Issuu on Google+

portfolio regina santos


Regina Margarida do Rosรกrio Santos data de nascimento:

08-09-1988 nacionalidade:

Portuguesa morada:

Rua da Lagoa, nยบ 240, Tojal, 2480 -188 Porto de Mรณs telemรณvel:

+351 914995092 correio electrรณnico:

rm_rsantos@hotmail.com


curriculum vitæ

experiência profissional

conhecimentos informáticos

jul 2013 - jul 2014

Software Microsoft Office - utilizadora avançada

Cintilante, Projectos e Sistemas de Iluminação, Lda Estágio de admissão à O.A. coordenado pela arquitecta Martinha Sismeiro, Porto de Mós. out - nov 2011

RVDM, arquitectos Lda Colaboradora no projecto para o «Concurso de Ideias para a Requalificação e Reordenamento da Praia e Frente de Mar – Figueira de Foz e Buarcos», Aveiro.

formação académica set 2006 - jan 2013

Mestrado Integrado em Arquitectura Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (média: 14 valores)

AutoCAD 2D - utilizadora avançada Adobe Photoshop - utilizadora avançada Adobe InDesign - utilizadora avançada Adobe Illustrator - utilizadora intermédia ArchiCAD - utilizadora intermédia SketchUp - utilizadora intermédia

concursos e prémios 2014

Participação no «Concurso Sardinhas Festas de Lisboa’14». 2013

Participação no «Prémio Villa Portela, 2ª edição | 2013» com o trabalho «Ernesto Korrodi: a habitação na imagem da cidade de Leiria».

jan 2013

2013

«Ernesto Korrodi: a habitação na imagem da cidade de Leiria» Dissertação de Mestrado sob a orientação do Professor Rui Lobo e do Professor Paulo Varela Gomes

Participação no «Concurso para a criação de logotipo para o Gabinete da Juventude», Porto de Mós. (1º lugar)

(classificação: 18 valores)

Participação em colaboração com RVDM, arquitectos Lda. no «Concurso de Ideias para a Requalificação e Reordenamento da Praia e Frente de Mar – Figueira de Foz e Buarcos». (1º lugar)

2003 - 2006

Ensino Secundário: agrupamento 2 – Artes Instituto Educativo do Juncal (média: 17 valores)

2011

2003

Participação na categoria Alunos, no «Concurso para a criação do logotipo da Escola Secundária c/3ºCEB da Batalha». (1º lugar)


conferências, workshops e formações

outras iniciativas e actividades

2013

Elaboração de material gráfico. Criação de peças artesanais e participação em feiras de artesanato.

Curso livre de Língua Inglesa – nível intermédio B1.2 (60h), FLUC, Coimbra.

Aptidões desenvolvidas por interesse pessoal.

2012

nov 2011 - jan 2012

Conferência «Fernando Távora: Modernidade Permanente», Guimarães.

Colaboração na exposição «Reescrever o Pós-moderno», Colégio das Artes, Coimbra.

2012

Curso de formação avançada «Técnicas Tradicionais de Construção e a Conservação de Edifícios Antigos» (15h), CES, Coimbra. 2011

Conferências do Bussaco «Arquitectura/ Floresta/ Paisagem», Fundação Mata do Buçaco, Luso. 2011

Workshop de ArchiCAD – nível 1 e nível 2 (10h + 10h), Coimbra. 2011

Conferência Internacional «Arquitectura [IN] ]OUT[ Política», Trienal de Arquitectura, Lisboa.

competências e aptidões sociais e de organização Boa capacidade de trabalho individual ou em equipa. Facilidade de adaptação a novos desafios. Prática de desenho e elaboração de maquetes. Competências desenvolvidas ao longo do percurso académico e profissional.

Sentido de responsabilidade na execução de tarefas propostas. Elevada capacidade de organização, rigor e particular atenção dada ao pormenor.

2010

Colóquio «Mulheres na Arquitectura», FCTUC, Coimbra.

aptidões pessoais línguas

exposições e publicações

Português - língua materna

2011

Inglês - utilizadora independente

Participação na publicação «Coimbra reinventada: Visões Urbanas para as Margens do Mondego», Via Latina #8. 2011

Participação na exposição «Coimbra reinventada: Visões Urbanas para as Margens do Mondego», Museu Machado de Castro, Coimbra.

carta de condução

Veículos ligeiros - categoria B


portfolio projectos seleccionados 2008-2014

arquitectura 8

residências para professores convidados

14

hotel urbano de 4 estrelas

22

Coimbra reinventada: visões urbanas para as margens do Mondego

26

Coimbra reinventada: centro cívico e biblioteca

34

requalificação e reordenamento da frente de mar da Figueira da Foz

teoria 38

Ernesto Korrodi: a habitação na imagem da cidade de Leiria

grafismo 42

logótipo: gabinete da juventude

43

sardinhas: festas de Lisboa


residências para professores convidados Coimbra 2008-2009 disciplina: projecto III professores: José Gigante e Pedro Maurício Borges

O programa consistiu no desenvolvimento de 6 apartamentos T0 destinados à habitação temporária de professores convidados da Universidade de Coimbra. Deveria ser, ainda, complementado por sala e lavandaria comuns.

entre as diferentes cotas. Valorizando o espaço verde exterior traçou-se um outro pátio interior que separa os apartamentos dos espaços comuns. O apartamento T0 apresenta uma disposição dos espaços de acordo com o carácter social e íntimo. A zona de estar articula-se com a kitchenette e apresenta um grande envidraçado que abre para a varanda, a nascente. Em oposição, para a área de dormir procurou-se criar um espaço acolhedor, com maior controlo da luz natural. Na fachada envidraçada, destaca-se o bloco revestido a madeira, onde se organiza a instalação sanitária, e que separa a zona de dormir da zona de estar.

O edifício projectado implanta-se na encosta a nascente do Colégio das Artes, num terreno resultante da demolição do edifício existente. De modo a não perturbar a diferença de escala com a envolvente, o edifício proposto apresenta-se como um volume distinto, gerando um pátio, de carácter público, com o volume adjacente que permite a comunicação

alçado poente 8


implantação 9


5

2

6

3

4 3

planta piso 0

1

2

planta piso 1

alรงado nascente 10


1 2 3 4 5 6

entrada T0 pátio sala comum lavandaria instalações sanitárias

corte transversal: entrada

alçado sul

alçado norte 11


5

1

2

8

9

5

3

1

11

11

8

2

pormenores construtivos: planta T0

1 1

3

2

10 5 8

12 1 betĂŁo 2 reboco armado sobre isolamento 3 isolamento tĂŠrmico 4 parede de pladur 5 tecto falso em pladur 6 soalho de madeira 7 pavimento de pedra 8 folha mĂłvel de batente com caixilho em ferro 9 folha fixa com caixilho em ferro 10 estore de rolo interior tipo blackout 11 guias de estore 12 guarda em ferro

11 6 7

1

2 1

pormenores construtivos: corte transversal T0 12

4

1


planta T0

corte transversal T0 13


hotel urbano de 4 estrelas Coimbra 2009-2010 disciplina: projecto IV professores: António Lousa

O programa compreendeu o traçado de um equipamento hoteleiro inserido no meio urbano de Coimbra – em Montes Claros – e a regeneração do espaço público. O hotel, de 40 quartos, devia ter spa, piscina interior e sala de conferências. A proposta apresentada vem ocupar o vazio urbano existente no interior do quarteirão no topo da rua Diogo de Castilho, junto à Praça Virgílio Correia. O hotel desenvolve-se entre a Rua Nicolau Chanterene, com a recepção numa cota inferior, e a Rua Dr. António José de Almeida, com o spa e sala de conferências numa cota intermédia. As diferenças de pédireito do foyer criam uma dinâmica espacial entre os diversos espaços de carácter social – lounge, restaurante, zona de estar e bar. A partir da entrada na Rua Nicolau Chanterene, o foyer faz a transição de cotas até à zona de lazer exterior que permite a circulação pedonal entre a Praça Virgílio Correia e a Rua Dr. António José de Almeida. O traçado deste espaço procura responder a uma exigência de regeneração do vazio urbano, de modo a estimular a vivência urbana. O longo bloco dos quartos é traçado a partir de uma grelha estrutural, que se reflecte no desenho modular dos alçados. As aberturas dos quartos, no alçado sul, contrastam com as estreitas frestas que iluminam a zona de circulação a norte.

14


Ru

Ru

aD

aD

iog od

eC

r. A

nt ón

io

as tilh o

Jo

de

Alm

eid

a

Rua Nicolau Chanterene

implantação 15


9

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17

entrada recepção foyer lounge instalações sanitárias estacionamento pátio área de lazer área técnica área de serviços cozinha restaurante administração sala de conferencias bar zona de estar spa

2

5

1 3

6

7

4

planta piso 0 16


9 11

5

10

13

12

planta piso 1

17

8

16

5

2

14

18

15

planta piso 2 17


17

18

19

16

19

20

planta piso 3

18

16 17 18 19 20

zona de estar spa quartos individuais quartos duplos suite

planta pisos 4 e 5 18


alçado sul: Rua Dr. António José de Almeida

alçado nascente

alçado norte: Rua Nicolau Chanterene 19


1

4 3

5

6 2

2

1

8

9

10

7

10

11

12

13

13

1 betão 2 placagem de viroc 3 tecto falso em pladur 4 estore de rolo interior tipo blackout 5 folha móvel com caixilho de madeira 6 soalho de madeira 7 pavimento em linóleo 8 pavimento em pedra 9 pavimento em deck 10 caleira em betão 11 guia em granito 12 calçada em granito de 5 x 5cm 13 calçada em granito de 11 x 11cm

pormenores construtivos: corte transversal 20


corte transversal: foyer

corte transversal 21


8 1 betão 2 reboco 3 isolamento térmico 4 placagem de viroc 5 tecto falso em pladur 6 parede de pladur 7 mosaico 8 painéis de madeira 9 soalho de madeira 10 pavimento em linóleo 11 porta de pivot em madeira 12 folha móvel com caixilho de madeira 13 estore de rolo interior tipo blackout 14 guias de estore 15 guarda em ripado de madeira

8

6

6 11

8 11 6 7

1

1

3

3

13

4

12

5

14

2

9 15

11

6 8

6 14

1 1 12

10 3

4

4

pormenores construtivos: corte longitudinal

pormenores construtivos: planta

corte longitudinal

corte tranversal 22


planta quartos duplos

alçado sul

corte longitudinal: instalação sanitária 23


Coimbra reinventada: visões urbanas para as margens do Mondego Coimbra 2010-2011 disciplina: projecto V: trabalho de grupo professores: Gonçalo Byrne, João Paulo Cardielos, Nuno Grande, Rui Lobo

O programa previa uma abordagem, em escala alargada, sobre a transformação urbana das margens do Mondego, abrangendo três áreas estratégicas da cidade de Coimbra – as margens entre o Choupal e Bencanta, a margem direita entre a Casa do Sal, a Conchada e o Parque Verde; a margem esquerda entre o Açude, Santa Clara e São Martinho do Bispo.

1 2 3 4 5 6 7 8 9

observatório astronómico habitação colectiva centro cívico e biblioteca parque urbano ikea centro comercial e empresarial escola das artes campus faculdade de desporto campus da justiça

A margem esquerda do Mondego, em processo de consolidação urbana, é marcada por vazios, edifícios e infra-estruturas de escalas muito díspares, fruto de decisões avulsas e impostas ao longo do tempo. O projecto opera entre essas diversas escalas, utilizando para isso uma trama conceptual que medeia e agrega aquela disparidade formal e funcional, na procura da coesão urbana. Deste modo, prevê-se a consolidação do conjunto arquitectónico da beirario, a criação de um novo perfil urbano mediando o Convento de Santa Clara com o Forúm, a manutenção dos diversos montados de sobreiros, por criação de um novo parque urbano debruçado sobre Coimbra, o redesenho da Avenida Andrade da Silva conectando o Fórum ao proposto Parque do Observatório Astronómico e o reordenamento da encosta sul, integrando uma nova entrada urbana e o impacto da superfície IKEA. Trata-se, em síntese, de trazer uma urbanidade agregadora para um território que cresceu, até hoje, de modo fragmentário e dispersivo. cartaz da exposição no Museu Machado de Castro 24


4

5 3 1

6

2 2 4

2

9

7

8

planta sĂ­ntese: margem esquerda 25


26


alçado nascente: margem esquerda

corte síntese: margem esquerda

alçado poente: margem esquerda 27


Coimbra reinventada: centro cívico e biblioteca Coimbra 2010-2011 disciplina: projecto V professores: Gonçalo Byrne e Nuno Grande

A partir da proposta de intervenção urbana para a margem esquerda do Mondego, surge a necessidade de criar um equipamento social para utilização colectiva – o Centro Cívico. Como elemento catalisador da população, a sua implantação define-se a meio da Avenida Andrade da Silva, junto à praça que articula os dois parques urbanos. Deste modo, o centro cívico procura conciliar os equipamentos propostos, através dos percursos gerados – interiores e exteriores – que permitem diferentes ligações entre a avenida, a praça e o parque. Já a praça é desenhada com linhas que se direccionam para o parque. O centro cívico dispõe de auditório, foyer e diversos espaços de estar, bar, atl, biblioteca infantil e biblioteca para adultos. Compreende ainda um estacionamento subterrâneo capaz de servir os utilizadores dos diversos equipamentos sociais. Os vazios introduzidos no longo paralelepípedo, estabelecem uma íntima ligação com o espaço sereno e calmo do parque urbano em contraposição com a avenida, a nascente. Estes pátios funcionam como espaços de apoio – sala de recreio e salas exteriores de leitura – e permitem a entrada de luz indirecta na biblioteca e nos espaços de leitura. Do volume destacase o corpo do auditório que acompanha o declive da praça. O palco abre para o parque urbano, beneficiando da vista do espaço verde. 28


implantação 29


2

4

1

3

planta piso 0

2

5

planta piso -1 30


8 7

6 9

planta piso 1

10 9

9

11

planta piso 2 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

9 12

planta piso 3 31

foyer auditório arquivo administração estacionamento atl bar esplanada pátio lounge biblioteca infantil biblioteca adultos


alรงado poente

alรงado nascente

corte longitudinal 32


alรงado sul

alรงado norte

corte transversal 33


pormenores construtivos 34


pormenores construtivos

betão alvenaria de tijolo massame de betão camada de forma/enchimento argamassa de regularização tout-venant brita

pladur madeira deck pedra calçada betão betuminoso pigmentado betão betuminoso de porosidade elevada

35


requalificação e reordenamento da praia e frente de mar da Figueira da Foz e Buarcos 2011 âmbito: Concurso público de ideias colaboradora com: RVDM, arquitectos Lda. classificação: 1º lugar

Paisagem e memória Reencontro e Futuro «Deram-nos memória para ter rosas no Inverno.»

A profunda alteração que a Praia da Claridade conheceu nos últimos quarenta anos trouxe uma alteração significativa à Figueira da Foz. A cidade viu afastarem-se alguns dos seus apaixonados ao mesmo tempo que o mar também recuava. A praia da Figueira da Foz tornou-se numa «sobra urbana», um vazio difícil de ultrapassar. A cintura de areia comprimiu a cidade aprisionando-a nas suas memórias. A proposta apresentada constrói futuro, tirando partido do extenso território oferecido pelo vento e o mar usando-o para reactivar o prestígio e o entusiasmo da cidade através de um extenso Parque Atlântico preparado para receber arte, cultura, desporto e lazer. Este grande equipamento colectivo, de mais de dois quilómetros, reequilibrará a relação da cidade com o mar e será um permanente convite para habitantes e visitantes a terem «rosas o ano inteiro». 36


painĂŠis 1-3 37


38


painĂŠis 4-6 39


Ernesto Korrodi: a habitação na imagem da cidade de Leiria 2012 âmbito: Dissertação de Mestrado professores orientadores: Rui Lobo e Paulo Varela Gomes dissertação online: http://hdl.handle.net/10316/23319

«Todo o cidadão possui muitas relações com algumas partes da sua cidade e a sua imagem está impregnada de memórias e significações.» Kevin Lynch

das principais características de modo a compreender a evolução e maturidade do estilo arquitectónico do arquitecto.

A cidade de Leiria está povoada por edifícios que tiveram um determinado autor, tempo, e espaço de concretização. Apesar da diferente percepção de cada indivíduo, pela sua presença urbana, alguns desses elementos acabaram por marcar a imagem e consequente identidade da cidade. Ao percorrer Leiria, a primeira imagem que nos surge é a do paço acastelado no alto do morro. Mas este castelo nem sempre apresentou a imagem que tem hoje e, até à sua reconstrução, no início do século XX, baseada nos estudos histórico-arqueológicos de Ernesto Korrodi, apresentava-se em ruínas.

Concluiu-se que a cidade de Leiria ficou intensamente assinalada pela linguagem decorativa de Ernesto Korrodi, que se destacou do gosto revivalista da época e que se soube adaptar ao seu tempo. No entanto, actualmente, muitas dessas habitações encontram-se devolutas e em mau estado de conservação.

Ernesto Korrodi (1870-1944), que veio para Leiria como professor de desenho, rapidamente propagou a sua tendência artística na actividade de architecto construtor. Como arquitecto, além de realizar alguns dos mais relevantes edifícios públicos de Leiria, desenhou um vasto número de habitações que se destacaram igualmente na malha urbana. A intensa actividade arquitectónica de Ernesto Korrodi no início do século XX marcou a actual imagem da cidade de Leiria, em inúmeras intervenções por toda a cidade. O objectivo principal deste estudo foi a recolha de informação gráfica referente aos projectos de habitações realizados pelo arquitecto Ernesto Korrodi na cidade de Leiria. Resultou na identificação e análise Ernesto Korrodi (1870-1944) 40


intervenção no existente moradia isolada moradia em banda prédio de rendimento

planta cidade de Leiria: habitações 41


42


projectos e fotografias de algumas obras de Ernesto Korrodi em Leiria 43


logótipo: gabinete da juventude 2013 âmbito: Concurso para a criação de logótipo para o Gabinete da Juventude

de Porto de Mós classificação: 1º lugar

Como gabinete dedicado à juventude, o logótipo pretende transmitir conceitos de diversidade e dinamismo tão característicos da população jovem.

aplicação em folha A4

Na sigla da entidade optou-se por destacar as iniciais – o «G» e o «J» – com a utilização de maiúsculas. À sigla associou-se uma imagem apelativa mas que prima pela simplicidade e que representa um grupo de jovens. Os quatro elementos de diferentes dimensões remetem para a diversidade da faixa etária – em crescimento e mudança. Os quatro elementos indicam ainda os sectores abrangidos pelo gabinete – a formação, o emprego, a cidadania e o empreendedorismo.

logótipo a preto e branco

As cores utilizadas remetem para o concelho e para a juventude. O cinza representa a pedra – as mós e a calçada; o verde traduz o imenso património natural – o Parque da Natural da Serra de Aire e Candeeiros; o azul lembra a água e o vento – o rio e os moinhos; e por fim, o laranja exprime o dinamismo, energia e vivacidade dos jovens. logótipo a cor 44


sardinhas: festas de Lisboa 2014 âmbito:

Concurso para a criação da imagem das sardinhas das Festas de

Lisboa

sardinha da Calçada

Nas propostas apresentadas procura-se valorizar elementos característicos de Portugal: a calçada portuguesa e as andorinhas. Na primeira proposta – a «Sardinha da Calçada» – a silhueta foi preenchida com os tradicionais cubos de pedra nas tonalidades branca e negra, como se se tratasse de um pavimento em calçada portuguesa.

sardinha das Andorinhas

A segunda proposta – a «Sardinha das Andorinhas» – pretende perpetuar a belas aves negras que preenchem os céus portugueses na Primavera. Deste modo, um bando de andorinhas a voar contra o sol desenha a silhueta da sardinha. A última proposta – a «Sardinha-Andorinha» – também aborda as andorinhas, desta vez inspiradas no molde de cerâmica das andorinhas de Rafael Bordalo Pinheiro, sendo o desenho repetido como um carimbo. Uma andorinha voa para lá da silhueta da sardinha, deixando ver o sol ao fundo, que marca o olho da sardinha. sardinha-Andorinha 45


Regina Margarida do Rosรกrio Santos +351 914995092 rm_rsantos@hotmail.com


2014


Regina Santos Portfolio