Issuu on Google+

Editor: Ádamo Andrade Gonçalves

R$ 1,00 - Estados do RJ, MG e SP - Fevereiro de 2010 - ANO II - Nº 08

‘Ranqueada Girolando de Barra Mansa será uma prévia da Megaleite’, diz Donato Presidente da Girolando apresenta o projeto completo do Centro de Capacitação Girolando (CCG) ao Jornal Raízes Rurais

José Donato apresenta a progênie de Frank Caxi Dom Nato que vai estrear nas pistas em 2010, esperança de mais títulos para o criatório campeão nacional da Fazenda São Roque

Fazenda Mônica prepara seu quarto leilão elite O criador Ademar Esposti (foto) ao lado de uma das principais doadoras da Fazenda Mônica. No ano passado, o criador investiu na raça Gir para aprimorar a genética Girolando e agora prepara seu quarto leilão elite para o mês de abril. Nesta edição, uma reportagem sobre a história da criação de mais de 20 anos, com destaque para a cria e recria de bezerras Girolando voltadas para produção e torneios leiteiros. Páginas 4 e 5

O

presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, José Donato Dias Filho, está otimista em relação à qualidade e quantidade de criadores e animais na pista da 6ª Expo Girolando Sul Fluminense, que acontecerá em maio, no Parque de da Cidade em Barra Mansa. Segundo Donato, a expectativa da associação é superar os 290 animais inscritos em 2009 e reunir criadores do Rio, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, consolidando Barra Mansa como a segunda melhor pista do Brasil, atrás apenas da Megaleite. “A procura tem sido grande, inclusive de criadores da região de Uberaba (MG). Por isso acreditamos que a pista de Barra Mansa será uma prévia do que será a Megaleite 2010”, destacou o presidente da Girolando. A entrevista com Donato, acompanhado da esposa Elisabeth, aconteceu durante o Carnaval, na Fazenda São Roque, em Miguel Pereira, onde realiza o trabalho de seleção genética que garantiu o título

de melhor criador/expositor do ranking 2008/2009 da associação. Com o foco na produção de animais 5/8, mas com animais no plantel dos variados graus de sangue que compõem a raça, a São Roque é um dos criatórios responsáveis pela consolidação da Girolando no país. “Aqui no Rio de Janeiro a pecuária enfrenta uma série de dificuldades naturais. Seja a topografia, a situação precária das estradas, enfim, problemas que o produtor sempre enfrentou. Mas a seleção genética Girolando tem sido um diferencial em todas as regiões do estado”, frisou. Durante a visita, Donato e o administrador da fazenda, Carlos Alberto de Almeida, o Valença, apresentaram alguns dos animais consagrados de seu rebanho, como os touros campeões nacionais Frank Caxi Dom Nato e Heros Florin Dom Nato, bezerras e novilhas do time de pista e a progênie do Frank que vai estrear em 2010. Animais que ref letem a rigorosa seleção Dom Nato e que prometem disputar os principais títulos da raça.

Um exemplo do aprimoramento é o tourinho King Frank Dom Nato, cuja expectativa é superar as qualidades morfológicas e produtivas do pai. Outro tourinho de destaque é Just Lord Lilly Dom Nato, cuja base genética dispensa apresentação. Além de conhecer de perto o trabalho realizado pelo Donato criador, também tivemos a satisfação de conhecer em detalhes o projeto do Centro de Capacitação Girolando (CCG), cuja pedra fundamental foi lançada no ano passado em Uberaba. O projeto é fundamental para o futuro da pecuária leiteira nacional. Com o apoio do Ministério da Agricultura e da Embrapa, pesquisas importantes em genética e produção sustentável serão desenvolvidas na área de 12,6 hectares. O espaço também vai abrigar a história da pecuária leiteira nacional, que passou a ter números bem mais competitivos e expressivos a partir da evolução genética da raça Girolando. O projeto será apresentado em eventos, feiras e encontros da raça.


2 - FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio

Notas Rio abre o calendário 2010 das ranqueadas Gir Leiteiro O Estado do Rio de Janeiro abre o calendário de exposições ranqueadas da Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro (ABCGIL) de 2010, com a 2ª Exposição Interestadual Fluminense do Gir Leiteiro, entre os dias 28 de fevereiro e 7 de março, em Itaipava, na região Serrana. As inscrições estão abertas para o julgamento de pista e concurso leiteiro, com limite de número máximo de 12 animais para pista e 3 animais para o concurso leiteiro por expositor, e são feitas na ABCGIL pelo telefone (34) 3331-8400 ou pelos e-mails eduardo@girleiteiro.org.br ou rany@girleiteiro.org.br. A expectativa da associação é colocar em julgamento acima de 100 animais. O concurso leiteiro deve reunir entre 15 e 20 animais.

Nasce a APCGIL No dia 19 de janeiro, em São Paulo, foi fundada a APCGIL, Associação Paulista dos Criadores de Gir Leiteiro. Na ocasião, foi eleita a diretoria e outras questões pertinentes ao funcionamento da entidade. Por unanimidade, Carlão da Publique foi nomeado presidente. A ABCGIL, Associação Brasileira dos Criadores de Gir Leiteiro, apóia a fundação da entidade. Segundo seu presidente, Silvio Queiroz Pinheiro, “A ABCGIL está extremamente satisfeita em apoiar este grupo de criadores paulista nesse trabalho em prol do Gir Leiteiro. Sente-se orgulhosa e fortalecida em ter essa entidade como filiada e coligada”.

Bom Gosto O presidente da Laticínios Bom Gosto, Wilson Zanatta, disse que os preços que a empresa pratica para o leite longa vida no Nordeste são “competitivos (...) mas não de uma maneira predatória”, como acusam seus concorrentes naquele mercado. Respondendo à denúncia de “concorrência desleal” feita por sindicatos de laticínios de Alagoas e Ceará, Zanatta afirmou que “jamais passou pela cabeça vender abaixo do preço de custo”. Acrescentou que a acusação causou “estranheza” e que “quando [o mercado] está ruim todo mundo quer procurar um culpado”.

Crédito para haras A criação de cavalos é uma atividade pecuária há pelo menos um ano, mas pouca gente sabe disso. É o que garante Pio Guerra, o homem responsável por um estudo da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil que dois anos atrás mostrou que o mercado de cavalos, muares e similares movimenta mais de R$ 7 bilhões ao ano. Guerra explica que há dinheiro disponível nos bancos oficiais. “A equideocultura, por determinação do Ministério da Agricultura, já é enquadrada como uma atividade pecuária e deve receber os mesmos recursos e financiamentos”, diz.

Funrural irregular O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no dia 3 de fevereiro que a cobrança de contribuição para o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) na comercialização de produtos agropecuários é irregular. A decisão foi tomada em sessão plenária, na qual os ministros analisaram o recurso extraordinário do Frigorífico Mataboi, de Minas Gerais, contra a cobrança.

Pré-seleção de touros No dia 28 de janeiro, os técnicos da ABCGIL, André Rabelo, Eduardo Soares e Márcio Ramos, juntamente com o Coordenador do Curso de Zootecnia da Fazu, Alexandre Bizinoto, e, o Pesquisador da EPAMIG, Marcos Brandão, estiveram na Fazu - Faculdades Associadas de Uberaba, em Uberaba-MG, vistoriando os touros participantes da 1º Prova de Pré-seleção de Touros

para o Teste de Progênie, conduzida pela ABCGIL, FAZU e EMBRAPA Gado de Leite. A prova teve início em 1º de novembro de 2009, quando foi realizada avaliação andrológica, pesagem e coleta de materiais dos animais para estudo. O término da prova será em 15 de abril, e estão previstas mais duas Avaliações Andrológicas, de Congelabilidade, de Libido, de Comportamento, de Conformação, entre outros.

ICPLeite Em janeiro, o ICPLeite/Embrapa foi 143,85 ante 143,30 de dezembro de 2009. A variação foi positiva de 0,32% em relação aos preços praticados no mês de dezembro de 2009. Os grupos que tiveram alta foram mão-de-obra que apresentou elevação de 7,38%, reprodução, 0,72%, qualidade do leite, 0,26% e energia e combustível, 0,01%. O grupo mão-deobra sofreu influência, principalmente, da elevação do salário mínimo que tem repercussão no custo do serviço de ordenha. No grupo reprodução a elevação foi puxada pelo preço do sêmen e no grupo qualidade do leite a alta foi devido à elevação no preço do material de limpeza. Os grupos dos insumos que tiveram queda nos preços foram sal mineral (2,58%), concentrado (0,40%), produção e compra de volumosos (0,31%) e sanidade (0,21%). No grupo sal mineral a deflação foi puxada principalmente pela queda no preço do sal mineral.

Registro de Indolando

Victor Cunha e Herman Jankovitz Neto

Abertura de temporada em Resende

Com um gado selecionado, o criador Luiz Dias abre a temporada 2010 na região, com 60 lotes criteriosamente apartados. Luiz sorteia R$3000,00 em prêmios e aguarda todos os amigos e criadores para este remate importante, que ocorrerá dia 27 de fevereiro, às 16hs, no Pindorama eventos em Resende.

Girolando é Show em Barra Mansa! O grupo Girolando Show representado por Jaime Carvalho, Maximiliano Nagib e Álvaro Carvalho, vem com força total para o ano de 2010. Três leilões são preparados com um controle de qualidade extremo, desde a apartação do gado à organização do evento nos seus mínimos detalhes, seguindo todos os detalhes que foram decisivos para o recorde que foi alcançado em 2009, de melhor média do estado do Rio (R$ 5.750,00). Os remates serão nos dias 17 de abril, 7 de maio e dia 10 de julho, todos no Parque da Cidade, em Barra Mansa.

Gado da capital

O Sindicato Rural de Carmo de Minas fará dia 6 de março o seu primeiro leilão da temporada. Fazenda

Monjolinho, Taylor, Dudu, Dimas José, Nazareth Dias Pereira, Luciano Candido, Virgilio Dias e outros Criadores de renome ofertam o melhor do gado Girolando na capital nacional da raça!

Fazenda Canto das Águas

Dia primeiro de março a equipe de preparação da Ofensiva começa a preparar o gado do aguardado Leilão de liquidação que o senhor Geraldo Sousa Santos faz no dia 27 de Março no Pindorama, em Resende.

Leilões em Taubaté

Dois grandes leilões entram no calendário da Ofensiva. Dias 10 de abril e 13 de junho, o Sindicato Rural de Taubaté colocará à disposição os melhores animais dos mais tradicionais criadores da região do Vale do Paraíba Paulista.

Gado de Doutor

O Dr. Gilmar Moreira prepara um show de gado e qualidade para o seu leilão que será no dia 23 de abril. A equipe Ofensiva ficou muito satisfeita com o gado que foi vistoriado no dia 17/02 e parabeniza o médico veterinário e vereador de Resende Gilmar Moreira.

Calendário OFENSIVA 2010 Fevereiro

27/02 - Leilão Luiz Dias – 60 fê meas Girolando - Pindorama – Resende - RJ

Março

06/03 - Leilão Sindicato Rural de Carmo de Minas – 100 lotes Girolando elite – SRCM - MG 27/03 - Liquidação de plantel Canto das Águas - 200 fêmeas Girolando - Pindorama - Resende - RJ

Os criadores interessados em registrar animais oriundos do cruzamento entre as raças indubrasil e holandês já podem dar início ao processo junto à Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ). O registro genealógico do indolando foi aprovado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no final de 2009, após a Associação Nacional dos Criadores de Indubrasil (ANCI) solicitar o início do controle genealógico junto a ABCZ, há aproximadamente dois anos.

Abril

Congresso

01/05 - Leilão Elite Vilarejo - 200 fêmeas Girolando - 16hs - Conservatória - RJ 07/05 - Leilão Girolando Show Edição EXPO BM - parque da cidade - 50 lotes elite Girolando – 20hs - Barra Mansa - RJ 08/05 - Grande Leilão Fazenda Lunane – 150 fêmeas Girolando – 16hs – Dorândia - RJ 15/05 - 9º Leilão Fazenda Jardim - 250 fêmeas Girolando - 16hs - Estrada Amparo -Turvo - RJ 22/05 - 16 Grande Leilão Fazenda Boa Esperança - José Maria Aragão - 200 fêmeas Girolando - 16hsDorândia -RJ

Estão abertas as inscrições para os trabalhos científicos no 27º Congresso Nacional de Laticínios, que estão sendo feitas por meio do site do evento – www.cnlepamig.com.br. Podem participar pesquisadores, professores, estudantes e profissionais das indústrias que tenham estudos relacionados ao setor lácteo.

Recorde A ExpoZebu 2010 mal deu início às inscrições para o Concurso Leiteiro desta edição e em apenas duas horas as argolas disponíveis para a competição estavam esgotadas. Este ano, concorrerão 74 animais da raça gir, pertencentes a 32 criadores, a raça guzerá será representada por 22 animais, provenientes de 11 criatórios, e a raça sindi será representada por 14 animais de 5 criadores. O Concurso Leiteiro começa no dia 3 e termina no dia 6 de maio.

06/04 - Leilão Marcas Famosas - José Maria Aragão e convidados - 60 lotes Girolando elite - Restaurante Plataforma Leblon – Rio de Janeiro -RJ 10/04 - Leilão do Sindicato Rural de Taubaté – Taubaté - SP 17/04 - 4º Leilão Girolando Show - Fazenda Santa Rosa, Dona Zinha e São Pedro - 120 fêmeas Girolando - Parque da Cidade - Barra Mansa- RJ 23/04 - Leilão Fazenda do Tanque – Dr. Gilmar Moreira – Resende - RJ 24/04 - Leilão Fazenda Mônica - 150 fêmeas Girolando - Amparo- RJ

Maio

Junho

5/06 - 2º Leilão Álvaro marques - Associação Rural Sul Fluminense - 18hs - 80 fêmeas Girolando - Barra do Pirai - RJ 13/06 - Leilão do Sindicato Rural de Taubaté – Taubaté - SP

Julho

10/07 - 5º Leilão Girolando Show - 150 fêmeas Girolando - Parque da Cidade - Barra Mansa - RJ 17/07 - 1º Leilão Centrogên - 100% FIV - 100 bezerras e novilhas de FIV - Hotel Cegil - Resende -RJ 31/07 - Leilão Fazenda Ponte Nova - São Sebastião e São Luiz - 100 animais Girolando - Fazenda São Luiz - Volta Redonda -RJ Calendário sujeito a alterações e inclusão de novos leilões.

OFENSIVA: Presente nos melhores leilões do Rio e Sul de Minas

Raízes Rurais

Crescimento de 500% em 2009


FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio - 3

Produtores lutam pela normalização do fornecimento de energia elétrica Perdas no verão têm se acumulado pelo descaso das concessionárias de energia elétrica; a última alternativa será a Justiça

O

verão tem sido difícil para os produtores rurais da região Sul Fluminense. Além de lidar com a chuvarada, o barro e com estradas fechadas ou em péssimas condições de tráfego, coisa comum em todos os verões, agora o que também faz parte dessa rotina é a constante falta de energia elétrica. Para tentar resolver esse problema, produtores de leite se reuniram em janeiro na Cooperativa de Barra Mansa com a assessoria jurídica do Sindicato Rural para cobrar das concessionárias a normalização do fornecimento de energia elétrica. O presidente da cooperativa, Cláudio Meirelles, fez um desabafo no dia 18 de fevereiro. - Estamos indignados com o pouco caso que a Light tem demonstrado com os produtores rurais. Não adianta procurar conversa nem com a empresa nem com a Aneel. Falam que vão providenciar e não resolvem nada. A energia continua faltando e as perdas vão se acumulando. Esse monopólio é uma vergonha para o Estado do Rio. Se tiver alguma autoridade que possa nos ajudar, por favor, que nos ajude. Não sabemos mais a quem recorrer – protestou. Os produtores agora se mobilizam para cobrar os prejuízos acumulados pela interrupção da energia. Teve gente que ficou uma semana sem luz, perdeu centenas de litros de leite e teve ordenhadeiras e tanques que resfriamento danificados pela alteração de

tensão. A própria cooperativa, que fica no bairro Vila Ursulino, registrou até o dia 24 de janeiro 41 picos de energia. Com isso, toda a cadeia produtiva sai perdendo, desde a produção até o beneficiamento do leite. O descaso pelos acontecimentos por parte das concessionárias foi o fator que levou os produtores a buscar apoio jurídico. Em localidades como Rialto, em Barra Mansa, e Macundu, em Rio Claro, teve gente com mais de 40 protocolos de atendimento registrados por telefone sem sequer uma resposta digna ou mesmo um agendamento para ter o problema resolvido. Perdas individuais nos últimos meses vão se acumulando. José Alencar, de Antônio Rocha, contabiliza desde outubro 4 mil litros de leite perdidos. José Adilson, da Vila Principal, perdeu 3 mil litros. Em Quatis, Daniel Fonseca perdeu agora em fevereiro 400 litros e a perda só não foi maior porque o laticínio buscou o leite antes do previsto. Quem também enfrentou problema foi a Associação de Produtores de Santa Rita de Cássia. Sem energia, a irrigação das hortaliças foi interrompida, causando mais prejuízos. A união foi o primeiro passo para tentar uma solução. Mais de 30 produtores encaminharam documentos, como os protocolos de atendimento, contas de energia e até notas fiscais de equipamentos danificados. De acordo com o advogado Rodrigo Amorim, a união do Sindicato

José Laerte solicita companhia da Polícia Militar para Quatis O prefeito de Quatis, José Laerte d’Elias, e o deputado Noel de Carvalho, se reuniram em janeiro com o chefe do Estado Maior da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, Coronel Millan, no Quartel do Comando Geral da Corporação. A reunião teve como objetivo principal formalizar a mudança de subordinação do policiamento do município, feito até então pelo 28º BPM de Volta Redonda, para o 37º Batalhão de Resende. “A cidade de Quatis policiada pelos homens do batalhão de Resende significa maior agilidade no atendimento, pelo fato de que a unidade está mais próxima do

município”, disse o prefeito. “Essa proximidade representa maiores chances de sucesso no atendimento aos chamados e os beneficiados são os moradores da cidade e da área rural”, acrescentou. De acordo com o prefeito, com o asfaltamento de 100 quilômetros da RJ 159 pelo projeto Rota do Desenvolvimento, o trânsito vai aumentar na região. “Uma companhia vem de encontro à política do Governo do Estado de fechar as fronteiras para combater a evasão fiscal e certamente trará mais tranquilidade aos moradores”, lembrou o prefeito José Laerte.

Rural, Cooperativa e produtores fortalece a categoria. “Está claro o descaso das concessionárias com os produtores. Essa união fortalece os produtores para, primeiro cobrar a regularização do fornecimento de energia e depois buscar o ressarcimento dos

Artigo

prejuízos”, destacou Rodrigo Amorim. Os produtores que ainda não enviaram a documentação para fazer parte desse processo podem entrar em contato com a Cooperativa de Barra Mansa pelo telefone (24) 3323-3888.

Como será a vaca ideal?

Escolha do sistema de produção (Parte 2) - * Pedro Afonso Moreira Alves

F

azendo um balanço dos principais modelos de sistema de produção em uso no Brasil podem ser considerados três grandes grupos, cada um com características que vão requerer um tipo de vaca especial. Sistema de produção confinado ou semi confinado com alto desempenho por animal: Neste tipo de sistema busca-se o máximo rendimento por animal (lactações com média superior a 20 litros / dia). As vacas ficam totalmente confinadas, ou confinadas durante o dia tendo acesso a pastos ou área de repouso a noite. A alimentação é fornecida no cocho e geralmente há uma grande ingestão de concentrados (ração balanceada) e subprodutos da agroindústria. A relação entre volumoso e concentrado é elevada, muitas vezes se utiliza mais concentrado do que volumoso o que pode causar distúrbios digestivos nos animais. Os volumosos freqüentemente oferecidos são a silagem de milho e feno de gramínea ou leguminosa de boa digestibilidade. A ordenha é mecânica e sem a presença de bezerro. Características desejadas na vaca: O animal ideal deve ser grande (peso superior a 600 kg), para poder ingerir grande quantidade de alimento, deve ser adaptado a uma relação elevada entre concentrado e volumoso sem apresentar problemas digestivos (relação próxima de 55% de volumoso e 45% de concentrado na base da matéria seca), deve ter bons aprumos e bons cascos, para ficar muito tempo sobre piso cimentado, tendo o mínimo possível de problemas de unhas, e deve ter bom úbere (principalmente bons ligamentos de úbere) para suportar o peso do leite e tetos pequenos

para facilitar a ordenha mecânica. Como neste tipo de sistema os animais são metabolicamente muito exigidos, é necessário haver certa modificação do ambiente com sombra artificial e ventilador porque este tipo de vaca de alta produção não costuma ser adaptado ao clima tropical. Raças e cruzamentos mais adequados: Nas raças puras as que melhor se adaptam a este sistema são a Holandesa e a Pardo Suíço (americana), porém, devido a maior disponibilidade de animais a mais utilizada é a Holandesa. Podem-se buscar cruzamentos de Holandês com Jersey para melhorar fertilidade, aprumos, cascos, úbere e resistência ao estresse térmico, porém há perda de tamanho (diminuindo a capacidade de ingestão de alimentos) e de produção de leite por animal. No caso de cruzamento de Holandês com Gir (produção de vacas F1, mestiças meio sangue de primeira geração) melhora-se muito a resistência ao calor, mantém-se o tamanho e a ingestão de alimento, além da produção por lactação (dependendo da linhagem de Gir utilizada) e os machos podem ser criados para corte. Por outro lado pioram sensivelmente as características desejáveis do úbere e tetos. No entanto o principal inconveniente deste cruzamento é que, parte das vacas não produz leite sem a presença dos bezerros. * Pesquisador da Pesagro-Rio–EE Seropédica, coordenador técnico do Programa Rio Genética e criador de Gir em Rio das Flores (RJ). Contato: gir.leiteiro@ig.com.br (Artigo publicado em quatro partes)


4 - FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio

Fazenda Mônica aprimora base genética A

Com um trabalho de melhoramento iniciado há mais de 20 anos, o criador Ademar Esposti tem em seu rebanho filhas do

té os 13 anos de idade, Ademar Esposti viveu entre as vacas leiteiras e as tropas dos avós em Guaçuí, no Espírito Santo. Gostava muito dos cavalos, mas desde que deixou a roça e veio para Volta Redonda, onde trabalhou pesado para construir uma sólida rede de lojas comerciais, sempre teve em mente voltar às suas raízes na pecuária leiteira. Em 1987 conseguiu comprar um sítio no Turvo, distrito de Barra do Piraí, e lá chegou a tirar 500 litros de leite por dia. Desde então, e lá se vão mais de 20 anos, sempre prezou pela tecnologia e pela genética. A inseminação artificial passou a ser rotina no sítio do Turvo. Mas foi em 1996, quando adquiriu a Fazenda Mônica, em Amparo, que a criação cresceu e o aprimoramento genético teve um grande impulso. Hoje o sítio do turvo é usado para recria de 150 fêmeas Girolando crioulas da fazenda. Todas filhas de touros provados Holandês e Gir Leiteiro. Se a criação de Ademar Esposti têm um diferencial, esse é a criação de bezerras Girolando. São fêmeas 1/2 sangue, 3/4, 5/8, 7/8 e ainda 1/4 e 3/8, todas selecionadas visando, acima de tudo, a produção leiteira. O cuidado na base da criação se reflete na produção. As 120 vacas em lactação produzem em média 2.100 litros de leite/dia em duas ordenhas. A base da alimentação é a brachiaria dos piquetões, complementada com cana, cevada e concentrado no cocho. Segundo o administrador da Fazenda Mônica, Marcelo Vieira Gonçalves, que desde 2001 coordena o trabalho na propriedade e tem o apoio do veterinário Alexandre Galvão, o volume fornecido varia de acordo com a produção de cada um dos três lotes. Marcelo conta que a Fazenda Mônica tem como tradição participar dos concursos leiteiros na região Sul Fluminense somente com vacas criadas na fazenda. Assim, há quase 10 anos, vem acumulando conquistas que enchem de satisfação o criador e toda a equipe da fazenda, que se empenha desde o nascimento das

Ademar e a doadora Boa Dica da Mônica

bezerras até o primeiro parto para que o carinho no trato e na lida sejam transformados em muito leite no tanque.

Sangue Gir PO na criação Entre bezerras, novilhas e vacas secas e em lactação, a Fazenda Mônica possui atualmente 510 cabeças. São filhas do Nobre, Teatro, Navajo, Paladino, Boris, Debate, Primeiro, Xerife e Talento, entre outros touros Gir Leiteiro, e ainda do Odissey, Rubitrae, Oakland, Fabian, Jintx, Marco Durhan, Fame e Mitch, que figuram entre os touros

PO

Lindeza TE Monte Verde: investimento em Gir Leiteiro

melhoradores dos catálogos da ABS e da Sembra. Em dezembro do ano passado, Ademar Esposti decidiu reforçar a base da produção Girolando. Por isso, comprou no shopping da Fazenda Monte Verde, em Uberaba (MG), a bezerra Lindeza TE Monte Verde, filha do Meteoro na Bakti (filha do Everest). A bezerra completa um ano em abril e é herdeira de duas das principais linhagens do Gir Leiteiro moderno: Fazenda Brasília e Campo Alegre. O investimento de quase R$ 20 mil tem muito a colaborar com o constante melhoramento genético do rebanho da Fazenda Mônica.

Uma 3/8 recordista na FIV Entre os animais de destaque da Fazenda Mônica, uma fêmea em especial chama a atenção pela beleza racial, produção leiteira e fertilidade. Boa Dica da Mônica é filha do Teatro em vaca 3/4 crioula da Mônica. Em sua primeira lactação atingiu 7.303 quilos de leite em 345 dias. Os resultados de Boa Dica foram tão satisfatórios que ela foi escolhida como uma das doadoras da fazenda. E na reprodução também se destacou. Produziu 114 oócitos em uma aspiração e se transformou definitivamente na principal doadora do atual plantel de Ademar Esposti.


FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio - 5

a para cria e recria de bezerras Girolando

os principais touros melhoradores Gir Leiteiro e HPB; leilão em abril terá uma mostra da qualidade produzida na fazenda

Fazenda Centrogen reforça time de doadoras HPB e produz Girolando com Radar dos Poções Bezerras 1/2 sangue e tourinho 1/4 filhos do Radar serão vendidas no leilão Centrogen

Mais quatro doadoras foram recentemente adquiridas para compor a seleção Centrogen em Resende

O

O administrador Marcelo Vieira Gonçalves

Leilão dia 24 de abril São animais com a qualidade produtiva e reprodutiva de Boa Dica que estarão à venda no 4º Leilão Elite da Fazenda Mônica, que acontece no dia 24 de abril, na sede da Fazenda Mônica, em Amparo. Segundo Ademar Esposti, serão disponibilizados 150 animais da Mônica e convidados especiais (bezerras, novilhas e vacas em lactação Girolando). O padrão do que estará à venda pode ser medido através dos animais jovens de destaque da seleção, entre os quais o tourinho 5/8 Escultor da Mônica, as novilhas 3/4 Receita, Janete,

Levada, Paquita e Bailarina da Mônica, as 7/8 Aliança, Serrana, Helena, Setiba e Paquera de Mônica, a HPB Matrix Coruja e as 1/2 sangue Pinta Roxa e Delicada da Mônica. Animais de elite em lactação ou amojando para parir. É essa qualidade que Ademar Esposti colocará à venda em um leilão tradicional, que tem como garantia de sucesso e liquidez o criterioso trabalho genético e o manejo focado na criação de bezerras desenvolvido há mais de duas décadas pela Fazenda Mônica. Contato: Fazenda Mônica (24) 9994-1254

nome da Fazenda Centrogen é a síntese do trabalho desenvolvido pelo médico veterinário Herbert Siqueira da Silva em Resende. Um verdadeiro “Centro de Genética”. Especialista em Transferência de Embrião (TE) e Fecundação In Vitro (FIV), com passagem pelo maior centro de genética da América Latina, Herbert iniciou em 1999 o trabalho de reprodução de bovinos em Resende. Em 2001, além dos clientes que atendia, passou a produzir animais para venda em leilões na cidade. O trabalho foi tão eficiente que logo os produtos Centrogen alcançaram as principais pistas da raça Girolando. Os destaques foram aumentando ano a ano, sobretudo os animais descendentes de Organza Três Ilhas, fêmea 1/2 sangue recordista em torneio leiteiro com pico de produção de 81,600 quilos no Torneio Leiteiro de Porto Real. Organza é um dos símbolos da Centrogen, mãe de animais campeões em pista e que estarão à venda no leilão que Herbert e seu sócio Lair Dias da Silva vão promover no dia 17 de julho, no Hotel Cegil, em Resende, com transmissão pelo Novo Canal e comando da Embral Leilões

Rurais. Será o primeiro leilão exclusivo da Centrogen, que terá prenhezes, bezerras, novilhas e vacas jovens Girolando e Gir Leiteiro produzidas exclusivamente por FIV. Estarão à venda campeãs de pista como Opereta da Centrogen FIV 5/8, Nova da Centrogen FIV 3/4 e Oferta da Centrogen FIV 1/2. Outro destaque importante do leilão serão as bezerras 1/2 sangue e um tourinho 1/4 filhos de Radar dos Poções, hoje o touro com sêmem mais valorizado no Gir Leiteiro. Animais raros na pecuária leiteira nacional. Para aprimorar a genética Centrogen, recentemente foram adquiridas mais quatro doadoras HPB, das quais três de uma das principais famílias do criatório nacional, e uma de origem importada do Canadá. Os frutos desse trabalho em breve estarão nas pistas e disponíveis para acrescentar genética melhoradora nos principais rebanhos Girolando do país. Na edição de abril, reportagem completa com os principais animais do criatório da Centrogen e mais destaques do leilão de julho. Contato: (24) 9223-5561 e herbertvet@bol.com.br.


6 - FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio

Emater-BM amplia atendimentos para facilitar acesso ao crédito rural Barra Mansa se destaca na liberação de crédito em função do empenho do escritório local e da gerência do Banco do Brasil

O

escritório da Emater em Barra Mansa tem se destacado nos últimos anos em função eficiente parceria com o Banco do Brasil para facilitar o acesso dos produtores rurais ao crédito. Em 2009, os números superaram qualquer estimativa. Cresceram 120% em relação a 2008 e hoje Barra Mansa possui o único escritório na região Sul Fluminense com o Canal Facilitar de Crédito (CFC) instalado e em pleno funcionamento e atendendo e dando suporte, além dos produtores de Barra Mansa, para Petrópolis, Vassouras e Volta Redonda. O supervisor local, Antonio Paz Guiscafré, ressalta que os resultados são fruto do empenho do pessoal do escritório e da gerência do Banco do Brasil. “Em janeiro refizemos o contrato com o BB, reinstalamos o programa do CFC e já estamos realizando os projetos de crédito”, frisou Toninho. O CFC permite que o produtor rural resolva todos os detalhes do processo de acesso ao crédito diretamente no escritório da Emater. Só vai ao banco para assinar o contrato e então aguardar a liberação do dinheiro. No escritório, é feita a análise de crédito através

do Cadastramento Massificado Rural (CMR) e informadas pendências em relação a documentos. “Muitos produtores ficam melindrados de procurar a agência do banco para pedir o crédito. A Emater tem essa função de tirar dúvidas e qualquer medo do produtor em relação ao crédito para custeio e investimento na sua atividade”, disse Toninho. A pecuária leiteira e de corte e ainda olericultura são as atividades que mais têm recursos destinados em Barra Mansa, Petrópolis, Vassouras e Volta Redonda. Em Barra Mansa, veículos de transporte e tratores já foram adquiridos através das linhas do Pronaf. Para 2010, a estimativa é de que o governo federal destine cerca de R$ 150 milhões para o crédito no Estado do Rio de Janeiro. E ainda há os recursos do próprio Tesouro Estadual, que tem linhas de crédito para o Programa Rio Genética, Prosperar e Rio Rural. Basta apenas o produtor procurar o escritório e se informar sobre qual programa melhor atenderá a sua realidade. O telefone do escritório da Emater de Barra Mansa é (24) 3322-4789, falar com a Cicida.

Equipe da Emater-BM entrega caminhão ao produtor rural Luiz Cláudio da Cunha Franco, em Amparo


FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio - 7

Artigo

Para quem é o Gir Leiteiro? Que caminhos são esses? (Parte 2) - * Ivan Ledic

R

ealmente, se continuar dessa forma, os reais usuários dessa genética, os produtores comerciais e outros pequenos e novos criadores-produtores de Gir Leiteiro, estarão fora do mercado para adquirir animais de pedigree superior, e ficarão inibidos para realizar tais investimentos em genética. Em nível internacional, haverá, creio, uma retração, devido ao fato de que existe ainda, além do valor pago por essa genética, mais gastos vultosos para exportar sêmen, embriões e animais para seus países, inviabilizando colocação desses produtos de forma acessível aos produtores por esses importadores. Pergunto ainda: - Esses animais comprados por valores “faraônicos” dão retorno como animal de cria? Mesmo com as biotécnicas reprodutivas em uso hoje para multiplicação rápida desses animais, por quanto tempo mais haverá investidores que se desfazem rapidamente “de suas investiduras fáceis” e quem serão os compradores futuros? Realmente cerca de 100 embriões hoje são suficientes para “pagar” uma vaca de R$ 600 mil, mas quem vai manter esse jogo e por quanto tempo? Todos nós já assistimos “Boon” de cavalos, jumentos, avestruz e em outras raças bovinas. Isso tudo acabou e muitos perderam (a “bolha inflacionária” da vez parece ser o Gir Leiteiro, infelizmente). Estão querendo transformar o Gir Leiteiro do Século XXI num negócio milionário, numa fantasia que poucos poderão ter. É um mercado virtual sem sustentação, fadado ao auto-esgotamento por falta de liquidez, fato normal em épocas de crise monetária. Chega de circo e de dou-lhe uma, doulhe duas, doa-lhe no bolso...... Espero realmente que voltemos à normalidade - deixar de enaltecer apenas altas lactações que acabam por “engessar” outras iniciativas. Existem novos empresários e pecuaristas que realmente serão criadores de Gir Leiteiro e estão formando seus rebanhos também com linhagens alternativas de alguns criatórios tradicionais que não mais estavam aferindo o potencial produtivo leiteiro de seus animais, além de outras criações de Gir Leiteiro que fazem controle leiteiro oficial, mas cujas vacas são criadas com um manejo visando ‘leite de capim’ e não com artificialismos para atingir altas lactações dependentes de insumos. Brevemente esses selecionadores irão garantir o futuro para sustentar o melhoramento da raça, que já está sofrendo de um processo de colapso e monitoramento constante para reduzir a taxa de endogamia que está se estreitando em poucos ancestrais. O Gir Leiteiro está em evidência porque os trabalhos científicos e técnicos fizeram com que se transformasse no Milagre Zootécnico do Século XX. Isso aconteceu não devido à megaleilões. Chegamos a esse patamar com trabalho sério, com delineamentos experimentais e transformando dados em informação, passo a passo, perseverando

e demonstrando qualidades do produto, com os pés no chão e norteados em colaborar com a pecuária leiteira. Espero sinceramente que o Gir Leiteiro do Século XXI venha e volte a ocupar sua função na pecuária tropical como patrimônio zootécnico de todos – produzindo animais com potencial leiteiro e acessíveis para abastecer o mercado e deixar “de ser a bola da vez” somente porque está servindo para dar lucro financeiro no comércio da genética a um pequeno grupo do topo da pirâmide. Voltar a ‘ser a bola da vez’ como animal ideal para manter a atividade leiteira dos produtores de leite, cujo sustento se pauta no pequeno lucro da venda de sua produtividade de leite e na comercialização de animais balizados pelo valor real da atividade do campo, que vive um quadro desolador ainda de uma atividade extrativista.... Aqui gostaria de ressaltar o valor daqueles pioneiros visionários que iniciaram e continuam selecionando Gir Leiteiro, dos pesquisadores que formataram e permitiram a evolução da raça, dando lastro para atingir e nortear a seleção. Parabéns a esses amigos, verdadeiros pilares da raça. A aplicação do conhecimento aconteceu e o melhoramento ocorreu. Há 25 anos estamos fazendo gols. É cômodo agora usar “do nome e do trabalho dos outros” para se auto-promover e inflacionar uma atividade primária que, num contra censo, necessita baixar custo para obter receita e conseguir sobreviver de seu trabalho. É muito para minha cabeça e bom senso assistir isso tudo e continuar alienado, sem poder falar e me exprimir, oprimido e desencorajado, porque pode ferir o orgulho de alguns e afetar o que a mídia usa para ter ibope. Finalizando: - Procuramos promover e formar opinião através de pesquisa e de artigos vinculados na mídia, com idéias e ideais, ao longo desse tempo foi para isso, acreditando que o Gir Leiteiro é uma raça virtuosa e vitoriosa por seus predicados intrínsecos e não como objeto de desejo de propósitos vãos para auferir receita por aqueles que não vivem da atividade agropecuária como objeto fim. Um dos maiores e mais conceituados selecionadores de Gir Leiteiro me confidenciou: Vendo nos leilões porque é fruto de meu trabalho e dinheiro é bem vindo, mas pergunto se alguns desses empresários que estão comprando sabem o que é um estábulo, ou se já pegaram na teta de uma vaca, ou quanto custa produzir um litro de leite? * Médico veterinário, MSc. em Melhoramento Animal, DSc. em Produção Animal, ex-diretor técnico da ABCGIL e pesquisador aposentado da Embrapa Gado de Leite. Contato: ivanluz@netsite.com.br (Artigo publicado em duas partes)

Santa Rosa expande a produção de leite a pasto Jaime Carvalho investe também na organização estrutural na fazenda de Bananal

Jaime, Heraldo e José Mauro avaliam a planta de piquetes; abaixo, o veterinário Cérgio

A

creditar no leite como empreendimento sustentável e na genética Girolando para a produção a pasto é o foco do criador Jaime Car valho, da Fazenda Santa Rosa, em Bananal (SP). A fazenda está em plena expansão e buscou apoio técnico do Projeto Tanque Cheio da Cooperativa de Barra Mansa, coordenado pelo engenheiro José Mauro, para implantar uma nova estrutura visando a produção de leite em pastejo rotacionado irrigado. Uma verdadeira linha de produção de leite está sendo montada, com 148 piquetes forrados com cameroon, mombaça e tifton. Tudo dividido de acordo com a produção individual de cada animal e o período da lactação. A infra-estrutura conta ainda com um novo estábulo e uma sala de ordenha por onde vão passar duas vezes por dia 120 vacas. A produção diária estimada é de 3 mil litros de leite, somando também a produção do curral onde ficarão entre 60 e 80 fêmeas de elite. Tão importante quanto o volume produzido, o custo de produção tende cair de 50% a 60%. - Estamos buscando o equilíbrio financeiro, adotando um novo conceito de produção. Sempre trabalhamos com genética Girolando de ponta, produzindo animais tanto para pista quanto para torneios leiteiros, mas sobretudo, pensando no leite. A partir desse ano vamos dividir a propriedade. Continuaremos focados na genética e vamos inaugurar a nova área focada na produção de leite – comentou Jaime. Genética em destaque A Fazenda Santa Rosa (24-9999-9013) tem como pilar de sua criação a produção de fêmeas meio sangue Girolando. Para isso, investiu em animais da raça Holandês, adquirindo fêmeas no Sul de Minas Gerais e no ano passado dois tourinhos para repasse escolhidos entre os melhores em Castro (PR). Atualmente a fazenda conta com animais Girolando 1/2, 3/4 e 7/8 de sangue holandês. No futuro, a raça Jersey vai compor o criatório para a produção de animais Jersolando, que produzem leite superior em gordura, proteína e sólidos totais. Essas vacas serão destinadas exclusivamente à produção no sistema rotacionado. Por outro lado, a seleção Girolando elite

da Santa Rosa vai seguir seu aprimoramento. Desde 2008, quando nasceu a primeira cria de Fecundação In Vitro (FIV), a fazenda busca a reprodução usando o que há de melhor em tecnologia. Os acasalamentos são definidos pelo próprio Jaime com a assessoria da Centrogen. Além das fêmeas HPB, a Santa Rosa também conta com uma doadora Gir Leiteiro. Nas aspirações são usados touros excepcionais, como Sansão, Meteoro, Homestead e Bradley, entre outros. Desse trabalho, a fazenda já conta com bezerras e novilhas de alto valor genético e grande potencial nas pistas e nos concursos leiteiros. Frutos da dedicação, do carinho com a criação e da confiança no leite como um negócio sustentável. Organização estrutural O modelo de gerenciamento na Fazenda Santa Rosa também é um diferencial. Pioneira na implantação do software de “Organização Estrutural” proposto pelo médico veterinário Cérgio Bastos (24-9943-8029), a fazenda consegue reunir em um único sistema os controles sanitário, leiteiro, reprodutivo e nutricional de cada animal do rebanho. “Os funcionários da fazenda recebem um treinamento específico e um acompanhamento para que cada item do controle tenha total eficiência. O software permite que o produtor tenha o controle de todos os setores da propriedade”, destacou o veterinário. Com o controle através do programa, o objetivo final é manter o custo de produção equilibrado, já que os dados individuais sobre a alimentação, número de lactações, pesagens do leite, dias de lactação, controle de cio e previsão de parto ficam ao alcança de um toque no computador. É a tecnologia trabalhando a favor do produtor de leite.


8 - FEVEREIRO - Raízes Rurais - O jornal do Agronegócio

Fazenda Jardim quebra recorde de preço na categoria novilha 5/8 Aquisição foi um dos destaques do leilão de liquidação de rebanho Nossa Senhora do Carmo

A

Fazenda Jardim, de Amparo, distrito de Barra Mansa, reforçou seu time de pista e seu plantel de doadoras no dia 6 de fevereiro. O criador Agenor Afonso do Amaral quebrou o recorde nacional de preço na categoria ao adquirir no leilão de liquidação total de rebanho da Fazenda Nossa Senhora do Carmo, em Prata (MG), a novilha 5/8 Melodia Jintx, considerada a melhor fêmea jovem 5/8 do momento. Agenor investiu R$ 36,4 mil para trazer para o Rio de Janeiro uma fêmea que consquistou todos os títulos que disputou: campeã bezerra júnior ExpoPrata2009 - Prata - MG; campeã bezerra sênior 5/8 Expolacta 2009 - São José do Rio Preto - SP; campeã bezerra sênior 5/ 8 Feileite 2009 - SP; campeã fêmea jovem ExpoPrata - Prata - MG; campeã fêmea jovem Expolacta 2009 - São José do Rio Preto - SP; campeã fêmea jovem Feileite 2009 - SP. Melodia se junta a um plantel selecionado de campeãs da Fazenda Jardim. Outras campeãs nacionais de Agenor Amaral são a meio sangue Vanilza NR, campeã da Megaleite em 2009, e a melhor fêmea jovem do Brasil meio sangue, Atual Teatro Aliada, também campeã na Megaleite.

Recordes da Embral O leilão de liquidação total do rebanho da Fazenda Nossa Senhora do Campo, divulgado na edição de janeiro do Jornal Raízes Rurais, mostra que o mercado de leilões em 2010 já está aquecido. A prova foi o resultado: 271 animais vendidos, com média de R$ 4.825,33 e faturamento total de R$ 1.307.664,00. Entre os lotes, cinco se destacaram. O lote 38 foi recorde nacional na categoria vaca 1/4: Azaléia Paladino, livro fechado, vendida por R$ 36.000,00. O 39 foi recorde nacional na categoria vaca 5/8: Vitrine GF Emerson, livro fechado, vendida por R$ 52.000,00. O lote 23 foi recorde nacional na categoria novilha 5/8: Melodia Jintx, livro fechado, vendida por R$ 36.400,00. Olote 41 também quebrou o recorde nacional na categoria novilha 1 /4: Fantástica Vale Ouro vendida por R$ 26.000,00. Por último, destaque para o lote 22, novilha 5/ 8: Falange Monona, livro fechado, vendida por 20.400,00. Não foi recorde mas mostrou a média da qualidade do rebanho formado pelo Germano.

A novilha recosdista Melodia Jintx, considerada a melhor fêmea jovem 5/8 do momento já está no time da Jardim


Jornal Raízes Rurais - Fevereiro 2010