Page 1

2013 #

5

programação NOV | DEZ


MINISTÉRIO DA CULTURA, VALE, PREFEITURA DO RIO E BNDES APRESENTAM:

ORQUESTRA SINFÔNICA BRASILEIRA

PIAZZOLLA NO ESPAÇO TOM JOBIM OSB Ópera & Repertório interpreta Tangazo

DANIIL TRIFONOV Estrela em ascensão toca com a OSB

ANGELA HEWITT Um dos grandes nomes do piano na Série Turmalina

LYNN HARRELL NO RIO E EM SP Violoncelista encontra a OSB no Concerto de Shostakovich

ÓPERAS DE STRAVINSKY E CHERUBINI Elencos trazem Eliane Coelho e Elizabeth Caballero

2013 Toda a programação está sujeita a alterações. L Livre para todos os públicos

#

5

programação NOV | DEZ


Mantenedores

Apoio financeiro

PATROCINADOR MASTER

Patrocinador Master do Centro de Educação Musical Brasileiro

apoio

PATROCINADORES DE SÉRIE apoio institucional

apoio cultural

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Governador: Sérgio Cabral Vice-Governador: Luiz Fernando Pezão Secretária de estado de cultura: Adriana Rattes Subsecretária de Ação Cultural: Beatriz Caiado Subsecretária de Relações Institucionais: Olga Campista SUBSECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO: Mario Cunha PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO TEATRO MUNICIPAL: Carla Camurati

Realização


índice MARÇO | ABRIL

MAIO | JUNHO

JULHO |

AGOSTO

SETEMBRO | OUTUBRO

NOVEMBRO | DEZEMBRO pág.

23/03 ametista

10/05

jade

04/07 ágata

14/09  repertório

09 de novembro 

08

05/04 ônix

11/05

ametista

13/07 jade

21/09  jade

16 de novembro 

12

07/04 juventude

15/05

safira

21/07 juventude

28/09  repertório

23 de novembro 

14

27/04 turmalina

16/05

ágata

27/07 topázio

05/10  turmalina

29 de novembro 

18

19/05

turmalina

04/08 safira

12/10  ametista

07 de dezembro 

22

01/06

topázio

11/08 juventude

13/10  juventude

08 de dezembro 

22

02/06

juventude

16/08 ônix

13/10  safira

19 de dezembro 

26

09/06

juventude

18/08 juventude

19/10  repertório

14/06

ônix

31/08 topázio

31/10  ágata

29/06

ametista

30/06

juventude

Orquestra Sinfônica Brasileira OSB Ópera & Repertório


em Notícia OSB e Lenine em Recife No dia 20 de outubro, um evento especial promovido pelo Grupo Queiroz Galvão, patrocinador da Fundação OSB, movimentou a cidade de Recife. Milhares de pessoas assistiram ao concerto da Orquestra Sinfônica Brasileira no Parque Dona Lindu, com obras de Glinka, Stravinsky e do pernambucano Clóvis Pereira. Para celebrar o encontro da música sinfônica com a diversidade cultural local, a Orquestra recebeu o cantor e compositor Lenine, que interpretou junto à OSB sucessos de sua carreira como Leão do Norte e Jack Soul Brasileiro. O espetáculo foi transmitido ao vivo para todo o país pela TV Cultura.

Programa Nossa Orquestra Brasileira A Fundação OSB lançou em outubro a edição 2014 do Nossa Orquestra Brasileira. Através do Programa, as doações feitas por pessoas físicas à instituição até o fim de dezembro podem ser deduzidas do Imposto de Renda no ano que vem. Os associados garantem benefícios como descontos, ingressos para concertos e participação em eventos especiais, dentre outras vantagens. Saiba mais sobre o Programa em www.osb.com.br.

Programa Orquestra em Sala conclui atividades em 2013 A última turma do Programa Orquestra em Sala se reúne nos dias 12 e 13 de novembro para debater as características da Sétima Sinfonia de Beethoven, que será apresentada pela OSB no Concerto da Juventude do dia 1 de dezembro. Após compartilharem os detalhes do repertório, os professores trarão seus alunos para o espetáculo no Theatro Municipal. Durante o ano de 2013, o Programa do Centro de Educação Musical Brasileiro da Fundação OSB promoveu encontros com 96 educadores de escolas públicas e particulares do Rio e alcançou diretamente um público de mais de 14 mil alunos. Saiba mais sobre a iniciativa em www.osb.com.br.

OSB no interior do Rio No dia 21 de dezembro, em Búzios, a OSB dá início a uma série de espetáculos no interior do Rio de Janeiro. A turnê resulta de uma parceria da Fundação OSB com o SESC Rio e integra o Projeto SESC na Estrada, apresentando mais 9 concertos em diferentes cidades fluminenses ao longo da Temporada 2014. Confira mais informações em nosso site. 6/7


série

REPERTÓRIO

concertos de câmara osb ópera & repertório

09 nov

Espaço Tom Jobim

SÁBADO > 17h

CAROLINA FARIA mezzo-soprano ROBERTO DUARTE regente Discípulo de dois grandes mestres brasileiros, Francisco Mignone e Eleazar de Carvalho, Duarte já dirigiu orquestras como a Tonhalle Zürich, a Ungarische Philharmonie, a Orchestre de la Radio Suisse Romande, a Moscow Chamber Orchestra e a Sinfonica di Bari. Venceu os prêmios da APCA, Carlos Gomes e Nacional da Música, e foi professor da UFRJ durante 27 anos. Tem um trabalho de destaque na revisão de obras de nomes como Villa-Lobos e Carlos Gomes. Foi regente titular e diretor artístico das sinfônicas da UFRJ e do Paraná.

concertos novembro - dezembro

Apontada pelo crítico Clóvis Marques como uma “voz de cores quentes e grande fervor expressivo”, Faria vem participando de óperas e concertos sob a regência de nomes como Isaac Karabtchevsky, John Neschling e Roberto Tibiriçá. Já foi dirigida por Sérgio Britto, André-Heller Lopes e Carla Camurati, consagrando-se nas principais salas do Brasil. Em 2010, estreou no exterior com a Orchestre Lyrique Avignon, da Provence, no Stabat Mater de Pergolesi.

8/9


série

REPERTÓRIO

(continuação)

GIOACHINO ROSSINI O Barbeiro de Sevilha: abertura

ASTOR PIAZZOLLA Tangazo

Composição 1816 Duração 8 minutos Orquestração flauta, flautim, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tímpanos, percussão e cordas Edição Kalmus Music

Duração 14 minutos Orquestração 2 flautas, flautim, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, tímpanos, percussão, piano e cordas

FELIX MENDELSSOHN Sinfonia nº 4 em Lá maior, Op. 90 - “Italiana”

I. Introdução e Cena | Introduccion y Escena II. Na Caverna (A Noite) | En la Cueva (La Noche) III. Canção do Amor Sofrido | Canción del Amor Dolido IV. O Fantasma | El Aparecido V. Dança do Terror | Danza del Terror VI. O Círculo Mágico (História do Pescador) | El Circulo Mágico (Romance del Pescador) VII. À Meia Noite, Os Encantamentos | A Media Noche, Los Sortilegios VIII. Dança Ritual do Fogo | Danza Ritual del Fuego IX. Cena | Escena X. Canção do Fogo Fátuo | Canción del Fuego Fatuo XI. Pantomima | Pantomima XII. Dança do Jogo do Amor | Danza del Juego de Amor XIII. Final: Os Sinos do Amanhecer | Las Campanas del Amanecer Composição 1914-1915 Duração 24 minutos Orquestração 2 flautas, flautim, oboé, corne-inglês, 2 clarinetas, fagote, 2 trompas, 2 trompetes, tímpanos, percussão, piano, mezzo-soprano solo e cordas Edição Chester

2014

MANUEL DE FALLA O Amor Bruxo: Suíte de Balé

intervalo

I. Allegro Vivace II. Andante con moto III. Menuetto | Con moto moderato IV. Saltarello | Presto Composição 1833 Duração 26 minutos Orquestração 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, tímpanos e cordas Edição Bärenreiter Urtext

PROGRAMA NOSSA ORQUESTRA BRASILEIRA

#OrquestraSinfônicaBrasileira #EuAcreditoNessaCausa Contribua com o trabalho da Fundação OSB e deduza o valor doado do seu Imposto de Renda. Garanta benefícios como ingressos, descontos e muito mais! Mais informações: (21) 2142-5840 www.osb.com.br /orquestrasinfonicabrasileira /OSBrasileira

MANTENEDORES

concertos novembro - dezembro

APOIO fINANCEIRO

PATROCINADOR MASTER

REAlIzAçãO

10/11


Jade

DANIIL TRIFONOV piano

osb

16

nov

teatro bradesco

SÁBADO > 16h

LEANDRO CARVALHO regência Um dos fundadores e atual diretor artístico da Orquestra do Estado de Mato Grosso, Leandro atuou também como regente assistente da OSB. Foi apontado como um dos dez artistas de maior importância para a música clássica no Brasil na última década pelo Anuário Viva Música, publicação de referência para o mercado musical no país. Como instrumentista, gravou nove CDs, com destaque para os duos com Turíbio Santos e Baden Powell.

concertos novembro - dezembro

Nascido em 1991, Trifonov é um dos mais brilhantes nomes da nova geração de pianistas. Na temporada 2010/2011, jurados como Martha Argerich, Nelson Freire, Van Cliburn e Valery Gergiev premiaram Trifonov em três prestigiadas competições internacionais: os concursos Chopin de Varsóvia, Rubinstein de Tel Aviv e Tchaikovsky de Moscou. Na última temporada, estreou com a Sinfônica de Londres e as filarmônicas de Viena e Israel, e encantou plateias em performances na Salle Pleyel, no Carnegie Hall e no Suntory Hall de Tóquio, dentre outras importantes salas.

JOSEPH HAYDN Sinfonia nº 44 em mi menor, Hob. I:44 - “Fúnebre”

FELIX MENDELSSOHN Sinfonia nº 3 em lá menor, Op. 56 - “Escocesa”

I. Allegro con brio II. Menuetto | Allegretto III. Adagio IV. Finale | Presto Composição 1770 - 1771 Duração 22 minutos Orquestração 2 oboés, fagote, 2 trompas e cordas Edição Doblinger

I. Andante con moto II. Vivace non troppo III. Adagio IV. Allegro vivacissimo Composição 1841-1842 Duração 40 minutos Orquestração 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, tímpanos e cordas Edição Breitkopf & Härtel Urtext

SERGEI RACHMANINOFF Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op. 43

intervalo

série

patrocinador

Composição 1934 Duração 22 minutos Orquestração 2 flautas, flautim, 2 oboés, corne-inglês, 2 clarinetas, 2 fagotes, 4 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa, piano solo e cordas Edição Kalmus Music 12/13


série

patrocinador

turmalina

osb

23 nov

theatro municipal do rio de Janeiro

SÁBADO > 16h

ANGELA HEWITT piano Depois de 11 anos de trabalho, Angela Hewitt concluiu em 2005 as gravações do projeto Hyperion, dedicado às principais peças compostas por Bach para piano. “Uma das glórias do nosso tempo”, segundo o jornal The Sunday Times, as versões de Hewitt a posicionaram como uma autoridade no repertório do compositor alemão, segundo o The Guardian. Com uma discografia que contempla ainda obras de Beethoven, Schumann e Messiaen, dentre outros, Hewitt foi eleita “Artista do Ano” em 2006 pela Gramophone e tem sido aplaudida em salas como o Royal Festival Hall de Londres, o Carnegie Hall de Nova Iorque e o Concertgebouw de Amsterdã.

concertos novembro - dezembro

FABIO MECHETTI regência

Mestre em Regência e Composição pela Juilliard School, Mechetti atuou como regente associado de Mstislav Rostropovich na Sinfônica Nacional de Washington e como regente residente da Orquestra Sinfônica de San Diego. Igualmente aclamado como regente de ópera, fez sua estreia nos EUA dirigindo a Ópera de Washington. Regeu a Sinfônica de New Jersey no Carnegie Hall e tem dirigido orquestras americanas como as de Seattle, Buffalo, Utah, Rochester, Phoenix e Columbus. Desde 2008, é o diretor musical e regente titular da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais.

14/15


série

turmalina

(continuação)

JOHANN SEBASTIAN BACH Suíte Inglesa n° 3 em sol menor, BWV 808

WOLFGANG AMADEUS MOZART Concerto para piano n° 23 em Lá maior, KV 488 I. Allegro II. Adagio III. Allegro assai Composição 1784 Duração 26 minutos Orquestração flauta, 2 clarinetas, 2 fagotes, 2 trompas, piano solo e cordas Edição Breitkopf & Härtel

concertos novembro - dezembro

Composição 1971 Duração 6 minutos Orquestração 3 flautas, flautim, 2 oboés, corne-inglês, 2 clarinetas, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, harpa e cordas Edição Criadores do Brasil - OSESP intervalo

I. Prelude II. Allemande III. Courante IV. Sarabande V. Gavotte I VI. Gavotte II VII. Gigue Composição 1718-1720 Duração 17 minutos Orquestração piano

MOZART CAMARGO GUARNIERI Abertura Festiva

ROBERT SCHUMANN Sinfonia nº 2 em Dó maior, Op. 61 I. Sostenuto assai - Allegro ma non troppo II. Scherzo | Allegro vivace III. Adagio espressivo IV. Allegro molto vivace Composição 1845-1846 Duração 38 minutos Orquestração 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes, 3 trombones, tímpanos e cordas Edição Breitkopf & Härtel Urtext


série

patrocinador

ônix

osb ópera & repertório

29 nov

theatro municipal do rio de Janeiro

Sexta > 20h

IGOR STRAVINSKY A carreira do libertino (The Rake’s Progress) ELENCO: Homero Velho, barítono | Nick Shadow Carolina Faria, mezzo-soprano | Mamãe Gansa | Baba a Turca Murilo Neves, baixo | Trulove | O Guarda do Asilo de Loucos Wladimir Cabanas, tenor | Sellem Coro

JAMIL MALUF regência Formado em regência pela Escola de Música de Detmold, Alemanha, Maluf foi o criador, regente titular e diretor artístico da Orquestra Experimental de Repertório. Lecionou no Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão e recebeu por quatro vezes o prêmio da APCA como melhor regente de orquestra. Em 1996, conquistou o Prêmio Carlos Gomes e, em 1997, o Prêmio Maestro Eleazar de Carvalho, ambos concedidos pelo Governo do Estado de São Paulo. Atuou ainda como apresentador de programas dedicados à música clássica na Rádio Cultura FM e na TV Cultura.

concertos novembro - dezembro

EMILIO PONS tenor | Tom Rakewell O tenor mexicano Emilio Pons já subiu ao palco da Royal Opera House de Copenhagen, do Grand Théâtre de Genebra e do Teatro Mariinsky de São Petersburgo, dentre outras importantes salas, ao lado de conjuntos como a Royal Philharmonic de Londres e a Camerata Jerusalém. Colaborou com regentes como Mikhail Jurowsky e Cornelius Meister, e com renomados diretores de cena como Robert Carsen, Christof Loy, Richard Jones e Guy Joosten. Doutor em Música pela Universidade de Indiana, Pons conta em seu repertório com papéis como Don Ottavio em Don Giovanni e Ferrando em Così fan Tutte.

ELIZABETH CABALLERO soprano | Anne Trulove Estrela de produções da Metropolitan Opera, a soprano cubana Elizabeth Caballero foi aclamada pelo The New York Times por sua técnica exata ao interpretar Nedda em Pagliacci. Seus papéis incluem Condessa Almaviva em As noites de Fígaro, Liu em Turandot, Mimi em La Bohème, Micaela em Carmen e Magda em La Rondine, título de sua estreia europeia, no Teatro Giuseppe Verdi. Na New York City Opera, estreou como Donna Elvira em Don Giovanni. No último ano, interpretou o papel-título em Madame Butterfly na Lyric Opera of Kansas.

18/19


série

ônix

(continuação)

RESUMO DA ÓPERA

IGOR STRAVINSKY A carreira do libertino (The Rake’s Progress)

Ato II Durante o café da manhã, Tom repele Baba, que começa a quebrar tudo o que vê. Exausto, Tom adormece e acorda com a presença de Shadow. O diabo traz consigo uma máquina mágica, explicando ao público que não passa de trucagem. Tom anuncia seu terceiro desejo: fazer um grande bem à humanidade para, assim, voltar a merecer o amor de Anne.

Ato I O casal Tom e Anne celebra a primavera enquanto o pai da moça, Trulove, pede aos céus para que sua desconfiança sobre Tom esteja errada. Após negar um emprego oferecido pelo patriarca, o pretendente é avisado de que o casamento não será aceito por Trulove. Em solo, Tom reclama que não nascera para ficar por trás de um balcão e invoca sua sorte. De repente, surge Nick Shadow, que lhe revela que um tio acaba de morrer, deixando-o uma herança.

Tom está triste com o próprio comportamento e ressente-se por ter deixado a tranquilidade do campo. Deseja, em alto e bom som, “ser feliz”. O diabo novamente aparece e apresenta o anúncio de um espetáculo protagonizado por Baba, a Turca, propondo que Tom se case com a artista para alcançar a felicidade. Na rua em frente à casa de Tom, Anne o aguarda. Ao se deparar com a noiva, Tom a rejeita, diz que não a merece e pede-lhe que vá embora. Baba está na carruagem e fica impaciente com a cena. Tom diz a Anne que se casou, e ela parte. Os pedestres reconhecem Baba, que, em reverência ao público, retira o véu, revelando-se como a mulher barbada da feira de St. Gilles.

concertos novembro - dezembro

intervalo

Com a fortuna, o casal é aceito por Trulove. O noivo parte para Londres com Shadow, que se torna seu conselheiro. O público descobre, então, que Shadow é o próprio diabo em pessoa. Shadow e Mamãe Gansa tentam convencer Tom a seguir o caminho do cinismo. Anne sente falta de Tom e acredita que ele precise de ajuda, partindo para Londres também.

Tom se envolve em uma confusão e tem todos os seus pertences leiloados. A última peça é o que o leiloeiro chama de “objeto desconhecido”: coberta por uma peruca, está Baba. A mulher retoma o ataque de fúria, mas ao ver Anne no recinto, aconselha-a a ver seu ex-noivo, porque ele a ama. Após um ano de contrato com Tom, Shadow revela sua verdadeira identidade. Tom deverá pagar-lhe a dívida com sua própria alma, na badalada da meia-noite. O diabo lhe oferece a oportunidade de escolher como irá se suicidar. À nona badalada, Shadow propõe a Tom um jogo de cartas: caso acerte as três escolhidas, tudo poderá se resolver. Tom consegue adivinhar as escolhas de Shadow e, à meia-noite, quem morre é o diabo, que carrega consigo a sanidade de Tom. O jovem, agora, acha que é Adonis. Entre doentes mentais, Tom acredita ser Adonis e que irá se casar com Vênus. Anne chega acompanhada de um enfermeiro. Ela é reconhecida como a deusa grega por Tom, que lhe pede perdão. Anne o abraça como se fosse um filho, e parte. Tom acorda e procura por Vênus, mas, sem encontrá-la, morre de desgosto.

20/21


topázio

osb

07 dez

série

série

patrocinador

SAFIRA

osb

theatro municipal do rio de Janeiro

Sábado > 16h

08 dez

Sala São Paulo

DOMINGO > 17h

ROBERTO MINCZUK regência

LYNN HARRELL violoncelo Consagrado solista, camerista, recitalista, regente e professor, Lynn Harrell é convidado frequente de orquestras como as filarmônicas de Nova Iorque e Berlim. Suas apresentações têm sido aplaudidas na América do Norte, na Europa e no Extremo Oriente, incluindo colaborações com regentes como Kurt Masur, Zubin Mehta, André Previn, Sir Simon Rattle e James Levine. Em 2004, participou de um concerto histórico com a Royal Philharmonic no Vaticano em memória dos 6 milhões de judeus mortos no Holocausto. Vencedor de dois prêmios Grammy, é dono de uma discografia de mais de 30 álbuns lançados por selos como EMI e Decca.

Regente titular da Orquestra Sinfônica Brasileira e diretor artístico e regente titular da Filarmônica de Calgary, foi regente associado da Filarmônica de Nova Iorque e já regeu mais de oitenta orquestras em quatro continentes, como as filarmônicas de Los Angeles, Israel, Londres, Royal Liverpool, Oslo e Helsinki; orquestras da Filadélfia e Cleveland; sinfônicas de San Francisco, Montreal, BBC de Londres e Cardiff; orquestras nacionais da França, Lyon e Bélgica.

concertos novembro - dezembro

22/23


série

topázio | SAFIRA

(continuação)

WITOLD LUTOSLAWSKI Pequena Suíte (Mala Suita)

MODEST MUSSORGSKY / MAURICE RAVEL Quadros de uma Exposição

DMITRI SHOSTAKOVICH Concerto para violoncelo n° 2, Op. 126 I. Largo II. Allegretto III. Allegretto Composição 1966 Duração 35 minutos Orquestração flauta, flautim, 2 oboés, 2 clarinetas, 3 fagotes, contrafagote, 2 trompas, tímpanos, percussão, 2 harpas, violoncelo solo e cordas Edição Sikorski

concertos novembro - dezembro

intervalo

I. Fujarka (Fife) | Allegretto II. Hurra Polka | Vivace III. Piosenka (Song) | Andante molto sostenuto IV. Taniec (Dance) | Allegro molto Composição 1951 Duração 11 minutos Orquestração flauta, flautim, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 fagotes, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão e cordas Edição Chester / Novello

I. Passeio | Promenade II. Gnomo | Gnomus III. Passeio | Promenade IV. O Castelo Medieval | Il Vecchio Castello V. Passeio | Promenade VI. Tulherias | Tuileries VII. Carro de Bois | Bydlo VIII. Passeio | Promenade IX. Balé dos Pintinhos em suas Cascas de Ovos | Ballet des Petits Poussins dans leurs Coques X. Samuel Goldenberg e Schmuyle | Samuel Goldenberg et Schmuyle XI. Passeio | Promenade XII. O Mercado em Limoges | Limoges, Le Marché XIII. Catacumbas, Sepulcro Romano | Catacombae, Sepulcrum Romanum XIV. Com os Mortos em Língua Morta | Cum Mortuis in Língua Mortua XV. A Cabana de Baba-Yaga sobre Patas de Galinha | La Cabane de Baba-Yaga sur de Pattes de Poule XVI. A Grande Porta de Kiev | La Grande Porte de Kiev Composição 1874 | Orquestração 1922 Duração 35 minutos Orquestração 3 flautas, 2 flautins, 3 oboés, corne-inglês, 2 clarinetas, clarone, saxofone alto, 2 fagotes, contrafagote, 4 trompas, 3 trompetes, 3 trombones, tuba, tímpanos, percussão, 2 harpas, celesta e cordas Edição Boosey & Hawkes

novo anúncio carvalho hosken


Medeia POR ANDRÉ HELLER-LOPES

Médée, de Luigi Cherubini, ocupa um lugar especial no Pantheon das “óperas a serem (re)descobertas”.

Saiba mais sobre essa descoberta em: http://bit.ly/osb_medeia

Por 200 anos foi executada em versões alemães e italianas, com cortes e o acréscimo de recitativos compostos por outro compositor, de nome Lachner (1855). Há poucos anos apenas, surgiu a edição crítica que retornava a obra à sua estética original, em francês e com diálogos falados (que a OSB Ópera & Repertório executa em primeira audição sul-americana). Executada em Lisboa, Paris, Bruxelas e Londres, esta versão ‘original’ revela porém apenas parte do mistério que envolve a mitológica Medea operística. Em junho de 2013, um grupo de cientistas de Stanford, munidos de uma ultramoderna técnica de raio X, conseguiu recuperar mais de 500 compassos de música que haviam sido apagados e riscados com tinta de chumbo e carvão pelo próprio Cherubini. Inédito ainda, o trecho cortado após a estreia da ópera em 1797 pertence à ária final de Médée (Du trouble affreux) e demonstra, se nada mais, a importância da cena final na estrutura originalmente imaginada pelo compositor. Para nós, mais de 200 anos após a estreia parisiense em 13 de março de 1797, o fascínio desta “arqueologia musical” num encontro de música e tecnologia testemunha a atualidade e importância do gênero operístico. Todavia, o grande descobrimento de Médée aconteceu há precisos 60 anos. Foi na edição de 1953 do Maggio Musicale Fiorentino, quando a ópera foi cantada pela primeira vez por Maria Callas. A versão usada então não era a original, mas sim uma tradução italiana e com recitativos no lugar dos diálogos que caracterizam a opéra-comique francesa.

concertos novembro - dezembro

A paixão dos protagonistas era talvez mais mediterrânea do que a idealizada por FrançoisBenoît Hoffmann, baseado na tragédia de Eurípides e na de Pierre Corneille, e mais romântica do que o estilo ainda clássico de Cherubini. Deste encontro fulminante em 1953 até a temporada 1961-62 do Scala, quando cantou pela última vez o papel, criou-se o ‘mito Callas’, para sempre associado à maga Medea. Esta é uma ópera de protagonistas, com grandes momentos igualmente para Dircée, Créon, Jason e Neris e para a orquestra, protagonista ela também. Porém é um privilégio especial poder contar com a nossa própria “divina”, Eliane Coelho. Na voz da mais respeitada e admirada cantora brasileira da atualidade, teremos uma protagonista que domina a ação e paixão que permeiam toda obra. Doutor pelo Kings College de Londres e professor da Escola de Música da UFRJ, André Heller-Lopes foi responsável por introduzir com suas montagens “um padrão de qualidade inédito em nosso país”, segundo O Estado de São Paulo. Vencedor de prêmios como Carlos Gomes e Britten 100 Awards, dirigiu inúmeras óperas no Brasil, Argentina, Áustria, Alemanha, França, Inglaterra e Portugal.

26/27


série

patrocinador

ágata

osb ópera & repertório

19

dez

theatro municipal do rio de Janeiro

QUINTA > 20h

LUIGI CHERUBINI Medeia Versão Francesa

CARLOS VIEU regência O argentino Carlos Vieu foi influenciado por regentes como Scarabino, Benzecry e Masur, tendo aperfeiçoado seus estudos musicais no Sistema de Orquestras Juvenis da Venezuela. Foi regente titular da Sinfônica de Mar del Plata, diretor musical da Orquestra Residente do Teatro Colón e atualmente dirige o Teatro Argentino de La Plata. No Colón, regeu produções de Turandot, La Traviata, o Requiem de Verdi e Simon Boccanegra. Em La Plata, montagens de Lucia di Lammermoor, Il Trovatore e Francesca da Rimini. Em 2014 debutará na Ópera de Lausanne com O Barbeiro de Sevilha.

ELIANE COELHO soprano | Medeia Carioca formada pela Escola Superior de Música e Teatro de Hannover, conquistou a cidadania austríaca e o título de Kammersängerin. Atuou nas óperas de Frankfurt e Viena, estrelando óperas como Aida, Otello e Madame Butterfly, dentre outras. Na atual temporada, tem destaque suas participações nas montagens de Tosca no Teatro Amazonas e de Macbeth no Teatro Municipal de São Paulo.

ELENCO Charles Cruz, tenor | Jasão Maíra Lautert, soprano | Dircée Kismara Pessati, contralto | Neris Savio Sperandio, baixo | Creonte Michele Menezes, soprano | Criada Marianna Lima, mezzo-soprano | Criada Coro

concertos novembro - dezembro

28/29


série

ágata

(continuação)

Confira também a programação dos

concertos

RESUMO DA ÓPERA

LUIGI CHERUBINI Medeia Versão Francesa Ato I Dircée, filha do rei Creonte, irá se casar com Jasão em Corinto, e pede ao deus do amor que a proteja de Medeia, antiga esposa do noivo. A população quer a morte dos filhos de Jasão com sua exmulher. O velocino de ouro é anunciado como presente dos argonautas ao reino, em homenagem a Dircée. A guarda real anuncia a presença de uma desconhecida. Cidadãos e argonautas se retiram do recinto ao perceberem a presença de Medeia. Para que saia de Corinto, Creonte promete lhe dar até o pôr-dosol. Medeia e Jasão ficam a sós. Medeia evoca o amor de seu ex-marido e lhe implora piedade. Jasão pede que parta e Medeia reage, ameaçando matá-lo. Ato II A multidão exige o sangue de Medeia, que, no entanto, decide permanecer em Corinto. Creonte a avisa que nem mesmo ele poderá salvá-la da multidão. Medeia suplica-lhe um abrigo e, como o rei não lhe permite permanecer, pede-lhe apenas por mais um dia na cidade. Nas escadas do templo de Hera, a confidente de Medeia, Neris, jura-lhe lealdade. A mulher decide, então, utilizar o dia que lhe resta a fim de concretizar seu objetivo: matar Dircée. Medeia pede a Jasão para ficar com os filhos até sua partida. Jasão se recorda emocionado do antigo amor.

Entretanto, Medeia já está contaminada pela ideia de vingança. Medeia irá presentear a noiva com o diadema e o manto abençoado por Febo Apolo. A música nupcial já é ouvida em Corinto. O rei, os noivos e os convidados caminham para o templo de Hera, enquanto Medeia amaldiçoa os hinos nupciais entoados. Após a retirada da multidão do local do casamento, a mulher volta-se para o altar, retira a tocha acesa e desaparece.

da Juventude 10 de novembro O espírito latino na música DOMINGO, 11H OSB ÓPERA & REPERTÓRIO

FRANCISCO M. SILVA / OSÓRIO D. ESTRADA Hino Nacional Brasileiro

ASTOR PIAZZOLLA Tangazo

Ato III

MANUEL DE FALLA O Amor Bruxo: Suíte de Balé

01 de dezembro

Dois séculos da Sétima Sinfonia de Beethoven DOMINGO, 11H OSB

Roberto Minczuk, regência FRANCISCO M. SILVA / OSÓRIO D. ESTRADA Hino Nacional Brasileiro LUDWIG VAN BEETHOVEN Sinfonia nº 7 em Lá maior, Op. 92

A tradicional série de concertos apresenta curiosidades sobre a música, as obras executadas e o funcionamento da orquestra. Um programa imperdível para toda a família. * Ao guardar o canhoto de um dos concertos e apresentar na bilheteria, você obtém desconto de 50% na compra de ingressos avulsos para os concertos de série da Fundação OSB. 1 canhoto = desconto em 1 ingresso. Conheça as iniciativas do Centro de Educação Musical Brasileiro e confira a programação completa no site: www.osb.com.br

PATROCINADOR MASTER

concertos novembro - dezembro

Roberto Duarte, regência Carolina Faria, mezzo-soprano

GIOACHINO ROSSINI O Barbeiro de Sevilha: abertura

intervalo

Medeia se transfigura em uma feiticeira. Ela invoca a deuses infernais que lhe deem força, mas não consegue matar os próprios filhos. Dircée está grata pelos presentes recebidos. Medeia sabe que sua vingança está prestes a se concluir: a joia dada está envenenada. Ela não sabe ao certo se realizará uma vingança completa, tomando de Jasão a própria descendência ao assassinar os filhos, mas afasta do coração o sentimento de piedade. A terrível morte de Dircée faz com que gritos de horror ecoem pela cidade. Apesar de ser avisado por Neris, Jasão não impede a conclusão da vingança de Medeia: o templo está em chamas e os filhos, mortos.

Não perca neste bimestre, sempre aos domingos às 11h. Uma parceria com o Theatro Municipal do Rio de Janeiro:

PATROCINADORes

30/31


Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira CONSELHO CURADOR

PRESIDENTE Eleazar de Carvalho Filho VICE-PRESIDENTE Vânia Somavilla PRESIDENTE DE HONRA Roberto Paulo Cezar de Andrade

CONSELHEIROS BENEMÉRITOS Carlos Alberto Vieira Flávio de Andrade Mauro Bento Dias Salles Paulo Kastrup Netto PRESIDENTES IN MEMORIAM Mario Henrique Simonsen (1988-1997) Octavio Gouvea de Bulhões (1968-1987) Eugênio Gudin (1966-1967)

CONSELHEIROS

Arnaldo Guinle (1940-1947/1952-1956/1960-1962)

Armando José Strozenberg Carlos Fernando de Carvalho

CONSELHO FISCAL

Claudia Costin

Eduardo Mendes

David Zylbersztajn

Luiz Paulo Amorim

Francisco Antunes Maciel Mussnich

Clovis Pereira

João Carlos de Almeida Braga

Suplentes:

João Carlos Ferraz

Mauro Ávila

João Maurício Ottoni Wanderley de Araújo Pinho

André Xavier Lima

João Paulo dos Reis Velloso José Roberto Marinho Luiz Idelfonso Simões Lopes Luiz Orenstein Romeu Domingues Sergio Sá Leitão

SUPERINTENDENTE GERAL Ricardo Levisky DIRETOR EXECUTIVO Sergio Fortes

DIRETOR ARTÍSTICO Pablo Castellar

MARKETING E COMUNICAÇÃO Agenor Carvalho Gerente Geral

DIRETORIA ARTÍSTICA Pedro Gattoni Assessor

ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Patricia Ivie Gerente Geral

COMUNICAÇÃO Sandra Pinto Gerente

EDUCACIONAL Anahi Ravagnani Gerente

Iuri Soares João Paulo de Oliveira Analistas

Ulisses Amaral Maestro Titular OSB Jovem

RECURSOS HUMANOS Adriana Abreu Josie Florencio Rachel Souza Analistas

IMPRENSA Viviana Morilla Gerente

PRODUÇÃO Daniela Fonseca Gerente

NÚCLEO DE GESTÃO DE PARCERIAS Karine Almeida Roberta Sanches Coordenadoras

Josiane Rego Coordenadora

ASSINATURAS E BILHETERIA Rafael Sobral Coordenador Michele Fajardo Analista ASSESSORIA DA SUPERINTENDÊNCIA GERAL E DIRETORIA EXECUTIVA Ana Ferreira Assessora RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E NOVOS NEGÓCIOS Luciana Gabardo Coordenadora Mariana Perry Estagiária

Alexandre Lopes Bárbara Pinto Gabriela Miranda Assistentes de Produção Dimitrius Paula Natalia Aiello Estagiários Maria Ivone Tavares Vera Lucia de Azevedo Camareiras PALCO Scarlett Svab Gerente Luiz Menezes Edson Marcellino Inspetores Kevin Garcia Nilton Willmann Osnávio Francisco André Penna Montadores ARQUIVO Diogo Pereira Coordenador Fábio Reis Assistente

MAESTRO TITULAR OSB Roberto Minczuk

FINANCEIRO Roberta Sousa Gerente André Barros Coordenador Bruno Couto Analista CONTABILIDADE César Rangel Coordenador Diego Tavares Marcia Arrais Analistas ADMINISTRAÇÃO Maria Auxiliadora Moraes Telefonista/ Recepcionista Alciney Delarue Joelson Borges Compras e Manutenção Lucilene Pinheiro Tiago Wilha Apoio Larissa Cruz Maurício Dantas Estagiários TI Rafael Sadeck Marcus Valga Analistas

COLABORADORES INSTITUCIONAIS COORDENADOR DE ELENCO OSB Ópera & Repertório André Heller-Lopes CORO DE CRIANÇAS Julio Moretzsohn Regente Denize Vieira Maestrina Assistente Assessoria de Imprensa Agência Febre Agência de Publicidade Artplan Agência de Design Boldº_a design company Redação ADEP SITE E9 Tecnologia

32/33


Orquestra Sinfônica Brasileira

Orquestra Sinfônica Brasileira ÓPERA & REPERTÓRIO

MAESTRO TITULAR Roberto Minczuk

Violinos Maurício Aguiar | spalla Clóvis Pereira Filho | solista Mauro Rufino Martins | solista Byron Hitchcock | solista Alejandro Aldana | solista Francisco Roa Roberto Faria Lopes Brigitta Calloni Daniel Passuni Marisol Soto Nikolay Sapoundjiev Desirée Johanna Mayr Alina Paducel Marcin Marzec Vladimir Yosifov Anton Gonzállez Ângelo Martins Camilo da Rosa Simões Christina Büttner* Wagner Rodrigues* Willian Isaac* Geovanne Marquetti* Nikolay Iliev Iliev* Rudá Alves** Violas Denis Golovin | concertino Serghei Iurcik André Rodrigues Maciej Filochowski Samuel Passos Victor Botene* Jesse Maximo* Violoncelos Emilia Ivova Valova | concertino Eric Alterman | concertino Martina Ströher

*temporário

**em licença

Cecilia Slamig Ricardo Santoro Paulo Santoro Luiz Daniel Sales* Contrabaixos André Geiger | solista Rodrigo Favaro | concertino Larissa Coutrim Valéria Guimarães Waldir Bertipaglia Alexandre Ito Souza* Flautas/Flautim Claudia Nascimento | solista Paulo Guimarães Ferreira Tiago Meira* Oboé/Corne Inglês Jorge Postel Pavisic | solista Alexandre Bocalari | corne inglês | solista Maria Fernanda Dalvio* Clarinetas Tiago Naguel | solista Thiago Tavares | clarone Lucia Morelenbaum Marcio Miguel Costa* Fagotes/Contrafagotes Luiz Felipe Destéfano Pérez | solista Matthew Taylor* Trompas Luiz Garcia | solista Thiago Ariel Moreira | solista Eliezer Conrado Rafael Fróes Danillo André Silles

Trompetes Fábio Brum | solista Gabriel Dias* Trombones Eduardo Machado | solista Raphael Paixão Ricardo Santos | trombone baixo Tubas Albert Khattar | solista* Tímpanos Rodrigo Foti | solista Percussão Leo Sousa Harpa Jennifer Campbell | solista

COMISSÃO ARTÍSTICA Maurício Aguiar Tiago Naguel Jenniffer Campbell Raphael Paixão Emília Ivova Valova COMISSÃO DE MÚSICOS Eduardo Machado - Presidente Daniel Passuni Denis Golovin Desiree Mayr Mauricio Aguiar Marisol Soto Nikolay Sapondjev Rafael Froes Waldir Bertipaglia

Violinos Michel Bessler | spalla Pablo de León | spalla Karolin Broosch* | concertino Angélica Alves Priscila Rato Luzer Machtyngier Ubiratã Rodrigues André Cunha Kleber Vogel Sergio Struckel Virgilio Arraes Filho Shiguehiko Takeda Marco Catto* Violas Bernardo Fantini Nayran Pessanha Déborah Cheyne Ivan Nirenberg Helena I. Buzack Violoncelos David Chew | solista Fernando Bru | concertino Luiz Carlos Hack Thaís Ferreira* Contrabaixos Rudolf Kroupa | solista Saulo Melo | concertino Alexandre Brasil Ernesto Gonçalves Flautas/Flautim Renato Axelrud | solista Carlos Alberto Rodrigues | flautim

Oboé/Corne Inglês Victor Astorga* | solista Francisco Gonçalves Clarinetas Marcos dos Passos Junior* | solista José Batista Junior* Fagotes/Contrafagotes Paulo Andrade Mauro Ávila | contrafagote Trompas Josué Soares Daniel Soares da Silva* Trompetes David Alves | solista Flávio Melo | solista Nilson Coelho Trombones Elber Ramos Bonfim Antonio Henrique Seixas | trombone baixo Tuba Eliézer Rodrigues | solista Tímpanos Lino Hoffmann | solista Percussão André Frias

COMISSÃO ARTÍSTICA David Chew Michel Bessler Nayran Pessanha Pablo de León COMISSÃO DE MÚSICOS Ubiratã Rodrigues - Presidente Alexandre Brasil Ernesto Gonçalves Josué Soares Kleber Vogel Luis Hack Luzer Machtyngier Nayran Pessanha 34/35


THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO Praça Marechal Floriano, s/n° Centro – Rio de Janeiro

TEATRO BRADESCO | Shopping Village Mall Av. Das Américas, 3.900 Barra da Tijuca - Rio de Janeiro

ESPAÇO TOM JOBIM Rua Jardim Botânico, 1.008 Jardim Botânico – Rio de Janeiro

SALA SÃO PAULO Praça Júlio Prestes, 16 Luz - São Paulo

Departamento de Bilheteria e Assinaturas | OSB RJ 21 2505 8383 SP 11 3522 7100 www.osb.com.br / orquestrasinfonicabrasileira / OSBrasileira

vendas

Esta publicação foi impressa pela Stilgraf em novembro de 2013 utilizando papel couche matte 115gr na capa e 90gr no miolo, com tiragem de 5.400 unidades, e composto com a família tipográfica ARS Maquette Pro.


Av. Rio Branco, 135 | Salas 915 a 920 - Centro Rio de Janeiro RJ CEP 20040-006 tel. +5521 2142 5800

www.osb.com.br / orquestrasinfonicabrasileira / OSBrasileira

Apoio financeiro

Mantenedores

Realização

PATROCINADOR MASTER

Bold°_a design company

Fundação Orquestra Sinfônica Brasileira


Revista OSB #5  

Quinta edição da revista bimestral da Orquestra Sinfônica Brasileira - Temporada 2013

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you