Page 1

IN

E M O N DIAL

-

PA TR

L

H

E

Nº 22

- W ORL D

Ano 22

Outubro 2017

ISSN 1809-466X

Edição Especial

R$ 15,00

O IM - PA T R

GE TA RI

A

DI IO M U N

ÔN IM

Círios de Nazaré

www.cirios.com.br

R$ 15,00


40 Revista Círios de Nazaré | 2017

Job: 48634-007 -- Empresa: Publicis -- Arquivo: 48634-007-AFL-41x27-An.CirioNazare-Revista_pag001.pdf


41 Revista Círios de Nazaré | 2015


Sempre presente na vida de milhões de brasileiros, a Eletronorte compartilha a emoção do Círio de Nazaré.

v02_ELETRONORTE_ANUNCIO_CIRIODENAZARE_41X27cm.indd 1


9/29/17 17:28


Sumário

EDIÇÃO 2017 PUBLICAÇÃO Editora Círios SS LTDA ISSN 1677-7158 CNPJ 03.890.275/0001-36 Rua Timbiras, 1572-A Fone: (91) 3083-0973 / 3223-0799 Cel: (91) 99985-7000 www.cirios.com.br E-mail: cirios@cirios.com.br CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil DIRETOR, PRODUTOR E EDITOR Ronaldo Gilberto Hühn COMERCIAL Alberto Rocha e Rodrigo B. Hühn DISTRIBUIÇÃO E VENDAS Rodrigo B. Hühn REDAÇÃO Águida Cunha, Ascom CMB, Constante de Oliveira Junior, Divulgação, Felipe Azeredo, Helena Oliveira, Márcia Fonseca, Ronaldo Hühn, Szarro/CNSN FOTOGRAFIAS Manoel Campos da Costa Neto (179); Davi Dias Sousa Junior (1219), Igor Mota Magno (2206), Joanaldo Silva (1501)Adriano Ferreira da Silva (109), Manoel Campos da Costa Neto (0178); Dannyson Raphael Martins (2313); Igor Mota Magno (2201), Markhus Lopes (2103); Davi Dias Sousa Junior (1224); Maria do Socorro Chuva Simonetti (0159); Paula Adriane da Silva Costa (040); Igor Mota Magno (2210); Davi Dias Sousa Junior (1234); Manoel Campos da Costa Neto (0213), Dannyson Raphael Martins (2302); Dannyson Raphael Martins (2307); Juliana Valois do Nascimento (0145); Davi Dias Sousa Junior (1235); Adriano Ferreira da Silva (0110); Ivanildo Santana Monteiro (086); Davi Dias Sousa Junior (1202); Davi Dias Sousa Junior (1208); Igor Mota Magno (2205); Waldinei Romano Cavalcante de Sousa (001); Joanaldo Silva (1502); Larissa Yasmin Luz e Silva (Lara Silva) (2148); Davi Dias Sousa Junior (1222); Alex Maciel ; Nogueira Ribeiro (0123); Juliana Valois do Nascimento (0146); Manoel Campos da Costa Neto (0215); Alex Maciel Nogueira Ribeiro (0121); Markhus Lopes (2100); Manoel Campos da Costa Neto (0211); Manoel Campos da Costa Neto (0212); Igor Mota Magno (2208); Davi Dias Sousa Junior (1217) e Maria do Socorro Chuva Simonetti (0161), Aline Andrade/Ascom Basílica, Agência Belém, Alison Teixeira Borges, Anderson Silva/Ascom Susipe, Ascom Basílica Santuário de Nazaré, Ascom CMB, Cláudio Santos, Cristino Martins, Mácio Ferreira, Márcio Magano, Sidney Oliveira, Thiago Gomes/Ag.Pará, Andreia Teixeira e Fabrício Coleny - ASCOM Basílica Santuário de Nazaré, César Dominici, Constante de Oliveira Junior, , Daniel Nardin Divulgação ,Dantas, Davi Dias Souza Junior, Devotos de la Virgen de la Sierra, Felipe Azeredo, Flavio Delazari, Honório Yokota, Igor Mota Magno, Jesús Ruiz Jiménez “Gitanito”, Josias Carvalho, Laura Miglioli, Luan Figueiredo, Fabiana Figueiredo, Gerge Duarte, Glauce Aquino, Igor Mota, Jefferson Souza Márcia Fonseca, Joaquim de Freitas, Markhus Lopes, Wander Everton Cassiano, Hidair Eve, Juliana Valois do Nascimento, Lenilson Azevedo, Maria Carolina, Maria do Socorro Chuva Simonetti, Raminho Santos, Secom/Ag. Pará, Soraya Montanheiro, Szarro/CNSN PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Editora Círios SS LTDA DESKTOP Rodolph Pyle

NOSSA CAPA

Reprodução da capa original da Programação da Festividade de 1917, elaborada e impressa pela Lithographia e Typographia LOHSE, à Travessa Campos Salles Nº19, com nosso acréscimo de borda ilustrativa à época (I Século atrás)

07 Mensagem de Sua Santidade o Papa Francisco 08 Programação do 225º Círio 09 Mensagem do Arcebispo de Belém / Mensagem do Governador

10 Procissões do Círio 12 Círio de Nazaré 31 Trasladação 34 Traslado para Ananindeua 35 Romaria Rodoviária 36 Romaria Fluvial 38 Círio das Crianças 39 Recírio 40 15° Concurso Imagens de Círios 46 Círio no Rio de Janeiro - RJ 52 Círio em Saquarema-RJ 53 Círio em Sumaré-SP 54 Círio no Jardim Arpoador-SP 55 Círio em Vila Carioca-SP 56 Círio em Nazaré Paulista-SP 57 Círio de Santos-SP 58 Círio em Brasília-DF 59 Círio de Morro Vermelho-MG 60 Círio de Natal-RN 61 Círio de Ouro Branco-RN 62 Círio de Recife-PE 63 Círio de Fortaleza-CE 64 Círio de Capistrano-CE 65 Círio no São Luis-MA 66 Círio em Macapá-AP 67 Círio em Manaus-AM 68 Círio em Porto Velho-RO 69 Círio em Rio Branco-AC 70 Círio em Cayenne - França 71 Círio em Cabra - Espanha 72 Festas em Honra de N.S. Nazaré


S

MENSAGEM DE SUA SANTIDADE O PAPA FRANCISCO

AÚDO COM AFETO OS FIÉIS, BENFEITORES, AUTORIDADES CIVIS E ECLESIÁSTICAS QUE NO MÊS DE OUTUBRO, VINDOS DE TODOS OS CANTOS DO BRASIL, SE REÚNEM EM BELÉM DO PARÁ PARA AS FESTIVIDADES DO CÍRIO DE NAZARÉ. ELEVO PRECES À MÃE DO CÉU PEDINDO QUE ELA INTERCEDA POR TODOS, PARA QUE SEJAM SUSTENTADOS PELA MISERICÓRDIA DE DEUS, A FIM DE SUPORTAR OS SOFRIMENTOS E AS FADIGAS DA VIDA A EXEMPLO DE MARIA QUE, AO PE DA CRUZ, “É TESTEMUNHA DAS PALAVRAS DE PERDÃO QUE SAEM DOS LÁBIOS DE JESUS. O PERDÃO SUPREMO OFERECIDO A QUEM O CRUCIFICOU. MOSTRA-NOS ATÉ ONDE PODE CHEGAR A MISERICÓRDIA DE DEUS. MARIA ATESTA QUE A MISERICÓRDIA DO FILHO DE DEUS NÃO CONHECE LIMITES E ALCANÇA A TODOS, SEM EXCLUIR NINGUÉM”. POR ISSO, EXORTO CADA UM A DIRIGIR A NOSSA SENHORA “A ORAÇÃO, ANTIGA E SEMPRE NOVA, DA SALVE RAINHA, PEDINDO-LHE QUE NUNCA SE CANSE DE VOLVER PARA NÓS OS SEUS OLHOS MISERICORDIOSOS E NOS FAÇA DIGNOS DE CONTEMPLAR O ROSTO DA MISERICÓRDIA, SEU FILHO JESUS” (BULA MISERICORDIAE VULTUS, 24). PEÇO QUE CONTINUEM A REZAR POR MIM, ENQUANTO, IMPLORO ABUNDANTES GRAÇAS CELESTIAIS SOBRE TODOS A FIM DE QUE CAMINHEM SEMPRE SOB A PROTEÇÃO DE NOSSA SENHORA DE NAZARÉ, COMO MISERICORDIOSOS FILHOS E FILHAS DO PAI DO CÉU. CONFIRMANDO ESTES VOTOS E PRECES, DE BOM GRADO CONCEDO-LHES UMA PROPICIADORA BÊNÇÃO APOSTÓLICA.

Franciscus PP.

* Recordando as palavras do Santo Padre


PROGRAMAÇÃO DO

225º CÍRIO OUTUBRO 2017

DIA

HORA

EVENTO

LOCAL

01

10h

Manhã dos Eleitos

Casa de Plácido

03

19h

Abertura Oficial do Círio 2017

Casa de Plácido

04

08h

Abertura da Vigília de Adoração/Oração

Capela Bom Pastor

04

22h

Transportes dos Carros para a CDP

Praça Santuário / CDP

05

18h

Missa de Apresentação do Manto

Basílica Santuário

06

06h30

Encerramento da Vigília de Adoração / Oração

Capela Bom Pastor

06

07h

Missa do Traslado

Basílica Santuário

06

08h

Traslado para Ananindeua/Marituba

Basílica Santuário

07

05h30

07

09h

Romaria Rodoviária

Ananindeua

Romaria Fluvial

Trapiche de Icoaraci

07

11h30

Motorromaria

Pça. Pedro Teixeira

07

12h30

Descida da Imagem

Basílica Santuário

07

16h30

Missa da Trasladação

Colégio Gentil

Trasladação

Colégio Gentil

Missa do Círio

Catedral

07

17h30

08

5h

08

5h30

Círio

Catedral

08 a 22

20h30

Programação Cultural / Círio Musical

Concha Acústica

09 a 13 16 a 20

5h30

Terço da Alvorada

Basílica Santuário

14

8h

Ciclorromaria

Pça. Santuário

14

16h

Romaria da Juventude

Paróquia de Fátima / Basílica

15

7h

Missa Romaria das Crianças

Pça. Santuário

15

8h

Romaria das Crianças

Pca. Santuário

18

19h

Entrega dos Certificados aos Apoiadores e Colaboradores do Círio 2017

A definir

21

5h30

Romaria dos Corredores

Pça. Santuário

22

7h

Missa Procissão da Festa

Com. Sagrada Família

22

8h

Procissão da Festa

Com. Sagrada Família

22

18h

Missa de Encerramento do Círio

Basílica Santuário

22

21h

Encerramento do Círio 2017

Casa de Plácido

22

22h

Espetáculo de Encerramento

Pça. Santuário

23

5h30

Subida da Imagem

Basílica Santuário

23

6h

Missa do Recírio

Pça. Santuário

23

7h

Recírio

Pça. Santuário

23

9h

Coletiva Imprensa

Cúria Metropolitana

08 Revista Círios de Nazaré | 2017

Programação litúrgica da quinzena De Segunda a Sábado

5h15 - Terço da Alvorada 5h45 - Missa e Consagração 7h - Missa e Consagração – Tv Nazaré 9h - Romaria com Missa 12h - Missa e Consagração 15h - Adoração – Terço da Misericórdia – Novena 17h - Santo Terço 18h Missa com pregação – Tv Nazaré 20h - Oração do Terço dos Homens

Missas aos Domingos

Manhã: 6h30-7h (Praça)8h-10h Tarde: 12h-16h30-18h Noite: 20h

Confissões – Diariamente 8h às 12h e 14h às 20h

Programação do Círio Musical Concha Acústica da Praça Santuário Às 20 :00 hs 08/10 – Eliana Ribeiro 09/10 – Anjos de Resgate 10/10 – Davidson Silva 11/10 – Adriana Arydes 12/10 – Gil Monteiro 13/10 – Tony Alysson 14/10 – Banda Dom 15/10 – Dalvimar Gallo 16/10 – Pe. Ezequiel 17/10 – Cristo Alegria 18/10 – Pe. Sidney 19/10 – Rosa de Saron 20/10 – Adoração e vida 21/10 – Missionário Shalom 22/10 – Canto das Irias


Mensagem do Arcebispo

O

Círio de Nazaré reúne milhões de pessoas no mês de outubro, revelando cada vez mais as raízes cristãs e de Devoção Mariana de nosso povo. Mesmo em tempos difíceis e exigentes, desejo que mais esta edição da Revista “Círios” ponha em relevo o que temos de melhor. É bom divulgar o bem! Trata-se de uma fonte de esperança para todos os povos, e nós sabemos fazer isso, pelos dons que Deus concedeu a nosso bom povo. Que Deus abençoe a todos os que contribuem para que esta edição seja um grande serviço à sociedade. E a Arquidiocese de Belém participa com alegria do esforço conjunto que envolve toda a nossa população. Feliz e verdadeiro Círio de Nazaré Belém, Círio de 2017.

Dom Alberto Taveira Corrêa Arcebispo de Belém do Pará

Mensagem do Governador O Círio é sempre momento especial de reflexão. Reencontrar amigos, familiares, costumes e tradições, nos leva a pensar sobre nossas ações e reações, sobre passado e futuro, enfim sobre a vida. E nesses tempos difíceis pelo qual passa o nosso País, e tempos estranhos que vive a sociedade global, nunca foi tão importante não só pensar, mas defender a vida. Defender a vida em toda sua plenitude e não apenas no seu significado de oposição à morte Defender a vida na sua integralidade. Aprendizado e construção permanente de significados como esperança, dignidade, solidariedade, bem-estar, felicidade, amor e que devem emoldurar o nosso cotidiano e dar sentido à existência. Defender a vida em todas as suas formas uma vez que, como disse o Papa Francisco em uma de suas pregações: “Tudo está relacionado e todos nós, seres humanos, caminhamos juntos como irmãos e irmãs numa peregrinação maravilhosa, entrelaçados pelo amor que Deus tem a cada uma das suas criaturas e que nos une também, com terna afeição, ao irmão sol, à irmã lua, ao irmão rio e à mãe terra” (LS 92). Que o tema das peregrinações deste ano: “Maria, Estrela da Evangelização”, ao nos trazer seus ensinamentos, nos incentive a pratica-los permanentemente e em tudo. Inclusive em pequenos atos e gestos do nosso dia a dia, como afirmação do amor a Deus e ao próximo. Que o Círio renove nossa fé e esperança e seja expressão viva da peregrinação na direção de um mundo melhor. Melhor porque formado por mulheres e homens melhores, que se respeitam e respeitam as diferenças e os diferentes. Que se compreendam como todo e único enquanto indivíduo, mas parte e igual enquanto coletivo.

Feliz Círio de 2017 9

Simão Jatene

Governador do Estado do Pará


Procissões do 225º Círio

T

Fotos: Antônio Silva Ag. Pará

raslado para Ananindeua. A primeira procissão do Círio 2017 acontece na sexta-feira (6). O Traslado para Ananindeua sai às 8h da manhã da Basílica Santuário, percorrendo as pelas cidades de Marituba e Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém. A procissão é realizada desde 1992, e termina na Igreja Matriz de Ananindeua. 2-Romaria Rodoviária. A Romaria Rodoviária , realizada desde 1989, leva a imagem pela rodovia BR-316 até o trapiche de Icoaraci, de onde sai o Círio Fluvial. 3- Círio Fluvial. O Círio Fluvial começa 9h de sábado, saindo do trapiche do distrito de Icoaraci. A imagem em uma corveta da marinha segue pela baía do Guajará até chegar na escadinha do cais do porto, em Belém. 4- Moto Romaria. Após a chegada da romaria fluvial começa a homenagem dos motociclistas, que acompanham o traslado da imagem do cais até o colégio Gentil Bittencourt, onde a imagem peregrina fica até o momento da trasladação. 5- Trasladação. A Trasladação sai do colégio Gentil até a Igreja da Sé. 6- Círio de Nazaré A grande procissão, realizada no segundo domingo de outubro, começa após a missa na Sé. A imagem segue acompanhada por aproximadamente 2 milhões de devotos pelas ruas de Belém até a Praça Santuário - um percurso de 3,6 km. Após a chegada da procissão, a imagem fica exposta no altar central da praça pelos próximos 15 dias. 7- Ciclo Romaria. A homenagem dos ciclistas é realizada na manhã do sábado seguinte ao Círio de Nazaré, saindo da Praça Santuário e termina no ponto de partida. 8- Romaria da Juventude. É a segunda procissão do sábado que sucede o Círio.

DIA

PROCISSÃO

Realizada durante a tarde, a procissão sai da paróquia de São Raimundo e segue até a Praça Santuário. 9- Romaria das Crianças. A procissão é realizada no domingo seguinte ao Círio, saindo e chegando na Praça Santuário. 10- Romaria dos Corredores. Instituida em 2014, a romaria dos Corredores é a mais nova das 12 procissões oficiais do Círio. De acordo com a diretoria da festa, a ideia desta procissão surgiu de um grupo de corredores de rua devotos de Nossa Senhora, como forma de homenagem à Padroeira. 11- Procissão da festa. No segundo domingo após o Círio, a procissão é a terceira romaria mais antiga da festividade de Nazaré, sendo realizada desde 1881. O cortejo sai da comunidade de Nossa Senhora das Graças até a Praça Santuário. 12- Recírio. Realizado 15 dias após o Círio, o Recírio é a última romaria da quinzena Nazarena, e marca o encerramento da festividade. A procissão faz o contorno na Praça Santuário, segue pelas avenidas Generalíssimo Deodoro, Nazaré e Magalhães Barata, até chegar ao Colégio Gentil.

HORA

SAÍDA

06/10

Traslado Ananindeua/Marituba

08:00

Basílica Santuário

07/10

Romaria Rodoviária

05:30

Ananindeua

07/10

Romaria Fluvial

09:00

Trapiche de Icoaraci

07/10

Motorromaria

11:30

Pça. Pedro Teixeira

07/10

Trasladação

17:30

Colégio Gentil

08/10

Círio

05:30

Catedral da Sé

14/10

Ciclorromaria

08:00

Pça. Santuário

14/10

Romaria da Juventude

16:00

Paróquia de São Raimundo

15/10

Romaria das Crianças

08:00

Pça. Santuário

21/10

Romaria dos Corredores

05:30

22/10

Procissão da Festa

08:00

Comunidade de Nossa Senhora das Graças

23/10

Recírio

07:00

Pça. Santuário

10 Revista Círios de Nazaré | 2017


Reze uma prece Acenda a vela Que o dia dela já vai chegar

Prepare a mesa Vista seu anjo Pague a promessa Vai começar

Olhe pro alto Peça uma graça Mas agradeça O que conquistar

Oh, Nazaré, mãe de todos nós Ouça a nossa voz O nosso cantar

Nas tuas mãos O amor que faz O mundo melhor Um mundo de paz

Círio de Nazaré. Por um mundo de paz.

11


C í ri

@formosaoficial

o - Belém

Círio de Nazaré, em Belém @formosaoficial

Círio de Nossa Senhora de Nazaré Fotos: Anderson Silva/Ascom Susipe, Cristino Martins, Mácio Ferreira, Márcio Magano, Sidney Oliveira, Thiago Gomes/Ag.Pará, Andreia Teixeira e Fabrício Coleny - ASCOM Basílica Santuário de Nazaré, Davi Dias Souza Junior, Igor Mota Magno, Markhus Lopes, Wander Nunes, Rodrigo B. Huhn

A

Esperando começar a missa do Círio

pós horas de vigília de fiéis na praça Frei Caetano Brandão e nos demais arredores da Sé, ainda de madrugada e após os sinos da Sé, dobrarem por alguns minutos, às 05 horas, Dom Alberto Taveira, arcebispo metropolitano de Belém, iniciou a tradicional missa do Círio, em frente à Catedral de Belém, repleta de fiéis e devotos, pelas calçadas e gramados.

Na homilia, Dom Alberto, destacou o Círio como o da misericórdia, em razão do Jubileu da Misericórdia, celebrado pela Igreja Católica. “Criou-se uma onda de perdão e misericórdia no mundo. É o Círio da misericórdia, quando Deus nos dá uma nova condição para nos aproximarmos dele, para pedirmos perdão”, afirmou. “O Círio é um milagre porque Deus deu as forças para todos estarmos aqui”, acrescentou. Durante a missa

12 Revista Círios de Nazaré | 2017


O arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, celebrou a missa em frente à Catedral de Belém

Roberto Mauro, o Coordenador do Círio entrega ao Arcebispo a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, para início efetivo do Círio

O governador Simão Jatene e a primeira dama Ana Jatene, assistiram a missa campal, celebrada em frente à Catedral de Belém

Logo após a saída da Catedral

Na praça do Relógio, frente ao ancoaradouro de barcos do Ver-o-peso, aguardando a procissão

13 Revista Círios de Nazaré | 2017


Ainda antes do atrelamento da corda à Berlinda O núcleo da berlinda

14 Revista Círios de Nazaré | 2017


FIQUE POR DENTRO facebook.com/ImagensdeCirios

16º CONCURSO FOTOGRÁFICO

ar Lug 5º

ano dri -A

Lu ga r-

ilva aS F. d

Igo rM ot aM ag no

ar Lug 4º

a Silv do nal a o -J

r ga Lu

rga Lu

vi Da

r nio Ju sa ou S as Di

to Ne ta os C da os mp Ca el o an -M

É fácil e gratuito participar do Concurso Imagens de Círios. Para concorrer, as fotos, deverão ser de 2017 e conter a temática referente ao “Círio de Nazaré – Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade”, valendo os mais diversos ângulos de Fé, Devoção, Tradição, Ecumenismo, Artesanato, Folclore Popular.

PREMIAÇÃO CÂMERA 360º HD PARA AS 5 FOTOS VENCEDORAS INSCRIÇÕES E REGULAMENTO NO PORTAL

WWW.PARAMAIS.COM.BR Ou na Rua Timbiras, 1572 (entre Pe. Eutíquio e Apinagés) Batista Campos. Belém-PA Fones: (91) 3223.0799 / 3083.0973

Realização:

Parceiros: 15

Editora Círios

Revista Círios de Nazaré | 2017


A procissão do Círio, no Boulevard Castilho França O mar de gente em torno da berlinda com a imagem da padroeira do povo paraense e Rainha da Amazônia: Nossa Senhora de Nazaré

A berlinda passando frente à Estação das Docas

O Papa Francisco também enviou mensagem aos paraenses saudando os fiéis pelo Círio e pedindo “graças do Altíssimo por intercessão de Nossa Senhora de Nazaré”. Ao final, o pontífice pediu que orassem por ele. A procissão do 224º Círio de Nazaré, iniciou após Roberto Souza, coordenador do Círio, ter colocado a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, em sua berlinda, com bela decoração de Paulo Morelli, que usou flores brancas e amarelas. Eram cerca de 06h30, e a partir daí um mar de gente em torno da berlinda acompanhou a imagem da padroeira do povo paraense e Rainha da Amazônia: Nossa Senhora de Nazaré. Em seguida, a procissão contornou a praça do Relógio, a avenida Portugal e o Mercado do Ver-o-Peso, quando a imagem de Nossa Senhora recebeu a homenagem dos Peixeiros, Geleiros e Feirantes do mercado do Ver-o-Peso com queima de fogos de cerca de 12 minutos.

Estima-se que cerca de 8 mil pessoas carregaram a corda durante a procissão

Simão e Ana Jatene também participaram da procissão do Círio de Nazaré

Fafá de Belém e o padre Fábio de Melo homenageiam Nossa Senhora

16 Revista Círios de Nazaré | 2017


caixa.gov.br

Um banco onde você estiver e quando quiser? PARA O QUE VOCÊ PRECISAR, A CAIXA TEM.

Na internet, nas agências ou lotéricas, tem sempre uma CAIXA perto de você. Tem praticidade? Tem agilidade? Tem. Abra a sua conta.

SAC CAIXA: 0800 726 0101 (informações, reclamações, sugestões e elogios) Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala: 0800 726 2492 Ouvidoria: 0800 725 7474 facebook.com/caixa twitter.com/caixa

17 Revista Círios de Nazaré | 2017


A cantora Fafá de Belém, no Varanda de Nazaré

No trajeto – frente da Catedral até próximo à esquina da Campos Sales, no Boulevard Castilho França, a berlinda percorreu esse trecho da procissão sem a corda. O atrelamento da berlinda à corda só ocorreu a partir deste momento, quando se formou o núcleo da corda. O bom atrelamento da corda do Círio à Berlinda é fundamental para o sucesso e bom andamento da procissão. O governador Simão Jatene e a primeira dama, Ana, assistiram à missa campal, celebrada em frente à Catedral de Belém, na praça Frei Caetano Brandão. Após a missa, Simão e Ana Jatene seguiram no percurso da berlinda, acompanhando a procissão junto com os romeiros. Cerca de 8 mil pessoas carregaram a corda do Círio, com 400 metros e 600 quilos, durante a procissão. Frente a antiga sede da Folha do Norte, foi a vez da homenagem dos estivadores com sua tradicional e estridente queima de fogos.

Paralelo à Baia do Guajará o mar de fiéis devotos da Senhora de Nazaré

Em frente a Sede dos estivadores e sua homenagem estridente

18 Revista Círios de Nazaré | 2017


19

Ilustração: Alexandre Mattos

Revista Círios de Nazaré | 2017

muita esperança e bons sentimentos às famílias paraenses.

mas principalmente do que é invisível. Desejamos um Círio de

Mãos, pés, almas e corações. O Círio é feito do que a gente vê,

MAS PRINCIPALMENTE DO QUE VÊ COM O CORAÇÃO.

O CÍRIO É FEITO DO QUE A GENTE ENXERGA COM OS OLHOS,

DC3


20 Revista Círios de Nazaré | 2017


21 Revista Círios de Nazaré | 2017


Subindo a Presidente Vargas

22 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2017


A tradicional homenagem do Banco do Brasil

23 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2017


Enquanto isso, frente à Estação das Docas, o Varanda de Nazaré, repleto de artistas convidados de Fafá de Belém, assistiam a passagem da procissão e ouviam interpretações do padre Fábio de Melo, de Fafá de Belém e convidados. Também, e ao som de “Ave Maria” o Coral Timbres, formado por detentos do Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC) e do Centro de Recuperação Feminino (CRF), ao lado da cantora Fafá de Belém, emocionava os presentes. Eram 09 horas quando a berlinda iniciou a subida da avenida Presidente Vargas, um dos momentos críticos da procissão, que decorreu sem algum problema. Já na Avenida Presidente Vargas, a imagem peregrina recebeu várias homenagens tradicionais. No Banco do Brasil, a padroeira foi saudada com uma chuva de papel picado e serpentinas, enquanto isso, o cantor católico Daividson Silva entoava cânticos marianos para louvando Nossa Senhora de Nazaré. Logo após, agora do outro lado da Avenida, no Banco do Estado do Pará (Banpará), um show com músicas marianas animava a procissão. Pelas ruas da cidade um mar de mais de dois milhões de pessoas agradecia a Virgem Padroeira dos paraenses. Devotos portando objetos de cera de todos formatos, promesseiros de joelhos, carregando sob as cabeças miniaturas de casas; crianças vestidas de anjos, todos, repletos de emoção, demostravam sua fé e pagavam suas promessas.

Nutrindo Nossa Fé 24 Revista Círios de Nazaré | 2017


25 Revista Círios de Nazaré | 2017


Ainda sob copas das mangueiras da Praça da República, frente à arquibancada cheia de fieis e a tradicional homenagem dos devotos no Manoel Pinto da Silva

da, infelizmente foi cortado. Frente à TV Liberal e foi saudada por uma queima de fogos. A voz das cantoras paraense Florezano e Liah Soares ecoava pela avenida pedindo que os fiéis saudassem a Virgem. Em seguida, a Berlinda voltou ao ritmo acelerado de antes e logo alcançou a travessa Quintino Bocaiúva. Os últimos quarteirões antes da Praça Santuário foram cumpridos rapidamente e por volta das 11h30, a berlinda com a Imagem Peregrina chegou à praça Santuário de Nazaré. A berlinda com a Imagem da Virgem tinha percorrido cerca de 3,6 quilômetros de distância.

Na arquibancada da esquina da avenida Presidente Vargas com a rua Riachuelo, Praça da República, nas proximidades do Teatro Experimental Waldemar Henrique, o Coral da Fundação Cultural do Pará brindava os passantes com belos cânticos marianos. Em seguida, a tradicional homenagem do Banco da Amazônia, quando a padroeira foi saudada por uma chuva de pétalas de rosas ao som de “Senhora da Berlinda”, cantada pelo seu próprio autor, o Pe. Antônio Maria. Ao final das Arquibancadas da Presidente Vargas, já na altura da avenida Nazaré, o chamado núcleo da cabeça da cor26

Revista Círios de Nazaré | 2017


Barca com remos

Santissima Trindade

Barca com velas

Barca Portuguesa

Dom Fuas

Barca Nova

O lhai por nós Oh! Virgem Santa Pois precisamos de paz www.amovivi.com.br 27 Av.

Generalíssimo, 1479 (entre Nazaré e Brás) Fone: 3224-4470

Revista Círios de Nazaré | 2017


Dom Irineu Roman, bispo auxiliar de Belém, na celebração da missa em frente à Basílica Santuário

Chegando frente à sua Basílica

A Cruz Vermelha em atuação

Fitas de Nossa Senhora de Nazaré colocadas por devotos nas grades de ferro que cercam o Centro Arquitetônico de Nazaré

Maria de Nazaré Maria me cativou Fez mais forte a minha fé E por filho me adotou. Às vezes eu paro e fico a pensar E sem perceber me vejo a rezar E meu coracão se põe a cantar Pra virgem de Nazaré. 28 Revista Círios de Nazaré | 2017


Passando frente às Bandeiras de todos os Municípios do Pará, que lhes rendiam homenagem

Mesmo com o sol inclemente os fiéis rendiam graças à Nossa Senhora

Os jovens do Colégio Nazaré, saudando a padroeira

O Dia Municipal do Romeiro

A berlinda chega frente ao altar-mor da Praça Santuário

O Dia Municipal de N. Sra. de Nazaré

A sexta-feira que antecede a grande procissão do Círio de Nazaré foi a data escolhida para homenagear os Romeiros que chegam ao Pará vindos de cidades de todo o Brasil para participar da maior festividade religiosa da região Norte. Portanto, este dia é especial para os fiéis que acompanham o Círio. O projeto de lei é de autoria do Vereador Mauro Freitas (PSDC).

Um projeto que tem um significado enorme para nossa cidade. Todo dia 8 Setembro é comemorado o dia Municipal de Nossa Senhora de Nazaré. A data foi escolhida por ser o dia em que foi realizado o primeiro Círio em Belém. Viva Nossa Senhora de Nazaré, a Rainha da Amazônia.

LEI nº 9,033 de 27 DE SETEMBRO DE 2013

LEI nº 9,315 de 06 DE SETEMBRO DE 2017

As leis são de autoria do vereador Mauro Freitas, Presidente da Câmara Municipal de 29Belém

Que o Círio seja a união do povo na Fé Revista Círios de Nazaré | 2017


Grande final: Roberto Mauro Souza, o coordenador, eleva aos céus a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, agradecendo o sucesso da realização do Círio

Chegada Após cinco horas de procissão e sob intenso foguetório, hinos de louvor e preces dos fiéis, os sinos da Basílica Santuário anunciavam a chegada da berlinda de Nossa Senhora de Nazaré. Uma multidão aguardava a imagem na Praça Santuário e arredores. Após a chegada, Dom Irineu Roman, Bispo Auxiliar de Belém, recebeu a imagem e logo em seguida começou a celebração de uma missa solene no altar-mor em frente à Basílica. Ao final, abençoou todos os fiéis que comparecem na Praça Santuário.

História Realizada em Belém há mais de dois séculos, o Círio é umas das maiores e mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo. A devoção remonta ao início da colonização portuguesa. O termo Círio vem da palavra latina “cereus”, que significa vela ou tocha grande. Por ser a principal oferta dos fiéis nas procissões em Portugal, com o tempo, o termo passou a ser sinônimo da procissão de Nazaré aqui em Belém e de muitas outras pelas cidades do interior do Estado. A cada ano, um número maior de romeiros é atraído para participar do Círio. A procissão reúne aproximadamente dois milhões de pessoas numa caminhada de fé pelas ruas da capital paraense, um verdadeiro espetáculo em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. Durante todo o trajeto, são prestadas várias homenagens à Imagem de Nossa Senhora, além dos promesseiros que realizam diversas manifestações de fé.

A Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré, durante toda a quadra nazarena, fica em um presbitério no Altar- Mor da Basílica Santuário de Nazaré, para visitas das 6h às 21h

30 Revista Círios de Nazaré | 2017


Trasladação

C í ri @formosaoficial

o - Belém

@formosaoficial

Fotos: Antonio Silva, Daniel Nardin, Rodolfo Oliveira, Thiago Gomes / Secom, Glauce Aquino

C

Mais de 1 milhão de pessoas participam da procissão noturna que ilumina as ruas da capital

omo tradicional e antecedendo a Trasladação, o arcebispo de Belém, D. Alberto Taveira celebrou uma missa nas escadarias de frente do Colégio Gentil Bittencourt, iniciando por volta das 16h30. Ao final e em seguida, a Imagem Peregrina foi colocada na Berlinda, e minutos depois deu início a Trasladação, percorrendo um trajeto inverso ao da procissão do Círio, em percurso de aproximadamente 3,7 km, pelas avenidas Magalhães Barata, Nazaré, Presidente Vargas, Boulevard Castilhos França, Portugal, Praça do Relógio até a Catedral, no bairro da Cidade Velha.

A homenagem do Colégio Nazaré, na Trasladação

Na romaria que antecede a grande procissão do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, a fé move a ação de muitos voluntários

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, passando ao lado de sua Basílica Santuário, na trasladação

31 Revista Círios de Nazaré | 2017


O percurso é de aproximadamente 3,7 km, e percorre as avenidas Magalhães Barata, Nazaré, Presidente Vargas, Boulevard Castilhos França, Portugal, Praça do Relógio até a Sé, no bairro da Cidade Velha

Na Trasladação, homens e mulheres participam na corda, pagando promessas e agradecendo a Virgem de Nazaré

A tradicional homenagem do Banco da Amazônia

Cerca de 1 milhão e duzentas mil pessoas em meio a orações e hinos mariano, participavam da procissão noturna iluminando as ruas de Belém. Na Trasladação, o único destaque é a berlinda com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré – não há outros carros acompanhando a procissão. O arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira, o bispo auxiliar, Dom Irineu Roman e os bispos Dom Teodoro, de Ponta de Pedras, e Dom Evaristo Spengler, da Prelazia do Marajó, conduziam a berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Em todo trajeto se sucediam as homenagens de fiéis, empresas e órgãos públicos, as mais variadas e diferentes. Passando a Praça Santuário, em frente ao Colégio Santa Catarina a primeira homenagem, em seguida no colégio Nazaré. Logo após, recebeu a do Tribunal de Contas do Estado. Em frente ao antigo prédio Manoel Pinto da Silva, a tradicional homenagem dos seus moradores e familiares.

A Cruz Vermelha atuou em 15 postos de atendimento na Trasladação

O coral da Fundação Cultural do Pará, na Trasladação

32 Revista Círios de Nazaré | 2017


Cônego José Gonçalo, ao final abençoou a multidão com a imagem de Nossa Senhora

A Trasladação é uma verdadeira procissão à luz de velas levadas pelos devotos durante todo o percurso

No sábado que antecede a grande procissão do Círio de Nazaré, as ruas de Belém ganham uma iluminação especial

Durante a Trasladação

Já na Praça da República o coral metropolitano, cantava “Maria de Deus, Senhora da Paz”. Em seguida, Nossa Senhora de Nazaré recebeu a tradicional homenagem do Banco da Amazônia, ao som da música “Festa”, de Anderson Cunha. Na Avenida Presidente Vargas, nas proximidades do Teatro Experimental Waldemar Henrique, o coral da Fundação Cultural do Pará também prestou sua homenagem à Nossa Senhora. Frente ao Banco do Brasil a tradicional e bela homenagem da “chuva” de fitas coloridas e papeis picados. Na descida da Presidente Vargas, a CDP homenageou a padroeira e na Boulevard Castilhos França, na Estação das Docas, a Varanda de Nazaré, com a cantora Fafá de Belém, o padre Fábio de Melo, artistas regionais e nacionais cantando hinos e músicas marianas. Quase em frente, a imagem peregrina foi recebida com fogos de artifício coloridos e sob o foguetório tradicional dos estivadores e arrumadores do Porto de Belém. Após 5 horas de procissão, por volta das 23h, a imagem peregrina de Nossa Senhora chegou na Sé e foi recebida como todos os anos pelo cura da catedral, Cônego José Gonçalo, que ao final abençoou a multidão com a imagem de Nossa Senhora

Na Trasladação, a berlinda frente ao Banpará

33 Revista Círios de Nazaré | 2017


C í ri

@formosaoficial

o - Belém

Traslado para Ananindeua @formosaoficial

Fotos: Cláudio Santos, Sidney Oliveira / Ag. Pará, Soraya Montanheiro

Após o término da missa o coordenador Roberto Souza, conduz a imagem peregrina para o início do Traslado

O

Durante o percurso as homenagens, de todo tipo, cada uma mais bonita que a outra

O Traslado é a primeira das 12 romarias oficiais do Círio, até à igreja matriz de Ananindeua

Dom Alberto, em cada parada proferia sua palavra

Traslado da imagem de Nossa Senhora de Nazaré para o município de Ananindeua, na região metropolitana de Belém, é primeira das 12 romarias oficiais que fazem parte do Círio de Nazaré. Iniciou com uma missa solene presidida por Dom Irineu Roman, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Belém. Na entrada do Santuário, o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Correa, abençoou os presentes frente à Basílica com a imagem peregrina, agradeceu a presença de todos e, emocionado, acompanhou a saída do carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que levaria a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré à Ananindeua, para receber inúmeras homenagens de empresas públicas e privadas, escolas, hospitais, universidades, e outras entidades. A concentração dos romeiros era grande na Praça do Santuário, que recebeu os fiéis desde a madrugada. Alguns deles passaram a noite caminhando e pedalando para conseguir chegar a tempo à missa que dá início à procissão de 52 km até a igreja matriz de Ananindeua. O Traslado chegou à igreja Nossa Senhora das Graças-Mariz de Ananindeua, por volta das 21h, pouco mais de uma hora depois do horário previsto. Em seguida, foi celebrada a Santa Missa, presidida por Dom Alberto Taveira Correa, acompanhado por seu auxiliar, Dom Irineu Roman. Após a missa os fieis permaneceram em vigília, durante toda a noite, até a saída da Romaria Rodoviária, pela manhã

O Traslado estava iniciando

Em frente ao Hospital Ophir Loyola, pacientes e funcionários se reuniram a para a tradicional homenagem à Nossa Senhora de Nazaré

Uma multidão seguia a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré pelo Conjunto Guajará, em Ananindeua Chegando no Conjunto Cidade Nova V, na Paróquia na Paróquia Divino Espírito Santo

O Traslado é a primeira das 12 romarias oficiais do Círio, até à igreja matriz de Ananindeua

34 Revista Círios de Nazaré | 2017


Romaria Rodoviária

@formosaoficial

F

C í ri

o - Belém

@formosaoficial

Fotos: Sidney Oliveira/Ag. Pará

indo o Traslado, e logo após o término da Santa Missa celebrada por Dom Alberto Taveira Correa, e Dom Irineu Roman, começou a vigília que durou toda a noite em frente à Igreja Nossa Senhora das Graças. Ao término da vigília, uma missa foi celebrada pelo pároco João Mendonça, em frente à Igreja Matriz de Ananindeua, reunindo centenas de fiéis que se aglomeravam para ver a imagem de Nossa Senhora e tentar chegar perto, em agradecimentos ou súplicas de promessas. Depois dessa celebração religiosa, a imagem peregrina foi colocada na berlinda acima de uma viatura da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Com a berlinda protegida pela guarda da Santa, o cortejo teve início ao som de palmas, buzinas, fogos e da sirene da PRF, para os 24 quilômetros do Círio Rodoviário. Para os 70 guardas do Círio de Nazaré que atuam na Igreja de Ananindeua, o sentimento era de dever cumprido. Durante todo o percurso, a imagem percorreu a BR 316, indo pela rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci, acompanhada pelos carros da Diretoria do Círio, Polícia Rodoviária Federal e Cruz Vermelha. Nas calçadas, os devotos se espremiam em poucos centímetros de asfalto para levantar as mãos para o céu, em homenagens à Virgem de Nazaré.

Na missa em frente à Igreja Matriz de Ananindeua reuniu centenas de fiéis que se aglomeravam para ver a imagem de Nossa Senhora

Centenas de fiéis acompanharam a missa celebrada pelo pároco João Mendonça, da Igreja de Nossa Senhora das Graças

Nas calçadas, os devotos se espremiam em poucos centímetros de asfalto para levantar as mãos para o céu, em homenagens à Virgem de Nazaré

Depois da celebração religiosa na Igreja Matriz, a imagem peregrina foi colocada no alto de um carro aberto, com a berlinda protegida pela guarda da Santa

Durante todo o percurso, a imagem percorreu a BR 316, indo pela rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci

A berlinda era seguida de perto por centenas de ciclistas e fiéis devotos. Depois de duas horas e meia de procissão e homenagens, a imagem da Virgem de Nazaré chegou à Icoaraci em um dia de festa, o distrito completava 147 anos. Ao chegar no altar, onde momentos antes houve uma missa preparatória celebrada, pelo Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman; o Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, homenageou a cidade e abençoou os moradores. Depois, a imagem foi colocada na corveta Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil, para continuar a peregrinação, dessa vez no Círio Fluvial, até a Praça Pedro Teixeira, na escadinha do Cais do Porto, em Belém.

Começava a Romaria rodoviária

35 Revista Círios de Nazaré | 2017


C í ri @formosaoficial

o - Belém

@formosaoficial

Romaria Fluvial Fotos: Igor Mota, Secom

L

Dom Alberto Taveira, abençoou os romeiros com a imagem peregrina e seguiu para o embarque na corveta Garnier Sampaio

ogo ao chegar, da Romaria Rodoviária, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, foi conduzida por Dom Alberto Taveira, ao altar, onde antes houve uma missa preparatória celebrada, pelo Bispo Auxiliar de Belém, Dom Irineu Roman, por volta das 7h. Dom Alberto Taveira, em seguida abençoou os romeiros com a imagem peregrina e seguiu para o embarque na corveta Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil, no Trapiche de Icoaraci, para início do Círio Fluvial. Milhares de fiéis ocupavam toda a orla de Icoaraci, aos lados do trapiche, para ver a saída da procissão.

Dom Alberto com a imagem peregrina, chegando ao Garnier Sampaio

A cúpula de vidro, permitia aos fiéis, uma melhor visibilidade da imagem da santa

O navio-hidroceanográfico Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil, pelas águas guajarinas

390 embarcações solicitaram inspeção para participar da procissão das água

Bandeiras coloridas, faixas e balões ornamentavam barcos e canoas para a procissão dedicada à Nossa Senhora de Nazaré

36 Revista Círios de Nazaré | 2017

B


A benção aos participantes da Romaria Fluvial

Vista diferente da procissão fluvial

Era mais quem queria ver o Círio Fluvial

Na baía do Guajará, em manhã de sábado ensolarado, acompanhavam o Círio Fluvial, centenas de embarcações, canoas e jet skis, enfeitados com bandeiras coloridas, balões e faixas com mensagens alusivas, homenageando Nossa senhora de Nazaré. Enquanto isso, a bordo do Garnier Sampaio, a imagem peregrina em uma cúpula de vidro, seguia recebendo homenagens durante toda a procissão, o que emocionava cada vez mais todos os que estavam na embarcação, e os que assistiam da orla do Rio Pará e os que estavam navegando nos 18 quilômetros de procissão, entre o trapiche de Icoaraci e a Escadinha do Cais do Porto, na Praça Pedro Teixeira.

Milhares de fiéis devotos aguardavam a padroeira na orla da Estação

TRANSPORTES LTDA

Passagens para o Marajó (Linha Camará Rodofluvial)

Box Terminal Rodoviário (São Bras - Belém) 3246-7472 / 98114-9054

Box Salvaterra (PA-154) 98411-8844 / 98402-4407 37

Vendas de passagens on-line: Revista Círios de Nazaré www.henvil.com.br

| 2017

/henviltransportes


C í ri @formosaoficial

o - Belém

@formosaoficial

Círio das Crianças Fotos: Ascom Basílica Santuário de Nazaré, Juliana Valois do Nascimento, Maria do Socorro Chuva Simonetti

A

Após a missa e a Imagem Peregrina ter sido colada em um cibório, iniciou o Círio das Crianças

As crianças foram às ruas prestar suas homenagens a Nossa Senhora de Nazaré

Romaria das Crianças começou cerca das 8 horas, após uma Missa Campal no altar central frente à Basílica Santuário, presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, que ao final disse ser essa a mais alegre e festiva das romarias, depois do Círio. “Olhar para essa criançada toda é sinal de esperança para a humanidade e para a Igreja”.A procissão teve início em frente à saída lateral da avenida Nazaré, na Praça Santuário de Nazaré, seguindo pela Av. Nazaré, Travessa 14 de Março, Governador José Malcher e Dr. Moraes, retornando pela Nazaré até o altar central da Praça Santuário, num percurso de cerca de 3 km, em cerca de duas horas de duração. No início da procissão, a Imagem Peregrina foi conduzida em um cibório colocado em carro, pelo diretor de procissões da Diretoria do Círio. A romaria contou, ainda, com o Carro dos Milagres de Dom Fuas Roupinho, os Carros dos Anjos e outros dois carros de promessa. A Romaria este ano teve esse objetivo, ensinar os pequenos a seguirem no caminho e nos ensinamentos cristãos” explicou o coordenador. De acordo com o coordenador do Círio 2016, Roberto Mauro Souza, muitas crianças do interior do Estado acompanharam a romaria. “Essa é uma procissão essencialmente da família, e esses momentos são de pura evangelização, onde são passadas mensagens para às famílias, para que elas possam educar de forma correta as crianças”.

A procissão das Crianças entrando na Praça Santuário

Dom Irineu Roman, Pe. Luiz Carlos Gonçalves, Presidente do Círio de Nazaré e as crianças representadas

Os Carros dos Anjos

38 Revista Círios de Nazaré | 2017


A

Recírio

C í ri @formosaoficial

o - Belém

@formosaoficial

Fotos: Andreia Teixeira e Fabrício Coleny - Ascom Basílica Santuário de Nazaré

celebração do Recírio começa logo cedo, às 5h30 no interior da Basílica Santuário, quando a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré, retorna ao Glória, após passar a Quadra Nazarena, mais perto dos fiéis devotos, no altar-mor da Basílica. Em seguida, com a Praça Santuário lotada, Dom Alberto Taveira, Arcebispo Metropolitano de Belém presidiu a celebração do Recírio. A Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi colocada em um andor e conduzida pela Diretoria da Festa de Nazaré, em revezamento, em um trajeto de aproximadamente 700 metros até o Colégio Gentil Bittencourt. Lenços brancos, na despedida

É a procissão mais curta e uma das mais antigas da Festividade Nazarena. Durante o trajeto, a procissão fez o contorno na Praça Santuário, seguindo pelas avenidas Generalíssimo Deodoro, Nazaré e Magalhães Barata até chegar ao Colégio Gentil Bitencourt. A despedida – sempre emocionante, e entre orações, choros e cânticos marianos, os fiéis prestavam suas últimas homenagens e se despediam da Rainha da Amazônia. Em todo o trajeto, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré era saudada e aclamada pelos fiéis que acompanham a caminhada ou a assistiam pelas calçadas ou pelas janelas de suas casas. Quando o andor com a imagem da padroeira entrou no Colégio Gentil, os fiéis a receberam com efusivas palmas e acenos de lenços brancos. O som do Coral da Guarda de Nazaré marcava o momento da chegada da imagem. Em seguida, a imagem foi conduzida por Dom Albert Taveira, nosso Arcebispo Metropolitano, de volta à Capela do Gentil – local onde tradicionalmente permanece a maior parte do ano. Enquanto isso, o final da última procissão é marcado pelo aceno dos lenços brancos e por uma oração puxada pela Guarda de Nazaré, do alto das escadarias do Colégio. Com saudades, o Recírio encerra o Círio de Nazaré.

A imagem da padroeira no altar da capela do Colégio católico Gentil Bittencourt

A imagem peregrina sendo conduzida por Dom Albert Taveira, de volta à Capela do Gentil

O coordenador e o diretor de procissões do Círio, empunham o andor com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

39 Revista Círios de Nazaré | 2017

O andor com a imagem da padroeira no Colégio Gentil


Jurados do 15º Concurso Fotográfico Imagens de Círios. Da esquerda para a direita: Cristian Bomm, Pedro Correa, Alessandro Ribeiro, Arnoldo Péres , Roberto e Maria Luiza Pinto da Costa , Valber Cordeiro, Miro Jr e Ronald Costa, com Ronaldo e Rodrigo Hühn

Vencedores 15º Concurso Imagens de Círios

Magno (2210); Davi Dias Sousa Junior (1234); Manoel Campos da Costa Neto (0213) Dannyson Raphael Martins (2302); Dannyson Raphael Martins (2307); Juliana Valois do Nascimento (0145); Davi Dias Sousa Junior (1235); Adriano Ferreira da Silva (0110); Ivanildo Santana Monteiro (086); Davi Dias Sousa Junior (1202); Davi Dias Sousa Junior (1208); Igor Mota Magno (2205); Waldinei Romano Cavalcante de Sousa (001); Joanaldo Silva (1502); Larissa Yasmin Luz e Silva (Lara Silva) (2148); Davi Dias Sousa Junior (1222); Alex Maciel ; Nogueira Ribeiro (0123); Juliana Valois do Nascimento (0146); Manoel Campos da Costa Neto (0215); Alex Maciel Nogueira Ribeiro (0121); Markhus Lopes (2100); Manoel Campos da Costa Neto (0211); Manoel Campos da Costa Neto (0212); Igor Mota Magno (2208); Davi Dias Sousa Junior (1217) e Maria do Socorro Chuva Simonetti (0161)

1º Lugar: Manoel Campos da Costa Neto (179) 2º Lugar: Davi Dias Sousa Junior (1219) 3º Lugar: Igor Mota Magno (2206) 4º Lugar: Joanaldo Silva (1501) 5º Lugar: Adriano Ferreira da Silva (109)

Classificadas 15º Concurso Imagens de Círios Manoel Campos da Costa Neto (0178); Dannyson Raphael Martins (2313); Igor Mota Magno (2201) Markhus Lopes (2103); Davi Dias Sousa Junior (1224); Maria do Socorro Chuva Simonetti (0159); Paula Adriane da Silva Costa (040); Igor Mota

Os Vencedores com suas fotos e a premiação correspondente: 1º Lugar: Manoel Campos da Costa Neto (179), 2º Lugar: Davi Dias Sousa Junior (1219), 3º Lugar: Igor Mota Magno (2206), 4º Lugar: Joanaldo Silva (1501) e 5º Lugar: Adriano Ferreira da Silva (109), entre nossos diretores Ronaldo e Rodrigo Hühn

40 Revista Círios de Nazaré | 2017

F


Vencedores

1º Lugar: Manoel Campos da Costa Neto

tokyotemakeria

Feliz Círio

41 Revista Círios de Nazaré | 2015

Av. Duque de Caxias esq. com a Tv. Curuzú, 1377 Av. 25 de Setembro, 2085 atrás do Bosque

DELIVERY (91) 3246-5644 / 3031-1174


2º Lugar: Davi Dias Sousa Junior

3º Lugar: Igor Mota Magno

4º Lugar: Joanaldo Silva 42 Revista Círios de Nazaré | 2017

5º Lugar: Adriano Ferreira da Silva


Classificadas

Manoel Campos da Costa Neto

Davi Dias Sousa Junior

Igor Mota Magno

Maria do Socorro Chuva Simonetti

Maria do Socorro Chuva Simonetti

Markhus Lopes

Dannyson Raphael Martins

Alex Maciel Nogueira Ribeiro Manoel Campos da Costa Neto

Davi Dias Sousa Junior

43 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2015


Davi Dias Sousa Junior

Manoel Campos da Costa Neto

Dannyson Raphael Martins

Juliana Valois do Nascimento

Igor Mota Magno

Adriano Ferreira da Silva

Ivanildo Santana Monteiro

Lara Silva

Manoel Campos da Costa Neto

Alex Maciel Nogueira Ribeiro Joanaldo Silva

44 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2017

Davi Dias Sousa Junior Waldinei Romano Cavalcante de Sousa


Dannyson Raphael Martins

Davi Dias Sousa Junior

Igor Mota Magno

Juliana Valois do Nascimento

Davi Dias Sousa Junior

Markhus Lopes

Igor Mota Magno

Manoel Campos da Costa Neto

Davi Dias Sousa Junior

Paula Adriane da Silva Costa

45 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2015


Círio no Rio de Janeiro- RJ

A

imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, conduzida pela comitiva composta por diretores da festividade, padres barnabitas e guardas de Nazaré, chegou a Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, dando início, na Cidade Maravilhosa, à 9ª edição de uma das maiores manifestações religiosas do mundo em homenagem a Nossa Senhora. Essa peregrinação teve como tema “Maria de Nazaré, nos ensina a ser família”, uma vez que a Arquidiocese do Rio vivencia, além do Ano Mariano no Brasil, o Ano da Família, espelhando-se na figura de Nossa Senhora, escolhida por Deus para ser a Mãe do Salvador. A imagem peregrina chegou por volta das 6h50 no Aeroporto Internacional Tom Jobim, e foi recebida na Base Aérea do Galeão pelo arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta. Na acolhida, o arcebispo ressaltou que a peregrinação junto a Maria é uma ocasião para melhor vivenciar a vocação cristã. “É sempre uma alegria receber a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, uma oportunidade que se repete a cada ano e que nos ajuda a viver melhor a nossa vocação cristã, tendo Cristo como centro da nossa vida”, pontuou. Dom Orani ainda recordou os propósitos da Igreja tanto para o Ano Mariano, vivenciado no Brasil, quanto para o Ano da Família, na Arquidiocese do Rio. “O Ano Mariano, no qual celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, é pra nós uma oportunidade de ver Maria no seu papel de mãe, que nos acolhe e quer nos mostrar Jesus Cristo. Do outro lado, o Ano da Família, em nossa arquidiocese, e a Semana Nacional da Família, no Brasil, são ocasiões de Maria nos ensinar a ser família”, destacou. O cardeal ainda acrescentou: “tenho certeza de que se vivêssemos melhor como famílias cristãs, tendo Cristo como centro, as violências e dificuldades do mundo de hoje mudariam. Por isso, pedimos que essa passagem da imagem peregrina leve as pessoas a pensarem em serem boas famílias cristãs, a buscarem a Deus, a serem obras de paz nas cidades, no Brasil e no mundo. A intercessão de Maria não nos falta, mas é necessário que nós, tal como ela, digamos ‘sim’ aos planos de Deus”, finalizou.

É sempre uma alegria receber a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, uma oportunidade que se repete a cada ano e que nos ajuda a viver melhor a nossa vocação cristã, tendo Cristo como centro da nossa vida

A comitiva paraense: reitor da Basílica Santuário de Nazaré, padre Luiz Carlos Gonçalves, e membros da Diretoria da Festa de Nazaré e da Guarda de Nazaré

Visita à Arquidiocese de Niterói Após ser recebida na Base Aérea do Galeão pelo Cardeal Orani João Tempesta, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi entregue ao arcebispo de Niterói, Dom José Francisco Rezende Dias. Toda a comitiva seguiu em direção à Catedral de São João Batista, em Niterói. A missa também foi concelebrada pelo arcebispo emérito Dom Alano Maria Penna. Depois de Niterói, a imagem voltou para o Rio e foi entregue ao Cardeal Orani João Tempesta para que a peregrinação continuasse na Arquidiocese do Rio. A primeira visita da tarde aconteceu na empresa Dufry do Brasil.

Depois de Niterói, a imagem voltou para o Rio e foi entregue ao Cardeal Orani João Tempesta para que a peregrinação continuasse na Arquidiocese do Rio, para a visita à Dufry do Brasil, a primeira visita da tarde.

Na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador

46


No final do deslocamento marítimo, o padre Nixon Brito recepcionou a imagem peregrina

Ia começar a visita à Arquidiocese de Niterói

O povo de Paquetá acolhe a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

A Imagem de Nossa Senhor na Catedral de São João Batista, em Niterói

Paróquia São José, na Lagoa Recordando que a Mãe de Deus socorre, com amor, os seus filhos que sofrem, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré visitou a Paróquia São José, na Lagoa, durante a Missa da Saúde, no dia 19 de agosto. Após a missa, a imagem peregrina seguiu em direção a Catedral de São Sebastião, na Avenida Chile.

Na Missa Solene na Catedral de São João Batista

Ilha de Paquetá Durante a Missa da Saúde, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta e concelebrada pelo Pe. Omar Raposo, pároco da Igreja São José, na Lagoa e reitor do Cristo Redentor

A última visita do dia foi realizada na Ilha de Paquetá. A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi recepcionada pelo pároco da Igreja Senhor Bom Jesus do Monte, padre Nixon Bezerra de Brito, e por fiéis da comunidade que seguiram em procissão até a Igreja de São Roque, onde foi realizada a celebração eucarística. Para padre Nixon, ao passar em procissão, Nossa Senhora atrai as pessoas, levando o seu amor materno aos filhos mais simples e humildes. De acordo com ele, muitos fiéis de Paquetá testemunham sua devoção especial a Virgem de Nazaré. “O povo de Paquetá acolhe a imagem de Nossa Senhora de Nazaré e, por incrível que pareça, em todos os lugares encontramos pessoas de Belém do Pará. Se não elas, os pais, avós ou alguém da família vive uma firme devoção a Virgem de Nazaré de modo muito concreto. A devoção mariana é muito mais abrangente, muito maior, e Nossa Senhora tem o apelo de mãe: da mãe que está sempre próxima aos filhos, que cuida, ama, zela. De forma muito especial, nós temos muitas pessoas que tem devoção a Nossa Senhora de Nazaré aqui na ilha e a acolhemos com muito carinho”, contou o sacerdote.

Na Paróquia São José, na Lagoa...

Pe. Omar Raposo, pároco da Igreja São José, na Lagoa e reitor do Cristo Redentor com a imagem peregrina

47


Catedral de São Sebastião

Santuário Nossa Senhora do Loreto, na Freguesia

Já na Igreja Mãe – a Catedral de São Sebastião, no centro do Rio, aconteceu a missa “O Rio Celebra”, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta. Sendo o mês de agosto destinado às vocações, durante a celebração, os seminaristas Fábio Gonçalves e Nilton Ferreira receberam o Ministério de Leitores, enquanto Adriano Marques, Fábio Escobar, Fernando Henrique Cardoso, João Lúcio, José Guilherme e Rafael Martins receberam o Ministério de Acólitos. Na homilia, o Cardeal Orani recordou que a Igreja celebrava no dia diversos acontecimentos, sendo o encerramento da Semana Nacional da Família, além do Ano Mariano, com a presença da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré e o Mês Vocacional. Ainda segundo o arcebispo, o Evangelho alertou para a necessidade de os fiéis busquem a Deus a cada dia. “O Evangelho nos aponta a importância de todos nós nessa mudança de época; escolhermos sempre a opção pela revelação da fé e da verdade. Que nossa família biológica e de vida escolha sempre a Cristo. Há uma falsa ideia de Estado laico disseminada, principalmente pelos meios de comunicação. Dessa forma, muitos se afastam do cristianismo. Sejamos um sinal para a sociedade, aqueles que levam Jesus a todos”, pontuou. Dom Orani também alertou para a importância de as crianças sempre estarem próximas a Cristo. “Hoje há uma concepção errônea de que o Estado deve cuidar das crianças, impedindo, por vezes, de elas frequentarem os cultos junto aos pais. Nossas crianças devem estar junto a Cristo desde a tenra idade, sendo educadas na fé”, exclamou. Por fim, o arcebispo pediu a intercessão de Nossa Senhora de Nazaré para que todos possam buscar ao Senhor e não impedir ninguém de seguir Jesus Cristo.

No Santuário Nossa Senhora do Loreto, na Freguesia, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi recebida pelos fiéis e pelo pároco, padre Sebastião Cintra: “Maria continua a nos ensinar que é preciso ser obediente a Deus e cuidar e preservar as famílias, realizando, através delas, o projeto do Senhor, pois tudo passa pela família”, disse. O vigário episcopal do Vicariato Jacarepaguá, cônego Robert Jósef Chrzaszcz, também esteve na celebração. Segundo ele, “uma mãe nunca visita o seu filho por acaso. Nossa Senhora faz parte do plano de Deus e, por isso, o Senhor escolheu uma família humana e verdadeira, dando-nos o exemplo a seguir”, completou. Na ocasião, o diretor de coordenação do Círio de Nazaré, em Belém, Roberto Mauro Santos, afirmou que “a nossa missão é levar a mensagem de Maria, que carrega Jesus em seus braços. Temos um forte trabalho de evangelização. As visitas que realizamos, junto à imagem na peregrinação, são oportunidades de levarmos a procissão às pessoas que não podem participar do Círio em Belém”, destacou.

Durante a celebração no Santuário Nossa Senhora do Loreto, na Freguesia

Chegando na Catedral Arquidiocesana de São Sebastião A benção final no Santuário Nossa Senhora do Loreto

Capela Nossa Senhora de Nazaré, em Camorim A imagem da Virgem Maria ainda foi acolhida na Capela Nossa Senhora de Nazaré, em Camorim, onde a comunidade rezou a Oração do Ângelus, presidida por Dom Orani. O padre Daniel Mourão, pároco da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, em Curicica, responsável pela capela, recordou o Evangelho da Visitação de Nossa Senhora a Isabel. “Tal como Isabel, podemos dizer: ‘como é que a Mãe do meu Senhor vem me visitar?’ É uma alegria muito grande receber a imagem peregrina. Acredito que seja uma renovação de nossa fé em Jesus Cristo”, acrescentou.

Na missa “O Rio Celebra”, presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, Catedral de São Sebastião

48


Com esses três dias de celebração, os fiéis da Capela São José também recordam sua história e todos os padres que marcaram a vida de fé da comunidade”, explicou padre Anderson. Em seu coração de pastor, o sacerdote desejou que o Círio e a Virgem de Nazaré fortaleçam a vida de fé de toda a comunidade. “Espero que a visita do cortejo que conduz a imagem peregrina da Virgem tenha sido um momento de renovação da fé de toda comunidade paroquial. O Círio de Nazaré traz consigo o testemunho de fé de milhares de paraenses que se reúnem na Basílica de Nazaré para agradecer e pedir a intercessão da Virgem Maria. Que este exemplo de fé contagie nossa paróquia e, junto de Nossa Senhora de Nazaré, roguemos por nossa comunidade, nosso bairro e nossa cidade, para que em meio às adversidades sigamos firmes na fé”, afirmou o pároco.

A berlinda com a imagem peregrina em Camorim

Imagem peregrina chegando na Capela São José, no Complexo de Manguinhos

Paróquia Jesus de Nazaré, no Complexo da Maré

Ângelus na Capela Nossa Senhora de Nazaré – Camorim

Ao cair da tarde, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré chegou à Paróquia Jesus de Nazaré, no Complexo da Maré, onde foi acolhida pelo pároco, padre Jorge Lutz, e fiéis, ainda na Avenida Brasil. Em procissão, a imagem peregrina entrou na comunidade, e seguiu em direção à igreja, onde aconteceu a celebração missionária.

Capela São José, no Complexo de Manguinhos No Complexo de Manguinhos, a berlinda com a imagem peregrina da padroeira do Pará e Rainha da Amazônia foi recepcionada pelos fiéis e pelo pároco da Igreja Nossa Senhora do Bonsucesso de Inhaúma, padre Anderson Batista Monteiro. Conduzida em procissão pela principal rua da comunidade, Maria de Nazaré foi venerada e homenageada por moradores, que rezavam pedindo por todas as famílias e pela paz na região, em especial, pela comunidade do Jacarezinho, que tem sofrido com a violência. Mas o dia também foi de fé, esperança e muita festa. Localizada na comunidade e pertencente à paróquia, a Capela São José estava celebrando no dia 55 anos de fundação, testemunhando muitos frutos da ação de Deus na vida dos fiéis. A missa em ação de graças, transmitida, ao vivo, pela Rádio Catedral FM, foi presidida por padre Anderson, e concelebrada pelo capelão do Hospital Federal de Bonsucesso, que durante nove anos serviu a comunidade como diácono, padre Vicente Freitas da Silva. De acordo com o pároco, um tríduo foi organizado em preparação à chegada da imagem peregrina. O sacerdote também ressaltou que a comunidade tem inúmeros moradores de origem do Pará, o que aumentou a alegria da visita da padroeira da Amazônia. “Essa visita significa um resgate da fé e também da cultura dos paraenses, como um retorno para casa. É uma experiência edificante que faz lembrar das origens e de como a religiosidade sempre esteve presente. Ao recordar as origens é possível seguir com mais força os desafios da vida presente. Além disso, tivemos um tríduo com a presença de padres queridos da comunidade: Vicente da Silva, Rogério Pereira e Thiago Azevedo.

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta Logo depois, já ao anoitecer, a imagem peregrina chegou na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta, sendo recebida pelo vigário episcopal do Vicariato Suburbano, padre Nivaldo Alves dos Anjos Junior, e pelo pároco, padre Elisandro Iserhard da Silva. Depois da missa, presidida por Dom Orani, houve a tradicional vigilia paroquial. O bairro de Anchieta é considerado um dos mais antigos na devoção a Nossa Senhora de Nazaré, uma vez que os paraenses se estabeleceram no leste do Rio de Janeiro e trouxeram consigo essa piedosa devoção. De acordo com o pároco, Elisandro Iserhard da Silva, “com muita alegria nossa paróquia e o bairro de Anchieta acolhem a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. Para nossa comunidade paroquial, é um momento de muito entusiasmo, paz e bênçãos. Uma ocasião onde louvamos e agradecemos a Deus por essa oportunidade, tendo em vista que é a mãe que vem ao encontro de seus filhos, que nos ampara, nos guia e nos mostra Jesus como o Caminho, Verdade e Vida”, destacou. Ainda segundo o pároco, “existe uma tradição muito forte de devoção a Nossa Senhora de Nazaré em nosso bairro, visto que ela é nossa padroeira desde a década de 50 e a nossa paróquia, com quase 100 anos, já fez com que ficasse muito enraizada essa devoção em honra a Virgem de Nazaré. São muitos os testemunhos”, finalizou. 49


Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, em Anchieta

Paróquia São Paulo Apóstolo, em Copacabana A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi saudada com uma chuva de pétalas de rosas na saída da igreja

No dia 20 de agosto, terceiro e último dia de peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré no Rio, houve missa na Paróquia São Paulo Apóstolo, em Copacabana, presidida pelo arcebispo Dom Orani João Tempesta e concelebrada pelo pároco, padre Paulo de Tarso Rodrigues, além dos clérigos regulares de São Paulo. Na homilia, o cardeal destacou que a presença de Maria aponta para os fiéis o caminho para Deus. “A visita de Nossa Senhora traz uma experiência de Nazaré às famílias. Com a presença dela, somos chamados a refletir sobre o valor da vida e da família. Hoje, a Assunção de Maria nos mostra que caminhamos para Deus. É importante que nunca percamos de vista a direção para a qual estamos caminhando, mesmo encontrando obstáculos no caminho”, completou. Padre Paulo agradeceu a presença dos paroquianos e fiéis devotos de Nossa Senhora de Nazaré, e completou afirmando: “que a Virgem Maria nos mostre o caminho para uma sociedade mais justa e fraterna. Que possamos levar a presença de Deus a todos os lugares, sobretudo nas nossas famílias”, destacou. O casal Melina de Vasconcelos e Eduardo Guerra, ambos de Belém do Pará, contaram, emocionados, a experiência de vivenciar o Círio, pela primeira vez, no Rio de Janeiro. “Faz um ano que saímos de Belém, e estamos muito saudosos por viver esse momento do Círio com as famílias. Quando uma amiga nos avisou que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré estaria aqui, nos programamos para viver essa emoção”, pontuou Melina. Eduardo Guerra, esposo de Melina, recordou a intercessão da Virgem Maria na vida do casal. “Nossa Senhora sempre esteve presente em nossa vida. Quando tentávamos ter um filho, fomos ao Círio e pedimos a sua bênção. Mal sabíamos, mas o Murilo, que hoje tem quatro anos, já estava a caminho. Viver essa experiência é sempre muito especial; recordamos também nossas origens e a saudade que temos de nossa família. É um fortalecimento da fé e da unidade da família”, finalizou. No fim, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi saudada com uma chuva de pétalas de rosas na saída da igreja.

Basílica Santuário de São Sebastião, na Tijuca A imagem também esteve presente na Basílica Santuário de São Sebastião, na Tijuca, com missa presidida por Dom Orani João Tempesta e concelebrada pelo pároco, frei Arles Dias de Jesus. “É com muita alegria que acolhemos os fiéis devotos de Nossa Senhora de Nazaré, ao mesmo tempo lançamos o cartaz da celebração que vai acontecer em nossa comunidade paroquial, no dia 8 de outubro, com o tema: ‘Maria, estrela da evangelização’. Será um evento com diversas atividades religiosas e culturais”, disse frei Arles. Lívia Freitas da Silva Carvalho contou sobre a oportunidade de receber a bênção junto ao filho. “Eu me sinto muito abençoada por participar dessa peregrinação com meu filho. Dom Orani nos deu a bênção quando eu ainda estava grávida, e hoje tivemos a oportunidade de recebermos a bênção mais uma vez”, disse. Tatiana Ferreira Marques, que morou em Belém durante 23 anos, narrou a experiência e a emoção de encontrar a Virgem de Nazaré mais uma vez. “Durante esse tempo, minha devoção por Nossa Senhora só aumentou. Minhas duas filhas se chamam Maria por conta do meu amor por Nossa Senhora, tudo o que tenho devo a ela. Espero estar em Belém neste ano para participar do Círio, sempre junto a minha família”, finalizou.

Basílica Santuário de São Sebastião, na Tijuca, estava lotada

Saindo da Paróquia São Paulo Apóstolo, em Copacabana

Saindo da Basílica de São Sebastião – Capuchinhos

50


Capela São José, na Vila Mimosa Depois, a imagem peregrina visitou a Capela São José, na Vila Mimosa, indo ao encontro de seus filhos em suas periferias humanas e existenciais. No local, a imagem peregrina foi recebida pelo pároco da Basílica Santa Teresinha, na Tijuca, responsável pela capela, frei Emerson Santos Oliveira. Para Márcia Regina Correia, membro da Comunidade Católica Mar a Dentro, Nossa Senhora jamais deixa de ir ao encontro de seus filhos. “É uma alegria receber a imagem, porque sabemos que, como mãe, ela jamais deixa de visitar seus filhos, principalmente aqui, onde muito necessita da intercessão dela. Sobretudo, a comunidade tem uma forte experiência com Nossa Senhora de Nazaré, pois temos uma casa em Belém. Estamos nessa região junto à Basílica Santa Teresinha, onde visitamos as famílias e auxiliamos na catequese para adultos”, destacou. Ao final da celebração, a diretoria do Círio de Nazaré em Belém doou uma imagem da Virgem de Nazaré para a comunidade.

A visita foi marcada com homenagens a Virgem de Nazaré, com a presença de diretores do Centro de Tradições Nordestinas

Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão Durante a tarde, a imagem da Virgem de Nazaré visitou o Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão. Carregada pelo padre Edmar Augusto da Costa, da Paróquia de São Cristóvão, a imagem seguiu em procissão pelo interior da feira. Entoando cânticos, seguidos de brados de ‘viva’, os devotos acompanharam a procissão carregando uma corda, símbolo da corda do Círio em Belém, A visita foi marcada com homenagens a Virgem de Nazaré, com a presença de diretores do Centro de Tradições Nordestinas. “Que alegria recebê-la aqui na Feira de São Cristóvão, que, para tantos, é a sua casa, onde as pessoas vêm conviver com suas famílias e aproveitam um momento de lazer”, pontuou o vigário episcopal do Vicariato Urbano, padre Wagner Toledo.

Na celebração da Capela São José, na Vila Mimosa, Dom Orani e o pároco da Basílica Santa Teresinha, na Tijuca, responsável pela capela, frei Emerson Santos Oliveira

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré e Santos Mártires Ugandenses, em Acari Por fim, a peregrinação chegou à Paróquia Nossa Senhora de Nazaré e Santos Mártires Ugandenses, em Acari, que, neste ano, teve o nome modificado para o atual – antes os padroeiros titulares eram os mártires ugandenses, tendo Nossa Senhora de Nazaré como copadroeira. No Rio de Janeiro, essa é a região com maior devoção a esse título da Virgem Maria. “Maria foi escolhida para ser a mãe do Filho de Deus. Imaculada em sua Conceição, no fim de sua vida, ela foi elevada, de corpo e alma, ao céu. A morte não é o fim. Temos uma vida que continua, voltaremos para Deus para vivermos a comunhão perfeita com a Trindade para, no fim dos tempos, ressuscitarmos com Cristo”, disse Dom Orani na homilia. O cardeal ainda ressaltou a importância da dignidade da mulher na sociedade atual. “Muitas ideologias têm sido faladas na sociedade. Mas sabemos onde Deus colocou a mulher. A figura de Maria nos ajuda a compreender a dignidade da mulher, enquanto as ideologias de empoderamento destroem essa dignidade. Construímos nossa caminhada de acordo com a maneira que vivenciamos nosso dia a dia. Temos uma única vida, daí a importância de sempre fazer o bem”, argumentou. Em Acari, foi realizado um Mini Círio seguido de missa presidida pelo Cardeal Orani João Tempesta, e concelebrada pelo Pároco, Pe.Sidnei Guimarães Correia Junior.Ao final, Dom Orani, fez o encerramento da 9ª edição da visita da Imagem Peregrina da Rainha da Amazônia no estado do Rio de Janeiro.

Em procissão pelo interior da feira, entoando cânticos, seguidos de brados de ‘viva’

No mini-círio a corda na procissão pelos romeiros que testemunhavam sua devoção

Na missa presidida por Dom Orani João Tempesta e concelebrada pelo pároco, frei Arles Dias de Jesus

51


Círio em Saquarema – RJ Fotos: Felipe Azeredo, Flavio Delazari, Maria Carolina

O

Círio de Nazaré de Saquarema, datado de 1630, foi mais uma vez de profunda emoção. As festividades que este ano estiveram a cargo do Juiz Provedor, o Sr. Alexandro da Paixão Vieira e da Juíza, a Sr.ª Ivete Francisca dos Santos, teve início no dia 30 de agosto com a Novena em preparação ao Círio que se estendeu até o dia 7 de setembro. No dia 31, houve a abertura oficial dos festejos com Translado da Imagem Peregrina para Igreja Matriz, participação da Sociedade Musical Santo Antônio de Bacaxá. Nos dias 2, 3, 6 e 7 de setembro houve shows populares com cantores regionais, na praça central. No dia 3 de setembro a partir das 8hs, houve o Círio das Rodas percorrendo todos os recantos do município rendendo inúmeras homenagens a Padroeira pelos devotos, por todo o trajeto do cortejo. Ainda no dia 3, a partir das 14hs, houve o Círio dos Jovens e da Legião de Maria. Em seguida, houve procissão com a Imagem Peregrina para a Igreja Matriz onde aconteceu a novena e a Santa Missa.

Andor antes da Procissão

No dia 7, dia da Pátria, houve Missa Solene às 10h, com a participação especial dos Corais Cantavento e Rainha Assunta, da cidade de Cabo Frio. As 14h houve o tradicional e emocionante Círio das Águas relembrando o milagre concedido em 1915 quando houve grande seca na região e após procissão extraordinária com a imagem da Padroeira, voltou a chover e por vários dias, reestabelecendo assim às águas da lagoa, que estava seca e dos mananciais de água que abasteciam a população. Às 20h houve a Santa Missa Vespertina da Natividade com a participação especial, pela primeira vez, do Coral Santa Cecília da cidade de Rio Bonito e seu vasto repertório sacro. A seguir, houve a eleição da nova Mesa Administrativa para o período 2017/2018 da Venerável Irmandade de Nossa Senhora de Nazareth. No dia 8 de setembro, dia do 387º Círio de Saquarema, a cidade acordou às 5h com a grande alvorada festiva com queima de fogos, banda de música e dobrar de sinos. Houve missas de hora das 6h às 10h. As 12h, aconteceu a Missa Solene, com a participação do Contas de Coral da cidade de Niterói e a Solene Coroação de Nossa Senhora, momento de enorme emoção. Houve ainda às 18h a última missa do dia. As 20h, a tradicional e também emocionante, Procissão da Padroeira, com milhares de romeiros e devotos de todas as partes do Estado e do Brasil e muitas homenagens durante o percurso, contou com a participação de todos os movimentos católicos do município e a Sociedade Musical Santo Antônio de Bacaxá. Após percorrer as ruas da cidade, no retorno a Igreja Matriz, houve a grandiosa queima de fogos, encerrando assim o Círio de Nazaré mais antigo do Brasil.

Cirios das Águas

Na tradicional e também emocionante, Procissão da Padroeira

Homenagens durante a Procissão

Círio das Rodas

2º Secretário da Venerável Irmandade de Nossa Sr.ª de Nazareth de Saquarema

Queima de fogos, encerrando o Círio de Nazaré mais antigo do Brasil

52

*


Círio em Sumaré – SP Fotos: Edson Produções

Chegada da procissão, com a berlinda da Santa entrando na igreja

O

Círio do Sumaré é realizado desde 1968, com exceção em dois anos que foi realizado no Ipiranga (Paróquia da Imaculada Conceição). Desde o ano passado, é no Santuário Nossa Senhora de Fátima, no Sumaré. A organização e planejamento, durante todo o ano, é da Associação de Devotos de Nossa Senhora de Nazaré. No segundo domingo de outubro, logo no início da tarde, paraenses, devotos de Nossa Senhora, residentes em diversos bairros da capital paulista e a comunidade das cercanias, começam a se concentrar às proximidades do Santuário de Fátima, à Rua Petrópolis, altura do número 65 (em frente ao metro Sumaré), no bairro do Sumaré. Com a berlinda já decorada com belas flores naturais e a imagem de Nossa Senhora de Nazaré no seu interior, iniciouse mais um Círio do Sumaré, em sua 48ª edição. Abrindo a procissão, como já tradicional, as bandeiras do Pará, do Brasil, de São Paulo, e do Vaticano, seguidos pela berlinda e a proteção dos romeiros em torno da corda, com cerca de 200 metros. Eram cerca de 2 mil devotos, que caminhavam e cantavam hinos marianos e o “Vós sois o Lírio Mimoso”, pelas ruas do entorno do Santuário.

Barracas do arraial montado ao lado do metro Sumaré na Rua Petrópolis quase em frente do Santuário

Santuário Nossa Sra. de Fátima , no bairro do Sumaré onde foi realizada a Missa em homenagem a Nossa de Nazaré

53

As bandeiras do Pará, do Brasil, de São Paulo, e do Vaticano, e os fiéis devotos na corda, pelas ruas do Bairro do Sumaré

Em momento de fé, agradecendo a todas as graças alcançadas e por poder realizar mais uma festa em homenagem a N.S. de Nazaré

A berlinda decorada com belas flores naturais e a imagem da Santa em procissão, antecedendo a entrada no Santuário

Enquanto isso, no percurso, nas calçadas e nos prédios, a imagem era saudada com palmas e orações. Na chegada, a Missa presidida pelo Frei Rildo de Lima – OAR e concelebrada pelo concelebrada pelo Frei Mauricio, de Mato Grosso, Orientador Espiritual da Associação de Devotos de Nossa Senhora de Nazaré. Após a celebração e a tradicional benção aos presentes, com a santinha, a imagem padroeira dos paraenses e da Amazônia, foi transladada para o pátio da igreja onde foi saudada pelo publico ente salvas de palmas e cânticos religiosos em ambiente de muita alegria. No mesmo pátio, ao som do ritmo do carimbo e para saciar a saudade, dezenas de barracas serviam as tradicionais iguarias paraenses, desde o açaí, tacacá, maniçoba, vatapá, caruru e quase todos os tipos conhecidos de sucos regionais do Pará, para todos se deleitarem.


Círio no Jardim Arpoador - SP

A

Fotos: Alison Borges e Josias Carvalho

festa do Círio de Nazaré em São Paulo atrai, todos os anos, milhares de pessoas, que trazem pedidos e agradecimentos a Nossa Senhora de Nazaré. A festa de seu 6º Círio, ocorreu nos dias 3 e 4 de setembro, com público estimado em 20 mil pessoas nos dois dias de festa. Nesta última edição, em comemoração aos 50 anos da igreja matriz, a paróquia recebeu a condecoração da Salva de Prata da Prefeitura de São Paulo, que no ano de 2015 adicionou a festa ao Calendário Cultural da Cidade de São Paulo. O evento religioso se iniciou em 30 de agosto com o novenário e terminou dia 8 de setembro. Nos dias 3 e 4, com o apoio da Prefeitura de São Paulo, as festividades do 6º Círio contaram com uma estrutura de palco na avenida e na praça de alimentação, além da estrutura das demais atrações, como a área social e o espaço para as crianças. No dia 3, aconteceu a missa dos idosos e enfermos, a sessão solene de condecoração da paróquia com a Salva de Prata pelos seus 50 anos, por iniciativa da Câmara Municipal de São Paulo. A noite aconteceu a Santa Missa celebrada pelo Bispo Emérito Dom Ercílio Turco e a coroação a Nossa Senhora. Em seguida, houve o show da banda Cantores de Deus, e o dia se encerrou com a adoração ao Santíssimo Sacramento. No domingo, dia 4, logo pela manhã aconteceu a Santa Missa para os voluntários, a procissão rodoviária, que percorreu as ruas dos bairros levando a imagem peregrina da igreja matriz até uma das suas comunidades, onde, ao final, os carros são abençoados e se reza o Ângelus. Cerca de 500 veículos participaram da procissão rodoviária. Durante todo o dia houve atrações no palco e a praça de alimentação permaneceu aberta. Às 17 horas iniciou a procissão do Círio, onde mais de 6.000 fiéis, segurando as tradicionais cordas da berlinda, fizeram o traslado da imagem de Nossa Senhora de Nazaré da Comunidade São Camilo de Lellis até a igreja matriz, onde a Cantora Fafá de Belém recepcionou a imagem cantando. Logo após aconteceu a Santa Missa e, na sequência, o show de Fafá de Belém. No dia 7, houve a procissão rodoviária até a Catedral Santo Antônio, para buscar a nova imagem (cópia fac-similar) que foi doada à paróquia pela Basílica de Nossa Senhora de Nazaré de Belém do Pará, por ocasião do Jubileu de Ouro de nossa paróquia. No dia 8, o nosso Bispo Diocesano, Dom João Bosco, celebrou a Santa Missa Votiva e introduziu a nova imagem no Trono do Glória encerrando os festejos em honra a Nossa Senhora de Nazaré. A festa acontece no Jardim Arpoador, zona oeste de São Paulo, na avenida onde está localizada a igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, pertencente à Diocese de Osasco/SP. Neste ano de 2017, já estamos vivendo a espera do 7º Círio de Nazaré em São Paulo. No Círio de Nazaré, Eu participo com Fé! #EuparticipocomFé

Na procissão rodoviária até a Catedral Santo Antônio

Coração de Nossa Senhora de Nazaré

A Berlinda com a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré e os fiéis na Corda da Procissão do Círio

Show de encerramento com Fafá de Belém

Durante a Procissão pelas ruas do Jardim Arpoador

Chegada da Berlinda para Celebração da Santa Missa

54

Show com Cantores de Deus


Círio em Vila Carioca – SP Uma festa de fé que emociona e encanta os paraenses Texto: *Naldo Rodrigues Fotos: Bruna França

Pe. Renato Jr Braga de Sousa, paraense, pároco da Paróquia Santo Antônio da Vila Carioca, à frente do Círio

Q

uando eu era de tenra idade, meus avós paternos chegavam à sexta-feira de Ponta de Pedras, cidade do arquipélago do Marajó para o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, o clima era de expectativa para a grande procissão. Depois de muitos anos longe de Belém, morando aqui em São Paulo, foi magnífico saber dos Círios que acontecem na terra da garoa, dentre eles o da Paróquia Santo Antônio da Vila Carioca na região do Ipiranga no 3º domingo de outubro, tendo como pároco o padre paraense Renato Jr Braga de Sousa. Tenho participado há mais de uma década, posso revelar que os sentimentos e encantamento da fé em Nossa Senhora de Nazaré são genuínos como se eu estivesse em Belém, procissão, amizade com novos conterrâneos, barraca de comidas regionais, danças, músicas e partilha de conhecimentos e bem querer. Esta festa de Fé possibilita o retorno as raízes de nossa religiosidade popular, e assim se fortalece nossa identidade cultural paraense a partir da fé.

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, na Vila Carioca, região do Ipiranga

55

Durante a santa missa após a procissão do Círio

O Círio com a corda, nas ruas do entorno da Paróquia Santo Antônio


Círio em Nazaré Paulista – SP Fotos: Constante de Oliveira Junior, Divulgação

A

Frente ao altar, após a procissão

Ia iniciar a procissão

cidade de Nazaré Paulista, comemorou em 21 de novembro o seu 340º aniversário de fundação, quando também foi celebrada a Festa da Padroeira “Nossa Senhora de Nazaré” e o aniversário de criação da Igreja que se ergue na Praça Nossa Senhora de Nazaré, no ponto mais alto da cidade – a Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, pertencente à Diocese de Bragança Paulista. Intensos momentos de fé e devoção foram vividos nessas comemorações, notadamente durante a missa solene celebrada pelo pároco, Padre Márcio Canteli. Ao final, a procissão pelo entorno da Igreja. Quanto a parte profana, houve as tradicionais barracas, apresentações de grupos folclóricos e bandas musicais pelas ruas da cidade, previamente decoradas com as cores azuis e brancas em referência à Nossa Senhora de Nazaré. Esse ano, novamente não houve a procissão aquática na represa de Atibainha, em Nazaré Paulista

A imagem de Nossa Senhora de Nazaré, no cibório

Padre Márcio Canteli, pároco da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré - Nazaré Paulista

O andor com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, com o menino Jesus, diferente das tradicionais

Procissão no dia da padroeira em 21 de novembro, também aniversário da cidade e de criação da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, da Diocese de Bragança Paulista

56

Frente ao altar, após a procissão


Círio de Santos – SP

A

s comemorações da Festividade do Círio de Nazaré, em Santos–São Paulo, são organizadas pela Sociedade Amigos da Amazônia, no Dia Nacional de Nossa Senhora de Nazaré – 2° domingo de outubro, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, na Baixada Santista. Cumprindo a tradição, no sábado anterior, é realizada a trasladação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, em seu andor para a capela do Bom Pastor onde fica até o domingo. No 2° domingo de outubro, no andor já com nova decoração, a imagem da Padroeira da Amazônia, é conduzida pelos fiéis devotos em carreata, para a Igreja Matriz da Pompéia, onde, antecedendo a procissão do Círio, dá-se início uma Missa solene celebrada pelo Pe. Ricardo de Barros Marques, então vigário da Igreja da Pompéia. Logo após o término da missa, com os devotos já praça Benedito Calixto, em frente à Igreja da Pompéia, inicia-se o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, em Santos.

Durante a procissão do Círio de Santos

Ornamentada com alegres flores naturais a berlinda e os fiéis percorre cerca de dois quilômetros em procissão

A imagem em seu andor, ornamentado com alegres flores naturais, é conduzida e seguida pelos fiéis devotos católicos de todas as partes do Brasil, orando e entoando cânticos marianos, com acompanhamento da banda Musical Carlos Gomes. O percurso da procissão pelas principais ruas do Bairro da Pompéia, tem cerca de dois quilômetros. Ao término, após a benção final com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré tem início a confraternização das famílias paraenses, ao sabor de pratos típicas do Pará: pato ao tucupi, maniçoba, vatapá e tacacá … – momento das famílias de toda parte do Brasil e as paraenses se confraternizarem, comemorando a propagação da fé na melhor forma possível à Nossa Senhora de Nazaré, esperando o próximo Círio. O Pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia, em Santos, atualmente é o Pe. José Myalil Paul e o Vigário paroquial é o monsenhor Francisco das Dores Leite, conhecido como Padre Chiquinho.

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, e a corda conduzida pelos fiéis devotos católicos

A emoção de poder carregar o andor com a imagem da Padroeira da Amazônia

57

A banda Musical Carlos Gomes


Círio em Brasília-DF

A

Texto: *Glória Gama Fotos: Fausto Pfahl

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, Lago Sul, Brasília - DF, comemorou de 07 a 10 de setembro o seu 44º Círio de Nazaré. Com o tema: Bem-aventurada Virgem Maria, imagem e mãe da igreja, a Paróquia homenageou os 300 anos do achado da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil e de Brasília. Durante as comemorações, foi realizado um Tríduo com Missas e orações em louvor à Nossa Senhora de Nazaré, e no domingo dia 10/09 um dia inteiro de homenagem, com Missas, oficio de Nossa Senhora e oração do terço Mariano, culminando com Missa Festiva em Ação de graças pelo Círio de Nazaré e a Procissão do Círio. A imagem de Nossa Senhora estava revestida com um belíssimo manto, que homenageava não só a Padroeira do Brasil, como também a nossa cidade através dos arcos dos monumentos de Brasília no desenho do manto. Usamos a cor azul em dois tons, que nos remetem aos céus de Brasília, e o verde que representam nossos gramados e seus jardins sempre floridos, e nas costas do manto um belíssimo bordado da Catedral de Brasília. O manto foi idealizado pelo Pároco Pe. Roberto Carlos Rambo e pela coordenadora da Liturgia Glória Gama, e confeccionado pela brasiliense Maria Marta Tenório de Quadros. A Berlinda com a imagem foi escoltada por uma guarde honra do Corpo de Bombeiros do Batalhão de Planaltina-DF, e no início da procissão recebeu chuva de pétalas jogadas de um helicóptero, que deixou vários devotos emocionados com a homenagem. Na chegada da procissão uma bela queima de fogos, encerrou as homenagens a nossa Padroeira Nossa Senhora de Nazaré.

Entrada da imagem para a Santa Missa

Imagem no presbitério durante a Missa

Missa em ação de graças

Como nos anos anteriores, realizamos a exposição dos Mantos usados pela imagem desde 1999 na Capela da Igreja, e no Salão Paroquial a partir do almoço de domingo foram colocadas à disposição da comunidade comidas típicas regionais, destacando-se a comida paraense da qual a comunidade, principalmente os paraenses, não abrem mão. Contando com a efetiva participação de todas as pastorais da Paróquia na realização do evento, a Festa foi uma grande confraternização não só dos paroquianos, mas de toda colônia paraense que mora em Brasília, e nas cidades Satélites.

Manto aberto. O desenho do manto lembra os arcos dos monumentos de Brasília, o verde remete aos gramados e as flores às rotatórias e jardins da cidade de Niemeyer

Durante a procissão no Lago Sul A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, réplica de 835 anos, do Sítio da Nazaré-Portugal

Anjos, corda e berlinda, tradicionais ícones do Círio

58


Círio em Morro Vermelho-MG Festa de Nossa Senhora de Nazareth: Eu Creio, eu Confio, eu Espero eu Consigo Fotos: Thomás Santos, Mateus Serafim

quatro vozes. Para comemorar o aniversário da Virgem Maria, moradores, de acordo com as possibilidades de cada um, fazem doces e um grande bolo, que são oferecidos a Nossa Senhora durante o ofertório, com o tradicional canto do “Parabéns”. Ao final da celebração, as guloseimas foram distribuídas aos fiéis e eles acreditam que os docinhos são abençoados por Nossa Senhora.Ao fim da tarde, procissão luminosa percorreram as ruas enfeitadas pelos moradores e na chegada a imagem da Santa foi recebida por apoteose de fogos de artifício e aplausos da multidão. A festa terminou com o canto do Te Deum, em latim, em agradecimento a Deus pelo sucesso das celebrações. Mastro e igreja

O

Aniversário de Nossa Senhora

povoado de Morro Vermelho, distrito de Caeté, na Grande BH, reviveu as comemorações das tradições folclóricas e religiosas mantidas há pelo menos 313 anos, sem nenhuma interrupção. É a Festa Nossa Senhora de Nazareth, que tem como destaque uma série de tradições, como cavalhada folclórica-religiosa, missa cantada em latim com coro e orquestra, durante a qual moradores festejam a natividade da Virgem Maria com bolo e muito doces caseiros, feitos especialmente para esta ocasião. As festividades começaram, em 30 de agosto, com novena solene orquestrada e cantada em latim na matriz de Morro Vermelho, e em Caeté onde a bandeira da Santa percorre casas diariamente, sendo conduzida a Morro Vermelho, no fim da tarde do dia 6, por mais de 500 cavaleiros, num percurso de 10 quilômetros em estrada de terra. A Cavalhada de Nossa Senhora de Nazareth, na noite do dia 7, relembrou a luta entre cristãos e mouros e a conversão destes ao cristianismo, depois de 800 anos de lutas. No dia 8, moradores e visitantes participaram de outra tradição centenária: Missa solene orquestrada e cantada em latim a Andor de Nossa Senhora

Imperadores Cristão e Mouro

Eu creio

Dois cavaleiros que se sobressaem na reverência à Virgem, são escolhidos para conduzir a Bandeira até a matriz, após uma oração.À meia noite do dia 7, fiéis na igreja, rezam o terço e um ofício divino, pedindo autorização à Virgem para enfeitá -la e o andor e conduzi-la às ruas para a procissão.

Eu confio

Os fogos de artifício sempre marcaram a Cavalhada. Eles representam a queima dos deuses pagãos pelos mouros após a conversão. Apesar da profusão de fogos, nunca se teve notícia de qualquer acidente.

Eu espero

Não se sabe a origem certa dos mascarados em Morro Vermelho. Eles desfilam aos domingos antes da festa e no dia 7. Com varinhas, entram nas casas e quintais para espantar demônios e males. Também limpam as pessoas que cruzam o seu caminho. Na verdade, eles são um sinal de esperança.

Eu consigo

Outra tradição secular: famílias de moradores e romeiros doam à igreja vestidos para uso, durante a festa, pelo Menino Jesus, que fica nos braços da Padroeira. Há relatos de uma série de graças e prodígios conseguidos pelos devotos com os vestidinhos abençoados Coroação

Estandarte de Nossa Senhora

59


Círio de Natal-RN Texto: * Águida Cunha Fotos: Raminho Santos

Durante celebração à Nossa Senhora

O

bairro de Nossa Senhora de Nazaré festejou, entre os dias 28 e 31 de maio de 2017, a sua padroeira, que dá nome ao bairro, em Natal/ RN. Este ano o tema foi “Maria de Nazaré, modelo de fé e seguimento de Jesus”. A comunidade faz parte da Paróquia Santuário dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, que sediou todos os dias a festividade. A celebração à Nossa Senhora deu as boas-vindas ao novo pároco da paróquia, Padre Fábio Pinheiro, e contou com programação religiosa e social. Durante a festa, a programação religiosa buscou estreitar os laços dos fiéis com Maria, através de terços marianos e das missas com reflexão sobre o tema da festa. Neste ano, a comunidade assistiu à apresentação da peça “As mães do Filho de Deus” encenada pelo grupo de teatro da paróquia, o Encena-Cristo. No último dia de festividade, 31, as ruas do bairro encheramse de fiéis que saíram em procissão da capela de Nossa Senhora de Nazaré para o Santuário dos Mártires. Neste dia também foi feita a coração de Nossa Senhora, momento importante da festa e também do mês mariano. A coração foi feita por mais de 30 crianças que fazem dos encontros de 1ª Eucaristia da Paróquia. Todos os quatro dias de festas tiveram sua parte social com barracas, bazar e atrações musicais e culturais.

Fiéis no entorno da imagem de Nossa Senhora de Nazaré na Paróquia Santuário dos Mártires

O andor com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Padre Fábio e os fiéis em procissão

Padre Fábio Pinheiro, pároco do Santuário dos Mártires rezando a Nossa Senhora de Nazaré

Crianças da Catequese coroam a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

60


Círio em Ouro Branco-RN Texto: Lenilson Azevedo

N

este ano de 2017, em sua sétima edição, o Círio de Nazaré de Ouro Branco, no Rio Grande do Norte, continua com a sua mesma beleza, atraindo os fiéis católicos que com devoção, louvam à Mãe de Deus e nossa. Antes do raiar do sol do dia 28 de maio, os peregrinos se concentraram às margens das águas do Açude do Divino Espírito Santo, na comunidade rural Esguicho, enquanto aguardavam a imagem da Virgem de Nazaré, conduzida em uma pequena embarcação por um pescador artesanal daquela comunidade, que desde o primeiro ano faz questão de fazê-lo, acompanhado do padre. A imagem foi recebida pelos fiéis, que a conduziram, num percurso de mais de três quilômetros, até adentrar a cidade. Por onde passa, a imagem recebe louvores, por meio de acenos dos fiéis pelas casas, em cada rua. A procissão seguiu até a Matriz do Divino Espírito Santo, onde foi celebrada Missa. A igreja este ano celebra os 100 anos de sua construção. O padre Rivaldo, que participou pela primeira vez como vigário paroquial da Paróquia do Divino Espírito Santo, disse estar encantado com a beleza dessa devoção: “esse é mais um tesouro do povo de Deus de Ouro Branco que deve ser preservado...”, disse ao celebrar a Missa por ocasião do encerramento do Círio de Nazaré deste ano.

Fiéis em procissão na chegada à cidade

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré no Andor

O pescador Zé Calisto pronto para remar com a imagem em sua canoa

A procissão pela margem e vista parcial do Açude do Divino Espírito Santo, que mesmo após cinco anos de estiagem, permanece com bom volume de água

O pescador artesanal Zé Calisto, sua esposa Vera e o Padre Rivaldo Dantas (atual pároco)

Fiéis caminham na rodovia que liga a comunidade rural à cidade

Fiéis recepcionam a imagem às margens do Açude do Divino Espírito Santo

61

Fiéis iniciam a caminhada até a cidade

Há de se destacar a devoção desse povo que sofre já há cinco anos com uma severa estiagem, mas que mantém firme a sua fé em Deus, e na bênção e intercessão de Nossa Senhora. O açude da comunidade rural Esguicho, cujas águas contribuem para o abastecimento da cidade, foi construído no ano de 2003, e jamais secou, enquanto outros reservatórios da região esvaziaram após tantos anos de seca. O reservatório recebeu o nome de Divino Espírito Santo, que é o padroeiro da cidade, numa prova de fé desse povo que dá testemunho das graças que recebe em sua vida. Para que o Círio aconteça todos os anos, é necessário uma junção de forças e muito empenho. Além de voluntários que fazem trabalhos pela Igreja (crianças, adolescentes, jovens, adultos, idosos), membros do grupo de escoteiros (107/RN) também se disponibilizam a ajudar na condução da celebração.


Círio em Recife - PE Texto: Helena Oliveira Fotos: Joaquim de Freitas

T

radicionalmente, há mais de 75 anos, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Recife-PE é realizado no 2º domingo de outubro, na Paróquia Nossa Senhora da Soledade. A festividade teve início com a celebração da Santa Missa, presidida pelo Vigário Episcopal Paulo Sérgio Vieira Leite. Durante a celebração, tivemos vários momentos emocionantes que nos fizeram contemplar esta festa maravilhosa, que é realizada ao mesmo tempo em vários lugares do Brasil e do mundo. Após a missa, os devotos de Nossa Senhora de Nazaré saíram em procissão puxando a corda e entoando cânticos e orações pelas ruas do centro de Recife. A chegada da procissão foi anunciada com fogos de artifício, a Igreja foi novamente tomada pelos fiéis, que demonstravam sua devoção com gritos de “VIVA NOSSA SENHORA DE NAZARÉ”, “VIVA MARIA NOSSA MÃE”. O Vigário Episcopal Paulo Sérgio encerrou a procissão com a consagração à Virgem de Nazaré e a proclamação de uma benção especial. Flores do andor foram distribuídas aos fiéis. Após a festividade, os devotos se reuniram no salão paroquial, onde foram vendidas comidas típicas e os doces tradicionais do Pará. Os paraenses puderam matar a saudade da “terrinha” e os pernambucanos se deliciaram com os sabores exóticos da região amazônica. O amor à Nossa Senhora de Nazaré, nossa Mãezinha, não tem fronteiras. Um amor que une os fiéis do Brasil e do mundo em torno da devoção doce e carinhosa à mãe do Salvador.

Imagem de Maria de Nazaré antes do início da missa

Passagem da pela Av. Oliveira Lima (centro da cidade do Recife)

Bênção solene ministrada pelo Vigário Episcopal Paulo Sérgio

Chegada da procissão

Saída da procissão

62


Círio de Fortaleza – CE

A

festa de Nossa Senhora de Nazaré teve início no dia 28 de maio quando após a solene Missa das 19 horas nosso Pároco Padre Raimundo Alves Ferreira fez a abertura da festa fazendo o envio dos Missionários, que até o mês de outubro visitaram toda a paróquia, preparando assim a festa da nossa rainha e Padroeira. Neste ano da Misericórdia, o tema central da festa foi “Maria, Mãe da Misericórdia”. Todo o novenário foi todo baseado na Misericórdia Divina sempre citando como exemplo a Virgem de Nazaré. No dia 5 de outubro chegaram todas as imagens peregrinas acompanhadas de uma grande multidão de fiéis que vieram retribuir a visita de Nossa Senhora durante os quatro meses de preparação para a grande festa. Cada noite era animada por um ou dois setores da Paróquia com a recitação do terço, canto das ladainhas e a celebração da santa Missa. Muitos foram os testemunhos de graças recebidas pela intercessão da Virgem de Nazaré. Diariamente os padres se colocaram à disposição dos fiéis para o atendimento das confissões e pessoas que há muito não se aproximavam dos sacramentos foram tocadas pela graça de Deus e assim essas pessoas aceitaram o convite e experimentaram a Misericórdia do nosso Deus. A juventude teve grande participação em todos os momentos da festa e no dia 16 de outubro marcou presença com a sua força e coragem para atrair muitos outros jovens que ainda não haviam aderido ao convite da Igreja. Uma grande multidão se fez presente acompanhando com muita piedade o cortejo que percorreu algumas ruas do bairro levando a mensagem da misericórdia às famílias por onde passava. A conclusão da festa se deu na praça da matriz com a presença maciça de fiéis que entoava louvores e cantos de alegria e gratidão, agitando suas bandeiras e demonstrando todo o seu amor à Mãe de Deus acolhendo a consagração de toda paróquia a Nossa Senhora de Nazaré.

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, no Círio de Fortaleza

Neste ano da Misericórdia, o tema central da festa foi “Maria, Mãe da Misericórdia”

Uma grande multidão se fez presente acompanhando com muita piedade o cortejo que percorreu algumas ruas do bairro

Uma grande multidão se fez presente acompanhando com muita piedade o cortejo que percorreu algumas ruas do bairro levando a mensagem da misericórdia às famílias por onde passava

63


Círio de Capistrano – CE Fotos: Everton Cassiano

N

o dia 08 de setembro, a cidade de Capistrano (CE), em um clima de fé e agradecimento pelas bênçãos de Deus, recebidas por intercessão da mãe de Nazaré, celebrado o Círio de Nazaré. Sob a coordenação dos Padres: Valdenor Cesário (Pároco) e José Maria Loiola (Vigário Paroquial), diariamente, toda as noites, houve Celebrações Eucarísticas presididas por padres da Diocese de Quixadá e animadas pelos zonais que compõem a referida paróquia. Os festejos deram início aos 29 de dias de agosto, com uma grande carreata, seguida do hasteamento da bandeira, posteriormente uma grande Celebração Eucarísticas campal. Diariamente houve a cada madrugada caminhada conduzindo a réplica da imagem da Padroeira à um setor (um bairro da cidade) culminando com café da manhã comunitário, partilhado por todos os fiéis que participaram da referida manifestação religiosa. No dia 08 pela manhã, às 08:00h foi celebrada a missa da Natividade de Maria com o revestimento da Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, preparando os fiéis para a realização do 12º Círio de Nazaré de Capistrano. Às 14:30 a grande procissão pelas ruas de Capistrano, acompanhada pelo Bispo Diocesano de Quixadá, Dom Ângelo Pignole, Padre Valdenor Cesário e José Maria Loiola, Ministros da Eucaristia e coroinhas. Isso culminando também com uma grande Celebração Eucarística de encerramento dos festejos alusivos à Nossa Senhora de Nazaré e arreamento da bandeira. Paralela a festa religiosa, houve barracas com vendas de comidas típicas, roupas, alumínio, artesanato, etc. No centro da cidade ficou instalado um grande parque de diversões, para alegria das crianças, jovens e visitantes.

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré no Círio de Capistrano

A berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, já na igreja da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré

Acompanhando o XXII Círio de Nazaré de Capistrano, Dom Ângelo Pignole, Bispo Diocesano de Quixadá, o Padre Valdenor Cesário, com os fiéis com a berlinda e na corda

No dia 08 de setembro, Natividade de Maria, agradecendo Bênçãos recebidas por intercessão da mãe de Nazaré

A chegada da procissão do XXII Círio de Nazaré de Capistrano

A tradicional corda sendo lançada e as belas demonstrações de fé

O Círio de Nazaré, em um clima de fé e agradecimento pelas bênçãos de Deus ao povo Capistranense

64

Ia começar a procissão do Círio, pelas ruas de Capistrano


Círio no São Luís- MA Fotos: César Dominici

C

om muitas atividades e celebrações, a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré comemora em 2017 os 25 anos do Círio de Nazaré Festa da Luz em São Luís-MA, que tem como Tema: “ 25 Anos proclamando as maravilhas do Senhor” e Lema: “Santo é o seu nome”(Lc 1,49). Frases retiradas do Magnificat de Nossa Senhora, num gesto de reconhecimento das imensas graças que o Senhor tem derramado, por meio da padroeira, sobre a Comunidade e os devotos em todo o estado. As atividades em torno do Círio de Nazaré Festa da Luz como é o Festejo conhecido na capital maranhense – tem início, como em todos os anos, no mês de junho, quando se comemora o aniversário da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, que fica localizada no Cohatrac, um dos bairros mais populosos de São Luís e que, já se tornou bastante conhecido, devido à realização do Círio, que reúne a cada ano um número maior de devotos. Também no mês de junho são apresentados aos devotos o Cartaz oficial, tema e lema do Festejo.

Procissão de Encerramento do Círio, na capital maranhense

Círio Esportivo - Passeio Ciclistíco

Missa das Comunidades que fazem parte da Paróquia

Translado (Procissão da Luz)

Círio de Nazaré Festa da Luz - São Luís-MA

Procissão Círio das Crianças

65

Romaria, com começo da caminhada à zero hora

Este ano, devido à comemoração do jubileu de prata, foi criada também uma logomarca comemorativa aos 25 anos do Círio de Nazaré Festa da Luz na capital maranhense. As equipes de serviços, como as de Liturgia, Guarda de Nazaré, Apoio, Subcomissão do Círio das Crianças, entre outras, preparam com muito carinho, as várias manifestações que ocorrem nos meses de setembro e outubro, em torno do Círio, como o Círio Ecológico, o Círio Esportivo, o Círio Solidário, o Círio das Crianças, o Círio cultural bem como Romaria, Translado(conhecido como Procissão da Luz), Novenário, Procissão e Missa. No mês de setembro acontecem as Peregrinações (em hospitais, órgãos públicos, escolas, penitenciárias, igrejas). Há também os Encontros marianos nas escolas do bairro e nas famílias, que culminam com as missas de ruas. O que se vê durante todo o Festejo é uma grande manifestação da devoção dos fiéis maranhenses em torno de Nossa Senhora de Nazaré, que, como Mãe, intercede por todos os seus filhos, diante de Jesus, a nossa grande Luz. Essa devoção é percebida pelo número de devotos de todas as idades presente na Romaria, Novenário, Procissão da Luz, na Grande procissão do Círio e demais celebrações.


Círio em Macapá - AP Texto: * Márcia Fonseca Fotos: Luan Figueiredo, Márcia Fonseca, Fabiana Figueiredo, Gerge Duarte, Jefferson Souza

A

Motociclistas em romaria pelas ruas dos municípios de Santana e Macapá

Berlinda acompanhada por fiéis em Macapá

O Círio Musical, foi realizado de forma inédita na Praça da Catedral São José, e aproximadamente 700 pessoas, em três noites de shows e apresentações culturais. Realizada no segundo domingo de outubro, a grande procissão do Círio reuniu mais de 120 mil fiéis, que caminharam pelas ruas da capital ao redor da berlinda, ornamentada com mais de 3 mil rosas nas cores vermelhas e brancas. Atrelados à corda, um dos maiores símbolos do evento religioso, muitos fiéis pediram e agradeceram às bênçãos alcançadas através da intercessão da virgem de Nazaré. “Esta festa é uma manifestação da fé do povo, onde o Papa Francisco reforça dizendo que este é o sentido da fé. Um momento em que a igreja comunica e transmite a fé em si e o povo responde com esta participação, com este ânimo e nos anima. Maria nos chama e ampara, e o povo se sente acolhido por ela”, disse o bispo de Macapá, Dom Pedro José Conti. Após um mês de programação, a comunidade católica encerrou a festa do Círio 2016 em Macapá com a missa e procissão do Recírio, um momento de fé e devoção que marca a volta da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré à Catedral São José, onde fica durante o ano inteiro esperando a programação religiosa do ano seguinte.

maior festa católica do estado do Amapá, o Círio de Nazaré, contou com muitas novidades na 81ª programação, com tradição e fé. A festa ocorrida na capital Macapá, refletiu sobre o tema “Salve Rainha, Mãe de Misericórdia” e o Lema: “A sua misericórdia se estende de geração em geração” (Cf. Lc 1,50), inspirados na reflexão sobre a misericórdia, a pedido do Papa Francisco. Durante as peregrinações, a imagem percorreu municípios, acompanhada por ribeirinhos, crianças, rodoviários, motociclistas e ciclistas. No novo percurso da Romaria Fluvial passou por diversas comunidades católicas ribeirinhas às margens dos rios Amazonas e Matapí, no município de Santana, distante cerca de 17 quilômetros da capital. Após a chegada no porto da Balsa, a berlinda com a imagem foram levadas por motociclistas em uma nova romaria até a Catedral de São José, em Macapá. A Romaria dos Ciclistas, com percurso mais longo foi preparado para que os participantes pudessem percorrer ao lado da imagem da Virgem Maria. A romaria representa a preocupação da igreja com a educação no trânsito, a ciclomobilidade urbana e o incentivo à prática de atividades físicas.

Mais de 700 pessoas participam do Círio Musical na Praça da Catedral

Dom Pedro José Conti, Bispo de Macapá, no final do Círio, agradeceu às pessoas que conservam o meio ambiente, a comunhão de famílias e cobrou dos políticos que “escutem o povo e os mais pobres

Asscom Círio 2017

A Romaria fluvial, percorreu diversas comunidades católicas ribeirinhas às margens dos rios Amazonas e Matapí

66

A grande procissão do Círio, refletiu sobre o tema “Salve Rainha mãe de Misericórdia”

*


Círio em Manaus - AM

A

Fotos: Dantas, Honório Yokota, Laura Miglioli

102ª edição do Círio de Nazaré - A Festa da Fé em Manaus teve como tema “Que Maria nunca se canse de volver para nós os seus olhos misericordiosos” e como lema “Maria, Mãe da Misericórdia, ensina-nos a sermos misericordiosos”. Os festejos iniciaram no mês de setembro com a peregrinação da imagem da Virgem da Berlinda pelas Comunidades de nossa Paróquia (Jesus de Nazaré | Santo Antônio | São João Batista | Nossa Senhora de Nazaré). Em outubro as Imagens Peregrinas participaram do Novenário nos Condomínios sendo acolhidas pelos paroquianos em nove condomínios nas proximidades da Paróquia. O novenário também aconteceu na Igreja, tendo sido conduzido a cada noite por uma Pastoral, Serviço ou Movimento. No segundo sábado de outubro, após a Santa Missa presidida pelo Arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Eduardo Castriani, juntamente com o então, nosso Pároco, Padre Mario Missiato (PIME) e Padre Paulo Prashant (PIME), os devotos saíram em procissão como peregrinos para a Transladação da Imagem da Virgem de Nazaré da Igreja Nossa Senhora de Nazaré até o Santuário de Nossa Senhora de Fátima. Na manhã do dia seguinte às 6h30 o Reitor do Santuário, Padre João Besgamasco (SAC) celebrou a missa de despedida da imagem e acompanhou a tradicional Procissão do Círio junto com o Padre Mario, Padre Paulo e milhares de devotos, finalizando com a Missa Solene celebrada por Dom José Albuquerque de Araújo, Bispo Auxiliar de Manaus, em sua casa Paróquia Nossa Senhora de Nazaré. No terceiro sábado aconteceu o Círio das Crianças e Jovens, quando os nossos catequizandos e suas famílias saíram em caminhada com a Virgem da Berlinda. Finalizando as homenagens a Nossa Senhora de Nazaré eles participaram da Santa Missa. Entre os dias que antecedem o Recírio, houveram celebrações diárias em honra a nossa Padroeira. No último final de semana, os devotos da Virgem de Nazaré participaram da Procissão do Recírio, recordando o símbolo de fé e missão, concluindo com a missa solene de encerramento e o festivo Arraial da Padroeira, momento de descontração e união entre comunidades. Muitas palavras podem definir o Círio de Nazaré, mas “Unidade”, é a palavra exata, que marca toda a caminhada Mariana. O atual Pároco é o Padre Daniel Curnis.

O rio de devotos

Missa solene do Círio

A Virgem da Berlinda

Nossa Senhora de Nazaré e Dom José Albuquerque de Araújo

67

A fé dos promesseiros na corda

Fiéis devotos em procissão acompanham a imagem da Virgem em sua Berlinda

As esposas do ECC Encontro de Casais com Cristo abrindo a procissão

Círio das Crianças e dos Jovens


Círio em Porto Velho-RO

N

Fotos: Sec.Paroquial

ossa Senhora de Nazaré é a Padroeira de Rondônia, conforme designação, do Núncio Apostólico do Brasil, Dom Bento Aloisi Massela, em 1943 e Decreto nº 180, de 5 de abril de 1951, do então Governador do Território Federal do Guaporé, Engenheiro Petrônio Barcelos. A festa em homenagem a Nossa Senha de Nazaré em Porto Velho data do ano de 1930. Até a década de 1970 aconteceu na Catedral do Sagrado Coração de Jesus, onde durante uma semana acontecia o Arraial. Naquele tempo cada noite era de responsabilidade da família de um empresário da cidade. De uns tempos para cá o Círio passou a ser no bairro Jardim Eldorado justamente na rua Pau Ferro onde ergueram uma igreja para Nossa Senhora de Nazaré e a festa continuou na semana que antecedia o 2º domingo de outubro – Dia do Círio de Nazaré. O Círio de Nazaré deste ano, em Porto Velho, como já em alguns – Portugal, Saquarema-1º do Brasil, Brasília-DF, Morro Vermelho-MG, ocorrem na data de comemoração do natalício – Natividade de Nossa Senhora, Mãe de Deus e de todos nós. Assim a Procissão do Círio em Porto Velho foi no dia 10 de Setembro. Saiu da Igreja Nossa Senhora de Nazaré, percorreu as Ruas: Pau Ferro, Anari, Laranjeiras, 15 de Setembro, Ouro Verde e Baobá e retornou para a referida Igreja.

Ao final, a berlinda chegando na Igreja Nossa Senhora de Nazaré

A berlinda antes do início do Círio de Porto Velho

Estava começando o Círio de Nazaré em Porto Velho

Padre Alceu Weber, pároco da Igreja Nossa Senhora de Nazaré, no Círio

Percorrendo as ruas de Porto Velho

68


Círio em Rio Branco-AC

N

Dom Joaquin – Bispo do Acre, logo após receber a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, para o início da procissão

o domingo do Círio, pela manhã, aconteceram duas missas na igreja matriz, e a partir das 17hs, começou a concentração de uma grande multidão na Gameleira – uma grande praça voltada para o Rio Acre, do qual, por volta das 17:30 começaram a surgir esplendorosamente alguns barcos acompanhando o barco que conduzia a imagem de Nossa Senhora De Nazaré, até o porto da Gameleira. Quando a imagem chegou foi recebida com muitas cantos e homenagens. Os casais do ECC com tochas a conduziram até o Bispo D. Joaquin e o Reitor da Catedral, Padre Massimo Lombardi. Em seguida, D. Joaquin, depositou a imagem na berlinda que foi conduzida pelas principais ruas do centro de Rio Branco. A corda ia a frente ajudando a puxar a berlinda conduzida pelo povo que cheio de fé caminhava rumo a Catedral juntamente com muitos anjos que completavam a beleza da procissão. A Guarda de Nazaré cuidava para que a Virgem continuasse protegida assim como o povo. Chegando à matriz ao entrar na Catedral, desceu sobre a berlinda uma chuva de pétalas de rosas e em seguida aconteceu a belíssima celebração de encerramento da festa. Assim como já tradicional, em preparação ao Círio temos o novenário, quando, a cada noite, uma Paróquia vem completa e cuida da novena dentro da missa. O tema do Círio que completava 84 anos foi “Maria de Nazaré a Mãe da Misericórdia”.

Romeiros conduzem a corda no interior da Catedral de Rio Branco

69

Dom Joaquin, abençoa os féis devotos com a imagem de Nossa Senhora, antes do início da procissão do Círio

Berlinda com imagem de Nossa Senhora de Nazaré no Círio do Acre

A berlinda antes da belíssima celebração de encerramento da festa

Dom Joaquin – Bispo do Acre, logo após receber a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, para o início da procissão


Círio em Cayenne - França Fotos: Hidair Eve

A berlinda com Nossa Senhora, no Círio de Caiena

O

Último ano que o Padre Silvino Figueredo Neto (padre Joca) organizou o Cirio de Caiena, ele foi transferido para o Maranhão

Círio de Nazaré é festejado há alguns anos na diocese de Caiena pela comunidade paraense/brasiliera. Como sempre, acontecem várias semanas de preparação nas casas das famílias, com reuniões de orações e novenas à Nossa Senhora de Nazare, em São Francisco Xavier, sempre realizada com a presença dos Padres Joca, Kennedy e Pe. Elie Lagrille. A confecção do novo Manto também é executado nessas reuniões. Ao término dessas novenas/peregrinações o pré Círio na Paróquia Remire Montjoly na igreja São Francisco Xavier, com a coroação da virgem e a troca do manto.

Crianças na corda no Círio de Cayenne

No dia do Círio, a procissão, como de costume, saiu da capela de São Martinho de Porres para a Catedral de Sao Salvador de Caiena, eram cerca de 2000 os participantes do Círio, pelas ruas de Caiena. Na chegada, aconteceu a tradicional Celebração da Eucaristica e a benção da imagem de Nossa Senhora de Nazaré, aos fiéis devotos. Após o término da celebração, uma grande confraternização entre os presentes. Este foi ultimo ano que o Padre Silvino Figueredo Neto (padre Joca) organizou o Cirio pois ele foi enviado em missão para o estado do Maranhão, no Brasil.

Durante a incensão da imagem/ berlinda na Celebração

Promessa com miniatura da berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

Fiéis participando do Círio, pelas ruas de Caiena

70


Círio em Cabra – Espanha Fotos: Devotos de la Virgen de la Sierra, Jesús Ruiz Jiménez “Gitanito”

S

éculos de veneração da Virgem por um ícone é tão antiga quanto a imagem de Nossa Senhora, a Virgem da Serra. As provas documentais oferecem pouca discussão. Sabemos que a devoção à Virgem Maria está presente em Cabra, há mais de sete séculos e meio dos primeiros dados sobre a existência de Santa Maria, nas imediações da Serra, como é a referência no Livro de Montería de Alfonso XI (1340) ou documento Nava (1396), que eles falam sobre “Robledo de Santa Maria” e “Dehesa ou Nava de Santa Maria de la Sierra”. Fazem mais de 620 anos do documento mais antigo preservado, onde a invocação da padroeira da Cabra é nomeada. Trata-se, como já foi referido mais de uma vez para uma ação de venda. É uma escritura de venda do – Dehesa de la Nava “chamado de Santa Maria de la Sierra”, no qual Dona Urraca, em 1396, vendeu ao Conselho Villa de Cabra, aquela porção de terra na Serra. Esta é a primeira referência documentada da egabrense devoção à Virgem de la Sierra

Cartaz 2017 para a Feira e Festival em honra de Maria Santíssima da Serra

A imagem da Virgem da Sierra é o eixo central do cartaz feito com grafite com toques de cor contribuídos pelos tons da Bandeira. Na parte central você pode ver o campanário da Paróquia da Assunção e dos Anjos, uma vez que concentra o maior número de devotos do santo padroeiro durante estas férias. No fundo, você pode ver os cravos como um detalhe, bem como uma haste de nardos, flor típica nesses festivais egabrenses. As cores utilizadas (vermelho, verde, branco e amarelo) são as cores da bandeira da Virgen de la Sierra.

Como todo dia 3 de setembro, o Tambor e a Bandeira, anunciam a chegada da Patrona, Maria Santíssima da Serra

Chegada nos Arcos da Virgem da Serra

71

Na Romaria “Votos e Promessas” em homenagem à Virgem da Serra

Virgem Maria Santíssima da Serra

Em uma das Romarias à Virgem da Serra

A Baixa da Virgem de la Sierra

Cabra viveu com intensidade e devoção a ‘Baixa’ da Virgen de la Sierra

É um ato principal e emocional das festas em homenagem a María Santísima de Sierra, quando milhares de pessoas acompanharam a imagem da Virgem Santíssima da Serra, patrona de Cabra, carregados por seus costaleros, entre olivais, e o alecrim do Parque Natural da Subbética, com o cheiro de 700 varas de nardos (ou de San José – Nardos, são da familia Amarilidáceas), desde as portas de seu santuário, localizado a 1.217 metros de altitude, em uma estrada estreita de cerca de sete quilômetros. Na passagem por La Viñuela, através de Los Colchones ou Casilla de la Salve, as mulheres assumem os costaleros por alguns instantes, para sentir o peso da Patrona dos egabrenses, em seus ombros, marca ano após ano alguns dos Momentos de referência desta multitudinária Baixada. Por volta das sete da tarde, depois da parada em Gongora, a Virgem chegou ao bairro que leva seu nome, entrando na paróquia de San Francisco e San Rodrigo para mudar de manto, antes de entrar no centro da cidade. Seguindo a tradição, nos arcos da rua Baena, o prefeito da cidade, Fernando Priego, impôs-lhe o cetro de Prefeita Perpétuo da cidade, acompanhado pela comitiva oficial e dezenas de carros alegóricos para a paróquia da Assunção e Ángeles, já no município de Cabra. Cabra já vivia suas festividades da Santo Padroeira.


Festas em Honra de Nossa Senhora da Nazaré - Portugal

No Sítio da Nazaré, em Portugal, de 1182 – 2017, 835 anos de devoção à Nossa Senhora Da Nazaré Fotos: Szarro/CNSN

N

este 2017, as festividades iniciaram em 30 de agosto, com as orações da Novena em Honra de Nossa Senhora da Nazaré no Santuário, que se estendeu por todos os dias pelas 18horas, seguida de Missa às 19h, até dia 7 de Setembro. No dia 06 de setembro, após a Novena, a Benção dos Doentes, em seguida a Procissão das Velas e Benção das Famílias. O dia 8 de setembro, seu Feriado Municipal – “Dia da Festa da Casa” começou com a alvorada, seguida da cerimónia do hastear das bandeiras no edifício dos Paços do Concelho e da cerimónia de hastear da bandeira no Bico da Memória (local onde se assinala o milagre do salvamento de D. Fuas Roupinho por intervenção de N. Sra. da Nazaré.

Réplica da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré que integra os festejos em Honra de Nª Sr.ª da Nazaré

D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa

72


Pelas 11h, o ponto alto das celebrações religiosas aconteceu com a realização da Eucaristia Solene campal, em honra da Padroeira, presidida por sua Eminência, Cardeal Patriarca de Lisboa, Dom Manuel Clemente, no largo de N. Sra. da Nazaré, que se encheu de devotos. Seguiu-se a cerimónia da Bênção do Mar e a Procissão pelas ruas engalanadas e enfeitadas com flores, do Sítio.

Missa Campal, presidida por D. Manuel Clemente, Cardeal Patriarca de Lisboa e coadjuvada pelo Padre Moisés Herves e pelo Padre Paolo Lagatta

Hastear das Bandeiras por representantes da GNR, Bombeiros e P.S.P.

Entrega de Oferendas, durante a Missa Campal

Órgãos da Mesa Administrativa da Confraria no Santuário de N.ª Sr.ª da Nazaré

Entidades Oficiais no Hastear das Bandeiras, no Bico da Memória, local onde se deu o Milagre de Nossa Senhora da Nazaré;

Tomada de Posse e Juramento de Fidelidade do novo Reitor, Pe. Paolo Lagatta durante a Missa Campal

Chegada de Nª Sr.ª da Nazaré ao Santuário e fim da Procissão

73


Círios em Honra de Nossa Senhora da Nazaré No sábado 9 de setembro, houve o Círio da Mata (Olhalvo) e Cadriceira, além do Círio da Prata Grande, com Missa Campal, seguida de Procissão. As Festas em Honra de N. Sra. da Nazaré são uma organização da Confraria de N. Sra. da Nazaré e da Câmara Municipal.

Nazaré em Festa As festividades com vertente de carácter profano – chamadas “Festas do Sítio”, com a vertente de animação dos festejos, com a programação do “Nazaré em Festa”, aconteceu de 5 a 14 de Setembro, animada pelos carrosséis, mostra de atividades económicas, artesanato, gastronomia (tasquinhas) e música, no Parque Atlântico, Sítio da Nazaré.

Despedida do Padre Moisés, como Reitor do Santuário

Momentos Lúdicos Na terça 12 de setembro, pelas 21H00 – no Santuário, o Fado Mariano, com Carla Roxo Pereira (Voz), João Coelho (Guitarra Portuguesa), Mário Maduro (Viola de Fado). No sábado 16 de setembro, o XVII Festival de Folclore, com Missa Campal e Atuação dos Grupos. Na quinta 14 de Setembro, no Santuário, o Concerto Catequético Meditativo em Honra de Nossa Senhora, com Coro e banda dos Arautos do Evangelho

Procissão com a imagem de N.ª Sr.ª da Nazaré – Imagem carregada pelos órgãos da Mesa Administrativa

O andor com a réplica da Imagem de Nossa Senhora da Nazaré, conduzida por membros da Confraria de N.ª Sr.ª da Nazaré

Participação das Crianças na Procissão, crianças com o traje típico da Nazaré

Ermida da Memória

Bênção ao Mar e aos Pescadores no Bico da Memória

74


A Amazônia rende graças e pede bênçãos a Nossa Senhora deNazaré Rainha da Amazônia Muitas Amazônias, uma só revista. Nas Melhores bancas. Economia | Saúde | Educação | Ciência | Meio Ambiente | Inovação | Tecnologia | Atualidades | Cultura

40

Revista Círios de Nazaré | 2017


IN

E M O N DIAL

-

PA TR

L

H

E

Nº 22

- W ORL D

Ano 22

Outubro 2017

ISSN 1809-466X

Edição Especial

R$ 15,00

O IM - PA T R

GE TA RI

A

DI IO M U N

ÔN IM

Círios de Nazaré

www.cirios.com.br

R$ 15,00

Profile for Editora Círios Ltda

Círios de Nazaré 2017  

Círios de Nazaré 2017  

Advertisement