Issuu on Google+

Impresso Especial 9912282533/2011 - DR/MG

Associação Beneficente Nhá Chica

CORREIOS

DEVOLUÇÃO GARANTIDA

CORREIOS

Órgão Oficial da Associação Beneficente Nhá Chica - Baependi - MG / Ano VI - Nº 69 - setembro de 2013

Setembro: Mês da Bíblia "Não tenham medo de ser generosos com Cristo, de testemunhar o Seu Evangelho, a sua fé” Papa Francisco


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

Expediente Nhá Chica Informativo

Notícias do Santuário e da ABNC

setembro de 2013 - Ano VI - Nº 69 Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor Província Brasil / Bolívia Provincial Madre Cristina Alves Ribeiro Diretora da ABNC Irmã Claudine Ribeiro Vice-Diretora da ABNC Irmã Gertrudes das Candeias Conselho de Comunicação da ABNC Irmã Sandra Aparecida Gontijo Francisco Joaquim de Siqueira Flávia Maria Maciel Neves Yolanda Aparecida Fernandes Eduardo Luiz Magalhães Brochado Programação Visual Nádia Ferreira Vilas Boas Editor / Jornalista Responsável Sérgio Monteiro Mtb 7697/02 CTP e Impressão Gráfica e Editora Novo Mundo São Lourenço - MG Tiragem 10.000 mil exemplares Associação Beneficente Nhá Chica - ABNC Rua da Conceição, 165 - Centro Baependi - MG / CEP: 37.443-000 Tel. (35) 3343-1077 Fax. (35) 3343-1661 E-mail: contato@nhachica.org.br Website: www.nhachica.org.br

Irmãs Franciscanas do Senhor 127 anos promovendo a Paz e o Bem

2

Opinião O Papa Francisco, em recente homilia, declarou: “A Bíblia revela-nos o Deus Vivo, o Deus que é Vida e fonte da vida”. Por isso, neste mês dedicado à Bíblia, é fundamental conhecermos a importância de termos inseridas em nosso dia a dia a leitura e a vivência dos ensinamentos contidos na Palavra de Deus e de acordo com a Santa Igreja Católica. O estudo da Bíblia é como a alma da Teologia, assim dizia o Concílio Vaticano II, referindo-se a uma palavra do Papa Leão XIII. Este estudo jamais chega ao fim, pois, em cada época se deverá, de um modo novo e próprio, procurar compreender os Livros Sagrados. É por isso que a Constituição Dogmática “Dei Verbum” do Concilio Vaticano II ensina que: “O ofício de interpretar autenticamente a Palavra de Deus, escrita ou transmitida, foi confiado unicamente ao Magistério vivo da Igreja, cuja autoridade se exerce em nome de Jesus Cristo” (n.10). Outro Papa, desta vez o Bem-Aventurado João Paulo II, também admoesta: “Quando rezam e estudam a Palavra de Deus, vocês devem estar profundamente conscientes da sede de vida divina que têm os homens e as mulheres de hoje, do grande desejo de certeza e esperança que preenche o coração de muitos seres humanos”. A leitura da Bíblia leva o ser humano a um contato direto com Deus e seus propósitos para com a humanidade. Afinal, Ele enviou Seu Filho para nos resgatar. “Em todas as idades e em todos os lugares, aqueles que têm a graça de conhecer Jesus, especialmente através da leitura dos Santos Evangelhos, permanecem fascinados, reconhecendo que em sua pregação, em seus gestos, em sua Pessoa, se revela o verdadeiro rosto de Deus e, ao mesmo tempo, nos releva a

nós mesmos, faz-nos sentir a alegria de sermos filhos do Pai do Céu, indicando-nos a base sólida sobre a qual construir nossas vidas” – disse o Papa Emérito Bento XVI. Neste mês, o Evangelho de Lucas foi o escolhido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB - para ser meditado. Um livro que nos ensinará como ler os sinais dos tempos, como acolher a hora da visita de Deus, como descobrir os momentos do Espírito. O dom do Espírito, prometido por Jesus, não se compra com dinheiro nem se consegue pelo estudo. O Espírito Santo é dado a quem o pede na misericórdia e na oração (cf. Lc 11,13). Também fundamentais na atuação da Santa Igreja, a leitura e a aplicação da Palavra de Deus na vida de cristãos católicos estão presentes ainda no Documento de Aparecida, redigido e apresentado na V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, ou Conferência de Aparecida, realizada em 2007: “Desconhecer a Sagrada Escritura é desconhecer Jesus Cristo e renunciar a anunciá-lo. Se queremos ser discípulos e missionários de Jesus Cristo é indispensável o conhecimento profundo e vivencial da Palavra de Deus. É preciso fundamentar nosso compromisso missionário e toda a nossa vida cristã na rocha da Palavra de Deus” (DA 247). A Bíblia contém tudo aquilo que Deus quis nos comunicar em relação a nossa salvação. Jesus é o centro e o coração da Bíblia. Em Jesus se cumprem todas as promessas feitas no Antigo Testamento para o Povo de Deus. São Paulo afirmou: “Tudo o que se escreveu no passado foi para o nosso ensinamento que foi escrito, a fim de que, pela perseverança e consolação que nos dão as Escrituras, tenhamos esperança” (Rm 15,4).

Espaço dos Leitores Sou católico, mas pouco frequento a Igreja. Ouvindo a Rádio Globo, teve um comentário sobre a beatificação de Nhá Chica, no mês de maio deste ano, em que falava sobre milagres atribuídos à intercessão dela. Com meu pai enfermo (com leucemia, constatada por exames), pedi a Nhá Chica que intercedesse por ele; que se ela precisasse de um milagre, essa cura seria atribuída a ela. Hoje meu pai está firme e forte e, de repente, fazendo coisas que antes nem sequer podia fazer sem ajuda. Agradeço de coração e tenho o mais profundo e sincero afeto por Nhá Chica, de quem passei a ser devoto Vicente Rio de Janeiro


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

O Pão nosso dai-nos hoje Obrigado Senhor pelo pão de cada dia

A

obra social, mantida há 59 anos pelas Irmãs Franciscanas do Senhor e que funciona anexa à Igreja de Nossa Senhora Conceição, é uma das mais tradicionais e respeitadas instituições em Minas Gerais. A Associação Beneficente Nhá Chica acolhe crianças de zero a dezesseis anos. Ali elas encontram um projeto pedagógico voltado para a formação de cidadãos e cidadãs. E uma das maiores ações dentro do trabalho realizado está relacionada com o alimento espiritual e material para essas crianças, que hoje passam das 170 atendidas. Destas, cerca de 9 são internas, estando sob os cuidados das religiosas, por ordem judicial. Na parte espiritual, todos participam de celebrações eucarísticas, rezam o terço, fazem novena e recebem orientações bíblicas importantes nas diversas aulas do projeto, para a boa formação do caráter de cada um. Para alimentar o corpo, as Irmãs e a equipe de profissionais da ABNC também se esforçam para oferecer o melhor. São mais de 500 refeições por dia, desde o café da manhã, o lanche da tarde até o jantar para os acolhidos. O trabalho para alimentar essa turminha toda começa cedo, especialmente na horta da instituição. O colaborador, Ivo Ferreira Mendes, há cinco anos cuida do lugar. Ali

são plantados e cultivados diversos tipos de folhas e frutas: alface, chicória, repolho, cenoura, almeirão, beterraba, couve, espinafre, entre outras. No pomar, encontram-se laranja, limão, banana, abacate, ameixa, acerola e até jabuticaba. Tudo regado, podado e cuidado diariamente: “A gente não deixa escapar nada. Todo dia tem um canteiro para cuidar, uma hortaliça para plantar, uma fruta para colher” – afirma Ivo, que cuidadosamente colhe folhas para serem levadas à cozinha. Nas mãos da Roseana, da Aparecida, da Rosilene e de outra Aparecida, funcionárias da cozinha sempre sob a supervisão da Irmã Celina - responsável pelo setor - as folhas e legumes da bacia se transformam em deliciosas saladas. Alimentos de origem orgânica, sem agrotóxicos, que aumentam a qualidade das refeições já muito bem balanceadas, que nutrem a energia dos meninos e meninas da ABNC. Um cuidado especial que as Irmãs Franciscanas do Senhor mantêm há anos, observando sempre o alimento espiritual na educação dos pequenos, mas sem deixar de lado o alimento material: “Nós buscamos oferecer o melhor nas refeições. Nossa horta é também fonte de vitaminas e alimentos de qualidade. Mas sempre é bom lembrar que recebemos as doações de outros alimentos, como leite, açúcar, café, arroz e etc, doações estas oferecidas por nossos benfeitores, que muito colaboram para a manutenção deste trabalho” - conclui Irmã Claudine Ribeiro, diretora da ABNC.

3


obra de Rembrandt

Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

“Alegrai-vos comigo, encontrei o que estava perdido” (Lc 15) Desde o ano de 1971, setembro é o mês dedicado, aqui no Brasil, à Bíblia Sagrada. Mas, desde 1947, comemora-se o Dia da Bíblia no último domingo de setembro. Este mês foi assim escolhido porque 30 de setembro é dia de São Jerônimo (nascido em 340 e falecido em 420 dC), homem santo, que traduziu as Escrituras para o latim, proporcionando com isso mais acesso à Palavra de Deus. A Bíblia não é um livro de ciência, mas, sim, de fé. Utilizando os mais diversos gêneros literários, narra acontecimentos da vida de um povo guiado por Deus, desde quatro mil anos atrás, atravessando os mais variados contextos sociais, políticos, econômicos. É a Palavra de Deus que não pode, muitas vezes, ser tomada ao “pé da letra”, conforme admoesta São Paulo: “Porque a letra mata, mas o Espírito vivifica” (II Cor 3,6c), mas que precisa ser entendida e vivenciada pela inspiração do Espírito Santo. Em conformidade com isto, o mês da Bíblia é oportunidade para aprofundar o conhecimento no que realmente Deus nos quer dizer através de um legado de amor e ensinamentos, visando à salvação da humanidade. O tema escolhido para o mês da Bíblia neste ano releva o Evangelho do Ano Litúrgico C, e os cinco aspectos fundamentais do processo do discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão propriamente dita. O lema indicado pela Comissão BíblicoCatequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) é: “Alegrai-vos comigo, encontrei o que estava perdido” (cf. Lc 15).

Em referência especialmente à parábola do filho pródigo (Lc 15,11-32), o cristão muitas vezes se afasta da Palavra de Deus, mas pode se alegrar ao reencontrá-la e ter a oportunidade de aplicar de volta em sua vida tudo aquilo de bom que ela oferece a cada homem e mulher neste mundo de muitas atribulações e falta de Deus no coração. Hoje a Bíblia é o único livro que está traduzido para praticamente todas as línguas do mundo e está em quase todas as casas. A Bíblia é, sem dúvida, o livro mais vendido, distribuído e impresso em toda a história da humanidade. Fruto da comunicação entre Deus, que se revela, e a pessoa que acolhe e responde à revelação, a Bíblia é formada por histórias de um povo, o Povo de Deus, que teve o dom de interpretar sua realidade à luz da presença de Deus e de compreender que a vida é um projeto de amor que parte de Deus e volta para Ele. Para ler a Bíblia de maneira adequada exigem-se, antes de tudo, os pré-requisitos da fé e da inspiração do Espírito Santo na mente, sem o que a interpretação da Escritura pode ser comprometida. Para aquele que possui a fé, sem a qual “é impossível agradar a Deus” (Hb 11,6a), a Palavra de Deus é alimento sólido para a vida espiritual, indispensável para aquele que deseja, pela fé, fazer a vontade de Deus e ter luz na própria vida. É ainda na Santa Igreja que cada cristão vai encontrar a melhor interpretação para a Palavra de Deus. A alma da Igreja é o Espírito Santo, dado em Pentecostes; por isso a Igreja não erra na interpretação da Bíblia, e isto é dogma de fé. Jesus mesmo lhe garantiu isto: “Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade” (Jo 16,13a).

O Vaticano possui a “Pontifícia Academia de Ciências”; em Jerusalém está a Escola Bíblica, que se dedica a estudar exegese, hermenêutica, línguas antigas, geologia, história antiga, paleontologia, arqueologia e tantas outras ciências, a fim de que cada palavra, cada versículo e cada texto da Bíblia sejam interpretados corretamente. Como o Salmo 118, no versículo 105, afirma que “A Palavra de Deus é luz para nossos passos e lâmpada para nossos pés”, de forma especial, neste mês de setembro, o estudo mais aprofundado da Palavra do Senhor, nas diretrizes da Igreja, vai permitir uma aproximação maior com a Salvação em Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Carta aos Hebreus, São Paulo disse que “a palavra de Deus é viva, eficaz, mais penetrante do que uma espada de dois gumes e atinge até a divisão da alma e do corpo, das juntas e medulas, e discerne os pensamentos e intenções do coração” (Hb 4,12).

Estudos dos Evangelhos é proposta da CNBB Católicos de todo o mundo vivem um momento especial com o Ano da Fé, que teve início em 10 de outubro de 2012 e segue até 24 de novembro de 2013. É neste contexto de busca pelo fortalecimento da fé para alcançar a salvação que a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB - propõe para as comunidades católicas o estudo do Evangelho de Lucas para o mês de setembro de 2013. O tema proposto é “Discípulos missionários a partir do Evangelho de Lucas”, sob a perspectiva do discipulado missionário, conforme o enfoque do Projeto de Evangelização “O Brasil na missão continental”. O tema escolhido percorre os cinco aspectos fundamentais do processo do discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão. O lema indicado pela Comissão Bíblico-Catequética da Conferência Nacional

4

dos Bispos do Brasil (CNBB) é “Alegrai-vos comigo, encontrei o que havia perdido” (cf. Lc 15). A Comissão Episcopal Pastoral BíblicoCatequética da CNBB definiu que, no Mês da Bíblia até 2015, sejam estudados os Evangelhos de Marcos (2012), Lucas (2013) e Mateus (2014), conforme a sequência do Ano Litúrgico, completando com o estudo de João em 2015. A partir do Concílio Vaticano II, marco fundamental para o florescimento de uma Pastoral Bíblica da Igreja no Brasil, a Bíblia foi conquistando espaço e recuperando sua condição de valor fundamental na vida e na missão da Igreja. Propondo um livro – ou parte dele – para ser estudado e refletido a cada ano, o Mês da Bíblia tem contribuído eficazmente para o crescimento da animação bíblica de toda pastoral. Esta sequência repete a experiência feita entre 1997-2000, por ocasião da celebração do Jubileu 2000. O enfoque, agora, é outro. Visa reforçar a formação e a espiritualidade dos agentes e dos féis através do seguimento de Jesus, proposto nos quatro Evangelhos. Está tanto na perspectiva de discípulos missionários e da Mis-

são Continental, conforme nos pede a Conferência de Aparecida, quanto no esforço da Nova Evangelização proposta pelo papa Bento XVI. Cada Evangelho será relido na perspectiva da formação e do seguimento, destacando o que é específico de cada evangelista, bem como da comunidade que está por trás de cada Evangelho. A Igreja no Brasil desenvolveu toda uma prática de leitura e reflexão da Bíblia que muito contribui para o sustento da fé e da caminhada das pessoas. É uma forma muito rica de viver a missão da Igreja, que é a de servir a Palavra. Com isto, o Mês da Bíblia contribuiu para o desenvolvimento da Pastoral Bíblica no âmbito paroquial e diocesano. Hoje se percebe a necessidade da Animação Bíblica das Pastorais em vez da existência de apenas uma pastoral, entre as demais, dedicada às Sagradas Escrituras. A Animação Bíblica vem a ser a forma mais adequada de acentuar a centralidade da Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja. “Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para argumentar, para corrigir, para educar conforme a justiça” (2Tm 3,16).


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

“Cristo é a rocha da nossa vida! Ele é a Palavra eterna e definitiva” A citação do tema deste texto foi feita pelo Papa Emérito Bento XVI ao discursar sobre a importância de se conhecer Jesus Cristo através da Leitura da Bíblia. “A Palavra de Deus é a rocha firme na qual todo cristão deve refletir cotidianamente e sobre a qual pode-se construir a própria vida” – disse ele. Em diversas oportunidades, Bento XVI falou sobre a importância de ler a Bíblia e aplicar os conhecimentos nela contidos. Ele sugeriu aos fiéis que leiam a Bíblia, das obras mais notórias aos textos litúrgicos menos conhecidos: “Seria uma bela ocupação ler a Bíblia, que propicia, além do relaxamento, uma oportunidade para entrar no grande espaço da Palavra de Deus e aprofundar nosso contato com o eterno”, disse o Pontífice. Por isso, ele sugeriu que os católicos tenham a Santa Bíblia sempre “à mão durante o verão e nos momentos de pausa”, para que possam ler aos poucos “alguns dos seus livros, dos menos conhecidos aos mais notórios, como os Evangelhos”, observou. O Papa Emérito sempre afirmou que as leituras dos livros sagrados podem fazer com que “os momentos de relaxamento também sejam de nutrição do espírito, capazes de alimentar a consciência de Deus, o diálogo com Ele, a oração”. Outro líder máximo da Santa Igreja que sempre admoestou sobre a leitura constante da Bíblia foi o Bem-Aventurado Papa João Paulo II. Ele lembrava que a catequese tem como primeira fonte a Escritu-

ra, que, explicada no contexto da Tradição, fornece o ponto de partida, o fundamento e a norma de ensinamento catequético. Ao longo de seu pontificado, João Paulo II demonstrou grande empenho e dedicação no incentivo ao estudo das Sagradas Escrituras. Dois documentos de suma importância sobre a Escritura no seu Pontificado merecem destaque: o primeiro, publicado em 1993, sob o título A Interpretação da Bíblia na Igreja, onde o Papa assim se expressa: “...este documento vem ao encontro de uma grande preocupação que me está a peito, porque a interpretação da Sagrada Escritura é de suma importância para a fé cristã e para a vida da Igreja. O modo de interpretar os textos bíblicos para os homens e as mulheres de hoje tem consequências diretas sobre a relação pessoal e comunitária dos mesmos com Deus, e está também estreitamente ligado à missão da Igreja. Trata-se de um problema vital, que merece toda a vossa atenção”. Em outra oportunidade, João Paulo II escreveu o documento “O povo Judeu e as suas Sagradas Escrituras na Bíblia Cristã”, publicado em 2002, que ressalta a importância do “caráter unitário da Escritura, Antigo e Novo Testamentos, não devendo haver distanciamento entre os irmãos judeus e cristãos. A Escritura, que chamamos de Novo Testamento, nasceu e se originou no interior do judaísmo; cristianismo e judaísmo possuem algo em comum: a Escritura revelada. Deus se dá a conhecer no Antigo Testamento através dos patriarcas, de Moisés e

dos profetas. No Novo Testamento, Ele se revela plenamente em Jesus Cristo”. O papa alerta os cristãos sobre a unidade da Revelação, dizendo que “sem o Antigo Testamento, o Novo Testamento seria um livro indecifrável, uma planta privada de suas raízes e destinada a secar. Portanto, a unidade dos dois Testamentos decorre da unidade do Projeto de Deus e da sua Revelação”. Já o Papa Francisco, em seu modo simples e objetivo de ser, pôde, em diversas vezes, admoestar o povo de Deus para a leitura das Sagradas Escrituras. Disse ele recentemente, fazendo referência a um texto do Concílio Vaticano II (19621965), a Constituição ‘Dei Verbum’ (‘A Palavra de Deus’), sobre o papel da Igreja na interpretação da Bíblia. Para o Papa, “há uma unidade indissolúvel entre Escritura e Tradição”, que são “conjuntas e se comunicam entre elas”, “formando, de certa maneira, uma única coisa”: “A Sagrada Tradição transmite a Palavra de Deus plenamente (...) Desta forma, a Igreja tira a sua certeza a respeito de todas as coisas reveladas não só nas Sagradas Escrituras. Uma como a outra devem ser aceitas e veneradas com sentimentos semelhantes de piedade e respeito”, disse em um discurso que revela um Papa muito respeitoso da autoridade da Igreja. Como resultado, “a interpretação das escrituras não pode ser apenas um esforço intelectual individual, mas deve ser sempre confrontado, inserido e autenticado pela Tradição viva da Igreja”, argumentou.

No caminho da santidade através da Palavra de Deus Os exemplos de vida deixados pelos Santos podem ser seguidos de diversas maneiras, mas, em uma delas, é necessário que seja de um modo especial: o respeito e o apreço pela Palavra de Deus. Santo Antão, que nasceu no ano 251, no Egito, ouviu, aos vinte anos, numa missa de domingo, as seguintes palavras do Evangelho: “Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!” (Mt 19,21). Antão entendeu aquelas palavras como Jesus falando diretamente para ele. E saiu da Missa decidido. Vendeu todos os seus bens e deu o dinheiro aos pobres. Depois foi morar sozinho numa cabana, a fim de melhor seguir Jesus. Ali viveu como anacoreta, dedicando-se exclusivamente à oração, ao estudo da Palavra de Deus, à prática de penitências e ao trabalho. Como ele era líder na paróquia, vários jovens - rapazes e moças - resolveram fazer a mesma experiência dele. Esses jovens construíram as suas cabanas perto da cabana de Antão e tinham uma capela central onde rezavam o ofício divino. Também, por motivos práticos, tinham uma só cozinha para todos. Esses novos consagrados passaram a chamar-se eremitas. E foi daí que nasceu a vida religiosa que temos hoje, fazendo com que Santo Antão seja considerado o pai da vida religiosa. Em sua vida santa, Antão provou que a leitura e a meditação da Palavra de Deus, a oração constante são as armas para percorrer o caminho sem temer os perigos. Outro exemplo de grande apreço pela Sagrada Escritura é a vida de São Jerônimo. A Santa

Igreja Católica reconheceu sempre São Jerônimo como um homem eleito por Deus para explicar e fazer entender melhor a Bíblia Sagrada. Por isso foi declarado Patrono de todos os que no mundo se dedicam a fazer entender e amar mais a Palavra de Deus gravada nas Escrituras Sagradas. Jerônimo nasceu no ano de 342. A pedido do Papa Dâmaso, preparou a Bíblia em latim. Foi uma missão enorme, que demandou cerca de 30 anos nas grutas de Belém, onde ele fazia esse trabalho. São Jerônimo dizia que quem não conhece os Evangelhos não conhece Jesus. Viveu no empenho de levar a Palavra de Deus ao povo. Seu trabalho permitiu que a Igreja organizasse e fundamentasse de maneira prodigiosa o seu Sagrado Magistério. Surgiu da sua profunda relação com as Sagradas Escrituras um indescritível amor pela Palavra de Deus. De maneira sempre alegre e nas conformidades com a autoridade da Igreja São Jerônimo dava uma valorização muito grande à Bíblia. Dizia, entre outras coisas, que “aquele que não conhece as Escrituras não conhece o poder de Deus nem a sua sabedoria”. Notório amor pela Bíblia encontra-se também no exemplo de vida de São Francisco de Assis. O santo da paz sempre teve uma grande admiração pelo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo. Era grandiosa também sua preocupação em seguir o Evangelho à risca do que nele estava contido. Separar São Francisco do Evangelho é impossível. Diz a Bíblia, num dos mais importantes ensinamentos de Cristo: “Ide, pregai e anunciai: o reino dos céus está próximo! Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, limpai os leprosos, expulsai os demônios.” E ainda: “Ao

entrar na casa, saúda-os, dizendo-lhes: Paz a esta casa!” (Mt. 10,7-8; Lc. 10,5) . Palavras seguidas e vividas por São Francisco, que, após ouvir esta parte do Evangelho durante uma missa, pediu ao celebrante que a explicasse melhor. E “apenas terminou de escutar a explicação do sacerdote, movido pelo Espírito de Deus e cheio de indizível alegria, exclamou: Achei por fim o que buscava, e isto desejo cumprir com todo meu coração! E imediatamente cumpriu a ordem divina...” E ao lembrarmo-nos de pessoas de vida santa, remetemos este amor às Escrituras também da BemAventurada Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, que, em sua simplicidade de mulher pobre e analfabeta, mas rica em fé e oração, disse ser feliz, pois alguém sempre lia para ela as Escrituras, que inspiravam sua vida e ampliava sua devoção a Maria Santíssima e a certeza da salvação em Nosso Senhor Jesus Cristo. Voltando a Francisco de Assis, o Evangelho é marca importante também na vida de toda a Fraternidade por ele começada, como a Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor, que cuida do legado espiritual de Nhá Chica há 59 anos. Quando Bernardo e Pedro pediram-lhe poder “viver a sua vida”, ao invés de impor regras Francisco simplesmente vai “a procura do que o Senhor lhe revelar”, consultando por três vezes as Sagradas Escrituras, obtendo as seguintes respostas: “Se quiseres ser perfeito, vai e vende o que tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu” (Mt. 19,21), pela segunda vez: “Não leveis nada pelo caminho” (Lc 9,3), e finalmente: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mt. 16,24).

5


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

Relatos de Graças Alcançadas Tudo pode acontecer pela Misericórdia do Senhor! No dia 26 de julho de 2012, estávamos preparando um bolo para comemorarmos o dia da vovó. Minha mãe estava muito feliz com os preparativos. À noite, fui participar de uma reunião na Igreja de Nossa Senhora do Bonsucesso quando, de repente, fui chamada com a notícia de que minha mãe estava passando mal. As pessoas que estavam presentes pensavam que ela tinha morrido. Mas um massagista que estava num restaurante ao lado de nossa casa foi logo entrando e conseguiu prestar os primeiros socorros antes que o médico chegasse. Ela foi levada pelos médicos para o hospital de primeiros socorros e, imediatamente, foi encaminhada para o hospital de Baependi. Ela passou muito mal na viagem e teve duas paradas cardíacas. A médica pediu ao motorista que andasse mais rápido, pois estava com medo de que minha mãe chegasse sem vida ao hospital. Eu, de mãos postas, pedia a Nhá Chica e a Nossa Senhora da Conceição: Valei-nos nesta ocasião! Já em Baependi, o médico pediu uma tomografia, que nada acusou. Desfalecida e com pulso baixo, levaram minha mãe para a UTI. Quando o médico do hospital de Baependi terminou de olhar os medicamentos que minha mãe usava, perguntei: “Posso levá-los para casa, porque ela só vai precisar deles quando voltar, não é?” Ele fez silêncio... Queria ter ao menos uma palavra sua que pudesse alimentar a minha esperança, e então falei: “Aqui é terra de Nhá Chica. Não é à toa que viemos para cá”, e completei: “Para Deus nada é impossível!” Voltei para casa e liguei para diversas pessoas, pedindo orações. Liguei também para a Canção Nova, para o Carmelo São José, para alguns padres e para as irmãs da ABNC em Baependi.

Rosalina Landin Minha mãe ficou por onze horas na UTI e mais seis no hospital e, finalmente, recebeu alta. Ao sair do hospital, dentro da ambulância, ela perguntou se estávamos indo para casa e então pediu para soltar as suas mãos porque queria rezar. Então se pôs a rezar uma oração que aprendera na sua infância. Chegando em casa, fomos notando melhoras sucessivas. Agora já voltou sua memória, está caminhando um pouco, alimentando com as próprias mãos e até realizando trabalhos manuais. Hoje venho agradecer pela cura de minha mãe, primeiramente à Misericórdia de Deus, à Virgem Maria e à Venerável Nhá Chica. Maria Aparecida da Silva Serranos - MG

Meu pai e eu sobrevivemos a um sequestro Estou aqui para agradecer a Nhá Chica por uma grande graça. Eu e meu pai fomos sequestrados por quatro bandidos. Ficamos quatro dias nas mãos dos sequestradores, sob ameaça de morte. Sofremos bastante, mas nas horas mais difíceis eu sempre coloquei tudo nas mãos de Deus e pedi muito para Nhá Chica interceder a Deus para nos tirar daquele lugar com vida. E prometi para ela que neste ano, mais uma vez, iremos até Baependi, juntos, agradecer por esta graça... No quarto dia, dois bandidos me levaram até o banco e dois ficaram com meu pai. Tive que tirar 25 mil reais do banco para dar a eles. Nesse momento, já tinham feito

6

três saques de mil reais e descobriram que eu tinha esse valor na poupança e, portanto, queriam o dinheiro de qualquer jeito. Graças a Deus, fomos libertados. E o dinheiro, depois Deus me ajuda a conseguir outro... Estamos muito assustados com tudo. É muito difícil esquecer, mas com muita oração iremos superar... Meu pai tem 74 anos, se chama José e eu tenho 47. Fiz um resumo, pois não dá para eu relatar tudo que aconteceu. Abraços e até mais... Josivaldo B. da Silva São Bernardo do Campo - SP

Fui curada por intercessão de Nhá Chica Conheci Nhá Chica pelos relatos nos Informativos que minha irmã sempre traz pra eu ler. Meu nome é Maria Claret Pessoa, moro em Nova Lima - MG, sou portadora de artrite reumatóide e apresento as limitações próprias da doença. Faz tempo que uso a cadeira de rodas. Tinha tanta dificuldade para terminar os trabalhos manuais que sempre pedia para Nhá Chica me ajudar. Bastava eu colocar os trabalhos dentro do plástico que vinha o jornal. Tudo ficava mais fácil pra mim. Lendo os depoimentos, tive força para fazer os exercícios físicos dentro da água. Para minha alegria, comecei a andar dentro da piscina. Estava dando até dez voltas na piscina, duas vezes por semana, acompanhada por fisioterapeuta. Em maio deste ano, sofri um acidente, caí da cadeira de rodas. Tive fraturas na perna, no joelho e no calcanhar. Senti dores muito fortes das fraturas e as da artrite também. Passei muitos dias completamente imóvel e com muita dor. Meu pensamento ficava em Nhá Chica. Pedia intensamente a ela que intercedesse a Deus por mim, e meus familiares também pediam. As fraturas se colaram normalmente. Hoje, quase seis meses depois, estou a cada dia melhor! Já posso me movimentar. Com ajuda, posso ficar sentada normalmente na cama e já posso passar para a cadeira para tomar um banho. Tenho certeza de que Nhá Chica intercedeu por uma graça para mim, pois, até o próprio médico que me assistiu disse que não tinha uma boa expectativa no meu caso, principalmente em se tratando de um joelho já muito agredido pela artrite. Ele chegou mesmo a dizer para minha irmã que a minha recuperação foi um milagre. Agradeço a Nhá Chica por sua intercessão e continuo a orar junto com todos os devotos. Abraços! Maria Claret Pessoa Nova Lima – MG

Muito obrigada, milagrosa Nhá Chica Agradeço pela saúde do meu filho, João Lucas, que está sem crises de rinite e sinusite há 7 meses, sendo que, antes de rezar pedindo a intercessão de Nhá Chica, as crises eram mensais. Maria de Fátima Pereira São Paulo - SP


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

Relatos de Graças Alcançadas Testemunho de graça alcançada De janeiro a agosto de 2012 tive quatro crises de diverticulite. Fiz vários exames: ultrassonografias, tomografias e exames de sangue. Usei vários antibióticos e analgésicos, com o desejo de evitar a cirurgia. Em agosto, na quarta crise, ao consultar o terceiro especialista, este foi taxativo: não dava mais para adiar a cirurgia. Em setembro, fui para Belo Horizonte, onde completei os exames e fui operada no dia 14. Estava muito apreensiva, pois corria risco do intestino se romper durante a colonoscopia e de ficar dependente de bolsa para coletar as fezes. Uma amiga veio me visitar e trouxe a novena da Nhá Chica com a relíquia. Eu tenho muita fé em Nossa Senhora da Conceição e por isso já sabia dos milagres de Nhá Chica. Confiante, rezei a novena e pedi para Nhá Chica me ajudar, intercedendo a Deus por mim. Pedia para que a cirurgia acontecesse de uma forma suave, que eu não ficasse dependente da bolsa. Nhá Chica intercedeu por mim. Hoje estou totalmente curada. Obrigada, Jesus! Obrigada, Nhá Chica, pela graça alcançada por sua intercessão. Deus seja louvado! Maria de Fátima Lima São João del-Rei - MG

Nos conte a sua Graça

Visite o

Santuário Nossa Senhora da Conceição, reze com devoção. Conte ao mundo como sua fé em Deus está trazendo santidade para sua vida e transformando o seu caminhar. Nos procure e relate sua história para que ela seja registrada no livro de graças do Santuário.

Nhá Chica, minha poderosa intercessora! No dia 10 de julho, após algumas semanas relutando em seguir meu coração sobre fazer uma promessa para Nhá Chica, senti esse forte desejo aquecer meu coração: Faça uma promessa para Nhá Chica e peça sua intercessão - você verá a sua graça ser alcançada. E foi isso que fiz. Acendi uma vela virtual, enviei minha intenção pelo site e rezei a oração. O incrível aconteceu. Há mais de quatro meses somos atormentados com um problema que aflige meu negócio: precisávamos mudar o endereço da Escola da qual sou proprietário (os atuais proprietários venderam a casa e a pessoa que comprou parecia querer o imóvel até dezembro deste ano) e não conseguíamos encontrar nenhum imóvel compatível para essa finalidade. Estávamos ficando sem saída. Após rezar a oração e fazer a promessa, dez segundo após, minha esposa ligou, dizendo que a pessoa que havia comprado a casa estava querendo falar comigo. Na mesma hora liguei e conversei. Essa pessoa se mostrou totalmente disponível e receptiva. Disse-me que a Escola poderia ficar na casa pelo tempo que fosse necessário e que eu não deveria me preocupar com isso. Disse que continuaria alugando a casa para mim ainda por mais alguns anos. Tal notícia trouxe um alívio e uma renovação da esperança para os nossos corações. Acima de tudo, foi uma resposta imediata para um problema que já se arrastava há meses. Nhá Chica intercedeu poderosamente e foi incrível a resposta que tivemos. Cumpri minha promessa no dia 13 de julho, indo a pé para o Santuário. Lá chegando, com os pés machucados, prostrei-me ao lado do túmulo da Beata e agradeci emocionado por sua intercessão.

Oração a Nhá Chica Deus nosso Pai, vós revelais as riquezas do vosso Reino aos pobres e simples. Assim agraciastes a Bem-Aventurada Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, com inúmeros dons: Fé profunda, Amor ao próximo e grande Sabedoria. Amou a Igreja e manteve uma filial devoção à Imaculada Conceição. Por sua intercessão, concedei-nos a graça de que precisamos (pedir a graça). Por Cristo, Nosso Senhor. Amém. (+ Dom fr. Diamantino Prata de Carvalho, OFM. Bispo Diocesano de Campanha-MG)

Comunicar as graças alcançadas por intercessão de Nhá Chica: Associação Beneficente Nhá Chica Rua da Conceição 165, Cx. Postal 15 CEP: 37443-000 - Baependi-MG - Tel: (35) 3343-1077 www.nhachica.org.br - contato@nhachica.org.br

Rosário de Nossa Senhora da Conceição Reza-se nas contas do Pai Nosso Aflita vos vistes Senhora, Aflita aos pés da Cruz, Aflita estou eu agora, Valei-me ó mãe de Jesus! Reza-se nas contas da Ave Maria Ó Virgem da Conceição, Valei-me nesta ocasião!

Franck Dias Barbosa Três Corações – MG

Oração a Nossa Senhora da Conceição Ó Maria Imaculada, Senhora da Conceição, Filha predileta do Eterno e Divino Pai, Mãe Santíssima do Eterno Divino Filho, Esposa Imaculada do Espírito Santo, Nossa Senhora pela devoção e amor terníssimo que para convosco teve a serva de Deus, Francisca de Paula de Jesus, erguendo em vossa honra uma capela, intercedei junto à Santíssima Trindade e alcançai-nos as graças que com viva fé vos pedimos.Ó nossa boa mãe do Céu, não nos abandoneis. Protegei-nos, defendei-nos, salvai-nos. Assim seja.

7


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - setembro de 2013

Presidenta da República Dilma Rousseff recebe imagem de Nhá Chica presente à Presidenta Dilma, a quem agradecemos por nos ter recebido com tanto carinho” - disse Irmã Claudine. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Em recente visita à cidade de Varginha, no Sul de Minas Gerais (distante 100 quilômetros de Baependi), a Presidenta da República Dilma Rousseff foi presenteada com uma imagem da Bem-Aventurada Francisca de Paula de Jesus. O encontro com Irmã Claudine Ribeiro, diretora da Associação Beneficente Nhá Chica, aconteceu durante a inauguração de um campus de uma universidade federal. Ela foi presenteada também com uma cesta contendo o livro fotográfico do dia da beatificação, toalhas bordadas especialmente para a ocasião e outros produtos com a imagem da Bem-Aventurada. A Presidenta recebeu Irmã Claudine numa sala no local do evento e foi logo dizendo: “Nhá Chica, nossa querida Santa de Minas Gerais!” Na oportunidade, a diretora da ABNC contou à Presidenta sobre o trabalho social realizado com mais de 170 crianças e convidou a Chefe do Poder Executivo Federal para visitar tanto a obra social quanto a Igreja de Nossa Senhora da Conceição. “Certamente eu irei a Baependi para conhecer o lugar onde viveu Nhá Chica” - prometeu a Presidenta Dilma. Para as Irmãs Franciscanas do Senhor foi mais uma etapa cumprida na missão de dar continuidade à divulgação do nome santo de Nhá Chica: “Sem dúvida, uma oportunidade única de entregar esse

A presidenta Dilma Rousseff ao lado de Irmã Claudine Ribeiro (diretora da ABNC) e Sérgio Monteiro (jornalista da ABNC)

Bíblia, Deus com a gente é veiculado na rádio web Nhá Chica O setor de comunicação da Associação Beneficente Nhá Chica tem por objetivo divulgar o nome da Bem-Aventurada Francisca de Paula de Jesus, sua vida exemplar de devoção e fé, além de apresentar ao público em geral a obra assistencial administrada pelas Irmãs Franciscanas do Senhor. Também faz parte do projeto a evangelização por diversas mídias: site, rádio web, informativo impresso, redes sociais e presença em veículos de comunicação diversos. É destaque dentro destas atividades de comunicação o programa Bíblia, Deus com a Gente, uma produção da Editora Paulinas. Com apresentação da Irmã Noeli Dariva e do radialista Altieres Barbiero, aborda sempre temas que nos levam à reflexão. A série

8

de programas Bíblia, Deus com a Gente é mais um serviço de evangelização através do rádio e da Internet e contribui para que as pessoas possam conhecer melhor a Palavra de Deus, privilegiando o reflexo do Evangelho na liturgia diária. No mês dedicado à Bíblia, esta é uma

ótima oportunidade para um contato mais direto com a Palavra. Com duração de 3 minutos pela rádio web Nhá Chica, o programa Bíblia, Deus com a Gente vai ao ar de segunda a sexta-feira, em horários diversos: 8, 9, 11, 13 e 16 h. Você acessa a rádio web Nhá Chica pelo site: www.nhachica.org.br


Informativo Nhá Chica nº 69