Page 1

OLIBERAL

2 „ MAGAZINE

BELÉM, TERÇA-FEIRA, 7 DE AGOSTO DE 2018

MAGAZINE

s suas reflexões tendem a ser feitas Apossibilitando com mais profundidade agora, assim o contato com a

verdadeira essência daquilo que sente e percebe. É tempo de contemplar os seus pensamentos.

Touro

21 de abril / 20 de maio Regente: Vênus

F

possível que certos acontecimentos Épassado, lhe façam reviver lembranças do use então o seu bom senso para detectar o que elas querem lhe mostrar. É tempo de se esforçar para renovar seus sentimentos.

Gêmeos

21 de maio / 20 de junho Regente: Mercúrio

G

melhor parte de trilharmos o Aé lembrar caminho que escolhemos para nós, que a qualquer momento podemos mudar a direção e ir em busca de algo diferente. É tempo de ser mais flexível com as suas escolhas.

Câncer

21 de junho / 22 de julho Regente: Lua

H

lgumas renovações devem ocorrer Aânimo sempre que você perceber seu e vitalidade diminuindo. São

as mudanças que vêm para o bem. É tempo de atualizar a rotina, incluindo nela mais daquilo que te dá prazer.

Leão

23 de julho / 22 de agosto Regente: Sol

I

que não estimula deve ser libertado Omais para dar lugar ao que irá despertar ânimo e satisfação. Afinal,

sua grande vitalidade depende de objetivos que te inspirem. É tempo de atualizar suas metas.

Virgem

23 de agosto / 22 de setembro Regente: Mercúrio

J

necessidade de agir sempre de Amais maneira independente pode trazer cansaço do que efetivamente grandes resultados. É tempo de confiar nos outros, contando com as parcerias que te levam mais longe.

Libra

23 de setembro / 22 de outubro Regente: Vênus

E

s nossos costumes nos tornam Oestarmos quem somos, e por isso é preciso atentos à maneira como conduzimos a nossa saúde e os nossos sentimentos. É tempo de aprimorar os hábitos físicos e emocionais.

Escorpião

23 de outubro / 22 de novembro Regente: Plutão

faz, só assim o interesse permanece. É tempo de avaliar o quanto sua realidade profissional lhe estimula.

Sagitário

M

uando ouvimos abertamente Qsomente ao que o outro tem a dizer, não demonstramos respeito

como também ganhamos a oportunidade de aprender algo novo. É tempo de prestar atenção a quem está ao seu lado.

Capricórnio

22 de dezembro / 20 de janeiro Regente: Saturno

N

e por acaso você se perceber Slembre emocionalmente mais impulsivo, que a paciência é justamente

sua principal ferramenta de sucesso. É tempo de acalmar os ânimos para perceber o momento certo de agir.

Aquário

21 de janeiro / 19 de fevereiro Regente: Urano

O

dia traz forças revigorantes e Oanimado estimulantes que devem lhe deixar para viver o novo ciclo que

chega. Por isso, busque elaborar suas metas para se sintonizar com essa energia. É tempo de recomeçar.

Peixes

T

20 de fevereiro / 20 de março Regente: Netuno

O

povo indígena MebêngôkreKayapó é o foco da nova exposição do Museu Paraense Emílio Goeldi, que integra a programação do XVI Congresso da Sociedade Internacional de Etnobiologia e que resgata o legado do Projeto Kayapó, um amplo estudo multidisciplinar coordenado pelo biólogo e antropólogo Darrell Posey (1947-2001), conhecido entre os Mebêngôkre como Yairati. A mostra “Os Kayapó e Yairati. Saberes e lutas compartilhadas” será aberta hoje, com visitação a partir de amanhã no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi. No roteiro da exposição, os visitantes poderão ver mais de 20 peças etnográficas coletadas por Posey e as múltiplas contribuições do Projeto Kayapó, narrada através de lendas, memórias dos envolvidos, documentos, painéis, mostra de peças do acervo etnográfico do Museu Goeldi, fotografias, vídeos e também por meio de um aplicativo. Wanda Okada, coordenadora de Museologia, explica que os documentos, exsicatas e peças etnográficas em exibição receberam um tratamento diferenciado e passaram por um processo de conservação e restauro minucioso desenvolvido pela pesquisadora portuguesa Maria Miguel Simas. Os visitantes da mostra, que se estenderá até dezembro, farão uma viagem ao passado mais recente e poderão ter a ideia de como conceitos científicos são formulados e impactam o presente. Lopez acrescenta que estarão disponíveis parte das fotografias produzidas durante atuais pesquisas com os Mebêngôkre-Kayapó. “A ideia é articular essas pesquisas realizadas nos anos 1980 com dados recentes”, argumenta. Para a abertura da exposição “Os Kayapó e Yairati. Saberes e lutas compartilhadas” estão previstas as presenças de estudiosos que fizeram parte do Projeto Kayapó e de lideranças indígenas. O Projeto Kayapó permitiu uma delicada compreensão da vida e da estrutura do conhecimento milenar dos Mebêngôkre. Sob a liderança de Darrel Posey, o projeto reuniu especialistas de várias

Os Kayapó somam hoje mais de 11 mil indivíduos no Pará e no norte do Mato Grosso

Darrel Posey entre os Kayapó em foto da Universidade de Oxford

áreas. O objetivo final era poder utilizar o conhecimento indígena sobre plantas e animais úteis em projetos de manejo sustentável de recursos nas Terras Indígenas e áreas adjacentes degradadas ou desmatadas pela extração de madeira, mineração ou pecuária.

Os Mebêngôk re-Kayapó somam hoje mais de 11 mil indivíduos habitando um território que inclui ambas as margens do rio Xingu, no Pará, e o norte do Mato Grosso. Entre ambientes de floresta e cerrado, os diversos grupos da etnia, falante

de u ma l í ng ua do t ronco Jê, oc upa m u ma á rea a lta mente impactada pela agroindústria, pecuária, mineração e projetos hidrelétricos, como a Usina de Belo Monte. Atualmente, o Estado brasileiro reconhece dez Terras Indígenas desta etnia. Posey “foi uma das pessoas que incentivou os pesquisadores a reconhecerem a propriedade intelectual dos conhecimentos indígenas, por isso criou esse código de ética da Etnobiologia, que é a Carta de Belém, documento elaborado no primeiro Congresso Internacional de Etnobiologia. A atuação dos Kayapó e de Posey influenciou o campo jurídico e também a Convenção da Diversidade Biológica. Um dos artigos reconhece a propriedade intelectual coletiva dos conhecimentos dos povos indígenas e populações tradicionais e recomenda que eles deveriam ser compensados pelo uso que cientistas e grandes empresas fazem desses conhecimentos”, descreve a curadora da Coleção Etnográfica do Museu Goeldi, Cláudia Lopez.

E

ara colher bons frutos no seu Pvínculo trabalho é fundamental haver e identificação com o que

23 de novembro / 21 de dezembro Regente: Júpiter

Mostra, que ficará aberta até dezembro, reúne objetos e fotografias sobre a etnia

ACERVO MUSEU GOELDI

E

Cultura Kayapó é tema de exposição

P

odo o poder que você tem para transformar o que deseja ver renascer deve ser usado agora como forma de trazer novo ânimo para suas buscas pessoais. É tempo de se reconectar com o que fala ao coração.

RECORDE

É da “Turma da Mônica” o maior gibi do mundo Produção do brasileiro Mauricio de Sousa recebe a chancela do Livro dos Recordes A editora Panini e a Mauricio de Sousa Produções acabam de anunciar o lançamento do maior gibi do mundo. Com presença de duas juízas oficiais do Guinness World Records e de arquitetos para validar as dimensões do produto, o gibi gigante foi confirmado como o maior já lançado na história, durante coletiva de imprensa realizada no domingo, por Mauricio de Sousa e pelo presidente da Panini no Brasil, José Eduardo Martins, na 25ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo. O livro, Turma da Mônica – O maior gibi do mundo! traz a turminha mais amada do Brasil nas maiores aventuras de suas vidas. Em uma edição gigante que entra para a história, Mônica e seus amigos, em tamanho especial, protagonizam seis diferentes histórias em 16 páginas. O formato nunca antes visto conta com aproximadamente 1 metro de altura e 70 centímetros de largura. A edição limitada, com apenas 100 exemplares, está disponível no site da Panini: www.lojapanini.com.br e durante toda a Bienal do Livro, que acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi, até 12 de agosto, além da loja on-line da Saraiva. “Estamos pela primeira vez no livro dos recordes, um feito memorável para a editora e acredito que

ALUÃ PEREIRA

Áries

21 de março / 20 de abril Regente: Marte

ACERVO UNIVERSIDADE DE OXFORD

nasestrelas

NO GOELDI

Representantes do Guiness Book e da Panini com Mauricio de Souza e seus personagens

para a Mauricio de Sousa Produções também, nossa parceira de tantos anos. Estamos felizes de fazer parte desse projeto e sermos os responsáveis pela publicação desse produto. Queremos cada vez mais fomentar a leitura de histórias em quadrinhos”, afirma José Eduardo Martins, presidente da Panini Brasil.

A Turma da Mônica integra hoje um universo formado pela Mauricio de Sousa Produções (MSP) é uma empresa que produz histórias em quadrinhos no Brasil há mais de 59 anos e é responsável por uma das marcas mais admiradas do país. Na área editorial, a empresa já lançou mais de 400 títulos até hoje, e detém

mais de 80% do mercado de histórias em quadrinhos do Brasil. A companhia é responsável pela criação de 400 personagens, que já venderam mais 1,2 bilhão de revistas. No licenciamento, a MSP trabalha com uma média de 150 empresas que utilizam seus personagens em mais de 3 mil produtos.

Clipping 07/08/18 - O Liberal / Belém +30 exposição  
Clipping 07/08/18 - O Liberal / Belém +30 exposição