Page 1

junho 2009

Belém - Pará - Brasil

www.paramais.com.br

ISSN 16776968

Edição 91

6,00 3

E mais:

>>>OS NOVOS

DIRETORES DO TCE >>>CONFERÊNCIA DA UNALE >>>O EMPRETEC DO SEBRAE

VIVA

SÃO JOÃO!


Frutal e Flor Pará 2009

A

Fotos: Eunice Pinto e Rodolfo Oliveira/Ag Pa

semana da fruticultura, floricultura e agroindústria paraense começa no dia 25 de junho, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. É a Frutal Amazônia/IX Flor Pará 2009, eventos que contribuem com o desenvolvimento do homem e da região amazônica. Os resultados se refletem na vida das pessoas, na rentabilidade das empresas e no fortalecimento das instituições. Este ano, a expectativa é que as duas feiras atraiam 30 mil visitantes até o encerramento, no dia 27. Em 2008, os dois setores montaram 300 estandes. De acordo com o IBGE, de 2005 a 2008 houve um crescimento de 42,9% da área (hectare) para produção de frutas no Pará. Números mais expressivos são registrados pelo Ministério do Desenvolvimento,

paramais.com.br

5 2 A I D A I C I N I

Indústria e Comércio Exterior (MDIC) nas exportações de sucos no Estado, com crescimento de 65,1%, de 2005 a 2006; de 20,71% em 2007, e de 57,68% no ano passado. "Estes números resultam de um trabalho de mobilização do setor, de promoção dos produtos da Amazônia nas feiras internacionais, nas mídias especializadas, na evolução comercial e tecnológica dos produtores e nas rodas de negócios", afirmou o secretário de Estado de Agricultura, CássioAlves Pereira.

Negócios

A Rodada de Negócios promovida pelo SEBRAE, acontecerá nos dias 26 e 27, com a participação de industriais, comerciantes, representantes comerciais, prestadores de serviços e demais pessoas ligadas aos segmentos de fruticultura, floricultura e agroindústria. A programação técnica terá a participação de mais de 200 especialistas de todo o país, cujas palestras visam contribuir com o avanço tecnológico do setor. Dentre os temas a serem abordados estão

produção familiar, gestão dos conselhos municipais de desenvolvimento rural sustentável, estruturação dos arranjos produtivos locais de fruticultura (regularização fundiária, cadastro ambiental rural, comercialização de produtos), processamento de frutas e hortaliças, uso correto e seguro de produtos fitossanitários e práticas de manejo e conservação de solos. Os seminários, palestras, minicursos e oficinas acontecerão no Hangar e na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra). P

03


A histórica edição nº 90 A Pará+, única revista com circulação mensal no Estado, é a revista paraense com maior número de edições já veiculadas, há 9 anos ininterruptamente. Esse sucesso alcançado deve-se, à sua qualidade gráfica e editorial, dirigido a um público/comunidade, que vai do adolescente ao profissional liberal, com as matérias sempre tratadas de maneira agradável, didática, dinâmica e atual. Os assuntos abordados são dos mais variados como Educação, Cultura, Saúde, Ecologia, Arte, Tecnologia, Entretenimento, Turismo, Gastronomia e Cidadania, sempre focalizando as potencialidades do nosso Estado, garantindo assim um leque de assuntos bem variado ao leitor . Dessa maneira, nossa Pará+ oferece grande oportunidade de comunicação com um público comunitário e seleto, de grande potencial para fortalecer, fixar e divulgar qualquer que seja a marca, produto ou serviço. A governadora Ana Júlia Carepa entre A Pará+ circula mensalmente com distribuição dirigida e venda em bancas Rodrigo e Ronaldo Hühn, diretor e de revista. editor, recebendo a edição histórica

novos dirigentes do 06 Os Tribunal de Contas do Estado

08

Belém sedia Conferência da Unale

12

Festival Internacional de Músicado Pará

16

Editora Círios SS Ltda CNPJ: 03.890.275/0001-36 Inscrição (Estadual): 15.220.848-8 Rua Timbiras, 1572A - Batista Campos Fone: (91) 3083-0973 Fax: (91) 3223-0799 ISSN: 1677-6968 CEP: 66033-800 Belém-Pará-Brasil www.paramais.com.br revista@paramais.com.br

DIRETOR e PRODUTOR: Rodrigo Hühn; EDITOR: Ronaldo Gilberto Hühn; COMERCIAL: Alberto Rocha, Augusto Ribeiro, Rodrigo Silva, Rodrigo Hühn; DISTRIBUIÇÃO: Dirigida, Bancas de Revista; REDAÇÃO: Ronaldo G. Hühn; COLABORADORES: Acyr Castro, Camillo Martins Vianna, Denise Moraes, Sérgio Martins Pandolfo; FOTOGRAFIAS: Advaldo Nobre/Seduc; Arquivo SOPREN; Carlos Sodré;Claudio Santos, David Alves, Elcimar Neves,Eunice Pinto, Lucivaldo Sena, Rodolfo Oliveira e Tamara Saré/AgPa; Jeziel Rodrigues; José Sampaio, Elivaldo Pamplona, Guilherme Thorres; João Gomes/Comus; Ismar Ingber; Jefferson Rudy/MMA; Norma Smith; Marcelo Martins; Oséas Santos/Alepa; Martha Cride, Ricardo Stucker/PR; Sergio Oliveira; Sérgio Maranhão; Vantuir Souza, Zilma Dias e Walquiria Souza; DESKTOP: Mequias Pinheiro; EDITORAÇÃO GRÁFICA: Editora Círios

OS ARTIGOS ASSINADOS SÃO DE INTEIRA RESPONSABILIDADE DE SEUS AUTORES

ANATEC ASSOCIAÇÃO DE PUBLICAÇÕES

PA-538

25º Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo 2009

Junina movimenta 23 Quadra comunidades Meio Ambiente, Ecologia, 34 Biodiversidade e Ecossistemas

40

Produtos Orgânicos

o Gomes

Foto: Joã

/ Comus


As novas sete Maravilhas Naturais do mundo

A

fundação New7Wonders está concluindo a votação no próximo 07 de julho, para a escolha das Novas Sete Maravilhas Naturais

do mundo. A fundação New7Wonders abriu a votação para uma pré-seleção de monumentos naturais candidatos.O Brasil tem alguns candidatos, dentre eles, a Floresta Amazônica – uma candidatura compartilhada com Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela, países da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica – OTCA. Segundo os organizadores, o objetivo da nova votação global dos internautas é "fomentar a apreciação dos tesouros naturais do planeta, pois admirar a natureza é o primeiro passo para protegê-la". Agora a lista dos candidatos se reduziu a

261. Terminada esta fase de recolha das preferências, até 7 de Julho, um representante da Unesco examinará as 77 destinações mais votadas (11 para cada categoria) para depois determinar as 21 finalistas, que serão reveladas em 21 de Julho de 2009. As finais durarão até 2011, quando serão publicadas as 7 maravilhas naturais vencedoras. Duas vezes ao dia, o ranking das 77 primeiras candidaturas é atualizado no site www.new7wonders.com, com as votações dos internautas. Os critérios para que um espaço natural seja elegível para sua nomeação é que não tenha sido criado nem alterado significativamente pela mão do homem por razões estéticas. Não podem ser eleitos fenômenos naturais como as luzes da aurora boreal ou estrelas cadentes, por exemplo. Entre as distintas categorias que podem

participar deste concurso estão os espaços naturais, os monumentos naturais, paisagens, reservas animais, cavernas, canhões, geleiras, oásis, desertos, selvas, recifes de coral, lagos, rios e cataratas, entre outros. Segundo a Fundação New7Wonders, a seleção de 21 finalistas será feita, até o dia 07 de julho de 2009, por um comitê de especialistas liderado pelo ex-diretorgeral da Unesco, Federico Mayor, a partir do ranking de 77 indicados por votação na internet. Em seguida a escolha final será aberta novamente ao voto popular e eletrônico. O resultado com a lista de Novas Sete Maravilhas Naturais deverá ser divulgado até setembro de 2010. A eleição para as novas sete maralilhas naturais do mundo pode ser feita pela I n t e r n e t , n o s i t e P http://www.new7wonders.com

Até 07 de lulho

paramais.com.br

05


Os novos dirigentes do Tribunal de Contas do Estado

O

s conselheiros Maria de Lourdes Lima de Oliveira, Cipriano Sabino de Oliveira Júnior e Antonio Erlindo Braga, após eleição por aclamação, realizada em maio p.p, tomaram posse nos cargos de presidente, vice-presidente e coordenador de processos do Tribunal de Contas do Estado – TCE, respectivamente. Mais de dois mil convidados prestigiaram a solenidade, presidida pelo conselheiro Lauro de Belém Sabbá, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Com a presença maciça de autoridades do Judiciário, Legislativo, Executivo, de muitos amigos e familiares dos empossados, foi uma solenidade das mais

Fotos: Eunice Pinto/Ag Pa; Jeziel Rodrigues e Ray Nonato

Os novos dirigentes assinando o termo de posse

concorridas e que mais emoção transpareceu nos últimos anos em Belém. Ao assumir, os conselheiros assumiram o compromisso de executar um modelo de gestão democrática, capaz de impulsionar e manter a Corte de Contas rumo à modernização. Os novos dirigentes do TCE cumprirão mandato até 2011. A presidente Lourdes Lima, disse que sua gestão terá como objetivo atuar em parceria com o Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Ministérios Públicos junto ao TCE e TCM e outras instituições. "Vamos estimular o controle social, adotar uma postura orientadora, prosseguindo na modernização do efetivo exercício da missão constitucional do Tribunal, em

continuidade aos trabalhos dos últimos conselheiros que me antecederam na presidência”, reafirmo meu compromisso em defender o honroso nome da nossa instituição, representando-a com a dignidade como o cargo requer”, declarou Maria de Lourdes Lima de Oliveira. Natural de Irituia, município do nordeste paraense, pedagoga e acadêmica de Direito, Maria de Lourdes foi prefeita de sua cidade e deputada estadual por dois mandatos, antes de ingressar no Tribunal. Na última gestão do TCE, era a vicepresidente. Lourdes Lima é a segunda mulher a presidir o TCE. Maria Helena Borges Loureiro, procuradora geral do Ministério Público de Contas, saudou a empossada,

A conselheira Lourdes Lima faz seu Juramento “Com essa posse, reafirmo meu compromisso em defender o honroso nome da nossa instituição, representando-a com a dignidade que o cargo requer”

Já como presidente do Tribunal de Contas do Estado -TCE, Lourdes Lima faz emocionado discurso

06

Digníssimas representantes do TCE, Governo do Estado e TCM

Rodrigo e Ronaldo Hühn parabenizaram Lourdes Lima paramais.com.br


destacando sua trajetória profissional e a prudência presente em seus trabalhos. O conselheiro Lauro de Belém Sabbá também saudou os empossados, especialmente a nova presidente, que foi coordenadora de processos na sua gestão, de 2003 a 2007. "Todos estaremos de mãos dadas para o pleno êxito dessa administração", garantiu. A nova presidente do Tribunal também recebeu homenagens de coro infantil de Irituia e de irmãos e amigos músicos, todos bastante aplaudidos, emocionaram os presentes com suas interpretações.

Desafios Para Lourdes Lima, assumir a responsabilidade de conduzir os rumos do Tribunal no meio de uma grave crise econômica mundial "é um grande desafio". "Mas estamos otimistas e conscientes das medidas que A homenagem do coro infantil de Irituia emocionou todos os presentes

A governadora Ana Júlia Carepa cumprimenta a conselheira Lourdes Lima, Lauro Sabá observa na cerimônia de posse dos novos dirigentes do Tribunal de Contas do Estado – TCE

precisaremos adotar para viabilizar nosso plano de gestão, claramente definido e alinhado ao Plano Estratégico", comentou. Entre as metas de gestão ela destacou a revisão da Lei Orgânica e do Regimento Interno do TCE, a implantação da Ouvidoria e da Escola de Contas, e a realização de concurso público. "Atualmente não podemos conceber o Tribunal como uma entidade de caráter apenas punitivo. Procuraremos atuar de forma preventiva e tempestiva em áreas de maior significância, como saúde, educação e segurança, sempre buscando a eficiência e eficácia, prosseguindo na modernização do efetivo exercício da missão constitucional do Tribunal de Contas.

públicos, "um papel não apenas punitivo". "Queremos que os conselheiros contribuam para a capacitação dos gestores, que os orientem para que o dinheiro seja bem utilizado e as políticas públicas possam chegar aos que mais precisam", ressaltou. "Lidamos com recursos públicos aquém das necessidades da sociedade. Bem utilizá-los é uma ação nobre, e o Tribunal pode nos auxiliar nesta P ação", afirmou a governadora. A governadora Ana Júlia Carepa faz seu pronunciamento na cerimônia de posse dos novos dirigentes do TCE

Recursos públicos

Irmãos e amigos músicos, deram um show

A governadora Ana Júlia Carepa concordou com a nova presidente do TCE sobre a importância da Corte na solidificação do respeito aos recursos O Hangar ficou lotado

paramais.com.br

Pai, sogro e familiares foram homenagear Lourdes Lima

07


noticias da assembleia legislativa

Belém sedia Conferência

B

elém se tornou a sede dos Legislativos Estaduais e Distrital no período de 27 a 29 de maio, quando aconteceu aqui a XIII Conferência Nacional dos Legislativos Estaduais, coordenado pela União Nacional dos Legislativos Estaduais (Unale) e realizado pela Assembleia Legislativa do Pará (Alepa), com apoio do Governo do Estado, da Prefeitura de Belém, do Banco do Brasil e de diversas empresas locais. O tema desta edição focou a Saúde Pública no Brasil, debatendo o cenário vivido atualmente e soluções para os principais problemas enfrentados. A abertura solene da Conferência aconteceu na noite do dia 26 e teve como cenário o Theatro da Paz, reunindo parlamentares de norte a sul do País. Os discursos de boas-vindas foram proferidos pelo prefeito de Belém Duciomar Costa, pelo presidente da Alepa Domingos Juvenil, seguido do presidente da Unale César Halum e encerrado pela governadora do EstadoAna Júlia Carepa. A noite ainda contou com apresentações culturais da Amazônia Jazz Band, interpretações exclusivas de Fafá de Belém na companhia do músico Sebastião Tapajós dos Hinos do Brasil e do Pará, e a entrada das bandeiras dos 26 Estados e do Distrito Federal por bailarinos da Cia. de Danças Ana Unger, caracterizados de marajoaras, ao som de aquarela do Brasil, de Ari Barroso. Esses momentos marcaram com alegria a solenidade e revelaram um pouco das nossas raízes culturais. Na ocasião foi entregue a Comenda Unale ao governador do Tocantins, Marcelo Miranda, e ao ex-presidente da entidade, deputado estadual do Rio Grande do SulAlexandre Postal.

Pronunciamentos O presidente César Halum ressaltou a importância do tema escolhido para orientar os debates e a competência dos palestrantes. Fez ainda um balanço de sua gestão e resgatou por último a missão institucional da Unale, lembrando que “é preciso ter um movimento de deputados

10

e s t a d u a i s c a p a z d e p r e s s i o n a r, impressionar e sensibilizar o Congresso Nacional e o Poder Executivo, em torno da luta do resgate do poder legisferante (de legislar) subtraído dos legislativos estaduais na Constituição de 1988”. O anfitrião da Conferência, deputado Domingos Juvenil, presidente da Alepa, falou sobre a economia da Amazônia, de sua importância para o Brasil e pediu mais investimentos em ciência e tecnologia para transformar as riquezas existentes em emprego, renda e desenvolvimento para a população que vive nos nove Estados da Amazônia Legal, numa área que corresponde a mais de 60% do território nacional. “A região tem a sua esperança na maior diversidade do planeta, sem falar do grande potencial hídrico que temos, afinal somos 22,3 milhões de pessoas com direito a felicidade e de obter qualidade de paramais.com.br


Fotos: Oseás Santos/ Alepa

da Unale

O deputado Domingos Juvenil e a governadora Ana Júlia Carepa durante os discursos de boas-vindas

vida digna como qualquer brasileiro ou qualquer cidadão do mundo globalizado”, defendeu Juvenil, que também é presidente do Parlamento Amazônico – Parlamaz. A governadora Ana Júlia Carepa disse que é um desafio constante ao administrador público a questão da saúde pública e relacionou as ações adotadas no Pará. “Estamos agora vivendo uma crise e a saúde sente a conseqüência”, avaliou, lamentando ainda a extinção da CPMF e pedindo a aprovação de outra contribuição ao setor.

A mesa oficial: Governadora do Pará Ana Júlia Carepa, presidente da Unale, deputado estadual César Halum, Domingos Juvenil, presidente da Alepa; prefeito de Belém, Duciomar Costa, vice-governador do Paraná, Orlando Pessuti, deputado argentino Osvaldo Mercury, presidente do parlamento americano e do Mercosul, desembargador Augusto Montalvão, representando o TJE-PA, as presidentes do TCE e TCM do Pará, Lourdes Lima e Rosa Hage, Fafá de Belém e Sebastião Tapajós no empolgante Hino Nacional

paramais.com.br

11


noticias da assembleia legislativa Debates no Hangar

Gov. do Paraná Roberto Requião

Nos dias 28 e 29 de maio os auditórios do Hangar – Centro de Convenções da Amazônia, acomodou mais de 600 participantes de todos os cantos do Brasil para debates e propor soluções para os principais problemas de saúde do País. Cada região, estado e cidade tem sua

Ana Júlia Carepa com autoridades locais e nacionais

particularidade, mas no geral as proposições valem para todos. Abordou-se desde a reforma tributária BA saúde até os efeitos da crise econômica mundial no setor, passando ainda pela visão da saúde pública brasileira pelos profissionais de saúde.

Entre os palestrantes estiveram o presidente do Conselho Federal de Medicina Alceu José Peixoto Pimentel, o presidente da Unimed do Brasil Eudes de Freitas Aquino e o governador do Paraná Roberto Requião. No encerramento da programação, os conferencistas divulgaram a “Carta de Belém”, documento que apresenta as propostas dos deputados estaduais sobre os temas abordados no evento. O documento enfatiza a luta pela reestruturação do Sistema Único de Saúde (SUS) e pela regulamentação da “Emenda 29”, que fixa os percentuais mínimos a serem investidos anualmente em saúde pela União, por estados e municípios.

Público de mais de 600 participantes lotou o auditório do Hangar durante as palestras. Ao lado o médico paulista Renilson Souza,que substituiu o Governador de São Paulo, José Serra

Avaliação dos realizadores da XIII CNLE “O evento superou todos os objetivos e expectativas. Meus sinceros agradecimentos aos deputados paraenses que são igualmente responsáveis pelo sucesso das discussões realizadas aqui em Belém nos últimos dias”, comemorou o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, presidente do Parlamento amazônico e anfitrião do evento, deputado Domingos Juvenil.

12

“Com palestrantes de alto nível, discussões de extrema relevância e deliberações necessárias, chegamos ao fim do avento com a sensação dever cumprido. Isso é o mais importante”, explicou o ex-presidente da Unale e atual secretário geral da União, deputado César Halum. paramais.com.br


Parlamento Amazônico Conhecer a Amazônia para o desenvol-vimento socioeconômico da região. É o que defendeu o deputado estadual Domingos Juvenil, durante o Fórum Amazônico, do Parlamento Amazônico (Parlamaz), do qual ele também é presidente, e que aconteceu paralelamente a XIII Conferência da Unale. O Parlamaz reuniu parlamentares de nove estados que compõem a Amazônia Legal na abordagem de assuntos relacionados ao desenvolvimento sustentável, a integração nacional, economia local e as mudanças climáticas

A nova diretoria da UNALE

provocadas pelo desmatamento acelerado da vegetação amazônica. "É uma oportunidade para discutir questões que fazem parte da realidade desta região. Observamos que muitas pessoas do exterior e até do sul do País consideram a nossa gente como degradadora do meio ambiente, o que não é verdade. Temos necessidade de investir em tecnologia para que possamos usufruir de nossas riquezas sem prejudicar a natureza", reforçou Juvenil. O presidente do Parlamaz acredita ser fundamental que os moradores da Amazônia a conheçam para que ela não seja explorada por terceiros. "São destinados à pesquisa mais de US$ 500 milhões por ano e isso gera interesses. Há mais de 100 mil organizações não-

governamentais atuantes na Amazônia", completou Juvenil. A programação do Fórum Amazônico prosseguiu com palestra sobre Crédito de Carbono e Amazônia, proferida por Ricardo Fernandes, representante da Procuradoria de Justiça do Estado de Tocantins. O deputado Federal Silas Câmara (AM), presidente da Comissão Permanente da Amazônia, da Integração Regional e do Desenvolvimento Regional da Câmara dos Deputados Federais também esteve presente no Fórum Parlamaz, abordando o tema da integração da Amazônia com as demais regiões brasileiras. O senador Mozarildo Cavalcanti (PR) abordou as alterações no clima amazônico na última palestra temática do Fórum.


Festival Internacional de Música do Pará

O

André Leemax

Orquestra de Choro Uirapurú durante o Festival

Fotos: Carlos Sodré e Cláudio Santos/Ag Pa

XXII Festival Internacional de Música foi aberto no Theatro da Paz com a apresentação da Orquestra Amazônia

Jazz Band. O tema do festival deste ano “Liberdade, Igualdade e Fraternidade” foi uma homenagem a cultura francesa, relembrando a publicação da declaração dos direitos do homem e do cidadão, conquistado na Revolução Francesa, em 1789. O festival apresentou ainda outros eixos temáticos como a Responsabilidade Social, Ecologia e Meio Ambiente e o

resgate de Composições Paraenses do final do século 18, até o final de 1950. O evento musical, que acontece desde 1987, promove o intercâmbio de experiências entre músicos de várias regiões do Brasil e do mundo, trazendo sempre novas atrações, nacionais e internacionais, com uma participação efetiva de grupos musicais paraenses. Na Praça Batista Campos, apresentações do Trio Manari e de bandas centenárias do interior de estado marcaram a préabertura do evento. Cerca de 40 grupos participaram do festival, com programação gratuita em diferentes locais da capital paraense. A realização foi da Secretaria de Estado de Cultura Apresentação do músico David Duarte

A apresentação da Amazônia Jazz Band, da Fundação Carlos Gomes, deu um show na abertura do Festival de Música do Pará, no Teatro da Paz

12

(Secult), via Fundação Carlos Gomes (FCG). O Festival de 2009 reuniu um público estimado entre 10 e 15 mil pessoas. "Trouxemos músicos de fora, mas, principalmente, valorizando o músico regional", informou o titular da Secult, Edilson Moura. Disse também que outro ponto positivo foi a pluralidade do evento: uma "grande mistura" de ritmos. Os espetáculos misturavam o erudito com o popular, falou Daniel Araújo, superintendente da FCG: "É uma forma de fazer uma fusão e acabar com estes preconceitos que às vezes existem". paramais.com.br


Daniel Araujo, superintendente da Fundação Carlos Gomes na abertura do XXII FIM

Quinteto Brasil fez o show

paramais.com.br

nacional de O XXII Festival Inter u de 31 de re or oc rá Música do Pa e foi realizado maio à 6 de junho blicos da cidade em seis espaços pú os (pré- Praça Batista Camp Paz, Teatro da aber tura), Theatro seu do Mu e, Waldemar Henriqu (IECG), e sio Bó e Estado, Sala Ettor Verdi -, o Restaurante Spazzio tros eixos ou ou nt se festival apre erdade, tema principal (Lib temáticos aliados ao cessidades do ne o nd da or idade), ab Igualdade e Fratern ambiente e a tre as quais o meio mundo inteiro, en ciar as cial, além de eviden responsabilidade so XVIII até 1950. lo do final do sécu s se en ra pa es içõ compos Secretaria de sponsabilidade da re a b so o, çã ma ra A prog Carlos Gomes, r meio da Fundação po , ra ltu Cu de o Estad tado de Esportes e da Secretaria de Es oio ap o m co ou nt co de Cultura de ação Curro Velho, Re Lazer(Seel), Fund de Transpor tes de telpa), Companhia Comunicação (Fun Som (MIS), seu da Imagem e do s Belém (Ctbel), Mu Instituto de Estudo de Museus (SIM), a, sic Mú Sistema Integrado TIM to ônia (Iesam), Proje Superiores da Amaz lícia Militar do Renato Chaves, Po Centro de Perícias rdi. Estado e Spazzio Ve

13


Banda sinfônica encerra FMP homenageando Walter Bandeira Com um concerto da banda sinfônica da Fundação Carlos Gomes foi encerrada no Teatro da Paz, a programação do Festival Internacional de Música, em Belém. O concerto, dividido em duas partes, dedicou um momento para saudar a memória do cantor Walter Bandeira, falecido recentemente. Durante a semana, a capital paraense foi palco de inúmeras apresentações musicais em diferentes espaços públicos da cidade. A banda sinfônica Carlos Gomes teve a regência do maestro Jacob Cantão. O grupo, formado no ano de 2000, é resultado de um trabalho de prática

O músico Paulo Moura

Edilson Moura, secretário de Cultura, durante a abertura do XXII Festival Internacional de Música

instrumental para a qualificação profissional dos instrumentistas de sopro e percussão. Na véspera, a atração da penúltima noite do festival, no Teatro da Paz, foi o Quinteto Persch com Adriano Persch como diretor artístico e existe desde 1999, tendo como objetivo difundir o acordeon através da música de câmara em torno do repertório erudito para acordeon e de arranjos de repertórios inéditos para esse tipo de formação instrumental de compositores brasileiros e estrangeiros, além de arranjos e composições próprias. O público lotou a casa de espetáculos para ouvir boa música. P

Diego Wellinton, guitarrista da banda paraense Joly Jocker

Ricardo Aquino, Maestro, no Theatro da Paz

A banda União Vigiense foi uma das atrações da pré-abertura do Festival de Música do Pará

O público lotou o Teatro da Paz para ouvir boa música

14

paramais.com.br


Inscrições para o

A

s inscrições para o ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio começam a partir do dia 15 junho. Neste ano a avaliação traz uma série de novidades, já que a partir de agora o exame passa a ser aceito por várias universidades federais como critério de seleção de seus estudantes. O prazo para a inscrição termina dia 17 de julho. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o Enem 2009 acontece nos dias 3 e 4 de outubro e será composto por quatro provas com 45 questões objetivas de múltipla escolha que vão medir o conhecimento dos alunos nas áreas de linguagens, códigos e redação, matemática, ciências humanas e ciências

ATÉ 17 DE JULHO

Enem 2009

da natureza e suas tecnologias. Até o ano passado a avaliação era realizada em apenas um dia com um caderno contendo 64 questões objetivas. A participação no Enem 2009 também está aberta para os candidatos que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Os estudantes das escolas públicas estão isentos do pagamento de R$ 35,00 da taxa de inscrição. A exigência é que todos os candidatos devem ter no mínimo 18 anos completos até a data da primeira prova (3 de outubro). A ficha de inscrição estará disponível na página do exame: www.mec.gov.br/enem P

O ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio, responsável pela avaliação da qualidade de ensino disponibilizado nas escolas brasileiras, que alcançou inimagináveis 4 milhões de inscrições acredita-se que neste ano o número seja superior mais uma vez, já que a cada ano que passa os alunos que concluirão o ensino médio ou que já concluíram se interessam mais pelas vantagens oferecidas pelo exame. Quem está prestes a fazer o Enem precisa ficar atento às inscrições que podem ser realizadas através de fichas cedidas por instituições de ensino como Escolas, ou então pelos Correios e quem quiser pode fazer sua inscrição através do site do ENEM www.enem.inep.gov.br, quem é aluno de escola pública ou aluno bolsista em instituição de ensino privado está isento de pagar a taxa de R$35,00, mas quem estuda em escola particular ou já terminou os estudos pode efetuar o pagamento através das agências de Correios ou então por boletos bancários. Fique atento a data de inscrição e não perca sua chance, ENEM é um ensaio para vida que todos devem fazer, para avaliar seus conhecimentos e testar suas habilidades.

paramais.com.br

15


Lotado o Estádio Olímpico do Pará – Mangueirão; quase 40 mil pessoas aplaudiam os atletas que quebraram 18 recordes GP Brasil de Atletismo 2009

Maurren Maggi

25º Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo 2009

N

o Estádio Olímpico Edgar Proença, o Mangueirão, o cerimonial de abertura foi iniciado ao som do grupo Sancari. As bandeiras dos países participantes do GP entraram no estádio ao som do ritmo mais típico do Pará, o carimbó. para receber os atletas e paraenses que foram prestigiar o 25º Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo. Mais de 38 mil pessoas lotaram as arquibancadas do principal estádio de futebol paraense, que mais uma vez virou

Fotos: Lucivaldo Sena , Elcimar Neves, Eunice Pinto e Tamara Saré / Ag. Pará e Ismar Ingber/Sergio Oliveira, Ray Nonato

palco do atletismo mundial. O evento do atletismo internacional levou dezenas de famílias ao estádio. Grande foi o número de crianças e idosos presentes. Além de colorir o Mangueirão, a torcida paraense vibrou nas arquibancadas. Cada salto foi comemorado como se fosse um gol. A energia da torcida empolgou os atletas. Por volta de 12h30, após o final das competições, um automóvel 0 km foi sorteado. Com o cupom nº 12.186, o policial militar Luís Alexandre Costa, 25 anos, foi o ganhador do carro Celta, e recebeu as chaves das mãos do secretário de Estado de Esporte e Lazer,Alberto Leão.

Força e velocidade nas competições do GP em Belém A maioria dos corredores que disputaram o GP Brasil Caixa Governo do Para este ano enfatizaram a força e a velocidade das competições. A marca mais importante GP, foi de Daniel Bailey, da Antígua, que ganhou medalha de ouro nos 100 metros rasos e fez o tempo de 9,99, sendo o primeiro homem a correr abaixo de 10 segundos naAmérica do Sul. Bailey disse que a cidade de Belém é muito quente, mas adorou o lugar e as pessoas. "O público empolga e me fez ter a melhor marca deste ano", disse o atleta que treina com Usain Bolt, recordista mundial nessa modalidade. O segundo lugar nos 100 metros rasos, o americano Michael Rodgers, fez 10,01 e também falou bem da cidade e das pessoas. "Um lugar com pessoas bonitas e clima aconchegante", disse ele.

Fabiano Peçanha Nas categorias masculinas, o corredor brasileiro que mais se destacou foi sem dúvida o gaúcho Fabiano Peçanha, ganhador da Medalha de Ouro nos 800 metros. Fabiano é presença garantida no Mundial de Berlin e fez a marca de 1.44.63, seguido de perto pelo também brasileiro Kleberson Davide, medalha de prata.

16

paramais.com.br


Na cerimônia de abertura do GP

Dançarinas de carimbó e o colorido das bandeiras dos países na cerimônia de abertura do GP

Fabiano Peçanha primeiro lugar da Peçanha disse que agora ele prova de 800m pretende administrar a temporada para não se desgastar muito: "A única pessoa que pode me tirar do mundial sou eu mesmo, por isso devo ter muito cuidado. O problema é que o nível das corridas é muito forte. Toda vez que eu correr com o Kleberson, por exemplo, vai ser puxado." O atleta gaúcho afirmou ter uma relação particularmente apaixonada com Belém. Além de sempre conseguir bons resultados aqui, ele, ao registrou uma queda de recordes de 17 para contrário da maioria dos atletas do sul, não 16. "Belém arrebentou, passou de 15 para reclamou do calor. "O calor influencia 18, e São Paulo tem 11 edições, a capital antes da corrida porque dá uma vontade de paraense tem oito", comparou Roberto não correr, mas o calor do público é Gesta de Melo, presidente da Confederação fundamental para te animar", explica. "Aqui tem o público somados dos três primeiros GPs da temporada. Ninguém ama tanto o esporte aqui. Sou um dos torcedores mais entusiasmados por Belém", contou ele, que foi o único brasileiro a ganhar dois GPS paraenses e a correr em todas as oito edições no Pará.

Brasileira deAtletismo. Robson Caetano, que participou pela oitava vez do GP em Belém, dessa vez como apresentador da Sport TV, disse que o nível técnico da competição foi excelente. "Os atletas sempre conseguem bons resultados aqui e esse ano há que se frisar o papel da arbitragem que foi excelente", disse ele, que é recordista americano dos 100 metros rasos. Entre as corredoras, a segunda melhor marca brasileira foi de Lucimar Teodoro que correu os 400 metros com barreira e levou medalha de bronze, atingindo o índice do mundial com 55.84 segundos. "Estou muito feliz e adoro correr em Belém porque sempre tenho bons resultados aqui. Conseguir o índice logo no início do campeonato foi ótimo", disse ela.

Recordes

Um trabalho conjunto das Polícias Militar e Civil, incluindo Corpo de Bombeiros, garantiu a segurança das milhares de pessoas que foram assistir ao 25º Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo. A Polícia Militar atuou no Grande Prêmio com um efetivo de 130 soldados, além de seis viaturas e oito motos. "É um evento tranquilo, que quase não tem ocorrências", informou o capitão PM Elton. O Corpo de Bombeiros mobilizou 30

Jesse Willians (USA)

De acordo com a Confederação Brasileira de Atletismo, o Grande Premio Paraense teve um êxito enorme neste ano. Vários recordes foram quebrados e a média de público foi igual a soma dos três primeiros GPs já realizados esse ano. O Grande Prêmio paraense deste ano registrou 18 recordes, enquanto o então campeão em recordes anteriormente era São Paulo. Neste ano, o GP paulistano Richard Philips

Policiamento garante segurança e tranquilidade

Daniel Bailey (c) primeiro lugar da prova de 100m

Robert Kipngetich (d) primeiro lugar dos 10.000 paramais.com.br

17


homens na prevenção de acidentes, enquanto a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) e a Cruz Vermelha escalaram 70 pessoas para arrecadar alimentos não perecíveis, que serão doados às vítimas das enchentes no interior do Estado. O policiamento, dentro e fora do estádio olímpico, também teve a atuação de 10 homens da Polícia Civil, divididos em duas unidades móveis, além de um delegado, um escrivão e três investigadores.

No pódio do salto em distância, a norte-americana Britney Reese no topo, e as brasileiras Keila Costa (prata) e Maurren Maggi (bronze)

Os Vencedores do 25º Grande Prêmio Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo Lançamento do martelo masculino 1º Primoz Kozmus (SLO) 79,90 m - Recorde estabelecido (3ª marca mundial 2009) 2º Dilshod Nazarov (TJK) 78,47 m 3º Marco Lingua (ITA) 76,57 m 10.000 m masculino 1º Robert Kipngtech (KEN) 28:21.25 - Recorde Estabelecido 2º Josphat Kipkoech (KEN) 28:21.51 3º Kennedy Kimutai (KEN) 28:22.54 Salto triplo masculino 1º Nelson Évora (POR) 17,66 m (0.7) - (Melhor marca mundial 2009) 2º David Girat (CUB) 17,50 m (0.0)

Fabiana Murer

18

paramais.com.br


3º Yoandris Betanzos (CUB) 17,38 m (1.5) Salto com vara feminino 1º Fabiana Murer (BRA) 4,40 m - Índice CBAt para Mundial de Berlim 2º Kelsie Hendry (CAN) 4,30 m 3º Becky Holliday (USA) 4,30 m Lançamento do disco feminino 1º Yarelis Barrios (CUB) 62,05 m 2º Yarisley Collado (CUB) 61,65 m 3º Nicoleta Grasu (ROU) 60,50 m

2º LaRon Bennett (USA) 49.29 3º Mahau Suguimati (BRA) 50.04 Arremesso do peso feminino 1º Valerie Vili (NZL) 20,25 m 2º Natalia Mikhnevich (BLR) 19,89 m 3º Misleydis Gonzalez (CUB) 18,79 m 400 m com barreiras feminino 1º Sheena Tosta (USA) 54.19 2º Josanne Lucas (TRI) 55.24 3º Lucimar Teodoro (BRA) 55.84 (Recorde Sul-Americano 55. 94 - Índice CBAt para o Mundial de Berlim) 100 m feminino 1º Laverne Jones (ISV) 11.18 2º Rachelle Boone-Smith (USA) 11.30 3º GloriaAsumnu (USA) 11.31

Luís Alexandre, ganhador do sorteio, recebeu as chaves do Celta 0 km das mãos do titular da Seel, Alberto Leão

Salto em altura masculino 1º Jesse Williams (USA) 2,33 m (3ª melhor marca mundial 2009) 2º Jesse de Lima (BRA) 2,31 m - Índice A (4ª melhor marca 2009) 3ºAndra Mason (USA) 2,25 m 400 m com barreiras masculino 1º Isa Phillips (JAM) 48.36 (Melhor marca mundial 2009)

100 m masculino 1º Daniel Bailey (ANT) 9.99 - Recorde GP (Melhor marca mundial 2009) 2º Michael Rodgers (USA) 10.01 3º Monzavous Edvard (USA) 10.11 * O recorde anterior era de Dennis Mitchel (USA) com 10.07 de 1994 e de Donovan Bailey (CAN), de 1996.

800 m masculino 1º Fabiano Peçanha (BRA) 1:44.63 (Índice A para o Mundial de Berlim) 2º Kleberson Davide (BRA) 1:44.65 (Índice A e recorde pessoal) 3º Reuben Bett (KEN) 1:44.79

Roberto Gesta de Melo, presidente da Confederação Brasileira de Atletismo, durante o 25º GP Brasil Caixa Governo do Pará de Atletismo

Salto em distância feminino 1º Britney Reese (USA) 7,06 m (0.2) (Melhor marca mundial 2009) 2º Keila Costa (BRA) 7,72 m (0.6) (Índice A para o Mundial de Berlim) 3º Maurren Maggi (BRA) 6,59 m (-0.1) Lançamento do dardo feminino 1º Osleidys Menendez (CUB) 62,24 m 2º Yanet Cruz (CUB) 60,66 m 3ºAlessandra Resende (BRA) 58,65 m 400 m feminino 1º Bobby Gaye Williams (JAM) 50.91 2ºAliann Pompey (GUY) 51.09 3º Debbie Dunn (USA) 51.13 110 m com barreiras masculino 1º Ryan Wilson (USA) 13.38 2º Joel Brown (USA) 13.52 3º Richard Phillips (JAM) 13.53

Defesa Civil do Estado recebe doação de alimentos

200 m feminino 1º Laverne Jones (ISV) 22.49 2º KellyAnn-Baptiste (TRI) 22.60 3º Cydonie Mothersill (CAY) 22.79 200 m masculino 1º MarvinAnderson (JAM) 20.15 (0.0) 2º Monzavous Edwards (USA) 20.17 (0.3) 3ºAinsley Waugh (JAM) 20.22 (0.3) P

paramais.com.br

19


Inauguração de obras em Tucuruí

A

o lado do ministro da Previdência Social, José Barroso Pimentel, governadora Ana Júlia Carepa, fez a inauguração da nova agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no município e disse que essa é uma das 74 novas agências do INSS que

Fotos: Elcimar Neves/Ag Pa

pedreiros, feirantes, e outros empreendedores poderão ter seus negócios formalizados em meia hora, com uma carga tributária mínima e garantir o acesso a benefícios como a aposentadoria e o salário maternidade. Esse processo entra em vigor no dia 1º de julho e esperamos formalizar um milhão de empreendedores nos primeiros 12 meses.

A governadora, o ministro da Previdência Social, Paulo Rocha, Zé Geraldo e Gualberto Neto, na inauguração da nova agência do INSS

de Educação, Iracy Gallo, reinauguraram a Escola Estadual de Ensino Médio Raimundo Ribeiro, totalmente reformada. Durante os eventos, a governadora destacou a parceria com o Governo Lula em diversos projetos estruturantes para o Estado, como a BR-163 e as eclusas, alguns deles pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e a parceria com Com mais de 3.100 alunos, a Escola Estadual Raimundo Ribeiro, em Tucuruí, foi reinaugurada e entregue à comunidade totalmente reformada

O ministro da Previdência Social, José Barroso Pimentel disse que essa é uma das 74 novas agências do INSS que serão inauguradas no Pará

serão inauguradas no Pará, com um investimento de R$ 62,4 milhões, onde estão incluídas também oito obras de reformas, construções e ampliações para abrigar unidades já existentes – serão agências similares à inaugurada – informatizadas, adaptadas às regras de acessibilidade e preparadas para liberar todos os benefícios previdenciários. O ministro também anunciou para julho o início do processo de formalização dos microempreendedores individuais, projeto para o qual pediu ajuda de vereadores e deputados no processo de discussão pública. "Com isso, manicures,

20

Para isso, peço aos deputados e vereadores que ajudem nesse processo, chamando audiências públicas na Assembléia Legislativa e nas câmaras municipais, e instalando o B a l c ã o d o Empreendedor", disse o ministro. A governadora e a secretária de Estado paramais.com.br


diversos órgãos federais, como a Eletronorte, a Caixa Econômica e o Banco do Brasil. "O Governo Lula, sem dúvida, é parceiro nosso. Temos uma afinidade, que é termos as pessoas como prioridade. Tenho o papel, como governadora, de buscar apoio e reforço. As eclusas existem em projeto há 30 anos. Nunca saíram. Mas no meu governo vão sair e, em março, iniciarão os primeiros testes." A governadora anunciou a recuperação da rodovia PA-263, no trecho que liga o município a Goianésia do Pará. Os recursos já estão assegurados para a obra, que será iniciada assim que houver estiagem. Ela confirmou o início da operação das eclusas do rio Tocantins em março de 2010. Informou também a liberação de 250 mil litros de combustível para cada um dos municípios da região do Lago de Tucuruí, recursos negociados com a Eletronorte,

Em visita as obras das eclusas de Tucuruí No laboratório de informática, os alunos terão acesso a internet gratuita, por meio do programa NavegaPará

paramais.com.br

21


para alimentar o maquinário empregado nas obras de recuperação de rodovias e vicinais e também para a retaguarda das ações da Defesa Civil - em conseqüência das enchentes, Tucuruí e Jacundá estão em situação de emergência e Breu Branco, em estado de alerta. Outras novidades informadas à população da região foram a reforma do ginásio poliesportivo da Universidade do Estado do Pará (Uepa), já licitada, e a realização, em julho, do primeiro vestibular para o curso de Licenciatura em Química em Novo Repartimento. Com 40 vagas, o curso atende à solicitação popular feita por meio do Planejamento Territorial Participativo (PTP). Outros municípios também serão beneficiados com a expansão dos cursos semi-presenciais da Uepa. "Serão 11 novas turmas em nove regiões de integração, com cursos de química, matemática, pedagogia e letras", adiantou a governadora.

Na Raimundo Ribeiro A Escola Estadual de Ensino Médio Raimundo Ribeiro, que tem mais de 3.100 alunos, é uma das maiores da região do Lago, foi totalmente restaurada e ganhou novos espaços, numa obra orçada em torno de R$ 400 mil. O ministro da Representantes indígenas durante a inauguração da Agência da Previdência Social em Tucuruí

22

Na inauguração da Escola Estadual Raimundo Ribeiro

Previdência Social, José Barroso Pimentel participou do ato. Além da restauração da cobertura e do forro, parte elétrica e pintura, a escola também ganhou um laboratório de uso multidisciplinar, uma biblioteca, um auditório climatizado e um laboratório de informática com 20 computadores ligados à internet pelo programa NavegaPará. Durante a reinauguração, a governadora entregou a uma aluna o cartão magnético de acesso aos serviços do NavegaPará, que será disponibilizado a todos os alunos. Durante a reinauguração, a governadora Ana Júlia também apelou à responsabilidade dos professores, ainda em greve, e pediu que eles retornassem às aulas. "Fizemos um processo longo e aberto de

negociação com todas as categorias de servidores e concedemos um aumento que traz ganhos reais, acima da inflação, com 12% para o nível fundamental, quase 10% para o nível médio e 7,25% para o nível superior, além do reajuste, em outubro, do vale-alimentação. O vale, aliás, já foi um avanço no nosso governo, porque existia para poucos servidores e hoje é para todos. Os trabalhadores podem se sentir vitoriosos. Tanto que a Intersindical assinou o acordo coletivo. Apenas os trabalhadores da educação não assinaram. Fizemos a nossa parte, agora esperamos que os professores retornem, porque são os alunos que eles estão prejudicando." José Pimentel esteve em Tucuruí acompanhado pela governadora Ana Júlia Carepa, com a qual também visitou as obras das eclusas. Também participaram da inauguração da agência do INSS os deputados federais Zé Geraldo e Paulo Rocha e o deputado estadual Gualberto Neto, vereadores, secretários de Estado e P lideranças populares.


Quadra junina

A

movimenta comunidades

chegada das festas juninas faz a alegria de milhares de p a r a e n s e s apaixonados pelas quadrilhas, pássaros juninos e pelas comidas típicas, que motivam a multiplicação das barraquinhas na cidade nessa época do ano. A quadra junina chega a ser considerada por muitos o segundo maior evento cultural do estado, perdendo apenas para o Círio de Nazaré. Essa tradição existe há séculos. Antes, as festas aconteciam na porta das casas, divididas por bairros. Hoje, a quadra junina invadiu shopping centers e supermercados, onde as barracas de venda das comidas típicas multiplicam a cada ano. Os concursos de quadrilhas também se profissionalizaram e hoje entregam prêmios em dinheiro aos grupos premiados e promovem a dedicação de centenas de quadrilhas juninas o ano inteiro. Assim, o mês de junho, além de representar um período de festejo e paixão para muitos, significa geração de emprego e renda para centenas de famílias. No início de maio começam as encomendas de panelas de vatapá, caruru, mingau de milho e bolos de macaxeira. A produção chega a duplicar. Segundo Roberto Sena, diretor técnico do Departamento Guitarrada faz a animação

paramais.com.br

Fotos: Eunice Pinto/Ag Pa

Animação geral

Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), fica difícil precisar, mas com a proliferação das barracas de comidas típicas, por exemplo, há geração de emprego e renda para muitas famílias.

Evento

Ano passado, 122 quadrilhas adultas e 36 quadrilhas mirins participaram do concurso promovido pelo governo na quadra junina no Pará

Chegada do Mastro de Santo Antonio

O Caprichoso, boi bumbá integra a tradição junina paraense

Uma das atrações promovidas no Pará durante as festividades juninas é o Arraial de Todos os Santos, promovido pelo governo estadual, através da Fundação Cultural Tancredo Neves. Os espaços da Fundação, como as Praças dos Artistas e do Povo, Teatros Margarida Schivasappa, Waldemar Henrique e Hall Ismael Nery se tornam palco das apresentações das quadrilhas, bois e pássaros. O Concurso de quadrilhas do estado, que acontece desde 2004, também movimenta centenas de pessoas. Ao todo, 26 municípios paraenses participam do concurso, que ano passado inscreveu 122 quadrilhas adultas e 36 quadrilhas mirins. As vencedoras foram premiadas com mil e R$500,00 respectivamente. P

É mais quem arrasta o pé

23


Quadra junina na Praça Wa

A

Fotos: Alzyr Quaresma, Elivaldo Pamplona, João Gomes e Shirley Penaforte /Comus

abertura oficial da quadra junina com o cortejo cultural movimentou milhares de pessoa e o clima junino tomou conta da Praça Waldemar Henrique, na programação do Concurso Oficial de Quadrilhas Juninas 2009 da Prefeitura Municipal de Belém. Dezesseis quadrilhas adultas deram início ao certame, que escolherá entre as 186 inscritas, as 15 melhores deste ano. Na concha acústica, shows com a Banda La Pupunha e apresentação de folguedos juninos foram a diversão de outras centenas de pessoas. Mesmo com a forte chuva que caiu no final da tarde deste domingo e insistiu por boa parte da noite, o “Arraial em Belém Vem que Tem” teve expressiva participação do público que agasalhados em sombrinhas ou mesmo sem proteção prestigiaram as apresentações de misses e quadrilhas. Dos 186 grupos adultos que irão participar este ano do Concurso, 16 estavam programados para se apresentar, mas dois não compareceram. As Quadrilhas Juninas “Ídolos da Sacramenta” e o “Encanto Junino” do bairro da Pedreira estão fora da competição. As apresentações duravam de quinze a vinte minutos, tempo em que os jurados avaliaram os quesitos conjunto, coreografia, evolução, maquiagem, traje junino e marcação. Na Cuia Acústica, o público pode conferir apresentações de boi-bumbá, quadrilhas cômicas, casamento na roça, show parafolclórico e show musical com a Banda La Pupunha. Seguindo a ordem de sorteio, se apresentaram na primeira noite do Milhares de pessoas na Praça

24

Representantes de Icoaraci

De Icoaraci

A Furacão Junino de Outeiro

concurso as quadrilhas adultas: “Coração Junino”, do Município de Bragança; “Revelação do Marco” do bairro do Marco; “Roceiros da Marambaia”, bairro da Marambaia; “Impacto Junino” de Icoaraci; “Nova Geração Junina”, de Ananindeua; “Sensação Junina de Soure”, de Soure-Marajó; “Ídolos Mosqueirenses”, de Mosqueiro; “Roceiros da Portelinha”, de Concórdia do Pará; “Impacto Junino”, de Salinas; “Semente do Ananin”, de Ananindeua; “Cheiro das Flores”, de Concórdia do Pará; “Adrenalina Barcarenense”, de

A Praça Waldemar Henrique estava lotada

Barcarena; Revelação Junina, de Igarapé Mirim; e encerrando as apresentações, “Top Dance Junino”, do bairro da Pedreira. O Concurso de Quadrilhas Juninas de Belém teve continuidade com as quadrilhas mirins “”Belinhas Paraenses” da Pedreira; “Revolução Mirim” do Bengui e “Quadrilha Coração Junino” do bairro de Águas Lindas emAnanindeua. Logo após, são as adultas que fazem a festa do arraial. Participam do certame a “Explode Coração” do Telégrafo; “Os Perdidos na Roça” de Salinas; “Revelação Se apresentando

paramais.com.br


ldemar Henrique Cachoeirense” de Cachoeira do Arari; “Tradição Junina” de Abaetetuba; “Sangue Junino” de Marapanim; “Orgulho da Terra” e “Evolução Junina” ambas do bairro do Tapanã; “Atração Junina” do Guamá; “Fuzuê Junino” da Pedreira; “Rainha da Juventude” da Cremação; “Explosão Junina” do município de Capitão Poço; e “Encanto Paraense” de Icoaraci. No segundo dia as quadrilhas mirins ”Belinhas Paraenses”, da Pedreira; “Revolução Mirim”, do Bengui e “Quadrilha Coração Junino”, do bairro de Águas Lindas, em Ananindeua, abriram a noite do “Concurso de Quadrilhas Juninas 2009“. O destaque ficou para a miss mulata cheirosa Antonia Eduarda da Cruz, da quadrilha “Belinhas Paraenses”, que empolgou a arquibancada dançando carimbó com muita graça e simpatia. Na sequência, entraram em cena os grupos adultos, que deram show à parte na grande festa popular da Prefeitura: “Explode Coração”, do Telégrafo; “Os Perdidos na Roça”, de Salinas; “Revelação Cachoeirense”, de Cachoeira do Arari; “Tradição Junina”, de Abaetetuba; “Sangue Junino”, de Marapanim; “Orgulho da Terra” e “Evolução Junina” ambas do bairro do Tapanã; “Atração Junina”, do Guamá; “Fuzuê Junino”, da Pedreira; “Rainha da Juventude”, da Cremação; “Explosão Junina”, do município de Capitão Poço; e “Encanto Paraense”, de Icoaraci. A quadrilha junina “Os Perdidos na Roça”, de Salinas, agitou a arquibancada. Com uma coreografia afinada, eles deram um verdadeiro show no palco. Durante a apresentação do grupo “Sangue Junino”, de Marapanim, quem encantou e chamou a atenção do público foi a miss Mulata Cheirosa, Érica Fernanda. Anarriê

Olha a macharada... A indumentária no capricho

Até a terceira noite de eliminatórias mais de 40 grupos já tinham se apresentados. A maioria de municípios do interior do Estado, como a Roceiros do Sal, que veio de Salinas, a Brasileirinha, do distrito de Icoaraci. Todos os Grupos têm de quinze a vinte minutos para conquistar os jurados nos quesitos conjunto, coreografia, traje, marcação e evolução e investem para apresentar um bom espetáculo e quem ganha é o público que prestigia a programação. Na arquibancada lotada, o público escolhe os grupos que mais empolgam, mas muitos já chegam com o grupo do coração definido. O Concurso Oficial de Quadrilhas Juninas de Belém acontece até o dia 28 de junho com a apuração do certame, momento em que Belém conhecerá os 15 melhores grupos juninos de 2009. P

O detalhe das meias

6ª edição do Forró Ilha Na Praça da Matriz de Mosqueiro, para valorizar a cultura regional paraense, potencializar o turismo na Ilha e fomentar a cultura local ocorreu a 6ª edição do Forró Ilha. O evento foi promovido pela Agência Distrital de Mosqueiro, em parceria com a Prefeitura de Belém, Fumbel e ONG Viva Mosqueiro.

Passo novo... Passos bem ensaiados

Até a próxima Belas quadrilheiras...

paramais.com.br

39


Empresários em sala de aula

O Empretec é uma ferramenta estratégica direcionada a orientar empresários e empreendedores

O

Fotos: Arquivo SEBRAE, Ednaldo Silva e Fernando Araújo

dia-a-dia do dono de micro e pequenas empresas é sempre muito corrido. Ele enfrenta uma rotina austera que começa bem cedo e às vezes atravessa a noite, pois tem que dar conta de várias atividades que não têm hora para acabar. E como a sabedoria popular diz que é o 'o olho do dono é que engorda o gado', afastar-se do empreendimento por muito tempo pode ser sinônimo de prejuízo. E, nesse caso, como fica a necessidade de capacitação? O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) reformulou o Empretec para evitar esse tipo de situação. O seminário que visa despertar características empreendedoras nos participantes, a partir deste ano passou de nove para seis dias de duração. É a metodologia chamada 6D. “O seminário, que tem carga de 60 horas, requer tempo integral do participante, de manhã e de tarde, por isso a redução no número de dias em sala de aula veio ao encontro do desejo de quem quer participar, mas que não dispõe de muito tempo”, explica a diretora técnica do Sebrae no Pará, Cleide Tavares.

26

Demonstração de serviços de empresas de participantes da primeria turma durante momento de confraternização ao final do seminário

paramais.com.br


Promovido em todo o País com a mesma metodologia criada pela Organização das Nações Unidas, em 1991, o Empretec já capacitou mais de oitenta mil pessoas nestes nove anos. No Pará, o seminário foi iniciado em 2000 e é um dos produtos do Sebrae que vem atraindo cada vez mais empresários. Nos últimos três anos, já formou cerca de 1.300 pessoas em Belém e no interior do Estado. Esses indicadores apontam o Empretec como o produto da instituição com melhor avaliação pelos que o conhecem. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, 93% dos participantes entrevistados disseram que se trata de um produto de excelência. “O Sebrae, como indutor do desenvolvimento econômico e social do País, tem uma gama de produtos e serviços para apoiar os pequenos negócios em todo o Brasil, e o Empretec é um dos melhores que a instituição oferece”, destaca o diretor-superintendente do Sebrae/PA, Sebastião Miranda. Segundo ele, o seminário é fundamental para quem deseja ser competitivo no mercado: “Não

dá para ser amador no mundo dos negócios, por isso, começar certo é investir em planejamento e em gestão empreendedora”. No Pará, já foram ofertadas duas turmas na nova metodologia. “São os seminários de ida e de volta. O consultor do Sebrae, Roberto Rocha no Distrito Federal, foi o instrutor das primeiras turmas, que reuniu 38 participantes, e preparou os instrutores daqui nesse novo formato”, explica a gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae/PA, Domingas Ribeiro. Podem participar do Empretec empresários e empreendedores interessados em montar seu próprio negócio, além de profissionais liberais e funcionários de empresas diversas. O candidato deve preencher uma ficha de Inscrição e agendar uma entrevista que mapeia situações do cotidiano da pessoa e que serve para identificar o seu perfil empreendedor. Após a entrevista, o candidato será informado se está apto a participar do seminário. Isso é importante

para que ele faça o Empretec na hora certa. “Às vezes, o empresário ou empreendedor quer participar do seminário, mas ainda não é o momento certo. Isso é identificado na entrevista”, observa Domingas.

Sebastião Miranda: Destaque para a necessidade de planejamento e gestão empreendedora

Tempo de conhecimento empreendedores. O estudo revela que os Empretecos, em O Empretec está focado na gestão e no planejamento. Com geral, evoluem profissionalmente mesmo sem se tornar isso, o seminário ajuda o empresário ou o empreendedor que empresários. Os dados também apontam que 37% dos que quer entrar para o mundo dos negócios a permanecer no eram empregados antes do seminário, montaram empresas mercado de forma estruturada e competitiva, por meio de formais depois. Dentre os que não tinham emprego formal, metodologia vivencial especialmente desenvolvida para esta 43% se empregaram ou montaram empresas formais e 58% finalidade. Aplicando exercícios estruturados, trabalhos em registraram aumento de renda. grupo, apresentações, vídeos, ferramentas de diagnóstico, Esses números definem o perfil dos participantes do acontecimentos empresariais, questionários, entre outras seminário depois da aprendizagem vivencial, a partir de uma ferramentas que imprimem uma dinâmica diferenciada na abordagem que envolve um conjunto de teorias que serão sala de aula, o Empretec trabalha características do apresentadas durante o seminário. comportamento empreendedor. Durante o seminário, os empresários ou empreendedores podem conhecer seu potencial empresarial pessoal, seus pontos fracos e seus pontos fortes, para promover mudanças em benefícios de sua empresa ou identificar e melhorar suas oportunidades empresariais. Trabalhar riscos calculados, valorizar a relação existente entre qualidade, eficiência e êxito empresarial; elaborar planos de negócios, usar rede de contatos pessoais e empresariais são alguns itens que demandam dos participantes a imersão pessoal durante os seis dias de duração do seminário. A pesquisa realizada pelo Sebrae, em 2007, mostra O Empretec trabalha que quem já participou do seminário pode tomar características do comportamento decisões que mudaram o rumo de suas carreiras empreendedor profissionais e descobriram sua vocação como

27


Participantes e instrutores da 1ª turma do Empretec que ganhou mudanças e agora se realiza em seis dias para otimizar o tempo dos empresários

Novo horizonte no mundo dos negócios “Minha empresa trabalha com manutenção de máquinas e equipamentos e o curso do Empretec já provocou uma mudança na minha visão empresarial e, com certeza, vai abrir uma nova atuação frente a novos desafios. Tenho 38 colaboradores e também vou promover treinamentos dentro da minha empresa com essa nova visão que aprendi no Empretec”. Nilson Rodrigues, da Metec, prestadora de serviços da Albrás-Alunorte.

Nilson Rodrigues

Eduardo Rosa

“O Empretec, com certeza, vai nos permitir abrir novos horizontes. A Nossa empresa tem 27 anos no mercado, mas agora me sinto seguro para abrir novos negócios, pois o curso deu mais um impulso para executar o que a gente já havia planejado para a expansão”. Eduardo Rosa, empresário do setor madeireiro.

Sônia Charone

“A minha empresa é familiar. Temos 88 anos de mercado e participar do Empretec abriu novos horizontes. Agora vamos planejar melhor, estabelecer e cumprir metas, como forma de otimizar os nossos negócios”. Sônia Charone , da Decorart.

Thays Santos

“Sou estudante, mas pretendo abrir um negócio no ramo de confecções. Aprendi que temos de ter planejamento para tudo.” Thays Santos, estudante.

Everton Silva

“Vim de Santarém participar do Empretec em Belém, pois a minha família tem um grupo de lojas em vários municípios do Oeste do Estado e a gente quer imprimir um novo ritmo aos negócios, no que diz respeito à expansão. O Empretec me deu essa nova visão.” Everton Silva, da Lar Brasil.

“Estou com uma franquia de aparelhos para tratamento de água há um ano. Depois do Empretec, vou trabalhar melhor para direcionar a empresa com planejamento, estabelecendo o cumprimento de metas”. Edson Yusuke, franqueado Hoken. Edson Yusuke

28

paramais.com.br


“Estou no mercado de cosméticos há algum tempo, o meu produto tem excelente aceitação no mercado, mas percebi que eu precisava de um novo estímulo, pois sempre participo de seminários e cursos, mas como o Empretec, foi a primeira vez e foi fantástico., agora me sinto motivada e até preparada para repassar conhecimento para outras pessoas”. Teresa Cristina Pereira, representante da Claude Berget.

“A c a b e i d e m e f o r m a r e m Administração e Marketing e, junto com um amigo quero montar uma consultoria. Como ele já fez vários cursos no Sebrae, me indicou o Empretec. Para mim foi excelente, pois pude aprender como planejar, estabelecer metas, prazos, e isso é fundamental em qualquer negócio”. Alan Araújo, empreendedor.

Alan Araújo

Teresa Cristina Pereira

“Tenho um projeto para montar um negócio de piscicultura. O seminário me possibilitou corrigir posturas. Somente com um curso desses a gente percebe qual a verdadeira visão empreendedora do mercado e estou muito mais confiante para abrir o meu negócio até o final do ano”. Jamille Sampaio - Empresária. Jamille Sampaio

“O Empretec me deu uma visão muito boa do mercado, pois estava meio enferrujado para os negócios. Aqui aprendi a planejar melhor e a traçar metas e objetivos com prazos determinados para atingir os resultados”. Eduardo Daher ”. empresário da Laticínio Kakuri. Eduardo Daher

Janne Monteiro Porto

“No Empretec aprendi planejar melhor para atingir metas estabelecidas e alavancar o volume de vendas. Agora me sinto mais preparada para expandir meu negócio para outros municípios do Pará”. Janne Monteiro Porto, empresária da Cheiros e Delírios.

“Abri meu negócio há duas semanas e no Empretec aprendi que tenho de fazer uma reengenharia para minha empresa”. André Odagiri, da empresa Pet Ninho. André Odagiri

“Estou há 18 anos no mercado e vim para o Empretec em busca de conhecimento, pois toda as empresas tem que atualizar sua parte mercadológica e com isso planejar melhor e traçar metas para o crescimento”. Antônio Ely Carvalho, da 3D Produções.

“Quero abrir um restaurante e o curso me deu estrutura necessária para buscar metas, pois já sou cliente do Sebrae. Já fiz alguns cursos oferecidos pela instituição e conheço a excelente qualidade de todos os treinamentos que eles nos oferecem”. Maria Gabriela Giordano, empresária. P Antônio Ely Carvalho

Maria Gabriela Giordano

Próximas turmas do Empretec Agosto Setembro 10 a 15/08/09 e 24 a 29/08/09 14 a 19/09/09

Outubro 19 a 24/10/09

Dezembro Novembro 09 a 14/11/09 e 23 a 28 /11/09 07 a 12/12/09

Empretec/Sebrae: Rua Municipalidade, 1461 – Belém, Pará Fone: 3181-9000 www.pa.sebrae.com.br

29


Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento – PPCAD Fotos: David Alves/Ag Pa

A

solenidade de lançamento do Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento reuniu além da governadora Ana Júlia Carepa, o secretário Aníbal Picanço, dirigentes de entidades do setor madeireiro e muitas outras autoridades. Além de propor o reordenamento territorial e fundiário e alternativas econômicas para conter o desmatamento no território paraense, o PPCAD prevê um cronograma crescente de redução da devastação da floresta, com perspectiva de que até o final de 2020 será possível alcançar o desmatamento ilegal quase zero. “O objetivo do plano é ter ações que levem a concretizar alternativas que não provoquem o desmatamento. Temos condições de implementá-las e garantir que estas medidas cheguem até as comunidades”.

Presentes ao lançamento do Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento

O Governo do Pará discutiu desde setembro de 2008 o Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento (PPCAD), lançado no Dia Mundial do Meio Ambiente, no Hangar. A SEMA foi o órgão encarregado de coordenar as discussões do PPCAD, contando com o

30

apoio de consultores do Ministério do Meio Ambiente (MMA). A participação da sociedade civil organizada e setores produtivos locais, chamados para apresentarem suas críticas e propostas ao plano, também foi fundamental. Prevenir e controlar o desmatamento o no Estado do Para é uma das prioridades do governo do Estado. Neste sentido, a Secretaria de Meio Ambiente do Para – SEMA e seus órgãos vinculados, como o IDEFLOR, vêm trabalhando diversas ações que buscam fortalecer a fiscalização e fomentar uma mudança nos padrões de utilização do território, valorizando-se a floresta em pé, como forma de reduzir os desmatamentos ilegais. A descentralização da gestão ambiental e a gestão florestal compartilhada e participativa, envolvendo parcerias entre as três esferas de governo (federal, estadual e municipal) e seus respectivos poderes, organizações da sociedade civil e o setor privado fortalecem o combate a ilícitos. A construção prevê um grande esforço de coordenação entre os diversos atores da esfera pública e dos segmentos privados para que de fato venha a ser exeqüível e efetivo. Já existe projeto-de-lei tramitando na Assembléia Legislativa prevendo a cobrança de taxa para a SEMA destinar paramais.com.br


recursos aos municípios para a realização de projetos de implantação das Secretarias Municipais de Meio Ambiente. Além disso, o Ministério do Meio Ambiente dispõe de linha de financiamento destinada a atender aos municípios que criarem os órgãos ambientais. Alguns municípios, como Marabá e Santarém, já dispõem de órgãos municipais de meio ambiente e outros como Marituba e Santa Isabel já estão em fase de implantação destes órgãos. Para os municípios menores, a previsão da Sema é que sejam formados consórcios municipais para atender a estes grupos.

Redução

Aníbal Picanço, recém empossado, serão ofertadas linhas de fomento às atividades sustentáveis, industriais, familiares e outras legais. E também, o Estado juntamente com os municípios terá a responsabilidade de monitorar todos os processos e programas implantados, a fim de combater as ilegalidades.

madeireiro que quer trabalhar sério. Para esse segmento legal, o secretário assegura que o Estado dará o suporte necessário para a atividade. No entanto, a atividade madeireira clandestina será combatida com rigor pela SEMA.

Rigor contra madeireiras ilegais

«As características do desmatamento no Pará revelam que o desafio do combate ao desmatamento deve priorizar ações que

Aníbal Picanço afirmou saber que tem

Compromissos do Plano

A governadora Ana Júlia Carepa no lançamento do Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento

Em colaboração com o governo federal, o PPCAD prevê a redução da taxa de desmatamento, baseado em três ações prioritárias, regularização fundiária, territorial e ambiental. Estes três aspectos envolvem quase todas as secretárias e outros órgãos estaduais, além das prefeituras municipais e juntamente a estas medidas serão apresentadas alternativas econômicas aos municípios considerados os maiores devastadores da floresta no Pará. Segundo o secretário

paramais.com.br

31


perenizar a queda das taxas de desmatamento e alavancar um novo paradigma produtivo no Pará. O documento se organiza em duas partes: síntese das características do desmatamento, objetivos e estratégias do Plano e o plano operacional. Para sua elaboração, foi instituído um Grupo de Trabalho Executivo, em dezembro de 2008, coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA e composto por representantes da Secretaria de Estado de Agricultura – SAGRI, do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará – IDEFLOR e do Instituto de Terras do Pará – ITERPA.

Aníbal Picanço, secretário de Estado de Meio Ambiente

criem condições para a mudança efetiva do paradigma de desenvolvimento", concluiu o Grupo Executivo do Plano. Dentre elas, reduzir a taxa de desmatamento progressivamente, se somando aos esforços do governo federal, como o Plano Amazônia Sustentável (PAS) e o Plano de Mudanças Climáticas; manter os remanescentes florestais do Estado, conciliando o uso racional e de menor impacto dos recursos onde ele é viável e desejável; melhorar os sistemas produtivos em regiões de consolidação de atividades produtivas clássicas; e propor alternativas de desenvolvimento econômico e de inclusão social onde o uso, o plantio e o manejo de floresta substituam atividades historicamente inadequadas. Como estratégia do Plano, o governo do Estado sugere a "integração de muitas ações já desenhadas nos diferentes órgãos e nas parcerias destes com a sociedade civil organizada". São cinco os principais programas que também focam na questão do desmatamento, de forma direta ou indireta: Um Bilhão de Árvores para Amazônia, Campo Cidadão, Pará Rural, Minha Terra e Pará Florestal.

Ações O PPCAD estabelece o conjunto de ações

32

Airton Faleiro, deputado Estadual e líder do governo na Assembléia Legislativa do Pará, participa da assinatura de Protocolo de Intenções com a Amata e McKinsey

Peter Mann Toledo, presidente do IDESP assinou também o termo

Patrícia Baião, diretora do programa Amazônia na assinatura do termo de Cooperação Técnica entre a SEMA, IDESP e a Conservação Internacional (CI)

para fazer frente à perda de florestas do bioma amazônico sob domínio do Estado. Na sua primeira fase, o Plano elenca 39 ações para o período de execução de três anos, de agosto de 2009 a agosto de 2012. O Plano se apóia no entendimento de que somente a consolidação de alternativas econômicas sustentáveis é capaz de

Roberto Waack, presidente da AMATA também assinou o protocolo

paramais.com.br


Faleiro fala sobre o Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento Líder do Governo participou ao lado da governadora Ana Júlia do lançamento do PPCAD no Dia do Meio Ambiente

E

m programação alusiva ao Dia do Meio Ambiente, o deputado estadual Aírton Faleiro, líder do Governo na Assembléia Legislativa, esteve presente ao lançamento do Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento do Estado do Pará (PPCAD/PA), realizado no Hangar tendo a frente a governadora Ana Júlia Carepa, além da participação do novo secretário de Meio Ambiente, Aníbal Picanço, outros representantes do Governo, do setor produtivo e entidades ligadas a defesa e proteção ambiental. “No Dia Mundial do Meio Ambiente é natural que se faça uma avaliação envolvendo temas atuais como o aquecimento global, mudanças climáticas, a partir da intervenção do ser humano na natureza, mas eu continuo otimista de que nossa inteligência não permitirá nossa auto-destruição. A ciência tem nos alertado e cabe aos governos e a sociedade tomarem medidas que incentivem outras práticas que não seja de destruição do planeta”, disse o parlamentar. O Plano de Prevenção, Controle e Alternativas ao Desmatamento do Estado do Pará tem o objetivo de promover a cooperação entre os diversos setores da sociedade para o enfrentamento dos

paramais.com.br

problemas relacionados ao desmatamento no Estado. Essa cooperação se dá a partir de um pacto para reduzir, as taxas de desmatamento do Estado; consolidar a manutenção dos remanescentes florestais do Estado, garantindo a proteção estrita onde ela é necessária e conciliando o uso racional e de menor impacto dos recursos naturais onde ele for viável e desejável; melhorar os sistemas produtivos por intermédio do aporte de conhecimento, tecnologia, inovação, assistência técnica, financeira e fiscal, nas regiões de consolidação de atividades produtivas, a fim de torná-los mais sustentáveis, econômica, social e ambientalmente e propor alternativas de desenvolvimento econômico e de inclusão social onde o uso, o plantio e o manejo da floresta

substituam atividades historicamente inadequadas ao crescimento econômico duradouro, à inclusão social e à manutenção do equilíbrio do patrimônio natural. O plano tem como eixos principais: Ordenamento Territorial, Fundiário e Ambiental; Fomento às Atividades Sustentáveis e Monitoramento e Controle. “A novidade desse plano é que ele não é só de controle, é de alternativas também, pois não adianta só fiscalizar, é necessário apresentar alternativas. Outro ponto a ser destacado é que ele traz uma bandeira antiga nossa que é o Pagamento de Serviços Ambientais. Nos alegra a governadora anunciar que 9 mil famílias serão contempladas com o pagamento de serviços ambientais no Pará”, considerou. P Faleiro: Nos alegra que 9 mil famílias serão contempladas com o pagamento de serviços ambientais no Pará

33


Meio Ambiente, Ecologia, Biodiversidade e Ecossistemas Fotos: Advaldo Nobre/Seduc/Ag Pa

N

o dia 05 de junho comemorou-se o dia do Meio Ambiente. A criação da data foi em 1972, em virtude de um encontro promovido pela ONU a fim de tratar assuntos ambientais, que englobam o planeta, mais conhecido como conferência das Nações Unidas. A conferência reuniu 113 países, além de 250 organizações não governamentais, onde a pauta principal abordava a

34

Só nos resta preservarmos o que nos resta de nossos ecossistemas. É o mínimo que se pode fazer

degradação que o homem tem causado ao meio ambiente e os riscos para sua sobrevivência, onde a diversidade biológica deveria ser preservada acima de qualquer possibilidade. Nessa reunião, criaram-se vários documentos relacionados às questões ambientais, bem como um plano para traçar as ações da humanidade e dos governantes diante do problema. A importância da data é devido às discussões que se abrem sobre a poluição do ar, do solo e da água; desmatamento;

diminuição da biodiversidade e da água potável ao consumo humano, destruição da camada de ozônio, destruição das espécies vegetais e das florestas, extinção de animais, dentre outros. Mas em face da vida moderna, os prejuízos ainda estão maiores. Uma enorme quantidade de lixos é descartada todos os dias, como sacos, copos e garrafas de plástico, latas de alumínio, vidros em geral, papéis e papelões, causando a destruição da natureza e a morte de várias espécies animais. paramais.com.br


A política de reaproveitamento do lixo ainda é muito fraca, em várias localidades ainda não há coleta seletiva; o que aumenta a poluição, pois vários tipos de lixos tóxicos, como pilhas e baterias são descartadas de qualquer forma, levando a absorção dos mesmos pelo solo e a contaminação dos lençóis subterrâneos de água. É importante que a população seja conscientizada dos males causados pela poluição do meio ambiente, assim como de políticas que revertam tal situação. E cada um pode cumprir com o seu papel de cidadão, não jogando lixo nas ruas, usando menos produtos descartáveis e

paramais.com.br

evitando sair de carro todos os dias. Se cada um fizer a sua parte o mundo será transformado e as gerações futuras viverão sem riscos.

Biodiversidade Ou diversidade biológica é a diversidade da natureza viva. Pode ser definida como a variedade e a variabilidade existente entre os organismos vivos e as complexidades ecológicas nas quais elas ocorrem. Ela pode ser entendida como uma associação de vários componentes hierárquicos: ecossistema, comunidade, espécies, populações e genes em uma área definida. A biodiversidade varia com as diferentes regiões ecológicas, sendo maior nas regiões tropicais do que nos climas temperados. Refere-se à variedade de vida no planeta

35


Dia Mundial do Meio Ambiente na SEDUC

Após plantar, a rega...

O 5 de junho, foi marcado com o plantio de dezenas de mudas de árvores na sede da Secretaria Estadual de Educação SEDUC, iniciativa da Coordenação de Educação Ambiental (Ceam), em uma ação do programa "Um Bilhão de Árvores para a Amazônia". Antes do plantio, os servidores representantes de todos os setores da Seduc participaram de uma missa em Ação de Graças, celebrada pelo exarcebispo metropolitano de Belém, D. Vicente Zico. Após a missa, os presentes seguiram até o jardim para o plantio de mudas de mogno, andiroba e samaumeira. O primeiro a plantar foi D. Vicente Zico, seguido da titular da Seduc e do representante da Casa Civil, Jorge Panzera. As demais mudas foram plantadas por servidores, com o objetivo de conscientizá-los sobre a importância da preservação do meio ambiente, disse Socorro Lopes, coordenadora de Educação Ambiental da SEDUC. O aluno da Escola Estadual "Consuelo Coelho", Lucas Prestes, foi convidado a plantar uma muda ao lado da secretária, e falou da importância em ajudar na preservação do meio ambiente.

Dom Vicente Zico celebra missa na secretaria Estadual de Educação em comemoração do Dia Mundial do Meio Ambiente

Terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna, de fungos macroscópicos e de microrganismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos. A Biodiversidade refere-se tanto ao número (riqueza) de diferentes categorias biológicas quanto à abundância relativa (equitatividade) dessas categorias. E inclui variabilidade ao nível local (alfa diversidade), complementaridade biológica entre habitats (beta diversidade) e variabilidade entre paisagens (gama diversidade). Ela inclui, assim, a totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos, e seus componentes.

Ecossistemas amazônicos Em território brasileiro, os ecossistemas amazônicos ocupam uma superfície de

36

Iracy Gallo, secretária Estadual de Educação e o aluno Lucas Prestes, da Escola Estadual Consuelo Coelho plantam muda em homenagem ao Dia do Meio Ambiente

368.989.221 ha, abrangendo os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e pequena parte dos estados do Maranhão, Tocantins e Mato Grosso. A Amazônia é reconhecida como a maior floresta tropical existente, o equivalente a

1/3 das reservas de florestas tropicais úmidas e o maior banco genético do planeta. Contém 1/5 da disponibilidade mundial de água doce e um patrimônio mineral não mensurado. A grande diversidade geológica, aliada ao paramais.com.br


relevo diferenciado, resultou na formação das mais variadas classes de solo, sob a influência das grandes temperaturas e precipitações, características do clima equatorial quente superúmido e úmido. Contudo, a fertilidade natural dos solos é baixa, em contraste com a exuberância das florestas ombrófilas (úmidas) que nelas se desenvolvem. A floresta Amazônica é um ecossistema auto-sustentável. Ou seja, é um sistema que se mantém com seus próprios nutrientes num ciclo permanente. Os ecossistemas amazônicos são sorvedouros de carbono, contribuindo para o equilíbrio climático global. Existe um delicado equilíbrio nas relações das populações biológicas que são sensíveis a interferências antrópicas.

A floresta Amazônica é um ecossistema auto-sustentável

paramais.com.br

Dom Vicente Zico homenageia o Dia do Meio Ambiente

A floresta, apesar de ser a característica mais marcante da Amazônia, não esconde a grande variedade de ecossistemas, dentre os quais se destacam: matas de terra firme, florestas inundadas, várzeas, igapós, campos abertos e cerrados. Conseqüentemente, a Amazônia abriga uma infinidade de espécies vegetais e animais: 1,5 milhão de espécies vegetais catalogadas; três mil espécies de peixes;

950 tipos de pássaros; e ainda insetos, répteis, anfíbios e mamíferos... A espécie humana depende da Biodiversidade e de seus ecossistemas para a sua sobrevivência, isso ninguém tem duvidas, portanto, para comemorarmos condignamente sempre o Meio Ambiente e a Ecologia, só nos resta preservarmos o que nos resta de nossos ecossistemas. É o mínimo que se pode fazer. P

37


Cavalgada em

A

Cavalgada Camponesa de Bragança chega em 2009 na sua quinta versão atraindo cerca de 600 montarias e reunindo três mil pessoas que foram aguardar a chegada do cortejo em São José da Boa Vista, onde encerra o trajeto e a festa segue noite adentro. A deputada Simone Morgado, madrinha do evento, participou, mais uma vez, do cortejo de 35 km, entre os campos e a zona rural de Bragança. “Tenho o maior prazer em participar da Cavalgada, um dos eventos grandiosos e tradicionais da nossa Bragança”, destacou Simone. A programação da Cavalgada Camponesa iniciou nas primeiras horas do dia 31 de maio. Desde às 4h30, o movimento das avenidas Polidório Coelho e Governador Mendonça Furtado ficou diferente das demais madrugadas. Eram os ruídos das montarias vindas dos campos e das colônias de Bragança e de outros municípios, em direção ao Anel Viário, local da concentração do evento. Às 6h, após cerimônia ecumênica, café da manhã e pronunciamentos, o

38

Bragança Fotos: Guilherme Thorres

cortejo seguiu pela avenida Mendonça Furtado, até a rotatória do bairro do Trevo, onde pegou a avenida Nazeazeno Corrêa. Este ano, devido às condições das estradas, agravada pelas fortes chuvas que castigaram a cidade, da Nazeazeno Ferreira, o cortejo seguiu, excepcionalmente, pela avenida Santos Dumont, com parada para descanso no Aeroporto Juscelino Kubstcheck, seguindo pela estrada do Ferreira, até o ramal que leva à comunidade do Lago, de onde o seguiu para Bom Jardim e depois, São José da Boa Vista, onde seria o final do trajeto se a chuva não houvesse atingido radicalmente as estradas. De São José da Boa Vista os cavaleiros seguiram até Tamatateua e depois à comunidade da Acarcará, que inicialmente seria uma das paradas do evento que teria seu encerramento na propriedade do saudoso cavaleiro Zózimo Tibúrcio, em São

José da Boa Vista. Entretanto, a infraestrutura foi transferida para a Acarpará, onde a programação se estendeu até altas horas.

Comitivas Além dos bragantinos, municípios circunvizinhos e até de outras regiões do Estado também vieram curtir a cavalgada. As comitivas de Mãe do Rio e Paragominas vieram até uniformizadas, tamanho era o entusiasmo dos visitantes. Á paisana vieram comitivas de Capanema, Santa Luzia do Pará, Ipixuna, Santa Isabel, Santa Maria, Tracuauea e B e l é m ,

paramais.com.br


Vista panorâmica dos campos, com as pessoas aguardando a chegada do cortejo

Pelas ruas de Bragança, a Cavalgada Camponesa Simone Morgado, madrinha do evento

dentre outros municípios. Os campos são belos e a contemplação é a melhor pedida até para quem vai a cavalo. Na Cavalgada Camponesa de Bragança não há competição. Para os participantes, o compromisso não ultrapassa o cumprimento da trilha, onde o que importa é desfrutar de todos os momentos, sem pressa e com direito a paradas estratégicas, com média de 45 minutos,

tempo suficiente para curtir um churrasquinho com música ao vivo e seguir adiante. Este ano as atrações foram a dupla Fábio e Alessandro, Daniel do Acordeom e as bandas Pé de Cana e Cia Paidègua. P

Nos belos campos bragantinos

paramais.com.br

39


Produtos Orgânicos Hortaliças da melhor qualidade

C

erca de quatro toneladas de alimentos foram comercializados durante a Feira do Produto Orgânico de Belém, na Praça Batista Campos. Hortifrutigranjeiros, farinha e doces foram os produtos mais vendidos no evento, que reuniu 150 pequenos agricultores da Região Metropolitana de Belém (RMB) e municípios vizinhos, em evento que marca o encerramento da V Semana do Alimento Orgânico idealizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e que na capital

40

Produção orgânica desperta a consciência para o desenvolvimento sustentável e sobrevivência do planeta

Escolhendo...

Fotos: Carlos Sodré / Ag Pa e João Gomes/Comus

paraense é promovido pela Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri) e Prefeitura

de Belém, através da Secretaria Municipal de Economia (Secon). Houve bons negócios para produtores de vários municípios paraenses e apresentação de uma diversidade grande de mercadorias a consumidores curiosos e interessados pela novidade. O secretário de Agricultura do Pará, Cássio Pereira, esteve na Feira e afirma que a CPORG cresceu 100% em número de produtores certificados em um ano. Em 2008, a Comissão contava com apenas cem participantes e neste ano já são 200. Para fomentar a Há ainda os agricultores que são produção de orgânicos

paramais.com.br


municípios vizinhos. No Pará, certificados, mas ainda não estão poucos produtores tem o selo do agregados à entidade. Ele Ministério da Saúde (MS), que os acrescenta ainda que, atualmente, autoriza a vender seus produtos o Pará tem milhares de produtores nas grandes redes de orgânicos, ainda sem certificação. supermercados. A falta da É o caso dos que lidam com a certificação do produto faz com produção de açaí. Cerca de 98% da que os empresários deste setor produção da fruta-símbolo do tenham que comprar os alimentos Estado é produzida sem qualquer no sul e sudeste do país, tipo de intervenção química, sem encarecendo o orgânico nos nenhum fertilizante. supermercados e limitando o Cássio comentou que os Plantas Medicinais espaço de comercialização desses produtores organizados estão cada e decorativas produtos”. vez mais encontro canais para Segundo o secretário Municipal de comercialização dos produtos, Economia João Amaral, a Secon hoje ainda considerados caros. A deve implantar no segundo preocupação com o preço mais semestre deste ano um projeto para baixo também está nas orientações realizar feiras de produtos técnicas repassadas pela Sagri. O orgânicos mensalmente no secretário comenta que os município, com a finalidade produtos tem um preço elevado incentivar a produção e o devido aos custos de produção, consumo, além de facilitar o mas os valores acima da média escoamento da produção de também estão relacionados a alimentos livres de agrotóxicos e pequena oferta. "Quem sabe com fertilizantes. o incentivo, aumente o número de A proposta de promover feiras de produtores e, consequentemente, Tucupi orgânico produtos orgânicos uma vez por os preços caiam, trazendo mês agradou os consumidores de competitividade". A Feira do Produto Orgânico tem o saudáveis e fomentar a produção de orgânicos – a idéia é fantástica para objetivo de levar ao consumidor produtos orgânicos em Belém, região das ilhas e melhorar a qualidade de vida e a saúde. P A Praça Batista Campos estava lotada

paramais.com.br

41


por ROSA KAMADA Crianças paraenses e japoneses no plantio das mudas

Japoneses e crianças paraenses em prol da preservação da floresta Amazônica

C

urupira, Matinta-Pereira, Duende e outros personagens da lenda amazônica entraram em cena do Teatro na Floresta, tendo como platéia uma comitiva composta de 22 japoneses e alunos de escolas locais. A comitiva nipônica chegou a Belém, direto do Japão, também para participar do Festival de Plantio da Amizade Brasil-Kyoto, realizado recentemente no município de Benevides, a 36 quilômetros da capital paraense. O chefe da comitiva Toshio Sawai, falou que “comparada à grande degradação que

42

sofre a floresta tropical da Amazônia, nossa ajuda é muito pequena, mas o nosso maior objetivo é transmitir às crianças que é divertido plantar uma árvore”. Cerca de 200 alunos de 1ª a 4ª séries das escolas públicas e particulares como Terceira Travessa, Caminho Suado e Santa Maria Bertillar, de Benevides participaram do plantio, conforme relata Takushi Sato, presidente da Instituto Amigos da Floresta Amazônica – ASFLORA, organização que promoveu o evento com o apoio da Associação da Indústria Exportadora de Madeiras do Estado do Pará (Aimex), no laboratório de

Fotos: Cláudio Santos/Ag Pa

semente mantida pelaAimex. O tema central do teatro, iniciativa da ASFLORA, procura explicar sobre a necessidade da preservação da floresta, por meio de linguagens acessíveis e atos para que as crianças possam aprender de forma criativa, e se tornarem agentes multiplicadores para impedir a devastação florestal, poluição dos recursos naturais como a água, a preservação da biodiversidade natural, tudo para o homem continuar com a qualidade de vida em co-existência com a natureza. Tasuku Matsuba, o mais jovem da comitiva, um estudante universitário de

paramais.com.br


ASFLORA repassa informações sobre ambiente natural às crianças

Cenas do Teatro na Floresta com a MãeNatureza e Curupira

21 anos, falou de sua impressão: “Belém chove muito e é uma cidade muito acolhedora”. Sawai, o mais idoso do grupo, exclama com um grande sorriso “fico ansioso só de pensar em como estarão as mudas plantadas hoje após cinco anos. As que plantamos em 3 de março de 2005, neste mesmo canteiro, estão tão bonitas e viçosas. Pode não é uma obra grandiosa, mas é muito prazerosa”.

paramais.com.br

Desde a sua fundação, em 2002, a Associação dos Amigos da Floresta Amazônica – ASFLORA vem incentivando a preservação ambiental por meio de diversos projetos direcionados a professores e estudantes que inclui palestras e visitas a áreas de reflorestamento. A ASFLORA é uma Organização não Governamental sediada no laboratório de Sementes e Mudas da AIMEX, em Benevides, coordenada pelo engenheiro agrônomo Eder Ramos. Durante o ano, os alunos das escolas, principalmente as públicas de Santa Izabel, Benevides e Belém são convidados a visitar o laboratório da AIMEX, onde recebem aulas sobre o assunto, às vezes de forma lúdica como o Teatro na Floresta, em contato com a natureza. Os estudantes e professores ficam conhecendo como é feito, por exemplo, o trabalho de recuperação de áreas degradadas, como se processa a multiplicação de mudas, além de receberem informações sobre extrativismo vegetal, limpeza urbana, preservação de fontes de água e aproveitamento de resíduos vegetais. O maior objetivo é formar agentes multiplicadores que colaborem na divulgação desses pensamentos para a qualidade de vida em co-existência com o ambiente natural. No ano passado, a ASFLORA incorporou à sua programação o Teatro na Floresta, que é uma apresentação onde personagens da mitologia amazônica passam as informações sobre manejo florestal, reflorestamento e a necessidade de preservação ambiental.

43


Camillo VIANNA

Recordar é viver... “Alvíssaras, alvíssaras, em nome de Deus e da Pátria, em chãos do Pará, da Amazônia e do Brasil, fundo Vila Rondon. Que Deus nos Guarde e Proteja para sempre”. Com essas palavras, Camillo Martins Vianna fundou Vila Rondon, na manhã do dia 09 de fevereiro de 1969.

Ata de Fundação de Vila Rondon Eu, Camillo Martins Vianna, médico do Serviço médico social de Departamento de Estradas de Rodagem do Pará, legalmente autorizado, neste ato, faço a todos saber o seguinte: ás 10 horas do dia nove de fevereiro do Ano da Graça de Mil Novecentos e Sessenta e Nove de Nosso Senhor Jesus Cristo, o acampamento situado no KM-86 da estrada de Rodagem PA70, Município de Capim, e o seu anexo populacional conhecido por Candangolândia é elevado à categoria de Vila conforme cerimônia realizada. Passará a ser denominado VILA RONDON tendo por padroeiro São Benedito do Acampamento da Mata...

44

paramais.com.br


No desfile escolar de 7 de setembro de 1970

Comemoração da Fundação de Vila Rodon em 1969

Reunião de parte da Equipe do Rondon, na Praça da Bandeira

*SOPREN/SOBRAMES

paramais.com.br

45


Digno Passado

J

orge Arbage, jornalista, advogado, político, foi prefeito de Cametá e deputado federal. Hoje ocupa a 25º cadeira da Academia Paraense de Letras. Um dos políticos mais atuantes na história do Pará, Jorge Arbage, lançou recentemente na sede da Federação das Indústris – FIEPA, o livro “Digno Passado”, onde conta um pouco da sua trajetória, desde quando foi cobrador de ônibus, em Cametá, até virar um dos políticos que mais lutou por causas nobres para o estado do Pará. O livro “Digno Passado” foi prefaciado por Dom Vicente Zico, arcebispo emérito de Belém, que se declarou honrado em fazê-lo. “Poder fazer parte da realização do sonho desse cidadão, católico acima de tudo, é uma honra”, disse Dom Vicente. Jorge Arbage falou da emoção de lançar um livro contanto sua história. “Escrever um livro é um sonho, enquanto Deus me permitir, vou continuar realizando sonhos. Lançar um livro com 85 anos é uma alegria. Passei por muitas dificuldades e estar aqui hoje é uma vitória”, disse emocionado. Ao ser questionado se existe alguma parte do livro mais interessante, ele enfatizou: “Modéstia parte, todo o livro é bom e pode servir de exemplo Jorge Arbage autografa o livro para Duciomar Costa

para muita gente”, concluiu. No lançamento do “Digno Passado”, esteve presente, apesar da chuva que caia em Belém, grande número de seus amigos. Para o prefeito de Belém, Duciomar Costa, que também o prestigiou: “Ainda não li o livro, mas o Jorge tem uma trajetória de vida que é exemplo para todos, por isso merece todo o destaque do mundo. Autodidata, teve uma contribuição muito grande para o nosso município. É uma história que vale a pena ser contada. Além de tudo, ainda foi um parlamentar brilhante”, disse Duciomar. P

Dom Vicente Zico, Jorge Arbage e Ronaldo Hühn

Jorge falou da emoção de lançar o livro Digno Passado

46

Iracema, esposa de Jorge Arbage, Lina Hühn e Dom Vicente Zico, no lançamento do “Digno Passado” paramais.com.br


É tempo de saudade

É

Tempo de Saudade” é o mais recente livro de Celeste Proença. Poeta, professora, letrista, irmã da grande Adalcinda Camarão, viúva de Edyr Proença, integra o livro “Maromba”, “1ª Antologia de Contos e Poesias”, da Associação Paraense de Escritores. Também faz parte da antologia “Ajebianas de Sul a Norte”, lançado em 1998. Participou do livro “Ajebianas no Vôo da Palavra”, lançado pela AJEB-PA. Seu nome faz parte da coleção de Antologias intitulada “Introdução à Literatura do Pará”, organizada pelos escritores Clóvis Meira, José Ildone e Acyr Castro. Também é citada em várias páginas no livro do escritor Clóvis Meira, de nome “A Lira da minha Terra”. Seus livros anteriores são “Louvações ao Mosqueiro e outros Escritos”, “Enquanto o soninho não vem” e “Escorregando no tempo”. Celeste Proença integra a AJEB (Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil). Faz parte da “Academia Castro Alves de Letras”, da Bahia e “Casa do Poeta”, do Rio Grande do Sul. É sócia fundadora da U.B.T (União Brasileira de Trovadores). Pertence ainda à U.B.E. – São Paulo (União Brasileira de Escritores). É sócia fundadora da Associação Paraense de Escritores (A.P.E.) Pertence ainda à “Academia Brasileira de

paramais.com.br

Pesquisas Literárias”, cujo patrono é Guilherme de Almeida, cadeira No. 6 . Sócia Honorária do Instituto Histórico e Geográfico do Pará. Detentora de variados prêmios de coletâneas poéticas do Brasil, conseguindo o segundo lugar

nacional, de poesia, no Concurso Raimundo Corrêa. Primeiro lugar no 2º Concurso Paraense de Trovas. Primeiro lugar no Concurso Literário FUNTELPA (Fundação de Telecomunicação do Pará). Primeiro lugar no III Concurso Paraense de Trovas. Menção Especial e Menção Honrosa no IV Concurso Paraense de Trovas. Menção Honrosa no Concurso de Monografia e Poesia, instituído pela SEMEC, para a comemoração dos 300 anos do “ Ve r - o - P e s o ” . M e n ç ã o Honrosa e Menção Especial no V Concurso Nacional de Trovas de Belém. Foi primeiro lugar no X Concurso Nacional de Trovas de Belém e VIII Concurso Paraense de Trovas, com os temas “Asa(s)” e “Centenário do Mosqueiro”. É membro da Revista Acadêmica, órgão oficial da Academia Brasileira de Estudos e Pesquisas Literárias, tomando parte ativa na XIV Antologia Nacional de Poetas e Escritores do Brasil, organizada por Reis de Souza, Presidente do Grupo Brasília de Comunicação. Recebeu também a Comenda Literária “Stella Brasiliense” pelos relevantes serviços prestados à cultura em nosso país. Também é detentora da Medalha de Bronze, no Concurso Nacional de Poesias da Revista Brasília. P

47


serpan@amazon.com.br

Sérgio PANDOLFO

AS ÁGUAS DE MARÇO As águas de março, com grandes enchentes, promovendo esgarços na vida das gentes, são sim, na verdade, defesas do mar, mostrando à cidade seu leito de estar; seu leito roubado sem dó nem piedade, servido e usado pra má utilidade.

Por isso que sangram nas urbes, nas vilas, mostrando aos que mangam, que fazem as expilas das bordas silentes, as faces horrendas das altas enchentes com perdas tremendas de coisas e entes.

As águas não vingam o furtar de seu leito: reclamam que extingam da calha o direito de encher e vazar, subir, recuar. (*) Médico e escritor. SOBRAMES/ABRAMES

48

paramais.com.br


Acyr CASTRO

Meu Junho

E

ste é o "meu" mês. Nele nasci, Crescendo vou e nele pretendo continuar sobrevivendo até que Deus o permita de preferência lúcido e em idade bem avançada. Junho m'ensinou muita coisa, como, por exemplo, a cedo madrugar. Não dizem que o Pai, que a todos cria sob o céu e a terra, ajuda a quem cedo madruga ? Em Junho aprendi muita coisa, por exemplo, a ler e a escrever, mas não na cartilha comum das crianças. Aprendi devorando, na inocência infantil, os contos e os romances de Joaquim Maria Machado de Assis. Que beleza quando descobri Jorge Amado e Dalcidio Jurandir: foi um infinito em países do sem fim. E em poesia: saí de Mário Quintana e de Mário Faustino para o concretismo dos irmãos Haroldo e Augusto de Campos e o lirismo inigualável de Ezra Pound e de Ruy Guilherme Paranatinga Barata. Das letras cheguei, plena matina, ao cinema de Alfred Hitchcock (vi "Rebeca" aos sete, ou oito anos) e, mais tarde, ao Orson Welles de "Cidadão Kane", até hoje os meus preferidos. Em matéria de canto, sou basicamente da música popular: Roberto Carlos, Diogo Nogueira, Roberto Silva, Rodrigo Maranhão, Ângela Maria, Roberta Sá, Walter Bandeira, Leila Pinheiro. Atavismo já que fui neto de compositores, Manuel Luiz Monteiro de Paiva, que tocava piano no Cine Olympia. Eu próprio fiz das minhas, duas canções para voz e teclados ("Estilhaços" e "Dúvida") em parceria com Altino Pimenta. Biógrafo, tentei chegar lá, sem pressa, sem receio de errar, em "Cléo Bernardo: A Falta Que Faz".Um dos treze (13) livros que escrevi, o sobre o Cléo homenagem ao advogado e jornalista em quem encontrei um líder e

paramais.com.br

um amigo inigualáveis. Detesto mentiras, sofismas e enganações. Fujo dos rodeios, dos Ruy Guilherme circunlóquios. Prefiro ir direto ao ponto. Para Paranatinga Barata que dar voltas e mais voltas, fingindo, negando,ressalvando. Falo o que tenho a falar, digo o que tenho a dizer,e o resto não é comigo: fica para quem me lê, e sei que tenho leitores graças ao prestígio desta bela revista e dos seus editores, os diletos amigos Ronaldo e Rodrigo Hühn. O cinema hoje vive a era do DVD e nele me perco às voltas com cineastas e atores prediletos: saio de Laurence Olivier e Charles Laughton a Jonathan Rhyes Meyer, e Lázaro Ramos e Vagner Moura como a Bette Davis, a Kate Winstet e a Fernanda Montenegro. Pouco talvez, bastante com certeza. Por aqui fico, que quem demasiado fala acaba ficando sem ter o que dizer. E até julho, se o nosso Senhor Jesus Cristo e a minha madrinha de batismo, Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos assim o quiserem. Quem o desejar que aprofunde o tema, digamos meu queridíssimo Pedro Veriano, o crítico de cinema que mais aprecio em seguida a Antonio Moniz Vianna. Parabenizo a Luzia Miranda Álvares que aniversaria dia 13, dia de Santo Antônio. Bom dia e boa sorte. (*) Poeta, jornalista e escritor

49


Para ministro, não há necessidade de derrubar mais áreas de floresta

“Sanções contra pecuaristas não devem atingir áreas antigas"

O

ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, disse que os pecuaristas que fizeram desmatamentos ilegais na Amazônia devem sofrer sanções. No entanto, o ministro ponderou que não pode haver punição quando a derrubada é antiga, realizada na época em que era permitida pelo Código Florestal. "Aqueles que desmataram de maneira irregular, de forma ilegal, terão que sofrer a pena por isso, mas temos que considerar que, na grande maioria dos casos, existem áreas consolidadas há até 50 O boicote promovido anos", disse Stephanes pelas redes de à Agência Brasil, ao supermercados está penalizando a pecuária comentar a decisão de redes varejistas de brasileira suspender a compra de carne de 11 frigoríficos localizados em áreas apontadas como de desmatamento na

Reinhold Stephanes, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

50

região amazônica. Segundo o ministro, "desmatamento zero seria a melhor solução para a Amazônia, inclusive criando condições para indenizar aqueles que ainda tem direito a desmatar". Para o presidente do Sindicato das Indústrias do Frio no Estado de São Paulo (Sindifrio), Edivar Vilela de Queiroz , o boicote promovido pelas redes de supermercados está "penalizando a pecuária brasileira".

Boicote à carne bovina do Pará pode causar desabastecimento Integrantes da bancada do agronegócio preveem que a atuação do Ministério Público Federal do Pará buscando promover o boicote da carne produzida por frigoríficos localizados em área de desmatamento na Amazônia pode gerar uma crise de abastecimento de carne e aumentar os preços do produto. Para deputados, boicote também trará desemprego. "Se hoje a arroba do gado está a R$ 80, no momento em que a Amazônia toda não puder produzir, vai a R$ 180", alertou o deputado Cezar Silvestri (PPS-PR), durante a audiência pública que a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural promoveu recentemente para discutir a suspensão do Decreto 6.514/08, que impõe multa ao proprietário rural que deixar de registrar em cartório a reserva legal. Três dos maiores varejistas do País - Pão de Açúcar, Carrefour e Wal-Mart anunciaram semana passada a suspensão da compra de carne de onze frigoríficos paraenses da região Amazônica em áreas

supostamente desmatadas. Procuradores da República do Pará ameaçavam processar os supermercados que comercializassem carne desses fornecedores. O deputado Abelardo Lupion (DEM-PR) afirmou que o boicote aos frigoríficos vai ter consequências seriíssimas para a atividade econômica paraense. "O Ministério Público Federal do Pará está prestando um desserviço à nação com intenção de aparecer em nível nacional. Quem foi levar o progresso ao Pará e botou indústria naquele Estado hoje está sendo punido", disse àAgência Câmara. O presidente da Frente Parlamentar da

Presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, deputado Valdir Colatto

Agropecuária, deputado Valdir Colatto (PMDB-SC), alertou para o risco de ocorrer no Brasil crise parecida à que aconteceu na Argentina, quando um impasse político provocou desabastecimento e aumento de preços de bens produzidos pelo agronegócio. "Temos o know-how dos argentinos. Com certeza vai acontecer isso (faltar carne)", P afirmou. paramais.com.br


O PRÊMIO PARA ESPECIALISTAS EM LIDAR COM PÚBLICOS TÃO DISTINTOS. Inscreva-se no único prêmio que reconhece os melhores da comunicação segmentada. Publicações (off-line e on-line) | Agências | Criação | Design Gráfico | Mídia | Contatos | Jornalistas | Planejamento. INFORMAÇÕES: WWW.PREMIOANATEC.COM.BR INFOMACAO@PREMIOANATEC.COM.BR (11) 3801-2843


Pará+ 91  

Viva São João!

Advertisement