Revista Business Portugal - Abril 2024

Page 6

A PROCURA CONSTANTE DE SOLUÇÕES PIONEIRAS E INOVADORAS SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL • SAÚDE E CIÊNCIAS DA VIDA • SETÚBAL EMPREENDEDOR • BRANDS POWER
José Meira, CEO da Adopthouse
“PRETENDO
Olga Konovalova, CEO da Multi Windows
UMA EMPRESA DE TODOS E PARA TODOS” SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL • SAÚDE E CIÊNCIAS DA VIDA • SETÚBAL EMPREENDEDOR • BRANDS POWER
PUB

Na liderança há 11 anos

www.lg.com/pt

ÍNDICE

Nota de boas-vindas...

4. Índice

Nota de boas vindas...

6. Adopthouse

A procura constante de soluções pioneiras e inovadoras

10. Multi Windows

“Pretendo uma empresa de todos e para todos”

16. ZeroVinteOito ZeroVinteOito ajuda a superar desafios e a materializar sonhos

20. Carvalho Ribeiro Arq. “Cada projeto é abordado de forma única e personalizada”

28. Inovação Tecnológica

30. LG LG surpreende e apresenta plano de lançamentos sofisticado

35. Saúde e Ciências da Vida

36. Roxall

A importância da facilidade na administração das vacinas

54. OMV O Dia Mundial da Medicina Veterinária

64. Setúbal Empreendedor

65. ENA

Compromisso coletivo rumo à sustentabilidade: Território Arrábida assume desafio da descarbonização

68. Sesimbra Natura Park Sesimbra Natura Park e a construção de um futuro mais verde

71. Scampia Engenharia

Scampia Engenharia: qualidade, competitividade e experiência

86. Direito - 50 anos após abril

88. Cruz Vilaça Adv. Cruz Vilaça Advogados: na primeira linha da luta pela reforma do sistema de justiça

92. Brands Power

96. BDR Marcas com propósito: impacto além dos lucros

98. WCGC Portugal Sesimbra acolhe as primeiras etapas nacionais do WCGC

101. Empresas com história

102. Rosete Engenharia Uma referência na reabilitação e manutenção de edifícios

Num mundo cada vez mais dinâmico e desafiador, a capacidade de inovação tornou-se não apenas uma vantagem competitiva, mas uma necessidade imperativa para as empresas que desejam prosperar no seio da complexidade do mercado global. A inovação empresarial está no centro de todas as grandes transformações que testemunhamos hoje. Desde a revolução digital até à crescente demanda por sustentabilidade e responsabilidade social, as empresas estão a ser chamadas a reinventar os seus modelos de negócios, processos e produtos para se adaptarem a um mundo em constante mudança.

No entanto, a inovação vai muito além da simples adoção de novas tecnologias. Ela requer uma mentalidade aberta, uma cultura organizacional que valorize a experimentação, a aprendizagem contínua e uma liderança visionária que inspire e capacite os colaboradores a pensarem de forma criativa e disruptiva.

Nesta edição, apresentamos casos inspiradores de empresas que estão na vanguarda da inovação em diferentes setores. Desde startups promissoras até organizações estabelecidas, estas empresas estão a desafiar o status quo e a redefinir o que é possível no mundo dos negócios, até porque o impossível só é impossível até acontecer.

Fernando

FICHA TÉCNICA Editor/Propriedade: António Fernando A. R. Silva | Redação e Publicidade: Av. República 2208 - 3º Drt Centro Frt, 4430 -190 V N Gaia | Sede: Av. República 2208, 3º Drt Centro Frt, 4430 -190 V N Gaia | Diretor: Fernando R. Silva E-mail: geral@revistabusinessportugal.pt/Comercial: comercial@revistabusinessportugal.pt/Redação: redacao@ revistabusinessportugal.pt | Telf: 223 700 510 | Distribuição: Gratuita com o jornal Diário de Notícias | Dec.regulamentar 8-99/9-6 artigo 12 N.ID Depósito Legal: 374969/14 Nº Registo ERC 126515 Impressão: YellowMaster | Avenida João Azevedo Coutinho nº643, 2755-101 Parede Estatuto Editorial: Disponível em www.revistabusinessportugal.pt/ estatuto-editorial Periodicidade: Mensal - Abril 2024 Tiragem Média: 20.000 exemplares
2024
Abril

A PROCURA CONSTANTE DE SOLUÇÕES PIONEIRAS E INOVADORAS

Irreverente, irrequieto, arrojado e curioso, assim é José Meira. Um homem motivado pela paixão à profissão e um verdadeiro exemplo de empreendedorismo. Em entrevista à Revista Business Portugal, José Meira dá a conhecer a Adopthouse, uma empresa inovadora, arrojada e criativa, cujos projetos se traduzem numa homenagem ao design e ao bom gosto no setor imobiliário.

Quem é José Meira? O que o inspira e motiva diariamente enquanto empresário? Que valores procurar incutir na sua liderança na Adopthouse e quais são as principais qualidades ou características que acredita serem essenciais para motivar a sua equipa para alcançar os objetivos da empresa?

Irreverente, irrequieto, arrojado, curioso… assim se define José Meira. Empresário na área da construção, CEO da empresa Adopthouse – Imobiliária e Construção, há 24 anos que constrói lares, sonhos para famílias, aliado ao bom gosto pela arquitetura. Com 46 anos, um filho, que já lhe segue as pisadas, começou a trabalhar em nome pessoal, e o nome José Meira foi crescendo também enquanto empresário, dando sempre passos sólidos e seguros, gostando de se destacar pela diferença. À frente de uma equipa de trabalho, incute aos seus colaboradores seriedade e princípios na liderança como exemplo para todos. Considera que o segredo consiste na criação de um bom ambiente de trabalho, onde delega e confia nos que consigo trabalha, elogiando e parabenizando quando a equipa o merece, o que acontece com frequência, estando também presente na vida dos trabalhadores fora do nível profissional, numa relação de proximidade e amizade.

Gosta de música, viajar, praticar desporto, mas sente-se realmente feliz quando está entre amigos e família. Adora trabalhar, e adora o que faz. Prova disso é o sucesso e a posição que a empresa tem vindo a alcançar no mundo da construção civil. Nunca dá as costas a um bom desafio profissional, e fá-lo sempre com o mesmo espírito empreendedor e audaz.

Com mais de 16 anos de experiência, a Adopthouse destaca-se no setor da construção e imobiliária. Que balanço traça do percurso da empresa e como descreve o seu posicionamento no mercado? Quais são os principais serviços disponibilizados?

A Adopthouse é uma empresa que está no mercado desde 2008.

Somos uma empresa inovadora, arrojada e criativa, cujas linhas orientadoras são principalmente a seriedade no negócio e o compromisso com os nossos clientes, fornecedores e parceiros.

Neste momento, somos considerados uma das 5% Melhor PME de Portugal, o que indica claramente qual o nosso posicionamento no mercado. Somos já reconhecidos pelo nosso trabalho e projetos que se traduzem numa homenagem ao design e bom gosto do setor imobiliário. Os serviços que disponibilizamos aos nossos clientes são um acompanhamento personalizado e aconselhamento na escolha dos materiais de acabamento, o serviço pós-venda de excelência que prestamos e o apoio para a aprovação de créditos na habitação.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 6 SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | ADOPTHOUSE

elevado rendimento, iluminação dos átrios, zonas de circulação dos espaços comuns e privadas com aparelhos led de alta eficiência e baixo consumo, elevadores de tecnologia permitindo a redução do consumo energético, eletrodomésticos de elevada eficiência energética , ar condicionado que garante excelente climatização, autoclismos com sistema que permite selecionar o volume de água de cada descarga, torneiras equipadas com redutores de caudal, uso de piso radiante hidráulico e aproveitamento das águas pluviais para uso nos jardins. Além disto, uma constante nos nossos projetos são o uso de fachadas ventiladas e caixilharias que oferecem um isolamento térmico e acústico de elevado desempenho, permitindo desta forma a redução das necessidades energéticas, assim como um elevado nível de conforto e sustentabilidade.

O foco da Adopthouse está na construção e promoção imobiliária, beneficiando de uma vasta experiência no mercado com um diversificado portfólio de empreendimentos. Que projetos elege como mais emblemáticos no vosso vasto percurso?

A missão da empresa é desenvolver e construir imóveis de qualidade superior que satisfaçam os clientes, respeitando os padrões de crescimento sustentável: ambiental, social e económico. Como a empresa aborda questões de sustentabilidade e eficiência energética nos seus projetos de construção? E a inovação e a adoção de novas tecnologias no setor de construção e imobiliário?

Um dos princípios orientadores da Adopthouse é efetivamente a proteção ambiental e o crescimento sustentável. Através da utilização de equipamentos mais modernos e com melhor classificação energética e do uso dos mais recentes materiais de construção de gama ecológica: aquecimento de água com recurso a bombas de calor de

Todos os projetos da Adopthouse são emblemáticos, uma vez que fazem parte da história da nossa empresa: 112 moradias, das quais destacamos o Empreendimento Douro Village, pela sua localização e vista sobre o Rio Douro e os Empreendimentos Pereiras Village I e II, que pela sua arquitetura e conforto, trata-se de um condomínio semi-privado. Realçamos ainda os 280 apartamentos construídos pela nossa empresa, dando especial realce para os Empreendimentos Castella, Sinçães Terrace, Maia Design I, II e III, Green Design. Neste momento, o Bloco A em fase de entrega aos clientes, trata-se de um condomínio contemporâneo, de gama média/alta, com excelente posição solar em Fânzeres, Gondomar. Apartamentos com áreas generosas, elevada luminosidade e jardins privados. Localizado numa área de forte consolidação urbana, primam pela extrema elegância e design com acabamentos premium, permitindo viver em harmonia e conforto, sendo um imóvel com um projeto de design arrojado. Damos especial destaque para o empreendimento Marina Terrace, visto ser o primeiro de muitos empreendimentos de luxo construídos pela Adopthouse numa primeira linha marítima, com 34 apartamentos, incluindo 4 penthouses com jacuzzi integrado na varanda e amplos terraços, assim como 4 lojas para comércio e serviços. Numa área total de 9.544m2, este empreendimento está localizado numa zona

7 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ADOPTHOUSE | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL
Maia Design I Maia Design II Maia Design III Green Design

privilegiada junto à Marina da Póvoa de Varzim. Um projeto de promoção e construção que representa um investimento de cerca de 25 milhões de euros, foi projetado para fazer face à crescente necessidade e procura de imóveis de segmento de luxo, procurando proporcionar qualidade de vida a quem procura viver à beira-mar com elegância, requinte e bem-estar.

Mesmo junto ao mar, em Vila do Conde, numa zona de grande valorização imobiliária, a Adopthouse apostou no desenvolvimento de um novo projeto imobiliário de luxo, o Marina Terrace. Como descreve este novo empreendimento do Grupo Adopthouse? Que fatores contribuíram para o sucesso de vendas?

Sem dúvida que a localização e a arquitetura contemporânea foram fatores decisivos para o sucesso de vendas do Marina Terrace Os amplos espaços com vista desafogada para o mar, na primeira linha e o uso de materiais e acabamentos nobres e equipamentos de elevada qualidade, permitindo excelente conforto e modernidade de excelência são indubitavelmente fatores decisivos na altura de escolher o nosso empreendimento, cujo revestimento principal do edifício e a materialização com o mínimo de manutenções, mantêm a simbiose natural e contemporânea usada nos nossos projetos, tendo cuidado com o pormenor e o requinte de soluções. Localizado numa zona costeira, a qualidade do empreendimento passa também pela utilização de materiais de reduzido desgaste.

A Adopthouse foi distinguida pela SCORING com a certificação TOP 5% Melhores PME de Portugal, pelo segundo ano consecutivo. Quais foram as estratégias implementadas pela empresa para alcançar este reconhecimento? Qual é a relevância desta distinção para a imagem, visibilidade e notoriedade da organização?

É sem dúvida uma distinção de que muito nos orgulhamos e que premeia todo o empenho e cooperação entre todos os que colaboram com a Adopthouse, desde os seus colaboradores até aos seus fornecedores. Sendo considerada uma das 5% Melhores PME de Portugal, dá-nos uma visibilidade mais abrangente a nível nacional e coloca-nos um desafio ainda maior: superar sempre os nossos objetivos, fruto da dedicação de todos, quando se trabalha numa equipa sólida e coesa,

fazendo sempre o nosso melhor no acompanhamento e na satisfação das necessidades do nosso cliente.

Quais os desideratos assumidos em termos de futuro? Qual a estratégia estabelecida para continuarem a desenvolver e construir imóveis de qualidade superior, contribuindo para um melhor nível de vida dos vossos clientes?

Futuramente, podemos adiantar que temos em carteira um novo projeto a ser delineado, próximo das faculdades e hospitais do Porto. Situado numa área de muita procura, de localização premium, irá nascer um novo empreendimento de 4 edifícios, de cariz familiar, de arquitetura contemporânea, com amplos terraços e jardins, onde se destacará a inovação na construção dos edifícios, todos em betão armado, num sistema pioneiro em Portugal. Edifícios projetados, tendo em consideração o reaproveitamento de matérias-primas, causando assim uma grande redução no impacto ambiental. É esta a nossa estratégia: a procura constante de soluções pioneiras e inovadoras, tendo sempre em consideração o menor impacto ambiental possível, indo de encontro às necessidades do mercado imobiliário, aliado a uma forte equipa de trabalho, cuja liderança é vanguardista e séria no compromisso assumido com todos.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 8
Marina Terrace Edifício Sinçães
SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | ADOPTHOUSE
Edifício Castella
9 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL FLOA info@adopthouse.pt • 252 081 085 (Chamada para a rede fixa nacional)

“PRETENDO UMA EMPRESA DE TODOS E PARA TODOS”

A MULTI WINDOWS é uma referência incontornável no panorama empresarial do nosso país, a sua jornada de crescimento e desenvolvimento tem sido verdadeiramente inspiradora, com alicerces fortes na vontade, querer e poder de superação de Olga Konovalova, CEO, e de uma equipa dedicada e imbuída no espírito e valores da empresa.

Temos assistido a um crescimento substancial da marca MULTI WINDOWS desde a nossa última entrevista, onde obtivemos a sua perspetiva de transformação empresarial. Onde se encontram agora?

Tem sido uma viagem incrível de toda a equipa da MULTI WINDOWS, com muita vontade e muito querer, fundamentalmente muita superação. O crescimento é uma consequência da entrega que esta equipa tem diariamente. Encontramo-nos numa fase evolutiva nos nossos processos, recursos humanos, e tecnologia. Em suma trabalhamos numa evolução contínua para acompanhar o volume de negócios. A solidez dos nossos parceiros de negócios também tem um papel fundamental na nossa evolução, a nossa relação com fornecedores é movida pela ética, um exemplo é a reputação internacional que temos obtido junto de fabricantes de matérias-primas que nos procuram todos os meses. Penso que a cultura empresarial que estamos a desenvolver permite que os valores que defendemos sejam reconhecidos também por elementos externos à empresa.

Portanto, a cultura empresarial transparece para fora? Na sua opinião, acha que é uma mais-valia para os parceiros de negócio?

Claramente. Uma cultura positiva e orientada à entreajuda é rapidamente identificada pelos nossos parceiros, até pelo facto de beneficiarem da cultura no sentido em que as relações interpessoais são mais positivas e essa ligeireza traduz-se em produtividade até nos momentos mais difíceis. Adicionalmente, e penso que o ecossistema empresarial o permite, quando o permitem, empresas com uma cultura positiva podem influenciar outras empresas a agir da mesma forma. No fundo, se formos bons uns para os outros os dias tornam-se mais fáceis «risos».

Depreende-se que a Olga é uma influência positiva na estrutura empresarial, pelos valores e pela visão. Considera, portanto, que a cultura empresarial é fundamental para o sucesso das organizações?

Sim, a cultura empresarial define a continuidade de uma organização. Se não for robusta, com valores base muito fortes, acaba por se tornar num corpo estranho na mente das pessoas. É fundamental que se proporcionem meios aos colaboradores para poderem florescer, e esses meios podem ser tão simples como o reconhecimento do fruto do seu trabalho. Creio que o mais importante é a partilha da visão, do sonho, onde é que queremos estar. No fundo, um coletivo só poderá atingir determinados patamares produtivos se toda a gente estiver alinhada num objectivo comum, isso encoraja toda a gente a sair da sua zona de conforto, de abolir a famosa frase “não dá para fazer” ou transformar o “é difícil” em “conseguimos desta forma”. E é aqui que a cultura se torna num fulcro transformador,

A solidez dos nossos parceiros de negócios também tem um papel fundamental na nossa evolução, a nossa relação com fornecedores é movida pela ética

11 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
MULTI WINDOWS | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL

Saber que podemos melhorar o bem-estar dos nossos clientes motiva-nos a oferecer soluções cada vez mais inovadoras

sair da zona de conforto torna-se natural quando o ambiente empresarial é de confiança e de cooperação, e isso encoraja as pessoas a assumirem responsabilidades, a terem uma voz que é ouvida e tida em conta. Torna-se também mais fácil a retenção de colaboradores quando nos tornamos num local seguro.

Considerando a história empresarial, os desafios que enfrentaram e a resiliência demonstrada, pode revelar o que pretende para o futuro da MULTI WINDOWS?

Pretendo uma empresa de todos e para todos, e que perdure no tempo. Na minha óptica é fundamental que cada colaborador compreenda que também é responsável pelos seus colegas de trabalho, se todos desenvolverem trabalho rigoroso e de qua-

lidade, assegura-se a estabilidade e continuidade empresarial, bem como o seu próprio crescimento. Apenas com solidez se consegue a longevidade, e a solidez depende estritamente de todos os que fazem parte desta história corporativa. Obviamente que pretendemos produzir produtos de alta qualidade, mas o que nos motiva a crescer é produzir algo que seja benéfico para as pessoas, saúde, bem-estar, consciência ambiental. Cada vez mais o consumidor procura estas componentes em tudo o que compra, e a caixilharia não é excepção. É fundamental entender que um melhor isolamento, produzido com materiais totalmente recicláveis, é uma necessidade. Diminuir o consumo energético é a palavra de ordem e as Janelas Eficientes permitem precisamente isso, tão ou mais importante, é a saúde. Saber que podemos melhorar o bem-estar dos nossos clientes motiva-nos a oferecer soluções cada vez mais inovadoras. É também importante para os nossos clientes terem a confiança que estaremos cá por muitos anos, e que podem recorrer à nossa empresa sempre que for necessário. É bastante frequente em empresas neste ramo sucumbirem ao fim de poucos anos de actividade, muitas vezes ainda dentro dos prazos de garantia dos produtos que os clientes compram, impossibilitando que estes possam resolver eventuais problemas futuros. Estamos cá há 13 anos, e estaremos por muitos mais.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 12 SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | MULTI WINDOWS
13 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

“A EXS SEMPRE MARCOU O SEU

POSICIONAMENTO PELA INOVAÇÃO”

Alexandre Carvalho, CEO da EXS – Mediação de Seguros, em entrevista, sublinha que o grande objetivo é ver o nome da EXS entre os maiores e melhores mediadores do país, e tudo indica que estão no bom caminho.

A EXS – Mediação de Seguros entrou no mercado em 1996 com o objetivo de se tornar uma mediação de Seguros de referência a nível nacional, primando pela excelência no serviço prestado e pela inovação nos diversos ramos da atividade seguradora. Volvidos 28 anos que balanço faz da trajetória da empresa e como descreve o seu posicionamento?

A EXS iniciou atividade em 1996 como um mediador tradicional, com poucos colaboradores, que trabalhavam todo os tipos de seguros e o nosso crescimento nesses primeiros anos era estável, mas não muito grande, o que é natural para este tipo de mediação. Quando iniciámos o projeto “Rede Especializada Vida” em 2014, criámos uma rede de consultores especializados no tratamento dos seguros de vida crédito habitação e desde então temos tido um crescimento exponencial: contamos com 18 mil segurados e mais de 26 mil seguros; aumentámos a nossa equipa em 420%, mudámos de instalações três vezes e, desde 2018, temos a possibilidade de oferecer uma viagem anual paradísica aos nossos colaboradores. Para mim, estes são excelentes indicadores de uma empresa que se preocupa com o que é importante: as pessoas. Dedicámos esta década a apoiar as famílias com crédito habitação, mas nunca descurámos os outros ramos de seguros. Procuramos ajudar a difundir uma maior literacia financeira: a nossa experiência diz-nos que um cliente informado é um cliente preocupado em proteger a sua vida e família. O objetivo da EXS é tornar o mundo dos seguros mais simples, transparente e acessível, oferecendo um atendimento especializado e de confiança.

O conjunto de serviços que prestam, ajudam-vos a cumprir a vossa missão: garantir a proteção total de pessoas, famílias, empresas e colaboradores. Fale-nos da oferta de seguros que disponibilizam e as suas mais-valias. Quais os fatores que vos diferenciam num mercado cada vez mais global e competitivo?

Destacamo-nos pela nossa abordagem única: a combinação de uma rede de consultadores especializados, com tecnologia que nos permite analisar as condições das 23 principais seguradoras nacionais. O resultado destas parcerias, é uma oferta de seguros abrangente e com as melhores condições de mercado. Aliado ao benefício de um consultor dedicado: garantimos um acompanhamento personalizado, essencial num mercado global e competitivo.

O nosso foco são os seguros dedicados à proteção de pessoas: sobretudo o seguro de vida associado ao crédito habitação, mas também tudo o que seja proteção familiar, acidentes pessoais e saúde.

A EXS sempre marcou o seu posicionamento pela inovação: tanto nos seguros vida associados ao crédito habitação (pioneiros na criação uma rede especializada), assim como com a implementação do primeiro seguro de instrumentos musicais em Portugal.

Como a empresa se mantém atualizada em relação às mudanças regulatórias e tecnológicas no setor de seguros?

O setor segurador é exigente, dinâmico e sensível, porque lidamos com a vida das pessoas. Como tal, é alvo de constantes alterações, como foi o caso do novo RGPD ou, mais recentemente, da digitalização forçada dos processos de contratação de seguros, durante a pandemia. Para a EXS, este período não representou um desafio insuperável, graças à nossa preparação e ao nosso investimento significativo em tecnologia. Os nossos consultores conseguem desenvolver a sua atividade à distância e mantiveram o controlo das suas funções, assegurando a continuidade do serviço de excelência. Adaptámo-nos facilmente a esta realidade, mantendo o essencial e mais importante: a proximidade com o cliente. Com o ritmo de hoje em dia, torna-se dispensável a visita presencial ao mediador. Nós conseguimos providenciar o mesmo serviço, mais célere, menos burocrático, e com a

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 14
SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | EXS - MEDIAÇÃO DE SEGUROS

mesma proximidade. Aliás, trabalhamos diariamente para facilitar a comunicação com o cliente, para que tenha resposta imediata, impossível numa mediação tradicional.

Ao longo do percurso da empresa, destacam-se mais recentemente, as distinções relativas a 2020 de TOP 10+ do setor de Serviços Financeiros e Seguros e TOP 5% PME de entre as empresas nacionais, que atestam o desempenho e solidez financeira da EXS. Que significado têm estas distinções e qual o impacto a nível interno e externo?

A EXS é distinguida pela Scoring desde 2019, todos os anos (mais recentemente relativo a 2023), como estando entre as melhores PME de Portugal, nas categorias: Top 10+ no setor de Mediação de Seguros, bem como Top 5 das Melhores PME de Portugal. Este reconhecimento é sempre um motivo de orgulho: dá-nos alguma segurança e reforça a nossa credibilidade como empresa e equipa, tanto junto dos nossos parceiros como das companhias de seguros que trabalham connosco. Mas sobretudo junto do cliente: somos uma mediadora que acompanha os clientes, no momento e no futuro.

Como descreve a visão de longo prazo da empresa e os seus objetivos para o futuro? Que estratégias estão delineadas para continuarem a ser uma referência para os clientes?

A nossa estratégia para o futuro é simples: continuar a ser uma mediadora de seguros de referência para colaboradores e clientes. Trabalhamos melhor em equipa quando estamos em sintonia. Desenvolvemos ao longo do ano atividades recreativas e desportivas, para toda a equipa e as suas famílias. Além disso, reconhecemos

e premiamos o bom desempenho, em todas as áreas da empresa. Relativamente ao cliente, o nosso compromisso é trabalhar todos os dias por um serviço melhor, simplificando processos, minimizando burocracias e mantendo um acompanhamento íntegro e personalizado. Queremos ainda continuar a aumentar a nossa rede de parcerias para conseguir chegar mais longe e ajudar mais pessoas. O nosso grande objetivo é ver o nome da EXS entre os maiores e melhores mediadores do país, como resultado de um serviço de excelência aos nossos clientes e satisfação dos nossos colaboradores, e tudo indica que estamos no bom caminho.

15 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL EXS - MEDIAÇÃO DE SEGUROS | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL

ZEROVINTEOITO AJUDA A SUPERAR DESAFIOS E A MATERIALIZAR SONHOS

A ZeroVinteOito surgiu em 2008 fruto da vontade em criar uma empresa que se dedicasse a elaborar soluções criativas, funcionais e, sobretudo, únicas, ajustadas a cada cliente. Em entrevista à Revista Business Portugal, Tânia Nunes, CEO e Arquiteta de Interiores, dá a conhecer a essência da empresa que criou dando vida aos seus sonhos.

Tânia Nunes sempre foi uma apaixonada pelas artes, herdou a sensibilidade do seu pai que era poeta, por isso sentia gosto em todas as formas de arte desde a música à poesia, passando pela dança, desenho e pintura. Contudo, na hora de seguir a vida académica, escolheu a Faculdade de Arquitetura no Curso de Interiores.

Quando acabou o curso, Tânia tinha em si todos os sonhos do mundo, acabou por ir trabalhar para um atelier, mas o sonho comanda a vida, por isso sonhava criar uma empresa onde estivesse 100% dedicada ao cliente e assumir os seus projetos e sonhos como se fossem seus, garantindo a satisfação do cliente. Sonhava ainda criar uma empresa com colaboradores que pudesse chamar de “família”, onde fossem todos amigos e unidos, “e não estou a falar de flexibilidade de horários, prazos conscientes para executar trabalhos e momentos de lazer que acho muito importantes, mas principalmente, trabalharmos em prol de um propósito maior, que aos poucos fui descobrindo e implementando que era “dar alma aos espaços”.

Assim, a ZeroVinteOito surgiu, em 2008, precisamente quando começou a rebentar a crise no setor imobiliário, assumindo-se sempre como uma empresa lutadora, que nunca desistiu, tornando-se resiliente, flexível e ainda mais criativa. Volvidos 16 anos, a ZeroVinteOito tem-se destacado por oferecer soluções criativas e únicas aos seus clientes, tendo desenvolvido inúmeros projetos de grande relevância e notoriedade. Mas para Tânia, nem sequer são os projetos que destacam a empresa, mas sim a forma persistente, com que juntamente com a sua equipa tem vindo a mudar a forma como as pessoas veem os interiores. “Antigamente, dava-se muito valor à arquitetura e ao projeto arquitetónico, mas aos interiores não. Uma conquista feita por mim, pela minha empresa, e também por outros gabinetes, foi sensibilizar as pessoas para o sítio onde realmente vivem, para o interior das suas casas e dos seus escritórios”, sublinha,

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 16
SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | ZEROVINTEOITO
Tânia Nunes, CEO Equipa ZeroVinteOito

acrescentando que aos poucos a ZeroVinteOito começou a mudar a mentalidade de muitos promotores da região, que hoje em dia, demonstram um cuidado e atenção diferentes, pensando no cliente e na forma como este vai utilizar o espaço.

Serviços e soluções disponibilizados

A ZeroVinteOito começou como uma uma empresa de Design de Interiores, mas rapidamente se transformou numa empresa que oferece Arquitetura, Interiores e imagem e filme 3D, controlando assim todo o processo e garantindo que o produto final seja coerente, harmonioso e funcional. “Começámos a fazer projetos de raiz, sempre a pensar no foco no interior, no sentido de vivenciar os espaços e aliar a funcionalidade com a estética. Acredito que a nossa casa é o nosso interior e é uma forma de nos valorizarmos. Conseguimos refletir-nos nas casas que escolhemos, sentimos que os clientes se querem valorizar através dos seus espaços e percebem essa importância”, salienta a nossa entrevistada.

Superar as expectativas de clientes e colaboradores

A missão da ZeroVinteOito é superar as expectativas dos clientes. Como líder de uma empresa, Tânia acredita que ou uma empresa está a crescer ou está a morrer, não há estagnar, não há fazer sempre a mesma coisa. Por isso, o seu lema é fazer trabalhos cada vez mais aliciantes, mais complexos, procurar clientes mais exigentes e ambiciosos, valorizar e melhorar as hard skills e crescer. “Um dos valores da minha empresa é fazer amanhã um projeto mais ambicioso que hoje. Estar constantemente a desafiar-nos, sempre à procura de superar as expectativas dos nossos clientes”, realça entusiasmada.

Por outro lado, Tânia destaca que a equipa é sempre o reflexo dos valores do seu líder e um dos seus grandes valores passa realmente pela cooperação entre a equipa. Se conseguir que os seus colaboradores entendam que são uma peça fundamental na “engrenagem”, se conseguir tirar o melhor de cada um deles, terá certamente um produto que é o resultado do melhor de cada um. “A estrela é sempre a ZeroVinteOito, mas a equipa representa os planetas que

andam à volta. Somos todos peças importantes para que as coisas possam acontecer e depois transmitir esta harmonia aos clientes. É uma energia que passa para os clientes e que fica nas casas”, salienta. A ZeroVinteOito proporciona uma experiência completa aos clientes desde a conceção até à execução dos projetos. Para Tânia, é fundamental esta ligação que têm com o cliente, até porque considera que “ajudamos a superar desafios e a materializar sonhos”. Quando questionada como é que a ZeroVinteOito aborda a maximização de espaços, cores e texturas para criar ambientes que sejam ao mesmo tempo criativos, funcionais e de qualidade, Tânia esclarece que não há uma fórmula mágica, mas sim muita sensibilidade de dar espaço à equipa para experimentar e errar, até porque na sua ótica, nunca vai ser um ambiente perfeito, vai sempre existir um grande compromisso entre a harmonia e o espaço. O segredo é pensar neste equilíbrio e fazer boas escolhas. Tânia lembra ainda que o uso de tecnologias como imagem e filme 3D é uma parte significativa do portefólio da ZeroVinteOito, lembrando que esta é uma ferramenta poderosa, porque desta forma conseguem explicar todo o projeto, “criar uma história e uma viagem emocional ao cliente”, que tem no 3D “o vision board da casa dos seus sonhos”, refere, sublinhando que a empresa tenta criar magia e levar essa magia aos clientes.

Objetivos e estratégias

Olhando para o futuro, a ZeroVinteOito está a planear continuar a destacar-se no mercado, atendendo sempre às necessidades dos seus clientes. “Cada vez mais acreditamos na energia e na intenção que colocamos nos nossos projetos, que estes são para serem sentidos, experienciados e que estão diretamente ligados ao nosso interior”, remata.

17 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ZEROVINTEOITO | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL
www.zerovinteoito.pt

“UMA ABORDAGEM HOLÍSTICA DE SOLUÇÕES COM UM FATO À MEDIDA PARA CADA CLIENTE”

Ricardo Oliveira, CEO da Maxfinance ENFIN, em entrevista à Revista Business Portugal, destaca a sua visão sobre o futuro do setor financeiro, considerando que a empresa vai continuar a primar pela excelência no atendimento ao cliente, sustentabilidade, transparência nas suas relações e a expansão da atividade, para poder continuar a prestar um serviço de excelência tanto a clientes como a parceiros financeiros.

Qual é a abordagem da MaxFinance ENFIN para apoiar os clientes na criação, crescimento e proteção da sua riqueza? Como é que isso se alinha com os objetivos e planos futuros dos clientes?

A abordagem da MaxFinance ENFIN para apoiar os clientes na criação, crescimento e proteção da sua riqueza é multifacetada e adaptada às necessidades individuais de cada cliente.

Desta forma, oferecemos uma análise financeira personalizada, examinando globalmente as suas receitas, despesas, ativos e passivos e objetivos de curto e longo prazo. Desenvolvemos um planeamento financeira holístico, permitindo implementar através de educação financeira e

com as ferramentas necessárias, para que os clientes sintam que as decisões a tomar são informadas e as adequadas ao seu perfil.

Nessa ótica, o aconselhamento de investimento e gestão de risco e seguros são fundamentais para consolidar o plano, com orientação sobre as mais diversas coberturas existentes, como seguro de vida, propriedade e responsabilidade civil, entre outros.

Para complementar, oferecemos uma monitorização e acompanhamento contínuo, permitindo aos clientes ajustar a sua vida financeira ao longo da sua vida pessoal e profissional, e este procedimento tem, neste cenário de subida de taxas, sido muito bem acolhido pelos clientes.

Tem uma experiência e formação autodidata, como é que isso contribui para a sua abordagem em lidar com investidores internacionais, expatriados e outros indivíduos com mentalidade global?

A experiência e formação autodidata podem ser uma vantagem significativa ao lidar com investidores internacionais, expatriados e outros indivíduos com mentalidade global.

Ao ser autodidata e termos o contacto com outras realidades e culturas é desenvolvida uma

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 18 SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | MAXFINANCE ENFIN
Ricardo Oliveira, CEO

capacidade de flexibilidade e adaptabilidade, mesmo uma perspetiva global que me permite uma resolução de problemas e situações que, em algumas culturas, pode não estar visível de imediato, mas que noutras pode ser normal a sua utilização e aplicação.

Dá-nos a capacidade de ter uma empatia cultural e é desenvolvida uma capacidade de comunicação bastante elevada, formando mentalidades e formas de abordar as questões de maneiras diferentes, mas acertivas para ajudar os clientes a atingir os seus objetivos.

Como é que equilibra as responsabilidades de liderar equipas, gerir projetos e planear negócios com a necessidade de fornecer soluções financeiras personalizadas para os clientes da MaxFinance ENFIN?

Equilibrar as responsabilidades de liderar equipas, gerir projetos, planear negócios e fornecer soluções financeiras personalizadas para os clientes da MaxFinance ENFIN requer habilidades de gestão eficazes, organização e prioridade.

Temos de ter uma gestão de tempo muito eficaz, mantendo uma comunicação clara e transparente com equipa, parceiros e clientes, para que todos estejam cientes dos objetivos, prazos e expectativas. Identificar e focar nas competências essenciais, desenvolver as competências pessoais e profissionais de cada elemento e adaptar-mo-nos às mudanças, permite-nos ter uma qualidade elevada no serviço e soluções prestadas aos clientes e relação sólida e transparente com os nossos parceiros.

Qual é o papel da MaxFinance ENFIN como intermediário de crédito em relação aos créditos hipotecários e ao crédito ao consumo? Como é que garante que os clientes recebam as melhores opções disponíveis?

O papel da MaxFinance ENFIN como intermediário de crédito em relação aos créditos hipotecários e ao crédito ao consumo é facilitar o enquadramento do processo de obtenção de crédito para os clientes, atuando como um intermediário entre os clientes e as instituições financeiras.

Nesse sentido, o nosso processo visa o aconselhamento e orientação, com uma pesquisa de mercado e negociações com as entidades e instituições financeiras, completando com uma personalização das soluções. Com estes procedimentos podemos, não só evitar que o cliente perca tempo na consulta e obtenção de condições juntos das entidades financeiras, mas também que tenha ao seu dispôr a melhor oferta em determinado momento, e que a mesma seja detalhada, clara e transparente, para uma tomada de decisão completamente esclarecida, compreendendo as necessidades e circunstâncias individuais de cada cliente.

Todo o processo é realizado pela Maxfinance ENFIN, desde a reunião inicial para perceber o enquadramento, realidade e objetivos dos clientes até à conclusão com o acompanhamento na realização da assinatura de contrato com a entidade financeira. Resumindo, temos uma abordagem holística de soluções com um fato à medida para cada cliente.

Como é que a MaxFinance ENFIN se diferencia de outras empresas de intermediação de crédito e qual é a sua visão para o futuro no setor financeiro?

A MaxFinance ENFIN diferencia-se de outras empresas de intermediação de crédito de várias maneiras. Temos feedback constante dos nossos clientes e entidades financeiras e outras entidades envolvidas, por exemplo para o crédito habitação, como solicitadores e notários, sobre o trabalho desenvolvido e as indicações são efetivamente diferenciadoras de algumas entidades concorrentes. Os clientes dão primazia à rapidez, transparência na apresentação de condições, acompanhamento constante e empatia gerada em todo o processo. As entidades financeiras e solicitadores dão-nos um feedback bastante positivo da forma como a informação lhes é fornecida, bastante simplificada e permitindo uma fácil leitura do objetivo pretendido, bem como a própria noção que o cliente tem quando passamos à fase de interação entre entidade financeira e cliente.

Pensamos que para este feedback dos vários intervenientes, contribui a abordagem personalizada, com o intuito não só de atingir determinado fim, mas também de melhorar a literacia financeira dos clientes.

A forma transparente e íntegra como é desenvolvida a atividade com a apresentação e explicação das variadas ofertas disponíveis e a tomada consciente de decisão por parte do cliente em cada momento, é também um fator muito importante. Este ponto é também fundamental e importante para a relação com as entidades financeiras, para que estas percebam e tenham noção que a Maxfinance ENFIN tem os seus procedimentos para assegurar que a informação entregue é garantida da forma mais correta.

Quanto à nossa visão para o futuro do setor financeiro, tende a ser uma combinação de diferenciação através de serviços personalizados e automatizados por parte das entidades financeiras, grande foco na educação financeira, uma maior transparência e integridade de todos os intervenientes, inovação tecnológica e sustentabilidade. Será certamente um mercado mais dinâmico em termos de condições e afiguram-se tempos de recuperação face às crises dos últimos tempos, ou pelo menos é essa a nossa esperança.

Para nós, a excelência no atendimento ao cliente, sustentabilidade, transparência e integridade nas nossas relações e a expansão da atividade serão fundamentais, para podermos continuar a prestar um serviço de excelência tanto a clientes como a parceiros financeiros.

19 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL MAXFINANCE ENFIN | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL
geral@enfin.pt • r.oliveira@maxfinance.pt www.enfin.pt

“CADA PROJETO É ABORDADO DE FORMA ÚNICA E PERSONALIZADA”

Os Arquitetos Rui B Ribeiro e Diogo B Carvalho, em entrevista à Revista Business Portugal, dão a conhecer o universo e a essência dos projetos da Carvalho Ribeiro Arquitetos.

Qual o processo de conceção e desenvolvimento de projetos na Carvalho Ribeiro Arquitetos, desde a fase inicial até à conclusão da construção? Como é que garantem a coerência entre a visão inicial do cliente e o resultado final?

O processo de conceção e desenvolvimento de projetos na Carvalho Ribeiro Arquitetos é marcado por várias fases distintas, desde a fase inicial de entendimento das necessidades e desejos do cliente até à conclusão da construção. Numa fase inicial, reúne-se com o cliente para compreender as suas necessidades, desejos e expectativas em relação ao projeto. São discutidos objetivos, orçamento, prazos

e qualquer outro requisito específico. Com base nisto, começamos por desenvolver propostas iniciais e esboços que refletem a visão do cliente e as nossas ideias. São exploradas diferentes opções e soluções para garantir que o projeto atende aos requisitos do cliente. Uma vez definida a proposta, o projeto é desenvolvido com mais detalhes, incluindo os planos arquitetónicos e toda a documentação necessária para a sua aprovação. Seguindo-se, com as aprovações necessárias das entidades competentes, o projeto de execução, onde detalhamos todo o projeto e o preparamos para ser analisado pelas diferentes empresas construtoras que o cliente pretender, supervisionando uma posterior execução da obra para garantir que o projeto seja construído conforme planeado e dentro dos padrões de qualidade estabelecidos. Para garantir a coerência entre a visão inicial do cliente e o resultado final, mantemos uma comunicação constante e transparente com o cliente ao longo de todo o processo, envolvendo-o nas tomadas de decisão e apresentando-lhe propostas e soluções que estejam alinhadas com as suas expectativas. Além disso, a equipa de arquitetos realiza revisões periódicas do projeto, incluindo reuniões de acompanhamento, para garantir que o resultado final atende às necessidades e desejos.

Gostaria de saber mais sobre o vosso trabalho com casas modulares em contentores marítimos. Quais são os principais desafios e vantagens deste tipo de construção?

Trabalhamos com este tipo de construção devido às suas vantagens únicas em termos de sustentabilidade, mobilidade e eficiência e num desafio colocado pela empresa Alugal. Alguns dos principais desafios que enfrentamos ao trabalhar com casas modulares em contentores marítimos incluem a necessidade de adaptação do espaço limitado pelas dimensões dos contentores, garantir a eficiência energética e térmica do imóvel, e a necessidade de cumprir com regulamentos de construção locais. No entanto, as vantagens superam os desafios. As casas modulares em contentores marítimos são mais sustentáveis, uma vez que reutilizam materiais que de outra forma seriam descartados, são mais rápidas de construir, mais económicas e mais fáceis de transportar. Além disso, podem ser facilmente expandidas ou modificadas conforme necessário.

O projeto da casa de construção tradicional na Póvoa de Varzim despertou certamente a atenção de muitos. Qual é o conceito por trás deste projeto?

A ideia deste projeto foi conseguir de certa forma organizar a casa a partir de um pátio central, um ponto de luz, criando diferentes vivências aquando da entrada na casa. Apesar de ser elemento externo, envolve-se com a casa, criando vários tipos de sensações e, foi a partir desse elemento, que comecámos a desenvolver este projeto. A casa tinha outros aspetos muito particulares, designadamente em relação ao crescimento da família, a separação da zona mais privada de toda a área social e técnica e este pátio permitiu criar esta dinâmica.

O nosso logótipo é composto por quatro planos, imaginando-o em três dimensões, são paredes que nos dão liberdade. Fazendo uma analogia, o centro do nosso logo é onde se localiza o pátio e as paredes

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 20 SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | CARVALHO RIBEIRO ARQUITETOS
Diogo B Carvalho e Rui B Ribeiro, Arquitetos

mestras surgem como o conceito da nossa empresa. Seguindo o nosso conceito minimalista no que concerne à arquitetura, esta casa surge através desse ponto central e dos quatro planos que nunca se intercetam, conseguindo assim dividir os espaços privados, sociais e técnicos. Importa ainda sublinhar que este projeto insere-se num loteamento existente, composto por três lotes, sendo este o último, localizado no final da rua que não tem ligação com outras, o que nos deu liberdade para trabalhar a orientação dos espaços internos da casa. Apesar do lote ter uma mancha de implantação definida pelas regras do loteamento, o que quisemos foi ir além dessa mancha, ou seja, cumprir as regras, mas fazer com que o nosso projeto se destacasse dos restantes.

Como é que a vossa equipa aborda a integração de soluções arquitetónicas inovadoras, como a utilização de contentores marítimos, com as necessidades e expectativas dos clientes?

Começamos por compreender as necessidades e expectativas do cliente, bem como as restrições orçamentais, regulamentares e logísticas que possam existir. Apresentamos então as vantagens e possíveis desafios da utilização de contentores marítimos, explicando como esta solução pode ser adaptada às necessidades específicas do cliente. Trabalhamos em estreita colaboração com o cliente para desenvolver um projeto personalizado que atenda aos seus requisitos e expectativas. Existem desafios específicos neste processo, como por exemplo a necessidade de garantir que os contentores marítimos sejam devidamente isolados termicamente e acusticamente, bem como adequados a serem utilizados como espaços habitáveis. Também é importante considerar questões relacionadas com a ventilação e iluminação natural. Além disso, a integração de soluções arquitetónicas inovadoras como a utilização de contentores marítimos pode implicar desafios relacionados com o licenciamento e as regulamentações locais. Neste sentido, ajudamos os clientes a navegar por estes processos e a assegurar que o projeto esteja em conformidade com todas as normas e regulamentos aplicáveis.

Como adaptam a abordagem de design e construção a diferentes tipos de projetos e clientes?

Para nós, é fundamental adaptar a nossa abordagem de design e construção a cada tipo de projeto e cliente, garantindo que as suas necessidades e expectativas sejam cumpridas da melhor forma possível. Ao iniciar um novo projeto, começamos por realizar uma análise detalhada das características específicas do local, do contexto urbano e das necessidades do cliente. A partir daí, desenvolvemos um conceito de design que seja adequado ao tipo de projeto em

questão, seja ele uma habitação unifamiliar, um empreendimento turístico ou um equipamento desportivo. No que diz respeito aos clientes, trabalhamos em estreita colaboração com eles ao longo de todo o processo, garantindo uma comunicação constante e transparente. Isto permite-nos ajustar o nosso trabalho de acordo com as suas preferências e garantir que o resultado final corresponde às suas expectativas. Além disso, procuramos sempre equipas multidisciplinares, experientes e versáteis para colaborar e que nos possam ajudar e acrescentar em áreas que temos menos conhecimento, composta por arquitetos, engenheiros e designers, que nos permite garantir que cada projeto seja abordado de forma única e personalizada.

Como se mantêm atualizados sobre as últimas tendências, tecnologias e materiais na área da arquitetura?

A Carvalho Ribeiro Arquitetos mantém-se atualizada sobre as últimas tendências, tecnologias e materiais na área da arquitetura através da participação em conferências, workshops, feiras e eventos do setor, bem como através da pesquisa constante de publicações especializadas e revistas da área. Além disso, a equipa mantém-se em contacto com fornecedores e fabricantes para estar a par das novidades e inovações no mercado, os quais nos convidam para visitas ás próprias empresas para ver o produto e a forma de fabricação do produto, como o exemplo de uma muito recente à Indelague. Essas atualizações influenciam o nosso trabalho e abordagem aos projetos de diversas maneiras. Por um lado, permitem-nos incorporar soluções mais sustentáveis e eficientes nos nossos projetos, de forma a garantir um menor impacto ambiental e um melhor desempenho energético, o qual pensamos ser o futuro e com o qual nos debatemos muito. Por outro lado, as novas tendências e tecnologias, inspiram-nos a explorar novas ideias e abordagens, enriquecendo assim a nossa criatividade e inovação.

Além dos projetos já concluídos ou em curso, existe alguma área ou tipo de projeto que gostariam de explorar no futuro?

A partir do momento que abrimos o gabinete, estamos prontos para qualquer tipo de projeto, mas se queremos evoluir e crescer, temos que apostar em projetos de maior dimensão, até com outro tipo de honorários, que nos permita investir mais na própria empresa.

Por outro lado, temos vindo a falar na possibilidade de fazer projetos próprios como forma de investimento, para depois vender. É uma área que ainda estamos a pensar como abordar, até porque esta aposta fará com que a equipa tenha de crescer.

Uma outra ambição assumida é entrar no mercado estrangeiro, já tivemos algumas propostas, temos uma obra em andamento fora do país, mas é uma área que queremos desenvolver, levando assim a nossa visão sobre a arquitetura para fora de portas.

21 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL CARVALHO RIBEIRO ARQUITETOS| SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL

CRESCIMENTO, DESENVOLVIMENTO E RENTABILIDADE

Cristina Brito, diretora-geral da Ethnic Ocean, em entrevista à Revista Business Portugal, dá a conhecer o universo da empresa, destacando a comemoração do 10º aniversário, a distinção TOP 5% Melhores PME de Portugal e o lançamento do serviço de gestão de condomínios, onde se pretende destacar como empresa de referência pela gestão próxima e comunicação eficiente.

Como é que a Ethnic Ocean tem evoluído nos últimos dez anos desde a sua fundação até se tornar uma empresa de referência no mercado em gestão de património e rentabilidade para investidores?

A Ethnic Ocean surgiu em 2014 com o objetivo de ser uma empresa diversificada, multifacetada e focada em prestar serviços imobiliários necessários ao proprietário investidor, com foco dominante no arrendamento, área de negócio onde nos espacializámos e a qual é atualmente o nosso negócio principal. Seguindo uma tendência mundial de habitação que obriga a uma deslocalização e facilidade de mudança de zona, o arrendamento é hoje uma ferramenta usada pelos nómadas digitais, estrangeiros com residência não habitual e muitos aposentados que procuram outras experiências, nesse sentido, a Ethnic Ocean procurou desde cedo responder à enorme procura no mercado de arrendamento e desenhou uma oferta vasta de serviços para prosperar e representar o proprietário nas suas obrigações.

Considerando a vasta gama de serviços oferecidos pela Ethnic Ocean, desde vendas imobiliárias até gestão de propriedades e alojamento local, como é que a empresa se mantém atualizada e adaptada às mudanças constantes do mercado imobiliário e às necessidades dos clientes?

A Ethnic Ocean tem como principal foco o seu cliente proprietário, desde a procura de habitação para aquisição para habitação ou investimento como na gestão do seu património em arrendamento anual ou alojamento local como agora na gestão integral do seu condomínio. A gestão de património profissional é uma necessidade emergente e fundamental para quem investe em património imobiliário e a nossa empresa oferece um serviço integral e profissional de gestão com softwares profissionais, usando sistemas de comunicação de proximidade com o proprietário e o inquilino para a tranquilidade, conforto e aumento de rentabilidade que permite ao investidor focar-se na sua profissão

e na sua familia, delegando toda a gestão e acompanhamento à nossa equipa.

Somos, atualmente, a empresa com maior experiência no mercado de arrendamento no conselho de Loulé e procuramos aumentar a visibilidade e notoriedade para aumentar a nossa expressão a nível nacional. Aos longos dos anos, a empresa ofereceu sempre serviços de gestão de alojamento local, negócio que mantém e onde oferece serviços completos desde o licenciamento, promoção, check-in, check-out, lavandaria e limpeza. Na verdade, sempre que somos contactados para gestão de património a Ethnic Ocean prepara um estudo de mercado e apresenta várias propostas de rentabilidade aos proprietários com cenários possíveis, avaliando e defendendo qual a melhor forma de rentabilizar o património atendendo aos fatores globais do mercado onde se insere. A economia é muito volátil e desde a sua fundação, a Ethnic Ocean conheceu várias leis que condicionaram as diferentes áreas de negócio onde atua, nesse sentido a nossa equipa tem sempre a preocupação de atualizar o proprietário e de adaptar o seu património á área de maior rentabilidade na busca contínua de GERAR VALOR!

Diante das tendências e perspetivas futuras do mercado imobiliário, como é que a Ethnic Ocean pretende continuar a inovar e expandir os seus serviços para atender às exigências emergentes dos investidores e proprietários de imóveis? Quais são os principais objetivos e metas da empresa?

A Ethnic acabou de festejar o seu 10.º aniversário, foi nomeada pela scoring para o TOP das 5% melhores PME de Portugal e impulsionada pela larga experiência de gestão patrimonial, lançou em Janeiro de 2024 o serviço de gestão de condomínios, onde se pretende destacar como empresa de referência pela gestão próxima e comunicação eficiente e eficaz. Atualmente, a nossa empresa oferece serviços integrais de vendas, arrendamento anual, gestão de arrendamento, gestão de condomínios, intermediação de crédito e gestão de propriedades. Mantemos sistemas de CRM profissionais e softwares de gestão para uma maior eficiência e eficácia e pretendemos criar uma dinâmica de crescimento nacional que permita profissionalizar estas áreas de negócio.

geral@ethnic-ocean.com

www.ethnic-ocean.com

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 22
SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | ETHNIC OCEAN

UM SERVIÇO DE VALOR ACRESCENTADO PARA OS CLIENTES

A Vitahouse é uma empresa de intermediação de crédito dotada de profissionais qualificados, experientes, dotada de um elevado know-how técnico e especializada em encontrar as melhores soluções para satisfazer as suas necessidades. Conheça a essência da empresa pelas palavras da sua diretora, Ana Ramalho.

Como avalia o percurso da empresa e o seu posicionamento no mercado?

Começámos com clientes que tinham dificuldade em ter acesso ao sistema bancário português e que não tinham conhecimento das regras e documentação necessária. Ficámos conhecidos como a empresa que resolve os processos mais difíceis e complexos. Também ajudou sabermos falar quatro línguas diferentes e conhecermos a realidade de cada país oriundo de cada cliente. Adicionalmente, somos recomendados com frequência, o que faz com que os nossos clientes atuais sejam cerca de 70% recomendados. Neste momento, temos clientes portugueses e estrangeiros e continuamos a ser consultados em casos mais “difíceis”, pois dedicamos o nosso tempo ao detalhe de cada caso individual e só desistimos quando não há alternativas possíveis. Com o aumento das taxas de juro, as famílias e empresas enfrentam grandes dificuldades para lidar com as suas responsabilidades, pelo que, também somos procurados para apresentarmos soluções flexíveis que amenizem o seu esforço financeiro e que possibilitem o cumprimento das suas responsabilidades. Adicionalmente, temos particulares e empresas que querem investir e dar forma aos seus sonhos e ambições, precisando de financiamento.

Quais os serviços e soluções disponibilizados pela MaxFinance Vitahouse? Quais os fatores diferenciadores da empresa que a tornam a escolha ideal para o cliente? Que valores norteiam a vossa atuação?

A Maxfinance foi a nossa escolha perante outras possíveis redes, para além de ter um know-how neste setor, apresentou-se com um portfólio de vários serviços extremamente úteis. Apostam em tecnologia permitindo rapidez nos processos, com uma relação de respeito e cooperação com os mutuantes que oferecem soluções inovadoras e que melhor se adequam a cada caso em particular. Pautam-se por valores alicerçados no fator humano, idoneidade, transparência e confiança. Desde cedo que nos identificámos com estes fatores diferenciadores, pois já faziam parte do nosso “modus operandi”. A Vitahouse sintoniza-se com a orgânica da rede Maxfinance, tendo em vista poder contribuir de forma proativa, para que os clientes possam reconhecer a vantagem de utilizar o seu serviço de forma continuada, disponível e que usufruam do seu elevado know-how técnico e constante atualização perante o sistema bancário. A Vitahouse tem sido premiada e reconhecida pelos mutuantes pela sua qualidade de serviço, isenção e confiança.

Como equilibra as responsabilidades de liderar equipas, gerir projetos e planear negócios com a necessidade de fornecer soluções financeiras personalizadas para os clientes da MaxFinance Vitahouse?

A Vitahouse começou com uma equipa jovem e elementos que já tinham mais de 20 anos de experiência e formação técnica em diversos setores. Isto faz com que se possa otimizar os recursos disponíveis, fazendo uma distribuição das tarefas sem complexidade para o elemento mais dotado de especialização tecnológica e canalizando as tarefas mais complexas para o elemento mais experiente. Paralelamente, fazemos sempre o balanceamento entre as duas partes para que haja uma partilha de conhecimento mútuo, beneficiando o fluxo de trabalho que se torna cada vez mais eficiente, poupando tempo e recursos, por forma a que esse tempo seja disponibilizado para o cliente, que é o nosso foco. A otimização do tempo despendido pelo cliente, o acesso a várias propostas de financiamento de várias instituições financeiras e bancárias, a vantagem competitiva ao representarmos um parceiro importante pelo volume de negócio que proporcionamos aos nossos mutuantes, resulta em condições ótimas de financiamento apresentadas em cada proposta.

Que objetivos acalenta para o crescimento e desenvolvimento da empresa e qual a sua visão para o futuro no setor financeiro?

Temos vindo a percorrer um caminho de estreita relação de confiança entre cliente e mutuante. Proporcionamos um papel de intermediação, literacia financeira, adequação de necessidades financeiras e gestão de crédito por parte do cliente com o que há de mais atual e vantajoso no sistema bancário. É importante que os intermediários de crédito estejam informados sobre a conjuntura económica e que consigam transmitir de forma simples o seu conhecimento aos clientes e que saibam antecipar fatores de risco para os mesmos. A Vitahouse materializa-se, com um olhar para um futuro, eficiente, planeado, desburocratizado e humanizado, proporcionando um serviço de valor acrescentado para os clientes, as suas gerações vindouras e, obviamente, um mundo harmonioso, onde todas as partes envolvidas possam beneficiar.

23 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
VITAHOUSE - INTERMEDIAÇÃO DE CRÉDITO | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL
Ana Ramalho, Diretora
www.vitahouse.pt • vitahouse@maxfinance.pt

MAXFINANCE STAR CRESCIMENTO E EVOLUÇÃO

Tiago Macedo e João Soares são dois sócios franchisados da MaxFinance. Comemoram este ano três anos de sociedade. Disponibilizam aos seus clientes serviços de análise de processos de crédito à habitação, entre outros. A Revista Business Portugal esteve à conversa com os sócios que nos falaram das ambições que têm para o seu projeto e dos desafios que têm vindo a enfrentar.

A MaxFinance Star celebra, neste mês de Abril, três anos de história e percurso. Os sócios começaram o negócio no meio da pandemia, com muita incerteza do que ia acontecer, mas tudo correu pelo melhor “no primeiro ano, superámos as expectativas e, no início do ano de 2023, abrimos a nossa primeira loja. Estamos numa fase de crescimento e esta é também uma área em crescimento”. Optaram por este ramo, porque queriam ajudar os consumidores na hora de fazer algo tão importante como o passo de contrair um crédito para habitação, porque “parecendo que não a compra de uma casa é o maior contrato que se pode assinar a nível pessoal”. Na MaxFinance Star são diversos os serviços que, de forma gratuita, podem ser adquiridos pelo cliente tais como: serviços de análise de processos de crédito à habitação, crédito pessoal e empresarial e uma cuidada análise de seguros, no sentido de ajudar o cliente a escolher a melhor forma de fazer o seu seguro de vida. A empresa pertence à rede número um de intermediação de crédito, que tem protocolo com seguradoras e conseguem ser mais completos para o cliente.

Como todas as empresas de sucesso, na MaxFinance Star são implementadas algumas estratégias internamente para captar clientes, a empresa conta com várias parcerias, como por exemplo com empresas de recursos humanos para demonstrar o seu serviço. “Já estamos no mercado há algum tempo, por isso temos algum reconhecimento, muitos dos clientes que nos chegam já vêm por intermédio de alguém, um amigo ou um familiar, que já usufruiu dos nossos serviços”.

Desconhecimento e falta de informação

Já ouviu falar que o desconhecimento é nosso maior inimigo? Os sócios da MaxFinance Star defendem que “o maior concorrente é o desconhecimento do que faz um intermediário de crédito”. Apesar de se ver cada vez mais jovens informados e com literacia financeira, Tiago Macedo defende que “ainda é preciso desbravar um longo

caminho na informação sobre o que faz um intermediário de crédito. As pessoas, muitas vezes, têm medo de estar a ser enganadas”. A intermediação de crédito é um ramo que está cada vez mais a crescer em Portugal, mas para assim continuar é crucial que as pessoas sejam informadas “é nos países com maior literacia financeira que o nosso ramo tem maior força”. Em termos de reconhecimento, a área é reconhecida pelo Banco de Portugal, o regulador máximo da atividade, o mesmo não acontece com as pessoas, que não sabem ainda qual a mais-valia de ter a seu lado um mediador de crédito, que a única missão que tem é ajudar e aconselhar as pessoas a dar o grande passo de comprar uma habitação da melhor e mais responsável forma possível.

A visão sobre o futuro

Uma das grandes missões dos sócios da MaxFinance Star passa pelo facto de chegarem a mais pessoas “acreditamos que somos uma mais-valia para ajudar e informar as pessoas na parte financeira”. Defendem que a literacia financeira é uma grande arma para as pessoas fazerem as suas escolhas da forma mais vantajosa possível. Empenhados em crescer e, acima de tudo, a trabalhar afincadamente para informarem e ajudarem o maior número de pessoas possível, Tiago Macedo e João Soares estão a envidar esforços para fazer a MaxFinance Star crescer e evoluir.

tiago-macedo-joao-soares.intermediarioscredito.pt

tmacedo@maxfinance.pt

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 24 SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL | MAXFINANCE STAR
Tiago Macedo e João Soares, Sócios

“EXCEDER AS EXPECTATIVAS DOS CLIENTES ESTÁ NO TOPO DA NOSSA MISSÃO”

Como é que a MPFRuivaco incorpora a inovação nos seus produtos e serviços de engenharia civil para proporcionar soluções técnicas de excelência?

Para além de fazermos uma atualização contínua de formação em diversas áreas técnicas, estamos a implementar um software de gestão todo adaptado aos nossos procedimentos, com vista a simplificar toda a parte burocrática e libertar os técnicos para se focarem no seu desempenho. Temos adquirido também equipamento de inspeção moderno e adequado, que nos permite fazer melhores avaliações de patologias e do estado das construções. Estamos também a preparar um departamento especializado em tecnologia BIM, para melhorar a leitura, medição e compatibilização dos projetos, para minimizar a probabilidade de ocorrência de erros nas fases de análise e de execução de obras.

Considerando a missão da MPFRuivaco em transformar as visões dos clientes em realidade, como é que a empresa adapta os seus serviços para atender às necessidades específicas de cada cliente?

Desde o primeiro contacto com o cliente, tentamos perceber qual a sua intenção e apresentamos de modo esclarecido e aberto quais os serviços prestados e o que contempla cada tipo de serviço. Por vezes, o cliente entra com uma ideia de necessidade e sai com

Margarida Ruivaco, gerente da MPFRuivaco, em entrevista à Revista Business Portugal, aborda o posicionamento e performance da empresa, destacando que a sua missão foca-se sempre em exceder as expectativas dos seus clientes.

uma contratação completamente diferente, mas ajustada ao que realmente precisa. Acreditamos que um cliente esclarecido terá menos ansiedade e estará mais confiante para tomar decisões enquanto lideramos os projetos.

Como é que a empresa mantém o seu compromisso com a qualidade e a excelência técnica em todos os projetos, independentemente da sua dimensão?

Os nossos serviços de fiscalização, direção de obra, medição, coordenação de segurança e inspeções são certificados pela Norma ISO 9001/2015, o que nos rege nos procedimentos a seguir. Trabalhamos em equipa e abertamente entre técnicos seniores e juniores e temos uma gestão de qualidade atenta e proativa, para prevenção de erros e melhoria de desempenho. A qualidade dos nossos trabalhos é aferida regularmente e os resultados são analisados com toda a equipa, de modo a tomarmos medidas de melhoria contínua e sustentada.

Quais são os principais desafios enfrentados pela MPFRuivaco no mercado de engenharia e construção em Portugal? Como é que a empresa pretende lidar com esses desafios e quais são as suas perspetivas futuras em termos de inovação, crescimento e excelência técnica?

Atualmente, o nosso maior desafio é competir num mercado com preços esmagados por salários baixos e rotatividade de técnicos. Não conseguimos ser competitivos nas obras públicas, porque os requisitos solicitados em termos técnicos têm um preço irreal, para serem executados na sua plenitude. No entanto, os nossos inquéritos a clientes têm óptimos resultados são muitos os clientes e empreiteiros que recomendam os nossos serviços. Exceder as expectativas dos clientes está no topo da nossa missão.

25 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL MPF RUIVACO | SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL
Margarida Ruivaco, Gerente
geral@mpfruivaco.pt www.mpfruivaco.pt

DE 2 A 5 DE MAIO REGRESSA O SALÃO IMOBILIÁRIO DE PORTUGAL

O SIL – Salão Imobiliário de Portugal é o evento líder do setor Imobiliário em Portugal –um ponto de encontro para investidores, empresários, técnicos, players, organismos públicos e público potencial comprador. Um meio que apoia empresas, explorando as oportunidades no mercado nacional e promovendo a sua internacionalização.

Salão Líder Nacional do setor imobiliário

Tem início no dia 2 de maio, uma nova edição do SIL – Salão Imobiliário de Portugal, que se prolonga até domingo dia 5 na FIL, no Parque das Nações, em Lisboa.

Nesta feira de referência do setor imobiliário, conheça os grandes líderes do mercado imobiliário em Portugal e no mundo. Fique por dentro das maiores tendências neste setor. São 4 dias de exposição, oportunidades, conferências e networking. Explore grandes projetos de desenvolvimento comercial, conheça as últimas tendências dos principais especialistas do setor e identifique potenciais parceiros e negócios por entre os vários expositores.

O SIL é, sem dúvida, o ponto de encontro do imobiliário, nomeadamente dos profissionais, dos investidores, dos empresários, dos técnicos e dos organismos públicos, bem como dos parceiros estratégicos.

Prémios SIL do Imobiliário

Os Prémios SIL do Imobiliário distinguem anualmente Personalidades, Empresas, Soluções, Entidades e Projetos, e serão entregues, tendo em conta as categorias: “Melhor Campanha de Lançamento”, “Inovação” e “Responsabilidade Social”, bem como “Construção Sustentável e Eficiência Energética”, “Melhor Empreendimento Imobiliário” e “Reabilitação Urbana”.

INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

A inovação tecnológica é a força motriz por trás do progresso humano, impulsionando avanços em todas as áreas da vida. Ela transforma a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos, abrindo novas oportunidades e enfrentando desafios complexos com soluções criativas. A história da humanidade é marcada por uma sucessão de inovações tecnológicas que revolucionaram o mundo, desde a invenção da roda até a era da inteligência artificial e da computação quântica.

A inovação tecnológica transforma não apenas a maneira como vivemos no presente, mas também molda o futuro que estamos a construir. Ela é impulsionada pela curiosidade humana, pela procura incessante de melhores soluções e pela vontade de superar os desafios mais difíceis.

A inovação tecnológica também desempenha um papel crucial na abordagem dos grandes desafios globais, como as mudanças climáticas ou a saúde pública. Tecnologias como energias renováveis, biotecnologia e inteligência artificial estão a ser usadas para desenvolver soluções inovadoras e sustentáveis para esses problemas complexos.

Além disso, a inovação tecnológica está a transformar a maneira como nos relacionamos e nos conectamos como sociedade. As redes sociais, por exemplo, mudaram a forma como nos comunicamos, compartilhamos informações e nos relacionamos uns com os outros, criando novas oportunidades de colaboração e engagement global.

LG SURPREENDE E APRESENTA PLANO DE LANÇAMENTOS SOFISTICADO

Numa entrevista exclusiva com Young Soh, B2C Marketing Coordinator da LG Portugal, ficámos a conhecer as muitas novidades da marca para este ano de 2024.

Como é que a LG Portugal vê a sua posição no mercado nacional e global após duas décadas de operação, especialmente em termos de inovação tecnológica e liderança de mercado?

Ao longo de 20 anos, a LG tem vindo a afirmar-se enquanto líder de mercado em vários segmentos de negócio, liderança essa indubitavelmente alicerçada na capacidade de desenvolver produtos criativos, exclusivos e de máxima qualidade, que são verdadeiramente client-centric, e que têm na sua génese a inovação que faz parte da marca, mas também a sua aposta constante em tecnologia disruptiva. Esta combinação tem sido, sem dúvida, essencial para alavancar e suportar o crescimento da empresa e da marca em Portugal, ao mesmo tempo que tem permitido à LG tornar-se líder de mercado nos segmentos de TVs, máquinas de lavar, frigoríficos Side-by-Side e monitores/displays.

Quais são os principais pilares da estratégia da LG Portugal para os próximos 20 anos, considerando o foco tanto em hardware quanto em software e o lançamento de novos fatores de forma?

A LG Portugal é uma subsidiária verdadeiramente relevante tanto no plano europeu como no plano global da empresa. A

nível estratégico, se os últimos anos se focaram na inovação ao nível do hardware, 2024 vai focar-se também no software e no lançamento de produtos com novos fatores de forma. Assim, o desenvolvimento de produtos passíveis de serem integrados e otimizarem o estilo de vida dos consumidores – as chamadas soluções de lifestyle – continuará a ser o corpo e a alma de tudo o que fazemos, de forma a reforçarmos o posicionamento líder nas várias unidades de negócio, com especial foco no segmento premium.

Como é que a LG está a integrar a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA) nos seus produtos, e como é que isso está a transformar as experiências dos consumidores?

A IoT e a inteligência artificial são uma das grandes tendências tecnológicas a pautar a investigação atualmente e são as pedras basilares de casas totalmente integradas. O expoente máximo desta premissa é a gama LG ThinQTM UP, concebida sob o conceito Evolving with You, inclui frigoríficos, máquinas de lavar e secar roupa e máquinas de lavar louça e utiliza IA e IoT para atualizar o software e oferecer recursos e funções aos utilizadores destes consumidores com base nos padrões de utilização registados pela app ThinQ. Assim, é possível ir otimizando os equipamentos à medida das necessidades em constante mutação tanto dos clientes como do mundo.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 30
INOVAÇÃO TECNOLÓGICA | LG
Young Soh, B2C Marketing Coordinator

Além dos produtos de consumo, como é que a LG está a expandir a sua presença no mercado empresarial (B2B) com soluções como Pro:Centric Direct e webOS para a indústria hoteleira?

A necessidade de digitalização do setor tem vindo a impulsionar o desenvolvimento de soluções personalizadas que sejam capazes de responder aos desafios da hotelaria. Assim, criámos o Pro:Centric Direct, um sistema de gestão de conteúdos centralizado, que opera juntamente com o webOS, a nossa plataforma de smart TV, que fornece soluções e serviços personalizados com um ecossistema expandido com conectividade alargada, funcionando como uma plataforma de media e entretenimento.

Quais são os compromissos da LG com a sustentabilidade e a responsabilidade social, desde o design e fabrico de produtos até à gestão de resíduos e iniciativas ESG (Environmental, Social and Governance)?

A preocupação ambiental surge na produção dos equipamentos, com uma forte política de eco design que pressupõe a reciclagem de grande parte dos componentes. Mais recentemente, temos vindo a potenciar a utilização de materiais reciclados no fabrico dos produtos: só em 2022, a empresa utilizou cerca de 33 mil toneladas de plásticos reciclados nos seus produtos.

A nível corporativo, o plano ESG Better Life for All integra ações ambientais, sociais e de governance em todas as operações da empresa por todo o mundo, tais como: neutralidade carbónica com a iniciativa Zero Carbon 2030, transição completa para energia renovável até 2050, redução efetiva das emissões de gases com efeito de estufa e utilização de meio milhão de toneladas de plástico reciclado até 2030, entre outros. Em Portugal, a LG tem vindo a desafiar a sociedade a repensar a sua atitude perante o lixo eletrónico e as embalagens do mesmo. Para o efeito, estabeleceu uma parceria já de vários anos com a ERP Portugal, que se estende a vários projetos de alerta e educação para a causa, como o Waste Summit e a Geração Depositrão.

Como é que a LG Portugal vê o futuro da interação entre clientes e empresas, especialmente com a introdução de soluções como loja online, eventos LG Open Day e showroom físico?

Uma vez que não temos uma loja física de venda direta ao consumidor em Portugal, a nova loja online assume-se como um importante ponto de comunicação com o cliente B2C, permitindo aproximar a marca dos nossos clientes. No entanto, não nos esquecemos da importância da rede de parceiros, pelo que eventos como o LG Open Day ou um showroom aberto a visitas de parceiros são recursos de extrema relevância estratégica para o nosso negócio, já que nos permite prestar um serviço de venda e aconselhamento mais personalizado.

Quais são alguns dos exemplos específicos de parcerias estratégicas da LG Portugal com empresas nacionais e como é que essas parcerias contribuíram para o sucesso da marca no mercado local?

A nossa rede de parceiros e clientes, que inclui grupos de grandes dimensões como a CUF ou a icónica cervejaria lisboeta Ramiro, assume uma especial importância na nossa estratégia, pois não são apenas distribuidores, são também embaixadores da marca e uma peça fundamental para a nossa capacidade de resposta a desafios em qualquer parte do país, o que contribui para a liderança de vários segmentos B2C e B2B.

Considerando a rápida evolução tecnológica, como é que a LG pretende manter a sua posição de liderança e continuar a surpreender os consumidores com inovações a breve trecho? Quais os próximos lançamentos da LG em Portugal e o que podemos esperar dos mesmos?

A nossa abordagem estratégica vai continuar a consolidar a liderança nos segmentos de Home Entertainment, Home Appliances e monitores e displays. Neste sentido, prevemos para 2024 um ano de lançamentos entusiasmantes nas várias áreas, como a nova lineup de OLED e QNED TVs e soundbars, a gama mais recente dos portáteis LG gram (que este ano conta com o novo LG gram Pro de 16 polegadas), os novos monitores de gaming LG OLED UltraGear, a variada gama de frigoríficos focada em eficiência energética e o ar condicionado LG DUALCOOL, entre outros.

31 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL LG | INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

DESENVOLVER ESTRATÉGIA NA GESTÃO DE MARCA PESSOAL.

QUEIRA SER RECONHECIDO E NÃO CONHECIDO.

Criar um plano estratégico é essencial para transmitir consistentemente a sua mensagem, desenvolvendo uma Marca Pessoal coesa e reconhecida.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 32
PERSONAL BRANDING | RAQUEL SOARES

O desenvolvimento de uma Marca Pessoal sólida e distinta tornou-se crucial para o sucesso profissional. Destacar-se no mercado não se resume apenas a ter competências técnicas excecionais, é necessário algo mais, algo que vá além do Curriculum Vitae e das experiências profissionais. É aí que entra a relevância da Marca Pessoal e, sobretudo, da Gestão Estratégica. Sim, porque todos nós temos a escolha de fazer ou não a sua gestão. Assim como as empresas cultivam as suas identidades para se destacarem no mercado, os profissionais devem adotar abordagens estratégicas para transmitir de forma consistente a sua mensagem e valores. Neste artigo, exploraremos a importância de desenvolver uma estratégia da Gestão de Marca Pessoal e os passos essenciais para alcançar uma presença coesa e reconhecível.

Qual a razão de uma estratégia de Gestão de Marca Pessoal?

A Gestão de Marca Pessoal eficaz não é sobre autopromoção, trata-se de comunicar quem é, o que representa e o valor que pode oferecer. Uma estratégia bem elaborada ajuda a direcionar as suas ações e comunicações, garantindo que cada interação contribua para a perceção desejada. Considere a atenção um recurso escasso, sendo fundamental uma Marca Pessoal forte para se destacar e tornar-se uma referência. Como quero que continue a ler o artigo, vou já partilhar algumas ideias para a sua estratégia, contudo assente num conselho se me permitir. Dê, nesta reflexão, toda a atenção a si, para conseguir entender o que, a esta data, faz com a sua Marca Pessoal, ou seja, se a gere ou se simplesmente a ignora.

Perfil de Raquel Soares

Especialista executiva em Personal Branding, licenciada em Gestão de Recursos Humanos, pós-graduada em Sistema de Gestão Integrada e Mestre em Gestão e Desenvolvimento de Recursos Humanos. Com 25 anos de experiência é formadora e consultora, em várias empresas nacionais e internacionais, nas áreas de liderança e gestão de equipas, onde prepara líderes e gestores de equipas para trabalharem de forma mais próxima, garantindo resultados alinhados com os objetivos estratégicos.

Durante a última década trabalha a imagem profissional, como style coach, faz a gestão de marca e imagem de executivos, políticos, figuras públicas e profissionais de várias áreas de atuação.

É gestora da Beautiful Branding Agency, fundou a Love People. Personal Branding & Image Consulting, criou a Day by Day Agenda e organiza o Personal Branding Summit.

A Gestão de Marca Pessoal eficaz não é sobre autopromoção, trata-se de comunicar quem é, o que representa e o valor que pode oferecer

Passos para desenvolver a sua estratégia de Gestão de Marca Pessoal:

1. Autoconhecimento profundo. O ponto de partida crucial é conhecer-se. Entender as suas competências, paixões, valores e objetivos, faça uma reflexão honesta sobre as suas forças e fraquezas, bem como sobre as áreas em que quer destacar-se.

2. Definição de objetivos claros. Estabeleça metas específicas para a Gestão da sua Marca Pessoal, como conquistar uma posição de liderança na sua área, expandir a sua rede profissional ou aumentar a sua visibilidade online.

3. Identificação do público-alvo. Assim como as empresas segmentam o seu público, também deve identificar quem são as pessoas que deseja alcançar e impactar com a sua mensagem. Compreender as suas necessidades e interesses é fundamental para adaptar a sua comunicação de maneira eficaz.

4. Desenvolvimento de mensagem-chave. Baseado no seu autoconhecimento e nos interesses do seu público-alvo, elabore mensagens que transmitam a sua proposta de valor única e diferenciada. Essas mensagens devem ser consistentes em todos os canais de comunicação que utiliza.

5. Presença online coesa. Hoje a sua presença online é muitas vezes o primeiro ponto de contacto com o seu público. Certifique-se de que os seus perfis nas redes sociais, website pessoal e conteúdo online reflitam a sua Marca Pessoal e transmitam a sua mensagem de maneira consistente.

6. Networking estratégico. Cultive relacionamentos significativos com outros profissionais e organizações que possam ajudá-lo a alcançar os seus objetivos. Participar em eventos, conferências e grupos de networking pode ampliar a sua rede e criar oportunidades de colaboração.

Uma estratégia de Gestão de Marca Pessoal bem desenvolvida é um ativo poderoso que impulsiona a carreira e abre portas a novas oportunidades. Vai além do destaque no mercado, sendo um processo contínuo de autodescoberta e desenvolvimento para alcançar impacto positivo. Representa uma promessa de valor autêntica, refletindo identidade e competências. A consistência é fundamental, reforçando a confiança do público. Ao adotar esses princípios, desenvolverá uma Marca Pessoal forte, deixando um legado que transcende o sucesso individual.

Inspire-se pela sua Marca Pessoal para transformar a sua carreira.

Raquel Soares, Especialista em Personal Branding

33 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL RAQUEL SOARES | PERSONAL BRANDING

Breves Saúde

Dia Mundial da Asma

O Dia Mundial da Asma celebra-se anualmente na primeira terça-feira do mês de maio. Este dia internacional da asma é organizado pela GINA (Global Initiative for Asthma), da Organização Mundial de Saúde, com o objetivo de melhorar a prevenção da doença e o nível de consciencialização da população. A asma é uma doença crónica muito comum e que afeta a passagem de ar de e para os pulmões, causando inflamação das vias respiratórias e dificuldade em respirar. Ela afeta mais as crianças do que os adultos. Estima-se que mais de um milhão de portugueses sofram de asma.

Dia Mundial do Lúpus

O Dia Mundial do Lúpus observa-se a 10 de maio. Este dia foi proclamado em 2004 com o objetivo de consciencializar a população para esta doença, tendo Portugal aderido à celebração logo nesse ano. Neste dia realizam-se atividades como corridas, caminhadas, congressos, projetos artísticos, campanhas informativas e de angariação de fundos para combate ao lúpus. O lúpus é uma doença auto imune, crónica, não contagiosa, onde o sistema imunológico ataca o próprio organismo. Os sintomas são imensos pelo que se afirma que o lúpus consiste mesmo num conjunto de doenças ou numa imitação doutras doenças.

Dia Europeu do Melanoma

O Dia Europeu do Melanoma celebra-se a 11 de maio. A data surgiu em 1999, tendo Portugal se juntado a esta comemoração, também conhecida como "Euromelanoma", no ano 2000. Este dia visa alertar a população para os perigos da exposição solar excessiva e os malefícios que esta pode originar na pele. O melanoma é o tipo de cancro da pele mais grave. Todos os anos, surgem mais de 10 mil novos casos de melanoma em Portugal. No Dia Europeu do Melanoma várias instituições hospitalares organizam rastreios gratuitos junto da população tendo-se já analisado 450.000 pessoas neste dia.

Dia Internacional do Enfermeiro

O Dia Internacional do Enfermeiro celebra-se a 12 de maio. Este dia visa homenagear todos os enfermeiros do mundo e relembrar a importância destes profissionais da enfermagem na prestação de cuidados de saúde à população em geral. É o dia do calendário em que todos os enfermeiros do mundo estão de parabéns, sendo que eles celebram a vida e a enfermagem todos os dias do calendário. Para comemorar a data, decorrem vários simpósios e conferências pelo país e pelo mundo com vista à análise de vários aspetos da profissão, assim como a identificação de novas perspetivas e desafios que se impõem diariamente aos enfermeiros.

Dia Mundial da Fibromialgia

A 12 de maio assinala-se o Dia Mundial da Fibromialgia e da Síndrome da Fadiga Crónica. A fibromialgia é uma doença crónica caraterizada por dor músculo-esquelética generalizada e difusa, por fadiga extrema, com perturbações de sono, perturbações cognitivas, entre outros sintomas. A fibromialgia e a síndrome de fadiga crónica podem afetar a vida pessoal e profissional. Existem estratégias que ajudam as pessoas a gerir os impactos da doença e a manter-se em funções profissionais ou a retornar ao trabalho.

Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade

O Dia Nacional de Luta Contra a Obesidade é celebrado no penúltimo sábado do mês de maio. O dia visa sensibilizar a população para o problema da obesidade e das doenças associadas, assim como das implicações da obesidade na saúde humana. A data pretende ainda promover a prática de exercício físico, de forma a prevenir o aumento da obesidade, em especial a infantil e juvenil, assim como incentivar a adoção de hábitos alimentares saudáveis.

A IMPORTÂNCIA DA FACILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO DAS VACINAS ALERGIAS • SAÚDE DA VISÃO • HÉRNIAS ABDOMINAIS • SAÚDE ORAL • SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL
Luís Silva, Country Manager da Roxall Portugal

A IMPORTÂNCIA DA FACILIDADE NA ADMINISTRAÇÃO DAS VACINAS

A Roxall é uma farmacêutica que há 83 anos se dedica ao tratamento da doença alérgica. Luís Silva, Country Manager da Roxall Portugal, esteve à conversa com a Revista Business Portugal e conta a história da Roxall, as perspetivas e os objetivos que ambiciona para o futuro da empresa.

A Roxall é uma empresa farmacêutica alemã com uma atividade significativa a nível internacional. Fale-nos um pouco da sua trajetória e posicionamento.

A Roxall é uma empresa internacional que se dedica exclusivamente ao tratamento da doença alérgica. Tudo começou em 1941, no País Basco, com a criação do laboratório da Aristegui que, na altura, se distinguiu, pois conseguia incorporar na sua produção técnicas inovadoras para o tratamento das vacinas dessensibilizantes (como lhes chamamos hoje), o que permitiu o desenvolvimento da empresa. Um pouco mais tarde, o laboratório foi comprado pela Efideza, um laboratório espanhol que deu um novo impulso aos negócios da empresa. Em 1998 o Bial compra o laboratório Aristegui e é neste periodo que são efetuados os maiores investimentos – na construção da atual fábrica, em 2012, e em I+D.

Em 2017, o Grupo Roxall comprou esta área de negócios ao grupo Bial, e com esta aquisição passou a ser uma das maiores empresas a nível mundial.

A equipa da Roxall apoia médicos e farmacêuticos com um aconselhamento orientado para a prática. Que mais-valias há nesse acompanhamento?

Desde o início da Aristegui que apostamos sempre na formação dos médicos, dedicamos uma parte muito importante dos nossos recursos à formação, isto porque sabemos que terminada a formação médica nas faculdades e hospitais há uma lacuna muito grande quando falamos de imunoterapia, e achamos que é da nossa responsabilidade dar uma parte dessa formação. Portanto, tentamos proporcionar aos médicos jovens e seniores, que utilizam estas terapêuticas, a formação que, muitas vezes, necessitam para poder prestar melhores cuidados aos seus doentes, quer no apoio ao diagnóstico.

A Roxall tem no seu portefólio produtos bastante específicos e únicos. Quais são os produtos mais exclusivos e os que gostaria de destacar?

Há alguns anos, as vacinas que estavam disponíveis eram muito complicadas de utilizar e obrigavam que o doente, por exemplo, numa fase de iniciação, tivesse de ir ao hospital frequentemente. Hoje, as vacinas que temos disponíveis têm um impacto mínimo na vida dos doentes, não ficam afetados na escola nem no trabalho, pois não necessitam de se deslocar constantemente a um hospital, uma vez que conseguem com facilidade administrar a vacina em casa, no conforto do seu lar, ou então num centro médico apenas uma vez por mês, ou seja, são tratamentos muito cómodos. A nossa preocupação foi muito esta, a de procurar vacinas que sejam mais fáceis de utilizar.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 36 ALERGIAS | ROXALL
Luís Silva, Country Manager

Claro que os nossos polimerizados são a joia da coroa, são vacinas altamente desenvolvidas, onde conseguimos ter doses elevadas com ausência de efeitos secundários. Também temos as vacinas moleculares de última geração, em que também conseguimos dar doses muito altas do alergénio que queremos administrar ao paciente, isentas de efeitos secundário, graças à tecnologia molecular que desenvolvemos e que é exclusiva da Roxall. Também temos os venenos, que são um segmento à parte. São os chamados medicamentos life-saving, ou seja, estamos a tratar de doentes que caso não os tomassem poderiam morrer.

A Roxall é a primeira empresa no mundo a comercializar o extrato da vespa velutina, a vulgar vespa asiática. Quais as vantagens dessa substância para o mundo farmacêutico em geral e para a sociedade civil em particular?

A vespa velutina é um predador, um invasor que cresceu rapidamente. Segundo as projeções existentes, encontra-se em crescimento e, por muitos ninhos de vespas que se destruam, elas vão continuar em progressão, é inevitável. Se existem muitas vespas e estão a ocupar o território, as picadas também vão surgir de forma diretamente proporcional. Com a inexistência de uma vacina para a picada da vespa asiática, era quase como uma necessidade social devido aos múltiplos casos de picada que iam aumentando, por isso a Roxall decidiu investigar, desenvolver e produzir este extrato, que já se encontra disponível no mercado há algum tempo, e que é uma mais-valia para quem seja alérgico à picada.

A farmacêutica dedica-se há mais de 80 anos ao tratamento da doença alérgica. Que responsabilidades traz esse marco para a empresa?

Temos esta responsabilidade há mais de 80 anos (fazemos este ano 83 anos). A nossa responsabilidade continua a ser a de produzir os medicamentos mais adequados, mais bem tolerados, mais eficazes e mais fáceis de serem administrados, proporcionando a maior comodidade aos médicos e aos doentes, garantindo que a qualidade dos nossos produtos nunca esteja em causa. Temos sempre a preocupação em manter um gold standard em todas as áreas da empresa. A nossa preocupação, neste momento, são os registos dos nossos medicamentos. O processo está já muito adiantado na Alemanha, mas, por sua vez, em Portugal esse processo encontra-se de certa forma estagnado.

Um dos principais objetivos da Roxall é contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos doentes e seus familiares. Que esforços são reunidos para atingir esse objetivo?

Nós dedicamos uma parte importante dos nossos recursos ao desenvolvimento dos produtos, e quando falamos em desenvolvimento do produto, pensamos em primeiro conseguir administrar a dose ótima, ou seja, a dose máxima tolerada pelo doente. Nós só conseguimos dar essa dose máxima se ela for bem tolerada, e só é bem tolerada se conseguirmos desenvolver o produto com

todos os meios e fórmulas adequadas para que ela seja efetivamente bem tolerada pelo doente.

Passados sete anos da aquisição da Divisão de Alergia da Bial pela Roxall, em 2017, que balanço faz desta aposta?

Em 2017, o Grupo Roxall comprou a Divisão de Alergia do Bial e com esta aquisição passou a ser uma das maiores empresas, a nível mundial, na área da imunoterapia. Nessa altura, com a aquisição do negócio da Aristegui, o Grupo Roxall tornou-se numa das três maiores companhias a nível mundial, estando presente em três continentes e em mais de duas dezenas de países. Com esta compra, a Roxall conseguiu não só ganhar músculo como entrar em mais países. Agora, temos um caminho muito focado na imunoterapia, muito orientado para as alergias e não nos dispersamos com outras áreas terapêuticas.

Que novidades tem a Roxall em vista num futuro próximo?

Estando focados neste negócio, temos alguns projetos inovadores para a alergia. O nosso foco neste momento é, contudo, o processo de registo. Acreditamos que o registo é fundamental para a evolução deste tipo de medicamentos.

Para o futuro, queremos continuar a assegurar um nível de qualidade muito elevado na produção, investigação e desenvolvimento das nossas vacinas e continuar a apostar na simplicidade da utilização das mesmas, para isso vamos continuar a rodear-nos das pessoas mais experientes na área da investigação.

37 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL info@roxall.pt • www.roxall.pt ROXALL | ALERGIAS

ALGUMAS CURIOSIDADES SOBRE A ALERGIA

O que é uma alergia?

É designado por alergia uma excessiva reação de defesa do sistema imunitário a determinadas substâncias externas, que normalmente são inofensivas e bem toleradas pelo corpo. A reação de defesa desencadeia processos inflamatórios que causam sintomas típicos. Na Europa, cerca de um terço da população sofre atualmente de uma alergia.

Desencadeadores de Alergia

Pólenes

Os pólenes são libertados como pó de flores pelas plantas. A intensidade da polinização é influenciada pelo clima. Por isso, as queixas no caso das alergias a pólenes ocorrem apenas sazonalmente durante os períodos típicos de propagação dos pólenes. No contacto dos pólenes com a mucosa humana nos olhos, nariz ou brônquios, os alergénicos são libertados dos pólenes, podendo causar nas pessoas sensíveis a isso queixas alérgicas. Frequentemente os alérgicos a pólenes também reagem com sintomas a determinados alimentos. Este fenómeno é designado por alergia cruzada.

Ácaros do pó doméstico

Os ácaros de pó doméstico não são

detetáveis a olho nu. Naturalmente que aparecem no ambiente doméstico e alimentam-se, entre outras coisas, das escamas humanas da pele. Os ácaros de pó doméstico preferem um ambiente quente e húmido, como por exemplo os colchões. As condições de vida ideais para os ácaros ocorrem, porém, também no pó doméstico normal. As substâncias desencadeadoras de alergias encontram-se nos excrementos de ácaros. As queixas ocorrem maioritariamente ao longo de todo o ano, mas intensificam-se frequentemente nos meses de Outono e Inverno. Uma vez que os ácaros de pó doméstico encontram as melhores condições de crescimento na cama, os sintomas alérgicos nas pessoas afetadas são mais visíveis à noite e de manhã cedo.

Bolor

O bolor (p. ex. Alternaria alternata) propaga-se por pequenos poros microscópicos, que se formam em grandes quantidades e se propagam pelo ar. Os poros podem germinar sob condições favoráveis em material adequado, tais como alimentos, tapetes ou madeira, e podem evoluir para uma rede tipo algodão ou farinha, a qual se formam cada vez mais poros. O bolor também pode aparecer em paredes húmidas

da casa, por exemplo nos quartos de banho. Os poros do bolor são absorvidos pelo ar inalado ou pela alimentação e podem causar queixas alérgicas.

Epitélios de animais

Nos animais, as substâncias desencadeadoras de alergias são determinadas proteínas da saliva, escamas da pele, urina ou excrementos. Estes chamados alergénicos aderem também ao pelo ou penas e são propagados pelos animais, p. ex. quando roçam nos objetos. Os alergénicos secos são levantados pelo ar e podem, por isso, ser facilmente inalados e entrar nas mucosas. Em pacientes sensíveis a isso são desencadeados sintomas alérgicos.

Produtos alimentares

Uma alergia alimentar caracteriza-se pela ocorrência de sintomas alérgicos após a ingestão de determinados alimentos (p. ex. amendoins, leite, ovos). Nos alérgicos a pólenes, as alergias alimentares ocorrem frequentemente como reações cruzadas com fruta e legumes. Nas crianças pequenas podem persistir sobretudo alergias alimentares à clara do ovo, ao leite de vaca ou ao trigo.

ALERGIAS | ROXALL
Informação disponível em: https://www.roxall.pt/alergia

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

MITE SPECIALISTS

domestic production of all species

39 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
ROXALL-Aristegui Portugal S.A. 4400-676 Telefone 220 150 580 Vila Nova de Gaia (Chamada para a rede fi xa Nacional) www.roxall.pt vacinas@roxall.pt

ALERGIAS CAUSADAS POR ÁCAROS E INSETOS CUIDADOS PRÁTICOS PARA PREVENÇÃO

As alergias causadas por ácaros e insetos afetam muitas pessoas. Estes pequenos organismos podem desencadear uma série de sintomas alérgicos, como espirros, congestão nasal e até mesmo asma. No entanto, existem diversas medidas, umas mais conhecidas que outras, que podemos adotar para reduzir a exposição a esses alérgenos e minimizar os riscos.

Mas antes de explorarmos estes cuidados, é importante entendermos um pouco mais sobre estes pequenos invasores. Os ácaros são aracnídeos microscópicos encontrados em ambientes domésticos, como colchões, almofadas, tapetes e sofás. Foram identificadas cerca de 50.000 espécies de ácaros, mas clinicamente os mais importantes são os do pó doméstico e os ácaros de “armazenamento”.

E porque causam alergia?

A alergia é uma reação exagerada do sistema imunitário a uma substância que designamos alergénio (ácaros, pólenes, pelos de animais, alimentos). Os alergénios dos ácaros encontram-se nos resíduos fecais dos mesmos e nas partículas do seu exosqueleto. A alergia é provocada pelo contacto do alergénio com as vias respiratórias, olhos, pele, mucosas do tubo digestivo. Já os insetos, como baratas e mosquitos, também podem desencadear alergias significativas, ao entrarem em nossa casa. Eis assim algumas recomendações para os evitar:

1) Realizar limpezas regulares

A higiene é fundamental para controlar ácaros e insetos, pelo que um dos conselhos é a limpeza regular, para remover a acumulação de poeira e detritos, utilizando panos húmidos e aspiradores de pó com filtros HEPA, que ajudam a capturar partículas minúsculas.

É aconselhável também lavar as roupas da cama – como lençóis, fronhas, cobertores e colchas – a uma temperatura superior a 55 graus, para eliminar eventuais ácaros e insetos. É essencial estar bem seca antes da próxima utilização.

2) Evitar locais de reprodução

Vivem apenas algumas semanas, mas reproduzem-se rapidamente em condições favoráveis de calor e humidade. Incentiva-se assim a utilização de desumidificadores ou ventiladores para manter a humidade adequada em casa. As manchas de humidade nas paredes e tetos devem também ser removidas logo quando aparecem.

Limpar e secar regulamente áreas como as casas de banho para evitar água parada acumulada, contribuindo para uma menor humidade no ar. A escolha do mobiliário também é importante –opte por materiais fáceis de limpar, como a madeira, metal, couro e superfícies lisas.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 40 PUBLIREPORTAGEM | ALERGIAS CAUSADAS POR ÁCAROS E INSETOS

Outro fator que contribui para a proliferação de ácaros e fungos é deixar a exposição de alimentos - sempre que possível, guarde-os em recipientes herméticos.

3) Utilizar tinta anti-insetos e anti-ácaros: Artilin 3A Mate da CIN

Proteger as paredes com uma demão de acabamento de uma tinta anti-insetos e anti-ácaros, elimina por contacto insetos e ácaros, e previne a formação de teias de aranha, durante pelo menos 5 anos, contribuindo para a melhoria da higiene e eliminação de fatores alergénicos.

A tinta Artilin 3A Mate da CIN é uma solução aquosa para a pintura de paredes interiores, que permite obter uma película resistente ao desenvolvimento de fungos e a única tinta com autorização de venda na União Europeia, certificada quanto à sua eficácia, durabilidade e não toxicidade. Além de destruir por contacto insetos e ácaros e evitar a formação de teias de aranha, também melhora a qualidade de vida dos asmáticos, sendo recomendada pela Associação Portuguesa de Asmáticos.

Dia Mundial da Alergia

O Dia Mundial da Alergia celebra-se a 8 de julho.

A data da Organização Mundial da Saúde visa alertar as pessoas sobre a importância do tratamento das alergias, visto que em certos casos as alergias podem provocar a morte.

Alergias mais comuns

As alergias mais comuns em Portugal são as alimentares e as respiratórias (pólenes, ácaros, fungos, pêlos de animais).

Nos adultos, as alergias alimentares mais frequentes são aos peixes, mariscos e a certas frutas. Nas crianças, as alergias alimentares mais comuns são às proteínas do leite de vaca, mariscos e ovos.

As alergias alimentares manifestam-se com comichão e inchaços nos lábios, vómitos, diarreia, pele irritada e rouquidão. As alergias respiratórias provocam espirros, falta de ar, tosse, comichão nos olhos e dores de cabeça. Já as alergias a medicamentos podem provocar náuseas, vómitos ou dificuldades respiratórias.

Sabia que?

• Estima-se que metade dos europeus sofre de alergias.

• Um terço das crianças europeias sofre de alergias.

• Um lençol pode conter um milhão e meio de ácaros, mas deixar a cama por fazer por meia hora é suficiente para os matar.

• Em Portugal, as doenças respiratórias são responsáveis por 15 milhões de dias de baixa anuais, por cinco milhões de consultas e 1,8 milhões de idas às urgências.

TINTA ARTILIN 3A MATE DA CIN

É a única tinta anti-insetos e anti-ácaros com autorização de venda na União Europeia, certificada quanto à sua eficácia, durabilidade e não toxicidade.

É uma tinta aquosa para a pintura de paredes interiores, anti-insetos e anti-ácaros, que permite obter uma película resistente ao desenvolvimento de fungos.

Única no mundo.

Destrói por contacto insetos e ácaros e evita a formação de teias de aranha.

Eficácia comprovada até 5 anos.

Melhora a qualidade de vida dos asmáticos, sendo recomendada pela Associação Portuguesa de Asmáticos.

41 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ALERGIAS CAUSADAS POR ÁCAROS E INSETOS | PUBLIREPORTAGEM
SAIBA MAIS EM CIN.COM/DECO

COMO LIDAR COM OS SINTOMAS DAS ALERGIAS DA PRIMAVERA

O excesso de humidade prejudica a saúde?

Muita gente fica preocupada quando o tempo está muito seco. A baixa humidade promove um ressecamento da mucosa nasal, o que a torna mais suscetível a inflamação. Mas quando há muita humidade, é preciso ficar atento: a humidade excessiva pode aumentar a proliferação de ácaros e fungos, o que pode ocasionar sintomas de alergia. Além disso, os ambientes tendem a ficar fechados, podendo favorecer a disseminação de vírus e bactérias que causam doenças.

A primavera é aquela estação conhecida por todos: bonita, por causa das flores, mas que causa um certo desconforto para quem sofre com as alergias típicas dessa época. A rinite, que é a inflamação e irritação da mucosa nasal, por exemplo, é a mais comum. Conhecida como doença crónica, alguns hábitos podem ser adotados para que os sintomas sejam atenuados.

É muito importante manter os ambientes arejados para que haja melhor circulação do ar.

Quando possível, expor roupas de cama, colchões e travesseiras ao sol. Quando houver secreção no nariz, lavar com soro fisiológico sempre que necessário para evitar o acúmulo.

A genética no quadro alérgico Quando o paciente é alérgico, a genética tem grande influência. A alergia é uma

doença que tem componentes genéticas e ambientais.

A probabilidade de uma pessoa ter alergia aumenta 25% se um dos pais tiver alergia e 50% se os dois pais tiverem.

A exposição a alergénios (pó, pelos de animais, alimentos) na primeira infância também pode contribuir para o desenvolvimento de alergias.

Sintomas de alergia na primavera

Os principais sintomas de alergia na primavera são espirros, corrimento nasal, nariz entupido, olhos vermelhos, comichão nos olhos e no nariz. Algumas pessoas só têm crises nessa época, pois é o período de polinização, e a quantidade de pólens no ar aumenta significativamente.

Dicas para evitar alergias na primavera

Para prevenir as crises alérgicas nesta época do ano, a melhor maneira é evitar o contacto com substâncias que causam alergia, como pó, pêlos de animais, fumo de cigarro, produtos de limpeza e, em alguns casos, até perfumes.

Para quem tem animais de estimação, por exemplo, alguns cuidados devem ser tomados, como dar banhos frequentes ao animal e evitar que ele durma na cama junto do paciente alérgico. Além dos pêlos dos animais poderem provocar alergia, eles

carregam pó, o que também pode potenciar os sintomas.

Em relação à higiene da casa, o ideal é não usar a vassoura e, sim, passar um pano húmido e aspirador. O ato de varrer faz com que as partículas de poeira fiquem em suspensão no ar por várias horas, provocando os sintomas.

Para quem tem crianças, deve-se ter um cuidado especial com os bonecos de peluche: eles também podem acumular pó, por isso, é importante evitar que eles fiquem no mesmo quarto em que a criança dorme. As crianças tendem a acumular secreção no nariz pela dificuldade em se assoarem e isso pode comprometer o sono e também evoluir para infeções.

Por isso, a lavagem do nariz com soro fisiológico (seja em spray ou em seringa) é fundamental, pois além de ajudar a hidratar as mucosas nasais, também auxilia na eliminação de secreções e impurezas como alergénios e bactérias. Além de fazer a limpeza nasal, o soro fisiológico ajuda a descongestionar, facilitando a respiração.

Tratamento para quem tem alergias

Existem vários tratamentos para quem é alérgico, desde sprays nasais a antialérgicos. As alergias são doenças crónicas e não existe cura, porém, pode obter-se controle parcial ou mesmo total da doença com o tratamento.

ALERGIAS DA PRIMAVERA

Cetirizina

Para dias dos sintomas de Aliviados alergias!

• Alívio dos sintomas nasais e oculares da rinite alérgica sazonal e perene

• Alívio dos sintomas de urticária crónica idiopática

Comprimidos revestidos embalagem de 20 comprimidos

Crianças entre os 6 e os 12 anos 5 mg (meio comprimido) duas vezes por dia

Adultos e adolescentes com idade superior a 12 anos 10 mg (1 comprimido) uma vez por dia

Histacet é um medicamento não sujeito a receita médica. Leia atentamente o folheto informativo. Em caso de agravamento ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou farmacêutico. Histacet está indicado em doentes adultos e pediátricos com idade igual ou superior a 6 anos no alívio dos sintomas nasais e oculares da rinite alérgica sazonal e perene, e no alívio dos sintomas de urticária crónica idiopática. Histacet está contraindicado em caso de hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes, à hidroxizina ou a qualquer derivado da piperazina, bem como em doentes com compromisso renal grave que apresentem depuração de creatinina inferior a 10 ml/min. Recomenda-se precaução na ingestão concomitante de cetirizina e álcool, ainda que em doses terapêuticas não tenham sido demonstradas interações clinicamente significativas. Devem ser tomadas precauções em doentes com fatores que predisponham para retenção urinária (por ex., lesão da medula espinal, hiperplasia prostática), já que a cetirizina pode aumentar o risco de retenção urinária. Recomenda-se precaução em doentes epiléticos e em doentes com risco de convulsões aumentado. Os testes de alergia cutâneos são inibidos pelos medicamentos anti-histamínicos e é necessário um período de 3 dias de suspensão do tratamento antes de serem efetuados. Este medicamento contém lactose, pelo que doentes com problemas hereditários raros de intolerância à galactose, deficiência de lactase ou malabsorção de glucose-galactose não devem tomar este medicamento. 05/2022

PUB
Titular de AIM: Laboratórios Atral, S.A., Rua da Estação, n.ºs 1 e 1A, 2600 – 726 Castanheira do Ribatejo – Portugal | NIPC 500 162 085 Farmacovigilância: farmacovigilancia@atral.pt
PM/LA/HISTACET/2024Q2-1

OLHO SECO E SAÚDE OCULAR NA PRIMAVERA

vermelhidão e inchaço nos olhos, sendo agravadas pela exposição a ambientes externos com grande concentração de alergénios.

créditos

foto: Esfera das

Ideias

J. Salgado-Borges. MD, PhD, FEBO

Diretor Clínico da Clinsborges, Embaixador em Portugal do TFOS (Tear Film & Ocular Surface Society) e Membro da EUDES (European Dry Eye Society) www.clinsborges.pt / www.salgadoborges.com

Os grupos de risco incluem pessoas com histórico de alergias sazonais, pessoas em ambientes com ar condicionado ou aquecimento que reduz a humidade do ar, e profissionais que despendem longos períodos diante de ecrãs, o que contribui para a diminuição da frequência de pestanejo e agrava o problema do olho seco. Incluem-se também pessoas que fazem uso regular de certos medicamentos, como anti-histamínicos, antidepressivos e alguns tratamentos para a hipertensão, que podem influenciar a produção de lágrimas e agravar os sintomas de olho seco.

Para reduzir a exposição ao pólen, recomendo manter as janelas fechadas em dias de concentração moderada a alta deste no ar e, preferencialmente, usar óculos escuros ao sair para o exterior. O uso de um humidificador em casa pode ajudar a manter a humidade num nível adequado. Além disso, é essencial manter uma boa higiene, tal como lavar o rosto e as mãos depois de ter estado ao ar livre.

A chegada da Primavera, apesar de trazer consigo o renascer da natureza, pode ser um período desafiador para aqueles que lidam com olhos secos e alergias oculares. Essas condições não apenas causam um desconforto significativo, mas também prejudicam a qualidade de vida das pessoas afetadas. Neste artigo, abordo as causas, sintomas e partilho ainda algumas estratégias preventivas e de alívio dessas condições comuns nesta estação, além de destacar também os grupos e fatores de risco envolvidos.

O olho seco caracteriza-se pela insuficiente produção de lágrimas ou pela sua rápida evaporação, provocando sintomas como ardor e, em situações mais severas, visão turva. Além destes, outros sintomas incluem sensação de corpo estranho nos olhos, dificuldade em usar lentes de contacto, olhos vermelhos e desconforto ao ler ou ao utilizar aparelhos digitais por períodos prolongados. Fatores como ventos fortes e baixa humidade podem intensificar esta condição. Já as alergias oculares, muitas vezes desencadeadas por pólens, causam comichão,

Quanto ao tratamento, as lágrimas artificiais sem conservantes surgem como uma opção preferencial para aliviar de forma rápida os sintomas alérgicos, dado que apresentam menor risco de irritação ou reações adversas em comparação com os colírios que contêm conservantes. Adicionalmente, a suplementação com ómega-3 pode melhorar a qualidade das lágrimas, ajudando na redução dos sintomas de olho seco. Pacientes com condições mais graves de olho seco devem consultar um oftalmologista para um diagnóstico detalhado e tratamentos avançados, como, por exemplo, terapias de luz pulsada intensa (IPL). Em conclusão, pessoas com síndrome do olho seco ou alergias oculares podem experienciar um grande desconforto durante esta estação, mas adotar medidas preventivas e a procura de cuidados adequados podem reduzir significativamente os sintomas e melhorar a qualidade de vida. Manter-se informado e procurar acompanhamento oftalmológico regular são passos fundamentais para gerir eficazmente estas condições.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 44
SAÚDE OCULAR NA PRIMAVERA | OLHO SECO

MODULADOR DUAL DA SUPERFÍCIE OCULAR:

ÁCIDO HIALURÓNICO

CROSS-LINKED* 0,4% Alto peso molecular

ALOE VERA 0,2%

O plus (+) da hidratação1

O plus (+) da cicatrização2,3

O plus (+) das propriedades anti-inflamatórias4,5

SEM CONSERVANTES SEM FOSFATOS COMPATÍVEL COM LENTES DE CONTACTO1

CNP 7290049 Multidose 10 ml

*Reticulado

**Administrar 1 ou 2 gotas em cada olho uma ou mais vezes por dia ou conforme orientação do seu médico ou farmacêutico.

1. Santen. Instruções de utilização do Cooltears® Alo+, outubro 2022.

2. Moghadam MR, et al. J Opthalmic Vis Res 2020;15:7–15.

3. Atiba A, et al. Clin Ophthalmol 2015;9:2019–2026.

4. Aragona et al. Trans Vis Sci Tech. 2019;8(6):2.

5. Wozniak A & Paduch R. Pharm Biol 2012; 50(2): 147–154.

Material exclusivo para Profissionais de Saúde. Comercializado por: Santen Pharmaceutical Spain, S.L. sucursal em Portugal - medinfo@santen.pt. Cooltears® Alo+ é um dispositivo médico estéril Classe IIB que está em conformidade comos regulamentos de dispositivos médicos

OCUTEA-PT-240004

45 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA VISÃO

O sentido da visão possui um elevado significado social, representando um meio de comunicação fundamental para a relação entre as pessoas e para a atividade profissional

A OMS considera que a maioria de todas as causas de deficiência visual são evitáveis ou podem ser tratáveis mediante prevenção adequada e, mundialmente, pelo menos 2,2 biliões de pessoas têm uma deficiência visual ou cegueira, das quais cerca de 1 bilião destes casos poderiam ter sido evitados ou tratados.

Em Portugal, estima-se que as alterações da visão afetem cerca de metade da população e que perto de 20% das crianças, tal como 50% dos adultos, sofram de erros refrativos significativos. A retinopatia diabética e a ambliopia nas crianças são duas situações passíveis de prevenção e deteção precoce, bem como de tratamento oftalmológico e recuperação. No Dia Mundial da Visão, que se assinala anualmente em outubro, realizam-se rastreios visuais gratuitos em ópticas acreditadas, assim como conferências, caminhadas, angariações de fundos para o pagamento operações dispendiosas, concursos de fotografia, entre outras atividades. O objetivo geral destas iniciativas é prevenir problemas visuais, proteger e tratar da visão das pessoas.

Problema de Saúde Pública e elevado significado social

Os défices visuais corrigíveis, quando não diagnosticados atempadamente, constituem um importante problema de saúde pública.

O sentido da visão possui um elevado significado social, representando um meio de comunicação fundamental para a relação entre as pessoas e para a atividade profissional.

Sabe-se, hoje, que mais importante do que a acuidade visual em si mesma é o modo como cada pessoa utiliza a visão que possui, ou seja, a sua visão funcional, e que existem medidas suscetíveis de a melhorar.

Sabe-se, ainda, que a visão deve ser preservada desde o nascimento, sendo imperativo prevenir e tratar a doença visual, a qual provoca, sempre, diminuição da qualidade de vida, com repercussão negativa a nível pessoal, familiar e profissional, para além de causar elevados custos sociais.

No entanto, as doenças dos olhos e do sistema visual são extremamente frequentes na população em geral, sendo o envelheci-

mento progressivo da população portuguesa um dos fatores que mais contribuiu para esta situação.

A evolução tecnológica em geral, e das ciências médicas em particular, permite num elevado número de pessoas melhorar a acuidade visual e evitar a cegueira.

Alguns conselhos para manter a saúde da visão

1. Durma no mínimo entre sete e oito horas por dia

2. Evite o consumo de bebidas alcoólicas

3. Afaste-se dos cigarros

4. Tenha uma alimentação equilibrada

5. Não se esqueça de usar óculos escuros

6. Não descuide dos olhos durante o tempo seco

7. Evite coçar os olhos

8. Faça pausas durante o dia e descanse os olhos

9. Se precisa de óculos graduados, não deixe de usá-los

10. Realize consultas oftalmológicas com regularidade.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 46
SAÚDE DA VISÃO | A IMPORTÂNCIA DE UMA BOA VISÃO

10 MANDAMENTOS PARA UNS OLHOS SAUDÁVEIS

1- Alimentação equilibrada e exercício físico

Uma alimentação equilibrada aliada à prática de exercício físico contribuem para a saúde dos olhos. Isto porque doenças relacionadas com a alimentação e o estilo de vida, como a hipertensão e a diabetes tipo II, podem comprometer seriamente a saúde dos nossos olhos. A retinopatia diabética, por exemplo, continua a ser uma importante causa de cegueira em Portugal.

2 - Repouso ocular

Quando realizamos tarefas que exigem esforço visual ao perto, como a leitura ou a utilização de computadores e monitores, deveremos fazer intervalos regulares para que possa de novo haver um normal reflexo do pestanejo. Este está diminuído durante o estado de concentração aplicado à realização de tarefas de perto. A posição dos ecrãs do computador e da televisão deve ser corrigida de forma a evitar os reflexos. Os olhos devem estar num plano ligeiramente acima do centro do monitor do computador e a uma distância da televisão equivalente a cinco vezes a largura do ecrã.

3 - Óculos de Sol

Os olhos devem ser protegidos com óculos de sol durante todo o ano. As lentes não precisam de ser escuras, mas devem conter filtros para os raios UV. Quem usa óculos escuros, mas sem filtros para raios UV, está tão exposto aos efeitos nocivos da luz solar como quem não os usa. É importante lembrar que a luz solar está na origem de patologias graves como sejam a catarata e degenerescência macular ligada à idade.

4 - Cuidados na infância

Cerca de 20% das crianças em idade escolar têm algum défice da função visual capaz de interferir com o rendimento escolar.

A deteção precoce dos problemas visuais das crianças através de rastreios deverá começar a partir dos 2/4 anos. Dores de cabeça, olhos vermelhos, inchados ou lacrimejantes, estrabismo e fotofobia (dificuldade em suportar a luz) são sintomas que não podem ser ignorados e devem levar os pais a procurar um oftalmologista.

5 - Alergias

A conjuntivite alérgica, que atinge uma percentagem significativa da população portuguesa, em especial a camada mais jovem, é uma doença inflamatória da superfície ocular externa que se manifesta através de prurido, sensação de ardor nos olhos, lacrimejo, olhos vermelhos, fotofobia e edema (inchaço) da conjuntiva e das pálpebras. Para tratar a conjuntivite alérgica são utilizados anti-histamínicos e ou corticosteróides tópicos (sempre recomendados pelo oftalmologista). Mas, tal como acontece com outras manifestações alérgicas, deve prevenir-se o desencadear ou o agravamento evitando a exposição aos alergénios.

6 - Hidratação ocular

A síndrome vulgarmente chamada de “olho seco”, é uma patologia inflamatória que atinge 10 a 20% da população adulta. Desconforto ocular, ardor, sensação de corpo estranho e olho vermelho são alguns dos sintomas de alerta para esta e outras formas de inflamação ocular. O tratamento é sin-

tomático, devendo ser utilizadas substâncias lubrificantes denominadas lágrimas artificiais.

7 - Proteção ocular na prática desportiva

As lesões oculares que ocorrem durante alguns tipos de desporto podem ser graves e comprometer a qualidade da visão. Tem sido demonstrado que o uso de protetores oculares atualmente disponíveis reduz o risco de lesão ocular em, pelo menos, 90 por cento.

8 - Cuidados depois dos 40

Depois dos 40 anos os cuidados com a visão devem redobrar-se e a visita ao oftalmologista deve ser feita pelo menos de dois em dois anos, numa consulta que deve incluir observação do cristalino e da retina, medição da tensão ocular (caso seja elevada podemos estar perante um caso de glaucoma), e verificar se há necessidade de correção de ametropias (uso de óculos com graduação).

9 - Cuidados redobrados com as lentes de contacto

A SPO recomenda a quem usa lentes de contacto que cumpra de uma forma sistemática os cuidados de higiene aconselhados na manipulação e manutenção das mesmas. A SPO recomenda ainda evitar dormir com as lentes de contacto colocadas, evitar exposições ambientais agressivas e, caso surjam fenómenos de olho vermelho com desconforto associado, a sua imediata remoção.

10 - Em caso de dúvida consulte o seu oftalmologista

Os oftalmologistas são os especialistas médicos mais habilitados para diagnosticar e tratar as doenças dos olhos. Se notar alguma alteração na sua visão, procure um oftalmologista.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 48
SAÚDE DA VISÃO | VISÃO MAIS SAUDÁVEL
Fonte: Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO)

Dr. Ricardo Souto, Cirurgião Geral com Mestrado em Cirurgia da Parede Abdominal Coordenador da Unidade de Cirurgia da Parede Abdominal do Hospital de Cascais

Cirurgia da Parede Abdominal na Clínica Cirúrgica de Carcavelos

Fellow do European Board of Surgery – Abdominal Wall Surgery

Vogal da Direcção da Sociedade Portuguesa de Hérnia e Parede Abdominal

As hérnias abdominais (ou, mais correctamente, hérnias da parede abdominal) constituem a patologia abdominal mais frequentemente operada em todo o Mundo. Tratam-se de doenças muito frequentes, quer na população adulta quer nas crianças, e particularmente comuns no sexo masculino.

Uma hérnia abdominal pode ser definida como um orifício ou fragilidade nos músculos abdominais que permite a passagem de um orgão ou estrutura abdominal (mais frequentemente, parte do intestino ou de gordura do interior do abdómen) através desse mesmo orifício, originando assim sintomas. Estes são, habitualmente, a dor ou o desconforto nesse local e a presença de um “inchaço” ou “saliência”.

TRATAMENTO DE HÉRNIAS ABDOMINAIS

NOVAS ABORDAGENS E AVANÇOS TECNOLÓGICOS

Existem vários subgrupos de hérnias abdominais, sendo as mais frequentes as hérnias inguinais (localizadas próximo das virilhas e genitais), as umbilicais, as epigástricas e as hérnias incisionais (hérnias que surgem em cicatrizes de incisões cirúrgicas abdominais pré-existentes).

O diagnóstico de uma hérnia é relativamente simples e dispensa, habitualmente, a realização de exames sofisticados. Um bom exame clínico por parte do médico de família ou de um cirurgião geral é habitualmente suficiente.

Quanto ao seu tratamento, qualquer hérnia só pode ser definitivamente corrigida com cirurgia. Por este motivo, após o diagnóstico o doente deverá ser avaliado por um cirurgião geral (preferencialmente com diferenciação em cirurgia da parede abdominal), onde será então equacionada a cirurgia.

Salvo casos raros, todas as hérnias (particularmente se sintomáticas) devem ser operadas. Esta é a única forma de correção que permite resolver os sintomas, evitar complicações futuras (nomeadamente de estrangulamento da hérnia) e melhorar a qualidade de vida.

Relativamente às técnicas cirúrgicas tradicionais a maioria implica, de forma genérica, a realização de uma incisão sobre o local da hérnia, a reintrodução do conteúdo da hérnia na cavidade abdominal e o encerramento reforçado do orifício herniário

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 50 CIRURGIA GERAL | HÉRNIAS ABDOMINAIS

com uma malha ou rede (também conhecida como prótese). Estas técnicas, genericamente conhecidas como hernioplastias abertas, apesar de eficazes, revestem-se de algumas limitações, nomeadamente risco de complicações na cicatrização, infecção, recuperação pós-operatória mais demorada, dor crónica e, em alguns casos, probabilidade acrescida de falência e reaparecimento da hérnia (conhecido como recorrência herniária). Estas complicações podem, em alguns casos, revelar-se extremamente difíceis de solucionar, com enorme impacto na qualidade de vida do doente e despesas consideráveis associadas aos seus tratamentos.

Neste sentido, surgiram nas últimas décadas outras técnicas, algumas das quais minimamente invasivas, que vieram procurar dar resposta a algumas das limitações acima referidas. Embora tecnicamente mais sofisticados, alguns destes procedimentos permitiram assegurar claros benefícios para o doente, nomeadamente, na diminuição da probabilidade de recorrência herniária, na redução do risco de infecção, no encurtamento do tempo de recuperação e na redução da dor pós-operatória.

Mais recentemente, com o advento e generalização da tecnologia robótica na cirurgia geral (e não só), foi possível proporcionar ainda mais vantagens para o doente com hérnia abdominal. Para além de ser uma cirurgia minimamente invasiva, a robótica confere ao cirurgião uma capacidade acrescida de precisão cirúrgica, proporcionando assim excelentes resultados pós-operatórios.

Os avanços e inovação na área da cirurgia da parede abdominal não se limitaram à introdução de novas técnicas. Nos últimos anos surgiram também novos materiais, em particular na constituição das redes, que permitem assegurar a realização de cirurgias com excelentes resultados e enorme segurança clínica. Estas redes são colocadas com o intuito de fortalecer a reparação da hérnia e diminuir assim o risco de recorrência. De entre os materiais mais utilizados referem-se o poliester, o polipropileno ou, mais recentemente, o PVDF (fluoreto de polivinilideno). Este último parece ser bastante promissor no que diz respeito à capacidade de conferir maior conforto pós-operatório e na possibilidade de visualização da rede em futuras ressonâncias magnéticas (algo até então extremamente difícil de se alcançar).

Contrariamente a algumas crenças infundadas e desinformação, os materiais utilizados na confecção das malhas são hoje em dia

extremamente seguros e não há qualquer evidência de grandes riscos associados à sua presença no organismo. Relatos como “rejeição” ou “alergia” às redes são fundamentalmente anedóticos e destituídos de sustentação científica credível.

Pode-se afirmar, sem sombra de dúvida, que a cirurgia de correção de hérnias abdominais é uma das áreas que conheceu maiores avanços e inovações na última década, quer pela implementação e consolidação de diversas técnicas cirúrgicas e tecnologias, quer pela introdução de materiais que permitem ao cirurgião oferecer a melhor solução a cada doente. Este rápido crescimento e diferenciação levou inclusivamente à criação de uma competência cirúrgica reconhecida pela União Europeia de Médicos Especialistas (UEMS) e que assegura a certificação na diferenciação em cirurgia da parede abdominal. Na mesma medida, foi criada em 2019 a Sociedade Portuguesa de Hérnia e Parede Abdominal que visa precisamente ajudar a divulgar, valorizar e apoiar a formação dos cirurgiões portugueses nesta área.

O cirurgião de parede abdominal moderno deve, desta forma, afirmar-se como factor diferenciador na área da cirurgia geral e procurar oferecer assim um tratamento cirúrgico de excelência à medida de cada doente, em função das características da hérnia e das especificidades do próprio doente.

51 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
www.cardiolink.pt • geral@cardiolink.pt
HÉRNIAS ABDOMINAIS | CIRURGIA GERAL

MAU HÁLITO: COMO PREVENIR?

A halitose ou mau hálito é um problema comum que muitas pessoas enfrentam, e pode ser embaraçoso e constrangedor para quem sofre com isso.

Dr.ª Ana Lopes (OMD2504), Médica Dentista no Trofa Saúde Gaia

A halitose é um odor desagradável que vem da boca e pode ser causado por uma variedade de fatores, incluindo má higiene oral, infeções e outras condições médicas.

Como médica dentista, uma das queixas mais comuns dos meus doentes é o mau hálito.

Felizmente, existem várias maneiras de tratar a halitose e manter a boca fresca e saudável. Aqui estão algumas dicas úteis para ajudar a combater o mau hálito:

Consulte um dentista regularmente:

Visite o seu dentista regularmente (de 6 em 6 meses) para exames dentários e limpezas profissionais (destartarizações). O dentista pode ajudar a identificar cáries, gengivite, periodontite, mau alinhamento dentário, próteses desadaptadas, situações estas que podem ser as causadoras do problema.

Se após avaliação clínica e questionário do doente o médico dentista determinar que o problema não é a nível oral, mas sim por outra situação médica subjacente, poderá encaminhá-lo para outras especialidades médicas (ex: amigdalites, refluxo gastroesofágico…).

Escove os dentes regularmente:

A escovagem regular dos dentes é a base para manter uma higiene oral adequada. Certifique-se de escovar os dentes pelo menos duas vezes ao dia por dois minutos, usando uma pasta de dentes. O uso de pastas dentífricas específicas para a halitose é crucial para combater o mau hálito, promovendo uma higiene oral mais eficaz e uma sensação de frescura duradoura. Não se esqueça de escovar a língua também, já que ela pode abrigar bactérias e restos alimentares que causam mau hálito.

Use fio/fita dentária diariamente:

O fio dentário é um complemento importante da escovagem dos dentes, pois ajuda a remover as partículas de alimentos e placa bacteriana que ficam presas mantendo os dentes e gengivas saudáveis e livres de bactérias. O uso de um elixir/colutório adequado diariamente também é indicado.

Mantenha-se hidratado:

Beber água regularmente ajuda a manter a boca húmida e impede a formação de placa bacteriana, que é uma das principais causas do mau hálito. Certas condições médicas obrigam à prescrição de medicamentos como anti-histamínicos e antidepressivos que têm como efeito secundário xerostomia (boca seca). Beba bastante água ao longo do dia e evite o consumo excessivo de bebidas açucaradas e alcoólicas.

Evite alimentos que causam mau hálito:

Certos alimentos, como alho, cebola, queijo, peixe e carne, podem causar mau hálito. Evite comer esses alimentos em excesso ou escove os dentes e use fio dental imediatamente após consumi-los.

Não fume:

Parar de fumar ajuda a reduzir o mau hálito e reduz o risco de doenças tanto a nível oral bem como outros problemas de saúde.

Lembre-se de que a prevenção é sempre a melhor opção. Converse sempre com o seu médico dentista se estiver preocupado com o seu hálito e agende consultas regulares para manter a sua boca sempre saudável e o seu hálito fresco.

SAÚDE ORAL | HALITOSE
53 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL

O DIA MUNDIAL DA MEDICINA VETERINÁRIA

A celebração de um Dia Mundial inteiramente dedicado à Medicina Veterinária é um símbolo global do valor e da necessidade incontornável desta área da medicina no Planeta para os Humanos, Animais e Ecossistemas.

Quero propor a quem lê este texto, um exercício de imaginação.

Imagine a família Silva, Francisco e Celeste, os pais, com dois filhos, a Maria e o João, a viver num mundo sem medicina veterinária.

Francisco prepara o pequeno-almoço, porém, uma vez mais, tem receio do leite que serve e da manteiga com que barra as torradas para a família. Celeste, sabe que comer ovos mexidos é uma lotaria, pois não tem a garantia de que esses ovos provêm de uma produção avícola, onde as aves são tratadas quando estão doentes, e doenças como a Salmonelose, uma zoonose potencialmente fatal para o Homem, não é permanentemente monitorizada. Francisco também não sabe qual a quantidade de resíduos ou contaminantes do leite que serviu, não sabendo se foi adequadamente monitorizado e se está apto para ser consumido por todos, pois não há quem o assegure. Diariamente, o pequeno-almoço para os Silva, é assim uma roleta russa para o risco de contrair alguma doença de origem animal. Estamos num dia de semana, apesar da escola da Maria e do João ser a 800 metros da casa da família Silva, Celeste insiste em levar os seus filhos de carro todos os dias. Teme o número de cães errantes que andam na rua e os seus ataques, pois não são controlados pelo município. Existem cães que têm raiva e ao morder as pessoas, em

99,9% dos casos, o ser humano mordido, morrerá. Maria e João têm aulas o dia todo, porém evitam comer na cantina, pois o bife de vaca com arroz e salada não obedece a critérios de segurança alimentar, não garantindo a alimentação segura. No final do dia, Francisco apanha os seus filhos da escola e voltam para casa, onde à espera deles, está o seu novo gato, o Tareco, que hoje está estranhamente apático. É o terceiro gato, nos últimos meses que têm na família. Os outros dois anteriores, aparentemente, morreram com uma doença que ninguém sabe diagnosticar e para a qual não existe vacina veterinária, assim como não encontraram ninguém com real conhecimento para os tratar. Entretanto, Celeste, que passou a tarde a tentar tratar do Tareco como sabia, também se sente mal e foi ao médico, que não sabe o que ela tem, nem se tem origem no seu animal, uma vez que neste exercício de imaginação, não existem médicos veterinários para complementar com informação sobre o gato.

É um exercício muito difícil, imaginar o mundo atual sem a Medicina Veterinária. Ela está presente em inúmeras áreas, que incluem entre outras: a inspeção sanitária, a segurança dos alimentos, a saúde pública e o controlo de zoonoses, a certificação oficial veterinária, o fabrico de medicamentos veterinários, a prática clínica e cirúrgica em todas as espécies animais, a conservação animal, entre muitas outras.

Felizmente este exercício não é real, a nossa realidade é segura com base científica, em tudo graças à acção diária de zelosos e dedicados profissionais que exercem Medicina Veterinária no nosso país.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 54
SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL | OMV
Dr. Pedro Fabrica, Bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários

Atualmente, o reconhecimento da importância da Medicina Veterinária no mundo ocidental e em Portugal, frequentemente, está limitada ao ângulo liberal da profissão: os e as Médicas Veterinárias que se dedicam à assistência Clínica de Animais de Companhia. As demais áreas, direta ou indiretamente referidas atrás, são vítimas do sucesso dos seus Profissionais, que tornam Portugal num país seguro na cadeia europeia e mundial, cumprindo a regulamentação europeia mais recente, seguindo a evolução das novas e futuras exigências em bem-estar animal, segurança alimentar, controlo de zoonoses e uso de antibióticos. Quantos aos dignos representantes da Medicina Veterinária, eles sabem a sua importância, embora não se sintam por vezes reconhecidos e respeitados, pelo poder político e pela sociedade, pois a falta de representatividade do Médico Veterinário nos centros de decisão: limita a implementação de medidas, como um plano nacional de controlo de animais errantes eficaz; faz da Medicina Veterinária, a única medicina penalizada e discriminada com IVA, impactando os detentores de animais de companhia e os produtores animais nacionais; insiste na inexistência de uma carreira médico-veterinária na administração pública, não dignificando o papel único do Médico Veterinário enquanto Técnico Superior com responsabilidades diferenciadas e acrescidas aos demais Técnicos; coloca entraves aos deveres deontológicos de independência e liberdade de decisão médico-veterinária por legislação avulsa; põe em risco a prática dos atos médico-veterinários por não serem reconhe-

cidos como próprios da Profissão, abrindo a possibilidade de outras pessoas os virem a praticá-los, destruindo a qualidade dos serviços médico-veterinários que norteiam a atuação do Médico Veterinário.

Celebremos o Dia Mundial da Medicina Veterinária com imenso orgulho da progressão e evolução desta medicina que apaixona muitos profissionais em todo o mundo, com esperança e convicção de que há ainda muito para fazer, pelo menos por cá, para tornar esta data uma verdadeira celebração de todos: Médicos Veterinários, sociedade e, acima de tudo, os animais.

Dia Mundial da Medicina Veterinária

No próximo dia 27 de abril celebra-se o Dia Mundial da Medicina Veterinária. Criado em 2000 pela World Veterinary Association, o Dia Mundial da Medicina Veterinária celebra-se a cada ano no último sábado do mês de abril. É uma forma de prestigiar a profissão e os seus profissionais, que trabalham para cuidar da saúde dos animais e, simultaneamente, garantir também a saúde das pessoas.

55 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
OMV | SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL Seguro
Gatos
Sitting
Vacinas Exames Internamentos Cirurgias Sede Av. Vasco da Gama, 132 | 4490 - 410 Póvoa de Varzim Telf.: +351 252 612 815 (chama para rede fixa nacional) Telm.: +351 937 543 916 (chamada para rede móvel nacional) gese.pt Gese Mediação de Seguros Lda, com sede na Av. Vasco da Gama 132, 4490-410 Póvoa de Varzim, com autorização para exercer atividade de distribuição de seguros nos Ramos Vida e Não Vida inscrito na ASF – Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, com a categoria de Agente de Seguros, sob o nº 407250466, inscrito em 27-01-2007 verificável em www.asf.com.pt - NIF: 504020595, Capital Social: 25,000€. De uma forma geral autorizada a celebrar seguros em nome e por conta de empresas de seguros, mas nunca assume em seu próprio nome a cobertura de riscos, competência exclusiva das empresas de seguros nos termos da legislação aplicável.A contratação de seguros não dispensa a consulta a informação pré-contratual e contratual legalmente exigida.
Cães e
Descontos Até 20% Alimentação Banhos e Tosquias Pet
e Treinos Hotéis Poupe Até 50% Consultas

LEISHMANIOSE CANINA: PREVENÇÃO E SAÚDE PÚBLICA

Leishmaniose Canina: Em Portugal, referimo-nos especialmente a um tipo de leishmaniose designada por Leishmaniose Visceral Zoonótica (LVZ) que afeta vários órgãos internos (fígado, baço, linfonodos, medula óssea, etc.) e a pele, sendo causada sobretudo por Leishmania infantum.

Este protozoário é transmitido pelas fêmeas de pequenos insetos de cor amarela clara do género Phlebotomus (vulgo flebótomos) que, estando infetadas, transmitem o parasita durante a refeição que efetuam na pele dos nossos animais de companhia. Os flebótomos têm maior atividade entre Março e Outubro, vivem nos jardins, florestas, abrigos dos animais, caixotes de lixo, entre outros, proporcionando-se um fácil contacto com os cães. Existem, ainda, outras vias de transmissão de L. infantum como através de transfusão sanguínea, transmissão venérea e transmissão mãe-filho.

A LVZ é considerada uma zoonose porque, através dos flebótomos, pode ser transmitida dos cães e gatos (entre outros animais) aos seres humanos. No Mundo, a LVZ distribui-se por mais de 70 países, em quatro continentes.

Após a infeção, o desenvolvimento (ou não)

de sinais clínicos depende do tipo de resposta imunitária de cada cão sendo esta caraterística geneticamente determinada. Existem cães que conseguem controlar a infeção e outros em que a doença evolui surgindo perda de peso, aumento dos linfonodos e do crescimento das unhas, feridas de difícil cicatrização e sinais de doença hepática e renal, entre outros. Após o diagnóstico clínico e laboratorial, e feito o estadiamento da doença, o tratamento deverá ser implementado o mais cedo possível para reduzir a taxa de mortalidade.

Os tutores dos animais devem aconselhar-se com o médico veterinário, que esclarecerá qualquer dúvida adicional e definirá qual o melhor plano de prevenção para cada caso

Prevenção: A prevenção é feita recorrendo a estratégias de controlo dos flebótomos (aplicação de repelentes sob a forma de coleiras ou em pipeta de preferência durante todo o ano) e à estimulação da imunidade do cão (vacinação anual e, em casos específicos, medicação com imunomoduladores). De realçar que os repelentes devem ser sempre aplicados mesmo em animais vacinados.

A salientar, também, que a manutenção de um bom estado de saúde do animal, os rastreios regulares da infeção, a não utilização, como reprodutores, de animais que se encontram infetados ou que já tiveram LVZ, e a implementação de cuidados de higiene ambiental para eliminar os locais de criação dos flebótomos são medidas fundamentais.

Contexto em Saúde Pública: No caso da LVZ, a infeção só é transmitida aos humanos após a picada do flebótomo sendo improvável que um ser humano se infete por contacto direto com um cão (ou gato) infetado ou doente.

De salientar que, nos humanos, esta doença ocorre, maioritariamente, nas populações mais carenciadas em áreas rurais e suburbanasassociadas a higiene deficitária que facilita a proliferação dos insetos transmissores - ou em indivíduos imunodeficientes e em crianças até aos 5 anos. Regra geral, os sinais são cutâneos e facilmente controláveis.

Como nota final, relativamente à LVZ, os tutores dos animais devem aconselhar-se com o médico veterinário, que esclarecerá qualquer dúvida adicional e definirá qual o melhor plano de prevenção para cada caso, preservando os importantes benefícios que resultam do convívio entre cães saudáveis e humanos.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 56
SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL | LEISHMANIOSE CANINA
Isabel Pereira da Fonseca, Médica Veterinária, Professora Associada com Agregação de Parasitologia e Doenças Parasitárias na Faculdade de Medicina Veterinária – Universidade de Lisboa Lesões cutâneas peri-oculares em cães com leishmaniose Formas de Leishmania infantum dentro de um macrófago na medula óssea de cão.

PARASITAS DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS

Verifica-se o aumento da sobrevivência dos agentes parasitários em épocas que normalmente eram desfavoráveis para a sua sobrevivência

Vamos a factos: cada pulga põe cerca de 30 ovos por dia durante o seu ciclo de vida. Uma carraça põe cerca de quatro mil ovos e um mosquito não necessita de mais do que uma pequena quantidade de água parada para se reproduzir à velocidade de 150 ovos por dia durante o seu ciclo de vida. Conclusão? É fundamental manter uma regular higiene e fazer um tratamento preventivo das pragas que se infestam nas casas. E, para quem tem animais de estimação, o alerta é ainda maior: use um repelente eficaz contra os parasitas que facilmente se alojam nos animais – pela saúde deles e pela sua.

A globalização – as mudanças sócioculturais, as alterações climáticas – interfere diretamente na existência de parasitas. As alterações climáticas do planeta – segundo relatórios de diversas agências internacionais,

a temperatura atual estará 0,5 ºC acima da média dos últimos 10 000 anos e a tendência é de aumentar cada vez mais – introduzem uma série de fenómenos na sociedade.

Verifica-se o aumento da sobrevivência dos agentes parasitários em épocas que normalmente eram desfavoráveis para a sua sobrevivência, como os invernos cada vez menos frios e mais favoráveis ao desenvolvimento e sobrevivência de carraças transmissoras de hemoprotozoários e riquétsias, das suas larvas que irão aumentar a população de Ixodídeos na primavera seguinte, de flebótomos transmissores de Leishmania spp., de mosquitos vetores de Dirofilaria immitis e ainda um maior tempo de permanência de ovos e larvas de helmintes no ambiente. Além disso, aumentou a variedade de espécies de mosquitos e carraças.

Ainda se questiona a influência real destes fatores no aumento de doenças dos animais domésticos, mas a verdade é que, nos últimos anos, têm sido registadas várias situações parasitárias com origem em artrópodes ou em doenças transmitidas por estes, que não se verificavam há alguns anos.

Em Portugal, a Leishmaniose, doença provocada pelo protozoário Leishmania infantum, parasita do cão e dos humanos, continua a ser muito frequente. Como é transmitida por um inseto vetor do género Phlebotomus, a sua dispersão é relativamente fácil, com particular incidência nas áreas da Grande Lisboa, Alto Douro e Algarve.

Assim, a solução passa por manter uma higiene cuidada da casa e uma atenção redobrada aos animais domésticos, com aplicações de repelentes contra os parasitas.

SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL | PARASITAS DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS

REFLEXÃO SOBRE NOVAS

PERSPETIVAS E DESAFIOS

NA MEDICINA VETERINÁRIA EM PORTUGAL

Numa altura em que estão registados 4,1 milhões de animais de companhia em Portugal (quase um animal por cada dois residentes), torna-se imperativo não descurar dos cuidados de saúde que eles requerem ao longo da sua vida. Cada vez mais os portugueses recorrem ao Médico Veterinário para consultas de profilaxia e diagnóstico, de forma a prevenir doenças e aumentar a esperança média de vida dos nossos melhores amigos. Há também uma preocupação crescente com o bem-estar animal e cada vez mais a procura de que estes animais que partilham o nosso lar vivam num ambiente feliz e tranquilo.

A nível de saúde, e particularmente no âmbito de uma Medicina que se quer cada vez mais preventiva, as visitas regulares ao Médico Veterinário permitem criar programas de profilaxia adequados à espécie e estilo de vida de cada animal, que desempenham um papel crucial na promoção da saúde e prevenção de doenças. O plano de vacinação, o controlo adequado de parasitas, cuidados dentários e exames clínicos periódicos são componentes essenciais da Medicina preventiva. Para além dos avanços na ciência que permitiram o desenvolvimento de vacinas contra doenças graves (como a Leishmaniose)

e protocolos de desparasitação cada vez mais seguros e eficazes, há também um desenvolvimento técnico dos Médicos Veterinários, com conhecimentos muito mais aprofundados sobre os principais problemas de saúde dos animais domésticos e as melhores formas de os prevenir ou tratar. Adicionalmente, os Centros de Atendimento Médico-Veterinários estão cada vez mais munidos de equipamentos de diagnóstico laboratorial e de imagem que permitem uma resposta em tempo útil.

Apesar desta evolução na consciencialização social e na Medicina Veterinária em si, continua a haver uma barreira no acesso aos cuidados de saúde animal: os custos monetários. Infelizmente, para além da carga fiscal elevada que ainda se verifica para a Medicina Veterinária face aos outros profissionais de saúde, também o custo de manutenção de equipamentos de diagnóstico para uma resposta rápida e adequada são elevados, o que leva a que os custos na saúde animal possam limitar alguns tutores.

Neste sentido, têm vindo a surgir opções mais atrativas de seguros e planos de saúde para animais, que permitem aos tutores um melhor equilíbrio nas despesas com os cuidados de saúde do seu animal, bem como uma segurança adicional quando surge uma despesa inesperada ou um encargo maior. Estes planos de saúde traduzem-se também num acesso facilitado a consultas de profilaxia, que permitem não só prevenir grande parte das doenças, mas também identificá-las e tratá-las de forma mais precoce, favorecendo um melhor prognóstico.

Os sinais são claros: com a crescente preocupação e cuidado com os animais de companhia e uma evolução marcada da Medicina Veterinária, prevê-se um futuro cada vez melhor nos cuidados prestados aos nossos amigos de quatro patas!

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 60
SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL | VET PLANET
Dr. Samuel Costa e Dra. Rita Nunes Coordenação e direção clínica do grupo Vet Planet
QUER SABER MAIS? 910 112 949 (Custo de chamada para rede móvel nacional)

DESPARASITAR COM PRODUTOS NÃO QUÍMICOS

Laboratório AB7 Santé tem soluções mais respeitadoras dos animais, donos e meio ambiente

O laboratório farmacêutico veterinário AB7 Santé é uma empresa familiar fundada há mais de 40 anos baseada em fortes valores: a inovação como fator de diferenciação e o desejo de excelência, ambos guiados pela curiosidade de fortalecer, tanto quanto possível, o respeito por um ambiente sustentável.

Desde a conceção, através de uma R&D de ponta, passando pela produção e industrialização na sua fábrica certificada BPF/ CMP e um rigoroso controlo de qualidade, a AB7 Santé oferece uma abordagem única para benefício dos utilizadores. Na verdade, no coração de cada uma das suas gamas de produtos para animais, a AB7 Santé coloca em sinergia inovação, “expertise”, novas tecnologias e comprometimento com

processos de qualidade que cumpram com os regulamentos vigentes. A empresa tem igualmente uma dimensão humana e ética compartilhada por todos os colaboradores, indispensável ao seu funcionamento e fundamental para o seu desenvolvimento.

Através das suas marcas – PILOU REPUL7, ZOOSTAR e ALZOO – e em conjunto com outras empresas farmacêuticas, a AB7 Santé desenvolve inúmeros produtos de controlo de parasitas para animais de companhia, principalmente à base de ativos derivados de plantas. Os produtos antiparasitários repelentes de origem vegetal são uma excelente alternativa aos inseticidas de origem sintética (químicos).

Vantagens dos repelentes de origem vegetal

Os consumidores acreditam cada vez menos nos inseticidas sintéticos e procuram soluções que consideram mais respeitadoras dos animais, dos seus donos e do meio ambiente. Os repelentes de origem vegetal são fáceis de usar, dispensam a prescrição veterinária e não apresentam os efeitos colaterais de produtos injetáveis ou comprimidos. Mais: não são mais caros do que os inseticidas químicos de referência.

É importante recordar que as coleiras e as pipetas antiparasitárias repelentes funcionam como meios preventivos de controlo de infestações e não curativos! No caso de uma infestação maciça por parasitas, especialmente pulgas, há uma grande probabilidade de o ambiente em redor do animal estar severamente contaminado. A primeira coisa a fazer é tratar o ambiente que o animal frequenta com a

ajuda de produtos adequados – por exemplo, EZALO Puf Puf.

Os animais, em si, devem ser tratados por meio de “ataque”. O champô repelente PILOU REPUL7, para cães, é um excelente meio para realizar esse ataque e, também, para utilizações sucessivas de caráter preventivo. Só quando o ambiente onde permanece o animal for tratado é que soluções preventivas, como coleiras ou pipetas, são eficazes, impedindo a reinfestação do ambiente e o ciclo reprodutivo dos parasitas.

Os repelentes de origem vegetal são recentes no mercado, em comparação com os produtos inseticidas, utilizados há décadas. Logo, os veterinários poderão mais facilmente aconselhar os donos de animais a utilizar os produtos que conhecem bem.

Evolução e credibilização

Os produtos de controlo de parasitas repulsivos evoluíram significativamente nos últimos anos, pelo impulso de centros de investigação como o da AB7 Santé. Por outro lado, estes produtos estão sujeitos a regulamentações exigentes, que fizeram retirar do mercado uma série de produtos ineficientes que causaram descrédito aos repelentes de origem vegetal.

Tudo está em evolução e a opinião de veterinários e donos de animais sobre estes produtos tende a mudar rapidamente. É importante fazer um trabalho pedagógico com os utilizadores, com a finalidade de lhes mostrar o desempenho, as vantagens e os benefícios que os produtos repelentes de origem vegetal podem representar, porque são benéficos para os animais, para os humanos e para o meio ambiente.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 62
SAÚDE E BEM-ESTAR ANIMAL | DESPARASITAÇÃO
Jean-Pierre Lautier, Diretor Executivo Adjunto da AB7 Santé

SETÚBAL EMPREENDEDOR

CRESCIMENTO E DIVERSIDADE

O distrito de Setúbal, situado na região da Península de Setúbal, é um importante centro económico e industrial do país. Com uma localização estratégica próxima à capital e uma extensa linha costeira banhada pelo oceano Atlântico, esta região tem sido um ponto crucial para o desenvolvimento empresarial e para a preservação ambiental. A região abriga uma diversidade de setores industriais. A presença de empresas de renome internacional, como a Autoeuropa (fabricante de automóveis), confere uma relevância significativa ao distrito, ao mesmo tempo em que as instituições políticas e científicas apostam na preservação ambiental, tornando-a numa preocupação central. O território é conhecido pela sua rica biodiversidade, que inclui áreas protegidas como o Parque Natural da Arrábida e a Reserva Natural do Estuário do Sado. Estes espaços naturais desempenham um papel vital na conservação de habitats e espécies, além de oferecerem oportunidades para o ecoturismo e lazer sustentável.

Iniciativas de sustentabilidade, como a implementação de práticas de produção mais limpas e o investimento em energias renováveis têm sido adotadas para minimizar o impacto ambiental das atividades industriais, bem como projetos de sensibilização e programas de reciclagem, exemplos de iniciativas que visam promover a consciencialização ambiental e incentivar práticas mais sustentáveis entre os residentes e as empresas locais. Em resumo, esta região demonstra um compromisso em promover um crescimento equilibrado e responsável, que beneficie tanto a economia quanto o meio ambiente.

COMPROMISSO COLETIVO RUMO À SUSTENTABILIDADE: TERRITÓRIO ARRÁBIDA ASSUME DESAFIO DA DESCARBONIZAÇÃO

Um marco histórico foi alcançado quando representantes das câmaras municipais de Setúbal, Palmela e Sesimbra, juntamente com diversos agentes locais, assinaram o Memorando de Entendimento para a Neutralidade Carbónica do Território Arrábida, estabelecendo metas e uma visão estratégica para enfrentar a crise climática a nível local. Para entender mais sobre esse marco e o papel da Agência de Energia e Ambiente da Arrábida (ENA) nesse processo, tivemos o privilégio de entrevistar Carla Guerreiro, responsável pela sua tutela e vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal.

Evolução da ENA: uma jornada rumo à sustentabilidade

Desde a sua criação, a ENA tem desempenhado um papel vital na promoção de práticas ambientais sustentáveis na região. No entanto, como ressalta Carla Guerreiro, a evolução da agência não se restringe apenas às áreas técnicas ambientais. “É notável como a ENA evoluiu ao longo dos anos, enfrentando novos desafios e assumindo responsabilidades adicionais”, afirma.

Uma das mudanças mais significativas na trajetória da ENA é a incorporação de preocupações com a comunicação. A vice-presidente destaca que, desde 2019, tem sido fundamental nesse processo de crescimento para inspirar mudanças e mobilizar a comunidade em direção a um futuro mais sustentável. “Não basta apenas realizar bem o nosso trabalho; é igualmente importante transmitir essa informação. Através da comunicação eficaz, podemos influenciar e motivar outras pessoas a seguir as nossas orientações e a

contribuir para um ambiente mais sustentável”.

No contexto do Território Arrábida, a ENA desempenha um papel crucial no Memorando de Entendimento para a Neutralidade Carbónica. “Este acordo histórico, assinado pelos principais agentes locais, representa um compromisso conjunto com a redução de emissões de carbono e a promoção de práticas sustentáveis”.

Através da união de esforços, o Território Arrábida destaca-se na vanguarda da luta contra as alterações climáticas. Conforme salientado por Carla Guerreiro, “num mundo onde os desafios ambientais são cada vez mais urgentes, a ENA e os seus parceiros demonstram que a colaboração e a inovação podem transformar em realidade a visão de um futuro sustentável”. Essa visão conjunta reflete a convicção de que a ação coletiva é essencial para enfrentar os desafios ambientais globais.

65 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ENA | SETÚBAL EMPREENDEDOR
Carla Guerreiro, Presidente

O Memorando de Entendimento: uma aliança pela sustentabilidade

A ENA , fundada em 2006 pelos municípios de Setúbal, Palmela e Sesimbra, tem como objetivo central abordar questões ambientais e energéticas. Carla Guerreiro, presidente da ENA, destaca que o memorando recentemente estabelecido é uma extensão desse compromisso, delineando estratégias para mitigar emissões de CO2 no território e promover as práticas sustentáveis.“Este Memorando enquadra-se no âmbito do projeto europeu EUCityCalc, financiado pelo programa Horizonte 2020 da EU, que visa apoiar cidades no desenvolvimento e implementação de roteiros de transição cientificamente sólidos rumo à neutralidade climática. Esses roteiros servem para suportar a tomada de decisão no estabelecimento de políticas e planos de transição, tais como o Plano de Ação para a Energia Sustentável e Clima no âmbito do Pacto dos Autarcas e os Planos Locais de Ação Climática”.

As três câmaras municipais aprovaram em 2024 os seus Roteiros de transição para a neutralidade climática, após um processo de trabalho colaborativo liderado pela ENA durante o passado ano, onde quase oitenta participantes de mais de trinta entidades contribuíram para planear a transição do Território Arrábida rumo à neutralidade climática.

Ao ser questionada sobre o impacto da ENA no meio empresarial, Carla Guerreiro destaca o envolvimento de grandes empresas locais na assinatura deste compromisso de descarbonização, como a Fertagus, SIMARSUL e Doca Pesca, associadas da agência refletindo crescente sensibilização do setor privado para questões ambientais.

Ao discutir o futuro do memorando e os seus impactos, a representante enfatiza a importância do compromisso coletivo, afirmando que esta iniciativa dos municípios é estratégica para consolidar a ação climática no território.

Avanços e desafios na promoção da sustentabilidade regional Carla Guerreiro forneceu ainda informações esclarecedoras sobre a situação ambiental da região e as iniciativas em curso para promover a sua sustentabilidade, destacando que, apesar dos desafios contínuos,

houve um progresso notável. “Inicialmente, o principal foco do nosso trabalho eram a energia e a eficiência energética. Contudo, temos vindo a trazer cada vez mais uma dimensão ambiental e de recursos naturais para os nossos projetos.

A presidente da ENA ressaltou os avanços significativos realizados no desenvolvimento das matrizes energéticas, destacando o papel do Pacto dos Autarcas nesse processo. “Atualmente, a maioria dos municípios já possui iluminação pública totalmente em LED, assim como semáforos LED. Essas questões já estão resolvidas, mas há dez anos eram prioridades importantes para nós, tanto por motivos económicos quanto ambientais”, elucidou.

Além disso, destacou a importância de conciliar crescimento económico e ambiente, duas realidades que não só não são antagónicas, como são complementares e dependem uma da outra. “Uma economia forte necessita de um ambiente saudável. A proteção ambiental beneficia ativamente a economia enquanto uma economia mais eficiente é mais produtiva e emite menos carbono”.

A conversa não se restringiu apenas aos esforços institucionais.

SETÚBAL EMPREENDEDOR | ENA
Cristina Daniel, Diretora Executiva da Agência

Carla Guerreiro enfatizou a necessidade de envolver ativamente a sociedade civil nesse processo de consciencialização ambiental. “Realizamos uma série de reuniões e conversas, algumas mais formais e outras mais informais, tanto com as entidades, como com diversas ONGs, incluindo algumas do concelho de Setúbal”, partilhou. Além disso, destacou a iniciativa “ As Tertúlias do Jardim”, que proporcionam um espaço informal para discussões abertas sobre questões ambientais.

Também ressaltou o papel fundamental da educação ambiental, especialmente entre os jovens. “Desenvolvemos uma série de recursos que as escolas podem requisitar para uso educacional”, afirmou. As “Maletas” da sustentabilidade, repletas de recursos pedagógicos sobre temas como água, energia e desperdício zero, são uma das ferramentas disponibilizadas às escolas em colaboração com as bibliotecas municipais. A assinatura do Memorando de Entendimento para a Neutralidade Carbónica sublinha o esforço conjunto para promover as práticas sustentáveis e reduzir as emissões de carbono na região do Território Arrábida. Ao abordar as metas a curto e médio prazo da Agência, Carla Guerreiro salientou a importância de objetivos mensuráveis: “alcançar a neutralidade de carbono é um desafio significativo, especialmente considerando a necessidade de colaboração entre os diferentes concelhos. É precisamente através de desafios ousados que podemos impulsionar o progresso significativo”.

A entrevistada apontou avanços notáveis, especialmente na mobilidade, citando a introdução do passe navegante e a redução do valor do passe em Setúbal como exemplos concretos de medidas que contribuem para a redução das emissões de carbono. Além disso, reconheceu o papel dos técnicos da ENA na realização de auditorias e certificações energéticas de edifícios, que servem de base para os projetos de requalificação de habitações públicas. “Estamos envolvidos em iniciativas de conservação ambiental e cultural”.

A ENA, junto de diversas entidades, apoia a candidatura da Arrábida Reserva da Biosfera. Este esforço visa reconhecer a importância única deste território, mas também promover a sua

preservação e desenvolvimento sustentável, demonstrando um compromisso contínuo com a conservação ambiental e cultural.

O papel crucial da ENA na promoção da sustentabilidade

Carla Guerreiro, ao discutir os desafios históricos enfrentados pela região, destaca a importância da colaboração entre os municípios e agentes locais. “Quando criamos a ENA, percebemos a importância de trabalhar em conjunto como território, em vez de cada município ter a sua agência separada”. Essa cooperação impulsiona os progressos na preservação da Arrábida e do Sado.

No entanto, a presidente da ENA enfatiza que a colaboração e a partilha de experiências são fundamentais para enfrentar esses desafios. “Procuramos constantemente projetos e modelos que possam beneficiar o nosso território”, afirma. Iniciativas como o projeto AGILE, que contribuirá para melhorar as capacidades de gestão de riscos estratégicos e operacionais ante eventos de grande impacto e baixa probabilidade, o INFIRE, que visa o aumento e melhoria de espaços verdes urbanos, e o ProLIGHTmed, que fomenta a partilha de conhecimento e experiência em matéria de iluminação pública eficiente, são exemplos do compromisso contínuo com o desenvolvimento sustentável da região.

Nesta jornada rumo à sustentabilidade, a ENA desempenha um papel crucial, tanto na sensibilização quanto na preservação do meio ambiente. “As ações realizadas pela ENA são de extrema importância”, destaca. E é com essa determinação e colaboração que a Arrábida avança, protegendo as suas preciosidades naturais para as gerações futuras.

Fotos créditos: Câmata Municipal de Setúbal

ENA | SETÚBAL EMPREENDEDOR
www.ena.com.pt
geral@ena.com.pt •

SESIMBRA NATURA PARK E A CONSTRUÇÃO DE UM FUTURO MAIS VERDE

É na mata de Sesimbra que se situa um autêntico santuário da natureza e da biodiversidade, o Sesimbra Natura Park (SNP), nele encontramos a definição perfeita do usufruto turístico sustentável da Natureza, que tira partido da Herdade da Mesquita, propriedade agroflorestal com cerca de 867 hectares, que é regida há décadas por uma ética bastante rígida de sustentabilidade ambiental, social e económica, contribuindo para o desenvolvimento de uma enorme biodiversidade. A Revista Business Portugal teve o gosto de estar à conversa com Ana Vasques, a coordenadora do Sesimbra Natura Park.

Muito mais que um belo espaço verde O Sesimbra Natura Park, a poucos quilómetros do centro de Lisboa, é um espaço de grande dimensão e beleza, preparado e equipado com o objetivo de proporcionar atividades de lazer numa herdade agroflorestal, ótimo para a aproximação das pessoas à natureza, um espaço que acolhe todos.

Muito mais do que um belo e cuidado espaço verde e com uma equipa dedicada e atenta, conta ainda com uma variada oferta de atividades e programas, desde programas educacionais até eventos corporativos, passando por encontros de escuteiros e festivais, o Sesimbra Natura Park proporciona experiências únicas.

Oferece também locais com uma componente paisagística variada e impactante, ideais para médios e grandes eventos, filmagens e casamentos.

SETÚBAL EMPREENDEDOR | SESIMBRA NATURA PARK

Ultimamente, devido à maior procura observada, o SNP tem investido na melhoria das suas instalações e serviços destinados às empresas, seja em termos de espaços, seja a nível de eventos chave-na-mão, procurando proporcionar às empresas as melhores condições para promoverem o convívio e a partilha de vivências dos seus funcionários. O SNP oferece programas de team building, que abrangem desde opções mais radicais, como Paintball, Arvorismo e Canoagem, até espaços para refeições ou convívio, assumindo-se assim um local de excelência para a realização de eventos corporativos.

Sustentabilidade

A herdade está empenhada em implementar o Plano de Gestão Ambiental da Mata de Sesimbra com o intuito de promover uma reconversão florestal que inclui a substituição gradual do atual povoamento de pinheiro-bravo por espécies autóctones, como o sobreiro, o pinheiro manso e o carvalho cerquinho. O objetivo do plano é melhorar as áreas já existentes, restaurar as galerias ripícolas e criar um conjunto de lagoas que propiciem a diversificação da fauna e da flora. A exploração florestal está a ser conduzida de forma sustentável, assegurando a correta preservação e renovação dos recursos naturais. A recuperação dos terrenos afetados pela exploração de areia está a ser realizada conforme as diretrizes estabelecidas pelo Plano de Gestão Ambiental da Mata de Sesimbra. Para isso, foram criados lagos de grandes dimensões, foram implantadas ilhas e áreas de baixa profundidade, promovendo o desenvolvimento da fauna, visto que as aves usam essas ilhas para se resguardar e a vegetação marginal, como o caniço, a tifa, os salgueiros e os amieiros. Apesar de ser um ecossistema construído artificialmente, devido à exploração de areia, proporciona uma ampla diversidade de flora e fauna.

Ana defende que a herdade adota, desde sempre, estratégias de sustentabilidade e apesar de terem também a exploração de areia é tudo feito da forma mais sustentável e responsável possível.

O futuro

Ana Vasques deixou claro que o SNP está completamente dedicado ao seu crescimento: “Temos investido em novas estruturas para termos disponíveis diferentes atividades, queremos crescer e estamos empenhados nesse projeto”.

Quem visita o parque não lhe fica indiferente, seja pelas suas paisagens ou pelas diversas atividades realizadas dentro da herdade, para o comprovar nada melhor que marcar uma visita ao Sesimbra Natura Park e viver todas as aventuras que este espaço proporciona em harmonia com a natureza.

SCAMPIA ENGENHARIA: QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E EXPERIÊNCIA

Em entrevista à Revista Business Portugal, Carla Pereira e Luís Santos, administradores da Scampia Engenharia, deram a conhecer o universo e essência da empresa, traçando um balanço extremamente positivo da sua trajetória. Atualmente, com o seu espaço bem vincado no mercado, pela qualidade e experiência, a Scampia Engenharia assume-se, cada vez mais, como uma referência no panorama empresarial do nosso país.

Carla Pereira e Luís Santos são as rostos da Scampia Engenharia, um projeto que começou em 2013, alavancado pela experiência obtida numa empresa multinacional ligada às obras públicas e espaço exterior. O projeto começou do zero, assente na rede de contactos que ambos tinham, passou por inúmeras dificuldades, mas paulatinamente a empresa foi crescendo, conquistando o seu espaço e a sua carteira de clientes. Este foi o início de uma nova jornada na vida de Carla e Luís, uma engenheira cilvil e um engenheiro agrónomo.

Com alvará desde 2014, a Scampia Engenharia é uma empresa dotada de uma equipa técnica multidisciplinar com elevada experiência nas várias áreas de atuação, atuando essencialmente no mercado nacional das obras públicas, nomeadamente na área dos arranjos e requalificações urbanísticas, ambientais, infraestruturas, setor florestal e agrícola, consultoria e projetos.

Assume a missão de melhorar o espaço através da prestação de serviços no setor da engenharia e execução de empreitadas de obras públicas, alicerçados na qualidade e conhecimento técnico específico, oferecendo soluções sustentáveis que permitam incorporar inovação e racionalização na construção, criando valor para os todos os envolvidos no processo, para os colaboradores e para o mercado.

“O nosso core business principal passa pelas obras públicas de exterior, tudo o resto é um complemento, porque o nosso objetivo primordial é fazer obras”, destaca Carla Pereira, lembrando que, atualmente, a empresa conta com muito mais equipamentos, com uma frota diversificada e com uma equipa de 28 colaboradores, ou seja, tem toda uma logística associada, contrariamente ao que acontecia no início do projeto. “Também fomos conquistando mais clientes, porque temos meios próprios para assegurar uma resposta mais rápida e eficaz, conseguindo conciliar vários cenários de obra simultaneamente, a título de exemplo, em dezembro tinhamos 20 obras ao mesmo tempo”, lembra Luís Santos.

O mercado-alvo passa pelas entidades estatais, embora a empresa também conte com fundos imobiliários e um grupo restrito e selecionado de clientes particulares. No que se refere

71 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL SCAMPIA ENGENHARIA | SETÚBAL EMPREENDEDOR
Carla Pereira e Luís Santos, Administradores

à esfera de influência geográfica, Luís advoga que, atualmente, a empresa está concentrada na zona da Grande Lisboa e está dividida em dois setores, a margem norte e a margem sul, tendo um encarregado geral em cada lado, “que nos dá alguma folga em termos de gestão de obras”, sublinha Carla, já que gerem toda a logística de pessoal, máquinas e equipamentos.

Os administradores referem que a equipa da Scampia Engenharia é muito coesa, “somos nós os dois, temos outro colega engenheiro aqui na empresa para nos dar apoio, um técnico de segurança e os dois encarregados e, entre nós, vamos fazendo a gestão das obras”.

Nas palavras de Luís, só têm que se deslocar para outras áreas geográficas quando o trabalho falha, nesse caso, a Scampia tem que concorrer a nível nacional onde houver trabalho, contudo o engenheiro lembra que os custos de produção aumentam em função da distância dos projetos. “Se me tiver que deslocar, para fazer uma obra em Mértola, todas as despesas inerentes de casa, comida, deslocação, tudo isso representa custos que aqui não temos”, consubstancia.

Crescimento e Consolidação

Apesar das adversidades impostas pela pandemia, a Scampia Engenharia registou um aumento no volume de trabalho e de negócios. De lá para cá, apenas o ano de 2022 apresentou uma pequena quebra também relacionada com a guerra da Ucrânia. “Os primeiros seis meses do ano foram muito complicados, com a escassez e aumento de custo dos materiais, o que condicionou o arranque de uma obra muito grande que estava prestes a começar e alterou todo o planeamento que tínhamos para esse ano”, refere.

Carla Pereira e Luís Santos acreditam que o grande trunfo da Scampia Engenharia quando concorrem a um projeto é, sem dúvida, o nome que tem no mercado e a vasta experiência. “Nós temos encarregados e pessoas com muita qualidade e experiência, encarregados da velha guarda, pessoas que desde tenra idade trabalham na construção civil, sobretudo em trabalhos exteriores, o que assume bastante peso e nos diferencia”, frisam.

Nós temos encarregados e pessoas com muita qualidade e experiência, encarregados da velha guarda, pessoas que desde tenra idade trabalham na construção civil, sobretudo em trabalhos exteriores, o que assume bastante peso e nos diferencia

Por outro lado, Luís realça que a empresa tem uma estrutura pequena, a nível de escritório, até porque os dois administradores assumem desde a gestão à contabilidade e à realização dos concursos públicos, ou seja, essa leveza na estrutura permite preços mais competitivos.

Neste momento, a Scampia Engenharia já tem trabalho assegurado até ao final de 2025, com uma carteira diversificada, com obras tão variadas como a construção de dois parques urbanos em Almada, à regularização de caudal na Ribeira de Algés ou a construção de infraestruturas de uma nova urbanização em Oeiras. Apesar do crescimento registado, os dois administadores são perentórios ao afirmar que não lhes interessa crescer muito, “a ideia é manter, tentar ganhar qualidade de vida, dar qualidade de vida a quem trabalha connosco, que também é muito importante, e conseguirmos manter a empresa com um bom nome no mercado, ou seja, manter o nível de qualidade que alcançámos e que habituámos os nossos clientes e assegurar o cumprimento das obrigações financeiras para com os nossos parceiros comerciais”, avançam.

Com os olhos postos no futuro, o desiderato crucial é a consolidação, porque na verdade os dois administradores consideram que a empresa está muito maior do que alguma vez pensaram, fruto claro está do seu trabalho e da ambição positiva. “Se o objetivo

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 72 SETÚBAL EMPREENDEDOR | SCAMPIA ENGENHARIA

Se o objetivo inicial era criar o nosso próprio negócio para fazer face às suas despesas e responsabilidades familiares, passados estes anos sentimos que criámos uma boa empresa

inicial era criar o nosso próprio negócio para fazer face às suas despesas e responsabilidades familiares, passados estes anos sentimos que criámos uma boa empresa. O crescimento foi sustentado, cumprindo sempre com os nossos fornecedores e colaboradores. E hoje temos ainda a possibilidade de selecionar o tipo de obras que queremos executar”, realçam Carla e Luís.

Assim sendo, a Scampia Engenharia vai continuar a trilhar a sua visão de avançar no tempo com um crescimento sólido e sustentado, apresentando motivação e preparação para enfrentar novos desafios que permitam ser, cada vez mais, uma empresa de referência no setor, reconhecida como a melhor opção por clientes, colaboradores, fornecedores e investidores, pela qualidade dos seus serviços e relacionamento.

73 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL SCAMPIA ENGENHARIA | SETÚBAL EMPREENDEDOR
geral@scampia.pt www.scampia.pt
Equipa da Scampia Engenharia

KARTÓDROMO DE PALMELA: A ATRAÇÃO DA HERDADE DE ALGERUZ

Em Palmela, uma vila portuguesa situada no distrito de Setúbal encontra-se o Kartódromo de Palmela, um local dedicado à prática do karting, oferecendo instalações e infraestruturas para competições, treinos e lazer relacionados com o desporto. A Revista Business Portugal esteve à conversa com Ana Silva, a gerente do Kartódromo Internacional de Palmela.

O karting é um desporto automobilístico que envolve corridas com veículos chamados karts, são pequenos veículos de baixa potência, compostos com chassis leves e motores geralmente de 2 tempos ou 4 tempos, variando de acordo com a categoria de competição. O karting é um desporto bastante popular tanto como um passatempo ou como uma atividade competitiva e profissional, e é esse o desporto rei da Herdade de Algeruz.

O Kartódromo encontra-se inserido numa herdade familiar que conta com um restaurante que dá apoio a eventos e que foi recentemente restaurado, conta até com um pequeno alojamento local inserido na herdade. O KIP (Kartódromo Internacional de Palmela) é um espaço de diversão que se distingue pelas condições que proporciona aos que o visitam. Inserido numa herdade que se diferencia por um conjunto de características verdadeiramente fenomenais, com especial destaque para os 1.270 metros de perímetro e dez metros de largura constante da pista, bem como para os 1.500 metros quadrados de área das infraestruturas de apoio. Contudo, uma das maiores particularidades de Kartódromo Internacional de Palmela é, sem dúvida, no que diz respeito ao terreno onde está

inserido, na Herdade de Algeruz, uma quinta excecional com cerca de 200 hectares. Uma visita à Herdade de Algeruz é, sem dúvida, uma atividade completa e diferente, tendo em conta todas as suas atividades a desenvolver e paisagens a vislumbrar.

Embora o karting seja a atração principal do KIP, o complexo tem também disponível a possibilidade de realização de eventos, é um ótimo local para a promoção do convívio, a realização de team buildings ou até para um dia diferente em família. No KIP recebem vários grupos que realizam provas entre si, essas provas contam também com uma pequena entrega de prémios. Mesmo com todo o trabalho que as atividades implicam, Ana fala delas com imensa vontade e ambição que cada dia o Kartódromo tem mais de superar-se. Ana Silva explica que, nos últimos anos, o Kartódromo tem vindo a investir em diversos eventos que trarão uma nova vida ao complexo, como as famosas provas de resistência de 24 horas, atividades inovadoras e novos desafios para que os adeptos deste desporto possam visitar, participar e, sem dúvida, desfrutar de um dia diferente. A gerente garante que o Kartódromo é um grande impulsionador para a região: “As pessoas acabam por explorar a região numa vinda ao Kartódromo, vão aos restaurantes da zona, ficam a conhecer mais de Palmela e acabam por dinamizar a região”.

O Kartódromo Internacional de Palmela conta com diversas competições e atrai praticantes nacionais e internacionais da modalidade.

Ana fala com grande contentamento do percurso que o KIP tem vindo a traçar, refere que a prioridade do Kartódromo não passa por crescer de forma desmedida, mas sim por “manter a qualidade e diversidade de oferta para que os nossos clientes continuem satisfeitos e possam continuar a passar os melhores dias connosco aqui no Kartódromo”. Para marcar uma visita ao kartódromo basta fazer a reserva via telefone ou e-mail.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 74
SETÚBAL EMPREENDEDOR | KARTÓDROMO DE PALMELA
918 209 626 (chamada para rede móvel nacional) www.kip.pt • geral@kip.pt
Ana Silva, Gerente

“A ANDAIMERENT ESTÁ POSICIONADA PARA UM FUTURO PROMISSOR”

Nuno Santos, sócio-gerente da AndaimeRent, para o futuro, destaca a aposta na expansão da marca, no crescimento da equipa e da empresa e na inovação contínua.

Quais são os serviços e materiais que a AndaimeRent fornece ao cliente? E como têm feito para se modernizar e acompanhar as necessidades dos clientes?

A AndaimeRent tem-se destacado no mercado, ao longo dos anos, não apenas pela qualidade dos seus serviços, mas também pela sua capacidade de evoluir e de se adaptar às necessidades em constante mutação dos seus clientes. Como empresa dedicada à prestação de serviços de montagem de andaimes, entendemos que a excelência no atendimento ao cliente vai além da simples execução do serviço, envolve um compromisso contínuo com a inovação e aprimoramento dos nossos processos. O nosso leque de serviços abrange desde o aconselhamento inicial até à desmontagem final do andaime, com um foco particular na consultoria, orçamentação, planeamento e execução de projetos de montagem. Reconhecemos que cada projeto é único e demanda uma abordagem personalizada, por isso trabalhamos em estreita colaboração com os nossos clientes para garantir que as suas necessidades específicas sejam atendidas de maneira eficiente e segura. Para acompanhar o ritmo do mercado e as expectativas crescentes dos nossos clientes, investimos em modernização, especialmente no campo da tecnologia da informação. Em parceria com especialistas em informática, desenvolvemos um programa exclusivo que nos permite gerir todas as propostas e contratos de forma integrada. Este sistema não só facilita o acompanhamento e gestão dos projetos internamente, como também oferece aos nossos clientes a possibilidade de monitorar o progresso da entrega e montagem dos andaimes em tempo real. Um dos recursos mais valorizados pelos nossos clientes é a capacidade de rastrear as entregas dos andaimes até ao local da obra. Para garantir a pontualidade e precisão das entregas, todas as nossas viaturas são equipadas com sistemas de monitorização em tempo real, permitindo-nos otimizar as rotas e garantir que os andaimes cheguem ao destino na hora certa.

Além disso, mantemos o nosso sistema interligado em rede, proporcionando aos colaboradores do departamento comercial acesso imediato a todas as informações necessárias para responder às solicitações dos clientes de forma rápida e precisa.

Quais são os métodos utilizados para dar a máxima segurança ao cliente?

Na AndaimeRent, a segurança nos trabalhos em altura é uma prioridade absoluta. Para garantir a máxima segurança aos nossos clientes, implementamos uma série de métodos e práticas rigorosas, em conformidade com os critérios de segurança estabelecidos para trabalhos em altura, como por exemplo:

Certificação: Todos os nossos colaboradores são devidamente certificados para poderem executar trabalhos em altura. Recebem formação especializada em normas de segurança, técnicas de montagem de andaimes e procedimentos de emergência.

Inspeções regulares: Realizamos inspeções regulares em todos os andaimes para garantir que estes estejam em perfeitas condições de utilização. Isso inclui verificações visuais, testes de carga e avaliação estrutural conforme as normas de segurança vigentes.

Utilização de equipamentos adequados: Fornecemos aos nossos clientes andaimes de alta qualidade e certificados, projetados especificamente para garantir a segurança e estabilidade durante os trabalhos em altura.

Planeamento e avaliação de riscos: Antes de iniciar qualquer projeto, realizamos uma avaliação detalhada dos riscos envolvidos e desenvolvemos um plano de trabalho específico para minimizar esses riscos. Isso inclui a identificação de potenciais perigos, a implementação de medidas de prevenção e a preparação de procedimentos de emergência.

Supervisão constante: Durante a montagem, desmontagem e utilização dos andaimes, garantimos a presença de supervisores/chefes de equipa qualificados para garantir o cumprimento dos procedimentos de segurança e intervenção imediata em caso de emergência.

Uso de equipamentos de proteção individual (EPIs): Todos os nossos trabalhadores envolvidos em trabalhos em altura são devidamente equipados com os EPIs necessários, como capacetes, cintos de segurança, e dispositivos anti-queda, conforme as normas de segurança estabelecidas.

Formação e conscientização dos clientes: Além de garantir a

75 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ANDAIMERENT | SETÚBAL EMPREENDEDOR

segurança dos nossos próprios colaboradores, também fornecemos formação e orientação aos clientes sobre a utilização segura dos andaimes e a importância do cumprimento das normas de segurança.

Considerando o contexto atual, sente que a construção civil é um setor que deveria ser mais valorizado?

Como uma empresa do ramo da construção civil, reconhecemos a importância vital deste setor para o desenvolvimento económico e social de um país. É importante destacar que a construção civil desempenha um papel fundamental em várias áreas, incluindo a infraestrutura, habitação, saúde e educação. A construção de estradas, pontes, hospitais, escolas e moradias não só impulsiona o crescimento económico, mas também melhora a qualidade de vida das comunidades e cria empregos. No entanto, apesar da sua importância, o setor da construção civil, muitas vezes, enfrenta desafios significativos, como burocracia excessiva, falta de investimento em infraestrutura, escassez de mão de obra qualificada e flutuações nos preços dos materiais de construção. Para que o setor da construção civil seja devidamente valorizado, é essencial reconhecer e apoiar o seu papel fundamental na economia e na sociedade. Isso inclui investimentos adequados em infraestrutura, políticas governamentais que promovam o desenvolvimento sustentável e a inovação na construção, bem como a valorização dos profissionais da área, desde trabalhadores da construção civil até engenheiros e arquitetos. Além disso, é crucial promover uma cultura de segurança e qualidade na construção civil, garantindo que os padrões de segurança sejam rigorosamente respeitados e que os projetos sejam executados com excelência. Ao valorizar e investir no setor da construção civil, estamos a investir no futuro e no bem-estar das nossas comunidades.

Quais são os principais desafios que a empresa enfrentou ao longo dos anos? Que orientações pode transmitir a quem tem interesse em investir na área?

Ao longo dos anos, a AndaimeRent enfrentou uma série de desafios, sendo a crise da Covid-19 um dos mais significativos. Além disso, a competição no mercado, flutuações económicas, regulamentações de segurança e avanços tecnológicos. Aqui estão os principais desafios e como os superámos:

Crise do Covid-19: A pandemia da Covid-19 trouxe desafios sem precedentes para a indústria da construção civil, com paralisações de projetos, redução da procura e interrupções na cadeia de fornecimento de material e matéria prima. Para enfrentar essa crise, a AndaimeRent implementou medidas rigorosas de segurança, adaptou-se ao trabalho remoto sempre que possível e reforçou a comunicação com os clientes para garantir que as suas necessidades fossem atendidas da melhor maneira possível. Além disso, tivemos de diversificar os nossos serviços e explorar novos mercados para compensar a redução da procura.

Competição no mercado: Num mercado competitivo, destacamo-nos pela qualidade dos serviços, atendimento ao cliente e inovação. Investimos em formações contínuas para que as nossas equipas, estejam constantemente a melhorar os nossos processos

e assim nos diferenciarmos, para conseguirmos oferecer soluções personalizadas e flexíveis aos nossos clientes.

Flutuações económicas: As flutuações económicas podem afetar a procura por serviços de aluguer de andaimes. Para enfrentar esse desafio, diversificamos a nossa base de clientes, estabelecendo parcerias estratégicas e expandindo a nossa oferta de serviços para além do aluguer de andaimes, como consultoria e gestão de projetos de montagem. Criámos também com o nosso andaime túneis de desinfeção contra a Covid-19, colocando-os à entrada das obras, mitigando assim o contágio entre os trabalhadores.

Regulamentações de segurança: Cumprir as regulamentações de segurança é crucial na indústria da construção civil. Investimos em formação contínua nas nossas equipas de montagem, adotamos práticas e equipamentos de segurança de última geração e mantemos-mos atualizados com as mudanças das normas e regulamentações.

Avanços tecnológicos: A tecnologia desempenha um papel cada vez mais importante na indústria da construção civil. Desenvolvemos um programa informático para gestão de projetos e de monitorização das nossas viaturas para garantir eficiência e transparência. Além disso, investimos em sistemas de monitorização remota para garantir a segurança dos trabalhadores em altura.

Para quem tem interesse em investir na área da construção civil, deixo aqui algumas orientações importantes:

Estudo de mercado: Faça uma análise detalhada do mercado local e das tendências do setor, identificando oportunidades de nicho e solicitações específicas por parte dos clientes.

Priorize a segurança: A segurança deve ser uma prioridade absoluta em todos os aspectos do negócio. Certifique-se de que está a cumprir rigorosamente as normas e regulamentações de segurança e investir em formação e equipamentos adequados.

Inovação e tecnologia: Esteja sempre atento às novas tecnologias e inovações que possam melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços prestados.

Excelência no atendimento ao cliente: Foque-se na excelência do atendimento ao cliente, oferecendo soluções personalizadas, acompanhamento contínuo e garanta a qualidade dos serviços prestados.

Resiliência e adaptação: Esteja preparado para enfrentar desafios ao longo do caminho. Seja flexível e esteja disposto a adaptar-se às mudanças do mercado e às necessidades dos clientes.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 76 SETÚBAL EMPREENDEDOR | ANDAIMERENT

Investir na área da construção civil pode ser uma oportunidade promissora, desde que seja feito com planeamento estratégico, dedicação e compromisso com segurança e qualidade.

O que é que a Andaimerent tem vindo a fazer para acompanhar o desenvolvimento tecnológico?

Estamos totalmente conscientes da crescente importância do digital nas nossas vidas. E esforçamo-nos para nos adaptar e utilizar as últimas tecnologias para melhorar os nossos serviços e atender às necessidades dos nossos clientes de maneira mais eficiente. Seja através do Facebook, Instagram, LinkedIn ou qualquer outra plataforma digital, tentamos estar presentes e informar os nossos clientes, fornecendo informações úteis, compartilhando novidades sobre os nossos produtos e serviços e, é claro, ouvindo atentamente o feedback de todos. Estamos comprometidos em oferecer uma experiência digital de qualidade com a divulgação de novos equipamentos, novos projetos e serviços.

Sabemos que a AndaimeRent tem uma grande preocupação social com os seus funcionários. Que medidas tomam nesse sentido?

Na AndaimeRent, temos um compromisso firme com o bem-estar e com a segurança dos nossos funcionários, especialmente considerando a natureza da nossa indústria, que envolve trabalhos em altura e, portanto, apresenta riscos adicionais. Para demonstrar essa preocupação social e promover um ambiente de trabalho saudável e seguro, adotamos várias medidas:

Seguro de saúde abrangente: Oferecemos aos nossos funcionários um seguro de saúde abrangente que cobre uma variedade de serviços médicos, desde consultas de rotina até tratamentos especializados. Isso garante que os nossos funcionários tenham acesso adequado aos cuidados de saúde necessários, promovendo o seu bem-estar físico e mental.

Combate ao trabalho precário: Reconhecemos os desafios do trabalho precário e procuramos oferecer condições de trabalho estáveis e dignas aos nossos funcionários. Oferecemos contratos de trabalho justos e transparentes, salários justos e oportunidades de progressão na carreira.

Diminuição da carga horária: Conscientes da importância do equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, implementamos políticas que visam diminuir a carga horária dos nossos funcionários quando possível, oferecendo horários flexíveis.

Prémios por objetivos: Reconhecemos e valorizamos o desempenho dos nossos funcionários através de programas de prémios por objetivos. Isso motiva as equipas a alcançar metas desafiadoras e contribui para um ambiente de trabalho mais produtivo e gratificante.

Além destas medidas específicas, a nossa preocupação social reflete-se em todas as áreas da empresa. Investimos em formação contínua para garantir que nossos funcionários estejam sempre atualizados com as melhores práticas de segurança e técnicas de trabalho em altura. Também promovemos uma cultura de segurança, incentivando a comunicação aberta e a participação ativa dos funcionários na identificação e prevenção dos riscos.

Que perspetivas possuem para o futuro e como pretendem atingir os objetivos?

Com um histórico de crescimento ascendente, nos últimos anos, e um foco contínuo em acompanhar o mercado, e as suas tendências e com um grande respeito pela concorrência, a AndaimeRent está posicionada para um futuro promissor. As nossas perspetivas são ambiciosas e baseiam-se em três pilares principais: expansão da marca, crescimento da equipa e da empresa e inovação contínua.

Expansão da marca: Pretendemos continuar a expandir a presença da AndaimeRent no mercado, tanto a nível regional, distrital e cada vez mais a nível nacional e, eventualmente, internacional. Isso será alcançado através de estratégias de marketing eficazes, parcerias estratégicas e um compromisso contínuo com a excelência nos serviços prestados.

Crescimento da empresa e da equipa: Com o aumento da procura pelos nossos serviços, planeamos expandir a Andaimerent e a nossa equipa de forma estratégica e sustentável. Isso inclui a contratação de mais profissionais, bem como o investimento em equipamento, formação e desenvolvimento para garantir que a Andaimerent esteja preparada para enfrentar os desafios do futuro.

Inovação contínua: Estamos comprometidos em continuar a investir em equipamentos de última geração, na modernização dos nossos processos e na segurança dos nossos serviços. também explorando novas soluções e oportunidades que possam vir a melhorar ainda mais a eficiência e a qualidade dos nossos serviços.

Em resumo, as perspetivas para o futuro da AndaimeRent são extremamente positivas, e estamos confiantes de que, com dedicação, inovação e trabalho árduo, continuaremos a crescer e a alcançar novos patamares de sucesso nos próximos anos.

77 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL geral@andaimerent.com • www.andaimerent.com/pt ANDAIMERENT | SETÚBAL EMPREENDEDOR

30 ANOS DE QUALIDADE, INOVAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE

Há 30 anos, um empreendimento nascia da determinação e do talento de Vítor Guisado, um visionário no campo das instalações elétricas e da tecnologia. Assim surgiu a Amorlux, uma empresa que se tornou sinónimo de qualidade, inovação e compromisso com os seus clientes. Numa entrevista concedida pelo fundador e proprietário da Amorlux, Vítor Guisado, mergulhamos na trajetória da empresa e nos desafios enfrentados ao longo dos anos.

Uma ideia, um nome: origem da Amorlux

Ao ser questionado sobre como surgiu o nome da empresa, Vitor Guisado revela um detalhe curioso: “A firma surgiu, porque eu trabalhava por conta própria e, naquela altura, o registo nacional das pessoas coletivas exigia três nomes, que foram rejeitados. Então, decidi não me preocupar com o nome e sugeriram-me ‘SeixalLux’,o que rejeitei liminarmente pois existia uma rivalidade entre as terras, e então sugeriram-me ‘AmoraLux’, acrescentando um toque de polémica que nos diferenciou, ficando Amorlux. A escolha do nome foi uma mistura de circunstâncias e sugestões. E assim, nasceu a Amorlux, um nome que, apesar de não ter sido escolhido com uma grande estratégia, tornou-se emblemático ao longo dos anos.

Evolução e diversificação: os desafios superados

Desde o seu surgimento, a Amorlux enfrentou uma série de desafios, principalmente relacionados à adaptação aos diferentes modelos económicos ao longo das décadas. “É necessário adaptar-se aos modelos de economia existentes”, afirma Vítor Guisado.

A história da Amorlux é muito marcada por uma capacidade notável de se reinventar e atender às exigências do mercado. Inicialmente, a empresa focou-se na gestão técnica centralizada durante o boom hospitalar em Portugal nos anos 90 e 2000, contribuindo para a construção de várias unidades hospitalares em todo o país. Em seguida, expandiu as suas operações para atender às necessidades emergentes no setor de escritórios e condomínios de habitação.

No entanto, foram os desafios mais recentes que testaram verdadeiramente a resiliência da Amorlux. A crescente procura por instalações elétricas, telecomunicações e segurança eletrónica em hotéis e empreendimentos de luxo no Algarve impulsionou a empresa a concentrar os seus esforços nessa região. “Temos estado atentos às mudanças no mercado e direcionámos as nossas operações de acordo com as tendências económicas”, explica. Apesar do sucesso da Amorlux, um desafio persistente tem sido a escassez de mão de obra qualificada. “Não existe mão de obra qualificada. Os cursos técnicos que existem agora, são de uma forma muito diferente ao que eu tirei”, lamenta o empresário. A falta de profissionais capacitados tem limitado o potencial de crescimento da empresa, impedindo-a de responder completamente às exigências do mercado. “Fazia muito

Temos estado atentos às mudanças no mercado e direcionámos as nossas operações de acordo com as tendências económicas

mais se tivesse pessoal qualificado, e podia faturar o dobro”, observa.

Essa escassez de talentos é um problema que afeta não apenas a Amorlux, mas todo o mercado. A imigração, embora ofereça alguma esperança de preenchimento dessa lacuna, enfrenta obstáculos significativos. “A imigração não vem preencher, porque é difícil até se adaptarem à nossa maneira de trabalhar e aos nossos requisitos técnicos”, explica.

Apesar dos desafios, Vítor Guisado permanece otimista, a empresa está posicionada para continuar a sua trajetória de sucesso. “Sinto-me um pouco impotente, apesar de ter um pequeno grau de satisfação. Acho que é uma questão estrutural no nosso país, é um problema de fundo”, reflete.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 78 SETÚBAL EMPREENDEDOR | AMORLUX
Vítor Guisado, CEO

A chave do sucesso da Amorlux

A trajetória de sucesso da Amorlux é resultado de um compromisso incessante com a qualidade, a inovação e a satisfação do cliente. “Damos o nosso melhor todos os dias, mas também apostamos muito na ferramenta topo, por exemplo, a marca Hilti. E estamos aptos para fazer todo o tipo de serviços”, partilha Vítor Guisado. A Amorlux não fornece apenas as melhores ferramentas e equipamentos para os seus funcionários, mas também garante o máximo de condições de trabalho e proteção.

No mercado em constante evolução das novas tecnologias, a formação contínua é essencial. A Amorlux reconhece essa necessidade e investe significativamente em programas de formação para a sua equipa. “Como empresa, damos formação e reinvestimos tudo, o dinheiro é sempre reinvestido na empresa, como em máquinas, ferramentas e aparelhos”, destaca.

Apesar das flutuações no mercado da habitação e construção, a Amorlux tem mantido a sua posição firme. “Continua a haver muito trabalho nessa área para a empresa”, assegura o empresário. Além disso, a empresa diversificou os seus negócios com a criação da Amorlux Construções, que investe em terrenos, constrói casas e as vende, criando uma sinergia dentro do grupo.

Mesmo diante da pandemia, a Amorlux mostrou resiliência e adaptabilidade. “Adaptou-se bem e faturou igual, nunca parámos por causa da pandemia”, afirma. A empresa conseguiu manter as suas operações durante os momentos difíceis e ainda continuou a crescer. “A empresa tem crescido nestes últimos cinco anos e este ano está a crescer mais”, revela.

Visão para o futuro: compromisso com clientes e funcionários

A empresa, ao longo dos anos, consolidou a sua reputação e criou um nome respeitável no mercado. No entanto, para Vítor Guisado com uma carreira repleta de conquistas, o foco não está apenas em manter o status quo, mas sim em proporcionar um ambiente de trabalho satisfatório para a sua equipa e garantir que os clientes recebam os melhores serviços possíveis. “O que me move agora aqui é quase uma responsabilidade social. No fundo é conseguir satisfazer os nossos clientes e os nossos funcionários”, destaca.

Apesar das incertezas quanto ao futuro, enfatiza o compromisso contínuo da Amorlux com a excelência e a qualidade. “Somos 95% do tecido empresarial português (…) temos o PME Excelência”, orgulha-se. A empresa foi reconhecida repetidamente pela sua excelência nos últimos anos, recebendo prémios como o PME Excelência. Após 30 anos, a Amorlux destaca-se pelo compromisso com a qualidade, inovação e satisfação do cliente, tornando-se referência no setor elétrico e construção. A resiliência na pandemia e o investimento em formação e equipamentos refletem a visão de Vítor Guisado para um futuro de compromisso com clientes e funcionários, mantendo a excelência como base da trajetória.

geral@amorlux.pt www.amorlux.pt

79 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
AMORLUX | SETÚBAL EMPREENDEDOR

A DIGITALIZAÇÃO DA CONTABILIDADE

Estela Justino, gerente da Star Accounting Portugal, conta-nos a história e os desafios desta empresa que procura modernizar e digitalizar o mundo da contabilidade.

Estela Justino veio de uma multinacional também ligada à contabilidade, onde trabalhou cerca de 17 anos. Apesar de ter um trabalho estável, o seu sonho sempre foi criar o seu próprio negócio, pois já tinha claro o objetivo de criar a digitalização da contabilidade.

A gerente da Star Accounting conta que a sua experiência na área aliada ao facto de estar em constante formação para melhorar, quer a nível profissional quer a nível pessoal, foi uma mais-valia para o seu novo projeto. A empresária viu na Star Accounting um sonho concretizado, apesar de apreensiva no começo, Estela garante que tomou a melhor decisão: “Foi bom ter mudado, estava reticente

pelo facto de ter dois filhos, mas tive de arriscar”. A nível pessoal este novo projeto foi muito importante para Estela, permitindo estar muito mais presente na vida dos filhos, um dos fatores que a fez querer mudar o rumo da sua vida profissional

Com sete anos de atividade, o objetivo da Star Accounting é fazer uma empresa exclusiva e não uma fábrica de contabilidade, dedicando-se essencialmente à contabilidade e à consultoria fiscal. Estela Justino, é formada em Contabilidade e especializada em Auditoria, uma mulher e empresária que está sempre em busca de formação, já tendo feito algumas pós-graduações, a última em Comunicação Estratégica. Estela viu nessa formação uma oportunidade de

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 80 SETÚBAL EMPREENDEDOR | STAR ACCOUNTING
Estela Justino, Gerente

“aprender a comunicar estrategicamente ajudando-me a tomar decisões informadas, construir confiança, resolver conflitos e alcançar objetivos mais ambiciosos no mundo dos negócios. É uma habilidade valiosa para qualquer profissional”.

O objetivo da Star Accounting é desenvolver a digitalização no mundo contabilístico e este era um desiderato claro desde o início para Estela, no sentido de evitar ver o escritório e as empresas “cheios de papéis e pastas em arquivos”. E então foi esta questão do digital que a empresária começou por abordar junto dos seus clientes. Muitos deram o passo, outros tiveram mais dificuldade em acompanhar, mas estão também no caminho da digitalização. “Quando surgiu a pandemia, para a Star Accounting, foi um pouco indiferente, pois já tínhamos os processos digitais implementados”, sublinha.

Queremos fazer a diferença no mundo dos negócios, quer seja junto dos nossos empresários, quer seja junto das pessoas que nos acompanham e que fazem a Star crescer

Rigor, Confiança e Inovação

A missão da empresa passa por uma postura de rigor na execução do trabalho e confiança perante os clientes, ou seja, os clientes sabem que podem confiar, pois a contabilidade e todos os processos que são entregues à Star Accounting são analisados ao pormenor, sempre com o intuito de acrescentar valor, para que os clientes melhorem nos procedimentos e na sua eficiência fiscal. Estela refere que “foi para isso que foi criada a Star Accounting”.

Na questão da inovação, Estela Justino demonstra-se muito confortável, e compara o impacto do aparecimento da Inteligência Artificial (IA) ao da Internet, considerando a IA uma grande ajuda, “a IA está transformando a contabilidade, e a sua adoção continuará a evoluir nos próximos anos. Ela oferece oportunidades significativas, no que respeita á automatização de tarefas, eficiencia na acelaração de processos e análise de dados, mas também exige uma abordagem cuidadosa e estratégica para maximizar seus benefícios”.

Com os olhos postos no futuro

Segundo a gerente da Star Accounting, o futuro é o contabilista consultor será um parceiro próximo dos empresários, um profissional essencial para apoiar nas decisões das empresas, fornecendo insights baseados em dados e estratégias financeiras.

O futuro dos contabilistas envolve tecnologia, colaboração e transformação digital.

Para Estela, num futuro próximo os contabilistas vão passar a ser analistas de dados, mas sem deixar de ter a profissão de contabilista. Tem de haver sempre alguém com formação de base que consiga ler os números, “quem não avançar e modernizar-se fica para trás. As empresas vão querer a tal pessoa que é contabilista e consultora”.

A Star Accounting está em crescimento, mas Estela diz que não tem pressa em crescer, está bem, sente-se bem, não sente que tem de apressar o processo: “Queremos fazer a diferença no mundo dos negócios, quer seja junto dos nossos empresários, quer seja junto das pessoas que nos acompanham e que fazem a Star crescer”.

A gerente garante que é possível crescer e continuar a acompanhar o cliente, desde que todos estejam alinhados com esse conceito. Para Estela, a liderança tem de ser estabelecida de uma forma integrada, reconhece que ser um bom líder vai além de simplesmente manter responsabilidades e assegurar a componente técnica. Envolve montar equipas, direcioná-las com o intuito de influenciar positivamente os resultados.

81 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL STAR ACCOUNTING | SETÚBAL EMPREENDEDOR
geral@staraccounting.pt • www.staraccounting.pt

ESTRELA DO MAR: QUALIDADE E EXCELÊNCIA

Desde sempre ligada ao mar, Paula Couto, gerente do Restaurante Estrela do Mar, vê hoje o seu esforço recompensado. Neta de uma varina e filha de um pescador, Paula aprendeu as melhores técnicas para fazer chegar o melhor peixe à mesa dos seus clientes. A Revista Business Portugal teve o gosto de estar à conversa com Paula e perceber o amor e rigor com que gere o Estrela do Mar em Palmela, no distrito de Setúbal.

A ligação de Paula ao mar

Paula durante toda a sua vida teve uma ligação ao mar, pois sempre trabalhou na venda ambulante de peixe fresco. O peixe era comprado às traineiras e, mais tarde, vendido ao cliente final. Posteriormente, o pai da nossa entrevistada decidiu abrir um restaurante de peixe, restaurante esse que era o posto de trabalho de praticamente toda a família, “eram os filhos, as noras, os genros tudo a trabalhar junto”. Tratava-se de um negócio familiar e, apesar de gostar muito de trabalhar com a família, a gerente do Estrela do Mar, sentiu que era hora de voar mais alto.

O nascimento do Estrela do Mar

Com as filhas a acabar a escola, Paula sentiu que era a hora de arriscar e há oito anos abriu num sítio pequeno e aconchegante o seu primeiro restaurante. No início, para Paula foi tudo um pouco assustador, mas devido ao facto de querer algo para ela, para o marido e para a filhas, a empresária decidiu que “era hora de voar sozinha, mas foi um bocadinho difícil para mim, porque nunca trabalhei sem ser com eles”.

Apesar de ter deixado o restaurante do pai, Paula foi bastante apoiada por toda a família, “apesar de reticente, o meu pai apoiou-me sempre, percebeu que estava a seguir os passos dele e que tinha tudo para dar certo”.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 82 SETÚBAL EMPREENDEDOR | ESTRELA DO MAR
Paula Couto, Gerente

Devido ao sucesso que o restaurante foi alcançando, em março de 2019, Paula comprou um terreno para construir de raiz e à sua imagem um novo e melhorado Estrela do Mar. Um ano depois, a nível mundial, rompeu a pandemia da Covid-19, a gerente viu o seu sonho ser adiado, mas nunca desistiu, e finalmente em setembro de 2023, inaugurou um incrível, moderno e novo espaço, que conta com uma extraordinária parte exterior para adultos e crianças tirarem o melhor proveito da sua visita ao Estrela do Mar.

O casamento perfeito entre a carne e o peixe

Apesar do Estrela do Mar ser um restaurante dedicado ao peixe também é um bom local para os amantes de carne. Se por um lado, Paula tem uma ligação inegável com o peixe, o marido da gerente, Sérgio, tem com a carne. Antes de embarcar nesta aventura de criar o seu negócio com a esposa, Sérgio trabalhava com carne, o que dá a Paula uma enorme segurança e confiança: “Sei que posso confiar a 100% nele, ele compra as peças sempre com a melhor qualidade e desmancha da melhor forma”, diz ainda em tom de brincadeira que se trata do casamento perfeito, “ele trata da carne e eu do peixe”. Ou seja, no Estrela do Mar, podemos contar com o peixe e com a carne da melhor qualidade, tornando-se assim uma ótima opção para toda a família

A qualidade e variedade do peixe no Estrela do Mar

Com vista na melhor qualidade do produto, Paula compra o peixe diretamente da lota “sempre com a maior frescura e qualidade, gosto muito de ir buscar o peixe à lota, sei que para além de olhar para ele posso contar sempre com a melhor qualidade e frescura”.

No Estrela do Mar pode-se encontrar todo o tipo de peixes “desde o choco frito que é uma loucura, à corvina grelhada, escalada, inteira, temos todo o tipo de peixe”. Segundo a gerente, o segredo passa também pelo grelhador: “Conto com a ajuda do meu irmão que é um mestre nessa arte, sem dúvida que o segredo está na forma como o peixe é grelhado”.

A atividade do restaurante e a preocupação com o bom atendimento

O restaurante, conta com bastantes clientes do antigo Estrela do Mar e com outros que foram conquistados recentemente. Muitas são as pessoas que vêm de longe como por exemplo Lisboa, Vila Franca de Xira, e até do Alentejo, é impressionante ver o sucesso que foi alcançado, comprovando que a qualidade de produtos e o bom serviço fazem a diferença. O Estrela do Mar destaca-se pelo seu bom atendimento e satisfação dos funcionários, que é sem dúvida uma grande preocupação de Paula. Algo que chama à atenção no Estrela do Mar são os seus horários, apenas fazem almoços, evitando assim a quebra da rotina dos seus funcionários como se costuma ver na área da restauração. O restaurante fecha 15 dias em Agosto para descanso do pessoal, não trabalham nos feriados “importantes” como o Natal, Ano Novo e Páscoa, tudo

isso só é possível devido ao grande esforço de Paula e à responsabilidade social para com os seus funcionários que encara da forma mais humana possível, “por exemplo, no domingo anterior à Páscoa os clientes pediam para marcar mesa para o Domingo de Páscoa, ao que eu respondia que não, pois vou passar o dia com a minha família e os colaboradores igualmente, pois todos temos família”. Paula demonstra ter bem ciente que para uma boa equipa é preciso uma boa gestão “se quero bons funcionários também tenho de os estimar”.

O futuro

Paula demonstra-se realizada com o seu projeto, não vê outro local possível para o seu espaço: “Criámos este restaurante com todo o cuidado e à imagem daquilo que queremos proporcionar ao cliente, daqui já não saímos”. O objetivo do Estrela do Mar é diversificar o espaço que tem, ou seja, criar uma zona exterior ainda mais atrativa e confortável para o cliente. Paula já tem alguns projetos em mente, mas nada como visitar o incrível espaço em Palmela para poder desfrutar de um restaurante de qualidade e um ambiente de excelência

916 912 893 (chamada para rede móvel nacional)

967 678 136 (chamada para rede móvel nacional)

83 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL ESTRELA DO MAR | SETÚBAL EMPREENDEDOR

“QUEREMOS APOIAR E AJUDAR OS PROPRIETÁRIOS DE SETÚBAL”

A Associação de Construtores e Proprietários de Setúbal, que nasceu no sentido de dar apoio aos proprietários de imóveis da cidade, comemora 95 anos. A Revista Business Portugal teve o gosto de conversar com Rute Machado Vaz, a presidente da Associação, de forma a perceber os desafios que tem vindo a enfrentar e os objetivos para o futuro. associacao.setubal@acpsetubal.pt

Rute Machado Vaz, presidente da Associação de Construtores e Proprietários de Setúbal, em entrevista, explica que a associação nasceu de forma a apoiar e representar os proprietários da cidade, na gestão mais eficaz e consciente do património, dando assim uma orientação do que pode ser feito a nível legal no mercado de arrendamento. Nessa altura, os vários proprietários de imóveis setubalenses sentiram que ao juntar-se à associação poderiam defender da melhor forma os seus direitos e melhorar a sua atividade. Ao longo dos anos, a organização registou um grande crescimento: “Neste momento, contamos com cerca de 800 sócios e, tendencialmente, temos vindo a crescer”. Tudo isso deve-se ao esforço que a associação tem vindo a desempenhar, nomeadamente ao nível da promoção, marcando presença na Feira de Santiago e no desenvolvimento do site que divulga os imóveis disponíveis para arrendamento e disponibiliza informações úteis aos associados. A ACPS é responsável pela administração dos imóveis, ou seja, os proprietários passam a pasta da gestão à Associação que posteriormente trata de questões como a realização de um contrato de arrendamento, do controlo dos pagamentos dos inquilinos, da comunicação entre o inquilino e o senhorio, aconselhamento jurídico, e responsabilizam-se até pela realização de despejos caso seja necessário. Além disso, realizam visitas para interessados num imóvel que fique vazio, ou seja, a Associação de Construtores e Proprietários de Setúbal acaba por ser a aliada perfeita dos proprietários que podem ver assim a sua vida mais facilitada.

As dificuldades impostas aos senhorios

A Presidente da Associação diz que “hoje em dia, ter um imóvel a arrendar é vantajoso, mas as exigências fiscais e legais que são impostas aos senhorios é que são maiores que antigamente”. Rute Machado Vaz defende que as leis do arrendamento, em Portugal, são muito mais protetoras do inquilino do que do senhorio. Um dos grandes problemas, a nível legal, para os senhorios passa pelo incumprimento de pagamentos por parte do inquilino: “Temos de perceber que, muitas vezes, a renda paga por uma casa é o rendimento do proprietário que investiu ali o seu dinheiro, e os processos de despejo são processos bastante demorados, o que não beneficia de nenhuma forma o proprietário que se viu sem o seu rendimento”. São imensos os fatores que a presidente defende que poderiam funcionar melhor como por exemplo “um equilíbrio nas leis que aplicam aos senhorios, relativamente à responsabilidade fiscal, e melhorar as exigências que são feitas aos inquilinos que na pratica não protegem a propriedade”. A gestão do património do Estado é outra questão que pode afetar o mercado imobiliário, “vê-se uma gestão precária do património público, um fator que se fosse melhorado poderia aliviar o mercado imobiliário”, refere.

Promoção e crescimento da associação

Rute Machado Vaz tem um plano traçado na perspetiva de fazer crescer ainda mais a associação, focada e empenhada assume como um grande objetivo o crescimento da associação, e para isso tem unido esforços na promoção da associação: “O objetivo é fazer a associação chegar a mais pessoas, queremos apoiar e ajudar os proprietários de Setúbal. Juntos somos mais fortes”.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 84
SETÚBAL EMPREENDEDOR | ASSOCIAÇÃO DE CONSTRUTORES PROPRIETÁRIOS DE SETÚBAL
www.acpsetubal.pt
Rute Vaz, Presidente
mais informações: meliasetubal.com melia.setubal@meliaportugal.com (+351) 265 240 400
sintonia
Para
Em
com a Natureza DESFRUTE DO QUE REALMENTE IMPORTA

DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL

Os 50 anos de abril na Justiça marcam um período de evolução e transformação de grande significado, no sistema judicial português. Abril de 1974, data historicamente conhecida por momentos emblemáticos na luta pelos direitos civis e de justiça social, constitui um marco para reformas e avanços legais no nosso país.

Neste período, tem-se verificado mudanças significativas na legislação, nas práticas judiciais e na perceção da justiça pelos cidadãos. Desde a promulgação de novas leis que protegem os direitos humanos e ampliam o acesso à justiça até à implementação das novas tecnologias para melhorar a eficiência dos tribunais, estes últimos 50 anos foram marcados por um compromisso contínuo em melhorar o sistema judicial e garantir uma aplicação da lei mais justa e equitativa.

No entanto, apesar de todos estes avanços, ainda subsistem grandes desafios a serem enfrentados, como a morosidade processual, a desigualdade de acesso à justiça e alguma falta de confiança nas instituições judiciais, entre outros.

Portanto, os próximos anos são de oportunidade para continuar a promover reformas necessárias que a justiça necessita, bem como de fortalecimento dos princípios democráticos que sustentam o nosso Estado de Direito.

PELA DEFESA DA EXCELÊNCIA JURÍDICA E VALORES DEMOCRÁTICOS

André Batoca, Advogado Coordenador na Raposo Subtil e Associados (RSA), é reconhecido pela elevada capacidade de liderança, captação de clientes e multidisciplinariedade na resolução dos litígios. Numa entrevista concedida à Revista Business Portugal, destaca os desafios da justiça em Portugal e a sua importância para o aperfeiçoamento da democracia.

A Raposo Subtil e Associados destaca-se pela excelência técnico-jurídica e defesa dos direitos dos cidadãos e empresas. Apesar dos desafios na justiça portuguesa, como a acessibilidade limitada aos tribunais e a morosidade processual, André Batoca destaca que tais obstáculos são ultrapassáveis através de uma reforma séria do sistema judiciário, que convoca os advogados como actores principais a par dos demais operadores judiciários. “Devemos estar vigilantes contra qualquer tentativa de limitar a atuação da advocacia, essencial para manter o Estado de Direito e os valores democráticos. Apesar dos desafios, desde 1974 houve avanços notáveis. A democracia tem promovido a liberdade económica e impulsionado o desenvolvimento da advocacia e das empresas”.

A Revolução de Abril, em Portugal, impactou os sistemas jurídicos das antigas colónias lusófonas, unindo esses países através da língua portuguesa e facilitando a interação jurídica. A RSA exerce uma forte influência nesses territórios, refletida no desenvolvimento dos sistemas jurídicos e no respeito aos advogados, apesar das trajetórias individuais de cada nação. Também a proximidade cultural e linguística entre esses países tem facilitado a colaboração entre profissionais do direito, escritórios de advocacia e clientes. “Apesar das diferenças políticas, o escritório em Portugal une os países lusófonos. A cultura democrática na advocacia permite aos advogados, mesmo em regimes distintos, atuar sem limitações com respeito ético e reciprocidade. Além disso, a interligação dos seus escritórios, fortalece a rede jurídica lusófona, promove a proximidade entre os povos e melhora os serviços aos clientes”, observa André Batoca.

Com a evolução tecnológica, a RSA procura liderar o setor jurídico, reconhecendo os meios tecnológicos e o mundo virtual como vitais para serviços eficientes. Comprometida com a inovação e a

transparência, a RSA investe em modernização interna, utilizando ferramentas e software para lidar com a complexidade e o volume de informações, ao que acresce a liderança na discussão sobre temas jurídicos. Porém, André Batoca destaca que a tecnologia não deve substituir os valores essenciais da profissão. “A evolução tecnológica impulsiona a gestão ágil dos processos judiciais na RSA, enquanto promovemos conferências e partilhamos informações sobre inteligência artificial, compliance empresarial e legislação fiscal, sempre priorizando a conformidade legal e os nossos valores essenciais”

A abordagem interdisciplinar e especializada da RSA tem sido crucial para lidar com questões legais complexas e transfronteiriças pós-Revolução de Abril. André Batoca destaca que essa abordagem oferece serviços jurídicos adaptados, estabelecendo parcerias estratégicas para garantir o melhor resultado. Os valores éticos na profissão jurídica e a colaboração entre advogados e outros profissionais também são importantes para enfrentar os desafios do mundo jurídico atual. “A interação entre diversos ramos do direito, como o direito fiscal e o direito societário, ou entre sistemas jurídicos distintos, como o direito europeu e o direito dos países de língua oficial portuguesa, exige dos profissionais, capacidades de adaptação e cooperação com os demais profissionais da área. O advogado continua a ser essencial para oferecer soluções jurídicas adequadas e criativas, tendo por base o caso concreto, representando judicialmente os cidadãos e garantindo o cumprimento da lei, mesmo com o apoio da tecnologia e da interdisciplinaridade”, afirma.

Após a Revolução de Abril e com a globalização jurídica, a advocacia enfrenta desafios e oportunidades. André Batoca destaca a preservação da liberdade no mundo digital como principal desafio, alertando para os perigos do crime digital e a necessidade de garantir a liberdade online dos cidadãos. Quanto às oportunidades, ressalta a capacidade de adaptação das empresas e dos profissionais num mundo onde a intervenção humana pode ser reduzida em prol da automação, mas sublinha a importância de garantir o controlo ético dos algoritmos. “Devemos encarar a evolução como um desafio para preservar os valores da Constituição e dos tratados internacionais. A justiça será cada vez mais desmaterializada, com audiências remotas e intervenção física reduzida. E isso será visto como uma evolução dos tempos e não como algo negativo, embora não devamos prescindir da intervenção pessoal e direta sempre que estejam em causa valores fundamentais”, pondera.

Para André Batoca, a sociedade adaptar-se-á aos desafios futuros da advocacia ao respeitar os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, valores essenciais desde a Revolução de Abril e fundamentais para a realização de uma verdadeira democracia.

87 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
RAPOSO SUBTIL E ASSOCIADOS (RSA) | DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL
André Batoca, Advogado Coordenador

CRUZ VILAÇA ADVOGADOS:

NA PRIMEIRA LINHA DA LUTA PELA REFORMA

DO SISTEMA DE JUSTIÇA

José Luís da Cruz Vilaça, Managing Partner da Cruz Vilaça Advogados, em entrevista, partilha valiosos insights sobre as transformações mais significativas na área da justiça ao longo dos últimos 50 anos, destacando que a reforma do sistema de justiça é um dos grandes desafios do nosso país para os próximos anos.

Considerando os 50 anos da Revolução de Abril, como é que avalia o impacto desse evento nas estruturas e práticas da justiça em Portugal, especialmente em relação aos direitos fundamentais e ao estado de direito?

Antes de mais, o 25 de abril e o processo que se lhe seguiu, ao mudarem a natureza do regime anterior e ao acabarem com estruturas e práticas repressivas de direitos fundamentais (liberdade de expressão, de associação, de participação e oposição política), representaram uma mudança radical na defesa desses direitos. Esse aspeto foi marcante para a instauração de um modelo constitucional de democracia, de respeito pelos direitos individuais e de cidadania, de freios e contrapesos destinados a garantir a independência e o equilíbrio entre os vários poderes. A Justiça em Portugal passou a estar, pelo menos em tese, ao serviço da defesa dos direitos dos cidadãos e dos seus interesses legítimos.

Na sua opinião, quais foram as transformações mais significativas na área da justiça ao longo destas cinco décadas, e como é que essas mudanças têm moldado a advocacia em Portugal?

Tenho um razoável conhecimento dos problemas do sistema judicial português, no quadro do qual trabalho há muitos anos. Tive ainda o privilégio de viver intensamente durante quase quatro décadas a realidade de outros sistemas judiciais, nomeadamente o da União Europeia, como magistrado e como advogado, o que me permite comparações úteis. Houve, na justiça portuguesa, transformações positivas ao longo dos anos, - na diversificação do acesso às profissões jurídicas, na formação dos magistrados para os novos tempos democráticos, no reforço das garantias processuais e de defesa; no entanto, este continua com as maiores dificuldades em responder aos desafios da sociedade e da organização do Estado. A reforma decisiva nunca se fez, e muitas das que se fizeram foram-se diluindo ou desvirtuando, por dificuldade de adaptação aos novos tempos. Percebe-se isso no aumento da desconfiança dos cidadãos em relação ao sistema de justiça, ao qual faltam meios de toda a

ordem, materiais, financeiros e humanos (juízes especializados, assessores, oficiais de justiça). O Centro de Estudos Judiciários (CEJ) teve um papel histórico importante, mas, tal como está organizado, acabou por contribuir para fechar a justiça e os seus agentes sobre si mesmos. Os tempos da justiça pouco têm que ver com as exigências da vida real e não se vê que as coisas melhorem ou que alguém seja responsabilizado, como é o caso das violações reiteradas do segredo de justiça. O corporativismo continua a ser uma força demasiado presente. É seguro que a generalidade dos magistrados e agentes da justiça não pode ser colocada sob suspeita de desinteresse ou de comportamentos reprováveis; tenho aliás encontrado, com imensa satisfação, juízes, magistrados e funcionários de grande qualidade e rigor profissional. Mas factos recentes têm-nos dado uma imagem penosa (real ou aparente) de tensão entre Ministério Público e magistratura judicial, em processos de grande relevância para a saúde do sistema democrático. Ora, o setor não deve esquivar-se ao escrutínio público, porque a sua missão é exercida em nome da sociedade e do interesse público. Por outro lado, se o exercício da advocacia se

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 88 DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL | CRUZ VILAÇA
José Luís da Cruz Vilaça, Managing Partner

modernizou, nos últimos 35 anos, através da criação de modernas e bem organizadas sociedades de advogados, há um largo setor da profissão com dificuldade em adaptar-se e até em sobreviver. No entanto, o prestígio da profissão também vive de nomes individuais de advogados reconhecidos e respeitados, que sejam garantes da ética, da deontologia e da independência no exercício desta nobre atividade, mas que vão minguando. A forma acrítica como a legislação e os estatutos da Ordem se alteraram recentemente – por alegado imperativo da UE de abertura do acesso à profissão (prática multidisciplinar, definição dos atos próprios dos advogados, reforma dos estágios) – pode ter péssimas consequências se não for devidamente acautelada e, eventualmente, corrigida.

Portugal é o 5.º país da União Europeia onde os processos demoram mais. Na sua ótica, quais as razões que colocam a justiça portuguesa nesta posição? Quais as principais diferenças da justiça portuguesa no âmbito europeu?

Uma justiça lenta e ineficaz é um formidável entrave à proteção dos direitos, um travão ao investimento, um peso enorme na economia de um país face à concorrência internacional, e mesmo um risco para a saúde da democracia. Como referi atrás, a reforma indispensável está por fazer, os recursos são insuficientes, não existe um sistema adequado de preparação para o acesso às profissões jurídicas reguladas. Parece-me urgente uma reforma do CEJ e, em geral, dos modelos de formação de magistrados e advogados. Além disso, erros da justiça prejudicam o cumprimento da sua missão quando não são corrigidos ou o são com mais de 20 anos de atraso. A lentidão dos processos (tantas vezes reprovada pelo Tribunal Europeu dos Direitos Humanos) é uma das razões principais para fazer da justiça portuguesa um sistema injusto (“justice delayed is justice denyed”). Tive a honra de pertencer durante 15 anos, em diferentes ocasiões, circunstâncias e funções, ao Tribunal de Justiça e ao então Tribunal de Primeira Instância da UE, de que fui o primeiro presidente. O Tribunal de Justiça – Tribunal Constitucional e Supremo para toda a UE - recebe atualmente mais de mil novos processos por ano e não tem processos em atraso! A razão não é segredo: esforço permanente de auto-reforma e de propostas legislativas, racionalização dos procedimentos, aplicação de novas tecnologias, simplificação dos processos, sem prejuízo da qualidade da proteção dos direitos. Na União Europeia há sistemas e tradições jurídicas diversas: latinas, anglo-saxónicas, germânicas. Porque não tomar como modelo o sistema alemão, em que juízes, advogados e outros agentes da justiça, partilham um tronco comum de formação, incluindo experiências e estágios profissionais, sem que seja necessário escolher o rumo à saída da Universidade e permitindo a todos conhecer bem as realidades que vão ter de enfrentar?

Que passos têm de ser dados para que a justiça portuguesa possa ser mais célere? Que reformas devem ser implementadas para melhorar a eficiência, transparência e qualidade da justiça? Cada tipo de contencioso tem as suas especificidades e os problemas não se resolvem com soluções pré-fabricadas. P. ex., é

necessário corrigir erros como os dos “mega-processos” de natureza penal. Em casos fiscais, o recurso à arbitragem institucionalizada tem dado boas provas de celeridade, qualidade e aceitabilidade, ao ponto de os órgãos de arbitragem tributária serem reconhecidos pelo Tribunal de Justiça como verdadeiros órgãos jurisdicionais para efeitos de “reenvio prejudicial”. É certamente necessário melhorar a organização e a administração da justiça em casos de família e menores. Mas é também importante continuar a libertar os tribunais de processos massificados, que possam ser resolvidos através de métodos alternativos de resolução de litígios, não limitados a quem tenha capacidade financeira para suportar os custos. Certas soluções transversais deviam claramente impor-se. Aqui também, o conhecimento da experiência do Tribunal de Justiça da UE pode ser muito útil: pequenas mudanças na aparência, mas enormes nas consequências. P. ex., para os advogados, número máximo de páginas em cada articulado, organização impecável dos anexos, limitação do tempo de palavra nas audiências; para os magistrados, a estandardização da estrutura das sentenças e acórdãos, acelerando a sua elaboração, assegurando a clareza e facilitando a compreensão; para todo o sistema, mais transparência, através da digitalização e de uma política adequada de comunicação. E, ponto fundamental, como no Tribunal de Justiça, os prazos não devem ser só para as partes e seus advogados: juízes e advogados-gerais obrigam-se a cumprir prazos para os atos processuais a praticar, evitando afetar a celeridade processual e os direitos e expetativas dos requerentes. Mais: não tenho memória, em 15 anos, de uma audiência adiada (exceto por imperiosa razão de saúde) ou sequer começada com cinco minutos de atraso!

Olhando para o futuro, quais são os principais desafios que vislumbra para a justiça em Portugal e qual é o papel que a Cruz Vilaça Advogados espera desempenhar nesse contexto?

A resposta a esta pergunta resulta de tudo o que precede. E a conclusão não pode deixar de ser que a reforma do sistema de justiça é (um dos) grandes desafios do país para os próximos anos. Exige-se determinação e coragem política para a levar a cabo, mas também são necessários sentido de responsabilidade e cuidado para evitar estragar o que de bom esteja a fazer-se. Sobretudo, impõe-se procurar um consenso alargado entre operadores da justiça e seus representantes, governo e partidos políticos com representação parlamentar. A Cruz Vilaça Advogados vai continuar a estar, espero, na primeira linha da luta por essa reforma.

89 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL CRUZ VILAÇA ADVOGADOS | DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL
info@cruzvilaca.eu • www.cruzvilaca.eu/pt

“UMA JUSTIÇA EFETIVA E INDEPENDENTE É FUNDAMENTAL EM QUALQUER SOCIEDADE”

Claudete Teixeira, em entrevista à Revista Business Portugal, explora o papel da justiça na consolidação da democracia portuguesa após a revolução de abril, bem como as mudanças mais significativas nas leis relacionadas com o direito da família e das crianças em Portugal e como o escritório Claudete Teixeira Advogados se adaptou às mudanças legislativas.

Como é que a revolução de abril de 1974 impactou o panorama jurídico em Portugal, especialmente nas áreas em que o seu escritório atua, como direito da família, direito civil e direito do trabalho?

As alterações foram imensas em diversas áreas, mas, realmente, no que diz respeito ao direito da família e do direito laboral foram muito significativas. A instituição do princípio da igualdade entre os cônjuges só surgiu após o 25 de abril. Portanto, só por aqui se percebe que “esta coisa do 25 de abril” não é de somenos importância. No que diz respeito ao direito laboral basta lembrar que a instituição do salário mínimo nacional só aconteceu após o 25 abril. Mas, na verdade, praticamente tudo o que damos hoje como adquirido no âmbito laboral foram conquistas de abril, como, por exemplo, o direito ao subsídio de férias, subsídio de Natal, a criação do subsídio de desemprego, a proibição dos despedimentos sem justa causa. Ao longo dos últimos anos a legislação tem evoluído no sentido da proteção do trabalhador e da conciliação da vida pessoal e familiar com a vida laboral, mas também com a instituição de novos modelos que facilitem uma maior eficiência das empresas e flexibilização da prestação de trabalho, como por exemplo o banco de horas.

Na sua perspetiva, qual foi o papel da justiça na consolidação da democracia portuguesa após a revolução de abril? Como é que o seu escritório contribuiu para esse processo ao longo dos anos?

A justiça, uma justiça efetiva e independente, é absolutamente fundamental em qualquer sociedade. Sem justiça os direitos das pessoas, e por contraposição os seus deveres, são apenas palavras escritas. Se não existir um órgão que assegure a defesa desses direitos eles de nada valem. Portanto, as alterações legislativas profundas que surgiram após o 25 de abril só tiveram sucesso porque os tribunais estavam, e estão lá, para as fazer cumprir.

Agora, a justiça é algo complexo e faz-se de um equilibrio de forças, de poderes e de fiscalização de todos os intervenientes que nela trabalham. O papel do advogado é absolutamente fundamental para esse equilíbrio e para a verdadeira concretização

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 90
DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL | CLAUDETE TEIXEIRA
Claudete Teixeira, Advogada

da justiça. O verdadeiro garante do acesso à justiça e da defesa dos direitos das pessoas é o advogado. Antes de ser um negócio o nosso trabalho é uma missão. Por essa razão temos o dever de permitir que, mesmo os mais desfavorecidos, tenham acesso a uma advocacia de qualidade.

O desafio maior, na minha opinião, é que o poder legislativo e os tribunais encontrem o equilíbrio entre a evolução das mentalidades e das novas realidades com a necessidade de não se desproteger uns para proteger os outros

Considerando os últimos 50 anos desde a revolução de abril, quais foram as mudanças mais significativas nas leis relacionadas com o direito da família e das crianças em Portugal, e como é que o seu escritório se adapta às mudanças legislativas?

No direito da família destaco apenas algumas das mais impactantes, como o facto de antes do 25 de abril de 1974 não ser possível o divórcio se os cônjuges fossem casados catolicamente, e nem era possível o divórcio por mútuo consentimento. O cônjuge marido era o “Chefe de Família,” que detinha o poder marital e paternal e tinha o direito de administrar todo o património, quer se tratassem de bens comuns do casal, ou de bens próprios da mulher. A mãe solteira não beneficiava de qualquer proteção legal e os filhos ilegítimos não eram reconhecidos. Portanto, uma realidade bem diferente da que temos hoje. Atualmente a união de facto é reconhecida como uma figura jurídica geradora de direitos, temos a permissão da celebração do casamento entre pessoas do mesmo sexo, a possibilidade da adoção por pessoas individuais ou por casais do mesmo sexo. E só após o 25 de abril foi criminalizada a violência doméstica. Ou seja, não só passaram a ser aceites outros modelos de família como a forma mediante a qual o homem e a mulher são vistos dentro da família, passou a ser diferente. Por fim, ressalto a mudança de paradigma no que diz respeito às crianças e ao direito das crianças, que ao longo dos anos tem vindo a colocar o foco na proteção e direitos das crianças, assumindo-se a criança como a titular dos direitos que visam proteger nos processos que a ela dizem respeito. Na nossa área a única forma de não nos tornarmos desatualizados

e obsoletos é continuar a estudar. Manter a formação continua, que é o que eu faço.

Como é que tem sido a evolução do direito sucessório em Portugal desde a revolução de abril?

O Direito sucessório tem tido pouquíssima evolução ao longo dos anos. É uma área do direito que parece um pouco esquecida. Não obstante, teve duas significativas alterações após o 25 de abril. A primeira foi acabar com a figura do “filho ilegítimo”. Os filhos não nascidos dentro do matrimónio não eram reconhecidos e não possuíam os mesmos direitos que os filhos nascidos dentro do casamento, nomeadamente no que diz respeito a direitos sucessórios. E a segunda ao considerar o cônjuge sobrevivo como herdeiro na mesma classe sucessível dos descendentes. Antes do 25 de abril o cônjuge estava na mesma classe dos ascendentes e irmãos. Agora está em pé de igualdade com os filhos.

Olhando para o futuro, quais são os desafios que antevê nas áreas em que atua, especialmente considerando o contexto social e económico em constante transformação em Portugal e no mundo?

O desafio maior, na minha opinião, é que o poder legislativo e os tribunais encontrem o equilíbrio entre a evolução das mentalidades e das novas realidades com a necessidade de não se desproteger uns para proteger os outros.

91 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
www.claudeteteixeira.com CLAUDETE TEIXEIRA | DIREITO - 50 ANOS APÓS ABRIL

BRANDS POWER

As marcas têm um poder único e transformador que vai muito além de simples logótipos e produtos. Elas representam identidade, confiança e conexão emocional com os consumidores. O poder das marcas reside na capacidade de influenciar as decisões de compra, moldar perceções e até mesmo inspirar lealdade ao longo do tempo. Uma marca forte não vende apenas produtos, mas conta uma história. Ela transmite valores, visão e personalidade, criando uma conexão emocional com o público. Empresas como Coca-Cola, Nike, Apple e muitas outras construíram marcas poderosas que transcendem culturas e fronteiras, tornando-se símbolos reconhecidos globalmente.

O poder das marcas também se manifesta na diferenciação. Num mercado saturado, uma marca forte destaca-se, oferecendo algo único e valioso aos consumidores. Ela cria uma promessa de qualidade e consistência, gerando confiança e fidelidade. Além disso, as marcas têm o poder de influenciar a perceção pública e moldar a cultura. Elas podem inspirar mudanças sociais, promover causas importantes e até mesmo liderar movimentos. Muitas marcas têm usado a sua influência para promover a inclusão, sustentabilidade e responsabilidade social, demonstrando o poder transformador que as marcas podem ter na sociedade. Em suma, o poder das marcas reside na sua capacidade de criar conexões significativas com as pessoas. Elas vão além de simples transações comerciais, tornando-se parte integrante da vida quotidiana e da identidade dos consumidores. Esta é a verdadeira essência do poder das marcas: o poder de inspirar, influenciar e impactar positivamente o mundo.

A AUTENTICIDADE E A PAIXÃO PELOS SABORES

Sónia Melo, em entrevista, dá a conhecer o universo do Chez Sónia, cujos pilares do sucesso são a qualidade e paixão, destacando ainda o compromisso em continuar a surpreender os clientes e em elevar a experiência gastronómica.

Como é que a Chez Sónia tem conseguido manter a sua identidade e qualidade distintivas ao longo dos anos, especialmente considerando o crescimento do negócio e a expansão dos serviços oferecidos?

Manter a identidade e a qualidade ao longo dos anos, mesmo com o crescimento do negócio e a expansão dos serviços, pode ser desafiante, mas é alcançável com uma abordagem estratégica e foco contínuo na excelência. A qualidade do serviço é fundamental para a sustentabilidade e longevidade de um negócio, especialmente quando se trata de um serviço de private chef exclusivo como o nosso. Mantemos os padrões de qualidade elevados e a nossa oferta está sempre focada na inovação, mas mantendo a tradição gastronómica bem presente. Somos flexíveis e adaptamos os nossos serviços, de forma consciente, para atender as expectativas e exigências dos nossos clientes.

Receber o Prémio 5 Estrelas Regiões é um reconhecimento notável da excelência do serviço da Chez Sónia. Quais são os principais pilares que sustentam essa qualidade e como é que esses valores são cultivados e mantidos dentro da empresa?

Receber o Prémio 5 Estrelas Regiões é, de facto, um reconhecimento notável da excelência do nosso serviço e reflete o compromisso da empresa com a qualidade excepcional. Eu diria que em primeiro, será a qualidade dos ingrediente. Isso envolve não apenas o uso de ingredientes frescos, mas também as competências culinárias e a criatividade na preparação dos pratos. Cada prato servido deve ser uma experiência gastronómica memorável. O atendimento ao cliente é outro pilar crucial. Isso inclui desde a comunicação inicial até à apresentação dos pratos e a experiência de um modo geral durante o evento. A atenção aos detalhes e a capacidade de antecipar as necessidades dos clientes são elementos essenciais para proporcionar um serviço exclusivo. A capacidade de personalizar os serviços de acordo com as preferências individuais dos clientes, é o nosso principal foco. Isso pode envolver a criação de menus sob medida, restrições alimentares ou preferências específicas e a capacidade de adaptarmo-nos a solicitações de última hora. Por último, e não menos importante, a nossa equipa demonstra profissionalismo em todos os aspetos do serviço, desde a apresentação pessoal até à pontualidade e à limpeza. Além disso, a discrição é essencial, onde a privacidade dos clientes deve ser respeitada.

Sendo uma empresa localizada nos Açores, como é que a Chez Sónia aproveita a sua localização geográfica única para oferecer uma experiência gastronómica diferenciada aos clientes?

A localização geográfica única nos Açores oferece uma oportunidade extraordinária para proporcionarmos uma experiência gastronómica verdadeiramente diferenciada aos nossos clientes. Os Açores são conhecidos pela sua abundância de ingredientes frescos e únicos, incluindo peixe, carne, laticínios de alta qualidade, vegetais orgânicos e uma variedade exclusiva de produtos cultivados localmente. Temos uma rica diversidade gastronómica devido à nossa história e influências culturais. Oferecemos uma experiência autenticamente açoriana aos nossos clientes com o uso de ingredientes sazonais e locais. Contamos a história por trás do ingrediente. Destacamos nos nossos pratos e técnicas culinárias os sabores e tradições da região. A autenticidade e a paixão pelos sabores por esta região serão o nosso maior diferencial.

Quais são os próximos passos para a empresa, considerando o seu compromisso com a qualidade dos alimentos, a criatividade na cozinha e a satisfação do cliente?

Neste momento, estamos a fortalecer a nossa presença online através de um website novo, presença ativa nas redes sociais e estratégias de marketing digital direcionadas. Destacamos sempre a qualidade dos alimentos, a criatividade na cozinha e depoimentos de clientes satisfeitos para atrair novos clientes e fortalecer a fidelidade dos existentes. O feedback dos clientes para identificar áreas de melhoria, é essencial. Contamos investir ainda mais no desenvolvimento profissional da nossa equipa. Uma equipa bem treinada e motivada é fundamental para garantir a consistência na qualidade do serviço. Continuaremos a explorar novas tendências gastronómicas, ingredientes e técnicas culinárias para manter a criatividade e a inovação na cozinha e dando sempre preferência a produtos sazonais. Qualidade e paixão são os pilares do nosso sucesso contínuo. Vamos continuar a surpreender os nossos clientes e a elevar a experiência gastronómica!

93 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL CHEZ SÓNIA | BRANDS POWER
Sónia Melo, Azores Private Chef

EASYFRESH

BRILHO PREMIADO 5 ESTRELAS PARA LIMPEZA PROFISSIONAL

A EasyFresh, empresa liderada por Ricardo Fernandes e Bruno Varandas, tem conquistado reconhecimento e destaque no exigente mercado de limpeza profissional em Portugal. Em entrevista, Ricardo Fernandes partilhou os principais objetivos e planos da EasyFresh para continuar a sua trajetória de sucesso.

A EasyFresh é muito mais do que uma empresa comum – é uma comunidade unida, onde a qualidade do serviço e o bem-estar dos seus 86 colaboradores são prioridades indiscutíveis. Sob a liderança de Ricardo Fernandes e Bruno Varandas, a empresa criou um ambiente de trabalho que é mais do que isso – é uma verdadeira família. Como refere Ricardo Fernandes, “nós prezamos muito os nossos colaboradores, pois eles são a essência do nosso sucesso. Tentamos sempre pagar acima da média para que possamos ter as pessoas a trabalhar connosco o mais tempo possível e retirarmos a melhor qualidade possível delas”.

O compromisso da EasyFresh com a excelência e o bem-estar dos seus colaboradores tem sido reconhecido em várias instâncias, tanto interna como externamente. A empresa foi agraciada com três prémios de distinção empresarial tanto pela Câmara Municipal de Odivelas como também pela Câmara Municipal de Loures , além de certificados e menções honrosas ao longo dos anos. Ricardo Fernandes ressalta que esses prémios vão além de meros troféus: “é um sinal não só daquilo que nós achamos internamente, mas também do reconhecimento externo na forma como trabalhamos com os colaboradores”. A EasyFresh, numa demonstração contínua do seu compromisso, também alcançou recentemente um marco significativo ao receber o prestigioso Prémio 5 Estrelas Regiões. Para o empreendedor, este reconhecimento é mais do que uma simples honra, é um testemunho do compromisso da empresa com os clientes e colaboradores. “Receber o Prémio 5 Estrelas é uma honra e um testemunho do nosso compromisso com a excelência”, salienta. Participar neste prémio representou para a EasyFresh um desafio interno e uma oportunidade valiosa para avaliar o seu progresso. “Quando decidimos participar neste prémio, foi mais do que uma simples candidatura. Foi um desafio a nós mesmos, uma oportunidade de avaliar se estamos no caminho certo”, destaca o empresário. A avaliação rigorosa do Prémio 5 Estrelas Regiões, baseada em mais de 444 mil entrevistas realizadas a nível nacional, foi um verdadeiro teste de fogo para a EasyFresh. “Fomos avaliados por pessoas de fora da nossa empresa, comparados com a nossa concorrência. Isso permitiu-nos ter uma visão clara das nossas forças e áreas de melhoria”, observa.

Este reconhecimento não só fortalece a reputação da EasyFresh, mas também abre novas portas para oportunidades futuras. “Estamos confiantes de que este reconhecimento fortalecerá ainda mais a nossa reputação e nos abrirá novas oportunidades”, afirma o empresário.

Embora a EasyFresh esteja centrada principalmente na área Metropolitana de Lisboa, a empresa está sempre pronta para oferecer serviços de qualidade em todo o país. Como explica Ricardo Fernandes: “embora operemos principalmente em Lisboa, também

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 94
BRANDS POWER | EASYFRESH
Vanda Abrantes Ricardo Fernandes e Bruno Varandas, Administradores

A EasyFresh realiza cerca de 400 avenças mensais, monitorizando diariamente entre 260 e 300 serviços através do Onfield. Esta aplicação permite uma monitorização em tempo real dos serviços prestados, facilitando uma comunicação eficiente com os clientes e parceiros.

realizamos serviços pontuais em todo o país. Esta flexibilidade e capacidade de resposta são parte integrante do nosso sucesso”.

A EasyFresh destaca-se no competitivo mundo empresarial pela sua busca constante pela inovação. O empreendedor enfatiza que “o fator qualidade” é prioritário, mantendo altos padrões em todos os aspetos do negócio. Além disso, a humildade é valorizada, como afirma Ricardo: “o nosso departamento comercial é instruído para nunca prometer algo que não possamos cumprir operacionalmente”. Com uma variedade de departamentos especializados, como Easyboat, Easyplus, Easyservices, Easyhome e Easybusiness, a EasyFresh atende a várias necessidades, desde limpezas gerais profundas até serviços especializados para diferentes setores. Uma das inovações mais notáveis é o departamento Easyplus, que desenvolveu a aplicação interna “Onfield”. Segundo Ricardo, “somos a única empresa de limpeza em Portugal a ter uma aplicação como esta”, destacando a singularidade desta ferramenta.

A EasyFresh realiza cerca de 400 avenças mensais, monitorizando diariamente entre 260 e 300 serviços através do Onfield Esta aplicação permite uma monitorização em tempo real dos serviços prestados, facilitando uma comunicação eficiente com os clientes e parceiros. “Nós conseguimos informar em tempo real os condóminos sobre qualquer questão, desde uma urina de cão até a uma luz fundida”, evidenciando a utilidade desta ferramenta na gestão dos condomínios onde atuam. O compromisso da EasyFresh com a excelência não se limita apenas aos serviços de limpeza, mas também se estende à inovação e à responsabilidade ambiental. “A maioria dos nossos produtos, são de pH neutro e com componente de bio álcool, o que permite uma secagem mais rápida”, afirma Ricardo Fernandes.

Além disso, a empresa investe em produtos especializados, como a linha “Star Brite” para limpeza de barcos, importada diretamente da Florida. O empresário enfatiza a preocupação com a não diluição dos produtos, assegurando que a originalidade dos mesmos, mesmo em descargas para o mar, não contém impacto negativo: “Os produtos são preparados para serem diluídos na água, garantindo a sua biodegradabilidade e respeito pelo meio ambiente”.

No que diz respeito às obrigações legais e regulamentações do setor, a EasyFresh destaca-se pelo seu compromisso com a transparência e a ética. “Todos os nossos colaboradores têm contrato, e a grande maioria trabalha a tempo inteiro. Mantemo-nos atualizados e cumprimos escrupulosamente as regulamentações, sendo sujeitos a fiscalizações frequentes por parte de entidades como ACT e Segurança Social”, salienta.

Além da qualidade dos serviços prestados, a EasyFresh tem se destacado pela inovação. Recentemente, a empresa desenvolveu a MY EASY, uma máquina única em Portugal que permite a limpeza intensiva de pavimentos e paredes, tanto interiores quanto exteriores, sem o uso de químicos abrasivos. Esta tecnologia não só garante uma limpeza eficaz, mas também prolonga a durabilidade dos materiais. Ricardo Fernandes ressalta a importância da divulgação destas inovações através do website da empresa, que oferece uma experiência visual única e informativa: “O nosso website tem uma imagem bonita e diferenciada. Temos vídeos organizados e informações detalhadas sobre os nossos equipamentos, o que reflete o nosso compromisso com a transparência e a excelência”.

Olhando para o futuro, a EasyFresh pretende continuar a crescer de forma estrutural, focando não apenas na expansão dos serviços de manutenção, mas também na rentabilização de soluções inovadoras que se destacam no mercado. Com uma visão clara e uma equipa dedicada, a EasyFresh está pronta para enfrentar os desafios e continuar a destacar-se no mercado de limpeza profissional.

geral@easyfresh.pt • www.easyfresh.pt

95 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL EASYFRESH | BRANDS POWER
João Machado

MARCAS COM PROPÓSITO: IMPACTO ALÉM DOS LUCROS

Num mundo onde as marcas disputam atenção e fidelidade, o propósito tornou-se um fator diferenciador. Para a BDR, o propósito vai além do lucro, é sobre criar ligações genuínas e contribuir para um mundo melhor. Ao apoiar causas sociais e dar prioridade às relações humanas em tempos de crise, as marcas não só conquistam a confiança dos consumidores, como também constroem bases sólidas para um futuro sustentável.

Propósito: a essência da marca

O propósito é a essência de uma marca, uma característica intrínseca que provém do seu cerne. É algo genuíno, que define a sua razão de ser e guia as suas ações. Começa nas pessoas, pois os negócios e as relações são, em última análise, de pessoa para pessoa.

O papel que cada marca desempenha no seu setor e na sociedade em geral é demasiado importante para ser negligenciado. As marcas são verdadeiras influenciadoras de comportamentos, catalisadoras de mudanças. Não podem esquecer a sua responsabilidade de contribuir positivamente para o mundo. Como Henry Ford disse sabiamente: “Um negócio que não produz nada além de dinheiro é um negócio pobre”. As marcas devem aspirar a mais do que lucros; devem procurar criar valor para os seus clientes e para a sociedade.

Na BDR, acreditam que todas as marcas merecem a oportunidade de comunicar. O seu propósito é fornecer soluções de comunicação sustentáveis que agreguem valor aos seus clientes e à sociedade.

Acreditam na acessibilidade, adaptando-se às necessidades de cada cliente para que possam transmitir o seu propósito de forma eficaz. Juntos, podemos ir mais longe, fortalecendo a comunicação e impulsionando o crescimento.

Bandeiras de excelência com propósito social

Além de fornecer bandeiras de excelência, a BDR destaca-se pelo seu envolvimento social, apoiando entidades como os Paramédicos de Catástrofe Internacional, Coração na Rua, Artistas Pintores com a Boca e o Pé e Quercus. Este apoio traduz-se em doações, descontos e parcerias que permitem a estas organizações prosseguirem a sua missão na comunidade. Como empresa genuinamente portuguesa, a BDR orgulha-se das suas origens e adere ao programa “Portugal Sou Eu”. Esta adesão reflete o seu compromisso em valorizar a produção nacional e sensibilizar os portugueses para a importância de consumir produtos locais. As bandeiras da BDR não se limitam a ser símbolos de patriotismo. São também veículos de mensagens sociais, promovendo valores como solidariedade, sustentabilidade e espírito comunitário.Atenta também às necessidades da sociedade e do ambiente, a BDR privilegia materiais certificados, leves

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 96
BRANDS POWER | BDR

e duráveis, reduzindo custos de transporte e emissões de CO2. Os seus produtos são reutilizáveis e recicláveis, contribuindo para uma economia circular. Para a BDR, o propósito humano prevalece sobre o propósito comercial. As relações interpessoais são a base da sua filosofia empresarial, acreditando que cada indivíduo pode contribuir para o bem-estar social. Durante a pandemia, a BDR reduziu os preços das suas bandeiras, não como estratégia comercial, mas como forma de auxiliar as empresas na manutenção da sua comunicação e na prossecução dos seus objetivos.

Vários estudos comprovam esta tendência, especialmente entre os públicos mais jovens. Os consumidores valorizam as empresas que se alinham com os seus valores e que utilizam a sua plataforma para promover mudanças positivas.

O preço continua a ser um fator importante na decisão de compra, mas já não é tão determinante como outrora. O lado emocional, humano e socialmente responsável tem assumido um peso cada vez maior.

Num setor onde a diferenciação é crucial, esta marca destaca-se pela sua capacidade de transmitir os seus valores e de se identificar com o seu público-alvo

Conexões genuínas

Com uma história de 17 anos marcada por valores inabaláveis, esta empresa não se limita a vender produtos ou serviços, mas sim a criar conexões genuínas com os seus clientes. A sua identidade é definida por um conjunto de princípios que orientam cada momento da sua existência: o sonho, a empatia, o apoio e o orgulho. Não é uma marca que segue tendências passageiras, mas sim uma entidade viva e pulsante, movida por afetos e relações.

A simplicidade e a autenticidade são os traços distintivos desta marca. Ela não se apresenta como uma entidade abstrata, mas sim como um parceiro próximo e acessível, sempre disposto a arregaçar as mangas e enfrentar os desafios lado a lado com os seus clientes.

A proximidade é um valor fundamental para esta empresa. Ela acredita que a reputação sólida é construída sobre um propósito sentido e enraizado. Num setor onde a diferenciação é crucial, esta marca destaca-se pela sua capacidade de transmitir os seus valores e de se identificar com o seu público-alvo. Há uma chama incansável dentro desta empresa, um desejo ardente de fazer melhor, ir mais longe e deixar uma marca indelével no mercado. A perfeição é um objetivo constante, e a surpresa e o deslumbramento são ferramentas poderosas para conquistar os corações dos seus clientes.

As marcas que assumem causas

Num mundo em constante evolução, o consumidor tornou-se cada vez mais exigente, informado e consciente das suas escolhas. Como resultado, as marcas que assumem causas e demonstram um cuidado genuíno com a sociedade estão a ganhar terreno no mercado.

As marcas que abraçam causas sociais não apenas conquistam a lealdade dos consumidores, mas também constroem uma reputação sólida e diferenciada. Elas demonstram que estão comprometidas com algo maior do que o lucro e que se preocupam verdadeiramente com o bem-estar da sociedade. É importante notar que o público atual é altamente perspicaz e capaz de distinguir facilmente entre ações genuínas e oportunistas. As marcas que assumem causas devem fazê-lo com autenticidade e transparência, evitando o “greenwashing” ou outras formas de exploração. Ao alinhar-se com causas sociais, as marcas não apenas atraem consumidores conscientes, mas também contribuem para um mundo melhor. Elas usam a sua influência para sensibilizar, angariar fundos e promover mudanças positivas.

Construir ou reforçar relações com propósito

Gerir marcas durante uma crise não é tarefa fácil. No entanto, as marcas que se colocaram ao lado de seus clientes, oferecendo apoio e compreensão, conquistaram não apenas credibilidade, mas também confiança e lealdade. Ao priorizar a construção de relacionamentos com um propósito claro, essas marcas criaram um vínculo mais profundo com seu público. Mais do que simplesmente vender, este período serviu como uma oportunidade para as marcas nutrirem e reforçarem as relações com seus clientes. Ao demonstrar empatia e apoio, elas criaram uma conexão emocional que será lembrada muito depois que a crise passar. O comportamento das marcas durante tempos de crise será lembrado pelos consumidores, tanto para o bem quanto para o mal. As relações estabelecidas durante esta fase crítica serão mais fortes e servirão como base para marcas resilientes e sustentáveis que superam desafios junto com seus clientes. Após a pandemia, as marcas precisarão de continuar a adaptar-se e a reinventar-se. A mudança nos comportamentos do consumidor e a aceleração da transformação digital exigem novas estratégias. É hora de abandonar as abordagens comerciais tradicionais e adotar estratégias de marketing que priorizem o diálogo e a construção de relacionamentos. As empresas têm a oportunidade de encontrar um equilíbrio entre seus objetivos de negócios e as necessidades sociais. Ao impactar positivamente seu público de forma autêntica e consistente, as marcas podem atrair e reter clientes fiéis.

bdr@bdr.pt www.bdr.pt

97 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL BDR | BRANDS POWER

SESIMBRA ACOLHE AS PRIMEIRAS ETAPAS NACIONAIS DO WCGC

No passado fim de semana, de 15 a 17 de Março, decorreu no campo de golfe da Quinta do Peru Golf & Country Club as primeiras três etapas do World Corporate Golf Challenge Portugal, cujo promotor é a Golf Concept. As competições contaram com a participação de golfistas oriundos das várias regiões do país, a representar 80 empresas nacionais, num total de 190 participantes, entre jogadores, parceiros e convidados.

terá a possibilidade de usufruir de uma experiência inigualável e competir pelo título de vencedor Mundial, na China, em Haikou de 27 de outubro a 1 de novembro. “Esta é a grande novidade do maior circuito de golfe corporativo mundial de empresas, é a de elevar a palavra global ao seu expoente máximo com a realização da Final Mundial na China. Nunca a palavra internacional ganhou tanta expressão e isso é uma vantagem para todas as empresas que participam no circuito”, reforça Ana Massapina, licenciada do WCGC Portugal. A 2ª etapa do World Corporate Golf Challenge Portugal by Turkish Airlines foi no dia 16 de março e contou a com a presença do Diretor da Turkish Airlines Portugal, Ahmet Sahiner que evidenciou “The partnership started eight years ago. So we have been continue to join this partnership to continue this pattern because we are so happy to be part of this challenge. And there is a connection between the corporate side and also the professional side in these tournaments that we appreciate a lot”

A escolha do primeiro destino do WCGC Portugal reflete a confiança e o investimento que a Camara Municipal de Sesimbra tem feito para o acolher. Juntos desde 2022, o WCGC cresce o número de etapas todos os anos pois “A importância é grande. Cada vez mais a Câmara Municipal de Sesimbra pretende apostar num produto Golf, que é um produto que se desenvolve numa época de sazonalidade e é um produto que nos assegura numa dimensão do turismo e num público que nós queremos atingir. Pretendemos chamar mais pessoas, quer turistas como, neste caso, empresários”, afirma a vereadora Dra. Maria Argentina Marques, da Câmara Municipal de Sesimbra.

As empresas classificadas nas etapas do WCGC irão disputar o título de campeão nacional no próximo dia 6 de julho, em Óbidos, no campo de golfe de Praia D’El Rey. A empresa detentora do título

A Turkish Airlines Portugal é a atual detentora do título de campeã mundial do World Corporate Golf Challenge, no ano em que este prestigiado evento comemorou 30 anos de existência. Esta parceria comprova que “as empresas que se associam ao evento podem contar com uma promoção e reconhecimento internacional. Características que traduzem um selo de qualidade e garantia de investimento”, afirma Estela Sargento, licenciada do WCGC Portugal.

As empresas apuradas em cada etapa são três, e na 1ª etapa pela classificação gross, uma equipa feminina, a representar a Targetting, Madalena Costa Macedo e Ana Basílio dos Santos totalizaram 53 pontos.

Na classificação Net a segunda classificada, com 67 pontos, foi a empresa Vista Alegre, o troféu oficial do World Corporate Golf Challenge, composta por Fernando Correia e Luís Martins, e a empresa vencedora foi a Moragri Sociedade Agrícola, com 70 pontos, representado por Miguel Portela Morais e Alexandre Castelo que afirma que “Participar no WCGC é aliar o prazer de jogar golfe a toda a envolvência que a organização nos proporciona. Bons momentos de golfe com grande espírito de equipa.”

Na segunda etapa a empresa vencedora na classificação Net foi

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 98
WORLD CORPORATE GOLF CHALLENGE PORTUGAL

a Padaria Trigo Bom, totalizou 63 pontos, representada por Vitor António e Miguel Heliodoro que enalteceu que “A estratégia é ao ataque e que a concentração tem de estar ao mais alto nível, porque o golf não é só um desporto físico, mas sim muita concentração”. Seguiu-se a empresa Maquinar Mais, com 60 pontos, que irá à final nacional com Luís Martins e João Carvalho. Na classificação Gross a AUDI apura-se com 51 pontos alcançados por Rui Pedro Brehm e Salvador Brehm.

No último dia de competição, em Sesimbra, o Avila Spaces conquista o primeiro Gross com Nuno Costa Alemão e Luís Filipe Pinheiro, com 53 pontos. Pela classificação net o segundo lugar é obtido por João Paulo Pingo e Luís Carvalho que, após terem participado em todas as etapas, à terceira conquistam o lugar da Clínica Dentária Almancil na Final Nacional, com 61 pontos. A Themudo Thelecom, habitual empresa nas finais nacionais, não foi excepção e conquistou o primeiro lugar net com 62 pontos. Lourenço Themudo e João Pedro Themudo pretendem “Competir com os melhores e ganhar para representar Portugal na final mundial”.

Um dos compromissos do WCGC Portugal é garantir uma comunicação eficaz a todas os seus parceiros. Desta forma, as activações dos diferentes parceiros não faltaram às primeiras etapas: com o saboroso café Nicola, as barras energéticas da Wissi, os cocktails da Per Se bem como a degustação dos sabores de Sesimbra promovida pela Escola Profissional Agostinho Roseta, em Sesimbra. Os almoços ficaram a cargo da Cigala, da Fundação Eugénio de Almeida, da Coral e Brisa Maracujá e da 2Nuts. Paralelamente, e com o compromisso da sustentabilidade, comum ao WCGC Portugal, a Água Monchique, assume o cargo de água oficial no circuito com atitude “green”, com o objectivo da preservação dos recursos do planeta através de pontos de água refill ao longo do campo, consciencializando também os jogadores para a importância desta temática.

Após apuradas as primeiras nove equipas, o World Corporate Golf Challenge irá à Ilha da Madeira apurar mais três equipas para a Final Nacional.

Fotos créditos: Rodrigo Gatinho

99 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL WORLD CORPORATE GOLF CHALLENGE PORTUGAL

EMPRESAS COM HISTÓRIA

As empresas com uma história rica muitas vezes são as que se destacam não apenas pela sua longevidade, mas também pelas suas contribuições significativas para a sociedade, inovação e desenvolvimento económico. Estas empresas têm uma jornada única que reflete não apenas os seus sucessos, mas também os desafios que enfrentaram ao longo do tempo.

Estas empresas moldaram não apenas os seus setores, mas também tiveram um impacto significativo na forma como vivemos, trabalhamos e comunicamos. As suas histórias são testemunhos do poder da inovação, visão empresarial e perseverança, e continuam a inspirar empreendedores e líderes de negócios em todo o mundo.

As empresas com história sobreviveram não apenas ao teste do tempo, mas também continuaram a evoluir e a adaptar-se às mudanças do mercado, tecnologia e sociedade. A sua história não apenas inspira, mas também oferece lições valiosas sobre resiliência, inovação e compromisso com a excelência. Ao olharmos para o futuro, é importante reconhecer e valorizar o legado destas empresas e as lições que oferecem para as gerações futuras.

Nas próximas páginas conheça os testemunhos inspiradores de empresas com história, que ao longo do seu percurso, também receberam distinções pelo seu mérito e ecelência.

UMA REFERÊNCIA NA REABILITAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EDIFÍCIOS

Joaquim Rosete, sócio-gerente da Rosete Engenharia e Construção, dá a conhecer o universo da empresa, destacando a sua trajetória de sucesso e os caminhos do futuro que passam por continuar a investir em inovação e sustentabilidade, explorando novas oportunidades de crescimento e colaborando com parceiros estratégicos para alcançar os seus objetivos.

Ao completar 25 anos de atividade, como é que descreve a trajetória da empresa desde a sua fundação até os dias atuais? Quais foram os principais desafios enfrentados e conquistas alcançadas ao longo deste percurso?

Desde a sua fundação, a empresa enfrentou obstáculos comuns do setor, como escassez de mão de obra especializada, flutuações no mercado imobiliário, mudanças nas regulamentações governamentais e concorrência acentuada. No entanto, conseguiu consolidar-se como uma referência na reabilitação e manutenção de edifícios, destacando-se pela qualidade dos seus serviços, compromisso com a segurança e valorização da mão de obra. As principais conquistas incluem a conclusão bem-sucedida de projetos significativos, a fidelização de clientes e a manutenção de uma equipe dedicada e qualificada. O valor dos funcionários é, sem dúvida, um ativo valioso para o crescimento e a prosperidade da empresa. Destacam-se a dedicação, qualificação e longa permanência dos colaboradores, com a maioria

tendo mais de vinte anos de experiência na empresa. Essa equipa capacitada contribui diretamente para a conclusão bem-sucedida de projetos importantes e a criação de um ambiente de trabalho positivo e produtivo onde a colaboração e o crescimento são incentivados.

Considerando a amplitude das áreas de atuação da empresa, desde a construção civil até ao arrendamento de bens imobiliários, como é que se têm adaptado às evoluções tecnológicas e às mudanças no mercado ao longo desses 25 anos? Quais foram os investimentos mais significativos em inovação e como isso tem impactado o desenvolvimento dos vossos projetos?

A empresa tem consciência da importância da inovação no aperfeiçoamento dos processos de construção, sendo crucial um maior investimento nesta área para a implementação de novas tecnologias e metodologias de trabalho que aumentem a eficiência e a qualidade dos projetos. A empresa tem apostado particularmente na reconstrução e revitalização de edifícios históricos, preservando a sua arquitetura original e seu valor histórico enquanto os atualiza para atender aos padrões modernos de conforto e funcionalidade.

A Rosete – Engenharia e Construção LDA está localizada em Vilamar, no distrito de Coimbra. De que forma a empresa tem contribuído para o desenvolvimento socioeconómico da região e para a melhoria da qualidade de vida dos seus habitantes?

Além de gerar empregos e oportunidades de negócios locais a empresa tem contribuído para a melhoria da qualidade de vida dos habitantes através das suas atividades de construção e reabilitação de edifícios. A empresa também apoia iniciativas sociais e comunitárias na região, promovendo o desenvolvimento sustentável e o bem-estar da comunidade local. A abertura de um novo espaço, em Coimbra, demonstra o seu compromisso com o crescimento e a expansão. Esta iniciativa não apenas amplia a presença da empresa numa localização estratégica, mas também fortalece os seus laços com a comunidade local e cria oportunidades de negócios, expandindo as suas operações para novas áreas geográficas.

Olhando para o futuro, quais são os planos e objetivos da empresa para os próximos anos? Há alguma área específica de crescimento ou inovação em que estejam a concentrar os vossos esforços para garantir o sucesso contínuo nos próximos anos?

Os planos e objetivos para os próximos anos incluem a expansão das suas operações, a diversificação dos seus serviços e o fortalecimento da sua posição no mercado. A empresa pretende continuar a investir em inovação e sustentabilidade, explorando novas oportunidades de crescimento e colaborando com parceiros estratégicos para alcançar os seus objetivos. Uma área específica de foco é a incorporação de tecnologias digitais avançadas para otimizar os seus processos de construção e oferecer soluções cada vez mais eficientes e personalizadas aos clientes.

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 102 EMPRESAS COM HISTÓRIA | ROSETE ENGENHARIA E CONSTRUÇÃO
geral@roseteconstrucoes.com
231 469 052 (chamada para rede fixa nacional) www.roseteconstrucoes.com •

20 ANOS DE QUALIDADE E COMPETITIVIDADE

O Prof. Fernando Ladeira, em entrevista, dá a conhecer um pouco do universo da Deltatau, destacando a inovação tecnológica, a evolução dos serviços, os fatores diferenciadores e as metas estabelecidas para o futuro.

Inovação tecnológica

Comparação dos resultados obtidos no DPSH (Dinamic Penetration Super Heavy ou Penetrómetro Dinâmico Super pesado) com os ensaios SPT realizados no mesmo local para que a correlação fosse mais estreita e nos desse garantia da utilização genérica do DPSH. Foram muitos anos de pesquisa para obter esta correlação mais fidedigna.

Evolução dos serviços

A utilização sistemática das Cartas Geológicas e a experiência geotécnica adquirida do Diretor Técnico da Deltatau, ao longo de 50 anos de atividade, na área de Geotecnia, dão-nos a garantia de que o conhecimento geotécnico permite-nos Relatórios Geotécnicos com soluções ajustadas a cada realidade do local em estudo;

Os projetos de estabilidade em taludes em solos e rochas têm-nos permitido ajustar soluções mais económicas para cada caso estudado. Exemplos:

Competitividade

• taludes no mercado Mosqueteiros em Alcobaça, taludes nos arenitos triásicos em Coimbra e outros taludes em várias estradas municipais. deltatau.lda@gmail.com

A competitividade da Deltatau tem-se mantido ao longo destes 20 anos pela qualidade nos serviços que prestamos, o seu tempo de realização e os custos associados. Esta competitividade tem sido possível pela experiência acumulada ao longo de muito anos na vida ativa ininterrupta em que as soluções a adotar são quase automaticamente elaboradas. O software produzido ao longo dos primeiros dez anos de atividade tem-nos ajudado a ser mais competitivos, principalmente na elaboração dos relatórios.

Futuro

A Deltatau, no futuro, tem as mesmas metas anteriormente estabelecidas: qualidade nos serviços geotécnicos a desenvolver, rapidez nas soluções a adotar e custos competitivos.

103 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
• www.deltatau.pt
DELTATAU | EMPRESAS COM HISTÓRIA
Prof. Fernando Ladeira

CONSTRUÇÃO DE QUALIDADE E TRANSFORMAÇÃO DE ESPAÇOS

Valciane Alves, gerente da Vaconstrumais, em entrevista à Revista Business Portugal, salienta que a empresa cria soluções à medida dos sonhos dos seus clientes, totalmente livre de preocupações e com garantia total de uma equipa de profissionais qualificados, tendo em atenção a escolha inteligente de materiais e soluções, de modo a permitir a entrega de espaços únicos, adequados ao gosto, personalidade e estilo de vida de cada cliente.

Considerando a experiência da Vaconstrumais em construção civil e remodelações, como é que conseguem manter uma alta qualidade nos serviços prestados, especialmente em projetos de grande escala, garantindo ao mesmo tempo a satisfação do cliente e o cumprimento dos prazos?

Nós sempre temos equipas qualificadas, assim como um cronograma para a realização do serviço que é rigorosamente seguido pela nossa empresa.

Com uma equipa altamente qualificada e certificada, como é que a Vaconstrumais enfrenta os desafios específicos de engenharia civil em projetos de construção e reconstrução? Têm estratégias específicas para lidar com questões técnicas complexas que possam surgir durante o processo?

Embora não possuamos uma estratégia predefinida, a partir da gestão das obras selecionadas, são realizados planos de resolução para contratempos previstos para cada execução. Ainda que tenhamos esta responsabilidade, procuramos sempre trazer a melhor resolução com máxima rapidez e assiduidade, sem que estes contratempos interfiram no cronograma inserido para a obra.

Sabemos que a satisfação do cliente é uma prioridade para a Vaconstrumais. Como é que garantem uma comunicação eficaz com os clientes durante todo o processo, desde o planeamento até à conclusão do projeto de remodelação, assegurando que as suas expectativas sejam atendidas e até superadas?

A empresa procura uma comunicação clara e direta com o cliente, de forma objetiva e honesta a cima de tudo, não se comprometendo com promessas que estamos conscientes de que não são possíveis de cumprir, dispensando incertezas e trabalhando apenas dentro do combinado com os clientes.

Com o crescimento continuo da empresa e a expansão das suas habilidades nestes últimos cinco anos, como é que pretendem manter a reputação de excelência nos próximos anos?

De forma a preservarmos a boa reputação da empresa, iremos manter o foco no setor estrutural, com o objetivo de haver ainda mais melhorias a nível de execução de tarefas e de qualificação de equipas, mantendo sempre os princípios impostos pela mesma, a fim de possuirmos a capacidade de lidar com desafios à altura que possam vir a surgir ao longo dos próximos anos.

vaconstrumais@gmail.com

www.vaconstrumais.com

REVISTA BUSINESS PORTUGAL // 104 EMPRESAS COM HISTÓRIA | VACONSTRUMAIS
Valciane Alves, Gerente com a esposa Claudelice da Costa Araújo

SANICUNHADOS DISTINGUIDA

PELO TERCEIRO ANO CONSECUTIVO

A Sanicunhados é uma empresa familiar, de fácil relacionamento, que sempre teve como objetivo proporcionar aos seus clientes uma experiência inovadora e única. A empresa surgiu em 2011, quando os cunhados João Gama e José Gomes, acreditaram que podiam criar uma empresa que permitisse que ambos trabalhassem nas áreas com que mais se identificam. João Gama, sócio-gerente da Sanicunhados, salienta a recente certificação como TOP 5 % PME Melhores de Portugal pelo, terceiro ano consecutivo, advogando ser fruto de muita dedicação, rigor, motivação, profissionalismo, humildade, e sobretudo, seriedade.

Contam com 12 anos de atividade, como é que descreve a trajetória da empresa? Quais foram os principais desafios que enfrentaram ao longo deste percurso?

Costumo dizer, como a construção de um edifício, começámos bem “pequeninos”, ao nível de uma cave. Iniciámos com uma viatura, passávamos pelos clientes para vender, e depois, pelos fornecedores, para comprar (éramos uma empresa de venda e compra), pois, o fundo de maneio não abundava. Assim, se passaram os primeiros tempos. Há oito anos, decidimos abrir um espaço onde o cliente-alvo era o público em geral. Atualmente, contamos com um stock permanente, capaz de satisfazer as necessidades dos nossos clientes. A afirmação no mercado e a estabilidade financeira, foram, sem dúvida, os maiores desafios.

Quais são os principais serviços e produtos que a Sanicunhados disponibiliza aos seus clientes?

A nossa empresa dedica-se ao comércio de artigos sanitários e canalização. Para além do público em geral, os nossos clientes são, na maioria, canalizadores e construtores.

Num mercado cada vez mais global, quais são os esforços que a Sanicunhados faz para se destacar? Quais os principais fatores que vos diferenciam?

Procuramos sempre a proximidade com o cliente. Tentamos perceber as suas necessidades e encontrar sempre a solução mais vantajosa. A relação preço/qualidade é uma constante no nosso dia a dia.

Sabemos que receberam o prémio TOP 5 % PME melhores de Portugal, o que é que essa distinção significa para a empresa e para a vossa equipa?

Sim, pelo terceiro ano consecutivo! É, sem dúvida, gratificante. É fruto de muita dedicação, rigor, motivação, profissionalismo, humildade, e sobretudo, seriedade. Esta distinção, para além de reforçar todo o nosso empenho, também nos motiva a continuar.

Com os olhos postos no futuro, quais os objetivos e planos da Sanicunhados?

No futuro, pretendemos continuar com o crescimento sustentado, fortalecer as nossas parcerias, e assim, continuar a nossa história.

105 // REVISTA BUSINESS PORTUGAL
223 240 522 (chamada para rede fixa nacional)
sanicunhados@gmail.com
SANICUNHADOS | EMPRESAS COM HISTÓRIA
Carlos Gomes, José Gomes, Carla Gomes e João Gama (Sócio-Gerente)

Breves

31 startups portuguesas no Web Summit Rio

O Web Summit Rio teve lugar no Rio de Janeiro durante os dias 15 a 18 de abril. Portugal foi representado por uma comitiva de 31 startups, apoiadas pela Startup Portugal e a Câmara de Lisboa. Entre as startups, 12 participaram na conferência da iniciativa Business Abroid e levaram soluções de software, metaverso, inteligência artificial e blockchain

Entre as startups da iniciativa Business Abroid encontram-se a Ambi-careers, uma startup que simplifica os processos de recrutamento, curando os talentos do mercado.

Financiamento de milhões chega a três projetos liderados por portugueses

O Conselho Europeu de Investigação vai financiar mais três projetos de investigação científica liderados por portugueses. O projeto INELASTIC - “Linking the scales towards non-conventional polymer composite structures”, liderado por Pedro Camanho, obteve um financiamento por parte do ERC no valor de 3,5 milhões de euros. Destacam-se outros dois projetos, um liderado por Nuno Maulide, o C-HANCE - “CarbonHydrogen bond activation via a new charge control approach” e GLYCANREAD - “New frontiers in glycan recognition and detection”, liderado por Paula Mendes.

Lisboa recebe evento mundial de engenharia e programação

Depois de Sidney, a International Conference on Software Engineering escolheu o CCB para receber a 46ª edição. Ética, confiabilidade nos sistemas de Inteligência Artificial, inclusão, vieses no software, eficiência energética ou algoritmos aplicados à engenharia de software serão alguns dos temas que estarão em debate nesta conferência internacional. Haverá ainda espaço para workshops, tutoriais, sessões técnicas e painéis de discussão noutros formatos.

BYD destaca-se em Portugal

A BYD é uma das marcas de carros elétricos que melhor desempenho tem no nosso país. As suas propostas agradam aos consumidores e têm cativado cada vez mais condutores que optam assim pela sua gama. Esta marca veio agora revelar mais sobre o seu último ano e mostrar que superou as mil unidades de carros elétricos vendidos em menos de um ano, em Portugal. Um feito notável para a BYD que ainda não completou um ano de presença no mercado nacional.

Ferramenta IA aumenta a eficácia das estratégias de marketing

Acaba de chegar ao mercado, o AI Media Activation, um conjunto de ferramentas tecnológicas Martech e AdTech potenciado com inteligência artificial, que promete melhorar as estratégias de marketing e a compra publicitária para que sejam mais eficazes. Esta aposta optimiza a planificação, a ativação e a análise das campanhas de marca, bem como a geração e a conversão de leads. Além disso, tem a capacidade de se adaptar às diferentes necessidades, tecnologias e funcionalidades de cada cliente. O AI Media Activation aborda aspectos como a utilização de First Party Data, a escalabilidade, a transição para um ambiente cookieless ou a omnicanalidade.

Lisnave aposta em projetos sustentáveis para crescer

O grupo de reparação naval Lisnave, que atingiu “resultados históricos” em 2023, prepara-se agora para investir em projetos da economia do mar, circular e verde para crescer, mas está dependente da continuidade da concessão. “O grupo tem previsto um plano de expansão muito grande. Tirando partido da nossa posição privilegiada aqui no estuário do Sado, podemos construir equipamentos para energias renováveis offshore e fazer reciclagem responsável de navios, além da nossa atividade de construção naval”, avançou o presidente executivo da Lisnave, Nuno Santos.

www.crncontabilidade.pt

Serviços - Contabilidade, Processamento Salarial e Fiscalidade

Lezíria Park Edif. 1, Esc. 7 2625-441, Forte da Casa 215 986 428

crn@crncontabilidade.pt

Montijo Rua Frei Luís de Sousa, nº 201 2870-303, Montijo

montijo@crncontabilidade.pt

Estrada Paço de Arcos 66, 66A Esc.136 2735-308, Agualva-Cacém cacem@crncontabilidade.pt

WITH QUALITY.
BUSINESS ADVICE
Issuu converts static files into: digital portfolios, online yearbooks, online catalogs, digital photo albums and more. Sign up and create your flipbook.