Page 1


EXPEDIENTE

REITOR Prof. Dr. Luiz Amaral PRÓ-REITORA DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO Profª. Dra. Amélia Soares COODENADOR DO CURSO DE RÁDIO, TV E INTERNET Prof. Dr. Bruno Tavares IDEALIZAÇÃO Prof. Dr. Bruno Tavares CAPA Prof. Dr. Bruno Tavares Gabriel Rodrigues CONTRACAPA Gabriel Rodrigues CRIAÇÃO E DIAGRAMAÇÃO Gabriel Rodrigues REVISÃO Prof. Dr. Bruno Tavares Leonardo Macedo REVISÃO DE CONTEÚDO Bruna Couto RESPONSÁVEL Prof. Dr. Bruno Tavares AGRADECIMENTO Leonardo Macedo Vitor Amorim Ygor Gabriel

De nerd para nerd, Digamos que você gostou muito de filme ou de uma série e quer falar para outras pessoas o que achou, compartilhar todos os momentos que prenderam a sua atenção ou contar sobre aquela referência que só você entendeu. Vamos escrever sobre isso? Tudo isso parece ir bem até você pegar seu notebook e não saber como tirar essas ideias de dentro da cabeça. O caminho da ideia até a escrita pode parecer complicado mas, no final das contas, é uma questão de técnica aliada a prática. Foi pensando nisso que o portal Pipocando Notícias em parceria com o curso de Rádio, TV e Internet da Universidade Cruzeiro do Sul, executou o projeto Pipocando Ideias. Um espaço voltado para o desenvolvimento e aperfeiçoamento de conteúdo digital. Os alunos do 4º e 5º semestres do curso tiveram oportunidade de usar o portal do Pipocando Notícias como um espaço para criação, desenvolvimento e publicação de resenhas e notícias de seus filmes e séries preferidos, além de treinar o olhar crítico e ampliar o repertório. Oportunidades como essa foram, e ainda são, muito importantes para mim até porque eu sempre enfrentei bloqueios criativos. Escrever é difícil, escrever bem é um desafio ainda maior que só se resolve praticando. O Pipocando me ajudou a exercitar isso e conseguir visibilidade para o meu trabalho. Li texto sendo reconhecido, li análises que faziam todo o sentido e que, de fato, precisavam ser compartilhadas, vi o esforço de quem sempre tentava fazer mais e melhor. Ou seja, funcionou! O site cresceu em sua média de acessos, passou a ter interação nas redes sociais e abriu espaço para colunas criada por alunos/redatores. Experiência que nos marcou e que esperamos que tenha sido tão recompensadora para quem fez parte dela, seja perdendo o medo de escrever, descobrindo novos filmes e séries ou até mesmo se descobrindo e se divertindo como crítico. A você que participou, desejo que esse tenha sido o começo de uma boa história. Bruna Coutt Pipocando Notícias


Exercitar a escrita e o pensamento crítico faz parte das habilidades e competências desenvolvidas ao longo da formação dos alunos do curso de Rádio, TV e Internet. No ano de 2018, a coordenação do curso de Rádio, TV e Internet, em parceria com o site Pipocando Notícias, propôs um desafio como atividade complementar ao desenvolvimento dos projetos acadêmicos das disciplinas para que os alunos do 5º e 6º semestres do campus São Miguel, turmas da manhã e da noite, exercitassem a escrita falando sobre algo que eles gostam muito: filmes e séries para TV. A ideia partiu radialista Bruna Couto, que se formou em 2016 na Universidade Cruzeiro do Sul e é uma das editoras do site Pipocando Notícias junto com o Rafael Silva. Os alunos deveriam falar sobre o que há de mais interessante nas telas, dos títulos clássicos e independentes, as últimas novidades do cinema, da televisão e das plataformas digitais. Os alunos tiveram a oportunidade de exercitar a escrita produzindo críticas sobre produções audiovisuais das quais eles gostaram, seja por ser um novo lançamento, ou por ser um filme ou série que mexeu com a memória afetiva. Não é fácil para aqueles que fazem parte da geração Y, que já nasceram conectados à internet pararem para refletir e registrar por meio da escrita o seu pensamento. Por essa razão, a edição número seis da Revista Código representa uma quebra de paradigma ao apresentar para novas possibilidades de escrita pelos alunos do curso de Rádio, TV e Internet. Os textos aqui editados e publicados foram originalmente postados no site www.pipocandonoticias.com.br. Antes de desejar uma boa leitura, gostaria de deixar registrado os meus agradecimentos aos parceiros do Pipocando Notícias, Bruna Couto e Rafael Silva, a todos os alunos que se engajaram e enviaram os seus textos, aos funcionários do Núcleo de Comunicação pela colaboração e, especialmente, ao Gabriel Rodrigues pela editoração e diagramação. Boa leitura. Prof. Dr. Bruno Tavares Coordenador do curso de Rádio, TV e Internet


Sumário Crítica

Filmes

6.

A Fafora do Cinema Nacional

30.

Uma Noite Estrelada: “Com amor, Van Gogh”

8.

Dunkirk e a sua Imersão Audiovisual

32.

O Som do Coração

12.

Pantera Negra: Representatividade Importa

34. Qual o seu Número?

14.

Perigo por Encomenda

36. A Vida é Bela

16.

O Minímo pra Viver

38. o Campeão

18.

Sobrenatural: A Última Chave

40. Obrigada por Tudo! Julie Newmar

20.

Trainsppoting

42. Blade Runner

22.

Call me by Your Name

44. filme da DC?

24.

A Análise Masculina de 50 Tons de Cinza

27.

Tudo que Quero

Senna: O Brasileiro, o Herói, Clássico: Para Wong Foo,

Liga da Justiça é o melhor

46.

Coco (Viva: A Vida é uma Festa)

48.

Farofa das boas: A Morte lhe Cai Bem


Listas 50.

O que aprendemos com Amélie Poulain!

52.

03 Filmes do Kubrick que você precisa assistir!

55.

Nárnia e o Cristianismo

58.

Séries 75.

Erased: A série japonesa da

77.

Grace and Frankie Medo e Superação

79.

Adeus The Originals, Alô Legacies!

05 Motivos para se apaixonar por “Gilmore Girls”

81.

La Casa de Papel x O Plano Perfeito

4 filmes sobre música que

83. Designated Survivor

60. você precisa ver! 62.

5X que a Dublagem Brasileira superou a Original

65.

03 Animações pra Ver e Rever!

66. Top 4: Mulheres no Cinema 68.

4 Grandes Filmes esnobados dos 4 últimos Oscars!

72.

06 Séries de Super-Heróis para ficar de olho

Netflix que você precisa assistir!

Vamos falar sobre política?

85.

Os contratempos de The Big Bang Theory

87.

Philip K. Dick’s Electric Dreams e a futurologia distopica de PKD

The Resident, nova série do

89. canal FOX

92. Chewing Gum 94.

A famosa e conturbada história de O.J Simpson


A FAROFA DO CINEMA NACIONAL Os Farofeiros Por Gabriel Rodrigues. É isso e mais um pouco! É rico, completo e como todo bom prato acompanha farofa! Isso é o que podemos dizer do novo sucesso da Globo Filmes, Os Farofeiros. Estrelado por “Paulinho Gogó”, o filme ‘Os Farofeiros’ está em exibição nos cinemas desde o dia 08 de março. Além de contar com Maurício Manfrini – mais conhecido por “Paulinho Gogó” – o filme também tem a presença de Cacau Protásio, Danielle Winits, Charles Paraventi, Antônio Fragoso e a maravilhosa Aline Riscado.

6

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Mas calma mulheres, o diretor também lembrou de colocar um agrado a vocês, o filme tem também o ator Felipe Roque, namorado de Aline. Os Farofeiros tem uma comédia bem simples, o que atrai o gosto popular e promete ser um sucesso de arrecadação no Brasil. Nota-se que uma das principais referências dele é o filme ‘Gente Grande’, uma comédia americana baseada também na ideia de colegas que levam suas famílias à uma casa velha para curtir o feriado, mas na verdade o que acontece é muita confusão! O ponto que mais me chamou atenção foi a crítica que o autor, Paulo Cursino, faz ao cinema nacional.

alert a spoil

er

Em Destaque, Aline Riscado e Felipe Roque. Fotos: Internet.

Em uma cena do filme, os atores principais foram ao cinema da cidade e ‘Renata’, interpretada por Danielle Winits, diz enquanto eles viam um filme de comédia nacional: “Nossa, mas por que comédia no Brasil tem que ser tão apelativo? Filme brasileiro só presta quando tem putaria e palavrão”. Algumas pessoas não notaram, mas na verdade o que ‘Renata’ disse é na verdade o pensamento de boa parte dos brasileiros e gringos mundo afora! Muitas pessoas acreditam que o nosso cinema é isso, espaço para filmes como Tropa de Elite, Cidade de Deus ou então uma comédia apelativa– entre outros sucessos que abordam estes mesmos temas. O fato é que isso só acontece por conta da pouca divulgação de outros filmes nacionais de vários outros gêneros além do Favela Movie . Tá na hora da gente sair do estágio do desconhecimento e abraçar novos gêneros que ganham um público ao redor do mundo. Estes, você pode conferir na Mostra de Longas Premiados, realizada pelo Itaú Cultural. São filmes como Como Nossos Pais, As Duas Irenes, Pela Janela e muitos outros que farão você repensar o que é o cinema nacional e o que ele representa. Entretanto, voltando ao foco desta discussão, Os Farofeiros é ótimo, leve e super divertido. Cinema nacional é isso e MUITO MAIS. E nesse banquete, jamais dispensaremos uma boa farofa. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

7


Dunkirk e a sua Imersão Audiovisual Por Alexandre de Oliveira

Dunkirk aposta em uma imersão total do telespectador no ambiente de guerra. Christopher Nolan, um dos grandes diretores da geração pela qualidade em seus filmes como a Trilogia Batman e Interestelar. Em Dunkirk ele retrata a “Operação Dínamo“, uma evacuação de quase 400 mil soldados da cidade francesa de Dunquerque. Cercados e sofrendo fortes bombardeios de aviões da Alemanha, o diretor faz questão de ambientar está situação com perfeição.

A Narrativa do Filme Nolan gosta de trabalhar com retrata Dunkirk por meio de intervalos temporais intercalados entre si com três perspectivas diferentes:

8

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

Soldado Gibson.


Terra

Mar

Tudo em terra firme, se passa no período de uma semana. O ambiente é intenso, os soldados britânicos, franceses e belgas não tem pra onde correr, cercados pelo ar e por terra. O filme apresenta os personagens mas sem se aprofundar emocionalmente falando, esta primeira vertente gira em torno de um grupo de soldados tentando sobreviver. Os aviões, aparecem bem pouco visualmente, porém de maneira grandiosa. Impactando todos os soldados devido ao silencio que antecede o barulho gigante dos inimigos no ar.

Todos os acontecimentos são no período de uma semana, todos os barcos britânicos são convocados para realizar o resgate dos soldados. Esta perspectiva segue um barco com três personagens, o Sr. Dawson , seu filho e um amigo dele que gostaria de ser algo mais em meio a guerra. É a narrativa que mais tem diálogos, mas que também trás a carga dramática que o filme carrega.

Um dos momentos em que o silêncio antecede o caos vivido pelos soldados / Foto: Internet.

Ar Comandante Bolton. Comandante da marinha da Inglaterra.

Chegamos ao período mais curto que se passa em uma hora na história do filme, relata a trajetória de três pilotos da força área real britânica, com o objetivo de ir da Dunquerque, eliminar os caças inimigos e retornar ao Reino Unido antes que o combustível acabe. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

9


Dunkirk “funciona” como filme de guerra? O filme segue uma linha de preservar o silêncio e a calmaria antes de cada cena de ação, pois todas as vezes o telespectador é surpreendido. A exemplo das cenas em terra, um silencio predomina por alguns segundos,seguido de um ruído ensurdecedor simbolizando o inimigo. As bombas atingindo os soldados, outros se abaixando sem ter onde se esconder, é tenso, imersivo e genial. A narrativa em três atos intercalados confunde, mas nada que atrapalha as cenas, de ação ou andamento. A trilha sonora impecável de Hans Zimmer contribui para o ambiente, sobe o tom na maneira certa, com músicas que contribuem com a imersão. A fotografia é ótima e lembra bastantes os filmes antigos que retratavam guerras.

Cena do Filme Dunkirk. Foto: Internet.

10

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Pra Concluir

No clássico O Resgate do Soldado Ryan você se apega aos personagens que fazem de tudo para que sua missão seja cumprida. O apego do publico com os personagens é o que faltou a Dunkirk. Por mais que tenhamos atuações decentes, o roteiro escrito por Nolan não faz questão de apresentar os personagens. Isto impede que o publico “comprem” a ideia e a motivação de cada um. Fica explicito apenas a situação de que são soldados cercados em um litoral, tentando retornar para suas casas, em meio a bombardeios. Isto pode afetar algumas pessoas que queriam ver em novamente um resgate de um soldado, algo emotivo. Por exemplo, ver o filme em casa pode perder totalmente a graça, pois a maneira como a história é contada não é memorável.

Dunkirk ultrapassou 500 Milhões de Dólares arrecadados, virando filme de guerra mais lucrativo de todos. Teve 8 indicações ao Oscar vencendo nas categorias de Melhor Edição, Edição de Som e Mixagem de Som. Nolan teve sua primeira indicação a melhor diretor, mas não levou apesar de merecer. Os melhores filmes de guerra, tem um romance, clichê, mocinhos contra os vilões, Dunkirk foge disso. Justamente o que faltou para o filme ter uma certa aclamação por parte do publico foi o famoso clichê. Tudo é uma questão de opinião, e o filme merece ser assistido por todos exatamente por fugir do convencional, pela experiencia.

Da esquerda para a direita Harry Styles como Alex, Mark Rylance como Sr. Dawson e Tom Hardy como Farrier, personagens da “Terra,Mar e Ar” respectivamente. Fotos: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

11


Pantera Negra: Representatividade Importa! Por Guilherme Cruz

Pantera Negra, um super-herói muito além das telonas do cinema. Pantera Negra é um sucesso! Mas por qual motivo? O cinema está recheado de super-heróis, cada qual com sua história e peculiaridade, esse mundo imaginário muitas vezes se funde com a realidade. Marcou e continua marcando a vida de muitas gerações, poderíamos até dizer que no cinema temos heróis que agradem todos os públicos. Mas será que temos mesmo?! O sucesso avassalador do Pantera Negra, filme dirigido por Ryan Coogler, conquistou a marca de 05º maior bilheteria de estreia da história dos EUA, um grande marco para o gênero de filmes de super-heróis. Transcende a produção audiovisual e representa um grande avanço no que se diz respeito a representatividade negra nesse mundo. A indústria cultural, tanto no plano nacional quanto no plano internacional, insiste em estereotipar a imagem do negro de forma negativa, e em 2018 nos deparamos com uma obra de grande impacto cultural e social, que retrata o negro de uma forma totalmente diferente do que estamos acostumados a ver. Podemos imaginar os jovens adolescentes negros ou até mesmo crianças em processo de formação de identidade, que carregam um estereótipo que o mundo impõe, e de repente se enxergam em uma grande produção dessa. Isso recaí como um afago e uma luz que incentiva uma raça que está cansada de sofrer. 12

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


E falando sério, representatividade importa!

Quando o personagem Pantera Negra surgiu nas histórias em quadrinhos, ele já chegou derrotando sozinho o Quarteto Fantástico, esse cara é o cara! Em 1966, quando a luta pelos direitos civis mobilizava a população negra, em meio a uma gigante tensão racial a Marvel lançava em quadrinhos o primeiro super-herói negro, que não era parceiro de nenhum herói branco e agia sem ter que depender de ninguém. Pouco tempo depois surgiu nos EUA o Partido dos Panteras Negras, organização negra que foi criada para combater a opressão branca e a truculência policial. Existe uma grande sinergia entre o mundo real e o imaginário. E finalmente, depois de muitos anos de espera, temos uma produção de grande orçamento estrelada por um super-herói negro, dirigida por um negro, e com um elenco e membros da equipe em sua grande maioria negros.

Um filme histórico que tem um significado cultural próprio, desde a sonoridade formada quase em sua totalidade por percussão de tambores africanos e cantos tribais, até a forma simples que conta como o continente Africano, berço da humanidade, se tornou um símbolo de miséria e sofrimento, quem ainda não assistiu, vale muito a pena! Que possamos ter mais produções que invertam a triste lógica imposta pela história, não apenas com a categoria negra. Muitas vezes o mundo audiovisual reafirma todo o tipo de racismo e descriminação que vimos na sociedade e Pantera Negra, com todo o sucesso, vai na contramão disso. É um motivo de orgulho para todos nós, leva ao grande publico a importante mensagem de que ninguém pode delimitar o espaço de ninguém, seja a frente das câmeras ou por trás delas. E antes que eu me esqueça, se você ainda não foi assistir, corra!

Wakanda Forever Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

13


PERIGO POR ENCOMENDA! Por Hugo Viana.

O Desafio da entrega. O Longa Perigo por Encomenda, produzido em 2012, dirigido por David Koepp, trás uma história de entregadores de correspondência confidencial. Se passa em Nova York e trás a eletrizante entrega destas encomendas, principalmente sendo feitas por ciclistas. A cada pedido uma história completamente diferente. A cada viagem um obstáculo atrás do outro. A cada hora um desafio mais difícil que o outro. Mostrando uma história mais do que incrível. Toda esta busca por eficiência em suas entregas, sugere uma história melhor que a outra. O Entregador Wille(Joseph Gordon-Levitt), pega uma encomenda nada comum de Nima(Jamie Chung), um recibo que vale muito dinheiro. No filme a aventura descrita como uma super perseguição, mostra perigos cotidianos que qualquer ciclista do mundo pode enfrentar. O policial Bobby Monday(Michael Shannon) a troco de pagar sua divida com jogo tenta pegar pacificamente o recibo(a encomenda) do entregador, não conseguindo começa uma perseguição simples e enfadonha. Em Todos os momentos deste filme da impressão que os atos de maior adrenalina são provocados pelo policial Bobby ou por outro policial que de bicicleta também persegue Wille. As Arriscadas manobras que o entregador tem que fazer são feitas pelo simples motivo dele ter que pensar rápido para poder ultrapassar um cruzamento por exemplo. A história se torna mais apática quando o entregador desiste da entrega e a partir dai tira toda sua vontade completar a sua missão. 14

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


O longa começa apenas ter emoção a partir do momento que o entregador Wille esta dentro das dependências da policia e tenta fugir. Sabendo que o conteúdo de sua entrega pode trazer a família de Nima ilegalmente ao EUA, o único jeito deles se unirem novamente. Toda Perseguição dos policial e de Bobby se resulta em sua própria morte, por uma divida que estava querendo pagar. O Filme Perigo por Encomenda trás de forma simples podendo enfatizar mais uma perseguição que poderia cativar assim, como no trailer aos espectadores. Não deixe de assistir!

SINOPSE Wilee (Joseph Gordon-Lewitt) adora pedalar e ganha a vida como entregador pelas ruas de Nova York. Acostumado ao stress e aos perigos da profissão, ele só não imaginava que uma nova encomenda, daquelas com prazo curto para ser entregue, seria alvo da cobiça de um policial corrupto (Michael Shannon). Agora, cumprir a missão tornou-se mais do que uma questão de tempo, pois virou um caso de vida ou morte.

Cena do Filme O Desafio da Entrega. Foto: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

15


O MÍNIMO PARA VIVER! Por Karol Alves.

No mínimo, uma conscientização. Alvo de muitas críticas negativas, o filme “O Minimo Para Viver” (To The Bone) de Marti Noxon, traz a tona um assunto bastante delicado: a anorexia. O filme conta sobre uma garota, Ellen (Lily Collins), de 20 anos que luta contra seu próprio corpo com a obsessão de contar cada caloria de toda comida que se coloca diante a ela. Lily Collins não hesitou em perder alguns quilos para mergulhar de cabeça em sua personagem.

Com intenção de ajudá-la, sua família a coloca em uma clínica de reabilitação. Apesar de tanto relutar acreditando que não há nada de errado com ela, Ellen então começa sua jornada em busca de sua autodescoberta após aceitar a proposta da família. Ellen recebe ajuda do Dr. Willian Beckham (Keanu Reeves), que opta em meios não convencionais para ajudar seus pacientes. A clínica abriga adolescentes com problemas semelhantes ao de Ellen, porém vivendo fases completamente diferentes. Em meio a tantas histórias que existem dentro da clínica, Ellen cria um forte vínculo com Luke (Alex Sharp), recebendo seu apoio para enfrentar os desafios que ela passará durante o tratamento.

16

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


A arte imitando a vida

Cenas do Filme O Mínimo Para Viver 2017 Imagens: Internet.

O filme retrata uma realidade no qual infelizmente está muito presente na vida de algumas pessoas. Nele é mostrado desafios no qual um adolescente com anorexia enfrenta, sejam eles problemas de saúde ou a dificuldade de reconhecer os males que refletem não só nele mesmo, mas também em quem ele convive.

Cena do Filme O Mínimo Para Viver 2017 Imagem: Internet.

O tema é tratado de uma forma delicada e ao mesmo tempo realista. A preocupação de mostrar as consequências detalhadamente causa a sensibilidade que o espectador tanto precisa para criar empatia, e também, se aprofundar mais ainda sobre o tema que acaba se escondendo em meio a tantos problemas sociais que são destacados nos dias de hoje, porém o filme não foge do assunto quando se trata de padrões impostas pela sociedade. O filme é original da Netflix e se encontra disponível para assistir na plataforma. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

17


Sobrenatural: A Última Chave | Vale a pena? Por Lucas Amorim.

Sobrenatural é terror de verdade! Olá, fãs de terror! Hoje vou dar algumas de minhas impressões sobre o filme Sobrenatural: A Última Chave. Como um exime fã de terror eu fui ver o filme diretamente no cinema e sendo cético sei bem o quanto é difícil achar um filme de terror decente, porém mesmo com as ewxpectativas lá embaixo, o filme foi tudo aquilo que considero bom. A protagonista Elise Rainier (Lin Shaye) tem o seu passado contado em alguns pontos durante a trama mais especificamente no começo mostrando toda suas dificuldades principalmente por conta pai completamente “mente fechada” e até agressivo em alguns momentos. Isso deixa você muito mais próximo da personagem principalmente se você já teve alguma experiência com o sobrenatural. Cena do Filme Sobrenatural: A Última Chave. Imagem: Internet.

18

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Altos e baixos da trama

Cena do Filme Sobrenatural: A Última Chave. Imagem: Internet.

Em diversos momentos a trama se molda para aquele famoso “momento de tensão” que ocorre normalmente antes dos sustos, porém quando o susto vem nessa obra (na maioria dos casos) acaba sendo algo completamente inesperado, esses “momentos de tensão” são quebrados com um humor genial colocado sobre os personagens Specs e Tucker, isso deixa o desenrolar da história muito mais fluido sem que fique algo forçado na hora dos sustos.

Claro que não tem apenas aspectos positivos no filme, em alguns momentos a relação entre os personagens fica um tanto artificial, como por exemplo: a relação das irmãs Imogen e Melissa (Caitlin Gerard e Spencer Locke) com Specs e Tucker acaba crescendo muito rápido tirando um pouco do foco da história principal. Entretanto os outros motivos para as coisas acontecerem não foram forçados, deixando o enredo rico em reviravoltas, principalmente tratandose da “criatura” que está causando todo o mal naquela casa. Todos esses aspectos tornam Sobrenatural um excelente filme de terror [caso queiram assistir ou recomendar para alguém].

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

Cena do Filme Sobrenatural: A Última Chave. Imagem: Internet.

19


TRAINS potting Por Lucas Nogueirão.

Trainspotting – Sem Limites (1996) O filme Trainsppoting gira em torno da vida de Renton (Ewan McGregor), um jovem escocês que desde cedo se entrega as drogas. Criando um paralelo de um viciado sem expectativa com a sociedade padrão. Aquele que tem um emprego, casa, carros, filhos ou um drogado que não tem controle nenhum sobre seus atos. Ewan McGregor, consegue mostrar que é um excelente ator, mostrando um misto de emoções que seu personagem sente, às vezes parece ter total controle de sua vida, às vezes só deixando a maré levar. Mostrando o contrário do que ele tenta passar com sua libertação através das drogas, mostrando que com o uso só o faz entrar em uma prisão física e psicológica. Cena do Filme Trainspotting (1996). Imagem: Internet.

20

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Sobre o roteiro: Com a voz off que interage com o público ao longo do filme, mostra que Renton não serve para esse tipo de realidade convencional, entendemos que ele não quer essa mesmice, desse sistema tão padronizado que vivemos, buscando viver a vida e não apenas existir, isso nos deixa mais próximos do protagonista. Essa voz que vem de fora atua juntamente com a diegética do roteiro, ajudando a construir a cena e não explicar aquilo que está acontecendo. Um outro ponto positivo que o diretor (Danny Boyle) consegue prender as pessoas, é sua precisão com planos fechados e abertos, conseguindo nos colocar dentro da cabeça de seu personagem principal. Boyle consegue desconstruir tudo aquilo que ele cria no começo do filme, no decorrer da história, o lado sombrio vai aparecendo em alguns pontos, para depois mostrar apenas os aspectos ruins da vida nas drogas. O texto traz a transmissão de pensamento do personagem, até que Renton consegue se afastar do vício e começo uma vida “normal”, trabalhando como um agente imobiliário. No fim, temos que nos adaptar com um novo personagem, mudando um pouco o ritmo do filme, mas não tirando nossa atenção para o final.

Cena do Filme Trainspotting (1996). Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

21


Call Me By Your Name Por Paulo Lopes.

A descoberta da sexualidade em Call Me By Your Name Através dos anos, a comunidade LGBT tem ganhado destaque em histórias e debates. O mesmo acontece no cinema, em filmes premiados. Como por exemplo: O Segredo de Brokeback Mountain e Moonlight Sob a Luz do Luar. No ultimo Oscar, nós tivemos como vencedor de Melhor Roteiro Adaptado o filme Call Me By Your Name. Em português Me Chame Pelo Seu Nome. Escrito por James Ivory, dirigido por Luca Guadagnino e adaptado da obra de André Aciman. O filme retrata a história de Elio Perlman. Um adolescente descobrindo sua sexualidade através de um romance secreto com Oliver. Assistente de trabalho de seu pai, na Itália dos anos 80. Roteiro, direção, trilha sonora é impecável. Mas o que faz o filme valer a pena, não é o conjunto da obra. Não me leve a mal, todo o filme é muito bem feito. Mas são os pequenos detalhes que acontecem durante a história e que poucas pessoas percebem, que faz do filme uma obra digna de análise. Call Me By Your Name é um filme que fala da descoberta do amor, da sexualidade, e foca no sofrimento de ser gay em um mundo muito preconceituoso. Até ai você deve questionar o fato de todo filme com essa temática é assim. Mas acredite, não é um filme clichê! Justamente por se tratar de um sofrimento interno do personagem e não necessariamente do que ele ouve das pessoas próximas sobre ser gay. 22

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Logo no começo do filme, Elio e Oliver se conhecem, mas o romance dos dois demora para engatar, começando só na metade do filme. É perceptível como Oliver dá sinais de interesse em Elio, e como Elio tem medo do que está sentindo. Na frente de outras pessoas, Elio se comporta de um jeito, e sozinho, ele se entrega aos seus desejos. Como por exemplo, na cena em que Oliver se oferece para fazer uma massagem em Elio, na frente de todo mundo, e Elio recusa por vergonha. Mas dias depois, Elio invade o quarto de Oliver, onde ele imagina os dois juntos, quando ninguém está por perto. Quando os dois estão cientes do que sentem um pelo outro, ambos se entregam ao amor, mas o medo continua ali. Os pais de Elio recebem um casal homossexual em sua casa, e ao se despedir deles em uma cena, e ele faz questão de beijar uma garota (com quem insiste em ter relações sexuais por pressão de si mesmo) na frente dos dois, tentando afirmar sua sexualidade. Mais tarde, ao receber um presente dos dois (uma roupa), ele prefere vestir outra, deixando subentendido que é pela orientação sexual do casal. Outra hora, escondido, ele tem sua primeira noite de amor com Oliver, mostrando a dualidade do que você realmente sente e o que a sociedade espera que você seja. A grande surpresa do final, é a conversa que Elio tem com o seu pai, onde o inesperado acontece. Não há preconceito da parte do pai, não há julgamento, apenas compreensão do que o amor realmente é: simples e puro. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

23


Cinquenta Tons de Cinza Análise Masculina Por Raul Silva.

Quando a literatura erótica contemporânea chegou às telonas.

Em fevereiro de 2015 estreava Cinquenta Tons de Cinza, filme baseado num best-seller homônimo da autora britânica E. L. James. Neste, Anastacia Steele (Dakota Johnson), uma jovem estudante universitária, se envolve num relacionamento sadomasoquista com o jovem magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Atualmente, a fórmula dos livros de contos eróticos para o público feminino é típica. Porém não são todos que se atrevem a ir para o cinema e conseguem gerar uma receita de mais de US$ 570 milhões. A conversa aqui não é saber se o livro é melhor que o filme, se a diretora Sam Taylor Wood, fez uma boa adaptação ou não, etc. Vou comentar o filme por si só, bem como um ponto de vista masculino em relação a tudo isso. 24

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Mais um filme de sexo? Na época do lançamento a crítica americana falava que o “filme era melhor que o livro”, o que é algo que não acontece todos os dias. Acredito que isso tenha a ver com o fato de que fazia muito tempo desde que algum filme de estúdio tivesse olhado para o sexo de maneira tão direta. Mas ele ainda considera a importância da trama, o que torna tudo mais envolvente. Como dito, a fórmula é típica, meio clichê. Depois do sucesso do livro, outros autores se apressaram para publicar obras semelhantes (Sylvia Day, com Crossfire, Megan Maxwell com a série Peça-me o que quiser, entre outros).

Nenhum destes chamou tanto público a ponto de ter seu filme quanto este pioneiro do romance erótico contemporâneo. É difícil dizer se isso é uma pena ou não, porque, ler sexo, para o público masculino, em geral, é muito chato. São páginas e páginas descrevendo todos os movimentos dos personagens. Isso estimula a imaginação feminina, mas faz os homens se perguntarem quando vai acabar a enrolação pra a trama continuar ou simplesmente pularem as páginas. (sim, eu li pra saber, e também li Peçame o que quiser)

Cena do Filme 50 Tons de Cinza. Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

25


E QUANTO À ATUAÇÃO? Livros à parte, o Cinquenta Tons de Cinza captura bem a essência dos personagens. É perceptível a sutileza nas mudanças de comportamento de Christian, por exemplo, do início do filme, onde diz que “exerce poder sobre todas as coisas”. Também no final, quando pune Anastasia com um cinto, mas sente e transmite o pesar disso até sua última frase para ela. Mas, detalhes à parte, vemos que boa parte do filme é uma alternância entre cenas de sexo e um envolvimento que, em certos momentos, parece forçado e um pouco artificial.

Ok, esse ponto não vou levar em conta, porque é o típico problema de fazer o livro caber no filme. Apesar disso, ele foi ainda sim melhor avaliado em relação à obra escrita, certamente, como já citado, devido à sua abordagem inovadora em relação ao sexo. Apesar de tudo, no contexto geral, valeu a pena a experiência e faz a gente, público masculino que não viu só o sexo, sentir vontade de ver a sua sequência, Cinquenta Tons Mais Escuros e, agora, Cinquenta Tons de Liberdade. 26

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


TUDO QUE QUERO

Por Alisson Cavalcante.

Um filme sobre amadurecimento sob a perspectiva de uma jovem com autismo. Chega um momento em nossa vida que devemos nos livrar de certas cordas em nossa vida. Essa é aquela hora em que partimos pra uma jornada própria, sob responsabilidade de ninguém, apenas nós mesmos. Essa é a hora da vida que devemos amadurecer, se tornar independentes e encará-la de frente. Em outras palavras, essa é a passagem da juventude para a vida adulta. É nesse período que também devemos provar para todos em nossa volta que estamos prontos. Agora, imagine tudo isso somado ao agravante de ter Autismo, um transtorno que prejudica a capacidade de se comunicar e interagir? Esse é o desafio da personagem protagonista de ‘Tudo que quero’ (Please stand by). Dirigido por Ben Lewin, ‘Tudo que quero’ narra a história de Wendy, uma garota de 28 que está prestes a encarar o maior desafio de sua vida. Ela é inteligente, adora dançar, além de ser amante de Star trek. Ao saber de um concurso em um programa de TV, Wendy pega seu cachorro e mais alguns trocados para ir em busca de seu objetivo: Entregar seu roteiro de Star Trek. Além disso, Ela também quer provar sua independência para sua irmã (Alice Eve). Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

27


O filme tem elementos de um bom drama familiar e um road-movie, além de ter bons momentos de humor. Wendy é uma personagem fácil de se conectar, e Dakota faz um bom trabalho. É uma garota que está a todo momento tentando se provar e ao mesmo tempo tem uma enorme insegurança. Além de ser profunda, Wendy é detentora de uma ingenuidade e inteligência que rendem boas risadas. Porém, o filme falha em tornar palpável suas poucas relações com amigos e família. Falamos sobre isso mais pra frente.

Cena do Filme Tudo Que Quero 2017 Imagem: Internet.

As relações de Wendy

Scottie (Toni Collete), é a psicóloga responsável por Wendy na casa especial para autistas em que ela mora. Toni é excelente, e sua personagem tem o papel de nos inserir dentro da mente da nossa protagonista, com diálogos que nos mostra como pessoas que estão no espectro autista se comportam e lidam com as adversidades. Esse é mais um acerto do roteiro, que nos deixa a par do transtorno de nossa protagonista sem diálogos muito expositivos. Porém, se o filme acerta no humor e em sua protagonista, ele acaba errando nas relações entre os personagens. Audrey (Alice Eve) é a personagem menos atrativa do filme, ela é responsável por fazer a contraparte de Scottie. Seu pouco conhecimento sobre o transtorno de sua irmã faz ela ter aquele preconceito bem presente na sociedade. Mas, ao tentar adicionar drama na relação das duas irmãs é onde o longa se perde. Audrey não te profundidade, ou seja, não conseguimos nos conectar com Cena do Filme Tudo Que Quero 2017 a personagem ou entender o que ela Imagem: Internet. sente.

28

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Fora isso, também temos uma tentativa falha de uma metáfora dentro do roteiro de Wendy sobre o relacionamento das duas. Aliás, o arco entre Scottie e seu filho também soa um pouco fora de lugar, servindo apenas para alguns momentos de humor. Wendy acaba se tornando a melhor coisa do filme. Dakota Fanning fez um trabalho competente que exigiu bastante de seu carisma e talento para a comédia. Muito pouco provável que o filme se torne exemplo de como lidar ou entender autistas. Mas acaba sendo uma história divertida, agradável de se ver e com uma mensagem sobre amadurecimento que serve principalmente para um público mais jovem. Tudo que quero tem ideias que não funcionam muito bem, mas as que funcionam conseguem entreter e fazer refletir.

Cena do Filme Tudo Que Quero 2017. Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

29


Uma noite estrelada: “Com amor, Van Gogh” foi a aposta para Melhor Animação do Oscar. Por Bianca Neves.

Um filme sobre amadurecimento sob a perspectiva de uma jovem com autismo. Primeiramente, esqueça os conceitos que você conheça sobre animação no cinema, prepare a sensibilidade e vá assistir “Com amor, Van Gogh”. Se você for um amante da arte e ainda por cima conhecer um pouco da vida e das obras do considerado pai da Arte Moderna, esse filme é pra você! Não é exagero dizer que se trata de uma obra prima. Após ter sido filmado com atores de verdade, cada frame, cerca de 65 mil, foi inteiramente pintado usando as mesmas técnicas que Van Gogh usava. Sim, frame por frame pintado á mão por mais de 100 pintores selecionados.

30

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Os diretores, Dorota Kobiela e Hugh Welchman, mergulharam no mundo de pinceladas fortes e cores características do artista de maneira tão intensa que o filme demorou 6 anos para chegar aos cinemas. Não é atoa que foi indicado ao Oscar de 2018 na categoria de Melhor Animação.

Uma dos mais de 100 artistas que pintaram os frames do filme. (Divulgação: 2017)

Com MUITO amor, Van Gogh!

Cena da Animação Com amor, Van Gogh. (Divulgação: 2017)

O filme de 01 hora e meia se passa depois de um ano da intrigante morte de Van Gogh, quando Armand Roulin, influenciado por seu pai, decide ir atrás da família do artista para entregar uma carta que devia ter sido entregue ao irmão, Theo. Nessa viagem, ele começa a descobrir detalhes da vida intensa e melancólica de Van Gogh. Roulin vai tão a fundo nos questionamentos sobre o artista que começa uma investigação para descobrir a possível causa de sua morte. Após o filme, é possível que, depois de ter se emocionado, reflexões surjam em sua mente, principalmente ao som de Starry Starry Night da cantora Lianne La Havas, trilha sonora do longa. A arte é forma de expressão do ser humano. Ás vezes, é a maneira mais singela de colocar pra fora todo o sentimento que há por dentro, assim feito por Van Gogh, que colocou sua alma em suas mais de 800 obras antes de morrer.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

31


O SOM DO CORAÇÃO Por Ingrid Anjos.

Aos apaixonados por instrumentos… Fugindo um pouco dos filmes atuais trago aqui um lindo drama/musical de 2007. “O som do coração” desperta as muitas emoções escondidas em nosso ser e faz derreter o coração dos amantes da música. O filme traz uma bela demonstração dos sentimentos que a música pode fazer aflorar tanto nas crianças quanto nos adultos. Sentimentos estes que podem se estender por gerações. Não raramente você encontrará um amigo que só ouve certa banda ou cantor porque os pais dele ouviam e o influenciaram. A obra enche os ouvidos dos apaixonados por instrumentos juntando o som de um violoncelo com uma guitarra, o que resulta em lindas canções na voz do ator e cantor Jonathan Rhys Meyers (músicas que inclusive você poderá encontrar no Youtube para baixar). Cena do Filme O Som do Coração. Imagem: Internet.

32

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Sinopse

Evan, um músico talentoso, foge do orfanato e vai a Nova York em busca de seus pais. Em sua procura, ele encontra Wizard, um sem-teto que vive em um teatro abandonado. Depois de descobrir seu talento, Wizard dá ao garoto o nome de August Rush e traça um plano para lucrar às custas dele. Evan não tem a menor ideia que seus pais, Lyla e Louis, também estão procurando por ele. Cena do Filme O Som do Coração. Imagem: Internet. Kirsten Sheridan. Diretora do Filme. Imagem: Internet.

O personagem principal é um garoto sensível ao som e a melodia, que enche os olhos de quem contempla o ator tocando um violão ou um piano com maestria. Não bastasse o pequeno Evan impressionar o telespectador sozinho, há ainda momentos no filme onde ele se junta à um coral que não deixa nada a desejar também – destaque aqui para a pequena Hope (Jamia Simone Nash) que tem uma voz indescritível. O filme é uma bela obra audiovisual e sonora que, aparentemente, não teve todo prestígio que merecia, mas que vale muitíssimo a pena ser contemplado e que marca corações. Inspirando aqueles que têm certos “medos” à viver seus sonhos e acreditar em si mesmos, dando ouvidos ao coração e ignorando os muitos “ruídos” do lado de fora. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

Cena do Filme O Som do Coração. Imagem: Internet.

33


“qual o seu número?”

Por Jean Carlos.

Afinal, “qual o seu número?” Engraçado, romântico e real, é como podemos classificar o longa “Qual o seu número?”. O filme conta de maneira engraçada um estereótipo real entre as mulheres. O tabu sobre a quantidade de parceiros sexuais, que pode afetar a reputação que ela tem em uma sociedade. Ally (Anna Farris) sente-se horrorizada ao ler numa revista que a média de parceiros sexuais de uma mulher gira em torno de 10 durante a vida. Segundo o artigo, mulheres que já tiveram mais de 20 parceiros sexuais têm mais dificuldades para casar. Por ter tido 19 parceiros, Ally se vê desesperada para encontrar o cara com quem irá se casar. É então que sua jornada começa. Entre uma mãe divorciada e o casamento de sua irmã Daise (Ari Graynor), Ally inicia uma busca aos seus antigos namorados, no intuito de fazer com que um deles (ainda) seja o cara certo. Com a ajuda do vizinho mulherengo Colin (Chris Evans), ela consegue encontrar seus ex-namorados, mas para sua surpresa (ou não), nenhum deles é o cara que ela gostaria que fosse. Tentativa após tentativa, Ally se vê com menos opções a cada encontro desastroso. Em compensação, Colin se vê cada vez mais apaixonado por Ally.

34

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Cena do Filme Qual seu Número. Imagem: Internet.

É impossível não amar o filme! Ele confronta o estigma da mulher ter um alto número de parceiros sexuais, o que nos leva a pensar na sociedade machista em que (ainda) vivemos. Além disso, nos faz pensar sobre o amor de fato. Puro, simples, sincero. Parece bobo e insignificante, mas para quem possui “inteligência sensitiva”, o filme acerta em cheio o coração dos apaixonados. Afinal, somamos mais de sete bilhões de pessoas. Pode ser clichê, mas quem disse que não pode acontecer?

Sinopse Ally lê em uma revista que mulheres que já tiveram mais de vinte parceiros não conseguem casar. Desesperada, ela decide procurar seus ex-namorados na esperança de firmar o verdadeiro amor.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

35


a vida é bela Por Kevin Werder.

A Vida é Bela e o filme também! O filme A Vida é Bela, mostra a difícil tarefa de um pai que basicamente fará seu filho não enxergue a maldade vivida ao seu redor durante o holocausto na segunda guerra mundial (1939- 1945). Basicamente o filme é divido em duas partes: Vida simples e alegre no começo do filme e ao decorrer mostra o lado dos campos de concentração. Em Toscana, Itália, (Roberto Benigni) interpreta Guido, um judeu simpático e criativo que recentemente chega a cidade. Novo na cidade de Toscana, Guido conhece a professora Dora (Nicoletta Braschi) e por ela se apaixona, porém, Dora, está prestes a se casar com funcionário da cidade. Por ser bastante obstinado e criativo, Guido não mede esforços para ficar próximo à Dora e tentar conquistá-la. Posteriormente Guido, acaba conquistando o coração de Dora, e um filho nasce desta relação, o pequeno Giosuè (Giorgio Cantarini). Ao decorrer da trama percebemos que muitos judeus não têm permissão de entrar em alguns comércios da cidade, os direitos e acessos aos judeus são limitados e progressivos. Guido é dono de uma pequena livraria, e até certo momento vive uma vida tranquila e alegre com sua família. Certo dia militares adentram em sua loja e acabam levando Guido e seu filho Giosuè para um campo de concentração nazista. 36

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Pra se emocionar do começo ao fim Guido, não quer que seu filho perceba o inferno que ocorre no naquele campo de concentração, sendo assim inventa uma espécie de jogo, uma fantasia da qual Giosuè acredita estar passando. As regras eram claras: O Primeiro a fazer mil pontos ganharia um tanque de guerra e sairia como vencedor daquele jogo. Prontamente, seu filho acreditou em seu pai e de forma muitas vezes não tão disciplinar, obedecia às “regras” impostas daquele fantasioso jogo. Enquanto seu pai era obrigado a trabalhar para os nazistas, Giosuè tinha como ” tarefa” se esconder e assegurar uma possível pontuação, mas na verdade a ideia de seu pai era que Giosuè não fosse notado por nenhum guarda do campo de concentração, pois todas as crianças judias que ali estavam foram mortas de forma brutal. Posso assegurar que até o final do filme o principal propósito de Guido, que era esconder o terror à Giosué, foi totalmente bem-sucedido. A Vida é Bela, ganhou três prêmios Oscar e não à toa: Melhor filme estrangeiro, melhor ator protagonista e melhor trilha sonora.

Cenas do Filme A Vida é Bela. Imagens: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

37


SENNA

O BRASILEIRO, o HERÓI, o campeão Por Marcos Aguiar.

O Herói As interações ocorrem em sincronia com o vídeo do filme, utilizando apenas o recurso da voz do entrevistado.(diferente dos entrevistado sentado falando em frente as câmeras, vemos o que realmente importa: Ayrton Senna) Para isso foi disponibilizado um grande acervo da família Senna e da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e das emissores do mundo inteiro que possuíam os direitos de transmissão dos torneios um na época. O DOC retrata desde sua infância, onde Ayrton era uma criança extremamente dedicada na escola para não precisar estudar em casa e, assim, ter tempo para brincar, até o fatídico dia 01 de maio de 1994 em Imola na curva Tamburello. Alguns entrevistados relataram que o herói estava um tanto quanto “pensativo” no fim de semana de sua última corrida. E outros momentos históricos como sua primeira competição internacional de kart ou sua primeira vitória em Interlagos de maneira heróica, com o carro quebrado e limitado na sexta marcha.

38

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


O Brasileiro O documentário que conta a marcante historia do grande campeão e herói brasileiro Ayrton Senna da Silva. Conta com a direção de Asif Kapadia, roteirização de Manish Pandey e um bom elenco com interações extremamente dinâmicas e fora do comum em relação a grande parte de documentários.

Em Destaque: Ayrton Senna. Imagem: Internet.

O Campeão O documentário tem a proposta de apresentar Senna também como o ser humano e não apenas o piloto. E o nascimento da ideia de Senna em abrir o seu instituto, esta que foi levada adiante por sua irmã Viviane após a sua morte. O filme consegue unir o ser humano Ayrton ao piloto Senna. Além de emocionar o público em geral, lembrando das manhãs alegres de domingo. Senna foi simplesmente Senna! Um gênio incomparável dentro das pistas e um ser humano de personalidade única que cativou todo Brasil e entrou para sempre no coração de todo o mundo.

Cena do Filme Senna - O Brasileiro, o Herói, o Campeão. Imagem: Internet. McLaren MP4/4 de Ayrton Senna Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

39


Clássico: Para Wong Foo, Obrigada por Tudo! Julie Newmar Por Mariana Almeida.

Para Wong Foo, não é só glamour é reinventar as pessoas e seus conceitos. O filme Para Wong Foo, Obrigada por Tudo! Julie Newmar, é um clássico dos anos 90. É umas comédia que conta com grandes atores como Patrick Swayze (Miss Vida), Wesley Snipes (Miss Noxeema Jacksin) e John Leguizamo (Miss Chi Chi Rodriguez). Só de saber quem são os atores principais, aguça o desejo de vê los fora de suas zonas de conforto.Vida e Noxeema venceram uma disputa em New York que dá carta branca para o concurso “Drag Queen of America” em Los Angeles. Cena do Filme Para Wong Foo, obrigada por tudo! Julie Newmar(1995). Imagem: Internet.

40

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Rumo ao concurso, elas se deparam com Chi Chi aos prantos por não ter vencido a disputa e decidem levá-la com elas. No caminho um imprevisto com o carro das meninas, ele quebra e elas se deparam com a cidadizinha de Snydersville. Nessa cidade que acontecerá boa parte da trama. Uma cidade bem no interior. Lá elas dominam todo o glamour, brilho e agilidade, para auxiliar o que acontecem em cada família daquele lugar tão pacato e sem direcionamento e novos horizontes. Para Wong Foo, é um filme tão atual quanto aos de hoje, são abordados temas polêmicos e que hoje ainda sofremos com isso, destaca a violência doméstica, xenofobia, homofobia, preconceito e afins de uma forma sútil e delicada. Vale a pena sair do esteriótipo e se jogar nessa história.

Cenas do Filme Para Wong Foo, obrigada por tudo! Julie Newmar(1995). Imagens: Internet.

Quebre o Tabu!

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

41


BLADE RUNNER Por Marx Mendes.

CinePoesia. Blade Runner é um filme de ficção cientifica, original de 1982. Foi dirigido por Ridley Scott e estrelado por Harrison Ford. O roteiro, escrito por Hampton Fancher e David Peoples, é vagamente baseado no romance de Philip K. Dick, “Androides sonham com ovelhas elétricas?” A magia de Blade Runner não está apenas no que é mostrado na tela. Mas também, no conteúdo das entrelinhas. O filme de Ridley Scott narra a trajetória de um caçador de recompensas, que se apaixona pelo o que deveria caçar. Uma androide. A terra já não é mais a mesma, poluição e radiação estão presentes na superfície desde a grande guerra. As chuvas são ácidas, e os humanos remanescentes, ou os que não tinham dinheiro pra sair da terra. Sobrevivem em meio ao caos completo. Sofrem com criminalidade e com a ameaça de infinidades de fatores externos. Deckard (Harrison Ford), é o caçador de recompensas, e tudo que ele considerava certo, ou as noções do bem e do mal, são viradas por completo de ponta cabeça. Tudo começa quando um Bladerunner é assassinado por um Andy (Android). Os caçadores trabalham para a polícia, e só conseguem distinguir um humano de um androide através de um teste de empatia. aplicado pela maquina de Voight-Kampff Ao se depararem com o novo tipo de Androide, intitulados de nexus 6. A entropia começa. 42

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Indagado pela corporação Tyrell, criadora dos androids, Deckard aplica o teste em Rachel, para que pudesse testar se o teste identificava Andys de Nexus 6. Identificando, Rachel não sabia que era Androide, então descobre que tudo que ela acreditava ser sua vida, eram apenas memórias sintéticas. Ao cair na bolha existencial, acaba se envolvendo amorosamente com Rick Deckard.

RICK

Cena do Filme Blade Runner(1982). Imagem: Internet.

Ao perseguir os androides fugitivos, acaba entrando na mesma bolha. Afinal, o que os torna diferente se todos são capazes de sentir. A poesia está no pensamento dos seres, tanto os androides como os humanos, os diálogos são geniais e a sensação após o filme é de que não sabemos o que realmente nos torna humanos. Ou se em um futuro, haverá uma linha tênue que separe isso. Independente disso, sabemos que todos os nossos momentos no universo serão perdidos no tempo como lágrimas na chuva.

Em Destaque: Rick Deckard. Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

43


Liga da Justiça é o melhor filme da DC? Por Raphael Barros.

O que você esperava de Liga da Justiça? A Liga da Justiça é o primeiro filme da Warner a reunir os maiores nomes DC Comics. Batman vs Surperman: A Origem da Justiça iniciou a formação da superequipe, que se uni em prol da humanidade, como os quadrinhos publicados á 60 anos. O longa representa a mudança drástico caminho trilhado pela parceria Warner/ DC nos cinemas. Enquanto o roteiro tenta lidar com as consequências das guerras dos filmes anteriores, a equipe protagonista não está em sintonia com a gravidade dos acontecimentos. Culpa e depressão rodeiam os conflitos de Batman e Ciborgue, mas o que ganha mais atenção são as piadas e o descompromisso de Flash, Aquaman e (quem diria) do próprio Batman.

44

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


O contexto do filme em si é bom, mas tem alguns erros e pontos que podia ser melhor. Na minha opinião, poderiam ter feito pelo menos o filme de cada um desses heróis para que entendêssemos a origem de cada um deles, pois seria mais interessante para os viciados na saga de heróis. Os heróis de Liga da Justiça salvam o filme, ao lado do Superman, que pela primeira vez é retratado da forma clássica – um símbolo de esperança e poder.

Em destaque: Zack Snyder. Diretor do Filme. Imagem: Internet.

Onde há Superman, há esperança!

A DC podia ter feito uma imagem melhor, pois há muitos erros de imagens e uma imagem de péssima qualidade. Podemos ver quando aparece Lobo da Estepe, um dos vilões, a imagem dele ruim demais, o diretor parece não estar lá para evitar péssimos momentos de computação gráfica (remoção do bigode de Cavill) e outros de gosto duvidoso (construção do Lobo). Enfim o filme é bom mais podia ser melhor, mas creio que a DC vai evoluir nos próximos filmes e desbancar a Marvel que, no caso hoje, supera todas as expectativas em questão de produções dos seus filmes e séries de super-heróis. Liga da Justiça traz algo positivo para o futuro da DC nos cinema: o Superman. Se a primeira aventura da Liga não é memorável, ao menos ela serve para recuperar o primeiro dos super-heróis. Sim, há esperança.

Em destaque: Superman. Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

45


Coco (Viva: A Vida é uma Festa). Por Thales Willian.

A música sempre irá nos acompanhar! O filme Coco mostra a beleza e o impacto que a música faz em nosso interior, aguçando nosso sentimento, fazendo-nos acompanhar a história até o final da trama. Originalmente a maioria dos filmes da Disney nos expressa um final feliz em meio a vida. No entanto, o filme mostra que após a morte é possível viver um final feliz, mesmo que seja um momento trágico. O diretor Lee Unkrich, um celebre Diretor americano, além de ter dirigido Toy Story 3, nos impressiona com este fantástico filme de animação que homenageia a cultura mexicana através da música. Tal ideia impulsionou o filme a receber duas indicações ao Oscar de Melhor Filme de Animação e Melhor Canção Original, vencendo em ambas categorias. No Rotten Tomatoes o filme possui uma aprovação de 97%. Cena do Filme Viva: A Vida é uma Festa. Imagem: Internet.

46

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


A Pixar realmente apostou no cavalo branco, em convidar o compositor Michael Giacchino famoso por compor trilhas sonoras de grandes sucessos como, Ratatouille, vencedor do Oscar de Melhor Filme de Animação de 2008, e Up, vencedor do Oscar de Melhor Trilha Sonora e Melhor Filme de Animação em 2010. A trama consiste nas memórias em respeito aos entes queridos e a música é um elemento que faz a ligação entre a vida e a morte. É como se a música nunca deixará de existir preservando a memória daquele que já partiu. Fica aqui a sugestão de um dos filmes mais lindos e emocionantes produzidos pela Pixar. Coco é, sem dúvida, um dos melhores dessa coleção de sucessos.

Cena do Filme Viva: A Vida é uma Festa. Imagem: Internet.

Cena do Filme Viva: A Vida é uma Festa. Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

47


Farofa das boas: A Morte lhe Cai Bem Por Victor Mazato.

Quem não gosta de uma boa farofa?

A morte lhe cai bem é um ótimo exemplo de filme para te fazer relaxar e esquecer dos problemas. Lançado em 1992, o filme foi dirigido por Robert Zemeckis e se tornou um sucesso comercial na época, sendo nomeado para diversas categorias de prêmios e ganhando um Oscar de melhores efeitos visuais. O filme conta com Meryl Streep, Bruce Willis e Goldie Hawn como protagonistas. Helen (Goldie Hawn) era noiva de Ernest Menville (Bruce Willis), um cirurgião. Mas sua “melhor amiga” e atriz, Madeline (Meryl Streep) acaba se envolvendo amorosamente com Ernest, que rompe o noivado. Anos depois, Helen entra numa clinica de reabilitação para sair da depressão e jura vingança contra Madeline. Mais sete anos se vão, agora Helen é uma escritora famosa e usa isso como artifício para se reaproximar da ex-amiga, que agora é casado com Ernest. Após rever a amiga, Madeline fica com inveja da beleza de Helen e procura uma moça que aparenta ser jovem, mas que diz ter 70 anos. A moça lhe apresenta uma poção de rejuvenescimento, que a deixa jovem e bonita novamente. Enquanto isso, Helen coloca seu plano de vingança em ação, seduzindo Ernest e o convencendo a matar a esposa. 48

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


A partir daí é só loucura! Madeline sofre um acidente, quebra o pescoço mas graças a poção não morre. O problema é que agora ela é uma mortaviva, e seu corpo começa a se deteriorar aos poucos. Após descobrir que tudo isso foi um plano da Helen, ela decide se vingar matando a rival com um tiro no estômago. E então vem mais um problema (e a cena mais icônica do filme), Helen também tomou a mesma poção no passado, e também se torna uma morta-viva. A vida de Ernest vira de cabeça pra baixo, e agora ele tem duas mortas infernizando sua vida. O filme arrecadou $149 milhões de dólares no mundo todo, e tem críticas mistas. Se você gosta de trash’s que são bem feitos, essa é uma boa dica de filme para assistir. E é bem fácil de encontrar, tá lá na Netflix.

Cenas do Filme A Morte lhe cai bem. Imagens: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

49


O que aprendemos com Amélie Poulain! Por Brendol Felipe.

Amélie: Pequenas atitudes fazem a diferença! O filme francês O Fabuloso Destino de Amélie Poulain é o queridinho dos cults! No longa, Amélie é uma jovem do interior que se muda para Paris e logo começa a trabalhar em um café. Num belo dia, ela encontra uma caixinha dentro de seu apartamento e decide procurar o dono. A partir daí, sua perspectiva de vida muda radicalmente. Quem acompanhou a curiosa história de Amélie pode observar alguns valores que devemos levar pra vida. São eles:

CORAGEM

Amélie não se prende nas restrições dos outros. Os pais dela tinham medo de arriscar, porém não deixou que isso a impedisse de viver. Talvez o desejo de viver algo que ela cresceu escutando que não valia a pena, fosse assustador, mas isso não fez ela titubear e foi uma motivação pra ela viver a própria vida.

50

Cena do Filme Le fabuleux destin d’Amélie Poulain. Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Fazer a diferença Às vezes deixamos de fazer algo porque achamos que só uma atitude grandiosa é capaz de mudar o mundo. Mas não é assim e no filme vemos que é simples fazer alguém feliz. E não é preciso dinheiro ou um esforço sobre humano. Basta um pouco de atenção e gentileza com as pessoas. Cenas do Filme Le fabuleux destin d’Amélie Poulain. Imagens: Internet.

Sinceridade Quantas oportunidades já perdemos com medo de falar o que queríamos? E o pior é quando não conseguimos ser sinceros com nós mesmos. Tentamos disfarçar o que sentimos, negamos o que queremos com medo de quebrar a cara. Mas Amélie não, mesmo com as incertezas da vida, não negou o que sentia e escolheu ser feliz.

Perspectiva Vários acontecimentos do filme poderiam ter passados despercebidos se Amélie não enxergasse as coisas de um jeito único. Talvez outra pessoa teria jogado a caixa de brinquedos no lixo. Mas ela a tornou um propósito de vida. Muitas vezes ficamos a espera de um super acontecimento,algo que mude nossas vidas , quando na verdade a vida é celebrada a todo instante.

Cena do Filme Le fabuleux destin d’Amélie Poulain. Imagem: Internet.

E a principal mensagem: Há felicidade nos momentos simples! Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

51


03 filmes do Kubrick QUE VOCÊ PRECISA ASSISTIR!

Por Bruno Sipan.

As três maiores obras de Stanley Kubrick. Olá pessoal, nesse artigo traremos três dicas de filmes excelentes que vocês não podem perder. O nosso convidado de hoje é alguém muito importante para a história do cinema, é nada mais nada menos que: Stanley Kubrick. Kubrick iniciou sua carreira aos 22 anos mas só obteve reconhecimento com 32 anos de idade com “Spartacus”. E após isso, Stanley engatou sua carreira e fez filmes incríveis. Todos os filmes citados aqui, são incríveis e importantes para nosso reportório e bagagem como seres humanos. Kubrick vai além dessas obras, assistam todos que puderem e confiram também artigos sobre o cineasta para conhecerem mais um pouco sobre essa vida interessante. Vocês sabiam que já foi especulado que o homem não foi até a Lua e que, na realidade, foi uma obra de Kubrick? É impossível falar sobre esse cineasta incrível sem pensar em seus filmes espetaculares que ainda rendem assunto nos dias atuais. Portanto, iremos recomendar algumas obras desse gênio do cinema para vocês desfrutarem, confira abaixo!

52

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


The Shining – “O Iluminado” (1980) O longa retrata a vida de Jack (Jack Nicholson), Wendy (Shelley Duvall) e Danny (Danny Lloyd) em um hotel durante o inverno. Jack é contratado para ser vigia durante as frias e rigorosas noites nesse local e o isolamento acarreta em sérios problemas para a família. O personagem de Nicholson passa a ter atitudes agressivas e, também passa a ter visões sobre coisas que aconteceram no local há anos atrás, que por sinal, também ocorre devido ao isolamento. Essa obra prima é uma adaptação do livro de Stephen King, há quem não goste do filme por não ser tão fiel ao livro, mas devemos concordar é um filme incrível. Não deixe de conferir e comprar sua camiseta com a cena icônica do filme!

Cena do Filme O Iluminado(1980). Imagem: Internet.

A Clockwork Orange – “Laranja Mecânica” (1971) Como falar sobre Stanley Kubrick e não mencionar essa obra prima? Esse incrível filme conta a história de Alex DeLarge (Malcolm McDowell) que é líder de uma gangue que comete diversos crimes, até que um dia a polícia passa por seus caminhos e Alex é preso. Após isso, o personagem recebe a proposta de redução de pena com a condição de que ele seja utilizado no experimento Ludovico para reduzir os impulsos e maldade do homem, mas o tratamento resulta em uma

impotência para lidar com a violência que ao seu redor. Confira essa viagem de filme e nos contem o que acharam, adoraríamos saber!

Cena do Filme Laranja Mecânica (1970). Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

53


2001: A Space Odyssey “2001 – Uma Odisseia no Espaço” (1968) Em 2018, esse incrível filme completa 50 anos e por isso é nosso grande homenageado de hoje! Kubrick nos leva ao espaço e nos faz ter uma incrível experiência durante 2 horas e 41 minutos de longa. No cinema atual há diversas obras que são passadas no espaço e se tornou algo “comum”, mas pensem em como foi assistir esse filme nos anos 60? Gostaria de ter vivido essa época para conseguir vivenciar esse momento histórico! O longa nos leva desde a pré-história até quatro milhões de anos depois, no século XXI, um grupo de astronautas comandados pelo experiente David Bowman (Keir Dullea) é enviado à Júpiter para investigar o que ocorreu com a nave Discovery, e todos são comandados pelo computador HAL 9000. Porém, durante o percurso, HAL entra em pane e se torna algo que não é esperado, o computador faz tentativas de tomar o controle da nave, acabando com todos os tripulantes, um de cada vez.

54

Não deixe de conferir esse marco para o cinema e para a ficção científica. Por retratar a inteligência artificial, o filme é atual até nos dias de hoje.

Cenas do Filme 2001 – Uma Odisseia no Espaço (1968). Imagens: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Nárnia e o Cristianismo Por Caroline Lacerda.

A misteriosa mente de C.S. Lewis.

As Crônicas de Nárnia é uma série de livros escrita entre 1949 e 1954 por Clive Staples Lewis, mais conhecido como C.S LEWIS. Lewis foi um professor universitário, escritor, romancista, poeta, critico literário, ensaísta e apologista cristão britânico. Nas universidades, ele liderava grupos informais de discussão e colaboração literária. Clive foi criado dentro das tradições cristãs, mas se tornou ateu convicto na altura de sua adolescência. Quando se tornou adulto, voltou a seguir a fé cristã com a ajuda de seu amigo Tolkien (escritor de O Hobbit). O primeiro filme do livro, O leão a princesa e o guarda roupa, foi filmado pela Disney, e este é foco da nossa resenha de hoje.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

55


Lewis escreveu muitos livros cristãos durante sua trajetória de vida, e o próprio autor revelou que Aslam é uma visão alternativa de Cristo.

CRISTO? WHAT? Isso! Aslam é uma alegoria sobre Jesus. Neste filme, podemos ver muitas semelhanças com passagens bíblicas, neste post consegui listar 10 delas:

01

O armário “mágico” simboliza ao mundo espiritual.

02

A descoberta de Nárnia por Lúcia, a mais pura e inocente dos irmãos, remetem á pureza pela qual Maria foi escolhida como mãe de Jesus.

Cena do Filme As Crônicas de Nárnia. Imagem: Internet.

04

Edmundo é representado por um “pecador” que logo em seguida é perdoado e aceito por Aslam, e o mesmo diz “O que aconteceu ficou para trás.” (Miquéias 7.19)

05 Cena do Filme As Crônicas de Nárnia. Imagem: Internet.

03

A prova de Pedro, ao enfrentar o lobo sozinho, simboliza as provas pessoais que um cristão deve enfrentar na sua vida de fé. O próprio Pedro simboliza o Apóstolo Pedro, pedra na qual a Igreja foi construída. (Mateus 16.18)

O filme se inicia com um reino de trevas de Jadis, a feiticeira branca e que no fim do filme, é exterminada e Aslam A lei de Nárnia é uma referência a lei volta á reinar. (Colossenses 1.13) de Móises com os dez mandamentos. 56

06

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


07

A agonia de Aslam quando se entrega para ser sacrificado revela a agonia de Jesus quando se entregou para ser crucificado no Calvário mostrado no livro bíblico Lucas capítulo 22.

08

A ressureição, claro, remete á ressureição de Jesus, com Suzana e Lucia estarem ali na ressureição assim como Maria Madalena no livro de Mateus capítulo 28.

Cena do Filme As Crônicas de Nárnia. Imagem: Internet.

09

Quando o leão ressurge e vai á busca de soldados que não tinham mais vida, remete á pessoas que estão mortas espiritualmente e que recebem vida através da ressureição de acordo com o novo testamento.

Cena do Filme As Crônicas de Nárnia. Imagem: Internet.

10

O afastamento de Aslam, como um “volto em breve!” no fim do filme, referese á ida de Jesus ao Pai em Marcos 16.19 ou em João 16.5-7

Por fim, ainda existem muitas mensagens dentro dos outros livros e filmes da série. Lewis deixou um legado enorme através da ficção e fantasia.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

57


05 Motivos para se apaixonar por “Gilmore Girls” Por Ingrid Araújo.

Se tratando de Gilmore Girls, 05 são suficientes para ver essa série que aquecerá seu coração! Para aquecer seu coração e arrancar muitas gargalhadas Gilmore Girls, criada por Amy Sherman, traz ao longo de 08 temporadas (e um revival produzido pela Netflix) muitas aventuras que farão você se viciar rapidamente e adicionar a série a sua lista de favoritas. Poderia listar inúmeros motivos, mas apenas 05 serão suficientes para fazer você se encantar. Assita Gilmore Girls • Lançada em 2000 • 8 Temporadas

• 156 Episódios Cena da Série Gilmore Girls. Imagem: Internet. 58

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


01.

O amor de mãe de Lorelai Gilmore Lorelai era uma garota completamente rebelde que foi mãe aos 16 anos. Vista como a quebra de padrões da sua família que sempre foi muito conservadora. Seus pais se sentem completamente envergonhados quando ela se recusa a casar com o ex namorado. Nisso, ela foge de casa com Rory, ainda bebe, para morar e trabalhar na pequena cidade de Stars Hollow. Completamente acolhida pela cidade, Lorelai se torna gerente de um hotel. E assim cria Rory com todo amor e carinho e suas aventuras. Personagem marcante que mostra o amor de uma mãe maluca e engraçada que está sempre disposta a fazer tudo pela filha.

02.

Rory Gilmore é só amor! Rory é uma garota amável que esbanja simpatia por todos os lados! Apaixonada por livros, ao longo da série ela solta muitas as referências de livros famosos. O seu sonho é entrar em uma grande faculdade, por isso ela estudar em Chilton, onde começa a traçar esse sonho. Ao longo das temporadas vemos Rory descobrindo a vida de várias formas e vivendo muitas aventuras com sua mãe, amigos e namorados.

03.

Conselhos para a vida toda! Ao longo da série, Lorelai e Rory passam por vários problemas! E perrengue todo mundo tem. O legal é que todos os conselhos que são dados por elas vão fazer sentido na sua vida também. Me ajudou várias vezes e pode ter certeza que vai te ajudar também.

04.

Stars Hollow é a cidade do sonhos Uma cidade pequena com pessoas incríveis que estão sempre dispostas a ajudar. Quem não pensa em viver em um lugar como esse? Nela, conhecemos pessoas como Luke, Sookie St. James, personagens essenciais na vida de Lorelai e Rory. Ao longo das temporadas somos presenteados com muitos e maravilhosos festivais que deixam a cidade ainda mais apaixonante.

05.

Protagonismo feminino! Duas mulheres, protagonistas, donas da sua própria história. A série vive mostrando a força que as elas têm, como devem se manter unidas e não se diminuir por nada ou ninguém. Uma sempre busca força na outra e juntas vivem aventuras que vão te prender do começo ao fim. Amor, união, parceria entre mãe e filha. Como deve ser.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

59


4 filmes sobre música que você precisa ver! Por Jonathas Alves.

Você gosta de música? Então essa lista é pra você mesmo! Contamos na lista com filmes com temáticas musicais, mas além de saborear uma história com relação a música em cada um destes filmes, pode ter certeza que você também encontrará muita trilha sonora boa neles! Trouxe aqui uma lista de 4 filmes que possuem música como tema:

01. Whiplash: Em Busca da Perfeição Filme recheado de canções boas e que ficarão em sua mente por muito tempo e provavelmente também no seu Spotify! Eu duvido que você não vai querer baixar e ouvir o tempo inteiro. Um drama sobre Andrew Neiman, estudante de bateria em um conservatório, onde é testado o tempo inteiro para ver até aonde pode ir para alcançar seu sonho.

60

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

Cena do Filme Whiplash: Em Busca da Perfeição. Imagem: Internet.


02. Balada de um Homem Comum

Cena do Filme Balada de um Homem Comum Imagem: Internet.

É folk que você quer? Então toma! Um prato cheio para quem gosta de música folk. A trama do filme é sobre um cantor e compositor que está fazendo de tudo para viver de sua arte: a música. Um drama excelente com uma trilha fenomenal.

03. Escola de Rock Depois de chorar muito com os filmes acima, é hora de dar um pouco de risada e se divertir com a comédia que contém nada mais, nada menos do que Jack Black como protagonista! Trilha sonora incrível e com certeza te fará ficar imaginando que louco seria formar um banda depois de assistir este filme.

Cena do Filme Escola de Rock (2003). Imagem: Internet.

04. Scott Pilgrim Contra o Mundo

Cena do Filme Scott Pilgrim Contra o Mundo. Imagem: Internet.

Podemos resumir este filme em: Comédia + Música + Romance + Drama + Fantasia + Ação. Scott Pilgrim é um baixista de uma banda de rock, se apaixona por uma garota e terá que enfrentar os 7 exnamorados malvados dela para poder ficar com a menina. Se você quer rir, ouvir música boa, torcer por um casal e talvez até mesmo chorar, este é o filme! Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

61


5x que a dublagem brasileira superou a original Por Kaique Gonçalves.

As 5 vezes em que a dublagem brasileira deixou as versões gringas no chinelo! Apesar de se posicionar entre as melhores do mundo, a dublagem brasileira ainda é alvo de uma porrada de críticas. Com o advento das plataformas de Streaming, o acesso às obras em seu áudio original foi facilitado, gerando em muita gente quase uma repulsa a obras com dublagem produzida em terras tupiniquins. Mas, hoje listaremos 5 produções que valem ser assistidas em bom e velho português!

01. Aladdin

62

Confesso que eu me desapontei um pouco com os cantores escolhidos nesse clássico da Disney – que realmente estão longe de serem ruins, porém, um pouco aquém do que a gigante americana costuma nos apresentar – sendo assim um ponto fraco da versão brasileira. No entanto, a interpretação dos dubladores é justamente o que dá brilho ao filme. E talvez o motivo maior dele estar nesta lista é especificamente a interpretação dada ao “Gênio” por Márcio Simões. Sim, todo mundo sabe que o personagem foi feito com base na interpretação – e principalmente improvisação – de Robin Williams, mas, Márcio e a direção souberam não só manter a graça do original, como fazer um ótimo personagem se transformar em genial.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


02. One Punch-Man

Sempre que a Netflix anuncia que mandou dublar alguma produção me dá um pouco de medinho. Não sei se é só ranço mesmo, mas tenho a sensação de que eles sempre querem mandar para o estúdio mais desconhecido que houver e assim diminuir o custo, e foi justo o que eu senti quando foi anunciada a dublagem brasileira de One Punch-Man. No entanto, a versão BR desse anime foi uma grata surpresa. Com uma adaptação cheia de “cacos”, a saga do jovem Saitama recebeu no Brasil um grau a mais de comédia, estando em uma categoria de dublagem que poderíamos chamar de “HueHue Dub”. Que me desculpem os “Talifans” que amam odiar a versão brasileira, mas a nossa versão dá um banho na original.

03. Bleach Mais um anime com tradução, digamos, meio livre, Bleach traz também um trabalho excepcional de interpretação dos dubladores. Fábio Lucindo, interpretando Ichigo, nos faz acreditar que essa voz pertence realmente ao protagonista. Em alguns momentos, como quando Ichigo incorpora a um Hollow – tipo de espírito malígno – seus gritos chegam a incrivelmente igualar aos de Masakazu Morita, dublador original, e outras vezes, chega a superá-lo com facilidade.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

63


04. A Nova Onda do Imperador

Essa, pra mim, é a melhor dublagem de animação da Disney feita no Brasil. Aqui tudo é perfeito: interpretação, adaptação e música se encaixam como se o filme tivesse sido criado a partir desta versão. Para aqueles que gostam de criticar a utilização de atores famosos em dublagem esse é um balde e água fria. Marieta Severo e Humberto Martins como Yzma e Pacha surpreenderam com atuações. Mas o destaque mesmo vai para o veterano Guilherme Briggs como Kronk e principalmente para Selton Melo como o mimado Kuzco. Além disso tem que se ressaltar a performance extraordinária de Ed Motta na trilha sonora, infinitamente superior a do cantor original.

05. Yu Yu Hakusho E para encerrar, vamos para o o rei do “HueHue Dub”. Sim, a saga do nosso bad boy favorito não poderia de fora. Transmitido pela primeira vez no Brasil em 17 de março de 1997, Yu Yu Hakusho foi escolhido pela TV Manchete para ser o sucessor de Cavaleiros do Zodíaco, que fazia um sucesso estrondoso no país. E como prova maior desse investimento, o anime foi mandado para ser dublado na carioca Audio News ao invés da Gota Mágica – que costumeiramente realizava as dublagens da Manchete – contando com a direção de Marco Ribeiro. Essa provavelmente foi a melhor dublagem de anime feita no Brasil, que teve o estilo de adaptação copiado por diversos animes posteriores.

64

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


03 animações pra ver e rever! Por Mauro Oliveira.

Filmes de animação que valem a pena ver de novo Vou indicar algumas animações classificadas que contam histórias fascinantes! Você provavelmente já conhece alguma delas, mas vale a pena ver de novo, não é? Então vamos lá! Vida de Inseto conta a historia da formiga Flik muito inteligente e atrapalha ao mesmo tempo, sem querer acaba causando um desastre na colheita da colonia, fazendo com que o Flik saia do formigueiro a procura de ajuda. Chegando na cidade grande conhece uma grupo de artistas onde ele vê a esperança de salvar a colonia dos gafanhotos famintos. Agora com om novos amigos Flik vive grandes aventuras.

01. Vida de Inseto

Cena do Filme Vida de Inseto. Imagem: Internet.

02. Spirit- O Corcel Indomável

Spirit- Conta a historia de cavalos selvagens, onde um cavalo se perde do grupo é começa a jornada para encontrar seus velhos amigos. Em busca da tropa Spirit encontra dificuldades as quais precisa superar, vivendo grandes aventuras ao lado dos Humanos. Cena do Filme Spirit - O Corcel indomável. Imagem: Internet.

03. Cada Um na Sua Casa

O alienígena chamado Oh, que não se encaixa na própria especie após invadir a Terra, conhece uma Humana e juntos vivem uma grande aventura em busca da mãe da garota com a missão de salvar o mundo. Cena do Filme Cada um na sua Casa. Imagem: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

65


Top 4: Mulheres no Cinema

Por Renata Cunha.

TOP 4: Diretoras de Fotografia Cá entre nós, sabemos bem que ser uma diretora de fotografia ou conquistar qualquer espaço dentro do cinema sendo uma mulher, sempre foi algo muito difícil. Não por falta de talento, mas por machismo! Na base do esforço, do trabalho, do grito e da força, estamos vivendo numa geração que tem brigado e conquistado o seu espaço. Conheça um pouco mais das incríveis diretoras de fotografia no cinema. GLR PWR em ação!

1. FLORA DIAS

Formada em Cinema pela Universidade Federal Fluminense e especializada em Imagem pela École Louis Lumière, na França. Flora dirigiu a fotografia de Califórnia (2015). A brasileira também foi atriz de dois longa-metragens, A Alegria e A Fuga da Mulher Gorila exibidos pelos Festivais Internacionais de Cannes, Locarno e Rotterdam. É uma das principais articuladoras do Coletivo de Diretoras de Fotografia do Brasil. Em Destaque Flora Dias. Imagem: Internet. 66

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


2. Reed Morano

Em 2013, Morano tornou-se o membro mais nova da Sociedade Americana de Cinematografia. A americana também ganhou o Prêmio ‘Directors Guild of America’ por dirigir uma série de drama para o episódio “Offred” de The Handmaid’s Tale, que fez dela a primeira mulher a vencer o Emmy e Directors Guild Award por dirigir uma série de drama. Um dos trabalhos mais lindos de Reed, foi a fotografia do álbum ‘Lemonade’ da Beyoncé.

Em Destaque Reed Moreno. Imagem: Internet.

3. Carolina Marsiaj Costa

Em Destaque Carolina Marsiaj. Imagem: Internet.

A brasileira trabalhou na direção de fotografia do filme “Las Elegidas”, produzido por Canana (Gael Garcia Bernal, Diego Luna e Pablo Cruz) e dirigido por David Pablos, o filme estreou em Cannes e estava em competição pelo Un Certain Regard em 2015. O filme foi nomeado para 13 Prêmios Ariel (Oscar Mexicano) em 2016, onde Carolina ganhou o prêmio de Melhor Cinematografia. Carolina também filmou para o remake de ‘Suspiria’, longa estrelado por Tilda Swinton e Dakota Johnson.

4. Rachel MorrisonCosta

Rachel ganhou uma indicação para o Oscar de melhor fototografia pelo trabalho em ‘Mudbound’, tornando-a a primeira mulher reconhecida nessa categoria. Atualmente Rachel também trabalhou na direção de fotografia de Pantera Negra. Ela também é conhecida por seu trabalho na série The Hills e no documentário Lady Gaga: Inside the Outside (2011).

Em Destaque Rachel Morrisoncosta. Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

67


4 grandes filmes esnobados dos 4 últimos Oscars! Por Tulio Rodrigues.

“Por que esse filme não foi indicado?”

Passou quase um mês que aconteceu a nonagésima edição do Oscar. E já sabemos também que o filme A Shape Of Water levou nosso camarada dourado para casa. Mas sabe aquele filme que vimos antes do anúncio dos concorrentes ao melhor do ano? E sentimos que a película era tão boa que merecia estar ao menos como um indicado? Mesmo perdendo, ele estar entre os privilegiados já está ótimo. Então quando finalmente são anunciados todos os concorrentes ele não está lá. Foi completamente esnobado!!! São desses pobres injustiçados que irei falar hoje. Não todos, (pois todo ano são muitos) mas ao menos um filme das quatro premiações estará presente. Vamos lá!

68

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


2015 – Garota Exemplar – David Fincher Começamos com Garota Exemplar de David Fincher. Que dentre essa lista pode ser facilmente colocado não só como uma das maiores injustiças dos últimos anos, mas também como de toda historia da academia. O filme conta a história de Nick (Ben Affleck) e Amy Dunne (Rosamund Pike). Ambos casados com a vida dos “sonhos”. porem tudo desaba e cai à tona como é a realidade entre os dois depois que misteriosamente Amy desaparece. Daí em diante o longa se transforma numa apreensão sem fim. Com todas autoridades, mídia e Nick em busca de sua esposa enquanto tenta ao mesmo tempo de se livrar das acusações que caem em cima dele como o principal suspeito desse mistério. O filme traz a sensação angustiante que um relacionamento abusivo pode trazer para um casal. Composto de grandes doses de descobertas e reviravoltas que só David Fincher consegue fazer de forma primordial. Já é difícil ver David Fincher fora do Oscar, porem ainda mais difícil é ver David Fincher fora do Oscar com um dos melhores filmes de sua carreira. Esperamos mesmo ver o rosto de David Fincher novamente nas futuras premiações da Academia. Pois chega a ser estranho um dos melhores diretores das ultimas décadas nunca ter levado um Oscar para casa. Cenas do Filme Garota Exemplar. Imagens: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

69


2016 – Beasts Of No Nation – Cary Fukunaga Uma das primeiras empreitadas da gigante Netflix, atualmente com produções originais semanalmente, só que anos atrás não era bem assim. Mesmo com muita qualidade suas produções eram bem menores comparadas com hoje, mas já no inicio nos brindou com o grande Beasts Of no Nation. O filme retrada a vida do pobre garoto Agu (Abraham Attah). o inicio mostra-o vivendo sua vida simples e feliz em uma pequena cidade africana, cheia de peripécias, brincadeiras e o amor de sua família. Porem a vida pacata do garoto se transforma drasticamente. Depois que sua família é assassinada a sangue frio por militantes, o pequeno Agu se vê obrigado a lutar na Guerra Civil africana comandado pelo comandante Thor (Idris Elba). Ver toda a tortura psicológica que o garoto passa, chega a transcender da tela e nós do outro lado acabamos passando toda agonia e sofrimento junto da criança. Um filme forte com um enredo impressionante e pensado para prender quem esta vendo. O único motivo que nos faz pensar o porquê dessa obra não ter sido indicado ao Oscar é o preconceito que a Academia tem com os modernos meios de Streaming. Mas esperamos que isso mude pelo menos no futuro.

2017 – Animais Noturnos – Tom Ford Um grande filme de um grande diretor e assim como os listados anteriores também fora do Oscar. Só pelo filme conter 3 linhas narrativas dentro de uma única historia de pouco menos de duas horas já merecia a atenção devida. O filme conta a historia de uma negociante de arte, Susan (Amy Adams) que sente-se desconfortável em sua atual relação com o atual parceiro Hutton (Armie Hammer). Em um certo dia Susan recebe um manuscrito de seu ex marido Edward (Jake Gylenhaal). Nele conta a historia de um passeio em família que tem acontecimentos trágicos após cruzarem com uma gangue. Durante essa Leitura Susan sente um pouquinho do gosto de seus traumas passado, constantes questões de sua vida atual e como poderia ser. O filme conta com um complexo final e só pelo conjunto da obra destacando figurino, maquiagem e trilha merece ser conferido e questionado a ausência na premiação retrasada. 70

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


2018 – Artista do Desastre – James Franco James Fanco com o tempo vem mostrando como esta se transformando em um grande nome para a 7° Arte. Mas infelizmente ao mesmo tempo também vem mostrando ser um babaca como pessoa. Acusado de diversas barbáries como assedio contra mulheres com quem trabalhou. Sem duvidas foi o único motivo que fez seu filme não ter nenhuma categoria indicada no Oscar 2018. O longa retrata a vida de Greg Sestero (Dave Franco) que tem o sonho de ser um ator famoso de Hollywood. Depois que Greg vê Tommy Wiseau (James Franco) fazer uma “esplêndida” atuação em que o mesmo fica maravilhado decide falar com Tommy e pedir algumas aulas. Daí em diante formam uma grande amizade e entre frustrações e mais frustrações para que suas carreiras deem frutos decidem por conta própria fazerem seu próprio filme. O filme é baseado em fatos reais e é sobre como foi criar um dos piores filmes do mundo o clássico Cult “The Room”. James Franco deu uma aula de atuação onde ao mesmo tempo que era hilário passava também um ar de melancolia. Artista do Desastre é um filme divertido e sensacional. Não foi para o Oscar, mas sem duvida foi para a lista de grandes obras do cinema. Cenas do Filme Artista do Desastre. Imagens: Internet. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

71


06 Séries de super-heróis para ficar de olho Por Vitor Amorim.

Confira as seis novas produções de super-heróis da Marvel e da DC É de conhecimento geral que estamos na era dos super-heróis, eles dominaram os filmes, jogos e até mesmo as séries. Se você é um grande fã de quadrinhos, fica na maior expectativa quando uma produção baseada no seu personagem favorito é anunciado. Por isso decidi fazer essa lista para que nenhuma série nova da Marvel ou da DC passe despercebido.

72

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


marvel

1. Os Fugitivos

Essa série foi lançada no final do ano passado e finalizada no começo desse ano. O enredo se trata de seis adolescentes diferentes que descobrem que seus pais são na verdade criminosos e fazem parte de uma organização chamada Orgulho. Diferente dos quadrinhos, a série mostra seus personagens de forma menos unilateral, o que é um ponto positivo para trama. Os Fugitivos está disponível no serviço de Streaming Hulu e no Canal Sony aqui no Brasil.

Em Destaque: Atores da Série Os Fugitivos. Imagens: Internet.

2. Manto e Adaga

Assim como nos quadrinhos, a trama gira em torno de dois adolescentes com origens bem diferentes que descobrem seus poderes recémadquiridos. Os dois logo percebem que seus poderes funcionam melhor juntos do que separados, começando assim um romance entre eles. A série estreia dia 7 de Junho nos Estados Unidos pela rede de Televisão Freeform.

3. Novos Guerreiros

Outra série da Marvel envolvendo adolescentes. Sua premissa consiste em seis jovens com poderes e habilidades únicas, que se reúnem na tentativa de causar um impacto positivo no mundo. Mas será que eles estão prontos para serem super-heróis? A série está prevista para sair em algum momento de 2018. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

73


dc 1. Raio Negro

Raio Negro foi lançado no início do ano e foi finalizado recentemente. A série conta a história de Jefferson Pierce (Cress Williams), um diretor de escola que se aposentou da vida de super-herói. Nove anos se passaram e agora ele tem que retornar a vida de vigilante para proteger sua comunidade da gangue local conhecida como “The 100”. Está sendo exibido pela emissora CW e seus episódios já estão disponíveis na Netflix.

2. Krypton

Na mesma proposta da série Gotham. A história irá se passar muito antes da existência do Superman, focado na verdade em seu avô e na luta para salvar seu planeta, enquanto tenta resgatar a honra de sua família, tudo ao mesmo tempo. Krypton foi lançado no dia 21 de março pelo canal SyFy.

3. TITÃS

Baseado em uma das equipes mais amadas tanto dos quadrinhos como das animações. A série irá trazer seis jovens heróis de todos os cantos do mundo que irão se reunir como equipe para um bem em comum. Dick Grayson emergirá das sombras para assumir seu posto como líder da equipe, abandonando o manto de Robin para assumir a identidade de Asa Noturna. Tem previsão de ser lançado até o final de 2018 no serviço de Streaming da DC Comics. 74

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Erased: A série japonesa da Netflix que você precisa assistir! Por Aline Fernandes.

Apaixone-se por Erased! Está cansado de assistir aquelas séries longas? Quer começar assistindo algo novo, talvez em outra língua? Apenas uma temporada irá fazê-lo se apaixonar por essa série. Vem comigo! Antes de tudo essa série foi uma adaptação do mangá Boku Dake Ga Inai Machi (a cidade onde só eu não existo), obra realizada pelo autor Kei Sanbe e por incrível que pareça além do mangá e da série existe também o anime. O personagem principal é o Satoru Fujinuma interpretado pelo ator Yuki Furukawa, ele é um autor de mangá de 29 anos porém sua carreira como escritor nunca deu certo, sempre que ele ia atrás de oportunidades para publicar sua história era rejeitado, então seu trabalho é como um entregador de pizzas, mas ele não é considerado uma pessoa normal e sim um superherói, pois, ele tem um dom em reviver uma situação que ele já viveu antes para que possa evitar acidentes e salvar vidas.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

75


Sobre a trama Um dia ele revive uma situação novamente junto a mãe dele e pede para que ela preste atenção junto a ele no que acontece ao seu redor para que ele evite uma próxima tragédia, até então sua mãe percebe uma tentativa de sequestro e manda uma mensagem para a polícia o fato dela estar prestando atenção faz com o que o sequestrador desista da criança, a partir dai ela se torna uma alvo e é morta por esse mesmo cara na casa de Satoru em sua ausência, ele chega logo após e acaba sendo incriminado. A partir desse acontecimento ele volta muitos anos atrás quando era criança e tem que salvar seus outros amigos de infância de um atentado contra crianças que houve em sua escola para que possa salvar sua mãe no futuro. Momentos em que ele volta muitos anos ao passado para tentar salvar seus amigos e descobrir quem foi o assassino em série que os matou. O alvo do assassino sempre eram crianças consideradas solitárias, por isso a missão de Satoru nessa volta ao tempo é tentar fazer com que essas crianças não fiquem sozinhas para evitar a aproximação do assassino. E com isso tentar descobrir quem é essa pessoa que matou tantas crianças e nunca foi descoberto, e vocês não VÃO IMAGINAR quem é, digamos que é a última pessoa que qualquer um irá suspeitar, só não posso falar porque acho que já dei spoiler demais né?

Assistam essa série e me digam o que achou! Sou suspeita em dizer que ela é demais possui apenas uma temporada! Quando os dois se aproximam é a coisa mais linda do uni! E o incrível é que apesar de Satoru conseguir mudar muitas coisas do passado e ainda assim descobrir quem é o assassino ele tem uma missão ainda no futuro, no qual eu não vou dizer porque se não perderá a graça… mas segue aí minha recomendação da adaptação que a Netflix produziu que vi muitos comentários dizendo que chegou a superar o anime!

Cena da Sériie Erased. Imagem: Internet.

76

Cena da Sériie Erased. Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Grace and Frankie – Medo e Superação Por Bianca Rossim.

Deveríamos ter medo de algo que vai acontecer a nós mesmos? Em 2015 a série “Grace and Frankie” foi lançada pelo serviço de streaming. Contando com 4 temporadas I – N – C-R-Í-V-E-I-S, esse ano as atrizes Jance Fonda (Grace) e Lily Tomlin (Frankie) confirmaram através de suas redes sociais a 5º temporada para 2019. É pra comemorar não é mesmo? Eu sou muito fã e suspeita para falar dessa série que tanto me chamou atenção. E vocês pensaram que acabou por aí? Nada disso, tem mais… A nova temporada contará com a participação especial de Ru Paul, apresentador do reality show Ru Paul’s Drag Race. Eu não sei vocês, mas eu e as manas estão D-E-S-M-A-I-A-D-A-S! Um hino, junto com outros dois hinos, imaginem só? Essa série se tornará um HINÃO, se é que isso existe rs. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

77


A série tem um roteiro bem divertido e bem animado, quebrando tabus e provando que as pessoas continuam sendo quem sempre foram mesmo quando a idade chega. As duas mostram que são capazes de fazer tudo o que querem e que a idade não para NINGUÉM! Mas também, provam que quanto mais velhas as pessoas ficam, mais elas precisam dos cuidados dos FILHOS, que acabam se tornando pais dos seus pais. Diferente, mas eu gostei! Imagina só tomar conta dos seus pais depois que eles te deram os maiores e melhores ensinamentos? Grace e Frankie dão a volta por cima quando os maridos decidem se separar e ficar juntos.

A T R E AL E D R! E L I O SP

A cabeça de vocês deve estar “Oi?” Pois é galera, Robert (Martin Sheen) e Sol (Sam Waterston) eram amantes. Porém nunca se assumiram, mas em uma virada decidem que vão se separar e assumir para todos este romance proibido. É galera, o tempo passa e a idade chega para todos, mas é você quem decide se vai aceitá-la ou se vai dar a volta por cima.

Cena da Série Grace and Frankie. Imagem: Internet. 78

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Legacies: A nova série de Vampiros! Por Carolina Fermiano.

Adeus The Originals, Alô Legacies! O ano passado os fãs de séries de vampiros tiveram que dizer adeus a série The Vampire Diares, um fenômeno que durante 08 anos contou a história do universo sobrenatural, com bruxas, lobisomens, vampiros, híbridos e até vampiros Originais [primeiros vampiros]. Em 2013 os vampiros Originais ganharam uma série própria. Os vilões da trama de The Vampire Diares ganharam um Spin Off chamado The Originals. São eles, os primeiros vampiros da terra e a trama gira entorno desses mil anos de drama familiar. Após 5 anos, a série anunciou o ano passado, no evento da San Diego Comic-Con 2017, a 05ª e última temporada, que estreou no dia 18/04/2018 no Brasil. A série ainda está em andamento com episódios novos todas as quartasfeiras pela emissora americana CW.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

79


O sucesso deixou um Legado! Para a surpresa e felicidades dos fãs, na última quinta feira foi anunciada um novo Spin Off da série The Originals, se você pensar muito você verá que essa nova série é um Spin Off de outro Spin Off. A nova série como no próprio título desse post diz: Legacies (Legado), um nome com peso para mim que é fã da séries. Legacies vai girar em torno da escola Salvatore e acompanha os novos seres sobrenaturais que lutam para conviver e se achar nesse espaço. A Em Destaque série tem como protagonista a Danielle Matt Davis. Imagem: Internet. Rose Russell (Hope) [de The Originals] “A história da próxima geração de e Matt Davis (Alaric) [The Vampire Diares] e outros já confirmados, porém seres sobrenaturais na Escola Salvatore para Jovens e Superdotados. A filha de são rostos novos. Klaus Mikaelson, Hope Mikaelson, de 17 anos; as gêmeas de Alaric Saltzman, Lizzie e Josie Saltzman; e outros jovens adultos amadurecem da maneira mais anticonvencional possível, nutridos para serem seus melhores eus… apesar de seus piores impulsos. Essas jovens bruxas, vampiros e lobisomens se tornarão os heróis que eles querem ser; ou os vilões que nasceram para ser?”. E claro, produzido pela mesma produtora das 02 outras séries de sucesso, Julie Plec. Se é sucesso eu não sei! O que dá pra sentir é a ansiedade dos fãs para verem esse mundo Em Destaque: sobrenatural nas telinhas novamente! Danielle Rose Russell. Imagens: Internet. 80

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


La Casa de papel x o plano perfeito Por Fábio Teixeira.

Criação ou Releitura? A tão comentada série La Casa de Papel virou febre entre os fãs de seriados aqui no Brasil. A divulgação de novas séries feita pelos sites de streaming é quase que semanal e desprovida de qualquer afirmação daquilo que irá se tornar uma nova sensação. Porém, percebe-se que as séries que demonstram em suas sinopse um maior número de personagens chamam mais a atenção do publico, talvez pela ideia de que quanto maior o número de personagens melhor a trama e envolvimento entre eles na história. Basta relembrar de séries como: Game of Thrones; Friends; Stranger Things e Grey’s Anatomy. A galera que curte cinema e bons filmes tem aceitado bem o conceito série, mas é inevitável que não haja comparações. Afinal de onde vem tanta inspiração para a produção de séries que parece desenfreada? É pura criação ou o cinema é a base dos grandes diretores de seriados?

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

81


Vamos aos fatos… Há quem diga que a série La Casa de Papel dirigida por Álex Pina, nada mais é do que uma releitura mais elaborada do filme O Plano Perfeito de Spike Lee. No filme, um grupo de assaltantes também vestidos de macacões invadem um banco e são liderados por um cabeça astuto que está sempre a frente dos passos da policia. A ideia de seriado é tornar algo extenso em episódios que contam uma passagem, dando continuidade à história de maneira inesperada. O segredo das séries está nas amarrações que envolvem a trama e isto é possível de ser feito dentro de apenas um episódio, ou seja, é uma somatória de acontecimentos e informações que tomam à atenção do público em querer saber o que vem adiante, logo às temporadas. Entretanto os filmes por conta do seu tempo de duração precisam desenvolver tais conflitos em um curto período, assim perdendo para as séries em detalhes.

Cenas do Filme O Plano Perfeito e da Série La Casa de Papel. Imagens: Internet.

Sendo uma criação ou releitura o telespectador de bom gosto só tem a ganhar, é uma oportunidade de ver o produto com outros olhos, o que foi mudado, adicionado, retirado, diferentes maneiras de se pensar vindas dos diretores e se a mensagem é a mesma.

Nem tudo precisa ser como é, a perspectiva carrega bagagens que alteram a visão daquele que percebe. 82

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Por Leticia Ferreira.

Vamos falar sobre política? Acho importante falarmos sobre política, ainda mais nos dias de hoje, não é? Porém, eu, geralmente não gosto de séries que tenham essa temática. Mas, Designated Survivor foge dos estereótipos e foi como um soco na minha cara logo no começo do primeiro episódio, quando praticamente todo o poder dos EUA se explodem, isso mesmo CABUM!

E isso não é spoiler, ok? Tom Kirkman, um homem com cara de coxinha, que era responsável por achar moradia para as pessoas, vira o presidente. ISSO MESMO, ele é o sobrevivente designado daquela noite [que é uma pessoa reserva caso tudo dê errado, e deu!]. Vale ressaltar que na manhã do atentado ele havia sido demitido pelo presidente, muito coxinha [me refiro assim dele com amor, viu? Guardo no potinho o personagem]. Foi isso que chamou a minha atenção e me fez passar a madrugada e o dia inteiro assistindo a primeira temporada. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

83


A primeira impressão não é a que fica! Num primeiro momento a imagem do personagem não é das melhores… Ele bem que poderia ser um vendedor de casas mesmos, e ao ver suas primeiras horas como presidente eu só conseguia me perguntar qual seria a sacada da série. O personagem teria que ter uma bela evolução, não fui muito longe para descobrir. Por baixo dos óculos e da cara de vendedor de apartamentos medianos se esconde uma mente sagaz, que blefa e, que acima de tudo, é integro. E ele não perde a sua essência ao longo da temporada, eu assisti torcendo para ver ele se perdendo, se afundando na lama, afinal política é isso, não é? Lama. Mas não para esse herói que poderia ser um bibliotecário pela sua aparência. A série tem belas reviravoltas, mostrando que o inimigo nem sempre está tão longe. Então, amiguinhos, se algum dia vocês ficarem em dúvida se devem assistir esta série a resposta é: GO, GO, GO, GO. Cenas da Série Designated Survivor. Imagens: Internet.

84

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Os contratempos de The Big Bang Theory Por Luis Felipe.

Primeiras impressões da nova temporada de The Big Bang Theory Ao final de da 11º temporada The Big Bang Theory, vimos o cientista Sheldon casar-se com seu par Amy, causando controvérsias grandes na séries desde sua primeira temporada. Em 2007 The Big Bang Theory apresentou para o público um grupo de jovens nerds com problemas de relacionamentos sociais. A série se tornou, ao longo dos anos, a mais vista no mundo. Criada por Chuck Lorre (Two and a Half Men) a série, em seu começo, tem a ideia de mostrar para o público como é esse universo geek. No decorrer das temporadas, o grupo começa a desenvolver sua capacidade de interação com a sociedade. Alguns acabam se relacionando e até mesmo casando. Isso fez com que a série começasse a ser criticada por perder a “essência” do mundo nerd, porém depois de alguns episódios explicativos a série mostrou ao público que aborda um novo assunto, a evolução das interações entre pessoas com problemas sociais.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

85


A 11º temporada aborda o planejamento do casamento de Sheldon e Amy, os personagens mais improváveis para um relacionamento. Com o passar dos episódios, a qualidade aumenta, mostrando relacionamentos antigos de todos os personagens e suas resoluções. Nos mostra a família dos noivos e descreve de maneira mais sólida como eles foram criados.

Cena da Série The Big Bang Theory.

O spin-off “Young Sheldon” aborda a infância de Sheldon. Nele, os criadores puderam aproveitar mais essa ideia de abordar a infância do personagem. The Big Bang Theory volta em Outubro de 2018 com sua nova e, possivelmente, última temporada. Resta saber o que irão abordar na série, uma vez que praticamente todos os personagens já evoluíram em suas interações sociais. Em Destaque: Os personagens principais da Série The Big Bang Theory. Imagem: Internet. Cena da Série The Big Bang Theory. Imagem: Internet.

86

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Philip K. Dick’s Electric Dreams e a futurologia distopica de PKD Por Paulo Queiroz.

É bem mais que um Black Mirror gourmet, ok?

Hoje irei falar Electric Dreams a mais recente adaptação baseada em contos do aclamado escritor Philip K. Dick.

quem é philip k. dick? Antes de falar sobre a série, vamos conhecer um pouco mais sobre o autor, preparados para uma carteirada? PKD foi um dos principais escritores de ficção científica do século passado, ganhou o Prêmio Hugo de melhor ficção científica em 1963 por The Man in the High Castle - que também ganhou uma ótima adaptação para televisão. Em Destaque Philip K. Dick’s Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

87


Ele é um dos autores mais adaptados para o cinema e TV, porém, as grandes adaptações com base em suas ficções só foram lançadas após sua morte, obras como O Vingador do Futuro, Minority Report, O Homem Duplo, Agentes do Destino e talvez a mais famosa de todas que é o Blade Runner que ganhou uma adaptação dirigida por Ridley Scott. Um ponto em comum nas obras de PKD é que todas tentam trazer uma ideia de como o autor imaginava o futuro, sempre distópicos e focando na natureza do comportamento humano.

A série que vai fazer você questionar seus pensamentos Agora, depois de toda a palestra,

Em outros episódios são trabalhados chegamos ao assunto principal desse outros aspectos da natureza humana, post, Electric Dreams. como a ética em “The Impossible Planet” Um dos principais dons do PKD é ou o egoísmo gerado pela industrialização fazer o leitor/espectador questionar se o de “Autofac”. que os seus personagens estão “vivendo” algo real ou não. Como uma antologia, cada episódio da série apresenta um enredo novo sempre A produção conta com um elenco trazendo temas filosóficos e mostrando de peso, tendo atores já conhecidos pelo como a natureza humana se torna flexível grande público como Bryan Cranston, Vera com a influência da tecnologia. “Real Farmiga, Richard Madden, Janelle Monáe Life” é um bom exemplo disso, a trama e Terrence Howard e Steve Buscemi que do episódio se desenvolve ao redor das conseguem transmitir todos os conflitos lembranças dos protagonistas e cria humanos e suas reações perante as narrativas pessoais para ambos, que novas condições mostradas ao decorrer depois de toda a vivência descobrimos da série. quem os dois são o mesmo indivíduo, e Electric Dreams tem ótimas que ele está preso em uma simulação, ferramentas para criarmos nossas e o clímax maior surge quando o próprio avaliações sobre nós mesmos e sobre os personagem passa a questionar sua possíveis rumos da sociedade atual. existência e se suas memórias são reais.

Um elenco do excepcional!

Cena da Série Eletric Dreams. Imagem: Internet.

88

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


THE RESIDENT VALE A PENA ASSISTIR! Por Pedro Xavier.

The Resident, nova série do canal FOX The Resident é uma nova série do canal FOX e é mais uma da lista de séries baseadas no cotidiano dos hospitais. Porém, há um enredo maduro e realístico semelhante a série Chicago Med e dispensando toda a melancolia de Grey’s Anatomy. Esta nova série tem como foco principal a negligência entre os médicos e os residentes deste hospital.

Analisando rapidamente a série

O foco principal da série é a negligência entre os médicos e os residentes do hospital Chastain Memorial Park que acabam culminando na morte dos pacientes, a narrativa da série é muito interessante e fácil de entender tanto a história quanto os personagens e suas intenções envolvendo ainda corrupção, dinâmica, suspense, ódio e uma pitada de romance (essencial em todas as séries do gênero) e a tal revelação de todo o bem e o mal na medicina moderna.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

89


Dissecando os Personagens SPOILER A SEGUIR

Este tópico irá contar um sobre os cinco personagens da série, analisando um pouco mais sobre o que o telespectador verá durante essa temporada.

Conrad Hawkins É o residente-sênior do hospital, é um que pode ser considerado o “Quebrador de Tabus”. Ele costuma fazer tudo fora dos padrões do hospital. Se acha o melhor de todos, mas por dentro é um amor de pessoa. Diagnóstico: Caso grave

devon pravesh

O novo residente do hospital, pronto para fazer o certo, embora seu colega Conrad esteja dando suas próprias ordens à ele. Devon é o certinho da equipe, porém com o pressentimento de que não está fazendo sempre o certo e que algo que ele fez deu errado. Diagnóstico: Fora de perigo

Em Destaque, Devon Pravesh Personagem da Série The Resident. Imagem: Internet.

90

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


RANDOLPH BELL

Cirurgião veterano e Chefe do hospital, assim como o residente Conrad, se acha o maioral, porém, se vangloriando ficando com todos os créditos dos sucessos das cirurgias e emergências de seus residentes, age igual à um político e está sempre pronto a acabar com alguém caso o contrariá-lo. Diagnóstico: Precisa se tratar imediatamente

Em Destaque, Randolph Bell Personagem da Série The Resident. Imagem: Internet.

Mina Okafor

Residente cirúrgica do hospital, aparentemente é a única extremamente focada em seu trabalho e não se importa com que os outros fazem a não que essa pessoa trabalhe com ela, se considera eficiente de fato, porém, é fria na hora de anunciar o estado de vida do paciente à família ou ao mesmo. Diagnóstico: Regular Em Destaque, Mina Okafor Personagem da Série The Resident. Imagem: Internet.

The Resident é um trama recheado de conflitos e intrigas, é realmente incrível, série que ainda vai gerar muitos fãs do munto todo.

Sinopse Um jovem médico recém formado começa seu primeiro dia de trabalho sob a supervisão de um residente incomum, mas o seu dia-a-dia no hospital pode ser mais difícil do que ele imaginava. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

91


CHEWING GUM Por Rodrigo Miranda.

A Goma de Mascar Série que não tem tanta visibilidade do público brasileiro, aborda de um jeito cômico e crítico a vida dos personagens de Chewing Gum. Chewing Gum é uma série de televisão de comédia britânica. Protagonizada e escrita por Michaela Coel, Robert Lonsdale, Susan Wokoma, Danielle Walters e Tanya Franks, está sendo exibida em seu país de origem pela E4 desde 6 de outubro de 2015. E também no mesmo ano na Netflix. Série que traz histórias inusitadas de personagens que vivem ao redor da protagonista Trace. Como de Ronald seu noivo extremamente religioso que nem se quer a beija. Por trás da religiosidade esconde um grande segredo. Cena da Série: Chewing Gum. Imagem: Internet.

92

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Conheça e apaixone-se por Tracey! Criada no subúrbio por uma família extremamente religiosa, Tracey está preparada pra atingir seu objetivo. E a primeira movimentação é perder a virgindade! Com 24 anos de idade, ela devia ser mais experiente. Mas é exatamente essa falta de noção que a faz uma pessoa tão engraçada, com seu jeito irreverente e inconsequente de ser.

Michael Coel| tracey Independentemente disso é preciso destacar o trabalho da atriz Michael Coel, que faz uma Tracey bastante crível, e o fato de a série discutir temas importantes, como religião, sexualidade, machismo, desigualdade social e racismo.

Em Destaque, Michael Coel Ator da Série Chewing Gum. Imagem: Internet.

resumindo...

Cena da Série: Chewing Gum. Imagem: Internet.

É difícil ter uma opinião fechada sobre Chewing Gum. A comédia britânica tem uma alternância de bons e maus momentos. O que é comum quando se aposta no humor do absurdo: pode-se pecar por excesso, mas também são esses mesmos excessos que outras vezes fazem os espectadores chorarem de rir. Como dosar a mão? É esse equilíbrio que falta em Chewing gum para ser de fato uma série boa — a comédia está em algum lugar entre bom e regular. Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

93


O.J Simpson:

O Julgamento do Século

Por Victor Verardi.

A famosa e conturbada história de O.J Simpson! American crime story: O povo contra O.J. Simpson, como é conhecida no Brasil, teve sua transmissão pelo canal FX e hoje se encontra no catálogo de Streaming da Netfilx. Desenvolvida por Scott Alexander e Larry Karaszewski, em conjunto com Ryan Murphy, a série que aborda fatos reais levou diversos prêmios no Emmy. Com um elenco recheado de estrelas como, Cuba Gooding Jr, John Travolta, David Schwimmer, Courtney B. Vance e Sarah Paulson. A séria narra a famosa história do ex jogador de futebol americano e estrela nos EUA, OJ Simpson (Cuba Gooding Jr), acusado de duplo homicídio ao matar a facadas a sua ex-mulher Nicole Brown Simpson, e o garçom Ronald Goldman, em frente à casa dela, em 12 de junho de 1994. Conhecido como O Julgamento do Século por ter sido televisionado para os EUA inteiro e por diversas outras razões, o caso de OJ Simpson traz a tona assuntos como o racismo, algo que é crucial e muito bem abordado na série.

94

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br


Dignos de aplausos! Outro ponto forte na série que devemos destacar, é a forma e a fidelidade que os atores encaram seus personagens, todos muito bem representados aqui. Dignos de aplausos. Um belo exemplo é o ator David Schwimmer, interpretando seu personagem Robert Kardashian, sim é esse Kardashian mesmo que você está imaginando, pai das belas modelos Kardashians que conhecemos hoje em dia. Essa é uma daquelas séries que com certeza você irá querer maratonar em seu final de semana. Contando com apenas 10 episódios, a série faz com que você não consiga parar de assistir, com um enredo e ritmo espetaculares. Essa é uma ótima pedida pra quem é fã de séries/filmes que aborda temas como investigações criminais e histórias reais nas quais não se tem certeza de que lado está a razão.

Robert Kardashian

Ator David Schwimmer

O. J. Simpson

Ator Cuba Gooding Jr.

Christopher Darden

Ator Sterling K. Brown

Em Destaque, comparações entre a realidade( a esquerda) e atores na Série( a direita). Imagens: Internet. Cena da Série The People v. O.J. Simpson Imagem: Internet.

Revista Código #7 | 2019 | Univeridade Cruzeiro do Sul | www.codigo.inf.br

95


Estimule sua criatividade. Viva os bastidores do RĂĄdio e da TelevisĂŁo


Profile for Rede Código

Revista Código #7 - Jan/2019  

Edição Especial - Filmes e Séries

Revista Código #7 - Jan/2019  

Edição Especial - Filmes e Séries

Advertisement