Page 1

Impresso Especial 9912282533/2011 - DR/MG

Associação Beneficente Nhá Chica

CORREIOS

Órgão Oficial da Associação Beneficente Nhá Chica - Baependi - MG / Ano V - Nº 58 - outubro de 2012


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

Expediente Nhá Chica Informativo

Notícias do Santuário e da ABNC

outubro de 2012 - Ano V - Nº 58 Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor Província Brasil / Bolívia Provincial Madre Cristina Alves Ribeiro Diretora da ABNC Irmã Claudine Ribeiro Vice-Diretora da ABNC Irmã Gertrudes das Candeias Conselho de Comunicação da ABNC Irmã Sandra Aparecida Gontijo Francisco Joaquim de Siqueira Flávia Maria Maciel Neves Yolanda Aparecida Fernandes Eduardo Luiz Magalhães Brochado Programação Visual Nádia Ferreira Vilas Boas Editor / Jornalista Responsável Sérgio Monteiro Mtb 7697/02 CTP e Impressão Gráfica e Editora Novo Mundo São Lourenço - MG Tiragem 10.000 mil exemplares Associação Beneficente Nhá Chica - ABNC Rua da Conceição, 165 - Centro Baependi - MG / CEP: 37.443-000 Tel. (35) 3343-1077 Fax. (35) 3343-1661 E-mail: contato@nhachica.org.br Website: www.nhachica.org.br

Irmãs Franciscanas do Senhor 127 anos promovendo a Paz e o Bem

2

Opinião Vivemos um momento de alegria junto a todos os cristãos católicos no mundo inteiro, em especial, aos devotos de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. A data de sua Beatificação foi confirmada pela Santa Sé: 11 de maio de 2013. Que privilégio podermos ver, em breve, Nhá Chica elevada à honra dos altares. Além desta maravilhosa notícia, temos este mês de outubro dedicado às Missões; mês em que também fazemos memória de São Francisco de Assis e comemoramos os 127 anos de fundação da Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor. Fatos importantes, demonstrando uma grande união familiar em busca do amor de Deus. E falar de família é sempre muito especial. Melhor ainda é colocá-la como o centro da formação humana, é apresentar a família como base para a construção de um mundo de paz, como pregava São Francisco de Assis. Em recente homilia, o Santo Papa Bento XVI declarou: “Que a Família seja o Sal da Terra, Luz que ilumina, encobrindo as trevas”. O Papa afirmou também: ‘as famílias de hoje têm na Família de Nazaré um exemplo a seguir. A família é patrimônio da humanidade, um dos tesouros mais importantes dos povos’. É na família que se devem formar os primeiros passos de um verdadeiro cristão, inspirados nos exemplos santos e no próprio modelo de vida de Maria, Mãe de Jesus, e de seu pai, São José, e no legado de amor que Cristo deixou para nós. Para fazer o bem ao próximo e darmos continuidade à missão deixada por Jesus de amarmos uns aos outros, precisamos começar pela família, demonstrando amor e respeito entre os membros de nossa própria família. Como parte de sua missão, Francisco de Assis pregou a paz, formou uma família de franciscanos e difundiu sobre a terra um legado de Paz e Bem. Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, também chegou a Baependi ainda menina, acompanhada de sua família: a mãe Isabel e o irmão Teotônio, que, pelos relatos, sempre se manteve ligado a sua irmã, demonstrando fortes laços

Espaço dos Leitores

familiares. E, assim, ela cumpriu sua missão de se dedicar a Deus numa vida de santidade. Aproveitemos a oportunidade para que possamos reforçar os laços familiares entre irmãos na fé em Cristo, uma verdadeira família em busca do resgate da dignidade, da cidadania, do amor ao próximo e do respeito pela vida. A família base - pai, mãe e filhos - ou a família cristã é fonte da construção da paz pelo mundo. A paz só se constrói por meio da caridade (o Bem). A caridade está na paz assim como o espírito da vida está no corpo. A caridade sozinha mantém firmemente unidos na paz os filhos da Igreja. Inspirado pelo Espírito Santo, o Papa Bento XVI disse, no início deste ano, em sua mensagem para o dia Internacional da Paz: [...] “também aos pais, às famílias, a todas as componentes educativas, formadoras, bem como aos responsáveis nos diversos âmbitos da vida religiosa, social, política, econômica, cultural e midiática. Prestar atenção ao mundo juvenil, saber escutá-lo e valorizá-lo para a construção de um futuro de justiça e de paz não é só uma oportunidade, mas um dever primário de toda a sociedade”. Estamos também no Ano da Fé, proclamado pelo Papa Bento XVI para que todo cristão tenha a sua convicção e a sua identidade na fé católica renovadas, e tenham a oportunidade de refletir sobre suas crenças e convicções religiosas. E, por tudo isso, vivemos momentos de graça plena de Deus. Assim como fazia Nhá Chica, vamos rezar com fé, lembrando que vivemos o Ano da Fé decretado pela Santa Igreja, para que, nos passos de Nosso Senhor Jesus Cristo e nos exemplos de vida santa de São Francisco de Assis, Santa Clara, Nhá Chica e tantos outros que estão hoje junto ao Pai, encontremos em nossa vivência, aqui na terra, uma harmonia familiar e de irmandade que dê testemunho daquilo que Deus deseja para todos os filhos: a verdadeira Paz. “Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho. Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, Senhor, me fazes viver em segurança” (Salmos 4:8-9).


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor Missão Evangelizadora no Resgate da Vida O exemplo missionário da Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor move centenas de pessoas em todo o mundo. Uma Congregação que completa, neste 15 de outubro, 127 anos de fundação. Uma história que teve início no ano de 1885, na região de Caltanissetta, na Itália, lugar de muitas minas de carvão onde trabalhadores morriam soterrados e órfãos eram deixados para trás. Cidade também de muita fé, com forte devoção ao Cristo Negro Crucificado. Nesse clima de dor, mas de muita esperança, Frei Angélico Lipani e Giuseppina Ruvolo entendem a espiritualidade de Francisco de Assis, vivendo-a com devoção e ternura. Outras três Irmãs fizeram parte desse início da Congregação: Verônica Guarnieri, Chiara Tuzzé e Angélica Marotta. Com o passar dos anos, cumprindo sua ação missionária, a Congregação ganha espaço na própria Itália. Até o ano de 1921, viveram no Instituto Senhor da Cidade, atuando naquela região sempre com prioridade para os mais carentes. Em 1924, nasce a primeira filial da Congregação, em Sommantino, também na Itália. Outras frentes de missão foram sendo abertas na Calábria e em Roma nos anos de 1940. A expansão dessa missão pelo mundo foi inevitável. Um dos países escolhidos foi o Brasil. O primeiro trabalho missionário foi em Mantena (MG) a pedido do Bispo de Araçuaí, Dom José Hass. Frei Jacinto de Palazzolo, que conhecia bem o trabalho da Congregação na Itália e sabia da chegada das Irmãs ao Rio de Janeiro, foi quem fez a indicação das religiosas para aquela cidade. Ali implantam uma obra assistencial a meninas carentes e uma escola infantil. O mesmo Frei Jacinto, Provincial dos Capuchinhos no Rio de Janeiro, foi convidado pelo Cônego Francisco Pedro Ferreira, então Pároco de Baependi (MG), para ajudá-lo na Semana Santa. Numa conversa entre eles, surgiu a ideia de estender o convite para que as Irmãs abrissem uma frente de missão na cidade. Numa grande providência divina, este convite permitiu um belo encontro: o carisma da Congregação com a santidade de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. A convite da Diocese da Campanha (MG) e da Paróquia, na pessoa do Cônego Francisco Pedro Ferreira, as Irmãs chegam a Baependi, no Sul de Minas, primeiro para cuidar do Hospital Cônego Monte Raso, onde também funcionou a primeira casa de formação no Brasil, e depois recebem a missão de cuidar do legado de Francisca de Paula Jesus - Nhá Chica. Conhecendo finalmente a vida de Nhá Chica, se identificam plenamente pela devoção a Nossa Senhora, pelo princípio de ajudar os necessitados e oprimidos e pela fé. A providência divina deu às Irmãs Franciscanas do Senhor o privilégio de construírem sua casa sobre a rocha firme do Senhor, no lugar onde Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, ergueu uma igreja em honra da Mãe de Deus. Madre Crescência Girlando foi a primeira diretora da então recémfundada Associação Beneficente Nhá Chica, em 1954, além de ter trabalhado na consolidação organizacional e estrutural da Congregação no Brasil. Outras frentes missionárias, como no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Teixeira de Freitas (na Bahia) foram sendo abertas. Junto às casas fundadas na Bolívia, em 1984, formam a Província Nossa Senhora de Guadalupe. A fundação oficial da Província ocorreu em 2004 em um encontro da Congregação realizado em Baependi (MG). Atualmente, Madre Cristina Alves Ribeiro é a Provincial da Congregação das Irmãs Franciscanas do Senhor da Província Nossa Senhora de Guadalupe (Brasil-Bolívia). No mundo todo são mais de 300 religiosas atuando em favor da vida, cumprindo a missão e vivendo em busca de realizar o último desejo de seu fundador, Frei Angélico Lipani, que, em seu leito de morte, admoestou as pioneiras desse árduo trabalho em prol de fazerem o bem ao próximo: Sede santas, assim como eu também quero ser santo!

Uma vida de santidade São vários os relatos em épocas distintas que confirmam a fama de santidade de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. Escreve Frei Jacinto de Palazzolo, erudito literato italiano: “Nhá Chica era uma alma cheia de fé. Sua confiança em Deus e em Maria Santíssima não atingia limites. Quando alguém se admirava pelos fatos extraordinários que se desenrolavam graças à sua influência, ela explicava: Isto acontece porque rezo com fé. Saiba que nada é impossível a quem tem fé...” “Adquirira modesta casa no alto da colina e ali viveu vida longa de recolhimento e oração, cheia de virtudes e de edificantes exemplos”. Em toda a sua vida, Nhá Chica andou numa caminhada de fé, oração, desprendimento e alegria. Dedicou-se à penitência, à humildade e, principalmente, ao amor para com os pobres. Nhá Chica fez bom uso dos talentos que Deus lhe concedeu, crescendo, assim, na perfeição da vida cristã como fiel seguidora de Jesus Cristo. Um conhecido médico fluminense de nome Henrique Monat, estando em Caxambu e ali sendo informado sobre muitas virtudes de Nhá Chica, resolveu visitá-la e entrevistá-la pessoalmente. Relatou: “É uma pobre mulher analfabeta, uma fiel serva de Deus, cheia de fé [...] à custa de ser consultada e de ver acertas os seus conselhos, convenceu-se de que o céu inspira suas respostas. De boa vontade responde a todos, sem se supor profetisa ou sibila. ‘Eu repito o que me diz Nossa Senhora e nada mais...’ Tinha, porém, missão a cumprir. Moça ainda, Nhá Chica era Mãe dos Pobres; pouco a pouco foi estendendo sua fama, porque os seus conselhos eram sempre ajuizados; para todos tinha palavras de consolação e de conforto, a promessa de uma oração, a predição do resultado de uma empresa ou de um socorro material”. Escreve também o historiador da cidade de Baependi José Alberto Pelúcio: - Nhá Chica era morena, de estatura mediana, vivaz, possuidora de uma crença religiosa profunda; era muito virtuosa”. E ainda do livro de Frei Jacinto de Palazzolo, um capuchinho que viveu santamente e que também biografou Nhá Chica, seguem preciosas lições de espiritualidade. “A glória dos altares não é para todos, mas todos podemos e devemos ser santos. Estes jamais desejaram ou aspiraram à glória terrena; nenhum deles pretendeu a veneração dos seus semelhantes, dos quais se consideravam os últimos e os mínimos pela prática da virtude da humildade. Os santos trabalharam para a glória de Deus e salvação dos homens, pelos quais se imolou Jesus Cristo. Alguns apenas, entre numerosos Servos de Deus, são elevados à glória suprema dos altares. A seleção não é feita pelos homens, mas pelo próprio Deus. Compreender-se-á a razão dessa seleção se ponderarmos o rigor, a prudência e a sabedoria com que a Igreja procede em assunto tão delicado, sobre o qual não deve pairar a mínima sombra de erro, engano ou dúvida.” E a própria Nhá Chica disse ainda para o médico e escritor Henrique Monat sobre si mesma: “Eu não sou santa repetia - eu sou uma pobre analfabeta; eu rezo e Deus, pelos merecimentos de sua divina Mãe, Maria Santíssima, me atende”.

3


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

A família foi estabelecida por criação divina como a instituição humana fundamental. É o principal ambiente em que são apresentados valores e onde é desenvolvida a capacidade para íntimos relacionamentos com Deus e com outros seres humanos. O próprio Cristo nasceu e cresceu no seio da Sagrada Família de José e Maria. A Santa Igreja não é outra coisa senão a “família de Deus”. Desde suas origens, o núcleo da Igreja foi, em geral, constituído por aqueles que “com toda a casa” se tornavam cristãos, toda a família. Quando eles se convertiam, desejavam também que “toda a sua casa” fosse salva (At 11,1-18). Por terem a família como base da Igreja e de toda a vida dedicada a Deus é que os

verdadeiros cristãos buscam valorizar esse núcleo de amor, respeito e de crescimento na fé. Pensando nisso e em valorizar a convivência familiar, as Irmãs Franciscanas do Senhor, junto à equipe pedagógica da Associação Beneficente Nhá Chica, promoveram o Dia da Família. As crianças atendidas pela ABNC passaram o sábado, dia 22 de setembro, perto de pais, irmãos, avós, primos, num momento de lazer e descontração e de fortalecimento dos laços familiares. O encontro foi realizado no Centro de Eventos Topada, em Baependi (MG), gentilmente cedido para a Festa da Família, que contou, no total, com a participação de mais de 500 pessoas.

Também no mesmo dia aconteceu a já tradicional festa anual da Tia Gugu. A benfeitora Sandra Mendes, junto com sua família e amigos, promoveu a distribuição de presentes, doces e, como sempre, de um bolo especial para celebrar a alegria de ver as crianças da ABNC tão bem cuidadas. Veja nas fotos alguns dos momentos desse dia tão marcante!

O dia começa com uma roda em volta da piscina. Música para animar e aquecer. Em seguida, todos reunidos no salão principal. É hora de rezar e agradecer a Deus pela oportunidade de estarem juntos para mais um belo dia.

Começa a diversão! É hora de pular na piscina e aproveitar o sábado pra valer.

4

Atentas, as crianças acompanharam as palavras de Irmã Claudine Ribeiro e participaram de uma encenação durante a leitura do Evangelho (Lc 8, 4-15), que falou, naquele dia, sobre as sementes que dão bons frutos. O Coral da ABNC também cantou para os presentes.


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

Além da folia na piscina, o local oferecia também campo de futebol, onde rolou o bate bola. Dali, algumas crianças aproveitaram o espaço para soltar pipa.

Não faltaram os brinquedos infláveis. Os tradicionais ‘escorrega’ e pula-pula foram disponibilizados pela Tia Gugu e colaboradores.

Hora do almoço. Todos unidos como uma grande família sentaram-se à mesa para saborear a deliciosa feijoada, que foi preparada e servida com muito carinho.

A proprietária do Centro de Eventos Topada, Flávia Touguinha Pereira, com as filhas Giovana e Ana Flávia. Ela e o marido, Guilherme Ribeiro Pereira, cederam o local para a realização da Festa da Família. As crianças da ABNC agradecem! Os benfeitores, Sandra Mendes e família, que desde 1997 promovem a festa da Tia Gugu. Familiares e amigos colaboram para o evento, que neste ano aconteceu dentro da Festa da Família. Um trabalho de amor e devoção, buscando colaborar, segundo ela mesma afirmou, com a construção do futuro das crianças.

E começa a festa da Tia Gugu. A benfeitora Sandra Mendes (Tia Gugu) com muita alegria, todos os anos, com o apoio de amigos do Rio de Janeiro, promove a distribuição de presentes, doces e sempre um bolo especial. Juntos eles celebram a vida e, especialmente, o trabalho de resgate da cidadania realizado pelas Irmãs frente à Associação Beneficente Nhá Chica. Todas as crianças foram presenteadas!

5


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

Relatos de Graças Alcançadas Nhá Chica foi minha fiel intercessora Tudo começou no dia 13 de novembro de 2004 durante minha segunda gestação (a de minha filha Ana Rafaela Medeiros Marques). Nesse dia fui ao Hospital Cônego Monte Raso, em Baependi (MG), fazer um exame de rotina que meu médico havia pedido. Estávamos meu sogro e eu, porque nesse dia meu marido, Márcio José Marques, tinha ido a Juiz de Fora (MG) a trabalho. Cheguei ainda cedo. Meu médico me atendeu, fez o exame e me falou que iria entrar para a sala de cirurgia para fazer o parto. Eu já havia entrado na mesma sala em 18 de dezembro de 1999, para ter minha primogênita, Maria Gabriela Medeiros Marques, e nunca reparei se antes de entrar na sala havia uma imagem. Mas, desta vez, me deparei com um busto de Nhá Chica que estava logo na entrada. Entrei para ter minha filhinha. Tudo ocorreu como o esperado. Meu marido chegou à noite e conseguiu vê-la. Era a coisinha mais linda! No segundo dia, meu marido foi nos visitar. Foi aí então que, em nossos braços, ela teve a primeira parada respiratória. Logo a pediatra e a enfermeira a levaram. Ficamos no quarto apreensivos, mas ela chegou nos braços da enfermeira que dizia estar tudo bem com ela. Então, no mesmo instante, ela sofreu outra parada respiratória nos braços dela. A criança então voltou para sala de reanimação. Desci o corredor atrás dela para saber o que realmente havia acontecido, quando nos informaram que ela deveria ser transferida por não existir no hospital uma UTI neonatal. Passamos dias aguardando uma resposta, porque não havia vaga. No dia em que foi transferida para a cidade de São Lourenço (MG), fui aos prantos junto com ela. Fiquei mais ou menos uns cinco dias com ela no hospital, deixando para trás minha outra filha, que na época tinha só cinco anos de idade. Dentro do hospital, na UTI, tive que dormir numa cadeirinha, ainda sentindo as dores da cesariana que tinha feito. Eu mal conseguia tomar banho porque doía

muito, mas, mesmo assim, fiquei e lá me coloquei a rezar, não só pela minha filha, mas também pelos filhos daqueles pais que estavam passando pelo mesmo sofrimento que minha filha. Quando ela fez o exame de eletroencefalograma” e o médico nos liberou, dizendo que ela não teria sequelas, então eu percebi que Nhá Chica havia entrado na sala de parto comigo para me dar forças pelo que eu iria passar naqueles dias. Voltei ao hospital para rever a imagem, que para mim foi tão nítida quanto ver as minhas filhas, mas, no momento em que cheguei ao hospital, verifiquei que aquela imagem nunca existiu na entrada do centro cirúrgico. Hoje minha filha tem sete anos, não possui nenhuma sequela e está no segundo ano escolar. Tudo porque Nhá Chica intercedeu por ela a Deus.

Em novembro de 2010, nosso filho de 14 anos teve um AVC hemorrágico devido a uma má formação arteriovenosa congênita. Logo foi levado ao centro de cuidados intensivos. Nesse momento ficamos aflitos e ansiosos. Somos uma família unida e sempre vamos à missa juntos. Então, nesse momento, nossa força veio dessa caminhada e participação na comunidade. Uma grande amiga me falou de sua devoção a Nhá Chica. Então acendi as velas virtuais na intenção da saúde de nosso filho e para termos forças diante da situação. Então uma imensa força tomou conta de nós e ficamos firmes e confiantes. E foi graças à intercessão de Nhá Chica que nosso filho se recuperou e não ficou com nenhuma sequela; foi realmente um grande milagre! Hoje ele aguarda um procedimento cirúrgico, mas acreditamos que Nhá Chica continua intercedendo por nós e, se algum procedimento for feito, temos certeza de que será para o nosso bem e que tudo vai dar certo! Hoje, mais do que nunca, acredito que nossa fé nos salvou e que, por intercessão de Nhá Chica, obtivemos essa graça! Vamos continuar em oração e hoje pedimos em especial por todas as famílias que sofrem com este mesmo caso. AMÉM!

Sandra Maria Ferreira Pinto Carvalho Varginha – MG Serei sempre grata a Nhá Chica

Sonia Helena Almeida Medeiros Marques Caxambu – MG

Fiz a novena e alcancei uma graça Agradecimento pelo restabelecimento de Aleina, em 40 dias, de fratura na cabeça do fêmur. Esta graça foi alcançada por intercessão de Nhá Chica e de Nossa Senhora da Conceição através de sua novena. Obrigada!

Érica Conceição Fonseca Belo Horizonte – MG

6

Acredito que nossa fé nos salvou

Meus pais conseguiram resolver uma questão de cunho familiar muito difícil e importante para eles. Eu pedi por eles, que são muito devotos de Nhá Chica, e ela intercedeu a Deus por eles! Graças a Nhá Chica! Mais uma graça alcançada. Sempre agradecida.

MMRodrigues Niterói - RJ Obrigada! Agradeço a Deus porque, por meio da intercessão de Nhá Chica, eu consegui um emprego.

Maria Teresinha de Sales Oliveira São José dos Campos - SP


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

Relatos de Graças Alcançadas Venho hoje para relatar minha graça

NHÁ CHICA

Eu supliquei à Venerável Nhá Chica um emprego, há 4 anos, e recebi a graça desta grande intercessora. Já estou trabalhando este tempo todo. Já vim três vezes a pé para agradecer, porém não havia ainda registrado a graça e hoje a faço com muita alegria. Estou feliz e agradecido a Venerável Nhá Chica por esta graça!

Júlio César Mancilha São Lourenço - MG Nhá Chica sempre atende meus pedidos Sou devota da Venerável Nhá Chica desde criança. Todos os amigos sabem de minha devoção e sempre me solicitam que os ajude a rezar, a pedir a intercessão da nossa amada Venerável Nhá Chica para as mais variadas causas. E há uns meses, a exemplo de outros casos, um amigo, Alexandre Carneiro, me contatou, relatando que estava com nódulos tireoidianos, se submetendo a exames, muito preocupado, pois eram vários nó-

dulos e com indícios de malignidade. Eu o tranquilizei e disse que desde aquele instante da conversa já estava rezando e pedindo a intercessão da amada Venerável Nhá Chica pela sua pronta recuperação. O caso, mesmo grave, já foi debelado e agora rendemos graças a Deus e à intercessão de nossa amada Venerável Nhá Chica pela sua cura.

Cristina Serrano Campanha - MG Tenho fé que Nhá Chica intercedeu por mim

Relate, você também, a graça que alcançou Visite o Santuário de Nossa Senhora da Conceição, reze com fé. Conte ao mundo como sua fé em Deus está trazendo santidade para sua vida e transformando o seu caminhar. Nos procure para que sua história seja registrada no livro de graças.

ORAÇÃO PELA BEATIFICAÇÃO DE

Tive a regressão total de um câncer de próstata. Os médicos já tinham descartado a radioterapia, pois apresentava um PSA de 23 e uma próstata de 91 gramas. Após ir à Igreja de Nhá Chica e pedir sua intercessão pela minha cura, obtive a graça. Logo após o primeiro exame realizado, um resultado milagroso de PSA 0,05 e redução para 30 gramas da próstata. Enfatizo que, até ir ao Santuário, eu era uma pessoa agnóstica e totalmente cética com relação a religião. Atuo na área de turismo e já levei aproximadamente 800 pessoas ao Santuário para visitação, e faço meu depoimento em todas as viagens que organizo a Baependi. Obrigado, Nhá Chica!

Luiz Eduardo Botelho São Paulo - SP

Ó Pai, que mostrais a Bondade e a Sabedoria do Vosso Filho Jesus, naquelas pessoas que O procuram seguir, e que “ocultais as novidades do Reino aos sábios e inteligentes, e as revelais aos pequeninos”, nós Vos pedimos que a Igreja possa reconhecer oficialmente as virtudes de amor ao próximo, de fé profunda e de grande sabedoria de vida que concedestes à Vossa filha e servidora Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica. Por ter sido de uma vida exemplar, fiel seguidora de Jesus Cristo, devota de Maria Santíssima, e de grande amor à Igreja, nós Vos pedimos que, pela sua valiosa intercessão, Vós nos concedais a graça de que mais temos necessidade. Concedei-nos também, ó Pai, que a seu exemplo, o nosso coração esteja cheio de ardente amor a Vós e ao nosso semelhante. Tudo isso Vos pedimos por intermédio de Jesus Cristo, Vosso Filho, em união com o Espírito Santo. Amém.

+ Dom fr. Diamantino Prata de Carvalho, ofm. Bispo Diocesano de Campanha MG, 04/10/1998 Lembre-se das palavras de Nhá Chica: ”Isto acontece porque rezo com fé”.

Rosário de Nossa Senhora da Conceição Reza-se nas contas do Pai Nosso Aflita vos vistes Senhora, Aflita aos pés da Cruz, Aflita estou eu agora, Valei-me ó mãe de Jesus! Reza-se nas contas da Ave Maria Ó Virgem da Conceição, Valei-me nesta ocasião! Oração a Nossa Senhora da Conceição Ó Maria Imaculada, Senhora da Conceição, Filha predileta do Eterno e Divino Pai, Mãe Santíssima do Eterno Divino Filho, Esposa Imaculada do Espírito Santo, Nossa Senhora pela devoção e amor terníssimo que para convosco teve a serva de Deus, Francisca de Paula de Jesus, erguendo em vossa honra uma capela, intercedei junto à Santíssima Trindade e alcançai-nos as graças que com viva fé vos pedimos.Ó nossa boa mãe do Céu, não nos abandoneis. Protegei-nos, defendei-nos, salvai-nos. Assim seja.

7


Informativo Nhá Chica - Notícias do Santuário e da ABNC - outubro de 2012

SÃO FRANCISCO DE ASSIS O Homem da Paz e do Bem uando fazemos memória de São Francisco de Assis, somos remetidos a seu legado de exemplo cristão de amor ao próximo, amor pela natureza e busca por fazer sempre tudo pela paz e pelo bem. A vida de São Francisco de Assis foi assim pautada. No seu Testamento, Francisco revela que recebeu do Senhor tradicional saudação Paz e Bem. Portanto, ela faz parte de sua inspiração original de vida: anunciar a paz. Muito antes de São Francisco, o Mestre Rufino (bispo de Assis na época em que Francisco nasceu) já escrevera um tratado, “De Bono Pacis” - “O Bem da Paz”, e que certamente deve ter influenciado a mística da paz na região de Assis. Encontramos nesta simples mas profunda saudação franciscana um programa de vida, uma forma evangélica de viver o espírito das bem-aventuranças. Saudar alguém com “Paz e Bem” é o mesmo que dizer: o amor de Deus que trago em meu ser, é a mesma pessoa que reconheço nos outros e no mundo e, por causa dEle, devemos viver a caridade - o Bem - entre nós. Caridade esta que pode e deve ser demonstrada dentro da família, nas relações interpessoais no trabalho, mas, especialmente, para os mais necessitados. E neste modo de ajuda ao próximo, Francisco, Clara e as centenas de seguidores pelo mundo o

Q

fazem de modo sempre especial. Na Associação Beneficente Nhá Chica, um lugar que há 58 anos é dirigido pelas Irmãs Franciscanas do Senhor, busca-se pela Paz, pela justiça e pelo Bem ao ajudar crianças mais necessitadas, contando sempre com o inestimável apoio de benfeitores, que também buscam em suas vidas, nas suas possibilidades fazer o mesmo bem ao próximo como ensinou Francisco. Falando sobre a vida exemplar de São Francisco, o Santo Papa Bento XVI afirmou: “São Francisco de Assis agarrou na promessa desta palavra em toda a sua extrema radicalidade. Até o ponto de se despojar das suas vestes e se deixar revestir pelo bispo como o representante da bondade paterna de Deus, que veste os lírios do campo com mais beleza do que a de Salomão (Mt 6,28). Esta extrema humildade foi para ele, antes de mais nada, liberdade de serviço, liberdade para a missão; em última análise, confiança em Deus, que cuida não apenas das flores do campo, mas também dos seus filhos e dos homens; corretivo para a Igreja, a qual, com o sistema feudal, tinha perdido a liberdade e a dinâmica da itinerância missionária; íntima abertura para Cristo, com o qual, na ferida dos estigmas, de tal modo se configura que já não é ele quem realmente vive, mas, como renascido, existe totalmente a partir de Cristo e em Cristo.”

A paz buscada por Francisco só se constrói por meio da caridade (o Bem), através do cumprimento da missão de ir pelo mundo fazer discípulos de Jesus e pregar o Evangelho, ajudando sempre o próximo quando este precisar. A caridade gera a paz e está na paz, assim como o espírito da vida está no corpo. A caridade sozinha mantém firmemente unidos na paz os filhos da Igreja; faltando a caridade, esta paz se dissolve. Por isso a Santa Igreja Católica exorta sempre todos os cristãos batizados a fazerem seu encontro diário com Jesus através do amor, do bem, da paz; começando em casa, na família, passando ao dia a dia, chegando à caridade para com aqueles que precisam. Este Bem que Francisco nos ensinou vivifica os membros de Cristo, os une e os faz estar em harmonia num só corpo, a buscar pela paz entre os homens: “Felizes os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus!” – diz Jesus no Sermão da Montanha (Mt 5,9).

Beatificação de Nhá Chica será em 11 de maio de 2013 A cerimônia de Beatificação de Francisca de Paula de Jesus, Nhá Chica, será no dia 11 de maio de 2013, em Baependi (MG). A comunicação foi feita pelo Bispo da Diocese da Campanha, Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho. O Bispo noticiou a data de forma oficial na sexta-feira, dia 14 de setembro, no Santuário de Nossa Senhora da Conceição, em Baependi. Naquela tarde, estavam presentes as Irmãs Franciscanas do Senhor, crianças da Associação Beneficente Nhá Chica, além de fiéis e devotos. O dia escolhido, segundo o Bispo, está em acordo com o Postulador da Causa, Dr. Paolo Vilotta, e o Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos na Santa Sé, Cardeal Angelo Amato.

8

Ao falar emocionado sobre a data da cerimônia, o Bispo agradeceu a todos que têm se empenhado neste trabalho em prol da Beatificação de Nhá Chica, em especial às Irmãs Franciscanas do Senhor que cuidam do legado espiritual da Venerável há 58 anos. Os devotos presentes no Santuário aplaudiram a notícia e junto com o Pároco de Baependi, Padre Douglas Baroni, rezaram a oração pela Beatificação com as mãos estendidas, voltadas para o túmulo de Francisca de Paula de Jesus. “Sem dúvida é um momento não só de alegria, mas também de muita emoção para todos nós que estamos ansiosos pela Beatificação. Esperamos com fé em Deus que este evento seja realmente marcante para Baependi, para nossa Diocese e para a Igreja como um todo. Nhá Chica é filha querida da Igreja, é um sinal da ternura de Deus e continua proporcionando graças e bênçãos para todos nós. Vamos aguardar o dia 11 de maio de 2013 com muita serenidade, paz e alegria, para vermos a celebração de Beatificação da Venerável Nhá Chica” – afirmou Dom Diamantino.

Ano V - Nº 58 - outubro de 2012  

Ano V - Nº 58 - outubro de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you