Page 1

Revista Renovação. Edição 112 . Set/Out 2018

REVISTA

JESUS É O SOL DA JUSTIÇA pág.06 VOCÊ ACREDITA NO BRASIL, MESMO DIANTE DO ATUAL CENÁRIO SOCIAL E POLÍTICO? pág.08 O DESAFIO DE EVANGELIZAR AS NOSSAS CRIANÇAS pág. 18 GRUPO DE PERSEVERANÇA – 3° MOMENTO DO GRUPO DE ORAÇÃO ENCARTE


Revista Renovação . Set/Out 2018

Nesta Edição

Espiritualidade

Ministérios

Eventos

06 Jesus, o sol da justiça

16 Direcionamentos para as eleições 2018

Especial

22 Escolas Regionais aproximam e promovem formação das lideranças

19 O pecado da mentira

Notícias

08 Eu acredito no Brasil!

Grupo de Oração 12 Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos

Especial 14 O desafio de evangelizar as nossas crianças

Testemunho 20 Sou um milagre vivo! Estou curada!

Sugestão de Leitura 21 Vede como eles se amam!

24 IEAD terá curso baseado em documento aprovado pelo Vaticano 25 Momentos de espiritualidade auxiliam nos trabalhos do Escritório Nacional

Vida no Espírito 26 Quem foi semeador da renovação na sua vida?

EXPEDIENTE Publicação Oficial da Renovação Carismática Católica do Brasil Editada pelo Escritório Nacional da RCC do Brasil ANO 19 - Edição Nº 112: Set/Out 2018

Jornalista Responsável: Lúcia Volcan Zolin DRT/SC 01537

ESCRITÓRIO ADMINISTRATIVO

Redação: Jersey Simon, Julianne Batista, Maria Mariana, Pedro Whately

Rodovia Presidente Dutra km 46,5, sentido Rio de Janeiro, no bairro dos Marques, s/n

Revisão: Mari Spessatto Fotos: Arquivo RCCBRASIL Projeto Gráfico, Design e Diagramação: Priscila Carvalho Venecian E-mail: dpto.comunicacao@rccbrasil.org.br

DA RCCBRASIL

seus respectivos autores. Permitida a reprodução, sem alteração do texto e citada a fonte.

Canas/SP Tel.: (12) 3151-9999 Entre em contato conosco. Envie testemunhos e sugestões para o e-mail jornalismo@rccbrasil.org.br As matérias publicadas são de responsabilidade de

3


Editorial Revista Renovação . Set/Out 2018

VAMOS PROFETIZAR UM NOVO TEMPO! Chegamos a um momento decisivo em nosso país. 2018 é ano de eleições que irão definir nossos representantes em várias esferas estaduais e nacionais. Portanto, é hora de nos unirmos em oração e também em mobilização para que um novo tempo – de esperança e paz – surja em nossa nação. A edição 112 da Revista Renovação foi pensada para ajudar os carismáticos brasileiros nessa árdua tarefa de pesquisar e decidir em quem depositar sua confiança. Preparamos várias reflexões que irão ajudar nosso leitor não a definir seu voto, mas a entender por que é importante participar de todo esse processo. Vários são os documentos da Igreja após o Concílio Vaticano II que refletem e exortam sobre a atuação do cristão leigo na sociedade. Sendo assim, mãos à obra! Hoje, mais do que nunca, somos chamados a fazer a diferença, a ser “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5, 13-14), nesse tempo de crise e desesperança! Nossa Revista quer convidar você a acreditar que é possível! Por essas páginas a seguir, seremos conduzidos pelas três virtudes teologais: FÉ, ESPERANÇA E CARIDADE que, se praticadas com verdade pelos cristãos, podem produzir transformações concretas! Somos convidados a profetizar um novo tempo, com homens e mulheres cheios do Espírito Santo e impulsionados a serem protagonistas de um Brasil mais justo e honesto! Um país melhor começa pelas ações de cada um de nós ! Começa dentro da nossa casa! Desejamos que esta leitura o surpreenda e desperte em você e nos seus a vontade de construir esse novo mundo, pautado pela verdade que só se encontra em Jesus Cristo! Uma santa e abençoada leitura! Revista Renovação

Ajude a RCC Para fazer a doação por depósito bancário, a nossa conta é: Caixa Econômica Federal Agência 0495 Operação 003 - Conta corrente 3109-4 Escritório Administrativo da RCCBRASIL CNPJ 00.665.299/0001-01

Amado(a) irmão(ã), a sua colaboração para a Renovação Carismática Católica do Brasil tem proporcionado a realização de muitos trabalhos missionários Brasil afora. O grande trabalho evangelizador é desenvolvido semanalmente em quase 20 mil Grupos de Oração. A sua doação fortalece o Grupo de Oração e ajuda a levar a experiência do Batismo no Espírito Santo a mais e mais pessoas. Obrigado! Caso você deseje colaborar com a RCCBRASIL, entre em contato conosco. Ajude-nos também divulgando esta obra. (12) 3151-9999, (12) 98138-2000, cadastro@rccbrasil.org.br


Palavra da Presidente Revista Renovação . Set/Out 2018

Katia Roldi Zavaris

Presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL Grupo de Oração Vida Nova

“E A ESPERANÇA NÃO ENGANA” (ROM 5, 5A). Amada Família Carismática, Nesta edição, a nossa revista nos convida a refletir sobre o papel da justiça na vida do povo de Deus, verificando que a perspectiva da esperança, para aquele que tem fé, se torna algo concreto no tempo oportuno de Deus:

“Teu sol não mais se deitará, e tua lua não terá mais declínio, porque terás constantemente o Senhor por luz, e teus dias de luto estarão acabados” (Is 60, 20).

“Mas, sobre vós que temeis o meu nome, levantar-se-á o sol de justiça que traz a salvação em seus raios. Saireis e saltareis, livres como os bezerros ao saírem do estábulo” (Ml 03, 20).

O mundo necessita mais do que nunca de que sejamos testemunhas dessa Luz, dessa esperança que só havemos de encontrar em Cristo, que é a razão da nossa esperança. Para nós, cristãos, a esperança tem nome e se chama Jesus. Ele dá sentido à vida humana, Ele preenche o vazio de nossos corações porque Ele é amor e o Seu amor foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. (cf. Rm 5, 5). Creia, que tudo que acontece em nossas vidas está sob o olhar de Deus, as coisas boas e as coisas ruins, sem que nada passe despercebido. E o nosso Deus cuida de nós em todos os momentos. Por isso, quero afirmar: não precisamos temer ninguém ou coisa alguma porquê a Luz de Cristo nos acompanha constantemente. São João Paulo II repetiu inúmeras vezes durante o seu pontificado: “Não tenhais medo!” Quero recordar, por fim, que o tema escolhido para este ano do laicato é: Cristãos leigos e leigas, sujeitos na “Igreja em saída”, a serviço do Reino, com o lema: “Sal da terra e luz do mundo” (cf. Mt 5, 13-14). Sabemos que o sal conserva e dá sabor aos alimentos. Da mesma maneira, nós, como testemunhas de Cristo, somos chamados a fazer a diferença no mundo em que habitamos, diante de todas as realidades obscuras em que o mundo vive, e ser a luz que ilumina o caminho daqueles que, de uma maneira ou de outra, não tiveram a graça de descobrir ou perceber que o sol sempre vai brilhar para todos, ao amanhecer. Que Deus os abençoe e que Nossa Senhora da Esperança nos leve a Teu Filho, nossa verdadeira esperança!

É importante recordar que as pessoas reagem de forma diferente diante das mesmas realidades da vida. Contudo, não somos diferentes apenas pela forma de agir, mas também pelo que cremos, bem como pela maneira como vemos o mundo. Isso determina aquilo que fazemos e a maneira com a qual construímos o nosso presente e o futuro de tudo que podemos influenciar. Jesus nos oferece a Luz, enquanto o espírito do mundo nos oferece as trevas. São Paulo aos Efésios 5, 8 nos afirma que Jesus nos faz passar das trevas para a Luz. Aquele mesmo que havia se tornado perseguidor dos cristãos pensava sobre a intensa luz que o havia cegado, no caminho de Damasco. Uma luz que o levou a refletir o calor de Jesus, pois era a luz de Cristo, a qual brilhou sobre ele e o fez recuperar a visão do mundo, agora de forma completamente nova. Ou seja, ele começou a ver o mundo com a visão de Cristo e nada mais era como antes. Sendo assim, ele nasceu para a verdadeira vida cuja alegria e paz são duradouras. Isso podemos conferir também no que São Paulo nos disse em Efésios 5, 14: “Desperta, tu que dormes! Levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará!” João Batista profetizou que, com a vinda de Jesus, a aurora estava prestes a romper com luz para aqueles que caminham nas trevas do pecado. Em Isaías 60, 20 aprendemos que nenhuma luz será necessária na Cidade Celeste, porque o próprio Senhor será a luz.

5


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

JESUS, O SOL DA JUSTIÇA Ao olharmos a sociedade atual, somos levados a crer que estamos vivendo uma crise em todas as áreas sem precedentes na história. Porém, se olharmos para o passado, veremos que a humanidade já viveu situações semelhantes. A solução? A solução é sempre a mesma, independentemente da época: Jesus Cristo, o Salvador. “Mas sobre vós que temeis o Meu Nome se levantará o Sol da Justiça que traz a salvação em seus raios.” (Ml 3, 20)

P

ouco mais de 400 anos antes do nascimento do Salvador, o profeta Malaquias foi levantado por Deus em Israel para advertir e encorajar o ‘pequeno resto’ que havia se mantido fiel ao Senhor em tempos de frieza generalizada. O quadro religioso e moral da nação era degradante; desde os líderes até os cidadãos comuns, todos pareciam ferir a aliança com Deus e Seus mandamentos. Duas eram as atitudes mais características da corrupção de então:

- os sacerdotes, líderes religiosos e educadores do povo, eram negligentes e apáticos na adoração a Deus. O templo de Jerusalém havia sido reconstruído, após a terrível devastação causada pelos babilônios, e o serviço sacerdotal havia sido restaurado. Contudo, a preguiça e a falta de zelo tornaram-se contagiantes. Não havia mais atenção acerca daquilo que era oferecido a Deus; as melhores ofertas eram poupadas e sacrifícios de menor valor eram apresentados no altar do santuário.

6

- as famílias estavam sendo destruídas. Os ho-

mens entregavam cartas de divórcio a suas esposas israelitas e tornavam a contrair núpcias com mulheres pagãs. Essa atitude estava minando o coração das crianças. A santidade do matrimônio e a fidelidade à aliança com o Senhor estavam deixando de ser ensinadas aos filhos, que ficavam propensos a seguir o exemplo de seus pais. Seria possível fazer um paralelo entre a situação espiritual de Israel no tempo de Malaquias e a dos nossos dias? Creio que sim! Como naquele tempo, vivemos uma crise de lideranças. Aqueles que deveriam dar exemplo de compromisso e seriedade ao povo parecem ter se esquecido de sua missão. Em todos os âmbitos (podemos lembrar, especialmente, o ambiente político), negligência e apatia parecem falar mais alto do que dedicação e excelência. Além disso, vemos uma profunda crise de valores afetando nossas famílias. Padrões de comportamento que desagradam a Deus são aceitos e vivenciados diante dos pequenos, que são moldados pelo exemplo dos mais velhos. Qual foi o remédio de Deus para Israel, segundo o profeta Malaquias? Veremos que é o mesmo remédio que o Senhor coloca a nossa disposição, hoje.


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

Virá o Dia do Senhor!

Por mais que as circunstâncias parecessem indicar que tudo estava fora de controle, Deus continuava soberano e apontava para uma mudança. Malaquias profetizou a chegada do ‘dia do Senhor’: no momento oportuno, Deus poria fim a toda iniquidade e restauraria o relacionamento que Seu povo havia ferido. Segundo o profeta, o ‘Sol da Justiça’ se levantaria sobre Israel, trazendo cura em suas asas. Como você pode conferir em sua Bíblia, o livro de Malaquias é a ponte entre o Antigo e o Novo Testamento. Durante quatrocentos anos, as palavras proféticas desse servo de Deus mantiveram acesa a esperança no coração do povo, até que se iniciasse o cumprimento da promessa do Senhor. O Sol da Justiça tão esperado, que traz a salvação em seus raios, não é outro senão o próprio Messias, Jesus. Com o advento do Salvador, tem início um novo tempo nos planos de Deus; tempo para sarar as feridas daqueles que o temem. Quais são as marcas características do ‘dia do Senhor’? O que experimentam aqueles que se deixam iluminar pelo ‘Sol da Justiça’? Em primeiro lugar, Malaquias diz que o dia do Senhor será abrasador como uma fornalha (Ml 3, 19). Sabemos que o refino do ouro e da prata são símbolos, na Escritura, do trabalho purificador de Deus na vida daqueles que O amam. Assim como o metal, livre das impurezas, reflete a imagem daquele que o trabalha, assim o servo fiel, purificado das marcas do pecado, reflete a luz de Deus e do Seu Cristo ao seu redor. Entre a primeira e a segunda vinda de Jesus, vivemos um tempo de purifi-

cação, de refino. Além disso, Malaquias diz que o ‘Sol da Justiça’ trará salvação em seus raios. Outras traduções dizem que Ele trará ‘cura em suas asas’. Quando estamos expostos à luz de Cristo, à Sua Palavra, somos como alguém que é tocado pelo calor curativo do sol. Em Apocalipse, capítulo 12, vemos com o apóstolo João a imagem de uma ‘mulher revestida de Sol’, diante da qual o dragão infernal interrompe a sua marcha. Sabemos que essa mulher representa Maria Santíssima, mas também simboliza a Igreja e as nossas almas. Isso significa que, como Nossa Senhora, devemos estar vestidos e encobertos pela luz de Cristo, pela sua santidade, para que possamos resistir a todas as investidas das trevas. Tendo tirado nossas vestes de luto e cobrindo-nos com as vestes do louvor, Deus nos reveste com o esplendor do Seu Filho, que afugenta toda escuridão e confusão maligna. A santidade de Jesus, à qual respondemos com nosso louvor e adoração, é cura para tempos de especial escuridão.

Um coração e um povo conduzidos pelo dom do temor são capazes de discernir em suas escolhas aquilo que mais agrada o coração de Deus Note, além disso, que, segundo Malaquias, o Sol da Justiça se levantará sobre ‘aqueles que temem o Senhor’. Deus restabelece os laços da aliança com aqueles

que O temem. Uma nova situação advém sobre o povo quando há um renovado temor do Senhor entre os habitantes da nação. Os tempos do Messias e o povo do Messias são definidos por um derramamento do dom do temor de Deus. Mas, afinal, o que significa isso? O dom do Santo Temor é concedido pelo Espírito de Deus para que saibamos escolher com correção os caminhos que nos levam para mais perto da Sua santa vontade: Um coração e um povo conduzidos pelo dom do temor são capazes de discernir em suas escolhas aquilo que mais agrada o coração de Deus e que, portanto, nos conforma a Seus projetos e desígnios. Quão abençoada a vida daqueles cujo desejo é corresponder aos santos propósitos do coração do Pai! Sobre eles brilha o Sol da Justiça, fazendo-os ver os caminhos abertos pela bondade de Deus. Quão abençoada a nação cuja liderança e o povo são movidos pelo santo temor de Deus! Acolher a correção de Deus; deixar-se curar pela presença amorosa de Jesus; ser batizados no Santo Temor. Essas são as marcas do ‘dia do Senhor’. Esse é o tempo novo que esperamos viver também em nossa pátria. Que Jesus, o Sol da Justiça, brilhe no céu do Brasil! Que os caminhos tortuosos sejam definitivamente fechados e que sendas de justiça e retidão se abram diante de nós. Que a Igreja de Cristo seja a vanguarda de um novo tempo! Vem, Senhor Jesus! Por Pe. Antônio José Assessor Eclesiástico da RCC no Rio de Janeiro Assessor Espiritual do Conselho Nacional da RCCBRASIL.

7


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

EU ACREDITO NO BRASIL! Muitas vezes, o atual cenário social e político do país nos motiva a querer deixá-lo, a perder totalmente a esperança, mas, como filhos de Deus, somos chamados a ter fé e fazer a nossa parte para mudar essa realidade.

8


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

A

o longo das últimas décadas, fatores políticos, econômicos, sociais e ideológicos têm conduzido o Brasil para um caos generalizado que enfrentamos diariamente. Temos sentido na pele o efeito de políticas públicas ineficientes, que não correspondem à real necessidade da população brasileira. Além disso, há a corrupção sistêmica que usurpa de maneira predatória e sem nenhum tipo de pudor os recursos públicos que deveriam ser utilizados para o bem comum. Diante deste cenário, o que nós, cristãos, temos feito? Qual a nossa conduta? Quando olhamos para as diferentes realidades do nosso país, por muitas vezes somos tomados por profundo desânimo, derrota, desesperança e desinteresse. Muitos de nós até nutrem em seu interior o desejo de mudar para outro país, dizendo que o Brasil não tem mais jeito, não tem mais solução e que ir embora para outro lugar do mundo trará para sua vida mais conforto, dignidade e justiça. Deixamos assim de acreditar no Brasil!

O que nós, cristãos, temos feito? Qual a nossa conduta? Em Efésios 4, 17-18, somos exortados quanto a nossa conduta cristã, sendo alertados para nosso pensamento, comportamento e atitude: “Não persistais em viver como os pagãos, que andam à mercê de suas ideias frívolas. Têm o entendimento obscurecido. Sua ignorância e o endurecimento de

seu coração mantêm-nos afastados da vida de Deus.” Por conta de uma revolução cultural deflagrada no seio da humanidade, ficamos contaminados com todo tipo de pensamentos e ideologias. Parece que nos foi tirada a capacidade de compadecer-se com as situações de desigualdades. Quando olhamos para algo que deveria nos causar profunda indignação e até mesmo nos levar a mudanças comportamentais, nossa postura acaba sendo superficial, limitamo-nos a olhar de longe, não nos comprometendo com a realidade.

Precisamos retomar a nossa autenticidade de cristãos, convictos de nosso papel na sociedade Precisamos retomar a nossa autenticidade de cristãos, convictos de nosso papel na sociedade, propagando os valores do Evangelho, sendo Sal da Terra e Luz do mundo, transformando as realidades com o nosso testemunho e nossa conduta. É preciso resgatar a esperança na nossa nação, no nosso povo, voltar a acreditar e sonhar com um país onde se viva verdadeiramente a ordem e o progresso, onde a dignidade da pessoa humana é respeitada e onde desigualdade e injustiça são fortemente combatidas. O primeiro passo é entender que um dos meios para essa transformação é a política. “A política

é uma das formas mais altas da caridade, porque busca o bem comum” (Papa Francisco). É preciso ter fé! Faz parte da natureza do homem crer (S. Tomas de Aquino). “A fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê” (Hb 11,1). Precisamos retomar a prática dessa virtude em nossa vida. Nascemos para cuidar das coisas que Deus criou para nós e também para viver bem uns com os outros, para cultivar e praticar a virtude, que é a boa vontade de sempre fazer o bem. “O vínculo virtuoso entre as gerações é garantia de futuro e de uma sociedade verdadeiramente humana” (Papa Francisco). “A fé é a virtude teologal pela qual cremos em Deus e em tudo o que Ele nos disse e revelou e que a santa Igreja nos propõe para acreditarmos, porque Ele é a própria verdade. Pela fé, ’o homem entrega-se total e livremente a Deus’ (67). E por isso, o crente procura conhecer e fazer a vontade de Deus. ’O justo viverá pela fé’ (Rm 1, 17) (CIC, 1814).São Tiago alerta:’a fé sem obras é morta’” (cf. Tg. 2,26).

De que adianta a pessoa acreditar em Deus e não fazer nada para melhorar o mundo que Ele criou com tanto amor? De que adianta a pessoa acreditar em Deus e não fazer nada para melhorar o mundo que Ele

9


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

criou com tanto amor? Ao olhar para o cenário difícil na política, economia e problemas como a violência, desigualdade social e a corrupção em nossa nação, precisamos recordar o que Santa Teresa de Calcutá dizia: “Eu sei que o meu trabalho é como uma gota no oceano, mas, sem ele, o oceano seria menor”. É assim, portanto, que devemos permitir que a fé nos leve a praticar a justiça em tudo que fazemos, lembrando que Deus tudo pode mudar e transformar. “Há dois caminhos, um da vida e outro da morte; mas entre os dois há grande diferença”(CIC, 1696). A atitude da humanidade sempre foi almejar e buscar um grau mais elevado, esperar ser melhores a cada dia. Mesmo os pagãos antigos esperavam ser melhores. Nos grandes filósofos da antiguidade, Platão, Sócrates, etc., percebemos esta dinâmica, da busca pelo homem virtuoso. O caminho da morte é o caminho da desesperança, nos faz acreditar que não há mais solução. E como chegamos a isso?

10

A filosofia de Maquiavel parou essa dinâmica da humanidade da busca pelo homem virtuoso. A partir dele as coisas mudaram completamente, pois ele propagou que não adiantava querer a virtude, já que o homem é egoísta, traiçoeiro, busca o poder e essa é a natureza. O importante é alcançar aquilo que se deseja, não importando de que modo. Isso acabou com a humanidade inteira: paramos de sonhar com um coração melhor. Perdemos a esperança! Perdemos a noção da nossa grandeza, da grandeza de nossa vocação!

É preciso lembrar que a humanidade está assim, MAS NÓS NÃO SOMOS ISSO! Somos chamados à grandeza do amor! O primeiro passo para ter esperança é crer. Crer que Deus fez algo de bom quando nos fez. Precisamos crer na bondade de Deus que nos criou. Precisamos de esperança!

Somos chamados à grandeza do amor! O primeiro passo para ter esperança é crer O caminho da vida é o caminho da esperança, “virtude teologal pela qual desejamos o Reino dos céus e a vida eterna como nossa felicidade, pondo toda a nossa confiança nas promessas de Cristo e apoiando-nos, não nas nossas forças, mas no socorro da graça do Espírito Santo”(CIC 1817). E assim, “O Sol da Justiça brilhará no horizonte do Brasil!” Precisamos refletir sobre tudo o que está acontecendo, encontrar onde está a falha e buscar uma solução. Sozinhos, não somos nada, mas, com Deus, tudo podemos. A esperança nos leva a tentar vencer os obstáculos. É preciso resgatar a esperança em nosso Brasil, apegados e confiantes a esta promessa, e assim veremos brilhar a justiça divina. Eu acredito no Brasil e não quero mudar para outro país, quero, sim, lutar e ajudar a construir um novo Brasil, com fé e esperança, pois em Deus tudo podemos! Por Maycon Moreira Pinto Coordenador Estadual do Ministério de Fé e Política da RCC Santa Catarina Grupo de Oração Sagrados Corações


Espiritualidade Revista Renovação . Set/Out 2018

11


Institucional Grupo de Oração Revista Renovação . Set/Out 2018

NISTO TODOS CONHECERÃO QUE SOIS MEUS DISCÍPULOS Prestar serviços em asilos, presídios, orfanatos é, por certo, uma atitude autenticamente cristã. Porém, se fizermos tudo isso, mas não formos capazes de amar, perdoar as pessoas que convivem conosco, no Grupo de Oração, no ministério, na família, não estaremos dando verdadeiro testemunho evangélico. A caridade começa no Grupo de Oração, entre seus membros, e precisa ecoar na sociedade das mais diversas formas Geralmente, quando se pensa em caridade, trabalham-se ações concretas como: ir ao encontro de alguém que está morando na rua, que passa fome; uma visita ao doente no hospital; visitar quem está no presídio; levar roupas em campanha do agasalho, etc. Tudo isso é importante, necessário e essencial, mas, sem o tempero principal, que é o amor, será apenas o cumprir metas, preencher calendário ou desencargo de consciência. Na carta aos Coríntios, no capítulo 13, o Apóstolo Paulo, em um texto voltado à caridade, resume de forma ímpar, dizendo: “Por ora subsistem a fé, a esperança e a caridade - as três. Porém a maior delas é a caridade” (I Cor 13, 13). Neste capítulo, ele exprime que podemos fazer muitas coisas, mas se não for com amor, é muito barulho por nada, ou seja, “é como o bronze que soa, ou como o címbalo que retine” (I Cor 13, 1).

12

O Ministério de Promoção Hu-

mana tem desenvolvido, ao longo dos tempos, trabalhos de forma assistencial em vários campos. Ultimamente, o Projeto Abraço do Pai, que já foi executado em vários estados, abrange o atendimento de vários segmentos profissionais (saúde, jurídico, estético, etc); o atendimento espiritual; a distribuição de bens, tais como roupas, alimentos e outros. Há, também, Grupos de Oração que desenvolvem trabalhos junto aos hospitais, casas de recuperação, presídios, asilos e outras entidades, buscando levar o amor de Deus àqueles que de alguma forma não foram amados. Mas a essência do Ministério da Promoção Humana é muito mais profunda e é preciso aplicar uma verdadeira promoção humana dentro de todos os Grupos de Oração para que realmente possamos viver como irmãos. Importante acrescentar que o Grupo de Oração não é um escritório ou uma fábrica para o qual vou no dia da Reunião de Oração, ‘faço o regis-

tro da minha presença’ e apareço somente na semana que vem, pois preciso servir. É preciso resgatar a verdadeira essência de família carismática, para que possamos viver plenamente o amor entre nós. Amor que muitas vezes passa por gestos simples, como ouvir o que o outro tem a dizer, comemorar as vitórias, mas estar junto também nas dificuldades. Por exemplo: quando algum familiar de um membro do Grupo de Oração foi para a páscoa definitiva. É preciso estar presente também para se alegrar quando nasce uma criança que trará muitas alegrias. Estar unido na saúde e estar mais próximo na doença. De fato, não dá para acompanhar a todos, mas se cada membro se compromete a acompanhar alguém, o pastoreio acontece. Na doutrina social, a Igreja ensina que “entre promoção humana e evangelização, há laços profundos de ordem teológica, antropo-


GrupoInstitucional de Oração Revista Renovação . Set/Out 2018

lógica e da caridade” ( nº 66). Para se chegar à caridade é preciso entender que Deus não é castigador, Ele me ama, me espera sempre de braços abertos (Lc 15, 11-32); compreender a ordem antropológica, onde eu tenho que me perdoar, me acolher, amar a mim mesmo (Mc 12, 33). Assim me amando, amar o meu próximo, compreender e ter compaixão de suas dores e sofrimentos, reconhecendo muitas vezes na dor do outro as minhas dores; na vergonha do outro minhas vergonhas; nas lutas do outro as minhas lutas (Lc 10, 29-37). A caridade se torna mais forte à medida que medito e pratico esses passos.

Amor que muitas vezes passa por gestos simples, como ouvir o que o outro tem a dizer, comemorar as vitórias, mas estar junto também nas dificuldades Aprofundando sobre a caridade, é importante relembrar, que os Grupos de Oração da Renovação Carismática Católica, precisam ser celeiros de amor, nos quais todos que ali chegam possam se sentir à vontade para partilhar suas vidas; não haja brigas e divisões; o perdão seja vivenciado por todos os servos. Independente do estado que a pessoa se encontra, ao chegar à Reunião de Oração, que esta possa ser recebida com o verdadeiro abraço do Pai, pelos braços dos servos. O Grupo de Oração nunca deve ser um tribunal, mas um hospital que irá recuperar os feridos das lutas da vida.

Como canta Thiago Brado em sua canção Verdades do Tempo: “Ame mais, abrace mais, passado não volta, futuro não temos e o hoje não acabou. Por isso ame mais, abrace mais, pois não sabemos quanto tempo temos pra respirar. Fale mais, ouça mais”. Aliás, ouvir é algo que está presente na Apostila de Acolhida e Pastoreio, que é o ouvir ativo. Em muitos Grupos de Oração acontece um certo “Martismo”, por meio do qual o fazer sobrepõe a qualidade de tempo. Poder conversar e conhecer melhor os irmãos precisa ser prioridade. É importante aprender a conectar-se em tempo de conectividade, pois, nenhuma rede social, por melhor que seja, consegue substituir uma boa e verdadeira conversa presencial; o famoso ‘café com um dedo de prosa’; ajuda na cura de muitos males.

Os Grupos de Oração da Renovação Carismática Católica, precisam ser celeiros de amor, nos quais todos que ali chegam possam se sentir à vontade para partilhar suas vidas Portanto, a caridade começa no Grupo de Oração, entre seus membros e precisa ecoar na sociedade das mais diversas formas. Em qualquer dos lugares que um Grupo de Oração for (hospital, asilo, orfanato, presídio, aos irmãos que estão nas ruas) lá estará plantando mais amor.

Em Romanos 12, 9-21, o Apóstolo Paulo traz trilhas importantes de como viver a caridade, principalmente no versículo 9: “Que vossa caridade não seja fingida”. De que adianta ir ao asilo, ao presídio, ao orfanato, se em meu coração não consigo perdoar a pessoa que convive comigo no Grupo de Oração, no ministério, na família? Nosso Senhor deixa bem claro isto: “Se estás, portanto, para fazer a tua oferta diante do altar e te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa lá a tua oferta diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; só então vem fazer a tua oferta” (Mt 5, 23-24).

A caridade começa no Grupo de Oração, entre seus membros e precisa ecoar na sociedade das mais diversas formas No ENF de 2018, dois tópicos foram bem abordados: Conversão Sincera e Fraternidade Autêntica. Uma está ligada intrinsecamente à outra, pois há uma conversão sincera quando eu reconheço que preciso dar passos firmes na fé, um destes passos importantíssimos, senão o mais importante é pedir e dar perdão. Assim acontece uma fraternidade autêntica, que se expande além das fronteiras do Grupo de Oração, e, como diz Nosso Senhor: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns ao outros” (Jo 13, 35). Por Edivan Ricardo Coordenador Estadual do Ministério de Promoção Humana da RCC Tocantins Grupo de Oração São João Paulo II

13


Especial Revista Renovação . Set/Out 2018

O DESAFIO DE EVANGELIZAR AS NOSSAS CRIANÇAS É importante e urgente tocar o coração das crianças e adolescentes como uma forma de colaborar para a construção de um país mais justo e fraterno. Nesse sentido, o trabalho do Ministério para as Crianças surge como protagonista dessa ação transformadora. No ano de 1952, quando o cantor Francisco Alves cantou a música “Canção das Crianças”, composta por ele e René Bittencourt, talvez não imaginasse quão diferente se encontraria nosso Brasil nos dias de hoje, quão desafiador seria a missão de evangelizar e instruir para o sagrado as nossas crianças. Num mundo tão cheio de influências e influenciadores, como mostrar o sagrado? Qual seria o papel delas na evangelização e como a RCC pode contribuir nesse cenário? As crianças são sementes de um amanhã melhor, são esperança viva e são importantes para a construção do Reino de Deus. Qual o momento certo para cuidar dessas sementes? A percepção desse momento certo para semear vai nos falar do quão produtivo ou não será

14

a colheita! Qual cuidado será necessário para cada tipo de semente, uma vez que cada semente requer um cuidado específico. Não podemos semear uva, da mesma forma que semeamos milho, ou podemos? Se queremos que as sementes do amanhã cresçam, elas precisam ser cultivadas com muito amor, cuidado e zelo, hoje! Encontramos Grupos de Oração cheios de crianças e, em muitas realidades, por vezes escutamos a pergunta: O que faremos com tantas crianças? Não temos quem possa evangelizá-las! E quando essas crianças se tornam adolescentes, não tenho jeito para evangelizá-los, o quê fazer? Para que as crianças e adolescentes encontrassem um lugar todo seu, com linguagem adequada a sua idade, na construção do ser criança, do ser adolescente, do tornar-se jovem, para que ela pudesse viver as mesmas experiências vivida por seus pais semanalmente, surgiu o Ministério para as Crianças. É a manjedoura que

acolhe e vê em cada criança um Cristo que precisa, assim como o Menino Jesus, “crescer em estatura, em sabedoria e graça, diante de Deus e dos homens” (Lucas, 2, 52). Hoje, com profunda alegria, podemos afirmar que temos um lugar pra semear e ver crescer as nossas crianças e adolescentes dentro do Grupo de Oração. Esse lugar tem transformado e formado a vida daqueles que entram na “salinha para as crianças”. Hoje encontramos em todos os estados do Brasil e no Distrito Federal Grupos de Oração prontos para acolher a criança e o adolescente. De Norte a Sul, de Leste a Oeste, é possível contemplar essa chama de amor que se espalha com a força do Espírito Santo. São lugares coloridos com as cores do querigma e que geram frutos de alegria, paz e conversão. Surgindo em um primeiro momento como um projeto do Ministério para as Famílias, no ano de 2000, assim nasceu esse sonho de Deus para as crianças do Brasil, dentro de uma família! Lugar de gerar, de guardar, de proteger, de educar, de corrigir, de respeitar o ser criança e principalmente de amar. Esse projeto, diante de grandes desafios e muitas descobertas, foi crescendo até ganhar feições próprias de um serviço dentro do Grupo de Oração para toda a Renovação Carismática Católica.


Especial Revista Renovação . Set/Out 2018

Evangelizar as crianças faz-se imprescindível e urgente, pois, talvez na escola ou na sua família não encontrarão quem semeie sua fé. Essa é uma missão desafiadora para a Igreja! As crianças evangelizadas tornam-se, ainda na sua adolescência, evangelizadoras das outras crianças que vão surgindo em seus ‘grupinhos’ e permitem que essas vivam as mesmas experiências. Depois vão crescendo e amadurecendo na fé, até terem a idade para participarem das atividades próprias para a juventude dentro da RCC. Muitas delas tiveram nos seus Grupos de Oração experiências profundas com Deus e perseveraram em um coração de criança, livre para amar e servir a Deus. Muitas, ainda na infância, viveram o desabrochar da sua vocação preservada e alimentada na “salinha”. Certamente, teremos muitos Sacerdotes e Religiosas que dirão: “Fiz minha primei-

ra experiência com Deus em um dos Grupos de Oração para Crianças e Adolescentes da RCC, ainda na minha infância”. Nesse contexto, os que são chamados a serem evangelizadores assumem sua missão de cuidar do crescimento saudável dessa rosa, impedindo que elas sejam arrancadas e morram sem embelezar o jardim de Deus. A evangelização delas deve acontecer não só nos momentos da reunião de oração, indo além, muitas vezes devolvendo nossas madrugadas de oração ao Senhor, trazendo para si, o compromisso de profunda intimidade com Deus e vida de oração. Eles não devem levar de si para evangelizar, eles retiram do Sagrado Coração de Jesus os tesouros necessários para evangelizar cada criança e adolescente. Ao pensarmos como estará a RCC daqui a alguns anos, torna-se impossível não pensar e olhar para nossas crianças e adolescentes ven-

do a beleza e sentido o perfume que trarão sendo os intercessores, músicos, pregadores, comunicadores, evangelizadores, sacerdotes, lideranças e por que não sonhar de vê-los inseridos também no Senado, no Congresso, nas mais diversas áreas da sociedade, testemunhando o que a Cultura de Pentecostes realizou em suas vidas? Acolhê-los é um compromisso da RCC com o país, com a transformação das realidades e desigualdades sociais. Dai-nos, Senhor, a graça de acolher as crianças, amá-las e evangelizá-las segundo os desígnios de Teu Sagrado Coração. Conduz cada passo daqueles que podem e têm o dever de garantir o crescer em estatura, sabedoria e graça dessas crianças!

Anabelly Medeiros Lopes Coordenadora Nacional do Ministério para Crianças da RCCBRASIL Grupo de Oração Família Sopro Divino

15


Institucional Ministérios Revista Renovação . Set/Out 2018

DIRECIONAMENTOS PARA AS

Com objetivo de esclarecer seus leitores e ajudar neste tempo de processo eleitoral, a Revista Renovação conversou com o coordenador nacional do Ministério de Fé e Política da RCCBRASIL, Sérgio Zavaris. Leia a entrevista e saiba como agir enquanto membro do Movimento. Convidamos a todos a uma profunda reflexão sobre o tema, acompanhando a entrevista que segue! Revista Renovação: O Brasil enfrenta graves problemas com seus políticos, o que está distanciando as pessoas da política. Além da velha conhecida corrupção, temos aqueles que são eleitos pelo povo e que trabalham apenas para beneficiar seus grupos. Diante disso, fica a pergunta: ainda podemos confiar na política como forma de resolver os problemas do país? Sérgio Zavaris: Creio que devemos confiar em Deus. Mas a política é a forma mais sensata de enfrentarmos nossos problemas – não há outra saída. Ou, pelo menos, qualquer outra opção será muito dramática e, talvez, sangrenta. E não se pode dizer que isso é solução. Revista Renovação: A democracia ainda é a forma de governo na qual um povo tem a chance de se mostrar unido como nação. Qual é a sua visão a esse respeito?

16

Sérgio Zavaris: É preciso perceber que é hora de exigir de nossos representantes valores morais e éticos nas pequenas coisas e, também, nas grandes. Se deixarmosnos influenciar por propagandas e pesquisas eleitorais, seremos ludi-

briados pela ‘casca’, mas teremos um conteúdo fraco. Acabaremos escolhendo políticos sem condições de levar o Brasil para além de nosso próprio tempo. E, com isso, continuaremos a patinar no mesmo lugar, enquanto outras nações avançam no século XXI. Você me diz que a velha e conhecida corrupção é um problema. Mas ela não começa depois da eleição, quando o político eleito começa a exercer o seu cargo. A corrupção começa na eleição, quando as pessoas querem favores para poder defender um candidato. Se a pessoa é líder ou está em condição de influenciar outras pessoas, ela não o faz se não há a troca de um favor, um benefício indireto, ou até mesmo um benefício direto, escancarado! Será preciso que cada um pergunte a si mesmo se ele é capaz de apoiar alguém sem esperar nada em troca, para então a coisa começar a mudar de fato. Revista Renovação: Recentemente, a RCCBRASIL lançou em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC Rio) um curso sobre Doutrina Social da Igreja. O que é a Doutrina Social e como ela pode ajudar os católicos do Brasil a agir na sociedade?

Sérgio Zavaris: Doutrina Social da Igreja (DSI) é o conjunto de ensinamentos contidos na doutrina e no Magistério da Igreja Católica. Ela é baseada nas Sagradas Escrituras e está contida em muitas encíclicas e pronunciamentos dos papas. Seu propósito é fixar princípios, critérios e diretrizes gerais a respeito da organização social e política dos povos e das nações à luz do Evangelho. É um convite da Igreja para “levar os homens a corresponderem, com o auxílio, também, da reflexão racional e das ciências humanas, à sua vocação de construtores responsáveis da sociedade terrena”. O intricado universo de assuntos a serem decididos em um país gigante como o Brasil, ainda mais no tempo atual, permite que um leigo facilmente se perca, por mais bem intencionado que ele esteja. Assim, tomar a DSI como base para as reflexões das nossas questões é mergulhar cada problema nas águas do Espírito Santo, para que Deus possa limpá-lo e a gente possa enxergar o que fazer. Revista Renovação: O Ministério de Fé e Política tem encam-


Eventos Revista Renovação . Set/Out 2018

pado um projeto inspirado pelo Espírito Santo para este pleito eleitoral de 2018. O que é este projeto, no que consiste? Sérgio Zavaris: O Ministério de Fé e Política propõe à RCC dizer não ao voto de cabresto. A RCC quer seu povo protagonista eleitoral, dono do voto, autor da decisão. Para isso, é necessário que o eleitor entenda a dimensão e responsabilidade que voto. E essa responsabilidade deve ser exercida através do discernimento pessoal – orar, jejuar, adorar, entregar a Deus e decidir livremente em quem votar. De acordo com a INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 02/2015, a RCC divulga o seu posicionamento quanto ao acompanhamento do pleito em questão. Nesse caso, os colegiados do Conselho Estadual e do Conselho Nacional, reunidos para discernir o que fazer e como melhor enfrentar a dinâmica da disputaeleitoral, podem definir primícias a serem lançadas como as melhores ofertas de representantes para aquele pleito. Diante desse discernimento, a RCC anuncia a seu povo o resultado do discernimento, evitando que atores individuais ou pequenos grupos de membros do movimento o façam, como forma de apoio oficial. O Projeto do MFP consiste em mobilizar a RCC a participar ativamente do debate, do planejamento, da discussão e dos encaminhamentos das questões políticas para melhor definir o país que se quer para o futuro de todos.

A orientação não é obrigar ou persuadir os eleitores carismáticos a votarem em pessoas. Tampouco assume que determinado candidato é o candidato da RCC, pois não somos um partido político e isso feriria a Legislação Eleitoral. Mas quando um Conselho da RCC faz um verdadeiro discernimento no Espírito Santo de Deus e o anuncia de forma responsável, o que se concretiza é a oferta de um elemento a mais no conjunto de variáveis que sustentarão o eleitor em sua decisão final. Revista Renovação: Mas isto não traz riscos para o nosso Movimento como, por exemplo, alguns políticos pensarem que podem usar a Renovação como “cabresto eleitoral” ou mesmo depois que forem eleitos se desvirtuarem, maculando o nome da RCC? Sérgio Zavaris: Certamente, a vitória nesta batalha será um processo de avanços e retrocessos, mas que só poderá ser alcançada através da persistência e depuração da própria participação e de todos os envolvidos. Não há mágica. Não há salvador da pátria. Há um grupo de homens e mulheres de boa vontade que acreditam na força da fé para transformar o mundo. Se alguém se perde, ele mostra que não está apto para este desafio. “Aquele que põe a mão no arado e olha para trás não é apto para o Reino de Deus” (Lc 9, 62). Por isso, é tão importante uma constante renova-

ção, como nosso próprio nome sugere. Revista Renovação: O que os leitores da Revista Renovação precisam levar em conta para exercerem seu compromisso eleitoral neste pleito? Sérgio Zavaris: Recordo o CRITÉRIO DE ANÁLISE dos 5 P’s – Passado, presente, proposta, partido e pertença de cada candidato. Ou seja, qual o passado do candidato? Qual o seu currículo acadêmico e o seu currículo de envolvimento nas questões da sociedade? Depois, qual o presente do candidato? O que ele faz atualmente para contribuir ou ajudar no trabalho em prol do bem comum? Na sequência, quais são as suas propostas? Que proposta de governo, projeto político ou plano de mandato ele apresenta para sustentar sua candidatura? Não se deve esquecer de avaliar em que partido ele está filiado. O candidato tem condições de defender as ideias que propõe dentro do partido ao qual está filiado? A diretriz do partido está alinhada com as orientações da DSI? E, por fim, qual a pertença do candidato? A que grupo de pessoas o candidato pertence?

17


Projetos Revista Renovação . Set/Out 2018

18


Especial Revista Renovação . Set/Out 2018

O PECADO DA MENTIRA Por “menor” ou aparentemente “inofensiva” que seja, a mentira é, sim, um pecado. Alguém que deseje permanecer sob o Senhorio de Jesus - Aquele que é o Caminho, a Verdade e a Vida, não pode ter o hábito de mentir, mesmo que isso, em determinadas situações, pareça ser a única alternativa. Isso é viver o Evangelho autenticamente. A verdade e a mentira são veredas extremamente distintas. A verdade é um caminho reto, luminoso e sadio, enquanto a mentira é um atalho sinuoso, obscuro e nocivo. O hábito de mentir pode tornar-se um ‘pecado de estimação’, quando consideramos que há mentiras menos graves das quais podemos fazer uso quando queremos evitar participar de uma reunião, atender alguma pessoa pessoalmente ou ao telefone. As circunstâncias, por vezes, podem nos indicar como única saída uma ‘pequena mentira’, como uma válvula de escape para uma determinada situação, em que a consciência nem nos cobra, mas que continua sendo mentira, pois a mentira em nenhuma situação é justificável. O Catecismo da Igreja Católica, no parágrafo 2485, nos diz: “A mentira é, por sua natureza, condenável”. O que se tem visto é a proliferação da cultura da mentira, por vício, falha de caráter ou oportunismo por qualquer motivo e situação. Infelizmente, no Brasil, muitas coisas se resolvem pelo vergonhoso ‘jeitinho brasileiro’, este, por vezes, defendido veemente, mas em suma são meios de conseguir algo por vias ilegítimas. De tal modo, fornecemos condições para injustiça, desigualdade e corrupção. A mentira, em muitas ocasiões, é empregada como sendo uma verdade para que possamos nos habituar ou nos tornar indiferentes a ponto de aceitar

de forma confortável a mentira em nossos ambientes de trabalho, em nossos relacionamentos, em nossa comunidade. Desse modo, se encontram argumentos para justificar uma conduta mentirosa em palavras e ações. Somos chamados à prática da verdade para que possamos dar frutos concretos de mudança e transformação em nossa sociedade. No Evangelho de São Lucas 6,45, encontramos a palavra que nos diz “... a boca fala daquilo de que o coração está cheio”. É no coração do homem que se encontra a raiz da verdade ou da mentira, não podemos ser permissivos com a mentira para não cedermos à tentação do pecado. Vemos nas Sagradas Escrituras, no livro do Gênesis, que a mentira foi o instrumento usado pela serpente para convencer Eva a comer do fruto proibido e, assim, desobedecer à ordem de Deus. A mentira transgride a vontade de Deus, nos afasta da luz da justiça e nos faz sucumbir à escuridão e à iniquidade. É tempo de romper com a conivência da mentira em todas as circunstâncias. É preciso levar em conta que, como cristãos, devemos ter um genuíno compromisso com a verdade, pois Jesus, o nosso Senhor, se definiu como “o caminho, a verdade e a vida”. Por Josirene França Coordenadora Nacional do Ministério de Intercessão Grupo de Oração Quem como Deus

19


Testemunho: A RCC na minha vida Institucional Revista Renovação . Set/Out 2018

SOU UM MILAGRE VIVO! ESTOU CURADA! Me chamo Maria Luziane Pinho, tenho 35 anos. Em 1987, quando eu estava com um ano e seis meses de vida, comecei a desenvolver os sintomas de uma doença que não foi imediatamente diagnosticada. Meus pais me levaram a vários médicos mas, como morávamos no interior, ninguém conseguiu descobrir do que se tratava; inclusive tomei medicamentos errados por algum tempo. Quando meus pais viram que, mesmo medicada, eu continuava perdendo peso e meu abdômen crescendo, resolveram me levar até Fortaleza(CE), onde foi feito um estudo sobre a doença. Após uma série de exames, os médicos pensaram que meu problema era gordura no fígado. De acordo com esses especialistas, eu não iria viver até os cinco anos de idade. Para meus pais foi muito doloroso ouvir esse diagnóstico, porque meus três irmãos (eu sou a quarta filha) já haviam falecido com os mesmos sintomas. Porém, aquele diagnóstico dos médicos estava errado. Quando completei 12 anos e já convivia com isso normalmente, perdi o meu pai. Ele foi assassinado na porta da minha casa com cinco tiros. Minha mãe e eu fomos as primeiras a vê-lo. Sofremos muito e eu acabei desenvolvendo depressão, sentia medo de tudo e chorava muito. No entanto, mais uma vez, Deus, com seu infinito amor, nos ergueu, embora naquela época ainda não tivéssemos consciência sobre a Sua ação em nossas vidas. Mais tarde, entendemos que era Ele quem estava agindo em minha vida. Nessa fase, comecei a estudar em uma escola como as demais crianças e a ter forças para enfrentar os desafios das nossas vidas. Consegui concluir o Ensino Fundamental e o Ensino Médio.

20

Em 2000, finalmente, conheci Aquele que estava

me sustentando ao longo de todos os anos de sofrimento. Uma prima me levou a um Grupo de Oração da RCC. Foi então que eu pude comprovar que tudo o que havia acontecido comigo, como permanecer viva e superar a depressão, era obra desse Deus. Em 2002, obtive um diagnóstico concreto: era Doença de Niemann Pick Tipo B, que não tem tratamento por ser uma doença raríssima. Depois que descobriram o que eu realmente tinha, passei a receber acompanhamento especializado, já que, além do meu fígado, foi descoberto que o meu baço também era aumentado e minhas plaquetas baixas. Em maio de 2010, tive que ser levada às pressas para Fortaleza(CE), porque eu estava muito inchada, a ponto de não conseguir falar nem respirar. Fui internada e enfrentei uma jornada de muitas dificuldades. Depois de muitas consultas e exames, foi detectado um quadro de cirrose hepática. Entrei na fila de espera por um transplante de fígado, e Deus se mostrou fiel como sempre. Fiz a cirurgia e deu tudo certo. Logo em seguida, em menos de 24 horas, tive que entrar em outra cirurgia para a retirada do baço. Os médicos disseram que eu só tinha 20% de chances de sair viva dessa outra cirurgia. Estou bem, servindo no meu Grupo de Oração e no Ministério de Pregação. Quero cada dia mais continuar a missão de levar meu testemunho para que, assim, outras pessoas possam acreditar em Deus. Hoje, para honra e glória de Deus, estou curada. Livre da depressão e da doença de Niemann Pick. Sou um milagre vivo, a prova de que Deus realiza em nós o impossível! Por Maria Luziane Pinho Grupo de Oração: Deus é Providência Acopiara - Diocese de Iguatu(CE)


Sugestão de Leitura Revista Renovação . Set/Out 2018

VEDE COMO ELES SE AMAM!

A unidade com os irmãos é o maior testemunho que pode fazer com que o mundo creia na Salvação proporcionada por Jesus Cristo. Em ‘Vede como eles se amam’, temos a oportunidade de acompanhar os detalhes de uma conversa íntima que o Senhor teve com membros do Conselho Nacional da RCCBRASIL. Um livro que relata o que o Senhor quer do Movimento! Suas orientações são claras e revigorantes, por isso, devem chegar ao conhecimento de todos aqueles que buscam diariamente viver sob a ação do Espírito Santo! Tudo começou no ano de 2016, quando a presidente do Conselho Nacional, Katia Roldi Zavaris, atendeu a um pedido do Senhor e convocou os membros do Conselho para viverem um Retiro que passasse pela Terra Santa e também por Roma, na Itália. Foi, de fato, um momento ímpar de escuta profética da vontade de Deus. Uma experiência que se tornou livro e hoje todos que leem têm a possibilidade de também entrar em sintonia com o Senhor. A Renovação Carismática Católica busca viver a unidade tão pedida pela Igreja. Em comunhão uns com os outros, almeja-se levar a evangelização, por meio do Batismo no Espírito Santo, missão primeira do Movimento. Esse deve ser o compromisso de cada membro da RCC. Assim, o Senhor pede que se volte a atenção a Ele para não correr o risco de se perder pelo caminho. Deus quer um serviço nos Grupos de Oração pautado pela docilidade e humildade. Conforme o relato dessa Escuta Profética, já na primeira parte da viagem, o Conselho Nacional foi provado a viver a unidade e a humildade em Deus. Os

conselheiros se viram obrigado a viajarem em voos separados e chegarem em horários diferentes. Mas, num ato de providência divina, houve um atraso e os conselheiros chegaram praticamente juntos, podendo seguir o percurso TODOS juntos. No caminho, saindo do aeroporto, os membros do Conselho viveram momentos de oração, aprenderam sobre as Sagradas Escrituras e, ainda, conheceram a realidade da vida local na atualidade e nos tempos relatados na Bíblia. O guia do grupo, orientando sobre as plantações locais, evidenciou que foi uma orientação de Deus, como está no Livro de Isaías 32,15, que levou os agricultores na época a mudarem as suas práticas e proporcionarem fertilidade àquelas terras secas. Nessa partilha e aprendizado entre os membros do Conselho, foi possível se perceber já uma exortação do Senhor: “O orgulho eleva o joio e a humildade faz o trigo frutificar”, segundo os registros dos escritores do relato do Retiro na Terra Santa. Portanto, ‘Vede como eles se amam’ é mais que um livro. É claramente a vontade de Deus impressa em folhas diante dos nossos olhos. Basta ler essas riquíssimas palavras e colocar em prática, nas mais diversas realidades do Movimento. O Senhor é claro e direto e temos a chance de ouvi-Lo.

O livro pode ser adquirido na Loja da RCCBRASIL. Acesse rccshop.com.br/loja ou encaminhe um e-mail para rccshop@rccbrasil.org.br. Você também pode entrar em contato pelos telefones: (12) 3151-9999 e (12) 98257-0028 (ligação e WhatsApp).

21


Notícias Revista Renovação . Set/Out 2018

ESCOLAS REGIONAIS APROXIMAM E PROMOVEM FORMAÇÃO DAS LIDERANÇAS Pará, Alagoas e Mato Grosso acolheram as edições regionais da Escola de Formação. Em janeiro de 2019 é a vez da edição nacional.

Pela primeira vez na história da RCCBRASIL, foram realizadas, simultaneamente, três Escolas Regionais de Formação de Líderes e Missionários, todas aos mesmos moldes da Escola Nacional que acontece em janeiro de todos os anos, já há algum tempo no Brasil. As aulas foram ministradas de 19 a 29 de julho. Servos da Região Norte, de estados do Centro-Oeste e dos estados do Nordeste estiveram reunidos nas cidades de Belém (PA), Primavera do Leste (MT) e Palmeira dos Índios (AL). Foram aproximadamente 10 dias intensos com aulas de cunho teológico e pastoral. Além desse pilar do conhecimento intelectivo, as escolas também trabalharam a vivência fraterna e práticas efetivas de missão. Leandro Rabello, diretor da ENFLM da RCCBRASIL, acompanhou de perto as três escolas juntamente com a equipe nacional e afirma: “Participar da escola muda nosso jeito de servir. Tornamo-nos mais conscientes de que nossos Grupos de Oração precisam de boas lideranças e de ser uma ‘Igreja em saída’, como diuturnamente nos pede nosso querido Papa Francisco”, relembra o diretor. Alagoas

22

A RCC do estado de Alagoas acolheu a Escola Regional, realizada no Centro de Treinamento Pio

aos Grupos de Oração. A missão de levar a Cultura de Pentecostes ganha um novo ardor missionário com a Escola de Formação”. Pará XII, na cidade de Palmeira dos Índios (AL). As atividades contaram com a participação de alunos de seis estados do Nordeste. Ao longo dos dias, os alunos receberam aulas sobre Eclesiologia, Pneumatologia, Cristologia, História da RCC, Visão Atual da RCC, Grupo de Oração, Liderança, Querigma, etc. Através da Escola de Líderes e Missionários, a Renovação Carismática Católica prepara os participantes para um aperfeiçoamento que impacta diretamente no serviço da RCC nos Grupos de Oração e paróquias. Estiveram presentes como formadores nessa Escola Regional: Padre Hélder Pio, Sjs, Padre Elison Silva, Lucimar Maziero, Kátia Roldi Zavaris, Reinaldo Beserra dos Reis, Frederico Mastroangelo, Lucas Oliveira e Leandro Rabello. A presidente do Conselho Estadual da RCC Alagoas, Georgina Lessa, afirmou: “é graça de Deus para a Região Nordeste receber a Escola e ter servos formados que levarão o fogo do Espírito Santo

Na edição do Pará, a escola aconteceu na Casa Monte Tabor, localizada no distrito de Icoaraci, Arquidiocese de Belém. Participaram cerca de 80 alunos divididos entre 1ª e 2ª etapas, vindos das 14 regiões entre arquidioceses, dioceses, prelazias e regionais do estado. Os alunos foram formados por vários professores como a presidente do Conselho Nacional da RCCBRASIL, Kátia Roldi Zavaris; o presidente do Conselho Estadual da RCC Pará, Salomão Garcia; e o conselheiro permanente da RCCBRASIL, Reinaldo Beserra, entre outros. Dentro da escola aconteceu o cerimonial celebrativo pelos 45 anos da RCC Pará, no qual todos comemoraram junto do Ícone dos 45 anos, com intercessão da Relíquia de primeiro grau da Beata Elena Guerra, Apóstola do Espírito Santo, e a Relíquia de primeiro grau de sua aluna predileta, Santa Gemma Galgani. A escola foi encerrada


Notícias Revista Renovação . Set/Out 2018

no dia 29, com a formatura dos participantes. Mato Grosso

Na edição do Mato Grosso, estiveram reunidos também os estados de Mato Grosso do Sul e Ron-

Entre os dias 13 e 23 de janeiro de 2019, será realizada mais uma edição da Escola Nacional de Formação de Líderes e Missionários. Com atividades realizadas em São José dos Campos (SP), a ENFLM tem vagas limitadas, por isso, é fundamental que os interessados em passar por essa experiência transformadora se programem com antecedência. O prazo máximo de

dônia, em um total de 83 participantes. A escola contou, inclusive, com uma aluna do Rio de Janeiro, que optou pela data das férias de julho para se formar. Segundo Fabiana Sedlmaier, coordenadora estadual do Ministério de Pregação do Mato Grosso e uma das coordenadoras da Escola, foi um momento de muita graça. “Todos foram muito impactados pelo amor de Deus. Tivemos momentos de formação e estudos, mas altamente querigmáticos. Tenho certeza de que a vivência fra-

inscrições é 30 de novembro. A Escola dura 10 dias e sua programação inclui aulas sobre a doutrina cristã. Os ensinos ministrados oferecem aos alunos um conhecimento sólido e seguro sobre a Renovação Carismática Católica e suas atividades. A Escola Nacional é realizada em duas etapas. Na primeira, é de-

terna ficará marcada para sempre entre os alunos”, destacou. Outro momento que merece destaque, segundo a coordenadora, foi a questão da missão, já que grande parte dos participantes até então não tinham tido contato com essa experiência de bater nas portas das casas e anunciar Jesus. “Eles saíram testemunhando a vontade de continuar se aprofundando nas coisas da Igreja e da nossa identidade, além de ouvir mais o Senhor sobre o que Ele deseja para cada realidade”, finalizou.

senvolvida a formação para a liderança; já na segunda é trabalhada a temática ‘Missão Ad Intra’, realizada nas instâncias internas do Movimento. Quem vai realizar a Escola pela primeira vez será inscrito na 1ª etapa. A participação na 2ª etapa é limitada àqueles que participaram da primeira e responderem ao chamado missionário.

Participe! Para mais informações, acesse o site www.rccbrasil.org.br/escola ou entre em contato com o Departamento de Eventos: (12) 3151-9999, (12) 98257-0027, departamento.eventos@rccbrasil.org.br

23


Notícias Revista Renovação . Set/Out 2018

IEAD TERÁ CURSO BASEADO EM DOCUMENTO APROVADO PELO VATICANO

Já imaginou uma oportunidade de conhecer profundamente sobre o Batismo no Espírito Santo? Entender e viver essa experiência da forma correta, com termos e direcionamentos aprovados pelo Vaticano? Agora isso será possível e de uma forma totalmente facilitada para os carismáticos brasileiros. O Instituto de Educação a Distância da RCCBRASIL lançou, no mês de setembro, as inscrições para o novo curso “Batismo no Espírito Santo”, que promete ser um divisor de águas na caminhada dos servos e lideranças do Movimento. Um curso totalmente diferente, voltado a proporcionar que todos experimentem verdadeiramente o derramamento do Santo Espírito.

24

O curso foi montado fielmente baseado no documento ‘Batismo no Espírito Santo’, desenvolvido durante vários anos pelo Serviço Internacional para a Renovação Carismática Católica Internacional (ICCRS). Segundo Maria Beatriz Spier Vargas, que irá orientar o curso junto com Vicente Gomes, coordenador da Comissão de Formação da RCCBRASIL, esse documento surgiu da necessidade pastoral de

explicar o que é o Batismo no Espírito Santo. “Durante um tempo, foram feitas perguntas para teólogos e líderes da Renovação Carismática do mundo inteiro. Essa pesquisa foi organizada pela Comissão Doutrinal do ICCRS. Todas essas informações foram coletadas e, então, foi elaborado um pré-documento. Em 2011, foi realizado, em Roma, o Colóquio para tratar do tema, sob assistência e supervisão do Pontifício Conselho para os Leigos. Todas as questões foram discutidas por mais de 150 líderes, vindos de 44 países, dentro da abordagem teológica e também pastoral, quanto à aplicação no dia a dia dos Grupos de Oração. Foi após isso e várias revisões que o documento foi aprovado pela Santa Sé”, detalhou Beatriz. Sendo assim, Beatriz salienta a grande importância de que todos tenham acesso ao conteúdo do documento. “O Batismo é a nossa identidade, o coração da Renovação Carismática. Por isso, todos precisam se inteirar”. O curso será dividido nessas fases: características e frutos do Batismo no Espírito

Santo; fundamentos bíblicos e patrísticos, reflexão teológica e questões pastorais (como deve ser pedido o Espírito Santo, como se faz o uso dos dons, etc). O IEAD já havia feito uma primeira edição deste curso, em espanhol, fruto de umaparceria com o Conselho Carismático Católico Latino-americano (CONCCLAT). Agora, uma versão em português foi preparada para alcançar a linguagem e a realidade brasileiras. Vale destacar que o curso em português foi desenvolvido já seguindo a versão atualizada do documento que inclui as falas do papa Francisco sobre Batismo no Espírito Santo. As aulas terão início no mês de outubro. As primeiras turmas serão exclusivas para coordenadores diocesanos, de Grupos de Oração e Novas Comunidades. Posteriormente, as vagas serão disponibilizadas para coordenadores de Ministérios, formadores, pregadores e sacerdotes. Por fim, todos os servos de Grupos, teólogos e interessados em geral terão acesso. As inscrições podem ser feitas no site: www.ieadrccbrasil.com.br/


Notícias Revista Renovação . Set/Out 2018

MOMENTOS DE ESPIRITUALIDADE AUXILIAM NOS TRABALHOS DO ESCRITÓRIO NACIONAL

Pelo Escritório Nacional da RCCBRASIL passam diversas decisões e situações acerca da Renovação Carismática Católica do Brasil. Localizado em Canas (SP), na Sede do Movimento, são de lá que brotam diversas atividades que refletem diretamente na vida do Movimento no Brasil: eventos nacionais, cursos, livros, apostilas, material gráfico, reuniões e muitas outras informações que tocam a vida do Movimento, tudo, é claro, a partir da inspiração dada por Deus ao Conselho Nacional da RCC do Brasil. Mais que atividades administrativas, o Escritório tem por missão, permanecer na obediência ao Senhor de toda a RCCBRASIL. Para

que isso aconteça, na programação semanal do Escritório Nacional, os 36 colaboradores participam de orações da manhã, celebrações da Santa Missa, Grupo de Oração, Terço da Misericórdia e escalas de adoração ao Santíssimo Sacramento. Tudo para oferecer um sustento espiritual a todos aqueles que trabalham em prol da Renovação Carismática Católica do Brasil, afinal, para cuidar das coisas de Deus é necessário estar na presença Dele. Manoel Ramos, funcionário do Escritório Nacional da RCCBRASIL e coordenador do Grupo de Oração Fonte de Misericórdia (que acontece nas manhãs das quartas-feiras no Escritório), contou que a principal característica do Grupo e dos mo-

mentos de oração é a vivência dos Carismas e a Efusão do Espírito Santo para o fortalecimento da caminhada no dia a dia do trabalho. Manoel explicou que o Grupo de Oração foi criado para que os funcionários tivessem em seu local de trabalho a vivência da espiritualidade carismática: “precisamos também como colaboradores vivenciar essa espiritualidade, para podermos atender principalmente as pessoas que nos procuram pedindo oração, aconselhamento e também não deixar que a nossa rotina de trabalho nos leve ao ativismo ou nos afaste de Deus”, partilhou o funcionário que é supervisor de compras. Una-se em oração pelo Escritório Nacional e por toda a RCCBRASIL. Para ajudar essa obra acesse: www.rccbrasil.org.br/colabore

25


Projetos Vida no Espírito Revista Renovação . Set/Out 2018

QUEM FOI SEMEADOR DA RENOVAÇÃO NA SUA VIDA?

A RCCBRASIL preparou uma ação que leva você a relembrar as origens da sua caminhada na Corrente de Graça. Então, reflita: por meio de quais irmãos você conheceu um Grupo de Oração ou evento que mudou a sua vida e hoje é responsável pela sua caminhada no Movimento? Em comemoração aos 50 anos de atividades da Renovação Carismática Católica aqui no país, a RCCBRASIL quer, além de relembrar, levar todos a reavivarem a graça inicial do Espírito Santo em nós. Para isso, preparamos uma ação para que cada carismático atualize, de forma pessoal, junto com a RCCBRASIL, a graça primeira de Pentecostes. Dessa forma, junto com esta Revista (edição 112), você está recebendo três pacotes de sementes para entregar um para cada pessoa que foi semeador da Renovação na sua vida. Ore e escolha três pessoas!

26

Quais pessoas são essas?

Quais irmãos ou irmãs têm participação efetiva no seu caminho de conversão? Quem participou da sua experiência pessoal com Jesus? Quem foi a pessoa que te ajudou no início da sua caminhada? Quais irmãos são importantes para você no Grupo de Oração/ Região/Comunidade/Diocese? O convite da RCCBRASIL é que você escolha três dessas pessoas para que, de maneira simbólica, agradeça pelas sementes que elas lançaram na sua vida e que hoje deram bons frutos. Você é um(a) semeador(a) na RCCBRASIL! E os frutos são verdadeiras bênçãos!

Ao contribuir com as ações da RCCBRASIL, por meio do Projeto de Arrecadação Semeando a Vida no Espírito, você semeia evangelização, formação e Batismo no Espíri-

to Santo em milhares de corações. Sua contribuição é semente capaz de promover frutos de Renovação, bem como: formação para Grupos de Oração, atividades sociais e de evangelização na Missão Marajó, Programas de TV, Revista Renovação, Portal, redes sociais, eventos, manutenção do Escritório Nacional e construção da Sede Nacional do Movimento. Já parou para pensar no tamanho bem que você possibilita ao contribuir e ser RCCBRASIL? Convide outras pessoas para que sejam sementes de renovação para muitos irmãos e irmãs. Para saber mais, acesse: www.rccbrasil.org.br/semeando


Institucional Revista Renovação . Set/Out 2018

27


Profile for Renovação Carismática Católica do Brasil

Revista Renovação - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2018  

Edição 112 da Revista Renovação, a revista oficial da Renovação Carismática Católica do Brasil.

Revista Renovação - Edição 112 - Setembro/Outubro de 2018  

Edição 112 da Revista Renovação, a revista oficial da Renovação Carismática Católica do Brasil.

Profile for rccbrasil