Page 1

ÔN

IO M U N

DI

A

L

E

RI

Nº 21 Círios de Nazaré

ISSN 1809-466X

Outubro 2016

R$ 15,00

R$ 15,00

Pará, Amapá, Amazonas, Acre, Brasília, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo, Portugal, França e Espanha

TA

IN

H

Ano 21

- W ORL D

E M O N DIAL

-

PA TR

Edição Especial IM

GE

- PA T R

IM

O


46 Revista Círios de Nazaré | 2016

GUIAS CÍRIO DE BELÉM.indd 46

30/09/2016 17:16:39


03 Revista Círios de Nazaré | 2016


EDIÇÃO 2016 PUBLICAÇÃO Editora Círios SS LTDA ISSN 1677-7158 CNPJ 03.890.275/0001-36 Rua Timbiras, 1572-A Fone: (91) 3083-0973 Fone/Fax: (91) 3223-0799 Cel: (91) 9985-7000 www.cirios.com.br E-mail: cirios@cirios.com.br CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil DIRETOR, PRODUTOR E EDITOR Ronaldo Gilberto Hühn COMERCIAL Alberto Rocha e Rodrigo B. Hühn DISTRIBUIÇÃO E VENDAS Rodrigo B. Hühn REDAÇÃO Adriana Pinheiro, Ascom ArqRio, AssCom. Arquidiocese de Manaus​, Celia Maria Santos Lindoso, Eve Hidair, Fabiana Figueiredo, Felipe Azevedo, Geraldo Lopes, Helena Oliveira, Luiz Geraldo Pinho, Maria da Glória Gama da Silva, Pe. Alceu Luiz Weber, Sandra Marina Lopes FOTOGRAFIAS Alaise D’cácia Ribeiro, Alessandra Serrão - NID/Comus, Alex M.Nogueira Ribeiro, Ana Lua, Anderson Silva, Antonio Cicero dos Santos, AssCom. Arquidiocese de Manaus, Bento Leite, César Dominici, Cristino Martins, Sidney Oliveira / Ag. Pará, Carlos Moioli, Eve Hidair, Gustavo de Oliveira e Jéssica Pinheiro, Jorge Figueiredo, Ivanildo de Santana Monteiro, Joaquim de Freitas, Joel Gavinho dos Reis, Larissa Yasmin Luz e Silva, Lenilson Azevedo, Luana Elizia, Luiz Geraldo Pinho, Joyce Brenda, Luís Xavier, Marcelo Seabra, Marcos W. de O. Lopes, Mateus Serafim , Renata Sampaio Correa, Rodrigo Hühn, Vitor M. de Abreu Mello, Wilson Dias/ Agência Brasil, , Diego Beckman, Fabrício Coleny - ASCOM Basílica Santuário de Nazaré, Thiago Gomes / Ascom Susipe, Venâncio Carreira, Igor Mota Magno (1003) e (1009), Vitor Mauricio de Abreu Melo (597), Marcos Weliton de Oliveira Lopes (083), Leonardo Lopes Monteiro (1223), Fernando Araujo (1538); Helaine Roberta Barbosa da Silva (Roberta Jardim) (1411); Haroldo Lemos Burle (919); Alaise D’cácia Ribeiro (1107); Igor Mota Magno (1004); Helaine Roberta Barbosa da Silva (1407); Igor Mota Magno (1006); Leonardo Lopes Monteiro (1211); Ray Nonato (604); Marcos Weliton de Oliveira Lopes (092); Vitor M. de Abreu Melo (589); Ray Nonato (605); Helaine Roberta Barbosa da Silva (Roberta Jardim) (1407); Vitor M. de Abreu Melo (585); Anderson Vaner Costa Cordovil (005); Joanaldo de Jesus Silva (046); Marcelo Seabra (372); Haroldo Lemos Burle (921); Igor Mota Magno (1008); Marcelo Seabra (376); Nilson Cortinhas Pessoa Junior (040); Manoel Campos da Costa Neto (864); Osmarino L. de Souza (1532); Leonardo Lopes Monteiro (1221); Fernando Araujo (1541); Leonardo Lopes Monteiro (1214); Vitor M. de Abreu Melo (576); Larissa Yasmin Luz e Silva (1312); Ray Nonato (606); Larissa Yasmin Luz e Silva (1328); Manoel Campos da Costa Neto (824); Leonardo Lopes Monteiro (1217); Davi Dias Sousa Junior (008) e Marcelo Seabra (373) PROJETO GRÁFICO E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA Editora Círios SS LTDA DESKTOP Mequias Pinheiro NOSSA CAPA

Sumário

05 Mensagem de Sua Santidade o Papa Francisco 06 Mensagem do Arcebispo de Belém / Mensagem do Governador 07 Mensagem do Presidente da República 10 Procissões do Círio 12 Círio de Nazaré 28 Traslado 30 Romaria Rodoviária 31 Trasladação 34 Romaria Fluvial 36 Círio das Crianças 38 Recírio 40 14° Concurso Imagens de Círios 46 Círio no Rio de Janeiro 52 Círio de Saquarema-RJ 53 Círio no Bairro do Ipiranga-SP 54 Círio de Nazaré em Osasco-SP 55 Círio de Santos-SP 56 Círio em Nazaré Paulista-SP 57 Círio em Vila Carioca-SP 58 Círio de Morro Vermelho-MG 59 Círio em Brasília-DF 60 Círio de Natal-RN 61 Círio de Recife-PE 62 Círio de Ouro Branco-RN 63 Círio de Fortaleza-CE 64 Círio de Capistrano-CE 65 Círio de São Luis-MA 66 Círio de Macapá-AP 67 Círio de Manaus-AM 68 Círio de Rio Branco-AC 69 Círio de Porto Velho-RO 70 Círio em Cabra - Espanha 71 Círio em Cayenne - França 72 Festas em Honra de N.S. Nazaré

Arranjo artístico em foto montagem com a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, em seu andor. Foto de Davi Dias Souza Junior, no 14° Concurso Imagens de Círios PA-538


MENSAGEM DE SUA SANTIDADE O PAPA FRANCISCO

P

or ocasião das festividades do tradicional Círio em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré, saúdo todos os fiéis que se reúnem em torno da Mãe de Deus para agradecer e confiadamente implorar a sua materna proteção, ao mesmo tempo que os animo a um renovado empenho na Nova Evangelização, como discípulos e missionários de Jesus, chamados a viver, como a Virgem Mãe, “com coragem e serenidade, os desafios familiares tristes e entusiasmantes, e a guardar e meditar no coração as maravilhas de Deus (cf. Lc 2, 19.51)” (Amoris lactitia, 30). Enquanto invoco sobre todos, abundantes graças do Altíssimo, envio-lhes uma propiciadora Bênção Apostólica. Por favor, não deixem de rezar por mim. Franciscus PP.

5 Revista Círios de Nazaré | 2015


Mensagem do Governador

A

ntes mesmo de se tornar um tradicional momento de reencontros, o tempo do Círio de Nazaré é sobretudo de reflexão. E, nesses tempos, temos motivos de sobra para refletir sobre nossas atitudes diárias, nossa relação com o outro, com nossa família, nossa comunidade, nossa sociedade. Vivemos tempos difíceis. Já atravessamos outras vezes momentos semelhantes ao longo de nossa história e de nossa existência e, vez ou outra, somos convocados a nos reinventar, refazer, redescobrir. Pelo dia seguinte, por mais tarde que ele venha, vale a pena enfrentar toda tormenta posta diante de nós e dos nossos. E essa certeza, essa convicção que, através da retidão de nossa conduta, teremos dias melhores é o que convencionamos chamar de fé. Sem ela, tudo fica mais pesado e difícil. Nesses tempos difíceis, lembramos as palavras do apóstolo Paulo, que ensinou que até podemos em tudo estarmos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos. Esse jeito de ser, aliás, é característico da nossa gente, do nosso povo, que segue em frente e enfrenta os desafios e as necessidades. Sim, atravessaremos esses tempos. Afinal, temos consciência de que nossa gente é capaz, pela fé e pelo amor, de construir um novo tempo e uma nova sociedade, com melhores homens e mulheres para o mundo, sendo essa a premissa para termos, enfim, um mundo melhor para homens e mulheres. Que o tempo do Círio de Nazaré e a fé em Nossa Senhora nos conduza nesse caminho, promovendo a reflexão, que é a base de toda e necessária ação, da mais simples à mais complexa. Um Feliz e abençoado momento de reflexão. Um Feliz e abençoado Círio de Nazaré, Pará.

6 Revista Círios de Nazaré | 2016

Simão Jatene Governador do Estado do Pará


MENSAGEM DO PRESIDENTE

Q

uero dirigir-me, de maneira especial, aos milhões de romeiros que acorrem, todos os anos, ao Círio de Nazaré, uma das mais extraordinárias demonstrações de fé do Brasil, que se realiza desde 1793. Há mais de dois séculos, portanto, temos presenciado uma das mais belas procissões católicas do Brasil e do mundo, numa caminhada de fé pelas ruas de Belém. O Círio é a maior festividade religiosa do Brasil, unindo raças, credos e religiões. Tornou-se o primeiro bem inscrito no Livro de Registro das Celebrações como Patrimônio Cultural do Brasil, sendo também reconhecido como uma das Obras-Primas do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, tal qual foi definido pela UNESCO. A extraordinária procissão anual significa um tempo de renascimento, de solidariedade e de culto da paz. Desejo a todos os que dela participem que reflitam sobre a necessidade de cultivarmos a tolerância, no rumo da pacificação de nossa sociedade. Brasília, 14 de setembro de 2016.

MICHEL TEMER Presidente da República

07 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

PROGRAMAÇÃO DO

224º CÍRIO OUTUBRO 2016

DIA

HORA

EVENTO

LOCAL

04

19:00

Abertura Oficial do Círio 2016

Casa de Plácido

05

08:00

Abertura da Vigília de Adoração/Oração

Capela Bom Pastor

05

21:00

Transportes dos Carros - CDP

Basílica Santuário / CDP

06

18:00

Missa Apresentação do Manto

Basílica Santuário

07

06:30

Encerramento da Vigília de Adoração/ Oração

Capela Bom Pastor

07

07:00

Missa do Traslado

Basílica Santuário

07

08:00

Traslado Ananindeua/Marituba

Basílica Santuário

08

05:30

Romaria Rodoviária

Ananindeua

08

09:00

Romaria Fluvial

Icoaraci

08

11:30

Moto Romaria

Pça. Pedro Teixeira

08

12:30

Descida da Imagem

Basílica Santuário

08

16:30

Missa da Trasladação

Colégio Gentil

08

17:30

Trasladação

Colégio Gentil

09

05:00

Missa do Círio

Catedral da Sé

09

06:30

Início da Procissão do Círio

Catedral da Sé

09 a 23

20:30

Programação Cultural/Círio Musical

Concha Acústica

10 a 15 17 a 22

05:30

Terço da Alvorada

Basílica Santuário

15

08:00

Ciclo Romaria

Pça. Santuário

15

16:00

Romaria da Juventude

Igreja a definir / Basílica Santuário

16

07:00

Missa Romaria das Crianças

Pça. Santuário

16

08:00

Romaria das Crianças

Pça. Santuário

22

05:30

Romaria dos Corredores

Pça. Santuário

23

07:00

Missa Procissão da Festa

A definir

23

08:00

Procissão da Festa

A definir

23

19:30

Missa de Encerramento

Basílica Santuário

23

21:00

Encerramento do Círio 2016

Casa de Plácido

23

22:00

Espetáculo de Encerramento

Pça. Santuário

24

05:30

Subida da Imagem

Basílica Santuário

24

06:00

Missa do Recírio

Pça. Santuário

24

07:00

Recírio

Pça. Santuário

08 Revista Círios de Nazaré | 2016

Programação litúrgica da quinzena

De Segunda a Sábado 5h15 - Terço da Alvorada 5h45 - Missa e Consagração 7h - Missa e Consagração – Tv Nazaré 9h - Romaria com Missa 12h - Missa e Consagração 15h - Adoração – Terço da Misericórdia – Novena 17h - Santo Terço 18h Missa com pregação – Tv Nazaré 20h - Oração do Terço dos Homens

Missas aos Domingos Manhã: 6h30-7h (Praça)-8h-10h Tarde: 12h-16h30-18h Noite: 20h

Confissões – Diariamente 8h às 12h e 14h às 20h

Programação do Círio Musical

Concha Acústica da Praça Santuário Às 20 :00 hs 09/10 – Tony Alysson 10/10 – Anjos de Resgate 11/10- Davidson Silva 12/10 – Banda Dom 13/10 – Dunga 14/10 – Suely Façanha 15/10 – Adoração e Vida 16/10 – Missionário Shalom 17/10 – Paulinho de Sá 18/10 – Cristo Alegria e Jonhi 19/10 – Aline Brasil 20/10 – Adriana 21/10 – Pe. Sidney 22/10 – Eliana Ribeiro 23/10 – Canto das Irias e Comunidade Católica Shalom


09 Revista Círios de Nazaré | 2016

AnúncioRevistaCirio-205x270mm.indd 1

28/09/16 11:25


Fotos: Osmarino L. de Souza

Procissões do

CÍRIO 2016

A

primeira das 12 procissões do Círio, no dia 7 de outubro, é o Traslado da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, saindo às 8 horas da Basílica Santuário, indo à Marituba e Ananindeua, em 52 quilômetros e 12 horas de duração. A Romaria Rodoviária, sairá ás 5h30 do dia 8, da Igreja Matriz de Ananindeua, seguindo para o Trapiche de Icoaraci, com 24 quilômetros, em cerca de três horas de duração. A Romaria Fluvial, sairá às 9 horas, do dia 8, de Icoaraci, para a Escadinha do Cais do Porto, no centro de Belém, com 10 milhas náuticas (18,5 quilômetros), e duas horas de duração. Logo após, às 11h30, a Moto Romaria, sairá da Praça Pedro Teixeira, em percurso de 2,5 quilômetros, até o Colégio Gentil

Bittencourt, com uma hora de duração. A Trasladação, no sábado, dia 8, sairá do Colégio Gentil às 17 horas rumo à Catedral Metropolitana, com 3,7 quilômetros e cinco horas de duração. *Técnicos da Semob, Detran e PM bloquearão o corredor do Círio às 12 horas do sábado, dia 8, até o término da procissão, no dia 9. O Círio de Nossa Senhora de Nazaré, no dia 9, sairá às 6h30 da Catedral Metropolitana em direção a Praça Santuário. Com 3,6 quilômetros, tem previsão de durar 6 horas. Serão também realizadas durante a quinzena nazarena, a Ciclo Romaria, Romaria da Juventude (saída este ano da Paróquia Mãe da Divina Providência), Romaria das Crianças, Romaria dos Corredores, Procissão da Festa (saída da Comunidade Santo Antônio Maria Zaccaria) e encerrando as festividades, o Recírio, a menor das procissões (saindo do alta da Praça Santuário, percorre o entorno da Praça, seguindo o fluxo da Av. Nazaré até ao Colégio Gentil Bitencourt).

DIA

HORA

PROCISSÃO

SAÍDA

07/10

08.00

Traslado Ananindeua/Marituba

Basílica Santuário

08/10

05.30

Romaria Rodoviária

Igreja Matriz de Ananindeua

08/10

09.30

Romaria Fluvial

Icoaraci

08/10

11.30

Moto Romaria

Pça. Pedro Teixeira

08/10

17.30

Trasladação

Colégio Gentil

09/10

06.30

Círio de Nazaré

Catedral da Sé

15/10

08.00

Ciclo Romaria

Pça. Santuário

15/10

16.00

Romaria da Juventude

Igreja N.Sra. Mãe da Divina Providência (Maracangalha)

16/10

08.00

Romaria das Crianças

Pça. Santuário

22/10

05.30

Romaria dos Corredores

Pça. Santuário

23/10

08.00

Procissão da Festa

Igreja Santo Antonio Maria Zacaria

24/10

07.00

Recírio

Pça. Santuário

10 Revista Círios de Nazaré | 2016


SAC CAIXA – 0800 726 0101 (Informações, reclamações, sugestões e elogios) Para pessoas com deficiência auditiva ou de fala – 0800 726 2492 Ouvidoria – 0800 725 7474 facebook.com/caixa | twitter.com/caixa caixa.gov.br

Onde quer que você esteja, na hora em que você precisa: a CAIXA vai até você. Em casa, no trabalho, no parque, conte com a CAIXA. E usando o aplicativo CAIXA no tablet ou celular, a internet é por nossa conta. Agora, você está a três passos da CAIXA: baixou, clicou, resolveu.

02 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Círio

Nazaré de Nossa Senhora de Fotos:

Alaise D’cácia Ribeiro, Alessandra Serrão - NID/Comus, Alex M.Nogueira Ribeiro, Anderson Silva, Antonio Cicero dos Santos, Cristino Martins, Sidney Oliveira / Ag. Pará, Davi Dias, Fernando Araujo, Ivanildo de Santana Monteiro, Joanaldo Silva, Joel Gavinho dos Reis, Larissa Yasmin Luz e Silva, Leonardo Lopes Monteiro,

Marcelo Seabra, Marcos W. de O. Lopes, Osmarino Silva, Renata Sampaio Correa, Rodrigo Hühn, Vitor M. de Abreu Mello, Wilson Dias/Agência Brasil

12 Revista Círios de Nazaré | 2016


Contornando a Praça Dom Frei Caetano Brandão, frente ao Museu de Arte Sacra, o início do Círio

E

m um dos mais tranquilos Círios dos últimos anos, as tradicionais manifestações de fé, emoções e muita solidariedade se fizeram presença constante, como sempre, em toda capital paraense. A imagem peregrina da santa partiu de frente à Catedral de Belém, na Praça Dom Frei Caetano Brandão, na Cidade Velha, logo após missa presidida pelo Arcebispo metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, e concelebrada pelos bispos Dom Teodoro Mendes e Dom Irineu Roman, na presença de dezenas de párocos e padres da capital paraense, do interior e convidados Na homilia, Dom Alberto conclamou a todos a permitirem a presença de Deus em suas vidas: “Permita que Deus entre dentro de sua história, com o que você é e tem. Não tenha

Logo após a saída da Catedral de Belém

A alegria de servir a Padroeira

13 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

medo. O homem não veio ao mundo para rastejar no pecado, ao contrário, veio para olhar para o alto”. Em seguida, o então coordenador da Festa de Nazaré, Jorge Xerfan, colocou a imagem de Nossa Senhora de Nazaré na Berlinda para que a procissão começasse. Iniciava assim a famosa e tradicional procissão dos fiéis paraenses, onde devotos de todas as nacionalidades pagaram promessas e prestaram homenagens à Nossa Senhora de Nazaré, padroeira do Pará e Rainha da Amazônia. Logo no início, os Balanceiros, Geleiros e Feirantes do mercado do Ver-o-Peso, prestaram a primeira das homenagens à padroeira paraense. Em seguida, deu-se o atrelamento da corda à Berlinda – cerca de meia hora depois do início da procissão, em momento cada vez mais emocionante para os Guardas da Santa, no Boulevard Castilho França, no início da Estação das Docas. A partir daí, cerca de 7 mil pessoas conduziram a corda de 400 metros puxando a berlinda com a imagem de Nossa Senhora. Muitos pagadores de promessas fizeram o percurso descalços ou de joelhos. Essas tinham ajuda de pessoas que estendiam caixas de papelão pelo caminho, para que eles conseguissem cumprir suas promessas. Muitos – a maioria com os pés descalços, carregavam miniaturas de casa em isopor miriti ou madeira, na cabeça para agradecer a conquista da casa própria. Eram pontualmente 07h quando o núcleo da berlinda chegou frente à Estação das Docas, onde foi saudada pelos EstiNa Praça do Relógio, frente ao casario colonial da Rua Marquês de Pombal

14 Revista Círios de Nazaré | 2016


No Ver-o-Peso

Um dos maiores eventos religiosos do mundo

vadores com a sua tradicional homenagem – com cerca de 15 minutos de intensa queima de 40 mil fogos de artificio. Logo em seguida, a curva e subida da confluência da Boulevard Castilhos França com a Presidente Vargas, frente à CDP – o Na curva do Ver-o-Peso

momento mais crítico, este ano, com pouquíssimos problemas. O clamor repetido de Viva Nossa Senhora. Viva!, Viva!, animava com ardor fraterno o avanço da romaria. A partir daí se intensificaram as várias homenagens de órgãos públicos e moradores que vivem nos edifícios ao longo das avenidas Presidente Vargas e Nazaré, que incluíram queima de fogos de artifício, chuva de papel picado, balões e apresentações musicais. Em frente ao Banco do Brasil, com muita chuva de papel picado e serpentinas, fogos e aplausos o então Pe. Geffison Silva cantava para Nossa Senhora, e encantava os que passavam frente ao Banco. Frente ao Banco da Amazônia a homenagem com a apresentação do padre Antônio Maria, quando no momento, padre

15 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Dom Alberto Taveira, Dom Teodoro Mendes e Dom Irineu Roman

Antônio Maria externou: “Nossa Senhora nos oferece a oportunidade de entender que a vida é isso, uma caminhada para um horizonte melhor, mais cheio de Deus”. Concomitante, um show pirotécnico com fogos de vista “in door”, salva de fogos de artifício, e a tradicional chuva de pétalas de rosas para homenagear a Virgem de Nazaré durante a passagem da berlinda de Nossa Senhora de Nazaré pela frente da instituição. No interior do Banco, acontecia a exposição “Oratórios da Padroeira”, uma mostra com a curadoria do artista plástico Emanuel Franco, constituída de 13 oratórios feitos em miriti por artesãos de Abaetetuba, em diversos formatos e expressões artísticas. O Círio decorria tranquilamente quando em frente à TV Liberal aconteceu o corte da corda, na altura da quinta estação, na avenida Nazaré – apesar da campanha da Arquidiocese de Belém, para que a corda chegasse inteira até o Colégio Santa Catarina. Mesmo assim, muitos fiéis disputavam um pedaço desse símbolo do Círio, provocando tumulto, o que acabou deixando a romaria um pouco mais lenta. Depois, a romaria voltou ao seu ritmo, e como previsto a benção aos promesseiros da corda. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré em sua berlinda frente à Estação das Docas

16 Revista Círios de Nazaré | 2016

No Boulevard Castilho França em direção à Pres. Vargas


O núcleo da berlinda no meio da multidão

17 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Ao fundo, Pedro Teixeira contempla a padroeira em sua berlinda

No palco frente à Codem, a cantora lírica Gabriella Florenzano encantou todos com seu repertório sacro mariano. Em todo o percurso, acompanhando a procissão, os voluntários da Cruz Vermelha prestavam ajuda aos devotos que se sentiam mal. Durante a procissão, 13 carros acompanhavam a multidão para que os devotos pudessem depositar suas promessas, os chamados ex-votos – em geral grandes velas ou objetos de cera, imagens da santa e miniaturas de casas, simbolizando as graças alcançadas. Na Praça Santuário, após o fim da procissão, a missa celebrada por Dom Irineu Roman, Bispo Auxiliar de Belém quando Em frente ao Banco do Brasil, a homenagem tradicional com chuva de papel picado e serpentinas

Frente à CDP, subindo a Presidente Vargas Tradição tem origem portuguesa e acontece em várias cidades do País, sendo a mais expressiva a de Belém

Durante a maravilhosa procissão do Círio

18 Revista Círios de Nazaré | 2016


Sob as mangueiras da Praça da República

no final abençoou os milhares de fiéis reunidos, com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. A antecipação da chegada possibilitou que muitos devotos chegassem em casa antes mesmo do meio-dia, para participar de mais uma tradição do Círio: o almoço com a família – o

A Amazônia homenageia sua padroeira

Promessa/Homenagem

Um novo Grand Mercure no coração de Belém. O Grand Mercure Belém do Pará é um hotel elegante, com excelente serviço e atendimento. Além da ótima localização, possui também área de lazer completa, amplo espaço para eventos e ótimas opções de gastronomia. Aqui você encontra a melhor opção de hospedagem em Belém.

A fé, a emoção e a tradição passam pelo Grand Mercure

Av. Nazaré, 375 - Nazaré, Belém - PA | Para mais informações, ligue: (91) 3202-2000 ou acesse: www.grandmercure.com.br

Grand Mercure19 H O TE L

Belém do Pará

Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Segurança

20 Revista Círios de Nazaré | 2016

famoso Almoço do Círio, onde não faltou a maniçoba e o pato no tucupi. De acordo com a Secretaria de Turismo do Estado do Pará, Belém recebeu cerca de 84 mil visitantes para as festividades do Círio, Patrimônio Cultural e Imaterial da Humanidade, segundo a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O Círio de Nazaré, reuniu mais de 2 milhões de pessoas em Belém, de acordo com a organização do evento. O percurso, de 3,6 quilômetros, foi concluído em cinco horas de procissão, chegando por volta das 11h30, quando então a


imagem chegou à Praça Santuário. Um dos Círios mais rápidos dos últimos anos.

Avaliação

O Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, assim se manifestou durante a coletiva de imprensa que apresentou o balanço final do Círio: “Tivemos um saldo positivo.

Tudo ocorreu conforme o previsto”, mencionando o desafio que é realizar um evento do porte do Círio de Nazaré. Dom Alberto agradeceu o empenho de toda a Diretoria da Festa, o apoio da imprensa e falou, também, sobre o tempo da grande procissão do Círio: “O Círio tem suas próprias leis. Não temos poder sobre a corda. Nossa parte é sair na hora certa e assim foi feito. Fize-

21 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Manifestações de fé e emoção

mos tudo com tranquilidade e na paz. E as famílias puderam ter um almoço de Círio”, disse Dom Alberto, que também lembrou da campanha de combate ao corte da corda, amplamente divulgada no ano. O então diretor coordenador, Jorge Xerfan, destacou a satisfação da Diretoria da Festa por mais um Círio realizado. “Foi tudo muito tranquilo e organizado. Considerando a grandiosidade deste evento que é o Círio, os organizadores trabalham bastante, mas é a vontade de Deus que faz com que tudo ocorra conforme o previsto”.

Uma das manifestações católicas mais fortes do mundo

22 Revista Círios de Nazaré | 2016


No final da Presidente Vargas

23 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2016


Carro do Caboclo Plácido

CÍRIO | BELÉM

Carro da Santíssima Trindade

Alunos do Santa Rosa a frente da Barca Portuguesa Estação da Corda

Carro de Dom Fuas Roupinho, recordação de onde tudo começou Nos Mercedários

24 Revista Círios de Nazaré | 2016


FIQUE POR DENTRO

INSCRIÇÕES E REGULAMENTO NO PORTAL

facebook.com/ImagensdeCirios

www.paramais.com.br Ou na Rua Timbiras, 1572 (ENTRE Pe. Eutíquio e Apinagés) Batista Campos. Belém-PA Fones: (91) 3223.0799 / 3083.0973

2º Lugar 2015 - Igor Mota Magno

4º Lugar 2015 - Marcos Weliton de Oliveira Lopes

3º Lugar 2015 - Vitor Mauricio de Abreu Melo

1º Lugar 2015 - Igor Mota Magno

15º concurso fotogrAfico

5º Lugar 2015 - Leonardo Lopes Monteiro

DE É fácil e gratuito participar do Concurso Imagens de Círios. Para concorrer, as fotos deverão conter a temática referente ao “Círio de Nazaré – Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade”, valendo os mais diversos ângulos de Fé, Devoção, Tradição, Ecumenismo, Artesanato, Folclore Popular. Podem concorrer, fotos referentes às Festividades Premiação para as 5 fotos vencedoras REALIZAÇÃO:

Nazarenas em qualquer dos Círios, em homenagem e louvor à Virgem de Nazaré, pelo mundo em 2016. PARCEIROS:

25 Revista Círios de Nazaré | 2016


Frente à Estação...

CÍRIO | BELÉM

Ainda no Boulevard Castilhos França

O núcleo da Berlinda Entrada da berlinda na Praça Santuário

Um dos Círios mais rápidos da história

Ainda durante a coletiva, Roberto Sena, diretor técnico do Dieese-Pa, informou que este foi o maior Círio da história. Foram 37h50m de romarias; 130.600 km percorridos; mais de 27 mil pessoas envolvidas na organização e segurança dos eventos e cerca de 120 mil casas visitadas pela Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré. O custo do Círio foi de 3 milhões e 300 mil reais. A Festividade movimentou a economia do estado em cerca de um bilhão de reais, gerando emprego e renda. Ainda de acordo com os números apresentados, a grande

26 Revista Círios de Nazaré | 2016

procissão de domingo levou dois milhões de pessoas às ruas de Belém. E a Cruz Vermelha apresentou um número de ocorrências 8% menor que o do ano passado.

O novo coordenador

Durante o jantar de encerramento do Círio de Nazaré, foi anunciado o novo casal como coordenador da organização da maior manifestação religiosa do mundo: Roberto e Daniela Souza. O casal já tinha passado pela diretoria de recursos sócio-econômicos e filantrópicos, eventos, secretaria e decoração.

O

AR mais com Rev


DC3 ilustração: Alexandre Mattos

O Pará que o Pará não conhece. A Revista Pará+ é a única revista mensal do estado e esmiúça tudo o que acontece de mais importante na cultura, esporte, economia, saúde e tecnologia. Conhecer o Pará é compreender a sua complexidade, conhecer suas minúcias e entender seus detalhes. Revista Pará+. Aqui tem muito mais Pará do que você imagina. Acesse ParaMais.com.br

27 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Traslado

Traslado para Ananindeua dá início às romarias do Círio de Nazaré

O arcebispo metropolitano, dom Alberto Taveira, com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré

Fotos: Cristino Martins / Ag. Pará, Diego Beckman, Fabrício Coleny - ASCOM Basílica Santuário de Nazaré, Thiago Gomes / Ascom Susipe, Wilson Dias/Agência Brasil

A

pós a celebração na Basílica Santuário de Nazaré, e em meio a orações e vivas teve início o Traslado da Imagem Peregrina para Ananindeua e Marituba, na Região Metropolitana de Belém – a primeira das 12 romarias da festividade do Círio. Desde as 5h da manhã muitos romeiros já se aglomeravam em frente ao Santuário para participarem da missa que celebra a abertura oficial das procissões do Círio. O andor da Imagem Peregrina instalado sobre o carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF), foi ornamentado pelo paisagista Paulo Morelli. Rosas e lírios nas cores verde e branco lembravam Maria como a Rainha da Amazônia. O percurso saiu da Basílica Santuário e passou pelas avenidas Nazaré, Magalhães Barata, Almirante Barroso e BR-316. Depois, segue pelos bairros Cidade Nova e Paar, em Ananin-

28 Revista Círios de Nazaré | 2016

Início do Traslado, a Imagem Peregrina no andor do carro da Polícia Rodoviária Federal (PRF) A primeira parada, chegando ao Hospital Ophir Loyola, onde dezenas de pacientes e profissionais aguardavam para pedir bênçãos


O andor da Imagem foi ornamentado pelo paisagista Paulo Morelli. Rosas e lírios nas cores verde e branco lembravam Maria como a Rainha da Amazônia

deua, e entrada do município de Marituba, quando a imagem peregrina retornou novamente Ananindeua, para a igreja Matriz Nossa Senhora das Graças. Lá a imagem fica em um palanque armado em frente à Igreja Matriz, passando a noite em vigília Com as mudanças no percurso, para garantir melhor fluxo à procissão, o trajeto passou de 55Km para 47 Km - oito quilômetros a menos. Em todo o caminho a imagem peregrina era saudada por devotos e admiradores por onde passava. Durante o traslado pelo centro de Belém, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré recebeu várias homenagens de moradores, escolas, órgãos, instituições e hospitais. A berlinda de Nossa Senhora de Nazaré chegou por debaixo de chuva na Igreja Matriz de Nossa Senhora das Graças em Ananindeua. Na chegada, às 20h, por baixo de chuva, a romaria que conduzia a berlinda chegou à Igreja de Nossa Senhora das O Traslado é a mais longa das romarias

Saudada por devotos e admiradores por onde passava

Graças, onde foi recebida efusivamente. Em seguida, uma missa foi celebrada pelo Cardeal Dom Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo. Em seguida a imagem passou a noite em vigília com os fiéis, até a saída da Romaria Rodoviária, já no sábado, às 5h30. Paróquias no trajeto: 1) São Miguel Arcanjo; 2) Santo Antônio de Pádua; 3) Amparo; 4) Divino Espírito Santo; 5) Santa Rita de Cássia; 6) Santa Paula Francinete; 6) São Lucas; 7) São Vicente de Paula; 8) Nossa Senhora da Graças; 9) Menino Deus e 10) Matriz de Ananindeua.

Em Curuçambá quase chegando a BR 316

Na igreja Matriz Nossa Senhora das Graças, a missa após a vigília

29 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Romaria

Rodoviária Fotos:

Romaria Rodoviária tem decisivo e ótimo apoio da Polícia Rodoviária Federal

Igor Mota Magno, Manoel Campos da Costa Neto

Na Romaria Rodoviária a imagem peregrina foi seguida por milhares de pessoas ao longo da BR-316, Entroncamento e Augusto Montenegro

A

pós ter passado a noite em vigília, e a celebração religiosa celebrada pelo padre Juan Mendonça, na igreja Matriz Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua, a imagem da padroeira dos paraenses foi colocada no alto do carro oficial do Círio e com berlinda protegida pela Guarda da Santa, teve início a Romaria Rodoviária pela BR-316 até o Entroncamento, indo pela Rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci, passando pelas ruas 8 de Setembro e São Cristóvão. Depois de um percurso de 24 quilômetros, a procissão chega no trapiche do distrito de Icoaraci. Milhares de fiéis devotos já esperavam para acompanharem a missa celebrada por dom Irineu Roman, no palco montado às margens da Baía do Guajará. Ao longo desse percurso, novas homenagens à Imagem Peregrina. Fieis ocupavam espaços nas janelas dos condomínios, em frente a empresas, passarelas e calçadas. Alguns preferiram acompanhar a romaria de carro, bicicleta ou mesmo a pé, e alguns chamavam atenção pela criatividade na hora de enfeitar seus veículos e casas. Mas, o que mais chamou atenção foi o esforço dos promesseiros, vindos de todas as partes, principalmente do interior do estado. Na entrada do conjunto Satélite e do conjunto Maguari. Moradores de bairros próximos da avenida se aglomeram na via para ver a passagem da imagem peregrina. Ao final da celebração e após a imagem ser reverenciada e homenageada com uma chuva de fogos de artifício, dom Alberto, com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, abençoou os fiéis no trapiche de Icoaraci, encerrando a Romaria Rodoviária,

30 Revista Círios de Nazaré | 2016

cerca de três horas após a saída da procissão da Matriz de Ananindeua. Em seguida a imagem da Santa seguiu para a Romaria Fluvial, pela Baía do Guajará, rumo à Praça Pedro Teixeira, reunindo centenas de embarcações e milhares de pessoas. Na Av. Augusto Montenegro no conjunto Maguari

Fiéis ocupavam todos os espaços para contemplar a imagem da padroeira dos paraenses


Trasladacao Fotos:

Brenda Venina, Eliseu Dias / Ag. Pará, Davi Dias Sousa Junior, Fabrício Coleny - ASCOM Basílica Santuário de Nazaré, Larissa Yasmin Luz e Silva, Leonardo Lopes Monteiro, Rodrigo Hühn

A

pós a missa celebrada pelo Cardeal Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Cláudio Hummes, nas escadarias/jardim do Colégio Gentil Bittencourt, às 17.45 horas teve início a procissão da Trasladação. Em cerca de seis horas de procissão, 1 milhão de fiéis devotos percorreram as ruas de Belém acompanhando a berlinda com a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, Ao lado da Basílica Santuário, no início da Trasladação

em 3,7 km, no sentindo inverso ao trajeto do Círio de Nazaré. O destaque da berlinda era maior por não ter companhia dos carros de promessas, além do efeito das milhares de velas dos romeiros que iluminavam o trajeto. Durante todo o percurso a Imagem Peregrina era reverenciada com homenagens de todo tipo, desde as mais simples, às das pessoas nas janelas das residências, “chuvas” de papel picado, de balões normais e em forma de corações, apresentações musicais com canções religiosas entoadas por artistas e espetáculos pirotécnicos, promovidos por empresas, bancos, entre outras instituições. No Colégio Santa Catarina de Sena, muitos fogos e aplausos. No Clube do Remo, apresentação do cantor Marhco Monteiro. Frente ao Banco da Amazônia, as apresentações do Coral Vozes da Amazônia, formado por empregados e aposentados do

A missa celebrada pelo Cardeal Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Cláudio Hummes, nas escadarias/jardim do Colégio Gentil Bittencourt Durante o trajeto, a Imagem Peregrina era reverenciada

31 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Frente ao Banco da Amazônia

Cerca de 1,4 milhão de pessoas participaram da Trasladação

32 Revista Círios de Nazaré | 2016

Homenagens durante a passagem da berlinda na Trasladação

Banco da Amazônia e pessoas da comunidade, do então padre Geffison Silva, e do padre Antônio Maria, que participava pelo sexto ano do Círio do Banco da Amazônia. Uma chuva de pétalas de rosas caia durante a passagem da berlinda, com a Padroeira da Amazônia. Para o padre Antônio Maria: “A fé é isso: a essência da nossa vida. Sem fé a gente não conquista nada. Me sinto muito feliz e muito agradecido ao povo paraense”. Na esquina da Avenida Presidente Vargas com a Rua Osvaldo Cruz, o Gran Coral do Círio. Na Estação das Docas, a cantora Fafá de Belém, e o padre Fábio de Melo, homenagearam nossa Senhora. O governador Simão Jatene cantou “Romaria”, durante a passagem dos promesseiros da corda. As diversas homenagens no percurso emocionavam ainda mais os participantes e assistentes da procissão das luzes. Durante a passagem da berlinda em frente à CDP, uma videoinstalação projetava imagens da Santa e motivos religiosos


Frente ao Banco Central, Nossa Senhora recebe a tradicional homenagem dos Estivadores

Autoridades civis e militares do Pará e de outros estados estiveram presentes para assistir à romaria da Estação das Docas

Chegando na Igreja da Sé

no prédio comovendo os participantes da procissão. Como tradicional, as mulheres eram maioria na corda de 400 metros. A romaria noturna chegou à Catedral Metropolitana, no bairro da Cidade Velha, por volta das 23h.

33 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Romaria

Fluvial A orla de Icoaraci ficou lotada para apreciarem a saída da Romaria Fluvial

Fotos: Alessandra Serrão - NID/Comus, Thiago Gomes / Ascom Susipe, Antonio Cícero, Joanaldo Silva, Osmarino Silva, Rodrigo Hühn,

A

Wilson Dias/Agência Brasil

pós ser embarcada na corveta Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil, teve início a Romaria Fluvial pelas águas da Baía do Guajará até na Escadinha do Cais do Porto, na Estação das Docas. Centenas de embarcações de todos os portes navegaram juntos com a corveta que conduzia a imagem peregrina, de Icoaraci à Belém, pelas águas do Guajará, na terceira romaria oficial da quadra nazarena. A bordo da embarcação estavam integrantes da Arquidiocese de Belém, diretores da Festa e convidados. O Círio das águas teve início no trapiche de Icoaraci, por volta das 9h da manhã do sábado. Milhares de pessoas em embarcações diversas e variadas, acompanharam a partida da procissão, em percurso estimado em 10 mil milhas náuticas 18,5 quilômetros. A Capitania dos Portos informou que cerca de 500 embarcações participaram da romaria. A Diretoria da Festa de Nazaré e a Polícia Militar estimam que cerca de 50 mil romeiros participaram da procissão fluvial. A contagem inclui pessoas que acompanham nas embarcações e as que assistiram a saída, em Icoaraci, e a chegada, na escadinha do cais do Porto. A Garnier Sampaio conduzindo a imagem de Nossa Senhora aportou às 11h na escadinha da Praça Pedro Teixeira, ao lado da Estação das Docas. Ao desembarcar, a imagem foi conduzida pelo arcebispo de Belém, dom Alberto Taveira, ladeado pelos bispos auxiliares, dom Irineu Roman e dom Theodoro Braga, que fizeram questão de aproximar a santinha dos milhares de fiéis que aguardavam no cais. Milhares de pessoas estavam desde cedo no local esperan-

34 Revista Círios de Nazaré | 2016

Centenas de embarcações navegavam juntos com a corveta que conduzia a imagem peregrina Na corveta Garnier Sampaio, da Marinha do Brasil


Cerca de 500 embarcações participaram da romaria

do para chegar perto da imagem de Nossa Senhora de Nazaré. Ao som do coral da Guarda de Nazaré, a Santa foi entregue nas mãos do prefeito de Belém Zenaldo Coutinho, pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira. No céu, helicóptero do Exército jogava flores, deixando o momento ainda mais bonito e emocionante.

A partir desse ato, simbolicamente, Nossa Senhora de Nazaré passa a ser autoridade máxima de município, sendo recepcionada pela Polícia Militar com honras de Chefe de Estado, de acordo com a lei de 1971 que proclamou a Virgem de Nazaré, Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia e merecedora da homenagem já tradicional da revista à tropa. Em seguida a imagem foi colocada na Berlinda e seguiu para a Moto Romaria. Assistindo a Romaria Fluvial

A chegada na Escadinha do Cais do Porto, na Estação das Docas

Após a chegada na Estação das Docas

Dom Irineu Roman com a imagem peregrina e o Cardeal Dom Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito de São Paulo

A imagem passou em revista à tropa. O Prefeito recebeu a imagem de Nossa Senhora de Nazaré

35 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Círio das

Maria, Sacrário Vivo da Eucaristia, Protege Tuas Crianças

Criancas Fotos: Ascom Basílica Santuário de Nazaré, Ivanildo de Santana Monteiro, Larissa Yasmin Luz e Silva, Manoel Campos da Costa Neto

E

ntoando cânticos e hinos marianos com muita animação, as crianças homenagearam à Virgem de Nazaré durante o Círio das Crianças, com o tema: “Maria, Sacrário Vivo da Eucaristia, Protege Tuas Crianças”. Na missa celebrada pelo arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira, na Praça Santuário, antecedendo a romaria, comentou sobre a demonstração de Fé dos pequeninos para com a Virgem de Nazaré. “Fico feliz em ver essa demonstração de Fé dos pequenos devotos para com Nossa Senhora de Nazaré, e essa romaria também é uma forma de catequizá-los”, disse Dom Alberto. Crianças de todas as idades acompanhadas de seus fami-

36 Revista Círios de Nazaré | 2016

liares, fizeram a caminhada tranquila pelas ruas do bairro de Nazaré, percorrendo a avenida Nazaré, travessa 14 de Março, avenida Governador José Malcher, travessa Dr. Moraes e, em seguida, retornou para Nazaré. Muitos delas vestidas de anjinhos, davam um toque de pureza, alegria e leveza à tradicional procissão. A imagem peregrina da Santa foi transportada em um cibório conduzido pela Guarda Mirim de Nazaré, formada por integrantes da própria Basílica Santuário e de comunidades da Arquidiocese de Belém.


Crianças de todas as idades acompanhadas de seus familiares

Para comemorar os 25 anos do Círio das Crianças, e pela primeira vez, o Carro de Plácido saiu na Romaria das Crianças, rememorando a história do caboclo Plácido, que encontrou a imagem de Nossa Senhora às margens do igarapé Murutucu. No percurso, frente às residências, prédios e de suas sacadas, os devotos homenageavam contritos e de forma diversas a Nossa Senhora de Nazaré. A procissão encerrou com uma benção aos pequeninos com a imagem peregrina, na Praça Santuário de Nazaré.

Fico feliz em ver essa demonstração de Fé dos pequenos devotos

Logo após, o fim da procissão, foi oferecido um lanche para mil crianças na sede do Centro Social de Nazaré, ocasionando uma grande confraternização entre os presentes. Segundo a coordenação, a estimativa é de que 400 mil pessoas acompanharam a procissão. A benção aos pequeninos com a imagem peregrina, na Praça Santuário de Nazaré

91 3204.7700 Av. Dr. Freitas, 101 www.eletrotransol.com.br

37 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | BELÉM

Fotos:

Recírio

Arthur Silvsa, Cristino Martins / Ag. Pará, Manoel Campos da Costa Neto

A

despedida do Círio começa dentro da Basílica Santuário, quando a imagem original de Nossa Senhora, encontrada por Plácido em 1700, retorna ao Glória após passar 15 dias perto dos fiéis em andor do altar da igreja. Em seguida e em procissão a imagem peregrina é conduzida pelos casais diretores da festividade até o altar da Praça Santuário. Milhares de devotos, desde cedo, já prestavam suas últimas homenagens a Nossa Senhora de Nazaré, a maioria com os já tradicionais lenços brancos. Em seguida à missa celebrada pelo arcebispo metropolitano dom Alberto Taveira, em frente à Basílica de Nazaré. Durante a missa, os Diretores da Festa de Nazaré reúnem-se para recolher todos os pedidos depositados no Altar Monumento da Praça Santuário e no Nicho, onde a Imagem Original de Nossa Senhora de Nazaré ficou durante os 15 dias da Festividade. Após o término da missa, tem início a procissão do Recírio, que marca o encerramento do Círio, com os fiéis acompanhando em procissão a imagem peregrina até o Colégio Gentil Bittencourt, em cerca de 650 metros. O percurso, iniciado pontualmente às 7 horas, foi marcado pela tranquilidade e rapidez. Nesse trajeto, o andor que leva a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré é conduzido em Desde as primeiras horas do dia a Praça Santuário já estava tomada por fieis que foram render suas últimas homenagens à Virgem de Nazaré

Chegando ao Colégio Gentil Bittencourt

38 Revista Círios de Nazaré | 2016

Diretores do Círio conduzem a imagem peregrina no início das cerimônias do Recírio

revezamento pelos diretores da festividade. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré é saudada e aclamada pelos paraenses que acompanham a caminhada ou a assistem pelas janelas de suas casas. A despedida é sempre emocionante. Entre muitas orações e canções, os fiéis prestam suas últimas homenagens à Santinha. Antes mesmo das 8 horas, a imagem peregrina já estava sendo conduzida pelas escadarias para retornar à capela do colégio, onde permanecerá até o Círio do próximo ano.

Os fiéis acompanharam em procissão a imagem peregrina até o Colégio Gentil Bittencourt, em um percurso de cerca de 650 metros


A benção final nas escadarias do Gentil aos Guardas da Santa Já na Capela do Colégio Gentil Bittencourt onde permanecerá até o Círio do próximo ano

Já na Capela do Colégio Gentil Bittencourt onde permanecerá até o Círio do próximo ano

39 Revista Círios de Nazaré | 2016


DE CÍRIOS

Juri do 14º Concurso Imagens de Círios Da esquerda para direita: Adenirson Lage, Christian Bomm, Roberto Pinto da Costa, Ulisses Monteiro, Pedro Correa, Hinton Bentes, Fernando Maroja, Luciano Barroso , Alessandro Ribeiro, Leonardo Magno com o nosso editor Ronaldo Hühn

Vencedores do 14º Concurso Imagens de Círios

Após reunião fraterna no Bistrô San Paolo, o Juri acima escolheu como Vencedores do Imagens de Círios 2015 as fotos de: 1º e 2º Lugar: Igor Mota Magno 3º Lugar: Vitor Mauricio de Abreu Melo 4º Lugar: Marcos Weliton de Oliveira Lopes 5º Lugar: Leonardo Lopes Monteiro

Classificados do 14º Concurso Imagens de Círios

Fernando Araujo (1538); Helaine Roberta Barbosa da Silva (Roberta Jardim) (1411); Haroldo Lemos Burle (919); Alaise D’cácia Ribeiro (1107); Igor Mota Magno (1004); Helaine Roberta Bar-

40 Revista Círios de Nazaré | 2016

bosa da Silva (1407); Igor Mota Magno (1006); Leonardo Lopes Monteiro (1211); Ray Nonato (604); Marcos Weliton de Oliveira Lopes (092); Vitor M. de Abreu Melo (589); Ray Nonato (605); Vitor M. de Abreu Melo (585); Anderson Vaner Costa Cordovil (005); Joanaldo de Jesus Silva (046); Marcelo Seabra (372); Haroldo Lemos Burle (921); Igor Mota Magno (1008); Marcelo Seabra (376); Nilson Cortinhas Pessoa Junior (040); Manoel Campos da Costa Neto (864); Osmarino L. de Souza (1532); Leonardo Lopes Monteiro (1221); Fernando Araujo (1541); Leonardo Lopes Monteiro (1214); Vitor M. de Abreu Melo (576); Larissa Yasmin Luz e Silva (1312); Ray Nonato (606); Larissa Yasmin Luz e Silva (1328); Manoel Campos da Costa Neto (824); Leonardo Lopes Monteiro (1217); Davi Dias Sousa Junior (008) e Marcelo Seabra (373).

Ruan Matheus Nascimento de Souza

IMAGENS 14º CONCURSO FOTOGRÁFICO


OS VENCEDORES

1º Lugar: Igor Mota Magno

2º Lugar: Igor Mota Magno

41 Revista Círios de Nazaré | 2016


4º Lugar: Marcos Weliton de Oliveira Lopes

5º Lugar: Leonardo Lopes Monteiro

42 Revista Círios de Nazaré | 2016

3º Lugar: Vitor Mauricio de Abreu Melo


OS CLASSIFICADOS

Fernando Araujo

Alaise D’cácia Ribeiro

Davi Dias Sousa Junior

Haroldo Lemos Burle Haroldo Lemos Burle Fernando Araujo

Igor Mota Magno

Anderson Vaner Costa Cordovil Roberta Jardim

Roberta Jardim

43 Revista Círios de Nazaré | 2016


Joanaldo de Jesus Silva

Igor Mota Magno Leonardo Lopes Monteiro Manoel Campos da Costa Neto

Manoel Campos da Costa Neto

Marcelo Seabra

Larissa Yasmin Luz e Silva Leonardo Lopes Monteiro

Larissa Yasmin Luz e Silva

Igor Mota Magno

44 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2016

Leonardo Lopes Monteiro

Leonardo Lopes Monteiro


Vitor M. de Abreu Melo

Marcelo Seabra

Marcelo Seabra

Vitor M. de Abreu Melo

Marcos Weliton de Oliveira Lopes Nilson Cortinhas Pessoa Junior

Ray Nonato

Ray Nonato Osmarino L. de Souza

Vitor M. de Abreu Melo

Ray Nonato

45 Revista CĂ­rios de NazarĂŠ | 2016


CÍRIO | RJ

Círio no Rio Fotos:

de Janeiro

Carlos Moioli, Gustavo de Oliveira e Jéssica Pinheiro

A

imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, foi levada por uma comitiva composta por clérigos, leigos e pela Guarda da Santa, do Círio de Belém, ao Rio de Janeiro, dando início, na Cidade Maravilhosa, à 8ª edição de uma das maiores manifestações religiosas do mundo em homenagem a Nossa Senhora. O arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, recepcionou a imagem da ‘Mãe de Misericórdia’, na Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, aonde conduziu um breve momento de oração e ressaltou a presença da Mãe de Nazaré também dentro do contexto dos Jogos Paralímpicos Rio2016. “A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré em nossa região vem nos recordar que temos a missão de anunciar e vivenciar a misericórdia que vem de Deus, e irá nos ajudar a celebrar a Missa que abre os Jogos Paralímpicos, que será realizada na Candelária, junto com as pastorais que atendem as pessoas com deficiência. O povo desejou que a visita da imagem há oito anos atrás continuasse e até hoje ela é realizada, sendo muito importante para a renovação da devoção mariana”, afirmou Dom Orani. Na oportunidade, o superior Provincial do Norte do Brasil dos Padres Barnabitas, padre José Ramos, também falou sobre este momento tão significativo para o povo de Belém e do Rio: “A imagem pequenina, tão bonita e significativa, possui a capacidade de reunir as pessoas ao redor de si, assim como uma mãe reúne os seus filhos. Por onde passamos, mesmo sem saber do que se trata, ao contemplar a imagem as pessoas se benzem e se emocionam, percebendo que é um sinal do sagrado. Assim como a fotografia de um familiar ou uma pessoa amada, a imagem nos faz lembrar aquela que viveu neste mundo e nos trouxe Jesus, e que hoje está nos céus e de lá nos acompanha”, disse. O coordenador geral do Círio de Nazaré em Belém, Roberto Souza, falou sobre a visita da imagem peregrina à cidade e ressaltou a importância da missão e da evangelização. “Este é o oitavo ano que realizamos essa peregrinação junto à Ar-

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré em nossa região vem nos recordar que temos a missão de anunciar e vivenciar a misericórdia que vem de Deus, disse o Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, na Base Aérea do Galeão A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, Dom Orani e a comitiva de Belém

quidiocese do Rio de Janeiro com Dom Orani à frente. Com muito prazer trazemos a imagem com a Guarda de Nazaré e buscamos sempre fazer o nosso trabalho de evangelização a partir do Círio, tendo em vista sempre as palavras do nosso arcebispo de Belém, Dom Alberto Taveira Corrêa, que sempre cobra de nós e nos diz: “Círio não é só a procissão, Círio é evangelização”. E quando trazemos a imagem percebemos que estamos cumprindo essa missão de evangelizar ao levar a imagem de Nossa Senhora aos locais e dar oportunidade das pessoas se aproximarem, realizarem suas orações e assistirem a Missa, tudo isso com uma programação bem extensa que tem por objetivo renovar sua devoção”, disse. Roberto Souza também destacou o espírito missionário e evangelizador de Dom Orani João Tempesta, que por quatro anos foi arcebispo de Belém do Pará: “Dom Orani é um fã incondicional da nossa festa e ele não mede esforços para realizar este trabalho de evangelização. É uma emoção muito forte entregar a imagem de Nossa Senhora de Nazaré a um Cardeal que foi nosso arcebispo para que ele continue esse trabalho de evangelização também no Rio de Janeiro”, ressaltou

Em Niterói

Padre José Ramos, superior Provincial do Norte do Brasil dos Padres Barnabitas, nos fez lembrar aquela que viveu neste mundo e nos trouxe Jesus, hoje está nos céus e de lá nos acompanha

46 Revista Círios de Nazaré | 2016

Após a cerimônia, em seguida, a comitiva com a imagem peregrina da Virgem de Nazaré seguiu da Base Aérea do Galeão em direção a Arquidiocese de Niterói. O arcebispo local, Dom José Francisco Rezende Dias, presidiu a Santa Missa na Catedral de São João Batista, no Centro de Niterói. “Manifesto a alegria no meu coração de bispo e a alegria do povo de Niterói que acolhe a visita da imagem peregrina da Senhora de Na-


Na Paróquia de São Roque, em Paquetá

Na Catedral de São João Batista, em Niterói Pelas ruas do Centro de Niterói

Na Igreja da Candelária O Arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, presidiu a Missa do Rio Celebra, acolhendo autoridades, atletas, devotos e diversos representantes de entidades que realizam ações em prol da pessoa com necessidades especiais. A celebração foi oferecida pela Arquidiocese em Ação de Graças pelos Jogos Paralímpicos Rio 2016. A Santa Missa foi cantada pelo coral “Sodalício da Sagrada Família”, formado por mulheres deficientes visuais dessa instituição filantrópica com assistência religiosa, fundada em 1929, pela Sra. Maria Cavalcanti de Almeida (cega), com o objetivo de acolher e amparar mulheres com deficiência visual/cegas condenadas à mendicância e em situação de vulnerabilidade social e familiar.

zaré como expressão da comunhão da Igreja de Belém com as Igrejas de Niterói e do Rio de Janeiro. É sempre bom receber quem nós amamos e ao acolher a visita da imagem peregrina expressamos a alegria do nosso coração em abraçar a mãe de Jesus e nossa mãe, e reconhecer através dessa visita, o carinho e a delicadeza de Deus, que permite para nós esse momento de graça”, disse Dom José Francisco, exaltando a alegria em receber a imagem peregrina em sua Arquidiocese. Durante à tarde, a imagem peregrina retornou à Arquidiocese do Rio de Janeiro, seguindo em deslocamento marítimo para a Ilha de Paquetá.

Após o final da Santa Missa na Igreja da Candelária

Em Paquetá Lá chegando, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré foi recepcionada pelo pároco da Igreja Senhor Bom Jesus do Monte, padre Nixon Bezerra de Brito, e por fiéis da comunidade que seguiram em procissão até a Capela São Roque, onde foi realizada a Celebração Eucarística. Em sua homilia, Cardeal Tempesta ressaltou a necessidade de cada vez mais os cristãos católicos se fazerem presentes nos diversos setores da sociedade, testemunhando assim como Maria, que traz o Menino Jesus em seus braços, a misericórdia de Deus. Para padre Nixon, ao passar em procissão, Nossa Senhora atrai as pessoas, levando o seu amor materno aos filhos mais simples e humildes. Segundo ele, a visita da imagem de Nazaré resgatou uma tradição de fé que ficou adormecida com o passar do tempo. “Para nós, a visita da imagem é como a visita de Maria a Isabel; ela vai levando Jesus junto à fé, a alegria e a esperança. Vai aos lugares mais distantes, enfrenta o mar, as tormentas, as tempestades e todas as dificuldades que o povo dessa ilha enfrenta diariamente”, concluiu o sacerdote. Momentos de peregrinação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré em Paquetá

Antes de iniciar a Santa Missa, Dom Orani leu a mensagem do Papa Francisco, na qual o Santo Padre concedeu bênção apostólica aos jogos e aos atletas paralímpicos, bem como a todos os que trabalham para a edição dos jogos, sejam os organizadores como os voluntários. Na homilia, Cardeal Tempesta ressaltou as Olimpíadas e Paralimpíadas como ocasião “da cultura do encontro: de povos, de pessoas, e que justamente na cruz - que me lembra essa união de todas as nações, de todos os continentes, simbolizados pelas madeiras e também no ícone da paz com vários episódios de paz - que traz um pouco esse espírito de ‘reinar’, que é um desejo, um sonho que acontece em todo coração humano de viver em tempos de paz, de entendimento, embora não seja essa a realidade do mundo de hoje, nem das nossas religiões...” Cardeal Tempesta propôs, ainda, que os símbolos ali apresentados, das Olimpíadas e das Paralímpíadas, com a Cruz e o ícone de Paz, devem nos ajudar a pensar sobre isso. Para Dom Orani, devemos orar para que “a nossa participação nos jogos paralímpicos nesse momento da história suscite em nós, cada vez mais, desejos de paz, de entendimento, de harmonia entre os povos”. Dirigindo-se, em seguida, à imagem de Nossa Senhora de Nazaré, Cardeal Tempesta comentou: a imagem é “uma lembrança de que, através de pequenos sinais, Deus se manifesta e leva o povo também a conviver, a estar juntos, e a pedir a intercessão de Maria: que Ela nos apresente Jesus Cristo, que Ela traz nos seus braços, e nos ajude como

47 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | RJ

Missa na Igreja da Candelária, pelo início da Paralímpiadas, com Andrew Parsons, presidente comitê paralímpico Brasileiro, na cadeira de rodas

Mãe de Misericórdia a acolher a Misericórdia de Deus e anunciá-la aos irmãos e irmãs... São tantos símbolos, tantos sinais... como a própria Igreja da Candelária, esse símbolo que marca o centro do Rio de Janeiro, com tantas coisas que acontecem aqui ao redor, e ultimamente também com esse símbolo da Pira diante da Candelária que marca também esse momento da história dessa cidade do Rio de Janeiro.” Ao final da celebração, antes da bênção final, Dom Orani, ainda dirigiu algumas palavras às autoridades presentes, ressaltando o valor dos jogos como trégua de paz em meio à realidade de tanta guerra e violência, sobretudo por questões religiosas, nos nossos dias. Após a celebração, o Presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Sr. Philip Craven, agradeceu ao Cardeal por proporcionar esse momento. Falando em inglês, com a tradução do padre Leandro Lênin, admitiu não ter compreendido as palavras do Cardeal à assembleia ali presente, mas que tinha certeza “do seu sentimento de unidade e de bem querer ao movimento paralímpico aqui nesta cidade”. Recordou, em seguida, a acolhida do Papa Francisco, no último 24 de agosto, a atletas paralímpicos, brasileiros e italianos, e que, segundo ele, “nos fez sentir a grande acolhida ao nosso movimento paralímpico”. Na sequência, Padre Leandro Lênin, Coordenador do Centro Inter -religioso da Vila Olímpica, falou sobre a atuação da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro nas Olimpíadas e Paralímpiadas, nos diversos projetos realizados no esforço de, como Igreja, dar apoio aos Jogos Rio2016. Em seguida, apresentou os símbolos, trazidos da Diocese de Westminster, por ocasião das Olimpíadas de Londres: “A Cruz Olímpica, que reúne em si características bem diversas, formada de pedacinhos de madeiras de árvores de todos os continentes; são 12 pedaços de madeiras nobres, de árvores do mundo inteiro... estas, unidas, formam o Cristo, sinal de unidade, de paz e do Amor Maior. E esta cruz está plantada numa base igualmente de madeira, simbolizando a fé, o amor e a esperança como as bases sólidas para a construção deste mundo novo, conforme também o lema de nossos jogos Olímpicos e Paralímpicos.” Foi apresentada também a reprodução de um ícone pela Paz, vindo de Jerusalém, da Comunidade Pax Christi Internacional, “em que estão reproduzidos cenas de paz, retiradas do Evangelho e santos da Igreja que lutaram pela Paz e foram arautos onde estiveram. Fato curioso é

48 Revista Círios de Nazaré | 2016

que o Pai Nosso, em grego, árabe e em latim, também ali está escrito, considerando a nossa raiz comum: um mesmo Pai que une a todos”, explicou Padre Lênin. Concluindo a solenidade, o Presidente do Comitê Paralímpico Nacional, Andrews Parsons, saudou a todos com estas palavras: “A experiência de receber os jogos paralímpicos no Brasil deve ser encarada como uma oportunidade; de nós olharmos a pessoa com deficiência sob outro viés, sob outro aspecto: que é sua capacidade atlética, o que ele consegue fazer”. Citando as palavras de uma atleta paralímpica australiana de basquete em cadeira de rodas, Campeã Paralímpica em Sidney no ano 2000, Andrews ressaltou que “os atletas paralímpicos não têm tempo para se importar com o que não funcionam nos seus corpos, eles fazem o melhor uso, eles maximizam aquilo que funciona”. Assim, esses atletas se destacam por maximizarem aquilo que, de melhor, seus corpos são capazes de fazer. Se Deus nos fez diferentes entre todos nós, é porque era de Sua vontade que vivêssemos todos em harmonia, apesar de nossas diferenças”.

No Vicariato de Jacarepaguá A imagem foi recepcionada pelo Pároco, padre Daniel, e pelos fiéis. Cardeal Tempesta conduziu uma breve celebração missionária, que contou também com a participação do padre barnabita José Ramos, da Arquidiocese de Belém do Pará e responsável por conduzir a imagem até o Rio de Janeiro. Ao finalizar a celebração missionária, Dom Orani rezou o Ângelus. Os fiéis tiveram ainda a oportunidade de rezar diante da imagem, antes que ela seguisse para a Casa da Congregação de Nossa Senhora de Belém. Ali, a imagem foi recepcionada com grande júbilo pelas Irmãs e toda a comunidade Na sequência, Cardeal Tempesta celebrou Missa no Colégio Franciscano Santo Antônio, onde pais, alunos, professores acompanhavam a chegada da imagem, segurando a corda, como em Belém do Pará. O lugar estava repleto de fiéis, que vieram desde a casa das Irmãs de Nossa Senhora de Belém até o Colégio Santo Antônio. Presente nesta celebração encontrava-se também Padre Robert, Vigário Episcopal do Vicariato de Jacarepaguá. Na homilia, Dom Orani manifestou sua alegria em ver a numerosa participação dos fiéis, especialmente pelas congregações religiosas, tanto masculinas como femininas, ali do entorno. Ao final da celebração, Cardeal agradeceu a todos os presentes e encerrou com a bênção final. A imagem seguiria, então, para a Igreja de Jesus de Nazaré, no Complexo da Maré. Frente a Igreja da Candelária, prontos para irem ao Vicariato de Jacarepaguá


Visita a Comunidade da Maré

Imagem peregrina da Virgem de Nazaré visita Complexo da Maré Ao cair a tarde, a Paróquia Jesus de Nazaré, em Bonsucesso, recebeu a chegada do Círio. A imagem, foi acolhida pelo pároco local, Padre Sérgio Santos, na Avenida Brasil, e entrou na comunidade situada no Complexo da Maré em procissão até a igreja, onde ocorreu uma breve celebração missionária.

Na Casa da Congregação de Nossa Senhora de Belém

Em Anchieta, a Santa Missa, seguida de uma vigília

cessaram de orar, angustiados, porém confiantes na Virgem de Nazaré, desde os primeiros momentos de sua enfermidade. Foram setenta dias de convalescença, sob os cuidados das Irmãs de Nossa Senhora do Bom Conselho, na Casa do Padre, até o feliz retorno a poucos dias da chegada da imagem peregrina e do Círio de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira da comunidade.

Paróquia São Paulo Apóstolo “Recebemos com muita alegria a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré aqui em nossa paróquia. Há muitos anos aqui em nossa Igreja já realizamos um pequeno Círio e com a vinda de Dom Orani aqui fomos agraciados pela visita da imagem peregrina vinda de Belém. Com este gesto estamos dando início à fase preparatória para as festas marianas, que comemoramos no mês de outubro: Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora de Nazaré”, disse Padre Paulo Rodrigues, o pároco local. Na homilia, Dom Orani disse que a palavra de hoje nos impulsiona a construir uma nova sociedade, ressaltando o exemplo de Madre Teresa, que se doou aos pobres por amor a Deus. “A visita da imagem peregrina é um convite a construir um mundo

Para Padre Sérgio, este momento é sempre um privilégio por causa do presente que a paróquia recebeu de Dom Orani: uma réplica da imagem. “A cada vez que a imagem de Nossa Senhora de Nazaré passa pela nossa comunidade, pelo nosso território paroquial, é sempre uma renovação de fé e de esperança. Recebê-la é sempre um presente muito grande”, frisou o pároco. Segundo Dom Orani, o sacerdote havia pedido a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora, durante o Círio, exatamente pelo fato de a Igreja ter o nome de Jesus de Nazaré. Foi assim que a paróquia passou a integrar a programação, sendo um dos pontos de visitação da imagem peregrina.

Em Anchieta Na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré em Anchieta, foi presidida a Santa Missa, seguida de uma vigília. O bairro de Anchieta é onde a devoção a Nossa Senhora de Nazaré é mais antiga, em nosso estado, exatamente, pelos paraenses que se estabeleceram no leste do Rio de Janeiro e trouxeram consigo essa piedosa devoção. “A comunidade tem razões mais que especiais para celebrar a visita da imagem peregrina de sua padroeira. Há cerca de três meses o pároco, padre Guanelliano Amelio Parini, sofreu um edema agudo do miocárdio, e os paroquianos viveram semanas de grande aflição até o pós-operatório, após o qual padre Amelio precisou permanecer afastado de sua paróquia e dos seus filhos e filhas espirituais, que não Em Anchieta, frente a Igreja Nossa Senhora de Nazaré, Dom Orani e o pároco, padre Guanelliano Amelio Parini

Na Paróquia São Paulo Apóstolo, em Copacabana, Dom Orani abençoou diversas imagens de Nossa Senhora de Nazaré que percorrerão a casa dos paroquianos

diferente. Um mundo onde o coração das pessoas seja transformado. Assim como Madre Teresa, não devemos forçar a conversão de ninguém, mas simplesmente amar o outro; com a certeza de que Maria de Nazaré intercede por nós”, completou. Durante a Missa foram abençoadas diversas imagens de Nossa Senhora de Nazaré que percorrerão neste mês de setembro a casa dos paroquianos. De acordo com o pároco, a iniciativa é mais uma maneira de evangelizar e de estar mais próximo dos paroquianos, levando Nossa Senhora e realizando um momento de oração em família. Ao final, na Paróquia São Paulo Apóstolo, muita alegria em querer registrar a presença da imagem peregrina de

49 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIO | RJ

O pároco, Frei Arles de Jesus e Pe. Ramos, na celebração dos Capuchinhos

Santuário Basílica de São Sebastião No Santuário Basílica de São Sebastião (Igreja dos Capuchinhos), na Tijuca, foi acolhida com grande festa pelos paroquianos e pelo pároco, Frei Arles de Jesus. No final da Santa Missa, foi inaugurado o cartaz (inspirado nos pontos turísticos da cidade) do Círio de Nossa Senhora de Nazaré no Rio, que seria realizado no Santuário Basílica de São Sebastião. “Agradecemos a vinda de Nossa Senhora de Nazaré que com sua visita nos dá paz. É uma graça muito grande o que ela nos faz porque aqui sentimos a alegria do povo paraense”, disse a Presidente da Associação Nossa Senhora de Nazaré do Rio de Janeiro, Maria de Nazaré Leite da Costa. Dom Orani convidou a comunidade a fazer um ato de misericórdia nessa semana. Nada grandioso, mas que se multiplique como sinal de

No Santuário Basílica de São Sebastião (Igreja dos Capuchinhos), na Tijuca

misericórdia. Assim como Madre Teresa, que começou de uma maneira bem simples. “Ela é um exemplo para nós, ao mostrar que mesmo fazendo pequenas coisas é possível transformar o mundo”, ressaltou o Cardeal.

A imagem peregrina foi recepcionada com muita festa, fogos e manifestações de devoção dos fiéis

de não ser uma instituição religiosa estabelecida, a fé do povo torna o local um dos maiores centros de veneração a Nossa Senhora”, ressaltou. Em seguida, a comitiva com a imagem visitou a Paróquia São Cristóvão, no mesmo bairro, onde foi acolhida pelos fiéis e pelo pároco, Padre Eli Everson Magela de Carvalho, com muita fé e alegria.

Acari Logo depois da Paróquia São Cristóvão, prosseguiu para a Paróquia Santos Mártires Ugandenses e Nossa Senhora de Nazaré, em Acari. Encerrando o Círio de Nazaré no Rio de Janeiro, Padre Sidnei Junior, pároco da Igreja de Acari, acolheu a imagem peregrina junto aos fiéis com muito entusiasmo e manifestações de devoção. O tradicional miniCírio realizado com um grande número de paroquianos e peregrinos vindos de diversos bairros da cidade, seguido de Santa Missa presidida por Dom Orani João Tempesta. “A presença do povo que faz a beleza do Círio. Essa grande manifestação religiosa, a presença da imagem peregrina e os locais que acolhem já se tornaram tradicionais. Todo ano, os fiéis ficam na expectativa do Círio, e são influenciados a participar das atividades das suas respectivas paróquias, capelas, comunidades e da igreja como um todo, com mais entusiasmo e principalmente, anunciando a misericórdia de Deus”, concluiu Cardeal Tempesta encerrando oficialmente a oitava edição do Círio de Nazaré na Cidade Maravilhosa. *Com informações da ArqRio

Centro de Tradições Nordestinas e Paróquia São Cristóvão Acolhendo a imagem peregrina os dirigentes da Feira de São Cristóvão, juntamente com o arcebispo do Rio de Janeiro, Cardeal Orani João Tempesta, realizaram a troca do manto de Nossa Senhora de Nazaré do Centro de Tradições Nordestinas, quando a imagem peregrina era recepcionada com muita festa, fogos e manifestações de devoção dos fiéis. Logo após, um mini círio foi realizado e ao final, distribuição de pedaços da corda utilizada durante a procissão pelos romeiros que testemunhavam sua devoção a ‘Mãe de Misericórdia’. Segundo o presidente da Associação Cultural Nossa Senhora Rainha de Todos os Santos, Flávio Xavier: “Receber a imagem é sempre um motivo de muita alegria, prazer, e acima de tudo, de muita honra. Apesar A corda no tradicional mini-círio do Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão

50 Revista Círios de Nazaré | 2016

Procissão do mini-Círio no Bairro de Acari O encerramento oficial da oitava edição do Círio de Nazaré, no Rio de Janeiro, foi em Acari


46 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | RIO DE JANEIRO

TEXTO: Felipe Azeredo*

Círio das Águas relembrando o milagre concedido em 1915

Círio de

imagem da Padroeira, voltou a chover e por vários dias, reestabelecendo assim às águas da lagoa, que estava seca e dos mananciais de água que abasteciam a população. Às 20h houve a Santa Missa Vespertina da Natividade com a participação especial do Contas de Coral da cidade de Niterói. A seguir, houve a eleição da nova Mesa Administrativa para o período 2016/2017 da Venerável Irmandade de Nossa Senhora de Nazareth. No dia 8 de setembro, dia do 386º Círio de Saquarema, às 5h, houve grande alvorada festiva com queima de fogos, banda de música e dobrar de sinos. Houve missas de hora das 6h às 10h. As 12h, a Missa Solene, com a participação do Coro e Orquestra dos Arautos do Evangelho e solene coroação de Nossa Senhora. Houve ainda às 18h a ultima missa do dia. As 20h, a tradicional e emocionante Procissão da Padroeira, com milhares de romeiros e devotos de todas as partes do Estado e do Brasil e muitas homenagens durante o percurso, contou com a participação de todos os movimentos católicos do município e a Sociedade Musical Santo Antônio de Bacaxá. Após percorrer as ruas da cidade, no retorno a Igreja Matriz, houve a grandiosa queima de fogos, encerrando assim o Círio de Nazaré mais antigo do Brasil.

Saquarema Saída da Imagem Peregrina da Igreja Matriz, em procissão pelas ruas de Saquarema

8 de Setembro, a festa da Natividade foi celebrada com muito amor no 386º Círio de Saquarema

O

Círio de Nazaré de Saquarema, datado de 1630, foi de grande emoção e fé. A festividade que este ano esteve a cargo do Juiz Provedor, o Sr. Arthur José Caetano e da Juíza, a Sr.ª Maria Helena Ramalheira Cardoso, teve início no dia 30 de agosto com a Novena em preparação ao Círio que se estendeu até o dia 7 de setembro. No dia 31, houve a abertura oficial dos festejos com Translado da Imagem Peregrina para Igreja Matriz, participação especial do Coral da Marinha do Brasil, da Sociedade Musical Santo Antônio de Bacaxá e do Coral Vozes da Esperança, composto por crianças de nossa comunidade paroquial. Nos dias 3, 4, 6 e 7 de setembro houve shows populares com cantores regionais, na praça central. No dia 4 de setembro a partir das 8hs, houve o Círio das Rodas percorrendo todos os recantos do município. Ainda no dia 4, a partir das 14hs, houve o Círio dos Jovens e dos Legionários. Em seguida, houve procissão com a Imagem Peregrina para a Igreja Matriz onde aconteceu a novena e a Santa Missa. No dia 7, dia da Pátria, houve Missa Solene às 10h, com a participação especial do Opus Coral e Orquestra, da cidade de Araruama. As 14h houve o tradicional e emocionante Círio das Águas relembrando o milagre concedido em 1915 quando houve grande seca na região e após procissão extraordinária com a

52 Revista Círios de Nazaré | 2016

Imagem de Nossa Sr.ª de Nazareth de Saquarema

No retorno à Igreja Matriz, a queima de fogos, encerrando assim o Círio de Nazaré mais antigo do Brasil [*] Procurador da Venerável Irmandade de Nossa Sr.ª de Nazareth de Saquarema


CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO Antes da saída do Círio, o padre Boris abençoa o novo manto da Rainha da Amazônia

Círio de

Ipiranga

Com fieis segurando na corda, as 4 Bandeiras (Bandeiras de São Paulo, Brasil, Pará e do Vaticano) abrem o caminho para a Virgem de Nazaré

E

ste foi o ano da despedida do Círio de Nazaré do Ipiranga, da Paróquia da Imaculada Conceição, promovido pela Associação dos Devotos de N. S. de Nazaré em São Paulo. O próximo Círio terá toda sua movimentação em São Paulo, retornado ao Sumaré, no Santuário de Nossa Senhora de Fátima, inclusive com a missa em todos os segundos domingos de cada mês, às 11:30 horas, como sempre aconteceu por quase 30 anos e onde já acontecerá o próximo Círio. No 2º domingo de outubro, pela manhã, teve início a procissão do Círio, após o padre Boris, o pároco da Imaculada Conceição ter abençoado o novo Manto de N. S. de Nazaré, e ter colocado a Imagem na Berlinda, encima da viatura. A procissão começou a se deslocar, sob uma salva de 100 tiros de rojões. Abrindo a procissão e em frente da Berlinda com a imagem da Rainha da Amazônia e Padroeira dos Paraenses, as bandeiras Brasileira, Paulista, Paraense e do Vaticano, abriam caminho pelas ruas do Bairro do Ipiranga. Após a chegada do Círio, na Paróquia da Imaculada Conceição foi celebrada uma Missa Solene, presidida pelo Padre Renato, paraense e pároco da igreja de Santo Antônio da Vila Carioca, concelebrada pelo padre Boris, incansável pároco da Imaculada Conceição. Após o final da Missa, a Berlinda foi conduzida pelos fiéis

A berlinda foi colocada no alto da viatura para início da procissão

e devotos para o Arraial ao lado da Igreja, quando foi saudada por uma salva de fogos de artifícios com mais de dez mil tiros, que emocionaram a todos os presentes, começando assim as fraternizações bastante concorridas e com comidas e bebidas típicas paraense.

Durante o arraial aconteceu uma participação especial da Escola de Samba Perola Negra que no carnaval de 2016 apresentara em seu desfile uma ala representando motivos e temas amazônicos Com a participação de muitos fiéis devotos, a igreja ficou lotada

Após a chegada da procissão foi celebrada a missa solene, presidida pelo Padre Renato, paraense e pároco da igreja de Santo Antônio da Vila Carioca, concelebrada pelo padre Boris, incansável pároco da Imaculada Conceição

Durante a troca dos mantos

53 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

FOTOS: Alison Teixeira Borges e Josias Carvalho Após a procissão luminosa do Círio, a cantora Fafá de Belém recepcionou a imagem, cantando e emocionando a todos os presentes

Círio de

Osasco Na procissão rodoviária compareceram aproximadamente 430 carros

A

tradicional festa do Círio de Nazaré em Osasco, atrai, todos os anos, milhares de pessoas, que trazem pedidos e agradecimentos a Nossa Senhora de Nazaré. O evento, que cresce a cada nova edição, foi inserido, em 2015, como Festa Religiosa e Cultural no Calendário Oficial de Eventos da cidade de São Paulo. A festa acontece no Jardim Arpoador, zona oeste de São Paulo, na avenida onde está localizada a igreja matriz da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, pertencente à Diocese de Osasco/SP. Antes da 5º edição da festa nos dias 5 e 6 de setembro – em que dias intensos de fé e oração, ensejam aos fiéis, guiados pela corda da Virgem, expressar sua devoção pelas ruas do bairro – a cópia fac-similar da imagem de Nossa Senhora de Nazaré peregrinou durante 91 dias pelas casas dos paroquianos, o que proporcionando a toda a comunidade viver o clima do Círio por um período extenso. A imagem da Virgem da Berlinda retorna à igreja matriz no dia 30 de agosto, quando é dado início à novena de Nossa Senhora de Nazaré que antecede os festejos. Durante os dias de festa, a avenida onde está localizada a igreja matriz é fechada em um trecho onde, além do palco, são colocadas barracas e tendas, para formar uma ampla praça de alimentação. No dia 5 de setembro, durante todo o dia houve ações sociais, como orientações de higiene bucal, cabeleireiro, manicure, espaço criança e palestras. Após o show com a cantora católica Marília Mello, à noite, o dia se encerrou com adoração ao Santíssimo Sacramento. Em procissão junto a corda e a berlinda com a imagem da Virgem de Nazaré, pelas ruas da Diocese de Osasco

54 Revista Círios de Nazaré | 2016

No dia 6, logo cedo aconteceu a missa para os voluntários do Círio e, em seguida, a procissão rodoviária, na qual compareceram aproximadamente 430 carros. Durante a tarde houve missa para os enfermos, um momento de muita fé e esperança. Nesse ano o Exército esteve presente para prestar homenagem a Nossa Senhora de Nazaré antes da procissão luminosa. O momento mais importante da festa é a procissão luminosa do Círio, a qual se iniciou no domingo às 17 horas e reuniu aproximadamente 5 mil fiéis. Estes, em procissão, agarraram as cordas da berlinda e levaram a imagem da Virgem de Nazaré de uma das comunidades até a igreja matriz, onde a cantora Fafá de Belém recepcionou a imagem, cantando e emocionando a todos os presentes. Logo após aconteceu a santa missa e, na Momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento

Durante a Missa dos Enfermos, momentos de muita fé e esperança

sequência, o show de Fafá de Belém, concluindo as festividades. Nessa última edição, contamos com a presença de aproximadamente 14 mil pessoas durante os dois dias de festa, segundo informações da Polícia Militar. Neste ano do 6º Círio, ao mesmo tempo que celebramos a devoção à Virgem de Nazaré, a paróquia comemora suas Bodas de Ouro pelos seus 50 anos de fundação. Pertencente à Diocese de Osasco e sediada na cidade de São Paulo, a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré foi homenageada pelas prefeituras de ambas as cidades.


CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO A procissão do Círio de Santos começando seu trajeto pelas ruas do bairro

Círio de

Santos

O

Círio de Santos, desde 1949, é organização pela Sociedade Amigos da Amazônia no Dia Nacional de Nossa Senhora de Nazaré – 2° domingo de outubro, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário de Pompéia situada na praça Benedito Calixto. No sábado, véspera do grande dia, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, no seu andor é conduzida às 17,00hs para a capela do Bom Pastor de onde e após a missa, fiéis devotos em carreata conduzem a Padroeira da Amazônia, para a Igreja Matriz da Pompéia, onde dá-se início à Missa solene celebrada pelo Pe. Ricardo de Barros Marques, vigário da Igreja da Pompéia, antecedendo a procissão do Círio.

Logo após o término da missa, inicia-se o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, com a imagem em seu andor lindamente ornamentado com flores naturais, seguidos dos fiéis devotos católicos de todas as partes do Brasil, orando e entoando cânticos marianos, com acompanhamento da banda Musical Carlos Gomes, pelas principais ruas do Bairro da Pompéia, em um percurso de cerca de dois quilômetros . Ao término, após a benção final com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré e as emoções dos presentes, mais ou menos às 13,00hs, no ginásio de esportes da Igreja da Pompeia, Rua Ceará, 33, a reunião festiva da Sociedade Amigos da Amazônia, atualmente presidida por Mauro Teixeira do Nascimento, quando são oferecidos pratos típicas do Pará, como pato ao tucupi, maniçoba, vatapá e tacacá … – momento das famílias de toda parte do Brasil e as paraenses se confraternizarem.

Pelas ruas do Bairro da Pompéia, o Círio no Dia Nacional de Nossa Senhora de Nazaré

Pouco antes da saída da procissão, Paulo Oliveira junto a berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, em Santos Na Baixada Santista, o Círio em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré

Após a chegada da procissão, a missa na Igreja Matriz da Pompéia

55 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

Círio de

NazaréPaulista S

O andor com Nossa Senhora de Nazaré em Nazaré Paulista

eguindo a tradição, celebramos em Nazaré paulista, o dia de nossa padroeira em 21 de novembro junto ao aniversário da cidade e de criação da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, da Diocese de Bragança Paulista. A festa contou com uma parte religiosa, destacando-se romarias e novenas que antecederam o dia da Padroeira, quando tivemos uma missa solene seguida de procissão. Quanto a parte profana, houve as tradicionais barracas, apresentações de grupos folclóricos e bandas musicais pelas ruas da cidade, previamente decoradas com as cores azuis e brancas em referencia à Nossa Senhora de Nazaré. Durante a procissão no dia da padroeira em 21 de novembro, também aniversário da cidade e de criação da Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, da Diocese de Bragança Paulista

A saida do andor com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré para a procissão em Nazaré Paulista

Esse ano, devido as restrições hidricas, não houve a Romaria Fluvial na Represa de Atibainha. Nazaré Paulista originou-se junto à primitiva capela de Nossa Senhora de Nazaré, no Município de Atibaia, construída em 1676, por Matias Lopes, fundador do povoado. O andor no carro dos Bombeiros para o transporte da Imagem Nossa Senhora de Nazaré, ia iniciar a procissão do Círio CORTA acima da cabeça do moleque de azul Padre Marcio Canteli, paroco da igreja de Nossa Senhora de Nazaré Paulista na missa do dia do Círio, aniversário da cidade, da Padroeira da cidade

56 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | SÃO PAULO

FOTOS: Ana Maria Sanches TEXTO: Mário Jorje Mendes

Círio de

Vila Carioca Pelas ruas do entorno da Paróquia de Santo Antônio, o VIII Círio de Nazaré na Vila Carioca

pobreza. Refletimos também sobre a Campanha Outubro rosa de combate e atenção ao Câncer feminino. Em sua homilia, o Padre Renato Braga fez um cotejo entre o tema do Círio e o Evangelho do dia Marcos 10, 35-45. Defendeu o Reverendo que o Cristão não deve procurar os primeiros lugares na Igreja ou na vida, mas ser exemplo de Maria, Mulher Eucarística, sendo servos, escravos do Senhor, dizendo sim aos planos de Deus todos os dias. Que devemos ser exemplos. Após a Santa Missa, como tradicionalmente ocorre, seguiuse o Almoço Paraense, com venda de comidas e bebidas típicas do Estado do Pará, bem como com muita música e confraternização. A entrada da berlinda com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré na Igreja de Santo Antônio

O

VIII Círio de Nazaré na Vila Carioca – Paróquia de Santo Antônio, localizada na rua Álvaro Fragoso, 674 – São Paulo, no terceiro domingo de outubro, teve como tema Maria, Mulher Eucarística, em preparação ao XVII Congresso Eucarístico Nacional, que correria na Cidade de Belém do Pará. O cortejo iniciou às 10h. Durante o trajeto foram entoados cantos e orações, bem como reflexões acerca de assuntos atuais que preocupam não só a Igreja como toda a sociedade, tais como o atual cenário político do Brasil, o problema do racionamento de água na grande São Paulo, o drama dos refugiados da Síria, África e demais Países em guerra civil e assolados pela

O paraense Padre Renato Braga, na Santa Missa após a chegada da procissão do Círio

Baiana da Escola de Samba Imperador do Ipiranga que sempre participam da procissão do Círio na Vila Carioca

A Bandeira do Pará logo no início da procissão

57 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | MINAS GERAIS

TEXTO: Adriana Pinheiro/Geraldo Lopes FOTOS: Ana Lua/ Luís Xavier/Mateus Serafim/Venâncio Carreira

Círio de

Morro Vermelho Tradição de mais de três séculos – Menino Jesus, tem suas vestes substituídas várias vezes ao dia, cada mais bonita eu a outra

C

om o tema: Maria Mãe de Misericórdia o Distrito de Morro Vermelho, na Grande BH, reviveu, de 30 de agosto a 8 de setembro, tradições folclóricas e religiosas mantidas há pelo menos 312 anos, sem nenhuma interrupção. É a Festa Nossa Senhora de Nazareth, que teve como destaque uma série de tradições, como cavalhada folclórica-religiosa e missa cantada em latim com coro e orquestra, durante a qual moradores festejam a natividade da Virgem Maria com bolo e muito doces caseiros, feitos especialmente para esta ocasião. As festividades começaram 30 de agosto, com novena solene na matriz de Morro Vermelho e em Caeté, onde a bandeira de Nossa Senhora percorreram casas diariamente, sendo conduzida a Morro Vermelho, no fim da tarde do dia 6, por mais de 600 cavaleiros, num percurso de 10 quilômetros em estrada de terra. A Cavalhada de Nossa Senhora de Nazareth, na noite do dia 7, relembrou a luta entre cristãos e mouros e a conversão destes ao cristianismo, depois de 800 anos de lutas. No dia 8, moradores e visitantes participaram de outra tradição centenária: Missa solene orquestrada e cantada em latim a quatro vozes. Para comemorar o aniversário da Virgem Maria, moradores, de acordo com as possiblidades de cada um, fizeram muitos doces e vários bolos, que são oferecidos a Nossa Senhora ao final da celebração, com o tradicional canto do “Parabéns”. Logo após da celebração, as guloseimas foram distribuídas aos fiéis e eles acreditam que os docinhos são abençoados por Nossa Senhora. Ao fim da tarde, procissão luminosa percorreu as ruas enfeitadas pelos moradores e na chegada a imagem de Nossa Senhora é recebida por apoteose de fogos de artifício e aplausos da multidão. A festa termina com o canto do Te Deum, em latim, em agradecimento a Deus pelo sucesso das celebrações. Menino Jesus – Outra tradição da Festa de Nossa Senhora de Nazareth também já demanda mais de três séculos: diversas famílias de moradores e de romeiros doam à Igreja vestidos ricamente adornados para uso, durante as festividades, pelo Menino Jesus, que fica nos braços da imagem da padroeira, sendo as vestes substituídas várias vezes ao dia.

58 Revista Círios de Nazaré | 2016

Início da Cavalhada de Nossa Senhora de Nazareth

Bandeira de Nossa Senhora de Nazareth, acompanhada por mais de 600 cavaleiros...

Depois do uso pelo Menino Jesus, os vestidos das mais diversas cores e tecidos são em geral devolvidos aos doadores, que os guardam como relíquias. Outras são peças de promessas e graças alcançadas, que possuem emocionantes histórias de devotos que pela fé conseguiram ter seus pedidos atendidos. Algumas peças estão sendo recolhidas pela organização da festa, que pretende colocá-las futuramente no acervo de um museu dedicado à Nossa Senhora de Nazareth. Outra tradição para comemorar o aniversário da Virgem Maria, os docinhos são abençoados por Nossa Senhora


CÍRIOS | BRASIL | DISTRITO FEDERAL

TEXTO: Maria da Glória Gama da Silva FOTOS: Arquivo Paróquia Nossa Senhora de Nazaré

A imagem de Nossa Senhora estava revestida com um belíssimo manto azul, contornado por lírios brancos, representando Nossa Senhora

Círio de

Brasília

Padre Rambo durante a homilia

C

om o tema: Maria, Mãe De Misericórdia, a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, Lago Sul, Brasília - DF, comemorou o seu 43º Círio de Nazaré, Festa em honra a nossa Padroeira. Durante as comemorações, foi realizado um Tríduo com Missas e orações, em louvor à Nossa Senhora no período de 08 a 10/09 e no domingo dia 11/09 um dia inteiro em sua homenagem, com Missas, oficio de Nossa Senhora e oração do terço Mariano, culminando com Missa Festiva em Ação de graças pelo Círio de Nazaré e a Procissão do Círio por volta das 18h. A imagem de Nossa Senhora estava revestida com um belíssimo manto azul, contornado por lírios brancos, representando Nossa Senhora e nas costas um Ostensório. Saindo da Hóstia raios de sangue e água que jorraram do coração misericordioso de Jesus. O manto foi idealizado pelo Pároco Pe. Roberto Rambo e pela coordenadora da Liturgia Glória Gama, e confeccionado pelo paraense Ana Marta Souza da Silva. Como nos anos anteriores, foi realizada a exposição dos Mantos usados pela imagem desde 1999 na Capela da Igreja, e no Salão Paroquial a partir do almoço de domingo foram colocadas à disposição da comunidade comidas típicas regionais, destacando-se a comida paraense da qual a comunidade, princiProclamação ao Evangelho durante a Missa festiva em ação de graças pelo Círio de Nazaré

Coordenadores levando o Rosario de Nossa Senhora em Procissão

palmente os paraenses, não abrem mão. Contando com a efetiva participação de todas as pastorais da Paróquia na realização do evento, a Festa foi uma grande confraternização não só dos paroquianos, mas de toda colônia paraense que mora em Brasília, e nas cidades Satélites. Realizado pela Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, no Lago Sul em Brasília, o Círio de Nazaré, é um evento cultural e turístico que consta no calendário oficial de eventos do Distrito Federal. A exposição dos Mantos usados pela imagem desde 1999 na Capela da Igreja

59 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | RIO GRANDE DO NORTE

Coroação da imagem de Nossa Senhora de Nazaré

Momento de veneração dos fiéis com a imagem de Nazaré após a missa de encerramento da Festa

FOTOS: Raminho Santos TEXTO: Maria da Piedade Feitosa e Águida Cunha

Aproximadamente mil pessoas participaram das atividades promovidas pela Igreja. A festa é tradicional no bairro Nossa Senhora de Nazaré e reúne parte dos seus habitantes, para prestar homenagens a padroeira. No sábado, 28, a abertura da festa começou com o hasteamento das bandeiras, seguido da santa missa com o subtema “Somos procurados e amados por Deus”. No dia seguinte, 29, às 8h30 foi celebrada a missa de jubileu aos doentes, pessoas com deficiência e cuidadores individuais, e o subtema era “Jesus revela o amor de Deus”. No dia 30 houve a recitação do Santo Terço e logo após a missa, e “Somos acolhidos e amados por Deus” foi o subtema do dia. As atividades da festa, no dia 31, começaram com a procissão em homenagem a Nossa Senhora, que saiu da capela de Nossa Senhora de Nazaré e percorreu as ruas do bairro até a Paróquia do Santuário dos Mártires. Além disso, as crianças da catequese realizaram a coroação de Nossa Senhora, na missa que sucedeu a procissão, às 19h, marcando o encerramento das celebrações da festa. Concomitante as celebrações religiosas, a festa teve sua parte social com barracas com lanches, bazar e atrações culturais. Padre Francisco das Chagas incensando a imagem de Nazaré durante celebração eucarística do Tríduo de Nazaré

Círio de

Natal O

mês de maio para o bairro Nossa Senhora de Nazaré, na zona oeste da cidade do Natal, é marcado pela festa em comemoração à padroeira que dá nome a ele. Este ano, a festa ocorreu entre os dias 28 e 31, com o tema “Maria, mãe de Misericórdia”. As celebrações aconteceram na Paróquia Santuário dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu e na capela de Nossa Senhora de Nazaré.

Imagem de Nossa Senhora de Nazaré sendo levada em procissão pelas ruas da cidade do Natal por fiéis devotos e paroquianos

60 Revista Círios de Nazaré | 2016

Chegada da procissão da imagem na Paróquia Santuário dos Mártires passando pela Porta Santa


CÍRIOS | BRASIL | PERNAMBUCO

FOTOS: Joaquim de Freitas TEXTO: Helena Oliveira

Círio de

Recife A

tes. Os devotos conduziram a corda durante todo o trajeto representando o cuidado e respeito que devemos ter com a nossa mãezinha do céu. A festa foi encerrada com o tradicional almoço paraense realizado no salão de festa da Igreja da Soledade.

festividade do Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Recife, é promovida há 77 anos pela Paróquia da Soledade, localizada no bairro da Boa Vista, Centro da Capital. Esta edição da festa, foi sob a inspiração do tema “Maria, mulher eucarística”. O Círio teve início, às 9h, com a celebração da Santa Missa na Igreja da Soledade, presidida pelo então pároco de Nossa Senhora da Soledade, padre Nilson Lourenço, que logo em seguida deu início a tradicional procissão, conduzindo a réplica da imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas Oliveira Lima, Gervásio Pires e Avenida Conde da Boa Vista, retornando para a Rua da Soledade. A entrada da berlinda, carregada por um grupo de mulheres devotas, foi um dos momentos mais emocionantes da festa. Durante a procissão as crianças vestidas de anjos também demonstraram todo seu amor a Maria de Nazaré cantando “Senhora da Berlinda”. As homenagens continuaram durante toda a caminhada com saudações de “Viva Nossa Senhora”, palmas, cantos e muita oração, momentos que inundavam de amor todos os presen-

História

No Recife, o ato de fé foi iniciado pelos paraenses Artur Roxo Pereira e Manuel Emílio Guillon, fiscais da Receita Federal daquele estado, que foram transferidos para Pernambuco. Eles doaram à Paróquia da Soledade uma imagem da santa, que haviam trazido de Belém, iniciando assim essa festividade que acontece até hoje. O atual pároco de Nossa Senhora da Soledade, é o Padre Paulo Sergio Vieira Leite. Início da celebração com a entrada da Berlinda

Durante a celebração da Santa Missa que antecedeu o Círio, na Igreja da Soledade

A passagem da procissão pela Av. Conde da Boa Vista.

Saída da procissão

As crianças mostrando sua devoção a Maria de Nazaré

61 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | RIO GRANDE DO NORTE

FOTOS: Lenilson Azevedo, Luana Elizia e Joyce Brenda

Círio de

Ouro Branco Pe. Carlos Henrique, abençoa os que esperavam a chegada da imagem de Nossa Senhora de Nazaré nas margens do açude

Após a travessia, o início da procissão da 7ª edição do Círio de Nazaré, até a igreja matriz

Na chegada, ainda ao amanhecer, Nossa Senhora de Nazaré abençoava as águas do Divino Espírito Santo (açude do Esguicho)

N

o dia 28 de maio de 2016, foi realizado o VII Círio de Nazaré na Paróquia do Divino Espírito Santo na cidade de Ouro Branco/RN, Diocese de Caicó. O Pároco Carlos Henrique de Jesus Nascimento incentivou a comunidade para a realização deste evento mais uma vez, enfatizando a necessidade de se agradecer a Deus, pela intercessão de Maria de Nazaré, pelas chuvas caídas naquele sertão nordestino tão castigado pela seca destes últimos anos. Assim, mesmo com a diminuição das águas do açude do Divino Espírito Santo (açude do Esguicho), aconteceu o Círio, saindo às 5h da residência do pescador José Calixto e de sua esposa Vera, que conduziu a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em sua canoa até a margem do açude, onde um grupo de devotos aguardavam ansiosos e emocionados a chegada da imagem da Mãe de Deus. Às 5h30, foi celebrada a Santa Missa no balde do açude, e, em seguida, teve início a romaria até a cidade e passando pela rua principal, chamando a atenção das pessoas que esperavam a passagem da santa, continuou até a Igreja do Divino Espírito Santo com bênção sobre os fiéis e palavras de agradecimento do Pároco que relembrou aos paroquianos a importância de se celebrar esta sétima edição do Círio de Nazaré dentro das celebrações do “Centenário de fundação da Igreja Matriz” (1916-2016). Como lembra o Padre Carlos Henrique sobre o porquê deste evento na cidade de Ouro Branco, ele diz: “tudo começou por uma oportunidade que eu tive de participar do Círio de Nazaré em Belém do Pará, por convites de padres daquela arquidiocese que antes tinham sido meus colegas de seminário; sempre fala-

62 Revista Círios de Nazaré | 2016

vam da grandeza e beleza do Círio e me convidavam para um dia participar deste evento. Como gosto muito de vivenciar estes momentos de fé e de devoção popular, prometi a mim mesmo que quando desse, iria. E, assim aconteceu em 2009. Chegando em Belém, me surpreendi desde os primeiros momentos, como a festa movimentava o Pará inteiro, e era de uma proporção gigantesca seja no número de participação seja na demonstração de fé do povo. Participar do Círio foi um momento extraordinário na minha vida, que por tudo o que vi, o que mais me comoveu foi inegavelmente a força da fé do povo. Lá, mesmo, prometi a Nossa Senhora realizar aqui em Ouro Branco um pequeno Círio em agradecimento. No ano seguinte, apresentei meu desejo ao casal Gorete e Humberto, que prontamente fizeram o manto, uma peça muito bem-feita semelhante a um dos mantos do Círio de Belém que eles viram por foto. Assim fizemos o I Círio que eu pensava ser o único. Mas, um ano depois, o povo começou a pedir com insistência que fosse novamente realizado. E daí, já é o VII que realizamos. A cada ano descobrimos símbolos e significados que dão sentido as nossas vidas e ao estilo de vida da nossa comunidade local, que é predominantemente rural, enchendo-a de significado e encorajamento diante das adversidades. Celebrando o Círio, a gente valoriza o nosso açude, a canoa como símbolo da labuta dos pescadores, a carroça de boi como símbolo da luta dos agricultores e vaqueiros nesta terra seca, e depois tem a corda, que ora fica tensa, ora fica frouxa, mas na correria, todos se unem numa única corrente de fé dando força uns aos outros até chegar à igreja: assim é a nossa vida, há momentos de calmaria e momentos de grandes apertos que só conseguimos atravessar porque estamos unidos uns aos outros e a Maria, que nos mostra sempre que o caminho verdadeiro da vida é Seu Filho Jesus. Meu desejo é que Maria ampare com o seu manto protetor, símbolo de sua maternal proteção, toda a nossa comunidade. Em direção à Paróquia do Divino Espírito Santo na cidade de Ouro Branco/RN, Diocese de Caicó


CÍRIOS | BRASIL | CEARÁ

Círio de

Fortaleza A festa do Círio na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré no bairro Montese, em Fortaleza, teve início no dia 02 de junho com a saída de 35 imagens que durante quatro meses percorrerão toda a paróquia. Cada imagem tem uma equipe responsável que diariamente visita as famílias dos 15 setores nos quais a paróquia está dividida. Para uma grande evangelização, são visitadas residências, condomínios, escolas, repartições e capelas. Em cada um desses locais se recita o terço, faz-se a leitura bíblica, com os presentes se estuda o texto levando à prática do dia-a-dia. Todas essas celebrações são feitas com cantos de louvores a Maria, Mãe de Jesus e nossa mãe. Na primeira quarta-feira do mês de outubro todas as imagens com suas equipes e convidados retornaram em procissão até à matriz e solenemente são recepcionadas com a Banda de Música e hasteamento da Bandeira e a praça da matriz fica repleta de fiéis que ali compareceram para acolher a nossa querida mãezinha. No dia seguinte teve início a novena cujo tema foi: “Maria, Estrela da Evangelização”. O pároco, padre Raimundo Ferreira esteve à frente das festividades. Cada noite foi abrilhantada por uma pastoral que ficou responsável para acolher os caminheiros que chegavam dos setores de cada noite onde se rezou pelas vocações, pelo ano da misericórdia, pela juventude, pelas crianças, pelos setores, pelos religiosos e consagrados, pelos professores, pelos paroquianos falecidos e por todos os sacerdotes que já trabalharam na paróquia e que já se encontram na casa do Pai. A última noite de novena foi denominada a noite O pároco, padre Raimundo Ferreira esteve à frente das festividades

Em Montese, a berlinda com a imagem da Virgem Maria

Em Fortaleza, participam os fiéis dos 15 setores da paróquia que tem mais de 60 anos

Na Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, Montese, em Fortaleza, durante a benção e a saída das 35 imagens que iriam percorrer toda a paróquia

A belíssima procissão percorrendo as ruas dos diversos setores da Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré no bairro Montese, em Fortaleza

da gratidão, momento no qual todas as pessoas como forma de agradecimento a nossa Senhora depositaram flores a seus pés. Em todas as noites os padres se disponibilizaram a atender às confissões e foi um momento abençoado de grandes conversões. A festa foi encerrada no dia 18 de outubro: pela manhã aconteceu a missa dos motoristas e bênção dos veículos. À tarde uma belíssima procissão percorrendo as ruas dos diversos setores e retornando à matriz aconteceu a solene concelebração seguida da consagração de toda a paróquia a Nossa Senhora de Nazaré. A imagem deixou a praça e se via o brilho de felicidade em todos os rostos por ter contemplado mais uma vez um acontecimento com tanto brilho e tanta graça derramada sobre toda a comunidade paroquial. Sempre se via o brilho de felicidade em todos os rostos por ter contemplado Nossa Senhora de Nazaré

63 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | CEARÁ A imagem de Nossa Senhora de Nazaré em seu andor, no Círio de Capistrano

A corda com mais de 100 metros de comprimento começava a ser posicionada, era o início de mais um Círio em Capistrano

Círio de

O Círio de Capistrano chegando ao seu final

Capistrano

O

Círio de Nazaré de Capistrano teve a coordenação geral do padre Valdenor Cesário, pároco e do padre José Maria Loiola, seu assistente. Também participaram das celebrações os padres Francisco Eudásio Nobre ex-vigário da paróquia, José Maria, vigário emérito de Aratuba, município vizinho e do padre Giovane Saraiva, capistranense, atualmente na paróquia de Santo Afonso de Fortaleza. A programação, como sempre se iniciou com a grande carreata no dia 29 de agosto com muitos carros e motos, invadindo a cidade, seguida do hasteamento da bandeira da paróquia. Todos os dias, a partir das 4:30 da manhã, o sino da Igreja Matriz tocava em momento de integração comunitária, quando a santa peregrina vai a um bairro da cidade, em caminhada e no final, o café da manhã onde os fiéis daquele bairro se confraternizam. Todas as noites aconteceram a celebração eucarística, sempre concelebrada com dois ou mais padres. As escolas municipais e a escola estadual de ensino médio, como já tradicional, tiveram participação especial no dia 7 de setembro, com o desfile cívico sendo integrado a programação do Círio de Capistrano. No dia 8 de setembro pela manhã, por ocasião da celebração da missa da natividade de Maria, aconteceu também a bênção da corda do Círio e da berlinda que conduziria a imagem de Nossa Senhora. Nesta ocasião a imagem recebeu o manto para a procissão do Círio. Pelas ruas de Capistrano, dia 8 de setembro, a procissão do Círio de Nazaré

64 Revista Círios de Nazaré | 2016

Ainda no dia 8 e encerrando as festividades, aconteceu a grande procissão do Círio de Nazaré, com um grande cortejo de fiéis que a acompanham segurando na corda com mais de 100 metros de comprimento. Ao final da procissão, às 7 da noite, foi concelebrada a missa campal, presidida por Dom Ângelo Pignole, bispo da diocese de Quixadá com a participação de vários padres presentes. Ao final da procissão momento para louvar e apreciar a imagem em seu andor

Em clima alegre e descontraído a bela demonstração de devoção à Nossa Senhora ...


CÍRIOS | BRASIL | MARANHÃ0

FOTOS: Bento Leite, César Dominici e Pascom TEXTO: Celia Maria Santos Lindoso

Círio de

São Luis A cidade de São Luís, no Maranhão, realiza no período de 23 de setembro a 09 de outubro os festejos do Círio de Nazaré/Festa da Luz, na Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, num dos bairros mais populosos da capital onde residem cerca de 120 mil pessoas – o bairro do Cohatrac. Em todos os anos o Círio acontece por meio de uma forte preparação e organização dos fiéis para a vivência desse Festejo, que ocorre há 23 anos e reúne cerca de 250 mil devotos durante os vários dias de festa, número que cresce a cada ano com a participação de fiéis não só da capital, mas de todo o estado do Maranhão e que, por essa razão, já é considerado uma das maiores festas religiosas da capital maranhense. Este ano, a Festa do Círio teve para a evangelização dos devotos, o tema: Festa da Luz, Fonte de Misericórdia e o lema:“Quem vem a mim nunca mais terá sede” (Jo 6,35), que nortearam os fiéis durante a peregrinação nas famílias, nos hospitais, escolas e demais instituições civis e militares, o Novenário da Luz, Romaria, Translado (Procissão da Luz), Procissão e Missa de Encerramento, momentos de serviços, orações e celebrações eucarísticas, em torno da devoção à Maria Santíssima, que fortalece e conduz os fiéis a seu filho Jesus, a Fonte da Misericórdia e os aproxima dos irmãos mais necessitados. Missa no Novenário da Luz

O Círio de Nazaré em São Luís é um dos momentos mais forte de espiritualidade dos devotos de Nossa Senhora

Mais de 30 dias de atividades

O Círio de Nazaré em São Luís é um dos momentos mais forte de espiritualidade dos devotos de Nossa Senhora, que começa com as Peregrinações da imagem da Virgem, caminhando com seu Filho Jesus pelas ruas, escolas e famílias da Comunidade, pelas Paróquias da capital e do interior do estado, entre doentes e, principalmente, no coração de cada devoto da Paróquia e daquele que chega para participar seja para agradecer, pedir uma graça ou simplesmente expressar sua fé. Ao todo, o Festejo dura mais trinta dias de atividades, que contam também a realização do Círio Ecológico, com atividades voltadas para o meio ambiente; Círio Solidário, Expressão da solidariedade para com o próximo; Círio Esportivo, que aproxima as pessoas por meio do esporte; Círio Cultural, onde se valoriza a cultura religiosa e as expressões artísticas maranhenses; e Círio das Crianças, quando crianças e adolescentes prestam homenagem à Virgem de Nazaré.

Círio muda rotina

As atividades do Círio movimentam a capital maranhense, a Comunidade onde são realizadas, bairros vizinhos e até outras cidades do Maranhão. A rotina das pessoas muda, o clima de festejo se instala no ar e o sentimento de fervor e devoção à Virgem de Nazaré e de fé em Jesus, a grande Luz, envolve a todos, numa expressão de emoção, louvor e gratidão a Deus e Nossa Senhora. No encerramento do Círio das Crianças no bairro do Cohatrac

Durante o Translado, a Procissão da Luz, em São Luís

65 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | AMAPÁ

Círio de

FOTOS: Jorge Figueiredo TEXTO: Fabiana Figueiredo A berlinda durante a procissão do Círio em Macapá

Macapá A

81ª edição do Círio de Nazaré de Macapá, levou cerca de 150 mil fiéis para as ruas de Macapá em uma caminhada cheia de devoção e alegria. Com o tema “Fazei isto em minha memória”, e o lema “Maria guardava tudo em seu coração”, a festividade do Círio também foi momento de preparação espiritual para o Congresso Eucarístico Diocesano, que aconteceu em maio deste 2016. “O tema recorda sobre o anúncio da ceia, onde Jesus tomou o pão e o vinho e os consagrou através da bênção e convidou a igreja a continuar a missa que ele iniciou. Missa que se torna unção para todos os batizados, obedientes à vontade do Senhor em sua memória, em que celebramos o sacrifício da nova e eterna aliança”; já o lema, aborda a fidelidade às escrituras e contemplação. “Nossa Senhora era fiel ouvinte do Senhor e acolheu suas palavras com amor e contemplação. (...) Por isso, somos convidados com Maria a guardar em nossos corações o que ouvimos e colocar em prática o que meditamos em comunidade”, explicou o padre Fábio Pereira, coordenador geral do Círio de Nossa Senhora de Nazaré em Macapá. Durante a programação do Círio, a imagem peregrina visitou instituições públicas, hospitais, colégios e paróquias da Diocese de Macapá, como parte da Peregrinação. Procissões, carreatas, romarias dos ciclistas e motoqueiros também marcaram com muita devoção este período mariano em Macapá. No período de 11 a 17 de outubro aconteceu o Novenário, em que, durante uma semana, os fiéis fizeram meditações voltadas à eucaristia, presença viva de Jesus em nosso meio. Círio dos Ciclistas em Macapá

Homenagem das Famílias às Senhoras de Aparecida e de Nazaré

66 Revista Círios de Nazaré | 2016

Durante a missa celebrada pelo bispo Dom Pedro José Conti

Nossa Senhora de Nazaré também foi celebrada durante a programação do Círio Musical, através das apresentações do ministério de música Banda Eterna Aliança (AP), do cantor Thiago Morais (MG) e banda Expresso da Fé (AP), e encerrando com show do cantor Tony Allysson (GO). O ponto alto da festa, sem dúvidas, é a procissão com a imagem da virgem de Nazaré no segundo domingo de outubro pelas principais ruas da região central de Macapá. A romaria iniciou no santuário de Fátima, no bairro Santa Rita, e encerrou na igreja matriz de São José, no Centro, um dos prédios mais antigos da cidade, onde o bispo de Macapá, Dom Pedro Conti, deixou sua mensagem: “Este ano fizemos alguns momentos de reflexão. Primeiro foi sobre a eucaristia, onde relembramos o amor de Deus por nós, e também sobre o planeta Terra. Recordamos ainda os mártires, e pessoas que estão sendo mortas por causa da fé. É uma prova de que estamos em comunhão com tudo o que está acontecendo na sociedade”, declarou o bispo. Foram realizadas paradas em frente a grandes painéis durante o trajeto da Procissão, onde os fiéis viveram momentos de emoção com reflexões sobre o viver a Eucaristia. A corda, objeto de devoção do Círio e usada para pagar e fazer promessas, teve 150 metros de comprimento, feita de sisal e foi utilizada para puxar a berlinNo Recírio, o da durante o trajeto da procissão. Círio das Luzes O Círio de Nazaré encerrou com a procissão das Luzes, no Recirio, que saiu da Paróquia Jesus de Nazaré até a Catedral São José, onde a imagem de Nossa Senhora fica exposta por mais um ano intercedendo por seus filhos e aguardando o próximo Círio.


CÍRIOS | BRASIL | AMAZONAS

FOTOS: Ass. de Com. da Arquidiocese de Manaus

Círio de

Manaus Abrindo o Círio de Nazaré em Manaus

Dom Mário Antônio da Silva, bispo auxiliar de Manaus recém nomeado Bispo da Diocese de Roraima, na corda do Círio

M

anaus estava encoberta de muita fumaça na manhã do segundo domingo de outubro e mesmo assim, milhares de fiéis devotos a Nossa Senhora de Nazaré marcaram presença na caminhada da procissão do Círio, em sua honra. O tema do Círio foi “Com Maria, construindo a paz na família”, um chamamento aos fiéis para a importância que a família tem na formação de crianças, jovens e adultos, tomando como exemplo a família de Jesus, formada por Maria, sua mãe, e José, o pai de criação. As festividades católicas iniciaram às 6h30, com uma missa na Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul da capital. De lá, os fiéis, juntamente com a imagem da santa em sua berlinda, saíram em cortejo até a Paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, bairro Adrianópolis. Os fiéis percorreram cerca de 2,5 quilômetros. A imagem passou pelas ruas Tarumã, Duque de Caxias, Viaduto Josué Cláudio de Souza, Umberto Calderaro, Rua Natal e Mário Ypiranga, com chegada na Praça Nossa Senhora de Nazaré. Muitos fiéis devotos acompanharam na corda de 400 metros, atrelada ao andor da Virgem, em todo o percurso, outros também contritos, rezavam – a maioria cantava canções marianas. Na passagem do andor com a berlinda belamente ornada, pelos prédios de apartamentos e residências, a imagem era reverenciada pelos fiés que aguardavam a sua passagem. Ao final da procissão, o vigário, padre Mário Missiato celebrou missa na igreja da santa homenageada. Na noite do sábado anterior, houve a trasladação, às 19h, da imagem de Nossa Senhora de Nazaré da paróquia de Adrianópolis para o Santuário de Nossa Senhora de Fátima, na Praça 14. Durante toda noite ocorreu a vigília,culminando com uma missão solene, já no domingo, às 6h30, no Santuário de Fátima, seguida da Procissão do Círio, às 7h em direção à Igreja de Nossa Senhora de Nazaré.

O andor com a berlinda belamente ornada, reverenciada pelos fiéis durante a procissão do Círio pelas ruas de Adrianópolis

Fiéis devotos acompanharam na corda de 400 metros, contritos, rezavam – a maioria cantava canções marianas Dom Mário Antônio da Silva, celebrou a missa final na Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, em Adrianópolis

67 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | BRASIL | ACRE

Círio de

Rio Branco União entre os fiéis e a solidariedade humana durante a procissão do Círio

E

m Rio Branco no Acre, a Grande Festa religiosa do Círio de Nazaré comemorou sua 83ª edição. Romeiros de todas as partes do estado participavam da procissão para agradecer as bênçãos alcançadas. Pela manhã aconteceram duas missas na Igreja Matriz. A partir das 17hs começou a concentração de uma grande multidão na Gameleira, uma grande praça voltada para o Rio Acre. Por volta das 17:30 surgiram esplendorasamente alguns barcos acompanhando o barco que conduzia a imagem de Nossa Senhora De Nazaré até o porto da Gameleira. Quando a imagem chegou foi recebida com muitos cantos e homenagens, e os casais do ECC com tochas a conduziram até o Bispo o bispo Dom Joaquin Pertinez e o reitor da Catedral Pe. Mássimo Lombardi. Em seguida, D. Joaquin depositou a imagem na berlinda que foi conduzida pelas principais ruas do centro de Rio Branco, no trajeto do Círio pelas Rua Senador Eduardo Asmar, seguindo pela Marechal Deodoro, Rui Barbosa, Avenida Getúlio Vargas e Avenida Brasil. Na procissão luminosa, as pessoas caminhavam segurando velas coloridas, para iluminar a procissão. “Isso tudo representa nossa fé e esperança de dias melhores”, disse Pe. Lombardi. A corda ia a frente ajudando a puxar a berlinda conduzida pelo povo que cheio de fé caminhava rumo a Catedral, A imagem de Nossa Senhora de Nazaré chegou à Gameleira em procissão fluvial

68 Revista Círios de Nazaré | 2016

O padre Mássimo Lombardi e o bispo Dom Joaquin Pertinez com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, após a chegada pelo Rio Acre

juntamente com muitos anjos que completavam a beleza da procissão. A Guarda de Nazaré cuidava para que a virgem continuasse protegida assim como o povo. Chegando à Matriz, ao entrar na Catedral, desceu sobre a berlinda uma chuva de pétalas de rosas e em seguida aconteceu a belíssima celebração de encerramento da festa. Entrada da berlinda na Catedral de Nossa Senhora de Nazaré

Durante a procissão do Círio em Rio Branco


CÍRIOS | BRASIL | RONDÔNIA

TEXTO: Pe. Alceu Luiz Weber, SCJ - Pároco

Círio de

Porto Velho A imagem de Nossa Senhora de Nazaré, padroeira de Rondônia, em sua berlinda

Nossa Senhora de Nazaré, que também é padroeira de Rondônia. Os padres que atendem a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré são da Congregação do Padres do Sagrado Coração de Jesus, também conhecidos como Dehonianos. Neste ano teremos o Jantar do Círio na noite do dia 3 de setembro, fazendo oficialmente a abertura do Cirio. No dia 4 de setembro a berlinda sai para o tríduo em cada uma das comunidades e, no dia 30 de setembro acontece a abertura da novena na Igreja Matriz, com a presença do nosso bispo D. Roque Paloschi. Início do Círio da capital de Rondônia

Pe. Alceu Luiz Weber, ao final da procissão, após a confraternização

A

Paróquia Nossa Senhora de Nazaré foi fundada em 21 de fevereiro de 2010, no Bairro Jardim Eldorado. É a paróquia mais jovem da Arquidiocese de Porto Velho – apenas 6 anos de idade. Ela possui 08 comunidades, sendo 03 em áreas. A população compreende em torno de 30.000 pessoas. A Comunidade Nossa Senhora de Nazaré foi fundada em 1991 – capela da Paróquia Nossa Senhora das Graças – justamente para atender a grande demanda dos devotos de Nossa Senhora de Nazaré. Pois, desde 1930 já se realiza o Círio de Nazaré na capital rondoniense, sempre nos arredores da catedral Sagrado Coração de Jesus. Portanto, desde 1991 o Círio costumava sair da Igreja Matriz Nossa Senhora das Graças até a comunidade Nossa Senhora de Nazaré. Quando esta comunidade se tornou a sede da Paróquia, evidentemente, o Círio acontece dentro da área geográfica da mesma. E a cada ano cresce o número de romeiros na novena, como no Dia do Círio, no 2º domingo de outubro, quando ao final, após a procissão, uma missa é celebrada na Igreja de Nossa Senhora de Nazaré. O tema desse Círio foi “ Com Maria, em Jesus, chegamos à Gloria”. Durante a procissão, os devotos aproveitam para agradecer pelas bênçãos recebidas e fazer orações junto a imagem de

Pelas ruas da Zona Sul de Porto Velho, os animadores rezavam e cantavam hinos marianos

69 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | MUNDO | ESPANHA

Círio em

Tradicional Baixa da Virgen de la Sierra a partir do seu santuário em 2016

Cabra Espanha uma vasta gama de atividades, são realizadas em toda a cidade de Cabra, leituras de poesia, “Batalha de Flores”, concertos, competição flamengo, apresentações, exposições, etc ... Dia 8 de setembro é o último dia das festas, comemorando o nascimento da Virgem Maria, a imagem faz uma procissão pelas ruas de Cabra. Na sua entrada é recebido na paróquia com uma coleção de fogos de artifício marcando o término das feiras e festivais. A Virgem da Serra então, pode ser visitada durante todo o mês de setembro, na paróquia da Assunção e Anjos, onde permanece até o primeiro domingo de outubro, quando retorna de volta para o santuário. Sobre os ombros de jovens fortes e incansáveis a peregrinação que percorre um caminho íngreme entre olivais

N

o dia 4 de setembro, milhares de pessoas, partiram para o Santuário, para realizar a tradicional “baixa”, quando os sinos da capela anunciavam que a patrona deixava o Santuário sobre os ombros de jovens fortes e incansáveis. Neste momento, começava um dos eventos antropológicos de maior importância e profundidade da Andaluzia: a peregrinação que percorre um caminho íngreme entre olivais, oferecendo, porém, belas vistas do Parque Natural Subbética, tudo coordenado pela Irmandade de San Rodrigo Mártir e Portadores da Virgen de la Sierra. Uma vez que atinge Cabra, após a entrada triunfal de Maria STMA de la Sierra, pelos arcos da antiga rua Baena, é oficializada uma missa na paróquia de San Francisco e San Rodrigo e à noite, após a troca do manto é recebida nos antigos arcos da avenida Jose Solis, pelas autoridades, e acompanhada por uma procissão de cavaleiros e muitos carros alegóricos. Nos dias subsequentes da feira, no recinto de feiras la Tejera, em uma variedade de barracas e atrações, juntamente com

70 Revista Círios de Nazaré | 2016

Na noite de 8 de setembro de seu dia de festa, a imagem da Virgem da Serra em procissão pelas ruas de Cabra Entrada da Virgen de la Sierra pelos arcos da Rua Baena


CÍRIOS | MUNDO | FRANÇA

Círio em

Cayenne Franca Pela manhã, cerca de 700 fiéis participaram da procissão do Círio de Nazaré, nas ruas de Cayenne

A berlinda de Nossa Senhora de Nazaré, na Catedral de St. Sauveur

A

preparação do Círio, começa desde o mês de abril, com a presença e colaboração de todos os membros da Associação de Nossa Senhora de Nazaré. O tema deste ano foi: Maria Mulher Eucarística. “Com Maria rendemos Graças a Deus”. Em 6 de setembro, a Associação de Nossa Senhora de Nazaré com padre Elias LAGRILLE dá a bênção aos diferentes missionários que formam cinco grupos: Kourou, Matoury, Rémire-Montjoly, Macouria e Cayenne. As reuniões são realizadas às segundas, quartas e sextas-feiras às 19 h 30. Cada grupo organiza cerca de 15 eventos de 7 setembro à 2 outubro. O grupo de Remire-Montjoly organizou o pré-Círio em 04 de outubro na igreja de São Francisco Xavier e reunindo todos os grupos missionários para trocar a novo manto e a coroação da Virgem de Nazaré.

Na procissão do Círio, a peregrinação parte da Capela de St Martin de PORRES, pelas ruas de Cayenne, para a Catedral de St. Sauveur, onde foi realizada a celebração eucarística em honra de Nossa Senhora de Nazaré, pelos padres Patrice FRANCOIS pastor da Catedral de Santo Salvador, padre Silvino João FIGUEIREIDO (Joca) e padre Elie LAGRILLE.

Na Catedral de St. Sauveur, onde foi realizada a celebração eucarística em honra de Nossa Senhora de Nazaré Durante a troca do manto, o padre Joao Silvino Figueiredo (padre Joca), dando os ajustes finais Com Maria rendemos Graças a Deus

As imagens que percorreram Kourou, Matoury, RémireMontjoly, Macouria e Cayenne, com os missionários

71 Revista Círios de Nazaré | 2016


CÍRIOS | MUNDO | PORTUGAL

Festas em Honra de Nossa Senhora da

Nazaré

em Portugal

O andor com a imagem de N. Sra. da Nazaré

S

etembro é mês das Festas na Nazaré, em honra de Nossa Senhora da Nazaré, que, este ano, decorreram de 30 Agosto a 7 Setembro (manifestações religiosas). As festividades começaram, como é hábito, com a Novena preparatória em Honra de N.a Senhora. No dia 8 de setembro, chamado “Dia da Festa da Casa”, é feriado municipal na Nazaré, e o destaque das festividades, é a solenidade de Nossa Senhora da Nazaré. Esta começa com a Alvorada e a sessão da cerimónia do hastear da bandeira, no edifício dos Paços do Concelho, seguindo-se a cerimónia de hastear da bandeira, no Bico da Memória (local onde se assinala o milagre do salvamento de D. Fuas Roupinho por intervenção de N. Sra. da Nazaré). Logo após, decorre a Eucaristia Solene em honra da Padroeira, no Largo de N. Sra. da Nazaré, frente ao Santuário, que foi seguida por uma multidão de devotos. É um dos pontos altos das festividades em honra de N. S. da Nazaré. Tradicionalmente, após a missa, realiza-se a cerimónia da

72 Revista Círios de Nazaré | 2016

Bênção do Mar e a Procissão, que percorre as ruas do Sítio, engalanadas e enfeitadas com flores, para o efeito. As festividades de vertente de carácter profano – as chamadas “Nazaré em Festa”, se caracterizam pela realização de inúmeras atividades de animação, com gastronomia, concertos e espetáculos de vários géneros musicais, decorreram de 3 a 11 de setembro, no Parque Atlântico (Sítio) e animaram as noites, Hastear das Bandeiras da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré, do Município da Nazaré e de Portugal, no Bico da Memória no Sítio da Nazaré


FOTOS: Vitor Estrelinha/Câmara Municipal da Nazaré A bênção do mar: “Resplandeça a luz do vosso rosto sobre todos aqueles que morreram neste mar. A vossa bênção os acompanhe e guie até ao porto da Eternidade”. Padre Moisés Herves, reitor do Santuário de Nossa Senhora da Nazaré

No Bico da Memória, o andor, frente ao marco comemorativo da ida de Vasco da Gama à Nazaré. Após a Benção ao Mar. Segundo a história, Vasco da Gama antes de embarcar na descoberta do caminho marítimo para a Índia, foi como peregrino à Senhora da Nazaré, onde invocou a sua proteção durante a viagem

No largo do Santuário antes do início da procissão

A procissão em honra da Padroeira, no Largo de N. Sra. da Nazaré, se encheu de devotos

Durante a missa campal presidida pelo Bispo auxiliar de Lisboa D. José Augusto Traquina Maria, o Bispo recebe oferta de uma imagem de N.ª Sr.ª da Nazaré, num gesto simbólico, por duas crianças vestidas com o traje típico da Nazaré

bem como milhares de pessoas que ali se deslocaram. Para a organização do evento, tarefa que é repartida entre a Câmara Municipal e a Confraria N. S. Nazaré, uma das mais antigas celebrações religiosas da Região, atingiu níveis de reconhecimento muito elevados, e ganhou o estatuto de estar entre as melhores festas populares e religiosas. São, habitualmente, muito procuradas por milhares de devotos a Nossa Senhora da Nazaré, que veem de vários pontos do país, reunindo, também, muitos emigrantes e turistas.

Cronologia da Festa 2016 em Honra de Nossa a Senhora da Nazaré, no Sítio da Nazaré A Festividade começou no dia 30 de agosto com a Novena (até 07 de setembro) preparatória em Honra de Nossa Senhora da Nazaré, sempre com Recitação do Terço e a Eucaristia, no Santuário. No dia 04, no então recentemente renovado – Palácio Real da Confraria de Nossa Senhora da Nazaré, a Benção

73 Revista Círios de Nazaré | 2016


Durante a bênção do mar, no Bico da Memória

do Palácio uma Conferência do Bispo Auxiliar de Lisboa D.José Augusto Traquina Maria e Concerto de Piano. No dia 06 de setembro, após a Novena, Benção dos Doentes, seguido da Procissão das Velas e Benção das Famílias. No Palácio Real, Concerto de Piano e Coro, participação do Pianista Sérgio Varalonga e o Grupo Coral Cantu Angeli. No dia 07, o encerramento da novena. No dia 08 de setembro a Solenidade de Nossa Senhora de Nazaré com a Festa da Casa, iniciando às 09h00 com a Alvorada, às 09h30 o hastear da Bandeira nos Passos do Concelho e às 10h00 o hastear da Bandeira no Bico da Memória. Às

Flores à passagem de N.ª Sr.ª da Nazaré

Homenagens ao longo do percurso da procissão Imagem de Nossa Senhora da Nazaré em seu andor durante a missa campal

Chegada da Procissão ao Santuário de N.ª Sr.ª da Nazaré

O presidente da celebração e os concelebrantes

11h00 a Eucaristia Solene, campal, presidida pelo Bispo auxiliar de Lisboa D. José Augusto Traquina Maria, seguindo-se a pocissão solene e Bênção do Mar. Às 15h00, abertura do XVI Festival de Folclore, com Receção e Missa dos Grupos, seguida das Atuações. No dia 09 de setembro, início das Tertúlias e Concertos no Palácio, com o concerto de música clássica da fantástica banda de sopros Os 5 Nazarenos. No dia 10, a entrada Solene do Círio de Olhalvo com a Eucaristia Solene no Santuário, seguindo-se Procissão no largo de Nossa Senhora da Nazaré. No dia 11, a entrada Solene do Círio da Prata Grande, com Eucaristia Solene no Santuário, seguindo-se Procissão no largo de Nossa Senhora da Nazaré. Nazaré em Festa, (parte lúdica dos festejos) Concertos/ Diversões

74 Revista Círios de Nazaré | 2016


46 Revista Círios de Nazaré | 2016


ÔN

IO M U N

DI

A

L

E

RI

Nº 21 Círios de Nazaré

ISSN 1809-466X

Outubro 2016

R$ 15,00

R$ 15,00

Pará, Amapá, Amazonas, Acre, Brasília, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo, Portugal, França e Espanha

TA

IN

H

Ano 21

- W ORL D

E M O N DIAL

-

PA TR

Edição Especial IM

GE

- PA T R

IM

O

Círios de Nazaré 2016  

Pará, Amapá, Amazonas, Acre, Brasília, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo,...

Círios de Nazaré 2016  

Pará, Amapá, Amazonas, Acre, Brasília, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Rondônia, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, São Paulo,...

Advertisement