolvam diretamente com a arte e se conheçam melhor. É por isso que a decoração, seja ela da casa, do trabalho ou de salões de festas, se tornou uma necessidade urbana, jeito novo de viver que não dispensa o bem-estar. Cores, luz, proporções, texturas e equilíbrio melhoram a satisfação com a vida, e qualquer experiência empírica é capaz de comprovar isso. A decoração em um casamento, por exemplo, significa tanto quanto o vestido da noiva. As flores, então, eternizam o momento, têm o poder de repaginar o ambiente, garantem cor, beleza e aroma a qualquer evento. O melhor de tudo é saber que para viver essa impressão aconchegante não precisa esperar um grande momento, uma festa especial. Transforme os lugares do seu dia a dia com esculturas, adornos, plantas e flores. Objetos que vão transmitir exclusividade e recarregar suas energias, como toda boa surpresa. Outra dica de ouro: existe em Campo Grande, bem de frente para a Praça das Águas, um lugar igualmente incrível, com uma diversidade de objetos para decorar sua rotina, com peças do mundo todo, que parecem obras de arte e espécies de plantas e flores nada comuns. É como se você entrasse em um lugar de suavidade, que ilumina e aprimora o olhar.

5 4 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

Se você leu este texto e se encantou com estas imagens, encha sua vida de boas sensações, visite o Espaço Flores, Rua Oceano Atlântico, 99 - Fone 3029 1011


{ DEcOrA�O }

Lendo mais com sustentabilidade Espaço da Editora Alvorada estimula a leitura em ambiente lúdico e divertido por AnDréiA nunES • fotos AnDréiA nunES

U

m local para leitura e diversão dentro de casa. É este o conceito apresentado pela Editora Alvorada no espaço “Brincando de Ler”, de que os livros se tornem parte do entretenimento das crianças e da rotina em família. O arquiteto Jamil Paroschi Júnior projetou o espaço que fica na mostra “Morar Mais Por Menos Campo Grande”, no Rádio Clube Cidade e ficará aberto até o dia 15 de dezembro. São 45 metros quadrados dedicados a um mundo de inspiração e imaginação que somente os livros proporcionam. Lápis gigantes, o colorido dos livros e o grafite de Guto Naveira. Tudo foi pensado para que o espaço seja um chamado à leitura. “O espaço é lúdico, o que torna a leitura uma atividade convidativa e possível para todas as faixas etárias. O ambiente traz possibilidades de interação, além das cores divertidas, o futon (colchão baixo, inspirado na tradicional cama japonesa, geralmente colocado sobre madeira) que descontrai e convida os visitantes a permanecerem na leitura”, descreve Paroschi Júnior.

SUSTENTABILIDADE A mostra “Morar Mais Por Menos”, como o nome já diz, sugere que arquitetos, decoradores e paisagistas apresentem ideias que viabilizem sustentabilidade, cooperação e customização. No espaço “Brincando de Ler”, Jamil diz que buscou ao máximo incluir a sustentabilidade junto à leitura. “Utilizei na decoração das paredes lápis de cor em busca de proporcionar ao local estilo próprio”, pontua o arquiteto. “Peças dos artistas Rose 5 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

Kanamura e Guido Drummond, que usam materiais recicláveis e descartes para elaboração de um novo conceito, também compõem o espaço”, diz. Rose e Drummond possuem o ateliê DK Upcycling Art, cuja proposta é a reciclagem e transformação de elementos. Para o “Morar Mais” deste ano, as peças destes artistas podem ser conferidas em vários ambientes. Com destaque para a cadeira em forma de livro, que fica no “Cantinho da Ariadne” – espaço dedicado à Procuradora de Justiça e escritora Ariadne Cantú. “Acho que nosso trabalho é muito simples, tem a ver com sentimento, interação com os materiais utilizados, acreditando neles em todos os aspectos”, reflete Rose sobre a proposta. Tudo para incentivar a leitura em um ambiente saudável e em paz com o meio ambiente.


Espaço com o grafite do artista Guto Naveira

“Conseguimos captar bem a proposta do Jamil, acredito que a cadeira, a estante e outros detalhes harmonizaram e interagiram bem com o ambiente dele”, conclui. No “Spa”, outro espaço projetado por Jamil Paroschi Júnior, Rose e Drummond criaram cadeiras revestidas em pérolas. O local, que tem largas janelas de vidro, tem uma sofisticação natural – o contraste das pérolas com o azul da piscina nos remete ao fundo do mar.

O espaço “Brincando de Ler” estará aberto até o dia 15 de dezembro, dentro da mostra “Morar Mais”. O horário de funcionamento é das 16 às 22 horas, no Rádio Clube Cidade – Rua Padre João Crippa, 1280, no Centro. Todas as publicações da Editora Alvorada estão presentes na mostra. Mais informações pelo site www.alvoradadireto.com.br

A MOSTRA “Morar Mais Por Menos” é um evento nacional que acontece em outras oito cidades: Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Goiânia, São Luís e Vitória. “Como ter um lar aconchegante e sofisticado sem gastar quantias exorbitantes?” Desta pergunta nasceu a mostra, em 2004, no Rio de janeiro. Em sua segunda edição em Campo Grande, o evento reavivou os anos gloriosos do Rádio Clube Cidade. O clube, que tem 89 anos, era importante ponto de encontro importante para a sociedade campograndense, que se reunia para ouvir rádio, em meados dos anos 20. Segundo a diretora executiva do evento em Campo Grande, Iara Diniz, 66 profissionais estão envolvidos no projeto que restaurou o Clube, entre arquitetos, paisagistas e designers de interiores, que montaram 54 ambientes. “Estamos há seis meses preparando o espaço para este evento. A responsabilidade de fazer acontecer isso tudo é grande”, diz. Na mostra também acontecerão eventos culturais com artistas da terra. Além disso, o ambiente “Do Céu Ao Inferno”, do renomado arquiteto Pedro Scalise,vai funcionar como bar e restaurante, operado pelo buffet La Buona Cocina. C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 57


{ cuLTurA }

O Estado em vozes e simplicidade A trilha sonora de Mato Grosso do Sul nas vozes de Alzira Espíndola e Almir Sater em homenagem aos 36 anos de divisão do Estado. por JAcKLin AnDrEuccE • fotos mATHEuS rAGALzzi

5588 || TOTAL CINCO SAÚDE + | NOVEM CINCO BRO + |2013 JULHO 2013


“Acho que a obrigação de um Estado é preservar a sua cultura. É importante trazer os artistas da nossa terra para cantar para o nosso povo” Almir Sater

E

m uma noite nublada com cheiro de mato molhado, famílias inteiras, amigos, e até mesmo desconhecidos, se uniram no gramado do Parque das Nações Indígenas e se acomodaram em cadeiras para assistir aos shows do projeto "MS Canta Brasil", no dia 6 de outubro. No palco, Alzira Espíndola e Almir Sater, em homenagem aos 36 anos de divisão do Estado. “Almir e Alzira são uma dupla homenagem ao Mato Grosso do Sul, mesmo com toda a caminhada fora do Estado, os dois sempre destacaram as origens e continuaram fazendo uma música que tem toda a inspiração no estado de Mato Grosso do Sul: nas nossas coisas, nas nossas verdades” – disse, emocionado, o presidente da Fundação de Cultura do Estado, Américo Calheiros, sobre a escolha dos artistas para apresentação.

O céu não estava estrelado, mas o clima da noite era perfeito. Clima de harmonia e de festa. Alzira Espíndola se preparava para subir ao palco quando a Cinco+ conversou com a cantora. A carga de simpatia irradiava a alegria de estar na cidade natal para cantar para conterrâneos. A representante da família Espíndola falou sobre manter Mato Grosso do Sul de mãos dadas à carreira de 20 anos: “Sempre procurei inovar, mas sem deixar de lado a tradição da minha terra. Sempre fiz uma soma, nunca me considerei abandonando as minhas raízes. Por exemplo, trabalho no ritmo do três, que é o ritmo da polca e do chamamé. Nas canções, gosto dos assuntos que são dos nossos costumes, e na vida pessoal nunca parei de fazer meu arroz carreteiro e a minha sopa paraguaia.” Do outro lado, nos bastidores, a cena era esta: Almir Sater afinando a viola de 12 cordas, sozinho no camarim. Lá estava ele, de chapéu, camisa branca, calça preta e na cintura uma faixa pantaneira, mostrando o orgulho de ser da terra dos alagados. Almir nos recebeu sorrindo. Neste primeiro contato, o cantor, compositor e violeiro sul-mato-grossense, de 55 anos, mostrou que é a essência da poesia que canta e toca. Como diz na canção Maneira Simples, do CD 7 Sinais (2006), “Nada é mais real que aprender maneira simples de viver”. Com simplicidade, o violeiro respondeu cada pergunta com sorriso nos olhos e no rosto. Estava feliz por ser a atração da noite em homenagem ao Mato Grosso do Sul.

T OTA L SACÚI N DC E OC I+N C| ON+OV| EJU MBRO L HO 22001133 || 59 59


“Acho que a obrigação de um Estado é preservar a sua cultura. É importante trazer os artistas da nossa terra para cantar para o nosso povo. Como é que você vai ter uma cultura, um som representativo se não prestigiar os seus artistas?” Almir nunca gravou um DVD, é um artista que gosta de ser verdadeiro com ele. Canta para fazer os outros felizes e ser feliz e não para atender a um mercado. A discografia de Almir é composta por 11 álbuns. Há 7 anos não grava novo CD e está tranquilo com isso. Quanto a fazer um DVD ele diz: “Quero que as pessoas me escutem e quando quiserem me ver, que seja assim em um contato ao vivo, nos shows.” Almir é tradicional no repertório dos shows. “Para mim, música não tem idade. O ‘Trem do Pantanal, eu nunca fiz um show sem cantar, porque penso que se não cantar vai ser uma falha terrível.” Fidelidade reforçada pelo amigo e parceiro em composições, Paulo Simões afirma: “O Almir já disse que ele vai ter que cantar o Trem do Pantanal em todos os shows. Isso faz parte de uma relação de confiança do público com os artistas. Quando o artista cria um vínculo tão forte com o público, se torna responsável por ele e sabe que não pode decepcionar as pessoas neste ponto.”

“Sempre procurei inovar, mas sem deixar de lado a tradição da minha terra. Sempre fiz uma soma, nunca me considerei abandonando as minhas raízes...” ALZIRA ESPÍNDOLA

A fã corumbaense, Rosania Carstens, nunca se decepcionou: “Se ele não canta as músicas “antigas” o show deixa de valer, fica sem graça. A gente relembra muitas coisas, muitas histórias, então a gente gosta de ouvi-lo cantar as músicas que ele canta como ninguém. Sendo de Corumbá, espero sempre que ele cante “Chalana”. Me faz lembrar a minha cidade, lembrar do Rio Paraguai, lembrar do Pantanal.” 6 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

Para o presidente da Fundação de Cultura do Estado, Américo Calheiros, “a boa música não tem tempo, ela está sempre com um frescor cada vez que você a ouve. Almir tem essa capacidade de conservar este frescor. São tantos sucessos que ele tem e todos nos tocam da mesma maneira.” A fidelidade com o repertório fez Almir Sater ouvir coros em cada música executada. Com guarda-chuvas abertos, por conta das pancadas de chuva durante o show, ninguém se levantou para ir embora. Almir Sater, acompanhado dos irmãos Gisele e Rodrigo Sater, violeiro Guilherme Cruz, contrabaixista Reginaldo Feliciano e no acordeon Marcelo Anderson, se emocionou e fez o público se emocionar. A dona de casa, Analice Silva Guimarães Guerra, de 40 anos, nunca havia ido a um show de Almir Sater. Chorou ao final do espetáculo musical. Analice morou 10 anos no Pará. A campo-grandense estava distante das raízes: “Eu não conhecia o Parque das Nações Indígenas e tudo isso mexeu comigo ao ouvir Almir Sater que eu nunca havia assistido ao vivo. É de emocionar e não tem nada como terra da gente. É só escutar um chamamé e a gente arrepia. Não tem igual.” Almir Sater cantou as canções mais tradicionais e o público saiu agradecido, sentindo o estado de Mato Grosso do Sul na veia. Também sentiu-se homenageado pela simplicidade. Na execução de “Tocando em Frente”, o público cantou sozinho o refrão: “É preciso amor pra poder pulsar, é preciso paz pra poder sorrir, é preciso chuva para florir”. Almir Sater, com a fala mansa e sorridente, disse, para todos ouvirem, o que cada um durante o show disse para si: “Muito lindo, muito lindo, obrigado Mato Grosso do Sul”.


{ CULTURA }

Editora Alvorada Projeta Autores de MS para o Brasil Lançamento de “Mãos ao Alto! Passa o Boné!” marcou novo momento da Editora. por RENATO LIMA • fotos Henrique Attilio

6 2 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

3

4

1


2

A

utoridades, formadores de opinião e artistas de Mato Grosso do Sul prestigiaram o lançamento do mais recente livro da escritora e Procuradora de Justiça, Ariadne Cantú, “Mãos ao Alto! Passa o Boné!”, lançado pela Editora Alvorada. Foi apresentado em uma noite memorável para a literatura do Estado. Há mais de 50 anos atuando no mercado local, a Editora Alvorada deu início a um projeto “ambicioso e estruturado”, conforme detalha o gerente de expansão e marketing da Editora, Oscar de La Rubia. “Este livro faz parte do nosso novo projeto de valorizar os autores locais, projetando-os para todo o Brasil, e também estamos entrando no mercado

internacional, através de intercâmbio de projetos inovadores. Hoje já temos projetos com Itália, Espanha e Estados Unidos.” Para a protagonista da noite, o evento foi duplamente comemorado. Sobre o lançamento de mais um livro: “Fica uma deliciosa sensação de participar da construção de um momento único na vida dos leitores adolescentes. A sensação de trilhar junto com eles um caminho para o autoconhecimento e a ampliação de uma consciência de responsabilidade sobre o futuro”, comentou Ariadne, que em breve terá “Mãos ao Alto! Passa o Boné!” comercializado em outros mercados.

1. ESCRITORA E PROCURADORA DE JUSTIÇA ARIADNE CANTÚ - LANÇAMENTO DO LIVRO “M�OS AO ALTO! PASSA O BONÉ!” 2. EQUIPE EDITORA ALVORADA E ARIADNE CANTÚ 3. TÂNIA MARA gARIB, ARIADNE CANTÚ, AMÉRICO CALHEIROS E MAySA BARROS 4. ARIADNE CANTÚ E DR. CLAUDIONOR MIgUEL ABSS DUARTE 5. CLARICE BENITES, ARIADNE CANTÚ E gILBERTO MATTJE 6. ARIADNE CANTÚ, ADRIANA ESTIVALET E HENRIQUE DE MEDEIROS

5

6

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 63


7

8

“A Alvorada se destaca no Brasil como pioneira na linguagem lúdico-didática de obras. O reconhecimento da Editora é um privilégio para o autor. O Tosco foi um sucesso surpreendente e hoje circula em todo o País, isso coloca Mato Grosso do Sul no mesmo patamar dos grandes centros literários, oferecendo produções com a mesma qualidade”, ressalta Gilberto Dari Mattje, autor do livro Tosco. A professora e empreendedora na área de educação, Reni Chaves Domingos, destacou a contribuição da autora no campo da didática: “Livros como este certamente transformam os leitores de uma maneira pedagógica.” O artista plástico Isaac Oliveira também destacou o bom momento da arte em Mato Grosso do Sul, nas diversas manifestações, sobretudo na valorização, no reconhecimento e no investimento para que a esta chegue ao maior número de pessoas e cumpra seu papel.

11

12 11. Ariadne Cantú e Iara Diniz 12. Oscar de La Rubia, Ariadne Cantú e Rossana P. Jafar 13. Ariadne Cantú e Dr.Vilson Bertelli 14. Ariadne Cantú, Dr. Ruy Celso Barbosa Florence e Sônia Florence 15. Alex Bachega e Ariadne Cantú

14

6 4 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

15

13


7. JO�O LÍRIO, ARIADNE CANTÚ E DRA. IRONE ALVES RIBEIRO BARBOSA 8. ARIADNE CANTÚ E DR. MAURI VALENTIM RICIOTTI 9. ARIADNE CANTÚ, DR. DORIVAL RENATO PAVAN E AIM� PAVAN 10. ISSAC DE OLIVEIRA, MAySA BARROS, ARIADNE CANTÚ, RENI CHAVES DOMINgOS E SECÉU

9

10

“Temos de festejar a nossa produção literária. Temos bons livros, bons autores e boas temáticas. Atingimos produtividade de excelência e vemos grande investimento da Editora, o que é um grande estímulo para os autores e para as boas ideias.” AmÉriCO CAlHeirOS DIRETOR-PRESIDENTE DA FUNDAÇ�O DE CULTURA DE MATO GROSSO DO SUL

MÃOS AO ALTO! PASSA O BONÉ! (ED. ALVORADA/2013),

Relata a vida de uma menina pobre que acabou se tornando menina de rua, revelando a trajetória triste e violenta pela qual muitos jovens passam e, não raramente, terminam no mundo do crime. Com uma linguagem direta e um relato bastante real, a autora Ariadne Cantú traz à baila um problema social há muito discutido, mas para o qual ainda não encontramos a solução. No entanto, aponta-nos um caminho bem convincente. Valorizando a educação, os sentimentos, a força de vontade e a esperança, o livro chama a atenção tanto de jovens quanto de adultos. C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 65


{ cuLinÁriA }

Rápido e Saboroso Cozinheiro Edy ensina a receita de Risoto de Salmão com Maracujá por LucAS ArruDA • fotos HEnriquE ATTiLiO

Q

uase que unanimidade na gastronomia mundial, o risoto é um prato coringa para quem quer agradar o paladar de amigos e familiares na hora da refeição. Fácil de se preparar, o cozinheiro só deve tomar o cuidado de servi-lo na hora, já que é um prato para ser saboreado enquanto está quente. Para a Cinco + Total Saúde, o cozinheiro Edy preparou o Risoto de Salmão com Maracujá. O risoto, que significa “pequeno arroz”, é um prato que surgiu no norte da Itália, mais precisamente na região da Lombardia, no século XI, e desde o início a receita teve uma grande aceitação. Para sua produção é necessário utilizar um arroz diferente do que comemos no dia a dia, como o arbóreo. Nesta receita o cozinheiro Edy acrescentou a redução de maracujá, que serve para dar um gosto especial ao prato. “O maracujá dá acidez ao prato. Quando preparamos algo é muito bom misturarmos diferentes sabores, assim trabalhamos todas nossas papilas gustativas”, explica.

6 6 | CINCO + | NOVEM BRO 2013


RISOTO DE SALM�O COm mArACUJÁ (reNDimeNtO: 1 PeSSOA)

REDUÇÃO DE MARACUJÁ iNGreDieNteS 3 maracujás / 4 colheres de sopa de açúcar / 20ml de mel mODO De PrePArO Retire a polpa dos maracujás, misture os ingredientes e deixe cozinhar por 20 minutos em fogo baixo.

RISOTO DE SALMÃO iNGreDieNteS 150g de arroz arbóreo / 40g de cebola picada / 120g de salmão / 200g de manteiga / Fundo de cabeça de peixe / Pimenta do reino, sal e salsa a gosto / Queijo ralado a gosto

Cozinheiro Edy

Já o fundo de cabeça de peixe é um ingrediente especial da receita, que também é utilizado para dar um sabor a mais ao risoto. No entanto, ele deve ser preparado com certa antecedência. “É só colocar os legumes e uma cabeça de peixe cru numa panela com água, até cozinhar, e depois deixar dentro de um recipiente (de preferência um pote de vidro). Ele substituirá o óleo para fritar o arroz. É bom para dar mais sabor”, afirma Edy. Segundo o cozinheiro, o prato fica pronto em torno de 20 minutos, e quem estiver preparando-o só deve tomar o cuidado de ficar sempre mexendo. “É bom também estar acompanhado de um bom vinho, assim a refeição estará completa”, indica.

mODO De PrePArO Numa panela, frite o salmão. Em outra panela coloque o fundo de cabeça de peixe, acrescente o arroz e, quando ele estiver frito, coloque a cebola, a salsa, a pimenta do reino e o sal. Após, acrescente a manteiga e o queijo ralado. Continue mexendo e quando estiver al dente ponha o salmão. Faça o empratamento e por cima despeje a redução de maracujá.

C I N C O + | N OV E MB MBRO RO 2 0 1 3 | 67


por KATiA KurATOnE

ACRÍLICOS O trabalho de Isaac de Oliveira é reconhecido nacionalmente por sua forte personalidade. Obras com cores vibrantes e marcantes são características que fazem deste artista baiano, que está radicado em Mato Grosso do Sul há mais de 30 anos, um grande expoente das artes plásticas. E para quem quiser conferir mais sobre o trabalho de Isaac de Oliveira, o livro “Acrílicos”, que foi preparado em parceria com a Editora Alvorada, apresenta o registro de mais de 200 telas produzidas pelo artista. Distribuídas em 128 páginas que vão encher os olhos do leitor, as telas de pássaros, flores, peixes, ipês e pinturas abstratas registram as diversas fases de um dos talentos mais representativos do Estado. Vale a pena conferir!

6 8 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

AS AVENTURAS DE CATIÍ: UM QUATI AVENTUREIRO Ensinar as crianças de forma lúdica e divertida é o melhor caminho para conseguir alcançar resultados positivos na educação dos pequenos. Por isso, a dica de leitura deste mês de novembro é a obra infantil “As Aventuras de Catií: Um Quati Aventureiro”. De autoria de Itamar Soares de Arruda e ilustração de Diogo Carneiro, a fábula traz como personagem principal o pequeno Catií. Ele é o caçula de uma família de doze irmãos. Brincalhão e muito travesso, Catií gosta de pregar peças nos irmãos mais velhos e contar pequenas mentiras para enganá-los. Até que um dia ele realmente está em apuros e precisa de ajuda. Para sua surpresa, nenhum dos irmãos vai socorrê-lo, por achar que se trata de mais uma travessura do caçula. O livro de 31 páginas pode ser adquirido no www.alvoradadireto.com.br.


C I N C O + | N OV E MBRO 2 0 1 3 | 69


ENDEREÇOS ÚTEIS Contatos:

Cirugia Plástica

Condicionamento Físico

Dra. Ana Carolina Wanderley Xavier CRM/MS 4926 Endocrinologista Rua Paulo Coelho Machado, 419 Campo Grande/MS (67) 3326-7114 Augusto Antonio Paulista Neto CRP/MS 05030-9 Psicólogo Rua Antônio Maria Coelho, 2.491 Campo Grande/MS (67) 3324-0109 Dra. Daniela Velozo CRM/MS 5157 Dermatologista Rua Raul Pires Barbosa, 1402 Campo Grande/MS (67) 3305-5001 - 3042-1004 Ester Zatyrko Schomer CRP 06/8455 Psicóloga Rua Cayowaa, 577 apto 61 Perdizes São Paulo/SP Dr. Marcelo André Brune CRM/MS 4054 Cirurgião Plástico Rua Raul Pires Barbosa, 1.402 Campo Grande/MS (67) 3305-5001 - 3042-1004

Aparelhos Auditivos

Ginecologia

CLÍNICA GAZINEU Rua São Paulo, 907 Fone: (67) 3382-5484 Dr. Orlando Monteiro Júnior CRM/MS 3256/CRM/SP 73.806 / TEGO 568/95

Clínica de Vacinação

Odontologia

Dr. Sandro Startari CRM/MS 4313 - CRM/SP 106149 Cirurgião Plástico Rua Euclides da Cunha, 1912 Campo Grande/MS (67) 4141-0707 Dra. Tatiana Sakuma CRM/MS 4841 Oftalmologista Av. Arq. Rubens Gil de Camillo, 83 Chácara Cachoeira, Campo Grande/MS (67) 3026-1333 Dra. Thaís Sakuma CRM/MS 5868 Dermatologia Estética Ed. Evolution Center Av. Afonso Pena, 5.723 - Sala 303 Campo Grande/MS (67) 3383-7518 - 9986-3856

7 0 | CINCO + | NOVEM BRO 2013

Dermatologia Produtos Naturais


Sabe como colocar um arco-íris no céu? A Gráfica Alvorada, coloca todas suas ideias no papel.

Coloque suas ideias no

papel.

T OTA L SA Ú D E C I N C O + | SE T E MBRO 2 0 1 3 | 71


7 2 | TOTAL SAÚDE CINCO + | SETEM BRO 2013


EDIÇÃO 72 - NOVEMBRO/2013