Revista Business Portugal - Maio 2023

Page 19

Rita Cardoso, Advogada e Fundadora da Rita Cardoso & Associados

ESCOLHA DO CONSUMIDOR EMPRESAS GALARDOADAS BRANDS POWER ALENTEJO DE EXCELÊNCIA
“A LIDERANÇA NÃO É UM CARGO, É UMA CAPACIDADE INATA”
Mai.

ÍNDICE

Maio 2023 Nota de boas-vindas...

19 ESPECIAL BONHAMS

46 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

52 ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

86 EMPRESAS GALARDOADAS

96 BRANDS POWER

Como um dia disse Augusto Cury: “Ser um empreendedor é executar os sonhos, mesmo que haja riscos. É enfrentar os problemas, mesmo não tendo forças. É caminhar por lugares desconhecidos, mesmo sem bússola. É tomar atitudes que ninguém tomou. É ter consciência de que quem vence sem obstáculos triunfa sem glória”. Os empreendedores possuem características e competências pessoais como iniciativa, criatividade, dedicação, perseverança, autoconfiança, capacidade de decisão, visão estratégica, autocontrolo, comunicação, capacidade de trabalhar em equipa e motivação. Desenvolver a capacidade empreendedora é a maior responsabilidade para aqueles que almejam uma empresa bem sucedida, pois entre o sonho e a realidade está a atitude. Esta mudança de mindset tem permitido aos empresários e empreendedores trilharem um caminho de crescimento, elevando as suas empresas para patamares de excelência. Nesta edição, a Revista Business Portugal reforça o seu papel de meio de comunicação de eleição do mundo empresarial, trazendo às suas páginas verdadeiros exemplos de liderança, resiliência, inovação, capacidade criativa e de cultura empresarial. Boas leituras!

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 3
FICHA TÉCNICA Editor/Propriedade: António Fernando A. R. Silva | Redação e Publicidade: Av. República 2208 - 3º Drt Centro Frt, 4430 -190 V N Gaia | Sede: Av. República 2208, 3º Drt Centro Frt, 4430 -190 V N Gaia | Diretor: Fernando R. Silva E-mail: geral@revistabusinessportugal.pt/Comercial: comercial@revistabusinessportugal.pt/Redação: redacao@revistabusinessportugal.pt | Telf: 223 700 510 | Distribuição: Gratuita com o jornal Diário de Notícias | Dec.regulamentar 8-99/9-6 artigo 12 N.ID Depósito Legal: 374969/14 Nº Registo ERC 126515 Impressão: YellowMaster | Avenida João Azevedo Coutinho nº643, 2755-101 Parede Estatuto Editorial: Disponível em www.revistabusinessportugal.pt/estatuto-editorial Periodicidade: Mensal Maio - 2023 Tiragem Média: 20.000 exemplares 30 ESCOLHA DO CONSUMIDOR E PRODUTO DO ANO

LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

As mulheres visionárias estão a redefinir o conceito de liderança, trazendo uma abordagem única e inovadora para o mundo dos negócios. Com coragem e resiliência, enfrentam desafios e transformam obstáculos em oportunidades fulgurantes de sucesso. Dotadas de uma combinação irresistível de inteligência e charme despertam admiração e conquistam corações e mentes por onde passam. São a personificação do carisma e da habilidade de inspirar, motivar e transformar objetivos em realidade.

Quando se trata de competências essenciais no ambiente de trabalho, as mulheres são verdadeiras especialistas na arte da multitarefa, conseguindo equilibrar diversos afazeres simultaneamente. São capazes de manter tudo em perfeita harmonia e impulsionar a eficiência da empresa. Além disso, são mestres na tomada de decisões ponderadas e assertivas, tendo a incrível capacidade de considerar uma variedade de perspetivas e opiniões, garantindo que todas as vozes sejam ouvidas e levadas em conta.

As líderes empresariais não estão apenas a construir impérios empresariais, são verdadeiras artesãs do destino, esculpindo um legado duradouro para as gerações futuras. São pioneiras, abrindo caminho para uma nova era de liderança inclusiva, onde o talento e a capacidade são valorizados acima de qualquer estereótipo. Ao seguir os seus passos, estamos abertos a um mundo de possibilidades ilimitadas.

Chegou a hora de abraçar o poder feminino na liderança empresarial. A Revista Business Portugal junta-se a este movimento, em todas as suas edições, onde a determinação, a inovação e a paixão são os ingredientes secretos para o sucesso.

4 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ÁREAS DE ACTUAÇÃO  DIREITO IMOBILIÁRIO  DIREITO FISCAL E CONTENCIOSO TRIBUTÁRIO  DIREITO DO TRABALHO E RELAÇÕES LABORAIS  DIREITO DA FAMÍLIA E MENORES  DIREITO DE ESTRANGEIROS E EMIGRAÇÃO  DIREITO CIVIL  DIREITO COMERCIAL RUA DA QUINTA DO BISPO N.º 31| 8500-729 PORTIMÃO CHAMADA PARA A REDE FIXA NACIONAL (+351) 282 483 072 RITACARDOSOADVOGADOS@GMAIL.COM RITACARDOSOADVOGADOS.COM

“A LIDERANÇA NÃO É UM CARGO, É UMA CAPACIDADE INATA”

Em entrevista à Revista Business Portugal, Rita Cardoso assume uma essência bastante determinada, corajosa, honesta e consistente nos valores. Enquanto Advogada e Fundadora da Rita Cardoso & Associados, explica em que consistem os cursos disponibilizados, no âmbito deste projeto, que demonstram a importância da advocacia preventiva.

Primeiramente, quem é Rita Cardoso e o que a caracteriza enquanto mulher e profissional?

Penso que o que me caracteriza como profissional é parte do que me caracteriza como mulher, sou bastante determinada, corajosa e honesta. No lado pessoal, sou muito ligada à família, considero-me uma pessoa bastante íntegra e consistente nos valores.

A Rita Cardoso & Associados é o reflexo da sua essência e da paixão que tem pelo exercício da advocacia? Defina, em poucas palavras, o que é para si ser uma boa advogada.

Sem dúvida que sim. Para mim uma boa advogada é uma profissional competente e que realmente se importa.

Ao que pudemos apurar, no âmbito da Rita Cardoso & Associados, foram desenvolvidos outros projetos. O que nos pode avançar sobre os mesmos?

É meu entendimento, como já referi, que os valores fundamentais de cada um e as suas crenças relativamente ao dinheiro se refletem durante a vida e têm um impacto bastante sério nos negócios e na forma de investir dos clientes que, muitas vezes sem noção disso, não dispõem de informação suficiente e não estão conscientes que determinadas características pessoais e experiências familiares condicionam o seu sucesso na vida e nos negócios. É aqui que entra a advocacia na sua vertente preventiva, quando damos ao cliente uma perspetiva global das etapas para criação de empresas e investimentos imobiliá -

6 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | RITA CARDOSO & ASSOCIADOS
Dr.ª Rita Andrade e Dr.ª Rita Cardoso, Advogadas

rios adaptando aquilo que são, efetivamente, os seus objetivos pessoais e financeiros a curto ou longo prazo, aumentando desta forma as possibilidades de sucesso num todo, pessoal e profissionalmente. Neste sentido, foram criados cursos e já realizadas duas edições onde se abordou, de forma genérica e através de exercícios práticos, a relação com o dinheiro, a criação de empresas, contratação de trabalhadores e investimentos imobiliários. No entanto, pensámos que o conteúdo faria ainda mais diferença na vida de jovens, a quem pudéssemos aportar conhecimento suficiente para criar, através dos seus estudos, valor e conhecimento a eventuais negócios e investimentos futuros, trabalhando desde cedo a relação do dinheiro com as relações pessoais e profissionais, perfil de risco e ambições. E assim foi. Criámos um curso para adolescentes, que vai dar a estes jovens uma perspetiva completamente diferente do mundo dos negócios e do dinheiro, que lhes irá permitir desenvolver o seu percurso académico e profissional com uma visão bastante mais clara de como atingir quaisquer objetivos financeiros a que se proponham no futuro, investindo na sua profissão e nos seus negócios, capacitando-os para diversificar soluções e investimentos, cujo teste piloto será realizado na Escola Internacional no final de junho.

Do seu ponto de vista, na nossa sociedade as mulheres têm mais dificuldade em aceder a cargos de liderança? Enquanto advogada, alguma vez sentiu isso?

Não, nunca senti isso. Acredito que noutras estruturas isso ainda

possa acontecer e, por isso, eu criei a minha própria estrutura. A liderança para mim não é um cargo, é uma capacidade inata e quem a tem ascenderá, inevitavelmente, a uma posição que a reflita se tiver a coragem de ultrapassar os obstáculos que possam surgir pelo caminho e a disposição para alterar o que considera errado ou limitador.

Que conselhos gostaria de deixar às jovens que estão neste momento a ingressar no mundo da advocacia e que ambicionam fazer uma carreira de sucesso, tal como a sua?

Se pudesse deixar algum conselho, diria para expandirem o conhecimento além do Direito e da Advocacia, tendo em conta que conhecimento é poder.

Podemos afirmar que 2023 está a ser um bom ano tanto para si, como para a Rita Cardoso & Associados? O futuro antevê-se risonho?

Um futuro risonho é uma questão de mindset , e o meu está treinado para ver sempre um futuro melhor e adaptado às mudanças que a idade nos traz em termos de alteração de objetivos. No entanto, o propósito e as linhas orientadoras são sempre as mesmas e, portanto, tenho o privilégio de viver uma vida muito feliz e muito realizada, pessoal e profissionalmente, não tenho pressa do futuro, porque estou sempre demasiado ocupada a desfrutar da atualidade. Não penso muito nele, penso o suficiente para melhorar.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 7
RITA CARDOSO & ASSOCIADOS | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO
Equipa da Rita Cardoso & Associados

Sandra Soares, CEO da Brain Power, em entrevista à Business Portugal, salienta que a empresa é pioneira na definição da nova estabilidade no futuro das carreiras comerciais, trabalha para ser a referência europeia na gestão das carreiras dos profissionais independentes e contribui para um futuro laboral mais justo, com mais direitos e garantias para todos.

Fundada em 2016, a Brain Power é uma marca europeia com uma visão única e inovadora. Qual foi a motivação para a criação da empresa? Como o projeto se tem moldado desde então?

O modelo Brain Power foi idealizado e concebido por mim e este sonho nasceu devido às adversidades que enfrentei enquanto consultora comercial até chegar aqui. Ou seja, ao viver na primeira pessoa, a falta de direitos e de garantias, as dificuldades, as barreiras e a complexidade fiscal que estes profissionais enfrentam surgiu a vontade de querer trazer algo para o mercado que solucionasse estes obstáculos a todos os que estivessem numa situação idêntica. É com o mote de dar resposta a esta necessidade urgente e constante de mais direitos, mais garantias e mais estabilidade dos profissionais, cuja atividade seria primordialmente independente que surge o sonho Brain Power. O processo de desenvolvimento e aperfeiçoamento do nosso modelo de negócio é constante, mutável e adaptável à realidade laboral do dia a dia. A forte capacidade de adaptação e a progressiva inovação do modelo Brain Power, faz com que estejamos num ajuste constante das soluções que disponibilizamos, de acordo com as necessidades dos profissionais, das empresas e do mercado e a par das atualizações legislativas. Esta nossa melhoria contínua garante a longevidade do negócio e, acima de tudo, a estabilidade e segurança profissional que pretendemos trazer para os trabalhadores independentes.

Aliás, o crescimento que a nossa faturação anual tem registado nos últimos três anos (em 2020 faturámos 15.920.046,94€, no ano de 2021, 24.864.213,23 e em 2022, faturámos 31.112.073,82€ - de 2020 para 2023 quase que duplicámos o valor de faturação, registando uma taxa de crescimento de 95,43%), mesmo tendo atravessado o período pandémico, é uma das maiores provas de que o modelo Brain Power é, cada vez mais, necessário no mercado de trabalho de hoje e do futuro.

Estabilidade e segurança são dois dos pilares fundamentais da empresa. De que forma estes valores estão presentes nos serviços que oferecem ? O que mais vos diferencia?

A estabilidade e a segurança que prometemos aos trabalhadores independentes é que connosco têm a possibilidade de trabalhar por conta de outrem, estabelecendo uma relação contratual com a Brain Power, onde estes passam a usufruir dos mesmos direitos e garantias como qualquer trabalhador por conta de outrem e deixam de ter de se preocupar com a gestão burocrática e fiscal da profissão. Tudo isto, sem que estes profissionais tenham de abdicar da liberdade que um trabalhador independente usufrui e dos clientes com quem deseja trabalhar. Já com empresas nossas clientes, damos a solidez necessária para construírem a sua própria equipa de sucesso sem terem todos os encargos e riscos que tal acarreta. Ou seja, somos um departamento de recursos humanos externo.

O Grupo Brain Power é único e líder de mercado na oferta dos

serviços de gestão e de consultoria de carreira mais personalizados a qualquer trabalhador independente e é também a melhor solução de gestão de recursos humanos para empresas que necessitam de colaboradores, mas não têm capacidade ou não pretendem estabelecer vínculos contratuais com os mesmos. Somos a rede de apoio que dá a estes trabalhadores e a estas empresas a segurança que precisam para concretizarem os seus objetivos profissionais. O nosso modo de atuação neste sector exige que conheçamos ao detalhe cada um dos nossos parceiros e cada um dos nossos clientes e esta necessidade de construção de uma relação de confiança e de proximidade é essencial para conseguirmos responder às ambições de longo prazo dos profissionais e das empresas e para a marca que queremos deixar no mercado. É com esta premissa que, dentro do nosso modelo único, conseguimos desenhar soluções à medida das necessidades de negócio das empresas e das necessidades profissionais dos colaboradores. Mais do que um número na nossa carteira de clientes, as empresas e profissionais que nos procuram são pessoas e saber ao pormenor quem são, o que procuram e o que ambicionam é fundamental para que o Grupo Brain Power personalize ao máximo cada proposta. A nossa experiência, conhecimento e domínio das questões burocráticas, administrativas e legislativas do mercado é ímpar e é muito difícil de superar, mas é esta nossa característica, aliada à nossa atenção detalhada para com cada pessoa que constitui a nossa maior vantagem competitiva que nos posiciona de forma única e isolada no mercado.

Como é que a equipa da Brain Power trabalha em conjunto para oferecer soluções eficazes para os desafios do mercado de trabalho?

A nossa equipa é um conjunto diverso de profissionais de excelência, unidos por este propósito comum: dar respostas personalizadas, atentas e inovadoras aos desafios do mercado laboral. Assim, de forma a garantir que prestamos o nosso melhor serviço, apostamos num programa interno de formação contínua com o objetivo de potenciar as capacidades e a performance individual e coletiva de toda a equipa Brain Power. Este nosso olhar em detalhe está para lá das competências técnicas e valoriza, acima de tudo, as soft skills dos colaboradores, pois a experiência técnica adquire-se facilmente. Além disso, defendemos que o desenvolvimento das soft skills como espírito crítico, capacidade de adaptação à mudança, ter uma comunicação eficaz, ter empatia, saber gerir o tempo, entre outras, é que se constitui verdadeiramente como a proposta de valor de cada profissional e que o poderá tornar único no mercado de trabalho e fazer realmente diferença numa empresa. Numa realidade, cada vez mais automatizada, o nosso olhar tem de estar nos pormenores e nas tarefas em que a mente humana já mais conseguirá ser substituída por um processo automatizado e as soft skills, para nós, são a chave que garantem a longevidade de qualquer profissional de sucesso e, consequentemente, de qualquer negócio.

8 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
“O GRUPO BRAIN POWER É ÚNICO E LÍDER DE MERCADO”
Sandra Soares, CEO

Ainda, o estudo e análise constante do mercado laboral, das mudanças que acontecem diariamente no mesmo, das alterações burocráticas, legislativas e fiscais, bem como da identificação de necessidades e de lacunas a nível de direitos e de garantias dos trabalhadores independentes é um trabalho diário da nossa equipa, de forma a estarmos na linha da frente no desenho de soluções para empresas e profissionais. Por último, conhecer a realidade de cada cliente e de cada colaborador é fundamental para que consigamos criar um laço de confiança e de transparência, construindo uma relação forte e duradora com os mesmos. Acreditamos que o sucesso se constrói em conjunto e não de forma individual e solitária e é assim que garantimos a melhor prestação dos nossos serviços e a longevidade do nosso negócio.

De que forma o outsourcing se tem tornado, cada vez mais, importante no mundo empresarial atual?

O mercado de trabalho enfrenta uma forte crise, tanto a nível nacional como internacional. Este ritmo frenético de mudanças constantes faz com que as empresas necessitem de se adaptar e reinventar todos os dias, o que provoca uma maior procura no que toca à contratação de prestadores de serviços ao invés de colaboradores fixos, pois desta forma conseguem ter a flexibilidade e versatilidade exigidas pelas mudanças repentinas que se vivem atualmente.

É precisamente nesta imprevisibilidade, cada vez, mais latente no mercado e na necessidade crescente de uma mão de obra mais versátil que o outsourcing e a consultoria se compõem como uma forte ferramenta de apoio no encontro de soluções que aumentem a longevidade dos negócios e das carreiras profissionais.

A aposta em conhecimento e no desenvolvimento de diversas capacidades técnicas e comportamentais é que é o verdadeiro segredo para estarmos em constante melhoria e conseguirmos garantir que os profissionais que trabalham connosco têm tudo o que é necessário para vingarem em qualquer desafio e, consequentemente, garantir a longevidade e sustentabilidade das empresas nossas clientes.

Como líder da Brain Power, de que maneira pretende inspirar a sua equipa e outras mulheres a alcançarem o seu pleno potencial e superarem desafios no mundo profissional?

O meu foco e o meu propósito são as pessoas, não são os resultados, pois sem as pessoas que fazem parte da minha equipa eu até poderia ter uma excelente ideia de negócio, mas não a conseguiria colocar em prática e chegar ao patamar onde a Brain Power está se não fossem também

essas pessoas, incluindo os nossos clientes. Um verdadeiro líder, além de coordenar e gerir pessoas, tem de saber fazer, de forma a conseguir dar o apoio necessário e ajudar e inspirar os outros a trabalharem para serem a sua melhor versão. Além disso, enquanto líder, eu tento analisar o potencial individual de cada um e perceber o que essa pessoa pode acrescentar à equipa e vice-versa. Gostaria que o meu percurso servisse de exemplo para as pessoas não se conformarem com as coisas que estão mal ou que as deixam infelizes e desconfortáveis. Não é um caminho fácil e exige uma enorme capacidade de superação e de adaptação e, acima de tudo, muita resiliência, tendo consciência que há muitos dias em que vamos querer desistir, mas depois ao vermos o legado que construímos e as pessoas que ajudamos vale tudo a pena!

O Grupo Brain Power conta com uma rede de dez empresas. Qual é a importância estratégica deste modelo de negócio no cenário empresarial? Quais os objetivos e planos para o futuro?

Dar estabilidade e mais direitos laborais a quem não os tem é a grande missão do Grupo Brain Power, estabelecendo sempre relações próximas, baseadas na confiança e transparência, com todos os nossos colaboradores e clientes. Tal era e é a necessidade de o mercado ter um modelo como o nosso que precisámos de criar mais dez empresas, de modo a conseguirmos dar resposta à crescente procura com que nos deparámos. Cada uma das empresas do grupo tem nome de uma pedra preciosa, refletindo a raridade do nosso modelo e a importância e seriedade que a missão Brain Power tem para toda a equipa.

Somos pioneiros na definição da nova estabilidade no futuro das carreiras comerciais, mas trabalhamos para sermos a referência europeia na gestão das carreiras dos profissionais independentes e contribuir para um futuro laboral mais justo, com mais direitos e garantias para todos.

Tendo em linha de conta esta ambiciosa meta que para nós é um propósito, os objetivos que temos definidos são, num período de mais ou menos dez anos, conseguirmos construir uma rede de mais de 30 mil consultores, estarmos a trabalhar com mais de cinco países na Europa, conquistarmos uma carteira com cerca de dez mil clientes nacionais e internacionais e, em 2033, faturarmos 250 milhões de euros.

brainpower.com.mt
BRAIN POWER | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO
Equipa da Brain Power

“ACREDITO QUE JUNTAS SOMOS MAIS FORTES”

Camila Siqueira, Business Developer da WEO, em entrevista à Revista Business Portugal, sublinha o entusiasmo com que acompanha o crescimento de mais lideranças femininas em diversos âmbitos da sociedade, considerando imprescindível que as mulheres se apoiem, porque a união faz a força.

Falemos um pouco sobre si. Que características a definem enquanto mulher e profissional? Que cunho pretende imprimir na sua profissão?

Confio que somos eternos aprendizes inseridos num contexto global e dinâmico, em constante evolução e, logo, a aprendizagem ativa é algo que carrego em cada interação que realizo. Além disso, trago comigo o pensamento analítico e inovador que somam para um observar mais atento e um pensar além do óbvio, afinal, julgo pertinente o questionar atrelado à ação como recursos para um desempenho eficiente e progressista. Para tal, procuro ser resiliente e flexível ao lidar e colmatar com as mais variadas situações do dia a dia, uma vez que para nos mantermos firmes é necessário ajustarmo-nos aos contínuos desafios do meio que nos rodeia. Contudo, creio que o respeito, a organização e a criatividade são características fundamentais para um trabalho em equipa e êxito na execução das tarefas e, por essa razão, trago esses elementos como instrumentos para aprimorar cada vez mais as funções nas quais me envolvo. Por fim, acredito que juntos somos mais fortes e num cenário tão mutável, a individualidade de cada um pode e deve ser manifestada, de forma a contribuir e agregar valor ao todo, trazendo assim as peculiaridades da própria vivência e habilidades de cada experiência como meio para traçar novos caminhos e perspetivas.

A WEO é uma empresa tecnológica, movida pela qualidade e dinamismo. O seu objetivo é fortalecer as relações comerciais do dia a dia e conquistar a confiança do mercado. Quais as mais valias que disponibilizam aos clientes e os fatores distintivos na vossa abordagem?

Na WEO, respeitamos e valorizamos a confiança que o cliente deposita em nós ao escolher-nos como o seu parceiro para a comunicação da sua marca. Por meio da escuta ativa e do respeito, em reciprocidade a este voto, procuramos retribuir à altura com um serviço personalizado, atribuindo um valor agregado de forma a definir, criar e desenvolver estratégias de mercado competitivas e que ajudem a potencializar ainda mais os resultados desejados. Para o efeito, a WEO tem como foco emergir como uma organização dinâmica, impulsionada pela vontade e pela qualidade, que oferece valor acrescentado e serviços inovadores aos clientes, onde a tecnologia e a criatividade caminham juntas, fortalecendo as relações e o dia a dia dos negócios. Para esse propósito, dispomos de uma garantia de satisfação que abrange revisões, alterações e excelência não apenas no resultado, mas durante todo o desenvolvimento do projeto, seguido de metodologias e ferramentas que visam facilitar e otimizar toda a comunicação realizada durante o processo. Portanto, temos o profissionalismo, o compromisso, a

qualidade, a inovação e a personalização como base dos principais valores que a empresa preserva e entrega aos seus clientes.

Considerando que, atualmente, Programação, Design e Marketing são três pilares cruciais para que uma empresa alcance o seu público-alvo, qual é a visão estratégica da WEO em termos de futuro e evolução no mercado?

Chegamos ao momento onde o digital já não é assunto somente do futuro. Em termos de evolução do mercado, não incluir numa empresa uma estratégia de marketing digital é estar em desvantagem competitiva face a concorrência, afinal, quem não é visto, não é lembrado. Sendo assim, a nossa experiência, ao longo de mais de 12 anos de mercado, permitiu-nos consolidar a certeza de que, apesar de independentes, a interligação entre as nossas três áreas de especialização - Design, Consulting e Marketing - é a fórmula mais potente para o sucesso dos projetos dos nossos clientes. Consideramos que através de um serviço global, que abrange todas as áreas e plataformas de comunicação, é possível assegurar os melhores resultados. Portanto, através do nosso serviço “Inspire” pensamos o negócio dos nossos clientes como se fosse o nosso negócio e para cumprir os objetivos estabelecidos, dispomos de uma vasta rede unificada de serviços e estratégias especializadas e desenvolvidas apenas a pensar nas necessidades de cada negócio. A solução “Inspire” visa integrar num único serviço todas as competências de design gráfico, software e marketing digital, isto é, a identidade, a presença e a comunicação num serviço único e contínuo, assentes numa estratégia de negócio efetiva que monitoriza e assegura os melhores resultados. Esta é a proposta do “Inspire” e desejamos que mais negócios permitam-se inspirar.

Em Portugal temos visto um aumento de exemplos de liderança de sucesso no feminino. Sendo uma inspiração para outras mulheres, que mensagem ou conselho gostaria de lhes deixar?

Acompanhamos com entusiasmo o crescimento de mais lideranças femininas em diversos âmbitos da nossa sociedade, embora a caminhada ainda está a ser percorrida. Na WEO, maioritariamente são as mulheres que conduzem os processos. Contudo, seja em cargos, ordenados ou direitos, para que de facto possamos celebrar a igualdade, é preciso ampliar e conceder mais oportunidades, além de ser necessário encorajar e empoderar mais mulheres para que estas possam expandir o seu potencial e ter mais voz ativa nos processos de decisões nas mais diversificadas esferas. Isto é, adequar as estruturas de poder e expandir a probabilidade para todos a fim de abranger mais competências e desvendar mais talentos. Além disso, destaco a sororidade como peça chave neste processo, afinal, nós, mulheres, precisamos apoiar-nos uma vez que o respeito sempre se traduz num ganho e através da união fazemos a força. Por isso, enfatizo: faça-se ouvir e empodere-se, mulher. O mundo anseia pelos seus talentos, exponha-os!

10 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | WEO GROUP weo.group
Camila Siqueira, Business Developer

MILDOG TAXICÃO: PAIXÃO EM MOVIMENTO PELOS PATUDOS

Cremilde Santos é a mente por trás do Mildog TáxiCão, um serviço onde a sua paixão pelos animais guia cada viagem e cada cuidado, tornando o mundo um lugar melhor para os nossos patudos.

O Mildog Táxicão celebrou o seu segundo aniversário no mês de maio. Como surgiu a ideia de criar este projeto? Durante estes dois anos, qual foi o impacto do TáxiCão na comunidade local e nas vidas dos tutores e animais de estimação?

A ideia do projeto surgiu durante o meu estágio de auxiliar de veterinária numa clínica no Cartaxo. Aliás, lembro-me perfeitamente de uma situação que aconteceu logo no primeiro dia, em que havia a necessidade de ir com um cão a Lisboa fazer uma TAC, mas o tutor, por motivos alheios, acabou por não levar o animal. Posteriormente, houve outras situações, por exemplo, de pessoas idosas que não tinham como levar o seu animal ao veterinário ou tutores que não sabiam como dar medicação

Quais os benefícios destes serviços para animais e tutores?

Também fazemos domicílios. Quando os tutores vão de férias e preferem que o seu animal fique em casa no seu espaço, asseguramos que não falta água nem comida, mudamos a areia no caso dos gatos ou outras situações que sejam necessárias ao bem-estar dos patudos. Se nos apercebermos que o animal não está bem, também o levamos à urgência. Damos injeções, medicação, fazemos pensos, desinfetamos suturas ou verificamos a febre do animal. Em termos de benefícios, o facto de ser auxiliar de veterinária com conhecimentos em primeiros socorros e com experiência na área veterinária deixa o tutor mais descansado. A disponibilidade de horário, o serviço de urgência 24h em caso de risco de vida do animal, a prontidão e o fator tempo que o tutor poupa são outras vantagens.

A Cremilde é apaixonada por animais, dedicando-se com carinho a cada patudo. Qual é a sua visão em relação ao papel do Mildog Táxicão no fomento do bem-estar animal e na consciencialização dos cuidados e direitos dos animais?

passo à frente! A pensar sempre no bem-estar dos animais. Alguns planos passam por fazer chegar os nossos serviços a outros concelhos e a mais pessoas nos já existentes. Estamos também a trabalhar para disponibilizar o serviço de fisioterapia veterinária. Pretendemos ter uma pessoa na região do Cartaxo e Santarém e avançar também para Lisboa. As mulheres que desejam avançar com o seu próprio projeto, em primeiro lugar têm de gostar do que vão fazer e entregar-se a 100%. Ter garra e músculo! Não devem ter medo de avançar, porque perante qualquer entrave que possa surgir, tudo se vai resolver. Pensamento positivo sempre! Nunca desistir dos seus objetivos por mais difíceis que eles sejam de alcançar.

ou desinfetar suturas. Assim, surgiu também a ideia de alargar o campo de atuação do Mildog TáxiCão aos domicílios. Os tutores têm acolhido muito bem esta ideia, salientando a sua importância. Também as clínicas reconhecem que este serviço fazia falta e cada vez mais o recomendam. O TáxiCão tem facilitado a vida aos tutores porque muitas vezes não têm tempo ou trabalham longe ou têm um animal de grande porte ou com muita energia que não conseguem tratar.

É o primeiro táxi para animais de companhia, disponível para qualquer lugar. Além do transporte, que outros serviços a Mildog TáxiCão oferece para promover o bem-estar dos patudos?

Essa consciencialização tem vindo a ser trabalhada. Nos dois anos de atividade fomos a várias escolas e jardins-de-infância apresentar o TáxiCão e promover o bem-estar animal interagindo com os mais pequenos e fazendo-nos acompanhar de um cão. Ainda este ano está previsto o lançamento de um novo projeto nesse sentido, que será único na região e provavelmente no país. A longo prazo há outras ideias a concretizar. A consciencialização foi sempre um dos objetivos da Mildog e num futuro próximo se verá.

Sob a liderança determinada da Cremilde, quais são os planos e objetivos futuros do Mildog TáxiCão? Além disso, que conselhos valiosos pode partilhar com as mulheres que desejam iniciar o seu próprio projeto?

Inovar, inovar, inovar. Estar sempre um

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 11
Cremilde Santos, Gestora
914 452 961

UMA ABORDAGEM VISIONÁRIA NO MUNDO IMOBILIÁRIO

Helena Pereira, uma mulher determinada e experiente, desafia as expectativas no competitivo mercado imobiliário. Com uma combinação única de habilidades e ética profissional, Helena conquistou reconhecimento e sucesso duradouro na Remax. Agora, compartilha conselhos valiosos para mulheres que desejem seguir os seus passos.

A Helena é uma profissional dedicada e com experiência necessária para realizar os sonhos do cliente. O ramo imobiliário sempre foi uma certeza na sua vida? Fale-nos da sua trajetória profissional até hoje e quais motivos levaram a que se dedicasse ao sector?

O ramo imobiliário nunca foi de todo uma certeza. Mas uma visão abrangente permite que qualquer pessoa com formação, conhecimento e atitude certa possa vencer em qualquer área de trabalho.

Iniciei a minha vida profissional em 1990 numa fábrica têxtil no Vale do Ave do tipo vertical na área da produção/vestuário, através de um estágio proporcionado e orientado pela Universidade do Minho. Na verdade, foi um ambiente enriquecedor, onde pude conhecer pessoas de idades diferentes, saberes e mentalidades também diferentes.

Só existe sucesso quando existe equilíbrio entre trabalho e família e eu sempre valorizei a família, por isso abandonei o têxtil, concorri ao ensino público e a empresas de formação profissional, tendo lecionado diversas áreas tais como: matemática, tecnologia da confeção e do corte, organização da produção e controle de custos. O facto de ser licenciada em Engenharia e não com habilitação própria impulsionou-me para um mestrado de dois anos em ensino de matemática na UM. Mas, em 2012, quando conclui esse mestrado, concorri como profissionalizada e, no final de 2013, estava ainda por colocar, ressalvando que com filhos não me sujeitei a concorrer para os Açores, Madeira, ou Algarve. Assim, comecei a concorrer para empresas em Braga e experienciar coisas diferentes, o que aconteceu naturalmente com a Remax. Iniciei formalmente na Remax, em janeiro de 2014, este é até agora o meu emprego com mais longevidade e, isso, deve-se ao facto de esta profissão permitir conciliar na perfeição trabalho com a família. Não ter horário fixo, não depender de ninguém e fazer

coisas diferentes que se gostem permite a qualquer pessoa ter a sua autonomia profissional, financeira e em sintonia com o lado pessoal e familiar. Claro que, cada vez mais, a área comercial no imobiliário deixa de ser uma área de vender apenas casas para ser uma área de consultadoria em que ter conhecimento a todos os níveis faz a diferença nos resultados.

Como é que a Helena desenvolve a sua visão de longo prazo no sector? Que estratégias utiliza para se manter focada nos objetivos?

A minha resiliência deve-se à minha maneira de ser e ao meu percurso de vida. Sou psicologicamente forte, focada nos objetivos e penso por mim própria. A idade e a experiência de vida aumentaram-me as convicções e a firmeza nas minhas ações. Sou uma mulher de reflexão e de ação. O trabalho e a busca do conhecimento contínuos, a atitude certa e a ética profissional com os clientes e colegas constituem o caldo perfeito para se ter sucesso e resultados sustentados. A verdade, o trabalho e a ação, a persistência e a ética vencem qualquer concorrência acirrada desonesta e pontual. Ora, esta sou eu! Helena Pereira.

Considerando a valorização das competências femininas na prestação de serviços imobiliários, quais as principais vantagens que as mulheres trazem para o mercado imobiliário atual?

Sem querer ser “feminista por excesso”, penso que se trata ainda de uma área onde se dá preferência aos homens e nós mulheres, para chegarmos ao mesmo nível de resultados, temos de correr e trabalhar mais. No entanto, as mulheres com o seu pragmatismo e capacidade de realizar em simultâneo várias tarefas vieram demonstrar as suas potencialidades e obter o seu próprio espaço de trabalho, embora o seu reconhecimento seja ainda um caminho a percorrer!

Sendo um exemplo de resiliência e determinação, quais conselhos daria para mulheres que desejam ingressar no mercado imobiliário e serem bem-sucedidas?

O conselho que eu dou a qualquer mulher que inicie esta atividade é que não se deixe formatar, trabalhe e faça as coisas certas, explorando as capacidades intrínsecas que cada uma tem dentro de si. Porque somos todas diferentes, gostamos e pensamos de forma diferente, podemos tornar a consultadoria imobiliária mais rica, tornando-nos “boas consultoras” e não apenas “boas vendedoras”. O ser consultor permite, além das vendas, acrescentar valor num serviço ao cliente com valorização crescente.

12 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | HELENA PEREIRA
Helena Pereira, Consultora
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 13 bar | restaurant | rooms | ateliers | rooftop MAMA SHELTER LISBOA │ RNET 10236, R. DO VALE DE PEREIRO 19, 1250-270 LISBOA │ T (+351) 21 054 9899 │ @MAMASHELTERLISBOA

A IMPORTÂNCIA DE TER E DE SER UM MODELO A SEGUIR

CRISTINA CAVACO EM ENTREVISTA

Diretamente de Londres, Cristina Cavaco voltou a Portugal para assumir o cargo de Diretora-Geral do Mama Shelter Lisboa. Cristina é uma mulher do mundo, que construiu o seu percurso profissional ao passar por várias experiências e novas aventuras. Hoje, está a trabalhar no que mais a apaixona e é vista como um modelo a seguir por outras mulheres.

Cristina Cavaco apresenta um percurso profissional bastante atribulado, mas, ao mesmo tempo, rico em experiências que a fizeram chegar onde está hoje. A atual diretora-geral do hotel Mama Shelter Lisboa, licenciou-se em gestão de empresas turísticas e, em 2005, foi trabalhar para Londres, fazendo jus à sua vontade de viver fora de Portugal e de experienciar uma nova cultura. Os planeados três meses transformaram-se em 17 anos e foi ali que a mesma pôde começar a sua carreira, trabalhando primeiro na área comercial, de vendas e marketing de grandes multinacionais (The Leading Hotels of the World, Barceló Hotels and Resorts) e, depois, passando para

o lado mais operacional de hotéis - a sua verdadeira paixão. Foi em 2012, na Accor, que Cristina teve a oportunidade de começar a trabalhar em gestão hoteleira, envolvendo-se em vários projetos: “Uma das coisas mais interessantes de trabalhar num grupo grande é que se acaba por estar envolvido num projeto que pode mudar a cada dois anos e isso foi algo que sempre quis”.

Cristina passou por diversos hotéis e cargos dentro do mesmo grupo: de chefe de vendas a assistente de direção e, passado seis meses, diretora-geral. Mais recentemente, abraçou ainda dentro da Accor,um projeto relacionado com a inovação e a tecnologia,

14 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | MAMA SHELTER LISBOA
Cristina Cavaco, Diretora-Geral

assumindo o cargo de diretora de governance do norte da Europa. O objetivo passava por reformular procedimentos de 31 países e, apesar de ter sido muito desafiante, Cristina não estava a fazer o que realmente gostava - a gestão hoteleira.

Foi assim que, em setembro de 2022, surgiu a oportunidade de gerir o Mama Shelter Lisboa, que tinha aberto no início desse ano. Para além de gerir o hotel, Cristina voltou a Portugal com toda a sua bagagem profissional atrás.

Mama Shelter Lisboa – o conceito inovador!

A nossa entrevistada descreveu todo o projeto deste hotel com um grande entusiasmo, que provém de um primeiro ano de grande sucesso, tendo sido ultrapassadas todas as expectativas financeiras e sociais! O Mama Shelter, para além de ter ganho relevância em Lisboa, é reconhecido internacionalmente (“brand awareness”) e atrai muitas pessoas que querem conhecer o conceito.

O Mama Shelter não é só mais um hotel, pois traz todo um novo conceito à cidade de Lisboa: “Somos um restaurante com quartos”, afirma Cristina, que considera ser esta a sua mais-valia. Isto porque o hotel é mais conhecido pelo seu restaurante do que pelo serviço de alojamento. Este último não é descartado, no entanto, o que distancia o Mama da sua concorrência é mesmo esta vertente do restaurante, que oferece uma grande variedade de pratos e bebidas e dinamiza vários eventos de entretenimento: 60% da sua receita provém do F&B (Alimentação e Bebida). Além dos dois restaurantes, o espaço ainda dispõe de um bar, de um pátio interior, de um atelier e de um rooftop: “Acho que o Mama Shelter, neste momento, é um ex-líbris daquilo que é a oferta em Lisboa. Nós somos uma referência”, acrescenta Cristina.

A diretora-geral confidenciou-nos que conta com uma equipa muito criativa, que pensa fora da caixa, estando sempre a pensar no que podem fazer para melhorar o seu serviço. Apesar de se diferenciar pelo foco no restaurante, a identidade deste hotel está no serviço que prestam: “Abrimos as portas a toda a gente, somos inclusivos, queremos trabalhar nessa parte em que quem vem ao Mama Shelter sente-se em casa”, explica Cristina. As pessoas são a principal preocupação do hotel, independentemente se são colaboradores ou clientes!

O Mama Shelter está a chegar ao Porto!

O futuro do Mama Shelter Lisboa demonstra-se bastante risonho, mantendo-se o objetivo de continuar a mostrar e respeitar a cultura lisboeta, para além de elevar a sua autenticidade. A novidade segue-se mais a norte… Está já a ser pensado um segundo hotel, no Porto, com a mesma dinâmica e trazendo mais vida e entretenimento a uma nova cidade.

Igualdade de Género – as políticas de promoção necessárias Cristina Cavaco, como mulher num cargo de topo, considera que a igualdade de género é um ‘motor de crescimento económico’ em qualquer sector: “Está provado estatisticamente que todos os países que têm uma maior igualdade de género ou que tenham políticas que promovam isso de uma forma muito proativa, apresentam um melhor PIB (Produto Interno Bruto) e criam mais postos de trabalho”, acrescenta.

A diretora-geral afirma ainda que em todos os projetos em que se envolveu profissionalmente, a diversidade e a inclusão foram

valores sempre presentes. No entanto, Cristina reconhece que na sua área, a hotelaria, o cargo que ocupa está, na sua maioria, nas mãos de homens. Também assume que já houve avanços e que já estão a existir, cada vez mais, mulheres em cargos de referência, algo que Cristina considera importante para existirem “role models” (modelos a seguir). A diretora do Mama Shelter afirma que não cresceu com nenhuma referência feminina, porque antes era muito difícil encontrar alguém nessa posição. Hoje, Cristina é ela própria uma referência e considera-se uma pessoa proativa, curiosa, uma boa ouvinte, observadora e preocupada com as pessoas que trabalham consigo.

A nossa entrevistada reconhece o valor das quotas e considera-as uma “discriminação positiva”, sendo que as mesmas só vêm permitir que haja “um encaminhamento e um empoderamento para se olhar de forma diferente”. No entanto, isto não quer dizer que um trabalho tenha de ser oferecido só por uma quota, mas sim pelo valor que a colaboradora trará para a empresa.

De acordo com Cristina Cavaco, é necessário que as empresas reconheçam o papel de uma mulher num cargo de topo e, ao mesmo tempo, é essencial que as mulheres procurem e agarrem aquilo que as faz sentir realizadas. Já existem empresas a apostarem numa maior igualdade de género e num empoderamento das mulheres: Cristina destaca o Mama Shelter como sendo uma delas.

O futuro de Cristina Cavaco já está decidido para os próximos dois/três anos - passa por continuar a desenvolver o Mama Shelter e crescer com ele. Depois, logo se vê, mas sabe que estará sempre a querer aprender mais e a descobrir mais do mundo.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 15
MAMA SHELTER LISBOA | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

MARTA LEITE CASTRO CELEBRA 22

ANOS DE CARREIRA

COM DOIS PROGRAMAS NA CNN PORTUGAL E COM A SUA PLATAFORMA N360

Dos ecrãs de televisão à presença digital, Marta Leite Castro trilhou uma jornada inspiradora, deixando a sua marca inegável no mundo dos negócios. Uma história de aprendizagem, ousadia e ambição, construída ao longo de 22 anos de carreira, capaz de nos inspirar a todos. Prepare-se para mergulhar nos bastidores dos programas inovadores da CNN e testemunhar o apoio inabalável do N360 ao sector empresarial.

em digital content creation, também compartilho dicas e histórias inspiradoras que ajudam empresas e pessoas nesta área. Acredito que a vida é uma troca constante de inspiração e o LinkedIn é um lugar onde a verdade se revela, pois, a sinceridade é percetível e as interações são autênticas.

Os programas na CNN, “Pitch” e “Marcas com História”, que contam com a sua apresentação e voz off, representam um olhar inovador sobre o outro lado das marcas. Poderia compartilhar a sua experiência nestes programas e como estes contribuem para o sucesso de várias carreiras?

O “Marcas com História” é uma série documental aprofundada que trata cada aspeto de forma detalhada. Cada episódio requer muito tempo e cuidado, com longas horas de entrevistas condensadas em 25 minutos. Considero este formato extremamente nobre, capaz de durar uma vida. Nele, trazemos os protagonistas das marcas inspiradoras e exploramos não apenas a história, mas também o presente e a visão dos líderes e colaboradores em relação ao futuro da marca. É um complemento fascinante, pois estamos focados no presente, olhamos para o passado, mas não ficamos presos a ele e procuramos projetar o futuro.

A Marta é reconhecida como uma das 10 mulheres mais seguidas no LinkedIn em Portugal. Como é que tem assumido o papel de business influencer e qual é a importância desta posição para inspirar outras mulheres?

Com a minha passagem pelo “Network Negócios”, na RTP Internacional, compreendi a importância de fornecer uma resposta efetiva às empresas e ao mundo corporativo no ambiente digital. Esta

perceção levou à criação do N360, em parceria com o Sapo. Através deste lançamento, produzi muito conteúdo que acabou por ser partilhado em várias plataformas. Com isto, o LinkedIn tornou-se na minha “nova televisão” para comunicar, interagir e conectar com o público, parceiros e clientes. Este processo foi orgânico e, desde então, tenho encontrado satisfação em destacar projetos e protagonistas nas histórias que conto. Além disso, como especialista

Já o “Pitch”, surge como uma resposta inovadora e dinâmica, oferecendo perspetivas e ângulos diferentes. O programa abrange desde o briefing e o brainstorming até aos bastidores e às tendências das marcas. Acompanhamos a atualidade do sector, trazendo protagonistas, campanhas e pessoas, enquanto exploramos a indústria criativa, agências, produtoras e as decisões tomadas pelas marcas. É interessante porque a cada semana trazemos temas novos e

16 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO | MARTA LEITE CASTRO
Marta Leite Castro

atuais. Temos tido um excelente feedback, os programas têm sido bem-sucedidos e o formato é apreciado pelo público. A nível pessoal, cada programa proporciona-me uma oportunidade de aprendizagem e crescimento. Não há espaço para ficar parada, estou sempre a absorver ensinamentos e conhecimentos.

Gostaria que falasse um pouco sobre as particularidades da plataforma N360. De que forma a plataforma tem sido importante para compartilhar informações e conhecimentos com o público?

O N360 tem sido uma plataforma excecional para dar respostas personalizadas às empresas e às marcas, por meio de conteúdo de brand content cuidadosamente produzido para transmitir a verdade. Ao longo dos seis anos, temos realizado uma variedade de trabalhos, desde artigos com marcas nacionais e estrangeiras, até vídeos e podcasts personalizados para empresas. Temos, também, a rubrica “Made in Portugal” dedicada aos pequenos negócios do país, onde a missão é ajudar estas marcas a crescer e ganhar visibilidade.

Neste momento, a Marta está envolvida em dois formatos digitais no portal Sapo, o “PM+”, dedicado às pequenas e médias empresas e o “Radar”, dedicado a empresas e marcas. Como é que estes projetos têm sido relevantes para apoiar e promover o sector empresarial?

Seguindo a ótica do N360, criámos o “PM+”, com o objetivo de apoiar as pequenas e médias empresas na comunicação. Queríamos direcionar o nosso “holofote” para elas e oferecer um espaço onde se pudessem destacar e dar a conhecer. Após um ano, tínhamos muitas marcas grandes, inclusive internacionais, interessadas em participar do “PM+”. Devido ao sucesso do formato, decidimos criar o “Radar”, que foi lançado em janeiro. O “Radar” permite destacar as novidades de marcas e empresas, tanto nacionais como estrangeiras, sem comprometer a atenção dada ao “PM+”, este formato pode ser encontrado, há um ano e tal, no Canal MEO. Com estes programas complementares, conseguimos atender às diferentes preferências das empresas, algumas desejam estar apenas na televisão e outras no meio digital. Cada programa possui uma abordagem distinta: “Marcas com

História”, produzido pela WLP Partners, foca na história, “Pitch”, numa parceria incrível com a Scopen, nas redes a Gigantic Digital Growth e produção Show Off, em campanhas e contexto publicitário, “PM+” em pequenas e médias empresas, e o “Radar” traz as novidades. Esta harmonia entre programas proporciona uma resposta completa e adaptada às empresas, oferecendo soluções sob medida, que têm sido essenciais para apoiar e promover o sector empresarial, principalmente através do LinkedIn. É nesta plataforma que as histórias, protagonistas e conteúdos são divulgados de forma orgânica e sequencial. À medida que as visualizações e seguidores aumentam, as histórias ganham uma divulgação poderosa. É uma maneira forte de mostrar todo o talento e as coisas incríveis que temos em Portugal.

A realização do curso de comunicação empresarial marca uma mudança significativa na sua vida profissional. Quais foram as principais lições e habilidades adquiridas no curso que contribuíram para o seu desenvolvimento profissional?

O curso foi uma jornada enriquecedora, embora desafiadora, que me trouxe valiosos ensinamentos. Primeiramente, aprendi a ser resiliente, ao ter de equilibrar o trabalho, a maternidade e os estudos. Além disso, adquiri uma base sólida de conhecimento e sistematização dos conceitos da comunicação empresarial, abrangendo desde o funcionamento das empresas até à divulgação das suas marcas.

Realizei um estágio na EDP, na área de marca e comunicação, o que me proporcionou uma visão prática e aprofundada do campo. Foi uma experiência significativa, que me impulsionou a criar o programa “Network de Negócios” na RTP. Através desta imersão no mundo dos negócios, desenvolvi habilidades como o foco, resiliência e um profundo conhecimento do mercado e das práticas comerciais.

Antes de concluirmos, parabéns pelos 22 anos a conduzir formatos televisivos na RTP, RTP Internacional e agora na CNN. Como perspetiva esta trajetória profissional e quais são as principais aprendizagens que obteve ao longo dos anos?

A mudança para a CNN deu-me a oportunidade de ter um formato visível também

em Portugal, e ser na CNN foi o timming perfeito. Foi uma conquista importante, posso até dizer que fui surpreendida com os convites. Com isto, aprendi que, na vida, podemos ter muitos planos, mas a vida também tem planos para nós. Costumava ser muito focada nos meus próprios planos e ambições, mas aprendi a relaxar e a permitir que a vida me oferecesse oportunidades.

Outra lição que levo comigo é acreditar que tudo vale a pena. Quando acreditamos, estudamos, criamos um plano organizado e seguimos um método, e as coisas tendem a dar certo. Essa foi a base de toda a minha trajetória. Além disso, encontrei pessoas ao longo do caminho, que acreditaram em mim, porque nada se faz sozinho. Tive parcerias incríveis, como o Sapo e agora, começa este caminho com a CNN. E, sim, não vou esconder, já tenho outro projeto para 2024 em mente, mas ainda está no início e é um segredo absoluto. Por agora, quero consolidar e desenvolver os programas já em andamento.

Créditos: TVI Fotógrafo - Pedro Melo, Miguel Velosa (stylist), look (JiJil Collection), brincos by Santana Pires e make up Beatriz Bagorro

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 17
MARTA LEITE CASTRO | LÍDERES E EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

Hotels with personality!

Localizado junto ao Europarque, a 2 minutos das saídas da A1 e da A29, a 5 minutos do centro histórico de Santa Maria da Feira, o DS Hotel Lusopark apresenta um ambiente contemporâneo e requintado.

Bar | Ginásio | Piscina Interior | Sala de Reuniões

+351 967 149 981 | +351 256 244 840 www.dslusopark.com reservas@dslusopark.com
Douro Suites
Mai.
Filipa Rebelo de Andrade, Diretora da Bonhams Portugal
Próximas Avaliações Virtuais e Presenciais Jóias Relógios Arte Chinesa e Asiática Arte do Pós-Guerra e Contemporânea Pintura Moderna e Impressionista Pintura Antiga
Para Marcações Contactar +351 919 214 778 lisbon@bonhams.com bonhams.com Arte Contemporânea Africana Arte Indiana Porcelana Europeia Carteiras e Moda Vinhos e Whisky
Traga as suas peças à Bonhams Portugal E Venda-as ao Mundo

“O MERCADO É CADA VEZ MAIS EXIGENTE E RIGOROSO QUANTO À PROVENIÊNCIA

DE UMA OBRA”

Do Reino Unido ao topo dos leilões globais, a Bonhams tem vindo a escrever uma história notável de conquistas. Filipa Rebelo de Andrade, representante da casa de leilões em Portugal, desempenha um papel crucial ao conectar os clientes portugueses à plataforma internacional da empresa.

Fundada em 1793, a Bonhams é uma das maiores e mais renomadas leiloeiras do mundo. Como descreve o percurso e evolução da casa de leilões no decorrer dos anos?

A Bonhams operou durante muito tempo quase exclusivamente no Reino Unido. A partir de 2000, iniciou um percurso consistente de expansão internacional, estabelecendo-se na América do Norte, Hong Kong, realizando leilões na Austrália e abrindo escritórios na Europa Continental. Em 2018, a Bonhams foi adquirida pela Epiris, um fundo do Reino Unido que tem vindo a investir na área digital, marketing e novas contratações. Em 2021 e 2022, a Bonhams fez um número de importantes aquisições, que formam a Bonhams Network e que incluem a Bukowskis, Bruun Rasmussen, Bonhams Skinner, Bonhams Cornette de Saint Cyr e o The Market by Bonhams. A estratégia foi trazer importantes leiloeiras locais para a rede internacional da Bonhams. Temos agora 14 Salas em todo o mundo e contamos com uma rede mundial de escritórios e representantes em 22 países, com a Bonhams a oferecer avaliações em mais de 60 departamentos.

A Bonhams realiza mais de 400 vendas especializadas por ano nos principais salões de vendas espalhados pelo mundo. Como a Bonhams garante a procedência e autenticidade das peças que vende?

A procedência e autenticidade são fatores essenciais para as leiloeiras internacionais, pois conferem credibilidade e proteção nas transações. O mercado é cada vez mais exigente e rigoroso quanto à proveniência de uma obra. É importante saber em que leilões já foi transacionada, por que colecionadores, em que galerias ou exposições esteve. A Bonhams conta com uma equipa altamente especializada em todas as categorias que transaciona. Estes profissionais são bem treinados na investigação e têm contactos recorrentes em instituições que podem prover o máximo de informação nesta área. A proveniência da obra é tão importante, que existem casos em que, não sendo satisfatória, não incluímos a peça no leilão.

Num leilão, o contacto com o cliente é fundamental para o crescimento da empresa. Quais os métodos de comunicação utilizados pela Bonhams quando um cliente deseja avaliar uma peça de arte?

Oferecemos uma ampla escolha para quem quer avaliar uma peça ou uma coleção. Desde o consignment hub – enviar o pedido para “lisbon.com” –, até avaliações com mercado presenciais, em casa ou nos nossos escritórios. Os nossos técnicos vêm com frequência a Portugal e fazem-no, por vezes, especificamente por causa de um objeto. Os clientes podem também passar por um dos nossos escritórios. Comprar e vender na Bonhams é uma experiência extremamente profissional, mas simples.

A Filipa é a representante da Bonhams em Portugal, desde 2010. De que forma o escritório sediado em Lisboa se encaixa na estratégia da empresa em manter uma abordagem local para os clientes?

A abordagem é disponibilizar a clientes portugueses um acesso fácil à plataforma internacional. Com um mundo cada vez mais global, é interessante estabelecer esta porta de acesso de forma fácil e profissional. É óbvio que muitos colecionadores o fazem por si mesmos, mas ter um escritório da casa mãe, com uma equipa que pode assistir nas avaliações e transações, é completamente diferente.

Como representante de uma empresa internacional, que valores inatos da sua personalidade podem ser refletidos no seu trabalho?

Tento, no meu trabalho, facilitar a vida aos clientes, ajudando na ótica do rigor e seriedade, e proporcionar à Bonhams uma plataforma em Portugal em articulação com o resto dos países. As posições de liderança são uma consequência possível de um percurso com muitas variáveis, mas não devem ser tornadas uma meta. É no caminho que está o esforço. Não me considero líder. Tenho uma profissão com alguma visibilidade externa, mas sou uma funcionária que procura prestar o melhor serviço possível à empresa e aos clientes.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 21
Filipa Rebelo de Andrade, Diretora
BONHAMS
Par de Brincos de Rubis e Diamantes Van Cleef & Arpels Vendido por $89,400.00 inc. prémio Bugatti Chiron, 2020 18 de Junho, The Bonmont Sale Estimativa: CHF2,500,000 - CHF3,000,000
Próximas Avaliações Virtuais e Presenciais Jóias Relógios Arte Chinesa e Asiática Arte do Pós-Guerra e Contemporânea Pintura Moderna e Impressionista Pintura Antiga
peças
Bonhams
E Venda-as ao Mundo Para Marcações Contactar +351 919 214 778 lisbon@bonhams.com bonhams.com Arte Contemporânea Africana Arte Indiana Porcelana Europeia Carteiras e Moda Vinhos e Whisky
Traga as suas
à
Portugal

ENSINO SUPERIOR

O ensino superior é uma etapa crucial na jornada educacional de um estudante, proporcionando oportunidades únicas de crescimento académico, desenvolvimento pessoal e preparação para a carreira. Neste nível de educação, os estudantes mergulham em disciplinas especializadas que aprofundam os seus conhecimentos numa área específica de interesse.

Além disso, o ensino superior estimula a pesquisa, a análise crítica e o pensamento independente, capacitando os alunos a enfrentar desafios complexos e a contribuir para a sociedade de maneira significativa. Através de aulas, projetos, estágios e interações com professores e colegas, os estudantes do ensino superior desenvolvem habilidades valiosas, como o trabalho em equipa, a resolução de problemas e a comunicação eficaz.

Em mais uma edição, a Revista Business Portugal dá a conhecer estabelecimentos de ensino que oferecem aos alunos a oportunidade de explorar novas perspetivas, ampliar horizontes e construir redes de contatos profissionais, abrindo portas para um futuro promissor e repleto de conquistas.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 23

INOVAÇÃO E QUALIDADE COMO CAMINHO PARA ALCANÇAR A EXCELÊNCIA

ESHTE: 32 anos de excelência ao serviço da qualidade e da inovação no ensino superior público em Hotelaria, Turismo e Restauração.

A Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril (ESHTE) é uma referência no ensino superior politécnico em hotelaria, turismo e restauração, tendo vencido o prémio de Melhor Formação em Turismo nos “Portugal Trade Awards by Publituris @BTL 2023”.

Ao longo de mais de três décadas, a missão da ESHTE tem sido a de criar, transferir e difundir conhecimento através de uma ampla oferta formativa que inclui licenciaturas, formação pós-graduada, mestrados e um doutoramento em parceria com o IGOT-ULisboa, e da aposta na inovação e qualidade como caminho para alcançar a excelência. O corpo docente da ESHTE é altamente qualificado e combina o conhecimento científico com a experiência no sector, garantindo uma partilha de conhecimentos atualizados e uma aprendizagem enriquecedora aos estudantes, em estreita ligação com o mercado.

A Escola adota uma abordagem inovadora nos processos de ensino-aprendizagem, utilizando métodos e tecnologias modernas centradas nos estudantes. Os docentes são incentivados a adotar práticas pedagógicas inovadoras, como o uso de recursos digitais, simulações, estudos de caso e aprendizagem baseada em projetos práticos multidisciplinares, permitindo aos estudantes aplicar os seus conhecimentos em contextos reais de trabalho. Para além disso, a interdisciplinaridade é promovida, estimulando os estudantes a explorar diferentes áreas de conhecimento e a trabalhar em equipa, desenvolvendo competências como o pensamento crítico, a resolução de problemas e o trabalho colaborativo.

Destacam-se dois casos de sucesso de aplicação de modelos de ensino-aprendizagem que têm recebido reconhecimento e prémios pela sua abordagem inovadora: o Juniors Managers Program for Hospitality (JUMP) e o Event Management Learning Model (EMLM). O JUMP permite aos estudantes desenvolver competências de direção hoteleira em contexto de prática simulada, enquanto o EMLM consiste na conceção, produção e avaliação de eventos por parte de equipas de estudantes.

A ESHTE valoriza também a investigação científica e aplicada como via impulsionadora da inovação. Através de projetos de investigação e da colaboração com outras instituições académicas e empresas, a Escola incentiva a produção de conhecimento e contribui para a inovação de produtos, processos e modelos de negócio.

Acolhe, nomeadamente, um polo do Centro de Investigação, Desenvolvimento e Inovação em Turismo (CITUR), acreditado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, com mais de 120 investigadores. A internacionalização desempenha igualmente um papel relevante na inovação pedagógica da Escola e, neste contexto, oferece programas de intercâmbio e parcerias com instituições de ensino superior estrangeiras, possibilitando que estudantes, docentes e não docentes vivenciem diferentes experiências culturais e de trabalho. Por outro lado, a ESHTE tem atraído estudantes de várias partes do mundo e desenvolvido projetos com instituições académicas de diversos países, promovendo a partilha de conhecimento e a diversidade cultural.

Por estas razões, os estudantes da ESHTE têm consistentemente alcançado elevados níveis de empregabilidade, acima de 90%.

Estamos, assim, perante uma Escola de ensino superior politécnico de excelência em hotelaria, turismo e restauração que, através de uma oferta formativa qualificada, com uma elevada componente prática, práticas pedagógicas inovadoras, investigação científica e aplicada em colaboração com o sector e pautada por uma crescente internacionalização, proporciona uma formação inovadora e de qualidade e desenvolve as competências necessárias para os estudantes enfrentarem os desafios do mercado de trabalho e da criação do seu próprio emprego.

DE
E
DO
ESHTE É O TEU FUTURO! Junta-te a nós. LICENCIATURAS | PÓS-GRADUAÇÕES | MESTRADOS | DOUTORAMENTO info@eshte.pt www.eshte.pt
ESCOLA SUPERIOR
HOTELARIA
TURISMO
ESTORIL
ENSINO SUPERIOR | ESHTE

“A CBS ISCAC DEVE SER A ESCOLHA!”

Há cem anos, a Coimbra Business School iniciou uma trajetória de inovação, formando profissionais de destaque. Do passado ao futuro, a CBS forjou uma jornada centenária rumo à excelência educacional.

A jornada da Coimbra Business School começou há cem anos. Como avalia o avanço e o desenvolvimento da instituição ao longo destes anos? Quais têm sido, na sua opinião, os motores principais da evolução da CBS?

A história do ISCAC remonta à escola de comércio, quando surgiu a necessidade de criar uma instituição de ensino que oferecesse formação na área de contabilidade e administração em Coimbra. O ISCAC foi criado em 1972 como uma escola independente de contabilidade e administração, oferecendo cursos técnicos. Em 1988, o instituto foi integrado no Instituto Politécnico de Coimbra, proporcionando uma maior diversificação de cursos e programas e a passagem para ensino superior. Desde então, o ISCAC tem expandido a sua oferta e com a decisão de usar a designação Coimbra Business School, desde 2010, aumentou a sua visibilidade e reconhecimento da comunidade. Atualmente, oferece uma ampla gama de programas de graduação e pós-graduação nas áreas de gestão, contabilidade, marketing, recursos humanos, finanças e outras disciplinas relacionadas.

Os motores principais da evolução são: um ensino de alta qualidade, a capacidade de desenvolver novas abordagens de ensino e adaptar-se às mudanças, parcerias e redes de colaboração, programas de intercâmbio de estudantes e oportunidades de estágio, a capacidade de antecipar as necessidades dos alunos e, em especial, o envolvimento com a comunidade, incluindo ex-alunos, empresas locais e a sociedade em geral. Pode-se perceber essa capacidade pela forma como nos últimos 20 anos passamos de 3 licenciaturas (Contabilidade e Auditoria, Gestão de Empresas e Informática de Gestão) para a oferta atual de 10 licenciaturas e 13 mestrados, que preenchem todos os anos 100% das vagas por conseguirem responder adequadamente à evolução das necessidades educativas do país.

A instituição procura ser uma “escuta ativa” e atenta às necessidades do mercado. De que forma a CBS pretende promover a inovação pedagógica dos alunos? Poderia destacar alguns programas da oferta formativa que impulsionam a qualificação de excelência? Uma maneira de promover a inovação pedagógica é garantir que os currículos dos cursos sejam atualizados regularmente para refletir as necessidades do mercado. A escola ouve regularmente os seus stakeholders. Reunimos o Conselho Estratégico, que engloba diversas personalidades de vários sectores, que transmitem a sua perceção sobre a evolução das necessidades do mercado. Começámos a promover este ano eventos que juntam estudantes atuais com antigos alunos (business talks) para estes partilharem a sua experiência e os desafios que enfrentaram na entrada no mercado, ajudando a escola a ajustar a sua abordagem e também permitindo que os estudantes estejam mais conscientes do que vão encontrar. Ainda promovemos a interação entre os alunos e profissionais do mercado por meio de palestras, workshops, mentorias e programas de networking, sendo disso exemplo a Business Week e as inúmeras palestras e eventos de recrutamento que acolhemos regularmente.

Além disso a CBS adota desde algum tempo abordagens pedagógicas centradas no aluno, como a aprendizagem baseada em problemas e experiência em contexto real com simulação, projetos e estágios. Além dos nossos 23 cursos de formação graduada, podemos destacar a nova pós-graduação em Inteligência Artificial para Executivos em parceria com a Microsoft, que vai já na segunda edição desde janeiro.

ENSINO SUPERIOR | COIMBRA BUSINESS SCHOOL
Alexandre Gomes da Silva, Presidente

É cada vez mais essencial que o sistema educativo esteja alinhado com o avanço tecnológico. Como a CBS se tem esforçado para assegurar a adaptação dos alunos à era digital?

Foi este mês acreditada, sem reservas, a nova licenciatura em Ciência de Dados para a Gestão complementando, assim, a oferta de 10 licenciaturas em ciências empresariais e com ligação ao mestrado em análise de dados e sistemas de apoio à decisão. A transformação e transição digital é uma preocupação na atualização dos programas de todos os cursos, sendo necessário a todas as profissões. Assim, todos os cursos contarão com unidades curriculares na área da ciência dos dados e programação. A CBS conta ainda com várias pós-graduações neste domínio. Além disso, temos a preocupação de promover o contacto dos estudantes com as ferramentas mais atuais, facilitando a aplicação prática dos conhecimentos teóricos. Por exemplo, várias licenciaturas incluem disciplinas de simulação, em que os estudantes utilizam os softwares de gestão que vão encontrar no mercado de trabalho. Em diversos mestrados, muitos estudantes fazem projetos com empresas em que, mais do que estarem na vanguarda da tecnologia, levam essa tecnologia às empresas que trabalham connosco e ajudam-nas a resolver os seus problemas.

A CBS demonstra um crescente investimento na área da investigação, criando em 2021 o CBS Research Centre. De que maneira a instituição integra a pesquisa científica nas suas atividades para fortalecer o ensino e a transferência de conhecimento?

A CBS tem-se empenhado em promover a investigação científica e a produção de conhecimento. Desenvolve projetos de pesquisa aplicada e estimula a participação dos docentes e estudantes em atividades de investigação nas diversas áreas do conhecimento em que atua. O CBS Research Centre representou o primeiro passo para a organização interna e para a motivação e agregação de todos os docentes, no entanto, para ganhar escala e obter a acreditação, está em curso a abertura de um centro de investigação em associação com o Politécnico do Porto. Pretendemos, assim, robustecer a nossa capacidade de concorrer a projetos. Vamos também relançar a nossa revista científica, a Coimbra Business Review, que vai focar de forma alternada as áreas de cada um dos nossos mestrados.

O foco da CBS é satisfazer o aluno. Qual a importância da relação de proximidade e da formação como fatores de desenvolvimento pessoal? Por que razão a CBS deve ser a escolha para o próximo ano letivo?

A relação de proximidade e a formação de qualidade desempenham um papel fundamental no desenvolvimento pessoal dos estudantes. Esses fatores proporcionam suporte individualizado, estimulam o envolvimento do aluno, motivando-o para a aprendizagem e para outras tarefas de extensão, como por exemplo o voluntariado. Permitem, ainda, o acompanhamento do progresso académico, evitando o abandono e o insucesso. Fornecem orientação para a carreira e contribuem para o desenvolvimento de competências socioemocionais. Numa perspetiva de melhoria constante, vamos lançar duas iniciativas no próximo ano letivo. Uma mais inovadora designa-se de Happy Generation - vamos ter uma disciplina em que acompanhamos os estudantes no desenvolvimento de competências para a sua felicidade. Vamos também lançar a iniciativa Business Skills, que será um conjunto de formações extracurriculares que desenvolvem nos alunos competências transversais de que necessitam para as várias disciplinas e para o mercado de trabalho, como a elaboração de CV, escrita de trabalhos académicos, gestão do tempo, do stress, etc. Ao focar na satisfação do aluno e na sua formação integral, a CBS procura criar um ambiente propício para o crescimento e o sucesso dos estudantes, preparando-os para uma cidadania plena e ativa. A CBS deve ser a escolha! Pelo ambiente, pela vida, pelo entusiasmo, pelo companheirismo e pelo ensino. Transpomos todas as fronteiras.

Ao longo dos anos, a instituição construiu um legado educacional sólido. Quais os planos futuros da CBS para continuar a se destacar pela qualidade do ensino? Que principais desafios o ensino tem pela frente?

Ao longo da sua história, a CBS tem-se consolidado como uma instituição de referência na formação de profissionais na área das ciências empresariais. A sua trajetória tem sido marcada pela adaptação às mudanças sociais, económicas e tecnológicas, com a preocupação de oferecer uma educação de qualidade e relevante para os seus estudantes com atividades de extensão para uma cidadania plena. A oportunidade de outorgar doutoramentos abre um novo paradigma com acesso a novos projetos e financiamentos sendo o início de uma nova etapa.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 27
COIMBRA BUSINESS SCHOOL | ENSINO SUPERIOR

WORLD CORPORATE GOLF CHALLENGE: UM TORNEIO EMPRESARIAL DE PRESTÍGIO

O World Corporate Golf Challenge (WCGC) Portugal estabeleceu-se como o maior e mais prestigiado torneio de golfe mundial de empresas, um dos responsáveis por esse sucesso é José Guerra, Chairman da competição. Numa entrevista à Revista Business Portugal, José Guerra compartilha a sua visão sobre a sua posição de liderança, revelando as responsabilidades e motivações que impulsionam o seu trabalho no WCGC. Ao longo dos seus 30 anos de existência, o torneio tem assistido a um crescimento notável, promovendo e estreitando laços entre empresas. Descubra o verdadeiro poder de um evento que transcende o desporto e transforma-se num vínculo empresarial de excelência.

no relacionamento pessoal e profissional dos jogadores. O Chairman destaca que o golfe oferece a oportunidade única de conhecer pessoas influentes, como presidentes de bancos e até mesmo membros da realeza, num ambiente informal durante as cinco horas de jogo. Esses relacionamentos estabelecidos durante o torneio têm levado a colaborações e negócios entre as empresas participantes, criando um círculo de conexões valiosas.

A Golf Concept, representante e licenciada do WCGC em Portugal, desempenha um papel fundamental no sucesso e crescimento do torneio no país. José Guerra destaca o trabalho brilhante e espetacular realizado pela Golf Concept, liderada por Estela Sargento e Ana Massapina, na organização da final do WCGC Portugal. O comprometimento e a excelência demonstrados pela Golf Concept têm sido reconhecidos internacionalmente, contribuindo para a expansão do evento. Ao abordar o futuro do WCGC, José Guerra ressalta o objetivo de expandir a presença da competição para 40 a 50 países, estabelecendo-se como um evento estável e de prestígio global. Com base nos contactos e conhecimentos adquiridos ao longo dos anos, José Guerra expressa as suas expectativas de crescimento contínuo e cumprimento dos objetivos do torneio.

O World Corporate Golf Challenge é mais do que um simples torneio de golfe empresarial. Sob a liderança de José Guerra, a competição tem sido eficaz na criação de relacionamentos pessoais e profissionais duradouros, onde cada partida é um encontro de mentes brilhantes e cada tacada é uma jogada estratégica em direção ao sucesso empresarial.

No dia 8 de julho, o Royal Óbidos torna-se o epicentro de um evento emblemático, a final nacional do World Corporate Golf Challenge. Como Chairman do evento, José Guerra desempenha um papel estratégico na definição das diretrizes e estratégias da competição. As suas principais responsabilidades envolvem a representação institucional, a gestão das relações com a media, negociar com os licenciados e fornecer o suporte comercial. A transição de licenciado para proprietário e a oportunidade de ver o torneio crescer globalmente têm sido as suas principais motivações para assumir essa posição de liderança.

O WCGC comemora o seu 30º aniversário este ano, e José Guerra descreve o crescimento do torneio como um processo “suave” ao longo das décadas. No entanto, o último ano foi desafiador devido à pandemia da Covid-19 e às restrições que impossibilitaram a realização do evento. O objetivo agora é recuperar a normalidade pré-pandemia e retomar o crescimento contínuo do torneio, proporcionando às empresas a oportunidade de competir e se conectar.

Uma das características marcantes do WCGC é a sua eficácia em fortalecer os laços entre empresas. O torneio foi criado com a ideia de proporcionar às empresas a oportunidade de jogar, umas contra as outras, numa competição global. O objetivo era estabelecer um ambiente descontraído e propício ao networking. Esse conceito inovador, que combina golfe, líderes empresariais e meios de comunicação, tem gerado benefícios significativos em termos de relacionamentos empresariais.

Além da competição em si, o WCGC tem um impacto notável

28 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
WORLD CORPORATE GOLF CHALLENGE
José Guerra, Chairman Ana Massapina e Estela Sargento, Golf Concept

SESIMBRA ACOLHE O MAIOR TORNEIO MUNDIAL DE EMPRESAS

O campo de golfe da Quinta do Perú foi o anfitrião da 2ª e 3ª etapa do World Corporate Golf Challenge Portugal, onde estiveram em competição um total de 136 jogadores em representação de 68 equipas de empresas de todas as regiões e de patrocinadores oficiais da prova.

Sesimbra teve a oportunidade de registar uma novidade para esta edição do World Corporate Golf Challenge Portugal: foi palco de duas etapas, isto é, duas oportunidades para apurar jogadores para a Final Nacional. “Para o município representa um reconhecimento pelo destino de Sesimbra enquanto um destino privilegiado para a prática de golfe e vamos querer estar associados ao WCGC, circuito de excelência, por muitos e mais anos”, afirma Maria Argentina Marques, a Vereadora da Câmara Municipal de Sesimbra. A Final Nacional será disputada no dia 8 de Julho no Royal Óbidos e a equipa vencedora desta 30ª edição irá representar Portugal, em Tenerife, na Final Mundial de 2 a 6 de Outubro. Para José Guerra, Chairman do World Corporate Golf Challenge, que trouxe esta competição em 1997, é muito especial estar cá a comemorar a 30ª edição do circuito. “Portugal tem sido sempre um exemplo pioneiro de características e estrutura de qualidade. Está no top 3 dos melhores países na história deste evento e é um líder no que se refere a vitórias, com apenas mais uma que a China que leva 3. Portugal apresenta muita qualidade, também, graças ao seu promotor, a Golf Concept, e demonstra ser um exemplo também a nível internacional”.

Os 136 jogadores presentes nestes dois dias vieram competir também para o Ranking WCGC, que apura seis equipas para a final nacional através do acumulado de pontos de cada etapa qualificativa em que cada equipa participa. Nestas duas etapas foram apuradas 6 equipas, 3 em NET e 3 em GROSS. Na segunda etapa, a equipa PM-GUIDANCE, formada por André Holtreman Roquette e Paul Brand, venceu com 69 pontos. “Estávamos a jogar em casa, conhecíamos o campo, conhecíamos os greens e correu bem” afirmou André Roquette. “Não nos apercebemos que tínhamos ganho por isso estamos muito contentes, além de que trouxe o André para garantir a vitória” continuou Paul Brand. Já na terceira etapa, a THEMUDO TELECOM , equipa composta por pai e filho, João Pedro e Lourenço Themudo, foi a grande vencedora. “Complementámo-nos bem, quando um falhava o outro fazia um bom resultado e foi bom voltar a jogar com o meu pai. A vitória foi muito boa e jogar a final vai ser uma experiência muito boa e claro, muito devido à excelente organização.” diz Lourenço Themudo.

O World Corporate Golf Challenge Portugal é um evento corporativo onde todas as empresas que se associam a este evento têm espaço para comunicar as suas marcas através de activações no dia dos torneios. Em Sesimbra, no check-in de boas vindas, os jogadores foram presenteados com um welcome bag, com vários “gifts” dos parceiros, com o sabor do café Nicola e com a protecção solar da Uriage. No bar de campo os croissants da Uspot, o presunto Casa Ibérica e Ibéricos Montellano e as bebidas da Super Bock deliciaram os jogadores.

A Cigala, teve a presença do Chef Pedro Gaspar que fez um showcooking e transportou os participantes até ao país vizinho com o sabor da paella tradicional. Momentos antes do almoço, no cocktail,

estiveram vários parceiros com ativações, tais como a degustação do azeite dos chef’s, o Azeite Distintus, a prova de Moscatel by Rota dos Vinhos da Península de Setúbal, os wraps Uspot e o gin Casanova, foram apreciados por todos. Houve também a divulgação e promoção das empresas Costa Verde, BDR, Imporquimica e SGL Seguros.

Também não faltou o WCGC MEDIA onde os jogadores tiveram acesso às várias revistas e jornais dos nossos parceiros de comunicação: Revista Executive Digest, Marketeer, Green Savers, Revista Business Portugal, Villas & Golfe, Golfe Press e Golfe Magazine.

O caminho no mundo digital continua e esta etapa trouxe mais uma novidade, a aplicação exclusiva e pioneira do World Corporate Golf Challenge Portugal que está disponível na Apple Store ou Play Store Esta aplicação permite ao jogador fazer o check-in online e aceder à já conhecida tombola digital SPIN BY NECTAR. Esta aplicação é um veículo de comunicação com a privada comunidade do WCGC Portugal composta por jogadores e parceiros e irá contemplar mais funcionalidades e produtos até ao fim deste ano. A BTravel é um novo parceiro do WCGC Portugal e não quis passar despercebida nestas etapas, por isso, originalmente, desafiou os jogadores com a ação “Look For The Blue Ball” com a inscrição “That’s the One”. Os jogadores que encontraram esta bola azul no campo de golfe puderam participar no sorteio cujo vencedor ganhou uma experiência na Sports Legends Cup Os vencedores, Eduardo Pires na segunda etapa e João Ferreira da terceira etapa, ganharam uma viagem a Tenerife, alojamento, cocktail de boas vindas, gala dinner e a experiência premium de participar neste conceituado torneio, onde irão jogar com as maiores lendas do desporto mundial num torneio realizado em paralelo à Final Mundial do World Corporate Golf Challenge

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 29
WORLD CORPORATE GOLF CHALLENGE

ESCOLHA DO CONSUMIDOR, ESCOLHA DOS PROFISSIONAIS E PRODUTO DO ANO 2023

A prestigiosa distinção “Escolha do Consumidor” é um selo de reconhecimento concedido às empresas que se destacam pela excelência dos seus produtos e serviços, tendo em conta a opinião e a satisfação dos consumidores. Não é apenas um prémio comum, mas sim um testemunho poderoso do compromisso das empresas em atender e superar as expectativas dos clientes. Por sua vez, a “Escolha do Consumidor” é um guia para os consumidores, pois oferece-lhes uma referência confiável na hora de fazer as suas próprias escolhas.

Também a “Escolha dos Profissionais” é uma distinção crucial para garantir que as empresas se destaquem num cenário cada vez mais dinâmico e exigente. As empresas são avaliadas e selecionadas com base em critérios rigorosos, como qualidade, inovação, atendimento ao cliente e valor agregado. Esta distinção é um verdadeiro distintivo de qualidade, confiança e excelência, as empresas que a recebem têm o orgulho de exibir o selo “Escolha dos Profissionais”.

Já o “Produto do Ano” é um sistema de avaliação global que destaca produtos inovadores com base na opinião direta dos consumidores, criando um vínculo real entre consumidores, marcas e produtos.

Todas estas certificações incentivam a competição saudável entre as empresas, estimulando-as a aprimorar constantemente os seus produtos e serviços para se destacarem. Ao procurar esta distinção, as empresas são impulsionadas a investir na pesquisa, desenvolvimento e atendimento ao cliente, elevando o padrão de qualidade nos respetivos sectores.

30 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

OS SISTEMAS DE AVALIAÇÃO SÃO O FUTURO

Quando há cerca de 40 anos, Christian Le Bret, o fundador do Produit de l’Année (Produto do Ano), começou, em França, esse sistema de avaliação de produtos inovadores, estaria longe de pensar que seria o impulsionador de tantos outros sistemas de avaliação a nível mundial.

À data fê-lo com um duplo sentido: porque não criar algo que premeie o esforço de inovação das empresas e porque não ser o consumidor a premiar as mesmas. Nascia o Produto do Ano, um fenómeno que hoje tem presença em 46 países e inspirou muitos outros, a nível global e local, a criar outros sistemas. Uma marca que, hoje, é o símbolo dos melhores novos produtos em cada mercado.

Depois deste, e sobretudo percebendo o seu potencial de expansão, vimos outros tantos nascer.

Quase três décadas depois, nascia aquele que é o maior fenómeno dos sistemas de avaliação, a Escolha do Consumidor. Quase três décadas depois é criado um sistema disruptivo, em que cabe ao consumidor expressar-se ao longo de todo um processo de avaliação que reflete os seus desejos, necessidades e opiniões na relação com as marcas.

Durante muito tempo olhou-se para estes sistemas de avaliação, vulgo prémios, com desdém, com desconfiança, muitos o criticaram, em particular associações de defesa dos consumidores, mas a tendência crescente da sua necessidade no mercado, da importância que possuem para o consumidor, levou, a que até esses que o criticaram, tenham adequado os seus modelos de negócio para criar sistemas de avaliação.

É certo que ainda existe quem olhe de forma desconfiada, mas para isso é preciso conhecer como funcionam os sistemas de avaliação e a particularidade de cada um, como avalia, o que avalia e que mensagem transmite ao mercado.

Existem, de uma forma global, três tipos de sistemas de avaliação: os absolutos, em que apenas as marcas inscritas são avaliadas, geralmente tendo que cumprir com a obtenção de uma nota mínima para ganhar o prémio, ou seja, tratam-se apenas de um mero reconhecimento de “qualquer coisa” com que a marca cumpre; temos depois os relativos, que por norma avaliam as marcas inscritas em relação a um ou dois concorrentes, devendo para ser corretos, ter expressão ao nível da função dos fatores de avaliação ou pertinência no mercado; e por último, os analíticos, que decompõem as categorias alvo de análise, desde o contexto do comportamento dos consumidores, da performance das marcas, tornando possível o entendimento do todo, visto que envolvem todas as marcas players da categoria na avaliação. A Escolha do Consumidor enquadra-se nesta última categoria, sendo, aliás, a única neste momento.

Os sistemas de avaliação deveriam, nos casos que protagonizamos da Escolha do Consumidor e do Produto do Ano isso é uma realidade, ter a noção que estão a provocar um desequilíbrio no mercado, estão a favorecer uma marca e a proporcionar-lhe

uma vantagem competitiva e, por isso, têm que atuar em plena consciência das operações que isso implica. Ir pelo caminho mais fácil é um erro, por isso na Escolha do Consumidor e no Produto do Ano, sempre escolhemos o caminho mais difícil e investimos fortunas em estudos, todos os anos, para perceber o que querem os consumidores numa categoria, o que mais valorizam dentro do que querem e como avaliam as diferentes marcas no mercado. Este método de trabalho, a nossa honestidade intelectual, o rigor e transparência que aplicamos é o que maioritariamente nos diferencia. Foi por isso que nos preocupámos em obter uma certificação ISO 9001 em gestão de qualidade.

Os sistemas de avaliação, existem para ajudar consumidores no processo de decisão, existem para ajudar marcas a melhorar procedimentos, produtos e serviços e até a sua relação com os seus públicos. Por isso, serão o futuro. A tendência de evolução, adaptação e criação de novos sistemas de avaliação será aquela que os consumidores desejarem, aquelas que o mercado considerar pertinente. Nós já identificámos algumas há anos e que agora lançámos no mercado: Escolha Sustentável; Happy Awards; Quality Awards... e temos mais umas quantas já preparadas para o futuro, porque o nosso foco são as Pessoas e as Marcas.

ARTIGO DE OPINIÃO
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 31
José Borralho, CEO da Escolha do Consumidor

RAINBOW: A 1ª ESCOLHA

DAS FAMÍLIAS PORTUGUESAS

Fernanda Alves, CEO da Rainbow Portugal & Catalunha, destaca que as vitórias enquanto produto e marca transmitem a confiança dos mais de 350 mil clientes e o poder de uma equipa que dá o seu melhor para ser sempre uma referência de qualidade.

Foi considerada Escolha do Consumidor 2023, o que faz da Rainbow a marca nº1 em Portugal, na categoria “Sistemas de Higienização”, pelo 7º ano consecutivo. Qual o sentimento que predomina?

O sentimento que predomina é, sem dúvida, uma enorme gratidão por vermos a Rainbow a continuar a ser a primeira escolha das famílias portuguesas. As nossas vitórias enquanto produto e marca transmitem a confiança dos nossos mais de 350 mil clientes e o poder de umaequipa que dá o seu melhor para ser sempre uma referência de qualidade em tudo o que faz. A Rainbow surgiu, nos EUA, em 1936 e, desde então, que se distingue no mercado a nível mundial por ser um sistema de limpeza doméstico inovador, de confiança, duradouro e eficaz. Há 29 anos, a construir uma forte reputação em Portugal, orgulhamo-nos de representar um produto certificado e uma organização de pessoas, onde todos têm a oportunidade de melhorar as suas vidas, evoluir como profissionais e conquistar todos os seus sonhos.

A Rainbow utiliza o elemento mais poderoso da natureza (a água) para remover a sujidade e odores, tornando o ambiente doméstico mais limpo e saudável. Falando do Rainbow SRX, que outras vantagens traz este equipamento revolucionário à vida das pessoas?

A ideia original de um aspirador sem saco de John Newcombe deu origem ao “separador”, concebido para separar o pó e as partículas do ar, e ao lendário sistema de filtragem à base de água que tornou a Rainbow conhecida em todo o mundo. Em 2019, é lançado o novo modelo Rainbow SRX, que é rapidamente eleito Produto do Ano 2020 em Portugal pelas suas características inovadoras. O baixo consumo de

energia elétrica, a durabilidade, a vasta gama deacessórios de limpeza, a filtragem à base de água juntamente com o filtro Hepa, a eliminação deodores, a redução dos alergénios, a melhoria da saúde respiratória, a garantia líder na indústria, e a oferta de aspiração, aromatização e purificação do ar num único equipamento, são algumas das características que fazem da Rainbow uma máquina que melhora significativamente a saúde das famílias e a limpeza das suas casas.

O segredo do sucesso assenta no equilíbrio perfeito entre Inovação, tecnologia e performance? Ter uma equipa experiente e unida tem sido igualmente crucial?

Faz parte do ADN da Rainbow fazer a diferença na vida dos outros. Somos uma equipa alinhada e unida com objetivos individuais e coletivos assentes na nossa missão, visão e valores e que faz acontecer. Temos uma cultura, história e propósito contínuos e estamos sempre um passo à frente a ser e fazer melhor do que no dia anterior. Enfrentamos desafios e mudanças para nos adaptarmos às necessidades da sociedade e mantemos algumas coisas do passado que nos fundamentam, enquanto apontamos para as estrelas e criamos novos caminhos.

Quais os projetos e a estratégia delineada para o futuro da Rainbow em Portugal? De que forma é que pretendem continuar a fazer mais e melhor?

O nosso futuro vai continuar a ser sobre mudança, crescer, cuidar, superar desafios, focarmo-nos nas coisas positivas, sobre amar e sobre uma equipa. Vamos continuar a apostar na longevidade do nosso negócio ao recebermos novas pessoas, a abrir novos escritórios que integrem e completem a nossa equipa e a criar o caminho para que os mais novos e os mais antigos possam melhorar e crescer no negócio Rainbow. Para muitos agentes e colaboradores a Rainbow é a sua segunda casa, portanto estamos comprometidos em continuar a criar uma atmosfera de apoio e evolução e realizar muitas atividades profissionais, motivacionais e voltadas para a família. Enquanto contribuímos para casas e famílias portuguesas mais saudáveis com a inigualável Rainbow, damos a oportunidade a todos aqueles que querem melhorar as suas vidas para que se juntem à nossa equipa líder no mercado e sintam que fazem parte do sucesso da organização. Agradeço a cada pessoa na minha organização, a cada organização em todo o mundo e à equipa da Rexair por contribuirem para o nosso sucesso, à minha família e a Deus. O melhor está a acontecer!

32 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 | RAINBOW
Fernanda Alves, CEO Equipa Fénix Lusitana Distribuidores

FRUTORRA: EXCELÊNCIA EM QUALIDADE, COMPROMISSO PERMANENTE

Em entrevista à Revista Business Portugal, Andreia Agostinho, Diretora de Marketing da Frutorra, guia-nos pelo mundo aprazível dos frutos secos, ressaltando o compromisso da empresa em garantir a qualidade dos produtos e a satisfação do cliente.

Poderia partilhar connosco a história por trás da criação e evolução da Frutorra, passando pelo seu rebranding. Como a empresa enfrentou os desafios ao longo do tempo e alcançou a sua posição atual no mercado?

Tudo começou como uma brincadeira nos anos 80: com João Pimenta, em que nas idas constantes ao Algarve, teve a ideia de começar a levar para o centro do país o amendoim com casca, que inicialmente era torrado em pequenas pastelarias.

Com a evolução do próprio país e a procura por produtos diversificados, a Frutorra começou igualmente a crescer, especialmente, consolidando-se através da venda ao Retalho.

Após 30 anos no mercado, sentimos necessidade de evoluir a marca, torná-la mais moderna, apostar em novos lançamentos e alcançar uma maior proximidade ao consumidor final.

A Frutorra é uma das marcas líderes em Portugal de aperitivos e frutos secos. O que torna os vossos produtos uma referência no mercado nacional? É possível afirmar que a ética de trabalho e a seleção rigorosa do produto influencia a qualidade dos frutos secos?

Totalmente. Temos um rigoroso cuidado com a nossa matéria-prima, que selecionamos e controlamos, para assegurar que chegam ao consumidor os produtos de maior qualidade.

Sendo certificados em IFS Food e HACCP, garantimos a manutenção dos mais elevados standards em segurança alimentar e, na nossa atuação, é imperativa a ética de trabalho nas relações comerciais, de outra forma não conseguiríamos estabelecer parcerias duradouras e chegar a líderes de mercado.

A Frutorra foi distinguida com o Prémio “Escolha do Consumidor 2023” na categoria de frutos secos. Este reconhecimento representa a fidelidade e credibilidade que os consumidores depositam na marca? Estão comprometidos em continuar a oferecer produtos de boa qualidade?

O Prémio Escolha do Consumidor é considerado o melhor sistema de avaliação de marcas em Portugal. Neste ano de 2023, no seguimento de um ano rigoroso e exigente, ganhámos, pela segunda vez, este Prémio, que acaba por dar mais garantias de qualidade e confiança nos nossos produtos. Estamos comprometidos, ao longo de toda a cadeia de valor, em assegurar a qualidade em todos os eixos e continuar a merecer a escolha dos nossos consumidores.

A preservação do meio ambiente é necessária para garantir um futuro sustentável. Com isto em mente, quais as ações que a Frutorra pretende tomar para reduzir a sua pegada ecológica? De um modo geral, o que se pode esperar da empresa nos próximos anos?

No atual contexto, qualquer empresa deverá ter o compromisso para com a sustentabilidade e responsabilidade social. A Frutorra tem dado alguns passos nesse sentido internamente, assim como para com a sua comunidade. Concretamente na redução do desperdício alimentar, através da sua parceria com a Too Good To Go, que também visem à conservação do meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável. Procuramos fundamentalmente trabalhar o eixo das práticas de Gestão de resíduos, ao estabelecer a redução, reutilização, reciclagem e descarte responsável de resíduos sólidos, líquidos e perigosos. Assim como a eficiência energética, ao implementar medidas para reduzir o consumo de energia, incluindo o uso de tecnologias mais eficientes, a melhoria dos processos de produção e a promoção do uso de energias renováveis.

ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 | FRUTORRA
Andreia Agostinho, Diretora de Marketing Andreia Agostinho e Vânia Basílio na entrega de prémios da Escolha do Consumidor.

“O CONSUMIDOR ESTÁ E ESTARÁ SEMPRE NO CENTRO DAS NOSSAS DECISÕES”

A distinção da Filorga com o Prémio Escolha do Consumidor 2023, na categoria “Antienvelhecimento” é para Susana Santos, um motivo de grande orgulho e o reconhecimento do trabalho que é desenvolvido diariamente. A Diretora Comercial da Filorga destaca ainda que, como marca, o objetivo da Filorga é entregar os melhores produtos e o consumidor está e estará sempre no centro das suas decisões.

Há aproximadamente sete anos, a Susana iniciou uma nova história na Filorga Portugal. Qual é o balanço que faz do seu percurso e evolução na empresa até ao momento? Quais foram os principais marcos desta jornada?

Estes sete anos têm sido fantásticos, tanto a nível de desenvolvimento profissional como a evolução da marca. É incrível fazer uma retrospetiva destes últimos sete anos e verificar onde estamos hoje e tudo o que conseguimos atingir. O ano de 2020, apesar de ter sido marcado por uma pandemia, foi um ano extraordinário para a Filorga, a perspetiva de ter uma equipa comercial fechada em casa durante três meses era aterradora, mas na realidade fez-nos reinventar a estratégia comercial e descobrirmos novas formas de estarmos próximos dos nossos parceiros e consumidores. Foi o primeiro ano em que a marca também atingiu a liderança no mercado antienvelhecimento em Portugal, em farmácia e parafarmácia, uma conquista muito importante para a marca, liderança que temos reforçado todos os anos!

Fundada em 1978, a Filorga foi pioneira no campo da medicina estética. Como a marca se mantém na vanguarda da indústria, assegurando a contínua oferta de soluções avançadas e eficazes para os seus consumidores?

O investimento da marca em investigação e desenvolvimento tem sido uma constante, ao longo dos anos, e é um pilar fundamental para o desenvolvimento estratégico da Filorga. Não só a aposta em novos lançamentos, novos produtos que nos permitem suprimir necessidades dos nossos consumidores, mas também o

desenvolvimento e melhoria de produtos do nosso portfólio. A marca tem um compromisso fortíssimo com os consumidores, não é lançado nenhum produto no mercado que não tenha resultados visíveis na melhoria da qualidade da pele em 7 dias, é um compromisso que a Filorga cumpre e nos motiva ainda mais para a melhoria continua.

36 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 | FILORGA
Susana Santos, Diretora Comercial

Uma marca francesa presente no mercado desde os anos 70. Quais são os principais benefícios dos produtos da Filorga em relação à concorrência? De que forma a contínua inovação científica contribui para o sucesso dos cosméticos?

A Filorga é uma marca 100% antienvelhecimento, que tem em todos os seus produtos o NCEF (New Cellular Encapsulated Factors) um complexo de 50 ingredientes, patenteado, que dá à nossa pele aquilo que vamos perdendo ao longo do tempo, aliado ao constante desenvolvimento e inovação científica de novos ingredientes e complexos utilizados nas suas fórmulas, bem como a maravilhosa cosmeticidade dos seus produtos e o perfume suave que caracteriza a nossa marca, diferencia-nos de toda a concorrência com produtos eficazes, com resultados visíveis na nossa pele e que proporcionam uma experiência única de utilização.

Atualmente, é importante promover o conforto em relação ao processo natural de envelhecimento. De que maneira a marca tem o potencial de elevar a confiança, autoestima e bem-estar dos consumidores?

A experiência proporcionada por uma rotina Filorga, produtos que atenuam e retardam os sinais de envelhecimento, que dão conforto à nossa pele, que nos permitem ter uma pele mais saudável, mais luminosa é fundamental para nos sentirmos bem e isso tem, sem dúvida, o poder de elevar a nossa autoestima e autoconfiança. A autoestima é de uma importância extrema, tanto a nível pessoal como profissional, para a melhoria das nossas relações diárias.

A Filorga recebeu o Prémio “Escolha do Consumidor 2023” na categoria de Antienvelhecimento”. Como interpreta esta distinção e qual o impacto que pode ter na marca?

A distinção “Escolha do Consumidor 2023” na categoria de “Antienvelhecimento” é um motivo de orgulho para todos nós. É a retribuição por todo o trabalho que fazemos diariamente. Como marca, o nosso objetivo é entregar os melhores produtos, da melhor forma possível aos nossos consumidores. O consumidor está e estará sempre no centro das nossas decisões. Todo o trabalho que fazemos com os nossos parceiros, médicos e farmácias, é fundamental para

que os consumidores tenham acesso aos melhores produtos com a melhor experiência possível. Este prémio não seria possível sem uma equipa focada e dedicada, sem o compromisso e entrega dos nossos parceiros, médicos dermatologistas, cirurgiões plásticos e médicos especialistas em medicina estética que acreditam nos nossos produtos e os prescrevem e farmácias e parafarmácias que aconselham os nossos produtos.

Um muito obrigada a todos eles e um agradecimento muito especial a todos os consumidores Filorga pela sua lealdade e por nos distinguirem com este prémio que só nos desafia a ser cada vez melhores e entregarmos a todos cada vez mais.

Tendo em vista manter a dedicação diária e reforçar a confiança dos consumidores, quais são as visões futuras para a Filorga? Estão empenhados em continuar a fornecer produtos de qualidade excecional?

Enquanto marca é fundamental estarmos, cada vez mais próximos, dos nossos consumidores, personalizarmos e proporcionarmos experiências diferenciadoras e únicas. Os nossos consumidores poderão contar com o lançamento de novos produtos, estaremos sempre na vanguarda da inovação e, em Portugal, continuaremos a trabalhar para terem experiências diferenciadoras que nos aproximem, cada vez mais, de quem compra Filorga.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 37
FILORGA | ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 pt.filorga.com

“ENQUANTO HOUVER FRALDA, HALIBUT MUDA FRALDAS”

Halibut Muda Fraldas acompanha os pais portugueses há várias gerações, que confiam na experiência e qualidade dos vossos produtos para proteger e cuidar dos seus bebés. Podemos dizer que existe uma relação emocional dos consumidores com a marca? Que outros fatores têm sustentado o vosso sucesso?

Ser Escolha do Consumidor tem a grande mais-valia, de forma imparcial e independente, serem os próprios consumidores a aferirem e certificarem a qualidade dos produtos da marca Halibut Muda Fraldas, ainda para mais numa categoria onde a exigência é máxima, pois estamos a falar da pele de um bebé. Termos sido eleitos pelo 10º ano consecutivo pelos consumidores portugueses como o melhor produto para o cuidado da pele do bebé é resultado da ligação que a marca tem com os consumidores portugueses há já várias gerações.

Deter toda a cadeia de valor em Portugal e o empenho constante em ouvir ativamente o consumidor português de forma a desenvolver ações e produtos que sejam relevantes para este, sempre tendo por base as suas necessidades específicas são, claramente, fatores que nos diferenciam no mercado.

A marca Halibut tem como propósito estar ao lado dos consumidores portugueses sempre que a pele pede um cuidado especial. Como avalia o percurso da marca e a sua capacidade de se inventar e reinventar?

Halibut Muda Fraldas acompanha os pais portugueses há várias gerações, que confiam na experiência e qualidade dos nossos produtos, para proteger e cuidar dos seus bebés. Com uma gama completa para cada muda da fralda, Halibut Muda Fraldas é uma marca de referência, que soube atualizar-se, melhorando continuamente os seus produtos para ir ao encontro das necessidades das famílias portuguesas. Desde a Pomada Original, que fez parte da infância de todos nós, à gama completa para a muda fralda que existe ao dia de hoje, continuamos a trabalhar para acompanhar as necessidades de consumo e tendências de mercado, assegurando a qualidade e confiança de sempre.

Em conversa, Mariana Tracana, a Brand Manager da Halibut revela os segredos por trás do sucesso da marca, a sua liderança no mercado da muda da fralda e o compromisso em inovar e marcar a diferença.

Halibut Muda Fraldas é uma marca 100% portuguesa, distinguida pelos seus consumidores há 10 anos consecutivos e líder no mercado da muda da fralda. Que importância tem esta distinção para a empresa? Esta é uma motivação para continuarem a inovar e a marcar a diferença no mercado?

Tão importante quanto esta certificação pelos próprios consumidores, ser Escolha do Consumidor, demonstra também a confiança que os nossos principais stakeholders (médicos, farmacêuticos, enfermeiros, e pais) podem depositar na marca quando aconselham Halibut Muda Fraldas, ao determinarem, de forma indubitável, a qualidade dos nossos produtos. É também a confirmação de que a estratégia que desenvolvemos para a marca, reforça a liderança de Halibut Muda Fraldas e a lealdade dos nossos consumidores, e, por isso, o reconhecimento do trabalho de toda uma equipa, que se dedica, diariamente, a responder às preocupações dos pais e mães portugueses. Este reconhecimento que tem passado de geração em geração é, sem dúvida, um motor de motivação para continuarmos a marcar a diferença.

Em 2023, ambicionam posicionar-se como embaixadores da natalidade em Portugal. Como e de que forma pretendem assumir esse papel? Que novidades estão previstas?

Sermos premiados durante 10 anos consecutivos e sendo líderes de mercado, este reconhecimento deixa-nos numa posição mais exigente, onde além de vendas e market share, a marca passa a deter a obrigação de contribuir positivamente para os cuidados neonatais em Portugal.

Queremos ter um papel ativo na chamada de atenção para os desafios da Natalidade em Portugal, seja pelo prisma sociodemográfico, económico, seja pelo impacto que a chegada de um bebé tem na família, no lar ou na mulher.

Iremos potenciar as parcerias já estabelecidas com os profissionais de saúde e apoiá-los, providenciando as melhores ferramentas para a prática clínica do dia a dia. Isto passa por fortalecer a comunicação nos meios onde está presente o nosso target, continuar a trabalhar par a par com os profissionais de saúde, promovendo os cuidados de saúde essenciais a todos os bebés portugueses, e assegurar a disponibilidade e o acesso aos melhores produtos para a muda da fralda. Porque enquanto houver fralda, Halibut Muda Fraldas.

38 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL C M Y CM MY CY CMY K
ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 | HALIBUT
Mariana Tracana, Brand Manager

UMA LIGAÇÃO EXCLUSIVA E PRÓXIMA COM O CONSUMIDOR

Para Marco Loureiro, Diretor-Geral da Uriage, a distinção com o Prémio Escolha do Consumidor 2023 comemora os mais de 20 anos da marca em Portugal e evidencia a relação de confiança e proximidade com os seus consumidores e parceiros.

A Uriage foi distinguida, mais uma vez, com o Prémio Escolha do Consumidor 2023, na categoria de “Produtos para Bebé”, com 89% de nota global. Qual a importância desta distinção no desenvolvimento da marca? Esta é uma motivação para continuar a disponibilizar soluções avançadas que conseguem sentir e antecipar as necessidades dos consumidores?

Para os Laboratórios Dermatológicos da Uriage, esta distinção comemora os mais de 20 anos de trabalho da marca em Portugal e é de grande importância, pois realça a relação de confiança e de proximidade que os nossos consumidores e parceiros em Portugal têm com a Uriage. Mais do que uma motivação, é um dever continuar a dar o nosso melhor, correspondendo sempre às necessidades dos nossos consumidores, em linha com as novas tendências de mercado.

A Uriage é a única marca termal neste segmento, assim sendo quais são os produtos de bebé mais procurados pelos consumidores? Existe algum novo produto em desenvolvimento?

Os produtos mais procurados da gama Uriage Bebé são os de higiene e de hidratação.

Dentro dos cuidados de higiene com enxaguamento destaco o 1º Creme Lavante e o 1º Champô. Sem enxaguamento, a 1ª Água de Limpeza e o 1º Linimento. Nos cuidados de hidratação, o 1º Leite Hidratante e o 1º Creme Hidratante são os mais procurados pelos nossos consumidores.

A Uriage procura estar sempre a inovar e, portanto, estamos a desenvolver novos produtos que em breve estarão disponíveis para os nossos consumidores.

A Uriage apresenta cuidados dermopediátricos com máxima segurança e tolerância, perfeitamente adaptados para a pele delicada do bebé e criança. O segredo do sucesso reside no foco, na segurança, tecnicidade e conforto em todas as fórmulas que colocam no mercado? Podemos dizer que a Uriage é uma marca associada a uma experiência dermatológica e posicionamento emocional que são muito valorizados pelos consumidores?

Sem dúvida que a segurança, tecnicidade e conforto dos cuidados da gama Bebé são a base de todo o trabalho desenvolvido pela Uriage. Mas, para além destes elementos, não podemos esquecer o grande trabalho que temos desenvolvido junto da comunidade médica em Portugal, em particular com os melhores pediatras do país e junto das maternidades. A conjugação desta relação entre a comunidade médica, a segurança, a tecnicidade e conforto das nossas fórmulas, juntamente com uma abordagem, cada vez mais, amiga do ambiente e sustentável, permite-nos ter esta ligação exclusiva e próxima com o consumidor.

Com uma presença de mais de 20 anos no mercado, como é que a Uriage consegue continuar a inovar e a surpreender os seus consumidores? Que objetivos estão no horizonte?

A nossa postura de mercado, como líderes em Dermocosmética em Portugal, assenta num princípio muito simples: escutar o que o nosso consumidor nos diz. Muitas vezes, as marcas perdem-se no “ruído” de um mundo acelerado, onde a relação com o consumidor se traduz apenas numa troca comercial. Nos Laboratórios Dermatológicos da Uriage, colocamos o consumidor no centro e começamos sempre por escutar o que nos dizem, entender as suas necessidades. O resto acontece naturalmente e o facto de sermos reconhecidos, ano após ano, pelos consumidores, é prova de que a nossa estratégia funciona.

ESCOLHA DO CONSUMIDOR 2023 | URIAGE
Marco Loureiro, Diretor-Geral

LOCARENT: UMA EMPRESA DE RENTING 100% PORTUGUESA

Com mais de 15 anos de experiência, a Locarent tem-se destacado no mercado português, oferecendo serviços especializados de renting particular e renting para empresas. Em conversa com o Diretor de Marketing da Locarent, Maurício Marques, exploramos as vantagens exclusivas que tornam a empresa a melhor opção disponível.

O renting automóvel surgiu no norte da Europa para atender às necessidades das empresas multinacionais na otimização da gestão das suas frotas. Em Portugal, esta é uma solução de financiamento relativamente recente. Assim, há quase 20 anos nasceu a Locarent em parceria com a Caixa Geral de Depósitos e o Novo Banco. Mas o renting vai além do simples financiamento: “É um pacote integral que engloba a gestão operacional completa da frota, desde a escolha dos veículos até aos mais variados serviços de pós-venda”, explicita Maurício Marques.

O Miretor de Marketing ressalta ainda que o renting automóvel tem se tornado cada vez mais atrativo para os clientes particulares devido à disrupção tecnológica no sector. Com a transição para novas formas de motorização, como a eletrificação, muitas pessoas estão preocupadas em investir em veículos que possam perder valor rapidamente no futuro. O renting surge como uma solução segura, oferecendo, além do conforto de ter serviços incluídos, como substituição de pneus, revisões e seguro, a vantagem de poder trocar de carro sem se preocupar com a desvalorização do veículo. Esta flexibilidade é valorizada pelos clientes.

Num mercado competitivo, o Diretor de Marketing aponta três fatores que diferenciam a Locarent das restantes empresas do sector. Em primeiro lugar, trata-se de uma empresa 100% portuguesa, o que lhe confere um profundo conhecimento da realidade do mercado nacional e das suas particularidades fiscais e culturais. Em segundo lugar, o facto de os seus acionistas serem dois bancos, proporciona uma forte capacidade financeira e um conhecimento aprofundado das necessidades das empresas clientes. O terceiro fator diferenciador centra-se na dedicação à construção de uma relação próxima com os clientes. “A Locarent possui gestores dedicados que estabelecem uma comunicação constante, compreendendo as necessidades de cada cliente e garantindo uma experiência personalizada”, salienta. Além da proximidade com os clientes, a empresa tem investido na digitalização para oferecer mais comodidade, porém sem substituir a importância da relação humana. “Há sempre uma pessoa disponível para resolver problemas ou fornecer assistência”, afirma.

Todos estes fatores levaram a Locarent a ser distinguida como a “Escolha dos Profissionais”. A conquista do prémio, pelo segundo ano consecutivo, é motivo de grande orgulho para a empresa. “O facto de ser reconhecida pelos profissionais do sector é ainda mais gratificante, pois estes compreendem o nível de serviço exigido”, esclarece. Este reconhecimento é essencial, pois confirma a qualidade dos serviços prestados e fortalece a reputação da empresa no mercado, transmitindo confiança e credibilidade. Além disso, a distinção também pode atrair novos clientes e consolidar a Locarent como empresa de referência na gestão de frotas.

No que diz respeito à expansão futura, a Locarent planeia continuar a investir na digitalização e na oferta de soluções inovadoras

para os clientes. A empresa está atenta às tendências emergentes no sector automobilístico e procura adaptar-se rapidamente para atender às demandas do mercado. Com uma experiência sólida e um profundo conhecimento do mercado nacional, a Locarent tem sido a escolha confiável, tanto para empresas quanto para particulares, que procuram uma solução de mobilidade personalizada.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 41
LOCARENT | ESCOLHA DOS PROFISSIONAIS 2023 locarent.pt
Maurício Marques, Diretor de Marketing

SOLUÇÕES SUSTENTÁVEIS PARA UM FUTURO MELHOR

Com um ADN voltado para a excelência e práticas ambientalmente responsáveis, a MAPEI mereceu o prestigioso Prémio Escolha dos Profissionais 2023. Em entrevista, Carla Santos, diretora geral, salienta as estratégias adotadas para se alinhar com as necessidades do presente e as exigências de um futuro sustentável.

A MAPEI foi distinguida com o Prémio Escolha dos Profissionais 2023, na categoria “Produtos Químicos para Construção”. Como descreve o impacto deste prémio na reputação e reconhecimento da MAPEI no mercado? Quais as estratégias que contribuíram significativamente para esta conquista?

O prémio é de extrema importância, pois reflete o reconhecimento da qualidade das nossas soluções e do nível de serviço prestado aos clientes. A estratégia é simples: investir na formação teórica e prática dos profissionais envolvidos no negócio, incluindo aplicadores, distribuidores, projetistas, entre outros. A formação dos profissionais é uma vantagem significativa e um fator diferenciador no nosso segmento de atuação, conferindo, aos nossos parceiros, a confiança nos nossos produtos e soluções.

Desde 2001, a MAPEI está empenhada em oferecer ao mercado português serviços e produtos de excelência, que possam contribuir para uma construção mais exigente. Que balanço traça do percurso da empresa e como caracteriza o seu posicionamento no mercado?

O nosso progresso tem sido sustentado pelo investimento contínuo na investigação e desenvolvimento do grupo. Isso permite-nos criar soluções inovadoras, diferenciadas e com a qualidade de referência da MAPEI, atendendo às necessidades do mercado. Procuramos ir além do preço e responder à exigência do mercado com a competência técnica que nos carateriza.

A sustentabilidade é uma preocupação crescente em todo o mundo. Quais as iniciativas da empresa para promover práticas sustentáveis na indústria da construção em Portugal? Que outros fatores distinguem a empresa num mercado cada vez mais global e competitivo?

Pelo sexto ano consecutivo, o grupo MAPEI partilha os resultados alcançados a nível de sustentabilidade. Oferecer

produtos certificados que respeitem o meio ambiente e as pessoas é um pilar estratégico do grupo. O nosso grande projeto em Portugal consiste na construção de uma nova unidade produtiva. Vamos reforçar a gama de produtos fabricados no país, reduzindo o impacto do custo de transporte de importação de outros países. Juntamente com este projeto, lançaremos uma linha de produtos “ZERO” impacto ambiental que terão compensação total das emissões de CO 2 emitido durante todo o seu ciclo de vida através da compra de créditos ambientais certificados. Estes créditos serão utilizados para o desenvolvimento de tecnologias de energia renovável, refletindo o nosso compromisso com a sustentabilidade.

O foco na qualidade, versatilidade e durabilidade é fundamental para impulsionar o crescimento contínuo em parceria com os nossos clientes. Acreditamos no crescimento baseado na especialização, tanto no desenvolvimento de produtos, quanto nos serviços de assistência técnica, para que possamos consolidar a imagem da marca.

A MAPEI tem no seu ADN o desejo de inovar, procurando novas soluções e competências para atingir metas ambiciosas. Que estratégia está delineada para fortalecer, cada vez mais, a presença da MAPEI no mercado? Que objetivos estratégicos têm em termos de futuro?

Os objetivos estratégicos consistem em desenvolver a nossa produção local, fornecendo soluções cada vez mais inovadoras. Procuramos a diferenciação por meio da especialização de toda a equipa e apostamos em soluções que refletem as exigências do mercado. Além disso, temos investido na comunicação, tanto em meios digitais, quanto em canais standard, como outdoors ou publicações em revistas. Reconhecemos a importância da comunicação para o grupo MAPEI e alocamos um investimento anual específico para esse fim.

42 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ESCOLHA DOS PROFISSIONAIS 2023 | MAPEI
Carla Santos, Diretora-Geral

GRUPO DIA, CADA DIA MAIS PRÓXIMOS!

Com três produtos eleitos Produto do Ano, pelos consumidores portugueses, o Grupo Dia marca presença nesta edição com uma entrevista exclusiva a Helena Guedes, CCO da Dia Portugal.

para um objetivo com um impacto real na sociedade: facilitar a todos uma melhor alimentação todos os dias!

No DIA, a inovação é mais que um estado de espírito, é um desígnio real. Podemos dizer que a inovação está no vosso ADN e que o cliente/consumidor é o elemento central que norteia a vossa política de inovação?

A Cerveja Artesanal, o Hambúrguer Vegetariano e o Pão de Espelta e Curcuma da DIA foram eleitos Produto do Ano 2023. Qual a importância desta distinção para o Grupo?

Para a Dia, e a nossa insígnia Minipreço - o típico supermercado de bairro com produtos de grande qualidade a preços acessíveis -, esta distinção Produto do Ano 2023 orgulha-nos pelo facto da nossa relação de proximidade e inovação ser significativamente reconhecida e por irmos ao encontro dos hábitos de compra e das necessidades e expectativas dos nossos clientes. Aliás, recentemente fomos, também, distinguidos com o prémio “A Melhor Loja de Portugal” nas categorias de Supermercado de Proximidade e Supermercado online. No caso específico do pão, incorporamos superalimentos com benefícios para a saúde, que têm o poder de transformar um simples produto como o pão num produto com personalidade diferenciada, nomeadamente o Pão Curcuma, Mel e Trigo 350gr e o Pão Espelta, Mel e Sementes de Girassol 350gr. Presentemente, cerca de 30% das nossas marcas exclusivas são fruto da inovação que procuramos oferecer em várias categorias, como a alimentação, aos nossos clientes, cada vez mais informados e exigentes. Neste sentido, incorporámos nos produtos Nova Qualidade Dia, hambúrgueres, cervejas artesanais e pão, novas experiências de sabores que integram características salutares dos novos hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis. Acreditamos que a decisão de compra, e a respetiva distinção destes produtos em particular, esteja relacionada com a nossa proposta de valor única, a proximidade.

Estar mais próximo, todos os dias, para oferecer uma grande qualidade ao alcance de todos, este é o grande objetivo e o motor da vossa estratégia? A relação emocional dos consumidores com a marca impulsiona-vos a fazer cada vez mais e melhor?

Sem dúvida, este é precisamente o nosso propósito: Estar cada dia mais próximos para oferecer grande qualidade ao alcance de todos, o que vai ao encontro do orçamento familiar disponível e da procura por produtos de grande qualidade. Pelo facto de estarmos inseridos nos bairros por todo o país, os nossos clientes acabam por procurar-nos diariamente, quer na loja física, quer no online, possibilitando-lhes uma experiência de conveniência incomparável.

O Minipreço é o parceiro de todos os dias e o vizinho de eleição dos portugueses. Com a força da nossa capilaridade de lojas, temos a oportunidade e a responsabilidade de direcionar o nosso trabalho

Ao ir ao encontro de critérios socioculturais e pessoais, novas tendências de consumo e de estilos de vida mais saudáveis, a inovação embebida nos nossos produtos resulta da proximidade e da auscultação dos nossos clientes. Clientes que incluem agregados familiares das três gerações, que têm o poder de ditar o quanto podem gastar, que dão preferência a aspetos de conveniência pessoal ou profissional, e que se fidelizam com base na relação custo-benefício destes produtos, em particular os de marca exclusiva Dia. Por exemplo, relativamente a um dos outros produtos eleitos Produto do Ano 2023, os hambúrgueres, acreditamos que esta distinção resulta da nossa aposta num produto com elevado teor proteico: um hambúrguer produzido à base de vegetais com uma crosta crocante de sementes variadas. Este hambúrguer é uma alternativa veggie ao consumo diário das várias proteínas animais e a crocância da sua camada exterior dá-lhe um toque distintivo e de indulgência que o distingue das demais alternativas veggie do mercado.

É de salientar ainda que os nossos clientes são adeptos de experimentar, desde produtos inovadores na área alimentar às novas tecnologias, o que nos levou a lançar, recentemente no whatsApp, Ofertas Minipreço e o Chef do futuro com recurso a Inteligência Artificial #ChefGPT, com o objetivo de disponibilizarmos informação útil, relevante e pertinente à nossa comunidade.

Qual a estratégia em termos de futuro para continuarem a superar as expetativas dos consumidores? Que objetivos estão previstos para este ano de 2023?

Na estratégia de sustentabilidade 2020-2023 do Grupo Dia está inserido o nosso novo programa Comer melhor cada Dia que visa ajudar a mitigar as barreiras alimentares e tornar os alimentos de qualidade acessíveis a todos, onde quer que vivam e qualquer que seja o seu orçamento. O programa destina-se a todas as pessoas que desejam seguir uma alimentação saudável e baseia-se em três eixos fundamentais: acessibilidade, conhecimento e frequência. No âmbito deste programa, aliando o objetivo de incrementar o conhecimento e a acessibilidade de uma alimentação saudável, a Dia já desenvolveu duas iniciativas de sucesso em parceria com a Associação CAIS, beneficiando 100 utentes. Para nós, o sucesso é medido pelos resultados qualitativos alcançados, tendo estes utentes demonstrado o interesse e intenção em fazer uma alteração dos seus hábitos alimentares, mais saudáveis e a um custo acessível. Ao longo deste ano, teremos ainda outras iniciativas inseridas no projeto Comer melhor cada Dia, nomeadamente, uma página web, onde podem ser consultadas receitas rápidas e fáceis, e outros guias e dicas para apoiar aqueles que optam por mudar gradualmente os seus hábitos alimentares para uma dieta saudável.

44 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
PRODUTO DO ANO 2023 | GRUPO DIA
Helena Guedes, CCO

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

A inovação tecnológica é o novo ingrediente secreto que impulsiona o sucesso empresarial, proporcionando um salto gigantesco em termos de eficiência, produtividade e lucratividade. Os processos manuais e burocráticos ficam no passado, dando lugar a uma era de agilidade e automatização. A inovação tecnológica nas empresas não torna apenas os negócios mais eficientes, mas também promove a criatividade e o pensamento disruptivo.

As empresas que abraçam a inovação tecnológica estão na vanguarda da competição, ganhando uma vantagem estratégica inegável. Têm a capacidade de antecipar tendências, identificar oportunidades de mercado e de se adaptar rapidamente às mudanças. Além disso, a tecnologia impulsiona a colaboração e a conectividade. Com ferramentas e plataformas digitais, equipas dispersas geograficamente podem trabalhar em conjunto de forma eficiente, compartilhando conhecimentos e ideias em tempo real. Esta sinergia cria um ambiente propício para a criatividade florescer e as soluções inovadoras surgirem.

No entanto, não se trata apenas de adotar tecnologias por adotar. A verdadeira inovação tecnológica requer uma mentalidade aberta, uma cultura empresarial que valorize a experimentação, a aprendizagem constante e a disposição para correr riscos calculados. É necessário estar disposto a desafiar o status quo, romper com as velhas práticas e abraçar a transformação digital como uma jornada repleta de oportunidades. Este mês, a Revista Business Portugal demonstra o poder que a tecnologia tem de impulsionar o crescimento e desbloquear todo o potencial dos negócios.

46 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

, Portuguesa entre os finalistas do Prémio Jovens Inventores 2023

A portuguesa Filipa de Sousa Rocha está na lista de três finalistas ao Prémio de Jovens Inventores 2023, promovido pelo Instituto Europeu de Patentes (EPO - European Patent Office). A engenheira informática destacou-se internacionalmente por ter desenvolvido um sistema que permite a aprendizagem digital inclusiva para crianças com deficiência visual. Filipa de Sousa Rocha chamou à sua invenção “Sistema de Programação Tangível Acessível Baseado em Blocos” (“Block-based Accessible Tangible Programming Systems”).

ISQ estabelece parceria transatlântica

O ISQ, especializado em serviços de engenharia, tecnologia, formação e inspeção, assinou um protocolo de cooperação com a Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, no Brasil, na área de impressão a três dimensões (3D). Através desta parceria, o Instituto de Soldadura e Qualidade estará encarregue de fornecer meios técnicos e infraestruturas tecnológicas para trabalhos de investigação, assim como o ensino e a capacitação, através da ISQ Academy.

Universidade da Madeira aposta em drones para localizar plantas raras

A Universidade da Madeira está a desenvolver um projeto de localização de espécies raras e ameaçadas da flora do arquipélago com recurso a drones. Este projeto decorre de uma parceria entre o Grupo de Botânica da Faculdade de Ciências da Vida da Universidade da Madeira e o National Tropical Botanical Garden Hawai (EUA), sendo financiado pelo Mohamed Bin Zayed Species Conservation Fund

Startup portuguesa desenvolve tecnologia para marca italiana

Adpulse foi a empresa escolhida pelo grupo italiano Multidesign para o lançamento da Ciclotte, marca de design de interiores e fitness de luxo, que apresentou um configurador 3D e uma aplicação de Realidade Aumentada, no Salone del Mobile, em Milão. O projeto assenta na tecnologia e promete revolucionar a experiência de compra e processos de desenvolvimento de produto, dizem os empreendedores nacionais, em comunicado.

Claranet abre novo escritório no Hub Criativo do Beato

A empresa de tecnologias da informação Claranet inaugurou o escritório em Lisboa, localizado no Hub Criativo do Beato, passando a ser esta a sede da marca britânica em Portugal. O espaço resulta da reabilitação do antigo Armazém das Grilas e tem uma área superior a 4.000 m2 e capacidade para servir aproximadamente 500 pessoas em simultâneo. Este é um espaço que privilegia a colaboração, a produtividade, a criatividade e a sustentabilidade.

Coimbra recebe conferência tecnológica

A JNation, uma conferência tecnológica para profissionais na área do desenvolvimento de software, realiza-se nos dias 6 e 7 de junho, em Coimbra, com sessões de 50 minutos e com ‘workshops’ de três horas. O evento reúne programadores e empresas de software para explorarem o mundo da engenharia de software com sessões apresentadas por especialistas em tópicos, desde “DevOps”, segurança de software e design de interface com o utilizador até “machine learning” e software livre.

BREVES

HUAWEI NA VANGUARDA DA TECNOLOGIA

A gigante tecnológica chinesa que tem conquistado a Europa e o Mundo, marca presença na nossa edição, com as mais recentes novidades da marca - através de uma entrevista exclusiva com Guoshi Tao, Head of Huawei Portugal Device Office.

Considerando a tendência dos consumidores em escolher marcas que ofereçam confiança e garantia, que estratégias a Huawei está a implementar para estabelecer a confiança dos consumidores portugueses e garantir a sua satisfação em relação à empresa?

Atualmente, o ecossistema de produtos e serviços da Huawei está a quebrar as fronteiras entre dispositivos, permitindo criar experiências inovadoras e interligadas, inteligentemente adaptadas para responder a cada momento, em tempo real.

Continuamos a atualizar a estratégia Seamless Life em todos os cenários, e sabemos que, mais do que nunca, a tecnologia apresenta-se essencial para os nossos utilizadores. Como os produtos tecnológicos estão mais interligados do que nunca com a vida dos consumidores, a Huawei continuará a impulsionar o avanço tecnológico, a melhorar os ecossistemas de software e hardware, assim como a inovar em produtos e serviços para trazer experiências mais inteligentes para os nossos consumidores.

Para a Huawei, os consumidores estão sempre em primeiro lugar e fazemos sempre o nosso melhor para responder de forma eficiente às suas necessidades. Acreditamos que à medida que estas necessidades evoluem e os hábitos de compra se tornam digitais, novos modelos e serviços premium devem ser explorados e desenvolvidos para otimizar a experiência dos consumidores.

Sendo uma marca conhecida em todo o mundo, qual é o diferencial que torna a Huawei uma marca de destaque para os consumidores? De que forma a empresa está a enfatizar funcionalidades, como a fotografia, o design e a autonomia da bateria, para competir no mercado?

Continuamos focados em criar e lançar no mercado dispositivos inovadores. Investimos ativamente em investigação, desenvolvimento e inovação. Contamos para isso com 20 centros de investigação na Europa, nomeadamente na Alemanha, França, Reino Unido, Suécia, Bélgica e Polónia. Além disso, somos o requerente de patentes mais significativo junto do Instituto Europeu de Patentes (IEP), com 4.505 patentes registadas, o que representa um aumento de mais de 27% em relação ao ano anterior (2022).

A Huawei é uma grande força na indústria global de tecnologia. No dia 9 de maio, fez o lançamento da nova série de smartphones P60. Fale-nos um pouco mais sobre este lançamento.

No passado dia 9 de maio, apresentámos em Munique, na Alemanha, uma série de novos dispositivos topo de gama, nomeadamente o HUAWEI P60 Pro e o HUAWEI Mate X3, novidades desenvolvidas a pensar nas tendências contemporâneas da era digital. Os novos lançamentos vêm reafirmar a liderança da Huawei no mercado da eletrónica de consumo e representam o nosso compromisso com a inovação contínua, de forma a levar o mundo digital aos consumidores em todo o mundo.

O HUAWEI P60 Pro apresenta características fotográficas incríveis. Foi criado para proporcionar uma experiência de utilização inovadora e é o primeiro da indústria a estar equipado com uma câmara teleobjetiva ultra luminosa com vários grupos de lentes. Este smartphone recebeu a pontuação máxima atribuída pela DXOMARK, tendo sido considerado como smartphone N.º 1 com uma pontuação recorde de 156 pontos. Destacou-se pelo seu desempenho geral e pelas suas características fotográficas, sendo atualmente o smartphone fotográfico mais avançado disponível no mercado.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA | HUAWEI PORTUGAL

Tendo em vista a crescente demanda por tecnologia e produtos “premium”, a Huawei tem planos para lançar mais produtos de alta qualidade este ano? Os smartphones dobráveis poderão ser uma oportunidade de crescimento no mercado da tecnologia?

No caso da Huawei, optámos por diferentes formatos e dobradiças. Desde que anunciámos o nosso primeiro HUAWEI Mate X dobrável em 2019, temos vindo a melhorar tanto a flexibilidade e durabilidade do ecrã, como o sistema de dobragem e as dobradiças, para garantir que quando o telemóvel está totalmente estendido, não fica nenhum vinco visível. A Huawei oferece atualmente três tipos de ecrãs flexíveis: abertura exterior de ambos os ecrãs (HUAWEI Mate XS), abertura tipo livro (HUAWEI Mate X2) e abertura tipo concha (HUAWEI P50 Pocket). No dia 9 de maio de 2023, lançámos nosso último dobrável em Munique, o HUAWEI Mate X3, um dispositivo em forma de livro com recursos premium e um design muito marcante devido à sua espessura e peso. Além disso, na parte da câmara, incorporámos a nova tecnologia XMage, com a qual é possível obter fotos incríveis. Outra parte do desenvolvimento é o resistente HUAWEI Kulun Glass, um vidro que é 10 vezes mais resistente do que o vidro convencional. Outro ponto importante é a experiência do utilizador, onde a partir do EMUI 11, contemplamos um ecrã estendido como um passo além da usabilidade e, portanto, adaptámos aplicações e serviços a um ecrã maior, podendo abrir 2 aplicações ao mesmo tempo sem ter que fechar a que estamos a usar, como abrir a galeria enquanto lemos um e-mail ou sobrepor um vídeo enquanto lemos um artigo no navegador da web. Este é um dos pontos fortes do novo HUAWEI P50 Pocket, que com a nova EMUI 12 oferece a possibilidade de ver e utilizar duas aplicações ao mesmo tempo. Além disso, incorporámos um pequeno ecrã na parte exterior do telemóvel para que qualquer utilizador possa ver as suas notificações, receber chamadas e tirar fotografias e vídeos sem ter de estender o ecrã, o que era uma das principais queixas de outros utilizadores a este tipo de formato de concha.

Qual é o equipamento Huawei mais popular no mercado português e os principais pontos fortes que contribuem para o seu sucesso no país?

Os wearables e o áudio estão a registar um forte crescimento nos últimos tempos. No segmento dos wearables, oferecemos várias gamas de smartwatches HUAWEI Watch ou a nossa série HUAWEI Band de rastreadores de atividade, que se aproximam cada vez mais de um smartwatch. Mas esperamos um desempenho especial do nosso wearable emblemático de 2023, o HUAWEI Watch 4, um dispositivo premium que se destaca pelo seu design, funcionalidades desportivas e de saúde, bem como pela sua autonomia de bateria, que permite esquecer o carregamento durante duas semanas. Em termos de áudio, cobrimos todos os tipos de auscultadores TWS, tanto de design intra-auricular como de design aberto, conhecido como open fit, o que nos permite oferecer alternativas para todos os públicos, não só em termos de design, mas também em termos de gama, abrangendo desde a gama de entrada com o HUAWEI FreeBuds SE até aos dispositivos premium, como o HUAWEI FreeBuds Pro 2 e o HUAWEI FreeBuds 5.

Em que categorias de produtos a empresa está focada para crescer e fazer a diferença nos próximos anos?

A Huawei está empenhada em oferecer um ecossistema de produtos integrado aos seus clientes, e todos os segmentos de produtos são importantes para atingir este objectivo. A Huawei sempre colocou o

smartphone no centro do seu ecossistema, mas graças à inovação tecnológica, assistimos cada vez mais a situações de integração entre outros tipos de produtos, quer se trate de um portátil e de uns auscultadores ou de um smartwatch e de um altifalante, por exemplo.

Há vários anos que a Huawei oferece soluções tecnológicas em todos os tipos de segmentos com o objectivo de satisfazer as necessidades dos seus clientes em qualquer cenário através da colaboração entre dispositivos: Smart Office, Fitness e Saúde, Smart Home, Easy Travel e Entretenimento. Isto permitiu à Huawei não só continuar a liderar a inovação em smartphones, mas também continuar a inovar e a oferecer a mais alta qualidade em segmentos como wearables, computadores e áudio, uma vez que todos eles são fundamentais para formar um ecossistema destinado a facilitar a vida quotidiana dos seus clientes.

Por fim, gostaríamos de conhecer um pouco mais sobre a postura da Huawei face a assuntos sociais. São temas cada vez mais importantes para a marca?

A Huawei é, na sua essência, uma entidade tecnológica que zela permanentemente pela ideia de não deixar ninguém para trás no mundo digital. A conectividade é um direito humano básico, a base do progresso humano e do crescimento económico. As ligações tornar-se-ão, em breve, um recurso natural e omnipresente que detetará proativamente as mudanças e as necessidades dos utilizadores. As tecnologias digitais e de IA estão a ajudar todos os governos e empresas a tornarem-se mais ágeis, eficientes e dinâmicos. As plataformas digitais abertas, seguras, flexíveis e fáceis de utilizar estão a facilitar a inovação e a transformação em todos os sectores. Serão a base e o terreno fértil para a nossa sociedade continuar a avançar no seu objetivo de aproximar todos os seres humanos do planeta.

A nossa missão na Huawei é concentrarmo-nos nos desafios e nas necessidades dos nossos clientes, fornecendo as soluções e os serviços mais avançados em termos de dispositivos, de modo a oferecer o máximo valor a cada um dos nossos clientes. E tudo isto não seria possível sem a visão que temos da sociedade e da cultura empresarial, que é enriquecer a vida dos utilizadores através da comunicação e das possibilidades que esta oferece num mundo globalizado e em constante evolução.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 49

ATITUDE POSITIVA DÁ MOTE AO DIA DO CONHECIMENTO

A Samsys, uma empresa de soluções tecnológicas, organiza anualmente um evento gratuito de desenvolvimento pessoal e profissional – o Dia do Conhecimento. No dia 7 de junho, a 10º edição realizar-se-á no Multiusos de Gondomar e espera mais de 3 mil pessoas.

O Diretor Executivo da Samsys, Samuel Soares, explica à Revista Business Portugal como é que esta ideia surgiu. A mesma remonta a 2011, um ano marcado por uma grande crise socioeconómica em Portugal, que gerava um “discurso generalizado de muito queixume e derrotismo”, explica. Samuel e o seu irmão, também sócio da empresa, discutiram este assunto com vários empresários, levantando algumas questões: “Como vais dar a volta a este processo? Como vais superar estes desafios e dificuldades?”. Os dois logo perceberam que estas questões ajudavam as pessoas a olhar para toda a situação com uma perspetiva diferente. No entanto, tornava-se difícil alcançar todos os empresários que enfrentavam esta situação, e assim surge a ideia de criar um evento que permitisse levar um pensamento positivo ao maior número de pessoas possível. É perante este contexto desafiador que o primeiro evento ganha vida em 2012, no auditório Ilídio Pinho da Universidade Católica, com a participação de 320 pessoas. Samuel confessa que todo o processo foi realizado com bastante receio, mas com “a prata da casa e muita ajuda”, o Dia do Conhecimento (DDC) decorreu numa manhã com dois oradores. Teve um feedback tanto positivo como construtivo, o que incentivou a realização do evento no ano seguinte. E assim aconteceu, com a presença de 550 pessoas e quatro oradores. O DDC continuou a crescer, atraindo um número cada vez maior de participantes, ano após ano.

Este ano, a 7 de junho, o evento regressa ao Multiusos de Gondomar e Samuel confessa que a expectativa é receber mais de 3 mil pessoas. O tema desta edição é “Atitude” e é à volta do mesmo que os oito oradores irão expor a sua dinâmica. O empresário enfatiza a intenção de trazer conteúdos atuais e relevantes para o dia a dia da sociedade.

A Samsys procura uma constante reinvenção, o que se reflete mais uma vez neste ano. Paulo Moreira, considerado um dos melhores especialistas na área da inteligência emocional em Portugal, é um dos oito oradores confirmados. Do painel fazem também parte Nuno Carvalho Mata e Mafalda Ribeiro, que irão partilhar as suas experiências de vida inspiradoras, demonstrando como a atitude que adotamos pode fazer a diferença. Paulo Ferreira irá falar da atitude como uma lei de vida; Pedro Silva trará uma perspetiva de team building e a atriz Vera Kolodzig, com o seu podcast Kológica, abordará temas relacionados com o bem-estar emocional. Por fim, vão marcar presença convidados internacionais: Marcus Piangers, um orador assíduo nas palestras TEDx, discutirá a importância de equilibrar a vida familiar e profissional, já Adilson Souza vai debater a liderança de forma humanizada.

Todo o evento é uma partilha de ideias e Samuel espera que as empresas aproveitem as mesmas e possam trabalhá-las e colocá-las em prática. Mas é, ao mesmo tempo, uma partilha de experiências inspiradoras que poderão ajudar a pensar: “Se estas pessoas conseguiram, eu também consigo”, acrescenta. Samuel salienta que já conheceu empresários que alcançaram o sucesso atual justamente porque o evento os incentivou a “tirar os projetos que estavam na gaveta”. O DDC ajuda as empresas a serem mais proativas, positivas e empreendedoras e, ao mesmo tempo, contribui para o crescimento e desenvolvimento da economia.

O DDC está aberto, gratuitamente, a todos os que queiram assistir às palestras e também permite que a empresas tenham expositores, dando a conhecer o seu negócio. Para além disso, o networking é promovido durante as quatro pausas entre as palestras.

Pelo evento, já passaram mais de 10 mil pessoas e, apesar de se realizar no norte, há participantes de várias regiões do país e ilhas. O DDC adquiriu uma dimensão nacional e foi crescendo graças à atitude, integridade, verdade, sinceridade e transparência dos seus criadores e da Samsys. “Nós queremos mais e melhor e isso ajuda”, acrescenta Samuel. O mesmo acredita que colocar tudo isto em prática é o que contribuiu para poderem dizer, hoje, que vão celebrar 26 anos no próximo mês.

50 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
INOVAÇÃO TECNOLÓGICA | SAMSYS
Samuel Soares, Diretor Executivo Ruben Soares e Samuel Soares samsys.pt
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 51

ALENTEJO

Alentejo de Excelência” é muito mais do que um projeto, é uma jornada de descoberta pelo coração de uma região única, repleta de segredos antigos em cada fachada, em cada canto. Aqui, o encanto e a grandiosidade encontram-se em cada entrevista, revelando o extraordinário potencial desta região deslumbrante. Conhecida pelos aromas, sabores e histórias, a região carrega tradição, inovação e excelência, refletidas nas histórias de empresas que se destacam na produção de vinho, gin, gastronomia, hotelaria, ensino e muito mais.

As próximas páginas guardam um universo de excelência, onde a paixão e o compromisso são ingredientes fundamentais para o sucesso. Nesta viagem, exploramos um dos destinos mais autênticos e genuínos do país, que se tornou sinónimo de qualidade e requinte. Desde as vinícolas familiares, cujos vinhos premiados transmitem a riqueza dos solos alentejanos, até às destilarias de gin, que combinam de forma habilidosa botânicos locais para criar bebidas únicas e irresistíveis. Nos restaurantes, vamos descobrir as delícias da cozinha alentejana, com a sua fusão de sabores tradicionais e uma pitada de modernidade.

52 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

DE EXCELÊNCIA

Hotéis que oferecem conforto e hospitalidade excecionais, proporcionando aos visitantes uma estadia encantadora perante uma paisagem serena do Alentejo. Supermercados que se transformam em pontos de encontro, prateleiras cúmplices de risadas e palavras trocadas. A liberdade incomparável de saltar de paraquedas e experimentar uma perspetiva única do Alentejo. Distribuidoras de vinho que estreitam relações e elevam a cultura vinícola a um patamar de qualidade ao conectar os amantes do vinho com o prazer único de degustar os tesouros enológicos da região. E, é claro, o cenário educacional, onde instituições de ensino se destacam pela qualidade do conhecimento transmitido e pelo compromisso de formar profissionais altamente capacitados. Tudo isto será revelado. No coração do Alentejo, além das suas riquezas gastronómicas e empresas notáveis, encontramos uma cultura rica e um povo acolhedor. Conhecidos pela sua hospitalidade calorosa, os alentejanos recebem os visitantes de braços abertos, prontos para compartilhar a sua paixão pela terra e as suas tradições centenárias. Aqui, o tempo parece fluir num ritmo diferente, permitindo que mergulhemos na tranquilidade e na serenidade que envolvem cada aldeia e cidade do Alentejo. Nesta edição, falamos do mundo empresarial do Alentejo, onde as tradições, o ensino, a arte e as empresas se misturam numa sinfonia de ofícios, sabores e sentimentos.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 53

BLACK PIG: FRAGÂNCIAS E SABORES DO AUTÊNTICO ALENTEJO

A Black Pig é muito mais do que uma destilaria de renome. É uma ode ao Alentejo, retratando as suas paisagens, aromas e sabores em cada garrafa. Com uma combinação de tradição e inovação, a destilaria tem conquistado prémios europeus e cativado paladares exigentes. Em entrevista, Miguel Ângelo Nunes, criador da destilaria, compartilhou a sua jornada e os desafios enfrentados para criar uma marca capaz de transportar pessoas para o coração do Alentejo.

O Alentejo, conhecido pelas suas paisagens deslumbrantes, é lar de uma destilaria única e inovadora. A história da Black Pig começou em 2007, quando a empresa iniciou a plantação do primeiro pomar de medronheiros do Alentejo. A ideia de cultivar esta árvore surgiu da paixão de Miguel por desafios inovadores e por fazer algo pela sua terra natal. Após nove anos de dedicação, os medronheiros finalmente começaram a produzir frutas, ensinando a valiosa lição de que projetos inovadores passam por dores de crescimento.

A Black Pig segue fielmente os princípios e práticas tradicionais do Alentejo na sua produção artesanal, utilizando apenas botânicos do montado e da costa alentejana. Em 2014, a destilaria deu início à criação do porco alentejano, uma raça característica da região. Inspirado por este animal icónico do Alentejo, a destilaria recebeu o nome de “Black Pig”.

Um fator que diferencia a Black Pig é a produção de álcool próprio. Enquanto a maioria das destilarias de gin do mundo adquire álcool de terceiros, a Black Pig decidiu extrair o álcool

da alfarroba e da bolota, numa longa jornada de tentativa e erro. Após dois anos de experimentação, a destilaria chegou à fórmula do “Gin do Montado Alentejano”, uma bebida distintiva e autêntica. O trabalho árduo e a busca constante por inovação resultaram em reconhecimento internacional, com a marca Black Pig a tornar-se uma das mais premiadas na Europa. A destilaria opera em um ritmo intenso, com equipas dedicadas ao processo de destilação desde as seis da manhã até à noite, todos os dias. “Tornámo-nos uma equipa grande”, acrescenta Miguel, destacando o compromisso e a dedicação do staff. A parceria com a Garcias foi fundamental para a expansão da Black Pig em todo o território português. Miguel revela orgulhosamente: “Em apenas um ano, produzimos o equivalente a 90 mil garrafas numa destilaria originalmente projetada para duas mil garrafas anuais. Isso mostra a magnitude do nosso crescimento”.

A essência do Alentejo em cada detalhe

Ao longo da última década, a destilaria expandiu o seu repertório, criando fórmulas exclusivas que são verdadeiros perfumes e fragrâncias do Alentejo. O “Gin da Costa Alentejana” é uma jornada aromática que evoca o mar, a areia e as majestosas falésias dessa costa deslumbrante. Com notas cítricas provenientes do limão alentejano, o aroma selvagem do zimbro das dunas e um toque delicado de rosmaninho floral, este gin torna cada gole numa verdadeira viagem marítima.

O “Gin do Montado Alentejano” é produzido em harmonia com a natureza e as tradições alentejanas. Por entre sobreiros e azinheiras, este gin seco é dominado pelas essências da terra, representando a identidade rural da região, “quase como se estivéssemos sentados debaixo de uma árvore a apreciar as fragrâncias envolventes de um prado alentejano”, exemplifica. A aguardente de Medronho,

54 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | BLACK PIG
Miguel Ângelo Nunes, CEO

produzida a partir dos frutos dos medronheiros, é elogiada pela sua suavidade, aromas doces e frutados. A destilaria também é responsável pelo primeiro Rum de Portugal Continental, o Rum “Ilha do Pessegueiro”, valorizando os “ingredientes” alentejanos.

Para Miguel, a Black Pig é “uma embaixadora da região”.

Com o desenvolvimento turístico, industrial e agrícola do Alentejo em ascensão, a destilaria orgulha-se de fazer a sua parte ao representar e promover a região por meio das suas criações únicas.

Cada garrafa da Black Pig é uma oportunidade para o mundo experimentar e apreciar a riqueza do Alentejo. Também o design das garrafas foi cuidadosamente pensado para refletir a essência do Alentejo. “Para começar, optamos por um formato retangular, que representa a planície alentejana. As superfícies planas simbolizam a vastidão e a tranquilidade deste cenário único”, revela Miguel. É uma abordagem que combina simplicidade e elegância, características intrínsecas do Alentejo.

Além da forma da garrafa, os elementos visuais também desempenham um papel importante no design. Miguel explica: “Utilizamos o branco do caiado das casas, uma tonalidade que remete à arquitetura tradicional da região. Também incorporamos o azul, inspirado na deslumbrante costa alentejana e nos azulejos típicos portugueses, trazendo um toque de autenticidade”. Outro elemento marcante é a rolha de cortiça. “A cortiça é proveniente dos nossos próprios sobreiros, uma árvore emblemática da região. É um material orgânico e sustentável, e incorporá-lo nas garrafas é uma maneira de honrar a identidade alentejana”, destaca Miguel.

Vila do Gin: o encanto em família

O projeto do parque temático, que surgiu a partir do encantamento dos visitantes pelos porcos pretos da herdade, é uma expressão do compromisso para com as pessoas e o meio ambiente. Com uma equipe de animação dedicada, espetáculos, safaris, workshops e

atividades para as crianças, a Vila do Gin tornou-se um dos pontos mais visitados em toda a costa alentejana, recebendo mais de 120 mil visitantes em 2022. “O objetivo é proporcionar uma interação significativa entre os visitantes e a natureza, enquanto se divertem, ajudando nas ações de preservação.

A nossa equipa de animação também desempenha um papel importante na abordagem educativa”, revela. No espaço da Vila do Gin, os visitantes são convidados a vivenciar uma verdadeira jornada de aromas e emoções. Num ambiente acolhedor, cercado pela beleza do montado alentejano, é possível desfrutar dos melhores gins, acompanhados de tapas alentejanas. Durante a Golden Hour, os raios dourados do sol proporcionam um cenário encantador para os apreciadores da bebida. A destilaria também oferece visitas guiadas que permitem aos visitantes acompanhar todas as fases do processo de produção e entender o ciclo sustentável da marca.

Na Quinta Black Pig, é possível conhecer diversas espécies de animais que vivem em liberdade e também realizar trilhos pela herdade. O respeito pela fauna e flora é evidente nos trilhos cuidadosamente identificados, que se fundem harmoniosamente com o ambiente.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 55
BLACK PIG | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

A destilaria tem sido pioneira não apenas na criação de bebidas excecionais, mas também na promoção de um ciclo sustentável que respeita e preserva a natureza. Desde a colheita dos botânicos selvagens até o engarrafamento final, cada etapa é cuidadosamente planeada para minimizar o impacto ambiental e promover a harmonia com o meio ambiente. Para Miguel, a sustentabilidade é um fator crucial, regendo-se sob o lema: “Na Black Pig nada se perde, tudo se transforma”.

Miguel transmite todo o seu romantismo e paixão no projeto, acreditando que a essência do trabalho realizado na destilaria está na conexão com a natureza e na valorização das tradições ancestrais. Para Miguel, a Black Pig é um projeto que oferece experiências

enriquecedoras e desperta a curiosidade das pessoas.

A preocupação com o bem-estar dos visitantes, a preservação ambiental e a autenticidade são pilares fundamentais para o crescimento contínuo da marca.

Olhando para o futuro, a Black Pig estabeleceu metas audazes. “O nosso objetivo para este ano é tornarmo-nos a marca nº1 em vendas em Portugal, entre as marcas nacionais”, afirma com entusiasmo. Além disso, a Black Pig está a preparar-se para entrar no mercado internacional, com planos de expansão para os Estados Unidos da América. Esta nova empreitada representa um marco importante no caminho de crescimento e reconhecimento global da destilaria.

A Black Pig é um exemplo de como paixão, dedicação e conhecimento do ecossistema alentejano podem gerar produtos excecionais. Com prémios europeus e um compromisso contínuo com a inovação, a Black Pig Alentejo orgulha-se de ser uma marca que carrega a essência do Alentejo para o mundo, conquistando paladares e corações ao longo da sua trajetória de sucesso. Um exemplo notável de como a harmonia entre os animais, ecossistema e produto final pode ser alcançada com primazia.

56 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
“Na Black Pig nada se perde, tudo se transforma”
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | BLACK PIG
Herdade do Sobral 7500-011 Santo André Santiago do Cacém 968 527 518 geral@blackpig.pt blackpig.pt

QUINTA DA PLANSEL: O ENCONTRO PERFEITO ENTRE NATUREZA, VINHO E ARTE

Com mais de 25 anos de experiência, a Plansel vai passando de geração em geração. Esta quinta é um refúgio onde a paixão pela natureza, vinho e arte se entrelaçam harmoniosamente, enquanto a equipa, tão íntima e comprometida, funciona como uma verdadeira família. Dentro de uma garrafa de vinho cabem histórias e tradições, com a ajuda de Dorina Lindemann, enóloga de renome, vamos desvendar algumas delas.

Num cantinho acolhedor, a equipa da Quinta da Plansel trabalha em conjunto como uma família, unidos pelo amor à natureza, ao vinho e à arte. A família Lindemann-Böhm tem uma longa tradição no mundo do vinho, que remonta ao século XI. Em 1961, Jörg Böhm, fundador da Quinta da Plansel, teve um naufrágio em Cascais, Portugal, o que o levou a descobrir as castas alentejanas e o potencial vitivinícola da região. Em 1975, comprou os seus primeiros terrenos para a exploração da vinha e criou a Viveiros Plansel. “Nesta altura, os vinhos portugueses eram instáveis e mal trabalhados, mas o meu pai estava determinado a mudar isso”, explica Dorina Lindemann.

A devoção pela cultura do vinho e pelo país lusitano acabou por se espalhar por toda a família. Nos anos 90, Dorina Lindemann, filha de Jörg, formada em enologia pela Universidade de Geisenheim, veio da Alemanha para Portugal com o marido Thomas Lindemann, e juntos produziram o seu primeiro vinho na Adega Experimental da Mitra, em 1993. A Quinta da Plansel foi

fundada cinco anos depois, com a produção de vinhos de castas antigas autóctones portuguesas, sendo a Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca as suas favoritas. Atualmente, as filhas de Dorina, Júlia e Luísa, também fazem parte do negócio, garantindo o futuro do projeto.

A adega da Quinta da Plansel é conhecida por produzir 400 mil litros anuais em cinco gamas diferentes. A Viveiros Plansel, criada em 1982 pelo pai de Dorina, também se destaca na produção de bacelos enxertados, sendo responsável por produzir cerca de um milhão de plantas da sua própria seleção. Atualmente, 50% da produção é comercializada em Portugal e os outros 50% são exportados, o principal cliente é a Alemanha.

Tradição e Modernidade em cada garrafa

O nome “Plansel”, que significa “Planta Selecionada”, evidencia a harmonia entre as habilidades da natureza e a tecnologia avançada de uma adega, que combina a precisão e organização

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 57 QUINTA DA PLANSEL | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA
Dorina Lindemann, Enóloga

alemã com a espontaneidade e expressividade alentejana. Os vinhos produzidos são a prova desta inesperada fusão entre tradição e modernidade.

Questionada sobre os requisitos necessários para fazer um vinho “campeão”, Dorina responde que o renascimento de castas antigas é o segredo para a sua distinção, tanto em qualidade quanto em quantidade. Assim como, a combinação harmoniosa do conhecimento enológico sobre as castas com a biodiversidade única da região do Alentejo. Após anos de observação e pesquisa, descobriu-se que as castas de Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Barroca são excelentes opções para o cultivo em todo o país. A Touriga Nacional, em particular, “resiste ao calor e necessita de menos água, logo permite uma assimilação perfeita dos açú-

é crucial para atingir o objetivo estratégico. Localizada a cerca de 100 quilómetros de Lisboa, na parte sudeste de Montemor-o-Novo, a Quinta da Plansel abriga 75 hectares de vinhas. A vista é magnífica, com vinhas enfeitadas por olivais e sobreiros. Por entre as vastas planícies, o gado pasta tranquilamente.

O clima é temperado, com características mediterrâneas, apresentando temperaturas noturnas abaixo dos 18°C, devido à influência marítima do Oceano Atlântico e à Serra de Monfurado. A frescura noturna presente na região confere aos vinhos uma acidez harmoniosa e uma riqueza aromática que realça as suas castas de excelência. “Em Montemor, temos um microclima muito especial. Estamos protegidos pela Serra de Monfurado e pelos ventos quentes de Évora, mas ainda assim beneficiamos da frescura vinda do mar. As noites são frescas e os dias quentes, o que contribui para a manutenção dos aromas primários dos nossos vinhos”, explica a enóloga.

Enoturismo: da vinha até ao copo

O enoturismo tem ganho cada vez mais popularidade entre os amantes de vinho e turistas em geral. A Quinta da Plansel investe nesse sentido e proporciona experiências únicas que permitem descobrir todo o processo de produção de vinho, desde o cultivo das vinhas até à degustação. Os visitantes podem escolher entre várias opções, como as degustações de vinho, que incluem a visita à adega, enxertia, visita à galeria de arte e degustação de petiscos. Há quatro opções disponíveis, denominadas Bronze, Silver, Gold e Platinium. Outra opção é o “Wine&Dine”, que inclui também visita à adega, à galeria de arte e enxertia, seguido de um menu especial.

cares, produzindo um vinho de alta qualidade”, explica Dorina.

A vindima é um processo que se inicia com a avaliação criteriosa da maturação das uvas. Durante esta época, somente os cachos de uva mais saborosos são escolhidos à mão, um a um. “Este cuidado e atenção são essenciais para garantir a qualidade. A uva é a voz do vinho e quando a matéria-prima não está em perfeitas condições é muito difícil fazer bons vinhos”, explica.

Também a relação direta entre o vinho e o ambiente do terroir

Para quem prefere desfrutar de um piquenique, a Quinta da Plansel oferece uma seleção de petiscos e vinhos para saborear enquanto caminha pelas vinhas. Para quem procura uma experiência mais completa, pode optar por “Um Dia na Plansel”, que inclui uma caminhada pelas vinhas até à Capela Stª Margarida, prova de vinhos brancos, visita à adega, enxertia, visita à galeria de arte e um menu alentejano. E para quem deseja prolongar a sua estadia, tem à disposição os apartamentos Alicante e Arinto, cercados pelas vinhas e com vista para o castelo. Dorina salienta que o crescimento

58 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
Dorina com as suas filhas Luísa e Júlia

do número de pessoas interessadas no enoturismo surpreende-lhe. “Os nossos alojamentos estão ocupados até setembro, isso significa que mais pessoas conhecem a nossa história”, reforça.

A adega também promove noites de fado, combinando a música tradicional portuguesa com os sabores e aromas dos seus vinhos. “O vinho tem a responsabilidade de transmitir histórias de gerações, e isso é exatamente o que fazemos aqui - oferecemos uma experiência multicultural que combina a tradição do fado com a história e a paixão pela produção de vinho”, salienta.

O futuro dos vinhos alentejanos

A Quinta da Plansel também proporciona uma experiência de aprendizagem única no mundo do vinho, com a ajuda de Wilmy Matton, professora oficial de vinhos da WSET, e Dorina Lindemann. A escola internacional de vinho da WSET permite mergulhar no fascinante mundo dos vinhos, com a garantia de estar a aprender com os melhores. “O nível 1 de WSET oferece um conhecimento geral do mundo do vinho. O nível 2 já apresenta uma abordagem mais aprofundada, com quase cinquenta vinhos de várias regiões do mundo para provar, cheirar e identificar aromas. É uma educação completa, com exame e termina com um certificado”.

Para Dorina, de momento, o Alentejo já se estabeleceu firmemente

no cenário vinícola e tem sido bem trabalhado. Para além disso, tem atraído cada vez mais turistas, que procuram um lugar tranquilo e sereno para passar férias. Olhando para o futuro, a enóloga acredita que a chave para o sucesso é a constante inovação e renovação das variedades de uva cultivadas, adaptando-se às mudanças climáticas e tendências do mercado. “É fundamental estar sempre atento às novidades do mundo do vinho e às preferências dos consumidores para garantir que a empresa esteja na vanguarda da indústria”, realça. A equipa já conta com 70 pessoas e todos os anos aceitam, de braços abertos, estagiários das universidades, porque “são os jovens que vão dirigir o caminho e moldar o futuro da indústria. Com o espírito dos jovens enólogos vamos ter sempre grandes vinhos em Portugal. Tenho a certeza de que o país ainda tem muito para dar na área dos vinhos e elevar a sua posição no mercado mundial”, remata.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 59
plansel.com

“O SALTO DE UMA VIDA”

Proveniente do desejo de voar, a Skydive Portugal ganhou asas há mais de 15 anos e já realizou mais de noventa mil sonhos. O paraquedismo é uma aventura para os bravos de coração, corajosos o suficiente para dar o salto rumo ao desconhecido, o resultado pode ser uma transformação profunda e duradoura. Na Skydive Portugal, esta experiência é uma chance preciosa de superar medos e vivenciar algo inesquecível. Aqui, as fronteiras desaparecem e a paixão pelo paraquedismo une as pessoas de todo o mundo.

Sediada em Évora, por entre as vastas planícies alentejanas que se misturam com o céu azul, a Skydive Portugal é o lugar onde as pessoas vêm experimentar a sensação de voar. A empresa aterrou em Évora há mais de 15 anos e, desde então, tem crescido e se desenvolvido, não apenas como um negócio, mas como uma comunidade que se preocupa em proporcionar a melhor experiência possível para os seus clientes.

Ana Resende, Diretora Comercial da Skydive Portugal, destaca que o sucesso da empresa se deve, em grande parte, ao amor que as pessoas sentem pelo desporto, frequentemente comparado ao sentimento de amor à primeira vista, já que os praticantes se apaixonam 'ao primeiro salto'. “As pessoas apaixonam-se pela sensação de liberdade, acabando por compartilhar a experiência com os amigos e familiares. Alguns ficam tão encantados que voltam várias

vezes e trazem consigo novos amigos para experienciar a mesma sensação”, explica.

A Skydive Portugal é um lugar onde as fronteiras se cruzam e as pessoas de todo o mundo se encontram. A Diretora Comercial revela que muitos vêm da Suíça, Inglaterra, Noruega, França, Espanha e até mesmo dos Estados Unidos e Catar, mas o seu primeiro público são os clientes nacionais. No inverno, muitos paraquedistas experientes vêm de países mais frios para aproveitar as condições climáticas favoráveis de Évora. Já no verão, muitos vêm fazer apenas um salto. “Todos os anos, há um fluxo constante de trabalho que se mantém harmonioso”, reforça.

Mas o que faz com que as pessoas escolham a Skydive Portugal? Segundo a Diretora Comercial, a humanidade com que tratam os seus clientes é um fator importante. A empresa preocupa-se em proporcionar a melhor experiência possível, independentemente se o cliente é um paraquedista experiente ou alguém que vai saltar pela primeira vez, esforçando-se para que se sintam em casa, seguros e confiantes. “Queremos demonstrar que o paraquedismo é uma excelente modalidade. As pessoas voltam e querem saltar outra vez com o mesmo instrutor, isso demonstra que foram bem recebidos e sentiram-se acima de tudo muito seguros com o instrutor”, reforça.

Vai além de um simples salto de paraquedas, é um espaço onde as pessoas vêm para se conectar, relaxar e criar memórias duradouras com uma comunidade acolhedora. “A primeira regra é tratar as pessoas pelo nome”, admite Ana Resende, reforçando que a sua equipa é composta por pessoas genuinamente felizes, que amam o que fazem, e essa energia contagia o cliente.

60 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
Ana Resende, Diretora Comercial
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | SKYDIVE PORTUGAL

Formação e inovação como motor de sucesso e segurança

Saltar de paraquedas desperta a criança interior de quem o realiza. Ao confiar a sua vida nas mãos de um instrutor, os clientes são levados a um estado de pura adrenalina. Já com os pés bem assentes na terra, nasce uma grande admiração pela pessoa que os levou ao céu. Mas, para isso, é importante que os clientes se sintam seguros em todos os momentos. Assim, a empresa investe em equipamentos de última geração para garantir a segurança dos clientes e proporcionar-lhes uma experiência confortável e confiante. Sendo, de momento, a única escola em Portugal a formar novos paraquedistas, a Skydive Portugal tem uma reputação de excelência que a tornou o destino preferido de entusiastas de paraquedismo de todos os cantos do mundo. Com um rigoroso processo de seleção para a sua equipa, a escola construiu uma cultura de estabilidade que inspira confiança nos clientes. “Procuramos sempre a perfeição em tudo o que fazemos”, diz Ana Resende, acrescentando que “é por isso que nos tornámos a referência no paraquedismo para a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC)”. O Diretor Técnico e Instrutor, Carlos Faustino, tem mais de 20.000 saltos no seu currículo, dando-lhe a experiência e conhecimento necessários para desenvolver os métodos de formação da escola e garantir que todos os instrutores sejam treinados ao mesmo alto padrão. Esta consistência garante que cada cliente tenha uma experiência semelhante, não importa quem seja o seu instrutor. O processo de reserva de um salto de paraquedas é simples e pode ser feito online através do site da empresa. Os clientes podem escolher o dia e a hora e pagar pelo salto com antecedência. Ao chegar, receberão uma breve orientação do seu instrutor e depois é hora de subir aos céus. A Skydive Portugal oferece três altitudes diferentes para saltos, e a descida pode levar entre 8 e 15 minutos, dependendo da altitude. Já o salto em si é menos de um minuto em queda livre. Com três aviões disponíveis, a Skydive Portugal pode acomodar grupos de qualquer tamanho. O impacto da empresa na economia local é significativo, contribuindo para o crescimento da região e do país. O sucesso da empresa atrai centenas de pessoas de todo o mundo e muitas delas acabam por ficar hospedadas em hotéis locais e comem em restaurantes da zona. “Ao trabalharmos com a hotelaria e restauração criamos uma sinergia que beneficia a todos”, destaca. Também sediam eventos para a Federação Portuguesa de Paraquedismo, impulsionando o turismo local. Já a cidade de Évora é o complemento perfeito para a empresa devido à sua riqueza histórica e oferta gastronómica de qualidade, o que atrai visitantes nacionais e internacionais.

Um minuto de mudança para toda a vida

Saltar de paraquedas é como um abraço apertado da vida. É ver o mundo de outra perspetiva, olhar para baixo com mais clareza, como se estivesse a flutuar acima dos problemas. “A adrenalina é como uma

bomba que corre pelo corpo, proporcionando um sentimento de liberdade, que nos permite soltar as amarras que nos prendem ao chão”, descreve Ana apaixonadamente. “No momento em que saltam do avião as pessoas renascem, deixam para trás todas as suas preocupações e medos e abrem espaço para um novo começo”, enfatiza. E quando finalmente chegam ao chão, a sensação de realização é inebriante. “Sentimos que podemos enfrentar qualquer coisa, com a mesma coragem e determinação que tivemos ao saltar de paraquedas”, afirma.

Ana Resende acredita que, seja saltador de primeira viagem ou um profissional experiente, saltar de paraquedas é uma lição de vida, é coragem e determinação. É um lembrete de que, se pudermos superar os nossos medos e dar o salto para o desconhecido, podemos conquistar grandes feitos. Numa perspetiva para o futuro, a equipa da Skydive Portugal ambiciona aumentar a sua capacidade, mas sempre com os pés bem assentes na terra. Ana Resende faz um convite a todos: experimentar pelo menos uma vez na vida o salto de paraquedas. “Não é todos os dias que temos esta oportunidade única. É um desafio que todos deveriam superar e uma sensação que fica gravada para sempre na nossa memória. O salto de uma vida”, remata.

skydiveportugal.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 61
SKYDIVE PORTUGAL | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

“É UM PROJETO DO ALENTEJO PARA O ALENTEJO”

A Fundação Alentejo herdou a missão assumida pela EPRAL e já lá vão mais de 30 anos a promover a excelência profissional. Em conversa com a Revista Business Portugal, Fernanda Ramos, Presidente da Fundação Alentejo, entidade proprietária da EPRAL e do CFA, destaca a importância da educação/formação e da união da comunidade como fatores de desenvolvimento económico e social da região.

A Fundação Alentejo nasceu há quase 25 anos com o objetivo de qualificar a comunidade local. Que balanço faz do progresso e evolução da instituição ao longo destas duas décadas?

A criação da Fundação Alentejo remonta a maio de 1999, no entanto a missão que a sustenta já estava no terreno desde 1990, ano em que foi criada a EPRAL - Escola Profissional da Região Alentejo, de que a Fundação se tornou entidade proprietária e gestora, ou seja, há 32 anos que o nosso trabalho vem sendo realizado.

O desenvolvimento sustentável do Alentejo, na nossa perspetiva, assenta no combate a dois desafios específicos, por um lado a luta pela fixação dos nossos jovens e atração de novos jovens e famílias na região, por outro, pela criação de mais e melhores oportunidades de emprego, isto é, pelo reforço e modernização do nosso tecido empresarial e institucional, pela inovação e diversificação no nosso perfil produtivo.

É no cruzamento entre ambos os desafios que emerge a necessidade de, aos jovens, oferecer uma resposta educativa e formativa de excelência e alinhada com essas novas oportunidades e às empresas, a existência de recursos humanos altamente qualificados nas diferentes áreas da nossa atividade. É na resposta a esta necessidade que surge a EPRAL em 1990 e que a Fundação Alentejo é instituída em 1999. Como assumimos desde o início, é um projeto do Alentejo, para o Alentejo.

Quais são os principais obstáculos que as instituições de ensino enfrentam atualmente? E, em particular, na região do Alentejo?

Os obstáculos que se colocam a uma instituição como a nossa, que presta um serviço público de educação/formação num padrão de grande exigência e alinhada com as melhores práticas dos nossos parceiros da União Europeia, são ao nível dos recursos financeiros, da procura de uma sustentabilidade que permita continuarmos a ser uma referência e, consequentemente, a cumprir a nossa missão de serviço ao Alentejo e aos alentejanos. Paralelamente, a conjugação de duas dimensões, a baixíssima densidade populacional e o baixo rendimento da maioria das famílias, que caracteriza o Alentejo e todo o interior do nosso país, são circunstâncias que condicionam e tornam mais desafiante o nosso trabalho. Por um lado, o desafio de mobilizar o número de jovens necessários ao desenvolvimento de todas as áreas de formação que o desenvolvimento regional exige, por outro lado não poder contar com um contributo das famílias que as instituições

congéneres das regiões do litoral podem mobilizar. Impõe-se, por isso, a atualização dos financiamentos públicos (nacionais e europeus), que se mantêm desde 2009, aliás, com um corte aplicado nos tempos da troika que, até hoje, não foi reposto. Apesar de tudo, graças ao padrão de desempenho da nossa escola, os níveis de aproveitamento educativo e as taxas de empregabilidade pós-formação, assim como, em alguns casos, a continuação de estudos com um nível de sucesso muito positivo, levam-nos a superar os desafios de gestão e assumir uma continuada política de atualização e inovação quanto ao projeto educativo e quanto à qualidade do parque escolar/formativo.

Qual é o papel das empresas locais no desenvolvimento da formação profissional na região do Alentejo? Como é que a união de todos os alentejanos pode contribuir para a melhoria do sistema educacional?

As empresas locais e de toda a região, assim como muitas das instituições, são parceiros fundamentais do nosso trabalho. São-no, desde logo, enquanto destinatárias finais da nossa atividade, pois são maioritariamente elas que irão acolher os nossos diplomados, por outro lado, são-no também durante o percurso formativo, pois com elas celebramos protocolos para a realização de uma componente muito importante, a formação em contexto de trabalho/estágio, que tem lugar nos 2º e 3º anos de formação. De igual forma, através das suas associações do sector, participando no processo de avaliação final dos formandos, pois os seus representantes integram o júri de avaliação das Provas de Aptidão Profissional.

Estas dinâmicas de cooperação revelam-se da maior importância para aferir a justeza da nossa oferta formativa e para, em conjunto, reforçar os processos de inovação organizacional e tecnológica das

62 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | FUNDAÇÃO ALENTEJO
Fernanda Ramos, Presidente

nossas empresas. Desta forma, convergimos no mesmo esforço de promover o desenvolvimento regional e criar mais possibilidades para a fixação e atração de jovens na nossa região.

É cada vez mais crucial que a educação acompanhe o progresso tecnológico para assegurar que os alunos estejam bem preparados para o mercado de trabalho. O que é que a fundação tem feito para garantir a adaptação dos alunos à digitalização?

Ao longo dos últimos 32 anos, a EPRAL e a Fundação têm tido uma estratégia de permanente atualização e renovação dos equipamentos e da reorganização dos espaços, adequando-os aos novos desafios tecnológicos. Por maioria de razão isso acontece na área do digital, não só no caso dos cursos diretamente integrados nessa área (programador informático, gestão de equipamentos informático, multimédia) mas, também, no acesso de todos os formandos, de todas as áreas, ao desenvolvimento das suas competências digitais.

Ainda recentemente, em 2022, procedemos a um reforço muito significativo, ao nível de hardware e de software, a par de uma outra intervenção, simultânea e transversal a toda a Escola, no que respeita ao desafio climático, tornando o edifício e todas as suas instalações mais eficientes ao nível energético, e aumentando exponencialmente a microprodução de energia.

Ao longo de duas décadas, a fundação edificou um património educativo consistente, o que podemos esperar da instituição nos próximos anos? Têm planos para expandir a oferta de programas de formação profissional?

Não se trata de expandir, mas de um processo de constante ajustamento às necessidades de qualificação que o desenvolvimento regional impõe. A nossa instituição não pode ficar à margem da dinâmica que anima a economia e a sociedade regional, não somos um microcosmo autossuficiente e fechado sobre si mesmo, antes um dos catalisadores do processo de mudança e inovação que acontece na região. O salto que foi dado, no cumprimento mais abrangente da missão da Fundação, aconteceu em 2011, quando criámos o Colégio Fundação Alentejo, um imóvel construído de raiz, com todas as condições e características para a instalação de um Creche, Jardim-de-Infância, 1º Ciclo e 2º Ciclo. A opção pela criação desta nova resposta por parte da Fundação Alentejo decorreu da compreensão de que a oferta disponível na cidade, face ao crescimento de novos clusters e fixação de novos quadros, não dava uma suficiente e ajustada resposta. Desta forma, porque, não só ao

nível da quantidade, mas principalmente ao nível da diversidade de modelos organizativos e pedagógicos, se impunha a disponibilização de uma nova resposta face às necessidades de muitos jovens casais que se queriam fixar na cidade e região, a Fundação avançou e instalou este novo projeto. De alguma forma, complementar à Escola Profissional, pois, também ele é um instrumento de combate à erosão demográfica que, desde o início, o nosso projeto assumiu.

fundacao-alentejo.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 63 FUNDAÇÃO ALENTEJO | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

DAS RAÍZES ALENTEJANAS NASCEU PÊRA-GRAVE

A Quinta de São José de Peramanca, no Alentejo, é a principal razão de hoje podermos beber vinhos Pêra-Grave. João Grave sucedeu ao seu pai na gestão da quinta e decidiu avançar com um negócio de vinhos que preservou o património vinícola da região. João conta toda a sua história à Revista Business Portugal e desvenda algumas das suas prospeções futuras.

64 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | PÊRA-GRAVE
João Grave, Gerente

João Grave é o filho de Joaquim Grave, a quem sucedeu como proprietário da Quinta de São José de Peramanca. Uma propriedade que já está na família há quatro gerações e sempre esteve ligada à agricultura e à criação de gado.

No momento em que João ficou encarregue da quinta, decidiu avançar com a produção de vinho, tendo plantado as primeiras vinhas em 2003 e feito o primeiro vinho em 2005. O atual proprietário é licenciado em Gestão de Empresas e possui uma vasta experiencia nesta área. Começou a trabalhar numa fábrica de rações para animais, adquiriu experiência em diversos ramos de atividade: comércio a retalho na área do vestuário, agro-pecuária, banca e agroindústria. Quando surgiu a possibilidade de gerir a quinta, João ainda tinha outras fontes de rendimento, o que lhe permitiu efetuar o investimento na vinha sem pressa: os 15,50 hectares de vinha foram plantados em quatro anos. Com o desenvolvimento do negócio, a propriedade foi-se transformando de um centro de custos puro, em um centro de resultados com autonomia económica e financeira. Para João, a Quinta divide-se em duas partes: uma rústica e uma urbana. A parte rústica já está rentabilizada com a vinha, o próximo desafio é rentabilizar a parte urbana, estando nesta altura em análise vários modelos de negócio, tendo sempre como âncora também o negócio do vinho, que na realidade é a raiz e o ADN principal desta Quinta.

Esta decisão não foi tomada de ânimo leve e dependeu de vários fatores, tais como as caraterísticas da própria Quinta e a virtuosidade que a região já tinha pelos vinhos que eram ali produzidos. A região de Peramanca já é conhecida, há séculos, pelos seus bons vinhos. A mesma é principalmente conhecida pelo mercado brasileiro, que a conhece graças a quem descobriu o Brasil, Pedro Álvares Cabral. Este chegou ao país com um vinho desta região e essa história nunca mais foi esquecida – “Por acaso, os indígenas não gostaram

do vinho, pois não estavam habituados ”, brinca João. No final do século XIX, os vinhos chegaram a ganhar várias medalhas, mas foi também por essa altura que o flagelo da filoxera veio terminar com o cultivo de vinha em quase todo o país, o terroir da Quinta de S. José de Peramanca não foi exceção. Em 2003, com a plantação das primeiras vinhas, assistimos de alguma forma ao reinício da história e do virtuosismo desta pequena região vinícola.

Mas porque é que a região tem assim tão bons vinhos? João explica que Peramanca é uma região com um manto de granito muito espesso, pelo que os níveis freáticos são muito superficiais, o que proporciona às plantas acesso à água mesmo durante períodos prolongados de ausência de chuva. Este fenómeno explica o facto de, em tempos antigos e muito antes da rega artificial, as “vinhas aqui sempre se terem dado tão bem”, acrescenta. Outra curiosidade é o nome da região, que provém do latim, e associa “Pêra” a pedra ou rocha e “Manca” a torta, ou seja, “Pedra Torta”. Mesmo no centro da vinha podemos ver a “Pedra Manca“ que, ainda hoje, repousa neste terroir e, cuja, serigrafia faz parte de todos os rótulos dos vinhos da casa.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 65 PÊRA-GRAVE | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

O proprietário assume que fez um grande investimento financeiro e numa área em que “não se pode ter pressa”, sendo que o negócio do vinho é algo que se vai trabalhando:“ as marcas têm de fazer o seu caminho”. No começo, João investiu numa só marca, Pêra-Grave. Mais tarde, surge a Pêra Nova e a Pêra Velha são estas as três principais referências ainda hoje utilizadas. O Pêra-Grave é o vinho colheita e Reserva, enquanto o Pêra Velha é o topo de gama que só sai em anos em que a qualidade o justifica. Já o Pêra Nova é um vinho entrada de gama e que só se comercializa na loja do Produtor. A loja da Quinta tem sido uma grande ajuda neste projeto, permite ao proprietário pagar grande parte dos custos fixos da empresa e, ao mesmo tempo, promover a sua marca, tendo à venda todos os seus vinhos. A juntar a estes, também vendem alguns vinhos que João intitula de “garrafeira de produtor”, ou seja, colheitas antigas que já não se encontram no mercado: “Acho interessante poder-se visitar o produtor e encontrar vinhos que já não há cá fora”, explica, para além do valor acrescentado que a sua venda traz para o negócio. Também são vendidos produtos típicos, tais como, azeite, doces, bacalhau de escabeche, geleias, chutneys, entre outros. E por fim, os acessórios de vinho também não poderiam faltar. Toda esta diversidade de produtos e vinhos é disponibilizada aos clientes já fidelizados e aos que se deslocam de vários pontos do país para ir comprar ali, mas também a muitos turistas que acabam por encontrar a loja. João confessa que

não esperava que a loja tivesse o impacto que tem. “É um cartão de visita à entrada de Évora”, destaca.

Na escolha das castas, houve a preocupação de escolher variedades com uma boa acidez “que consigam envelhecer bem”, “Acidez nos vinhos quer dizer frescura. E quer dizer durabilidade”, explica João. O principal objetivo é que o vinho tenha vivacidade para aguentar com o tempo. As castas tintas predominantes são a Touriga Nacional, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Syrah e Petit Syrah, enquanto nas uvas brancas podemos encontrar três castas portuguesas; Arinto, Verdelho e Alvarinho. No ano 2015, o empresário teve o privilégio de ficar, com o Pêra-Grave Reserva tinto 2011, no top 10 da Prowine de São Paulo, a mais importante feira de vinhos da América Latina. O mesmo vinho foi considerado o melhor vinho tinto do velho mundo (Península Ibérica). João afirma que este foi o vinho que os lançou no Brasil e lhe trouxe muito sucesso, fazendo esgotar o stock naquele exato momento. A Reserva 2011 é considerado um vinho concentrado, suave e, ao mesmo tempo, muito bem harmonizado: “Foi um vinho com uma estrutura e um corpo fantástico”, acrescenta João e, o mais importante: “ Fica sempre na memória de quem o prova”.

“O facto de ter outras ocupações quando iniciei este negócio, levou-me a tentar conceber uma estrutura leve e fácil de gerir. Assim, as nossas vendas assentam principalmente em distribuidores. Para compensar , e de forma a trabalhar o cliente final, abrimos a nossa loja do produtor que tem sido um grande sucesso. Como dizem os americanos o fator decisivo para o sucesso é : 1º Location, 2º Location e 3º Location. Temos a felicidade da nossa localização ser excelente e esse facto tem ajudado de forma significativa: a nossa loja é sem dúvida um dos nossos principais “clientes”. Neste momento, estamos finalmente a contruir a adega aqui na Quinta. Foi-me sugerido muitas vezes realizar este investimento desde já há algum tempo. Na minha opinião, num projeto com a nossa dimensão, 15 hectares, a realização do investimento da adega antes do tempo pode significar o princípio do fim. Consolidar primeiro o negócio e as marcas parece-me mais prudente em termos de gestão e comporta um risco bastante inferior, e também lhe digo que a construção da adega não é, na minha perspetiva, uma decisão baseada em critérios económicos, mas sim de qualidade e controlo.

Aqui em casa produzimos os vinhos a pensar no consumidor, claro que é sempre bom e importante ganhar prémios nos concursos, mas o que nos enche de alegria é quando aquele consumidor que diz “eu não percebo nada de vinhos, só sei se gosto ou não gosto”, depois de provar um dos nossos vinhos, exclama; “muito bom, dê-me uma caixa por favor”. Aí, sim, já ganhámos o dia, pois não só ganhámos um cliente, como no futuro ele terá tendência de repetir a compra e recomendar o nosso produto a outras pessoas. Quanto a perspetivas de crescimento, o foco estará sempre na rentabilidade e não na escala ou quantidade. As marcas têm o seu preço “tabelado” pelo mercado e não é fácil alterá-lo. “Estar frequentemente a arranjar novas marcas para poder ter preços diferentes também não me parece o caminho num negócio com a nossa dimensão”. A solução, no entender de João Grave , é a de aumentar a % dos vinhos premium no mix total de vendas, para isso é importante ter um grande foco na qualidade e na relação qualidade preço, não só no mercado nacional como no de exportação. “Sem exportações não se consegue crescer. Quando se fala em relação qualidade preço as pessoas têm tendência em associar a produtos baratos. Não tem que ser assim, quando falo nessa relação, refiro-me a compararmo-nos com vinhos de preços elevados e oferecer uma alternativa mais acessível mas também com preços que defendam uma boa rentabilidade”.

66 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
DE
PÊRA-GRAVE
ALENTEJO
EXCELÊNCIA |
Quinta S. José de Peramanca E.N.114 Apartado 130 7006-802 Évora 266 785 045 peragrave@sapo.pt www.peragrave.pt

UM REFÚGIO DE HISTÓRIAS E ENCANTOS CENTENÁRIOS

Descubra o Moura Suites Hotel, uma jornada de histórias e encantos que perduram há séculos. Carla Emídio, diretora e decoradora da antiga casa senhorial, mergulha na simplicidade do espaço e desvenda as narrativas entrelaçadas com a grandiosidade deste tesouro arquitetónico.

Ao entrar deparamo-nos com as majestosas escadas da antiga casa de famílias nobres, desgastadas pelo tempo e marcadas pelos passos de gerações passadas.

A música suave que ecoa pelos corredores acompanha a simplicidade e a serenidade do espaço, acalmando a alma.

Adentramos os quartos e percebemos que pisamos antigos escritórios, oratórios, cozinhas e espaços históricos. A cada passo, desvendamos um conto, que se entrelaça com a grandiosidade do lugar. É como se estivéssemos a caminhar no tempo, testemunhando os momentos que moldaram este edifício ao longo dos séculos. Este é o Moura Suites Hotel, uma relíquia arquitetónica que perdurou no tempo, emergindo triunfante no meio de adversidades como revoluções, terramotos e mudanças de proprietários. As suas paredes espelham vicissitudes históricas e abrigam uma narrativa única e fascinante. O elegante hotel de 4 estrelas ocupa um edifício que remonta ao século XV. Segundo Carla Emídio, diretora e decoradora do hotel, a sua reabilitação preservou a identidade e os elementos originais do local, enquanto proporciona conforto, funcionalidade e segurança aos hóspedes. “Procuramos manter a história, harmonizando elementos antigos com um toque contemporâneo na decoração. Cada quarto é único e personalizado, refletindo uma atmosfera acolhedora, onde a tradição e

design se fundem”, explica Carla. Dentro das muralhas do centro histórico de Évora, o hotel oferece uma vista privilegiada dos majestosos monumentos da cidade. Os hóspedes são desafiados a explorar a cidade a pé. A poucos passos, encontram a imponente Catedral de Évora, a encantadora Igreja de S. Francisco, a misteriosa Capela dos Ossos, entre muitos outros monumentos emblemáticos.

Os quartos do Moura Suites Hotel são verdadeiras joias históricas. Antigamente, esta casa senhorial abrigava as nobres famílias portuguesas dos Morgado de Brito e inglesas dos Reynolds. Hoje, recebem os hóspedes num

é complementado por uma equipe minuciosa, dedicada a garantir o conforto e bem-estar do cliente durante toda a estadia. “Estamos a ter um bom feedback. Temos clientes que já são a terceira, a quarta vez que cá vem, o que nos deixa muito contentes”, salienta Carla.

O Restaurante & Bar 1556 presta homenagem à data de inauguração da Fonte das Portas de Moura, hoje um testemunho silencioso do passado grandioso de Évora. A autenticidade da

ambiente único, onde cada quarto é um testemunho vivo do passado, oferecendo conforto e amenidades modernas para o gosto de cada um. “Queremos que os hóspedes desfrutem da sensação de entrar numa casa senhorial da época e que sejam transportados para esses tempos”, reforça.

No Moura Suites Hotel, o ambiente íntimo

cozinha alentejana e portuguesa são um verdadeiro tesouro de sabores e paladares genuínos, profundamente enraizados nos produtos da terra e do campo. Os vinhos da região do Alentejo também não podem faltar no menu.

O Moura Suites Hotel deseja que os hóspedes transformem esta casa no seu próprio lar e que se tornem parte de uma tapeçaria de recordações que perdura há 500 anos. Cada instante vivido aqui torna-se um capítulo indelével, onde passado e presente se fundem num abraço acolhedor.

MOURA SUITES HOTEL | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA
Largo Portas de Moura 28 7000-647 Évora 266 245 000
www.mourasuites.pt
reservas@mourasuites.pt

“DOURADO DISTRIBUIÇÃO, O VINHO NA SUA MÃO”

A Dourado Distribuição nasceu das mãos de Fernando e Lucília Dourado, atualmente, a filha, Sandra Dourado, prossegue com o grande sonho do pai. Sandra partilha, com a Revista Business Portugal, a história de uma empresa que há 39 anos vende vinho do Alentejo e para o Alentejo.

A Dourado Distribuição nem sempre foi conhecida como tal, mas pode afirmar que já tem quase 40 anos de história e de atividade no mercado de distribuição de vinhos. É em 1984, em Alvaiázere (Leiria), que nasce a empresa, naquela altura designando-se por Fernando Antunes Dourado, Lda. O patriarca já se encontrava neste mercado há mais de 18 anos e tinha o sonho de vir a ter a sua própria empresa. Sandra pôde acompanhar a criação e o crescimento da mesma, acabando por assumir a direção mais tarde.

Em 1991, surge a oportunidade de comprar a representação da adega de Reguengos a um colega distribuidor e, assim, começa uma nova jornada, agora em Estremoz, no Alentejo. Inicialmente, todo o negócio tinha um caráter familiar, mas a partir de 1997, foi necessário ter vendedores e distribuidores para ajudar no trabalho - começaram com quatro colaboradores e, hoje, já são 22. Em 2008, surge mais uma oportunidade de negócio: a Câmara Municipal desafia-os a abrir, no centro histórico, um “showroom” (loja que expõe as marcas e as adegas premium com que trabalham), que ganha o nome de Divinus Gourmet. A loja acabou por se tornar um ponto turístico, para além de ser uma porta aberta para as provas de vinho, convidando clientes da restauração e consumidores finais. Aqui, cada taça de vinho é uma viagem gastronómica pelos recantos mais saborosos do Alentejo, permitindo que se saboreie a essência autêntica da região em cada golo.

O ano de 2009 é considerado o ano de mudança da empresa e o início de uma nova estratégia de crescimento, a Fernando Antunes Dourado, Lda dá lugar à Dourado Distribuição. O foco primordial da empresa sempre foi e sempre será a venda de vinhos do Alentejo e para o Alentejo, em que a sua principal área de distribuição está dentro do canal Horeca (Hotéis, restaurantes, cafés). Também vendem para algumas mercearias e lojas Intermarché, e fazem revenda para alguns colegas distribuidores que não têm as suas representações.

Se em 1991 só comercializavam com oito adegas cooperativas, mais a adega Esporão e Cartuxa, hoje já trabalham com mais de 100 produtores de vinho, revela Sandra. A família Dourado criou também uma marca de vinho em Estremoz, conhecida por “A Fonte do Imperador”. A mesma é um vinho mais acessível e de “bag-in-box”, de modo a não fazer concorrência com determinados produtores com que gostam de trabalhar - um mercado e um cliente diferente. Foi um sonho concretizado pelo pai de Sandra, que pretendia ter um vinho próprio e criar uma adega. Mas esta última acabou por não acontecer, sendo que a filha conseguiu dissuadi-lo de uma ideia que poderia causar-lhes transtornos com distribuidores, adegas, produtores ou outros parceiros.

Desta forma, acabam por estar inseridos num mercado mais acessível com a sua marca de vinho e num mercado especializado,

68 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | DOURADO DISTRIBUIÇÃO
Sandra Dourado, CEO

médio/alto, na distribuição de vinhos. Esta última justifica-se pelo facto de “o Alentejo ser muito grande, mas ter poucos clientes e os custos de logística e distribuição serem maiores do que no resto do país”, explica Sandra. Tendo em conta a situação atual, o aumento do preço médio por cliente torna-se um dos principais objetivos da empresa, que pretende fazê-lo ao implementar um maior número de referências no mercado - este número já não se demonstra baixo atualmente. O seu posicionamento no mercado já está bem cimentado e, de acordo com Sandra, justifica-se também pelo serviço diferenciador que oferecem. “Nós temos a felicidade de os clientes gostarem de trabalhar connosco, muito por termos um serviço que nos diferencia”, reforça.

Este serviço passa pela pontualidade nas entregas, pela comunicação clara e transparente, pelo contacto direto e próximo do cliente e por ações de entreajuda. “Atualmente, a parte dos secos, rolhas, cápsulas, rótulos, apresentam períodos de carência nas suas entregas e os produtores nem sempre têm vinho para entregar. O nosso papel é tentar ajudar o cliente a selecionar um outro vinho temporariamente para não ter falha de vinho e tê-lo para vender”, explica Sandra. Para além disso, as vendas são todas feitas presencialmente, de modo a aumentar o contacto com o cliente e fazer com que o mesmo conheça a equipa e possa criar uma relação com esta.

A Dourado Distribuição atua nas duas vertentes do mercado e, por essa razão, conseguem também melhorar o seu serviço. Isto porque obtêm todas as novas informações sobre os vinhos com as adegas e depois transmitem-nas aos clientes que vão vender o vinho ao consumidor final, ou seja, aos restaurantes, cafés e hotéis.

Sendo que o consumidor se interessa cada vez mais por vinho, a Dourado Distribuição também organiza tertúlias que promovem a conversa sobre vinho e comida. Recentemente, decorreu a 6º edição do “Andanças do Vinho e do Petisco”, que permite juntar um grupo de cinquenta pessoas, convidando-as a apreciar um copo de vinho e um petisco no fim de um dia de trabalho. Se até antes da pandemia, estas tertúlias realizavam-se num espaço fechado, agora promovem a realização do evento num local ao ar livre. “Fazemos tudo na rua, de passagem, e vamos andando, comendo, bebendo e falando. É um ambiente diferente”, explica.

A Dourado Distribuição orgulha-se de já ter 700 clientes a comprar-lhes vinho, sempre e só na zona do Alentejo e é por ali que querem continuar. Como já não abrem assim tantos restaurantes na zona, Sandra volta a reforçar que a empresa tenta introduzir o maior número de referências por ponto de venda, ou seja, por cliente. “É a única forma que temos para crescer, sem sair da nossa zona e sem invadir zonas de outros colegas”, acrescenta.

Já o legado da Dourado Distribuição, nos próximos anos, continua assegurado por Sandra. Quem virá a seguir ainda não se sabe, mas, se continuar na família, será assegurado pela terceira geração. E o objetivo nunca mudará: tentar colocar o vinho mais facilmente no mercado. Já existe a proposta de um novo slogan, mas não podemos divulgar o seu autor: “Dourado Distribuição, o vinho na sua mão”.

dourado.geral@gmail.com

www.dourado.com.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 69 DOURADO DISTRIBUIÇÃO | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

MARISQUEIRA TORRALVA: TRADIÇÃO E MODERNIDADE À MESA!

A Marisqueira Torralva, como o nome indica, foca-se no marisco, mas não vira costas às suas raízes. Os pratos tipicamente alentejanos fazem parte do menu e incluem peixe fresco, vindo diretamente do mar. Os pratos de carne também não ficam de fora e são procurados por muitos dos seus clientes.

“Tem de haver amor e carinho naquilo que se faz”

Isabel revela que foi uma boa aposta, tendo recebido feedback muito positivo e, mais recentemente, o prémio “Cinco Estrelas Regiões”. O mesmo foi uma grande surpresa para os proprietários, uma vez que concorreram mais por “descargo de consciência” e, agora, consideram que este os irá ajudar a crescer. No entanto, Tiago ressalva que ainda estão a criar “uma casa” e ainda têm um longo caminho a percorrer - “Vamos manter-nos aqui uns anos e depois falo consigo”, brinca.

“Foi a melhor decisão das nossas vidas!”, afirmou Tiago Baião, que conjuntamente com a sua mulher, Isabel Baião, aceitaram o desafio de gerir o negócio da Marisqueira Torralva. A família Baião já se posicionava no mercado empresarial, mas o mundo da restauração é novo para os dois: “Nós vimos de um clube virado para a universidade. Completamente diferente, não tem nada a ver com isto”, explicou Isabel à Revista Business Portugal.

A Marisqueira Torralva localiza-se em Évora e já carrega muita história. História essa que os proprietários pretendem preservar. O espaço surgiu há muitos anos como uma das mais marcantes tabernas da cidade. Era ali que se compravam toucinhos, contou a cozinheira mais antiga do espaço, a Dona Albertina, a Tiago e Isabel. Entretanto, o espaço esteve fechado durante muitos anos, até que, em 2018, o mesmo foi restaurado e aberto como uma marisqueira-cervejaria.

Quando o casal Baião avançou com o negócio, decidiu que só pretendia manter o conceito de marisqueira, afastando-se do “ambiente de cervejaria”. O objetivo passou por criar um restaurante familiar, num ambiente mais calmo e, ao mesmo tempo, trazer algo diferente e que se destacasse. Os empresários quiserem colocar a “sua impressão digital”, no que já estava feito, optando por pequenas alterações e colocando todo o esforço possível.

Tiago e Isabel pretendem chegar a vários públicos, tanto a residentes de Évora, como a turistas. Contudo, apesar da marisqueira se encontrar a cinco minutos a pé do Centro Histórico de Évora, não está dentro da muralha e, por essa razão acaba por ser mais difícil chegar à vertente mais turística. O turista acaba por só se cingir ao que está no centro histórico e se “está longe da vista” então já não procuram. Contudo, há exceções à regra, ou seja, turistas que decidem explorar a cidade e os descobrem, acabando por ficar “maravilhados”. Isabel explica que já estão a trabalhar na sua notoriedade, ao criar relações com postos de turismo, apostando nas plataformas digitais e na comunicação da sua oferta.

Esta notoriedade é tão importante, a nível geográfico, como

70 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | MARISQUEIRA TORRALVA

cultural. Isto porque, como marisqueira, os turistas consideram que o restaurante se afasta da gastronomia alentejana, ou seja, as “migas, o coelho, o javali, o borrego, entre outros pratos típicos”, acrescenta o casal. Contudo, a Marisqueira Torralva apresenta pratos tipicamente alentejanos e não deixa de incluir o peixe e o marisco fresco, que vem diretamente do mar e é mantido em viveiros (sistema que mantém a água a correr nos aquários e tanques, permitindo que o marisco e o peixe cheguem frescos ao cliente). As migas de bacalhau, a açorda de gambas e a massada de peixe são exemplos de alguns pratos que têm na ementa e que remetem para o prato tradicional do Alentejo. Para quem não gosta ou não quer peixe e marisco, o restaurante também tem uma carta de carnes, trabalhando unicamente com a carne da América do Sul, mais especificamente do Uruguai. Uma carne que, nas palavras de Tiago Baião, é “extraordinária”. O prato que se destaca na ementa é mesmo o bife à Torralva.

A marisqueira Torralva acaba por ser muito mais que uma marisqueira e pretende disponibilizar uma grande variedade de oferta para atrair clientes de todos os gostos. Isto não quer dizer que a ementa seja demasiado extensa, mas sim bastante variada e nem todos os pratos estão presentes na ementa fixa, sendo que não é possível devido a condições externas. É o caso do peixe e do marisco, que estão dependentes do que houver nas lotas. Os designados “pratos de tacho” acabam por ser os que entram na sua ementa fixa.Os mesmos são cozinhados pela Dona Albertina, a cozinheira de 69 anos que conhece bem a comida tipicamente alentejana: “As mãozinhas dela são das antigas. Já não há como ela”, afirma Isabel.

Alguns dos seus pratos que mais marcam pela diferença e, acabam por ficar populares, são o arroz preto, que leva choco e gambas; mais uma vez, a açorda e o arroz de marisco.A empresária acrescenta que sempre pretendeu manter a comida tradicional, aliando uma vertente mais moderna.

O restaurante, para além de gostar de receber grandes grupos, aposta também num menu “Business Lunch” , que consiste numa opção mais económica e prática de almoço. O objetivo passa por conseguirem responder aos trabalhadores que necessitam de um espaço para almoçar e que no mesmo não percam muito tempo. Para além disso, pretendem desconstruir a ideia de que uma marisqueira não é um restaurante que se opta no dia a dia e que tenha refeições rápidas e práticas.

O menu é de 17 euros e inclui entradas, prato principal, sobremesa, bebida e café.

Para além deste menu executivo, ainda disponibilizam um menu infantil para responder às necessidades da família. As entradas também são uma parte bastante importante do menu fixo, sendo que, muitas vezes, os clientes os procuram com um objetivo de petiscar e não propriamente para fazer uma refeição.

A família Baião também se orgulha da equipa que tem no restaurante, sendo a mesma feliz e produtiva. Isabel explica que aceitam universitários para trabalhar lá, uma vez que os mesmos necessitam de ajuda para pagar as propinas, não se preocupando se têm experiência ou não.

Já quanto à cidade em que se encontram, Évora está a crescer, cada vez mais, construindo vários hotéis e uma nova linha de comboio que viaja até Madrid. Por essa razão, o projeto também tem tudo para crescer, aliado a todo o esforço e empenho que toda a equipa deposita no restaurante.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 71 MARISQUEIRA TORRALVA | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA
Av. Condes Vilalva (Estrada de Arraiolos)1 7000-744 Évora 266 703 428 939 649 349 marisqueiratorralva@gmail.com

MERCEARIA ALENTEJANA: UM ESPAÇO ONDE O CLIENTE ENCONTRA TUDO O QUE PROCURA

A Mercearia Alentejana nasceu pelas mãos de Cristina Pereira, com o objetivo de levar para o concelho de Mora uma grande oferta de produtos e serviços. Hoje, a grande superfície disponibiliza um supermercado, uma cafetaria, uma loja de bricolage, uma loja do bebé, postos de combustíveis e um serviço de entrega ao domicílio.

Cristina Pereira nasceu no Alentejo, mas cedo foi viver com os pais e os seus dois irmãos para perto de Lisboa, tendo crescido a ver o pai a gerir empresas na área do comércio e transportes, área por onde também passou. Licenciada em Relações Internacionais e com uma pós-graduação em Gestão de Transportes, começou por seguir as pisadas da família nesta área, mantendo a sua ligação ao concelho de Mora. Após anos de trabalho como gestora da qualidade na empresa de transportes dos pais, decidiu então que estava na altura de investir num negócio próprio.

Após visitar uma exposição de franchising na FIL (Feira Internacional de Lisboa) e de ter analisado as várias hipóteses de investimento, a gestora entendeu que a área da distribuição alimentar seria uma boa aposta e decidiu avançar para o negócio.

É assim que, em 2003, surge a Mercearia Alentejana, um supermercado em Mora, no Alentejo, construído de raiz. Cristina decidiu contactar o grupo Dia (integra os supermercados Minipreço) para ser uma franquia do Minipreço e, embora sem experiência específica na área da distribuição alimentar, abriu o negócio com sucesso logo, desde o início, aprendendo com os erros e conquistas e contando também com a ajuda dos seus sócios Vítor Pereira e Judite Pereira, dos seus fornecedores e trabalhadores.

O concelho de Mora sempre foi o local onde Cristina quis investir, pela sua ligação familiar e também por tratar-se de uma região do interior do Alentejo que não tem grandes superfícies e

onde escasseia a oferta neste sector. Desde que abriu e, até hoje, a Mercearia Alentejana é a única na região e, além do supermercado, o complexo comercial integra atualmente uma loja de bricolage, uma cafetaria, postos de combustíveis, uma loja do bebé, uma farmácia e um jet wash. É aqui que os residentes encontram a maior parte dos produtos ou serviços que necessitam, evitando assim a deslocação a outros concelhos. Além disso, tendo em conta a população envelhecida, a mercearia alentejana disponibiliza, às quartas-feiras, um serviço de entrega ao domicílio para pessoas

72 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | MERCEARIA ALENTEJANA
Cristina Pereira, Gerente

com mobilidade reduzida ou para quem necessite de transportar compras mais pesadas ou para quem não tem transporte próprio, ou só porque prefere assim. “É um serviço que é importante para a população”, afirma Cristina, explicando que os residentes merecem a sua atenção e o seu serviço.

No entanto, os residentes não são os seus únicos clientes, mas também e, não menos importantes, “os clientes de fim de semana”, referiu Cristina. Muitos clientes vivem nas grandes cidades e deslocam-se ao fim de semana até Mora, seja em turismo ou para visitar familiares. São estes os clientes que têm maior poder de compra e os que preferem artigos de maior qualidade, o que fez com que Cristina tivesse de recorrer a outros fornecedores, além dos do Grupo Dia, garantindo assim uma maior diversidade de produtos. Deste modo, a Mercearia Alentejana consegue ter uma garrafeira especializada com vinhos da região, enchidos, presuntos e queijos de grande qualidade. O espaço acaba assim por espelhar aquilo que é o Alentejo e o seu ADN, havendo a preocupação de comprar a produtores locais, contribuindo para o desenvolvimento da economia local.

Hoje, a empresa recorre a mais de 200 fornecedores e orgulha-se de ter produtos para as necessidades de cada cliente: “Consigo disponibilizar caviar de 400 euros, bem como um parafuso de 50 cêntimos. Consigo disponibilizar quase tudo”.

O espaço comercial abraça o espírito de uma verdadeira mercearia tradicional: um negócio familiar onde o cliente é considerado um amigo. As suas prateleiras são testemunhas de histórias compartilhadas, sorrisos genuínos e um ambiente acolhedor.

Cristina Pereira ressalta que o cliente é muito importante para a mercearia e ter uma proximidade com o mesmo é essencial. A empresária chega a dar formações aos seus trabalhadores para lhes incutir estes valores: “O nosso cliente é quem nos faz ganhar o nosso dinheiro, portanto a pessoa principal desta casa é o cliente, o cliente tem de ser bem tratado, o cliente tem de sair daqui satisfeito”, explica Cristina. E, por vezes, este tratamento passa por conversar, dar-lhe atenção e fazê-lo sentir que está a ser ouvido. Numa região em que não há um cinema, um teatro ou um espaço para conviver, a mercearia assume também uma importância relevante, tornando-se, muitas vezes, num ponto de encontro, onde os residentes podem confraternizar. “É o género de um pequeno centro comercial aqui da zona”, reforça.

Além da preocupação com o cliente, os trabalhadores também são muito importantes, afirma a gestora. Alguns estão na empresa desde o início, ou seja, há quase 20 anos e são como família. Hoje, a empresa conta com uma equipa de 25 pessoas e a empresária sabe o quão importante é manter um ambiente saudável no local de trabalho.

A Mercearia Alentejana já passou por vários desafios, como a pandemia da Covid-19, mas tem conseguido ultrapassá-los. Hoje, enfrenta novos desafios, como a implementação da medida IVA a 0%, que obrigou a alterações no funcionamento da empresa, e também preocupações com o eventual aparecimento da concorrência que, por agora não existe, mas que pode aparecer em “força”.

Tendo em conta os desafios atuais e as preocupações futuras, Cristina pretende continuar a investir na formação dos seus trabalhadores e a trazer novidades para o seu negócio, sendo uma delas um posto de abastecimento de energia elétrica, a implementar em breve.

O desperdício é também uma preocupação para a empresária.

Nesse sentido, foi assinado um protocolo entre a Mercearia Alentejana e o Município de Mora, no qual a empresa de Cristina se compromete a alimentar as lontras do Fluviário de Mora com peixe e carne que não chegam a ser vendidos no seu estabelecimento.

Na Mercearia Alentejana, cultivam-se relacionamentos significativos, o carinho e a conexão humana acabam por ser ingredientes essenciais para o sucesso. Trata-se de um refúgio onde a sensação de pertença é tão importante quanto a qualidade dos produtos.

R. da Cooperativa

7490-324 Mora

266 409 179

geral@merceariaalentejana.pt www.merceariaalentejana.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 73
MERCEARIA ALENTEJANA | ALENTEJO DE EXCELÊNCIA

“A QUALIDADE É SUBJETIVA”, EXCETO NA DONA DORINDA

Dona Dorinda, conhecida pela produção de vinhos de alta qualidade e pela sua abordagem sustentável, tem conquistado o paladar dos apreciadores de vinho em todo o mundo. Numa entrevista exclusiva, conversamos com Victor Conceição, o enólogo responsável pela produção de vinhos na propriedade vinícola localizada no Alentejo, Portugal.

A história da Dona Dorinda começa quando o casal Mark e Dorinda, grandes entusiastas de Portugal, decidiram adquirir uma propriedade no país. Após encontrarem uma quinta abandonada que pertencia ao Marquês do Funchal, iniciaram o processo de reconstrução e revitalização da propriedade. E, foi nesse momento que Victor entrou em cena, convidado a trabalhar no projeto em 2006. “Começámos com dois hectares de vinha e crescemos constantemente, sempre com foco na agricultura biológica”, afirma Victor.

A Dona Dorinda foi pioneira na região, e hoje em dia, muitos vizinhos também adotaram práticas sustentáveis. A produção diferenciada da Dona Dorinda é o resultado de um rigoroso controlo de qualidade, evitando-se a massificação e os grandes volumes de vinho. A agricultura biológica não compromete o sabor, mas garante a qualidade através da rigorosa seleção das uvas. “Fazemos a vindima durante a noite, entre a meia-noite e as oito da manhã, para proteger as uvas do calor. Escolhemos cacho por cacho e procuramos produzir a máxima qualidade possível”, revela Victor. O enólogo destaca ainda a importância do trabalho no solo e na vinha, incluindo o plantio de culturas que ajudam a preservar a fertilidade do solo e a capturar nutrientes.

A Dona Dorinda disponibiliza os seus produtos através do seu site e de pequenos distribuidores. O seu público-alvo são os restaurantes,

especialmente com estrelas Michelin, onde o vinho é apreciado em conjunto com uma experiência gastronómica de alta qualidade. Victor Conceição enfatiza que a marca não procura a venda em supermercados: “Um bom vinho precisa de estar num restaurante que valorize a sua qualidade, acompanhado por um serviço adequado”.

A vinícola recebe visitantes diariamente e oferece passeios e degustações, onde o objetivo é transformar cada visitante num embaixador da marca, encantando-os com a história, a filosofia e a qualidade dos vinhos. Victor Conceição menciona a forte concorrência e a dificuldade de posicionar os seus vinhos num mercado onde o preço dos vinhos médios é baixo. No entanto, acredita que há margem para crescer e atrair um público que valorize a qualidade e esteja disposto a pagar um preço justo por ela. Apesar de não procurarem por medalhas, a Dona Dorinda tem recebido solicitações e elogios de distribuidores e degustadores. Victor vê isso como um reconhecimento e um incentivo para continuar o seu trabalho de excelência.

O enólogo também comenta sobre o crescente investimento estrangeiro no sector dos vinhos em Portugal, mostrando-se a favor desses investimentos, pois acredita que impulsionam o desenvolvimento do sector, criam empregos e promovem a evolução das propriedades vinícolas. Por fim, expressa otimismo em relação ao futuro da Dona Dorinda, acreditando que a empresa tem potencial para produzir até 100 mil garrafas, mas ressalva que a qualidade está diretamente relacionada à equipa qualificada, às instalações apropriadas e aos investimentos necessários para expandir o negócio.

Embora a Dona Dorinda ainda não tenha recebido prémios, o reconhecimento e o interesse gerados pelos degustadores são indícios promissores. Victor está confiante no impacto positivo que a marca tem sobre as pessoas, transformando-as em admiradores e futuros clientes.

No Alentejo, onde a tradição e a modernidade se encontram, a Dona Dorinda destaca-se como uma vinícola comprometida com a produção sustentável e a qualidade excecional dos seus vinhos. Com uma abordagem focada na natureza, a vinícola procura oferecer aos apreciadores de vinho uma experiência única e autêntica, onde a paixão e o cuidado são evidentes em cada garrafa produzida.

74 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ALENTEJO DE EXCELÊNCIA | DONA DORINDA
www.donadorinda.com
Victor Conceição, Enólogo

DESCARBONIZAÇÃO

A descarbonização é o caminho para combater as mudanças climáticas e construir um futuro sustentável. Consiste num processo de reduzir ou eliminar as emissões de carbono (CO2) e outros gases de efeito estufa, provenientes de atividades humanas. Para isso, é imperativo adotar energias renováveis, tecnologias eficientes e práticas sustentáveis. A descarbonização não só preserva o meio ambiente, como também traz benefícios económicos e sociais. No entanto, exige esforços conjuntos e políticas adequadas para alcançar um futuro melhor para todos. Neste contexto, a descarbonização emerge como um tema central para Guimarães. A cidade foi a única escolhida em Portugal para participar do Pilot Cities, um programa que envolve 53 cidades europeias. Ao longo de dois anos, a cidade vai representar o compromisso para um futuro sustentável. Liderando o caminho para a transição climática, Guimarães procura inspirar outras cidades e comunidades a adotarem medidas similares. A cidade está determinada a superar os desafios da descarbonização, tornando-se um exemplo de sucesso e contribuindo para a construção de um mundo mais resiliente e livre de emissões de carbono.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 75

“GUIMARÃES ESTÁ DETERMINADA A LIDERAR O CAMINHO PARA UM FUTURO SUSTENTÁVEL”

Guimarães é a única cidade portuguesa selecionada para participar no Pilot Cities, um programa no qual estão envolvidas 53 urbes europeias que, durante dois anos, funcionarão como campo de teste para abordagens inovadoras em direção à transição climática urbana.

Guimarães foi escolhida como uma das 53 cidades europeias a participar, ao longo de 2 anos, no programa “Pilot Cities”, o que significa esta oportunidade para a cidade?

A cidade de Guimarães foi selecionada para integrar a iniciativa “100 Climate-neutral and Smart Cities by 2030” da Comissão Europeia, juntamente com outras 111 cidades, incluindo Lisboa e Porto. Como parte deste projeto, a cidade concorreu à primeira call do programa NETZEROCITIES, aberta a todas as cidades da União Europeia, tendo sido a única cidade portuguesa que viu o seu projeto integrar o portfólio de candidaturas aprovadas, consubstanciando-se num financiamento de 986.326,38 €.

É crucial que sejam apresentados projetos financeiramente viáveis que possam ser replicados em todo o território, uma vez que a neutralidade climática é um objetivo ambicioso que requer esforços colaborativos e práticas sustentáveis.

O projeto selecionado designa-se “Distrito C: Compromisso de Carbono Zero”. Fale-nos um pouco sobre ele. De que forma pretendem potencializar esta colocação para concretizar o processo de descentralização energética?

Guimarães está determinada a liderar o caminho para um futuro sustentável e carbono-zero. Como parte integrante do projeto NETZEROCITIES, a cidade irá utilizar o Bairro C como um laboratório social experimental para testar um conjunto de medidas inovadoras em busca da neutralidade de carbono no centro da cidade.

O projeto piloto “District C: a zero-carbon commitment” é um esforço integrado que se concentra em várias áreas-chave, incluindo energia, mobilidade, resíduos e uso do solo. Este projeto inovador irá promover a mudança comportamental, a inovação social e a criação de novos modelos de negócio, financiamento sustentável e tecnologias verdes, tudo em busca de um futuro mais limpo e saudável.

Como uma das três únicas cidades portuguesas selecionadas para a iniciativa “100 Climate-neutral and Smart Cities by 2030” da Comissão

Europeia, Guimarães está comprometida em liderar pelo exemplo e contribuir para a causa global da neutralidade climática. Este é apenas um dos muitos projetos importantes que estão em andamento, à medida que a cidade trabalha incansavelmente para tornar a sua comunidade um lugar melhor e mais sustentável para todos.

O Pacto do Cidadão é uma das áreas fundamentais do projeto piloto “District C: a zero-carbon commitment”, permitindo a atuação em todos os domínios de emissões. A mobilidade será uma das áreas prioritárias, com medidas para desencorajar a utilização de veículos de combustão e veículos privados, e promover a utilização dos transportes públicos e a melhoria do espaço público. No sector edificado, serão promovidas a eficiência energética e a produção local de energia renovável, com novas políticas, regulamentação, um balcão único e modelos de financiamento inovadores, além da facilitação da instalação fotovoltaica e da reabilitação energética de edifícios históricos.

Os resíduos e a utilização do solo também são focos importantes do projeto, com estratégias de economia circular para valorização e redução de resíduos, promoção de jardins privados na malha urbana e um corredor verde para capturar CO₂, para aumentar o sequestro de carbono, aumentar a biodiversidade e utilizar resíduos orgânicos como

76 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL DESCARBONIZAÇÃO | CM GUIMARÃES
Teatro Jordão Castelo de Guimarães e Paço dos Duques de Bragança Plataforma das Artes - Bairro C

fertilizantes, promovendo a bio economia. Haverá ainda projetos para reduzir o uso de plástico no Mercado, integrar logística suave de proximidade e valorizar os resíduos deste bairro de forma a encerrar o ciclo.

Todas as ações serão desenvolvidas com forte envolvimento dos cidadãos, atores locais e outras partes interessadas, além de estratégias de comunicação e atividades inovadoras para disseminação e promoção de modelos de financiamento.

Assim, os projetos mais relevantes das diferentes áreas:

• Desenvolvimento de um pacto do cidadão

• Implementação de um orçamento participativo para o clima e sustentabilidade

• Desenvolvimento de uma plataforma digital para disponibilização de boas práticas e comunicação dos resultados.

• Organização de eventos climaticamente neutros

• Desenvolvimento One-stop-shop dedicada à energia

• Atualização de regulamentos e políticas municipais promovendo a sustentabilidade dos edifícios

• Digitalização da energia e seus consumos – data science

• Capacitação dos técnicos municipais

• Desenvolvimento de guião técnico para reabilitação do património

• Sistema “verde” de entregas de encomendas no Bairro C

• Sistema de bicicletas de carga elétricas de apoio

• Política de transportes públicos tendencialmente gratuitos, de e para o Bairro C

• Plano de Mobilidade sustentável para o dia a dia do cidadão

• Promoção da mobilidade ativa

• Implementação de sistema de monitorização da qualidade da água da ribeira Costa/Couros em tempo real

• Reforço da cintura verde em torno do Bairro C

• Certificação de Turismo Sustentável

• Alargamento da recolha de resíduos PAYT

• Plano de Comunicação e disseminação do projeto

• Programa de alavancagem e replicabilidade das soluções testadas

• Envolvimento da população e partes interessadas

• Definição de necessidades e pesquisa de oportunidades de financiamento

• Desenvolvimento de Plano de Ação para a Economia Circular na área do projeto

Quais são os benefícios que a descarbonização pode trazer para a cidade de Guimarães e como é que a Câmara Municipal pretende envolver a comunidade local neste processo?

Guimarães estabeleceu de forma estratégica metas a médio e longo prazo para fomentar, com um elevado compromisso ambiental, a

regeneração urbana, promoção do património, genius loci, indústrias têxteis e criativas, cultura e sentimento comunitário. A cidade tem uma longa história de envolvimento dos cidadãos nas suas ações nomeadamente nas ligadas à cultura e ao ambiente. Este trabalho foi reconhecido a nível europeu com a inclusão de Guimarães na Missão da União Europeia para 100 cidades inteligentes e climaticamente neutras até 2030, demonstrando o compromisso de Guimarães para a neutralidade climática. O pacto do cidadão é a peça central do projeto, com um forte envolvimento dos residentes locais. Os cidadãos serão incentivados a adotar práticas mais sustentáveis, como o uso de transportes públicos, a eficiência energética e a produção de energia renovável, inclusive em edifícios históricos, bem como estratégias de economia circular.

A meta da União Europeia é tornar-se neutra em carbono até 2050. A Câmara Municipal de Guimarães está alinhada com esta meta? De que forma se está a preparar para alcançar este objetivo?

O Município de Guimarães tem trabalhado para a neutralidade climática e em 2022 assumiu o compromisso de obter esse objetivo em 2030 antecipando os desígnios nacionais em 20 anos. Como forma de ver os seus desígnios reconhecidos submeteu a sua intenção à Comissão Europeia que selecionou Guimarães como uma das três cidades portuguesas para a iniciativa Missão Cidades “100 Climate-neutral and Smart Cities by 2030”.

O futuro é já daqui a sete anos (até 2030), dois anos no caso do deste projeto, assim, o futuro “faz-se todos os dias”, junto da comunidade que Guimarães acredita que abraçará este projeto piloto, reforçando o seu papel como cidade pioneira na descarbonização.

Vereadora do Ambiente e da Ação Climática, Sofia Ferreira

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 77
CM GUIMARÃES | DESCARBONIZAÇÃO cm-guimaraes.pt
Jardim Palácio Vila Flor Ecovia Cruz Pedra Tanques de Couros e Pousada da Juventude - Bairro C

DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR

O Dia Mundial da Segurança Alimentar é celebrado anualmente a 7 de junho, com o objetivo de promover ações para garantir o acesso a alimentos adequados e suficientes, sem comprometer a sua qualidade e segurança.

Neste dia, as empresas do sector alimentar têm a oportunidade de enfatizar o seu compromisso de seguir padrões rigorosos de segurança alimentar, implementar boas práticas de higiene e garantir a conformidade com as regulamentações e normas alimentares. Estas empresas têm um papel crucial no controlo de qualidade dos produtos e na proteção dos consumidores. Para isso, devem investir em tecnologias e sistemas eficientes para monitorizar os processos de produção, desde a colheita até a embalagem e o transporte.

Para estas empresas, a segurança alimentar não é apenas uma responsabilidade ética, mas também uma questão de reputação e sustentabilidade. Ao investirem em práticas de segurança alimentar, as empresas demonstram o seu compromisso com a saúde dos consumidores, ganham a confiança do mercado e fortalecem a sua posição competitiva.

O Dia Mundial da Segurança Alimentar é uma oportunidade para as empresas reafirmarem o seu compromisso em fornecer alimentos seguros, saudáveis e de qualidade, contribuindo para o bem-estar global.

78 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

SARA HACCP: INOVAÇÃO NA SEGURANÇA ALIMENTAR

Com a ajuda da engenheira Ângela Leal, descubra os benefícios da abordagem moderna da SARA HACCP para garantir a qualidade dos alimentos e a sua contribuição para consciencializar sobre a importância da segurança alimentar.

A SARA HACCP rompeu com os métodos tradicionais e oferece uma abordagem mais moderna e eficaz para garantir a qualidade dos alimentos fornecidos aos consumidores. Quais são os benefícios para as empresas em utilizar esta ferramenta tecnológica?

A utilização de ferramentas tecnológicas para garantir a qualidade dos alimentos traz benefícios para as empresas, sobretudo, por permitir um aumento da eficiência operacional e da tomada de decisão com base em dados fiáveis e tempestivos. Em termos de eficiência operacional, o uso de uma ferramenta como a SARA HACCP garante a automatização e a simplificação de muitos dos processos relacionados com o controlo de qualidade dos alimentos, nomeadamente, o planeamento dos procedimentos de higienização e manutenção das instalações e equipamentos, o controlo de temperatura, a rastreabilidade dos produtos e a gestão de fornecedores. Isto permite que as empresas otimizem a sua operação, reduzindo o tempo e os recursos gastos nessas tarefas.

O software recolhe e analisa dados em tempo real, disponibiliza informação vital, orientada para a tomada de decisão e a atuação imediata. As ações corretivas e preventivas podem ser implementadas em tempo útil, com óbvios ganhos de produtividade. Acresce que se torna mais fácil fazer refletir a análise de desempenho do sistema nas políticas de incentivos das empresas.

Atualmente, a SARA HACCP está presente em toda a rede de escolas ao longo do país. Qual é o impacto desta parceria nas Escolas do Turismo de Portugal? Como o software ajudou a melhorar o processo formativo e operacional dos alunos e formadores?

Tem um impacto muito positivo. Por um lado, fornece uma plataforma uniformizada de suporte ao sistema de gestão de HACCP em todas unidades de ensino, tornando-a numa ferramenta privilegiada de controlo de qualidade e que pode ser gerida de forma centralizada. Por outro, facilita o envolvimento dos alunos em matéria de controlo de sistema de segurança alimentar, pois, estes trabalham

num ambiente misto - real e pedagógico -, preparando-os para um futuro profissional que obriga a deter competências no âmbito da monitorização contínua da gestão alimentar, de forma mais abrangente. O software pode ajudar a melhorar o processo formativo e operacional dos alunos e formadores, oferecendo acesso a recursos educacionais, promovendo a aprendizagem interativa e prática e a comunicação e colaboração entre todos os envolvidos no processo educacional.

Sendo que se aproxima o Dia Mundial da Segurança Alimentar, de que forma a SARA HACCP está a contribuir para consciencializar os seus clientes e comunidade em geral sobre a importância da saúde alimentar?

A SARA HACCP tem delineada uma estratégia de marketing que coloca ênfase na necessidade de efetuar um conjunto de dinâmicas de capacity building e de awareness building relativamente à segurança alimentar. Desde o início que a equipa tem estado ativa no apoio e na disseminação de boas práticas, chamando a atenção dos profissionais, técnicos, estudantes e do público em geral para o tema em questão. É um contributo pequeno, mas, que, sendo reiterado, vai produzindo alguns resultados. Claro que as grandes ações são fundamentais. E, este ano, comemora-se pela quinta vez o Dia Mundial da Segurança de Alimentos, este dia foi criado com o intuito de chamar a atenção

e inspirar ações para ajudar a prevenir, detetar e gerir riscos de origem alimentar. O tema escolhido pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) em 2023 é “Normas alimentares salvam vidas”. A escolha do tema tem como objetivo reconhecer a importância dos padrões de controlo de alimentos em todo o mundo para manter os consumidores seguros. Vamos aproveitar e continuar a fazer o nosso trabalho, ao nível micro, que bastante fruto tem dado. Claro que temos algumas ideias estruturadas. É o nosso honesto e quotidiano contributo.

Numa perspetiva futura, quais as estratégias da SARA HACCP para se manter atualizada em relação às novas tecnologias e tendências na área de segurança alimentar? Quais são os principais desafios que este sector enfrenta?

Numa perspetiva futura, a SARA HACCP estará dotada de todos os meios, humanos e tecnológicos, necessários para apoiar os nossos clientes, em termos da segurança alimentar. O sector enfrenta um conjunto de desafios que não divergem muito daqueles com que os sectores, em geral, se debatem, a necessidade de as empresas e outros agentes económicos garantirem qualidade e segurança, mesmo quando a conjuntura apresenta muitos desafios, e de conseguir trabalhar com a máxima eficiência, numa lógica de otimização do binómio custo-benefício e da sustentabilidade.

A solução inovadora para HACCP

Análise de desempenho Registo sem falhas Segura e confidencial

SARA é um software as a service que permite o preenchimento dos registos do plano HACCP de forma simples e intuitiva

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 79
SARA HACCP | DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR Mais informações em www.sara-app.pt +351 244 212 737 | +351 914 007 000 | info@sara-app.pt
Facilidade de Acesso Simples e Intuitiva Formato digital

UMA EMPRESA INOVADORA E COMPROMETIDA EM OFERECER SOLUÇÕES DE VALOR ACRESCENTADO

O Grupo Protection, sediado nos Açores, oferece soluções de consultoria alimentar, laboratorial, higiene e arquitetura, com foco em acrescentar valor aos seus clientes. Com uma abordagem inovadora e dinâmica, a empresa destaca-se no mercado pela sua coerência e comprometimento e, por isso, foi reconhecida como uma das “Top 5% PME Melhores de Portugal 2022”. O Grupo Protection também está dedicado a adaptar-se às mudanças regulatórias e normativas de higiene alimentar para apoiar os seus clientes na realidade global. Para a empresa, a evolução do mercado é uma oportunidade de contribuir e acompanhar os operadores económicos na exportação, tudo através da ilha de São Miguel. O Engenheiro Nelson Simas convidou a Revista Business Portugal a conhecer o ADN da empresa e experienciar aquilo que é o verdadeiro espírito “protection”.

Primeiramente, poderia falar-nos um pouco sobre a história do Grupo Protection, incluindo como se estabeleceram no mercado, bem como a sua evolução ao longo dos anos?

O Grupo Protection nasce da vontade de impactar junto dos operadores económicos, essencialmente indústria, e nos respetivos sistemas de gestão, de modo a acrescentar valor. O nosso core business é, efetivamente, em consultoria alimentar; contudo, na lógica evolutiva e do networking, almejou-se acrescentar sinergias na área laboratorial, pragas e, mais recentemente, em arquitetura. Mantemos a alma de startup com espírito dinâmico, evolutivo e tendo a inovação como pilar fundamental. Aos clientes oferecermos uma visão inovadora e direcionada para o crescimento. Apoiamos muito na área de exportação - preparando o cliente para o cumprimento dos requisitos estatutários; acrescentamos valor na área do retalho; apoiamos a criação de marcas; desenvolvemos layouts e processos de licenciamento.

Sediada em São Miguel, nos Açores, a empresa assegura soluções de higiene, segurança e qualidade. Quais são os serviços específicos que a Protection oferece aos clientes? O que diferencia o vosso trabalho do restante no mercado?

Oferecemos várias soluções e o nosso posicionamento permite ter o cliente como parceiro.

R. das Três Cruzes 13 9545 - 131 Capelas | Ponta Delgada +351 296 705 773

geral.grupo.protection@gmail.com grupoprotection.pt

Um reconhecimento do seu trabalho foi a distinção “Top 5% PME Melhores de Portugal 2022”. O que significou receber este prémio após anos de comprometimento? Como a empresa espera que esta distinção possa impactar os seus negócios no futuro?

Sem dúvida, o reconhecimento é essencial. Defendemos a coerência e demonstrá-la é essencial na defesa da nossa credibilidade como empresa.

Face ao Dia Mundial da Segurança Alimentar, quais são as expectativas da empresa em relação à evolução das normas e regulamentações de higiene alimentar? Que estratégias estão a utilizar para se adaptar a estas mudanças?

O mundo é global e aplicamos conhecimentos obrigatórios para os nossos clientes serem certificados ou exportarem para o mercado dos Estados Unidos da América, por exemplo. Este know-how permite-nos alinhar com a realidade global e não pode haver maior satisfação que contribuir e acompanhar um operador económico no mercado da exportação, a partir dos Açores. Corolário do nosso ADN, a melhoria no cliente é, sem dúvida, o nosso foco. É o nosso espírito “protection”.

DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR | GRUPO PROTECTION
Nelson Simas, Engenheiro
80 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

A INOVAÇÃO COMO FATOR DIFERENCIADOR

A RPL surgiu com a necessidade que o mercado tem de serviços direcionados, feitos à medida e imagem de cada cliente. Sandra Pacheco Lima, CTO, em entrevista à Revista Business Portugal, destaca a metodologia HACCP TÁTIL e as vantagens desta abordagem inovadora.

A digitalização revolucionou a forma como as empresas operam, impulsionando a eficiência, produtividade e inovação. De que maneira a RPL utiliza a metodologia HACCP para oferecer serviços personalizados de garantia de qualidade alimentar? Quais as vantagens dessa abordagem inovadora para as empresas?

A RPL através da solução ePack Hygiene propõe a digitalização da totalidade dos procedimentos que são necessários para a evidência da implementação do Plano de Segurança Alimentar. Utilizamos a metodologia HACCP de forma TÁTIL como uma forma de oferecer um serviço personalizado de garantia de qualidade alimentar para os nossos clientes.

A metodologia HACCP TÁTIL envolve a utilização de tecnologias de digitalização, análise de dados e monitorização em tempo real para melhorar a eficácia e eficiência do sistema de gestão da segurança alimentar.

As vantagens dessa abordagem inovadora para as empresas são muitas. Em primeiro lugar, a metodologia HACCP TÁTIL permite que o utilizador atue de forma mais rápida e eficaz na identificação e correção de problemas de segurança alimentar, minimizando riscos e evitando problemas maiores. Além disso, a utilização das tecnologias digitais propostas também ajudam a melhorar a eficiência e produtividade do processo de produção, já que permite alguns automatismos de tarefas rotineiras e a recolha de dados, de forma mais precisa e eficiente, trazendo benefícios financeiros, como é o caso da redução de custos operacionais e a melhoria da reputação da empresa, uma vez que a segurança alimentar é uma preocupação crescente entre os consumidores.

Com mais de 20 anos de experiência, a RPL oferece soluções rápidas, eficazes e personalizadas. Como a empresa diferencia o seu trabalho dos restantes prestadores de serviços de qualidade e segurança alimentar no mercado?

A RPL diferencia-se de outros prestadores de serviços de qualidade e segurança alimentar através de motivos muito simples, que se resumem aos nossos valores. Em primeiro lugar, a inovação é um fator muito diferenciador. Depois, a nossa vasta experiência no mercado, com mais de 20 anos de atuação no sector, permite-nos ter uma visão ampla e abrangente sobre os desafios, necessidades e tendências do nosso sector. Além disso, oferecemos soluções sustentáveis, personalizadas e adaptadas às necessidades específicas de cada cliente, em vez de soluções padronizadas. Trabalhamos em colaboração, lealdade e comprometimento com os nossos clientes

para entender as suas necessidades e desafios, e oferecemos soluções sob medida para cada situação, garantindo assim a eficácia das soluções propostas.

Todas as empresas devem ter um sistema de segurança alimentar baseado nos princípios HACCP. Quais as estratégias da RPL para atender às expectativas de simplificação do sistema? Que desafios têm pela frente?

Desenvolvemos uma abordagem personalizada e simplificada para a implementação da metodologia HACCP através de um sistema TÁTIL, tornando o processo mais userfriendly , acessível e compreensível para os utilizadores. Seguimos o conceito de “HACCP aplicado à realidade”, ou seja, procuramos aplicar o Sistema HACCP de forma prática e adaptada à realidade de cada cliente. Para isso, realizamos uma avaliação inicial do processo aplicado de modo que o plano seja apresentado de forma clara e objetiva para os colaboradores da empresa que com a formação dada, facilmente adquirem capacitação sobre como implementá-lo de forma efetiva. Fundamentalmente queremos que fique mais ágil e fácil aplicá-lo.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 81 RPL | DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR
Sandra Pacheco Lima, CTO

O PRINCIPAL OBJETIVO DA H.JDP É A SATISFAÇÃO DO CLIENTE

A H.JDP – Alimentar é uma empresa com conhecimento, experiência e empenho, assumindo-se uma referência na sua esfera de atuação. Em entrevista à Revista Business Portugal, Daniel Pereira, CEO, releva a distinção, pelo segundo ano consecutivo, como Empresa Gazela e destaca a inovação e o posicionamento diferenciador como pilares do sucesso.

A H.JDP Alimentar surge em 2016 e, desde aí, atua no fabrico de máquinas e equipamentos para a indústria alimentar. Fale-nos um pouco de todo o percurso da empresa. Como surgiu a ideia? Porquê entrar neste mercado?

A H.JDP foi fundada a 3 de março 2016, a ideia surgiu devido à escassez de fabricantes de máquinas dentro deste sector em Portugal, daí pensarmos que seria uma boa oportunidade de negócio. Temos como principal objetivo o fabrico de máquinas e equipamentos personalizados, de modo a ir ao encontro das necessidades do mercado.

A indústria alimentar é um sector em expansão e inovação constantes, é uma área muito desafiadora, que nos obriga a estar em permanente evolução, devido aos requisitos e exigências dos dias de hoje.

Apesar da principal indústria ser a alimentar, também fornece serviços à hotelaria, construção civil e metalomecânica. Porquê alargar o negócio para outras indústrias? Qual foi o principal objetivo?

A H.JDP, neste momento, tem várias áreas de atuação, consultoria, projeto mecânico e elétrico, programação e automação, fabrico de máquinas e equipamentos para indústria alimentar, manutenção industrial, serralharia civil e mecânica e instalações elétricas.

Devido às necessidades do mercado e por termos uma equipa polivalente, conseguimos acrescentar valências para as mais diversas áreas de intervenção, permitindo-nos também acompanhar e competir com outras empresas do mercado. O principal objetivo da H.JDP é a satisfação do cliente, daí optarmos pelo aumento diversificado de serviços.

A H.JDP já chegou a ser mencionada nos livros “Gestão no pós-Covid-19” e “Vírus, perdigotos e ajuntamentos”, devido à criação da máquina ALCOOLMATIC. A mesma foi um sucesso em tempos de pandemia, chegando a ser instalada no Museu do Louvre. Esperavam ter todo este reconhecimento com esta máquina? Que benefícios a mesma trazia para o utilizador e para quem fornecia ao utilizador?

Sim, o ALCOOLMATIC foi um grande sucesso, que originou reportagens televisivas, portuguesas e estrangeiras, que permitiu uma visualização e alavancagem a nível de volume de negócio, aparecemos ainda num documentário feito pelo ISTEC em parceria com a RTP “3 minutos a inspirar Portugal”. O facto do ALCOOLMATIC ter ficado registado e eternizado em dois livros é um orgulho e muito gratificante, “mas o sucesso só vem antes do trabalho no dicionário”. A H.JDP já enfrentou vários desafios os poucos anos de existência, é uma empresa especializada em sistemas de higiene industrial e, na altura em que surgiu a Covid-19, tivemos a sensibilidade de desenvolver um sistema de higienização compacto com possibilidade de ser instalado em diversos locais, de modo a contribuirmos no combate e minimizar o contágio ao vírus, daí o aparecimento do ALCOOLMATIC, a primeira máquina automática para desinfetar as mãos. As vantagens do ALCOOLMATIC passam por ser uma máquina 100% construída em aço inox, o que permite uma elevada durabilidade e é um material de fácil higienização, tivesse ainda o cuidado de ser uma máquina de fácil utilização, mas sem contacto por parte do utilizador, daí implementarmos os sensores de proximidade. O maior desafio que a H.JDP enfrentou foi a

DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR | H.JDP – ALIMENTAR
82 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

carência no mercado de desinfetante apropriado para a Covid, daí termos de arranjar uma solução de gastos mínimos de desinfetante, foi então que surgiu a ideia dos aspersores de nebulização, com os quais um litro de desinfetante permite 500 desinfeções.

O ALCOOLMATIC, em Portugal, permitiu-nos entrar nos diversos sectores públicos e privados e deu-nos a oportunidade de entramos no mercado internacional, exportando para diversos países, com destaque para França, no Museu do Louvre.

Recentemente, a H.JDP foi distinguida, pela segunda vez consecutiva, com o prémio “Empresa Gazela 2022”. Qual é a sensação de receber este prémio pela segunda vez? De que forma a empresa continua a inovar e a diferenciar-se no mercado? Que importância este prémio tem no crescimento da H.JDP?

Com os acontecimentos dos últimos três anos, com diversos fatores a influenciar e a modificar o nosso modo de vida e a instabilidade económica que se sente, a H.JDP teve a capacidade de se adaptar e até aproveitar as oportunidades que apareceram nas adversidades. Acabando por acreditar que não são as melhores

empresas que sobrevivem, mas sim as que de melhor se adaptam. É muito gratificante sermos galardoados pelo segundo ano consecutivo como Empresa Gazela, pois é com agrado que vemos o nosso trabalho reconhecido.

A H.JDP, desde que foi fundada, sempre teve como objetivo inovar e diferenciar-se no mercado, logo é uma empresa atenta às evoluções, mudanças e necessidades dos mercados, tentando sempre ter nos seus quadros profissionais dinâmicos e com competências de investigação.

O Dia Mundial da Segurança Alimentar celebra-se a 7 de junho e pretende alertar para a importância da segurança alimentar. De que forma a H.JDP, com os seus produtos e serviços, ajuda na precaução de danos na saúde humana pela situação alimentar? Os vossos clientes preocupam-se com esta questão?

Nos dias de hoje, é notório a preocupação por parte dos nossos clientes, assim como pelos diplomas legislativos aplicados em Portugal a importância da segurança alimentar. A H.JDP tem o cuidado de produzir máquina e equipamentos com materiais com características e/ou certificações de acordo com normativas exigidas.

A H.JDP tenta manter-se atualizada quanto a novidades e tendências que possam surgir na área da segurança alimentar? Quais são os principais desafios que esta área enfrenta?

A segurança alimentar é um dos focos da FAO nos últimos anos e da sociedade em geral. Partindo dos princípios de rastreabilidade e de segurança alimentar apresentamos soluções construtivas que ajudam os nossos clientes a cumprir a legislação e as boas práticas produtivas, desde a utilização de materiais facilmente higienizáveis até à utilização de materiais detetáveis nos alimentos de embalagens, tentamo-nos manter ao máximo atualizados, tanto a nível de formação, como na pesquisa bibliográfica e de artigos científicos.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 83 H.JDP – ALIMENTAR | DIA MUNDIAL DA SEGURANÇA ALIMENTAR
Asseguramos o melhor serviço em engenharia metalomecânica fina. Consulte-nos: SIGA O QR CODE
e
Estruturas metálicas Mobiliário em inox Linhas automáticas Sistemas de drenagem Sistemas de higienização Maquinaria h-jdp.com | +351 926 668 555 | geral@h-jdp.com
Daniel Pereira, CEO
Uma evolução constante
consistente em soluções industriais.

Já viu por onde andamos?

84 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 85 98 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
geral:
806 Tlm. comercial:
E-mail geral:
E-mail comercial: comercial@revistabusinessportugal.pt www.revistabusinessportugal.p t Já viu por onde andamos? Av. da República,nº 2208, 3º Dtº Ctr. Frente 4430-190 - Vila Nova de Gaia
700 510
Tlf.
223 754
937 839 575
geral@revistabusinessportugal.pt
Tlf.223
Tlm.937 839 575 E-mail geral: geral@revistabusinessportugal.pt E-mail comercial: comercial@revistabusinessportugal.pt www.revistabusinessportugal.pt

EMPRESAS GALARDOADAS

As empresas galardoadas são aquelas que se destacam no seu sector de atuação e recebem reconhecimento pela sua excelência, inovação e sucesso. Isso inclui a qualidade dos produtos ou serviços, a capacidade de inovação, a eficiência operacional, a satisfação do cliente e o compromisso com a responsabilidade social e ambiental.

Em Portugal, há empresas que se destacam pela liderança visionária e estratégias bem-sucedidas e, por isso, são merecedoras dos galardões “Top 5%” e “Empresas Gazela”. Dotadas de uma visão clara e uma abordagem única, as empresas galardoadas assumem um compromisso com a responsabilidade social e a sustentabilidade.

No âmbito empresarial, o “Top 5%” refere-se às empresas que se destacam pelo seu desempenho excecional em termos de crescimento, rentabilidade e solidez financeira.

As “Empresas Gazela” são aquelas que demonstram um crescimento rápido e consistente num curto período. Estas empresas jovens são caracterizadas pela capacidade de inovação, agilidade e flexibilidade para se adaptar às mudanças do mercado.

A Revista Business Portugal dá a conhecer empresas que, orgulhosamente, são reconhecidas como importantes impulsionadoras da inovação e do desenvolvimento económico.

86 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

“COLOCO PAIXÃO E DEDICAÇÃO EM TUDO AQUILO QUE FAÇO”

José Rodrigues, CEO da Transwolf, sublinha em entrevista à Revista Business Portugal que o segredo do sucesso da empresa é, indubitavelmente, o trabalho, o esforço, a dedicação e uma equipa bastante unida, que tem como principal objetivo a satisfação dos clientes.

A Transwolf atua no mercado de transporte de mercadorias, tendo vindo a crescer nos últimos anos. Como é que tudo começou? De onde surgiu a ideia? Como é que se posicionaram no mercado?

Tudo começou num sonho tornado realidade. Em criança, os meus pais já trabalhavam com camiões. O facto de lidar todos os dias com estes veículos contribuiu fortemente para esta enorme paixão que fui desenvolvendo ao longo dos anos por camiões. Uma paixão e dedicação que coloco em tudo aquilo que faço. Na Transwolf primamos pela eficácia, eficiência e qualidade em tudo o que fazemos.

deste prémio para a empresa e para os seus colaboradores? Quais as estratégias implementadas pela empresa para merecer tal reconhecimento?

Recebemos esta distinção com muito agrado. É bom ver o nosso esforço reconhecido. Honrar os nossos compromissos e obrigações está na base de tudo.

A 6º edição do Salão Nacional do Transporte, dedicado ao transporte rodoviário de mercadorias, decorrerá nos dias 30 de junho, 1 e 2 de julho. O evento junta vários profissionais da área, em que os mesmos dão a conhecer as mais recentes novidades do sector e promovem os seus produtos e serviços. Que importância o mesmo tem para o sector? Quais são os principais benefícios? E para a Transwolf qual a importância que este evento assume?

Na minha opinião, este tipo de iniciativas são muito importantes, são sem dúvida uma forma de nos darmos a conhecer e de conhecer também outras empresas. Diria que é uma janela de oportunidades que se abre.

De que forma a Transwolf se distingue das restantes empresas de transporte de mercadorias? Qual é o segredo para o sucesso?

Trabalhamos com o transporte de mercadorias, prestamos serviços de exportação e importação. O segredo do sucesso é este mesmo trabalho, esforço, dedicação e uma equipa coesa e unida. A satisfação dos nossos clientes é o nosso principal objetivo.

A Transwolf foi distinguida, em 2021, com o prémio TOP 5% das melhores PME (Pequenas e Médias Empresas) de Portugal. Isto significa que conseguiram obter uma sustentabilidade financeira acessível apenas a 5% das PME. Qual a importância

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 87 Travessa de S. Bernardo 67 6120-214 Cardigos 915 190 399
TRANSWOLF | EMPRESAS GALARDOADAS

“UMA HISTÓRIA MUITO

MAIS EMOCIONAL DO QUE RACIONAL”

A Objectifix celebra 15 anos de sucesso e inovação no mercado B2B. Descubra como a empresa se diferenciou da concorrência e como a sua marca própria, AIRUN Fixing Systems, conquistou um lugar de destaque no sector do AVAC. Mas, mais do que isso, conheça a empresa que acredita que a ambição de fazer sempre mais e melhor, a orientação para o cliente e o trabalho em equipa são os pilares essenciais para se alcançar o sucesso.

Este ano, a Objectifix comemora 15 anos. Qual foi a motivação por trás da criação da empresa em 2008? Como avalia o crescimento e desenvolvimento da Objectifix?

A Objectifix, criada pelo sócio-gerente Nuno Barqueira a 7 de maio de 2008, nasceu da vontade de criar um projeto na primeira pessoa que se diferenciasse da concorrência. A experiência adquirida ao longo de sete anos ao serviço de uma multinacional de referência no mercado permitiu ao Nuno Barqueira desenvolver fortes competências técnicas nesta área, ao mesmo tempo que conseguia estabelecer uma importante rede de networking e detetar uma lacuna no mercado que se prendia com a ausência de apoio técnico especializado, uma vez que, de forma generalizada, todas as empresas do sector não o incorporavam na sua relação comercial com os seus clientes. Assim, a Objectifix conseguiu, através da formação especializada do seu Managing Partner, uma vantagem competitiva muito valorizada pelo mercado B2B, e que contribui de forma muito significativa para os elevados níveis de satisfação dos nossos clientes. No decorrer destes 15 anos, o crescimento e desenvolvimento da empresa muito se deve ao que já foi referido. No entanto, os esforços em marketing são bastante relevantes, nomeadamente o exercício de Benchmarking, uma vez que, este exercício não serve apenas para recolher informações sobre a nossa concorrência, mas sobretudo para nos ajudar a identificar oportunidades de melhoria. Trimestralmente, traçamos objetivos operacionais e definimos um conjunto de ações, que são controladas e avaliadas de forma cautelosa e ajustadas sempre que necessário.

Qual é a vossa gama de produtos? Para que áreas de atuação estão direcionados?

A Objectifix, inicialmente, dedicou-se à comercialização de materiais de fixação e suspensão, produtos químicos e tratamento de material, alargando a sua panóplia de produtos complementares ao longo dos anos para: material elétrico e eletrónico, fitas adesivas e de vedação, tubos flexíveis, ferramentas e Epi’s.

Os nossos produtos abrangem, maioritariamente, as áreas do AVAC, Instalações Elétricas, Eletromecânica, Hidráulica e Fluídos, no mercado B2B.

Como se definem no mercado?

Descrevemo-nos como uma microempresa jovem, familiar, dinâmica, com um conhecimento técnico de nível elevado, que presta um serviço de excelência aos seus clientes.

Após uma década de esforços e empenho, a Objectifix conseguiu estabelecer a sua marca própria, a AIRUN Fixing Systems. Qual a principal finalidade da AIRUN Fixing Systems?

Dez anos de presença no mercado tornou possível o desenvolvimento de uma marca própria, AIRUN Fixing Systems, que se destina fundamentalmente à área do AVAC, comercializando apenas produtos da gama Fixação e Suspensão. O desenvolvimento desta marca é a resposta prática à necessidade de nos diferenciarmos da concorrência, tendo sempre em consideração as necessidades dos clientes atuais e potenciais, e uma otimização de custos.

A médio e longo prazo, a Objectifix tem como objetivo posicionar a AIRUN Fixing Systems, como uma marca de renome, percecionada como a que oferece a melhor relação qualidade/preço, capaz de combater qualquer outra marca concorrente.

A nossa grande responsabilidade, bem como preocupação, é a satisfação máxima dos nossos clientes, oferecendo-lhes sempre um acompanhamento técnico especializado e os melhores produtos/soluções, a um preço justo e em tempo útil.

A Objectifix foi distinguida pela SCORING com a certificação TOP 5% Melhores PME de Portugal, edição 2022. Quais foram as estratégias implementadas pela empresa para merecer tal reconhecimento? Qual é a relevância desta distinção para a imagem e visibilidade da Objectifix?

Na Objectifix, unimos esforços diários para sermos uma empresa

88 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
EMPRESAS GALARDOADAS | OBJECTIFIX
Nuno Barqueira, Sócio-Gerente Vera Ramos Responsável Financeira & Marketeer

cada vez mais forte e competitiva, reconhecida pela qualidade dos nossos produtos e serviços, com presença em diferentes mercados, onde o nosso negócio, bem como a nossa marca própria, possam crescer de forma sustentável, sempre comprometidos com a sociedade e com o seu desenvolvimento. E foi assim que, com uma visão sempre muito bem definida, com as estratégias certas, com uma monotorização apertada, bem como a cooperação com parceiros com os mesmos ideais, que atingimos resultados exímios.

De salientar também, que a metodologia utilizada, em muito contribuiu para o nosso crescimento, uma vez que somos uma empresa rápida na sua tomada de decisão, com alta capacidade de aprendizagem com os desafios diários, com processos que podem ser escaláveis, tornando assim com que o potencial de crescimento seja maior.

Na Objectifix tem vindo a evidenciar-se uma evolução positiva ao nível dos principais rácios financeiros, com especial destaque na autonomia financeira que ultrapassa os 29,00% no ano de 2022, dos 24,32% no ano de 2021, assim como o aumento gradual do indicador da solvabilidade, demonstrando que a estabilidade financeira da nossa empresa tem vindo a ser alcançada ao longo dos anos.

Esta distinção foi relevante na medida em que reconhece o esforço de todos os que cooperam e cooperaram para que este reconhecimento fosse possível. Contudo, estamos convictos de que há muito a fazer e que a aprendizagem é diária.

Como a Objectifix convida os seus clientes e parceiros a fazer parte da sua história? Que planos têm para o futuro?

Os nossos valores assentam em quatro pilares fundamentais: ambição de querer fazer sempre mais e melhor; orientação para o cliente, porque estamos sempre focados na solução e na satisfação dos clientes; valorização do comércio justo, porque nos regemos por um código de ética e conduta que valoriza as pessoas e a preservação ambiental; trabalho em equipa, porque o espírito de cooperação com colaboradores, fornecedores e clientes são a base do sucesso.

Estes quatro pilares são, para nós, fundamentais para a construção de uma história que não tem fim, e onde a narrativa assenta não em, e apenas, rentabilidade mas sim num espírito de entreajuda, onde os laços que se criam são verdadeiros e duradouros. Uma história muito mais emocional do que racional feita de ligações, empatia e boas memórias. Internamente, referimos inúmeras vezes que os produtos

podem não ter emoção, mas que a emoção está sempre presente em tudo aquilo que entregamos e, por esse motivo, temos que, ao longo de toda a nossa cadeia de valor, entregar as melhores soluções para os problemas diários dos nossos clientes, soluções rápidas e eficazes. Mas para tal, é necessário estarmos em constante modo “ON”, para aumentar e atualizar os nossos conhecimentos técnicos sobre um mercado que está em constante mutação.

Esta “era digital” que se vive permite a qualquer empresa, de diferentes sectores e dimensão, comunicar de forma global, sendo o marketing digital um canal de comunicação que assume cada vez maior relevância. E este é um desafio que queremos abraçar, por forma a conseguir usufruir de uma maior visibilidade, quer no mercado onde estamos inseridos, como pelo mundo.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 89
OBJECTIFIX | EMPRESAS GALARDOADAS
R. da Comital, 71 4445-349 Ermesinde
197
www.objectifix.pt
223
326 geral@objectifix.pt

FAGILMETAL: INOVAÇÃO E QUALIDADE NO UNIVERSO METÁLICO

Em entrevista à Revista Business Portugal, Alexandra Martins e António José apresentam a Fagilmetal, uma empresa que desafia os limites da produção de estruturas metálicas, mergulhando de cabeça na inovação e na constante atualização do processo produtivo. Com uma visão abrangente e foco na satisfação do cliente, a empresa dedica-se a atender todas as etapas do processo de produção, garantindo prazos cumpridos e excelência na execução dos trabalhos.

A Fagilmetal é uma empresa especializada na produção de estruturas metálicas, que se destaca pela sua abordagem inovadora e constante atualização do processo produtivo.

Fundada em 2017 com o objetivo de oferecer um processo completo de fabrico de serralharias ligeiras e estruturas metálicas, a empresa tem conquistado o seu espaço no mercado ao fornecer serviços de alta qualidade e diversificados. Atualmente, a Fagilmetal presta uma ampla gama de serviços, nomeadamente, fabrico de serralharias e estruturas metálicas, de decapagem, metalização, pintura e pintura intumescente.

No meio de um sector industrial antigo, que já viu e reviu inúmeras tentativas de se destacar, a Fagilmetal emerge triunfante. Como conseguem? A resposta é simples: a empresa não é apenas mais uma opção no mercado, é a opção certa e completa. Enquanto outros competidores oferecem apenas partes do processo de produção, a Fagilmetal garante aos seus clientes uma experiência integrada, desde o fabrico até a montagem final. Nada escapa ao seu domínio metálico. Além disso, a Fagilmetal mantem um compromisso inabalável com prazos de entrega e qualidade superior na execução dos projetos, o que reforça a confiança e a preferência dos clientes.

Recentemente, a Fagilmetal recebeu o prestigioso prémio

“Empresa Gazela 2022”. Este reconhecimento é concedido a empresas jovens que se destacam pela genialidade, pela inovação e pela sua abordagem diferenciadora num mar imenso de concorrentes. A empresa sente-se honrada por receber este prémio, pois é o reconhecimento do esforço e trabalho árduo dedicados à procura da excelência. Muito mais do que uma honra, a distinção proporciona um novo estatuto perante clientes e fornecedores, aumentando a visibilidade e a credibilidade da empresa. É o passaporte para uma nova era de prestígio e confiança.

Mas o que é que este prémio significa para o futuro da Fagilmetal? A exposição adicional obtida pode fornecer à empresa as ferramentas necessárias para divulgar o seu trabalho, crescer e expandir a sua presença no mercado. Além disso, a empresa tem como objetivo obter certificação, uma prova incontestável do seu compromisso contínuo com a excelência e a melhoria constante.

Para futuros clientes, a mensagem é clara: a Fagilmetal é sinónimo de qualidade certificada e resultados excecionais, sendo capaz de oferecer soluções completas e confiáveis na execução dos trabalhos. Com uma visão audaciosa, compromisso e busca incessante pela qualidade, a Fagilmetal está preparada para pavimentar o caminho até ao sucesso e tornar-se uma referência incontestável no mercado.

924 158 986 fagilmetal@gmail.com

90 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
EMPRESAS GALARDOADAS | FAGILMETAL
R. do Cemitério s/n Fagilde 3530-070 Fornos de Maceira Dão
Alexandra Martins e António José, Sócia e Diretor de Produção

EFICIÊNCIA E COMPROMISSO NO SECTOR DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

A Casqueira & Cunha, empresa líder no sector de comercialização e instalação de equipamentos elétricos para a indústria, tem conquistado destaque no mercado não só pela abordagem centrada no cliente, mas também pelo amplo leque de produtos e notável capacidade de adaptação num cenário global e altamente competitivo. Em entrevista à Revista Business Portugal, José Cunha, Sócio-Gerente da empresa, avalia o percurso da Casqueira & Cunha e discute o seu posicionamento no mercado, revelando os insights e diferenciais que tornam a empresa única no sector, especialmente diante da transição energética em curso. José salienta ainda as estratégias que planeia adotar para continuar a construir um percurso de sucesso e evolução.

Com um core business assente na comercialização e instalação de equipamentos eléctricos para indústria, com um leque de produtos abrangente, como avalia o percurso da Casqueira & Cunha e qual o seu posicionamento no mercado? O que distingue a empresa num mercado cada vez mais global e competitivo?

Desde a sua criação, a Casqueira & Cunha, sempre se guiou no sentido de ser um parceiro e não mais um fornecedor, junto dos seus clientes, tendo assumido em 2016 que o futuro do sector estaria ligado à transição energética. O que nos distingue no mercado é a nossa capacidade de resposta em tempo útil às necessidades dos nossos clientes, acompanhando a evolução do mercado a nível de oferta referente a produtos de eficiência energética.

Em 2022, a empresa apresentou uma nova imagem, um trabalho de redesign que surgiu da necessidade de uma mudança importante, que marca uma nova era para a Casqueira & Cunha. Qual a mensagem que pretendem transmitir com o rebranding da marca?

O trabalho de redesign da marca surge da necessidade de uma mudança importante, que marca uma nova era para nós. Esta evolução pretende refletir a história de profissionalismo e proximidade, acompanhando a nova fase da CC soluções elétricas. Este processo reflete dinamismo, confiança e compromisso e pretende reforçar os laços com os nossos clientes.

A Casqueira & Cunha recebeu o Prémio Gazela 2022, uma distinção demonstrativa da competitividade de jovens empresas

que num curto espaço de tempo apresentaram um crescimento acelerado no emprego e no volume de negócios. Este é um reconhecimento importante do trabalho desenvolvido? Que importância tem para a empresa e para a sua equipa?

Sem dúvida, este prémio é o reconhecimento do trabalho desenvolvido por toda a equipa, tendo toda a importância para a nossa empresa. O mesmo veio confirmar o peso das decisões tomadas no passado, que nos trouxeram até aqui.

Qual a estratégia assumida para os próximos anos, no sentido de continuar a percorrer um trilho de sucesso e de evolução?

A estratégia assumida é a de continuar a crescer de forma equilibrada, procurando novas formas de tornar os nossos trabalhos mais eficientes, mantendo um olhar atento sobre a procura e constante evolução do mercado.

CASQUEIRA E CUNHA | EMPRESAS GALARDOADAS
José Cunha, Sócio-Gerente
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 91

“CRIAMOS AMBIENTE COM QUALIDADE”

A QUALIDAR® foi distinguida pela SCORING com a certificação

TOP 5% Melhores PME de Portugal, na edição 2022. Luís Costa, CEO, salienta, em entrevista, que esta distinção e a certificação resultam do trabalho de mais de 20 anos que assentam nos pilares da confiança, conhecimento e disponibilidade.

Como e quando surgiu o projeto QUALIDAR®? Como avalia o percurso da empresa e quais os valores e princípios que têm alicerçado o seu sucesso e evolução?

Fiz parte, entre 1982 e 2001, de uma vasta equipa que desenvolveu e divulgou em Portugal as tecnologias do Grupo Neu, criado em França, no início do século passado, e que hoje mantém a sua atividade em vários continentes. O projeto da Qualidar surge numa altura em que naturais alterações na estrutura do Grupo levaram a concluir que outro tipo de gestão podia ser experimentada e que outros projetos, na área do tratamento do ar na indústria, podiam ser desenvolvidos. Com efeito as potencialidades disponíveis, e as previstas parcerias com outras entidades externas ao Grupo, poderiam dar resposta às necessidades que as empresas entretanto passaram a solicitar. O sucesso e a evolução que temos tido devem-se a uma grande confiança, conhecimento e disponibilidade, que sempre desenvolvemos com clientes e fornecedores, e que permitem dispor de equipas externas bem formadas, em várias zonas do país, para responder eficientemente às solicitações que nos chegam.

De salientar, que na sequência do encerramento da atividade da empresa em território nacional, a partir de 2006, passámos a ser os representantes do Grupo Neu em Portugal.

A QUALIDAR® estuda, projeta e realiza instalações para o tratamento do ar interno e externo ao nível industrial, e efectua a manutenção dessas instalações. Concretamente, quais as soluções disponibilizadas? O que vos distingue num mercado cada vez mais competitivo?

Em qualquer indústria, durante o processo produtivo, existem problemas relativos a libertações de calor, gases nocivos para a saúde, poeiras, resíduos ou necessidade de aproveitamento do ar como forma de atingir objetivos de processos produtivos.

A Qualidar procura encontrar soluções personalizadas para cada um destes problemas concebendo a ideia, elaborando o projeto, selecionando os equipamentos mais adequados ao funcionamento das instalações, executando as montagens, e garantindo o funcionamento dessas instalações com contratos de manutenção e inspeções periódicas.

A QUALIDAR® foi distinguida pela SCORING com a certificação TOP 5% Melhores PME de Portugal, na edição 2022. Quais foram as estratégias implementadas pela empresa para alcançar este reconhecimento? Qual é a relevância desta distinção para a imagem, visibilidade e notoriedade da organização ?

Esta distinção e a certificação que se encontra associada resulta do trabalho de mais de 20 anos baseado nas linhas orientadoras que comentámos anteriormente e muito gratos ficamos por elas acontecerem.

Mas a quem verdadeiramente agradecemos são àqueles que connosco têm feito esta caminhada, colaboradores, clientes e fornecedores, quer através do reconhecimento do nosso trabalho, quer do contributo com qualquer atitude critica que sempre procuramos interpretar.

Quais os desideratos assumidos em termos de futuro? Qual a estratégia estabelecida para continuarem a “Criar Ambiente com Qualidade”?

A estratégia tem passado sempre pela manutenção dos clientes conquistados, ao longo dos anos, e de alargar esse número com ações dirigidas a alguns sectores em desenvolvimento.

Para apoiar esta estratégia, e a partir do segundo semestre, vamos reforçar a equipa com elementos formados nas áreas em que a Qualidar pretende apostar no futuro.

92 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL EMPRESAS GALARDOADAS | QUALIDAR
Luís Costa, CEO
Alameda 1 Março 3 - 2º Dt 2300-431 Tomar 249 322 601 919 358 148 | 916 625 629 ambiente@qualidar.pt qualidar.pt

“O PRÉMIO ACABA POR SER A TRADUÇÃO DO NOSSO TRABALHO E DEDICAÇÃO”

A Frescura das Beiras recebeu, pela segunda vez consecutiva, o prémio “Empresa Gazela 2022”, sendo reconhecida como inovadora e com um posicionamento diferenciador no mercado. Miguel Vaz, Sócio-Gerente, em entrevista, salienta que o prémio pertence a toda a equipa que lidera, constituindo um fator de motivação para fazerem mais e melhor todos os dias.

Como surgiu o projeto Frescura das Beiras e como tem sido o seu percurso? Como avalia a presença da empresa no mercado e o que a distingue num mercado global e competitivo?

Este projeto surgiu de mais um desafio que decidi abraçar. O percurso da nossa empresa é ainda curto, na medida em que estamos a operar há cerca de seis anos, contudo há uma procura ativa e diária na construção de uma empresa sólida que dê resposta às mais recentes solicitações do mercado, mas que mantém o compromisso com produtos e serviços diferenciados, sendo a maçã da Beira Alta a nossa soberana. A experiência da equipa que reunimos para este desafio permite-nos ter o contacto direto com os produtores, o conhecimento de múltiplos parceiros de referência e a evolução do mercado nos últimos 30 anos.Um dos aspetos que nos distingue é o facto de os sócios serem produtores, com uma área produtiva de cerca de 100ha, procurando atingir a certificação “Resíduo Zero” no prazo de dois anos.

A Frescura das Beiras foi novamente uma das agraciadas com o prémio “Empresa Gazela 2022”, sendo reconhecida como inovadora e com um posicionamento diferenciador no mercado. Qual a importância desta distinção no crescimento e consolidação da empresa?

O prémio acaba por ser a tradução do nosso trabalho e dedicação ao longo do último ano. O facto de o recebermos, pela segunda vez consecutiva, mostra-nos que estamos a percorrer o caminho certo. Em termos práticos, pertence a toda a equipa que lidero, constituindo como um fator de motivação para fazermos mais e melhor todos os dias. Por último, contribui para cultivar a ambição inerente a um projeto jovem.

Sente que as pessoas têm, cada vez mais, a noção dos benefícios do consumo de fruta e produtos hortícolas, de preferência da época, e o seu impacto positivo na nossa saúde e bem-estar?

Efetivamente, assiste-se a uma preocupação crescente da população para o consumo de fruta e legumes, sendo que o seu contributo para uma alimentação saudável é corroborado pelo peso que assumem na roda dos alimentos e pelas orientações da Direção Geral de Saúde. Nós procuramos ir mais além, acompanhando os produtos ao longo de todo o seu percurso, estando sujeitos a um controlo rigoroso na produção, armazenamento, embalamento e comercialização. Daí “da quinta para a sua mesa” ser o nosso mote. Neste contexto, temos procurado diversificar a nossa própria produção, com aposta expressiva na cereja e castanha.

Atualmente, são quatro os espaços Frescura das Beiras, distribuídos pelo Município de Viseu e pelo Município de Nelas, onde os consumidores podem adquirir os produtos “da quinta para a sua mesa”. Existem projetos para a abertura em novos locais? Que outros objetivos acalentam em relação ao futuro?

Na verdade, são muitos os projetos para o futuro! A ampliação dos nossos espaços é uma preocupação constante, traduzindo o nosso compromisso de proximidade com a população. Apenas posso dizer que poderá haver novidades em breve. Um dos objetivos que destacamos compreende a expansão e melhoramento das nossas instalações físicas, no sentido de nos permitir acompanhar as necessidades dos nossos parceiros. Enquanto fornecedores do mercado nacional e internacional, o nosso dia a dia é procurar acompanhar as condições da mais exigente certificação.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 93
FRESCURA DAS BEIRAS | EMPRESAS GALARDOADAS
Engº João Vaz (Técnico Responsável de Campo) e Engº Pedro Nunes (Técnico de Normalização e Controlo de Armazém) Miguel Vaz, Sócio-Gerente

O PRIMEIRO PASSO PARA O RECONHECIMENTO NACIONAL E INTERNACIONAL

Sharansky Vieira e Marcos Nascimento, sócios da Dynamic Surprise, em entrevista à revista Business Portugal, confidenciam que a distinção com o Prémio Gazela é mais um degrau de sucesso na história da empresa, que representa a “cereja no topo do bolo”.

A Dynamic Surprise conta com quatro anos de existência e tem apresentado um crescimento notório na sua área de atuação. Quais os principais fatores por trás deste sucesso e o como os serviços apresentados permitem destacar a empresa da concorrência neste sector?

Primeiramente, para conseguirmos atingir os nossos objetivos temos que gostar do que fazemos, dedicarmo-nos ao máximo à empresa, fazendo com que o nosso cliente se sinta satisfeito com o nosso trabalho, garantindo também benefícios e rentabilidade.

Um reconhecimento do seu trabalho foi a conquista do prémio de Empresa Gazela 2022. Quais estratégias foram adotadas pela Dynamic Surprise para alcançar este feito? De que forma esta conquista poderá impulsionar o crescimento e visibilidade da empresa?

Na Dynamic Surprise sempre pugnámos para que a nossa empresa fosse diferente das outras, no que se refere à pontualidade e à responsabilidade nos nossos compromissos, procurando dar sempre respostas rápidas aos nossos clientes. O prémio Empresa Gazela surgiu como uma “cereja no topo do bolo”, isto porque o nosso objetivo sempre foi sermos reconhecidos nacional e internacionalmente. Com esta distinção, é mais um degrau, num conjunto de vários que a Dynamic vai alcançar.

Num mundo em constante transformação, as empresas enfrentam desafios significativos. De que forma a Dynamic Surprise pretende integrar princípios de sustentabilidade na sua estratégia de negócios e contribuir para um futuro mais sustentável?

O nosso objetivo é ter as nossas próprias instalações, onde vamos poder cumprir todos os requisitos e exigências, respeitando o meio ambiente, e contribuir para um futuro sustentável.

À medida que a Dynamic Surprise expande a sua presença internacional, quais são as estratégias de gestão e adaptação cultural que a empresa tem adotado para alcançar o sucesso em diferentes mercados e promover relacionamentos de longo prazo com clientes e parceiros?

Estabelecemos uma parceria com uma empresa fora de Portugal, isto porque contamos com a Dynamic S&M Quality SL no mesmo grupo, assim esta é a forma de conseguirmos obter parcerias e clientes fora de Portugal, adotando o mesmo metódo de gestão, no qual apostamos em Portugal.

94 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
EMPRESAS GALARDOADAS | DYNAMIC SURPRISE
R. Latino Coelho Nº 37 | 3º Esqº 2330-174 Entroncamento 249 156 441 dynamic.surprise@hotmail.com
Sharansky Vieira e Marcos Nascimento, Sócios

“O NOSSO MAIOR VALOR É O ATENDIMENTO AO CLIENTE”

Como surge o projeto da M&F - Logística e Transporte? Que balanço faz do seu percurso e evolução? Como caracteriza o posicionamento da empresa? Quais os valores que têm norteado o vosso sucesso?

A M&F surgiu numa conversa familiar em 2017 onde começou a ser pensada e em 2018 ganhou forma. Os dois primeiros anos foram bastante complicados, dado a exigência física e financeira que requer uma empresa de transportes. Neste momento, a M&F, tanto em Leiria, como em Viseu, está bem integrada e tem reconhecimento, tendo em conta que o nosso maior valor é o atendimento ao cliente. O mais importante é ter sempre uma palavra para dar aos nossos clientes, mesmo quando algo corre menos bem.

Quais os serviços e soluções disponibilizadas? O que distingue a empresa num mercado global e competitivo?

Nós somos representantes da empresa GLS Portugal no distrito de Leiria e Viseu, ou seja, fazemos recolha de encomendas na nossa zona, para posteriormente serem entregues pela Europa. O mesmo acontece com as encomendas que são recolhidas na Europa e nós entregamos na nossa zona. Resumidamente, trabalhamos em rede com mais cerca de 50 empresas como a M&F em Portugal.

Uma das coisas que distingue a M&F das outras empresas concorrentes é exatamente a proximidade e atendimento ao cliente.

A M&F - Logística e Transporte, Lda foi considerada umas das Empresas Gazela da Região Centro, o que significa, que apesar de ser uma empresa jovem, teve um ritmo de crescimento elevado. Qual a importância deste prémio para a empresa e para os seus colaboradores? Quais as estratégias implementadas pela empresa para merecer tal reconhecimento?

Para ser sincera, é o reconhecimento de muito trabalho! Fez-nos

sentir que vale a pena trabalhar pelo que se quer e principalmente, que vale a pena trabalhar na área que realmente gostamos.

A única estratégia implementada desde sempre e acredito, para sempre, é trabalhar diariamente pela qualidade e pelo serviço de excelência. É isto que nos faz chegar mais longe e ter uma empresa rentável.

A 6º edição do Salão Nacional do Transporte, dedicado ao transporte rodoviário de mercadorias, decorrerá nos dias 30 de junho, 1 e 2 de julho. O evento junta vários profissionais da área, em que os mesmos dão a conhecer as mais recentes novidades do sector e promovem os seus produtos e serviços. Na sua ótica, que importância tem este certame para o sector? Quais são os principais benefícios?

É muito importante estarmos ocorrentes das novidades. Nenhuma empresa cresce se não acompanhar o mercado.

A área tecnológica costuma estar muito presente e normalmente é nestes locais que percebemos que podemos melhorar o nosso dia a dia se fizermos pequenas mudanças.

Tânia Ferreira, João Ferreira e Paulo Ferreira, numa conversa que desafiou os limites convencionais, uniram esforços e criaram uma empresa revolucionária no sector de logística e transporte, a M&F - Logística e Transporte, Lda. Sediada em Viseu e com atuação também em Leiria, a empresa tem conquistado destaque no mercado com soluções inovadoras e um compromisso inabalável com o atendimento ao cliente. Em pouco tempo, a empresa jovem conquistou reconhecimento nacional e tornou-se referência no sector, transformando desafios em oportunidades. Dos primeiros passos incertos aos impressionantes feitos alcançados, a M&F - Logística e Transporte, Lda. tornou-se sinónimo de excelência em logística e transporte. geral@m-f.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 95
M&F - LOGÍSTICA E TRANSPORTE, LDA. | EMPRESAS GALARDOADAS
João Ferreira, Tânia Ferreira e Paulo Ferreira, Sócios
Mai. 2023

UMA TABERNA MADEIRENSE REPLETA DE TRADIÇÃO, SABORES E HISTÓRIA

Com mais de seis décadas de história, a Taberna da Poncha é uma janela para o passado, onde a tradição se funde com a inebriante bebida típica da ilha da Madeira: a poncha. Para agradar a todos os paladares, a loja oferece uma viagem sensorial pela tradição e o sabor ganha vida.

A Taberna da Poncha, localizada na encantadora Serra d’Água, é muito mais do que uma simples mercearia dos anos 50. Com mais de seis décadas de história e tradição, este espaço evoluiu para se concentrar na produção e comercialização da famosa bebida típica da ilha da Madeira: a poncha.

A poncha, apreciada há séculos na região, era inicialmente usada como uma forma de aquecer o corpo nos invernos rigorosos e como um remédio natural contra gripes e constipações. Hoje, é uma bebida icónica que atrai milhares de visitantes de todo o mundo.

Além da tradicional poncha à base de

cascas de limão, açúcar, sumo de limão e aguardente, a chamada “Poncha à Pescador”, a Taberna da Poncha oferece uma variedade de sabores, como tangerina e maracujá, proporcionando opções mais suaves para diferentes paladares.

A taberna também é conhecida pela sua famosa nikita, uma bebida refrescante tradicional da região.

Os visitantes podem desfrutar da nikita não alcoólica, feita com gelado de ananás e Brisa de maracujá, ou optar pela versão alcoólica, que mistura o gelado de ananás com cerveja. Além das bebidas, a Taberna da Poncha é um ponto de referência cultural

e histórico na ilha da Madeira. As paredes do estabelecimento estão repletas de memórias deixadas pelos clientes, testemunhando os momentos de convívio e diversão que ocorrem no local. Uma tradição única da taberna é a presença de cascas de amendoim no chão, uma prática histórica que se tornou na sua marca registada. Antigamente, era comum espalhar as cascas de amendoim no chão para absorver os pingos das bebidas e manter o ambiente limpo e seco. Na Taberna da Poncha, sempre se honrou esta tradição.

Ao visitar a Taberna da Poncha, os turistas têm a oportunidade de experimentar a autêntica essência da ilha e conhecer as raízes e tradições da região. É um destino imperdível para quem procura uma verdadeira experiência madeirense.

Laje Serra de Água | Sítio da Lage 9350-309 Ribeira Brava | Madeira 291 952 312

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 97
TABERNA DA PONCHA | BRANDS POWER

“É NA SIMPLICIDADE

QUE A ARQUITETURA SE DESENVOLVE”

Desvendando a arquitetura com encanto e autenticidade, o Arquiteto Daniel Freire Luís traz consigo 15 anos de experiência e sete anos à frente do seu próprio atelier. Nesta entrevista, exploramos as raízes da sua paixão pela arquitetura e mergulhamos no panorama atual do sector. Daniel e a sua equipa, conduzidos pela simplicidade, deixam uma marca única em cada projeto, cuja arte vai além das linhas e se torna numa expressão envolvente na paisagem.

São 15 anos nesta profissão, sete anos à frente do seu próprio atelier e, por isso, é relevante saber o que levou o Daniel a se interessar pela arquitetura, bem como a sua opinião sobre o atual panorama do sector?

A constituição do atelier acontece numa fase mais avançada, mais precisamente em 2016, de uma forma muito natural, com o objetivo de iniciar um caminho muito próprio. A vontade constante e persistente em pensar e realizar arquitetura, aliada às oportunidades que foram surgindo, alimentou esta imensa vontade de intervir na paisagem

com ideias muito próprias. O interesse pela arquitetura vem desde muito cedo, o que considero algo bastante natural para quem se deixa envolver nestes caminhos com grande ímpeto artístico, com uma grande carga de intimidade. Estes caminhos, que resultam em opções particulares, pouco ou nada se desprendem do modo de estar na vida. Sendo arquiteto, a arquitetura tem de estar diariamente presente na minha vida, alimentada por todas as outras artes em constante fervor neste mundo.

O sector da construção em Portugal vive com uma saúde algo instável e contraditória. Claramente que a habitação, área onde muito nos focamos, é tema em

destaque no panorama nacional. Os preços proibitivos de venda não impedem que, os imóveis colocados no mercado, sejam comercializados em tempo “record”, o que me traz uma certa inquietude. O valor do ordenado convencional em Portugal não se adequa a esta “partitura” que o sector dirige e, por isso não tenho dúvidas que o caminho passa por uma mudança de estratégia económica no nosso país que permita que o comum cidadão possa “apanhar o último comboio”.

A arquitetura é uma forma única de expressão, cada linha de uma obra arquitetónica revela a meticulosidade do projeto. Como arquiteto, acredita que deixa um pouco de si em cada obra que cria? Que mensagem ambiciona transmitir através da sua “arte”?

A arquitetura é para todos. A arquitetura tem que chegar a todos, porque ela existe para servir as pessoas. É assim desde os primórdios da nossa existência. Construção

98 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
BRANDS POWER | DANIEL FREIRE ARQUITETOS
Daniel Freire Luís, Arquiteto

acessível não tem que estar dissociada de boa arquitetura. No atelier , os princípios são transmitidos com a maior clareza e simplicidade possível, pois acredito que é na simplicidade que a arquitetura se desenvolve, porque também é na simplicidade que o ser humano sabe verdadeiramente viver. Cada projeto desenvolvido no atelier procura não se desprender destes princípios o que na verdade marcam firmemente a nossa identidade.

Cada projeto é fruto da conciliação entre a resposta técnica adequada e a procura incessante pelos princípios fundamentais da arquitetura. Que estratégias utilizam para manter um alto nível de precisão nos projetos e atender às necessidades dos clientes?

A arquitetura é espaço. O espaço é cuidadosamente definido pelos seus limites. Luz, proporção, materialidade, aliada ao diálogo entre a regra e a sensibilidade, são sem dúvida as maiores ferramentas que, no meu entender, podem produzir beleza e funcionalidade. Pensar arquitetura como mera construção, para simplesmente responder a um programa, pode resultar num grande erro. O arquiteto tem uma enorme responsabilidade na construção

de uma paisagem e esse é o compromisso que devemos ter como base, paralelamente, quando damos a melhor resposta possível ao nosso cliente.

A equipa do atelier é coesa e colaborativa, com uma atenção minuciosa aos pormenores de todos os projetos. A dedicação que colocam em cada projeto é um fator que vos diferencia da concorrência? Qual é a importância do trabalho em equipa?

Considero o trabalho em equipa indispensável, com resultados únicos. É na discussão de ideias e na conjugação de conhecimentos que os resultados são obtidos. O trabalho final, que se espera sempre que seja edificado é, sem a mínima dúvida, o resultado de um trabalho que começa na vontade do dono de obra e na sua escolha pela equipa de trabalho, passando por todos os projetistas, onde incluo toda a equipa de engenharia, terminando na equipa que irá materializar a obra.

A meta do atelier é desenhar a melhor solução possível, sempre. Quais as áreas em que a empresa atua? Há alguma parceria ou projeto do seu portfólio que mereça destaque?

O atelier tem feito um caminho muito participativo na área do retalho, cooperando com três das maiores marcas que atuam no país. Contamos com mais de três centenas de estudos e projetos nesta área. Trata-se de um trabalho que, embora seja desenvolvido sob uma enorme palete de regras e orientações precisas, resultante de uma imagem de marca a manter face à grande concorrência associada, transporta-nos para enormes desafios e experiências fundamentais no constante crescimento do atelier. Em jeito de caminho paralelo, aparece o trabalho que nos dá mais identidade, habitualmente designado de arquitetura de “autor” e que

se tem vincado mais na área da habitação. Estando o atelier localizado na cidade de Ponte de Sor, tem sido no Alentejo que o trabalho tem ganho mais foco, através de desafios que elevam os nossos princípios de pensamento e criatividade, onde queremos, habitualmente, estar.

Estando em constante crescimento, quais são as expectativas para os próximos anos? De que forma a sua profissão pode ter um impacto positivo no mundo?

Prevejo que o sector se mantenha em crescimento e, nesse sentido, julgo que o atelier deverá, de uma forma natural, acompanhar esta linha evolutiva. Temos desenvolvido novas parcerias e os clientes particulares têm surgido com alguma naturalidade. Neste sentido, tudo me leva a crer que o futuro será positivo.

No que concerne à profissão de arquiteto, importa voltar um pouco atrás nesta entrevista e reforçar a enorme responsabilidade que tem, na medida que intervém fortemente na paisagem. É a sua decisão que poderá tornar os locais onde intervém mais interessantes, com impacto direto na vida de quem os habita. É aqui que podemos fazer a diferença, pela positiva.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 99
R. Dr. Manuel José Fernandes 8 R/C Esq. 7400-296 Ponte de Sor 963 359 066 danielluis.arq@gmail.com danielfreireluis.com

ESPECIALISTAS EM SOLUÇÕES FINANCEIRAS SOB MEDIDA

A RC Consultoria e Intermediação de Crédito, liderada por Rita Catita, especializa-se em soluções financeiras, ajudando os clientes a obterem crédito de forma adequada às suas necessidades.

Considerando as tendências e transformações recentes no sector financeiro, quais os desafios impostos pela digitalização e inovação tecnológica e como se está a preparar para os enfrentar?

Para mim, que trabalhei 20 anos na banca, tendo iniciado esse percurso há mais de 25 anos confesso que, nesta atividade, tenho alguma resistência ao desafio de acompanhar as mudanças e as alternativas tecnológicas, em detrimento do contacto direto com as pessoas, um atendimento personalizado, que sempre preferi. Os clientes estão cada vez mais exigentes em relação à experiência financeira. Muitas empresas, já adotaram tecnologias com inteligência artificial e análise de dados, para fornecer uma experiência personalizada, simplificada e em tempo real aos clientes.

A RC Consultoria e Intermediação de Crédito é uma empresa especializada em soluções financeiras. Poderia falar um pouco sobre a empresa e a sua área de atuação? Que balanço faz do seu percurso?

Somos uma empresa especializada em procurar e partilhar as melhores soluções financeiras relacionadas com o crédito, caso a caso e a cada momento. O nosso objetivo é ajudar os clientes a obterem crédito de forma conveniente, eficiente e adequada às suas necessidades e circunstâncias financeiras. Facilitamos todo o processo, lidando com a burocracia e negociação em nome do cliente, fortalecendo a relação entre as instituições financeiras e os clientes, com a vantagem do conhecimento sobre a maioria dos produtos e serviços disponíveis no mercado, bem como os critérios e requisitos exigidos pelos bancos.

Acreditamos que um intermediário de crédito desempenha um papel crucial na simplificação e agilização dos processos de empréstimos particulares para diversas finalidades, destacando a possibilidade de negociar com os bancos, os créditos que o cliente já tem, para obter condições de pagamento mais favoráveis e com soluções que ajudem a reduzir o encargo financeiro. Mais, o nosso apoio não implica qualquer custo ou compromisso para o cliente.

O balanco que faço é muito positivo. É gratificante poder contribuir para reduzir ou aliviar os impactos financeiros causados pela inflação e aumento das taxas de juros aos nossos clientes. Temos tido sucesso na maioria dos casos em que atuamos.

Para enfrentar esses desafios, concorrenciais, está em desenvolvimento o nosso projeto de serviços online, por profissionais com habilidades específicas em tecnologia e digitalização para liderar a nossa adaptação e transformação interna e impulsionar a nossa inovação. Mas o nosso maior e melhor ativo “tecnológico” são pessoas e, por isso, a minha aposta é essencialmente no desenvolvimento dos colaboradores. Formar e qualificar a equipa, mantendo-a sempre atualizada, disponível, empenhada e motivada.

A RC Consultoria e Intermediação de Crédito trabalha em prol de um resultado fiável para cada necessidade. Num mercado cada vez mais competitivo, de que forma se diferencia e se destaca dos concorrentes?

Podíamos optar por nos especializarmos num nicho específico, como por exemplo o crédito imobiliário(habitação), mas procuramos destacar-nos por oferecer experiência e conhecimento, ter uma equipa qualificada que compreende profundamente a oferta dos bancos, as características dos empréstimos e as necessidades dos clientes. Essa expertise permite-nos partilhar uma orientação especializada e encontrar as melhores opções de crédito para cada cliente.

Também construímos e mantemos relações comerciais sólidas com mais de 10 instituições financeiras e outros parceiros estratégicos, para oferecer soluções abrangentes, diversificadas e competitivas. Dedicamo-nos ao atendimento diferenciado, compreendendo as necessidades individuais de cada cliente, fornecendo suporte personalizado durante todo o processo e garantindo uma comunicação clara, simples e transparente. Apostamos em relações de longo prazo com os clientes e em ganhar uma reputação positiva.

100 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
BRANDS POWER | RC CONSULTORIA E INTERMEDIAÇÃO DE CRÉDITO
Rita Catita, Gerente/Responsável Técnica

Tem-se verificado um número crescente de pessoas a recorrer a ajuda para as suas decisões financeiras. Qual a perspetiva sobre o reconhecimento da intermediação de crédito no mercado e o nível de consciencialização das pessoas sobre os seus benefícios?

A intermediação de crédito é importante no mercado financeiro, agregando valor para clientes e instituições financeiras. A conscientização sobre a intermediação de crédito tem aumentado devido à maior acessibilidade à informação, através da internet, media e redes sociais, bem como ao foco crescente na literacia financeira por parte dos governos e instituições financeiras. As regulamentações e normas para proteger os consumidores têm promovido transparência, aumentando a confiança na atividade de intermediação de crédito. Embora os clientes estejam mais informados sobre os serviços de intermediação de crédito, muitos ainda não estão completamente cientes dos benefícios deste tipo de serviço:

• Sem custos;

• Pode economizar tempo e esforço necessário para pesquisar e comparar várias opções de crédito. O intermediário de crédito faz essa tarefa em nome do cliente, facilitando o processo de tomada de decisão;

• Orientação e aconselhamento personalizado, ajudando o cliente a entender melhor suas opções e tomar decisões financeiras mais informadas;

• Negociar melhores termos e condições de crédito em nome dos clientes, podendo resultar em taxas de juros mais baixas e prazos de pagamento mais flexíveis entre outros benefícios financeiros.

os seus objetivos financeiros. Toda a equipa procura iniciar as conversações de forma simples, com uma linguagem explicita e sem utilizar termos que não são acessíveis a todos.

Analisar as implicações financeiras e ajudar os clientes a entender as responsabilidades associadas ao financiamento, partilhando ferramentas para tomar decisões e comparar ofertas de crédito, considerando taxas de juros, prazos, comissões, penalidades e outros aspetos dos termos e condições dos produtos de crédito.

Procuramos estabelecer uma relação profissional empática e simpática, discutir a atual conjuntura económica, disponibilizar alguns dados históricos financeiros, como a evolução das taxas de referência nos últimos tempos, conhecer a história dos clientes, fazer uma análise detalhada da sua situação financeira, sugerir estratégias. Tudo importa, até a revisão periódica da situação financeira do cliente, partilhando conselhos adicionais, propondo eventuais transferências de crédito e respondendo a quaisquer dúvidas ou preocupações que possam ter.

A confiança, o detalhe e o conhecimento são três pilares fundamentais assentes na empresa. Visando o futuro, quais são as perspetivas e metas da RC Consultoria e Intermediação de Crédito?

Confiança, Detalhe, Conhecimento, Respeito, Compromisso e Persistência, são seis valores fundamentais da empresa.

As nossas perspetivas, como na maioria das empresas, dependem de vários fatores. O ambiente económico-financeiro, as necessidades do mercado e as tendências do sector são os mais relevantes, mas é a nossa atitude e experiência, a combinação que consideramos determinante para a obtenção dos melhores resultados, atentos às novidades, alterações legislativas e de mercado.

Já antecipámos algumas das nossas metas durante esta entrevista, que complemento com o breve reforço da equipa e expansão dos serviços. Incluir uma oferta de serviços relacionados, como a consultoria financeira abrangente, o planeamento financeiro, seguros, apoio jurídico, fiscal e investimentos ajudar-nos-á a fornecer soluções financeiras mais abrangentes e atender a diversas necessidades dos clientes, apostando numa oferta global.

Tendo em conta a importância da educação financeira para a tomada de decisões conscientes, quais as estratégias da RC Consultoria e Intermediação de Crédito para capacitar e informar os seus clientes sobre as melhores práticas de crédito no mercado?

A nossa estratégia é personalizar cada relação. É importante adotar uma abordagem transparente, imparcial e ética ao fornecer informações e orientações aos clientes. O objetivo é capacitar os clientes, ajudando-os a entender as implicações das suas decisões de crédito e a tomá-las conscientes e informadas, alinhadas com

geral@ritacatitacredito.com

Intermediário de crédito vinculado autorizado pelo Banco de Portugal nº0006491

www.bportugal.pt/intermediariocredi tofar/rita-pontes-de-sousa-alves-catita-unipessoal-lda

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 101
RC CONSULTORIA E INTERMEDIAÇÃO DE CRÉDITO | BRANDS POWER
Rita Catita e a sua equipa, Filipa Rodrigues na Gestão Processual e Isabel Lima Pacheco, Advogada no Apoio Jurídico

“VALORIZAMOS A ESTABILIDADE E A CONTINUIDADE”

Com a entrada em vigor do novo Código do Trabalho, a Finpartner mergulhou nas mudanças e, de forma perspicaz, oferece a sua visão sobre os impactos e desafios que o cenário laboral enfrentará.

A nova lei de trabalho entrou em vigor este mês. Quais as expectativas da Finpartner em relação aos efeitos do novo Código do Trabalho? Quais as principais características que podem afetar diretamente a Finpartner?

As alterações ao Código do Trabalho decorrentes da Agenda do Trabalho Digno e de Valorização dos Jovens no Mercado de Trabalho, transpõe para o nosso ordenamento jurídico as diretivas emanadas pela União Europeia e pelo Parlamento Europeu. Estas alterações visam a melhoria das condições de trabalho e a promoção de um maior equilíbrio entre a vida profissional e pessoal dos trabalhadores. Atuando em questões bastante concretas, que se prendem nomeadamente com o combate à precariedade laboral, a identificação de situações de irregularidade, a melhoria da fiscalização por parte das entidades competentes, o incentivo à negociação coletiva, a promoção da igualdade entre mulheres e homens no mercado de trabalho e o incentivo à divisão efetiva das responsabilidades familiares.

Apesar de os objetivos das alterações serem algo que, de uma forma geral, todos almejamos, existem alguns pontos que nos fazem questionar se o impacto que se sentirá no mercado de trabalho será efetivamente o pretendido pelo Governo. Estamos expectantes para ver o impacto real destas medidas. Quanto à repercussão que incidirá mais sobre nós, acreditamos que se prenda mais com a prestação de serviço que damos aos nossos clientes, nomeadamente no que respeita ao processamento salarial propriamente dito e à consultoria que fazemos nesta área. Será agora necessário, atualizar os softwares que usamos e alertar os clientes para as alterações em vigor, ajudando-os no que for necessário para se adaptarem a estas novas regras.

O novo Código do Trabalho incentiva as empresas com contratação coletiva. De que forma as empresas podem aproveitar esses benefícios? Isso fortalece ou enfraquece a capacidade de representação dos trabalhadores?

O Estado pretende com esta medida promover a contratação coletiva, de forma a que as convenções coletivas de trabalho sejam aplicáveis ao maior número de trabalhadores e empregadores, algo que já estava previsto no Artigo 485º do Código do Trabalho. Atendendo a este objetivo, que já não era novo, é agora introduzida uma discriminação positiva, para as empresas que adotem a contratação coletiva, designadamente no que diz respeito ao acesso a apoios públicos nacionais e europeus, bem como a incentivos fiscais. É introduzido um alargamento à contratação coletiva aos trabalhadores em regime de outsourcing e aos trabalhadores independentes, procurando desta forma incentivar a participação ativa de todos no diálogo social, pondo fim às exclusões de trabalhadores em função do tipo de contrato. Sem dúvida que estas medidas vem fortalecer a capacidade de representação dos trabalhadores e fomentar

um diálogo entre empregadores e trabalhador. Quanto aos benefícios para as empresas ainda não é claro o que está em causa concretamente e como se procederá para aceder aos mesmos.

Focando-nos nas mudanças específicas para os jovens no mercado de trabalho, acredita que estas medidas potencializam a sua contratação no mundo laboral? Como a Finpartner procura adaptar as suas práticas de contratação para se adequar a essas mudanças?

As mudanças no Código do Trabalho no que respeita aos jovens mais do que potencializar a contratação, visa sobretudo combater a precariedade existente e mudar a forma de contratação. Medidas como a limitação de renovações de contratos temporários, aumento da remuneração dos estágios profissionais e das bolsas de estágio do IEFP, bem como a duplicação do valor da compensação pela cessação dos contratos a termo, como forma de evitar a celebração de contratos temporários sem que exista justificação para tal, visa melhorar as condições e valorizar os jovens no mercado de trabalho. Sem dúvida que estas medidas são necessárias, contudo parece-nos que não serão estas alterações que colocarão fim à saída de jovens qualificados para outros países que oferecem melhores condições trabalho e melhor perspetiva de carreira. Em termos de políticas de contratação na Finpartner, sempre valorizamos a estabilidade e a continuidade, sempre aplicamos um modelo contratual por tempo indeterminado. Para além disso, esforçamo-nos para que as condições de aqueles que connosco trabalham sejam revistas e adaptadas de acordo com o crescimento da empresa e as condições económicas do país.

A segurança no trabalho é um direito do trabalhador. Como é que o novo Código do Trabalho aborda esta temática? Existem disposições específicas aplicadas pela Finpartner para a prevenção e proteção da saúde dos trabalhadores?

Não houve alterações significativas nesta matéria, o Código do Trabalho define que o trabalhador tem direito a trabalhar em condições que protejam a sua saúde e garantam a sua segurança, em todos os aspetos relacionados com a sua função, cabendo ao empregador o dever de garantir medidas de prevenção para todos os que utilizam as suas instalações. A Finpartner preocupa-se com o bem-estar dos seus colaboradores, contamos com parceiros que nos apoiam na identificação e prevenção de questões relacionadas com segurança e higiene no trabalho, trabalhando ativamente na melhoria continua das condições de trabalho dos nossos colaboradores. Para além disso tentamos ir mais longe, através da realização de estudos de clima organizacional, que permite identificar/mitigar possíveis situações que impactem negativamente o bem-estar dos nossos colaboradores.

102 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
BRANDS POWER | FINPARTNER

Manter uma comunicação fluída e efetiva com os clientes, empatia, visão estratégica, comportamento ético e paixão, são os elementos cruciais que refletem o universo da Reis & Associados, como desvenda, em entrevista, a Advogada Diana Reis.

Foi durante a L icenciatura em Direito que descobriu a importância da advocacia na vida das pessoas? Qual foi a motivação para exercer a profissão e fundar um projeto próprio?

Sim, foi, se bem que verdadeiramente só se perceciona essa dimensão quando se exerce efetivamente advocacia. Ninguém sai da Licenciatura preparado para ser advogado (ou o que quer que seja) e a realização do estágio da Ordem dos Advogados aqui assume um papel preponderante para termos este contacto e nos vermos confrontados com os casos reais da vida concreta. Regra geral, as pessoas não recorrem a um advogado pelo simples prazer de beligerar. Normalmente, teve lugar um evento na sua vida que as levou a trilhar pelo caminho judicial.

É aqui que se faz a diferença na vida das pessoas, no acompanhamento que lhes damos, na empatia que estabelecemos, na confiança que recebemos. Confesso que já tive mais motivação do que tenho agora. Gosto muitíssimo do que faço, mas sinto-nos abandonados. De um modo geral e sempre com o devido respeito por outra opinião, não há justiça (é apenas um conceito), não há meios humanos, começa a faltar algum respeito e não há diligência, cuidado e estudo nos assuntos. A par disso, contribuímos para um sistema previdencial privado que pouco nos assegura e o serviço público que prestamos, por vezes em condições tão difíceis, tem pouco reconhecimento e muitíssimo parca remuneração. Motiva-me ajudar as pessoas e saber que ainda existem operadores judiciários que procuram dar uma resposta efetiva, expedita e equitativa às contendas.

Que características intrínsecas da sua personalidade considera essenciais para estabelecer conexões significativas com os clientes? Que valores deve ter um advogado para fornecer um serviço jurídico de alta qualidade?

As características da minha personalidade que mais me identificam junto dos clientes é a impertinência e a tranquilidade. Enquanto advogada tomo em consideração (e peço à equipa que o faça também) que

procurem manter com os clientes uma comunicação fluída e efetiva para que as pessoas nos compreendam, a par de empatia, visão estratégica, comportamento ético e paixão pelo que se faz, com capacidade para reinventar e se reinventar.

A Reis & Associados conta com uma ampla rede de parceiros que agregam conhecimento a nível internacional. Como é que estas parcerias contribuem para tornar a estrutura mais competitiva?

A única forma de conseguirmos dar resposta a todas as solicitações e de disponibilizarmos um serviço com qualidade diferenciada, dando resposta aos desafios que nos colocam é conjugando parcerias de modo a que combinando o know-how, as vontades e meios humanos, otimizemos processos e procedimentos, tornando-nos mais competitivos. As parcerias serviram para isso mesmo, quer a nível nacional, quer internacional. Cada um de nós tem uma valência específica que o diferencia e, conjugando as valências de todos, conseguimos prestar um serviço melhor.

A aplicação da justiça é indiscutivelmente um dos elementos fundamentais para sustentar uma sociedade. Qual é a situação atual do sistema judicial e que medidas podem torná-lo mais célere e responsivo?

O sistema judicial está obsoleto, não temos meios humanos suficientes para fazer a gestão do sistema judicial, também não temos todos os tribunais dotados de meios técnicos, as decisões tardam e o sistema é tendencialmente muito moroso. O sistema de proteção jurídica, no que às remunerações concerne, bem como ao apoio prestado aos beneficiários, é desadequado e está desatualizado. Seria necessário fazer uma reforma profunda, mais sobre pensar em agilizar os procedimentos. Ainda há muita formalidade na prática dos actos, e atenção, deve haver, mas q.b. Os processos agigantam-se sem necessidade, tornam quase humanamente impossível que alguém leia, analise, estude e pondere, peças com milhares de páginas, replicadas por centenas de partes envolvidas, com dezenas de sessões de julgamento, realizadas normalmente vários anos depois dos factos terem ocorrido e depois ainda profira uma decisão que ainda tenha utilidade prática e exequibilidade.

É preciso dar resposta à dimensão humana das pessoas que trabalham na justiça e que regra geral, em qualquer valência, estão assoberbadas e numa rotina mecânica de afogo. Não é possível ter um ambiente de trabalho de salutar se as condições de realização do trabalho são assim ou piores. Esse é um dos aspetos essenciais a alterar.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 103
REIS & ASSOCIADOS | BRANDS POWER 963 363 004 | 964 171 347 Rua
146 - Girassolum Piso 3 Loja 333 Coimbra geral@reiseassociados.pt www.reiseassociados.pt | @reiseassociadosadvogados
MULTIDISCIPLINAR ORIENTADA
NECESSIDADES
João de Deus Ramos,
UM EQUIPA
PARA AS
DOS CLIENTES
Diana Reis, Advogada

“JUNTOS CONSEGUIMOS MANTER A NOSSA FLORESTA VIVA”

A Mário Alves & Manuel Alcides, Lda, empresa assente na tradição ancestral na arte do madeireiro, está a revolucionar o sector da exploração florestal em Portugal, destacando-se no ranking do sector. Com o compromisso de preservar a floresta, os profissionais combinam habilidades artesanais com tecnologia de ponta para fornecer produtos de madeira de alta qualidade. Além disso, enfrentando desafios ambientais e a escassez de mão de obra, a empresa adota soluções inovadoras e estratégicas eficientes para garantir um futuro sustentável para o sector. Fique a conhecer a influência e a experiência da dupla Mário Alves & Manuel Alcides, na exploração florestal e no crescimento económico do país.

Sendo uma empresa que promove emprego na região, tem recorrido às tecnologias existentes no mercado devido à escassez de pessoas que pretendem trabalhar neste ramo de atividade.

Prima-se pelo bom nome da empresa no mercado, assumindo e cumprindo os compromissos honradamente para com os nossos clientes, fornecedores e funcionários. As vendas de madeira são canalizadas essencialmente para o fornecimento de empresas de pasta de papel e de serrações.

A Mário Alves & Manuel Alcides, Lda, é uma empresa sediada em Escariz, pertencente ao concelho de Arouca, com escritórios em Gião, concelho de Santa Maria da Feira. A sua criação remonta a 2001, embora a laboração na arte de madeireiro já tenha raízes ancestrais. Sociedade formada pelo pai, Mário Gomes Alves e pelo Filho, Manuel Alcides Oliveira Alves, ambos formam uma excelente dupla na área da exploração florestal.

A empresa dedica-se ao corte e abate de árvores, tendo ao seu serviço a maquinaria mais avançada no ramo da exploração florestal. Há cerca de dois anos, até a nível de sustentabilidade ambiental, adquiriu uma máquina de enfardamento de sobrantes florestais que servem para aquecimento de caldeiras de fábricas e produção de energia em centrais de biomassa.

A empresa opera num sector em que o cenário futuro irá revelar certamente escassez de produto no mercado. Espera-nos um desafio ambiental essencialmente devido aos incêndios e, no ponto de vista da empresa, há falta de proteção das florestas. É condicionada a entrada dos profissionais do ramo da madeira em alturas críticas a nível de condicionantes climatéricas, quando esses profissionais acabam por fazer “operações de vigilância” às matas onde estão a intervir, bem como abertura de caminhos para transporte de madeiras que poderão servir de acesso para os bombeiros no caso de incêndios nas florestas. As tecnologias existentes ao combate de incêndios têm tido grandes inovações e evoluções e todos os anos assistimos às mesmas catástrofes ambientais - fogos - que destroem a nossa floresta. O investimento por parte doGoverno em drones de vigilância, assim como dispositivos próprios de combate aos incêndios é no ponto de vista da empresa, essencial, não só a nível de sustentabilidade ambiental, bem como um ponto vital para a continuidade do sector da exploração florestal. Sector esse que exprime uma grande relevância na economia portuguesa.

“Juntos conseguimos manter a nossa floresta viva…”, remata Manuel Alcides Alves.

104 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
BRANDS POWER | MÁRIO ALVES & MANUEL ALCIDES, LDA
Manuel Alcides e Mário Alves, Gerentes
REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 105 AVENIDA DOS DESCOBRIMENTOS 1 º ANDAR OLIVEIRA DE FRADES, PORTUGAL CHAMADA PARA REDE MÓVEL NACIONAL 925 446 009 CHAMADA PARA REDE FIXA NACIONAL 232 098 884

A ARTE DA SUSTENTABILIDADE NA TRANSFORMAÇÃO DOS ESPAÇOS

A Clarim Expert Painters traduz-se na procura incessante pela excelência em cada detalhe, pela dedicação e pelo compromisso com a sustentabilidade. Entrevistámos o CEO, Luís Oliveira, para descobrir os segredos por trás do sucesso da empresa.

A Clarim Expert Painters é uma empresa fundada em 2021, quais os objetivos iniciais da empresa e os serviços que disponibilizam? De que forma a sua formação em artes gráficas contribui para o sucesso da empresa?

Desde a sua fundação em 2021, a Clarim tem-se destacado como uma força inovadora e visionária no sector da pintura e decoração. Os objetivos iniciais foram redefinir os padrões de excelência e introduzir uma abordagem revolucionária em relação à pintura e aos revestimentos decorativos em Portugal.

Oferecemos uma ampla gama de serviços, desde o processo de pintura de alta qualidade

Além de Portugal, em que outros países trabalha a Clarim Expert Painters? Há algum projeto de prestígio que destaque?

A Clarim Expert Painters vem na esteira de uma empresa belga BE ART CONCEPT, criada em 2016, que facilmente se estabilizou no mercado internacional, e que concentra a sua atividade em restauração e renovação de hotéis e espaços comerciais. A Clarim mantem parceria com arquitetos e outras empresas de renome no sector hoteleiro, como a VLD+. Uma das parcerias de sucesso aconteceu na intervenção realizada no Hotel Pathershof, localizado na cidade de Mechelen, na Bélgica. Trata-se de uma antiga igreja que foi transformada em um dos hotéis mais apreciados pela sua originalidade.

Qual é o compromisso da empresa com a sustentabilidade e como isso se reflete no dia a dia?

para que possam ser recuperados, reciclados e reutilizados, resultando ainda deste processo água potável.

Quais são os critérios de seleção de materiais para garantir a durabilidade dos serviços prestados?

à aplicação de revestimentos decorativos exclusivos, artesanais e de base mineral. A arte de decoração mural como marmorinos, estuques venezianos, estuques à base de cal e argila, bem como, o microcimento.

A formação em artes gráficas tem sido um importante complemento aos serviços que oferecemos, os conhecimentos sobre a harmonia das cores e sua influência nos espaços, aliado à criatividade e expertise dos nossos colaboradores, permite-nos oferecer um aconselhamento personalizado aos nossos clientes, desenvolvendo um layout à medida das suas expectativas, primando sempre pela excelência, quer ao nível estético, quer funcional de cada um dos nossos projetos.

Na Clarim Expert Painters, a sustentabilidade está no centro da nossa filosofia de negócios e conduz todas as nossas atividades diárias. Temos um compromisso inabalável em minimizar o nosso impacto ambiental e promover ações positivas em direção a um futuro mais sustentável. Esse compromisso reflete-se em todos os aspectos de nosso trabalho, desde a seleção cuidadosa de materiais eco-friendly até a adoção de práticas de gestão de resíduos eficientes. Além disso, procuramos parcerias estratégicas com fornecedores comprometidos com a sustentabilidade, garantindo que os produtos utilizados sejam ecologicamente responsáveis. Foi, nesse sentido, que nos tornámos embaixadores da CWG (CLEAN WATER GLOBAL), um projeto que visa o tratamento dos resíduos gerados na indústria da pintura, que consiste no sistema Cradle-to-Cradle, ou seja, as águas resultantes de lavagem das tintas, bem como dos equipamentos são recolhidas com a finalidade de separar os resíduos sólidos (micro-plásticos, metais, entre outros),

A qualidade é uma prioridade absoluta em todos os nossos serviços. Para garantir a durabilidade e a excelência em cada projeto, seguimos critérios rigorosos na seleção de materiais exclusivos e de alta qualidade. Trabalhamos em estreita colaboração com marcas renomadas e líderes do sector, que são reconhecidas pela sua excelência, inovação e compromisso com a qualidade. Além disso, realizamos testes rigorosos para assegurar que esses materiais respondam aos mais altos padrões de desempenho e resistência. Dessa forma, garantimos que cada projeto realizado pela Clarim Expert Painters seja excepcional em termos de acabamento, durabilidade e satisfação do cliente. Somos representantes da Spraypaints, uma marca inovadora na área das tintas de pulverização, que se destaca pelo processo sustentável aplicado na sua produção.

Quais são os planos futuros da Clarim Expert Painters?

O nosso objetivo é permanecer na vanguarda do sector, oferecendo aos nossos clientes opções e soluções que são verdadeiramente únicas e que superam as suas expectativas. Os planos futuros incluem uma expansão geográfica estratégica, parcerias colaborativas e o contínuo desenvolvimento de produtos e serviços inovadores. Estamos empenhados em impulsionar o crescimento da Clarim, mantendo o compromisso com a excelência, a sustentabilidade e a satisfação dos clientes.

106 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL BRANDS POWER | CLARIM EXPERT PAINTERS
Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.